Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

www.fundacaonazare.com.br BELÉM, DE 24 A 30 AGOSTO DE 2018

O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

ANO CIV - Nº 838 - PREÇO AVULSO: R$1,00

A festa de Santa Maria de Belém FOTOS: DIVULGAÇÃO

Variadas atividades litúrgicas e culturais fazem parte das homenagens para celebrar a festa de Santa Maria de Belém, padroeira da Arquidiocese de Belém e também da capital paraense. A partir do dia 26 até o dia 2 de setembro na Catedral de Belém. CADERNO 2, PÁGINA 11.

w CERTEZA de seguir em direção a Deus - Festival Vocacional 2018

Vocações e direções Foi a motivação das atividades do Arquidiocese de Belém no último fim Festival Vocacional promovido pela de semana. CADERNO 2, PÁGINA 4.

Especial em Família no dia 31 Fundação Nazaré ultimando preparativos para mais uma edição do programa. CAD. 2, PAG. 1

w PAPA FRANCISCO Carta ao Povo de Deus

A carta do Papa aos fiéis Pontífice, em carta, ra acabar com a ‘cultura pede ajuda dos fiéis pa- do abuso’ . CAD. 1, PAG. 9

Igreja comemora Dedicação Paróquia localizada no bairro do Tapanã comemora 10 anos de Dedicação da igreja. CAD. 2, PAG. 11

Bispos em visitas pastorais CADERNO 2, PÁGINA 11.

de seguir em direção a Deus - Festival Vocacional 2018 CADERNO 2, PÁGINA 4. CAD. 2, PAG. 1

w LOCALIZADA no Tapanã, Paróquia Jesus Bom Samaritano vive comemoração da Dedicação da igreja

Arquidiocese de Belém no último fim

ra acabar com a ‘cultura Especial em Família no dia 31

Vocações e direções

Variadas atividades litúrgicas e culturais fazem parte das homenagens para celebrar a festa de Santa Maria de Belém, padroeira da Arquidiocese de Belém e também da capital paraense. A partir do dia 26 até o dia 2 de setembro na Catedral de Belém. Fundação Nazaré ultimando preparativos para mais uma edição do programa.

Comunidades paroquiais do Tapanã e da Marambaia receberam os bispos auxiliares. CADERNO 2, PÁGINA 7


2

Opinião

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

1º Caderno

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

CHARGE DO ANDRÉ ABREU

João Carlos Pereira

Jornalista e professor jcparis@orm.com.br

As mudanças em Lourdes

Comente esta charge:

C

voz@fundacaonazare.com.br

Relembrando com saudade nosso querido chargista André Abreu

PANORAMA José Pereira Ramos joseulina1@gmail.com

Dom Antônio de Almeida Lustosa

C Economista e escritor

ontinuando os comentários sobre fatos históricos da nossa Arquidiocese, descontinuei o título anterior, para não ser repetitivo. Lembro que no dia 15 do mês corrente, completaram-se 44 anos de saudades do santo homem que foi o 4º Arcebispo de Belém, de 1932 a 1935, Dom Antônio de Almeida Lustosa. Nascido em 11/02/1886, em São João del Rey (MG), entrou para a Congregação Salesiana aos 16 anos, sendo ordenado presbítero em 20/01/1912 por Dom Epaminondas, Bispo de Taubaté. Nomeado Bispo de Uberaba (MG), pelo Papa Pio XI, em 1925, aos 39 anos de idade, foi transferido em 1928 para Corumbá (MT) e, em 1932, nomeado Arcebispo de Belém. Em nossa arquidiocese foi um dos arcebispos que mais visitaram as pa-

róquias interioranas, imortalizando suas observações em pequenas crônicas no jornal “A Palavra”, reunidas depois por Dom Alberto Ramos no extraordinário livro “No estuário amazônico – À margem da visita pastoral”, editado pelo Conselho Estadual de Cultura, em 1976. Dom Lustosa reabriu o seminário de Belém com a ajuda dos seus coirmãos Salesianos, que ficaram com esse encargo até ao fim do mandato de Dom Mário Vilas Boas. Em julho de 1941, Dom Lustosa foi transferido para Fortaleza, onde permaneceu até fevereiro de 1963. Lá, seu nome é lembrado até hoje. Recolheu-se à Casa de Retiro Salesiano de Carpina, em Pernambuco, onde faleceu em conceito de Santidade em 15/08/1974. Foi substituído, em Belém, por Dom Jaime de Barros Câmara. Rezemos para que o nosso ex-arcebispo Dom Antônio Lustosa seja declarado Bem-Aventurado. Seria uma grande honra para o episcopado brasileiro e para as regiões onde ele atuou. Dom Lustosa foi o arcebispo que me crismou. O padre Alberto Bresciani, SDB, foi um dos postulantes do processo de beatificação, que está em estudos no Vaticano.

onforme prometi, semana passada, retomo o tema das emoções de Lourdes, na celebração do 160º. ano da primeira aparição. Pelas ruas da cidade, letreiros trazendo apenas a palavra “emoções” fazem o peregrino pensar no quanto de felicidade a visita de Nossa Senhora trouxe àquela região. Todos os dias, milhares de pessoas desembarcam na estação de trem, no aeroporto, ou chegam em caravanas, de ônibus, oriundas dos mais diferentes lugares do planeta. No dia em que lá estive, julho passado, um ruidoso grupo de africanos entoava cânticos marianos, enquanto carregava uma vela gigantesca, para acendêla no novo espaço destinado a essa prática. A área das velas ficava, originalmente, próxima à das piscinas. Eram boxes de metal, onde estava gravada, em vários idiomas, a mensagem de que a vela acesa continuava levando aos céus a oração de quem a havia deixado lá. Agora, uma ponte conduz o peregrino ao outro lado do rio, obrigandoo a fazer o percurso inverso

ao de Bernadete, para deixar seus círios. São vários boxes, agora separados por paredes de vidro (algumas já trincaram com o calor), que protegem do vento as velas acesas. Voltando pela mesma ponte ao espaço da gruta de Massabielle, depois gruta de Nossa Senhora de Lourdes, encontramos o novo ambiente das águas. O antigo sistema de canalização da fonte cavada pelas mãos de Bernadete foi desativado e transferido de lugar. As novas torneiras, com abertura à base de pressão, impedem o desperdício da água milagrosa. Cada pessoa pressiona o botão e a água jorra por um breve espaço de tempo. Para facilitar a coleta de água, um novo tanque vertical foi criado. Quem vai apenas buscar água, não precisa atravessar a gruta, o que, de certa forma, permite que o silêncio no ambiente seja preservado. Lourdes é um espaço sagrado, e cada vez que lá retorno, mais agradeço a Deus e a Nossa Senhora pela chance de me renovar na fé, na luz e na esperança.

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ... Pe. Helio Fronczak

ENCONTRO FRATERNO Ivens Coimbra Brandão ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com

Catequese e evangelização

O Engenheiro civil e escritor

ra recordo quando fui preparado para a minha 1ª Comunhão, junto com outras crianças, idos dos anos 40. Nossa catequista foi uma das professoras que lecionavam no então ‘curso primário’, a Prof.ª Helga, não me atrevendo a escrever o seu sobrenome, por ser de origem alemã, com várias consoantes. No entanto, o importante foi a sua dedicação na formação cristã daquelas crianças que, enquanto aprendiam a compor as primeiras frases, a fazer as operações fundamentais da matemática. Também lhes era dado receber a semente da fé cristã. “.... Os métodos, obviamente, hão de ser adaptados à idade, à cultura e à capacidade das pessoas, procurando sempre fazer com que elas retenham na memória, na inteligência e no coração, aquelas verdades essenciais que

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Monsenhor Marcelino Ferreira Vigário-geral da Arquidiocese de Belém do Pará

deverão depois impregnar toda a sua vida...”(cf. Evangelii Nuntiandi – cap. II, item 44). A Igreja ensina que a catequese é uma via da evangelização, que não deve ser descurada, enquanto evangelizar é anunciar o Evangelho de Jesus Cristo em todos os ambientes. Mais do que discursos, que por vezes se perdem no vazio da incerteza, a ação evangelizadora deve ser nutrida pela coerência entre fé e vida. Neste domingo, a Igreja anima os leigos que se dedicam à missão de evangelizar, particularmente os catequistas, reconhecendo a dedicação de tantos, mulheres e homens, que na discrição de um trabalho cujos frutos não são contabilizados, lançam a semente da fé, que germina no tempo de Deus. Na abertura do Ano Nacional do Laicato, o Papa Francisco enviou uma mensagem à Igreja no Brasil, ora transcrevendo-se um trecho do documento: “... E, nesse momento particular da história do Brasil, é preciso que os cristãos assumam sua responsabilidade de ser fermento de uma sociedade renovada, onde a corrupção e a desigualdade deem lugar à justiça e a solidariedade...”

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Arnaldo Pinheiro

heliofronczak@gmail.com

Saber com os outros: isto é santidade

E

sta bem-aventurança – Felizes os que choram, porque serão consolados – é exatamente o contrário do mundo. “O mundo propõe-nos: o entretenimento, o prazer, a distração, o divertimento. E diz-nos que isto é que torna boa a vida. O mundano ignora, olha para o lado, quando há problemas de doença ou aflição na família ou ao seu redor. O mundo não quer chorar: prefere ignorar as situações dolorosas, cobrilas, escondê-las. Gastam-se muitas energias para escapar das situações onde está presente o sofrimento, julgando que é possível dissimular a realidade, onde nunca, nunca, pode faltar a cruz. A pessoa que, vendo as coisas como realmente estão, deixa-se

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT/PA 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Edwaldo Lobo Monteiro EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

trespassar pela aflição e chora no seu coração, é capaz de alcançar as profundezas da vida e ser autenticamente feliz. Essa pessoa é consolada, mas com a consolação de Jesus e não com a do mundo. Assim pode ter a coragem de compartilhar o sofrimento alheio, e deixa de fugir das situações dolorosas. Desta forma, descobre que a vida tem sentido socorrendo o outro na sua aflição, compreendendo a angústia alheia, aliviando os outros. Essa pessoa sente que o outro é carne da sua carne, não teme aproximar-se até tocar a sua ferida, compadece-se até sentir que as distâncias são superadas. Assim, é possível acolher aquela exortação de São Paulo: ‘Chorai com os que choram’ (Rm 12, 15).

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


1º Caderno

Arcebispo

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

3

Conversa com meu povo Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

A

pós a libertação do Egito, quando Moisés vislumbrou a terra prometida, viu que seus dias chegavam ao fim, carregado de anos e de alegria pela amizade com Deus, com quem a Escritura diz que falava “face a face” (Cf. Dt 34,1-12). Poucas pessoas receberam de forma tão clara um apelativo de tamanha dignidade! Tendo chorado a morte de Moisés, coube a Josué conduzir o povo pela desafiadora saga que se abria no horizonte, a travessia do Jordão e a instalação no novo ambiente. Como acontecera em outras ocasiões, também aqui o povo de Deus passou por uma crise. Basta lembrar as dificuldades que antecederam, acompanharam e se seguiram à travessia do Mar Vermelho, as crises por causa de água e alimento, a idolatria e daí por diante. De fato, a honra do povo hebreu residia em ter sido escolhido por gratuidade, não por ser melhor do que os outros povos. Pois bem, agora os desafios são a novidade da terra enfim alcançada, a divisão dos espaços, os conflitos tribais. Josué convoca a Assembleia em Siquém e ao final a pergunta decisiva, a ser respondida pelo povo escolhido: “Se vos desagrada servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses a quem vossos pais serviram no outro lado do rio ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor”. O povo respondeu: “Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir a deuses alheios. Portanto, nós também serviremos ao Senhor, porque ele é nosso Deus”. Então Josué disse ao povo: “Não podeis servir ao Senhor, pois ele é um Deus santo, um Deus ciumento, que não suportará vossas trans-

A quem você quer servir?

DIVULGAÇÃO

w "LONGE de nós abandonarmos o Senhor para servir a deuses alheios"

Portanto, nós também serviremos ao Senhor, porque ele é nosso Deus. É ao Senhor que serviremos. gressões e pecados. Se abandonardes o Senhor e servirdes a deuses estranhos, ele se voltará contra vós e, depois de vos ter tratado tão bem, vos tratará mal e vos aniquilará”. O povo, porém, respondeu a Josué: “Não! É ao Senhor que serviremos” (Js 24, 15-16.20-21). E assim aconteceu muitas vezes, pois as vicissitudes do caminho e as limitações humanas provocaram inúmeras crises e chamadas de atenção, para que as pessoas retomassem a estrada da fidelidade a Deus. Trata-se do desafiador mistério da liberdade humana, que pode sempre cair na esparrela do pecado. Nem as pessoas ou as comunidades estão isentas!

Quando Jesus chamou seus discípulos, também ali aconteceram crises, deserções, negações e traições. Os Evangelhos Sinóticos, Mateus, Marcos e Lucas, expressam uma das maiores crises dos que seguiam o Senhor, justamente na confissão de fé feita por Simão Pedro, aquele que, malgrado suas limitações pessoais, foi escolhido como ponto de referência de unidade da Igreja. O escândalo, no sentido original de pedra de tropeço, foi o anúncio da cruz, do sofrimento e da morte. O Evangelho de São João (Cf. Jo 6,60-69) descreve outra situação, considerada também uma virada de página na vida dos discípulos, e esta se encontra justamente no

desconcertante anúncio da Eucaristia (Jo 6,51). Muitos consideraram muito dura a palavra que convidava a comer a carne e beber o sangue! Tantos voltaram atrás e não andavam mais com Jesus. A todos vai a pergunta e a resposta cabe a Simão Pedro: “Jesus disse aos Doze: ‘Vós também quereis ir embora?’ Simão Pedro respondeu: ‘A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna’” (Jo 6,67-68). Até hoje os cristãos e a Igreja repetem a mesma palavra de Pedro. Em nosso tempo, muitos são os motivos que podem levar as pessoas a se afastarem de Jesus e da Igreja. Um deles é justamente a proposta da vida sacramental. Pode carecer

de emoções e de teatralidade a fiel participação na Santa Missa, especialmente no dia do Senhor, o Domingo, já que este se transformou para muitos mais no dia do lazer e do descanso, ainda que também o descanso seja prescrito na lei de Deus. Que dizer da confissão, onde um homem, também ele frágil e pecador, ousa escutar as nossas misérias e absolver em nome de Deus? Trata-se agora de escolher: a quem você quer servir? Ao Senhor ou a seu comodismo e fechamento? Por falar em fragilidade, os escândalos que assustam a todos, gerados pelo comportamento inadequado de ministros da Igreja, têm afastado muitas pessoas, quando as misérias, infelizmente, estão presentes por toda parte, inclusive transformados em normas e leis iníquas! Se for limitado o

comportamento de um clérigo ou de um cristão, maiores motivos se devem encontrar para dar testemunho da verdade e da retidão, também porque o eventual afastamento é seguido, na maioria das vezes, pela degradação ainda maior dos acusadores, os quais encontram assim motivos para ceder às muitas tentações que repousam em seu interior. Muitos ministros da Igreja passaram por verdadeira conversão, provocados pelo exemplo de pessoas muito simples e piedosas! Também diante do pecado dos outros, faz-se necessário perguntar a quem queremos servir, ou às circunstâncias ou à Verdade! Voltando à vida sacramental, a proposta da Igreja do Matrimônio indissolúvel, a rejeição católica ao divórcio seguido de nova união, a fidelidade matrimonial (Cf. Ef 5,21-32) e todas as indicações para a prática da castidade de solteiros e casados podem soar conservadoras e atrasadas em nosso tempo, pelas exigências que comportam. Ainda que Deus tenha infinitos e inúmeros caminhos para tocar o coração das pessoas e conduzi-las a si, não pode a Igreja, e não podem os cristãos, renunciar ao anúncio do caminho reto neste campo. A escolha é a provocação do momento. Escolher o serviço do Senhor não significa tornar-se orgulhosamente perfeito, mas contemplar a perfeição do Pai do Céu, que é o amor e a misericórdia, reconhecer os próprios limites, arrepender-se dos pecados, recomeçar milhões de vezes, sem perder de vista o ideal do seguimento de Jesus. Quer dizer ainda ir ao encontro dos mais fracos, estender-lhes a mão, sustentá-los numa estrada de conversão, escolhendo com eles, como quem refaz a própria estrada, o bem e a verdade.


4

Arquidiocese

AGENDA DE DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

1º Caderno

AGENDA DE DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO

AGENDA DE DOM IRINEU ROMAN

n De 24 a 30 de agosto de 2018

n De 24 a 30 de agosto de 2018

n De 24 a 30 de agosto de 2018

n SEXTA, 24 DE AGOSTO

n SEXTA, 24 DE AGOSTO

n SEXTA, 24 DE AGOSTO

n SÁBADO, 25 DE AGOSTO

n SÁBADO, 25 E DOMINGO, 26 DE AGOSTO

Reunião dos Bispos da Amazônia (Manaus)

Reunião dos Bispos da Amazônia (Manaus)

9h - Missa com a Pastoral do Dízimo Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Icoaraci 16h - Palestra (Paróquia de Jesus Ressuscitado) 19h - Festa de Santa Rosa de Lima Paróquia de Santa Rosa de Lima – Benevides

9h - Gravação - Programa “Comunidade viva” 11h30 - Missa - Comunidade Sementes do Verbo (Tabor) 17h - Mesa redonda com jovens - Paróquia São José de Queluz - Canudos

7h30 - Missa na VI Caminhada pela vida e pela família (Paróquia São Raimundo Nonato) 11h - Missa - Fazenda Esperança 19h - Missa - Catedral da Sé

8h30 - Crisma - Paróquia São Raimundo Nonato 11h - Missa - Shopping (Travessa Pe. Eutíquio) 19h - Missa - Aniversário do Terço dos Homens (Paróquia São Lucas Evangelista)

Pregação - Retiro no Mosteiro da Ressurreição (Ponta Grossa - PR)

8h30 - Audiências 19h - Missa - Comunidade Nossa Senhora das Graças (Paróquia São Judas Tadeu)

Os compromissos de Dom Alberto Taveira podem sofrer alterações sem aviso prévio.

8h30 - Audiências 10h - Atividades CNBB 18h30 - Missa Seminário Pio X

n SÁBADO, 25 DE AGOSTO

n DOMINGO, 26 DE AGOSTO

Reunião dos Bispos da Amazônia (Manaus)

n DOMINGO, 26 DE AGOSTO

n SEGUNDA, 27 A QUINTA, 30 DE AGOSTO

n SEGUNDA, 27 DE AGOSTO

n TERÇA, 28 DE AGOSTO

Compromissos em Manaus

n SEGUNDA, 27 DE AGOSTO

15h - Reunião - Pastoral da Educação 18h - Missa do Mandato do Círio - Basílica 19h - Encontro de formação com o MECE

n TERÇA, 28 DE AGOSTO

8h - Aulas na Faculdade Católica 16h - Audiências 19h - Reunião com o CADIP

n QUARTA, 29 DE AGOSTO

11h - Missa - 21 anos - Hospital Divina Providência – Marituba 14h - Programa "Fé e vida" - Rádio Nazaré FM 16h - Gravações 19h - Missa - Comunidade Nossa Senhora das Graças (Paróquia São Judas Tadeu)

n QUINTA, 30 DE AGOSTO

n QUARTA, 29 DE AGOSTO

8h30 - Audiências 17h - Missa (Seminário São Pio X)

8h30 - Audiências 19h - Missa - Catedral de Belém (Festividade de Santa Maria de Belém) n QUINTA, 30 DE AGOSTO

14h - Programa “Entre nós” - Rádio Nazaré FM 19h - Missa - Comunidade São Benedito Paróquia São Francisco (Tapanã)

Os compromissos de Dom Antônio de Assis podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Os compromissos de Irineu Roman podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Homilia Dominical Padre Romeu Ferreira romeufsilva@gmail.com

A) Texto: Jo 6,60-69

Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma

60 Muitos dos discípulos de Jesus que o escutaram, disseram: “Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la? 61 Sabendo que seus discípulos estavam murmurando... Jesus perguntou: “Isto vos escandaliza? 62 E quando virdes o Filho do homem subindo para onde estava antes? 63 O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada. As palavras que vos falei são espírito e vida. 64 Mas entre vós há alguns que não creem”. Jesus sabia, desde o início, quem eram os que não tinham fé e quem havia de entregá-lo. 65 E acrescentou: “É por isso

que vos disse: ninguém pode vir a mim a não ser que lhe seja concedido pelo Pai”. 66 A partir daquele momento, muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele. 67 Então, Jesus disse aos doze: “Vós também vos quereis ir embora?” 68 Simão Pedro respondeu: “A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. 69 Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o santo de Deus”. B) COMENTÁRIO “Esta palavra é dura. Quem consegue escutála”? (v 69). Ela é dura, mas a salvação é séria e Jesus não suaviza. Quem é de Deus, escuta a sua palavra (Dt 6,4). Escutar é diferente do

ouvir. Ouvir é simples função do aparelho auditivo, é captar o som. Já escutar é função volitiva, da vontade, do querer do destinatário. Escutar é ouvir com atenção e interesse. Ao esclarecer a diferença entre ouvir e escutar, é que se encontra a força da pergunta: “Quem consegue escutá-la”? “O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada” (v 63). Só quem nasce do espírito pode entender as palavras que são divinas. O homem nascido da carne não pode compreender as palavras do espírito, diz Jesus a Nicodemos (Jo 3,1-15); pois para entender como tal, necessita a ajuda do “espírito”, que é a glorificação de Cristo, a Ascensão dele ao Pai mediante a crucifixão (Jo 3,14) liberando o espírito

de Deus à humanidade (Jo 7,38s). Portanto as palavras de Jesus sobre o pão eucarístico são “espirito e vida” (v 63). A palavra de Jesus foi dura naquele tempo, e continua nos dias de hoje. Não é o ser humano que muda a palavra de Deus; é a palavra de Deus que muda o ser humano. Jesus se pronunciou devidamente. E “a partir daquele momento, muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele” (v 66). A atitude dos que abandonaram não fez Jesus mudar seu discurso. E continua o mestre: “Vós também vos quereis ir embora?” (v 67). Ora, os que ouviam e seguiam Jesus eram os “discípulos” (e se foram) que entre eles estavam os

escolhidos, “os apóstolos” (que permaneceram). No meio da crise há dúvidas e inquietudes, acompanhadas da experiência de um homem bastante rude, mas firme na fé: Pedro, que representa o grupo e proclama: “A quem iremos Senhor? Tu tens palavras de vida eterna”. A resposta de Pedro pelos doze (v 68s) é uma proclamação de fé! “Ir embora”, implica certa direção, destino, como: “Para onde iremos”? “Quem nos guiará”? Mas a resposta é pergunta que responde perguntado; é referência direta a Jesus, como se dissera: tu és o destino exato, tu és o caminho certo. “Por que deixar o certo pelo duvidoso”? Diria certamente a sabedoria popular!

