Page 1

Seminário Rio Negro de Educação Indígena: «Nossas experiências e lições aprendidas para Políticas Públicas».

Seminário Rio Negro de Educação Indígena: «Nossas experiências e lições aprendidas para Políticas Públicas».

Federação das Organizações Indígenas

CONSELHO DIRETOR

ederação das Organizações Indígenas do Rio Negro - FOIRN /São Gabriel da Cachoeira - AM, Abr/Mai/Jun 2014

CONSELHO DIRETOR

Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro - FOIRN/São Gabriel da Cachoeira. Julho/Agosto/Setembro 2014 Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro - FOIRN /São Gabriel da Cachoeira - AM, Abr/Mai/Jun 2014

Seminário Rio Negro d apr

O seminário de Educação Indígena e Reunião da Comissão do Território Etnoeducacional Rio Negro do Rio Negro foi realizado na Casa dos Saberes da FOIRN em São Gabriel da Cachoeira nos dias 2 a 6 de junho. O evento reuniu mais de 300 participantes entre lideranças indígenas, professores, Agestores mobilização pela valorização do Sistema Agrícola Tradicional do Pág Rio 10. de escolas, estudantes e representantes de governo. Negro, tem os conhecedores tradicionais como principais integrantes. Na foto, dois conhecedores tradicionais palestram em Loiro - Uaupés. O seminário de Educação Indígena e Reunião da Comissão do Território Etnoeducacional Rio Negro O seminário de Educação Indíg ASSOCIAÇÕES DE BASE:

do Rio Negro foi realizado na Casa dos Saberes da FOIRNACIMRN em São Gabriel da Cachoeira nos dias 2 a do Rio Negro realizado realizou Seminário de Avaliação de foi 20 anos na C ÇÃO: DeEDIjulho ao mês demais agosto, a participantes FOIRN, através das Coordenadorias Regionais, realizou cinco Assem6 de NESTA junho. O evento reuniu de 300 entre lideranças indígenas, professores, 6 de junho. O evento reuniu ma gestores de escolas, estudantes e representantes de governo. Pág 10. gestores de escolas, estudante bleias Regionais, no Tiquié (Pari Cachoeira), Içana (Tunuí Cachoeira), no Alto Rio Negro (Juruti),

2ª Brigada

ícias sobre o Instituto de Conhecimentos Indígenas e Pesquisas do Rio Negro. ercâmbio da FOIRN com parceiros e financiadores na Áustria.

SEDUC/SGC. no munícipio de Santa VII Encontro de Produtores Jurubaxi localizado no Rio Coord. Acariquara,

A Associação das Comunidades Indígenas do Médio Rio Negro- Notícias sobre o Instituto de Conhecimentos Indígenas e Pesquisas do Rio Neg 6. abril o SeminárioMovimento Indígena Negro. do Rio Isabelentre 27 de 25 aPág os dias realizou - ACIMRN Indígenas do Rio Negro reaIntercâmbio da FOIRMoura N com parceiros e financiTukano adores na Áustria de Avaliação. O evento reuniu mais de 50 participantes em-perde Lideranças de Itacoatiara Mirim de Santa Jurubaxi no munícipio no Rio FOIRN localizado Acariquara, lizado em Barcelos, definiu Isabel do Rio Negro. Pág 6.

2ª Brigada

2ª Brigada

- Oficinas de Formação no Baixo Rio Negro (Barcelos) e na região do Uaupés (Iauaretê). Nestes eventos foram discutidos ASSOCIAÇÕES DE BASE: - Seminários Internos de Educação Escolar Indígena. ACIMRN realizou Seminário de Avaliação de 20 nessa anos NESTAregião. STA EDIÇÃO:- Artvários EDIÇÃO: assuntos de interesse as comunidades e povos indígenas que vivem O tema ceniculação nas Bases e debates das Terras In- Intral auguraçãodas da 2ª Casadiscussões da Pimenta Baniwa emUcuqui Cachoeira. foi “Fortalecimento da Gestão Territorial e Ambiental - Oficinas de Formação cinas de Formação no RiaroIvalorizando dígenas, o Sistema Agrícola Tradicional do FOIRN/FUNAI/PMSG/LIDERANÇAS Rio Negro”. Pág 5-6 - Seminários Internos de EducaçãoDE minários In-tePesca rnos de Esport EducaçãoivaEscol Escolar IBALAIO nMari ndígena. dígena.é. RCA - BRASÍLIA icina de Proteção de Conhecimentos Tradicionais. - Articulação nas BasesCoord. SEDUC/SGC. culação nas- OfBases uguração da- Not da 2ª Casa da PimentRio 2ª Casa Negro Pimento aInBani do Médio a Baniwa emUcuqui Cachoeira. íciasdasobre stituwtaoemUcuqui de ConheciCachoei mentra.os Indígenas e Pesquisas do Rio Negro. A Associação das Comunidades Indígenas- Inauguração Seminário o abril de 27 a 25 dias os entre realizou ACIMRN Pesca sca Esportiva no Rio Marié. RCA - BRASÍLIA Esport i v a no Ri o Mari é . RCA BRASÍLIA FOIRN/FUNAI/PMSG/LIDERANÇAS DE BALAIO - de Conheci o damentFOIosRTradi N comcionaiparcei ros e financiadores na Áustria. de- Of50 O evento reuniu mais de Avaliação. icina de Protparticipantes cina de ProteInçãotercâmbi eção de Conhecimentos Tradicionais. em s.

.

Semana dos Povos oIndígenas 2014 teve como tema Identidade Cultural. Pág 7 I Festival da Mandioca do Rio Negro para 2015

FOIRN

Lideranças de Itacoatiara Mirim

Semana dos Povos Indígenas 2014 teve como tema Identidade Cultural. Pág 7

Semana dos Povos Indí


Vice Presidente: ISAIAS PEREIRA FONTES Diretor: RENATO DA SILVA MATOS Pág.02 Diretor: NILDO JOSÉ MIGUEL FONTES Diretor: MARIVELTON RODRIGUES BARROSO

FUNAI, re diagnóstic E realizados Pág.02 junho em Pág.02 Editorial estes repr Av. Álvaro Maio nº 79 /Centro Federação das Organizações Indígenas A educação escolar in dSão o RGabriel i o N e da g r oCachoeira - F O I R /AM N repactuad indígena no rio Negro. Prova disso a proposta de reinventar a escolE Caixa Postal 31 / CEP. 69750000 próximo da realidade dos povos boletim. Tel: (97) 3471/ 1632 Edito Pág.02 valorização das culturas indíge Pág.02 Federação das Organizações Indígenas comprovam que é possível sim faz E-mail: foirn@foirn.org.br valoriza as formas tradicionais d o R i Federação o N e g rdas o Organizações - FOIR NIndígenas indígena d o R i o N e g r o -possibilita F O oIdiálogo R Ncom os conhe

EDITORIAL

Destacamos nesta edição (capa) a carta de repúdio que elaboramos e publicamos sobre a situação da saúde indígena no Rio Negro, que é um reflexo da realidade da saúde indígena no nosso país. De junho a agosto, levamos para as bases através de Assembleias Regionais a discussão sobre a valorização de conhecimentos tradicionais e conservação de biodiversidade no Rio Negro.

