Page 1

cultura do

www. marazzi.com.br

N0 15 – setembro 2014

automóvel

automóveis e motocicletas

lançamentos - impressões - história

Novo Fiat

Uno

porsche macan

kia soul

mercedes classe C

Ford F-4000


E DI TOR I

AL

Podemos ter no Brasil praticamente todas as marcas e modelos disponíveis no mundo

O

Salão Internacional de São Paulo está chegando e as novidades não param de surgir. Nesta edição mostramos muitas delas, como a linha de híbridos da BMW, já disponível para os brasileiros. Mas muita coisa ainda há de acontecer no próximo mês. nnn As novas gerações de veículos também não param. Mercedes-Benz Classe C, Kia Soul, Jeep Cherokee

são algumas delas. Mas o nosso querido Fiat Uno também chega renovado, para mostrar que o que o maior volume de vendas ainda está entre os modelos de entrada. nnn Temos também nesta edição um pouco de motocicletas, com a nova Triumph Thunderbird Commander, e um pouco de caminhões, com a volta dos Ford F-350 e F-4000.


NESTA EDIÇÃO No 15 - Setembro 2014

15 sumário

04 Pelo Mundo

O que acontece no mundo dos lançamentos de automóveis

06 Novo Fiat Uno

O novo Fiat Uno, lançado há quatro anos, ficou ainda mais novo

12

Mercedes-Benz Classe C O sedã compacto da marca ganhou ares e refinamento de Classe S

16

Kia Soul O carro-design da marca coreana chega à segunda geração

18 Porsche Macan Menor e mais ágil que o grandalhão Cayenne, o carro agradou 20 BMW i3

A linha de veículos elétricos da nova marca do grupo BMW chegou

21 Jeep Cherokee

O mais valente dos SUV da Jeep passou por grande reestilização

22 Chevrolet Tracker

Tamanho, potência, eficiência e versatilidade no tamanho certo

24 Ford Série F Depois do Proconve 7, a Ford volta a produzir a premiada Série F 26 Técnica

Saiba como funcionam os motores a diesel com o Proconve 7

28 Triumph Commander A custom inglesa ficou mais clássica com a chegada da Commander 30

Encontro de Motos Clássicas Veja as motocicletas que frequentam o Pacaembu aos domingos

32 Páteo do Marazzi

Como foi o 7º Encontro de Motocicletas e Automóveis Clássicos


pelo mundo

peugeot exalt

A Peugeot vai apresentar no Salão do Automóvel de Paris o conceito Exalt, com uma nova proposta de materiais. A cor cinza provém do aço bruto que o cobre O Peugeot Exalt foi concebido pelo conceito do radicalismo, eliminando todo e qualquer material supérfluo e conservando apenas o necessário. Ele é composto por materiais selecionados visando o desempenho.

Em homenagem à arte dos automóveis franceses dos anos 20 e 30, a carroceria de aço bruto é forjada a mão por um artesão especialista em chapas metálicas. É composto de uma peça única. Para reduzir o arrasto aerodinâmico, a parte

traseira do Exalt é revestida com um material têxtil chamado de Shark Skin, que aumenta a fluidez aerodinâmica do veículo para reduzir o consumo de combustível. O motor é o 1.6 THP 270 de 270 cv com câmbio automático de seis

marchas. Na traseira, a suspensão multibraço integra um motor elétrico de 50 kW para as fases de funcionamento elétrico ou híbrido, que também recarregar a bateria pela recuperação da energia da frenagem.

road movie de kombi Em busca do carnaval baiano, três amigos paulistanos se aventuram em uma viagem que nunca chega ao destino, a bordo de uma Kombi dos anos 70 adaptada para venda de cachorro quente. Durante o percurso eles vivem várias peripécias e ajudam a filha de um malvado borracheiro a fugir de casa.

É uma comédia despretenciosa que se passa no ano de 1994, mas que acaba escorregando justamente na época: o borracheiro dirige uma velha picape Chevrolet S10, que só seria lançada no ano seguinte, e eles usam o real como moeda, que ainda não havia sido implantado no país.

4 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

Lascados é uma boa comédia totalmente filmada em locações


pelo mundo

para quem deseja restaurar seu jaguar

Para atender os proprietários de modelos históricos da marca, a Jaguar Heritage inaugurou uma oficina totalmente dedicada aos veículos clássicos, em Coventry Situada nas mesmas instalações onde serão produzidas as seis últimas unidades do E-Type Lightweight, a oficina vai oferecer aos clientes britânicos serviços de manutenção e restauração dos modelos mais clássicos da Jaguar, produzidos desde 1948, quando a marca apresentou seu primeiro veículo, o XK 120.

Os serviços de restauração e manutenção serão completados dentro das instalações de Browns Lane, mesmo local onde os veículos clássicos de propriedade da Jaguar serão restaurados. Todos os serviços terão a garantia e o padrão de qualidade da marca. Os clientes poderão visitar as instalações de

Browns Lane enquanto o serviço em seu veículo é realizado e também podem solicitar, após o serviço completo, um ensaio fotográfico com o registro do trabalho feito em seu carro, além de um diário de aprovação da Jaguar. A oficina da Jaguar Heritage pode coletar e entregar veículos para manutenção e restauração

em qualquer local do Reino Unido. Os clientes de fora do país precisam se responsabilizar pelos custos e trâmites alfandegários para seu veículo chegar em qualquer aeroporto e porto em território inglês. A oficina oferece serviços de manutenção e restauração para clássicos da marca até o XK8.

Jaguar SS 2.5 Saloon - 1946

Jaguar XK 150 1958

Jaguar XJ 220 1992

Jaguar XK 120 1951 Cultura do Automóvel Setembro 2014 5


lançamento

Novo

fiat uno

2015

Agora com câmbio Dualogic e sistema Start&Stop

O

velho Fiat Uno não existe mais. Em seu lugar, ficou o novo Uno que, lançado em 2011, coexistiu por pouco mais de dois anos com sua versão anterior. Mas esse também não é mais novo, ou, pelo menos, não é mais assim chamado. É que acaba de ser lançado mais um novo Fiat Uno, igual ao anterior, porém

com algumas inovações tecnológicas que o colocam novamente entre os modelos de entrada mais desejados. Externamente quase não se percebe tratar-se de um novo carro, pois o que visualmente se destaca e o distingue da versão anterior são as novas rodas de liga leve, para as versões mais equipadas, e vários peque-

6 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

nos detalhes, como o desenho interno das lanternas traseiras e os para-choques. Mesmo não parecendo, o novo Fiat Uno passou por muitas modificações. Os faróis têm praticamente o mesmo formato, mas são maiores que os anteriores. Isso fez mudar também as linhas do capô do motor e dos para-lamas dian-

teiros. O para-choque dianteiro é novo, agora separado da grade frontal, e tem a abertura intermediária com novo desenho. A abertura principal ficou muito parecida. O para-choque dianteiro do Fiat Uno Sporting tem desenho diferenciado, para ressaltar uma aparência mais agressiva para essa versão esportiva.


lançamento

Na parte traseira, o novo Fiat Uno não mudou tanto, uma vez que as lanternas mantiveram seu formato, mas elas tem agora lentes com o chamado efeito fractal (como nos faróis), compostas por pequenos quadrados luminosos internos. O para-choque traseiro também é novo, diferenciado na versão Sporting.

