Page 1

S E

Abril Maio Junho

GUICUL GUIMARテウS ARTE E CULTURA

Serviテァo Educativo


Todos os públicos

p.20

31 maio e 01 junho

Dias Cheios de Ideias Várias Atividades

Bebés

p.09

p.17

05 e 06 abril 07 e 08 junho

Ninhos Oficinas

03 e 04 maio

Lá fora... Teatro / Estreia

Maiores de 4 anos

p.12

12 abril, 10 maio e 14 junho

Sábados em Família Visitas/ Oficinas

p.31

até 06 abril

Arlindo Silva Coração e Cinzas Visita à Exposição


até 13 abril

A composição do ar José de Guimarães: Provas de Contacto Jarosław Flicin ´ ski: Estrela Negra Oficina ARARA: Preto no Branco Visita à Exposição

a partir de 26 abril

p.27

p.28 e 29

Exposições CIAJG

Exposições CIAJG

A composição do ar Carlos Relvas: Um homem tem duas sombras Jarosław Flicin ´ ski Ernesto de Sousa e a Arte Popular Visita à Exposição

26 abril a 29 junho

p.32

Pedro Tudela

Esquírola Visita à Exposição

18 maio

p.18

Passeio de Domingo Visita / Oficina


p.19

30 maio a 01 junho

Poemas para Bocas Pequenas Poesia/ Música

p.24 e 25

p.30

abril a junho

Vai e Vem Oficinas de Artes

todo o ano

Um Teatro por dentro e por fora Visita ao CCVF

p.23

até 31 julho

Oficinas de Artes Tradicionais

Maiores de 6 anos

07 a 17 abril

Programa de férias

p.10 a 11

Há Abril! E agora?


p.16

01 maio

Livre como um Livro Sessão de leitura

p.26

todo o ano

Do Mercado à Plataforma Visitas de Arquitetura

Maiores de 12 anos

p.33

todo o ano

Atabicar o Caminho Audiowalk

Jovens e Adultos

p.15

p.13 e 14

27 abril

Assembleia Popular Conversa/ projeção

abril e maio

Atelier Aberto CIAJG

Ateliers/Conversas/Visitas


a n達o perder!

7


8


05 e 06 abril 07 e 08 junho 1 - 3 anos Oficinas / Som / Dança

Local Sala de Ensaios CCVF_ Data 05 e 06 de abril, 07 e 08 de junho_ Público-alvo sessões das 10h00 1 a 2 anos / sessões das 11h30 2 a 3 anos_ Duração de 1 a 2 anos 45min. / dos 2 a 3 anos 60min._ Lotação limitada_ Preço 2,00 eur Atividade sujeita a marcação prévia com pelo menos uma semana de antecedência através do email servicoeducativo@aoficina.pt.

Ninhos

Joana Antunes e José Lemos

E

stes Ninhos, que em colaboração com artistas começámos a construir e a acarinhar em 2012, são pequenas experiências artísticas e sensoriais em formato de oficinas para pais e filhos. Com eles pretendemos resgatar, de modo lúdico e informal, espaços de partilha criativa em família e entre amigos e tempos de descoberta pessoal desassombrada. Com 2014 chegam dois novos Ninhos, para ouvir, tocar, mexer e dançar! Nos sábados, 5 de abril e 7 de junho, José Lemos propõe-nos um Ninho de Som, onde crianças e pais poderão explorar vários instrumentos, alguns dos quais construídos pelo próprio músico. Nos domingos, 6 de abril e 8 de junho, num Ninho Mix, José Lemos faz dupla com Joana Antunes: desta vez exploramos sons e movimentos, dançando pelo espaço...

9


E

07 a 17 abril 6 - 12 anos Programa de férias

Há Abril! E agora?

Local CCVF_ Horário Oficinas e outras atividades 10h00 às 12h30 e 14h30 às 17h00_ Horário de almoço 12h30 às 14h30_ Acolhimento 09h00 às 10h00_ Saída 17h00 às 18h00_ Preços Semana de 4 dias 25 eur s/ almoço / 45 eur c/ almoço Semana de 5 dias 33 eur s/ almoço / 58 eur c/ almoço Duas semanas 52 eur s/ almoço / 97 eur c/ almoço_ Lotação 15 participantes por grupo_ Data limite de inscrição até uma semana antes do primeiro dia da semana pretendida  

10

ste ano Abril faz 40 anos… Dedicamos o programa de férias desta páscoa à celebração da Liberdade, da que temos e da que gostaríamos de ter. Festejamos a liberdade de expressão e o seu impacto; viajamos da palavra codificada à palavra difundida. Há Abril! E agora? Como pode a linguagem ser usada na defesa da liberdade, na perseguição de utopias, no estabelecimento de princípios fundamentais da liberdade individual e coletiva? Que manifestos têm crianças entre os 6 e os 12 anos a fazer? Que pontos de vista querem expor? No último dia de cada semana, o espaço abre-se às famílias e o trabalho produzido é partilhado.

