Page 1

Fiéis aguardam tradicional procissão Nossa Senhora do Pilar

Pág.04

História de Dalton inspira famílias

Dia dos Pais

Pág.18

Jogos ao vivo na TV Banqueta

Futebol Amador

Super Lucas Pág.12

Após encontrar um doador 100% compatível e realizar o transplante, o pequeno guerreiro agora tem um novo desafio: aguardar a “pega da medula” e a recuperação da leucemia

Pág.08

Produção voluntária de enxovais para bebês

Oficina de Maria

Pág.14

Problemas no Residencial Pe. João Marcelino

Direto da Comunidade

Pág.02


A Banqueta

Oportunidades de emprego

Pais e filhos

No próximo domingo, 12 de agosto, comemora-se o Dia dos Pais, uma data significativa, onde uma parte das famílias brasileiras se reúne em volta da mesa, com muita comida, bebida e presentes. O clima de abraços, choros e palavras de “eu te amo” contagiam pessoas de todas as idades. Os filhos que moram longe ligam para os pais para conversar, saber se está tudo bem, dizer que estão com saudade, enfim, uma relação que beira a perfeição. Mas, no outro dia, tudo volta ao normal e a realidade mostra sua cara novamente em muitos lares. Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, cerca de 5,5 milhões de crianças não sabem o que é comemorar o Dia dos Pais, pois não possuem o nome do seu progenitor na certidão de nascimento. Sem contar, que muitas até têm um pai no documento, porém nunca o viram exercer tal papel. São poucos os que sabem a importância dessa data. Hoje em dia, a figura do pai está cada vez mais obsoleta na criação de um filho. Muitos dos genitores desempenham unicamente a função de gerar, nunca a de cuidar, proteger, orientar e repreender quando necessário. Ser pai vai mais além do que ficar com o filho a cada 15 dias, comprar uma caixa de leite ou fazer o depósito da pensão alimentícia todo mês. Estudos científicos demonstram que o abandono paterno na infância pode causar traumas, muitas vezes irreversíveis, nas crianças. É por meio do laço criado entre pai e filho que o pequeno indivíduo vai criar sua personalidade e se preparar para as dificuldades da vida. É na imagem paterna que ele vai se espelhar como ser humano. A convivência entre pai e filho nem sempre é fácil, porém em uma relação como essa, os dois precisam ser escutados, compreendidos e, principalmente, respeitados. Se cada um fizer o seu papel conforme deve ser, o Dia dos Pais será mais verdadeiro, os abraços serão sinceros, o “eu te amo” mais profundo e a gratidão de ter alguém com quem contar mais especial.

A frente fria de ontem deverá trazer chuvas e queda na temperatura do ar, em toda RMBH. Mín: 14 Máx: 24

Nublado com possibilidades de chuvas fracas

Mín: 15 Máx: 25

Parcialmente nublado

Mín: 14 Máx: 25

Parcialmente nublado

Ruibran dos Reis

Diretor da Regional da Climatempo Minas Jornal A Banqueta de Notícias - 437ª Edição

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Analista de crédito (Nova Lima). Vaga exclusiva para mulheres, entre 18 e 29 anos, com fácil acesso ao Centro da cidade. Currículo: rh@perfectabrasil.com.br. Informações: 3694-3349. Selecionam-se professores de Inglês. Interessados devem enviar currículo com foto, até 31/07, para: joaojuniodasilva22@gmail.com.

Vendedor (a) (Nova Lima). Ensino médio completo. Necessário experiência e conhecimento do Pacote Office. Ter disponibilidade de horário. Enviar currículo com o título da vaga para: rhminas@yahoo.com.br.

Costureira Industrial (cód. 146). Sexo feminino, de 25 a 50 anos. Necessário experiência e formação no curso de costura industrial. Horário: 7h às 16h (seg. a sex.) e 8h às 12h (sáb.). Salário: R$ 1.300 + benefícios. Cortador Industrial (cód. 147). Ambos os sexos, de 25 a 50 anos. Necessário experiência e formação no curso de corte industrial. Horário de 7h às 16h (seg. a sex.) e 8h às 12h (sáb.). Salário: R$ 1.400 + benefícios. Interessados devem fazer o cadastro do currículo no Banco de Talentos, na Secretaria de Desenvolvimento (Rua Chalmers, 88 - Centro), até o dia 18/08/2018. Levar: Carteira de Trabalho, CPF e RG. Tel.: 3541-3369.

