Page 1

1


Dockanema 2012 No texto de apresentação do primeiro Dockanema escrevi que o público moçambicano, os cineastas e a cidade de Maputo há muito que pediam, e mereciam, um acontecimento como o Festival do Filme Documentário. Desde então, passaram-se sete anos, mas, para mim, a afirmação mantém-se actual. Se é certo que, durante este período, outros festivais de cinema emergiram em Maputo e Inhambane – o que revela um certo dinamismo cultural no nosso país – creio que é justo atribuir ao Dockanema o mérito de grande impulsionador do nome de Moçambique na realização de eventos que visam a divulgação de filmes do género documental. Poderia parabenizar um sem número de pessoas ou organizações que têm contribuído para este sucesso, mas há apenas uma expressão que simboliza a credibilidade institucional, da qual resulta a longevidade do Dockanema: seriedade profissional. Apenas na base de princípios de confiança , seriedade e compromisso, é possível desenvolver um festival como o nosso. É por esta razão, e apesar da falta de incentivos públicos para a realização do evento, que temos vindo a apresentar, a cada edição, uma carteira renovada de cerca de 80 filmes, entre curtas e longas-metragens, de realizadores nacionais ou internacionais. Mais do que uma marca de sucesso, o Dockanema é a prova de que Moçambique pode fazer, pode ser exemplo. Como já vem sendo habitual, na 7.ª edição do Festival do Filme Documentário, privilegiamos a apresentação de produções nacionais ou de temáticas relacionadas com Moçambique. Neste sentido, orgulhamo-nos de apresentar como filme de abertura do evento a ante-estreia mundial de Guerrilla Grannies, How to live in this 4 Dockanema 2011

On the opening speech of the first Dockanema, I wrote that the Mozambican public, filmmakers and the city of Maputo have longed for and deserved an event as the Documentary Film Festival. Since then, it took seven years, but for me, the statement remains valid. Truly during this period, other film festivals emerged in Maputo and Inhambane – which reveals a certain cultural dynamism in our country – and I think it is fair to give Dockanema the merit of being the major driving force in Mozambique in holding events aimed at disseminating documentary films. I could congratulate a number of persons or organizations that have contributed to this success, but there is only one expression that symbolizes the institutional credibility and shows the longevity of Dockanema: professional seriousness. Only on the basis of principles such as trust, integrity and commitment, it is possible to develop a festival like ours. For this reason, and despite the lack of public incentives for the event, in every edition we have been presenting a renewed portfolio of 80 films, including shorts and feature films from national or international filmmakers. More than a landmark of success, Dockanema is evidence that Mozambique can do and serve as an example. As usual, in 7th Edition of Documentary Film Festival, we favour the presentation of national productions or themes related to Mozambique. In this sense, we are proud to introduce as opening film and before world premiere, Guerrilla Grannies - How to live in this World (Vovós da Guerrilha – como viver neste mundo), a documentary that concludes a trilogy which began in our country, in the 1980s, by Dutch


World - Vovós da Guerrilha, como viver neste mundo, um documentário que encerra uma trilogia iniciada no nosso país, na década de 1980, da realizadora holandesa Ike Bertels. Dada a relevância da obra, dedicamos ainda à autora um ciclo de cinema, no qual constam os filmes Women of the War - Mulheres de Guerra,  Guerrilla Pension Pensão de Guerrilha e Guerrilla Grannies.  Atendendo também ao facto de Moçambique ter assumido, durante o último mês de Junho, a Presidência rotativa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), dedicamos a secção Janela Aberta a autores oriundos desta comunidade. Em todas as edições do festival tivemos sempre a preocupação de trazer para a programação do evento uma marca identitária do mundo em que vivemos. Em 2012, os vários títulos propostos trazem-nos realidades da  actualidade internacional, que na nossa perspectiva, se pauta por impasses e incertezas e assuntos relacionados com a preservação do planeta onde vivemos e a necessidade da sua protecção . Apesar de não ser possível medir os efeitos directos que o festival tem protagonizado em termos de dinamismo e criatividade  no panorama de produções nacionais, apraz-nos anunciar que recebemos nesta edição  cerca de 20 candidaturas para a apresentação de filmes na secção Sal da Terra – o dobro da anterior. Deixo uma palavra de apreço a todos os participantes pelos vossos esforços, a vossa vontade, a vossa perseverança Sabemos bem o que significa produzir cinema num país que se caracteriza pela ausência de políticas públicas de fomento da actividade, que passam pelo apoio à promoção e exibição do cinema nacional.   Bem-vindos ao 7.º Dockanema 

director Ike Bertels. Given the importance of the work, we also dedicate a cycle to the director, which included the films Women of the War (Mulheres da Guerra), Guerrilla Pension (Pensão de Guerrilha) and Guerrilla Grannies. Given also the fact that since June this year, Mozambique is chairing the rotating Presidency of the Community of Portuguese Speaking Countries (CPLP),we shall dedicate the Open Window (Janela Aberta) session to the authors from this community. In all editions of the festival, we intend to bring to the event schedule an identity of the world that we live in. In 2012, several proposed titles bring us the current international realities, which in our view, are guided by impasses, uncertainties and issues related to the preservation of the planet where we live and the need for its protection. Although it is not possible to measure the direct effects that the festival has given in terms of dynamism and creativity in the panorama of national productions, we are pleased to announce that we received on this edition around 20 requests for the presentation of films in the Salt of the Earth (Sal da Terra) session – double than the previous. I leave a word of appreciation to all participants for your efforts, goodwill, and perseverance. We know what it means to produce films in a country that is characterized by the absence of public policies to foster the activity, which includes supporting the promotion and exhibition of national cinema.

Welcome to the 7 th Dockanema. 5


FILME DE ABERTURA Nesta 7.ª edição, O Dockanema orgulha-se de apresentar como filme de abertura a ante-estreia mundial da longa-metragem Guerrilla Grannies – How to live in this world (Vovós da Guerrilha – Como viver neste mundo), da realizadora holandesa Ike Bertels. Ao longo das últimas quatro décadas, Bertels dirigiu em Moçambique quatro documentários, sendo esta a sua mais recente produção realizada no país. Como que numa espécie de “máquina do tempo” – as protagonistas do filme já participaram em dois outros documentários da realizadora (1984 e 1994) - em Vovós da Guerrilha, Bertels tece um retrato da vida diária de três mulheres muito especiais (Mónica, Amélia e Maria) e os seus descendentes. Esta é sobretudo uma história sobre a emancipação da mulher na sociedade moçambicana. Pelo seu carácter contemporâneo, mas também histórico, e pelo importante contributo da autora no retrato da sociedade moçambicana desde os primórdios da sua independência, o Dockanema presta a devida homenagem a Ike Bertels e a este filme, destacando-o, entre cerca de oito dezenas de títulos, como filme de abertura nesta sua 7.ª edição ininterrupta. Paralelamente, o Dockanema apresenta ainda um ciclo de cinema dedicado a Ike Bertels, no qual será apresentada a trilogia que compõe a história de vida das três antigas gerrilheiras da FRELIMO.  (ver Ciclo Ike Bertels) 6 Dockanema 2011

On its 7th Edition, Dockanema is I proud to introduce as opening film and before world premiere, Guerrilla Grannies - How to live in this World (Vovós da Guerrilha – como viver neste mundo), by Dutch director Ike Bertels. During the las four decades, Bertels has addressed Mozambique with four documentaries, being the one mentioned as the latest. As in a “time machine” – the protagonists of the film have already participated in two other documentaries by the same director (1984 and 1994) – in Guerrilla Grannies, Bertels portrays the daily life of three very especial women (Monica, Amelia and Maria) and their descendants. This is mostly a story on women emancipation in the Mozambican society. Due to its contemporary traits, as well as historical, and for the important input of the director in portraying the Mozambican society since the advent of independence, Dockanema pays tribute to Ike Bertels and this film, from the eight dozens of titles, as the opening film for its 7th uninterrupted edition. On the same spectrum, Dockanema dedicates a film cycle to Ike Bertels, whereby the trilogy will be presented comprising of the story on the life of three former guerrilla women of FRELIMO (see Ike Bertels Cycle)


Guerrilla Grannies – How to live in this World | Vovós da Guerrilha – Como viver neste Mundo Ike Bertels, Holanda, 2012, 80’, VO Português, Yao, Nyanja / legendas Português

Durante 10 anos, três meninas de guerrilha arriscaram as suas vidas pela liberdade e autodeterminação, depois de 500 anos de colonialismo português. Sensibilizada pelas imagens de Mónica, Amélia e Maria – que anteriormente já tinham sido protagonistas em dois outros filme da realizadora sobre a luta de libertação de Moçambique – Ike Bertels foi procurá-las para

For 10 years three guerrilla girls risked their lives for freedom and self-determination after 500 years of Portuguese colonialism. Touched by the images of Monica, Amelia and Maria – who starred in two other films on Mozambique’s liberation struggle – director Ike Bertels sought to film them once again, questioning if their ideals from the revolution shaped the new Mozambican society. Today the 7


filmá-las novamente, e mais uma vez as questionou sobre como os seus ideais de revolução moldaram a nova sociedade moçambicana. Hoje, as três vovós lutam com as novas gerações, descobrindo como é viver num mundo globalizado.

Ike Bertels

É uma realizadora e produtora de cinema formada na Brussels Filmschool (RITCS), em 1971. Desde então, tem vindo a produzir documentários no seu país natal e no estrangeiro. Fundou a IKE Bertels FILMPRODUCTIES / IBF, em 1985, uma produtora de cinema independente sedeada em Amesterdão, na Holanda. 8 Dockanema 2012

grannies struggle with the upcoming generations finding out how to live in a globalised world.

Ike Bertels is a film director and producer graduated from Brussels Filmschool (RITCS) in 1971 and has been making documentary films at the home country and abroad. In 1985, she set up an independent film production company, the IKE BERTELS FILMPRODUCTIES/IBF, based in Amsterdam, Netherlands.


Janel

A Poeira e o Vento ................................ 10 Angst.................................................... 11 Assim é, se lhe parece.......................... 12 Bafatá Filme Clube................................ 13 Braxília.................................................. 14 Carne, Osso.......................................... 15 Cartas de Angola.................................. 16 Cartas para Angola............................... 17 Coutinho Repórter................................. 18 Disque Quilombola................................ 19

a Abe

r ta

Entre Vãos............................................ 20 Família Braz - Dois Tempos................... 21 Hoje tem Alegria.................................... 22 Kolá San Jon é Festa di Kau Berdi.......... 23 Linha Vermelha .................................... 24 Mulheres Africanas - a rede invisível...... 25 O filme que eu fiz para não esquecer..... 26 Outras Cartas ou o Amor Inventado....... 27 Palavra Plástica..................................... 28 São Silvestre......................................... 29 S. Tomé e Príncipe – Minha Terra, Minha Mãe, Minha Madrasta ................ 30 Tancredo – A Travessia......................... 31 Vale dos Esquecidos............................. 32 Vocacional, uma Aventura Humana....... 33


A Poeira e o Vento

Marcos Pimentel, Brasil, 2011, 18’, VO Português/legendas Inglês

Interior do estado de Minas Gerais. Uma pequena vila no meio do nada. Isolamento. Montanhas. Silêncio. O homem. A paisagem. O tempo.

Marcos Pimentel

Documentarista formado pela Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños (EICTV – Cuba) e especializado em Cinema Documentário pela Filmakademie Baden-Württemberg, na Alemanha. Também é graduado, no Brasil, em Comunicação Social (UFJF) e Psicologia (CES-JF). Director, roteirista e produtor independente, realizou documentários em cinema (35mm e 16mm), vídeo e televisão, que ganharam 78 prémios em festivais nacionais e internacionais.

Filmografia 2010 Taba 2009 Pólis; Urbe 2008 A arquitetura do corpo 2005 O maior espetáculo da Terra 2004 Biografia do tempo; Ilha; O chão e o céu 2003 Nada com ninguém; Cemitério da memória

10 Dockanema 2012

The state of Minas Gerais. A small village in the middle of nowhere. Isolation. Mountains. Silence. The man. The landscape. The time.

Documentary filmmaker graduated by the Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños (EICTV - Cuba) and specializes in Documentary Film by the Filmakademie BadenWürttemberg, Germany. Also graduated in Media (UFJF) and Psychology (CES-JF) in Brazil. Director, scriptwriter and independent producer, he has made documentary (35mm and 16mm), video and television films, which won 78 awards in national and international festivals.


Angst

Graça Castanheira, Portugal, 2010, 53’, VO Português

“Angst” é uma reflexão íntima e pessoal sobre o estado actual da Humanidade, que investiga as razões pelas quais os humanos não foram ainda capazes de afirmar a sua superioridade, praticando um desenvolvimento equilibrado e sustentável. A realizadora aborda questões como a superpopulação e o risco de esgotamento das reservas de energia disponíveis para o funcionamento da civilização como a conhecemos.

Graça Castanheira

Cineasta portuguesa nascida em Angola e formada em Cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema, na qual é professora de Cinema Documental e de Práticas de Realização, assim como na Restart – Instituto de Criatividade, Artes e Novas Tecnologias. Faz parte do grupo fundador da Apordoc - Associação pelo Documentário que promove o festival DocLisboa. Criou em 2008 a Pop Filmes, empresa de produção e pós-produção.

“Angst” is an intimate and personal reflection on the current state of Humanity, which investigates the reasons why humankind has not been able to assert its superiority by practicing a balanced and sustainable development. The director addresses issues such as overcrowding and the risk of depletion of available energy for the continuation of civilization as we know.

Portuguese filmmaker born in Angola and with a degree in Cinema at the School of Theatre and Film, where she is a Lecturer in Documentary Film and Practices on Filmmaking, as well as Restart – Institute of Creative Arts and New Technologies. She is part of the founder group of Apordoc – Associação pelo Documentário that promotes the festival DocLisboa. In 2008, she created Pop Filmes, production and postproduction company.

Filmografia 2010 Angst; A Casa e a Cidade x6; Maria de Lourdes Pintassilgo 2008 A Catedral 2007 Schubertiade; Correspondência a três 2006 Fernando Lopes-Graça; Logo Existo; Laura 2001 Outubro 11


Assim é, se lhe parece

Carla Gallo, Brasil, 2011, 75’, VO Português / legendas Inglês

Neste filme, a realizadora Carla Gallo traça o perfil do artista plástico paulista Nelson Leirner, que completava à altura 54 anos de carreira. O filme traz passagens da sua vida íntima, como a juventude nos EUA, e do seu processo de trabalho.

Carla Gallo

Carla Gallo é formada pela Escola de Comunicações e Artes da USP (Brasil). Foi assistente de direção, entre outros, de Lina Chamie, Philippe Barcinsky e Cao Hamburger. Em 2000, realizou o documentário “Tom Zé ou Quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século?”, exibido em diversos festivais do país, tais como Tiradentes, e considerado o melhor vídeo-documentário no Vitória Cine-Vídeo e no RECINE - Festival de Cinema de Arquivo. Em 2008, realizou “O aborto dos outros”, menção honrosa no festival É tudo verdade, e também exibido noutros festivais como o Festival de Gramado e Festival de Málaga, em Espanha.

Filmografia 2008 O Aborto dos Outros 2000 Tom Zé ou Quem Irá Colocar uma Dinamite na Cabeça do Século? 12 Dockanema 2012

In this film, the director Carla Gallo traces the profile of artist Nelson Leirner from São Paulo, who at the time completed 54 years of career. The film features intimate passages of his life, such as his youth in the U.S., and his work process. Carla Gallo is graduated by the School of Communications and Arts at USP (Brazil). Amongst others, she was assistant director of Lina Chamie, Philippe Barcinsky and Cao Hamburger. In 2000, she made the documentary “Tom Zé ou Quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século?” screened in various festivals in the country, such as Tiradentes, and considered the best video documentary at Victoria Cine-Video and RECINE - Film Archive Festival. During 2008, she directed “O aborto dos outros”, honorable nomination in the É tudo verdade Festival, which was also exhibited in other festivals such as the Festival de Gramado and Festival de Málaga in Spain.


Bafatá Filme Clube

Silas Tiny, Portugal, 2012, 77’, VO Português e Crioulo Guineense/legendas Português

Em Bafatá, na Guiné-Bissau, Canjajá Mané, antigo operador de cinema e guarda do clube da cidade, repete os mesmos gestos há cinquenta anos. Mas, actualmente, o cinema está fechado e não existem espectadores. Dos seus tempos como trabalhador do clube até aos nossos dias, restam apenas recordações. Na cidade, somente as pedras, as árvores e o rio resistiram à erosão do tempo. E com eles, algumas pessoas, que ficaram para perpetuar na memória do mundo e dos homens, que ali já viveu gente. São essas pessoas por quem Canjajá procura e espera pacientemente até hoje.

Silas Tiny

Silas Tiny é um realizador que nasceu na ilha de São Tomé e Príncipe e vive em Portugal. Estuda cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Bafatá Filme Clube é o seu primeiro filme.

In Bafatá, Guinea-Bissau, Canjajá Mane, former film operator and security guard of the club of the city, repeats the same gestures for fifty years. But now the cinema is closed and there are no spectators. Since the time that he worked for the club to the present day, there are only memories. In the city, only the stones, the trees and the river resisted the erosion of time. And with them, some people, who were to perpetuate the memory of the world and men that ever lived there. These are people for whom Canjajá seeks and waits patiently until today.

Silas Tiny is a filmmaker born on the island of São Tomé and Príncipe and lives in Portugal. He studied film at the School of Theatre and Cinema in Lisbon. Bafatá Filme Clube is his first film.

13


Braxília

Danyella Proença, Brasil, 2010, 17’, VO Português / legendas Inglês

“Braxília” é um documentário sobre o poeta brasileiro Nicolas Behr e seu olhar diante da cidade de Brasília. Num livre ensaio em parceria com Behr, o filme mostra como a capital modernista inspirou a criação de “Braxília”, cidade inventada pelo poeta.

Danyella Proença

Danyella Proença nasceu em Brasília, no Brasil, em 1984. Formou-se em Jornalismo pela Universidade de Brasília em 2006. Em 2010, concluiu o mestrado em Comunicação Social, ênfase em Imagem e Som, na mesma Universidade, com a dissertação “Arqueologia do Invisível - Reflexões sobre o poético na obra de Luiz Fernando Carvalho”. Trabalha como jornalista no Ministério das Comunicações desde 2007.

14 Dockanema 2012

“Braxília” is a documentary about the Brazilian poet Nicolas Behr and his glance on the city of Brasilia. In a free rehearsal in collaboration with Behr, the film shows how the modernist capital inspired the creation of “Braxília”, city invented by the poet. Danyella Proenca was born in Brasília, Brazil, in 1984. She graduated in Journalism from the University of Brasília in 2006. In 2010, she completed her master’s degree in Media, major in Image and Sound, at the same University, with the dissertation “Archaeology of the Invisible Reflections on the poetic work of Luiz Fernando Carvalho”. She works as a journalist at the Ministry of Communications since 2007.