Muitos detalhes são novos no Fiat Uno 2015. Um detalhe que até pode passar despercebido é a fechadura das portas dianteiras, antes situadas na lataria e agora na própria maçaneta. Os espelhos retrovisores externos, de formato idêntico ao anterior, têm agora repetidores dos piscas incorporados à sua carcaça.

Para todas as versões, as rodas têm novos desenhos, assim com as calotas nas versões que utilizam rodas de aço. São rodas de aço de 13 e 14 polegadas de diâmetro, de liga leve de 14 polegadas e, para o Uno Sporting, rodas de liga leve de 15 polegadas. O interior do novo Uno é totalmente novo, desde o pai-

nel de instrumentos até os bancos e os painéis das portas. O quadro dos relógios tem um novo display de cristal líquido de 3,5 polegadas que agrupa desde as funções mais básicas até as funções específicas de algumas versões, como as informações provenientes do câmbio Dualogic e do sistema Start&Stop.

Cultura Cultura do do Automóvel Automóvel Setembro Setembro 2014 2014 7 7


lançamento fiat uno 2015

A versão de entrada do novo Fiat Uno é a Attractive, oferecida apenas com o motor 1.0 Fire Evo Flex, de 75 cv, e com carroceria de quatro portas. Bem básica, essa versão já tem o novo painel de instrumentos com o espaço para o rádio de dupla altura (2DIN) e os acionamentos dos vidros elétricos opcionais nas laterais das portas, dianteiras e traseiras. São de série no Uno Attractive a direção hidráulica, airbag duplo, ABS, Lane Change (setas piscam três vezes para mudar de faixa na rodovia), limpador e desembaçador do vidro traseiro, novo volante na cor grafite, econômetro, sinalização de frenagem de emergência, brake light e para-choques na cor do carro. Os itens opcionais são muitos: ar-condicionado, sensor de estacionamento com visualizador gráfico, retrovisores externos elétricos com função Tilt Down (mostra a roda traseira quando engatada a ré), vidros elétricos dianteiros e traseiros com one touch e antiesmagamento, rádio RDS com MP3, USB, entrada auxiliar, viva voz e Bluetooth, travas elétricas, comando interno de abertura do porta-malas e da tampa do tanque de combustível, banco traseiro bipartido, volante com regulagem de altura e rodas de liga leve de 14 polegadas. Custando R$ 30.990, o Fiat Uno Attractive é a versão mais em conta dessa linha reestilizada. Mas a versão ainda mais básica Vivace continuará a ser oferecida, apenas com motor 1.0 mas com as características do “Novo Uno velho”, aquele de 2010. A vantagem do velho Vivace, além do preço mais acessível, é a oferta de carroceria de duas e de quatro portas. O Vivace de duas portas custa R$ 26.110 e o de quatro portas custa R$ 28.220.

Ficha técnica fiat uno attractive 1.0

Fiat Uno Attractive

8 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

Motor: 4 cil. em linha Cabeçote: OHC, 8V TX. compr.: 12:1 Cilindrada: 991,1 cm3 Potência: 75 cv Torque: 9,9 kgfm Câmbio: manual, 5 m Tração: dianteira Compr. : 3.811 mm Largura: 1.636 mm Altura: 1.480 mm Entre-eixos: 2.376 mm Tanque: 48 litros Peso: 955 kg Porta-malas: 280 litros

natraseira vê-se o novo para-choque e as novas lanternas fractais

Pode não parecer, mas os faróis são maiores e o capô mais alto. O para-choque é novo

Volante multifuncional e display digital no painel

Novos painel e console, com sistema de som 2DIN


fiat uno 2015 lançamento

Fiat Uno Evolution

fiat uno evolution 1.4

Ficha técnica

Motor: 4 cil. em linha Cabeçote: OHC, 8V TX. compr.: 12,3:1 Cilindrada: 1.368,3 cm3 Potência: 88 cv Torque: 12,5 kgfm Câmbio: manual, 5 m Tração: dianteira Compr. : 3.811 mm Largura: 1.636 mm Altura: 1.480 mm Entre-eixos: 2.376 mm Tanque: 48 litros Peso: 990 kg Porta-malas: 280 litros

O novo Fiat Uno Evolution é o único da nova gama a ter o sistema Start&Stop como equipamento de série

A nova versão Evolution do Fiat Uno, que passa a ser a intermediária da linha, vem de série com a maior novidade desse lançamento, que é o sistema Start&Stop. O S&S desliga automaticamente o motor em paradas, quando o motorista deixa o câmbio em pontomorto e solta o pedal da embreagem. Quando volta a pisar na embreagem, para engatar a primeira marcha, o motor volta a funcionar sozinho. Quando isso acontece, um símbolo no painel acende, indicando que o sistema está ativado e o motor está pronto para começar a fiuncionar. Em caso de paradas mais longas, maiores que 165 segundos, o motor é religado para manter a carga da bateria. O S&S também liga o motor caso o vácuo do servo-freio baixe ou se o carro rodar a 3 km/h ou mais (por exemplo, em um declive).

Para garantir recargas mais rápidas da bateria, o alternador tem 120 Ah, com estabilizador de tensão. A bateria é de 60 Ah e tem misturador do eletrólito e células de energia com tecnologia Heavy Duty. Há também o Sensor Inteligente de Bateria (IBS), que monitora não só a carga elétrica do acumulador como todo o consumo de eletricidade do carro enquanto o motor está desligado pelo S&S. Este sensor IBS trabalha diretamente ligado ao sistema de gerenciamento eletrônico do carro, garantindo que o S&S só atue quando a bateria estiver acima dos 75% de carga. Com o ar condicionado ligado, o sistema religa o motor automaticamente após 60 segundos. Durante a parada, o ventilador interno do ar condicionado permanece em funcionamento, porém o compressor se desliga, uma vez que

ele depende do funcionamento do motor. Caso o motorista queira manter o ar da cabine mais frio, o sistema Start&Stop pode ser desligado a qualquer momento por meio de um botão no painel frontal. Para o funcionamento do S&S, o gerenciamento eletrônico checa diversos parâmetros, como porta e capô fechados, cinto do motorista afivelado, se o motor já terminou seu ciclo de aquecimento e a velocidade superou 7 km/h por mais de 2 segundos, câmbio em ponto morto, além do pedal de freio acionado e o carro parado. Só depois desta checagem eletrônica é que o Start&Stop começa a atuar. Tudo isso, porém, é feito em milésimos de segundo. O Fiat Uno Evolution tem sistema Start&Stop de série e vidros dianteiros elétricos, com o preço de R$ 34.990.