As inscrições podem ser efetuadas no CCVF, na PAC ou no site através do preenchimento do formulário de inscrição disponível online em www.ccvf.pt. As inscrições só serão consideradas válidas após realizado o pagamento respetivo. O pagamento poderá ser efetuado em numerário no Centro Cultural Vila Flor ou na Plataforma das Artes e Criatividade, através de cheque enviado por correio à ordem de “A Oficina, CIPRL”, ou através de referência multibanco a gerar no ato de inscrição, até à data limite designada para o efeito. Em caso de desistência, o valor apenas será reembolsado se a mesma ocorrer até 48h antes do início da atividade.


Semana 1 07 a 11 de abril

Semana 2 14 a 17 de abril

Teatro de Ferro

Rádio Manobras

Palavras para quê?... Palavras para quê?... é uma oficina teatral orientada pelo Teatro de Ferro sobre a noção de liberdade de expressão e como esta atua na organização da sociedade e na construção do indivíduo. Palavras para quê? O que fazer com as palavras? Na poesia, na política, no espaço público, na conversa? Leituras e discussões, canções, danças, brincadeiras sobre coisas sérias e outras experiências serão a matéria-prima para um percurso partilhado por crianças e artistas convidados do TdF.

Monitores Igor Gandra e Carla Veloso (direção), Regina Guimarães (escrita), Fátima Fonte (música / canto), Hernâni Miranda (realização plástica)

Emissões da Liberdade Emissões da Liberdade é uma oficina de rádio experimental que pretende, passando pela história e técnicas da rádio, desenvolver o pensamento crítico. Imagina que vivemos num país sem liberdade. Não podes dizer tudo. Há conteúdos proibidos. Como fazes para dizer o que pensas, para dizer o que tens que dizer? Um dia, podes finalmente emitir em liberdade. Quais são as tuas escolhas?

Palavras de rua Studio Dobra

A oficina Palavras de rua consiste na criação e desenvolvimento de flyers, autocolantes, cartazes e murais revisitando o seu papel na história das revoluções e na divulgação e propaganda de ideias/ imagens. Os participantes terão contacto direto com as diferentes fases do processo, desde a ideia até à sua concretização gráfica.

Monitores Alexandra Novo, Jorge Guimarães, Catarina Aires, Carlos Costa (Rádio Manobras), André Cruz, João Guedes (Studio Dobra)

11


12 abril, 10 maio e 14 junho 4 - 12 anos

Visitas / Oficinas

Sábados em Família

V

enham todos! Pais e filhos! Avós e netos! Padrinhos e afilhados! (Só não podem vir o gato e o peixinho...) Venham todos descobrir exposições com obras de artistas, objetos novos e antigos daqui e de outros lugares. Ouvir ou ver dançar um conto misterioso. Explorar diferentes materiais e fazer nascer algo novo. Revelar quem somos nas linhas de um desenho. António Fontinha abre o ciclo de Sábados em Família deste trimestre, a 12 de abril, com uma sessão especial de contos em que os laços e as armadilhas são protagonistas. Suspensos por momentos no espaço deste museu, deixemo-nos maravilhar e vamos à caça de sentidos nas palavras dos contadores!

Local CIAJG – Centro Internacional das Artes José de Guimarães_ Data 2º sábado do mês (12 abril, 10 maio, 14 junho)_ Horário 16h00_ Duração 90min._ Lotação mín. 10 pessoas / máx. 20 pessoas_ Preço 2,00 eur Atividade sujeita a marcação prévia com 48h de antecedência.

12


abril e maio Jovens e Adultos Ateliers / Conversas / Visitas

Programa abril e maio Sexta, 04 abril 18h30-21h30 Sábado, 05 abril 15h00-18h00

Atelier com o coletivo Oficina ARARA Mata-borrão

Neste atelier propõe-se concretizar um portfolio individual de experiências gráficas, integrando técnicas como monotipias, carimbos, colagens ou desenho. Terça, 22 e 29 abril 18h30-20h30

Atelier com Carlos Lobo

Breve história da fotografia Da fotografia analógica à fotografia digital, serão abordados alguns autores que transformaram a fotografia numa poderosa ferramenta de comunicação visual bem como uma inquestionável expressão artística contemporânea.

Atelier Aberto CIAJG Oficina ARARA / Carlos Lobo / Luís Pavão / Nuno Faria / Eduardo Brito / António Ventura

O

Atelier Aberto do CIAJG – Centro Internacional das Artes José de Guimarães é um espaço de convívio, aprendizagem e criação pensado para jovens artistas ou estudantes e curiosos em aprofundar conceitos e práticas artísticas. As sessões são orientadas por artistas e professores que, partindo de conceitos chave do programa do CIAJG, desenvolvem ateliers, conversas e visitas nas mais variadas áreas. O programa de abril e maio concentra-se na área da fotografia e integra ainda um atelier com a Oficina ARARA, no âmbito da Feira de Edições que ocorre na PAC no dia 05 de abril.

