Page 1

betoferreira.com.br

edição 9 • 2011

Gianne Albertoni A musa das manhãs

Saúde

Aprenda tudo sobre anticoncepcional

Animais

Luisa Mell e a sua dedicação pelos bichos

Tom Maior Deborah Blando fala sobre o seu retorno aos palcos

E mais... Moda, economia, viagens

e outras surpresas!


Editorial 04

Saúde Fibromialgia 28

Moda&Beleza Meia-Calça 06

Viagem Patagônia 60

por Deni Guimarães

Manual do Anticoncepcional 30 por Jéssica Tokarski

por Mauricio Monteiro

por Débora D. Dornella

Síndrome do Pânico 32

por Emerson Roberto

Os perigos da automedicação 33

por Emerson Roberto

Cistite 34

Clareamento dental 08

por Emerson Roberto

Cuide bem do seu cabelo 10

por Jéssica Tokarski

por Jéssica Tokarski

por Emerson Roberto

por Jéssica Tokarski

Dá o pé, louro! 38

por Solange Frazão

Gripe canina 39

por Débora D. Dornella

Heróis de quatro patas 40

Novidade: treinamento funcional 14

Motivação Estabeleça compromisso com o impossível 73 por Cesar Romão

capa A musa das manhãs 46

por Débora D. Dornella

etiqueta Etiqueta Empresarial 19

Direito Compras por internet 74

por Emerson Roberto

por Maicon Guedes

Cultura Mãe! Tá na hora da novela! 75

Amor&Sexo Sexo casual 50

por Fabio Arruda

Palavrão 20

por Emerson Roberto

por Débora D. Dornella

por Patrick Diener

HQ e Mangá 76

Comportamento Fobia 52

Bem estar Olheiras 22

por Débora D. Dornella

por Débora D. Dornella

por por Leidinara Batista

Comunix TV: Especial como você! 78

Medo de dirigir tem solução 54

Mantenha sua capacidade cognitiva em forma 24

por Jéssica Tokarski

por Jéssica Tokarski

Decoração A força das cores na composição dos ambientes 25

Gastronomia Delícia gelada 56 por Jéssica Tokarski

Fondue 58

por Débora D. Dornella

por Deni Guimarães

Água de beber 71 por Daniela do Lago

por Débora D. Dornella

por Emerson Roberto

Estria 18

Inflação - O dragão desconhecido 70 por Carla Portinari

por Jéssica Tokarski

Pole Dance 16

Economia&Negócios Imóveis 68

Twitter no trabalho 72

por Jéssica Tokarski

Alongamento 15

por Alexandre Böhm

por Débora D. Dornella

Animais Amor e dedicação aos animais 36

corpo Olhos reveladores 12

por Alexandre Ferraz Bello

Estrangeirismo e purismo 66

por Débora D. Dornella

Estilos de barba 09

por Emerson Roberto

Viajar pela França 64

por Deni Guimarães

Tom Maior Uma história diferente 80 por por Jéssica Tokarski

Crônica Náufrago 82 por André Mantovanni

Vida Ativa Debora Rodrigues 26 por Débora D. Dornella

60

46 Élégant

3


Editorial Conhecimento, essa é a ferramenta que tem o poder de mudar o mundo e as pessoas. É a moeda mais valiosa no mercado e nunca será desvalorizada. Por isso, querido leitor, desperte a sede do aprendizado, busque o que deseja e lute pelos seus sonhos, pois você é capaz. Vença seus medos, encare os desafios e aprenda coisas novas, assim como a nossa capa Gianne Albertoni, que atua em várias áreas e busca sempre se aperfeiçoar. Se pretender seguir uma carreira, procure sempre ser o melhor naquilo que faz, seguindo o exemplo da piloto de Fórmula Truck Débora Rodrigues. Respeite as pessoas, sorria, trabalhe e conquiste ou reconquiste seus objetivos e aquilo que te faz bem, que você gosta. Mire-se na persistência da cantora Deborah Blando, que está de volta aos palcos demonstrando seu talento. Dedique mais tempo às pessoas que você ama, dê valor às suas amizades, valorize o seu próprio tempo de forma positiva e aprecie as coisas mais simples da vida, afinal ela foi feita para você, o que a torna ainda mais especial. É isso que a Élégant deseja a você nosso fiel leitor. Esperamos contribuir ainda mais para o seu conhecimento nessa edição. Uma boa leitura e um ótimo aprendizado.

betoferreira.com.br

edição 9 • 2011

Gianne Albertoni

A musa das manhãs

Saúde

Aprenda tudo sobre anticoncepcional

Animais

Luisa Mell e a sua dedicação pelos bichos

Tom Maior

Deborah Blando fala sobre o seu retorno aos palcos

E mais...

Moda, economia, viagens e outras surpresas!

Diretor Presidente Beto Ferreira - Editora Chefe Débora Dreyer Dornella DRT 00079631/PR - Coordenação de matérias Emerson Roberto e Jéssica Tokarski - Diretor Financeiro Marcelo Scheliga - Departamento Jurídico Fabrício de Lima Moraes - Fotografia Juliana Merchiori - Editor de arte / anúncios Jr. Milek - Departamento Comercial Oscar Molina e Marlene Wenceloski - Colaboradores Deni Guimarães, César Romão, Fábio Arruda, Alexandre Böhm, Carla Portinari, Alexandre Ferraz Bello, Solange Frazão, Maicon Guedes, Daniela do Lago, Patrick Diener, Mauricio Monteiro e André Mantovanni - Revisão Suely Paiva - Redação 41 3079-5634 - elegant@betoferreira. com.br - @revistaelegant - Projeto gráfico e direção de arte Marcelo Winck - Os textos assinados ou afirmações contidas nessa revista são de responsabilidade de seus autores não refletindo a opinião política dos editores.

www.betoferreira.com.br

4

Élégant


Moda&Beleza

MEIA-CALÇA

Uma peça coringa para qualquer mulher por Débora D. Dornella

M

divulgação Lupo

eias-calças nunca saem de moda não é mesmo? Elas acompanham o sexo feminino já há algum tempo e estão sempre sendo reinventadas e atualizadas de acordo com a moda. Para você manter suas pernas cada vez mais bonitas, a Élégant entrevistou a estilista da Lupo, Maria Paula Braga, que nos deu algumas boas dicas e falou sobre a nova tendência. Ela conta que as meias que estão na moda são as rendadas, desenhadas e texturizadas. Na época do frio destacam-se as de espessura mais grossa que além de esquentar, possibilitam o uso de shorts, saias mais curtas, etc. Além disso, uma tendência que continua forte é a das 5/8 grossas, que podem

6

Élégant

ser usadas com botas e as 3/4 que ganham destaque em função das unkle boots. Essas podem ser lisas ou desenhadas. Outro modelo que tem ganhado a estação são as meias de bicho, as estampas de zebra vieram com tudo nesse quesito. Mas atenção, a escolha da sua meia-calça deve estar de acordo com a época do ano. Maria Paula indica o uso de meias mais finas (fios entre 15 e 20) para o dia a dia no verão e na primavera. Já em épocas mais frias, o melhor é optar pelos fios 80, 70,60 ou 40, essa escolha vai depender do clima e da sua sensibilidade ao frio. Outra dica é variar na espessura. A cor vermelha está em destaque neste in-


verno, além dos tons de marrom, berinjela, uva, anil, verde selva, blue nights e açaí. Entretanto, ao optar por meias com texturas (desenhos geométricos, listras, rendadas) e bordados, não use roupas estampadas. Eleja um visual mais imparcial em termos de cores. “Em caso de dúvida a regra é: siga um visual uniforme e neutro”, sugere a estilista. Se preferir uma meia com mais de uma cor, escolha uma delas para utilizar também na roupa, que deve ser preferencialmente lisa, pois assim o risco de errar é menor. Componha as matizes. Não é regra combinar a cor da meia com o sapato, mas é importante saber arranjar todos os tons do vestuário entre si. “A beleza do visual está sempre no conjunto”, acrescenta a expert. O assessório também pode ser usado com sandálias. Para isto, existem até calçados próprios, os peep toes são um bom exemplo. Outra opção é utilizar meias especiais para esse fim, mas como são bem finas o ideal é usá-las no verão. E para conservar essa peça coringa, a estilista garante que é importante os cuidados na hora da lavagem, por isso sugere algumas dicas:

Cuidados com a lavagem

- Lavar à mão - Não deixar de molho muito tempo - Não secar ao sol, principalmente a colorida, para não desbotar - Secar na horizontal - Nunca usar alvejantes, amaciantes ou produtos a base de cloro - Evitar secadora (altas temperaturas podem danificar a cor) - Não usar sabão em pó, apenas sabão neutro

Outros cuidados:

- Guardar dentro de um saquinho plástico; - Sempre que surgir um pequeno desfiado, usar uma gota de esmalte que o fio para de correr; - Sempre tomar cuidado com as unhas compridas, para não correr o risco de desfiar a meia-calça.

Uma dica:

Antes de usar, umidificar a meia e guardar no congelador – dentro do saquinho plástico - por algumas horas. Garante maior durabilidade.


Moda&Beleza

Clareamento dental por Emerson Roberto

P

ara tornar a vida mais alegre e revigorante, nada como distribuir um belo sorriso por aí, não é mesmo? Melhor ainda é quando seus dentes estão branquinhos, motivo que não o fará passar vergonha diante dos outros. Mas como mantê-los sempre nesse estado? De acordo com o Cirurgião-Dentista Marco Aurélio Gapski, o clareamento dental pode ser realizado de duas formas: no consultório ou em casa. Através das mãos de um profissional, essa técnica é feita com mais praticidade e rapidez. No processo é utilizado um gel apropriado, aplicado nos dentes, que resultará o clareamento. Com apenas três sessões, de aproximadamente uma hora, respeitando um intervalo de três dias, é possível chegar no resultado final. “Mas esse tempo pode variar dependendo do grau de escurecimento dental de uma pessoa”, diz o Dr. Gapski. No método caseiro, a busca pelo resultado positivo do clareamento é mais trabalhosa e demorada. O paciente deve utilizar uma placa, confeccionada por um profissional, que contenha o gel a ser aplicado. Ela só deverá ser usada enquanto a pessoa estiver dormindo. “Este tratamento pode durar até quatro semanas”, conta o dentista. Mas é necessário ter cuidados com os produtos usados para o clareamento dental. Eles poderão causar irritações na gengiva se os seus excessos

8

Élégant

não forem removidos. Além disso, deixar essa região sensível e causar lesões como aftas. “Mas o produto não causa nenhum tipo de dano permanente”, ressalta o profissional. Durante o processo de clareamento, o paciente deve cuidar com a ingestão em excesso de corantes como refrigerantes, vinhos, molhos vermelhos, cafés, chás, cigarros, entre outros, para que isso não interfira no resultado final desejado. “Tendo esses cuidados em mente, o paciente pode se alimentar normalmente”, assegura Dr. Gapski. Mas lembre-se: os dentes, se não cuidados, podem voltar a escurecer. O clareamento dura em média dois anos. O que vai influenciar neste tempo será a dieta do paciente. “Se ele trabalhar em um escritório e tomar café o dia inteiro, isso pode causar manchas em seus dentes rapidamente”, alerta o dentista. Segundo Dr. Gapski, não existe idade certa para iniciar esse tratamento. A única prioridade ao realizar esse processo, é que o paciente possua todos os dentes permanentes em sua boca. Para finalizar, o dentista sugere para quem quer clarear os dentes, além dos cuidados necessários com as bebidas que possuem corantes, utilizar cremes dentais específicos para manter o clareamento. “Também é preciso realizar uma sessão de manutenção de clareamento com o profissional, após um ano e meio ou dois”, diz Dr. Gapski.


Moda&Beleza

Estilos de barba por Emerson Roberto

A

tualmente não são apenas as mulheres que se preocupam com a beleza. Os homens também buscam manter-se bonitos e com ótima aparência. Resultado disso está nos diversos estilos de barbas usados por eles. Mas você sabe qual delas combina com você? Para responder dúvidas como essa, a Élégant entrevistou o Hair Stylist e Visagista Marcello Marcondes. Segundo ele, existem vários estilos e formatos de barba. Podem ser elas o cavanhaque, a barba por fazer, o bigode, as costeletas, as barbas grossas e as finas (com formato arredondado, triangular ou comprida). “Mas se deve tomar cuidado para não confundir barba por fazer com barba sem fazer, a diferença é grande”, diz Marcondes. Há barbas ideais para cada tipo de rosto. Mas cada formato deve ser avaliado por um especialista em Visagismo, pois a barba pode afinar ou alongar o rosto de acordo com o seu formato e desenho. “Por isso, todo cuidado é pouco”, ressalta o hair stylist. É interessante lembrar que a barba ajuda a esconder as imperfeições do rosto. Homens que tiveram problemas com acnes na juventude, conseguem utilizar esse artificio. “Ou então, aqueles que possuem lábios muito finos ou pequenos, também podem usar essa artimanha”, completa o visagista. E quando o indivíduo possuir pouca barba, o jeito é fazê-la todos os dias. Assim ajudará no aparecimento e crescimento de novos fios. Em relação ao bigode, ele poderá ser usado por homens que desejem passar uma imagem de austeridade e força, como os militares. “Mas não precisa vir acompanhado de uma barba, o formato é mais importante, pois ele representará o estilo de cada um”, diz Marcondes. Segundo o hair stylist, ocasiões elegantes como

casamentos, formaturas ou reuniões empresariais, é aconselhado não utilizar barba. Se optar por ela, esta deve ser bem aparada e desenhada, para não transparecer a ideia de desleixo. Após o design desejado e escolhido, lembre-se de aparar a barba a cada três dias para mantê-la. Se possuir uma máquina própria para isso, melhor. Além disso, é importante seguir as instruções recomendadas por um profissional.

Élégant

9


Moda&Beleza

Cuide bem do seu cabelo por Jéssica Tokarski

T

er cabelos bonitos e ao mesmo tempo saudáveis é um dilema na vida das mulheres. Normalmente para deixar as madeixas arrumadas, é necessário utilizar de diversos artifícios que se não usados da maneira correta, podem causar sérios danos. Portanto, se você deseja ter um cabelo de dar inveja, é importante adequar-se à ideia de que terá que fazer alguns sacrifícios. Mudar o visual é ótimo para elevar a autoestima de qualquer mulher. Mas na hora de fazê-lo é necessário atentar-se a alguns cuidados básicos que são imprescindíveis. Utilizar tintura nos fios é um hábito comum ao sexo feminino, porém, quando os fios são pintados em demasia e indevidamente, podem causar um problemão. Segundo a cabeleireira Claudia Morivaki, hoje em dia muitas tintas já possuem uma tecnologia que proporciona ação hidratante e também trata o cabelo. No entanto, o ideal ainda é fazer a hidratação tradicional após uma coloração. “Depois em casa é importante fazer uma de quinze em quinze dias”, comenta. Escova e chapinha, duas aliadas da mulher moderna, também têm sua cartilha de normas. Fazer o procedimento todos os dias resseca o cabelo, por isso requer a aplicação de um creme termoativado antes. Entretanto, fiquem tranquilas meninas, apenas secar os fios com secador é liberado. Um fator que deve ser levado em consideração em relação a esses aparelhos é o tipo do cabelo. De acordo com Claudia, se o cabelo for bem crespo a escova deve ser feita com ele molhado. Já se o efeito desejado for mechas bem lisas, é normal primeiramente escovar e então chapar. “Hoje em dia já existem chapinhas que podem ser usadas com cabelos molhados, mais ainda prefiro as tradicionais”, opina a cabeleireira.

10

Élégant


Ainda sobre fios úmidos, é importante tomar nota de outras dicas. Lavar o cabelo à noite e dormir com ele molhado não faz bem, pois esse ato deixa-o abafado e ele precisa “respirar”. Assim como prendê-lo sem que esteja bem seco, não é aconselhável. “Pode deixar um cheiro ruim, ficar amassado e ainda por cima enfraquece os fios”, esclarece a especialista. Para quem tem o hábito de utilizar boné ou chapéu, o conselho é variar, um dia usar e outro não, para não correr o risco de ter o mesmo problema de não deixar as mechas “respirarem”. Quanto à lavagem, o correto é basear-se em seu tipo de cabelo. Os oleosos necessitam passar por esse procedimento todos os dias. Mas o conselho de Claudia é utilizar um bom xampu, indicado para seus fios, além de sempre aplicar leave-in (creme de tratamento sem enxágue) após as lavagens. A temperatura da água deve ser bem observada. Empregar água muito quente não é aconselhável, ela pode ressecar o couro cabeludo e até causar descamação. “O ideal é lavar sempre com água morna e, se possível, quase fria”, adverte. Para os fios mais oleosos, essa dica é ainda mais importante, pois a

temperatura da água contribui para o problema. Além disso, para amenizar essa situação, não se deve passar condicionador na raiz dos cabelos, e ainda é necessário usar produtos específicos. Para as detentoras de fios muito secos, o indicado é hidratar com frequência. “Uma vez por mês no salão e duas vezes em casa”, aconselha Claudia. As madeixas cacheadas normalmente precisam de mais hidratação. A dica da especialista é molhar levemente e aplicar um ativador de cachos para modelá-los e baixar o volume, ao acordar. As adeptas de técnicas como escova progressiva, relaxamento e outros procedimentos relacionados, devem ficar atentas, pois o bom resultado deve-se à estrutura do cabelo, cuidados após o processo e principalmente à escolha de um bom profissional. Para finalizar, o conselho mais precioso da cabeleireira para adquirir um cabelo macio e brilhante, está relacionado ao corte e à preferência por produtos específicos para cada tipo de fio. “No caso de cabelos longos, deve-se cortar de três em três meses. Já os curtos, de dois em dois. Cortando as pontas frequentemente, as mechas ficam mais fortes e bonitas”, revela.


