Page 1

[1]


DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO PARA CONCURSOS

[2]


[3]


SOUSA JUNIOR, F. R. Tecnólogo graduado em construção de edifícios pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE Especialista em gestão de projetos pela Faculdade Venda Nova do Imigrante

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO PARA CONCURSOS

[4]


 2016 by SOUSA JUNIOR, F. R. Coordenação editorial (Obtenção do ISBN): Francisco Frank Ribeiro

Dados Internacionais de Catalogação na Fonte

S725d SOUSA JUNIOR, F. R. Desenho técnico e arquitetônico para concursos /Sousa Junior – 1ªEd. São Paulo: Editora Ag Book, 2016.218pg, 21 cm ISBN: 978-85-920212-4-5 1. Desenho técnico. 2. Engenharia gráfica. 3. Arquitetura I. Título CDD – 604.2

Embora todos os cuidados tenham sido tomados, podem surgir erros nesta obra. O autor encontra-se a total disposição para retificar ou esclarecer qualquer informação necessária.

f-rodrigues-junior2012@bol.com.br

[5]


SUMÁRIO

COMO UTILIZAR ESTE LIVRO .............................................................. 12 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO DESENHO .................................................................... 14 CAPÍTULO 2 FOLHAS, DOBRAMENTO E CARACTERES ............................................. 29 CAPÍTULO 3 ESCALAS E TIPOS DE LINHAS EMPREGADAS EM DESENHOS ......... 46 CAPÍTULO 4 COTAGEM DE DESENHOS ......................................................................... 71 CAPÍTULO 5 PRINCÍPIOS GERAIS DE REPRESENTAÇÃO ........................................... 86 CAPÍTULO 6 PERSPECTIVA............................................................................................. 109 CAPÍTULO 7 HACHURAS ................................................................................................. 123

[6]


CAPÍTULO 8 PROJETOS DE ARQUITETURA ................................................................ 131 CAPÍTULO 9 DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR ......................................... 166 GABARITOS ............................................................................................... 210 SIGNIFICADO DAS SIGLAS UTILIZADAS.......................................... 215 REFERÊNCIAS .......................................................................................... 217

[7]


DEDICATÓRIA

À minha professora, Dra. Terezinha de Jesus, que tanto tem me dado rumos (e azimutes) ao longo desta jornada. Obrigado tia, um dia chegarei lá... E à Magda, que mesmo não sendo professora de topografia também tem me dado rumos nesta vida. Obrigado minha irmã.

[8]


[9]


AGRADECIMENTOS

Deixo meus sinceros agradecimentos ao Miquéias Martins da Rocha, presidente da ABELINE, que cedeu espaço para que eu pudesse ministrar em janeiro de 2016 o curso que deu origem a este livro, e agradeço também ao Pastor Francisco Frank Ribeiro, coordenador, que cuidou da parte burocrática que tanto me tirou os nervos.

[10]


[11]


COMO UTILIZAR ESTE LIVRO

Este livro é um material preparatório para concursos públicos na área de desenho técnico e arquitetônico. Meu intuito ao elaborá-lo não foi criar um guia, ou um vade-mécum para os profissionais da área, afinal acredito que as normas já cumprem bem este papel. Assim, este material apresenta resumos das normas vigentes no Brasil, e em sua parte prática traz inúmeros exercícios propostos e diversas questões dos últimos exames realizados em âmbito municipal, estadual e também no âmbito Federal. Recomendo que o leitor leia rapidamente a teoria abordada em cada capítulo, e resolva em um caderno os exercícios propostos, procurando sempre que possível dissertar a respeito do tema de forma coesa e coerente. Assim o leitor se habituara a algumas bancas que exigem respostas “abertas”. E posteriormente resolva as questões dos concursos que cada capítulo traz. O leitor logo notará que precisara ter em mãos as NBRs, e esta é provavelmente a dica mais importante: consulte-as, se possível, antes de resolver as questões. Após a solução dos exercícios, confira os gabaritos, jamais inverta esta ordem. Caso os resultados sejam insatisfatórios, releia a teoria, consulte as normas e posteriormente refaça as questões. No mais, desejo a você bons estudos e boa sorte nesta jornada.

Sousa Junior, 21 de abril de 2016.

[12]


[13]


CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO DESENHO Antes de construirmos qualquer coisa é preciso planejamento. É preciso que os responsáveis por executar determinada construção sigam a risca o que foi idealizado. Mas como os construtores sabem exatamente o que foi idealizado? É através de um desenho. O desenho é a representação de algo. Se pudéssemos fotografar o que pensamos seria ideal não acha? Mas como isto não é possível é necessário que seja executado um desenho. Os pintores famosos, as crianças e os projetistas, todos desenham de seus modos. Claro que nem todos os desenhos são iguais, as técnicas empregadas para executá-los diferem das diversas maneiras. Uma criança tem a liberdade de desenhar fugindo ao máximo de uma realidade, os pintores também se dão a este “luxo”. Enquanto que os projetistas devem seguir alguns parâmetros para a execução de seus desenhos. Mas tenha em mente que isto não significa que o projetista não possa usar sua criatividade para representar em um desenho, afinal a função de uma norma não é impedir o processo criativo, muito menos limitá-lo. Uma norma busca ajudar o profissional, nunca o oposto. Eis então a diferença fundamental entre um desenho técnico e um desenho artístico. Em um desenho técnico deve prevalecer

[14]


acomunicação, e as normas de desenho servem para padronizar e facilitar a intercambialidade de projetos. No Brasil a criação de normas técnicas compete à Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. É sensato ressaltar que normas não são leis, são indicações de um órgão privado reconhecido pelo governo, e seu uso é recomendado pois elas servem de guia principalmente em qualidade e segurança em um serviço prestado. Com o avanço da tecnologia o modo de desenharmos mudou significativamente.

Os

softwares

de

desenho

assistido

por

computador, do inglês, CAD (computedaided design) aposentaram inúmeros instrumentos. Alguns professores recomendam que seus alunos antes de ir ao CAD, passem antes pelas pranchetas, alguns defendem que este contato é fundamental para que o estudante interiorize algumas filosofias dos desenhos, para que ele realmente entenda o processo. Outros mais céticos julgam que a tecnologia acaba fazendo todo o trabalho e o estudante fica sem aprender o processo. Seria como aprender matemática usando logo no inicio uma calculadora ao invés de lápis, papel e borracha. Como profissional não repudio o desenho manual, durante os estudos até recomendo que o aluno tenha contato com este tipo de desenho, pois quando estiver utilizando os softwares acredito que o entendimento será maior. [15]


Sendo assim, vamos conhecer alguns instrumentos. Borracha As borrachas para desenho devem ser brancas para evitar manchar o papel. Algumas apresentam chanfros para facilitar ao apagar cantos. Elas devem ser mantidas limpas, para isto lave-as com água e sabão neutro. Desta forma você estará limpando-as para evitar manchar o desenho e hidratando-a aumentado sua durabilidade.

Compassos Os compassos são instrumentos utilizados para desenho de arcos e circunferências e também para a transferência de medidas. Devem ter travas de segurança para desta forma evitar que suas pernas se movimentem durante a execução do desenho. Alguns acompanham adaptadores que aumentam o raio da circunferência e adaptadores para encaixar lápis ou canetas. Sempre os guarde em uma caixinha que geralmente os acompanha para evitar danificar suas pontas e antes de iniciar o desenho com ele verifique suas pontas, elas devem ser afinadas para que o tracejado seja uniforme. [16]


Escalímetros São réguas graduadas que dispensam o uso de cálculos de conversão de escalas. Os mais comuns são os triangulares que apresentam 6 escalas diferentes. No mercado existem diversos tipos e tamanhos. O tipo 1, por exemplo é o recomendo para arquitetura por apresentar as escalas: 1/20, 1/25, 1/50, 1/75, 1/100 e 1/125. O tipo 2 é recomendado para topografia. Existem inúmeros escalímetros, compete ao profissional escolher o que mais se adéqua ao seu trabalho seja pelo tamanho, seja pelas escalas que apresenta. Sua limpeza deve ser cuidadosa para evitar que a graduação (os números) sejam apagados. Não se recomenda traçar linhas com eles já que o atrito entre o lápis ou outro instrumento danifica o escalímetro.

[17]


Transferidor É utilizado para medição de ângulos e arcos. Recomendam-se os confeccionados em material transparente para facilitar a medição. Existem os de 180º ou de meia volta e 360º o de uma volta completa.

[18]


Pranchetas São fabricadas em madeira ou materiais metálicos. A posição de seu tampo é regulável o que facilita a ergonomia do desenhista. No mercado existe uma infinidade dela, variam de acordo com o tamanho, algumas inclusive são portáteis. Algumas apresentam régua paralela, o que dispensa o uso da régua “T” e agiliza a execução do desenho. As pranchetas, assim como os demais instrumentos de desenho, necessitam de limpeza constante, deve se fazer isto com uma flanela levemente umedecida com água.

Régua paralela A régua paralela é usada para traçar linhas horizontais e com o auxilio dos esquadros traçar linhas verticais. Ela desliza sobre a prancheta e é presa por fios paralelos. Deve-se efetuar a limpeza com um pano levemente umedecido, deve-se evitar o uso de produtos [19]


abrasivos. As pranchetas com réguas paralelas devem ser calibradas para que se mantenha a horizontalidade da mesma.

Esquadros Existem esquadros de 45º, 60º e 30º. São utilizados para traçar linhas na vertical (90º) ou em ângulos alternados, 30º, 45º ou 60º. Podem-se usar os dois em conjunto e obter outros ângulos.

[20]


Lapiseiras e Grafites As durezas dos grafites e suas espessuras variam. Veremos adiante a NBR 8403 e entenderemos os tipos e as funções das linhas. Em geral os grafites duros são usados para desenhos de muita precisão. Os grafites duros são 8H, 7H, 6H, 5H e 4H. Os médios são usados para desenhos em geral como rascunhos. São grafites médios: 3H, 2H, H, F, HB e B. Os moles são usados para executar cópias e desenhos de arquitetura. São moles: 2B, 3B, 4B, 5B, 6B e 7B. Grafites duros permitem pontas finas, mas traços muito claros. Uma grafite mais macia cria traços mais claros, mas as pontas serão mal aparadas.

Régua graduada As réguas graduadas estão disponíveis no mercado em diversos tamanhos e tipos de materiais, são produzidas com materiais transparentes e opacos, há quem desaconselhe o uso de réguas transparentes pois acredita que este tipo de régua induz a erros de

[21]


medidas, alem de que o habito de riscar este tipo de régua provoca sujeiras nos desenhos. Deve-se periodicamente efetuar a limpeza deste instrumento evitando retirar sua graduação com produtos de limpeza abrasivos.

Curva francesa São utilizadas para se desenhar curvas, assim como os esquadros podem ser utilizadas em conjunto aumentando o número de arcos.

Gabaritos Os gabaritos são utilizados para se executar diversos desenhos, como sanitários, letras e algarismos, caixas d’água, móveis, círculos e outros. Abaixo temos um exemplo de gabarito usado para desenhar sanitários.

[22]


Os papéis serão abordados no próximo capítulo, pois eles merecem uma atenção especial.

Exercícios Propostos 1- Defina Normas Técnicas e disserte sobre sua aplicação geral em desenhos. 2- No Brasil, a quem compete a criação das Normas Técnicas? 3- Explique de forma resumida e sucinta a diferença entre um desenho artístico e um desenho técnico. 4- Explique porque as Normas Técnicas não são leis, e mesmo

assim,

é

essencial

que

se

siga

suas

recomendações.

Questões de Concursos 1- (IFAL)

Uso

dos

materiais

Compatibilize instrumentos e uso: 1. Compasso. 2. Esquadro. [23]

convencionais

do

desenho.


3. Régua Paralela. 4. Curva Francesa. 5. Transferidor. I. Traça curvas de raio variadas gerando arcos concordantes. II. Traça retas horizontais e serve como apoio para outros instrumentos. III. Mede ângulos. IV. Traça curvas em arcos plenos. V. Traçam retas e ângulos de 30°, 45°, 60°, 90° e outros combinados. A correspondência correta está na alternativa: A- 1-IV, 2-II, 3-V, 4-I, 5-III. B- 1-V, 2-III, 3-I, 4-II, 5-IV. C- 1-IV, 2-II, 3-IV, 4-I, 5-V. D- 1-IV, 2-V, 3-II, 4-I, 5-III. E- 1-I, 2-II, 3-III, 4-IV, 5-V.

2- (PMC-SP) A figura abaixo corresponde a qual das seguintes alternativas:

[24]


a) Curvas francesas. b) Tecnígrafo. c) Esquadro. d) Nenhuma das alternativas estão corretas.

3- (PMC-SP) Os esquadros são usados em pares: um de 45º e outro de..................... A combinação de ambos permite obter vários ângulos comuns nos desenhos, bem como traçar retas paralelas e perpendiculares. a) 30º/60º b) 30º/90º c) 30º/45º d) Nenhuma das alternativas estão corretas.

4- (IFPE) Com relação aos materiais utilizados no desenho técnico, destacam-se alguns que possuem características especiais e denominações distintas. Sobre isso, assinale a alternativa NÃO verdadeira: A- O transferidor serve para marcação e leitura de ângulos. B- Os grafites 4H, 6H e 7H são considerados duros. C- Um par de esquadros são dois materiais de desenho em que um possui ângulo de 45º e o outro, 30º e 60º.

[25]


D- Num par de esquadros, o tamanho da hipotenusa do esquadro de 45° é igual ao cateto maior do esquadro que possui ângulos de 30° e 60°. E- O lápis que possui grafite HB é macio, enquanto o 2B é classificado como duro.

5- (IFRN) A grafite de uma lapiseira possui distintos graus de dureza. Esse grau de dureza é devidamente indicado por uma nomenclatura específica. Sobre esse material, é correto afirmar que A- o tipo da grafite iniciada pela letra H e seus derivados são as mais macias. B- o tipo da grafite iniciada pela letra B e seus derivados são as mais duras. C- o tipo da grafite iniciada pela letra B e seus derivados são as mais macias. D- o tipo da grafite iniciada pelas letras HB são as mais duras.

6- (IFSC) O lápis ou lapiseira são importantes instrumentos no desenvolvimento de desenho técnico. De maneira geral, o lápis é classificado através de letras, números, ou ambos, de acordo com o grau de dureza do grafite. Frente a isso identifique a afirmação correta: I. O grau do grafite, que varia de 9H (extremamente duro) a 6B [26]


(extremamente macio), ou Nº 1 (macio) a Nº 3 (duro), conforme classificação. II. A classificação mais comum é H para o lápis macio e B para lápis duro. Esta classificação precedida de números dará a gradação que vai de 6B (muito duro) a 9H (muito macio), sendo HB a gradação intermediária. III. Na classificação por números o N° 2 é o médio e o mais usado para qualquer traçado e para a escrita em geral. IV. Em condições de alta umidade há uma tendência no aumento da dureza aparente do grafite. A seqüência correta é: A- Todas as alternativas estão corretas. B- Apenas uma alternativa está errada. C- Todas as alternativas estão erradas. D- Apenas uma alternativa está correta.

7- (IFSC) O desenho geométrico tem sua prática no uso de alguns instrumentos. Sobre estes é correto afirmar: I. O lápis ou lapiseira cuja “mina” tem grau de dureza variável. II. Os esquadros que podem variar em ângulos de 90°, 45° e 45° e de 90°, 60° e 30°.

[27]


III. O transferidor utilizado para medir e traçar ângulos, podendo ser de meia-volta (180°) ou de volta completa (360°). IV. O compasso que deve ser usado para traçar circunferências, arcos de circunferência, sendo uma ferramenta ineficaz para transportar medidas. A alternativa correta é: A- Todas estão corretas. B- Apenas III e IV estão corretas. C- Apenas uma está errada. D- Apenas III e IV estão erradas.

8- (PMC-SP) Assinale a alternativa referente a seguinte afirmativa: “É uma régua utilizada para apoiar o esquadro ou para traçar linhas paralelas quando apoiada na mesa de desenhos, possui em média 80 cm e normalmente é de madeira com detalhes em acrílico, sendo utilizada para desenho técnico”. a) Régua Z. b) Régua T. c) Régua C. d) Nenhuma das alternativas estão corretas.

[28]


CAPÍTULO 2 FOLHAS, DOBRAMENTO E CARACTERES As folhas usadas para desenhos são brancas. Seus tamanhos são normalizados pela NBR 10068. As folhas são as da série “A” (A0, A1, A2, A3 e A4). Cabe ao projetista escolher o tamanho de papel que mais se enquadra em seu projeto, esta decisão é influenciada pela escala do projeto e pelo seu tamanho real. Abaixo temos as dimensões dos papeis da série “A” em ordem crescente de tamanho, sendo que o formato A0 é o de maior tamanho e equivale a uma folha de um metro quadrado.

FORMATO A4 A3 A2 A1 A0

LARGURA (mm) 210 295 420 594 841

ALTURA (mm) 297 420 594 841 1189

Alguns autores incluem o formato A5 (148mm por 210mm) mas este formato não é abordado na NBR, e claro que por se tratar de um papel pequeno não é utilizado para se executar desenhos técnicos. As escalas serão discutidas posteriormente e o leitor notará que um quadrado de 30 metros na escala de 1/100 não poderia ser desenhado em uma folha A4 nem mesmo A3, pois seriam necessários 30 centímetros ou 300 milímetros de papel. Ao considerarmos as [29]


margens e a legenda do projeto precisaríamos obviamente de mais espaço, desta forma a folha para se desenhar este quadrado é uma do formato A2. Agora que falamos das margens e da legenda...

A legenda é um quadro onde se coloca as informações essenciais à identificação do projeto, tais como número de registro, título, profissionais responsáveis e entre outros. A figura acima ilustra a legenda de um trabalho acadêmico de topografia. Mais a frente quando estudarmos projetos de arquitetura veremos mais detalhes sobre as legendas. A legenda deve estar localizada dentro do quadro de desenho localizada no canto inferior direito tanto em folhas horizontais como verticais. Sua largura varia de acordo com o formato do papel. A norma recomenda 178mm para formato A4, A3 e A2 e 175mm para formatos A1 e A0.

[30]


Os caracteres do carimbo, das cotas (que veremos adiante) e dos demais elementos de um desenho devem ser executados conforme a NBR 8402. Hoje os softwares de desenho praticamente dispensam a necessidade de se consultar esta norma. Mas é claro que não custa nada dar uma olhadinha em suas determinações. Os caracteres basicamente devem ser legíveis e uniformes. Até algum tempo atrás nossos colegas (por sorte só fui obrigado a desenhar a mão na faculdade) usavam normógrafos ou os chamados “aranhas” que são gabaritos geralmente feitos de plástico eu facilitavam a execução da escrita técnica. Hoje, nós temos os editores de texto que garantem que os caracteres estejam de acordo com a norma, ou seja, são legíveis e uniformes. Abaixo temos exemplo de um texto, ele foi executado usando o AutoCAD 2012 da Autodesk usando a fonte ISOCP.TTF

Margens conforme a NBR 10068 são limitadas pelo contorno externo da folha e quadro. É dentro do quadro onde se realiza o desenho.