Informativo

possibil

junho em São Gabriel dapróxim Cachoe

Diretoria executiva (2013-2016)

São Gabriel da Cachoeira /AM que cumprim reúnem p Diretoria Executiva Diretora Presidente: ALMERINDA R.2013/2016 DE LIMA Este e outros compro assuntos Caixa Postal 31 / CEP. 69750000 início de valoriza longos vd Presidente: ALMERINDA LIMA boletim.R. DE aos Tel:Diretora (97) 3471/ 1632 Presidente: ISAIAS PEREIRA FONTES SetorVice de E-mail: Comunicação : NIVALDO DA possibi foirn@foirn.org.br Sãoc Vice Presidente: ISAIAS PEREIRA FONTES FUNAI,

Almerinda Ramos de Lima (Tariana) - Presidente Diretor: RENATO DA SILVA MATOS SILVA CORDEIRO, ANA PAULA MENEZES diagnós Diretoria Executiva 2013/2016 Diretor: DA SILVA MATOS aproximada v Diretor: NILDO JOSÉRENATO MIGUEL FONTES cumpri Isaias Pereira Fontes (Baniwa) Vice Presidente NETO E RAIMUNDO MIGUEL BENJAMIM DiretoraDiretor: Presidente: ALMERINDA R.ODE LIMA Informativo de 23 grupp JOSÉ MIGUEL FONTES que é a FOIRN? início d Diretor: MARIVELTON NILDO RODRIGUES BARROSO realizad Vice Presidente: ISAIAS PEREIRA FONTES Yanomami, Diretor: MARIVELTON RODRIGUES BARROSO FUNAI Marivelton Rodriguês Barroso (Baré) - Diretor junho em Diretoria Executiva Diretor: RENATO DA2013/2016 SILVA MATOS Fundada em 30 de abril de 1987, diagnós demarcadas c esteso re Av.Diretor: Álvaro NILDO Maio JOSÉ nº 79MIGUEL /Centro Negro (FOIRN) co FONTES Diretora Presidente: ALMERINDA R./Centro DE LIMAerepresenta Nildo Jose Miguel Fontes (Tukano) -nºDiretor Sãoarepactua Gabri Av.da Álvaro Maio /AM 79 indígenas que habitam região do in Sãoe circulação Gabriel Cachoeira Produção : FOIRN Diretor: MARIVELTON RODRIGUES BARROSO realizad Vice Presidente: PEREIRA queFONTES reúnem 93 organizações de ba São Gabriel da Cachoeira /AM indígenas in Caixa Postal 31ISAIAS / CEP. 69750000 F junho aos longos dos principais rios forme Renato Setor da Silva Matos (Tukano) Diretor Postal 31 /-CEP. 69750000 deDiretor: Comunicação : NIVALDO DA RENATO DA1632 SILVA MATOS boletim. Tel:Caixa (97) 3471/ garantia dod

mil in re APOIO Av. Álvaro MENEZES Maio nº 79 /Centro São cerca de 35estes SILVA CORDEIRO,E-mail: ANA PAULA Tel: (97) 3471/FONTES 1632 foirn@foirn.org.br aproximadamentepolíticas 10% darepactu populaç pú NILDO JOSÉ MIGUEL Gabriel da Cachoeira /AM NETO E RAIMUNDOSão MIGUEL BENJAMIM E-mail: foirn@foirn.org.br de 23 grupos étnicos diferentes d Caixa Postal 31 / CEP. 69750000 sustentabil MARIVELTON RODRIGUESYanomami, BARROSO r que habitam uma área boletim Tel: (97) 3471/ 1632 demarcadas, que compreende osju M E-mail: foirn@foirn.org.br e São Gabriel da Cachoeira. Com e Av. Álvaro Maio nº 79 /Centro indígenas instrumentos para o rec garantia dos direitos indígenas. Arm APOIO São Gabriel da Cachoeira /AM políticas públicas saúde, educaçã Fundada O qu Caixa Postal 31 / CEP. 69750000 sustentabilidade. No dia16 Negro (F

Diretor: Diretor:

Av. Àlvaro Maia No 79/Centro Informativo O qu São Gabriel da Informativo Cachoeira/Am Fique Caixa Postal 31Informativo - CEP: 69750-000 b Tel: (97) 3471/ 1632 indígenas MAIANGA e circulação : FOIRN Fundada foirn@foirn.org.br Tel Produção (97)E-mail: 3471-1632 que reúne Produção e circulaçãoFique : FOIRN Sabendo.. Negro ( experiênc

aos longo indígena No CASAI-SGC Setor deProdução Comunicação : NIVALDO DAdia16/06, amulheres e circulação : FOIRN Sã reún "Madrinh Setor ANA de Comunicação : MAIANGA, NIVALDOsignifica DA que SILVA CORDEIRO, PAULA MENEZES aproxima aos longo São Gabr experiências vividas e observa O CORDEIRO, ANA PAULA DA MENEZES NETO E SILVA RAIMUNDO MIGUEL BENJAMIM Setor de Comunicação : NIVALDO gru Sãe mulheres indígenasde são PARCERIA NETO E RAIMUNDO MIGUEL BENJAMIM nãoque23 poss SILVA CORDEIRO, ANA PAULA MENEZES aproxim São Gabriel, principalmente aq Yanomam NETO E RAIMUNDO MIGUEL BENJAMIM PARCERIA equipe Fu não possuem enxoval depara 23da gra demarcad equipe da CASAI/SGC, o Gab Grup Yanoma São Ne deeApoio p de Apoio permanente que poss demarca indígenas Câma in Câmara dos Vereadores Ba Produção e circulação : FOIRN e SãodeGa O garantia objetivo O objetivo do grupo é garantir d qu APOIO indígena para que tenham o mínino políticas APOIO para que ao garantia APOIO : NIVALDO nascimento. do G sustentab Setor de Comunicação DA A finalidade políticas

Informativo Parceria

de viver e de relacionar com a natureza é fundamental para a vida no planeta. Sem saber ou prestar atenção naquilo que fazemos todos os dias nas globais, como aquecimento global e outros sejam combatidos através de floresta em pé. Recentemente, foi veiculado pela mídia aternativa que as Terras Indígenas, são as áreas mais preservadas no brasil, como em todos os lugares no mundo, onde vivem grupos indígenas. E isso, só é possivel por que conhecimentos de como cuidar e relacionar com a natureza nos foi reparadas pelas gerações passadas. E, é muito importante que esses conhecimentos continuem sendo transmitidos para as futuras gerações. Consciente da importância da valorização da nossa cultura, das nossas línguas e das formas de transmissão de conhecimento, a FOIRN através de suas 5 coordenadorias regionais, vem mobilizando e discutindo nas bases, a importância da preservação e transmissão desses conhecimentos e saberes. Um preparativo para a Assembleia Geral da FOIRN, que será realizado em Santa Isabel do Rio Negro, em novembro, e terá como tema central o mesmo em discussão e debate nas bases.

O que fazer para

que nossos conhecimentos e a nossa forma de viver na comunidade não apenas seja valorizado mas, também continue sendo transmitido às novas gerações? Convidamos você leitor a refletir e participar dessa discussão e construção. Estamos levando a você a nossa terceira edição do Wayuri - boletim informativo que propõe levar informações e conhecimentos sobre as atividades da FOIRN e outros temas de interesse dos povos indígenas do Rio Negro. Boa leitura!