Liturgia da Semana w 24/08, SEXTA-FEIRA Cor (vermelho) Primeira Leitura (Ap 21,9b-14) Responsório (Sl 144) Evangelho (Jo 1,45-51) w 25/08, SÁBADO Cor (verde) Primeira Leitura (Ez 43,1-7a)

Responsório (Sl 84) Evangelho (Mt 23,1-12) w 26/08, DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Js 24,1-2a.15-17.17.18b) Responsório (Sl 33)

Segunda Leitura (Ef 5,21-32) Evangelho (Jo 6,60-69) w 27/08, SEGUNDA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (2Ts 1,1-5.11b-12) Responsório (Sl 95) Evangelho (Mt 23,13-22)

w 28/08, TERÇA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (2Ts 2,1-3a.14-17) Responsório (Sl 95) Evangelho (Mt 23,23-26) w 29/08, QUARTA-FEIRA Cor (vermelho)

Primeira Leitura (Jr 1,17-19) Responsório (Sl 70) Evangelho (Mc 6,17-29) w 30/08, QUINTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (1Cor 1,1-9) Responsório (Sl 144) Evangelho (Mt 24,42-51)


Vaticano 5 Compartilhar com Ele o dom da vida

1º Caderno

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

“Este pão da vida, o sacramento do Corpo e do Sangue de Cristo, é doado a nós gratuitamente"

C

om informações Vatican News. “Jesus nos convida a entrar em comunhão com Ele, a ‘comê-Lo’, sua humanidade, para compartilhar com Ele o dom da vida para o mundo. Diferente de triunfos e miragens de sucesso!”: é a advertência que o Papa Francisco dirigiu aos fiéis domingo, 19 de agosto, antes da Oração mariana do Angelus na Praça de São Pedro, comentando o Evangelho do dia. “Este pão da vida, o sacramento do Corpo e do Sangue de Cristo, é doado a nós gratuitamente na mesa da Eucaristia. Ao redor do altar encontramos o que nos alimenta e nos sacia espiritualmente hoje e para a eternidade. Toda vez que participamos da Santa Missa, em um certo sentido” - explicou

FOTOS: DIVUGAÇAÕ

Bergoglio -, “antecipamos o céu na terra, porque do alimento eucarístico, do Corpo e do Sangue de Jesus, aprendemos o que é a vida eterna”. PÃO VIVO QUE DESCEU DO CÉU

Ele se apresenta - continuou o Papa -, como “o pão vivo que desceu do céu”, o pão que dá a vida eterna e acrescenta: “o pão que eu darei é a minha carne, entregue pela vida do mundo”. Esta mensagem é decisiva, e de fato provoca a reação daqueles que escutavam, que começam a discutir entre eles: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?”. Quando o sinal do pão partilhado traz o seu significado verdadeiro, isto é o dom de si até ao sacrifício, emerge o incompreensível, emer-

w PAPA FRANCISCO na Oração mariana do Angelus na Praça São Pedro

ge até mesmo a rejeição d’Aqueles que pouco antes queriam carregá-Lo em triunfo. “Diante do convite de Jesus para nos nutrir com seu Corpo e Sangue, poderemos sentir a necessi-

dade de discutir e resistir, como fizeram aqueles que o escutavam, de quem o Evangelho de hoje fala. Isso acontece quando temos dificuldade em moldar nossa existência na de Jesus, a agir de acordo

com seus critérios e não de acordo com critérios do mundo. Mas Ele nunca se cansa de nos convidar para o seu banquete para saciar-nos d’Ele, “pão vivo que desceu do céu”. Nutrindo-se deste

alimento - disse o Papa podemos entrar em plena sintonia com Cristo, com seus sentimentos, com suas atitudes”. Jesus hoje repete a cada um de nós, acrescentou Francisco: “se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós”. Não se trata de um alimento material, mas de um pão vivo e vivificante, que comunica a própria vida de Deus. Para ter essa vida é necessário nutrir-se do Evangelho e do amor dos irmãos. Que a Virgem Maria – concluiu o Papa -, nos ajude no nosso propósito de fazer comunhão com Jesus Cristo, nutrindonos da sua Eucaristia, para nos tornarmos, por sua vez, pão partido para os irmãos.

Papa: o cristão não pode renunciar a sonhar Com informações agência Ecclesia. O Papa Francisco afirmou que “o cristão não pode renunciar a sonhar” que o mundo pode ser “melhor”, alertando para os “muros”, numa mensagem ao ‘Meeting de Rimini’, do Movimento ‘Comunhão e Libertação’, que começou domingo, 19, e termina no sábado, 25 de agosto, na ‘Rimini Fiera’, no nordeste da Itália. “É sensato sonhar isso, porque na raiz dessa certeza existe a profunda convicção de que Cristo é o início do mundo novo”, escreveu na mensagem ao bispo de Rimini, Dom Francesco Lambiasi. No texto, enviado pelo Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, o Papa explica que uma fé autêntica “implica sempre um profundo desejo de mudar o mundo”. “Não se trata de se re-

tirar do mundo para não arriscar cometer erros e para preservar à fé uma espécie de pureza incontaminada”, observa Francisco, alertando que se voltaram a “erguer muros, em vez de construir pontes”. “Tendemos a ser fechados, em vez de abertos ao outro diferente de nós. A indiferença cresce, em vez do desejo de tomar iniciativas por uma mudança. Prevalece um sentido de medo de confiar no futuro” . O MUNDO TORNOU-SE MAIS HABITÁVEL?

Neste contexto, aos participantes do encontro do Movimento ‘Comunhão e Libertação’ lançou a pergunta se nos últimos 50 anos “o mundo tornou-se mais habitável”. “Esta interrogação refere-se também a nós

w FRANCISCO: "apenas Deus pode preencher o coração do homem"

cristãos, que passamos pelo período de 68 e que agora somos chamados a refletir com tantos outros protagonistas, e a perguntar: O que aprendemos? Que devemos fazer com esse tesouro?”. O Meeting de Rimini 2018 tem como tema ‘as forças que movem a

história são as mesmas que tornam o homem feliz’. “O cristão não pode desistir de sonhar que o mundo mude para melhor. É sensato sonhar isso, porque na raiz dessa certeza existe a profunda convicção de que Cristo é o início do mundo novo”, salientou. Segundo o Papa Fran-

cisco, “nenhum esforço, nenhuma revolução” pode satisfazer o coração do homem, “apenas Deus”, que o fez com “um desejo infinito”, pode preenchê-lo com sua “presença infinita”. O site ‘Vatican News’ informa que o pontífice, na sua mensagem, alertou para “a escravatura

dos ‘falsos infinitos’, que prometem felicidade sem poder garanti-la” e desejou que o encontro anual realizado na Diocese italiana de Rimini seja “uma oportunidade para aprofundar ou para acolher o convite” de Jesus: “Venham e vejam”. A programação do 39.º Encontro pela Amizade entre os Povos conta com debates, concertos, peças de teatro, filmes, competições desportivas, exposições, concertos, entre outras atividades ligadas a áreas desde a política à economia, da religião à ciência, das questões sociais, culturais e do desporto. O ‘Meeting de Rimini’ tem como objetivo proporcionar o encontro entre pessoas de diferentes crenças e culturas, que tenham em comum o desejo de se conhecerem e valorizarem mutuamente.

Papa elogia quem defende autêntica natureza do matrimônio e da família Com informações agência Ecclesia. O Papa Francisco elogiou, numa mensagem divulgada pelo Vaticano, quem tra-

A C

balha na defesa da “autêntica natureza do matrimónio e da família”. A posição foi assumida numa saudação enviada

aos Cavaleiros de Colombo, por ocasião da sua convenção anual, ocorrida de 7 a 9 de agosto em Baltimore, nos EUA.

Francisco agradece a todos a valorização da “vocação de maridos e pais católicos” e da visão da Igreja sobre a família e o casamento, “num mundo repleto

de luzes contrárias ao Evangelho”. O Papa destacou o esforço de “proclamar o Evangelho da família” a duas semanas de participar no Encontro Mun-

dial de Dublin. A mensagem saúda ainda o apoio aos cristãos do Médio Oriente, que “suportam preconceitos e perseguições por causa da sua fé”.

família é um lugar de esperança. (dia 21 de agosto) omeça hoje em Dublin o Encontro Mundial das Famílias. Vamos nos unir em oração por todas as famílias do mundo, especialmente por aquelas em dificuldade.

w FRANCISCO abeçoa uma criança, à vista dos pais


Igreja no Mundo México promove Jornada da Juventude no país 6

O evento juvenil seguiu o lema “Não temas Maria, pois encontraste graça diante de Deus”

C

om informações agência Gaudium Press. Por volta de oito mil jovens participaram recentemente da primeira Jornada Nacional da Juventude (JNJ) do México, que ocorreu na Cidade do México entre os dias 11 e 12 de agosto. O evento, que seguiu o lema “Não temas Maria, pois encontraste

graça diante de Deus”, foi convocado pela Conferência do Episcopado Mexicano (CEM), através da Dimensão Episcopal Mexicana de Pastoral de Adolescentes e Jovens (DEMPAJ). O objetivo do encontro foi o de favorecer um encontro dos jovens com Nosso Senhor Jesus Cristo e sua mensagem,

através da experiência comunitária do compartilhar a vida, a cultura, o peregrinar, a formação, a oração e a Eucaristia. No dia 11, os jovens participaram da bênção da Cruz que acompanhará as próximas JNJs. A cerimônia foi presidida por Dom Juan Armando Pérez Talamantes, Bispo Auxiliar de Monterrey e

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

1º Caderno FOTOS: DIVULGAÇÃO

w CERCA de oito mil jovens participaram das diversas programações

responsável da DEMPAJ. Em seguida os jovens levaram a Cruz até a Basílica de Guadalupe, onde o Arcebispo Primaz do México, Cardeal Carlos Aguiar, abençoou uma imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, que será outro sinal das próximas JNJs. Já na madrugada do dia 12, os jovens par-

ticiparam de uma Via Sacra, uma Hora Santa e um Rosário Juvenil Missionário. A Jornada Nacional da Juventude do México foi encerrada com um Missa presidida por Dom Rodrigo Aguilar Martínez, Bispo de San Cristóbal de las Casas e Presidente da Comissão de Família, Vida, Adolescentes, Jovens e Leigos.

A JNJ ocorreu dentro do contexto do ‘Ano da Juventude’, convocado pelos Bispos mexicanos de outubro de 2017 até outubro de 2018, e como preparação à Jornada Mundial da Juventude Panamá 2019 e o Sínodo dos Bispos deste ano, que terá como tema ‘Os jovens, a Fé e o discernimento vocacional’.

Barca do tempo de Jesus é exposta em museu de Jerusalém

w A EMBARCAÇÃO passou por um processo de conservação

Igreja no Brasil

Canindé (CE) rende homenagens a São Francisco das Chagas

C

om informações agência Gaudium Press. Os fiéis do Santuário e Paróquia São Francisco das Chagas, em Canindé, festejam entre os dias 24 de setembro a 4 de outubro a tradicional festa em honra ao Padroeiro. A edição deste ano será inspirada no tema “Senhor fazei-me um instrumento de vossa paz”. Durante 11 dias, os devotos serão convidados a participar de uma

programação festiva e religiosa, que será marcada por missa, novena, confissões, via-sacra e demais eventos. Além disso, a comunidade paroquial celebrará os 260 anos das origens da devoção a São Francisco na cidade. Considerada uma das festas religiosas mais antigas do Estado de Ceará, a Festa de São Francisco das Chagas, popularmente conhecida como a Romaria de

Canindé, é também o principal evento cultural do município. Em todos os anos, o evento religioso recebe aproximadamente 2,5 milhões de romeiros franciscanos de todo o país, sendo a cidade com a maior romaria franciscana da América Latina. Vale ressaltar que Canindé possui ainda a maior estátua de São Francisco de Assis do mundo, que mede 30,25 metros de altura.

w TODOS OS ANOS o evento recebe cerca 2,5 milhões de romeiros

Com informações agência Gaudium Press. Uma descoberta arqueológica pode ajudar um grupo de cientistas a saber ao certo como eram as barcas que Nosso Senhor Jesus Cristo usou durante os acontecimentos narrados no Evangelho, tais como a tempestade ou mesmo quando convidou seus apóstolos a serem ‘pescadores de homens’. D e a c o rd o c o m o

‘Christian Media Center’ (CMC), durante a seca no Mar da Galileia ocorrida no ano de 1986, os irmãos Yuval e Moshe Lupin descobriram os restos de uma barca. Arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel ficaram sabendo da descoberta e escavaram durante dez dias para extrair a barca. Ao longo das escavações foram encontrados outros

objetos, tais como pontas de flechas, lâmpadas de óleo e uma panela. A embarcação passou por um processo de conservação e atualmente está em exposição em uma sala especial no Centro Allig Yigal. Junto com a peça os visitantes podem assistir a um vídeo com os testemunhos das pessoas que participaram do translado da barca.

Memorial Irmã Dulce comemora 25 anos de existência na Bahia Com informações agência Gaudium Press. Com o propósito de manter preservada a memória e os ideais do Anjo Bom da Bahia, o Memorial Irmã Dulce (MID), situado na Avenida Bonfim, em Salvador (Bahia), comemora neste mês de agosto seus 25 anos de existência. Para celebrar esta data, mais precisamente 15 de agosto, foi promovida uma extensa programação direcionada as novas gerações, sendo os festejos inaugurados com a Missa em Ação de Graças. Em seguida foi encenada a esquete teatral “As Histórias do MID”, no histórico Galinheiro. Considerado um lugar simbólico para as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), foi lá onde a freira baiana, em 1949, sem ter para onde ir com 70 doentes, pediu autorização a sua superiora para abrigar os enfermos no local, situado ao lado do Convento Santo Antônio. A conclusão das homenagens ao Anjo Bom aconteceu no próprio museu dedicado à Mãe dos Pobres.

w IRMÃ DULCE "o Anjo Bom da Bahia"

“O nosso grande desafio é atrair o público jovem, por isso buscamos uma programação voltada para eles. Estamos trazendo as novas gerações que não conviveram ou conviveram pouco com Irmã Dulce, fazendo com que, através da difusão e reflexão dos valores defendidos por ela, eles tenham contato com toda a história e com a instituição fundada pela Mãe dos Pobres”,

informou o assessor de Memória e Cultura das Obras Sociais, Osvaldo Gouveia. Inaugurado em 1993, o Memorial Irmã Dulce é uma exposição permanente sobre o legado de amor e caridade do Anjo Bom do Brasil, reunindo mais de 800 peças. No espaço, é possível encontrar o hábito usado por ela, bem como fotografias, documentos e objetos pessoais.


1º Caderno n Dom Fernando Arêas Rifan

C

onsiderando-se o feto como um amontoado de células ou algo pertencente ao corpo da mãe, o aborto seria defensável. Mas, cientificamente falando, não é. Trata-se, segundo a ciência moderna, de um ser humano, apesar de ainda em formação, - como, aliás, também o é um bebê recém-nascido - com código genético, conjunto de cromossomos e personalidade independente da sua mãe. E a sua morte provocada vem a se constituir em um voluntário e direto ato de se tirar a vida de um ser humano inocente, ato ilícito perante a lei natural e a lei positiva de Deus. E já foi estatisticamente refutado o argumento de que, nos países em que o aborto foi legalizado, o seu número diminuiu. E mesmo que o fosse, continua o princípio de que não se pode legalizar um crime, mas sim estabelecer a proteção da criança que está no ventre de sua mãe. Cada bebê é um dom precioso com personalidade própria e não um número de estatística.

Igreja Aborto - Voz da ciência BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

DIVULGAÇÃO

w O AUTOR do artigo, Dom Fernando Arêas Rifan

E ao argumento falso de que a mulher é dona do seu próprio corpo devemos responder com a ciência que o nascituro não faz parte do corpo da sua mãe, não é um apêndice ou um órgão seu,

mas é um ser independente em formação nela. A questão de uma nova vida começar com a concepção é um dado científico atual e não objeto da fé. Portanto, ser contra o aborto é posição

normal de quem aceita os dados da ciência. “O ciclo vital, do ponto de vista estritamente biológico, é que cada ser humano é um organismo distinto e singular... A fertilização dá início ao ciclo vital levando a um período de desenvolvimento, chamado de embriogênese, no qual as células, os tecidos e os órgãos se desenvolvem progressivamente a partir de uma única célula, o zigoto... Segundo as evidências fornecidas pela biologia, o zigoto humano, que dá início ao embrião multicelular que dele deriva, é verdadeiramente um indivíduo, e não parte de um todo ou um agregado de elementos... Isto tudo leva a concluir que o embrião humano, mesmo no seu primeiro passo, não é um amontoado de células, mas um indivíduo real... A partir da constituição do Zigoto, exige-se o respeito, que é moralmente devido aos seres humanos em sua totalidade corporal e espiritual” (exposição do Prof. Dr. Carlos Mateus Rotta,

7

Doutor e Mestre em Medicina, Professor responsável pela disciplina de Clínica Cirúrgica e gestor acadêmico do Curso de Medicina da Universidade de Mogi das Cruzes). Dr. Jerôme Lejeune, cientista, professor da Universidade René Descartes, de Paris, e especialista em Genética Fundamental, descobridor da causa da síndrome de Down, em entrevista a VEJA, que lhe perguntou se, para ele, a vida começa a existir no momento da concepção, respondeu: “Não quero repetir o óbvio. Mas, na verdade, a vida começa na fecundação. Quando os 23 cromossomos masculinos transportados pelo espermatozoide se encontram com os 23 cromossomos da mulher, todos os dados genéticos que definem o novo ser humano já estão presentes. A fecundação é o marco do início da vida. Daí para frente, qualquer método artificial para destruí-la é um assassinato”. Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney

http://domfernandorifan.blogspot.com.br/

Mundo juvenil e a fé cristã Dom Antônio de Assis Ribeiro - Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

Somos livres e responsáveis (parte 6) INTRODUÇÃO

O

sentido da vida não cai do céu! É, sobretudo, uma responsabilidade humana. Isso significa que pressupõe o exercício da vontade, ou seja, é necessário que seja desejado, buscado, aspirado. Nesse processo de busca do sentido da vida, temos a necessidade de fazermos determinadas escolhas. E é aí que entra em curso outro recurso importantíssimo da pessoa humana: a liberdade. É preciso querer ser livres e responsáveis, para podermos gozar da alegria do sentido da vida e, assim, sermos felizes.