Corpo

Olhos reveladores A íris pode dizer muito sobre você por Jéssica Tokarski

D

izem que os olhos não mentem, e com certeza é possível descobrir muitas coisas analisando uma pessoa através deles. É isso o que busca a Micro Semiótica Oftálmica Clínica e Comportamental, também conhecida como Iridologia. A ciência estuda os sinais existentes no tecido iridial, aquela parte colorida dos olhos, através da pigmentação, despigmentação ou outros fatores que sobreponham o tecido da íris. Segundo o Terapeuta Holístico especializado em Naturopatia Pedro Devai, por meio da iridologia é possível ver as principais disfunções dos órgãos do corpo. “Ela pode ser usada para fazer uma avaliação biológica, psicológica e até comportamental do indivíduo”. Os especialistas nesta área são muito procurados para analisar traços que possam ser indícios de doenças presentes ou futuras na vida da pessoa. O exame é feito através de uma foto, tirada com uma máquina fotográfica acoplada a uma lente de iluminação, que quando estática e aumentada permite o diagnóstico. A coloração é um dos pontos mais considerados. Os sinais mais claros do que a cor natural da íris informam hiperatividade. Já os mais escuros demonstram hipoatividade. “Ainda existem outros características como manchas, lacunas, inflamações e etc., que devidamente interpretadas indicam as disfunções existentes”, informa o terapeuta que considera a possibilidade da descoberta de tendências a patologias, uma das maiores vantagens da ciência. É possível perceber pré-disposições inerentes em cada ser humano e preveni-las através de hábitos e costumes de alimentação orientados pelos iridologistas. Além de doenças, através desta especialidade ainda é possível abordar os aspectos emocionais do indivíduo. De acordo com Devai, os sinais visíveis

12

Élégant

em forma de anéis e as protuberâncias da trança do sistema nervoso autônomo são ponteiros para tais facetas. “Eles demonstram o nível de ansiedade e a constância ou inconstância emocional da pessoa avaliada”, revela. Mudanças na saúde do paciente também são percebidas nos olhos com o decorrer dos anos. “As alterações já começam a ser percebidas deste a tenra idade, quando os pais comentam as modificações na cor dos olhos dos filhos”, explica o terapeuta. As variações da coloração da íris indicam o nível de intoxicação que foi fabricado ao longo da existência. “Um estilo de vida com uso de maior quantidade de frutas, hortaliças e água, gerenciamento de estresse, atividade física, dentre outros hábitos, podem modificar para melhor a cor e outros sinais da íris”, exemplifica. Já as psoras existentes nesta parte do olho, aquelas pintinhas que conseguimos enxergar ao olhar no espelho, indicam áreas frágeis do organismo para onde estão sendo carregadas toxinas. “Na iridologia, este sinal é chamado de jóia ou gema, e indica pessoas analíticas, detalhistas, perfeccionistas e inflexíveis”. Alguns fatores são visíveis quando o paciente se olha no espelho. Por exemplo, quando a esclera (parte branca dos olhos) tem cor amarelada, é indício de que a região hepatopancreática não está bem. Outro sinal possível de ser visto a olho nu, é um alo branco sobreposto à periferia da íris, que indica dificuldades circulatórias. Entretanto, a melhor maneira de fazer esta auto-avaliação, é utilizar uma lente com iluminação para ter certeza do que está vendo. Os sinais são muito pequenos e sutis, portanto interessante mesmo é passar pela análise de um profissional da área, para ter confiança nas informações registradas.


Corpo

Novidade: treinamento funcional

T

Marco Maximo

odos sabem que sou adepta da boa forma, alimentação saudável e que pratico exercícios regularmente. Acho importante manter uma boa saúde, pois assim nos sentimos bem e podemos cuidar de nossa família. Selecionei um assunto super gostoso pra falar com vocês nesta edição: Treinamento Funcional. Embora ainda desconhecido do público brasileiro, esta técnica de treinamento proporciona grandes benefícios à saúde. Vamos entender melhor. O Treinamento Funcional vai além da prática dos exercícios regularmente praticados nas academias. É um programa de treinamento individualizado e específico, independentemente do nível de condição física e das atividades desenvolvidas pelo praticante. São desenvolvidas capacidades de equilíbrio, força, velocidade, coordenação e resistência, usando exercícios que transferem seus ganhos de forma efetiva para o dia-a-dia. De forma prática, os exercícios não trabalham apenas os músculos envolvidos na atividade, mas sim a capacitação das habilidades motoras do praticante. As pesquisas indicam o Treinamento Funcional para a reabilitação de atletas lesionados, progra-

14

Élégant

Solange Frazão

solangefrazao.com.br

mas de atividade física para a terceira idade, prevenção de lesões e aprimoramento do condicionamento neuromuscular de diversos esportistas. Atualmente, nós já usamos alguns desses equipamentos como fit ball, medicine ball, buzu, etc, e nem sabíamos que eles são funcionais. Aproveitem bastante os treinos e utilizem os aparelhos funcionais! Espero encontrar vocês aqui sempre! Muita saúde. Beijos. SÔ FRAZÃO


Corpo

ALONGAMENTO

Uma série de benefícios para você e seu corpo por Débora D. Dornella

M

elhorar a postura, prevenir lesões e aprimorar a consciência corporal são benefícios que o alongamento pode trazer para sua vida. Quem nos explica mais sobre essa atividade é a personal trainer Fabíola Herrmann. Exercícios realizados com o objetivo de aumentar a flexibilidade muscular são chamados de alongamento. Eles produzem o estiramento das fibras musculares, aumentando o seu comprimento. Mesmo quem não é adepto da atividade física deve se alongar continuamente. Segundo a personal, esses exercícios melhoram a qualidade de vida e previne, com o passar da idade, uma má postura, limitação de movimentos, encurtamento do músculo, também popularmente conhecido como os músculos travados, entre outros. Para quem não pratica atividade física e quer melhorar a qualidade de vida praticando alongamento, Fabíola indica alongar-se três vezes por semana durante 15 minutos por dia. É importante realizar um aquecimento articular antes. E após isso, um exercício aeróbico como bicicleta, esteira ou elíptico durante 7 a 10 minutos para então se alongar. É possível realizar a atividade em casa, preferencialmente em cima de um colchonete. A pessoa deve permanecer na posição do alongamento de 15 a 20 segundos sem se mexer. Mas atenção, nem todos podem fazer o mesmo tipo de alongamento, isso dependerá muito do tipo de exercício físico, idade, limitações do indivíduo, entre outros fatores, conclui a personal.


Corpo

16

Élégant


Pole Dance uma dança sensual

por Emerson Roberto

P

ara quem não conhece, o Pole Dance é uma dança em que a (o) bailarina(o) se utiliza de um poste ou uma barra vertical para realizar as suas apresentações. Segundo a profissional de dança Flávia Rodrigues, essa atividade se tornou mais comum no Brasil em 2007, após ter sido divulgada por meio de uma novela, onde a atriz Flávia Alessandra interpretava uma dançarina de Pole Dance. E de lá pra cá, surgem cada vez mais escolas especializadas nessa dança no país. Além da dança propriamente dita, a prática também pode ser voltada para o fitness, com o intuito de tonificar e definir os músculos. “O Pole Dance bem ministrado por profissionais capacitados pode substituir qualquer atividade física que todos estão acostumados a ver”, afirma Flávia. O Pole Dance é considerada uma dança sensual, por isso seus praticantes ainda sofrem muitas formas de preconceito. Por exemplo, a dança como arte sensual, está mais passível de sofrer uma visão preconceituosa, enquanto que na dança voltada para o fitness há menos riscos que isso aconteça. Segundo Flávia, ela nunca teve esse tipo de problema. Para quem quer fazer Pole Dance, a idade indi-

cada para iniciar essa atividade é de aproximadamente 15 anos. É importante lembrar que menores de 18 anos necessitam da autorização dos pais ou responsáveis para poder dançar. Futuramente, crianças também poderão praticar essa dança, porém com algumas ressalvas: “O Pole Dance infantil precisa ser trabalhado de uma forma lúdica, fugindo totalmente da sensualidade. Por isso preferimos esperar o reconhecimento mundial dessa atividade física para poder confortar as mães de futuras atletas”, diz a profissional de dança. Durante o treinamento do Pole Dance, adquire-se força e resistência corporal. Isso ocorre devido aos diversos movimentos executados durante a dança, por exemplo, os giros. E, desde 2008, para quem não sabe, já existem diversas competições dessa dança. Se você sonha praticar o Pole Dance, é importante lembrar que é preciso ter determinação, paciência e disciplina. “Mas vai muito além da atividade física: é uma terapia entre mulheres. É muita diversão”, conta a profissional de dança. Tendo uma boa saúde, qualquer mulher poderá praticar o Pole Dance.

Élégant

17


Corpo

ESTRIA A vilã da estética

por Débora D. Dornella

T

emida por homens e principalmente pelas mulheres, a estria é uma cicatriz na pele devido a fatores ambientais, genéticos e fisiológicos. A médica Dermatologista Denise Steiner (CRM 36.505) nos esclarece algumas dúvidas sobre essas marcas tão constantes. A estria surge porque, no local, as fibras de colágeno e elastina estão alteradas e diminuídas sendo que a pele apresenta outro tônus e também se encontra mais fina e com menos pigmentação, segundo a Dra. Denise. O seu aparecimento é relacionado a épocas de alterações hormonais, como a puberdade ou a gravidez. Nas mulheres são mais comuns nas nádegas, coxas e mamas. Já na gravidez o abdômen é o mais afetado. Nos homens aparecem mais em locais como as costas e os braços. O maior problema da estria está na parte estética, mas em si elas não acarretam nenhum mal específico para a pele. Geralmente apresentam duas fases, as estrias vermelhas que é o processo inflamatório, são mais jovens e recentes e por isso são mais fáceis de serem tratadas, e a estria branca que é o processo cicatricial. Segundo a doutora, as estrias brancas muito profundas não desaparecem 100%, mas é possível melhorar muito. Existem tratamentos como peelings, radiofrequência fracionada, laser de CO2 e subcisão. Apesar de não haver um tratamento ideal, de acordo com a dermatologista Denise, o laser de CO2 parece conseguir os melhores resultados, pois a sua luz estimula o colágeno, as trocas celulares e a oxigenação local. É necessária de duas a quatro sessões com intervalos de 15 dias. Para concluir, a doutora indica o uso de hidratantes de forma constante, pois ajuda o tecido a ter um funcionamento mais adequado. É importante usá-lo sempre.

18

Élégant


Etiqueta

Etiqueta Empresarial Como se portar no universo profissional

O

mercado de trabalho, cada vez mais competitivo e exigente, assim como a vida social, tem suas regras de etiqueta, que devem ser observadas e assimiladas. Não respeitar certos códigos pré-estabelecidos pode ter consequências sérias e minimamente te fazer perder um bom negócio. Existe um princípio básico: vida pessoal não pode se misturar com trabalho jamais. Levar problemas ou grandes alegrias pessoais para o trabalho vai causar incômodo na certa. Já que partimos do princípio de respeitar a privacidade, comece pela sua mesa. Nada de itens particulares e evite fotos muito descontraídas. Ao invés de conferir uma certa pessoalidade como muitos acreditam, é uma exposição desnecessária de sua intimidade. Crianças devem ser orientadas a ligar para o trabalho de seus pais apenas em caso de emergência e demais assuntos domésticos ou românticos ficam para antes ou depois do expediente. Aliás, romances dentro do ambiente profissional são uma bomba-relógio. Cuidado! Respeitar a hierarquia é mais do que obrigatório, portanto por mais simpáticos e agradáveis que possam ser, chefes tem posições superiores e devem ser respeitados. Quanto aos colegas, por mais divertidos que sejam, a amizade e o coleguismo necessitam de limites. “Panelas” e grupinhos são insuportáveis. Evite falar de seus segredos, é uma questão de sobrevivência, as paredes tem ouvidos. Isso vale também para o modo como você usa seu computador, pois uma espichada de olhos permite ver se o outro está acessando algum site fora do contexto ou se divertindo com algum joguinho. Nem pensar.

O seu cartão de visitas deve ser prático e eficiente e conter as informações profissionais necessárias. O número de celular deve aparecer somente se este for de uso no trabalho. E lembre-se de que é um telefone móvel, ou seja, as regras de uso são as mesmas do telefone fixo: peça licença para atender na frente de outras pessoas e não fale alto. Na verdade não existe nada mais desagradável do que pessoas que não sabem controlar o tom de voz. E para se vestir seja criterioso. Confira se existe um dress-code na empresa e siga-o à risca. Se for exigido gravata, não deixe de usá-la e mesmo que seja um ambiente mais descontraído, isso não representa esculacho ou desleixo. Mulheres devem ficar atentas à discrição, pois ser chamativa no ambiente de trabalho é o fim da picada. Tudo que é muito justo, curto ou sexy, deve ser abolido. E cuidado com saltos muito altos, pois se “cair” acabou a elegância.

Fabio Arruda

www.fabioarruda.com.br

Élégant

19


Etiqueta

palavrão

um desrespeito ao ouvido alheio por Débora D. Dornella

“S

eu boca suja!”, essa é uma das coisas mais faladas para quem solta um palavrão. Já os que são adeptos desse linguajar se defendem dizendo que o palavrão desestressa. Será? Mas como se comportar com relação a isso em um ambiente de trabalho? Para dar boas dicas para você que usa esses termos ou para quem é obrigado a escutar, a Élégant contou com a entrevista do palestrante e instrutor Josué Lemos da Silveira, autor do livro “Etiqueta Social Pronta Para Usar”. Segundo o instrutor, é no ambiente de trabalho que passamos o maior tempo desde que estamos acordados. Por isso, deve ser um local gentil, respeitoso e saudável para que se possa manter equilíbrio emocional e mental. Em nenhuma empresa, departamento ou órgão, independente do foco de produção, costuma se tolerar um comportamento, em que o palavrão é rotineiro na comunicação ou no contato entre os funcionários. Cabe à direção da empresa alertar os seus funcionários quanto a atitudes em relacionamentos

20

Élégant


interpessoais. “Palavrão, na regra geral, não é liberdade de expressão, é falta de educação e deve ser coibido”, diz Silveira. De acordo com ele, é pior quando os palavrões são empregados pelos chefes direcionando-os aos seus subordinados, pois além de correrem um grande risco de acusação por assédio moral, o uso dessas expressões chulas em níveis de cargos e funções torna o ambiente pesado, perigoso e desconfortável. As pessoas treinam durante muito tempo para se comportar adequadamente e é pelo treinamento que se aprende agir corretamente e de maneira natural. O uso de um palavrão na frente de um cliente pode causar consequências drásticas como constranger, gerar reação agressiva, retirar credibilidade, além de frustrar um negócio. Por isso o profissional aconselha que para manter uma boa relação no trabalho não se deve utili-

zar palavras de baixo calão. O palavrão espontâneo usado como exclamação em decorrência de um fato ou algo inesperado até pode ser engraçado ou inusitado. “Mas na regra geral, o palavrão nunca é bem-vindo e será sempre uma manifestação grosseira e mal educada”. E para aqueles que acreditam que o palavrão desestressa, Silveira garante que isso é bobagem. Mesmo que no primeiro momento pareça um desabafo, ele assusta, constrange e atrapalha a concentração das pessoas na realização de suas atividades. “O mal educado pode se sentir aliviado, mas quem está perto, com certeza, não se sente bem”. Para concluir, o profissional lembra que o palavrão não se limita apenas à pessoa que o disse, atinge a todos que o escutam e ultrapassa o caráter individual e desrespeita o ouvido e o espaço de quem está ao lado.


Bem Estar

OLHEIRAS 22

Élégant


Falta de sono ou marca genética? por Débora D. Dornella

U

ma noite mal dormida e no outro dia elas já estão lá, estampadas no rosto, e há quem as tenha sempre, por mais que descanse. Mas afinal o que são as olheiras? Por que as temos? Quem nos esclarece mais sobre essas temidas marcas é o dermatologista Ulisses Misima Ribeiro. O médico explica que as olheiras são o acúmulo de vasos e pigmento melânico na área da pálpebra superior e inferior. Elas ocorrem por causa da predisposição genética e também possuem caráter hereditário além de atingirem ambos os sexos. Para o especialista não existe relação com o tipo de pele. Em alguns casos, além do aspecto escurecido, tem-se uma diminuição de gordura no local (tecido subcutâneo) e por isso resulta no aspecto fundo encovado de algumas olheiras. A falta

de sono e de hidratação corporal podem contribuir para piorá-las, o que acontecerá em maior grau em pessoas predispostas. A boa notícia é que elas podem ser disfarçadas com maquiagens. Há também tratamentos que são adaptados à característica de cada paciente. Os cremes também são uma opção, porém existem melhores resultados com outras técnicas. Pode-se utilizar laser para remover o pigmento do local e o acúmulo dos vasos ou flacidez. Em relação aos casos de olheiras fundas encovadas, pode ser indicado um preenchimento que, de maneira sutil, irá elevar o tecido e retirar este aspecto de olheiras fundas. Segundo o médico, existe um equipamento para cada finalidade, mas o melhor tratamento dependerá do caso e da avaliação dos profissionais da área.


Bem Estar

Mantenha sua capacidade cognitiva em forma por Jéssica Tokarski

N

a contemporaneidade, preocupar-se com a forma física e com a saúde é praticamente uma unanimidade. É comprovado que ficar em dia com o bem estar físico é um ingrediente fundamental para uma melhor qualidade de vida. No entanto, é preciso ponderar que além de estarmos agindo corretamente com nossa saúde física, também existe a necessidade de exercitar o cérebro. Atualmente é possível desempenhar tais funções através da ginástica cerebral. Segundo Andreia Valério, diretora do Método Supera (instituição que oferece o serviço de ginástica cerebral), exercitando as funções cerebrais permite-se o aprimoramento do desempenho do cérebro e manutenção de um funcionamento saudável desse órgão tão importante. “Ele precisa de atividades que o estimulem para aprender melhor e mais rápido, para gostar de aprender, memorizar melhor e desenvolver o raciocínio lógico”, explica. A prática é indicada a todas as idades, já que possui benefícios diferentes que se adaptam a cada um. “Crianças e jovens melhoram o desempenho escolar, adultos obtém melhor performance profissional e idosos descobrem as vantagem de ter um cérebro mais ativo para maior integração familiar e social”. Para realizar a técnica são utilizadas diversas ferramentas pedagógicas. Segundo Andreia, todas têm sua eficácia amplamente comprovada. As atividades mais comuns são desempenhadas através de cálculos com ábacos, exercícios lógicos, prática de jogos, dinâmicas de grupo e neuróbica (treinos desenvolvidos para tirar o cérebro da zona de con-

24

Élégant

forto e forçá-lo a ir além de seus limites). Outro grupo de pessoas muito beneficiado é o dos vestibulandos. “O método ajuda o aluno a aprender mais durante as aulas e memorizar os temas estudados com mais eficácia. Nos vestibulares, é possível resolver um número maior de questões em menos tempo, além de realizar provas com segurança e autoconfiança”, conta a diretora. Além de existirem escolas que ensinam corretamente como realizar a prática, é importante fazer os treinos também em casa. “Recomenda-se treinar em domicílio de 10 a 15 minutos por dia, para que os exercícios se tornem hábitos saudáveis”, aconselha Andreia. Nos estabelecimentos específicos dedicados ao compartilhamento do método, normalmente o aprendizado consiste em uma aula semanal de duas horas, com duração total média de dezoito meses. Nos primeiros seis meses de trabalho já é possível observar a mudança de comportamento. Aliado à potencialização da capacidade cognitiva, aumento da criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora, a ginástica cerebral é capaz de proteger o cérebro contra a demência e senilidade. Adaptar-se à ideia de que essas atividades são essenciais para a qualidade de vida é simples após conhecer o número de benefícios que o procedimento traz. “A prática de exercícios cerebrais é tão importante quanto os exercícios físicos. Portanto, deve-se criar um hábito de estudar e manter o cérebro também em forma”, finaliza a diretora.


