Page 1

ENTREVISTAS

DAMON FICKLIN, AMUNDI STEFAN GRIES, BLACKROCK LEGISLAÇÃO

AMLD V: O FOGO DE PROMETEU E A CAIXA DE PANDORA GESTÃO

O MACHINE LEARNING E A INDÚSTRIA DE GESTÃO DE ATIVOS

Uma nova dimensão para a VENDAS Gestão de Ativos

ESTILO

NÚMERO 34 SETEMBRO E OUTUBRO 2020

.

MÚSICA: ARTE DA REPRODUÇÃO TREKKING NA PATAGÓNIA

FAVORITOS LONGE DA VISTA, MAS PERTO DO SELECIONADOR...

NUM ANO ATÍPICO COMO 2020 FOI AINDA MAIS DIFÍCIL RESPONDER À EXIGÊNCIA QUE TANTO CARATERIZA OS SELECIONADORES E ANALISTAS DE ram-ai.com FUNDOS EM PORTUGAL. OS VENDAS DAS GESTORAS INTERNACIONAIS ULTRAPASSARAM COM DISTINÇÃO ESTA TAREFA… MAS QUAIS OS QUE SE DESTACAM NO SEU TRABALHO EM PORTUGAL?

1950’s

1980’s

2000’s

ARTIFICIAL INTELLIGENCE

MACHINE LEARNING

DEEP LEARNING

De um conceito...

A um conjunto de técnicas de previsão

Aprendendo sempre em diferentes dimensões

Com a colaboração do Allfunds


Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%*

+3.75%*

YTD

5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com


ENTREVISTAS

DAMON FICKLIN, AMUNDI STEFAN GRIES, BLACKROCK LEGISLAÇÃO

AMLD V: O FOGO DE PROMETEU E A CAIXA DE PANDORA GESTÃO

O MACHINE LEARNING E A INDÚSTRIA DE GESTÃO DE ATIVOS ESTILO

NÚMERO 34 SETEMBRO E OUTUBRO 2020

.

MÚSICA: ARTE DA REPRODUÇÃO TREKKING NA PATAGÓNIA

VENDAS FAVORITOS LONGE DA VISTA, MAS PERTO DO SELECIONADOR... NUM ANO ATÍPICO COMO 2020 FOI AINDA MAIS DIFÍCIL RESPONDER À EXIGÊNCIA QUE TANTO CARATERIZA OS SELECIONADORES E ANALISTAS DE FUNDOS EM PORTUGAL. OS VENDAS DAS GESTORAS INTERNACIONAIS ULTRAPASSARAM COM DISTINÇÃO ESTA TAREFA… MAS QUAIS OS QUE SE DESTACAM NO SEU TRABALHO EM PORTUGAL?

Com a colaboração do Allfunds


SOLUÇÕES DE INVESTIMENTO PARA CONSTRUIR UM FUTURO SUSTENTÁVEL Mais informações sobre nossos recursos na ESG: go.dws.com/pt-esg

The Alphabet of Asset Management.

A DWS é uma das principais entidades gestoras de activos do Mundo. Em Portugal, a entidade responsável pela comercialização dos produtos e serviços da DWS é a DWS International GmbH e autorizado a exercer CEVKXKFCFGUFGKPVGTOGFKCÿQʙPCPEGKTCGO2QTVWICNGO4GIKOGFG.KXTG2TGUVCÿQG5GTXKÃQU1UENKGPVGURQFGOCEGFGTCQURTQFWVQUQWUGTXKÃQUFC&95CVTCXÅUFGWOCQWOCKUGPVKFCFGUSWGUGT¿QKFGPVKʙECFCUFG acordo com os contratos, acordos, materiais promocionais ou outra documentação relativa aos produtos ou serviços oferecidos. Este documento foi preparado sem considerar as necessidades particulares de investimento, QDLGEVKXQU QW EKTEWPUV¾PEKCU ʙPCPEGKTCU RGUUQCKU FG SWCNSWGT KPXGUVKFQT #PVGU FG VQOCT WOC FGEKU¿Q FG KPXGUVKOGPVQ QU KPXGUVKFQTGU FGXGO EQPUKFGTCT EQO QW UGO C CLWFC FG WO EQPUWNVQT UG QU KPXGUVKOGPVQU G GUVTCVÅIKCUFGUETKVQUQWHQTPGEKFQURGNC&95U¿QCRTQRTKCFQUEQODCUGPCUUWCUPGEGUUKFCFGUGURGEÉʙECUFGKPXGUVKOGPVQRGTʙNFGKPXGUVKFQTQDLGEVKXQUGEKTEWPUV¾PEKCUʙPCPEGKTCU2QTQWVTQNCFQGUVGFQEWOGPVQVGO CRGPCUCʙPCNKFCFGFGKPHQTOCTP¿QEQPUVKVWKPFQWOCQHGTVCTGEQOGPFCÿQQWRGFKFQRCTCEQPENWKTWOCVTCPUCEÿQGP¿QFGXGUGTEQPUKFGTCFQEQOQCEQPUGNJCOGPVQRGTUQPCNK\CFQQWTGEQOGPFCÿQFGKPXGUVKOGPVQ# &95P¿QRTGUVCCEQPUGNJCOGPVQʙUECNQWLWTÉFKEQ1UKPXGUVKFQTGUFGXGOEQPUWNVCTQUUGWURTÏRTKQUEQPUWNVQTGUʙUECKUGCFXQICFQUEQPUKFGTCPFQQUKPXGUVKOGPVQUGGUVTCVÅIKCUUWIGTKFQURGNC&951UKPXGUVKOGPVQUEQO C&95P¿QU¿QICTCPVKFQUCOGPQUSWGQEQPVT½TKQUGLCGZRTGUUCOGPVGGURGEKʙECFQ#OGPQUSWGUGLCPQVKʙECFQFGQWVTCHQTOCRCTCWOCUKVWCÿQGURGEÉʙECQUKPUVTWOGPVQUʙPCPEGKTQUP¿QU¿QICTCPVKFQURQTPGPJWOC GPVKFCFGIQXGTPCOGPVCNPGORGNC&95'ODQTCCUKPHQTOCÃÑGUEQPVKFCUPGUVGFQEWOGPVQVGPJCOUKFQQDVKFCUFGHQPVGUEQPUKFGTCFCUʙ½XGKUCUWCGZCEVKF¿QKPVGITKFCFGQWGSWKNÉDTKQP¿QRQFGUGTICTCPVKFCGP¿QFGXGUGT EQPUKFGTCFCGPSWCPVQVCN6QFCUCUQRKPKÑGUGGUVKOCVKXCUEQPVKFCUPGUVGFQEWOGPVQKPENWKPFQFGENCTCÃÑGUTGNCVKXCUCQHWVWTQTGʚGEVGOQGPVGPFKOGPVQFC&95PCRTGUGPVGFCVCFQFQEWOGPVQGGUV¿QUWLGKVCUCCNVGTCÃÑGU UGOCXKUQRTÅXKQGGPXQNXGOWOCUÅTKGFGRTGUUWRQUVQUSWGRQFGOP¿QUGTX½NKFQU1UKPXGUVKOGPVQUGUV¿QUWLGKVQUCX½TKQUTKUEQUKPENWKPFQʚWVWCÃÑGUFGOGTECFQOWFCPÃCUTGIWNCVÏTKCUTKUEQFGEQPVTCRCTVGRQUUÉXGKU CVTCUQUPQTGGODQNUQGRGTFCUFGTGPFKDKNKFCFGUGFQECRKVCNKPXGUVKFQ1XCNQTFQUKPXGUVKOGPVQURQFGFKOKPWKTQWCWOGPVCTGQKPXGUVKFQTRQFGP¿QTGEWRGTCTQXCNQTKPKEKCNOGPVGKPXGUVKFQFWTCPVGQRGTÉQFQFGFWTCÿQ FQKPXGUVKOGPVQ#NÅOFKUUQRQFGOQEQTTGTʚWVWCÃÑGUUWDUVCPEKCKUPQXCNQTFQKPXGUVKOGPVQOGUOQGOEWTVQURGTÉQFQUFGVGORQ#RTGUGPVGRWDNKECÿQEQPVÅOFGENCTCÃÑGUTGNCVKXQUCQHWVWTQ&GENCTCÃÑGUTGNCVKXCUCQ HWVWTQKPENWGOOCUP¿QUGNKOKVCOCUWRQUKÃÑGUGUVKOCVKXCURTQLGEÃÑGUQRKPKÑGUOQFGNQUGCP½NKUGFGTGPFKOGPVQJKRQVÅVKEQ1UGXGPVQUHWVWTQUGZRTGUUQUEQPUVKVWGOQLWNICOGPVQFC&95CVÅCFCVCFCFKXWNICÿQ deste documento. A circulação e distribuição deste documento pode ser restrito por lei ou regulamento em alguns países, incluindo os Estados Unidos da América. Este documento não é dirigido nem deve ser distribuído QWWUCFQRQTSWCNSWGTRGUUQCQWGPVKFCFGSWGUGLCEKFCF¿QTGUKFGPVGQWGUVGLCNQECNK\CFQGOSWCNSWGTNQECNKFCFGGUVCFQRCÉUQWQWVTCLWTKUFKÿQKPENWKPFQQU'UVCFQU7PKFQUFC#OÅTKECQPFGCFKUVTKDWKÿQRWDNKECÿQ FKURQPKDKNKFCFGQWWUQÅEQPVT½TKQCSWCNSWGTNGKQWTGIWNCOGPVQQWSWGUWLGKVCC&95CSWCNSWGTTGSWKUKVQFGTGIKUVTQQWNKEGPEKCOGPVQSWGCEVWCNOGPVGP¿QUGGPEQPVTGPCSWGNCLWTKUFKÿQ2GUUQCUSWGFGVGPJCOGUVG FQEWOGPVQRQFGOUGTQDTKICFCUCKPHQTOCTUGUQDTGGCTGURGKVCTCUTGHGTKFCUTGUVTKÃÑGU'UVGFQEWOGPVQP¿QRQFGUGTFKUVTKDWÉFQPQ%CPCF½PQ,CR¿QPQU'UVCFQU7PKFQUFC#OÅTKECPGOLWPVQFGSWCNSWGTRGUUQCSWG UGLCEKFCF¿QTGUKFGPVGQWNQECNFQU'UVCFQU7PKFQUFC#OÅTKEC4GPVCDKNKFCFGURCUUCFCUP¿QU¿QICTCPVKCFGTGPVCDKNKFCFGUHWVWTCU0CFCFQSWGÅTGHGTKFQPQRTGUGPVGFQEWOGPVQEQPUVKVWKWOCTGRTGUGPVCÿQQWICTCPVKC SWCPVQCTGPVCDKNKFCFGUHWVWTCU12TQURGEVQGQWCU+PHQTOCÃÑGU(WPFCOGPVCKU&GUVKPCFCUCQU+PXGUVKFQTGU +(+ CQUSWCKUFGXGUGTCPGZCFQQÖNVKOQTGNCVÏTKQCPWCNCWFKVCFQGQEQTTGURQPFGPVGTGNCVÏTKQUGOGUVTCNUGGUVG HQTOCKUTGEGPVGFQSWGQÖNVKOQTGNCVÏTKQCPWCNEQPVÆOCKPHQTOCÿQEQORNGVCUQDTGQHWPFQ1UTGHGTKFQUFQEWOGPVQUEQPUVKVWGOCÖPKECDCUGNGICNPCSWCNQUKPXGUVKFQTGUFGXGOCRQKCTCUWCFGEKU¿QFGKPXGUVKOGPVQRCTC CCSWKUKÿQQWUWDUETKÿQFGWPKFCFGUFGRCTVKEKRCÿQCEÃÑGUFQHWPFQ5GWOKPUVTWOGPVQʙPCPEGKTQÅFGPQOKPCFQPWOCFKXKUCFKHGTGPVGFCFQKPXGUVKFQTSWCNSWGTʚWVWCÿQPCVCZCFGE¾ODKQRQFGCHGEVCTPGICVKXCOGPVG QRTGÃQQWQXCNQTFQKPUVTWOGPVQʙPCPEGKTQQWCUWCTGPVCDKNKFCFGFGOQFQSWGQKPXGUVKFQTCUUWOGKPVGITCNOGPVGQTKUEQECODKCN1KPUVTWOGPVQʙPCPEGKTQFGUETKVQPGUVGFQEWOGPVQRQFGP¿QUGTCRTQRTKCFQCQRGTʙNFG KPXGUVKFQTFGVQFQUQUKPXGUVKFQTGUGCPVGUFGFGEKFKTRGNQKPXGUVKOGPVQQKPXGUVKFQTFGXGCUUGIWTCTUGSWGGPVGPFGECDCNOGPVGCUEQPFKÃÑGUECTCEVGTÉUVKECUGTKUEQUFCVTCPUCEÿQGSWGTGCNK\QWWOGUVWFQKPFGRGPFGPVG FCCFGSWCÿQFCQRGTCÿQCQUUGWUQDLGEVKXQUGEKTEWPUV¾PEKCURGUUQCKUKPENWKPFQQURQUUÉXGKUTKUEQUGDGPGHÉEKQUFCTGCNK\CÿQFCTGHGTKFCQRGTCÿQ#KPHQTOCÿQOGPEKQPCFCCPVGTKQTOGPVGRQFGUGTQDVKFCGOHQTOCVQ FKIKVCNQWHÉUKEQUGOSWCNSWGTEWUVQLWPVQFQEQPUWNVQTʙPCPEGKTQFC&95+PVGTPCVKQPCN)OD*QWPQGPFGTGÃQYYYFYUEQO6TCPUNCVGFHTQO%4%


EDI VOEMOS PARA LÁ DAS NOSSAS NECESSIDADES TO RIAL C

34 I SETEMBRO E OUTUBRO 2020

ESTE NOVO NORMAL NÃO PARECE NORMAL E A INDÚSTRIA REFAZSE E REVÊ-SE À LUZ DE UM CONTEXTO QUE DEVERÁ DIRIGIR AS NOSSAS VIDAS POR MAIS UNS TEMPOS.

hegou setembro e não nos demos propriamente conta disso. De repente fomos atirados para uma rentrée meio desenxabida, com reencontros adiados por mais um mês, por mais dois, por mais tempo que ainda não sabemos bem balizar no calendário da vida. Os hábitos ajudam-nos na sensação de normalidade – dizem os novos entendidos em meditação e coisas que tal - e fazem-nos combater o stress do desconhecido, e ser um pouco mais do que éramos num antigamente não tão longínquo assim. Nesta edição voltámos aos velhos (bons) hábitos. Damos-lhe a conhecer os vendas das gestoras internacionais que se destacam no mercado nacional pelo seu serviço… e pela sua adaptação. Sim, adaptação! 2020 veio acoplado desta palavra, um bónus pouco desejado, mas inevitável. Os selecionadores de fundos refletiram e elegeram, como sempre, os sales que melhor encheram as medidas das suas necessidades num ano difícil. Estes vendas, por seu lado, contam como encurtaram distâncias e fizeram o melhor trabalho possível… como sempre.

Mas não se pode ficar agarrado aos hábitos. Não nos podemos fixar na bela imagem cravada no quadro, como fazia Dorian Gray no romance de Oscar Wilde. Há mais para lá dos velhos mecanismos a que nos habituámos, da contemplação do prodigiosamente belo de outrora. Porque não pegar nos velhos hábitos, e reformulá-los? Convidamo-lo, por isso, a refletir sobre como é que o machine learning influenciará a gestão de ativos nos próximos anos. Desengane-se, como lerá nas páginas seguintes, se acha que esta vai ser uma opção para a indústria. Será, com certeza, um must have. Um pouco na mesma perspetiva, de deixarmos de lado os hábitos poeirentos que nos retraem, trazemos-lhe uma reflexão sobre o impacto da tecnologia no investment advisory. Desde a facilitação da perfilagem do cliente até à melhor otimização das carteiras, muitas são as vantagens que se vislumbram neste contexto. Também as equipas de marketing das sociedades gestoras de ativos contam nesta edição como é que é impossível ficarem agarradas à beleza (ou falta dela) de outrora. Os processos regulatórios dos últimos anos mudaram o negócio, desafiaram-no, mas, acima de tudo, fizeram-no evoluir e, claro, adaptar-se. É o que acontece também na Euronext Lisbon. Na figura da sua presidente, temos oportunidade de descobrir como é que a listagem de fundos e ETF evoluiu nesta praça nos últimos tempos, e como a eficiência do processo se maximizou. Mas existem de facto hábitos que nos fazem falta. Não nos enganemos. Este ano aquele que já era um hábito de todos, a festa da FundsPeople, teve de ficar adiada para o próximo ano, se tudo correr bem. Enquanto esse dia não chega, esperamos continuar a fazer parte do seu dia a dia. Um velho, mas bom hábito. Não queremos, de todo, “viver numa época em que as coisas desnecessárias constituem as nossas únicas necessidades”, como aconteceu com Dorian Gray. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 3


IN DI CE 34 I SETEMBRO E OUTUBRO 2020

96

PANORAMA

80

TENDÊNCIAS

84

12 Grande atividade nos mercados emergentes 14 A lição de Ícaro 17 Barómetro ABC 20 Poupar & Investir – Um hábito que é necessário cultivar 26 Ranking Selo FundsPeople 40 Mais um degrau subido na recuperação do mercado de fundos europeus

44 Vendas favoritos: Longe da vista, mas perto do selecionador 50 Operações corporativas na indústria de gestão de ativos pós COVID-19 54 O Machine Learning e a Indústria de Gestão de Ativos 58 O genérico feito à medida 62 Índices hiper-concentrados 66 AMLD V: O Fogo de Prometeu e a Caixa de Pandora 68 Investment Advisory: Tecnologia ao serviço 72 Cobertura de divisas nas ações 76 Marketing na gestão de ativos

ENTREVISTAS 80 84 86 90 92 96

Stefan Gries Rita Neves e António Mello-Campello Damon Ficklin Alexandre Mota e Emanuel Vieira Hemant Baijal Isabel Ucha

90

PRODUTOS

98 As obrigações perante uma pandemia: Crise e correção 104 Obrigações emergentes 108 O que emerge dos emergentes? 112 Novo Regime Jurídico dos Fundos de Pensões 116 As cinco tendências-chave no mercado de ETF 120 Divergência das classificações ESG 124 Prata: A irmã pequena do ouro

ESTILO DE VIDA 128 Música: A arte e o engenho da reprodução 130 Trekking na Patagónia 4 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

86

92


Mais de 25.000 newsletters diárias*

Obrigado aos nossos patrocinadores... ...e a todos os que nos têm apoiado ao longo deste ano

Mais de 200.000 profissionais do mundo da gestão de ativos* *Soma global das webs, segundo dados do Google Analytics.


CO LABO RA DO RES

104 VANESA DEL VALLE BROUSSARD Analista, Allfunds Obrigações emergentes: a maioria dos gestores mostra um otimismo cauteloso sobre esta classe de ativos em 2020

112

54

PEDRO FELICIANO, CFA

Investment Advisor, LM Capital Wealth Management Formador do Curso de Iniciação ao Machine Learning para Financeiros do IFB O Machine Learning e a Indústria de Gestão de Ativos

66

VASCO CABRAL DA CÂMARA Director, Retirement Willis Towers Watson Novo regime jurídico dos fundos de pensões

116

SOFIA LEITE BORGES, MARIA CARVALHO MARTINS E JOANA BORGES MARQUEZ

PIERRE LAGET E ANAELLE UBALDINO

Sócia administradora, Associada sénior e Associada coordenadora Sofia Leite Borges & Associados AMLD V - O Fogo de Prometeu e a Caixa de Pandora

68

ETF Analyst e Head of Quant Advisory, Trackinsight As cinco tendências-chave no mercado de ETF

128

LUÍS SILVA E VÍTOR MÁRIO RIBEIRO, CFA

PAULO JOAQUIM

Financial Advisor & Data Analyst e Financial Advisor, Future Proof Investment Advisory – Tecnologia ao serviço

72

TOMÁS V. GARCÍA-PURRIÑOS

CONTRIBUTOS DO MÊS 34 I SETEMBRO E OUTUBRO 2020

Nota de redação ✡ Primer Decil Consultores y Editores S.L. informa-o que os seus dados de carácter pessoal, obtidos na sua condição de subscritor da revista FundsPeople fazem parte do ficheiro 397084/2010 inscrito na Agência Espanhola de Proteção de Dados, sendo os mesmos apenas utilizados para os fins de envio desta revista e outras informações sobre produtos e/ ou atividades da entidade e/ou daquelas com as quais sejam celebrados acordos, assim como produtos e/ou atividades

6 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

Responsável de Multiativos e Clientes Institucionais, MoraBanc O papel das coberturas de divisas nas ações

de patrocinadores e/ou colaboradores da revista e/ou da entidade, incluindo-se o envio de comunicações comerciais através de meios de comunicação à distância, efetuando, de igual modo, resumos estatísticos e/ou históricos. O leitor tem reconhecidos os direitos de acesso, retificação, cancelamento e oposição dos seus dados pessoais mediante comunicação individual que deverá enviar para o seguinte endereço de correio electrónico: protecciondatos@fundspeople.com ✡ FundsPeople é uma revista dirigida exclusivamente a profi ssionais do sector fi nanceiro e, em particular, a

Gestor, GNB Gestão de Ativos Música - A arte e o engenho da reprodução

130 ANDREIA LOURENÇO BRITO Analista Financeira da Direção de Private Banking, Banco BPI Trekking na Patagónia

entidades consideradas como contrapartes elegíveis ou investidores profi ssionais, ao abrigo da legislação aplicável. A informação sobre instituições de investimento coletivo ou outros instrumentos fi nanceiros, constante da FundsPeople é apresentada unicamente com fi ns informativos e ilustrativos e nunca deve ser interpretada como uma oferta de venda ou uma recomendação de investimento. A informaçao não constitui uma descrição completa das instituições de investimento coletivo ou de outros instrumentos fi nanceiros, mercados, ou desenvolvimentos a que se faz referência.


EXCLUSIVAMENTE PARA INVESTIDORES PROFISSIONAIS

NO QUE TOCA A INVESTIMENTOS SUSTENT├БVEIS, SABEMOS QUE O N├ЪMERO DE PRODUTOS E A TERMINOLOGIA PODEM SER CONFUSOS. OS INVESTIMENTOS SUSTENT├БVEIS N├ГO T├КM DE SER ASSIM. A INDEXA├З├ГO PERMITE-LHE CONTROLAR OS SEUS RESULTADOS, FORNECE METODOLOGIAS ESG CONSISTENTES E, COM UMA MAIOR TRANSPARENCIA NA INFORMA├З├ГO, D├Б A CLAREZA NECESS├БRIA PARA CRIAR CARTEIRAS MAIS SUSTENT├БVEIS. iShares. Sustent├бvel, simpliямБcado. Opte pela clareza quando constr├│i uma carteira mais sustent├бvel.

Invista em algo maior. Capital em risco. ┬Ш┬Н┬Ц┬Й┬Ы┬Ш┬Й┬Ъ┬Й┬Л┬Ф┬С┬Н┬Ц┬Ь┬Н┬Ы┬Ш┬Ъ┬Ч─Ю┬Ы┬Ы┬С┬Ч┬Ц┬Й┬С┬Ы┬Н┬С┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬С┬М┬Ч┬Ъ┬Н┬Ы┬Щ┬Э┬Й┬Ф┬С─Ю┬Л┬Й┬М┬Ч┬Ы─░ ┬Й┬Ш┬С┬Ь┬Й┬Ф┬Н┬Х┬Ъ┬С┬Ы┬Л┬Ч─░┬Ч┬М┬Ч┬Ы┬Ч┬Ы┬С┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬С┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Ч┬Ы─Ю┬Ц┬Й┬Ц┬Л┬Н┬С┬Ъ┬Ч┬Ы┬Й┬Ш┬Ъ┬Н┬Ы┬Н┬Ц┬Ь┬Й┬Х┬Э┬Х┬Л┬Н┬Ъ┬Ь┬Ч┬Ъ┬С┬Ы┬Л┬Ч─░┬Ч┬Ъ┬Ь┬Й┬Ц┬Ь┬Ч─▒┬Ч┬Ю┬Й┬Ф┬Ч┬Ъ┬М┬Ч┬Ы┬Н┬Э┬С┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬С┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Ч┬Н┬Ч┬Ы┬Ъ┬Н┬Ц┬М┬С┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Ч┬Ы┬Щ┬Э┬Н┬Ю┬Ч┬Л┬╣┬Ч┬К┬Ь┬╢┬Х┬М┬Н┬Ф┬Н┬Ы┬Н┬Ъ┬м┬Ч┬Ю┬Й┬Ъ┬С┬г┬Ю┬Н┬С┬Ы─▒┬Н┬Ч┬Ю┬Й┬Ф┬Ч┬Ъ ┬С┬Ц┬С┬Л┬С┬Й┬Ф┬С┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬С┬М┬Ч┬Ц┬м┬Ч┬Ш┬Ч┬М┬Н┬Ы┬Н┬Ъ┬П┬Й┬Ъ┬Й┬Ц┬Ь┬С┬М┬Ч─░┬Ь┬╢╞Г╞Б┬М┬Н┬М┬Н┬в┬Н┬Х┬К┬Ъ┬Ч┬М┬Н╞В╞А╞В╞А─▒┬Н┬Х┬С┬Ь┬С┬М┬Й┬Ш┬Н┬Ф┬Й┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У ┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Й┬Ц┬Й┬П┬Н┬Х┬Н┬Ц┬Ь┼д┼е┬С┬Х┬С┬Ь┬Н┬М─▒┬Й┬Э┬Ь┬Ч┬Ъ┬С┬в┬Й┬М┬Й┬Н┬Ъ┬Н┬П┬Э┬Ф┬Й┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Й┬М┬Й┬Ш┬Н┬Ф┬Й ┬С┬Ц┬Й┬Ц┬Л┬С┬Й┬Ф ┬Ч┬Ц┬М┬Э┬Л┬Ь┬Э┬Ь┬Р┬Ч┬Ъ┬С┬Ь┬б─░ ┬Ы┬Л┬Ъ┬С┬Ь├Ю┬Ъ┬С┬Ч┬Ъ┬Н┬П┬С┬Ы┬Ь┬Ъ┬Й┬М┬Ч─▓╞Б╞В┬Р┬Ъ┬Ч┬П┬Х┬Ч┬Ъ┬Ь┬Ч┬Ц┬Ю┬Н┬Ц┬Э┬Н─▒┬Ч┬Ц┬М┬Ъ┬Н┬Ы─▒ ╞В╞В─░┬Н┬Ф─▓╟и╞Д╞Д┼д╞А┼е╞В╞А╞З╞З╞Д╞Г╞Г╞А╞А╞А─░┬Н┬П┬С┬Ы┬Ь┬Ъ┬Й┬М┬Ч┬Ц┬Й ┬Ц┬П┬Ф┬Й┬Ь┬Н┬Ъ┬Ъ┬Й┬Н┬Й├И┬Ы┬М┬Н ┬Й┬Ф┬Н┬Ы┬Ы┬Ч┬К┬Ч┬Ц├╡┬Х┬Н┬Ъ┬Ч╞В╞А╞В╞А╞Г╞Й╞Д─░ ┬Й┬Ъ┬Й┬Ы┬Э┬Й┬Ш┬Ъ┬Ч┬Ь┬Н┬п┬м┬Ч─▒┬Й┬Ы┬Ф┬С┬П┬Й┬п├з┬Н┬Ы┬Ы┬м┬Ч┬О┬Ъ┬Н┬Щ├╕┬Н┬Ц┬Ь┬Н┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Н┬П┬Ъ┬Й┬Ю┬Й┬М┬Й┬Ы─░┬Ч┬Ц┬Ы┬Э┬Ф┬Ь┬Н┬Ч┬Ы┬С┬Ь┬Н┬М┬Й┬Э┬Ь┬Ч┬Ъ┬С┬М┬Й┬М┬Н┬М┬Н┬Ч┬Ц┬М┬Э┬Ь┬Й ┬С┬Ц┬Й┬Ц┬Л┬Н┬С┬Ъ┬Й┬Ш┬Й┬Ъ┬Й┬Ч┬К┬Ь┬Н┬Ъ┬Э┬Х┬Й┬Ф┬С┬Ы┬Ь┬Й┬М┬Н┬Й┬Ь┬С┬Ю┬С┬М┬Й┬М┬Н┬Ы┬Й┬Э┬Ь┬Ч┬Ъ┬С┬в┬Й┬М┬Й┬Ы┬Ъ┬Н┬Й┬Ф┬С┬в┬Й┬М┬Й┬Ы┬Ш┬Н┬Ф┬Й ┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У─░ ┬Х╞Г╞Б┬М┬Н┬М┬Н┬в┬Н┬Х┬К┬Ъ┬Ч┬М┬Н╞В╞А╞В╞А─▒┬Л┬Й┬Ы┬Ч┬Ч┬Н┬С┬Ц┬Ч┬Ц┬С┬М┬Ч┬Н┬Й┬Ц┬С┬м┬Ч ┬Э┬Ъ┬Ч┬Ш┬Н┬С┬Й┬Ц┬м┬Ч┬Л┬Н┬Ф┬Н┬К┬Ъ┬Н┬Х┬Э┬Х┬Й┬Л┬Ч┬Ъ┬М┬Ч┬Щ┬Э┬Н┬Ш┬Н┬Ъ┬Х┬С┬Ь┬Й┬и┬Ы┬Н┬Х┬Ш┬Ъ┬Н┬Ы┬Й┬Ы┬К┬Ъ┬С┬Ь┬е┬Ц┬С┬Л┬Й┬Ы┬Ч┬О┬Н┬Ъ┬Н┬Л┬Н┬Ъ┬Н┬О┬Ч┬Ъ┬Ц┬Н┬Л┬Н┬Ъ┬Ы┬Н┬Ъ┬Ю┬С┬п┬Ч┬Ы─Ю┬Ц┬Й┬Ц┬Л┬Н┬С┬Ъ┬Ч┬Ы ┬Ц┬Й┬Ц┬С┬м┬Ч ┬Э┬Ъ┬Ч┬Ш┬Н┬С┬Й─▒┬Ч┬Н┬Х┬С┬Ы┬Ы┬Ч┬Ъ┬М┬Н┬Ы┬Ь┬Н┬Х┬Й┬Ь┬Н┬Ъ┬С┬Й┬Ф┬╢─▓┼д┬С┼е┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У ┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Й┬Ц┬Й┬П┬Н┬Х┬Н┬Ц┬Ь┼д┼е┬С┬Х┬С┬Ь┬Н┬М┬Ш┬Й┬Ъ┬Й┬Ь┬Ч┬М┬Ч┬Ы┬О┬Ч┬Ъ┬Й┬М┬Й┬Ц┬С┬м┬Ч ┬Э┬Ъ┬Ч┬Ш┬Н┬С┬Й─│┬Н┼д┬С┬С┼е┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У┼д ┬Ч┬Ф┬Й┬Ц┬М┬Й┼е─░─░┬Ш┬Ч┬Ъ┬Щ┬Э┬Н┬Ц┬Й┬Ц┬С┬м┬Ч ┬Э┬Ъ┬Ч┬Ш┬Н┬С┬Й─▒┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У┼д ┬Ч┬Ф┬Й┬Ц┬М┬Й┼е─░─░┬╢┬Й┬Э┬Ь┬Ч┬Ъ┬С┬в┬Й┬М┬Ч┬Н┬Ъ┬Н┬П┬Э┬Ф┬Й┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Й┬М┬Ч┬Ш┬Н┬Ф┬Й┬Э┬Ь┬Ч┬Ъ┬С┬М┬Й┬М┬Н┬М┬Н┬Н┬Ъ┬Л┬Й┬М┬Ч┬Ы ┬С┬Ц┬Й┬Ц┬Л┬Н┬С┬Ъ┬Ч┬Ы┬М┬Й ┬Ч┬Ф┬Й┬Ц┬М┬Й─░ ┬Ы┬Л┬Ъ┬С┬Ь├Ю┬Ъ┬С┬Ч┬Ъ┬Н┬П┬С┬Ы┬Ь┬Ъ┬Й┬М┬Ч┬Х┬Ы┬Ь┬Н┬Ф┬Ш┬Ф┬Н┬С┬Ц╞Б─▒╞Б╞А╞Й╞Ж ─▒┬Х┬Ы┬Ь┬Н┬Ъ┬М┬Й┬Х─▒ ┬Н┬Ф─▓╞А╞В╞А┼Ш╞Е╞Д╞Й╞Е╞В╞А╞А─▒┬Н┬Ф─▓╞Г╞Б┼а╞В╞А┼а╞Е╞Д╞Й┼а╞Е╞В╞А╞А─░┬Н┬П┬С┬Ы┬Ь┬Ъ┬Ч┬Л┬Ч┬Х┬Н┬Ъ┬Л┬С┬Й┬Ф┬Ц─Л╞Б╞З╞А╞Ж╞И╞Г╞Б╞Б┬Ы┬Л┬Р┬Й┬Х┬Й┬М┬Й┬Ы┬Ь┬Н┬Ф┬Н┬О├а┬Ц┬С┬Л┬Й┬Ы┬П┬Н┬Ъ┬Й┬Ф┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Н┬Ы┬м┬Ч┬П┬Ъ┬Й┬Ю┬Й┬М┬Й┬Ы┬Ш┬Й┬Ъ┬Й┬Ы┬Э┬Й┬Ш┬Ъ┬Ч┬Ь┬Н┬п┬м┬Ч─░ ┬Ы┬Ь┬Н┬М┬Ч┬Л┬Э┬Х┬Н┬Ц┬Ь┬Ч┬╢┬Й┬Ш┬Н┬Ц┬Й┬Ы┬Ш┬Й┬Ъ┬Й ─Ю┬Ц┬Ы┬С┬Ц┬О┬Ч┬Ъ┬Х┬Й┬Ь┬С┬Ю┬Ч┬Ы┬Н┬Ц┬м┬Ч┬Л┬Ч┬Ц┬Ы┬Ь┬С┬Ь┬Э┬С┬Э┬Х┬Й┬Ч┬О┬Н┬Ъ┬Ь┬Й┬Ч┬Э┬Л┬Ч┬Ц┬Ю┬С┬Ь┬Н┬Ш┬Й┬Ъ┬Й┬Й┬Ф┬П┬Э┬╢┬Х┬С┬Ц┬Ю┬Н┬Ы┬Ь┬С┬Ъ┬Н┬Х┬Щ┬Э┬Й┬Ф┬Щ┬Э┬Н┬Ъ┬О┬Э┬Ц┬М┬Ч┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У┬Н┬Ц┬м┬Ч┬О┬Ч┬С┬Ш┬Ъ┬Н┬Ш┬Й┬Ъ┬Й┬М┬Ч┬Н┬Х┬Л┬Ч┬Ц┬Н┬а┬м┬Ч┬Л┬Ч┬Х┬Ь┬Й┬Ф┬Ч┬О┬Н┬Ъ┬Ь┬Й─░┼╢╞В╞А╞В╞А┬Ф┬Й┬Л┬У┬Ч┬Л┬У─▒ ┬Ц┬Л─░ ┬Ч┬М┬Ч┬Ы┬Ч┬Ы┬М┬С┬Ъ┬Н┬С┬Ь┬Ч┬Ы┬Ъ┬Н┬Ы┬Н┬Ъ┬Ю┬Й┬М┬Ч┬Ы─░╞Б╞Г╞Д╞Б╞А╞З╞Д─░


DI RE TÓ RIO ÍNDICE DE EMPRESAS

32 I SETEMBRO E OUTUBRO 2020

Capital Group Carmignac CGD Pensões Columbia Threadneedle Investments CPR AM Credit Suisse Crédito Agrícola Gest

17, 26, 104, 108 17, 26, 44 20 17, 26, 44 17, 26 12, 26, 40, 44 20, 44

DEF DBS Group 12 DPAM 17, 26, 44, 104 Dunas Capital - Gestão de Activos 20 DWM - Millennium BCP 44 DWS 17, 26, 40, 44 ECS - SGOIC 20 Edmond De Rothschild AM 17, 26, 50 Eleva 17, 26 Epsilon Capital 104 Eurizon 14, 26 Eurobic 26 Euronext Lisbon 96 Evli 17, 26 Federated Hermes 17, 26, 44, 108 Fidelidade - SGOIC 20 Fidelity International 17, 26, 44, 104, 108 First Eagle Investment Management 26 First Fund Box 20 Fisher Investments 26 Floresta Atlântica 20 Flossbach von Storch 14, 17, 26, 40, 98 Franklin Templeton Investments 12, 17, 26, 108 Fundger 20 Fundiestamo 20 FundRock Management 40 Fundsmith 17, 26 Future Proof 68 Futuro 20

GHI ABC ABANCA 44 Aberdeen Standard Investments 12, 17, 26, 44 Acatis 14, 17, 26 Adi Dassler 12 Aegon Asset Management 26, 44 Ageas Pensões 20 Allfunds 104 AllianceBernstein 17, 26, 40, 44 Allianz Global Investors 17, 26, 40, 44 Amundi 12, 17, 26, 40, 44, 86, 104 AQR Capital Management 40 Atlantic 20 Aviva Investors 40 AXA IM 14, 17, 26, 104 Banco BPI 76, 130 Banco Carregosa 44 Banco Invest 44 Bankinter Gestão de Ativos 20, 44 Bankinter Research 44 Barclays 26 BBVA Fundos 20 BiG - Banco de Investimento Global 44 BlackRock 17, 26, 40, 44, 80, 98, 104, 108 Bluebay AM 17, 26 BlueCrow Capital 84 BMO GAM 17, 26, 44, 108 BMO GAM (F&C Portugal) 20 BNP Paribas AM 17, 26 BNY Mellon IM 12, 17, 26, 44, 50 BPI Gestão de Activos 20, 26, 44, 58, 76 BPI Vida e Pensões 20 Brown Advisory 17 Caixa Gestão de Ativos 20, 26 Candriam 17, 26, 44, 104, 108

GAM Gef Gesfimo GFM Capital GNB - SGFP GNB - SGP GNB Fundos mobiliários GNB Gestão de Ativos

17, 26, 44, 104 20 20 20 20 20 20 17, 26, 44, 58, 76, 128 GNB Real Estate 20 Goldman Sachs AM 17, 26, 40, 104, 108 Grantham, Mayo, Van Otterloo & Co 12 HSBC 26, 40 IM Gestão de Ativos 20, 26, 58 Imofundos 20 Imopolis 20 Imorendimento 20 Institutional Investment Partners GmbH 20 Interfundos 20 Invesco 14, 17, 26, 40, 44, 92 Invest Gestão de Activos 20, 26 Investec 17 iShares 40, 116

JKL J.P. Morgan AM 17, 26, 40, 98, 104, 108 Janus Henderson 17, 26, 44 Jupiter AM 17, 26, 44, 124 KBC Asset Management 40 La Financiere De L’Echiquier 26, 44 La Française 17, 26 Legg Mason AM 17, 26, 44 Libertas 20 LM Capital Wealth Management 54 LYNX Asset Managers 20, 44, 84 Lyxor Asset Management 40

8 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

MN M&G Investments 17, 26, 44, 104 Man Group 17, 26, 40 Marshall Wace 17, 26 MCH Investments Strategies 44 Merian Global Investors 17 MFS IM 14, 17, 26, 40, 44, 104, 108 Mirabaud 12, 17, 26 Mirae Asset 17, 26 MN 12 Montepio Gestão de Activos 20, 44 Montepio Valor 20 Montpensier Finance 12 MoraBanc 72 Morgan Stanley IM 14, 17, 26, 40, 50 Morningstar 54 Muzinich 17, 26, 104 Natixis 44 Neuberger Berman 17, 26, 104 Ninety One Fund Managers 26 NN IP 12, 17, 26 Nordea AM 14, 17, 26, 44, 98, 104 Norfin 20 Northern Trust AM 40 Novo Banco 44

OPQ Oddo BHF Asset Management 17, 26 OFI AM 124 Optimize Investment Partners 20, 26, 44, 58 Partners2u 90 Pictet AM 17, 26, 44, 104 PIMCO 17, 26, 40, 98, 104 Polar Capital 26 Popular Gestão de Activos 20 Previsão 20 Profile - SGFIM 20

RST Real Vida Seguros 20 Refundos 20 Robeco 17, 26, 40, 120 Ruffer 14, 17, 26 S.G.P. Banco de Portugal 20 Salar Fund 17 Santander AM 20, 26, 44 Santander Pensões 20 Schroders 17, 26, 44, 104, 108 Seilern 17, s6 SFS - Gestão de Fundos 20 SGF 20 Silar - SICAFI, SA 20 Silvip 20 Sixty Degrees 20, 76 Square Asset Management 20 T. Rowe Price 26, 44, 108 TF Turismo Fundos 20 Trackinsight 116 Tree Family Office 44

UWXYZ UB Asset Management 17, 26 UBS AM 17, 26, 40, 44 Union Capital Group 12 Usonian Investments 12 Vanguard 26, 40 Victoria - Seguros de Vida, SA 20 Vila Gale Gest 20 Violas Ferreira - SICAFI, SA 20 Vontobel AM 17, 26, 98, 104, 108 Wellington Management 44 Wells Fargo AM 17, 26, 108 Willis Towers Watson 112 WisdomTree 124 Xtrackers 40

CEO GONZALO FERNÁNDEZ gonzalof@fundspeople.com REDAÇÃO NACIONAL MARGARIDA PINTO, Editor - Portugal margarida.pinto@fundspeople.com CATARINA VINAGRE, Reporter catarina.vinagre@fundspeople.com INTERNACIONAL ÓSCAR RODRÍGUEZ, Reporter orodriguez@fundspeople.com ANA PALOMARES, Reporter ana.palomares@fundspeople.com REGINA RIVERA, Reporter regina.webb@fundspeople.com DAVIDE MOSCA, Reporter davide.mosca@fundspeople.com FILIPPO LUINI, Reporter filippo.luini@fundspeople.com ANÁLISE Diretora MARÍA FOLQUÉ, Global Head of Analysis mfolque@fundspeople.com MIGUEL RÊGO, CFA, Head of Analysis - Portugal miguel.rego@fundspeople.com JOEL SILVA, Fund Analyst joel.silva@fundspeople.com MONTSERRAT FORMOSO, Senior Fund Analyst mformoso@fundspeople.com SIMONE VIDOTTO, Senior Fund Analyst simone.vidotto@fundspeople.com MARKETING RAQUEL ALONSO, Marketing Manager raquel.alonso@fundspeople.com IÑIGO IMBERT, Business Development Manager iimbert@fundspeople.com BORJA ANTÓN, Marketing & Business Development borja.anton@fundspeople.com AIDA CISNEROS, Events Manager - Iberia aida.cisneros@fundspeople.com GEMA VELASCO, Branded Content Manager - Iberia gema.velasco@fundspeople.com DAVIDE PASIMENI, Head of Italy davide.pasimeni@fundspeople.com GIOVANNA VAGALI, Events & Branded Content Manager - Italy giovanna.vagali@fundspeople.com CONSULTORIA: ANTONIO SALIDO, CEO, NUVIX CONSULTING SL. PAGINAÇÃO: ANTONIO CAPA Y RODRIGO PÉREZ, KEMBEKE ESTUDIO. FOTOGRAFIA E VÍDEO: VITOR DUARTE E MÁXIMO GARCÍA, OJIPLÁTICO TRADUÇÕES: CRISTINA JAOUEN, FULLY INVESTED TRANSLATION. IMPRESSÃO: RIVADENEYRA EDITADO por © Primer Decil Consultores y Editores S.L. Todos os direitos reservados. SUBSCRIÇÕES: pt.fundspeople.com DEPÓSITO LEGAL M-48220-2008 REDAÇÃO MADRID Velázquez, 126. 4 Izquierda. 28006 Madrid Tel. (+34) 91 755 35 58 redaccion@fundspeople.com es.fundspeople.com REDAÇÃO LISBOA Espaço Amoreiras . Rua D. João V, nº 24, 1.03, E.26 - 1250-091 Lisboa Tel. (+351) 210 415 957 portugal@fundspeople.com PUBLICIDADE publicidad@fundspeople.com


Pedra angular Em mercados instáveis, são fundamentais alicerces sólidos. O fundo de ações globais BNY Mellon Long-Term Global Equity Fund pode atuar como pedra angular, fornecer estabilidade no longo prazo a qualquer carteira, para melhor resistir às forças do mercado, que se lhe podem deparar.

BNY Mellon Long-Term Global Equity Fund gerido por:

O valor dos investimentos pode cair. Os investidores podem não reaver a quantia investida. Apenas para clientes profissionais. Isto é uma promoção financeira e não constitui um conselho de investimento. Para uma lista completa de riscos aplicáveis a este fundo, por favor consulte o Prospeto ou outros documentos disponíveis. Antes de subscrever, os investidores devem ler o Prospeto mais recente e os KIID para cada fundo em que desejam investir. Visite www.bnymellonim.com. O Prospeto e os KIID estão disponíveis em inglês e numa língua oficial da jurisdição na qual o Fundo está registado para venda ao publico. O Fundo é um sub-fundo do BNY Mellon Global Funds, plc, uma sociedade aberta de capital variável (SICAV), com responsabilidade segregada entre sub-fundos. Constituída com responsabilidade limitada segundo as leis da Irlanda e autorizada pelo Banco Central da Irlanda como um Fundo UCITS. A Empresa Gestora é o BNY Mellon Fund Management (Luxemburgo) S.A. (BNY MFML), regulado pela Commission de Surveillance du Secteur Financier (CSSF). Endereço registado: 2-4 Rue Eugène Ruppert L-2453 Luxemburgo. Emitido na (em) Europa (ex-Suíça) pelo BNY Mellon Fund Management (Luxemburgo) S.A. (BNY MFML), uma sociedade anónima (société anonyme) constituída e existente segundo as leis do Luxemburgo sob o número de registo B28166 e tendo o seu endereço registado em 2-4 Rue Eugène Ruppert L-2453 Luxemburgo. O BNY MFML é regulado pela Commission de Surveillance du Secteur Financier (CSSF). 108246. T9169 09/20


33 I SETEMBRO E OUTUBRO 2020

O MAIS VISTO EM

NOTÍCIAS 1. SIG Capital: na vaga desta e da próxima onda tecnológica 2. Em Contraluz não se vê que o Cheque foi passado em Branco... 3. Sete meses após o rebentar da COVID-19: comparação com as quedas da Lehman e o 11 de setembro 4. Objetivo: boicotar o investimento ESG

5. Lusitânia Vida em 2019: crescimento de 143% na produção de PPR 6. Dez advogados portugueses reconhecidos como os melhores na Península Ibérica 7. Agosto trouxe consigo um novo fundo imobiliário aberto português 8. H2O AM suspende as subscrições e reembolsos em vários dos seus fundos

Período de recolha de dados: 31/08/2020 - 29/09/2020 em pt.fundspeople.com

PERFIS

Hussein Sacoor SIG Capital

José Maria Cazal Ribeiro Julius Baer

Tiago Bento SIG Capital

Jorge Silveira Botelho BBVA Asset Management

Emanuel Silva IM Gestão de Ativos

José António de Mello Multi Family Wealth

Miguel Seabra Credit Suisse AM

Pedro Carita ABANCA

Interfundos

BMO Global Asset Management

BPI Gestão de Ativos

Caixa Gestão de Ativos

Golden Wealth Management

IM Gestão de Ativos

IMGA Rendimento Semestral – F Inv. Mobiliário Aberto

NB Obrigações Europa FIMAO

Optimize Obrigações FIMAO

Square CA Património Crescente FIIA

Caixa Seleção Global Moderado - F. Inv. Mobiliário Aberto

Nordea 1 Stable Return Fund

EMPRESAS

SIG Capital

GNB Gestão de Ativos

PRODUTOS

Alves Ribeiro PPR - Fundo de Investimento Mobiliário Aberto

Caixa Ações Líderes Globais - F. Investimento Mobiliário Aberto de Ações

10 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


PANORAMA RADAR INTERNACIONAL

EUA UCAP gerirá o património da família que controla a Adidas

A Union Capital Group (UCAP), sociedade com sede em Nova Iorque que oferece soluções de investimento para bancas privadas e investidores institucionais, converteu-se num novo novo family office da família que controla a marca Adidas. O negócio do family office Adi Dassler, pertencente aos herdeiros do criador da marca desportiva, consolidar-se-á plenamente dentro da atividade da UCAP.

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

PAÍSES BAIXOS NN IP amplia as suas capacidades em dívida emergente

A NN Investment Partners uniu forças com a MN, uma das maiores gestoras de fundos de pensões da Holanda. A equipa de dívida emergente de MN e o património que gere (quase 4.000 milhões de dólares no final de agosto) passarão a integrar-se na NN IP. Esta operação potenciará as competências de ambas as sociedades e permitirlhes-á desenvolver novas soluções de investimento com critérios ESG.

EUA GMO compra boutique japonesa

Grantham, Mayo, Van Otterloo & Co (GMO), firma de gestão global com sede em Boston, comprou a Usonian Investments, sociedade japonesa especializada em ações de estilo value que gere quase 1.000 milhões de dólares em ativos e conta com escritórios em Chicago e Tóquio. A aquisição amplia a oferta da GMO com soluções dedicadas a ações do país do sol nascente.

FRANÇA Amundi entra no capital de uma boutique ISR

Amundi aproveitou a ampliação de capital da Montpensier Finance para adquirir uma participação de 25%. A boutique parisiense especializada em ISR gere 2.000 milhões de euros em ações europeias, obrigações convertíveis e fundos diversificados. Para a Amundi, trata-se de um inverstimento estratégico numa gestora premium que, por sua vez, contribuirá para o desenvolvimento internacional da Montpensier.

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

BRASIL Mirabaud expande-se no mercado latinoamericano

A Mirabaud abrirá um novo family office no Brasil como parte do seu plano de expansão na América Latina. Com esta operação, a banca privada suíça propõe-se a oferecer serviços de assessoria para ativos subscritos no país e no estrangeiro e gestão patrimonial para grandes patrimónios.

QATAR Credit Suisse AM lança uma plataforma de crédito privado

Credit Suisse Asset Management chegou a um acordo com a Autoridade de Investimenos do Qatar (QIA) para criar uma plataforma de crédito privado. A nova entidade fará parte do grupo de investidores em crédito (CIG) da gestora suça e proporcionará financiamento em forma de empréstimos com garantia de capital nos EUA e na Europa.

GRANDE ATIVIDADE NOS

MERCADOS EMERG

12 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


A OPINIÃO DE

CHINA DBS desembarca no mercado chinês

TAIWAN BNY Mellon IM abre sede

DBS Group, o banco mais importante de Singapura, recebeu a autorização da Comissão Reguladora do Mercado de Valores da China (CSRC) para constituir uma joint venture, denominada DBS Securities, na qual terá uma participação de controlo de 51%. A nova empresa conjunta oferecerá produtos e serviços onshore tanto para clientes nacionais como internacionais na China.

A BNY Mellon Investment Management inaugurou um escritório em Taipéi depois de receber a licença como Securities Investment Consulting Enterprise por parte da Comissão de Supervisão Financeira (FSC) de Taiwan. A abertura insere-se no plano da gestora de potenciar o seu negócio institucional nesta região.

TAILÂNDIA Luz verde aos fundos da ASI A Aberdeen Standard Investments obteve a licença para comercializar os seus fundos offshore diretamente entre investidores nacionais da Tailândia. Desta forma, a gestora global poderá vender os seus fundos do Luxemburgo a institucionais e grandes patrimónios (HNW) sem a necessidade de os comercializar através de terceiros.

SINGAPURA Franklin Templeton aposta nos millennials

A Franklin Templeton está a colaborar com a Razer Fintech para desenvolver uma plataforma digital de gestão patrimonial orientada para novas gerações cujo objetivo é oferecer soluções multiativos mediante carteiras temáticas ligadas a objetivos de investimento e planos de poupança. A plataforma lançar-se-á inicialmente em mercados chave como Singapura, Malásia, Filipinas e Vietname.

GENTES

No mês de setembro boa parte das operações corporativas centraram-se nos mercados em desenvolvimento, sobretudo na Ásia.

