Issuu on Google+

Bandidos explodem caixa eletrônico

Honório Bicalho

polêmicas Câmara responde

Hospital prestes a desativar serviços

PÁG.04

Saúde

PÁG.16

Era uma vez, para sempre

Tombamento do Emília

Aliado da

PÁG.08

Protetor Solar

Procurador jurídico da Câmara de Vereadores saúde da pele de Nova Lima esclarece principais críticas PÁG.06 envolvendo a Casa Legislativa PÁG. 12

Associação dos Servidores Públicos em ritmo de festa

Banqueta na Balada

PÁG.22

Motobol Futebol Clube de 2016 No Fundo do Baú

PÁG.20


A Banqueta

Oportunidades de emprego

Lei da selva

Em 14 anos, o Brasil se destacou por fechar escolas e construir presídios (1994 a 2009). Os dados são do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, os quais registraram queda de 19,3% no número de escolas públicas do país. Em contrapartida, no mesmo período, o número de presídios aumentou 253%. Em 1994, existiam 511, número triplicado em 2009, para o total de 1.806 estabelecimentos prisionais. Nesse sistema bruto, o plano de carreira da bandidagem privilegia um grupo clichê: as famílias carentes. Órfãos intelectuais, físicos e emocionais de pais vivos (ou não - engolidos pela desigualdade social) ou do governo (engolido pela corrupção), nascem, crescem e são presos ou assassinados no mundo do crime. Afinal de contas, sabese que, em um país onde a maioria está condenada a pobreza devido à falta de oportunidade, não é possível alcançar a diminuição da criminalidade.

Na contramão da realidade brasileira, países como a Holanda, que conseguiu fechar 19 presídios em 2013, por falta de criminosos, comprovam: a violência tem jeito, falta o que então? O complexo Anísio Jobim, em Manaus, responde. Com capacidade para 454 presos em regime fechado, o espaço abrigava 1.229, menos 56 presos assassinados em um dos maiores massacres do sistema carcerário brasileiro, deflagrado na última semana. Armas, celulares e drogas, encontradas durante repressão à rebelião denunciam o descontrole no presídio, o que não foge à regra em todo país.

A vergonhosa fila para consumir cocaína dentro do Jobim, registrada por celular, anunciava o desastre maior, concretizado no episódio em que os presos foram degolados por integrantes de uma facção rival, sendo que a ordem do massacre saiu de outro estado: do Mato Grosso do Sul. Cada dia fica mais claro que o Brasil construiu prédios, mas não abandonou a lei da selva.

A frente fria que se encontra no litoral do Rio de Janeiro deve influenciar o tempo na RMBH, no final de semana. Mín: 18 Máx: 27

Mín: 19 Máx: 25

Sol entre nuvens. Tempo nublado. Possibilidade Pancadas de de pancadas chuvas à tarde de chuva

Ruibran dos Reis

Mín: 17 Máx: 25

Nublado com possibilidade de chuva fraca durante o dia

Diretor da Regional da Climatempo Minas Jornal A Banqueta de Notícias - 358ª Edição

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Padaria Centauro contrata (NL): pizzaiolo, com experiência. Interessados, enviar currículo para: camila@padariacentauro.com.br.

Padaria Cariocas contrata (NL): confeiteiro, ajudante de produção (com experiência em panificação), atendente (com experiência) e caixa (ensino médio ou técnico completo – necessário experiência com rotinas administrativas e financeiras). Ambos os sexos. Enviar currículo para: contrato.rodrigomg@gmail.com.

INE contrata: consultor comercial, com experiência. Atuar com prospecção de clientes e convênios, venda consultiva, atendimento ao público e metas. Conhecimento em informática (Excel, Word, Outlook, digitação e Internet). Habilidades: foco em resultados, organização, pró-atividade e visão gerencial. Disponibilidade de horário. Salário + VT + VR. Contratação CLT. Currículo: atendimentobh@ineead.com.br | (31) 3272-9951.

Auxiliar de serviços gerais (BH). Atender as necessidades de limpeza, manutenção e conservação dos espaços. Salário: R$ 1.022. Benefícios: VT + VR, Plano de saúde e convênio odontológico. Currículo: paolla.sabioni@preconengenharia.co m.br. Secretaria acadêmica (BH): Salário: R$ 3.500. Horário: 12h às 22h. Disponibilidade para viagens. Experiência em instituição de ensino superior. Enviar currículo para: rh@inoveben.com.br (título da vaga no assunto).

Falta tudo na UPA!