1

A vontade é iluminada pela inteligência Se, por um lado, os animais irracionais não têm a capacidade de fazer escolhas, mas simplesmente seguem seus instintos, bem diferente é o ser humano. Além dos instintos, impulsos ou tendências naturais, tem a vontade e a liberdade como expressão de sua humanidade. A capacidade de querer e escolher é iluminada pela razão! Inteligente é quem sabe escolher e, assim, manifesta sua subjetividade, sua autonomia e liberdade. A vontade é guiada pela inteligência, superando a força dos instintos. A vontade cega, sem mediação da razão, é suicida! Em outras palavras, é reduzida aos instintos. Portanto, a vontade sadia é livre e responsável, por isso, está sempre desejando o bem. Quem, em nome da própria vontade, autonomia e liberdade, faz tudo o que sente, na verdade não é livre,

está aprisionado aos instintos. Assim está vivenciando a sua condição instintiva, animalesca e irracional.

2

A liberdade se expressa na escolha do bem É comum ouvirmos, sobretudo, adolescentes e jovens dizerem: “eu sou livre e por isso faço o que eu quero”! Na verdade é um grande engano e fantasia! Nossa liberdade não é absoluta. Nossa vontade é limitada, somos condicionados! Por exemplo, não somos capazes de ir contra os ditames da nossa condição biofísica; as necessidades fisiológicas nos vencem sempre! Quem não as respeita morre (comer, beber, repousar, defecar, urinar, respirar...). Não somos livres para não fazê-las! Portanto, não basta querer, é preciso, antes de tudo, respeitar-se! Aliás, o princípio da liberdade está no reconhecimento e no respeito pelas nossas necessidades e limites naturais. Quem não se respeita não é livre e nem responsável por si mesmo... e, consequentemente, ao fazê-lo, agride aos outros! A liberdade se expressa na capacidade que temos de escolher o bem e tudo aquilo que é verdadeiro e justo. Verdadeiro porque não há liberdade sem verdade! A verdade liberta, robustece e autentica a liberdade. Justo porque a verdadeira liberdade sempre concorre para o bem da pessoa, promove a justiça pessoal, contribui para o equilíbrio e o bem-estar do sujeito. Nesse sentido, por exemplo, aquele que em nome da

própria liberdade consome substâncias entorpecentes, está iludido; na verdade, está se perdendo o equilíbrio, a liberdade, a saúde física e mental e entrando numa prisão solitária. Atos humanos, livres e responsáveis, são discernidos, ponderados, peneirados e, por isso, são sempre boas escolhas. Liberdade, verdade e responsabilidade caminham juntas (cf. Eclo 15,14-20). Para Jesus, a liberdade está atrelada à Verdade (cf. Jo 8,32).

3

A liberdade interior Podemos incorrer no erro de reduzir a liberdade à simples capacidade de “ir e vir”, “decidir isto ou aquilo”. Na verdade essa capacidade humana é muito mais profunda. Mais do que estar voltada para fora (a liberdade exterior), a liberdade é essencialmente interior. Dessa forma, um encarcerado pode ser interiormente livre e uma pessoa em condição externa de liberdade, pode estar aprisionada a si mesma. Somos chamados, sobretudo, a ser interiormente livres! A liberdade interior é aquele estado de espírito de plena autonomia da pessoa na gestão dos próprios sentimentos. Somos interiormente livres quando somos capazes de gerir os nossos próprios sentimentos, quando superamos a ignorância, quando não nos deixamos arrastar pelas pressões psicológicas (afetiva, sexual etc.)... Quando admitimos a liberdade interior, então podemos dizer que existe também uma escravidão interna. As obsessões estão nessa linha de com-

portamento! Pessoas que não são interiormente livres vivem aprisionadas internamente por causa de muitos fatores como o medo, ilusões, paixões desordenadas, vícios!

4

A função da consciência moral Atrelada à liberdade e à responsabilidade está a consciência moral que é o dinamismo da razão que nos ajuda a tomarmos conhecimento do teor das nossas atitudes. A consciência moral é uma advertência da nossa razão sobre a qualidade das nossas ações; ou seja, a nossa razão nos adverte sobre o bem que devemos fazer e o mal a se evitar. A consciência moral deve ser formada, não nascemos com ela já pronta; por isso é preciso a educação moral (fazer o bem, discernir e evitar o mal). Portanto, ela depende muito do contexto de vida da pessoa: da cultura, da formação recebida na família, dos padrões de comportamento impostos pela sociedade, da assimilação de princípios religiosos, da formação humana recebida... Portanto, a qualidade do juízo da consciência depende da sua formação. Isso é sério! Às vezes, ficamos admirados com certos crimes e nos perguntamos: “mas será que essa pessoa não tem sentimentos, não tem consciência?” Pois bem, ficamos chocados com certos fatos... mas é justamente nessa situação que compreendemos a importância da formação da consciência através da assimilação dos valores e aquisição de virtudes.

5

A consciência moral deve ser formada Quando uma pessoa faz o mal pensando estar fazendo um bem, está com uma consciência errônea! Há o juízo moral reto (verdadeiro, justo, bom, benéfico, honroso...) fundamentado na dignidade humana, mas também pode haver um juízo moral errôneo (aquele que faz o mal e o aprova, pensando estar fazendo o bem). Para que a consciência moral possa gerar um juízo correto, verdadeiro e justo (que se harmoniza com a dignidade da pessoa humana), é preciso que seja formada. Na reta consciência moral ressoa a voz de Deus, a ser acolhida e seguida. A educação moral é urgente em nossa sociedade! O critério da retidão da consciência moral está na Caridade. Vejamos o que nos diz São Paulo: «Tudo é permitido. Mas nem tudo convém. Tudo é permitido. Mas nem tudo edifica. Ninguém procure satisfazer aos seus próprios interesses, mas os do próximo” (1Cor 10,23-24). Quando mesmo fazendo o bem, mas limitados por determinadas situações, a nossa consciência nos acusa, recordemos que a consciência divina tudo sabe! Ele, no seu mistério de Amor e verdade, é maior do que a nossa consciência, porque tudo conhece (cf. 1Jo 3,20). REFLEXÃO: O que significa dizer que “livre é quem opta pelo bem...”? O que você entendeu sobre a “liberdade interior”? Por que é importante a formação da consciência moral?

1 2 3


8

Nazaré Repórter

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

J MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS EAPADI A Equipe Arquidiocesana da Pastoral do Dízimo (EAPADI) convida todos os padres, diáconos, religiosos, leigos e leigas que atuam nessa pastoral a participar da Santa Missa em ação de graças pelos 20 anos da missão dizimista. A celebração será presidida pelo Arcebispo

RÁDIO NAZARÉ

Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, no sábado, 25, às 9h, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, localizada na rua Oito de Maio, Icoaraci.

A Renovação Carismática Católica (RCC) da Arquidiocese de Belém realizará nos dias 15 e 16 de setembro, das 8h às 16h, o XV Congresso Arquidiocesano. O evento acontece no ginásio do Colégio Berço de Belém, localizado na avenida José Bonifácio, 893, bairro do Guamá, em Belém.

A Paróquia de São Domingos de Gusmão prepara-se para a festividade em honra ao padroeiro, de 31 de agosto a 9 de setembro. Com o tema deste ano, “Com São Domingos de Gusmão, evangelizando e promovendo a paz”, a comunidade quer refletir

a sua evangelização e a paz diante do compromisso na Igreja. Missas solenes, procissão luminosa, terço mariano e, diariamente, show cultural, na programação. Participe! A Matriz fica na avenida Celso Malcher, 733, bairro da Terra Firme, em Belém.

Z MH 3 . 91 FM

l REABILITAÇÃO DE ACIDENTADOS NO TRÂNSITO

J XV CONGRESSO ARQUIDIOCESANO

J SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO

1º Caderno

Os participantes terão programação variada com missas, adoração ao Santíssimo Sacramento, música, oração e pregação. Inscrições no escritório arquidiocesano, localizado na avenida Governador José Malcher, 915, Edifício Paulo VI. Mais informações: (91) 32157001.

sobre os tratamentos para as vitimas do trânsito, o programa “Saúde e cidadania” de segundafeira, 27, abordará o tema “Reabilitação de Acidentados no Trânsito”. O médico ortopedista Nicodemos Vaz explicará o assunto na Rádio Nazaré FM. Sintonize 91,3 Mhz a partir de 16h. O ouvinte pode interagir durante a programação ligando para a central de atendimento, no número 4006-9211 ou pelo facebook.com/ radionazare. Participe!

RÁDIO NAZARÉ FM - 91,3. A SERVIÇO DA VIDA. NOSSA MISSÃO É EVANGELIZAR!

REDE NAZARÉ DE

J FORÇA DE MÃE O movimento “Mães que oram pelos filhos”, de Belém, convida todas as mães e mulheres a participarem do seminário “A força da Mãe”, centrado no trabalho e força que uma mãe tem. O evento

Uso de aparelhos eletrônicos ao volante, falta do cinto de segurança, alta velocidade, avanço de sinal ou ultrapassagem indevida podem até parecer não ter consequências graves. Entretanto, a má conduta no trânsito por parte de alguns condutores pode gerar transtornos, sofrimentos e até deixar grandes sequelas na vida, tanto daquele que dirige, como de quem apenas transita pelas vias. A fim de conscientizar e orientar

será realizado nesta sextafeira, 25, de 15h às 18h, na Matriz da Paróquia de São José, localizada na rua Domingos Marreiros, bairro do Umarizal, em Belém. Mais informações: (94) 99132-7755.

TELEVISÃO

AL CAN

30

l COMUNIDADE É TEMA DAS “NOTÍCIAS PASTORAIS” J CURA E LIBERTAÇÃO O grupo de oração “Curados para amar” e a Capelania Militar do Preciosíssimo Sangue de Jesus promoverão nos dias 15 e 16 de setembro, das 8h às 17h, o “Seminário de cura e libertação”, na Matriz da Paróquia de São Judas Tadeu, localizada na avenida Alcindo Cacela, entre Bernardo Sayão e

Padre Eutíquio, em Belém. O tema do encontro é “Filha! A tua fé te curou” (Lc 8, 48), e contará com momentos de louvor, adoração ao Santíssimo Sacramento, pregação e Santa Missa. As inscrições estão abertas na secretaria paroquial. Mais informações: (91) 999421542/98854-8457.

J RETIRO ESPIRITUAL A Pastoral da Acolhida da Basílica Santuário convida todos a participar do retiro espiritual a se realizar no dia 1º de setembro, às 8h, no Colégio Marista Nossa Senhora de Nazaré, localizado na avenida Nazaré, 902, em Belém.

Tema do encontro: “Uma jovem chamada Maria”, com pregação de um casal de convidados. As inscrições podem ser feitas na secretaria paroquial. Mais informações: (91) 98187-7166.

J ACAMPAMENTO

J FESTIVIDADE

A comunidade Católica Canção Nova missão Belém realizará nos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro o “Acampamento 2018”, cujo tema, este ano, “Eu sou revolução, Jesus”. Será um final de semana de intensas atividades, animação, louvor e muito mais. A idade mínima para participar é maiores de 15 anos. O evento será realizado no Seminário Divina Providência, em Benevides/PA. Os ingressos estão sendo vendidos na Loja Católica Totus Tuus Maria, localizada na Av. Generalíssimo Deodoro, 1332, em frente à Praça Santuário de Nazaré. Mais informações: (91) 98235-1204.

Visando homenagear sua padroeira, a Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe apresentou, na Missa solene da festa da Assunção de Nossa Senhora, dia 15 passado, o cartaz oficial da festividade 2018, cujo tema “Maria de Guadalupe, ensinanos a viver a unidade da fé na diversidade dos dons” e o lema “Ser cristão é a nossa vocação”, que deverão nortear as reflexões comunitárias no período de 1 a 12 de dezembro, sob a direção do pároco, padre Raimundo Almeida. A igreja fica na Cidade Nova I, WE 10b, em Ananindeua.

2018

localizada na rua Oito

Acompanhe pela TV Nazaré, canal 30.1 – ou na sintonia de sua cidade – a transmissão do programa “Notícias pastorais”, apresentado por Larissa Cristina, aos sábados e domingos, às 7h e às 12h. O telejornal

PORTAL NAZARÉ

evidencia a participação da comunidade diocesana em Belém, nos seus principais eventos ao longo da semana, assim como outras notícias sobre o Papa Francisco e da Igreja em geral. W. WW RE. A NAZ .BR O A COM DAC FUN

l ESPECIAL EM FAMÍLIA NO PORTAL NAZARÉ Acompanhe na sextafeira, 31, a partir das 9h, em transmissão simultânea dos meios de comunicação da Fundação Nazaré de Comunicação, o especial "Em Família". Abordando o tema da vocação, a programação contará com a presença de religiosos e leigos

engajados. Você também pode dizer sim à evangelização interagindo conosco nas mídias sociais (facebook. com/FNCBelem) e pelo número (91) 4006-9211. Cadastre-se na Família Nazaré e concorra ao sorteio de uma imagem da Virgem de Nazaré. Contamos com você!


Igreja 9 Abusos na Igreja: a carta do Papa aos fiéis

1º Caderno

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Com informações Vatican News. O Papa Francisco escreveu uma carta a todo o Povo de Deus para falar da “vergonha” provocada pelos casos de abusos cometidos na Pensilvânia e pede oração e jejum, além de uma atuação firme das autoridades competentes.

“U

m membro sofre? Todos os outros membros sofrem com ele» (1 Co 12, 26). Estas palavras de São Paulo ressoam com força no meu coração ao constatar mais uma vez o sofrimento vivido por muitos menores por causa de abusos sexuais, de poder e de consciência cometidos por um número notável de clérigos e pessoas consagradas. Um crime que gera profundas feridas de dor e impotência, em primeiro lugar nas vítimas, mas também em suas famílias e na inteira comunidade, tanto entre os crentes como entre os não-crentes. Olhando para o passado, nunca será suficiente o que se faça para pedir perdão e procurar reparar o dano causado. Olhando para o futuro, nunca será pouco tudo o que for feito para gerar uma cultura capaz de evitar que essas situações não só não aconteçam, mas que não encontrem espaços para serem ocultadas e perpetuadas. A dor das vítimas e das suas famílias é também a nossa dor, por isso é preciso reafirmar mais uma vez o nosso compromisso em garantir a proteção de menores e de adultos em situações de vulnerabilidade. 1. Um membro sofre? Nestes últimos dias, um relatório foi divulgado detalhando aquilo que vivenciaram pelo menos 1.000 sobreviventes, vítimas de abuso sexual, de poder e de consciência, nas mãos de sacerdotes por aproximadamente setenta anos. Embora seja possível dizer que a maioria dos casos corresponde ao passado, contudo, ao longo do tempo, conhecemos a dor de muitas das vítimas e constamos que as feridas nunca desaparecem e nos obrigam a condenar veementemente essas atrocidades, bem como unir esforços para erradicar essa cultura da morte; as feridas “nunca prescrevem”. A dor dessas vítimas é um gemido que clama ao céu, que alcança a alma e que, por muito tempo, foi ignorado, emudecido ou silenciado. Mas seu grito foi mais forte do que todas as medidas que tentaram silenciá-lo ou, inclusive, que procuraram resolvê-lo com decisões que aumentaram a gravidade caindo na cumplicidade. Clamor que o Senhor ouviu, demonstrando, mais uma vez, de que lado Ele quer estar. O cântico de Maria não se equivoca e continua a se sussurrar

CARTA DO PAPA FRANCISCO AO POVO DE DEUS ao longo da história, porque o Senhor se lembra da promessa que fez a nossos pais: «dispersou os soberbos. Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes. Aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias» (Lc 1, 51-53), e sentimos vergonha quando percebemos que o nosso estilo de vida contradisse e contradiz aquilo que proclamamos com a nossa voz. Com vergonha e arrependimento, como comunidade eclesial, assumimos que não soubemos estar onde deveríamos estar, que não agimos a tempo para reconhecer a dimensão e a gravidade do dano que estava sendo causado em tantas vidas. Nós negligenciamos e abandonamos os pequenos. Faço minhas as palavras do então Cardeal Ratzinger quando, na Via Sacra escrita para a Sexta-feira Santa de 2005, uniu-se ao grito de dor de tantas vítimas, afirmando com força: «Quanta sujeira há na Igreja, e precisamente entre aqueles que, no sacerdócio, deveriam pertencer completamente a Ele! Quanta soberba, quanta autossuficiência!... A traição dos discípulos, a recepção indigna do seu Corpo e do seu Sangue é certamente o maior sofrimento do Redentor, o que Lhe trespassa o coração. Nada mais podemos fazer que dirigir-Lhe, do mais fundo da alma, este grito: Kyrie, eleison – Senhor, salvai-nos (cf. Mt 8, 25)» (Nona Estação).

2

Todos os outros membros sofrem com ele.

A dimensão e a gravidade dos acontecimentos obrigam a assumir esse fato de maneira global e comunitária. Embora seja importante e necessário em qualquer caminho de conversão tomar conhecimento do que aconteceu, isso, em si, não basta. Hoje, como Povo de Deus, somos desafiados a assumir a dor de nossos irmãos feridos na sua carne e no seu espírito. Se no passado a omissão pôde tornar-se uma forma de resposta, hoje queremos que seja a solidariedade, entendida no seu sentido mais profundo e desafiador, a tornar-se o nosso modo de fazer

a história do presente e do futuro, num âmbito onde os conflitos, tensões e, especialmente, as vítimas de todo o tipo de abuso possam encontrar uma mão estendida que as proteja e resgate da sua dor (cf. Exort. ap. Evangelii gaudium, 228). Essa solidariedade exige que, por nossa vez, denunciemos tudo o que possa comprometer a integridade de qualquer pessoa. Uma solidariedade que exige a luta contra todas as formas de corrupção, especialmente a espiritual «porque trata-se duma cegueira cómoda e autossuficiente, em que tudo acaba por parecer lícito: o engano, a calúnia, o egoísmo e muitas formas subtis de autorreferencialidade, já que “também Satanás se disfarça em anjo de luz” (2 Cor 11, 14)» (Exort. ap. Gaudete et exultate, 165). O chamado de Paulo para sofrer com quem sofre é o melhor antídoto contra qualquer tentativa de continuar reproduzindo entre nós as palavras de Caim: «Sou, porventura, o guardião do meu irmão?» (Gn 4, 9). Reconheço o esforço e o trabalho que são feitos em diferentes partes do mundo para garantir e gerar as mediações necessárias que proporcionem segurança e protejam à integridade de crianças e de adultos em situação de vulnerabilidade, bem como a implementação da “tolerância zero” e de modos de prestar contas por parte de todos aqueles que realizem ou acobertem esses crimes. Tardamos em aplicar essas medidas e sanções tão necessárias, mas confio que elas ajudarão a garantir uma maior cultura do cuidado no presente e no futuro. Juntamente com esses esforços, é necessário que cada batizado se sinta envolvido na transformação eclesial e social de que tanto necessitamos. Tal transformação exige conversão pessoal e comunitária, e nos leva dirigir os olhos na mesma direção do olhar do Senhor. São João Paulo II assim o dizia: «se verdadeiramente partimos da contemplação de Cristo, devemos saber vê-Lo sobretudo no rosto daqueles com quem Ele mesmo Se quis identi-

ficar» (Carta ap. Novo millennio ineunte, 49). Aprender a olhar para onde o Senhor olha, estar onde o Senhor quer que estejamos, converter o coração na Sua presença. Para isso nos ajudarão a oração e a penitência. Convido todo o Povo Santo fiel de Deus ao exercício penitencial da oração e do jejum, seguindo o mandato do Senhor[1], que desperte a nossa consciência, a nossa solidariedade e o compromisso com uma cultura do cuidado e o “nunca mais” a qualquer tipo e forma de abuso. É impossível imaginar uma conversão do agir eclesial sem a participação ativa de todos os membros do Povo de Deus. Além disso, toda vez que tentamos suplantar, silenciar, ignorar, reduzir em pequenas elites o povo de Deus, construímos comunidades, planos, ênfases teológicas, espiritualidades e estruturas sem raízes, sem memória, sem rostos, sem corpos, enfim, sem vidas[2]. Isto se manifesta claramente num modo anômalo de entender a autoridade na Igreja - tão comum em muitas comunidades onde ocorreram as condutas de abuso sexual, de poder e de consciência - como é o clericalismo, aquela «atitude que não só anula a personalidade dos cristãos, mas tende também a diminuir e a subestimar a graça batismal que o Espírito Santo pôs no coração do nosso povo»[3]. O clericalismo, favorecido tanto pelos próprios sacerdotes como pelos leigos, gera uma ruptura no corpo eclesial que beneficia e ajuda a perpetuar muitos dos males que denunciamos hoje. Dizer não ao abuso, é dizer energicamente não a qualquer forma de clericalismo. É sempre bom lembrar que o Senhor, «na história da salvação, salvou um povo. Não há identidade plena, sem pertença a um povo. Por isso, ninguém se salva sozinho, como indivíduo isolado, mas Deus atrainos tendo em conta a complexa rede de relações interpessoais que se estabelecem na comunidade humana: Deus quis entrar numa dinâmica popular, na dinâmica dum povo» (Exort. ap. Gaudete et exultate,