Local CIAJG_ Público-alvo Jovens e adultos (M/ 15 anos)_ Lotação limitada, sujeita a inscrição prévia_ Preço Ateliers 20,00 eur Breve história da fotografia 10,00 eur Conversas Gratuito Inscrição com pelo menos uma semana de antecedência através de formulário online em www.ccvf.pt.

13


Sábado, 03 e 17 maio 11h00-13h00 e 14h30-17h30

Atelier com Carlos Lobo Prática fotográfica contemporânea

Terça, 20 maio 18h30-23h30

Atelier com António Ventura

Fotografar objetos arqueológicos Uma proposta metodológica

Neste atelier serão abordadas diversas práticas fotográficas contemporâneas através da obra de diferentes autores. Os participantes irão a partir daqui desenvolver um ensaio fotográfico individual.

Execução de registos fotográficos o mais rigorosos e informativos possível, para que possam constituir-se como documentos, num contexto técnico e científico como é o do património, conservação, arqueologia ou museologia.

Terça, 06 maio 18h30-20h30

Terça, 27 maio 18h30-20h30

Conversa com Nuno Faria

A fotografia como fantasmagoria As imagens dão a ver corpos, reflexos, vestígios, presenças, materializando o tempo que passou. Nesta conversa abordaremos a fotografia como interface com o mundo dessas presenças passadas. Sábado, 10 maio 11h00-13h00 e 14h30-17h30

Atelier com Luís Pavão

O retrato em estúdio no séc. XIX Do registo ao trabalho em laboratório com recurso a técnicas fotográficas utilizadas por Carlos Relvas, como a gelatina e o colódio, irão produzir-se alguns retratos em conjunto.

14

Conversa com Eduardo Brito A fotografia de Francisco Martins Sarmento

Francisco Martins Sarmento, contemporâneo de Carlos Relvas, com quem se cruzou, será aqui revelado como fotógrafo autodidata, experimental, rigoroso.


27 abril Jovens e Adultos Conversa / Projeção

Assembleia Popular

Nos 40 anos do 25 de abril: Reencontro com Jaime Silva

J

aime Silva artista que, com Graça Morais e outros artistas fundou o Grupo Puzzle, um dos coletivos de intervenção artística mais importantes da 2ª metade do século XX português, trabalhou em Guimarães como professor, na Escola João de Meira. Comemorando o 1º de maio de 1976, Jaime Silva com um grupo de crianças pintaram vários murais, designadamente no Largo da Oliveira e na Rua Serpa Pinto. Para esta Assembleia Popular convidamos todos os que intervieram neste trabalho para um reencontro com o pintor Jaime Silva e com as imagens que registam a energia dos primeiros anos após a Revolução dos Cravos e as expectativas que então se projetavam para o futuro. Na preparação deste encontro, pedimos a todo(a)s aquele(a)s que tiverem em sua posse registos fotográficos daquela época que desejem partilhar num diaporama comum a ser projetado, que deixem uma cópia em formato digital ou impresso no CIAJG ao cuidado da equipa do Serviço Educativo.

Local Black Box PAC_ Público-alvo Jovens e adultos_ Lotação limitada sujeita aos lugares disponíveis_ Entrada gratuita

15


01 maio M/ 6 anos

Sessão de leitura

Livre como um Livro

40

anos depois do 25 de abril as palavras circulam com outra liberdade e complexidade. A convite do Núcleo de Estudos 25 de Abril, grupo informal de Guimarães que desde 2009 se dedica ao estudo da democracia e da cidadania envolvendo crianças e jovens de todos os níveis de ensino, várias bibliotecas escolares de Guimarães, selecionaram, discutiram e prepararam para leitura pública textos de diversos autores e épocas sobre a liberdade, com alunos entre os 10 e os 18 anos.

Organização Núcleo de Estudos 25 de abril_ Apoio Centro Cultural Vila Flor, Opera Omnia_ Orientação cénica Teatro de Ferro_ Participantes Bibliotecas escolares dos Agrupamentos de Escolas D. Afonso Henriques e Francisco de Holanda No dia 25 abril às 15h00 nos Banhos Velhos – Caldas das Taipas decorre uma sessão idêntica com a participação do Agrupamento de Escolas de Briteiros e da Escola Secundária Caldas das Taipas Local Pequeno Auditório CCVF_ Horário 15h00_ Lotação limitada_ Duração c. 1hora_ Entrada gratuita até ao limite dos lugares disponíveis

16

Em parceria com o Serviço Educativo d’A Oficina e o Teatro de Ferro, esta ação toma agora uma dimensão cénica: as palavras percorrerão o espaço de um auditório, lugar do teatro e da assembleia, construindo novos lugares e configurando sentidos para os dias que hoje vivemos.