A força das cores na composição dos ambientes

A

tualmente estamos vivendo cada dia um novo desafio, exercendo as tarefas da nossa rotina profissional ou administrando a dinâmica da nossa vida familiar e social. Estamos cada vez mais correndo contra o tempo, procurando adaptar-nos à vida moderna que, muitas vezes, nos impulsiona a um imediatismo desenfreado. Os dias têm passado num piscar de olhos e, diante destas circunstâncias, podemos perguntar: que atitudes simples podemos tomar para melhorar a nossa qualidade de vida? Sejam quais forem, elas deverão exercer influência profunda em nosso emocional, transmitir sensação de bem estar, trazer realização interior e equilibrar o nosso cotidiano já tão materialista. Para isto precisamos focar na realização dos nossos sonhos, em tempo para férias, para o convívio entre amigos e família, e, algo que faz uma grande diferença, tornar o local onde trabalhamos e moramos o mais agradável possível. Morarmos ou trabalharmos em um ambiente desagradável, sem vida, gera falta de motivação, estresse, ansiedade, entre outros sintomas que não combinam com qualidade de vida. Por outro lado, em um ambiente agradável superamos os problemas do dia a dia com mais facilidade, temos vontade de viver, nos tornamos mais criativos. Como profissional na área de interiores eu poderia citar inúmeros passos na composição de um ambiente para torná-lo bastante agradável, porém, o principal passo para uma ambientação adequada está no uso das cores. É isto mesmo, elas são a parte essencial na composição de um projeto. O segredo de nos sentirmos bem em um ambiente está principalmente nas cores. Do piso ao teto, do mobiliário aos objetos decorativos, tudo depende de como iremos usá-las as cores para que haja harmonia e valorização do conjunto. Quando con-

Designin

Decoração

seguimos isto, agimos diretamente no nosso emocional, a mesma harmonia que estará no ambiente refletirá em nossos sentimentos. A cor nos ajuda na compreensão dos ambientes, gera emoções e sensações, e, por se formar em nosso cérebro e em nossa percepção interna, é um fenômeno individual e subjetivo que causa grande impacto em nosso estado psicológico. Renovar as cores de nossa casa ou local de trabalho, é uma boa opção e um passo simples que pode nos trazer benefícios ajudando na nossa qualidade de vida, mas não esqueça, requer um estudo aprofundado para obter o resultado ideal, não importa se é o melhor piso, o mais confortável jogo de sofá, as mais caras obras de arte, se não houver um estudo aprofundado para harmonizar as cores de todos estes elementos, o ambiente poderá se tornar muito desagradável, às vezes pesado, triste, às vezes alegre na primeira impressão, mas enjoativo no convívio, e todo o investimento será prejudicado. As cores são essenciais para a vida humana, na natureza são a essência de tudo o que é belo, basta observarmos a harmonia desta beleza natural que acertaremos em nossas escolhas.

Alexandre Ferraz Bello Designer de interiores

interioresdesignin.wordpress.com

Élégant

25


Vida Ativa divulgação

por Débora D. Dornella

P

or ter sido a única mulher durante treze anos a competir na Fórmula Truck, Debora Rodrigues ficou conhecida nesse esporte. Mas não é só pelo fato de ser mulher e piloto de caminhão, e sim pela sua determinação e paixão por essa competição. A piloto teve interesse pelo esporte desde que ele surgiu, na época, ela acompanhava os melhores momentos por um programa matinal do SBT. Segundo Debora, a Fórmula Truck começou como uma brincadeira de caminhoneiros. O organizador e idealizador da categoria gostava de correr e tirar racha dentro do autódromo. Isso contribuiu para que se tornasse uma competição profissional. Hoje tem como objetivo entreter, além de mostrar um campeonato sério e a competição entre as marcas. E se você pensa que a mulher é o sexo frágil, está enganado, ambos têm a mesma capacidade neste caso. De acordo com Debora, não é mais difícil para as mulheres

dirigirem caminhões, isso depende da aptidão para dirigir. “Ela dirige qualquer coisa na mesma condição que o homem”, afirma a piloto e acrescenta que hoje não existe esforço físico para realizar essa atividade, pois em questão de conforto e modernidade os caminhões são comparados a um carro importado, ainda acabam sendo mais macios, devido ao volante ser mais leve do que um carro sem direção hidráulica. Hoje a piloto não é mais a única mulher a representar a Fórmula Truck, esse ano a gaúcha Cristina também estreou na modalidade. Mas Debora diz que tem a responsabilidade de representar bem as mulheres e fazer bonito. Ela acredita que a maior dificuldade que encontra é a mesma de todos os pilotos: a concorrência, porque a briga é por milésimos de segundos. A condutora afirma que por a competição estar cada vez mais acirrada, o piloto que conseguir estar no pódio e pontuar todas as corridas, tem grandes possi-

“Trabalhando como frentista de posto e como motorista de ônibus, eu ganhava mais do que trabalhando como balconista ou recepcionista”

26

Élégant


DEBORA RODRIGUES A mulher determinada a conquistar as pistas da Fórmula Truck

bilidades de chegar em uma boa posição no final do campeonato. Ela que já conquistou terceiro, quarto e quinto lugar, atualmente se concentra em ganhar. “A minha meta hoje é vencer uma corrida”. Mas ela sabe que não é fácil, pois tem muitos pilotos que vieram de outras categorias com mais experiência. Competição e patrocínios estão aliados nessa modalidade. “Não se consegue participar do esporte sem patrocínio e nem dar retorno ao patrocinador se você não for competitivo e disciplinado, é preciso tentar sempre melhorar e reciclar”, conta Debora. Ela encontrou no Kart a ajuda para se preparar para as corridas, “Substituí a academia pelo Kart”, ressalta. Além disso, se preocupa em manter uma boa alimentação. “Eu não sou muito de doce, de refrigerante. Gosto de comer comida, sou caipira, gosto de carne” diz a piloto. Debora consegue conciliar sua carreira com ser mãe, atriz, empresária e apresentadora. E acredita que isso vem das mulheres, de fazer várias coisas ao mesmo tempo, mas que é preciso saber se organizar. “Às vezes até eu me enrolo. Eu acabo tendo

“A minha meta hoje é vencer uma corrida”

“Substituí a academia pelo kart” que marcar uma coisa ou outra, mas faz parte, a gente vai se adequando”. Além do seu trabalho atual, ela já realizou outras profissões tipicamente masculinas por falta de oportunidade, pois engravidou com 17 anos de sua filha, por isso teve que abandonar os estudos. “Ficava muito difícil cuidar de uma criança, trabalhar e estudar. Trabalhei como frentista de posto, motorista de ônibus e ganhava mais do que uma balconista ou recepcionista. Então eu preferia assumir um trabalho mais pesado”. Toda essa experiência fez com que aprendesse muita coisa e para ela, isso sempre é válido. Hoje quando compete, a única coisa que consegue pensar naquele momento é em ultrapassar o caminhão que está à sua frente para alcançar uma boa posição. Para finalizar, ela incentiva todos a lutarem pelos seus objetivos. Debora acredita que já que resolveu ser piloto, precisa ser a melhor e não a mais ou menos. Segundo ela, assim também as pessoas devem pensar em suas profissões. “Não podemos desistir, ficar esperando. Porque do céu só cai chuva e raio. Então tem que correr atrás, lutar por isso, fazer o melhor”, conclui a piloto.


Saúde

Fibromialgia A dor oculta

por Deni Guimarães

A

os 21 anos sentia dores por todo o corpo. O sono já não era mais o mesmo, a disposição também não. Ansiedade, depressão e problemas de memória, foi através desses sintomas que Cleonice França, hoje aos 51 anos percebeu que algo não estava certo com ela. Era a Fibromialgia que atacava. A fibromialgia é uma condição crônica, sua principal característica é a dor generalizada músculo-esquelética em múltiplos pontos sensíveis, geralmente descritas como dores musculares. Não se conhece ao certo as causas ou pré-disposições para a síndrome, porém, ao notar sintomas como dor crônica (por mais de três meses) por todo o corpo, alterações de humor, fadiga diária e depressão, é imprescindível que se procure um médico. Na entrevista com o Dr. Fernando Tieppo Pompermayer, quiropraxista especializado em neurociências, a Élégant procurou esclarecer as principais dúvidas.

Élégant Como a fibromialgia se desenvolve? Dr. Fernando Há indícios de uma pré-dispo-

sição genética associada a fatores ambientais. Normalmente as dores, a fadiga e os outros sintomas aparecem aos poucos, de forma mais localizada e vão se intensificando e espalhando, perdurando por meses.

Élégant Qual a especialização médica e o exame mais indicado para a síndrome? Dr. Fernando De forma medicamentosa é a Reumatologia. Porém, há alternativas não medicamentosas que incluem profissões como a fisioterapia, quiropraxia, educação física, psicologia, nutrição e acupuntura. O diagnóstico é baseado em alguns critérios: dor generalizada e persistente de no mínimo três meses acima e abaixo da linha da cintura, presença de 11 dos 18 pontos de análise doloridos sendo 9 de forma bilateral. Exames de imagem e laboratoriais, não são necessários para o diagnóstico da fibromialgia, apenas para descarte de outras doenças. Élégant Qual a diferença entre fibromialgia e

nevralgia?

Existe algum tratamento específico

Dr. Fernando A fibromialgia é uma síndrome composta de vários sinais e sintomas, enquanto a nevralgia é a dor que sentimos ao ter alguma alteração em um nervo. Existem várias causas, como compressões no trajeto do nervo, infecções, inflamações e traumas.

Dr. Fernando Existem duas modalidades de tratamento que se complementam. Medicamentoso e não medicamentoso. Na primeira, encontramos a modificação da dieta, fisioterapia tradicional, RPG, pilates, acupuntura, atividade física para fortalecimento das fibras e quiropraxia (sistema de ajustamentos de segmentos da coluna vertebral que usa somente as mãos) para o funcionamento do sistema nervoso. Já na segunda, são usados

Élégant A maioria das pessoas afetadas são mulheres de 25 a 55 anos. Por que a incidência é menor sobre homens e crianças? Dr. Fernando As hipóteses vão desde o envolvimento genético a ambiental e/ou comportamental. Essa síndrome pode acometer todas as idades e o diagnóstico precoce é muito importante, principalmente nas crianças, que podem apresentar fibromialgia infantil.

Élégant

eficiente?

28

antiinflamatórios, analgésicos, relaxantes musculares, antidepressivos e derivados de anticonvulsionantes. Independente do tipo de tratamento é preciso que seja individualizado, pois cada organismo responde de forma diferente.

Élégant


Élégant Quais as principais causas que geram essa condição crônica? Dr. Fernando Não se sabe exatamente as causas da fibromialgia. Sabe-se que um dos fatores importantes é a mudança na percepção e tolerância da dor. Pode estar relacionada a alterações genéticas, mas também ser fruto de processos comportamentais ou da influência do ambiente. Élégant Existe alguma forma de prevenir? Dr. Fernando Por essa ausência de causa,

não há um método único de efetivo de prevenção. Devemos manter hábitos de vida saudáveis, nos alimentando e dormindo bem, fazendo atividades físicas e controlando o estresse.

Élégant Existe cura? Dr. Fernando Não existe cura, porém se o pa-

ciente se dedicar e tratar, é possível conviver com a síndrome sem grande impacto na qualidade de vida.

Desde os 42 anos, quando finalmente descobriu o real diagnóstico, Cleonice segue o tratamento à risca, principalmente no campo psicológico. A qualidade de vida é um fator essencial no tratamento para ajudar a superar a morbidez da doença. Ela acredita que a primeira crise se desencadeou a partir de fatores de estresse crônico. “As intervenções psicológicas são fundamentais para avaliar a personalidade e o estado emocional, visto que leva à restrição de movimentos físicos e com nível de dor constante, gerando reverberações socioeconômicas e profissionais importantes”, afirma e ressalta a necessidade de profissionais especializados para doenças crônicas dolorosas e também maior abordagem da síndrome, pois há poucos ainda no país, dificultando assim o sucesso na estabilização e amenização da fibromialgia.

Élégant

29


Saúde

Manual do Anticoncepcional por Jéssica Tokarski

O

anticoncepcional oral, sinônimo da liberdade feminina, foi um fator determinante na vida das mulheres. A famosa pílula, composta pela combinação de alguns hormônios, é o método contraceptivo mais utilizado atualmente. Apesar de muito confiável, são inúmeras as dúvidas que depois de mais de 50 anos, ainda giram em torno dele. As cápsulas funcionam evitando a ocorrência de ovulação, o que impede a gravidez, e possuem uma eficácia de 99,7%.

Início

Segundo a médica ginecologista e obstetra Alime Bakri, é recomendado o início do uso da pílula após dois anos da primeira menstruação. Consultar um médico de confiança é essencial para dar este passo, até porque existem indicações conforme a situação menstrual da paciente. “O anticoncepcional é escolhido de acordo com a história da pessoa e seus sintomas relacionados à menstruação, pele, etc. Além disso, existem algumas contra-indicações”, esclarece.

Administração

Ao iniciar a primeira cartela do remédio, o ideal é estar no primeiro dia de menstruação. Desta forma a eficácia é aumentada. De acordo com a ginecologista, no primeiro mês de uso a orientação é para que seja utilizado outro método contraceptivo associado, por exemplo, o preservativo. Para uma eficácia comprovada, a pílula deve ser tomada diariamente no mesmo horário, pois seu efeito é de 24 horas. “Quando ocorrer o esquecimento, deve-se ingerir logo que se lembre. Se não tiver ultrapassado 12 horas do horário habitual em que a paciente toma a cápsula, a eficácia será a mesma. Nas outras situações, a orientação é tomar mesmo assim, mas é necessário utilizar camisinha até o término da cartela”, explica. Na pausa entre as cartelas a mulher ainda estará protegida. Durante a gravidez não é aconselhável ingerir o medicamento, já em período de amamentação, a orientação é de pílulas específicas.

Efeitos colaterais

É comum ouvir que o anticoncepcional oral causa uma série de efeitos colaterais. Entretanto, isso não é uma regra. “A dor de cabeça e de estômago são exemplos desses efeitos. Mas, atualmente engordar com a pílula

28 30

Élégant

não é mais algo que preocupa. O leve aumento de peso (entre um e dois quilos) deve-se à retenção de líquido que ela pode causar no início do tratamento”, relata Alime. Atualmente, está sendo empregada a recomendação de contracepção de baixa dosagem, pois a existência de efeitos colaterais adversos é menor. Alguns medicamentos podem interferir na eficácia do contraceptivo, como antibióticos, remédios para convulsão, antifúngicos, entre outros. “A indicação é o uso de um método associado para aumentar sua eficácia. Em caso de tratamentos de longo prazo, oriento outro tipo de procedimento anticoncepcional”, aconselha a ginecologista.

Outros tratamentos

A pílula também tem sido muito aconselhada para tratamento de alguns problemas como espinhas e outros fatores que afetam a pele. “Nesse caso, optamos por remédios que diminuem os androgênios”, revela a médica. Mas, mesmo utilizada para esses fins, o efeito contraceptivo é igual. Outras indicações deste medicamento são diminuição do fluxo menstrual e dismenorreia (cólica menstrual). Em doenças como a endometriose, é aconselhável a inibição da menstruação. Para isto, existem anticoncepcionais específicos. Afora este caso, na maioria das situações não é recomendável o uso direto, com intenção de inibir a menstruação. É importante esclarecer que existem medicamentos homeopáticos que regulam o ciclo menstrual, no entanto, eles não podem ser utilizados como contraceptivos. Mais um fato digno de elucidação e que causa muitas dúvidas nas mulheres, é a utilização da pílula por um período muito grande. “O uso do anticoncepcional de longa data não é causa de esterilidade ou infertilidade, nem determina problema para uma futura gravidez”, ressalta a especialista. Outra opção no mesmo nível de proteção é o anticoncepcional injetável, que é de uso mensal e tem a mesma ação que o oral. “A vantagem desta alternativa é que seu uso mensal evita o esquecimento, que é frequente no caso da pílula. Como desvantagem, ele não atua melhorando a pele como fazem algumas cápsulas”, comenta Alime. Portanto, se quiser acertar na escolha, é importante consultar um médico e deixar que ele faça a análise de seu histórico de saúde, juntos, vocês vão conseguir definir o melhor método para os fins desejados.


Informe Publicitรกrio


Saúde

SÍNDROME do PÂNICO Saiba porque a ansiedade tem a ver com essa síndrome por Débora D. Dornella

T

aquicardia, falta de ar, visão embaçada, dor ou desconforto no peito, dificuldade de engolir, boca seca, sudorese, ondas de calor ou frio, sensação de irrealidade, despersonalização e sensação de iminência de morte são os sintomas mais comuns da síndrome do pânico. Segundo a psicóloga Aracy Katzinski, pelo menos quatro deles podem indicar que você está com esse transtorno. De acordo com a psicóloga, a primeira classificação diagnosticada oficialmente dessa síndrome ocorreu em 1980, com a publicação pela Associação Americana de Psiquiatria. Provavelmente essa doença já existia, mas não havia sido classificada oficialmente.