6). Portanto, a única maneira de respondermos a esse mal que prejudicou tantas vidas é vivê-lo como uma tarefa que nos envolve e corresponde a todos como Povo de Deus. Essa consciência de nos sentirmos parte de um povo e de uma história comum nos permitirá reconhecer nossos pecados e erros do passado com uma abertura penitencial capaz de se deixar renovar a partir de dentro. Tudo o que for feito para erradicar a cultura do abuso em nossas comunidades, sem a participação ativa de todos os membros da Igreja, não será capaz de gerar as dinâmicas necessárias para uma transformação saudável e realista. A dimensão penitencial do jejum e da oração ajudar-nos-á, como Povo de Deus, a nos colocar diante do Senhor e de nossos irmãos feridos, como pecadores que imploram o perdão e a graça da vergonha e da conversão e, assim, podermos elaborar ações que criem dinâmicas em sintonia com o Evangelho. Porque «sempre que procuramos voltar à fonte e recuperar o frescor original do Evangelho, despontam novas estradas, métodos criativos, outras formas de expressão, sinais mais eloquentes, palavras cheias de renovado significado para o mundo atual» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 11). É imperativo que nós, como Igreja, possamos reconhecer e condenar, com dor e vergonha, as atrocidades cometidas por pessoas consagradas, clérigos, e inclusive por todos aqueles que tinham a missão de assistir e cuidar dos mais vulneráveis. Peçamos perdão pelos pecados, nossos e dos outros. A consciência do pecado nos ajuda a reconhecer os erros, delitos e feridas geradas no passado e permite nos abrir e nos comprometer mais com o presente num caminho de conversão renovada. Da mesma forma, a penitência e a oração nos ajudarão a sensibilizar os nossos olhos e os nossos corações para o sofrimento alheio e a superar o afã de domínio e controle que muitas vezes se torna a raiz desses males. Que o jejum e a oração

despertem os nossos ouvidos para a dor silenciada em crianças, jovens e pessoas com necessidades especiais. Jejum que nos dá fome e sede de justiça e nos encoraja a caminhar na verdade, dando apoio a todas as medidas judiciais que sejam necessárias. Um jejum que nos sacuda e nos leve ao compromisso com a verdade e na caridade com todos os homens de boa vontade e com a sociedade em geral, para lutar contra qualquer tipo de abuso de poder, sexual e de consciência. Desta forma, poderemos tornar transparente a vocação para a qual fomos chamados a ser «um sinal e instrumento da íntima união com Deus e da unidade de todo o gênero humano» (Conc. Ecum. Vat. II, Lumen gentium, 1). «Um membro sofre? Todos os outros membros sofrem com ele», disse-nos São Paulo. Através da atitude de oração e penitência, poderemos entrar em sintonia pessoal e comunitária com essa exortação, para que cresça em nós o dom da compaixão, justiça, prevenção e reparação. Maria soube estar ao pé da cruz de seu Filho. Não o fez de uma maneira qualquer, mas permaneceu firme de pé e ao seu lado. Com essa postura, Ela manifesta o seu modo de estar na vida. Quando experimentamos a desolação que nos produz essas chagas eclesiais, com Maria nos fará bem «insistir mais na oração» (cf. S. Inácio de Loiola, Exercícios Espirituais, 319), procurando crescer mais no amor e na fidelidade à Igreja. Ela, a primeira discípula, nos ensina a todos os discípulos como somos convidados a enfrentar o sofrimento do inocente, sem evasões ou pusilanimidade. Olhar para Maria é aprender a descobrir onde e como o discípulo de Cristo deve estar. Que o Espírito Santo nos dê a graça da conversão e da unção interior para poder expressar, diante desses crimes de abuso, a nossa compunção e a nossa decisão de lutar com coragem. Francisco

Cidade do Vaticano, 20 de Agosto de 2018.


10

Santa Missa

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

1º Caderno

Horários de Missas nas paróquias da Arquidiocese de Belém REGIÃO EPISCOPAL SANT’ANA

(Basílica Santuário) Nazaré - Belém Sábado: 7h, 8h30,12h,17h Domingo: 6h30, 8h, 10h, 16h30, 18h e 20h Telefone: 4009-8400

Telefone: 3297-7250

N. Sra. das Mercês (Reitoria) Comércio - Belém Sábado: 12h e 17h, Domingo: 12h e 17h

São Francisco de Assis (Capuchinhos) São Brás - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 6h, 7h30, 9h30,18h, 20h Telefone: 3073-1500

Nossa Senhora de Fátima Icoaraci - Belém Terça, quinta e sexta: 18h30 Sábado: 19h - Domingo: 19h Telefone: 3297-7251

N. Senhora Auxiliadora Anita Gerosa (Aurá) - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefones: 3255-3828

Sant'Ana da Campina Comércio - Belém Sábado: 12h (Igreja Matriz) Domingo: 7h (Col. D. Bosco) 9h (Igreja Matriz) Telefone: 3230-3734

Santo Antônio do Tucunduba Guamá - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30 Telefone: 3274 -9001

Jesus Bom Samaritano Tapanã - Belém Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 3033-2004

N. Senhora das Vitórias Almir Gabriel - Marituba Sábado: 19h Domingo: 7h, 19h Telefone: 3292-0013

Nossa Senhora da Graça (Catedral) Cidade Velha - Belém Sábado: 19h, Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 2121-3723/ 2121-3724

São Judas Tadeu Condor - Belém Sábado: 19h. Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 3115-6020 Santa Teresinha do Menino Jesus Jurunas - Belém Sábado: 6h e 18h30 Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3272-2251 Santo Antônio de Lisboa Batista Campos - Belém Sábado: 6h30, 12h, 17h e 18h30 Domingo: 8h, 11h, 17h, 18h30 e 20h Telefone: 3215-7004/ 3222-0097 Santíssima Trindade Campina - Belém Sábado: 16h,Domingo: 7h, 10h, 11h30, 17h30 e 19h Telefone: 3215-7007/ 3242-4917 Nossa Senhora da Conceição Cidade Velha - Belém Sábado: 18h30, Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3215-7006 São José Umarizal - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 11h e 19h Telefone: 3230-1633 Santa Luzia Jurunas - Belém De terça a sexta-feira: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 7h; 9h; 18h30 Telefone: 3271-2146 Nossa Senhora de Lourdes Nazaré - Belém Seg a Sáb: 6h30 e 18h Domingo: 7h, 9h, 17h30 e 19h30 Telefone: 3223-5728 Nossa Senhora do Carmo Cidade Velha Sábado: 18h - Domingo: 7h REGIÃO EPISCOPAL SANTA MARIA GORETTI Santa Maria de Belém Terra Firme - Belém Terça: 19h Sábado: 19h - Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3253-5422 São Pedro e São Paulo Guamá - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3283-6021/3259-0413 São José de Queluz Canudos - Belém Segunda a sábado: 6h30 e 19h Domingo: 7h, 10h, 17h e 19h Telefone: 3226-2612 São Domingos de Gusmão Terra Firme - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 19h30 Telefone: 3253-2656/3274-4746 São Miguel Arcanjo Cremação - Belém Sábado: 18h30 Domingo: 7h30, 11h e 18h30 Telefone: 3283-6022 Nossa Senhora de Fátima Fátima - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 6h45, 8h30, 17h30 e 19h30 Telefone: 3266-1392/3226-0503 Santa Maria Goretti Guamá - Belém Domingo: 9h30 e 18h Telefone: 3283-6023 Nossa Senhora de Nazaré

REGIÃO EPISCOPAL SANTA CRUZ Imaculada Conceição Castanheira - Belém Sábado: 17h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3277-4642/98111-8110 São Sebastião Sacramenta - Belém Sábado e domingo: 7h, 17h e 19h Telefone: 3264-9060/3254-7354 Jesus Ressuscitado Marambaia - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h, 10h e 18h Telefone: 3277-4643 São Geraldo Magela Val de Cans - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h30, 10h30 e 18h Telefone: 3257-7950 N. Sra do Perpétuo Socorro Telégrafo - Seg. a sábado: missa - 19h Domingo: missa: 7h, 8h30, 17h30 e 19 h - Telefone: 3233 1797 São Jorge Marambaia - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 17h e19h Telefone: 3277-4641 São Raimundo Nonato Umarizal - Belém Sábado: 6h30 e 18h Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3277-4644 Santa Cruz Marco - Belém Sábado: 18h30 Domingo: 7h, 9h, 11h e 18h30 Telefone: 3277-4640/3276-0941 Nossa Senhora da Conceição Aparecida Pedreira - Belém Terça a Sábado: 18h Dom.: 7h, 9h e 18h/1ª Sexta-mês: 9h Telefone: 3233-4224/3276-9573 São Francisco Xavier Marco - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3352-8845 N. Senhora, Mãe da Divina Providência Val de Cans - Belém Sábado:19h - Domingo: 7h e 19h Telefone: 3257-2388 Sagrada Família Curió Utinga - Belém. Sábado: 7h e 19h30 Domingo: 7h, 9h e 19h30 São João Paulo II Souza - Belém De terça a sábado: 18h Domingos: 8h e 18h Telefone: 3277-4062 Nossa Senhora de Loreto Marco - Belém Telefone: (91) 3355-6302 Sábado: 17h Domingo: 7h, 9h, 11h, 17h e 19h São Benedito Rua São Benedito, Barreiro Terça a sexta-feira - 19h Sábado - 8h (missa com crianças) Domingos - 7h30 e 18h30 REGIÃO EPISCOPAL SÃO JOÃO BATISTA São João Batista e Nossa Senhora das Graças Icoaraci - Belém Terça a sexta: 6h30 Sábado: 6h30, 17h, 20h Domingo: 7h e 18h

São Francisco de Assis Tapanã - Belém Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3258-8036

São Francisco das Ilhas Cotijuba - Belém Terça e quinta: 19h30 Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30 Telefone: 3247-1438 Nossa Senhora da Imaculada Conceição Outeiro - Belém Terça e quinta: 19h; Sábado: 9h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3267-1174 Nossa Senhora do Livramento Icoraci - Belém Terça, quinta, sexta e sábado:19h Domingo: 7h e18h Telefone: 3288-4250 Divina Misericórdia Águas Negras - Icoaraci Terça a sexta: 18h30 Sábado: 17h e 19h30 (comunidade) Domingo: 7h e 19h 30 Santo Afonso de Ligório Pratinha - Belém Sábado: 19h Domingo: 8h30 e19h Telefone: 3258-1554/3274-8281 São Francisco de Assis Campina - Icoaraci Domingo: 7h, 9h e 18h30 De terça-feira a sexta-feira: 19h Telefone: 3297-0765 REGIÃO EPISCOPAL CORAÇÃO EUCARÍSTICO DE JESUS Coração Eucarístico de Jesus Catalina - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h, 10h e 18h Telefone: (91) 3285-1433 Santa Edwiges Mangueirão - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h30 e18h Telefone: 3279-1654 N. Senhora Rainha da Paz Bengui - Belém Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3277-4645 Nossa Senhora do Bom Remédio Conjunto Satélite - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3289-5355/3248-1136 Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo Conjunto Sideral - Belém Domingo: 7h, 9h e18h Telefone: 3067-2017 Santa Luzia do Bom Futuro Cabanagem - Belém Sábado: 17h - Domingo: 7h e 19h São José de Anchieta Alameda Ns-13, 65 - Coqueiro Sexta - 7h30 Domingo - 7h; 18h Santa Teresinha do Menino Jesus Tenoné - Belém Domingo: 7h e 18h Telefone: 3289-5368 Nossa Senhora de Lourdes Coqueiro - Ananindeua Sábado: 17h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3275-2391 Santo Antônio de Pádua Coqueiro - Ananindeua Sábado: 19h. Domingo: 7h e 18h Telefone: 98152-2200 Arcanjo São Miguel Una - Ananindeua

Sábado: 19h Domingo: 7h30. 9h30 e 19h Telefone: 3234-4674 REGIÃO EPISCOPAL MENINO DEUS

Sagrado Coração de Jesus Júlia Seffer - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h30, 9h e18h Telefone: 3265-5413 Sagrado Coração de Jesus Distrito Industrial - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h, 8h30 e 17h30 Telefone: (91) 98855 - 2232

Área Missionária São Paulo, Apóstolo Rodovia BR-316 Domingo: 9h e 11h Telefone: 98292-9199 Santíssimo Sacramento Nova União - Marituba Sábado: 18h30 (Capela N. Sra. do Perpétuo Socorro) Domingo: 18h30 (Capela S. Francisco de Assis) REGIÃO EPISCOPAL SÃO VICENTE DE PAULO Cristo Rei Guanabara - Ananindeua Domingo: 7h, 9h30 e 19h Telefone: 3235-1405 Divino Espírito Santo Cidade Nova - Ananindeua Sábado: 7h. Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3263-0603 Santo Inácio de Loyola Icui Guajará - Ananindeua Domingo: 7h e18h Telefone: 991541971

Paróquia Nossa Senhora do Carmo Benevides Sábado - 19h Domingo - 8h e 19h Telefone: (91) 3724-1098

São Lucas Evangelista Guajará - Ananindeua Quinta : 7h e 18h30. Sexta: 18h30 Sábado: 9h e18h30. Domingo: 7h, 17h e 19h Telefone: 3353-0364

Menino Deus Centro - Marituba Domingo: 6h, 8h30 e 18h Telefone: 3237-8351

Santa Maria Mãe de Deus Maguari - Ananindeua Terça, quarta, sexta e sábado: 7h Quinta: 19h; Domingo: 7h e 19h Fone: (91) 3255-5284

N. Sra. de Nazaré Marituba - Quarta - feira Horário de Missa: às 19h Domingos: às 8h30 Telefone: 98040-5117 /98102 - 7344

Santa Teresinha Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30 e 18h Telefone: 9916-4548/99169-3443

N. Sra. das Graças Centro - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h e 19h Telefone: 3255-2654

N. Senhora de Guadalupe Coqueiro - Ananindeua Terça a sexta: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 7h ,9h e18h Telefone: 3245-7440

N. Sra. do Ó Vila - Mosqueiro Sábado: 19h30 Domingo: 6h30, 9h30 e 19h30 Telefone: (91) 3771-1278

Cristo Peregrino Jaderlândia - Ananindeua De Segunda a Sábado: 19h Domingo: 7h,17h e19h Telefone: 3237-9891

São Pio X Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 32155-2583

Santa Paula Frassinetti Cidade Nova VI - Ananindeua Segunda e quarta: 18h30 Terça e quinta: 19h30 Sexta: 7h. Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 18h Telefone: 3279-2620

Santa Rosa de Lima Independente - Benevides Terça a Sexta:18h, Sábado:17h, 19h Domingo: 07h30 e 19h Telefone: (91)3724- 1135 Bom Pastor Nova Marituba - Marituba Segunda a Sexta: 18h Sábado: 6h, 9h30 e 19h Domingo: 6h, 9h30 e 19h Telefone: 4106-0202 N. Sra da Conceição Praça Matriz - Benfica Domingo: 6h15 e 19h30 Telefone: 3450-8147 N. Sra da Conceição Carananduba - Mosqueiro Ter a Sex: 18h30 Sábado: 18h30 Domingo: 7h e 19h Telefone: 3772-1183 Santa Bárbara Centro - Santa Bárbara Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3776-1529 São Marcos Uriboca - Marituba Terça: 19h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3237-8351 Pedro Pescador Baía do Sol - Mosqueiro Ter a sexta: 19h (Igreja S. Sebastião) Quarta: Matriz - 19h Sábado:19h (Igreja São Sebastião) Domingo: 8h (Ig. S. Sebastião); 10 h 3 0 ( I g . D i v. E s p . S a n t o ) ; 19h ( Matriz) Telefone: 99919-4153

Transfiguração do Senhor Curuçambá - Ananindeua Sábado: 18h30 e 20h Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3286-8570 Santa Rita de Cássia Cidade Nova V - Ananindeua. Sábado: 6h30 e 17h30 Domingo: 6h30, 8h30, 7h30 e 19h30. Telefone: 3273-3191/ 3273-3310 Paróquia Santíssimo Redentor Icuí-Guajará - Ananindeua Sábado: 19h30 - Igreja Matriz Domingo: 7h - Igreja Matriz 9h - Comunidade Santo Afonso 17h - Igreja Matriz 19h - Comunidade Cristo Rei São Vicente de Paulo Paar - Ananindeua Domingo: 7h, 8h30 e 19h São José Operário Conj. Carnaúba, Icuí - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefone: 3295-3545/3031-1172 Nossa Senhora do Amparo Cidade Nova 8 - Ananindeua Terça a Sexta: 19h - Sábado: 19h30 Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3287-2418 Santo André Apóstolo Coqueiro - Ananindeua Segunda a sexta - 19h Sábado: 19h45 - Domingo: 8h 19h Telefone: (91) 3235-1658

Não encontrou o horário das missas da sua paróquia aqui? Entre em contato com seu pároco ou com a secretaria da sua paróquia e solicite que nos informem para podermos publicar.


1º Caderno

Fundação Nazaré 11

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Missa para a Família Nazaré será no dia 14 de setembro Padre José Reinaldo Ferreira presidirá celebração ao vivo pela TV Nazaré

A

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Missa pela Família Nazaré, que sempre é celebrada na primeira sexta-feira do mês, será presidida pelo padre José Reinaldo Ferreira, pároco da Paróquia São Benedito, do Barreiro, no dia 14 de setembro, haja vista o feriado da Semana da Pátria perpassar a data costumeira da celebração eucarística. A importante celebração acontece uma vez por mês por iniciativa da Arquidiocese de Belém para manifestar sua gratidão por todas as pessoas w MISSA sempre é celebrada na capela da Fundação Nazaré de Comunicação que de bom grado e generosamente, contribuem ajudarem também com suas além de receber na capela o ré, como a Rádio Nazaré FM com a Igreja de Belém para orações a interceder pela Fa- convidado especial - o sócio - 91.3 Mhz, e pelas redes soa manutenção da Fundação mília Nazaré. evangelizador que é membro ciais da Fundação, a exemplo Nazaré de Comunicação, resA Santa Missa do mês de da Família Nazaré. do facebook, que reproduz a ponsável pela propagação do setembro contará com a partiEntretanto, para quem não transmissão tanto do Terço trabalho de evangelização da cipação do padre José Reinal- pode comparecer à capela, como da Missa em tempo real. comunidade diocesana para do Ferreira, pároco da Paró- resta a alternativa de acompa- Acompanhe! toda a Amazônia Legal, e para quia São Benedito, localizada nhar a Missa de onde estiver, TERÇO - Já é de costume o mundo, através da internet, no Barreiro. Além de peresidir uma vez que a celebração é também que a Missa pela Fapelos veículos da mídia arqui- a Missa, padre Reinaldo divul- transmitida ao vivo pela Rede mília Nazaré é sempre precediocesana. gará no ensejo da celebração Nazaré de Televisão - canal dida do Terço Mariano, rezado LOCAL - A Missa pelos ben- a programação da festvidade 30.1 ou na sintonia da sua pelo Movimento Arquidiocesafeitores da Família Nazaré é de São Benedito que se apro- cidade - a partir das 14h30, no do Terço dos Homens "Mãe celebrada na capela da Fun- xima. quando o Santo Terço dá iní- Rainha". dação Nazaré de ComunicaAO VIVO - As Missas pela cio à celebração especial. O Santo Terço tem início às ção. A santa Eucaristia sem- Família Nazaré acolhem a preA Missa, gerada ao vivo pela 14h30. Às 15h, começa a Sanpre conta com a participação sença dos padres convidaos, TV Nazaré, pode também ser ta Missa. No mês passado, a de sacerdotes convidados pela assim como o grupo de paro- acompanhada pelos outros Missa pelos benfeitores conArquidiocese de Belém para quianos que os acompanham, veículos da Fundação Naza- tou com expressiva participa-

w CELEBRANTE Pe. Reinaldo

ção do Terço dos Homens da comunidade de Barcarena.

