__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1


4

Health ARQ


Health ARQ

5


6

Health ARQ


Health ARQ

7


8

Health ARQ


Health ARQ

9


CARTA AO LEITOR

De olho no ambiente construído Desde que lançamos a HealthARQ, há mais de cinco anos, temos acompanhado de perto a evolução estrutural dos ambientes de saúde. Seja em nossas entrevistas, eventos, matérias, artigos e fichas técnicas percebemos um avanço focado no alto padrão de qualidade das edificações. Ao longo da história da nossa publicação, estiveram em nossas páginas os “gigantes” da saúde. Cases de instituições como Sírio-Libanês, Albert Einstein, Oswaldo Cruz e Nove de Julho confirmaram como é possível garantir eficiência em seus prédios através de um inteligente projeto. Nesse sentido, o pensamento focado na inovação dos espaços de Saúde devem ser constantes. Como diz o consagrado arquiteto João Carlos Bross: “é muito bonito projetar prédios, no entanto, o mais importante é fazer com que as melhorias nos sistemas de saúde atinjam todas as populações.” Desta maneira, todos os envolvidos na cadeia da saúde precisam cobrar dos governantes investimentos de ponta para a estruturação dos edifícios públicos hospitalares. A qualidade do ambiente construído envolve diversas características que afetam a percepção e o comportamento de seus usuários. Portanto, devemos estimular que as boas práticas se tornem cada vez mais uma realidade na arquitetura da saúde. Ainda no setor da construção, outra contribuição nessa premissa de estimular a qualidade dos ambientes é a Certificação Well. Este selo foi lançado pelo International WELL Building Institute (IWBI) e administrado em parceria com o órgão certificador Green Building Certification Institute (GBCI), também responsável pela certificação LEED Green Building Rating System. A certificação WELL é baseada no monitoramento dos impactos dos empreendimentos quanto a saúde e bem-estar de seus ocupantes. A certificação permite que proprietários e incorporadores projetem espaços que promovam a qualidade de vida, bem como o aumento da produtividade e conforto dos usuários conforme as

medições periódicas. Similar as demais certificações de Sustentabilidade, para atingir níveis mais altos, o projeto deve atender, além de todos os pré-requisitos mínimos, uma porcentagem de pontuação chamada de “otimização”. Esperamos que certificações como essa possam influenciar os arquitetos e designers a olharem não somente para o meio ambiente, mas também para as particularidades deste espaço construído, que podem impactar diretamente na saúde e bem-estar dos usuários. Desejo a você uma excelente leitura.

Edmilson Jr. Caparelli CEO e Publisher


46

Capas da Edição Pela primeira vez, a HealthARQ traz duas capas em uma mesma edição. Uma com a equipe de sócios-diretores da Idein Arquitetura e a outra com gestores da Unimed Litoral. Em ambas, a publicação destaca o case da ampliação do Hospital da Unimed Litoral, que dobrou a sua capacidade de atendimento.

108

ARQ Reforma A Unidade Pompeia do Hospital São Camilo propõe um alto padrão de excelência na infraestrutura

12

Health ARQ

98

CONSTRUÇÃO Obra da Unidade de Ensino Einstein, no Rio de Janeiro, conserva a estrutura histórica existente ao construir uma nova edificação


NESTA EDIÇÃO N.19 I Março | Abril | MAio | 2016

82

SUSTENTABILIDADE O Hospital Alemão Oswaldo Cruz se preocupa com a otimização dos custos de sua infraestrutura. Atualmente, um dos grandes desafios do hospital tem sido o aumento da eficiência quanto ao uso de recursos

88 HUMANIZAÇÃO Com previsão de entrega para 2018, obra do novo Cema adota agilidade operacional para garantir resultado financeiro. Em sua totalidade, este é um projeto inteligente, tanto pela sua facilidade de acesso, quanto pela funcionalidade dos setores de atendimento ambulatorial

44

EXPANSÃO Ampliação do Hospital Ônix conta com projeto baseado em um desenho contemporâneo, garantindo mais do que uma ampliação estrutural

34 DETALHE Modernização dos ambientes através do mobiliário ganha destaque no projeto do Hospital Sírio-Libanês. Os novos espaços foram projetados com chão de mármore crema marfil e paredões de vidro Health ARQ

13


boletim ARQ

REFERÊNCIA Mater Dei inaugura Hospital Integrado do Câncer A Rede Mater Dei de Saúde inaugurou, em abril, o Hospital Integrado do Câncer, a edificação contém fluxos e atendimento exclusivo para o tratamento dos pacientes oncológicos. Inserido em uma estrutura de hospital geral multidisciplinar e de multiespecialidades, a instituição atenderá de forma diferenciada e humanizada os pacientes e seus familiares, apresentando suporte a todos os níveis de complexidade oncológica, como dor tumoral e toxicidades. O Hospital Integrado do Câncer foi idealizado a partir da demanda dos clientes oncológicos da Rede Mater Dei que só em 2015 realizou mais de 25 mil atendimentos a pacientes com câncer.

NEOCOLONIAL Unidade Home Doctor instala nova sede no Rio de Janeiro A nova sede da Unidade Home Doctor, instituição com 22 anos de atuação no mercado de atenção domiciliar, foi inaugurada no Rio de Janeiro, em abril. O evento de inauguração contou com a presença de importantes nomes do setor da saúde carioca como operadoras de saúde, Grupo COI e Unidas (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde). Com a nova infraestrutura de atendimento instalada, a unidade carioca da Home Doctor passou a contar com um centro logístico e um parque de equipamentos próprios e de alta tecnologia, como respiradores e concentradores de oxigênio. O novo prédio está localizado em Botafogo e apresenta arquitetura em estilo neocolonial.

Fotos: Divulgação

CRESCIMENTO Mãe de Deus anuncia novo Hospital do Câncer no RS O Hospital Mãe de Deus anunciou o lançamento de uma unidade dedicada exclusivamente ao tratamento de pacientes oncológicos em Porto Alegre (RS). Com investimento total de R$ 70 milhões, em três anos, e uma estrutura de 12 mil m², o novo hospital triplicará a capacidade atual de atendimento do HMD para pacientes com câncer nos próximos cinco anos. A nova unidade vai oferecer um atendimento integral, contínuo e de excelência técnica e humana. O prédio será um dos mais modernos centros da América Latina, com 35 leitos, 20 salas de quimioterapia e uma equipe de 300 profissionais. A nova edificação do Hospital do Câncer Mãe de Deus estará conectado à atual estrutura do hospital, funcionando de forma integrada.

14

Health ARQ


Acesse: healtharq.com. br e confira mais notícias do setor.

http://goo.gl/T3ONTW

INOVAÇÃO Hospital de Goiás reformula leitos de UTI O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) conta atualmente com 59 leitos de UTI. Deste total, 20 foram completamente reformulados no mês de abril. O objetivo dos gestores é até o final deste ano reformar os outros 39. O intuito dessa operação é modernizar a infraestrutura do hospital para garantir aos usuários uma assistência diferenciada, semelhante à prestada pelos melhores e mais modernos hospitais particulares do Brasil. Todos os 20 leitos reformados contam com pontos de hemodiálise, camas elétricas, televisões de LED com programação convencional e som direcionado e individualizado por cama – os fones de ouvido são descartados e trocados na hora da alta médica.

EXTENSÃO Samaritano inaugura nova UTI Neonatal para atendimentos de alto risco O Hospital Samaritano inaugurou a extensão da UTI Neonatal que é composta por 10 leitos no melhor conceito de segurança que visa atender os recém-nascidos ou não na instituição. Agregado à tecnologia de ponta, o trabalho desenvolvido pela equipe multidisciplinar, agora, passa a receber casos de alto risco encaminhados de qualquer lugar da América Latina. “Desse modo é importante que o bebê nasça em um centro com equipe multidisciplinar, treinada em reanimação neonatal, com assistência à saúde efetiva, segura e humanizada”, destaca a Coordenadora da nova UTI Neonatal do Hospital Samaritano de São Paulo, Teresa Uras.

SIGA, CURTA E COMPARTILHE

/HealthARQ

/ HealthARQ

Health

/ HealthARQ ARQ

Fotos: Divulgação

INVESTIMENTO Fundação Mérieux constrói o 1º laboratório de biologia molecular do Acre A Fundação Mérieux inaugurou, em abril, o primeiro laboratório de biologia molecular do Estado do Acre, o Laboratório Rodolphe Mérieux e o Centro de Infectologia Charles Mérieux. Localizado no Hospital das Clínicas de Rio Branco (AC), o centro é fruto do mais expressivo investimento da Fundação Mérieux no Brasil, em torno de 1 milhão de euros em saúde pública. A estrutura, que conta com uma área de 400 m², incluindo 245 m² de laboratórios, tornará possível oferecer aos pacientes um diagnóstico de qualidade para a melhoria dos tratamentos de doenças tropicais. O laboratório realizará testes de rotina e exames especializados.

15


Confira mais vídeos no Saúde Online TV http://goo.gl/j3zuWh

Rumos para sustentabilidade no setor da saúde é tema do Forúm ASAP 2016 Em abril, o Fórum ASAP 2016 reuniu, em São Paulo, cerca de 500 executivos, profissionais e pesquisadores para debater o tema “Rumos e Sustentabilidade da Saúde”. O Fórum foi dividido em três painéis, com o primeiro debatendo Cultura, Conhecimento e Educação em Saúde; o segundo, O Ambiente e suas Repercussões na Saúde das Populações, e o terceiro, Indicadores e Transparência. A equipe do Saúde Online foi até o evento e conversou com Milvia Gois, CEO da ASAP; Ana Elisa Siqueira, CEO do Grupo Hospitalar Santa Celina; Guilherme Hummel, debatedor do fórum e com o Presidente da Anahp, Francisco Balestrin.

Confira a cobertura no Saúdeonline TV http://goo.gl/YAon96

Revista HealthCare Management traz o “100 Mais Influentes da Saúde 2016”

Mais Influentes da Saúde

A 41ª edição da revista HealthCare Management apresenta mais uma vez o especial “100 Mais Influentes da Saúde”. A homenagem é para aqueles profissionais que mais se destacaram neste último ano em diversas áreas, como Gestão, Qualidade, Indústria, Associações, Infraestrutura, Projetos de Humanização, entre outros. No total são 20 categorias com 5 ganhadores em cada uma, não havendo ranking entre os homenageados, sendo estes executivos de hospitais, indústrias, operadoras de saúde, empresas e outros players que fomentam o segmento. Veja quais foram os ganhadores:

http://goo.gl/LiXauY

Márcia Mariani fala das práticas ambientais na Saúde O Simpósio Internacional de Qualidade e Segurança do Paciente, que aconteceu nos dias 7 e 8 de abril, no Pullman São Paulo, discutiu, com base na visão de especialistas em Medicina Hospitalar dos EUA e Canadá, as possíveis soluções a serem implementadas para os problemas de variabilidade na assistência prestada pelos hospitais nacionais. Em entrevista para o Saúde Online, a Diretora do Serviço de Inteligência Ambiental (SAI), Márcia Mariani, falou sobre as práticas ambientais no setor da saúde.

Confira a entrevista no Saúdeonline TV http://goo.gl/dRTj0O

16 Health ARQ Siga, curta e comente

/SaudeOnlineBR

@SaudeOnlineBR

/saude_online

/in/saudeonline


Health ARQ

17


Palavra do Editor

Elevando a humanização na Saúde

E

ra uma noite de quinta-feira, estava em um shopping da capital paulista, na inauguração de um centro ambulatorial focado na saúde da mulher. Neste dia, antes de me preparar para uma gravação do saudeonline.net, conversei com o CEO do Grupo São Cristóvão Saúde, Valdir Ventura e com a arquiteta Cibeli Bagnato sobre o impacto da humanização nas edificações de saúde. Eles me falaram que, atualmente, um dos grandes desafios do mercado é inserir harmonia nos projetos sob um custo baixo. ‘É preciso se renovar pelo caminho da criatividade’. Nesse mesmo sentido de inovar gerando economia através da humanização apresentamos, nesta 19ª edição, diversos cases inspiradores. Um dos destaques é o robusto projeto do novo Hospital Cema assinado pela arquiteta Paula Fiorentini. Em sua totalidade, este é um prédio inteligente, tanto pela sua facilidade de acesso, quanto pela funcionalidade dos setores de atendimento ambulatorial. Outro case que também mostramos nas próximas páginas segue esta mesma linha. É o projeto de ampliação estrutural do Hospital Ônix, em Curitiba (PR). Esta obra reverencia uma arquitetura contemporânea, que utiliza medidas sustentáveis como o aproveitamento de luz natural em muitos espaços. E por falar em humanizar de forma sustentável, a nossa redação mostra aos leitores o que existe por trás do mobiliário do projeto de expansão do Sírio-Libanês. Na tentativa de transformar a frieza inerente a hospitais, estes novos espaços foram projetados com chão de mármore crema marfil e paredões de vidro que valorizam a vista de cenários ao redor da instituição. Já na nossa matéria de capa, também exibimos um pouco destes detalhes que evocam a humanização nos ambientes hospitalares. A HealthARQ mostra um panorama do case de expansão do Hospital Unimed Litoral, em Balneário Camboriú

18

Health ARQ

(SC). Fruto de um investimento de aproximadamente R$ 97 milhões, o empreendimento possui uma área construída de 22 mil². Na reportagem você confere depoimentos de diversos profissionais que estiveram a frente deste projeto concebido para ser referência em infraestrutura de ponta.

Tenha uma excelente leitura!

Thiago Cruz, Editor da Revista HealthARQ


Health ARQ

19


ARQ Coluna

Artigo

Fábio Bitencourt Arquiteto D Sc e Professor

Arquitetura e engenharia hospitalar em congressos na Europa: Holanda e Suíça

D

ois importantes eventos sobre arquitetura e engenharia hospitalar ocorreram em abril de 2016 na Europa, Holanda e Suíça, que, de certa forma, tangenciam os interesses do Brasil. Na cidade de Haia, Holanda, durante os dias 16 a 20 de abril foi realizado o 24º IFHE Congress promovido pela Federação Internacional do Edifício Hospitalar (IFHE) e pela Associação de Engenharia Hospitalar Holandesa (NVTG, de acordo com a sigla original de Dutch Association of Technology in Healthcare). O tema do Congresso foi a construção de um amplo debate sobre como dividir conhecimento para promover melhores ambientes de saúde em todo o mundo. Os resultados e os trabalhos científicos apresentados estão disponíveis no site do evento (http://www.ifhe2016.info/). 20

Health ARQ

Em paralelo ao Congresso ocorreu a divulgação e entrega do Prêmio Internacional de Edifícios para Saúde 2016 com a participação de obras de hospitais e clínicas de 18 países. O Brasil recebeu uma menção honrosa com o projeto do Hospital das Américas, construído na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Os projetos vencedores foram os seguintes: 1º lugar - Ashikaga Red Cross Hospital, Tókio, Japão; 2º lugar - Meander Medisch Centrum – Amersfoort, Holanda; 3º lugar – Alder Hey Children’s Hospital – Liverpool, Reino Unido; Menções Honrosas: 1 – Americas Medical City – Rio de Janeiro – Brasil; 2 - Centre Hospitalier Alpes Léman – Contamine-sur-Arve – France; 3 – De Drie Einken – Antuérpia – Bélgica.

A Associação Brasileira para o Desenvolvimento Hospitalar (ABDEH) é a entidade brasileira vinculada à Federação e participou da Reunião do Conselho e das discussões sobre inovações para os edifícios de saúde. Estavam presentes os Presidentes de 27 associações de arquitetura e engenharia de diversos países de todos os cinco continentes. Uma participação com papel relevante e representatividade para cada região. Do continente americano estavam os presidentes dos seguintes países: Brasil, Argentina, Estados Unidos, Canadá, México, Colômbia, Cuba e Uruguai. Igualmente importante foi a oportunidade de divulgar a realização do próximo encontro da IFHE que acontecerá no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, nos dias 27 a 30 de agosto de 2017. Neste período acontecerá o

IFHE RIO 2017 - International Seminar, com o tema que tratará do “Ambiente Hospitalar contribuindo para a segurança do paciente e dos profissionais de saúde”. Por outro lado e sequencialmente em abril, também ocorreu, em Genebra, Suíça, uma discussão importante em busca de soluções para reduzir os custos para construção e manutenção dos edifícios hospitalares. Um tema de interesse para o futuro da saúde em todo o mundo. O workshop “Reduzindo os custos operacionais do Hospital através da qualidade do projeto” (Reducing hospital operating costs through better design), promovido pela União Internacional de Arquitetos (UIA) e a Federação Internacional de Hospitais (IHF), representou um passo intermediário no processo de desenvolvimento de um projeto significati-


vamente mais complexo. Este Workshop aconteceu durante o Geneva Health Forum (http://ghf2016.g2hp. net/), um dos mais importantes eventos mundiais sobre saúde, que teve por tema: “Inovações acessíveis e sustentáveis em assistência à saúde”. O evento que já está em sua décima edição apresenta-se como “um espaço para o diálogo e o intercâmbio entre os principais profissionais dos serviços e da assistência à saúde, os hospitais universitários, os setores público e privado, as organizações internacionais e as organizações não governamentais”. E foi neste ambiente que

a União Internacional de Arquitetos – Grupo de Saúde Pública (UIA-PHG) e a Federação Internacional de Hospitais (IHF) reuniram arquitetos de diversos países do mundo (França, Noruega, Espanha, Inglaterra, África do Sul, Bélgica, EUA, Canadá, Finlândia, Itália e Brasil) para avaliar e encontrar soluções pela redução dos custos operacionais do hospital através das contribuições que a arquitetura e engenharia possam oferecer. De forma complementar, pesquisadores do Centro de Pesquisa Interuniversitária da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Firenze, Itália, apresentou um resu-

mo com os fatores e fases que podem contribuir e/ou impactar nas decisões projetuais e operacionais dos edifícios para serviços de saúde. Destacam-se os seguintes aspectos: • Referenciais do contexto ambiental; • Referenciais do contexto social; • Referenciais do contexto econômico; • Referenciais do contexto geográfico/localização; • Aspectos da legislação (local, regional, nacional; plano diretor da cidade, aspectos arqueológicos e do patrimônio histórico, restrições legais...); • Sistema de saúde (papel

e uso do hospital no sistema de saúde local, relação entre cada estabelecimento de saúde e o modelo assistencial); • Níveis de inovação e desenvolvimento tecnológico. Uma das funções deste encontro foi a construção de uma Matriz de Decisões Técnicas e Projetuais com proposições fundamentadas nas experiências e contribuições dos representantes dos países participantes. Os resultados visam, sobretudo, a disseminação das boas práticas e experiências que possam ser reproduzidas nos distintos países interessados nos resultados a serem obtidos.