AMA SEERY Analista de ESG, Janus Henderson Investors

ALTERAÇÕES À INDÚSTRIA DE FAST FASHION A cada segundo, o equivalente a um camião do lixo de têxteis é despejado ou queimado e estima-se que cerca de 500 mil milhões do seu valor perdido deve-se a roupa pouco usada ou não reciclada. Assim sendo, não surpreende o facto de o setor ser responsável por cerca de 10% das emissões globais de gases de efeito estufa (GEE), que é maior do que os voos internacionais e os transportes marítimo juntos. Contudo, há muitas oportunidades interessantes para investir que estão a adaptar-se e a colocar a sustentabilidade no centro dos seus business models. O mercado de revenda de ténis, em particular, tem vindo a subir. Na América do Norte, estava avaliado em dois mil milhões de dólares em 2019 e seis mil milhões em 2025, de acordo com o banco de investimento Cowen & Co. A partir de 2024, a Adidas vai reciclar poliéster em todos os produtos e em todas as aplicações para as quais existe uma solução. A sustentabilidade não é uma tendência para a Nike; o modelo Grind foi lançado em 1992, onde o excedente dos materiais de manufaturação e calçado atlético eram usados para criar novo calçado e vestuário, tal como superfícies desportivas. Se a indústria for capaz de abordar tanto os problemas sociais como ambientais, pode libertar mais de 170 mil milhões de dólares de valor inexplorado anualmente. Enquanto consumidores, podemos ser responsáveis ao mostrar aos retalhistas que queremos roupas e sapatos produzidos sustentavelmente, e enquanto investidores, podemos ser responsáveis ao escolher as melhores ações e a criar um ambiente de retalho mais sustentável. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 13


PANORAMA SMART CONSENSUS por Joel Silva

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

A LIÇÃO DE

ÍCARO O impensável aconteceu: menos de seis meses após a abrupta queda de março, os mercados voltaram a atingir novos máximos em agosto. Porém, tal como aprendemos com Ícaro, quando se voa próximo do sol a queda pode estar para breve.

D

e todas as lendas da mitologia grega a história de Ícaro é talvez das mais conhecidas. Ícaro e Dédalo, seu pai, após terem sido condenados, almejam escapar da ilha de Creta voando sobre o Mar Egeu usando um par de asas de cera construidas por Dédalo. Ao dá-las ao seu filho, Dédalo alertou-o para não voar muito próximo do sol, pois o calor iria fazer com que as penas de cera derretessem

e Ícaro cairia no mar. Este, porém, levado pela ambição, desobedeceu, e acabou por se despenhar. A popularidade deste mito provavelmente fica a dever-se à sua forte moral: Ícaro não mediu a sua ganância e teve um fim trágico. Porém, esta história é também um excelente lembrete de que tudo o que sobe (demais) acaba por descer. Um aviso que nos poderá ser deveras útil agora tendo em conta a ascensão do mercado de ações nos últimos meses. Justificado

FUNDOS QUE COMPÕEM A CARTEIRA DE CONSENSO DA FUNDSPEOPLE EM 2020 (*) FUNDO

Acatis Gané Value Event Fonds

CATEGORIA MORNINGSTAR

Moderate Allocation

AXA World Funds Global Optimal Income

Flexible Allocation

Eurizon Fund Azioni Strategia Flessibile

Flexible Allocation

Fidelity Funds Global Multi Asset Income Fund Flossbach von Storch Multiple Opportunities II

Moderate Allocation Flexible Allocation

Invesco Global Income Fund

Moderate Allocation

MFS Meridian Funds Diversified Income Fund

Moderate Allocation

MSIF Global Balanced Income Fund

Flexible Allocation

Nordea 1 Stable Return Fund

Moderate Allocation

Ruffer SICAV Ruffer Total Return International

Moderate Allocation

14 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

SELO FUNDSPEOPLE 2020

fabc fabc fabc fabc fabc fabc fabc fabc fabc fabc

Capitalizando no trabalho que envolve o Selo FundsPeople, a nossa equipa de Análise construiu uma carteira de consenso Smart Consensus, que será a mesma para Espanha, Portugal e Itália. A carteira Smart Consensus é composta pelos fundos das categorias mistos moderados e mistos flexíveis que tiveram selo nos três países. O resultado é uma carteira formada por 10 fundos multiativos com o mesmo peso, seis moderados e quatro flexíveis. Fonte: elaboração própria com dados da Morningstar. Dados de 29 de fevereiro de 2020. (*) Carteira Smart Consensus FundsPeople 2020, com Selos FundsPeople 2020.


DISTRIBUIÇÃO POR ATIVOS OBRIGAÇÕES AÇÕES LIQUIDEZ E OBRIGAÇÕES A CURTO PRAZO OUTROS (DIVISAS, ALTERNATIVOS E IMOBILIÁRIOS)

70% 60% 50% 40%

ou não, o que é certo é que após o bear market de março os índices bolsistas completaram em agosto a sua jornada de regresso aos máximos de fevereiro, chegando mesmo a ultrapassá-los. Seguramente haverá investidores que leem sinais positivos neste fenómeno, enquanto outros estarão mais apreensivos. O mês de setembro refreou um pouco os ânimos, mas ainda perto dos máximos. Nada nos garante que o crescimento ficará por aqui, mas já todos aprendemos com Ícaro o que acontece quando voamos muito próximo do sol.

30% 20% 10% 0%

J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 2018

2019

2020

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA COMPONENTE DE AÇÕES EUROPA (INCLUI REINO UNIDO)

AMÉRICA DO NORTE (EUA E CANADÁ)

EMERGENTES (INCLUI PAÍSES ASIÁTICOS DESENVOLVIDOS)

JAPÃO E AUSTRÁLIA

70% 60%

APOSTA NA QUALIDADE

A imprevisibilidade dos movimentos do mercado, assim como dos desenvolvimentos da pandemia de COVID-19, contribuem para aumentar o clima de incerteza e as dores de cabeça aos gestores de ativos. Na iminência destas condições, as opiniões dos profissionais de investimento da Flossbach von Storch e da MFS Investment Management coincidem: negócios de qualidade são a melhor proteção contra o risco. “Acreditamos que as ações permanecem como a classe de ativos com melhor rácio risco/retorno a longo prazo”, coloca Bert Flossbach, cogestor do Flossbach von Storch Multiple Opportunities II e cofundador da firma. Como tal, o foco de investimento incide sob empresas que não só sobrevivem à coronacrisis, mas que, de alguma forma, emergem dela mais fortes. “Companhias com um modelo de negócio comprovado, crescimento robusto, com um balanço financiado de forma sustentável e com gestão de primeira classe”, ilustra. Para Rob Almeida, gestor de portefólio do Diversified Income

50% 40% 30% 20% 10% 0%

J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 2018

2019

2020

ALOCAÇÃO DA COMPONENTE DE OBRIGAÇÕES CORPORATIVAS

SOBERANAS

CASH

OUTRAS

50%

40%

30%

20%

10%

0%

J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 2018

2019

2020

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 15


P

AR

P

R

TNE

R

PANORAMA SMART CONSENSUS

AR

TNE

A OPINIÃO DE PAULINE GRANGE Gestora de carteiras de ações mundiais, Columbia Threadneedle Investments

A CARTEIRA DE BERT FLOSSBACH

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

Cofundador e gestor do fundo Flossbach von Storch Multiple Opportunities II, Flossbach von Storch

“O foco está em empresas que não só sobrevivem à coronacrisis, mas que, de alguma forma, emergem dela mais fortes. Companhias com um modelo de negócio comprovado, crescimento robusto, com um balanço financiado de forma sustentável e com gestão de primeira classe.”

UNCORRELATED RETURNS

ROB ALMEIDA,

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

Gestor do Diversified Income fund, MFS Investment Management

“No meio da pandemia, os mercados emergentes encontramse sob maiores desafios do que os mercados desenvolvidos devido aos seus sistemas de saúde menos robustos, à rede de segurança social menos abrangente, fluxos reduzidos de capital privado e menores preços de commodities, particularmente de petróleo.”

16 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

APÓS O BEAR MARKET DE MARÇO OS ÍNDICES BOLSISTAS COMPLETARAM EM AGOSTO A SUA JORNADA DE REGRESSO AOS MÁXIMOS

Fund da MFS, é evidente que “empresas com capital operacional negativo e modelos de negócio ameaçados estão mais expostas ao risco”. Do ponto de vista da gestora, as companhias que apresentem melhor perfil de risco são aquelas que contam com “barreiras de entrada mais altas, propriedade intelectual única e com modelos de negócio do estilo produz uma vez, vende muitas vezes”. Sobre alterações significativas nos fundos com referência ao fecho do semestre, o gestor do Flossbach von Storch Multiple Opportunities II admite que a exposição a ações aumentou, fruto da conversão dos contratos de futuros, contraídos entre fevereiro e março para se protegerem contra descidas nos preços dos títulos. Já Rob Almeida afirma que no Diversified Income fund da MFS o peso de obrigações HY e de US Government Securities aumentou. No sentido oposto, títulos de dívida de mercados emergentes, ações que distribuem dividendos e REIT minguaram, graças à sua ligação às tendências macroeconómicas, inevitavelmente associados à incerteza da pandemia.

A COVID-19 TRARÁ MELHORIAS NAS PRÁTICAS LABORAIS Ainda que os mercados de ações tenham recuperado até voltar aos máximos, as economias e as sociedades de todo o mundo sofreram um duro golpe, e vários países publicaram os piores números de desemprego e crescimento económico de toda a sua história durante o trimestre. A COVID-19 serviu para dar destaque às desigualdades sociais no mundo, pois a crise fez diferença principalmente nas pessoas com menos rendimentos. Estas pessoas tendem a ocupar cargos de baixa remuneração do setor dos serviços, um segmento que sofreu especialmente o impacto do fecho ou não pôde recorrer ao teletrabalho, expondo-os em maior medida ao risco do vírus. Isto contribuiu para gerar um maior descontentamento social e político em muitas partes do mundo. Durante este trimestre, assistimos ao auge do movimento Black Lives Matter, que começou por ser um protesto contra o racismo sistémico nos EUA e mais tarde estendeu-se a todo o mundo. Muitas empresas, incluindo marcas desportivas como a Adidas e a Nike, reconhecem a necessidade de introduzir políticas de emprego mais ativas para abordar a falta de diversidade nos seus quadros. Abraçar a diversidade no local de trabalho não é só bom para a sociedade, mas também para os negócios. A maioria das grandes corporações afirmam agora que melhorar a diversidade de raças, origens étnicas, assim como a igualdade de sexos nos seus quadros é um objetivo importante.


PANORAMA BARÓMETRO

DESCUBRA OS FUNDOS COM SELO São produtos que contam com a preferência dos analistas, se destacam pela sua consistência ou por serem blockbuster.

N

um mercado como o português, que conta com mais de 2.500 fundos registados para venda, a FundsPeople divulga os fundos com Selo FundsPeople 2020. São 501 produtos com selo, que se destacam por um ou vários dos seguintes três critérios:

A Favoritos dos Analistas. Fundos

que acumulam um mínimo de cinco votos dos selecionadores dentro de cada questionário anual realizado em Portugal, Espanha e Itália, dirigido aos analistas de fundos, sobre os seus produtos favoritos. Existem 50 fundos que conseguem este selo.

B Blockbuster.

São os ‘super-vendas’ do mercado. Incluem-se os produtos com mais de 100 milhões de euros distribuídos no mercado ibérico ou 50 milhões de euros no caso dos produtos nacionais. Adicionalmente, a estes últimos exigem-se captações líquidas a três anos superiores ou iguais a um quarto dos AUM no fecho do ano: cerca de 349 fundos alcançam esta classicação.

C Consistentes. A equipa de Análise da FundsPeople, dirigida por Maria Folqué, desenvolveu um modelo de seleção próprio para destacar os produtos mais consistentes em cada categoria, a partir da base da Mornings-

tar Direct, com referência ao nal do último ano. São analisados os fundos registados para venda em Portugal, com uma antiguidade mínima de três anos à data de referência da análise. De cada fundo é selecionada uma classe, a mais representativa segundo um conjunto de critérios. Esta classe selecionada será comparada com os restantes fundos da sua categoria através de dois scorecards. No primeiro, são considerados critérios de rentabilidade e volatilidade acumulada a 3 e 5 anos, e no segundo, dados individuais

dos últimos cinco anos civis. Em ambos os casos, a rentabilidade e a volatilidade têm um peso de 65% e 35%, respetivamente. Do modelo resultam os fundos que se situam no primeiro quintil em ambos os scorecards. Há 210 fundos com classicação Consistente FundsPeople. Nos três casos são excluídas da análise as categorias de fundos com garantia de capital, target date, do mercado monetário, obrigações de muito curto prazo e rentabilidade ou maturidade objetivo.

PRODUTOS COM A TRIPLA CLASSIFICAÇÃO DO SELO FUNDSPEOPLE 2020 FUNDO Acatis Gané Value Event Fonds Brown Advisory US Equity Growth Eleva UCITS F. - Fonds Eleva Abs. Ret. Europe Evli Short Corporate Bond Fidelity Funds - Gl. Multi Asset Income Fund Jupiter Global Fund - Jupiter Eur. Growth M&G (Lux) Optimal Income Fund

CATEGORIA Moderate Allocation US Equity Large Cap Growth Long/Short Equity Europe Fixed Income Moderate Allocation Europe Equity Large Cap Cautious Allocation

MFS Meridian F. - European Research Fund

Europe Equity Large Cap

MFS Meridian Funds - European Value Fund

Europe Equity Large Cap

MFS Meridian Funds - Prudent Wealth Fund

Aggressive Allocation

Morgan Stanley Invest. F. - Gl. Brands Fund

Global Equity Large Cap

Nordea 1 - European Covered Bond Fund

Europe Fixed Income

Nordea 1 - Global Climate and Envir. Fund

Global Equity Mid/Small Cap

Oddo BHF Avenir Europe

Europe Equity Mid/Small Cap

Pictet-Multi Asset Global Opportunities

Cautious Allocation

PIMCO GIS Income Fund

Global Fixed Income

Schroder Internat. Sel. F. EURO Corp. Bond Vontobel Fund - US Equity

Europe Fixed Income US Equity Large Cap Growth

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 17


PANORAMA BARÓMETRO

OS FUNDOS INTERNACIONAIS ‘SUPER-VENDAS’ NA PENÍNSULA IBÉRICA

Para ter o selo de Blockbuster (B), os produtos internacionais devem alcançar os 100 milhões de euros de património distribuído no mercado ibérico. Fonte: gestoras e diferentes entidades distribuidoras.

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■ ■■■ ■■■

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

1.000

NORDEA 1 - STABLE RETURN FUND JPM GLOBAL INCOME FUND MERIAN GLOBAL EQUITY ABSOLUTE RETURN BSF FIXED INCOME STRATEGIES FUND JANUS HENDERSON UNITED KINGDOM ABSOLUTE RETURN FUND PICTET-MULTI ASSET GLOBAL OPPORTUNITIES INVESCO PAN EUROPEAN HIGH INCOME FUND JPM GLOBAL INCOME CONSERVATIVE FUND CANDRIAM BONDS CREDIT OPPORTUNITIES FIRST EAGLE AMUNDI INTERNATIONAL FUND M&G (LUX) DYNAMIC ALLOCATION FUND BGF GLOBAL ALLOCATION FUND LFIS VISION UCITS - PREMIA BSF EUROPEAN ABSOLUTE RETURN FUND PICTET TR-DIVERSIFIED ALPHA BNY MELLON GLOBAL REAL RETURN FUND (EUR) MARSHALL WACE TOPS MFS PRUDENT WEALTH TOTAL FRANKLIN K2 ALTERNATIVE STRATEGIES FUND MAN GLG ALPHA SELECT ALTERNATIVE SALAR FUND JPM GLOBAL CONVERTIBLES FUND FIDELITY FUNDS - GLOBAL MULTI ASSET INCOME FUND BSF GLOBAL EVENT DRIVEN FUND INVESTEC GLOBAL MULTI-ASSET INCOME PICTET TR-AGORA CARMIGNAC PATRIMOINE LEGG MASON WESTERN ASSET MACRO OPPORTUNITIES BOND ACATIS GANE VALUE EVENT

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%*

750

01 FIXED INCOME

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

500

■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■

02 MULTIATIVOS E ALTERNATIVOS

250 UBAM - GLOBAL HY SOLUTION BGF EURO SHORT DURATION BOND FUND DEUTSCHE FLOATING RATE NOTES MUZINICH ENHANCEDYIELD SHORT DURATION FUND UBAM - DYNAMIC USD MS INVF - EURO CORPORATE BOND FUND CARMIGNAC SECURITE PIMCO GIS INCOME FUND AXA IM FIIS EUROPE SHORT DURATION HIGH YIELD MS INVF - SHORT MATURITY EURO BOND FUND CANDRIAM BONDS EURO SHORT TERM JUPITER DYNAMIC BOND GAM LOCAL EMERGING BD AXA IM FIIS US SHORT DURATION HIGH YIELD JPM US AGGREGATE BOND FUND GS EMD CARMIGNAC PORT. UNCONSTRAINED EURO FIXED INCOME AXA WF EURO CREDIT SHORT DURATION BLUEBAY INVESTMENT GRADE EURO GOV. BOND FUND MFS EMERGING MARKETS DEBT TOTAL INVESCO EURO SHORT TERM BOND FUND PIMCO GIS GLOBAL INVESTMENT GRADE CREDIT FUND VONTOBEL FUND - EUR CORPORATE BOND MID YIELD FIDELITY FUNDS - EURO SHORT TERM BOND FUND ALLIANZ ENHANCED SHORT TERM EURO UBAM - ABSOLUTE RETURN LOW VOL FI UBAM - DYNAMIC EURO VONTOBEL FUND - EMERGING MARKETS DEBT JANUS HENDERSON HORIZON EURO CORPORATE BOND FUND PIMCO GIS GLOBAL BOND FUND JPM INCOME OPPORTUNITY FUND MS INVF - GLOBAL FIXED INCOME OPPORTUNITIES FUND BNY MELLON EUROLAND BOND FUND MUZINICH SHORT DURATION HIGHYIELD FUND PICTET-EUR SHORT TERM CORPORATE BONDS NN (L) US CREDIT PICTET-SHORT TERM EMERGING CORPORATE BONDS EDRF BOND ALLOCATION BGF US DOLLAR SHORT DURATION BOND FUND INVESCO EURO CORPORATE BOND VONTOBEL FUND - TWENTYFOUR STRATEGIC INCOME FUND AMUNDI FUNDS BOND GLOBAL AGGREGATE BNP PARIBAS ENHANCED BOND 6M ALLIANZ ADVANCED FIXED INCOME SHORT DURATION TEMPLETON GLOBAL TOTAL RETURN FUND ALLIANZ FLOATING RATE NOTES PLUS AB AMERICAN INCOME MUZINICH GLOBAL TACTICAL CREDIT FUND MUZINICH EMERGING MARKETS SHORT DURATION FUND BGF EMERGING MARKETS LOCAL CURRENCY BOND FUND JPM GLOBAL STRATEGIC BOND MUZINICH AMERICAYIELD FUND CANDRIAM BONDS EMERGING MARKETS FRANKLIN U.S. LOW DURATION FUND NORDEA 1 - EUROPEAN COVERED BOND FUND PICTET-EMERGING LOCAL CURRENCY DEBT CANDRIAM BONDS EURO HIGH YIELD AXA IM FIIS US CORPORATE INTERMEDIATE BONDS

250

18 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

500

750

250 JPM GLOBAL SHORT DURATION BOND FUND DWS INVEST EURO BONDS (SHORT) BNP PARIBAS EURO GOVERNMENT BOND JPM US SHORT DURATION BOND NN (L) EURO FIXED INCOME BGF FIXED INCOME GLOBAL OPPORTUNITIES FUND AMUNDI FUNDS BOND EURO CORPORATE AMUNDI FUNDS PIONEER US BOND NORDEA 1 - EMERGING MARKET BOND FUND JPM EM CORPORATE BOND FUND MUZINICH EUROPEYIELD FUND AMUNDI FUNDS EMERGING MARKETS BOND JPM EU GOVERNMENT BOND FUND M&G (LUX) GLOBAL FLOATING RATE HIGH YIELD FUND BGF EURO BOND FUND BNP PARIBAS EURO MEDIUM TERM BOND BNY MELLON EMERGING MKTS. DEBT LOCAL CURRENCY FUND JPM EM LOCAL CURRENCY DEBT FUND GS GLOBAL HIGH YIELD JPM INCOME FUND ODDO BHF EURO CREDIT SHORT DURATION MS INVF - EUROPEAN HIGH YIELD BOND FUND PICTET-USD SHORT MID-TERM BONDS LEGG MASON WESTERN ASSET US CORE PLUS BOND PICTET-EUR SHORT MID-TERM BONDS AB EUROPEAN INCOME FIDELITY FUNDS - US DOLLAR BOND FUND DWS INVEST SHORT DURATION CREDIT BGF EURO CORPORATE BOND FUND FIDELITY FUNDS - US HIGH YIELD FUND ABERDEEN STANDARD SICAV I  - EMER. MARK. CRP. BOND FUND BNY MELLON GLOBAL SHORT-DATED HIGH YIELD BOND FUND AXA WF US HIGH YIELD BONDS CARMIGNAC PORTFOLIO UNCONSTRAINED GLOBAL BOND GAM STAR MBS TOTAL RETURN INV M&G (LUX) EMERGING MARKETS BOND FUND M&G (LUX) EURO CORPORATE BOND FUND NORDEA 1 - FLEXIBLE FIXED INCOME FUND PIMCO GIS CAPITAL SECURITIES FUND PIMCO GIS DYNAMIC BOND FUND PIMCO GIS LOW AVERAGE DURATION FUND PIMCO GIS TOTAL RETURN BOND FUND PIMCO GIS US HIGH YIELD BOND FUND AMUNDI FUNDS EURO AGGREGATE BOND AXA WF EMERGING MARKETS SHORT DURATION BONDS AXA WF GLOBAL STRATEGIC BONDS DPAM L BONDS EMERGING MARKETS SUSTAINABLE - F EVLI SHORT CORPORATE BOND FLOSSBACH VON STORCH - BOND OPPORTUNITIES FRANKLIN EUROPEAN TOTAL RETURN FUND FRANKLIN STRATEGIC INCOME FUND GAM STAR CREDIT OPPORTUNITIES EUR INV NEUBERGER BERMAN SHORT DURATION EMER. MRK.DEBT FUND NORDEA 1 - EUROPEAN HIGH YIELD BOND FUND PIMCO GIS DIVERSIFIED INCOME FUND PIMCO GIS EMERGING MARKETS BOND FUND PIMCO GIS EURO INCOME BOND FUND TEMPLETON GLOBAL BOND FUND

■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■

GS GLOBAL STRATEGIC MACRO BOND PICTET-ABSOLUTE RETURN FIXED INCOME MFS GLOBAL TOTAL RETURN TOTAL MFS PRUDENT CAPITAL TOTAL JPM GLOBAL MACRO OPPORTUNITIES FUND BSF AMERICAS DIVERSIFIED EQUITY ABSOLUTE RETURN FUND ALLIANZ DYNAMIC MULTI ASSET STRATEGY 15 SRI INVESCO GLOBAL TARGETED RETURNS FUND UBS (LUX) STRATEGY FUND – YIELD (EUR) ALLIANZ DYNAMIC MULTI ASSET STRATEGY 50 SRI VONTOBEL FUND - TWENTYFOUR ABSOLUTE RETURN CREDIT ALLIANZ INCOME AND GROWTH INVESCO GLOBAL INCOME FUND ALLIANZ DYNAMIC ASSET STRATEGY 75 SRI MAN GLG EUROPEAN EQUITY ALTERNATIVE UBS (LUX) STRATEGY FUND – BALANCED (EUR) PICTET TR-ATLAS INVESCO BALANCED-RISK ALLOCATION FUND AXA WF GLOBAL OPTIMAL INCOME M&G (LUX) OPTIMAL INCOME FUND PIMCO GIS DYNAMIC MULTI-ASSET FUND RUFFER TOTAL RETURN INTERNATIONAL FUND AMUNDI RENDEMENT PLUS FLOSSBACH VON STORCH - MULTI ASSET - BALANCED FLOSSBACH VON STORCH - MULTI ASSET - DEFENSIVE FLOSSBACH VON STORCH - MULTIPLE OPPORTUNITIES II M&G (LUX) INCOME ALLOCATION FUND AMUNDI FUNDS ABSOLUTE RETURN MULTI-STRATEGY ELEVA ABSOLUTE RETURN FUND

■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■

1.000

250

500

750

1.000

500

750

1.000


03 AÇÕES

250 MFS EUROPEAN VALUE TOTAL MS INVF - GLOBAL BRANDS FUND ALLIANZ EUROPE EQUITY GROWTH INVESCO PAN EUROPEAN EQUITY FUND ROBECO GLOBAL CONSUMER TRENDS EQUITIES MFS GLOBAL EQUITY TOTAL SCHRODER ISF EMERGING MARKETS                                          MS INVF - US ADVANTAGE FUND DWS INVEST TOP DIVIDEND FIDELITY FUNDS - EUROPEAN DYNAMIC GROWTH FUND MS INVF - GLOBAL OPPORTUNITY FUND GS EM CORE EQUITY FIDELITY FUNDS - GLOBAL TECHNOLOGY FUND AXA ROSENBERG US ENHANCED INDEX EQUITY ALPHA FUND AMUNDI FUNDS PIONEER US EQUITY FUNDAMENTAL GROWTH SCHRODER ISF EURO CORPORATE BOND                 SCHRODER ISF EURO EQUITY                                            PICTET-USA INDEX CAPITAL GROUP NEW PERSPECTIVE VONTOBEL FUND - US EQUITY JPM EM EQUITY FUND FIDELITY FUNDS - EMERGING MARKETS FUND MFS EUROPEAN RESEARCH TOTAL PICTET-EUROPE INDEX PICTET-SECURITY SEILERN WORLD GROWTH PICTET-ROBOTICS UBAM - 30 GLOBAL LEADERS EQUITY GAM STAR CONTINENTAL EUROPEAN EQUITY INVESTMENTS PICTET-GLOBAL MEGATREND SELECTION BNY MELLON LONG-TERM GLOBAL EQUITY FUND JPM EUROPE STARTEGIC VALUE FUND BGF CONTINENTAL EUROPEAN FLEXIBLE FUND AMUNDI FUNDS EUROLAND EQUITY MFS EUROPEAN SMALLER COMPANIES TOTAL ODDO BHF AVENIR EUROPE PICTET-WATER JPM US SELECT EQUITY FUND INVESCO JAPANESE EQUITY ADVANTAGE FUND JPM EUROPE EQUITY PLUS FUND FRANKLIN U.S. OPPORTUNITIES FUND JANUS HENDERSON HORIZON EUROLAND FUND BNP PARIBAS EUROPE SMALL CAP FIDELITY FUNDS - GLOBAL FINANCIAL SERVICES FUND NORDEA 1 - GLOBAL CLIMATE AND ENVIRONMENT FUND FIDELITY FUNDS - IBERIA FUND BGF WORLD HEALTHSCIENCE FUND FRANKLIN INDIA FUND TEMPLETON EUROLAND FUND VONTOBEL MTX SUSTAINABLE EMERGING MARKETS LEADERS PICTET-PREMIUM BRANDS AMUNDI FUNDS EUROPEAN EQUITY VALUE  M&G (LUX) EUROPEAN STRATEGY VALUE FUND PICTET-DIGITAL SCHRODER ISF JAPANESE EQUITY                                                FRANKLIN TECHNOLOGY FUND GS EUROPE CORE EQUITY BGF EURO-MARKETS FUND JANUS HENDERSON HORIZON GL. PROPERTY EQUITIES FUND AMUNDI INDEX MSCI NORTH AMERICA INVESCO PAN EURO STRUCTURED EQUITY FUND FIDELITY FUNDS - GLOBAL DIVIDEND FUND SCHRODER ISF EURO CREDIT CONVICTION                                     FIDELITY FUNDS - AMERICA FUND M&G (LUX) GLOBAL DIVIDEND FUND SCHRODER ISF EMERGING MARKETS DEBT ABSOLUTE RETURN   FIDELITY FUNDS - EUROPEAN GROWTH FUND FIDELITY FUNDS - ASIA FOCUS FUND MS INVF - GLOBAL PROPERTY FUND GS GLOBAL CORE EQUITY AB AMERICAN GROWTH JPM EUROPE DYNAMIC TECHNOLOGIES FUND

500

750

1.000

■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■■ ■■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■

250 GS JAPAN FIDELITY FUNDS - CHINA CONSUMER FUND SCHRODER GAIA SIRIOS US EQUITY                                                JPM GLOBAL FOCUS FUND JUPITER EUROPEAN GROWTH LEGG MASON CLEARBRIDGE US LARGE CAP GROWTH PICTET-JAPANESE EQUITY OPPORTUNITIES NN (L) US ENHANCED CORE CONCENTRATED EQUITY JPM ASIA PACIFIC EQUITY FUND BGF EUROPEAN SPECIAL SITUATIONS FUND GS US CORE EQUITY CANDRIAM EQUITIES L BIOTECHNOLOGY SCHRODER GAIA EGERTON EQUITY                                                 SCHRODER ISF GLOBAL HIGH YIELD                                            SCHRODER ISF ASIAN OPPORTUNITIES                                      PICTET-NUTRITION JPM EUROPE EQUITY FUND UBS (LUX) EQUITY SICAV - LONG TERM THEMES (USD) SCHRODER ISF EURO BOND                                                             MS INVF - US GROWTH FUND JPM EUROPE STRATEGIC GROWTH FUND FIDELITY FUNDS - WORLD FUND JANUS HENDERSON HORIZON GLOBAL TECHNOLOGY FUND PICTET-GLOBAL ENVIRONMENTAL OPPORTUNITIES MFS US VALUE JPM EM SMALL CAP FUND JPM US TECHNOLOGY FUND JPM EUROLAND EQUITY FUND BSF EUROPEAN OPPORTUNITIES EXTENSION FUND BGF WORLD GOLD FUND LEGG MASON RARE INFRAESTRUCTURA VALUE BGF WORLD MINING FUND FIDELITY FUNDS - EUROPEAN LARGER COMPANIES FUND ABERDEEN STANDARD SICAV I  - ASIA PACIFIC EQUITY FUND MIRABAUD GLOBAL FOCUS JPM EUROPE STARTEGIC DIVIDEND FUND ALLIANZ EUROPEAN EQUITY DIVIDEND  FAST - EUROPE FUND AB EUROZONE EQUITY CAPITAL GROUP INVESTMENT COMPANY OF AMERICA ALLIANZ GLOBAL SUSTAINABILITY BMO RESPONSIBLE GLOBAL EQUITY JPM US VALUE FUND ABERDEEN STANDARD SICAV I  – ASIAN SMALLER COMPANIES JPM JAPAN EQUITY FUND JANUS HENDERSON HORIZON PAN EUROP. SMALLER COMP. FUND ABERDEEN STANDARD SICAV I  - JAPANESE EQUITY FUND ALLIANZ EUROLAND EQUITY GROWTH MS INVF - ASIA OPPORTUNITY FUND BNP PARIBAS JAPAN SMALL CAP BNP PARIBAS US SMALL CAP FIDELITY FUNDS - EURO BLUE CHIP FUND BROWN ADVISORY  US EQUITY GROWTH FUND ELEVA EUROPEAN SELECTION FUND AMUNDI INDEX MSCI EMU AMUNDI INDEX S&P 500  AXA ROSENBERG GLOBAL EQUITY ALPHA FUND AXA ROSENBERG US EQUITY ALPHA FUND CPR INVEST - GLOBAL DISRUPTIVE OPPORTUNITIES MERIAN NORTH AMERICAN EQUITY MIRAE ASIA GREAT CONSUMER EQUITY FUND NEUBERGER BERMAN US MULTI CAP OPPORTUNITIES FUND T. ROWE PRICE FUNDS US BLUE CHIP T. ROWE PRICE FUNDS US EQUITY T. ROWE PRICE FUNDS US SMALLER COMPANIES TEMPLETON ASIAN GROWTH FUND TEMPLETON EMERGING MARKETS FUND TEMPLETON GLOBAL CLIMATE CHANGE FUND THREADNEEDLE (LUX) GLOBAL FOCUS FUND  UBS (LUX) EQUITY FUND – CHINA OPPORTUNITY (USD) UBS (LUX) EQUITY SICAV – EURO COUNTRIES INCOME (EUR)

500

750

1.000

■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■ ■■

Fundos com mais de 1.000 milhões de euros nas mãos de clientes ibéricos.

OS FAVORITOS DOS ANALISTAS EUROPEUS EM 2020

Entre parêntesis o número total de votos. FUNDO Jupiter Dynamic Bond (24) Fidelity Funds European Dynamic Growth (18) MFS Meridian European Value (17) PIMCO GIS Income  (16) Flossbach von Storch - Multiple Opp. II (16) Schroder EUR Corporate Bond  (13) Morgan Stanley - US Advantage Fund (12) DWS Concept Kaldemorgen (11) Muzinich Enhanced Yield Short Term (11) Eleva European Selection (11) Vontobel US Equity (11) Franklin K2 Alternative Strategies (10) Morgan Stanley Global Brands (10) Morgan Stanley Global Opportunity (10) M&G Lux Optimal Income Fund (9) MFS Meridian Funds - Prudent Wealth Fund  (9) Capital Group New Perspective Fund (9)

CATEGORIA Fixed Income Equity Equity Fixed Income Allocation Fixed Income Equity Alternative Fixed Income Equity Equity Alternative Equity Equity Allocation Allocation Equity

FUNDO Robeco Global Consumer Trends (9) Candriam Bonds Credit Opportunities (8) Fidelity Funds - Gl. Multi Asset Inc. Fund (8) Pictet-Multi Asset Global Opportunities (8) Salar Fund (8) Jupiter European Growth (8) Fundsmith Equity (8) Vontobel MTX Sustainable Em. Markets Leaders (8) Nordea 1 - Stable Return Fund (7) Invesco Pan European High Income (7) NB FCP Euro Bond (7) MFS Meridian European Research (7) Brown Advisory US Equity Growth (7) Eleva Absolute Return Europe (6) HSBC GIF Multi Asset Style Factors (6) Legg Mason Western Ass. Macro Opp. Bond Fund (6) Acatis - Gane Value Event Fonds (6)

CATEGORIA Equity Alternative Allocation Allocation Convertibles Equity Equity Equity Allocation Allocation Fixed Income Equity Equity Alternative Alternative Alternative Allocation

FUNDO Ruffer Total Return International (6) Nordea 1 - European Covered Bond Fund (6) Hermes Global Emerging Markets (6) Nordea 1 - Global Climate and Envir.Fund (6) Allianz Europe Equity Growth (6) Fidelity Global Dividend (6) Oddo Avenir Europe (5) Seilern World Growth (5) BlueBay Invest. Grade Euro Gov. Bond Fund (5) DPAM Bond Emerging Markets Sustainable (5) Evli Short Corporate Bond (5) BNY Mellon LT GLobal Equity (5) DPAM Equities NewGems Sustainable (5) Seilern America (5) Threadneedle Global Focus (5) Wells Fargo (Lux) WF U.S. All Cap Growth Fund (5)

CATEGORIA Allocation Fixed Income Equity Equity Equity Equity Equity Equity Fixed Income Fixed Income Fixed Income Equity Equity Equity Equity Equity

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 19


PANORAMA FÓRUM APFIPP

TOTAL DE FUNDOS MOBILIÁRIOS PATRIMÓNIO

CAPTAÇÕES LÍQUIDAS

14000

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

FUNDOS DE CURTO PRAZO HARMONIZADOS PATRIMÓNIO 400 300 200 100 0 -100 -200 -300 -400 -500 -600

13000

12000

11000

AGOSTO 2019

AGOSTO 2020

CAPTAÇÕES LÍQUIDAS

2200

100 80 60 40 20 0 -20 -40 -60 -80 -100

1925 1650 1375 1100

AGOSTO 2019

AGOSTO 2020

POUPAR & INVESTIR UM HÁBITO QUE É NECESSÁRIO CULTIVAR Outubro é um mês com grande significado no que respeita à promoção da poupança e do investimento, dois dos temas mais caros à APFIPP. 20 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


FUNDOS DE OBRIGAÇÕES PATRIMÓNIO

FUNDOS MISTOS

CAPTAÇÕES LÍQUIDAS

2500

PATRIMÓNIO 120

FUNDOS DE AÇÕES CAPTAÇÕES LÍQUIDAS

5000

150

90

100

60

50

30 0

2000

-30

4000

-50

D

AGOSTO 2020

esde logo, porque se celebra, a 31 de outubro, o dia Mundial da Poupança, com o desenvolvimento de ações de sensibilização para a importância da educação nanceira e da proteção dos investidores, no sentido de contribuir para melhorar os conhecimentos e os comportamentos nanceiros da população em geral. Neste mês, comemora-se, também, a Semana Mundial do Investidor (SMI), uma iniciativa global da IOSCO, que tem as mesmas premissas e que, em Portugal, é promovida pela CMVM. Esta comemoração decorre de 5 a 11 de outubro e tem a participação da APFIPP, uma das parceiras da SMI, que, conjuntamente com a Euronext e com a colaboração do laboratório de literacia nanceira MoneyLab, organiza, no dia 6 de outubro, um webinar, designado “Invest Talk: Poupar & Investir”, sobre temas como a poupança, o mercado de capitais e os fundos de investimento e os fundos de pensões, enquanto instrumentos de aplicação de poupanças. A falta de aforro é um tema que há muito preocupa a APFIPP, atenden-

40 20 0 -20

1500

-40 -60

-150

-80

-200

-120

AGOSTO 2019

2000

-100

-90 -150

CAPTAÇÕES LÍQUIDAS

0

-60

1500

PATRIMÓNIO

3000

-250

AGOSTO 2019

AGOSTO 2020

do aos baixos valores que a taxa de poupança das famílias portuguesas tem vindo a apresentar nas duas últimas décadas. Nesse sentido, temos vindo a alertar para a necessidade de medidas que promovam a poupança e que, adicionalmente, essa poupança seja encaminhada para o financiamento da economia. Um dos momentos particularmente relevantes, neste aspeto, é a preparação e discussão da Proposta de Lei do Orçamento do Estado, cuja apresentação ocorre, por regra, em outubro. A APFIPP tem procurado, em cada ano, propor medidas que incentivem a poupança e o investimento, com particular incidência na poupança de longo prazo, para a reforma. Este ano, de entre as propostas efetuadas, destacam-se quatro, pela sua urgência e carácter estruturante: a) Reforço dos Sistemas Complementares de Pensões de âmbito prossional, através da implementação de um sistema de Auto-enrolment, similar ao que existe noutros países (como o Reino Unido), materializado na constituição de um novo tipo de Plano de Pensões que designámos por Plano Complementar de Reforma. Este

1000

-100

AGOSTO 2019

AGOSTO 2020

ESTE ANO, DE ENTRE AS PROPOSTAS EFETUADAS NA PREPARAÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO DESTACAM-SE QUATRO, PELA SUA URGÊNCIA E CARÁCTER ESTRUTURANTE

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 21


PANORAMA FÓRUM APFIPP

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

Plano Complementar de Reforma, é nanciado por contribuições dos trabalhadores e das entidades empregadoras, propondo-se que seja, igualmente, parcialmente nanciado pelo Estado, através da atribuição de incentivos scais sobre essas contribuições; b) Incentivos à poupança individual para a reforma, através de planos de pensões de âmbito individual (3º Pilar) – Pretende-se que os cidadãos se consciencializem da necessidade de

poupar para a reforma e, individual e voluntariamente, canalizem parte do seu rendimento para instrumentos de aforro que sejam efetivamente destinados a conceder benefícios de reforma; c) Conciliação do momento da tributação com o da disponibilização dos rendimentos obtidos de Organismos de Investimento Coletivo (OIC), fazendo coincidir a tributação dos rendimentos decorrentes de participações em OIC com o seu efetivo res-

AS GESTORAS EM AGOSTO DE 2020

Dados de património em milhões de euros HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

GESTÃO DE PATRIMÓNIOS

AGOSTO 2020

QUOTA (%)

BMO GAM (F&C Portugal) Caixa Gestão de Activos Santander Asset Management GNB - SGP BPI Gestão de Activos Montepio Gestão de Activos Crédito Agrícola Gest Bankinter G. A. SGIIC (S. Port.) Optimize Investment Partners Dunas Capital - Gestão de Activos LYNX Asset Managers Total

14.741,31 9.800,82 5.727,53 5.694,15 3.234,54 1.533,86 1.342,89 570,06 98,20 21,01 7,02 42.771,40

34,47 22,91 13,39 13,31 7,56 3,59 3,14 1,33 0,23 0,05 0,02

DEZEMBRO 2019 15.353,48 21.993,16 6.008,47 6.194,36 3.194,59 1.514,73 1.411,84 546,02 107,24 15,64 5,43 56.344,98

QUOTA (%)

VAR. (%) 2020

27,25 39,03 10,66 10,99 5,67 2,69 2,51 0,97 0,19 0,03 0,01

-3,99 -55,44 -4,68 -8,08 1,25 1,26 -4,88 4,40 -8,43 34,33 29,37 -24,09

Nota: Amostra = 87,9% do total de ativos da Gestão de Patrimónios (Em Agosto de 2020)

FUNDOS DE PENSÕES Ageas Pensões CGD Pensões BPI Vida e Pensões GNB - SGFP S.G.F.P. Banco de Portugal Futuro Santander Pensões BBVA Fundos Real Vida Seguros SGF Previsão Victoria - Seguros de Vida, SA Total

JUNHO 2020 5.863,02 4.289,39 3.003,31 2.351,75 2.026,12 1.700,29 1.107,85 518,74 227,37 78,85 75,59 15,94 21.258,24

QUOTA (%) 27,58 20,18 14,13 11,06 9,53 8,00 5,21 2,44 1,07 0,37 0,36 0,07

DEZEMBRO 2019 5.975,90 4.099,88 3.095,33 2.340,93 2.048,88 1.723,12 1.161,31 506,94 251,23 79,60 79,45 16,58 21.379,13

Nota: Amostra = 97,9% do total gerido por Fundos de Pensões (Em Junho 2020)

22 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

QUOTA (%)

VAR. (%) 2019

27,95 19,18 14,48 10,95 9,58 8,06 5,43 2,37 1,18 0,37 0,37 0,08

-1,89 4,62 -2,97 0,46 -1,11 -1,32 -4,60 2,33 -9,49 -0,94 -4,85 -3,86 -0,57

gate. Deste modo, evita-se que sejam tributados os rendimentos quando ocorra a transferência entre diferentes OIC, sendo taxados apenas quando não se verique o reinvestimento dos montantes resgatados; d) Estabelecimento de um level -playing-eld scal entre Organismos de Investimento Coletivo, Seguros do Ramo Vida e o serviço de Gestão de Patrimónios – Constatando-se que produtos de aforro com políticas e obje-

FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

AGOSTO 2020

QUOTA (%)

Interfundos Square Asset Management GNB Real Estate Caixa Gestão de Ativos Norfin BPI Gestão de Activos Santander Asset Management SFS - Gestão de Fundos Montepio Valor Silvip Gef Libertas LYNX Asset Managers Imofundos Fundiestamo Institutional Inv. - Partners GmbH Profile - SGOIC First Fund Box Fidelidade - SGOIC Violas Ferreira - SICAFI, SA TF Turismo Fundos ECS - SGOIC Imopolis Atlantic Gesfimo Vila Gale Gest Refundos Crédito Agrícola Gest Imorendimento Insula Capital Floresta Atlântica Invest Gestão de Activos Silar - SICAFI, SA Fundger Total

1.308,26 1.140,29 996,38 928,80 547,41 542,74 417,43 413,12 410,45 400,27 386,76 299,91 293,66 282,32 280,71 251,12 215,37 186,48 182,00 161,44 161,09 107,01 101,39 92,41 63,81 62,25 40,78 35,09 30,92 30,80 24,37 16,16 11,84

12,55 10,94 9,56 8,91 5,25 5,21 4,00 3,96 3,94 3,84 3,71 2,88 2,82 2,71 2,69 2,41 2,07 1,79 1,75 1,55 1,55 1,03 0,97 0,89 0,61 0,60 0,39 0,34 0,30 0,30 0,23 0,16 0,11

10.422,83

FUNDOS DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

AGOSTO 2020

QUOTA (%)

Caixa Gestão de Activos IM Gestão de Ativos BPI Gestão de Activos Santander Asset Management GNB Fundos Mobiliários Bankinter G. A. SGIIC (S. Port.) Montepio Gestão de Activos Optimize Investment Partners Invest Gestão de Activos Dunas Capital - Gestão de Activos Crédito Agrícola Gest LYNX Asset Managers Sixty Degrees - SGFIM GFM Capital - SICAF IAF Popular Gestão de Activos Total

4.415,85 2.593,31 2.517,66 2.357,20 570,69 164,96 161,43 136,51 96,44 37,46 20,03 14,09 6,59 4,68

33,72 19,80 19,22 18,00 4,36 1,26 1,23 1,04 0,74 0,29 0,15 0,11 0,05 0,04

13.096,89

DEZEMBRO 2019

QUOTA (%)

VAR. (%) 2020

1.308,83 1.144,80 1.096,47

12,45 10,89 10,43

-0,04 -0,39 -9,13

976,92 553,11 420,80 399,51 400,77 503,57 296,50 27,92 276,13 286,38 270,97 144,27 221,23 187,32 334,49 151,25 161,72 4,32 97,50 92,51 63,86 71,15 76,46 35,64 30,92 26,62 24,56 17,48 11,27 796,36 10.511,61

9,29 5,26 4,00 3,80 3,81 4,79 2,82 0,27 2,63 2,72 2,58 1,37 2,10 1,78 3,18 1,44 1,54 0,04 0,93 0,88 0,61 0,68 0,73 0,34 0,29 0,25 0,23 0,17 0,11 7,58

-43,97 -1,87 -0,80 3,41 2,42 -20,51 30,44 974,15 6,35 -1,42 3,60 74,06 -2,65 -0,45 -45,59 6,73 -0,39 2.376,15 3,99 -0,12 -0,07 -12,51 -46,67 -1,54 -0,03 15,68 -0,78 -7,57 5,06 -100,00 -0,84

QUOTA (%)

VAR. (%) 2020

33,74 18,36 20,03 17,87 4,41 1,02 1,46 1,05 0,64 0,34 0,15 0,10 0,03 0,04 0,76

0,69 8,69 -3,32 1,48 -0,45 24,08 -14,76 0,43 16,26 -16,42 0,21 13,78 102,05 -12,15 -100,00 0,76

DEZEMBRO 2019 4.385,73 2.386,02 2.603,99 2.322,81 573,29 132,94 189,40 135,92 82,95 44,82 19,99 12,39 3,26 5,33 98,94 12.997,77


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE

tivos de investimento semelhantes são tributados de forma diferenciada, em função da gura jurídica que assumem, pretende-se equiparar a tributação dos OIC à dos Seguros de Capitalização, com uma taxa de tributação decrescente, de acordo o período de investimento, eliminando a possibilidade de arbitragem scal atualmente existente. Por último, atendendo à situação de pandemia que vivemos e ao impacto que está a ter nas nossas empresas, propuse-

ENTRADAS E SAÍDAS DOS FUNDOS MOBILIÁRIOS Dados em milhões de euros

1.500 1.250 1.000 750 500 250 0 -250 -500 -750 -1000 -1.250 -1.500

mos a criação de um novo tipo de OIC que teria a vocação exclusiva de apoio às empresas nacionais afetadas pela COVID-19. O que se propõe, é canalizar a poupança recolhida junto das famílias para o nanciamento de empresas com solidez mas que estão a passar por uma situação económica difícil em resultado da pandemia, permitindo, assim, que ultrapassem este período mais difícil, evitando uma escalada das falências e do desemprego.

MAIO A AGOSTO 2020

DESDE INÍCIO DO ANO

200,226

256,508

197,977

65,322

167,754

Santander Asset Management

41,130

17,097

202,520

GNB Fundos Mobiliários

53,269

FUNDOS DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO IM Gestão de Ativos Caixa Gestão de Activos

665,890

29,954

17,494

Bankinter G. A. SGIIC (S. Port.)

9,180

32,671

41,726

Invest Gestão de Activos

8,157

19,255

32,700

6,260

10,003

Optimize Investment Partners

2,670

LYNX Asset Managers

0,844

0,386

0,165

Crédito Agrícola Gest

0,000

0,000

0,000

GFM Capital - SICAF IAF

0,000

0,000

0,000

Dunas Capital - Gestão de Activos

-1,392

-4,935

-5,692

Montepio Gestão de Activos

-5,668

-19,175

2,011

BPI Gestão de Activos

-7,702

-27,054

-44,069

Popular Gestão de Activos

0,000

-13,091

-26,390

n.d.

n.d.

n.d.

475,375

350,738

1.099,887

MAIO A AGOSTO 2020

DESDE INÍCIO DO ANO

ÚLTIMOS 12 MESES

F. Multi-Activos Defensivos

115,757

108,850

280,629

Fundos PPR

97,546

229,064

447,604

Sixty Degrees - SGFIM Total

FUNDOS DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

Fundos de Obrigações Euro

87,441

136,062

270,245

Outros F. Acções Internacionais

84,307

74,753

152,819

F. Mercado Monetário Euro

74,229

56,568

96,256

Fundos Flexíveis

26,810

41,896

134,609

F. Obrigações Taxa Indexada Euro

22,890

-41,871

49,042

Fundos de Curto Prazo Euro

14,232

-150,535

-119,395

F. Multi-Activos Equilibrados

11,664

-11,780

22,372

FIA Flexíveis

1,048

0,832

-0,728

Fundos de Acções Ibéricas F. Multi-Activos Agressivos FIA de Retorno Absoluto Fundos PPA FIA de Obrigações Fundos de Acções Nacionais

0,582

-2,779

0,141

-5,339

-3,353

-0,016

-0,016

-6,646

-4,319

-0,031

-0,230

-0,383

-0,123

-1,398

-1,815

-0,388

-6,804

-12,511

Fundos de Acções Sectoriais

-0,414

1,195

1,626

F. Acções da U.E., Suíça e Noruega

-0,864

-10,358

-9,931

Fundos de Obrig. Internacional

CAPTAÇÕES MAI-AGO 2020

ÚLTIMOS 12 MESES

5,318

6,783

Outros FIA

-5,541

-21,459

-46,639

F. Acções da América do Norte

-9,439

-5,536

-12,309

-10,563

Outros Fundos

-38,921

-38,925

-38,925

FIA Multi-Activos

-2,027

FIA de Curto Prazo Total

-104,863 475,375

350,738

1.099,887

BEGOÑA GOMEZ Responsável de Vendas, Invesco

A OPORTUNIDADE DA INICIATIVA BELT & ROAD No atual mercado de obrigações, com taxas de juro mínimas ou negativas e sem expectativas de subida, os investidores solicitamnos frequentemente novas alternativas para se manterem presentes neste mercado, o que é imprescindível numa carteira diversificada. Uma das oportunidades potenciais é a iniciativa Belt & Road, lançada pela China em 2013 e que pretende melhorar a conectividade da antiga Rota da Seda, que inclui 68 países da Ásia, Europa, Médio Oriente e África. Nestes sete anos, mais de 2.000 projetos de infraestruturas já foram iniciados e estima-se que só a China investirá até 200.000 milhões de dólares anuais na próxima década. Na Invesco, temos o primeiro fundo de obrigações temáticas que oferece exposição direta a esta oportunidade: o Invesco Belt and Road Debt Fund. Este fundo investe em obrigações governamentais (em dólares) e obrigações corporativas IG e high yield de emissores que beneficiarão do aumento de capital e dos fluxos comerciais catalisados pela BRI. O retorno anual do fundo supera os 6% ao ano desde o seu lançamento em 2018, graças à combinação de análises top-down e bottom-up, com uma abordagem flexível e ativa. O fundo tem limitado a volatilidade a 6% ao ano durante a maior parte do tempo e excluirá da carteira os países com piores classificações ESG. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 23


Material publicitรกrio


Dê valor aos seus investimentos. A nossa jornada em investimentos sustentáveis iniciou-se há mais de 30 anos com o nosso primeiro produto ASG. Na Nordea, retornos e responsabilidade importam.

AS LOS G E S

P

IN

S

DO

IA REM

TE

4

Retornos e Responsabilidade. É o nosso ADN Nórdico.