Direto da Comunidade

“Precisei ser atendida na UPA, na última semana, e fiquei indignada com o atendimento devagar e de péssima qualidade do local. Demorei seis horas para ter um diagnóstico simples: suspeita de gripe. O pior foi presenciar uma paciente com câncer, pedir apenas, um copo d’água com açúcar para se acalmar, mas nos informaram que não havia açúcar lá. Aliás, não falta apenas isso. Não há restaurantes ou lanchonetes próximos ao espaço, assim como, transporte público adequado e que circule com frequência naquela região. Eu me pergunto, se falta infraestrutura e equipe para o atendimento, por que instalaram a UPA ali?.”

“O Banqueta, a cada dia, tem se destacado por dar voz aos cidadãos nova-

Vilma Amorim - BNH limenses. Observo que nossas reclamações são apuradas e, na maioria Resposta: a Prefeitura Municipal de Nova Lima esclarece feito em Para até duas horas. público ainda reitera das vezes, obtemos um retornoserpositivo. mim, essaO éórgão a função que, após a triagem, o caso foi classificado pouco seo faz compromisso trabalhar pela agilidade dos serviços principal do jornal,como que sempre atuante e de imparcial.” urgente. Essa classificação foi obtida por meio do Protocolo públicos e informa que já estuda a ampliação da oferta de de Manchester. Seguindo Daniele ao procedimento, Oliveiraa paciente foi transporte público na região da UPA, que conta atualmente atendida e medicada conforme conduta médica e dentro com duas linhas de ônibus (Avenida e Circular Centro). Matadouro do tempo de espera previsto para esses casos, que deve Contato: 31 3541-5701

Alô Banqueta

2

O jornal A Banqueta de Notícias se exime de qualquer responsabilidade BEX Edições Ltda. CNPJ: 11.160.970/0001-70 Fale conosco: 31 3541-5701 / 98569-2926 ou abanqueta@gmail.com sobre opiniões e pontos de vistas expressos em artigos, anúncios e Diretor: Frederico Sarti Mendes publicações assinadas que Jornalista responsável: Letícia Barros exprimam conotações políticas, Redação: Júlia Leal, Júnia Rodrigues e Janaína Santos religiosas ou sociais, por não Diagramador: Elton Corrêa David refletirem as convicções desta Diagramadores aux.: Jordana Matos e Tatiana Dias Comercial: Clauzy Barbosa: 9847-9631 / Efigênia Veloso: 8848-4388 diretoria. Reservamo-nos o direito de erro gráfico. Gráfica Editora Sempre - 16.000 exemplares

“A admiração e a gratidão ao Jornal A Banqueta de Notícias não se limitam a parceria nas matérias realizadas, também considero o impresso um vetor de multiplicação cultural que enaltece causas nem sempre lembradas ou discutidas na cidade. Acredito muito neste tipo de jornalismo, cidadão. Espero que o jornal continue assim, democrático e atuante na cidade.” Louis Moraes Retiro


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

3


4

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Ladrões explodem caixa eletrônico em

Deu Polícia

Honório Bicalho

Ação dos criminosos ocorreu durante a madrugada e destruiu o único terminal existente no bairro

Um terminal de autoatendimento da Caixa Econômica Federal, instalado na Praça da Estação, em Honório Bicalho, foi alvo da ação de criminosos. O único caixa eletrônico da região foi explodido na madrugada dessa quarta-feira (11). De acordo com a Polícia Militar, não há informações concretas de quantas pessoas estavam envolvidas, no entanto, testemunhas relataram o envolvimento de três a cinco pessoas no crime.

Ainda segundo a PM, foi encontrado um Fiat Siena, na cor preta, placa de Contagem, abandonado no bairro Bela Fama. A suspeita é de que o veículo tenha sido utilizado na fuga dos criminosos. Durante a tarde dessa quarta-feira, os peritos da Polícia Federal estiveram no local para coletar vestígios do ato criminoso como digitais, objetos utilizados na

ação e fragmentos que contenham o DNA dos envolvidos. Na perícia realizada foi comprovado o roubo de cassetes de dinheiro, não sendo possível quantificar o valor furtado. Até o momento, a polícia não localizou os criminosos.

Moradores reclamam da falta de segurança

Os moradores da região estão assustados com a ação dos bandidos e temem a falta de segurança no bairro. Segundo o morador Rogério Santos, a tranquilidade de Honório Bicalho deu lugar a violência e a sensação de medo dos moradores e comerciantes, principalmente pela ausência de um

policiamento efetivo na região. “A base comunitária da Polícia Militar e Guarda Municipal foi desativada e, além disso, não temos ronda ostensiva no bairro como era realizada antigamente. Nós precisamos de uma atenção à segurança do local, para que situações como essas não aconteçam”, afirma.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

5


6

Aliado da

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

saúde da pele

Dermatologista ensina como escolher e aplicar protetor solar

Os cuidados com a pele são importantes o ano todo, mas, no período do verão e das férias, as pessoas redobram a atenção, sobretudo quando se fala em protetor solar. A grande variedade de produtos no mercado exige do consumidor conhecimento apurado sobre saúde versus exposição ao sol. Dessa forma, é preciso atenção na hora de escolher e também de aplicar o protetor adequado para evitar manchas, rugas e, principalmente, o câncer de pele.