Health ARQ

21


Design

Ambientes harmoniosos e discretos

GRAAC

Ambientes N mais saudáveis

Informe Publicitário

Pisos direcionados ao segmento de saúde apresentam diversas vantagens como 100% recicláveis, baixo índice de VOC e tratamentos específicos

22

Health ARQ

os últimos anos, a ACE Revestimentos vem implantando soluções inovadoras em relação aos pisos direcionados para os ambientes de saúde. Atualmente, a empresa apresenta como diferencial os pisos com baixo índice de VOC, próximo a zero, sendo 10 vezes menor que o recomendado pelas normas europeias. Estes pisos contribuem no LEED™ Scorecard, devido a sua certificação Floorscore e ainda são materiais com tratamentos de superfícies específicas voltadas ao segmento saúde por possuírem maior resistência a produtos químicos. Além disso, a ACE garante instalações aperfeiçoadas com técnicos treinados pelos seus fabricantes. A ACE Revestimentos atende com excelência o mercado de saúde com soluções em pisos e revestimentos que atendem às normas técnicas como a RDC 50 da Anvisa, com soluções de mantas soldadas tornando os pisos com superfícies monolíticas e impermeabilidade de água menor que 4%. “A nossa preocupação principal neste setor é a escolha adequada do piso pelo arquiteto e ou especificador do segmento e também a perfeita instalação do piso. Outros pontos que temos o cuidado especial é com a total limpeza, manutenção e instalação”, afirma Fabio Baltazar Riston, Coordenador de Marketing da ACE Revestimentos. Os pisos comercializados pela ACE possuem tratamento fungistático e bacteriostático para inibem o crescimento de fungos e bactérias. Dentre as opções destacam-se os pisos


Fleury

Americas Medical City - RJ

Hospital Brasil Memorial Salvador - BA

Ideal para a saúde

homogêneos ACE Accord, ACE Cosmo, ACE Symbioz (esse com um grande diferencial ambiental por ser um produto com plastificante Bio a base de milho e trigo). Ainda são comercializados os pisos heterogêneos e o ACE Taralay Impression, que possui a opção compacta e acústica. No Brasil, dezenas de instituições de saúde vêm utilizando os pisos da ACE. A empresa já instalou seus produtos nas maiores instituições do País como o Hospital Albert Einstein, Nove de Julho, Hospital das Clínicas, Alemão Oswaldo Cruz, São Luiz, Sírio-Libanês, Américas Medical City, Hospital Pró Criança Cardíaca, Hospital Espanhol da Bahia, AMIL, GRAACC, Unimed, Laboratórios Fleury, Prevent Senior, Hospital Alberto Rassi, Hospital Arthur Ramos, entre outros.

O uso do piso vinílico para as edificações do setor da saúde agregam diversas vantagens para as instituições. Este modelo de piso/ revestimento atendem às normas técnicas, como a RDC 50 da Anvisa. Além disso, valorizam os espaços e promovem a humanização, com designs diferenciados, higiênicos, térmicos, resistentes e de fácil manutenção. O processo de manutenção e troca destes pisos vinílicos tem que ser rápido, seguro e com o mínimo de sujeira possível.

Confira as principais vantagens do Piso Vinílico: • Conforto térmico e acústico • Instalação rápida e limpa • Fácil assepsia do local • Pisos com tratamento fungistático e bacteriostático para combater o desenvolvimento de fungos e bactérias • A maioria dos pisos possui tratamento de superfície EVERCARE • Tratamento de poliuretano micro estruturado, curado a laser que proporciona uma incomparável barreira contra manchas e produtos químicos, evitando definitivamente a aplicação de cera durante toda a vida útil do produto • Grande variedade de cores e designs, trazendo aconchego ao ambiente • Baixíssima emissão de VOC, pois, propicia uma melhor qualidade do ar no interior dos edifícios, priorizando o conforto ambiental

Health ARQ

23


Expansão

Em busca do novo Conceitual

Expansão do Hospital Ônix conta com projeto baseado em um desenho contemporâneo, garantindo mais do que uma ampliação estrutural

O

Fotos: Valterci Santos

resultado não poderia ser diferente: um novo conceito de hospital. Essa é a melhor definição do projeto de expansão estrutural da instituição hospitalar Ônix, em Curitiba (PR), que buscou desde o início ir além de uma mera ampliação. O desejo era, principalmente, criar as bases para um aprimoramento tecnológico dos estabelecimentos assistenciais de saúde e das reestruturações administrativas, focando na busca de um melhor atendimento aos pacientes. Com cerca de R$ 15 milhões investidos nas obras, o hospital pretende dar aos beneficiários do plano de saúde Clinipam, operadora ligada diretamente à instituição, acesso a um conceito hospitalar inovador, com tecnologia de ponta, equipamentos modernos e estrutura diferenciada por um valor acessível. “Cada vez mais é explicito a exigência dos curitibanos com relação aos serviços comprados. Além de cumprir o princípio da excelência do serviço prestado e a satisfação do público desta cidade, o hospital foi criado visando quebrar um paradigma dos modelos atuais, os quais normalmente são sisudos, frios, com projetos modulares e quadrados, e em seu interior a utilização de cores pálidas e sem vida”, afirma o Diretor Administrativo do Hospital Ônix, Cadri Massuda. O projeto de expansão e inovação da instituição, inaugurada em 1998, foi idealizado com o objetivo de humanizar o ambiente hospitalar partindo para um desenho que envolvesse o lúdico, com cores harmoniosas na sua pintura, utilização de obras, paisagismo e toda a sua decoração voltada para o bem-estar e o conforto

24

Health ARQ


do paciente e seus familiares. “Esta é uma obra com arquitetura contemporânea, que utiliza medidas sustentáveis como o aproveitamento de luz natural em muitos espaços”, revela Massuda. Para que tudo pudesse ocorrer como o planejado, o hospital depositou toda a sua confiança no trabalho da construtora Baggio, que se aliou ao experiente arquiteto Gustavo Pinto, Sócio-Diretor da GP Arquitetura. O profissional uniu sua experiência de 20 anos e mais de 400 mil m² de áreas hospitalares projetados para conceber o novo espaço da Clinipam. Assim, a nova edificação foi tencionada dentro de um

sistema construtivo que permitisse flexibilidade. Fechamentos internos feitos com paredes leves, pisos de alta resistência, acabamentos de forros e paredes com alternativas de cores e texturas, e shafts criados para verificação das instalações gerais são destaques do projeto. “Nosso desafio era desenhar os novos espaços, integrar e otimizar os fluxos de pacientes e funcionários, adequar os ambientes para novos equipamentos e serviços, e criar uma volumetria externa que unificasse as edificações, existentes e novas, transmitindo as qualificações do Hospital Ônix”, explica o arquiteto.

Para Pinto, deve-se, em qualquer projeto, por menor que seja a intervenção ou por mais rígida que seja as instalações, proporcionar ao usuário a sensação de que naquele espaço existe arquitetura. “Quando uma edificação funcionalmente complexa nos permite compreender e vivenciar suas qualidades espaciais, desde amplitude e luminosidade a cor, volume e articulações, aí, sim, podem denominá-la Complexo Arquitetônico.” A GP Arquitetura trabalha com um eficiente programa de controle físico-financeiro de seus projetos em execução, o que garante resultados assertivos para seus clientes. Health ARQ

25


Expansão

Conceitual

Trabalho em equipe As empresas Baggio e GP Arquitetura têm trabalhado juntas por mais de cinco anos em diversos empreendimentos coorporativos e residenciais. Parceiras, desta vez na área da saúde, as companhias prometem sempre buscar atender os clientes com qualidade, organização, tecnologia e profissionalismo. Assim aconteceu com o projeto do Ônix, que carrega os conceitos de sustentabilidade e humanização como fatores primordiais na construção do novo prédio, já que ambos são os principais focos do hospital contemporâneo. Dessa forma, Pinto explica que tais conceitos estão presentes desde os primeiros desenhos e raciocínios. “A definição dos sistemas construtivos, o estudo de fluxos, aberturas, insolação e outros elementos arquitetônicos formam a base para o desenvolvimento da sustentabilidade. Reuso de água da chuva, utilização de aquecimento solar, paredes de gesso acartonado, lâmpadas de led, sensores de presença, utilização de vidros e brises para proteção solar, são alguns dos sistemas utilizados para eficiência energética desta edificação.” Outro destaque do desenho do hospital são as particularidades relacionadas a 26

Health ARQ

fluxos, tamanho de portas, corredores, saídas de emergência, e etc. Tudo pensado para portadores de necessidades especiais. “O projeto arquitetônico é pensado pelo olhar do corpo clínico, do usuário e do paciente. Criar um espaço hospitalar e responder a todos estes usuários com a mesma qualidade é sempre um desafio”, diz Gustavo Pinto. ESTRUTURA: De acordo com Cadre Massuda, situado em uma região carente de hospital, o novo complexo beneficiará não apenas os bairros Bom Retiro, Ahú e redondezas, mas também as cidades mais próximas como: Mateus Leme, Colombo, Almirante Tamandaré e Rio Branco do Sul. “Nossa região é carente de quartos de UTI, mas com a nossa expansão Curitiba ganhará mais 10 leitos.” Com a reforma e ampliação do Ônix, a Clinipam vai contar com mais 100 leitos e fechará o ciclo de atendimento ao seu cliente, dando prioridade para Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e centros pediátricos. Serão oferecidos acolhimentos de Pronto Socorro para emergências médicas, cirúrgicas e ortopédicas, além de cirurgias eletivas de pequeno, médio e grande porte. A nova estrutura conta com quatro pavimentos.

Capacidade de atendimento O Hospital Ônix está dividido da seguinte maneira: • Pronto Socorro com 12 salas de atendimento • Centro cirúrgico com 5 salas • Ala com 18 apartamentos • Um andar com 36 leitos de enfermaria • Último andar com 10 leitos de UTI e 8 leitos de enfermaria Acoplado a isso, um laboratório com atendimento 24 horas para todos os exames clínicos e, anexo ao hospital, a construção de um Centro de Imagem.


Health ARQ

27


Reformulação

Conceito do cuidado Reforma da ala 06 do Centro Médico de Campinas conta com soluções práticas desenvolvidas pela MCS Construtora

Informe Publicitário

A

ala 06 do Centro Médico de Campinas foi reformada com o objetivo principal de proporcionar o máximo de conforto e sofisticação aos pacientes e profissionais. A empresa contratada para promover a execução das obras, a MCS Construtora, adotou em seu plano de atividades diversos cuidados para não interferir na rotina da instituição que continuou em funcionamento mesmo durante a reforma. “O planejamento e o trabalho em equipe foram peças fundamentais para conseguir contornar esses problemas. Estávamos com a obra dentro de uma instituição de saúde em funcionamento, com pacientes que já estão com a saúde prejudicada, com baixa imunidade. Em momentos como este, ninguém gosta de ser incomodado”, relata Ciclay Francisco Melão, Gerente das Obras. De acordo com Francisco a missão da empresa sempre foi 28

Health ARQ

de não deixar resíduos no local da obra. Para evitar este problema, a construtora realizou a limpeza todos os dias. Além disso, seguiu uma lista de recomendações ao utilizar ferramentas e equipamentos com muito ruído, da maneira que não atrapalhe o centro médico. No que tange aos serviços de instalações elétricas e hidráulicas houve montagens para cada quarto, áreas de atendimento, salas de ma-


Inovando no mercado teriais e salas de funcionários. “Assim, proporcionamos uma melhor organização e facilidade nas manutenções. Um ponto de destaque foi nosso sistema de água quente, em que substituímos a energia elétrica por aquecedores solar que a instituição nos disponibilizou”, afirma. A obra pode ser considerada como ampla e com um sistema de climatização eficiente. O projeto foi calculado para que os sistemas de cada quarto conseguissem, em conjunto, regular a temperatura do corredor e assim economizar com o custo de mais equipamentos de climatização. “Instalamos persianas automáticas para maior praticidade dos usuários e um sistema de breeze para que não ocorresse muita irradiação solar. Sem contar com o sistema de chamada de emergência, onde os pacientes conseguem se comunicar diretamente com os enfermeiros”, acrescenta Francisco.

A MCS Construtora tem buscado aplicar técnicas inovadoras ao realizar serviços para o mercado da saúde. “Sempre buscamos a implantação de novas tecnologias e procedimentos que retornam ao cliente em produtividade, conforto e economia. Isso vem nos dando uma boa aceitação no mercado e nos motiva cada vez mais a estudar novas possibilidades e novos desafios”, afirma Ciclay Francisco Melão. Entre os principais cuidados que a equipe da MCS adota ao realizar serviços em instituições de saúde está a limpeza. “Com uma obra ocorrendo acaba sendo inevitável a produção de resíduos. A obra limpa é uma meta diária. O uso de Equipamentos de Proteção Individual também é de extrema importância para nós.”

Health ARQ

29


ARQ Coluna

Artigo

Marcio Nascimento de Oliveira Prof. Arq. Msc. e Presidente da ABDEH

Desafios da atualização das normas para os edifícios de Saúde

F

oi apenas depois da Constituição Federal de 1988, com a instituição do Sistema Único de Saúde SUS, que se viram instaladas as condições políticas e institucionais favoráveis à elaboração de um instrumento normativo que pudesse atender aos anseios de profissionais e trabalhadores envolvidos com a qualidade dos ambientes de saúde. No marco da instituição do SUS, a nova Constituição estabeleceu, em seu artigo 197, que “são de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao Poder Público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle”. Destaquemos, assim, o termo “regulamentação”. Qual a necessidade de serem estabelecidos regulamentos ou leis acerca da infraestrutura dos serviços de saúde? Atuando desde o final dos anos noventa com projetos na área da saúde, e tendo ini30

Health ARQ

ciado minha trajetória trabalhando como técnico analista de projetos no Ministério da Saúde, me acostumei desde o início a utilizar como base as normas estabelecidas pelo poder público, inicialmente na forma da Portaria Ministerial 1.884, publicada em 1994, e posteriormente, já sob a atuação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, da Resolução da Diretoria Colegiada Nº50 de 2002, a conhecida RDC-50 que é utilizada, desde então, como o principal Regulamento Técnico destinado ao planejamento, programação, elaboração, avaliação e aprovação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde. Apesar do maior destaque ser dado à RDC-50, é importante abrir um parêntese e destacar a importância que teve a Portaria 1.884/04, que a originou e que foi fruto de um longo trabalho coletivo,

realizado pelo então Departamento de Normas Técnicas do Ministério da Saúde e brilhantemente coordenado pelos arquitetos Regina Barcellos, atual Vice-Presidente de Relações Institucionais da ABDEH e Flavio Bicalho, ex-presidente desta Associação. Essa Portaria foi, sem dúvida, um verdadeiro divisor de águas, que não só contou com a participação popular, por meio de Consulta Pública, mas se beneficiou enormemente da experiência dos mais respeitados profissionais da área, tais como Jarbas Karman, Domingos Fiorentini, Salim Lamha Neto, João Carlos Bross e Mariluz Gomes, entre outros. Publicada em 2002, a RDC50 marcou de forma definitiva esta importante quebra de paradigma na normatização dos edifícios de saúde. Ao deixar para trás o padrão pouco flexível da Portaria Nª400, publicada em 1977,

que apresentava soluções rígidas e pré-determinadas, a nova norma adotava um modelo mais aberto e flexível, que poderia ser aplicado a todos os serviços, em diferentes situações e em diferentes níveis de complexidade. Fundamentada na premissa da programação arquitetônica, em que a definição de atribuições e atividades são traduzidas em pré-dimensionamentos e parâmetros mínimos de qualidade, não há dúvidas de que a RDC-50 contribuiu de forma decisiva para a melhoria dos projetos da saúde. No entanto, por mais bem elaboradas que sejam, é notório que normas e regulamentos técnicos de uma área tão dinâmica quanto a da saúde não conseguem se manter atuais por muito tempo, considerando o acelerado ritmo de desenvolvimento das tecnologias e das atualizações de procedimentos. Isso faz com que a atualização destas


normas seja uma necessidade constante. A própria RDC-50, em seu Artigo 4º, estabelecia que a ANVISA deveria proceder a “revisão do Regulamento Técnico após cinco anos de sua vigência, com o objetivo de atualizá-lo ao desenvolvimento científico e tecnológico do país”. Ou seja, a RDC-50 devia ter sido atualizada ou substituída há pelo menos uma década atrás. Temos participado, nos últimos anos, de diversas tentativas de se promover a atualização da RDC-50, seja como membros de Grupos de Trabalho, seja por acompanharmos a participação da ABDEH como entidade convidada pela ANVISA. Um fato comum, que temos obser-

vado em todas as iniciativas tomadas para atualização da norma, até aqui infelizmente sem êxito, é o alto nível de interesse e preocupação demonstrado pelos profissionais que utilizam quotidianamente esta legislação. O fato de ter se passado tanto tempo desde sua publicação gerou um estado em que todos os que trabalham com projetos e obras na área da saúde estão ávidos por ter novamente em mãos uma norma atual, que espelhe os avanços e características dos serviços de saúde contemporâneos, e que também olhe para o futuro, propiciando um cenário ideal para a necessária evolução técnica e qualificação das edificações.

A ABDEH, como entidade agregadora e difusora de saberes e experiências, tem realizado desde 2014 diversos eventos sobre a RDC-50 com seus associados, no formato de mesas-redondas e debates, os quais vêm contando com a presença de diversos profissionais e estudantes interessados na arquitetura e engenharia dos serviços de saúde. Como resultado, temos observado que a maioria absoluta dos interessados, caso pudesse decidir, optaria pela manutenção da estrutura existente na atual RDC, com a divisão por atribuições, listas de atividades e tabelas de ambientes, porém com as correções e adaptações necessárias à inclusão de novas

funcionalidades, hoje não contempladas na norma. Esperamos, enfim, que a Gerência Geral de Tecnologia e Serviços de Saúde da ANVISA, departamento responsável pela gestão das normas e regulamentos do setor, retome com a máxima celeridade o estabelecimento de um calendário de reuniões ou eventos técnicos abertos à participação da comunidade técnico-científica, para que a tão esperada revisão da RDC50, fundamental para a garantia da qualidade das edificações para a saúde, receba as contribuições necessárias e para que possamos, finalmente, iniciar um novo ciclo na história da normatização dos edifícios de saúde no Brasil.

Health ARQ

31


Qualidade Informe Publicitário

Nobre alternativa Além de reduzir gastos energéticos, produtos de vedação para portas reduzem a passagem de partículas e promovem conforto ambiental

32

Health ARQ

D

evido às inovações tecnológicas, os produtos de vedação para portas podem auxiliar na diminuição do risco de contaminação e promover o conforto ambiental ao paciente (reduzindo ruídos). Além disso, esta técnica gera uma economia, pois reduz os gastos energéticos e auxilia na manutenção da pressão positiva. Uma das empresas que vem se destacando no setor da saúde ao trabalhar com produtos de vedação é a Prima Ferragens. Há mais de 12 anos no segmento de construção civil, a empresa apresenta soluções para vedações de portas e janelas com qualidade compatível e / ou superior aos produtos importados europeus e norte-americanos. Especializada na fabricação de vedações especiais e acústicas, a empresa oferece conforto e bem-estar através de uma ampla linha de produtos. Todos com qualidade e vida útil superior, complementando projetos de construção civil e acústica, visando satisfazer as necessidades dos seus clientes. A composição dos produtos da Prima é feita de materiais nobres, que não oxidam, fato que permite à empresa oferecer até cinco anos


de garantia contra defeitos de fabricação. No segmento da Saúde, a Prima Ferragens fornece produtos diretamente para hospitais, laboratórios, distribuidores, bem como profissionais ligados à engenharia e arquitetura hospitalar. Para tanto, a Prima dispõe de uma equipe técnica de engenharia clínica para auxiliar as instituições ou prestadores de serviços a encontrar a melhor alternativa para aquela necessidade. A aceitação das instituições de saúde em que a Prima atua tem sido muito satisfatória. Isso ocorre, especialmente, por se tratarem de produtos nacionais, com alta qualidade e que permitem uma vedação completa, em atendimento a

requisitos da norma RDC –50. Neste setor, os produtos da empresa são muito solicitados para ambientes hospitalares como apartamentos (hotelaria); salas de análises de exames laboratoriais, salas limpas e centros cirúrgicos, onde as soluções da Prima promovem a redução do custo energético. Este serviço da Prima reduz as perdas de ar condicionado, de calefação; promove a manutenção da pressão positiva auxiliando na redução dos riscos de contaminação. Ainda, serve de barreira para entrada de partículas, além de reduzir o nível sonoro, proporcionando melhor conforto ambiental. Atualmente, os principais clientes da Prima no merca-

do de saúde são instituições como os laboratórios Merck Sharp e Eli Lilly, grandes hospitais a nível nacional, bem como consultórios médicos de diversas áreas e de psicólogos. Também se incluem prestadores de serviços de Engenharia Clínica, Distribuidores de produtos Farmacêuticos, Hospitalares e de Esterilização Hospitalar; Indústria de equipamentos hospitalares e empresas que atuam no setor Alimentício voltado para este segmento. Tendo em vista que este mercado está destacando a importância da atenção e cuidados ao paciente, existe uma perspectiva de crescimento da atuação da empresa em 2016.

