Page 1

PALAVRA AMIGA

Fundap

B o l e t i m

- Casa de

I n f o r m a t i v o

M a i o / 2 0 0 8

Apoio

Generosidade, o mundo anda buscando... - Casa Espírita

Irmã

Scheilla

Você pode ajudar. Entre em contato e saiba como: (31) 34412636 •

Nesta Edição: A história de Scheilla

Trabalho

2

Espiritual de Scheilla Para se

2

Informar

Mediunidade

se instala.

Queridos leitores, Quando estamos inteiramente vivos, dizendo um "sim" vibrante à experiência humana total e um "amém" do fundo do coração ao amor, é sinal de que estamos em harmonia com Deus, conosco, com os outros e com vida. Assim, íntima e extremamente nos sentimos plenos e realizados, nutridos e sadios. Sentimos, então, um profundo e verdadeiro amor a nós próprios, uma auto-estima genuína e é como se disséssemos: "É bom ser eu mesmo... estou feliz por ser eu..."

É aí então que, necessitando de acolhimento, buscamos condições para nos agasalhar, amparar e atender... Precisamos redescobrir o que há de bom em nós para nos recuperarmos.

Mas, diante de tantas adversidades, frustrações e de uma semeadura inadequada, junto à nossa dificuldade de nos confrontar com nossos anjos e demônios, sentimo-nos desconfortáveis, entristecidos e nossas emoções adoecem. Muitas vezes chegamos a nos refugiar nos vícios... Nos definhamos, sentimo-nos minúsculos, e a desintegração aí

Casa de Apoio Irmã Scheilla: Temos procurado, na medida do possível, devolver aos nossos acolhidos esse sentimento de dignidade, de pertencer, um sentimento de valorização, de adequação. Partimos do princípio de que a insegurança e o ódio sejam os cânceres mais comuns que devastam a humanidade, distorcendo e destruindo

Este é o trabalho realizado na

os relacionamentos sociais e a confiança. Considerando que a assistência e apoio espiritual sejam a fraternidade em ação, unimo-nos, através da FUNDAP, para assistir aos nossos queridos irmãos em suas grandes e profundas necessidades. Principalmente no que diz respeito à sua auto aceitação, estima e valorização, como pessoas em busca do aperfeiçoamento. E, através do contato diário com a boa nova de nosso Senhor Jesus Cristo, guia e modelo de toda a humanidade e do sentimento de compaixão, temos aprendido, juntos, a praticar a caridade. Com consciência de que a nossa parte dentro do contexto global é mínima, diante de tamanho caos neste momento de transição pelo qual passa o nosso planeta. Mas cada um deve doar do que possui, mesmo que seja tão pouco... Por: Elci Aires ( Presidente da Fundap)

3

e Autoconheci

A história de Irmã Scheilla

mento Atividades

4

na Casa Mensagem Final

4

Apesar do carinho com que é sempre intuída, muitos, no meio espírita, desconhecem quem é "Irmã Scheilla". Pensando nisto, o "Palavra Amiga" foi pesquisar para esclarecer: Afinal, quem foi a Mentora

Espiritual da Casa? Vejamos.

em 1943 (como Scheilla).

O que se conhece a respeito da Irmã Scheilla são suas duas encarnações: uma na França, no século XVI, e a outra na Alemanha, onde desencarnou

Na existência francesa, seu nome era Joana Francisca Frémiot, nascida em Dijon, (28/01/1572) e desencarnada em Moulins (12/1641). Nessa


P á g i n a

2

A história de Scheilla (continuação) existência, ficou mais conhecida como Santa Joana de Chantal (canonizada em 1767), ou Baronesa de Chantal. Casou-se, aos 20 anos, com o barão de Chantal. Tendo muito cedo perdido seu marido, abandonou o mundo com seus quatro filhos, dividindo seu tempo entre orações, obras piedosas e os seus deveres de mãe. Irmã Scheilla, como em sua última encarnação, na Alemanha.