Display do sistema Start&Stop

Áudio com USB e entrada auxiliar

Vidro dianteiro elétrico de série

Cultura do Automóvel Setembro 2014 9


lançamento fiat uno 2015

Fiat Uno Way O Way é a única versão do novo Fiat Uno que pode ter os dois motores da linha, os Fire Evo Flex 1.0 e 1.4, respectivamente de 75 e 88 cv de potência. Com visual inspirado nos modelos aventureiros, tem como itens de série barras longitudinais no teto, faróis máscara negra, grade dianteira preta com anéis prata, retrovisores com repetidores dos piscas, moldura cinza nas caixas de roda na cor cinza, contagiros e frisos laterais das portas com a inscrição Way. A versão com motor 1.4 tem ainda apoio para o pé do motorista, abertura interna do portamalas e da tampa de combustível, computador de bordo A/B, console no teto, preparação para som, display de alta resolução no painel, vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, travas elétricas e volante com regulagem de altura. Entre os vários opcionais, como ar-condicionado e sistema de áudio, está o câmbio Dualogic Plus com seletor por botões e borboletas no volante. O Fiat Uno Way 1.0 custa R$ 31.490 e o Fiat Uno Way 1.4 custa R$ 34.990.

O Fiat Uno Way manteve os apliques de plástico nos para-lamas e laterais de portas

Novos relógios de painel, novo sistema de áudio entre as saídas de ar e os botões seletores de marchas

Display de alta resolução 10 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

Câmbio Dualogic com seletor de marchas por botões

Lanternas traseiras fractais


fiat uno 2015 lançamento

Fiat Uno Sporting

A versão topo de gama, o Uno Sporting, tem detalhes vermelhos interna e externamente, rodas e para-choques exclusivos

O Fiat Uno Sporting é a versão mais equipada da gama, disponivel unicamente com motor 1.4 e com a opção do câmbio Dualogig com seletor de marcash por botões e borboletas no volante. Tem ainda como itens exclusivos, de série, rodas de liga leve de 15 polegadas com pneus 185/60, faróis de neblina, para-choques com desenho exclusivo e escapamento com ponteira dupla central cromada. Mesmo sendo o topo da linha, o Fiat Uno Sporting, que custa R$ 36.650, exige ainda muito investimento para se tornar realmente bem equipado, com os opcionais: 3º apoio de cabeça traseiro rebaixado, alarme antifurto, apoiabraço central no banco do motorista, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, câmbio Dualogic

Plus, chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas, pintura metálica, porta-objetos para Smart Phone, rádio Connect integrado ao painel com RDS, USB, entrada auxiliar, viva-voz, Bluetooth e Audio Streaming, com volante multi-comando do rádio e telefone, retrovisores externos elétricos com função Tilt Down (rebatimento automático do retrovisor direito ao acionar a marcha a ré, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, vidros elétricos traseiros com one touch e antiesmagamento e volante com borboletas. Isso certamente o faz custar mais de R$ 50.000. Mesmo assim, quem quiser um Uno realmente completo não vai conseguir, já que o Sporting não tem disponível o sistema Start&Stop. Pelo menos por enquanto.

No Sporting, detalhes vermelhos no volante e no display do painel

A maior novidade no Uno Sporting é a ponteira cromada dupla central Cultura do Automóvel Setembro 2014 11


impressões

Classe C Um Mercedes-Benz ainda mais requintado

D

e que a marca Mercedes-Benz exerce um fascínio especial nas pessoas, ninguém deve duvidar. E não importa o modelo, todos são bastante desejados. Entre os Mercedes mais acessíveis está o Classe C que, apesar de não ser o modelo de entrada da marca, certamente é o mais popular. Desde que foi lançado, em 1982, sempre foi o modelo mais vendido da marca e agora chega à sua quinta geração, com um total de 2,2 milhões de unidades vendidas apenas na geração anterior. Não é pouca coisa. Mantendo o estilo que o consagrou, o novo Classe C ganhou maiores dimensões, com aumento de 80 mm na distância entre-eixos (2.840 mm) em relação ao modelo anterior, 95 mm no comprimento (4.686 mm) e 40 mm na largura (1.810 mm). Isso permitiu um pouco mais de espaço para os passageiros do banco de trás, mantendo o porta-malas com 480 litros de capacidade. E será exatamente esse o modelo que a Mercedes-Benz vai começar a produzir em sua nova fábrica brasileira, a partir de 2016.

12 Setembro 2014 Cultura do Automóvel


impressões

Interior suntuoso e ergonômico, com todos os comandos à mão

Cultura do Automóvel Setembro 2014 13


impressões mercedes-benz classe C

Uma das marcas registradas visuais desse modelo são os filetes de leds nos faróis, que funcionam como luz diurna

O novo Mercedes-Benz Classe C está disponível no Brasil em quatro versões, C 180 Avantgarde, C 180 Exclusive, C 200 Avantgarde e C 250 Sport, todas com motores de quatro cilindros. Os C 180 têm cilindrada de 1.595 cm3 e o C 200 e C 250 têm cilindrada de 1.991 cm3. Os motores a gasolina BlueDIRECT do Classe C foram projetados para a máxima eficiência, sem prejudicar o desempenho. A tecnologia veio dos motores maiores da marca, os V6 e V8. O sistema de injeção direta com combustão dirigida por aspersão, que foi introduzido em motores produzidos em série pela MercedesBenz, utiliza um processo de injeção múltipla de precisão controlado eletronicamente, capaz de realizar até cinco injeções

por ciclo, conforme a necessidade. A função ECO start/ stop, de série em todas as versões do Classe C, desliga o motor quando o veículo é imobilizado, dando a partida automaticamente assim que o motorista toca no acelerador novamente. Ela conta com um recurso especial que agiliza a partida: quando o motor é desligado, um sensor registra a posição do virabrequim e seleciona o pistão melhor posicionado para receber a primeira ignição. O uso desse sistema otimiza ainda mais o consumo de combustível do veículo. O câmbio é o automática 7G-TRONIC PLUS. O C 180 Avantgarde e C 180 Exclusive têm preço de R$ 138.900, o C 200 Avantgarde custa R$ 154.900 e o C 250 Sport custa R$ 189.900