Injustiça nas reformas

Direto da Comunidade

“O Residencial Padre João Marcelino, no bairro Honório Bicalho, tem passado por uma reforma que não agradou os moradores locais. As obras realizadas pela Caixa Econômica Federal, juntamente, com a construtora Alpinópolis, acontecem do primeiro ao oitavo bloco. Porém, o conjunto possui dez blocos, ou seja, dos 40 apartamentos existentes, apenas 23 foram contemplados. Gostaria de saber o motivo dessa escolha.” Cláudia Pilar Meireles Honório Bicalho

Resposta - A Caixa Econômica Federal informou que contratou a Construtora Alpinópolis para a execução de obras de requalificação da rede de drenagem pluvial, esgoto sanitário e reparos dos imóveis que sofreram Contato: 31 3541-5701

Alô Banqueta

2

O jornal A Banqueta de Notícias se BEX Edições Ltda. CNPJ: 11.160.970/0001-70 exime de qualquer responsabilidade Fale conosco: 31 3541-5701 / 98569-2926 ou abanqueta@gmail.com sobre opiniões e pontos de vistas Diretor: Frederico Sarti Mendes expressos em artigos, anúncios e Jornalista responsável: Júnia Rodrigues publicações assinadas que Redação: Júnia Rodrigues, Janaína Santos e Hully Monteiro exprimam conotações políticas, Diagramadora: Sônia Souza religiosas ou sociais, por não Diagramadores aux.: Jordana Matos e Tatiana Dias refletirem as convicções desta Comercial: Clauzy Barbosa: 99847-9631-Efigênia Veloso: 98848-4388 diretoria. Reservamo-nos o direito Gráfica Editora Sempre - 16.000 exemplares de erro gráfico.

danos físicos por vícios construtivos. As intervenções têm sido realizadas nas áreas comuns e apartamentos de primeiro andar.

“Parabenizo a TV Banqueta por evidenciar a matéria sobre a pianista novalimense Milena Nero que, com muito esforço e dedicação, conseguiu o segundo lugar em um concurso em Portugal. Precisamos de uma mídia positiva para mostrar moradores de nossa cidade que se sobressaem e viram sucesso no exterior.” Rodrigo Tomaz Raposos


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta

3


4

A Banqueta

A Banqueta

Caminhada pela fé Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Tradição Religiosa

Fiéis se preparam para acompanhar Nossa Senhora do Pilar em um cortejo no encerramento da festa da padroeira de Nova Lima muita paz e amor em nossas vidas”, declara Zezinho.

Todo ano, milhares de fiéis saem em caminhada na tradicional Procissão de Nossa Senhora do Pilar, que já está em seu 266º ano. A caminhada pela paz atrai cerca de 10 mil pessoas que fazem o trajeto, junto à virgem, seja a pé, de carro, moto ou bicicleta. Como manda a tradição, no final do cortejo, na Praça Bernardino de Lima, veículos e motocicletas são abençoados com água benta. Mais uma vez, os nova-limenses aguardam o dia da procissão, a ser realizada na próxima quarta-feira (15), dia da padroeira da cidade, para agradecerem as bênçãos e renovarem os pedidos. A data marca também o encerramento da festa da santa, que iniciou no dia 29 de julho.

Tradição dos fiéis

Segundo o festeiro do evento, José Gonçalves (Zezinho), a procissão diurna está marcada para sair da Rua Severiano de Lima, às 7h30, e se encerrar, no início da tarde, na Praça Bernardino de Lima. Conhecedor da tradição religiosa, Zezinho relembra que, durantes muitos anos, o cortejo era tipicamente motorizado, com muitos carros, motos, caminhões e até mesmo ônibus das empresas locais. Hoje, apesar da presença de veículos, os fiéis preferem ir a pé, muitos descalços, e com as mãos apoiadas no carro que transporta a santa, para ficarem juntos dela e pagarem suas promessas. “Durante a caminhada, vamos rezar e pedir para nossa Virgem Imaculada,