“ABENÇOA SEMPRE... Abençoa a Terra, por onde passes, e a Terra abençoará a tua passagem para sempre."

Irmã Scheilla

Fundou, em 1604, a Congregação da Visitação de Maria (1610) que dirigiu como su

periora (de 1612 a 1619). São Vicente de Paulo, que assumiu a direção da Congregação, em 1619, passou a ser seu confessor e diretor espiritual. Em seu primeiro século de existência, a Congregação foi para 6.500 religiosos. Irmã Scheilla - Na existência alemã, Scheilla atuava como enfermeira, na cidade de Berlim, durante a 2º Guerra. Era conhecida por sua generosidade e abnegação. Servir ao próximo, este

era seu lema. Ela desencarnou em um bombardeio, aos 28 anos de idade. Em uma psicografia ela esclareceu: "Quando desencarnei, cuidando de doentes, pensei que ia descansar. Quando me dei conta, olhei para o lado e me disseram: ´Descansar? Agora é que você vai começar a trabalhar!´. Estou trabalhando até hoje". Passou, então, a servir, diretamente da espiritualidade, como "a enfermeira do Alto".

Trabalho espiritual de Scheilla materializava aparelhos

Brasil, porque sabiam da

algum tempo após a sua

desconhecidos da medicina

destinação do país como

desencarnação, às

terrena.

Scheilla vinculou-se,

Pátria do Evangelho,

falanges espirituais que atuam no Brasil. Por volta

Atualmente, ela trabalha

sabendo da importância da

de 1954, em Pedro

na Espiritualidade,

sua localização nas

Leopoldo, ela surgiu

juntamente com o

camadas vibratórias ao

muitas vezes em sessões

Coordenador Geral da

redor do planeta.

de materialização, e seus

Colônia Espiritual

contatos com Chico Xavier

“Alvorada Nova”, Cairbar

Scheilla coordena 14

eram freqüentes. Uma

Schutel. Os trabalhadores

grupos e forma, junto com

brilhante luz inundava a

da Colônia escolheram sua

dirigentes, o “Conselho da

sala onde ela

localização, perto do

Casa de Repouso”.

Para se informar Conheça

Toda a prática espírita é

nem usa paramentos,

razão, antes de aceitá-los.

um pou-

gratuita, dentro do

bebidas alcoólicas,

Respeita todas as religiões,

co mais sobre a

princípio do

incenso, fumo, velas,

valoriza todos os esforços

Evangelho "Dai de

procissões, talismãs,

para a prática do bem,

Filosofia

graça o que de

horóscopos, cristais,

trabalha pela

graça recebestes".

búzios, rituais, ou

confraternização e

A prática é

quaisquer outras formas

reconhece que "o

realizada sem

de culto exterior. Também

verdadeiro homem de bem

nenhum culto

não impõe seus princípios.

é o que cumpre a lei de

exterior. O

Convida os interessados

justiça, de amor e de

Espiritismo não tem

em conhecê-lo a submeter

caridade, na sua maior

sacerdotes e não adota e

seus ensinos ao crivo da

pureza".

Espírita

PAL AV R A

A MI G A


B o l e t i m

I n f o r m a t i v o

P á g i n a

Mediunidade & Autoconhecimento Mediunidade é a capacida-

possível, portanto, ao médium,

contece, etc.

de de entrar em contato com

distinguir os seus conteúdos

Também não se trata de mora-

outras consciências ou espíri-

dos conteúdos das entidades

lismo, de acomodar atitudes

tos, encarnados e desencarna-

comunicantes se ele não co-

ao que outros determinaram

dos, e captar o pensamento,

nhecer algo desses conteúdos,

ser a melhor conduta, de se-

os sentimentos, as idéias e as

para poder identificá-los, com-

guir preceitos morais, mas de

sensações. E médium é todo

pará-los e separá-los .