Carne, Osso

Caio Cavechini & Carlos Juliano Barros, Brasil, 2011, 65’, VO Português

Na esteira do aumento do consumo de carne de frango no Brasil e da exportação alcançada pelos frigoríficos brasileiros, as jornadas dos seus trabalhadores vêm se tornando cada vez mais estafantes, penosas e perigosas. A exigência de um rendimento crescente nas linhas de produção obriga os funcionários a uma rotina mais rápida, implicando a realização de diversos movimentos repetitivos por minuto, levando-os a inúmeros problemas de saúde.

Caio Cavechini

Desde 2006, é repórter, editor e roteirista do “Profissão Repórter”, programa da TV Globo. Participou de coberturas variadas, do terremoto no Haiti à violência no Rio de Janeiro, e já recebeu quatro prémios jornalísticos.

Carlos Juliano Barros

Vencedor do Prémio Fiema de Jornalismo Ambiental, finalista do Prémio Esso de Jornalismo, vencedor do prémio de melhor documentário pelo júri popular no Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM), com o filme Carne, Osso.

In the wake of increased consumption of meat and poultry in Brazil and exports achieved by Brazilian slaughterhouses, the journeys of their workers are becoming increasingly stressful, painful and dangerous. The demand for an increasing yield in production lines requires employees to have a faster routine, implying making various repetitive movements per minute, leading them to numerous health problems.

Since 2006, he is a reporter, editor and scriptwriter of “Profissão Repórter”, a Globo TV program. Participated in various news coverage’s from the earthquake in Haiti to the violence in Rio de Janeiro, and has received four journalistic awards. Winner of Prémio Fiema for Environmental Journalism, Finalist Prize of Prémio Esso for Journalism, Award winner for best documentary by vote of popular jury at Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM), with the movie Flesh, Bone.

Filmografia 2011 Carne, Osso 2010 A Casa da Vó Neyde 2009 Sequestro | Porta a Porta 15


Cartas de Angola

Dulce Fernandes, Portugal, 2011, 63’, VO Português e Castelhano / legendas Português

“Cartas de Angola” é uma viagem a um passado esquecido e um olhar sobre uma memória geográfica onde duas histórias se intersectam: a história de uma portuguesa nascida em Angola nas vésperas da independência e as histórias dos cubanos que combateram na guerra em Angola. O filme, contado na primeira pessoa, é uma travessia pela Cuba de hoje e uma descoberta das histórias dos cubanos em Angola durante a guerra, através das quais se revela um passado perdido e uma ligação umbilical a uma terra distante.

Dulce Fernandes

Dulce Fernandes é uma realizadora portuguesa, nascida em Angola e residente em Brooklyn (E.U.A.). Estudou cinema e fotografia no AR.CO (Lisboa), na Escola do Instituto de Arte de Chicago, na Escola Internacional de Cinema e Televisão (EICTV) em Cuba e no Downtown Community Television Center (DCTV), em Nova Iorque. Trabalhou como fotojornalista no jornal Público e como activista em questões ambientais e direitos humanos. Formada em jornalismo pela Universidade Técnica de Lisboa e em Relações Internacionais pela City University of NewYork. “Cartas de Angola” é o seu primeiro documentário. 16 Dockanema 2012

“Letters from Angola” is a journey into a forgotten past where several stories intersect – that of Dulce Fernandes, a Portuguese filmmaker born in Angola on the advent of independence and those of the Cubans who fought in the Angolan war. A journey through today’s Cuba, the film uncovers the lost connection to a land left behind and it’s a poetic reflection on the fragile place of the individual in the midst of the tectonic movements of History.

Dulce Fernandes is an Angolan-born, Europeanraised and Brooklyn-based filmmaker. Studied Documentary Filmmaking at AR.CO (Lisbon), at the International Film and Television School (EICTV) in Cuba and at the Downtown Community Television Center (DCTV) in New York, Dulce Fernandes is a former photojournalist and human rights activist. She holds a B.A. in Journalism from Lisbon Technical University, a certificate in Film Studies from the School of the Art Institute of Chicago, and a M.A. in International Relations from the City University of New York. “Letters from Angola” is her first feature-length documentary.


Cartas para Angola

Coraci Ruiz e Júlio Matos, Brasil, 2012, 75’, VO Português / legendas Português e Castelhano

Brasil e Angola são duas margens do Atlântico que possuem a mesma língua, um passado colonial em comum e muitas histórias compartilhadas. Neste filme, pessoas separadas por um oceano trocam correspondências – alguns são amigos de longa data, outros nunca se viram.

Coraci Ruiz & Júlio Matos

Coraci Ruiz nasceu em São Paulo, Brasil, em 1978. Graduou-se em Dança e depois tornou-se mestre em Cultura Audiovisual e Média, com pesquisa sobre documentário, ambos pela Unicamp. Como parte de sua pesquisa realizou a curta “Outra Cidade”, que recebeu uma menção honrosa na 14a. Mostra Internacional do Filme Etnográfico em 2009. Júlio Matos nasceu em Campinas, no Brasil, em 1978 e é sociólogo formado pela Unicamp. Trabalhou como assistente de direção em filmes de longa-metragem em São Paulo e no Rio de Janeiro. Juntos, Coraci e Julio realizaram o workshop “Realización de Documentales” na Escuela Internacional de Cine y TV de San Antonio de los Baños, em Cuba, em 2005.

Brazil and Angola represent two sideas of the Atlantic that have the same language, a common colonial legacy and many shared stories. In this film, people separated by an ocean exchange letters – some are longtime friends, others never met.

Coraci Ruiz was born in São Paulo, Brazil in 1978, Graduated in Dance and later Mastered in Audiovisual Culture and Media, with documentary research, both from Unicamp. As part of the research made the short film “Another City”, which received an honorable nomination in the 14th International Ethnographic Film Festival in 2009. Júlio Matos was born in Campinas, Brazil, in 1978 and is a sociologist graduated by Unicamp. Worked as an assistant director on feature length films in São Paulo and Rio de Janeiro. Together, Coraci and Júlio held a workshop “Documentary Direction” on Escuela Internacional de Cine y TV de San Antonio de los Baños, Cuba, in 2005.

Filmografia 2005 Saudade, vídeo-cartas para Cuba 2004 Rotas Recriadas 2003 Olhos Negros: compartilhando imagens 17


Coutinho Repórter

Rená Tardin, Brasil, 2010, 25’, VO Português / legendas Inglês

Eduardo Coutinho, um dos mais importantes documentaristas do país, passou nove anos a trabalhar no programa Globo Repórter. Nessa época, em plena ditadura, forjou um estilo e conseguiu realizar obras de cunho social que, naquele período, a censura impedia o cinema de concretizar. O cineasta reavalia este período de formação, do qual sairia para concluir o seu importante “Cabra Marcado para Morrer” (1985), cuja produção fora interrompida pelo golpe militar de 1964.

Rená Tardin

Rená Tardin é documentarista. Os seus filmes participaram em dezenas de festivais. “Aqui, doido varrido não vai pra debaixo do tapete” (2010) foi exibido no Festival do Rio 2010 e no XXV Festival del Cinema Latino Americano em Trieste. A Ccurta “Coutinho Repórter” participou, entre outros, no Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano (Cuba), Festival É tudo verdade e Fórum DOC BH.

Filmografia 2012 2010 2008

Longe do Oeste Coutinho Repórter Aqui, Doido varrido não vai pra debaixo do Tapete O Som da Roda

18 Dockanema 2012

Eduardo Coutinho, one of the most important documentary filmmakers of the country, who spent nine years working in the program Globo Repórter. At that time, during the dictatorship, he forged a style and managed to produce works of social relevance which, at the time, censorship prevented the film industry from such. The filmmaker reassesses this training period, when he completed his important work “Goat Marked for Death” (1985), whose production had been interrupted by military coup in 1964. Rená Tardin is documentary filmmaker. His films have participated in dozens of festivals. “Aqui, doido varrido não vai pra debaixo do tapete” (2010) was screened at the Rio Festival 2010 and XXV Festival del Cinema Latino Americano in Trieste. The short film “Coutinho Repórter” participated, among others, at the Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano (Cuba), Festival É tudo verdade and Fórum DOC BH.


Disque Quilombola

David Reeks, Brasil, 2011, 13’, VO Português

Crianças do Espírito Santo conversam de forma divertida sobre como é a vida numa comunidade quilombola e num morro na cidade de Vitória. Através de uma genuína brincadeira infantil, os dois grupos falam das suas raízes e revelam o quanto a infância tem mais semelhanças do que diferenças.

David Reeks

Há mais de dez anos, David Reeks, em parceria com a educadora Renata Meirelles, dedica-se a documentar os gestos da infância brasileira. Juntos, percorreram diversos Estados da Amazónia, o interior e litoral cearenses, o Vale do Jequitinhonha, entre outras regiões do país, para registrar os brinquedos e as brincadeiras das crianças.

Children of the Holy Spirit talks in a funny manner about how is life in a quilombola community and on a morro (hill) in the city of Vitoria. Through a genuine children’s game, the two groups talk about their roots and reveal how much childhood has more similarities than differences.

For over ten years, David Reeks, in partnership with Renata Meirelles, an educator, has dedicated to documenting the gestures of Brazilian children. Together, they travelled throughout several states of the Amazon, the interior and the coastline of Ceará, the Jequitinhonha Valley, among other regions of the country, to register the toys and games of children.

Filmografia 2009 2006 2004

The Madeira River: Life Before the Dams Boi de Pedra – Brincadeira simbólica de crianças da Serra do Lajedo, no Ceará Natureza Brincante – Diversidade do brincar no Ceará Pião de Ferro: construção de piões por meninos urbanos Capitão Menino - Barcos e Rios no Brincar de Crianças Ribeirinhas da Amazónia Caça de Insectos - O exercício de ser criança na Amazónia 19


Entre Vãos

Luísa Caetano, Brasil, 2010, 20’, VO Português / legendas Inglês

“Entre Vãos” é um documentário “etno-lírico” que se desenrola em Vão de Almas, localidade da região Norte de Góias,noBrasil. Lizeni é uma menina kalunga com dez anos, que conduz o nosso olhar por entre as suas brincadeiras de infância, o mundo adulto dos pais e a relação da família com a cidade mais próxima.

Luísa Caetano

Luísa Caetano é jornalista formada pela Universidade de Brasília, onde frequenta actualmente uma graduação em Audiovisual.

Filmografia 2010 Poder 2009 Três Marias Maranhão Brasília

20 Dockanema 2012

“Entre Vãos” ‘is a “ethno-lyrical” documentary that unfolds in Vão de Almas, city of northern Góias, In Brazil. Lizeni is a kalunga girl aged ten, who leads our glance through her childhood games, the adult world of parents and family relationship with the nearest town

Luisa Caetano is a journalist graduated from the University of Brasilia, where she currently attends an Audio visual degree. .


Família Braz – Dois Tempos

Arthur Fontes & Dorrit Harazim, Brasil, 2011, 74’, VO Português

Seis pessoas, uma mesma família, dez anos depois. “Dois Tempos” retoma a narrativa da vida dos Braz, iniciada em 2000, no documentário “A Família Braz”. Em 2010, os mesmos diretores voltam à mesma casa para actualizar o retrato das seis personagens. Passada uma década, o que foi feito das suas expectativas do passado, como levam a vida no presente e o que esperam do futuro.

Arthur Fontes

Director e produtor carioca, nascido em 1963, sócio fundador da Conspiração Filmes. Possui mestrado em produção de cinema pela Universidade de Nova Iorque. Director de especiais musicais, também escreveu roteiros (“China, o império do centro” de João Moreira Salles), codirigiu uma série documental (“Futebol”,com João Moreira Salles).

Dorrit Harazim

Jornalista e documentarista brasileira nascida na Croácia, em 1943. Foi repórter e chefiou o escritório da Editora Abril em Nova Iorque, durante cinco anos. Ao longo deste percurso, recebeu 11 prémios Abril de Jornalismo. Co-dirigiu com Arthur Fontes o documentário “Família Braz – Dois Tempos”, vencedor do prémio É tudo verdade 2011.

Six people, one family, ten years later. “Two Times” retells the narrative of the life of the Braz family, which started in 2000 with the documentary “The Braz Family”. In 2010, the same directors returned to the same house to recount the life of the six characters. A decade later, what happened to their past expectations, how are they currently living and what they expect for the future.

Director and producer from Rio, born in 1963, founding partner of Conspiração Filmes, emerged in the film industry with the awardwinning short film Locked from inside (1988). Has a master’s degree in film production from the University of New York. Soundtrack director, also wrote screenplays (China, the middle empire, João Moreira Salles), co-directed a documentary series (Football, in partnership with João Moreira Salles), and has endorsed dozens of video clips. Harazim Dorrit is a Brazilian journalist and documentary filmmaker born in Croatia in 1943. Her journalistic career began in 1966 as a researcher at the French weekly magazine

21


Hoje tem Alegria

Fábio Meira, Brasil, 2010, 26’, VO em Português

O filho de um alfaiate fugiu para ser malabarista. Um mágico aposentado vê sua trupe ruir. Uma ex-trapezista será avó pela primeira vez. Fogo, facas, silêncio, aplausos. No circo, eles viram o mundo.

Fábio Meira

Nasceu em Goiânia em 1979. Estudou na mítica Escola de Cinema de Cuba, onde realizou várias curtas, premiadas no Brasil e no estrangeiro. Foi assistente de directores como Ruy Guerra e Fernando Trueba. Em 2008, participou na oficina “Como contar un cuento” com o escritor Gabriel Garcia Marquez. Trabalhou para o teatro e para a televisão, incluindo a direção do programa “Globo Ciência”.

Filmografia 2008 Atlântico 2007 Un vestido para Iaiá 2006 Adiós a Cuba 2005 Dia de Compras Aramis 2004 Dolores

22 Dockanema 2012

The son of a tailor flees to become a juggler. A retired magician sees his troupe collapse. A former acrobat will be a grandmother for the first time. Fire, knives, silence, applause. In the circus, they saw the world. He was born in Goiânia in 1979. Studied at the mythical School of Cinema of Cuba, where he made several short films awarded in Brazil and abroad. Served as assistant director to Ruy Guerra and Fernando Trueba. In 2008, he participated in the workshop “Como contar un cuento” with writer Gabriel Garcia Marquez. He worked for the theater and television, including the direction of the program “Globo Ciência”.


Kolá San Jon é Festa di Kau Berdi Rui Simões, Portugal, 2011, 60’, VO Português

Os habitantes do bairro do Alto da Cova da Moura, cabo-verdianos na sua maioria, recuperam e põem em acção uma festa tradicional do seu arquipélago de origem, a que dão o nome de KOLÁ SAN JON. Este documentário acompanha um grupo de residentes do bairro numa viagem a Cabo Verde para festejarem as festas de S. João.

Rui Simões

Estudou Realização para Cinema e Televisão no Institut des Arts de Diffusion, em Bruxelas. Inicia uma relação profissional com o cinema na Bélgica, como fotógrafo de cena. Mais tarde, em 1974, em Portugal, começa a sua actividade cinematográfica, realizando duas longas e três curtas-metragens documentais sobre a realidade portuguesa da altura. Desde 1982 que realiza inúmeros trabalhos, a maioria de cariz documental.

The inhabitants of the district of Alto da Cova da Moura, Cape Verdeans mostly, relive and prepare a traditional party of their archipelago of origin, giving the name KOLÁ SAN JON. This documentary follows a group of local residents on a trip to Cape Verde to celebrate the St. John´s feasts.

Studied Film and Television Production at the Institut des Arts de Diffusion in Brussels. Started the professional bond with the cinema in Belgium, as a scene photographer. Later, in 1974, in Portugal, began filmmaking, performing two long and three short documentary films on the Portuguese reality at the time. Since 1982 performs countless works, mostly of documentary nature.

Filmografia 2011 2010 2008

Em Honra de São Gualter E ainda a procissão vai no adro” Ilha da Cova da Moura Ruas da Amargura

23


Linha Vermelha

José Filipe Costa, Portugal, 2011, 80’, VO Português

Em 1975, a equipa de Thomas Harlan filmou a ocupação da Herdade da Torre Bela, no centro de Portugal. Três décadas e meia depois, “Linha Vermelha” revisita esse filme emblemático do período revolucionário português: de que maneira Harlan interveio nos acontecimentos que parecem desenrolar-se naturalmente e frente à câmara? Qual foi o impacto do filme na vida dos ocupantes e na memória desse período?

José Filipe Costa

Doutorado pelo Royall College of Art (Londres) – tese relacionada com estudo do filme Terra Bela (1997), de Thomas Harlan - José Filipe Costa é realizador, argumentista e escritor. Licenciou-se e fez mestrado em Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Filmografia 2008 A Rua 2006 Chapa 23 2005 Domingo 2002 Entre Muros 2000 Senhorinha

24 Dockanema 2012

In 1975, Thomas Harlan’s crew filmed Torre Bela’s homestead occupation, in the center of Portugal. Three decades later, “Linha Vermelha” revisits this emblematic film of the Portuguese revolutionary period: in which way did Harlan interfere in the events that seem to naturally develop in front of the camera? What was the impact of the film on the lives of the occupants and the memory of that period?

PhD by the Royall College of Art (London) thesis-related with Terra Bela film (1997) by Thomas Harlan - José Filipe Costa is director, screenwriter and writer. He graduated and did a Master in Communication Sciences, at the Social and Human Sciences Faculty of Nova University in Lisbon.


Mulheres Africanas - a rede invisível

Carlos Nascimbeni, Brasil, 2012, 98’, VO Português e Inglês / legendas Português

“Mulheres Africanas - a rede invisível” é um filme que trata da questão da mulher africana a partir do depoimento de 5 mulheres ícones do continente: Nadine Gordimer, escritora Sul-africana, Prémio Nobel de Literatura, Graça Machel, moçambicana, activista de direitos humanos e educação, ex-esposa de Samora Machel e atual esposa de Nelson Mandela, Sara Masasi, Lider empresarial da Tanzânia, expoente do mundo dos negócios, Luíza Diogo, ex-primeira-ministra de Moçambique e Leymah Gebowee, activista política da Libéria, Prémio Nobel da Paz. As mulheres africanas são mostradas como sustentáculos de toda organização política, económica, comunitária e cultural.

Carlos Nascimbeni

Carlos Nascimbeni é formado em cinema pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Actuou na criação e produção de programas como “ARTE&MATEMÁTICA”, direção de Sérgio Zeigler, Prémio Maeda/Japão–2001 e Prémio Dragão de Prata/China – 2003, e na séries “Galera e “Micro-Macro”, ambas indicadas ao Prémio Emmy. Atualmente, dirige a série “Presidentes Africanos”, com previsão de estreia para 2013.