14 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

Central multimidia controlada por um touchpad no console


mercedes-benz classe C

impressões

O C250 Sport se difere das outras versões no exterior pelas rodas de 18 polegadas, discos de freios perfurados e duas saídas de escapamento

São 156 cv de potência no C 180, 184 cv no C 200 e 211 cv no C 250

mercedes-Benz C 180

Ficha técnica Motor: Dianteiro,transv. Cilindros: 4 em linha Cabeçote: DOHC, 16V Cilindrada: 1.595 cm3 Potência: 156 cv Torque: 25,5 kgfm Câmbio: 7G-TRONICPLUS Tração: traseira Rodas: liga leve, 17” Pneus: 225/50 R17 Compr. : 4.686 mm Largura: 2.020 m m Altura: 1.442 mm Entre-eixos: 2.840 mm Peso: 1.340 kg Tanque: 66 litros Porta-malas: 480 litros

a favor Sem dúvida alguma, o refinamento de um modelo mais popular de uma marca premium é o que mais se destaca no Classe C, que compartilha alguns componentes com o Mercedes Classe S

contra Mesmo com o acréscimo de 80 mm no entre-eixos, o Classe C continua um sedã de dimensões compactas, o que não o torna um dos mais espaçosos do segmento

O refinamento do Classe C é uma de suas melhores virtudes Cultura do Automóvel Setembro 2014 15


impressões

kia soul Mudou tudo por dentro. E continua belo

S

oul, o carro estilo da marca coreana, chegou este mês em sua segunda geração. Pode não parecer, mas ele é inteiramente novo, desde o chassi, de maiores dimensões, até deta-

lhes estéticos como formato dos faróis e parachoques. Só não parece muito diferente da geração anterior porque não era mesmo a intenção dos designers mudar muito seu aspecto

16 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

geral, que sempre agradou o público. Classificado como um crossover compacto, o que mais mudou no novo Kia Soul foi o seu posicionamento no mercado. Antes concorrendo na

faixa do Ford EcoSport e do Honda Fit, agora ele quer roubar clientes do Mini, do Audi A1, do Mercedes-Benz Classe A e do Peugeot 3008. Só que o preço também subiu de classificação.


impressões kia soul

Ficha técnica

Motor: diant. transvers. Cilindrada: 1.591 cm3 Combustível: flex Potência: 122 cv Torque: 16,0 kgfm Câmbio: autom. 6 m Tração: dianteira Pneus: 235/45 R18 Entre-eixos: 2.570 mm Comprimento:4.140mm Largura: 1.800 mm Altura: 1.613 mm Tanque: 54 litros Porta-malas: 686 litros Peso: 1.392 kg

a favor O Soul é bonito, eficiente, gostoso de dirigir e bastante versátil para o uso no dia a dia. Sem falar que tem muito charme

contra O preço, o preço... Quando comparado a outros modelos considerados de estilo por seus fabricantes, o Soul fica para trás

Interior sofisticado e completo

Com a primeira geração custando R$ 68.000, agora o Soul custa muito mais, R$ 88.900 na versão básica e R$ 92.900 na top, que tem a mais apenas o teto solar. Mas o nivel de equipamentos

também acompanha essa evolução, visto que o novo Kia Soul é um carro cmpleto, com os novos ar-condicionado digital, partida keyless, direção com assistência elétrica e seis airbags.

Novos faróis e parachoques mudaram pouco o aspecto geral Cultura do Automóvel Setembro 2014 17


impressões

Porsche

Macan É um SUV. Muito esportivo

Porsche Macan

Ficha técnica

Motor: diant., longitudinal Cilindrada: 3.604 cm3 Potência: 400 cv Torque: 56,1 kgfm Câmbio: 7 marchas Tração: dianteira Rodas: liga leve, 21” Compr. : 4.699 mm Largura: 1.923 m m Altura: 1.624 mm Entre-eixos: 2.807 mm Peso: 1.925 kg

a favor Desempenho e dirigibilidade. Além da marca Porsche, é claro.

contra Para pessoas comuns, o preço e a falta de discrição.

O

mais novo membro da família Porsche não é um esportivo. Ou melhor, é, sim, um esportivo. Por que a dúvida? É que se alguma vez podemos definir com exatidão um veículo como SUV – Sport Utility Vehicle, ou seja, um utilitário esportivo, é este o caso. Não poderia ser diferente quando o nome Porsche está envolvido.

Na definição oficial do novo carro, a Porsche menciona o termo “versátil”. O Porsche Macan é mesmo versátil: roda com extrema tranquilidade no asfalto e na terra, assim como confortável ou esportivamente. O termo “compacto” também é utilizado pela Porsche: para suas virtudes, pode ser assim considerado, mesmo levando em conta

18 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

seus 2,7 metros de comprimento e seus quase 2 mil kg de peso. E a última característica citada pelo fabricante: “esportivo”. Foi para descobrir se isso é válido que rodamos com o novo Porsche Macan Turbo, que começou a ser entregue a seus novos donos no Brasil no final do mês passado. Comparado ao já conhecido SUV full-size

Cayenne, o Macan é mesmo compacto e ágil. Força não é um parâmetro tão significativo neste caso, mas sim a tecnologia aplicada ao veículo. Em duas versões, ambas equipadas com motores V6 biturbo e câmbio automatizado de dupla embreagem de 7 marchas (PDK), são também duas as configurações de equipamentos de série, dois valo-


impressões

Menor que o Cayenne, porém mais caro

res distintos de potência e, logicamente dois preços. O Porsche Macan S, que com seu V6 biturbo de 2.997 cm3 oferece potência de 340 cv e torque de 47 kgfm, tem preço de R$ 399.000, enquanto que o Porsche Macan Turbo, com cilindrada de 3.604 cm3, potência de 400 cv e torque de 56 kgfm, custa um pouco mais: R$ 499.000.

