Page 1

JANEIRO A MARร‡O Serviรงo Educativo 2013


VISITAS ORIENTADAS

ESPETÁCULOS

OFICINAS PARA CRIANÇAS E JOVENS

ATÉ 31 MARÇO

18 E 19 JANEIRO

JANEIRO A JUNHO | QUINTAS

PARA ALÉM DA HISTÓRIA

TROPEÇAR

OFICINA DE OLARIA

TODO O ANO

VISITAS ORIENTADAS AO CCVF

Teatro do Vestido 26 JANEIRO

HISTÓRIAS DO PRINCÍPIO DO MUNDO

António Fontinha e convidados

LABORATÓRIOS DE CRIAÇÃO E FORMAÇÃO PARA JOVENS 23 E 24 FEVEREIRO

HUMAN FIELD RECORDINGS Manuela Barile

09 E 10, 18 A 22 MARÇO 06 E 07, 13 E 14 ABRIL

FILMAR HOJE O TRABALHO DE ONTEM

Amarante Abramovici e Tiago Afonso 25 A 28 MARÇO

: A PÉ, ANTE PÉ : Luísa Alpalhão

JANEIRO A JUNHO | TERÇAS

OFICINA DE FABRICO DE PAPEL 18 A 22 E 25 A 28 MARÇO

PROGRAMA À DESCOBERTA

01 E 02 FEVEREIRO

A CARA

Aldara Bizarro

OFICINAS PARA ADULTOS

14 E 15 FEVEREIRO

16 JANEIRO

O PESO DE UMA SEMENTE

OUTROS NINHOS OUTROS VOOS

Marina Nabais 13 A 17 MARÇO

COMER A LÍNGUA

Regina Guimarães Teatro do Frio

Inês Barahona 21 A 26 JANEIRO

PAREDES DE VIDRO EM RECONSTRUÇÃO OU ZONA DOS PAIS Teatro do Vestido

02, 04, 05 E 23 FEVEREIRO

CORPO COMUM

João Sousa Cardoso Aldara Bizarrro Regina Guimarães 16 E 17 MARÇO

CAMINHOS DO OLHAR BLOCO III

Oficinas do espetador Magda Henriques com Vera Santos


ATÉ 31 MARÇO / TERÇA A DOMINGO • M/4 ANOS

VISITAS ORIENTADAS À EXPOSIÇÃO "PARA ALÉM DA HISTÓRIA" VISITAS

Para Além da História, exposição comissariada por Nuno Faria, define o futuro âmbito programático do Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG). O CIAJG junta peças das três coleções de José de Guimarães – arte tribal africana, arte pré-colombiana e arte arqueológica chinesa –, obras da autoria do artista e de outros artistas contemporâneos e objetos do património popular, religioso e arqueológico de Guimarães.

Ilustração de Pedro Oliveira

Nesta exposição, o público tem ao seu dispor quatro tipologias de Visita Orientada, podendo assim percorrê-la sob diferentes conceitos: Atlas, que desmonta a hierarquia instituída entre formas produzidas em diferentes culturas, tempos e lugares; Celebração, que faz emergir dimensões mais subterrâneas ou misteriosas que os objetos expostos materializam; Corpo/ Espaço, que toma o corpo como referente central na formação do espaço geográfico e concetual, arquitetónico e expositivo; e Memória, que confronta memória individual e memória coletiva e valoriza os processos de inscrição produzidos por ação humana e por ação do tempo.

Visitas orientadas Local CIAJG – Centro Internacional das Artes José de Guimarães | Plataforma das Artes e da Criatividade, Horário terça a domingo, das 10h00 às 19h00, Duração c. 1 hora Preço grupos escolares 2 eur/pessoa; público geral 5 eur/pessoa, Entrada gratuita Crianças até 12 anos quando acompanhadas de adulto pagante e Professores acompanhantes de grupos (na proporção de 1 acompanhante por cada 10 estudantes), Lotação mín. 8 pessoas/ grupo, máx. 20 pessoas/grupo Atividade sujeita a marcação prévia com pelo menos uma semana de antecedência através do e-mail servicoeducativo@aoficina.pt