DEPENDEN

Nordea STARS – Soluções ASG Estratégia Global Climate & Environment Estratégia Gender Diversity Os fundos Nordea 1 de ações Emerging Stars, Global Stars, European Stars e North American Stars foram reconhecidos pelos principais selos ESG1 LuxFLAG, Towards Sustainability, Forum Nachhaltige Geldanlagen, ISR e obtiveram o European SRI Transparency Code2 1) Forum Nachhaltige Geldanlagen (FNG-Siegel) reconhece a validade dos fundos Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund (2 estrelas), Nordea 1 – Global Stars Equity Fund (2ş estrelas), Nordea 1 – European Stars Equity Fund (3 estrelas) e Nordea 1 – North American Stars Equity Fund (2 estrelas) durante 2020. Towards Sustainability reconhece a validade dos fundos Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund, Nordea 1 – Global Stars Equity Fund, Nordea 1 – European Stars Equity Fund e Nordea 1 – North American Stars Equity Fund de 07.11.2019 a 07.11.2020. LuxFLAG ESG Label reconhece a validade dos fundos Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund, Nordea 1 – Global Stars Equity Fund e Nordea 1 – North American Stars Equity Fund de 01.10.20÷õşa 30.09.202ö e do fundo Nordea 1 – European Stars Equity Fund de 01.07.2020 a 30.06.2021; Label ISR reconhece a validade dos fundos Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund, Nordea 1 – Global Stars Equity Fund e Nordea 1 – North American Stars Equity Fund de 22.11.2019 a 21.11.2022. 2) European SRI Transparency Code reconhece a validade dos fundos Nordea 1 – Emerging Stars Equity Fund, Nordea 1 – Global Stars Equity Fund, Nordea 1 – European Stars Equity Fund e Nordea 1 – North American Stars Equity Fund de 10.2019 a 10.2020. O logo European SRI Transparency significa que a Nordea Investment Funds S.A. está comprometida em fornecer informações precisas, adequadas e oportunas para permitir que as partes interessadas, em particular os consumidores, entendam as políticas e práticas de Investimento Socialmente Responsável SRI (Socially Responsible Investment) relacionadas ao fundo. Informações detalhadas sobre as Diretrizes Europeias de Transparência SRI podem ser encontradas no site www.eurosif.şorg. As Diretrizes de Transparência são geridas pela Eurosif, uma organização independente. O logo Europeu de Transferência SRI reflete o comprometimento do gestor do fundo conforme detalhado acima e não deve ser considerado como um endosso sobre qualquer companhia, organização ou indivíduo em particular. Os subfundos mencionados formam parte da Nordea 1, SICAV, uma sociedade de investimento de capital variável sediada no Luxemburgo (Société d’Investissement à Capital Variable), legalmente constituída e a operar em conformidade com as leis do Luxemburgo e com a Directiva 2009/65/EC do Conselho, de 13 de Julho de 2009. Este documento é material publicitário e não divulga todas as informações pertinentes relativas aos subfundos apresentados. Qualquer decisão de investimento nos subfundos deve ser feita com base no Prospecto em vigor e no documento de Informações Fundamentais Destinadas ao Investidor (KIID), que estão disponíveis, juntamente com os relatórios anual corrente e semi-anual do fundo, por via electrónica em inglês e na língua local do mercado onde o mencionado OICVM está autorizado para distribuição, e poder ser solicitado, sem ônus, junto a Nordea Investment Funds S.A., 562, rue de Neudorf, PO Box 782, L-2017 Luxemburgo, representantes locais, agentes de informação, ou nossos distribuidores. Nosso distribuidor em Portugal é BEST – Banco Electrónico de Serviço Total, S.A., devidamente constituído sob as leis de Portugal e registado na CMVM como intermediário financeiro. Publicado pela Nordea Investment Funds S.A., sita em 562, rue de Neudorf, P.O. Box 782, L-2017 Luxembourg, que é autorizado pela Comission de Surveillance du Secteur Financier.


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL 5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

4,44

-3,06

7,87

USD

Alfred Lap Chung Mui; Steven Wong;

-0,60 -4,57 -4,92 -3,42 -4,28 -3,88 -3,74 -4,54 -2,44 -4,50 -3,74 -6,65 -6,39 -5,90 6,03 -7,29 -9,10 -5,34 1,44 -5,46 -4,45 -5,01 -6,61 0,19 -7,72 -7,24 -7,29

13,35 12,48 11,81 8,65 11,18 10,40 8,13 7,84 9,42 10,64 9,93 14,24 13,60 12,19 8,66 13,79 14,12 8,62 7,11 10,50 5,59 10,87 10,76 8,76 11,26 10,53 12,45

USD USD USD USD USD USD USD USD USD EUR USD USD EUR USD USD EUR USD EUR EUR USD USD USD USD EUR USD EUR USD

Colm McDonagh; Rodica Glavan; — — Magda Branet; Diliana Deltcheva; Christopher Mey; Rob Drijkoningen; Gorky Urquieta; Bart van der Made; Mike Reyes; Michael A. Gomez; Javier Romo; Pramol Dhawan; Bart van der Made; Nish Popat; Jennifer Gorgoll; Luke Chua; Alain Nsiona Defise; Scott D. McKee; Pierre-Yves Bareau; Claudia Calich Matthew W. Ryan; Ward Brown; Neeraj Arora; Luc D’hooge; Wouter Van Overfelt; Cathy L. Hepworth Angus Bell — Yerlan Syzdykov; Ray Jian; Magda Branet; Diliana Deltcheva; Karim Hamdoun; Nicholas Sauer; HUGO VERDIERE; Michaël Vander Elst; Warren Hyland Mary-Therese Barton; Alper Gocer; Abdallah Guezour Robert H. Neithart; Luis Freitas de Oliveira; Kirstie Spence; Paul McNamara Mikhail Volodchenko; Sailesh Lad; Eric Yung Wong; Paul Michael Greer; Marton Huebler; Didier Lambert; Pierre-Yves Bareau; Diana Kiluta Amoa; Sergio Trigo Paz; Michal Wozniak; Laurent Develay;

-1,37 -0,92 -0,55 -1,10 1,96 -0,57 -0,93 1,13 -1,24 -1,33 0,70 0,22 -1,39 -0,93 0,24 -0,74 -1,25 5,18 -2,36 -0,32 0,62 -0,18 0,44 0,21 -2,01 -0,48 -1,54 -1,02 -2,41 0,55 -1,01 -1,02 -0,86 -0,89 -0,77 -1,28 1,92 -2,65

7,82 8,04 4,28 4,07 6,25 3,92 4,24 6,99 3,75 3,89 6,19 2,16 4,17 3,27 5,50 4,99 4,09 5,06 5,16 5,59 4,44 9,41 5,65 6,09 4,49 5,20 3,18 5,15 5,12 7,87 6,47 9,42 5,25 7,49 6,93 12,29 5,02 6,68

EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR

Vasco Teles Vasco Teles Mark Dowding; Kaspar Hense; Iain T. Stealey; Séamus Mac Góráin; Philippe Noyard; Nicolas Jullien; Thomas Joret; Andrew Bosomworth; Andrew Thomas Balls; Lorenzo Pagani; Bob Jolly; Paul Grainger; James Ringer; Patrick Vogel — Claude Guérin; Patrick Caillieux; Patrick Vogel Henrik Stille Thomas H. Høgh; Philip Chitty; Richard Ford; Leon Grenyer; Richard Class; David X Stanley Gareth Isaac; Luke Greenwood; Thomas Sartain; Lyndon Man; Michael Krautzberger; Ronald van Loon; Guillaume Rigeade; Eliezer Ben Zimra; Pedro Oliveira Lino; Carlos Pinto; — John W. Beck; David Zahn; Sonal Desai; Sandro Naef; Torben Skødeberg; Laust Johnsen; Paul Read; Julien Eberhardt; Tom Hemmant; Richard Ford; Leon Grenyer; Dipen Patel; Sylvain De Ruijter; Hans van Zwol; Jaco Rouw; Thomas Ross; Tim Winstone; — Tom Mondelaers; Jozef Prokes; Marie-Anne Allier; Isabelle Vic-Philippe; Alexis Renault; Janis HECK; Frauke Wolkewitz; Lucy Speake; Bonnie Abdul Aziz; Thomas Samson Stefan Isaacs Scott A. DiMaggio; Jorgen Kjaersgaard; John Taylor; Mondher Bettaieb; Claudia Wyss; Leon Grenyer; Sarah Harrison; Julien Tisserand; Nicolas Leprince; Hervé Boiral; Alexandra Van Gyseghem;

ASIA FIXED INCOME HSBC GIF Asia Bond AC

ABC

EMERGING MARKETS FIXED INCOME BNY Mellon Em Mkts Corp Dbt USD X Acc AS SICAV I Frntr Mkts Bd X Acc USD AS SICAV I EM Corp Bd X Acc USD Candriam SRI Bond Em Mkts R USD Acc Neuberger Berman EM DbtHrdCcy USD I C PIMCO GIS Em Mkts Bdd E USD Inc Neuberger Berman Shrt DurEM DbtUSD I Acc Pictet-Short Term Em Corp Bds Z USD JPM Emerg Mkts Corp Bd A (acc) USD M&G (Lux) Em Mkts Bd C EUR Acc MFS Meridian Emerging Mkts Dbt A2 USD Vontobel Emerging Mkts Dbt N USD Nordea 1 - Emerging Market Bond BP EUR GS Em Mkts Dbt Base Acc USD BNY Mellon EM Dbt Lcl Ccy USD X Acc Amundi Fds Em Mkts Bd C EUR C Candriam Bds Em Mkts R USD Cap DPAM L Bonds Emerging Markets Sust E EUR Muzinich EmergingMktsShrtDur HEUR Acc A Pictet-Emerging Local Ccy Dbt Z USD Schroder ISF EM Dbt Abs Rt C Acc USD Capital Group EM Lcl Ccy Dbt(LUX) Z GAM Multibond Local Emerging Bond USD C AXAWF Em Mkts Sh Dur Bds E Cap EUR H Fidelity Em Mkt Lcl Ccy Dbt Y-Acc-USD JPM Emerg Mkts Lcl Ccy Dbt A (acc) EUR BGF Emerging Markets Lcl Ccy Bd A2 USD

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

5,54 4,26 2,54 2,81 3,44 5,25 3,42 5,28 4,40 3,53 1,49 2,84 3,90 4,36 1,75 2,66 1,78 3,21 2,48 1,26 2,73 1,78 1,70

5,57 4,44 4,08 4,03 3,73 3,40 3,39 3,35 3,14 3,09 3,05 2,50 2,41 1,94 1,68 1,53 1,33 1,25 0,83 0,55 0,51 0,45 -0,08 -0,15 -0,16 -0,87 -2,45

EUROPE FIXED INCOME NB Euro Bond NB Obrigações Europa FIMAO BlueBay Inv Grd Euro Govt Bd I EUR Acc JPM EU Government Bond A (acc) EUR Candriam Bds Euro High Yld R EUR Cap PIMCO GIS Euro Bond Instl EUR Acc Schroder ISF EURO Bond C Acc EUR Schroder ISF EURO Crdt Convct C Acc EUR Vanguard € Govt Bd Idx € Acc BNP Paribas Euro Government Bd Privl C Schroder ISF EURO Corp Bd C Acc EUR Nordea 1 - European Covered Bond BP EUR Capital Group Euro Bond (LUX) Z MS INVF Euro Bond I T. Rowe Price Euro Corp Bd Z EUR Invesco Euro Bond E EUR Acc BGF Euro Bond A2 EUR Carmignac Pf Uncons Euro FI A EUR Acc Optimize Obrigações FIMAO BNY Mellon Euroland Bond EUR W Acc Franklin European Ttl Ret A(acc)EUR Nordea 1 - European High Yld Bd BI EUR Invesco Euro Corporate Bond A EUR Acc MS INVF Euro Corporate Bond I NN (L) Euro Fixed Income P Cap EUR Janus Henderson Hrzn Euro Corp Bd A2 EUR Caixagest Oportunidades FIAMA BGF Euro Corporate Bond A2 EUR Amundi Fds Euro Aggt Bd F2 EUR C ODDO BHF Euro High Yield Bond CI-EUR BNY Mellon European Credit EUR C Acc Muzinich Europeyield HEUR Acc A M&G (Lux) Euro Corp Bd CI EUR Acc AB European Income C2 Acc Vontobel EUR Corp Bd Mid Yld C EUR MS INVF European HY Bd I EdRF Bond Allocation A EUR Acc Amundi Fds Euro Corp Bd A EUR C

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

5,61 5,29 4,64 2,88 4,49 3,31 2,83 4,53 2,71 2,65 3,88 2,59 2,96 2,66 3,37 2,67 2,38 1,46 2,15 2,44 2,44 4,26 2,13 3,09 1,94 2,38 2,60 2,58 1,62 3,62 2,47 3,70 2,40 2,15 2,07 3,33 2,53 1,91

8,64 7,83 4,57 3,34 3,15 3,14 3,07 3,03 2,99 2,87 2,83 2,71 2,67 2,63 2,61 2,48 2,41 2,32 2,27 2,27 2,17 2,14 2,08 2,08 2,00 1,98 1,85 1,85 1,74 1,72 1,69 1,62 1,51 1,47 1,37 1,21 0,85 0,84

26 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

6,20 6,52 4,81

DADOS A 28-09-20 GESTOR


FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

PIMCO GIS Euro Income Bond E EUR Acc Fidelity Euro Short Term Bond A-Acc-EUR Pictet-EUR Short Term Corp Bds Z Evli Short Corporate Bond B GS Euro Short Dur Bd Plus I Acc EUR Carmignac Pf Sécurité A EUR Ydis DWS Invest Short Duration Credit FC ODDO BHF Euro Credit Short Dur DP-EUR IMGA Rendimento Semestral FIMA BNP Paribas Euro Medium Term Bd C C Allianz Advcd Fxd Inc S/D A EUR DWS Invest ESG Euro Bonds (Short) FC Pictet-EUR Short Mid-Term Bonds I BNP Paribas Enhanced Bond 6M I C IMGA Rendimento Mais FIMA Invesco Euro Short Term Bond E EUR Acc Caixagest Obrigações FIMAO IMGA Euro Taxa Variável FIMA GAM Star Credit Opps (EUR) Instl EUR Acc Allianz Floating Rate Notes+ IT EUR Allianz Enhanced Shrt Trm Euro AT EUR DWS Floating Rate Notes LC MS INVF Short Maturity Euro Bond I Candriam Bds Euro Short Term C EUR Cap BGF Euro Short Duration Bond A2 EUR IMGA CA Rendimento FIMAO Caixagest Obrig Mais FIMAO BPI Reforma Obrigações PPR/OICVM FIAO

SELO

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

2,50 0,90 0,87 1,05 0,68

0,75 0,68 0,45 0,21 0,19 0,15 0,14 0,04 0,00 -0,02 -0,04 -0,04 -0,07 -0,07 -0,16 -0,16 -0,21 -0,22 -0,27 -0,30 -0,31 -0,33 -0,33 -0,35 -0,38 -0,43 -0,62 -0,64

-0,92 1,04 -0,24 -1,46 -0,19 0,21 -0,73 -1,35 -0,83 -1,25 -0,82 0,18 -0,49 0,04 -1,84 -0,46 -1,05 -0,78 -0,90 -0,27 -0,46 -0,55 -0,94 -1,15 -0,63 -1,41 -1,16 -1,18

5,28 1,97 2,68 4,91 2,12 3,07 3,87 4,53 3,53 1,86 1,75 1,91 1,37 2,70 4,29 2,09 2,85 2,64 12,11 1,01 0,47 2,38 1,49 1,44 1,93 3,47 5,63 4,07

0,67 1,09 0,49 0,35 0,13 0,31 0,12 0,26 0,78 0,12 0,35 0,08 3,32 -0,25 -0,06 -0,01 0,04 -0,06 0,37 0,55 -0,07

Focado em negócios innovadores do setor saúde AB International Healthcare Portfolio

DIVISA BASE

GESTOR

EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR

Ketish Pothalingam; Eve Lagrellette Tournier; Alfred T. Murata; Rick Patel; Ario Emami Nejad; Jon Mawby; Mathieu Magnin; Charles-Antoine Bory; Juhamatti Pukka — Marie-Anne Allier; Keith Ney; Oliver Krenn; Karsten Rosenkilde; Alexis Renault; Haiyan Ding; Aitor Zubeldia; Ana Aguiar; Eric Plantier; Arnaud-Guilhem Lamy; Maxence-Louis Mormede; Ralf Jülichmanns; Carsten Weins; Daniel Kittler; Jon Mawby; Mathieu Magnin; Charles-Antoine Bory; Eric Plantier; Fadi Berbari; Duarte José; Ana Aguiar; Luke Greenwood; Lyndon Man; — Aitor Zubeldia; Ana Aguiar; — Vincent Tarantino; Ali Ozenici; Klaus Kusber; Lars Dahlhoff; Christian Reiter; Torsten Haas; Richard Ford; Leon Grenyer; Richard Class; Philippe Dehoux; Sylvain De Bus; Nicolas Forest; Michael Krautzberger; Christopher Allen; Jozef Prokes; Duarte José; Ana Aguiar; — Duarte Rodrigues

Robôs que realizam cirurgias. Fármacos concebidos para um corpo concreto. Médicos que atendem pacientes a milhares de quilómetros de distância. A transformação da indústria dos cuidados médicos está a criar oportunidades de investimento empolgantes. Mas o que é necessário para investir com sucesso em ações no setor da saúde? Não é necessário ser um cientista de primeira linha nem prever quais serão os sucessos de vendas no campo farmacológico. O que é necessário é procurar negócios sólidos sustentados por empresas de grande qualidade que apresentem soluções comprováveis destinadas a mercados em crescimento. É precisamente o que faz a AB International Health Care Portfolio. Procuramos em todo o mundo empresas com novas tecnologias, tratamentos e técnicas, que possam satisfazer as necessidades dos pacientes e dos sistemas de saúde do século XXI, as quais se encontram em permanente evolução. O investimento em empresas que estão a mudar o mundo da medicina, selecionando as uma a uma, pode tirar partido do forte potencial de rentabilidade a longo prazo do futuro dos cuidados de saúde.

Visite alliancebernstein.com/go/en/healthcareportfolio Informação destinada exclusivamente a profissionais de investimento.

O valor dos investimentos poderá aumentar ou diminuir, e o investidor poderá não reaver a totalidade do capital inicialmente investido. O capital está em risco. Esta informação é publicada pela AllianceBernstein Limited, 50 Berkeley Street, London W1J 8HA, uma sociedade matriculada em Inglaterra com o número 2551144. A AllianceBernstein Limited é autorizada e regulamentada no Reino Unido pela Financial Conduct Authority (FCA, número de referência 147956). IC2020642


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

GESTOR

UBAM Dynamic Euro Bond AC EUR AXAWF Euro Credit Short Dur E Cap EUR AXAIMFIIS Europe Short Dur HY E Cap EUR BPI Obrigações Mundiais FIAO BPI GIF High Income Bond I

ABC ABC ABC ABC ABC

-0,45 -0,45 0,52 1,63 2,35

-0,64 -0,81 -0,82 -1,13 -1,16

-0,96 -1,46 -2,62 -0,96 -2,67

2,24 2,37 7,45 8,17 10,63

EUR EUR EUR EUR EUR

Christel Rendu de Lint; Philippe Gräub; Anne Velot; Thomas Coudert; Boutaina Deixonne; James Gledhill; Yves Berger; Duarte Rodrigues Duarte Rodrigues

FIXED INCOME MISCELLANEOUS PIMCO GIS Capital Scs Instl USD Acc GAM Star MBS Total Return USD Acc Santander Latin American Corp Bd A Santander Multicrédito CA FIMAO

ABC ABC ABC ABC

4,39 1,06 2,74 0,15

4,82 1,31 1,21 -0,42

-2,97 -8,22 -4,79 -1,41

11,41 12,07 13,79 2,50

USD USD USD EUR

Philippe Bodereau; Matthieu Loriferne; Michael Bogecho; Tom J. Mansley Alfredo Mordezki Carmen Borondo

GLOBAL FIXED INCOME PIMCO GIS Divers Inc Instl USD Acc Jupiter Dynamic Bond D USD Acc HSC Schroder ISF Glbl Mlt Crdt C Acc USD FvS Bond Opportunities RT PIMCO GIS Glb Bd Instl USD Acc T. Rowe Price Glb HY Bd Z USD MS INVF Global Fixed Income Opps Z Candriam Bds Global Hi Yld R EUR Cap T. Rowe Price Divers Inc Bd I USD M&G (Lux) Glb HY Bd C USD Acc T. Rowe Price Glb High Inc Bd I USD Schroder ISF Strat Crdt C Dis SV GS Glbl Hi Yld Base Inc USD UBAM Global High Yield Solution AC USD Schroder ISF Glbl Hi Yld C Acc USD GS Global Sovereign Bd I Acc EUR-Prtly H Amundi Fds Glbl Aggt Bd G USD C BGF Fixed Income Global Opps A2 USD BNY Mellon Glb ShrtDtd HY Bd USD W Acc UBS(Lux) BS Glb Infl Lnkd$ EURH P-acc Carmignac Pf Uncons Glb Bd A EUR Acc JPM Global Strat Bd A perf (acc) USD PIMCO GIS GlInGd Crdt Instl EURH Acc Vontobel TwentyFour StratInc AMH Hdg EUR Eurizon Bond High Yield Z EUR Acc AXAWF Global Strategic Bds E Cap EUR H Nordea 1 - Flexible Fixed Income BP EUR PIMCO GIS Income Instl EURH Acc Muzinich Global Tact Crdt HEUR Acc R Muzinich Enhancedyield S-T HEUR Acc R PIMCO GIS Dynamic Bd E EUR H Acc UBAM Abs Ret Low Vol Fxd Inc APC EUR JPM Global Short Duration Bd A(acc)EURH Templeton Global Bond W(Mdis)USD M&G (Lux) Glb Fl Rt HY C H EUR Acc Templeton Global Ttl Ret A(acc)USD

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

5,51 3,72

3,56 1,64 1,22 3,07 1,81 1,31 0,54 -0,04 -0,45 -0,36 0,95 -1,12

5,50 5,20 5,11 5,06 4,80 4,45 4,35 4,11 3,76 3,71 3,71 3,47 3,35 3,31 3,24 3,22 3,06 2,97 2,67 2,52 2,50 2,35 2,18 1,93 1,40 1,34 1,31 1,23 1,23 0,49 -0,17 -0,41 -0,49 -0,67 -1,17 -3,03

-2,71 -3,36 -3,22 6,08 -3,59 -4,74 -5,43 6,39 -6,13 -6,21 -6,78 3,30 -4,84 -8,08 -5,59 0,06 -7,36 -4,07 -8,19 3,89 3,02 -5,01 1,10 3,21 0,41 1,71 0,57 2,24 0,60 -0,21 2,35 -0,35 -0,27 -10,41 -5,01 -12,69

8,08 7,52 9,89 6,18 6,46 10,11 7,70 5,60 8,72 10,77 12,32 11,42 11,10 8,39 11,24 4,77 7,75 7,06 8,60 5,09 6,26 6,04 6,77 6,91 8,28 3,26 1,86 6,10 5,73 5,70 3,73 0,89 1,51 7,88 10,71 9,06

USD USD USD EUR USD USD USD EUR USD USD USD GBP USD USD USD EUR USD USD USD EUR EUR USD EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR USD EUR USD

Daniel J. Ivascyn; Eve Lagrellette Tournier; Alfred T. Murata; Sonali Pier; Ariel Bezalel Patrick Vogel; Julien Houdain; Frank Lipowski Andrew Thomas Balls; Lorenzo Pagani; Sachin Gupta; Mark J. Vaselkiv; Michael Della Vedova; Christian G. Roth; Michael B. Kushma; Richard Ford; James Caron; Philippe Noyard; Nicolas Jullien; Thomas Joret; JC Tamavakis; Kenneth A. Orchard Stefan Isaacs; James Tomlins; Mark J. Vaselkiv; Michael Della Vedova; Peter Harvey — Christel Rendu de Lint; Philippe Graub; Martha Metcalf — Laurent Crosnier; Myles Bradshaw; Rick Rieder; Bob Miller; Aidan Doyle; Ulrich Gerhard; Cathy Braganza; Kevin Ziyi Zhao; Jerry Jones; Alexander Wise; Charles Zerah Lisa Coleman; Robert Michele; Iain T. Stealey; Diana Kiluta Amoa; Mark R. Kiesel; Jelle Brons; Mohit Mittal; Gary Kirk; Eoin Walsh; Felipe Villarroel; Mark Holman; Pierre Beniguel; Raffaella Tommaselli; Elena Musumeci; Nick Hayes; Nicolas Trindade; Søren Brogaard Lolle; Karsten Bierre; Caroline Henneberg; Daniel J. Ivascyn; Joshua Anderson; Alfred T. Murata; Michael L. McEachern Tatjana Greil-Castro Marc P. Seidner; Daniel J. Ivascyn; Mohsen Fahmi; Christel Rendu de Lint; Philippe Graub; Myles Bradshaw; Iain T. Stealey; Linda Raggi; Michael J. Hasenstab; Calvin Ho; James Tomlins Michael J. Hasenstab; Calvin Ho;

STERLING FIXED INCOME Threadneedle SterlingCorpBd Ins Inc

ABC

1,15

5,06

4,92

10,04

GBP

Alasdair Ross

US FIXED INCOME Capital Group US Corp Bd (LUX) Z NN (L) US Credit P Cap USD Fidelity US Dollar Bond A-Dis-USD T. Rowe Price US Aggr Bd Jd USD MS INVF US Dollar High Yield Bond Z Legg Mason WA US Core+ Bd A USD Acc PIMCO GIS Ttl Ret Bd Inv USD Acc JPM Income A (acc) USD JPM US Aggregate Bond A (dist) USD Amundi Fds Pioneer US Bd A2 USD C MS INVF US Dollar Short Dur HY Bd Z AB American Income A Inc GS US Mortgg Bckd Secs I Acc USD Wells Fargo (Lux) WF US HY Bd I USD Acc Fidelity US High Yield A-Dis-USD PIMCO GIS US Hi Yld Bd E USD Acc Pictet-USD Short Mid-Term Bonds I GS US Dollar Short Dur Bond I Acc USD Franklin Strategic Income I(acc)USD

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

5,73 5,24 3,72 2,93 4,90 3,11 2,99 3,33 2,19 2,48 3,93 3,06

7,06 6,79 6,42 4,86 4,63 4,54 4,51 4,19 4,14 3,95 3,94 3,65 3,60 3,37 3,26 3,21 2,84 2,82 2,33

2,05 0,86 1,76 -2,73 -4,32 -1,82 -1,39 -6,41 -3,08 -3,17 -6,55 -5,58 -3,16 -5,92 -6,34 -5,25 -3,30 -4,29 -6,69

7,78 8,45 7,28 7,10 11,07 6,96 6,74 8,39 7,01 7,68 9,69 8,81 6,47 9,63 9,90 9,05 6,17 6,23 8,33

USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD USD

Scott Sykes; Karen Choi; Anil Katarya; Travis King; Rick Patel; Ario Emami Nejad; Brian J. Brennan Richard J. Lindquist; Jack Cimarosa; — Scott A. Mather; Mark R. Kiesel; Mohit Mittal; Thomas G. Hauser; J. Andrew Norelli; Andrew Headley; Richard D. Figuly; Justin Rucker; Kenneth J. Taubes; Timothy D. Rowe; Bradley Komenda; Richard J. Lindquist; Jack Cimarosa; Paul J. DeNoon; Douglas J. Peebles; Matthew S. Sheridan; — Chris Lee; Michael J. Schueller; Harley Lank; Alexandre Karam; Andrew Jessop; Sonali Pier; Jon Mawby; Mathieu Magnin; Charles-Antoine Bory; — David Yuen; Patricia O'Connor; Sonal Desai; William Chong;

28 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

5,88 3,72 5,00 3,30 5,10 4,44 5,08 -0,65 2,75 3,62 3,78 3,02 1,55 1,56 1,88 3,29 1,26 3,26

4,00 3,63 3,67 0,98 1,91


DEIXE PARA TRÁS AS DÚVIDAS, NÃO OS SEUS OBJETIVOS A incerteza do mercado não deve desviá-lo dos seus objetivos financeiros. Os fundos da Janus Henderson podem oferecer soluções para ajudá-lo a ultrapassar o ambiente de incerteza que se vive atualmente: JANUS HENDERSON HORIZON GLOBAL SUSTAINABLE EQUITY FUND A2 ACC EUR - LU1984711512

JANUS HENDERSON BALANCED FUND A ACC EUR HEDGED - IE0009514989

JANUS HENDERSON ABSOLUTE RETURN INCOME FUND (EUR) A ACC EUR - IE00BJ4SQF98

go.janushenderson.com/incerteza

Para fins promocionais. Apenas para investidores profissionais. O valor de um investimento e o rendimento do investimento podem aumentar ou diminuir e o investidor poderá não recuperar o montante do investimento original. Nada na presente publicidade deve ser interpretado como aconselhamento. Não é uma recomendação de venda ou compra de qualquer investimento. Leia todos os documentos relativos ao fundo antes de investir. A Janus Henderson Capital Funds Plc é um OICVM constituído ao abrigo da Lei irlandesa, com responsabilidade separada entre fundos. Avisa-se os investidores que só devem efetuar o seu investimento com base no Prospeto mais recente. Emitido na Europa pela Janus Henderson Investors. Janus Henderson Investors é o nome sob o qual são disponibilizados os serviços e produtos de investimento pela Janus Capital International Limited (n.º reg. 3594615), Henderson Global Investors Limited (n.º reg. 906355), Henderson Investment Funds Limited (n.º reg. 2678531), AlphaGen Capital Limited (n.º reg. 962757), Henderson Equity Partners Limited (n.º reg. 2606646) (cada uma delas registada na Inglaterra e no País de Gales, com domicílio em Bishopsgate, London EC2M 3AE, Inglaterra, e reguladas pela Financial Conduct Authority) e pela Henderson Management S.A. (n.º reg. B22848, com domicílio em 2 Rue de Bitbourg, L-1273, Luxemburgo, e regulada pela Commission de Surveillance du Secteur Financier). Janus Henderson, Janus, Henderson, Perkins, Intech, Alphagen, VelocityShares, Knowledge. Shared e Knowledge Labs são marcas comerciais da Janus Henderson Group plc ou de uma das suas subsidiárias. © Janus Henderson Group plc. CCAT_1307/0420


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

GESTOR

Muzinich ShortDurationHY HUSD Acc R JPM US Short Duration Bond D (acc) USD BGF US Dollar Short Duration Bd A2 USD UBAM Dynamic US Dollar Bond AC USD PIMCO GIS Low Avrg Dur E USD Inc Franklin US Low Duration A(Mdis)USD AXAIMFIIS US Corp Itmt Bds E EUR Cap H Muzinich Americayield HEUR Acc R Santander Go Short Duration Dollar A AXAWF US High Yield Bonds E Cap EUR H AXAIMFIIS US Short Dur HY E Cap EUR H AB Mortgage Income AX Inc JPM Income Opp A perf (acc) EURH

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

1,44 0,28 0,57 0,20 -0,11 0,15 1,35 2,41 -0,72 2,16 0,44 0,64 0,23

2,28 2,19 2,07 1,58 1,28 1,27 1,21 1,19 0,91 0,63 -0,06 -0,13 -1,00

-6,13 -4,31 -5,51 -6,88 -5,96 -6,56 3,18 2,68 -6,54 1,71 -0,41 -14,71 -0,77

7,04 6,22 6,59 6,50 6,11 7,77 5,29 8,63 6,12 7,52 4,80 14,66 2,99

USD USD USD USD USD USD EUR EUR USD EUR EUR USD EUR

David A. Bowen Cary J. Fitzgerald; Toby Maczka; Thomas F. Musmanno; Scott MacLellan; Christel Rendu de Lint; Philippe Gräub; Scott A. Mather; Jerome M. Schneider; David Yuen; Kent Burns; Sonal Desai; Tina Chou; Frank Olszewski; Guillaume Arnould; Clinton J. Comeaux — Carl Whitbeck; Michael P. Graham; Carl Whitbeck; Peter V. Vecchio; Michael S. Canter; Janaki Rao; William H. Eigen; Jeffrey Wheeler;

AFRICA EQUITY Franklin MENA I(acc)USD

ABC

0,61

2,17

-16,33

19,57

USD

Bassel Khatoun; Salah Khaled Chamma;

ASIA EQUITY JPM Pacific Equity A (dist) USD

ABC

12,56

10,26

16,70

15,29

USD

Aisa Ogoshi; Robert Lloyd;

ASIA EX-JAPAN EQUITY MS INVF Asia Opportunity A Mirae Asset Asia Great Consumer Eq I USD UBS (Lux) ES As Smlr Coms (USD) P-acc Fidelity Asia Pacific Opps A-Acc-EUR T. Rowe Price Asian Opp Eq I USD GS Asia Equity R Acc USD Threadneedle Asia Ins Acc GBP Fidelity Asia Focus A-Dis-USD Schroder ISF Asian Opports C Acc USD AS SICAV I Asia Pac Eq X Acc USD Schroder ISF Asian Ttl Ret C Acc USD JPM Asia Pacific Equity A (acc) USD Fidelity Emerging Asia A-Acc-USD Templeton Asian Growth A(Ydis)USD AS SICAV I Asn Smllr Coms X Acc USD

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

11,11 11,24 13,33 12,42 11,47 11,06 10,67 11,60 7,70 9,86 10,15 8,55 7,64 2,98

22,66 13,05 11,63 11,12 10,55 9,89 8,85 7,78 6,79 6,29 6,20 5,92 4,80 3,35 1,11

38,92 19,54 27,23 11,40 15,66 21,59 17,39 10,69 11,80 9,47 12,69 11,62 1,90 12,68 -3,41

18,89 15,63 16,03 18,40 16,52 16,72 17,85 16,48 18,17 15,54 15,90 16,73 16,57 17,61 16,93

USD USD USD EUR USD USD GBP USD USD USD USD USD USD USD USD

Kristian Heugh; Krace Zhou; Anil Agarwal; Joohee An; Sol Ahn; Raymond M. Wong; Projit Chatterjee; Shou-Pin Choo; Anthony Srom Eric C. Moffett — Soo Nam Ng; George Gosden; Dhananjay Phadnis Toby Hudson — King Fuei Lee; Robin Parbrook; Mark Davids; Oliver R. Cox; Alice Wong; Teera Chanpongsang Sukumar Rajah; Eric Mok; —

CONSUMER GOODS & SERVICES SECTOR EQUITY Fidelity Global Cnsmr Inds A-Dis-EUR ABC Pictet-Premium Brands I EUR ABC

11,29 7,18

13,34 10,61

15,08 5,84

13,41 16,10

EUR EUR

Aneta Wynimko Caroline Reyl; Laurent Belloni;

EQUITY MISCELLANEOUS Pictet-Water I EUR Pictet-Nutrition I EUR

ABC ABC

10,15 6,75

9,51 8,60

6,04 6,76

15,56 13,12

EUR EUR

Hans Peter Portner; Philippe Rohner; Louis Veilleux; Cédric Lecamp; Gertjan Van der Geer; Alice De Lamaze; Mayssa Al Midani;

EUROPE EMERGING MARKETS EQUITY Amundi Fds Russian Equity A EUR C Schroder ISF Emerging Europe C Acc EUR

ABC ABC

12,34 8,57

7,81 1,17

-5,38 -13,18

21,45 22,95

EUR EUR

Andrea Salvatori; Marcin Fiejka; Mohsin Memon; Rollo Roscow;

EUROPE EQUITY LARGE CAP Fidelity FAST Europe A-ACC-EUR Fidelity European Dynamic Gr A-Dis-EUR Allianz Europe Equity Growth W EUR AXAWF Fram Switzerland A Cap EUR Jupiter European Growth L EUR Acc BGF Continental Eurp Flex E2 EUR Threadneedle European Sel Ins Acc GBP MFS Meridian European Value A1 EUR BGF European Special Situations A2 EUR BSF European Opps Extension A2 EUR Threadneedle European Ins Acc GBP JPM Europe Strategic Growth A (dist) EUR Allianz Euroland Equity Growth AT EUR Fidelity Germany A-Dis-EUR MFS Meridian European Smlr Coms A1 EUR MFS Meridian European Research A1 EUR MFS Meridian European Core Eq A1 EUR Candriam SRI Equity EMU R EUR Acc Eleva UCITS Eleva Eurp Sel I EUR acc Pictet-Quest Europe Sust Eqs I EUR GAM Star Continental Eurp Eq Ord USD Acc DWS Invest II Eurp Top Div XC CS (Lux) European Div Plus Eq EB EUR M&G (Lux) Pan European Select C EUR Acc BGF Euro-Markets A2 EUR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

7,05 10,00 8,73 9,79 7,49 7,88 7,26 6,97 6,54 10,06 5,02 6,78 6,85 5,33 5,31 4,20 5,51

14,27 12,12 9,72 9,57 8,66 8,24 8,09 7,90 7,45 7,01 6,35 6,18 6,09 5,71 5,36 5,20 4,33 4,08 4,01 3,82 2,89 2,37 2,19 2,10 1,56

10,76 9,79 20,79 10,84 5,90 16,39 10,38 3,54 9,96 10,26 6,61 3,16 15,30 5,83 3,53 1,45 -1,47 5,00 3,71 0,97 10,32 1,25 -3,65 -0,13 6,74

13,81 14,21 16,90 12,14 14,26 16,53 14,03 13,15 15,18 15,94 15,05 15,15 17,19 17,38 16,28 13,34 14,55 16,15 17,11 13,92 16,44 13,18 12,26 16,22 16,57

EUR EUR EUR EUR EUR EUR GBP EUR EUR EUR GBP EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR USD EUR EUR EUR EUR

Fabio Riccelli; Karoline Rosenberg; Fabio Riccelli; Karoline Rosenberg; Thorsten Winkelmann; Robert Hofmann; Guillaume Robiolle; Hervé Mangin; Mark Heslop; Mark Nichols; Alister M. Hibbert; Giles Rothbarth; Dave Dudding; Benjamin Moore; Florence Taj; Gabrielle G. Gourgey; Benjamin Tingling; Michael Constantis David Tovey; Christopher Sykes; Paul Doyle; Frederic Jeanmaire; Michael Barakos; Ben Stapley; Andreas Hildebrand; Marcus Morris-Eyton; Darina Valkova; Christian Von Engelbrechten Peter F. Fruzzetti; Sandeep Mehta; Gabrielle G. Gourgey Gabrielle G. Gourgey; Roger M. Morley; Benjamin Tingling; Geoffroy Goenen; Laurent Milliat; Eric Bendahan Laurent Nguyen Nial Gallagher Stephan Werner; Marc Althaus; Nicola Nolè; Felix Maag; John William Olsen Andreas Zoellinger; Tom Joy;

30 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

4,33 4,20 4,44 3,87 2,58 4,34 3,81


ANTON HEESE

Executive Director Equipa de Rendimento Fixo Global LEON GRENYER

Managing Director Equipa de Rendimento Fixo Global

Seja oportunista em seus investimentos em renda fixa Acreditamos que no atual cenário de instabilidade econômica, conjugado com as rentabilidades mais baixas de sempre e uma duração dos índices cada vez mais longa, as melhores oportunidades em rendimento fixo surgem dos fundos de rendimento fixo dinâmicos e com sentido de oportunidade, como é o caso do nosso European Fixed Income Opportunities Fund. A recente volatilidade nos mercados financeiros recorda aos investidores o papel vital que o a renda fixa desempenha na cobertura da volatilidade de outros ativos financeiros. A resposta dos decisores políticos à crise provocada pela Covid superou tudo o que alguma vez foi feito em anteriores crises, com os bancos centrais agindo com rapidez e de forma drástica. Esta resposta em termos de política monetária levou à queda acentuada das rentabilidades instead of rendibilidades em todo o mundo, gerando aqueles retornos não correlacionados esperados pelos investidores dos investimentos em em renda fixa. Contudo, no atual contexto de baixa rentabilidade (mais de 15 biliões de USD em obrigações estão com rentabilidade negativas), o investimento em rendimento fixo tornou-se mais desafiante. Os emitentes aproveitaram as baixas rentabilidade para emitir obrigações com um prazo de vencimento mais alargado e a duração dos indicadores de referência do rendimento fixo foi prolongada para níveis sem precedentes. Consequentemente, as rendibilidades provenientes de produtos de rendimento fixo tradicionais são as mais baixas de sempre, ao passo que o risco de crédito é superior. Ainda assim, tendo em conta o cenário de instabilidade económica que os mercados enfrentam, este não é o momento para se desfazer do rendimento fixo em carteira. A situação atual exige uma abordagem mais sofisticada para retirar do rendimento fixo os habituais benefícios, mas sem acrescentar risco à carteira ao prolongar a duração com rendibilidades muito negativas. Este é o momento certo para uma abordagem com um sentido mais oportuno ao rendimento fixo que não esteja associada a um indicador de referência, mas sim uma que seja gerida de forma mais dinâmica, alterando taticamente © 2020 Morgan Stanley. Todos os direitos reservados.

RICHARD CLASS

Managing Director Equipa de Rendimento Fixo Global

o posicionamento de forma a ficar alinhado com o cenário econômico e acrescentando coberturas em função das exigências dos fatores fundamentais. Nestas condições de mercado, acreditamos que este é o momento certo para os investidores ponderarem o nosso fundo MS INVF European Fixed Income Opportunities (EFIO). MS INVF European Fixed Income Opportunities Fund Classe Z Ações Desempenho do Investimento (% líquido de comissões) em EUR Cumulativo (%)

Anualizado (% anual)

Ȼ

Ƚ

YTD

Ȼ¸¹

ȺʦȽɁ

ȽʦȺȺ

Ⱥʦɀȼ

ȺʦɃɀ

Ƚ¸¹½ ȿ¸¹½

ȻʦȻȻ

Ȼʦȿɂ

LanŤamento

ȻʦȿɃ

Retornos no ano civil (%) ȼȺȻɃ

ȼȺȻɂ

ȼȺȻɁ

ȼȺȻɀ

ȼȺȻȿ

ȿʦȺɃ

ʙȽʦɀȾ

Ⱦʦɀȼ

ȼʦȺɀ

ȺʦȾɂ

Dados a partir de 31/08/2020. O desempenho passado não é um indicador fiável do desempenho futuro. Os retornos tanto podem aumentar como baixar devido às flutuações cambiais. Todos os dados de desempenho são calculados entre valores líquidos do ativo (VLA a VLA), líquidos de encargos, e não contemplam as comissões e os custos incorridos com a emissão e resgate de unidades de participação. A fonte de todos os dados de desempenho e dos índices é a Morgan Stanley Investment Management. A equipa de investimento não visa a equiparação a um índice de referência quando gere a carteira. Reservado apenas aos clientes profissionais. Comunicação de marketing emitida pela Morgan Stanley Investment Management Limited (“MSIM”). Autorizada e regulamentada no Reino Unido pela Financial Conduct Authority. Sede: 25 Cabot Square, Canary Wharf, London E14 4QA. Registada em Inglaterra e no País de Gales com o número 1981121. Este tipo de investimento envolve riscos adicionais. Consulte o Prospeto e o Documento de informação fundamental destinada aos investidores respeitantes ao Fundo para obter todas as informação sobre os riscos. Os documentos estão disponíveis, gratuitamente, no endereço supramencionado ou online em morganstanley. com/im. As opiniões expressas são da responsabilidade dos autores no momento da publicação e estão sujeitas a alterações de acordo com as condições económicas e de mercado. Não nos responsabilizamos pela atualização das informações/pontos de vista expressos neste documento ou que de alguma forma comunique alterações nas nossas opiniões ou nas nossas pesquisas ou informações. 3247189 Exp. 30/09/2021

9904893


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

2,59 2,34 1,37 3,30

-2,58 -3,32 0,49 -2,44 -5,76 -5,33 -5,40 -3,12 1,92 -1,85 -5,64 -4,33 -3,13 -3,13 -7,55 -5,68 -8,37 -7,59 -5,83 -11,07 -9,26 -11,55 -3,52 -10,41 -12,18 -7,73 -12,35 -15,50

14,80 11,78 17,62 17,21 16,51 16,57 16,61 16,33 17,98 16,77 13,83 17,85 17,63 18,51 15,41 16,66 18,52 16,90 18,37 14,23 18,72 15,07 18,58 16,40 20,14 18,83 17,14 20,04

EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR USD EUR EUR EUR

Roland Riat; Jean−Michel Piuz; Melchior Dechelette; Olivier Avertin; Alexandra Hartmann; Terry Raven; Lionel Brafman Laurent Lagarde; Henri Fournier; Matt Siddle; Helen Powell; Matt Siddle; Helen Powell; Alexander Fitzalan Howard; Stephen Macklow-Smith; Philippa Clough; Martin Skanberg — Scander Bentchikou Richard Webb; Stephen Macklow-Smith; Philippa Clough; Fabio Di Giansante; Lorenzo Angelini; Nick Sheridan Michael Fraikin; Thorsten Paarmann; Leticia Santaolalla Tawhid Ali; Andrew Birse; Michael Barakos; Nicholas Horne; Ben Stapley; Richard Halle Ian Paczek; Patrick Zimmermann; Urs Räbsamen; Tawhid Ali; Andrew Birse; Fabio Riccelli; Karoline Rosenberg; Mac Elatab; Dylan Ball; Peter M. Moeschter; Jörg de Vries-Hippen; Gregor Rudolph-Dengel; Andreas Wosol; Roberto Campani; John Surplice; Martin Walker; Tim Marshall; Michael Barakos; Ian Butler; Thomas Buckingham; Michael Barakos; Ian Butler; Thomas Buckingham;

GESTOR

Pictet-Europe Index P EUR Amundi Fds Eurp Equity Cnsv G EUR C Fidelity Euro Blue Chip A-Dis-EUR Amundi IS MSCI EMU AE-C BNP Paribas Eur MulFtr Eq I EUR C Fidelity European Growth A-Dis-EUR Fidelity European Lgr Coms A-Dis-EUR JPM Europe Equity A (dist) EUR Schroder ISF EURO Equity C Acc EUR GS Europe CORE® Equity Base Acc EUR Lazard Dividendes Min VaR C JPM Euroland Equity A (dist) EUR Amundi Fds Euroland Equity C EUR C Janus Henderson Hrzn Euroland A2 EUR Invesco Pan Eur StructEq E EUR Acc Santander Acções Europa CA FIMAA AB European Eq Ptf C Acc JPM Europe Equity Plus D perf (acc) EUR M&G (Lux) Eurp Strat Val CI EUR Acc UBS (Lux) ES Euro Countrs Inc€ P-acc AB Eurozone Eq Ptf CX Acc Fidelity Iberia A-Dis-EUR Templeton Euroland W (Acc) EUR Allianz European Equity Div AT EUR Amundi Fds European Eq Val A USD C Invesco Pan European Equity A EUR Acc JPM Europe Strategic Dividend D (acc)EUR JPM Europe Strategic Value A (dist) EUR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

1,59 1,51 2,14 3,47 3,61 2,23 2,62 1,21 2,13 0,22 0,50 0,81 -0,07 0,34 0,44 2,76 -0,28 1,22 -0,64 -0,69 -2,62 -2,87 -2,40

1,51 1,25 1,12 0,78 0,65 0,33 0,33 0,20 0,09 0,07 -0,57 -0,79 -1,46 -1,72 -2,34 -2,34 -2,55 -2,55 -2,58 -2,65 -2,67 -3,33 -3,56 -4,43 -4,83 -4,95 -5,15 -8,29

EUROPE EQUITY MID/SMALL CAP Echiquier Agenor SRI Mid Cap Europe A Threadneedle (Lux) Pan Eurp SmCpOpps ZE T. Rowe Price Eurp Smlr Cm Eq I EUR Oddo BHF Avenir Europe CR-EUR BNP Paribas Europe Small Cap I C Fidelity European Smlr Coms A-Dis-EUR Janus Henderson Hrzn PanEurpSmrComs A2€

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

11,11 9,74 9,50 8,42 5,36 5,39 5,55

11,04 9,55 6,16 5,57 4,78 3,45 0,70

15,76 18,26 23,98 9,63 1,77 5,61 11,29

14,64 18,42 19,99 16,57 18,37 21,80 24,45

EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR

Stéphanie Bobtcheff; José Berros; Guillaume Puech; Philip Dicken; Mine Tezgul; Ben Griffiths Pascal Riegis; Sébastien Maillard; Grégory Deschamps; Damien Kohler; Fiona Wills; Joseph George Edwards; James Maun; Ollie Beckett; Rory Stokes;

FINANCIALS SECTOR EQUITY Polar Capital Global Ins I EUR Acc Fidelity Global Financial Svcs A-Dis-EUR

ABC ABC

6,94 3,37

5,16 1,19

-11,74 -3,73

15,33 17,62

EUR EUR

Nick Martin Sotiris Boutsis

GLOBAL EMERGING MARKETS EQUITY GS BRICs Eq E Acc EUR Fidelity Emerging Mkts Foc I-Acc-USD Capital Group New World (LUX) Z JPM Emerging Markets Equity D (acc) USD Candriam SRI Equity Em Mkts R EUR Acc Federated Hermes Glb Em Mkts R EUR Acc Nordea 1 - Emerging Mkts Foc Eq BP EUR Wells Fargo (Lux) WF EM Eq I EUR Acc T. Rowe Price EM Eq I USD Schroder ISF Em Mkts C Acc USD Templeton Emerging Markets A(Ydis)USD Vontobel mtx Sust EmMkts Ldrs B USD Fidelity Em Mkts A-DIST-USD JPM Em Mkts Small Cap A (acc) perf USD BGF Emerging Markets Eq Inc A2 USD BMO Responsible Glb Em Mkts Eq A Inc USD GS EM CORE Eq I Acc USD Close MFS Meridian Emerging Mkts Eq I1 EUR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

12,09 11,23 8,94 11,19 9,55 10,31 3,63 9,71 9,69 8,86 9,33 10,84 7,21 6,80 7,61 7,28 7,73 7,13

9,98 8,86 8,29 8,08 6,88 5,30 5,09 4,97 4,62 4,54 4,20 4,15 3,99 2,73 2,72 2,63 2,09 1,65

15,30 6,91 9,31 13,67 18,10 11,31 10,14 9,32 4,99 7,38 9,43 6,29 6,95 1,17 -2,28 -2,73 7,52 -0,39

18,09 15,82 15,36 17,41 16,64 17,91 16,27 17,29 16,87 17,26 18,13 15,24 17,53 17,47 16,37 14,49 16,46 17,84

EUR USD USD USD EUR EUR EUR EUR USD USD USD USD USD USD USD USD USD EUR

— Alex Duffy Robert W. Lovelace; Carl M. Kawaja; Jonathan Knowles; Austin Forey; Leon Eidelman; Philip Screve; Mohamed Lamine Saidi; Jan Boudewijns; Gary Greenberg Jerry Zhang; Derrick Irwin; Richard Peck; Gonzalo Pangaro Robert Davy; Tom Wilson; Andrew Ness; Chetan Sehgal; Roger Merz; Thomas Schaffner; Nick Price; Amit Goel; Austin Forey; Amit Mehta; Emily Fletcher; Stephen Andrews; Sam Mahtani; Rishikesh Patel; Gokce Bulut; — José Luis García; Robert W. Lau; Harry Purcell;

GLOBAL EQUITY LARGE CAP MS INVF Global Opportunity Z Robeco Global Consumer Trends D € DPAM INVEST B Eqs NewGems Sust A Dis Seilern World Growth CHF H R Threadneedle (Lux) Global Focus ZU CPR Invest Glbl Dsrpt Opp A EUR Acc Fundsmith Equity I Acc NSF SICAV Wealth Defender Glbl Eq I USD Capital Group New Pers (LUX) Z Mirabaud Sustainable Glbl Fcs A USD Acc

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

22,11 17,01 14,98 14,29 15,18

24,03 21,48 21,00 18,32 17,90 17,22 16,18 15,46 14,75 14,44

38,83 29,96 34,32 18,63 19,04 28,14 10,78 13,61 20,53 3,51

17,82 15,35 16,13 15,59 14,26 19,56 14,66 14,38 15,95 13,87

USD EUR EUR CHF USD EUR GBP USD USD USD

Kristian Heugh Richard Speetjens; Jack Neele; Alexander Roose; Dries Dury; Quirien Lemey; Marco Lo Blanco; Michael Faherty; Dave Dudding Estelle Ménard; Wesley Lebeau; Terry Smith Tanguy Besrest Robert W. Lovelace; Steven T. Watson; Jonathan Knowles; Anu Narula; Paul Middleton;

32 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

15,90 12,53 9,23


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20 VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