32

Élégant

As crises de pânico podem se iniciar a partir de um susto em relação a alguma parte do corpo. Devido a essa reação inicial de ansiedade, a mente começa a produzir interpretações negativas sobre o que está ocorrendo. É muito comum que a pessoa adquira alguns pensamentos catastróficos, como de que está perdendo o controle, que vai desmaiar, que está enlouquecendo ou que vai morrer. Aracy associa a origem dessa síndrome a estados constantes de ansiedade elevada e não regulada. Segundo ela, a pessoa que passa maior parte do tempo ansiosa, tensa e que não busca alternativas de controlar seus estados emocionais e de se autorregular pode desenvolver esse transtorno. Uma das formas de diagnosticar a síndrome além dos sintomas relatados pelo paciente, é o temor pelo que acontece em seu próprio corpo e a apresentação da chamada ansiedade antecipatória, o que quer dizer que a pessoa vive na expectativa de ter uma nova crise, e como consequência, evita situações e restringe significativamente sua vida. Essas crises ocorrem sem motivos externos e a qualquer momento. Muitas vezes a pessoa não consegue controlar e permanece parada sem reação. Segundo Aracy, nesse caso uma alternativa, é acalmar a pessoa de forma que ela perceba que não há risco. É necessário orientá-la a respirar lentamente e mais profundamente de modo a baixar a ansiedade. Em casos mais agudos é necessário tratamento psiquiátrico, contudo a psicoterapia deve estar presente em todos os casos, pois é importante e necessário que a pessoa aprenda a regular o nível de excitação interna, desenvolva a capacidade de auto-observação e que gerencie suas emoções e pensamentos de forma a autorregular seu funcionamento psicossomático.


Saúde

Os perigos da automedicação T por Emerson Roberto

eoricamente toda medicação requer prescrição médica, porém, normalmente, isso não funciona na prática. O uso de remédios sem a autorização de um médico é denominado automedicação. Para explicar o assunto, a Élégant entrevistou a clínica médica Juliana Vassarin. Utilizar-se de antídotos para aliviar qualquer tipo de dor pode provocar inúmeras consequências, das mais simples às mais graves. “Isso pode variar de acordo com a sensibilidade de cada um, com as patologias que uma pessoa pode ter, com o potencial da reação alérgica e ainda da interação com outras drogas que ela possa usar”, conta a clínica médica. Mesmo as medicações mais simples como aquelas para dores de cabeça, musculares ou garganta, vendidas irrestritamente e vistas pela população como inócuas, podem fazer mal. Algumas drogas simples são capazes de causar insuficiência hepática fulminante, hepatites fulminantes, aplasia irreversível de medula e Síndrome de Stevens Johnson (doença causada por reação alérgica). Na realidade, todo medicamento funciona de alguma maneira, mas se for mal usado, pode até piorar o quadro do paciente. Atualmente, o método utilizado para combater o uso impróprio de remédios é a proibição de vendas sem receitas. Para a médica, esta atitude da ANVISA (órgão responsável por definir a necessidade ou não de receitas médicas), foi positiva, no sentido de orientar a população a usar corretamente os medicamentos. “O uso inadequado de remédios tem uma série de consequências que a população desconhece, mas que são importantíssimas do ponto de vista epidemiológico de forma geral”. Mas ainda assim, muitas vezes pode-se observar na mídia comerciais que incentivam o uso de certos remédios. Este é um grande fator que contribui para

a automedicação, pois o apelo publicitário tem uma forte influência sobre a população e consegue conduzir massas no sentido de consumir produtos lançados por diversos segmentos industriais. Porém, para reverter essa situação, Juliana acredita que a melhor maneira de conscientizar as pessoas sobre os riscos dessa prática é orientando-as, por esses mesmos meios, a procurarem sempre auxílio médico quando tiverem problemas de saúde ao invés de correrem para as farmácias mais próximas ou, então, pedir ajuda dos vizinhos. “A indicação de uma medicação é de competência exclusivamente médica”, ressalta a doutora. Tomar remédios fitoterápicos (derivados das substâncias encontradas nas plantas) sem orientação médica também pode ser considerado automedicação. Medicamentos desenvolvidos nos grandes laboratórios, submetidos a anos de pesquisa e lançados como alopáticos tem uma base química fitoterápica e nem por isso são menos potentes em termos de efeitos de toxicidade. Até mesmo as vitaminas em cápsulas podem causar danos e efeitos indesejáveis, se usadas em excesso. Para evitar maiores problemas em relação à automedicação, a especialista dá algumas sugestões: “Penso que a melhor opção é ter sempre o acompanhamento de um médico clínico e fazer uma consulta a cada seis meses ou um ano, dependendo do caso. Assim, ele orientará ao seu paciente o que usar naquelas eventuais situações de desconforto”. É correto também não tomar nenhuma medicação ao sentir os primeiros sinais de dores e muito menos suportá-las por muito tempo. Se sentir uma dor que nunca teve e se ela não passar em algumas horas, é necessário procurar uma orientação médica, pois só um especialista poderá avaliar o caso.

Élégant

33


Saúde

Cistite

uma das doenças mais comuns entre o sexo feminino

por Jéssica Tokarski

M

uito comum entre as mulheres, a cistite é uma doença que afeta a bexiga e causa um enorme desconforto. O problema pode ser originado por infecções ou inflamações. A cistite infecciosa normalmente é ocasionada por bactérias e a inflamatória por alguma alergia que a paciente tenha. Ardor ao urinar, aumento do número de micções, urgência e dificuldade para ir ao banheiro, dor a baixo do ventre e eventualmente sangramento na urina são os sintomas mais comuns da doença, que ocorre porque a mucosa da bexiga fica mais sensível e não consegue ficar repleta, necessitando ser esvaziada frequentemente. Segundo a médica urologista Sylvia Marzano, as mulheres são mais comumente atingidas pela enfermidade, por uma questão anatômica. “A uretra é muito curta e muito próxima da vagina e do ânus, fazendo com que, mesmo a mulher tendo bons hábitos de higiene, fique mais suscetível à contaminação por bactérias”, esclarece. Homens também podem sofrer desse mal, porém não é algo muito comum. Quando ocorre, normalmente é infecciosa, já que a contaminação é mais difícil. Existem muitos casos de pessoas que possuem cistite recorrente, ou seja, a doença acontece com

34

Élégant

muita frequência, chegando a afetar a bexiga várias vezes ao mês. De acordo com a urologista, isto ocorre devido a tratamentos ineficientes e não contínuos. Para que o problema seja solucionado, é necessário tomar os devidos cuidados médicos a partir do momento em que os primeiros sintomas sejam identificados. “Achar que tomar água, chás e outras receitas caseiras fará com que os sintomas desapareçam é o que faz com que o diagnóstico seja retardado e a situação fique mais grave”, adverte Sylvia. E o tratamento é simples, feito por intermédio de antibióticos que serão administrados pelo período correto, de acordo com o quadro do paciente. Evitar buscar tratamento profissional para curar a doença, pode acabar agravando a situação e causando outros males. “Quando infecciosa, é grave em relação às complicações. Aparecem dores no corpo, febre e calafrios. É possível ainda que uma infecção renal seja desenvolvida. Nos outros tipos, a dor pode atrapalhar o ritmo de vida do paciente”, revela. É comum que a cistite afete as mulheres ao menos uma vez na vida, e não são apenas adultas as acometidas. Crianças e idosas também são afetados. Entretanto, muitas pessoas acreditam que a enfermidade só seja causada devido à falta


de higiene, o que é um pensamento errado. “Ela está relacionada à baixa imunidade, que faz com que a pessoa adquira mais bactérias”, conta a urologista. Já que todas as mulheres estão suscetíveis ao problema, é necessário atentar para alguns fatores que podem prevenir que este mal ocorra. Além dos hábitos de higiene essenciais, o ideal é lavar a região genital após a evacuação e relação sexual. Também é necessário ter micções em intervalos de duas horas (mesmo que não haja vontade, pois segurar muito a urina promove a contaminação) e evitar o uso prolongado de tampões durante a menstruação. Outros hábitos que ajudam a prevenção são: a ingestão de bastante líquido durante o dia, utilização de sabonetes íntimos e o uso diário de lactobacilos acidófilos via oral (mantém o pH ácido da vagina, que dificulta a infecção). Segundo Sylvia, estudos americanos também têm apontado a eficácia de uma fruta chamada cranberry, como forma de precaução dessas infecções. “Eu indico um copo de suco de cranberry por dia. Pena que ainda é muito caro no Brasil”. Caso aconteça com você, procure um médico com urgência e continue efetuando as medidas de cautela diárias, concomitantemente com a medicação. Livrar-se desse problema é possível, basta seguir à risca as orientações de um profissional especialista.

Élégant

35


Animais

Amor e dedicação aos animais por Emerson Roberto

A

lém de apresentadora e atriz, Luisa Mell também é defensora dos animais. Com o seu carisma e simpatia, ela conta para a Élégant sobre o seu amor pelos bichinhos. Segundo ela, a sua paixão por eles vem desde sempre, porém, esse afeto aumentou depois que começou a apresentar o programa “Late Show”, que era exibido na rede TV. “Conforme fazia as matérias, percebi que todos os animais podem se relacionar com as pessoas, assim como os cães e gatos”, diz Luisa. De acordo com a apresentadora, quando sua mãe faleceu, seu pai entrou em depressão. Mas ele conseguiu superar o problema com a ajuda de sua cachorra, Dino. Como forma de agradecimento ao bichano surgiu a ideia da criação desse programa, na época, que Luisa apresentou com toda a sua irreverência e sabedoria. Atualmente ela faz parte do programa “Estação Pet”, da TV Gazeta e confessa que sente o maior prazer em fazer outra vez o que sempre adorou: lidar com os bichinhos. “Estou amando fazer novamente o que mais gosto: ajudar os animais e, ao mesmo tempo, apresentar”. Em toda profissão sempre há um momento especial e marcante na vida de uma pessoa. Para Luisa não é diferente, desde que começou a trabalhar com animais o que nunca esquece é o dia em que ela e a sua equipe foram resgatar um cocker que ficou trancado sozinho em uma casa. Nesse período ele ficou cego e as suas unhas cresceram tanto, que o pobre animal não conseguia mais andar. “Ainda assim, quando nossa equipe entrou no local, ele

36

Élégant

abanou o rabinho”, recorda a apresentadora. Luisa Mell já se conscientizou do quanto é importante ajudar os animaizinhos que são mal tratados. E assim como ela, todos os seres humanos deveriam ter essa noção como base para ajudar os bichanos. “Já é tempo das pessoas terem consciência e serem mais responsáveis. Ou seja, não basta ter um animal, é preciso cuidar, levar para passear, alimentar, vacinar, não prender em uma corrente curta o dia inteiro, não deixar na chuva, no sol e, principalmente, não abandonar. Acho que quando houver uma punição mais severa em relação a esse último ato, é que as pessoas mudarão de atitude”, ressalta a jovem. É tanto amor pelos animais que, obviamente, Luisa Mell não deixaria de ter os seus. A apresentadora possui quatro cachorros. A primeira se chama Dino, uma vira-lata adotada em um feira. A segunda a Preta, que foi encontrada na rua atropelada e com uma parte da pata perdida, a terceira a Gisele e o quarto o Marley, ambos resgatados de um abandono. Além de trabalhar com animais e ajudá-los em um programa que atualmente é o único voltado para esse assunto, a apresentadora também apóia outras causas sociais engajada em campanhas educativas e do meio ambiente. Para finalizar, Luisa Mell sugere a todos que querem ter um animal de estimação: “A primeira coisa é ter espaço no coração. Não adianta curtir um animal enquanto ele é pequeno e fofo e depois que crescer, abandoná-lo por ele fazer muito xixi, cocô ou comer seus tênis. Assim como nós, eles também possuem sentimentos”.


Lionel Falcon

37

Élégant


Animais

Dá o pé, louro!

por Jéssica Tokarski

O

s animais de estimação são considerados, por muitos, uma companhia, um amigo confidente, alguém com quem o dono pode sempre contar para alegrar o dia. Por isso, o sonho de muitas pessoas, é que seu animalzinho pudesse falar. Não tão distante dos sonhos, existem algumas aves que conseguem, de certa forma, atender a esses requisitos. Os pássaros da família dos psitacídeos, como araras, papagaios e caturritas, assim como algumas espécies de gralhas e mainás, têm esse dom. Mas, de acordo com a Bióloga e Coordenadora de Educação Ambiental Sílvia Ramos, o que esses bichinhos fazem não é falar propriamente. “Eles apenas imitam sons, a capacidade de falar é inerente a espécie humana”, explica. Estas espécies conseguem reproduzir esses ruídos, graças a uma estrutura situada no final da traqueia e começo dos brônquios, denominada siringe. “O que permite aos animais imitar palavras é a capacidade cerebral associada à estrutura

38

Élégant

anatômica de vocalização”, revela a bióloga. A ave que melhor exerce essa função é o papagaio verdadeiro. No entanto, nem todos eles possuem esse dom, vários fatores influenciam na maneira como esses pássaros agem, por exemplo, o ambiente em que vivem e os estímulos recebidos. Os papagaios têm mais facilidade para memorizar diversos sons, pois seu cérebro é mais desenvolvido que o de outras espécies. Os barulhos mais comumente reproduzidos são vozes humanas, sons de outros animais, ruídos e instrumentos musicais. “No cativeiro, a capacidade de aprender se acentua. Eles têm mais possibilidade de aprender a imitar sons, pois não precisam se preocupar com predadores nem com alimento. Além disso, através da convivência com o homem, eles ficam todo o tempo disponíveis para prestar atenção à sua volta”, esclarece Sílvia. Ter um papagaio com um repertório grande de palavras e sons exige muita dedicação e trabalho. De acordo com a bióloga Sílvia, é necessário falar de forma clara e consistente com o pássaro, além de relacionar os ruídos a atividades que ele goste de fazer. “Escolha palavras simples e repita-as de forma melodiosa, desta forma, ele terá interesse em aprender e você obterá o resultado desejado, mas é necessário ter paciência”. Quanto mais jovem a ave for, mais facilmente ela aprenderá, se estimulada corretamente, pois, assim como os humanos, a plasticidade cerebral nelas também é maior na infância. Para quem deseja obter um animal destes, é importante certificar-se de estar adquirindo um pássaro autorizado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Deste modo, o criador só pode vender animais nascidos em cativeiro e não capturados da natureza. Os preços variam de acordo com as espécies, as araras podem custar entre três e nove mil reais, já as caturritas e papagaios ficam entre novecentos e três mil e quinhentos reais. Mas, como a bióloga Sílvia acredita, a melhor coisa é manter essas espécies raras e tão bonitas, livres na natureza, e poder sair para observá-las soltas.


Saúde

Gripe

canina por Jéssica Tokarski

T

osse seca contínua, apatia, secreção nasal e febre em cachorros, são sintomas da gripe canina, também conhecida como tosse dos canis. A virose é causada pelo vírus da parainfluenza canina e por uma bactéria chamada Bordetella Bronchiséptica. Segundo a médica veterinária Ana Caroline Garrido, o auge da tosse é acompanhado de vômito e esforço para expelir o muco da traqueia. Entretanto, nem sempre tosse seca significa que o animal está com a gripe. “Este sintoma pode ocorrer também em cardiopatas, por isso é importante a avaliação de um profissional de sua confiança”, esclarece Ana. A forma de transmissão entre os cães dá-se pelo ar ou por contato direto com a secreção de outros bichinhos infectados. A doença que normalmente afeta os animais no inverno, devido à baixa temperatura e ar seco, também pode ocorrer em outras épocas. O tratamento é feito com antibióticos, mas conforme o quadro do paciente, há a possibilidade de tratamento intensivo. “Internação e acompanhamento monitorado pelo médico veterinário”, relata a especialista. Não é necessário que o animal fique em repouso, no entanto, nessa fase, é importante evitar o contato com outros cachorros para não disseminar a doença. É essencial diagnosticá-la assim que os primeiros sintomas sejam apresentados, pois se não tratada, o quadro pode evoluir para um caso mais avançado de pneumonia, colocando em risco a vida do acometido.

Para evitar transtorno, atualmente já existe uma forma de prevenção muito ativa para esse problema, a vacinação específica. “No mercado, existem as vacinas injetáveis e as de administração intranasal. As duas são muito eficazes. Em filhotes devem ser aplicadas duas doses, a partir de oito semanas de idade. A imunidade se inicia 21 dias após o procedimento”, relata a veterinária. Os animais adultos também devem receber a medicação em duas doses. “A revacinação anual é muito importante”. Mesmo os cães que estejam com a doença devem ser vacinados, pois a gripe canina possui etiologias distintas. Outras medidas que também podem ser tomadas para uma maior prevenção são: evitar o contato com animais doentes, alimentação de alto valor nutritivo e condições de saúde e higiene adequadas, mantendo sempre um quadro de alta imunidade. Afinal, a saúde do animal de estimação é tão importante quanto a de um ser humano.

Élégant

31


Animais

fotos: Arquivo pessoal

Élégant

40


Heróis de quatro patas Um trabalho envolvente com histórias surpreendentes por Débora D. Dornella

Q

ue o cão é o melhor amigo do homem, isto todos já sabem. Além de amizade e fidelidade, esses animais são capazes de ajudar de uma forma sobrenatural. Não é a toa que são utilizados em vários lugares para socorrer e alegrar a vida de muita gente. Para homenagear esses tão amados companheiros, a Élégant lança uma série de reportagens especiais sobre Cães Heróis. E para começar, escolhemos os cães de resgate, que desempenham um papel fundamental de ajuda a sociedade junto ao corpo de bombeiros. Quem nos conta um pouco mais sobre esse trabalho tão gratificante é o Major QOBM Samuel Prestes, Comandante do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná.

Pode-se dizer que a escolha certa de um cão contribui muito para que uma operação de resgate obtenha sucesso. Segundo o Major, o emprego do cão nas atividades de busca depende muito da modalidade a ser realizada. O Grupo de Operações de Socorro Tático conta com a participação de raças como Pastor Alemão e Labrador para buscas em estruturas colapsadas e em áreas rurais, nas quais precisa ser efetuada uma varredura de área. Para essas situações os cães recebem um treinamento específico. A raça Blood Hound é muito usada em ocasiões que apresentam indícios de que a pessoa está em deslocamento, ou que passou efetivamente por determinado lugar. A escolha dessa raça deve-se ao fato deles possuírem excelente faro. São treinados no método de Busca por Seleção de Odores.