D

03 e 04 maio 9 - 24 meses Teatro / Estreia

Lá Fora… Crista Alfaiate e Carla Galvão

Interpretação e criação Crista Alfaiate e Carla Galvão_ Espaço cénico, adereços e figurinos Marco Fonseca_ Desenho de Luz Nuno Figueira_ Música baseada em Forró Bé Beri Bé, de Camarão; Les Róis Fainéants, de André Bourvil; Lagoa, de Hermeto Pascoal; Mwana Talitambula, cancioneiro da comunidade judaica do Uganda_ Produção Maria João Santos - Stage One_ Coprodução Centro Cultural Vila Flor_ Projeto em circulação na Rede 5 Sentidos

uas mulheres guardam uma luz no sótão. Desse lugar emanam sons, ora estranhos ora familiares, sons de todos os dias. Podemos ver essa luz, escutá-las, e saber que Elas estão lá dentro, a olhar cá para fora, observando. Lá Fora… nasce da vontade de crescer escutando essas mulheres, guardiãs de uma memória coletiva ancestral onde pais e filhos partilham as primeiras aprendizagens. Se Lá Fora… é um sítio onde descobrimos tudo pela primeira vez, às vezes também tropeçamos e caímos… e encontramos a diversão de nos levantar e cair… e levantar outra vez! Crista Alfaiate e Carla Galvão inspiraram-se na obra de Shel Silverstein, poeta, compositor, músico, cartoonista e autor de livros para crianças americano, tirando partido do seu espírito lúdico e sonoro, que incita o leitor a imaginar o impossível e reforça a importância de ver o mundo de outros ângulos, demonstrando o potencial que cada um tem para criar.

Local Espaço Oficina_ Horário 03 e 04 maio | 10h00 e 11h30_ Lotação limitada_ Duração c. 30min_ Preço 2,00 eur

17


18 maio Crianças / Adultos / Famílias Visita / Oficina

Local CCVF e CIAJG (Ponto de encontro Palácio Vila Flor)_ Horário 18 maio | 16h00_ Lotação limitada_ Duração c. 2horas_ Preço 2,00 eur

18

Passeio de Domingo Magda Henriques e equipa do Serviço Educativo

N

o Dia Internacional dos Museus propomos às famílias um programa especial com dupla face! Miúdos e graúdos podem vir juntos e realizar em paralelo diferentes atividades. Enquanto os mais crescidos fazem um percurso pelas exposições no Palácio Vila Flor (Pedro Tudela/ Esquírolas) e CIAJG (Carlos Relvas/ Um homem tem duas sombras e Ernesto de Sousa e a Arte Popular), à conversa com Magda Henriques, as crianças poderão ficar no CCVF a desenvolver uma oficina. E surpresa, surpresa, os pais só verão no fim o que é os miúdos andaram a fazer desta vez…


C

30 maio a 01 junho 3 - 5 anos

onstruído a partir de poemas de autores portugueses, de visitas ao cancioneiro popular e privilegiando algumas das referências que as crianças têm nesta faixa etária, como a família, a casa, o tempo, a terra ou o medo, Poemas para bocas pequenas explora as potencialidades musicais da linguagem, orientando-nos por simples formas sonoras, espaciais e visuais. Porque não é cedo de mais para descobrir e sentir a poesia…

Poesia / Música

Poemas para Bocas Pequenas

Este espetáculo marca o regresso de Margarida Mestre (Tudo Gira, Oficinas de Voz e Movimento, Dez x Dez) e AntónioPedro (Matinée, Sopa Nuvem, A Viagem) a Guimarães! Os dois artistas voltam a juntar-se para a criação deste espetáculo e surpreendem-nos agora com uma belíssima contracena, poética e bem-humorada.

Margarida Mestre e António-Pedro

Direção, escrita e interpretação Margarida Mestre_ Cocriação, direção musical e interpretação António-Pedro_ Espaço cénico e figurinos Inês de Carvalho_ Consultadoria para a escrita Dina Mendonça_ Produção Companhia Caótica_ Direção de produção Maria Manuel – Stage One_ Poemas Sidónio Muralha, Luísa Ducla Soares, António Torrado,

Fernando Manuel Bernardes, Cancioneiro Popular e poemas originais escritos para este recital_ Uma encomenda Maria Matos Teatro Municipal_ Coprodução Centro Cultural Vila Flor, Centro de Arte de Ovar, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Micaelense, Teatro Nacional São João, Teatro Virgínia e Teatro Viriato

Local Black Box da PAC_ Horário 30 maio | 10h00, 31 maio e 1 junho | 16h00_ Lotação limitada_ Duração 40min_ Preço 2,00 eur