Associada da abdeh A Prima Ferragens também é uma das empresas integrantes da Associação Brasileira do Desenvolvimento das Edificações Hospitalares (ABDEH). Na avaliação da empresa, a ABDEH tem uma atuação bastante ativa junto à área da saúde em nível nacional, promovendo a reunião de instituições de saúde com profissionais especializados nesse ramo, como os de engenharia e arquitetura hospitalar.

Health ARQ

33


Composição

Detalhe

Muito D além da expansão Modernização dos ambientes através do mobiliário ganha destaque no projeto do Hospital Sírio-Libanês

34

Health ARQ

e hospital a hotel cinco estrelas. Essa é a percepção de quem visita as alas recém-inauguradas do Hospital Sírio-Libanês, considerado referência nacional. Na tentativa de transformar a frieza inerente a hospitais, os novos espaços foram projetados com chão de mármore crema marfil e paredões de vidro que valorizam a vista de cenários ao redor da instituição. Tudo foi desenvolvido para melhor atender ao paciente e, desde o início, a modernização do ambiente foi tida como uma das premissas que nortearam o projeto de expansão do hospital, com abertura das obras em 2009. Estava claro que além da ampliação estrutural e de serviços, o desejo era ter um desenho estruturado para que o mobiliário também ganhasse destaque e pudesse ser analisado ainda no papel. A solução foi lançada: desenvolver o projeto de cada um dos móveis em AutoCAD 3D. A ideia da empresa parceira Guido Contini caiu no gosto da equipe da instituição. “A expectativa ao utilizarmos tecnologia de ponta é que isso traga menos custos de manutenção e aumente o conforto do paciente”, comenta Antonio Carlos Cascão, Superintendente de Engenharia e Obras do Hospital Sírio-Libanês. Todos os projetos foram exclusivos e profundamente discutidos, fato que colaborou para que a ideia da empresa especializada em móveis hospitalares customizados desse certo. A companhia estruturou a própria equipe de enge-


nharia de produto para que cada um dos móveis fosse desenvolvido tridimensionalmente. “Essa estratégia foi tão bem sucedida que acabamos adotando como regra. Mudamos a forma de projetar, hoje em dia desenvolvemos tudo em 3D”, revela o Presidente da Guido Contini, Gustavo Saguia. Para o executivo, a equipe interna de especialistas do Sírio-Libanês qualificou muito cada projeto, motivo pelo qual ele acredita não ter nada parecido no mercado. “Para o grupo Contini, foi um marco participar de uma obra dessa grandeza, nunca havíamos tido a oportunidade de desenvolver um projeto tão estruturado como esse.” Saguia explica que os mó-

veis desenvolvidos para as novas torres do hospital não são artesanais, assim como a maioria, hoje, no mercado. Todo o investimento fabril da Guido Contini se concentra em tecnologia com máquinas de última geração e, por esse motivo, não é necessário o trabalho de marceneiros, mas, sim, de investimento em programadores e projetistas capazes de garantir que as peças sejam usinadas com grande precisão. Assim, os produtos são fiéis aos projetos aprovados com os clientes. “A exigência do Forest Stewardship Council [selo de certificação florestal que garante que o produto não degrade o meio ambiente] nos obrigou a ter uma fábri-

ca controlada com retalhos monitorados e aproveitamento máximo da matéria prima”, conta Saguia. A Guido Contini foi responsável pela fabricação de todas as áreas técnicas do hospital e de algumas áreas comuns como restaurante, postos de enfermagem, centro de diagnósticos, e etc. “Trabalhamos muito em função da funcionalidade dos ambientes e das normas que regem o segmento. Ambientes pensados facilitam o dia a dia das pessoas.” Somando-se os custos das obras, os gastos de mobiliário e a compra de aparelhos o investimento total do projeto de expansão do Hospital Sírio-Libanês é estimado em R$ 1,9 bilhão, sendo boa par-

te com aporte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, BNDES. A agenda prevê que todos os novos ambientes estarão completamente equipados até 2017 – ao todo serão 710 leitos, dobrando a capacidade atual de atendimento. “Esse crescimento será acompanhando da intensificação dos investimentos em nossas outras áreas de atuação: ensino, pesquisa e responsabilidade social, seguindo nossos valores e reafirmando nosso compromisso com a sociedade brasileira. Cuidar de pessoas é a nossa essência. Seguiremos com a nossa expansão passo a passo, com responsabilidade e valorização do ser humano”, conclui Antonio Cascão.

Health ARQ

35


Composição

Detalhe

“Trabalhamos muito em função da funcionalidade dos ambientes e das normas que regem o segmento. Ambientes pensados facilitam o dia a dia das pessoas” Gustavo Saguia, da Guido Contini

Estruturas já existente O projeto também inclui a modernização e ampliação de estruturas já existentes, como do Pronto Atendimento e do Centro de Diagnósticos. Cascão garante que as reformas e expansão estão transformando a instituição em uma unidade contemporânea. “Este complexo possui 85 mil m² e modernos sistemas de geração de energia elétrica para contingências. Além disso, conta com tratamento de esgoto para o reaproveitamento de água e menor utilização de carga elétrica. É um prédio ambientalmente correto, que atualizou o restante dos edifícios também”, afirma. A nova ala ganha pé-direito médio de 4,20 metros, contra 36

Health ARQ

3,1 metros na ala antiga. Os apartamentos convencionais passam de 19 para 47 m², sendo que alguns leitos medem 70 m². Os espaços mais amplos foram criados para acomodar antessalas ou varandas, aumentando o conforto dos visitantes. Outro destaque é para a doceria Dulca, que mudou de localização, crescendo de 57 para 118 lugares. O hospital acredita que o crescimento das áreas é fundamental para eliminar as filas, que têm crescido em razão do aumento do número de usuários de planos de saúde. Estima-se que em todo o País o número saltou de aproximadamente 45 milhões, em 2010, para 51 milhões, em 2014.


Health ARQ

37


Design Ambientes harmoniosos e discretos

Centros de Reprodução: o desafio arquitetônico entre técnica e humanização

Informe Publicitário

A

arquitetura em saúde tem em seus projetos um desafio constante: criar ou reformar espaços com critérios técnicos rigorosos, extremamente funcionais, mas sem abrir mão do conforto para os pacientes e seus familiares. A humanização também se tornou um requisito essencial. Quando se afunila um pouco mais este universo, os arquitetos se deparam com uma realidade que exige ainda maior expertise: os Centros de Reprodução Humana. Além das regras habituais para os ambientes de saúde, nestas clínicas há outros dois fatores de suma importância: a privacidade das clientes e o fluxo da operação. “São casais que vivem um momento delicado em suas vidas e a busca pela reprodução assistida não é uma decisão simples. Em sua maioria, preferem o máximo de discrição, pois envolve muito mais que uma consulta de rotina, é uma expo38

Health ARQ

sição de assuntos conjugais muito íntimos. Por isso, precisam se sentir acolhidos desde a recepção. A arquitetura, pensada com este propósito, faz muita diferença”, analisa Antonio Carlos Rodrigues, sócio-diretor da ACR, que já desenvolveu vários projetos nesta área. A discrição já começa na fachada, que nem sempre identifica a especialidade. Outra preocupação é a própria dinâmica do atendimento, pois

a mulher tem que se sentir segura, pois irá ser submetida a uma série de exames, muitas vezes concentrados na própria clínica. Os acabamentos, materiais e cores devem estar em sintonia, assim como o mobiliário, para trazer aconchego, quebrar a frieza do ambiente e criar ambientes harmoniosos, desde a entrada até as salas de exames. “O espaço deve ter vida, ser descontraído, mas funcional. Não bas-


Centros de Reprodução Humana - a discrição já começa na fachada, que nem sempre identifica a especialidade

ta o projeto ser correto para aprovação nos órgãos reguladores. É preciso mais. Tem que ser e parecer seguro e humano e, no caso da reprodução assistida, quanto mais privacidade, melhor”, comenta o arquiteto. A valorização da qualidade do atendimento, associada a um ambiente diferenciado, proporciona um clima mais agradável e de aconchego, indispensável para um casal que procura uma solução para gerar um bebê e formar uma família. Para Antonio Carlos, é nesta dinâmica que associa aspectos concretos e reais da clínica e a fragilidade emocional dos pacientes, que os fluxos de trabalho administrativo e dos clientes devem seguir condutas especiais. “Há regras básicas, como os clientes e funcionários se cruzarem o mínimo possível nos corredores ou áreas comuns. Este distanciamento é proposital e valoriza a discrição, em respeito à intimidade do casal. Também é importante ter uma entrada e saída exclusivas de facilities. São detalhes que precisam ser inseridos no projeto de arquitetura e destacada sua relevância, seja numa obra inicial ou reforma”. Segundo o arquiteto, nessa trajetória de 16 anos, com a

atuação de uma equipe multidisciplinar, já foram desenvolvidos onze projetos de CRH, um nicho de mercado que têm contribuído para a expansão dos negócios na área de saúde, inclusive com trabalhos no exterior. “Quando somos consultados a questão sempre envolve este caráter particular da especialidade, na busca de soluções que viabilizem o projeto arquitetônico de um espaço médico, com estrutura compatível e segura para os procedimentos, mas com atendimento diferenciado para um público especial. Para nós, é sempre um novo desafio, mas mantemos a essência de conciliar o técnico ao humano”.

Antonio Carlos Rodrigues, sócio-diretor da ACR Arquitetura Health ARQ

39


Assepsia

Detalhe

Estrutura avançada Unidades do Hospital Albert Einstein contam com divisórias exclusivas compostas por PVC que contribuem para a higienização 40

Health ARQ


UTI do Albert Einstein

A

qualidade de ponta é uma das características principais da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein desde a sua criação, há 60 anos. O seu hospital disponibiliza os mais avançados recursos da medicina que, aliados a uma visão inovadora da saúde, vão além do tratamento eficiente. Prova deste reconhecimento está no ranking, de 2015, da revista América Economia Intelligence, que pela sétima vez consecutiva o Albert Einstein aparece como o melhor hospital da América Latina. Nesse contexto, o que comprova o Einstein ser excelência mesmo fora do Brasil é o fato de não ser somente um hospital, mas sim um sistema integrado de saúde. Isto ocorre, pois, promove não somente a assistência, mas toda a cadeia de serviços de saúde: promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação. Na infraestrutura, por exemplo, o HIAE se destaca ao oferecer todo o conforto necessário para as consultas e internações. Essa premissa de proporcionar edificações de ponta visando a higienização hospitalar e a segurança do paciente tem sido fundamental para o hospital. “Hoje, existem várias ações que, quando implementadas juntas, reduzem infecções a níveis próximos de zero. Nos últimos anos, as nossas intervenções de maior impacto assistencial são relacionadas a incorporação de novos processos e protocolos”, completa o Gerente da Unidade de Terapia Intensiva do Einstein, Eliezer Silva. Um exemplo deste primor pelo paciente está na Unidade Ibirapuera, o local conta com a mais moderna tecnologia a favor de seus clientes, oferecendo uma Unidade de Pronto Atendimento Adulto e Infantil 24 horas, um Centro de Imunização e um grande Centro Diagnóstico em local de fácil acesso. No Pronto atendimento adulto e infantil 24 horas, da Unidade Alphaville, o hospital proporciona aos seus usuários instalações modernas e sustentáveis. O local possui consultórios de diversas especialidades médicas, centros de imunização e de fisioterapia, e inúmeros exames na área de medicina diagnóstica.

Praticidade indispensável Estas divisórias usadas no Einstein são retráteis e fáceis de usar, ao mesmo tempo em que continuam garantindo a privacidade e tranquilidade aos pacientes. Além do design que facilita o rápido manuseio, elas são produzidas em PVC, material reciclável, atóxico, com grande resistência e assepsia.

Health ARQ

41


Assepsia

Detalhe

Exclusividade no mercado

Clínica pediátrica com divisórias de fácil limpeza e higienização

Esta unidade conta também com maior exploração do uso da luz natural e iluminação de alto rendimento (LED), vidros da fachada com alto desempenho técnico, proporcionando conforto térmico. Além disso, o local possui reaproveitamento de água da chuva e uma estação de tratamento de esgoto. Em relação ao mobiliário destas unidades é válido destacar as divisórias móveis da instituição que priorizam a privacidade dos pacientes. O material dessas divisórias é confeccionado em PVC rígido, o que facilita a limpeza e a higienização 42

Health ARQ

e confere durabilidade ao produto. “É um produto muito bem aceito no mercado pela questão do custo-benefício. Antes, era muito empregado as divisórias de pano, o que gerava alto custo com a limpeza”, afirma Marco Capozzielli, Diretor Executivo da BCF Plásticos, responsável pelo fornecimento das divisórias no HIAE. Um dos pontos de destaque destas divisórias móveis do hospital é que todas as peças são substituíveis. “Estes materiais proporcionam maior facilidade na higienização e no manuseio”, reforça Capozzielli.

Há 45 anos no mercado, a BCF Plásticos fabrica produtos em PVC como portas e box sanfonados e a exclusiva divisória móvel hospitalar. Inovadora nos produtos, a BCF exporta para países da Europa, toda a América Latina e Oriente Médio. Ao todo são sete linhas de produtos com diversos modelos, padrões, cores e dimensões. Com o propósito de oferecer soluções modernas que encantem e facilitem o dia a dia dos clientes, a BCF Plásticos foi pioneira em lançar a primeira porta sanfonada do Brasil, em 1988. Depois, em 2000, foi a vez do box sanfonado e, em 2003, a divisória móvel (produto sem similar no mercado nacional). Em 2016, a empresa informa estar otimista para novas parcerias no mercado de saúde. “Nosso produto já começa a despontar no setor como a solução mais eficiente e inovadora para ambientes como hospitais e clínicas. E já estamos despertando interesse do mercado internacional”, afirma Capozzielli.


Health ARQ

43


Design

Mesa escovada

Polido ou escovado para laboratório. Qual o melhor?

Informe Publicitário

D

esde 1990, a Palmetal trabalha com o melhor metal comercialmente disponível no mercado: o aço inox. Ao longo destes 26 anos, sempre nos deparamos com a mesma questão durante a escolha dos móveis para um laboratório: Polido ou Escovado? Antes de escolher qual o acabamento, entenda um pouco do processo. A dúvida entre escovado ou polido é basicamente o tamanho dos riscos que você faz no material. No escovado os riscos são relativamente grandes que são facilmente visíveis a olho nu, no polido os riscos são microscópicos e temos a impressão de uma superfície perfeitamente lisa. Para saber o quanto uma superfície é lisa ou áspera é preciso estar de olho na rugosidade. Existem várias unidades de medida para esse parâmetro, mas, a unidade historicamente mais usada é o Ra. No caso de um aço inox polido a rugosidade fica na casa de 0,05umRa. Já para o aço inox escovado esse estreitamento fica na casa de 2,0umRa. Somente para efeito de comparação um fio de cabelo possui diâmetro máximo de 0,1mm e média deve ficar em torno de 0,05mm. Quando falamos de 1,0umRa estamos grosseiramente falando de 0,001mm, ou seja, 50 vezes mais fino que um fio de cabelo grosso.

44

Health ARQ

O processo de polimento e escovamento O escovamento é um processo mais simples feito na maioria das vezes de forma direta através de rodas com tiras de lixa, mais comumente conhecidas como rodas PG. Já o polimento é realizado em mais de uma etapa e geralmente em um processo mais demorado, uma vez que é necessário se reduzir bastante a rugosidade do aço inox. O material usado para esse processo são rodas de pano especiais. E nesse sentido existe uma diversidade de opções. Por ser um processo mais demorado uma coisa já é preciso ter em mente, o polimento é uma atividade mais onerosa.

Escolha o escovado sempre que possível Ao longo dessas quase três décadas de atuação, a nossa estatística é que a preferência pelo escovado somente aumentou. Atualmente, mesmo para os grandes laboratórios, em torno de 98% das nossas vendas são de móveis escovados. Em nossa vida prática, nunca nos deparamos, no nosso segmento ao menos, em uma aplicação onde realmente houvesse a necessidade real de se usar um produto polido. Em todos os casos se tratava de uma preferência pessoal do especificador, que obviamente deve ser respeitada. Como vimos acima, o escovado gera ranhuras que são significativamente menores do que um fio de cabelo e por isso o processo de limpeza de um e de outro, são, de maneira geral, bem simples de ser realizado. Logo, pelo mesmo nível de limpeza é melhor escolher a opção mais econômica.


98% das vendas da Palmetal são de móveis escovados Algumas curiosidades interessantes

Esmeril reto DeWalt usado pela Palmetal no processo de escovação

O mercado possui uma dinâmica própria quanto aos seus gostos por polido e escovado. Ainda não se sabe a razão do porque os tubos e chapas disponíveis para compra seguirem uma lógica particular. No caso dos tubos redondos, a grande maioria em estoque nas revendas se encontra na forma polida, enquanto os tubos quadrados em sua maioria se encontram na forma escovada. Ao passo que as chapas estão em sua maioria sem acabamento algum ou com acabamento escovado. São poucos os casos onde se encontra uma chapa polida em estoque. Ciente disso, caso você precise comprar algo fabricado com um tubo redondo (uma cadeira, por exemplo), a melhor opção é a polida, pois, é assim que nós da Palmetal, compramos dos distribuidores. Se o seu produto for feito com tubo quadrado (um expurgo com pés) a melhor opção é a escovada. E em caso de materiais em chapa, como a mesa acima, a melhor opção é sempre a escovada. Repare que na foto ao lado que o tampo é escovado e os pés, em tubo redondo, são polidos.

Health ARQ

45


Unimed Litoral

Expans達o

46

Health ARQ


Grandiosidade estrutural Unimed Litoral amplia hospital e dobra a sua capacidade de atendimento

I

magine uma edificação concebida para ser referência em alta complexidade cirúrgica, com uma estrutura completa e infraestrutura de ponta. Todos estes atributos indispensáveis já são realidade no Hospital da Unimed Litoral, em Balneário Camboriú (SC). Neste ano, a instituição inaugurou a sua ampliação, que dobrou a capacidade de atendimento. Fruto de um investimento de aproximadamente R$ 97 milhões, o empreendimento possui uma área construída de 22 mil². Além disso, apresenta o que há de mais avançado na área hospitalar e cirúrgica e um corpo clínico especializado. “Uma equipe multiprofissional da Unimed Litoral, pesquisou e visitou fornecedores no Brasil e no exterior, com o intuito de trazer para a região o que tem de mais avançado em tecnologia médica em equipamentos de alta complexidade, tornando o hospital um dos mais modernos da região”, conta Mario Silva, Diretor de Serviços Próprios da instituição. Nesta expansão foram construídas duas novas torres sob o projeto arquitetônico de responsabilidade do escritório Idein, de Florianópolis. Um dos destaques desta ampliação será o Health ARQ

47


Unimed Litoral

Expansão

novo centro cirúrgico, que terá a capacidade de realizar cerca de 700 cirurgias ao mês, em suas 6 salas cirúrgicas. “É um projeto que começou a tempo, primeiro com o pronto atendimento médico, depois fizemos o centro de diagnóstico por imagem e agora completamos o ciclo com os leitos de internação, UTI, centro cirúrgico e demais serviços do hospital”, explica o Presidente da Unimed Litoral, Sérgio Malburg Filho. 48

Health ARQ

A integração das pessoas que fizeram parte deste complexo projeto, com as engenharias e arquitetura foi muito positiva. “Montamos um time com as diversas disciplinas que atuam na atividade hospitalar, com reuniões semanais conduzidas por mim e pelo arquiteto Emerson da Silva, responsável pelo projeto, fazendo com que os detalhes fossem superados e o projeto concluído com sucesso”, afirma Mario.