[31]


As larguras das margens e a espessura das linhas também variam de acordo com os formatos dos papéis de acordo com a tabela a seguir:

Margem (mm) Formato Esquerda Direita A0 25 10 A1 25 10 A2 25 7 A3 25 7 A4 25 7

Largura da linha do quadrado, conforme NBR 8403. (mm) 1,4 1 0,7 0,5 0,5

Outra NBR importantíssima trata do dobramento destas folhas é a NBR 13142. Acredite! Até a forma de dobrarmos estas folhas seguem um parâmetro da ABNT. A norma na verdade trata do dobramento de cópias, acredito que por se tratar de uma época de desenhos manuais, afinal sabemos que hoje os originais ficam no computador onde são desenhados. Mas [32]


por via das dúvidas tenha em mente que os originais não são dobrados e sim enrolados. Após serem dobradas, a legenda ou o carimbo deve ficar visível. Quando houver necessidade de serem perfuradas as folhas A1, A2 e A0 devem ser feitas orelhas (canto superior esquerdo) para facilitar o arquivamento. Uma folha do formato A3 que mede 295 por 420mm para ser arquivada deve ser dobrada até adquirir o tamanho da folha A4 que mede 210 por 297mm. Para que seja possível este procedimento devese proceder da seguinte maneira:

Os demais formatos também devem ser dobrados até adquirirem o formato A4.

[33]


[34]


Exercícios Propostos 1- Todas as cópias de um desenho devem ser dobradas até adquirirem qual formato da série “A”? 2- Defina quadro, limite do papel, margem e espaço para desenho. 3- Quais as características básicas dos caracteres em desenho?

[35]


Questões de concursos 9- (GSP) De acordo com a NBR 10068/87, o papel utilizado para desenho técnico deve ter os formatos da série “A”. A folha de dimensões X = 420 mm e Y = 594 mm corresponde ao formato A- A0. B- A1. C- A2. D- A3. E- A4.

10-

(SPT) O formato de papel da série A, com dimensões 210 x 297 mm, é o: A- A0. B- A1. C- A3. D- A4.

11-

(IFAL) A planta baixa do pavimento tipo de um edifício tem formato retangular e cotas 24.00m x 16.00m. A escala utilizada para o desenho foi a de 1:25. Dentre as opções abaixo, qual o formato de papel, segundo a NBR 10068, que devo utilizar como prancha de desenho para a planta baixa acima especificada,

[36]


sabendo que é necessário computar o espaço das margens e do carimbo com os dados do projeto, desenhista e projetistas? A- Formato A1 B- Formato A2 C- Formato A3 D- Formato A4 E- Formato A0

12-

(PMSJC) Assinale a alternativa correta relativa à margem, ou seja, ao espaço entre a moldura e o limite da folha e a legenda, em desenho técnico. A- Independentemente do tamanho do papel, a margem deve ser de 10 mm e a legenda deve ter tamanho limitado para aumentar a área útil do desenho. B- O papel A1, se utilizado para desenhos de plantas ou topografia, não necessita de margem nem de legenda. C- No papel A3, a margem deve ser de, no mínimo, 15 mm, e a legenda tem limite em uma folha A4, para a realização da dobradura da folha. D- No papel A4, a margem deve ser de, no mínimo, 10 mm, e a legenda não possui limite de tamanho, pois esse papel não é dobrado.

[37]


E- No papel A4, a margem deve ser de, no mínimo, 10 mm, com exceção do lado esquerdo da folha, para permitir a furação para armazenamento.

13-

(PMMC) Sobre o formato A0do papel, assinale a alternativa CORRETA. A- É um retângulo harmônico, com área de 1,000m². B- É um retângulo harmônico, com área de 1,189m². C- É um retângulo harmônico, com área de 0,841m2. D- É um retângulo harmônico, com área de 0,594m².

14-

(INEA) De acordo com a NBR 10068/1987 (Folha de desenho – layoute dimensões), a largura da margem esquerda nas folhas com formato variando do A0 ao A4 A- Vale 10mm para qualquer dos formatos. B- Vale 25mm para qualquer dos formatos. C- Vale 35mm para qualquer dos formatos. D- Varia de 7 a 10 mm, dependendo do formato. E- Varia de 10 a 25 mm, dependendo do formato.

15-

(IFPE) Um dos componentes básicos do material de desenho é o papel. Ele tem um formato padronizado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), denominado de A0 (A Zero).

[38]


Com relação às suas derivações, assinale a alternativa NÃO verdadeira: A- O formato A1 com 0,5 m² deriva do formato A0 e possui dimensões de 594 cm x 841 cm. B- O formato A4 deve possuir margem direita de 7 mm e margem esquerda de 25mm. C- O formato de papel A0 tem dimensões de 841 mm x 1.189mm. D- A margem direita do formato A2 deve ser 7 mm. E- O formato A3 tem dimensões de 297 mm x 420 mm.

16-

(IFPE) Analise as normas referente à execução de caracteres para escrita em desenho técnico a seguir.

I. A largura de linha para letras maiúsculas dever ser o dobro em relação à letra minúscula. II. A escrita deve ser legível, uniforme e se adequar à microfilmagem e a outros processos de reprodução. III. A escrita pode ser vertical ou inclinada, em um ângulo de 75º para a direita em relação à vertical. IV. Os caracteres devem ser escritos de forma que as linhas se cruzem ou se toquem, aproximadamente em ângulo reto. Está(ão) correta(s), apenas: A- II, III e IV [39]


B- I C- I e IV D- I e II E- II e IV

17-

(DAESCS) O tamanho do papel dos desenhos, quando impressos, deve seguir uma normatização. Abaixo apresentamos um esquema dos mais diversos formatos de papel. Com respeito a esta formatação e a figura abaixo, analise as alternativas abaixo e assinale a INCORRETA.

A) O número 2 representa o formato A4, que representa metade do formato A2. B) O número 3 representa o formato A1. C) O número 1 representa o formato A2. D) O número 3 tem aproximadamente o dobro de tamanho daquela que leva o número 1. [40]


18-

(PMI-SE) Os limites das áreas úteis das folhas a serem utilizadas em todo desenho técnico estão estabelecidos através de margens recomendadas na NBR 10068. Marque a alternativa INCORRETA para a medida das margens recomendadas ao formato descrito:

A) Formato A0: 25mm e 10mm B) Formato A4: 25mm e 7mm C) Formato A1: 25mm e 10mm D) Formato A3: 25mm e 10mm E) Formato A2: 25mm e 7mm (PML-SE) Segundo a NBR 10068/87 – Folha para desenho

19-

técnico, a maior dimensão de formato de papel é (A) A0 (B) A1 (C) A2 (D) A3 (E) A4

20-

(PML-SE) O canto inferior direito das folhas de desenho deve ser reservado ao carimbo destinado à legenda de titulação e

[41]


numeração dos desenhos. Devendo constar as seguintes informações, EXCETO (A) identificação da empresa e do profissional responsável pelo projeto. (B) identificação do cliente, nome do projeto ou do empreendimento. (C) título do desenho. (D) número da ART. (E) identificação do desenhista.

21-

(IFAM) A NBR 10068/87(folha de desenho, leiaute e dimensões), tem como objetivo padronizar as características dimensionais das folhas em branco e pré-impressas a serem aplicadas em todos os desenhos técnicos. Devem ser utilizados os formatos de papel da série A, formato A0 como máximo e A4 como

mínimo,

para

evitar

problemas

de

manuseio

e

arquivamento. Assinale a opção que define as dimensões da folha A2: a) 295mm x 420mm. b) 841mm x 590mm. c) 420mm x 594mm. d) 425mm x 590mm. e) 841mm x 1189mm.

[42]


22-

(PMSL) As dimensões normatizadas do papel formato A0 são

a) 148mm x 210mm. b) 594mm x 841mm. c) 841mm x 1189mm. d) 420mm x 594mm. e) 210mm x 297mm.

23-

(FESP-RJ) O carimbo inferior direito das folhas de desenho deve ser reservado ao carimbo destinado à legenda de titulação e numeração dos desenhos. Uma informação que deve localizar-se próxima a esse carimbo é: A) escalas B) planta-chave C) data D) indicação de revisão E) indicação sequencial do projeto.

24-

(FESP-RJ) Observe a figura abaixo, que apresenta um tipo de papel padronizado pela ABNT e a maneira como ele deve ser dobrado.

[43]


Esse papel é do tipo:

A) A0 B) A1 C) A2 D) A3 E) A4

25-

(ELETROSUL) As assertivas a seguir apresentam dimensões, em milímetros, dos formatos de folhas de série. Analise tais assertivas e assinale a alternativa que aponta as dimensões que não estão de acordo com o tamanho padrão.

I. A0 = 841 X 1189. II. A1 = 594 X 841.

[44]


III. A2 = 420 X 594. IV. A3 = 210 X 297. V. A4 = 297 X 420. a) Apenas I e II. b) Apenas IV e V. c) Apenas II e III. d) Apenas III e IV. e) Apenas V.

26-

(IFPB) A norma NBR 10068/1987 padroniza as

características dimensionais e layouts das folhas em branco a serem aplicadas em desenhos técnicos. Marque a alternativa que apresenta as medidas determinadas para o formato A-1 e a posição indicada para a legenda. MARGEM

A) B) C) D) E)

DEMAIS

TAMANHO ESQUERDA MARGENS POSIÇÃO DA LEGENDA 420 x 297 20mm 7mm Depende da empresa 594 x 420 25mm 7mm Em qualquer posição 594 x 841 25mm 10mm canto inferior direito 420 x 841 20mm 10mm Em qualquer posição 297 x 841 25mm 10mm canto inferior esquerdo

[45]


CAPÍTULO 3 ESCALAS E TIPOS DE LINHAS EMPREGADAS EM DESENHOS

Para se desenhar utilizamos diversas linhas que diferem entre si de acordo com a função que exercem em um desenho. Imagine que você esteja sobrevoando uma residência, e veja a figura abaixo:

Note que algumas linhas são mais grossas que outras. Note que algumas linhas são continuas, outras são tracejadas e outras são traço e ponto. Porque não se executar o desenho usando apenas linhas contínuas de mesma espessura? A NBR 8403 nos dá uma resposta satisfatória. Isto é porque, como cada tipo de linha e cada espessura exercem funções diferentes é evidente que uma linha tracejada ( contínua (

) e uma linha

) exercem funções distintas. No desenho

acima, por exemplo, a linha tracejada informa que se trata de objetos [46]


não visíveis, ou seja, a alvenaria que esta abaixo do telhado, por exemplo. E as linhas contínuas informam contornos ou arestas visíveis ao observador e sua espessura indica que quanto mais grossa a linha mais próxima está ela do observador. Lembre-se que você está sobrevoando a residência e consequentemente está vendo-a de cima. Vejamos os tipos de linhas e suas finalidades:

LINHA

DENOMINAÇÃO

APLICAÇÃO GERAL Contínua larga Contornos e aresta visíveis Linhas de interseção imaginárias Contínua estreita Linhas de cotas Linhas auxiliares Linhas de chamadas Hachuras Contornos de seções rebatidas na própria vista Linhas de centros curtas Continua estreita a Limites de vistas mão livre ou cortes parciais ou interrompidas se o limite não coincidir com [47]


linhas traço e ponto. Esta linha Continua estreita destina-se a em ziguezague desenhos confeccionados por máquinas Tracejada larga Contornos não visíveis Tracejada estreita Arestas não visíveis Contornos não visíveis Arestas não visíveis Linhas de centro Traço e ponto Linhas de estreita simetria Trajetórias Planos de cortes Traço e ponto estreita, larga nas extremidades e na mudança de direção Indicação das Traço e ponto largo linhas ou superfícies com indicação especial Contornos de peças adjacentes Traço dois pontos Posição limite estreita de peças móveis Linhas de centro de gravidade [48]


Cantos antes da conformação Detalhes situados antes do plano de corte Adaptado de ABNT, NBR 8403. Se ocorrer coincidência de duas ou mais linhas de diferentes tipos, devem ser observados os seguintes aspectos, em ordem de prioridade: 1) arestas e contornos visíveis (linha contínua larga); 2) arestas e contornos não visíveis (linha tracejada); 3) superfícies de cortes e seções (traço e ponto estreitos, larga nas extremidades e na mudança de direção) 4) linhas de centro (traço e ponto estreita) 5) linhas de centro de gravidade (traço e dois pontos); 6) linhas de cota e auxiliar (linha contínua estreita).

Os desenhos manuais nos oferecem poucas opções para as espessuras de linhas, já os softwares nos oferecem inúmeras. A figura abaixo mostra uma janela do AutoCAD onde se configuram as espessuras das linhas.

[49]


Para ter acesso a esta janela basta digitar na barra de comandos: “LINEWEIGH”. No entanto, algumas informações sobre softwares serão abordadas mais adiante. Escalas:

A escala de um desenho deve ser empregada conforme NBR 8196. De acordo com a norma existem três tipos de escalas: a) ESCALA 1:1, para desenhos em tamanhos reais. b) ESCALA X:1, para desenhos ampliados (onde x>1) c) ESCALA 1:X, para desenhos reduzidos (onde X>1) O termo “ESCALA” pode ser abreviado por “ESC” (maiúsculos em ambos os casos). A escala deve vir indicada na legenda. O exemplo abaixo mostra um desenho com escalas [50]


diferentes, estas devem vir então indicadas junto ao detalhe e na legenda deve vir indicada a escala geral.

Imagine que você tenha que por no papel o desenho de uma casa que mede 15m por 20m. E que você tenha optado por usar um papel de tamanho A4. Como proceder? Como já sabemos o tamanho de nossa residência e o tamanho do papel A4 (210mm por 297mm) basta calcularmos a escala que é a relação entre a representação gráfica sobre a o tamanho real:

Onde: d é a representação gráfica. D é o tamanho real do objeto a ser representado. Sabemos que o tamanho X de nosso papel é 297mm, e o tamanho de nosso projeto é 20m.

[51]


Sabemos também que o tamanho y de nosso papel é 210mm, e o tamanho de nosso projeto é 15m.

É recomendado então usar a ESCALA 1:70 para executar este desenho, o que significa que cada centímetro no desenho equivale a 70cm no projeto real. Lembre-se que é necessário considerar o espaço para as margens e para a legenda do projeto.

Exercícios Propostos 1-Explique de acordo com a NBR 8403 o uso das linhas no desenho abaixo:

[52]


2- Na ilustração mostrada anteriormente, porque não se usou apenas linhas continuas? 3-Defina escala e indique qual a folha da série “A” necessária para que um objeto que mede 30m de largura por 30 de comprimento usando a escala de 1/25.

Questões de concursos

27-

(IFRS) Uma sala mede (8,20 x 5,80) m. Considerando que um desenho feito na escala de 1:50, as medidas da sala no desenho serão de: A- 13,9 cm x 9,7 cm. B- 14,1 cm x 10,2 cm. C- 16,4 cm x 11,6 cm. D- 17,8 cm x 12,1 cm. E- 18,5 cm x 13,8 cm.

28-

(SPT) As escalas usualmente empregadas em cortes transversal e longitudinal são: A) 1:20 e 1:25. B) 1:200 e 1:250. C) 1:750 e 1:1000. D) 1:50 e 1:100. [53]


29-

(SABESP) O projeto arquitetônico de um edifício comercial de 33 m de altura será apresentado em um desenho com escala igual a 1:200. A altura da medida gráfica do edifício, em centímetros, é igual a A- 1,65. B- 66,0. C- 16,5. D- 6,6. E- 15,0.

30-

(SABESP) Em uma carta geográfica cuja escala é 1:50.000, a distância entre dois pontos de interesse para o projeto é de 8 cm. A distância real entre esses dois pontos é, em km, de A- 4. B- 0,4. C- 40. D- 6,75. E- 0,675.

31-

(IFAL) Analise estas sentenças, tomando como base a Norma (NBR) 8403/1984 e Marque a alternativa correta.

[54]


I-

No desenho técnico a projeção da coberta em uma planta baixa será indicada por linha traço e dois pontos estreita.

II-

Linhas traço e ponto largasão usadas para definição de planos de corte.

III-

Linha traço e ponto estreita, larga nas extremidades e na mudança de direção, deve ser usada com linha de definição de planos de corte.

IV-

Projeções de contornos e arestas não visíveis devem ser desenhadas com linhas tracejadas.

V-

Linha traço e ponto estreitaé usada para indicar centro de gravidade.

A- I, III e IV são verdadeiras. B- II, III e IV são verdadeiras. C- I. IV e V são verdadeiras. D- I, II e V são verdadeiras. E- Todas são falsas.

32-

(IFAL) Um objeto foi desenhado no formato A2 e em escala de 1:25. O desenho é, em seguida, reduzido a metade para ser inserido no formato A4. Qual a nova escala do desenho? A- 1:100 B- 1:20 C- 1:50 D- 1:10 [55]


E- 1:75

33-

(IFAL) Das opções abaixo, qual determina a escala que deve ser utilizada para que o comprimento de um muro de 3.75 metros seja representado graficamente por um segmento de reta de 15 cm? A- 1:200. B- 1:2. C- 1:10. D- 1:25. E- 1:75.

34-

(IFAL) Qual a escala em que pode ser desenhado um galpão que mede 60.00m X 75.00m para que ele caiba, como desenho, numa folha de papel formato A3? A- 1:100; B- 1:50; C- 1:250; D- 1:75; E- 1:10

[56]


35-

(IFAL) Quanto mede o comprimento de um muro que é representado no desenho por um segmento de reta com 3 cm, sabendo-se que a escala utilizada para o desenho foi a de 1:200 ? A- 600 m; B- 6 m; C- 60 cm; D- 0,6 cm; E- 60 m

36-

(IFAL) As cotas de uma janela são as seguintes: (1,20x1,00x0,90). Sendo essa janela desenhada na escala 1:25, quantos centímetros de desenho irão corresponder à largura dessa esquadria na escala real? A- 48 cm B- 4,8 cm C- 0,48 cm D- 4,00m E- 48 m

37-

(IFAL) Antes de iniciarmos um desenho utilizando o programa de computador AutoCAD, faz-se necessário configurar as camadas. Camadas são grupos de elementos do desenho que recebem configurações de cores, espessuras e tipos de linhas

[57]


específicos. Com base na NBR 8403 (norma da ABNT referente à Aplicação de linhas em desenho - Tipos de linhas - Larguras de linhas) quais são as configurações corretas para inserirmos nos quadros 1,2,3 e 4 da figura abaixo?

Assinale a opção correta: A- 1- Traço e ponto, linha estreita; 2- Traço e ponto, linha estreita, larga nas extremidades; 3- traço e ponto (linha estreita); 4- linha contínua e estreita. B- 1- Traço dois pontos (linha estreita); 2- Traço e ponto, linha estreita, larga nas extremidades; 3- traço e ponto (linha estreita); 4- linha contínua e estreita.

[58]


C- 1- Tracejada com linha larga; 2- Traço e ponto, linha estreita, larga nas extremidades; 3- traço e ponto (linha estreita); 4linha contínua e estreita. D- 1- Traço e ponto, linha estreita; 2- Traço dois pontos linha estreita; 3- traço e ponto (linha estreita); 4- linha contínua e estreita. E- 1- Traço dois pontos (linha estreita); 2- Traço e ponto, linha estreita, larga nas extremidades; 3- traço e ponto (linha estreita); 4- tracejada estreita.