consultar a própria consciência

aquele que tem esta capaci-

Não podendo controlar os con-

em busca de sua essência, em

dade, em maior ou menor

teúdos que lhe chegam, ao

busca daquilo que realmente

grau. Embora haja outras vari-

médium não resta outra opção

identifica cada um de nós,

ações para estas definições,

a não ser trabalhar no que

independentemente de rótulos,

muitas válidas, estas são as

está mais próximo dele, sobre

crenças, conceitos, ofícios, etc.

mais conhecidas e as mais

o que ele tem muito mais con-

Quando um médium se conhe-

relevantes para o assunto que

trole. E com o que está em

ce, ele não teme o contato

pretendo tratar.

contato 24 horas por dia: ele-

com outras mentes, pois está

Captando pensamentos e sen-

mesmo e suas questões. As-

seguro de que o que está den-

timentos que vêm de fora de si

sim, um bom médium, além de

tro dele não será facilmente

mesmo, o médium , o tempo

dominar o fenômeno e as téc-

desviado, desequilibrado ou

todo, trabalha com o que não

nicas, precisa conhecer a si

enganado.

é seu, nem nasce dentro dele.

mesmo em profundidade, pre-

O estudo e o exercício da me-

Uma das questões mais pre-

cisa trabalhar o autoconheci-

diunidade, portanto, é auto-

sentes nas pessoas é como

mento. Um estudo interno

consciência, auto-análise, au-

distinguir o que é seu do que é

profundo, que deve nos colo-

tocrítica, observação constante

de espíritos que se comuni-

car cara a cara principalmente

de si mesmo, não como juiz ou

cam. Hoje, se sabe, 70% dos

com o que ainda não sabemos

carrasco, mas como testemu-

médiuns permanecem total-

de nós mesmos.

nha lúcida e fiel do que se pas-

mente conscientes durante o

Não entendo que seja possível

sa interiormente.

fenômeno.

ser um médium consciente,

Mediunidade é comunicação. E

As entidades que se comuni-

responsável e equilibrado se

fica muito prejudicada quando

cam por um médium podem

não houver autocontrole sadio

há ruído, quando o sinal não é

mudar, e muito, de um traba-

das próprias emoções. Se o

forte, quando o meio que a

lho para o outro, sendo quase

médium não for capaz de olhar

transmite não consegue ser

impossível prever quem irá se

a si mesmo com autocrítica

fiel, imparcial e ético. Mediuni-

comunicar ou com que tipo de

saudável, com disposição sin-

dade é intercâmbio de idéias,

conteúdos. E esta questão se

cera de conhecer as próprias

sentimentos, emoções e sen-

complica ainda mais na ques-

características, trabalhando

sações e, quando está ciente

tão da sintonia, pois nenhum

aquelas em que se percebe

disso e de seus próprios conte-

fenômeno mediúnico ocorre

confuso, limitado ou incômodo.

údos, o médium consegue re-

sem que haja similaridade,

Num transe mediúnico, o mé-

ceber informações e orienta-

afinidade entre os conteúdos

dium entra em contato profun-

ções para si mesmo e os que o

do médium e do comunicante.

do com o que as entidades

acompanham, numa troca rica.

Como saber , então, com se-

sentem e pensam, e precisa

Mediunidade é comunicação de

gurança, o que é do próprio

estar seguro do que ele pró-

dois mundos - ou, quem sabe,

médium e o que não é ? Além

prio sente, para não se deixar

mais até - que funcionam em

disso, como manter-se isento

confundir ou mesmo enganar

freqüências distintas. E o mé-

e imparcial nas ações, quando,

nos trabalhos a fazer.

dium que sabe disso consegue

muitas vezes, o que chega

Não se trata apenas de vigilân-

ser lúcido e ter discernimento,

mobiliza o médium, tocando

cia ou de apenas observar,

sem se deixar afetar por aquilo

seus sentimentos e emoções ?

mas, de reconhecer o que se

que lhe chega.