“São priorizados cães com índole curiosa e ativos, mas que não sejam agressivos, de preferência de porte médio, com boa estrutura física” Major Samuel Prestes, Comandante do GOST

Élégant

41


Para saber se o cão pode desenvolver essa atividade, se observa na ninhada, a partir dos 30 dias de idade, características do filhote, por meio de testes sanitários e comportamentais. São priorizados cães com índole curiosa e ativos, mas que não sejam agressivos, de preferência de porte médio, com boa estrutura física. O Major explica que algumas raças são mais empregadas para a atividade, embora as características gerais possam estar presentes em várias raças e até mesmo nas não definidas. Essa escolha é feita devido a genética e fatores desejados para tal ativida-

“(...) após duas horas ininterruptas de trabalho percorreu exatamente o mesmo trajeto que a vítima, e levou a guarnição a localizar a pessoa, que já apresentava sinais de hipotermia e hipoglicemia (...)” Major Samuel Prestes, Comandante do GOST

42

Élégant

de. No GOST, por questão de padronização, utilizam atualmente cães das raças Labrador, Blood Hound e Pastor Alemão. Em outras organizações também é muito utilizado cães de raças como, Golden Retriever, Dobermann, Border Collie, Pastor Belga, entre outras. Além da genética, algumas características devem se destacar nesses animais como capacidade olfativa, vivacidade, temperamento (além de obediente o cão não pode ser agressivo), sociabilidade, rusticidade (tendo em vista que o cão será exposto em algumas situações de condições extremas), pelagem (não pode ser excessivamente longa nem curta) e porte adequado à missão. O cão de busca trabalha na procura de vítimas de soterramentos, pessoas perdidas em ambientes de floresta e montanhas, além de poderem atuar na busca de ocultação de cadáveres. Existem até cães treinados para ajudar em buscas e salvamentos de pessoas em meio líquido, vítimas de afogamento. Esses animais são escolhidos para desempenharem essas atividades por possuírem um bom conjunto de características para a caça, com ênfase principalmente no faro e na audição. O comandante considera que eles são adaptados ao convívio humano e possuem grande capacidade de trabalho em equipe, além de características como agilidade, vivacidade, lealdade, robusteza e disciplina se forem corretamente adestrados. O tempo necessário para o treinamento do cão é de aproximadamente um ano e meio, mas varia de acordo com o objetivo e a predisposição do animal, além da experiência do cinotécnico. É recomendado começar o treinamento dos cães com 30 a 90 dias


no máximo, a não ser no caso do Blood Hound, uma raça com faro excepcional, que pode iniciar o treinamento até em um ano de idade. Tendo em vista o desgaste físico desses cães, é necessário que eles tenham uma alimentação balanceada, com mais proteínas, e possuam acompanhamento para que se evite problemas como obesidade, fator que pode desqualificá-los para o trabalho. Não se recomenda o contato com pessoas diferentes que não fazem parte do trabalho desses cães, pois elas, mesmo bem intencionadas, podem contribuir para que os cães desenvolvam hábitos não desejáveis para a execução das atividades. O responsável pelo treinamento e emprego operacional do animal é o cinotécnico, cada um é responsável pelo seu. Eles o orientam a trabalhar e desenvolvem uma relação de “matilha”, em que ele é o cão alfa e líder da “matilha”, e o cão atua conforme seu comando e orientação. A aposentadoria ocorre após oito anos para cães

da raça Pastor Alemão e de 12 anos para o Blood Hound, segundo o sistema da Corporação. Quando o animal se aposenta tem direito a permanecer no canil e receber cuidados diários pelo resto da sua vida. Se o cinotécnico preferir ou outra pessoa manifestar interesse em assumir a responsabilidade do cão, ele pode ser doado e o responsável pela adoção passará a assumir a responsabilidade pelos cuidados e a guarda do cão. Todos esses cuidados e treinamentos são retribuídos por esses companheiros, o Major relembra um resgate que ficou marcado na memória da corporação. Segundo ele, no ano de 2008, o Jack, um Blood Hound, foi empregado na busca de uma pessoa que havia se perdido há dois dias na região do Salto dos Macacos, em Morretes (PR). Assim que apresentaram ao cão uma peça de roupa da pessoa em questão, ele iniciou o trabalho de busca e após duas horas ininterruptas, percorreu exatamente o mesmo trajeto que a vítima, e levou a guarnição a localizar a vítima, que já apresentava sinais de hipotermia e hipoglicemia. “Foi muito gratificante”, ressalta Prestes. Para finalizar ele salienta que mais do que simples mascotes, os cães de busca tem sido verdadeiros parceiros no trabalho do Corpo de Bombeiros, no sentido de salvaguardar vidas. “Nós do GOST nos sentimos gratificados por poder compartilhar de suas companhias, seja no dia-a-dia do Quartel ou durante as diversas operações em que têm nos acompanhado”, conclui o Major.

“Nós do GOST nos sentimos gratificados por poder compartilhar de suas companhias (...)” Major Samuel Prestes, Comandante do GOST


capa

Luis Crispino

A musa das

manhãs Conheça a vida, carreira e dicas da bela Gianne Albertoni por Emerson Roberto

46

Élégant


E

la é modelo, atriz, apresentadora e dona de uma beleza exuberante. Ao iniciar a carreira, ainda muito jovem, teve grandes oportunidades na vida e pôde vivenciar e desfrutar cada momento dos seus trabalhos. Além de ter desfilado nas passarelas de diversos países ao lado de grandes nomes da moda, descobriu outra grande paixão: a atuação. Atualmente apresenta e possui um quadro de moda dentro do programa “Hoje em Dia”, da Record e também realiza um dos seus sonhos mais antigos: cursar a faculdade de jornalismo. Neste mês, a Élégant traz para vocês, leitores, uma entrevista exclusiva com a belíssima Gianne Albertoni, que nos conta sobre os bastidores do programa que apresenta e algumas curiosidades do seu dia-a-dia. Confira!

Élégant Você foi descoberta por um fotógrafo

quando passeava pelo Parque Ibirapuera e dali em diante fez um enorme sucesso. Antes disso, já sonhava em ser modelo? Gianne Albertoni Não sonhava, mas sempre admirei a profissão. Tive muita sorte no início da carreira. E eu era apenas uma menina com corpo de mulher.

Élégant Como você se descobriu atriz? Gianne Albertoni Desde menina gostava de

interpretar, porém nunca passava de uma brincadeira. Como comecei a carreira de modelo cedo, não pensava em atuar, pois modelar tomava muito meu tempo e exigia dedicação. Quando parei, decidi estudar artes cênicas e amei. Desde então me aprofundo cada vez mais na profissão.

Élégant Quais os principais trabalhos da sua carreira?

Gianne Albertoni Não tive um trabalho principal. Para mim, cada um teve a sua importância em um momento diferente.

Élégant Como modelo você saiu de casa muito

cedo e entrou em contato com outras culturas e pessoas ao viajar para diversos países. Além da independência, o que tudo isso agregou à sua vida? Gianne Albertoni Agregou muita experiência. Tive a oportunidade de conhecer países diferentes, cada um com a sua cultura e, principalmente, trabalhar ao lado dos grandes nomes do mundo da moda. Isso foi incrível.

Élégant Muita gente sonha com o trabalho de modelo. Como são os bastidores da moda?

Gianne Albertoni A carreira é maravilhosa,

mas os bastidores não são fáceis. Ser modelo exige muitas viagens e a maior dificuldade é ficar longe da família e dos amigos. Élégant Como surgiu a oportunidade de apresentar o Programa “Hoje em Dia”? Gianne Albertoni O convite surgiu logo após eu terminar as gravações do longa-metragem “Muita Calma Nessa Hora”, que estreou ano passado. Precisavam de uma apresentadora no meu perfil que fosse ligada ao mundo da moda. Na época eu já fazia alguns trabalhos na TV e no teatro. Fiquei extremamente feliz com o convite.

Élégant Você fez alguma preparação ou laboratório para assumir essa função?

Gianne Albertoni Não. Sempre estudei para

me aperfeiçoar em todos os meus trabalhos e o curso de artes cênicas me ajudou muito. Quando comecei a apresentar o “Hoje em Dia”, também iniciei a faculdade de jornalismo, que era um sonho antigo.

“Sempre estudei para me aperfeiçoar em todos os meus trabalhos...” Élégant

47


capa Élégant E o que acha do curso? Gianne Albertoni Estou amando. E hoje, mi-

nha prioridade é terminá-lo.

Élégant O que você pensa da queda do diploma de jornalismo?

Gianne Albertoni Essa medida não me agra-

dou. Acredito que um dia conseguiremos voltar à obrigatoriedade, pois a valorização do profissional é fundamental através do reconhecimento do seu diploma.

Élégant Como é o clima do programa “Hoje em

Dia”? Vocês parecem ser muito amigos. É assim nos bastidores também? Gianne Albertoni Somos uma família dentro e fora do programa. Todos são grandes profissionais e procuramos transmitir nossa harmonia aos telespectadores.

Élégant Do que você gosta mais de fazer: desfilar, atuar ou apresentar?

Gianne Albertoni Gosto de tudo, mas tive

momentos diferentes e com certeza aproveitei bastante cada época da minha vida. Hoje estou contente com minha carreira de apresentadora e pretendo me aperfeiçoar cada vez mais.

“O que conquistei hoje acredito que é resultado do meu trabalho” Élégant Você adora as comidas feitas por Edu

Guedes. Você come bastante e de tudo mesmo ou toma muito cuidado com a alimentação? Gianne Albertoni Não consigo resistir às delícias que o Edu cozinha. A culinária é no horário ideal e todos os apresentadores sempre provam. Porém, fora do programa opto por uma alimentação mais saudável. Procuro evitar frituras e doces.

Élégant O que faz para cuidar do corpo? Gianne Albertoni Pratico Muay Thai três ve-

zes por semana e faço Pilates.

Élégant Qual a dica de beleza que você dá às leitoras da Élégant?

Gianne Albertoni Para que todas cuidem

bem de sua pele. Usem protetor solar todos os dias e não esqueçam de lavar os rosto antes de dormir.

Élégant E quanto à maquiagem, ela pode ser

uma aliada ou uma inimiga. Qual a sua relação com ela? Gianne Albertoni Eu e a maquiagem somos aliadas. A maquiagem pode, com certeza, ser amiga ou vilã. Há alguns métodos para não errar na hora de usá-la. No meu quadro “Dica Albertoni”, procuro ensinar truques que fazem toda a diferença ao se usar a maquiagem. Atualmente, utilizo-a todos os dias para apresentar o programa. Quando não estou trabalhando, procuro evitar. Uso somente máscara para cílios e um batom.

Edu Moraes

Élégant E com relação à moda, o que você acha

48

Élégant

fundamental na hora de se vestir? Gianne Albertoni É fundamental que cada um conheça bem o seu corpo. Não adianta seguir as tendências da moda se elas não combinam com ele.


Rodrigo Marques

Élégant Você gosta de ser uma pessoa pública?

Como é para você ter o carinho dos fãs, o assédio da imprensa e dos paparazzi? Gianne Albertoni O que conquistei hoje acredito que é resultado do meu trabalho. Sou extremamente grata aos meus fãs, pois se não fossem eles, eu não estaria aqui. Adoro ter o retorno deles através das redes sociais. Eles contribuem demais com meu trabalho.

Élégant Em sua vida pessoal, você é caseira ou

nas à tarde e a faculdade à noite, por enquanto fica difícil realizar esse sonho. Mas quando eu terminar a faculdade poderei pensar nessa possibilidade.

Élégant O que a família significa para você? Gianne Albertoni Tudo. Élégant Tão nova você já realizou todos os seus

sonhos ou ainda possui objetivos para alcançar? Gianne Albertoni Nunca digo que me sinto realizada para não parar de sonhar.

gosta de sair?

Gianne Albertoni Sou muito caseira. A ro-

tina durante a semana é extremamente puxada e aproveito o tempo livre para ficar em casa e descansar.

Élégant Sonha em ser mãe? Gianne Albertoni Com o trabalho do programa diário e ao vivo de manhã, as gravações exter-

“Tive muita sorte no início da carreira” Élégant

49


Amor&Sexo

SEXOCASUAL por Emerson Roberto

A

tualmente muitas pessoas são adeptas do sexo casual. Mas afinal, o que é essa prática? Segundo a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello, esse ato é o relacionamento sexual praticado entre duas pessoas, sem que haja nenhum envolvimento emocional entre elas. “Pode-se conhecer alguém, transar com ela e nunca mais a vir. As pessoas o praticam por uma necessidade momentânea de sexo, sem nenhum vínculo afetivo”, afirma. Esse tipo de comportamento acontece, na maioria das vezes, com pessoas mais jovens. Para Carla Cecarello, não há dúvidas que quem procura o sexo casual está em busca de satisfazer o próprio prazer, indiferente de que seja ou não para realizar as suas fantasias sexuais. “O que se quer na verdade é vivenciar o prazer sem compromissos ou obrigações”, ressalta. As mulheres buscam cada vez mais esse tipo de relacionamento, por proporcionar prazer sem cobrança e com liberdade. Mas ainda há preconceito contra as que fazem isso. Este talvez seja um fator que as inibam a aderirem a essa prática. “A mulher que pratica o sexo casual é ainda vista como vulgar”, diz a sexóloga. Mas apesar disso, elas vêm se permitindo experimentar novas situações. Os parceiros casuais geralmente são aqueles que têm os mesmos hábitos ou que eventualmente se atraem pelo aventureiro. Comumente esses indivíduos também são escolhidos para o sexo casual por apresentarem características como boa aparência, descontração e alegria. Essas pessoas visam apenas o prazer e não possuem o desejo de

50 42 Élégant Élégant

estabelecer um relacionamento sério. Segundo Carla Cecarello, isso pode ser uma consequência de carência dos vínculos afetivos que tiveram na infância. A liberdade é uma das vantagens que o sexo casual possui. Aquele que o pratica não precisará passar pelas dificuldades de um relacionamento comum. Porém, a desvantagem é que essas pessoas não se entregam de coração ao parceiro e conse-


quentemente não viverão o afeto e o carinho de um namoro ou casamento. É comum para as pessoas que são adeptas do sexo casual não se importarem com as condições de vida dos parceiros escolhidos. “Escolhem mesmo pela aparência e o jeito de agir no momento em que se conhecem”, afirma Carla Cecarello. Hoje esse tipo de relacionamento virou tendência. Mas a sexóloga não descarta também a possi-

bilidade de que esse tipo de relação possa resultar em namoro ou, até mesmo, em casamento. “Em um dado momento da vida, a pessoa vai querer se assentar com alguém”, diz. E independente dos gostos de cada um, é importante pensar muito bem no que deseja antes de tomar atitudes que tragam grandes consequências para a sua vida. “Deixar se guiar por desilusões e modismos, não leva a nada”, finaliza ela.

Élégant

51


FOBIA

Comportamento

Quando o medo se torna intenso por Débora D. Dornella

É

comum sentir medo, mas quando esse sai do controle, como explicar? Para saber mais sobre essa psicopatologia, que é classificada dentre os Transtornos de Ansiedade, a Élégant contou com a participação da psicóloga e psicoterapeuta Cognitivo-Comportamental da clínica Espaço Vida, Fabiane Cristina Cruz. A psicóloga conta que a fobia é uma espécie particular de receio que pode ser traduzida como um medo intenso, exagerado e irracional de pessoas, lugares, objetos ou situações. Ainda não há consenso sobre as causas, mas alguns estudos apontam fatores sociais e biológicos para o desenvolvimento desse transtorno. Além disso, Neurocientistas descobriram que do lado direito do cérebro dos fóbicos, ocorre um aumento do fluxo sanguíneo e maior metabolismo. Existe também estudo com irmãos gêmeos que cresceram separados e desenvolveram as mesmas fobias, o que aponta para fatores biológicos. O ambiente também pode propiciar o desenvolvimento e a manutenção do transtorno, a psicóloga cita como exemplo a frequência em locais que cobram muito (escola, trabalho). Pais, amigos ou companheiros muito tímidos, rígidos, críticos, ou exageradamente preocupados também podem ser responsáveis em ocasionar vulnerabilidades no indivíduo e deixá-lo mais predisposto a fobias ou

52

Élégant

transtornos. “A maioria dos fóbicos (6 entre 10) sabe quando os sintomas apareceram” declara Fabiane. O surgimento é mais frequente em adolescentes e adultos jovens. E tem como base a ansiedade. “Pela lógica, todo fóbico é muito ansioso. Mas não podemos dizer que todo ansioso será um fóbico”, salienta a psicoterapeuta. A fobia evolui como uma bola de neve, os sintomas são desagradáveis, faz com que a pessoa comece a evitar a situação fóbica e o problema vai se agravando a tal ponto que só de imaginar o momento, o paciente já começa a ter uma crise de pânico, sem nem mesmo ter tido a experiência. Os tipos mais comuns de fobia são a Social*, Agorafobia* e Fobias Específicas*. Raramente as pessoas que estão no começo do problema procuram por ajuda. Quando a buscam é porque já têm uma perda considerável em muitas áreas da vida, seja social, familiar, profissional, relacional, etc. Muitos já não desenvolvem mais funções sociais, pois devido aos sintomas passam a evitar situações, lugares e pessoas. A psicóloga considera essa situação grave. Segundo ela, alguns estudos revelam que aproximadamente 1% dos acometidos apresentam tendências suicidas, porém o transtorno em si não mata, mas torna-se preocupante quando há incidência de comorbidades, ou seja, ocorrência simultânea de duas ou mais doenças associadas a fobias, e que intensificam esse cará-


*Fobia Social: Medo de estar exposto à observação ou avaliação dos outros.

*Agorafobia: Medo generalizado de situações ou lugares com alta circulação de pessoas onde possa ser difícil “escapar” ou sair, ou ainda ser socorrido em caso de emergência. *Fobias Específicas: Medo de objetos ou situações concretas como animais e fatores do meio ambiente.

ter, principalmente se uma dessas doenças for a depressão. Para quem acha que é possível curar o problema fazendo com que o fóbico enfrente o medo sem nenhum acompanhamento clínico, vai um alerta: em hipótese alguma pode fazer isso, pois apesar do medo ser irracional, ele se torna bem real para quem o sente. De acordo com a psicóloga, essa cura é realizada através de tratamento psicoterápico, gradualmente e estruturadamente, no qual a pessoa é estimulada e encorajada. Para toda essa situação ocorre um preparo, por isso nunca se deve obrigar a pessoa a enfrentar seu medo. A doença não é de difícil tratamento, na grande maioria dos casos existe cura. Fabiane em sua prática clínica sempre teve sucesso em seus casos, mas isso depende muito da gravidade do transtorno, do tempo exposto e outros fatores. Em alguns casos a cura é rápida e fácil, já em outros é preciso a combinação de medicação com psicoterapia. Os re-

médios proporcionam alívio imediato, o problema é que quando retirados da pessoa, os sintomas tendem a aparecer novamente. Segundo a especialista, o tratamento mais indicado e estudado é a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC). A TCC obtém resultados mais duradouros, pois é possível aprender sobre o transtorno e desenvolver habilidades para lidar com os sinais da fobia. Tem como foco a exposição e para isso os profissionais utilizam-se de técnicas como: reestruturação cognitiva, técnicas de relaxamento e treino em habilidades sociais. Nesse método também realiza-se a dessensibilização sistemática, uma técnica desenvolvida pelo psiquiatra Joseph Wolpe na década de 50 que consiste em fazer o paciente imaginar e hierarquizar as situações que geram ansiedade. “A ideia é aos poucos diminuir a resposta emocional ao estímulo (intensidade da ansiedade)”, declara Fabiane, que encora o paciente a expor-se gradualmente, até a remissão dos sintomas, pois os resultados serão animadores.


