Page 1

Academias Forum Estudante Há 8 destinos à tua espera. Não percas!

Revista Forum Estudante | Abril 2019 | Edição n.º 314 | Mensal l Diretor: Gonçalo Gil l Disponível apenas por assinatura com o custo mensal de 1€

Campus global Politécnico de Leiria

Greve pelo Clima Estudantes foram para a rua

Fama ProfJam explica o seu universo


VII

08 | 09 | 10 MAIO 2019

PAVILHÃO DESPORTIVO DE ALBUFEIRA V I I

F Ó R U M

D E

E D U C A Ç Ã O

E

F O R M A Ç Ã O

HORÁRIOS DIAS 08 E 09 09H30 ÀS 17H30

organização

D O

A L G A R V E

+ INFO DIA 10 09H30 ÀS 13H00

SITE CM-ALBUFEIRA.PT

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL


Cooperativa de Ensino Superior, CRL

ALOJAMENTO DISPONÍVEL NO CAMPUS


3 | Forum Estudante | abr’19

/Sumário

PASSATEMPOS

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO: Estes passatempos decorrem até 30 de abril de 2019, salvo indicação em contrário no próprio passatempo. Apenas serão atribuídos prémios a residentes em Portugal e somente um prémio por pessoa e morada em cada passatempo. Só será aceite, de cada concorrente, uma participação por dia. O não preenchimento correto do formulário de participação em www.forum.pt/passatempos, leva à desclassificação do participante. Os vencedores residentes na área da grande Lisboa terão de levantar o prémio na nossa sede em Lisboa. Aos restantes, os prémios são enviados via CTT. Após notificação, os vencedores têm um prazo de 15 dias para reclamar o prémio. Os prémios devolvidos não serão reenviados. A idade máxima de participação é de 25 anos, inclusive, a confirmar por documento de identificação. OS PREMIADOS SÃO ANUNCIADOS EM FORUM.PT. NOTA: as cores e modelos apresentados podem não corresponder às imagens apresentadas.

www.forum.pt Telefone 218 854 730 FAX 218 877 666 Email geral@forum.pt Direção Gonçalo Gil goncalo.gil@forum.pt Fotografia Fábio Rodrigues, Pexels, Unsplash Design Miguel Rocha miguel.rocha@forum.pt

Champô + Condicionador Novex Para aproveitar as brisas primaveris com o melhor cabelo de sempre, podes experimentar o Champô + Condicionador “PraBombar” da Novex. Temos 3 kits para ti. Participa já em www.forum.pt

Memofante Shots

Se queres memoria de elefante, tens de tomar Memofante. Há 3 embalagens de Memofante Shots para te oferecer. Só tens de participar em www.forum.pt

Pynian: O começo do fim

E se os sonhos refletissem vidas anteriores? E se o passado e o presente se misturassem? Curioso/a? O melhor é mesmo leres “Pynian: O começo do fim”, de Alexia Liz. Temos 5 exemplares para te oferecer. Participa já em www.forum.pt

Sinopse oficial O que você faria se seus mais estranhos sonhos, agissem como espelhos mas refletissem sua história de vidas anteriores? Se eles lhe mostrassem o passado que há muito você havia esquecido? Allyss é uma menina solitária, que recebe uma surpresa terrível e inusitada na cerimónia para celebrar seus 15 anos. O mundo da forma em que conhecia estava prestes a mudar... entretanto, ela nem mesmo suspeitava.

SUMÁRIO

O tempo corria rapidamente, escorrendo por seus dedos, o fim se aproximava. O passado, o presente e o futuro se entrelaçavam e se misturavam, em uma confusão caótica de lembranças, pensamentos e ideias. Uma garota ingênua e seus companheiros esperançosos, carregavam as sombras do passado e o peso do futuro sobre seus ombros. O que os esperava à frente, nesse caminho tortuoso que seguiram?

4 Escolas Vê se encontras a tua! 8 Saberes Milhares de estudantes saíram à rua 10 Profissões Futuro(s) ligados ao desenho 30 Redescobrir a Terra Entrevista ao jovem empresário Tiago Sá 32 Fama Profjam guia-te pelo seu universo 34 Academias Forum Há oito destinos que podem entrar nas tuas férias 52 Música Conhece o festival onde o limite é a imaginação 56 Televisão Há duas caras novas na MTV 58 Cinema O fim dos Avengers é apenas um início 60 Gaming Viagem às origens de um clássico 64 HorosCópos Abril, previsões mil (ou quase)

Redação Fábio Rodrigues fabio.rodrigues@forum.pt Vera Valadas Ferreira vera.ferreira@forum.pt Assinaturas Paula Ribeiro Tel.: (218 854 730) pribeiro@forum.pt Anuidade: 10€ Publicidade Félix Edgar (Tel.: 218 854 103) felix.edgar@forum.pt Comunicação&Distribuição Vítor Silva (Tel.: 218 854 755) vitor.silva@forum.pt Graziela Costa graziela.costa@forum.pt Projetos Especiais José Maria Archer josemaria.archer@forum.pt Diana Domingues diana.domingues@forum.pt Produção Monterreina Área empresarial Andalucía Cabo de Gata 1-3, sector 2 28320 Pinto Madrid Tiragem: 40 mil exemplares FORUM ESTUDANTE Revista de Cursos, Escolas e Profissões Propriedade e Edição de: PRESS FORUM, Comunicação Social, S.A. Capital Social: 60.000,00¤ NIF: 502 981 512 Periodicidade Mensal Depósito Legal n.º 510787/91 Registo ICS n.º 114179 Sede da Redação Tv. das Pedras Negras, nº 1 - 4.º 1100-404 Lisboa Tel.: 218 854 730 | Fax: 218 877 666 Estatuto Editorial forum.pt/196-institucional/10022-sobre-nos

Administração Roberto Carneiro (Presidente) Rui Marques Francisca Assis Teixeira

20 TEMA DE CAPA Politécnico de Leiria: Campus Global Conhece, nesta edição, as principais características que definem esta instituição de ensino superior que conta com mais de 12 mil estudantes e inclui mais de 150 caminhos formativos, ajustados a diferentes perfis.

Revista Forum Estudante #314 // Abr 2019 // e-mail: geral@forum.pt // www.forum.pt


ENSINO SUPERIOR PÚBLICO

POLITÉCNICO DE SETÚBAL Tens tudo para vencer

LICEN CIATU RAS ENGENHARIA E TECNOLOGIA CIÊNCIAS EMPRESARIAIS CIÊNCIAS SOCIAIS, EDUCAÇÃO E DESPORTO SAÚDE Juntos fazemos o amanhã

www.ips.pt - estudar@ips.pt

ou segue um caminho diferente com um dos nossos 26 CTeSP – cursos técnicos superiores profissionais


4 | Forum Estudante | abr’19

Atenção

A Inclusão vai ser a medida principal para avaliar as escolas. Novo ciclo da avaliação feita pela Inspeção-Geral da Educação e Ciência começa em maio.

/Escolas

Sabias que…? O SIPE – Sindicato Independente de Professores e Educadores contabilizou cerca

60 mil professores de

Jovens Repórteres do Ambiente em competição internacional Todos os alunos que participam no programa Jovens Repórteres do Ambiente, poderão submeter candidaturas para participar no YRE International Competition, apresentando trabalhos que tenham sido publicadios até dia 15 de abril. Um júri nacional escolherá depois os trabalhos a serem apresentados internacionalmente. Cada escola ou repórter “freelancer” pode submeter até 6 reportagens, com o júri a selecionar um máximo de 9 reportagens (uma em cada categoria, por escalão etário). A rede Jovens Repórteres para o Ambiente celebra este ano 25 anos enquanto programa internacional. Em 2018, 178 artigos, fotografias e vídeos (oriundos de 30 países) foram submetidos ao Concurso Internacional.

retidos no primeiro e segundo escalões, e a receber, em média, menos 200 euros por mês do que colegas com o mesmo tempo de serviço. Num universo de

551 escolas públicas e privadas, apenas 75 conseguiram que 50% ou mais dos seus alunos concluíssem o ensino secundário regular com sucesso no triénio 2016-2018. No ensino básico, o total de escolas com uma maioria de estudantes com o percurso imaculado foi de 332 em 1141.

Kids-Dive leva alunos a descobrir o oceano O município de Sintra associa-se ao projeto ambiental “Kids-Dive – Mergulhar com Crianças, Descobrir o Oceano”. Trata-se de um programa educativo dirigido às escolas, destinado a estudantes entre os 8 e os 17 anos, tendo como objetivo a proteção do meio marinho e da biodiversidade. Um grupo de 60 alunos, de diferentes

escolas, participará em quatro dias de atividades ligadas à conservação do meio marinho, nomeadamente um batismo de mergulho, a participação no Summit da National Geographic em Portugal e uma visita a uma área marinha costeira dentro do seu Município, com o acompanhamento de biólogos marinhos.

A nova EB 2,3 de Caldas das Taipas, em Guimarães, com um investimento de

9,5 milhões de euros, deve abrir em setembro no arranque do próximo ano letivo.

80%

das escolas chumbam a Matemática. Os alunos do 9º ano pioraram o desempenho nos exames nacionais em 2018 em comparação com o ano anterior, fazendo com que oito em cada dez escolas tivessem média negativa, segundo dados fornecidos pelo Ministério da Educação.

Vila Nova de Cerveira disponibiliza acesso gratuito a 300 alunos do 1º ciclo A Câmara Municipal viu aprovado o projeto ‘School4All – Vila Nova de Cerveira’, submetido ao Norte 2020, que visa a melhoria da qualidade da aprendizagem dos alunos, promovendo o sucesso escolar e reduzindo a taxa de insucesso e abandono escolar precoce. O orçamento, cofinanciado a 85%, é de cerca de 230 mil euros. Uma das ações integradas neste projeto é a dinamização de ‘Salas de Futuro’. Estes serão ambientes de

aprendizagem inovadores, adaptativos ao aluno, dinâmicos e interativos, que estimulem e reforcem o processo de ensino-aprendizagem. Este projeto terá a duração de três anos letivos e inclui ações noutras áreas, nomeadamente as Artes (‘AGIRtARTE’ e ‘Música Pré-Escolar’), Ciência (‘Laboratórios de Ciências Experimentais’, o ‘Experimenta’) ou Competências Transversais (‘Laboratório de Aprendizagem Criativa’ e ‘Equipa Multidisciplinar’)


5 | Forum Estudante | abr’19

/ISPA

Publirreportagem

ISPA. IU ISPAMEDIA ISPA. PT

Pioneiros da psicologia Com mais de 50 anos de história e tradição no Ensino e na Investigação e pioneiro na Psicologia em Portugal, o ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida tem vindo a alargar as sua oferta formativa, mantendo o rigor de sempre.

Mestrado Integrado em Psicologia Onde há pessoas há comportamento humano. A necessidade de o compreender e antecipar de forma científica é a razão pela qual a psicologia se tornou tão transversal na sociedade atual: vemos psicólogos a trabalhar nas mais diversas áreas como em hospitais, tribunais, prisões, escolas, empresas, na política, na polícia ou mesmo em publicidade. Desde há 50 anos que o ISPA é o local de referência para o ensino e investigação da Psicologia em Portugal. Aqui poderás aceder a conceitos, teorias, métodos e pilares éticos sempre com uma abordagem inovadora e pensamento crítico, participar em projectos de investigação e ainda pôr o conhecimento adquirido em prática, fazendo a tua primeira incursão no mercado de trabalho através do nosso reconhecido programa de estágios. Provas de acesso: Biologia e Geologia ou Matemática Aplicada às Ciências Sociais ou Português

Licenciatura em Desenvolvimento Comunitário O Desenvolvimento Comunitário é uma área de estudos emergente e proporciona uma formação multidisciplinar nas ciências sociais e humanas, orientada para a promoção de intervenções de mudança transformativa e de sustentabilidade ao nível das comunidades urbanas e/ou rurais. Abre perspectivas de carreira nos mais variados domínios da intervenção comunitária, abrangendo a capacidade de planeamento e avaliação de projectos e programas com propósitos de mudança social transformativa em domínios cruciais como a promoção da integração comunitária, a prevenção da violência e a organização comunitária. Provas de acesso:Matemática aplicada às Ciências Sociais ou Português

Licenciatura em Biologia Para compreender como funciona a vida é necessário conhecer os seus princípios e processos ao nível molecular, celular, do organismo, da população e do ecossistema. No ISPA encontras um consistente enquadramento teórico nas principais áreas da Biologia, bem como a oportunidade de participar em projectos de investigação logo desde o primeiro ano. O nosso plano de estudos engloba as vertentes laboratoriais e de trabalho de campo, tanto em ambientes marinhos como terrestres. No ISPA somos pela vida e garantimos um ensino que respeita o bem-estar, evitando o sacrifício injustificado de animais. Provas de acesso: Biologia e Geologia ou Física e Química ou Matemática

Licenciatura em Educação Básica

(em parceria com a ESEI – Maria Ulrich) Muito prestigiado na área da educação, no ISPA é agora possível fazer a Licenciatura em Educação Básica, que dá acesso a uma consistente formação de base que te proporciona conhecimentos multidisciplinares sólidos e hábitos de trabalho rigorosos no domínio da investigação e planeamento educacional. Conhecerás experiências enriquecedoras no campo da educação que te permitirão uma intervenção sustentada no apoio a profissionais em diversos contextos de educação. No final da Licenciatura, serás capaz de refletir e intervir sobre os contextos e práticas educativas, compreendendo e analisandoas necessidades e os interesses das crianças, famílias e comunidades. Contamos contigo para contribuir para a melhoria da qualidade do funcionamento do sistema educativo. Provas de acesso: Português ou Biologia e Geologia ou Geografia ou História ou Inglês ou Matemática Aplicada às Ciências Sociais.


/Up2University

Publirreportagem

6 | Forum Estudante | abr’19

FORA DA SALA DE AULA TAMBÉM SE

aprende

À medida que as estudantes vão preparando o equipamento para a entrevista, Sara confessa estar nervosa. No final do trabalho, contudo, “tudo acabou por correr bem”. Os nervos dão lugar à experiência. “Aprender fora da sala de aula e a fazer coisas concretas é mais fácil”, salienta a estudante, antes de acrescentar: “não ouvimos apenas, aqui aplicamos o que sabemos”. A mesma ideia é salientada pela professora e coordenadora de curso, Elsa Mota. No âmbito deste projeto, os estudantes podem “sair da zona de conforto, para chegar à aprendizagem”. “A possibilidade de, no final, poderem dizer ‘eu fiz isto’ é também muito importante”, acrescenta a professora, sobretudo numa área profissional em que o portfólio assume especial relevância. O objetivo final do trabalho — a criação de uma plataforma multimédia sobre a arte urbana em Lisboa — obriga à divisão de tarefas entre os alunos da turma. Para além de fazer entrevistas, é necessário fazer contactos, editar imagens e vídeo ou desenhar o website, por exemplo. Acima de tudo, destaca Elsa Mota, “é necessário trabalhar em

Uma turma da Escola Secundária Eça de Queirós, nos Olivais, aceitou o desafio de ser um dos projetos piloto, em Portugal, do UP2U – a iniciativa europeia que pretende “encurtar a distância entre os ensinos Secundário e Superior” (ver caixa). O trabalho destes alunos do curso profissional de Técnico de Multimédia centra-se na arte urbana em Lisboa, numa lógica multimédia e transversal. A FORUM acompanhou o momento da primeira entrevista a um dos criadores, Patel Ribeiro.

equipa”, o que também resultará no desenvolvimento de competências importantes. Estas são, precisamente, algumas das metas do projeto europeu UP2U (ver caixa). A metodologia prevê a integração de ambientes de aprendizagem dentro e fora da sala de aula, numa lógica de projetos transversais a várias disciplinas. Elsa Mota concorda que um projeto com estas características tem afinidades com o trabalho desenvolvido nos cursos profissionais, contudo, espera “que não fique por aí”, nomeadamente “tendo em conta o projeto de flexibilidade curricular que está a ser implementado”. “O UP2U é uma boa oportunidade tendo em conta a transversalidade de disciplinas envolvidas”, reforça. Foi ainda antes de o equipamento estar arrumado que Catarina Belchior descreveu a experiência no projeto até ao momento. “Está a ser interessante”, começou por realçar. Para além da possibilidade de conhecer um artista e a sua criação, a estudante destaca um sentimento partilhado pelos estudantes, neste início de trabalhos: “Já sentimos que estamos a aplicar o que aprendemos em sala de aula”.