Almerinda Ramos de Lima Presidente da FOIRN (2013-2016)

O que E

indígenas a estes representantes devaloriza orgãosq Av. ÁlvaroeMaio nº 79 /Centro Produção circulação : FOIRN Diretoria Executiva 2013/2016repactuado o Termo do Território

Está mais que comprovado pela ciência dos brancos que nossa forma

nossas comunidades, estamos contribuindo para que problemas ambientais

a propo

Mas, para isso é nec Diretoria Executiva 2013/2016 cumprimento das legislações que próximo Diretora Presidente: ALMERINDA R. DE LIMA início deste ano a FOIRNEdito em parc Vice Presidente: ISAIAS PEREIRA FONTES Federação das Organizações Indígenas FUNAI, realizou sérievaloriza de Semin Diretor: RENATO DA SILVA MATOS comprov a situ Federação d o Rdas i o Organizações N e g r o - FIndígenas Odiagnóstico I R N ampliado sobre indígen Diretor: NILDO JOSÉ MIGUEL FONTES em E paraFundada reunir e apres valoriza d MARIVELTON o R i oRODRIGUES N e gBARROSO r o - F Orealizados IRN propo Diretor: foi realizado oa«Seminá Negro (FO in

Denunciamos a situação da saúde indígena no Rio Negro. Como fazer para que nossos conhecimentos tradicionais continuem sendo praticados e transmitidos para próximas gerações?

nascimen através de "apadrinhamento" SILVA CORDEIRO, ANA PAULA MENEZES sustenta Apoio institucional ap todos os seguimentos da socie através d todos os Fique propuser a colaborar com esss Ya Você também pode ler a versão WAYURI DIGITAL de sua permanência noFiqu grupo. voluntária No dia digital do Wayuri na nossa página SGC, a idéia é que se realizede um No dia propuser ISSUU na internet. MAIAN eS Você também pode ler a versão MAIAN de experiê sua pe in digitalwww.issuu.com/foirn_povosdorionegro do Wayuri na nossa página experiê SGC, a ga id mulhere APOIO mulher ISSUU na internet. po São Ga São Ga PARCERIA su não po PARCERIA não po PARCERIA

NETODIGITAL E RAIMUNDO MIGUEL BENJAMIM WAYURI voluntária e sem qualquer de com

www.issuu.com/foirn_povosdorionegro

equipe equipe de deApoi Apo

F

A FOIRN

Câm Câ

OOobjet obje para qu q para N nascim nascime M através através e todosoo todos m voluntá voluntá S propus propuse de sua n de suaap SGC, SGC, ae

Fundada em 30 de abril de 1987, a WAYURI DIGITAL Federação das Organizações Indígenas do Rio WAYURI DIGITAL WAYURI DIGITAL Você assume tambémPARCERIA podeolercompromisso a versão Negro (FOIRN), de Você digital também pode ler anossa versão dotambém Wayuri na página Você pode ler a versão do Wayuri na nossa página defender osdigital direitos dos povos indígenas que ISSUU na internet. digital do Wayuri na nossa página ISSUU na internet. habitam a região do Rio Negro. Compõe-se de ISSUU na internet. www.issuu.com/foirn_povosdorionegro www.issuu.com/foirn_povosdorionegro 5 Coordenadorias Regionais (CABC, COITUA, www.issuu.com/foirn_povosdorionegro COIDI, CAIARNX e CAIMBRN), onde reúne 93 associações de base que representam as comunidades distribuídas ao longo dos princiWAYURI DIGITAL pais rios formadores da bacia do Rio Negro. Você também pode ler a versão Sãodigital cerca 750 aldeias do Wayuri na nossa onde página habitam ISSUU internet. mais de 55 mil na índios, compreendendo aproximadamente 10% da população indígena do www.issuu.com/foirn_povosdorionegro Brasil. As 23 etnias das famílias linguísticas Tukano, Maku, Aruak e Yanomani compartilham entre si, uma área de 11,6 milhões de hectares de terras indígenas demarcadas que compreende os municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos. Com visão no futuro, a FOIRN atua para garantir aos povos indígenas instrumentos para o reconhecimento, respeito, valorização da cultura e a garantia dos Direitos Indígenas conquistados na Constituição Federal. Trabalha também para formular e desenvolver projetos nas áreas de saúde, cidadania, educação escolar, economia, ações de etnodesenvolvimento e sustentabilidade. 2

d

O p n a to v p d S


SAÚDE INDÍGENA

Saúde Indígena no Rio Negro está em caos A FOIRN cumprindo seu papel de Controle Social, levou a discussão e debate da saúde indígena nas Assembleias das Coordenadorias Regionais (ver página 4) desde inicio de junho deste ano, com a proposta de realizar um diagnóstico sobre a situação atual da Saúde indígena no Rio Negro. Nas cinco Assembleias Regionais realizados nas bases (Pari Cachoeira - Tiquié, Barcelos, Juruti - alto Rio Negro, Tunuí Cachoeira - Içana e Iauaretê - Uaupés) os relatos e depoimentos de lideranças, de ACIS e alguns profissionais de saúde foi a mesma: Saúde indígena em situação caótico. Falta de medicamentos, problemas de logística, transporte de equipes e remoção de pacientes em condições precárias e inadequadas, consequentemente, aumento de mortalidade infantil e materna, desnutrição de crianças e idosos, são apenas alguns dos problemas. Diante dessa situação, a FOIRN mobilizou lideranças indígenas para iniciar uma discussão e debate sobre a situação. Desde então, foi criado uma agenda de trabalho conjunta e participativa dedicada ao assunto. O primeiro debate realizado com os profissionais de saúde e funcionários do DSEI - Alto Rio Negro, foi realizado no dia 26 de julho em São Gabriel da Cachoeira. Com tema “Audiência participativa sobre a situação administrativa do DSEI - ARN”, o evento reuniu mais de 70 participantes, desde barqueiros ao coordenador substituto do DSEI-ARN. Depois de uma série de depoimentos, nas quais principalmente os barqueiros se mostraram revoltados com a situação em que se encontram: não recebem salário há quase 2 meses. Os profissionais apresentaram séries de dificuldades que encontram quando vão para a área, como as péssimas e inadequadas condições de trabalho. Onde está o problema? O que fazer para resolver o problema? Durante a reunião, coordenada pelos Diretores da FOIRN e algumas lideranças indígenas, foram formados grupos de trabalho para apontar os problemas e propostas de melhoria e solução. Com varias propostas apresentadas, entre elas, a elaboração de uma Carta Denúncia sobre a Saúde Indígena no Rio Negro, para sistematizar os resultados dos GTs, foi formada uma comissão para a sistematizar as propostas e a elaboração da carta. Foi marcada uma próxima reunião para leitura e aprovação da carta.

Pólos Base (Unidades de Saúde em pontos estratégicos) estão caindo. Acima (foto), pólo Base de Canadá- Rio Aiarí e abaixo, equipe de Saúde do DSEI chegando no Pólo Base Patos - Rio Papuri. Fotos: SETCOM/FOIRN

Telesaúde Indígena do Rio Negro. A FOIRN conta com parceria e apoio da Canadense e-KSS através do seu Programa “Telesaúde Indígena da Amazônia”, um programa pioneiro de empoderamento indígena cujos resultados representam um comprometimento por meio do “Programa Toda Mulher e Toda Criança” da Organização das Nações Unidas. A e-KSS trabalha com a FOIRN para conduzir pesquisa, transferir conhecimento, promover colaboração, prover assistência técnica, educação e treinamento em saúde, com o objetivo de empoderar os povos indígenas da Amazonia, assegurando desta forma a sustentabilidade de resultados em saúde voltados às mulheres e crianças indígenas. Os Pontos do Telesaúde da fase experimental estão em: Pari Cachoeira, Iauaretê, Assunção do Içana e Taracuá. 3