“African Women - the invisible network” is a film that deals with the issue of African women from the testimony of five women icons of the continent: Nadine Gordimer, South African writer, Nobel Prize for Literature, Graca Machel, Mozambique, and human rights and education activist , exwife of Samora Machel and Nelson Mandela’s current wife, Sara Masasi, Tanzania’s business leader, an exponent of the business world, Luísa Diogo, former Prime Minister of Mozambique, and Leymah Gebowee, Liberian political activist, Nobel Prize Peace. African women are shown as supporters of the organiztion of all political, economic and cultural community.

Carlos Nascimbeni holds a degree in Cinema from the School of Communications and Arts at the University of St. Paulo. Produced “Art & Math”, directed by Sergio Zeigler, Award and Prize Maeda/Japão – 2001 and Silver Dragon / China – 2003, and the series “Galera” and” Micro-Macro”, both nominated for the Emmy Award. Currently leads the series” African Presidents “, expected to debut in 2013.

25


O filme que eu fiz para não esquecer

Renato C. Gaiarsa, Brasil/Uruguai, 2011, 3,22’, VO Espanhol / legendas Português

Durante uma viagem ao Uruguai, ele filmou sua namorada. Depois de se separarem, retornou a São Paulo e filmou o apartamento vazio onde os dois moravam. Como resultado, fragmentos da memória de um romance.

Renato C. Gaiarsa

Renato Gaiarsa nasceu em 1980 em Salvador. Desde as pequenas produções em VHS nos anos 90 o espírito de videomaker/cineasta sempre esteve presente. Nos últimos 10 anos realizou, como director, cinegrafista e/ ou editor de pequenas curtas, documentários, programas para internet e TV e 17 videoclipes de bandas independentes. “O filme que eu fiz para não esquecer” é seu primeiro filme próprio, ganhando muita atenção em festivais nacionais e internacionais devido à temática pessoal do projecto. Actualmente trabalha como montador de comerciais na O2 Filmes em São Paulo.

Filmografia 2012 14 Meses e uma Câmara 2011 Another Dinner ...e Meu Melhor Amigo se Casou

26 Dockanema 2012

During a trip to Uruguay, he filmed his girlfriend. After they split up, he returned to São Paulo and filmed the empty apartment where they both lived. Resulting in fragments of memory of a romance. Renato Gaiarsa was born in 1980 in Salvador. From small VHS productions in the 90’s, the spirit of the videographer / filmmaker has always been present. Over the past 10 years he conducted, as director, videographer and/or editor, short documentaries and programs for the internet and TV and 17 music videos for independent bands. “O filme que eu fiz paranão esquecer “is his first film and has caught much attention in national and international festivals due to the personal insight of the Project. Currently works as an editor of advertisements at O2 Filmes in São Paulo.


Outras Cartas ou o Amor Inventado Leonor Noivo, Portugal, 2012, 52’, VO Português

Filme que parte da obra literária Novas Cartas Portuguesas, escrita em conjunto pelas “Três Marias” na década de 1970 em Portugal. Um documentário que cruza esse legado literário com diferentes situações, contextos e interlocutores, ligando material de arquivo do processo de tribunal - a que as autoras foram sujeitas quando o livro foi publicado - a uma procura muito pessoal e labiríntica sobre o amor.

Leonor Noivo

Estudou Fotografia e Arquitectura antes de ingressar na Escola Superior de Teatro e Cinema onde se especializou em Montagem e Realização. Desde 1999 faz anotação e assistência de realização em filmes de ficção e em documentários, tendo trabalhado com João Botelho, José Nascimento, João Pedro Rodrigues, Pedro Caldas, entre outros.

Film based on the book Novas Cartas Portuguesas, written jointly by the Três Marias in the 1970s in Portugal. A documentary that crosses this literary legacy with different situations, contexts and interlocutors, linking archival material of the court case – which the authors faced when the book was published – to a very personal and labyrinthine search for love.

Studied Photography and Architecture before joining the School of Theatre and Film, majoring in Montage and Performance. Since 1999, makes critic and assistance to feature films and documentaries, working with João Botelho, José Nascimento, João Pedro Rodrigues, Pedro Caldas, among others.

Filmografia 2009 Santos dos Últimos Dias Escola Básica 26 2008 G50 2007 Excursão Aeroporto 2005 Salitre 27


Palavra Plástica

Leo Falcão, Brasil, 2011, 18’, VO Português

Assinalando os 50 anos da morte do poeta pernambucano Carlos Pena Filho, realizou-se uma exposição que incluiu obras de 20 artistas plásticos brasileiros, convidados a partir dos seus poemas. Este documentário acompanha todo o processo de elaboração artística do evento, testemunhando o cruzamento de diversas formas de arte.

Leo Falcão

Cineasta com mais de dez anos de experiência, o brasileiro Leo Falcão ingressou na sétima arte em 1999, como director e roteirista, a partir da necessidade de se expressar artisticamente. Falcão também é professor universitário e músico. É licenciado em Comunicação Social e possui especialização em Estudos Cinematográficos.

Filmografia 2009 Sem Rosto 2009 Guia prático, histórico e sentimental da cidade do Recife 2008 A vida é curta 2004 TheLastNote.com 2002 Lugar Comum

28 Dockanema 2012

Marking the 50th anniversary after the death of pernambucan poet Carlos Pena Filho, a workshop was held which included works of 20 Brazilian artists invited based on their poems. This documentary follows the entire process of the artistic development of the event, witnessing the intersection of various art forms.

Filmmaker with over ten years of experience, Leo Falcão joined the Brazilian cinema in 1999 as director and screenwriter, based on the need to artistically express himself. Falcão is also a university lectrurer and musician. He has a degree in Media and specialized in Film Studies.


São Silvestre

Lina Chamie, Brasil, 2011, 18’, VO Português / legendas Inglês

“São Silvestre”, a mais famosa e tradicional corrida de rua da América Latina, na cidade de São Paulo, é radiografada de perto e por dentro. O que move tantos atletas, amadores e profissionais, a perseverar nesta maratona, que exige o máximo de fôlego e resistência num percurso de 15 km em pleno verão brasileiro?

Lina Chamie

Lina Chamie nasceu em São Paulo em 1961. Trabalhou durante mais de 10 anos no Departamento de Cinema da New York University, onde se graduou e obteve um mestrado. Foi professora da Universidade Federal de São Carlos - Ufscar, no Departamento de Artes e Comunicação de 2001 a 2005. Os seus filmes receberam inúmeros prémios e o reconhecimento da crítica nacional e internacional.

“São Silvestre”, the most famous and traditional street race in Latin America, especially in São Paulo, is imaged inside out. What drives so many athletes, amateur and professional, to persevere this marathon, which requires maximum resistance for a distance of 15 km in a Brazilian summer? Lina Chamie was born in São Paulo in 1961. She worked for over 10 years in the Department of Film at the New York University, where she graduated and earned a master’s degree. She was a lecturer at the Federal University of São Carlos – Ufscar, the Department of Arts and Communication from 2001 to 2005. Her films have received numerous awards and critical acclaim both nationally and internationally.

Filmografia 2007 A Via Láctea 2001 Tónica Dominante  1995 Eu Sei Que Você Sabe

29


S. Tomé e Príncipe – Minha Terra, Minha Mãe, Minha Madrasta Júlio Silvão Tavares, Cabo Verde, 2012, 50’, VO Crioulo e Português / legendas Português

Em 1861, um grupo de trabalhadores oriundos de Angola chega a S. Tomé e Príncipe, lavra terras e cria uma plantação, a Roça Monte Café. Outras roças foram depois criadas com a mão-de-obra escrava de Angola, Moçambique e Cabo Verde. S. Tomé e Príncipe torna-se, em pouco tempo, num dos maiores produtores mundiais de cacau. As roças, que eram a base da economia das ilhas, foram nacionalizadas em 1975 e, muito rapidamente, entraram em decadência, com centenas de ex-contratados a permanecer nas suas diferentes dependências. Qual é a consequência desta derrocada?

Júlio Silvão Tavares

Júlio Silvão Tavares, 53 anos, nasceu na Cidade da Praia, capital de Cabo Verde. Fez estudos em Eletrónica, Rádio, Televisão e Desporto. Produtor e realizador de seis documentários, venceu o concurso Projeto Documentário CPLP 2009, representando Cabo Verde. Em 2012, foi eleito vice-presidente da Associação de cinema de Cabo Verde.

Filmografia 2005 Batuque, a Alma de um Povo

30 Dockanema 2012

In 1861, a group of workers from Angola reaches S. Tomé and Principe, to prepare the land and establish a plantation, the Roça Monte Café. Other plantations were then created by handlabor slaves from Angola, Mozambique and Cape Verde. In short, S. Tome and Prince becomes one of the largest cocoa producers. The plantations, which were the basis of the economy of the islands, were nationalized in 1975 and very quickly began to decline, with hundreds of former contractors remaining in their different dependencies. What is the consequence of this debacle?

Julião Silvão Tavares, 53, was born in Cidade da Praia, capital of Cape Verde. He studied Electronics, Radio, Television and Sports. Producer and director of six documentaries, he won the contest CPLP Documentary Project in 2009, representing Cape Verde. In 2012, he was elected vice-president of the Film Association of Cape Verde.


Tancredo – A Travessia

Sílvio Tendler, Brasil, 2011, 104’, VO Português

“Tancredo – A Travessia” é um documentário brasileiro que retrata, através de depoimentos, a biografia do Presidente Tancredo Neves. Conta a história do homem firme nas suas decisões e sereno nas atitudes, do político moderado, mas que durante a sua vida pública enfrentou com ética, retidão e extraordinária coragem grandes desafios em momentos cruciais da história do Brasil.

Sílvio Tendler

Historiador de formação, Sílvio Tendler é um dos mais influentes cineastas brasileiros, com cerca de 40 filmes realizados, tendo também trabalhado com Bernardo Bertolucci e Chris Marker. Frequentou o curso de Cinema e História dirigido pelo historiador Marc Ferro, na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais; e o curso de Cinema aplicado às Ciências Sociais, dirigido pelo cineasta e antropólogo Jean Rouch.

“Tancredo – The Crossing” is a Brazilian documentary that portrays, through testimonies, the biography of President Tancredo Neves. It tells the story of a political moderate firm in his decisions and calm in attitudes, who during his public life faced, with ethics, righteousness and courage, the extraordinary challenges at crucial moments in the history of Brazil.

Graduated in History, Silvio Tendler is one of the most influential filmmakers in Brazil, with about 40 films directed, having also worked with Bernardo Bertolucci and Chris Marker. Attended the course of Cinema and History lectured by the historian Marc Ferro at the School of Higher Studies in Social Sciences; and the course of Cinema applied to Social Sciences lectured by anthropologist and filmmaker Jean Rouch.

Filmografia 2007 Memória do Movimento Estudantil 2006 Encontro com Milton Santos 2005 Memória e História em Utopia e Barbárie 2003 Oswaldo Cruz - O Médico do Brasil 1999 Castro Alves - Retrato Falado do Poeta 1984 Jango (…) 31


Vale dos Esquecidos

Maria Raduan, Brasil, 2010, 72’, VO Português e Inglês / legendas Português

“Vale dos Esquecidos” investiga a disputa pela terra numa remota região do Mato Grosso, onde o fogo é a principal arma usada entre grupos rivais: índios expulsos de suas casas, posseiros em busca de um pedaço de chão, grileiros invadindo terras ilegalmente, sem-terra esperando as decisões do governo, fazendeiros brigando para manter suas propriedades.

Maria Raduan

Maria Raduan nasceu em São Paulo/Brasil e trabalhou de 1998 a 2001 no Departamento de Cinema da agência DM9DDB, na área de criação. Foi directora da agência de publicidade Toró de 2002 a 2005. Como sócia fundadora, participou intensamente de todas as produções feitas pela agência que tinha como clientes a Brasil Telecom, Caloi, Blokos Construtora entre outros.

Filmografia 2006 Mulheres da Roça 2007 Rubico

32 Dockanema 2012

“Valley of the Forgotten” shows the conflict for land in a very secluded area of the state of Mato Grosso, where violence and fire stand for the interests of opponent groups: Indians evicted from their homeland, squatters trying to get a piece of land to make a living, land grabbers illegally invading properties, the Landless Workers Movement waiting for government decisions and the ranchers fighting to hold on to their property. Maria Raduan, born in São Paulo, Brazil, worked from 1998 to 2001 at the Cinema Department of the Advertising Agency DM9DDB, in the creative Field. Worked as a director at Toró Advertising Agency, from 2002 to 2005. As a founding partner, she took part on every project from all the major clients of the agency, such as Brasil Telecom, Caloi, Biokos Consulting, among others.


Vocacional, uma Aventura Humana Toni Venturi, Brasil, 2011, 77’, VO Português

Na década de 1960, os colégios Vocacionais do estado de São Paulo, no Brasil, foram reprimidos pela ditadura militar.Estas unidades de ensino tinham uma proposta à frente do seu tempo: fazer o aluno pensar, trabalhar em grupo e desenvolver a sensibilidade artística e a habilidade técnica. O filme aponta uma reflexão sobre os descaminhos a que o regime autoritário conduziu a educação no país.

Toni Venturi

Natural de São Paulo, Toni Venturi formou-se em Cinema na Ryerson University, Canadá. Dirigiu e produziu sete longas-metragens, além de diversos documentários para televisão, obras estas que foram elogiadas pela crítica e pelo público em geral.

In the 1960s, the Vocational colleges in the state of São Paulo, Brazil, were repressed by the military dictatorship. These teaching units had a proposal ahead of its time: make the student think, work together and develop artistic sensitivity and technical skill. The film shows a reflection on the hindsight that the authoritarian regime led the education in the country. Born in São Paulo, Toni Venturi graduated in Film at the Ryerson University, Canada. He directed and produced seven feature films and several documentaries for television, such that have been praised by critics and the general public.

Filmografia 2011 Estamos Juntos 2007 Rita Cadilac, A Lady do Povo 2006 Dia de Festa 2004 Cabra-Cega 2001 Latitude Zero 1997 O Velho, A História de Luiz Prestes

33


34 Dockanema 2012


Sal da Terra

A Terra dos nossos Avós....................... 36 African Urban Dreams........................... 37 Alzira – A minha vida com fístula obstétrica.............................................. 38 Behind Closed Doors ............................ 39 Como é que se faz?.............................. 40 Depois do Muro ................................... 41 Gigantes na Rua.................................... 42 Histórias de Fronteira............................ 43 Ilha de Moçambique.............................. 44 Manifesto das Imagens em Movimento.. 45 Maravilha nas barras da prisão.............. 46

MATI – A água que não chega............... 47 N’Thiana Othampítjá Tríptico.................. 48 O Caminho Certo ................................. 49 Prevenção das inundações na bacia do rio Búzi .................................. 50 SEM FLASH. H. a Ricardo Rangel..............51 Street Work Mavec................................ 52 Time Lag.............................................. 53 Victor Sousa, a trança madura ............. 54 Xilunguine, a Terra Prometida................ 55 Xitereka ................................................ 56


A Terra dos nossos Avós

Fábio Ribeiro, Moçambique, 2011, 40’, VO Português

O uso inapropriado da terra é uma das maiores causas de conflitos entre nativos e autoridades locais de Moçambique. Consciente dessa situação, a Justapaz trabalha no campo para aumentar a consciencialização das populações sobre estas questões, fornecendo as ferramentas de que necessitam na luta contra essa instabilidade constante.

Fábio Ribeiro

Formou-se em Montagem na Escola Técnica de Imagem e Comunicação, e em Cinematografia na Escola Superior de Teatro e Cinema em Lisboa. Desde 2003, desenvolve projectos na área documental, destacando-se “Maria”, vencedor do Prémio do Público no International Video Jornalist Awards 2006 em Berlim, e “Aleluia”, Menção Honrosa nos festivais Primeiro Olhar 2008 – Viana do Castelo e 16º Curtas Vila do Conde.

Filmografia 2011 A Caminho do Milénio A Terra dos Nossos Avós 2008 Aleluia 2006 Maria As Palavras não ditas 2005 Arise Dopamina 36 Dockanema 2012

The inappropriate use of land is a major cause of conflicts between natives and local authorities in Mozambique. Aware of this situation, Justapaz works in the field to raise awareness of people about these issues, providing the tools they need to fight this constant instability.

Graduated in Editing, by the Technical School of Image and Communication, and Cinematography by the School of Theatre and Cinema in Lisbon. Since 2003, has developed documentary projects as “Maria”, winner of the Audience Award at the International Video Journalist Awards 2006 in Berlin, and “Aleluia”, Honorable Nomination in the festivals Primeiro Olhar 2008 – Viana do Castelo and 16º Curtas Vila do Conde.


African Urban Dreams | Sonhos Urbanos Africanos Noemie Mendelle, Escócia/Dinamarca, 2012, 50’, VO Português / legendas Inglês

“Sonhos Urbanos Africanos” é um documentário filmado em Moçambique. Num país que viveu tantos tumultos políticos e históricos, é muito importante para as famílias Moçambicanas o enorme esforço e dinheiro que investiram para construção das suas casas. Esta iniciativa e a rápida expansão da cidade de Maputo tornaram-se, ao mesmo tempo, nas resoluções e nas ameaças do sonho destas famílias de possuírem uma casa permanente.

Noemie Mendelle

Noemi Mendelle produziu e dirigiu vários documentários internacionais para TV, nomeadamente, C4/BBC/ARTE/RTP. É professora de documentário da Universidade de Edimburgo e orienta workshops de documentário em todo o mundo. É directora do Scottish Documentary Institute (SDI), um centro de pesquisa e produção baseado em Edimburgo, onde várias gerações de cineastas trabalham em sinergia entre a indústria e a academia.

“African Urban Dreams” is a documentary shot in Mozambique. In a country which has lived through so much political and historical turmoil, it matters a lot for families to invest enormous effort and savings in the building of their home.  The film explores how their initiative and the rapid expansion of Maputo, both solve but also threatens people’s dreams of owning a permanent home.

Noemi Mendelle has produced and directed many documentaries across borders for TV such as C4/ BBC/ARTE/RTP. She is professor of documentary at University of Edinburgh and runs documentary workshop all over the world. In 2003, she set up Scottish Documentary Institute (SDI) as a research, training and production centre based in Edinburgh and made SDI into an international community hub where several generations of filmmakers share and work across industry and academia.

Filmografia 2012 (Poets in Protest) Aljazeera

37


Alzira – A minha vida com fístula obstétrica Mercedes Sayagues, Moçambique, 2011, 5’, VO Português

Alzira Salomão, de 26 anos, conta como viveu com fístula obstétrica desde os 15 anos. Passou por seis cirurgias para poder levar uma vida normal. Mais de cem mil moçambicanas sofrem de incontinência, causa de vergonha e exclusão devido à fístula. A cada ano, apenas 300 são operadas, o que equivale ao mesmo número de novos casos anuais. A fístula é uma lesão que resulta do parto complicado, sem atenção médica adequada. Está relacionada com a pobreza, as distâncias e custos envolvidos para chegar ao hospital, as demoras em procurar ajuda médica, o casamento e a gravidez prematura.