8,49 6,66 17,14 10,42 8,64 18,74 9,91 5,75 15,69 12,48 11,55 11,22 6,79 8,75 10,39 6,78 5,23 5,33 -1,69 -0,69 7,71 2,73 0,69 -0,58 -7,33 13,22 10,40 -8,52 -5,75 4,59

13,30 12,93 15,76 16,77 12,89 16,40 14,30 13,82 15,31 16,00 14,55 14,77 13,70 15,68 16,02 12,85 15,43 17,66 13,88 15,31 16,52 10,30 17,38 19,81 13,23 17,12 18,22 14,08 11,01

USD USD EUR USD USD EUR USD USD EUR USD EUR USD EUR EUR EUR USD GBP USD USD USD EUR EUR EUR EUR USD EUR EUR USD EUR EUR

William D. Lock; Bruno Paulson; Vladimir A. Demine; Nathan Wong; William D. Lock; Christian Derold; Bruno Paulson; Vladimir A. Demine; Jamie Jenkins; Nick Henderson; Yves Kramer; Alexandre Mouthon; Rachele Beata; Clyde Rossouw Gabriel Micheli; Luciano Diana; Yi Du; Matthew Benkendorf; Ramiz Chelat; — Martin Moeller; Fares Benouari; Hans Peter Portner Rui Araújo Paul Schofield; Jeremy Kent; — — Jeremy Philip Elliot Podger; Jamie Peter Harvey; Clyde Rossouw; Abrie Pretorius; Matt Jones; Hiten Savani; — Laurent Nguyen Roger M. Morley; Ryan P. McAllister; Helge Skibeli; Rajesh Tanna; Timothy Woodhouse; Daniel Roberts — Stuart Rhodes Robert Hay; Jonathan Bell; Paul Flood; Ilga Haubelt; Tina M. Sadler; Maarten Bloemen; Katherine S. Owen; Bruno Bertocci; Joseph R. Elegante; Alix Foulonneau; Ian Paczek; Patrick Zimmermann Egloff; Urs Räbsamen; Thomas Schüssler; Stephan Werner; Alex Araujo

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

GESTOR

MS INVF Global Quality Z MS INVF Global Brands A BMO Responsible Global Equity A Inc EUR Pictet-Security I USD Ninety One GSF Glb Frchs IX Acc USD Pictet - Global Envir Opps I EUR Vontobel Global Equity N USD BNY Mellon Long-Term Glbl Eq USD C Acc UBAM 30 Global Leaders Equity AHC EUR Pictet-Global Megatrend Sel Z USD BPI Ações Mundiais FIAA Allianz Global Sustainability A USD Caixa Ações Líderes Globais FIMAA Vanguard ESG Dev Wld All Cp Eq IdxEURAcc Fidelity World A-Dis-EUR Ninety One GSF Glb Qual Eq Inc IX Inc $ Fidelity FIRST All Country Wld I-Acc-GBP GS Global CORE® Eq R Acc USD Snap Pictet - Quest Global Equities I USD MFS Meridian Global Equity A1 USD JPM Global Focus D (acc) EUR Fidelity Global Dividend A-Acc-EUR Hdg AXA Rosenberg Glb Eq Alpha E EUR Acc M&G (Lux) Glb Dividend CI EUR Acc BNY Mellon Global Equity Inc USD C Inc Templeton Glb Climate Change A(Ydis)EUR UBS (Lux) ES L/T Thms $EUR H P UBS(LUX) ES Glb Hi Div USD P-acc DWS Invest Top Dividend FC M&G (Lux) Glb Themes C EUR Acc

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

11,80 12,21 10,60 10,84 11,22 12,30 11,88 10,50 10,23 10,83 10,93 9,97 10,30 8,71 8,75 8,50 7,41 8,54 7,97 7,19 6,69 6,09 5,18 6,75 5,96 3,94 4,30 3,88

13,89 13,79 13,35 13,17 12,62 12,58 12,52 12,37 12,21 11,90 11,51 11,27 10,68 9,54 9,45 8,68 8,03 7,30 7,26 6,73 6,35 5,15 5,13 4,82 4,33 4,15 4,01 2,77 1,87

GLOBAL EQUITY MID/SMALL CAP Nordea 1 - Global Climate & Envir BI EUR BNP Paribas Climate Impact I C Vanguard Global Small-Cap Idx USD Acc

ABC ABC ABC

13,29 11,10 5,89

11,54 9,74 4,01

18,28 12,83 -1,41

17,39 17,23 20,37

EUR EUR USD

Thomas Sørensen; Henning Padberg; Bruce Jenkyn-Jones; Jon Forster; —

GREATER CHINA EQUITY UBS (Lux) EF China Oppo(USD) P USD acc Invesco China Focus Equity E EUR Acc AB China Low Vol Eq Portf S Acc Fidelity China Consumer A-Acc-EUR

ABC ABC ABC ABC

19,95 13,81 12,75 12,56

18,40 12,04 9,74 9,43

27,42 22,84 19,24 23,10

16,88 16,51 17,17 17,70

USD EUR USD EUR

Bin Shi; Denise Cheung; Morris Wu; Mike Shiao Stuart Rae; John Lin; Raymond Ma; Hyomi Jie;

HEALTHCARE SECTOR EQUITY BGF World Healthscience A2 USD Candriam Eqs L Biotech R USD Cap

ABC ABC

7,84 4,95

13,41 7,99

10,77 22,37

13,50 20,74

USD USD

Erin Xie Rudi Van den Eynde; Servaas Michielssens;

INDIA EQUITY Schroder ISF Indian Opports C Acc USD Schroder ISF Indian Equity C Acc USD Franklin India I(acc)USD Mirae Asset India Sector Leader Eq I USD

ABC ABC ABC ABC

5,10 4,11 3,08 2,88

1,74 -0,57 -1,61 -2,72

-5,32 -8,89 -1,89 -9,58

21,86 21,83 24,31 23,96

USD USD USD USD

— Manish Bhatia Sukumar Rajah Rahul Chadha; Saniel Chandrawat;

INFRASTRUCTURE SECTOR EQUITY LM ClearBridge Infras Val A EUR Acc

ABC

0,49

-6,80

14,32

EUR

Richard Elmslie; Nick Langley; Charles Hamieh; Shane Hurst;

JAPAN EQUITY JPM Japan Equity A (dist) USD T. Rowe Price Japanese Equity I EUR Threadneedle Japan Ins Acc GBP Jupiter Japan Select D USD Acc GS Japan Equity Base Acc JPY Invesco Japanese Eq Adv A JPY Acc AS SICAV I Japanese Eq X Acc JPY Vanguard Jpn Stk Idx $ Acc Pictet-Japanese Equity Opps I GBP Schroder ISF Japanese Eq C Acc JPY Janus Henderson Hrzn Jpn Smr Coms A2 USD BNP Paribas Japan Sm Cp Cl C

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

10,16 11,19 6,74 6,01 4,97 7,24 5,12 4,26 5,10 4,30 6,86 8,02

13,19 9,79 8,59 6,87 5,78 5,75 4,01 3,89 3,14 2,48 0,66 0,34

16,39 15,67 13,99 1,78 5,83 2,04 9,96 1,31 0,33 -1,77 0,00 6,01

17,17 16,01 14,86 15,04 13,39 14,71 14,57 13,45 15,94 13,77 17,38 16,71

USD EUR GBP USD JPY JPY JPY USD GBP JPY USD JPY

Nicholas Weindling; Shoichi Mizusawa; Miyako Urabe; Archibald A. Ciganer Daisuke Nomoto Dan Carter; Mitesh Patel; Ichiro Kosuge Tadao Minaguchi — — Sam Perry; Adrian Hickey; Serena Robinson; Kazuhiro Toyoda Yun Young Lee Shunsuke Matsushima; Tadao Kimura;

LATIN AMERICA EQUITY Nordea 1 - Latin American Equity BP EUR

ABC

2,66

-6,10

-28,59

29,98

EUR

William Scott Piper

NATURAL RESOURCES SECTOR EQUITY BGF World Mining A2 USD Pictet-Timber I EUR Amundi Fds CPR Global Resources AU-C

ABC ABC ABC

12,01 5,86 8,32

6,13 4,80 2,50

17,05 15,43 -2,85

24,89 23,23 21,93

USD EUR USD

Evy Hambro; Olivia Markham; Gabriel Micheli; Christoph Butz; Mikael Jafs; Arnaud du Plessis; Stéphane Soussan;

34 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


BRUNO BERTOCCI

Head of the Global Sustainable Equities team

A luta contra as alterações climáticas é imparável

O AUMENTO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL E AS MUDANÇAS REGULATÓRIAS TORNARAM O INVESTIMENTO NO CLIMA A NOVA NORMA PARA OS INVESTIDORES. À MEDIDA QUE A NOSSA SOCIEDADE E ECONOMIA CAMINHAM PARA UM NOVO MODELO ECONÔMICO COM MENORES EMISSÕES DE CARBONO, UM NÚMERO CRESCENTE DE INVESTIDORES PERGUNTA-SE COMO PODEM ALINHAR A SUA CARTEIRA COM AS MUDANÇAS NECESSÁRIAS, MANTENDO AO MESMO TEMPO OS SEUS OBJETIVOS DE INVESTIMENTO A LONGO PRAZO.

máticos signicativamente mais favoráveis. Essas empresas reconhecem a necessidade de mudança e os investidores podem apoiar a transição para um mundo com menos carbono. Na verdade, é extremamente importante que as emissões globais de gases de efeito estufa (GEE) caiam drasticamente para enfrentar com ecácia os riscos das mudanças climáticas e do aquecimento global. No entanto, em muitas ocasiões, os desejos dos investidores de impulsarem uma economia de baixas emissões de carbono têm sido limitados pela falta de informação sobre dados climáticos, seja devido à falta de divulgação da empresa ou à incapacidade de vincular a estratégia de investimento aos resultados do modelo climático.

Por conseguinte, na UBS AM, estamos a trabalhar numa combinação de modelos climáticos desenvolvidos internamente. Por um lado, um modelo quantitativo -ClimateAware Glide Path- que compara a tendência da pegada de carbono da empresa em relação à redução das emissões exigidas pelo cenário de aquecimento global de 2 graus, estimando assim a probabilidade de a empresa atingir esses objetivos. Por outro lado, uma avaliação qualitativa do perl climático e ambiental da empresa, potenciado pela nossa atividade de “engagement”. Estamos convencidos de que uma combinação de uma análise profunda e um “engagement” empresarial ativo pode ajudar a mudar para melhor o perl ambiental do mundo.

Historical and Projected GHG Emissions (GtCO2eq) to 20301 Global GHG Emissions (GtCO2eq)

Na UBS AM abordamos as mudanças climáticas como um problema sistêmico, olhando para a economia de uma forma global para encontrar os líderes na gestão das alterações climáticas. Investimos em empresas a nível global que tenham um valor atrativo mas que também demonstrem liderança em três categorias: mitigação do clima (empresas que lidam com a suas próprias operações), adaptação climática (produtos e serviços que fornecem soluções para um futuro de baixas emissões de carbono) e transição climática (empresas que transformam os seus modelos de negócios). Quando pensamos no desao que as alterações climáticas representam, olhamos para a economia de uma forma holística, analisando as mudanças em todos e em cada um dos setores de atividade. Isso signica encontrar empresas líderes em tecnologias de eciência energética, como mobilidade inteligente e agricultura de precisão, todas elas com potencial para transformar o meio ambiente. Também procuramos investir em empresas produtoras de energia que estão a transitar para um modelo de baixas emissões de carbono. Os investidores podem fazer a diferença se apostarem por empresas que atualmente são emissoras de carbono, mas que têm uma estratégia clara para mudar para pers cli-

60 Current Policies

55

Pledges & Targets

50 45 40 35

2.0º Escenario

30 25 1.5º Escenario

20 1990

1995

2000

2005

SourceClimate Action Tracker (2018)

2010

2015

2020

2025

2030


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

GESTOR

PRECIOUS METALS SECTOR EQUITY DWS Invest Gold and Prec Mtl Eqs FC BGF World Gold A2 USD

ABC ABC

24,14 18,98

23,06 15,87

35,37 33,27

33,01 32,02

EUR USD

Eugene Bidchenco; Scott Ikuss; Evy Hambro; Thomas Holl;

REAL ESTATE SECTOR EQUITY Janus Henderson Hrzn PanEurpPtyEqs A2EUR Janus Henderson Hrzn GlblPtyEqsA2USD Neuberger Berman Glb RE Secs USD I Acc MS INVF Global Property I

ABC ABC ABC ABC

5,58 6,05 4,37 -1,91

7,33 6,06 4,03 -4,27

0,82 -9,30 -11,95 -21,96

18,10 16,50 14,88 18,46

EUR USD USD USD

Guy Barnard; Nicolas Scherf; Guy Barnard; Tim Gibson; Greg Kuhl; Steve S. Shigekawa; Brian C. Jones; Gillian Tiltman; Anton Kwang; Theodore R. Bigman; Michiel te Paske; Sven Van Kemenade;

TECHNOLOGY SECTOR EQUITY JPM US Technology A (dist) USD Polar Capital Global Tech I Inc Janus Henderson Glb Tech&Inno I2 USD Franklin Technology A Acc USD Fidelity Global Technology A-Dis-EUR Janus Henderson Hrzn GlbTechLdrs A2USD Pictet - Robotics Z USD Pictet-Digital PUSD JPM Europe Dynamic Techs Fd A (dist) EUR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

27,34 27,41 25,79 24,80 22,33 20,62 16,23 15,33

34,37 30,05 29,18 29,00 23,55 21,73 19,92 14,45 14,45

47,09 46,54 43,71 46,06 34,38 32,25 30,22 20,78 23,20

23,39 18,94 18,54 20,43 18,52 19,03 21,33 16,28 19,19

USD USD USD USD EUR USD USD USD EUR

Timothy RV Parton; Joseph Wilson; Ben Rogoff; Nick Evans; Fatima Lu; J. Bradley Slingerlend; Denny Fish; John P. Scandalios; James Cross; Jonathan Curtis; HyunHo Sohn Alison Porter; Graeme Clark; Richard Clode; Peter Lingen; John Gladwyn; Sylvie Sejournet; Olivier Djopwouo; Stanislas Effront; Jonathan Ingram; John Baker; Alex Whyte;

UK EQUITY LARGE CAP Threadneedle UK Extnd Alpha Ins Acc GBP GlobalAccess UK Opportunities Z Acc GBP

ABC ABC

-1,26 -1,40

-2,04 -2,40

-14,66 -15,08

20,14 17,37

GBP GBP

Chris Kinder Stephen Peters

US EQUITY LARGE CAP BLEND Wells Fargo (Lux) WF USAllCpGr I USD Acc Santander GO North American Equity B Franklin US Opportunities A(acc)USD Ninety One GSF American Fran A Inc USD JPM US Select Equity A (acc) USD Vanguard U.S. 500 Stk Idx $ Acc Amundi IS MSCI North America AE-C Amundi IS S&P 500 A4E-C Pictet-USA Index P USD AXA Rosenberg US Enh Idx Eq Alp B $ Acc T. Rowe Price US Eq I USD GS US CORE® Equity Base Acc USD Close NN (L) US Enh Cr Concntr Eq X Cap USD Neuberger Berman US MltCp Opps USD1 IAcc BNP Paribas US Mul-Ftr Eq Cl Acc Capital Group Inv Co of Amer(LUX) Z Merian North American Equity I USD Acc

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

18,11 17,99 14,82 14,66 11,76 12,20 11,81 11,71 11,87 11,02 10,97 10,93 9,52 10,06 9,85 9,40 10,38

24,69 22,79 21,23 16,59 14,57 13,52 13,33 13,24 13,22 12,62 12,22 11,88 10,61 10,13 9,95 9,85 9,45

27,36 41,32 28,23 10,40 17,51 11,55 12,31 11,39 11,25 11,20 7,00 11,70 6,19 2,47 -0,14 7,94 7,76

20,65 18,87 18,71 14,56 17,50 16,64 17,26 16,98 16,62 16,71 15,84 17,14 17,22 18,34 16,89 15,32 18,62

USD USD USD USD USD USD EUR EUR USD USD USD USD USD USD USD USD USD

Thomas C. Ognar; Joseph M. Eberhardy; Robert Gruendyke; — Grant Bowers; Sara Araghi; Paul Vincent Steven G. Lee; Scott Davis; — Arnaud Choblet Shan Zhao Stéphane Cornet; David Billaux; — Jeffrey Rottinghaus — Vincent J. Costa Richard S. Nackenson Laurent Lagarde; Henri Fournier; James B. Lovelace; Donald D. O'Neal; Joyce E. Gordon; Ian Heslop; Amadeo Alentorn; Mike Servent;

US EQUITY LARGE CAP GROWTH MS INVF US Growth I MS INVF US Advantage I Brown Advisory US Equity Growth $ B Wells Fargo (Lux) WF USLrgCpGr IEUR Acc T. Rowe Price US Blue Chip Eq Q USD AB American Gr Ptf C Acc Legg Mason CB US Lg Cp Gr A USD Acc Seilern America USD U R MFS Meridian US Concentrated Gr A1 USD Amundi Fds Pinr US EqFdm Gr C USD C Vontobel US Equity C USD

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

26,55 21,90 18,03 18,43 18,05 16,43 15,99 17,11 14,33 12,40 11,95

35,71 29,92 26,02 24,10 23,37 20,93 20,23 19,36 18,02 15,90 13,09

64,95 43,63 25,53 22,57 28,51 25,51 25,36 12,89 9,76 17,75 5,57

23,63 19,90 16,79 17,47 18,62 14,96 16,94 15,53 15,96 16,01 15,55

USD USD USD EUR USD USD USD USD USD USD USD

Dennis P. Lynch; David S. Cohen; Sandeep (Sam) G. Chainani; Dennis P. Lynch; David S. Cohen; Sandeep (Sam) G. Chainani; Kenneth M. Stuzin Michael T. Smith; Christopher J. Warner; Larry J. Puglia Frank V. Caruso; John H. Fogarty; Vinay Thapar; Peter Bourbeau; Margaret B. Vitrano; Corentin Massin; Quentin Macfarlane; Jeffrey C. Constantino; Joseph Skorski; Paul Cloonan; Andrew Acheson; Edwin Walczak; Matthew Benkendorf; Chul Chang;

US EQUITY LARGE CAP VALUE DWS Invest CROCI US Dividends USD LC AXA Rosenberg US Equity Alpha E (H)€ Acc MFS Meridian US Value A1 USD JPM US Value D (acc) USD Fidelity America A-Dis-USD

ABC ABC ABC ABC ABC

9,57 6,56 5,34 3,97 2,00

8,43 5,42 3,64 3,43 0,56

2,78 7,99 -6,96 -5,63 -10,53

18,25 18,86 16,87 17,93 15,51

USD EUR USD USD USD

Julien Boulliat; Shinil Balakrishnan; — Steven R. Gorham; Nevin P. Chitkara; Katherine Cannan; Clare A. Hart; David Silberman; Andrew Brandon; Angel Agudo; Ashish Bhardwaj;

US EQUITY SMALL CAP T. Rowe Price US Smlr Cm Eq Q USD Fisher Invst Instl US SmCp Cr Eq ESG USD Neuberger Berman US Sm Cap USD Instl Acc BNP Paribas US Small Cap Classic R

ABC ABC ABC ABC

12,44 10,31 6,32

14,57 13,08 12,76 7,03

5,95 10,81 4,91 1,44

19,08 23,47 18,91 22,84

USD USD USD USD

Curt J Organt Kenneth L. Fisher; Jeffery L. Silk; William J. Glaser; Aaron S. Anderson; Judith M. Vale; Robert W. D'Alelio; Geoffry V. Dailey; Pamela J. Woo;

CONVERTIBLES JPM Global Convert (EUR) D (acc) EUR Salar A1 USD BNP Paribas Europe Sm Cp CnvrtI C FvS Global Convertible Bond EUR RT UBS (Lux) BFConvert Eurp EUR P EUR Acc

ABC ABC ABC ABC ABC

4,37 1,82 1,79 0,03 0,37

6,30 2,92 1,16 -1,86 -1,95

21,63 -1,71 1,07 -4,50 -2,93

11,25 7,79 7,16 6,39 9,03

EUR USD EUR EUR EUR

Paul Levene; Hart Woodson; Rupert Mathews Eric Bouthillier; Caroline de Bourleuf; Thorsten Vetter; Carolin Emrich; Uli Sperl; Alain Eckmann;

36 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


Quando se trata de investir, a consistência é importante.

O sucesso está mais associado à consistência do que nunca. Nossa equipe de investimento global é construída sobre uma cultura de colaboração, na qual especialistas debatem e questionam seus melhores idéias para tomar as decisões corretas e alcançar melhores resultados. Descubra como, ao investir conosco, você pode obter a consistência que você está procurando.

columbiathreadneedle.pt

O seu sucesso, a nossa prioridade.

Seu capital está em risco. Emitido por Threadneedle Asset Management Limited. Registrada na Inglaterra e no País de Gales, registrada no 573204, Cannon Place, 78 Cannon Street, Londres EC4N 6AG, Reino Unido. Autorizado e regulamentado no Reino Unido pela Financial Conduct Authority. Columbia Threadneedle Investments é a marca global do grupo de empresas Columbia e Threadneedle. 06.20 | J30673 | 3136384


PANORAMA BARÓMETRO

FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

SELO

RENTABILIDADE ANUAL

DADOS A 28-09-20

5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

GESTOR

COMMODITIES BROAD BASKET CS (Lux) CommodityAllocation EB USD

ABC

-3,94

-2,85

-9,28

12,13

USD

Christopher Schütz

ALTERNATIVE MISCELLANEOUS BSF Global Event Driven A2 USD

ABC

3,07

4,19

-3,92

8,16

USD

Mark McKenna

GLOBAL MACRO JPM Global Macro Opps A (acc) EUR

ABC

1,15

2,96

3,49

6,37

EUR

Shrenick Shah; Josh Berelowitz; Benoit Lanctot;

LONG/SHORT CREDIT Pictet Absolute Ret Fxd Inc ZX USD Legg Mason WA Mcr OppBd A USD Acc Schroder ISF EURO Crdt Abs Rt C Acc EUR M&G (Lux) Absolute Return Bond CI EURAcc GS Glbl Strat Macro Bd I Acc USD Candriam Bds Crdt Opps C EUR Cap BSF Fixed Income Strategies A2 EUR Vontobel Ttfr Abs Ret Crdt AH Hdg EUR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

2,41 4,73

4,07 3,96 1,51 1,31 1,28 0,40 0,38 0,05

-4,60 2,40 0,81 0,37 -2,49 0,24 2,14 0,23

6,37 8,88 5,59 5,57 6,38 2,72 3,56 2,44

USD USD EUR EUR USD EUR EUR EUR

Ella Hoxha; Andres Sanchez Balcazar; — Patrick Vogel Jim Leaviss; Wolfgang Bauer; Michael Swell; Jonathon Orr; Philippe Noyard; Patrick Zeenni; Nicolas Jullien; Michael Krautzberger; Tom Mondelaers; Johan Sjogren; Chris Bowie

LONG/SHORT EQUITY Eleva UCITS Eleva Abs Ret Eurp R EUR acc Schroder GAIA Egerton Equity C Acc EUR Pictet TR - Atlas I EUR Janus Henderson UK Abs Ret R£ Acc Schroder GAIA Sirios US Eq C Acc USD Polar Capital UK Absolute Eq I EUR Hdg

ABC ABC ABC ABC ABC ABC

-2,31 1,24 6,55

6,77 5,94 3,48 2,10 1,85 -1,34

9,93 8,63 9,26 4,69 -12,83 -21,25

4,50 11,50 2,89 7,15 10,24 25,79

EUR EUR EUR GBP USD EUR

Eric Bendahan John C. Armitage Matthieu Fleck Luke Newman; Benjamin Wallace; John F. Brennan

MARKET NEUTRAL Man GLG Alpha Select Alt ILH EUR Acc BSF European Absolute Return A2 EUR Pictet TR - Agora I EUR BSF Americas Div Eq Abs Ret A2 EUR H Marshall Wce Tps MN UCITS EUR C Acc Man GLG European Equity Alt DN EUR Merian Global Equity Abs Ret I EUR H Acc

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

5,37 2,14 3,28 0,14 0,48 -0,23 -2,53

5,38 4,18 3,50 -0,12 -0,79 -1,23 -7,39

3,87 7,23 2,87 0,42 2,95 0,96 -9,64

2,92 3,59 4,07 5,30 6,30 4,37 4,95

EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR

Charles Long; Nick Judge; David Tovey; Stefan Gries; Elif Aktug; Benoît Capiod; Vincent Ijaouane; Raffaele Savi; Travis Cooke; — Neil Mason Ian Heslop; Amadeo Alentorn;

MULTIALTERNATIVE BNY Mellon Glbl Rl Ret (USD) W Acc HSBC GIF Multi-Asset Style Factors IC BNY Mellon Glbl Rl Ret (EUR) W Acc DWS Concept Kaldemorgen EUR FC Pictet TR - Div Alpha J EUR UBAM Multifunds Alternative UC USD Amundi Fds Abs Ret MS A EUR C Franklin K2 Alt Strats I(acc)EUR-H1 Invesco Global Targeted Ret Z EUR Acc LFIS Vision UCITS Premia R EUR LFIS Vision Premia Opportunities IS EUR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

3,61

6,34 4,40 4,38 2,63 1,42 1,14 0,32 -0,18 -2,00 -3,61 -8,34

-1,88 4,18 4,02 0,62 4,62 -6,00 2,83 -1,00 -1,02 -10,88 -27,25

7,60 4,79 6,82 6,49 3,34 7,45 5,00 5,58 2,96 6,53 14,00

USD EUR EUR EUR EUR USD EUR EUR EUR EUR EUR

Suzanne Hutchins; Aron Pataki; Mathieu Guillemet Andrew Warwick; Suzanne Hutchins; Aron Pataki; Klaus Kaldemorgen; Henning Potstada; Christoph-Arend Schmidt; Philippe de Weck; Federico Canè; Kier Boley Davide Cataldo; Francesco Dall'Angelo; Anthony Zanolla; Brooks Ritchey; Robert Christian; David Millar; Sebastian Mackay; Richard Batty; David Jubb; Guillaume Dupin Guillaume Dupin

AGGRESSIVE ALLOCATION MFS Meridian Prudent Wealth I1 USD MFS Meridian Prudent Capital I1 USD BSF Managed Index Port Growth A2 EUR Allianz Dyn MltAst Stgy SRI75 CT EUR Santander Select Dinâmico B FIMA First Eagle Amundi International FU-C

ABC ABC ABC ABC ABC ABC

10,24 8,45 5,36 4,36 1,87 1,77

7,33 3,24 5,45 4,71 2,46 -4,93

5,73 5,85 12,79 12,71 9,70 12,74

USD USD EUR EUR EUR USD

Barnaby M. Wiener; Edward Dearing; Barnaby M. Wiener; David P. Cole; Edward Dearing; Stephen Walker; Christopher Downing; Rafael Iborra; Marcus Stahlhacke; Cordula Bauss; Andreas de Maria Campos; Marta Bretones Matthew B. McLennan; Kimball Brooker; Julien Albertini;

CAUTIOUS ALLOCATION GS Global MA Cnsv I Acc USD NB PPR/OICVM FIMA Ninety One GSF Glb MA Inc A Acc USD Invest Alves Ribeiro PPR FIMA Pictet-Multi Asset Global Opps I EUR FvS - Multi Asset - Defensive RT Caixa Seleção Global Moderado FIMA Allianz Dyn MltAst Stgy SRI15 AT EUR Caixa Inv Socialmente Resp FIMA Invesco Pan European Hi Inc A EUR QD JPM Global Income Cnsrv D (acc) EUR BSF Managed Index Port Defesv A2 EUR FvS Der erste Schritt R BPI Moderado FIAF M&G (Lux) Optimal Income C EUR Acc Santander Poupança Prudente FPR FIAA Caixa Seleção Global Defensivo FIMA IMGA Poupança PPR/OICVM FIAPR

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

4,79 4,47 2,98 2,89 2,57 2,46 2,37 1,63 1,58 1,29 1,25 1,21 1,11 1,04 1,00 0,57 0,57 0,50

-0,65 -5,86 -4,16 -1,53 3,14 1,40 3,42 -1,66 -0,19 1,02 0,21 -1,77 0,83 3,96 0,32 -1,89 0,59 -0,60

7,91 9,07 6,52 8,07 4,51 6,45 6,89 4,93 7,38 8,87 5,05 6,18 2,71 4,35 7,13 4,77 3,56 6,97

USD EUR USD EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR

— Paulo Joaquim John Stopford; Jason Borbora-Sheen; Paulo Monteiro Andrea Delitala; Marco Piersimoni; Elmar Peters — Marcus Stahlhacke; Cordula Bauss; Andreas de Maria Campos; — Paul Read; Paul Causer; Thomas H. Moore; Stephanie Butcher; Michael Schoenhaut; Eric J. Bernbaum; Stephen Walker; Christopher Downing; Rafael Iborra; Elmar Peters; Wilhelm Wildschütz; Eduardo Monteiro Richard Woolnough Carmen Borondo — Fernando Nascimento; Pedro Vieira;

38 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

0,86 1,30 0,59

6,18

3,13 3,26 1,92 -0,43 0,41 0,64 -0,39 -1,86 7,79 6,34 5,23 1,91 2,78 3,81 3,22 2,38 5,23 2,70 3,16 2,31 2,03 2,66 1,77 1,74 0,67 2,66 1,07 0,89


FUNDOS COM SELO FUNDSPEOPLE EM 2020 FUNDO

SELO

RENTABILIDADE ANUAL 5 ANOS

3 ANOS

1 ANO

DADOS A 28-09-20 VOLAT. 3 ANOS

DIVISA BASE

GESTOR

ABC ABC ABC ABC ABC

1,79 1,02 2,26

0,46 0,19 -0,14

0,85 -1,58 -0,89 2,25 -2,05

8,19 6,20 8,23

EUR EUR EUR EUR EUR

Roland Kramer; Sebastian Richner; Daniel Rudis; Yannick Quenehen; Alexandre Burgues; Robert D. Arnott; Daniel J. Ivascyn; Christopher Brightman;

FLEXIBLE ALLOCATION FvS Multiple Opportunities II RT PIMCO GIS Dyn Mlt-Asst Instl EUR Acc Eurizon Azioni Strategia Flss Z EUR Acc BNP Paribas Target Risk Balanced Cl R Invesco Balanced-Risk Allc A EUR Acc AXAWF Global Optimal Income E Cap EUR MS INVF Global Balanced Income Z M&G (Lux) Dynamic Allocation C EUR Acc

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

6,53

7,39 4,58 2,20 1,49 1,06 1,03 -0,81 -0,86

8,47 11,98 3,58 -2,12 0,65 1,52 -4,82 2,42

8,78 5,06 8,21 7,86 7,81 9,58 6,63 11,73

EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR

Bert Flossbach Mihir P. Worah; Geraldine Sundstrom; Corrado Gaudenzi Tarek Issaoui; Fabien Benchetrit; Scott E. Wolle Serge Pizem; Stéphane Castillo-Soler; Andrew Harmstone; Manfred Hui; Juan Nevado; Craig Moran;

MODERATE ALLOCATION Acatis Gané Value Event Fonds A Allianz Income and Growth IT H2 EUR T. Rowe Price Glb Alloc I USD BGF Global Allocation A2 GS Global MA Inc I Acc USD FvS Multi Asset - Balanced RT MFS Meridian Diversified Income I1 USD MFS Meridian Global Total Ret A2 USD Invesco Global Income A USDH Acc Fidelity Global Mlt Ast IncA-MInc(G)-USD Allianz Dyn MltAst Stgy SRI50 AT EUR BSF Managed Index Port Mod A2 EUR Aegon Global Diversified Inc EUR C Acc Ruffer Total Return Intl C EUR Cap Carmignac Pf Patrimoine A EUR Acc Santander Private Moderado FIMA M&G (Lux) Income Allocation C EUR Acc Santander Select Moderado B FIMA UBS (Lux) SF Balanced (EUR) P-acc JPM Global Income A (div) EUR AS SICAV I Dvrs Gr I Acc EUR Nordea 1 - Stable Return BP EUR BBVA DIF Multi-Asset Moderate EUR A Caixa Wealth Moderado A FIMA Santander Rendimento FIMA

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

8,49 7,98 7,81 6,20 5,28 4,09 3,66 3,22 3,20 2,85 2,56 2,44 2,31 2,15 1,36 1,11 1,05 0,83 0,51 0,37 -0,17 -0,18 -0,27

15,74 16,46 3,13 7,34 -3,37 3,06 -6,91 -3,02 -6,09 -6,69 1,59 -1,08 -0,27 6,91 10,06 0,14 -2,85 -0,25 0,94 -2,13 -0,22 -1,83 -4,08 5,68 -2,79

12,22 13,24 10,39 9,79 10,33 8,40 9,77 9,37 11,81 8,72 9,17 9,75 11,33 6,18 6,80 5,67 10,10 5,67 10,38 9,00 8,72 4,94 7,26

EUR EUR USD USD USD EUR USD USD USD USD EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR EUR Euro Euro Euro Euro Euro Euro

Henrik Muhle; Uwe Rathausky; Douglas G. Forsyth; Michael E. Yee; Charles M. Shriver Russ Koesterich; David Clayton; Rick Reider; — Elmar Peters Geoffrey L. Schechter; Matthew W. Ryan; Richard R. Gable; Steven R. Gorham; Katrina A. Mead; Owen Murfin; Erik S. Weisman; Paul Read; Paul Causer; Stephen Anness; Alex Ivanova; Eugene Peter Philalithis; Chris Forgan; George Efstathopoulos; Marcus Stahlhacke; Cordula Bauss; Andreas de Maria Campos; Stephen Walker; Christopher Downing; Rafael Iborra; Vincent McEntegart; Jacob Vijverberg; Jacques Hirsch; Alex Lennard; Rose Ouahba; David Older; Marta Bretones Steven Andrew Marta Bretones Roland Kramer; Sebastian Richner; Daniel Rudis; Michael Schoenhaut; Eric J. Bernbaum; — Asbjørn Trolle Hansen; Claus Vorm; Kurt Kongsted; JOSE MARIA DE YRAOLA AVENDAÑO;

P

R

TNE

AR

AR

R

P

UBS (Lux) SF Yield (EUR) P-acc Amundi Rendement Plus P C PIMCO GIS Strategic Inc Instl EURH Acc Caixa Wealth Defensivo A FIMA Santander Sustentável FIMA

TNE

A OPINIÃO DE JAIME PÉREZ MAURA Diretor de Desenvolvimento de Negócio, Allfunds

O CAMINHO PARA BLOCKCHAIN

É uma daquelas buzzwords usadas para se parecer mais cool do que Michael Knight a sair do KITT, mas a realidade é que a Blockchain tem todos os ingredientes para se tornar uma tecnologia que mudará a forma como trabalhamos. O como, quanto

3,66 2,74 3,01 2,73 1,19 2,34 7,25 7,61 4,91 4,45 4,72 3,93 3,74 3,60 3,37 2,92 3,76 2,84 1,74 1,29 3,47 1,06 2,31 2,06 1,18 0,77

e, sobretudo, quando, são questões que nenhum de nós está em condições de responder. Se alguém o fizer, desconfie. De gurus do Apocalipse está o mundo cheio, e confundir desejo com realidade costuma ser o seu pecado, mas nem por isso podemos subestimar os princípios inquestionáveis de uma nova tecnologia que pretende descentralizar, proteger e agilizar processos, setores e indústrias. Na Allfunds, sentimo-nos na obrigação de liderar nesta fase, uma fase de exploração e definição, na qual partimos de uma base muito sólida sobre a qual trabalhamos há anos. Pretendemos iniciar caminhos divergentes para encontrar atalhos e soluções que permitam aumentar a eficiência. É um caminho que não faremos

sozinhos, mas de mãos dadas com todos os que nos quiserem acompanhar de tal forma que contamos com todos os que nos queiram ouvir, começando pelos nossos clientes. Sentimo-nos na obrigação de os guiar, de ser a biblioteca de quem quiser ler e o oráculo de quem quiser escutar. Esta é a aventura mais intrépida dentro da Allfunds, a mais ambiciosa, mas responde a esse inconformismo inato, que nos faz questionar: Sempre se fez assim, mas pode fazer-se melhor? Há outra forma de fazê-lo? E para esta aventura, nada melhor do que ir de mãos dadas com os melhores patronos, uma equipa liderada por Rubén Nieto que definiu um caminho para esta nova e emocionante aventura. Depressa, ainda há espaço no barco! Para onde? O destino é o menos, o importante, neste caso, é a viagem. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 39


PANORAMA O SETOR EM NÚMEROS por Catarina Vimagre

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

na Europa

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

Barómetro

JUNHO E JULHO

MAIS UM DEGRAU SUBIDO NA

RECUPERAÇÃO DO MERCADO DE FUNDOS EUROPEUS

A indústria europeia de fundos de investimento continua a crescer, mas ainda não atingiu os valores pré-pandemia.

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

FUNDOS INTERNACIONAIS QUE MAIS CAPTAM

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

(PRODUTOS EUROPEUS DISTRIBUÍDOS EM VÁRIOS PAÍSES)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016.

EM JULHO 2020

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

EM OBRIGAÇÕES VOL.

FUNDO

EM MULTIATIVOS E OUTROS VOL.

FUNDO

VOL.

UBS ETF - MSCI EMU UCITS ETF

1.546

PIMCO GIS Global Inv. Grade Credit ABC

1.839

Invesco Physical Gold ETC

Xtrackers MSCI USA UCITS ETF

1.396

PIMCO GIS Income Fund ABC

1.765

iShares Physical Gold ETC

674 403

Northern Trust World Custom ESG Eq. Index

870

Aviva Investors - Global Aggregate Bond Fund

1.616

MFS Meridian - Prudent Capital Fund ABC

UBS (Lux) Key Selection Sicav - D. T. Th. (USD)

848

Vanguard Inv. Series Plc - V. Glob. Bond Index Fund

1.160

Allianz Glob. Inv. Fund - Allianz China A-Shares

645

PIMCO GIS Diversified Income Fund ABC

UBS ETF - MSCI Canada UCITS ETF

612

BlackRock Global Funds - World Tech. Fund

579

UBS (Lux) Equity Sicav - All China (USD)

549

Amundi MSCI Emerging ESG Leaders (ETF)

513

JPMorgan Funds - China A-Share Opp. Fund

460

FUNDO

EM JUNHO 2020

Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

EM AÇÕES FUNDO

1.119

Flossbach von Storch SICAV - Mul. Opportunities

374

864

PIMCO GIS Dynamic Multi-Asset ABC

305

iShares Core Euro Corporate Bond UCITS ETF

699

AQR UCITS Funds - AQR Gl. Risk Parity UCITS

247

PIMCO GIS Global Bond Fund ABC

648

Flossbach von Storch - Multiple Opp. II ABC

244

PIMCO GIS US Short-Term

552

BlackRock Gl. Funds - Gl. Mul.-Asset Income

202

Aviva Investors - Global High Yield Bond

539

Man Funds VI plc - Man AHL TargetRisk

181

Aviva Inv. - Glob. Inv. Grade Corporate B. Fund

520

MFS Meridian - Prudent Wealth Fund ABC

180

FUNDO

VOL.

FUNDO

VOL.

KBC Equity Fund World

VOL. 1.257

PIMCO GIS Global Inv. Grade Credit ABC

1.172

Amundi Physical Gold ETC

500

UBS ETFs plc - MSCI ACWI SF UCITS ETF

1.100

PIMCO GIS Income ABC

926

Flossbach von Storch Multiple Opp. II ABC

337

843

iShares $ High Yield Corporate Bond UCITS ETF

722

BetaMiner Behedged Sub-Fund

307

Allianz China A-Shares

610

iShares Global Corporate Bond UCITS ETF

673

Flossbach von Storch Multiple Opportunities

298

KBC Equity Fund Eurozone

486

AB FCP I American Income Portfolio ABC

644

PIMCO GIS StocksPLUS

294

CSIF (IE) MSCI USA ESG Lead. Blue UCITS ETF

477

iShares Euro High Yield Corp. Bond UCITS ETF

585

MFS Meridian Prudent Capital ABC

288

CSIF (IE) MSCI USA Blue UCITS ETF

473

UBS (Lux) Bond Sicav - 2025 I (EUR)

557

iShares Divers. Commodity SWAP UCITS ETF

277

BlackRock GF World Healthscience ABC

469

JPMorgan Global High Yield Bond

533

HSBC GIF Multi-Asset Style Factors

276

HSBC Multi-Factor Worldwide Equity

467

Multi Units Lyxor US TIPS (DR) UCITS ETF

507

AQR LUX Funds II Style Capture UCITS

220

BlackRock GF World Technology

457

Robeco High Yield Bonds

493

MFS Meridian Prudent Wealth ABC

217

Momentum GF Global Equity

Fonte: Broadridge FundFile e J.P. Morgan AM. Em milhões de euros.

40 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


PIMCO EM DESTAQUE

No que diz respeito a captações, no segmento dos multiativos e outros fundos verica-se a manutenção da tendência que se tem vindo a registar desde o m

de 2019, mas que ganhou força no início deste ano: os bons resultados dos ETF que investem em ouro. Nas ações destacam-se quatro fundos, três dos quais de gestão passiva. Em junho, o KBC Equity Fund World, da KBC Asset Management, conseguiu atingir os 1,257 milhões de euros em captações liquídas e o UBS ETFs plc - MSCI ACWI SF UCITS ETF, da UBS Asset Management, 1,100 milhões de euros. No mês de julho, brilharam dois ETF, o UBS ETF -

MSCI EMU UCITS ETF, também da UBS AM, que tem como universo de investimento a Europa, e o Xtrackers MSCI USA UCITS ETF, da Xtrackers, que investe nos Estados Unidos. Olhando para os fundos de obrigações que mais captaram nos meses em análise, podemos vericar que o destaque pertence à PIMCO graças aos seus dois fundos que ocupam os lugares cimeiros da tabela. Ambos os produtos da gestora americana contam com Selo FundsPeople 2020, o primei-

DISTRIBUIÇÃO DO PATRIMÓNIO NA EUROPA EM JULHO OUTROS

MISTOS

MONETÁRIOS

MONETÁRIOS DINÂMICOS

Internacional (*)

1.819.317

2.051.282

128.314

552.517

996.505

13.380

5.561.316

Reino Unido

265.404

745.870

40.855

178.877

138.717

2.345

1.372.066

MERCADO

Alemanha

OBRIGAÇÕES

AÇÕES

TOTAL

126.185

185.485

151.984

165.636

15.851

5.767

650.908

França

100.992

180.472

48.624

57.072

240.582

7.090

634.832

Suíça

192.558

233.842

47.501

63.679

27.924

3.605

569.109

Itália

192.980

75.854

10.436

216.124

29.490

1.101

525.984

Suécia

58.663

266.892

3.366

52.103

19.852

0

400.876

Espanha

80.538

34.570

19.000

40.754

7.045

39

181.945

3.091.315

4.041.451

487.878

1.449.390

1.532.997

35.902

10.638.932

TOTAL

DISTRIBUIÇÃO DAS CAPTAÇÕES LIQUÍDAS NA EUROPA EM JUNHO E JULHO MERCADO

OBRIGAÇÕES

AÇÕES

OUTROS

Internacional (*)

53.021

28.363

340

Reino Unido

2.066

-3.323

-1.335

Alemanha

MISTOS 923

MONETÁRIOS 74.743

-502

MONETÁRIOS DINÂMICOS

TOTAL

-216

157.174

-721

11

-3.803

784

2.669

165

385

-1.279

-419

2.304

França

1.408

-196

621

-618

36.093

-19

37.289

Suíça

3.260

-1.934

532

416

-244

-50

1.980

Itália

1.371

2.608

-189

-1.085

3.374

-16

6.062 1.749

Suécia Espanha TOTAL

1.748

665

-439

-146

-78

0

2.380

-1.007

39

-297

67

1

1.183

66.038

27.844

-264

-926

111.954

-707

203.939

OS ETF QUE INVESTEM EM OURO CONTINUAM A LIDERAR EM TERMOS DE CAPTAÇÕES LÍQUIDAS SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 41

*Inclui Luxemburgo e Dublin. Dados em milhões de euros

À

medida que a temperatura ia subindo na Europa, também o mercado ia animando. O Banco Central Europeu encetou o mês de junho ao anunciar uma expansão do programa de compras de emergência, o PEPP, os dados dos PMI de junho davam sinais de otimismo ao registarem o seu máximo em quatro meses e a pandemia parecia estar a perder algum gás. Em julho, a União Europeia assumiu o protagonismo ao alcançar um acordo histórico que pôs em cima da mesa 750.000 milhões de euros para a recuperação após a crise da COVID-19. Do outro lado do oceano, nos Estados Unidos, a situação vivida em pouco se assemelhava à do Velho Continente. Ainda que a atividade económica tenha recuperado um pouco, o PIB sofreu uma queda histórica e o aumento das infeções por coronavírus travou a reabertura da economia e complicou ainda mais as perspetivas. As eleições presidenciais, que se celebram dentro de poucas semanas, também foram outro fator que contribuiu para um aumento da volatilidade. Através dos dados da Broadridge FundFile e da J.P. Morgan AM, recolhidos em exclusivo para a FundsPeople, podemos auscultar o mercado e perceber de que forma o desenrolar destes acontecimentos e a incerteza que ainda paira sobre a pandemia inuenciaram o mercado europeu de fundos de investimento. A primeira conclusão que podemos tirar desta análise é que a indústria europeia de fundos de investimento em julho valia 10,6 biliões de euros, tendo registado um crescimento de 565 mil euros face a abril deste ano. Contudo, ainda não conseguiu atingir o valor pré-pandemia que se xava acima dos 11 biliões em janeiro.


P

AR

P

R

TNE

R

PANORAMA O SETOR EM NÚMEROS

AR

TNE

A OPINIÃO DE LUCÍA GUTIERREZ-MELLADO Diretora de Estratégia, J.P. Morgan AM

ro, o PIMCO GIS Global Investment Grade Credit, pelas suas classicações de Blockbuster e Consistente, e o segundo, o PIMCO GIS Income, pela sua tripla classicação de Favorito dos Analistas, Blockbuster e Consistente. Outro ponto a destacar neste segmento é que a média de captações atingida em julho quase duplicou face a junho e superou também o volume médio captado pelas ações em ambos os meses.

CASAS GESTORAS

Quanto às sociedades gestoras, a BlackRock liderou em junho quer no segmento com monetários, quer no segmento sem monetários ao alcançar captações na ordem dos 10,872 milhões de euros e dos 8,308 milhões de euros, respetivamente. Em julho, a casa gestora americana perdeu a liderança no segmento com monetários para a Amundi, que registou captações superiores a 14 mil milhões de euros, e no segmento sem monetários para a PIMCO que conseguiu um volume de captações acima dos oito mil milhões de euros.

EM JULHO, A INDÚSTRIA EUROPEIA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VALIA 10,6 BILIÕES DE EUROS

GRUPOS QUE MAIS CAPTAM EM JULHO Em milhões de euros. COM MONETÁRIOS

SEM MONETÁRIOS

Amundi

14.397

PIMCO

BlackRock

13.049

BlackRock

8.081

JP Morgan AM

10.623

Aviva Investors

2.854

8.394

PIMCO

8.394

DWS

2.197

HSBC

6.007

JP Morgan AM

1.837

GRUPOS QUE MAIS CAPTAM EM JUNHO Em milhões de euros. COM MONETÁRIOS BlackRock

SEM MONETÁRIOS BlackRock

8.308

Goldman Sachs

9.335

PIMCO

4.863

JP Morgan AM

7.606

JP Morgan AM

2.870

Amundi

7.246

Credit Suisse

2.690

Morgan Stanley

6.549

DWS

2.199

10.872

42 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

COVID-19: UMA OPORTUNIDADE PARA AUMENTAR O COMPROMISSO ESG A crise da COVID-19 destaca uma vez mais que os fatores ambientais, sociais e de governance podem ter importantes consequências a nível económico e social. Portanto, é necessário acelerar o programa de ESG a nível mundial. A crise também demonstra que a adoção de critérios ESG não é um objetivo distante e impreciso, mas que fortalece de imediato a capacidade de recuperação das nossas sociedades e empresas. Num momento em que os governos precisam de redefinir as suas prioridades e esforços financeiros para gerir a crise, recai nos investidores privados a responsabilidade de intervir e preencher o vazio existente para garantir que os seus aforros a longo prazo contribuem para sustentar os nossos objetivos nessa direção. Uma normativa mais restritiva fará com que se sintam mais motivados. De facto, na medida em que os governos enfrentam maiores limitações financeiras no momento de alcançar os seus objetivos de sustentabilidade após a crise da COVID-19, poderá centrar-se no enquadramento regulatório para fomentar entre os investidores privados o financiamento de iniciativas ESG. Em toda a crise subjaz a oportunidade, e para os investidores, a crise da COVID-19 é uma oportunidade única para aumentar o seu compromisso ESG.


Amundi, líder europeia em gestão de activos*

Global Disruptive Opportunities Investir nas empresas que reinventam o amanhã.

CPR Invest - Global Disruptive Opportunities Uma selecção das empresas que reinventam o modelo de negócio do seu sector Um universo global e multi-sectorial com 4 dimensões: economia digital, indústria 4.0, saúde e ciências da vida, e terra Um fundo global de ações de alta rentabilidade que procura oportunidades de crescimento a longo prazo

amundi.pt

*Fonte: IPE “Top 500 Asset Managers” publicado em Junho 2020 com dados de Dezembro de 2019. Fundo sem garantia de capital ou rentabilidade. Este material destinase apenas a investidores e distribuidores institucionais, profi ssionais, qualificados ou sofisticados. Documento promocional contendo informações sobre CPR Invest Global Disruptive Opportunities, um subfundo (o „Subfundo“) da CPR Invest, Sicav criado ao abrigo das leis do Grão-Ducado do Luxemburgo e registado na CMVM. Nem todos os subfundos ou classes de acções estão necessariamente registados ou autorizados para venda em todas as jurisdições ou disponíveis para todos os investidores. Este documento não se destina a cidadãos ou residentes dos Estados Unidos da América ou a qualquer „pessoa americana“, tal como defi nido nos regulamentos ao abrigo da „US Securities Act of 1933“. A compra de unidades deve basear-se nos últimos Prospectos, KIID, Artigos de Associação, e relatórios anuais e semestrais registados na CMVM. Para mais informações, consulte a documentação legal actual, disponível a pedido e gratuitamente na Amundi Iberia SGIIC, SAU, a principal entidade de marketing em Espanha e registada na CNMV sob o nº 31 (Pº de la Castellana 1, Madrid 28046), ou em www.amundi.com. Antes de efectuar qualquer assinatura, os interessados devem certificar-se de que esta é permitida pelos regulamentos em vigor, verifi car as suas implicações fiscais e consultar os documentos regulamentares em vigor. Deve ser considerado se os riscos associados são apropriados para potenciais investidores, que devem assegurar-se de que compreendem o conteúdo do documento. O investimento envolve riscos, os accionistas podem perder a totalidade ou parte do capital inicialmente investido. O desempenho passado não garante resultados futuros. Documento com carácter publicitário, simplificado, e sem valor contratual. Em caso algum constitui uma recomendação, pedido, oferta ou aconselhamento sobre investimentos. Informação fornecida pela Amundi Asset Management, SAS („Société par actions simplifi ée“) com um capital social de 1.086.262.605 euros e aprovada pelo regulador francês (Autorité des Marchés Financiers - AMF) sob o número GP 04000036 como sociedade gestora de carteiras, Bd Pasteur 90 - 75015 Paris-França - 437 574 452 RCS Paris. |


TENDÊNCIAS CAPA por Catarina Vinagre

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00% YTD

*

+3.75%

*

5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016.

VENDAS FAVORITOS

LONGE DA VISTA, MAS PERTO DO SELECIONADOR... Num ano atípico como 2020 foi ainda mais difícil responder à exigência que tanto carateriza os selecionadores e analistas de fundos em Portugal. Os vendas das gestoras internacionais ultrapassaram com distinção esta tarefa… mas quais os que se destacam no seu trabalho em Portugal?

Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

U

ma pandemia e um consequente connamento à escala global tornaram 2020 num ano sem precedentes. Para uma prossão como a de vendas de soluções de gestão de ativos, que depende tanto do contacto com o cliente, a quarentena teve um impacto direto na forma como executam o seu trabalho. As reuniões presenciais foram substituídas por videochamadas ou conference calls, os eventos por webinares, mas a prioridade manteve-se a mesma: o cliente. Chamámos precisamente estes clientes para um habitual exercício de reexão... et voilá: 30 selecionadores de fundos de 18 entidades nacionais

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

44 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

votaram nos prossionais que, na sua opinião, brilharam durante este período tão desaante. Os resultados foram claros: Tiago Forte Vaz, da Pictet AM, fez a dobradinha e voltou a conquistar o primeiro lugar do pódio dos sales favoritos Seguem-se dois prossionais também habituados a estas lides, Ana Carrisso, da Fidelity International, e Mário Pires, da Schroders, e ainda Francisco Amorim, da Jupiter AM, que no seu primeiro ano na posição de vendas já gura entre os preferidos. A completar o top cinco está outra presença assídua nesta votação e também ele português: André Themudo, da BlackRock. A FundsPeople falou com estes cinco prossionais para sa-


NÚMERO DE VOTOS

TIAGO FORTE VAZ

ANA CARRISSO

Pictet AM

FRANCISCO AMORIM

Fidelity International

14 ANDRÉ THEMUDO

Jupiter AM

11 VASCO JESUS

10 MIGUEL LUZARRAGA

9

4 ber como foi a transição para um período em que a tecnologia ocupa um lugar de destaque e quais foram os obstáculos com que se depararam. 2020 tem sido um ano particularmente atípico. Como refere Mário Pires, “a COVID-19 veio pôr à prova todos sistemas e processos nas mais variadas

11 ISABEL DE LINIERS

Amundi

ALVARO ANTON LUNA

QUALIDADE INTACTA

11 CRISTINA CARVALHO

Aberdeen Standard Investments

AllianceBernstein

Schroders

11

MCH Investment Strategies

BlackRock

MÁRIO PIRES

DWS

5 TERESA MOLINS

CRISTIAN BALTEO

Legg Mason AM

3 empresas e setores”. Contudo, há uma característica que estes cinco prossionais e as entidades que representam não deixaram que o connamento descurasse: a qualidade dos serviços. “Os recentes acontecimentos forçaramnos a adaptar-mo-nos a situações adversas, mas a resposta que temos dos clientes faz-nos ver que estas mudanças e adaptações não afetaram em

4 Nordea AM

3

2

OS VENDAS DAS GESTORAS NÃO DEIXARAM DESCURAR A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 45


TENDÊNCIAS CAPA

DIOGO GOMES

JUAN FIERRO

UBS AM

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

2 RAMON CARRASCO

YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

PABLO MORENO

Aberdeen Standard Investments

DPAM

2 ROMUALDO TRANCHO

Carmignac

2 RUBEN GARCÍA

Columbia Threadneedle Investments

Allianz GI

2 SASHA EVERS

BNY Mellon IM

UNCORRELATED RETURNS

2

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%*

NICOLAS DA ROSA

Janus Henderson Investors

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016.

ALICIA GARCÍA

2 ALMUDENA MENDAZA SANZ

M&G Investments

2 AMPARO RUIZ CAMPO

Natixis IM

2 BEGOÑA GOMEZ

DPAM

Invesco

Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

1

1 nada a qualidade do serviço que prestamos”, conta André Themudo. Tiago Forte Vaz explica que “a crise da COVID-19 intensicou a frequência e necessidade de informar os clientes e aumentou o desao de comunicação – como chegar da forma mais eciente a mensagem”, mas acredita, que nada se alterou na dinâmica já existente. Para Ana Carrisso fez diferença compreender quais são as necessidades, desaos

46 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

1

1

e preferências na forma de trabalhar dos clientes.

AS DIFICULDADES

Quanto à maior diculdade na prestação de serviço ao cliente perante todas as restrições causadas pela pandemia, estes cinco prossionais são unânimes: não poder estar com o cliente presencialmente. André Themudo refere que “a impossibilidade de nos podermos


CARLOS CAPELA

CARLOS APARICIO

MFS Investment Management

ELENA GUANTER

Federated Hermes

1 ERICH STOCK

Wellington Management

Candriam

FRANCISCO NETO

1 MATHIAS BLANDIN

Schroders

1

encontrar sicamente com um cliente pode dar, num primeiro momento, a impressão de que há menos proximidade, mas vimos que o nosso grande empenho na tecnologia nos permitiu ultrapassar este sentimento”. Porém, nem tudo é um mar de rosas. Como destaca Francisco Amorim “numa reunião presencial com o cliente é fácil compreender se a mensagem é do interesse ou não. Por outro lado, numa

Aegon Asset Management

1

1

ROGÉRIO ARNDT

BMO Global Asset Management

T. Rowe Price

1

1 NADIA BUCCI

La Financière de l’Echiquier

PEDRO MASOLIVER

GAM

M&G Investments

1

1 PEDRO JÁCOME

ELVIRA MARTÍN

1 videoconferência via Zoom, muitas vezes a barreira física não permite captar de forma fácil as reações do cliente”. Na mesma linha, Mário Pires considera que o fator presencial tem muita importância e que é mais complicado conseguir de forma virtual o que se conseguia com os eventos presenciais. Outra das diculdades apontadas por estes prossionais refere-se à necessidade de informação. Ana Carrisso

1 e Tiago Forte Vaz coincidem ao considerarem que é imprescindível uma ltragem da informação de forma a manterem os clientes a par dos dados relevantes que lhes acrescentam valor, mas sem os sobrecarregar.

LIDAR COM O STRESS

Como lidar com o stress numa altura tão turbulenta como a que se viveu no início do ano? Para estes cinco proSETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 47


P

AR

P

R

TNE

R

TENDÊNCIAS CAPA

AR

TNE

A OPINIÃO DE MÁRIO PIRES Diretor de Clientes Institucionais e do Mercado Português, Schroders

DÍVIDA EMERGENTE: VALOR SELETIVO ENTIDADES QUE RESPONDERAM ABANCA Banco Carregosa Banco Invest Bankinter GA Bankinter Research BiG BPI Gestão de Ativos CA Gest Caixa Gestão de Ativos Credit Suisse DWM do Millennium bcp GNB Gestão de Ativos Lynx Asset Managers Montepio Gestão de Ativos Novo Banco Optimize IP

TER OBJETIVOS CLAROS, PASSAR TEMPO EM FAMÍLIA OU PRATICAR DESPORTO, FORAM ALGUMAS DAS FÓRMULAS APRESENTADAS PELOS VENDAS INTERNACIONAIS PARA GERIR O STRESS VIVIDO NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Santander AM Tree Family Office

ssionais não há fórmulas mágicas, mas há fatores que ajudam. O tempo passado em família, o desporto e a disciplina de horários são alguns deles. “O stress depende de pessoa para pessoa, depende da capacidade de cada um em relativizar os problemas de forma a que não se chegue ao ponto de stress”, refere Mário Pires. O profissional da Schroders utiliza o desporto como forma de escape. “Outras das coisas que funcionam para mim de forma eficaz para lidar com o stress são os passeios de mota ao fim de semana. Este ano com o fim do confinamento senti a necessidade de fazer uma viagem de mota. Madrid – Comporta / Comporta – Sagres / Sagres – Tavira / Tavira – Madrid. Uma viagem muito interessante e muito recomendável”, confessa. 48 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

“No meu caso, o segredo para lidar com o stress é ter objetivos claros, disciplina nos horários e dedicar todos os dias um tempo exclusivo para oração em família”, conta Ana Carrisso. Na mesma linha, Francisco Amorim refere também a disciplina nos horários e a família e acrescenta que organização pessoal e muito desporto também se revelaram importantes. Tiago Forte Vaz acredita que “temos de ter a consciência que nem tudo depende de nós e reconhecer que existem muitas coisas fora do nosso controlo, por isso o melhor que podemos fazer é centrar as nossas energias naquilo que sim controlamo”. Conclui com um recordatório muito importante para os prossionais da área: “Não controlamos nem a força, nem a direção dos mercados, mas o serviço aos clientes sim”.

Os mercados emergentes tiveram uma forte recuperação desde março. No entanto, o nível de desempenho não foi o mesmo em todos os segmentos. Num contexto em que as oportunidades não abundam, maximizar valor implica seletividade. No que toca à dívida emergente, a nossa seletividade abarca duas grandes vertentes: por um lado, estamos a privilegiar as áreas que, embora tenham boas perspetivas futuras, foram deixadas para segundo plano (atualmente, dívida local e moeda), e por outro lado, ao estarmos conscientes de que cada país encerra um mundo de oportunidades muito diferenciadas, somos mais criteriosos em relação aos países nos quais investimos. Identificamos melhores perspetivas na dívida emergente em moeda local do que em dólar, tanto pela elevada liquidez que existe no mercado, quanto pelos rendimentos mais atrativos que estes ativos estão a proporcionar num período de oportunidades reduzidas. Acreditamos que a atual valorização das moedas emergentes representa uma margem de segurança adicional face à proporcionada pela dívida em dólares e parece-nos também que, face às débeis perspetivas de crescimento global, as taxas de juro destes países não deverão subir. Se é certo que, em termos absolutos, este segmento da dívida emergente pode não estar no intervalo de preço mais convidativo face ao histórico, não deixa de apresentar boas oportunidades relativas e, claro, o seu valor pode ser reforçado em países onde a seletividade é, mais uma vez, um conceito-chave.


SOLUÇÕES MULTIACTIVOS PARA GERAR RENDIMENTOS MAIS SÓLIDOS

Para o efeito, os fundos JPMorgan Investment Funds – Global Income Fund e JPMorgan Investment Funds – Global Income Conservative Fund procuram as oportunidades mais atrativas de rendimentos nos cinco continentes e em todas as classes de ativos. Mais informações em www.jpmorganassetmanagement.pt

Este documento é de natureza promocional e, como tal, as opiniões que constam do mesmo não deverão ser encaradas como um conselho ou uma recomendação de compra ou venda de qualquer investimento ou participação no produto ou produtos aqui referidos. Importa salientar que o valor dos investimentos e o rendimento decorrente dos mesmos poderá oscilar consoante as condições de mercado e os acordos tributários, podendo os investidores não vir a receber a totalidade do montante investido. Tanto o desempenho como a rentabilidade obtida no passado poderão não constituir um indicador fiável do desempenho a obter no futuro. Não existe qualquer garantia de que qualquer previsão efetuada se venha a concretizar. O Documento de Informações Essenciais do Investidor (KIID) e qualquer documento de oferta local aplicável estão disponíveis, sem encargos, a pedido, junto do emissor JPMorgan Asset Management (Europe) S.à.r.l., European Bank & Business Centre, 6 route de Trèves, L-2633 Senningerberg, Grão-Ducado do Luxemburgo, do seu consultor financeiro, do seu distribuidor local ou do seu representante habitual da J.P. Morgan Asset Management. Poderá aceder à Política de Privacidade EMEA em www.jpmorgan.com/emea-privacy-policy A J.P.Morgan Asset Management (Europe) S.à r.l. é a entidade distribuidora global da J.P. Morgan Investment Funds e da J.P. Morgan Funds e encontra-se sujeita à supervisão da Commission de Surveillance du Secteur Financier do Grão-Ducado do Luxemburgo. A comercialização do referido organismo de investimento coletivo em Portugal foi devidamente comunicada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, cumprindo as disposições legais, regulamentares e administrativas em vigor. LV-JPM52542 | 01/20 | 0903c02a827e1285


TENDÊNCIAS NEGÓCIO por Ana Palomares

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

AS OPERAÇÕES CORPORATIVAS QUE TERÃO LUGAR

NA INDÚSTRIA DE GESTÃO DE ATIVOS

PÓS COVID-19

A irrupção do coronavírus paralisou as operações de M&A, mas só de forma temporária. Analisamos quatro tendências que enfrenta uma indústria que continua a tender para a consolidação.

S

e revirmos as previsões que as gestoras de fundos faziam no m de 2019 sobre o que esperar dos mercados neste 2020 a tónica dominante era estimar rentabilidades positivas para a grande parte dos ativos num contexto de desaceleração económica. Ao m e ao cabo, ninguém podia imaginar que o coronavírus de que se falava na China acabaria por se estender para o resto do planeta, connando milhões de pessoas nas suas casas e provocando uma recessão mundial como a atual. 50 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

Este cisne negro não só representou uma paralisação da economia como também de muitas operações corporativas em forma de fusões e aquisições. “Segundo dados da Bloomberg, abril foi o pior mês em termos de volume de negócio desde abril de 2004. É, efetivamente, difícil imaginar a implementação de uma política de crescimento agressiva e ambiciosa no meio da atual e persistente incerteza a curto e médio prazo”, armam na equipa da Candriam Risk Arbitrage. Não obstante, espera-se que após a paragem se retomem as atividades corporativas, talvez

até com mais força como quase sempre acontece quando há uma grande crise, e há uma razão que o explica: a zombicação da economia. “As empresas que saiam desta crise, vão fazê-lo com endividamento ainda maior e, muito provavelmente, com margens deterioradas. O que temos claro é que esta crise terá os seus vencedores e vencidos. Além disso, observamos tendências que se vão enraizar tais como a reorganização e concentração”, arma Benjamim Melman, diretor de Investimentos Globais da Edmond de Rotchschild AM.


QUATRO OPORTUNIDADES PARA CONSEGUIR CRESCIMENTO INORGÂNICO

NOVOS PRODUTOS, COMO, POR EXEMPLO, UMA GESTORA CENTRADA EM ESG

NOVOS CLIENTES, COMO PLATAFORMAS DE INVESTIMENTO CENTRADAS NO DIGITAL

ALIANÇAS QUE APRESENTAM OPORTUNIDADES ESTRATÉGICAS

NOVOS MERCADOS, COMO AS GRANDES GESTORAS EMERGENTES LOCAIS

NOVAS TECNOLOGIAS, COMO FINTECH ESPECIALIZADAS EM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Fonte: Oliver Wyman.

Essa concentração empresarial também se deixará notar na indústria da gestão de ativos. Já o fez nos últimos anos e a COVID-19 veio reforçar essa tendência, já que as medidas extraordinárias anunciadas para travar as suas consequências económicas implicam que as gestoras devam enfrentar um contexto de mercado de volatilidade a descer, pelo menos nos ativos tradicionais, como consequência do contexto de taxas a 0% durante tanto tempo. “O coronavírus pode ter o seu efeito, mas o que realmente pressiona a indústria de gestão ativa é o auge da gestão passiva e a descida das comissões, que

são os fatores que reduzem as margens dos produtos. Nos últimos anos vimos um aumento dos custos de distribuição, se quisermos expandir-nos, e de regulação. Estas tendências favorecem boutiques com um negócio mais nicho ou players grandes e globais”, arma Sasha Evers, diretor-geral da BNY Mellon IM para a Península Ibérica e América Latina, aludindo a uma espécie de estratégia barbell aplicada à indústria.

AS OPORTUNIDADES

De facto, no seu relatório Global Wealth Management 2020, a Oliver Wyman

e a Morgan Stanley incluem o M&A como um dos braços de crescimento aos quais se pode agarrar a indústria, não só a curto prazo como a médio e longo. “A COVID-19 apresenta um ponto de ativação único no qual é provável que o crescimento inorgânico se eleve ao nível mais alto das agendas dos agentes que podem atuar a partir de uma posição de força. À medida que os objetivos se reajustam, as aquisições podem parecer mais convincentes do que durante os anos anteriores, especialmente para os objetivos centrados em produtos ou na tecnologia”, apontam no relatóSETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 51


P

AR

P

R

TNE

R

TENDÊNCIAS NEGÓCIO

AR

TNE

A OPINIÃO DE JUAN CARLOS DOMINGUEZ Responsável de vendas, AXA IM

O COVID 19 PODE ROMPER A CORRELAÇÃO ENTRE A EVOLUÇÃO DAS BOLSAS E AS OPERAÇÕES CORPORATIVAS

SITUAÇÃO ATUAL

CRISE CRISE DÍVIDA FINANCEIRA EUROPEIA

BOLHA DAS 2.500 DOTCOM

VALOR DO ÍNDICE

ESTARÁ MORTA A INFLAÇÃO?

VOLUME M&A QUADRIMESTRAL

10.000

2.000

8.000

1.500

6.000

1.000

4.000

500

2.000

0

NÚMERO DE ACORDOS

MSCI WORLD INDEX

0 2000

2002

2004

2006

2008

2010

2012

2014

2016

2018

2020

Fonte: Refinitiv; S&P Capital IQ; BCG análise

rio. No mesmo identicam, além disso, quatro oportunidades que podem estar por detrás dessas sinergias que se vão ver na indústria. A primeira é a que se refere a novos produtos focado no investimento sustentável perante o aumento do interesse que desperta tudo o que esteja associado à etiqueta ESG (só no primeiro trimestre do ano os fundos sustentáveis captaram 45.600 milhões de dólares face aos 384.700 milhões de dólares de reembolsos em todo o universo, segundo a Morningstar). Esse interesse também se manifesta relativamente à gama de produtos alternativos, que apresentam melhores margens que os tradicionais e os quais o Boston Consulting Group espera que “continuem a crescer a uma taxa anual de 4% até 2024; vão capturar 49% dos rendimentos mundiais”, apontam no relatório Protect, Adapt and Innovate. A segunda referência é à captação de novos clientes muito mais digitais, relacionada com as plataformas que sai52 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

bam satisfazer essa procura. E associada a esta, uma terceira oportunidade, a que gera a implementação de nova tecnologia nas gestoras de ativos com especial atenção na inteligência articial. “As gestoras mostram pouca coerência na priorização e aplicação dos casos de uso digital até à data. A capacidade tecnológica da indústria continua a ser pouco madura em relação a outras indústrias de serviços nanceiros, especialmente em comparação com bancos de retalho”, aponta o relatório da Oliver Wyman e da Morgan Stantley. Por último, a quarta oportunidade quanto a operações corporativas, baseia-se na expansão a outros mercados, principalmente emergentes, com a China como grande protagonista e com um modelo mais baseado nas alianças do que nas aquisições propriamente ditas, já que com um modelo de associação “os gestores de patrimónios mundiais costumam fornecer a proposta de investimento e o parceiro local mantém a relação com o clientes”, armam.

Durante anos a inflação temsido limitada em vários países desenvolvidos. Daí que muitos determinem a morte da inflação. Será isso certo? As taxas nos principais mercados são muito baixas face à média histórica e o impacto do COVID-19 e a redução da oferta agregada farão baixar ainda mais os níveis de IPC, mas isso não quer dizer que a inflação esteja morta. Estão a implementar-se pacotes de apoio económico nunca vistos e elevadas compras de ativos reais por parte dos Bancos Centrais e tanto os QE como os grandes défices fiscais são dois fatores inflacionários a médio prazo. Desta forma, a considerável pressão deflacionista nas últimas décadas esteve relacionada com a globalização e as exportações de países com baixos custos de produção para as economias desenvolvidas (importação deflacionista). Mas o crescente protecionismo e as dificuldades evidentes para importar fornecimentos sanitários durante a crise questionam a globalização (deslocalização dos centros produtivos). Tendo isto em conta, o grande impacto nas cadeias de fornecimento em 2020 e o aumento do custo energético com a introdução das novas energias alternativas muito mais caras do que a tradicional, acreditamos que o risco de uma maior inflação é muito real.


Há partes do corpo imprimíveis.

A sério?

A sério. Melhorar a qualidade de vida não é caro. Com o sistema de impressão em 3D, agora é possível conseguir uma prótese por menos de 100 euros. A Fidelity analisa e investe nestas megatendências através do Fidelity Funds Global Technology Fund.

www.fidelity.pt

O valor dos investimentos gerados podem subir ou descer, razão pela qual o investidor poderá não recuperar o montante investido. Os investimentos devem ser efetuados tendo em conta a informação no prospeto vigente e no documento de informações fundamentais para o investidor (DFI) que estao disponiveis a titulo gratuito juntamente com os relatorios anuais e semestrais através dos nossos distribuidores e do nosso Centro Europeu de Atenção ao Cliente: FIL (Luxembourg) S.A. 2a, rue Albert Borscette BP 2174 L-1021 Luxemburgo, assim como em https://www.fidelity.pt/fundos/documentos-legais. A Fidelity/FIL e a FIL LImited e as suas respetivas subsidiarias e empresas afiliadas. A Fidelity Funds é uma sociedade de investimento coletivo de capital variavel constituida no Luxemburgo. A comercialização em Portugal está autorizada pela CMVM. Fidelity, Fidelity International e o logotipo da Fidelity International e o simbolo F são marcas da FIL Limited. Emitido por FIL (Luxembourg) S. A. CS1050


TENDÊNCIAS GESTÃO por Pedro Feliciano, CFA

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

O MACHINE LEARNING

E A INDÚSTRIA DE GESTÃO DE ATIVOS O próximo passo evolutivo na indústria de gestão de ativos deixará uma pegada digital profunda. Acompanhar essa evolução não é uma opção.

54 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


TÉCNICAS USADAS PARA CRIAR ALGORITMOS DE TRADING Gestores de carteiras: Quais destas técnicas de Inteligência Artificial/ Machine Learning usou nos últimos 12 meses para criar algoritmos de trading? 0

10

Alcançar decisões de compra ou venda baseadas em variáveis com inputs macro, de mercado ou fundamentais usando classificações

15%

Construir sinais

14%

Examinar o conjunto dos retornos dos ativos para identificar correlações

12%

Determinar sentimento através do processamento de lingugem natural das notícias, Twitter, transcrições, etc.

10%

Determinar tendências de mercado ou regime

9%

Prever direções de preços de ativos no curto prazo

9%

Prever direções dos preços de ativos tendo por base dados macro Encontrar as estratégias de trading mais lucrativas Identificar fatores dominantes que conduzam o mercado Prever a direção dos preços de ativos ou encontrar sinais Nenhum

20

30

40

50

60

70

80

90

100

9% 8% 8% 6% 69%

Fonte: CFA Institute, AI Pioneers in Investment Management - An examination of the trends and use cases of AI and big data technologies in investments

O

s termos Inteligência Articial (IA) e Machine Learning (ML) estão na moda. Existem cada vez mais empresas a utilizar este tipo de ferramentas e técnicas para tornar os seus processos mais ecientes e para retirar conhecimento de dados em bruto ou para tomar decisões baseadas na análise de um largo volume de dados, que o cérebro humano não tem capacidade para interpretar. Apesar de serem termos cada vez mais utilizados, arrisco dizer que a maioria das empresas nacionais liga-

das à gestão de ativos não utiliza este tipo de técnicas. Também ouso armar que, dentro de 10 anos, as empresas que não adotarem de alguma forma este tipo de ferramentas nos seus processos de gestão, tomada de decisão e/ou back -ofce poderão ver a sua existência posta em causa.

O QUE É IA E ML?

O termo Inteligência Articial foi utilizado pela primeira vez na década de 50 do século passado. É uma área da ciência da computação que estuda

DENTRO DE 10 ANOS AS EMPRESAS QUE NÃO ADOTAREM ESTE TIPO DE FERRAMENTAS PODERÃO VER A SUA EXISTÊNCIA POSTA EM CAUSA SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 55


TENDÊNCIAS GESTÃO

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

COM ESTAS FERRAMENTAS, MESMO COM 60% DE PRECISÃO, É POSSÍVEL GERAR RETORNO AJUSTADO AO RISCO SUPERIOR AO DO MERCADO

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

a criação de máquinas (computadores ou robots) que possuem capacidades semelhantes à inteligência humana: raciocínio, aprendizagem, reconhecimento de padrões e inferência. O termo Machine Learning, ou Aprendizagem Automática, é um campo dentro da inteligência articial. Consiste num conjunto de ferramentas e métodos que permitem aos computadores, através de algoritmos, aprender a partir da observação de dados, de forma a melhorar a sua performance. Na sua essência, o Machine Learning baseia-se na denição de modelos estatísticos/matemáticos que têm como objetivo fazer uma previsão. Na prática os computadores aprendem a tomar decisões ou a executar uma tarefa sem terem sido explicitamente programados para o fazer.

USO NA GESTÃO DE ATIVOS • Morningstar Quantitative Rating Há muitos anos que a Morningstar atribui ratings a vários fundos de investimento de acordo com a maior ou menor probabilidade de o retorno ajustado ao risco ser melhor do que o dos seus pares ou do que o do benchmark. Estes ratings são atribuídos através da análise feita por vários analistas em relação a diferentes indicadores dos fundos, como por exemplo 56 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

o expense ratio ou o management tenure. Os ratings são atribuídos por um conjunto de analistas que seguem um determinado processo de avaliação e designam-se por Morningstar Analyst Ratings. Para garantir a cobertura de um número elevado de fundos, a Morningstar precisaria de uma grande equipa de analistas. Para tornar esta avaliação mais eciente, a Morningstar desenvolveu vários modelos de Machine Learning, utilizando um algoritmo designado por random forest. Estes modelos foram desenvolvidos com base na observação de informação histórica dos ratings atribuídos pelos analistas e agora conseguem, com base nos indicadores atuais de um determinado fundo, atribuir um rating quantitativo, muito semelhante ao que seria estabelecido se fosse feito por um analista. Com esta abordagem, a Morningstar garante que atribui ratings a dez vezes mais fundos do que no passado e atualiza os ratings todos os meses, enquanto que os ratings atribuídos por analistas são revistos apenas a cada 14 meses. • Clustering de clientes As instituições nanceiras que prestam serviços de consultoria de investimento ou gestão de carteiras personaliza-


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE MICHAEL BALDINGER Diretor de Investimentos Sustentáveis e de Impacto, UBS AM

A APOSTA DA UBS AM PARA MITIGAR O IMPACTO DOS INVESTIMENTOS NO CLIMA

das têm responsabilidade sobre os investimentos dos seus clientes. Se essas instituições têm um volume elevado de clientes, precisam de uma grande equipa de consultores de investimento para propor novos investimentos ou fazer recomendações de venda quando os pressupostos de alguma sugestão feita no passado se alteram. Uma instituição nanceira nacional utilizou Machine Learning para segregar o seu grande volume de clientes em apenas 50 grupos de clientes similares, podendo assim organizar as recomendações de investimento que faz por estes 50 grupos de clientes semelhantes. O algoritmo de clustering procura criar os 50 grupos com as menores diferenças possíveis intra-grupo e com as maiores diferenças possíveis inter-grupos. Assim, é mais eciente para uma equipa de investimentos fazer propostas a vários clientes que pertencem ao mesmo cluster. À medida que são feitas recomendações aos clientes, as mesmas são introduzidas numa base de dados, bem como a identicação dos clusters que tiveram mais interesse naquela recomendação. É depois possível treinar um outro modelo de Machine Learning que identica os clusters com maior probabilidade de aceitar a recomendação, baseando-se nas características do investimento proposto.

• Previsão de retornos e volatilidade Este é talvez o caso de uso mais atrativo para a indústria de gestão de ativos, apesar de ser o mais difícil de obter bons resultados. É uma previsão muito difícil de fazer, considerando que falamos do retorno e volatilidade dos ativos financeiros no curto ou médio prazo. No entanto, é possível utilizar Machine Learning para criar um modelo que faz uma previsão do retorno, volatilidade e rácio de Sharpe em relação a vários ativos nanceiros e depois criar uma estratégia que aloca ativos com base na relação risco/retorno dos mesmos. É ainda possível utilizar Machine Learning para prever a direção do próximo movimento de preço de um ativo nanceiro (subida ou descida) e com base nessa previsão criar uma estratégia de investimento. É pouco provável que as previsões efetuadas por estes modelos tenham precisão de 90%. Mas mesmo com 60% de precisão, é possível gerar retorno ajustado ao risco superior ao do mercado. Para concluir, é fundamental que as empresas de gestão de ativos comecem a utilizar este tipo de ferramentas que permitem tornar os processos mais automatizados e ecientes, sobretudo considerando a grande pressão que existe sobre o nível de comissões cobradas na indústria.

Existe um forte apetite dos investidores para direcionar capital para um futuro com menos carbono. À medida que a procura continua a crescer e os ativos sustentáveis acumulam mais património, veremos como o cenário de investimentos se transforma ainda mais. É uma tendência que veio para ficar e os investidores precisam de compreender o efeito que o clima está a ter na sua carteira. Em 2017 desenvolvemos na UBS Asset Management uma estrutura “Climate Aware”, que se refletiu na sua própria estratégia de ações indexada, lançada no mesmo ano. A estrutura baseia-se na adaptação do portefólio, reduzindo a exposição do mesmo aos riscos derivados das emissões de carbono; aumentando a exposição à inovação e às soluções relacionadas ao clima; bem como a transição da carteira em linha com um determinado roteiro climático. Desta forma, a nossa abordagem Climate Aware não apenas mitiga o risco das alterações climáticas, como também oferece aos investidores o potencial de investir nos produtos e soluções mais adequados aos desafios de um mundo sujeito a um crescente aquecimento global. Recentemente, assumimos o compromisso na Reunião Geral Anual do Fórum Económico Mundial de ampliar o conjunto de soluções climáticas disponíveis. Para isso, expandimos a gama de estratégias de investimento para incluir gestão ativa e passiva, ações e rendimento fixo, que são os componentes básicos da maioria das carteiras. É a primeira vez que o UBS AM lança um conjunto de produtos comum para todas as classes de ativos. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 57


TENDÊNCIAS ESTRATÉGIAS

por Joel Silva

FUNDOS DEFENSIVOS Alocação por classe de ativos LIQUIDEZ

OBRIGAÇÕES

Alocação da classe de ativos obrigações AÇÕES

OUTROS

OBRIGAÇÕES CORPORATIVAS

OBRIGAÇÕES SOBERANAS

SECURITIZAÇOES

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

80

45

70

40 35

60

30 50 25 40 20 30 15 20

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

10

10

5

0

0 2019-12

2020-01 2020-02 2020-03 2020-04 2020-05 2020-06 2020-07

2019-12

2020-01 2020-02 2020-03 2020-04 2020-05 2020-06 2020-07

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98%

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

Fonte: Morningstar Direct, dados a julho de 2020

volatilidade anualizada (5 anos)

FUNDOS PERFILADOS:

O GENÉRICO FEITO À MEDIDA Caracterizados por proporcionarem uma solução enquadrada com o perfil do investidor sem recorrer a um serviço personalizado, os fundos perfilados enfrentam em 2020 o maior desafio ao seu fator crítico de sucesso: a capacidade de adaptação. 58 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


FUNDOS MODERADOS Alocação por classe de ativos LIQUIDEZ

OBRIGAÇÕES

Alocação geográfica da classe de ativos obrigações AÇÕES

OUTROS

ÁSIA DESENVOLVIDA

ÁSIA EMERGENTE

EUROPA DESENVOLVIDA

EUROPA EMERGENTE

AMÉRICA LATINA

AMÉRICA DO NORTE

OUTROS

40

60

35 50 30 40 25

20

30

15 20 10 10 5

0

0 2019-12

2020-01 2020-02 2020-03 2020-04 2020-05 2020-06 2020-07

2019-12

2020-01 2020-02 2020-03 2020-04 2020-05 2020-06 2020-07

Fonte: Morningstar Direct. Dados a julho de 2020.

A

diversidade de veículos de investimento à disposição do investidor pode ser vista tanto como uma bênção como uma maldição. Por um lado, nunca foi tão fácil alocar património de forma especíca a determinados temas, setores ou regiões. Mas por outro, um mundo de opções pode ser sinónimo de um mundo de confusões. Num cenário em que ca cada vez mais difícil o acesso à consultoria para investimentos a clientes com patrimónios de todas as dimensões, mas no qual a adequação do instrumento de investimento ao perl de risco do investidor continua a ser crucial para a manutenção do cliente - e consequente sucesso do negócio -, aumenta a necessidade de soluções que simpliquem o processo de escolha e aconselhamento. Apesar da emergência de respostas tecnologicamente atrativas como os

robo-advisors, uma das soluções já estabelecidas no mercado, e não por isso menos ecaz, são os fundos perlados. Estes instrumentos assemelham-se a qualquer fundo de investimento, mas com uma signicativa diferença: a sua estratégia de investimentos é desenhada com vista a um determinado perl de risco. Este pormenor resulta num trabalho facilitado, tanto para a entidade comercializadora como para o próprio investidor, na hora de escolher o instrumento mais adequado ao perl e objetivos. As baixas barreiras à subscrição, liquidez diária e um funcionamento regulamentado ajudam a explicar a popularidade destes produtos que em Portugal já representam cerca de 20% do total de ativos aplicados em fundos de investimento. A capacidade de adaptação é assim o elemento chave para o sucesso de um fundo perlado, e é aí que surgem os

maiores desaos para os seus gestores. Seja a adequação ao perl de risco do investidor-alvo, seja às circunstâncias económicas e nanceiras, que este ano têm sido particularmente implacáveis em forçar mudanças na composição destes instrumentos. Este artigo apresenta um olhar atento às mutações nos fundos perlados nacionais ao longo de 2020, contextualizando-as com as palavras dos encarregados dessas alterações, com referência a dados da Morningstar Direct relativos ao m de julho do presente ano.

DÍVIDA CORPORATIVA

Ainda que tradicionalmente mais sobreponderados em títulos de rendimento xo e de menor volatilidade, os fundos perlados defensivos não conseguiram fugir ao impacto de um primeiro trimestre que cou “marcado por um ambiente de aversão ao risco SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 59


TENDÊNCIAS ESTRATÉGIAS

FUNDOS AGRESSIVOSALOCAÇÃO Alocação por classe de ativos

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

LIQUIDEZ

OBRIGAÇÕES

Alocação geográfica da classe de ativos ações AÇÕES

OUTROS

ÁSIA DESENVOLVIDA

ÁSIA EMERGENTE

EUROPA DESENVOLVIDA

EUROPA EMERGENTE

AMÉRICA LATINA

AMÉRICA DO NORTE

OUTROS

30

70

60

25

50 20 40 HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

15 30 10

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

20

5

10

0

0 2019-12

2020-01 2020-02 2020-03 2020-04 2020-05 2020-06 2020-07

2019-12

2020-01 2020-02 2020-03 2020-04 2020-05 2020-06 2020-07

Fonte: Morningstar Direct. Dados a julho de 2020.

resultante dos receios quanto ao impacto económico da propagação do surto de coronavírus”, comentava a equipa de gestão do BPI Reforma Obrigações PPR/OICVM nas chas de produto. Estes efeitos negativos, que atingiram transversalmente todas as classes de ativos, resultaram num pânico natural entre os investidores, que “atingiu com força a generalidade das emissões, apresentando performances bem negativas, especialmente na categoria high yield”, detalham Carlos Pinto e Pedro Lino, gestores das duas gamas de fundos perlados da Optimize IP. Contudo, com o avançar dos meses, foi evidente o reforço do segmento 60 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

obrigacionista nas carteiras desta categoria de fundos: no nal de julho, esta classe de ativos representava perto de 75% das carteiras dos fundos perlados defensivos nacionais. Neste movimento, as equipas de gestão demonstraram preferência por títulos de cariz corporativo, que passaram a representar acima de 40% do património alocado a esta classe de ativos.

OBRIGAÇÕES DOS EUA

Os fundos perlados moderados representam o meio-termo entre as restantes duas categorias. Ao manterem uma alocação maioritária em obrigações, mas com uma ponderação mais

signicativa em ações face aos seus contrapartes defensivos, obtêm exposição a outras oportunidades e níveis de retorno potencialmente mais atrativos. Contudo, nos primeiros meses de 2020, a componente acionista não favoreceu signicativamente estes instrumentos, como denota Pedro Vieira da IMGA. “No início do ano os mercados obrigacionistas apresentaram performances positivas, a beneciar da queda das taxas de juro e do estreitamento dos spreads, enquanto os mercados acionistas registaram, na sua maioria, desvalorizações”. A acompanhar esta tendência, a alocação dos fundos moderados nacionais à classe


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE ANA CARRISSO Senior sales manager, Fidelity International

O FUTURO DA ECONOMIA

NOS PRIMEIROS MESES DE 2020, A COMPONENTE ACIONISTA NÃO FAVORECEU OS FUNDOS PERFILADOS

de ativos das ações baixou para níveis inferiores aos do nal de 2019 nos primeiros meses do ano. Porém, nos meses seguintes, a componente acionista acabou por recuperar, acompanhada de um reforço no segmento obrigacionista. Perante um cenário mais favorável, a equipa de gestão do BPI Reforma Investimento PPR/OICVM optou por manter uma carteira diversicada “entre as principais classes de ativos tendo sido aproveitado o forte alargamento de spreads para adicionar emissões de dívida de empresas de elevada qualidade”. Na hora de escolher o destino do investimento em obrigações, os gestores dos

fundos não desviaram a sua preferência dos títulos provenientes das economias europeias mais possantes. Contudo, atribuiriam igualmente mais peso à dívida proveniente do outro lado do Atlântico, com a alocação a obrigações norte-americanas a ultrapassar os 10%.

EM CRESCIMENTO

Por m, os fundos perlados agressivos são a categoria mais direcionada ao investidor com maior tolerância ao risco, o que se reete na maior ponderação acionista nas carteiras destes fundos. Esta mesma componente registou um ligeiro abrandamento no início do ano, mas acabou por ganhar novo alento a partir do mês de maio, em que, segundo relata Fátima Só, gestora de ações da GNB Gestão de Ativos, “a expetativa de uma reabertura gradual das economias provocou um sentimento mais positivo nos investidores, juntamente com as medidas scais e de política monetária a serem implementadas”. De forma coincidente, Stefano Amato, da Santander Asset Management, assume que no mesmo período “a equipa de gestão foi gerindo a exposição do fundo a ações”, aproveitando “para aumentar a exposição a ações europeias” mas também americanas, através da subscrição de ETF indexados a índices acionistas destas regiões. Contudo, apesar do elevado enfoque dado a esta classe de ativos, a evolução da porção dedicada aos instrumentos de rendimento xo tem sido a mais proeminente ao longo do ano. Esta componente dos portefólios dos fundos perlados agressivos nacionais passou de representar 25% da carteira no início do ano para 30% no nal de julho, enquanto a componente acionista permaneceu quase inalterada, na casa dos 64%.

Os confinamentos globais estão continuamente a diminuir por todo o mundo e as economias estão a emergir naquilo que está a ser chamado de nova ordem económica. Na Fidelity sublinhamos os temas-chave nos quais a nossa equipa macro está a focar-se, além da crise económica, e detalhamos as maneiras específicas como vão impactar a forma de investir no futuro: A China é a segunda maior economia do mundo, contribuindo para um quarto do crescimento global em cerca de 6-6,5% pré COVID-19. Prevemos que a China vai ultrapassar a economia dos EUA nos próximos dez a vinte anos. A tecnologia está a reconfigurar a sociedade. Tal como a industrialização no início dos anos 1900 alterou as relações políticas e económicas, hoje, a Internet, o big data, as redes sociais, a digitalização e o 5G estão a remarcar o mundo. O ativismo fiscal era largamente falado pré vírus, mas tratava-se mais de conversa do que ação. Agora que a situação acabou, a relutância em alavancar os balanços dos sovereigns foi posta de lado perante a COVID-19. Tanto o BCE quanto a Fed incentivaram as autoridades fiscais a assumir a liderança para reparar os danos causados pela COVID-19 e este serviço vai continuar a ser necessário por parte dos Bancos Centrais. Em suma, a nossa perspetiva para o crescimento global é mais bearish do que o consenso, com os mercados das economias desenvolvidas a não retomarem os níveis prévios antes de 2022. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 61


TENDÊNCIAS PLANIFICAÇÃO por Óscar R. Graña

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

ÍNDICESH C ONCEN A NOVA NORM Para os gestores ativos, o facto de se estarem a comparar com índices cada vez menos diversificados está a colocá-los numa situação difícil, obrigando a decidir qual o melhor caminho para ultrapassar o benchmark. O problema é que nenhum garante o sucesso. 62 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

EVOLUCÃO DA CONCENTRAÇÃO DO S&P 500 NOS CINCO MAIORES TÍTULOS 20%

20% 18%

15% Media = 14%

10% 1980

1985

1990

1995

2000

2005

Fonte: Compustat, Goldman Sachs Global Investment Research.

2010

2015

2020


HIPER H NTRADO NT S M MALIDADE F

oi um processo lento e continuado que se foi produzindo ao longo dos últimos seis anos e que derivou no que hoje se tornou na nova normalidade: a hiperconcentração dos índices. Pouco a pouco, os principais indicadores bolsistas foram-se transformando, dando lugar a benchmarks menos diversicados dominados por um número muito reduzido de empresas. O caso que centra a atenção é o do S&P 500. Atualmente, o principal indicador da bolsa americana concentra nas FAAMG (Facebook, Amazon, Apple, Microsoft e Google) 20% da sua capitalização acionista. Todas são empresas tecnológicas cujo peso conjunto no índice está em níveis acima

dos que alcançou antes do estalar da bolha das dotcom. Em 2014, o peso dos cinco maiores valores no S&P 500 era de 11%. Ou seja, em seis anos duplicou. O facto de desde de 2014 os uxos em direção às ações americanas terem sido canalizados através de produtos de gestão passiva poderá ter alimentado esta tendência.

EM 2014, O PESO DOS CINCO MAIORES VALORES NO S&P 500 ERA DE 11%. EM SEIS ANOS DUPLICOU

O PESO TECNOLÓGICO

As FAAMG não só dominam o S&P 500. Também gozam de uma posição hegemónica noutros índices muito importantes. Por exemplo, são as cinco empresas de maior capitalização no MSCI World. O seu elevado peso neste e noutros índices situam-nas como SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 63


TENDÊNCIAS PLANIFICAÇÃO

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

CONCENTRAÇÃO DOS ÍNDICES MSCI POR PAÍS PESO DO TOP 10 (%)

MSCI JAPAN NR USD HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

19,43

MSCI USA GR USD

21,32

MSCI UNITED KINGDOM NR USD

45,03

MSCI CHINA NR USD

47,40

MSCI FRANCE NR USD

49,30

MSCI INDIA NR USD

53,89

MSCI AUSTRALIA NR USD

54,51

MSCI BRAZIL NR USD

55,95

MSCI GERMANY NR USD

56,46

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016.

MSCI SWEDEN NR USD

57,10

MSCI HONG KONG NR USD

62,82

Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

MSCI SWITZERLAND NR USD

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

MSCI SINGAPORE NR USD

75,12 75,38

MSCI ITALY NR USD

76,07

MSCI SPAIN NR USD

80,10

MSCI NETHERLANDS NR USD

80,87

MSCI RUSSIA NR USD

85,13

MSCI DENMARK NR USD

88,53

MSCI ISRAEL NR USD

92,32

MSCI FINLAND NR USD

94,48

MSCI BELGIUM NR USD

98,58

MSCI NEW ZEALAND NR USD

100,00

MSCI AUSTRIA NR USD

100,00

MSCI IRELAND NR USD

100,00

MSCI NORWAY NR USD

100,00

MSCI PORTUGAL NR USD

100,00

Fonte: Morningstar.

64 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

É O FERVOR PELA TECNOLOGIA QUE ESTÁ A PROVOCAR A HIPERCONCENTRAÇÃO DOS ÍNDICES

recetoras inevitáveis do dinheiro que entra no mercado através de ETF e fundos indexados. Ainda que seja bastante provável que o boom destes produtos esteja a ter algum efeito, não está provado que o seu papel na hiperconcentração dos índices seja determinante. Na bolha tecnológica, a gestão passiva era ainda uma atividade marginal na indústria da gestão de ativos. Não obstante, o medo de perder a oportunidade que acontece na mente humana quando os mercados estão em ebulição, levou todo o tipo de investidores a apostar na tecnologia, produzindo ao mesmo tempo uma grande concentração nos índices. Nesta ocasião, como naquela, é o fervor pela tecnologia que está a provocar a hiperconcentração dos índices. Nos benchamarks onde estão presentes estas empresas, a diversicação reduziu-se. E não só no S&P 500 ou no MSCI World. No MSCI Emerging Markets as responsáveis deste fenómeno são as tecnologias chinesas, a variante local das FAAMG, onde

dominam empresas como a Alibaba, Tencent ou Baidu. Não acontece o mesmo no MSCI Europe, onde o peso atual dos cinco maiores valores é de 13%, o mesmo que há 10 anos. No seu caso, o índice é dominado pela Nestlé, Roche, Novartis, Astrazeneca e HSCB. Nenhuma tecnologia. Também se verica o mesmo no MSCI Pacic, no qual não há nem rasto deste setor entre as cinco empresas de maior peso. Hoje este é um índice mais diversicado do que há uma década (10% em 2020 face aos 12% de 2010).

ANÁLISE POR MERCADOS

Apesar de as ações americanas estarem em máximos de concentração em termos históricos, este índice é, em conjunto com o japonês, um dos mais diversificados que existem atualmente. Se tivermos como referência os diferentes índices MSCI, o que nos permite homogeneizar a comparação, pode-se observar que o peso do mercado nipónico supera os


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE ANA CLAVER GAVIÑA, CFA Responsável de negócio na Península Ibérica e Chile, Robeco

INVESTIMENTO SUSTENTÁVEL EM MOMENTOS DE CRISE: ENTENDENDO AS NOVAS TENDÊNCIAS

19%, enquanto nos Estados Unidos a percentagem é de 21%. O mercado britânico, por exemplo, acumula 45% da sua capitalização nas 10 maiores empresas. Os índices MSCI sobre a Índia, Austrália, Brasil e Alemanha movem-se entre 53% e 56% e, se passarmos para Espanha, encontramos 80% de concentração. Em países como Portugal, Áustria ou Noruega as maiores empresas representam 100% do índice. “Encontramo-nos perante índices que não apresentam nem remotamente a diversicação suciente”, reconhece Carlos Fernández. E isto, segundo o professor do Mestrado em International Management do IEB, pode representar um problema. “Para começar, um índice concentrado, tal como qualquer carteira concentrada, tem uma proporção elevada de risco especíco, isto é, o risco derivado do comportamento particular de uma empresa. Torna-se divertido e ao mesmo tempo um pouco heterodoxo dizer que um índice, que é a nossa aproximação por antonomásia ao risco sistemático de um mercado, tem risco especíco”, arma. Para um gestor ativo, esta situação pode gerar um grande dilema. “A priori, se o índice está muito concentrado deveríamos diversicar mais. A questão é o que signica diversicar e onde estão as linhas vermelhas. Deverá reponderar a carteira, mas dentro

dos títulos que constituem o índice? Ou talvez deva adquirir títulos fora dele? Poderá fazer as duas coisas, como de facto ocorre a maior parte das vezes na gestão ativa. Ou poderá adquirir outros ativos. Ou poderá até pensar em levar para a frente estratégias dinâmicas sobre os subjacentes em carteira”, relata o especialista. Na realidade, o problema vem depois porque, uma vez eleito o caminho da diversicação, a questão seguinte é reconhecer uma verdade incómoda. “Obter uma melhor combinação em rentabilidade-risco do que o índice não signica sequer bater o índice”. Em condições normais, Fernández não se atreverá a dizer que os gestores podem fazer algo reposicionando as carteiras contra o índice, ainda que considere que agora parece que poderá chegar a ter sentido. Não obstante, não vão acabar os inconvenientes. “Depois de começarmos a diversicar o verdadeiro problema está em acertar com o ponto de alavancagem ou desalavancagem que ajusta o nosso beta, a nossa volatilidade ou o nível de risco ou desvio de risco que temos acordado com os nossos clientes”. Mas simplesmente o facto de diversicar não vai garantir ao gestor alcançar o que quase sempre é o primeiro objetivo da lista de objetivos e pelo qual o cliente costuma pagar: bater o benchmark. É daí que vem o dilema sobre se deve fazê-lo ou não.

Centrando-nos no campo da sustentabilidade, matéria na qual a Robeco e RobecoSAM são líderes a nível global, analisámos no trabalho “Four ESG trends that will shape the post-COVID-19 world” (R. Baumann, CFA, Responsável de Investimentos da RobecoSAM), aquelas que consideramos que serão as principais tendências ESG (ambientais, sociais e de governance) da era pósCOVID-19: maior regulamentação para uma rápida recuperação e com maior consideração dos parâmetros ESG; evolução para um transporte menos poluente; relocalização da produção perante a vulnerabilidade do sistema, com investimento em automatização e robótica; descentralização do trabalho e da saúde. Compreendendo estas tendências encontrar-nos-emos numa melhor posição para aproveitar as oportunidades que acompanham o desafio atual, um bom momento para impulsionar o investimento em sustentabilidade. Continuamos a confiar que do estudo dos parâmetros ESG nos investimentos, assim como do seu impacto, advêm pontos-chave para qualquer investimento com futuro, e assim integramo-los em toda a gama de fundos da Robeco, tais como Smart Energy, Smart Materials, Circular Economy ou os nossos fundos SDG (Sustainable Development Goals). Na Robeco continuamos a trabalhar para o benefício dos nossos clientes, e para que esse benefício se torne positivo para a sociedade. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 65


TENDÊNCIAS LEGISLAÇÃO por Sofia Leite Borges, Maria Carvalho Martins e Joana Borges Marquez

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

AMLD V

O FOGO DE PROMETEU E A CAIXA DE PANDORA Com o desenvolvimento de moedas virtuais, os riscos de Branqueamento de Capitais e Financiamento do Terrorismo aumentaram. A AMLD V veio estender os deveres de prevenção aos intermediários de ativos virtuais.

N

o dia 1 de setembro entrou em vigor a Lei n.º 58/2020, de 31 de agosto, que transpõe a V1 e VI2 Diretivas europeias em matéria de prevenção e de repressão do branqueamento de capitais (BC) e do nanciamento do terrorismo (FT, AMLD V e AMLD VI). A AMLD V foi aprovada em resposta aos ataques terroristas em França e na Bélgica em 2015, tendo como pano de fundo a divulgação dos Panama Papers em abril de 2016 e considerando ainda os casos recentes de BC que envolveram, nos últimos anos, várias instituições nanceiras europeias. As Diretivas supramencionadas surgem no contexto mais amplo da luta mundial contra o BC, o FT e a proliferação de armas de destruição maciça, uma luta que, no plano europeu, teve

66 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

início em 1991, tendo vindo a intensicar-se nos últimos anos.

O FOGO DE PROMETEU

O BC e o FT implicam o contágio entre a economia legítima e a economia paralela. O desao das instituições legislativas e regulatórias é determinar como combater esse contágio, criando barreiras e gate-keepers que inviabilizem as iniciativas, cada vez mais engenhosas, de BC e de FT. De acordo com um relatório do FATF3 de 2015, o método preferencial para operar a passagem de fundos para o financiamento das atividades terroristas continua a ser o da passagem física desse dinheiro, muitas vezes com origem em atividades de natureza criminosa como rapto, extorsão, furto, contrabando, entre outros.

As conclusões da reunião do Plenário do FATF de 19 de outubro de 2018, apontam no sentido da existência de outros métodos de movimentação de fundos, incluindo o recurso abusivo a Money Value Tranfer Services e a utilização de cartões pré-pagos, sem controlo do BC e do FT. Com o desenvolvimento das moedas virtuais, os riscos de BC e FT aumentaram, sendo apontadas como vulnerabilidades, associadas a estes ativos e que os tornam atrativos para as organizações criminosas e terroristas, o anonimato nas transações e nos utilizadores, a falta de supervisão e o seu alcance global. Tal como Prometeu entregou à Humanidade o fogo, as instâncias europeias têm vindo a dedicar tempo e recursos ao tema do BC e do FT, procurando dotar o setor nanceiro europeu


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE MARIO EISENEGGER Diretor de investimento da equipa de rendimento fixo, M&G Invetsments

A COMPARAÇÃO ENTRE OS PAÍSES NÃO CONDUZ A UMA CONCLUSÃO CLARA SOBRE A ATRATIVIDADE DE UM REGIME FACE A OUTRO de regras que, corporizando as melhores práticas atuais, permitam prevenir e reprimir o fenómeno de contágio da economia legítima pela economia paralela, assegurando maior segurança e transparência e salvaguardando a reputação das instituições do setor.