SAÚDE INDÍGENA

FOIRN publica Carta de denúncia sobre a situação da Saúde Indígena no Rio Negro No dia 6 de agosto, foi realizada a reunião na Câmara Municipal de São Gabriel da Cachoeira, pela Comissão formada na primeira reunião, para apresentar a Carta de denúncia proposta para leitura e aprovação. Em seis páginas, a carta inicia com o histórico de luta dos povos indígenas pela qualidade de vida, especialmente à saúde, e as conquistas, como a criação do subsistema de saúde indígena, e posteriormente a criação dos DSEIs. Porém, Governo afirmando que a gestão iria melhorar mais, a responsabilidade foi repassada da FUNASA para o Ministério da Saúde (MS). A justificativa é que a saúde indígena não fosse terceirizada e que estando na responsabilidade do MS, seria menos burocrático e as coisas iriam andar mais. Criou-se a Secretária de Saúde Indígena (SESAI), após 5

anos de criação, os problemas continuam os mesmos, apesar do aumento de verbas para a saúde indígena, a situação ficou ainda pior, como apresentado acima. A carta de denúncia elaborada, apresenta os principais problemas e propostas de solução, classificando, as ações necessárias em: ações de urgência, de curto e médio Prazo e de longo prazo. A Carta termina exigindo que instituições como o Ministério Púbico Federal, Comissão Nacional de Política Indigenista, FUNAI, Ministério da Justiça, Ministro da Saúde, Secretário da SESAI, CGU, TCU e Chefe Distrital da Saúde Indígena no Rio Nego, cumpram suas responsabilidades e atribuições nesse processo. Leia a carta na internet nesse link: http://zip.net/bxpd9X Ou pode ter acesso ao documento procurando uma cópia na FOIRN em São Gabriel da Cachoeira.

Governo propõe Instituto Nacional de Saúde Indígena - INSI Os problemas com a saúde indígena não ocorrem apenas no Rio Negro, e sim, no Brasil todo. Diante, dos problemas, o Governo Federal lançou a proposta de criação do Instituto Nacional de Saúde Indígena (INSI). Com isso, gerou ondas de protestos e manifestações das principais organizações indígenas e indigenistas no país, entre elas, a FOIRN, que divulgou uma moção de repúdio contra a proposta de criação do INSI, como resumo abaixo. Porquê nos manifestamos contra a criação do INSI? São vários motivos, a principal delas, é que agindo assim, o governo brasileiro desrespeita nossos direitos garantidos na CF 1988 e, principalmente o que consta no 169 da OIT, onde, garante que nós povos indígenas devemos ser consultados, antes de qualquer intervenção do estado brasileiro, que esteja relacionados aos nossos interesses. Que nesse caso da criação do INSI não foi cumprido. E ainda, de acordo com especialistas no tema, mesmo com a criação do INSI, os problemas não serão resolvidos, correndo risco de ter a gestão do mesmojeito está hoje, ou ainda pior.

FOIRN publica Moção de repúdio à proposta de criação do INSI pelo Governo Federal

“A FOIRN vem por meio deste manifestar-se contrária à formação do Instituto Nacional de Saúde Indígena. Em primeiro lugar é notável a falta de preparação e discussão aberta, ou, de consulta aos povos indígenas garantida por Lei (OITI 169) de tal iniciativa. Apesar de no ano passado, 2013, serem realizadas Conferências Locais, Distritais e Nacional de Saúde indígena promovidas pela Secretaria de Saúde Indígena, SESAI, não foi sequer mencionada a ideia deste instituto. Ao tomar conhecimento da proposta governamental de estabelecer, contrariamente aos interesses dos povos indígenas, mais uma instância burocrática e normativa percebemos que os assuntos levantados pelas populações indígenas são diretamente negligenciados em favor de uma agenda criada sem dar voz às populações indígenas e suas organizações. Propor a criação de tal Instituto desta maneira vai contra toda a história e luta, debates, busca por autonomia e melhorias à saúde indígena. Na região do Rio Negro, ampla e diversa, o trabalho de debate vai além de uma convocação extraordinária e imediata do CONDISI/DESEI-ARN para a apresentação de um modelo institucional externo, ou seja, com alicerce em teoria institucional e sem presença da população interessada. Os povos indígenas do Rio Negro se mobilizam através do movimento indígena há cerca de trinta anos e esta experiência mostra que a construção coletiva, o debate aberto e estruturado demanda grande esforço e tempo. Para a criação deste Instituto vemos que nenhum destes foi levado em conta. Sugerimos que os proponentes de tal Instituto respeitem a história da saúde indígena e elaborem uma proposta que seja condizente após debates, apresentações e conferências junto aos povos indígenas”

4


COORDENADORIAS REGIONAIS

Valorização dos Conhecimentos Tradicionais e Conservação de Biodiversidade foi o tema das cinco Assembleias Regionais da FOIRN.

Participantes da Assembleia Ordinária da COITUA em Pari Cachoeira - Alto Tiquié

Participantes da Assembleia Ordinária da CAIMBRN realizado em Barcelos.

Participantes da Assembleia Ordinária da CAIARNX em Juruti - Alto Rio Negro

Está mais que comprovado pela ciência ocidental através de estudos e pesquisas, que nosso modo de viver e de nos relacionar com a natureza, é fundamental não apenas para nós, como para a existência no planeta. Um exemplo. As áreas mais protegidas e melhor conversadas no Brasil e no mundo, são aquelas onde vivem grupos indígenas. Isso só é possível por que temos conhecimentos que recebemos dos nossos antepassados, relacionados a caça, a pesca, a medicina e outros. Atualmente a preocupação com os desafios globais, como mudanças climáticas, são grandes. E a necessidade de preservação das florestas, fica cada vez mais indispensável para garantir o futuro no planeta. A FOIRN consciente de que os conhecimentos tradicionais são fundamentais para a preservação e conservação de biodiversidade, nesse ano, em novembro, realizará a XVIII Assembleia Geral como tema dedicada para discutir e debater sobre o tema. Mas, antes disso, como etapa preparatória, realizou cinco Assembleias Regionais através das cinco Coordenadorias (CABC, COITUA, CAIARNX, COIDI e CAIMBRN), também como o tema “Valorização dos Conhecimentos Tradicionais e Conservação de Biodiversidade”. Onde, cada regional, discutiu o tema de acordo com sua especificidade, porém, como o mesmo objetivo: saber como e se os conhecimentos tradicionais estão sendo transmitidos, nas formas e espaços de transmissão tradicional, e debater elaborar propostas visando a valorização destes. Através das Assembleias Regionais foi possível discutir assuntos de interesse de cada regional e algumas comum para todas, como a Saúde Indígena. As Assembleias realizadas em Barcelos Baixo Rio Negro e Juruti - Alto Rio Negro, tiveram como pauta central a Demarcação de Terras Indígenas. Pari Cachoeira - Alto Tiquié A COITUA (Coordenadoria das Organizações Indígenas do Tiquié e Uaupés), foi realizado entre 3 a 5 de julho em Pari Cachoeira, evento que reuniu 10 associações Indígenas. Fortalecimento das associações de base e da Coordenadoria Regional, alternativas econônicas e a valorização dos conhecimentos tradicionais e conservação da biodiversidade foram debatidos ao longo dos três dias de evento. Teve também a apresentação dos objetivos e os eixos da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI). Um dos resultados do

Onde vem os recursos financeiros para a realização das Assembleias Regionais? A Embaixada da Noruega através de seu Programa de apoio aos Povos indígenas apoia o projeto “ Fortalecimento das Coordenadorias Regionais e Fortalecimento Institucional da FOIRN”. A Embaixada da Noruega apoia projetos de organizações indígenas e indigenistas nas Américas, Ásia e África. A Noruega atua em defesa dos direitos indígenas, e principalmente, por reconhecimento do importantíssimo papel dos povos tradicionais no combate ao desmatamento e o aquecimento global. A Rainforest Fundation Norwegan apoia o Projeto “Direitos Indígenas, Fortalecimento Institucional e Governança na Bacia do Rio Negro, Noroeste Amazônico”, que tem como objetivo principal garantir o Fortalecimento Institucional, regional e externo do movimento indígena, viabilizando a discussão do Plano de gestão Ambiental e Territorial. As assembleias regionais foram apoiadas por estes projetos, entre outras fontes, entre eles o Projeto Bem viver financiado pela Horizonte3000. Localmente, teve também o apoio da FUNAI e parceria de instituições parcerias locais como ISA, SEMEC-SGC e SEIND.