Enfeites e decoração

A imagem de Nossa Senhora do Pilar é levada em trajeto pela mesma carreta, há seu aproximadamente 30 anos, mudando somente os enfeites. Já foram usados vários materiais para compô-la como flores naturais e artificiais, velas, lâmpadas, castiçais, arcos e torres de várias formas e tamanhos. Os festeiros, juntamente com os colaboradores, se reúnem dias antes, para dar início ao processo de montagem da carreta. “Tudo é feito com muita calma e por muitas pessoas, pois queremos que saia perfeito. Os fiéis só verão o lindo resultado no dia da procissão”, declara. As ruas e avenidas por onde passa a virgem também são, tradicionalmente, enfeitadas pelos moradores. Muitos colocam vasos de flores na janela, tapetes nas calçadas, bandeirinhas, fazem pinturas nos postes e, até mesmo, soltam fogos para homenagear a passagem da Nossa Senhora do Pilar.

Guardiões da santa

Dércio dos Santos (82) é um dos mais antigos fiéis que acompanham o cortejo. Ele faz parte do grupo Guardiões de Nossa Senhora do Pilar, composto por quatro integrantes. “Nossa missão é cuidar da carreta para que os fiéis não arranquem os enfeites da Virgem e ela não caia do transporte. Além disso, fazemos as paradas onde há pessoas doentes e

levamos conosco um cajado de madeira para levantar os fios de energia, onde a fiação é baixa e a carreta não consegue passar. Tudo isso, para que todos apreciem a passagem da Virgem Maria”, diz Dércio. Ele conta ainda que tomou iniciativa para a criação da tradicional procissão a pé. “Depois de uma promessa alcançada, fui agradecer a Nossa Senhora, acompanhando a pé a procissão motorizada. Algumas pessoas me seguiram, resolvemos fazer o mesmo no ano seguinte e não paramos mais”.

Origem da procissão motorizada

De acordo com Zezinho, a tradição de enfeitar a carreta e seguir na procissão motorizada começou, há anos, com as senhoras nova-limenses, Noêmia Macedo e Teresinha Diniz, devotas fervorosas da virgem Maria e colaboradoras da paróquia. Na semana de festividades, Noêmia passava horas confeccionando flores artificiais e coloridas para Terezinha enfeitar um carro de madeira, cedido pela antiga Mineração Morro Velho. O festeiro conta que, desde o início, tudo era feito com muito carinho, dedicação e generosidade. A Virgem saia pelas ruas, toda enfeitada, e era saudada pela população local, com muita alegria e fé. A tradição durou anos e se transformou na procissão dos moldes atuais.

Procissão de Nossa Senhora do Pilar

Dia: 15/08/2018 Horário: 7h30 Local de Saída: Rua Severiano de Lima Chegada: Praça Bernardino de Lima


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta

5


6

A Banqueta

Dicas

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Na foto ela tinha dois anos, hoje tem 40. É filha de uma técnica de Enfermagem aposentada do Biocor. Foi moradora do bairro Rosário. É assistente social da Prefeitura Municipal de Rio Acima. O nome dela faz alusão à canção, campeã do IV Festival Internacional da Canção, em 1969, interpretada pela cantora Evinha.

Já sabe quem sou? Descubra na próxima edição! O misterioso da edição 432 é o empresário Danúbio Machado, proprietário da I9 Eventos.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta

7


8

A Banqueta A Banqueta

BOLA SHOW DE

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Esporte

A TV Banqueta está de olho em todos os lances do futebol amador da cidade para levar a população nova-limense entretenimento e informação. E, com o propósito de valorizar o segmento esportivo no município, a emissora marca mais um golaço ao transmitir, ao vivo, pelo quarto ano consecutivo, o Campeonato de Futebol Amador de Nova Lima, que começa no dia 19 de agosto. Já considerada tetracampeã na veiculação da competição, a TV Banqueta exibirá um jogo por rodada, da primeira divisão, mais as partidas decisivas das quartas de final, semifinal e final. No total, serão 13 jogos transmitidos direto do campo do Villa Nova.