Mercedes Sayages

Mercedes Sayagues é uma jornalista uruguaia residente em Moçambique. Realizou o filme “Alzira – A minha vida com fístula obstétrica” para a Women in Law in Southern Africa (WLSA/Moçambique), contando com a colaboração de Diana Manhiça (câmara) e Chude Mondlane (música).

38 Dockanema 2012

Alzira Salomão, 26 years old, tells how she lived with obstetric fistula since 15 years. She went through six surgeries in order to enjoy a normal life. Over a hundred thousand Mozambican women suffer from incontinence, an issue of shame and exclusion due to fistula. Each year, only 300 of them are operated, which equals the same number of new cases annually. Fistula is an injury that results from complicated birth without proper medical assistance. It is related to poverty, distances and costs involved to reach the hospital, delays in seeking medical help, marriage and early pregnancy

Mercedes Sayagues is a Uruguayan journalist living in Mozambique. She directed the film “Alzira – My life with obstetric fistula” for Women in Law in Southern Africa (WLSA/Mozambique), with the collaboration of Diana Manhiça (camera) and Chude Mondlane (music).


Behind Closed Doors | Só Dentro de Casa Rui Vilanculos, Inglaterra, 2012, 17’, VO Inglês e Somali/legendas Português

Um jovem da Somália é forçado a esconder a sua nova identidade como transexual de sua família e da comunidade Somali na Inglaterra, porque essa descoberta pode ter consequências fatais. Esta vida dupla, indesejável, torna-se gradualmente insuportável, já que ele não quer perder nem a família nem a sua essência.

Rui Vilanculos

Nasceu em Maputo, Moçambique. Aos vinte anos mudou-se para a Dinamarca. Depois de se formar no European Film College, na Dinamarca, Rui trabalhou como editor freelancer, e realizador de filmes documentários. Em Julho de 2010, concluiu um semestre de Estudo de Cinema na Universidade de Copenhaga, iniciando de seguida um mestrado em documentário no Royal Holloway - University of London, onde se graduou em 2011.

A young man from Somalia is forced to hide his new identity as a transsexual from his family and the Somali community in England, as detection can have fatal consequences. This undesirable double life becomes gradually unbearable, since he does not wish to lose either his family or his essence. Was born in Maputo, Mozambique. He moved to Denmark at the age of twenty. After graduating at the European Film College, in Denmark, he worked as a freelance editor, cinematographer and documentary director. In July 2010, he completed a semester of Film Studies at the University of Copenhagen and, immediately after he started a MA in documentary at Royal Holloway - University of London, where he graduated in 2011.

Filmografia 2012 Me in this Country 2011 Behind Closed Doors Absent 2010 The Band 2009 Once Upon a Time 2007 Countdown 2005 The Danish Cold 39


Como é que se faz?

Diana Manhiça, 2012, 8’, VO Português, legendas Inglês

“Como é que se faz?” mostra o processo de produção das esteiras típicas do norte de Moçambique, zona de origem de Mulima e realça a necessidade de transmissão destas tradições, contando a sua relação directa com a maioridade masculina e o casamento. Francisco Mulima era um contador de histórias. Diana Manhiça Diana Manhiça é formada em Artes Plásticas. Começou a trabalhar com cinema na Promarte, como editora, em 2005. Fez parte do grupo que criou o Cineclube Komba Kanema em 2007. É fundadora e coordenadora do KUGOMA – Fórum de Cinema de Curta-metragem. Faz Desenho Gráfico para várias empresas e ONG como freelancer. Criou a produtora Zoom e tem feito a produção local de vários filmes Espanhóis, em Moçambique.

Filmografia 2012 2010

Como é que se faz? Manifesto das Imagens em Movimento A Ponte uma história do ferryboat Bagamoyo

40 Dockanema 2012

“How is it done?” shows the production process of mats from the northern region of Mozambique, birthplace of Mulima, and emphasizes the need to disseminate these traditions, telling its direct relation to male majority and marriage. Francisco Mulima was a storyteller.

Diana Manhiça has a degree in Fine Arts. In 2005, she began working as film editor in Promarte. She was part of the group that created the Film Society Komba Kanema in 2007. She is the founder and coordinator of KUGOMA – Fórum de Cinema de Curta-metragem. She does Graphic Design for various companies and NGOs as a freelancer. She created Zoom Production Company and has made local production of several Spanish films in Mozambique.


Depois do Muro | Nach der Mauer

Peter Steudtner, Moçambique/Alemanha, 2012, 35’, VO Português e Alemão / legendas Português e Alemão

Depois da reunificação da Alemanha, o que aconteceu com os Moçambicanos contratados que viviam e trabalhavam na RDA? Sete protagonistas falam de suas vidas quotidianas; quatro que ficaram na Alemanha reunificada; e três que regressaram para as suas terras em Moçambique.

Peter Steudtner

Peter Steudtner, fotógrafo e videasta, vive entre Moçambique e Alemanha. Através do seu trabalho é facilitador para transformação não violenta de conflitos. Em 2008, fundou com Gregor Zielke e Rui Assubuji, a cooperativa panphotos.org, especializada na fotografia e videografia documental de carácter social e dedicada a projectos educativos e interculturais.

After the reunification of Germany, what happened to the hired Mozambican who lived and worked in the GDR? Seven actors talk about their daily lives; four who stayed in reunified Germany, and three who returned to their land in Mozambique.

Peter Steudtner, photographer and video artist, lives between Mozambique and Germany. Through his work is facilitator for nonviolent transformation of conflicts. In 2008, he founded, with Gregor Zielke and Rui Assubuji, the cooperative panphotos.org, specialized in social documentary photography and video and dedicated to intercultural and educational projects.

Filmografia 2010 Dialog / Diálogos / Passos: Dança Contemporâneo entre Moçambique e Alemanha

41


Gigantes na Rua

Sérgio Libilo, Moçambique, 2012, 24’, VO Português, Francês e Inglês / Legendas Portugês

“Gigantes na Rua” documenta um projecto de residência artística, formação e intercâmbio, com vista à construção de máscaras e marionetas gigantes. Levada a cabo pelo Centro Cultural Franco-Moçambicano, a iniciativa reuniu cerca de 40 artistas oriundos de Moçambique, Guiné-Bissau e França. O projecto culminou com a apresentação pública de um espectáculo de rua nas imediações dos mercados de Xipamanine e Bazar Central, em Maputo.

Sérgio Libilo

Cinema e televisão são as áreas de trabalho que conhece desde 2004. Passou pela Tv Miramar, STV e DDB em Maputo e trabalhou como freelancer em empresas como a Rgb-Golo, Mahlafilmes. Actualmente, trabalha na Cine Internacional, onde definitivamente decidiu entrar no mundo do cinema, filmando em diversos países, como África do Sul, Tanzânia ou Angola. “Gigantes na Rua” é o seu primeiro documentário.

42 Dockanema 2012

“Giants on the Streets” represents artistic project, training and exchange, for the construction of masks and giant puppets. Carried out by Franco-Mozambican Cultural Centre, the initiative brought together some 40 artists from Mozambique, Guinea-Bissau and France. The project culminated with a public presentation of a street show in the surrounding markets of Xipamanine and Central Bazaar in Maputo.

Film and television are the areas of work that has known since 2004. Was employed at TV Miramar, STV and DDB in Maputo and worked as a freelancer in companies such as RGBGolo, Mahlafilmes. Currently works at Cine International, where finally decided to enter the world of film, shooting in different countries, including South Africa, Tanzania and Angola. “Giants in the Streets” is the first documentary.


Histórias de Fronteira

Sonia Borrini, Itália, 2012, 30’, VO Português / legendas Inglês

“Histórias de Fronteira” é um documentário que resulta de uma pesquisa sobre a situação de pessoas vivendo com HIV/Sida, realizada na Vila da Namaacha, Moçambique. A pesquisa foi feita através de entrevistas aos pacientes, profissionais do centro de saúde local e membros de organizações que trabalham na área.

Sonia Borrini

Sonia Borrini nasceu em1981, em Itália. Estudou Representações Áudiovisuais e Multimédia na Universidade de Torino. Actualmente, trabalha no campo da cooperação e realiza vídeos para ONG, sobretudo em África.

“Borderline Stories” is a documentary that results from a survey on the status of people living with HIV/AIDS, held in the Town of Namaacha, Mozambique. The survey was conducted through interviews with patients, professionals from the local health center and members of organizations working in the area.

Sonia Borrini was born in 1981 in Italy. She studied Audiovisual and Multimedia Representations at the University of Torino. Currently, works in the field of cooperation and videos making for NGOs, especially in Africa.

Filmografia 2012 Green Dreams 2011 Mobile Clinics

43


Ilha de Moçambique

Leonardo Batalla, Moçambique, 2011, 16’, VO Português

“Ilha de Moçambique” é uma curta-metragem cultural sobre uma dança tradicional da reconhecida ilha moçambicana. O filme proporciona-nos a informação básica sobre a Ilha de Moçambique, mediante uma ilustração que mescla vídeo e fotografia.

Leonardo Batalla

O realizador Leonardo Batalla, nasceu em Buenaventura, Colômbia, em 1976. Realizou os seus estudos superiores em Desenho Gráfico, no Equador. Aos 24 anos emigrou para a Finlândia, onde se graduou na área de Audiovisual e Multimédia, tendo feito cursos especiais de Fotografia e de Filmagem. Há dois anos mudou-se para Moçambique, onde fundou a empresa Mediart Films.

Filmografia 2011 2010

O Caminho Certo Street Work Mavec Street Kids Be Creative. Black Paint Freestyling Bicicross

44 Dockanema 2012

“Mozambique Island” is a short cultural film about a traditional dance of the renowned Mozambique Island. The film gives us the basic information on the Mozambique Island, through an illustration that merges video and photography. The director Leonardo Batalla was born in Buenaventura, Colombia, in 1976. Conducted his studies on Graphic Design in Ecuador. At age 24 he immigrated to Finland, where he graduated in the field of Audiovisual and Multimedia, having made special courses in Photography and Film. Two years ago he moved to Mozambique, where he founded the company Mediart Films.


Manifesto das Imagens em Movimento Diana Manhiça, Moçambique, 2012, 5’, VO Português / legendas em Inglês

Em 2009, após o trabalho de identificação e catalogação efectuado por uma equipa da Cinemateca Portuguesa, o edifício do INAC foi submetido a obras de remodelação e foi criado um espaço novo para o arquivo de Imagens em Movimento. No entanto, o processo foi interrompido e os arquivos nacionais continuam em perigo.

Diana Manhiça

Diana Manhiça é formada em Artes Plásticas. Começou a trabalhar com cinema na Promarte, como editora, em 2005. Fez parte do grupo que criou o Cineclube Komba Kanema em 2007. É fundadora e coordenadora do KUGOMA – Fórum de Cinema de Curta-metragem. Faz Desenho Gráfico para várias empresas e ONG como freelancer. Criou a produtora Zoom e tem feito a produção local de vários filmes Espanhóis, em Moçambique.

In 2009, following the work of identifying and cataloging carried out by a team of Cinemateca Portuguesa, the INAC building underwent remodeling and created a new space for the archiving of Motion Images. However, the process was interrupted and the national archives are jeopardized.

Diana Manhiça has a degree in Fine Arts. In 2005, she began working as film editor in Promarte. She was part of the group that created the Film Society Komba Kanema in 2007. She is the founder and coordinator of KUGOMA – Fórum de Cinema de Curta-metragem. She does Graphic Design for various companies and NGOs as a freelancer. She created Zoom Production Company and has made local production of several Spanish films in Mozambique.

Filmografia 2012 Como é que se faz? 2010 A Ponte uma história do ferryboat Bagamoyo

45


Maravilha nas barras da prisão Laura Calderini, Itália/Moçambique, 2012, 24’, VO Português

Quando já não existe um propósito e as suas únicas actividades diárias são dormir e comer, a prisão torna-se um insuportável sofrimento. A detenção de longo prazo oferece tempo para que o recluso possa reflectir sobre os seus próprios erros. Se usada corretamente, a pena pode transformar-se numa oportunidade de mudança: um prisioneiro pode surpreender-se a si mesmo. Documentário filmado na penitenciária de Nampula.

Laura Calderini

Laura Calderini nasceu em Milão, em 1983, onde se formou em filosofia e se aproximou à linguagem da imagem, frequentando formações e trabalhando como assistente de fotógrafos e cineastas. Em 2011, participa num programa italiano de voluntariado internacional, através do projeto de cooperação Vida Interior, para a melhoria das condições nas prisões de Nampula.

46 Dockanema 2012

Whenever there is no purpose to life and its sole daily activities are sleeping and eating, the prison becomes an unbearable suffering. The long-term incarceration provides the time for the inmate to think about his own mistakes. If used correctly, the sentence can become an opportunity for change: a prisoner may surprise himself. This documentary is filmed in a penitentiary in Nampula.

Laura Calderini was born in Milan in 1983, where she majored in philosophy and she learned about the language of image by attending trainings and working as an assistant to photographers and filmmakers. In 2011, she participated in an Italian program of international volunteers, through the cooperation project Inner Life, to improve conditions in prisons in Nampula.


MATI – A água que não chega

Jordi Capell & Tabare Moreyra, Espanha, 2012, 16´, VO Português e Xitshwa / legendas Português

A ONG catalã Sense Enginyeria Fronteres (ESF) e a União Nacional de Camponeses Moçambique estão a trabalhar num projeto para melhorar o acesso das populações à água no distrito de Funhalouro. Este ano, a crise financeira na Europa resultou no cancelamento da maioria dos fundos do governo para as ONG, o que resultou na interrupção da iniciativa Funhalouro.

Jordi Capell and Tabare Moreyra

Jordi Capell e Tabaré Moreyra são estudantes de fotografia na Universidade Politécnica da Catalunha. Este ano, foram voluntários da ESF, documentanto as actividades da organização em Moçambique. Este é o seu primeiro projecto documental, no qual eles assumiram todas as tarefas do processo de produção, com um equipamento muito limitado, mas uma grande dose de motivação.

Catalan NGO Enginyeria Sense Fronteres (ESF) and Mozambique’s União Nacional de Camponeses (UNAC) have been working together in a project to improve access to water in the district of Funhalouro. This year, the financial crisis in Europe has resulted in cancellation of most of government funds to NGOs and this has resulted in interruption of ESF/UNAC project in Funhalouro.

Jordi Capell and Tabare Moreyra are photography students in Universitat Politècnica de Catalunya’s CITM. This year they have joined Catalan NGO ESF as volunteers to document their activities in Mozambique. This is their first documentary film in which they have assumed all the tasks of the production process with very limited equipment but a great deal of motivation.

47


N’Thiana Othampítjá Tríptico | Trípitico de Pescadores

Ana Godinho de Matos, Portugal/Moçambique, 2012, 12’, VO Macua

“N’Thiana Othampítjá Tríptico”, cujo título original é na língua macua, acompanha as mulheres da aldeia de Murrebue, situada junto a uma praia no extremo norte de Moçambique, que diariamente, em grupos, de forma ritmada e ritualística, quando a maré o permite, pescam na linha de costa.

Ana Godinho de Matos

Vive em Londres e nos últimos sete anos tem trabalhado sobretudo como realizadora, operadora de câmara e montadora. Com formação em jornalismo e um mestrado em antropologia e políticas culturais, especializou-se em documentários etnográficos, culturais e promocionais para organizações, a par da realização dos seus próprios «filmes independentes». A produtora ChameleonEye, de que é proprietária e que dirige, desenvolve a sua atividade na documentação em vídeo no campo das artes.

Filmografia 2012 2011 2010 2007

Fragmentos da Ilha / Ilha Fragments Collage for Two Decay & Decadence (2010) Why Not @ London Bridge Suprapto Suryodarmo ‘Moving in Space’

48 Dockanema 2012

“A Triptych of Fisherwomen”, which original title is in Macua language, follows the women from Murrebue village, situated near a beach in the far north of Mozambique, that, daily, in groups, in a rhythmic and ritualistic way, and when the tide allows, fish on the sea coast.

Lived in London and in the last seven years she has worked mostly as a director, camera operator and editor. With a background in journalism and a master’s degree in anthropology and cultural politics, she became specialized in ethnographic documentaries and promotionals for cultural organizations, along with the direction of her own ‘independent films’. She owns ChameleonEye, a production enterprise where she develops her activity in video documentation and arts.


O Caminho Certo

Leonardo Batalla, Moçambique, 2011, 12’, VO Português

Filme que demonstra a problemática de reciclagem do lixo nas cidades de Maputo e da Matola. Mostra formas de seleccionar e reciclar diferentes classes de lixo, seguindo a trajectória de uma lata, desde a lixeira atá ao ponto de reciclagem. Actores e actrizes que participam no filme estão relacionados directamente com uma associação de reciclagem, AMOR, e fazem parte de associação de seropositivos.

Leonardo Batalla

O realizador Leonardo Batalla, nasceu em Buenaventura, Colômbia, em 1976. Realizou os seus estudos superiores em Desenho Gráfico, no Equador. Aos 24 anos emigrou para a Finlândia, onde se graduou na área de Audiovisual e Multimédia, tendo feito cursos especiais de Fotografia e de Filmagem. Há dois anos mudou-se para Moçambique, onde fundou a empresa Mediart Films.

Film that demonstrates the problem of waste recycling in the cities of Maputo and Matola. It shows ways to select and recycle different types of waste, by following the path of a can from the trash can to a recycling station. The protagonists of the film are directly related to a recycling association, AMOR, and are part of associations for HIV-positive persons.

The director Leonardo Batalla was born in Buenaventura, Colombia, in 1976. Conducted his studies on Graphic Design in Ecuador. At age 24 he immigrated to Finland, where he graduated in the field of Audiovisual and Multimedia, having made special courses in Photography and Film. Two years ago he moved to Mozambique, where he founded the company Mediart Films.

Filmografia 2011 2010

Street Works Mavec Ilha de Moçambique Street Kids Be Creative. Black Paint Freestyling Bicicross 49


Prevenção das inundações na bacia do rio Búzi Felix Seuffert, África do Sul, 2012, 6’, VO Português e Ndau / legendas Português

Após a experiência das inundações devastadoras na costa leste de Moçambique, em 2000, foi estabelecido um sistema de aviso prévio na Bacia do rio Buzí pelo Instituto Nacional de Gestão de Risco e Calamidades (INGC), com o apoio da GIZ e da Fundação Munich Re. Em oito pontos estratégicos ao longo do rio, os membros dos comités locais de gestão de risco medem os níveis dos rios diariamente.

Felix Seuffert

Felix Seuffert nasceu em 1984, em Tuebingen, na Alemanha. Ao longo dos últimos nove anos, tem trabalho como fotojornalista, tendo sido nomeado para o galardão World Press Photo. Enquanto operador de imagem, colabora com estações como a BBC, a TV China e Television Française.