38-

(SPT) Na representação gráfica de arquitetura, traço e dois pontos, representam as linhas de: A- Cotas. B- Eixo ou coordenadas. C- Projeção. D- Internas.

39-

(PMMC) Deseja-se desenhar um muro com 30 (trinta) metros de comprimento e 3 (três) metros de altura em um papel com formato A3. Nesse caso, qual a escala deveria ser usada? A- 1:20. B- 1:25. C- 1:50. D- 1:100. [59]


40-

(PMMC) A escala numérica é representada pela expressão X:Y, então X:1 é A- Uma escala de redução. B- Uma escala utilizada nos desenhos topográficos. C- Uma escala de ampliação. D- Uma escala utilizada na confecção de mapas de estados e países.

41-

(PMMC) Para se obter o tamanho do desenho, é mais prática a utilização do fator de escala, multiplicando-se ou dividindo-se o tamanho do objeto real. No caso da escala 1:200, o que deverá ser feito? A- Multiplicar por 0,50 ou dividir por 2,00. B- Multiplicar por 2,00 ou dividir por 0,50. C- Multiplicar por 5,00 ou dividir por 20,00 D- Multiplicar por 20,00 ou dividir por 5,00.

42-

INEA) Para fazer um desenho na escala 1/20 conta-se apenas com uma régua graduada em centímetros. Para desenhar uma linha com 2,40m nessa escala, deve-se usar a medida na régua graduada em centímetros correspondente a: A- 1,2

[60]


B- 4,8 C- 12,0 D- 24,0 E-

43-

48,0

(IFPE) No que diz respeito às linhas para utilização em desenho técnico, assinale a alternativa NÃO correta: A- Usa-se traço e ponto estreita, larga nas extremidades e na mudança de direção em Planos de Cortes. B- Utiliza-se a linha Traço dois pontos estreitapara planos de corte. C- A linha contínua estreita em ziguezaguedeve ser aplicada em desenhos confeccionados por máquinas. D- As linhas de cotas devem ser confeccionadas com linha contínua estreita. E- A linha Traço e Ponto estreita é indicada para aplicação em linhas de centro, linhas de simetrias e em trajetórias.

44-

(IFPE) Determine a área de um terreno em forma de um losango, cuja diagonal maior mede 30m e sua diagonal menor mede 23m. A- 170,0m² B- 690m² C- 172,5m² [61]


D- 862,5m² E- 345m²

45-

(IFPE) O volume de um cone que possui 10 cm de diâmetro e altura de 15cm, é:

A- 785,5ml B- 392,5ml C- 784,5ml D- 345,5ml E- 492,5ml 46-

(IFPE) Na aplicação das linhas em desenhos, ocorrendo coincidência de linhas diferentes, deve-se dar prioridade a:

I. Linhas de cota(contínua estreita). II. Arestas e contornos visíveis(linha contínua larga). III. Linhas de centro(traço-ponto estreita). IV. Superfícies de cortes e seções(traço-ponto estreita, larga nas extremidades e nas mudanças de direção). V. Arestas e contornos não visíveis(linha tracejada). A ordem correta de prioridade é: A- II, V, IV, III e I B- II, IV, V, III e I C- I, II, III, IV e V [62]


D- IV, III, II, V e I E- II, V, III, I e IV

47-

(IFRN) Um arquiteto necessita representar uma edificação cujo terreno tem formato retangular e mede 10 metros x 20 metros. Considerando que esse profissional dispõe de um papel de formato retangular com medidas iguais a 297 milímetros x 420 milímetros, a escala que deve ser empregada para cumprir adequadamente essa tarefa é: A- 20:1. B- 100:1. C- 1:100 D- 1:20.

48-

(IFSC) Em se tratando das Normas da ABNT para os tipos de linhas e aplicações é INCORRETOafirmar: A- Para diferentes vistas de uma peça, desenhadas numa mesma escala, as larguras das linhas não precisa ser conservada. B- São vários os tipos de linhas, entre estes está a contínua estreita para linhas auxiliares, cotagem, hachuras entre outras aplicações. C- A largura das linhas deve ser escolhida conforme o tipo, dimensão, escala e densidade. [63]


D- Para diferentes vistas de uma peça, desenhadas numa mesma escala, as larguras das linhas deve ser conservada.

49-

(IFSC) A escala é a relação que indica a proporção entre cada medida do desenho e a sua dimensão real no objeto. Frente a isso é correto afirmar: A- A escala numérica só pode ser utilizada para redução. B- As escalas são classificadas em numéricas e gráficas. C- A escala gráfica só pode ser utilizada para redução. D- Todas as alternativas estão incorretas.

50-

(DAESCS) Abaixo apresentamos uma das formas pelas quais as escalas são representadas, Com respeito à figura, analise as alternativas abaixo e escolha a INCORRETA.

A) Cada um dos 5 seguimentos que compõem o esquema representa uma dimensão 100 vezes menor que a verdadeira ou real. B) Ao se comparar todo o esquema acima (5 seguimentos) a uma parte do desenho, conclui-se que o que se deseja representar neste é 100 vezes maior que o desenhado.

[64]


C) Ao se deparar com o esquema acima grafado em um desenho, podemos afirmar que cada um dos 5 seguimentos representa, no desenho, 1cm e, na realidade, 1 m. D) Este tipo de representação gráfica, para estimativas de tomadas de medida, dispensa a utilização de um escalímetro, uma vez que se podem tomar medidas por comparação.

51-

(DAESCS) A maioria dos desenhos é elaborada em dimensões diferentes da realidade. Nestes casos, define-se uma relação de proporcionalidade entre as medidas reais e aquelas representadas no papel. Com respeito a esta questão, analise as alternativas abaixo e escolha a INCORRETA.

A) A esta proporcionalidade ou razão damos o nome em desenho técnico de “escala”. B) Um desenho executado na escala 1:100 é 100 vezes menor que o objeto que se procurou desenhar. C) Quanto maior o denominador da escala, menores serão os detalhes possíveis de serem desenhados. D) Para transformar um desenho na escala 1:25 em um na escala 1:50 basta duplicar as duas dimensões.

52-

(DAESCS) Em desenho técnico, há uma padronização de formatos de linhas para a representação de cada detalhe do desenho. Escolha a alternativa correta em relação ao tipo de linha [65]


que deve ser utilizado para a representação de linhas de eixos ou coordenadas. A) Traço e dois pontos. B) Traço e ponto. C) Tracejada. D) Pontilhada.

53-

(IFAM) A NBR 8403/84, que trata de aplicação de linhas em desenhos, tipos de linhas e largura das linhas, tem como objetivo fixar os tipos e o escalonamento de larguras de linhas para uso em desenho técnico. Assinale a alternativa que define a aplicação geral da linha denominada “traço e ponto estreita”, conforme o seguinte desenho:

a) Linhas de centro, linhas de simetrias, trajetórias. b) Planos de corte, linhas de cota. c) Linhas auxiliares, linhas de cota, arestas visíveis. d) Contornos não visíveis. e) Contorno de peças adjacentes, posição limite de peças móveis, planos de corte.

54-

(IFMT) Com base na definição: Escala é a relação entre cada medida do desenho e a dimensão real do objeto, assinale a escala [66]


que será utilizada para representar uma piscina de 20m × 10m de medida real em 16cm × 8cm no desenho. (A) 1/250 (B) 1/125 (C) 1/100 (D) 1/200

55-

(FESP-RJ) Observe os tipos de linhas apresentados abaixo

Os tipos de linhas mostrados acima, são utilizadas respetivamente para representar: A) linhas de centro de gravidade, linhas de simetria e arestas não visíveis. B) trajetórias, posição limite de peças móveis e linhas auxiliares. C) planos de corte, linhas de centro curtas e arestas não visíveis. D) hachuras, contornos não visíveis e linhas de chamada. E) linhas de interseção imaginárias, linhas de cotas e planos de cortes.

[67]


56-

(PMC-SP) Assinale a alternativa que representa uma linha não utilizada em desenho técnico.

a) Linha contínua estreita. b) Linha tracejada estreita. c) Linha quebrada estreita. d) Nenhuma das alternativas estão corretas

57-

(ELETROSUL) Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas.

I. Linha contínua larga é utilizada em contornos visíveis e arestas visíveis. II. Linha tracejada larga é utilizada em contornos não visíveis e arestas não visíveis. III. Linha contínua estreita em ziguezague é utilizada em limites de vistas ou cortes parciais. IV. Linha traço dois pontos estreita é utilizada em indicação das linhas ou superfícies com indicação especial. a) Apenas I e II. b) Apenas II e III. c) Apenas III e IV. d) Apenas I, II e III. e) I , II, III e IV. [68]


58-

(ELETROSUL) Considere a NBR8196, que fixa as condições exigíveis para o emprego de escalas e suas designações em desenhos técnicos. Nos requisitos gerais, sabe-se que a designação escala 1:1, indica a escala natural do objeto. Já a escala X:1 indica

a) escala de redução, (X > 1). b) escala de redução, (X <1). c) escala de ampliação, (X <1). d) escala de ampliação, (X > 1). e) (X=1).

59-

(ELETROSUL) De acordo com a NBR8196, a escala 1:X indica

a) escala de ampliação, (X > 1). b) escala de ampliação, (X <1). c) escala de redução, (X > 1). d) escala de redução, (X <1). e) ( X = 0 ).

60-

(ELETROSUL) Em relação às escalas de um desenho técnico, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas.

I. Existem três tipos de escala: natural, de redução e de ampliação.

[69]


II. Escala natural é aquela em que o tamanho do desenho técnico é igual ao tamanho real da peça. III. A escala de redução é aquela em que o tamanho do desenho técnico é menor que o tamanho real da peça. IV. A escala de ampliação é aquela em que o tamanho do desenho técnico é maior ou igual que o tamanho real da peça. a) Apenas I e III. b) Apenas I, II e III. c) Apenas III e IV. d) Apenas I e IV. e) Apenas II, III e IV.

[70]


CAPÍTULO 4 COTAGEM DE DESENHOS

Vimos até agora que para executar um desenho é preciso saber o seu formato, mas alem disso, é essencial conhecer seus materiais e claro o seu dimensionamento. Para cotarmos ou dimensionarmos um desenho técnico é fundamental seguir as recomendações da NBR 10126. De acordo com a NBR, cotar significa representar graficamente características do elemento através de linhas, símbolos, notas e valores numéricos. A norma recomenda que as cotas devem ser localizadas na vista ou corte mais importante, isto é, na vista que represente de forma mais clara o elemento, geralmente é a vista frontal. As cotas devem ser feitas diretamente no desenho. Devem ser feitas apenas as cotas necessárias à interpretação do desenho, devendo, portanto evitar sua repetição. Elementos essenciais à cotagem. Linhas auxiliares e cotas. As linhas auxiliares devem se estender ligeiramente além da linha de cota, deve ser deixado um pequeno espaço entre a linha auxiliar e o desenho, esta linha não deve tocar no desenho.

[71]


Linhas auxiliares devem ser perpendiculares ao desenho, mas quando necessário podem estar obliquas ao desenho formando um ângulo de 60º.

Linhas auxiliares e cotas não devem tocar outras linhas, quando isto acontecer elas não poderão ser interrompidas mesmo que o desejo seja.

As linhas de centro não poderão ser utilizadas como linhas de cotas, mas poderão ser utilizadas como linhas auxiliares, quando isto

[72]


ocorrer as linhas de centro (representada por traço ponto) deverão ser prolongadas até a linha de cota.

Os limites das linhas de cotas são representados através de setas ou traços oblíquos.

As setas devem ter angulação de 15º podendo ser aberta ou fechada. Quando se optar pelo uso do traço o mesmo devera ter inclinação de 45º. A indicação de limite de linha de cota deve ter o mesmo tamanho para um mesmo desenho. Para um mesmo desenho deverá ser utilizada a mesma forma de representação salvo quando não houver espaço para se fazer isto.

[73]


Exercícios propostos 1- O que significar cotar um desenho? 2- Quais elementos fundamentais para se cotar um desenho? 3- De acordo com a NBR 8403 qual deve ser o tipo de linha usado para se cotar desenhos técnicos? Questões de concurso

61-

(IFAL) São várias as normas da ABNT destinadas ao desenho técnico

e

ao

desenho

de

arquitetura.

A

NBR

10126

especificamente é referente à cotagem. À luz da NBR 10126, julgue as assertivas descritas abaixo: I. Todas as cotas de um desenho devem ser escritas na mesma unidade; II. Os elementos que compõem a cotagem são: linha de cota, linha auxiliar ou linha de chamada, linha de limite de cota e cota; III. O cruzamento das linhas de cota e auxiliares deve ser evitado, porém caso isso aconteça as referidas linhas devem ser interrompidas no ponto de cruzamento. E assinale a opção correta: A- Todas as assertivas estão corretas. B- Todas as assertivas estão incorretas; C- Apenas as assertivas II, III são falsas. D- Apenas as assertivas I e II são falsas. E- Apenas as assertivas I, II são verdadeiras.

[74]


62-

(PMMC) Sobre cotas, assinale a alternativa INCORRETA. A- As fachadas ou vistas de uma planta arquitetônica não são cotadas. B- As cotas são as dimensões do objeto real. C- As cotas são as dimensões do desenho arquitetônico. D- As cotas são expressas em números utilizando-se duas casas decimais sem estarem seguidas de unidades de medidas.

63-

(FUMEC) Cotagem é o processo de adição de anotações de medida a um desenho. Você pode criar cotas para uma variedade de tipos de objeto em muitas orientações. Os tipos mais básicos de cotas são: A- ponto, plano e letra. B- diâmetro, linha, reta, radical C- metro, adição, medida, texto D- linear, radial, angular, Ordinate, Arc Length

64-

(IFPE) Com relação à cotagem dos desenhos técnicos, é correto afirmar: A- Podemos cotar um desenho de forma que as linhas de cotas sejam interrompidas, preferencialmente no meio, para inscrição da cota.

[75]


B- Os limites da linha de cota são feitos utilizando-se setas, traços oblíquos ou pontos. C- As

cotas

somente

devem

ser

localizadas

acima

e

paralelamente às suas linhas de cotas e no centro. D- Os símbolos de diâmetro devem preceder à cota e nunca serem omitidos, identificando, assim, a forma do elemento cotado. E- A cotagem nunca deve ser feita na vista, mas sempre localizada no corte que represente mais claramente o elemento cotado.

65-

(IFPE) A respeito de cotagem em desenho técnico, analise as proposições abaixo.

I. São elementos de cotagem, a linha de cota, limite da linha de cota e a cota. II. As linhas auxiliares devem ser contínuas, estreitas, sendo prolongadas ligeiramente além da respectiva linha de cota. III. As linhas auxiliares sempre deverão ser perpendiculares ao elemento cotado. Está(ão) correta(s), apenas: A- II e III B- I C- I e II [76]


D- II E- I e III

66-

(IFRN) O corte adequadamente cotado está desenhado em

67-

(IFSC) A forma pela qual passamos aos desenhos as informações referentes ás dimensões reais do projeto se dá pela cotagem. Sobre cotas é correto afirmar:

I. Na hora de cotar, deve-se ter o cuidado de não apresentar num mesmo desenho, duas unidades diferentes, centímetros e metros por exemplo. [77]


II. As cotas de um desenho ou projeto devem ser expressas em uma única unidade de medida. III. As cotas devem ser escritas sem o símbolo da unidade de medida (m, mm ou cm). A seqüência correta é: A- Todas as alternativas estão erradas. B- Somente as alternativas II e III estão corretas. C- Todas as alternativas estão corretas. D- Somente a alternativa I está correta.

68-

(IFSC) Algumas peças apresentam elementos específicos, como partes arredondadas, esféricas, entre outras. Nestes casos existe uma cotagem especial, dentro disso é incorretoafirmar: A- Para peças muito grandes parte delas são suprimidas do desenho e a cotagem é indicada como se a peça estivesse inteira. B- Em geral, os desenhos técnicos devem conter as três cotas básicas da peça: comprimento, largura e altura. Mas, existem casos em que as medidas dos elementos já determinam as cotas básicas. C- A cotagem dos elementos esféricos é feita por meio da medida de seus diâmetros ou de seus raios. D- Às vezes, os elementos representados no desenho técnico são muito pequenos e o espaço para indicação da cotagem é muito [78]


reduzido. Nestes casos, é obrigatória a redução gráfica do valor que representa a cota. Pois as linhas de cota não devem aparecer fora dos espaços.

69-

(IFSC) Em relação as regras de colocação de cotas:

I. As linhas de chamada devem ultrapassar levemente as linhas de cota e também deve haver um pequeno espaço entre a linha do elemento dimensionado e a linha de chamada. II. As linhas de chamada devem ser preferencialmente perpendiculares ao ponto cotado. III. Os elementos que limitam a cota (setas ou traços) sempre devem ficar por dentro da linha de chamada. A seqüência correta é: A- Somente a alternativa II está correta. B- Somente a alternativa I e III está correta. C- Somente as alternativas I e II estão corretas. D- Somente a alternativa III está correta.

70-

(IFSC) Sobre desenho técnico assinale V para verdadeiro e F para falso.

( ) A unidade de medida padrão para o desenho técnico é o milímetro. ( ) As linhas de extensão são traçadas paralelamente às dimensões cotadas.

[79]


( ) As cotas devem ser colocadas seguindo a leitura da esquerda para direita e de baixo para cima. ( ) O número que exprime o valor da cota pode ser escrito acima da linha de cota ou em intervalo aberto por uma interrupção da linha de cota, equidistante aos extremos. A ordem de cima para baixo é: A- V, F, V, V. B- V, V, V, V. C- V, F, V, F. D- V, V, V, F.

71-

(IFSC) A cotagem tem por objetivo a determinação do tamanho da peça e localização exata de seus detalhes. Para cotar uma peça é preciso:

I. As linhas de cota. II. As linhas de extensão. III. Valor numérico das cotas. A seqüência correta é: A- I, II e III. B- Apenas I e II. C- Apenas I e III. D- Apenas II e III.

[80]


72-

(PML-SE) NBR 10126/87 - Cotagem em desenho técnico, existem dois métodos de cotagem, mas somente um deles deve ser utilizado num mesmo desenho, portanto sobre o assunto, assinale a alternativa correta.

(A) Cotagem simplificativa é uma simplificação da cotagem em paralelo e pode ser utilizada onde há limitação de espaço e não haja problema de interpretação. (B) As cotas devem ser localizadas acima e paralelamente às suas linhas de cotas e preferivelmente no centro. (C) As cotas devem ser escritas de modo que possam ser lidas da base e/ou lado esquerdo do desenho. (D) As cotas devem ser lidas da base da folha de papel e as linhas de cotas devem ser interrompidas, preferivelmente no extremo, para inscrição da cota. (E) Cotagem por elemento de referência pode ser executada como cotagem em perpendicular ou cotagem aditiva.

73-

(IFAM) As cotas devem ser indicadas em metro (m) para as dimensões iguais e superiores a 1m e em centímetro (cm) para as dimensões inferiores a 1m e os milímetros (mm) devem ser indicados como se fossem expoentes. Na NBR 6492/94, que trata da representação de projetos de arquitetura, as cotas devem, ainda, atender algumas prescrições. Assinale a opção incorreta:

[81]


a) As linhas de cota devem estar sempre fora do desenho, salvo em casos de impossibilidade. b) As linhas de chamada devem parar de 2mm a 3mm do ponto dimensionado. c) As cifras devem ter 3mm de altura, e o espaço entre elas e a linha de cota deve ser de 1,5mm. d) Quando a dimensão a cotar não permitir a cota na sua espessura, colocar a cota ao lado, indicando seu local exato com uma linha. e) Nos cortes, somente marcar cotas horizontais.