TODO O ANO / TERÇA A SEXTA • M/ 4 ANOS

VISITAS ORIENTADAS AO CCVF

VISITAS

Local CCVF, Horário Terça a Sexta, das 10h00 às 19h00, Duração c. 1 hora, Preço 1 eur s/ desconto, 0,50 eur c/ desconto, Entrada gratuita Crianças até 12 anos quando acompanhadas de adulto pagante e Professores acompanhantes de grupos (na proporção de 1 acompanhante por cada 10 estudantes), Lotação mín. 10 pessoas/grupo, máx. 30 pessoas/grupo Atividade sujeita a marcação prévia com pelo menos uma semana de antecedência através do e-mail geral@aoficina.pt

Nas visitas orientadas ao Centro Cultural Vila Flor cada grupo é recebido com um percurso desenhado à medida da sua curiosidade, adaptado à faixa etária, à linguagem e aos propósitos que traz consigo. Enquanto percorre os espaços da estrutura, vai conhecendo a História do teatro e a evolução do espaço cénico ao longo dos tempos. Vai ainda explorar os bastidores de uma casa de espetáculos e descobrir os segredos de uma caixa negra que tem o poder de tudo transformar…

Direitos Reservados

Visitas orientadas


18 E 19 JANEIRO • M/ 7 ANOS

TROPEÇAR

Teatro do Vestido

ESPETÁCULO

Tropeçar é um espetáculo para crianças e adultos, criado pelo Teatro do Vestido a partir das premissas que orientam o trabalho da companhia: desenvolvimento de uma dramaturgia original, histórias autobiográficas, questionamento do mundo e do seu funcionamento, reflexão sobre o que nos inquieta aqui e agora. Em Tropeçar, quatro vozes, quatro testemunhos, às vezes a solo às vezes em conjunto, desfiam memórias, jogos, narrativas, viagens e perguntas, numa jornada que os leva da rua onde cresceram até à ceia de Natal, das brincadeiras no ferro velho até à consciência da perda e da ausência, e das perguntas todas que os adultos até hoje não lhes souberam responder. - O que é que sentiste quando viste o monstro? - Senti que devíamos fazer pouco barulho. - O monstro?! - A morte. - Ah. Tropeçar pretende ser mais sobre aquilo que as crianças nos dizem e menos sobre o que nós lhes dizemos a elas. Encomenda da Fábrica das Artes/CCB, esta nova criação do Teatro do Vestido convoca uma equipa rica e diversificada para construir uma forma singular de teatro para a infância.

Imagem de João Paulo Serafim

Tropeçar é ainda mote para uma oficina para adultos, pais e mães. ( v. em Oficinas para Adultos)

Teatro Local Pequeno Auditório CCVF Horário Dia 18, às 10h00 | Dia 19, às 16h00 Duração 50 min., Preço 2 eur Direção Joana Craveiro, Cocriação e espaço cénico Ainhoa Vidal, Gonçalo Alegria, Inês Rosado, João Paulo Serafim, Lara Portela, Raimundo Cosme, Rosinda Costa, Interpretação Inês Rosado, Lara Portela, Raimundo Cosme, Rosinda Costa, Música Gonçalo Alegria, Movimento e Figurinos Ainhoa Vidal, Fotografia e Vídeo João Paulo Serafim, Desenho de Luz Gonçalo Alegria, João Paulo Serafim, Produção Executiva Joana Vilela, Assistência de Produção Miguel Stichini Coprodução Teatro do Vestido / CCB Fábrica das Artes, Teatro do Vestido é uma estrutura financiada pelo governo de Portugal/ Secretaria de Estado da Cultura/Direção Geral das Artes


26 JANEIRO • M/ 8 ANOS

HISTÓRIAS DO PRINCÍPIO DO MUNDO António Fontinha e convidados

ESPETÁCULO

Local CCVF, Horário 21H30, Duração c. 2 horas, Lotação limitada, Preço entrada gratuita

