Page 1

JHCMídiaDigital

jhcMídiaDigital

Edição 42

Edição 42

Ano 2014 2

Ano 2014


3

Índice

06 ---

África pede socorro

07---

Sudanesa udanesa grávida de oito meses é cindenada a morte

19-----

Marcha archa dos Prefeitos Alimenta mercado do sexo O BRASIL CANSOU DE SER SER O PAÍS DO FUTURO?

24---

(MATÉRIA DE CAPA) 28 --

Policiais do Rio treinam com FBI

32 ----

Estados Unidos criam plano de combate contra

37---

Veja esta seleção impressionante impr

54---

O mito da invasão árabe-mulçumana árabe

60-

--

69 –

Fatos em foco

71---

76---

O Mundo

84---

Esporte

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


4

Equipe Fundado em 12/09/2012. Fundador Diretor Editor Responsável: José Heitor da Costa Presidente: Jaldete Vieira Garcia. Vice-presidente: presidente: José Heitor da Costa. Consultor jurídico: Robson Costa C Diretor Executivo: Sandoval Freire Diretor Administrativo: Valberto Garcia Diretor Comercial: João Carlos Junior Diretor de Contatos Publicitários: Pedro Teixeira Diretora de Publicidade: Carmem Lúcia Diretora de Assuntos Culturais: Ana Cristina Diretora tora de Projetos Gráficos e Web Designers: Izabel Souza Diretor e Editor de Esportes: João Costa Diretor de Assuntos Internacionais: Gilmar Freitas Correspondentes internacionais: Beto Ribeiro. Rotieh Atsoc. Afonso Arruda. Penélope Mirta Repórteres: Afonso Aquino. Pinheiro Junior. Rodrigues Taú. Wanda Lacerda. Colunista colaborador: Chakra Amor. Consultores: Moda / Beleza: Carmem Lúcia. Gastronomia nacional e internacional: Sochiro Ochida Conselho Administrativo Presidente: Jaldete Vieira Garcia. Vice-Presidente: Vice esidente: José Heitor da Costa. Diretor Administrativo: Valberto Garcia

Email: jhcmidiadigital@gmail.com Cel: 55/021. 98178.5433

<A revista não se responsabiliza por conceitos e opiniões emitidas por entrevistados entrev e colaboradores, assim como pelo conteúdo de informes e anúncios publicitários.>

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


5

Editorial A quadragésima segunda edição da revista jhcMídiaDigital revela fatos e acontecimentos ocorridos no mundo durante essa semana. A chegada das gêmeas de mãozinhas mãozinhas dadas nesse planeta nos remete a um momento de reflexão. Um fato que só acontece uma vez entre dez mil. Na outra face da moeda, moeda a insanidade de um grupo fundamentalista mentalista que tenta através da brutalidade e da barbárie, impor seu modelo primitivo seqüestrando rando jovens estudantes Nigerianas. A outra matéria revela à intolerância religiosa no Sudão onde uma mulher Sudanesa é condenada a pena de morte por ser cristã. A Marcha dos Prefeitos em Brasília mostra que na a capital do país além da corrupção a prostituição prostituição também tem seu lugar garantido. Na reportagem especial o país tem seu momento questionado. Os EUA e a Europa em crise encontramos o Brasil diante dele mesmo em busca de um novo modelo. A questão é como e quando esse modelo se apresentará, no presente pre ou no futuro? Com os modelos vigentes em decadência no mundo, o Brasil talvez possa ser o país do futuro, mas para que isso ocorra às mudanças terão que começar agora. O antropólogo Darcy Ribeiro, o único retratar em suas obras o Brasil antes de sua ua descoberta, revela o modelo de vida de seus habitantes. habitantes Naquele modelo havia a felicidade, fraternidade, amor e poe esia. Quem sabe? Uma boa leitura.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


6

África Pede Socorro.

Rotieh Atsoc / jhcMídiaDigital

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


7

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


8

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


9

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


10

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


11

Abubakar Shekau, suposto líder do grupo extremista Boko Haram, fala sobre o sequestro de estudantes no nordeste na Nigéria. Foto: AP

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


12

Grupo de meninas afirma estar com medo de ir para a escola e se tornar alvo de novas ações do grupo islâmico Boko Haram O sequestro de mais de 200 meninas meninas no nordeste da Nigéria está espalhando medo entre estudantes de outras partes do país.

Grupo de Meninas seqüestradas.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


13

Em uma escola em Abuja, capital da Nigéria, estudantes estão com medo de ir à escola e se tornar alvo de novas ações por parte do grupo islâmico Boko Haram, que é contrário à educação Ocidental. A diretora Victoria Emiolorunfe conta que as escolas estão instalando cercas altas para aumentar a segurança dos alunos.

2/7 "Antes não era assim. Além disso, temos controle dos estudantes e pais que entram e saem da escola", afirmou. Segundo o presidente do Sindicato Nigeriano de Professores, Michael Olukoya, 170 professores já foram mortos. "Professores são seu principal alvo porque são eles que pregam o evangelho da educação - e o que o Boko Haram quer é educação árabe, nada mais, nada menos", afirma Olukoya.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


14

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


15

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


16

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


17

Sudanesa grávida de oito meses é cindenada a morte por ser cristã Meriam Ibrahim foi denunciada por casar com um cristão; ela também foi condenada a chibatadas, diz Anistia Internacional Uma sudanesa nascida em berço muçulmano, mas casada com um cristão, foi condenada à morte nesta quinta-feira (15) por se recusar a se desvencilhar de sua fé cristã, informaram funcionários judiciais e uma pesquisadora da Anistia Internacional. Meriam Ibrahim, cujo pai era muçulmano e a mãe cristã, foi condenada por "apostasia" no domingo e teve quatro dias para se arrepender e escapar da morte, disseram autoridades. A mulher de 26 anos foi condenada após esse período expirar, segundo os funcionários, que falaram sob condição de anonimato. Como em muitos países muçulmanos, as mulheres muçulmanas no Sudão são proibidas de se casar com não-muçulmanos, embora os homens muçulmanos possam se casar com mulheres de outras religiões. Por lei, as crianças devem seguir a religião de seu pai. O tribunal na capital, Cartum, também ordenou que Meriam receba 100 chibatadas por ter cometido "zena" - uma palavra árabe para o sexo ilegítimo – por ter relações sexuais com seu marido, um cristão do sul do Sudão. O caso dessa sudanesa chamou a atenção das autoridades primeiramente em agosto do ano passado, quando os membros da sua família se queixaram por ela ter nascido muçulmana,

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


18

mas ter se casado com um cristão. As autoridades a acusaram de "zena" e ela foi levada a julgamento. A mulher foi detida em uma prisão de Cartum em fevereiro deste ano e acusada de apostasia depois de declarar que havia sido criada como um cristã por sua mãe, de acordo com Manar Idriss, pesquisadora da Anistia Internacional no país. Ela está grávida de oito meses e cuida, na prisão, de seu filho de 1 ano e meio, disse Manar. Tem havido um grande número de casos de sudaneses condenadas por apostasia ao longo dos anos, mas todos escaparam da forca por reconsiderarem sua fé. Meriam é a primeira condenada à morte por esse tipo de crime, segundo Manar. Os advogados da mulher pretendem recorrer da sentença. A sentença desta quinta atraiu a atenção das embaixadas ocidentais em Cartum e das organizações de direitos humanos internacionais, incluindo a Anistia Internacional, sediada em Londres. "O fato de que uma mulher ter sido condenada à morte por sua opção religiosa e açoitamento por estar casada com um homem de uma religião supostamente diferente é terrível e abominável", disse a Anistia por meio de um comunicado. "O adultério e apostasia são atos que não devem ser considerados crimes de maneira alguma". O grupo também pediu a libertação imediata e incondicional de Meriam. Sudão vivem sob as leis da sharia islâmica desde o início de 1980, que contribuiu para guerra civil que durou 17 anos e terminou em 1972. O sul se separou do restante do país em 2011 para se tornar o mais novo país do mundo, o Sudão do Sul. Atual governante do Sudão, Omar Bashir, é um islâmico que tomou o poder por meio de um golpe em 1989.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


19

Marcha dos Prefeitos Alimenta mercado do sexo em Brasília Por Marcel Frota e Wilson Lima - iG Brasília / com jhcMídiaDigital

Garotas de programa chegam a se deslocar de outras cidades para atender à demanda; prefeitos pagam até R$ 1 mil por um programa e R$ 500 por uma garrafa de uísque 8 anos

Brasília. A 17ª Marcha dos Prefeitos movimentou de forma anormal não apenas os corredores do Congresso Nacional e o trânsito na Esplanada dos Ministérios. Outro círculo também se preparou para absorver a movimentação dos prefeitos que vieram do Brasil todo para o encontro. Prostitutas que fazem ponto nas boates mais conhecidas da capital federal também se prepararam para o trabalho extra. Além dos chefes dos executivos municipais, contribuem com a prosperidade do mercado de sexo nos três de dias do evento assessores e vereadores. Desde o início da semana, muitas garotas de programa se disseram empolgadas com um crescimento do movimento. Uma delas, que trabalha há aproximadamente cinco anos e se