Jornada Esportiva

Com o início da competição, o telespectador terá de volta a Jornada Esportiva. Aquele encontro marcado com a equipe do canal do povo, todo domingo, a partir das 10h30, na tela da TV Banqueta. À frente da transmissão estará um time de peso, formado por jovens talentos novalimenses: os jornalistas Roger Luiz e Gabriel Nogueira, o repórter Rodrigo Ferreira, além do diretor da emissora e comentarista Fred Sarti. As partidas poderão ser assistidas no canal 6 da NET ou pelo site www.tvbanqueta.com.br. Para quem

Pelo quarto ano seguido, TV Banqueta transmite, ao vivo, os jogos da primeira divisão do Campeonato de Futebol Amador de Nova Lima

perder ou quiser rever a transmissão, ela também estará disponível no YouTube e Facebook: TV Banqueta.

Banqueta Esporte de volta

O programa Banqueta Esporte estará de volta à grade da emissora, a partir do dia 20 de agosto, a fim de promover o debate dos principais lances das partidas do Campeonato de Futebol Amador. Toda segunda-feira, a partir das 20h, a equipe de comentaristas e convidados estarão reunidos para a análise de todos os jogos do final de semana, realizados na 1ª, 2ª e 3ª divisão. O encontro contará também com a participação do telespectador, que poderá enviar perguntas e opiniões, durante o programa, por meio das redes sociais.

Espírito comunitário

Para o diretor da TV Banqueta, Fred Sarti, a oportunidade de transmitir o campeonato reforça o compromisso da emissora em valorizar o que é da cidade. “Desde o nosso primeiro dia no ar, há quatro anos, cumprimos a função de um canal comunitário que é dar voz e vez à população de

Nova Lima e região. A transmissão dos jogos só reforça o nosso espírito comunitário”, diz.

Disputa acirrada

Fred Sarti reitera que, este ano, o campeonato será ainda melhor a partir da decisão da prefeitura em restringir o número de atletas de fora de Nova Lima. Será permitida a inscrição de apenas dez jogadores de outras cidades, do total de 30 atletas por time. “Essa medida vem de encontro ao nosso compromisso em valorizar os talentos da nossa terra. Torço para que este número reduza para cinco, no ano que vem, como prometido pelo prefeito Vitor Penido”, conclui.

Transmissão do Amador Todo domingo, às 10h30

Banqueta Esporte

Toda segunda-feira, a partir das 20h

Assista

Canal 6 da NET ou www.tvbanqueta.com.br Facebook e YouTube: TV Banqueta


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta

9


10

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta

11


12

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Capa

Super

Lucas

Após encontrar um doador 100% compatível e realizar o transplante, o pequeno guerreiro agora tem um novo desafio: aguardar a “pega da medula” e a recuperação da leucemia

Desde o ano passado, o Jornal A Banqueta tem acompanhado a história do nova-limense Lucas Batista Lopes (2), diagnosticado com Leucemia Mielomonocítica Juvenil (LMJ), aos 10 meses de vida. Depois da bela campanha “Todos pelo Lucas”, que mobilizou milhares de pessoas nas redes sociais, a criança ganhou uma nova esperança ao encontrar, em novembro, um doador de medula 100% compatível. No início deste mês, o tão esperado transplante foi realizado e o pequeno guerreiro agora tem um novo desafio: aguardar a “pega da medula” e a recuperação da doença.

Medula em duas doses

A criança foi internada no conceituado Hospital de Câncer Infantojuvenil, na cidade de Barretos (SP), no dia 24 de julho, para iniciar o processo do transplante de medula. Durante nove dias, Lucas passou por sessões de quimioterapia até a data do procedimento, que estava agendado para março deste ano. Porém, devido à falta de leitos no hospital e alguns casos de pacientes que apresentavam quadros mais graves que o de Lucas, ele foi remarcado para agosto. Como o tipo de sangue do doador (A+) era diferente do da criança (O+), a medula precisou ser infundida em duas doses: uma no dia 3 e outra no dia 4 de agosto.

Sessões de quimioterapia

De acordo com a mãe de Lucas, Juliana Cristina, desde a internação do filho, os dois estão confinados e não podem receber visitas ou sair da unidade hospitalar, até que o processo termine. Assim como a equipe médica orientou à família, a criança teve alguns efeitos colaterais pré e póstransplante. “É um procedimento muito agressivo que agride todo o organismo. Antes dele, Lucas

teve muitos enjôos, vômitos e febre. Depois, os sintomas mudaram e ele tem tido diarréia, dores na barriga, inflamações internas, inchaço e, na última terça-feira (7), o cabelo começou a cair”, conta.