Desenvolvido em torno da tradição oral, o projeto Histórias do Princípio do Mundo percorreu oito freguesias do concelho de Guimarães, entre janeiro e outubro de 2012. Sob orientação de António Fontinha que, de cada vez, se fez acompanhar por diferentes contadores de histórias, os serões decorreram em casas de traça rústica, onde o público era acolhido num ambiente familiar, privilegiando a participação de vizinhos e amigos dos anfitriões do projeto. É chegado agora o momento de encerrar este ciclo, novamente sob o luar de janeiro, num último serão de características particulares. A travessia realizada do centro para a periferia, em busca do cenário e dos interlocutores certos para desencantar antigas formas, transformou-se no desejo de acolher, agora no centro, em nossa casa, quem antes tão bem nos recebeu, enunciando novas relações. Concretiza-se assim a reciprocidade necessária para fazer conviver, no mesmo plano, culturas que habitam o mesmo território. No final deste último serão, será apresentado o Caderno de Memória do Histórias do Princípio do Mundo, com textos de António Fontinha e de vários participantes e convidados do projeto.

Direitos Reservados

Sessão de Contos


01 E 02 FEVEREIRO • 8 AOS 14 ANOS

A CARA

Aldara Bizarro

ESPETÁCULO

Fotografia de Margarida Ribeiro

Portugal é um país pequeno que faz por caber numa Europa cansada. Esbraceja e tenta a todo o custo manter-se à tona. E se, tal como José Saramago em Jangada de Pedra, ou Emir Kusturika em Gato Preto Gato Branco nos sugerem, nos pudéssemos afastar com um pedaço de terra de país ou de península e, com a ajuda de uma pagaia, nos deslocássemos para outros pontos do globo cujo convívio já fez mais sentido na nossa existência? Ora agora vou para Macau.... ora agora vou para Goa, para o Huambo, em Angola, ou São Tomé Príncipe. Em quê que isso nos afetava? Em quê que a nossa identidade se transformava? Conseguiríamos criar uma árvore genealógica performativa dando valor ao que fomos e ao que nos transformamos ao longo dos anos? Em que medida conseguiríamos driblar a lógica imprimida pela existência? Conseguimos criar um diálogo de partilha que informe, emocione e que, simultaneamente, aja como estimulador do pensamento? Somos um cenário entre o passado histórico e as perspetivas de futuro. Este será o lugar por onde transitará o sentido desta pesquisa.

Dança Conceção, direção e coreografia Aldara Bizarro, Interpretação Isabel Costa, Música Vítor Rua, Colaboração na pesquisa Dina Mendonça, Apoio ao Desenho David Bernardino, Coprodução Cine-Teatro Municipal João Mota, Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura, Teatro Maria Matos, Tempo - Teatro Municipal de Portimão Local Black Box da PAC – Plataforma das Artes e Criatividade, Horário Dia 1, às 10h00 e às 15h00 | Dia 2, às 11h00 e às 16h00, Duração c. 1 hora,,Lotação 60 pessoas por sessão, Preço 2 eur


14 E 15 FEVEREIRO • M/12 ANOS

O PESO DE UMA SEMENTE Marina Nabais

ESPETÁCULO

Direção Artística, Coreografia e Interpretação Marina Nabais, Acompanhamento Sílvia Magalhães, Espaço Sonoro Simão Costa, Interpretação do prólogo Anabela Veloso, Bruna Martins, Helena Freire, João Abreu, Laura Marques e Marta Ferreira, Cenários e Figurinos Marta Carreiras, Figurinos do prólogo Marta Carreiras com alunos da CENATEX, Desenho de luz Cláudia Rodrigues, Dramaturgia Manuela Pedroso, Consultoria Artística Luca Aprea, Imagem Diogo de Calle, Produção A menina dos meus olhos, associação cultural, Coprodução Centro Cultural Vila Flor, Maria Matos Teatro Municipal Local Pequeno Auditório do CCVF Horário Dia 14, às 15h (antestreia/ sessão especial para escolas) | Dia 15, às 22h Estreia, Duração c. 45 min., Preços Dia 14 2 eur Dia 15 5 eur

Se numa balança dois pesos se equilibram estagnando, o que os fará mover? O peso de uma semente. Ela encerra em si o potencial, a origem e a reprodução da vida. É o princípio de todo o movimento. Com a medida certa de esforço, esse peso – medido em miligramas – recai sobre a terra e transforma-se em vida e forma, ao longo do tempo. O Peso de uma Semente é um espetáculo criado numa colaboração estreita entre diferentes linguagens e artistas, que contou ainda com o envolvimento, ao longo de todo o processo, de um conjunto de jovens da região norte – uns na interpretação, outros na conceção e confeção dos figurinos. O espetáculo, que parte da depuração do espaço do corpo, do espaço sonoro e do espaço cénico para explorar o paradoxo entre esforço e inércia, desenvolve-se em dois momentos: um prólogo, peça de grupo interpretada pelos jovens participantes, e um solo de dança.