74-

(IFNMG) A indicação dos limites da linha de cota é feita por meio de setas ou traços oblíquos. Quando a representação é por meio de traço oblíquo, este é desenhado com uma linha curta e inclinada a:

[A] 15°. [B] 25°. [C] 35°. [D] 45°.

[82]


75-

(IFNMG)

A figura acima representa uma cotagem: [A] Em cadeia. [B] Por elemento de referência. [C] Por coordenadas. [D] Combinada.

76-

(ELETROSUL) Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as INCORRETAS. Sabe-se que é imprescindível para o técnico em desenho conhecer os conteúdos relacionados à função da peça. O não conhecimento pode ocasionar problemas de cotagem. De acordo com essa afirmação, de maneira geral, podese afirmar que uma peça

I. Não deve nunca ser considerada como isolada; ela faz parte de um conjunto no qual deve assumir uma determinada função; [83]


II. Não deve ser executada segundo um determinado processo tecnológico de fabricação (estabelecido pelo ciclo de trabalho) de maneira mais econômica possível; III. Não deve necessariamente ser controlada durante e no final da execução de modo a garantir a correspondência entre o desenho e produto acabado. a) Apenas I. b) Apenas II. c) Apenas III. d) Apenas a II e III. e) Apenas a I e III.

77-

(IFPB) A cotagem em desenho arquitetônico segue

uma série de padrões definidos pela normaNBR 6492/1994, que são necessários para melhor interpretação do desenho e perfeita confecção da construção. Considere os itens abaixo: I As cotas de níveis são sempre em centímetro. II As cifras devem ter 3mm de altura, e o espaço entre elas e a linha de cota deve ser de 1,5mm. As linhas de chamada devem parar de 2mm a 3mm do ponto dimensionado. III Nos cortes, somente marcar cotas verticais. Ao se cotar esquadrias elas devem ser indicadas no vão acabado. IV As cotas devem ser indicadas em metro, para as dimensões iguais e superiores a um metro, em centímetros para as dimensões inferiores a [84]


um metro, e os milímetros devem ser indicados como se fossem expoentes. V As linhas de cotas devem estar sempre fora do desenho. Assim sendo, é correto afirmar: a) ( ) Os itens I, III e V estão corretos b) ( ) Somente o item V está correto c) ( ) Os itens II,III e IV estão corretos. d) ( ) Os itens I, II e V estão corretos e) ( ) Todos os itens estão correto.

[85]


CAPÍTULO 5 PRINCÍPIOS GERAIS DE REPRESENTAÇÃO Da geometria descritiva temos que a interceptação de um plano vertical com um plano horizontal formam quatro porções chamadas diedros. Em desenho técnico são usados apenas o 1º e o 3º diedro para se projetar.

A norma que trata dos princípios gerais para a representação em desenho técnico é a NBR 10067. No Brasil usamos o 1º diedro também chamado de sistema europeu de representação. O 3º diedro também é conhecido como sistema americano de representação. As figuras abaixo representam quando o desenho foi projetado no 1º ou 3º diedro.

[86]


Desenhos técnicos devem ser produzidos na cor preta, quando for necessário a inclusão de novas cores as mesmas devem vir explicadas através de legendas.

Entender estes procedimentos fica mais simples quando imaginamos um cubo e o planificamos. Se dentro deste cubo colocarmos um objeto qualquer entenderemos a diferença entre representar nestes dois diedros.

[87]


O primeiro cubo planificado nos mostra como ficará a representação no primeiro diedro, já a segunda planificação do cubo no mostra a representação no terceiro diedro. Tais procedimentos nos ajuda a entendermos as posições relativas das vistas.

[88]


Até agora para esta peça bastante simples fizemos seis desenhos. Na pratica sabemos que nem sempre é necessário este numero todo de ilustrações. Dependendo da peça serão necessários mais desenhos, outras necessitarão apenas de duas ou até mesmo um único desenho para ser bem representado. Algumas peças nem mesmo necessite que se a desenhem por completo como é o caso da peça abaixo:

[89]


Exercícios propostos 1- Em geometria descritiva temos quatro diedros. Em desenho técnico quais são utilizados para a execução de desenhos? 2- Execute as seis vistas do desenho abaixo usando o primeiro e o terceiro diedros.

Questões de concursos 78-

(IFAL) Segundo a Norma (NBR) 10067 de maio de 1995

[90]


I. A figura 1 indica representação da projeção ortográfica no primeiro diedro e a figura 2, no segundo diedro; II. A figura 1 indica representação da projeção ortográfica no terceiro diedro e a figura 2, no quarto diedro; III. A figura 1 indica representação da projeção ortográfica no primeiro diedro. IV. A figura 2 indica representação da projeção ortográfica no terceiro diedro. V. As figuras 1 e 2 representam projeções no segundo e quarto diedros respectivamente. A- A alternativa I está correta. B- A alternativa II está correta. C- As alternativas III e IV estão corretas. D- A alternativa III está correta. E- A alternativa V está correta.

79-

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que completa corretamente a frase. “O desenho técnico é representado na cor __________. Se houver necessidade de outras cores para [91]


melhor esclarecimento do desenho, o seu significado deve ser mencionado em legenda. A- Azul. B- Verde C- Preta D- Marrom

80-

(INEA) De acordo com a NBR 10067/1995 (Princípios gerais de representação em desenho técnico), a representação de um detalhe que será desenhado em escala ampliada e identificada é a indicada na figura

[92]


81-

(IFPE) Observe as trĂŞs vistas abaixo.

O nome do corte AA estĂĄ indicado na alternativa: A- Meio-corte. B- Corte parcial. C- Corte em desvio. D- Corte total. E- Corte rebatido.

[93]


82-

(IFPE) De acordo com as Normas Técnicas da ABNT, assinale a alternativa correta sobre a representação do desenho a seguir.

A- A forma da peça não pode ser interpretada sem a vista lateral. B- As hachuras indicam que o material da peça é de aço carbono. C- A peça é simétrica, logo poderia ser representada em meio corte. D- A representação da peça está em corte parcial. E- A

simbologia

de

diâmetro

representação.

[94]

não

é

necessária

nesta


83-

(IFPE) Segundo as Normas Técnicas da ABNT, sobre o desenho a seguir, é correto afirmar:

A- A omissão das linhas tracejadas prejudicou a cotagem. B- A parte cortada deveria estar posicionada acima da linha de simetria. C- Apresenta um conjunto com duas peças de metal concêntricas. D- A cota de 60 é uma cota parcial e serve apenas para evitar cálculo. E- É impossível determinar a localização dos 4 furos de Ø10 com apenas uma vista.

[95]


84-

(IFPE) Qual dos cortes abaixo corresponde Ă sua respectiva linha de corte?

A- A-A B- B-B C- C-C D- D-D E- E-E

85-

(IFPE) A vista frontal e a vista superior do desenho a seguir estĂŁo representadas, respectivamente, em [96]


a) corte total e vista parcial. b) corte total e meia vista. c) corte total e detalhe. d) meio corte e vista parcial. e) meio corte e meia vista.

86-

(IFRN) A norma geral de desenho técnico, elaborada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, quanto ao aspecto geométrico, classifica-o em desenho projetivo e não-projetivo. Assinale a opção em que todos os exemplos dados correspondem ao desenho projetivo. A- Desenho isométrico, fluxograma de uma empresa e vistas ortográficas principais no primeiro diedro. B- Desenho isométrico de um componente eletrônico, vista frontal de uma peça mecânica e planta baixa de uma edificação. [97]


C- Desenho geométrico, geometria plana e desenho descritivo. D- Triângulos e quadriláteros, perspectiva cavaleira e corte longitudinal de uma peça mecânica.

87-

(IFRN)

A

contraporca

abaixo

está,

especificamente,

representada pelo Desenho Técnico em:

A- Meio- corte. B- Perspectivaisométrica. C- Corte em desvio. D- Vista ortográfica.

88-

(IFSC) Quando a peça a ser desenhada possui muitos detalhes internos e/ou invisíveis, as projeções ortogonais terão muitas linhas tracejadas e poderão dificultar a interpretação do desenho. Para facilitar a interpretação dos detalhes internos se utiliza as vistas em corte. Dentro disso é correto afirmar:

[98]


A- Onde houver intersecção do plano secante com a peça serão colocadas hachuras. B- O desenho de linha de corte nunca pode ser dispensado, mesmo em peças simples onde sua localização é obvia. C- Linhas tracejadas são usadas nas vistas em corte. Sendo as arestas invisíveis favorecidas por estas. D- A linha utilizada para indicar o local onde a peça será cortada, linha de corte, é uma linha grossa constituída apenas de traços.

89-

(DAESCS) Observe a figura abaixo e escolha a alternativa correta.

[99]


A) Como há 3 ângulos de vista, trata-se de um estudo para se executar uma perspectiva. B) Trata-se de um exemplo de um objeto e suas projeções ortogonais. C) Como os observadores se encontram em faces ortogonais ao objeto, não podemos classificá-la como uma projeção ortogonal. D) Pelo ângulo do observador superior, é uma projeção ortogonal do objeto; já pelos ângulos dos dois demais observadores, são perspectivas.

90-

(PML-SE) Seguindo a NBR 10.647/89 de Desenho técnico, a representação gráfica de uma sequência de operações é um:

(A) fluxograma. (B) esquema. (C) gráfico. (D) ábaco. (E) esboço.

91-

(PML-SE) Analise as assertivas e assinale a alternativa correta.

I. Desenho projetivo: Desenho resultante de projeções do objeto sobre um ou mais planos que fazem coincidir com o próprio desenho.

[100]


II. Vistas ortográficas: Figuras resultantes de projeção cilíndrica ou cônica, sobre um único plano, com a finalidade de permitir uma percepção mais fácil da forma do objeto. III. Perspectivas: Resultantes de projeções cilíndricas ortogonais do objeto, sobre planos convenientemente escolhidos, de modo a representar, com exatidão, a forma do mesmo com seus detalhes. (A) I, II e III estão corretas. (B) I, II e III estão incorretas. (C) Apenas I está correta. (D) Apenas II está correta. (E) Apenas III está correta.

92-

(IFAM) De acordo com a NBR 10647/89, que trata do desenho técnico, assinale a alternativa que define um desenho preliminar:

a) Desenho integrante da solução final do projeto, contendo os elementos necessários a sua compreensão. b) Desenho não obrigatoriamente em escala, confeccionado normalmente à mão livre e contendo todas as informações necessárias à sua finalidade. c) Representação gráfica aplicada habitualmente aos estágios iniciais de elaboração de um projeto, podendo, entretanto, servir ainda à representação de elementos existentes ou à execução de obras. [101]


d) Representação gráfica empregada nos estágios intermediários da elaboração do projeto, sujeita ainda a alterações e que corresponde ao anteprojeto. e) Nenhuma das respostas anteriores.

93-

(IFAM) De acordo com a NBR 10647/89, que trata do desenho técnico, quanto ao aspecto geométrico, o desenho projetivo é resultante de projeções do objeto sobre um ou mais planos

que

fazem

coincidir

com

o

próprio

desenho,

compreendendo vistas ortográficas e perspectivas. Assinale a opção que define perspectiva: a) Figura resultante de projeção cilíndrica ou cônica, sobre um único plano, com a finalidade de permitir uma percepção mais fácil da forma do objeto. b) Figura que representa não a forma dos objetos, mas as suas relações e funções. c) Figura resultante de projeções cilíndricas ortogonais do objeto, sobre planos convenientemente escolhidos, de modo a representar, com exatidão, a forma do mesmo com seus detalhes. d) Figura, na qual valores funcionais são representados em um sistema de coordenadas.

[102]


e) Figura com curvas apropriadas, mediante o qual se podem obter as soluções de uma equação determinada pelo simples traçado de uma ou mais retas.

94-

(IFAM) De acordo com a NBR 10067/95, que trata dos princípios gerais de representação em desenho técnico, assinale a alternativa em que a denominação não se encaixa para as vistas:

a) Vista frontal. b) Vista posterior. c) Vista lateral esquerda. d) Vista superior. e) Vista inferior direita.

95-

(IFMT) As normas de Desenho Técnico fixam a utilização das projeções ortogonais utilizando os princípios da Geometria Descritiva. Observe as figuras abaixo.

[103]


A partir das vistas ortogrรกficas, marque a peรงa correspondente.

[104]


96-

(FESP-RJ) De acordo com a NBR 8403, sobre a aplicação de linhas em desenhos técnicos, as canetas técnicas devem ser identificadas com cores de acordo com as larguras das linhas. Assim, as canetas para traçar linhas com largura 0,13mm, 0,70mm e 1,00mm são identificadas, respectivamente, pelas cores:

A) lilás, branco e laranja B) branco, lilás e amarelo C) lilás, azul e laranja D) branco, azul e amarelo E) azul, lilás e laranja

97-

(PMC-SP) As seguintes normas se aplicam diretamente ao desenho técnico no Brasil: NBR 10067 – Princípios Gerais de Representação em Desenho Técnico e NBR 10126 – Cotagem em Desenho Técnico. Assinale a alternativa que não representa normas complementares ao desenho técnico no Brasil.

a) NBR 8402 – Execução de Caracteres para Escrita em Desenhos Técnicos b) NBR 8403 – Aplicação de Linhas em Desenho Técnico c) NBR 12296 – Representação de Área de Corte por Meio de Hachuras em Desenho Técnico. d) Nenhuma das alternativas estão corretas. [105]


98-

(ELETROSUL) De acordo com NBR10067, que tem por objetivo fixar a forma de representação aplicada em desenho técnico, assinale a alternativa que apresenta todos os tipos de vistas que um desenho pode apresentar.

a) Vista frontal e vista superior. b) Vista frontal, vista superior e vista lateral. c) Vista frontal, vista superior, vista lateral esquerda e vista lateral direita. d) Vista frontal, vista superior, vista lateral esquerda, vista lateral direita e vista inferior. e) Vista frontal, vista superior, vista lateral esquerda, vista lateral direita, vista inferior e vista posterior.

99-

(IFSC) Em peças simétricas é conveniente fazer com que o plano de corte vá somente até a metade da peça - este é o Meio Corte. Em relação a ele é correto afirmar: A- Só representa a parte interna do objeto. B- Além da parte interna este corte representa também a parte externa. C- Neste corte, diferente do corte total, não se deve representar as arestas invisíveis. D- É o único corte que divide ao meio o objeto.

[106]


100-

(ELETROSUL) Analise as assertivas e assinale a alternativa

que aponta o número de assertivas corretas. I. O desenho técnico permite, portanto, por meio de um conjunto de linhas, números, símbolos e indicações escritas, fornecer informações sobre a função, forma e dimensões, trabalho e material de um dado objeto que poderá ser executado sem contato direto entre projetista e executante. II. A execução correta de um desenho técnico pressupõe, portanto, da parte de quem o executa, o conhecimento de todas as normas que foram elaboradas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, sempre de acordo com a ISO, e que consideram todos os elementos que intervêm na elaboração do desenho. III. A geometria descritiva é a base geométrica para realizar projeções de objetos bidimensionais. Esta base é usada no desenho técnico. IV. Para localizar um objeto no espaço, é necessário apenas um sistema de eixos que indiquem o sentido e a direção de cada coordenada. V. A Comissão Técnica da ISO (InternationalOrganization for Standadization) normalizou a forma de utilização da Geometria Descritiva como a linguagem gráfica da engenharia e da arquitetura, chamando-a de Desenho Técnico. a) 4. b) 2. [107]


c) 3. d) 1. e) 0.

101-

(ELETROSUL) Analise as figuras a seguir e assinale a

alternativa que aponta corretamente os respectivos tipos de corte.

a) (I) Meio corte; (II) corte parcial ou ruptura; (III) corte total. b) (I) Corte parcial ou ruptura; (II) meio corte; (III) corte total. c) (I) Corte total; (II) meio corte; (III) corte parcial ou ruptura. d) (I) Meio corte; (II) corte total; (III) corte parcial ou ruptura. e) (I) Corte total; (II) corte parcial ou ruptura; (III) meio corte. [108]


CAPÍTULO 6 PERSPECTIVA

Perspectiva é uma forma de representação gráfica dos objetos cujo objetivo e apresentar o objeto mais perto de sua forma real, isto é tridimensional através de uma única só vista. A NBR 1047, define perspectiva como - figuras resultantes de projeção cilíndrica ou cônica, sobre um único plano, com a finalidade de permitir uma percepção mais fácil da forma do objeto.

PERSPECTIVA ISOMÉTRICA Neste tipo de perspectiva o objeto é representado de modo que seja possível demonstrar três de suas faces, geralmente é a face superior, lateral esquerda e frontal. O desenho é ligado sobre três eixos (eixos axonométricos), que formam entre si ângulos de 120º.

[109]


Os eixos OX, OY e OZ nos fornecem suporte para traçar três dimensões

importantes

em

um

desenho

tridimensional:

o

comprimento, a largura e altura. No papel, o eixo Oz forma um ângulo vertical de 90º. Os eixos Ox e Oy formam ângulos de 30º e geralmente para traçá-los usamos os esquadros. Nota: Uma

perspectiva

isometria

para

ser

executada deve ser considerada um fator de redução de 0,816. Quando este fator é ignorado passamos a chamar de desenho isométrico, apesar de usualmente empregarmos o termo perspectiva. Uma representação em perspectiva provoca uma certa deformação visual, para corrigi-la usamos um fator de redução igual a 0,816. Quando não usamos este fator. Tracemos a perspectiva isométrica da seguinte figura:

- Primeiro, sobre o eixo Ox devemos traçar a largura da peça. - Posteriormente traçamos o comprimento sobre o eixo Ou. [110]


- Em seguida devemos traçar a altura da peça sobre o eixo oz. Para se executar uma perspectiva isométrica de uma peça com elementos oblíquos partimos do mesmo princípio de traçar a altura, largura e comprimento da peça, buscando traçar os elementos oblíquos da peça por último.

O traçado de uma perspectiva isométrica de peças com circunferências não difere tanto dos métodos vistos até agora. A perspectiva de uma circunferência é uma elipse. Ao se traçar este tipo de perspectiva recomenda-se que trace um quadrado e insira posteriormente uma elipse dentro dele. Existem instrumentos, como gabaritos que facilitam este trabalho. - Primeiro, tracemos um quadrado isométrico (ABCD) cujo lado seja igual ao diâmetro da circunferência. - Tracemos pontos médios entre os quatro lados do quadrado.

[111]


PERSPECTIVA CAVALEIRA Nesta perspectiva também são mostradas três faces do objeto sendo que uma das vistas é mostrada de frente em verdadeira grandeza, isto é, a vista se apresenta paralela ao plano de projeção. Já as demais vistas são representadas inclinadas (oblíquas), estas vistas apresentam-se inclinadas sob um ângulo (α) e precisam deste modo de um coeficiente de alteração (k). Este coeficiente (k) depende do ângulo de inclinação das demais vistas.