Filmografia 2012 Port Nolloth Between a rock and a hard place 2011 Forerunners Into the Light 2010 Reflections After the War

50 Dockanema 2012

After the facing the devastating floods on the East Coast of Mozambique, in 2000, an early warning system was established in River Basin of Buzi by the National Institute of Disaster and Risk Management (INGC), with the support of GIZ and Foundation Munich Re. In eight strategic points along the river, members of local committees of risk management daily measure the river levels.

Felix Seuffert was born in 1984 in Tuebingen, Germany. Over the past nine years, has worked as a photojournalist, having been nominated for the World Press Photo award. As cameraman, he works with television stations such as BBC, China TV and Television Française.


SEM FLASH. Homenagem a Ricardo Rangel (1924 – 2009) Bruno Z’Graggen & Angelo Sansone, Suíça, 2012, 56’, VO Português e Inglês / legendas Inglês

Retrato cinematográfico sob a forma de documentário que se assume como um condigno ensaio sobre a obra do grande fotógrafo moçambicano Ricardo Rangel. O resultado aproxima-nos de um fotógrafo fora do comum e de uma personalidade carismática: um homem absolutamente apaixonado pela fotografia e pelo jazz, com alegria de viver e sentido de humor, voluntarioso e incorruptível, com uma enorme capacidade criadora e um olhar sensível sobre os seres humanos em situações de vida difíceis.

Bruno Z’Graggen & Angelo Sansone Curador de fotografia e de arte contemporânea, Bruno Z´Graggen vive e trabalha em Zurique, na Suiça. Juntamente com Grant Lee Neuenburg, foi responsável pela exposição “Iluminando Vidas”, alusiva ao reconhecido fotógrafo moçambicano Ricardo Rangel. Angelo Sansone é realizador e produtor de cinema e também vive e trabalha em Zurique

This film is a tribute to the life work of the outstanding Mozambican photographer Ricardo Rangel, a film portrait that gives an insight into the life and work of an outstanding photographer and a charismatic personality, a man with a passion for photography and jazz, full of life, humorous, independent and incorruptible, hugely productive and with a sensitive eye for people in difficult contexts.

Curator of photography and contemporary art; Bruno Z´Graggen lives and works in Zurich. Together with Grant Lee Neuenburg, he curated the exhibition ““Iluminando Vidas”. Angelo Sansone is a video film producer and filmmaker; lives and works in Zurich.

51


Time Lag | Intervalo de Tempo Patrizia Bonanzinga, Itália, 2011, 8’

Resultado de um trabalho fotográfico realizado pela italiana Patrizia Bonanzinga em Moçambique, entre os anos de 2007 e 2009, Time Lag introduz uma reflexão sobre as diferentes concepções que os povos africanos e europeus apresentam em relação ao tempo. Levando a sua objectiva a passear de Maputo até à Ilha de Moçambique, Bonanzinga oferece ainda nesta curta um relato fotográfico do país com imagens repletas de calor e de ternura.

Patrizia Bonanzinga

Durante a sua licenciatura em Matemática, Patrizia Bonanzinga descobriu uma paixão pela arte da fotografia. Trabalhou em vários países, entres os quais, Moçambique, Estados Unidos, China México e França, tendo alguns dos seus trabalhos incluídos nas colecções no Museu Nacional das Artes do século XXI de Roma, na Casa da Fotografia de Moscovo, no Centro de Documentação e Formação Ricardo Rangel em Maputo (Moçambique) e também em colecções privadas.

52 Dockanema 2011

Resulting from a photographic work done by Italian-born Patrizia Bonanzinga in Mozambique between 2007 and 2009, Time Lag introduces a reflection on the different conceptions that people in Africa and Europe have in relation to time. On a journey through her lenses through Maputo until Mozambique Island, Bonanzinga offers in this short film, an account of the country with photographic images full of warmth and tenderness.

During her degree in Mathematics, Patrizia Bonanzinga discovered a passion for the art of photography. She worked in several countries, including Mozambique, United States, China Mexico and France, with some of her works included in collections at the National Museum of XXI Century Arts in Rome, in the Moscow House of Photography, Ricardo Rangel Center for Documentation and Training in Maputo (Mozambique).


Street Work Mavec

Leonardo Batalla, Moçambique, 2011, 1’, VO Português

“Street Work Mavec” é uma curta-metragem que apresenta o talento de um artista moçambicano de graffiti. De forma artística e criativa, no filme, o artista realiza um graffiti de alta qualidade sobre tambores.

Leonardo Batalla

O realizador Leonardo Batalla, nasceu em Buenaventura, Colômbia, em 1976. Realizou os seus estudos superiores em Desenho Gráfico, no Equador. Aos 24 anos emigrou para a Finlândia, onde se graduou na área de Audiovisual e Multimédia, tendo feito cursos especiais de Fotografia e de Filmagem. Há dois anos mudou-se para Moçambique, onde fundou a empresa Mediart Films.

“Street Work Mavec” is a short film featuring the talents of a graffiti Mozambican artist. In an artistic and creative manner in the film, the artist performs high-quality graffiti on drums.

The director Leonardo Batalla was born in Buenaventura, Colombia, in 1976. Conducted his studies on Graphic Design in Ecuador. At age 24 he immigrated to Finland, where he graduated in the field of Audiovisual and Multimedia, having made special courses in Photography and Film. Two years ago he moved to Mozambique, where he founded the company Mediart Films.

Filmografia 2011 O Caminho Certo Ilha de Moçambique Street Kids Be Creative. Black Paint 2010 Freestyling Bicicross

53


Victor Sousa, a trança madura

Lionel Moulinho, Moçambique, 2012, 34’, VO Português / legendas Português

Victor Sousa pertence à primeira geração de artistas plásticos que brotou em Moçambique depois do período de independência. Neste documentário procura-se clarificar o seu trajecto profissional, revisitando o passado do artista e analisando a sua obra . Entre a pintura, a gravura e a cerâmica, Victor Sousa numa verdadeira trança de artes.

Lionel Moulinho

Lionel Moulinho nasceu em 1981, em Mueda (Moçambique). Estudou Gestão de Empresas e Produção e Realização no curso de cinema da ISPU, em Maputo. Tem trabalhado como fotógrafo, produtor e realizador.

Filmografia 2011 Pfunguza 2010 Ecos do Silêncio

54 Dockanema 2012

Victor Sousa belongs to the first generation of artists in Mozambique that arose after the period of independence. In this documentary, he seeks to clarify his professional career, revisiting the past of the artist and analyzing his work. Between painting, printmaking and ceramics, Victor Sousa provides entwined works of arts.

Lionel Moulinho was born in 1981 in Mueda (Mozambique). He studied Business Management and Production and Direction in the Film Degree at ISPU in Maputo. He has worked as a photographer, producer and director.


Xilunguine, a Terra Prometida

Inaldelso Cossa, Moçambique, 2011, 30’, VO Changana e Português / legendas Português

Há gerações que os “Tsonga” migram para Lourenço Marques (xilunguine), actual Maputo, em busca de melhores condições de vida. Bairros suburbanos como Tourada, Mafalala, Polana Caniço ou Xiquelene fizeram-se habitar por esta etnia que trouxe de Gaza, não só os seus costumes e crenças, mas também o seu dialecto local, que tem sido transmitido de geração em geração. Apesar do Português ser a língua ofical em Moçambique, hoje, o Changana é o idioma mais falado na capital moçambicana.

Inaldelso Cossa

Inadelso Teodósio Cossa nasceu em 1984, em Maputo. Em 2008, filma o documentário “Ainda em Busca da Independência”, com o colectivo Exploradores da História. Nos anos seguintes, trabalha como assistente de realização das longas-metragens “Quero ser uma estrela” e “Republica di Mininus”.

For generations the “Tsonga” migrate to Lourenço Marques (xilunguine), now Maputo, in search of better living conditions. Suburban neighborhoods such as Tourada, Mafalala, Polana Caniço or Xiquelene were built by this ethnic group that brought from Gaza, not only their customs and beliefs, but also their local dialect, which has passed on from generation to generation. Although Portuguese is the official language in Mozambique, today, Shangaan is the most spoken language in the Mozambican capital. Inadelso Teodósio Cossa was born in 1984 in Maputo. In 2008, he films the documentary Still Searching for Independence, with the group “Exploradores da História”. In subsequent years, he worked as assistant director of feature films including “Quero ser uma estrela” and “República di Mininus”.

Filmografia 2008 Ainda em Busca da Independência

55


Xitereka

David Aguacheiro, Moçambique, 2012, 30’, VO Português e Changana / legendas Português

Documentário sobre as convulsões sociais que decorreram nos dias 02 e 03 de Setembro de 2010, em Maputo, e que provocaram 13 mortos. Convocadas por meio de mensagens escritas via celular, as manifestações tiveram, aparentemente, como objectivo a contestação do aumento do custo de vida na capital moçambicana. O povo saiu à rua bloqueando estradas, queimando pneus, saqueando estabelecimentos de produtos alimentares. O governo reagiu usando a sua força militar.

David Aguacheiro

David Aguacheiro é artista plástico e cineasta. Membro fundador da Associação Vídeo Arte Moçambique, concluiu o curso de Designer Gráfico na Escola de Artes Visuais de Maputo, e cursos de Fotografia e Vídeo na Noruega e na Islândia. Vencedor do 1.º prémio pintura Descoberta 2006, e do 1.º prémio de Vídeo do concurso Fotoarte 2009, participou em várias mostras colectivas, destacando-se a sua presença no evento Africa Rotterdam Short Film.

56 Dockanema 2012

Documentary about the social upheavals that took place on the 2nd and 3rd September 2010 in Maputo, which caused 13 deaths. Convened by means of written messages via cell phone, the demonstrations apparently intended contest the rising living costs in the Mozambican capital. The people took to the streets blocking the streets, burning tires, ransacking food shops. The government responded by using its military force.

David Aguacheiro is an artist and filmmaker. Founding member of the Association Video Arte Moçambique, completed the course in Graphic Design at the School of Visual Arts in Maputo, and courses in Photography and Video in Norway and Iceland. First prize winner of the Descoberta 2006 painting award and Fotoarte 2009 award participated in several group workshops, with emphasis on his presence in Africa Rotterdam Short Film event.


57


Original Doc African Women A Journey for a Nobel Peace Prize......... 59 Blod I Mobilen....................................... 60 Bouncing Cats...................................... 61 Cinema Komunisto................................ 62 Cocaine, Suicide and the Meaning of Life..................................... 63 Distancias............................................. 64 Ensayo Final Para Utopia ...................... 65 Gangster Project................................... 66 58 Dockanema 2012

s

Give Up Tomorow................................. 67 L´Identité Nationale............................... 68 L´Opera du bout du monde .................. 69 Pink Saris | Sáris Cor-de-Rosa ............ 70 South of the border............................... 71 The Suffering Grasses: when elephants fight, it is the grass that suffers............. 72 Welcome Peter Bossman ..................... 73


African Women - A Journey for a Nobel Peace Prize Mulheres Africanas – Uma viagem para um Prémio Nobel da Paz Stefano Scialotti, Itália, 2011, 52’, VO Frncês/ legendas Inglês

Este filme é um road movie através do Senegal, uma longa e intensa viagem para apoiar a candidatura de Mulheres Africanas para o Prémio Nobel da Paz. Elas são as protagonistas inquestionáveis do ​​ documentário: fortes, incansáveis, sempre disponíveis, irónicas e alegres. Mais uma confirmação de que as mulheres têm vindo a desempenhar um papel fundamental, tanto na vida diária, como nas actividades sociais e políticas do Continente Africano.

Stefano Scialotti

Realizador de filmes documentários e curador, Stefano Scialotti dedica-se também à concepção e direcção de arte de instalações multimédia, com especial destaque para arte contemporânea. Nos seus filmes documentários, como é o caso de “African Women - A Journey for a Nobel Peace Prize”, aborda temáticas que levantam questões relevantes de âmbito social, político e humanitário.

The film is a road movie through Senegal, a long and intense journey to support the nomination of African Women for the Nobel Peace Prize. Truly, they are the irrefutable protagonists of this documentary: strong, tireless, always available, ironic and joyful. It reiterates that they have been playing a key role both in the daily life as well as the social and political activities of the African Continent.

Documentary filmmaker and curator, Stefano Scialotti is also dedicated to the design and art direction of multimedia installations, with special emphasis on contemporary art. In his documentary films, such as the “African Women – A Journey for the Nobel Peace Prize”, discusses issues that raise questions of social, political and humanitarian relevance.

Filmografia 2003 2002 2001

Sob o céu de Bagdad A Primavera de 2002. Itália protesta, Itália pára Um outro mundo é possível

59


Blod I Mobilen | Sangue no telemóvel

Frank Piasecki Poulsen, Dinamarca, 2010, 82’, VO Dinamarquês e Inglês/legendas Português

Nos últimos 15 anos, a guerra civil no Congo terá matado cerca de 5 milhões de pessoas. Por detrás do conflito, está a disputa de diversos grupos armados em torno da extração e comercialização de minérios preciosos, como o coltan, utilizado na fabricação de telemóveis.

Frank Piasecki Poulsen

Nasceu em 1975. Formado pela Escola Nacional de Cinema da Dinamarca (2001), como Director de Documentário. Começou a sua carreira na rede Copenhagen TV. Trabalhou como fotógrafo, director e roteirista, principalmente para DR TV. Viajou muitas vezes por África e os temas de sua obra incluem a juventude, a política e as questões do terceiro mundo.

Filmografia 2008 A Seducers Fall 2006 Democracy 2005 Guerrilla Girl Roma 2004 EU and the Poor 2003 Europe at Stake 2002 Disobedience.dk 2001 Film, Fish and Freedom Survilence 2000 Review 60 Dockanema 2011

Over the past 15 years, the civil war in Congo has killed about 5 million people. Behind the conflict is the struggle of various armed groups around the extraction and marketing of precious minerals such as coltan, used in the manufacture of mobile phones. Born in 1975, in Denmark; graduated from The National Film School of Denmark (2001), as Documentary Director. He began his film career at a Copenhagen TV network. Worked as director, photographer and scriptwriter, primarily for DR TV. He has frequently travelled throughout Africa and the themes of his work include youth, politics and third world issues.


Bouncing Cats

Nabil Elderkin, E.U.A/Uganda, 2010, 75’, VO Inglês / legendas Inglês

“Bouncing Cats” conta a história inspiradora de um homem que tenta criar uma vida melhor para as crianças do Uganda, usando a ferramenta improvável do Hip-Hop, com foco na cultura b-boy e breakdance. Em 2006, Abraham “Abramz” Tekya, o jovem ugandense órfão de pais vítimas de SIDA criou o Breakdance Project Uganda (B.P.U.) com o sonho de dinamizar uma oficina gratuita para capacitar e reabilitar a comunidade, formando os jovens através da cultura b-boy.

Nabil Elderkin

Nabil Elderkin é um fotógrafo e realizador de cinema e vídeos musicais de nacionalidade autraliana, e de origem mista americana e curdo-iraniana. Nascido em Chicago e criado na Austrália, reside actualmente em Los Angeles, Califórnia. O seu trabalho apareceu em muitas plataformas, incluindo publicidade, editoriais e capas de revistas, vídeos de música, livros, capas de álbuns e fotojornalismo.

“Bouncing Cats” is the inspiring story of one man’s attempt to create a better life for the children of Uganda using the unlikely tool of hip-hop with a focus on b-boy culture and breakdance. In 2006, Abraham “Abramz” Tekya, a Ugandan b-boy and A.I.D.S. orphan created Breakdance Project Uganda (B.P.U.). The dream was to establish a free workshop that would empower, rehabilitate and heal the community by teaching youth about b-boy culture.

Is an Australian professional photographer and music video and film director of mixed American and Kurdish Iranian origin. Born in Chicago and raised in Australia, he is now based in Los Angeles, California. His work has appeared in many platforms including advertising, magazine editorials and covers, artist branding, music videos, books, album covers, photojournalism.

61


Cinema Komunisto

Mila Turajlic, Sérvia, Mila Turajlic, 2010, 101’, VO Servo-croata / legendas Inglês

Quando a história tem um roteiro diferente do roteiro dos seus filmes, quem não quererá inventar um país para se enganar a si mesmo? Os cenários de colapso do Hollywood do Oriente de Tito leva-nos numa viagem através da ascensão e queda de uma ilusão chamada Jugoslávia. Explorando as ruínas dos cenários de filmagem esquecidos e conversando com diretores, produtores, polícias e o projecionista de Tito sobre os estúdios estatais de cinema e a paixão de Tito pelo cinema, “Cinema Komunisto vai buscar excertos de filmes para voltar ao filme de quando “História de Tito” se tornou a história oficial.

Mila Turajlic

Nasceu em Belgrado, Sérvia, em 1979. Licenciada em Política e Relações Internacionais, pela London School of Economics, Bacharel em Cinema e Produção de TV, pela Faculdade de Artes Dramáticas de Belgrado e mestrada em Comunicações e Media pela Escola de Economia de Londres. No caminho entre o activismo político e a entorpecedora academia, converteu-se ao cinema, na crença de que a arte será sempre mais subversiva do que a política.

62 Dockanema 2011

When history has a different script from the one in your films, who wouldn’t invent a country to fool themselves? The collapsing sets of Tito’s Hollywood of the East take us on a journey through the rise and fall of the illusion called Yugoslavia. Exploring the ruins of the forgotten film sets and talking to directors, producers, policemen and Tito’s projectionist about the state run film studios and Tito’s personal love for cinema and it’s stars, ‘Cinema Komunisto’ uses film clips to go back to the film when “His story” became the official history.

Born in Belgrade, Serbia in 1979. Bsc in Politics and International Relations, London School of Economics, BA in Film and TV Production, Faculty of Dramatic Arts in Belgrade and MSc in Media and Communications at the London School of Economics. On the run from political activism and mind-numbing academia, converted to filmmaking in the belief that art will always be more subversive than politics.


Cocaine, Suicide and the Meaning of Life | Cocaína, Suicídio e o Significado da Vida Riaan Hendricks, África do Sul, 2012, 50’, VO Inglês e Afrikaans / legendas Inglês

Motociclismo e o vício pela cocaína cruzam-se nesta jornada de um homem que luta contra os seus demónios. Patrick van Sleight, na tentativa de sair do seu ciclo de depressão e de dependência de drogas, pede ao seu amigo cineasta para o ajudar a documentar e a racionalizar sobre o que está a acontecer na sua cabeça e na sua vida. Um olhar delicado e intensamente pessoal, sobre o vício e a depressão.

Motorcycling and a coke habit all intersect in this heartfelt journey of a man battling his demons. Patrick van Sleight is searching for a way out of his cycle of depression and addiction and turns to his filmmaker friend to help document and rationalize what is going on in his head and his life. A delicate, intensely personal look, into the heart of addiction and depression.

Hendricks produziu, dirigiu e editou mais de 20 filmes. “The Last Voyage” ganhou um Dhow de Prata no Festival Internacional de Cinema de Zanzibar em 2011. Atraído pelo cinema observacional, os seus filmes abordam temas entre o pessoal e o político.