De acordo com as especificações do fabricante, o Macan S acelera de zero a 100 km/h em 5s4 e o Turbo em 4s8. Com a função Launch Control acionada (faz parte do sistema Sport Chrono, equipamento de série no Turbo e opcional para o S), os tempos de aceleração são reduzidos em 0s2. Entre outras funções, o Sport Chrono inclui em

um cronômetro instalado no painel e um sistema de controle de voltas em circuitos fechados, fornecendo informações sobre distância percorrida e tempos de voltas. Viu, quem pode dizer que o Macan não é mesmo um esportivo? Mais caro que o próprio Porsche Cayenne, SUV situado em uma categoria superior ao do Macan, em termos de tamanho (o Macan compartilha a plataforma do Audi Q5, enquanto o Cayene tem a plataforma do Q7), os argumentos do novo carro para essa aparente incongruência é mesmo a esportividade. O Porsche Macan, apesar de suas características de uso misto, é mais baixo que seus concorrentes e, sem qualquer sombra de dúvida, bem mais esportivo que qualquer outro. Até os bancos, que nessa categoria de veículos orgulhosamente são colocados em uma posição superior à dos demais, justamente para que seus usuários olhem os outros “de cima”, no macan eles são mais baixos. Esportividade... Com todos esses atributos, em particular o preço, é redundante descrever um a um todos os equipamentos presentes nas duas versões do Macan. Ele tem praticamente tudo. Dizer também que luxo e conforto são o ponto alto em seu interior seria desnecessário. Da visão do motorista, no entanto (ou seria mais adequado dizer “piloto”?), o Porsche Macan oferece exatamente aquilo que um admirador da marca deseja. Mesmo que a intenção, como esse novo modelo, seja conquistar novos adeptos, dentre aqueles que real-

mente não se importam que um utilitário esportivo “manche” o bom nome que a Porsche conquistou em 50 anos com o 911. A Porsche espera que o Macan seja seu modelo mais vendido no Brasil. Com folga. O habitáculo do Macan é perfeito para as duas pessoas na dianteira, melhor ainda para quem vai do lado esquerdo. E a quantidade de controles no console central realmente mostra que as possibilidades de diversão são muitas. Para quem está do lado de fora (ah, aquela pontinha de inveja!), o visual do Macan também é, do mesmo jeito, imponente. Inspirado no maior sonho mecânico do momento, o Porsche 918 Spyder, dos faróis às lanternas traseiras, para distinguir o S do Turbo pode-se olhar para as rodas, de 20 polegadas no primeiro e 21 polegadas no segundo, ou então, para ser mais certeiro, para as ponteiras dos escapamentos, na traseira: redondas no S e quadradas no Turbo. Com tanta esportividade para um SUV, nem parece que o Macan também está apto para o fora de estrada. Pelo menos é o que indica o modo off-road, acionado por um dos botões no console. Até 80 km/h, esse sistema insere uma programação específica, em especial quanto ao controle eletrônico da tração integral, com rotações mais baixas para a troca de marchas e, o mais interessante, eleva em 40 mm a altura normal da suspensão, possibilitando um vão livre de até 230 mm. Ótima notícia para quem pretende fazer ralis ou excursões pelas trilhas com o Macan. Alguém?

Cultura do Automóvel Setembro 2014 19


lançamento

BMW i3

BMW i, a nova marca do BMW Group, traz o i3 para o Brasil

O

BMW i3 combina a propulsão elétrica de uma bateria de íons de lítio e o motor a combustão interna de dois cilindros, 650 cm3 e 34 cv. A autonomia elétrica fica entre 130 km e 160 km. Combinada ao motor a combustão, a autonomia pode chegar a 300 km, mais do que o suficiente para a locomoção diária entre casa, trabalho e locais de lazer. Como é tradição em veículos BMW, o i3 tem tração traseira, com os dois motores. A bateria fica embaixo do assoalho. O BMW i3 será oferecido no Brasil com o motor a combustão interna que serve como extensor de autonomia, em duas versões, a de entrada, mais baratinha, custando R$ 225.950, e a completa, por R$ 235.950.

O BMW i3 tem acabamento esmerado e diversos comandos eletrônicos para máxima eficiência

Sendo um automóvel compacto, o acesso ao interior foi projetado para oferecer máximo conforto

20 Setembro 2014 Cultura do Automóvel


lançamento

jeep cherokee O mais valente dos utilitários esportivos da marca está voltando ao Brasil em três versões, Longitude, Limited e Trailhawk

O

Jeep Cherokee volta ao Brasil totalmente renovado. Disponível na versão Limited, é o segundo Jeep a ser reformulado em 2014 para o Brasil, depois do topo de linha Grand Cherokee. No final do ano chegarão as configurações Longitude (de entrada) e Trailhawk, mais voltada para o uso off-road, tanto no visual quanto nas especificações técnicas. Os preços são R$ 159.900 para o Longitude, R$ 174.900 para o Cherokee Limited e R$ 189.900 para o Trailhawk.

O Cherokee é fabricado na modernizada fábrica de Toledo, Ohio, nos Estados Unidos, e pelas imagens pode-se notar facilmente que a intenção dos designeres foi ousar no visual, sem contudo perder a fortíssima identidade de todos os modelos da Jeep. O motor é o Pentastar V6 de 3,2 litros e 271 cv de potência. Com o torque de 32,2 kgfm, o moderno câmbio automático de nove marchas e a tração integral SelecTerrain, o novo utilitário jamais poderia negar a força da marca Jeep.

Posição de condução muito ergonômica e confortável

As linhas do novo Jeep Cherokee o tornaram um jipão muito moderno

Teto solar CommandView nos Tração 4x4 com 4 programas Cherokee Limited e Trailhawk eletrônicos de controle Cultura do Automóvel Setembro 2014 21


impressões

Chevrolet Tracker SUV compacto com muita personalidade. É um crossover

H

á um ano no mercado, acaba surpreendendo quem ainda não havia cogitado a sua escolha. Talvez devido à imagem de “jipinho” que a versão anteriormente comercializada no Brasil acabou conquistando, este SUV compacto tem virtudes bastante interessantes, a exemplo da excelente dirigibilidade e do conforto oferecido. Apesar de muito parecido com os outros SUV da marca, o Tracker tem uma boa personalidade, principalmente aliada às compactas dimensões.

O motor Ecotec 1.8 de quatro cilindros em linha é uma das jóias da marca. Com quatro válvulas por cilindro e duplo comando de válvulas (DOHC), tem variador de abertura das válvulas de admissão e escape (Dual CVVT), o que lhe confere um baixo consumo de combustível, seja de gasolina ou de etanol. Sua potência é de bons 144 cv, com torque de 18,9 kgfm, oferecendo uma ótima dirigibilidade com o uso do câmbio automático autoadaptativo de seis marchas. É um dos pontos altos do carro.

22 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

As supensões são excepcionalmente firmes para um utilitário, sem abrir mão do conforto, o que lhe confere boa estabilidade em retas e curvas. Isso, mesmo sem oferecer controle eletrônico de estabilidade e tração. A ergonomia interior é outro dos destaques do Chevrolet Tracker. Boa posição de dirigir, alta, como em todo SUV, e com ótima visibilidade. Os ocupantes dos bancos dianteiros têm espaço suficiente, porém os que viajam no banco de trás já não têm o mesmo espaço disponível.