19


31 maio e 01 junho Todos os públicos Várias Atividades

Dias Cheios de Ideias

E

sta é a festa das ideias, onde todos podemos ser inventores, artistas, idiotas e sonhadores! Convidam-se crianças de todas as idades, que tragam vontade de imaginar, opinar, fazer e partilhar. Temos para a troca oficinas, visitas a exposições, um espectáculo de poesia e música (para bocas pequenas com coração grande), e muita boa companhia! O Mercado Azul e a Pé de Mosca juntam-se também à festa participando no Mercadinho do Livro. Uma oportunidade para descobrir livros pensados para os mais pequenos... Na Plataforma das Artes e da Criatividade, à sombra ou ao sol, e ainda, no dia 31 de maio, com o Mercadinho da Pequenada!

Local PAC Plataforma das Artes e da Criatividade

20


atividades regulares


22


Até 31 julho 4 - 12 anos

Oficinas

4 aos 6 anos

Oficinas de Artes Tradicionais

Oficina de Fiação de Linho Teresa Silva

Numa viagem ao passado, descobriremos a fibra do linho e como ela se transforma em fio; com ela, construiremos distintas formas que apelam aos sentidos. 7 aos 12 anos

Oficina de Tecelagem Adélia Faria

Para obtermos o tecido é preciso saber construir duas coisas no tear: a teia e a trama. Aprenderemos a trabalhar os fios para concretizar os nossos próprios tecidos.

C

onsiderando o ciclo dedicado aos têxteis que culminou na exposição Flor na pele (patente entre dezembro e fevereiro na PAC), este semestre as oficinas de artes tradicionais para crianças voltam-se também para esta área. Fios e tecidos, teias e tramas, motivos, padrões, desenhos irão nascer de pequenas mãos, ligando o saber fazer e a sensibilidade, o ontem e o hoje, com a motivação de fazer perdurar memórias sábias que estiveram na origem da organização económica e social do Vale do Ave.

Local Espaço Oficina_ Horário terça a sexta | 10h00 e 14h30 por marcação_ Duração 90min._ Lotação 1 turma / 25 pessoas_ Preço 2,00 eur

23


abril a junho 4 - 18 anos Oficinas

Oficinas disponíveis Pré-escolar e 1º Ciclo / 4 aos 10 anos

Desalfabeto

Grafismos, desenho, conto Tatiana dos Santos O que são letras? O que são números? E o que são os desenhos? Vamos (re)descobrir o que é a linguagem a partir do “Alfabeto Africano” de José de Guimarães e de um conto de Rudyard Kipling.

Vai e Vem

Artistas convidados e Equipa do Serviço Educativo

D

esde a abertura do CIAJG – Centro Internacional das Artes José de Guimarães, o Serviço Educativo desenvolveu um conjunto de oficinas orientadas pelos artistas que integram a equipa, que aprofundam as ideias que sustentam o programa do Centro. Agora, estas oficinas passam a estar disponíveis dentro e fora do CIAJG, ou seja, podemos deslocar-nos às escolas para as realizar! Esta nova ação tem como objetivo estreitar a relação entre as artes e outras áreas do conhecimento, entre artistas, professores, crianças e jovens.

Trocar os pés pelas mãos Escultura, figura, cartão Rita Faustino

As figuras criadas por José de Guimarães, meio pinturas, meio esculturas, serão o ponto de partida para uma oficina, em que braços e pernas, troncos e cabeças, se articulam e constroem figuras no espaço.

Local CIAJG ou escolas_ Horário terça a domingo por marcação_ Duração 90min a 2horas_ Lotação 1 turma / 25 pessoas_ Preço 2,00 eur Especial Vai e Vem: Na realização de uma visita orientada às exposições, oferecemos uma oficina gratuita na escola. Esta oferta é exclusiva para as escolas do concelho de Guimarães.

24


1º e 2º Ciclo / 8 aos 11 anos

Lições da escuridão

Desenho, espaço, performance Francisco Babo e Vera Santos De que é feita a sombra? De luz ou de escuridão? Vamos apagar a luz, acender os olhos e a imaginação e ir à caça das coisas através do desenho. 2º e 3º Ciclo / 10 aos 14 anos

Palavras de ordem Imagens de desordem

Grafismos, desenho, pintura Tatiana dos Santos Um desenho poderá ser uma mensagem? Partindo do interesse de José de Guimarães e de outros artistas por acontecimentos políticos e sociais, vamos explorar processos de criação gráfica e compor “imagens de ordem”.

O avesso do volume

Escultura, moldes, barro Rita Faustino As cerâmicas da coleção de José de Guimarães serão o mote para produzir novas peças avessas, entre o vazio, o molde, o negativo e o positivo. Secundário / M/ 15 anos

Labirinto

Escrita, história, filosofia Raul Pereira Entre palavras e imagens percorrer-se-ão labirintos deixados pela História, conversando e escrevendo sobre mitos e desencontros.

