Page 1

EXTRAPESADOS ELES REINAM NAS ROTAS DE LONGAS DISTÂNCIAS www.ocarreteiro.com.br

DESDE 1970 TRANSPORTANDO INFORMAÇÃO

CARGO POWER

Novos caminhões Ford a partir de 17 toneladas de PBT têm como destaque motor de 7 litros com 306 cv de potência

ANO 47 • Nº 518 • R$ 8,00

TROCA DO CAMINHÃO Autônomos negociam entre eles para fugir dos juros de financiamento

IMPRESSÕES Motor é o destaque do Scania R 440, o modelo mais vendido da marca

SOB MEDIDA Mercedes desenvolve Axor 8x4 para operações em florestas de eucalipto


EDITORIAL MOTORISTA E SEGURANÇA

E

ntre as diversas observações dos motoristas de caminhão sobre as dificuldades enfrentadas na profissão, a insegurança nas estradas provocada pelos acidentes é a de maior destaque. Motivados pelas condições da rodovia, imprudência, longas jornadas sem descanso, ou até mesmo pela falta de manutenção do veículo, poucas coisas se comparam ao impacto negativo que causam. Os carreteiros já se acostumaram a ver caminhões tombados, destroçados, batidos ou capotados na beira da pista, porém, mesmo diante dessa constância, não devem ser encarados com naturalidade. Acidente não escolhe hora ou local, mas é certo que muitos poderiam ser evitados, mesmo considerando as diferentes variantes que os levam a acontecer. Trata-se de um fato marcante na vida de qualquer carreteiro, estando ele envolvido ou não; um fantasma que assombra também seus familiares, pois estes entendem que o perigo vive à espreita nas estradas. Qual esposa, mãe, filho, ou parente próximo, não se preocupa quando o motorista está no trecho, porque na opinião de muitos o dia a dia na estrada é como uma roleta russa. Mas dias já foram bem piores. Hoje, por exemplo, a Internet facilitou a conexão entre carreteiro e seus familiares, deixando os dois lados informados e próximos. Essa rede de comunicação, agregada a outras tecnologias e dispositivos de segurança, também tornaram os caminhões mais seguros. Os avanços ampliaram a cultura da segurança e a expectativa da redução gradativa do número de sinistros no trânsito. Sistemas de antitravamento de freio (ABS) e de frenagem eletrônica que reduzem a distância de parada; controle de tração, faróis mais eficientes e espelhos com melhor visibilidade estão há anos presentes em boa parte da frota e são conhecidos. Outros mais recentes nem tanto. Um exemplo é o piloto automático que ajuda o motorista a manter distância segura do veículo que segue à frente e ativa o freio de emergência caso o condutor não o faça quando necessário. O difícil é prever quando maior parte da frota brasileira terá ao menos essa tecnologia, porque no momento só nos resta torcer pelo bom senso por parte de quem dirige. No mais, vale lembrar que num ranking mundial de recordistas de mortes no trânsito, divulgado em 2016, o Brasil apareceu em quarto lugar, com 43.869 mil registros e cerca de 400 mil com sequelas. Os dados são da Organização Mundial de Saúde (OMS). Nesta modalidade, piores que nós estavam só a China, Índia, Nigéria e Rússia. No Brasil, segundo a Polícia Rodoviária Federal, as ocorrências que causam maior número de mortes são as colisões frontais. Acidente de trânsito é uma desgraça, por isso em maio acontece simultaneamente em todo o mundo o movimento Maio Amarelo. João Geraldo Editor


Seja gentil. Seja o trânsito seguro.

Para encarar as mais diversas estradas do Brasil, você precisa de força, economia e conforto. A Expedição Vozes do Futebol rodou as 5 regiões do Brasil com o Atego, o caminhão ideal para o desafio. Visite um concessionário e confira de perto!