Filtro, protetor e bloqueador solar

De acordo com a dermatologista Érica Vieira, filtro e protetor solar podem ser considerados sinônimos, já o termo bloqueador está cada vez mais em desuso. Isso porque, a maioria da população acredita que ao usar o bloqueador estaria mais protegida do sol do que ao usar o protetor solar, o que não se aplica. Segundo Érica, o protetor e o bloqueador têm a mesma função, a diferença está na composição dos produtos. “Bloqueadores têm na sua composição apenas filtros físicos, que refletem

totalmente os raios UV, enquanto protetores são compostos de filtros químicos ou uma mistura de ambos”, explica.

Fator adequado à pele

Seja aplicado diariamente, por cerca de três vezes, ou na praia, a cada duas horas e toda vez em que sair da água, o protetor deve ser um grande aliado durante todas as estações do ano, de acordo com a especialista. Érica reforça que o fator de proteção solar recomendado, para qualquer pessoa, é de no mínimo 30, mas ele pode variar de acordo com o tipo, doenças e tratamentos de pele. “As pessoas muito claras estão mais vulneráveis aos raios UV. A tendência da pele é queimar e não bronzear. Diante disso, o fator deve ser de pelo menos 50”, exemplifica. Usar o protetor adequado ao tipo de pele pode evitar manchas, rugas e não agravar o quadro de peles com tendência a acne, por exemplo. Recomendação válida também na hora de passar o produto na face. Segundo a dermatologista, a maioria da população brasileira tende a ter a pele do rosto de mista para oleosa, o que pede um protetor facial mais seco e outro específico para o corpo, onde a pele é mais ressecada. Outra indicação são os protetores com base, pois, além de disfarçar manchas, eles protegem contra a luz

Vida saudável

visível, ou seja, a luz proveniente de lâmpadas, computadores, aparelhos celulares, entre outros.

Quantidade recomendada

A dermatologista ensina como mensurar a quantidade de protetor solar para manter a saúde da pele. Segundo Érica, a medida correta é uma colher de chá, cheia do produto, para o rosto e pescoço, uma a ser espalhada em cada braço, duas na região do tronco e duas em cada perna. Outra dica é reaplicar o produto. “O ideal é passar o protetor 30 minutos antes de se expor ao sol, com uma segunda aplicação 15 minutos depois. Certamente, as áreas que ainda não foram cobertas receberão o protetor solar”, afirma.

Importância da proteção

Além de prevenir rugas e manchas causadas pelo sol, a prevenção do câncer de pele é o principal motivo para usar o protetor solar adequado. Érica afirma que o câncer de pele é o mais comum dos cânceres do organismo e sua prevenção é simples. “O hábito de passar o protetor deve ser estimulado desde a infância, pois, além de protegida e de influenciar os pais a usarem, a criança, provavelmente, levará o costume para a vida adulta”, conclui.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

7


8

A Banqueta

Tombamento

Era uma vez, para sempre

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Valor histórico, paisagístico, arquitetônico e social da Escola Municipal Emília de Lima garantidos para gerações futuras

Para muitos nova-limeses, passear pelos corredores da Escola Municipal Emília de Lima tem o sabor nostálgico das descobertas de infância, quando a vida ainda parece ser uma página em branco, pronta para ser escrita a lápis. O B, A, Ba aprendido, a primeira palavra lida, o antigo giz no quadro negro, a tia da escola, que não é de sangue, mas tem o amor das crianças como se fosse da família fazem parte desse imaginário já adulto, que viaja por lembranças da infância. Disso muito tem o Emília de Lima, em seus 108 anos de história, agora, eternamente garantidos para gerações futuras devido ao tombamento da escola como patrimônio da cidade.

Preservação para além dos portões

O instrumento de reconhecimento e proteção da instituição de ensino foi uma iniciativa do Conselho Consultivo Municipal Histórico e Artístico de Nova Lima pelo grande valor histórico, paisagístico, arquitetônico e social da instituição de ensino. O perímetro de tombamento inclui o terreno da escola, que diz respeito ao pátio, jardins, os acessos, e lógico, às construções originais. Qualquer intervenção dentro perímetro do entorno, que abrange as quadras vizinhas: como a Rua Abolição e a Avenida Rio Branco, para efetivar valorização e preservação da escola, ficam sujeitas à regras as diretrizes de tombamento que garantem proteção para que o bem tombado não perca o espaço de visibilidade, por exemplo.