Comportamento

Medo de dirigir tem solução por Jéssica Tokarski

T

remor, suor, tontura, taquicardia e falta de ar, em frente ao volante (ou ao pensar em tal ato), são indícios de uma grave fobia que impede as pessoas, por ela acometidas, de dirigirem. Muitos sofrem desse mal e acabam prejudicando suas vidas por não saberem ao certo como tratá-lo. O medo de dirigir existe de duas formas. A primeira consiste no temor do desconhecido. Segundo a psicóloga e psicoterapeuta Olga Tessari, tudo o que é novo assusta. “Esse é o medo comum de todos os iniciantes, que vai diminuindo dia a dia e conforme a pessoa vai dirigindo, o ato deixa de ser algo desconhecido”, explica. Já a segunda maneira afeta um grupo de pessoas que apesar de treinarem, continuam amedrontadas. São indivíduos que têm medo de errar, preocupam-se demais com críticas alheias, são perfeccionistas, enfim, têm autoestima diminuída, além de serem ansiosos. “Eles possuem uma imagem distorcida de si mesmo, sentem-se inseguros e incapazes de dirigir, mesmo já tendo realizado tarefas muito mais difíceis e complexas”, relata a psicóloga. É comum pensar que aqueles que têm esse problema já passaram, anteriormente, por traumas ligados a acidentes de carro e por isso desenvolveram tal sintoma. Entretanto, essa é uma ideia

54

Élégant

equivocada. A grande maioria dessas pessoas não se encaixa nessa colocação. “É comum, quando a pessoa se envolve em um acidente, querer evitar a volta ao volante. Mas, com o passar do tempo o receio diminui”, conta Olga. As principais características que fazem com que essa fobia se desenvolva são autoestima baixa e insegurança, além da ansiedade elevada que tem como consequência o nervosismo. Se não tratado, o problema tende a piorar cada vez mais, já que por conta da dificuldade de locomoção, as pessoas tendem a se tornar limitadas e dependem sempre de outros para frequentar determinados locais. Isso só agrava a situação, pois acaba diminuindo ainda mais a autoestima do sujeito, fazendo com que questione sua capacidade. “Quem sofre com o medo de dirigir costuma criar muitas desculpas para não fazê-lo, convencendo a todos, menos a si mesmo”, detalha Olga, que ainda afirma que em casos extremos, o acometido pode chegar a desenvolver síndrome do pânico ou depressão. Normalmente, é algo intrínseco à pessoa. Não é o trânsito cada vez mais caótico, ou os acidentes frequentes que provocam esse receio. “É claro que são fatores que levam todas as pessoas que dirigem a tornarem-se mais atentas e temerosas. Aqueles que já apresentam esse medo podem elevá-lo ainda


mais”. Segundo Olga, os medos mais comuns dessas pessoas são: parar o carro na rampa fazendo-o recuar e bater no veículo de trás, o carro “morrer”, achar que não será capaz de manobrar e estacionar corretamente, trocar de pista, bater o carro ou causar um grave acidente, comportamento imprevisível dos outros motoristas, não saber como agir se algo der errado e comentários maldosos de outras pessoas. O tratamento consiste em um acompanhamento psicológico, que ajuda na diminuição da ansiedade e na elevação da autoestima e autoconfiança do paciente. É importante destacar que não é dirigindo que a pessoa perderá o medo. Inclusive, agindo dessa forma, a maior possibilidade é a causa de graves transtornos. “Um indivíduo muito inseguro ao volante pode provocar acidentes, por conta de seu nervosismo exacerbado que o leva a não raciocinar corretamente”, adverte a psicóloga. Por isso, a melhor maneira de amigos e familiares ajudarem aqueles que sofrem com esse problema, é não insistindo para que dirijam. O melhor caminho é encorajá-los a buscar ajuda de um profissional para resolver a condição. Através do tratamento específico adequado, as chances de extinguir a fobia são muito grandes.


Gastronomia

Delícia gelada por Jéssica Tokarski

Q

ue tal experimentar uma sobremesa diferente? O frozen yogurt é a sensação do momento nesse quesito. A receita gelada, que tem como matéria prima o iogurte, é facilmente comparada ao sorvete. Segundo o Chef de Cozinha Ronaldo Rossi, o que o distingue e faz com que o sabor fique completamente diferente são os ingredientes empregados. “O frozen yogurt leva basicamente iogurte no seu preparo, já os sorvetes são feitos com leite, creme de leite, algumas marcas utilizam gordura hidrogenada e muito açúcar”, explica. Ultimamente essa sobremesa se tornou febre no Brasil, é possível observar dezenas de filiais das marcas que comercializam este produto de origem americana. A ideia está fazendo muito sucesso nesse país tropical, justamente devido ao clima predominante. “É refrescante e bem mais leve que os sorvetes”, define o Chef de Cozinha. A base da receita de frozen yogurt não varia muito, mas as combinações de sabores são infinitas, já que é possível adicionar diferentes tipos de caldas e praticamente qualquer fruta, além de confeitos, como biscoitos.

Frozen yogurt básico Ingredientes: 1 litro de iogurte Entre 6 a 8 colheres de açúcar Modo de preparo: Coloque o iogurte para dessorar em um pano branco por cerca de 2 horas. Passado o tempo bata, com um batedor de arame, adicionando o açúcar até que fique homogêneo. Leve para o freezer por cerca de 6 horas antes de consumir. Consuma puro, acompanhado de frutas, regado com caldas ou coberturas, ou ainda como base de bebidas. Agora é só aproveitar e refrescar-se. Bom apetite!

56

Élégant

E se você está na dúvida entre provar essa delícia ou ficar com o velho e conhecido sorvete tradicional, precisa saber de um fator relevante que com certeza vai contribuir para a sua escolha. Uma porção de frozen yogurt tem um valor calórico imensamente mais baixo do que a mesma porção de sorvete. “Posso dizer que não existem comparações nesse sentido. O frozen apresenta uma base com muito menos calorias do que a gordura e o açúcar encontrados nos sorvetes” relata Rossi. E para provar que a receita é mesmo deliciosa e vale a pena, siga as dicas do Chef de Cozinha Ronaldo Rossi e comprove.


Gastronomia

FONDUE

Para todos os momentos por Débora D. Dornella

58

Élégant


A

lém de ser delicioso, esse prato é uma ótima opção para reunir os amigos e compartilhar bons momentos. Quem nos conta um pouco sobre a origem da fondue e nos indica quais são os que fazem mais sucessos para você não errar na escolha, é o proprietário de um restaurante de fondue, Larri Antonio Tomasini. A fondue foi criado durante a segunda guerra mundial na Suíça. Como a região tinha um inverno rigoroso, os camponeses que moravam em partes mais montanhosas não conseguiam buscar alimentos na cidades. Como eles eram produtores de leite e fabricavam bastante queijo, aproveitavam os restos e colocavam no forno para derreter. Depois mergulhavam pedaços de pão no queijo derretido enquanto ele ainda borbulhava. Larri explica que apesar do seu surgimento ser rústico, a fondue se tornou uma comida refinada. Esse prato passou a ser servido, na década de 50, em Nova York pelo chefe Conrad Egli que, por sua

vez, criou a fondue de chocolate de sobremesa. Segundo Larri, as fondues mais pedidas são: - Fondue suíço (queijo), acompanhados por batatinha inglesa, pão cortado em cubinhos e goiabada. Os tipos de queijos utilizados para se fazer a fondue são os queijos gouda, gorgonzola, emental e gruyère. - Fondue Bourguignonne (carne): acompanhado por molhos, filé mignon, lombo de porco, peito de frango e entrecot. - Fondue de chocolate: acompanhado por frutas da estação. Pode ser degustado com waffer e merengue. O empresário diz que apesar de ser mais conhecido no inverno, a fondue é um prato que se pode saborear o ano inteiro. Faça a sua fondue e aproveite para conhecer restaurantes que sirvam esse prato. Desfrute de um bom bate papo e uma boa comida. E não esqueça de saborear a fondue de chocolate para adoçar sua vida.


Viagem

PATAGÔNIA um lugar inesquecível por Emerson Roberto

M

ais uma vez a Élégant segue a rota para um destino exuberante e diferenciado. Nessa edição, o local escolhido foi a Patagônia. Trata-se de uma região localizada entre a Argentina e parte do Chile, que abrange províncias dos dois lugares. Nela, encontra-se a cidade de Ushuaia, curiosamente chamada também de “Fim do Mundo”. Segundo o gerente de vendas Claudinei Villani, que esteve na Patagônia, esse lugar é repleto de diversidades ambientais, que mistura áreas desérticas, geleiras gigantescas e paisagens verdes. Villani escolheu essa região para visitar por preferir viajar para locais que reúnam lindos cenários e situações históricas. “A Patagônia é um exemplo desta união, pois apresenta uma fotografia deslumbrante, juntamente com os ensinamentos que se tem lá sobre o lugar”, garante. Para a pedagoga Milena Fiuza, o que mais lhe agradou no local, foi a geleira Perito Moreno e o seu imenso lago de cor azul turquesa. Além disso, ela não esquece o fato de o sol, nos meses de verão,

60

Élégant

brilhar intensamente até as dez horas da noite. A jovem, que a princípio viajou para a região preparada para enfrentar algumas dificuldades que pudesse vir a ter, se admirou ao chegar lá. “Fiquei surpresa com a estrutura turística e a conservação natural do local. E o povo é extremamente acolhedor. Em todos os lugares, encontrei pessoas dispostas a contar um pouco sobre o lugar e indicar os pontos mais interessantes”, recorda. A alimentação é de muita qualidade. A típica carne argentina tem o seu significado ainda mais verdadeiro na Patagônia. As fazendas que atendem aos turistas preparam carneiros frescos e muito saborosos. Há também cervejas das mais variadas marcas. Tanto a comida quanto a bebida possuem um grande diferencial: sabor e preço baixo. Os hotéis e pousadas são extremamente aconchegantes, desde os luxuosos até os mais simples. Calefação é item de série em cada um deles, pois os visitantes encontram dificuldades para aguentar o frio, mesmo no verão, sem um ambiente aquecido. A temperatura média no verão é de 10ºC. No


fotos: arquivo pessoal

inverno varia entre 0º C e 1º C. Também o vento, quase sempre procedente do Pacífico Sul, contribui para que a sensação térmica seja ainda menor.

Mas, independente do frio que acomete o lugar, diversão é o que não falta por lá. Existem excursões de turismo em Ushuaia que percorrem o Canal de Beagle até El Faro, Ilha dos Lobos, La Pinguinera e Estância Harberton. O Parque Nacional Terra do Fogo é a principal atração turística da cidade, onde se pode ter contato direto com a flora e fauna local. Outra alternativa é fazer uma viagem à Antártida, partindo do porto de Ushuaia, durante o verão. Os barcos cobrem 1.200 quilômetros em meio a geleiras, ilhas de abundantes pinguins, leões marinhos, elefantes e aves marinhas. E para quem gosta de esquiar ou quer ter uma primeira experiência, o lugar ideal é Cerro Castor. A temporada de esqui começa no final de junho e se estende até meados de outubro. Outras experiências como um jantar em uma fazenda, foi uma das inesquecíveis para o gerente de vendas. “Não apenas pela comida preparada na hora e com o tempero maravilhoso, mas pela vivência de passar um dia em uma fazenda, até mesmo com direito a um passeio à cavalo. Esse conjunto de eventos culminado com o jantar espetacular em um cenário indescritível, sem dúvida foi a experiência mais completa de toda a viagem”, lembra. Na Patagônia, pessoas com diferentes idiomas e cultura, ainda hoje, conservam seus mais antigos costumes. É importante ressaltar que por lá, tem-se os hábitos dos homens pampeanos, formados pela mistura de descendentes de imigrantes euro-

Élégant

61


peus com a forte cultura indígena. Portanto, não há motivos para se surpreender quando alguém convidar o visitante para se sentar em frente ao fogo, com uma cuia de chimarrão em mãos, chamado por eles de mate. Em questões naturais, ambientais e paisagens, o cenário é muito diferente do Brasil. Principalmente em relação às geleiras e ao ambiente desértico em alguns dos seus pontos. Outra grande diferença está na forma como a população local entende e valoriza a educação. Para quem quer conhecer a Patagônia, Milena

62

Élégant

sugere que se estude muito sobre o local a fim de saber mais sobre a sua história e os seus pontos turísticos. “Quando desembarcamos no referido lugar, parece que ‘algo familiar’ nos acolhe. O fato de estudarmos mostra certo respeito e interesse por ele, o que proporciona uma experiência singular”, aconselha. Além disso, lembre-se de escolher qual a melhor época para a visitação. Segundo a pedagoga, no verão, a paisagem é fantástica, por reunir um sol brilhante e temperaturas agradáveis. Gostou das dicas? Então prepare as suas malas e faça uma ótima viagem.


Informe Publicitário fotos: divulgação

O melhor da Gastronomia Argentina

O

Restaurante Ávila, dirigido pelo empresário Guillermo Ávila, tornou-se uma das casas mais movimentadas da cidade de São Paulo, assim como ponto de encontro de personalidades políticas, artísticas, culturais e amantes de uma culinária artesanal. Detentor de importantes prêmios gastronômicos ao longo de sua trajetória, continua a inovar em seus pratos e mostrar o fantástico universo que acompanha admiradores de pratos que se tornam ícones em momentos comuns ou importantes de quem frequenta restaurantes. Em um ambiente clássico, com ares de modernidade, pode-se notar a intenção aconchegante do local, através de sua decoração única. Com uma Adega promissora em rótulos dos mais honestos, variados e importantes vinhos do mundo, os pratos ainda podem ganhar um nobre sabor aliados a uma escolha harmonizante. Simpatia, dedicação, experiência e atenção personalizada, são características da equipe de atendimento, que fazem uma verdadeira sinfonia alinhados com os propósitos do Restaurante Ávila. Agora uma dica sobre um dos pratos de maior sucesso desta Casa escolhida pelo paulistano como extensão de seus momentos de prazer gastronômico:

Ojo de Bife Ingredientes: 1 peça de Contra Filé inteira Sal grosso a gosto Modo de Preparo: - Na peça inteira do Contra Filé, separar o coração da capa superior; - Medir com a palma da mão o coração do Contra Filé e cortar; - Cada porção será de 400g (aproximadamente); - O carvão deverá ser aceso 1/2 hora antes, até que vire brasa; - Pincelar a grelha com azeite; - Colocar o Ojo de Bife e acrescentar sal grosso; - Grelhar a uma distância de 25/30cm do braseiro forte durante 15 minutos; - Em seguida, servir;

Rua Bandeira Paulista, 524 Itaim Bibi - São Paulo (SP) Tel: (11) 3167-2147 www.restauranteavila.com.br

Élégant

63


Viagem

Viajar pela França N

a Idade Média, em meio a uma filosofia teocentrica, era comum que se dissesse na Europa: Paridisius Mundi Paris. Essa descrição latina de Paris como o paraíso do mundo atravessou os séculos e chegou com glamour aos nossos dias. Na capital da França, você não pode deixar de conhecer aqueles monumentos para inglês ver, como a Torre Eiffel, o Museu de Orsay, o Centro Georges Pompidou, o Museu do Louvre e a Catedral de Notre Dame. Os franceses sempre tiveram problemas com os ingleses e vice-versa; é um problema histórico e histérico. E é por isso que muitos desses monumentos foram erguidos para rivalizar como os ingleses. Depois de uma caminhada turística, procure por lugares frequentados pelos próprios parisienses, como o bairro Montmartre, onde você verá os verdadeiros artistas plásticos, mas um detalhe: se eles vierem lhe vender suas obras, ou compre ou não diga nada, muito menos a nossa gentil “boa sorte”, eles odeiam. Ali também você vai encontrar be-

64

Élégant


los bares, legítimos refúgios de imigrantes. Ande sempre de metrô. Os táxis são caríssimos! De Paris, pegue o TGV, o trem-bala, e vá a Lyon, Bordeaux, Avignon, Lille, Marseille e no extremo norte do país, na região da Bretanha, onde ficava a Gália. Lembram-se de Asterix, personagem dos quadrinhos de Goscinny e Uderzo? Pois é, ali se passou a história mais intolerante para a expansão do império romano. Hoje Lyon é atrativa pelas universidades e pelos festivais de música e arte. Avignon é outro destino importante. Essa cidade foi um importante pólo religioso na Idade Média. Foi residência papal entre 1309 e 1377 e responsável pelo que se chamou de “Grande Cisma do Ocidente”, momento em que a Igreja se dividiu, estabelecendo dois papas, um em Roma e outro em Avignon. Lille é a porta para boa parte da Europa, através do Canal da Mancha e da Bélgica. Sua região metropolitana inclui algumas cidades belgas, como Mouscron, Courtrai, Tournai e Menin. Marseille ou Marselha, a mais antiga cidade francesa, fundada pelos gregos em 600 a. C. pertenceu ao império romano, aos napolitanos e depois, anexada a

França. Na revolução de 1789, cerca de 500 marselheses, guiados por Rouget de Lisle, avançaram sobre Paris, cantando uma canção conhecida como “La Marseillese”, que depois virou o hino nacional da França. A Bretanha é uma região minúscula ao norte da França, mas de importância histórica e estratégica muito maior que seu território. Essa deve ser a região que mais deu dor de cabeça aos franceses e ingleses. Foi fundada por bretões que fugiram da ilha (Grã-Bretanha) devido aos ataques dos anglo-saxões. Ali, se instalaram e levaram todos os seus costumes, língua, hábitos e religião. O curioso é que se fala até hoje uma mistura de celta, gaulês e francês. Bordeaux é a capital da região da Aquitânia e de lá, o passeio começa com um bom vinho, produzido por ali desde o século VIII. Depois, uma caminhada pelos mais de 5 mil monumentos barrocos. A França vale, como já diziam os europeus, uma boa missa.