[112]


Para as perspectivas cavaleiras mostrada acima, temos respectivamente k igual a 1/3, 1/2 e 2/3.

PERSPECTIVA CÔNICA

Este tipo de perspectiva é bastante utilizado pro arquitetos, designers e diversos outros profissionais principalmente para se desenhar interiores.

Disponível em http://www.belasartes.br/portfolio/suzanagimenez/> acessado em 27 de janeiro de 2016.

[113]


Exercícios propostos 1- Defina perspectiva. 2- Explique a diferença entre um desenho isométrico e uma perspectiva isométrica.

Questões de concursos 102-

(PMMC) Marque a alternativa CORRETA.Dada a

perspectiva abaixo, pode-se afirmar que a vista superior mostrada pelo número 1 (um) é:

A) Letra A. B) Letra B. C) Letra C. D) Letra D. [114]


103-

(PMMC) Marque a alternativa CORRETA.A figura

da tesoura abaixo está em que tipo de perspectiva?

A) Cavaleira. B) Exata. C) Isométrica. D) Real.

104-

(PMMC) Marque a alternativa CORRETA.

Na perspectiva isométrica, qual é o ângulo formado entre as arestas frontais? A) 120 graus. B) 90 graus. C) 60 graus. D) 45 graus.

[115]


105-

(IFPE) Sobre o desenho em perspectiva isométrica abaixo,

correlacionado com os eixos isométricos x, y e z, é correto afirmar que todas as linhas apresentadas são:

A- Oblíqua a todos os eixos. B- Isométricas. C- Não isométricas. D- Paralelas a um dos eixos. E- Isométricas ou não isométricas.

106-

(IFPE)

Qual

apresentadasabaixo

ou

quais

pode(m)

das ser

quatro

perspectivas

identificada(s)

correspondente(s) à representação ortográfica a seguir?

[116]

como


A- 3 e 4 B- 2 e 4 C- 1 e 2 D- 1 e 3 E- 1

107-

(IFRN) No desenho da perspectiva cavaleira tem-se

A- Dois eixos das dimensões formando ângulos de 60º entre si. B- Eixos das dimensões formando ângulos iguais entre si. C- Dois eixos das dimensões formando o ângulo de 30º entre si. D- Eixos das dimensões podendo formar dois ângulos iguais.

[117]


108-

(IFRN) A perspectiva abaixo corresponde à peça representada

pelo desenho das vistas ortográficas principais no 1º diedro, em

[118]


109-

(IFSC) A perspectiva é uma representação gráfica que visa

planificar objetos que se apresentam de forma tridimensional. Frente a isso é coreto afirmar: A- Existem apenas dois tipos de perspectiva axonométrica: a Isométrica e Cavaleira. B- A perspectiva axonométrica é uma projeção cilíndrica ortogonal sobre um plano oblíquo em relação a três dimensões. C- A perspectiva isométrica é uma projeção que pressupõe o observador no infinito e, em conseqüência, utiliza os raios paralelos e oblíquos ao plano do quadro. D- A perspectiva cavaleira é também chamada de perspectiva cavalheira, onde a projeção ortogonal é feita sobre um plano perpendicular à diagonal de um cubo, onde as arestas são paralelas aos três eixos principais.

110-

(IFMT) Perspectiva é a representação gráfica das três

dimensões (comprimento, largura e altura) do objeto em um único plano, de maneira a transmitir ideia de profundidade e relevo. É o método para representar em planos bidimensionais (como o papel) situações tridimensionais. A respeito da perspectiva cônica, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.

[119]


( ) A Perspectiva Cônica tem como referência a linha do horizonte e um ou mais pontos de fuga localizados nessa linha para causar o efeito de profundidade. ( ) Linha de Terra é a intersecção do plano horizontal com o plano vertical e fica na altura dos olhos do observador. ( ) A altura do objeto em Verdadeira Grandeza é marcada na Linha do Horizonte. ( ) A distância entre a Linha de Terra e a Linha do Horizonte representa a altura do observador. Assinale a sequência correta. (A) V, F, V, F (B) F, V, V, V (C) F, V, F, F (D) V, F, F, V

111-

(IFMT) Na Perspectiva Cavaleira, o objeto representado tem

sempre uma face paralela ao plano de projeção, aparecendo em Verdadeira Grandeza, e as retas projetantes são oblíquas em relação a essa face. Observe a figura e considere que todas as faces do objeto real têm as mesmas dimensões.

[120]


A partir da Perspectiva Cavaleira a 30º, assinale a alternativa que apresenta a medida x referente ao tamanho das retas projetantes em perspectiva. (A) 6,00 m (B) 2,00 m (C) 3,00 m (D) 4,00 m

112-

(PMC-SP) Partindo de um ponto de vista do objeto pela sua

face frontal, a perspectiva__________ é o produto da rotação do objeto em 45º em torno do eixo vertical, sendo logo após inclinado para a frente, de forma que as medidas de todas as arestas reduzem-se à mesma escala. Nesta configuração os eixos ortogonais serão encontrados com ângulos de 120º entre si. Assinale a alternativa que corresponde a lacuna. a) Isométrica. [121]


b) Cavaleira. c) Trimétrica. d) Nenhuma das alternativas estão corretas.

113-

(ELETROSUL) “Perspectiva consiste na representação plana

de um objeto tridimensional, da maneira como é visto pelo observador. Existem diferentes tipos de perspectiva”. Assinale a alternativa que identifica os tipos de perspectivas presentes.

a) Perspectiva lateral, perspectiva frontal e perspectiva superior. b) Perspectiva frontal, perspectiva lateral e perspectiva superior. c) Perspectiva cavaleira, perspectiva cônica e perspectiva isométrica. d) Perspectiva cônica, perspectiva frontal e perspectiva cavaleira. e) Perspectiva cônica, perspectiva cavaleira e perspectiva isométrica.

[122]


CAPÍTULO 7 HACHURAS

Vimos no capítulo 5 que a cotagem é fundamental para a construção de uma peça. Neste capítulo veremos que conhecer o material para construí-lo também é importantíssimo. A representação de um material é feito através de hachuras, que são linhas ou figuras cujo objetivo principal é representar os tipos de materiais.

A norma de que trata as hachuras é a NBR 12298. Em suma, as hachuras devem ser traçadas em linhas estreitas de acordo com a NBR 8403. São formadas por linhas inclinadas a 45º em relação às linhas principais do contorno ou eixos de simetria. A distância entre as linhas de hachuras devem ser de no mínimo 0,7mm. Hachuras devem ser interrompidas quando houver a necessidade de se inserir cotas ou textos. [123]


A tabela a seguir apresenta as hachuras para diferentes materiais de acordo com a NBR, outras hachuras podem ser inseridas no desenho, desde que sejam identificadas.

[124]


Abaixo temos outras hachuras empregadas usualmente.

Exercícios propostos 1- Para que servem as hachuras em desenho técnico? 2- Em desenho técnico qual o tipo de linha utilizada para a representação de hachuras?

Questões de concursos 114-

(PMMC) A sequência dos desenhos abaixo representa, em

corte, quais os tipos de materiais de construção?

[125]


A- Concreto simples e armado, alvenaria de tijolo, aterro, alvenaria

de

pedra

bruta

e

concreto

ciclópico,

respectivamente. B- Concreto simples e armado, aterro, alvenaria de tijolo, concreto

ciclópico

e

alvenaria

de

pedra

bruta,

respectivamente. C- Concreto ciclópico, alvenaria de pedra bruta, aterro, concreto simples e armado e alvenaria de tijolo, respectivamente. D- Concreto ciclópico, aterro, alvenaria de tijolo, concreto

simples e armado e alvenaria de pedra bruta, respectivamente.

115-

(IFPE) Sobre as aplicações de hachuras em desenhos técnicos,

NÃO é correto afirmar: A- Em desenhos de conjunto, em peças adjacentes, as hachuras devem ser feitas em direções opostas, mas sempre com mesmo espaçamento. B- Havendo a necessidade de representar dois elementos alinhados, as hachuras devem ser feitas mantendo a mesma direção, porém com linhas desencontradas. C- São formadas por linhas inclinadas a 45º em relação àslinhas principais do contorno ou eixo de simetria.

[126]


D- As hachuras devem ser interrompidas, quando da necessidade de se escrever na área hachurada. E- As Normas Técnicas exibem algumas hachuras específicas, conforme o material, no entanto outras hachuras podem ser utilizadas, desde que identificadas.

116-

(IFPE) As hachuras são empregadas na área de corte para

identificar o tipo de material utilizado no elemento cortado. Na figura anterior, a hachura representada no corte AA indica que o material cortado é A- Sintéticos. B- Concreto. [127]


C- Madeira. D- Vidro. E- Metal.

117-

(IFPE) Assinale a alternativa não verdadeira, no que diz

respeito às hachuras usadas em desenho técnico: A- As peças compostas (soldadas, coladas, rebitadas ou remanchadas) devem ser feitas numa mesma direção. B- Devem ser representadas com linhas estreitas com ângulo de 45° em relação às linhas do contorno ou eixos de simetria. C- Utiliza-se a hachura na área próxima ao contorno, deixando a parte central em branco, quando a área de corte for muito grande. D- Em desenhos de conjunto, em peças adjacentes, as hachuras devem ser feitas em direções opostas ou com espaçamentos diferentes. E- Segundo as Normas Técnicas, o espaçamento mínimo entre as

hachuras deve ser 0,7mm.

118-

(IFNMG) Assinale a alternativa que preenche adequadamente

as lacunas abaixo. As hachuras podem ser ________ em seções de peças de espessuras finas. Nesse caso, a seção deve ser _______ . [128]


[A] feitas – redesenhada. [B] coloridas – redesenhada. [C] deixadas de lado – redesenhada. [D] omitidas – enegrecida.

119-

(IFNMG) Qual tipo de material a hachura da figura abaixo

representa?

[A] Elastômeros, vidros cerâmicos e rocha. [B] Madeira. [C] Concreto. [D] Terra.

120-

(FESP-RJ) Observe a figura abaixo, que indica a

representação em vista de dois materiais muito empregados em projetos de edificações.

Os materiais indicados pelo número (1) e pelo número (2) são, respectivamente:

[129]


A) concreto e madeira B) compensado de madeira e mĂĄrmore C) madeira e granito D) granito e compensado de madeira E) mĂĄrmore e madeira

[130]


CAPÍTULO 8 PROJETOS DE ARQUITETURA

As informações que vimos até aqui, a maioria, se aplicam ao desenho arquitetônico. A NBR 6492/1994 trata especificamente da representação de projetos de arquitetura. As normas vistas anteriormente se aplicam aos projetos de arquitetura, como os tipos de linhas, caracteres para escrita, cotagem, hachuras e escalas. Neste capítulo veremos algumas definições úteis a qualquer projetista da área de arquitetura e algumas determinações da ABNT para projetos de arquitetura. PLANTA DE SITUAÇÃO: este tipo de planta como o próprio nome sugere visa situar o terreno em relação aos demais terrenos que compõem a quadra.

[131]


A NBR 6492/1994 determina que estes projetos devem ter diversos itens, a planta de situação, por exemplo, deve conter: a) simbologias de representação gráfica, conforme as prescritas no Anexo; b) curvas de nível existentes e projetadas, além de eventual sistema de coordenadas referenciais; c) indicação do norte; d) vias de acesso ao conjunto, arruamento e logradouros adjacentes com os respectivos equipamentos urbanos; e) indicação das áreas a serem edificadas, com o contorno esquemático da cobertura das edificações; f) denominação dos diversos edifícios ou blocos; g) construções existentes, demolições ou remoções futuras, áreas nonaedificandi e restrições governamentais; h) escalas; i) notas gerais, desenhos de referência e carimbo. PLANTA DE LOCAÇÃO: esta planta tem a função de locar, isto é, inserir a edificação no terreno. Pode compreender outros projetos além do arquitetônico, como o elétrico, hidrossanitário, movimento de terra e outros.

[132]


PLANTA DE EDIFICAÇÃO: é a vista superior do plano horizontal que corta a edificação a 1,50m do piso em referencia.

[133]


As plantas, cortes e fachadas devem conter: a) simbologias de representação gráfica conforme as prescritas nesta Norma; b) indicação do norte; c) caracterização dos elementos do projeto: fechamentos externos e internos, acessos, circulações verticais e horizontais, áreas de serviço e demais elementos significativos; d) indicação dos nomes dos compartimentos; e) cotas gerais; f) cotas de níveis principais; g) escalas; h) notas gerais, desenhos de referência e carimbo.

CORTE: é o plano secante vertical que divide a edificação em dois, podendo então ser o corte longitudinal e vertical.

Os cortes devem conter: [134]


a) simbologias de representação gráfica conforme as prescritas nesta Norma; b) eixos do projeto; c) sistema estrutural; d) indicação das cotas verticais; e) indicação de cotas de nível em osso e acabado dos diversos pisos; f) caracterização dos elementos do projeto: - fechamentos externos e internos; - circulações verticais e horizontais; - áreas de instalações técnicas e de serviços; - cobertura/telhado e captação de águas pluviais; - forros e demais elementos significativos; g) denominação dos diversos compartimentos seccionados; h) escalas; i) notas gerais, desenhos de referência e carimbo; j) marcação dos cortes transversais nos cortes longitudinais e viceversa, podendo ainda ser indicadas as alturas das seções horizontais (planta da edificação).

[135]


FACHADA: é a representação externa da edificação.

ELEVAÇÕES: representação de elementos internos da edificação. DETALHES

OU

AMPLIAÇÕES:

representação

de

informações gráficas em uma escala adequada para que se facilite o seu entendimento. ESCALA: é a relação entre o objeto real e o representado. Em arquitetura geralmente se utilizam as escalas 1/2; 1/5; 1/10; 1/20; 1/25; 1/50; 1/75; 1/100; 1/200; 1/250 e 1/500. PROGRAMA DE NECESSIDADES: Expressão de metas e necessidades de clientes e futuros usuários da edificação. MEMORIAL JUSTIFICATIVO: É um texto que evidencia se o que foi almejado no programa de necessidades foi realizado.

[136]


DISCRIMINAÇÃO TÉCNICA: Documento escrito do projeto em que são definidos os materiais de construção a serem utilizados. ESPECIFICAÇÃO: Este documento visa fixar as características dos materiais e as técnicas a serem empregadas para a construção. LISTADEMATERIAIS: levantamento da quantidade de materiais a serem utilizados na construção. ORÇAMENTO: Levantamento dos custos e despesas envolvidos na produção da obra.

Exercícios propostos

1- Descreva resumidamente os diversos projetos de arquitetura descritos na NBR 6492/1994. 2- Descreva os elementos essenciais que devem estar presentes em um corte. 3- Descreva os elementos que não podem faltar em uma planta de uma edificação. 4- Quais as escalas recomendadas para a execução de um desenho arquitetônico pela NBR 6492? 5- Qual a diferença entre discriminação técnica e especificação?

[137]


Questões de concursos

121-

(PMMC) Sobre desenho arquitetônico, assinale a alternativa

INCORRETA. A- O projeto arquitetônico deve ter tantos cortes quantos forem necessários. B- O projeto arquitetônico dever ter, no máximo, dois cortes, um horizontal e outro transversal. C- A posição dos cortes é demarcada rigorosamente sobre a planta baixa. D- Os cortes devem sempre passar por um dos compartimentos cujas paredes são revestidas por cerâmica (banheiros, cozinhas, lavanderias, etc.).

122-

(PMMC)

Sobre

planta

baixa,

assinale

a

alternativa

INCORRETA. A) É a seção obtida fazendo-se passar um plano horizontal paralelo ao plano do piso, a uma altura tal que ele venha a cortar portas, janelas, paredes, etc., ficando bem assinaladas todas as particularidades da construção. B) É a seção em que se mostram todas as divisões de uma construção, inclusive os comprimentos e larguras de paredes. C) Na planta baixa, não se mostram os alicerces da construção.

[138]


D) É a seção obtida fazendo-se passar um plano horizontal paralelo ao plano do piso, a uma altura mínima, como se estivesse retirando as paredes e ficassem as suas marcas.

123-

(PMMC) Cada letra corresponde à estrutura externa de uma

cobertura de telhado, EXCETO

A) A = Ponto da cobertura. B) B = Rincão. C) C = Espigão. D) D = Beiral.

124-

(INEA)

[139]


O valor da área da sala que apresenta alvenarias com 0,15m de espessura, sendo uma delas fora de esquadro, conforme acima esquematizado, em m², é A- 75,00 B- 63,75 C- 51,00 D- 41,27 E- 37,50

125-

(INEA) Observe a planta abaixo esquematizada.

[140]


O desenho que esquematiza o corte 1 ĂŠ:

[141]


126-

(DAESCS) Analise a figura abaixo, sobre técnicas e

representações gráficas em desenho, e escolha a alternativa correta.

A) A letra C representa o tipo de peça que se está detalhando. B) A letra B representa o número do detalhe. C) As definições do que representam as letras A, B e C dependem de cada projetista. D) A letra A representa o número do detalhe e a letra B, onde este está desenhado.

127-

(PMI-SE) Com base ao recomendado na NBR 6492 –

Representação de Projetos de Arquitetura, analise as afirmativas acerca do que deverá conter as plantas de locação nos projetos de arquitetura na fase executiva:

[142]


I. Simbologias normatizadas; indicações de norte, vias de acesso e internas, estacionamento, áreas cobertas, telhados com a captação de águas pluviais, taludes e platôs, marcos topográficos; cotas gerais, níveis principais; denominação das edificações; escalas; desenhos de referência e carimbo. II. Curvas de nível existentes e projetadas; indicações de estacionamento, áreas cobertas, taludes e platôs, perímetro do terreno; limites externos das edificações: recuos e afastamentos, cotas verticais, eixos do projeto com amarração a um ponto de referência; denominação das edificações. III. Simbologias adequadas às normas; curvas de nível; indicações de norte, vias de acesso e internas, áreas cobertas, taludes e platôs, perímetro do terreno, marcos; recuos e afastamentos das edificações, cotas gerais, níveis; eixos do projeto e referências; denominações; escalas e carimbo. IV. Indicações de norte, vias de acesso, vias internas, estacionamento, áreas cobertas, taludes e platôs, perímetro do terreno, marcos topográficos; limites externos das edificações: recuos, afastamentos e sistema estrutural; cotas gerais, níveis principais e denominação das edificações. V. Simbologias gerais; curvas de nível existentes e projetadas; indicações de norte, vias, perímetro do terreno, marcos topográficos; cotas gerais, níveis; denominação das edificações com os nomes dos

[143]


compartimentos internos; escalas; notas gerais, desenhos de referência e carimbo. Marque a resposta correta: A) Todo conteúdo das afirmativas I e IV é indispensável a uma planta de locação. B) Todo conteúdo da afirmativa II é indispensável a uma planta de locação. C) Todo conteúdo da afirmativa III é indispensável a uma planta de locação. D) Todo conteúdo da afirmativa V é indispensável a uma planta de locação. E) O conteúdo das afirmativas I, II, III, IV e V são indispensáveis a uma planta de locação.

128-

(PMI-SE) Visualizando a figura apresentada, assinale a

alternativa correspondente ao desenho:

[144]


A) Planta de situação. B) Corte. C) Planta de locação. D) Planta baixa. E) Fachada.