Um bem tombado deve cumprir as diretrizes de proteção e salvaguarda. Por exemplo, esse bem não pode, em hipótese alguma, ser demolido ou descaracterizado, como explica a Arquiteta do Centro de Cultural de Nova Lima, Maria Guilhermina Prado. Caso haja qualquer risco de acontecer algum dano estrutural, ele tem que ser sanado. Qualquer intervenção deve passar pelo conselho consultivo. “A escola tem um valor simbólico incrível! Um exemplo é o corredor do prédio, feito em ladrilho hidráulico que destaca a

Marco da ampliação educacional

A ex-aluna e atual funcionária, Irene do Carmo, não conseguiu ficar muito tempo longe do Emília de Lima. A formação educacional na instituição rendeu frutos para a vida profissional, ela acabou se tornando uma das figuras mais emblemáticas de uma escola, afinal de contas, que aluno não fica ansioso para que chegue a hora do lanche, para correr até a fila da cantina? Que criança nunca pediu a “cantineira” para caprichar na hora de colocar a “merenda”? “Tenho muito orgulho de fazer parte do quadro de funcionários da escola. Ser servente escolar aqui é uma alegria”, comemora.

“O tempo se vai, o amor não”

Emília Luíza de Lima (à frente) exprofessora e diretora da escola

Antes da construção da Escola Emília de Lima, municipalizada em 1998, não havia instituição pública semelhante em Nova Lima. O estudo era elitizado. As pessoas que tinham acesso ao ensino ou podiam pagar professores particulares ou eram estrangeiros ingleses, os quais frequentavam uma escola restrita para eles. Com a criação do Grupo Escolar Villa Nova de Lima, em 1909,cujas as obras foram concluídas em 1911 e, em 1931 passou a se chamar Escola Estadual Emília de Lima, veio a existir um novo tempo na cidade: o de ampliação da educação para os nova-limenses.

Lições para a vida

Para o ex-aluno Asdrubal Alexandrino, da turma de 1946, o tempo não apagou as marcas de uma educação forte, que transbordou lições para a vida. Carinhosamente, quase 70 anos depois, o aposentado ainda lembra de Laura, Dulce e Angêlica, exprofessoras dele, no Emília de Lima. “Era um pimentinha quando estudei aqui. Então, logo depois que aposentei, não tinha ocupação e resolvi compensar a escola por qualquer falta que tenha cometido lá. Por isso, voltei e plantei 200 mudas de árvore, uma forma, também, de agradecer por tudo que vivi e recebi dessa escola”, comenta.

Por se tratar da primeira escola de uma cidade que tem mais de 300 anos de história, o Emília de Lima conheceu a maior parte da população, que teve suas primeiras lições no prédio. Desses 108 anos, uma figura que esteve a frente da instituição por 20 anos é lembrada como parte imortal do Emília de Lima, a ex-diretora Lícia Gomes Machado. “Até hoje, após tantos anos de desligamento, encontro pais e alunos que vêm contar sobre o sucesso dos filhos. Alguns passam por mim para fazerem referências à merenda: ‘que saudades daquele feijão tropeiro!’. ‘Nunca mais comi um arroz temperado como o do Emília!’. ‘O arroz doce era divino!’. O tempo se vai, o amor não”, relembra os elogios.

“Mais de mil alunos, em um ano”

Para a ex-diretora, a memória das pessoas recorre a momentos corriqueiros e prazerosos da vida escolar por um motivo maior, o conjunto da obra. “Nossa história contribuiu para educação no município. Chegamos a ter mais de mil alunos, em um ano, isso com qualidade de ensino. Equipamos a escola com acervo riquíssimo para a biblioteca, com até um livro para cada aluno, por título. Além disso, utilizávamos a arte, por meio do teatro, da música, da poesia, de redações e debates para ajudar na construção do saber. Fico feliz em ter feito parte dessa história”, finaliza.

Fotos: Lívia Bastos e Acervo da Prefeitura Municipal de Nova Lima

Aula de música na Escola Emília de Lima (1980)

edificação construída no estilo das escolas estaduais da época. As salas amplas, bem arejadas e com iluminação natural ao redor do jardim central são um charme e fazem dos detalhes a somatória para um ambiente acolhedor”, finaliza.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

9


10

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

11


12

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017 Fotos: Fred Sarti e TV Banqueta

Câmara responde polêmicas Capa

Procurador jurídico da Câmara de Vereadores de Nova Lima esclarece principais críticas envolvendo a Casa Legislativa alteração do IPTU também estiveram entre os assuntos mais salgados da Casa. Acusações a parte, o A Banqueta de Notícias conversou com o Advogado e Mestre e Especialista em Direito Público, professor da PUC-Minas na graduação e pós-graduação do curso de Direito e responsável pela procuradoria da Câmara Municipal de Vereadores de Nova Lima desde 2013, Dr. Luciano Nunes, para entender o que o setor jurídico da Casa Legislativa tem a dizer sobre os episódios polêmicos do início da nova legislatura.