Hendricks has produced, directed and edited more than 20 films. His film “The Last Voyage” won a Silver Dhow at the Zanzibar International Film Festival 2011. Drawn to observational cinema, Hendricks’ themes pendulum between the personal and the political

Riaan Hendricks

Filmografia 2010 Thank you Mama 2009 The last Voyage Island of Healing 2008 Baraka The City that Kills Somalians Revolutionaries love Life 2003 A Fishermans Tale

63


Distancias | Distâncias

Mariona Guiu, Lina Badenes, Cuba, 2010, 38’, VO Espanhol, legendas Inglês

Através de três vidas e três gerações (Rebeca, Massiel e Christian) “Distancias” aproxima-se da opção individual de permanecerem em Cuba, apesar da oportunidade real para abandonar a ilha. Permanecer por amor, por convicção, pela vontade de fazê-lo, porque outros o decidiram no seu lugar.

Mariona Guiu

Mariona nasceu em Barcelona em 1980. É licenciada em Humanidades e reside em Melbourne. Começou a trabalhar como redatora em vários programas de televisão. Dirigiu vários videoclips, vídeos para a intenet e a série documental “Revelados” para a Biography Channel. “Distancias” nasce depois de estudar Cinema Documental na Escola de Cinema e Televisão de Cuba.

Lina Badenes

Lina nasceu em Valencia em 1984. É licenciada em Comunicação Audiovisual. Posteriormente ampliou os seus estudos em produção e realização de Cinema Documental. Em 2007, fundou a Turanga Films, onde trabalha tanto na realização de documentários como na produção de filmes de ficção.

64 Dockanema 2011

Through three lives and three generations (Rebeca, Massiel and Christian), “Distances” approaches of individual choice to remain in Cuba, despite the real opportunity to leave the island. Stay for love, conviction, a desire to do so because others decided instead.

Mariona was born in Barcelona in 1980. She has a degree in Humanities and lives in Melbourne. She began working as editor on various television programs. She directed several music videos, and internet videos and the documentary series “Revelados” for the Biography Channel. “Distances” came to be after studying Documentary Film at the School of Cinema and Television in Cuba. Lina was born in Valencia in 1984. She has a degree in Audiovisual Communication. Later, she proceeded with her studies in production and direction of Documentary Film. In 2007, she founded the Turanga Films, where she works both in making documentaries as well as the production of fiction films.


Ensayo Final Para Utopia | Ensaio Final Para a Utopia Andres Duque, Espanha, 2012, 75’, VO Espanhol / legendas Inglês

Em “Ensaio Final Para a Utopia”, Andre Duque mergulha por entre imagens e vídeos que encontra durante uma viagem a Moçambique, visita essa que é interrompida pelo seu retorno abrupto à Venezuela, onde se reúne com o seu pai, gravemente doente.

Andres Duque

Andres Duque é um cineasta espano-venezuelano. “Iván Z”, um retrato de culto do cineasta Ivan Zulueta, é o seu trabalho mais reconhecido, tendo-lhe valido uma nomeação para os prémios Goya de la Academia. Em 2011, realizou a sua primeira longa-metragem, Cor-cão-que-foge (Color perro que huye), que se estreou no Festival Internacional de Roterdão.

In the “Final Test For Utopia”, Andre Duque delves into the images and videos made during a trip to Mozambique, such which is abruptly interrupted by his return to Venezuela, where he reunites with his seriously ill father.

Andres Duque is a Spanish - Venezuelan filmmaker. “Iván Z”, a portrait of filmmaker Ivan Zulueta, represents his most renowned work, which awarded him with a nomination for the Goya de la Academia awards. In 2011, he made his first feature, Color-dog-that-run (Color perro that Huye), which premiered at the Rotterdam International Film Festival.

Filmografia 2012 2009 2004

Color perro que huye No es la imagen es es objeto All You Zombies Iván Z

65


Gangster Project | Projecto Gangster

Teboho Edkins, África do Sul, 2011, 55’, VO Inglês e Afrikaans / legendas Inglês

Na Cidade do Cabo, África do Sul, uma das sociedades mais violentas e desiguais do mundo, um jovem branco estudante de cinema decide sair do conforto de seu bairro seguro. Ele quer fazer um filme de gangsters, com bandidos reais. Após uma longa busca por um personagem interessante, ele encontra a gangue perfeita e entra na sua rotina. A realidade logo aparece e a vida claustrofóbica dos traficantes não corresponde exatamente às suas expectativas.

Teboho Edkins

Teboho Edkins, nasceu em 1980 nos Estados Unidos da América. Cresceu no Lesoto, Alemanha, África do Sul, e em França. Em Gangster Project, ele persegue a carreira e história do seu pai, Don Edkins, um dos produtores de cinema mais famosos da África do Sul.

Filmografia 2011 Thato 2007 Kinshasa 2.0 2006 True Love 2004 Ask Me I´m Positive

66 Dockanema 2011

In Cape Town, South Africa, one of the world’s most violent and unequal societies, a young white film student sets out with his cameraman, leaving the comfort of his protected neighborhood. He wants to make a Gangster Film, with real gangsters. After a lengthy search for a suitably ‘cinematic’ character, he finds the perfect gang and settles into their everyday rhythm. The reality soon catches up and the claustrophobic gangster life doesn’t exactly fit to the expectations. Teboho Edkins, born in 1980 in the United States of America, grown up in Lesotho, Germany, South Africa and France. He is film director and following the career of his renowned father Don Edkins, one of the most famous film producers of South Africa.


Give Up Tomorow | Rende-te Amanhã Michael Collins, E.U.A, 2011, 95’, VO Inglês e Filipino / legendas Inglês

Enquanto uma tempestade tropical se abate sobre Cebu, uma ilha filipina, duas irmãs deixam o trabalho e nunca mais regressam a casa. “Give Up Tomorrow” expõe a extravagância kafkiana demonstrada vistosamente por funcionários públicos corruptos, policias em acção, e um frenético circo mediático e judicial.

Michael Collins

Michael Collins foi o fundador da Thoughtful Robot (robô pensativo), uma empresa de produção, sediada em Nova Iorque, que está comprometida com a elaboração de filmes atraentes sobre justiça social, que galvanizem mudanças. “Give Up Tomorrow”, estreou no Festival de Cinema Tribeca, em 2011, e ganhou o Prémio do Público e o Prémio Especial do Júri para Melhor Novo Diretor. O filme venceu o Prémio de Direitos Humanos no Docs Barcelona, ​​e ainda o Prémio Activismo no Festival de Michael Moore, Cinema Traverse City. No total, venceu 15 prémios em todo o mundo.

As a tropical storm descends on Cebu, a Philippine island, two sisters leave work and never return home. “Give Up Tomorrow” exposes the Kafkaesque extravaganza flamboyantly demonstrated by corrupt officials, police officers in action, and a frenzied media and judicial circus.

Michael Collins was the founder of Thoughtful Robot, a production company, in New York, which is committed to developing attractive films on social justice, in order to galvanize change. “Give Up Tomorrow”, premiered at the Tribeca Film Festival in 2011 and won the Audience Award and Special Jury Prize for Best New Director. The film won the Human Rights Award on Docs Barcelona, and also the Activism Award at the Michael Moore Festival, Traverse City Film. In total, 15 prizes won worldwide.

67


L´Identité Nationale | A Identidade Nacional Valérie Osouf, France, 2012, 82’, VO Francês / legendas Inglês

Estrangeiro e Delinquente: serão estes dois termos sinónimos? Contrariamente ao efeito do anúncio de Nicolas Sarkozy (2003), a dupla punição ainda existe.´A Identidade Nacional` é um filme construído em torno de palavras raramente ouvidas: a de ex-prisioneiros estrangeiros que foram condenados à deportação após serem presos. Estimulado pela forte evidência e análise rara e fina, o filme convida a uma reflexão sobre os fundamentos da actual identidade francesa.

Valérie Osouf

Graduada em História, a francesa Valérie Osouf é jornalista e realizadora de cinema documental e de ficção. Dirigiu vários documentários, destacando-se com o filme “Camarões: uma autópsia de uma independência”, que lhe valeu o Prémio Público, no Festival de Cinema Internacional de História, de Pessac.

Filmografia 1996 Sans Commentaire 2008 Cameroun: Autopsie D´Une Indépendance

68 Dockanema 2011

Foreigner and Offender: are these two synonymous terms? Contrary to the effect of the announcement of Nicolas Sarkozy (2003), the double punishment still exists. National Identity is a film built around words rarely heard: the former foreign prisoners who were sentenced to deportation after being arrested. Buoyed by strong evidence and rare and fine analysis, the film invites a reflection on the foundations of the current French identity.

Graduate in History, French-born Valérie Osouf is a journalist and documentary and fiction filmmaker. She has directed several documentaries, especially with the film Cameroon: an autopsy of independence, which earned her the Public Award at the International History Film Festival, Pessac.


L´Opera du bout du monde | Ópera das Mascarenhas Márie-Clémence & Cesar Paes, Madagáscar/França/Brasil, 2012, 96’, VO Francês, Malgaxe, Crioulo / legendas Inglês

Escrito por um compositor nascido na Ilha da Reunião, “Maraina” é a primeira ópera criada na região do Oceano Índico. O filme traça a viagem do elenco para o lugar onde tudo começou, Fort-Dauphin, no Sul de Madagáscar - onde actuam para um público que nunca viu uma ópera.

Márie-Clémence & Cesar Paes

Ela é tanto malgaxe, como francesa. Ele é brasileiro e francês. Juntos fazem documentários de longa-metragem, onde a música é uma forma de explorar assuntos sérios e lutar contra clichês. Os seus filmes anteriores, como “Angano... Angano... contos de Madagáscar” ou “Aos Guerreiros do Silêncio” (Aux Guerriers du Silence) “, ganharam prémios em festivais internacionais, como o Cinema du Réel.

Written by a Reunion-born composer, “Maraina” is the first opera to be created in the Indian Ocean region. The film traces the cast’s journey to the place where it all began - FortDauphin, in southern Madagascar - where they perform for an audience that has never before seen an opera. She is both Malagasy and French, he is Brazilian and French. Together, they make feature length documentaries where music is a way to explore serious topics and fight against clichés. Their previous films such as “Angano...angano...tales from Madagascar” or “Songs and Tears of Nature” (“Aux Guerriers du Silence”) have won top awards as Cinema du Réel.

Filmografia 1989 Angano...Angano Contos de Madagáscar 1992 Aos Guerreiros do Silêncio

69


Pink Saris | Sáris Cor-de-Rosa

Kim Longinotto, Reino Únido, 2010, 96’, VO Hindi / legendas Português

Como muitas mulheres na Índia, Sampat Pal foi obrigada a um casamento arranjado pelos pais, aos 12 anos, quando foi enviada para uma remota aldeia longe de sua casa. Enfrentando maus-tratos por parte da família do marido, ela revolta-se e acaba na rua, com cinco filhos pequenos. As adversidades endureceram-na e ela torna-se uma referência para muitas mulheres maltratadas do país.

Kim Longinotto

Kim Longinotto, nascida em 1952, é uma cineasta britânica de documentário, reconhecida por fazer filmes que destacam a situação difícil das mulheres vítimas de opressão ou discriminação. Longinotto estudou câmara e direcção no National Film and Television, em Beaconsfield, na Inglaterra, onde agora lecciona pontualmene.

Filmografia 2008 2007 2005 2002

Rough Aunties Hold Me Tight, Let Me Go Sisters in Law The Day I Will Never Forget

70 Dockanema 2011

As many women in India, Sampat Pal was forced into an arranged marriage by her parents at age of 12, when she was sent to a remote village far from home. Facing abuse by the husband’s family, she rebels and ends up in the street, with five small children. Adversities hardened her feelings and she becomes a reference for many abused women in the country.

Kim Longinotto, born in 1952, is a British documentary filmmaker, known for making films that highlight the plight of women victims of oppression or discrimination. Longinotto studied camera and directing at the National Film and Television, in Beaconsfield, England, where he currently teaches.


South of the border | A sul da fronteira

Oliver Stone, E.U.A., 2009, 78’, VO Inglês, Português, Espanhol / legendas Inglês e Português

Há uma revolução em curso na América do Sul, mas a maioria do mundo não sabe disso. Oliver Stone viaja por cinco países da região para explorar os seus movimentos sociais e políticos, bem como os equívocos dos média oficiais da América do Sul, entrevistando sete dos seus presidentes eleitos.

Oliver Stone

Controversa, mas incontornável, a obra de Oliver Stone dispensa qualquer tipo de apresentação. Nascido em Nova Iorque, em 1946, Stone é produtor, realizador e guionista, Ao longo da sua carreira dirigiu mais de 20 filmes, tendo vencido dois Óscares – “Platoon”, em 1986 e “Born on the Fourth of July”, em 1989). Participou ainda na produção de argumentos de vários filmes, entre os quais, “Midnight Express”, “Scarface” e “Evita”.

There is an ongoing revolution in South America, but most of the world does not know. Oliver Stone travels to five countries in the region to explore their social and political movements, as well as the mistakes of media officers from South America, interviewing seven of its elected presidents. Controversial, but compelling, the work of Oliver Stone exempts any presentation. Born in New York in 1946, Stone is producer, director and screenwriter. Throughout his career, he directed over 20 films, winning two Oscars – with “Platoon” in 1986 and “Born on the Fourth of July” (1989). He also participated in the scriptwriting of several films, including, “Midnight Express”, “Scarface”, and “Evita”.

Filmografia 2010 Wall Street: Money Never Sleeps 2008 W. 2006 World Trade Center 2004 Looking for Fidel 2004 Alexander

(…)

71


The Suffering Grasses: when elephants fight, it is the grass that suffers Iara Lee, Turquia/Síria, 2012, 52’, VO Árabe e Inglês / legendas Inglês

Mais de um ano depois, e contando milhares de mortos, o conflito em curso na Síria tornou-se um microcosmo para as políticas complicadas da região, e um reflexo desagradável do mundo em geral. Este filme explora o conflito da Síria através da humanidade dos civis que foram mortos, abusados e deslocados para a miséria dos campos de refugiados.

Iara Lee

Reconhecida activista, Iara Lee é uma produtora e cineasta brasileira radicada em Nova Iorque. Colaboradora em diversas iniciativas humanitárias, participou na Campanha Internacional pela Eliminação de Bombas de Fragamentação. Em 2006, enquanto residia no Líbano, acompanhou os 34 dias de bombardeamento de Israel ao país, uma experiência que a motivou a criar a campanha “Make Films Not War”.

Filmografia 2001 Beneath the Borqa in Afghanistan 2000 Rchitettura

72 Dockanema 2011

More than a year later, and counting thousands of dead, the ongoing conflict in Syria has become a microcosm for complicated policies in the region, and a grim reflection of the world in general. This film explores the Syrian conflict through the humanity of civilians who were killed, abused and displaced to the misery of the refugee camps. Renowned activist, Lara Lee is a Brazilian producer and filmmaker based in New York. She has worked in various humanitarian initiatives, participated in the International Campaign for the Elimination of Frag Bombs. In 2006, while living in Lebanon, she followed up the 34-day Israeli bombardment of the country, an experience that motivated her to create the campaign “Make Films Not War”.


Welcome Peter Bossman | Bem-vindo Peter Bossman Simon Intihar, Eslovénia, 2011, 15’, VO Esloveno, Italiano, Inglês / legendas Inglês

Curta-metragem que relata a história de Peter Bossman, o primeiro político negro eleito em toda a Europa Ocidental. Em Outubro de 2010, o médico, que nasceu no Gana, venceu as eleições da cidade de Piran, na Eslovénia, um país com uma população maioritariamente caucasiana, alcançando um feito histórico assinalável, que o projectou mediaticamente em todo o planeta.

Simon Intihar

Simon Intihar nasceu no dia 18 de Julho de 1990, em Postonia, na Eslovénia. Seguindo a sua grande paixão artística, matriculou-se na Academia de Teatro, Cinema, Rádio e Televisão em Ljubljana, na Eslovénia, onde começou a estudar cinema e direcção televisiva. Além de lidar com projetos de vários filmes, Intihar é músico e compositor, e acompanha vários grupos musicais. “Welcome Peter Bossman” é a sua primeira produção cinematográfica.

Short film that tells the story of Peter Boss man, the first black politician elected in all of Western Europe. In October 2010, the physician born in Ghana, won elections in the city of Piran, Slovenia, a country with a predominantly Caucasian population, reaching a remarkable historical fact projected around the globe.

Simon Intihar was born on July 18, 1990, in Postonia, Slovenia. Following his artistic passion, he enrolled at the Academy of Theatre, Film, Radio and Television in Ljubljana, Slovenia, where he began studying film and television direction. Besides dealing with projects of various films, Intihar is a musician and composer, and accompanies various musical groups. “Welcome Peter Bossman” represents his first film production.

73


CICLO I K E B E R T E LS

74 Dockanema 2011


CICLO IKE BERTELS

Em 1983, Ike Bertels realizou em Moçambique o documentário “Treatment for Traitors” (Os Comprometidos), onde explora um encontro de Samora Machel, primeiro Presidente da República de Moçambique, com membros do antigo regime colonial português. Um ano depois, filma “Women of the War” (Mulheres da Guerra), no qual relata a história de Mónica, Maria e Amélia, três mulheres moçambicanas que participaram na Luta Armada de Libertação Nacional. Uma década mais tarde, Bertels renova atenções no país, rodando o filme “Guerrilla Pension” (Pensão de Guerrilha), actualizando a situação de vida das protagonistas de Womem of the War. Recentemente, a reconhecida realizadora regressou a Moçambique para entrevistar novamente Mónica, Maria e Amélia, dando forma ao documentário “Guerrilla Grannies – How to live in this World” (Vovós da Guerrilha – Como viver neste mundo). Pelo seu interesse e relação com Moçambique, presta-se nesta 7.ª edição ininterrupta do Dockanema uma merecida homenagem à realizadora holandesa, dedicando-lhe um ciclo exclusivo.

In 1983, Ike Bertels directed in Mozambique the documentary Treatment for Traitors, which portrays a meeting between Samora Machel, the first President of the Republic of Mozambique, and members of the former Portuguese colonial regime. A year later, she shot Women of the War, which tells the story of Monica, Maria and Amelia, three Mozambican women who participated in the Armed Struggle for National Liberation. A decade later, Bertels reassures her interest on the country, by shooting Guerrilla Pension resuming the life situation of the protagonists of Women of the War. Recently, the renowned filmmaker returned to Mozambique to, once more, interview Monica, Maria and Amelia, giving rise to the documentary Guerrilla Grannies - How to live in this World. Due to her interest and ties to Mozambique, the 7th edition of the Dockanema Festival pays a tribute to the Dutch filmmaker by exclusively dedicating her a cycle.