129-

(PML-SE) A planta que compreende o partido arquitetônico

como um todo, em seus múltiplos aspectos. Podendo conter informações específicas em função do tipo e porte do programa, assim como para a finalidade a que se destina, denomina-se (A) Planta de locação. (B) Planta de edificação. [145]


(C) Planta de localização. (D) Planta de finalidade. (E) Planta de situação.

130-

(IFAM) De acordo com a NBR 6492/94 (representação de

projetos de arquitetura), o canto inferior direito as folhas de desenho deve ser reservado ao carimbo destinado à legenda de titulação e numeração dos desenhos. Assinale a alternativa sobre o que não deve constar no carimbo. a) Identificação da empresa e do profissional responsável pelo projeto. b) Identificação do cliente, nome do projeto ou do empreendimento. c) Programa de necessidades. d) Título do desenho. e) Indicação de revisão.

131-

(IFAM) A NBR 6492/94 (representação de projetos de

arquitetura), considera, de maneira geral, que o desenho à mão livre é a representação do projeto nas fases de: a) Anteprojeto e Projeto Executivo. b) Croquis e Estudo Preliminar. c) Croquis, Estudo Preliminar e Anteprojeto. d) Croquis e Anteprojeto.

[146]


e) Estudo Preliminar e Projeto Executivo.

132-

(IFAM) Segundo o livro “Desenho Arquitetônico” de Gildo

A. Montenegro, a escala é a relação entre cada medida do desenho e a sua dimensão real no objeto. Existem dois tipos de escala: numéricas (redução e ampliação) e gráficas (simples e transversais). Assinale a alternativa que indica quais são as escalas de

redução

mais

usuais

nos

desenhos

de

arquitetura,

recomendadas pela NBR 6492/94 (representação de projetos de arquitetura). a) 1/2, 1/5, 1/10, 1/20, 1/25, 1/50, 1/85, 1/100, 1/200, 1/250 e 1/500. b) 1/2, 1/5, 1/10, 1/20, 1/25, 1/50, 1/75, 1/100, 1/200, 1/250, 1/500, 2/1, 5/1, 10/1, 20/1 e 50/1. c) 1/10, 1/20, 1/30, 1/50, 1/100, 1/200, 1/300 e 1/500. d) 1/2, 1/5, 1/10, 1/20, 1/25, 1/50, 1/75, 1/100, 1/200, 1/250 e 1/500. e) 2/1, 5/1, 10/1, 20/1 e 50/1.

133-

(IFAM) A NBR 6492/94 (representação de projetos de

arquitetura), define os elementos básicos do projeto em peças gráficas e peças escritas. É considerada peça gráfica o que se apresenta em qual alternativa? a) Programa de necessidades.

[147]


b) Detalhes ou ampliações. c) Especificação. d) Memorial justificativo. e) Lista de Materiais.

134-

(IFAM) De acordo com a NBR 6492/94, que trata de

representação de projetos de arquitetura, o memorial justificativo é definido como: a)

Documento

preliminar

do

projeto

que

caracteriza

o

empreendimento ou o projeto objeto de estudo, que contém o levantamento das informações necessárias, incluindo a relação dos setores que o compõem, suas ligações, necessidades de área, características gerais e requisitos especiais, posturas municipais, códigos e normas pertinentes. b) Texto que evidencia o atendimento às condições estabelecidas no programa de necessidades. Apresenta o partido arquitetônico adotado que é definido no estudo preliminar. c) Tipo de norma destinada a fixar as características, condições ou requisitos exigíveis para matérias-primas, produtos semi-fabricados, elementos de construção, materiais ou produtos industriais semiacabados. d) Levantamento quantitativo de todo o material especificado no projeto, com as informações suficientes para a sua aquisição. [148]


e) Representação gráfica que evidencia o atendimento às condições estabelecidas no programa de necessidades. Apresenta o partido arquitetônico adotado que é definido no estudo preliminar.

135-

(IFAM) De acordo com a NBR 6492/94, que trata de

representação de projetos de arquitetura, a fachada é definida como: a) Representação gráfica de planos externos da edificação. b) Representação gráfica de detalhes construtivos da edificação. c) Representação gráfica que compreende o projeto como um todo. d) Representação gráfica de um plano secante vertical que divide a edificação em suas partes, seja no sentido longitudinal, seja no sentido transversal. e) Nenhum das respostas anteriores.

136-

(IFAM) De acordo com a NBR 6492/94, que trata de

representação de projetos de arquitetura, assinale a opção que não está de acordo em relação à caligrafia técnica recomendada pela norma: a) A altura mínima é de 3mm. b) A altura máxima é de 5mm. c) É recomendada a caligrafia inclinada. [149]


d) A dimensão das entrelinhas não deve ser inferior a 2mm. e) São recomendadas as letras sempre maiúsculas.

137-

(IFNMG) Corte parcial é o corte:

[A] Que mostra a intersecção de plano com um objeto em estudo. [B] Efetuado para evidenciar apenas um detalhe. [C] Realizado em toda a extensão do objeto. [D] Realizado em peças simétricas.

138-

(IFMT)

Por

definição,

escada

é

o

elemento

arquitetônico que possibilita a circulação em diferentes níveis de piso. Considerando-se pé–direito = 4,04 m, laje de 0,10 m, degraus com base de 0,27 m e espelhos com altura de 0,18 m, qual o número de espelhos e de bases, respectivamente, para vencer o desnível? (A) 23 e 23 (B) 22 e 23 (C) 23 e 22 (D) 22 e 22

[150]


[151]


139-

(IFMT) A representação correta do Corte AA (planta anterior)

é:

140-

(IFMT) A representação correta da Vista 01 (planta anterior)

é:

[152]


141-

(IFMT) A planta de cobertura representa graficamente o plano

horizontal superior da edificação. A figura abaixo apresenta uma planta de cobertura utilizando telha cerâmica com inclinação de 30% e dimensões em metro.

Qual a altura da cumeeira desse telhado? (A) 2,40 m (B) 1,20 m (C) 1,44 m (D) 2,88 m

[153]


142-

(PMSL) Com relação ao projeto de arquitetura, podemos

afirmar que: a) uma outra planta deve conter as áreas de cada compartimento em destaque. b) o desenho da planta é gerado pelo conjunto das vistas de fachada, lateral e as secções transversal e original. c) a planta, normalmente na escala 1:100, sempre exige um detalhe do banheiro ou área de serviço em outra escala. d) a partir da planta, contendo as dimensões do compartilhamento e espessura das paredes, desenha-se o restante do projeto. e) a planta de arquitetura deve indicar os pontos de luz e energia para orientação ao design de interiores.

143-

(FESP-RJ) Leia atentamente o texto abaixo.

“Os desenhos devem ser executados em papéis transparentes ou opacos, de resistência e durabilidade apropriadas. A escolha do tipo de papel deve ser feita em função dos objetivos, do tipo do projeto e das facilidades de reprodução.” (NBR 6492, 1994, Representação de projetos de arquitetura)

Deste modo, a alternativa que apresenta, respectivamente, um papel transparente e um opaco, é: A) canson e schoeller B) sulfite grosso e cronaflex [154]


C) manteiga e vegetal D) vegetal e schoeller E) manteiga e albanene

144-

(FESP-RJ) A planta de arquitetura que compreende o projeto

como um todo, contendo, além do projeto de arquitetura, as informações necessárias dos projetos complementares, tais como movimento de terra, arruamento, redes hidráulica, elétrica e de drenagem, é conhecida como planta de: A) situação. B) edificação. C) locação. D) acabamento. E) elevação.

145-

(FESP-RJ) De acordo com a NBR 6492, sobre a

representação de projetos de arquitetura, o projeto executivo deve conter de forma clara e organizada todas as informações necessárias à execução da obra e todos os serviços inerentes. Assim, os cortes e fachadas apresentadas no projeto executivo devem conter, respectivamente: A) a indicação de cotas de nível acabado e o sistema estrutural

[155]


B) a caracterização do sistema de captação de águas pluviais e a caracterização da cobertura/telhado C) a indicação de convenção gráfica dos materiais e a caracterização dos fechamentos internos e externos D) a indicação das cotas verticais e a caracterização dos forros E) o sistema estrutural e a marcação dos cortes longitudinais ou transversais

146-

(FESP-RJ) Deseja-se projetar uma escada com uma altura de

degrau de 18cm e pé-direito de 2,70m. Deste modo, o número de degraus nesta escada será de: A) 27 B) 18 C) 17 D) 16 E) 15

147-

(FESP-RJ) Conforme a NBR 6492/94, uma planta de situação

deve, obrigatoriamente, conter: A) indicação de norte B) fachadas C) plantas-baixas dos diversos pavimentos D) cortes longitudinais [156]


E) desenhos de detalhes

148-

(FESP-RJ) Dentre as diversas partes que formam o telhado, o

rincão é a: A) superfície plana inclinada de um telhado; B) projeção do telhado para fora do alinhamento da parede C) aresta horizontal delimitada pelo encontro entre duas águas, que geralmente está localizada na parte mais alta do telhado D) aresta inclinada delimitada pelo encontro entre duas águas que formam um ângulo reentrante, um captador de águas (também conhecido como água furtada) E) aresta inclinada delimitada pelo encontro entre duas águas que formam um ângulo saliente, um divisor de águas.

149-

(FESP-RJ) Numa estrutura de madeira treliçada de um

telhado, a viga vertical no centro do teto, que vai da cumeeira à trave horizontal da tesoura, denomina-se: A) perna B) pontalete C) pendural D) escora E) frechal

[157]


150-

(FESP-RJ) A parte de arremate dos vãos de portas ou janelas

que guarnece o vão e recebe as dobradiças, composta de duas umbreiras e uma pardieira, e onde se fixam as guarnições ou alisares é denominada: A) rebaixo B) aduela C) soco D) soleira E) folhas

151-

(FESP-RJ) Conforme a NBR 6492/94, os cortes devem

necessariamente conter: A) indicação de norte B) Indicação das cotas verticais C) Indicação dos materiais de acabamento utilizados D) Indicação das cotas horizontais E) Indicação de cotas pormenorizadas na fixação de todas as pacas e acessórios existentes.

152-

(FESP-RJ) Uma planta de cobertura de uma residência tem

por objetivo informar e definir: A) a área da residência B) o corte longitudinal [158]


C) a situação e locação do imóvel D) os caimentos e inclinações do telhado E) a posição das caixas de captação de águas pluviais

153-

(FESP-RJ) Num projeto de esgoto sanitário, I e II

representam:

A) I - esgoto primário e II – bulbo ventilador B) I - esgoto secundário e II - esgoto primário C) I - esgoto primário e II - esgoto secundário D) I – bulbo ventilador e II - esgoto secundário E) I - esgoto primário e II – tubo de queda

154-

(IFPB) Dado o desenho de uma coberta em estrutura de

madeira e telhado em telha canal, identifique os elementos que compõem a estrutura, de acordo com a sequência numérica.

[159]


1

2

3

4

5

6

7

8

A)

frechal

linha

asna

caibro

cumeeira

ripa

terça

pendural

B)

terça

asna

pendural

caibro

frechal

ripa

linha

Cumeeira

C)

cumeeira

pendural

asna

ripa

frechal

Linha

caibro

terça

D)

cumeeira

asna

pendural

ripa

terça

caibro

linha

frechal

E)

frechal

pendural

linha

caibro

terça

ripa

asna

cumeeira

155-

(IFPB) No desenho arquitetônico, cada tipo de linha possui

uma função e um significado. Assim, segundo a NBR 6492/1994 e a NBR 8403/1984, é incorreto afirmar: a) ( ) Para representar a projeção de uma coberta, na planta baixa, deverá ser empregada a linha tracejada. b) ( ) Para indicar planos de cortes, deverá ser empregada a linha traço e ponto estreito, larga nas extremidades e na mudança de direção. c) ( ) Para representar a projeção de um elemento além do plano do desenho, deverá ser empregada a linha traço e dois pontos. d) ( ) Para indicar os eixos de um projeto, se aplica a linha traço e ponto largo. e) ( ) Para indicar o contorno de uma edificação, na planta de coberta, deverá ser empregada a linha traço e dois pontos.

156-

(IFPB) Uma das representações geométricas do

projeto arquitetônico é o CORTE. Baseado no que determina a NBR

6492/1994,

é

INCORRETOAFIRMARque

representação geométrica, [160]

essa


a) ( ) é um plano secante vertical que divide a edificação em duas partes, seja no sentido longitudinal, seja no transversal. b) ( ) deve ser disposta de forma que o desenho mostre o máximo possível de detalhes construtivos c) ( ) não permite deslocamentos em seu plano secante, devendo ser assinalado, de maneira precisa, o seu início e final. d) ( ) deve indicar as medidas através das cotas de níveis e das cotas verticais. e) ( ) deve mostrar as alturas de portas e de janelas, a altura do pé direito e a cobertura/telhado.

157-

(IFPB) A projeção ortogonal intitulada FACHADA é

definida pela NBR 6492/1994 como a representação gráfica de planos externos da edificação. De acordo com a referida norma, na etapa do projeto executivo, marque, entre os itens descritos a seguir, os que devem ser representados nas fachadas. I Os cortes transversais e longitudinais. II Eixos de projeto III Indicação de cotas de nível acabado IV Sistema estrutural V Indicação de convenção gráfica de materiais. A partir das marcações, é possível dizer que: a) ( ) Os itens I, III e IV estão incorretos. b) ( ) Apenas o item IV está incorreto. [161]


c) ( ) Somente o item V está correto. d) ( ) Os itens I, II e V estão corretos. e) ( ) Todos os itens estão incorretos.

158-

(IFPB) Qual dos requisitos abaixo NÃO DIZ

RESPEITOa representação gráfica de uma planta de SITUAÇÃO segundo a NBR 6492/1994. a) ( ) Indicação dos limites externos das edificações: recuos e afastamentos. b) ( ) Indicação do Norte e denominação dos diversos edifícios ou blocos. c) ( ) Curvas de nível existentes e projetadas, além de eventual sistema de coordenadas referenciais. d) ( ) Vias de acesso ao conjunto, arruamento e logradouros adjacentes com os respectivos equipamentos urbanos. e) ( ) Indicação das áreas a serem edificadas, com o contorno esquemático da cobertura das edificações.

[162]


159-

(IFPB) Analise os desenhos abaixo e responda qual da(s)

alternativa(s) possui a representação dos tipos de linhas em conformidade com as indicações da NBR 6492/1994.

a) ( ) Os itens I e IV estão corretos b) ( ) Somente o item III está correto c) ( ) Os itens II e IV estão corretos [163]


d) ( ) Apenas o item IV está correto e) ( ) Todos os itens estão incorretos.

160-

(IFPB) Na representação gráfica de projetos de

reforma e ampliação é indicado o uso de cores para diferenciar as partes a serem modificadas. Interprete e correlacione a reforma proposta do desenho a seguir, conforme convenções indicadas por Montenegro (2001).

A- Remover porta B- Abrir vão e colocar janela C- Abrir vão D- Abrir vão e colocar janela alta E- Remover janela e colocar porta F- Remover janela alta e fechar o vão [164]


G- Remover porta, fazer parapeito e colocar janela H- Remover janela e fechar vão I- Fechar vão

NOTA DO AUTOR: Em plantas de reforma a cor

J- Colocar porta

amarela indica partes a

Qual das sequências a seguir é a verdadeira:

serem

a) ( ) 1-E, 2-D, 3-I, 4-E, 5-B, 6-A

vermelhas indicam partes

demolidas

a serem construídas.

b) ( ) 1-A, 2-F, 3-C, 4-A, 5-D, 6-J c) ( ) 1-G, 2-F, 3-C, 4-G, 5-B, 6-J d) ( ) 1-G, 2-D, 3-C, 4-G, 5-F, 6-J e) ( ) 1-J, 2-D, 3-I, 4-J, 5-B, 6-A

[165]

e


CAPÍTULO 9 DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR

O AutoCAD é um software da Autodesk desenvolvido em 1992, chegou ao Brasil por volta de 1996 e é provavelmente o programa mais utilizado em projetos na área de engenharia e arquitetura. Ele é capaz de realizar desenhos em duas e três dimensões, e contem diversas ferramentas que o habilitam a realizar desenho na área de topografia, elétrica, hidráulica e outras.

Acima temos a imagem que visualizamos quando abrimos o software. Ao abrirmos o programa damos de cara com diversas janelas que auxiliam na hora de se desenhar.

[166]


Nas versões mais recentes do programa, podemos alterar para AutoCAD classic, que realiza as funções mais clássicas do AutoCAD, draftingandannotation, neste modo, as ferramentas de desenho são mais visíveis e mais fáceis de serem acessadas usando o mouse, apesar de que com a prática o usuário prefira acessar todos os comandos usando o teclado. 3Dbasic e 3D modeling. No AutoCAD classic, temos as seguintes janelas: File – (arquivo) nesta janela podemos abrir arquivos, importar e exportar. Edit – (editar) Possui comandos de edição tais como copiar, apagar e outros. View– (visualização) Possui comandos de visualização do desenho que permitem dar um zoom ou arrastar o desenho para facilitar a visualização. Insert– (inserir) possibilita a inserção de entidades no software. Format– (formato) permite a configuração dos softwares, deve se tomar cuidado, pois modificar alguns parâmetros pode prejudicar posteriormente o uso do programa, principalmente por aqueles que já estão habituados com o software. Tools – (ferramentas) Possui ferramentas do AutoCAD. Draw – (desenhar) Possui comandos para desenhar no AutoCAD, tais como o circulo, linha, arcos e vários outros que veremos mais adiante.

[167]


Dimension – (dimensão) Possui comandos para dimensionar, ou cotar os objetos (capítulo 5 deste livro).n Modify– (modificar) Possui comandos para modificar os desenhos. Help – É o menu de ajuda do AutoCAD, pode ser acessado pressionando-se no teclado a tecla F1. Os principais comando no AutoCAD, podem ser acessados clicando sobre o ícone ou através de atalhos usando a barra de comandos, que sem duvida é a melhor alternativa. Para acessar um comando usando a “barra de comandos” basta digitar usando o teclado o comando que se deseja utilizar. COMANDO line

ÍCONE

ATALHO L

FUNÇÃO Cria linhas.

copy

CP

rotate

RO

Faz cópias de diversos objetos. Rotaciona o objeto selecionado

fillet

FI

chanfer

CHA

trim

TR

Torna os cantos, ou esquinas de objetos arredondados. Cria cantos oblíquos, é semelhante ao fillet, só que ao invés de criar cantos arredondados crias cantos chanfrados. Recorta ou apara objetos.

extend

EX

Estende, isto é, aumenta o

[168]


polygon

POL

ellipse

El

miror

MI

arc

ARC

matchproperties

MA

stretch

ST

break

BR

divide

DIV

measure

ME

array

AR

text

TEXT

ofsset

O

[169]

objeto até o ponto especificado. Cria polígonos de acordo com o número de lados especificados. Cria diversas elipses. Espelha os objetos selecionados. Cria diversos arcos diferentes. Troca propriedades das entidades selecionadas Aumenta ou diminui os objetos selecionados Quebra objetos em um espaço selecionado. Divide os intervalos em medidas iguais. Permite dividir um objeto com uma dimensão pré determinada. Realiza cópias seguindo um parâmetro pré determinado. Permite a criação de textos. Cria desenhos paralelos a uma determinada distância


circle

C

regen

RE

Cria círculos usando um raio ou diâmetro predeterminado. Regenera os objetos, é uma espécie de correção.