A Câmara Municipal de Nova Lima foi palco de uma série de situações polêmicas nas últimas semanas. A acusação de que a eleição do vereador José Guedes (DEM) como presidente da Casa teria sido uma manobra para redirecioná-lo ao cargo, tomou as ruas de Nova Lima e provocou protestos durante as reuniões do Legislativo. O atraso na votação da Lei Orçamentária Anual (LOA), o valor do repasse para a Câmara, e a não tramitação do projeto para

Presidência da Câmara Municipal

No primeiro dia de 2017, ocorreu a posse dos vereadores de Nova Lima na Câmara Municipal e a eleição para a Mesa Diretora. Na ocasião, o vereador Alessandro Coxinha (PRTB) foi eleito presidente da Casa. Na terça-feira (3), a primeira reunião ordinária do ano da Câmara foi comandada pelo vice-presidente, Álvaro Azevedo (PSDB), após as renúncias do então presidente Alessandro Coxinha e do secretário, Kim do Gás (PPS), eleitos

para a Mesa Diretora. Em seguida, foi aberta uma nova reunião para eleger o novo presidente e secretário da Mesa. Na ocasião, o vereador José Guedes foi eleito presidente, e Alessandro Coxinha, secretário.

Os vereadores Silvânio Aguiar (SD) e Wesley de Jesus (PEN) interpretaram a nova eleição como irregular e acionaram a Justiça. A juíza Dra. Myrna Fabiana acatou o pedido de anulação da eleição do dia 03 de janeiro e determinou o afastamento do vereador José Guedes da presidência da Casa Legislativa, impedindo-o de se candidatar novamente ao cargo. A decisão da primeira instância foi suspensa pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) após recurso ajuizado pelo vereador José Guedes.

Houve irregularidades durante a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores?

“O vereador José Guedes foi presidente no último biênio 2015/2016, da última legislatura, que se


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

encerrou no dia 31 de dezembro de 2016. A partir de primeiro de janeiro de 2017, trata-se, na verdade, de uma nova legislatura, onde a Câmara passa a ser formada por novos vereadores que foram eleitos em outubro de 2016. O regimento e a Lei Orgânica são claros ao mencionar que no primeiro biênio de uma nova legislatura irá se formar a Mesa Diretora. Essa formação, no início de uma legislatura, é diferente da expressão prevista no regimento da casa, quando se menciona ‘renovação’. A renovação, sim, ela ocorre no segundo biênio de uma legislatura. A proibição de reeleição é para aquele vereador que ocupou o cargo da Mesa Diretora no primeiro biênio, não podendo se reeleger para o mesmo cargo no segundo biênio de uma mesma legislatura. Por exemplo, o presidente desse biênio, 2017/2018, não poderá ser candidato à presidente no próximo biênio, 2019/2020, pois estamos falando de uma mesma legislatura. Mas, o vereador eleito presidente para o biênio 2019/2020, uma vez, reeleito pelo povo e desejando ser candidato a presidência da Casa e, se eleito, poderá assumir o mandato de presidente num eventual biênio 2021/2022.

Para se ter uma ideia, no biênio 2003/2004, o presidente da Câmara era o vereador Zuca, e ele foi eleito novamente presidente no biênio seguinte 2005/2006, pois se tratava de uma nova legislatura. O mesmo aconteceu com o vereador Nélio Aurélio, que era o comandante da Casa Legislativa no biênio 2011/2012, e foi novamente eleito presidente da Câmara no biênio 2013/2014. Eles disputaram as eleições para o cargo de presidente e foram eleitos sem qualquer impugnação, pois não se tratava de uma eleição subsequente e sim de uma nova legislatura que se inaugurava”.

Lei Orçamentária Anual

A Lei Orçamentária Anual (LOA) é uma lei elaborada pelo Poder Executivo que estabelece as despesas e as receitas que serão realizadas para o próximo ano e cabe ao Legislativo analisar e aprovar essa lei. Por meio dela, os recursos financeiros são direcionados para os serviços públicos e atender a demanda da população. Até o momento a LOA não foi aprovada.

Como anda a análise da Lei Orçamentária Anual?