Os equipamentos disponíveis no Chevrolet Tracker, oferecido apenas na versão LTZ, são os convencionais, como arcondicionado, e mais o sistema multimídia. Produzido no México, o Chevrolet Tracker LTZ 1.8 Ecotec tem preço a partir de R$ 81.050, na cor vermelho Sonoma. Se o comprador optar pela cor branca, deverá adiicionar R$ 400 ao preço do carro. As outras três cores, preto, prata e cinza, custam R$ 1.250 a mais. Com todos os opcionais, o Chevrolet Tracker custa R$ 86.300.


impressões

a favor A dirigibilidade, a estabilidade, conforto das suspensões e ergonomia.

contra

Interior espaçoso para os ocupantes dianteiros

Pelo preço, deveria incluir entre os itens de série o controle de tração e estabilidade. O porta-malas é pequeno

Painel de instrumentos de fácil leitura

chevrolet tracker

Ficha técnica

O arranjo interno é bastante versátil

Porta-malas com capacidade de 306 litros

Motor: diant. transversal Cilindrada: 1.796 cm3 Potência: 144 cv Torque: 18,9 kgfm Câmbio: autom., 6 m Tração: dianteira Rodas: liga leve, 18” Compr. : 4,240 mm Largura: 1.770 m m Altura: 1.670 mm Entre-eixos: 2.550 mm Porta-malas: 306 litros

Cultura do Automóvel Setembro 2014 23


lançamento

Ford F-350 e F-4000

A produção dos caminhões leves da Ford volta após o Proconve 7

Q

uem não acompanha de perto o mercado nacional de caminhões leves provavelmente não percebeu que não há novos Ford nas ruas desde 2011. No entanto, para quem depende desses veículos para tocar o seu negócio, essa pausa foi muito sentida, principalmente para aqueles mais chegados à marca do logotipo azul. A boa notícia, então, é a volta da linha F da Ford, que só agora se adaptou às novas regras de emissões do Euro5, em vigor desde 2012. Os novos Ford F-350, F4000 e F-4000 4x4 chegam em setembro, mas os mais antenados já puderam

se antecipar fazendo uma pré-compra, o que garantiu para a Ford a venda dos dois primeiros meses de produção dos modelos. O caminhão Ford F-350 é classificado como semileve, tem rodado simples no eixo traseiro e uma suspensão dianteira mais macia dos que os outros dois. Já o F-4000, que se enquadra na classificação de caminhão leve, tem rodado duplo no eixo traseiro e suspensão dianteira mais reforçada, para maior capacidade de carga. Há também o Ford F-400 4x4, mais adequado para uso agrícola, enquanto os outros dois têm uma utilização urbana e rodoviária.

24 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

O motor utilizado nos três modelos é o Cummins ISF 2.8 turbodiesel, de quatro cilindros, que tem potência de 150 cv e torque de 36,7 kgfm. Para se adequar aos índices de emissões exigidos pelo Proconve P7 (Euro 5), esse motor, que também já está preparado para o biodiesel B20, conta com a tecnologia de redução catalítica seletiva SCR, que utiliza o Arla 32 como reagente de pós-tratamento de gases. O câmbio utilizado também é novo, um Eaton manual de 5 marchas, com as três primeiras marchas mais curtas para o F-4000. Entre as inovações incorporadas pela nova linha

estão o sistema de freios com ABS e EBD e o arcondicionado, ambos equipamentos de série nas três versões do novo Ford F. O Ford F-350 tem rodado simples, peso bruto total de 4.500 kg e capacidade de carga útil de 2.128 kg. O eixo traseiro é um Dana M 267 e suspensão dianteira é do tipo Twin-I-Beam com barra estabilizadora. É adequado para transporte de hortifrutis, entregas fracionadas, serviços de manutenção e distribuição comercial. Já o Ford F-4000 tem rodado duplo, peso bruto total de 6.800 kg e capacidade de carga útil de 3.949 kg. O eixo traseiro é um M


lançamento

O Ford F-350 tem suspensão dianteira do tipo Twin-I-Bean, com barra estabilizadora, e rodagem traseira simples. Carrega 2.128 kg

O F-4000 tem rodagem dupla e capacidade de carga de 3.949 kg

286 e a suspensão dianteira tem eixo rígido tubular com barra estabilizadora. É indicado para o transporte de hortifrutis, insumos agrícolas, materiais de construção e animais, além de entregas, manutenção de serviços públicos e aplicações fora de estrada. O F-4000 4x4 tem peso bruto total de 6.800 kg e capacidade de carga útil de 3.810 kg. Seu ângulo de entrada de 26 graus e ângulo de saída de 27 graus facilitam rodagem em terrenos de difícil acesso. É o único do segmento com tração 4x4 e pode ser utilizado em serviços especiais como manutenção de redes elétricas, telefonia, água e esgo-

to, além de aplicações rurais diversas, suporte na mineração e construção civil. A Ford elaborou uma estratégia de vendas para incentivar os frotistas na escolha de seus novos caminhões. O preço do F-350 é de R$ 101.290, enquanto o F-4000 sai por R$ 117.290 e o F-4000 4x4 custa R$ 133.290. Os caminhões podem ser adquiridos com financiamento do Finame e têm um grupo especial no Consórcio Nacional Ford para aquisição em até 100 meses. O programa de prévenda lançado pela Ford Caminhões para reserva da Série F superou suas expectativas e teve mais de 800 pedidos confirmados, com

O F-4000 4x4 carrega 3.810 kg e está apto para estradas difíceis

uma antecipação de apenas 10% do valor total do veículo. A garantia da nova linha F da Ford é de 12 meses para os veículos e 24 meses para motor, câmbio e diferencial, sem limite de quilometragem. O suporte pós-venda da Rede Ford Caminhões, formada por 140 distribuidores especializados em todo o Brasil, é outra vantagem da linha e há também planos de manutenção de acordo com a necessidade do frotista. Outro serviço que oferecido para a Série F e outros modelos da marca é o Ford Trac, um sistema de monitoramento e gerenciamento de frota por rede de celular GPRS. Os cami-

nhões saem da fábrica já com o equipamento instalado e a comercialização e ativação do serviço são feitas nos distribuidores Ford. A Série F é disponível em quatro cores, branco ártico, vermelho Arizona, prata Dublin e azul Califórnia. Durante a avaliação apenas em pistas de terra, o F 4000 e o F 4000 4x4 puderam mostrar suas habilidades com praticamente a carga máxima na caçamba. Bastante versátil, os novos caminhões leves oferecem o mesmo conforto interno de uma picape urbana, notando-se como diferença apenas os engates mais duros do câmbio manual de cinco marchas.