Teclas importantes ao se manusear o CAD: ESC: cancela o comando selecionado. ENTER: chama o ultimo comando utilizado. Na barra de status, como mostra a figura abaixo. temos funções que auxiliam na realização do desenho.

F1 – Help – Ativa o comando de ajuda do AutoCAD.

F2 – AutoCAD TextWindow– Ativa e desativa a tela do AutoCAD TextWindow, que na verdade é a linha de comando do AutoCAD, só que ampliado, mostrando mais linhas de comandos no monitor e dentro de uma janela.

F3 – OsnapOn/Off– Liga e desliga o sistema automático de detecção de pontos de precisão.

F4 – Tablet On/Off- Ativa e desativa a mesa digitalizadora, se esta estiver sendo utilizada.

F5 – IsoplaneRight/Left/Top – Muda o tipo de perspectiva para desenhos isométricos.

F6 – CoordsOn/Off– Liga e desliga o contador de coordenadas.

[170]


F7 – Grid On/Off– Liga e desliga p Grid, que é uma grade de referência que veremos posteriormente.

F8 – OrthoOn/Off– Liga e desliga o método de criação de entidades ortogonais (vertical e horizontal).

F9 – SnapOn/Off– Liga e desliga o tabulador Snap.

F10 – Polar On/Off- Liga e desliga o método de criação polar (mostrando posições verticais e horizontal na área de trabalho).

F11 – OtrackOn/Off– Esta opção liga e desliga o OTrack (ObjectSnapTracking), que nos ajuda a desenhar objetos em ângulos específicos ou em relações com outras entidades.

Exercícios Propostos 1-O que significa a sigla CAD? 2- No AutoCAD, versão clássica, em que janela se encontra os comandos círculo, linha e arcos? 3-Que função pode ser ativada ou desativada pressionando o F8? Explique como funciona este processo.

Questões de concursos 161-

(FUMEC) Os softwares mais avançados de CAD usam o

chamado modelagem paramétrica, que possibilitam modificações do desenho pela simples entrada de números indicando dimensões

[171]


e relações entre as entidades ou objetos desenhados. Dentre várias capacidades dos sistemas de CAD mais modernos incluem: I- funções paramétricas 3D para modelação de sólidos II- desenhos automáticos de conjuntos de peças III- ajuda à visualização através de uso de sombras, rotação e remoção das linhas escondidas. Assinale a alternativa correta.

162-

A-

Apenas a afirmativa II está correta.

B-

Apenas as afirmativas I e III estão corretas.

C-

Apenas a afirmativa I está correta.

D-

As afirmativas I, II e III estão corretas.

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que

completa corretamente a frase. “O ___________ é a ferramenta para o projetista encontrar corretamente pontos específicos em um objeto, como suas extremidades, ponto médio, ou o centro de uma circunferência. Esta precisão também é importante para os cálculos internos.” A- ObjectSnap B- Zoom C- Pan D- Circle

[172]


163-

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que

completa corretamente a frase. “Menus ______________ pode-se executar quase todos os comandos do AutoCAD por meio deles. Os menus se desenrolam em cascata dando acesso a sub-menus e caixas de diálogos.” A- Zoom B- Object Snap C- Pull-Down D- Circle

164-

(FUMEC) O nome dado aos Comandos que podem ser

executados durante a execução de outros comandos sem cancelálos é: A- Configuração. B- Transparentes. C- Execução. D- Voz.

165-

(FUMEC) É o nome dado ao valor numérico da posição do

cursor de tela. Esta unidade é adimensional. Podem ser mm, cm, km, polegadas ou qualquer outra unidade, pois o AutoCAD não trabalha com unidades no desenho, e todos desenhos serão feitos em escala real.

[173]


A- Cursor de tela. B- Menu de Barras. C- Contador de Coordenadas. D- Ícone UCS.

166-

(FUMEC) Sistema de coordenadas são elementos básicos e

essenciais para a geração de um desenho. Para especificar distâncias exatas no AutoCAD, você pode usar as coordenadas absolutas, coordenadas relativas ou coordenadas polares. I- Coordenadas Absolutas: São coordenadas dadas sempre em relação à origem do sistema de coordenadas (0,0).Devem ser usadas quando se conhece a localização do ponto de origem. II- Coordenadas Polares: Pode-se definir um ponto através de suas coordenadas polares, fornecendo a distância do ponto de origem até a origem do sistema de coordenadas e seu ângulo medido no plano X,Y. Seu formato é @distancia<ângulo III- Coordenadas Relativas: São coordenadas dadas sempre em relação ao último ponto. Devem ser usadas quando conhecemos o deslocamento de um ponto em relação ao ponto anterior. Os valores devem ser sempre precedidos de @ (arroba) Assinale a alternativa correta. A- As afirmativas I, II e III estão corretas. B- Apenas a afirmativa II está correta. C- Apenas as afirmativas I e III estão corretas. [174]


D- Apenas a afirmativa I está correta.

167-

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que

completa corretamente a frase.” Os Comandos de precisão do AutoCAD são comandos que reconhecem pontos importantes de entidades, qualquer que ela seja. O _______________ seleciona o ponto final de uma linha, não importando como ela foi formada.” A- EndPoint B- MidPoint C- Intersection D- Center

168-

(FUMEC) É o nome do comando dado para fazer a

configuração de um estilo para alguns determinados tipos de cotas ou para todos os tipos de cotas, como por exemplo: só configurar diâmetros e raios, ou só configurar cotas lineares. A- Star With. B- New Style Name C- Use for. D- Star.

169-

(FUMEC) É o nome do comando do AutoCad que mostra em

coordenas o posicionamento do desenho em relação a área de impressão . Quando escolhe qualquer opção na janela PLOT

[175]


AREA com exceção a opção LAYOUT, é habilitado o campo Center theplot, que centraliza o desenho em relação a folha de impressão. A- NUMBER OF COPIES. B- PLOT SCALE. C- PLOT AREA. D- PLOT OFFSET.

170-

(FUMEC) Inicialmente acionado o comando, pede-se um

ponto que é o centro do circulo, que pode ser aleatório ou um centro determinado. O nome dado à esse comando é: A- Reta B- Retângulo. C- Circle. D- Linha.

171-

(FUMEC) É o nome dado ao comando que permite que se

faça um objeto similar a um outro, especificando apenas a distância entre eles. A- Extend. B- Rectang. C- Arc. D- Offset.

[176]


172-

(FUMEC) Os comandos de precisão são muito utilizados em

desenhos que a exigem, é de extrema importância a utilização desses comandos, pois somente a partir deles você conseguirá um projeto confiável. Assinale a alternativa que corresponde corretamente à figura abaixo.

A- EndPoint. B- Intersection. C- MidPoint. D- CenterPoint.

173-

(FUMEC) O nome dado ao comando que regenera

graficamente todo o desenho para mostrar tudo o que tem que ser mostrado na área gráfica é: A- Regen. B- Redraw. C- Scale. D- Zoom.

174-

(FUMEC) É o comando usado para dar um zoom abrindo uma

janela e o que está dentro dela será ampliado. Com o botão de seleção clicamos o primeiro ponto, arrastamos o mouse e

[177]


posteriormente um segundo ponto, que forma a outra aresta da janela tem o nome de Zoom: A- OUT. B- Window. C- IN. D- All.

175-

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que

completa corretamente a frase: “Quando falamos em mover a folha, não significa mover o desenho. É como se fosse pegar uma folha na prancheta e movê-la. No AutoCAD movemos a área gráfica através do comando ________________.” A- Zoom B- Extents C- Realtime D- Pan

176-

(FUMEC) A ação de explodir as entidades criadas com o

comando Polyline, Rectang, Multiline e Polygon, esta consiste em transformar estas entidades únicas (várias linhas formam uma entidade) em várias entidades (cada linha tornará uma entidade única), para este comando é dado o nome de: A-

Polyline.

B-

Edit.

C-

Explode. [178]


D-

177-

Pedit.

(FUMEC) Marque (V) para verdadeiro ou (F) para falso

conforme informações abaixo. ( ) Close - Fecha uma polilinha aberta, transformando-a em um polígono. ( ) Fit - Cria curvas acentuadas em polilinhas. ( ) Decurve - Retorna ao formato de linha, se a polilinha têm formato spline ou fit. ( ) Spline - Cria curvas em polilinhas, como se fosse uma Spline, mas não possui as mesmas propriedades de uma. A alternativa com a sequência correta, de cima para baixo, é: A- V – V – V – V. B- V – V – F – F. C- F – V – V – F. D- F – F – F – V.

178-

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que

completa corretamente a frase. “O comando ____________ permite o encontro de uma linha até um objeto por nós especificado.” A- Regen B- Explode C- Extend [179]


D- Trim

179-

(FUMEC) O nome que se dá ao comando que corta (apara)

trechos de elementos a partir de limites estabelecidos pelo desenhista é: A- Cut. B- Mirror. C- Trim. D- Erase.

180-

(FUMEC) Quando se tem um desenho em tamanho real e

deseja-se imprimir em uma folha de tamanho A4, o comando necessário é: A- Extrude. B- Scale. C- Chamfer. D- Zoom.

181-

(FUMEC) Preencha a lacuna abaixo com a alternativa que

completa corretamente a frase. “O ______________ local onde é selecionada a impressora e pode-se ajustar as suas propriedades.” A- PaperSize B- PlotArea

[180]


C- Page Setup D- Printer / Plotter

182-

(INEA) Considerando o Autocad 2000, analise as afirmativas

a seguir. I – Um bloco só pode ser considerado um objeto independente, se for composto por três ou mais objetos individuais. II – Ponto base é o ponto usado para inserir um bloco e ele é sempre o ponto central do bloco em questão. III – O comando XPLODE é uma versão do comandoEXPLODE que permite controlar a camada final, cor e tipo de linha dos objetos. É(São) verdadeira(s) APENAS a(s) afirmativa(s) A- I B- II C- III D- I e II E- II e III

183-

(IFPE) Assinale a proposição NÃO correta sobre oAutoCAD:

A- O sistema de coordenadas WCS (World Coordinate System) define um sistema de coordenadas temporário, no qual se pode escolher a origem e a posição dos eixos X, Y e Z a partir do WCS. [181]


B- A tecla de função LWT ativa e desativa o lineWeight que exibe a espessura do desenho. C- As coordenadas relativas utilizam as informações relativas a um ponto anterior, para definir um novo ponto, com o acréscimo de valores para X, Y e Z. D- Dentre os modos de seleção de entidades a serem editadas, o Crossingpermite selecionar objetos que estão dentro do retângulo tracejado de seleção (janela), e os objetos que estiverem sendo tocados por esta janela (direta para esquerda). E- O modo de seleção de entidades Fenceselection é feito através de uma polilinha, onde todos os elementos interceptados por ela são selecionados.

184-

(IFPE) O comando no AutoCAD que permite arredondar o

canto de um sólido 3D é o: A- LENGTHEN B- CHAMFER C- FILLET D- EXTEND E- STRETCH

185-

(IFPE) No AutoCAD, o comando que aplica um fator de

escala duas vezes o tamanho da tela, aumentado a visualização do objeto, é: [182]


A- ZOOM ALL B- ZOOM IN C- ZOOM PREVIOUS D- ZOOM WINDOW E- ZOOM OUT

186-

(IFPE) Assinale a alternativa NÃO verdadeira com relação à

descrição de alguns comandos contidos na barra de ferramentas do AutoCAD. A- Mapping – ferramentas de controle dos movimentos em um modelo em 3D. B- View– ferramentas que permitem controlar o modo de visualização de modelos em 3D. C- Refedit – ferramentas para realizar mudanças em símbolos ou desenhos de fundo que são importados como desenhos de referências. D- Cameraadjustment– ferramentas para o controle de objetos da câmera. E- lights– ferramentas para controlar e acrescentar iluminação em 3D.

187-

(IFRN) É uma vantagem de um sistema computacional CAD

em relação aos instrumentos tradicionais de desenho: [183]


A- Sua facilidade de uso, dispensando a necessidade de treinamento e de conhecimentos técnicos prévios. B- Sua facilidade de aquisição, possibilitando acessibilidade a todos que executam desenhos técnicos. C- Sua capacidade de reimpressão, facilitando a divulgação sem controle do projeto. D- Sua capacidade de modificação, facilitando as eventuais correções necessárias.

188-

(IFRN)

Desenhada

num software

CAD, utilizando-se

coordenadas cartesianas absolutas, a figura abaixo exigiria a entrada dos seguintes valores, em sequência:

189-

(IFRN) Em um software CAD, a construção em 2D do

Desenho Isométrico de um cubo dá - se, em, ordem, através dos seguintes procedimentos:

[184]


A- Construção de um losango com ângulos obtusos medindo 120º e geração de duas cópias espelhando - as em torno de um mesmo lado. B- Construção de um losango com ângulos obtusos medindo 120º e geração de duas cópias rotacionando-as 120º entre si e em torno do vértice de um dos ângulos de 120º. C- Construção de dois quadrados tendo um lado comum e inclinação vertical de 30º em ambos. D- Construção de um quadrado, aplicação da inclinação vertical de 30º e geração de duas cópias, espelhando - as em torno de um mesmo lado.

190-

(IFRN) Em um software CAD, a criação de blocos é

imprescindível quando A- O desenho possui elementos gráficos que se modificam constantemente. B- Há a necessidade de geração de listas de materiais associadas aos elementos gráficos que s e repetem constantemente. C- Há a necessidade do agrupamento dos elementos gráficos pertencentes às mesmas camadas. D- O desenho requer um processamento em espaços distintos de modelagem e de impressão.

[185]


191-

(IFSC) Os sistemas CAD - Computer-Aided Design (Projeto

Auxiliado por Computador) auxiliam a criação, modificação, análise ou otimização de um projeto. O software desses sistemas é baseado em interface gráfica orientada ao usuário. Podem ser desenvolvidos projetos mecânicos, elétricos, eletrônicos, de engenharia civil, aeronáutica, naval etc. Em relação ás características os sistemas CAD podem ter as seguintes representações: I. Sistemas de duas dimensões (2D) sistemas de duas e meia dimensões (2½D). II. Apenas sistemas de duas dimensões (2D) e sistemas de três dimensões (3D) em três tipos: 3D wire frame, 3D superfícies e 3D sólidos. III. Apenas sistemas de duas (2D) e de três dimensões (3D). IV. Sistemas de três dimensões (3D) e sistemas de três e meia dimensões (3½D). A seqüência correta é: A- Somente a alternativa IV está incorreta. B- As alternativas II e III estão corretas. C- Somente a alternativa I está correta. D- Somente as alternativas I e IV estão corretas.

[186]


192-

(IFSC) Uma tendência dos sistemas CAD modernos é a

inclusão de características de topologia, além das de geometria. Dentro disso é correto afirmar: A- Os sistemas orientados apenas a geometria armazenam apenas a geometria final, enquanto que os sistemas paramétricos trabalham com topologia

e

os

sistemas

variacionais

armazenam tanto a geometria quanto a topologia. B- Os sistemas orientados apenas a geometria armazenam apenas a geometria final, enquanto que os sistemas paramétricos (sistema CAD clássico) trabalham com topologia e os sistemas variacionais armazenam tanto a geometria quanto a topologia. C- Os sistemas orientados apenas a geometria armazenam a geometria inicial, enquanto que os sistemas paramétricos trabalham com topologia e geometria. D- Nenhuma das alternativas está correta.

193-

(IFSC) Uma das tarefas realizadas pelo sistema CAD é o

modelamento

geométrico

que

consiste

numa

descrição

matemática da geometria de um objeto, para a manipulação em forma da imagem no monitor gráfico. Os comandos básicos para o modelamento geométrico são: A- Três. Comandos de geração de entidades primitivas (caso dos pontos, linhas e círculos); comandos de manipulação (caso da [187]


rotação, movimentação, cópia e escala); comandos de visualização de edição de entidades (que define os pontos de vista do projetista). B- Três. Comandos de geração de entidades primitivas (que define os pontos de vista do projetista); comandos de edição de entidades (caso da rotação, movimentação, cópia e escala); comandos de visualização de entidades (caso dos pontos, linhas e círculos). C- Três. Comandos de geração de entidades primitivas (caso dos pontos, linhas e círculos); comandos de edição de entidades (que define os pontos de vista do projetista); comandos de visualização de entidades (caso da rotação, movimentação, cópia e escala). D- Três. Comandos de geração de entidades primitivas (caso dos pontos, linhas e círculos); comandos de manipulação (caso da rotação, movimentação, cópia e escala); comandos de visualização de entidades (que define os pontos de vista do projetista).

194-

(IFSC) O sistema CAD apresenta várias vantagens. Assinale

V para verdadeiro e F para falso em relação às vantagens descritas abaixo: ( ) Precisão no cálculos – pois calcula qualquer elemento do projeto. [188]


( ) Padronização dos procedimentos e dos desenhos – mesmo não apresentando procedimento normalizados em seu interior. ( ) Menor possibilidade de erros de projeto – potencializando o uso das ferramentas de revisão de projeto. ( ) Maior produtividade no projeto. ( ) Assegurar que um trabalho pronto possa ser alterado sem que se destrua as versões anteriores, tendo apenas que refazer todos os traçados. A ordem de cima para baixo é: A- V, V, V, V, V. B- V, V, V, V. F. C- F, V, V, V, F. D- V, F, V, V, F.

195-

(COPEL) A coordenada do ponto C em relação ao ponto B é:

[189]


A- @ 4, 4 < -45 B- @ 4 < -135 C- @ 4 < -45 D- @ 4 , -4 E- @ 4,0, -4,0

196-

(COPEL) Para medir o comprimento de um arco usamos o

comando: A- MEASURE B- LENGTH C- DIST D- LIST E- STRAIGHTEN

[190]


197-

(COPEL) Para inserir blocos a uma mesma distância ao longo

de uma entidade de forma irregular usamos o comando: A- Measure B- MBlock C- Insert D- WBlock E- Minsert

198-

(COPEL) A coordenada do ponto D em relação ao ponto C é:

A- @3 < 20. B- @3 < 155. C- @3 < -155. D- @3 < 200. E- @3 < 110.

199-

(COPEL) No comando PEDIT – Editvertex, qual das opções

abaixo é inválida? A) Break [191]


B) Stretch C) Move D) Straighten E) Insert

200-

(COPEL) A figura abaixo foi desenhada com o comando

ARRAY, a partir da entidade selecionada.

Outra maneira seria: A) Usando Copy. B) Usando Rotate. C) Usando Rotate – Multiple. D) Usando Copy – Multiple. E) Usando o modo Grip - Rotate – Copy.