Superfície da pele

Escultura, moldes, cera Rita Faustino Os milagres (ou ex-votos) serão o ponto de partida para esta oficina, na qual se trabalhará sobre o corpo e o seu molde, com recurso à cera.

25


Todo o ano / ter a dom M/6 anos Visitas de arquitetura

Do Mer- cado à Plata- forma Plataforma das Artes e da Criatividade

N

esta visita de arquitetura percorre-se a Plataforma das Artes e da Criatividade. O projeto da autoria Pitágoras Arquitetos e vencedor do Reddot Design Awards 2013 é o ponto de partida para conhecer a reconversão do antigo Mercado Municipal do arquiteto Marques da Silva e o Centro Internacional das Artes José de Guimarães com projeto expositivo do arquiteto Luís Tavares Pereira Ainda Arquitetura. Esta visita para arquitetos, estudantes ou curiosos pode ser integrada num roteiro mais amplo. O percurso passa por outros edifícios marcantes na obra do arquiteto Marques da Silva e termina na Praça do Toural, projeto de reconversão da arquiteta Maria Manuel Oliveira, levado a cabo pela Guimarães 2012.

Horário terça a domingo | das 10h00 às 19h00 por marcação (a última visita terá início até às 18h00)_ Duração 60 a 90 min._ Lotação mín.10 pessoas / máx.20 pessoas_ Preço 2eur

26


Até 13 abril / ter a dom M/4 anos

Horário terça a domingo | das 10h00 às 19h00 por marcação (a última visita terá início até às 18h00)_ Duração 60 a 90 min._ Lotação mín.10 pessoas / máx.20 pessoas_ Preço 2, 00 eur

Exposições

Exposições CIAJG

A composição do ar: Coleção permanente e outras obras / José de Guimarães : Provas de contacto / Jarosław Flicin´ski: Estrela Negra / Oficina ARARA: Preto no Branco

O

CIAJG reúne peças de diferentes épocas, lugares e contextos lado a lado com obras de artistas contemporâneos, propondo uma releitura da história da arte e um novo desígnio para o museu, enquanto lugar para o espanto e a reflexão. Neste contexto, as visitas orientadas às exposições contemplam a possibilidade de cruzar o universo das coleções de José de Guimarães com as exposições temporárias e são adequadas ao perfil de cada grupo, inclusive a visitantes com necessidades especiais. Estes são os últimos dias para conhecer cerca de 50 anos da obra gráfica de José de Guimarães – Provas de Contacto, a primeira exposição individual de Jaroslaw Flicinski, um dos mais iminentes artistas polacos contemporâneos, em Portugal – Estrela Negra, a intervenção do coletivo Oficina ARARA no hall do Centro – Preto no Branco, ou rever “Flash in the Metropolitan”, de Lucy Skaer & Rosalind Nashashibi, no âmbito da montagem A composição do ar*.

27


A partir de 26 abril / ter a dom M/4 anos

Visita à Exposição

Exposições CIAJG

A composição do ar: Coleção permanente e outras obras / Carlos Relvas: Um homem tem duas sombras / Ernesto de Sousa e a Arte Popular

O * As duas grandes pinturas murais que Jarosław Flicin´ ski concebeu para a sala 10 do CIAJG permanecem durante este ciclo expositivo, marcando o lançamento da publicação que documenta a exposição Estrela Negra | Black Star

Horário terça a domingo | das 10h00 às 19h00 por marcação (a última visita terá início até às 18h00)_ Duração 60 a 90 min._ Lotação mín.10 pessoas / máx.20 pessoas_ Preço 2, 00 eur

28

CIAJG reúne peças de diferentes épocas, lugares e contextos lado a lado com obras de artistas contemporâneos, propondo uma releitura da história da arte e um novo desígnio para o museu, enquanto lugar para o espanto e a reflexão. Neste contexto, as visitas orientadas às exposições contemplam a possibilidade de cruzar o universo das coleções de José de Guimarães com as exposições temporárias e são adequadas ao perfil de cada grupo, inclusive a visitantes com necessidades especiais.


26 abril a 08 junho

26 abril a 06 julho

Coleção permanente e outras obras

Em torno da Exposição Barristas e Imaginários

A composição do ar

Esta exposição mantém-se aberta ininterruptamente entre os dois ciclos. 26 abril a 08 junho

Carlos Relvas – Um homem tem duas sombras Paisagens, (Auto)Retratos, Objetos e Animais

Carlos Relvas é um dos precursores da fotografia na Europa e um dos mais fascinantes casos de estudo do panorama artístico em Portugal. Nascido na Golegã, ali construiu um estúdio onde entre 1862 e 1894 desenvolveu uma prática singular no campo da fotografia, pautada pela invenção de procedimentos técnicos e por uma sistemática busca em torno das possibilidades da imagem.