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


20

Alan Sampaio Ig Brasília Aplee's Night Club, casa noturna localizada no setor de indústrias e setor de hotéis em Brasília.

identificou como Morgana, contou que a Marcha dos Prefeitos tem sido um dos principais eventos das profissionais do sexo. “É muita gente e sem dúvida a demanda cresce nesse período. Depois desse encontro de prefeitos, as coisas vão melhorar apenas na Copa do Mundo”, afirma Morgana. Eduarda, outra profissional do sexo também revelou animação com o encontro de Prefeitos. “É um período que dá para faturar fácil. Muitos prefeitos aproveitam para fazer em Brasília o que não podem fazer em casa”, admite ela, funcionária de uma casa noturna. “Mas é bom ficar de olho. Muitos deles (clientes) são muito discretos, hoje tem muita mídia em cima”, acrescenta ela. “Tá parecendo pescaria, nem dá tempo de sair do táxi que alguém

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


21

já fisga. Tá demais essa Brasília”, ilustrou um deputado da base governista sobre a agitação do mercado do sexo durante esta semana. O preço do programa varia bastante, dependendo do perfil da prostituta e do local da abordagem. Em geral os valores giram entre R$ 200 e R$ 500 em alguns dos pontos visitados pela reportagem, mas o movimento ajuda a puxar os preços. Uma das garotas conta que conseguiu subir o valor para R$ 1 mil. A demanda incomum que gera disputa entre as garotas de Brasília atrai também profissionais de fora da capital federal. Na Alfa Pub, que fica na região central de Brasília, um dos funcionários revela que a notícia a respeito do Encontro de Prefeitos atrai garotas que trabalham em Goiânia, mas que não hesitam em percorrer os cerca de 200 quilômetros que separam a cidade de Brasília para faturar um extra. A chegada das goianas acirra a concorrência, mas os clientes não reclamam do aumento da oferta. A reportagem presenciou a animação de prefeitos que chegavam ao local. Inicialmente tímidos, eles logo entravam no clima. Mas o movimento incomum e tudo aquilo que a clientela de fora da cidade traz atrapalha o mercado, na opinião de algumas garotas de programa. É a opinião de Camille, por exemplo, que forneceu cartão para reportagem perto do Alfa. “Muitos políticos vêm de lugares que não têm muitos recursos financeiros. Eles vêm justamente atrás de verbas e não têm muito dinheiro para gastar com garota de programa e isso acaba tumultuando. Talvez a presença deles seja boa para aquelas que cobram mais barato, para mim não”, diz ela. Funcionários da casa noturna Apple’s, uma das principais de Brasília, admitiram que a movimentação atípica não mexe somente no quadro de garotas disponíveis, mas também cobra uma atenção especial com o bar. Em dias como terça-feira, por exemplo, o movimento foi comparado ao entra e sai dos finais

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


22

de semana, quando o trânsito de clientes é maior. A boate preparou seu estoque de bebidas com essa previsão. Taxistas também ficaram animados com a possibilidade de um lucro a mais com o encontro de prefeitos. Eles admitiram ao iG que recebem R$ 50 das boates para cada político que eles conseguem levar para as casas de strip-tease. Um taxista que preferiu não se identificar admitiu que somente na noite da última terça-feira, levou seis prefeitos a uma casa de striptease. Dentro das boates, a movimentação foi intensa na última terçafeira. Na Apple´s Night Club, havia pelo menos 30 prefeitos de cidades do Ceará, Santa Catarina, Acre, Paraíba e Piauí. Por volta das 23h20, por exemplo, chegou na Apple’s, de uma só vez, uma comitiva com cinco prefeitos cearenses em busca de diversão. Havia petistas, pemedebistas e petebistas entre os prefeitos identificados. A rede hoteleira, superlotada, também viveu dias atípicos. A movimentação das prostitutas chamavam a atenção até mesmo os funcionários, acostumados com o assedio das profissionais do sexo a alguns clientes. Houve até quem relatasse ter sido abordado nos corredores de um hotel de luxo. “O senhor é prefeito?”, perguntou uma prostituta a um dirigente partidário que estava apenas de passagem por Brasília na quarta-feira e se hospedou num hotel de luxo da capital. A proximidade do setor hoteleiro é uma vantagem da Alfa Pub. A entrada do bar, que não passa de um salão tosco com mesas e um balcão sem um pingo de glamour, fica a menos de 50 metros da entrada de um hotel. Algumas profissionais se revezam entre o bar, no qual pagam R$ 40 de entrada, e as adjacências. Muitas conseguem emplacar um programa atraindo clientes do hotel. As meninas que fazem ponto no bar enfrentam ainda a concorrência de colegas que atuam do lado de fora. Além das prostitutas que trabalham na rua, muitas fazem ronda, dentro do carro. Distribuem cartões e fazem ofertas aos transeuntes. Algumas roubam clientes do bar esbanjando

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


23

simpatia e sensualidade e fecham o programa com clientes que estão a caminho do Alfa, mas, seduzidos no caminho, desistem do bar e vão direto ao que interessa. Apesar do crescimento notado pelos profissionais que trabalham nas boates, alguns admitem que já houve dias melhores. Funcionário do Star Night, casa que a exemplo do Alfa Pub funciona como ponto de encontro, admite que o assédio da mídia e reportagens que falam sobre a orgia dos políticos na capital provocaram a desconfiança geral. Muitos preferem usar portais especializados em oferecer o serviço de garotas de programa a ter de comparecer a uma boate.

A disseminação de celulares com câmera também contribuiu para aumentar o receio dos prefeitos. “Hoje em dia, qualquer um saca o celular e faz uma foto. Eles ficam com medo”, diz um funcionário da Star Night. Segundo o mesmo funcionário, esse tipo de coisa relativizou o crescimento do movimento em algumas casas, sobretudo as menores e aquelas que, ao contrário da Apple’s, não oferecem nenhum diferencial, como shows de strip-tease. Além disso, a expectativa em torno da Copa do Mundo deixou todo o mercado relativamente preparado. E a Copa das Confederações funcionou como laboratório para os proprietários. A internet só não consegue suprir o desejo dos grupos que, além de sexo, procuram um ambiente para farrear ao lado de garotas de programa em confraternizações regadas a muito álcool. Um garçom do Alfa Pub conta que os grupos esvaziam garrafas de uísque com uma velocidade que chama atenção até dos consumidores mais assíduos. “Em meia hora eles acabam com uma garrafa de uísque”, diz o garçom. A garrafa do scotch mais barato, envelhecido 8 anos, sai por R$ 500, mas se escolher bebericar em doses a mesma quantia custa R$ 720. O mesmo uísque é vendido em mercados da cidade por R$ 80. Na Apple’s, uma lata de cerveja chega a custar R$ 25, a mesma cerveja é vendia a R$ 2 em mercados de Brasília. A caipirinha feita com vodka é vendida por R$ 45. COLUNA

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


24

O BRASIL CANSOU DE SER SER O PAÍS DO FUTURO? OS POLÍTICOS BRASILEIROS BRASILE DEVEM SE MANTER VIGILANTES CONTRA UM DESCONTENTAMENTO DIFUSO DIF E UMA REVOLUÇÃO SILENCIOSA QUE EXPLODIU NO PAÍS E QUE PODE SER UM PRESSÁGIO DE TORMENTAS MAIORES

JUAN ARIAS El País /com jhcMídiaDigital

O Brasil, o gigante americano, está numa encruzilhada. Para alguns com risco de derrapar na próxima curva. Neste momento, todos estão crispados e quase incrédulos. “O Brasil está um caos”, é a frase que mais se escuta na rua. O fato é que o Brasil luta para sair de uma situação que começou a incomodá-lo: incomodá cansou-se se de ser “o país do futuro” e quer ser o do presente, do agora. Não lhe bastam promessas, e menos ainda as descumpridas. E quer um hoje com qualidade de

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


25

vida. Entre os brasileiros, 73% desejam “mudanças”, inclusive radicais. Repetiu-se durante muito tempo que o Brasil era o “país do futuro”, e apresentava-se a Petrobras como a joia da coroa, emblema da eficiência empresarial, uma empresa modelo no mundo, da qual hoje estão sendo vistos os pés de barro. Qualificar o Brasil como país do futuro acarretava implicitamente que ele ainda não era um país adulto, e sim um adolescente. Embalados por esse mantra, os brasileiros se sentiram esperançados, mesmo sofrendo as garras da realidade presente, cheia de injustiça social, desigualdades dramáticas e serviços públicos de Terceiro Mundo. Agora, os brasileiros querem ser adultos, sem esperar esse futuro incerto, porque além do mais o relógio da História se acelerou, e seus filhos e netos – que serão, esses sim, o futuro o Brasil – nascem já com o pé no acelerador e a mão no smartphone. Sob essa óptica é preciso analisar esse ardor, esse desencanto e até esses surtos de violência repentina e de desassossego generalizado de pessoas que já não se sentem satisfeitas e querem mudar tudo, embora sem saber ainda como fazer isso. O Brasil deveria, neste momento, se olhar sobretudo no espelho dos países irmãos contagiados pelo vírus de um populismo destrambelhado e corrupto, vizinho do autoritarismo ditatorial, como denunciou neste jornal com dureza o escritor Mario Vargas Llosa, referindo-se ao socialismo bolivariano da Venezuela. É sintomático que, em todos os países onde se desencadeou com violência um movimento de protesto para mudar as coisas, tal revolta tenha sido capitaneada sobretudo pelos jovens, que acabaram arrastando para a sua causa outros setores da sociedade que comungam das suas aspirações. E no Brasil? Algo que deveriam levar em conta os que governam os países, inclusive os que vivem em uma democracia decente, embora sempre imperfeita, como a brasileira, é que os jovens representam um impulso para a mudança.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