“A LOA, não obrigatoriamente, teria que ser votada até 31 de dezembro de 2016. Aqui na Casa, em outras oportunidades, a votação da LOA chegou a

ocorrer em janeiro, fevereiro e até mesmo em março. Isso não impossibilita a execução de nenhum serviço público ou o andamento de nenhuma demanda do município. Uma vez que, quando uma LOA não é votada para o ano seguinte, ou seja, até no dia 31 de dezembro, trabalha-se com o repasse de 1/12 avos (um doze avos), com base no orçamento anterior. Ou seja, o Executivo utiliza a receita líquida do ano anterior, e divide por 12, cujo valor do resultado será a receita mensal que a prefeitura irá administrar a cidade. Com isso, trabalhando com 1/12 avos da receita, até que a LOA seja votada, os serviços básicos do município são atendidos. Então, essa ideia de que não haverá dinheiro ou de que não haverá repasse para determinados setores porque não tem LOA votada é equivocada. Quanto à votação, a Lei Orçamentária Anual não é um tema em que se possa acelerar a análise, a discussão, as emendas e a votação. Com isso, a assessoria técnica da Casa está fazendo algumas análises e ajustes para a votação da LOA. Fizemos uma remessa de todo material que é composto de diversos planos e orçamento de valores a todos os vereadores (inclusive os da legislatura anterior)”.

Repasse de verba para Câmara

Em virtude do desequilíbrio das contas públicas, declarado pelo Poder Executivo, na nova gestão, o prefeito de Nova Lima, Vitor Penido, propôs reduzir o repasse destinado à Câmara de Vereadores.

Qual a sua posição quanto o valor do repasse de verba destinado à Câmara de Vereadores?

“É bom frisar que o papel da procuradoria é apenas de fazer a análise jurídica da situação, não temos que entrar em questões políticas. Legalmente, a Constituição Federal fixa o valor do repasse para as Câmaras Municipais em até 7% da receita líquida de municípios com população de até 100 mil habitantes, que é o caso de Nova Lima. O que posso afirmar, inclusive é tema de minhas aulas na universidade, é que um poder só é poder quando ele tem autonomia financeira, que inclusive foi uma grande conquista a partir da Constituição de 1988. Isto serve, por exemplo, também para o Ministério Público Estadual e Federal e até mesmo a Polícia Federal. Esses respeitadíssimos órgãos só começaram a atuar de maneira absolutamente independente e eficaz quando conquistaram sua autonomia financeira. Imagina se o Ministério

A Banqueta

13

Público ficasse de pires na mão, dependendo de verba do Executivo? Agora, sobre qual o percentual de repasse deve ser enviado para a Câmara, no caso, a de Nova Lima, deve ser uma discussão política entre os poderes, que é o que está acontecendo agora. Mas, como disse acima, não analiso a parte política da Casa, só atuo na parte jurídica da Câmara Municipal”.

Projeto de reajuste do IPTU

O Poder Executivo reclama que a cidade perdeu receita, uma vez, que o projeto relativo ao Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), criado pela prefeitura, o qual propôs o aumento do imposto para a maioria das regiões da cidade, e que aumentaria em, aproximadamente, R$ 20 milhões os cofres da prefeitura, não foi votado. Para ter validade em 2017, o projeto teria que ser votado em 2016.

Por que o projeto do IPTU não foi colocado em pauta na legislatura anterior?

“O Executivo só enviou o projeto no apagar das luzes do ano de 2016, já em meados de dezembro. Quando se analisou esse projeto, percebeu-se que não se tratava tão somente de reajuste de alíquotas. Era um projeto que mudava plantas genéricas, incidência de tributação em várias regiões do município e isso, por si só, gera complexidade e necessita de um tempo maior de discussão, tramitação e aprovação. É um projeto complexo, não era um simples reajuste. Aliás, reajuste de IPTU pode ser feito até por decreto municipal, decreto do Executivo, o que efetivamente não era o caso. Agora, o que chamou a atenção, em relação a esse projeto, é que ele foi enviado para a Casa sem a necessária realização de audiência pública. Um projeto dessa natureza, de reforma tributária, um projeto de revisão de plantas genéricas para incidência de tributação, deve sim, primeiro ser crivado pela população. A população deve ter o direito de opinar, de realmente colocar o que pode ou não ser aumentado ou diminuído, e fazer efetivamente uma operação sistemática de mudança efetiva. Isso aí, não aconteceu. Então, devido à complexidade, devido a essas características e esse descumprimento, que em minha opinião, era absolutamente necessário, o projeto do IPTU não foi votado no ano de 2016”.


14

A Banqueta

Dicas

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Na foto, ela tinha oito anos. Hoje, tem 48. Casada com um proprietário de uma empresa de energia solar. Formada em contabilidade, mas sempre trabalhou no comércio. Um dos seus hobbies é viajar. Há dois meses abriu um brechó na Savassinha.

Já sabe quem sou? Descubra na próxima edição!