“Pega da medula”

Embora a primeira semana pós-transplante seja considerada a mais difícil, a mãe garante que Lucas é forte e tem reagido bem. A expectativa da família é de que, nos próximos 28 dias, o organismo reconheça e aceite a medula do doador - a chamada “pega da medula” e comece a produzir corretamente as células que combatem os efeitos colaterais. A partir daí, a cada cem dias, os médicos realizam um novo exame para acompanhar o desenvolvimento da patologia, pois mesmo com um doador 100% compatível, existe 50% de chance de ela retornar com o tempo. “Lucas deve permanecer no hospital por mais um ano e meio, mesmo depois da pega da medula. Ele só poderá voltar para Nova Lima, após dois anos sem que a doença apareça. Quando completar cinco anos sem sinais dela, poderemos dizer que ele está curado”, explica Juliana Cristina.

Festa de aniversário

A equipe médica responsável pelo caso concedeu à família uma pequena comemoração, no sábado (28), para não deixar o aniversário de dois anos de Lucas passar em branco. Na sexta-feira (27), Dalton Lopes, pai da criança, viajou de Nova Lima para Barretos para ficar alguns minutos com o filho e a

esposa. “As enfermeiras fizeram um bolo, enfeitaram o quarto com balões, levaram refrigerantes e picolés. Elas também o deixaram ficar sem o soro para correr e brincar um pouquinho, foi uma verdadeira festa”, comenta.

Acompanhamento periódico

Após os cinco anos sem retorno da doença, Lucas deverá comparecer ao Hospital de Câncer Infantojuvenil de Barretos para realizar exames de rotina, pelo menos uma vez ao ano, durante toda a sua vida. No entanto, segundo Juliana, ele continuará recebendo atendimento na ala infantil, independente da idade, pois é tradição do hospital atender o paciente onde seu tratamento foi iniciado. “Um dia desses encontrei um paciente de 30 anos curado, no mesmo setor que o nosso. Ele me explicou que faz acompanhamento anual aqui porque deu entrada na ala aos 16 anos. Esse é o nosso sonho, ver o Lucas comemorar o aniversário com uma ação beneficente junto das crianças atendidas no hospital”, relata.

Corrente de orações

Familiares, amigos e todas as pessoas que estão na torcida pela recuperação de Lucas têm se unido em uma corrente de orações e vibrações positivas. Segundo Juliana, todos os dias, a família recebe mensagens de carinho e apoio nas redes sociais. “O que podíamos fazer para a chegada do transplante, nós fizemos. Agora, depende do Lucas, de Deus e dos médicos. Ele é um guerreiro e já mostrou a força que tem. A energia que as pessoas têm transmitido para a gente é muito importante e acreditamos que ela também o fortalece”, finaliza.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta

13


14

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Solidariedade

Oficina de Maria

O nascimento de Jesus, conforme o relato bíblico, teria se dado em Belém, há mais de dois mil anos. De acordo com o registro, Maria de Nazaré seguia acompanhada do marido José, com destino à aldeia de Belém, para se apresentar ao censo ordenado pelo rei Herodes. Durante o percurso, ela teria entrado em trabalho de parto e, ali mesmo, em uma manjedoura de um estábulo, deu à luz ao bebê. Sensibilizada pela agonia de Maria, completamente despreparada para proteger o filho do frio, as amigas Sônia Sérgio e “Marizinha” Wardi, que participavam do Grupo de Cursilhistas Padre Toninho, em Nova Lima, se propuseram um desafio inspiradas por ele: a criação do projeto social Oficina de Maria.

Da teoria à prática

Segundo Sônia, até então, o curso estimulava o estudo do evangelho, mas as duas resolveram ir além da teoria, em uma ação mais efetiva. Dessa forma, há 26 anos, as amigas reuniram voluntárias para confeccionar enxovais destinados aos bebês carentes da região que se encontram nas mesmas condições do menino Jesus. “Não é por acaso, que o grupo foi carinhosamente apelidado de Oficina de Maria. É como se Nossa Senhora nos inspirasse. Tenho certeza de que ela nos abençoa na produção de cada peça para manter os bebês protegidos”, comenta Sônia Sérgio.