Ilustração de Diogo de Calle

Dança


13 A 17 MARÇO • M/ 7 ANOS

COMER A LÍNGUA

Regina Guimarães / Teatro do Frio

ESPETÁCULO

Língua é pano para mangas: Quem come chora por mais! Por palavra diferimos De outras vozes animais. E pelo gosto da fala É que a gente se faz gente, Amando perdidamente Tudo quanto não nos cala.

Teatro

A convite do Serviço Educativo, Regina Guimarães e o Teatro do Frio apresentam-nos uma peça teatral para crianças em que a língua portuguesa se mostra na sua complexidade, revelando a sua abertura a múltiplas influências culturais e a sua capacidade plástica de mutação. Uma língua pensante, cantante, língua viva. Uma língua para ouvir, dizer, cheirar e comer. Sentir e fazer sentir. Crescer e querer crescer.

Local Espaço Oficina Horário Dias 13 a 15, às 10h | Dias 16 e 17, às 16h, Duração c. 50 min., Lotação limitada, Preço 2 eur

Texto Regina Guimarães, Direção artística e Encenação Catarina Lacerda, Conceção plástica Ana Guedes, Interpretação Susana Madeira, Produção Teatro do Frio, Produção Executiva Sílvia Carvalho, Coprodução Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura, Maria Matos Teatro Municipal, Comer a Língua é um espetáculo criado a convite do Serviço Educativo de Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura


JANEIRO A JUNHO | QUINTAS • 4 AOS 6 ANOS

JANEIRO A JUNHO | TERÇAS • 7 AOS 12 ANOS

OFICINA DE OLARIA* OFICINA DE FABRICO Fernanda Braga DE PAPEL* Nuno Ramos

OFICINAS

OFICINAS

A beleza da Cantarinha das Prendas ou Cantarinha dos Namorados não vem só da sua forma elegante, mas do seu acabamento brilhante e delicado. Nesta oficina vamos descobrir como os pormenores das incrustações com mica tornam única esta peça tradicional de Guimarães.

Que o papel vem das árvores todos sabemos. Mas nem sempre foi assim. Nesta oficina vamos explorar a técnica tradicional de fabrico de papel, a partir de fibras vegetais, para produzir papéis únicos e duradouros, numa atividade sustentável e amiga do ambiente.

Oficinas Horário 10h, Duração 90min., Local Espaço Oficina, Preço 1€, Lotação 1 turma / 25 pessoas

Direitos Reservados

Atividades sujeitas a marcação prévia com, pelo menos, uma semana de antecedência através do email servicoeducativo@ aoficina.pt


18 A 22 E 25 A 28 MARÇO • 6 AOS 10 ANOS

PROGRAMA À DESCOBERTA Oficinas de artes e atividades lúdicas

OFICINAS

O Programa à Descoberta foi criado com o intuito de proporcionar uma oferta qualificada para as férias das crianças e de promover o “usufruto dos tempos livres” em vez da “ocupação dos tempos livres”. Cada semana tem um tema âncora, a partir do qual se desenvolvem, de forma lúdica e articulada entre si, oficinas de artes, debates filosóficos, sessões de cinema, visitas e outras atividades, numa perspetiva transversal do saber e do fazer. Os nossos objetivos junto das crianças são abrir novas perspetivas sobre o mundo que as rodeia, desenvolver a sua criatividade e contribuir para a valorização da experiência de cada um no seio do trabalho em grupo. 18 a 22 de março À descoberta do eu + tu 25 a 28 de março À descoberta do mini, do micro e do nano

Multidisciplinar Local Vários Lotação 15 participantes por grupo Data limite de inscrição Uma semana antes do início de cada semana temática. O programa detalhado será divulgado em fevereiro.