Cultura do Automóvel Setembro 2014 25


técnica

Proconve P7 M

uito se falou sobre emissões poluentes provenientes de motores de automóveis e o programa de controle de poluição do ar, o Proconve. Mas, e os caminhões? Após várias fases do programa, os índices de emissões foram reduzidos, ajudando a não piorar demais a qualidade do ar atmosférico, e em 2012 a sétima fase do Proconve acertou os valores de emissões dos motores movidos a diesel, visando, prioritariamente, reduzir o material particulado lançado no ar por ônibus e caminhões. Os novos valores são tão baixos que os motores a diesel anteriores não tinham como atender a legislação sem que fossem utilizadas tecnologias de pós-tratamento de gases expelidos. Isso exigiu, também, a utilização de um novo combustível, um óleo diesel com menor teor de enxofre. Para reduzir em 60% o índice de emissão de óxido de nitrogênio (NOx) e 80% o material particulado (fuligem), surgiram duas novas tecnologias de tratamento de gases, a SCR – Selective Catalityc Reduction – e a EGR – Exhaust Gas Recirculation. Cada fabricante optou por uma dessas tecnologias, ou mesmo as duas, para aplicar em seus veículos que começaram a ser comercializados em janeiro de 2012. Para monitorar o perfeito funcionamanto dos novos motores, o OBD, On Board Diagnosis, passa a ser obrigatório.

Novo combustível para os novos motores Os sistemas pós-tratamento de emissões poluentes são sensíveis ao enxofre, elemento presente em grande quantidade na composição do óleo diesel antigo (1 800 ppm partes por milhão - no interior do país e 500 ppm nos grandes centros urbanos). Por esse motivo, os novos motores que começaram a utilizar os sistema EGR ou SCR precisaram de um novo diesel, o S50, com apenas 50 ppm de enxofre. Mas essa concentração passou a ser ainda menor, o S10, óleo diesel utilizado obrigatoriamente a partir de 2013, que tem apenas 10 ppm de enxofre em sua composição. Os motores anteriores à legislação Proconve P7 também podem usar o novo o´leo diesel S10.

Selective Catalityc Reduction Uma das formas de se reduzir o óxido de nitrogênio (NOx) dos gases emitidos pelo escapamento dos motores a diesel é fazê-lo reagir quimicamente com o ar para

26 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

transformá-lo em nitrogênio (N2) e vapor d´água (H2O), ambos não agressivos ao meio ambiente. Para isso o sistema SCR, sigla de Redução Catalítica Seletiva, necessita de um catalisador

especial, no interior do qual ocorre uma reação acelerada por uma substância adicional, o Arla 32. Arla é a sigla de Agente Redutor Líquido Automotivo, composto de uréia diluida a 32% em água desmineralizada. O Arla 32 deve ser pulverizado no escapamento antes do catalisador, proveniente de um tanque especial para essa susbstância. Obviamente o motorista deve manter o tanque de Arla 32 abastecido, para que o sistema sempre funcione adequadamente. Na falta do Arla 32 o motor emitirá poluentes acima do permitido pelo Proconve P7, ao mesmo tempo em que o sistema ODB no painel do veículo informa a falha ao motorista. O consumo de Arla 32 é de cerca de 5% do consumo de óleo diesel.


técnica

Saiba o que mudou para os motores a diesel: novo combustível e nova tecnologia de tratamento de gases On Board Diagnosis

Arla 32, o agente reativo

Para total controle de falhas decorrentes do tratamento dos gases de escapamento, o ODB – On Board Diagnosis – passou a ser obrigatório em todos os caminhões e ônibus a partir de 2012. Ele alerta o motorista sempre que as emissões, por qualquer motivo, fiquem acima dos índices máximos permitidos pelo Proconve P7.

Desde 2012, os motoristas de ônibus e caminhões que têm o sistema SCR de redução de óxido de nitrogênio passaram a se preocupar em encher mais um tanque, o do Arla 32. Composto de uma solução de 32% de uréia, cuja fórmula é NH3, essa substãncia, injetada no escapamento, reage com o NOx, no interior do catalizador, resultando em gás nitrogênio (N2) e água (H2O).

O Arla 32 não tem cheiro, não é inofensivo, não irrita a pele e não é explosivo, podendo ser manuseado sem problemas. Só não pode ser armazenado em recipientes metálicos pois, sendo um componente redutor, estes podem enferrujar. Caso não haja Arla 32 no tanque apropriado, o sistema perde até 40% de seu torque, avisado ao motorista eletronicamente pelo sistema OBD.

Exhaust Gas Recirculation O outro sistema de redução de poluentes para motores diesel é o EGR, que é a sigla em inglês para Recirculação dos Gases de Escapamento. O EGR é mais simples que o SCR, consistindo em um tubo ligando o coletor de escapamento ao coletor de admissão. Dessa forma os gases que não forem totalmente queimados podem passar novamente pela câmara de combustão para completar o ciclo, reduzindo a emissão do óxido de nitrogênio NOx.

Uma válvula eletrônica controla a passagem desses gases, conforme um sensor de NOx instalado no escapamento, após o catalisador oxidante comum. Para perfeito funcionamento do sistema EGR são necessários dois equipamentos auxiliares, um refrigerador dos gases de escape, que aumenta a sua densidade e reduz as perdas de energia, e um filtro de DPF, que complementa a redução do material particulado.

Cultura do Automóvel Setembro 2014 27


impressões

Triumph Thunderbird Commander

Versão clássica da Thunderbird Storm. Tem mais cromados e cores

O

s norte-americanos acham que motocicleta é apenas Harley-Davidson, e o resto... É resto. Já o resto do mundo pensa diferente e diz que Harley-Davidson é Harley-Davidson, o resto é motocicleta. Para que essa história seja ainda mais interessante, a grande maioria das marcas de motocicletas produz pelo menos um modelo no estilo custom, ou cruiser, como alguns chamam esse tipo de moto. Ou seja, todos os fabricantes querem um pedacinho da grande fatia de mercado que o estilo norte-americano criou, inclusive a inglesíssima Triumph,

que até agora oferecia a custom Thunderbird Storm ao estilo britânico: esportiva, cheia de tons foscos e com aparência bem agressiva. A nova motocicleta da Triumph, a Thunderbird Commander, difere da Storm, da qual deriva, a começar pelo visual mais clássico – muito mais clássico, por sinal – proporcionado pela grande quantidade de cromados e pelas cores mais brilhantes. Além da versão nas cores preto e cinza, a Commander ficou realmente chamativa na versão com as duas tonalidades de vermelho, Crimson Sunset Red e Lava Red.