Encontro marcado

As tardes de quarta-feira foram escolhidas pelo

grupo de mulheres para se dedicarem a produção das peças. Os encontros são realizados em duas salas improvisadas do Centro Comunitário da Paróquia de Santa Efigênia, no bairro Cristais, cedidas por Padre Célio, responsável pela paróquia no início do projeto. Ao longo do tempo, a tarefa se expandiu e, hoje, há dezenas de colaboradoras adeptas a iniciativa.

Exigência

A responsável pela oficina já perdeu as contas de quantos enxovais foram distribuídos, gratuitamente, ao longo do projeto. A estimativa é de que pelo menos 150 enxovais sejam entregues por ano. Ainda de acordo com Sônia, a divulgação do serviço é feita “boca a boca”. “Colaboradores de movimentos religiosos e da saúde auxiliam bastante nesse primeiro contato. Assim que percebem a falta de condições financeiras da família ou da mãe, prontamente, nos avisam. A única exigência para ter acesso aos kits é que as gestantes ou responsáveis por menores tragam o cartão comprovando o pré-natal”, esclarece.

Áreas em maior dificuldade

O número de famílias em situação de pobreza, nos últimos dez anos, só têm aumentado na região e há mulheres que não têm absolutamente nada para os recém-nascidos. “O bairro Jardim Canadá e o distrito de São Sebastião das Águas Claras (Macacos) são as áreas mais vulneráveis da cidade. A precariedade é recorrente também nos municípios de Rio Acima e Raposos. Por isso, as encomendas de enxovais não param, infelizmente”, analisa.

Voluntárias produzem cerca de 150 enxovais, por ano, para bebês carentes da região Bazar solidário

Dar conta do material utilizado e das inúmeras atividades para a produção dos kits, sem qualquer ajuda financeira de órgãos públicos, não é fácil. Mas, a união das voluntárias contribui para a longevidade da oficina, de acordo com Sônia. Segundo a voluntária, não há espaço para o desperdício e tudo é reaproveitado, desde os tecidos até outros materiais doados. “A maior parte da nossa renda é obtida por meio da venda das bonecas de pano, vestidos casuais ou de festas, entre outras peças artesanais fabricadas por nós. No final de ano, realizamos um bazar”, explica.

Coração de mãe

Mais de 30 mulheres fazem parte do trabalho social, onde a maioria delas recebe aposentadoria. Os encontros são uma oportunidade para a distração e, a cada semana, uma delas é responsável pelo preparo do lanche servido na cozinha do centro comunitário. “Essas mulheres doam o tempo delas para ajudar nas atividades e sempre temos espaço para quem queira ajudar. Não há uma infinidade de máquinas de costura, mas não faltam tarefas. E o mais importante: a possibilidade de contar com todas as voluntárias em situações de emergência”, agradece.

Saiba mais sobre o projeto

Após um breve período de recesso em julho, as voluntárias retornaram com os trabalhos na Oficina de Maria em agosto. O atendimento acontece as quartas-feiras, de 13h às 17h, no Centro Comunitário da Paróquia de Santa Efigênia (Rua Lauro Magalhães Santeiro, 260 - Cristais). Informações: 3541-7322.


15

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


16

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


17

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


18

amor Exemplo de

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Dia dos Pais

Dalton mobilizou campanhas para encontrar medula compatível para o filho e, mesmo após achar o doador, suas ações inspiram e auxiliam pessoas na fila de transplantes

Existem pais que fazem jus a seu papel e oferecem aos filhos amor, presença, estrutura emocional e financeira, além de bons ensinamentos para toda a vida. Entretanto, alguns deles nascem com uma missão ainda maior: ser pai de muitos e se tornar exemplo de amor para além dos laços sanguíneos. Dalton Lopes abraçou essa causa e, assim, é grande merecedor das homenagens típicas do Dia dos Pais, celebrado no próximo domingo (12). Pai de Lucas Lopes (2), conhecido no município pela luta contra a leucemia, ele transformou a dor de ver o filho doente em força para achar uma medula 100% compatível. A batalha foi vencida. Em novembro, um doador foi encontrado para o guerreiro “Luquinhas” e mais outras pessoas acharam doadores compatíveis, a partir das ações mobilizadas por Dalton.