16 JANEIRO | 18H30 – 21H30 • EDUCADORES DE INFÂNCIA

OUTROS NINHOS, OUTROS VOOS Inês Barahona

OFICINAS

Oficinas para adultos Local CCVF; Duração 3 horas Lotação 15 pessoas; Preço 5 eur Atividades sujeitas a inscrição prévia com, pelo menos, uma semana de antecedência, até ao limite da lotação designada. As inscrições e o respetivo pagamento podem ser efetuados no CCVF ou através da bilheteira online. As inscrições só serão consideradas válidas após realizado o pagamento. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.

Na sequência das oficinas que realizámos no outono, destinadas aos profissionais que trabalham com a primeira infância, procuramos dar um passo mais na relação com as artes, agora focando-nos sobre as primeiras experiências de ser público. Outros ninhos, outros voos é uma oficina que propõe o cruzamento entre o mundo das artes e o mundo da educação, utilizando uma abordagem prática e fornecendo múltiplas ferramentas para o trabalho em sala de aula, a partir dos primeiros encontros das crianças com as artes de palco. Inês Barahona é licenciada em Filosofia e Mestre em Estética e Filosofia da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Sob a direção de Madalena Victorino, ingressou no Centro de Pedagogia e Animação (CCB) onde, entre 2005 e 2008, desenvolveu projetos de relação entre as artes e a educação. Desde então, tem trabalhado em diversas áreas criativas, com Madalena Victorino, Giacomo Scalisi, Teatro Regional da Serra de Montemuro e Catarina Requeijo, e formativas para a Artemrede – Teatros Associados, o Teatro Maria Matos, Sou – Movimento e Arte e Fundação Calouste Gulbenkian.


21 A 26 JANEIRO • PAIS E MÃES

PAREDES DE VIDRO EM RECONSTRUÇÃO OU ZONA DOS PAIS Teatro do Vestido

Direitos reservados

OFICINAS

como é que era que te sentias? de tanto não falar sobre isso, já me esqueci. mas se eu perguntar outra vez, falas? não sei, pergunta lá. então aqui vai:

Oficinas para adultos

Um workshop/oficina/laboratório que parte dos métodos de trabalho do Teatro do Vestido aplicados à nova criação Paredes de Vidro e que se destina aos pais que queiram usar a sua experiência de pais, de estarem tantas vezes atrás do que parece uma parede de vidro em relação aos filhos, para connosco construírem e refletirem performativamente sobre esta temática. Paredes de Vidro é uma criação, um espetáculo teatral, que parte do universo dos pais, para que eles não se sintam esquecidos ou incompreendidos, para que eles sintam que também têm uma voz, formando assim um díptico com o espetáculo Tropeçar, que deu voz às inquietações dos filhos na sua infância. Paredes de Vidro em Reconstrução ou Zona dos Pais é um espaço de partilha, criação e reflexão, um laboratório performativo de coisas novas e antigas na nossa relação de pais e filhos. Esta oficina terá uma apresentação pública informal no dia 26 de janeiro, pelas 17h00, na Sala de Ensaios do CCVF, seguida de uma conversa. Coordenação Teatro do Vestido (Ainhoa Vidal, Gonçalo Alegria, Inês Rosado, Isabel Gaivão, Joana Craveiro, Miguel Seabra Lopes, Joana Vilela)

Atividade sujeita a inscrição com, pelo menos, uma semana de antecedência através do preenchimento do formulário online disponível em www.ccvf.pt ou presencialmente no CCVF. Para mais informações contactar o Serviço Educativo através do email servicoeducativo@aoficina.pt.

Local Sala de Ensaios CCVF, Horário Dias 21 a 25 | oficina 20h30 às 23h00; Dia 26 | finalização 15h00 às 17h00; Dia 26 | apresentação pública 17h00, Duração 6 sessões de 3 horas, Lotação 12 participantes, Preço participação gratuita


02, 04, 05 E 23 FEVEREIRO • ADULTOS COM PRÁTICA PEDAGÓGICA

CORPO COMUM

Programa de cruzamento de práticas artísticas e pedagógicas

OFICINAS

Oficinas para adultos Local Vários, Duração 6 horas, Público-alvo adultos com prática pedagógica, inclusive professores, artistas e animadores culturais, Lotação 15 participantes por oficina, Preço 5eur por oficina Atividade sujeita a inscrição prévia com, pelo menos, uma semana de antecedência através do preenchimento do formulário online disponível em www.ccvf.pt ou presencialmente no CCVF. As inscrições poderão ser feitas por oficina, selecionando as respetivas a(s) respetiva(s) opção(ões), estando limitadas de acordo com a lotação designada. As mesmas só serão consideradas válidas após realizado o pagamento. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.