Com o foco nos estudantes Com um financiamento de 5 milhões de euros, no âmbito do Horizonte 2020, o UP2U é uma iniciativa que assenta na colaboração entre 18 parceiros de 12 países diferentes. Em Portugal, o projeto é coordenado pela Unidade de Computação Científica Nacional da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), em parceria com o Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP). “O objetivo passa por aumentar o ingresso no Ensino Superior e reduzir o abandono escolar, adaptando as tecnologias e metodologias de ensino às necessidades educativas do Século XXI”, destaca Nélson Dias, membro da equipa que coordena o projeto. Até ao momento, o projeto conta com a adesão de oito escolas portuguesas, que se encontram a implementar projetos. Contudo, destaca Nélson Dias, “todas as escolas estão convidadas a participar”, alargando este número. Para mais informações e contactos, os interessados deverão visitar o website www.up2university.eu.


8 | Forum Estudante | abr’19

/Saberes

Pelo Mundo estudantes

sairam à rua

Estudantes de todo o Mundo trocaram a sala de aula pelas ruas, durante a greve estudantil pelo clima, no dia 15 de março. Portugal não foi exceção, com manifestações em dezenas de localidades. Em Lisboa, milhares caminharam até às escadas da Assembleia da República. À medida que milhares de jovens enchem a Praça de Luís de Camões, um grupo mais pequeno de estudantes ensaia palavras de ordem, junto à estátua do poeta. Por Vezes, consultam o telemóvel, escolhendo as frases que serão ditas ao Megafone. “Mudar porquê?”, perguntam. A resposta chega em coro: “Não há planeta B”. Alguns minutos depois, começa a caminhada até à Assembleia da República (AR), em Lisboa. É então que um dos estudantes envolvidos na organização da greve estudantil pelo clima em Lisboa, João Zoio, revela à FORUM estar surpreendido com a adesão. “Esperávamos cerca de 500 pessoas”, revela o estudante. Mais tarde, já nas escadas da AR, partilha a sua estimativa: “no pico do protesto,

estiveram reunidas mais de 6000 pessoas”. De acordo com o estudante, este é um sinal de que “a juventude está desperta”. Decisivo, para João Zoio, é também o facto de este ser um movimento internacional, uma vez que “a mudança terá de ser global”. Em Portugal, 26 localidades associaram-se a esta greve. De igual forma, os protestos espalharam-se pelo Mundo – mais de 100 países planearam e concretizaram ações.

O Pikachu surpreendido O movimento de greve estudantil pelo clima começou com uma ativista sueca e um cartaz (ver

caixa). Cerca de meio ano depois, em Lisboa, milhares de estudantes empunharam dezenas de cartazes. Para além de palavras de ordem e ilustrações – presenças habituais em manifestações – eram visíveis memes como o “Pikachu surpreendido”: Políticos: *não fazer nada em relação ao aquecimento global* | Aquecimento global: *acontece*. Para outra das estudantes envolvidas na organização, Sofia Oliveira, esta é também “a marca de uma geração”. “Vivemos na meme culture e esta é uma forma de comunicar [eficiente], porque são mensagens que viralizam”, destaca a estudante de 19 anos. Também uma das líderes do movimento em Portugal, Matilde Alvim, de 17 anos, concorda que esta é pode ser uma forma

de tornar a mensagem mais eficaz. “Somos um movimento sério e tem de haver um equilíbrio entre a seriedade e a sátira – que é importante”, acrescenta. O papel das redes sociais na mobilização dos estudantes também foi destacado por vários participantes. Uma comunicação que, revela a organização, foi complementada com presença física nas escolas, com cerca de duas dezenas de palestras realizadas com o apoio da associação ambientalista Climáximo. “Acho que [as palestras] foram muito importantes”, considera Matilde Alvim, lembrando que “nas redes sociais, as pessoas podem achar ‘giro’ e passar à frente”. “Quando estamos a falar diretamente com as pessoas, elas sentem o apelo”, reforça.


pub

9 | Forum Estudante | abr’19

/Saberes

Político mas apartidário Foi cerca de um mês antes da greve que João Pacheco conheceu o movimento. “Vi uma story, no Instagram de uma amiga, informei-me e vi que estava de acordo com as ideias”, recorda. A partir daí, enviou um insta direct, dando conta do seu interesse em apoiar a organização. Como resultado, integrou um grupo do Whatsapp com estudantes que coordenaram a greve em Lisboa. Foram realizadas reuniões para pensar a comunicação e outros pormenores relativos a este momento. Quando João entrou, o grupo tinha 30 pessoas. Hoje, tem 120. Deste conjunto de estudantes locais, há dois representantes num grupo nacional. De megafone em punho, entre palavras de ordem, o estudante define as linhas do movimento: “Este é um movimento político e apartidário e vai ser sempre”. Nos cartazes, são visíveis críticas a António Costa ou a Marcelo Rebelo de Sousa. Contudo, ressalva João Pacheco, a lógica não é a de “um ataque ao sistema”, pretendendo “encontrar o consenso, de forma a garantir a sustentabilidade da Terra”: “A principal prioridade do Governo é a economia. Nós queremos que seja o planeta. Porque sem planeta, não há economia”.

Um primeiro passo (e os seguintes) Nas escadas da Assembleia da República, Aloísio Baldé procura fazer ouvir a sua voz. Depois de lhe ser emprestado um megafone, diz aos que o rodeiam: “temos de lutar por um futuro melhor”. Aloísio veio de Loures, da ES Dr. António Carvalho Figueiredo, por “reconhecer que é necessário mudar”. “Este é o primeiro passo para chegar aos jovens e a toda a sociedade”, realça o estudante de 17 anos. Na mesma área, duas estudantes do 8º ano empunham um cartaz. Matilde, de 14 anos, diz que, para a decisão de se juntar ao protesto,

“bastou ouvir o discurso da Greta Thunberg”. A seu lado, Francisca diz que este momento “pode fazer as pessoas abrir os olhos”. A mesma opinião é destacada por Daniela Ferreira, estudante do Ensino Superior: “Os adultos vão poder perceber que, se os seus filhos e netos estão preocupados com o clima, eles deverão preocupar-se também”. Foi ao início da tarde que os estudantes começaram a desmobilizar. Vários membros da organização abraçam-se com alegria. “Ganhámos uma batalha mas a luta não está ganha”, salienta Matilde Alvim, antes de concluir: “Foi, sem dúvida um primeiro passo importantíssimo. A partir de agora, vamos organizar-nos, para saber como dar continuidade a este movimento”.

As origens da Greve Estudantil pelo Clima Tudo começa a agosto de 2018, quando a jovem estudante sueca Greta Thunberg, então com 15 anos, decidiu faltar a um dia de aulas para se manifestar à porta do Parlamento Sueco. Durante as semanas seguintes, Greta voltaria a repetir o protesto. Na mão, levava um cartaz onde se lia “Greve Escolar pelo Clima”. Alguns meses depois, uma intervenção no Fórum Económico Mundial, em Davos, aumentaria a projeção mediática da sua mensagem. “Não quero que tenham esperança. Quero que entrem em pânico”, destacou a ativista, sublinhando a necessidade de ação imediata para diminuir a emissão de greenhouse gases (gases de efeito de estufa).


pub

10 | Forum Estudante | abr’19

/Profissões

Arquiteto/a Artista plástico Um artista plástico cria obras de arte, como desenhos, pinturas, gravuras, esculturas e colagens, utilizando elementos visuais e táteis para representar o mundo real ou imaginário. Interessa-se por formas, texturas e cores, revelando grande habilidade motora e sensorial. Participa em mostras individuais ou coletivas em galerias, museus, concursos e salões de arte, onde comercializa suas obras. Se o meio urbano for a tua tela, passas a ser um street artist, o criador cujas manifestações artísticas são desenvolvidas no espaço público, através de instalações ou graffitis.

Cabe a este profissional projetar edifícios, alterar prédios existentes, restaurar e conservar construções antigas. Podes até especializar-te na vertente paisagista, tendo em vista a criação de projetos de áreas verdes englobando tudo o que interfere na paisagem externa às edificações. Nesse caso, ficarias responsável por conceber piscinas, campos desportivos, adegas, quiosques, acessos e escadas, muros e iluminação, além da escolha da vegetação envolvente. Noutra variante desta profissão, passas a ser um designer de interiores se, com o teu talento, quiseres criar espaços físicos interiores apelativos, funcionais e confortáveis em projetos comerciais, residenciais e até industriais.

Ilustrador/a O trabalho de um ilustrador é requisitado por jornais, revistas, agências de publicidade ou editoras, em complemento a diversos tipos de texto. Se os teus desenhos tiverem um traço de humor, então podes assumir-te como cartoonista (autor de BD com gosto por piadas políticas/sociais) ou caricaturista (realçando, de forma exagerada, os traços físicos da pessoa retratada). O sentido de observação crítica será a tua arma. Na versão multimédia desta profissão poderás criar personagens de jogos, filmes e séries de animação. Na versão de artes do espetáculo, enquanto cenógrafo, ficarás encarregue de desenhar as decorações cénicas de peças de teatro ou programas de TV.

pub

6 Profissões para quem gosta de

Tens jeito (e gosto) para, através do traço e das cores, exprimires o que te vai alma ou refletires o mundo em teu redor? Nestas páginas damos-te a conhecer algumas das muitas variantes do Desenho que podes abraçar no teu caminho laboral.

Designer de moda Tatuador

Designer gráfico/a

A criação de roupas, calçados e acessórios também é um processo artístico que envolve habilidades de desenho e de computação. Os designers de moda envolvem-se na criação destas peças do início ao fim, desenvolvendo temas que inspiram as coleções, fazendo croquis desenhados à mão para dar vida às ideias, escolhendo materiais, padrões e cores, no sentido de criar um protótipo da peça. Estar atualizado em relação às tendências de moda é um must nesta profissão onde é preciso ter uma visão própria, que te distinga dos demais, e atenção à viabilidade financeira de cada projeto. Se o que te fascina é desenhar figurinos (modelos) para personagens de produções teatrais, programas de televisão, performances de palco e filmes, então passas a chamar-se te figurinista.

O designer gráfico concebe elementos visuais usados em logotipos, sites, revistas, embalagens de produtos, folhetos, anúncios e outros materiais gráficos. Com recurso a software de desenho no computador e esboços desenhados à mão, este profissional desenvolve uma imagem desde os primeiros conceitos até a versão final usada nas publicações, a partir de um briefing proposto pelo cliente. Talento para desenhar, criatividade, conhecimento em software de desenho e de edição, bem como capacidade de comunicação são algumas das características exigidas nesta profissão onde a concorrência é forte e os prazos de execução são geralmente curtos.

Mãos firmes e criatividade são essenciais para quem quer exercer esta profissão que hoje já não é tão estigmatizada pela sociedade como há décadas atrás. O teu local de trabalho — um estúdio em nome próprio ou partilhado com outros tatoo artists — deve primar pela higiene e segurança, pois com questões de saúde não se brinca e muito menos com desenhos que ficam a vida inteira na pele de outra pessoa. Deverás ter sensibilidade e empatia para lidar com as expetativas dos clientes que te procurarem para eternizar no corpo um sentimento ou uma memória. Esta é daquelas profissões que só se refina o saber com muita prática.


pub

Agora jรก podes comprar os teus produtos favoritos na nossa nova loja online!

Loja Online

www.ambar.pt OFERTA DE 10% DESCONTO na primeira compra com o cรณdigo STUDY10

pub

(apenas para clientes registados)


12 | Forum Estudante | abr’19

/Futurália

Futu r 03 a ália de a 06 bril

Publirreportagem

i! t r o p a r e p s e a A Futuráli

ália r u t u F a d a d ralia.fil.pt n u t e u g .f A w à w o w t n m e e para ti Fica at ões que temos s aç Inscreve-te na

agem de Apps p ti to ro p p o h s Work ria de Moda o lt u s n o C Net talks p Cinema 4D o h s rk o W agem de jogos p ti to ro p p o h s E muito mais… is Work ia c o S s e d e Workshops R a fi ra g to o F e Workshop d Vamos ter Ofertas de

emprego em Portugal e no Estrangeiro! Arrisca! Não há dois futuros iguais!

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

Muita animação no Palco LG na Futurália Concurso de DJ’s, Bandas e muitas LG surpresas no Palco Study Abroad

Que país escolher para estudar? Como conseguir uma bolsa? Como procurar alojamento… A Futurália é o sitio certo para encontrares estas e out ras respostas !

D

K

P

ORGAN


Anúncio208mmX297mm_2019_v3.pdf

1

10/02/19

21:39

N

Oferta Educativa Formação Empregabilidade

M

A E R

03 — 06 abril 2019 FIL — Lisboa M

Y

CM

CY

MY

DESPORTO

K

/Futuraliafil

ORGANIZAÇÃO

APOIO

Centro de Congressos de Lisboa

Centro de Exposições e Congressos de Lisboa

D

Next Stop Futurália A maior feira de ensino nacional

PALCO

/fil.futuralia

O C

Não há dois futuros iguais

C

MY

F

TEATRO INTERATIVO INGLÊS

/futuraliafil MEDIA PARTNERS

PARCEIRO TECNOLÓGICO

VIAJE COM DESCONTO

OUTROS PARCEIROS


16 | Forum Estudante | abr’19

/Livros

Singularidade

de uma rapariga loira e não só… Jessica Bennett escreve sobre género, sexualidade, cultura e linguagem digital em reputadas publicações norte-americanas. Agora aventura-se nos livros com Clube de Combate Feminista, “um manual de sobrevivência para um ambiente de trabalho sexista”. Baseada numa investigação histórica, a autora publica um conjunto de dicas para que as leitoras possam contornar os comportamentos externos (sexistas) e internos (autossabotagem) que assolam as mulheres hoje em dia. Por Vera Valadas Ferreira

“Todas têm de lutar”, lê-se na capa deste livro que a revista Playboy define como “um manifesto de serviço público extremamente necessário”. Parte manual, parte manifesto, e não obstante tratar-se de um guia humorístico, estas dicas são definidas pela editora como “a arma que as mulheres modernas precisam para enfrentar sintomas de sexismo nas suas carreiras profissionais”. Jessica Bennet providencia um novo vocabulário para os arquétipos sexistas que as raparigas, mais ou menos maduras, enfrentam no mundo laboral. Temos, por exemplo, o interruptor: o homem que fala por cima das colegas durante as reuniões. Há também o imitador (aquele que está sempre a copiar as ideias delas) ou o estenografotário (o que a trata como se

fosse a secretária da empresa mesmo quando não é essa a sua função). Tudo clássicos que devem ser combatidos, fáceis de diagnosticar e cujos tiques começam logo desde muito cedo, até mesmo nos tempos de escola… “Logo no Ensino Básico, há uma hipótese oito vezes maior de os rapazes responderem espontaneamente durante as discussões na sala de aula, aponta a autora na introdução do livro, enquanto “é ensinado às raparigas a levantar a mão e a esperar a sua vez de falar”. A obra, uma aposta da editora Alma dos Livros, apresenta em 311 páginas tanto investigação como histórias pessoais, estatísticas, infográficos e conselhos de peritos. “Conhece o Teu Inimigo”, “Conhece-te a Ti Mesma”, “Armadilhas”, “Encontra a Tua Voz”, “Vai-te F… e Paga-me” e “OQFM – O Que Faria o Manuel?” são os capítulos

a reter neste livro que instiga a “Lutar pela Igualdade Num Mundo Pós-Trump”, frisa a própria nota da autora. “Escrevi um livro sobre as formas subtis através das quais o sexismo e a parcialidade afetam aqueles que detêm o poder”, conta a autora referindo-se muito especificamente ao país onde nasceu o movimento de emancipação feminina #metoo. “As atitudes estão profundamente enraizadas na nossa cultura, na qual, durante centenas de anos, foram os homens quem comandaram e quem assumiu o leme, e estes eram os únicos que tinham o direito de se fazer ouvir. (…) Mesmo no cinema ou na televisão são as personagens masculinas que têm discursos mais disruptivos, têm duas vezes mais falas e mais tempo de ecrã do que as colegas mulheres. (…) Este livro é sobre como reunir esforços para lutar contra todo o tipo de injustas”, sintetiza.