5


COORDENADORIAS REGIONAIS lheiros para Conselho da Roça e 20 delegados para Assembleia Geral da FOIRN. Tunuí Cachoeira - Rio Içana

Participantes da V Assembleia Ordinária da CABC, realizada entre 20 a 23 de agosto em Tunuí Cachoeira, na qual, foi criado o “Conselho Kaali”. Foto: SETCOM=FOIRN

evento foi a indicação de dois conselheiros para o Conselho de Roça Local (SGC) no âmbito do Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro. Barcelos - Baixo Rio Negro Em Barcelos, a Assembleia da CAIMBRN (Coordenadoria das Associações do Médio e Baixo Rio Negro), realizada nos dias 30 de julho a 01 de agosto, discutiu, além do tema principal, o Ordenamento Territorial e Pesqueiro e Demarcação das Terras do Médio e Baixo Rio Negro. Os participantes da assembleia, elaboraram e publicaram uma moção de repúdio ao ataque aos direitos indígenas em Barcelos, pois, lá, lideranças indígenas vem sofrendo ameaças por parte de uma minoria contrária a Demarcação de Terras, que, também, incitam ódio contra as lideranças e parceiros, através de mobilizações em meios de comunicação, como as redes sociais. Espalhando mentiras e falsas afirmações sobre a luta do movimento indígena local e regional. Na assembleia foi apresentada uma proposta de adesão de mais uma associação indígena à FOIRN. A proposta foi aceita e aprovada pela assembleia. Portanto, a CAIMBRN, passa a ter agora, 12 associações de sua abrangência, como a adesão da NACIB (Núcleo de Artes e Cultura Indígena de Barcelos). Juruti - Alto Rio Negro A Assembleia Ordinária da CAIARNX (Coordenadoria das Associações Indígenas do Alto Rio Negro e Xié), foi realizado em Juruti 14 a 16 de agosto. O evento reuniu associações da região do Alto Rio Negro (acima de São Gabriel da Cachoeira) e Rio Xié. Além do tema central, foram discutidos assuntos como a reativação do extrativismo da piaçava, objetivos e eixos da PNGATI, demarcação de Terras Indígenas CueCué e Marabitanas), impactos da Operação do Exercito Brasileiro na Ilha das Flores nas comunidades indígenas. Foram feitas recomendações e propostas pela assembleia, que finalizou com a indicação de dois conse-

Nos dias 20 a 23 de agosto, a CABC (Coordenadoria das Associações Baniwa e Coripaco), representantes de 12 associações indígenas de 93 comunidades do Rio Içana e afluentes. Na Assembleia foi realizado uma oficina sobre PNGATI e palestras sobre o Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro. Foi apresentado o histórico do Movimento Indígena Baniwa e Coripaco, a história de luta e as principais conquistas. Um dos principais resultados da assembleia foi a criação do “Conselho Kaali”, um espaço para discurtir de forma estratégica e coordenada a gestão territorial e ambiental do Território Baniwa e do Patrimônio Cultural Baniwa e Coripaco. O Conselho criado está em processo de organização e composição (terá 45 conselheiros de várias categorias, tendo, entre estes, os conhecedores tradicionais como a base de formação do conselho). Foi feita a recomposição da diretoria da CABC, a indicação de 20 delegados para a Assembleia Geral da FOIRN e a indicação de 2 conselheiros para o Conselho da Roça Local (São Gabriel da Cachoeira). Iauaretê - Uaupés A COIDI (Coordenadoria das Organizações Indígenas do Distrito de Iauaretê), reuniu 12 associações indígenas em Iauaretê entre 25 a 27 de agosto para discutir “Alternativas Sustentáveis para Gestão Territorial e Conservação de Biodiversidade no Distrito de Iauaretê”. Além do tema principal da Assembleia, foram discutidos vários temas, como fortalecimento das associações de base e da COIDI. A Assembleia da COIDI também definiu delegados para a Assembleia da FOIRN em novembro. Em todas as assembleias regionais realizados, diretores da FOIRN e Departamentos estiveram presentes para apresentar relatórios de atividades e compartilhar informações sobre direitos indígenas e assuntos de interesse dos povos indígenas.

Participantes apresentam resultados de GTs em Iauaretê na Assembleia Ordinária da COIDI. Foto: Almerinda R.Lima/FOIRN

6


ASSOCIAÇÕES DE BASE

ACIR comemora 21 anos em Cartucho

UNIDI realizou Assembleia em Loiro no Médio Uaupés

Diretoria da ACIR comemora os 21 anos da associação junto com participantes de 13 comunidades e convidados em Cartucho - Médio Rio Negro. Foto: SETCOM-FOIRN

Oficinas, palestras e depoimentos de lideranças históricas do Movimento Indígena do Rio Negro marcaram o Seminário de Comemoração de 21 anos da Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinhas (ACIR), em Cartucho - Médio Rio Negro entre 31 de agosto a 02 de setembro. Mais de 130 pessoas de 13 comunidades indígenas do médio Rio Negro se reuniram para ouvir e conhecer a história de luta do movimento indígena no Rio Negro e especificamente da região do Médio Rio Negro. Libório Diniz e Braz França, foram os palestrantes sobre o histórico do movimento. Dificuldades, ameaças, e desafios na época foram os principais destaques dos relatos. “Na época, os políticos daqui (Santa Isabel do Rio Negro), diziam que estávamos invadindo município deles, e que deveríamos voltar para São Gabriel da Cachoeira, por que aqui, não existia mais índios”- lembra o Libório. “É muito importante aos mais jovens conhecerem o histórico de luta e conhecer as conquistas, pois, assim, continuaremos nos fortalecendo”- comentou Marivelton Rodriguês Barroso, Diretor da FOIRN mediador das palestras. O evento encerrou com a festa de comemoração de 21 anos, que teve como atração principal o II Festival da Dança da Mandioca (Maniaka Murasy).

A Associação das Mulheres Indígenas do Distrito de Iauaretê (AMIDI) realizou VI Assembleia Assembleia em Iauaretê nos dias 7 a 9 de julho

Mulheres debatem temas de interesse na Assembleia da AMIDI em Iauaretê - Uaupés. Foto: Almerinda R. LIma/FOIRN

Fazia mais uma década que a União das Nações Indígenas do Distrito de Iauaretê (UNIDI), não conseguia realizar uma assembleia para discutir demandas e solucionar problemas. Com apoio de instituições parcerias (ver página 5) realizou assembleia ordinária na comunidade Loiro no médio Uaupés entre 21 a 23 de agosto. O evento reuniu mais de 150 participantes de 12 comunidades. Entre os principais temas em discussão e debate foi a regularização e fortalecimento da associação. Todos os participantes concordaram que a associação é muito importante para eles buscarem seus direitos e como também lutar pela melhoria da qualidade de vida para as comunidades locais, de abrangência. E por isso, deve ser fortalecida para atuar de acordo com seus objetivos. Discutiu-se também a importância da valorização das antigas lideranças, alguns presentes, como Armando Maia, Jose Maria e Flávio Carvalho, estes eles tem muito a contribuir no processo de fortalecimento da associação, como também na discussão de tema sobre os conhecimentos tradicionais. A Diretora Presidente da FOIRN, Almerinda Ramos de Lima participou do evento, onde, apresentou as principais atividades e projetos da FOIRN, como também informações atualizadas sobre a luta do movimento indígena do Rio Negro e do Brasil. Os alunos da escola da comunidades colocaram no local do evento artesanatos e trabalhos sobre a cultura indígena, e participaram em massa a assembleia.