26

Os jovens precisam estar na primeira fila quando se trata de mudar as coisas, porque levam no seu sangue quente o aguilhão da pressa e a ânsia pelo novo. E suportam, por exemplo, pior que os adultos a corrupção política, porque ainda não estão viciados nessa perigosa roleta. Os poderes podem às vezes cooptar esses jovens com falsos ideais apresentados a eles como revolucionários ou progressistas. Trata-se muitas vezes de operações populistas e enganosas, que acabarão um dia explodindo e se rebelando contra tais poderes. Os jovens costumam ser agregadores, grupais, ao passo que, muitas vezes, os políticos separam e discriminam a ponto de considerarem seus adversários como inimigos. Os Governos de alguns países já estão pagando o preço por terem enganado os jovens impedindo-os de participar em plena liberdade das mudanças de época. E quando os jovens despertam dos pesadelos autoritários que lhes foram impostos, ressurgem em seus protestos com uma força renovada e até perigosa, como estamos vendo em várias latitudes do mundo. Talvez os governantes devessem estudar um pouco mais de psicologia, um pouco mais de Freud, Jung e Lacan, para não dormirem sobre os louros na vã esperança de que os jovens numa democracia jamais pretenderão ser impertinentes com o poder. Ou de que seja possível curvá-los pelo medo ou o suborno. A rebeldia continua aninhada no subconsciente do jovem, pronta sempre para estourar. Aqui no Brasil os jovens começam a dar sinais de desassossego, que se refletem cada vez mais em ações de vandalismo, no ressurgimento de gestos racistas nos estádios de futebol, que pareciam desaparecidos, ou em formas perigosas de tomar a justiça nas próprias mãos. Isso poderia significar que as águas do inconformismo e do desejo de criar algo melhor chegaram a um nível alarmante. Os sintomas são estudados em Medicina como prognósticos de possíveis enfermidades graves. A febre é tão necessária para a segurança do nosso organismo que, segundo a ciência, sem ela morreríamos na primeira enfermidade grave.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


27

Querer curar a febre quebrando o termômetro é a mesma prática estúpida do avestruz de esconder a cabeça diante do perigo, em vez de enfrentá-lo a cara descoberta. Os políticos devem hoje mais do que nunca se manter vigilantes contra um descontentamento difuso e uma revolução silenciosa que estalou no país e que costuma ser presságio de tormentas maiores. E, para conseguir o que querem, os jovens não se comportarão como filhos bons, educados e obedientes. Foram sempre, e continuam sendo hoje, iconoclastas, idealistas e pragmáticos ao mesmo tempo, por paradoxal que pareça. Atenção na Copa! Tudo isso é, ao mesmo tempo, um alerta e uma esperança, para o Brasil e para todo o continente latino-americano, já que, enquanto as águas transbordadas podem ser benéficas ou devastadoras, as estancadas acabam sempre apodrecendo. Ficar inativo, além de impossível, costuma ser perigoso. Os jovens hoje são ecumênicos. Querem ser “cidadãos do planeta”, como escreveu neste mesmo jornal Nathan Gardeis. São filhos do presente. Ignorar isso é brincar com fogo. O Brasil será julgado pelo hoje, não pelo ontem nem por um futuro messiânico. E as eleições estão às portas. E já há rugidos de alerta.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


28

Policiais do Rio treinam com FBI e polícia dos EUA para Copa •

Marcelle Ribeiro Direto do Rio de Janeiro jhcMídiaDigital

Policiais participam de treinamento para a Copa do Mundo de Futebol, no Rio de Janeiro Foto: Daniel Ramalho / Terra

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


29

Um treinamento oferecido por agentes americanos do Serviço Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês), pela polícia de Los Angeles e pela de Chicago está ajudando policiais do Rio de Janeiro a aperfeiçoar detalhes na maneira de atuar em caso de distúrbios civis durante a Copa do Mundo de Futebol. Nesta quinta-feira, policiais militares e civis fizeram uma demonstração de táticas de aproximação e contenção de manifestante dentro do Batalhão de Choque, no Rio de Janeiro. Para os jornalistas, eles simularam a detenção de um manifestante, que jogou um tênis contra PMs. Os policiais usaram bomba de efeito moral e fizeram cerco em redor da pessoa que interpretava um manifestante, mas não dispararam.

O curso da polícia americana está sendo oferecido a cerca de 40 PMs, policiais civis, guardas municipais e bombeiros nesta semana. Com carga horária de 40 horas, o treinamento começou na segunda-feira, se encerra na sexta, e é composto por aulas sobre gestão e controle de multidões, distúrbios civis, estratégias de planejamento, tomada de decisão, uso da força e de inteligência para identificar atos e autores de vandalismo. Segundo o comandante do Batalhão de Choque da PM do Rio, André Luiz Araújo Vidal, a idéia não é, a poucos dias da Copa, fazer grandes mudanças na maneira da corporação atuar.

O curso foi oferecido por agentes americanos do Serviço Federal de Investigação (FBI, na

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


30

sigla em inglês), pela polícia de Los Angeles e pela de Chicago

Foto: Daniel

Ramalho / Terra

O treinamento da polícia americana está sendo oferecido a cerca de 40 PMs, policiais civis, guardas municipais e bombeiros nesta semana

Foto: Daniel Ramalho / Terra

"A gente não vai, em cima da Copa, mudar a maneira de atuar no terreno. A idéia não é mudar práticas de ação de controle de

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


31

distúrbio e sim aprimorar alguns detalhes. O bom profissional se faz no detalhe. A gente aperfeiçoa um detalhe ou outro, mas em sua maioria, a gente está pronto para a Copa", disse o comandante.

Cursos como esse já estão sendo realizados desde 2011, em convênio com a Embaixada dos Estados Unidos e também com a da Espanha, e já capacitaram 4.520 profissionais, em sua maioria PMs. Nesta semana, dos 40 que estão sendo treinados, 27 são policiais militares do Batalhão de Choque.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, o objetivo da ação da PM em possíveis protestos durante a Copa é "conduzir sem lesionar, tirando a agressividade dos manifestantes". Questionado sobre a possibilidade de aconteceram manifestações durante os jogos, o comandante disse que atos ilegais serão coibidos. "Nosso povo é ordeiro. Quem produz esses atos são exceções são um grupo que estatisticamente não é significativo. Quem produzir algum ato ilegal vai ser preso", afirmou o comandante.

André Vidal lembrou que nos Estados Unidos a legislação é diferente da brasileira e, quando sofrem agressões por parte de manifestantes, os policiais lá costumam usar armas letais. Isso, segundo ele, não acontece no Brasil, pois os policiais usam armamento não letal.

No treinamento, os policiais da Polícia Técnica Científica aprenderam técnicas de como identificar fraudes em documentos, para agir em caso de suspeita de ingressos dos jogos da Copa falsificados. Policiais civis tiveram aulas de técnicas investigativas e bombeiros sobre resgate de pessoas feridas.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


32

De acordo com a secretária de Educação, Valorização, e Prevenção da Secretaria de Segurança Pública do Rio, Juliana Barrosos, o objetivo do treinamento, que tem teoria e prática, é dar mais condições aos policiais para tomarem decisões em grandes eventos, não apenas na Copa, mas também em outros momentos, como nas Olimpíadas. "Nem tudo que eles fazem em outros países dá para ser usado. Mas vamos ver o que pode ser usado em comum por nossas três forças", afirmou a secretária, que disse que o treinamento foi pactuado antes das manifestações populares de junho de 2013.

Estados Unidos criam plano de combate contra invasão zumbi Segundo os autores do documento, a criação foi um exercício e o cenário zumbi foi escolhido para que ninguém acreditasse que o documento fosse um plano real

Documento estabelece oito tipos de zumbi adversários que os militares norteamericanos podem encontrar em uma invasão Foto: The Walking Dead / Reprodução

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


33

A Força Militar norte-americana norte americana elaborou um plano de combate contra uma invasão zumbi no país. O documento, que começa com a frase "isso não é uma brincadeira", define regras de combate para a atuação contra mortos-vivos. mortos vivos. As informações são do jornal National Post. Em 31 páginas, o documento estabelece oito tipos de zumbi adversários que os militares dos EUA podem encontrar pelo caminho, no caso de uma invasão. São citados zumbis espaciais, vegetarianos e, inclusive, mágicos. Chamado de "CONPLAN 8888", o documento foi criado com o propósito de ser um exercício de criação criação de planos, ou seja, um treinamento para o ministério. No entanto, é um documento real.