Mauricio Monteiro Musicólogo


Viagem

Estrangeirismo e purismo I

magine a cena: no meio do corredor de um shopping qualquer, alguém, distraído, olha ao seu redor e, por um instante, acha que foi teletransportado para os Estados Unidos. Nas vitrines, (quase) tudo vem escrito em inglês: sale, store, 40% off, push, free... Se este distraído for dotado de brios patrióticos, vai subir numa mesa da praça de alimentação e fazer um discurso inflamado contra a deturpação da nossa língua, a invasão de palavras estrangeiras, o imperialismo cultural, que deveria haver uma lei contra isso, e assim por diante. Entretanto, antes de atrapalhar o lanche dos outros e ser carregado para fora pelos seguranças, convém analisar este fenômeno chamado estrangeirismo, especialmente no que tange à questão de ser regulado por lei. Estrangeirismo é, para os gramáticos, um vício de linguagem que se caracteriza pela utilização de termos importados de outros idiomas no lugar de palavras em português. Aqui, a regra é simples: quem tem mais cacife impõe sua influência cultural. Hoje são os norte-americanos os donos da bola. No século XIX, eram os franceses e, pelo andar da carruagem, os próximos devem ser os chineses. Os puristas insurgem-se contra este proces-

Alexandre Böhm Professor de idiomas

www.tradutore.com.br

66

Élégant

so numa suposta defesa da língua pátria. Ocorre que o empréstimo de palavras estrangeiras por um idioma é natural e desejável por ser enriquecedor. A língua é viva e, por isto, sofre influências e, ao mesmo tempo, influencia outras línguas. O grau de influência, claro, varia conforme o poderio que vem por trás do idioma. Mas, mesmo assim, há este canal de mão dupla. E, exatamente por ser viva, uma língua não pode ser controlada por leis, de cima para baixo. Talvez, temendo a punição legal, sumam das vitrines os cartazes de SALE e apareçam os escritos OFERTA. Porém, isto não quer dizer que o “ataque” ao português esteja controlado, no máximo sua faceta mais deslumbrada e exagerada. A necessidade fará com que os termos estrangeiros continuem a ser empregados e adaptados por nós, os usuários da língua. Muitas das palavras que usamos hoje já foram consideradas estrangeirismos, mas com o tempo e o uso foram “aportuguesando-se” na grafia e pronúncia: futebol, piquenique, blecaute, maiô, abajur, x-salada, só para citar algumas. O aportuguesamento destas palavras deu-se naturalmente. Entretanto, já houve tentativas de impor este processo. No final do século XIX, o gramático Antônio de Castro Lopes atacava as palavras importadas e dava alternativas que, segundo ele, seriam mais condizentes com a formação histórica e etimológica do português. Assim, ele afirmava que se deveria usar lucivelo ao invés abat-jour, ludopédio no lugar de football, e convescote, e não picnic. O purismo à força, percebe-se, não funciona. Ao fim e ao cabo, a questão fundamental é haver bom senso, tanto dos que usam e abusam dos termos estrangeiros, quanto dos que querem isolar o português numa redoma de pureza impenetrável.


Economia&Negócios

IMÓVEIS uma ótima opção para investir por Débora D. Dornella

O

s imóveis estão cada vez mais valorizados, e para deixar você, leitor, por dentro do assunto, a Élégant entrevistou o empreendedor Fabricio Stefani Peruzzo. Existem inúmeras maneiras de investir em imóveis, algumas mais fáceis e outras que exigem mais conhecimento e trabalho. Têm-se opções como construir ou comprar na planta para revender, adquirir novos ou usados para alugar, obter imóveis em más condições para reformar e revender ou ainda optar por imóveis em leilões. Segundo o empreendedor, o maior risco do inves-

68

Élégant

timento imobiliário é o desconhecimento dos diversos desdobramentos que podem ocorrer, pois cada tipo de negócio é diferente. Peruzzo cita como exemplo, a compra de imóveis na planta para ser revendido com lucro antes de assumir o financiamento do saldo devedor. Nessa particularidade, compra-se um apartamento na planta e negocia para pagar prestações mensais, que somadas, completam 30% do valor do imóvel até a sua entrega. Nesse momento, é necessário assumir um financiamento do saldo devedor. A estratégia mais usada para fazer com que o imóvel


lucre é vendê-lo antes de assumir o financiamento. Como o imóvel valoriza ao longo da construção em relação ao valor total, é possível duplicar o investimento em dois anos, que é o prazo mais comum para esse tipo de construção. Mas também pode acontecer de o imóvel não ser vendido facilmente, nesse caso é preciso assumir o financiamento no final. Por isso, o especialista alerta que muitas pessoas que investem dessa maneira não têm condições de assumir o financiamento e como consequência precisam entregar a obra de volta para a construtora, acabando por perder boa parte do que foi investido. O conhecimento é um fator muito importante para o negócio, quanto mais se tem, mais retorno pode obter. Perruzo acredita ser possível dobrar o investimento no prazo de um a dois anos, e que o mais comum é conseguir uma rentabilidade média anual de 30%, o que é muito lucrativo se comparado com investimentos tradicionais. Alugar ou revender pode ser igualmente rentável, a escolha depende do objetivo do investidor. Arrendar gera renda mensal e aumento patrimonial com a valorização dos imóveis ao longo dos anos, enquanto revender origina retorno financeiro mais rápido. O empreendedor mantém uma estratégia de construir para revender como início dos investimentos e cultiva também algumas unidades para aluguel. Seu objetivo é, depois de alguns anos, conseguir manter uma média de 60% sendo construído para vender e 40% mantido para alugar. Como os imóveis são usados para formação de patrimônio, é considerado um investimento de longo prazo. Melhores resultados são obtidos quando se tem um bom plano de investimento que envolva o reinvestimento dos lucros em cada giro imobiliário, mas também é possível fazê-los em menores prazos, como em um ou dois anos. Para investir é necessário pesquisar muito, participar de grupos de discussão e também conhecer outros investidores que tenham mais experiência. Mas, é preciso ter alguns cuidados e principalmente conhecer antes de acreditar no que o vendedor diz

ser um bom negócio, pois mesmo que ele fale bem do que está vendendo, a responsabilidade dos contratos sempre será do comprador. Outro cuidado é conhecer a região em que o imóvel se encontra, pois caso contrário o investimento poderá ser um fracasso. Segundo o especialista, o pequeno investidor não deve correr o risco e querer fazer tudo por conta, por isso ele aconselha a contratação de uma boa administradora de imóveis. No entanto, o serviço é considerado muito caro por algumas pessoas o que, de acordo com Peruzzo, esconde o maior problema dos investidores desse ramo, pois compram um imóvel por um valor acima do que ele vale, alugam pelo valor real de mercado, obtendo, por consequência, retorno mínimo. Por isso o empreendedor acredita que uma boa imobiliária pode contribuir muito na hora de alugar e vender, mas também é preciso deixar claro que existem maus profissionais que podem atrapalhar ao invés de ajudar. “Infelizmente não há atalhos, acabaremos conhecendo muitos picaretas junto dos excelentes corretores que atuam na área. Cabe a nós sermos fiéis aos que provam na prática o seu valor”. Para concluir, o empreendedor diz que muitas pessoas preferem o investimento em imóveis a outras aquisições, pois estes são investimentos ideais aos que não querem perder tempo. Para quem deseja começar a atuar nesse ramo, ele aconselha a investir no papel. “Adquira um imóvel na planta, simule os pagamentos mensais ao longo dos dois a três anos da construção. Quando a obra estiver concluída, vá até o registro de imóveis da sua cidade e peça pela cópia da matrícula referente àquele imóvel para saber por quanto ele foi vendido depois de pronto, então compare com seu investimento no papel e analise se seria um bom negócio. Repita esse processo várias vezes, assim ganhará experiência e conhecimento de mercado para poder investir com lucro e segurança. Outra opção é terceirizar o investimento, uma boa alternativa para quem pretende não se preocupar com a administração e ainda lucrar com segurança”. Se quiser saber mais sobre o assunto, o profissional aconselha o site: investimentoemimovel.com.br.

Élégant

69


Economia&Negócios

Inflação O dragão desconhecido por Deni Guimarães

C

om o surgimento da moeda, apareceu a inflação. Desde a primeira revolução agrícola as necessidades tornaram-se mais complexas. Por conta do desenvolvimento e sobrevivência de grupos sociais sedentários, surgiram as moedas mercadorias e os sumérios, habitantes da Mesopotâmia, foram os primeiros a usá-las. Mas a inflação tornou-se um problema quando os governos passaram a emitir moedas de maneira excessiva para financiar seus gastos com guerras. Durante a Guerra dos Cem Anos, a taxa de inflação anual chegou a 100%. A taxa de inflação é uma variação positiva em um índice de preços por um determinado período. Por exemplo, se esse índice de preços aumenta de 150 para 156 pontos em um ano, temos uma taxa de 10%. Ou seja, a inflação é um movimento ascendente dos preços dos principais bens e serviços de uma economia. É usada para transformar valores nominais em ganhos efetivos. Mas vamos lá, ainda não ficou claro não é mesmo? O que realmente é a inflação? Por exemplo, um trabalhador teve reajuste no salário de 10%, mas a inflação anual para o consumo foi de 6,5%. Qual o ganho real desse aumento? Divide-se o ganho nominal pela taxa de inflação, e obtém-se o valor do ganho real: (1,100/1,065 = 1,0329), em porcentagem, 3,29% anuais. Essa é a porcentagem do poder de compra do trabalhador corrigido pela inflação. O índice de preços citado anteriormente refere-se a vários bens e serviços da economia. O nosso principal indicador, oficialmente utilizado pelo governo, é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mensurado pelo IBGE. Para chegar nesse indicador são levadas em consideração as famílias com rendimentos mensais entre um e 40 salários mínimos, residentes nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São

70

Élégant

Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Goiânia. Os principais itens que compõem o índice de inflação, são os seguintes: alimentação e bebidas, habitação, artigos de residência, vestuário, transporte, saúde, entre outros. Simplificando ao nosso amigo leitor, a taxa de inflação é um aumento generalizado dos preços na economia, que têm sua origem em três fatores básicos: demanda, oferta, e contratos. Se a demanda é maior do que a capacidade produtiva, a taxa aumenta. Se os custos de produção aumentam por conta da supervalorização da matéria-prima, a inflação novamente se eleva. E também no caso da indexação de preços via contratos de bens, serviços ou trabalho. O site do Banco Central (bcb.gov.br) pode ser usado para acompanhar os índices de preços dos órgãos oficiais. Atualmente, a taxa anualizada está em 6,55%, porém no regime de metas para o Brasil o limite superior é de 6,50% para dezembro de 2011. Isso fará com que o Banco Central adote medidas de contenção de crédito para controlar o processo inflacionário desse ano. Lucas Dezordi, Economista e Professor na Universidade Positivo, afirma que no próximo ano não será possível que o Banco Central aplique eficientemente a meta de 4,5%, pois três fatores agem de maneira contrária: • O mercado de trabalho está aquecido e há escassez de mão-de-obra, o que fará com que os sindicatos negociem aumento de salário; • Em 2012 o salário mínimo aumentará em 14% e pressionará os gastos do governo; • O país precisa ampliar de maneira expressiva seus gastos em infraestrutura para a Copa do Mundo e Olimpíadas. “Todos esses fatores irão contribuir para o aquecimento da economia e por pressões inflacionárias. Neste contexto, é necessária a cobrança de medidas antiinflacionárias. Cuidado, o dragão da inflação ainda está vivo!”, alerta Lucas.


Economia&Negócios

Água de beber

O

homem já foi à Lua, já desceu ao fundo do mar e inventou engenhocas que nunca se imaginaria existir. Mas ainda há coisas que o ser provido de inteligência não conseguiu desvendar ou solucionar: o que é essencial à vida neste planeta azul. Azul porque 71% do globo terrestre é composto de água e ela é que mantém nosso ecossistema a pleno vapor. A água, fonte de vida e saúde do nosso planeta é um bem não renovável como o petróleo, que já gerou e ainda gera tantas discórdias e guerras. Por nossa pura sorte, ela ainda existe em abundância em alguns países e o Brasil é um desses sortudos. Temos um grande aquífero em nossas terras*. Andamos recebendo visitas de países vizinhos que dizem vir para cá praticar a boa vizinhança e manter alguns acordos já em andamento. Mas sabe aquele seu vizinho que sempre que tem uma oportunidade dá uma espiadinha na sua casa para ver o que tem de bom lá? Pois então, aos menos atentos fica um alerta: a nossa água é muito preciosa, e aquilo que tem grande valor atrai a atenção alheia, pois é algo que tem papel importante na economia mundial e em todos os setores. Estima-se que perto de 2025, mais da metade da população mundial sofrerá com a falta de água potável. Quantas vezes passamos pelas ruas e vemos pessoas lavando calçadas distraidamente com nossa custosa água tratada e potável? Quando se tem algo em abundância geralmente não se dá valor. Entretanto, é só começar a escassear que se percebe a falta que faz. Normalmente nesses meses de seca, isso acontece com mais frequência e as pessoas ainda assim lavam suas calçadas “distraidamente”. Uma coisa legal hoje em dia é que as crianças já estão, desde pequenas, aprendendo a valorizar isso e outras coisas para melhorar a qualidade de vida e salvar nosso planeta. * O Aquífero Guarani é o maior manancial de água doce subterrânea transfronteiriço do mundo. Está localizado na região centro-leste da América do Sul. Sua maior ocorrência se dá em território brasileiro (2/3 da área total), abrangendo os estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

CURIOSIDADES A água é uma substância química composta de hidrogênio e oxigênio, sendo essencial para todas as formas conhecidas de vida. Cobre 71% da superfície da Terra. Os oceanos contêm 97,2% da água da Terra. A hidrologia é o estudo do movimento, distribuição e qualidade da água em toda a Terra. O estudo da distribuição de água é a hidrografia. O estudo da distribuição e circulação de águas subterrâneas é hidrogeologia, das geleiras é glaciologia, das águas interiores é limnologia e da distribuição dos oceanos é a oceanografia. A ecohidrologia é o estudo dos processos ecológicos relacionados com hidrologia. Fonte de pesquisa:Wikipédia

Carla Portinari Gestora de Agronegócios


Economia&Negócios

Twitter no trabalho como evitar problemas desnecessários

A

rede mundial de computadores nos acompanha em todos os momentos do dia, desde as rotinas de trabalho até os momentos de lazer, basta que tenhamos à mão um terminal de acesso. A linha divisória entre a vida profissional e a vida pessoal já não é mais tão clara. Nesse contexto, as redes sociais se configuram como a mais nova “dor de cabeça” do mundo corporativo. O Twitter, por exemplo, o novo “queridinho virtual”, ao mesmo tempo em que é uma eficaz ferramenta de comunicação empresarial pode ser um grande foco de distração para os funcionários. O segredo para o bom uso é adotar uma postura adequada aos padrões da empresa e, assim, evitar problemas profissionais.

1 - O Twitter é ambiente público Trata-se de uma ferramenta veloz com largo alcance. Por isso, pense bem antes de postar uma mensagem. O que se “twitta” ganha grande visibi-

lidade e a repercussão é sempre amplificada. Estamos expostos, tanto para admiração como para críticas.

2 - Opiniões fortes sobre assuntos polêmicos No Twitter é natural discutir ideias. É sempre bom, no entanto, tomar cuidado com comentários sobre temas polêmicos – como religião, política e opções sexuais. Uma opinião extremada pode ferir valores alheios.

3 - Fofoca que sufoca A fofoca nunca é recomendada. Ninguém ganha pontos ao ficar depreciando uma pessoa. Você acaba sendo visto como aquele que vive falando mal dos outros e estraga a própria imagem.

4 - Foque em informações gerais Evite escrever informações precisas sobre o que se está fazendo, mesmo que seja essa a proposta inicial do Twitter. Dependendo da profissão, isso pode gerar problemas. Profissionais que trabalham em casa, por exemplo, perdem a credibilidade ao postarem que dormiram até mais tarde ou foram passear.

5 - Não fale mal do próprio emprego

divulgação

Daniela do Lago Mestre em administração

72

Élégant

com foco em Comportamento Organizacional e atua como coach executivo. www.danieladolago.com.br

Não se deve falar mal da empresa na internet em hipótese alguma. Além de ser horrível, tal atitude acarreta perda de respeito e confiança das pessoas com quem interage. Claro que um comentário ocasional não vai provocar grandes estresses. Mesmo assim, fique atento. Se não conseguir se “conter“, pense e procure escrever frases menos objetivas de forma que ninguém possa ligar os fatos à empresa.


Motivação

Estabeleça compromisso com o impossível Q

uando traçamos nossos objetivos, às vezes pensamos em passos curtos em terreno onde possamos nos sentir seguros e ter o controle de tudo. Aprendemos algo com estes passos, mas não o suficiente e o necessário para satisfazer o que está em nossa imaginação. Estabelecer compromisso com o impossível é interessante, pois vai lhe conduzir de uma maneira diferenciada e com realizações além das expectativas. A dúvida pode recair em: “como pensar num compromisso com o impossível, talvez eu nem chegue lá...” Talvez nem chegue, mas quando alguém resolve realizar algo além de suas possibilidades momentâneas, precisa pensar e agir fora de seus limites. É neste momento, enquanto estes pensamentos e atitudes vão além, que fatos acontecem para abrir novos horizontes. Por mais instruído que seja qualquer mestre, ele começou com o ABC. O que transformou este mestre foi a constância de ações rumo ao aprendizado sem limites, que fez desenvolver sua sensibilidade, intuição e resultados como pessoa. Quando partir para algo na vida, escolha como objetivo algo impossível e comece a descobrir o que seria necessário para conseguí-lo. Inicie de

maneira simples, mas constante, descubra o novo em cada suspiro desta trajetória. Muitas pessoas que saíram em busca de um destino, terminaram descobrindo que ele não estava tão longe delas, mas para isto tiveram de elevar seus olhos para além de sua área de atuação. Talvez não chegue ao impossível, mas irá descobrir muitas coisas possíveis, que pareciam distantes, bem próximas de você. E graças ao seu empenho e a sua busca, vai encontrar as inspirações mais importantes para sua vida. Melhor que chegar ao destino é decifrar o caminho.