28 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

Colabora no visual tradicional da Commander os pneus mais largos e o garfo dianteiro com bengalas de 47 mm mais afastadas (com amortecedores Showa), lembrando bem uma HarleyDavidson, e o guidão mais largo e próximo do piloto. Motor cromado, assim como outros itens que antes eram pretos, e rodas de liga leve polidas complementam o maior brilho estético da Thunderbird Commander. Os escapamentos são diferentes, mas o duplo farol dianteiro continua como na Storm, só que com as carcaças cromadas. Ao montar na Triumph

Commander, quem já conhecia a Storm logo vai notar a diferença de postura. Além do guidão mais recuado, os apoios dos pés do piloto também mudaram de lugar, só que mais para a frente. Como não são pedaleiras mas sim plataformas, há um leve desconforto do piloto, ao tentar manter as plantas dos pés apoiadas. Logicamente a posição de pilotagem é muito mais custom: pernas para a frente e corpo para trás. O novo banco tenta compensar com espessura dupla da espuma, e nesse ponto a nova Thunder melhorou, o que é notado principalmente em percursos mais longos.


impressões

Para os mais exigentes em termos de custom, quanto mais clássico melhor. Por isso a Commander tende a agradar mais que a Storm

contra É característica das custom clássicas, mas as plataformas para os pés não são tão confortáveis quanto pedaleiras

Ficha técnica triumph thunderbird commander

a favor

Motor: Bicilíndricoemlinha Cabeçote: DOHC refrigeração: a água Diâmetro: 107,1 mm Curso: 94,3 mm Cilindrada: 1.699 cm3 Potência: 93,8 cv Torque: 15,4 kgfm Transmissão: correia Rodas: liga leve, 17” Compr. : 2.442 mm Largura: 990 m m Altura: 1.225 mm Altura do banco: 700mm Entre-eixos: 1.665 mm Peso: 348 kg Tanque: 21,7 litros

Para compensar a maior altura da espuma do banco, este foi rebaixado na mesma proporção, mantendo os 700 mm de altura do assento ao solo. Para isso o quadro tubular de aço passou por uma cirurgia radical, para que o banco pudesse ser fixado mais para baixo. O pneu dianteiro da Commander é menor e mais largo que o da Storm, 140/75 R17 contra 120/70 R19, mas o traseiro permanece o 200/50 R17. Da mesma forma foi alterada a geometria do garfo dianteiro, que teve o ângulo de cáster aumentado de 32º para 30,1º, com trail passando de 151 mm para 135 mm. Isso fez a Thunderbird ganhar em estabilidade direcional porém perder um pouco na agilidade. Afinal, uma autêntica custom deve fornecer o máximo de conforto em longas retas de bom asfalto, certo? Mesmo assim, a suspensão traseira ganhou 14 mm de curso adicional, com molas de duplo coeficiente de carga. A pré-

carga é ajustável em 5 posições. Com essas alterações, a distancie entreeixos aumentou de 1.615 mm para 1.665 mm. O que a big custom Thunderbird Storm já tinha é um estúpido motor biclilíndrico em linha de exatos 1.699 cm3 de cilindrada. São dois verdadeiros “baldes” no interior dos cilindros, fornecendo um também estúpido torque em baixas rotações. Apesar dos valores reduzidos para a Commander (passou dos 98 cv de potência para 93,8 cv e dos 16,0 kgfm de torque para 15,4 kgfm), o “coice” em uma acelerada brusca ainda é um dos pontos altos dessa nova cruiser. Nesse aspecto, a custom inglesa foge do lugar comum de utilizar motores V2 refrigerados a ar. Para uma cilindrada unitária dessa natureza, o big-twin da Commander é extremamente suave e vigoroso. Na estrada, apesar de não ser adequado rodar com uma custom a mais de 110 km/h, a Thunderbird chega fácil aos 180 km/h. é claro, com muita resistência do ar, que obriga ao piloto forçar permanentemente as pernas contra o tanque. Melhor mesmo na maciota. A nova Thunderbird Commander tem preço sugerido de R$ 53.900.

Cultura do Automóvel Setembro 2014 29


clássicas

Encontro Mensal de Motos Clássicas As manhãs dos últimos domingos de cada mês já são uma tradição: tem encontro de antigas no Estádio do Pacaembu

30 Setembro 2013 Cultura do Automóvel


clássicas

N

ão é de hoje que as manhãs de domingo, principalmente as de inverno, foram eleitas como o melhor momento para dar um giro com sua motocicleta. Quando não há nenhum programa familiar agendado, acordar cedo, dar uma voltinha pela cidade ainda sonolenta e encontrar os amigos é sempre muito bom. Macarrão da mama? Ainda assim é possível, depois do rolê. Muitos saem cedo, vão até o local do encontro e ainda voltam a tempo de almoçar com a família. No último dia de agosto, o domingo começou bonito. Pela janela já foi possível ver o céu azul e o tempo firme. E como

último domingo do mês, foi dia do Encontro Mensal de Motos Clássicas, organizado pelo Ricardo Pupo, do site motosclassicas70. com.br. Realizado na Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu, em São Paulo, já está na 96ª edição, o que atesta a sua popularidade. Não há quem não queira mostrar sua clássica nesse encontro, mas o que acontece com mais frequência é o local ficar lotado de gente que apenas quer ver as velhas senhoras, principalmente as dos anos 70. Neste dia havia algumas Yamaha RD 350, ao lado de uma relíquia: uma Yamaha R5 de 1972,

Amazonas 1.600, motocicleta brasileira com motor VW

Honda CB 450 Custom 1983

Yamaha R5 de 1972, a precursora da RD 350 em excelente estado de conservação e não restaurada. Entre as motocicletas nacionais dos anos 70, cujo interesse como clássicas está crescendo muito atualmente, um dos destaques era a Amazonas, fabricada em São Paulo com motor

VW 1.600 a ar. Como nesses encontros sempre há uma curiosidade, a melhor do dia foi uma HarleyDavidson totalmente cromada, com tantos penduricalhos que só vendo para acreditar. Vejam e acreditem.

Honda 125 Turuna de 1979

Honda CB 550 Four 1976

Harley-Davidson cromada Cultura do Automóvel Setembro 2013 31


clássicos

Encontro de clássicos na Uma reunião descontraída com motocicletas e automóveis clássicos

F

oi no último dia 17 de agosto a sétima edição do Páteo do Marazzi, encontro que reune apaixonados por motocicletas e automóveis antigos em São Paulo. O dia amanheceu meio nublado mas, lá pelas 10 da manhã, o sol firmou e os colecionadores se sentiram à vonrtade para tirar suas 32 Setembro 2014 Cultura do Automóvel

relíquias da garagem. Motocicletas e automóveis de grande interesse estiveram presentes nesse dia. Veja aqui alguns dos veículos que participaram do encontro. E não perca o próximo, que será no dia 9 de novembro, no mesmo local: Rua Pio XI 1.024, Alto da Lapa, São Paulo.


clรกssicos

a manhรฃ de domingo...

Cultura do Automรณvel Setembro 2014 33


cl谩ssicos

encontro de antigos

34 Setembro 2014 Cultura do Autom贸vel


encontro de antigos

cl谩ssicos

Cultura do Autom贸vel Setembro 2014 35


Cultura do Automóvel  

Edição 15 - Setembro/2014

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you