Segundo os autores, foi necessário criar um cenário completamente impossível, para que ninguém acredite que o documento fosse um plano que seria algum dia aplicado na vida real.

The Order of The Thinking Heads

<justiça amr e caridade> /www.facebook.com/groups/313945965851/

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


34

Como construir um buraco de minhoca com a ajuda de aliens escuro Penélope Mirta /jhcMídiaDigital

O que são os chamados chamados “buracos de minhoca”? Eles fazem parte das previsões elaboradas por Albert Einstein, na famosa Teoria da Relatividade, e consistem em um fenômeno astrofísico teórico,que prevê a ligação de pontos distantes do espaço, como uma espécie de atalho para percorrer percorrer longas distâncias no universo. Mas se eles são apenas teóricos, como seria possível construir um? O cientista Manuel Hohmann, da Universidade de Tartu, na Estônia, tem essa resposta. Para realizar tal feito, ele elaborou um modelo para construir construir “buracos de minhoca” estáveis. Mas há um porém: para que o projeto dê certo, precisaríamos da ajuda de aliens feitos de matéria exótica, que só podem se comunicar com a Terra por meio de um fenômeno chamado ondas gravitacionais. Ondas gravitacionais do Big ig Bang foram detectadas PELA PRIMEIRA VEZ! Tem mais um detalhe: o universo está em constante expansão a

velocidades que só aumentam. A teoria que prevalece é que uma força misteriosa, chamada “energia escura”, é quem

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


35

conduz esse processo e é também a responsável por acelerá-lo. Mas Hohmann tem um plano B para isso. Ele tem trabalhado em uma alternativa, chamada “multimetric gravity” (algo como “gravidade multimétrica”, em tradução livre), que envolve cópias do Modelo Padrão da Física de Partículas em que cada uma tem propriedades levemente diferentes. Mistura de partículas As partículas que estão dentro de uma cópia não interagem umas com as outras para construir matéria, como normalmente fariam. E as partículas de diferentes cópias só interagem através da gravidade, um pouco como a “matéria escura” – substância que os cientistas acreditam ser a principal componente do universo, representando cerca de 80% de toda sua matéria. A diferença é que duas partículas feitas de diferentes tipos de matéria se repelem, ao invés de se atraírem. Segundo Hohmann, galáxias inteiras feitas de matéria escura poderiam existir nos enormes vazios cósmicos entre galáxias regulares. E tais estruturas iriam repelir nossas galáxias, e assim poderiam estar contribuindo com o que percebemos como energia escura. Para o cientista, essa teoria também poderia ser capaz de fazer buracos de minhoca, já que a maioria dos projetos para se fazer buracos de minhoca estáveis requerem matéria com energia negativa – que é (detalhe) algo que nunca vimos. Mas a ideia de Hohmann é que se um buraco de minhoca for construído com quantidades iguais de matéria regular e repulsiva (matéria escura), ele poderia ficar aberto e estável. Para levar essa construção adiante, contudo, precisaríamos de muita ajuda de “aliens escuros”. Isso porque civilizações feitas a partir de cada tipo de matéria teriam que cooperar. E, como falamos, eles só poderiam fazer isso através de ondas gravitacionais. Emaranhado quântico pode conectar buracos de minhoca Mancha galáctica “Cada civilização teria que ser capaz de manipular um sistema solar inteiro para gerar essas ondas, e então elas precisariam de um detector de ondas trabalhando para ouvir essa comunicação”, diz Hohmann. O que, em outras palavras, significa que a construção de um buraco de minhoca não vai começar em breve.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


36

“Do ponto de vista puramente matemático, é inteligente e muito elegante”, disse Aurélien Barrau, da Universidade de GrenobleAlpes, na França. “Mas isso está longe de ser convincente do ponto de vista físico”, completou. A teoria da gravidade multimétrica é uma extensão altamente especulativa da relatividade geral. E mesmo se a teoria estivesse correta, a construção de um buraco de minhoca exigiria algo como um milagre para de fato acontecer. A essa altura, você deve estar se perguntando: “o Hohmann está maluco, então?” Não exatamente. Ele aceita que esse cenário tem suas dificuldades. Mas se galáxias escuras existem e estão por aí, em algum lugar do universo, ele acha pode encontrá-las. Isso porque as galáxias podem dar dicas de sua existência. As massivas “normais” deformam o espaço-tempo de uma forma que pode melhorar a luz e aumentar os objetos que estão por trás delas, mais ou menos como uma lente de aumento. Já uma galáxia escura iria desfocar a luz, devido à sua gravidade repulsiva, criando uma leve mancha no vazio onde essas galáxias talvez existam. Quem sabe, os telescópios do futuro possam ser capazes de detectais tais manchas. –newscientist-

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


37

Veja esta seleção impressionante de artes de rua em 3D Mariana Guerra jhcMídiaDigital

Aqui está uma seleção com incríveis artes tridimensionais, feitas pela dupla Joe Hill e Max Lowy que conseguem dar um nó na nossa cabeça, tamanha a habilidade de dar profundidade e relevo a suas pinturas. Infelizmente, Max veio a falecer em 2010, mas seu companheiro Joe continua espalhando sua arte pelo mundo.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


38

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


39

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


40

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


41

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


42

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


43

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


44

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


45

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


46

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


47

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


48

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


49

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


50

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


51

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


52

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


53

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


54

Eurábia

O mito da invasão árabe-mulçumana Uma escola vendida pela prefeitura e transformada em mesquita... Essa imagem – pelo menos aproximada – destacada no dia 11 de abril no canal Europe 1 pelo filósofo Alain Finkielkraut revela o fantasma cada vez mais difundido da invasão árabe-muçulmana da Europa. Especialmente graças ao livro Eurábia, lançado em 2005

por Raphaël Liogier

O outono europeu de 1956, a França e o Reino Unido, aliados de Israel, ocuparam durante alguns dias o Canal de Suez, que acabara de ser nacionalizado pelo presidente egípcio. Porém, sob pressão soviética e norte-americana, as tropas viram-se forçadas a se retirar. Em reação a esse ataque, o presidente egípcio Gamal Abdel Nasser decidiu expulsar milhares de judeus do país. Entre eles se encontrava uma jovem cujo olhar sobre o mundo seria de várias formas determinado pelo trauma da expatriação: jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


55

Gisèle Orebi, mais tarde célebre sob o nome de Bat Ye’or (“filha do Nilo”, em hebraico), desenvolveu a versão mais radical do complô muçulmano contra o Ocidente. Depois de “gangrenar” o Velho Continente, afirma ela, a “civilização árabe-muçulmana” vai conquistá-lo. Essa perspectiva apocalíptica constitui a trama do best-seller que ela publicou nos Estados Unidos em 2005, após várias décadas de maturação: Eurábia, traduzido em hebraico, italiano, holandês e francês. O subtítulo, O eixo euro-árabe, remete às “forças do Eixo” que compuseram a coalizão em torno da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Conforme Bat Ye’or, citada no manifesto do terrorista norueguês de extrema direita Anders Behring Breivik, um mundo árabe-muçulmano conquistador estaria prestes a submergir uma Europa decadente e cínica. Esta teria barganhado, em troca de uma chuva de petrodólares, seu apoio indefectível à Palestina, a abertura escancarada de suas fronteiras mediterrâneas e a aceitação, em última análise, da islamização. Esse cenário no mínimo grosseiro1 conheceu um sucesso inesperado, a ponto de se tornar um dos principais argumentos da extrema direita europeia. Na França, a presidente do Front National (FN), Marine Le Pen, não para de fustigar o “imperialismo islâmico”,que se manifesta segundo ela pela amplitude dos investimentos da Arábia Saudita e do Catar no estrangeiro, e a “islamização da Europa”, evidenciada pelo véu.2 Por sua vez, seu conselheiro de relações internacionais, o estudioso de geopolítica Aymeric Chauprade, declarou, alguns meses após o início da Primavera Árabe: “Ao favorecer o colapso dos regimes autoritários que formavam a última tela protetora da Europa diante da miséria africana, nós liberamos energias que vão trabalhar a serviço de três objetivos: mais imigração para a Europa, mais tráficos, mais islâmicos” (Valeurs Actuelles,25 set. 2011). Inicialmente confinada a alguns grupos extremistas, a tese da Eurábiase difundiu e se banalizou. Os partidos políticos que a defendem alcançam desempenhos notáveis nas

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


56

eleições. Na Suíça, ela foi defendida pela União Democrática do Centro; na Noruega, pelo Partido do Progresso; na Áustria, pelo Partido da Liberdade; no outro lado do Canal da Mancha, pelo Partido pela Independência do Reino Unido. Intelectuais a promovem, alguns explicitamente, como a jornalista italiana Oriana Fallaci (desaparecida em 2006), citada desde a primeira linha do primeiro capítulo de Eurábia, o economista alemão Thilo Sarrazin e o romancista francês Renaud Camus.3 Todos tiveram muito sucesso nas livrarias. A visão de Bat Ye’or também vende jornais: já são incontáveis as capas de revistas consagradas à “ameaça” muçulmana. Quando a L’Express coloca em cena o combate do “Ocidente contra o islã” (6 out. 2010) ou exibe com violência as “verdades que perturbam” sobre o islã (11 jun. 2008),4 a Le Point responde agitando o “espectro islâmico” (3 fev. 2011), promete revelar “aquilo que não se diz” sobre a burca (21 jan. 2011) ou se mostra enraivecida diante desse “islã sem embaraços” (1o nov. 2012). Mesmo pesquisadores sérios em seu campo de conhecimento participam da difusão da tese da Eurábia, como o historiador Egon Flaig5 na Alemanha. Na França, a demógrafa Michèle Tribalat assinou um prefácio bajulatório para o livro de sucesso de Christopher Caldwell que anuncia o colapso de uma Europa vencida pelo islã.6