Sonho de ser pai

Para Dalton, ser pai era um sonho que foi realizado, no dia 28 de julho de 2016, data de nascimento do seu único filho. Após o casamento com Juliana Cristina, em 2013, e a reestruturação financeira, o casal tentou durante um ano até concretizar a vontade. “Após uma longa espera, fomos abençoados com o Lucas, uma criança que sempre carrega um sorriso no rosto, mesmo diante das dificuldades da vida”, diz.

Maior desafio da paternidade

Ao se tornar pai, Dalton pensou nas responsabilidades que deveria assumir. Uma delas é entender o filho diante de um mundo repleto de tecnologias e informações que podem dificultar a

educação da criança. Oferecer uma saúde adequada é outro desafio, principalmente, aos pais que não têm acesso ao plano de saúde. Entretanto, diante de tantas preocupações, Dalton não imaginava a grande barra que enfrentaria na função de pai: cuidar de Lucas, diagnosticado com leucemia em junho de 2017. “Fiquei sem chão no momento. Mas, depois de ver a situação do meu filho e esposa, decidi colocar minha família debaixo do braço. A única forma de tê-la de volta é curando meu filho”, afirma.

Ações na busca pela medula

A fé acompanhou Dalton desde o início e sua dor foi transformada em força para lutar. O novalimense decidiu realizar, inicialmente, uma campanha no Facebook para encontrar um doador 100% compatível. A página hoje, conta com mais de 43 mil seguidores. Além das redes sociais, Dalton - sempre com o apoio de familiares e amigos - organizou uma caminhada para incentivar a cidade a realizar o teste de compatibilidade. O pai de Lucas também participou de programas de televisão e congressos, além de ministrar palestras, ao passo que suas ações mobilizaram uma corrente de solidariedade. A partir delas, foram encontrados, por exemplo, cinco doadores compatíveis, sendo três de Nova Lima, para outras pessoas da fila de transplantes.

Atleticano na torcida rival

Após cinco meses de campanha nas redes sociais entre outras ações fora da internet, Lucas encontrou o doador. Durante toda essa busca, Dalton não mediu esforços. Atleticano doente, ele recorda que foi assistir um jogo da Copa do Brasil, entre Atlético e Botafogo, só que ao lado da torcida rival. “Estava torcendo para Bruno Silva fazer um gol no Atlético, pois ele estava com a blusa da

campanha ‘Todos pelo Lucas’ debaixo do uniforme e ia mostrá-la durante a comemoração [risos]. O gol infelizmente não saiu, mas o jogador, gentilmente, fez vídeo e fotos para divulgar a causa do Luquinhas”.

“Juliana é minha força”

O pai coruja visita o filho, internado em Barretos (SP), a cada 20 dias. Dalton é a única fonte de renda da casa, dessa forma, manteve o emprego, em Nova Lima, e quando pode corre para os braços da família. Mesmo com o tempo escasso, cada segundo é bem aproveitado por ele, com muito amor e brincadeiras direcionados a Lucas e a esposa, “como se fosse o único dia de vida do casal”, afirmação que faz questão de frisar. Ainda segundo Dalton, Juliana abdicou de sua vida para se dedicar integralmente a Lucas, atitude que o inspira e o faz querer ser cada dia melhor. “Minha força vem da minha esposa. Acho que não conseguiria aguentar a barra que ela segura. Então, fiz ‘de longe’ o que sei fazer de melhor, mobilizar as pessoas”, conta.

Sem arrependimentos

A batalha de Lucas transformou Dalton como pai, marido e pessoa. Ele conta que o homem antes da doença não existe mais. Entre as lições aprendidas estão assumir o controle diante de situações difíceis e aproveitar melhor o tempo que passa veloz. Já ao pensar sobre tudo: o período de campanha, encontro do doador compatível e o transplante de medula, realizado neste mês, Dalton conta que ainda não tem ideia de quantas famílias conseguiu ajudar. “Ser pai é uma das maiores alegrias que já tive. Não me arrependo, nem um milésimo de segundo, em ter tido o Lucas e de tudo o que fiz por ele e outras pessoas nesta situação. Eu faria tudo de novo”, conclui.