Silvestre Pestana "Povo-Novo", 1975

Para mais informações contactar o Serviço Educativo através do email servico.educativo@ guimaraes2012.pt. Para mais informações contactar o Serviço Educativo através do email servico.educativo@ guimaraes2012.pt.

No seguimento das inúmeras oficinas para adultos que o Serviço Educativo tem programado, desenvolvemos para a temporada 2012/13 um programa continuado que cruza as práticas pedagógicas com as práticas artísticas - Corpo Comum. Distribuído em três blocos/ trimestres, de Outubro de 2012 a Junho de 2013, e dividido por oficinas que podem ser frequentadas individualmente ou somando-se, de acordo com os interesses individuais dos participantes, este programa abre-se a diferentes modos de experienciar e partilhar. As várias oficinas são maioritariamente práticas e orientadas por artistas educadores e outros especialistas, que se propõem contaminar o espaço das práticas educativas, escolares ou não, com metodologias e conceitos atuais e exploratórios. As áreas de trabalho serão diversificadas, mas terão em comum o aprofundamento de conceitos em volta da noção de Identidade - identidade do eu, do outro, do coletivo, dos lugares, tempos e formas diversas que nos rodeiam. Este programa é dirigido a todo o tipo de educadores de qualquer nível de ensino ou proveniência institucional.


02 FEVEREIRO | 11H00 ÀS 13H00 E 14H30 ÀS 18H30

JOÃO SOUSA CARDOSO Artes visuais Formas comuns Este seminário propõe uma viagem pelo mundo das formas, procurando estabelecer exercícios de leitura comparada entre imagens aparentemente afastadas no tempo e no espaço. João Sousa Cardoso é doutorado em Ciências Sociais, pela Universidade Paris Descartes (Sorbonne). Leciona na Universidade Lusófona e na FBAUP. Tem desenvolvido, desde 2001, diversos projetos criativos no cruzamento da estética com as ciências sociais, que se traduzem em múltiplas formas de apresentação, entre as quais vídeos, instalações, exposições e happenings. Escreve regularmente crítica e ensaio para várias publicações.

04 E 05 FEVEREIRO | 19H ÀS 22H00

ALDARA BIZARRO Dança Este (nosso) corpo Cada corpo é único, mas traz também uma história que não é só sua, é também a de um lugar e de uma cultura. A partir destas ideias vamos descobrir que corpo somos e que corpo construímos, um, dois, muitos, nós, outros.

Aldara Bizarro estudou dança em Lisboa, Nova Iorque e Berlim e desde cedo se destacou como coreógrafa. Fundou a Jangada de Pedra com Rui Nunes em 1999, estrutura que ainda hoje dirige. Nos últimos anos tem-se dedicado à criação para público infantil e juvenil, seja com espetáculos, seja com o Projeto Respira, que envolveu escolas, teatros e artistas, bem como à atividade formativa.

23 FEVEREIRO | 11H ÀS 13H00 E 14H30 ÀS 18H30

REGINA GUIMARÃES Escrita O lápis da língua Vamos ver se afinal é bonito deitar a língua de fora, afiá-la, cortá-la às fatias. vamos ver se a língua é de perguntador e se casa ou não casa bem com o espírito santo de orelha. vamos ver se entre palavrinhas e palavrões o texto pode ser a matéria de que os sonhos são feitos. Regina Guimarães tem desenvolvido trabalho nas áreas da Poesia, do Teatro, da Tradução, da Canção, da Dramaturgia, da Educação pela Arte, da Crítica, do Vídeo, do Argumento, da Produção. Foi docente da FLUP, na ESMAE e na ESAD. É presidente da Associação Os Filhos de Lumière, programadora do ciclo O Sabor do Cinema no Museu de Serralves e cofundadora do Centro Mário Dionísio - Casa da Achada. Com Ana Deus, fundou a banda Três Tristes Tigres. Vive e trabalha com Saguenail desde 1975. Hélastre é o signo da sua obra comum.