Centro Cirúrgico O novo centro cirúrgico do Hospital Unimed oferece uma infraestrutura completa, capaz de atender diversas especialidades médicas. Equipado com o que tem de mais moderno na área cirúrgica. A iluminação das salas é toda em led para não aquecer e diminuir o consumo. Essas lâmpadas podem trocar de cor conforme a necessidade do procedimento. Os equipamentos foram todos colocados em torres de apoio (estativas), para facilitar a limpeza, desinfecção, manuseio e transporte. Nos corredores do centro cirúrgico e na sala de espera dos acompanhantes, terão monitores, para que possa ser acompanhado o andamento da cirurgia com informações atualizadas de acordo com o status do procedimento.

Novos Leitos A internação terá novos leitos. Atualmente, o hospital conta com 17 leitos de internação clinica, com uma taxa de internação de 94% e passará a contar com 114 leitos de internação no total. A média de atendimento do pronto socorro hoje é de 11 mil entre adulto e pediátrico, depois de pronto o novo hospital ampliou este volume e ainda oferece novos serviços aos clientes. “Contamos agora, com um hospital de alta complexidade para atender nossos clientes Unimed e também particulares”, comenta Mario Silva. Health ARQ

49


Expansão

Unimed Litoral

Novo conceito Com a inauguração das novas instalações a Unimed Litoral também irá oferecer um novo conceito com o que há de melhor em hotelaria hospitalar, buscando o conforto, bem estar e acolhimento dos pacientes. Com uma arquitetura moderna, eficiente, e pensada no atendimento humanizado dos pacientes, o complexo hospitalar possui apartamentos amplos para a internação, com sacadas, televisão, frigobar, armários individuais com chaves e poltronascama para acompanhantes.

UTI Um dos destaques do novo Hospital Unimed Litoral é a UTI. Localizada no 8º. andar o espaço é todo envidraçado, permitindo a entra de luz natural e de uma bela paisagem das montanhas e do mar, tornando a estada dos pacientes internados muito mais agradável. Conta com 10 leitos, com uma infraestrutura moderna, com televisores individual, colchão terapêutico que evita a formação de escaras, suspensão do calcâneo automático através da retração da peseira, Low Air Loss – Fluxo contínuo de ar na parte superior do colchão para prevenir úlceras relacionadas a temperatura e umidade, colchão para obesos, sistema de monitorização central, que passa todas as informações do paciente, sinais vitais, alarmes para saída do paciente do leito, alarme se os freios dos leitos não estiverem travados. Farmácia exclusiva para a UTI. 50

Health ARQ

Mario Silva, Diretor de Serviços Próprios da Unimed Litoral, e Sérgio Malburg Filho, Presidente da Unimed Litoral


Hemodinâmica As novas instalações do Hospital Unimed Litoral também oferecem o serviço de Hemodinâmica, que conta com instalações de alta complexidade e tecnologia avançada, equipamentos digitais de alta qualidade e equipe de profissionais de várias especialidades, altamente qualificados para promover a assistência com qualidade e segurança. O serviço funciona 24 horas e promove o tratamento e diagnóstico de doenças cardio, vasculares e neurológicas por meio da hemodinâmica. “Temos agora na região um complexo hospitalar de alto nível, com equipamentos de ponta, planejado para atender da melhor forma médicos e clientes, oferecendo a eles um ambiente da mais alta qualidade”, reforça o presidente da Unimed Litoral.

Health ARQ

51


Expansão

A integração da tecnologia e humanização nos ambientes

Unimed Litoral

O Hospital Unimed Litoral é referência na integração dos parâmetros tecnológicos, e na rastreabilidade das informações, com estratégias que permitem a migração de todos os dados para o prontuário eletrônico do paciente. Neste caso, o papel da arquitetura foi o de possibilitar que esta metodologia de trabalho fosse facilmente implementada. O Sistema Unimed e a sua marca, protegida e fundamentada pelo seu branding, são os grandes atributos de percepção e reconhecimento da rede, e, portanto, devem ser valorizadas em cada detalhe. No Hospital Unimed Litoral, o projeto de arquitetura concebeu espaços que transmitem a cultura e a imagem da empresa, para que usuários e colaboradores sempre relacionem os serviços à reputação desta renomada instituição. Entre os diferenciais deste projeto estão a preparação dos ambientes adequadamente para receber as tecnologias médico-hospitalares de vanguarda e enaltecer a marca Unimed. “A imagem da instituição é o maior patrimônio desta rede privada de assistência à saúde do Brasil”, conta o arquiteto autor deste projeto, Emerson da Silva, Sócio-Diretor da Idein Arquitetura. 52

Health ARQ


Um dos grandes desafios deste projeto do Hospital Unimed Litoral foi a associação da alta tecnologia incorporada no estabelecimento com a humanização. Além disso, houve na edificação uma integração dos espaços, condição essencial para um complexo hospitalar vertical que, já tinha parte das suas instalações consolidadas ao longo dos anos de implantação. As soluções apresentadas para ambas as situações tinham como o objetivo principal contribuir para a resolutividade na assistência à saúde. “A nossa intenção foi projetar espaços que otimizem tempo nas operações e tragam bem -estar aos usuários. O nosso objetivo foi desenvolver ambientes adequados para quem cuida, e quem é cuidado. Enfim, cenários que promovam a saúde e contribuam para a cura”, destaca Emerson.

“A nossa intenção foi projetar espaços que otimizem tempo nas operações e tragam bem-estar aos usuários. O nosso objetivo foi desenvolver ambientes adequados para quem cuida, e quem é cuidado.” Emerson da Silva, da Idein Arquitetura

Sócios da Idein Arquitetura: Benhur Antônio Basso, Patrícia Paiva D´Alessandro e Emerson da Silva

Health ARQ

53


Expansão

Unimed Litoral

Composição diferenciada

Cortina Elegance

Fotos: Ronald T Pimentel

Cortina rolô tela solar

Cortina rolô blackout

54

Health ARQ

Entre os pontos que evidenciam o projeto construtivo do Hospital Unimed Litoral estão os itens que compõem o mobiliário da instituição. Nesta recente obra, a utilização das cortinas rolos e cortinas elegance, favoreceram ainda mais na garantia de qualidade da edificação. Sob a elaboração do arquiteto Emerson da Silva, da Idein Arquitetura, o projeto deste hospital contou com as cortinas do fabricante “Diplomata Persianas”, tendo como revenda a “Mais De Ambientes”. Um dos principais diferenciais das empresas, “Diplomata Persianas” e “Mais De Ambientes”, parceria de longa data, é o foco com a qualidade, tanto na fabricação do produto quanto na instalação do mesmo. À Diplomata Persianas, fabricante do produto, cabe trabalhar com a melhor matéria prima e mão de obra qualificada para produzir um produto de qualidade e também cumprir com o prazo de entrega. Já para a revenda Mais De Ambientes, tem como princípio básico uma excelente mão de obra para instalar o produto no prazo acordado, resultando assim a satisfação plena do cliente final. Demanda em alta: Nos últimos anos, a procura por parte das instituições de saúde pelas persianas e cortinas (principalmente cortinas rolô black out, tela solar e cortinas elegance) teve um aumento significativo. Isso deve-se ao custo benefício do produto e a garantia oferecida pelo fabricante. É um produto que tem uma ótima durabilidade, fácil limpeza e higienização, ou seja, é um produto que atende às normas exigidas pela Vigilância Sanitária. A Diplomata Persianas está há 20 anos no mercado, tendo como premissa a busca por novidades no quesito matéria prima, tecnologia, e aperfeiçoamento na mão de obra, visando oferecer aos clientes um produto que atenda as suas necessidades.


Health ARQ

55


Unimed Litoral

Expansão

Ambientes higienizados Os materiais empregados nos tampos dos mobiliários, no piso e revestimento dos elevadores do Hospital Unimed Litoral contam com certificações Europeia e Americana. Além disso, o Silestone utilizado nos tampos possui um agente bacteriostático (P+), tecnologia baseada em Prata que inibe a proliferação de bactérias e proporciona uma superfície com mais higiene. Estes produtos contribuem para a melhoria da qualidade nas internações. Fabricados pela Cosentino, estes materiais possuem uma absorção 0, que atende a resolução RDC 50 da ANVISA. Estes materiais são identificados em forma de marca d´água por baixo das chapas através dos nomes Cosentino, Silestone P+ e Dekton. Nesta obra da Unimed Litoral, a parceria da Cosentino 56

Health ARQ

com o arquiteto Emerson da Silva, do escritório Ide!n, teve como objetivo aumentar os níveis de higienização dos ambientes e buscar soluções de alta tecnologia. “Os ambientes não podem ser veículos para propagar infecções e agentes epidemiológicos. Por isso, nossos materiais se enquadram perfeitamente nesse quesito”, afirma Gustavo Porto de Moura, Área Manager Sul da Cosentino. O principal desafio para a fabricação destes materiais é seguir as normativas para o segmento de saúde. “Muitas vezes os produtos se enquadram, porém, os métodos de industrialização para a confecção das peças não se correspondem. São em casos como estes que o Silestone se destaca por usar a criatividade” completa Moura.

Expertise na saúde

Além da estrutura física, staff de atendimento e gama enorme de materiais, a Cosentino informa estar em total conformidade com as exigências do setor. Outro diferencial da empresa são os 25 anos de Garantia para Silestone aplicado em bancadas. Gustavo Moura também afirma que a Cosentino oferece no mercado várias opções de produtos e serviços para as instituições de saúde. “Sempre deixamos claro nas negociações que trabalhamos com materiais utilizados na manufatura. A nossa resina é a única do mercado não tóxica, ou seja, permite manipular desde alimentos até substâncias mais sensíveis”, ressalta. Para 2016, as expectativas da empresa são as melhores possíveis. Além das clínicas e laboratórios, a Cosentino participará de novos projetos hospitalares. “Apesar da expectativa geral para este ano não ser das melhores, contudo, no mercado de saúde existe um investimento contínuo.” Ainda para este ano, a Cosentino com seu novo produto Dekton, espera atender novas demandas, principalmente, nas áreas externas dos novos projetos hospitalares. Essa novidade além de servir internamente, pode ser usada sem problemas em áreas externas como fachadas e pisos. O Dekton é uma superfície ultracompacta. Fruto de um investimento de 128 milhões de euros e 22.000 horas de investigação e desenvolvimento. O Dekton® converte-se no aliado perfeito para a arquitetura de todo o mundo.


Health ARQ

57


Unimed Litoral

Expansão

Eficiência nas instalações Ao longo do processo de obras no Hospital Unimed Litoral houve-se a preocupação de selecionar prestadoras de serviços e fornecedoras de produtos com alto padrão de qualidade. Também registrou-se por parte da instituição de saúde todo o cuidado tanto com a eficiência assistencial como nas instalações de ponta, assim, visando comportar novas tecnologias e futuras expansões de acordo com as exigências do setor. Um dos exemplos na busca pela melhoria contínua das etapas de obra foi a forma de trabalho desenvolvido pela Spaço Inox, fabricante na linha industrial de equipamentos e mobiliários e na linha decorativa de guarda corpos, corrimãos, acessórios, revestimentos, entre outros. Na Unimed Litoral, este setor de mobiliário, recebeu serviços e produtos que seguem os padrões estabelecidos pela ANVISA e órgãos de certificação nacionais e internacionais. “O maior desafio de atuar no mercado de saúde é o de sempre tentar inovar e melhorar os projetos oferecidos”, afirma Edgar Martins, Diretor Comercial da Spaço Inox. Nessa premissa de melhorar cada vez mais os projetos oferecidos para um setor extremamente exigente, a empresa também atuou nesta obra em parceria com o arquiteto Emerson da Silva, da Idein. “Essa parceria nos permitiu desenvolver projetos execu58

Health ARQ

Outros rumos: Além da saúde, que representa cerca de 30% das vendas, a Spaço Inox também atua em outros segmentos da construção civil como, construtoras, supermercados, indústrias, frigoríficos e residências de alto padrão. Atualmente, a empresa participa de oito projetos, sendo seis em hospitais e outros dois em clínicas. Mesmo diante da atual situação de instabilidade política e econômica enfrentada pelo País, a Spaço Inox demonstra confiança no segmento de saúde brasileiro em função dos processos ágeis e inteligentes de produção. “Estamos atuando muito forte no Sul do Brasil e em obras pontuais em todo País, sendo em Hospitais e Clínicas, públicos ou privados. Desta forma estamos com projetos de investimentos em maior tecnologia, e principalmente, sempre investindo em treinamento das nossas equipes”, completa.


tivos com o acompanhamento técnico especializado e multidisciplinar. Além de realizar estudos da viabilidade e geração de ideias e foco na redução desperdícios, bem como a criação de manuais de manutenção com treinamento e especificações das tecnologias aplicadas em cada iniciativa”, acrescenta Martins. Para que este alto nível de excelência seja possível, segundo o executivo, é necessário que a empresa parceira do hospital tenha em seus princípios a cultura de criar e desenvolver produtos para ambientes com grande desempenho. “Para isso, sempre que temos em mãos um projeto ligado ao setor, buscamos avaliar todas as informações recebidas, conhecer a fundo as demandas e as necessidades da instituição, bem como seus processos. Todo esse trabalho é fundamental para entregarmos soluções personalizadas e eficientes em cada obra.”

“Buscamos avaliar todas as informações recebidas, conhecer a fundo as demandas e necessidades da instituição, bem como seus processos.” Edgar Martins , da Spaço Inox

Health ARQ

59


Unimed Litoral

Expansão

Centro Cirúrgico

Pensando na tecnologia desde o início A participação efetiva da engenharia clínica na elaboração de projetos de novas instituições de saúde é mais que uma tendência. Esta prática é uma necessidade premente, verificada no setor, que perpassa a incorporação de novos dispositivos, tratamentos e expansões do parque tecnológico. Para que isso seja possível, antes que qualquer linha seja desenhada, é necessário reunir um verdadeiro exército de especialistas, envolvendo arquitetos e engenheiros, profissionais de TI, médicos e engenheiros clínicos. Umas das instituições que tem desde sua origem esse conceito é o novo hospital da Unimed Litoral, que encontrou na Technocare Engenharia Clínica, as soluções necessárias para a concepção de seu projeto dentro dos conceitos de conectividade. A empresa auxiliou na tomada de decisão da diretoria da entidade sobre as escolhas tecnológicas que contemplassem tais premissas. Alguns exemplos desses conceitos estão presentes nos leitos de UTI e salas cirúrgicas da nova unidade. Estes locais dispõem da integração de parâmetros fisiológicos do paciente, como frequência cardíaca/respiratória, temperatura, oxigenação, pressões ventilatórias, prontuário e os exames de imagem. Na Unimed Litoral, as internações contam com a conectividade das camas, possibilitando o monitoramento à distância do paciente e também dos equipamentos. “Nesse 60

Health ARQ

“Os nossos resultados são pautados por metas e padrões de qualidade mensuráveis e em acordo com os órgãos de Acreditação Hospitalar como ONA, Joint Commision e Acreditação Canadense. Além disso, nos preocupamos muito com a ética de mercado e por este motivo a Technocare Engenharia Clínica é uma empresa que presta exclusivamente serviços na área de Engenharia Clínica, não comercializamos nenhum tipo de produto ou equipamento, nem somos assistência técnica autorizada de nenhuma marca. Essa isenção permite a empresa tomar decisões sem conflitos com outros interesses”, ressalta o Sócio-Diretor da Technocare Engenharia Clínica, o engenheiro Marcos Lucatelli.


Internação - Leito Individual

contexto, infraestrutura, recursos humanos, rastreabilidade dos processos e procedimentos são fundamentais para a utilização plena da tecnologia e realização eficiente dos procedimentos assistenciais”, acrescenta o Sócio-Diretor da Technocare Engenharia Clínica, o engenheiro Marcos Lucatelli. Para a incorporação deste formato de tecnologia na obra, ao longo dos três anos, foi necessário o apoio da equipe multidisciplinar composta pela direção da Unimed Litoral e setores de Engenharia Clínica, TI e Arquitetura. Todo esse processo envolveu uma ampla pesquisa de mercado, participação em feiras nacionais e internacionais de tecnolo-

UTI

gia e visitas a fabricantes na Ásia, Europa e EUA. “Paralelamente, com base na escolha da tecnologia, a Engenharia Clínica providenciou o suporte necessário à elaboração, adequação e execução dos projetos específicos, detalhando as necessidades de infraestrutura, estrutural, gases medicinais, instalações elétricas e climatização”, destaca Lucatelli. Para atingir estes resultados, a Technocare Engenharia Clínica também utilizou uma ferramenta de desenvolvimento próprio, o sistema TechnoDIT, que quantifica o número de equipamentos médico-hospitalares nos diversos ambientes, prevendo cenários de investimento e apoio no

O TechnoDIT é um software que reúne a expertise da Technocare e disponibiliza a metodologia desenvolvida pela empresa ao longo de quase duas décadas de trabalho na área. De uma forma rápida e eficaz para quantificar os equipamentos nos ambientes hospitalares, o programa prever cenários de investimento e apoia o processo de compra e recebimento de equipamentos. Com isso, a Technocare consegue mapear com facilidade e rapidez, desde um projeto pequeno de ampliação até um projeto complexo de um hospital de grande porte. O TechnoDIT tem sido uma ferramenta essencial para a compatibilidade de projetos na área da Saúde, dando o suporte necessário aos Escritórios de Arquitetura e Engenharia para o desenvolvimento do projeto e execução em total acordo com as Tecnologias que serão incorporadas.


Expansão

Unimed Litoral

“Paralelamente, com base na escolha da tecnologia, a Engenharia Clínica providenciou o suporte necessário à elaboração, adequação e execução dos projetos específicos, detalhando as necessidades de infraestrutura, estrutural, gases medicinais, instalações elétricas e climatização”, Marcos Lucatelli, Engenheiro da Technocare Engenharia Clínica

O grande diferencial da Technocare Engenharia Clínica é a versatilidade de serviços e profissionais com poder de solução de problemas integrados, níveis locais e de suporte para cada equipe de Engenharia Clínica implantada, bem como um vasto portfólio de serviços complementares (laboratório de calibração, compatibilidade de projetos, Dimensionamento e Incorporação de Tecnologias, suporte para Certificações, entre outros).

processo de compra/recebimento desses dispositivos. Com isso, a empresa consegue mapear com facilidade e rapidez, desde um projeto pequeno de ampliação até um projeto complexo de um hospital de grande porte. Este mapeamento permite a visualização e a intervenção dos executivos no próprio sistema, assim como facilita a compatibilidade de projetos com as tecnologias a serem incorporadas. Perspectivas: Para 2016, a Technocare Engenharia Clínica visa continuar a ampliação dos seus serviços, tanto na implantação de novas equipes de Engenharia Clínica, na extensão de programas da qualidade por meio da calibração e ensaios de equipamentos médicos; quanto na execução de novos projetos e consultorias para o Dimensionamento e Incorporação de Tecnologias (DTI) para Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS). “Temos, atualmente, projetos em andamento nessa área e outros em fase inicial o que nos traz uma visão otimista do mercado para os próximos anos. Com o rigor da fiscalização que vem se intensificando a partir da RDC 02/2010 (Anvisa), corroborado pela NBR 15943/2011 (ABNT), e com o aumento das instituições em processo de Acreditação Hospitalar, os EAS estão cada vez mais buscando empresas habilitadas e capacitadas. Tudo isso, através de formação especializada na área de Engenharia Clínica para a realização do Gerenciamento da Tecnologia Médico-hospitalar”, conclui o sócio-diretor. 62

Health ARQ


Health ARQ

63


Unimed Litoral

Expansão

Revestimento de ponta A qualidade estética dos ambientes hospitalares vem evoluindo constantemente. Nesse sentido, um dos pontos de destaque nas obras do Hospital Unimed Litoral foi a instalação do piso Sarlon Tech Sparkling pela Dwall Revestimentos. Sob a especificação do arquiteto Emerson da Silva, o projeto se preocupou com a qualidade e a segurança dos pacientes através de uma conceituada estrutura. “Atuar em parceria com a Idein Arquitetura tem sido sempre um sucesso. O profissionalismo dos seus projetos nos faz evoluir sempre”, declara Danilo Ho64

Health ARQ

landa, Diretor da Dwall Revestimentos. O grande diferencial deste serviço de revestimento foi na etapa de instalação em que a Dwall seguiu diversas exigências. Uma destas etapas foi durante a montagem dos pisos em locais que, posteriormente, não poderão ser mais alterados. Ainda neste contexto, a Dwall seguiu um cronograma que focou na qualidade do acabamento, na utilização de materiais e de ferramentas qualificadas. “Possuímos mão de obra treinada e capacitada pelo fabricante Forbo Pisos”, afirma. Neste serviço de instalação

houve por parte da Dwall o suporte e supervisão constante de ambas as partes envolvidas. Além disso, a empresa recebeu o apoio da equipe de arquitetura para as especificações dos produtos certos para os demais segmentos de construção. “Preocupamos em especificar um determinado piso para cada caso nos ambientes de saúde. Seguimos ainda, um rigoroso planejamento para atender as necessidades dos nossos clientes. Por exemplo, o centro cirúrgico requer um formato de piso, já os corredores outro modelo, os locais de entrada outro, etc.”