SEJA UM BENFEITOR - Quem não faz par-

te ainda da Família Nazaré pode cadastrrar-se no Portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br/cadastro) ou ligar para o número 4006-9211/4006-9212. Dessa maneira, qualquer pessoa que queira contribuir com a missão evangelizadora da Arquidiocese de Belém, como integrante da família de benfeitores. A contribuição dos benfeitores da Família Nazaré é um dos principais fatores que concorre para o êxito da evangelização, realizada pelos diversos projetos pastorais da Igreja de Belém.

Parabéns para você!

E

u agradeço a Deus por mais um ano de vida, pela vida maravilhosa que Ele me concebeu. Agradeço por estar com saúde e pela oportunidade de estar comemorando ao lado da minha família, marido e amigos. Peço sempre a intercessão da Virgem de Nazaré pelo meu emprego que amo muito. Espero que essa data se repita por muitos anos e que eu ainda consiga alcançar os objetivos que almejo. Amém. ERICA FEIO CARNEIRO NUNES, fisioterapeuta, 39 anos (26/08) 24/08 Afonso Brandão Gonçalves

Benedita da Silva Clemente Deolinda Sales Chaves Dulcilene Nascimento Silva Francisca Gomes Siqueira Hélio Tadeu dos Santos Castro Hilma Cristina Cardoso Izabel Lourença de Souza Batista Leoniza Ferreira da Silva Maria Tereza Figueiredo Otávia Maria de Sousa Mendes 25/08 Casal Afonso da Luz Cavalcante e Célia Nazaré Cavalcante Diácono Adalberto Rodrigues Montenegro Elisa Estelita Vasconcelos Luz Eunice de Jesus Rodrigues da Costa Francidalva do Socorro Oliveira Nascimento Joelma Silva de Menezes Katiane Loise França Navegante Araújo Maria Amélia Ribeiro de Oliveira Mariana do Rêgo Lima Roseana Nina Ribeiro Ruth Helena Silva Barata Tereza Cristina Silva João 26/08 Elys Gouvêa Pereira Erica Feio Carneiro Nunes Marcilene Sena Pacheco Maria Clara Costa Brito Maria da Conceição Barbosa Brabo Maria da Glória Aguiar Nascimento Maria de Lourdes Lima Seixas Maria do Socorro Furtado da Silva Maria Doralice Lima Natividade Octávio Ribeiro Guilhon Roberta Costa Brandão Alves Roberto Barbosa Silva dos Reis 27/08

Ana Claudia Rocha Eliete Cardoso Sampaio Elma Gomes Almeida Francisco Nogueira Jaélcio Barros Pereira Maria Brabo Alves Regina Celis Silva Flores Ruth Castro de Barros Sandra Maria de Souza Lopes Selma Miranda Leão de Menezes Vinicius Guerreiro Milhomem de Miranda 28/08 Luis Bento de Oliveira Maria Augusta Cardoso Carvalho Maria Benedita Cordovil da Silva Maria de Lourdes da Silva Ribeiro Maria de Lourdes dos Santos Meireles Maria Edite Felício Félix Neusa Soares da Rocha Raimundo Pinheiro da Costa w

Rosa Maria Cardoso 29/08 Alda Glória dos Santos Barbosa Carlos Amaro Costa de Oliveira Hebert Paixão do Nascimento José Augusto de Almeida Rodrigues Maria Elza da Cruz Oliveira Maridete Daibes Pereira Mayco Michel da Silva Coelho Vilma Socorro Corrêa de Souza 30/08 Ana Paula Serra Rodrigues Ferreira Elizabete do Socorro de Castro Amaral Helena Souza de Souza Maria da Consolação Sarmaneo Correia Olivia de Nazaré Kawage Muller Raimundo Nazareno Pamplona da Silva Rosa Itamira Martins de Oliveira Rosalina Leal Viana Vitória Maria Barbosa da Silva

Aniversário natalício de padres e diáconos diocesanos 24/08 - Diác. Ronan Soares da Silva 25/08 - Pe. Luiz Rabelo Santos 25/08 - Diác. Adalberto Rodrigues Montenegro 27/08 - Pe. Nilton César Reis

w

Aniversário de ordenação dos padres e diáconos diocesanos 27/08 - Pe. Rúzevel do Socorro Lourinho Ferreira

AJUDE A MANTER A FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO. LIGUE PARA 4006-9200 E SEJA SÓCIO DA FAMÍLIA NAZARÉ.


Arquidiocese Santa Rosa de Lima é homenageada em Benevides 12

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

1º Caderno

Festividade segue até o dia 26 evidenciando a padroeira da América Latina

A

Paróquia Santa Rosa de Lima, localizada em Benevides, iniciou na última sexta-feira, 17, os festejos em honra à Padroeira da América Latina. Este ano a festa traz como tema “Uma Jovem que soube amar” e o lema “Revesti-vos de amor” (Cl 3, 14). As comemorações estendem-se até domingo, 26, com programação litúrgica entre a Santa Missa dariamente, novenários, procissões e romarias, noites culturais, shows de ministérios de música e de bandas regionais, procis-

sões e romarias. Nesta sexta-feira, 24, haverá celebração eucarística, às 19h, presidida pelo pároco, padre Leonardo Bonze. Em seguida, a noite cultural animada por cantores regionais e venda de comidas típicas. Sábado, 25, a Missa solene antecede a trasladação. A celebração iniciará às 19h, na igreja matriz, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. Em seguida, ocorrem procissão e carreata até a Paróquia Nossa Senhora do Car-

mo onde será concedida a benção final e benção dos veículos. O trajeto com a imagem da padroeira percorrerá as ruas do bairro Independente. O círio de Santa Rosa de Lima envolve toda a comunidade no domingo, 26. A programação inicia às 7h, com Missa na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, localizada na avenida Nações Unidas, em Benevides. Após a celebração, às 8h, inicia o círio com destino à Paróquia Santa Rosa de Lima. Na chegada, o pároco Leonardo Bonze concede a benção final com a ima-

Superação da violência contra crianças e adolescentes Domingo, 26, as Obras Sociais da Paróquia de Nazaré – Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré -, com o apoio da Diretoria da Festa do Círio de Nossa Senhora de Nazaré promovem a 3º edição da Caminhada pela Superação da Violência Contra Crianças e Adolescentes. Os participantes deveme concentrar-se às 8h, em frente à Escadinha do Cais do Porto, localizada no Boulevard Castilhos França, para seguir em caminhada para a Basílica Santuário, em Nazaré.

eu indico

MARIA VIOLETA BENTES,

43 anos, socióloga

Defender os direitos das crianças e dos adolescentes e alertar a população contra a violência contra menores, contra o trabalho infantil e

E

u indico o livro “A Bíblia”, versão brasileira da edição francesa “Bible de Jérusalem”. Acredito que todos deveriam ler diariamente o que Jesus deixou escrito na Bíblia Sagrada, porque a Palavra é o alimento, é o ensinamento que Jesus nos deixou. Eu realizo essa leitura diariamente através dessa edição e eu me sinto bem por estar lendo algo tão sagrado, tão belo que nos foi dado. Quero que todos sintam esse despertar e a vontade de todos os dias lerem a palavra de Deus.

contra a evasão escolar, combatendo a mão de obra de crianças e adolescentes é o objetivo da mobilização. Os organizadores querem sensibilizar e conscientizar a população do Pará para esses objetivos, buscando preservar ao máximo a vida das crianças e dos adolescentes de todo tipo de violência. A coordenação reforça o convite para que toda a sociedade participe da caminhada e, assim, ressalte a importância de se manter as crianças amparadas pelas suas famílias e também pela escola.

gem da padroeira. A partir das 15h, a tarde alegre reúne todas as famílias da comunidade, movimentos, pastorais e grupos. Haverá venda de comidas típicas no local, bingos com diversos prêmios, e apresentação cultural do grupo de carimbó “Florescer” e show de Lu-

cinha Bastos. Participe! A igreja fica na Avenida Santa Rosa, bairro Independente, no município de Benevides (PA). História - Beatificada em 1667, santa Rosa de Lima tornou-se a primeira santa da América Latina ao ser canonizada, em 1671, pelo papa Cle-

Caminhada pela paz e pela família Também foi domingo, 26, o dia escolhido pela Paróquia São Raimundo Nonato para a VI Caminhada pela vida e pela família, evento que contará com a participação do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. Santa Missa às 7h, presidida por Dom Alberto, marcará a abertura na igreja. Concluída a Missa, a caminhada inicia animada pelo tema "Ser luz do mundo é dizer sim à vida e à família" apoiados no lema "Vida: dom de Deus". A caminhada é uma realização da Arquidiocese de Belém,

BOA DICA

em parceria com a Pastoral Familiar arquidiocesana, a fim de valorizar a paz em família. Trajeto - A caminha da Paróquia São raimundo Nonanto, localizada na avenida Senador Lemos, no bairro do Umarizal, com destino à Paróquia Nossa senhora do Perpétuo Socorro, situada na rodovia Arthur Bernardes, no bairro do Telégrafo, ambas as igrejas, em Belém. A mobilização pelas ruas da cidade de Belém tem como meta, novamente, clamar pela paz, uma vez que os alarmantes índices de violência tem atemorizado tan-

tas pessoas em todo o Estado do Pará, com ocorrências gravíssimas registradas na capital, situação que ronda todo o país. A sexta versão da caminha pela paz e pela família deverá contar com a participação de grupos, pastorais, movimentos e serviços da matriz de São Raimundo Nonato, assim como de outras paróquias da Arquidiocese de Belém, além de organismos e entidades que buscam a paz. INÍCIO - A mobilizaçãocomeçou em 2013, em encontro de pastorais na Paróquia São Raimundo Nonato a fim de clamar pela paz nas ruas da cidade.

LIVROS E CD'S

n PATRÍSTICA - Demonstração da pregação apostólica - Livro (Paulus, R$41,00)

O

mente X. Dois anos depois foi proclamada Padroeira da América Latina, das Filipinas e das Índias Orientais, com a festa litúrgica marcada para o dia 23 de agosto. A devoção à santa Rosa de Lima propagou-se rapidamente nos países latino-americanos, sendo venerada pelos fiéis como Padroeira dos Jardineiros e dos Floristas. Recebeu de Deus o dom dos milagres. Ela era constantemente visitada pela Virgem Maria e pelo Menino Jesus, que quis repousar certa vez entre seus braços e a coroou com uma grinalda de rosas, que se tornou seu símbolo. Foi extremamente bondosa e caridosa para com todos, especialmente para com os índios e negros, aos quais prestava os serviços mais humildes em caso de doença. Além disso, Santa Rosa cultivava as rosas de seu próprio jardim e as vendia no mercado e por isso é tida como patrona das floristas.

Catecismo de Santo Irineu (século II), ou melhor, a Demonstração da pregação apostólica, o “primogênito” dos nossos catecismos, é uma valiosa obra do primeiro t eólogo sis t emático da Igreja, que estava d e s a p a re c i d a e f o i tornada conhecida ao mundo moderno há pouco mais de um século. De caráter apologético, a Demonstração não é um catecismo para iniciantes na fé, mas um “catecismo superior”, que visa edificar os cristãos e dar-lhes a fundamentação racional e escriturística da fé cristã.

n SANTO Onofre: história e novena, Livro (Paulinas, R$5,00)

E

ste livro conta a história e convida à oração de uma novena pela intercessão de Santo Onofre, monge contemplativo do século IV. Na juventude, Onofre foi viciado em bebida, mas com muita força de vontade, fé em Deus e ajuda da família venceu essa conduta que lhe era prejudicial. Depois de sua morte, muitos milagres passaram a ser atribuídos a ele, tanto pelos fiéis católicos, quanto pelos ortodoxos. Atualmente, Santo Onofre é invocado como intercessor junto a Deus em favor de quem quer se livrar de vícios, especialmente o alcoolismo, e pelo bem-estar e a união da família.


BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Caderno Dois

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

w APRESENTAÇÃO de Dom Irineu ao lado de Elyvanne Barbosa e Marcelo

Arquidiocese prepara “Em Família” especial no dia 31 Família Nazaré é principal convidada do programa ao vivo dia 31 de agosto

A

Arquidiocese de Belém e Fundação Nazaré de Comunicação já finalizam os preparativos para o especial do programa “Em Família”, a realizar-se no dia 31 de

agosto, a partir das 9h, na sede da instituição e transmitido em cadeia por todos os veículos da instituição. A apresentação do programa será de Dom Irineu Roman, Bis-

po Auxiliar de Belém, ao lado de Elyvanne Barbosa, coordenadora da Rádio Nazaré FM, do padre Vandilson Lima, pároco da Paróquia São Pedro Pescador, em Mosqueiro,

w TODOS OS SETORES estão mobilizados para o grande dia

w OS PREPARATIVOS envolvem todos os setores da Fundação Nazaré

e do leigo Marcelo Silva. A programação tem o objetivo de valorizar a participação da Família Nazaré na sustentação do trabalho de evangelização da Arquidiocese de Belém, por meio dos meios de Comunicação: a Rede Nazaré de Televisão, a Rádio Nazaré FM, o Portal Nazaré e o Jornal Voz de Nazaré. A meta da programação especial é a ampliação da Família Nazaré, e na ocasião, também procura-se enfatizar a campanha institucional “Seja mais um”, com vistas a alcançar mais adesões de sócios evangelizadores ao projeto subsidiário da Fundação Nazaré.

Os preparativos envolvem todos os setores da Fundação Nazaré, desde a Diretoria à Divisão Técnica, a fim de que tudo saia a contento no programa que é realizado ao vivo, direto dos estúdios da TV Nazaré, localizada na sede da instituição à avenida Governador José Malcher, 915, no edifício Paulo VI, no bairro de Nazaré. Diversas pessoas irão participar do programa que, nessa edição, estará colocando em evidência também a valorização e o incentivo às vocações na pauta dos veículos de comunicação da Fundação, a serviço da Igreja. Dessa forma, alguns sa-

w COBERTURA da programação especial toda organizada

SORTEIO Para ser benfeitor, basta cadastrar-se e confirmar sua inscrição efetuando a primeira contribuição. O interessado pode faze-lo aqui mesmo nesta página, preenchendo o formulário abaixo e entrega-lo na Fundação Nazaré.

CAMPANHA SEJA MAIS UM - Colabore com a obra

de evangelização da Arquidiocese sendo mais um benfeitor da Fundação Nazaré de Comunicação. O cadastro pode ser feito pessoalmente na sede da Fundação, situada na avenida José Malcher, nº 915 – Edifício Paulo VI, Nazaré, de segunda a sábado, das 7h às 19h. Ou pelos sites oficiais (www.sejamaisum. com), (www.fundacaonazare.com.br), ou pelo telefone (91) 4006-9211. Se preferir entrar em contato por e-mail, envie mensagem para famjor@fundacaonazare.com.br e faleconosco@fundacaonzare.com.br pelos profissionais e saber como são investidos os recursos de suas doações todo mês.

Há outras formas de cadastrarse. (Leia a informação ao lado formulário). Encontre o melhor meio para inscrever-se. A cada evento do “Em Família”, a Arquidiocese de Belém tem procurado registrar concretamente seu

agradecimento pelas doações. O programa do dia 31 de agosto terá em um dos seus momentos o sorteio de uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré com manto confeccionado e doado pelo estilista Luiz Langer.

cerdotes, ministérios de música também estarão presentes no “Em Família” especial. FAMÍLIA NAZARÉ: CONVIDADA ESPECIAL

A Família Nazaré é constituída de pessoas que todos os meses contribuem com a missão da Arquidiocese de Belém. A participação de cada uma delas - chamadas benfeitoras - está na sua disponibilidade em ajudar a Arquidiocese de Belém com a doação de algum valor financeiro, uma contribuição que é revertida em investimentos para manter o trabalho da Fundação Nazaré de Comunicação. Por toda sua atenção com a Fundação Nazaré, os sócios benfeitores são os convidados especiais, sendo aberto a eles nesse dia, a visitação às dependências da instituição a fim de conhecerem o trabalho realizado pelos profissionais e saber como são investidos os recursos de suas doações todo mês.


2

Igreja

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

2º Caderno

Miscelânea Côn. Cláudio Barradas (claudiobarradaspe@gmail.com)

C

omo prometi, em nossa edição passada, nesta de hoje transcrevo, literalmente, para fruição do leitor, o belo texto sobre a corda do Círio, de autoria do barnabita Pe. Vicente Di Schiena, intitulado “Teologia da Corda”. Sem mais, com a palavra o sofrido barnabita: “Para nós do Pará, hoje, a corda do Círio: É como uma longa e forte fita que traz até nós a pessoa de Maria. É como uma corda de salvação que nos salva de um mar agitado de vida e nos preserva dos naufrágios. É um fio que traz corrente de vida a animar nossas forças decadentes. É um vínculo de segurança: todos unidos com Maria, constituímos uma força para um mundo melhor. É um cordão umbilical que nos liga ao Pai Eterno, pela Virgem nossa mãe, a fim de que em Cristo que nos alimenta – como a mãe – com sua carne e com seu sangue, nós descubramos que formamos uma unidade sublime, vital, misteriosa. “Que eles sejam um como eu e tu, Pai, e estejam consumados na unidade.” Bem-aventurado quem chega a descobrir este sentido

A propósito do Círio (37) DIVULGAÇAO

w COMO UMA CORDA que passa benéfica de um para outro é Maria que nos livra

máximo e bíblico de comunhão e participação na unidade trinitária de Nosso Deus, também por Maria. Como a corda é o terço. Na pintura do juízo universal, Miguel Angelo representa anjos que tiram da terra,

para levá-los aos céus, mortos que ressuscitam e se apegam ao terço de sua devoção em vida e que os anjos estão lhes lançando para passarem ao seu paraíso. Como uma corda que passa benéfica de um para outro

é Maria que nos livra com sua ternura e nos leva a confiar em Cristo, o Salvador que dá a Graça, o vinho da alegria, a verdade, a paz de que continuamos a precisar. Nós nos apegamos a corda (sic, sem a devida crase)

para Maria vir mais perto de nós; e ela se serve da corda para nós irmos mais próximos de Deus.” Com meus sinceros e comovidos agradecimentos, por esse belo, profundo e instrutivo poema - poema, sim, como não? – ao seu autor, o saudoso padre Vicente Di Schiena, que há muito, ao que sei, salvo engano, já na Eternidade, e a sugestão ao leitor de ver a corda como ele a viu e fazer dela, como ensina ele, um cordão umbilical que nos ligue ao Pai pela Virgem de Nazaré, vou ficando por aqui, com receio de que o espaço não dê para iniciar outra matéria. Longa vida para a corda do Círio e seus promesseiros que alguns, a meu ver, desaprovam, para não dizer condenam e gostariam de ver fora do Círio. Pra mim, Círio de Nazaré sem a corda, que, goste-se ou não, queira-se ou não, é um de seus grandes ícones, se não um dos maiores, logo após a berlinda com sua bendita Senhora. Tanto que, sem ela, ele sem graça, capenga, incompleto, menos Círio. Shalom!

Santos da semana Diác. Benedito Otávio (artpresent@superig.com.br)

28/08 - TERÇA-FEIRA Santo Agostinho - Bispo e Dr. da Igreja

24/08 - SEXTA-FEIRA São Bartolomeu - Apóstolo e Mártir

Da vida de pecados e desgarrada do jovem Aurelius Augustinus não cabe agora falar. Bela mesma é sua conversão, depois de longo período de oração materna e ajuste de mentalidade do filho que andou até por doutrinas maniqueístas. Teve também a ajuda de um grande santo, o bispo Ambrósio, que com suas pregações conquistou-lhe o coração. Agostinho foi escritor, teólogo, filósofo e para toda a eternidade um dos 33 Doutores da nossa Igreja. Faleceu em Hipona em 430.