Filmografia 2012 2010 2009 2007 2006 2004 2003 1999 1996

Guerrilla Grannies–How to live in this World Monique Van de Ven: Tricks of the Trade Leo&Tineke Vroman: Sometimes Love is Eternal Happily Old Overseas -The Leaves always return to the Root Modern Dutch Farmers DAF - The Rise Fall and Rebirth of a Dutch Family owned The Escape The Dutch Tropical

Ciclo Ike Bertels

1994 1993 1992 1991 1989 1988 1987 1984 1983

Guerrilla Pension The Art of Translation Favorite Dutch Writers Other News The Rietveld Schröder House A Crack in the Crystal Towers have been taken care of Women of the War Mozambique or Treatment for Traitors 75


Guerrilla Grannies – How to live in this World Vovós da Guerrilha – Como viver neste Mundo

Ike Bertels, Holanda, 2012, 80’, VO Português, Yao e Nyanja / legendas Português

Durante 10 anos, três meninas de guerrilha arriscaram as suas vidas pela liberdade e autodeterminação, depois de 500 anos de colonialismo português. Sensibilizada pelas imagens de Mónica, Amélia e Maria – que anteriormente já tinham participado num outro filme da realizadora sobre a luta de libertação de Moçambique – Ike Bertels foi procurá-las para filmá-las novamente, e mais uma vez as questionou sobre como os seus ideais de revolução moldaram a nova sociedade moçambicana. Hoje, as avós lutam com as novas gerações, descobrindo como é viver num mundo globalizado.

Ike Bertels

Ike Bertels é uma realizadora e produtora de cinema formada na Brussels Filmschool (RITCS), em 1971, e desde então, tem vindo a fazer documentários no seu país natal e no estrangeiro. Fundou a IKE Bertels FILMPRODUCTIES / IBF em 1985, uma produtora de cinema independente sedeada em Amesterdão, na Holanda. 76 Dockanema 2011

For 10 years three guerrilla girls risked their lives for freedom and self-determination after 500 years of Portuguese colonialism. Touched by the images of Monica, Amelia and Maria - who starred in a film about Mozambique’s liberation struggle – director Ike Bertels went looking for them to film them again, and again, wondering if their ideals from the revolution did shape the new Mozambican society. Today the grannies struggle with the next generations finding out how to live in a globalised world.

Ike Bertels is a film director and producer graduated from Brussels Filmschool (RITCS) in 1971 and has been making documentary films at home and abroad ever since. She set up an independent film production company in 1985, the IKE BERTELS FILMPRODUCTIES/IBF, based in Amsterdam, in the Netherlands.


Guerrilla Pension | Pensão de Guerrilha

Ike Bertels, Holanda, 1994, 51’, VO Português, Yao e Nyanja / legendas Português

A realizadora Ike Bertels retrata três guerrilheiras moçambicanas, Mónica, Maria e Amélia, num momento de grandes mudanças. Na antiga República Socialista de Moçambique, realizam-se as primeiras eleições democráticas. Agora, amigos e inimigos têm de cooperar num sistema multipartidário. Mónica vê o fim da sua época aproximar-se; a sua pensão de coronel é tudo que lhe resta. Amélia tem que cultivar um novo pedaço de terra para sobreviver. Enquanto isso, Maria tornou-se uma mulher do mundo.

Ciclo Ike Bertels

Director Ike Bertels portrays Mónica, Amélia and Maria at a moment of great changes. In the former Socialist Republic of Mozambique the first democratic elections are held. Now friends and foe have to cooperate in a multiparty system. Mónica sees the end of their era approaching; her colonel’s pension is all she has left. Amélia has to cultivate a new piece of land to survive. Meanwhile, Maria has become a woman of the world.

77


Women of the War | Mulheres da Guerra

Ike Bertels, Holanda, 1984, 50’, VO Português, Yao e Nyanja / legendas Português

Um retrato documental de três mulheres moçambicanas que lutaram dez anos para libertar o seu país dos colonizadores portugueses. Após a independência, em 1975, Mónica foi escolhida para ser membro do Comité Central do Governo da Frelimo. Maria, mãe de cinco filhos, mudou-se para Maputo juntamente com seu marido, para estudar. Amélia tornou-se costureira de uniformes do exército na província de Niassa. As histórias das suas vidas acabam por se entrelaçar, mostrando a importância política e pessoal da sua luta pela independência.

78 Dockanema 2011

A documentary portrait of three Mozambican women who fought ten years to liberate their country from the Portuguese colonizers. After independence in 1975, Mónica was chosen to be a member of the Central Committee of the Frelimo Government. Maria, mother of five children, moved to Maputo to pick up her studies, together with her husband. Country girl Amélia became a seamstress in a uniform studio of the army in the North province of Niassa. The stories of their lives, by chance interwoven, show the personal and the political importance of their struggle for independence.


CICLO

Clima a r u t l u C a ç n a d u M

Ciclo composto por 15 filmes, (13 deles seleccionados pelo Goethe Institut, Alemanha) entre curtas e longas-metragens, que destacam a dimensão social das mudanças climáticas: o ser humano como a causa, a vítima, mas também como o responsável por encontrar as soluções para esses problemas. Este conjunto de filmes apresenta um panorama de conecções existentes entre as causas das mudanças climáticas e as soluções possíveis, passando do indivíduo à sociedade, do contexto local ao global, numa larga variedade de caminhos.

Ciclo Clima, Cultura e Mudança

The Cycle for the 7th Edition is composed of 15 films, (13 of them selected by the Goethe Institut, Germany) between short and feature films, which highlight the social dimension of climate changes: the humankind as the cause, the victim as well as the one responsible for finding solutions to these problems. This set of films presents an overview of actual connections between the causes of climate change and possible solutions, moving from the individual to the society, from the local to the global context in a wide range of pathways. 79


Algol – Tragödie der Macht – Algol | Algol – A Tragédia do Poder Hans Werckmeister, Alemanha, 1920, 120’

Este filme mudo alemão investiga a fé no progresso da modernidade como uma das causas fundamentais da mudança do clima. Ele narra a história de um humilde mineiro de carvão, que descobre o segredo de uma fonte de energia infinita através de um habitante do planeta Algol. Mas, em vez de esta tecnologia ser usada para benefício de todos, é mal utilizada para o exercício do poder por parte dos indivíduos. No final, os poucos que lucraram com a tecnologia Algol não puderam sequer alcançar a felicidade individual, apesar da sua riqueza inimaginável – a verdadeira tragédia do filme.

80 Dockanema 2011

This German silent film investigates modernity’s faith in progress as one of the fundamental causes of climate change. It narrates the story of a simple coal miner who learns the secret of a never-ending energy source from an inhabitant of the planet Algol. But instead of this technology being used for the benefit of all, it is misused for the exercise of power on the part of individuals. In the end, the few who profited from Algol’s technology cannot even achieve individual happiness, in spite of their unimagined wealth – the film’s true tragedy.


Before the Flood: Tuvalu | Antes das Cheias: Tuvalu Paul Lindsay, Reino Unido/França, 2004, 62’, VO Inglês e Francês/ legendas Português

Este filme fala sobre a ilha de Tuvalu no Oceano Pacífico, que se prevê afundar-se dentro de algumas décadas, devido às mudanças climáticas. Tuvalu, em tempos um dos países mais pobres do mundo, vendeu em 1990 o seu domínio na Internet “tv”, o que permitiu que aproximadamente 10.000 habitantes aumentassem consideravelmente o seu padrão de vida, o que por sua vez trouxe consigo consequências negativas. Num tom irónico e de certo modo melancólico, o filme descreve a eficácia do estilo de vida moderna ocidental e mostra, ao mesmo tempo, como é difícil este se abster do consumo a curto prazo, mesmo quando os efeitos negativos estão, literalmente, bem à sua frente.

Ciclo Clima, Cultura e Mudança

The British-French co-production Before the Flood: Tuvalu tells about the Pacific island of Tuvalu that will sink below the sea in a few decades, due to climate change. Once the thirdpoorest country on earth, in the 1990’s Tuvalu sold its Internet domain „tv“, thus earning its approx. 10,000 inhabitants an enormous improvement in their standard of living. With the money, the American Way of Life and its accompanying resource wastage is now making inroads. In an ironic and yet melancholy tone, the film describes the efficacy of the modern western lifestyle, and shows at the same time how difficult it is to refrain from short-term consumption for the sake of long-term quality of life. Even when the negative effects are literally right in front of one’s doorstep.

81


The Age of Stupid | A Era da Estupidez

Franny Armstrong, Reino Unido, 2009, 92’, VO Inglês / legendas Português

Olhar generoso sobre o desenvolvimento da Humanidade perante o fundo de catástrofe global. Com uma habilidade dramatúrgica excepcional, que combina uma narrativa ficcional com elementos documentais narrativos, este filme traça o caminho para o desastre ecológico a partir da perspectiva do ano 2050, com a ajuda de flashbacks. Acima de tudo, coloca-se questão: Porque não podemos evitar o nosso fatal destino enquanto ainda temos a oportunidade de fazê-lo? Este documentário não só aponta os contornos objetivos da mudança climática, como também revela as contradições internas e as barreiras culturais que fazem com que esta acção seja tão difícil.

82 Dockanema 2011

The British film “The Age of Stupid” by Franny Armstrong takes an unsparing look at the development of humanity before the background of global catastrophe. With dramaturgic skill, it combines a fictional narrattive level with documentary elements when tracing the path to ecological disaster from the perspective of the year 2050, with the aid of „flashbacks.” Above all, the film poses the question: why did we not prevent our doom while we still had the chance to do so? The film succeeds not only in pointing out the objective contours of climate change, but also in revealing the internal contradictions and cultural barriers that make acting so difficult.


Über Wasser | Acima da Água

Udo Maurer, Áustria/Luxemburgo, 2007, 82’, VO Alemão / legendas Português

Em três capítulos sobre três diferentes partes do planeta Terra, este documentário relata o significado existencial da água para a Humanidade. Desta forma, um facto aparentemente banal e óbvio torna-se uma narrativa empolgante sobre a luta diária pela sobrevivência. Apesar da água; por causa da água; sem água, com água. Este filme fala-nos sobre o alagamento e inundação da região do delta do Brahmaputra no Bangladesh; fala sobre o porto de pesca, uma vez próspero, da cidade portuária de Aralsk sobre o Mar de Aral, que agora está perdido nas estepes secas; e fala sobre a guerra diária em África, de todos contra todos por um par de bidões de água limpa em Kibera, a maior favela de Nairobi.

Ciclo Clima, Cultura e Mudança

In three chapters from three different parts of our earth, the new Austrian film documentary Über Wasser by the director Udo Maurer, reports on the existential significance of the element of water for humanity. In this way, a seemingly banal and obvious fact becomes an exciting and immediate narrative about the daily struggle for survival. In spite of water. Because of water. Without water. With water. About flooding and inundation in the delta region of the Brahmaputra in Bangldesh, about the once-thriving fishing port and harbour city of Aralsk on the Aral Sea that now lies lost in the dry Kazakh steppes, and about Africa’s daily war of all against all for a couple of canisters of clean water in Kibera, the largest slum of Nairobi.

83


Recipes for Disaster | Receitas para o desastre John Webster, Finlândia, 2008, 85’, VO Finlandês / legendas Português

Preocupado com a dependência do petróleo por parte da nossa civilização e os efeitos catastróficos da mudança climática, um cineasta convenceu sua família a fazer uma incursão na “dieta do petróleo” durante um ano. Com o objectivo de reduzir a sua contribuição para as emissões de CO2 na atmosfera, ele tornou-se um homem com uma missão. “Recipes for Disaster” é inteligente e divertido. Mas é também muitas vezes profundo, porque não deixa de parte a dimensão humana - especialmente na paciência da sua família, perante o seu próprio fanatismo, que é então domado pelo amor da sua esposa.

84 Dockanema 2011

Concerned about our civilization’s addiction to oil and the catastrophic effects of climate change, a filmmaker persuaded his family to go on an „oil diet” for a year. With the goal of reducing their contribution to CO2 emissions, he discovered a great deal – just as did his children and wife, who went along more or less of necessity – and became a man with a mission. “Recipes for Disaster” is very witty and entertaining. But it is also often profound, because it does not leave out the human dimension – especially conflicts with his family’s patience, and including his own fanaticism, which is then tamed by his wife’s love. A truly fresh, new wind in climate docus!


Menschen – Träume – Taten | Pessoas – Sonhos - Acções Andreas Stiglmayr, Alemanha, 2007, 90’, VO Alemão / legendas Português

Enquanto procurava por um modelo de comunidade compatível com o futuro, o cineasta Andi Stiglmayr debruçou-se sobre o modelo de assentamento da comunidade “Sieben Linden” (Sete Tílias), fundada em 1997 e localizado no Altmark, a cerca de 150 km a oeste de Berlim. Cerca de 120 pessoas reuniram-se ali, formando diversos bairros, e estão em busca de um modelo de relação e integração de diferentes modos da vida incluindo as áreas do trabalho, lazer, educação e cultura. Mas, nas questões da comunicação, educação dos filhos, poder e, particularmente, na relação entre homens e mulheres, torna-se claro que os problemas da sociedade em geral são intensamente refletidos neste microcosmos.

Ciclo Clima, Cultura e Mudança

While searching for a future-compatible community model, film-maker Andi Stiglmayr came upon the model settlement „Sieben Linden” (i.e. Seven Linden Trees), founded in 1997 and located in the Altmark, about 150 km west of Berlin. 120 people have come together there, forming various neighborhoods, and are seeking to integrate life’s different domains – such as work, leisure time, education and culture – with each other. But in areas such as communication, raising children, power, and particularly the relationship between men and women, it becomes clear that the problems of society at large are vividly reflected in this microcosmos.

85


Die Rechnung | A Conta

Peter Wedel, Alemanha, 2009, 4’22, VO Alemão / legendas Português

Nesta curta-metragem de Peter Wedel, três amigos encontram-se num bar e conversam sobre as suas experiências das últimas semanas. Desta forma, um catálogo colorido dos pecados contra o clima intensifica-se, quando aparece a servente. Proeminentes actores alemães entre eles, Benno Fürmann, participam nesta curta-metragem.

In this short film by the director Peter Wedel, three friends converse in a pub about their experiences in the past weeks. In this way, a colourful catalogue of sins against the climate emerges that is intensified when the waitress appears. Prominent German actors participated in this short film on the climate, among them Benno Fürmann.

They will come to town | Eles virão para a Cidade Thilo Ewers, Alemanha, 2008, 1’20

Este filme de animação de Thilo Ewers ilustra as dramáticas consequências das alterações climáticas para as nossas cidades. É um filme feito sem quaisquer palavras como se não existissem actores nem ninguém para dar voz às personagens. 86 Dockanema 2011

Thilo Ewers’ animated film most impressively illustrates the dramatic consequences of climate change for our cities. The film does without words completely – if for no other reason than that there are no actors to speak them.


Das Rad | A Roda

Chris Stenner, Heidi Wittlinger & Arvid Uibel, Alemanha, 2001, 8’30, VO Alemão / legendas Português

Esta curta-metragem de animação de Chris Stenner, Arvid e Uibel Wittlinger Heidi, que recebeu vários prémios e foi candidata a um Óscar, traça de forma divertida, o desenvolvimento da Humanidade e das suas tecnologias, desde a Idade da Pedra até ao futuro, sob o ponto de vista de duas pedras.

This animated short film by Chris Stenner, Arvid Uibel and Heidi Wittlinger, which has received numerous awards and was nominated for an Oscar, amusingly traces the development of humanity and its technologies from the Stone Age into the future from the viewpoint of two stones.

Der Kreis | O Círculo

Klaus Georgi, RDA, 1988, 3’25, VO Alemão / legendas Português

Um filme de animação em técnica de colagem sobre o sentido e o absurdo da produção e do consumo. A fábrica local produz diligentemente poluindo o ambiente ao ponto das pessoas e animais terem que usar máscaras de proteção. O círculo fecha-se na cena final: a fábrica começa a produzir máscaras de protecção. Ciclo Clima, Cultura e Mudança

An animated film in collage technique on the sense and nonsense of production and consumption. A diligently productive local factory has polluted its environment to such an extent that people and animals have to wear protective masks. The circle is completed in the final scene: the factory now produces protective masks. 87


Konsequenz | Consequência

Klaus Georgi, RDA, 1986, 2’, VO Alemão / legendas Português

Esta curta de animação do DEFA (um estúdio cinematográfico público da antiga RDA – República Democrática Alemã) mostra os padrões duplos dos seres humanos e da sua capacidade de lidarem com questões relacionadas com a conservação da natureza, apontando ao mesmo tempo, para as consequências deste comportamento para o meio ambiente.

88 Dockanema 2011

This short animated DEFA (the former GDR’s public film studio) film shows human beings’ double standards in dealing with issues relating to nature conservancy, and at the same time points up the consequences of this behaviour for the environment.


Wenn der Eisberg kalbt | Quando o Iceberg começa a parir Sylvie Hohlbaum; Gregor Schubert, Alemanha, 2002, 6’, VO Alemão / legendas Português

Há já algum tempo que o chefe do inventor amador Rüsselsheim Manfred Binder foi pensando no futuro da nossa civilização e no risco de uma possível catástrofe ecológica. Ao fazer isso, ele desenvolve ideias tão rigorosas como imaginativas: para ele, a sobrevivência seria possível numa cápsula que ele foi fabricado...

Ciclo Clima, Cultura e Mudança

For some time now, Rüsselsheim’s chief amateur inventor Manfred Binder has been thinking about the future of our civilisation and the risk of a possible ecological catastrophe. In doing so, he develops ideas that are as stringent as they are imaginative: survival would be possible in a capsule he has manufactured...

89


Was machst du gegen den Klimawandel? O que estás tu a fazer sobre o assunto? Katrin Rothe, Alemanha, 2008, 2’45, VO Alemão / legendas Português

Salvar o mundo em dois minutos e meio, evocando todo um universo de sonhos e esperanças, desejos e medos, opiniões e planos. Assim, esse filme procura incentivar-nos a refletir, a levantar um sorriso e, na melhor das hipóteses, incentivar-nos a agir, porque uma pessoa sozinha não vai salvar o mundo – este é o princípio tão simples quanto ambicioso desta curta-metragem de animação.

90 Dockanema 2011

Saving the world in two-and-a-half minutes, in two-and-a-half minutes conjuring up an entire universe of hopes and dreams, wishes and fears, opinions and plans. And thereby encouraging us to reflect, to raise a smile, and in the best case, encouraging us to act, because one person alone will not save the world – that is the principle of „So what are you doing about it?“ as simple as it is ambitious.


Même um Oiseau a Besoin de son Nid | Até um Pássaro precisa de um Ninho Christine Chansou & Vincent Trintignant-Corneau, França, 2012, 70’, VO Khmer / legendas Inglês

Filme documentário sobre os despejos forçados no Camboja, associados às concessões de terras por parte do governo a empresas poderosas para a sua utilização para fins comerciais. Alguns destes terrenos pertencem ao povo. Aqueles que se atrevem a proteger a sua terra, colocam em risco as suas vidas, perante ameaças, intimidações e um sistema de justiça corrupto. Mas, um grupo de mulheres destemidas, liderado pela carismática Vanny Tep, continua a protestar e a resistir.