A CAIXA DE PANDORA

A AMLD IV4 introduziu uma densicação de conceitos e deveres, um alargamento das entidades obrigadas e centralizou a preocupação na gura do beneciário efetivo. Abriu-se, assim, em 2015 a Caixa de Pandora para muitas entidades, confrontadas com novos deveres e com os custos inerentes ao respetivo cumprimento. A AMLD V veio, neste contexto, estender os deveres de prevenção do BC e do FT aos intermediários de ativos virtuais que passam a estar regulados e sujeitos a registo prévio, bem como às entidades que atuam no comércio de obras de arte, desde que preenchidos certos requisitos. O papel de guardião da economia legítima, reservado a alguns, foi sendo sucessivamente estendido a novas entidades, apertando o cerco da prevenção do BC e do FT. Deste alargamento ou abertura, não terão saído todos os males do mundo, mas saíram certamente mais custos e novas responsabilidades que oneram as entidades obrigadas, nanceiras e não nanceiras. De forma resumida, a AMLD V, já transposta em Portugal, estabelece

as seguintes regras em matéria de prevenção do BC e do FT: 1. Reforça os poderes das Unidades de Informação Financeira. 2. Determina a proibição de manutenção de cofres anónimos junto de instituições nanceiras. 3. Aumenta a transparência em torno do conceito de beneciário efetivo. 4. Determina o reforço dos deveres preventivos relativamente à utilização de cartões pré-pagos. 5. Reforça as medidas aplicáveis a operações com países terceiros de risco elevado.

A ESPERANÇA

No fundo da Caixa de Pandora estava a Esperança. Resta-nos a esperança de que as instituições do setor nanceiro se adaptem uma vez mais, com sucesso, às novas regras e que cumpram o papel de gate-keepers do sistema económico e nanceiro sem perder de vista as considerações comerciais inerentes à sua sobrevivência e rentabilidade. A nível europeu, encontram-se já em curso trabalhos com vista à criação de novas regras em matéria de prevenção do BC e do FT. Ou seja, do Fogo de Prometeu e das suas boas intenções, parece ter nascido uma História Interminável. 1. Diretiva (UE) 2018/843 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 30 de maio de 2018. 2. Diretiva (UE) 2018/1673 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de outubro de 2018. 3. Relatório do FATF-GAFI de 27 de fevereiro de 2015 - Financing of the Terrorist Organisation Islamic State in Iraq and the Levant. 4. Diretiva (UE) 2015/849 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de maio de 2015.

OBRIGAÇÕES VERDES DA UE: UM ATIVO LIVRE DE RISCO COM UM PRÉMIO DE RENDIMENTO? Embora ainda seja muito cedo para analisar ao detalhe, parece razoável esperar que as obrigações verdes da UE gerem interesse no mercado, especialmente da parte de investidores passivos e daqueles com mandatos de investimento restritos a ativos de alta qualidade num primeiro momento. Prevêse que as obrigações verdes da UE tenham uma classificação de crédito AAA, o que pode oferecer uma alternativa interessante aos ativos livres de risco existentes, como os bunds alemães. Não obstante, ainda que a UE se torne num emissor de dívida considerável nos próximos anos, o saldo devedor dos seus títulos representará apenas uma mera fração do da dívida soberana alemã. Por esse motivo, prevejo que as obrigações verdes da UE serão negociadas com um pequeno prémio de iliquidez face aos bunds. As obrigações emitidas pela UE também incorporam um elemento de risco de redenominação, que também se deve refletir num spread um pouco mais alto. Portanto, as obrigações verdes da UE poderão ser do interesse não apenas dos investidores de rendimento fixo com uma abordagem sustentável, mas também a gestoras que procurem ativos sem risco com um pequeno prémio de taxa interna de retorno. Além disso, com a possibilidade do BCE utilizar o seu plano de compras de ativos para cumprir os seus objetivos ambientais, poderemos ver da mesma forma um fator técnico interessante. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 67


TENDÊNCIAS ADVISORY por Luís Silva e Vítor Mário Ribeiro

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

INVESTMENT ADVISORY TECNOLOGIA AO SERVIÇO “A CIVILIZAÇÃO AVANÇA AO ALARGAR O NÚMERO DE OPERAÇÕES IMPORTANTES QUE PODEMOS EFETUAR SEM PENSAR NELAS” ALFRED NORTH WHITEHEAD, FILÓSOFO BRITÂNICO. 68 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


T

rata-se de uma citação retirada do livro de Pedro Domingos, A Evolução do Algoritmo Mestre, que resume bem o poder da inteligência articial. Neste artigo propomos algumas respostas para o futuro da gestão de patrimónios, principalmente no investment advisory, num contexto tecnológico desaante. São muitas palavras, muitos conceitos, muita tecnologia e inteligência, mas para o investment advisory nada disto é articial, pelo contrário.

MODELO DIGITAL

Vemos quatro forças a rodear o advisory. Primeiro, o cliente. Mais exigente, com mais conhecimento, revela necessidades mais complexas e procura experiências personalizadas e holísticas. A seguir, a tecnologia. O novo modelo, centrado no cliente e orientado

para o serviço, precisa de usar todas as capacidades da infraestrutura tecnológica existente. Já apareceram novos modelos de negócio baseados em aprendizagem automática e análise de dados como o crowdfunding e o robo-advice. São vários os exemplos de consultores para investimento digitais de enorme sucesso como a Personal Capital, a Betterment ou a Wealthfront. Mas para a consultoria o caminho é o da criação de valor para o cliente, onde a tecnologia entra num processo de apoio, e não de substituição, do nancial advisor. Pensamos que ambos os modelos irão coexistir no futuro. O investment advisory vai continuar a ser um negócio de pessoas. O advisor será uma pessoa, mas com cada vez maiores e melhores conhecimentos e competências, capacidades intuitivas e relacionais e de visão periférica.

NA CONSULTORIA O CAMINHO É DE CRIAÇÃO DE VALOR PARA O CLIENTE ONDE A TECNOLOGIA ENTRA NUM PROCESSO DE APOIO SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 69


TENDÊNCIAS ADVISORY

GRUPO 1

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

O PODER DOS ALGORITMOS PERMITIRÁ EVOLUIR NO SISTEMA DE PERFILAGEM 70 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

A terceira força é a confiança e transparência. A regulação credibiliza e torna o modelo mais independente e virtuoso. A dinâmica do ecossistema tem permitido a supervisores e reguladores desenvolverem estratégias de inovação: regtech e suptech são bons exemplos. Por m, as empresas. Os fees estão a cair e os custos a aumentar devido a fatores como a regulação, compliance, risco ou a governance. A sobrevivência depende por isso de um modelo disruptivo, inovador e tecnológico.

A AJUDA DA TECNOLOGIA

O poder dos algoritmos permitirá evoluir no sistema de perfilagem e conhecimento do investidor, dos seus objetivos, preferências e restrições. Um questionário evolutivo, com base em teorias comportamentais e que aprende com a sociedade e

com as interações dos participantes de mercado. Na fase seguinte, a aplicação de técnicas de AI, dará um impulso ao tipo e qualidade de conclusões que vão ser utilizados pelos advisors para selecionar ativos e otimizar a carteira. Estudos têm vindo a demonstrar a superioridade da aprendizagem automática no cálculo mais preciso de retornos esperados1, algoritmos (genéticos) têm resolvido problemas de optimização cada vez mais complexos2 e a criação de dados nanceiros sintéticos através de deep learning podem aumentar a robustez dos portefólios recomendados3. Na análise de risco, a incorporação de dados qualitativos como análise de sentimento de notícias, social media e resultados empresariais e o tratamento de dados quantitativos como imagens de satélite, levarão a melhores previsões de risco e consequen-


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE LAURA DONZELLA Responsável de Vendas para a Península Ibérica e América Latina, Nordea AM

INVESTIMENTO DE IMPACTO

ENTRAR EM MODO DISRUPTIVO NUMA INDÚSTRIA CARREGADA DE FORMALISMOS E DO BUSINESS AS USUAL PARECIA UMA HERESIA, MAS É AGORA UMA REALIDADE temente a um aumento de eficiência dos mercados e das recomendações. Outros benefícios da tecnologia para a consultoria: • Melhora a experiência do cliente - Mais clara e transparente - Personalização da carteira e foco no serviço em vez do produto - Relatórios, análises, comunicações e recomendações centradas no cliente - Análise holística do património • Otimização da carteira e seleção de ativos • Automatização de regras como o rebalanceamento e performance, os processos de back-ofce e operações denidas • Desintermediação possibilitando ao advisor focar-se no cliente e no seu plano nanceiro holístico • Flexibilidade e redução de custos Mas também há obstáculos, como o

tratamento da privacidade, a proteção de dados e o compromisso duciário.

À PROVA DE FUTURO

Entrar em modo disruptivo numa indústria carregada de formalismos e do business as usual parecia uma heresia, mas é agora uma realidade. Os advisors do futuro vão ter missões mais complexas e subjetivas. Algo mais parecido com um nancial wellness coach ou um holistic wealth manager. Terminamos com o início, mas com um twist: o investment advisory avança ao permitir que inúmeras operações complexas podem ser efetuadas sem pensarmos nelas. 1. Feng, Giglio, Xiu (2017) - Taming the Factor Zoo: A Test of New Factors - The Journal of Finance 2. Hu, K. Liu, Zhang, Su, Ngai, and M. Liu (2015) Application of evolutionary computation for rule discovery in stock algorithmic trading: A literature review - Applied Soft Computing 3. Wiese, Knobloch, Korn, Kretschmer (2019) - Quant GANs: Deep Generation of Financial Time Series Mathematical Finance

Durante a crise da pandemia, o clima e o meio ambiente foram temas amplamente debatidos tanto nas redes sociais como nas redes convencionais. Com muitos países encerrados de emergência, aos nossos ecrãs chegaram imagens aéreas sobre cidades vazias e fotografias de vida selvagem que regressa aos habitats previamente abandonados. Comentadores sugeriram que a destruição ambiental e a perda de diversidade vão contribuir para um maior risco de pandemias futuras. Então, como podemos mudar as coisas? Há muitas formas de conseguir uma mudança, e não requerem necessariamente que pegue no carro com menos frequência. Como indivíduo, o investimento pode impulsionar essa mudança tanto pelos efeitos do “peso do dinheiro”, como pelo “multiplicador de dinheiro”, e isto pode ser visto no âmbito do investimento sustentável. O investimento relacionado com impactos está a estender-se cada vez mais, e os investidores centram-se em problemas específicos à medida que investem e medem o impacto de cada investimento. Não obstante, esta não é a única forma de gerar impacto. No âmbito do meio ambiente podemos ter um impacto muito tangível ao investir em empresas que oferecem soluções climáticas. O Global Climate and Environment Strategy investe em empresas que oferecem soluções climáticas e do meio ambiente. Ao investir, participa na criação de um impacto positivo real para um planeta e uma sociedade mais sustentáveis. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 71


TENDÊNCIAS I+D

por Tomás V. García-Purriños

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00% YTD

*

+3.75%

*

5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016.

O PAPEL DA COBERTURA DE

DIVISAS NAS AÇÕES

Ainda que se considere que no longo prazo o impacto da divisa seja neutro, estas estratégias de cobertura podem aportar durante o caminho uma redução do risco somando um plus de rentabilidade.

C

obrir ou não cobrir (divisa) numa carteira de ações globais é uma das grandes eternas perguntas que não têm resposta clara. Em geral, os gestores estão bastante relutantes em fazê-lo. As razões que mais utilizam costumam ser as seguintes. Em primeiro lugar, asseguram que é algo que ca fora do seu círculo de competências. Um especialista em ações não deve ser, também, um especialista em divisas. É muito diferente a análise de um investimento numa ação e o seu impacto na carteira global, da forma como se analisa a evolução de pares de divisas. Em segundo lugar, costuma-se sublinhar a diculdade de realizar uma cobertura perfeita. Principalmente porque é muito difícil conhecer qual é a exposição de uma empresa a uma determinada divisa, além da qual está

Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

72 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

denominada (por exemplo, percentagem de vendas em divisa estrangeira, de custos, quanto cobre a própria empresa, etc.). Além disso, é preciso ter em conta os custos de cobertura (que podem ser muito altos e a causa de uma menor rentabilidade), a seleção do melhor produto para as realizar, as diculdades inerentes a estes produtos, etc. Com tudo isto, os argumentos anteriores não podem ser desculpa, se os ganhos de cobrir a divisa compensarem as suas diculdades. Por isso, o terceiro motivo é talvez o mais relevante: no longo prazo o impacto da divisa é neutro porque se costuma acreditar que as divisas são um jogo de soma nula e se uma se deprecia é porque a outra se valoriza, por isso, no nal, compensam-se. Neste sentido apontam diferentes estudos, como por exemplo o de E. Dimson, P. Marsh e M. Staunton publicado pelo


CFA Institute em 2016 que analisa mais de 100 anos de histórico de vários ativos. Este último argumento tem vários problemas. Por um lado, está correto em períodos de muito (muito) longo prazo (períodos de 50 anos, por exemplo). Em ciclos mais curtos (0-10 anos) o movimento das divisas acrescenta volatilidade ao investimento e pode chegar a explicar até 20%/30% da volatilidade de uma carteira de ações (e até 90% no caso de uma carteira de obrigações). Por exemplo, desde 2001 (quase 20 anos de histórico) a rentabilidade média do MSCI World denominado em euros e a do mesmo índice coberto em euros é bastante semelhante (em torno dos 6,20% anuais). Não obstante, a volatilidade realizada do índice sem cobertura é cerca de 5% superior à do índice coberto. Em prazos mais curtos, estas diferenças acentuam-se. O facto de uma divisa acrescentar ou retirar risco a uma carteira de ações deve ser analisado nos mesmos termos que um investimento multiativos. Assim, a variação de qualquer ativo em divisa estrangeira que acrescentarmos à carteira é calculada deste modo: RDC será o retorno do ativo em moeda doméstica (a de dominação da carteira), RFC o retorno em moeda estrangeira e RFX o retorno da divisa. Portanto, a variação dos retornos do ativo sem cobertura de divisa será superior quanto maior for a variação dos retornos da divisa, porque é aditiva, mas dependerá da correlação entre RFC e RFX. Se for positiva, aumentará a volatilidade. Apresentá-lo assim abre a porta a estratégias como, por exemplo, cobrir só a divisa nos casos que representem um aumento do risco e não o fazer quando acrescente diversicação. É preciso ter em conta, em qualquer caso, que os estudos assina-

EVOLUÇÃO NO MSCI WORLD (COM E SEM COBERTURA) E TAXA DE CÂMBIO DÓLAR-EURO MSCI WORLD EUR (SEM COBERTURA)

MSCI WORLD (COBERTURA EUROS)

EUR/USD (DCHA.)

300

1,80

240

1,56

180

1,32

120

1,06

60

0,84

0,60

0 2001

2004

2007

2010

2013

2016

2019

Fonte: Bloomberg e Morabanc Asset Management.

FÓRMULA PARA O CÁLCULO DO RISCO DE UM INVESTIMENTO EM DIVISA VARIÇÃO (RDC) = VARIAÇÃO (RFC) + VARIAÇÃO (RFX) + 2 X DESVIO PADRÃO (RFC) X DESVIO PADRÃO (RFX) X CORRELAÇÃO(RFC, RFX) Fonte: Morabanc Asset Management.

SE UMA DIVISA ACRESCENTA OU NÃO RISCO A UMA CARTEIRA DE AÇÕES DEVE-SE ANALIZAR NOS MESMOS MOLDES DO QUE UM INVESTIMENTO MULTIATIVOS SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 73


P

AR

P

R

TNE

R

TENDÊNCIAS I+D

AR

TNE

A OPINIÃO DE LALE AKONER Estratega de mercado, BNY Mellon Investment Management

OS MERCADOS EMERGENTES PODEM APLICAR POLÍTICAS DE FLEXIBILIZAÇÃO QUANTITATIVA?

ESTRATÉGIAS DE COBERTURA DE AÇÕES MSCI WORLD EUR (SEM COBERTURA)

MSCI WORLD (COBERTO EM EUROS)

MSCI WORLD (ESTRATÉGIA COBERTURA EUR) 420

320

240

160

80

0 2002

2005

2008

2011

2014

2017

2020

Fonte: Bloomberg e Morabanc Asset Management.

lados anteriormente se baseiam em carteiras que estão denominadas em dólares. Seguramente a contribuição para o risco pode ser maior para investidores em outras divisas, tendo em conta que a percentagem do mercado de ações baseado em dólares é notoriamente mais elevada do que o de qualquer outra divisa. Por isso, parece que um investidor em ações globais com carteira em euros deverá, pelo menos, voltar a fazer a pergunta. É certo que de um ponto de vista de carteira ou de investimento multiativos, a resposta é mais fácil porque é preciso apresentar a divisa como mais um ativo a ter em conta na asset alocation. Além disso, em vez de uma cobertura total, um plano de coberturas de divisas poderá trazer diversicação à carteira mantendo a rentabilidade da mesma. Mas o anterior também poderá ser certo para carteiras compostas totalmente por ações. Poderá basear-se 74 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

a decisão de cobrir ou não dependendo dos custos de cobertura, de desvios das divisas face ao seu fair value ou manter só aquelas divisas com maior momentum. Por exemplo, com uma simples estratégia de médias móveis (não cobrir quando o preço esteja abaixo da média, cobrir quando está acima da média) podemos ter gerado um retorno mais elevado do que em qualquer das alternativas (não cobrir/cobrir) com uma volatilidade mais reduzida (obviamente dependendo do momento de início, custos operacionais, etc.). Em suma, antes que chegue o longo prazo vão passar muitos curtos prazos e é lógico que se questione sobre formas de otimizar a relação rentabilidade-risco durante o caminho. Neste sentido, as estratégias de cobertura de divisas em carteiras de ações globais podem proporcionar uma redução do risco acrescentando um plus de rentabilidade.

Está a acontecer um acalorado debate no mercado: devem e podem os bancos centrais dos mercados emergentes (ME) aplicar políticas de flexibilização quantitativa (FC) para lutar contra as consequências do COVID-19? A FC não é uma política padrão, especialmente quando se trata de implementar num grupo muito diverso de países com diferentes histórias, perfis, pontos-fortes e vulnerabilidades. A credibilidade do país pode fazer com que qualquer política monetária arriscada e pouco ortodoxa assuste o mercado, particularmente naqueles que à partida já têm vulnerabilidade macro. Os países com expetativas de inflação bem ancoradas e mercados locais sólidos de dívida soberana são os mais adequados para as aplicar. Países semelhantes aos seus homólogos dos mercados desenvolvidos, como a Polónia e a República Checa, já o estão a fazer. Quando as economias mostrarem sinais de recuperação, o mercado esperará o aumento das taxas de juro e que haja uma saída oportuna das políticas de FC. Se isto não acontecer, podem correr o risco de provocar saídas de capital e aumentar as vulnerabilidades económicas. Para alguns a FC pode continuar a ser algo teórico difícil de pôr em prática.


TENDÊNCIAS FUNDS SERVICES

por Margarida Pinto

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98%

O GRANDE PARCEIRO ESTRATÉGICO

volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

MARKETING NA GESTÃO DE ATIVOS

Os departamentos de marketing das gestoras de ativos são um provedor essencial de informação na construção do negócio, mas as suas funções não se esgotam aí, e ao longo do tempo as exigências têm crescido.

76 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

L

onge do glamour da década de 60, em que os Marketeers retratados na série Mad Men tinham a ambição de ser os mais audazes em cada um dos negócios em que se metiam, na gestão de ativos nacional a área de Marketing e de Negócio faz-se com os pés bem mais assentes na terra. Não há copo de whiskey numa mão, nem cigarro noutra, muito menos no encontro virtual em que a FundsPeople reuniu na mesma conversa três responsáveis por este pelouro em cada uma das suas instituições, de forma a explorar o papel que têm vindo a desempenhar. A área de gestão de ativos mudou muito nos últimos anos, e as mudanças regulamentares foram provavelmente um dos pontos de maior azáfama dentro das instituições. É como inicia Joana Moura, da BPI Gestão de Ati-

vos, para quem os últimos quatro anos foram de criação de “novos processos e adaptações”. A entrada em vigor de regulamentos e diretivas como a MiFID II, os PRIIPs, a portaria dos PPR e até a legislação referente aos fundos de mercado monetário, fez a BPI GA “agilizar a oferta”, e adaptá-la “àquilo que são as necessidades dos clientes atuais”. No caso da MiFID II, recorda que em estreita colaboração com o Banco BPI – principal parceiro e o distribuidor dos produtos da gestão de ativos – tiveram de aprofundar o conhecimento sobre o cliente, já que a “oferta é cada vez mais direcionada a um cliente especíco, com um determinado perl de risco, tipo de conhecimento, etc.” Dentro da oferta, as mudanças regulamentares permitiram a criação de um PPR 100% ações, e ainda fundir dois fundos, um de liquidez e outro de mercado monetário, que deram origem a um


JOANA MOURA

PEDRO ARBUÉS

ANTÓNIO DIAS

BPI Gestão de Ativos

GNB Gestão de Ativos

Sixty Degrees

“O Marketing tem um papel fundamental de traduzir a linguagem muito própria dos gestores dos fundos e torná-la percetível para o distribuidor”

“A aspiração de qualquer departamento de marketing é ser o principal parceiro da comissão executiva”

“Conseguimos minimizar ao máximo o risco de não corresponder às expetativas do cliente final”

novo produto de ativos predominantemente de curto prazo. Experiência semelhante é a reportada por Pedro Arbués, da GNB Gestão de Ativos, onde também consideraram que o ambiente regulatório dos fundos de mercado monetário passou a ser muito desaante. “Uma das principais funções dos departamentos de marketing é analisar se a oferta de produtos vai ao encontro das necessidades dos clientes. Temos de olhar para o cliente e perceber se o produto é uma mais-valia, mas também temos de olhar para os recursos da própria instituição e analisar a capacidade para cumprir com as obrigações regulamentares de cada produto e fazer uma análise económica”, enquadra o prossional, alertando para situações que podem ser um pau de dois bicos. “Podemos chegar a situações em que um produto perde a sua atratividade pois os custos de ir ao encon-

tro das exigências regulamentares obriga a gestora a cobrar um determinado nível de comissões que deixa de fazer sentido para o cliente”, sentencia. No caso da Sixty Degrees, com apenas um ano no mercado nacional, foi precisamente uma mudança regulatória, em agosto de 2018, que abriu caminho ao nascimento da instituição e ao foco que queriam dar ao negócio. A alteração das regras de investimento dos Fundos de Poupança Reforma deu-lhes a possibilidade de lançar o produto que queriam, no formato que queriam. “Queríamos um produto simples e exível, no qual conseguíssemos dar o benefício da eciência scal aos clientes”, conta António Dias. Posto isto, é a própria entidade gestora a distribuidora do produto e portanto, contrariamente aos companheiros de debate, conseguem “minimizar ao máximo o risco de não corresponder às expe-

tativas do cliente nal”. “Temos quase 99% de certeza sobre o estado da decisão quando o cliente subscreve o fundo da Sixty Degrees. Só temos um produto, o que facilita o processo de denição do que é público-alvo ou não, e sobre que produto colocar em cada tipo de cliente”, aponta. É desta abordagem de proximidade que nasce o grande valor da entidade: a conança, que conseguem executar de forma mais fácil, pois “todos os clientes algures no tempo, falam ou já falaram com a equipa de gestão”. Algo impensável, pelo menos de forma transversal a todos os segmentos de cliente nal que servem a BPI GA e GNB GA, através dos seus distribuidores. “Contrariamente ao caso da Sixty Degrees, não temos tanta proximidade entre os gestores e os clientes (participantes dos fundos). Essa função cabe às equipas comerciais do distribuidor. Os diferentes segSETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 77


P

AR

P

R

TNE

R

TENDÊNCIAS FUNDS SERVICES

AR

TNE

A OPINIÃO DE ARIEL BEZALEL Responsável de estratégia e obrigações, Jupiter AM

A DEFLAÇÃO, NÃO A INFLAÇÃO, INTENSIFICOU-SE

FERRAMENTAS DIGITAIS O trabalho dos profissionais de marketing das entidades gestoras capitaliza muito, nos dias de hoje, no alcance das ferramentas digitais. Também este encontro promovido pela FundsPeople beneficiou da segurança e flexibilidade de uma plataforma de reuniões online.

mentos têm necessidades distintas, por exemplo representantes do Private Banking reúnem com os gestores dos fundos com alguma regularidade”, recorda Joana Moura, que lembra que no seu caso o alinhamento tem que ser total com o Banco BPI. “O nosso distribuidor não vende apenas soluções de investimento, portanto, temos de estar em contato permanente e de ser claros na divulgação da nossa oferta”, recorda. Na mesma lógica de pensamento, Pedro Arbués assinala a experiência que têm com os produtos GNB domiciliados no Luxemburgo, que concorrem com muitos outros fundos. “Temos de alimentar o mais possível as nossas redes de distribuição com conteúdos que sejam uma mais-valia e que cheguem ao cliente nal, o que nem sempre é fácil”, atesta. “Sempre que possível, a relação direta com os clientes é privilegiada, como é o caso das carteiras de gestão Discricionária” acrescenta.

VÁRIOS CLIENTES

Nesta conversa cam patentes tipos de clientes nais muito distintos, consoante a instituição, o que congura para cada equipa de Marketing um trabalho distinto. Contudo, não se fala necessariamente de um tipo de cliente mais informado face a outro. António Dias conta que a maioria dos clientes que servem “ou têm dinheiro por via de uma herança 78 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

e não dominam a mecânica dos investimentos, ou são empresários de sucesso com unidades industriais, com pouca experiência e conhecimento na gestão de investimentos”. Portanto, o discurso da entidade “não assenta tanto na base da literacia nanceira, mas sim na conança”. No caso da GNB GA e da BPI GA a necessidade de simplicar a mensagem é efetivamente uma realidade. “Temos de ter capacidade de traduzir para uma linguagem que seja percetível, ou menos técnica aquilo que os gestores dizem”, indica Pedro Arbués, e Joana Moura complementa. “Desde as crises que vemos as redes comerciais mais avessas ao risco” e, portanto, o marketing tem o papel de desmisticar “a linguagem mais técnica utilizada pelos gestores de fundos”, e torná-la “percetível para as redes”. Com chave de ouro, Pedro Arbués fechou a conversa com a denição mais consonante possível sobre a função em debate: “A aspiração de qualquer departamento de marketing é ser o principal parceiro da comissão executiva de uma gestora de ativos na denição da sua estratégia, fornecendo estudos de mercado que inclua entre outros, o tipo de produtos que estão a ser lançados, quais estão a ter mais sucesso, que modelos de distribuição estão a emergir, o perl dos clientes, e o posicionamento da sociedade face ao mercado” concluiu.

A vasta escala de apoio fornecido à economia nos últimos seis meses levou muitas pessoas a questionarem-se, após décadas de inflação baixa e decrescente, se realmente chegámos a um ponto de inflexão em que as forças inflacionistas vão assumir o controlo. A fomentar este debate está a nova política de Average Inflation Targeting (AIT) da Fed, que visa garantir o emprego máximo. A Fed confirmou que não aumentará as taxas de juro até que a inflação esteja acima de 2% “por algum tempo” e não prevê um aumento das mesmas antes de 2023. Assim, estaremos a passar de um ambiente deflacionista para um ambiente inflacionista secular? É questionável. Há muito que argumentamos que as poderosas forças estruturais do excesso de dívida, envelhecimento demográfico e disrupção tecnológica (os três Ds) vão continuar a fornecer pressão desinflacionista. Estas são forças estruturais profundas que se estão a desenvolver há décadas e certamente não vão desaparecer da noite para o dia. Do nosso ponto de vista, embora os ajustes na estrutura da Fed possam vir a ter implicações importantes no longo prazo, por enquanto estes servem simplesmente para fornecer uma orientação futura mais firme. O ponto de viragem para a inflação seria se os bancos centrais levassem mais a sério a Teoria Monetária Moderna, helicopter money ou uma mudança mais permanente em direção à monetização da dívida. Mas acreditamos que esse ponto ainda está a um ou dois anos de distância. No curto prazo, as pressões inflacionistas podem flutuar, mas como investidores que procuram equilibrar risco e retorno, olhamos para as tendências de longo prazo.


WE SUPPORT THE UNITED NATIONS GLOBAL COMPACT. Allfunds strengthens its commitment to Corporate Social Responsibility and joins the United Nations Global Compact, the world's largest corporate sustainability initiative. This is a further step in consolidating the responsible approach of Allfunds through economic, social and environmental performance.

allfunds.com


ENTREVISTAS GURU por Margarida Pinto

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

80 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


P

R

TNE

AR

AR

R

P

O BSF European Absolute Return voltou a estar no radar dos investidores depois da sua abertura a novas subscrições em junho deste ano. Stefan Gries, que divide a tarefa da gestão com David Tovey, aponta um segredo simples quando falamos da gestão daquele que é um produto bem-visto pelos investidores ibéricos: a fidelidade aos disciplinados critérios de stock picking da carteira. TNE

STEFAN GRIES, CO-GESTOR DO BSF EUROPEAN ABSOLUTE RETURN SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 81


ENTREVISTAS GURU DISCIPLINA NAS POSIÇÕES CURTAS E LONGAS Nas posições longas a equipa privilegia as empresas com equipas de gestão superiores e uma boa gestão do free cash flow; na parte curta, o foco está nas empresas que poderão ter uma deterioração fundamental nos lucros.

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

F

echado a novas subscrições desde janeiro de 2019, o BSF European Absolute Return voltou a permitir que os investidores coloquem dinheiro novo no produto. Uma decisão que teve lugar no início de junho, e que volta assim a colocar os holofotes virados para aquele que sempre foi um produto de sucesso em terreno ibérico. Prova disso é o facto de ostentar, em Portugal, o Selo FundsPeople 2020 pelas classicações de Blockbuster e Consistente, mas também um número redondo ao nível do seu património: dos 1.300 milhões de euros que o produto gere, quase metade correspondem a investidores ibéricos. Stefan Gries, co-gestor do produto em conjunto com David Tovey, não vê grandes segredos que expliquem o sucesso do fundo de retorno absoluto, mas admite que manterem-se “éis aos disciplinados critérios de stock picking” tem sido essencial na boa trajetória do produto, que já conta com 11 anos de histórico. Um produto que conta com estes dois atores principais, que “assumem total responsabilidade sobre as decisões tomadas no portefólio”, mas que bebe de um input muito mais alargado: os dois gestores trabalham lado a lado com os 18 membros da equipa de ações europeias da BlackRock ao nível da análise de investimento e das recomendações. Mas como se concretiza a tal delidade a um determinado caminho? No campo da seleção dos ativos, nomeadamente nos investimentos long-short, o cogestor confessa que têm de ser regrados, dado o “inacreditável universo existente” de ativos. Nas posições longas, descreve, a intenção da gestão é “investirem em empresas detentoras de equipas de gestão superiores, fortes retornos sob o capital investido, e uma boa gestão do free cash ow”. Empresas que pretendem manter em carteira num prazo entre 3 e 5 anos, “com o ênfase de research alinhado em compreender 82 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

as empresas, e não apenas os preços das ações”. No conjunto das posições curtas, por sua vez, o foco está nas “empresas que irão assistir a uma deterioração fundamental no seu poder de geração de lucros”. Resumindo, a equipa procura “identicar os prot warnings que conduzem a reações negativas no preço das ações”. Tal concretiza-se num perl concreto de empresa: “baixos retornos, dinâmicas pobres de concorrência, elevado endividamento e ventos de adversos cíclicos e estruturais”, enumera. Num nível mais estratégico, embora haja a preocupação de “garantir uma compreensão do contexto macroeconómico inerente”, Stefan Gries assegura que não existe uma imposição de visões top-down no fundo. “A exposição de mercado do fundo é uma expressão das oportunidades que vislumbramos no mercado a um nível bottom-up. Reetirá se encontramos ou temos maior convicção nas posições longas ou curtas”. É fácil de entender de onde vem esta perspetiva da equipa: “Levamos a cabo cerca de 1.200 encontros com as empresas por ano, numa grande variedade de setores e países”. O puzzle é então completo: pegam em cada um destes insights provenientes destas reuniões, e, ação por ação, constroem o que apelida de “uma visão sobre as oportunidades cíclicas de mercado e sobre os ventos favoráveis existentes no mercado”.

BOA FORMA EM 2020

O facto de o fundo ter sido lançado em 2009 confere a esta equipa gestora alguma superioridade moral para testemunhar – e opinar – sobre tempos turbulentos... mas com uma grande tranquilidade. Stefan Gries garante que a estratégia “funcionou bem” perante a volatilidade de 2020, e que o conservadorismo que carateriza o BSF European Absolute Return fez com que a parte longa da estratégia “não tenha assistido a perdas de capital signicativas, com


“O PRODUTO FOCA-SE NA PROTEÇÃO DE CAPITAL COM NEGÓCIOS MAIS PREVISÍVEIS NA PARTE LONGA”

menos exposição a negócios muito endividados e muito cíclicos”. Benécas foram também as opções tomadas do lado das posições curtas, já que falamos de posições “que estiveram no centro da tempestade, como as relacionadas com viagens e negócios”, o que, acrescenta, acabou por auxiliar o retorno da estratégia. Precisamente esse posicionamento conservador do produto fornece-lhe uma grande estabilidade ao nível das posições. Como explica o cogestor, o produto “foca-se na proteção de capital com negócios mais previsíveis na parte

longa”. Por isso mesmo, prossegue, a parte de investimentos longos da carteira não apresentou mudanças notórias desde o início do ano. Nas mudanças que efetuaram, acabaram por procurar, sim, “adicionar ciclicidade à medida que as economias reabriram e se foram afastando dos graves problemas de atividade vistos em muitas indústrias devido ao lockdown”. A mesma linha de pensamento serviu para a parte curta do portefólio. Stefan Gries conta que fecharam algumas das posições em títulos cíclicos afetados pelo mercado, onde sentiram “que não existiam mais catalisadores para que as ações caíssem”. Ainda assim, os tempos conturbados de 2020 exigiram da equipa alguma calma, pois assistiram a “movimentos nos preços das ações extensos e selvagens, que tiveram por base o sentimento e alguns trades de esperança”. Agora, já passada a fase mais turbulenta, o cogestor resume como enfrentaram essa altura. “Olhando através do ruído, e reavaliando consistentemente o caso de investimento fundamental, vemos que mantivemos as ações que mostraram uma recompensa mais tardia no seu preço. Igualmente, fomos capazes de nos manter fora, ou então de nos colocar curtos, naquelas ações onde se vislumbrava uma deterioração nas perspetivas de lucros”, conclui. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 83


ENTREVISTAS GESTOR PORTUGUÊS por Margarida Pinto

Rita Neves e António Mello-Campello

DIRETORA DE INVESTIMENTOS, LYNX E PARTNER, BLUECROW CAPITAL

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

TOCAR PIANO A QUATRO MÃOS NA GESTÃO DO DISCOVERY FUND É um exercício complexo o exigido pela gestão do Discovery Fund, uma estratégia de investimento flexível com um foco em ações e que juntou em 2018 a Lynx e a BlueCrow.

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

CONFIANÇA E COMUNICAÇÃO A parceria entre as duas entidades nasceu em 2018, e desde essa altura que a gestão do fundo flexível se resume a um exercício de confiança, proximidade e comunicação.

F

oi a proximidade histórica entre duas entidades que fez nascer o Discovery Fund, um produto redesenhado a partir de outro já existente no mercado. Tudo aconteceu em julho de 2018, quando, “após vários meses a discutir a melhor forma de introduzir a gestão direta na política de investimentos da Lynx”, esta última chegou a bom porto com a parceira de gestão BlueCrow. O foco estava na conversão do Lynx Multiativos “num fundo de investimento direto, com um perl moderado, que investiria diretamente em ativos listados nos mercados globais ou em plataformas de negociação”. No ano seguinte o fundo aventurou-se numa “posição de maior risco”, contam Rita Neves e António Mello-Campello, revelando que esse movimento se cou a dever à vontade de que o produto pudesse cobrir a “pouco explorada” área dos fundos exíveis em Portugal, com um foco predominantemente nas ações. A perspetiva de investimento do produto é o longo prazo. “Investimos sempre com a intenção de manter as 84 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

empresas por um longo período”, explicam, realçando a importância que dão ao valor do negócio subjacente, à qualidade da equipa de gestão e aos mercados subjacentes. O perl de empresas que entra em carteira pertence essencialmente ao setor tecnológico, muitas delas “lideradas por fundadores visionários com interesse pessoal no desenvolvimento destas companhias”. O portefólio acaba, assim, por ser constituído por empresas que os dois responsáveis apelidam de “alto crescimento”, “com grandes quotas de mercado e elevadas taxas de crescimento nos mercados em que operam, com negócios dominantes, com uma capacidade excecional de alavancagem do seu negócio”. Fruto da visão de longo prazo acima referida, a política de venda de um ativo da carteira pode apelidar-se de muito rigorosa... e criteriosa. “Existem cinco razões principais para justicar a venda de uma posição”, referem, enumerando-as. Primeiro, “quando uma empresa tem receitas a crescer menos de três vezes a taxa de crescimento da economia mundial, ou no mercado onde opera, no caso de PME”.


Segue-se o critério da deterioração da gestão, ou uma maior instabilidade notada nos quadros principais das empresas. O terceiro alerta é quando a competição das empresas reduz as margens de lucro e novos players se tornam relevantes, o que antecede a quarta condição de venda: “quando surge uma nova oportunidade de investimento que apresenta maior potencial no médio e longo prazo”. Por último, os dois prossionais apontam a condição mais óbvia de venda: a necessidade de liquidez para fazer face a resgates.

EXERCÍCIO DE CONFIANÇA

Os dois prossionais não têm dúvidas de que gerir um produto a quatro mãos “é um exercício complexo”, que metaforicamente comparam com “tocar piano a dois”. Um exercício de conança e bastante proximidade, que se alimenta com comunicação. A própria alocação atual do fundo reete isso mesmo. “Temos uma posição longa de aproximadamente 90% no mercado de ações, constituída por empresas baseadas nos EUA, China e África do Sul,

mas com negócios verdadeiramente globais”, contam, ressalvando “uma posição em opções put para cobertura de um possível ajuste de mercado, com a proximidade das eleições americanas”, tomada mais recentemente. Na altura da turbulência de mercado provocada pela pandemia, em março, a carteira apresentava uma “posição longa de 80% e uma posição de cobertura (através de ETFs) de 16%”, e a queda no retorno do portefólio não foi além dos 9,40%. Seguiu-se em abril uma redução gradual da posição de cobertura, assumindo-se uma posição longa em 90% da carteira, mas novos ajustes aconteceram em agosto, quando gradualmente criaram “uma posição em opções de venda sobre o Nasdaq 100 e S&P 500”. Estão atentos, claro, também ao que estará por vir. “As crescentes desigualdades nas valorizações de algumas empresas, principalmente no setor tecnológico, podem levar a uma maior correção deste setor”. Uma coisa é certa: “Estamos ainda no início desta nova guerra pela supremacia tecnológica, que será travada nas novas plataformas comerciais”, concluem. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 85


ENTREVISTAS GURU

por Óscar R. Graña

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

86 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


P

R

TNE

AR

AR

R

P

Ainda que muitos investidores tenham na cabeça a ideia pré-concebida de que uma carteira concentrada num número muito reduzido de valores acarreta per se um maior risco, Damon Ficklin e Jeff Mueller encarregaram-se de desconstruir esse preconceito. E não o fizeram de um ponto de vista teórico, mas prático, com um fundo de ações globais, disponível no formato UCITS através da Amundi, que conseguiu nos últimos cinco anos oferecer uma rentabilidade anualizada muito superior, tanto à do índice de referência, como à média da sua categoria. Longe de quererem manter em segredo a sua receita, os gestores não têm nenhum problema em contar em que se baseia a poção mágica para o seu sucesso. TNE

DAMON FICKLIN, GESTOR DO AMUNDI FUNDS POLEN CAPITAL GLOBAL GROWTH SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 87


ENTREVISTAS GURU OS VENCEDORES E PERDEDORES DA CRISE ECONÓMICA DEIXADA PELO CORONAVÍRUS

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

“As empresas enfocadas no turismo ou aquelas mais retail, com um negócio mais exposto ao offline, sofrerão mais. Nike ou Adidas, por exemplo, são boas empresas, mas ver-se-ão muito afetadas e tardarão anos a recuperar, enquanto que as empresas vinculadas à tecnologia sairão reforçadas e o seu crescimento ganhará velocidade. O facto de o consumidor se estar a ver forçado a utilizar os seus serviços por causa das medidas de distanciamento social para fazer face ao vírus é muito positivo. Tudo o relacionado com o âmbito digital se está a acelerar”. E isto, na sua opinião, não tem volta porque “o mundo não voltará à normalidade, mas sim a uma nova normalidade”.

A

Polen Capital é uma gestora americana independente com 40 anos de história e quase 40.000 milhões de euros em ativos. Os seus fundadores construíram-na com o objetivo de pôr à disposição dos seus clientes estratégias que oferecessem um alto valor acrescentado a partir de uma losoa quality growth. A empresa mantém uma estreita relação com a Amundi, a quem lhe foi apresentada graças ao investimento estratégico que desde 2015 mantém na iM Global Partners, plataforma multi-boutique na qual está inserida a Polen Capital. Como resultado, a gestora francesa lançou em formato UCITS na sua SICAV luxemburguesa Amundi Funds o mandato de gestão da estratégia Global Growth da Polen, criando um fundo de ações globais com caraterísticas muito especiais. “O que torna diferente este produto é o facto de ter por base uma carteira de elevada convicção, composta por um número de títulos muito reduzido. Essa é uma das nossas grandes vantagens competitivas. Muitas vezes o investidor associa a concentração a um maior risco, mas na realidade é precisamente o contrário. A chave está na seleção. Se se é capaz de ficar unicamente com as melhores empresas do mundo, aquelas com vantagens competitivas que nos brindam com taxas de crescimento mais rápidas do que o mercado, não se estará a reduzir só o risco, mas também, além disso, oferecer aos clientes uma rentabilidade a longo prazo superior”, assegura Damon Ficklin, co-gestor do fundo. Ficklin tem já 18 anos na Polen Capital. Juntamente com o seu companheiro Jeff Mueller, cogestor do produto, têm podido colocar em prática esta afirmação. Embora o Amundi Funds Polen Capital Global Growth tenha sido lançado em 2019, a sua filosofia fundamenta-se numa estratégia com um track record que já supera cinco anos. Nesse tempo, a rentabilidade anualizada gerada 88 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

pelo produto foi de 16,9%, 5,9 pontos superior à média da sua categoria e três acima do seu índice de referência, o MSCI All World Countries. Isto posicionou-o como um fundo cinco estrelas Morningstar, que para além disso também ostenta os cinco globos de sustentabilidade que atribui a empresa de análise.

ESSÊNCIA DO PROCESSO

Uma vez testada a habilidade dos gestores para eleger empresas, a questão passa a centrar-se nos critérios que seguem para car com o melhor que oferece o mercado. E aí, a chave que assinala Ficklin assenta em contar com uma equipa de 10 prossionais capazes de identicar, através de um processo de análise exclusivamente fundamental, aquelas empresas com produtos e serviços de grande importância para os seus clientes, com uma certa imunidade aos vaivéns macro, e sólidas do ponto de vista nanceiro, de modo a que nem sequer as grandes perturbações que possam produzir fatores exógenos, como o COVID-19, lhes impeça de investir tendo em conta o futuro, para continuar a ter vantagens face aos concorrentes. “O que procuramos essencialmente são empresas que ofereçam retornos de dois dígitos, mas com níveis de risco mais baixos. Para isso, fixamo-nos em alguns rácios que, para nós, são muito relevantes numa empresa, que nos falam sobre a sua boa saúde, como por exemplo o facto de contar com um balanço sólido, abundante free cash flow, um ROE superior a 20%, margens estabilizadas ou em fases de melhoria, e um crescimento orgânico real das receitas”, detalha. Há dois indicadores que, para a equipa, são fundamentais. A valorização e o crescimento das receitas. “Ambos são importantes, mas talvez o segundo seja mais, porque, por vezes não importa tanto pagar um PER de 20 vezes se a empresa está a aumentar as suas receitas anualmente a um ritmo de 15%. O quão diferenciadora é a empresa,


a sua vantagem competitiva… Estes são fatores às vezes mais determinantes do que o preço”, sublinha. Se a empresa se encarece, passando a ocupar um maior peso no fundo, é mais provável que reduzam a posição, embora não exista uma regra fixa. “Há que analisar caso a caso. A Microsoft, por exemplo, subiu e representa hoje cerca de 8,8% da carteira. É a nossa maior aposta e a sua ponderação responde à nossa convicção em valor”.

LIVRES PARA ELEGER

Não recorrem a derivados. É um fundo puro de stock picking. O que gostam verdadeiramente compram, e o que não, evitam-no, independentemente do seu peso no índice. São livres para eleger. Por isso, por esta altura não têm nenhum receio em recorrer ao setor tecnológico, o qual representa 42%, o dobro do benchmark. Outra prova da sua componente agnóstica face ao índice é que na carteira não há rasto de empresas nanceiras, industriais, energéticas ou imobiliárias. Tudo isso conduz a um active share de 90%. Em média, cada título permanece cerca de cinco anos na carteira. “Este ano fomos mais ativos do que no passado devido à agitação que se produziu nos mercados como consequência do impacto do COVID-19, mas a

“COMPRAR BONS NEGÓCIOS FAZ-NOS ESTAR PREPARADOS PARA ENFRENTAR QUALQUER CRISE DE MERCADO. NO CASO DA CRISE DO COVID É EVIDENTE QUEM GANHA E QUEM PERDE” rotação continua baixa, por volta dos 20%. O beta, fruto deste processo de análise e seleção bottom-up, também tem estado historicamente ligeiramente abaixo de um, apesar disso não nos ter impedido de capturar mais de 100% da subida do mercado em apenas 60% da queda”. O gestor não teme o contexto provocado pela pandemia. “Comprar bons negócios faz-nos estar bem para o enfrentar”, sentencia. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 89


ENTREVISTAS DISTRIBUIDOR

por Miguel Rêgo, CFA

PROJETO EM CRESCIMENTO O crescimento do negócio tem resultado de um simples passa a palavra que se traduz num certo viés regional - no norte do país. No entanto, novas parcerias foram celebradas no sentido de expandir este alcance.

Alexandre Mota, CFA e Emanuel Vieira, CFA MANAGING PARTNERS, PARTNERS2U

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

A AFINAÇÃO DO SERVIÇO DE CONSULTORIA DA PARTNERS2U O caminho percorrido no sentido da obtenção do CFA Charter, juntamente com a larga experiência e competências técnicas dos dois consultores da SCI do Porto, levaram a entidade a um ponto de viragem na forma de abordar a consultoria para investimento.

O

último ano foi um de evolução, para a Partners2U. Em primeiro lugar, a entidade de consultoria para investimento do norte do país viu os seus dois consultores, Alexandre Mota e Emanuel Vieira, ultrapassar o último nível do processo de certicação do CFA Institute e tornarse CFA Charterholders. Como resultado deste processo de certicação e aprendizagem, em segundo lugar, a abordagem de consultoria da Partners2U foi anada e redenida para capitalizar todos os recursos técnicos e competências que ser CFA implica. Por último, uma nova montra, ou seja, um novo website, que se propõe a informar e educar a sociedade e os investidores no sentido de melhor conhecerem o conceito e mais-valias do serviço de consultoria para investimento , bem como aumentarem a sua literacia nanceira. “O nosso posicionamento foi claricado e oferecemos agora três níveis de serviço”, introduz Alexandre Mota. O nível mais abrangente, e que o consultor destaca como o que mais bebe do programa da certicação CFA, tem o nome de Full Advising. “Aqui o serviço de consultoria não é apenas um serviço sobre instrumentos nanceiros, mas vai muito mais além. São considerados não só os objetivos do cliente, 90 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

mas também todo o património. Consideramos um enquadramento patrimonial holístico que extravasa o âmbito dos instrumentos nanceiros”, explica. “A ideia é que o património de um indivíduo não é só os ativos nanceiros, e há muitas mais questões relevantes na gestão das nanças pessoais dos clientes. Questões sucessórias, legais, scais… todas devem ser consideradas para um ecaz aconselhamento”.

DIFERENTE RELAÇÃO, SERVIÇO FLEXÍVEL

No entanto, Emanuel Vieira esclarece que “nem todos os clientes aceitam esta lógica de serviço, que poderá ser muitas vezes visto como intrusivo, no sentido em que requer muita e ampla informação sobre a situação patrimonial e familiar. Adicionalmente, o cliente pode encontrar-se numa fase inicial da relação connosco e estar ainda a ganhar conança, pelo que, para estes clientes, providenciamos um segundo nível de serviço que se assemelha muito mais à gestão de carteiras, o Asset Management Advising”. Este segundo nível, consiste na alocação estratégica do portefólio e recomendações de investimento de acordo com o perl de investidor do cliente. As recomendações são enviadas para o cliente, o qual, se concordar, as executa junto dos intermediários nanceiros. “Estamos, frequentemente, a trabalhar apenas uma parcela do património nanceiro do cliente”, arma Emanuel Vieira. Por m, acrescenta, surge o Auditing Advising, o terceiro e mais simples nível de serviço. “Aqui, o cliente recorre ao nosso expertise para ter uma segunda opinião acerca de uma proposta de serviço ou um instrumento nanceiro recomendado por outro provedor, incidindo na questão dos custos do produto, performance passada ou alternativas de investimento. São clientes que valorizam a nossa opinião, mesmo não usufruindo de um aconselhamento nanceiro numa lógica de gestão da nossa parte”. O crescimento do negócio tem resultado de um simples passa a palavra que se traduz num certo viés regional - no norte do país. “Esperamos, com o novo website e um papel mais ativo na geração de conteúdos, credibilizar ainda mais a empresa e exponenciar esse passa a palavra”, explica Alexandre Mota. Adicionalmente, os consultores do Porto celebraram um acordo com dois agentes vinculados – Pedro Emanuel Rodrigues e Bernardo de Almeida - o que permitirá crescer também na região de Lisboa.


SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 91


ENTREVISTAS GURU por Regina R. Webb

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

92 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


P

R

TNE

AR

AR

R

P

Para se aventurar em mercados emergentes, deve-se primeiro saber o que está a acontecer nos países desenvolvidos. É assim que Hemant Baijal, co-gestor de uma das estratégias-estrela da Oppenheimer em obrigações emergentes, a defende. O primeiro passo na construção do portefólio é medir a temperatura do crescimento global: onde está a economia dos Estados Unidos e onde estão os demais países. Porque apenas com um cenário completo se pode determinar um indicador-chave para o futuro dos mercados emergentes. Ou seja, as condições financeiras estão a relaxar ou a ficar mais rígidas nos Estados Unidos? TNE

HEMANT BAIJAL, GESTOR DO INVESCO EMERGING MARKETS LOCAL DEBT FUND SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 93


ENTREVISTAS GURU O CENÁRIO NOS MERCADOS EMERGENTES O Invesco Emerging Markets Local Debt Fund baseia-se numa análise global para determinar os fatores mais relevantes para os países emergentes. E, neste momento, os indicadores apontam para um longo período de relaxamento monetário nos EUA. O que isto significa? Uma contínua fraqueza do dólar e liberdade para os bancos centrais dos países emergentes cortarem as taxas.

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

H

emant Baijal co-gere uma das estratégias estrela da Oppenheimer (adquirida pela Invesco) em obrigações emergentes, mas não se deniria como um especialista emergente. Baijal também comanda dois fundos da casa, ambos com foco global, e para o especialista essa é a sua grande mais-valia. É que o Invesco Emerging Markets Local Debt Fund parte de uma perspetiva top-down, com base no cenário macroeconómico global. “Para se aventurar em mercados emergentes, é preciso primeiro saber o que está a acontecer nos países desenvolvidos”, defende. O primeiro passo na construção do portefólio é medir a temperatura do crescimento global: onde está a economia dos Estados Unidos e onde estão os demais países. Na opinião de Baijal, não se pode vencer o mercado emergente sem primeiro pensar globalmente. Considera que somente com um cenário completo se pode determinar um indicador-chave para o futuro dos mercados emergentes. Ou seja, as condições nanceiras nos EUA estão a relaxar ou a car mais rígidas? Porque quando o crescimento do resto dos países está a melhorar em relação aos EUA e, ao mesmo tempo, o crescimento global está a aumentar, isso signica que as condições nanceiras nos EUA não estão a endurecer. E este é o cenário perfeito para os emergentes. Em contraste, se o crescimento global está a cair, isso signica que as condições nanceiras dos EUA provavelmente estão a car mais restritivas. E isso traduz-se em contextos como o de 2018 ou 2014, negativos para mercados emergentes. Assim, o cenário proposto pelos três economistas da equipa fornece uma base sobre a qual os gestores determinam a construção do portefólio, onde fatores como o nível de valorizações entram em jogo. “Acreditamos fortemente numa alocação de risco assimétrica. O fundo pretende vencer o mercado nas subidas e mitigar as quedas nas descidas, mas não queremos correr mais riscos para o fazer. É o que oferece a melhor experiência ao cliente e é um fator deter94 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

minante para que o fundo tenha superado o seu benchmark a cada ano”, arma Baijal. No processo de investimento, determinam o risco da carteira, o risco cambial e o risco da taxa de juro que estão dispostos a assumir. Fatores ESG também são considerados. Especicamente, se as emissões gozam de um momentum positivo no ESG. Com todas essas ferramentas, podem começar a pensar em como compor o fundo. Através de quais instrumentos? Governos ou corporativo? Em que parte da curva? E se quiser assumir o risco cambial, diretamente ou através de opções? Na prática, o fundo tem uma tendência natural para emissões governamentais. Mas porque as idiossincrasias do mercado emergente de obrigações em moeda local assim o exigem. “Com exceção de nichos como Índia, México ou Brasil, a liquidez corporativa em moeda local é escassa. Para se ser ativo, é preciso o apoio do mercado interno de cada país e hoje em dia não existe”, explica. É uma mudança que o gestor está a começar a perceber, mas ainda é incipiente. É por isso que outro dos fatores-chave ao investir em mercados emergentes é o sentimento do investidor. Mas não relacionado com os mercados emergentes, mas sim com o sentimento em relação ao crescimento global. “É o que realmente determina o uxo de capital de investimento”, diz. “O único país emergente grande o suciente para ter um uxo independente da economia global é a China. E não estou tão claro se podemos referir-nos a esta nação como emergente.