Os sinóticos (Mt 10, 3; Mc 3, 18 e Lc 6, 14, e ainda At 1, 13) citam Bartolomeu entre os escolhidos. Alguns estudos identificam-no com Natanael. Em Jo 1,45-51 vemos Jesus elogiá-lo: “Eis verdadeiramente um israelita em quem não há fraude”. Também Jesus diz uma frase, que nos livros apócrifos confirmam as visões de Bartolomeu na hora de seu martírio: “Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”. Depois de pregar em regiões distantes, foi esfolado vivo em 51 d.C. 25/08 - SÁBADO

29/08 - QUARTA-FEIRA Martírio de São João Batista - Precursor e Mártir

São José Calasanz - Sacerdote

Entre os séc. XVI e XVI, surge um espanhol (como sempre a Espanha nos dando grandes homens, pena a carência de fé que se encontra por lá hoje), cheio de ardor missionário e vontade de educar os jovens na fé e no amor de Deus. Fundou a Cong. dos Clérigos Pobres Regulares da Mãe de Deus das Pias Escolas. Caluniado, foi afastado de suas funções, aceitando obedientemente. Falava apenas a seus irmãos que aguardassem o sinal de Deus. Faleceu em 1648, e só oito anos mais tarde, o papa Alexandre VI reconheceu sua inocência e abençoou a Ordem. 26/08 - 21º DOMINGO DO TEMPO COMUM Santa Tereza de Jesus Jornet - Virgem

Fundou a Congregação das Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados, séc XIX. Enfrentou dificuldades com essa obra, até de irmãos de uma outra Ordem, que queriam anexá-la à deles. Enfrentou uma doença que o abatia. Sendo Carmelita, achou que seria melhor ir para as Clarissas, mas dois anos depois e com a saúde bem debilitada volta à casa materna. Hoje essa congregação encontra-se em vários países.

27/08 - SEGUNDA-FEIRA Santa Mônica - Religiosa e Mãe de Santo Agostinho

Era casada com Patrício, homem pagão, rude e que passou a ser violento. Tiveram três filhos: Agostinho, Navígio e Perpétua. Esta santa mulher, que mais tarde se tornaria “Padroeira das Mães Cristãs”, lutou com as armas da oração para converter sua família. Seus filhos mais novos foram mais fáceis de converter. seu esposo acabou batizando-se um ano antes de falecer. O filho mais velho, Agostinho, que lhe causara muitas lágrimas, só se converteu à beira da morte de sua protetora mãe, em 387.

João é o único santo de quem se comemoram o nascimento (24 de junho) e o martírio (29 de agosto), devido à sua grande importância. Dele disse Jesus: “Digo-vos que dentre os nascidos de mulher não há maior do que João...” (Lc 7, 28). Seu martírio é narrado pelos sinóticos (Mt 14, 3-12; Mc 06, 17-29; Lc 3, 19-20 . 9, 7-9) e sua memória iniciada pela França no séc. V. Na Samaria construiu-se uma igreja sobre seu túmulo. Roma acatou sua devoção no séc. VI. 30/08 - QUINTA-FEIRA São Félix e Santo Adauto - Mártires

Félix era um sacerdote da Igreja primitiva do séc. III. Tendo confessado sua fé, foi condenado por Diocleciano à decapitação. Duas narrativas contam o fato: A 1ª afirma que um homem se aproximou e se ofereceu para morrer com o réu. Esse homem não se identificou, dai ter sido chamado de “Adauctus” – termo latino cujo significado, adjunto, unido, auxiliar. A 2ª vem de um poema de São Dâmaso, papa, que, ao relatar o fato, diz que os dois eram irmãos e Adauto se entregou para morrer com o outro.


2º Caderno

P

ublicamos nesta edição a quarta meditação de Dom José Tolentino Calaça de Mendonça no Encontro Internacional das Equipes de Nossa Senhora, um Movimento de Espiritualidade Conjugal, ocorrido em Fátima, Portugal, de 16 a 21 de julho, para casais de equipistas e sacerdotes conselheiros espirituais de 92 países, 46% dos quais oriundos das Américas. To l e n t i n o n a s c e u em Machico, em 15 de dezembro de 1965. Teólogo e poeta português, é arcebispo titular de Suava. Foi nomeado Arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e Bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vaticana, cargos na Cúria Romana que assumirá dia 1 de setembro. É professor e foi vicereitor da Universidade Católica Portuguesa até

Igreja

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

3

O Filho Pródigo, por Dom José Tolentino de Mendonça Tema do Encontro Internacional das Equipes de Nossa Senhora, em Fátima FOTOS: DIVULGAÇÃO

w DOM TOLENTINO proferiu em Portugal profunda reflexão para casais

26 de julho, dia de sua nomeação como arquivista. Foi também dire-

tor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

Foi nomeado arcebispo titular de Suava pelo Papa Francisco

dia 26 de junho de 2018, depois de ter orientado o retiro de Quaresma do Papa e dos membros da Cúria Romana, de 18 a 23 de fevereiro, em Ariccia, perto de Roma. Como arcebispo nomeado Arquivista e Bibliotecário da Santa Sé, substitui o arcebispo francês Jean-Louis Brugès. A Ordenação Episcopal de Tolentino foi no dia 28 de julho no Mosteiro dos Jerônimos, em Lisboa, presidida pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa, Dom Manuel Clemente, e con-

celebrantes principais o Cardeal Dom António Marto, Bispo de LeiriaFátima e Dom Teodoro de Faria, Bispo Emérito do Funchal, que em 1990, presidiu sua Ordenação sacerdotal. A temática do encontro mundial das Equipes de Nossa Senhora foi centralizada na Sagrada Escritura, na passagem do “Filho Pródigo”, Lucas, 15, 11-32. Iniciamos a publicação das pregações de Dom Tolentino no Jornal Voz de Nazaré na edição nº 835 (3 a 9/08/18), caderno 2, página 6.

4ª Meditação

O

“O pai viu-o e encheu-se de compaixão”

texto da parábola faz-nos olhar neste momento para a figura do pai. Coloquemos nele não só o nosso olhar, mas o nosso coração, e descobriremos que este pai é a verdadeira representação da misericórdia. Ele que tem dois filhos, percebe que deve tratá-los de forma diferente, olhando para cada um de forma única. O filho mais novo veio reclamar-lhe a herança. É um pedido estranho porque as heranças supõem a morte dos progenitores e, este, em vida do pai quer já a sua. E, contudo, o pai, sem dizer nada, dá-lhe a herança. O pai aceita o espaço que o filho precisa; o pai acolhe o risco da liberdade do filho, ama-o simplesmente. Deus aceita o risco da nossa liberdade, aceita que peguemos no que Ele nos dá e partamos para longe, aceita a nossa possibilidade de errar, a nossa fraqueza. O filho mais novo, mesmo quando regressa, fá-lo ainda dentro de uma lógica egoísta e autocentrada. Ele partiu para experimentar a vida e, quando regressa, pensa apenas na necessidade de salvar a sua pele. É o instinto de sobrevivência a falar, não o amor. O pródigo diz: «Quantos jornaleiros de meu pai têm pão em abundância, e eu aqui a morrer de fome! Levantarme-ei, irei ter com meu pai e vou dizer-lhe: (…) trata-me como um dos

teus jornaleiros» (Lc 15, 17-19). E não percebe que isso é impossível. Pois quando o avista ao longe, o pai toma a iniciativa de correr ao seu encontro. E considera que mais decisivo que o filho se ter ido embora, é ele agora voltar; mais importante do que a ruptura, é o regresso. O filho ainda vem distante e o pai parte ao seu encontro. Diz-nos São Lucas: «o pai viu-o e, enchendo-se de compaixão, correu a lançar-selhe ao pescoço e cobriuo de beijos» (Lc 15, 20). Isto é, deu cobertura àquela vida sem beleza, tornou-a completamente amável. Aos olhos do pai, aquele filho era apenas o filho, era o seu filho. E, cheio de compaixão, foi capaz de abraçá-lo repetidamente, de reintroduzi-lo na intimidade familiar da casa. E, de uma maneira que o próprio filho jamais esperaria. Podemos rebater: «Este pai excedeu-se. O seu é um amor excessivo. Ele não devia tratar o filho assim. Devia aplicar-lhe um castigo ou pelo menos pô-lo à prova, fazê-lo pensar. E dizer-lhe: “Agora sofre e pensa no que fizeste”». O excesso do Pai, este excesso da misericórdia, tem, porém, um sentido. Dentro de nós conflituam muitos modelos e formas de reagir. Mas o que Deus nos diz é: «A misericórdia é a arte necessária para salvar a vida, a misericórdia é um caminho que todos

w CASAIS piedosa oração ante imagem de Jesus

w O FILHO PRÓDIGO, do artista Rembrandt

precisamos aprender». E não há misericórdia sem excesso. Creio firmemente que essa é uma das fundamentais lições da parábola. Perguntamo-nos muitas vezes o que é a misericórdia. E a misericórdia não cabe numa definição. Ela tem de encarnar-se para que a possamos tocar. Misericórdia é compaixão, misericórdia é bondade, misericórdia é perdão, misericórdia é colocar-se no lugar do outro, misericórdia é levar o outro aos ombros, misericórdia é a reconciliação profunda. É tudo isso. Mas é isso realizado também com um determinado estilo, que é o estilo do pai da

parábola de Jesus. Não há misericórdia sem dádiva, sem doação. Aquele filho pródigo trazia tantas feridas, manifestas e escondidas, e precisava de ser curado com o bálsamo da misericórdia. A misericórdia não é dar ao outro o que o outro merece. Num efeito ético de inversão, a misericórdia é, podemos afirmá-lo, oferecer ao outro precisamente o que o outro não merece. Mas dar por cima, dar além, ir mais longe. Reintroduzir na festa o filho, reconfirmá-lo com os símbolos da alegria: o anel no dedo, as sandálias nos pés, a túnica mais bonita, o banquete de vitelo gordo. É este

excesso de amor que espelha a misericórdia. Facilmente nos colocamos na posição de quem julga os outros: «Ah, fizeste isto, mereceste isto, mereceste aquilo». Mas o pai misericordioso não se deixa capturar pelo juízo. Ele vê que o filho regressa como quem vem de uma guerra, todo estilhaçado, maltratado e ferido. Ora, se não há um excesso de amor que ajude a curar as feridas, que dê um outro horizonte, que seja uma alavanca, não há solução. O filho não poderia entrar em casa pelos seus pés. Ele precisava ser levado ao colo pelo amor do pai. A misericórdia é isso. Não é esperar que o outro faça o caminho: é antecipar-se e carregá-lo aos ombros como a outra parábola do bom pastor nos ensina (Lc 15, 4-7), aceitando as suas feridas, as suas vulnerabilidades e reintroduzindo-o na esperança, sinônimo da festa. Em família experimentamos isso em tantas ocasiões. Se queremos

ser pessoas moderadas e neutras, se queremos ser apenas justos, seremos até boas pessoas, mas não conheceremos o Evangelho da Misericórdia. Porque o Evangelho da Misericórdia pede de nós um excesso de amor: que sejamos capazes de abraçar a vida ferida, e que percebamos tudo sem necessidade de dizer muito. O pai não é inconsciente. O pai percebe que aquele filho gastou tudo da maneira mais errada; o pai sabe tudo. E, contudo, abraça tudo e tudo cobre-o com o seu amor. A experiência de misericórdia é uma das coisas mais exigentes e fascinantes da vida. Mas no final, aquele filho que estava perdido é um ser transformado, modificado pelo amor. Rezemos hoje para que a nossa família se torne uma escola de misericórdia, onde nos sintamos a seguir os passos de Jesus. Continua na próxima edição


4

Arquidiocese

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

2º Caderno FOTOS: DIVULGAÇÃO

w MISSA foi o ponto alto da programação do Festival Vocacional

w JOVENS participaram da Santa Missa

Arquidiocese promove mais um Festival Vocacional Jovens prestigiaram evento diocesano

A

experiência é vivida todos os anos, promovida pela Arquidiocese de Belém, no Festival Vocacional, realizado pelo Serviço de Animação Vocacional (SAV). E a exemplo dos eventos nos anos anteriores, a juventude compareceu ao Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC), no sábado, dia 18, para obter auxílio ao seu direcionamento vocacional perante a vida, especialmente na participação na Igreja. O festival conta ainda, com o Show Vocacional, que neste ano teve como atração o cantor Diego Fernandes, celebrando os 15 anos desse evento juvenil. O Festival Vocacional reúne ocasiões privilegiadas de discernimento vocacional para o úblico jovem das comunidades que conhecem mais particularmente as vocações existentes, e após partilharem palestras temáticas tem a capacidade de escolher qual o melhor rumo para sua jornada

diante da própria vida. A reunião dos jovens em torno dos eventos vocacionais também reveste-se de uma grande oportunidade para que a Igreja também possa conhecer sua juventude um pouco mais, costuma dizer o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, ao dirigir-se a eles durante o festival. "Vem, eu te chamo", "Vai, eu te envio" foi o tema deste ano perante o qual os jovens tiveram a oportunidade de discernir sobre as suas vocações durante um dia inteiro de atividades, cuja culminância foi a Missa presidida pelo Arcebispo Dom Alberto. Extensa programação perpassou o dia de atividades do Festival Vocacional. Pregações com diversos temas apoiadas por dinâmicas teatrais, Adoração ao Santíssimo, Santa Missa, e uma feira de talentos e promoções no âmbito voccional também animarm a programação.

Padre Gabriel Paes, vigário da Paróquia Jesus Ressuscitado participou do festival e atestou que "é por isso que esse jovem deve conhecer o testemunho do evangelho o quanto antes", enaltecendo a promoção do festival. Incentivada desde a infância pela avó a estar sempre presente à vida da Igreja, a jovem Rayssa Souza também esteve no festival. A programação do Festival Vocacional culminou com a Santa Missa, presidida por Dom Alberto na Paróquia São Pio X, localizada no complexo do Seminário Pio X, em Ananindeua, onde realizou-se o evento. Após a Missa, o Arcebispo visitou a feira vocacional com estandes onde a comunidade pode conhecer melhor o trabalho das comunidades diocesanas a serviço do Reino de Deus, uma ocasião especial para o jovem conhecer as vocações e decidir-se pela sua jornada junto à co-

w DOM ALBERTO celebrou a Missa e prestigiou o evento juvenil

munidade diocesana. SHOW - O cantor Diego Fernandes encantou a juventude com sua apresentação, correspon-

dida pela intensa alegria dos jovens presentes. Indagado sobre a sua participação no festival vocacional, o artista des-

tacou que a "principal motivação é levar a todos esses jovens a mensagem de Deus através da música".

Compêndio do Catecismo da Igreja Católica O Jornal Voz de Nazaré continua as reflexões iniciadas em 2013, Ano da Fé, com a publicação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. De maneira concisa, a publicação apresenta, numa visão de conjunto, todo o panorama da fé católica, com seus elementos fundamentais.

IV PARTE (A Oração Cristã) SEGUNDA SEÇÃO Os sete pedidos

596

597

Nós pedimos a Deus Pai que não nos deixe sós ao sabor da tentação. Pedimos ao Espírito que saibamos discernir, de uma parte, entre a prova que faz crescer no bem e a tentação que leva ao pecado e à morte, e, de outra, entre ser tentado e consentir na tentação. Esse pedido nos une a Jesus que venceu a tentação com a sua oração. Solicita a graça da vigilância e da perseverança final. 2846-2849 2863

O Mal indica a pessoa de Satanás que se opõe a Deus e que é “o Sedutor do mundo inteiro” (Ap 12,9). A vitória sobre o diabo já foi conseguida por Cristo. Mas nós pedimos a fim de que a família humana fique livre de Satanás e das suas obras. Pedimos também o dom precioso da paz e a graça da espera perseverante da vinda de Cristo, que nos libertará definitivamente do Maligno. 2850-2854 2864

. O que significa: “Não nos deixeis cair em tentação”?

. Por que concluímos, pedindo: “Mas livrai-nos do Mal”?


2º Caderno

Arquidiocese

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

GHGHGHGHGH

5

Pastoral promove IV Jornada Arquidiocesana de Catequistas Expectativa de público é de mais de dois mil participantes

C

om organização da Arquidiocese de Belém, por meio da coordenação de Catequese, a Jornada Arquidiocesana de Catequistas, a ser realizada dia 2 de setembro, no Ginásio do CESEP, situado na Avenida Pedro Miranda, 100. Em sua quarta edição, o evento traz esse ano o tema “Senhor, vós sois santo e fonte de toda santidade, e o lema: “És o santo de Deus”. Com programação que acontecerá das 8h às 12h, a expectativa de público é de 2,5 mil catequistas. O objetivo da jornada é poder reunir catequistas de todas as regiões e celebrar com alegria a vocação a qual foram chamados e que atenderam dando o ‘sim’ como resposta e, assim, evidenciar e valorizar esta vocação junto à Igreja reunida. “A

nossa jornada além de ser um momento de comunhão de todos os catequistas da nossa arquidiocese, é também uma ocasião de valorização da pessoa catequista. Esse leigo engajado que se dedica nessa tarefa de educação na fé e cada vez mais comprometido com a iniciação cristã”, afirma padre Evandro do Carmo, coordenador arquidiocesano da catequese. Segundo ele, além dessa valorização e desse momento de comunhão, a jornada busca ser também oportunidade de espiritualidade, de enriquecimento espiritual e, claro, para dar ânimo e tornar catequistas conscientes de como são importantes para a Arquidiocese: “a Igreja local tem essa preocupação com a catequese, especialmente com aqueles irmãos que estão na linha de frente tra-

balhando com jovens, adultos e crianças. Nas últimas jornadas temos avançado e chegado nesses objetivos. A jornada vem culminar com todo um trabalho realizado durante o ano.” A jornada, evento aberto a todos os catequistas e isento de inscrição, tem sua programação iniciada com acolhida dos catequistas às 8h, seguida de apresentação das Regiões Episcopais, depois, às 9h, adoração ao Santíssimo Sacramento. O Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman, pregará às 9h30, e, após intervalo, o evento encerra com santa missa presidida por Dom Irineu. ENCONTRO DOS CRISMANDOS E CRISMADOS

Posterior à Jornada, em setembro, haverá o encontro dos

crismandos e crismados com o Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa, no Ginásio Poliesportivo de Marituba, das 8h às 12h. Nesses meses que antecedem o encontro, estão sendo realizados pré-encontros nas regiões episcopais.

Cada região episcopal tem um oratório que está percorrendo cada paróquia, proporcionando um momento de espiritualidade, comunhão e animação. As regiões de Santa Cruz e São Vicente já realizaram e Maria Goretti também iniciará em breve.

Comissão reúne-se para organizar missas em shoppings da capital Na última terça-feira, 14 de agosto, em um Shopping Center situado na Travessa Padre Eutíquio, Batista Campos, ocorreu a terceira reunião da comissão organizadora para a presença da Igreja nos Shoppings Centers de Belém e região metropolitana. O objetivo é de ocupar esses espaços com programações litúrgicas para a evangelização da população. Segundo Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém e quem está acompanhando a equipe formada por um diácono, leigos e párocos das áreas próximas aos estabelecimentos comerciais, a Arquidiocese de Belém

está seguindo as orientações e compromissos previstos no Plano Pastoral Arquidiocesano, e deseja fazer-se presente em novos contextos, como por exemplo nos shoppings centers. “Esse processo já está em ato e cada vez mais se organiza e cresce”, afirmou. Ao todo, a área metropolitana conta com seis shoppings, sendo que quatro já possuem capela: o que está localizado na Avenida Doca de Souza Franco, o que está próximo ao KM 4 da BR316, o situado na Rodovia Augusto Montenegro e o que situa-se no KM 1 também da BR-316. “Diversas atividades já estão sendo promovidas nesses ambientes

DIVULGAÇÃO

w DOM ANTÔNIO juntamente com a comissão organizadora

tais como celebrações eucarísticas dominicais, momentos de adoração, novenas e terço. As atividades variam de acordo com os espaços disponíveis e a ousadia pastoral das equipes”, destacou Dom Antônio. Segundo o Diácono Marcelo Lopes, da Paró-

quia da Santíssima Trindade, o foco inicial da comissão é promover missas aos domingos: “depois durante a semana proporcionar momentos de oração, terço, novena do Perpétuo Socorro, adoração ao Santíssimo às quintas em espaços cedidos pelos shoppings”.

Para ele, é fundamental que a presença da Igreja se faça nesses espaços com grande circulação de pessoas: “Deus está em todos os locais. Se podemos sair para comprar, passear, encontrar amigos, por que não um encontro pessoal com Jesus. Seja nas

missas, momentos de adoração ou para rezar uma novena ou terço.” Na reunião os encaminhamentos dados foram para a negociação de um espaço para uma capela no shopping da Batista Campos. Atualmente, as celebrações eucarísticas são realizadas em uma das salas de cinema. Há também a negociação para um espaço para missas em um estabelecimento na Avenida Senador Lemos, na Sacramenta e outro, na Avenida Centenário, Val de Cães. Por ocasião do Círio de Nazaré, a comissão estuda a preparação de atividades litúrgicas como novenas para funcionários e, principalmente, frequentadores.