Expectativas Para 2016, a Dwall tem boas perspectivas de novos negócios através de grandes obras nas quais já está trabalhando junto ao corpo de arquitetos e engenheiros. “Buscamos um resultado satisfatório tanto para atender os cronogramas, como também a especificação de produtos certos para cada setor dentro de um edifício hospitalar”, afirma Holanda.


Health ARQ

65


Unimed Litoral

Expansão

Internação - Leito Coletivo

Forros e paredes No que se refere aos forros e paredes na obra do Hospital Unimed Litoral, todos os produtos utilizados na instalação são de primeira qualidade. O padrão de montagem seguiu critérios exigidos pela Cobra Gesso. Nas paredes foram aplicadas lä de PET, que proporciona um isolamento acústico de alta qualidade e não causam alergias. Nos forros, foi utilizado gesso acartonado acompanhado em algumas áreas de forro removível de alta resistência. O gesso acartonado facilita muito a execução dos trabalhos, pela limpeza e rapidez na construção civil, por ser um produto de rápida instalação e de manutenção fácil. Em um dia, usando este material um 66

Health ARQ

profissional consegue instalar até 50 m² de paredes acabadas. Enquanto a de alvenaria pode montar 25 m² somente de tijolos, assim, o reboco ficaria para o próximo dia. Um dos principais cuidados desta obra foi seguir todas as normas da ABNT e as exigências da fabricante GYPSUM. Sempre sob a garantia de usar produtos normatizados. Além do Drywall, a empresa forneceu o Steel-frame, assim, construindo a fachada arredondada da entrada do posto de atendimento, a casa de exaustores, a casa de gases e os telhados. Este sistema agiliza a construção com materiais leves de alta durabilidade. O Steel-frame está presente no leque de itens

fornecidos pela empresa. O esquema de montagem na Unimed Litoral seguiu um criterioso padrão exigido pela engenharia responsável da obra. “Na primeira fase, foram montados os ambientes com uma face de parede, para que todos os colaboradores (elétrica, hidráulica, cabeamento estruturado, ar-condicionado e gases medicinais) pudessem usar nosso suporte para instalação de seus componentes. Na segunda fase, as paredes foram fechadas e instalados forros para o prosseguimento dos acabamentos”, conta a Diretora da Cobra Gesso, Rosana Bettoni. Para Rosana, a obra do Hospital Unimed Litoral foi

elaborada assertivamente pelos Arquitetos, Diretores, Engenheiros e o Corpo Clínico. “Todos os profissionais envolvidos fizeram com que a obra fluísse de maneira harmônica com poucas intervenções ao longo da execução. Desta forma, o resultado não poderia ser outro, um hospital funcional, com tudo que há de mais completo”, afirma. Alta qualidade: A Cobra Gesso atua no mercado de gesso, drywall e steel-frame há 23 anos. O diferencial da empresa está na mão-de-obra treinada e qualidade dos produtos empregados, desde o aço das estruturas, até a massa de acabamento são as exigidas pela GYPSUM.


Health ARQ

67


Unimed Litoral

Expansão

Acessos planejados Na obra de ampliação do Hospital Unimed Litoral, os itens ligados a acessos como o design de portas e bloqueadores, acessórios e a instalação dos mesmos foram gerenciados pela SCMed Prime. Entre as vantagens destes produtos usados no hospital estão a tecnologia aplicada nos materiais e os acabamentos finais. “Este alto padrão de qualidade propicia longa durabilidade e baixo índice de manutenção durante as atividades. Bom para o usuário e para o gestor da operação”, completa Ricardo Passos Conceição, Sócio Diretor da SCMed Prime. O processo de montagem e inserção destes produtos na Unimed Litoral ocorreu de forma regular. Em detrimento do tamanho da obra e do número de equipes que dividiam o mesmo espaço tudo se deu de forma organizada e satisfatória. Essa instalação foi bem sucedida devido a alguns pontos vitais como a compatibilização dos diversos produtos 68

Health ARQ

“Atuar nesta obra foi gratificante, mas extremamente desafiador. No final é muito recompensador sentir nossa relevância no processo de evolução tecnológica do nosso cliente.” Ricardo Passos Conceição, da SCMed Prime.

dentro da realidade da obra por parte da SCMed Prime. A empresa executou todo o processo conforme as exigências de órgãos como a Anvisa. “Outro quesito importante para esse êxito foi à forma de trabalho da engenharia, que promoveu os trabalhos com alto nível

de desempenho”, comenta Alessandro Luiz Puglia Meier, Coordenador de instalação da SCMed Prime. Conceição conta que houve uma preocupação na fabricação destes materiais, principalmente, quanto à robustez e higiene. “Desenvolvemos produtos que


tenham a performance necessária para o usuário, conciliada com a resistência necessária ao tráfego pesado de pessoas, macas e carrinhos que normalmente este formato de cliente possui.” Foco no planejamento: Em qualquer setor que a SCMed Prime atua, o primeiro ponto de preocupação está na segurança e nas condições adequadas para seus funcionários, atendendo as normas vigentes e em vários casos até superando-as. Logo a seguir, vem a qualidade e o prazo de execução do trabalho, para atingir estes dois pontos é montada uma equipe cada vez mais treinada e comprometida. “Contamos com um planejamento específico para cada projeto e ferramentas que permitam o melhor grau de precisão possível durante as execuções.”

Dentro deste projeto, que se tornou um show room em termos de arquitetura e tecnologia, a SCMed Prime contribuiu fornecendo e executando tudo que se relacionava com acessos e alguns acabamentos arquitetônicos especiais. Confira alguns números deste projeto: - 435 portas de madeira com revestimento de PET 1mm, sendo os batentes/marcos metálicos com pintura eletrostática. - 16 Portas corta fogo duplas de aço inox. - 22 Portas corta fogo duplas de aço com pintura eletrostática. - 2 portas corta fogo de uma folha de aço com pintura eletrostática. - 70 pontos de Controle de acesso por cartão e 2 por biometria. - 2 Bloqueadores de acesso com folhas de vidro escamoteáveis. - 4 portas automáticas em vidro e alumínio (entradas principais). - 6 portas automáticas especiais para centro Cirúrgico, com proteção Plumbifera. - 120 metros de acabamentos arquitetônicos para juntas de dilatação de piso. - 42 metros de acabamentos para juntas de dilatação de parede. - 1200 metros de protetores de parede (Batemacas e cantoneiras) - 350 metros de Cortinas Hospitalares Antibacterianas. - 19 m² Sistema de tapetes de entrada de alta absorção de sujeira.

Health ARQ

69


Inteligência nas instalações

Informe Publicitário

Assepsia

Solução permite instalar novos banheiros em um prédio existente de forma simples e econômica

70

Health ARQ


I

nstalar novos banheiros em uma construção existente de um Hospital ou Clínica nem sempre é uma tarefa fácil, em especial quando o ramal de esgoto está longe ou acima do ponto desejado. Contudo, a solução desenvolvida pela empresa Sanitrit pode resolver o problema em apenas um dia, sem obras, quebra de parede, escavações ou elevação de piso. A reforma é simples e econômica. A solução da Sanitrit consiste em uma bomba trituradora alojada em um reservatório no qual transforma os resíduos em líquido e os conduz ao sistema de esgoto. Funciona da seguinte forma: ao acionar a descarga, o nível de água no reservatório aumenta e o motor começa a funcionar automaticamente. As lâminas trituram as matérias em partículas finas que, então, são bombeadas por um tubo de esgoto por até 5 metros na vertical e 100 metros na horizontal, por cima do forro, até se juntar à prumada do edifício ou residência. É um sistema que não depende da gravidade ou de declividade. O sistema pode ser instalado diretamente no chão, atrás da bacia sanitária, ou escondido dentro de um gabinete ou parede. Como os resíduos são liquefeitos, os tubos podem ser de pequeno diâmetro (32 mm), permitindo a instalação dentro de paredes, do forro ou do piso elevado. O Sanitrit é silencioso (50 dB), a alimentação é feita em 220 V. Não há emissão de odor, devido ao revestimento com filtro de carvão ativado. O sistema pode ser montado na maioria das bacias sanitárias comercializadas no mercado, desde que tenham saída horizontal. O Diretor Geral da Sanitrit, Xavier Desrousseaux, conta que a aceitação dos produtos no mercado tem sido satisfatória. “Temos a certeza de que a nossa solução estará especificada em vários projetos hospitalares no futuro. A Sanitrit possui uma exclusiva tecnologia que revoluciona o método de execução de instalações hidráulicas em locais onde não foi projetado tubulações para o esgoto, resultando em ganhos de produtividade, redução de custos e economia de materiais”, finaliza Xavier.

Os benefícios do triturador SANITRIT: A SANITRIT viabiliza banheiros em qualquer lugar do Hospital em especial em locais onde seria impossível instalar tubos de esgoto gravitacionais. A SANITRIT elimina o forro do banheiro do andar inferior e permite instalações de banheiros sem incomodar a rotina do hosptial. Esta é uma solução ideal para aproveitar mais o espaço, sem alterar a estrutura da edificação. Onde usar ? Sanitrit é a solução mais econômica e prática para: • Instalar sanitário acima do UTI o do departamento de Resonância • Adicionar banheiros, cozinhas, bebedouros em subsolo mesmo sem escavar o piso • Instalar banheiros PNE onde quiser

Health ARQ

71


100 Mais Influentes da Saúde

ARQ Destaque

Oscar da Saúde 100 Mais Influentes da Saúde homenageia grandes destaques do setor

P

elo quarto ano consecutivo, o Grupo Mídia, através da revista HealthCare Management (HCM), elegeu os profissionais que mais se destacaram no mercado com o prêmio “100 Mais Influentes da Saúde.” No total são 20 categorias com cinco ganhadores em cada uma, não havendo ranking entre os eleitos. São homenageados executivos de hospitais, indústrias, operadoras de saúde, empresas e outros players que fomentam o segmento. Para chegar a estes nomes, o Grupo Mídia ouviu toda a comunidade que participou com votos pela internet. Neste processo, também há a pesquisa de mercado. Com todas es-

sas informações em mãos, o Conselho Editorial elegeu os 100 Mais Influentes da Saúde. Renomados profissionais de arquitetura e engenharia foram eleitos em três diferentes categorias: Infraestrutura e Engenharia: Lauro Miquelin, Marco Alberto da Silva, Antônio Cascão, José Eduardo Lopes e Robson

Szigety; Projeto de Humanização: Vergílio Antonio Rensi Colturato, Marcos Wengrover Rosa, Vânia Pereira, Mario Vrandecic e Moema Whilthern; Sustentabilidade: Fernando VC De Marco, Adriana Levisky, Cleusa Ramos Enck e Evangelina Vormittag.

Conheça um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pelos eleitos no último ano:

Infraestrutura e engenharia:

Antônio Carlos Cascão

D

iretor de Infraestrutura do Hospital Sírio-Libanês, Antônio Carlos Cascão gerenciou a consolidação do projeto de expansão da instituição, comprovando, por meio de indicadores, a eficiência ambiental do novo edifício. Há 17 anos atuando na área de saúde, o executivo tem como meta sempre inovar. “Ser lembrado e reconhecido entre os mais influentes é gratificante, e por outro lado desafia a estar permanentemente desenvolvendo novos projetos e inovando de forma a contribuir para o crescimento sustentável deste segmento.”

José Eduardo Lopes da Silva

D

iretor de Engenharia Clínica e Infraestrutura do ICESP, José Eduardo Lopes da Silva concretizou diversos projetos de melhoria de infraestrutura e renovação tecnológica ao lado de sua equipe com o intuito de oferecer um ambiente seguro, disponível e confortável ao instituto. “Se alcancei tal prêmio, não foi sozinho. Esta premiação é extensiva a toda minha equipe, meus pares e a alta direção do ICESP”, ressalta.

Lauro Miquelin

S

ócio Fundador e Diretor Geral da L+M, o arquiteto Lauro Miquelin tem conquistado cada vez mais notoriedade no mercado de Saúde devido ao seu trabalho inovador em gestão de infraestrutura e planejamento operacional. Em 2015, lançou novas soluções com foco em melhoria rápida de resultados, sendo uma delas direcionadas à consultoria para otimizar os ambientes de Saúde. “A maior vitória é ter continuado a jornada de meu propósito profissional: empreender talentos da L+M na entrega ambientes de Saúde para promover o melhor estado de bem-estar possível aos usuários.”

72

Health ARQ


Marco Alberto da Silva

P

residente da Engemon, Marco Alberto da Silva conseguiu consolidar sua empresa no mercado em instalações de missão crítica, principalmente em hospitais, data centers, broadcast e call centers. Exemplo dessas grandes atuações estão cases em hospitais como o Albert Einstein, Hospital Parelheiros e São Camilo. “Sem dúvidas, este foi um ano de vitórias cercado de desafios, mas, com certeza, nossa grande conquista foi nos consolidarmos no mercado. Esse sucesso tem pilares como fortes investimentos, principalmente em nossa inteligência técnica, área de qualidade e de marketing”, explica o executivo.

Robson Szigethy

D

iretor de Projetos e Construções do Grupo Amil, Robson Szigethy realizou, no último ano, o planejamento de Engenharia para aprimorar a infraestrutura da rede própria do Grupo Amil, composta por 29 hospitais. Atuou em diversos processos de ampliação e de retrofit de unidades médicas em sete capitais brasileiras; na evolução dos controles de gestão de projetos e construções em andamento; e no desenvolvimento de projetos sustentáveis. “Conquistar este reconhecimento é motivo de grande satisfação por poder representar toda a minha equipe.”

Projetos de Humanização:

Marcos Wengrover Rosa

C

hefe do Serviço Médico de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Moinhos de Vento, Marcos Wengrover Rosa destacou-se na participação no Projeto Parto Humanizado. O HMV foi um dos precursores a adotar este programa na região Sul, reduzindo significativamente o número de cesarianas desnecessárias. “Este reconhecimento, sem dúvida, faz valer a pena todos os percalços da profissão de médico e gestor. Vou continuar me dedicando na transformação dos processos assistenciais mais humanos e saudáveis.”

Mario Vrandecic

D

esde a sua criação, o Biocor Instituto, fundado por Mario Vrandecic, distingue-se pelo acolhimento ao paciente. O fundador é o principal exemplo quando o assunto é atenção ao usuário. Diariamente, o médico realiza visitas a todos os pacientes. “É uma sensação fantástica que me traz grande realização. Nessas visitas que faço, são atualizadas informações assistenciais e obtidas as impressões de cada paciente, consolidando o diferencial do hospital, não só pela qualidade dos serviços e de toda equipe, mas também em prol dos pacientes e da sociedade”, ressalta.

Moema Wertheimer

F

undadora da Moema Wertheimer Arquitetura, Moema Wertheimer conseguiu, no último ano, abranger, significativamente, seus trabalhos em projetos na área da saúde. Entregou projetos no segmento farmacêutico no Brasil e em Istambul, Turquia. Há outros trabalhos para a área hospitalar previstos para 2016. “Esse reconhecimento me deixa muito lisonjeada e mostra que estou no caminho certo em busca do desenvolvimento do meu trabalho na área da saúde.”

Vânia Pereira

G

erente de Hotelaria Hospitalar e Hospitalidade no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, Vânia Pereira foi responsável pela humanização do ambiente hospitalar no ICESP, atingindo todos os objetivos e metas propostos. Isso implicou em um atendimento com cordialidade, hospitalidade e simpatia aos clientes. “O trabalho em uma instituição de saúde não é tarefa fácil. Digo sempre para as pessoas que o mais importante é trabalhar com amor. Com essa perspectiva, tudo fica mais tranquilo e conseguimos enfrentar até as maiores dificuldades.” Health ARQ

73


ARQ Destaque

100 Mais Influentes da Saúde

Vergílio Antonio Rensi Colturato

C

oordenador do Programa de Transplante de Células Troco-hematopoéticas do Hospital Amaral Carvalho, Vergílio Colturato conduz este serviço na instituição que, há dez anos, realiza mais transplantes alogênicos no Brasil. São cerca de 120 procedimentos por ano, representando 14% dos quase 900 transplantes alogênicos realizados no país. Somados aos 85 transplantes autólogos, o hospital atingiu a marca de 205 transplantes em 2015. “Esse reconhecimento também se deve ao empenho e determinação da nossa equipe.”

Sustentabilidade

Adriana Levisky

V

ice-presidente da AsBEA São Paulo (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura), Adriana Levisky também é arquiteta urbanista titular do Levisky Arquitetos. “Acreditamos que ao valorizar, no desenvolvimento de projetos de arquitetura hospitalar, sistemas, tecnologias, modelos de interlocução público-privados e soluções na área da sustentabilidade, é possível estimular a adoção de boas práticas que envolvam questões ambientais, socioculturais e econômicas”, afirma. Entre seus recentes projetos destaca-se a reforma e ampliação do Hospital Público Vila Santa Catarina.

Cleusa Ramos Enck

S

uperintendente de Desenvolvimento Humano e Institucional do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Cleusa Enck destaca como principais vitórias a conquista da Certificação LEED GOLD. O desenvolvimento de ações voltadas à gestão da sustentabilidade permitiu ao Hospital a redução do consumo de recursos naturais e maior eficiência na utilização dos recursos hídricos. “Ser escolhida entre mais de 5 mil hospitais do Brasil como uma das ganhadoras do 100 Mais é muito gratificante, mas também confere uma alta responsabilidade, pois estou representando 2.339 colaboradores e um corpo clínico e assistencial de excelência.”

Evangelina Vormittag

I

dealizadora e Diretora Presidente do Instituto Saúde e Sustentabilidade, Evangelina Vormittag realizou a primeira edição da Virada da Saúde em São Paulo, aproximando o cidadão à saúde em espaços públicos. Também fez uma importante pesquisa em que mostrou o benefício de uma intervenção em transporte da cidade de São Paulo com alto impacto benéfico em saúde. “Eu me sinto muito feliz pelo reconhecimento do meu trabalho, ainda mais tendo sido uma votação que também contou com a participação do público.”

Fernando VC De Marco

D

iretor Geral no Hospital viValle - Rede D’Or São Luiz, Fernando De Marco é um dos responsáveis pela entrega do projeto de Ampliação da Unidade viValle, que ocupa agora uma área de mais de 22 mil m². A conclusão da nova metodologia que aliou a governança clínica às boas práticas médicas também conta com a participação do executivo. “Fazer parte de um grupo seleto como esse é, além de uma alegria pessoal, uma grande responsabilidade. O reconhecimento das ações implementadas para as conquistas que obtivemos recentemente é motivação para seguir sempre em frente.”

Piero Novello

G

erente geral da Baxter Brasil, o italiano Piero Novello reforçou parcerias com clientes chave para fortalecer o sistema de saúde no País. Sob a sua gestão, participou da reestruturação da equipe com a chegada de novos profissionais e o reconhecimento aos que já faziam parte do time, fator considerado crucial para a conquista de um resultado importante para a companhia no último ano. “É uma honra representar a marca Baxter nesta premiação do setor. Não é um reconhecimento a mim, mas sim a cada profissional da empresa.”