ONDE ESTAMOS HOJE?

“As obrigações emergentes são um dos ativos mais interessantes do momento”, diz Baijal. Não só porque ainda há espaço para a queda das taxas num nível geral. O gestor atribui particular importância à recente revisão do quadro pela Federal Reserve, que agora fala de uma meta flexível para a inflação média. Ou seja, que permitirão que a inflação permaneça acima de 2% por


“ACREDITAMOS FORTEMENTE NUMA ALOCAÇÃO DE RISCO ASSIMÉTRICA. O OBJETIVO DO FUNDO É VENCER NAS SUBIDAS E MITIGAR AS QUEDAS, MAS NÃO QUEREMOS CORRER MAIS RISCOS PARA O CONSEGUIR”

um tempo moderado para compensar anos de pequenos aumentos de preços. O que tudo isso significa? Bem, a Fed deu um sinal de que não restringirá as condições monetárias pelos próximos três a cinco anos. Isso dá aos bancos centrais dos países emergentes liberdade para cortar as taxas de forma agressiva. Na prática, isso traduz-se em várias considerações de portefólio. Por exemplo, a exposição cambial está próxima de 100% novamente. Mas existem nuances. Estão sobreponderados ao euro e às moedas adjacentes ao euro. Pelo contrário, têm menor peso nas moedas latino-americanas. “Neste momento há que sequenciar as apostas pelas perspetivas de recuperação”, explica o gestor. No momento, as perspetivas são favoráveis na Europa e na Ásia, mas mais complicadas na América Latina. Por outro lado, estão a aventurar-se em partes mais longas da curva da dívida. E, novamente, um esclarecimento. A exposição às taxas de juro é muito limitada tendo em vista a perspetiva de que permanecerão ancoradas por mais tempo. “A dispersão nos países emergentes continuará elevada porque a recuperação será desigual. E isso signica que é um grande momento para gestores ativos”, arma. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 95


ENTREVISTAS FIGURA DA INDÚSTRIA por Miguel Rêgo, CFA

SUSTENTABILIDADE

Isabel Ucha

Perante um dos temas mais relevantes da atualidade no universo das atividades de financiamento e investimento, para Isabel Ucha o papel da Euronext é de grande responsabilidade.

CEO, EURONEXT LISBON

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

Para a CEO da Euronext Lisbon o crescimento que tem enfrentado o mercado de ETF também se tem traduzido num crescimento muito intenso no universo da Euronext.

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

“A LISTAGEM DE FUNDOS E ETF É UM PROCESSO BASTANTE FÁCIL, RÁPIDO E EFICIENTE”

O

Grupo Euronext é a infraestrutura de mercado de capitais líder no espaço europeu, com presença numa multiplicidade de países e vários projetos de expansão. Mais especicamente, e como comenta à FundsPeople Isabel Ucha, a CEO da Euronext Lisbon, esta é atualmente a maior bolsa por capitalização de mercado das empresas cotadas, bem como a maior em termos de listing de obrigações, fundos de investimento e ETF, resultando assim, também, na “maior pool de liquidez na Europa, com mais de oito mil milhões de euros transacionados diariamente”. Especicamente sobre a listagem de organismos de investimento coletivo, sejam eles ativos ou passivos, a CEO acrescenta que a entidade tem globalmente o maior número de fundos listados (principalmente fundos fechados), mas destaca especialmente o crescimento que têm vindo a vericar no universo de ETF listados nas suas plataformas. “É um produto que tem enfrentado uma procura, e um crescimento dessa procura, signicativos, o que se tem traduzido num crescimento muito intenso no universo da Euronext, nomeadamente em mais de 15% por ano ao longo dos últimos anos”. E sobre as vantagens de veicular as transações de fundos nas plataformas da entidade Isabel Ucha é perentória: “É um processo bastante fácil, rápido e eciente”. A vontade de terem mais investidores individuais nestes 96 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

produtos ganha força, diz a responsável, pelo facto “destes negociarem em bolsa por natureza”, o que faz com que “o acesso seja mais facilitado”. Mas as vantagens não cam por aqui. Uma visibilidade e transparências maiores, o acesso a canais de distribuição mais ecazes e o acesso a uma infraestrutura automática de transação são outros pontos-chave aos quais a prossional dá destaque.

O CAMINHO DA SUSTENTABILIDADE

Já a sustentabilidade é outro tema que veio para car, e que para Isabel Ucha será central nas atividades desenvolvidas. “As bolsas em geral têm aqui um papel cada vez mais crítico, especialmente quando estamos a falar da gestão de portefólios. Os investidores querem ver não só os seus investimentos executados de forma responsável, mas querem também minimizar os riscos associados às alterações climáticas, conitos sociais e problemas decorrentes de um mau governo das sociedades. Querem ter a certeza que os portefólios são resilientes”. Posto isto, “como há cada vez mais portefólios linkados a índices, e a grande maioria dos que não o estão têm algum índice como benchmark, as entidades como a Euronext, produtoras desses índices de referência, enfrentam uma grande responsabilidade”, comenta a prossional acrescentando que “os critérios e a ciência por detrás da construção dos índices que orientam essa poupança são determinantes neste grande objetivo que é canalizar os investimentos no sentido de cumprir os objetivos de desenvolvimento sustentável do Acordo de Paris”. Outro aspeto interessante e que realça a prossional passa pelo alargamento da oferta de obrigações sustentáveis. Além das já bem estabelecidas green bonds, a CEO da Euronext Lisbon destaca outras estruturas que vêm satisfazer a cada vez maior exigência dos investidores. Fala, por exemplo, das social bonds, ligadas a projetos de cariz social, as sustainable bonds, com um enfoque mais alargado na sustentabilidade, as blue bonds, focadas em projetos relacionados com a economia dos oceanos, ou as Sustainable Development Goals (SDG) linked bonds. Estas últimas diferem das restantes, segundo Isabel Ucha, por “não nanciarem projetos em especíco, mas sim nanciarem as atividades da empresa com uma remuneração condicionada ao cumprimento de métricas relacionadas com os SDG”. O não cumprimento implica uma penalização nos juros. Uma autêntica paleta de cores que dene uma oferta cada vez mais alargada de instrumentos nanceiros orientados para uma abordagem mais sustentável ao investimento e nanciamento.


Créditos foto : Euronext

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 97


PRODUTOS COMPARAÇÃO por Regina R. Webb

AS OBRIGAÇÕES PERANTE UMA PANDEMIA Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

Sem a duração nem as yields como salva-vidas, como navegaram os gestores de obrigações globais durante esta tempestade?

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%*

CRISE E CORREÇÃO

U

ma estratégia com uma abordagem global goza de um olhar sucientemente amplo sobre uma classe de ativos para encontrar ideias para gerar rentabilidade ou para mitigar os riscos. Em teoria. A realidade é que as obrigações se encontram presas há anos num contexto complexo para o investidor. Os estímulos monetários, que tanto beneciaram as ações, connaram as obrigações a rentabilidades esperadas próximas de zero. É certo que a inação não se mantém como há décadas, mas a estes níveis, os preços apresentam mais potencial de descida do que subida. E com este obstáculo entraram os

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

BGF FIXED INCOME GLOBAL OPPORTUNITIES FUND

FLOSSBACH VON STORCH BOND OPPORTUNITIES

JPMORGAN FUNDS GLOBAL STRATEGIC BOND FUND

GESTORA: BLACKROCK LANÇAMENTO: 31/1/07 DIVISA: EURO PATRIMÓNIO (milh. euros): 8.162 ISIN: LU0278456651

GESTORA: FLOSSBACH V. STORCH LANÇAMENTO: 18/10/16 DIVISA: EURO PATRIMÓNIO (milh. euros): 3.714 ISIN: LU1481584016

GESTORA: J.P. MORGAN AM LANÇAMENTO: 3/6/10 DIVISA: EURO PATRIMÓNIO (milh. euros): 1.465 ISIN: LU0514679652

RENTABILIDADE 1 ANO: 1,8 RENTABILIDADE 3 ANOS: 0,75 RENTABILIDADE 5 ANOS: 0,98

RENTABILIDADE 1 ANO: 8,64 RENTABILIDADE 3 ANOS: 5,84 RENTABILIDADE 5 ANOS: 6,28

RENTABILIDADE 1 ANO: 1,34 RENTABILIDADE 3 ANOS: -0,03 RENTABILIDADE 5 ANOS: 0,45

2016

2017

2018

2019

2020

98 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

2016

2017

2018

2019

2020

2016

2017

2018

2019

2020

FOnte: Morningstar Direct. Dados a 31 de julho de 2020.

1,59

3,20 1,25

7,25 -2,52

4,75

-4,64

2,92

12,31

10,67 -3,50

1,13

2,42

1,68

4,42

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com


fundos de obrigações globais em 2020; um exercício que, a meio do caminho, já pôs à prova com uma pandemia, a sua correspondente correção, e atualmente uma crise mundial de carácter exógeno. “É impossível ignorar a venda que aconteceu em março de 2020 entre os ativos de risco, já que o impacto da pandemia de coronavírus se tornou evidente. A escala e a velocidade dos movimentos do mercado foram mais severas do que durante os primeiros dias da crise nanceira mundial em 2008”, relembram os gestores do TwentyFour Strategic Income, da Vontobel AM. O fundo entrou em 2020 posicionado para navegar num ciclo tardio e caro, nas

suas próprias palavras. Talvez até para sobreviver a uma correção tardia, mas não estava preparado para uma profunda recessão mundial. A correção de fevereiro e março foi todo um desao até para os gestores mais experientes. Frank Lipowski, gestor do Flossbach von Storch Bond Opportunities, recorda como no ponto mais quente da crise da COVID-19 em março e abril alguma das suas posições muito defensivas, que tinham aumentado no início do ano, não acolchoaram a carteira tão bem como esperavam. “Mas investir é um desporto de resistência e, no m, tudo se trata de rendimento a longo prazo”, insiste.

Na BlackRock coincidem. O seu fundo bandeira em obrigações, o FIGO (BlackRock GF Fixed Income Global Opportunities Fund), sofreu no início do ano a maior queda desde o seu lançamento. A resposta do gestor: confiar nos seus instintos e na sua experiência. “De facto, depois da correção de março, aumentámos o risco geral na carteira em resposta às políticas de estímulo dos bancos centrais e os programas fiscais massivos anunciados pelos governos de todo o mundo. Graças à nossa ampla flexibilidade e ao nosso sólido processo de seleção, aproveitamos ao máximo estas variações do mercado, como

VONTOBEL FUND TWENTYFOUR STRATEGIC INCOME FUND

GESTORA: NORDEA AM LANÇAMENTO: 2/5/13 DIVISA: EURO PATRIMÓNIO (milh. euros): 3.389 ISIN: LU0915365364

GESTORA: PIMCO LANÇAMENTO: 30/11/12 DIVISA: EURO PATRIMÓNIO (milh. euros): 57.170 ISIN: IE00B80G9288

GESTORA: VONTOBEL AM LANÇAMENTO: 30/11/15 DIVISA: EURO PATRIMÓNIO (milh. euros): 3.647 ISIN: LU1325141510

RENTABILIDADE 1 ANO: 0,53 RENTABILIDADE 3 ANOS: 1,36 RENTABILIDADE 5 ANOS: 1,07

RENTABILIDADE 1 ANO: -0,07 RENTABILIDADE 3 ANOS: 1,07 RENTABILIDADE 5 ANOS: 2,7

RENTABILIDADE 1 ANO: 3,37 RENTABILIDADE 3 ANOS: 2,16 RENTABILIDADE 5 ANOS: -

2018

2019

2020

2016

2017

2018

7,71

2019

2020

0,94

-3,71

-1,06

-2,55

4,72

5,21

5,98

6,80 0,44

1,10 2017

-1,38

0,95 2016

8,05

PIMCO GIS INCOME FUND

4,70

NORDEA 1 FLEXIBLE FIXED INCOME FUND

2016

2017

2018

2019

2020

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 99


PRODUTOS COMPARAÇÃO

BGF FIXED INCOME GLOBAL OPPORTUNITIES FUND

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

GESTOR RICK RIEDER

FLOSSBACH VON STORCH BOND OPPORTUNITIES

GESTOR FRANK LIPOWSKI

OBJETIVO: GANHAR UM POUCO DE DINHEIRO MUITAS VEZES

ABORDAGEM GLOBAL, O OLHAR DE UM INVESTIDOR EM EUROS

Mais conhecido como FIGO, este é o fundo bandeira da BlackRock em obrigações. Aos comandos está Rick Rieder, diretor de investimentos de Obrigações Globais (GFI). Com uma abordagem bottom-up, o fundo alavanca-se nas melhores ideias da sua plataforma GFI, mais de 200 especialistas setoriais que percorrem o mundo em busca das melhores oportunidades. A equipa foge da excessiva concentração. “O objetivo é que nenhuma posição única domine o perfil de rentabilidade-risco do fundo em linha com a nossa filosofia de gerar um pouco de dinheiro muitas vezes através de uma carteira verdadeiramente diversificada”, explicam. Insistem que a verdadeira capacidade do FIGO radica em ser um fundo sem restrições e diversificado. É para a BlackRock um selo distintivo do fundo e uma vantagem competitiva chave da estratégia: “Os concorrentes simplesmente não têm a mesma amplitude e acesso ao mercado para investir de uma forma tão diversificada”, comentam.

Uma abordagem global com o olhar de um investidor em euros. É um dos elementos diferenciadores do fundo face aos concorrentes de casas americanas ou anglosaxónicas. “Assim, podemos evitar ou reduzir os custos de cobertura desde o início”, explica o gestor. Frank Lipowski. Orgulha-se de ser verdadeiramente flexível, com poucas limitações (como os requisitos mínimos de qualidade em emissões de high yield) que o gestor qualifica de razoáveis. “Gerimos de forma ativa com uma rotação da carteira bastante acima da média”, afirma. “Se um investimento é ativo e flexível e com uma estratégia contrária ao buy and hold, então a taxa interna de retorno da carteira não é relevante para o potencial de retorno do fundo”. Mas é uma flexibilidade que se combina com uma mentalidade centrada na rentabilidade-risco que não teme “deixar coisas fora da carteira”. Assim, Lipowski define o seu estilo de gestão como bastante contracíclico.

100 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

JPMORGAN FUNDS GLOBAL STRATEGIC BOND FUND

GESTORES BOB MICHELE E IAIN STEALEY

AS CONVICÇÕES MAIS ALTAS NAS MELHORES IDEIAS Com uma abordagem combinada entre top-down e bottom-up, o fundo tem flexibilidade para mergulhar no amplo universo das obrigações globais: 15 setores em mais de 50 países. Mas a carteira é composta por uma seletiva exposição às convicções mais altas da equipa nas melhores ideias da casa. Assim, a estratégia é alavancada na visão de uma equipa global de 278 especialistas do setor. Livre de restrições rígidas ou vieses a qualquer região, ou setor, procurando adotar uma alocação conservadora em períodos incertos, movendo-se taticamente em direção a oportunidades de maior risco à medida que as condições o justificarem. “Graças ao enquadramento da investigação comum da equipa, que se baseia em fatores fundamentais, quantitativos e técnicos, os gestores podem fazer comparações sólidas entre setores com o objetivo de construir uma carteira de obrigações flexível e altamente diversificada que possa reduzir a volatilidade geral”, explicam.


NORDEA 1 FLEXIBLE FIXED INCOME FUND

GESTOR KARSTEN BIERRE

PROCURAR FONTES ALTERNATIVAS DE RETORNO DEFENSIVO A resposta da Nordea AM ao grande desafio que representa o contexto de taxas baixas é uma exposição dinâmica ao crédito e gestão da duração. Gerir a duração e a exposição ao crédito com uma visão top-down é uma estratégia delicada e difícil, que muitas vezes conduz a retornos inconsistentes e a um maior risco. O gestor prefere basear o seu processo nos seus conceitos próprios de valorização e diversificação, a base da filosofia de equilíbrio de riscos da equipa de multiativos da empresa. O processo de investimento baseia-se em controlar o risco em todos os momentos em vez de almejar o maior rendimento possível. E uma das vantagens competitivas que destacam do mesmo é a procura de fontes alternativas de retorno defensivo. “É uma proposta de valor equilibrado a longo prazo que permite serem mais resistentes durante as quedas e uma abordagem de investimento flexível e sem restrições”, afirmam.

PIMCO GIS INCOME FUND

GESTOR DAN IVASCYN

INCOME, SEM PÔR EM RISCO O CAPITAL Diversificação multisetorial, flexível e gerida de forma ativa. É a sua receita para gerar rendimentos num mundo de baixas taxas de juro. A filosofia do fundo coloca no centro a geração de income sem pôr em risco o capital. A equipa de gestão, liderada por Dan Ivascyn, diretor de investimentos do grupo, centra-se em manter a diversificação nos setores de obrigações em vez de depender de fontes de rendimento mais limitadas. A carteira procura ser um equilíbrio entre ativos de alta qualidade que tendem a ter um bom rendimento e que proporcionam receitas atrativas e potencial de lucros de capital quando o pano de fundo do mercado é favorável. Estes meses aproveitaram para aumentar posições em oportunidades a níveis atrativos que não dependem do ciclo económico. Em geral, a carteira mantém uma abordagem em qualidade, na liquidez e na diversificação.

VONTOBEL FUND TWENTYFOUR STRATEGIC INCOME FUND GESTORES MARK HOLMAN, GARY KIRK E FELIPE VILLARROEL

CONSISTÊNCIA FRUTO DE UM PROCESSO ESTRUTURADO O fundo persegue dois objetivos fundamentais: a geração de rendimentos e a apreciação do capital, mas sem esquecer a regra de ouro das obrigações: a preservação do capital. “Os gestores fazem um grande finca-pé no valor relativo da alta convicção em conjunto com a liquidez e a flexibilidade”, explicam na entidade. Um elemento diferenciador chave é que a estratégia não utiliza a gestão da divisa como motor de rentabilidade. Um dos fatores mais importantes da sua consistência está no processo de investimento estruturado que seguem. A equipa gestora reúne-se mensalmente para avaliar a alocação de ativos com base numa análise topdown. A partir daí, qualquer membro da equipa pode apresentar uma ideia de investimento com base numa abordagem bottom-up. Se nesta primeira ronda uma pessoa da equipa exercer a sua opção de veto, a ideia não avança. “Tudo isto é feito para evitar riscos”, explicam os seus gestores.

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 101


BLACKROCK GLOBAL FUNDS F. INC. GLOBAL OPPORTUNITIES FUND

FLOSSBACH VON STORCH BOND OPPORTUNITIES

PATRIMÓNIO

JPMORGAN FUNDS GLOBAL STRATEGIC BOND FUND

PATRIMÓNIO

PATRIMÓNIO 3.714

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

1.322 631 8.551 2016

UNCORRELATED RETURNS

5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

2017

8.162

2018

2019

838

234

2020

2016

1.243

1.232 2017

2018

6

2019

2020

2016

2017

2018

2019

2020

2

4 Volatilidade três anos (%)

YTD

+3.75%*

1.375 2.062

8.907

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%*

9.347

MAPA RISCO/RENTABILIDADE

2

6

4 1

0

5

3

1

BlackRock Global Funds Fixed Income Global Opp. Fund

2

Flossbach von Storch Bond Opportunities

3

JPMorgan Funds Global Strategic Bond Fund

4

Nordea 1 Flexible Fixed Income Fund

5

PIMCO GIS Income Fund

6

Vontobel Fund TwentyFour Strategic Income Fund

Divisa base (euro)

-2 0

2

4

6

8

Rentabilidade anualizada três anos (%)

BLACKROCK GLOBAL FUNDS FIXED INCOME GLOBAL OPP. FUND

FLOSSBACH VON STORCH BOND OPPORTUNITIES

JPMORGAN FUNDS GLOBAL STRATEGIC BOND FUND

NORDEA 1 FLEXIBLE FIXED INCOME FUND

PIMCO GIS INCOME FUND

VONTOBEL FUND TWENTYFOUR STRATEGIC INCOME FUND

RENT. ANUAL A TRÊS ANOS

0,75

5,84

-0,03

1,36

1,07

2,16

VOLATILIDADE A TRÊS ANOS

5,48

6,16

3,09

1,86

6,08

6,93

QUEDA MÁXIMA TRÊS ANOS

-7,48

-6,02

-5,10

-2,00

-9,50

-10,32

RÁCIO SHARPE TRÊS ANOS

-0,09

0,45

-0,23

-0,06

-0,05

0,06

ALFA TRÊS ANOS

-4,54

0,15

-4,48

-2,25

-4,22

-3,58

BETA TRÊS ANOS

0,34

0,37

0,25

0,17

0,34

0,39

102 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

Fonte: Morningstar Direct. Dados a 31 de julho de 2020.

9.363

1.465

Fonte: Morningstar Direct. Dados a 31 de julho de 2020. Dados em milhões de euros.

PRODUTOS COMPARAÇÃO


NORDEA 1 FLEXIBLE FIXED INCOME FUND

VONTOBEL FUND TWENTYFOUR STRATEGIC INCOME FUND

PIMCO GIS INCOME FUND

PATRIMÓNIO

PATRIMÓNIO

PATRIMÓNIO

72.180 3.574

3.221

60.299

3.647

3.328 57.170

3.389

3.070

3.002 2016

2017

2018

854 257

20.109 2019

2020

o demonstra o sólido desempenho registado durante o segundo trimestre”, conta Rick Rieder. Porque se há um elemento comum nos seis fundos que analisámos nesta comparativa é a exibilidade dos seus mandatos. Uma exibilidade que os gestores não duvidaram em usar, tanto para enfrentar as descidas de março como para ser oportunistas quando as oportunidades surgissem. Assim reagiram os responsáveis do J.P. Morgan Funds Global Strategic Bond Fund, Bob Michele e Iain Stealey. Quando a crise começou a consolidar-se tomaram a decisão de aumentar a exposição a emissores de qualidade, aumentando a duração e rapidamente reduzindo a posição em high yield e em dívida emergente. “Esta ajudou a proteger a carteira face à volatilidade do mercado e a queda do fundo foi muito menos profunda do que em outros setores individuais”, contam. “Recuperámos rápida e completamente no segundo trimestre e temos tido uma rentabilidade positiva este ano”, armam. Agora estão a acrescentar ativos que na sua visão es-

1.640

48.362

2016

2017

2018

2019

2020

tão bem posicionados para beneciar do facto de os bancos centrais estarem a comprar obrigações corporativas com investment grade e algumas partes dos mercados titularizados. Foi também um grande momento para os fundos demonstrarem ter chegado a uma crise com os trabalhos de casa feitos. Na Nordea AM há muito tempo que alertam que uma clara ameaça para a construção de uma carteira equilibrada é a duração, um tradicional amortecedor do risco que já não pode desempenhar o seu papel. Por isso, um dos objetivos explícitos do Nordea 1 Flexible Fixed Income Fund é a procura por fontes alternativas de retorno defensivo. Para a gestora nórdica, um dos seus grandes sucessos do ano foi limitar as perdas durante o nervosismo do mercado e fechar junho completamente recuperada da queda. O ponto-chave foi a proteção que deram as divisas defensivas (a equipa gestora conta como terem adotado posições longas em yen japonês face ao dólar australiano deu frutos) e o sucesso do seu posicionamento tático antes, durante e depois da correção.

2016

2017

2018

2019

2020

Perante a segunda metade do ano, essa exibilidade continuará a ser uma aliada, mas agora para caçar oportunidades sem pôr em risco o capital. “Há desaos para as empresas e mercados, mas o estímulo dos bancos centrais e dos governos está a abordar isso e ajudará a reduzir o risco sistémico. Aconteceu um forte aumento, mas no futuro esperamos ver uma maior diferença, com ativos de maior qualidade e fundamentalmente mais fortes, que vão continuar a ter um bom rendimento em relação a ativos mais sensíveis do ponto de vista económico”, arma Dan Ivanscyn, gestor do PIMCO GIS Income Fund.

A informação sobre Organismos de Investimento Coletivo ou outros instrumentos financeiros incluída na FundsPeople é apresentada apenas com fim informativo e ilustrativo e não deve ser interpretada como uma oferta de venda ou recomendação de investimento. A informação não representa uma descrição completa dos OIC ou outros instrumentos financeiros e mercados a que faz referência.

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 103


PRODUTOS CARTEIRAS por Vanesa del Valle Broussard

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

OBRIGAÇÕES EMERGENTES A MAIORIA DOS GESTORES MOSTRA UM OTIMISMO CAUTELOSO SOBRE ESTA CLASSE DE ATIVOS EM 2020 DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA CARTEIRA (%) COLÔMBIA

ÍNDIA

INDONÉSIA

1.77

1.31

0.32

3.20

0.01

3.96

0.73

1.61

3.62

0.01

3.21

7.31

7.45

1.65

2.81

1.61

0.63

4.30

3.00

9.86

04.01

0.05

5.58

0.00

3.25

6.17

0.57

10.00

10.48

9.45

05.06

8.36

10.37

0.00

0.17

0.07

2.36

3.31

0.57

5.45

0.01

6.52

1.50

0.02

03.02

0.01

2.74

0.00

0.00

5.46

1.81

7.16

0.45

8.91

2.92

0.00

2.89

0.00

1.47

0.00

6.32

5.80

6.84

2.92

6.98

6.96

12.91

05.09

9.26

7.32

3.19

1.56

0.00

3.45

0.00

5.44

0.98

08.05

6.27

8.77

5.90

0.00

09.09

1.46

0.00

0.00

FUNDO

SELO

BRASIL

Amundi Funds - Emerging Markets Bond

ABC

1.82

AXA World Funds - Emerging Markets Short Duration Bonds BlackRock Global Funds - Emerging Markets Local Currency Bond Fund

ABC

08.02

ABC

12.46

Candriam Bonds Emerging Markets

ABC

4.63

Candriam SRI Bond Emerging Markets

ABC

5.23

Capital Group Emerging Markets Local Currency Debt Fund (LUX) DPAM L - Bonds Emerging Markets Sustainable Epsilon Fund - Emerging Bond Total Return Fidelity Funds - Emerging Market Local Currency Debt Fund

ABC ABC

CHINA

MALÁSIA

MÉXICO

PERU

RÚSSIA

ÁFRICA DO SUL

TAILÂNDIA

TURQUIA

EUA

ABC

5.57

0.12

3.43

05.03

5.63

0.68

06.04

1.76

7.79

1.95

0.87

4.98

0.00

ABC

0.99

4.45

3.45

0.00

12.61

1.19

8.56

3.39

9.33

14.63

7.51

1.43

-0.39

GAM Multibond - Local Emerging Bond

ABC

6.67

0.00

5.58

1.58

14.55

07.06

9.95

5.63

11.33

9.98

5.87

0.00

0.00

Goldman Sachs Emerging Markets Debt Portfolio JPMorgan Funds - Emerging Markets Local Currency Debt Fund M&G (Lux) Investment Funds 1 - M&G (Lux) Emerging Markets Bond Fund MFS Meridian Funds - Emerging Markets Debt Fund Muzinich EmergingMarketsShortDuration Fund Neuberger Berman Emerging Market Debt - Hard Currency Fund Neuberger Berman Short Duration Emerging Market Debt Fund

ABC

1.86

1.55

2.17

0.58

4.69

0.43

4.44

0.99

1.65

2.28

0.22

2.97

4.77

ABC

7.48

3.55

6.38

1.55

11.60

5.74

5.81

3.16

8.56

7.92

7.73

0.83

0.47

ABC

3.99

2.86

1.57

2.32

03.07

1.85

6.84

1.68

04.09

03.03

1.61

1.75

0.00

ABC

2.94

4.30

2.72

2.15

8.78

0.52

6.86

3.40

4.28

1.99

0.75

3.44

2.36

ABC

14.64

12.25

0.61

10.83

4.90

01.06

4.12

0.00

5.69

04.01

0.00

2.47

0.65

ABC

3.21

3.64

2.75

0.32

3.57

1.44

4.69

0.59

3.71

1.90

0.00

2.28

10.82

ABC

7.35

15.43

0.65

2.42

0.53

2.61

05.03

0.96

2.44

3.13

0.00

4.88

0.67

Nordea 1 - Emerging Market Bond Fund

ABC

4.33

1.84

2.14

1.77

4.54

2.31

5.49

1.72

3.92

03.03

0.24

2.55

0.16

Pictet-Emerging Local Currency Debt

ABC

7.22

11.02

6.44

-0.01

7.65

5.98

11.31

3.58

14.63

14.67

7.58

0.10

-1.51

PIMCO GIS Emerging Markets Bond Fund

ABC

4.89

3.15

2.28

1.50

9.74

0.85

8.12

2.33

5.46

2.86

0.07

3.68

19.42

Schroder International Selection Fund Emerging Markets Debt Absolute Return

ABC

8.28

0.30

0.58

1.51

9.23

01.08

10.62

0.00

3.83

9.28

0.00

0.12

11.49

Vontobel Fund - Emerging Markets Debt

ABC

2.80

1.82

03.06

0.55

4.26

2.17

7.51

1.79

1.13

2.17

0.01

02.04

0.89

Fonte: Morningstar Direct. Dados a 25 de setembro de 2020. Critérios de seleção: fundos de obrigações emergentes globais com Selo FundsPeople.

104 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


O

s mercados nanceiros viveram duas fases claramente diferenciadas durante o primeiro semestre de 2020, sobretudo no caso dos ativos de risco, nos quais costumam amplicar-se as oscilações do mercado. A dívida de mercados emergentes, tal como outros ativos de risco, sofreu perdas sem precedentes durante o primeiro trimestre de 2020, já que a tendência positiva que os mercados tinham seguido no início do ano passou por uma histórica correção na segunda metade de fevereiro, que se intensicou em março, consequência da pandemia de coronavírus e da guerra de preços do petróleo entre a Rússia e a Arábia Saudita. De máximo a mínimo, as obrigações de mercados emergentes perderam 20% em pouco mais de duas semanas e tanto os reembolsos massivos como as difíceis condições de liquidez exacerbaram as perdas em todas as estratégias. Ainda que os mercados nanceiros tenham começado a recuperar parte destas perdas na última semana de março, a dívida soberana emergente externa rendeu -11,76% durante o primeiro trimestre de 2020, segundo o índice JP Morgan EMBI Global Diversied, e apresentou um alto grau de diferenciação em termos geográcos e por qualidade creditícia. O segmento de investment grade rendeu -6,32% no primeiro trimestre, face aos -21,1% da high yield. Por regiões, a Europa (-7,24%) e a Ásia (-8,18%) foram as que melhor se comportaram, enquanto que o Médio Oriente (-13,44%), América Latina (-15,25%) e, sobretudo, África (-24,94%) registaram as maiores perdas devido à queda dos preços do petróleo e a sua alta concentração de emissores de high yield. Por países, quase 60% dos componentes do índice sofreu perdas de dois dígitos durante o trimestre, que foram superiores a 20% em quase 20% dos casos, sendo o Equador (-67,04%), Angola (-62,61%) e Líbano (-61,50%) os que pior se comportaram. A recuperação que começou no m do primeiro trimestre prolongou-se

RENTABILIDADE DAS OBRIGAÇÕES DE MERCADOS EMERGENTES No primeiro semestre de 2020. LOCAL

MOEDA FORTE

CORPORATE

105

100

95

90

85

80 DEZ 2019

JAN 2020

FEV 2020

MAR 2020

ABR 2020

MAI 2020

JUN 2020

Fonte: Allfunds com dados do índice JPM EM Debt.

durante o segundo e intensicou-se em maio, quando os EUA e um grande número de países europeus começaram a exibilizar as medidas de connamento e os preços do petróleo começaram a recuperar dos mínimos de abril. A dívida soberana externa de mercados emergentes rendeu 12,3% no segundo trimestre do ano e a high yield (16,6%) superou o investment grade (9,1%). Por regiões, África (26,0%), Médio Oriente (13,5%) e América Latina (10,6%) foram as que melhor se comportaram após as fortes perdas do primeiro trimestre. O rally foi mais moderado na América Latina, dada a fase da pandemia de COVID-19 na qual se encontrava. Por países, a Angola (119,4%) destaca-se face aos demais mercados, seguido do Gabão (45,8%), Zâmbia (40,5%) e Equador (40,1%), enquanto a Venezuela (-39,6%), Suriname (-32,2%) e Belize (-21,7%) foram os piores do trimestre. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 105


PRODUTOS CARTEIRAS

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

A SELEÇÃO DE PAÍSES É FUNDAMENTAL NAS CARTEIRAS DEVIDO À DISPARIDADE QUE APRESENTAM AS ECONOMIAS DO UNIVERSO DE INVESTIMENTO

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

Apesar dos fortes avanços que se registaram durante grande parte do segundo trimestre, a dívida soberana de mercados emergentes terminou o primeiro semestre de 2020 em terreno negativo (-2,8%), já que as rentabilidade positivas em investment grade (3,1%) não conseguiram compensar as rentabilidades negativas em high yield (-9,6%). Por regiões, só a Europa emergente encerrou o período em positivo (1,7%), enquanto a América Latina (-6,3%), África (-5,5%), Médio Oriente (-1,8%) e Ásia (-0,4%) continuaram em negativo. Por países, o Uruguai (7,8%), Qatar (6,2%) e Chile (5,7%) obtiveram as melhores rentabilidades, enquanto o Líbano (-63,4%), Equador (-53,8%) e Venezuela (-52,5%) sofreram as maiores perdas na primeira metade de 2020.

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

PERSPETIVAS

Ainda que os fundamentais se tenham deteriorado consideravelmente em todo o mundo, os mercados emer106 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

gentes sofreram mais do que a maioria devido à sua menor capacidade para gerir o impacto da pandemia de coronavírus. Apesar de as perspetivas de crescimento a curto prazo serem negativas, os estímulos monetários e scais sem precedentes postos em marcha, tanto nos mercados desenvolvidos como nos emergentes, fazem com que a maioria dos gestores de fundos que investem neste segmento mostrem um otimismo cauteloso sobre a classe de ativos em 2020. Apesar de os spreads se terem estreitado significativamente no segundo trimestre, continuam em níveis muito mais amplos do que no fim de 2019. Após a mudança de tendência dos fluxos, muitos gestores veem cada vez mais potencial de lucros nos próximos 12 meses, dados os baixos níveis de rendimento que oferecem os mercados desenvolvidos. A verdadeira pergunta é se os spreads estão a prever o impacto total da pandemia de coronavírus, que continua a ser incerto. Independentemente da direção que tomarem os mercados a partir de agora, é provável que a seleção de países continue a tornar-se fundamental para as carteiras, dada a disparidade que apresentam as economias do universo de investimento. Espera-se que a política monetária continue a ser acomodatícia perante uma perspetiva de crescimento negativo e uma inflação débil, ainda que seja provável que a capacidade para suportar os mercados va-


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE JUAN SAN PÍO Diretor comercial de Amundi ETF, Indexing & Smart Beta para a Península Ibérica e América Latina, Amundi ETF

IMPACTO COM INVESTIMENTO INDEXADO

rie entre os diferentes países, sendo aÁfrica e América Latina as regiões mais vulneráveis. Por subclasse de ativos, a maioria dos gestores estão subponderados em divisa local, com uma clara preferência pelas taxas de juro, e optam por operar com divisas de forma muito seletiva neste contexto de mercado.

DIVISA ESTRANGEIRA

Para os investidores que confiam nesta classe de ativos, o Barings Emerging Markets Sovereign Debt Fund oferece uma proposta de investimento interessante. Lançado em 2015, propõem-se a superar o índice JP Morgan EMBI Global Diversified em 2% anual ao longo de um ciclo completo de mercado, principalmente mediante o investimento em dívida soberana e quasi soberana externa, com exposição ativa, mas limitada à divisa corporativa. A exposição a divisas emergentes e obrigações em divisa local é bastante limitada. Dirigida por uma sólida equipa liderada por Cem Karacadag, a estratégia destaca-se pela sua abordagem concentrada e de alta convicção na qual a seleção de países e alocação por qualidade de crédito impulsionam as rentabilidades a longo prazo. O processo de investimento combina a análise macroeconómica qualitativa e fundamental bottom-up com modelos quantitativos para identicar oportunidades estruturais e cíclicas em crédito, capitalizar as oportunidades de

valor relativo e a volatilidade do mercado, e evitar eventos de crédito. Esta abordagem não é exclusiva da equipa do Emerging Markets Sovereign Debt que lidera Cam Karacadag, mas é aplicada a toda a plataforma da Barings Emerging Markets Corporate. A combinação de uma filosofia baseada no valor e de uma abordagem de alta convicção costuma traduzir-se em grandes derivações face ao índice de referência e, dado o seu perfil, o fundo tende a comportar-se melhor quando os mercados se regem por fatores fundamentais em vez de técnicos. A seleção de países e a alocação por qualidade creditícia impulsionam as rentabilidades adicionais a longo prazo. A nível quantitativo, o fundo destaca-se por gerar sólidas rentabilidades absolutas e ajustadas ao risco em comparação com os seus concorrentes, tanto durante as correções do mercado como durante os rallies. O fundo superou o índice do grupo de comparáveis e os seus concorrentes na categoria Fixed Income Markets Hard Currency em mercados bullish como os de 2016, 2017 e 2019, assim como em mercados bearish como o de 2018. Este ano, o fundo também superou a maioria dos seus concorrentes, apesar das correções extremas do primeiro trimestre. Este nível de consistência no momento de gerar rentabilidades superiores, independentemente do contexto de mercado, é difícil neste classe de ativos.

É possível integrar ESG numa estratégia indexada? Ou é necessária uma abordagem de gestão de ativa? Consideramos que há lugar para ambos num portefólio ESG, e que a gestão indexada poderá facilitar uma adoção mais generalizada do investimento ESG. Não existe uma solução padronizada quando se trata de investimento ESG. Com mais de mil índices ESG disponíveis, que cobrem todo o tipo de exposições, os investidores dispõem de uma infinidade escolhas para construir uma carteira que atenda aos seus objetivos. A gama de investimento responsável da Amundi é estruturada por níveis de integração numa escala de verde claro a verde escuro. A capacidade de incorporar objetivos de sustentabilidade mais avançados resulta de melhorias constantes nos dados ESG, o que significa que é possível desenvolver índices alinhados com ODS específicos ou que visem reduções concretas de gases de efeito estufa. Além disso, os index investors podem ser impactantes ao alocar ativos para estratégias mais sustentáveis e usar toda a gama de índices sustentáveis disponíveis – embora as exclusões simples possam ajudar, um índice bestin-class pode recompensar empresas que superam os seus pares com base em critérios ESG, encorajando assim a melhoria contínua. Esse impacto é ampliado através de uma abordagem ativa para ser um acionista escolhendo uma gestora de ativos como a Amundi, que possui políticas robustas de voto e relacionamento. Se deseja integrar ESG no seu portefólio, as soluções de gestão indexadas podem ser uma forma económica, transparente e impactante de atingir objetivos de investimento responsável. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 107


PRODUTOS EMERGENTES

por Miguel Rêgo, CFA

O QUE EMERGE DOS Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

EMERGENTES? Detalhamos a exposição geográfica e as empresas que se encontram nas carteiras dos 15 fundos de ações de mercados emergentes globais com Selo FundsPeople 2020.

O

universo de investimento em ações dos mercados emergentes é talvez o menos uniforme e estático que podemos encontrar. Aos dias de hoje, China, Brasil, Argentina ou Índia são países que estão mais na mente dos investidores quando a este universo se referem, mas se formos atrás o suciente na história, mais precisamente a 1988, vemos que até Portugal e a Grécia deixaram a sua pegada no MSCI Emerging Markets Index. A própria denição de mercado emergente contraria qualquer conceção estática que se pudesse ter do termo: são mercados e países que se encontram em processo de se tornarem desenvolvidos. O processo e evolução dos índices de mercados emergentes têm estado dominados pela gradual liberalização do mercado de ações doméstico da China. As autoridades chinesas têm vindo a implementar uma série de reformas focadas em atrair mais investimento estrangeiro que nancie a transição de uma economia focada na indústria e exportação, para uma economia orientada para o consumo. Isto gerou, como resultado, a inclusão de ações Classe A no principal índice de referência da MSCI, e dados de

108 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

junho deste ano mostram que a maior economia asiática e segunda maior economia do mundo representa já 40,95% do índice. Apesar do peso de uma só economia no índice, esta heterogeneidade que caracteriza o universo emergente proporciona aos gestores de ativos o acesso a uma multiplicidade de ciclos económicos, divisas e modelos de negócio que exige um trabalho diligente, mas que ao mesmo tempo encerra

muitas oportunidades. O potencial para proporcionar um retorno mais interessante do que investir em mercados mais estabelecidos está lá, mas não sem algum risco adicional.

FUNDOS COM SELO FP 2020

Olhando para as carteiras dos fundos de ações emergentes globais com Selo FundsPeople, vemos que, em média, o peso da China (China + Hong Kong) nas carteiras está aquém do do índice

EXPOSIÇÃO GEOGRÁFICA LÍQUIDA (%) DOS FUNDO

BlackRock Global Funds - E.M.E. Income F. BMO Responsible Global E.M.E.F. Candriam SRI Equity Emerging Markets Capital Group New World Fund (LUX) Fidelity Funds - Emerg. Markets Focus Fund Fidelity Funds - Emerging Markets Fund Goldman Sachs E. M. CORE Equity Portfolio Federated Hermes Global E.M.F. JPMorgan Funds - E.M.E.F. MFS Meridian Funds - E.M.E.F. Schroder International Selection Fund E.M. T. Rowe Price Funds SICAV - E.M.E.F. Templeton Emerging Markets Fund Vontobel Fund - mtx Sust. E.M. Leaders Wells Fargo (Lux) WF Emer. Mkts E.F.

SELO FUNDS PEOPLE 2020

ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC ABC

ENTIDADE GESTORA

PATRIMÓNIO (MILHÕES DE EUROS)

BRASIL

CHINA

BlackRock

421,08

5,31

BMO

344,48

3,08

18,22

Candriam

774,81

9,68

39,86

Capital Group

325,97

10,58

17,38

Fidelity

287,25

3,82

32,87

Fidelity

4.149,01

1,35

42,03

122,61

3,99

42,42

4.515,14

4,12

31,87

8.331,68

9,09

34,45

Goldman Sachs Hermes JPMorgan AM MFS IM

38,08

105,98

5,44

34,01

Schroders

3.937,97

7,60

38,63

T.Rowe Price

2.206,66

9,19

32,75

791,49

6,26

32,12

6.160,89

5,57

44,31

366,77

8,45

35,90

Franklin Templeton Vontobel AM Wells Fargo AM

Fonte: Morningstar Direct. Dados mais recentes disponíveis a 15 de setembro de 2020.


TÍTULOS DESTACADOS NAS CARTEIRAS DOS FUNDOS ANALISADOS DOMICÍLIO DA EMPRESA

EMPRESA

NÚMERO DE OCORRÊNCIAS NO TOP 20 DE POSIÇÕES

PONDERAÇÃO MÉDIA DAS OBSERVAÇÕES NA CARTEIRA DOS FUNDOS

PONDERAÇÃO MÉDIA NA CARTEIRA UNIFORMIZADA POR VEÍCULO DE INVESTIMENTO

SETOR

Alibaba Group Holding Ltd ADR

Hong Kong

11

6,91

6,51

Alibaba Group Holding Ltd Ordinary Shares

Hong Kong

1

2,08

6,51

Consumo cíclico

Tencent Holdings Ltd

China

14

6,61

6,61

Serviços de comunicação

Taiwan Semiconductor Manufacturing Co Ltd

Taiwan

11

6,45

6,43

Tecnologia

Taiwan Semiconductor Manufacturing Co Ltd ADR

Taiwan

4

6,40

6,43

Tecnologia

Samsung Electronics Co Ltd

Coreia do Sul

11

5,79

5,78

Tecnologia

Consumo cíclico

Samsung Electronics Co Ltd Participating Preferred

Coreia do Sul

1

5,67

5,78

Tecnologia

HDFC Bank Ltd

India

3

4,29

4,29

Serviços financeiros

Zhongsheng Group Holdings Ltd

China

1

4,23

4,23

Consumo cíclico

PT Bank Central Asia Tbk

Indonésia

1

4,03

4,03

Serviços financeiros Consumo defensivo

Foshan Haitian Flavouring and Food Co Ltd Class A

China

1

3,62

3,62

Jeronimo Martins SGPS SA

Portugal

1

3,59

3,59

Consumo defensivo

PT Bank Mandiri (Persero) Tbk

Indonésia

2

3,59

3,59

Serviços financeiros

Unilever PLC

R.U./Holanda

2

3,56

3,56

Consumo defensivo

China Mengniu Dairy Co Ltd

China

2

3,47

3,47

Consumo defensivo

Clicks Group Ltd

África do Sul

1

3,45

3,45

Saúde

MediaTek Inc

Taiwan

1

3,44

3,44

Tecnologia

AIA Group Ltd

Hong Kong

7

3,33

3,33

Serviços financeiros

Discovery Ltd

África do Sul

1

3,25

3,25

Serviços financeiros

Techtronic Industries Co Ltd

Hong Kong

2

3,23

3,23

Industrials

Naspers Ltd Class N

África do Sul

5

3,22

3,22

Serviços de comunicação

Infosys Ltd

Índia

1

3,20

3,20

Tecnologia

LG Household & Health Care Ltd

Coreia do Sul

2

3,00

3,00

Consumo defensivo

Fonte: FundsPeople e Morningstar Direct. Dados mais recentes disponíveis a 15 de setembro de 2020.

de referência, mas não de forma signicativa. Este xa-se nos 38.83% (34.33% na China, 4.5% em Hong Kong) e, à parte de todas as polémicas acerca do domínio político de Taiwan, se somarmos também este país insular a estes números temos, em média, quase

metade das carteiras destes fundos alocada a países ou regiões sob o domínio sínico. Isto ignorando a exposição executada através de ADR ou empresas com elevada exposição ao país, ao nível das receitas, que se reetem noutras colunas da tabela. Países como a Coreia

do Sul, Índia, Brasil e Rússia são os seguintes mais ponderados, exatamente como acontece no índice MSCI EM. É curioso também observar que alguns nomes nesta lista de fundos abordam os mercados emergentes de forma responsável ou sustentável,

F FUNDOS DE AÇÕES EMERGENTES GLOBAIS COM SELO FUNDSPEOPLE 2020 HONG KONG

TAIWAN

ÍNDIA

INDONÉSIA

MÉXICO

RÚSSIA

ÁFRICA DO SUL

COREIA DO SUL

TAILÂNDIA

TURQUIA

REINO UNIDO

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

OUTROS

2,57

9,59

9,03

3,99

3,07

5,03

0,00

8,56

0,22

0,00

3,12

0,81

10,62

11,35

5,77

20,30

6,45

2,31

2,39

6,70

0,00

2,69

1,05

6,22

0,00

13,46

0,94

16,06

7,00

0,51

0,18

2,14

2,52

10,70

0,67

0,00

0,00

0,00

9,73

2,48

1,87

7,26

0,41

0,76

1,39

1,69

0,73

0,20

0,16

2,86

21,23

30,99

8,81

12,80

10,07

3,82

1,75

4,99

7,22

3,12

0,00

0,00

0,30

3,15

7,29

6,10

9,90

11,25

1,81

2,40

4,92

7,47

8,26

0,79

0,00

0,19

0,03

3,49 5,42

0,04

13,12

7,72

3,16

1,75

3,34

3,33

11,97

1,02

1,15

0,00

1,57

7,15

13,33

11,51

2,79

1,99

4,43

0,41

13,12

0,00

0,48

0,00

0,92

7,91

8,04

7,29

17,38

2,00

1,77

0,80

1,95

5,55

0,00

0,77

0,00

3,09

7,82 8,89

6,20

9,34

9,99

2,34

2,02

4,43

1,01

13,96

0,74

0,51

1,12

0,00

2,29

12,73

3,89

0,00

1,21

7,36

4,41

14,61

0,01

0,63

0,01

0,02

6,60

3,71

11,05

4,86

1,61

1,22

4,54

3,18

12,88

2,13

0,39

0,00

0,63

11,87

0,63

12,71

5,29

0,81

1,04

6,72

4,02

19,37

1,18

0,00

3,08

1,43

5,34

4,46

11,60

4,77

2,63

1,00

5,18

1,70

12,84

0,00

0,00

0,93

0,00

5,01

2,82

10,49

7,39

1,49

5,07

2,71

1,31

10,15

1,60

0,12

0,00

1,88

10,61

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 109


P

AR

P

R

TNE

R

PRODUTOS EMERGENTES

AR

TNE

A OPINIÃO DE ÁLVARO ANTÓN LUNA Responsável pelo mercado português, Aberdeen Standard Investments

MSCI EMERGING MARKETS - PESOS GEOGRÁFICOS

CHINA 40,95% TAIWAN 12,28% COREIA DO SUL 11,61% OUTROS 11,01% ÍNDIA 8,02% BRASIL 5,14% ÁFRICA DO SUL 3,76% RÚSSIA 3,23% TAILÂNDIA 2,24% MÉXICO 1,73%

Fonte: MSCI, 30 de junho de 2020

muito embora sejam também evidentes as diferenças signicativas na alocação geográca desses fundos. Se o BMO Responsible Global Emerging Markets Equity Fund subpondera largamente a China, Taiwan e a Coreia do Sul, em favor de Hong Kong, Índia, África do Sul e Indonésia, os Vontobel Fund - mtx Sustainable Emerging Markets Leaders e Candriam SRI Equity Emerging Markets mostram um mix geográco completamente distinto, o que reete as diferentes formas de abordar o investimento responsável ou sustentável, em particular nestes mercados especialmente heterogéneos.

EMPRESAS EM DESTAQUE

Interessante é também o mix de empresas que ocupam as principais posições das carteiras destes fundos. Para compilar estes dados, considerámos as posições percentuais das 20 maiores empresas em cada um dos fundos e destacamos aquelas com maior ponderação, seja a média em caso de mais do que uma observação, ou o valor observado na única carteira em que está incluída. 110 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

À cabeça desta lista: a concorrente asiática da Amazon, a Alibaba. Não só surge em 12 dos 14 fundos como é a empresa com a maior ponderação média, maioritariamente canalizada por via do respetivo ADR. A Tencent, concorrente do Facebook e de outros gigantes dos subsetores de redes sociais, jogos e conteúdo, é a número dois e a Taiwan Semiconductor Manufacturing, produtora de semicondutores, fecha o top três. A somar às empresas com maior número de presenças entre os fundos com Selo FundsPeople 2020 surge a Samsung com 11 observações nas 15 carteiras analisadas e uma ponderação média de 5,78%. Temos inclusive uma observação da portuguesa Jerónimo Martins num dos fundos deste conjunto em virtude das suas operações na Colômbia e Polónia, em adição a Portugal. Tecnologia, consumo e serviços nanceiros dominam esta lista em termos setoriais, longe de algum preconceito que poderíamos ter de que estas carteiras estivessem orientadas para a indústria ou materiais. Quiçá um sinal de outros tempos emergentes.