Espantalho da extrema direita Existe realmente uma “ameaça árabe-muçulmana” que justifique o entusiasmo midiático-político que Eurábiacontribuiu para provocar? Bat Ye’or afirma logo de início que os petrodólares do Golfo permitem aos muçulmanos “comprar para si” a Europa – um programa do Canal Plus (20 maio 2013) intitulava-se “Catar: conquistar o mundo em quatro lições”. No entanto, se em 2011 o Oriente Médio realizava 22% de suas exportações para a Europa e a América do Norte, ele representava apenas 5% das importações desses dois espaços.7 Em outras palavras, é o jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


57

Ocidente que alimenta o Oriente Médio de suas divisas, e não o contrário. A aba “relações internacionais” do cenário da Eurábia não é mais realista. Longe de se mostrarem complacentes em relação à Palestina, os Estados europeus são sólidos aliados de Israel. De fato, como sublinha com insistência Bat Ye’or, eles votaram pela Resolução n. 43/177 da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) em favor da independência da Palestina em 1988. Mas todas as nações do mundo, com exceção dos Estados Unidos e de Israel, fizeram o mesmo na ocasião. Desde então, a União Europeia quase não se distinguiu por seu envolvimento na causa palestina. Pelo contrário. Quando, em setembro de 2011, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, enviou ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, um pedido de reconhecimento da Palestina pelo Conselho de Segurança, o Reino Unido e a França se apressaram a declarar que iriam se abster.8 Caso não fosse comprada pelas monarquias do Golfo, a Europa seria ameaçada por uma inundação de populações muçulmanas? Segundo as estimativas mais altas que circulam na internet, a União Europeia seria hoje habitada, secretamente, por 50 milhões de muçulmanos, número que iria dobrar nos próximos vinte ou trinta anos. Esses dados não são inventados por visionários, mas lançados por pessoas a prioridignas de crédito, como o jornalista canadense Mark Steyn, pai da expressão “genocídio europeu” e um dos principais propagadores do mito da Eurábiana América do Norte. Segundo ele, os muçulmanos deverão constituir 40% da população europeia em 2020. Sabendo que essa comunidade – entendida em seu sentido mais amplo – representa atualmente entre 2,4% e 3,2% da população da União Europeia (12 milhões a 16 milhões de pessoas), seria necessário, para ver realizadas as previsões de Steyn, que essas porcentagens fossem multiplicadas por quinze em dez anos. É uma evolução possível, afirmam os adeptos da Eurábia, pois ondas de muçulmanos emigram para a Europa, depois se reproduzem

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


58

de maneira excepcional e aplicam uma estratégia de conversões em massa. Sobre esses três pontos, a realidade dos números contradiz os argumentos. As sociedades europeias experimentam uma taxa de crescimento migratório estável desde os anos 1980. Ele é de 1,1% na França, 3% no Reino Unido e − 0,7% na Alemanha (números de 2009). Somente três países de maioria muçulmana − o Marrocos, a Turquia e a Albânia − figuram entre as dez primeiras comunidades de imigrantes instaladas na União Europeia.9 Além disso, os muçulmanos não procriam mais que os outros. Na maioria dos países muçulmanos, a taxa de natalidade é muito próxima daquelas observadas nos países ocidentais, e por vezes mesmo mais baixa, como no Irã.10 E as taxas de fecundidade das mulheres muçulmanas instaladas na Europa experimentam uma queda contínua desde os anos 1970, até confluir com a da população geral no início dos anos 2000.11 Restam as conversões. Em 4 de janeiro de 2011, o diário The Independent alertava seus leitores sobre um risco de “islamização do Reino Unido”, porque o número de convertidos tinha duplicado em seis anos, passando de 50 mil para 100 mil pessoas entre 2001 e 2011 (para uma população total de 60 milhões de habitantes). Uma pessoa em seis seria convertida ao islã, num ritmo de 5 mil conversões por ano (pouco mais que na França ou na Alemanha). Seriam necessários assim 6 mil anos para que o Reino Unido se tornasse um país de maioria muçulmana. Uma “invasão” muito lenta, portanto, sobretudo quando a comparamos ao crescimento impressionante das conversões ao cristianismo evangélico e pentecostal no mundo, por exemplo, na China e na África: mil pessoas por dia!12 Trata-se da mais rápida progressão religiosa da história – de zero a 500 milhões de adeptos em menos de um século –, mas poucos meios de comunicação se alarmam com a “evangelização do mundo”... Apesar de seu caráter fantasioso, a influência do cenário de Eurábia não para de crescer. A sombra do complô

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


59

muçulmano alimenta uma nova lógica de defesa cultural: defesa dos “valores” e do “modo de vida” dos povos europeus “de cepa” ameaçados pelo conjunto das minorias etnoculturais de que os muçulmanos representam a quintessência ideal e aterrorizante. Graças ao mito da Eurábia, partidos europeus objetivamente situados à extrema direita podem pretender superar a distinção direita-esquerda. Eles podem se apresentar como defensores do progresso, da liberdade, da democracia, da independência, da tolerância e do secularismo, falsificando esses valores, e assim seduzir além de seu perímetro eleitoral habitual. Raphaël Liogier Raphaël Liogier é sociólogo e autor de Ce populisme qui vient [O populismo que vem por aí], Textuel, Paris, 2013.

Ilustração: Allan Sieber 1 Disponível em: (em grego). 2 Eleftherotypia, Atenas, 12 dez. 2013. 3 Eleftherotypia, 17 dez. 2013. 4 Comunicado do Sindicato dos Trabalhadores do Setor de Telecomunicações e Informática (Setip), 19 dez. 2013. Disponível em: . 5 Avgi, Atenas, 19 dez. 2013. 6 Ler Pierre Rimbert, “Modèle social chinois au Pirée” [Modelo social chinês no Pireu], Le Monde Diplomatique, fev. 2013. 7 Eleftherotypia, 21 dez. 2010. 8 “Grèce: ‘Cherche femmes de chambre sans salaire, contre nourriture et gîte’” [Grécia: “Procuram-se camareiras, sem salário, com alimentação e alojamento], 29 nov. 2013 Disponível em www.okeanews.fr

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


60

Restaurante Panela da Cecília Rua Dona Veridiana, 14 - Santa Cecília São Paulo – SP (11) 2614-7510

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


61

Comida Tailandesa

Bo Bia Bo Bia Rendimento: 3 porções Ingredientes da Receita de Bo Bia 1 folha de papel de arroz 1 manga tommy pepino-japonês em tiras 4 kani-kamas 1 cenoura ralada 2 cebolinhas verdes hortelã picada coentro picado molho 1 colher (sopa) de gengibre ralado

1 colher (sopa) de nampla

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


62

1 colher (sopa) de açúcar mascavo Preparo: Amoleça uma folha de papel de arroz em água morna e reserve. Corte a manga (a parte rente ao caroço é a mais indicada em palitos homogêneos semelhantes ao kani e reserve. Elimine as sementes do pepino com uma colher e corte-o em tiras, sem a casca. Use a casca ralada para decorar o prato. Não será necessário todo o pepino. Arrume na folha de papel de arroz o kani, a manga, 1 tira de pepino, a cebolinha e a cenoura ralada. Enrole a folha e depois embrulhe em filme plástico, enrolando as pontas para prender bem. Leve à geladeira até o momento de servir. Molho: misture o gengibre ralado, o nampla e o açúcar em 1 xícara (chá) de água. Corte pedaços de 3 cm do enrolado (com o filme plástico, eliminando-o em seguida), cubra com hortelã e coentro e regue com um pouco do molho. Dicas: O papel de arroz pode ser encontrado em casas de produtos orientais. Versátil, pode ser usado para fazer trouxinhas, amolecido antes em água morna, ou grelhado (neste caso, tem textura similar à de um biscoito) e usado para decorar pratos. O nampla é um caldo de peixe com temperos. Bastante aromático, dispensa o uso de sal.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


63

Receita de Kao Thom

Kao Thom Rendimento: 2 Porçoes Ingredientes da Receita de Kao Thom 100 g de camarão cinza 80 g de lulas em anéis pré-cozidas 80 g de mexilhões limpos pré-cozidos pré (opcional) 1 ovo batido 2 colheres (sopa) de óleo de girassol 4 colheres (sopa) de cenoura picada 1/2 pimentão verde picado 1/2 pimentão vermelho picado 1/2 pimentão amarelo picado 6 vagens em fatias finas 1 cebola pequena picada 2 xícaras (chá) de molho de ostra diluído em água 1 colher (sopa) de hondashi 1/2 colher (sopa) de açúcar mascavo

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


64 1 colher (chá) de pimenta em pasta (tobandjan) 1 xícara (chá) de arroz jasmim cozido em 1 xícara (chá) de água sem sal com 1/2 xícara (chá) de leite de coco (se necessário, junte mais água) alho picado torrado a gosto / coentro picado a gosto

Preparo: Numa tigela, coloque o ovo e os frutos do mar. Aqueça uma wok e adicione o óleo de girassol. Coloque os frutos do mar e o ovo e deixe fritar por 1 minuto. Vire e adicione os legumes e os demais ingredientes menos o arroz, o alho e o coentro. Cozinhe em fogo médio por 4 minutos. Em seguida, adicione o arroz e deixe absorver o líquido com cuidado para ficar bem cremoso. Coloque em cumbucas individuais e salpique com alho torrado e coentro. Dicas: O nampla é um caldo de peixe com temperos. Bastante aromático, dispensa o uso de sal.