TERCEIRA PARTE

YOUCAT

A VIDA EM CRISTO PRIMEIRA SEÇÃO

Para que estamos na terra, o que devemos fazer e como nos ajuda o Espírito Santo de Deus? SEGUNDO CAPÍTULO

A Comunhão Humana

355. O que significa “não terás outros deuses além de mim”?

O

Jornal Voz de Nazaré segue os estudos sobre o YOUCAT - Catecismo da Igreja Católica, escrito para JOVENS que querem saber em que acreditam. Este projeto iniciou-se por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, Rio, 2013.

Este Mandamento proibenos de: venerar outros deuses ou divindades falsas, adorar um ídolo terreno ou vender a alma a um bem terreno (dinheiro, influência, sucesso, beleza, juven-

tude, etc.); ser supersticioso, isto é, ao invés de crer no poder, na orientação e na Benção de Deus aderir a práticas exotéricas, mágicas ou ocultas, incluindo a adivinhação e o espiri-

tismo; provocar Deus com palavras e atos; cometer Sacrilégio; adquirir poder sagrado de um modo corrupto e profanar o sagrado comercialmente (simonia), [2110-2128, 2138-2140].


6

Igreja

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

2º Caderno FOTOS: DIVULGAÇÃO

w MESA dos trabalhos, ao centro, Dom Cláudio, presidente da REPAM

w MISSA presidida por Dom Sérgio, Arcebispo de Manaus

Bispos de Belém participam do III Encontro da Igreja na Amazônia Legal Evento é organizado pela Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM)

O

rganizado pela Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), Comissão Especial para a Amazônia (CEA) e Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) o III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal foi realizado de 20 a 23, na Casa de Encontro Maromba, em Manaus, com bispos de vários estados. Com o objetivo de partilhar experiências, criar metas em conjunto a partir da Amazônia brasileira, a assembleia também aprofundou as questões relacionadas ao Sínodo para a Amazônia a ser realizado em 2019. O encontro, que reuniu mais de 50 bispos de toda a Amazônia brasileira foi aberto dia 20 à noite, com mesa presidida pelo Cardeal Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo, presidente da REPAM e da Comissão Especial para a Amazônia/CEA; Dom Sérgio Castriani, Arcebispo de Manaus; e Dom Mário Antônio da Silva, Bispo de Roraima e presidente do Regional Norte 1 da CNBB. Ainda no primeiro dia de programação o Grupo de Reflexão do Sínodo para a Amazônia abriu os trabalhos. Segundo Dom

Cláudio é papel fundamental do grupo garantir fundamentação teológica, metodológica, bíblica, pastoral e cultural no processo sinodal. “Hoje a Igreja, sobretudo o Papa Francisco, insiste para irmos às periferias. Temos que sair, ir ao encontro. Tudo isso nos indica a necessidade de novas fundamentações. E é por isso que os senhores e senhoras estão trabalhando, para encontrar fundamentações em tudo o que está sendo construído”, completou o cardeal. Dentro do processo sinodal, Dom Adolfo Zon, Bispo de Alto Solimões (AM), vê o encontro como “um primeiro momento onde vamos nos encontrar e ver quais são os pontos mais importantes, que ao longo destes dias de preparação, e sobretudo nestes meses em que caminharemos rumo ao instrumento de trabalho, podem ajudar a detectar os pontos mais importantes que merecem ser refletidos”. Dom Edson Damian, Bispo de São Gabriel da Cachoeira (AM), também destaca “a importância deste encontro porque a maioria das nossas dioceses ainda não fez um encontro diocesano para receber

w REPRESENTANTES da Igreja amazônica, mais de 50 Bispos participam do encontro em Manaus

as propostas que virão das comunidades, das paróquias e também das organizações e instituições indígenas”. Seguindo a ideia de Dom Adolfo Zon, “nós aqui reunidos vamos juntos aprofundar as teses principais e também as perspectivas que esse documento abre para que, depois, nas nossas assembleias a gente possa incentivar ainda mais e fazer avançar as propostas que virão das nossas comunidades”, afirma Dom Edson. Na programação no dia 21 houve uma análise de conjuntura que, entre os assessores, teve a presença do Procurador da República, Felício Pontes, o qual destacou o artigo 231 da Constituição Federal: “Esse dispositivo constitucional faz com que o Brasil seja pluralista e multicultural. Ele nos ajuda no combate à invasão das terras indígenas e na defesa dos povos originários”.

w DISCUSSÕES são compartilhadas por todas as lideranças presentes

Outro ponto alto da atividade foi a partilha das realidades e trocas de experiências dos bispos em vista de uma Igreja com rosto amazônico. SÍNODO PARA AMAZÔNIA

Convocado pelo Papa Francisco para ser realizado em outubro de 2019, o Sínodo para a Amazônia será o grande destaque do encontro. Ele será apresentado aos bispos pelos brasileiros membros do Conselho Pré-Sinodal – Cardeal Cláudio Hummes, Dom Neri Tondello, Dom Roque Paloschi, Dom Erwin Krautler e Ir. Maria Irene Lopes – e pela equipe de experts que contribuíram na elaboração do Documento Preparatório, padre Justino Rezende, indígena da etinia Tuyuka, padre Paulo Suess, a leiga e professora Márcia Oliveira, e Peter Hughes, do Peru. Em processo de realização, já que o Sínodo

teve sua abertura em janeiro, em Porto Maldonado, como afirmou o Papa Francisco por ocasião da visita ao Peru, as dioceses da Pan-Amazônia promovem momentos de escuta em todo o território com os povos. O encontro será oportunidade de apresentar aos bispos as atividades realizadas e os materiais produzidos que podem contribuir com a dinâmica sinodal. DOCUMENTO PREPARATÓRIO DO SÍNODO PARA A AMAZÔNIA

Em junho deste ano foi apresentado, no auditório da CNBB, em Brasília, o Documento Preparatório do Sínodo para a Amazônia. O material foi construído por uma equipe de assessores e foi aprovado pelo Vaticano, em abril, quando houve a primeira reunião do Conselho PréSinodal. O Documento Preparatório é composto por um texto-base,

que oferece uma análise da conjuntura atual da Amazônia e aponta percursos e novos caminhos para a Igreja a serviço da vida nesse bioma. O texto está dividido em três partes, segundo o método ver, discernir e agir. Ao final do material estão algumas questões que permitem um diálogo e uma progressiva aproximação da realidade para que as populações da Amazônia sejam ouvidas. A primeira parte é o VER, um convite a olhar a identidade e os clamores da Pan-Amazônia. O DISCERNIR é a segunda parte do documento que ilumina as reflexões para uma conversão pastoral e ecológica. Por fim, o documento, na última parte, provoca a ação, o AGIR: novos caminhos para uma Igreja com rosto amazônico. O texto reflete o que seria esse rosto, a dimensão profética, os ministérios e os novos caminhos.

w PROCURADOR Felício Pontes também presente ao encontro


2º Caderno

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Arquidiocese

7

Bispos auxiliares realizam visitas pastorais em paróquias de Belém

Comunidades paroquiais acolheram os dois bispos com muita alegria e entusiasmo

D

om Antônio de Assis Ribeiro e Dom Irineu Roman realizaram agenda de vi-

sitas pastorais em duas paróquias da região metropolitana de Belém. Dom Antônio esteve

na Paróquia de Jesus Ressuscitado, no conjunto Médici, Marambaia e, Dom Irineu na

Paróquia de São Francisco de Assis, no Tapanã. Os dois bispos auxiliares completaram uma

extensa programação nessas comunidades durante o período das visitas pastorais. FOTOS: DIVULGAÇÃO

w DOM IRINEU presidiu celebração eucarística em diversos espaços

w COMUNIDADE PAROQUIAL reunida ao lado do pastor durante a visita

Paróquia de São Francisco de Assis recebeu Dom Irineu Roman Na última semana a Paróquia de São Francisco de Assis, no Tapanã, recebeu a visita pastoral de Dom Irineu Roman, um dos bispos auxiliares da Arquidiocese, que, entre outras atividades, participou de reuniões, celebrações eucarísticas e visitou espaços. A programação, que iniciou no último dia 14, encerrou neste domingo, 19, com Santa Missa, às 19h, na Matriz. Na terça-feira, 14, a acolhida a Dom Irineu pela comunidade do Tapanã aconteceu durante celebração eucarística

na Matriz, às 19h. Ao longo dos seis dias de permanência em São Francisco de Assis, o Bispo Auxiliar visitou a casa de enfermos, comunidades, a Escola José Alves Cunha, anexa à Comunidade de São Benedito, um cemitério particular presidiu missas nas comunidades: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora do Carmo e Nossa Senhora de Nazaré. Ainda durante a visita, Dom Irineu participou de Adoração ao Santíssimo Sacramento na Matriz, reuniu com a

catequese, a juventude, a pastoral social e a pastoral familiar e presidiu o Conselho Paroquial de Pastoral (CPP) destacando sua avaliação e as perspectivas à realidade paroquial. Para o administrador paroquial, padre Osmar Antônio dos Santos, foram dias muito felizes com a presença pastoral de Dom Irineu: “A visita foi algo muito positiva dentro da paróquia. Todo o povo voltou-se para este grande momento. Foi uma verdadeira provocação positiva e que aproximou mais os fiéis. Diante da

w DOM ANTÔNIO visitou diversas comunidades durante a visita

minha recente chegada a esta paróquia, a visita de Dom Irineu contribuiu muito para a o sentimento de união e para o ardor missionário”. Em sua avaliação, Dom Irineu destacou o grande número de lideranças leigas presentes em São Francisco de Assis do Tapanã, demonstrando assim um Espírito Missionário e de unidade e comunhão entre as comunidades, grupos, pastorais, serviços e movimentos: “destaco a presença marcante das lideranças leigas em todos os setores. Gostei de

ver a proximidade e amizade do pároco com todos. As celebrações litúrgicas bem preparadas que presidi nos diversos setores e comunidades foram muito vivas e alegres.” Ele prossegue: “Houve muita oração comunitária, partilha da palavra, dos alimentos e boa convivência entre todos. Minha percepção é que existem ainda muitos católicos afastados da Igreja e, como desafio, proponho uma ação missionária em todas as comunidades para trazer os católicos para a Igreja, suscitar novas

lideranças e abrir novas comunidades onde a Igreja ainda carece de uma maior presença. Como sugestões, o Bispo Auxiliar enfatiza a formação com estudos bíblicos, tendo em vista a execução do Plano de Pastoral da Arquidiocese de Belém, e também com formação missionária, voltada para as comunidades e pastorais que, segundo ele, precisam de mais formação, treinamento com metodologia específica para visitas missionárias de porta em porta em todas as áreas da paróquia.

w BISPO afirmou que teve oportunidade de conhecer mais a comunidade

Dom Antônio foi acolhido em Jesus Ressuscitado Objetivando a animação pastoral e conhecer mais a vida paroquial, Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém, nos dias 6 a 12 de agosto visitou a Paróquia de Jesus Ressuscitado, no conjunto Médici, Marambaia. Tendo como pároco o Padre Maurício Almeida dos Santos, a paróquia é composta pela matriz e mais seis comunidades. As visitas pastorais

compõem o calendário arquidiocesano e acontecem sempre com a presença de um dos bispos. Com objetivo principal de animação pastoral, as visitas buscam aprofundar as informações sobre grupos, movimentos, pastorais e serviços de determinada paróquia. A programação iniciou com missa na Matriz, no dia 6, às 19h, seguida de reunião do conselho pa-

roquial de pastoral. Durante a semana de visitas, Dom Antônio conheceu as comunidades: São Pedro e São Paulo, Santa Maria de Belém, Nossa Senhora das Graças, Santa Rita de Cássia, Santa Teresinha, São Vicente de Paulo, visitou a escola Palmira e reuniu-se com as forças vivas. O bispo auxiliar participou ainda de atividades litúrgicas como a crisma dos jovens, ba-

tizado, missa com unção dos idosos e enfermos e de eventos formativos com a dimensão familiar e catequética, dimensão missionária, dimensão espiritual e litúrgica. Ao final do intenso roteiro de atividades, Dom Antônio afirmou que nos dias que se passaram teve a oportunidade de conhecer de modo mais profundo a beleza e o dinamismo daquela paróquia, sua história,

seus desafios e potencialidades: “A referida paróquia tem um território compacto, mas ao mesmo tempo, complexo no qual, encontram-se e convivem diversas realidades socioeconômicas e culturais: são conjuntos habitacionais tradicionais, novos condomínios e áreas de ocupação marcadas pela pobreza e insalubridade, como é a área que percorre o canal “água cristal”.

Ele prossegue: “trata-se de uma comunidade paroquial aberta, acolhedora, alegre, com liturgias bem preparadas, mas também desafios pastorais que nela se fazem presentes. Otimismo, boa vontade e esperança não faltam para encará-los. Agradeço o carinho, a escuta e a generosidade da acolhida de todos, especialmente dos padres Maurício e Gabriel.”


8

Em Nazaré

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

2º Caderno

Barnabitas: 115 anos no Brasil Congregação dos Clérigos Regulares de São Paulo marcou história da evangelização da Amazônia

A

Ordem dos Clérigos Regulares de São Paulo, mais conhecidos como Barnabitas, chegou ao Brasil no dia 21 de agosto de 1903, nos portos de Recife e Belém. Em virtude de conflitos religiosos ocorridos na França um pequeno grupo de padres veio para o Brasil também como parte do amplo movimento de renovação pastoral promovido pelo Episcopado brasileiro, quando, no início do período republicano, a Igreja foi separada do Estado e este aprovou a vinda de dezenas de congregações religiosas para atuar em vários campos, desde a educação até a assistência social. Entre os pioneiros em solo belenense estavam: o superior da congregação Pe. Emilio M. Richert, Pe. Paulo M. Lecourieux, Pe. Pedro M. Charvy, Pe. Julio M. Vanbecelaere e o Irmão Vito M. Di Cecca. Ao chegarem à capital paraense o primeiro grupo barnabita foi acolhido pelos Irmãos Maristas, também franceses recentemente instalados (1902) no Convento/Colégio do Carmo. No início de sua missão em terras brasileiras, os Barnabitas desenvolviam suas atividades nas Prelazias e Dioce-

ses em fase de formação. Em 1905 após negociações com o clero, os Barnabitas assumem a então freguesia de Nossa Senhora de Nazaré. Conforme relato do historiador Heraldo Maués, “Em Belém, os barnabitas receberam a incumbência de dirigir o seminário, sendo, mais tarde, entregue a eles o mais importante santuário de devoção popular da Amazônia, o de Nossa Senhora de Nazaré. De Belém os barnabitas estenderam sua ação missionária ao interior do estado, onde lhes foi confiado à prelazia do Guamá, inicialmente com o nome de prelazia do Gurupi, com sede na cidade de Ourém (antiga casa forte do Rio Guamá)”. Um dos maiores feitos dos Barnabitas na Amazônia foi sem dúvida, a construção da Basílica Santuário de Nazaré. Em 1909 foi colocada a pedra fundamental do templo, que deu início à construção da majestosa igreja, com projeto inspirado na Basílica de São Paulo Extramuros, no Vaticano. Os Barnabitas recebiam com muita dificuldade, todo o material vindo da Europa, com sacrifícios do Padre italia-

no Luigi Zoia, que pedia a gestão e o intermédio dos barões da borracha, e a ajuda e doações dos fervorosos fiéis que em alguns casos contribuíam

com tudo que tinham. A construção só foi concluída depois da Segunda Guerra Mundial, enfrentando os dois períodos de conflitos (Primei-

ra e Segunda Guerra, quando houve crise econômica e a comercialização foi quase que interrompida), a crise da borracha no Pará, a Revolução de 1930 e a instituição do Estado Novo. Hoje, os Padres Barnabitas estão presentes em vários estados brasileiros, com atuação no Rio de Janeiro, Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Brasília, Rio Grande do Sul e no Pará, onde são responsáveis pela maior manifestação de fé católica do mundo: o Círio de Nossa Senhora de Nazaré. Que o fundador, Santo Antônio Maria Zaccaria, continue intercedendo e guiando o caminho de todos os Padres Barnabitas, Irmãs Angélicas e Casais de São Paulo para que realizem ainda mais em prol da evangelização e do engrandecimento do Reino Celestial! Você jovem, que sente o chamado de Deus, faça uma visita ao Seminário Mãe da Divina Providência e encontre a verdadeira vontade do Senhor para a sua vida. O Seminário fica localizado em Benevides, na Rodovia BR-316 KM 26. Entre em contato também pelo telefone (91) 36653010 ou via email: seminarioprovidencia.crsp@hotmail.com

20 anos de Jantar das Vocações Barnabitas Na noite do sábado, 18, o grupo de Madrinhas das Vocações Barnabitas promoveu a 20ª edição do Jantar Vocacional. O evento aconteceu na Casa de Plácido, no Centro Social de Nazaré, e contou com a presença de várias madrinhas, padrinhos e

incentivadores das vocações religiosas. Estiveram presentes também, seminaristas do Seminário Mãe da Divina Providência, além de Padres Barnabitas como o Superior da Província Norte do Brasil, Padre José Ramos, Padre Francisco Saraiva,

Padre Deogratias Chirhakarhula e Padre Giovanni Incampo.Quer ser uma madrinha ou padrinho e incentivar as vocações Barnabitas? Entre em contato pelo telefone (91) 40098407 e saiba os dias e horários dos encontros. FOTOS: DIVULGAÇÃO

w EQUIPE com os colaboradores que organizam a programação

w PADRE Adelson Maria Ramos

w PADRE Deogratias

Celebremos juntos as vocações sacerdotais Neste mês em que a Igreja comemora e incentiva as vocações sacerdotais, celebremos juntos a escolha pela vida dedicada a Deus do querido Padre José Adelson Maria Ramos das Mercês, que celebra nesta sexta-feira, 24, 29 anos de Ordenação Sacerdotal. Alegremo-nos também pelo Padre De-

ogratias Chirhakarhula Muderhwua, que completa seis anos de sacerdócio neste domingo, dia 26. Que a Virgem de Nazaré e Santo Antônio Maria Zaccaria continuem intercedendo pela vida e missão destes padres que tanto contribuem para evangelização e o engrandecimento do Reino dos Céus.

w PADRE FRANCISCO juntamente com seminaristas


2º Caderno

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Em Nazaré

Missa do Mandato inicia programação oficial do Círio 2018

9

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Celebração acontece na segunda-feira, dia 27

A

226ª edição do Círio de Nazaré será iniciada oficialmente na segunda-feira, 27, com a celebração da Missa do Mandato. A partir desta solenidade, começam as peregrinações com as imagens de Nossa Senhora de Nazaré nos lares paraenses, com o objetivo de preparar espiritualmente os devotos para o Círio. A missa será presidida pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, a partir das 18h, na Basílica Santuário de Nossa

Senhora de Nazaré. De acordo com a Diretoria de Evangelização da Festa de Nazaré, este é um dos grandes momentos do Círio. “A celebração tem um caráter importante, com Dom Antônio realizando ao final da missa, após a cerimônia do ‘Envio’; o tradicional rito da Benção das Imagens de Nossa Senhora, que serão levadas a milhares de lares de devotos, onde acontecem os encontros”, destaca Jorge Xerfan, diretor de Evangelização.

Este ano, são esperados para a Missa do Mandato fiéis das 89 paróquias que fazem parte da Arquidiocese de Belém. A estimativa da Diretoria da Festa de Nazaré e do Departamento de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese/PA) é de que durante as peregrinações, que ocorrem até a véspera do Círio, as imagens de Nossa Senhora visitem aproximadamente 110 mil lares paraenses. Cada imagem visita cerca de 20 residências, o

w RAINHA DA AMAZÔNIA esteve no município de Bujaru

Imagem de Nazaré segue em peregrinações pelo Estado A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré continua com a agenda de visitas que antecedem o Círio. No último fim

de semana a Rainha da Amazônia esteve no município de Bujaru, Oeste do Pará, e foi recebida por centenas de fiéis que a

homenagearam com muita emoção. A programação contou com peregrinações em escolas, hospitais e igrejas do local.

Círio Musical 2018 com programação definida Confira as atrações deste ano para o evento de evangelização por meio da música, que anima as noites da quadra nazarena. Evangelizar é o objetivo principal de cada

evento que contempla a quadra Nazarena. Com o Círio Musical não é diferente, diz-se que cantando rezamos duas vezes, e, por isso, o evento é tão aguardado, principalmente pelos jovens.