16 E 17 MARÇO • M/ 15 ANOS

CAMINHOS DO OLHAR BLOCO III Magda Henriques

OFICINAS

Oficinas para Jovens e Adultos Local CCVF, Público-alvo Maiores de 15 anos, Preço 10eur, Lotação 20 pessoas, Duração aprox. 7horas Atividade sujeita a inscrição prévia até 06 de março, até ao limite da lotação designada. As inscrições e o respetivo pagamento podem ser efetuados no CCVF ou através da bilheteira online. As inscrições só serão consideradas válidas após realizado o pagamento. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.

Caminhos do Olhar é um programa que se constrói sobre dois eixos: sessões de debate e um roteiro de espetáculos, exposições, residências artísticas e ensaios abertos, que integram a programação de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura e a programação do CCVF. Com este programa desejamos evidenciar as práticas artísticas e culturais como integrantes do quotidiano e como construtoras/reveladoras do mundo/de mundos, bem como salientar e qualificar o papel do espetador, tomando o ato de olhar como uma prática, que necessita de ser exercitada como qualquer outra e que faz parte dos processos de criação e de produção. Este é um projeto pensado para todos a partir dos 15 anos, embora se possa revelar particularmente útil para estudantes e formadores de áreas artísticas. A 2ª edição, que decorre entre outubro de 2012 e junho de 2013, divide-se em 4 blocos que formam um ciclo mas que os participantes podem escolher livremente. Os blocos de outubro e de dezembro foram desenvolvidos sob a noção de Identidade e os blocos de março e de maio serão desenvolvidos sob o conceito de Paisagem. Bloco III 16 Março | 15h00 às 20h00 17 Março | 11h00 às 13h00 Convidada especial Vera Santos Bailarina, coreógrafa e professora Inclui espetáculo Comer a Língua (Regina Guimarães/ Teatro do Frio) e visita a uma exposição a anunciar.


23 E 24 FEVEREIRO | 11H00 ÀS 13H00 E 14H30 ÀS 18H30 • 14 AOS 20 ANOS

HUMAN FIELD RECORDINGS Manuela Barile

LABORATÓRIOS DE CRIAÇÃO E FORMAÇÃO PARA JOVENS

Direitos Reservados

Em Human field recordings a voz e o corpo surgem enquanto indutores de processos, seja de gravação, de escrita, de processamento ou de reprodução, de fatores de subjetividade na relação com o espaço acústico habitado/ vivido. Este laboratório consiste no desenvolvimento de performances coletivas no espaço urbano e/ou rural de escuta e de translação/ interação vocal com os estímulos acústicos. Esta será uma oportunidade única de mergulhar na dimensão sonora da nossa existência individual e coletiva com uma das artistas residentes da Associação Binaural/ Nodar.

Laboratório de Som / Espaço / Performance Local a definir; Público-alvo 14 aos 20 anos Lotação 12 participantes; Preço 5 eur Atividade sujeita a inscrição prévia até 13 de fevereiro, até ao limite da lotação designada. As inscrições e o respetivo pagamento podem ser efetuados no CCVF ou através da bilheteira online. As inscrições só serão consideradas válidas após realizado o pagamento. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.


09 E 10, 18 A 22 MARÇO, 06 E 07, 13 E 14 ABRIL • 16 AOS 21 ANOS

FILMAR HOJE O TRABALHO DE ONTEM

Amarante Abramovici e Tiago Afonso

LABORATÓRIOS DE CRIAÇÃO E FORMAÇÃO PARA JOVENS

Laboratório de cinema Local a definir, Público-alvo 16 aos 21 anos, Lotação 8 participantes, Preço 10eur, Data limite de inscrição 28 de fevereiro Atividade sujeita a inscrição prévia até 28 de fevereiro, até ao limite da lotação designada. As inscrições e o respetivo pagamento podem ser efetuados no CCVF ou através da bilheteira online. As inscrições só serão consideradas válidas após realizado o pagamento. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.