Satay de carne

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


65

Satay de carne Rendimento: 10 porções Ingredientes da Receita de Satay de carne 1/2 kg de carne bovina (filé mignon ou fraldinha) marinada 2 colheres (sopa) de açúcar mascavo 1/2 colher (chá) de sementes de coentro moídas 1 colher (chá) de sementes de cominho moídas 1/2 colher (sopa) de cúrcuma em pó 1 colher (sopa) de suco de limão 1 e 1/2 colher (sopa) de nampla (molho de peixe) 2 colheres (sopa) de leite de coco 1 colher (sopa) de pimenta vermelha em pó 1/2 colher (sopa) de pimenta-do-reino preta moída

Preparo: Modo de Preparo: Em uma tigela, misture todos os ingredientes e coloque os cubos de carne para marinar por, no mínimo, 2 horas. Em seguida, retire os cubos de carne da marinada, monte os espetinhos e grelhe. Descarte a marinada. Sirva quente. Dicas: Você pode usar espetinhos de bambu ou de madeira. Com essa mesma marinada, você pode preparar espetinhos de frango, carne suína, camarão e lula, limpos e devidamente cortados. O nampla, molho de peixe, é vendido em lojas de produtos orientais. Esta receita é típica da região do Sudeste Asiático.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


66

Para os pratos mais apimentados – como costumam ser os da culinária tailandesa, indiana e coreana – os espumantes demi-sec são uma boa pedida. Para a tailandesa, por exemplo, o Château Reynon Sauvignon Blanc é uma boa opção -

A falência de um modelo de gestão Claudius

Silvio Caccia Bava

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


67

Como é que chegamos ao ponto de faltar água, um bem público essencial, nas torneiras de muitas de nossas casas? O racionamento já está em vigor em regiões como a de Campinas, no interior, e na Grande São Paulo, mesmo que o governo do estado se recuse a reconhecer oficialmente essa política. No Rio de Janeiro, bairros como Brás de Pina e Cordovil, na zona norte, e Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste, sofrem há meses com a falta de água. E não há perspectivas de curto prazo para a solução desse problema. Especialistas na área alertam que o rodízio no fornecimento de água pode se tornar regular, como é hoje o rodízio da circulação dos automóveis. Com mais essa crise instalada num ano eleitoral, procuramse os responsáveis. E a conta cai no colo de São Pedro, que não nos mandou um volume suficiente de chuvas. Na verdade, São Paulo precisa de mais um sistema de fornecimento de água do tamanho do Sistema Cantareira, que abastece 9 milhões de pessoas. No Rio de Janeiro é a mesma coisa: a água disponível não dá para todos. Além do fornecimento de água, precisamos de políticas efetivas de preservação dos recursos hídricos e de melhor aproveitamento da água disponível. A necessidade existe, mas os investimentos não são feitos. Em 2013, dos R$ 759,4 milhões previstos para serem investidos em saneamento pelo governo do estado do Rio de Janeiro, 16,8% (R$ 127,6 milhões) foram efetivamente gastos. O mesmo acontece em São Paulo, onde a Sabesp deixou de investir R$ 815 milhões, entre 2007 e 2011, nas redes de água e esgoto previstos nos contratos firmados com prefeituras paulistas. “A Arsesp [Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo] considera que a subexecução desses investimentos contratuais criou um benefício extraordinário, que foi apropriado pela Sabesp e, portanto, deverá ser devolvido aos usuários no ciclo tarifário seguinte (2013-2016)”.1 Depois da crise dos transportes públicos, em junho passado, que levou milhões de brasileiros às ruas em quatrocentas

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


68

cidades do Brasil, temos agora a crise do fornecimento de água, e já se anunciam os apagões e a falta de luz pela sobrecarga do sistema existente e a falta de investimentos em sua melhoria. Sem falar da deterioração da telefonia, especialmente a móvel, cuja expansão não garantiu a qualidade dos serviços. Tais crises na prestação de serviços públicos essenciais têm uma explicação mais prosaica, mundana, que não mobiliza as forças divinas. O modelo de gestão pública, adotado principalmente a partir dos anos 1990 e que lançou e lança mão de privatizações, concessões e terceirizações, orienta-se para viabilizar o maior lucro possível para essas operadoras, mesmo sacrificando o interesse público e as necessidades básicas dos cidadãos. Nesse modelo, o Estado é capturado pelos interesses dos poderes econômicos e atua em favor deles. A simbiose entre governos e empresas se aprofunda com o financiamento por empresas privadas das campanhas eleitorais. A situação não permite remendos no modelo atual. Impõe-se uma discussão de fundo para garantir direitos e assegurar para todos o fornecimento de serviços públicos essenciais de qualidade. A premissa é que esses serviços são bens públicos comuns, são de todos, e não propriedade de ninguém. Não podem, portanto, ser vendidos por empresas privadas, cujo objetivo maior é o lucro. Transportes coletivos, água, luz, gás, saúde e educação devem se converter em bens públicos comuns, geridos diretamente pelo Estado e fornecidos gratuitamente para toda a população, o que significa que não é o usuário que paga diretamente a conta, e sim os impostos arrecadados de todos. Evidentemente, um Estado em simbiose com as empresas não é capaz de fazer isso. É um Estado corrupto, que favorece interesses privados. Garantir os direitos das maiorias e a prestação de serviços públicos essenciais de qualidade requer a reapropriação da máquina pública pela jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


69

cidadania, isto é, uma profunda democratização do modelo de gestão, em que a participação cidadã, pela via de plebiscitos e referendos e pela presença em canais institucionais de participação, possa definir os investimentos, ou seja, quem paga a conta, e exercer o controle social das políticas públicas. Silvio Caccia Bava Diretor e editor-chefe do Le Monde Diplomatique Brasil

Fatos em foco Mulher fotografa "tornado em chamas" em fazenda do Missouri. Uma mulher que dirigia em uma rodovia próximo à cidade de Chillicothe, no estado do Missouri, captou o fênomeno que muitos vem chamando de "firenado', ou tornado em chamas. "Isso deve ter sido a coisa mais legal e aterrorizante que eu ja vi", escreveu Janae Copelim no Instagram. O fenômeno foi registrado no momento em que um fazendeiro ateava fogo em uma plantação De acordo com o canal de TV americano The Weather Channel, o tornado em chamas é mais comum do que se imagina. "Eles se formam quando o ar é superaquecido por fogo intenso e cria redemoinhos na posição vertical". Ninguém ficou ferido com o incidente.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


70

Marrocos constrói barreira contra imigração perto de Melilla A cidade autônoma espanhola é uma das duas únicas fronteiras terrestres entre a África e a Europa Imigrantes africanos discutem com a polícia espanhola, ao tentar atravessar uma cerca de metal que separa Marrocos de Melilla, em 1° de maio

Foto: AP O Marrocos iniciou a construção de uma nova barreira perto de Melilla, enclave espanhol que já dispõe de sua própria grade, no âmbito da luta contra a imigração clandestina, anunciaram neste sábado funcionários de ONGs locais. O presidente da Associação Rif de Direitos Humanos (ARDH), Chakib Khyari, disse à AFP que os trabalhos já começaram há 20 dias, confirmando informações noticiadas pela imprensa. O funcionário da ONG acrescentou que a barreira terá cinco metros de altura. Contatadas pela AFP, as autoridades marroquinas não quiseram fazer comentários. Melilla e o outro enclave espanhol de Ceuta, na costa norte do Marrocos, são as únicas fronteiras terrestres entre o continente africano e a Europa. A pressão migratória dobrou desde o começo do ano, especialmente em Melilla, que já tem uma cerca de sete metros de altura. Segundo cifras oficiais espanholas, os imigrantes clandestinos que entraram nos dois enclaves aumentaram 50% em 2013.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


71

Regina Flores consultora ra da jhcMídiaDigital

Estilo Livre nas Ruas

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


72

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


73

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


74

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


75

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


76

O Mundo Gêmeas idênticas nascem de mãos dadas em Ohio Médicos tiveram uma surpresa ao encontrar gêmeas de mãos Dadas após o nascimento. Mãe chamou ato de "começo de grande amizade". Foto: The Mirror / Reprodução / jhcMídiaDigital