74

Health ARQ


Health ARQ

75


Expertise Informe Publicitรกrio

Americas Medical City - Hospital Samaritano 76

Health ARQ


Arquitetura renovada CAVANI ARQUITETOS apresenta ao mercado de saúde soluções inovadoras

C

PROJETO: AMÉRICAS MEDICAL CITY CLIENTE: AMIL / BOSQUE MEDICAL CENTER LOCAL: RIO DE JANEIRO . BRASIL ANO: 2012 - 2014 ÁREA CONSTRUÍDA: 47.939 m² CONCEPÇÃO: AMIL . PROJETOS DESENVOLVIMENTO: CASSIA CAVANI OBRA CONCLUÍDA: 2014

om 30 anos de experiência em arquitetura e urbanismo, a arquiteta CÁSSIA CAVANI, desde 2003, elabora e desenvolve projetos à frente da CAVANI ARQUITETOS. São projetos de média e grande escala nas áreas residenciais, comerciais, industriais, hoteleira e hospitalar, sendo esta a mais recente, complexa e desafiadora. O escritório iniciou seu envolvimento no mercado de saúde através de intervenções em equipamentos hospitalares no Estado do Rio de Janeiro, ao lado da MHA Engenharia, grande empresa de projetos estabelecida no mercado. Alguns meses depois, a CAVANI ARQUITETOS recebeu convite da empresa de gerenciamento Planservice Engenheiros Associados (também parceira em grandes projetos na área de hotelaria de luxo) para integrar a equipe já existente de profissionais que elaboravam projeto e obra do Complexo Hospitalar Americas Medical City. Esta

instituição foi entregue há pouco tempo, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Com mais de 47.000m² e 411 leitos, foi um dos grandes desafios com grande complexidade de instalações e construção. “Nossa participação neste empreendimento se deu a partir de projeto conceitual elaborado pela Diretoria de Projetos da Amil Assistência Médica Internacional, desenvolvendo todo o projeto executivo de arquitetura, compatibilizando-o com as muitas especialidades que um projeto complexo desta natureza requer. Foi o nosso ponto de inflexão”, relembra CÁSSIA CAVANI. Com este primeiro trabalho bem-sucedido, o escritório iniciou uma relação de parceria com a AMIL, através de muitas participações nos mais variados projetos, com intervenções de ampliações e reformas em edificações. “O setor da Saúde é sem dúvidas, um dos mais complexos pela necessidade de grande infraestrutura, principalmente, na questão de Health ARQ

77


Expertise Informe Publicitário

Americas Medical City Hospital Vitória

78

Health ARQ

instalações, o que o torna muito peculiar. O trabalho neste mercado tem dado ao escritório dinamismo, ritmo e enriquecimento específico, garantindo acúmulo de conhecimento importantíssimo para formação profissional”. Além da AMIL, o escritório também atua em projetos com as empresas ÍMPAR Serviços Hospitalares, Hospital 9 de Julho, entre outras. EMPENHO CONSTANTE: O escritório tem obtido êxito na jornada pela área da Saúde. O trabalho realizado com retidão e qualidade assegura um relacionamento

estreito com clientes. “Todos que trabalham neste setor sabem o quanto é importante ouvir cada uma das partes envolvidas para alcançar um resultado satisfatório. Esta é uma das nossas principais preocupações”, destaca CÁSSIA. Para ela, o escritório possui amplo conhecimento técnico, com uma equipe enxuta e muito qualificada, sempre considerando os aspectos funcionais e humanos da arquitetura. “Nossos principais profissionais estão no time desde o início do escritório, há mais de 10 anos, o que certamente resulta


em cumplicidade, habilidade e sintonia que é refletida no ótimo desempenho e resultado do trabalho como um todo”. CUIDADOS ESSENCIAIS: O trabalho da CAVANI ARQUITETOS se inicia com a realização de um programa de necessidades, levantando todos os pontos fundamentais e expectativas a serem atingidos com o projeto. Os estudos são elaborados e discutidos com o cliente à exaustão, até que se consiga a melhor solução para os problemas apresentados, sempre levando em consideração a legislação

vigente. Todos os espaços e seus detalhes são muito importantes no decorrer do processo projectual. Garantir as informações técnicas para a perfeita execução da obra são sempre o objetivo final do projeto desenvolvido pelo escritório. “Compromisso, acredito que este seja nosso grande diferencial. Atender o cliente nas suas particularidades, e em cada necessidade apresentada por ele, propondo soluções coerentes e seguras, embasadas técnica e funcionalmente. O cumprimento de compromissos assumidos em todos os aspectos, inclusive no

Corporativo – Administradora de Benefícios de Saúde- Plataforma BIM

Health ARQ

79


PERSPECTIVAS: Em 2016, a CAVANI ARQUITETOS está envolvida em alguns projetos para o grupo AMIL e suas afiliadas, também com o Hospital 9 de Julho, e mais outros ainda em estudos em alguns outros Estados do Brasil. Ainda neste ano, o escritório está consolidando uma meta interna, elaborando projetos completos utilizando a plataforma BIM. “Entendemos que o uso desta plataforma

Informe Publicitário

Expertise

quesito prazo, são sempre com muita qualidade”.

seja o caminho natural dos projetos hospitalares, pois permite um controle maior de todas as interfaces das especialidades e sua compatibilização. Esta nova ferramenta possibilita inúmeras vantagens em todas as fases de projeto, e agrega muitas outras nas fases de construção, operação e manutenção do edifício. Resulta em diminuição de erros e desperdícios, gerando um processo de projeto, obra e uso muito mais seguro e econômico. Cer tamente

CÁSSIA CAVANI, arquiteta 80

Health ARQ

isto se tornará mais um diferencial do nosso escritório no mercado.” “Também estamos mudando a nossa marca. Adotamos um novo nome: o CAVANI ARQUITETOS. A empresa Cassia Cavani Arquitetura e Urbanismo evoluiu e sentimos a necessidade de modernização. Temos uma nova identidade visual que se tornou necessária com o novo momento do escritório, conquistando outros mercados. Estamos de cara nova”, afirma a CASSIA.

Equipe CAVANI ARQUITETOS


PROJETOS DO CAVANI ARQUITETOS – CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO

PROJETO: AMPLIAÇÃO DO HOSPITAL VITÓRIA - SANTOS CLIENTE: AMIL / ISO HOSPITAL DIA S/A LOCAL: SANTOS (SP) ANO: 2015 - 2016 ÁREA CONSTRUÍDA: 14.700 m² OBRA: ANDAMENTO

PROJETO: AMPLIAÇÃO DO HOSPITAL IPIRANGA - MOGI DA CRUZES CLIENTE: AMIL / AMICO SAÚDE LTDA LOCAL: MOGI DAS CRUZES (SP) ANO: 2015 -2016 ÁREA CONSTRUÍDA: 13.700 m² OBRA: ANDAMENTO desenvolvimento: Cassia Cavani - Plataforma BIM

PROJETO: IMPLANTAÇÃO DO HOSPITAL GERAL - ABC CLIENTE: AMIL / ESHO EMPRESA DE SERVIÇOS HOSPITALARES LOCAL: SANTO ANDRÉ . BRASIL ANO: 2014 - 2015 ÁREA DO TERRENO: 3.300 m² ÁREA CONSTRUÍDA: 27.859 m² OBRA: NÃO INICIADA

PROJETO: HOSPITAL 9 DE JULHO TORRE NOVA CLIENTE: HOSPITAL 9 DE JULHO LOCAL: SÃO PAULO (SP) ANO: 2014 ÁREA CONSTRUÍDA: 19.000 m² DESENVOLVIMENTO CASSIA CAVANI OBRA: CONCLUÍDA 2016

PROJETO: HOSPITAL 9 DE JULHO RETROFIT CLIENTE: HOSPITAL 9 DE JULHO LOCAL: SÃO PAULO (SP) ANO: 2014 ÁREA CONSTRUÍDA: 3.000 m² DESENVOLVIMENTO: CASSIA CAVANI OBRA: CONCLUÍDA 2016

Health ARQ

81


Eficiência

Sustentabilidade

Onde a racionalização acontece Referência em serviços de alta complexidade, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz se preocupa com a otimização dos custos de sua infraestrutura

82

Health ARQ


Referência em qualidade O Hospital Alemão Oswaldo Cruz é referência em serviços de alta complexidade. Fundado em 1897 por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital possui uma das maiores casuísticas do País e concentra seus esforços na busca permanente da excelência do atendimento integral, individualizado e qualificado ao paciente, além de investir fortemente no desenvolvimento científico por meio do ensino e da pesquisa.

A

racionalização e a otimização dos custos de uma obra do segmento de saúde deve partir, em primeiro lugar, de um plano diretor de obras elaborado pela instituição, conforme seus interesses estratégicos. Este plano contribui para o efetivo planejamento anual físico-financeiro, assim, evitando retrabalhos e mudanças repentinas de projeto antes e durante a execução das obras. Nesse contexto, é válido considerar que os hospitais são grandes referências aos demais segmentos em termos de arquitetura e infraestrutura, tanto pela sua criticidade, quanto pela complexidade. As áreas de Engenharia, Arquitetura e Infraestrutura estão sendo vistas cada vez mais dentro destas instituições como áreas fundamentais que contribuem significativamente com os resultados esperados em um planejamento estratégico de curto, médio e de longo prazo. Práticas como essa pode ser comprovada na

capital paulista, no Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC) que adota diversos cuidados em relação a infraestrutura da instituição. Atualmente, um dos grandes desafios do hospital tem sido o aumento da eficiência quanto ao uso de recursos, de materiais e mão de obra, aplicados na própria manutenção. Mesmo diante de uma crise econômica mundial, o Oswaldo Cruz, considerado um dos melhores centros hospitalares da América Latina, está conseguindo se sobressair ao executar os projetos prioritários, conforme definição do seu planejamento estratégico. “Isso é importante para estarmos prontos para responder ao mercado e estar à frente, quando o

Panorama da expansão O maior desafio para a execução deste projeto de expansão do HAOC foi a logística. O terreno da ampliação possui somente 2.000 m² no qual se levantou uma torre com 30.000 m² de área construída, em uma região com restrição de acesso de caminhões durante o dia, e restrição de ruído durante à noite. A obra possui uma logística difícil, por se tratar de uma edificação vertical e com lajes pouco extensas (+- 1.200 m²), circundada por imóveis residenciais e pelo próprio complexo hospitalar. Outro empecilho desta ampliação foi executar as estruturas dos subsolos, pois, por questões de estabilidade, o Consultor de Geotecnia especificou que tais materiais fossem executados de forma invertida, ou seja, de cima para baixo, aumentando o prazo de execução, mas garantindo a segurança dos imóveis vizinhos e dos trabalhadores. “O prazo para a execução dos serviços de acabamento foi menor do que havíamos contemplado em nosso cronograma inicial, como alternativas buscamos dividir as atividades para o maior número de empresas possíveis, exemplo, para os serviços de marcenaria, foram contratadas cinco empresas, de forma atender os prazos”, afirma Augusto , da Racional Engenharia. Health ARQ

83


Sustentabilidade

Eficiência

“O Sistema industrializado de Banheiro Pronto nos gerou um ganho de três meses no cronograma total do empreendimento.” Augusto Martins, da Racional Engenharia

cenário melhorar”, afirma o Supervisor de Estrutura Hospitalar, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Giovani Felipe Guastelli. Na questão das utilidades, o Oswaldo Cruz procura sempre avaliar suas atualizações tecnológicas em equipamentos e sistemas de infraestrutura, bem como o melhor custo-benefício e a elaboração de um novo projeto de construção ou reforma. Em relação a manutenção, o hospital está sempre procurando sistemas que tornem eficientes os processos de atendimento ao cliente, manutenção e infraestrutura, reduzindo os tempos de procedimentos, bem como o uso de recursos para tratamento dos dados oriundos do campo. Guastelli conta que a instituição utiliza em maior escala ferramentas de tecnologias e práticas inovadoras, com o objetivo de evitar retrabalhos, ruídos entre projetos de disciplinas diferentes. “Além disso, promovemos contratações mais eficientes, facilitando o gerenciamento e impactando diretamente no custo final de nossas operações”, reforça. Nas obras de expansão do seu complexo hospitalar, com a construção do Bloco E, um edifício de internação e serviços em uma área de mais de 30 mil m², o HAOC adotou medidas para racionalizar custos por meio da industrialização dos processos. Um grande exemplo disso é a utilização do 84

Health ARQ

Sistema industrializado de Banheiro Pronto, o qual reduz desperdícios, gera ganhos de prazos consideráveis. “Este sistema nos gerou um ganho de três meses no cronograma total do empreendimento, haja visto, que foram executados 209 banheiros em uma fábrica na cidade de Itu (SP)”, ressalta Augusto Martins, o Diretor de Construção da Racional Engenharia, empresa que atuou na execução do projeto. Já quanto à sustentabilidade desta obra de ampliação, o HAOC seguiu procedimentos conforme as exigências da Certificação LEED, que ao final do projeto garantiu a Certificação LEED Gold. A obra tratou dos entulhos de forma que os mesmos fossem reaproveitados, por exemplo, os entulhos das placas de gesso, eram enviadas para a empresa fabricante das mesmas, que reutilizava este material em seu

Pionerismo no setor Especializada na pré-construção e construção de empreendimentos industriais, comerciais e corporativos, em mais de quatro décadas de existência, a Racional Engenharia soma mais de 600 obras de grande porte, muitas delas direcionadas ao segmento hospitalar como Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital Samaritano, entre outras.


processo fabril. “Independentemente de um momento de crise, acredito ser obrigatório o planejamento e uso de métodos e práticas sustentáveis partindo da concepção de um projeto, seja em maior ou menor grau. Com a evolução da tecnologia e o tema sustentabilidade em pauta, muitas soluções que há alguns anos não eram financeiramente viáveis, hoje, são extremamente competitivas com as soluções ‘convencionais’, demonstrando um retorno muitas vezes superior a médio e longo prazo”, salienta o Supervisor de Estrutura Hospitalar do HAOC.

“Promovemos contratações mais eficientes, facilitando o gerenciamento e impactando diretamente no custo final de nossas operações.” Giovani Felipe Guastelli, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Ficha técnica Hospital Alemão Oswaldo Cruz (Bloco E) Localização: setor sul do terreno do Hospital Alemão Oswaldo Cruz Junto à Rua 13 de Maio – Bela Vista – São Paulo (SP) Área construída: 31.734,24 m² Características: 5 subsolos, 4 térreos e 15 pavimentos elevados, basicamente destinados à internação com capacidade 183 apartamentos, UTIs, centro cirúrgico e outros serviços do hospital.

Health ARQ

85


Sustentabilidade

Edifício verde

Com menor impacto ambiental

Sistema de climatização do Hospital Unimed-Rio contribui para a instituição se despontar no mercado com a certificação LEED

C

oncebido para ser um centro nacional de referência médica, o Hospital Unimed Rio de Janeiro é o primeiro com a certificação LEED do Estado. Localizado na Barra da Tijuca, a instituição está voltada a procedimentos de alta e média complexidade. A unidade possui 219 leitos e 11 salas cirúrgicas, além de uma maternidade e um centro de transplante de medula óssea. O empreendimento ocupa 30 mil m² de área construída e atende especialidades como cardiologia, cirurgia vascular, neurocirurgia, hemodinâmica, cirurgia ortopédica, de coluna, bariátrica, entre outras. Com uma gestão preocupada com a eficiência e a sustentabilidade do negócio, o Hospital Unimed-Rio foi construído segundo os critérios do selo internacional LEED, privilegiando materiais reciclados e de origem certificada, com equipamentos de alta eficiência energética e baixo consumo de água. Neste conceito, o sistema de climatização, conta com o formato de expansão indireta, composto por uma central de água gelada com duas unidades resfriadoras com compressor centrífugo do tipo Tri – Rotor, e capacidade de 500 TR cada, totalizando 1.000TR. 86

Health ARQ

As torres de arrefecimento são do modelo silencioso, com ventiladores axiais e eliminadores de gotas, de alto rendimento e motores de alta eficiência. “O sistema de ventilação e exaustão mecânica atendeu todas as exigências das normas ABNT. Toda a montagem atendeu 100% as exigências específicas do sistema e do projeto”, afirma Edson Alves, Sócio-Diretor da Star Center Soluções em Climatização, empresa responsável pela instalação. Nesta obra, os equipamentos de climatização seguiram às exigências da norma ASHRAE 90.1. Os principais itens foram o COP da centrí-

fuga (0.58 / 0.54) e motores de alto rendimento. Foram colocados chillers de alto desempenho nas unidades de resfriamento hospitalar. Essas máquinas são de última geração com baixo consumo energético. Dessa forma, o hospital conta com um sistema de bombeamento único e variável, contribuindo assim para o melhor consumo de energia. “A LEED exige um nível mínimo de consumo energético. Todos os equipamentos colocados no empreendimento são de última geração. Tudo isso, para ter um desempenho necessário para o sistema”, afirma Alves.


O projeto de climatização desenvolvido inseriu uma válvula de balanceamento com controle automático. Dessa maneira, se tem um chiller de alto desempenho e possui variador de frequência em todas as bombas e motores elétricos de grande tiragem. “Um sistema de automação controla a modulação dos equipamentos para que se tenha uma eficiência maior e menor consumo energético.” Além da forma construtiva, na hora de realizar uma obra com o LEED é preciso seguir alguns cuidados diferenciados com o tratamento da água. “Nesta certificação precisamos estar mais próximos da natureza para ganhar pontuação”, salienta. O projeto foi elaborado de forma satisfatória e a construtora atendeu os prazos. “Conseguimos promover um planejamento muito adequado para executar a obra. Não houve nenhum trauma durante a execução do ser-

viço. Conseguimos caminhar dentro do cronograma planejado.” Alves conta que o maior desafio deste projeto foi proteger e garantir tanto equipamento, quanto a parte que circula o ar. Isso, para que a impureza da obra não entre e contamine o sistema.

Níveis de qualidade

Geralmente, as obras da Star Center conta com a participação de uma equipe que já executou laboratórios ou hospitais. Durante o processo, os colaboradores estão em constante treinamento para que entendam a complexidade do que esta sendo realizado. “Estamos trabalhando com vidas. Portanto, orientamos os cuidados que eles devem ter. O ar que as pessoas respiram tem que ser muito melhor. Não podemos correr risco com qualquer tipo de contaminação”, destaca.

FICHA TÉCNICA Empreendimento: Hospital Unimed Rio de Janeiro Projeto: DW Engenharia Instalador: Star Center Soluções em Climatização Chillers e fancoils: Midea Carrier Difusores, grelhas e fluxo laminar: Trox do Brasil Difusores e grelhas: Indústrias Tosi Torres de resfriamento: Alfaterm Recuperador de calor: Munters Ventiladores e exaustores: Projelmec Controles e válvulas de balanceamento: TA Hydronics Isolamento de dutos: Isover - Santa Marina Isolamento hidráulico: Polipex Variadores de frequência: Danfoss Automação: Microblau Juntas de expansão: Dinatécnica Bombas: KSB

Health ARQ

87


Futuro

Humanização

Majestosa edificação Com previsão de entrega para 2018, obra do novo Cema adota agilidade operacional para garantir resultado financeiro

U

ma edificação robusta e moderna nos aspectos físicos e funcionais. Esses são alguns dos principais atributos do projeto do novo Hospital Cema, no Bairro Belém, em São Paulo. A 200 metros de um metrô, o prédio de 24 mil m² de área construída, com 3 subsolos de estacionamentos, 1 de serviços e 7 andares, disponibilizará todo o conforto para clientes, médicos e colaboradores.

88

Health ARQ

Em sua totalidade, este é um projeto inteligente, tanto pela sua facilidade de acesso, quanto pela funcionalidade dos setores de atendimento ambulatorial. O centro cirúrgico vai contar com todo suporte tecnológico e foi projetado de acordo com as necessidades específicas de um hospital especializado. A sala de preparo foi estrategicamente projetada no cerne do centro cirúrgico.