19

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


20

A Banqueta

Vitória e classificação encaminhada

A noite não poderia ser melhor para o torcedor cruzeirense. A vitória por dois a zero contra o Flamengo, dentro do Maracanã, e com a classificação encaminhada na Copa Libertadores, não poderia vir em melhor hora para o Cruzeiro. Com gols de De Arrascaeta e Thiago Neves, o time de Mano Menezes aproveitou as chances que teve durante o jogo e ainda contou com a boa atuação do goleiro Fábio, para manter o resultado. Com a vitória, o time celeste levou um resultado importantíssimo para a partida de volta no Mineirão.

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A torcida da Raposa compareceu em bom número no Rio de Janeiro e empurrou a equipe me pleno Maracanã. A grande esperança do torcedor é que a atuação positiva do clube, na última quarta-feira, possa se repetir na sequência do Campeonato Brasileiro, já que o time ocupa a oitava posição. Reencontro com o passado: O domingo, no dos Pais, o Atlético se reencontra com o passado, em um duelo importante para os dois clubes envolvidos nessa partida. O Alvinegro enfrenta o Santos, que é treinado por Cuca, excomandante do Galo. Apesar do reencontro amistoso, o duelo terá contornos de dramas no Independência. Ainda buscando um modelo de jogo melhor, após mais uma reformulação de elenco, o time de Thiago Larghi busca uma vitória para se

manter na busca por uma vaga na Libertadores de 2019. Já o Peixe, busca sair da zona de rebaixamento e a primeira vitória nesta “Era Cuca” em Santos. Para manter o Ritmo: O duelo contra o Bahia, em Salvador, no sábado, poderá ser importante para o Coelho na sequência de Campeonato Brasileiro. Buscando mais vitória, que poderá ser o quarto jogo sem derrota, o alviverde terá apenas o desfalque de Aderlan, que cumpre suspensão. Adilson Batista fechou o treino e deve esperar o último momento para revelar o time que reencontra seu ex-treinador, Enderson Moreira. Já o Bahia, vem da classificação na Copa Sul Americana. Jogando no Uruguai, o tricolor empatou contra o Cerro e avançou para as oitavas-de-final.

No Fundo do Baú

Esta semana, vamos homenagear o time Acadêmico Esporte Clube, de 1962. O alvinegro do bairro Cascalho nasceu durante uma conversa sobre futebol em frente à porta do fundador, Expedito Moreira (Saldanha). Junto dele estavam João Pagavela, Osvaldo, Toninho Batatinha, Eurico Seabra e Mandí. A cor preta foi escolhida para representar o time, devido à influência do clube do Santos.

Em pé: Bosco Melo, Eurico Seabra, Nenem Pascoal, Serginho Tiririca (Villa Nova), Ademar, Osvaldo, Ari Andrade, Tiná e Cici Batata.

Agachados: Expedito Moreira, Nilson do Táxi, Ivan Figueiredo, Toninho Batata e João Pagavela.

Acadêmico Esporte Clube

Enquete - Quais são os melhores jogadores do Acadêmico Esporte Clube do ano de 1962? Envie seu e-mail para: enqueteabanqueta@gmail.com. Participe! Resposta da enquete anterior - O melhor jogador do Tocantins, campeão nova-limense da 2ª divisão, de 1989, foi o folclórico Nem Traíra, com 100% dos votos.


21

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


22

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

Feijoada no Boi Villa

Os amantes de uma boa e completa feijoada ganharam, no último sábado (4), um novo evento cultural e gastronômico no Boi Villa. O restaurante, localizado na Vila Lavinsky, está com uma nova proposta para a população nova-limense: uma saborosa feijoada com cardápio completo. Além disso, o prato vai acompanhado de um delicioso chorinho instrumental, ao vivo, que fica por conta do grupo “Raissa e quarteto de choro”. A novidade custa R$ 29,90 e será servida todos os sábados, de 12h às 16h, em três opções: feijoada magra, gorda e somente com linguiça. Depois do almoço, o público ainda poderá saborear as mais deliciosas sobremesas que estão em promoção no espaço. Fotos: Arquivo Boi Villa


23

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018


24

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 10 a 16 de agosto de 2018

A Banqueta 437  
A Banqueta 437  
Advertisement