A misteriosa da última edição é Luciane Soares, atendente na Bolos Gourmet.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

15


16

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Hospital prestes a desativar serviços Saúde

A notícia de que a Fundação Hospitalar Nossa Senhora de Lourdes (FHNSL) corre risco de ter que reduzir o atendimento à população devido a problemas financeiros fechou a última reunião da Câmara Municipal de Vereadores de Nova Lima, realizada nessa terça-feira (10). O diretor técnico do hospital, Dr. Domingos Neves, durante a reunião plenária, explicou os motivos que levaram a fundação a considerar a desativação de alguns serviços prestados. Domingos afirmou que a Prefeitura de Nova Lima tem uma dívida de, aproximadamente, R$ 6 milhões com a fundação e ressaltou, ainda, que o hospital não recebe o repasse relativo ao convênio firmado com o município, nem de forma parcial, desde novembro de 2016.

Dívida crescente

Um convênio firmado entre a Prefeitura de Nova Lima e o hospital garantiu o repasse de até R$ 1,2 milhão/mês, para a fundação, dentro de um contrato que perdurou de janeiro de 2014 a agosto de 2015. Mas, segundo explicação do diretor técnico, o contrato não foi atendido. “Nesse primeiro contrato, o repasse não foi feito de maneira integral, o que gerou um passivo de R$ 4,4 milhões”, detalhou Dr. Domingos. Já, a partir de setembro de 2015, a prefeitura renovou o convênio com o hospital mediante redução do repasse que veio a ser firmado em R$ 950 mil/mês. De acordo com Dr. Domingos, na época em que o repasse da prefeitura foi reduzido, o Conselho Curador da FHNSL se reuniu com a proposta administrativa de reduzir a prestação

de serviços para adequar os custos aos moldes da receita. “Por uma questão de votação, pois o conselho de curadores é deliberativo, decidiu-se pela não redução de serviços, para não penalizar a comunidade, já que o hospital presta atendimento essencialmente para pessoas que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS), e que, ao invés da diminuição da oferta de serviços, se buscasse fontes de receita. Nesse hiato da não redução de serviços, nos gerou de novo um passivo de alguma coisa em torno de R$ 2 milhões, R$ 2,5 milhões”, ressaltou o diretor.

Situação em 2017

Para Dr. Domingos, a situação é crítica, visto que fundação hospitalar atende a microrregião de Nova Lima, Raposos e Rio Acima que, juntas, têm uma população superior a 100 mil pessoas. “Saímos de um contrato de uma prestação de serviços de R$ 1,2 milhão, reduzido para R$ 950 mil, sendo que não foi, sempre, repassado o valor integral do convênio. Por exemplo, em outubro, o repasse foi de R$ 800 mil, mais R$ 400 mil referentes a restante de atrasos. Novembro e dezembro estão em aberto. Outra coisa que nos preocupa é, até aonde sabemos, a Lei Orçamentária Anual (LOA)

Diretor técnico do Hospital Nossa Senhora de Lourdes revela crise financeira desencadeada por redução e descumprimento de convênio firmado pela prefeitura enviada pelo Executivo para apreciação na Câmara de Vereadores, prevê um repasse de R$ 800 mil para o ano de 2017. O hospital tem se adequado do jeito que pode. Enxugou a estrutura, não reajusta o salário para médicos há dois anos, renegociou contratos de prestadores de serviço, diminuindo o valor. Só que, hoje, chegamos numa situação de sobrevivência”, frisou. A título de exemplo a respeito do custo mensal do serviço prestado pelo hospital, Dr. Domingos citou valores que, mediante ao repasse previsto para este ano contido na LOA, somado aos passivos a receber, ele afirma ser impraticável o funcionamento integral do atendimento à população. “Só o custo da pediatria em agosto de 2016 foi de R$ 250 mil. Aquele pessoal que chega ao hospital infartado, que precisa tomar medicamento para que não perca parte do funcionamento do coração, uma ampolinha do medicamento custa R$ 3 mil, isso sem mencionar o custo diário de pacientes do CTI. Então, de uma forma abstrata, pode até parecer um volume de dinheiro importante. Mas, o hospital funciona dessa forma porque, existe um convênio celebrado com o município”, destacou.

Sem dinheiro para pagar funcionários

Diante da situação exposta sobre a situação financeira do hospital, o diretor técnico afirmou que a fundação não apresenta condições de continuar prestando os mesmos serviços à população. “A fundação está sendo empurrada a cortar serviços para ficar aberta. Esse mês, os colaboradores, 400 funcionários do hospital e suas famílias, estão sem salário. A fundação tem considerado a desativação de alguns serviços prestados ao município até que se adéque receita e custos”, finalizou.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

17


18

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

19


20

A Banqueta

Meninos do Leão dão show

Quero parabenizar o técnico Guiba, pela campanha do Leãozinho na Copa São Paulo de Futebol. Os meninos golearam o Paranoá, empataram com a Ferroviária e perderam para o Palmeiras, por 3 a 2, em um jogo muito disputado. No profissional, existe grande expectativa do torcedor para ver como o técnico Leston Júnior vai armar o Leão, para estreia do Mineiro, contra o Cruzeiro, no Mineirão. O time tem jogadores experientes como o goleiro Fernando Henrique; o zagueiro Gladstone campeão da Copa do Brasil 2003 ocasião em que o Cruzeiro ganhou a Tríplice Coroa; Osvaldi, na lateral direita; China, ex-América, no meio-campo. É um time experiente, tem empolgado torcedores como o expresidente Jairo Gomes, que está entusiasmado com os treinos que já acompanhou. Agora é esperar o jogo!