Jillian e Jenna Thistlethwaite nasceram de mãos dadas, ato a que a mãe chamou de "o começo de uma grande amizade" nesta sextafeira. O parto foi realizado na cidade de Akron, Ohio, nos Estados Unidos. As informações são do The Mirror e CBS News.As meninas compartilharam o mesmo saco amniótico e mesma placenta, um tipo de gestação que só acontece uma vez a cada 10 mil. A mãe Sarah, 32 anos, estava com medo pela condição que, muitas vezes, pode ser de risco por causa de alguma complicação com cordão umbilical. Após um parto bemsucedido, os médicos tiveram uma grande surpresa ao encontrar os bebês segurando as mãos. “Eu não acredito que elas estavam de mãos dadas. É maravilhoso”, disse a mãe. Jillian e Jenna tiveram de ficar alguns dias recebendo ventilação na UTI, mas foram liberadas neste domingo. "Foi o melhor presente do Dia das Mães que poderia receber", disse Sarah.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


77

Chakra Amor /

Contos e Lendas

Chakra Amor é filosofo poeta pensador artista plástico

A escola dos bichos Rosana Rizzuti

Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas. O Pássaro insistiu para que houvesse aulas de vôo. O Esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E o Coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída. E assim foi feito, incluíram tudo, mas… cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos. O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele. Mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: “Voa, Coelho”. Ele saltou lá de cima e “pluft”… coitadinho! Quebrou as pernas. O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também. O Pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma toupeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos. Sabe de uma coisa? Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias dadas por DEUS. Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades. Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feito. Respeitar as diferenças é amar as pessoas como elas são.

...

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


78

Um Rolê por MADRID, MADRID ESPANHA. Penélope Mirta / jhcMídiaDigital

Gran Via Madrid No centro da avenida fica a área conhecida por “broadway madrilena”. São muitos teatros que oferecem musicais e espetáculos teatrais. Durante o dia escolha um para assistir e ja compre os ingressos. os. Volte a noite para a apresentação. Dificilmente você consegue ingresso na hora. Lá os espetáculos começam cedo…muitos já no final de tarde. A “Gran Via” passa pela Plaza de España, outro importante ponto turístico.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


79

Plaza Mayor A plaza Mayor nada mais é do que uma praça cercada por prédios que parecem palácios e hotéis antigos. Tudo incrivelmente histórico. Cenário bem europeu. Um bom lugar para se passar o final de tarde. Muita gente senta no chão, bem no centro da praça, para convesar, comer alguma coisa, fazer um som. Há muitas opções de restaurantes, bares para um lanchinho rápido e lojas de artesanato e lembranças da Espanha É a maior praça de touros da Espanha e a segunda do mundo (perde apenas para o México). A praça de touros foi construída em 1931 e carrega nas paredes traços históricos muito ricos. Apesar de ser contra as touradas a visita é válida porque faz parte da cultura espanhola. É

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


80 importante ver de perto, pelo menos conhecer, esse hábito espanhol. É um evento grandioso para os espanhóis. espanhóis. Dia de festa. Se você quiser assistir a uma tourada cuidado com o dia. As touradas acontecem todos os domingos entre março e outubro.

PALÁCIO REAL DE MADRID

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


81

ESTÁDIO REAL MADRID O estádio Santiago Bernabéu foi inaugurado na década de 40. Tem capacidade para 80 mil torcedores, todos sentados. O Real Madrid tem a segunda maior torcida da Espanha com aproximadamente 41 milhões de torcedores ficando atrás apenas por seu rival Barcelona com aproximadamente 44,2 milhões de torcedores.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


82

PUERTA DEL SOL É uma movimentada praça central de Madrid. Lá está o símbolo da cidade: uma estátua de bronze do urso tentando alcançar frutos de uma árvore.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


83

PUERTA DE ALCALÁ É um monumento situado na Praça da Independência, na Rua de Alcalá. É constituído tituído por duas portas gigantescas. Foi construído em 1778 para servir como porta de entrada da cidade.

Ó Ônibus turismo.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


84

Esporte Circuito Mundial de Surfe Etapa do Rio. Rio -

João Costa Editor de Esportes jhcMídiaDigital

O surfista brasileiro Adriano de Souza se torna campeão mundial do torneio Billabong Pro Surf, RJ. RJ Adriano de Souza, mais conhecido como Mineirinho, tem enfrentado dificuldades extras na etapa do Rio. Primeiro, foi obrigado a pegar pranchas novas para competir, já que as suas ficaram retidas pela Receita Federal na alfândega do Aeroporto do Galeão. Além da derrota na estreia na quarta-feira, quarta ele ainda sofreu uma contusão. Mas, como não teve disputa por dois dias, por causa da falta de ondas, ganhou tempo para se recuperar. Adriano de Sousa.

Foto: Wilton Júnior/AE

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


85

Movimentação de cariocas e fotógrafos na praia da Tijuca para a final do Billabong Pro Surf, no RJ. Foto: Wilton Júnior/AE

Movimentação de cariocas e fotógrafos na praia da Tijuca para a final do Billabong Pro Surf, no RJ. Foto: Wilton Júnior/AE

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


86

O surfista brasileiro Adriano de Souza se torna campeão mundial do torneio Billabong Pro Surf, RJ. Foto: Wilton Júnior/AE

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


87

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


88

Der Spiegel adverte para os riscos da Copa 2014 Cley Scholz / jhcMídiaDigital

SÃO PAULO – A revista semanal alemã “Der Spiegel” publicou reportagem de capa, sobre os riscos da Copa 2014 no Brasil. A imagem da capa é uma bola oficial ‘Brazuca’ pegando fogo como um meteoro enquanto despenca sobre o Rio de Janeiro.

Capa da Der Spiegel: a Brazuca despenca sobre o Rio de Janeiro

Faltando quatro semanas para o início da competição, segundo a revista, crescem os protestos contra a corrupção, desperdício de dinheiro público e contra a Copa do Mundo da FIFA. Segundo a revista, há ameaças de greves e riscos de distúrbios. O repórter Jens Güsling fala sobre o noticiário repleto de cenas de violência. A revista destaca a destruição recente de 400 ônibus no Rio e os protestos dos sem-teto que bloqueiam o trânsito em São Paulo e outras manifestações do gênero em várias capitais. A revista narra também o clima de descontentamento com a situação econômica, a insegurança, o atraso das obras de infraestrutura, educação e saúde. O gasto de R$ 10 bilhões com 12 novos estádios também é citado na revista, que destava a previsão de lucro de R$ 10 bilhões da Fifa, sendo R$ 6,5 bilhões com direitos de transmissão e R$ 3,5 bilhões venda de direitos de imagem. O escritor mineiro Luiz Ruffato, entrevistado pela Der Spiegel, fala sobre o uso político da Copa em ano de eleição.“Assim como na ditadura em 1970, assim é agora. No começo se dizia que a Copa do Mundo da FIFA traria muitos benefícios para o

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


89

povo e para as cidades-sede porque haveria grandes investimentos na infraestrutura. Agora vemos que praticamente não houve investimentos em infraestrutura, mas em compensação foram construídos estádios que ninguém precisa, que o dinheiro público foi desperdiçado e que houve oportunidade para mais corrupção.”

A equipe da revista visitou a favela do Jacarezinho, no Rio, onde o fundador da ONG Rio de Paz, Antonio Carlos Costa, disse ser a favor das manifestações durante a Copa. “Nós não vamos ganhar nada com esta Copa. Nada vai mudar para nós.” A revista afirma que a esperança do governo brasileiro e da FIFA é que a seleção brasileira conquiste o povo e alcance o “hexa”. Assim, o clima de insatisçaão poderia terminar em Carnaval.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


90

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


91

Copa 2014 O governo inicia contagem regressiva para a Copa de R$ 25,6 bilhões Entidade divulga que foram gastos R$ 21,4 bilhões em verba pública para a competição de 31 dias Estado de S. Paulo jhcMídiaDigitali

SÃO PAULO - A contagem regressiva para o Mundial mais caro da história já começou. A 30 dias do pontapé inicial, o governo resolveu divulgar os valores envolvidos para a segundaCopa do Mundo no Brasil. Foram investidos R$ 25,6 bilhões, com 83,6% ou R$ 21,4 bilhões, em verbas públicas. Os grandes investimentos estão concentrados nas obras viárias e transporte público (33,6%), estádios (27,7%) e aeroportos (26,5%). Com 2,5 milhões de ingressos vendidos para as 64 partidas da Copa do Mundo, o governo espera por um grande número de turistas invadindo o País a partir do fim de maio e início de junho. São esperados nada menos de 600 mil estrangeiros para acompanhar suas seleções pelas 12 sedes espalhados no Brasil. E, para não fazer feio, a organização do Mundial já se arma com a utilização de 18 mil voluntários que atuarão em todas as frentes para deixar 'os convidados' bem à vontade. Aptos para a utilização de vários idiomas, os voluntários servirão para indicar meios de transporte até estádios, local onde cada um vai ficar sentado e até servir de guia turístico de determinada sede.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