Christine Chansou & Vincent Trintignant-Corneau

Christine Chansou começou a sua carreira como actriz tendo trabalhado com diretores renomados no teatro, cinema e televisão, Vincent Trintignant-Corneau começou sua carreira como assistente de direção em 1993. Dirigiu a sua primeira curta-metragem “Presente de ruptura”, em 2008, onde Christine Chansou participou como actriz. Em 2001, tornou-se o director da Divali Filmes da qual “Até um pássaro precisa de um ninho” é a primeira produção sob sua direcção.

Ciclo Grande Hotel

This is a documentary film about forced evictions in Cambodia, associated with the government grant land concessions to powerful companies to use for commercial purposes. Some of these land belong to the people. Facing threats, intimidations, and a corrupt justice system, those who dare to protect their land risk their lives doing so. But a group of unintimidated women, lead by the charismatic Tep Vanny, continue to protest and resist.

Beginning her career as an actress, Christine Chansou participated in theater plays and cinema and television films from renowned directors. Vincent Trintignant-Corneau started his career as an assistant director in 1993 and also worked with different directors in cinema. He directed his first short film «Gift of rupture» in 2008, featuring with Christine Chansou. In 2001 became the head of Divali Films from which “Even a bird needs a nest” is the first production under his direction.

91


Enchente Não Arranca Raiz Caio Cavechini , Brasil, 2011, 59’, VO Português

A água sobe a cada ano um pouco mais, e os moradores de um trecho de rio na foz do Ribeira preferem adaptar-se a sair de suas terras. O registo de duas enchentes no mesmo lugar; a vida de homens de bichos acostumados a andar sem olhar para o chão.

Caio Cavechini

Caio Cavechini é jornalista e documentarista. Dirigiu, entre outros trabalhos, os filmes “Correntes”, “Antes, Um Dia, e Depois”. Assinou os roteiros dos documentários “Sequestro”, de Wolney Atalla, premiado no Cine PE 2010, e “Porta a Porta”, eleito a melhor longa-metragem da Mostra Pernambuco. Desde 2006, é repórter, editor e roteirista do “Profissão Repórter”, programa da TV Globo. Participou de coberturas variadas, do terremoto no Haiti à violência no Rio de Janeiro, e já recebeu quatro prémios jornalísticos.

Filmografia 2011 Carne, Osso 2010 A Casa da Vó Neyde 2009 Sequestro

92 Dockanema 2011

Every year, the water is rising, and the dwellers of a stretch of river at the mouth of Ribeira prefer to adapt than to leave their land. The registration of two floods in the same place; the lives of men and animals accustomed to walking without looking down. Caio Cavechini is a journalist and documentary filmmaker. He endorsed the scripts for the documentaries “Hijacking” by Wolney Atalla, awarded at Cine PE 2010, and “Door to Door”, voted the best feature film of Mostra Pernambuco. Since 2006, he is a reporter, editor and scriptwriter of “Profissão Repórter”, a Globo TV program. Participated in various news coverage’s, from the earthquake in Haiti, to the violence in Rio de Janeiro, and has received four journalistic awards.


CICLO Grande Hotel

O emblemático edifício do Grande Hotel da Beira revisto em quatro diferentes perspectivas. Destaca-se neste ciclo a estreia internacional da longa-metragem “Amanhecer a Andar”, da autoria da realizadora portuguesa Sílvia Firmino.

Ciclo Grande Hotel

The symbolic building of the Beira Grand Hotel is addressed in four different perspectives. Noteworthy in this cycle is the international debut of the feature film “Amanhecer a Andar” directed by the Portuguese filmmaker, Silvia Firmino.

93


Amanhecer a Andar

Sílvia Firmino, Portugal, 2012, 97’, VO Português

Noite cerrada e um velho homem guarda uma escola. Amanhece, o homem abre portas e varre chão arenoso quando se ouvem vozes de crianças ao longe cantando o hino de Moçambique. Pela mão deste homem, Augusto, chegamos a um espaço amplo, misterioso, que se revelará fragmentado no encontro com as personagens principais do filme.

Sílvia Firmino

Sílvia Firmino tem licenciatura em Literatura Moderna pela Universidade Nova de Lisboa, pós-graduação em Cinema Documentário pela Universidade Lusófona de Lisboa e mestrado em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação do ISCTE. Tem trabalhado como docente, ao mesmo tempo que tem dirigido diversos documentários e vídeo-instalações apresentadas em festivais internacionais.

Filmografia 2008 Queria Ser 2005 Gosto de Ti Como És

94 Dockanema 2011

In the dark night, an old man watches over a school. Early morning he opens the doors and sweeps the floor. Children’s voices from afar are singing the national anthem of Mozambique. The old man carries us to an enormous mysterious space, which will be fragmentarily revealed by encounters with the film’s protagonists. Sílvia Firmino has a degree in Modern Literature from Universidade Nova de Lisboa, a post-graduate in Documentary Film from Universidade Lusófona de Lisboa and a M.A. in Communication, Culture and Information Technologies from ISCTE. She has been working as a lecturer and has directed several documentaries and video-installations shown at International Film Festivals.


Grande Hotel

Lotte Stoops, Bélgica, 2011, 70’, VO Português / legendas Português

No Grande Hotel da Beira, aquele que em tempos foi um dos maiores e mais luxuosos hotéis do mundo, vivem hoje mais de 2500 pessoas sem água nem electricidade. Esses habitantes, não só tomaram posse do edifício, como manipularam os seus próprios sonhos. Este filme leva-nos numa viagem através do presente e do passado de uma cidade, onde repousam os restos da sua história colonial.

Lotte Stoops

Depois de estudar História da Arte e Ciências Teatrais, Lotte Stoops criou várias obras para o Teatro. Começou a experimentar o filme por curiosidade nas suas intervenções e performances no espaço público. Viajou muito e trabalhou com crianças em situação de crise no âmbito do projecto 24/24. Hoje em dia, ela reúne a sua experiência artística e de intervenção social através da realização de filmes documentários.

In Grande Hotel da Beira, once one of the largest and most luxurious hotels in the world, today live more than 2,500 people without water or electricity. These people, not only took possession of the building, as manipulated their own dreams. This film takes us into a journey through the present and the past of a city, where the remains of it’s the colonial history lie.

After studying History of Arts and Theater Sciences, Lotte Stoops created multiple works for the Theater. Curiosity characterized her interventions and performances in the public space in which she started filming. Lotte Stoops has traveled often and worked in a 24/24 intervention team for children in crisis situations. Nowadays, she aggregates her expertise and social engagement in the making of documentaries.

Filmografia 2006 Spegelblad Swazi Secrets 2005 Cut the Crap

Ciclo Grande Hotel

95


Grande Hotel

Anabela Saint-Maurice, Portugal, 2007, 52’, VO Português

Em Moçambique foi inaugurado em 1955 um hotel de luxo que aspirava a ser o maior de África. O filme “Grande Hotel “ evoca a história trágica do espantoso edifício, emblema do passado e do presente da cidade da Beira. Tendo como fio condutor o hotel, o documentário acaba por ser um retrato da cidade da Beira, das diferentes vivências e culturas que nela coabitam.

Anabela Saint-Maurice

Anabela Saint-Maurice é portuguesa nascida em Angola em 1959. Há vários anos que se dedica à realização de documentários na RTP – Rádio Televisão Portuguesa.

Filmografia 2010 Além de Nós: mudança na paisagem 2009 Além de Nós 2008 A Luz dos Meus Dias 2006 A Ponte de Todos 2005 Agora Existo Ilha Portugal 2004 Quando o comboio apitar

96 Dockanema 2011

In 1955, a luxury hotel opened in Mozambique that aspired to be the largest in Africa. The film “Grand Hotel” evokes the tragic story of the amazing building, symbol of the past and present city of Beira. Having has reference the hotel, the documentary turns out to be a portrait of the city of Beira, the different experiences and cultures that coexist in it.

Anabela Saint-Maurice is a Portuguese born in Angola in 1959. For several years, she dedicated to making documentaries on RTP – Rádio Televisão Portuguesa.


Hóspedes da Noite

Licínio Azevedo, Moçambique, 2007, 53’, VO Português

O Grande Hotel, na cidade da Beira, era o maior de Moçambique, na época colonial: 350 quartos, luxuosas suítes, piscina olímpica… Actualmente, o prédio, em ruínas, sem electricidade e sem água canalizada, é habitado por mais de 2500 pessoas. Algumas vivem ali há vinte anos. Além dos quartos, também servem de moradia os saguões, os corredores, as áreas de serviço do hotel e a cave, onde é sempre noite.

Licínio Azevedo

É cineasta e escritor. Trabalhou no Instituto Nacional de Cinema, onde acompanhou as experiências dos cineastas Ruy Guerra e Jean-Luc Godard. É um dos fundadores da Ébano Multimédia, empresa moçambicana de produção de cinema.

The Grand Hotel, in Beira, Mozambique was the greatest, in colonial times: 350 rooms, luxury suites, Olympic pool ... Today, the building in ruins, without electricity and running water houses 3,500 dwellers. Some have lived there for twenty years. Besides the rooms, other compartments that serve as residence places including the halls, corridors, service areas and the hotel’s basement, where it is always night.

Licinio Azevedo is a filmmaker and writer. He worked at the National Film Institute, where he observed the experiences of the filmmakers Ruy Guerra and Jean-Luc Godard. He is one of the founders of Ébano Multimédia, a Mozambican film production company.

Filmografia 2012 Virgem Margarida 2009 A Ilha dos Espíritos 2006 O Grande Bazar 2005 Acampamento de Desminagem 2003 Mãos de Barro 2002 Desobediência

(…)

Ciclo Grande Hotel

97


Índice por Filme African Urban Dreams................. 37 African Women - A Journey for a Nobel Peace Prize..................... 59 Algol – Tragödie der Macht.......... 80 Alzira – A minha vida com fístula obstétrica.................. 38 Amanhecer a Andar..................... 94 Angst.......................................... 11 A Poeira e o Vento ...................... 10 Assim é, se lhe parece................ 12 A Terra dos nossos Avós............. 36 Bafatá Filme Clube...................... 13 Before the Flood: Tuvalu.............. 81 Behind Closed Doors................... 39 Blod I Mobilen............................. 60 Bouncing Cats............................ 61 Braxília........................................ 14 Carne, Osso................................ 15 Cartas de Angola........................ 16 Cartas para Angola..................... 17 Cinema Komunisto...................... 62 Cocaine, Suicide and the Meaning of Life........................... 63 Como é que se faz?.................... 40 Coutinho Repórter....................... 18 Das Rad | A Roda....................... 87 Depois do Muro.......................... 41 Der Kreis | O Círculo................... 87 Die Rechnung | A Conta............. 86 Disque Quilombola...................... 19 Distancias | Distâncias .............. 64 Enchente Não Arranca Raiz......... 92 Ensayo Final Para Utopia............. 65 Entre Vãos.................................. 20 Família Braz – Dois Tempos......... 21 Gangster Project......................... 66

Gigantes na Rua.......................... 42 Give Up Tomorow....................... 67 Grande Hotel............................... 95 Guerrilla Grannies How to live in this World.............. 76 Guerrilla Pension | Pensão de Guerrilha..................................... 77 Histórias de Fronteira.................. 43 Hoje tem Alegria.......................... 22 Hóspedes da Noite ..................... 97 Ilha de Moçambique.................... 44 Kolá San Jon é Festa di Kau Berdi................................ 23 Konsequenz | Consequência....... 88 L´Identité Nationale..................... 68 Linha Vermelha .......................... 24 L´Opera du bout du monde......... 69 Manifesto das Imagens em Movimento............................ 45 Maravilha nas barras da prisão.... 46 MATI – A água que não chega..... 47 Même um Oiseau a Besoin de son Nid....................... 91 Menschen – Träume – Taten........ 85 Mudança ................................... 79 Mulheres Africanas a rede invisível............................ 25 Mulheres Africanas – Uma viagem para um Prémio Nobel da Paz........................................ 59 N’Thiana Othampítjá Tríptico........ 48 O Caminho Certo ....................... 49 O filme que eu fiz para não esquecer.............................. 26 Outras Cartas ou o Amor Inventado........................... 27

Palavra Plástica........................... 28 Pink Saris................................... 70 Prevenção das inundações na bacia do rio Búzi .................... 50 Recipes for Disaster.................... 84 São Silvestre............................... 29 SEM FLASH. Homenagem a Ricardo Rangel (1924 – 2009).... 51 South of the border..................... 71 S. Tomé e Príncipe – Minha Terra, Minha Mãe, Minha Madrasta ......................... 30 Street Work Mavec...................... 53 Tancredo – A Travessia............... 31 The Age of Stupid....................... 82 The Suffering Grasses: when elephants fight, it is the grass that suffers.................. 72 They will come to town............... 86 Time Lag | Intervalo de Tempo.... 52 Über Wasser | Acima da Água.... 83 Vale dos Esquecidos................... 32 Victor Sousa, a trança madura ... 54 Vocacional, uma Aventura Humana........................ 33 Vovós da Guerrilha – Como viver neste Mundo............. 76 Was machst du gegen den Klimawandel?....................... 90 Welcome Peter Bossman............ 73 Wenn der Eisberg kalbt................ 89 Women of the War ..................... 78 Xilunguine, a Terra Prometida...... 55 Xitereka ...................................... 56


Índice por Realizador Anabela Saint-Maurice ............... 96 Ana Godinho de Matos................ 48 Andres Duque............................. 65 Angelo Sansone.......................... 51 Arthur Fontes.............................. 21 Bruno Z’Graggen ........................ 51 Caio Cavechini............................ 15 Caio Cavechini............................ 92 Carla Gallo.................................. 12 Carlos Juliano Barros.................. 15 Carlos Nascimbeni...................... 25 Cesar Paes................................. 69 Christine Chansou....................... 91 Coraci Ruiz................................. 17 Danyella Proença........................ 14 David Aguacheiro........................ 56 David Reeks................................ 19 Diana Manhiça............................ 45 Dorrit Harazim............................. 21 Dulce Fernandes......................... 16 Fábio Meira................................. 22 Fábio Ribeiro .............................. 36 Felix Seuffert............................... 50 Filmografia.................................. 27 Filmografia.................................. 72 Filmografia.................................. 94 Frank Piasecki Poulsen................ 60 Graça Castanheira....................... 11 Iara Lee...................................... 72 Ike Bertels.................................. 76 Inaldelso Cossa.......................... 55 Jordi Capell ................................ 47 José Filipe Costa......................... 24 Júlio Matos................................. 17

Júlio Silvão Tavares..................... 30 Kim Longinotto........................... 70 Laura Calderini............................ 46 Leo Falcão.................................. 28 Leonardo Batalla......................... 44 Leonardo Batalla......................... 49 Leonardo Batalla......................... 53 Leonor Noivo.............................. 27 Licínio Azevedo .......................... 97 Lina Badenes.............................. 64 Lina Chamie................................ 29 Lionel Moulinho.......................... 54 Lotte Stoops............................... 95 Luísa Caetano............................. 20 Marcos Pimentel ........................ 10 Maria Raduan.............................. 32 Márie-Clémence.......................... 69 Mariona Guiu ............................. 64 Mercedes Sayages...................... 38 Michael Collins........................... 67 Mila Turajlic................................ 62 Nabil Elderkin.............................. 61 Noemie Mendelle........................ 37 Oliver Stone................................ 71 Patrizia Bonanzinga..................... 52 Peter Steudtner........................... 41 Rená Tardin................................. 18 Renato C. Gaiarsa....................... 26 Riaan Hendricks.......................... 63 Rui Simões................................. 23 Rui Vilanculos............................. 39 Sérgio Libilo................................ 42 Silas Tiny.................................... 13 Sílvia Firmino.............................. 94

Sílvio Tendler............................... 31 Simon Intihar.............................. 73 Sonia Borrini............................... 43 Stefano Scialotti.......................... 59 Tabare Moreyra........................... 47 Teboho Edkins............................ 66 Toni Venturi................................. 33 Valérie Osouf............................... 68 Vincent Trintignant-Corneau ........ 91


FICHA TÉCNICA DOCKANEMA 2012 Direcção e Programa:

Pedro Pimenta

Produção Executiva:

Leandro Estrela

Coordenação Geral Programação:

Franziska Pfeiffer

Programação:

Ana Lúcia Cruz

Benilde Matsinhe

Textos e Imprensa:

Emanuel Pereira

Relações Públicas:

Inês Pereira

Benilde Matsinhe

Projecto gráfico:

Rhamay Lima

Marco Kullher

Pedro Corrêa

Gabriel Borges

Tradução Textos:

Guidjima Donaldo

Coordenação FLCS:

Miguel Prista

Assistente de Produção: Boaventura Maússe Projeccionistas:

Pedro Francisco (Teatro Avenida)

Marcus Chilaule (CCBM)

Chiuri (CCFM)

© CINE INTERNACIONAL Av. 24 de Julho, nº 2096 Flats 505/6, 5º andar Edifício Progresso e-mail: programacao.dockanema@gmail.com Cel: (+258) 84 950 62 69

A EXIBIÇÃO DE TODOS OS FILMES NO DOCKANEMA obteve a aprovação legal dos seus legítimos proprietários. todos beneficiamos com produtos licenciados: é protecção da criação, garantia de qualidade e apoio à produção artística.


Agradecimentos Alba Martin Duque Alda Costa Ana Godinho Matos Ana Lucia Cruz Antonio Braga Antonio Lopes Antonio Prista Armando Jorge Arminda Reis AMOCINE Birgit Plank-Mucavele Calane da Silva Carlos Nascimbeni Centro Cultural Brasil – Moçambique Conselho Municipal da Cidade de Maputo Centro Cultural Franco – Moçambicano Dina Trigo de Mira Dilip Navalshankar Djalma Lourenço ECA Elisabete Chicoco Embaixada da Alemanha Embaixada do Brasil Embaixada da Espanha Embaixada dos Estados Unidos da America Embaixada da França Embaixada da Italia Embaixada do Reino dos Paises Baixos (Holanda) Escola Portuguesa de Moçambique Eduardo Gehrke Fabiana Pereira Faculdade de Letras e Ciências Sociais (UEM) FCAT Gabriel Mondlane Hans Schilt Hector Castañera Callejon

ICMA Ike Bertels INAC Instituto Camões ISARC IODINE Jacaranda Justapaz Loris Omedes Luis Lage Manuela Soeiro Manuel Nunes Maria Inês Nogueira da Costa Marina Torre Marcelo Matos Maria Amida Mário Masilau Merrit Becker MASC Miguel Prista Nataniel Ngomane Nelson Camal NFVF Patrick Schimitt Patrizia Bonazinga Paul Jenckings Peter Steudtner Riaan Hendricks Rosania Silva Rosita Mbebe Sekuela Sol de Carvalho Stefano Scialotti Stela Duarte Tobias Bradford Toni Venturi Ute Fendller


7 Dockanema  

Catálogo da mostra de cinema Dockanema 2012

Advertisement