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Força, Leão! Acompanhe as notícias do Villa no programa Banqueta Esporte da TV Banqueta. O convidado desta segunda-feira é o vice-presidente financeiro do clube Ciro César. O programa vai ao ar, a partir das 20h e você pode acompanhar pelo Canal 6 da NET, pelo site: tvbanqueta.com.br e pelo facebook na página da TV Banqueta.

Copa do Mundo inchada

A Copa do Mundo terá 48 seleções a partir de 2026. O que já era especulado tornou-se realidade após a aprovação do Conselho da Fifa. Atualmente, a Copa do Mundo conta com 32 seleções. O grande objetivo da Fifa com essa alteração é ter um aumento dos lucros e a consolidação do futebol como o principal esporte do mundo. A Copa passará a ter 80 jogos. Outras mudanças serão implementadas, o que vai mudar, consideravelmente, as regras do jogo, como o fim do empate – todas as partidas serão definidas nos pênaltis, em caso de igualdade com a bola rolando. O aumento das substituições também está em pauta, mas ainda segue indefinido. Outro problema que pode ocorrer com

o acréscimo de 16 seleções é a estrutura. Serão necessários 12 estádios, 48 hotéis e 64 campos de treinamento. Pensando nisso, a Fifa já planeja aceitar a candidatura de mais países de forma conjunta, o que facilitaria para conseguir toda essa estrutura. Com o aumento, teremos uma perda considerável da parte técnica da competição. Com 48 seleções, o resultado será mais times fracos ou medianos em uma competição em que deveriam estar somente os melhores.

Mais forte

O Cruzeiro inicia 2017 bem mais forte do que quando encerrou o ano passado. Com boas contratações, a manutenção do técnico Mano Menezes e de uma boa base, o time celeste quer retomar a busca por títulos nesta nova temporada. Tinga, o novo gerente de futebol, foi preciso ao afirmar em sua apresentação que o Cruzeiro foi pontual na contratação de reforços e buscou jogadores que queriam estar no clube, o que é fundamental para o empenho dos atletas. O time tem tudo para voltar a brigar por títulos em 2017!

No Fundo do Baú

Esta semana, vamos homenagear o Motobol Futebol Clube, fundado em 22 de abril de 2012, pelo motoboy Giovane Jhoul. A equipe é formada, em sua maioria, por profissionais motoboys e mototaxistas. A foto é de 2016, no campo do Boa Vista, em partida de confraternização contra a equipe dos Trias da Boa Vista. O Motobol venceu a partida por 2 a 1 e garantiu o quarto troféu da história do time. Em pé: Menson, Bolota, Dodô, Pablo, Jailson, Léo, João, Hugo do Horto e Lucas. Agachados: Dezim, Alex, Marcão, Michel, Marcelinho, Casáres, Tóia e Giovane Jhoul.

Motobol Futebol Clube

Enquete: Quais foram os melhores jogadores do Motobol F. C. do ano de 2016? Envie seu e-mail para: enqueteabanqueta@gmail.com. Participe! Resposta da enquete anterior: os melhores jogadores do E. C. Morro Velho de 1986 foram: em 1º lugar, com 50% dos votos, Pepeta. Em 2º lugar, com 30% dos votos, Marco Lima. Em 3º, com 20%, Nelson.


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

21


22

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

Oferecimento

Casa & Presentes

Associação dos Servidores Públicos em ritmo de festa

Na última sexta-feira (06), a Associação dos Servidores Públicos Municipais de Nova Lima realizou o encontro tradicional dos servidores. O evento aconteceu na quadra do Caic e não faltaram atrações na festa que tem como objetivo a confraternização entre os associados. O clima de amizade contribuiu para que os convidados aproveitassem o evento marcado por momentos agradáveis regados a chope gelado, churrasco e muita música, no estilo da banda Alta Dimensão. O ritmo eclético agradou em cheio aos associados que se esbaldaram de tanto dançar. Fotos: Dois Cliques Fotografia


Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017

A Banqueta

23


24

A Banqueta

Nova Lima - Raposos - Rio Acima - 13 a 19 de janeiro de 2017


Edição on line 358 do Jornal A Banqueta de Notícias!