Versatilidade: • Família Atego com modelos de 14, 17, 24, 27 e 30 toneladas • Versões 4x2, 6x2, 8x2, 4x4 e 6x4 de fábrica • Até 4 distâncias de entre-eixos: 36, 42, 48 e 54, mais versatilidade nas aplicações e implementos

Economia: • Motores OM 924 e 926 LA, 4,8 e 7,2 litros, com potências de 185, 256 e 286 cv – excelente desempenho e economia • Câmbio automatizado Mercedes PowerShift G211 de 12 marchas para os modelos 2430 e 3030

Conforto e praticidade: • Até 4 opções de cabina: curta, estendida, leito e leito teto alto • Bancos ergonômicos e com várias regulagens, os mais confortáveis da categoria • Painel de instrumentos com novas funções, mais interatividade e melhor controle do veículo

Força e robustez: • Trem de força Mercedes-Benz: alta qualidade, resistente, durável e baixo custo de manutenção • Quadro do chassi sem emenda atrás da cabina, mais robusto e resistente • Pacote Robustez, agrega mais resistência e durabilidade nas severas aplicações mistas e fora de estrada

MercedesBenzCaminhoes

mercedesbenz_caminhoes

www.mercedes-benz.com.br | CRC: 0800 970 9090

A marca que todo mundo confia.


SUMÁRIO

REVISTA DESDE 1970 TRANSPORTANDO INFORMAÇÃO

/OCARRETEIRO /OCARRETEIRO_ /OCARRETEIRO (11) 95428-8803 /REVISTAOCARRETEIRO DIRETOR Edson Pereira Coelho REDAÇÃO redacao@ocarreteiro.com.br Editor: João Geraldo (MTB 16.954) Reportagem: Andrea Ramos, Daniela Giopato e Diogo Mendes

10 ENTRE AUTÔNOMOS

As dificuldades financeiras para a troca do caminhão, mais a burocracia, juros altos e prestações maiores do que o bolso para serem pagas em financiamentos, levam motoristas autônomos a negociar compra e venda de caminhões usados entre profissionais da própria categoria

20 ELAS NO COMANDO

Com o passar dos anos, muitas mulheres se sentiram mais motivadas a dirigir caminhão. Hoje, muitas delas são profissionais respeitadas que trabalham tanto em operações de distribuição quanto em rotas interestaduais no comando de modelos extrapesados. Na opinião de transportadores, elas dispensam mais cuidados ao caminhão e são bastante produtivas

VEJA TAMBÉM

16 26 36 40 46

Ford Cargo ganha mais potência Extrapesado no tiro longo Axor 3344 8x4 para madeira Motor é o forte do Scania R 440 Um jacaré que deixou saudades

SEÇÕES

06 Notícias 33 Dicas da PRF 39 Boletim de Pneus

50 Classificados 58 Tabelas 66 Na Mão Certa

ARTE arte@ggmidia.com.br Editor de Arte Pedro Hiraoka Anna Júlia Russo DIGITAL Mariana Teruya Eduardo Arpassy Gil Santos COMERCIAL Nilcéia Rocha REPRESENTANTES Eurico Alves de Assis José Antonio Fernandes ADMINISTRAÇÃO Ed Wilson Furlan TI DC Code Soluções em TI Ltda. ME DISTRIBUIÇÃO G.G. Ed. de Publicações Técnicas Ltda. Rute Rollo Juliana Vieira Ricardo Lúcio Martins Ubiratan Alves Ferreira ASSINATURA assinatura@ggmidia.com.br (11) 5035-0000 PROMOÇÃO promocao@ggmidia.com.br Assinatura para 6 edições: R$ 48,00 Exemplar avulso: R$ 8,00 Edição nº518 - Maio/2018

Publicação de: G.G. Editora de Public. Téc. Ltda. Rua Palacete das Águias, 395 Vila Alexandria - CEP 04635-021-SP Tel.: (11) 5035-0000 revista@ocarreteiro.com.br www.ocarreteiro.com.br A Revista O Carreteiro é dirigida a motoristas de caminhão, empresários donos de transportadoras, frotistas, chefes de oficinas e demais profissionais ligados ao transporte rodoviário de carga. A publicação é distribuída em cooperação com postos de serviços rodoviários “ROD” (Rede Oficial de Distribuidores da Revista O Carreteiro). É proibida a reprodução total ou parcial de matérias sem prévia autorização. Matérias e artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Revista O Carreteiro. Impressão e Acabamento: Ipsis Gráfica e Editora Tiragem desta edição verificada por PwC, cuja carta relatório encontra-se em nosso poder. Distribuição Nacional pela Dinap Distribuidora Nacional de Publicações Ltda. Distribuição Gratuita nos postos de rodovia cadastrados no ROD.