Ernesto de Sousa e a Arte Popular

Ernesto de Sousa foi uma das figuras mais apaixonantes e complexas da cultura portuguesa da 2ª metade do século XX. Esta exposição reativa as investigações de Ernesto de Sousa em torno da arte popular e da escultura portuguesa e tem como pano de fundo a exposição Barristas e Imaginários: quatro artistas populares do Norte, que o autor concebeu e apresentou na Galeria Divulgação, em Lisboa, em 1964, com obras de Rosa Ramalho, Mistério, Franklin Vilas Boas e Quintino Vilas Boas Neto.

29


Todo o ano / ter a sáb M/4 anos

Visita aos bastidores

Um Teatro por dentro e por fora Centro Cultural Vila Flor

30

Horário terça a sábado | das 10h00 às 19h00 por marcação (a última visita terá início até às 18h00)_ Duração 60 a 90min._ Lotação mín.10 pessoas / máx.30 pessoas_ Preço 1,00 eur s/ desconto / 0,50 eur c/ desconto / Entrada gratuita Crianças até 12 anos quando acompanhadas de adulto pagante Atividade sujeita a marcação prévia através do email geral@aoficina.pt

O

Centro Cultural Vila Flor abriu em Guimarães um novo lugar para as artes de palco e afirmou a cidade como um dos mais importantes palcos nacionais. Nas visitas a este teatro cada grupo é recebido com um percurso desenhado à medida da sua curiosidade, experiências e propósitos. Enquanto percorre os vários espaços (interiores ou exteriores), vai conhecendo a História do Teatro e a evolução do espaço cénico ao longo dos tempos. Vai ainda explorar os bastidores de uma casa de espetáculos e descobrir os segredos de uma caixa negra que tem o poder de tudo transformar…


Até 06 abril / ter a sáb M/4 anos

Visita à Exposição

Arlindo Silva Coração e Cinzas Palácio Vila Flor

E

sta exposição é a oportunidade de conhecer um importante número de obras do artista Arlindo Silva, ainda desconhecido do grande público português. As pinturas registam cenas do universo pessoal do artista – o espectador confrontado com histórias a meio, ou por contar, poderá encontrar proximidades com o seu quotidiano. As poses das figuras retratadas, os seus gestos e expressões são como anti-retratos que revelam momentos de solidão e de afeto da realidade que vivemos. No seu todo, é uma exposição que relança o debate sobre a necessidade da pintura figurativa na arte contemporânea.

Horário terça a sábado | das 10h00 às 19h00 por marcação (a última visita terá início até às 18h00) _Duração 60 a 90min._Lotação 1 turma / 25 pessoas_Preço 2eur

31


26 abril a 29 junho / ter a sáb M/4 anos

Visita à Exposição

Pedro Tudela Esquírola Palácio Vila Flor

E

sta exposição não pretende realizar uma leitura histórica ou apresentar uma seleção exemplificativa do que foram ou são as abordagens do ofício multidisciplinar de Pedro Tudela, iniciado nos anos ‘80. Procura antes abrir espaços de inteligibilidade de uma produção artística vasta e singular, centrada no significado da audição e, a partir daqui, atuar criticamente sobre uma realidade que produz demasiados objetos de consumo com a promessa de proporcionar prazer e satisfação, quando na verdade, reproduz a sua falta. A obra de Pedro Tudela sugere uma estratégia de criação aberta ao questionamento crítico. Entre outras intervenções, no campo da pintura ou da fotografia por exemplo, o artista concebe um mundo sonoro feito de tonalidades suaves, simplificadas e despojadas, criando atmosferas ora violentas ora harmoniosas, produzidas através de objetos vulgares que emitem som, construídos com diferentes materiais e elementos combinados de forma artesanal, explorando as leis da acústica.

Horário terça a sábado | das 10h00 às 19h00 por marcação (a última visita terá início até às 18h00)_ Duração 60 a 90min._ Lotação 1 turma / 25 pessoas_ Preço 2,00 eur

32


Todo o ano M/12 anos

Audiowalk

Conceção e criação João Martins_ Apoio à dramaturgia Nuno Casimiro_ Interpretação (voz off) Pedro Carreira, com participação especial de Ana Vitorino (1) O formato audiowalk, com este “mote”, foi inicialmente desenvolvido em Portugal pela companhia de teatro Visões Úteis, com a colaboração de João Martins. Local Percurso pela cidade com partida da PAC_ Horário Todos os dias | das 10h00 às 17h30_ Participantes Percurso individual. No caso de grupos, não serão aceites grupos com mais de 20 elementos, havendo necessariamente um desfasamento de 5 minutos entre cada caminhante_ Duração c. 1hora_ Entrada gratuita

Atabicar o Caminho Um audiowalk para Guimarães João Martins

C

om partida na Plataforma das Artes e da Criatividade, Atabicar o caminho é uma criação sonora sobre um percurso que explora a envolvente urbana do Rio de Couros, cruzando e unindo alguns dos seus espaços singulares, entre as antigas propriedades das Dominicas, onde se instalaram o novo espaço da Feira Semanal e do Mercado Municipal, a jusante, e o núcleo central da Zona de Couros, a montante. Este projeto, desenvolvido em contacto com indivíduos e comunidades que, de formas diversificadas, habitam, usam e conhecem este território, pretende refletir sobre os processos de evolução da cidade. Um passeio sonoro sobre um percurso invulgar, que se assume como “uma companhia sonora para caminhantes solitários” (1).