Manoel de Lima da comunidade de Nova Esperança (Uaupés) e dona Maria Viera da comunidade Loiro (Uaupés), palestram na VII Assembleia da UNIDI. Foto: Almerinda R. Lima/FOIRN

Os temas da Assembleia foram: Saúde da Mulher, Direitos da Mulher (Lei Maria da Penha), Concepção própria das mulheres indígenas sobre a saúde, revisão e aprovação do Estatuto da AMIDI, Alcoolismo entre os jovens da região de Iauaretê. Mais de 100 pessoas, sendo a maioria mulheres indigenas participaram do evento. As participantes recomendaram que é muito importante que eventos como essa assembleia fosse realizada, para que as mulheres, jovens tenham conhecimentos de seus direitos. O evento foi realizado em parceria e apoio com a FOIRN, que também contou com participação e apoio da FUNAI, DSEI/CASAI e Conselho Tutelar. Presidente da FOIRN, Almerinda Ramos e Lima e Francinéia Fontes, vice-Coordenadora do DMIRN.

7


ECONOMIA INDÍGENA

VIII Encontro de Produtores Indígenas definiu o I Festival da Mandioca para 2015 " Barcelos foi o local do VIII Encontro de Produtores Indígenas do Rio Negro, evento realizado pela FOIRN através da Wariró - Casa de Produtos Indígenas do Rio Negro. " O evento aconteceu entre 13 a 15 de agosto, e reuniu mais de 50 participantes, vindos das cinco coordenadorias regionais. " Na abertura oficial do evento, Marivelton Rodriguês Barroso - Diretor da FOIRN, falou da importância do evento na região do Baixo Rio Negro e que a discussão sobre a economia indígena é uma das lutas do movimento indígena do Rio Negro. " Em três dias de encontro, foram apresentadas experiências de economia indígena desenvolvidas ao longo do Rio Negro. Desde aos menos conhecidos como o movimento de artesãos do Alto Rio Negro até aos mais conhecidos, como a Pimenta Baniwa e banco Tukano. Experiências como o beneficiamento da “Castanha da Amazônia” pela Reserva Extrativista do Rio Unini, Núcleo de Artes e Cultura Indígena de Barcelos (NACIB), Associação dos Artesãos Indígenas da Comunidade Areial (AAICA) e da Associação das Mulheres Indígenas do Distrito de Taracúa (AMIRT) do Rio Uaupés completaram as apresentações de experiências. " As apresentações de experiências foram importantes para a troca de experiências entre os participantes e expositores. Pois, nas exposições, as dúvidas foram esclarecidas. Houve também apresentação de parceiros e convidados como a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), FVA e o IDAM-Barcelos. " O representante da CONAB apresentou os programas do Governo Federal como o PAA (Programação de Aquisição de Alimentos), Programa Nacional de Alimentação Escolar e Compras Institucionais. " A discussão da política de preços de produtos indígenas foi um dos destaques do encontro. Para isso, experiências e orientações das gerentes da Wariró e da

Galeria Amazônica foram importantes para o entendimento de como é feito e definido o preço dos produtos. " O que faz você definir o preço de seu produto? Foi uma das perguntas orientadoras para a discussão de como os produtores definem os preços, feito por grupos organizados por coordenadorias regionais. “Cada regional tem sua especificidade, para nós povos do Tiquié e Uaupés, todos os produtos básicos são muito caros, por isso, precisamos considerar isso”- disse um dos participantes, vindo de Pari Cachoeira, Alto Tiquié. " O exercício de discussão e definição da tabela de preço é importante para a Wariró de acordo com a Neiva de Souza, a atual gerente da Loja. “Trabalhamos com uma tabela de preços de 2008, por isso, propomos no encontro passado, para que nessa oitava edição, o foco da discussão fosse a atualização de preços dos produtos”. " A atualização de tabelas de preço feito em Barcelos, será levada em consideração a partir de agora, alguns valores de acordo com a gerente deverão ser reavaliados, e, e isso, será feito junto com os produtores que levarem seus produtos à loja. Definido local do I Festival da Mandioca

"

Em outubro de 2o13, no sétimo encontro, foi proposto a realização do Festival da Mandioca do Rio Negro, como um evento cultural para troca de experiências, valorização e divulgação da cultura indígena do Rio Negro. " E em Barcelos, os grupos de trabalhos, também discutiram e apresentaram uma pré-proposta de programação do festival. Locais como São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro foram alguns nomes citados, mas, a maioria indicaram Barcelos para sediar o primeiro Festival da Mandioca, em setembro de 2015. “Ter o I Festival da Mandioca aqui em Barcelos vai ser importante, pois, vai fortalecer ainda mais a luta pelos nossos direitos, entre estes, à demarcação de nossas terras (em processo), todos os que vierem serão muito bem-vindos” - comemorou o Clarindo Campos da etnia Tariana, líderança indígena, fundador do NACIB.

I Festival da Mandioca será em Barcelos (AM) Apresentações culturais, exposição e vendas de artesanatos, jogos indígenas, oficinas, palestras temáticas são algumas das propostas feitas na pré-programação do I Festival da Mandioca que será realizada em Barcelos. “Um evento que vai contribuir na valorização, divulgação da Cultura Indígena do Rio Negro e a luta pelos direitos” - afirma Marivelton R. Barroso, diretor da FOIRN presente no VIII Encontro de Produtores Indígenas. 8


FORMAÇÃO II Módulo do Curso Básico de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI)

Foto: Joselma Lana Marques " O II módulo do Curso Básico de Formação em PNGATI reuniu 25 cursistas e mais servidores da FUNAI no espaço Público do ISA, entre 04 a 08 de agosto em São Gabriel da Cachoeira. Dessa vez, foi da vez do geógrafo Lucas P Lima, discutir conceitos e os processos de elaboração do Plano de Gestão Territorial e Ambiental (PGTA), um instrumento necessário para a implementação do PNGATI. " Foi trabalhado as etapas de elaboração do etnomapeamento e etnozoneamento. Os cursistas exercitaram a elaboração de mapas, e levaram como tarefa a fazer para nas comunidades o exercício de elaboração de PGTA e a tradução de termos usados na PNGATI para as línguas indígenas. Os resultados serão apresentados no terceiro módulo, previsto para novembro. O curso terá 4 módulos e, é realizado pela FOIRN em parceria com o ISA e apoio do PDPI.

FOIRN em parceria com Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) realiza curso de Formação Avançada para Gestores de Projetos Indígenas. " Aconteceu entre 12 a 16 de setembro, a primeira etapa de mais uma turma do Programa de Formação Avançada para Gestores de Projetos Indígenas realizada pela FOIRN em parceria com UFPE e apoio do MEC. O curso reuniu 10 participantes em São Gabriel da Cachoeira, para as aulas via video conferência com o Professor Renato Athias. O primeiro módulo teve como tema “Realidade Indígena Local e Brasileira - Levantamento de projetos na região e implementação”. " O curso é coordenado pelo Departamento de Educação da FOIRN e terá 5 módulo, sendo três presenciais e duas de etapas em em campo (nas comunidades).