As fachadas serão todas com alvenarias mais espessas e com sistema de silicone glass, assim, impedindo a inserção solar. “Desenvolvemos um projeto humanizado e bem dimensionado em relação ao conforto térmico”, afirma a arquiteta responsável pela obra, Paula Fiorentini, do escritório Fiorentini Arquitetura. Para o engenheiro Marco Antonio Gouvea, Gerente de Engenharia Clínica do Cema,

o conceito desta nova instituição se difere de hospitais com características habituais. “A nossa proposta é garantir ao público uma instituição de saúde especializada em oftalmologia e otorrinolaringologia com alto padrão de qualidade”, acrescenta. Nesse sentido de inovar, o projeto teve todo cuidado especial com a chegada do paciente. O prédio contará com escadas rolantes e elevado-


res para melhor mobilidade. “A edificação terá todos os requisitos estruturais e modernos para a realização de exames. O projeto do setor ambulatorial, por exemplo, garantirá maior foco nas especialidades”, destaca Paula. Por ser uma instituição com altíssima rotatividade assistencial de paciente ambulatorial, o projeto arquitetônico primou pela acessibilidade. Estes investimentos de fluxo mecanizado foram inclusos para atender os dois maiores públicos do Cema, as crianças e os idosos. Desta forma, a instituição evitará ao máximo o deslocamento das pessoas pela escada convencional. “Tivemos toda preocupação em otimizar os trajetos internos da instituição”, afirma a arquiteta. O plano de obras desta edificação contou com um inpunt que viabilizou o acesso dos pacientes nas mais diversas alas. “Essa proposta contribuirá no deslocamento entre os pacientes e o corpo clínico do hospital.” Intervenções: Todos os ambientes terão um apelo estético e foram pensados em oferecer a humanização ao paciente. As áreas de esperas, por exemplo, foram muito bem dimensionadas para dar conforto aos pacientes. “Melhoramos a condição ambiental e reduzimos a circulação interna entre os pacientes e os processos.” Um dos principais focos do projeto é a melhoria da qualidade assistencial dos fun-

cionários e o bem-estar dos pacientes. “Tivemos todo o cuidado em planejar os ambientes para as pessoas que irão circular pela edificação”, afirma Marco Antonio. Os escritórios contratados para o desenvolvimento do hospital possuem toda a especialização em obras do setor da saúde. “Buscamos o que há de melhor no mercado em termos de assessoria para o desenvolvimento de uma nova edificação hospitalar”, conta o gerente. Práticas sustentáveis: O novo Cema prima pelos princípios de sustentabilidade do prédio. “A energia demandada dos motores do ar-condicionado será reaproveitada para o aquecimento da água. Além disso, houve investimento na informatização do sistema de ar-condicionado. Estes aparelhos estão sendo desenvolvidos com gás ecológico e as temperaturas monitoradas por sensores que fazem monitoramento automático. Na avaliação da diretora da Fiorentini Arquitetura, esse projeto é um dos mais importantes que o escritório teve a chance de participar. “Avaliamos o Cema como uma das maiores instituições hospitalares especializadas do País com grande reputação no mercado. Este será um novo hospital que chegará pronto em termos operacionais e resultados financeiros”, comenta Paula. Na próxima edição, a HealthARQ apresentará mais detalhes do projeto de fundações deste novo Cema.

FICHA TÉCNICA Nome do empreendimento: Hospital Cema Endereço: Rua Padre Adelino s/n – Belém – São Paulo Data do Projeto: 2015 Área do terreno: 3.621,58m² Área total construída: Nº pavimentos: 12 pavimentos Vagas estacionamentos: 283 vagas/ 09 para PNE/ 04 utilitários/ 31 bicicletas/ 60 motos Pronto-atendimento: sim Serviços Diagnósticos: sim Nº consultórios: 82 Salas de cirurgia: 11 e 03 de cirurgia ambulatorial 01 Auditório para 67 lugares Adicional (áreas de apoio, salas de treinamento ...) Construtora: Incorbase Obra (empresas responsáveis) Arquitetura: Arquitetura Fiorentini S/C LTDA Projetos (empresas responsáveis): Ar-condicionado: Grau Engenharia de Instalações Elétrico e hidráulico: Grau Engenharia de Instalações Gases Medicinais: Grau Engenharia de Instalações Projeto de fundações e contenções: Apoio Assessoria e Projeto de Fundação Estrutura de concreto: Jorgeny Catarina Gonçalves Engenheiros Associados LTDA Luminotécnico: LFO REZENDE ELÉTRICA EPP Prevenção e Combate a Incêndio: Fermafire

Paula Fiorentini, Arquiteta

Health ARQ

89


Pela cura

Humanização

O poder dos espaços acolhedores 90

Health ARQ


Ambientes mais alegres proporcionam conforto nos tratamentos contra o câncer

A

o longo das últimas décadas, a arquitetura das unidades de atendimento em saúde do Rio de Janeiro sofreu muitas mudanças estruturais e conceituais. Nesse período, investimentos em ambientação nos hospitais especializados em câncer infantojuvenil eram praticamente inexistentes. Para mudar essa realidade o Instituto Desiderata desenvolve um criativo projeto humanizado que tem transformado os ambientes de quimioterapia em espaços acolhedores, lúdicos e agradáveis. Nos últimos nove anos, em média 2.000 pessoas/ano, na capital fluminense, entre pacientes, cuidadores e profissionais de saúde foram beneficiados com esta iniciativa. Esta proposta tem contribuído para o fortalecimento de políticas públicas que garantam diagnóstico precoce, acesso rápido e tratamento de qualidade para crianças e adolescentes com câncer.

Aquário Carioca

Health ARQ

91


Pela cura

Foto: Fábio Caffe

Humanização

Aquário Carioca

No Rio, quatro dos seis hospitais com sala de quimioterapia têm o projeto Aquário Carioca. O objetivo agora é produzir informações que evidenciem os impactos da ambientação para que o Ministério da Saúde, os hospitais e ONGs possam entender a importância do ambiente no cuidado, em especial o pediátrico, e invistam nestes locais como uma estratégia de promoção da saúde. “Nossa intenção é que esses espaços possam influenciar as mudanças nas práticas de produção e promoção da saúde nos hospitais públi92

Health ARQ

cos. Além de minimizar os impactos do tratamento em todos os envolvidos”, destaca Roberta Costa Marques, Diretora Executiva do Instituto Desiderata. Este projeto foi idealizado voluntariamente pelo cenógrafo e designer Gringo Cardia. “Mudamos o conceito de sala de quimioterapia no Rio de Janeiro. E o Cardia mudou o conceito de ambientação, propondo transformar o ambiente hospitalar em outro espaço, onde a criança poderia se “transportar” para outro lugar, imaginário, lúdico”, destaca Roberta.

Submarino carioca Tomógrafo transformado em um grande submarino Um dos desafios do Instituto Desiderata era promover a ambientação do único tomógrafo em hospital pediátrico do Rio de Janeiro. O objetivo era propor um espaço convidativo ao exame que tranquilizasse a criança, excluindo a necessidade de procedimentos invasivos e que pudesse ser visto como um grande brinquedo pela criança. Apesar do procedimento durar apenas alguns segundos, o paciente pediátrico deve permanecer imóvel. Isso, porém, pode não ser tarefa simples para crianças, principalmente, se o exame acontece em uma sala escura e com um equipamento enorme e barulhento, que assusta até mesmo os adultos. No Submarino Carioca, além da adesivagem do tomógrafo e cenografia, foram utilizados para a ambientação: iluminação teatral em tons de azuis, áudio de fundo do mar e a cabine de comando transformada em uma escotilha, em que o capitão é o profissional que realiza o exame. A ideia é que os profissionais do espaço usem jaleco e chapéu de comandante, incorporando um personagem que convide seu passageiro a navegar pelo fundo do mar.


Foto: Fábio Caffe

Foto: Renata Missagia

Submarino

Pelo tratamento do câncer Ao longo dos anos, este conceito de tratamento foi sendo ampliado considerando não só a ausência da doença, mas as diferentes necessidades dos indivíduos modernos e suas demandas de cuidados mais complexos. Foi nesse contexto que ações relacionadas à acessibilidade, acolhimento e ambiência entraram no cotidiano dos serviços de saúde pública, integrando os desafios atuais dos gestores para que ofereçam um cuidado não só integral, mas humanizado. Inspirados pela experiência pioneira de humanização da Quimioteca do Instituto de Oncologia/ GRAACC,

em São Paulo, e pela Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde, a intenção do Desiderata é que o espaço ambientado possa influenciar mudanças nas práticas de produção e promoção da saúde nos hospitais. A Política Nacional de Humanização (PNH) brasileira foi instituída em 2003 buscando pôr em prática os princípios do SUS. A intenção era produzir mudanças nos modos de gerir e cuidar, além de estimular a construção de processos coletivos para promoção da autonomia de profissionais de saúde em seu trabalho e dos usuários no cuidado de si.

Por que investir em ambientação? Estudos mostram que o ambiente tem um impacto importante no comportamento do ser humano. Cores, luzes e equipamentos adequados podem estimular a melhoria do indivíduo hospitalizado, constituindo-se em um instrumento terapêutico. Assim, a transformação de um ambiente hospitalar em um espaço de cuidado bonito e alegre, justifica a validade do investimento em ambientação, em especial quando o local é voltado para o público infantojuvenil. Outro ponto que justifica o investimento em ambientação é a influência dessa ação na rotina hospitalar e nas relações estabelecidas entre os principais envolvidos nesse ambiente e, em especial, minimizando o impacto do tratamento em pacientes e cuidadores.

Health ARQ

93


Pela cura

Humanização

94

Health ARQ


Fonte: Livro Humanização em Oncologia Pediátrica Uma experiência em ambientação de Hospitais Públicos no Rio de Janeiro

Health ARQ

95


Pela cura

Humanização

Aquário carioca: sala de quimioterapia pediátrica As salas de quimioterapia abraçadas pelo Aquário Carioca são ambientadas com uma cenografia de fundo do mar, símbolo de aconchego e recolhimento. Desde a sala de espera a criança é surpreendida com uma paisagem nada usual para um ambiente hospitalar: uma praia com gaivotas voando e areia em uma tonalidade radiante. Nesse espaço ambientado para acolher aqueles que ali esperam para ser atendidos, brinquedos, livros e inclusive computadores 96

Health ARQ

estão disponibilizados de forma a criar interação com os pacientes e suas famílias para amenizar os sentimentos de apreensão e dor que surgem nesse ambiente novo. Já na sala de quiomioterapia as cores são menos vibrantes para trazer tranquilidade na realização do tratamento. Os azuis e verdes marítimos foram escolhidos em decorrência de estudos de cromoterapia pensando na condição psicológica dos pacientes e pais e, também, em função do resultado de pesquisa

Em pesquisa realizada, em 2014, para avaliar os impactos da ambiência, foi observado os seguintes resultados: · USUÁRIOS: O espaço ambientado proporcionou maior privacidade (93%); incentivou o paciente a fazer o tratamento (88%); diminuiu a ansiedade dos pacientes (83%), diminuiu a dor dos pacientes (77%). · PROFISSIONAIS: O ambiente anima a vir para o trabalho (78%); Indicaria o local para um amigo trabalhar (90%). Com tais dados, a conclusão é que este modelo de projeto tem reforçado o compromisso do Instituto com a causa e com população local que se beneficia com um projeto de grande porte, visando garantir um tratamento de qualidade a crianças e adolescentes com câncer.


de campo com os profissionais da área. Durante o tratamento, cada sessão de quimioterapia pode durar até 6 horas ininterruptas e, nesse longo período, o paciente permanece sentado por muito tempo. Dentre os diversos aspectos que guiaram a concepção do projeto cenográfico, essa informação foi central. A poltrona selecionada, por exemplo, foi criteriosamente escolhida por sua ergonomia e conforto. O espaçamento e as divisórias entre as poltronas foram definidos de forma que favorecessem a comunicação entre os pacientes, mas mantivessem a privacidade. E são disponibilizados carrinhos de jogos eletrônicos, assim como televisões com acesso a DVDs educativos previamente selecionados pela equipe do hospital.

“O Aquário Carioca foi como a abertura de um túnel que liga algumas ideias do passado a alguma coisa que está acontecendo e acontecerá no futuro.” Fernando Werneck, Oncologista Pediátrico. Chefe do setor de oncohematologia do Hospital Federal dos Servidores do RJ

Health ARQ

97


Para difundir conhecimento em Saúde Obra da Unidade de Ensino Einstein, no Rio de Janeiro, conserva a estrutura histórica existente ao construir uma nova edificação

É

notável o reconhecimento do alto nível de qualidade do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEP). A instituição é uma das alternativas de ponta no Brasil para permitir que os profissionais de saúde se mantenham atualizados em relação ao extraordinário avanço do conhecimento em Saúde. Para garantir que este trabalho consolidado ganhe espaço em todo o território nacional, o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) inaugurou, recentemente, no Rio de Janeiro (RJ), a primeira unidade fora de São Paulo, dedicada ao ensino na área da Saúde: a Unidade de Ensino Einstein. Esta nova instituição está localizada em uma região privilegiada, no Centro da cidade maravilhosa, a 200 metros da estação Cinelândia do Metrô e a 5 minutos do Aeroporto Santos Dumont. A expertise do Einstein é compartilhada pelo corpo docente, composto por profissionais que integram o corpo clínico da instituição, e também está presente nos estágios, que podem ser realizados no próprio Hospital, em São Paulo. “Não se faz saúde só com tecnologia, mas com capital humano e a formação de profissionais diferenciados é uma das formas do Einstein participar do cenário da saúde no Rio de Janeiro”, afirma o Presidente do HIAE, Claudio Lottenberg.

98

Health ARQ

Foto: Paula Giolito

Adequação

CONSTRUÇÃO


Unidade de Ensino Albert Einstein no Rio de Janeiro

Health ARQ

99


CONSTRUÇÃO

Fotos: Paula Giolito

Adequação

Unidade de Ensino Albert Einstein no Rio de Janeiro

100

Health ARQ

Nesse sentido de se preocupar com a Saúde em outros Estados, essa edificação foi inaugurada com 10 salas de aula, uma sala de treinamento em enfermagem, um laboratório e uma biblioteca. A Unidade começou a funcionar com 283 alunos, em 11 cursos de pós-graduação. Entre os cursos já em andamento estão o de terapia intensiva para adultos, oncologia, gestão da qualidade em saúde, enfermagem em cardiologia e auditoria em serviços de saúde. Progressivamente novos cursos de pós-graduação serão introduzidos, além de cursos de atualização. A execução de todo este projeto da unidade ocorreu em um prazo curto, de 90 dias, em um prédio antigo, tombado como patrimônio histórico do Rio de Janeiro. “Neste local, as novas instalações não poderiam interferir em diversas instalações existentes, assim como não poderiam interferir na arquitetura do prédio”, conta o engenheiro Thamye Maciel Liotti, da Lock Engenharia, empresa responsável pela obra. Esse processo de preservação da estrutura antiga exigiu criatividade e estudo in loco com as instalações para encontrar soluções que atendessem ao objetivo da instituição. Tudo isso, sem prejudicar o funcionamento do edifício, nem infringir as normas vigentes. “Esta obra destaca-se pela preocupação em se conservar a estrutura histórica existente, e a nova construção capaz de mudarem de salas de aula para um auditório com capacidade para vários alunos”, ressalta Liotti. Entre os diferenciais desta obra está a necessidade de se realizar toda a adequação da instalação elétrica sem que se pudesse em nenhum momento ser desligada a instalação preexistente. O local alimentava o CPD de um dos maiores call centers do País. A mesma dificuldade pode ser observada no sistema de ar condicionado, que, para sua interligação ao sistema do prédio, teve permitida apenas uma única parada ao longo de toda a obra para que


Foto: Paula Giolito

se realizasse as conexões. “A Lock possui toda a capacidade de realizar este modelo de obra com qualidade e atendendo bem a necessidade do cliente. Temos tecnologia para execução de diversos formatos de obra, aprofundando o projeto e realizando o que é necessário dentro de um custo compatível”, destaca o engenheiro. Direcionamento verde: Os entulhos da obra foram destinados em caçambas credenciadas junto à prefeitura do Rio, sendo sempre separados em entulhos de gesso e entulhos de outras origens, possibilitando o descarte adequado aos mesmos. A racionalização dos custos da obra também foi outra preocupação, uma vez que os projetos foram realizados baseando-se em diversos levantamentos realizados no local. O projeto era atualizado e analisado de forma a se adequar às realidades da obra, do ponto de vista de custo e prazo, e assim, evitando custos extras.

“Os caminhos rápidos para comunicação das necessidades da obra e do projeto foram essenciais para o sucesso desta entrega.” Thamye Maciel Liotti, da Lock Engenharia

Health 101 ARQ


CONSTRUÇÃO

Sofisticada

Em alto nível

Obras do Hospital Unimed GV

Ambientes modernos e arrojados são alguns dos destaques do projeto do Hospital da Unimed de Governador Valadares

D

eterminação. É essa simples palavra, com forte significado, que estampa o dia a dia do corpo diretor e consultivo da Unimed Governador Valadares, em Minas Gerais. A cooperativa está rumo a ter o seu próprio hospital reconhecido como único na região, levando ao mais alto patamar em tratamento de saúde para seus associados. Para alcançar esse objetivo, além de garra, foram investidos R$ 100 milhões na construção de um prédio de 12 pavimentos, com capacidade de 168 leitos disponíveis para internação clínica, cirurgia geral, intensiva adulta e pediátrica, maternidade e internação de recém-nascidos sadios e UTI. A obra arrojada tem uma área total construída de 23.274m², além de um heliponto. Voltada para atendimentos de média e alta complexidade, a unidade foi erguida em estrutura metálica e a fachada com sistema unitizado, montado com monovia. “Esse nos pareceu ser o modelo construtivo mais adequado para a obra, além de ser mais rápido, possibilitando que em pouco tempo todos os pavimentos estejam praticamente prontos”, considera o Presidente da Unimed Governador Valadares, Manoel Arcísio Araújo. De acordo com o executivo, a ideia é elevar a prestação

102

Health ARQ

dos serviços de saúde, na região, ao nível dos grandes centros por meio de um hospital moderno. “Esse

empreendimento é fruto de anos de planejamento, e com ele Valadares vai avançar muito na área médica.”

Ficha Técnica Nome da obra: Unimed Governador Valadares Área total construída: 23.274m² Número de pavimentos: 12 Número de escadas: 2 enclausuradas para emergência Número de elevadores: 4 Número de peças estruturais: 3100 (aproximadamente) Ligações: aparafusadas Tipo de proteção anti-incêndio: passiva com argamassa projetada


Obras do Hospital Unimed GV

Bastidores da obra No campo de produção nas obras da Unimed de Governador Valadares destacam-se as tipologias especiais de Drywall, desenvolvidas pela equipe da Fator Towers, construtora civil contratada para desenvolver o projeto. Em entrevista exclusiva à HealthARQ, o Presidente e Engenheiro responsável técnico da empresa, Vasco Rodrigues falou dos desafios e pontos de destaque da execução deste novo empreendimento da saúde. HealthARQ – Como nasceu o relacionamento da empresa com a Unimed-GV?