33


N101 BRAGA

pac Av. Conde Margaride

hospital a11 braga

guimarães shopping ccvf Av. D. Afonso Henriques

ESPAÇO OFICINA Av. D. João IV

ip9

estação cp

GUIMARÃES

CCC Rua de Moure

SÃO MARTINHO DE CANDOSO

estação covas cp

A7 PORTO

COVAS - POLVOREIRA A7 N105 PORTO ip9 A7 Vila Real

CCVF Centro Cultural Vila Flor Av. D. Afonso Henriques, 701 4810 431 Guimarães N 41.4371, W 8.295442

Espaço Oficina Avenida D. João IV, 1213 Cave 4810 532 Guimarães N 41.435082, W8.291821

PAC Plataforma das Artes e da Criatividade Av. Conde Margaride, 175 4810 535 Guimarães

CCC Centro de Criação de Candoso Rua de Moure São Martinho de Candoso 4835 382 Guimarães

N 41.443249, W 8.297915

N 41.428015, W 8.337961


Preçário Espetáculos 2,00 eur Oficinas 2,00 eur Visitas orientadas às exposições 2,00 eur grupos escolares e visitas especiais para famílias; 5,00 eur público geral e grupos organizados Visitas orientadas à Plataformas das Artes 2,00 eur grupos escolares e visitas especiais para famílias; 5,00 eur público geral e grupos organizados Visitas orientadas ao CCVF 1,00 eur s/ desconto; 0,50 eur c/ desconto; Entrada gratuita Crianças até 12 anos quando acompanhadas de adulto pagante Especial Vai e Vem Na realização de uma visita orientada às exposições, oferecemos uma oficina gratuita na escola. Esta oferta é exclusiva para as escolas do concelho de Guimarães. Atelier Aberto Consultar condições específicas em www.ccvf.pt

Condições especiais de acesso Existem visitas e oficinas concebidas especialmente para públicos com necessidades especiais e estamos preparados para acolher nos nossos espaços pessoas com mobilidade reduzida. Por favor indique se é este o caso ao fazer a sua reserva.

Informações e reservas Pode obter informações sobre todas as atividades do programa do Serviço Educativo através dos telefones 253 424 700 ou 300 400 444 e do email servicoeducativo@aoficina.pt, bem como do sítio www.ccvf.pt. Reservas para espetáculos através do email bilheteira@ccvf.pt. Reservas para visitas e oficinas através do email servicoeducativo@aoficina.pt (exceto visitas ao CCVF Um teatro por dentro e por fora, que devem ser feitas através do email geral@aoficina.pt). Todas as reservas de atividades com a indicação Por marcação devem ser feitas com, pelo menos, uma semana de antecedência. Todas as atividades sujeitas a reserva ou inscrição prévia carecem de confirmação por parte dos operadores de bilheteira ou da equipa do Serviço Educativo, inclusive as atividades que contemplam a possibilidade de inscrição online. Ao efetuar a sua reserva, agradecemos que nos disponibilize informação tão detalhada quanto possível: nome da atividade e horário, nº de lugares a reservar (incl. crianças e adultos), se existem pessoas com mobilidade reduzida ou outras necessidades especiais, os descontos aplicáveis e os dados fiscais para emissão de fatura. É obrigatório o levantamento dos bilhetes reservados até 48h antes da atividade pretendida.

Os públicos carenciados do concelho de Guimarães têm condições especiais de acesso: alunos que beneficiem de Apoio Social Escolar têm entrada gratuita em todas as visitas e oficinas de curta duração do programa, bem como pagam 50% do valor do ingresso para os espetáculos do Serviço Educativo. As escolas e professores são responsáveis por indicar o nº de alunos que beneficiam destes descontos e apresentar os respetivos comprovativos. Informe-se junto dos operadores de bilheteira ou do Serviço Educativo. Os professores/ educadores que vêm em acompanhamento dos seus alunos/ formandos têm acesso gratuito às atividades (na proporção de 1 professor/ 10 alunos).

35


Financiamento

Cofinanciamento

36

Serviço educativo 2ºtrimestre 2014  
Serviço educativo 2ºtrimestre 2014  
Advertisement