Este laboratório pretende ser um espaço de descoberta e discussão coletiva do documentário através da prática intensiva. Após uma breve iniciação às ferramentas de som e imagem e às técnicas do cinema direto, partiremos para a realização de projetos, num ritmo-tensão constante entre filmagens e visionamentos coletivos. Partindo de um tema - o trabalho - de uma atualidade gritante, propomos uma abordagem pessoal e local, onde as interrogações mais gerais em torno do lugar do trabalho na nossa sociedade se confrontem com gestos e testemunhos de pessoas próximas, onde o passado recente transmitido na primeira pessoa se cruze com o presente. Os participantes trabalharão em pares em projetos de caráter documental, baseando-se em experiências, conhecimentos e memórias de pessoas que lhes sejam próximas. Estes curtos documentários terão exibição pública. Plano de trabalho 9 e 10 de março | formação inicial 10h às 13h e 14h30 às 17h30 18 a 22 de março | rodagens tutoradas 10h às 14h 6 e 7 de abril | montagem filmes 1 e 2 13 e 14 de abril | montagem filmes 3 e 4 10h às 13h e 14h30 às 17h30 NOTA: Cada participante frequentará no total 6 sessões. Data da exibição pública dos documentários a definir.


25 A 28 DE MARÇO | 11H00 ÀS 13H00 E 14H30 ÀS 17H30 • 14 AOS 20 ANOS

: A PÉ, ANTE PÉ : Luísa Alpalhão

LABORATÓRIOS DE CRIAÇÃO E FORMAÇÃO PARA JOVENS

Direitos Reservados

: A pé, ante pé : é um laboratório de investigação urbana em que arte e arquitetura se cruzam para que se crie um registo daquilo que dá carácter a um espaço público, o que pode ser transformado e aquilo que deve permanecer na sua forma mais pura. Usando técnicas para registar a cidade influenciadas por métodos de carácter antropológico, iremos transformá-la com uma intervenção em movimento em que a cidade servirá de palco, em que os novos objetos criados serão as personagens principais que darão voz àqueles que participarão em : A pé, ante pé :, aos transeuntes que percorrem as ruas da cidade e se sentam à sombra nos bancos dos jardins, e a nós, jovens criadores.

Laboratório de arquitetura Local a definir, Horário 11h00 às 13h00 e 14h30 às 17h30, Duração 4 dias (4 sessões de 5 horas), Público alvo 14 aos 20 anos, Lotação 15 participantes, Preço 10€, Data limite de inscrição 15 de março Atividade sujeita a inscrição prévia até 15 de março, até ao limite da lotação designada. As inscrições e o respetivo pagamento podem ser efetuados no CCVF ou através da bilheteira online. As inscrições só serão consideradas válidas após realizado o pagamento. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.


As reservas para os espetáculos do Serviço Educativo poderão ser efetuadas por telefone, fax ou email. Todas as reservas deverão ser levantadas até 48h antes de cada espetáculo. No caso dos grupos escolares, serão atribuídos convites aos adultos acompanhantes, na proporção de 1 convite por cada 10 crianças. Existem condições especiais de acesso para públicos carenciados do concelho de Guimarães.

O espaço de babysitting do CCVF foi criado especialmente para o efeito, estando devidamente equipado e permanentemente assistido por educadoras acreditadas. Enquanto assiste a um espetáculo, o seu filho poderá desenvolver atividades criativas e jogar, ouvir histórias… ou apenas deixar-se embalar. O serviço de babysitting tem o custo de 1 Eur e deverá ser requerido junto da bilheteira. Este serviço poderá receber crianças entre os 3 e os 9 anos de idade. Capacidade máxima para 20 crianças.

Reservas para Espetáculos telefone 253 424 700 / Fax 253 424 710 e-mail bilheteira@ccvf.pt

Informações Reservas para Visitas Orientadas e Oficinas telefone 253 424 700 e-mail servicoeducativo@aoficina.pt site www.ccvf.pt

Endereço

Contactos

Centro Cultural Vila Flor Av. D. Afonso Henriques, 701 4810 431 Guimarães

telefone 253 424 700 e-mail geral@ccvf.pt site www.ccvf.pt

2013 Atelier Martino&Jaña

Babysitting

Capa • Espetáculo Tropeçar © João Paulo Serafim

Informações e Reservas

Serviço educativo 3ºtrimestre 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you