O Círio Musical 2018 acontecerá a partir do dia 14 de outubro, durante 15 noites da quadra Nazarena, às 20h30, na Concha Acústica da Praça Santuário. Este ano a banda Anjos de Resgate, consagrados nacionalmente no meio gospel, se apresentará na primeira noite, abrindo a programação cultural do Círio 2018. O CÍRIO

O Círio de Nazaré é uma realização da Arquidiocese de Belém, Basílica Santuário de Nazaré, Diretoria da Festa de Nazaré, Governo do Estado do Pará e Prefeitura de Belém.

w MISSA DO MANDATO tradicional rito de benção das imagens

que resulta numa participação de cerca de 1,7 milhões de fiéis, segundo o Dieese. KITS DE EVANGELIZAÇÃO

Os kits de evangeliza-

ção que serão utilizados nas peregrinações são constituídos da Imagem da Virgem de Nazaré, Livros das Peregrinações e Cartazes do Círio 2018. As paróquias que desejarem adquirir os kits para

as peregrinações devem dirigir ofício à loja Lírio Mimoso e, a partir do envio do ofício, os kits ficarão à disposição para aquisição na própria loja (que fica ao lado da Basílica de Nazaré).


10

A

2º Caderno Igreja Comunidade Nossa Senhora das Graças celebra a festa da padroeira

Comunidade Nossa Senhora das Graças, pertencente à Paróquia São Judas Tadeu, localizada no bairro da Condor, em Belém, realiza a 32º festividade em honra da padroeira. O período festivo iniciase no dia 27 deste mês e se encerra no dia 02 de setembro. Todas as noites haverá celebrações, novenários, show cultural e arraial. “Com Nossa Senhora das Graças, somos uma igreja jovem a caminho da santidade”, é o tema deste ano, escolhido pela própria comunidade, e fruto dos estudos e reflexões extraídas do “Ano do Laicato”, proposta lançada pela CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, desde o final do ano passado. A programação reli-

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Comunidade pertencente à Paróquia São Judas Tadeu, no bairro da Condor giosa inicias-se no sábado, 25, com a procissão da juventude, que pela primeira vez a comunidade realizará. A concentração acontece na comunidade centrão da Paróquia Santo Antônio de Lisboa, localizada na Rua São Miguel, 855, bairro da Cremação, de onde sai em procissão com louvor por algumas ruas do bairro a partir das 18h rumo à comunidade de Nossa Senhora das Graças. Na abertura da festividade, segunda-feira, 27,

a missa solene será presidida pelo Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman, às 19h, na comunidade, reunindo todas as pastorais, os grupos e os movimentos. Após a celebração, haverá show cultural e arraial com vendas de comidas típicas. O pároco de São Judas Tadeu, Rafael Brito, em mensagem convocou os jovens a se fazerem presentes: “Aproveito o ensejo para convocar todos os jovens de nossa comunidade e de nossa

paróquia, para que abracem com alegria esta missão e se empenhem com coragem no anúncio da Palavra de Deus”. PROGRAMAÇÃO FESTIVA

Nos dias 28 e 29, Santa Missa, às 19h, novenários e noite cultural com atração musical. No dia 30 de Agosto, quinta-feira, a comunidade participa do Círio das Crianças, com concentração na Comunidade Nossa Senhora das Graças, às 8h. Em se-

guida, inicia-se o trajeto pelas principais ruas do bairro do Jurunas, retornando à comunidade para a benção final. No sábado, 1º de setembro, devotos participam do traslado da imagem de Nossa Senhora, saindo da comunidade às 19h, com destino à Matriz da Paróquia de São Judas Tadeu. À chegada, santa missa, e em seguida, noite cultural. No encerramento da festividade, dia 02 de setembro, a comunidade realizará o 1º Café da

Manhã de Nossa Senhora das Graças, a partir das 7h, no salão paroquial. Haverá santa missa e, depois, os fiéis são convidados a prestigiar este momento de congraçamento e partilha. À noite, a última procissão, que será luminosa luminosa. Concentração na Matriz da Paróquia de São Judas Tadeu, às 18h, em seguida, a procisão com destino à Comunidade de Nossa das Graças. À chegada, Missa de encerramento.

Evangelização no Terceiro Milênio Maria Elisa Bessa de Castro

E

“Carta aos Sacerdotes”proclamada

m

na Quinta Feira Santa do Ano 2000, São João Paulo II acentuou a perspectiva sacri-

ficial da Eucaristia, que enseja também uma dimensão constitutiva do sacerdócio de Cristo e, por conseguinte, do Sacerdócio Ordenado. Disse ele:

Sacerdos Et Hostia!

DIVULGAÇÃO

Sacerdos et Hostia! Sacerdote e Vítima. Este aspecto sacrifical caracteriza profundamente a Eucaristia, sendo também uma dimensão constitutiva do sacerdócio de Cristo e, consequentemente, do nosso sacerdócio. Sob esta luz, leiamos novamente as palavras que pronunciamos cada dia e que foram ouvidas pela primeira vez precisamente aqui no Cenáculo:

‘Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós (...) Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados’. Estas palavras são testemunhadas, com redações substancialmente convergentes, pelos evangelistas e por S. Paulo. Foram pronunciadas neste lugar no entardecer da Quinta-Feira Santa. Dando aos apóstolos o seu Corpo como alimento e o seu Sangue como bebida, Jesus exprimiu a verdade mais profunda do gesto que dali a pouco iria realizar no Gólgota. No Pão eucarístico, está realmente o mesmo Corpo nascido de Maria e oferecido na Cruz:

Ave verum Corpus natum de Maria Virgine, vere passum, immolatum in cruce pro homine. (...)

Na mesma Carta, perguntava o Sumo Pontífice, então reinante: como não voltar in-

cessantemente a este mistério que encerra toda a vida da Igreja?E, ainda: É fato que durante todos esses séculos desde a Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Hóstia Santa alimentou uma multidão imensurável de crentes. Deste Sacramento jorraram torrentes de graças. Incontáveis santos encontraram nele não só o penhor, mas quase a antecipação do Paraíso.

Naquela bela e emble-

mática Sexta Feira Santa do primeiro ano do século XXI, São João Paulo II conclamou os sacerdotes a deixarem-se arrebatar,qual São Tomás de Aquino ao cantar o Mistério nas palavras do Pange língua. Dizia ele, tomado de inebriamento, que o eco desse profundo hino eucarístico chegava-lhe naquele dia, ali no Cenáculo, como voz de tantas comunidades cristãs espalhadas no mundo, de tantos sacerdotes, pessoas de vida consagrada, simples fiéis, que cada dia se detêm em adoração ao mistério eucarístico:

Verbum caro, panem verum verbo carnem efficit, fitque sanguis Christi merum, et, si sensus deficit, ad firmandum cor sincerum sola fides sufficit.

Passados dezessete anos desde a proclamação dessa ontológica Carta dirigida aos Sacerdotes, estamos nós aqui, em Santa Maria de Belém do

Grão Pará, a celebrar os quarenta e cinco anos de Ordenação Sacerdotal de Dom Alberto Taveira Correa, completados no dia 15 de agosto de

w DOM JOÃO RESENDE, EM NOVA LIMA (MG) na Ordenação Sacerdotal do jovem Alberto

2018; quarenta e cinco anos, pois, de Hóstia Santa; quarenta e cinco anos de oferecimento de si mesmo; quarenta e cinco anos de Sacrifício oferecido no Altar da Cruz... Parafraseando São João Paulo II, ponho-me a meditar sobre as inúmeras Missas que Dom Alberto presidiu no curso de todos esses anos; as inúmeras pessoas alimentadas com a Imaculada Hóstia por ele consagrada em incontáveis Altares; as inúmeras graças, milagres e bênçãos derramados em Eucaristias por ele celebradas; os inúmeros crentes que se santificaram em tais Missas, como que a antever o Paraíso. Vislumbro, ainda, os mais diversos lugares onde ele celebrou o Santo Sacrifício da Missa... de pequenas e humildes Capelas até deslumbrantes Basílicas e Catedrais... dos mais longínquos recantos da Amazônia às mais modernas metrópoles do mundo... E o que se passou em seu coração, no mais profundo de sua humilde alma, quando oferecia o Sacrifício do Redentor no Altar da Cruz, em todas essas incontáveis Missas que

presidiu? Quantos sorrisos de alegria iluminou seu semblante... Quantas lágrimas de emoção ele verteu... Quanto odor de rosas místicas respirou... Quanta felicidade vivenciou ao sentir a delicada presença de Nossa de Nossa Senhora ao pé da Mesa do Sacrifício... Quanta piedade, silêncio orante, contrição... Quantos inebriamentos ante o Grande Milagre da Consagração – a presença real do Verdadeiro Corpo Nascido da Virgem Maria... Quantas antevisões ele teve do Céu durante as Missas por ele presididas... Neste tempo de celebração do aniversário dos quarenta e cinco anos de Sacerdócio de Dom Alberto Taveira Corrêa, todos eles dedicados à celebração do Santo Sacrifício da Missa (a razão de ser dessa vocação e sua essencial di-

mensão constitutiva), convido você (que ora nos lê) a elevar uma humilde prece ao Sumo e Eterno Sacerdote, Jesus Cristo, pela vida sacerdotal de nosso Arcebispo, fazendo-o por meio das belas e poéticas palavras de Santa Terezinha, em oração pelos sacerdotes: “Conservai ilibadas as suas mãos ungidas, que tocam todos os dias em Vosso Corpo Santíssimo. Conservai puros os seus lábios tintos pelo Vosso Preciosíssimo Sangue... Dá-lhes, também, juntamente com o poder que têm de transubstanciar o pão e o vinho em Vosso Corpo e Sangue, o poder de transformar os corações dos homens. Abençoai os seus trabalhos com copiosos frutos e concedei-lhes um dia a coroa da vida eterna. Amém”.

Movimento Apostólico da Divina Misercórdia Adoradores Eucarísticos da Igreja das Mercês bessadecastroadv@gmail.com

PRÓXIMO ARTIGO: Prof. Ricardino Lassadier


2º Caderno

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Arquidiocese 11

Festividade de Santa Maria de Belém Programação começa domingo, 26, e vai até o dia 2 de setembro

A

partir de domingo, 26, terá início a festividade de Santa Maria de Belém, padroeira da cidade belenense e também a padroeira da Arquidiocese de Belém, com programação que se estende até o dia 2 de setembro. Os festejos serão na praça Frei Caetano Brandão, em frente à Catedral de Belém, com direito a noites temáticas, atrações musicais, louvores, adoração e muita alegria para animar os fiéis no bairro da Cidade Velha. PROGRAMAÇÃO

O jantar dançante da festividade no sábado, 18, à noite foi a prévia dos festejos, realizado no Salão dos Pontificais da Catedral Metropolitana de Belém, animado por música ao vivo. Depois, foi a carreata realizada domingo, 19, pela manhã que animou o bairro com trajeto pelas principais vias da Cidade Velha, saindo da Catedral. A abertura da festividade será neste domingo, 26, com uma caminhada, saindo às 8h, da frente da Catedral pelas ruas às proximidades da igreja e, à noite, às 19h, será a Missa Sole-

ne, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, com a participação de todos os grupos pastorais. Após a Missa, será também aberta oficialmente a festividade, sendo a Noite Paraense a primeira com a participação do cantor Mahrco Monteiro e a venda de comidas típicas no Arraial Cultural. Segunda-feira, 27, a programação inicia com a Consagração às 18h30, seguida da Missa para Cura e Libertação, presidida pelo padre Agostinho Cruz, pároco da Paróquia São João Batista e Nossa Senhora, de Icoaraci, animada pelo Ministério da Liturgia e pelas Novas Comunidades. No arraial, a comunidade prestigia o Ministério Vida e Cruz na Noite dos Moradores e Ex-Moradores da Cidade Velha. A Noite da Região Episcopal Sant’Ana no dia 30 de agosto começa com a Consagração às 18h30, seguida da Missa presidida pelo Côn. José Gonçalo e padres da Região. Após a Missa, Noite Árabe com venda de comidas típicas no Arraial Cultural da festividade, animado pela Compa-

nhia de Dança Árabe “Flor de Lotus” e Banda Orlando Pereira. O Plenário da Câmara Municipal de Belém (CMB) é o destino da carreata que sairá com a imagem de Santa Maria

w DOM ALBERTO participou da programação religiosa durante o período

de Belém da frente da Catedral de Belém para as homenagens daquela casa de leis à padroeira da cidade de Belém, expressa com a Santa Missa às 9h. Às 18h30, a Consagração, seguida

de Missa presidida pelo Côn. Vladian Alves às 19h na noite dedicada às Vocações e ao Ministério da Família. No arraial, a Noite Portuguesa anima a comunidade ao som de Marquinho e banda.

Dia da padroeira – É a culminância da festividade no sábado, dia 1º de setembro, começando com a Missa dos Enfermos sob a animação litúrgica dos Ministros Extraordinários da Comunhão às 8h. Pela noite, a programação inicia com procissão às 18h, seguida de Missa às 19h, presidida pelo Côn. Roberto Cavalli Jr, Cura da Sé. O festivo dia especialmente dedicado à Catedral de Belém será encerrado com a Noite Abaetetubense, após a Missa sob o comando da Banda Fruta Quente. Encerramento - A juventude dará o tom para o final da festividade de Santa Maria de no domingo, 2 de setembro. Pela manhã, haverá Missas às 7h e às 9h. O Setor Juventude da Arquidiocese de Belém assume a animação litúrgica da Missa das 17h. Às 18h15, as Vésperas Solenes e, às 19h, Côn.Roberto Cavalli Jr. preside a Santa Missa, acompanhado de todos os grupos pastorais da Catedral na noite dedicada a eles. Após a Missa, o arraial em frente à igreja acolhe a Noite de Muaná com venda de comidas típicas, animado por Sandro Aragão e pelo Ministério “Chagas de Cristo”. Após o show, uma queima de fogos encerrará a festividade.

wCOMUNIDADE paroquial marcou presença na comemoração

Paróquia Bom Samaritano celebra 10 anos da Dedicação A Paróquia Jesus Bom Samaritano celebrou no último dia 15, os 10 de dedicação da igreja, localizada no bairro do Tapanã em Belém A data foi marcada com a Festividade de Jesus Bom Samaritano. Durante uma semana foram celebradas Missas com padres convidados, como: Agostinho Cruz, da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, de Icoaraci, padre Antônio Cleidivan, vice reitor do Seminário Redemptores Mater de Belém; Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém e Dom Alberto Taveira,

Arcebispo Metropolitano de Belém. O ponto alto da festividade foi no dia 15, com a procissão com a imagem de Jesus Bom Samaritano pelas ruas do conjunto Cordeiro de Farias, Santa Missa e, em seguida, a programação festiva no espaço do Encontro com o Samaritano. Para o pároco da Paróquia Jesus Bom Samaritano, padre Marco Antônio Sousa, a dedicação da igreja representa um marco no bairro do Tapanã. “Nossa paróquia trouxe uma palavra de fé para os moradores do bairro, formou comunidades e hoje é uma

w ARCEBISPO metropolitano presidiu celebração eucarística

igreja viva no Tapanã”, comemora. SEMANA DA VIDA

- Até o próximo sábado,

26, outro grande evento movimenta a Paróquia. É a III Semana da Vida que tem como tema “O

futuro da humanidade passa pela família”. Durante toda a semana que será marcada

pela Santa Missa e palestras com temas voltadas para a família, o sentido da vida na família. Entre os palestrantes estão o padre Carlos Damaglio, reitor do Seminário RedemptorisMater Belém; o professor e teólogo, Ricardino Lassadier; Dra. Marli Virgínia, membro da Comissão Arquidiocesana de Bioética de Brasília; Dom Luiz Azcona, bispo emérito do Marajó. A programação inicia sempre às 19h com a Santa Missa. A Paróquia Jesus Bom Samaritano fica localizada no Conjunto Cordeiro de Farias, na rodovia do Tapanã, em Belém.


12

BELÉM, DE 24 A 30 DE AGOSTO DE 2018

Especial Juventude

Jovens protagonistas de um mundo melhor

O

o

Vaticano prepara para outubro de 2018 o Sínodo dos Bispos, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, visando estabelecer os pilares da atividade pastoral da Igreja com os jovens, na XV Assembleia Geral Ordinária dos Bispos. Acolhendo a sugestão do Papa Francisco, o Jornal Voz de Nazaré vem destacando nesta página a atuação do Setor Juventude na Igreja de Belém. Nesta edição, o destaque é a mobilização da juventude arquidiocesana para o Círio 2018 com várias etapas de realização para a grande festa religiosa.

Juventude Arquidiocesana mobilizada para o Círio 2018

Inscrições abertas até o dia 31 e buscam atingir adesão de aproximadamente 1500 voluntários DIVULGAÇÃO

w O SETOR JUVENTUDE busca sempre realizar um amplo trabalho de mobilização juvenil

O

Setor Juventude, ligado à Arquidiocese de Belém, iniciou na segunda-feira, 13 de agosto, as inscrições para o projeto “Mobilização Juvenil Círio 2018”. Durante toda a quadra nazarena estão previstas ações como peregrinações, expressões artísticas e culturais, coreografias, acolhida, comunicação e evangelização da corda. As inscrições serão realizadas até 31 deste mês via formulário online. Iluminados pelo Projeto Educativo Pastoral (PEPSJ), o Setor Juventude busca com esta proposta de mobilização juvenil, consolidar para igreja, sociedade e governo as estratégias contidas neste PEPSJ, que visam por menor que seja, mas com significatividade, a promoção de processos para reduzir a grave situação infantojuvenil da região marcada pela violência, consumo de entorpecentes, homicídio, desemprego e mau uso do tempo livre. Segundo a justificativa

do PEPSJ “a ocasião da maior manifestação católica do mundo, a festa do Círio de Nazaré, ocorre em nossa casa, e a possibilidade de comunhão apresentada para nós, foi motivo de envolvimento em prol da maior evangelização da juventude”. Serão cinco grandes eixos de mobilização juvenil: Catequese e Formação, Expressões Artísticas Juvenis, Voluntariado Social Juvenil, Animação Missionária e Celebrativa. Os eixos representarão as propostas de educação à fé dos jovens pela ocasião dos festejos do Círio 2018. São 13 itens de inserção juve-

nil que se desenvolverão entre os meses de agosto, setembro e outubro, em atividade que visam um encontro com Deus. Para Henrique Carrera, do Setor Juventude, essa mobilização já acontecia em edições anteriores da Festa de Nazaré como, por exemplo, a evangelização da corda e a Romaria da Juventude: “Consideramos novo o tom educativo-pastoral dado (a mobilização), devido ao projeto do Setor Juventude, não só a essas ações ditas já tradicionais, como também aos itens em que consideramos de ousadia pastoral, a saber, como os pontos de acolhi-

da de peregrinos espalhados pelo trecho que vai de Marituba até a Avenida Almirante Barroso que funcionarão na noite de sexta-feira e madrugada de sábado que antecede a procissão da transladação e o Círio.” As inscrições, que se encontram abertas até 31 desse mês, objetivam alcançar a adesão de aproximadamente 1500 voluntários espalhados entre os itens de inserção, por exemplo, no caso das expressões artísticas que prevêem coreografias, encenação e música o numero previsto é em torno de 500 a 1000 jovens. Está previs-

to um dia formativo para todos os voluntários, segundo Carrera. RESULTADO DO CONCURSO MUSICAL

No dia 11 de agosto foi realizada a audição

do Concurso Musical Círio 2018, evento este previsto, como muitos outros itens do Projeto Educativo Pastoral do Setor Juventude. O grupo ganhador foi a Banda Paz Inquieta, da Diocese de Castanhal.

INSCRIÇÕES A mobilização possui duas formas de inscrição: evangelização da corda e a mobilização juvenil, ambos via formulário online. Para a evangelização na corda (inscrição disponível em https://goo. gl/v89MnU) o jovem deve informar: nome completo, telefone, RG, CPF e a expres-

são a qual pertence. Desses, a organização pede maturidade humana, entusiasmo no serviço, formação cristã católica, espírito ético e senso de comunhão. Poderão se inscrever por expressão juvenil até no máximo 10 jovens. Para quem possui interesse em participar de umas

das atividades culturais, voluntariado social, animação missionária e celebrativa, o formulário (disponível em https://goo.gl/VFGi1p) pede nome, telefone para contato, contato de um responsável, disponibilidade para a semana e qual eixo possui interesse (Catequese e For-

mação, Expressões Artísticas e Culturais, Comunicação e Acolhida de Peregrinos). O jovem, após a inscrição, será acolhido pela comissão de voluntariado que entrará em contato e conduzira os mesmos conforme manifestou sua vontade as demais comissões de trabalho.

Profile for Fundação Nazaré de Comunicação

Voz de Nazaré  

Edição de 24 a 30 de agosto de 2018

Voz de Nazaré  

Edição de 24 a 30 de agosto de 2018

Advertisement