DICA FEDERAL

N

PENA MAIS PESADA PARA QUEM BEBE, DIRIGE E MATA

ão é nenhuma novidade que a conduta de beber e dirigir não só é perigosa, mas também criminosa, dependendo da quantidade de bebida ingerida pelo motorista. Inúmeras são as campanhas de conscientização para que motoristas não consumam álcool antes de dirigir, mas mesmo assim ainda observamos um grande número de acidentes relacionados à prática de dirigir depois de tomar alguma bebida alcóolica. Só no ano de 2017, a PRF registrou 6.448 acidentes nas rodovias federais brasileiras causados pelo consumo de álcool. Esses acidentes mataram 455 pessoas ao longo do ano, o que representa mais de 7% de todos os mortos nas estradas federais. Com o objetivo de reduzir esses números alarmantes, o governo aprovou a Lei 13.546, que já está em vigor, e tem por objetivo tornar as penas mais severas para quem causa mortes no trânsito sob efeito de álcool e drogas. A mudança se deu basicamente para aumentar a pena de homicídio culposo (sem intenção de matar) na direção de veículo estando sob efeito de álcool. Antes da mudança, a pena máxima para quem causasse morte sem intenção era de 5 anos, com a nova lei ficou previsto pena de até 8 anos para

quem causar morte no trânsito estando sob efeito de álcool Além de realizar outros ajustes no CTB, a nova lei agora também tornou crime a demonstração de perícia ou manobra perigosa. Um exemplo desse tipo de manobra é a “quebrada de asa” que alguns motoristas de carreta irresponsáveis realizam, jogando o cavalo mecânico de um lado a outro rapidamente, fazendo com que o reboque se incline e ande apenas com as rodas de um dos lados na pista. O motorista que que for flagrado realizando esse tipo de manobra pode pegar até 3 anos de prisão. Para os bons motoristas, nada mudou. Porém, para os que insistem em desrespeitar as leis e regras de trânsito as punições ficaram mais severas. Esperamos que esse endurecimento na lei sirva para desestimular aqueles que ainda não acreditam que podem matar ou morrer no trânsito, porque sob efeito do álcool o condutor perde reflexo e poder de reação diante das condições adversas a que são submetidos no trânsito. É importante destacar que as mudanças no comportamento são radicais, alteram o modo do motorista agir, totalmente diferente do que ele habitualmente faria se estivesse sóbrio. www.ocarreteiro.com.br

33


BOLETIM DE PNEUS

O

EQUIPAMENTO DE ALINHAMENTO

s sistemas de direção, suspensão e freios trabalham em conjunto e são montados no veículo num pacote. Como existem diversos pontos de articulações e de desgastes, com o uso do veículo os parâmetros de Geometria Veicular sofrem alterações. E esses valores precisam ser conferidos e ajustados periodicamente, para que fiquem dentro dos padrões estabelecidos pelo fabricante do veículo, mantendo a integridade no que diz respeito principalmente à segurança. Com as novas tecnologias envolvendo novos veículos com muita eletrônica embarcada, entre outros elemtnso, é necessário utilizar equipamentos cada vez mais sofisticados, consequentemente, de maiores custos para um correto diagnóstico e ajustes. E o fato é que nem todos os profissionais da mecânica têm cacife para aquisição desse tipo de equipamento. O futuro da manutenção de veículos se aproxima de uma incógnita, pois vai aumentar cada vez mais a distância entre as novas tecnologias e as oficinas mecânicas. Hoje, o alinhamento correto de veículos mais sofisticados exige o uso de equipamentos de última geração, que acompanham as novas tecnologias. Temos visto veículos modernos sendo alinhados em

equipamentos antiquados, sem nenhuma tecnologia atual. É recomendado, ao se levar um veículo para alinhar, saber qual equipamento será utilizado, fugindo de equipamentos antiquados, sem manutenção e sem atualização de banco de dados. Outra providência é saber se o equipamento a ser utilizado é homologado pela montadora do veículo e pelo fabricante do pneu. Essas observações já são um bom ponto de partida. Outro ponto é se técnico é preparado para fazer o serviço. Treinamento de alinhadores é um ponto crítico, pois temos observado operadores manuseando equipamentos de última geração do mesmo modo como operavam aparelhos ópticos ou a laser. Hoje, para o alinhamento de caminhões e ônibus o equipamento deve ser o CCD, com oito sensores precisos e confiáveis. Com esse tipo de aparelho se consegue alinhar perfeitamente todos os eixos de uma composição, pois a referência é sempre o chassi. Um veículo bem alinhado traz benefícios no desgaste dos pneus, economizando muito e aumentando a quilometragem, bem como na economia de combustível devido a redução dos arrastes provocados por desalinhamentos de eixos.