Vasco Rodrigues: Já dizia o velho ditado – nada acontece por acaso. Um certo dia, a equipe da Fator soube que a cooperativa de Governador Valadares estava contratando, por conta própria, diversos fornecedores para a construção de um hospital. O primeiro passo foi mostrar que prosseguir naquele modelo resultaria em diversas possibilidades do projeto dar errado. Isso, não apenas pelo o aumento do custo, como também na qualidade final do produto, comprometendo o investimento, que não é pequeno. Não demorou para a construtora comprovar essa tese logo nos primeiros me-

ses de obra, com as diversas interferências da empresa no processo. Para alívio de todos, conseguimos realizar a obra dentro do custo esperado e no prazo solicitado pela Unimed. HealthARQ - Quais os principais desafios encontrados na obra? Vasco: A logística foi relevante, por ser uma obra especial, com materiais e sistemas sofisticados e diferenciados. Contudo, temos uma grande equipe interna com funcionários capazes de serem multiplicadores dos nossos processos e temos uma rede de fornecedores de alta ca-

pacidade operacional e de mobilização. HealthARQ - Quais são as principais tecnologias aplicadas nestas obras? Vasco: Na obra em si, podemos destacar as tipologias especiais de Drywall que que foram produzidas pela equipe própria da Fator. Também vale mencionar a fachada com sistema unitizado, montado com monovia, que permitiu encurtar o prazo de obra. Sabemos que o projeto de uma obra hospitalar, invariavelmente, é um projeto vivo. Através de ferramentas de informática e procedimentos do nosso SGI (SisHealth 103 ARQ


CONSTRUÇÃO

Sofisticada

duto final seja exatamente o que o cliente desejava. Esta integração é fundamental.

Americas Medical City

tema de Gestão Integrado) conseguimos fazer um melhor acompanhamento do tempo, escopo e custo, trazendo grande benefício para o nosso cliente. HealthARQ - Como foi desenvolver a infraestrutura necessária para incorporar cada tecnologia no hospital? Vasco: Na realidade temos uma grande especialização na construção de hospitais de grande porte e com sistemas sofisticados. Não houve dificuldade em desenvolver a obra, dada a experiência do nosso corpo técnico. Também, ficamos muito satisfeitos com a qualidade da mão de obra local, que assimilou com tranquilidade a complexidade da obra, atendendo a nossa demanda. HealthARQ - Quais são os destaques desta execução? Vasco: O grande destaque é a determinação do corpo diretor e consultivo da Unimed-GV, que está fazendo de tudo para que este seja um empreendimento único na região, levando ao mais alto padrão de qualidade em tratamento de saúde para seus associados. HealthARQ - Quais são os principais cuidados que a sua equipe adota ao realizar serviços no setor da Saúde? Vasco: Nossas obras são revestidas de todo o cuidado com o meio ambiente e segurança no trabalho. Temos conquistado o reconhecimento das entidades de classe sobre os aspectos positivos dos nossos programas nestas áreas. Prova disso é o processo de certificação da empresa, que além da ISO 9001 e PBPQ-H, estamos agora sendo certificados nas Normas ISO 14001 e OHSAS 18001. Em relação a obras novas, procuramos nos envolver ao máximo com os projetistas e com o cliente para que o pro104

Health ARQ

HealthARQ - Qual o diferencial da Fator no mercado de saúde? Vasco: Somente há como ter diferencial em algo se você tem experiência no assunto. No nosso caso, a grande experiência em construção hospitalar é o que nos qualifica de forma diferenciada. Já realizamos grandes complexos hospitalares, desde sua concepção, como o Hospital da Bahia e o Ame-

ricas Medical City, no Rio de Janeiro, este com dois hospitais e um Centro de Pesquisa de última geração. HealthARQ - Quais são as perspectivas da empresa para 2016 no mercado de saúde? Vasco: Começamos 2016 muito bem, apesar de toda a situação que o País atravessa. Conquistamos novas obras com clientes que já fizeram outras obras conosco, o que mostra um elevado grau de satisfação e confiança.

“Com poucos dias de obra, os clientes percebem que um dos pontos fortes da FATOR é o relacionamento com o cliente e entendimento do problema a ser resolvido, com envolvimento máximo da empresa. A relação visa sempre adquirir confiança mútua e isso só trás resultados positivos.” Vasco Rodrigues, da Fator Towers


Obra adota tecnologia eficiente O tempo é um fator determinante para que as obras de uma nova unidade hospitalar sejam entregues dentro do prazo, atendendo às demandas de saúde da região, o posicionamento estratégico da empresa de saúde e gerando receita para que o investimento aplicado seja recuperado em médio e longo prazo. Para que os prazos fossem cumpridos de acordo com o cronograma estabelecido, dentro dos custos e atendendo aos padrões de qualidade exigidos por normas nacionais e internacionais de saúde, a Unimed Governador Valadares, optou pela

parceria com a USG (United StatesGypsum), empresa especializada em construção a seco, para a construção de seu hospital. O Country Manager da USG, Fabio Rosario Din, a multinacional forneceu a solução Durock Next Gen para o hospital da Unimed que está sendo construído pela Fator Towers. Na obra, segundo o executivo, estão sendo utilizados mais de 2,7 mil m² do sistema fornecido pela USG e que estão sendo aplicados no fechamento de paredes internas do hospital que necessitam ter maior resistência a impacto, lavagens extremas e reves-

timentos específicos para assepsia rigorosa. “A solução Durock Next Gen é composta por painéis formados a partir de cimento Portland, agregantes e malhas em fibra de vidro integradas aos painéis em ambas as faces. O sistema todo é composto por perfis de aço galvanizados de 0,95 mm, membrana hidrófuga, chapas cimentícias Durock Next Gen, parafusos, basecoats, fitas e malhas”, completa Din. O material de alta resistência, pode durar até 30 anos, sua aplicação em obras de grande complexidade é três vezes mais rápida do que a alvenaria co-

mum e dez vezes mais leve. Além disso, sua aplicação a seco reduz a quantidade de resíduos emitidos durante a aplicação diminuindo o impacto ambiental do processo de construção. “Com performances térmicas, acústica, resistência a água e sustentável, pois reduz a emissão de CO2 e o consumo de água, o sistema desenvolvido pela USG congrega todos estes benefícios. Além disso, esta tecnologia pode ser utilizada em diversos segmentos como hospitalar, comercial, escolar, residencial e outros”, explica a Architectural Services da USG, Maria Thereza Castro.

Health 105 ARQ


Assepsia As bancadas em DuPont™ Corian® da Unidade Neonatal da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora são maciças, com bordas arredondadas e agradáveis ao toque

Um ambiente de design reconfortante Segurança e proteção em inovadora Unidade Neonatal

Informe Publicitário

A

arquitetuta da saúde tem papel fundamental na recuperação dos pacientes. Pesquisas ligam fortemente a saúde do paciente e qualidade geral do atendimento à maneira como uma unidade de saúde é projetada. Isso revela a influência da arquitetura e design em todos os aspectos da saúde, incluindo a velocidade de recuperação do paciente, tempo de permanência hospitalar, frequência de erros médicos, e taxa de rotatividade de pessoal. Ambientes claros, iluminados e porque não modernos e coloridos trazem conforto e contribuem para melhora do quadro do paciente e os materiais que os compõem devem ser pensados para tender a essas necessidades. Tais características são ainda mais importantes nas áreas pediátricas de um hospital. Unidades Neonatais abrigam pacientes especialmente vulneráveis e precisam garantir segurança para os pequenos, sem esquecer da beleza e conforto. 106

Health ARQ

Pensando nisso, a Unidade Neonatal da Santa de Casa de Misericórdia de Juiz de Fora passou por uma remodelação que procurou trazer aconchego e segurança para mamães e bebês, além de facililtar o trabalho da equipe médica. O projeto liderado pela arquiteta Moema Loures, do Studio IMA, mudou totalmente a cara da unidade. O espaço de 400m² foi totalmente reformulado e dividido em três núcleos circulares

para acolher pacientes com diferentes necessidades e garantir fluidez e segurança. O layout foi pensado para que médicos e enfermeiros pudessem ter total visão das três áreas e fácil acesso entre elas. Enquanto os visitantes podem circular ao redor dos núcleos para visitar os recém-nascidos. Para atender ao conceito central do projeto, de evitar quinas e dar mais fluidez ao espaço, cada núcleo ganhou ao centro uma bancada de


Fotos: Kempton Vianna

Modernas e seguras, as bancadas da Unidade Neonatal facilitam a desinfecção e descontaminação, já que são não porosas, reduzindo os riscos de disseminação de infecções.

Ergonômicas e modernas, as bancadas e lavatórios da Unidade Neonatal foram projetadas e fabricadas sob medida

higienização feita em DuPont™ Corian®. As áreas de visitantes, ao redor dos núcleos, também ganharam bancadas do material, que foram projetas pela arquiteta responsável e fabricadas sob medida pela Futura Superfícies. O design ergonômico e curvo, sem quinas ou junções de cada uma das bancadas foi possível graças a propriedade de Corian® que permite submetê-lo a altas temperaturas e moldar a peça desejada. Processo que conferiu ao espaço três designs diferentes de bancada, usando a mesma superfície, deixando o espaço ainda mais agradável e moderno. Além de permitir qualquer design, pois as peças de mobiliário em Corian® são feitas sob medida, a superfície também possui uma temperatura agradável ao toque, não é gelado como outras superfícies, ou seja, garante um conforto térmico a médicos e pacientes em contato com as bancadas e lavatórios. Higiênicas e fáceis de limpar, as bancadas da Unidade Neonatal evitam os riscos de contaminação, já que não são porosas, garantindo mais segurança aos vulneráveis recém-nascidos da unidade. A não porosidade é uma das características que fazem de Corian® um material único, pois o torna resistência a man-

As aplicações desenvolvidas com DuPont™ Corian® na unidade Neonatal da Santa Casa de Misericórdia favoreceram a humanização do ambiente

chas, uma vez que, nenhum material penetra na superfície. Podendo também ser facilmente limpa com um pano úmido, ou em caso de substâncias típicas de hospitais como sangue ou revelador de raio-X, uma bucha abrasiva. A desinfecção e descontaminação da superfície é facilitada pelo mesmo fator, e ajuda a reduzir os riscos de contaminação cruzada que podem levar à disseminação de infecções hospitalares. Corian® também é inerte e não promove o crescimento de fungos, bactérias. A cor utilizada em todas as peças foi Corian® Glacier White. O branco desta cor é

ideal para ambientes hospitalares, pois, trasmite assepsia e um ar de tranquilidade, além de contrastar com as cores energizantes dos painéis hospitalares da área, criando um ambiente convidativo e humanizado. A aparência bonita e nobre melhora o ambiente do hospital, isso torna o espaço mais amigável para pacientes e médicos. As bancadas feitas em Corian® são extremamente resistentes, não descascam e suportam ao uso diário, além de demandar baixa ou nenhuma manutenção, podendo ser facilmente reparadas para recuper seu aspecto original. Health 107 ARQ


Suporte

ARQ reforma

Incorporação de ponta Unidade Pompeia do Hospital São Camilo propõe um alto padrão de excelência na infraestrutura 108

Health ARQ


O

Hospital São Camilo Pompeia foi a primeira Unidade da Rede a ser fundada, em 1960. Atualmente, é uma das referências no atendimento de urgência, emergência e de alta complexidade. Oferece atendimento em todas as especialidades, conta com um Centro de Diagnóstico por Imagem e é Centro de Referência para Transplante de Medula Óssea. A busca pelo alto nível de qualidade e o foco na segurança do paciente são preocupações constantes da Unidade Pompeia, localizada em São Paulo. A instituição possui três certificações, sendo duas internacionais. Baseada na necessidade de se fazer o melhor atendimento, recentemente, o hospital inaugurou parte de uma edificação com quase 10 mil m² divididos em 16 pavimentos - sendo cinco subsolos que hoje fun-

cionam como garagem, um andar térreo com pé direito duplo, onde funciona a nova recepção e a entrada principal, seis pavimentos com leitos, um andar de UTI e um andar com centro cirúrgico, além de dois pavimentos técnicos (cobertura e outro específico para o centro cirúrgico). A nova torre, entregue em Health 109 ARQ


Suporte

ARQ reforma

dezembro de 2014 pela Engemon, empresa brasileira especializada em engenharia civil e elétrica, faz parte do plano de expansão da Rede de Hospitais São Camilo, iniciado há 10 anos. A atuação construtora inclui as instalações elétricas e hidráulicas e toda a rede física para sistemas especiais. Este novo bloco é dedicado à internação de pacientes, instalações para diagnóstico e centro médico. São 86 quartos, sendo 72 leitos individuais e 14 de UTIs, seis salas cirúrgicas e 104 vagas no estacionamento. Um dos desafios desta obra foi executar as instalações com qualidade e dentro do prazo estipulado, sem interferir na rotina do complexo hospitalar. “A nossa meta principal é garantir que todos os recursos técnicos de suporte à vida sejam preservados”, afirma a Gerente da obra, a engenheira Josy Nascimento, da Engemon. Para que o hospital pudesse ser 110

Health ARQ

mantido em funcionamento durante as obras, a equipe de engenharia tomou todos os cuidados necessários tais como, limpeza, ruídos, circulação e segurança. “Realizamos planos de missão crítica para mitigação de riscos. Dessa forma, nenhuma etapa atrapalhou o funcionamento do hospital”, afirma a engenheira. Nessa edificação, a equipe da Engemon buscou atuar da melhor forma possível, com total compromisso de qualidade, entrega, prazo, avaliação de fornecedores e as certificações de materiais. “O nosso foco é garantir a excelência da execução do projeto.” SISTEMAS: No que tange aos serviços de instalações elétricas e hidráulicas os diferenciais foram os sistemas de IT Médico e de UPS, que garantiram a entrega perfeita da energia elétrica, propiciando o pleno funcionamento dos equipamentos eletro-médicos de suporte à vida. “Vale ressaltar que tais má-

Inovação insensante

Neste mercado da saúde, a Engemon é uma empresa que se apresenta como uma nova opção para sistemas de infraestrutura hospitalar. A sua equipe apresenta ao mercado uma linguagem inovadora em engenharia, voltada para missões críticas, como por exemplo data centers, broadcast centers, call centers e muito mais. “Já contamos com importantes clientes no segmento de saúde, como Hospitais Albert Einstein e o Municipal de Parelheiros. São experiências que garantem a bagagem da Engemon e fazem com que os clientes sintam a segurança técnica em nossos projetos”, finaliza Josy.


quinas atuam nas UTIs e Centros Cirúrgicos”, completa a engenheira. A Engemon preparou toda infraestrutura para a expansão dos sistemas de combate contra incêndio. Já nos sistemas especiais da ampliação, a empresa desenvolveu a parte física para receber a extensão dos sistemas. SUSTENTABILIDADE: Os projetos foram desenvolvidos com premissas sustentáveis como eficiência energética e reuso de água. Foi utilizada a luz solar para aquecer a água utilizada em todo o hospital. A execução do projeto seguiu rigorosamente as normas de descartes para todos os materiais.

Estrutura atualizada Em setembro do ano passado, o Hospital deu início à primeira etapa do segundo edifício. O projeto prevê Contenções e Fundações. Prevista para ser concluída ainda neste semestre, a fase deve terminar no mesmo período em que se iniciarão as obras civis e de instalações. “Com essas reformulações, a unidade Pompeia totaliza 370 leitos, o que representa um aumento de 30% na capacidade de ocupação”, destaca Rogério Quintela, Diretor de Geral da Rede São Camilo de São Paulo. A incorporação das duas novas torres irá possibilitar o atendimento à crescente demanda de pacientes, oferecendo estrutura funcional, hotelaria arrojada e atualizada e equipamentos de alta tecnologia. A nova torre está em construção na Rua Barão do Bananal do lado oposto ao complexo existente do Hospital São Camilo Pompeia, portanto há poucos impactos nesta etapa com relação ao funcionamento do restante do complexo. “A segurança do paciente é alvo constante na elaboração de plantas arquitetônicas que possibilitam a funcionalidade assistencial, garantindo condições seguras para os funcionários, médicos, pacientes e acompanhantes”, destaca Quintela.

Health 111 ARQ


Eventos 2016 Junho Evento: Summit – Fórum sobre a Construção Civil

Local: São Paulo Expo

Data: 15 e 16 de junho Mais informações: www.constructionexpo.com.br

Julho Evento: Feira do Construtor

Local: Centro de Eventos Sistema FIEP Curitiba (Brasil)

Data: 20 até 22 julho

Setembro

Evento: VII Congresso Brasileiro para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar

Local: Salvador-BA

Data: 28 a 30 de setembro Mais informações: www.abdeh2016.com Errata Na edição 18, todas as fotos do informe publicitário das páginas 26, 27 e 28 foram produzidas pela fotógrafa Patricia Thomé, com exceção da foto da arquiteta Heloisa Dabus.

EXPEDIENTE CEO e Publisher: Edmilson Jr. Caparelli Diretora-administrativa: Lúcia Rodrigues Diretora-financeira: Janaiana Marques Diretora de Arte: Erica Almeida Alves Diretor de Marketing: Jailson Rainer Diretor Executivo: Marcelo Caparelli Diretora Executiva Regional: Gislaine Almeida Diretora Comercial: Giovana Teixeira Diretor de Projetos Especiais e Customizados: Márcio Ribeiro Gestão e Coordenação de Conteúdo: Kelly de Souza Editora do Grupo Mídia: Carla de Paula Pinto Editor da HealthARQ: Thiago Cruz Redação: Diana Nascimento Colaboração: Thai Duó e Guilherme Batimarchi Estagiária: Juliana Ijanc’ Produtora de Arte: Valéria Vilas Bôas Gerente de TI e Digital: Wagner Pereira Coordenação de Pesquisa: Janaína Novais Executiva de Contas: Rafaela Rizzuto Executivo de Contas: Fábio Brasil Assinaturas e Circulação: assinatura@grupomidia.com Atendimento ao Leitor: atendimento@grupomidia.com Projetos Editoriais: projetoseditoriais@grupomidia.com Contatos: Matriz: (16) 3629-3010 | Sucursal: (11) 3014-2499 contato@grupomidia.com | redacao@grupomidia.com | comercial@grupomidia.com Matriz: Rua Aureliano Garcia de Oliveira, 256 - Ribeirão Preto - SP Filial: Av. Paulista, 1471 - 11º Andar - São Paulo - SP

112

Health ARQ

A revista HealthARQ é uma publicação trimestral do Grupo Mídia. Sua distribuição é controlada e ocorre em todo o território nacional. O conteúdo dos artigos é de responsabilidade dos autores, e não refletem, necessariamente, a opinião do Grupo Mídia. A reprodução das matérias e dos artigos somente será permitida se previamente autorizada por escrito pelo Grupo Mídia, com crédito da fonte. Atenção: pessoas não mencionadas em nosso expediente não têm autorização para fazer reportagens, vender anúncios ou, sequer, pronunciar-se em nome do Grupo Mídia. A HealthARQ é uma publicação do:

QUER FALAR COM O MERCADO DA SAÚDE? FALE COM A GENTE! Conheça nossos produtos:


como você tem se atualizado ultimamente? Opção 1

10% de desconto

Opção 2

25% de desconto

Assine por 1 ano a Revista HealthARQ

por R$ 162,00 Assine por 2 anos a Revista HealthARQ

por R$ 270,00

Assine a revista HealthARQ e receba também o Anuário HealthCare, Anuário e Informativo da Saúde!

Boleto Bancário (você recebe no seu endereço e quita em qualquer agência bancária) Pagamento à vista - mais 5% de desconto.

Opção 1

Pagamento em 2 vezes sem juros.

Opção 2

Empresa: Nome: Endereço: Bairro:

Cidade:

Cep:

CNPJ ou CPF:

Fone: (

)

Fax: (

Ramo de Atividade:

UF:

País:

) e-mail:

Assinatura

Data

/

/

Solicite pelo FAX (16) 3617-0331 ou e-mail assinatura@grupomidia.com formulário para assinatura internacional Ask by FAX +55-16- 3617-0331 or e-mail assinatura@grupomidia.com for your international subscription form Para outras opções de assinatura, entre em contato conosco pelo telefone (16) 3629-3010 ou e-mail assinatura@grupomidia.com


carta-resposta

não é necessário selar O selo será pago por Grupo Mídia Comunicação e Participações Ltda AC - Rua Aureliano Garcia de Oliveira, 256 14096-750 Ribeirão Preto/ SP

Conheça outros produtos do Grupo Mídia para o mercado da saúde:

Informação certa para o público certo

Cole aqui Dobre aqui


Health 115 ARQ


116

Health ARQ

Profile for Grupo Mídia

HealthARQ 19ª Edição  

HealthARQ 19ª Edição  

Advertisement