II Encontro para elaboração do Plano de Manejo de Recursos Pesqueiros no baixo Uaupés " O Encontro foi realizado pela COITUA em parceria com a AEYTIM/FOIRN/FUNAI e ISA, em Monte Alegre - baixo Uaupés, entre 6 a 16 de agosto. No encontro foram apresentadas aos participantes conceitos e entendimento da cartografia e tipos de mapas. Para assim, apoiar no exercício de elaboração de mapas com identificação de lugares sagrados, e locais de uso pelas comunidades. Onde, também foi discutido amplamente o papel dos Agentes Indígenas de Manejo Ambienntal (AIMAS), no processo de de elaboração do plano que se encontra em processo.

PERDEMOS MOURA TUKANO. Um dos principais líder do movimento indígena no Amazonas, o tukano Manoel Moura morreu no dia 3 de agosto em Manaus, aos 61 anos de idade. Manoel deixou um legado importante na construção e estruturação do movimento indígena, com passagens importantes em entidades como a Coordenação das Organizações Indígenas Brasileira (Coiab), da qual foi o primeiro coordenador em 1989, além de ajudar diretamente na criação de várias organizações indígenas no Rio Negro. Ultimamente, uma das atividades de Manoel Moura era realizar palestras em defesa da Amazônia e as riquezas da região, entre as quais minério, madeira, petróleo e a terra. E fazia parte da Comissão Nacional de Política Indigenista (CNPI). Moura Tukano nasceu em Pari Cachoeira Rio Tiquié . A morte do Moura Tukano repercutiu a nível nacional, e foi homenageado pelas principais organizações indígenas e indigenistas do país, lembrado como grande líder indígena Brasileiro

9


ALTERNATIVAS ECONÔMICAS

Oficina de discussão para a reativação do extrativismo da Piaçava foi realizada Cumati no Rio Xié. A FOIRN em parceria com a Fundação Vitória Amazônica (FVA), atendendo as demandas das comunidades, vem desde 2013 realizando um projeto de estudo de viabilidade de reativação de extração da piaçaba na região do Rio Xié (afluente do Rio Negro). A oficina realizada em Cumati, reuniu 10 comunidades e cerca de 130 participantes, na qual foram discutidos e debatidos as pautas - Desenvolvimento Sustentável na região; - Discussão do processo de reativação do extrativismo da piaçava como forma de geração de renda para as comunidades indígenas.

Vai começar a primeira temporada do projeto comunitário de pesca no Rio Marié. No dia 10 de setembro, a ACIBRN (Asso-

A Oficina realizada em Cumati discutiu as etapas principais de extrativismo e comercialização da piacava. Foto: SETCOM-FOIRN

ciação das Comunidades Indígenas do Baixo Rio Negro), recebeu os materiais para o inicio das atividades do projeto Comunitário de Pesca no Rio Marié, que já tem data prevista para começar: 25 de setembro, que irá a novembro. Como já publicamos na edição anterior deste boletim, a empresa Untamed Angling do Brasil, foi a selecionada para operar no Marié, nos locais, definidos pelo estudo de viabilidade e impactos ambientais, já está iniciando a primeira etapa da atividade, que é a formação de guias de turismo e motoristas fluviais. FUNAI em parceria com a FOIRN apoia a reativação do Projeto de beneficiamento de arroz em Ucuqui Cachoeira - alto Aiarí. Entre 5 a 8 de agosto, equipe composta por representante da FOIRN (Isaias Fontes), FUNAI e IDAM realizaram uma viagem até Ucuqui Cachoeira - Alto Aiari, com objetivo de iniciar a reativação da produção artesanal de arroz. A ação faz do Plano de Ação pactuado com a FUNAI.

A diretoria da ACIBRN recebe materiais em Tapurucuara Mirin, e as primeiras atividades (treinamentos são iniciados) . Foto: CAIMBRN

Conselho da Roça Local (São Gabriel da Cachoeira) realizou primeira reunião em São Gabriel da Cachoeira, no início de setembro. A I reunião do Conselho da Roça Local (São Gabriel da Cachoeira) aconteceu no dia 3 de setembro, reuniu os conselheiros indicados nas assembleias regionais. A reunião apontou que: (a) - É necessário profundar e expandir a difusão do patrimônio com realização de um seminário para debater especificidades e variedades; (b)- valorização econômica ver a possibilidade de construção da Associação Direto da Roça; (c) - Elaboração do regimento interno de funcionamento do Conselho Local e; (d) - Tornar ao conhecimento publico da formação do Conselho da Roca através de campanhas de divulgação Foto: SETCOM-FOIRN nos meios de divulgação disponível. Na foto ao lado, professora Sandra Gomes apresenta a experiência do SAT-RN em Tunuí Cachoeira, Médio Içana durante a V Assembleia Regional da CAB e colabora na discussão sobre o assunto.

Fundo Wayuri: Criado para a participação das associacões indigenas, parceiros e pessoas físicas na arrecadação de recursos financeiros, o Fundo Wayuri é uma das formas de você participar no fortalecimento do Movimento Indígena do Rio Negro para continuar a luta pelos Direitos Indígenas. O recurso arrecadado é investido no fortalecimento das associacões de base, Coordenadorias Regionais e manutenção da FOIRN. A gestão do fundo é feita por uma Coordenação onde há participação da diretoria da FOIRN, Conselho Diretor, Conselho Fiscal e Associações de base. O cenário em que vivemos hoje, exige, que nossas organizações estejam cada vez mais fortes e você pode contribuir nesse processo. Participe colaborando: Banco do Brasil Ag. 1136-3 C/C: 17.563-3. (envie seu comprovante de depósito ou transferência para nós: foirn@foirn.org.br)

10


INSTITUCIONAL Foto: Divulgação RFN

Tema: “Programa Regional de Desenvolvimento Indígena Sustentável: Fortalecimento da gestão territorial e ambiental das terras indígenas, valorizando o Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro”.

FOIRN participa de eventos da RFN na Noruega Representando a FOIRN, Diretor Marivelton R. Barroso, participou de 15 a 17 de setembro em Hurdalsjoen, Noruega, o Seminário de 25 anos da Rainforest, evento que reuniu cerca de 60 pessoas representantes de organizações parceiras como a Foirn e ISA e 40 pessoas da Rainforest. Os temas principais do Seminário foram: 25 anos da RFN e a proteção da Floresta tropical baseada nos direitos. “O que fazer para garantir o sucesso?, como questão orientadora dos debates e discussões. E no dia 18 de setembro participou a Conferência internacional de comemoração da RFN, em Oslo, que também reuniu organizações indígenas e parceiros apoiadas pela Rainforest em 25 anos de existência, com a presença do Rei da Noruega Harald V. Foto: SETCOM-FOIRN

XVIII Assembleia Geral da FOIRN Santa Isabel do Rio Negro - 18 a 10/11/14 XVIII Assembleia Geral da FOIRN será em Santa Isabel do Rio Negro em Novembro. As Assembleias da FOIRN serve para: I – Estabelecer as metas e planejamentos do trabalho da FOIRN; II – Analisar e aprovar as ações desenvolvidas pela Diretoria da FOIRN; III – Analisar e aprovar as contas da FOIRN;IV – Discutir e aprovar alterações no estatuto da FOIRN; V – Eleger os membros da Diretoria e do Conselho Diretor, dentre aqueles candidatos pré-selecionados pelas assembleias regionais; VI- Aplicar penalidades a membros da Diretoria, nos casos previstos neste estatuto.