Esse boletim é redigido por Guilherme Junqueira Franco que tem a formação TTS (Truck Tire Specialist). Qualquer dúvida: guijunqueirafranco@gmail.com. www.ocarreteiro.com.br

39


ASSINE AGORA E GANHE DESCONTOS!

*Cada assinatura anual = 12 edições

+ Combo: assinatura anual de Transporte Mundial + O Carreteiro De R$ 246,00 por

R$

198,00

Assinatura anual de O Carreteiro De R$ 96,00 por

R$

90,00

Não perca mais nenhuma edição! Assine: www.ggmidia.com.br assinatura@ggmidia.com.br ou ligue (11) 5035-0000

Assinatura anual de Transporte Mundial

De R$ 150,00 por

R$

130,00


LEI PARA CELEBRAR E UMA ESTRADA A SER CONSTRUÍDA

M

uitas crianças e adolescentes brasileiros convivem com a violência no seu dia a dia. E ela pode aparecer de diferentes formas: agressões físicas, psicológicas e/ou sexuais, entre outras. Os anos passam, tornam-se adultos com traumas e muitas vezes os agressores não são responsabilizados. É por isso que no último dia 4 de abril entrou em vigor a lei 13.431, que estabelece um sistema de garantia de direitos a crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violências. Essa lei tem por objetivo transformar a maneira como, após um caso de violência, as crianças e adolescentes são atendidos nos serviços públicos que compõem o sistema que deve garantir a proteção. Com participação da Childhood Brasil - desde o momento que essa mudança ainda era um sonho da instituição - a lei vem para evitar que crianças e adolescentes sofram mais do que já sofreram. Hoje, durante o processo de investigação, vítimas ou testemunha de violências são expostas, tendo de contar e repetir inúmeras vezes como se deu a agressão sofrida, em ambientes hostis a elas, resultando em um sofri-

mento adicional – o que chamamos de revitimização. Para evitar justamente isso, a nova lei tornou diretrizes de proteção obrigação nos Estados e municípios, e nos sistemas de segurança e justiça. Crianças e adolescentes devem falar o mínimo possível sobre o fato ocorrido e, quando tiverem que fazê-lo, vão falar somente para profissionais capacitados, seguindo um protocolo e, de preferência, em ambientes acolhedores e seguros. Mas mesmo com essa conquista, que deve ser celebrada, continuaremos lutando para o fim da violência sexual contra crianças e adolescentes. Ainda hoje, por exemplo, a cada hora três crianças são vítimas da exploração sexual. Um crime que deve ser denunciado. A estrada é longa. E nela contamos com carreteiros de todo o Brasil! Juntos seguimos enfrentando esse problema que assombra nossas crianças. Para contribuir com uma infância e juventude livre de traumas, basta discar 100. É gratuito, é anônimo e pode salvar vidas. Conscientize os companheiros de estrada para que eles se tornem, assim como vocês, verdadeiros agentes de proteção da infância.

Para saber mais, acesse: Childhood Brasil www.childhood.org.br Programa Na Mão Certa www.namaocerta.org.br

66 O CARRETEIRO


www.iveco.com.br

CENTRO DE ATENÇÃO AO CLIENTE

Imagens meramente ilustrativas.

P OT Ê N CI A , CONFORTO, ECO N O M IA E D E S I GN D E DA R IN V EJA!

• Cabine mais confor tável do segmento. • Opções de teto médio ou teto alto. • Potências de 440, 480 ou 560cv. • Câmbio automatizado de série com 16 velocidades.

Pedestre, use sua faixa.

0800 702 3443

Rev ocar 518  
Rev ocar 518  
Advertisement