201-

(COPEL) A tecla de função que ativa o modo isométrico é:

A) F5 B) F6 [192]


C) F7 D) F8 E) F9

202-

(COPEL) Qual a variável que controla o espelhamento de

textos? A) MTEXT B) MIRTXT C) MIRRTEXT D) MIRRORTXT E) TEXTMIRR

203-

(COPEL) O comando que restringe o movimento do cursor

num intervalo específico é: A) Grid B) Snap C) Osnap D) Jump E) Step

204-

(COPEL) São opções válidas de coordenadas:

I. 4<60 / 4,60,2 / 4<60 <60 / 4<60,2 II. 4,2<60 / 4,60,2 / 4<60 <60

[193]


III. @4<60 / @4,60,2 / @4<60 <60 / @4,2<60 IV. 4<60 / 4,60,2 / 4<60 >60 / 4<60,2 A) Apenas a assertiva I está correta. B) Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas. C) Apenas as assertivas I e III estão corretas. D) Apenas a assertiva II está correta. E) Todas as assertivas estão corretas.

205-

(COPEL) São opções do Comando Área:

I. Object/Add/Subtract II. Object/Plus/Minus III. Join/Add/Subtract IV. Vertex/Add/Subtract A) Apenas as assertivas I e III estão corretas. B) Apenas a assertiva II está correta. C) Todas as assertivas estão corretas. D) Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas. E) Apenas a assertiva I está correta.

206-

(COPEL) Para acrescentar o caractere especial de diâmetro

devemos digitar: A) %%C B) %%D C) %%O [194]


D) %%0 E) %%P

207-

(COPEL) O comando que mostra a janela de edição de color,

layer, linetype, andthickness é: A) DDPTYPE B) DDEDIT C) DDMODIFY D) DDSELECT E) DDATTE

208-

(COPEL) Para suprimir o zeros nas dimensões decimais,

devemos ativar a opção: A) Trailing B) Leading C) Cropping D) Suffix E) Scale

209-

(COPEL) São opções válidas na definição de atributos:

I. Invisible / Constant / Verify II. Invisible / Variable / Preset III. Invisible / Constant / Preset

[195]


IV. Invisible / Verify / Preset A) Apenas as assertivas I e III estão corretas. B) Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas. C) Apenas a assertiva II está correta. D) Todas as assertivas estão corretas. E) Apenas a assertiva IV está correta.

210-

(PML-SE) No software AutoCAD, a barra que mostra as

coordenadas da posição do cursor na área gráfica como SNAP, GRID e ORTHO, por exemplo, é a (A) Barra de Propriedade. (B) Barra de Status. (C) Barra de Menus. (D) Barra de Título. (E) Barra de Ferramenta.

211-

(PML-SE) Sobre o programa AutoCAD, preencha a lacuna e

assinale a alternativa correta. “A função _________ é como ter uma grade sobre o seu desenho para ajudar a visualização do layout.” (A) SNAP (B) DRAFTING SETTINGS (C) POLAR TRACKING [196]


(D) BASE (E) GRID

212-

(PML-SE) Para capturar vértices de linhas, polylines e

extremos de arcos no AutoCAD é usado o comando (A) CENTER (B) TANGENT (C) ENDPOINT (D) NONE (E) PARALLEL

213-

(PML-SE) O comando ZOOM do AutoCAD permite

visualizar todo o desenho em uma área gráfica, sendo que o comando EXTENTS: (A) coloca a área total do desenho na tela. (B) altera o posicionamento do centro da janela corrente. (C) define nova janela dinamicamente. (D) ajusta a janela de forma a enquadrar todos os objetos. (E) restaura a janela anterior.

214-

(PML-SE) O comando do AutoCAD que cria semi-reta

auxiliar de construção denomina-se:

[197]


(A) LINE (B) CONSTRUCTION LINE (C) MULTILINE (D) POLYLINE (E) RAY

215-

(PML-SE) Sobre o programa AutoCAD, preencha a lacuna e

assinale a alternativa correta. “_________ é uma curva contínua que interpola um conjunto de pontos de controle.” (A) SPLINE (B) DONUTS (C) CIRCLE (D) ARC (E) RECTANGLE

216-

(PML-SE) Para selecionar elementos no AutoCAD, pode-se

clicar neles, puxar uma janela de seleção ao redor deles, entrar com coordenadas, ou usar um método de seleção. O comando de seleção que é feito definindo-se um polyline onde todos os elementos intersectados por ela são selecionados, denomina-se (A) ADD

[198]


(B) FENCE (C) ALL (D) LAST (E) WINDOW

217-

(PML-SE) O comando do AutoCAD que cria cópias paralelas

ao objeto selecionado é o (A) ARRAY (B) MIRROR (C) ERASE (D) OFFSET (E) MOVE

218-

(CEGÁS) O termo CAD (“Computer Aided Design” - Projeto

Auxiliado por Computador) pode ser definido como uma subárea da Computação Gráfica voltada para a criação e manipulação de desenhos técnicos e projetos. Sobre o AutoCAD, assinale o INCORRETO. A) O AutoCAD tornou-se a segunda ferramenta de CAD mais utilizada no mundo. B) O AutoCAD possui um formato de arquivo comum a uma grande quantidade de sistemas, de IBM a SiliconGraphics.

[199]


C) O AutoCAD possui uma ampla base de software adicional para aperfeiçoar sua funcionalidade. D) O AutoCAD tem a maior variação de opções de hardware para impressão, plotagem e visualização de arquivos CAD.

219-

(IFMT) No software AutoCAD da Autodesk, a ferramenta

ORTHO, a partir de um ponto de referência, limita o cursor para movimentos. Sua ativação ou desativação no teclado se faz pressionando: (A) F8 (B) F9 (C) F5 (D) F3

220-

(IFMT) No software AutoCAD da Autodesk, o comando que

permite a união dos pontos finais de objetos lineares para criar um único objeto é: (A) Trim. (B) Extend. (C) Join. (D) Stretch.

[200]


221-

(IFPB) Sobre a Interface do AutoCAD- versão 2006, marque a

alternativa INCORRETA: a) ( ) Para mostrar uma toolbar, deve-se clicar com o botão direito do mouse sobre qualquer toolbar e selecionar, no menu de atalho, a toolbar desejada. b) ( ) A introdução dinâmica de dados, modo DYN, permite que as solicitações do programa apareçam junto ao cursor. c) ( ) Na linha de comandos, o conteúdo que aparece entre os sinais de <> é considerado a opção default do comando. d) ( ) Para selecionar, apenas uma vez, um ponto notável de um objeto deve-se clicar com o botão direito do mouse sobre o botão OSNAP da barra de status e escolher a opção a ser utilizada. e) ( ) Uma coordenada cartesiana relativa é usada quando se conhece o deslocamento de um ponto em relação ao ponto anterior.

222-

(IFPB) Quanto ao uso de botões e teclas de funções no

AutoCAD- versão 2006, marque a afirmativa correta: a) ( ) Botão direito do mouse clicado sobre a área gráfica - aciona o OSNAP temporário. b) ( ) Tecla Ctrl+F9 - mostra/esconde a linha de comandos. c) ( ) Teclas F7 e F10 - ativam o modo ortogonal e o polar, respectivamente. d) ( ) Tecla F11 - aciona trilhas ou trajetórias relativas a pontos notáveis de objetos existentes. [201]


e) ( ) Teclas Ctrl+C - aciona o comando COPY.

223-

(IFPB) Quanto à criação de objetos gráficos no

AutoCAD- versão 2006, leia as afirmativas abaixo: I O comando MLINE não pode ser acessado pela barra de ferramentas DRAW. II O comando MEASURE desenha pontos ou blocos de modo equidistante em função do número de segmentos definido pelo usuário. III O comando DTEXT cria textos com várias linhas. IV Linhas de referência infinitas são criadas pelo comando XLINE. V A opção Predefineddo comando HATCH define o padrão de hachura a ser aplicado usando o tipo de linha corrente. É correto o que se afirma em: a) ( ) III e IV apenas. b) ( ) I e V apenas. c) ( ) II e III apenas. d) ( ) IV e V apenas. e) ( ) I e IV apenas.

224-

(IFPB) Sobre os comandos modificadores de objetos

gráficos em 2D no AutoCAD- versão2006, leia as afirmativas abaixo.

[202]


I O comando TRIM corta um pedaço de um objeto até um limite definido por outro objeto. Este limite deve ser escolhido logo após o comando ser acionado. II Os comandos FILLET e CHAMFER executam, respectivamente, concordância e arredondamento entre objetos. III O comando PEDIT, opção Join, transforma uma poligonal formada de vários segmentos em uma única polilinha, devendo para tanto, que os extremos dos segmentos coincidam com precisão. IV Para se modificar um texto feito com DTEXT ou MTEXT, pode-se dar um duplo clique sobre o texto. V No comando STRETCH, a seleção dos objetos a serem esticados deve ser feita usando sempre a opção Crossing ou Window-polygon. É correto o que se afirma em: a) ( ) I, III e IV apenas. b) ( ) II, IV e V apenas. c) ( ) I, II e IV apenas. d) ( ) I, III e V apenas. e) ( ) I, IV e V apenas.

225-

(IFPB) Quanto ao dimensionamento de um objeto, no

AutoCAD- versão2006, indique a alternativa correta: a) ( ) Nos dimensionamentos horizontais e verticais a linha de cota é posicionada horizontal ou verticalmente, dependendo da localização dos pontos de chamada. [203]


b) ( ) Num dimensionamento alinhado, a linha de cota segue um ângulo definido pelo usuário. c) ( ) O dimensionamento de grandes raios num objeto selecionado é feito pelo comando DIMJOGGED d) ( ) O comando DIMLINEAR é específico para cotas horizontais e serve de base para se efetuar novas cotas. e) ( ) Uma série de dimensões pode ser executada de forma rápida pelo comando DIMCONTINUE, onde se pode retirar ou adicionar objetos à seleção.

226-

(IFPB) Quanto à configuração de cotas no AutoCAD- versão

2006, leia as afirmativas abaixo: I No quadro de diálogo Dimension style manager, as opções da guia Text, permitem os ajustes do posicionamento dos textos das cotas em relação ao espaço existente entre as linhas de chamada e para a definição de supressão de zeros em cotas lineares e angulares. II Na formatação da linha de cota propriamente dita, usando-se seta do tipo tick(traço) o Extendbeyondticksindica o quanto a linha de cota ultrapassará a linha de chamada. III O quadro de diálogo Dimension style manager possibilita a criação de estilos de cotas, que devem surgir a partir de um estilo existente. IV Não se pode fixar o comprimento das linhas de chamada ou extensão a partir da linha de cota.

[204]


V Pode-se configurar um estilo de cota de forma que não apareçam as linhas de cotas e as linhas de chamada. É correto o que se afirma em: a) ( ) I, II e IV apenas. b) ( ) II, III e V apenas. c) ( ) II, III e IV apenas. d) ( ) I, III e IV apenas. e) ( ) III, IV e V apenas.

227-

IFPB) Sobre a criação e utilização de blocos, no

AutoCAD- versão 2006, verifique as afirmativas abaixo: I Um bloco é criado num desenho e utilizado apenas dentro do próprio desenho. II Um bloco dinâmico se permite variações e modificações de sua aparência em instâncias diversas, tendo a necessidade de ser explodido. III O comando WBLOCK cria um arquivo constituído de desenhos selecionados como referência de bloco a ser utilizado no desenho atual e em outro desenho. IV Um bloco pode ser compartilhado através do AutoCAD Design Center. É correto o que se afirma em: a) ( ) I e II, apenas. b) ( ) I e III, apenas. [205]


c) ( ) IV, apenas. d) ( ) III e IV, apenas. e) ( ) I, III e IV, apenas.

228-

(IFPB) Quanto à criação de blocos dinâmicos, no

AutoCAD- versão 2006, o que não está correto afirmar: a) ( ) O bloco precisa conter pelo menos um parâmetro e uma ação a ele associada. b) ( ) Um parâmetro linear é exibido como uma cota alinhada. c) ( ) O FlipParameterdefine propriedade customizada de visibilidade para a referência do bloco. d) ( ) A ação StretchActionadiciona a ação de extensão à definição do bloco. e) ( ) Uma instância de um bloco dinâmico pode ser manipulada durante ou depois de inseri-lo no desenho.

229-

(IFPB) O estilo de plotagem (plotstyle), no AutoCAD

- versão 2006, especifica a impressão de um objeto, sua cor, espessura desbotamento, acabamento das linhas, etc. Neste sentido, sobre a edição de estilos de plotagem, é correto afirmar: a) ( ) O estilo Color Dependentdefine as características da plotagem em função da camada do objeto na tela. b) ( ) O estilo Nameddefine a plotagem de acordo com o nome do estilo associado à cor do objeto. [206]


c) ( ) Ao iniciar um desenho com uma tabela de estilo dependente de cores, você pode trocar por uma tabela de estilos nomeados. d) ( ) Um objeto desenhado na cor vermelha, ao se usar uma tabela de estilos nomeados, este será plotado na cor definida no estilo, independente da cor. e) ( ) Utilizando uma tabela de estilo Named, pode-se definir que os objetos desenhados na cor azul, por exemplo, sejam plotados com espessura 0.40.

230-

(IFPB) O AutoCAD, versão 2006, permite a criação

de objetos tridimensionais de três tipos: por estrutura de arame, superfícies polifacetadas e sólidos. Sobre este assunto, leia as afirmativas abaixo: I A criação de um modelo aramado é feita posicionando objetos 2D em posições específicas do espaço 2D. É composto de linhas, polilinhas e arcos que são as arestas dos objetos 3D real, sem superfície. II Entidades geradas a partir de superfícies possibilitam a determinação, entre outros, de centros de massa, volume e perímetro do objeto. III O processo de modelamento de sólido utiliza operações booleanas de união, subtração e interseção entre objetos sólidos. É correto o que se afirma em: a) ( ) I e II, apenas. [207]


b) ( ) I e III, apenas. c) ( ) I, apenas. d) ( ) III , apenas. e) ( ) III e II, apenas.

231-

(IFPB) A qualidade da visualização dos sólidos, no

AutoCAD - versão 2006, está relacionada, principalmente, a duas variáveis de sistema: FACETRES e VIEWRES. Quanto à aplicação destas variáveis, observe as afirmativas abaixo: I A variável FACETRES torna mais suave uma representação de uma malha poligonal, por exemplo, do contorno de uma esfera. Tem seu valor variando de 0.01 até 100, com valor padrão 50. II A variável VIEWRES controla a precisão visual de círculos, arcos e elipses. Seu valor padrão é 100. III A variável DISPSILH controla a visualização do contorno e malha dos sólidos curvos. Quando seu valor for definido para 1 (um), apenas aparece o contorno do objeto. É correto o que se afirma em: a) ( ) I e II, apenas. b) () II e III, apenas. c) () I e III, apenas. d) () II, apenas. e) ( ) I, apenas.

[208]


232-

(PMC-SP) Com um determinado Software, além das opções

de desenho em 3D, é possível desenhar perspectivas isométricas sem utilizar o 3D real. Para isso, basta habilitar o modo “isometricsnap”, acessível clicando com o botão direito em SNAP (na barra de status). A afirmativa é referente a qual programa: a) PowerPoint. b) AutoCAD. c) Paint. d) Nenhuma das alternativas estão corretas.

[209]


GABARITOS

QUESTÃO

ALTERNATIVA

QUESTÃO

ALTERNATIVA

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

D B A E C D C B C D A E A B D E A E A D C C B C

25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48

B C C D C A A C D C B B A C D C B C B E B A C A

[210]


QUESTÃO

ALTERNATIVA

QUESTÃO

ALTERNATIVA

49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75

B B C B A A A C D D A B E A D D C A C D C A A A E D A

76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102

A C C C A D C C A A B D A B A A D A E D C D D B A C D

[211]


QUESTÃO

ALTERNATIVA

QUESTÃO

ALTERNATIVA

103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129

C A D E B C C A B A E B B E A D A E B D A E A D D D E

130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150 151 152 153 154 155 156

C B D B B A C D C C A C D D C C E A D C E B D A D D C

[212]


QUESTÃO

ALTERNATIVA

QUESTÃO

ALTERNATIVA

157 158 159 160 161 162 163 164 165 166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 177 178 179 180 181 182 183

B A E B B A C B D A A B C C D C A C D C C C C B B C B

184 185 186 187 188 189 190 191 192 193 194 195 196 197 198 199 200 201 202 203 204 205 206 207 208 209 210

C B C D C B B B C C C C B C C D D A B E B E B C D C B

[213]


QUESTÃO

ALTERNATIVA

QUESTÃO

ALTERNATIVA

211 212 213 214 215 216 217 218 219 220 221

E B D B A C A D A B C

222 223 224 225 226 227 228 229 230 231 232

D E C C C A E B B A B

[214]


SIGNIFICADO DAS SIGLAS UTILIZADAS CEGÁS – Companhia de Gás do Ceará. COPEL – Companhia Paranaense de Energia.

DAESCS - Departamento de Água e Esgoto de São Caetano do Sul ELETROSUL – Centrais elétricas, S.A. FESP – Fundação Escola de Serviço Público. FUMEC – Fundação Municipal para a Educação Comunitária. GSP – Governo do Estado de São Paulo. IFAL – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas. IFC – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense. IFMT – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Matogrosso. IFNMG – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais. IFPE – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pernambuco. IFRN – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. IFRS – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

[215]


INEA – Instituto Estadual do Ambiente, Rio de Janeiro. PMC-SP – Prefeitura Municipal de Cruzeiro, São Paulo.

PMI – Prefeitura Municipal de Itabaiana, Sergipe. PML – Prefeitura Municipal de Lagarto, Sergipe. PMMC – Prefeitura Municipal de Montes Claros, Minas Gerais. PMSJC – Prefeitura Municipal de São José dos Campos.

PMSL – Prefeitura Municipal de São Luís, Maranhão. SABESP – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. SPT– São Paulo Turismo S.A.

[216]


REFERÊNCIAS LIVROS

MICELI, T. M; FERREIRA, P. Desenho técnico básico. 2. Ed. Rio de Janeiro: Editora ao Livro Técnico, 2008. MONTENEGRO, G. A. Desenho arquitetônico. 3. Ed. Rio de Janeiro: Edgar Blücher, 1997. PRINCIPE JÚNIOR, A. R. Noções básicas de geometria descritiva. V1. 30 ed. Rio de Janeiro: Nobel, 1986. PRINCIPE JÚNIOR, A. R. Noções básicas de geometria descritiva. V2. 30 ed. Rio de Janeiro: Nobel, 1986.

NORMAS TÉCNICAS

- ABNT. NBR-10068: Folha de desenho - Leiaute e dimensões. Rio de Janeiro, 1987. - ABNT. NBR-10126: Cotagem em desenho técnico. Rio de Janeiro, 1987. - ABNT. NBR-10582: Apresentação da folha para desenho técnico. Rio de Janeiro, 1988. - ABNT. NBR-10647: Desenho Técnico. Rio de Janeiro, 1989. - ABNT. NBR-12298: Representação de área de corte por meio de hachuras em desenho técnico. Rio de Janeiro, 1995.

[217]


- ABNT. NBR-13142: Desenho técnico - Dobramento de cópia. Rio de Janeiro, 1999. - ABNT. NBR-8196: Desenho técnico - Emprego de escalas. Rio de Janeiro, 1999. - ABNT. NBR-8402: Execução de caracter pra escrita em desenho técnico. Rio de Janeiro, 1994. - ABNT. NBR-8403: Aplicação de linhas em desenhos - Tipos de linhas – Larguras das linhas. Rio de Janeiro, 1984.

[218]


[219]

Desenho técnico e arquitetônico para concursos  
Desenho técnico e arquitetônico para concursos  
Advertisement