92

A Copa do Mundo do Brasil já garantiu 3,6 milhões de empregos nas obras de mobilidade e na construção/reforma das 12 arenas. Muitas delas, por sinal, ainda passam pelos retoques finais. A Arena da Baixada, por exemplo, terá um jogo-teste nesta quarta-feira entre Atlético-PR e Corinthians. O clube paulista, por sinal, ainda corre para deixar o palco da abertura do Mundial pronto. Domingo, diante do Figueirense, apenas 40 mil lugares serão utilizados no primeiro jogo oficial do estádio. As arquibancadas provisórias, que garantirão os 68 mil lugares exigidos pela Fifa, ainda não estão prontas. A colocação de cadeiras nos estádios do Mundial parecem que são a pedra no sapato. A Arena Pantanal, em Cuiabá, está atrasada justamente nesse quesito. Já a Arena Amazônia, finalizando os últimos detalhes, está cancelando os jogos que receberia do Brasileirão e da Série B para dedicar-se exclusivamente ao Mundial. A Copa de 2014 será transmitida para mais de 200 países, ou 3,2 bilhões de telespectadores.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


93

Jogadores do Sevilla explicam beijo "apaixonado": saiu assim

Capitão do Sevilla levanta a taça e beija colega na boca O meia Ivan Rakitic e o volante Daniel Carriço, jogadores do Sevilla que se beijaram na boca na comemoração do título da Liga Europa na última quarta-feira, falaram sobre o acontecido em vídeo divulgado pelo jornal Marca. Segundo Rakitic, a intenção era dar um beijo no rosto, prática comum na Espanha. "Fomos dar um beijo na cara, normal, mas saiu assim. E bem na frente da câmera, que azar", brincou o croata. Já Carriço respondeu de forma irônica. "Um beijo apaixonado, não? É a emoção", disse o portuguê

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


94

Time boliviano inscreve Evo Morales como atleta profissional

jhcMídiaDigital

O Sport Boys, da Bolívia, tem um novo reforço em seu elenco. A equipe inscreveu oficialmente como jogador profissional nada mais nada menos do que o atual presidente do país latinoamericano Evo Morales. A informação foi confirmada pelo Ministério de Comunicações da Bolívia através de seu Twitter.

Evo Morales gosta de futebol e costuma aparecer em jogos amistosos Foto: Getty Images

A nova equipe do presidente do país foi fundada em 1954 e disputa a primeira divisão do atual campeonato local. O Sport Boys está na nona colocação e perdeu por 3 a 1 para o Oriente Petrolero em sua última partida. Presidente do país, o boliviano Evo Morales é costumeiramente visto em jogos amistosos com amigos e times locais.

Morales foi um dos principais defensores da manutenção das partidas em territórios com altitude quando um movimento ameaçou a disputa de jogos em cidades situadas em locais de ar rarefeito.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


95

Haitiana tem tumor de quase dois quilos removido do rosto. jhcMídiaDigital Tratamento de jovem foi pago por um empresário americano; tumor era benigno

Foto: YouTube/The Mirror / Reprodução

Uma jovem de 15 anos passou por uma cirurgia de 12 horas para remover um tumor gigante que deformou todo o seu rosto. As informações são doThe Mirror. Hennglise Dorvial, do Haiti, foi operada por médicos da organização de caridade “Operação Sorriso”, no estado da Virgínia, EUA.

Foto: YouTube/The Mirror / Reprodução

O tumor benigno, que foi retirado, pesava quase dois quilos e causava deformação da face da menina. Um dos médicos presentes no procedimento, o doutor William McGee, CEO da organização, disse que este foi o maior tumor que ele já removeu.A “Operação Sorriso” ajuda a organizar o tratamento para as crianças de países pobres que possuem fissura labiopalatal (popularmente chamado de lábio leporino) e outras deformidades. O tumor de Hennglise apareceu como um pequeno ponto, do tamanho de uma ervilha, no nariz da jovem. O tratamento foi realizado por meio de caridade, pago pelo empresário Larry O'Reilly, que a conheceu durante uma viagem ao Haiti. jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


96

Franceses vão de saia à escola para protestar contra sexismo Uma centena de jovens do sexo masculino compareceu de saia à escola na cidade de Nantes (oeste da França) nesta sextafeira para fazer uma denúncia simbólica contra o sexismo. A ação foi apoiada pelas autoridades educacionais e provocou polêmica.

"Minha irmã me emprestou", explicaram os jovens - que vestiam saias coloridas, lisas, estampadas, rodadas ou não. Esta operação de sensibilização frente aos problemas do sexismo, na qual uma centena de meninas também participaram, tem como título "O que levanta a saia" e foi lançada por iniciativa dos estudantes, também sendo aprovada pelas autoridades de Nantes. A iniciativa recebeu muitas críticas, principalmente nas redes sociais, de organizações que se opõem ao casamento homossexual, legalizado na França desde maio de 2013, e daqueles que consideram que a diferença entre sexos é uma questão biológica, e não uma construção social.

Além de convidar os jovens a usar saias como ato simbólico, a iniciativa pretende criar um espaço de debate entre os jovens sobre este tema nas escolas de ensino médio. Sarah, Ileana, Lea e Anne, todas vestidas de saia, discutiam em uma roda. "Eu nunca uso saia pra ir à escola, as pessoas te olham e você sabe que falam pelas suas costas...", reconhece uma delas. "Ficamos felizes (pelos meninos usarem saias), mostram que são valentes. Não ter medo do ridículo e isso é admirável", disse uma delas.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


97

Putin e pênis de chocolate dividem vitrines na Ucrânia

Nas prateleiras de uma loja ucraniana, os chocolates em homenagem ao presidente russo dividem espaço com chocolates em formato de pênis

Foto: AFP

Modelo brasileira é presa na China e família quer libertação A modelo brasileira Amanda Griza, 19 anos, completou nesta quinta-feira uma semana presa na China, onde trabalhava há cerca de três meses. A jovem foi detida junto com outros 60 modelos durante um falso teste profissional. A operação da Polícia daquele país tinha como objetivo coibir a atuação de modelos que não têm visto de trabalho. No Brasil, a família aguarda com ansiedade informações sobre a sua libertação. jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


98

Segundo o pai de Amanda, Edson a notícia mais recente da filha veio na noite desta quarta-feira e amenizou o sofrimento. “Desde a prisão (há uma semana) ficamos mais de 72 horas sem nenhuma informação sobre a situação da Amanda. Depois, as notícias eram vagas e desencontradas. Escrevemos uma carta que foi entregue ontem. Foram sete dias de agonia”, comentou ele. A tristeza foi amenizada porque um ex-diplomata brasileiro conseguiu conversar pessoalmente com a modelo. “Acreditamos que está mais perto do fim do que do começo. Como pais, queremos tê-la conosco o mais rápido possível”, desabafou o pai, ao lado da esposa Elena. Natural de Osório, no Rio Grande do Sul, a família reside há sete anos em Balneário Camboriú, em Santa Catarina. A jovem trabalha desde os 11 como modelo. O pai contou que a filha ficaria apenas mais alguns dias em Pequim, onde houve a prisão, antes de se mudar para Hong Kong, concluído o contrato de trabalho. Emocionado, ele desabafou que a família teve "boa fé" ao acreditar na proposta de trabalhar e seguir as orientações da agência que a contratou. "Ela foi uma vítima da situação", disse ele, sobre a falta de visto de trabalho da filha. Neste momento, a principal preocupação do pai está relacionada à questão política da China. Ele recordou que junto com Amanda foram presos modelos de várias nacionalidades, como da França, Grécia, Rússia, Itália e Estados Unidos. “Temos medo de que essa situação resulte em um problema diplomático maior”, disse.

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


99

Jornal: Fátima Bernardes é a mulher mais bem paga da TV

Fátima Bernardes Foto: TV Globo/Divulgação

Segundo a coluna Olá, do jornal Agora São Paulo, Fátima Bernardes é a mulher mais bem paga da televisão. Contando salários e propagandas, a apresentadora ganha cerca de R$ 1,5 milhão por mês. Ana Maria Braga recebe cerca de R$ 1 milhão por mês. Terra

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


100

EVOLUÇÃO HUMANA, PALEONTOLOGIA Crânio resgatado de caverna submersa no México dá pistas sobre o povoamento das Américas Análises morfológicas e genéticas do fóssil de 12 mil anos reforçam a hipótese de que o continente americano foi povoado por uma única onda migratória da Beríngia

FOTO: Pesquisadores-mergulhadores Alberto Nava e Susan Bird examinam o crânio encontrado na caverna submersa Hoyo Negro, em pesquisa apoiada pela National Geographic Society. Crédito: Paul Nicklen/National Geographic

FOTO: A

caverna Hoyo Negro, fotografada de baixo, por meio de uma técnica conhecida como “pintando com luz” (30 segundos de exposição). Um dos túneis de acesso pode ser visto no topo da caverna, à esquerda. Crédito: Roberto Chavez Arce

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014


101 -

jhcMídiaDigital

Edição 42

Ano 2014

Quadragésima segunda revista  

A quadragésima segunda edição da revista jhcMídiaDigital revela fatos e acontecimentos ocorridos no mundo durante essa semana. A chegada das...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you