Cesar Romão

Escritor e consultor organizacional www.cesarromao.com.br


Direito

Compras por internet

A

internet, cada vez mais presente nos lares brasileiros, nos permite passear por corredores de lojas, supermercados e shoppings sem sair do sofá. Mas cuidados devem ser tomados. Em regra, temos valores mais atrativos para compras pela rede, isso se deve pela inexistência de loja física para atendimento, atendentes, caixas. Resumindo, fazemos tudo sozinhos, desde escolher a mercadoria, pagar e escolher a forma de entrega. Aqui reside o maior perigo.

Maicon Guedes

Doutorando em Direito na Universidade de São Paulo. Mestre em Direito pela UFPR. Professor de Direito da Universidade Positivo. Advogado. maiconguedes@gmail.com ou tel.: (41) 3078-8196.

74

Élégant

Justamente por conta dessa facilidade de se fazer tudo, podemos acabar comprando algo que não corresponde às nossas expectativas, pois não tocamos, não testamos. A impressão passada pela propaganda pode ir além da conta nos atributos e prometer algo que não se cumpre ou que em nosso imaginário preencherá sonhos. Lembre-se que na Loja perguntamos ao vendedor e retiramos dúvidas. Faça o mesmo no site antes de fechar a compra. Os sites dedicados às compras possuem espaço para perguntas que são respondidas on-line por chat, ou posteriormente por e-mail. Há ainda espaço para o FAQ (perguntas mais frequentes), ali se tira dúvidas mais comuns a todos os interessados. Pode ainda analisar comentários de compradores anteriores e analisar se aquele produto quando usado correspondeu ao impulso/necessidade de consumo. Se tudo acima foi realizado e mesmo assim o produto recebido não agradou e não funcionou como pretendido, você tem sete dias para devolvê-lo, e receber imediatamente o valor pago, integralmente. Isso não vale apenas para compras por Internet, mas também para compras realizadas por telefone, catálogos, vendas porta a porta. Em suma, compras realizadas fora do estabelecimento comercial. Caso o estabelecimento não queira receber o produto (importante que a devolução se dê com todas as embalagens e com o produto em estado de novo), notifique a empresa, de preferência com carta informando que está exercendo seu direito de arrependimento previsto no Código de Defesa do Consumidor e colhendo a assinatura de um representante do estabelecimento, melhor quando essa ciência se dá pelo próprio gerente. No entanto, em compras a distância, guarde o produto na embalagem, inclusive com o material de proteção no qual veio revestido e ligue para a empresa, se puder, grave a ligação. É obrigação da empresa gravar, mas por vezes o registro é perdido. Mande e-mail, informando todos os dados da negociação, como e quando comprou e que deseja devolver imediatamente com ressarcimento do valor pago. Ainda assim, se a empresa se negar a receber o bem, procure o Procon ou um advogado. As multas para descumprimento desse direito do consumidor são altas e fazem com que estabelecimentos, quando se veem irremediavelmente notificados, aceitem a devolução do bem e procedam o ressarcimento dos valores já pagos.


Cultura

Q

uando eu era criança a hora do Jornal Nacional era “a hora” do Jornal Nacional. Pai sentado no sofá, ar solene, todos jantados e de banho tomado. Depois: novela. Era como se meus pais se revezassem na preferência do que assistir. Sim, porque há mais de trinta anos não existiam centenas de canais para escolher e não tínhamos uma televisão em cada cômodo da casa. Meu pai, então, abria o jornal (impresso, nada de iPad) e ficava de corpo presente e cabeça longe quando começava a novela. Minha mãe de olhos colados no aparelho, e eu acompanhando tudo isso com uma distância que só a infância proporciona. Essa dinâmica diária fazia parte da rotina da família. Na maioria das vezes eu ficava desenhando. Seis, sete, oito meses se passavam e a novela mudava: novo nome, história seminova, velhos atores, mesma rotina. As novelas modificaram um pouco, o telejornal quase nada. O que mudou na verdade foi a rotina. O preto-no-branco de antigamente vem sendo substituído de maneira quase instantânea por um mundo com diversas nuances nada claras. Leio um jornal online com notícias sendo atualizadas no momento do acesso. E o que acontece (sendo bem, mas bem simplista mesmo), é que a gente perdeu a “hora da novela”. É claro que a novela em si não é o ponto importante dessa história. O ponto principal é perceber que não há mais “hora” e talvez nem mais “lugar”. Ouvi um dia desses um jornalista experiente comentando que existem jornais impressos cuja única informação correta que apresentam é a data, e que alguns jornais circulam no sábado com a data de domingo. Conclusão: nem a data está certa! Estão sendo “atropelados” cronologicamente por este mesmo consumidor que quer a notícia de amanhã, hoje. Posso dizer com certeza que grande parte do que assisto hoje de conteúdo audiovisual tem o horário determinado por mim. Não há mais uma “hora da novela”. Deixo o DVR (Digital Video Recorder) programado e quando chego em casa o que eu quero assistir está lá me esperando. Bateu saudades de um vídeo antigo? Não há YouTube que não o ache.

Mãe! Tá na hora da novela!

E se ainda não bastasse, há uma proliferação de canais de TV (dessa tradicional mesmo) que estão agora reprisando programas de 15, 20 anos atrás, e sim, eu os assisto também. Seja pela nostalgia ou para ver que o mundo não mudou tanto assim quando me pego dizendo “Nossa, isso continua igual”. O que não continua igual é a maneira como toda essa informação chega até nós, influenciando no nosso modo de conviver até mesmo em família. Ou você ainda (com seu laptop, iPad, smartphone e toda essa informação flutuando, e disponível, no ar ao mesmo tempo) senta para sua “hora da novela”? Hoje continuo chamando a minha mãe, mas pelo MSN e para que ela veja o “último” viral engraçadíssimo (que amanhã será substituído por outro) e que deixou a novela lá, quase que esquecida, disputando espaço entre as várias outras janelinhas.

Patrick Diener

Pós-graduado em Comunicação Audiovisual, mestrando em Estudos do Cinema, diretor e apresentador de TV

Élégant

75


Cultura

HQ e Mangá

as histórias em quadrinhos que conquistaram o mundo por Leidinara Batista

H

istórias em quadrinhos provavelmente fizeram parte da sua vida em algum momento. Na infância era comum pais presentearem os filhos com revistas de super heróis ou da Turma da Mônica, por exemplo, para incentivar as crianças a adquirirem desde cedo o gosto pela leitura. “Leio quadrinhos desde criança, sempre fui incentivada por minha mãe e sempre vi meu irmão lendo. Cresci lendo quadrinhos da Turma da Mônica, depois passei a ler os quadrinhos do meu irmão, do Superboy e Superman. Mais tarde comecei a ler os Mangás dos Cavaleiros do Zodíaco e hoje ainda leio bastante as histórias da turma da Mônica Jovem”, conta a carioca Letiery Fonseca, de 27 anos. Apesar de parecerem pertencer ao mesmo grupo, as Histórias em Quadrinhos, carinhosamente chamadas de HQ’s são diferentes dos Mangás. HQ é o termo que referencia as histórias em quadrinhos americanas como Superman, Batman e X-Men, por exemplo. Na maioria das vezes abrangem temas de super-heróis e tratam-se de histórias isoladas, abordadas em volumes. No Brasil as HQ’s nacionais mais lidas são as de Maurício de Sousa. A Turma da Mônica, criada na décadas de 60, é o maior sucesso do ramo no país, em todos os tempos. Já os Mangás são histórias japonesas, baseadas nos costumes orientais, em períodos medievais, robôs, futurismo, entre uma variedade de assuntos. As histórias são mais complexas e seguem em capítulos, ao invés de volumes. Os traços são inconfundíveis para os ocidentais, eles são lidos de trás para frente, o que é comum nos países orientais. Alguns dos clássicos são: Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco, Street Fighter, One Piece, Death Note e Lobo Solitário.

76

Élégant

Ambas têm um grande público cativo, que pode variar de acordo com a faixa etária de seus leitores. A comerciante Mitie Taketani é proprietária de uma loja especializada nesses produtos, em Curitiba, e conta que o Mangá tem a procura de um público mais jovem, de oito a 25 anos. Já as HQ’s em geral são procuradas por pessoas mais adultas. E ainda afirma que apesar de ambos possuírem um público fiel, nos últimos anos é visível o aumento dos fãs de Mangá. E o que torna um Mangá ou HQ valioso? Mitie explica que pode ser valioso pela qualidade artística: arte e roteiro ou simplesmente pela raridade no mercado. “Existem os quadrinhos que poderiam ser chamados de ‘clássicos’ ou de leitura necessária, que várias gerações já leram e que continuam sendo procurados, sendo que muitos títulos já estão esgotados, como: Batman-Cavaleiro Das Trevas (Frank Miller), Sandman (Neil Gaiman), ‘V’ De Vingança (Allan Moore/David Lloyd), Lobo Solitário (Kazuo Koike/Goseki Kojima) e Akira (Katsuhiro Otomo). Atualmente um dos títulos mais vendidos é Naruto (Masashi Kishimoto)”. O curitibano Anderson Latenik, 25 anos, é um desses apaixonados por Mangás. Segundo ele, o que mais lhe atrai são os enredos das histórias, os traços dos desenhos e as temáticas de cada edição. Ele coleciona as histórias do heroi japonês Naruto, trata-se um menino que sonha em se tornar guerreiro, mas que guarda um terrível segredo: quando bebê teve um monstro aprisionado em seu corpo, o que faz com que os habitantes da vila onde mora o vejam como amaldiçoado. A história desse aspirante a ninja e seus amigos Sasuke e Sakura se tornou um dos animes mais vistos no mundo.


Anime

Anime é o desenho animado japonês. O desenhista e professor de um curso de Mangá, Fulvio Pacheco explica que o Mangá que conhecemos hoje, dos olhos grandes, surgiu meio que paralelamente ao anime, uma das características desta linguagem é que a versão é animada quase que no mesmo tempo do quadrinho. Ele afirma que o desenho do Mangá se torna mais bonito visualmente e por isso mais fácil de se aprender os traços. “O Mangá tem uns macetes que deixam o desenho bonito sem muita dificuldade. Como o formato dos olhos, a forma dos reflexos brancos, formatos de cabelos, mãos e pés grandes. Às vezes o desenho é bem simples, mas estes pontos certinhos fazem dele um desenho ‘bonito’. Um dos motivos de muitos desenhistas amadores fazerem bons desenhos de forma mais rápida. Mas o problema maior é criar um desenho com personalidade e fugir da cópia de um estilo já manjado”, explica ele.

Élégant

75


Cultura

Comunix TV

Especial como você! por Deni Guimarães

T

udo começou com um simples computador. A ComunixTV, novo canal de televisão interativo do Brasil, idealizado pelo comunicador Beto Ferreira, cresceu e tornou-se uma emissora, que estará no ar a partir de agosto.“O objetivo é que possamos ampliar a interação entre as pessoas, despertando a conscientização da sociedade e valorizando seus setores especiais”, cita Beto Ferreira. O canal despertará a atenção de todos que o assistirão, pois terá diferenciais como conteúdos de outros países, trazendo a diversidade cultural. E ainda trabalhará com o Terceiro Setor levando programas com temas mais próximos da sociedade, para mostrar que essa interação é o princípio fundamental e essencial para a ComunixTV.

A exibição será através de variados sinais. Além da TV por internet, será transmitido por meio de TV a Cabo, UHF e Parabólica. “Isso nos permite uma abrangência ainda maior, pois atinge outros continentes”, afirma o presidente que está otimista com essa nova fase. “No momento este é o maior desafio do Grupo (Grupo Beto Ferreira), pois a ComunixTV é dinâmica e rápida. Ficamos sempre ansiosos, mas tenho certeza de que o resultado será satisfatório”. As expectativas sobre essa nova promessa midiática são as melhores possíveis para os colaboradores e idealizadores, todos estão semeando ações positivas e estão certos de que alcançarão os objetivos de um canal promissor como a ComunixTV.

“O objetivo é que possamos ampliar a interação entre as pessoas, despertando a conscientização da sociedade e valorizando seus setores especiais”, Beto Ferreira, presidente da Comunix TV

78

Élégant


Tom Maior fotos: Daniel Castilhos

Uma história diferente por Jéssica Tokarski

“R

aiou o sol que haja luz no novo dia a voz da fé é a sombra que te guia”, o hit que já fez tanto sucesso está de volta na voz encantadora da cantora Deborah Blando. Ela volta aos palcos com a proposta de interpretar canções que revelam seu DNA artístico, com um instrumental reduzido e sofisticado e despida de qualquer artifício, Deborah tem o propósito de mostrar a música nua e crua em seu novo show acústico. A italiana, nascida na Sicília, veio para o Brasil com seis anos de idade, mas nesta época ela já cantava e emocionava. Seu interesse pela música surgiu aos três anos, através da influência dos primos que tocavam em uma banda. Eles a colocaram em uma competição na Itália para crianças de dois a doze anos, e a pequena destacou-se ficando entre os dez finalistas de todo o país. “Nesta ocasião, me perguntaram o que eu queria ser quando adulta e eu respondi: ‘Você não está vendo que eu sou uma

80

Élégant

cantora? ’”, relembra. A partir daí, seu talento só aumentou cada vez mais. Da Itália para o mundo, Deborah canta músicas em diversas línguas, passando pelo idioma de seu país natal, aventurando-se pelo inglês e conquistando também através do português. A cantora afirma que se sente bem interpretando de todas essas formas, pois cada uma possui sua beleza e particularidade. Ao tornar-se conhecida internacionalmente, viajou para diversos países, descobriu várias culturas e comportamentos e é com convicção que afirma que o melhor povo é o brasileiro. Talentosa e polivalente, a italiana além de cantar e compor, também já passou pela experiência de atuar. Apesar de sua preferência ser a área musical, ela ainda sonha em um dia fazer cinema. Mas, atualmente seu foco está totalmente voltado para o novo show, onde canta suas músicas favoritas, as que lhe influenciaram e ainda alguns de seus


muitos sucessos. A ideia deste acústico é antiga e surgiu através da sua vontade de tocar com poucos instrumentos. “Já havia feito este formato no show italiano Salvatrice e funcionou muito bem. Então, resolvi fazer novamente com o meu parceiro e amigo Alexandre Green”, conta Deborah. Além desta nova etapa, a compositora ainda possui outros projetos, dentre os quais o lançamento do CD Polares e o CD e DVD deste Show Acústico. Deborah, que tem como suas influências musicais cantores italianos, americanos e orientais, além de ídolos como David Bowie e Prince, acredita que na vida pessoal, seus maiores incentivadores são Sandra Carvalho - sua psicanalista-, UMA – o monge inglês de sua tradição budista Kadampa- e seu mestre Geshe Kelsang Gyatso. A Élégant deseja muito sucesso à Deborah Blando nesse grande passo da sua vida. E ela deixa um recado carinhoso para seus fãs. “Queria agradecer o carinho e a paciência deles por terem estado ao meu lado torcendo pela minha volta. Essa é a melhor parte dessa profissão”, encerra a cantora pop.


Crônica

Náufrago A

inda no divã, sentiu que o mundo desabara em sua cabeça, como muitas outras vezes, mas naquela manhã em especial, o pouco dos cacos de mundo que tinha juntado, desapareceu diante de si e o pouco de chão que o sustentava, sucumbia em seus pés. Há anos, desde quando nascera, clamava por ela, mas naquele dia descobriu de onde vinha a solidão de ser, despertara em si algo que lhe inquietava: não era nada, estava sem nada. Sabia que filho do acaso não era e seu destino talvez já estivesse traçado. Desceu o elevador, saiu atordoado, pernas bambas, trêmulo, ausente de muitas coisas que achava que já lhe pertenciam. Um sabor amargo vinha-lhe como bile viscosa e aquilo não era nada próximo de água-coração. Queria chorar, mas sua tristeza era feita de aridez e seca, como no sertão que nunca chove. Terra rachada. Frestas que delineavam sua alma esperando sem muita alegria por chuvas inesperadas, numa possível promessa de fechamento, cicatrização. Viver já era tarefa árdua, daquele momento em diante talvez, insuportável continuar. Sabia que estava condenado a sofrer com aquela ferida que não tinha nome nem remédio, talvez o tempo. Queria de-

André Mantovanni

Escritor e apresentador de rádio e televisão. Mestrando em Literatura e Crítica Literária (PUCSP) é especializado em Estudos Literários e formado em Artes Visuais. www.andremantovanni.com.br

82

Élégant

sistir, queria ir em frente, mas como? Passou o dia, trancado no quarto como quem passa uma noite insone e atormentada, dormiu. Dormiu pra não pensar ou fingir para si que estava por alguns instantes, morto – longe da vida que não queria, mas que o pertencia. Foi numa pancada só: viu como estátua de sal, uma espécie de mulher-sereia desfazer-se e tudo esvaziou-se, abismos do eu, as ilusões, os ideais todos os abandonara. A realidade lhe trouxe náuseas e tonturas provocadas por tudo o que não digeria dentro da alma e a verdade que parecia tão rara de encontrar o surpreendeu aparentemente num banquete de serpentes mortas. O vazio estava estabelecido. O caos. A falta. O abandono. A orfandade. Todas as ausências resumidas numa única dor: ela nunca esteve, não está, jamais estará onde um dia sonhou. Sentiu que estava naufragando e seu barco-divã talvez afundasse, mas as memórias e palavras permaneceram firmes, como âncora. Agarrado ao que lhe sobrou esperava, boiando sobre águas escuras, sozinho, sem pátria, sem norte, sem farol, sem pai, sem mãe, órfão de algo ou alguém ficou ali imóvel, quase afogado. Com esforço, diante do espelho enxergou a própria face, percebeu que era órfão de si mesmo. Grande revelação: guardava o tempo consigo , então, num lampejo de encantamento atrás de si, como reflexo, sombra ou anjo, viu a bela senhora com uma bacia de ágata nas mãos ofertando-lhe águas de maravilhamentos. Lavou os olhos, a face, o corpo e o coração como uma espécie de ritual humano e sagrado, renasceu. Abriu as janelas. O sol estava se pondo, o vento anunciava o tempo que estava indo e o tempo que estava chegando. O dia tinha amadurecido e o menino da manhã, anoiteceu homem grande. Ao chegar diante do mar, ouviu o chamado das águas, abraçou a si resgatando o que nunca teve e o canto das sereias lhe deu sinais de que era preciso viver.


Revista Élégant 09 - Gianne Albertoni  

Nona edição da revista Élégant, produzida pelo Grupo Beto Ferreira em Curitiba.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you