18 | Forum Estudante | abr’19

/Internet Segura

Publirreportagem

WORKSHOP NET_TELLING

Laboratório de empatias O Centro Internet Segura, em colaboração com o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), desenvolveu o Net_Telling, um novo recurso que utiliza a técnica de storytelling sobre a atual cultura virtual juvenil, focado no relacionamento dos jovens com a Internet. Esta oficina requer o «trabalho e a divulgação de experiências reais e concretas que envolvam testemunhos de jovens na primeira pessoa.»

pela representação e pela criatividade, expressas no formulário de inscrição. A seleção ficará a cargo do Centro Internet Segura, em colaboração com os autores do workshop: Fátima Freitas & Pedro Górgia. Os participantes selecionados serão contatados pelo Centro Internet Segura no dia 2 de maio. No final do workshop, os participantes farão uma apresentação pública e a

gravação audiovisual do resultado das histórias trabalhadas no atelier. Este workshop é gratuito e, no final, tens direito a um certificado de participação. Acreditamos que esta iniciativa poderá proporcionar-te um contato direto com as temáticas do relacionamento online na primeira pessoa e explorar de forma consciente e responsável o mundo digital. Envolve-te neste desafio!

O que é o Net-Telling? É um atelier de «contadores de estórias», que utiliza as técnicas de storytelling para criar momentos de aproximação e empatia real e explorar cidadanias ativas e literacias digitais, através de uma maior consciencialização das possibilidades de conexões digitais em ambientes confiáveis.

NET_TELLING

O que é o storytelling? Consiste numa técnica habitualmente muito utilizada por atores, para contar estórias e permitir a partilha e a divulgação de experiências reais e concretas. Alguns dados importantes sobre a realização deste workshop que importa saberes: › Quem são os facilitadores: Fátima Freitas & Pedro Górgia › A quem se destina: 15 jovens universitários (entre os 18 e os 30 anos) › Qual é o número e a duração das sessões: 5 sessões com a duração de 2,5 horas › Qual é a periodicidade: semanal › Quando se realiza: maio e junho de 2019 › Qual é o horário das sessões: entre as 18h e as 21h › Onde é que vai realizar: auditório da sede do IPDJ, na R. Rodrigo da Fonseca, 55. 1250-096 Lisboa.

Como é que te podes inscrever? As inscrições estão abertas até ao dia 22 de abril, através do formulário disponível em: https://goo.gl/forms/zormY5lHq9tHZ6n73, onde também poderás encontrar o programa do workshop.

Qual é o processo de seleção dos participantes? O processo de seleção irá apreciar a tua experiência na área do digital, o gosto

Pedro Górgia

Fátima Freitas

Inicia o seu trabalho em 1991 com o Grupo de Teatro de Carnide. Em 1993, começa uma carreira virada para o teatro infantil, tendo trabalhado nessa altura com o Teatro de Animação “Os Papa Léguas”. Desde 1995 trabalha em televisão e cinema, tendo já participado em mais de três dezenas de projetos, entre novelas e séries para televisão, em curtas e longas metragens de cinema. É um interessado por storytelling e pela arte dos contadores de estórias desde sempre. Neste momento dinamiza em Lisboa o Selfietelling, um atelier com apresentações ao público e faz parte da equipa do “Conta-me Tudo”, um evento mensal de storytelling com podcast e programa no Canal Q.

Tem trabalhado no desenvolvimento das competências narrativas junto de comunidades diversas explorando diferentes literacias culturais e sociais. Desde 2015, em conjunto com o ator Pedro Górgia, é corresponsável pela formação centrada na técnica de storytelling, aplicada a histórias pessoais e verídicas. Acredita, teima em acreditar, que saber comunicar é um valor – para quem dá e para quem recebe.

Ator

Socióloga, formadora e escritora


20 | Forum Estudante | abr’19

/Politécnico de Leiria

Publirreportagem

Excelência Académica

Um passo à frente! No Politécnico de Leiria estamos ao teu lado para dares o passo certo para o teu futuro. Somos uma instituição pública de ensino superior que te oferece uma formação diversificada de qualidade, focada nas necessidades do mercado de trabalho. Queremos proporcionar-te a melhor experiência académica num espaço multicultural e inclusivo.

12.500 estudantes 1.200 professores, investigadores, técnicos e administrativos 49 licenciaturas 75 mestrados e pós-graduações 39 TeSP

Qualidade e Inovação +900 professores / 60% doutorados +130 Laboratórios 15 Unidades de investigação 1 Centro de Transferência de Conhecimento 1 Parque Tecnológico 3 Incubadoras de empresas

Ligação ao mercado de trabalho + 800 acordos de colaboração com instituições e empresas + 1.000 ofertas na Feira do Emprego do Politécnico de Leiria + 2.500 estágios por ano

EduNet International Education Network – a PHOENIX CONTACT Initiative

Vem conhecer o Politécnico de Leiria! Vem conhecer melhor o nosso campus global e vê como podes encontrar a tua rampa de lançamento para uma vida profissional de sucesso e realizadora.

O que somos, onde estamos

5

LEIRIA Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) Escola Superior de Saúde (ESSLei)

5

CALDAS DA RAINHA Escola Superior de Artes e Design (ESAD.CR)

cidades

escolas

2

infraestruturas científicas

1

núcleo de formação

PENICHE Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) Centro de I&D, Formação e Divulgação do Conhecimento Marítimo (CETEMARES) MARINHA GRANDE Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto (CDRSP) TORRES VEDRAS Núcleo de Formação do Politécnico de Leiria

Multiculturalidade e Inclusão + 1.500 estudantes internacionais + 350 estudantes portugueses em mobilidade internacional + 70 nacionalidades + 400 protocolos internacionais 9 mestrados e uma licenciatura lecionados em inglês • Centro de Recursos para a Inclusão Digital • Centro de Línguas e Cultura Chinesa

Centralidade e mobilidade • Centro litoral de Portugal (entre Lisboa e Porto) • Próximo de praias e parques naturais • Ótimos acessos rodoviários • Rede de transportes urbanos • 220 bicicletas elétricas (U-Bike)


21 | Forum Estudante | abr’19

/Politécnico de Leiria

O Politécnico de Leiria, em conjunto com as associações de estudantes e as tunas académicas, promove inúmeras atividades culturais e sociais onde poderás vivenciar o espírito académico.

Construímos pontes com as empresas Pedalamos para a sustentabilidade ambiental No Politécnico de Leiria tens à tua disposição bicicletas elétricas que te podem ajudar na tua mobilidade. Para além de promover hábitos de vida saudáveis, queremos ajudar a reduzir a pegada ecológica, baixando o consumo de combustíveis e o número de automóveis que circulam nos nossos campi. No total, temos 220 bicicletas que podem ser utilizadas pela comunidade académica nas suas deslocações diárias. As bicicletas têm uma autonomia de 100 quilómetros e podem ser estacionadas nos lugares reservados nos vários campi, unidades de investigação e serviços do Politécnico de Leiria, onde poderão também carregar a bateria gratuitamente.

Atelier Digital Google no Politécnico de Leiria Cerca de 1.000 jovens já efetuaram o curso de Marketing Digital que é oferecido aos estudantes no âmbito da parceria estabelecida com a Google. Este projeto visa formar jovens nas competências digitais mais requisitadas no mercado do trabalho e dotá-los das ferramentas necessárias para aproveitarem as oportunidades nesta área, e contribuir para fomentar o empreendedorismo em Portugal. O Politécnico de Leiria oferece-te a possibilidade de realizares diversas atividades gratuitas para enriqueceres o teu currículo e aumentares o teu conhecimento.

Anualmente 50 jovens estudantes do ensino secundário e profissional de todo o País participam na semana temática “Leiria In – Semana da Indústria”, que oferece um conjunto diversificado de atividades em Leiria, em torno da Indústria e das suas potencialidades. A semana inclui workshops, atividades de lazer e diversão, experiências culturais, e visitas a mais de vinte empresas e indústrias, com o principal objetivo de evidenciar a importância da indústria para a economia e desenvolvimento de Portugal e dar a conhecer a formação do Politécnico de Leiria nesta área. Depois, enquanto estudante do Politécnico de Leiria poderás ser contemplado com uma das Bolsas + Indústria. Esta é uma iniciativa pioneira, na qual as empresas da região de Leiria entregam mais de 40 bolsas de estudo aos melhores estudantes do Politécnico de Leiria.

lação com as Numa estreita re cnico de Leiria empresas, o Polité 500 estágios 2. de promove mais ente dirigidos por ano, especialm s diferentes aos estudantes do . os rs cu


22 | Forum Estudante | abr’19

/Politécnico de Leiria

Publirreportagem

Reconhecimento além fronteiras A Federação Mundial de Terapeutas Ocupacionais (WFOT) atribuiu o reconhecimento internacional à licenciatura em Terapia Ocupacional da Escola Superior de Saúde (ESSLei) do Politécnico de Leiria. Com o reconhecimento desta entidade, que é o representante oficial dos terapeutas ocupacionais de todo o mundo, o curso é imediatamente reconhecido pela comunidade académica e profissional internacional, e os diplomados têm a garantia de que a sua formação é acreditada além-fronteiras.

Modelo nas boas práticas de inclusão O Politécnico de Leiria é um modelo internacional de boas práticas de inclusão, muito pelo trabalho promovido pelo Centro de Recursos para a Inclusão Digital sediado na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS). Dezenas de pessoas com diversidade funcional são acompanhadas diariamente, disponibilizando-se os recursos necessários que permitem analisar problemas ligados ao processo ensino/aprendizagem, com o objetivo de diminuir dificuldades e privilegiar a igualdade de oportunidades. Para além de acompanhar estudantes com deficiência, este Centro desenvolve serviços de apoio em prol da comunidade, nomeadamente através da criação de livros inclusivos, guiões turísticos multiformato, brinquedos adaptados e ações de formação e sensibilização no âmbito da inclusão de pessoas com deficiência na sociedade. O Politécnico de Leiria criou em 2016 a sua primeira biblioteca braille, já adaptou mais de 5.000 brinquedos e produziu dezenas de livros inclusivos.

Em primeiro lugar no design de produtos Distinção internacional da UNESCO O Politécnico de Leiria foi distinguido com a Cátedra em “Gestão das Artes e da Cultura, Cidades e Criatividade”, atribuída pela UNESCO. A nova Cátedra, diretamente associada à Escola de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR) do Politécnico de Leiria, tem como objetivo desenvolver investigação e formação em gestão e políticas urbanas das artes e da cultura, em articulação com diversas organizações portuguesas e estrangeiras, nomeadamente para municípios da região e para universidades da América Latina e dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa.

Paulo Oliveira, estudante do mestrado em Design de Produto da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR) do Politécnico de Leiria, foi o grande vencedor do concurso Verallia Design Awards, com o seu projeto de design inovador intitulado “Acrolea”. Com o tema “Azeite, transparente como o vidro”, o desafio lançado aos participantes desta competição foi criar uma garrafa de azeite diferente, em vidro, que valorize o seu interior e conteúdo, e se distinga das demais já existentes no mercado.

Na linha d do conhecimento e Saúde e atividade física em prol da comunidade O Politécnico de Leiria está desenvolver um projeto inovador que consiste na criação de um programa de saúde na comunidade, centrado numa plataforma constituída por uma aplicação móvel e uma interface de prescrição, com objetivo de monitorizar a atividade física. Designado por Movida, este programa permite efetuar a prescrição e a monitorização do desempenho, e controlar os níveis de adesão ao exercício prescrito para utilizadores com doença metabólica (MOVIDA.cronos). Em paralelo, através da aplicação, é possível desenhar e acompanhar um programa de reabilitação cardíaca (MOVIDA.eros), acompanhar e quantificar movimentos dentro de casa (MOVIDA.domus), e aceder a um programa de treino

estratificado, integrado num circuito de manutenção, com objetivo de manter ou melhorar a condição física em utilizadores saudáveis (MOVIDA. polis).


Na Rede Mundial das Reservas da Biosfera Estudantes chegam ao pódio da Siemens Alfredo Carreira e Ricardo Carreira, estudantes do terceiro ano da licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico de Leiria, conquistaram o primeiro lugar do Desafio Geração Simaris Design, dinamizado pela Siemens Portugal. Os dois estudantes vencedores ganharam um estágio profissional de um ano na Siemens Portugal, bem como uma visita ao Centro Tottaly Integrated Power, na Alemanha, onde conheceram as soluções da Siemens para projetos de distribuição de energia, com utilização do Simaris Design.

O Politécnico de Leiria, através da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM), foi indicado pelo comité português do Programa Man & Biosphere (MaB) da UNESCO para integrar o grupo de trabalho internacional que irá definir as diretrizes técnicas da Rede Mundial de Reservas da Biosfera. O Conselho Internacional de Coordenação do MaB é composto por peritos de todo o mundo que desenvolver as orientações para as Reservas da Biosfera da UNESCO. O MaB é um programa científico da UNESCO que tem como finalidade promover o equilíbrio entre as sociedades humanas e os ecossistemas, a conservação da biodiversidade, a promoção do desenvolvimento económico sustentável, e a melhoria da qualidade de vida das populações.

a da frente o e da formação

Formação internacionalmente reconhecida O Politécnico de Leiria submete os seus cursos a processos de avaliação, acreditação e certificação, quer a nível nacional, quer a nível internacional. A Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) do Politécnico de Leiria é um dos bons exemplos. A Organização Mundial de Turismo das Nações Unidas renovou a certificação de qualidade TedQual a todas as licenciaturas na área do Turismo. Este é um “selo de qualidade” da formação ministrada por esta Escola, reconhecida nacional e internacionalmente. Esta é uma iniciativa voluntária das instituições que querem certificar os seus cursos, projetos de investigação, e formação em geral. O processo procura promover a melhoria contínua da formação e investigação em turismo, definindo um standard de critérios para a qualidade da educação em turismo.

Inovação social e

empreendedorismo O Politécnico de Leiria integra o consórcio de colaboração para o Team-empreendedorismo e Inovação Social com o objetivo de mobilizar a sociedade civil e a comunidade académica para a inovação social. Neste contexto estão a ser criados laboratórios de inovação social e diversas ações para que também os estudantes sejam verdadeiros “changemakers”. Reconhecendo a importância de colaborar e empreender em equipa para resolver problemas sociais, irão ser ativadas novas formas de aprender e novas competências no âmbito da inovação e empreendedorismo social.

Prémios em projetos digitais 3D A Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR) do Politécnico de Leiria conquistou cinco prémios no Concurso Educacional Sqédio 2018, nas categorias: Melhor Animação, Melhor Imagem, Modelação, Professor, e ainda Melhor Instituição, pela qualidade global dos projetos apresentados. Esta competição visa

distinguir anualmente os melhores projetos digitais, em ambiente 3D, criados com o programa SolidWorks. A Sqédio tem criado parcerias e protocolos educacionais, tornando o SolidWorks no produto de CAD 3D mais utilizado em Portugal em cadeiras de ensino de desenho técnico, design industrial e projeto mecânico.


24 | Forum Estudante | abr’19

/Politécnico de Leiria

Publirreportagem

O Mundo no Politécnico de Leiria

No Politécnico de Leiria vais encontrar um ambiente multicultural e partilhar experiências com estudantes dos quatro cantos do mundo. São mais de 1.500 de 70 nacionalidades os estudantes que atualmente estudam no Politécnico de Leiria, números que demonstram a importância que damos à internacionalização e que nos torna um Campus Global. Incentivamos e apoiamos os nossos estudantes na realização de uma experiência internacional no espaço europeu ou num

outro país. O Politécnico de Leiria possui mais de 400 acordos de cooperação com instituições de ensino superior de todo o mundo, onde poderás realizar um programa de mobilidade Erasmus ou um programa de intercâmbio. Através das parcerias existentes poderás realizar um período de estudos noutro país, com total reconhecimento dos estudos, ou um estágio internacional. Todos os anos são mais de 350 os estudantes portugueses que fazem a

sua mala e apostam numa experiência lá fora como forma de alargar os seus horizontes, conhecer novas culturas e fazer novos amigos. O Politécnico de Leiria conta com uma longa tradição na internacionalização, não apenas em relação às atividades de formação e mobilidade de estudantes, professores e técnicos, mas também ao nível das iniciativas de cooperação para o desenvolvimento de projetos de investigação e inovação.

Sabe mais em ipleiria.pt/internacional/

O Politécnico de Leiria está no centro do mun do. A estratég ia de internaciona lização que seguimos tran sformou-nos numa instituiç ão intercultura l, com estudant es de mais 70 nacionalidades e acordos de cooperação em todos os continentes.

Top 5 (Países de Origem dos Estudantes Internacionais) Brasil

Equador

China

Espanha

Cabo Verde


Queremos receber-te bem! O Politécnico de Leiria disponibiliza aos estudantes diversos serviços de apoio. Poderás contar com refeições a preços reduzidos, mais de 700 camas nas residências, e tens ainda à tua disposição serviços médicos com consultas de várias especialidades. Fomentamos a prática do desporto através de diversas modalidades

desportivas, bem como a participação em iniciativas académicas e culturais. Poderás ainda candidatar-te às bolsas de estudo e aceder ao Fundo de Apoio Social ao Estudante (FASE®), que em troca da colaboração voluntária em diversas áreas, fornece o apoio mais adequado às tuas necessidades.

Ciência Ciências e Tecnologia Empresariais do Mar e Jurídicas

Educação e Ciências Sociais

Engenharia e Tecnologia

Saúde e Desporto

Turismo

CRID

Apoio psicológico e orientação vocacional

Centro de Recursos para a Inclusão Digital

8

residências de estudantes

4

Outros serviços de apoio

SAPE

6

edifícios de apoio

Áreas do Conhecimento do Politécnico de Leiria Artes e Design

11

edifícios pedagógicos

bibliotecas

UED Unidade de Ensino à Distância

Bolsa de Emprego do Politécnico de Leiria

Serviços médicos com diversas especialidades

+25

modalidades desportivas Cantinas, bares e centros de estudo em todos os campi

os dos os curs Consulta to ico de Leiria do Politécn .pt/cursos em ipleiria


/IACA

Publirreportagem

26 | Forum Estudante | abr’19

O QUE É A ECONOMIA CIRCULAR?

As vantagens são muitas e atrativas. Crescimento Económico, benefícios ambientais e na qualidade de vida dos cidadãos são algumas delas. Tudo isto, a partir de uma ideia simples que está na base da Economia Circular — partilhar, reutilizar, reparar e reciclar produtos. Este é um conceito marcante no setor da Alimentação Animal, uma Indústria que nasceu há cerca de 50 anos, precisamente a partir do aproveitamento dos subprodutos da moagem, com o aproveitamento da sêmea de trigo, ou os bagaços, resultantes da extração das sementes de oleaginosas.

UE promove Economia Circular Matéria prima

Design

Produção, remanufatura

Reciclagem

Economia Circular

Distribuição

Desperdício

Arrecadação

Imagina uma unidade de moagem, para a indústria da panificação e fabrico do pão. Há grãos que entram, produtos que saem. Pelo meio, há subprodutos que podem ficar pelo caminho – a sêmea ou a farinha forrageira são alguns exemplos. A pergunta revolucionária que está na base da Economia Circular é apenas: “E se utilizássemos estes ‘desperdícios’?”. Neste campo, os cereais são um bom exemplo. Tal como o é a indústria da Alimentação Animal. Um estudo do Engenheiro de Produção Animal, Mário Picoto Pereira, reflete sobre a importância da Economia Circular neste setor, uma vez que “a transformação de subprodutos agroalimentares pode gerar valor, pode alimentar uma outra cadeia produtiva, os animais

Todos os anos são produzidos 2,5 mil milhões de toneladas de lixo na União Europeia (UE). Por essa razão, o Parlamento Europeu destacou recentemente o tema da Economia Circular. De acordo com esta informação, a legislação europeia está a atualizar a sua legislação relativa à gestão de resíduos. De acordo com esta fonte, estas medidas podem significar poupanças no valor de 600 mil milhões de euros – 8% do volume de negócios atual das empresas da UE – e a redução das emissões anuais totais de gases com efeito de estufa entre 2 a 4%.

Consumo, utilização, reutilização e arranjo

de produção”. Mas qual exatamente a oportunidade que encontramos? A produção de alimentos gera grandes quantidades de resíduos ou subprodutos que podem ser aproveitados na alimentação de animais. Esta reutilização permite, de acordo com Mário Picoto Pereira, “aumentar a produção”, “melhorar a economia”, “melhorar a qualidade de vida das famílias”, “aumentar o número de postos de trabalho” e ainda “preservar e respeitar os recursos naturais do planeta”. Por essa razão, esta é uma prática comum no setor da Alimentação Animal, em Portugal, de forma a contribuir para o crescimento equilibrado das explorações agrícolas e pecuárias. Também a nível europeu, estas medidas são vistas

como vitais para o desenvolvimento económico e sustentabilidade ambiental (ver caixa). Farinhas resultantes de produção de bolachas ou da moagem de trigo (como a sêmea de trigo), por exemplo, são utilizadas para a produção de rações. “Com a utilização destes ingredientes, conseguimos, simultaneamente, contribuir para a economia circular e reduzir a pegada de carbono das nossas explorações”, destaca a IACA – Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais. De referir que estes coprodutos das industrias agroalimentares, já representam cerca de 36% das matérias-primas utilizadas nesta Indústria, campeã da reciclagem e da Economia Circular.


27 | Forum Estudante | abr’19

/Val do Rio

Publirreportagem

Dar Mundo aos estudantes A Escola Profissional Val do Rio possui “uma componente muito forte de internacionalização”, explica o coordenador de Projetos Internacionais, Vasco Corisco. Fica a saber porquê, conhecendo as formas como os seus alunos garantem uma experiência no estrangeiro.

O primeiro passo foi “pequenino”, começa por explicar Vasco Corisco. Em 2005, os alunos da EPVR participavam no primeiro protocolo internacional, com uma escola de Arte e Design de Badajoz. “A partir daí fomos crescendo exponencialmente”, acrescenta o coordenador de projetos internacionais, que enumera destinos: Dinamarca, Reino Unido, Alemanha ou Itália. Hoje, 14 anos depois, na EPVR, 1 em cada 10 alunos participa em projetos de mobilidade. As formas como os alunos podem garantir esta experiência são variadas. Uma delas é a mobilidade internacional individual, em estágios curriculares espalhados pela Europa. Nesta experiência, salienta Vasco Corisco, os estudantes garantem, para além das “competências tradicionais” outras mais-valias “do ponto de vista do crescimento pessoal”, em dimensões como “autonomia, responsabilidade ou competências linguísticas”. Para além desta mobilidade individual de estudantes e professores, existem ainda parcerias de intercâmbio

assinadas com instituições de ensino estrageiras, em temas como consciência ambiental. Normalmente, nestes projetos, “os objetivos são muito concretos”, explica Vasco Corisco, o que leva “à necessidade de trabalho em equipa” com os estudantes estrangeiros. Em qualquer uma das modalidades de mobilidade, “muitos destes adolescentes nunca tinham saído de Portugal”, acrescenta Vasco Corisco. Por essa razão, há a possibilidade de conhecer “outras maneiras de viver”: “Esta abertura dá-lhes uma perspetiva diferente, na vida adulta, nomeadamente no mercado de trabalho, relativamente à relação com a diferença”. Outra das mais-valias no âmbito internacional é a inclusão da EPVR na rede europeia Innmain (ver caixa). Esta é uma forma de “garantir uma projeção mais internacional da escola, fazendo com que os alunos tenham acesso a mais oportunidades no mercado de trabalho e nas formas de aprendizagem”, conclui o coordenador.

Rede Innmain A Escola Profissional Val do Rio é responsável pela gestão do Departamento de Eletrónica e Telecomunicações da rede europeia de inovação InnMain. Focada em projetos para servir a indústria de manutenção com qualidade educativa, esta rede é constituída por instituições educativas, empresas, associações de empresários e câmaras de comércio e indústria. Através do trabalho realizado no âmbito desta rede, têm aumentado exponencialmente o número de alunos e professores em mobilidade internacional.

Informações e Pré-inscrições email: secretaria@valdorio.net URL: www.valdorio.net telefone: 214 413 072


O MEU FUTURO É AQUI

LICENCIATURAS MESTRADOS CTeSP PÓS-GRADUAÇÕES diurno | pós-laboral | ensino a distância

4503

375

ESTUDANTES

PESSOAL DOCENTE E DE INVESTIGAÇÃO

LICENCIATURAS

MESTRADOS E PÓS-GRADUAÇÕES

23

4

3

120

Tesp

ESCOLAS

UNIDADES DE PESQUISA

PARCERIAS INTERNACIONAIS

14

www.ipca.pt

22


ENSINO SUPERIOR PÚBLICO

LICENCIATURAS

› Contabilidade › Design Gráfico › Design Industrial › Engenharia Eletrotécnica e de Computadores › Engenharia de Sistemas Informáticos › Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais › Engenharia e Gestão Industrial › Engenharia Informática Médica › Finanças › Fiscalidade › Gestão de Empresas › Gestão Pública › Gestão de Atividades Turísticas › Solicitadoria

MESTRADOS

› Auditoria › Contabilidade e Finanças (APNOR) › Design Digital › Design e Desenvolvimento de Produto › Engenharia Eletrónica e de Computadores › Engenharia Informática › Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais › Fiscalidade › Gestão Autárquica (b-learning) › Gestão das Organizações (APNOR) › Gestão do Turismo › Ilustração e Animação › Sistema Integrados de Gestão QAS › Solicitadoria

ÁREA DO DESIGN

› Design de Calçado › Design de Moda › Design para Media Digitais › Ilustração e Arte Gráfica ÁREA DE HOTELARIA E TURISMO

› Organização e Gestão de Eventos › Turismo, Natureza e Aventura › Cozinha e Inovação Alimentar › Restauração e Bebidas* ÁREA DE GESTÃO

› Apoio à Gestão › Comércio Eletrónico › Exportação e Logística › Contabilidade e Fiscalidade ÁREA DE TECNOLOGIA

› Aplicações Móveis › Desenho Técnico e Maquinação › Desenvolvimento Web e Multimédia › Eletrónica, Automação e Comando › Energia, Telecomunicações e Domótica › Gestão Industrial da Produção › Manutenção Industrial › Mecânica Automóvel › Redes e Seguranças Informática › Sistemas Eletrónicos e Computadores › Soldadura Avançada* *Aguarda aprovação da DGES

PÓS-GRADUAÇÕES

› Contabilidade Financeira Empresarial › Contabilidade de Gestão e Estratégia Empresarial › Cibersegurança e Informática Forense › Data Analysis for Business › Ecocidades e Desenvolvimento Sustentável (b-learning) › Fiscalidade › Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas › Marketing Digital

DESIGN

TECNOLOGIA

TURISMO

GESTÃO

BARCELOS • BRAGA • GUIMARÃES FAMALICÃO • ESPOSENDE


30 | Forum Estudante | abr’19

/ReDescobrir a Terra

“A Revolução 4.0 também chegou à Agricultura” O empresário português Tiago Sá entrou recentemente na lista da revista Forbes “30 jovens europeus com mais potencial”. Diplomado pela Universidade do Porto, Tiago é cofundador da Wisecrop – empresa tecnológica que permite aos agricultores fazer “uma gestão muito mais rápida e simplificada do negócio”. À FORUM, o empresário vê na Agricultura um setor que “propicia muitas oportunidades ao nível da incorporação tecnológica”. O Wisecrop define-se como o “sistema operativo da Agricultura”. Porquê? Essa definição é uma analogia com o sistema operativo Windows que temos nos nossos computadores. No fundo, o Windows não é mais do que a interface (o ambiente de trabalho) para utilizar a Aplicação mais indicada ao trabalho que queremos fazer. Cada aplicação tem um propósito muito específico, mas todas elas estão interligadas sobre a mesma interface: o sistema operativo. Este é o conceito do Wisecrop. De que forma é que este conceito tem aplicação, no dia a dia dos produtores? Ao ser uma interface única, online e extremamente simples, permite ao agricultor otimizar o seu tempo nas tarefas diárias da gestão do seu negócio. Além disso, é possível ligar sensores, programadores de rega ou outros dispositivos para potenciar os resultados. Oferece ainda uma loja de serviços agrícolas como análises laboratoriais ao solo, folha, água, resíduos ou outras que podem ser subscritas de qualquer laboratório, sendo os resultados completamente integrados e enviados digitalmente para o agricultor. Outros serviços incluem mapeamento aéreo com drone ou satélite, previsão agrometeorológica, etc. O resultado é uma

gestão muito mais rápida e simplificada do negócio, o que resulta em melhorias significativas dos resultados, campanha após campanha Em que contexto surgiu a fundação da empresa Wisecrop? Já tinhas uma relação anterior com a área da agricultura? A Wisecrop surgiu no seguimento de uma Unidade Curricular do curso de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, da Faculdade de Engenharia

Há ainda muito que explorar neste setor, do ponto de vista tecnológico.

da Universidade do Porto. Nessa UC, tivemos a oportunidade de trabalhar com um protocolo de comunicação de dados sem fios que permitia a transmissão de dados via wireless com baixo consumo energético e de dados. Finalizada a disciplina com sucesso, decidimos construir um produto em

torno dessa tecnologia. Selecionámos o setor Agrícola como um dos que teriam maior recetividade desta solução. Esta escolha foi ponderada e analisada “à engenheiro”, incluindo a experiência prévia que alguns fundadores já tinham tido com este setor. Organizações como a FAO chamam a atenção para os desafios da sustentabilidade alimentar, num futuro próximo. Pensas que será obrigatório que o futuro do setor agrícola passe por soluções tecnológicas como a Wisecrop? Sem dúvida. Alguns dos maiores desafios que enfrentamos, neste momento, prendem-se com o aumento populacional e consequente escassez de recursos. Por outro lado, o aumento das normas de segurança alimentar traz restrições ao nível da produção e, simultaneamente, a discrepância entre procura e oferta no que respeita a alimentos, resulta em desperdícios alimentares relevantes e respetivo impacto na poluição. Soluções como o Wisecrop apresentam-se como uma ajuda

uma iniciativa

C o fi n a n c i a d o p o r :

parceiros

Escola Profissional Agrícola

Afonso Duarte


31 | Forum Estudante | abr’19

/ReDescobrir a Terra significativa na resolução destes problemas e na redução do impacto que cada Unidade de Produção causa a nível ambiental. Dirias que continua a existir uma oportunidade para criar projetos na Agricultura, através da inovação tecnológica? A Agricultura é um setor que propicia muitas oportunidades ao nível da incorporação tecnológica. Este setor nunca esteve na vanguarda da tecnologia, mas acredito que esse paradigma mudará nos próximos 5-10 anos. Há ainda muito que explorar neste setor, do ponto de vista tecnológico. Pensas que o público em geral já tem a percepção desta realidade? Que visão existe sobre a Agricultura? Acredito que, nos últimos 3 anos,

Aos poucos e poucos, os estudantes vãose apercebendo que será impossível fazer agricultura sem recurso a ferramentas tecnológicas”.

ficou muito claro que a Revolução 4.0 chegou não só à Indústria e às Cidades, mas também à Agricultura. A Wisecrop faz parte desta revolução e sempre teve este processo como visão, não fosse o nosso slogan «The Natural (r)Evolution”. Cada vez há mais workshops, palestras e conferências sobre este tema, o que vem reforçar o aumento da consciência global. Acredito que, dentro de poucos anos, a Agricultura deixará de ser aquilo que

hoje conhecemos: passará a ser um setor altamente evoluído, com forte incorporação tecnológica, com criação de postos de trabalho até hoje inexistentes, com exigências de formação muito específicas e com capacidade de criar negócios altamente rentáveis. Esperamos que o Wisecrop continue a fazer parte desta revolução. E, quanto aos jovens em particular, sentes que existe o conhecimento deste potencial, nomeadamente relativo a oportunidades profissionais? Na minha opinião, a Academia ainda não absorveu completamente esta tendência de crescimento de incorporação tecnológica no setor Agrícola. Penso que, apesar da crescente consciencialização dos professores e estudantes, ainda há um longo caminho a percorrer. Não obstante, a Wisecrop hoje suporta vários estudos e projetos científicos, em diferentes instituições de ensino, o que valida esta tendência. Aos poucos e poucos, os estudantes vão-se apercebendo que será impossível fazer agricultura sem recurso a ferramentas tecnológicas de suporte à tomada de decisão e à gestão do negócio. Para terminar, o que significou para ti a distinção recente por parte da Forbes? Foi com muito orgulho que recebei esta distinção. Apesar de ser uma dis-

tinção pessoal, não a interpreto dessa forma. Atribuo-a a toda a equipa na base do Wisecrop e a todo o percurso que tivemos nos últimos anos. É bom sentir que o trabalho que a Wisecrop tem vindo a fazer é reconhecido e que estamos no caminho certo. Ao fim e ao cabo, são os agricultores que nos colocam comida na mesa todos os dias. Continuaremos a dar o nosso melhor para tornar a sua vida um pouco mais fácil, dia após dia.


32 | Forum Estudante | abr’19

/Saberes

Água de Côco, Tou Bem e À Vontade são os singles já em alta rodagem de #FFFFFF, o álbum de estreia de ProfJam, nascido Mário Cotrim faz no próximo verão 28 anos. Há uma década começou a gravar as suas rimas. Depois foi para Londres aprender do ofício. No regresso, fundou a editora Think Music Records e produziu para vários rappers portugueses. Mas agora chegou a sua vez de viver o sonho em nome próprio, ainda que rodeado da sua família hip-hop.

“A minha assinatura é a

liberdade de p

Por Vera Valadas Ferreira

Que expetativas tens em relação a este teu primeiro álbum? Que as pessoas gostem, usufruam dele, que as marque de forma a que, no futuro, se lembrem de quando o ouviram pela primeira vez e que fiquem com estas canções para o resto das suas vidas. Que este disco tenha um lugar especial nas suas vidas, que tenha um impacto. Foi um trabalho que deu muito... trabalho? Foi, foi. Mas é aquela questão de que, quando uma pessoa faz com gosto, não cansa, ou pelo menos não cansa tanto. Embora haja fases em que uma pessoa já esteja realmente saturada, é muito recompensador. Por isso, valeu a pena. No single Tou Bem dizes que “estava na ponta, mas agora estou no meio”. Durante muito tempo ambicionaste estar onde estás agora? Nunca tive muito essa ambição ou objetivo, foi acontecendo. Tudo aconteceu à medida que fui trabalhando: as pessoas foram gostando e dando a sua força. E eu comecei a acreditar, tanto que depois apontei mais para isso, para ter o meu destaque ao nível da história do hip-hop. Gostava de causar o meu impacto, a minha assinatura nessa cultura. O “estava na ponta, mas agora estou no meio” também tem outro significado: é o facto de antes viver muito nos extremos das coisas e que agora sei que é no meio, lá está, que está a virtude. Acabamos por ser pessoas mais completas, se conseguirmos estar no meio. O meu trajeto até aqui foi encontrar esse equilíbrio. Como é que defines a tua assinatura? É uma experiência que não sei definir muito bem. Mas espero que as pessoas também já sintam quando me ouvem, que já percebam o que é. É, sobretudo, associar-me à liberdade de pensamen-

to, a honestidade intelectual, a procura da verdade seja onde for. Procurar as perguntas e não só as perguntas. Tudo isso ligado à escrita que é o que gosto muito. Este álbum reflete uma grande espiritualidade. Foi algo que descobriste mais recentemente ou sempre foste interessado por esses temas? Sempre fui muito espiritual. Acho que é uma coisa que não acontece: ou somos ou não somos. Embora eu ache que toda a gente tem a sua espiritualidade. Quis ter essa parte de mim demonstrada no disco e puxar por pessoas que estejam mais adormecidas para esses assuntos e também por outras mais “acordadas”. Para que elas saibam que há música para esse tipo de exposição. É uma visão mais espiritual sobre a vida, mais ligada à eternidade. Não é necessariamente algo religioso, mas sim ganhar perspetiva sobre as coisas.

A minha assinatura é a liberdade de pensamento, a honestidade intelectual, a procura da verdade seja onde for Achas que o público jovem apreciador de hip-hop está sintonizado com essas questões? Constato que toda a gente tem um pouco. Eu também fui fruto da minha educação. Não sei se as pessoas estão propriamente à procura disso. Mas, se encontrarem, talvez. É um bocado isso que eu faço: estou de certa maneira a usar o hip-hop como um veículo para a minha mensagem.

#FFFFFF é o código hexadecimal para a cor branco. Qual a explicação para teres escolhido este título? Tem a ver com uma espiritualidade que pode ser digital. Depois também a questão do branco ser a junção de todas as cores. E as cores aqui são seja o que for, são tudo o que faz parte do ser humano. No verão passado tudo mudou, graças às boas prestações ao vivo que chamaram a atenção do público e da indústria musical, ao ponto de depois assinares pela Sony Music… Sentes que aconteceu tudo de repente, como num sonho? É um sonho no verdadeiro sentido da palavra. Aqui há uns tempos era literalmente um sonho. Depois, a vida vai acontecendo e traz-me o sonho, até que nos apercebemos que é a realidade. Quando acontece, já não é um sonho, porque uma pessoa já lá está dentro. É assim que eu vejo a vida. O próprio álbum fala sobre isso. Vivi certas cenas que, do nada, saem da minha cabeça. Quando percebemos que essas coisas estão a acontecer, é fixe. Estou feliz por estar a viver o sonho da minha vida. A 5 de abril, apresentas o novo disco no Capitólio (Lisboa) e, no verão, atuas nos festivais NOS Primavera Sound e Super Bock Super Rock. Em palco é onde se sentes mais pleno ou preferes o trabalho de criação em estúdio? Gosto muito de criar, não gosto tanto de executar, no sentido de repetir aquilo mil vezes. A criar é onde me sinto com a pica toda e, depois, ao vivo, é onde me sinto mais vivo, no fundo. Tenho um guião mas é onde a perceção do tempo se transforma mesmo. Fica ali uma espécie de um momento que não passa mas que passa super rápido. Pode tudo correr mal mas, ao mesmo tempo, pode tudo correr bem. Gosto mesmo de estar no palco.


33 | Forum Estudante | abr’19

/Saberes

e pensamento” Como era o Mário Cotrim antes de se transformar no ProfJam? Agora já ouço mais “Prof” mas ainda há quem me chame Mário. O Mário, pelos vistos, entretia-se a criar o ProfJam (risos). Basicamente, o que difere um do outro é que agora já há coisas que, se calhar, não posso fazer da mesma maneira, como estar com o pessoal na rua. Agora também crescemos mais: temos os nossos empregos e as nossas vidas. Também ando mais ocupado na estrada e no estúdio. O ProfJam veio da minha cabeça, é um universo que eu controlo porque eu é que crio as regras. O Mário é que estava e está mais cingido pelas regras da sociedade. O ProfJam é o imortal, o poder infinito. Eu hei de ir para uma cova ou para outro mundo, sei lá. Mas o ProfJam há de ficar aqui porque é algo imaterial, é uma ideia, é um ficheiro de música que, se Deus quiser, há de estar aí nos servidores para a malta ouvir bastante depois de eu estar cá. Isso era o meu maior sonho.

Ao vivo é onde a perceção do tempo se transforma mesmo. Fica ali uma espécie de um momento que não passa mas que passa super rápido

Antes vivia muito nos extremos das coisas e agora sei que é no meio, lá está, que está a virtude


34 | Forum Estudante | abr’19

/I Love We

O PODER DA COMUNICAÇÃO

Música, Teatro, Animação e Jornalismo são apenas algumas das vertentes exploradas nesta academia na “cidade dos estudantes”. Aqui são exploradas as várias formas de comunicar com os outros, os tais “nós que unem”, como dita o slogan desta academia.

powered by by powered

apoios apoios


35 | Forum Estudante | abr’19

/I Love We

~ Coimbra, 1 a 6 de julho de 2019 Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt

Encontrares ou melhorares a tua forma de expressão é também uma forma de garantires que, no futuro, a tua relação com os outros será facilitada. E é com base neste lema que, pelo quarto ano consecutivo, a Forum Estudante e a Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC) promovem a Academia I Love We. Esta iniciativa – que decorre de 1 a 6 de julho – pretende mostrar os 50 jovens participantes as várias faces da Comunicação, seja através da Música, do Teatro, da Animação Cultural ou do Jornalismo. Por tudo isto, a agenda de atividades é bastante variada, incluindo experiências desportivas, turísticas e artísticas. De acordo com a organização, trata-se de “uma semana interativa, dinâmica, pedagógica, totalmente virada para a comunicação, na qual podes desenvolver as tuas capacidades de iniciativa, criatividade, inovação e artísticas”. Graças ao programa eclético, é possível aos estudantes comunicar através de diversas áreas. O objetivo passa por juntar diversão e aprendizagem, desenvolvendo capacidades importantes de serem aplicadas no dia a dia como o espírito de equipa, a autoconfiança e a relação interpessoal. “Este programa ajuda a criar laços muito fortes entre as pessoas, através da solidariedade. Aumenta muito a conexão que existe entre as pessoas”, frisa Telmo Monteiro, participante na mais recente edição desta academia. Uma

visita aos bastidores da ESECTV, a participação no espetáculo musical construído de raiz sob a supervisão dos cursos de Teatro e Educação e Estudos Musicais Aplicados, um peddy papper pela cidade de Coimbra com direito a passagem pelos seus maiores ex-líbris em termos de monumentos, um percurso pedestre à Aldeia de Xisto de Talasnal (serra da Lousã) que termina com um mergulho nas belas piscinas naturais ou uma descida de canoa de 18 km Rio Mondego abaixo são alguns dos momentos destes dias que também combinam Natureza e Aventura. “Uma semana muito especial, que é uma forma não só de dar a conhecer a oferta formativa da ESEC, mas também de mobilizar os estudantes a conhecer a região de Coimbra e de lhes dar a perceber o seu papel enquanto cidadãos, enquanto construtores do Futuro. É esse o grande desafio que a Forum Estudante e a Escola Superior de Educação de Coimbra têm vindo a desenvolver. Tem sido um momento de afirmação desta instituição, mas também uma experiência inesquecível para estes 50 jovens”, descreve Rui Marques, diretor-geral da Forum Estudante. Já a docente da ESEC, Joana Fernandes, garante que “é impossível os alunos saírem daqui a dizerem: ‘eu não sei o que é que se estuda na ESEC’”, uma vez que esta academia tem 13 atividades diferentes para “dar a conhecer os 13 cursos da ESEC”. Eles próprios tornam-se divulgadores da nossa escola, do nosso ambiente e da nossa oferta”. E por falar em ambiente, com a Forum Estudante, este é sempre “fantástico”, sublinha Francisca Dias. “As atividades são muito diversas e é tudo muito interessante. Sempre”, sintetiza.

Conhecer todas as vertentes da comunicação é o desafio colocado aos estudantes pela I Love We. Atividades nas áreas da Música, Teatro, Comunicação Social e Animação Cultural são a forma de garantir esta viagem. Para participar, basta uma inscrição em forum.pt e esperar pelos passos seguintes, com todas as despesas incluídas.


36 | Forum Estudante | abr’19

/SportsWeek

A ACADEMIA QUE TE PÕE

A

powered by

apoios


~ Rio Maior, 1 a 6 de julho de 2019 Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt

SPORTS WEEK 2019 A SEMANA DO DESPORTO NA CIDADE DO DESPORTO

Numa semana dinâmica, interativa e pedagógica poderás desenvolver as tuas capacidades físicas e competitivas, sem descurar o espírito de equipa. Na SportsWeek, as modalidades propostas são muito diversas, do surf à dança hip-hop, do vólei de praia aos desportos de combate, da escalada ao paintball. Numa parceria com a Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) do Instituto Politécnico de Santarém, a Forum Estudante organiza, pelo quarto ano consecutivo, a SportsWeek. Esta academia - que decorre em Rio Maior, de 1 a 6 de julho - põe os seus 50 jovens participantes a correr e a andar e a pular e a pedalar e a dançar, tantas e tão empolgantes são as atividades propostas ao longo desses dias. “Vai passar a correr, vão perceber que estão numa escola diferente, se não a melhor de desporto a nível nacional”, avisa o diretor da ESDRM, João Moutão. Para este responsável estão reunidos todos os ingredientes para que os estudantes do 9.º ao 12.º ano participantes na academia possam desfrutar e crescer, saindo desta experiência com “maior satisfação e hipóteses para o futuro”. O diretor acredita tratar-se de “uma escola com identidade” à qual, quem por ela passa, “não fica indiferente”. Também Rio Maior, a cidade anfitriã desta iniciativa FORUM “foi

crescendo com o crescimento da Escola Superior de Desporto”, constata a Presidente da Câmara Municipal, Isaura Morais. O “crescimento ao longo de 20 anos da comunidade académica da ESDRM” que conta, hoje, com cerca de 1000 elementos, numa cidade com 8000 habitantes, “faz toda a diferença, em aspetos económicos, sociais ou culturais”. É por isso que Rio Maior se assume como “a Cidade do Desporto”, muito especialmente nesta Semana do Desporto. Fitness, surf, dança hip-hop, vólei de praia, paddle, bodyboard, desportos de combate, artes marciais, escalada, slide, paintball, jump, fit box, TRX, piscina, yoga e bicicleta são algumas das modalidades/atividades a explorar, provando que o exercício físico pode ser feito dentro e fora de pavilhões. É que a SportsWeek leva os participantes, por exemplo, a Peniche e à Lagoa de Óbidos para uma maratona de desportos aquáticos, tudo colocando à prova a tua capacidade de resistência e perseverança.

De dia e noite Do programa consta ainda peddy papers diurnos e noturnos, bem como passeios pelo Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, pelas aldeias típicas da serra e pelas praias da região Oeste. O Desporto de Natureza, dos desportos radicais às descobertas subterrâneas, tem lugar cativo na agenda desta academia que também ensina técnicas de sobrevivência e o respeito pelo Meio Ambiente. Dinamismo e proatividade são as palavras-chave desta semana. Pretende-se que, no final, os participantes tenham desenvolvido novas capacidades, desde a prática de uma atitude mais positiva, à resolução de problemas, passando pela comunicação interpessoal e pelo indispensável trabalho de equipa. A sensibilização para a importância de uma vida saudável e ativa é também um dos principais objetivos destes dias que te mostram, num ambiente de descontração, as distintas saídas profissionais relacionadas com o universo desportivo.

Uma semana em movimento, do campo ao pavilhão, é aquilo que os estudantes podem esperar da SportsWeek. Para participar, basta fazer a inscrição em www.forum.pt/academias-forum, com todas as despesas de alojamento, alimentação e deslocação incluídas.


38 | Forum Estudante | abr’19

/PolitécnicoLX

powered by


~ Lisboa, 8 a 13 de julho de 2019 Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt

Estás indeciso quanto à tua vocação profissional? Gostarias de confirmar o gosto e a aptidão por uma determinada área? Ou queres simplesmente ganhar consciência de quantos caminhos tens à tua frente? Então a Academia Politécnico LX é o espaço ideal para te encontrares e começares a traçar o teu destino académico.

Uma oportunidade para, em meia dúzia de dias, ter acesso a toda a oferta formativa do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL). É assim que se apresenta esta Academia FORUM que se realiza na capital do País, de 8 a 13 de julho. Desta forma, esta viagem – totalmente grátis para os 50 participantes – passa pelos universos das Artes, das Ciências Empresariais, da Comunicação, da Engenharia e da Saúde. Na sua 3ª edição consecutiva, esta iniciativa da Forum Estudante volta a ter como objetivo “permitir-te descobrir mais sobre várias áreas do saber, desvendando os caminhos profissionais que poderás seguir”. Esta ajuda na procura de uma vocação poderá ser especialmente importante, tendo em conta as importantes decisões tomadas durante o Ensino Secundário. “É muito bom para nós, que ainda estamos a escolher o que é que vamos ser e o que vamos decidir”, confessa uma das participantes da edição passada quanto à experiência nesta academia. Há também um bónus: “fazemos muitas

atividades engraçadas e fazemos amizade com pessoas de todo o País”, conforme frisa outra participante. “Queremos que se divirtam de uma forma proveitosa, que conheçam a diversidade de áreas da formação do IPL, que saiam daqui com a certeza do que querem ser e a certeza do que não querem ser, que façam novas amizades e abusem das relações interpessoais”, explica na sessão de boas-vindas do ano passado o vice-presidente do IPL, António Belo. E tudo porque esta academia tem precisamente como lema: “Porque podes ser o que quiseres”.

Da Dança aos números O objetivo, recorda a organização é “dar oportunidade de confirmar as tuas paixões e, quem sabe, descobrir outras”. Por essa razão, o programa de atividades é diversificado. Será possível descobrir o prazer da Música (da produção à interpretação) na Escola Superior de Música de Lisboa (ESML)

ou aprender técnicas básicas de socorrismo numa formação da Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Na Escola Superior de Dança de Lisboa (ESD), a Escola Superior de Educação de Lisboa (ESEL) e a Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa (ESTC), será a vocação artística que será estimulada. Os números e as taxas não ficam esquecidos, com uma prometida uma visita ao ISCAL - Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa para um dia dedicado ao empreendedorismo e ao mundo dos negócios e do marketing. Outro dos pontos altos do programa é a visita ao Grupo Renascença Multimédia, para conhecer a filosofia, as metas e algumas das figuras marcantes das suas quatro rádios: Renascença, RFM, Sim e Mega Hits. Ainda no universo da Comunicação, também poderás aprender a trabalhar nos estúdios de TV da Escola Superior de Comunicação Social (ESCS).


40 | Forum Estudante | abr’19

/Leiria-In

POR DENTRO DA

INDÚSTRIA

Uma viagem pela tecnologia aplicada à Indústria é a proposta da academia Leiria-In. 50 estudantes de todo o país têm a possibilidade de conhecer a vanguarda da inovação tecnológica, bem como as profissões associadas a uma área em expansão e com grande empregabilidade. Sabe tudo sobre esta oportunidade.

powered by

partners Câmara Municipal da Marinha Grande


~ Leiria, 1 a 6 de julho de 2019 Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt Semana da

Indústria “Na indústria de vidro, os fornos são como os iogurtes”. A comparação pode parecer estranha e, sobretudo, pouco intuitiva. Contudo, a explicação é simples, salientou o Diretor de Recursos Humanos da Gallo Vidro, Paulo Mateus: “é que os fornos também têm um prazo de validade”. Nesta indústria, a produção não para: são 365 dias por ano, 24 horas por dia. É este dado que leva a um desgaste natural dos fornos, sendo que a cada 12 a 14 anos, é necessária a sua reconstrução. A explicação de Paulo Mateus inseriu-se na primeira atividade do segundo dia da Leiria-In 2018 – divididos em quatro equipas, os estudantes visitaram quatro empresas de referência produção de vidro, situadas na Marinha Grande: Gallo Vidro, Crisal, Santos Barosa e Barbosa e Almeida. Durante as visitas, foram também abordados aspetos relacionados com as profissões envolvidas no percurso de produção. Robots e autómatos são uma presença habitual, numa oportunidade de conhecer alguns elementos da Indústria 4.0. O momento corporiza aquele que é o principal mote desta academia promo-

vida pela Forum Estudante, em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria: conhecer a inovação tecnológica praticada na Indústria da região de Leiria. Conforme salientou Rui Marques, na sessão de abertura de 2018, durante estes cinco dias, os estudantes podem contactar com empresas portuguesas “capazes de competir com qualquer empresa do mundo”, um dado importante para “uma geração que está a construir um olhar sobre o país”. “Começa hoje uma grande oportunidade”, reforçou. Por essa razão, o programa da Leiria-In inclui visitas a empresas, conversas com empresários e também atividades práticas nas diferentes escolas do Politécnico de Leiria. O objetivo final é “conhecer as diferentes saídas profissionais associadas à Indústria” que passam pelas diferentes Engenharias, mas também por áreas afins como o Design, a Gestão e a Comunicação, bem como outras áreas da oferta formativa do IPL, como os Jogos Digitais.

As amizades e a aprendizagem O equilíbrio entre aprendizagem e

diversão é visto como essencial pelos organizadores. Por essa razão, há também momentos de relaxamento previstos no programa, com viagens à praia e ao parque aquático Mariparque. Por outro lado, a atividade física também não fica de lado, com a participação numa corrida noturna pela cidade de Leiria – o Brisas do Lis Night Running. Esta será a sexta edição da Leiria-In – uma academia que, ao longo dos anos, já envolveu mais de 250 estudantes e dezenas de empresas. Este ano, esta academia realiza-se entre os dias 8 e 13 de julho, reunindo, em Leiria, de forma totalmente gratuita, estudantes do ensino secundário e profissional de todo o país. O valor deste encontro entre estudantes é, de resto, salientado pelos antigos participantes. Para Ruben Ferreira, por exemplo, esta foi uma oportunidade de “aprofundar os conhecimentos sobre a indústria e criar novos laços – foi mesmo muito importante”. Outro dos participantes destaca: “Conheci muitas pessoas, amigos que levo no coração. E foi uma semana muito didática, onde aprendemos muito”.

A academia Leiria-In define-se como ideal para os estudantes que tenham um gosto especial por tecnologia. Uma viagem pelo mundo industrial, com atividades práticas, é a proposta realizada a todos os alunos do ensino secundário ou profissional. Para participar, basta fazer a inscrição em forum.pt/academiasforum. A participação é gratuita, com as despesas de alojamento, alimentação e deslocação durante a academia incluídas.


42 | Forum Estudante | abr’19

/Tourism Academy

NA ROTA DO TURISMO

Apresentar aos estudantes portugueses as possibilidades profissionais existentes dentro do setor do Turismo. Eis o objetivo da academia Tourism Academy. Em cinco dias, os cinquenta participantes conhecem não só a riqueza turística do país, como a importância de quem garante que tudo acontece.

powered by

com o apoio

escolas


~ Faro, 8 a 13 de julho de 2019 Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt Em 2015, a Estrada Nacional 222, que liga a Régua a Pinhão, foi distinguida como “a melhor estrada do mundo”, pela Avis. O trajeto acompanha as curvas do rio, tendo, por isso, vista privilegiada para o Douro. Durante um dos dias da Tourism Academy 2018, os cinquenta estudantes fizeram parte dessa paisagem, com um percurso de 7 quilómetros de canoa. Para Raquel Pedroso, uma das participantes, o percurso “foi cansativo, mas foi uma experiência brutal”. A viagem teve o acompanhamento do técnico David Pereira. A atividade, explicou à FORUM, apresenta-se como uma oportunidade para desenvolver capacidades de coordenação e de trabalho de equipa. O momento foi ainda uma oportunidade para os estudantes conhecerem o trabalho realizado por este técnico de desportos de ar livre, naquele que é um dos principais objetivos da Tourism Academy – “dar a conhecer tudo o que Turismo tem para oferecer”. Uma meta contida no desafio que é lançado aos estudantes portugueses: “Queres fazer do turismo o teu futuro?”. O programa inclui atividades em cada uma das diferentes vertentes do setor. Para além de experiências em Turismo de Ar Livre, há momentos ligados ao Turismo Cultural e de Património ou

Turismo Gastronómico. Em 2019, esta academia realiza-se de 8 a 13 de julho. Em cada uma destas atividades, a organização incorpora uma dupla preocupação: “O objetivo é que divirtas, enquanto, simultaneamente, conheces o trabalho realizado pelos profissionais do setor do Turismo que garantem essa mesma diversão”. De acordo com uma das participantes da edição de 2018, Ana Sofia Silva, esta foi abordagem que garante bons resultados: “conseguiram conciliar o aprender com o conviver e isso foi bom para todos nós”. Outra das características desta academia organizada pela Forum Estudante, com o apoio do Turismo de Portugal, é a sua componente itinerante. Depois de uma primeira edição realizada em Lamego, onde a relação com o património do Douro esteve em destaque, a escolha, em 2019, recaiu em Faro – numa das mais emblemáticas regiões turísticas do país.

Dentro da rede Em 2018, os cinquenta participantes da Tourism Academy ficaram alojados na Escola de Hotelaria e Turismo do Douro, em Lamego. Este ano, será a Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve a acolher os estudantes oriundos de

todo o país. Por essa razão, a Tourism Academy assume-se também como “uma forma de “conhecer a realidade da Rede de Escolas do Turismo de Portugal”. Esta rede é composta por 12 escolas espalhadas pelo país que se definem como instituições de ensino que “lecionam programas curriculares adaptados às exigências do mercado”. Uma afirmação que sustentam com um número. “A taxa de atividade registada, seis meses após a conclusão do curso, é de 90%”, pode ler-se no site do Turismo de Portugal. De resto, esta academia não ignora o “forte crescimento” que se tem registado no setor do Turismo, encarando este dado como a oportunidade para o futuro profissional dos jovens. Por outro lado, “conhecer as iguarias gastronómicas típicas da região” e contactar com “as diferentes realidades das atividades de Ar Livre”, são outras das promessas do programa. Entre as novas aprendizagens e a diversão crescem também centenas de novas amizades, entre estudantes que chegam de todos os pontos do País. Nas palavras da estudante Ana Sofia Silva: “São coisas que vamos levar para a vida e que, certamente, não vamos esquecer”.

Conhecer o setor do Turismo e a região do Algarve é a proposta da Tourism Academy para 2019. Cinquenta estudantes de todo o país serão selecionados, bastando fazer a inscrição em forum.pt/academias-forum. A participação é gratuita, com as despesas de alojamento, alimentação e deslocação durante a academia incluídas.


44 | Forum Estudante | abr’19

/Tanto Mar

TANTO MAR,

muita boa Se adoras o Mar, em todas as suas vertentes, não percas a oportunidade de participar nesta academia da FORUM que te mostra tudo sobre a importância dos oceanos, seja no plano científico, lúdico e recreativo, desportivo ou económico.

uma iniciativa

apoios Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar

ESTALEIROS NAVAIS DE PENICHE SA

United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization

Man and the Biosphere Programme


~ Peniche, 1 a 7 de setembro de 2019 Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt

“O Mar pode ser diversão, o Mar pode ser economia. Mas também é Desporto ou Ciência”, acredita a Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) do Instituto Politécnico de Leira, um dos parceiros da Forum Estudante na realização desta semana de atividades inteiramente grátis para 50 alunos do 9º ao 12º ano. Esta é a oportunidade de perceber todas as potencialidades do Mar enquanto fonte de atividade profissional e de lazer. Os principais objetivos desta iniciativa são “aumentar a consciência dos mais jovens e a cidadania cívica para o mar”, bem como “sensibilizar as novas gerações para o valor estratégico do mar para Portugal”. Por outro lado, despertar “vocações para as profissões ligadas ao Mar” é outra das metas desta academia que conta também com o apoio da Câmara Municipal de Peniche, localidade anfitriã do evento que, em 2019, decorre entre 1 e 7 de setembro. “Uma semana incrível onde criamos laços que vão perdurar. Para além disso, saímos daqui com valências sobre o Mar inesquecíveis”, sublinha uma das participantes da edição de 2018. Ao longo desses dias, os 50 estudantes eleitos, vindos de vários pontos do País, vão estar em contacto com várias realidades culturais, umas mais materiais, outras mais de carácter humano. Nas suas mentes vão ficar gravados os rostos e histórias de quem fez do Mar a sua vida, que se dedicam a uma área que necessita de pessoas com formação para interpretar bem aquilo que a Natureza nos dá. Com a ajuda dos monitores da FORUM e de um painel de formadores especializados, os par-

ticipantes vão conseguir saborear a essência do mar em todo o seu esplendor.

Os dias do Mar Nesta academia, o fato de banho é imprescindível, uma vez que no areal de Peniche não faltará tempo para a prática de desportos coletivos. Dentro de água podes saborear o teu batismo de mergulho e de surf (com uma visita ao Centro de Alto Rendimento de Surf de Peniche), ou conduzir uma mota de água em simulação de salvamentos, numa ação com a colaboração do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN). De igual forma, o programa abrange visitas a vários tipos embarcações, de navios a fragatas e submarinos, bem como um passeio à reserva natural da ilha das Berlengas, na companhia de uma equipa do Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF). Também terás oportunidade de visitar o Porto e a Lota de Peniche, a Fortaleza de Peniche, os Laboratórios da ESTM e do Instituto Hidrográfico e o Museu das Rendas de Bilros. Por tudo isto, na Academia Tanto Mar os participantes podem esperar muita atividade, muitas situações novas e no final terem efetivamente a consciência do que é o Mar e de todas as oportunidades a ele subjacentes. “Fantástica”, “super divertida”, “uma oportunidade de fazer coisas únicas na vida” ou “uma semana alegre e mexida”. Eis alguns dos elogios assinados por participantes em anos anteriores desta que é a mais antiga das Semanas FORUM, já a caminho da sua 10ª edição consecutiva. “Sem dúvida, uma das melhores semanas da minha vida”, garante quem já se participou. E tu, atreves-te?

Uma semana ligada ao mar, em todas as suas vertentes. Com atividades como surf, mergulho ou uma visita à ilha das Berlengas. Tudo inteiramente grátis. Sabe mais e faz já a tua inscrição em forum.pt/academias-forum.


46 | Forum Estudante | abr’19

/IPStartup Week

O FUTURO COMEÇA

HOJE

As atividades da academia IPStartupWeek centram-se no desenvolvimento de competências. Mas não só. O foco está no empreendedorismo e na criatividade que lhe está associada. Durante estes cinco dias, há espaço para fazer pitches, brainstorms e muito mais.

powered by

apoios


~ Setúbal, 23 a 28 de julho Sabe mais e faz a tua inscrição em www.forum.pt

Bengalas costumizadas para cegos, sistemas de controlo de espécies invasoras, máquinas que transformam medicação em shots saudáveis ou chips que localizam objetos. O que têm em comum estas ideias de negócio? Foram defendidas pelos participantes da IPStartupWeek em palco. A apresentação destas e outras ideias de negócio é o resultado da atividade “Ser Empreendedor por Um Dia”. Até chegar à ideia final, os diferentes grupos passaram por um processo que envolveu um brainstorming, a seleção de ideias mais viáveis e a preparação de uma apresentação (elevator pitch) de 10 minutos, bem como um poster associado à “marca”. De acordo com a professora da Escola Superior de Ciências Empresarias que orienta esta atividade, Teresa Costa, o principal objetivo passa por “um pouco a brincar, ajudar a tomar consciência da importância de se ter uma atitude empreendedora – não só na vida profissional mas também enquanto estudante”.

Esta é, de resto, a principal meta do IPStartupWeek – a academia Forum Estudante realizada em parceria com o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS). Nas palavras de uma das responsáveis do IPS: “Desenvolver nas camadas mais jovens a capacidade de iniciativa, de inovação, empreendedorismo. Trata-se de dar um sentido, tão cedo quanto possível, ao seu futuro profissional”. Por essa razão, o programa inclui desafios como a criação de ideias de negócios, mas também atividades que obrigam a encontrar soluções inovadoras em equipa. O objetivo é estimular o desenvolvimento de “competências transversais” (ou soft skills) cujo papel na empregabilidade tem sido destacado nos últimos anos. Por essa razão, para o presidente do IPS, Pedro Dominguinhos, estas atividades podem fazer a diferença para os jovens “visto que lhes permite desenvolver o espírito de equipa e a criatividade”, entre outras competências.

Outros dos desafios colocados aos participantes passam pela criação de uma imagem para determinadas marcas ou pela utilização de recursos em equipa, com vista a encontrar uma solução. A necessidade de trabalho conjunto é também vista como um estímulo ao fortalecimento das ligações entre os estudantes. Uma ideia que fica clara nas palavras de uma das participantes desta academia: “Foi uma semana para fazer novos amigos e aprender coisas que servirão para o nosso futuro. É certamente uma semana que ficará marcada na minha vida”. A sexta edição do IPStartupWeek realiza-se entre os dias 23 e 27 de julho e o convite deixa o desafio: “Se procuras melhorar as tuas competências empreendedoras, criativas e de trabalho em equipa, esta é a oportunidade perfeita”. Há 50 lugares disponíveis que são acessíveis através de inscrição em forum.pt. Todas as despesas de alojamento, alimentação e deslocação, durante a academia, estão incluídas.

Os alunos do ensino secundário ou profissional são desafiados a saber mais sobre áreas como Empreendedorismo, Gestão, Comunicação ou Tecnologia. A sexta edição do IPStartupWeek realiza-se entre os dias 23 e 27 de julho. Para participar, basta fazer a inscrição em forum.pt/academias-forum. A participação é gratuita, com as despesas de alojamento, alimentação e deslocação durante a academia incluídas.


©denise jans@unsplash

/BP Segurança ao Segundo

de antes d u t s tivo o. E egund com o obje a S o a ria, nça e um egura ça rodoviá a ajuda d S . P B n m o ra is dias o a u o c r g , d a e o p s i s r e ões est bre citá inscriç eos so spot publi caracteriza d s í a v m ue teram alizar um nara ação q Termi aís subme e m r i n e a l p na ea todo o çar até à fi is. Conhec a n a sion de av profis e d a equip A equipa verde vai colocando os adereços sobre a mesa: um relógio, um cinto, uma gravata, um par de brincos. À medida que os colegas vão preparando o cenário, o capitão de equipa, Hugo Cação, salienta o que há em comum entre estes objetos: “fazem clique”. O objetivo do vídeo da equipa verde, explicava então à FORUM, passava “criar uma narrativa com imagens de um quotidiano de um casal que sair de casa”. Através deste vídeo, a equipa do Instituto Técnico Artístico e Profissional de Coimbra procurou salientar que, num dia normal, a estes objetos quotidianos, deve juntar-se o clique do cinto de segurança. “Há tantas coisas que nos habituamos a fazer automaticamente – esta devia ser mais uma delas”, reforçava Hugo Cação. Estávamos em 2017 e a final do BP

EDUCAÇÃO

Segurança ao Segundo realizava-se na Reitoria da Universidade do Porto, animando o centro da cidade com dois dias de filmagens e edição. Um pouco antes, ao início da tarde do primeiro dia da final, durante a sessão de acolhimento, o Diretor da Forum Estudante, Gonçalo Gil explicou que cada equipa teria 2 horas para filmar e 2 horas para editar os seus vídeos que duram, no máximo 30 segundos. Esta continua a ser a dinâmica que caracteriza a final nacional deste concurso em que são os estudantes (do 9º ao 12º ano de escolaridade) a passar a mensagem da segurança rodoviária (ver caixa). Este ano, as cinco equipas escolhidas pelo júri vão encontrar-se em Castelo Branco – a Capital Jovem da Segurança Rodoviária 2019 – durante os dias 9 e 10 de maio.

E os prémios? A equipa verde venceria mesmo a edição de 2017. Depois de receber o prémio em palco, o capitão Hugo Cação destacou “a experiência incrível que foi trabalhar de perto com uma equipa profissional”, nomeadamente pelo facto de esta ser a sua área de estudos. Os vencedores foram atraídos para este concurso “pelo tema de sensibilização”, por ser uma forma de “tocar as pessoas”. Conquistado o desafio, restava desfrutar do “grande prémio”: um passe de 5 dias para o Festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar. Os prémios do BPSS continuam na mesma tónica, garantindo a todos os membros da equipa um passe para um festival de verão. Também os professores coordenadores são premiados

pub

48 | Forum Estudante | abr’19


cujo risco de morte, entre os 18 e os 24 anos, é cerca de 30% superior ao da restante população. Com o lema «Porque na estrada todo o segundo conta», o BP Segurança ao Segundo já evolveu diretamente, desde a sua primeira edição nacional, em janeiro de 2012, cerca de 15 mil alunos e 400 escolas secundárias de todo o país.

Estudantes por uma estrada mais segura Participam no BPSS estudantes do 9º ao 12º ano de escolaridade e também do ensino profissional, residentes em Portugal, através de equipas de 4 a 10 elementos, estudantes da mesma escola, coordenados por um/a professor/a coordenador/a. Para concorrer, cada equipa deverá criar um vídeo, original, que transmita uma mensagem sobre

prevenção e segurança rodoviária, subordinada a um dos temas chave – os 5 principais fatores de risco de acidentes rodoviários em Portugal: Condução sob o efeito de álcool ou drogas; Velocidade excessiva; Uso de telemóvel ao volante; Não utilização de cinto de segurança; Condução em situação de fadiga ou cansaço.

pub

com cartões de combustível BP. As restantes equipas finalistas não ficam esquecidas: há bilhetes diários para festivais e gadgets como auscultadores ou tablets. Na edição do ano passado, em Viseu, a vitória sorriu à equipa vinda da EPED, do Monte da Caparica, que trabalhou o tema do excesso de velocidade. Foi com recurso a Legos que os seis estudantes contaram uma história mostra que coloca evidência a sinistralidade rodoviária como a principal causa de morte. Desenvolvido pela Forum Estudante e pela BP, com o apoio institucional da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e da Direção-Geral de Educação, este programa nacional de prevenção rodoviária pretende ajudar a inverter os dados da sinistralidade rodoviária entre os jovens portugueses,

Queres investir no teu futuro? Estuda no estrangeiro. O que tens a ganhar: - Mais oportunidades de emprego em Portugal e no Estrangeiro - Fluência linguística numa língua estrangeira - Conhece pessoas de todo o mundo - Desenvolvimento de “soft skills” - Acesso a universidades internacionais

Mais informações em www.ef.com

International Language Campuses

19LS_Flyer_A5_PT_MAR.indd 1

20.03.19 15:59


/Capital Jovem da Segurança Rodoviária

e g s ura a s e n x i ça e

Castelo Branco

branco! em

Não d

50 | Forum Estudante | abr’19

Concurso BP Segurança ao Segundo Sabias que os acidentes rodoviários continuam a ser a principal causa de morte dos condutores/passageiros entre os 18 e os 24 anos? Para que não faças parte desta estatística, a FORUM convida a visitar Castelo Branco que, este ano, é a Capital Jovem da Segurança Rodoviária. Ao longo de 2019, esta cidade da Beira Baixa será palco de uma vasta agenda de atividade que visam consciencializar os mais jovens para os perigos da estrada. Porque é necessário mudar mentalidades. A Forum Estudante e a Câmara Municipal de Castelo Branco, com o apoio da BP Portugal, do Automóvel Club de Portugal (ACP) e da Brisa vão, ao longo deste ano, realizar diversas ações que procuram sensibilizar os adolescentes para a importância da prevenção e segurança nas nossas estradas. Castelo Branco é a sétima Capital Jovem da Segurança Rodoviária, depois de Coimbra, Braga, Aveiro, Leiria, Porto e Viseu terem tido a mesma honra e responsabilidade. A iniciativa Castelo Branco Capital Jovem da Segurança Rodoviária 2019 conta ainda com o apoio da Associação Salvador, da Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária (ANSR), a Direção-Geral de Educação (DGE) e o Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB). As iniciativas preparadas não podiam ser mais variadas e interessantes.

Promotores

A grande final nacional juntará na Capital Jovem da Segurança Rodoviária, um grupo de jovens estudantes que procuram sensibilizar outros adolescentes para os principais perigos nas estradas e fatores de risco (vê na página 48).

O que podes aprender ✓ Demonstração dos equipamentos de segurança de um carro de rali e piloto ✓ Demonstração em andamento das diferenças de travagem, aderência e estabilidade do carro de competição e normal ✓ Comparativo de equipamentos de segurança entre moto competição e igual de circulação ✓ Instalação de uma mini-escola com diferentes tipos de motas (HONDA) com experimentação ✓ Elaboração de um guia prático para jovens ciclistas contendo questões de segurança de utilização quotidiana de velocípedes ✓ Comparação de elementos de segurança em veículos antigos e novos ✓ Simulador de condução para colocação em prática de ações defensivas na condução. ✓ Workshops, ações de sensibilização, simulacros, exposições

Apoios

Brisa Student Drive Camp No âmbito desta academia Forum Estudante que decorre entre 8 e 13 de abril, 50 estudantes do Ensino Secundário e Ensino Profissional participarão numa semana de atividades que evidenciam, de forma divertida, a importância de comportamentos responsáveis ao volante. Experiências com karting e simuladores, bem como o acompanhamento de operações STOP, são alguns dos exemplo.

ACP em dose dupla No grupo de atividades anuais – que inclui duas “semanas foco”, com uma grande concentração de ações que mobilizarão toda a cidade – incluem-se ainda algumas ações preparadas pelo Automóvel Club de Portugal (ACP). Iniciativas como o “ACP Kids” ou “ACP – Todos Somos Peões” vão marcar o quotidiano de Castelo Branco, envolvendo as comunidades locais. Entidades locais como hospitais, forças de segurança, bombeiros e instituições de ensino união energias e recursos para espalhar a mensagem da segurança, realizando ações como simulacros e palestras.

Media

EDUCAÇÃO


ENTRADA LIVRE INSCRIÇÃO OBRIGATÓRIA

www.expo.fct.unl.pt

DIA ABERTO

24 ABRIL VER PARA ESCOLHER Inscreve o teu grupo até 18 de Março

io

SA A N À M E G A I V

1.º Prém

CURSOS DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA

ENGENHARIA+ CIÊNCIA+TECN0L O G I A

ESTUDANTES

12º ANO

A Direção-Geral da Educação reconhece a importância deste concurso no âmbito do desenvolvimento das ciências e tecnologias nos cursos do ensino secundário, considerando que poderá constituir um valioso contributo para promover o interesse e a aprendizagem naquelas áreas.


52 | Forum Estudante | abr’19

/Música

“O limite do é a sua imaginação” O Tremor é um festival de 5 dias que decorre na ilha de São Miguel, este ano entre 9 a 13 de abril. Porque já é tempo do continente saber mais sobre este “abanão” na cultura insular, estivemos à conversa com António Pedro Lopes, um dos fundadores, para perceber quais são os seus pilares. de Rabo de Peixe e uma comunidade da Associação de Surdos de São Miguel); a exploração da viola da terra em ligação a música eletrónica; a fotografia, o som e a tecnologia como mote para novos arquivos de memória; o fomento à criação de originais de artistas açorianos; o encontro com artistas visitantes; o resgate da tradição das “despensas” de Rabo de Peixe (bailes típicos) através da fotografia, dança e música”.

Por Vera Valadas Ferreira

ALMA “O festival singularizou-se pela multidisciplinaridade (há sempre outras artes à volta da música), pela forma como toma a ilha como palco e como envolve as comunidades locais. Este evento faz-se de concertos na paisagem (Tremor-Todo-Terreno), concertos-surpresa (Tremor na Estufa), conversas e residências de criação, entre Ponta Delgada e Ribeira Grande, nos locais e situações mais inusitadas. O festival encerra na cidade-mãe de Ponta Delgada, com um programa 24 horas e um convite a percorrer 20 salas que vão do teatro ao coliseu, a hostels ou igrejas. Há ainda um programa para miúdos e graúdos com mini-discos, concertos, workshops. O Tremor ficou conhecido como o festival que faz voar festivaleiros para ver um concerto-surpresa numa ilha vizinha (Santa Maria) ou onde se pode ver concertos em estufas de ananases, pistas de aviões, o palácio presidencial, ou mesmo, dentro de águas termais quentinhas”.

DIVERSIDADE

RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS “As Residências ocupam o pilar da Criação Artística. O seu objetivo é a criação de novos projetos localmente, pré, durante e pós festival. A troca de saberes, a colaboração e a experimentação são princípios-chave que podem tomar São Miguel como laboratório de criação. Todos os anos, experimentamos coisas novas, tentando sempre colocar o foco na música, na comunidade e na ilha, nos processos colaborativos, no futuro e na tecnologia, nas artes visuais e na criação de um arquivo. Este ano, o Tremor propõe a música como fator de mudança cultural e social: da experiência educativa ao concerto (Ondamarela com Escola da Música

O Tremor é uma história de amor com os Açores António Pedro Lopes, Co-fundador do Festival Tremor

“O ecletismo é a nossa imagem de marca e fruto também de uma curadoria musical que se faz de quatro cabeças: eu, a YUZIN (Luís Banrezes) e a Lovers & Lollypops (Márcio Laranjeira e Joaquim Durães). Fazemo-lo, observando o que se passa nas ilhas e no mundo, e procurando diversidade, urgência, ousadia e pertinência. Fazer o que quer que seja nos Açores, é lidar com os custos e distâncias da insularidade. Os Açores fascinam, e o festival é falado e passado num boca a boca entre artistas. Por outro lado, estamos longe e tudo custa caro, e às vezes o anticiclone não ajuda e os voos não chegam. O Tremor é uma história de amor com os Açores, é um festival experimental, com uma escala humana bonita, com um jogo de movimentação que cria muita interação e que quebra as barreiras entre artistas e público. Essa genuinidade é apreciada e serve muitas vezes de cartão de visita, já para não falar da paisagem, da comida e das pessoas”.

FATOR WOW! “São Miguel é uma ilha de muitas surpresas. O único limite é termos autorização e abrirem-nos a porta. Perdemos o medo da repetição, atendendo a que cada artista molda a experiência do lugar conforme a sua linguagem. Nunca é igual, e repetir é a


54 | Forum Estudante | abr’19

/Música

possibilidade de melhorar ou experimentar outra coisa. Nesta 6ª edição, há um novo trilho pedestre e mais três lugares surpresa. Chegaremos pela primeira vez a um espaço mítico em Ponta Delgada e faremos concertos em lugares como o Museu Vivo do Franciscanismo, o Mercado Municipal da Ribeira Grande ou a incrível Igreja de Santo André”.

EXPANSÂO “Os Açores são 9 ilhas: aqui há mar, praia, montanha, deserto, aldeias, vilas, cidades, lagoas, águas termais e um património arquitetónico histórico incrível. A cada edição, há sempre a sensação de explodir todas as possibilidades de uma vez. Mas anualmente, aprendemos a re-olhar o território, falamos com pessoas e novas possibilidade de crescimento e surpresa vão surgindo. O limite do Tremor é a sua imaginação, elasticidade e liberdade. Ele é experimental e sempre diferente, e vem daí a sua beleza e frescura. Em 2019, o festival esgotou a 50 dias de acontecer, um dado novo que nos fará reavaliar em que direção continuamos no futuro”.

IMPACTO SOCIAL Açoriano de gema, André Sousa analisou na sua dissertação de Mestrado em Sociologia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto o impacto cultural e económico do Tremor. “O Tremor ocorre sempre nas Páscoa, logo possibilita férias mais acessíveis, seja a nível de alojamento ou viagens. Acaba por ser um guia turístico da ilha de São Miguel, e dos Açores, pois mostra os locais mais incríveis da ilha”, conta. “Para além dos lucros que o festival traz, a nível do alojamento, pensemos também nos lucros paras as lojas de turismo, restaurantes e bares locais, serviços de aluguer de carros e de guia turísticos”, diz sobre a importância económica do evento. Já a nível cultural, “uma das primeiras coisas que se nota é o destaque que começamos a dar aos artistas locais”. “Os Açores, a nível cultural, eram um mercado muito dominado pelo consumo de massas” e hoje é inegável “a relevância que a cultura indie, alternativa ou underground” passou a ter graças a este “festival louco, único e indescritível, onde podes viver todas as experiências possíveis”.

[O Tremor é um] festival louco, único e indescritível, onde podes viver todas as experiências possíveis”. André Sousa, autor de um estudo sobre o impacto cultural e económico do festival


artes plásticas e multimédia

Estudos de filosofia e de cultura contemporânea

230


56 | Forum Estudante | abr’19

/TV

MúsicA em stereo Patrícia Vieira e Luís Marvão são os anfitriões do MTV Breakfast Club, o novo programa das manhãs da MTV Portugal que, entre as 7h e as 10h, te serve os vídeos da música dos tops mundiais e nacionais, bem como as novidades do momento. Estes jovens foram os vencedores do MTV VJ Casting 2018, experiência que foi o ponto de partida desta conversa. Por Vera Valadas Ferreira

Ela

Patrícia Vieira tem 21 anos e está a terminar o curso de Relações Públicas e Comunicação Empresarial na Escola Superior de Comunicação Social (IPL). Mas admite que tem duas crushes: Publicidade e Fotografia. Bem, agora 3, se somarmos a Televisão. “Fui ao casting porque senti necessidade de mudar. Andava meio perdida em relação ao que queria para o meu futuro, mas sempre quis fazer algo em Entretenimento», conta esta alfacinha criada em Beja. “Participar no casting foi… stressante. Andei numa montanha-russa de emoções, entre nervosismo e felicidade. Nervosa porque a minha experiência era zero. Feliz porque a cada dia que passava percebia ainda mais que era isto que queria mesmo!”, recorda. A música também tem um lugar importante na sua vida. “Ajuda-me quando estou em baixo e motiva-me ainda mais quando estou com a energia toda. A magia da música é a sua capacidade de cura e entretenimento. Ouço, sobretudo, música no carro e faço figuras a fazer lip sync nos semáforos. Mas o ideal é ir a um concerto/festival. Não há nada como o arrepio da música ao vivo», frisa esta fã de Beyoncé, Rihanna, Joy Division, The Clash, Sam The Kid, XX e David Bowie.

Ele

Bruno Mars, John Legend e Drake são os artistas preferidos de Luís Marvão. Este recém-casado de 26 anos, terminou o mestrado em Arquitetura em 2014 e fundou… uma marca de ténis. Participou na novela Rainha das Flores e agora cursa Representação na ACT. Isto dos castings já não era novidade, portanto: «tenho aprendido que não devo esperar, mas sim dar o meu melhor para ficar de consciência tranquila. E foi isso que aconteceu. Dei o meu melhor, diverti-me muito e tudo acabou por correr bem». Entrar no mundo televisivo era um sonho antigo deste lisboeta. «Estou sempre a contar histórias ou a cantar ou a representar, é algo que está dentro de mim. Mal surgiu o casting um amigo meu mandou-me mensagem e senti que podia ser um bom match. E cá estou muito feliz!», diz o rapaz para quem a música representa “uma companhia omnipresente”. “Sou daquelas pessoas que ouve música e canta em todo o lado, sem medo do que as pessoas à volta vão achar! Ouço muita música em casa e no carro/mota. Na mota, nos sinais, até dou um passo de dança enquanto espero que fique verde. Deixa-me logo bem-disposto», confessa.


58 | Forum Estudante | abr’19

/Cinema

“Depois de Avengers: Endgame é expectável que o Universo Cinemático da Marvel entre numa nova fase”

O fim é apenas o início

Chega a 24 de abril o culminar de uma narrativa desenvolvida ao longo dos últimos anos. Mas Avengers: Endgame poderá ter um significado ainda mais profundo, dentro do Universo da Marvel. Um dos mais recentes teasers de Avengers: Endgame inclui apenas uma frase. À medida que algumas cenas do filme se vão sucedendo, ouvimos a voz do Capitão América: “Algumas pessoas seguem em frente. Nós não”. A declaração é o resumo perfeito daquilo que nos reserva o quarto título da saga, depois de, em 2018, Thanos ter [alerta spoiler], literalmente, destruído metade da vida do Universo. A mesma ideia é sublinhada na sinopse oficial. Depois do final devastador de Avengers: Infinity War, “os Avengers terão de, com a ajuda dos restantes aliados, restaurar a ordem no Universo, independentemente das consequências”. Alguns dos “restantes aliados” deverão mesmo ser caras conhecidas: estão confirmados os regressos de Hawkeye (como Ronin) e de Capitã Marvel, por exemplo.

Na Internet, as teorias são tão numerosas quanto diversas, procurando detalhes em cada frame dos trailers e teasers divulgados. Uma peça central da história reside no plano elaborado pelo Doutor Estranho. Durante Infinity War, o feiticeiro sacrifica a Pedra do Tempo, depois de analisar 14 milhões de visões do futuro. No final, explica a Tony Stark: “Era a única forma”.

O fim de uma era? “O fim faz parte de qualquer jornada”, diz-nos o site oficial do filme. O quatro título da saga Avengers parece estar realmente associado a uma ideia de conclusão. O portal The Verge escreve que o filme “marca o final da atual geração do Universo Cinemático da Marvel (MCU)”. Um dado que é apoiado pela alegada saída de alguns

dos atores principais, como Chris Evans (Capitão América). O resultado, destaca o crítico Luke Hutchinson, não encerrará apenas este enredo: “Servirá também como capítulo final para a primeira saga do MCU, concluindo a história que se iniciou com o filme Homem de Ferro, em 2008”. Desta forma, é expectável que o Universo Cinemático da Marvel entre numa nova fase, a partir do dia 24 de abril. A divisão dos filmes do MCU em diferentes períodos foi reconhecida pelo próprio diretor dos Estúdios Marvel. De acordo com Kevin Feige, Endgame significa a passagem para a quarta fase – uma etapa em que a Capitã Marvel, interpretada pela atriz Brie Larson, será a personagem central. É essa razão que leva o portal Screen Rant a garantir: “[Brie Larson] é a nova cara do MCU”.


pub

60 | Forum Estudante | abr’19

/Gaming

Capa e screen do primeiro Prince of Persia (1989)

Filme Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo (2010)

Jogo Prince of Persia: The Forgotten Sands (2009)

OP ríncipe faz 30 anos Foi em 1989 que chegou ao sistema operativo Apple II a primeira versão de Prince of Persia — o videojogo que é considerado “o pai” dos videojogos cinematográficos de plataformas. A primeira versão cabia numa disquete (de 1,44 MB), mas o seu legado resultou num império que inclui novos videojogos e até um filme.

o foco nas mecânicas “de correr e É o próprio criador do jogo, Jordan saltar”, explorando elementos de jogo Mechner, que nos conta toda a história, como o survival ou a exploração de no seu e-book The Making of Prince of ambientes complexos. O enredo Persia. Se é verdade que o príncipe se é realmente simples. O vilão tornaria um herói moderno de videojoJaffar rapta a princesa, com gos (e seria até interpretado por Jake o objetivo de roubar o trono Gyllenhaal num blockbuster de verão), da Pérsia. Não satisfeito, atira em 1985, tudo era diferente: “Ele o nosso protagonista para existia apenas como alguns rabiscos os calabouços do palácio. no meu caderno de linhas amarelo”. É aqui que Prince of Seriam estes rabiscos que resultariam Persia inclui um pequeno no videojogo que, conforme recorda detalhe adicional que a plataforma Moby Games, “é visto resulta numa maior dose como um progenitor do género de de realismo. Temos videojogos cinematográficos de uma hora para salvar plataformas” – uma ilustre categoria a princesa. Nem mais onde podemos encontrar títulos como um segundo. O que Half-Life (1998), Tomb Raider (2000) faz com que cada ou, mais recentemente, Uncharted e regresso ao início Assassin’s Creed (2007). do nível aumente a Este tipo de jogos, explica um dos tensão do jogador. utilizadores da plataforma NeoGAF, Todos estes são “jogos de aventura e ação, com forte ênfase no realismo e na apresentação”. A mecânica de jogo, acrescentam, é normalmente de tentativa e erro, com protagonistas frágeis, animações detalhadas e narrativas simples. Jogo Prince Todos estes elementos of Persia: The podem ser encontrados em Joga online a primeira Forgotten Sands Prince of Persia, que retirou versão do Prince of Persia: (2009)

elementos levaram Prince of Persia a ser considerado um marco na história dos videojogos. Depois de algumas versões para diferentes sistemas operativos, em 2003, a Ubisoft comprou os direitos da série e lançou o bem sucedido Prince of Persia: Sands of Time, oferecendo ao príncipe uma terceira dimensão. Depois de um novo título em 2010 (e de um filme no verão do mesmo ano), a Ubisoft, em 2013, uma pausa na saga, com o objetivo “de lhe dar tempo para descansar”. Em 2018, a modelo Chrissy Tiegen publicou um tweet em que referia o jogo: “O Prince of Persia ainda existe? Adorava esse jogo”. A resposta chegou rapidamente e veio da parte do próprio Jordan Mechner. “Conheço outras pessoas que sentem o mesmo”, assegurou o criador, antes de garantir: “Estamos a fazer o melhor que podemos para que [o regresso] aconteça”.


pub

pub

ACREDITA EM TI! ENSINO PROFISSIONAL 3 ANOS + ESTÁGIOS

NÍVEL 4 – 12.º ANO

CURSO DE TÉCNICO DE TURISMO CURSO DE TÉCNICO DE GESTÃO (VARIANTE RECURSOS HUMANOS) CURSO DE TÉCNICO DE MULTIMÉDIA CURSO DE TÉCNICO DE APOIO PSICOSSOCIAL CURSO DE TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO, MARKETING, RELAÇÕES PÚBLICAS E PUBLICIDADE

CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO 2 ANOS + ESTÁGIO

TIPO 2 – 9.º ANO DE ESCOLARIDADE

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO EMPREGADO DE RESTAURANTE/BAR

CURSOS DE APRENDIZAGEM 3 ANOS

12.º ANO DE ESCOLARIDADE

TÉCNICO DE RELAÇÕES LABORAIS TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO E SERVIÇO DIGITAL Idade inferior a 25 anos, 9.º ano de escolaridade ou equivalente ou Ensino Secundário incompleto ou equivalente

BOLSA PARA MATERIAIS DE ESTUDO

SUBSÍDIO DE ALIMENTAÇÃO

BOLSA DE PROFISSIONALIZAÇÃO

DESPESAS DE TRANSPORTE

(desenvolvidos pelo INAE – Instituto Nacional de Aprendizagem e Ensino, S.A., a decorrer nas instalações da EPAR)

LARGO DO LEÃO, N.º 9 · 1000 - 188 LISBOA TEL: (+351) 21 764 76 06 · EMAIL: INFO@EPAR.PT

www.epar.pt


62 | Forum Estudante | abr’19

/Tech

Razer Hunstman O teclado com a mais recente tecnologia da Razer chegou às minhas mãos, e que chegada que foi. Equipado com sensores opto mecânicos, que na sua essência consiste num feixe de luz de um sensor óptico que ao teclar regista a tecla a uma velocidade nunca antes atingida por qualquer outro periférico da marca, podendo-se até dizer, do Mundo.

O teclado mais rápido do Mundo Por João Duarte Silva

Velocidade tal que tem de ser estabilizada de maneira a ser precisa. Um problema que aqui não encontramos devido à adição de uma barra estabilizadora em cada tecla. A nível de performance, com cerca de um mês com o Huntsman como meu teclado principal, não só para jogos mas também para todas as tarefas envolventes de um computador, pude verificar que este é, sem dúvida, o teclado mais rápido com que já trabalhei, com uma velocidade de resposta instantânea e com um “coice” do teclado que em nada nos atrasa. Uma das poucas coisas que este teclado tem que possa ser considerada uma desvantagem será o barulho que cada clique emite (podendo ser inconveniente para pessoas que rodeiam um ambiente em que se esteja a teclar a grande velocidade). Contudo, como este é um teclado de gaming esta

característica acaba por ser considerada por muitos como uma vantagem, tornando a experiência mais fluida e responsiva.

O Razer Huntsman é, sem dúvida, uma das experiências mais velozes, fluídas e precisas que já tive com qualquer teclado. A Durabilidade é assegurada devido à redução significativa de contacto físico com o switch em si, prometendo a marca que podem chegar até uns exorbitantes 100 milhões de cliques – o dobro da quantidade normal do mercado.

O teclado em si tem um design cru, uma novidade na marca, permite que a luz que provém de dentro de cada tecla brilhe como nunca antes. O resultado é um dos modelos em que o Razer chroma se provou mais bonito e eficaz no seu trabalho. O modelo base vem preto mate, acompanhado com uma cobertura de metal preto baço que se encontra por baixo das teclas, existindo a possibilidade de também adquirir em cor de rosa (Razer Quartz). Já o software da marca tem mostrado melhorias significativas, deixando de ser um problema ou de os causar com o produto, 5 estrelas com este teclado. Como comentários finais posso concluir que o Razer Huntsman é, sem dúvida, uma das experiências mais velozes, fluídas e precisas que já tive com qualquer teclado e é, sem dúvida alguma, um dos melhores do mercado, no meu olhar compensa cada cêntimo gasto, um teclado que não desilude em nenhum aspecto, apenas nos espanta.


64 | Forum Estudante | abr’19

/HorosCópos

Eu cá sou bom, sou muito bom, sou mesmo bom! Dizem que se pensarmos muito numa coisa, ela acontece. Em abril, mesmo que não penses nisso, vai de certeza chover. Águas mil. Por isso, caros leitores, é bom que deixem de lado o narcisismo e se mentalizem: ainda não é neste mês que vão começar a exibir essas belas pernas.

Signo do Mês Carneiro (21/03 a 20/04) Recado para os restantes signos: não é a Terra que gira à volta do Sol, e nem sequer é a Terra que atrai a maçã em direção ao solo como disse Netwon. Neste mês, mais do que nunca, são os Carneiros o polo de atração de tudo o que mexe. Ou são atraidos para tudo o que está parado. Tu aí, ouviste? Então, onde é que pensas que vais?!?

Touro (21/04 a 20/05) Dizem-me os astros que Abril irá trazer-te um desejo de sucesso académico. Não te falta motivação mas, infelizmente, a posição das estrelas não augura nada de bom nesse campo. Por isso não desesperes e sossega. E, se ainda assim sentires demasiada energia em ti, aproveita para arrumar a gaveta das cuecas.

Gémeos (21/05 a 20/06) É hora de esquecer pequenos conflitos e abraçares a tua família, já que ela gosta de ti independentemente de qualquer coisa, não é verdade? Aceita as diferenças e aprende a lidar com elas, blá, blá, blá. Para ti, que ainda não tens sogros, seguir estes conselhos vai ser “piners”, vais ver.

Caranguejo (21/03 a 20/04) Este mês, poderás ser surpreendido negativamente ao verificares o teu saldo bancário. A previsão é que tal aconteça algures entre 1 e 30 de abril mas isso também depende de quantos almoços conseguires cravar à tua avó.

Leão (23/07 a 22/08) “Acredito nos meus planos, por isso, ponho-os em prática!” será o lema dos nativos de Leão para os próximos 30 dias. Sim, não fazer nenhum, é sempre uma opção. As borras do meu café

dizem-me também que um vigarista pode andar a rondar-te. E não me refiro àquele momento em que te olhas ao espelho.

no ar, uuuhhh! Calma, abril é só uma fase que demora, mais ou menos, 30 dias a passar. Depois manda-nos a conta.

Virgem (23/08 a 22/09)

Capricórnio (22/12 a 19/01)

A boa notícia é que mesmo com eventos como a migração planetária para a metade superior de teu horóscopo, a dinâmica atual do mapa de alguma forma faz com que as metades inferior e superior estejam num estado de quase equilíbrio. Contente ou vais ter de ler outra vez?

Aviso à navegação: Mercúrio e Vénus serão teus amigos durante a primeira quinzena, aguçando as tuas intuições e deixando-te muito mais romântico. No resto dos dias tens de te… desenrascar, vá. Atenção à Lua Cheia no dia 19. Não tem qualquer significado especial mas tinha de dizer isto a alguém.

Balança (23/09 a 22/10) A tua sensualidade e beleza vão partir muitos corações, pelo que não te surpreendas se, de repente, te fizerem uma declaração de amor. Ah, espera, precipitei-me… isto era para ter sido em abril de 2018.

Escorpião (23/10 a 21/11) Os escorpiões que não têm um parceiro amoroso precisarão de fazer uma análise pessoal antes de entrar num novo relacionamento. Se tal não acontecer também não é preciso “cortares as pinças”. Há sempre a Netflix, estás lembrado?

Sagitário (22/11 a 21/12) Sabias que Marte em Gémeos realça teu domínio relacional? Há eletricidade

Aquário (20/01 a 18/02) Com Júpiter retrógrado, no dia 11, estarás no teu elemento. Não entendes bem o que isso quer dizer? E que culpa tenho eu que o gajo seja um preguiçoso?!?! Ah, já agora, se nasceste no terceiro decanato Saturno vai pressionar-te. Eu sei, é preciso um tipo ter muita lata!!

Peixes (19/02 a 20/03) Abril deriva do latim Aprilis, que significa “abrir”, numa referência à germinação das culturas. Outra hipótese sugere que abril seja derivado de Aprus, o nome etrusco de Vénus, Deusa do Amor e da Paixão. Oh, desculpem, Peixes, esgotei os meus caracteres para a vossa previsão.


E D A D I L I B EGA R P M E E 97% D Formação de Executivos e a Empresas Licenciaturas Gestão de Recursos Humanos Gestão Economia

Mestrados Estratégia de Investimento e Internacionalização Gestão Potencial Humano Gestão Financeira Marketing

Pós-Graduações Finanças Garantias Administrativas e Tributárias dos Contribuintes Gestão Gestão de Projetos Gestão de Recursos Humanos Gestão de Sistemas de Informação Gestão Escolar Gestão Fiscal Gestão Hospitalar Gestão Jurídica Autárquica Governo das Sociedades Comerciais: Aspetos Legais e Perspetivas Jurídicas Logística e Gestão de Operações Marketing Gestão e Avaliação Imobiliária

Liderança Estrutura da Administração Pública e Principais Garantias dos Cidadãos Gestão Jurídica Empresarial Fiscalidade Comércio Electrónico e E-Marketing Estratégia Empresarial Estudos e Análise de Mercados Gestão Financeira Marketing Estratégico Análise de Projetos de Investimento Gestão Comercial Conflito e Negociação Estrutura e Financiamento da Empresa Fusão, Aquisição e Reestruturação de Empresas Gestão e Desenvolvimento de Carreiras Inovação e Desenvolvimentos de Novos Produtos e Serviços Marketing Industrial (Business-to-Business)

MBA MBA em Ciências Empresariais numa Perspectiva Jurídica MBA em Empreendedorismo Empresarial Jurídico Executive Master in International Business | Portugal-China

Administração Pública CAGEP - Curso Avançado de Gestão Pública FORGEP - Programa de Formação em Gestão Pública


ISPA.IU

ISPAMEDIA

ISPA.PT

Profile for Forum Estudante

Forum Estudante 314 - Abril 2019  

Campus Global: Conhece, nesta edição, as principais características que de nem esta instituição de ensino superior que conta com mais de 12...

Forum Estudante 314 - Abril 2019  

Campus Global: Conhece, nesta edição, as principais características que de nem esta instituição de ensino superior que conta com mais de 12...

Advertisement