Só podemos distinguir coisas

pensa e sente, porque isso

quando as reconhecemos,

acontece, o que isso nos cau-

(Por: Maísa Intelisano -

quando as identificamos. Não é

sa, em que circunstâncias a-

Enviado por Fernanda Guimarães)

Mediunidade é oportunidade de trabalhar pelos outros, mas, antes de tudo, por si mesmo, estudando-se e aplicando aquilo que aprende nas comunicações em sua própria vida!

3


FUNDAP - Criada pela Resolução

A Fundação de Amparo à Pobreza (FUNDAP)

PFFMG 032/00 – MPMG

nasceu como IMAP, em julho de 1996, da reunião de pessoas que decidiram agir para mino-

CNPJ: 04.146.823/0001-80

rar o sofrimento de pessoas desamparadas, e não ficarem apenas reclamando de inseguran-

Rua Palermo, 1.595 - Bairro

ça e violência generalizadas.

Bandeirantes Atualmente, contamos com uma Casa de Apoio 31340-560 – BH – MG

e o Centro Espírita. A Casa de Apoio possui 25 leitos, distribuídos em Ala Feminina e Mas-

Telefax: (31) 3441-2636.

culina. Já beneficiou mais de 660 pessoas, desde sua criação. Recupera e reinsere pessoas de ambos os sexos, doentes e carentes, em regime de internato.

Boletim Informativo — Ano 1 Edição nº 1 / maio -2008

O Centro Espírita, CASA IRMÃ SCHEILLA,

Jornalista Responsável: Cláudia Marques -

além dos trabalhos na área de assistência es-

3652/MTB-MG

piritual, fornece cerca de 35 cestas básicas por

Colaboraram nesta Edição: Antônio Carlos Santos, Evanir Sagrillo, Fernanda Guimarães.

mês a famílias carentes, devidamente cadastradas, além de roupas, calçados e remédios, eventualmente.

Agenda da Casa

Coisas que aprendi... Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você pegar o primeiro desenho que fiz e prendê-lo na geladeira, e, imediatamente, tive vontade de fazer outros

2ª Feira: (19h às 20h):

(15h30 às 16h30):

para você.

Atendimento Fraterno.

Evangelização Infantil –

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi

Reunião Pública –

você dando comida a um gato de rua, e aprendi que é legal

Palestras.

tratar bem os animais. Quando você pensava que eu não

(20h às 21h): Reunião Pública – Palestra e Passes. 3ª Feira: (19h às 21h):

estava olhando, ouvi você fazendo uma oração, e aprendi (17h às 18h30): Reunião

que existe um Deus com

Privativa de Estudos e

quem eu posso sempre falar

Educação Mediúnica.

e em quem eu posso sempre

Tratamento Espiritual.

confiar. Quando você

Domingo: (9h30 às 10h): (20h às 21h30): Reunião

Reunião de Estudo

Privativa de Estudos e

Evangélico-Doutrinário.

pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazer comida e levar para uma

Educação Mediúnica.

amiga que estava doente, e

(10h às 12h): Campanha 4ª Feira: (19h às 21h)

aprendi que todos nós temos

do Quilo.

que ajudar a tomar conta

Reunião Administrativa.

uns dos outros.

(20h às 21h) Estudo do 6ª Feira: (20h) Reunião

Evangelho.

Pública – Palestra e Passes.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você dando seu tempo e seu dinheiro para ajudar as

Visite-nos: 2ª a 6ª feira:

pessoas mais necessitadas e aprendi que aqueles que têm

14h às 16h. Sábados, 9h

Sábado: (9h45 às 12h):

alguma coisa devem ajudar quem nada tem.

às 11h.

Volante Fraterno – Visita

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu

Bazar Beneficente:

à casa de idosos "Amigo

olhava para você e queria lhe dizer: "obrigado por todas as

diariamente, 9h30 às

Presente".

coisas que eu vi e aprendi, quando você pensava que eu

15h30.

não estava olhando!" (Por: Momento Espírita - texto de Mary Rita Schilke Korzan)

Palavra Amiga - maio 2008  

Boletim mensal da Fundap, nº1