Departamentos de Educação, Mulheres Indígenas e Juventude da FOIRN. Os Departamentos da FOIRN estiveram presentes nas Assembleias Regionais da FOIRN, para apresentar as atividades realizadas e planejamentos de atividades voltadas para usas áreas de atuação. No inicio de setembro, o Coordenador do Departamento de Educação, Ivo Fontoura, participou da Oficina de Produção de Materiais Didáticos realizado pelo Observatório de Educação Escolar Indígena da Universidade Federal de São Carlos/SP, na coordenação da professora Clarice Conh. A oficina reuniu professores Baniwa, pesquisadores e membros do Observatório para iniciar o processo de elaboração de materiais didáticos específicos. Foram previstas mais duas oficinas para esse ano. Representantes da FUNAI e SEMEC-SGC também estiveram presentes da reunião. Foto acima: Coordenadora do DAJIRN, Adelina Sampaio (centro), leva o Estatuto de Adolescentes e Jovens para às bases.

Como funciona a FOIRN? A FOIRN foi fundada no dia 30 de abril de 1987 durante a II Assembleia Geral dos Povos Indígenas do Rio Negro. Na época de criação a grande bandeira de luta era a demarcação das Terras Indígenas, e hoje, continua sendo, um dos principais objetivos e motivos de existência. Atua em diferentes frentes, como a valorização da identidade e cultura, educação, alternativas econômicas e geração de renda entre outros. Para atender toda essa demanda é necessário recursos humanos qualificados e recursos financeiros para a manutenção dos mesmos, além da estrutura e equipamentos. Atualmente, a FOIRN é uma das maiores organizações Indígenas do país. Para que isso seja possível, a instituição segue rigorosamente o Plano Estratégico, que orienta as ações dos Departamentos e Setores de atividades. O Plano Estratégico é revisado anualmente, onde ações, objetivos e metas são revisadas e atualizadas. O Conselho Diretor, a segunda instância mais importante de decisão política da FOIRN acompanha as ações da Federação através do Plano Estrategico. Visite o site da FOIRN e saiba mais: www.foirn.org.br

11


Pág.12

WARIRÓ

Os povos do Rio Negro conservam a sua rica cultura através de suas cestarias e cerâmicas que tem destaque nas formas, variedades e utilidade. O artesanato indígena não se designa apenas para o uso doméstico, mas, também ao uso simbólico em rituais tradicionais.

Ao adquirir os produtos da Wariró, você além de você contribuir na geração de renda, estará colaborando na preservação da cultura, dos mitos e história dos povos indígenas do Rio Negro

Wariró também é Médio Rio Indígenas do alto Rio Negro conservamna a sua rica Ajude-nos a reconstruirOso Povos nosso espaço físico. Participe reconstrução daNegro LojaII.Wariró produtos indígenas do rio Negro, port cultura através das cestarias e cerâmicas que tem destaque contribuindo divulgando. Entre em contatoindígena e saibadiversidade mais: cultural dos povos da flo na sua e forma, variedade e utilidade. O artesanato criado pelos indígenas para a venda di não se destina apenas para o usoou doméstico, mas também ao wariro@foirn.org.br (97) 3471-1450 uso simbólico em rituais tradicionais. Wariró é o nome de um ser ancestral que aparece nos mitos de vários povos indígenas da região que viveu na serra do Curicuriari, conhecida como Bela Adormecida e situada dentro da Terra Indígena

para a troca de informações entre art consumidores. As peças são feitas à sustentável. Ao adquiri-las você promo de renda, mas a preservação da cu histórias.

Bano Tukano

Produtos Tradicionais do alto Rio

Porquinho/barro

Antes do incêndio

Cuiupí

Depois do incêndio

C

Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro - FOIRN

Editorial

Fogão de barro

Pág.02

A educação escolar indígena é uma das conquistas do movimento indígena no rio Negro. Prova disso são as escolas pilotos implantadas na região com a proposta de reinventar a escola, para que de alguma forma ela estivesse mais próximo da realidade dos povos que a usam como instrumento de formação e valorização das culturas indígenas. Passados quase 15 anos as experiências comprovam que é possível sim fazer uma escola diferente, uma escola que respeita e valoriza as formas tradicionais de transmissão de conhecimentos e, ainda que possibilita o diálogo com os conhecimentos de outras sociedades. Mas, para isso é necessário a presença do Estado Brasileiro no Diretoria Executiva 2013/2016 cumprimento das legislações que amparam a educação escolar indígena. Desde o Diretora Presidente: ALMERINDA R. DE LIMA início deste ano a FOIRN em parceria com o Instituto Socioambiental com apoio da Vice Presidente: ISAIAS PEREIRA FONTES FUNAI, realizou série de Seminários nas Bases com a proposta de realizar um Diretor: RENATO DA SILVA MATOS diagnóstico ampliado sobre a situação da Educação Escolar Indígena no Rio Negro. Terça-Feira Diretor: NILDO JOSÉ MIGUEL FONTES E para reunir e apresentar todos os dados reunidos nos seminários 7hs a no 8hs Diretor: MARIVELTON RODRIGUES BARROSO realizados foi realizado o «Seminário Rio Negro de Educação Indígena» inicio de junho em São Gabriel da Cachoeira, que reuniu mais de 300 participantes, entre estes representantes de orgãos governos, onde além de outros resultados foi Ra Av. Álvaro Maio nº 79 /Centro Quinta-Feira repactuado o Termo do Território Etnoeducacional Rio Negro. São Gabriel da Cachoeira /AM Esteda e outros assuntos-levamos nosso Caixa Postal 31na / CEP. 69750000 FOIRN Radio Municipal de São Gabriel Cachoeira AM a você leitor nessa edicação do 20 hs a 21hs Agradecemos a todos que contribuírem Endereço: Contato: boletim. Tel: (97) 3471/ 1632 com o fundo WAYURI, para o Avenida álvaro Maia nº 79 / Centro Tel:(97) 3471-1632 E-mail: foirn@foirn.org.br Boa leitura! desenvolvimento dos Povos Indígenas São Gabriel da Cachoeira - AM E-mail: wariro@foi do rio Negro. Banco do Brasil CEP:69750-000

vozes do Rio Negro

Informativo Informativo

Edição: 3/2014. Jul-Agosto-Set Produção e circulação : FOIRN

AG: 1136-3 / CC: 17.563-3

O que é a FOIRN?

Textos e edição: Raimundo M. Benjamim, Setor de Comunicação/FOIRN Almerinda R. Lima (Editorial) Fundada em 30 de abril de 1987, a Federação das Organizações Indígenas do Rio Raimundo M. Benjamim Fotos: Acervo FOIRN Negro (FOIRN) representa o compromisso de defender os direitos dos povos indígenas que habitam a região do Alto Rio Negro.daComposta por 5 Coordenadorias Nivaldo Silva Cordeiro Revisão: Diretoria Executiva

Projeto Gráfico: Nivaldo da

Contato wayuri@foirn.org.br

que reúnem 93 organizações de base representantes das comunidades, distribuídas aos longos dos principais rios formadores da bacia do Rio Negro. Setor de Comunicação : NIVALDO DA cerca deou35divulgação mil indígenas, entre 750Indígena aldeias, desde isso representa conteúdo deste boletimMENEZES pode ser usados para finsSão educativos do Movimento que a fonte seja citada. SILVA O CORDEIRO, ANA PAULA aproximadamente 10% da população indígena brasileira, os quais são pertencentes NETO E RAIMUNDO MIGUEL BENJAMIM de 23 grupos étnicos diferentes das famílias lingüísticas Tukano, Aruak, Maku e Yanomami, que habitam uma área de 11,6 milhões de hectares de terras indígenas

Wayuri 3 2014 final  

Edição 3/2014 do Wayuri. A edição resume as principais atividades realizadas pela FOIRN, Coordenadoria Regionais e associações de base nos m...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you