O ABC DO INVESTIMENTO COM UM PROPÓSITO O panorama do investimento sustentável é complexo e, muitas vezes, confuso na sua terminologia. Um modelo simples, como o modelo ABC, pode ajudar na hora de avaliar a intenção e o sucesso na execução. Este modelo é retirado do guia de classificação do Impact Management Project e aborda três níveis: “Agir para evitar o dano”, que abrange muitos dos produtos tradicionais que existem no mercado. Historicamente, considerava-se que o dano era um juízo de valor. Gradualmente, evitar o dano foi evoluindo de forma a incluir a avaliação com base no risco das atividades de uma empresa na perspetiva dos critérios ESG. “Beneficiar os stakeholders” vai um pouco mais longe. No mínimo, este nível exige que os investidores evitem o dano, mas também procura que sejam considerados impactos positivos. As empresas nesta categoria classificam-se como líderes em termos de fatores ESG, mas é importante distinguir entre as que lideram na gestão de risco e as que lideram na obtenção de resultados. “Contribuir para a solução” baseia-se na tomada em consideração dos impactos positivos, mas requer que o impacto do investimento represente um resultado positivo significativo para o planeta ou para uma população, que de outra forma não teria acesso aos serviços necessários. É conhecido, normalmente, como investimento de impacto. Em suma, o modelo deve ser encarado como uma escala e o mais importante é o facto de oferecer aos investidores uma ferramenta que lhes permite ver além da classificação de uma carteira como ética, responsável ou sustentável e entender o objetivo pretendido com essa carteira.


19TH EDITION

OCTOBER

8th & 9th

2020

INTERCONTINENTAL PARIS OPÉRA

By

#GIFParis

L’AGEFI’s yearly international gathering for top-level institutional investors. • 2 days of conference, debates between leading experts and networking • Free access and accommodation for institutional investors • Animated by some of the most prominent financial media in Europ

www.globalinvestforum.com

Among our speakers Gabriel Bernardino, Chaiman, EIOPA

José-Luis Jiménez, Chief Investment Officer, MAPFRE (Spain) Sophie Elkrief, Chief investment officer, MAIF (France)

Torben Möger Pedersen, CEO, PENSION DANMARK (Denmark) Wim Vermeir, Chief Investment Officer, AG INSURANCE (Belgium)

To see all speakers, please visit our website www.globalinvestforum.com In order to secure your pass to attend this upcoming edition, please go online or contact our team: info-seminaire@agefi.fr | + 33 1 43 12 82 96

OUR PARTNERS 2020 Exclusive gala dinner sponsor

Exhibitors

Supporting organisations

Gold sponsor

Silver sponsor

Medias Partners

Strategic content sponsor


PRODUTOS INSTITUCIONAL por Vasco Cabral da Câmara

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

NOVO REGIME JURÍDICO Mais flexibilidade e informação para os participantes, mais governação mas…um desafio para as entidades gestoras, empresas e ASF.

112 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


DOS FUNDOS DE PENSÕES SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 113


PRODUTOS INSTITUCIONAL

NOVO REGIME JURÍDICO DOS FUNDOS DE PENSÕES - PRINCIPAIS ALTERAÇÕES

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

Política de investimentos

Obrigatoriedade de publicação de uma declaração de princípios da política de investimento, que inclua os métodos de avaliação e gestão do risco de investimento aplicados e a estratégia de alocação de ativos, tendo em conta a natureza e a duração das responsabilidades com pensões e fatores ESG.

Comissões de acompanhamento dos planos de pensões

Passam a contar com a presença de um representante da comissão de trabalhadores da empresa e um representante de cada um dos dois sindicatos mais representativos do setor de atividade.

Alargamento do regime de flexibilização do pagamento aos planos de benefício definido

O beneficiário poderá optar pela transferência para um fundo de pensões aberto de adesão individual, sem encargos, do montante financiado do valor atual da pensão. O pagamento da pensão fica assegurado até ao limite da capacidade financeira da conta individual do beneficiário.

Fonte: Elaboração própria

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

N

o passado dia 23 de julho, foi publicada a Lei nº 27/2020 que regula o novo regime jurídico da constituição e do funcionamento dos fundos de pensões e das entidades gestoras de fundos de pensões, transpondo a Diretiva Europeia (UE) 2016/2341. O mercado dos fundos de pensões em Portugal, por comparação com outros países da Europa, é um mercado menos maduro. No entanto, temos assistido a um gradual interesse por parte das empresas, especialmente multinacionais, na implementação de planos de pensões para os seus colaboradores como mecanismo de proteção na reforma. Espera-se que haja um desenvol-

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

TEMOS ASSISTIDO A UM GRADUAL INTERESSE POR PARTE DAS EMPRESAS MULTINACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE PLANOS DE PENSÕES PARA OS SEUS COLABORADORES 114 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

vimento deste mercado, mas para isso é importante que existam maiores incentivos scais para as empresas e para os contribuintes, bem como uma regulamentação e supervisão adequada. Este novo regime jurídico traz mais exigência ao nível dos deveres de informação e da gestão de risco, tendo como objetivo uma estrutura de Governação mais adequada. Das várias alterações destacam-se as seguintes: • Na área dos investimentos, a obrigatoriedade de haver uma declaração de princípios da política de investimento, que deve incluir, no mínimo, os métodos de avaliação do risco de investimento, os processos de gestão de riscos aplicados e a estratégia seguida em matéria de afetação de ativos, tendo em conta a natureza e a duração das responsabilidades com pensões, bem como a forma como a política de investimento tem em conta os fatores ambientais, sociais e de governação. Esta declaração deverá ser publicada no site da entidade gestora na internet e revista, pelo menos, de três em três anos. • Aumento signicativo dos deveres de informação a prestar aos participantes, no momento inicial, anualmente, no momento prévio à reforma, no momento de transferência para outro plano de pensões (se aplicável) e durante a fase de pagamento dos benefícios.


MARIO GONZÁLEZ Responsável de Desenvolvimento de Negócio para Portugal, Espanha e Andorra, Capital Group

NO QUE DIZ RESPEITO AO PAGAMENTO DO BENEFÍCIO, A GRANDE NOVIDADE É O ALARGAMENTO DO REGIME DE FLEXIBILIZAÇÃO DO PAGAMENTO AOS PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO Este aumento signicativo dos deveres de informação é muito positivo para os participantes que receberão mais e melhor informação, mas será sem dúvida, um grande desao para as entidades gestoras que terão que dispor dos meios humanos e tecnológicos para fazer face às novas exigências. • As comissões de acompanhamento dos planos de pensões passam a ter um representante da comissão de trabalhadores da empresa e um representante de cada um dos dois sindicatos mais representativos do setor de atividade. Esta regra aplica-se a todos os planos de pensões e não apenas aos planos que resultam de contratação coletiva, o que vai obrigar muitas empresas a alterarem o regulamento da comissão de acompanhamento para que esteja em consonância com o novo regime jurídico. Continua, no entanto, a ser necessária a realização de eleições para a designação dos representantes dos participantes e beneciários, para todos os planos de pensões. • “…a previsão de aquisição de direitos adquiridos, mesmo que parciais, não pode estabelecer um período inicial de aquisição de direitos superior a três anos de serviço na empresa…”. Não se entende bem o alcance desta alteração. Continua a ser possível que um plano de pensões não tenha direitos adquiridos, ou seja, em caso de cessação do

vínculo laboral, o colaborador não tenha direito a qualquer benefício, mas os planos que o preveem têm que estabelecer um período inicial máximo de três anos para a sua atribuição. Vamos aguardar que haja um esclarecimento sobre este tema. Outro aspeto relevante é que os valores acumulados afetos a participantes, que tenham resultado de contribuições de planos de contribuição denida que não sejam regulares, constituem direitos adquiridos, independentemente do tempo de serviço na empresa. • No que diz respeito ao pagamento do benefício, a grande novidade é o alargamento do regime de exibilização do pagamento aos planos de benefício denido. O beneciário pode, antes do início do pagamento da pensão, ou durante a fase de pagamento através do fundo de pensões, optar pela transferência para um fundo de pensões aberto de adesão individual, sem encargos, do montante nanciado do valor atual da pensão, cando o pagamento da pensão assegurado até ao limite da capacidade nanceira da conta individual do beneciário. Até 31 de julho de 2021 terão que ocorrer várias alterações aos contratos dos fundos de pensões e à forma como a atividade das entidades gestoras é desenvolvida. Avizinham-se tempos desafiantes…

PORQUÊ INVESTIR EM CRESCIMENTO DE QUALIDADE NA ERA DAS TAXAS BAIXAS? Tudo parece indicar que a era das taxas baixas veio para ficar e que isto dificulda significativamente a tarefa de encontrar rentabilidade. Segundo uma análise do Capital Group, os investidores centrados no longo prazo podem encontrar boas opções entre as chamadas empresas de crescimento de qualidade. Estas são geralmente empresas lideradas por equipas diretivas de primeira categoria, com um balanço sólido, que operam num mercado em expansão e que têm potencial para aumentar a sua quota de mercado e manter o poder de fixação de preços. Nem todas estas características são exclusivas das empresas de crescimento de qualidade. Mas se a estas somarmos modelos de negócio inovadores ou que aproveitem oportunidades de crescimento consistente no tempo, temos uma combinação que pode tornar-se em oportunidades de investimento realmente atrativas. Historicamente, as empresas de crescimento de qualidade, muitas vezes, resistiram relativamente bem durante as recessões do mercado. Ainda que seja importante realçar que tal comportamento dependeu em grande medida da sua capacidade de poder continuar a crescer. Exemplos de empresas de crescimento de qualidade que muito possivelmente vão beneficiar após a crise da COVID-19 são as pertencentes a indústrias como a do streaming e dos videojogos, das entregas ao domicílio, de automatização e biotecnologia. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 115


PRODUTOS ETF

por Pierre Laget e Anaelle Ubaldino

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

AS CINCO TENDÊNCIASCHAVE NO

MERCADO DE ETF 2019 foi um ano fantástico para os ETF domiciliados na região EMEA. Quais serão as tendências fundamentais e o que muda com a crise económica e sanitária desencadeada pela COVID-19?

A

TrackInsight, plataforma global independente de análise do mercado de ETF, recentemente entrevistou mais de 300 investidores prossionais de 17 países para car a conhecer o uso atual e futuro dos ETF. Os resultados foram publicados num relatório com o apoio da IHS Markit e da iShares BlackRock. Os entrevistados gerem no seu conjunto um total de 277 mil milhões de dólares em ativos de ETF, cerca de 5% do mercado global, fornecendo uma base sólida a partir da qual se podem extrair perceções sobre as principais tendências do setor.

ATIVOS CRESCEM

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

2019 foi um ano fantástico para os ETF domiciliados na região EMEA. O seu

património chegou no m do ano a 955 mil milhões de euros, um aumento de 35,9% face a 2018. Mais de dois terços destes ativos são investidos em ETF de ações (70,4%), enquanto as obrigações representam pouco mais de um quarto (26,9%). As estratégias de commodities e non-vanilla (como multiativos e leveraged/inverse) são muito menos representadas no espaço interno dos ETF, com apenas 1,7% e 1% dos ativos, respetivamente. Este notório crescimento do património foi sustentado por uma performance positiva e fortes entradas. Os ETF da região EMEA atraíram uxos de 100 mil milhões de euros em 2019, gerando quase metade do crescimento total do património. Todavia, os dados de uxos contam uma história diferen-

VISÃO GERAL DO MERCADO DE ETF EM EMEA ATIVOS* FLUXOS 2019* CLASSE DE ATIVOS

2019

2018

Ações

672.019 (+35.8%)

70.4%

494.947

70.4%

44.772

+9.0%

Obrigações

257.476 (+38.7%)

26.9%

185.643

26.4%

53.836

+29.0%

16.066 (+18.7%)

1.7%

13.535

1.9%

699

+5.2%

9.914 (+8.0%)

1.0%

9.178

1.3%

699

+7.6%

955.475 (35.9%)

100%

703.303

100%

100 005

+16.1%

Matérias Primas Non-Vanilla Total

Fonte: Dados TrackInsight, IHS Markit, no final de 2019, em milhões de euros. ETC, ETN e ETF - ativos não incluídos *Variação percentual relativamente à data final de 2018.

116 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


QUAL É A SUA ATUAL EXPOSIÇÃO A...? Nenhuma

A LISTA DE NOVOS PRODUTOS DE OBRIGAÇÕES É LONGA, DE ETF ESG A ETF INVERSOS E SMART-BETA

Entre 1% e 5%

Entre 6% e 10%

Entre 21% e 40%

Entre 21% e 40%

Mais de 40%

ETF ETF DE OBRIGAÇÕES ETF ATIVOS ETF TEMÁTICOS ETF ESG ETF SMART BETA E FACTOR 0%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

805

90

100%

Fonte: TrackInsight 2020 Global ETF Survey.

te dos dados patrimoniais. Enquanto os ETF de obrigações representam pouco mais de um quarto do património total, estes atraíram mais de metade dos uxos (+53,8 mil milhões de euros), superando inclusive os ETF de ações (+44,8 mil milhões de euros). Em comparação, os fundos de commodities e non-vanilla mostraram um impulso muito menor (+7 milhões cada). Embora os dados do relatório se reram ao nal de 2019, os investidores foram inquiridos na primeira metade de maio de 2020, várias semanas após o início da turbulência sem precedentes sentida nos mercados devido à COVID-19. O relatório, portanto, fornece uma fotograa particularmente interessante sobre como os investidores veem os ETF em tempos de extrema tensão no mercado. Perguntámos aos investidores prossionais quais são as suas alocações atuais para as cinco tendências mais fortes no mercado de ETF e quais são as suas intenções de alocação nos próximos anos.

ETF DE OBRIGAÇÕES

Embora os ETF de ações tenham sido os primeiros a alcançar o sucesso global, agora os investidores procuram diversicar os seus portefólios com um foco nas obrigações. A procura pelo

COMO MUDOU A SUA EXPOSIÇÃO A...? Crescimento 5% - 20%

Inalterada

Queda 5% - 20%

Crescimento acima de 20%

ETF ETF DE OBRIGAÇÕES ETF ATIVOS ETF TEMÁTICOS ETF ESG ETF SMART BETA E FACTOR 0%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

805

90

100%

Fonte: TrackInsight 2020 Global ETF Survey.

setor é crescente e a oferta mantém-se ampla, proporcionando uma maior escolha entre produtos e fornecedores. A lista de novos produtos de obrigações é longa, de ETF ESG a ETF inversos e smart-beta, sem esquecer os ETF geridos ativamente. A grande maioria dos inquiridos (64%) do TrackInsight Global ETF Survey 2020 expressou a vontade de aumentar a sua exposição de 5% para 20% num futuro próximo, o que representa uma quantidade signicativa de uxos que devem entrar nesses

produtos. Embora este movimento possa estar vinculado a ajustes de curto prazo na alocação de ativos após a volatilidade do mercado vinculada à COVID-19, os níveis sem precedentes de uxos registados em 2019 sugerem que esta tendência é impulsionada por dinâmicas de longo prazo.

MAIS ETF ATIVOS

Os ETF geridos ativamente ainda não tiveram um sucesso generalizado, mas isso pode mudar em breve. Na Europa estes produtos representam apenas SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 117


P

AR

P

R

TNE

R

PRODUTOS ETF

AR

TNE

A OPINIÃO DE TANIA SALVAT Vendas para a área de Distribuição na Península Ibérica, BlackRock

OS ATIVOS EM ETF SUSTENTÁVEIS CRESCERAM QUASE NOVE VEZES NOS ÚLTIMOS ANOS

0,6% do património total e a história não é muito diferente nos Estados Unidos, onde a percentagem sobe para 2%. De qualquer forma, o inquérito mostra números animadores. 45% da amostra investe ativamente em ETF. Embora a sua alocação nesses produtos seja atualmente limitada (40% investem entre 1% e 5% do seu portefólio), a maioria (56%) pretende aumentar a sua alocação em 5-20% nos próximos anos. Além disso, a história sugere que a Europa está atrasada em relação aos Estados Unidos em termos de uso de ETF, o que pode signicar um aumento esperado destes produtos.

ETF TEMÁTICOS

Embora ainda representem uma pequena fração do total de ativos, os ETF temáticos cresceram rapidamente, apoiados por uma enxurrada de lançamentos e pelo contínuo interesse dos investidores nestes produtos. A grande maioria dos inquiridos (81%) já tem algum. Mesmo que a maioria deles tenha uma alocação abaixo do limite de 5%, a adoção de ETF temáticos tende a acelerar num futuro próximo, pois 70% dos investidores planeia aumentar a exposição a este tipo de produto.

CRESCIMENTO ESG

O investimento sustentável é uma tendência importante que está a moldar todo o setor da gestão de ativos. Nos últimos cinco anos, o crescimento dos ETF ESG superou os demais subfundos. Os seus ativos cresceram quase nove vezes (8,64), enquanto o setor 118 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

duplicou no geral (2,31x) no mesmo período. Os resultados do inquérito estão em linha com essas tendências. A maioria dos inquiridos (73%) investe em produtos ESG. Quer seja através de ações, quer seja de obrigações, o apetite por este tipo de estratégias é alto, com 86% a planear aumentar a sua alocação.

SMART BETA

Investir em fatores não é uma novidade. Nos últimos 50 anos, a investigação académica identicou centenas de fatores que impulsionam o retorno das ações. No entanto, esse estilo de investimento continua a despertar o interesse dos investidores. A maioria (58%) usa smart beta ou ETF fatoriais, com forte preferência por fundos de ações de fator único (47%), seguidos por smart beta de obrigações (15%). Novos produtos continuam a ser lançados e a procura dos investidores não diminui. 59% da amostra planeia aumentar a sua exposição a esses ETF num futuro próximo. Em conclusão, apesar da recente turbulência do mercado, os ETF têm um futuro brilhante pela frente, apoiado pela forte procura dos investidores (22% esperam aumentar a sua alocação para ETF em mais de 20%) e inovação contínua dos provedores. O TrackInsight Global ETF Survey 2020 destaca várias tendências de investimento que devem crescer nos próximos anos. As principais são relativas aos ETF de obrigações, ETF ativos e ETF de fatores.

A GESTÃO INDEXADA E O ISR DÃO A MÃO NUM FUTURO PROMISSOR A gestão indexada e o investimento socialmente responsável viveram histórias de sucesso semelhantes. A sua expansão ajuda a responder a muitas das necessidades financeiras dos investidores e conseguiu transformar a indústria da gestão de ativos. Entre estas mudanças, destaca-se o impulso de soluções sustentáveis por parte dos líderes da indústria, o que se traduziu no desenvolvimento de padrões claros que delimitam e definem o que é sustentável e que estilos de investimento se podem encontrar dentro de um segmento cada vez mais consolidado. Por isso, as sinergias que oferecem a gestão indexada e o investimento socialmente responsável permitem disfrutar da eficiência em custos e da transparência dos ETF. O anterior vê-se reforçado pelos avanços na construção de índices e na possibilidade de investir em estratégias cada vez mais especializadas. O avanço foi acompanhado por uma consistência nos retornos das estratégias sustentáveis que, segundo os últimos dados, como mínimo, igualou o dos seus pares tradicionais1, pelo que também se colocou em dúvida o mito de que a aposta na sustentabilidade acarreta uma perda de rentabilidade. Na BlackRock adotámos uma postura ativa nas empresas em que investimos para nos assegurarmos de que se pretende obter o melhor valor a longo prazo e de que se participa de uma forma ativa na mudança positiva da empresa. 1: Fontes: BlackRock, Bloomberg (ETFs); Morningstar (fundos) a 31 de março de 2020.Dados dos fundos calculados em função da classe de ações mais antiga. Ações (fundos sustentáveis = 115 pb face a ETF sustentáveis = 28 pbs), Obrigações (fundos sustentáveis = 65 pbs face a ETF sustentáveis = 23 pbs), Todas as classes de ativos (ETF da iShares = 35 pb face a ETF sustentáveis da iShares = 31 pbs).


Com Cloud, Morningstar está a apenas um clique Concebida para profissionais de investimento, a versão Cloud do Morningstar Direct fornece acesso à pesquisa de mais de 350 analistas Morningstar de todo o mundo, juntamente com dados de mercado de alta qualidade e análises avançadas que pode utilizar para ajudar os investidores a atingir os seus objectivos financeiros. Com a plataforma Cloud pode utilizar a análise ESG de investimentos individuais e agora também simular a classificação ESG das carteiras.

Descubra como a versão Cloud do Morningstar Direct pode ajudar o seu negócio: www.morningstar.com/try/cloud

Ao aceder à cloud a partir de qualquer dispositivo, pode ter a certeza de ter as ferramentas mais recentes, dados fiáveis e actualizados e as análises mais recentes.

©2020 Morningstar, Inc. All rights reserved. The Morningstar name and logo are registered marks of Morningstar. Marks used in conjunction with Morningstar products or services are the property of Morningstar or its subsidiaries.


PRODUTOS ISR por María Folqué

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

O ESPINHOSO ASSUNTO DA DIVERGÊNCIA DAS CLASSIFICAÇÕES

ESG Um estudo do MIT destaca a divergência entre as classificações ESG oferecidas por diferentes provedores, analisando as suas causas e consequências. 120 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO


CORRELAÇÕES ENTRE RATINGS ESG KL SA

KL VI

KL RS

KL A4

KL MS

ESG

0,53

0,49

E

0,59

0,55

S

0,31

0,33

G

0,02

0,01

SA VI

0,44

0,42

0,53

0,71

0,54

0,54

0,37

0,68

0,21

0,22

0,41

0,58

-0,01

-0,03

0,16

0,54

SA RS

SA A4

SA MS

VI RS

VI A4

0,67

0,67

0,46

0,70

0,69

0,66

0,64

0,37

0,73

0,66

0,55

0,55

0,27

0,68

0,66

0,51

0,49

0,16

0,76

0,76

VI MS

RS A4

RS MS

A4 MS

0,42

0,62

0,38

0,38

0,54

0,35

0,70

0,29

0,23

0,53

0,28

0,65

0,26

0,27

0,42

0,14

0,79

0,11

0,07

0,30

MÉDIA

Fonte: MIT Sloan School of Management. 2014-2019 dados mensais. SA: Sustainalytics, RS: RobecoSAM, VI: Vigeo Eiris, A4: Asset4, KL: KLD, MS: MSCI.

O

s ratings ESG surgiram nos anos 80 para que os investidores pudessem analisar e selecionar empresas não só em função dos seus indicadores nanceiros, mas também em relação ao seu desempenho meio ambiental e social. A primeira agência de rating ESG, Vigeo Eiris, foi criada em França em 1983 e cinco anos mais tarde, a Kinder, Lydenberg & Domini (KLD) estabeleceu-se nos EUA. Desde essa época, o crescimento e a popularização do investimento com critérios sustentáveis viveu uma autêntica revolução em termos de uxos e de investidores. Atualmente, há 3.000 entidades signatárias dos PRI, com ativos sob gestão que superam os 100 biliões de dólares. De forma paralela, a indústria dos provedores de dados ESG também registou um boom, e muitos foram adquiridos por agências de classificação e provedoras de dados tradicionais. Assim, a MSCI comprou a KLD em 2010, o mesmo ano em que a Mornigstar ficou com parte da Sustainalytics, enquanto em 2019 a Moddy’s ficou com o controlo

da Vigeo Eiris e a S&P Global associou-se à RobecoSAM. Ao contrário da classificação de crédito, associada à probabilidade de que um emissor declare incumprimento, a medição da rentabilidade ESG é menos clara. O conceito baseia-se em critérios diversos que vão evoluindo, por isso, parte do que fazem as agências de classificação ESG é oferecer uma interpretação do que significa o desempenho ESG. Mas, além disso, enquanto há convergência nos indicadores financeiros, na divulgação de indicadores ESG existem diferentes padrões e muito de informação voluntária por parte das empresas, por isso, os provedores de dados não só interpretam, também agregam diferentes fontes. Essa falta de homogeneidade explica, em parte, as divergências entre os dados oferecidos pelas agências ESG que podem diferir consideravelmente. Assim o comprovaram os investigadores Florian Berg, Julian F. Koelbel e Roberto Rigobón do MIT Sloan School of Management no seu estudo Aggregate confusion: The divergence of ESG ratings (2019).

NA SUA ANÁLISE, BASEADA NOS RATINGS DE SEIS AGÊNCIAS ESG, OS INVESTIGADORES DO MIT ENCONTRARAM QUE AS CORRELAÇÕES ENTRE AS CLASSIFICAÇÕES ESG SÃO, EM MÉDIA, DE 0,54

SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 121


PRODUTOS ISR

MEDEM-SE ATRIBUTOS DIFERENTES COM DISTINTOS INDICADORES E E PONDERAM-SE DE FORMA DESIGUAL Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

A OPINIÃO DO SELECIONADOR JOÃO URBANO GONÇALVES, CESGA

Portfolio Manager, Caixa Gestão de Ativos

As discrepâncias entre ratings ou a baixa correlação entre as diferentes metodologias não significa que os ratings não tenham valor ou que sejam tendenciosos ou imprecisos. Simplesmente, a abundância de conceitos e a possibilidade de diferentes abordagens para tópicos semelhantes tornam os fatores ESG difíceis de quantificar, podendo gerar opiniões distintas. Mas mais importante, o que podemos concluir é que não devemos simplesmente usar um rating ESG e tomar decisões de investimento apenas com essa classificação, mas que devemos perceber o que está por detrás dessa classificação e de cada uma das suas componentes, porque diferentes fornecedores têm diferentes abordagens a um mesmo tema ESG.

122 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

Na sua análise, baseada nos ratings de seis agências ESG (KLD da MSCI Stats, Sustainalytics, Vigeo Eiris da Moody’s, RobecoSAM da S&P Global, Asset4 da Renitiv e MSCI), os investigadores perceberam que as correlações entre as classicações ESG são, em média, de 0,54 e oscilam entre 0,38 e 0,71. A Sustainalytics e a Vigeo Eiris têm o maior nível de acordo com uma correlação de 0,71. As correlações da dimensão ambiental (E) são ligeiramente mais baixas do que as correlações gerais, com uma média de 0,53. A dimensão social (S) está correlacionada em média em 0,42 e a dimensão da governance (G) tem a correlação mais baixa, com uma média de 0,30. A KLD e a MSCI exibem claramente as correlações mais baixas com outros avaliadores, tanto para a classicação global como para as dimensões individuais. Berg et al. propõem no seu estudo três fontes possíveis para explicar estas divergências. A primeira é a diferença do alcance da medição, já que as classicações se baseiam em diferentes

conjuntos de atributos. Os atributos como as emissões de carbono, as práticas laborais e a prática de lobbying podem, por exemplo, ser incluídos no alcance da classicação. Uma agência de classicação pode incluir a prática de lobbying, enquanto outra não, o que faz com que as classicações divirjam. A seguinte é a divergência de medição, já que as agências de classicação podem medir o mesmo atributo utilizando diferentes indicadores. Por exemplo, as práticas laborais de uma empresa poderão ser avaliadas em função da rotação da força laboral ou pelo número de casos judiciais relacionados com a mão de obra. Ambos capturam aspetos do atributo das práticas laborais, mas é provável que conduzam a avaliações diferentes. Os indicadores podem centrar-se em políticas, como a existência de um código de conduta, ou resultados, com a frequência de incidentes. Os dados podem provir de várias fontes, como relatórios da empresa, dados públicos, inquéritos ou relatórios dos meios. Finalmente, a divergência de ponderações que surge quando as agências


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE MIKE RIDDELL Co-gestor Allianz Strategic Bond, Allianz Global Investors

UM FUNDO DE OBRIGAÇÕES QUE SE ADAPTA AO MEIO AMBIENTE

de classicações têm diferentes pontos de vista sobre a importância relativa dos atributos. Por exemplo, o indicador de práticas laborais pode ter na classicação nal um maior peso que o indicador de lobby.

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

As contribuições de alcance, medição e divergência de pesos estão entrelaçadas, o que diculta a interpretação da divergência das classicações agregadas. Por isso, os autores do estudo propuseram estimar em que medida cada uma das três fontes impulsiona a divergência geral das classicações ESG e descobriram que a maior fonte de divergência vem das diferenças de medida, seguida das diferenças de alcance, enquanto a ponderação tem menos inuência. Na sua opinião, as divergências têm uma série de consequências. A primeira é que torna menos provável que a rentabilidade ESG se reita nos preços das ações e obrigações corporativas já que os investidores enfrentam o desao de tratar de identicar os que têm uma rentabilidade superior face aos que cam para trás.

Os gostos dos investidores podem inuenciar os preços dos ativos (Fama e French, 2007); Hong e Kacperczyk, 2009, Pastor et al., 2020), mas só quando uma fração sucientemente grande do mercado mantém e implementa uma preferência não nanceira uniforme. Portanto, até se uma grande fração dos investidores tem preferência pelo desempenho ESG, a divergência das classicações dispersa o efeito destas preferências nos preços dos ativos. Em segundo lugar, a divergência obstaculiza a ambição das empresas para melhorar o seu desempenho ESG, já que recebem sinais mistos das agências de classicação sobre que ações se esperam e serão valorizadas pelo mercado. E por último, a divergência das classicações apresenta um desao para a investigação empírica, já que o uso de um avaliador versus outro pode alterar os resultados e as conclusões de um estudo. Em suma, concluem os autores, a ambiguidade em torno das classicações ESG representa um desao para quem tiver de tomar decisões para contribuir para uma economia ambientalmente sustentável e socialmente justa.

Desenhado em 2016 para servir como um fundo de obrigações flexível, que também pode atuar como diversificador dentro de uma carteira equilibrada, o Allianz Strategic Bond atingiu com muito sucesso os seus três objetivos no meio de condições de mercado muito desafiantes: desempenho superior, meta de correlação e assimetria. Os rendimentos robustos resultaram da observação de todos os mercados em áreas que oferecem o melhor risco-retorno, e não de um elevado e consistente risco da carteira ao longo do ciclo. Como é gerida a estratégia? Uma estratégia de rendimento fixo flexível visa ser capaz de superar o seu benchmark em qualquer ambiente de mercado, ao ajustar a sua exposição a juros, crédito, inflação ou divisas ao longo do ciclo económico e renovando as suas posições em diferentes ativos de rendimento fixo com base na perspetiva de investimento. Para fazêlo, a estratégia não deve ter tendências sistemáticas para sobreponderar quaisquer áreas destes mercados, como o crédito. Uma análise fundamental aos indicadores macroeconómicos dos mercados de rendimento fixo e uma disposição para utilizar toda a flexibilidade da alocação têm contribuído para o bom desempenho da estratégia. Com base nos preços do mercado e na nossa avaliação do melhor risco/retorno, construímos a carteira com o objetivo de gerar um perfil de retorno assimétrico. Com o tempo, a carteira tem-se comportado como as diferentes áreas do universo de rendimento fixa, mas amiúde com melhor risco-retorno. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 123


PRODUTOS ALTERNATIVOS por Ana Palomares

EVOLUÇÃO DO PREÇO DO OURO E DA PRATA NOS ÚLTIMOS 5 ANOS Ouro. Variação em 2020: 28,35%

Prata. Variação em 2020: 49,21%

2.000

1.900

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

1.800

PREÇO DO OURO EM DÓLARES

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

1.700

1.600

1.500

1.400

1.300

1.200

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

1.100

1.00 2016

2017

Fonte: Megatrends. Dados a 10 de setembro

A PRATA

A IRMÃ PEQUENA DO OURO QUE DUPLICA EM ALTURA ESTE ANO Neste 2020 muito se falou sobre o investimento em ouro, apesar de o comportamento da prata ter sido muito mais avassalador. Analisamos o motivo dessa grande divergência. 124 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

2018


28

24

22

20

18

PREÇO DA PRATA EM DÓLARES

26

16

14

12 2019

A

pandemia gerada pelo coronavírus complicou ainda mais as perspetivas de um investidor que, mesmo sem Covid-19, já lutava para obter retornos positivos num contexto de queda das taxas de juros e avaliações cada vez mais esticadas. No entanto, tem havido uma tipologia de ativo que tem despertado o interesse dos investidores, desencadeando uma subida expansiva dos seus preços: os metais preciosos. Não surpreendentemente, com a queda do dólar e a dívida pública apresentando retornos negativos, o ouro e a prata caram praticamente sozinhos na lista de ativos que podem servir de refúgio nestes tempos de grande incerteza.

2020

Só nos primeiros oito meses do ano, o preço do ouro recuperou 29%, ultrapassando em alguns momentos o nível psicológico de 2.000 dólares por onça e, apesar da acentuada subida, ca aquém da experimentada pela prata no mesmo período, 62%. Isto é resultado de um aumento na procura, como também foi observado no ouro, mas também de uma queda acentuada na oferta. “A maior parte da produção vem da América do Sul e Central, duas regiões duramente atingidas pela crise. No nal de maio, no auge da crise, até 66% das unidades de produção haviam parado de funcionar. Embora as medidas de contenção tenham sido exibilizadas desde então, a situação ainda é muito instável em alguns países”,

armam da OFI AM. E a previsão é que essa queda na oferta continue no resto do ano. “Mesmo com a maioria das operações de mineração de volta, a produção global das mineradoras de prata deve cair 7% em 2020”, estimam do The Silver Institute. Do lado da procura, porém, há mais dúvidas, pois ao contrário do que ocorre com o ouro, o preço da prata está mais vinculado ao contexto económico, porque grande parte da sua procura não vem de investimentos, mas sim de usos industriais. Especicamente, segundo dados do Instituto, das 992 milhões de onças procuradas em 2019, 511, 51% do total foram para uso industrial, o que implica uma maior dependência do ciclo económico e, SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 125


PRODUTOS ALTERNATIVOS

DE ONDE VEM A PROCURA DE PRATA Dados em milhões de onças 2019

2020*

-/+ VALORIZAÇÃO % 2019/2020

600

500

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

510,9 475,4

400

300

215,8

201,3

200

187,5

186,1

100 59,8 33,7 HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

-7

-10

-7

INDUSTRIAL

FOTOGRAFIA

JOALHARIA

-9 TALHERES

+16 INVESTIMENTO

*Estimativas. Fonte: Silver Institute.

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

0

54,3

30,5

A OPINIÃO DO SELECIONADOR FRANCISCO CARNEIRO

Managing partner, Lisbon Family Office

“It is health that is real wealth and not pieces of gold and silver.” Mahatma Gandhi Existem duas razões para justificar o valor de algo. Ou utilidade/ ferramenta, que gera um resultado futuro, ou escassez/ raridade. Em geral as coisas que têm utilidade dão um rendimento anual. O típico exemplo de um ativo com utilidade é o Índice S&P 500 que tem um dividendo/rendimento anual. Se comprarmos o Índice S&P 500 e formos fazer uma viagem de 10 anos é provável que quando acabar esta volta ao mundo o Índice tenha subido e que tenha pago dividendos nesses 10 anos. A razão da subida é porque as empresas não distribuem os seus

126 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

resultados na totalidade, ou seja, vão acumulando resultados passados. A prata e o ouro não são uma coisa nem outra, não são ferramentas (não geram um rendimento ou ganho de produtividade) e não são raridade pois todos os anos se produz mais. Eu acredito que o preço de uma coisa acaba sempre por gravitar para o custo de substituição. Se construir uma casa nova custa 200,000 euros e a as casas iguais a estas estão a ser transacionadas a 600,000 euros, vão começar a ser construídas muitas casas. Estes dois preços vão convergir. É a única coisa que eu sei. Tudo converge para o preço de fazer de novo algo igual. Não há dúvidas sobre isto. Tendo dito isto eu invisto no ouro e na prata como um jogo. Sim um jogo, de especulação, que é o que é. O maior custo para produzir ouro e prata é o custo da energia, a energia está a cair e vai continuar a cair. Logo, eu vejo uma subida grande, mas uma coisa de curto prazo. Tenho ganho muito dinheiro no ouro e na prata, mas não recomendo fazer lá em casa.


P

AR

P

R

TNE

R

AR

TNE

A OPINIÃO DE

PREVÊ-SE QUE UMA RETOMA DA ECONOMIA IMPLIQUE UM AUMENTO DA PROCURA POR PRATA PARA OS SEUS USOS INDUSTRIAIS, MUITOS DELES VINCULADOS A TECNOLOGIA

portanto, algo que pode ser um grande catalisador, se a economia se recuperar, ou um detrator, se custar mais do que o esperado para sair dessa recessão. É necessário, portanto, olhar novamente para o contexto macro para tentar determinar se a subida experienciada pelo metal se pode manter no resto do ano e aí, as projeções, embora ainda negativas, são mais otimistas do que as anteriores. Por exemplo, a OCDE prevê que a economia mundial se contraia 4,5% este ano, acima da estimativa anterior de 6% em junho, embora avise que a recuperação económica será bastante desigual. Ainda assim, é previsível que uma retoma da da economia, ainda que leve tempo, implique um aumento da procura por prata para os seus usos industriais, muitos deles vinculados a tecnologia, setor que não sofreu tanto com a crise. “O uso da prata em eletrónica, equipamentos médicos e geração de energia solar, entre outras aplicações, faz com que esteja a beneciar fortemente da recuperação da atividade fabril após o coronavírus. A procura por prata em tendências de tecnologia de rápido crescimento, incluindo 5G e eletricidade, também oferece fortes perspetivas de longo prazo”, dizem da Wisdom Tree. Quanto ao seu papel como condutor elétrico, da OFI AM destacam que a prata é um componente essencial na indústria solar fotovoltaica. “Graças aos planos de desenvolver ainda mais esta tecnologia e ao fato de vários paí-

ses terem lançado medidas de estímulo com foco na sustentabilidade, o consumo de prata neste setor pode aumentar e empurrar os preços para cima”. E há perspetivas igualmente boas para a procura de prata em aplicações médicas e, sobretudo, de componentes eletrónicos vinculados à implantação do 5G. Na verdade, de acordo com o Silver Institute, a procura por prata relacionada ao 5G atualmente constitui cerca de 7,5 milhões de onças, mas espera-se que com a implantação do 5G nos próximos anos, o papel da prata nas aplicações eletrónicas usadas no 5G pode aumentar signicativamente para cerca de 16 milhões de onças em 2025 e até 23 milhões em 2030. A procura como ativo de investimento também deverá continuar a crescer. Na verdade, esse tipo de procura deve crescer 16% neste ano e por enquanto os números acompanham já que os produtos cotados compraram prata no primeiro semestre de 2020 na ordem das 196 milhões de onças, superando assim o recorde de 149 milhões de todo o ano de 2009. “São muitas as vantagens para ouro e prata, na nossa opinião, e mais oportunidades para o rácio (o preço do ouro dividido pelo preço da prata) contrair mais, o que signicaria que a prata continua a ofuscar o ouro. Em 2011, essa proporção era de 32, pelo que os atuais 84 ainda são altos. Noutras palavras, a prata teria que dobrar de valor para recuperar, como o ouro, a alta de abril de 2011 ”, diz Ned Taylor, gestor da Jupiter AM.

ISABEL DE LINIERS Senior sales, DWS Iberia

INVISTA COM IMPACTO Investimentos de impacto são aqueles que a partir da sua abordagem têm como objetivo beneficiar a sociedade e /ou o meio ambiente. Não se trata de filantropia ou de doações não reembolsáveis, mas de investimentos que procuram um retorno sobre o capital pelo menos igual ao investido, mas que devem produzir um impacto positivo no planeta de forma intencional, quantificável e mensurável. A principal diferença entre investimento tradicional e investimento de impacto está focado na intencionalidade, uma vez que o investimento de impacto tem como objetivo principal a geração de valor social e, de forma complementar, benefício financeiro. Aplicável em teoria a todas as classes de ativos, o investimento de impacto até agora tem favorecido mercados não listados, como capital privado, dívida privada e ativos reais. Porém, hoje, existem opções para investir em produtos tradicionais líquidos gerando um impacto positivo. Um dos fundos pioneiros é o DWS Invest SDG Global Equities, que foi concebido tanto para aqueles investidores que estão interessados em tentar obter retornos superiores ao mercado global de ações, como para aqueles que desejam que o seu dinheiro seja investido em empresas que geram grande parte das suas receitas por meio de atividades contempladas no marco estabelecido pelos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 127


ESTILO DE VIDA MÚSICA por Paulo Joaquim

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

A ARTE E O ENGENHO DA REPRODUÇÃO

Aquele que foi um gosto para o qual despertou tarde, tornou-se num hobby que hoje arrasta toda a família. A busca incessante pelo melhor meio e pela melhor reprodução áudio é já um livro de muitas aventuras com pontos de paragem como a Malásia ou os Países-Baixos.

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

MÚSICA

E

m reação ao convite da FundsPeople para escrever sobre algo mais pessoal, o primeiro pensamento foi para o facto de estarmos habituados a falar, ou escrever, palavras sem m sobre o que fazemos prossionalmente, o que na nossa área acaba por abranger um leque imenso de temas. Mas é difícil falarmos sobre algo mais pessoal, algo que nos cause reações e sentimentos, que muitas vezes pouco dizem aos restantes. Consciente disto diria que não demorou muito tempo a escolher o tema, neste caso a Música, a arte, mas também o engenho de a reproduzir com a delidade que merece. De certo modo despertei relativamente tarde para o gosto pela música, primeiro ainda através da atualmente datada cassete, num pequeno walkman ou no gravador que também servia para 128 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

correr os jogos para o Spectrum 48K, que hoje em dia trariam algumas risadas a qualquer criança dotada da sua pequena Nintendo ou telemóvel carregado de jogos. Rapidamente percebi que ambicionava por algo melhor, melhor meio e melhor reprodução, em oposição ao barulho de ta presente até nas melhores cassetes. Com as primeiras poupanças dignas desse nome comecei a investir no meu primeiro sistema de alta-delidade e nos meus primeiros vinis. Sim porque apesar de nessa altura o CD já ser apregoado como o perfect sound forever eu, munido do que lia das revistas da especialidade, rapidamente decidi que preferia primeiro enveredar pelo mundo analógico e dar algum tempo ao mundo digital para ganhar alguma maturidade e qualidade, algo que na minha opinião só aconteceu passado uns dez anos, no início do novo milénio.

Os anos seguintes foram de acumulação de conhecimento musical, de muitos discos de vinil, e mais tarde também CDs, e de muito know-how do mundo do áudio, que se havia tornado um hobby e destino de bastantes poupanças ao longo dos anos, já que a alta-delidade para quem a leva a sério é um desporto bastante caro. Ao longo dos anos o gosto pela música, e pela alta-delidade em paralelo, foi-se imiscuindo em quase tudo, desde as pessoas que fui conhecendo e os amigos que fui fazendo, ou ainda na programação das férias. Isto, para poder, por exemplo, fazer escala em Munique, cidade que adoro e onde decorre a maior feira mundial unicamente dedicada ao Home-Audio (apenas em stereo claro!) antes de voar para a Malásia, Singapura ou Tailândia, destinos que também gostei bastante e onde me lembro por exemplo


de ter assistido a um concerto da Dee Dee Bridgewater num auditório fantástico em Kuala Lumpur mesmo por baixo das Petrona Towers. Ou ainda da minha primeira viagem a Nova Iorque, há quase 20 anos, onde tirei um dia para visitar várias lojas de vinil em segunda mão, e onde a preços bastante em conta consegui encontrar algumas pérolas. Na realidade trouxe quase 50 discos que por pouco não me obrigaram a pagar por excesso de bagagem. Voltei passados quase 10 anos apenas para descobrir com alguma tristeza que essas lojas já tinham desaparecido quase todas. A música acabou por se tornar um interesse da família, já que há sempre uma melodia qualquer a soar pela casa, tendo ainda a sorte de a minha mulher também partilhar o gosto pela música. Já as crianças são um work in progress, tentando aos pou-

cos mostrar-lhes que a música vai além dos temas da moda que correm no YouTube. Recordo ainda com algum carinho a viagem em família até ao norte dos Países-Baixos na Páscoa de 2014, quando aluguei um furgão, decididamente maior do que o que necessitava, para ir comprar AS COLUNAS, que eu já desejava há alguns anos, mas que novas, tinham um preço proibitivo. Arrastei para esse programa o resto da família, sendo o meu filho ainda bebé, e algo que parecia à partida um plano algo tresloucado acabou por ser uma viagem muito rica em partilha familiar e de experiências inesquecíveis. Na atualidade o tempo familiar rouba tempo aos momentos musicais de maior absorção, isto para não falar do tempo que deveria dedicar às várias guitarras que andam lá por casa, mas isso ca para outra vez… SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 129


ESTILO DE VIDA VIAGEM por Andreia Lourenço Brito

TREKKING NA

Gerar retornos atrativos ajustados ao risco num ambiente de taxas de juro negativas

HEDGING

CORE GLOBAL BONDS

UNCORRELATED RETURNS

RAM GLOBAL BOND TOTAL RETURN +5.00%* YTD

+3.75%* 5 anos (anualizado)

1.98% volatilidade anualizada (5 anos)

* Nota: Dados baseados na classe F USD a 31.08.2020. Foram considerados todos os encargos e comissões, exceto as comissões de subscrição e resgate. Alterações nas taxas de câmbio podem fazer com que o NAV por unidade de participação na moeda base do investidor flutue. Dados denominados numa moeda diferente da moeda dos investidores estão sujeitos a flutuações e o retorno pode aumentar ou diminuir como resultado das flutuações da moeda. Rendibilidade apresentada liquida de comissões. Um investidor pode perder a totalidade ou uma parte substancial do seu investimento. Rendibilidade passada não constitui garantia de rendibilidade atual ou futura. O Fundo foi lançado em 2009 contudo a política de investimento foi alterada a 01.07.2015 e a 01.07.2016. Esta informação tem um caráter promocional, sem compromisso contratual. Não constitui uma oferta nem um convite para comprar ou vender produtos de investimento e não pode ser interpretado como um conselho de investimento. As opiniões aqui expressas não têm em consideração a situação, objetivos ou necessidades individuais de cada cliente. Antes de entrar em qualquer transação, aconselha-se que os clientes formem a sua própria opinião e consultem aconselhamento profissional de forma a obter uma análise independente dos riscos específicos incorridos (tributários, financeiros etc.). Adicionalmente, convidamos os clientes a consultar o prospeto mais recente (disponível em inglês), Informações fundamentais destinadas aos investidores (KIID) (disponível em português) e os relatórios financeiros (disponível em inglês). Estes documentos estão disponíveis gratuitamente na sede e no site da SICAV e da Sociedade Gestora, bem como nas instalações dos nossos representantes.

Para uma visão mais alargada da nossa oferta vá a: www.ram-ai.com

PATAGÓNIA

A incursão que começou em Ushuaia e terminou em El Chalten foi uma bela metáfora da vida, mas também dos tempos que vivemos: superar a dureza do trilho para depois contemplar a mais bonita das paisagens.

A

minha viagem à Patagónia, de quase duas semanas, ocorreu nos primeiros dias de fevereiro deste ano, pouco antes de o mundo fechar, numa altura em que as fortes restrições de mobilidade resultantes das medidas de connamento impostas para mitigar a propagação da pandemia eram inimagináveis, principalmente no continente americano. Poderia dizer que com esta viagem foi cumprido um sonho de infância, que foi a concretização de uma viagem há muito planeada, que eliminei mais um item da Bucket List, mas tal não seria verdade. Fui desaada pelo meu grupo de amigos poucos meses antes e parti sem grandes expectativas. O único brieng que tinha era de não esquecer de levar na bagagem botas de montanha pois faríamos algumas caminhadas, mas não estava preparada para a mais de uma centena de quilómetros que percorremos, a pé, em tão poucos dias, entre Argentina e Chile. Depois de um quick stop em Buenos Aires, a aventura começa mesmo em Ushuaia, capital da província da Terra do Fogo, batizada pelo navegador português Fernão de Magalhães, considerada a cidade mais austral do Mundo, a 130 FUNDSPEOPLE I SETEMBRO E OUTUBRO

um pulo apenas da Antártida. Este sentido de limite do mundo envolve esta região numa aura de inacessibilidade. Navegando por catamarã no Canal de Beagle, que separa as ilhas do arquipélago da Terra do Fogo, no extremo sul da América do Sul, e que liga o oceano Atlântico ao oceano Pacíco, foi possível avistar pinguins, lobos-marinhos e leões-marinhos em grande quantidade e de muito perto. Neste passeio circundámos o famoso Farol do Fim do Mundo, cartão-postal e símbolo da região, mas ao contrário do que se pensa não se trata do farol do célebre livro de Júlio Verne com o mesmo nome. Em Ushuaia, z também o kick-off dos inúmeros trekkings que realizei durante a viagem, com a caminhada até à deslumbrante Laguna Esmeralda, de coloração verde pelos minerais presentes nas rochas que são transportadas para a água durante o degelo do Glaciar Ojo del Albino. O destino seguinte foi a cidade de El Calafate, a mais próxima do Parque Nacional Los Glaciares, com o objetivo de visitar o maior glaciar, em extensão horizontal, do mundo, o Glaciar Perito Moreno, um dos poucos glaciares que se mantêm estáveis, sem diminuir por efeito do aquecimento global. Este imponente glaciar tem cerca de cinco quilómetros de largura e 60 metros de

altura, e é considerado uma das reservas de água doce mais importante do mundo. Sem dúvida um lugar mágico. Para além da grandiosidade da sua gigantesca parede de gelo, o espetáculo mais impressionante é o do desprendimento de pedaços do glaciar, ao longo de intervalos irregulares, principalmente pelo som intimidante que produzem. Para além da contemplação por barco, tive o privilégio de caminhar em cima do Glaciar. Aliás, um dos momentos mais marcantes da viagem foi sem dúvida cantarem-me os parabéns no topo deste glaciar. Outro glaciar que muito me impressionou foi o Spegazzini, com uma das mais altas paredes de gelo, que chega a atingir os 130 metros de altura nalguns pontos, e que produz inúmeros icebergs que observamos à deriva, uma imagem inesquecível. Depois de nos termos maravilhado com os Glaciares, atravessámos a fronteira para o Chile, para superar o primeiro desao de trekking, ao subirmos até à base das Torres del Paine, cujo parque foi declarado Reserva da Biosfera pela Unesco. Percorremos trilhos difíceis, sempre a subir, com piso irregular, degraus altos de pedra, num trajeto serpenteante pela montanha acima, fustigados por ventos poderosos que nos empurravam em todas as direções. Ao


ARGENTINA CHILE

PATAGÓNIA Região geográfica que abrange uma vasta área no extremo sul da América do Sul, ocupando partes da Argentina e do Chile. A Cordilheira dos Andes delimita a fronteira entre os dois países.

longo desta caminhada de quase 30 km muitas vezes tivemos de seguir o nosso instinto para avançar, e outras tantas vezes pensei em desistir e regressar. Mas, quando chegámos à base das Torres, foi como se o tempo parasse, fomos brindados por uma paisagem impactante e estonteante e rapidamente esquecemos o esforço despendido. De novo em território argentino, chegámos a El Chalten, capital do trekking, criada por decreto do governo argentino nos anos 80 para apoiar os milhares de escaladores e trekkers que invadem a cidade todos os anos. Uma cidade encantadora com a fantástica visão do imponente Monte Fitz Roy ao fundo. Segundo a National Geographic, a Pista do Monte Fitz Roy é uma das 15 melhores pistas de trekking do mundo, com lagos, cascatas e glaciares deslumbrantes ao longo de toda a subida até ao topo. Mais uma vez no nal do trekking, o esforço foi recompensado, com a beleza e imponência da paisagem, que nunca nos deixou de surpreender. Retornei a Portugal, cansada, mas revitalizada, e realizada pelos desaos superados que testaram por diversas vezes os meus limites, ainda longe de imaginar as fortes limitações que passados poucos dias tivemos de viver. SETEMBRO E OUTUBRO I FUNDSPEOPLE 131


Disciplinado e Seletivo Um estilo de gestão disciplinado e ativo pode gerar um valor expressivo aos investidores. Na RAM AI, esforçamo-nos para estender as possibilidades nas duas vertentes: sistemática e discricionária. Somos movidos pela inovação e pesquisa. Com as tecnologias mais modernas, analisamos dados tradicionais e alternativos e identificamos as ineficiências do mercado, aliando a uma pesquisa interna rigorosa de forma a gerar alfa de longo prazo para os investidores. ram-ai.com

Para uma visão de especialista sobre o uso de inteligência artificial, aceda a: www.ram-ai.com

Profile for FundsPeople

Revista FundsPeople Setembro e Outubro 2020  

Revista FundsPeople Setembro e Outubro 2020  

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded