Voz de Nazaré

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM

Pe. Florence Dubois Fundador

www.fundacaonazare.com.br belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

D o jornal católico da família D

ANO CIV - Nº 805 - PREÇO AVULSO: R$1,00

Salve Belém do Pará

Comemorando 402 anos de fundação, em 12 de janeiro, Belém do Pará continua a ser a cidade alvissareira da Amazônia. Sempre promissora e anunciando boas novas ao povo que constrói e enriquece a cada dia esta história, sob as bênçãos de Nosso Senhor e da Virgem de Nazaré. CADERNO 2, Página 1. luiz estumano

w vista da cidade em meio ao convívio com as águas, Belém acaba sempre surpreendendo a todos e encantando até mesmo os filhos nativos

Aniversário de Belém Celebração eucarística na Catedral e uma ampla programação cultural marcam a data. cad. 1, Pág.12 - Cad. 2, pág. 1.

Dom Alberto preside ordenações em Recife

Belém acolhe Renasem

Pela primeira vez acontece na capital paraense o Retiro Rito de ordenação diaconal e da Comunidade Obra de Maria. Nacional para Seminaristas. presbiteral de oito missionários ocorreu em Recife cad. 2, pág. 3. caderno 2, página 7. divulgação

w cerimônia de ordenação aconteceu no sábado, dia 6, na Basílica Santuário de Nossa Senhora da Conceição, no Morro da Conceição, em Recife


2

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Opinião Privilégio de ser católico João Carlos Pereira

charge do andré abreu

Jornalista e professor jcparis@orm.com.br

O penetrante olhar de Jesus

O

Comente esta charge: voz@fundacaonazare.com.br

Panorama José Pereira Ramos joseulina1@gmail.com

Achamos o Messias

D

Economista e escritor

epois de termos vivido o “Tempo do Natal”, louvando o nascimento de Jesus, o Filho de Deus, a liturgia dá um pulo na história. Neste 2º domingo do “Tempo Comum”, apresenta-nos João Evangelista, descrevendo o encontro dos discípulos de João Batista, com Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus”,o mesmo que nos é apresentado todos os dias na Santa Missa. André saiu correndo chamou o irmão Simão: “Achamos o Messias” e apresenta-o ao Mestre. Jesus fixando nele o olhar, diz: “Tu és Simão, filho de Jonas, mas, serás chamado Cefas”. (Que quer dizer pedra). Cada um de nós, batizados, somos chamados a seguir Cristo, o Filho de Deus feito homem, que veio ao mundo para nos resgatar. Não foi por acaso intitulado o “Cordeiro de Deus”. Não precisamos mais imolar ani-

Encontro Fraterno ivens Coimbra Brandão

ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com

Ano do Laicato (parte 1)

O

Engenheiro civil e escritor

Ano do Laicato foi instituído pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil para vigorar no período de 26.11.2017 até 25.11.2018, datas da solenidade de Cristo Rei, tendo como objetivo estimular a participação dos cristãos leigos. Para os leitores que me acolhem, em especial aqueles de idade avançada, a notícia é alvissareira, podendo levá-los a percorrer o túnel do tempo, eu, particularmente, me situando na segunda metade da década de 40 e dos anos 50, quando vivia minha segunda infância, adolescência e juventude. Ao tempo, era levado a participar da Missa dominical conduzido pelas mãos de minha mãe, ou da minha avó materna, e depois pela jovem que seria minha esposa. Sem dúvida, as mulheres são as nossas primeiras catequistas, se fazendo maioria nas celebrações litúrgicas, também nos dias

Fun­da­do em 5 de ju­lho de 1913 fundador Pe. Flo­ren­ce Du­bois, bar­na­bi­ta

arquidiocese de belém-pará

presidente Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Be­lém do Pa­rá vice-presidente Monsenhor Marcelino Ferreira Vigário-geral da Arquidiocese de Belém do Pa­rá

mais em sacrifícios para Deus. Jesus foi elevado na cruz, imolado, para nos dar a liberdade. Cabe a nós católicos, procurar viver de acordo com o Evangelho legado pelo “Cordeiro de Deus”. Não basta festejar o Natal ou a Páscoa com muitas festas, presentes e luzes. Como está a luz na nossa consciência? Como está o nosso relacionamento familiar? Qual a nossa posição quanto à fidelidade familiar ou frente ao problema da prática do aborto? Como cumprimos os mandamentos da Lei de Deus? Vamos permanecer querendo satisfazer a nossa vontade, ou humildemente procurar a perseverança e o espirito de solidariedade aos preceitos Evangélicos? Não adianta achar positivos os pronunciamentos do “Cefas” atual, o Papa Francisco. O que adianta é vive-los ou cumpri-los. Não basta dizer que achamos o Messias. O importante é colocá-Lo no nosso coração, nas nossas ações, no nosso relacionamento com o próximo. E rezemos pelos homens que dirigem a nossa Nação, para que respeitem os seus eleitores. de hoje, enquanto nós homens, tantas vezes ficamos acorrentados pelo comodismo, ou mesmo ao sabor de torpes desculpas. Ficou gravado na memória daquele adolescente, levado a ‘assistir’ Missa na nossa Basílica, em Nazaré, quando eram celebradas em latim, o celebrante voltado de costas para a assembleia, de frente para o Sacrário. Como os leigos não entendiam nada ou quase nada do idioma oficial da Igreja, o latim, cheguei a ‘flagrar’ algumas mulheres rezando o Terço durante a Missa. Quanto aos homens, no momento da homilia, proferida no idioma local, a maioria se dirigia para o pátio externo do Templo, assim desprezando o que era chamado de ‘sermão’. Tal atitude, toma-se como um sinal da distância que separava os leigos da hierarquia. Até mesmo na intimidade do confessionário, o penitente ficava separado do confessor por uma tela, que dificultava a comunicação visual. Na próxima edição estarei partilhando o despertar da minha vivência na caminhada como leigo na Igreja, missão que hoje me inspira e conduz.

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior diretor administrativo e financeiro ­Marcos Aurélio de Oliveira diretor de comunicação Mário Jorge Alves da Silva diretor de captação de recursos ­Arnaldo Pinheiro

Evangelho que a Igreja nos propõe como leitura dominical, esta semana, mostra Jesus sendo apontado como “o Cordeiro de Deus” e André conduzindo seu irmão chamado Simão ao seu encontro. O texto sagrado tem um detalhe que me chamou especial atenção. “Jesus olhou bem para ele e disse: ´Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas´”. Cefas quer dizer Pedra e Simão virou Pedro. Mas o curioso é o fato de Jesus haver olhado bem para ele, como se estivesse buscando, em seu interior, o nome que significasse a missão que lhe seria confiada. Sobre aquela pedra, ou sobre aquele Pedro, Jesus edificaria sua Igreja. Pedro, até hoje, é um pilar da doutrina que tem no Redentor o grande eixo. Por que, me pergunto, Jesus olhou bem para Simão? Por acaso não o conhecia, não sabia de seu coração e da firmeza de sua fé para transformá-lo em alicerce capaz de sustentar a Igreja e o papado? Claro que sabia

exatamente quem era aquele pescador e até onde poderia contar com sua ajuda. Mas por que olhou bem? Seguramente Jesus não observava o exterior, mas o coração daquele homem a quem deu uma enorme responsabilidade. E ao fixá-lo, permitiu que Pedro também visse com atenção a face dAquele que seria a própria Igreja. Pedro teve a graça de conhecer Jesus e merecer sua confiança. Atualizando a cena, é possível, hoje, olhar atentamente para Jesus na Eucaristia, enquanto O adoramos. Nesse momento, de forma particular, Ele também nos olha diretamente nos olhos. Trata-se de um instante de profunda intimidade, que deveria ser melhor aproveitado por aqueles que, como Pedro, são chamados a contemplar a face de Cristo. Os católicos devem ser agradecidos a nossa Igreja, que nos permite olhar para Jesus, ficar perto dEle e recebê-Lo na forma eucarística. Isso é motivo de grande alegria e um verdadeiro privilégio.

Assim na terra como no céu ... Pe. Helio Fronczak

heliofronczak@gmail.com

Sínodo: dimensão Mariana

N

os meses de novembro e dezembro 2017 comentei sobre as várias dimensões que tem a sinodalidade a qual a Igreja é chamada a viver. Está lembrado? Sínodo: caminho juntos. A nossa Arquidiocese vai realizar em 2019 um sínodo. Para que façamos de verdade um “caminho juntos” não podemos deixar de lado os vários componentes ou dimensões de um sínodo: a imersão na vida trinitária, com os relacionamentos das pessoas divinas que é totalmente baseado no amor-doação; a atitude pascal de Cristo, que implica constante renúncia e morte a si mesmo para então ressuscitar; a superação do individualismo como condição indispensável para se entrar na lógica evangélica, sendo não a um conjunto de argolas fechadas, colocadas uma ao lado das outras, mas comportando-se como um elo aberto, e ligado com o outro, incluindoo, para juntos “fazerem uma corrente”; e, além disso, estar conscientes de que não basta

coordenação (Interina) Padre Nilton Cezar Reis (DRT/PA 2840) conselho de programação e editoração Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Edwaldo Lobo Monteiro editoração eletrônica Sérgio Santos (DRT/PA 579) As­si­na­tu­ras, dis­tri­bui­ção, ad­mi­nis­tra­ção e re­da­ção Av. Go­v. Jo­sé Mal­cher, Ed. Pau­lo VI, 915 CEP: 66055-260

só proclamar a comunhão para que ela aconteça automaticamente, pois somente quem “é-Igreja”, se “faz-Igreja”. Este é o nosso grande desafio: “fazer da Igreja a casa e a escola da comunhão” (NMI, 43). A sinodalidade não pode não referir-se a Maria. Papa Francisco comenta na Evangelii Gaudium: “Com o Espírito Santo, em meio ao povo está sempre Maria” (n. 284). “Ela”, evidencia o Papa, “reunia os discípulos para invocá-lo, e assim tornou possível a explosão missionária que aconteceu no Pentecostes”. “Ela é a Mulher de fé, que caminha na história” e também está presente nas “fases de aridez”, nas “noites da fé”, mas “se deixa conduzir pelo Espírito”, [...] rumo a um destino de serviço e de fecundidade” (n. 287). Daí a lógica a conclusão do Papa Francisco: “Existe um estilo mariano na atividade evangelizadora da Igreja” (n. 288). Sobre esta indicação devemos muito refletir e muito mais ainda realizar!

- Na­za­ré, Be­lém - PA Te­l.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Re­da­ção: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veí­cu­lo da Fun­da­ção Na­za­ré de Co­mu­ni­ca­ção ­CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Im­pres­so no par­que grá­fi­co de O Li­be­ral

fundação nazaré de comunicação


3

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Conversa com meu povo

Arcebispo

Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

N

este ano de 2018 a Igreja assistirá a mais uma Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, aprofundando a realidade da juventude e da vocação. Na Arquidiocese de Belém, escolhemos o tema do Círio de Nazaré do presente ano, “Uma jovem chamada Maria”, para oferecer a todos, especialmente à juventude, o modelo e a intercessão daquela que é companheira em nossa aventura de fé, a Virgem Maria. O Documento Preparatório do Sínodo oferece elementos preciosos de reflexão e pistas de ação para ajudar nossos adolescentes e jovens na descoberta da própria vocação e a necessária resposta aos apelos de Deus. A provocante pergunta sobre a vocação precisa ser amplamente apresentada na Igreja e nas famílias, sob pena de boicotar um direito inerente à dignidade cristã das novas gerações, como também das pessoas mais maduras. Mesmo as pessoas com estado de vida e lugar definidos na Igreja e na sociedade terão imenso proveito se forem capazes de rever a própria história a partir da ótica da vocação. Valerá a pena descobrir o fio de ouro com o qual Deus foi tecendo acontecimentos diversos, sucessos e insucessos, defeitos e virtudes, em vista do bem daqueles que descobriram e se empenharam em responder ao amor com o qual foram criados. Do Documento Preparatório do Sínodo recolhemos algumas pistas orientadoras para tratarmos do tema “Vocação”. A certa altura, este texto nota que vir ao mundo significa encontrar a promessa de uma vida boa e que ser recebido e protegido é a experiência originária que inscreve em cada um a confiança de não ser abandonado à falta de sentido, nem à obscuridade da morte, e a esperança de poder manifestar a própria originalidade num percurso rumo à plenitude da vida. A sabedoria da Igreja oriental ajudanos a descobrir como esta confiança está radicada na experiência de “três nascimentos”: o nascimento natural, como mulher ou como homem, num mundo capaz de receber e promover a vida; o

Qual é sua vocação? divulgação

w Samuel aprendeu a reconhecer a voz de Deus: “Fala. Senhor, que teu servo escuta!”

nascimento do batismo, “quando alguém se torna filho de Deus pela graça”; e depois um terceiro nascimento, quando se verifica a passagem “da forma de vida corporal para aquela espiritual”, que abre ao exercício maduro da liberdade (Cf. Discursos de Filoxeno de Mabug, bispo sírio do século V, n. 9). Cabe à família e à Igreja oferecer os meios necessários para que adolescentes e jovens se abram para esta vida espiritual, da qual o chamado de Deus, vocação, é um dos elementos fundamentais e não passem a vida apenas perguntando o que querem fazer neste mundo, mas entrem num, sem um relacionamento dialogal, plantado pelo Espírito Santo no coração das pessoas e se perguntarem sobre a vontade de Deus em suas vidas. A fé é a fonte do discernimento vocacional, porque oferece os seus conteúdos fundamentais, as suas articulações específicas, o seu estilo singular e a pedagogia que lhe é própria. Receber este dom da graça com alegria e disponibilidade requer que ele se torne fecundo através de escolhas de vida concretas e coerentes. A fé não é um refúgio para gente sem coragem, mas a dila-

Um sonho grande nos indica o desejo de que se organize em cada paróquia o “Serviço de Animação Vocacional” tação da vida: faz descobrir um grande chamado — a vocação ao amor — e assegura que este amor é fiável, que vale a pena entregar-se a ele, porque o seu fundamento se encontra na fidelidade de Deus, que é mais forte do que toda a nossa fragilidade. Esta fé torna-se luz para iluminar todas as relações sociais, contri-

buindo para construir a fraternidade universal entre os homens e as mulheres de todos os tempos. (Cf. Lumen fidei, 53-54). Acreditar significa colocar-se à escuta do Espírito e em diálogo com a Palavra, que é caminho, verdade e vida (Cf. Jo 14, 6), com toda a própria inteligência e afetividade,

aprender a dar-lhe confiança encarnando-a na realidade quotidiana, nos momentos em que a cruz se faz próxima e naqueles em que se experimenta a alegria perante os sinais de ressurreição, precisamente como fez João, o discípulo amado. O espaço deste diálogo é a consciência, o centro mais secreto e o santu-

ário do homem, no qual ele se encontra a sós com Deus, cuja voz se faz ouvir na intimidade do seu ser (Cf. Gaudium et spes, 16), um espaço inviolável onde se manifesta o convite a aceitar uma promessa. Distinguir a voz do Espírito dos outros apelos e decidir que resposta dar é uma tarefa que compete a cada um. Os outros podem acompanhar e confirmar, mas jamais substituir esta decisão pessoal. No discernimento vocacional, ou seja, no processo com que a pessoa, em diálogo com o Senhor e à escuta da voz do Espírito aparecem as perguntas: como viver a Boa Notícia do Evangelho e responder ao chamamento que o Senhor dirige a todos aqueles dos quais vai ao encontro, através do casamento, do ministério ordenado, da vida consagrada? E qual é o campo em que se pode fazer frutificar os talentos pessoais, como a vida profissional, o voluntariado, o serviço aos últimos, o compromisso na política? A Palavra de Deus nos apresenta algumas figuras que se envolveram com Deus e seus apelos. Na Liturgia do Segundo Domingo do Tempo Comum, Samuel teve que aprender a reconhecer a voz de Deus para chegar a dizer “Fala. Senhor, que teu servo escuta!” André, João e Simão Pedro fizeram também sua estrada de discernimento. Foi João Batista, dizendo “Eis o Cordeiro de Deus” que desencadeou o processo que viveram, para se transformarem em discípulos e apóstolos do Senhor. Faz-se necessário aprender a escutar, acolher as pessoas que nos ajudam, dedicar-se à oração, fazer uma verificação corajosa quando se identificam os sinais do chamado de Deus. E é no espaço da comunidade cristã que se processa o discernimento vocacional. Um sonho grande, mas não impossível, nos indica o desejo de que se organize em cada paróquia o “Serviço de Animação Vocacional”, a fim de que o assunto vocação entre na pauta cotidiana da vida de Igreja. Deus nos conceda esta graça!


4

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Arquidiocese agenda de dom antônio de assis ribeiro

agenda de dom irineu roman

agenda de dom alberto corrêa n De 12 a 18 de janeiro de 2018

n De 12 a 18 de janeiro de 2018

n De 12 a 18 de janeiro de 2018

n Sexta, 12 de janeiro 8h - Missa em Ação de Graças pelos 402º Aniversário da Cidade de Belém (Catedral Metropolitana) 19h - Missa Paróquia Santa Edwiges n Sábado, 13 de janeiro 9h - Batizado (Residencial Episcopal) 11h - Assembleia da Pastoral das Ilhas - Cúria 19h - Crisma Paróquia Nossa Senhora de Lourdes n Domingo, 14 de janeiro 8h30 - Missa Comunidade Cristo Redentor (Paróquia Santo Antônio de Pádua) 19h - Missa Paróquia São Francisco de Assis - Icoaraci n Segunda, 15 de janeiro 9h - Formação para Agentes da Pastur (Pastoral do Turismo) - Casa de Plácido n Terça, 16 de janeiro 8h30 - Audiências 10h - Atividades CNBB 19h - Missa Comunidade Santíssimo Redentor - Icuí Guajará n Quarta, 17 de janeiro 8h30 - Audiências 19h - Formação na Semana Catequética da Região Coração Eucarístico de Jesus n Quinta, 18 de janeiro 8h30 - Audiências 14h - Programa Entre Nós 19h30 - Missa Comunidade São Sebastião (Paróquia São Pio X)

n SEXTA, 12 DE JANEIRO

8h - Missa em Ação de Graças pelo 402º Aniversário da Cidade de Belém (Catedral Metropolitana) 10h - Audiências 12h - Missa no encerramento do RENASEM (Basílica Santuário) 16h - Audiências n SÁBADO, 13 DE JANEIRO

9h - Missa (Asilo Pão de Santo Antônio) 16h - Audiência 19h - Missa de Posse do Padre Bruno Sechi (Paróquia São João Paulo II) n DOMINGO, 14 A QUINTA 18 DE JANEIRO

Encontro de Bispos do Movimento dos Focolares (Aracati - CE)

Os compromissos de Dom Alberto Taveira podem sofrer alterações sem aviso prévio.

n SEXTA, 12 DE JANEIRO 8h - Missa em Ação de Graças pelos 402º Aniversário da Cidade de Belém (Catedral Metropolitana) 10h - Reunião da Pastoral Carcerária 18 h - Cerimônia de Imposição de Medalha de Honra ao mérito - Hangar n SÁBADO, 13 DE JANEIRO 9h - Assembleia da Juventude Diocese de Castanhal 19h - Missa na festividade de São Sebastião Sacramenta n Domingo, 14 DE JANEIRO 7h - Missa e Assembleia Pastoral na Paróquia São Francisco Xavier - Marco n SEGUNDA, 15 DE JANEIRO 10h - Missa na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora Envio da Missão Providentina 15h - Audiências n TERÇA, 16 DE JANEIRO 8h- Faculdade Católica 16h - Audiências 19h - Missa na Igreja do Carmo - Cidade Velha n QUARTA, 17 DE JANEIRO 8h30 - Audiência 14h - Programa Fé e Vida - Rádio Nazaré FM n QUINTA, 18 DE JANEIRO 8h - Audiências 14h - Audiências 19h30 - Missa na Paróquia São Sebastião em Santa Bárbara Os compromissos de Dom Antônio de Assis podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Os compromissos de Dom Irineu Roman podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Homilia Dominical Padre Romeu Ferreira romeufsilva@gmail.com

A) Texto: Jo 1,35-42

Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma

35 João estava de novo com dois de seus discípulos, 36 e, vendo Jesus passar disse: “Eis o Cordeiro de Deus!” 37 Ouvindo essas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus. 38 Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou: “O que estais procurando?” Eles responderam: “Rabi (que quer dizer mestre), onde moras?” 39 Jesus respondeu: “Vinde e vede”. Foram, pois, ver onde ele morava e, nesse dia, permaneceram com ele. Era por volta das quatro da tarde. 40 André, irmão de Simão Pedro, era um dos

dois que ouviram as palavras de João e seguiram Jesus. 41 Ele foi encontrar primeiro seu irmão Simão e lhe disse: “Encontramos o Messias” (que quer dizer Cristo). 42 Então André conduziu Simão a Jesus. Jesus olhou bem para ele e disse: “Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas” (que quer dizer pedra). B) Comentário O evangelista João partilha com André, o seu primeiro encontro maravilhoso com o mestre. Como é bom fazer o bem e levar os outros a experimentá-lo! Este encontro com Jesus o marcou tanto, que até a hora ficou gravada em sua mente, em sua vida: “nesse dia, permaneceram

com ele. Era por volta das quatro da tarde” (v 39). No gênesis, a tarde é o início do dia: “Houve uma tarde e uma manhã, primeiro dia”... Eles iniciam um novo dia, uma nova vida de aprendizado. Eles deixam o antigo mestre pelo novo (v 37). João Batista tem dois discípulos a menos, e Jesus adquire os seus primeiros, saídos da escola do precursor. O catequista João Batista atualiza em seu gesto, a Festa máxima do Antigo Testamento para seus alunos, indicando já no presente, o real cordeiro pascal: “Eis o Cordeiro de Deus!” (v 36). Jesus observa os que o seguem, para logo indagá-los. Ele nos interrogará quando verificar que nós o procuramos e o seguimos

com afinco. A pergunta só despontará mediante o itinerário de sua sequela: “vendo que o estavam seguindo...” (v 38). O que realmente procuramos na vida? Qual é o sentido dela? O mestre não fornece seu endereço a ninguém, mas faz um convite, chama para a experiência com ele: “Vinde e vede” (v 39). Quem realmente permanece com Jesus ainda que só um dia, já sente brotar o impulso missionário de convidar e levar outros a ele. João Batista leva os dois a Jesus, André já conduz o irmão... e, é assim que vai se formando a Igreja e o Reino, expandindo-se no testemunho da experiência e fé partilhada. Será se tenho consciência e ponho em prática esta indispensável dinâmi-

ca: experiência e missão? É curioso observar a frase de André: “Encontramos o Messias” (v 41). Ora, se diz “encontramos”, no plural, significa um consenso de todos, de que já o estavam buscando. Um dado importante aqui, é a busca comunitária do Senhor, expressa pelo verbo no plural. Jesus dá as boas vindas a Pedro, revelando assim um conhecimento superior. Ele nos olha, nos conhece e nos chama através das pessoas. Valorizemos o chamado para entendermos o que somos e o que seremos: “tu és / tu serás”. O nosso presente e o nosso futuro estão interligados e se revelam como itinerário de vida, no cruzar de olhares nosso com o do mestre.

Liturgia da Semana w 12/01, SEXTA-FEIRA

Cor (verde) Primeira Leitura (1Sm 8,4-7.10-22a) Responsório (Sl 88) Evangelho (Mc 2,1-12)

w 13/01, SÁBADO

Cor (verde)

Primeira Leitura (1Sm 9,1-4.17-19;10,1a) Responsório (Sl 20) Evangelho (Mc 2,13-17)

w 14/01, DOMINGO

Cor (verde) Primeira Leitura (1Sm 3,3b-10.19) Responsório (Sl 39)

Segunda Leitura (1Cor 6,13c-15a.17-20) Evangelho (Jo 1,35-42)

w 15/01, SEGUNDA

Cor (verde) Primeira Leitura (1Sm 15,16-23) Responsório (Sl 49) Evangelho (Mc 2,18-22)

w 16/01, TERÇA-FEIRA

Cor (verde) Primeira Leitura (1Sm 16,1-13) Responsório (Sl 88) Evangelho (Mc 2,23-28)

w 17/01, QUARTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura

(1Sm 17,32-33.37.40-51) Responsório (Sl 143) Evangelho (Mc 3,1-6)

w 18/01, QUINTA-FEIRA

Cor (verde) Primeira Leitura (1Sm 18,6-9;19,1-7) Responsório (Sl 55) Evangelho (Mc 3,7-12)


5

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

C

om informações Vatican News. Dando continuidade a série de catequeses sobre a Santa Missa, o Papa Francisco dedicou a reflexão da primeira Audiência Geral do ano de 2018 ao Ato Penitencial. A audiência foi realizada na quarta-feira, dia 3 de janeiro. “Na sua sobriedade – disse Francisco aos cerca de sete mil fiéis presentes na Sala Paulo VI - ele favorece a atitude que deve ser assumida para celebrar dignamente os santos mistérios, ou seja, reconhecendo diante de Deus e dos irmãos os nossos pecados (...), pois todos somos pecadores”. Mas para receber o perdão de Deus, devemos reconhecer nossos erros e pedir perdão, pois “o que o Senhor pode dar a quem já tem o coração cheio de si, do próprio sucesso?”, pergunta. “Nada, porque o presunçoso é incapaz de receber perdão, saciado como é da sua presumível justiça”, respondeu o Papa, citando a parábola do fariseu e do publicano, em que somente o segundo volta para casa perdoado. “Sabemos por experiência - recorda - que somente quem sabe reconhecer os erros e pede perdão recebe a compreensão e o perdão dos outros”: “Escutar em silêncio a voz da consciência permite reconhecer que os nossos pensamentos são distantes dos pensamentos divinos, que as nossas palavras e as nossas ações são muitas vezes

Vaticano

Papa: pecado rompe relação com Deus e com os irmãos

Papa dedicou a reflexão da primeira Audiência Geral do ano ao Ato Penitencial fotos: divulgação

senhora que ao confessar-se, contava os erros do marido: “Depois passou a contar os erros da sogra e depois os pecados dos vizinhos. Em determinado momento, o confessor disse a ela: “Mas senhora, me diga: acabou?” – “Não, sim, disse...” – “Muito bem: a senhora w PAPA FRANCISCO encontrou 7 mil fiéis na Sala Paulo VI na primeira audiência acabou com os pecados dos mundanas, guiadas, isto de, não basta não fazer do rompe sempre: sepa- outros. Agora comece a dizer os seus...” Os próé, por escolhas contrá- mal ao próximo, é preci- ra, divide”. “As palavras que di- prios pecados...” so escolher fazer o bem, rias ao Evangelho.” Por isto – explica o aproveitando as ocasiões zemos com a boca são Bem-aventurada Pontífice – no início da para dar um bom teste- acompanhadas pelo Virgem Maria Missa “cumprimos co- munho de que somos gesto de bater no peito Após a confissão dos – fazemos assim - recomunitariamente o ato discípulos de Jesus”. nhecendo que pequei pecados – continuou o penitencial mediante por minha culpa e não Santo Padre - suplicaDimensão uma fórmula de condos outros” diz Francis- mos à Bem-aventurada do pecado fissão geral, pronunciaVirgem Maria, aos Anjos O Papa explica que co, que observa: da na primeira pessoa “Acontece muitas ve- e Santos que roguem ao do singular. Cada um “confessar tanto a Deus confessa a Deus e aos como aos irmãos sermos zes que, por medo ou Senhor por nós. Tamirmãos que “pequei pecadores” nos ajuda a vergonha, apontamos bém aqui – enfatiza – “é muitas vezes, em pensa- compreender a “dimen- o dedo para acusar os preciosa a comunhão mentos e palavras, atos e são do pecado”, que “nos outros. Custa admitir dos Santos, a intercessão separa de Deus, nos di- sermos culpados, mas destes amigos e modelos omissões”. “Sim, também em vide também dos nossos nos faz bem confessá-lo de vida que nos sustenta com sinceridade. Mas no caminho em direção omissões, ou seja, ter irmãos, e vice-versa”: “O pecado rompe: confessar os próprios à plena comunhão com deixado de fazer o bem Deus, quando o pecaque poderia ter feito. rompe a relação com pecados”. E o Papa recordou do será definitivamente Muitas vezes nos senti- Deus e rompe a relação mos muito bons porque com os irmãos, a relação então a história que um aniquilado”. O Santo Padre explica – dizemos – “não fiz ne- na família, na sociedade, velho missionário cosnhum mal”. Na realida- na comunidade. O peca- tumava contar, de uma então que além do “Con-

fesso”, o “ato penitencial pode ser feito com outras fórmulas”, como “Piedade de nós, Senhor”, “Contra ti pecamos”, “Senhor mostra-nos a tua misericórdia/ e nos dê a tua salvação”: “Especialmente no domingo se pode fazer a bênção e aspersão de água em memória do Batismo, que apaga todos os pecados. É também possível, como parte do Ato Penitencial, cantar o Kyrie eléison: com antiga expressão grega, aclamamos o Senhor – Kyrios – e imploramos a sua misericórdia”. O Papa Francisco recorda então “luminosos exemplos de figuras “penitentes” nas Sagradas Escrituras, que “caindo em si após terem cometido o pecado, encontram a coragem de tirar a máscara e abrir-se à graça que renova o coração”. E cita o Rei Davi, o filho pródigo, São Pedro, Zaqueu, a Samaritana: “Comparar-se com a fragilidade do barro do qual fomos formados é uma experiência que nos fortalece: nos coloca diante de nossas fraquezas, nos abre o coração para invocar a misericórdia divina que transforma e converte. E é isto o que fazemos no Ato Penitencial no início da Missa”.

Papa tem encontro marcado com indígenas em Puerto Maldonado Com informações Vatican News. Na segundafeira, 15 de janeiro, o Papa Francisco inicia mais uma Viagem Apostólica internacional, retornando à sua América Latina, para visitar desta vez o Chile e o Peru. Uma das etapas contempla a cidade da Amazônia peruana de Puerto Maldonado, em 19 de janeiro, onde Francisco se reunirá com indígenas do Peru, Bolívia e Brasil. O Bispo do Vicariato Apostólico de Puerto Maldonado, Dom David Martínez Aguirre, informou em um comunicado já ter entregue um convite aos povos indígenas, anunciando que “o Papa Francisco está vindo para ver vocês”. “Contamos a eles quem é o Papa Francisco, o que representa este personagem para a Igreja e a humanidade, que mensagem está nos dando hoje, por que vem a Puerto Maldonado e por que deseja ter um

encontro específico com eles”, explicou. Locais muito afastados

O prelado acrescentou ainda ter mantido “conversas com as federações, com algumas organizações indígenas, para ouvilas”, para somente então elaborar listas e “buscar formas de financiamento”, pois – explica – “uma das dificuldades que as comunidades nativas têm, em sua maioria, é que vivem em locais muito afastados”. Para chegar até o local onde muitos deles vivem, é possível somente “com o uso de transporte fluvial que é muito mais caro. Assim era preciso se organizar, buscar financiamento. Uma vez conseguida esta ajuda e que agora já temos as nossas planilhas, estamos trabalhando na organização das viagens”. Dom Martínez disse que o Papa, em sua Encíclica Laudato Si, afir-

ma que “os povos indígenas são minorias que devem ser levadas em conta, porque nos estão dando a possibilidade de outras direções a nossa humanidade”. “O que eu espero deste encontro – revela o bispo - é que os povos indígenas sejam reconhecidos como protagonistas importantes que devem sentar-se nas mesas de negociação de nosso mundo, não somente para as políticas que afetam seus territórios, mas também para as políticas nacionais em nível mundial”. A cidade de Puerto Maldonado, capital da região amazônica de Madre de Dios, está quase pronta para receber a visita de Francisco, garantiu. O Vicariato também adiantou que durante sua permanência na cidade, Francisco “dará uma mensagem aos povos indígenas e não indígenas da Amazônia”, e que poderá reunir-se

w programação Coliseu de Puerto Maldonado

com indígenas do Brasil e Bolívia, já que Madre

D D

de Dios é uma região fronteiriça entre os três

países.O Papa chegará ao Peru vindo do Chile.

eus passa pelas estradas empoeiradas da nossa vida e, aproveitando da nossa nostalgia de amor e felicidade, nos chama à alegria. (5 de janeiro) eus se fez Menino para se aproximar do homem de todas as épocas, demonstrandolhe a sua infinita ternura. (4 de janeiro)


6

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Igreja no Mundo

País legaliza festividade da Imaculada

Lei nas Filipinas legalizou em dezembro dia 8 de dezembro como uma festividade em todo o país

C

om informações da agência Gaudium Press. O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, assinou no dia 28 de dezembro a Lei da República número 10966, uma norma que “declara o dia 08 de dezembro de cada ano como uma festividade em todo o país para comemorar a Festa da Imaculada Conceição de Maria”. A lei beneficia aos 103 milhões de católicos do país, que representam 80 por cento da povoação. Apesar de não preve-

nir que algumas companhias trabalhem no dia festivo e nem classificar como uma festividade remunerada, a medida faz com que os empregados recebam ao menos uma retribuição econômica 30 por cento maior se forem trabalhar. Até o presente momento, algumas empresas e numerosas escolas concediam o dia livre para que os fiéis pudessem cumprir seus deveres religiosos. “A medida do presidente é um justo reconhecimento à Santíssima

fotos: divulgação

w religiosas filipinas; 80% da população do país é católica

Virgem, nossa patrona”, indicou o membro do

movimento leigo Casais para Cristo. “Esta decisão

devia ter sido tomada há muito tempo. Se celebra-

mos a festa dos mortos e o dia do herói como festa nacional, por que não devemos fazer o mesmo com a solenidade da Imaculada Conceição”, comentou Slym Villegas. A solenidade da Imaculada Conceição inspira numerosas celebrações e festividades ao longo do mundo. A Imaculada Conceição é uma das festas de preceito da Igreja Católica em muitos países e sua devoção é especialmente marcada nos países de herança cultural hispânica.

Milhares cruzarão fronteiras para ver o Papa no Chile

w fiéis de diversas dioceses estão programando o encontro com o Papa

Com informações da agência ACI digital. Milhares de peregrinos de Argentina, Peru, Bolívia e outras regiões distantes cruzarão cordilheira, deserto e mar para se encontrar com o Papa Francisco entre os dias 16 e 18 de janeiro, durante sua visita apostólica ao Chile. Do Oceano Pacífico, a 3800 quilômetros do Chile, cerca de 80 fiéis da Ilha de Páscoa viajarão

durante cinco horas de avião para Santiago, a fim de participar no dia 16 de janeiro da “Missa pela Paz e a Justiça”, presidida pelo Papa Francisco. No dia 18 de janeiro, na Missa de ‘Nossa Senhora do Carmo, Rainha e Mãe do Chile’, que acontecerá em Iquique, também viajarão diversos fiéis da Diocese de Tacna e Moquegua, no sul do Peru. Também chegarão a Iquique cerca de 250

peregrinos da Prelazia de Humahuaca, em Jujuy, Argentina, distante aproximadamente mil quilômetros. Os fiéis realizarão um trajeto de 22 horas depois de cruzar a Cordilheira dos Andes. Do extremo sul do Chile, onde há ventos de mais de 100 quilômetros por hora, mais de 200 peregrinos cruzarão de avião cerca de 2100 quilômetros para ver o Papa Francisco.

Igreja no Brasil

C

om informações da agência Gaudium Press. A antiga concatedral de São Pedro dos Clérigos teve suas portas reabertas na noite da quarta-feira, 27 de dezembro. Após cinco anos de espera, o templo foi revisitado pelos fiéis, que acompanharam as apresentações do Quinteto de Cordas da Orquestra Criança Cidadã, do Quarteto Encore, e a celebração eucarística presidida pelo Arcebispo Dom Fernando Saburido. Desde 2012 a concatedral estava passando por reformas, que foram

Templo no Recife é reaberto

w igreja São Pedro dos Clérigos pode novamente ser visitada por fiéis

aplicadas no telhado, na parte estrutural e elétri-

ca e nos banheiros, além de renovação do sistema

de som e iluminação. Agora, a igreja datada

do século XVIII volta a ser um dos pontos turísticos do Recife, realizando a reunião da comunidade católica através de missas e atividades pastorais. Ao comentar na missa em ação de graças a reabertura da igreja, Dom Saburido declarou ao público que estava com o coração cheio de alegria por voltar ao espaço litúrgico. “Fico feliz em podermos devolver ao povo um templo seguro, bonito, agradável, que favore-

ça a relação das pessoas com Deus”, comentou. “Ao valor histórico e patrimonial da igreja será agregado o valor da evangelização, do serviço, da vida pastoral que é missão de todos nós”, disse. Pertencente à irmandade de São Pedro dos Clérigos, a igreja está inserida no conjunto do Pátio de São Pedro (igreja e casario colonial), que foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1938.

Mosteiro da Gávea festeja os 90 anos da restauração do Carisma Clariano

w na gávea construção é vista como um "oásis" de paz na região

Com informações da agência Gaudium Press. O Mosteiro de Nossa Senhora dos Anjos, também conhecido como o Mosteiro da Gávea, situado no Rio de Janeiro, celebra neste ano seus 90 anos de fundação, marcados por inúmeras histórias de fé e espiritualidade. No dia 19 de maio de 1855, o Ministério da Justiça do Império proibia, em absoluto, a recepção de noviços em todas as ordens religiosas no país. Logo, a Ordem de Santa Clara (OSC), que estava

em terras brasileiras desde 1677, foi uma das vítimas da perseguição até o falecimento da última Clarissa em 1915. Entretanto, há 90 anos, as Damas Pobres de São Damião regressaram ao país com a fundação do Mosteiro da Gávea. A Abadessa do Mosteiro de Nossa Senhora dos Anjos, Madre Maria Pacífica, contou que esse retorno ocorreu em 25 de setembro de 1928. Em vista das celebrações deste Jubileu de 90 anos da restauração

do Carisma Clariano no Brasil, que tiveram início em 2017 e continuarão até agosto de 2018, A construção da obra no morro da Gávea é vista como um “oásis” de paz em meio à insegurança causada pelo tráfico na vizinha Rocinha. A Abadessa do Mosteiro da Gávea ressaltou que celebrar um jubileu, como tempo de graça, é sempre um chamado à renovação, uma vez que “a espiritualidade clariana para o mundo de hoje é o que foi no século XIII”.


7

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Igreja

Livro do Congresso Missionário Nacional

divulgação

Obra apresenta a sistematização do evento realizado em setembro de 2017 em Recife

A

Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) acaba de lançar a publicação “4º Congresso Missionário Nacional – Missão Permanente – Reflexões e Propostas”. Trata-se da sistematização do processo vivido no 4º Congresso Missionário Nacional, realizado de 7 a 10 de setembro de 2017, na Arquidiocese de Olinda e Recife (PE). O encontro foi coordenado pelas Pontifícias Obras

Missionárias (POM), um dos organismos ligados à CNBB. Segundo o bispo auxiliar de São Luís do Maranhão (MA) e presidente da Comissão para a Ação Missionária, Dom Esmeraldo Barreto de Farias, com o material em mãos, é necessário lê-lo com atenção e encontrar formas de partilhá-los com as comunidades, com outras pessoas e organismos missionários nos vários níveis. O conteúdo do livro, publicado pela Edições CNBB, nasceu da temática central do Congresso: “A alegria do

Evangelho para uma Igreja em saída”, inspirado no convite do Papa Francisco para uma nova etapa evangelizadora marcada pela alegria, e nos processos de preparação ao 5º Congresso Missionário Americano (CAM 5), a ser realizado na Bolívia em julho deste ano. A publicação está organizada em quatro partes, com a primeira formada pelos discursos proferidos na abertura do Congresso, a segunda

pelas conferências: Igreja em Saída; Testemunho e Profetismo; Sinodalidade; Comunhão e Alegria do Evangelho. A terceira parte contém as sínteses das reflexões e propostas das 23 oficinas, bem como alguns depoimentos dos congressistas e síntese final dos assessores. A quarta parte traz a mensagem final às comunidades eclesiais. Todos os conteúdos são desafios para a missão ad gentes, até os confins do

mundo e sem fronteiras. A publicação pode ser encontrada no site da Edições CNBB, no endereço: www.edicoescnbb.com.br CONGRESSO

O 4º Congresso Missionário Nacional foi promovido pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) em comunhão com o Conselho Missionário Nacional (Comina) e a Arquidiocese de Olinda e Recife, realizado de 7 a 10

de setembro de 2017, em Recife (PE). O evento foi realizado com o objetivo geral de impulsionar as Igrejas no Brasil para um dinamismo de saída e caminhar juntos no testemunho da alegria do Evangelho, da comunhão e do profetismo, no compromisso com “as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens e mulheres de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem” (GS 1).

Mundo juvenil e a fé cristã Dom Antônio de Assis Ribeiro - Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

O Educativo-Pastoral do Setor Juventude - alguns compromissos importantes! (Parte III)

1

Eixos fundamentais Estamos apresentando o Projeto Educativo-Pastoral do Setor Juventude da Arquidiocese de Belém. Como já afirmamos nas reflexões anteriores, trata-se de uma humilde resposta eclesial aos problemas pelas quais passam a juventude na zona metropolitana: vazio existencial, criminalidade, violência, alto índice de homicídio, gravidez precoce, prostituição, drogadição, dispersão, indiferença religiosa etc. O projeto também quer alimentar, reforçar e animar a todos os jovens que vivem dignamente: que já são animados pela fé, estão bem engajadas em suas comunidades, são animadores de outros jovens, vivem comprometidos com a promoção do Reino de Deus e sentem-se engajados em boas lutas na sociedade; todos são destinatários do mesmo projeto. O projeto já se encontra alinhado com os eixos fundamentais decididos na Assembleia Pastoral da Arquidiocese de Belém na última Assembleia Pastoral, a saber: missionariedade, comunhão, formação, espiritualidade, serviço profético

da caridade e comunicação. A c re s c e n t a m o s t a m b é m nesse projeto da pastoral juvenil o desafio da sustentabilidade econômica.

2

Eixos e Linhas de ação A seguir apresentamos cada um desses eixos e algumas das suas principais linhas de ação ou compromissos assumidos na Assembleia da Juventude e aprovados pelos bispos. Para cada linha de ação há uma diversidade de estratégias adotadas, mas não convém apresentá-las aqui. Cada um desses compromissos deverá ser assumido pelos jovens organizados em todas as estruturas eclesiais, sejam elas paroquiais e da vida consagrada. Enfim, vale a pena observar, que as propostas presentes no projeto do Setor Juventude não suprime a liberdade das várias organizações de carismas ou expressões juvenis. Todavia, atenção, também não consente com a indiferença insistindo numa dinâmica pastoral paralelamente ao que apresenta a Arquidiocese. Somos Igreja Católica e devemos estar em comunhão! O paralelismo pastoral foi uma das mais doloridas chagas acusa-

das na Assembleia Pastoral. Então vamos superá-las. MISSIONARIEDADE:

- Consolidar o setor juventude dentro da Igreja de Belém como uma instância juvenil unida e articulada; - Suscitar novos grupos da pastoral juvenil e a presença de jovens nos tradicionais movimentos e associações; - Desenvolver nas expressões um processo de animação missionária juvenil nas áreas periféricas e ilhas de nossa Arquidiocese; - Organizar e promover a experiência das Santas Missões Populares Juvenis. COMUNHÃO:

- Promover entre as diversas expressões juvenis a integração através do esporte e atividades lúdicas; - Garantir como setor juventude uma experiência juvenil evangelizadora efetiva no Círio de Nazaré; - Impulsionar momentos de comunhão eclesial entre comunidades, paróquias e regiões episcopais; - Assegurar que o setor juventude esteja em comunhão com as orientações da Igreja Católica para o mundo juvenil;

FORMAÇÃO: - Proporcionar experiências de formação integral com os jovens das expressões abordando temáticas de interesse juvenil; - Promover a formação de novas lideranças juvenis em cursos específicos em nível de extensão universitária pela Faculdade Católica de Belém; ESPIRITUALIDADE:

- Propiciar aos jovens a experiência formativa que favorece para o crescimento como discípulos de Jesus Cristo; - Aprofundar o conhecimento da figura de Maria e do sentido da devoção mariana; - Possibilitar experiências de encontro, conhecimento e intimidade espiritual com a pessoa de Jesus Cristo; SERVIÇO PROFÉTICO DA CARIDADE

- Estimular ações sociais, artísticas, e esportivas com jovens nas periferias; - Criar parceria com a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM); - Favorecer a experiência do voluntariado social; - Articular um grupo juvenil de reflexão ecumênica; - Alimentar a participação

do setor juventude no âmbito político e social da juventude na garantia dos direitos humanos e políticas públicas; COMUNICAÇÃO

- Explorar o uso das mídias sociais em vista da evangelização da juventude; - Fazer-se presente, como setor juventude, nos ambientes virtuais; - Adquirir um “trio elétrico” destinado ao serviço de evangelização do Setor Juventude, das Novas Comunidades e das Paróquias. SUSTENTABILIDADE:

- Animar a conscientização da necessidade da autossustentabilidade do Setor Juventude; - Promover o estudo de noções de administração, elaboração de projetos e gestão de eventos. REFLEXÃO: O que você entende sobre esses sete eixos fundamentais? São importantes? Qual desses eixos fundamentais é o mais desafiador? Com quais outras linhas de ação a sua pastoral, grupo ou expressão juvenil pode contribuir?

1 2 3


8

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Nazaré Repórter

rádio nazaré

J Campanha da

fm

z mh 3 . 91 divulgação

divulgação

Fraternidade 2018

Com o tema “Fraternidade e superação da violência” e o lema “Vós sois todos irmãos” (Cf. Mt 23, 8) acontece no sábado, dia 20 de janeiro, de 9h às 11h, no auditório da Paulinas Livraria, o workshop sobre a Campanha da Fraternidade 2018. A programação tem objetivo de contribuir para a construção da fraternidade, promovendo a cultura da paz, da

l Enxaqueca infantil será tema na Rádio Nazaré FM reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho da

superação da violência. A assessoria do evento será feita pelo Bispo Auxiliar de

Belém, Dom Irineu Roman. Mais informações pelo telefone (91) 3241 3607.

divulgação

J Cursos Gratuitos Estão abertas as inscrições para diversos cursos gratuitos que serão realizados neste mês de janeiro pela Universidade da Amazônia (Unama) durante a programação do Capacita 2018. São 12 mil vagas em

mais de 200 cursos ofertados pelos professores e estudantes no período entre 3 a 30 de janeiro, nos campi Alcindo Cacela, Senador Lemos e Ananindeua. A programação completa dos cursos está disponível no site da Unama.

No Programa Saúde e Cidadania desta segunda-feira, 15, o tema em debate será “Enxaqueca infantil: Causas, sintomas e tratamento”. Geralmente a queixa é quando a criança está em lugares barulhentos ou muito iluminados. Será que existe diferença entre

Rádio Nazaré FM - 91,3. A serviço da vida. nossa missão é evangelizar!

rede nazaré de televisão

J Processo Seletivo 2018

J Livro “400 anos da Catedral de Belém” Está disponível para aquisição na Catedral Metropolitana, no Espaço São José Liberto – Praça Amazonas, Jurunas, e na Livraria Fox Vídeo, o livro que retrata a história da Catedral - Paróquia Nossa Senhora da Graça -. O livro de autoria do engenheiro agrônomo, Ernesto Boulhosa, contou com uma pesquisa de dois anos. No

livro é contado o processo de evangelização desde as primeiras construções do templo - Paróquia Nossa Senhora da Graça – até os tempos atuais, e o empenho de cada bispo ao longo dos anos, neste foi destacado a atuação do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa.

J Prêmios

30

l NOVENA: PERPÉTUO SOCORRO na sede da Escola Papa Francisco Pará. A prova de seleção será aplicada no dia 22 de Janeiro. Mais informações no site: www. escolapapafrancisco.com. br divulgação

Literários 2018

Continuam abertas as inscrições para o edital Prêmios Literários 2018 da Fundação Cultural do Pará (FCP). As inscrições encerram no dia 31 de janeiro. No certame podem se inscrever autores de todo o território nacional brasileiro com obras inéditas e escritas na forma da língua portuguesa, podendo concorrer nas categorias:

al can

luiz estumano

da Escola Papa Francisco

A Escola Papa Francisco abriu as inscrições para o processo seletivo 2018 do curso técnico de rádio e televisão. São ofertadas 30 vagas gratuitas destinado a jovens e adultos de baixa renda e que tenham concluído o ensino médio. As inscrições iniciaram no dia 8 e seguem abertas até o dia 19. Para se candidatar, basta fazer uma inscrição no valor de R$30,00 (trinta reais), que deverá ser paga

a dor de cabeça em adultos e em crianças. Sintonize 91,3MHz a partir das 16h, um especialista falará sobre este assunto. Lembrando que o ouvinte pode interagir durante a programação ligando para a central de atendimento, através do 4006-9211. Participe!

Às terças-feiras, é na Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro do Telégrafo, em Belém, que os devotos da Virgem Maria, se reúnem em oração. Neste dia da novena, os fiéis voltam-se para o ícone da Mãe e a

portal nazaré

suplicam por assistência e graças mais urgentes. A tradicional programação litúrgica pode ser conferida ao vivo pela Rede Nazaré de Televisão. Sintonize o canal 30 – ou a sintonia de sua cidade - para acompanhar essa tradição da Igreja. w. ww re. a naz .br o a com dac n u f luiz estumano

conto, dramaturgia, ensaio, literatura infanto-

juvenil, poesia e romance. Maiores informações no

site da Fundação Cultural do Pará.

J Matrículas para cursos

J Clássico do cinema no

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) está com vagas abertas nos cursos técnicos de Nível Médio na forma Integrado e Educação Profissional de Jovens e Adultos (Proeja) nas Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará. As matrículas vão até 9 de fevereiro e obedecerão ordem de chegada, na escolha por vaga na escola/curso/turno. A Seduc

Na programação especial de aniversário dos 402 anos de Belém, no dia 12, às 18h30, dentro do projeto “Cinema e Música”, o cinema Olympia vai exibir o clássico do cinema mudo “Luzes da Cidade”, filme do ano de 1931 com direção e atuação de Charles Chaplin. A exibição tem acompanhamento ao vivo do pianista Paulo José Campos de Melo.

técnicos de Nível Médio

também divulga as normas regulamentares destinadas aos processos seletivos para as modalidades: Subsequente, Ensino Médio Integrado a Educação Profissional (EMI) e Ensino Médio Integrado a Educação Profissional de Jovens e Adultos (Proeja). Todas as informações estão disponíveis no site: www.seduc. pa.gov.br

aniversário de Belém

l entrega das Bíblias aos benfeitores da Família Nazaré O Portal Nazaré registrou o momento da entrega das Bíblias aos benfeitores que contribuíram com a Família Nazaré e foram contemplados no dia 20 de dezembro durante o especial “Em Família”. Os colaboradores puderam conhecer as instalações da FNC e

receberam as Bíblias das mãos de Dom Antônio de Assis Ribeiro. Acesse o fundacaonazare.com.br e confira a reportagem. Acompanhe ainda nossas atualizações e as notícias da Arquidiocese através das mídias sociais no facebook.com/ FNCBelem e no twitter. com/FundacaoNazare


9

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

O

Santuário de Aparecida lançou nesse primeiro dia letivo do ano de 2018 a Campanha de Cidadania “Eu Sou o Brasil Ético”. Uma coletiva de imprensa com a participação do Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, e o reitor do Santuário, padre João Batista de Almeida, reuniu representantes de diversos veículos de comunicação para explicar o projeto que será realizado durante todo esse ano. O projeto Eu Sou o Brasil Ético nasce da preocupação do Santuário Nacional em estimular os brasileiros a pensarem mais criticamente sobre suas escolhas, especialmente nesse ano marcado pelas eleições de presidente da república, governadores dos Estados, senadores e deputados federais e estaduais. Dom Orlando Brandes iniciou a coletiva parabenizando o Santuário Nacional pela Campanha, frisando que essa iniciativa é uma ação de fé. “Eu quero parabenizar o Santuário por essa iniciativa que faz parte da nossa fé. Não estamos aqui fazendo qualquer propaganda de política partidária, mas estamos aqui em nome

Santuário de Aparecida lança campanha “Eu Sou o Brasil Ético”

“O Santuário tem

uma vocação primeira de acolher o povo e ajudar o povo a rezar, então a nossa primeira ação é rezar pelo Brasil todos os dias, mas em um dia especial o dia 12 de cada mês, nós iremos ter ações concretas de oração pelo Brasil, no Dia Nacional Mariano. Em cada mês, nós rezaremos alguma situação do Brasil, então teremos de destaque tudo aquilo que forma o nosso país. A segunda ação é convocar o devoto para novas atitudes, uma nova postura de vida. O Santuário tem por vocação e missão o sacramento do perdão, da misericórdia e da conversão e nessa segunda ação nós queremos provocar nas pessoas um processo de conversão, de mudança de atitudes rotineiras que levam o cristão a cometer atos de corrupção também, e que muitas vezes não é perceptível. A terceira ação está ligada ao ano eleitoral, nós gostaríamos de neste ano, ajudar o devoto de Nossa Senhora a usar as ferramentas que ele tem a sua disposição, como verificar os candidatos ficha limpa, olhar o passado dos candidatos e analisar a sua conduta política”.

às causas das comunidades eclesiais de base. “[…] Agora esperamos no silêncio e na torcida para que todos cheguem bem e felizes e se sintam “em casa” entre nós. No abraço que lhes daremos na chegada queremos

lembrar o abraço que Deus continua dando em seu povo para animá-lo na luta. Aproveitamos para desejar um Feliz e Santo Natal e o ano de 2018 próspero com as mais reais esperanças”, finaliza Dom Geremias.

Projeto será realizado durante todo este ano, que é de eleições divulgação

poder do voto consciente. “Esse ano eleitoral tem um significado muito grande, primeiro para a gente não perder a confiança nos políticos, porque temos políticos bons, por tanto desânimo e pessimismo não são o caminho, mas reconstruir, criar outros critérios, outra mentalidade política isso nos cabe”. Três atitudes concretas

w durante a coletiva Dom Orlando Brandes e o reitor do Santuário

da nossa fé, porque a nossa fé se manifesta no amor, e os nossos Papas sempre disseram que a política é uma alta forma de amor”. Dom Orlando também lembrou que os Do-

cumentos da Doutrina Social da Igreja falam da política como Amor Social, “por isso é uma ação de fé, pois a política é uma boa obra social”, destacou. A Campanha de Cida-

dania do Santuário deseja levar o cristão a perceber a necessidade de uma maior participação na vida social, da missão que cada um tem de viver uma política fundamentada no Evangelho e no

Igreja

O reitor do Santuário pontuou três atitudes concretas que irão nortear a ação do Santuário, dentro do projeto Eu Sou o Brasil Ético, como o Dia Nacional Mariano, a convocação para uma conversão dos cristãos e a orientação dos devotos para um voto consciente. O padre João Batista explicou:

14º Intereclesial das CEB’s: “Tudo está preparado. Venham para a Festa” Às portas do 14º Intereclesial, grande encontro das Comunidades Eclesiais de Base do Brasil (CEB’s) a ser realizado em Londrina (PR), no período de 23 a 28 de janeiro, o Arcebispo anfitrião do evento, Dom Geremias Steinmetz divulgou um texto no site oficial das CEB’s no qual estima a participação de todos. Nele, Dom Geremias afirma que é uma enorme alegria acolher a todos e todas em Londrina, cidades e comunidades vizinhas. “Já está muito perto o esperado 14º Intereclesial de CEBs. As reflexões sobre as “CEBs e os desafios no mundo urbano” vão tomando corpo pouco a pouco. O lema “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7) já ilumina a vida e a espiritualidade de milhares de pessoas que, esperamos, cresça ainda mais”, diz o início do texto. Os Encontros Intereclesiais das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), de acordo com o Documento 92 da Con-

ferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) intitulado “Mensagem ao povo de Deus sobre as comunidades eclesiais de base” são definidos como patrimônio teológico e pastoral da Igreja no Brasil. Desde a realização do primeiro, em 1975, em Vitória (ES) reúnem-se diversas dioceses para troca de experiências e reflexão teológica e pastoral sobre a caminhada das CEBs. O evento congrega bispos, religiosos, assessores e animadores das comunidades. Para essa 14º edição há vários meses equipes de trabalho se preparam para acolher cerca de três mil participantes do Brasil, de países da América e de outros lugares para celebrar a diversidade e a beleza de viver o Evangelho. Para que o evento transcorra da melhor forma possível, segundo organizadores, dez delegados serão colocados em diferentes locais. Em cada um deles serão realizadas mini plenárias com o objetivo de debater “os desafios

do mundo urbano” em diferentes áreas. Equipes de Trabalho “A Arquidiocese de Londrina espera a todos com alegria e satisfação. As comunidades, com suas famílias acolhedoras esperam ansiosamente a chegada de todos. As muitas Equipes de Trabalho se preparam há vários meses para que tudo aconteça dentro do previsto e da necessidade de tão majestoso encontro. O Secretariado pensou em tudo com muito carinho. Está tudo preparado!”, diz outro trecho do texto de dom Geremias. A expectativa é a de que no mínimo seja realizada 13 mini plenárias. Segundo o padre Dirceu Fumagalli, da Formação da Articulação das Equipes de Serviços do 14º Intereclesial das CEB’s, esses locais que receberão as plenárias estão sendo chamados de praças com nomes de uma árvore de uma das espécies dos biomas brasileiros. “Isso ajuda a fortalecer a identidade

dos participantes que vêm do Brasil inteiro”, afirma. O padre também explicou que para o bom desempenho e realização da metodologia do encontro haverá 25 equipes constituídas por pessoas solidárias


10

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Santa Missa Horários de Missas nas paróquias da Arquidiocese de Belém Região Episcopal Sant’Ana Nossa Senhora da Graça (Catedral) Cidade Velha - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 2121-3723/ 2121-3724 N. Sra. das Mercês (Reitoria) Comércio - Belém Sábado: 12h e 17h Domingo: 12h e 17h Sant'Ana da Campina Comércio - Belém Sábado: 12h (Igreja Matriz) Domingo: 7h (Col. D. Bosco) 9h (Igreja Matriz) Telefone: 3230-3734 São Judas Tadeu Condor - Belém Sábado: 19h. Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 3115-6020 Santa Teresinha do Menino Jesus Jurunas - Belém Sábado: 6h e 18h30 Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3272-2251 Santo Antônio de Lisboa Batista Campos - Belém Sábado: 6h30, 12h, 17h e 18h30 Domingo: 8h, 11h, 17h, 18h30 e 20h Telefone: 3215-7004/ 3222-0097 Santíssima Trindade Campina - Belém Sábado: 16h Domingo: 7h, 10h, 11h30, 17h30 e 19h Telefone: 3215-7007/ 3242-4917 Nossa Senhora da Conceição Cidade Velha - Belém Sábado: 18h30 Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3215-7006 São José Umarizal - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 11h e 19h Telefone: 3230-1633 Santa Luzia Jurunas - Belém De terça a sexta-feira: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 7h; 9h; 18h30 Telefone: 3271-2146 Nossa Senhora de Lourdes Nazaré - Belém Seg a Sáb: 6h30 e 18h Domingo: 7h, 9h, 17h30 e 19h30 Telefone: 3223-5728 Nossa Senhora do Carmo Cidade Velha Sábado: 18h - Domingo: 7h Região Episcopal Santa Maria Goretti Santa Maria de Belém Terra Firme - Belém Terça: 19h Sábado: 19h - Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3253-5422 São Pedro e São Paulo Guamá - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3283-6021/3259-0413 São José de Queluz Canudos - Belém Segunda a sábado: 6h30 e 19h Domingo: 7h, 8h30, 17h e 19h Telefone: 3226-2612 São Domingos de Gusmão Terra Firme - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 19h30 Telefone: 3253-2656/3274-4746 São Miguel Arcanjo Cremação - Belém Sábado: 18h30 Domingo: 7h30, 11h e 18h30 Telefone: 3283-6022 Nossa Senhora de Fátima Fátima - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 6h45, 8h30, 17h30 e 19h30 Telefone: 3266-1392/3226-0503

Santa Maria Goretti Guamá - Belém Domingo: 9h30 e 18h Telefone: 3283-6023 Nossa Senhora de Nazaré (Basílica Santuário) Nazaré - Belém Sábado: 7h, 8h30,12h,17h Domingo: 6h30, 8h, 10h, 16h30, 18h e 20h Telefone: 4009-8400 São Francisco de Assis (Capuchinhos) São Brás - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 6h, 7h30, 9h30,18h, 20h Telefone: 3073-1500 Santo Antônio do Tucunduba Guamá - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30 Telefone: 3274 -9001 Região Episcopal Santa Cruz Imaculada Conceição Castanheira - Belém Sábado: 17h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3277-4642/98111-8110 São Sebastião Sacramenta - Belém Sábado e domingo: 7h, 17h e 19h Telefone: 3264-9060/3254-7354 Jesus Ressuscitado Marambaia - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h, 10h e 18h Telefone: 3277-4643 São Geraldo Magela Val de Cans - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h30, 10h30 e 18h Telefone: 3257-7950 N. Sra do Perpétuo Socorro Segunda a sábado: missa - 19h Domingo: missa: 7h, 8h30, 17h30 e 19 h - Telefone: 3233 1797 São Jorge Marambaia - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 17h e19h Telefone: 3277-4641 São Raimundo Nonato Umarizal - Belém Sábado: 6h30 e 18h Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3277-4644 Santa Cruz Marco - Belém Sábado: 7h e 18h30 Domingo: 7h, 9h, 11h30 e 18h30 Telefone: 3277-4640/3276-0941 Nossa Senhora da Conceição Aparecida Pedreira - Belém Terça a Sábado: 18h Dom.: 7h, 9h e 18h/1ª Sexta-mês: 9h Telefone: 3233-4224/3276-9573 São Francisco Xavier Marco - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3352-8845 N. Senhora, Mãe da Divina Providência Val de Cans - Belém Sábado:19h - Domingo: 7h e 19h Telefone: 3257-2388 Sagrada Família Curió Utinga - Belém. Sábado: 7h e 19h30 Domingo: 7h, 9h e 19h30 São João Paulo II Souza - Belém De terça a sábado: 18h Domingos: 8h e 18h Telefone: 3277-4062 Nossa Senhora de Loreto Marco - Belém Telefone: (91) 3355-6302 Sábado: 17h Domingo: 7h, 9h, 11h, 17h e 19h São Benedito Rua São Benedito, Barreiro Terça a sexta-feira - 19h Sábado - 8h (missa com crianças) Domingos - 7h30 e 18h30

Região Episcopal São João Batista São João Batista e Nossa Senhora das Graças Icoaraci - Belém Terça a sexta: 6h30 Sábado: 6h30, 17h, 20h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3297-7250 São Francisco de Assis Tapanã - Belém Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3258-8036 Nossa Senhora de Fátima Icoaraci - Belém Terça, quinta e sexta: 18h30 Sábado: 19h - Domingo: 19h Telefone: 3297-7251 Jesus Bom Samaritano Tapanã - Belém Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 3033-2004 São Francisco das Ilhas Cotijuba - Belém Terça e quinta: 19h30 Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30 Telefone: 3247-1438 Nossa Senhora da Imaculada Conceição Outeiro - Belém Terça e quinta: 19h; Sábado: 9h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3267-1174 Nossa Senhora do Livramento Icoraci - Belém Terça, quinta, sexta e sábado:19h Domingo: 7h e18h Telefone: 3288-4250 Divina Misericórdia Águas Negras - Icoaraci Terça a sexta: 18h30 Sábado: 17h e 19h30 (comunidade) Domingo: 7h e 19h 30 Santo Afonso de Ligório Pratinha - Belém Sábado: 19h Domingo: 8h30 e19h Telefone: 3258-1554/3274-8281 São Francisco de Assis Campina - Icoaraci Domingo: 7h, 9h e 18h30 De terça-feira a sexta-feira: 19h Telefone: 3297-0765 Região Episcopal Coração eucarístico de jesus Coração Eucarístico de Jesus Catalina - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h, 10h e 18h Telefone: (91) 3285-1433 Santa Edwiges Mangueirão - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h30 e18h Telefone: 3279-1654 N. Senhora Rainha da Paz Bengui - Belém Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3277-4645 Nossa Senhora do Bom Remédio Conjunto Satélite - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3289-5355/3248-1136 Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo Conjunto Sideral - Belém Domingo: 7h, 9h e18h Telefone: 3067-2017 Santa Luzia do Bom Futuro Cabanagem - Belém Sábado: 17h - Domingo: 7h e 19h Santa Teresinha do Menino Jesus Tenoné - Belém Domingo: 7h e 18h Telefone: 3289-5368 Nossa Senhora de Lourdes Coqueiro - Ananindeua Sábado: 17h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3275-2391

Santo Antônio de Pádua Coqueiro - Ananindeua Sábado: 19h. Domingo: 7h e 18h Telefone: 98152-2200 Arcanjo São Miguel Una - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h30. 9h30 e 19h Telefone: 3234-4674 Região Episcopal Menino Deus N. Senhora Auxiliadora Anita Gerosa (Aurá) - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefones: 3255-3828 N. Senhora das Vitórias Almir Gabriel - Marituba Sábado: 19h Domingo: 7h, 19h Telefone: 3256-7655 Sagrado Coração de Jesus Júlia Seffer - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h30, 9h e18h Telefone: 3265-5413 Sagrado Coração de Jesus Distrito Industrial - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h, 8h30 e 17h30 Telefone: (91) 98855 - 2232 Menino Deus Centro - Marituba Domingo: 6h, 8h30 e 18h Telefone: 3237-8351 N. Sra. de Nazaré Quarta - feira Horário de Missa: às 19h Domingos: às 8h30 Telefone: 98040-5117 /98102 - 7344 N. Sra. das Graças Centro - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h e 19h Telefone: 3255-2654 N. Sra. do Ó Vila - Mosqueiro Sábado: 19h30 Domingo: 6h30, 9h30 e 19h30 Telefone: (91) 3771-1278 São Pio X Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 32155-2583 Santa Rosa de Lima Independente - Benevides Terça a Sexta:18h Sábado:17h, 19h Domingo: 07h30 e 19h Telefone: (91)3724- 1135 Bom Pastor Nova Marituba - Marituba Segunda a Sexta: 18h Sábado: 6h, 9h30 e 19h Domingo: 6h, 9h30 e 19h Telefone: 4106-0202 N. Sra da Conceição Praça Matriz - Benfica Domingo: 6h15 e 19h30 Telefone: 3450-8147 N. Sra da Conceição Carananduba - Mosqueiro Ter a Sex: 18h30 Sábado: 18h30 - Domingo: 7h e 19h Telefone: 3772-1183 Santa Bárbara Centro - Santa Bárbara Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3776-1529 São Marcos Uriboca - Marituba Terça: 19h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3237-8351 Pedro Pescador Baía do Sol - Mosqueiro Ter a sexta: 19h (Igreja S. Sebastião) Quarta: Matriz - 19h Sábado:19h (Igreja São Sebastião) Domingo: 8h (Ig. S. Sebastião);

10 h 3 0 ( I g . D i v. E s p . S a n t o ) ; 19h ( Matriz) Telefone: 99919-4153 Área Missionária São Paulo, Apóstolo Rodovia BR-316 Domingo: 9h e 11h Telefone: 98292-9199 Santíssimo Sacramento Nova União - Marituba Sábado: 18h30 (Capela N. Sra. do Perpétuo Socorro) Domingo: 18h30 (Capela S. Francisco de Assis) Região Episcopal São Vicente de Paulo Cristo Rei Guanabara - Ananindeua Domingo: 7h, 9h30 e 19h Telefone: 3235-1405 Divino Espírito Santo Cidade Nova - Ananindeua Sábado: 7h. Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3263-0603 Santo Inácio de Loyola Icui Guajará - Ananindeua Domingo: 7h e18h Telefone: 991541971 São Lucas Evangelista Guajará - Ananindeua Sábado: 19h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3279-2621 Santa Maria Mãe de Deus Maguari - Ananindeua Terça, quarta, sexta e sábado: 7h Quinta: 19h; Domingo: 7h e 19h Fone: (91) 3255-5284 Santa Teresinha Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30 e 18h Telefone: 9916-4548/99169-3443 N. Senhora de Guadalupe Coqueiro - Ananindeua Terça a sexta: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 7h ,9h e18h Telefone: 3245-7440 Cristo Peregrino Jaderlândia - Ananindeua De Segunda a Sábado: 19h Domingo: 7h,17h e19h Telefone: 3237-9891 Santa Paula Frassinetti Cidade Nova VI - Ananindeua Segunda e quarta: 18h30 Terça e quinta: 19h30 Sexta: 7h. Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 18h Telefone: 3279-2620 Transfiguração do Senhor Curuçambá - Ananindeua Sábado: 18h30 e 20h Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3286-8570 Santa Rita de Cássia Cidade Nova V - Ananindeua. Sábado: 6h30 e 17h30 Domingo: 6h30, 8h30, 7h30 e 19h30. Telefone: 3273-3191/ 3273-3310 São Vicente de Paulo Paar - Ananindeua Domingo: 7h, 8h30 e 19h São José Operário Conj. Carnaúba, Icuí - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefone: 3295-3545/3031-1172 Nossa Senhora do Amparo Cidade Nova 8 - Ananindeua Terça a Sexta: 19h30 Sábado: 19h30 Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3287-2418 Santo André Apóstolo Coqueiro - Ananindeua Segunda a sexta - 19h Sábado: 19h45 - Domingo: 8h 19h Telefone: (91) 3235-1658

Não encontrou o horário da sua paróquia aqui? Entre em contato com seu pároco ou com a secretaria da sua paróquia e solicite que nos informem para podermos publicar.


11

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Família Nazaré

Missa pela Família Nazaré com a imagem de Santa Maria Mãe de Deus

Realizada toda primeira sexta-feira do mês em ação de graças pelos benfeitores da Família Nazaré

N

a primeira sextafeira de 2018, em 5 de janeiro, como já é tradição, foi realizada a missa em ação de graças pelos benfeitores da Família Nazaré, programa subsidiário da Fundação Nazaré de Comunicação e seus quatros veículos levam a Palavra de Deus pela Amazônia. A missa foi presidida pelo pároco da Paróquia Santa Maria Mãe de Deus, no Maguari, em Ananindeua, padre José Maria Ribeiro, na capela do estúdio de gravação da TV Nazaré com participação da comunidade, grupos e movimentos. A celebração da primeira sexta de cada mês foi pensada pela Fundação Nazaré como agradecimento pela importante contribuição dos benfeitores cuja ajuda mensal mantém os quatro veículos da Arquidiocese de Belém: TV, Rádio, Portal e o Jornal Voz de Nazaré. Juntos, os meios de comunicação realizam a evangelização na Amazônia. A missa que teve iní-

luiz estumano

w participação de vários movimentos religiosos

cio às 15h foi antecedida pela oração do terço promovida pelo movimento Terço dos Homens, Terço das Mães que Oram pelos Filhos e pelo Apostolado da Oração. Com transmissão da TV Nazaré, a celebração também podia ser acompanhada em tempo real pela Rádio Nazaré e Portal Nazaré que estavam em cadeia com o sinal de televisão. Na homilia, padre José Maria agradeceu em nome da Fundação aos

benfeitores que ajudam a manter a obra: “não importa a quantidade que você pode dar, o importante é acreditar e fazer da sua oferta um meio pelo qual o Evangelho pode se expandir pela Amazônia”. Em seguida, o pároco lembrou que naquela primeira sexta-feira do mês e do novo ano, a Igreja, tradicionalmente, medita o mistério da entrega de Jesus Cristo na Cruz: “é um dia especial. No Sagrado Coração de Jesus devemos procurar

luiz estumano

w celebrante Padre José Maria, pároco no Maguari

nesse coração santo as virtudes necessárias para bem viver o jeito de ser de Jesus”. Ao final, padre José Maria também fez comentários a partir do Evangelho do dia presente em João (1,43-51) que retrata o encontro de Natanael com nosso Senhor: “É como muitos de nós dizemos, pode até ser que nós o conheçamos (Jesus), intelectualmente falando, porque a gente leu um livro a respeito dele. Não basta! Conhecer Jesus

significa fazer a experiência dele. Jesus não é uma ideia, uma teoria, é uma pessoa. Palavra que se fez carne e habitou no meio de nós”. Seja um benfeitor Quem ainda não faz parte da Família Nazaré pode realizar seu cadastro no Portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br/cadastro) ou ligar para o número 4006-9211/4006-9212. Dessa maneira, qual-

quer pessoa que pode contribuir com a missão evangelizadora da Arquidiocese de Belém, como integrante da família de benfeitores. A contribuição dos benfeitores da Família Nazaré é um dos principais fatores que concorre para o êxito da evangelização, realizada pelos diversos projetos pastorais da Igreja de Belém, tendo à frente o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa.

Testemunho de Fé

“H

á alguns meses terminei um relacionamento que me fazia abrir mão de muita coisa,

amigos, família, e principalmente me afastar de Deus e de sua casa. Foram dias terríveis, até eu abrir os olhos e enxergar o que eu havia feito de minha vida. Passei a freqüentar novamente as missas, pela manhã na Basílica, pedindo que Deus me livrasse desse relacionamento que não estava mais me deixando feliz e bem. E pro-

meti que se tirasse essa pessoa do meu caminho eu iria me tornar serva e missionária de uma comunidade de Maria. Eu fiz uma promessa. Após um mês, graças a Deus, e a minha mãe Maria, eu conseguir me desfazer dessa relação terrível. Hoje, sou uma pessoa melhor, com mais vida e feliz! Eu me renovei na minha fé e nas

divulgação

promessas divinas, faço parte de uma casa de aliança Sementes do Verbo, onde sou missionária. Tenho certeza que minha fé aumentou e tudo isso graças a Deus que me amparou quando mais precisei. Amém!”. Yasmin Ferro 22 anos Universitária

Parabéns para você! divulgação

A

gradeço a Deus e a Nossa Senhora de Nazaré pelo dom da vida e pelas bênçãos que todos os dias são derramadas na minha vida e na vida dos que me cercam, minha família. É com muita humildade que posso dizer que sou feliz por ter saúde e uma família abençoada. Antônio Nonato de Azevedo,

78 anos, aposentado (12 de janeiro)

12/01 Antônio Nonato de Azevedo Benedita Marques Lobato Esmeralda Macedo Maria da Conceição Bastos da Silva Maria de Lourdes Paixão do Nascimento Maria Leopoldina Rabelo Ramos Marluisa de Oliveira Guimarães Yara Maria da Gama Rodrigues 13/01 Ana Kamila Barros Barbosa Maria do Socorro Rebelo Marcilene Borges de Brito Maria Luiza da Cunha Maria Zeferino de Souza Rosileide Maria da Costa Cunha 14/01 Lúcia Pereira de Brito Moutinho Luis Eduardo Aragon Maria Lúcia Ferreira Reis Mariete Neri da Silva Marlene Dias do Nascimento Raimundo Leão Filho Rigoberto Cordeiro Nery Terezinha Pinto Mendes Valentina Travassos Lopes

15/01 Alexandre Barral Secco Alves Ana Maria Barbalho Silva Domingas Rodrigues de Lima Eloisa Flora de Arruda Moura Elza Maria de Andrade José Gonçalves Chaves Márcia Denise Costa Alves Marta Maria do Amaral Mousinho Maria de Fátima Sousa Stela Maria Soares Tavares Tânia Oliveira 16/01 Ana Maria Oliveira Batista Maria do Socorro Sardinha de Oliveira Maria José dos Reis Pinho w

Marilene P. Bogêa 17/01 Ana Nelcy Corrêa de Moraes Brasiliano Barbosa Rodrigues Janete Mufarrej Hage Romário Salgueiro Melo 18/01 Andreza de Souza Borges Carlos Alberto Candeira Barra Carmem Arias Cruz Dulce Guimarães Ramos da Fonseca Luiz Santos de Alencar Maria da Conceição de Lima Moy Maria da Salete Azevedo Andrade Raimunda da Silva Lajes Sandra Regina da Costa Pimenta

Aniversário natalício de padres e diáconos diocesanos 17/01 - Pe. Sebastião Nazaré Antero 18/01 - Diác. José dos Santos Ventura 18/01 - Diác. Ricardo Agnaldo Ferreira Trindade

Ajude a manter a Fundação Nazaré de Comunicação. Ligue para 4006-9200 e seja sócio da Família Nazaré.


12

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Panorama

N Programação cultural marca aniversário de Belém

esta sexta-feira, 12, Belém comemora seu aniversário de 402 anos de fundação. Uma programação cultural em diversos pontos turísticos da capital paraense marca a data, entre elas, cinema, música e plantio de mudas. Confira abaixo a listagem do que aproveitar neste dia de aniversário.

Opções diversas para comemorar os 402 anos de fundação da cidade

N

a Estação das Docas haverá uma série de programações especiais, com muita festa e musicalidade amazônica em homenagem a cidade das mangueiras. As apresentações ocorrerão na orla e anfiteatro São Pedro Nolasco, com en-

Muito show na Estação das Docas trada franca. O público poderá apreciar muita música paraense no dia 12, quando ocorrerá a quarta edição do ‘Vero-Peso da Nossa Música’, a partir das 19h, no

Anfiteatro São Pedro Nolasco. Na ocasião, haverá apresentações de Allan Carvalho, Casa do Gilson, Nilson Chaves e Orquestra de Pau - Cordista de Carimbó.

Ainda na sexta-feira, 12, a Estação apresenta o projeto Pôr do Som, com muito carimbó e em horário especial, a partir das 17h30. A música fica por conta do fotos: divulgação

ral, Grupo de Percussão de Câmera e a Banda Sinfônica, o conjunto levará muita música regional, além de algumas canções do cenário internacional ao palco do Anfiteatro São Pedro Nolasco, a partir das 17h.

grupo Carimbolando. O show irá ocorrer na orla do complexo. Para encerrar as comemorações, no sábado, 13, ocorrerá a apresentação da Fundação Amazônica de Música. Formado por três grupos musicais: Co-

Serviço DIA 11: VER-O-PESO DA NOSSA MÚSICA

19h: Allan Carvalho 20h30: Casa do Gilson Local: Anfiteatro São Pedro Nolasco. DIA 12: PÔR DO SOM

17h30: Grupo Carimbolando Local: Recuo da orla entre os armazéns 1 e 2. VER-O-PESO DA NOSSA MÚSICA

19h: Nilson Chaves 20h30: Orquestra de pau e cordista de carimbó Local: Anfiteatro São Pedro Nolasco. DIA 13

w na estação das docas uma ampla agenda de programações com diversos shows musicais

Plantio de mudas no Mangal das Garças No dia 12 de janeiro, além do aniversário de Belém o Mangal das Garças completa 13 anos de funcionamento. Desde 2005, quando foi inaugurado pelo governo do Estado, o Parque Naturalístico vem se firmando como um importante equipamento turístico, atraindo mais de 300 mil visitantes ao ano. Reconhecido nacionalmente por ser um espaço

de conservação e preservação das espécies ameaçadas de extinção, o Mangal das Garças homenageará a flora Amazônica a partir das 9h por meio do plantio de mudas de espécies como o guaraná e a sena, entre outras. A ação é uma parceria entre a Pará 2000, que administra o parque, e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

quadrinhos andré abreu

17h: Apresentação da Fundação Amazônica de Música Local: Anfiteatro São Pedro Nolasco.

“Luzes da Cidade”, no Olympia No Cinema Olympia, outro local histórico de Belém, depois do recesso de final de ano, retoma as suas atividades neste início de janeiro de 2018. Na programação especial de aniversário dos 402 anos da fundação de Belém, no dia 12, às 18h30, dentro do projeto “Cinema e Música”, o Olympia vai exibir o clássico do cinema mudo “Luzes da Cidade”, filme do ano de 1931 com direção e atuação de Charles Chaplin. A exibição tem

acompanhamento ao vivo do pianista Paulo José Campos de Melo, na já tradicional parceria do cinema com a Fundação Carlos Gomes. Segundo a sinopse, em “Luzes da Cidade”, Chaplin retoma o papel do vagabundo Carlitos, mais uma vez. Ele impede um homem rico (Harry Myers), que está bêbado, de se matar. Grato, ele o convida até sua casa e se torna seu amigo, mas se esquece completamente do que aconteceu quando está

BOA DICA

sóbrio, e trata o vagabundo de forma bem diferente. Paralelamente, Carlitos se interessa por uma florista cega (Virginia Cherrill), a quem tenta ajudar a pagar o aluguel atrasado e a restaurar a visão, mas ela acredita que ele é, na verdade, um milionário.

Serviço Filme “Luzes da Cidade” - dia 12, 18h30 - Cinema Olímpia, Praça da República

livros e cd's

n “O Dom do perdão” - Giulia Paola Di Nicola, Attilio Danese - Livro (Paulinas R$17,80)

N

eu indico

Ronaldo Mourão 53 anos Diácono

este livro, os autores buscam referências das áreas de Psicologia, Filosofia e Ciências da Comunicação para abordar o tema do perdão - uma escolha corajosa, capaz de reavivar um relacionamento, reunir uma família, criar esperanças diante de situações críticas. Trata-se de um estudo ágil e rigoroso, antropológica e filosoficamente bem fundamentado, com uma linguagem acessível a todos, que demonstra o quanto uma relação pode ganhar em termos de qualidade e solidez, se as incompreensões forem confrontadas e esclarecidas, se o perdão for concedido e aceito.

I

ndico o livro “A Igreja do Deus Vivo”, de Frei Battistini. A obra quer ser uma resposta às exigências da fé, buscando dar formação ao cristão. Busca familiarizar o leitor com a Palavra de Deus analisando fundamentos teológico-bíblicos. Defende a Igreja contra más interpretações, erros e desvios da fé. O autor fundamenta a Igreja na pessoa de Jesus, na estrutura hierárquica e na missão evangelizadora.

n Deus vivo Trindade Santa - José Weber, CD (Paulinas R$17,20)

O

título “Deus vivo, Trindade Santa” refere-se à “Missa da Santíssima Trindade”, composta de sete cantos com letras de Maria de Fátima de Oliveira e músicas de José Weber. Seguem-se outros sete cantos, todos com música de José Weber e alguns com letra de Reginaldo Veloso. São cantos de conteúdo teológico e bíblico, inspirados na fé, na tradição e na vida do Povo de Deus. Quanto à música, o próprio José Weber explica o seu estilo: “Minha principal preocupação foi fazer uma música pastoralmente acessível e orante, que alimente a oração de nossas comunidades eclesiais”.


aderno Dois C2º

1

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Missa na Catedral marca os 402 anos de Belém

divulgação

Programação terá tradicional bolo de 20 metros

F

undada em 1616, Belém celebra nesta sexta-feira, 12, seu aniversário de 402 anos com celebração religiosa, tradicional bolo e entrega da medalha “Francisco Caldeira Castelo Branco”. Na Catedral Metropolitana, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém e os bispos auxiliares, Dom Irineu Roman e Dom Antônio de Assis Ribeiro, presidem missa, às 8h, em Ação de Graças pela comemoração. A tradicional come-

moração pelo aniversário da capital paraense, organizada pela administração municipal, terá início com missa solene na Catedral, e depois, às 9h30, a comemoração no Ver-o-Peso, com parabéns e corte do bolo de 20 metros. Festejos

Seguindo a programação cultural da festividade, às 18h30, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, haverá solenidade de entrega das Medalhas

do Mérito Francisco Caldeira Castelo Branco. E, a partir das 21h, no Portal da Amazônia shows com artistas paraenses. Participa ainda a Escola de Samba A Grande Família, a Escola de Samba Piratas da Batucada, a Banda de Guitarrada Marmenino, Kim Marques e Banda, a Escola de Samba Xodó da Nega e a Escola de Samba Quem São Eles. Programação da Fundação Nazaré

Visando o aniversário

w Igreja da sé Início das celebrações pelo 402º aniversário da capital

de 402 anos a Fundação Nazaré homenageará a capital paraense com uma programação para festejar a data. Na Rádio Nazaré, sintonia 93,1 Mhz, ao longo da sexta-feira vários artistas locais irão dar felicitações pelos 402 anos na programação da rádio. No dia, o atrativo especial fica por conta do programa Varanda Mu-

sical, com apresentação de Jota Cardoso. A partir das 16h, três artistas do cenário atual da música paraense irão contar um pouco da sua história e apresentar suas músicas: Camila Alves, Jenni Velozo e Arthur Espíndola. A Rede Nazaré de Televisão terá uma edição especial do jornal Nazaré Notícias diretamente do Parque Estadual do

Utinga, em Belém. A apresentação de Marcos Valério e Larissa Cristina irá mostrar no especial de mais de uma hora de duração vários aspectos culturais, arquitetônicos, da literatura, sotaque e expressões, culinária e das igrejas históricas da capital paraense. A partir das 12h, o público pode acompanhar no canal 30 ou na sintonia da cidade.

Fundação Nazaré entrega bíblias aos novos benfeitores A Fundação Nazaré de Comunicação realizou na quarta-feira, 10, a entrega das 32 bíblias para os novos benfeitores cadastrados durante o programa especial “Em Família” realizado em 20 de dezembro passado. A entrega das bíblias aconteceu em clima de confraternização na instituição. Os novos benfeitores, contemplados com a Bíblia Sagrada, inicialmente realizaram visita nas instalações da Fundação Nazaré de Comunicação que reúne os quatro veículos de comunicação da Arquidiocese de Belém, sendo eles Rádio, TV, Jornal Voz de Nazaré e Portal. Para a aposentada, Janira Tavares, foi uma realização conhecer a instituição e as pessoas que são instrumentos da Boa Nova pelos meios de comunicação da Arquidiocese de Belém. O momento contou com a presença do Bispo Auxiliar de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, que disse: “Nós queremos agradecer a Deus porque tocou o coração de vocês e, assim, vocês estão se tornando colaboradores dessa grande família de evangelização, a Rede Nazaré de Comunicação, com a Fundação Nazaré de Comunicação. Não é simplesmente

luiz estumano

Após a entrega, Dom Antônio, abençoou as bíblias, e em seguida todos os novos benfeitores foram convidados para participar de um momento festivo. Os ganhadores que não compareceram podem retirar a bíblia na sede da instituição. A Fundação orienta que os ganhadores compareçam com documento de identificação com foto e, na impossibilidade de retirar o prêmio, uma pessoa com procuração poderá retirar a bíblia. A Fundação Nazaré está localizada na Avenida Governador José Malcher, 915, Nazaré. Informações: (91)4006-9200. Programa especial

w dom antônio em agradecimento aos novos benfeitores da Família Nazaré

uma instituição é uma rede de comunicadores, é uma rede de evangelizadores. É tão bom poder participar de uma rede de pessoas que estão espalhando a Palavra de Deus, enquanto uns estão espalhando a miséria, a desonestidade, a corrupção, vocês estão fazendo parte de uma rede que está divulgando a Palavra de Deus. Parabéns!”. Na ocasião, Dom Antônio lançou o desafio para que cada novo benfeitor convide e conluiz estumano

w alegria dos novos integrantes da Família Nazaré

siga 10 novos colaboradores. A iniciativa foi bem aceita pelos novos membros da Família Nazaré, que já se comprometeram com a missão. Em seguida, Dom Antônio entregou as bíblias nas mãos de cada um. Dentre as pessoas, a aposentada, Maria de Nazaré Souza de Castro, moradora do bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, que se tornou benfeitora da Família Nazaré e foi uma das contempladas com a bíblia. Para ela, o livro sagrado

chegou para transformar a sua vida. “Foi muito importante saber que eu ganhei, para mim foi uma benção, bem como conhecer a Fundação Nazaré de Comunicação. Ser presenteada com a bíblia tem um significado muito importante, é como um pedido para que eu preste mais atenção na Palavra Dele. Com isso Ele vem me ensinar a amar mais, a conhecer mais as pessoas, que isso que eu vou procurar fazer”, disse. luiz estumano

w bispo auxiliar abençoou as bíblias entregues

O programa especial “Em Família” aconteceu em 20 de dezembro de 2017. Na ocasião foi possível conhecer apresentadores, repórteres, produtores e sacerdotes que dia a dia trabalham para fazer chegar para toda a Amazônia a boa nova do Evangelho de Cristo através de notícias que valorizam a vida e a pessoa humana. O evento buscou também novos benfeitores para Família Nazaré, projeto subsidiário da Fundação Nazaré. Os 32 primeiros que efetuavam todo o processo de registro, foram premiados com uma bíblia. luiz estumano

w dom antônio entregou as bíblias


2

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Igreja

2º Caderno Miscelânea

Côn. Cláudio Barradas (claudiobarradaspe@gmail.com)

C

ontinuemos, a partir de onde paramos em nossa edição passada, a trajetória da imagem que originou em Portugal o culto a Nossa Senhora de Nazaré, ao depois trazido de lá até nós, não sei bem por quem. A última coisa que vimos foi que, embora desejoso de levála consigo, ao deixar o Monte Siano onde se refugiara na fuga de Caulina, na Espanha, rumo a Portugal, em companhia do abade Romano, devido à aproximação dos muçulmanos, Dom Rodrigo, rei da Espanha, retomou sua caminhada sem ela, após a morte de Romano, por não ter encontrado, por mais que o procurasse, o esconderijo em que o abade, por precaução, ocultara-a muito bem escondidinha. Isso, precisamente, em 1716. Comecemos daí. Assim oculta ela ficou até 1779, portanto durante exatos 463 anos, a menos que meus cálculos estejam errados,

A propósito do Círio (12) quando um pastor, casualmente, ou antes, por graça de Deus que sempre escolhe, em casos como esse, os pobres, os humildes, os excluídos, - duvidando, é só consultar a História – encontrou-a na lapinha em que, até aí, oculta, e a levou para sua casa. Espalhada a notícia do achado, muita gente deu de ir até lá, seja por mera curiosidade, seja para venerá-la. Um deles: o fidalgo português Dom Fuas Roupinho, agraciado por ela, ao invocá-la, com o milagre que lhe salvou a vida, relatado aqui na edição passada. Agradecido, Dom Fuas mandou construir a capela da Memória, onde a imagem passou a ser venerada. Em 1377, o rei Dom Fernando, chamado de o Formoso, mandou construir, próximo a essa capela, um templo que, cem anos depois, ou seja, em 1477, aco-

lheu a imagem. Lá, ela se encontra até hoje. Um certo Frei Bernardo de Brito, que não sei quem seja, assim a descreve, segundo Mízar Bonna (“Dois Séculos de Fé”, edição Sejup, 1993, página 14): pequena, de cor amorenada, tem na face, além de certa perfeição, a imagem da modéstia e sustém nos braços o Menino. Sem mais, vamos ao cumprimento da promessa feita na edição retrasada e, ô vergonha, deixada de cumprir na passada: a comparação entre a imagem encontrada por Plácido e sua réplica, que conduzimos no Círio, em sua majestosa berlinda. A do achado de Plácido saiu no Círio até 1925. Para poupá-la de possíveis desgastes, a partir de 1926, a pedido do vigário de Nazaré à época, o barnabita Padre Afonso Di Giorgio, cujos

restos mortais repousam numa capela à entrada esquerda da Basílica por ele, a bem dizer, construída e embelezada, a imagem chamada pelo povo de a Original foi substituída pela da capela do Colégio Gentil Bittencourt. Isso, até 1968. Em 1969 cedeu lugar à réplica da autêntica, como a chama o povo, que é a que sai até hoje no Círio, obra do escultor italiano Giacomo Mussner, por encomenda do padre Miguel Giambelli, ao depois primeiro bispo de Bragança, já falecido. Razão de a do Gentil ter sido descartada pelo Padre Giambelli: embora traga o nome “Nossa Senhora de Nazaré” gravado no pedestal, e também vinda de Portugal e igualmente talhada em madeira, tem mais a ver, como bem notou Giambelli, com Nossa Senhora do Livramento, ou com a do Bom Parto, que

com Nossa Senhora de Nazaré. É uma senhora, traz os cabelos cobertos por uma touca e o Menino, um recém-nascido, está deitado em seu colo, envolto em panos, enquanto que, na imagem de Nossa Senhora de Nazaré do Glória, ele é grandinho, aparentando uns dois anos, está sentado, despido, no braço esquerdo da mãe e sustém nas mãos um globo azul. A Senhora está com os pés diretamente no pedestal, ao passo que a do Glória está sobre uma nuvem em cujo centro vê-se a cabeça de um anjinho alado. Ah, ia esquecendo: uma diferença entre a nossa e a venerada em Portugal: a nossa está de pé e a de Portugal sentada com o Menino no colo. Também há diferença entre a imagem venerada no Glória, em sua Basílica, e sua réplica que

sai no Círio. Na do Glória o Menino é claro, de cabelos louros, tipo europeu. Na do Círio, tem as feições de um menino amazônida: cabelos negros, olhos, no dizer de Mízar, empapuçados e nariz redondinho, achatado tal qual um paraense. A Virgem, na imagem no Glória tem as feições de uma senhora portuguesa: branca, rosto cheinho, redondo, gordinha. A do Círio: uma jovem amazônida, amorenada, esguia, rosto oval. Ambas têm a mesma altura: 28 cm. A do Círio dá a impressão de ser mais alta apenas devido a seu pedestal, um pouco maior que o da de Plácido. E é só, por hoje. Até à semana vindoura, se Deus, em sua bondade, nô-lo permitir. Shalom! (Para quem não lembra ou não sabe: paz em hebraico, saudação costumeira de Jesus).

Santos da semana Diác. Benedito Otávio (artpresent@superig.com.br)

12/01 - Sexta-feira. Beato Antonio Fournier - Pai de Família e Mártir.

16/01 - Terça-feira. Beato José Vaz - Missionário.

Natural de La Poitevin, França, século XVIII. Era casado, pai de muitos filhos e uma vida muito feliz, na simplicidade com sua família. Trabalhou como carpinteiro e, em particular, como professor de artes artesanais. Foi morto pela lealdade à Igreja no dia 12/01/1794, em Avrillé, a tiros de fuzil juntamente com outros irmãos de fé. Em um momento em que a França atravessava grande perseguição cristã devido a Revolução Francesa. Foi beatificado por João Paulo II em 1984 junto com um grupo de 99 mártires da diocese de Angers.

Eis o primeiro indiano a ser elevado à glória dos altares. Nasceu no Estado de Goa, na costa de Malabar em 1651, quando aquela região ainda era colônia portuguesa. Em 1676 se tornou sacerdote da Congregação dos Negros de São Filipe, os Oratorianos. Foi então em missão para o Ceilão, hoje Siri Lanka, porém os holandeses, que dominavam aquela região, expulsaram todos os missionários com ameaça de morte. Mesmo assim, José ainda fez seu trabalho, introduzindo o Evangelho nas línguas tamil e cingalês. Faleceu em Kandy em 1711 e beatificado em 1995.

13/01 - Sábado. Beata Verônica de Binasco - Virgem e Agostiniana. Nasceu em Binasco, região da Lombardia, Itália, 1445. De família agrícola. Aos 22 anos ingressa na Ordem Agostiniana como leiga no mosteiro de Santa Marta em Milão. Dedicada ao trabalho doméstico com severa disciplina ascética, possuía alma mística, teve visões frequentes e por isso foi chamada para conversar com o Papa Alexandre VI, que ficou muito impressionado com seus relatos. Morreu em 13/01/1497. Em 1517 o Papa Leão X concedeu ao mosteiro de Santa Marta o direito de celebrar sua festa litúrgica. 14/01 - 2º Domingo do Tempo Comum. Santa Nina da Geórgia - Monja e Virgem. A união da família tem grande importância no projeto de Deus. Porém, há casos que nos leva a refletir: Nina, por exemplo, dos séculos III e IV, foi entregue a uma senhora porque os pais seguiram um chamado aparentemente louco. Ele, o pai, foi ser eremita, e sua mãe tornou-se diaconisa. Entretanto, a pequena Nina não foi abandonada, foi bem cuidada e ouvindo desde cedo a respeito de uma terra pouco conhecida chamada “Ibéria”, hoje Geórgia, quando cresceu foi para lá, evangelizar como seus pais; fazer caridade e operar milagres. Acabou convertendo até o rei de lá. Conhecida como a apóstola da Geórgia.

17/01 - Quarta-feira. Nossa Senhora de Pontmain.

15/01 - Segunda-feira. Santa Ita ou Ida - Virgem e Fundadora. Da Irlanda conhecemos a história de Dorothy, seu nome de batismo. No século VI, muitos lugares longínquos foram evangelizados como a Irlanda e outros e logo foram florescendo pessoas dispostas a propagar a fé. Já aos 14 anos ela consagrou-se a Cristo e mais tarde incentivou a construção de uma escola para crianças. Fundou um mosteiro em Cluain Credail. Era uma pessoa extremamente dedicada na oração e no conhecimento da palavra de Deus. Ficou conhecida como o sol branco das mulheres de Münster, hoje pertencente à Alemanha. Faleceu em 571.

Depois de Paris, 1830, com as aparições de Nossa Senhora das Graças a Santa Catarina Labouret; em La Salette, 1846, aparece a Maximin e Melanie; e também em Lourdes, 1858, a Santa Bernadette. Nossa Senhora voltou a manifestar-se na França; em 1871, no pequeno povoado de Pontmain, Bretanha. Nessa época, os quase 200 moradores estavam desesperados, pois o país tinha sido invadido pelo exército prussiano, que não chegou a invadir Pontmain. Mais uma vez ela vem a jovens como: Eugênio, José, Francisca e Maria, pedir, não com palavras, mas com frases impressas: muitas orações. 18/01 - Quinta-feira. Beata Beatriz II d’Este - Monarca. Nasceu em Ferrara por volta de 1230. Recebeu o nome de sua respeitada tia, uma freira em Gemmola, Pádua. Foi casada com o monarca de Vicenza, Mandred. Seu esposo participou da batalha conjugada contra Frederico II e veio a morrer. Ela voltou a Ferrara para receber o hábito de São Bento com algumas damas da corte, na ilha de São Lázaro. Sua atitude piedosa, seguida pelas damas da corte fez aumentar o número de religiosas naquela época, consequentemente o de mosteiros. Ela rejeitou qualquer reconhecimento ou vanglória, faleceu piedosamente no mosteiro de Santo Antônio em 1262.


3

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

2º Caderno

Arquidiocese fotos: divulgação

w rito contou com grande número de fiéis vindos de diversas paróquias

w failiares e amigos prestigiaram toda a cerimônia que foi realizada

Arcebispo de Belém preside ordenações presbiterais e diaconais em Recife (PE) Missionários da Comunidade Obra de Maria, na Basílica Santuário de Nossa Senhora da Conceição

N

o último dia 6 de janeiro, sábado, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém, presidiu,

às 16h, concomitantemente, o rito de ordenação diaconal e presbiteral de oito missionários da Comunidade Obra

w missionários que receberam a ordenação

de Maria, na Basílica Santuário de Nossa Senhora da Conceição, no Morro da Conceição, em Recife (PE). Concelebrou o rito, Dom Adair José Guimarães, bispo titular da Diocese Rubiataba-Mozarlândia, no Estado de Goiás. Participaram sacerdotes da comunidade, familiares e amigos. O rito de ordenação foi marcado pelo zelo litúrgico e grande número de

fiéis vindo das paróquias por onde passaram e, também, nas suas igrejas de origem, localizadas em Olinda (PE), Iguaraçu (PR), Caruaru (PE) e de países africanos. Ainda estiveram presentes padres redentoristas, administradores da Basílica Santuário de Recife, clero da comunidade Obra de Maria e seus fundadores, Gilberto Gomes Barbosa e Maria Salomé Ventura da Silva.

Fo r a m o rd e n a d o s diáconos pela imposição das mãos e oração consecratória de Dom Alberto os cinco acólitos: Wlademir Antônio da Silva, Renescher Erminio da Silva, Vitor Veridiano Santana, Wellington da Silva e Pierre Agon. E, ordenados presbíteros os diáconos José Luiz e Salvador Euclipides. Ao final da celebração, os recém ordena-

dos foram acolhidos fraternalmente pela assembléia para agora assumir sua missão pela Comunidade Obra de Maria para servir a Igreja. Os cinco diáconos retornarão para a Arquidiocese de Belém onde irão servir na Paróquia de Santa Teresinha do Menino Jesus, em Águas Lindas, Ananindeua, para auxiliar o pároco, Padre José Possidônio do Nascimento.

w a prostração um sinal de despojamento e humildade, um gesto muito significativo no rito

w em salvador diácono João Paulo com a mãe durante a ordenação

Ordenações na Bahia e Paraíba

w em joão pessoa ordenação dos padres Daniel Alves e Levi Joaquim

O Arcebispo de Belém presidiu ainda no último final de semana mais

Fernandes Ribeiro, na Paróquia de Santo Antônio, em Salvador (BA) e,

dois ritos de ordenações nos estados da Bahia e da Paraíba. Na sexta-fei-

ra, 5, Dom Alberto presidiu o rito de ordenação diaconal de João Paulo

no domingo, 7, na Casa Mãe da Comunidade Doce Mãe de Deus, em

João Pessoa (PB), ordenou presbíteros Daniel Alves e Levi Joaquim.


4

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Arquidiocese

2º Caderno divulgação

w religiosas vivem a Eucaristia na vida, comunitariamente

A

s Irmãs do Instituto das Missionárias do Coração Eucarístico de Jesus renovaram os votos durante a missa presidida pelo Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman e concelebrada pelo padre Nello Rufaldi, no Centro Social Sagrada Família, em Ananindeua, no domingo, dia 7. Anualmente as religiosas renovam os votos evangélicos de castidade, obediência e pobreza, que tradicionalmente ocorre na Solenidade da Epifania do Senhor, inspiração bíblica da origem do Instituto. Na ocasião, 19 irmãs missionárias renovaram os votos, dentre elas a Irmã Maria Botelho, uma das cofundadoras do Instituto, que foi fundado em Belém

divulgação

w dom irineu e o padre Nello Rufaldi com as religiosas na cerimônia

Missionárias do Coração Eucarístico de Jesus renovaram os votos Renovação dos votos de castidade, obediência e pobreza em 1964, cuja fundadora foi a Irmã Filomena Amorim. Em Fortaleza, no mesmo dia, nove irmãs renovaram os votos na comunidade religiosa Santa Terezinha, onde estão em missão. Amigos, familiares e missionárias da congregação se fizeram presente na data, entre elas a coordenadora geral, irmã Mariazinha, como gos-

luiz estumano

ta de ser chamada, que destacou o momento como gratificante. “O fato delas renovarem os seus votos para mim significa que estão disponíveis ao serviço do Reino de Deus, isso é gratificante, é motivo de louvarmos e agradecermos por essa generosidade de colocarem suas vidas nesse serviço, se comprometendo diante da Igreja; sobretu-

do dos mais pobres, das crianças em situação de vulnerabilidade e todos os empobrecidos”. Ela ainda disse sobre o carisma da congregação: “O nosso carisma é ‘Viver a Eucaristia na vida, comunitariamente, missionariamente na perspectiva do Reino de Deus’, então, somos chamadas também para saciar a fome, as ne-

cessidades dos nossos irmãos; empobrecidos, das crianças e situação de vulnerabilidade. Nós tentamos fazer o melhor e dar o que de melhor nós temos. É sempre uma busca de responder com fidelidade esse chamado que Deus nos fez e, continua nos fazendo, continuamente, todos os dias conforme os apelos que chegam até nós

Igreja das Mercês realiza a Grande Vigília Eucarística no dia 19 “Nossa Fé numa pessoa” será o tema que inspirará centenas de fiéis paraenses durante um momento de oração e espiritualidade na sexta-feira, 19 de janeiro. O encontro inicia às 20h, na Igreja Nossa Senhora das Mercês, localizada no centro de Belém, na

Rua Gaspar Viana. Esta será a 68ª edição da Vigília Eucarística promovida pela paróquia. O encontro de Fé se estenderá até as seis horas da manhã do dia seguinte, sábado, 20, e em sua programação, contará com momentos espirituais, celebração,

louvor e pregações. A programação da vigília inicia na sextafeira, 19, às 20h com o momento da misericórdia. E às 21h, será realizado momento de louvor e oração do Salmo 88. Em seguida, celebração eucarística, às 22h, presidida pelo Cônego Sebastião Filho.

Meia noite acontece um momento de louvor e oração para os fiéis partilharem da palavra de Deus e de seus ensinamentos. Uma hora da madrugada haverá a pregação “O Pai nos liberta em seu amor, sob ensinamentos do Evangelho”. Em seguida, às 2h,

através dos rostos dos nossos irmãos”. Histórico O Instituto das Missionárias do Coração Eucarístico de Jesus foi fundado no ano de 1964, em Ananindeua. A criação do Instituto partiu da inspiração da fundadora Filomena Vasconcelos de Amorim, natural de Quipapá (PE), que nasceu em 1903 e das cofundadoras Maria Luiza Botelho de Melo, natural de Piauí e Benedita de Souza, natural do Ceará. Os trabalhos na época tiveram a bênção do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Gaudêncio Ramos. O Instituto fica localizado na Rodovia BR 316, Km 6, em Águas Lindas, em Ananindeua. será feito um momento chamado “Mãos Ensanguentadas”. Às 3h, a leitura dos Salmos 23, 116, 95, 50 e 3. A programação continua e, às 4h, será realizada mais um momento de louvor e oração. Às 5h o momento de oração do Terço Mariano, em honra a Virgem Maria, Mãe de Deus. No encerramento, às 6h da manhã do sábado, 20, celebração eucarística, presidida pelo Cônego Sebastião Filho.

Compêndio do Catecismo da Igreja Católica O Jornal Voz de Nazaré continua as reflexões iniciadas em 2013, Ano da Fé, com a publicação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. De maneira concisa, a publicação apresenta, numa visão de conjunto, todo o panorama da fé católica, com seus elementos fundamentais.

Iv Parte (A Oração Cristã) Primeira Seção A Oração na Vida Cristã Capítulo Primeiro - A Revelação da Oração

537

538

A oração de Moisés é típica da oração contemplativa: Deus, que chama Moisés da sarça ardente, entretém-se muitas vezes e longamente com ele “face a face, como alguém que fala com seu amigo” (Ex 33,11). Nessa intimidade com Deus, Moisés haure a força para interceder com tenacidade a favor do povo: a sua oração prefigura assim a intercessão do único mediador, Cristo Jesus. 2574-2577 2593

À sombra da moradia de Deus - a Arca da Aliança, depois o templo - desenvolve-se a oração do Povo de Deus sob a guia dos seus pastores. Entre eles Davi é o rei “segundo o coração de Deus”, o pastor que ora pelo seu povo. A sua oração é um modelo para a oração do povo, pois é adesão à promessa divina e confiança, cheia de amor, nAquele que é o único Rei e Senhor. 2578-2580 2594

Como orava Moisés?

Que relações têm, no Antigo Testamento, o templo e o rei com a oração?


5

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Igreja

2º Caderno

fotos: divulgação

w distribuição do alimento é feita para quem procura o lugar

w agradecimento permanente pelo alimento que é recebido

Entregando sopa há mais de 20 anos Iniciativa partiu do então pároco da Paróquia Santa Maria Goretti, padre Elói Wayth de Souza

O

projeto Casa da Sopa da Associação da Misericórdia Divina Filantrópica Assistencial e Educacional (Amidifae) iniciou este mês os serviços assistenciais voltados às pessoas em situação de vulnerabilidade social do bairro do Guamá e bairros próximos. O espaço distribui sopa gratuitamente há mais de 20 anos de segunda a sexta-feira, durante o ano todo. A iniciativa é fruto do olhar atento do capelão da Polícia Militar, padre Elói Wayth de Souza, que na década de 90, quando pároco da Paróquia Santa Maria Goretti, no Guamá, se deparou com a triste realidade das pessoas em situação de pobreza, que não tinham um prato de comida para sa-

ciar a fome. Diante desta situação começou a distribuir sopa uma vez por semana às proximidades da paróquia. Os fiéis que participavam das missas presididas pelo padre Elói foram fundamentais para a criação da Casa da Sopa, pois eles foram os primeiros parceiros que ajudaram com as doações para a distribuição das sopas. O papel do projeto, segundo o padre é “Acolhe para servir”. O espaço acolhedor, localizado na Avenida José Bonifácio, entre as ruas Paes de Souza e Silva Castro, distribui gratuitamente sopa para pessoas em situação de rua e em situação de pobreza. A produção do alimento só é possível através da equipe de voluntá-

rios que às 7h da manhã inicia o preparo. A partir das 10h30 ou assim que a sopa ficar pronta começa a distribuição do alimento. Segundo a coordenadora do projeto, Izabel Malheiros, são distribuídos diariamente cerca de três mil pratos de comida. Para ela, é gratificante atender ao próximo. “É um trabalho de muito amor ao próximo, muita dedicação. A gente vê aquele retorno, aquele sorriso daquela pessoa que recebe um prato de sopa, então é muito gratificante. A gente precisa se doar, servir ao próximo”. Quentinha, saborosa e com um pedaço de pão, é assim que a sopa chega a cada um que procura um prato de comida no local, que para muitos, é a única refeição do dia.

Para outros, que chegam com vasilhas plásticas, é a forma de garantir a última refeição do dia, o jantar. Segundo o padre Elói Wayth de Souza, existe uma relação de caridade, de bondade que conta com ajuda de pessoas que doam um quilo de alimento, que é muito importante para a Casa da Sopa. Para ele, gestos de generosidade podem ser transformadores. “Quando a gente exerce o trabalho de bondade, as pessoas entendem que é possível construir um mundo melhor para aqueles que vivem em um mundo pior”. A Casa da Sopa conta com parceiros do ramo supermercadista e também com o Mesa Brasil, Programa de Segurança Alimentar e Nutricional

do Serviço Social do Comércio (Sesc). Dentre os alimentos doados estão legumes, verduras, massa para sopa e carnes. Todos

os ingredientes utilizados para a produção da sopa são devidamente selecionados e seguem as normas de higiene.

Associação A Associação da Misericórdia Divina Filantrópica Assistencial e Educacional (Amidifae) é comprometida também em oferecer serviços assistenciais como atendimento médico e jurídico. Os atendimentos são pré-agen-

dados na Casa da Sopa, para em seguida o devido atendimento que pode ser realizado no próprio espaço ou encaminhado para outro local. O serviço oferecido é totalmente gratuito e conta com o trabalho voluntário de médicos e advogados.

Serviço Associação da Misericórdia Divina Filantrópica Assistencial e Educacional (Amidifae), fica localizado na Avenida José Bonifácio, entre as Ruas Paes de Souza e Silva Castro. Os interessados em ajudar podem entrar em contato através do telefone: 3229-0244.

Igreja no Brasil anuncia solenidades móveis do ano w agenda das programações litúrgicas ao longo do ano

YOUCAT

Nas celebrações do domingo, dia 7 de janeiro, quando foi celebrada a Solenidade da Epifania do Senhor, foi feito o anúncio das solenidades mó-

TERCEIRA PARTE

A VIDA EM CRISTO Primeira seção

O

Jornal Voz de Nazaré segue os estudos sobre o YOUCAT - Catecismo da Igreja Católica escrito para JOVENS que querem saber em que acreditam. Este projeto iniciou-se por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, Rio, 2013.

veis deste ano de 2018. Centro do Ano Litúrgico, o Tríduo Pascal culmina no Domingo da Páscoa, este ano em 1º de abril. Eventos e iniciativas da Igreja no Brasil também acontecem com base nas solenidades celebradas na liturgia. A Campanha da Fraternidade é aberta junto com a Quaresma, portanto, em 14 de fevereiro. Já a Assembleia

Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tem início na quarta-feira após o segundo domingo da Páscoa, este ano, 11 de abril. Já a Campanha para a Evangelização acontece no Advento, com a coleta no terceiro domingo, 16 de dezembro. Algumas datas religiosas importantes tornaram-se feriado no Brasil.

Para que estamos na terra, o que devemos fazer e como nos ajuda o Espírito Santo de Deus?

Confira as solenidades móveis do ano

Segundo Capítulo

07/01/2018 (domingo) - Epifania do Senhor 08/01/2018 (segunda-feira) - Batismo do Senhor 14/02/2018 (quarta-feira) - Quarta-feira de Cinzas 30/03/2018 (sexta-feira) - Paixão de Cristo 01/04/2018 (domingo) - Páscoa da Ressurreição 31/05/2018 (quinta-feira) - Corpus Christi 12/10/2018 (sexta-feira) - Nossa Senhora Aparecida - Padroeira do Brasil 02/11/2018 (sexta-feira) - Fiéis defuntos 25/12/2018 (terça-feira) - Natal

A Comunhão Humana que princípios se 324Sobre edifica uma sociedade? Cada sociedade edifica-se sobre uma ordem de valores que são realizados pela justiça e pelo amor. [1886-1889, 1895-1896]


6

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Igreja

2º Caderno

Pastoral da Criança sugere ações contra a obesidade infantil Sugestões de normas para a comercialização de alimentos nas escolas

O

coordenador Internacional da Pastoral da Criança, Nelson Arns Neumann, apresentou na segunda quinzena de dezembro ao ministro da Educação sugestões de normas para a comercialização de alimentos nas cantinas de escolas com vista ao combate à obesidade infantil. A iniciativa foi motivada pela preocupação do Arcebispo de Olinda e Recife (PE), Dom Antônio Fernando Saburido, que solicitou a ação da Pastoral. De acordo com dados do Sisvan-web, apresentados pela Pastoral da Criança, a obesidade infantil entre as crianças de 5 a 10 anos, em Pernambuco, está em 17%, enquanto a média no Brasil é de 13%. As sugestões apresentadas ao ministro dizem respeito à comercialização, propaganda, publicidade e promoção comercial de alimentos, preparações e bebidas disponibilizadas nas cantinas das unidades escolares que atendam à educação básica, das redes pública e privada, em âmbito nacional.

cias negativas no processo de desenvolvimento de hábitos alimentares. Quanto mais promotor de saúde for o ambiente no qual a criança está inserida, maiores serão as chances de que ela desenvolva hábitos saudáveis”. Para o Dr. Carlos Augusto Monteiro, Coordenador do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, fatores ambientais, tais como, o crescimento econômico, a urbanização e a mudança nos padrões de consumo alimentar, estão mais internamente ligados à epidemia da obesidade no Brasil e no mundo. Assim, a responsabilidade individual por um estilo de vida saudável é limitada pelo ambiente social, especialmente das ações inapropriadas da indústria de alimentos. Segundo Monteiro, “as crianças de famílias de baixa renda, filhos de mães com menor escolaridade e residentes em domicílio em situação de insegurança alimentar grave nas regiões mais carentes do país são mais vulneráveis e apresentam menor chance de ter uma dieta saudável.

Essa situação gera impactos importantes na saúde e deve ser um tema prioritário nas agendas das famílias e das autoridades. Nesse contexto, cabe ao poder público a execução de programas, políticas e ações que promovam sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis que unam agricultura, alimentação, nutrição e saúde. É necessário fomentar a produção sustentável de alimentos frescos, seguros e nutritivos, garantir a oferta, a diversidade e o acesso, principalmente da população mais vulnerável”. Alimentos ultraprocessados

Na contramão dessa orientação, as vendas de alimentos ultraprocessados vêm crescendo muito no Brasil e, de modo geral, em todos os países de renda média. Além disso, pesquisas de compra de alimentos para consumo familiar indicam a redução dos alimentos naturais ou minimamente processados, como frutas, vegetais, arroz e feijão.

Tudo isso indica que muitas famílias têm deixado de cozinhar e consumir pratos tradicionais e aumentado a ingestão de alimentos ultraprocessados, prontos para o consumo. Estes apresentam alta densidade de calorias, açúcares, gorduras, sódio e aditivos químicos e baixa de micronutrientes, sendo nutricionalmente inadequados especialmente para crianças em plena fase de crescimento e desenvolvimento. Segundo o Dr. Nelson Arns Neumann, todos deveriam perceber que é urgente a necessidade de combater o crescimento da obesidade infantil e essa é uma luta para toda a sociedade: “há um jeito de fazer isso e parte da premis-

sa que devemos ofertar para a criança comida de verdade. Os alimentos industrializados têm excesso de açúcar, gordura, sal, além de aditivos químicos e isso não é bom. Fazer a comida com ingredientes frescos e naturais é a certeza de comer algo que vai fazer bem e trazer muitos benefícios. Tanto na família quanto na escola”. Em 2018, a Pastoral da Criança, com o apoio de diversas entidades, entre elas a Universidade Federal de Pelotas e o Padre Reginaldo Manzotti, da Associação Evangelizar, pretende desenvolver uma campanha nacional sobre o tema. Afinal, a luta contra a obesidade infantil é de todos e urgente. divulgação

Ação conjunta

A obesidade infantil tem crescido de forma sistemática no Brasil e é hoje uma das maiores preocupações de todos os que lutam para que as crianças tenham um desenvolvimento saudável. Quem nunca ouviu as famosas frases “Criança gordinha é sinal de saúde”, “Parabéns, você raspou o prato” e “Se não comer tudo não vai brincar”? Fazer a criança comer bem certamente é uma das maiores preocupações dos pais com relação à saúde dos pequenos, mas a responsabilidade por uma alimentação de qualidade vai muito além da família e da criança. Toda a sociedade e o governo precisam agir juntos para garantir uma primeira infância saudável e longe da obesidade infantil. Segundo Pedro Curi Hallal, Reitor da Universidade de Pelotas, que estuda o tema há décadas, “políticas que restringem a disponibilidade de bebidas e alimentos saudáveis dentro da escola podem promover a redução de influên-

w Obesidade Infantil: a média, no Brasil, segundo dados do Sivam-Web, é de 13 %

Acompanhamento A Pastoral da Criança, por meio da atuação dos líderes comunitários no acompanhamento de gestantes e crianças, já contribui de forma significativa na luta contra a obesidade infantil. Nas visitas domiciliares, com o Guia do Líder em mãos, os líderes orientam as famílias acompanhadas sobre o prénatal, aleitamento materno, alimentação saudável e o de-

senvolvimento infantil. E ainda vão além, com as ações: l Acompanhamento Nutricional, que promove a avaliação do estado nutricional das crianças e a orientação adequada para as famílias. l Brinquedos e brincadeiras na comunidade, que além de promover o exercício, a interação entre as crianças, ajudam a construir a autonomia das crianças,

usando, muitas vezes, brinquedos feitos com sucatas e construídos com a ajuda das próprias crianças. l Atua em Rede com todos os atores na comunidade que defendem e lutam pelo desenvolvimento integral da criança, em especial as equipes da Estratégia Saúde da Família e a Assistência Social (agora também com os visitadores do Criança Feliz).

l Auxilia no entendimento das famílias, especialmente as que possuem crianças na pré-escola. Quanto aos benefícios e limites, as unidades escolares não substituem o papel familiar, a importância das atividades realizadas para a socialização da criança, o estímulo à autonomia etc, que são tão importantes quanto a pura alfabetização.


7

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Arquidiocese

2º Caderno

“E

is que estou à porta e bato” (Ap 3,20a)” foi a passagem que o Senhor inspirou para o tema do 38º Retiro Nacional para Seminaristas (Renasem), realizado de 8 a 12 de janeiro pela primeira vez na capital paraense. Com organização da Renovação Carismática Católica (RCC) a programação consta dias de oração, partilha e festa e experiência missionária em Muaná, no Arquipélago do Marajó. O Renasem nasceu do desejo do coração de futuros sacerdotes que apenas aspiravam rezar em suas férias, buscando juntos a santidade. Este ano, com grande alegria, o retiro vem pela primeira vez para Belém e tem uma expectativa de público em torno de 250 seminaristas e sacerdotes de todas as partes do Brasil, participantes esses que tiveram suas vocações oriundas da RCC. A temática, definida pelo Conselho Nacional da RCC em Aparecida (SP) em 2017, segundo a organização, busca dilatar o coração para bem viver a experiência do batismo no Espírito Santo nas vidas e missões. “Cristo que bate na porta do nosso coração, convida nos experimentar do seu amor, nos chama e forma para uma vocação específica e nos envia a missão”, explica Emanuel Fer-

Dom Alberto Taveira preside Missa de abertura do Renasem 2018 Retiro Nacional para Seminaristas realizado pela primeira vez em Belém fotos: divulgação

w cerimônia religiosa na Catedral marcou a abertura do evento

nandes, seminarista e um dos organizadores. Com presenças de Kátia Roldi Zavaris, Presidente do Conselho Nacional da Renovação Carismática Católica no Brasil; padre Wagner Ferreira, da Comunidade Canção Nova, e das cantoras católicas Olívia Ferreira e Aline Venturi, ambas do Rio de Janeiro, a programação iniciou na segunda-feira, 8, com Santa Missa, às 19h, presidida por Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém e assessor eclesiástico da

RCCBrasil, na Catedral Metropolitana. No dia 9, na Paróquia de São João Batista Nossa Senhora das Graças, em Icoaraci, houve Lucernário, às 20h. Além disso, nos cinco dias de programação houve ainda momentos de formação, espiritualidade, celebrações litúrgicas, liturgia das horas, Adoração ao Santíssimo Sacramento e momentos de fraternidade, o Renasem conclui nesta sexta-feira, 12, com Santa Missa de encerramento, ao meio dia, na Basílica

w palestrantes contemplaram as temáticas específicas do evento

Santuário de Nazaré. Expectativa do público é grande

Como se trata de um retiro em nível nacional, para o Renasem são aguardados participantes de várias partes do país. Um deles é Yure Alves, do Seminário Arquidiocesano São José, no Rio de Janeiro, que vem pela primeira vez a Belém e que não esconde a empolgação: “é uma grande alegria conhecer a casa da mãe de Nazaré logo no primeiro dia, na missa de abertura. Uma grande

emoção, pois sabemos da imensidão de graças alcançadas no Círio. Dentre as atividades que aconteceram, espero ser surpreendido por Deus”. O seminarista que já participou de duas edições do evento em nível estadual, o primeiro, em 2016, na capital Rio de Janeiro, e o segundo, em Valença, no ano passado, conta que manteve uma preparação espiritual para o bem viver do evento em 2018: “Tenho me preparado para o Re-

nasem com muita alegria e expectativa pelo que cada Renasem tem representado em minha vocação, uma grande graça renovadora, fruto do Santo Espírito. As melhores expectativas são as que tenho, pois sei que nesse primeiro Renasem Nacional que estarei participando, após vivenciar dois estaduais, certamente o Senhor reservou algo muito especial pra mim e para meus irmãos que estarão comigo”.

Missão no Marajó De acordo com a organização, visando uma entrega maior na dimensão testemunhal, o Renasem terá como experiência missionária nos dias 12 a 15 de janeiro, o município de Muaná, no Marajó. “Alguns anos sentimos a necessidade de levar a experiência missionária para a estrutura do Renasem. Sentindo a moção de Deus em fazer o Estado do Pará, especificamente

a Arquidiocese de Belém para sediar, sentimos o apelo de inserir a missão”, destaca Emanuel. Segundo o organizador, a RCC Nacional desempenha um trabalho de missão no Marajó e, seguindo a moção de Deus e o pedido de Dom Alberto que sugeriu a modalidade missionária para o retiro, destacou a localidade que passa por uma urgência de missão.

w participantes evento contou com a presença de dezenas de jovens

Arquidiocese promove formação para futuros monitores de oratórios A Arquidiocese de Belém através do Setor Juventude realizou o II Encontro de Formação de Animadores de Oratórios, na Escola Salesiana do Trabalho, na Pedreira, no sábado dia 6 de janeiro. O evento reuniu jovens e adultos provenientes de paróquias, novas comunidades de vida consagrada e de comunidades religiosas, cuja finalidade é dar subsídios para os monitores que atuarão nos centros de promoção de esporte e lazer, denominados Oratório. O encontro contou com a presença de cerca de 100 jovens e adultos e, ainda leigos, dois sacerdotes e cinco religiosos. A

programação contemplou os horários da manhã e tarde com formações. Pela manhã, padre Josué Nascimento, capelão da Igreja Nossa Senhora do Carmo, na Cidade Velha, deixou em relevo o tema “Os aspectos históricos do Oratório: Pe. Felipe Nery e Dom Bosco”. À tarde o Bispo Auxiliar de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, o bispo referencial para o setor juventude da Arquidiocese de Belém, ministrou o tema “Aspectos educativos e pastorais do Oratório”. O dia de formação foi concluído com celebração eucarística presidida por Dom Antônio. Segundo Dom Antô-

nio, as formações visam dar subsídios aos monitores que atuam no projeto que será lançado para a juventude da Arquidiocese de Belém, que contempla Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides e Santa Bárbara. O projeto é voltado para a promoção do esporte, lazer, cultura e entretenimento para adolescentes e jovens, cuja meta é ter 50 Centros de Promoção de Esporte e Lazer, chamados de Oratório. Inicialmente, a meta, é atender cerca de 10 mil jovens. A iniciativa é uma resposta a criminalidade infantojuvenil exacerbada na Região Metropolitana de

Belém (RMB) e a Igreja abraça a causa ao abrir as portas para promover atividades informais e socioeducativas nos finais de semana. Para Dom Antônio, o oratório tem a proposta de evangelizar e de educar. “Essa é uma resposta preventiva a questão da criminalidade. O jovem e adolescente não sabem o que fazer nas horas de momentos livres é uma resposta que vai ao encontro do tempo livre dos adolescentes e jovens”. Dentre os exemplos, destacou o Oratório Juvenil, no Aurá, em Ananindeua, que reúne aos sábados cerca de 350 crianças, proporcionan-

do diversas atividades esportivas e culturais. A primeira formação ocorreu em novembro do ano passado. No mês de janeiro está previsto a terceira formação que convoca jovens para serem monitores, pessoas que possam ensinar basquete, capoeira, qualquer dança em geral. Segundo Dom Antônio, todos os monitores voluntários são bem-vindos e convida jovens das paróquias, ONGs e outra as instituições que estão sensíveis a esse problema da criminalidade, sendo o objetivo capacitá-los para que as atividades possam ser desenvolvidas ao longo do ano.

Oratório

Oratório vem da palavra oração. A experiência surgiu em meados de 1500, em Roma quando o padre Felipe Nery, um padre diocesano percebeu que após a oração, ou seja, após a missa os meninos voltavam para casa, mas antes, paravam em feiras e em outros locais. O sacerdote percebeu a necessidade de estender o tempo de oração juntamente com atividades esportivas. A ideia se espalhou pela Itália e dois séculos depois Dom Bosco, reformulou a proposta ao acrescentar outras atividades proféticas, esportivas e culturais.


8

Em Nazaré

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

2º Caderno

Comunidade São Brás festeja padroeiro

Festividade deste ano com o tema “Como São Brás queremos ser sal da terra e luz do mundo”

C

onhecido como o protetor da garganta, médico e pastor das almas, o padroeiro da Comunidade São Brás, que integra a Paróquia de Nazaré, será festejado a partir do dia 28 de janeiro com o tema “Como São Brás queremos ser sal da terra e luz do mundo”. A festividade segue até o dia 3 de fevereiro e vai contar com momentos de espiritualidade e consagração ao padroeiro.

A festividade reúne tradicionalmente, além dos integrantes da comunidade, os trabalhadores do complexo de São Brás, incluindo o antigo mercado e a feira. Há notícias de que uma procissão dedicada ao santo já era realizada em Belém há muitos anos atrás, partindo da Igreja das Mercês em direção à Basílica de Nazaré. Missas, Adoração ao Santíssimo Sacramento

e a tradicional benção das gargantas fazem parte da festividade. Confira a programação completa: 28 de janeiro – Abertura da festividade, às 09h.

De 29 de janeiro a 1º de fevereiro – Novena

seguida de celebração, às 19h. 2 de fevereiro – Adoração às 19h. 3 de fevereiro – Dia de São Brás – Missa solene, seguida de benção das gargantas, às 18h. fotos: divulgaçao

w em roma Padre José Ramos no início da caminhada missionária

Vamos celebrar! Pa r a b e n i z a m o s o nosso querido Superior da Província Norte dos Padres Barnabitas, José Adelson Ramos das Mercês pelo seu aniversário natalício comemorado no dia 13 de janeiro. Nascido em 1959, em São João de Pirabas, Nordeste do Pará, Padre Ramos, como é carinhosamente conhecido, é o mais novo de cinco irmãos. Histórico

Com uma caminhada missionária que já dura mais de 40 anos, já foi pároco, Reitor do Santuário da Rainha da Amazônia e presidente do Círio de Nazaré, onde desenvolveu um trabalho evangelizador de fé, amor, dedicação e paciência para com todos. Em 2015 recebeu a missão de ser o superior Provincial do Nor-

w padre ramos Superior Norte dos Barnabitas

te do Brasil dos Padres Barnabitas, missão que desempenha até hoje. A escolha foi feita durante o Capítulo da Ordem, que reúne os confrades da Província Norte. A escolha do superior provincial é feita mediante votação dos membros

da província e depois enviada a Roma. Feita a contagem dos votos cabe ao superior geral ou seu delegado dar posse ao novo provincial. A nomeação foi feita pelo padre Francisco Silva, atual superior geral da Ordem.


9

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Em Nazaré Catequese da Paróquia de Nazaré está com inscrições abertas 2º Caderno

A

Pastoral da Catequese da Paróquia de Nazaré, que promove a formação religiosa de crianças, adolescentes e adultos, está com as inscrições abertas para os encontros de 2018. A matrícula pode ser realizada até o dia 10 de fevereiro para as turmas de Pré-Catequese I (que atende crianças de 4 a 5 anos de idade), Pré-Catequese II (crianças de 6 anos), Primeira Eucaristia (crianças de 7 anos), Perseverança, Crisma de Jovens (adolescentes de 14 a 17 anos), Crisma de Adultos (a partir de 18 anos) e Catequese de Adultos. A Catequese da Paróquia de Nazaré atende toda a Região Metropolitana de Belém. Para mais informações, entre em contato através do telefone (91) 3223 1564.

A Pastoral da Catequese abre agenda de programações para o ano de 2018 fotos: divulgação

Confira os horários e documentos necessários para cada turma PRÉ-CATEQUESE I , PRÉ-CATEQUESE II e PERSEVERANÇA

Sábado: 15h às 17h

Documentos necessários para a inscrição:

Certidão de nascimento, certidão de batismo e foto 3x4. Taxa de matrícula: 20,00 Mensalidade: 5,00 1ª EUCARISTIA

Quinta-feira: 15h às 17h Sexta-feira: 15h às 17h Sábado: 8h30 as 10h30 e de 15h às 17h

w dom antônio durante Crisma na Basílica Santuário de Nazaré

Documentos necessários para a inscrição:

Certidão de nascimento, certidão de batismo e foto 3x4. Taxa de matrícula: 20,00 Mensalidade: 5,00 CRISMA JOVENS

Sábado: 8h30 às 10h30 e de 15h às 17h

Documentos necessários para a inscrição:

Certidão de nascimento, certidão de batismo, certificado da 1ª Eucaristia e foto 3x4. Taxa de matrícula: 20,00 Mensalidade: 10,00 CRISMA ADULTO

Quinta-feira: 19h às 21h Sexta-feira: 19h às 21h Sábados: 17h30 às 19h30

Documentos necessários para inscrição:

w jovens participam ativamente de todo o processo de preparação até o momento da Crisma

Certidão de nascimento, certidão de batismo, certificado da 1ª Eucaristia, certidão de casamento, foto 3x4. Taxa de matrícula: 20,00 Mensalidade: 10,00

Barnabitas reúnem-se em Capítulo Nesta semana, 18 padres que integram a Ordem dos Clérigos Regulares de São Paulo, os Barnabitas, estão participando do Capítulo da Província Norte. O encontro, que é uma prestação de contas geral do triênio 2015, 2016 e 2017, acontece até esta sexta-feira, 12, no Colégio Tibi Pater, localizado em São Miguel do Guamá, região nordeste do Pará. A reunião trata de assuntos direcionados pela Cúria Geral de Roma, que este ano selecionou temas como treinamento e formação, espiritualidade e psicologia da mudança, vocações e formação de novos seminaristas, readequação em nível mundial da Ordem, além da indicação do Superior Provincial para o próximo triênio.


10

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Opinião

2º Caderno

Catolicismo na literatura brasileira: da negação na história à redescoberta C

om informações Vatican News, por Silvonei José e Andressa Collet. A presença do sagrado na literatura leva o nome de “teopoética”. É a linha de pesquisa investigada por um pequeno grupo de dez brasileiros em todo o país que busca não apenas “resgatar a dimensão do catolicismo na literatura, como também ajudar a difundi-la, através de teses de doutorado e dissertações de mestrado”, explica Leandro Garcia, doutor em Ciência da Religião e professor na Universidade Federal de Minas Gerais. Há 10 anos, desde que terminou o PhD, Leandro desenvolve a linha de pesquisa da teopoética, principalmente para não negar a sua presença na história oficial.

Vieira e Padre “A literatura Anchieta. Sebrasileira tem gundo o profesuma presença sor, a literatura do catolicismo de hoje é mais muito forte, direcionada à embora um “uma tendêngrande erro da cia de sagrado historiografia exotérico”. nossa no BraLeandro sil é ignorar também aborisso. Porque, da a dificuldainfelizmente, a de de estudar nossa historioesses temas e grafia foi muide ser rotulado t o m a r c a d a w Colonizadores portugueses levaram catolicismo ao Brasil dentro da unipor historiadores marxistas que não literárias foram dos pa- licismo é na poesia de versidade pública como só negaram como de- dres missionários: do Gregório de Matos no conservador, “no tom bem brasileiro e pejoraletaram essa presença Padre Vieira, com os barroco brasileiro.” do sagrado católico, do Sermões e as Cartas, e A literatura brasileira tivo mesmo. E eu acho catolicismo, não apenas do Padre Anchieta, no é muito complexa por que a gente perde muito na nossa cultura mas, teatro e na poesia. Eles seus desmembramentos quando fica com esses de forma específica, na conseguiram, através em 500 anos de vida e preconceitos”, enfatiza nossa literatura. Porque da catequese que foi com escritores das mais ele. Num universo de a nossa literatura ela feita inicialmente no diferentes tendências 136 professores onde nasce sob o signo cató- Brasil, desenvolver to- ideológicas. Atualmente, atua, apenas ele pesquilico que é justamente dos os gêneros literários porém, poucos temati- sa a linha da teopoética: chamada de literatura da nossa literatura. De- zam a dimensão católica “isso é um caos pra mim jesuítica. As nossas pri- pois, uma nova presen- do sagrado, manifestada e inaceitável. É difícil meiras manifestações ça muito forte do cato- desde a época do Padre manter a fé na universi-

dade pública”, acrescenta o professor. Sem esquecer, inclusive, que a própria ideia de universidade surgiu na Idade Média com a Igreja católica, então, “o nosso conceito de universidade é católico medieval e precisa ser valorizado”. “As faculdades de Letras no Brasil e a crítica literária brasileira perderam muito em negar porque, segundo eles, é coisa de católico, é coisa de gente religiosa, então isso não deve ser estudado. E pra mim é o contrário: tem de ser estudado!” O professor Leandro Garcia, da Universidade de Minas Gerais, esteve em Roma no final de 2017 para um evento literário promovido pela Embaixada do Brasil na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Evangelização no Terceiro Milênio Maria Elisa Bessa de Castro

A cultura da vida na perspectiva eclesial (Parte 3)

D

issertaremos hoje sobre a emblemática exortação de São João Paulo II para enfrentar a cultura da morte, por ele intitulada: « Comportai-vos como filhos da luz » (Ef 5, 8): para realizar uma viragem cultural:” A guisa de conclusão, o autor da Evangelium Vitae exorta a todos nós, a se comportar como filhos da luz, ante o que cita a Carta de São Paulo aos Efésios (Ef 5, 8.10-11): “‘ Comportai-vos como filhos da luz. (...) Procurai o que é agradável ao Senhor, e não participeis das obras infrutuosas das trevas’ (Ef 5, 8.10-11). No contexto social de hoje, marcado por uma luta dramática entre a ‘cultura da vida’ e a ‘cultura da morte’, importa maturar um forte sentido crítico, capaz de discernir os verdadeiros valores e as autênticas exigências”. Atenta ele para a necessária e urgente mobilização geral das consciências e para um esforço ético comum, a fim de fomentar uma grande estratégia a favor da vida. Dissemos NOVA: 1) porque em condições de enfrentar e resolver os problemas inéditos de hoje acerca da vida do homem; 2) porque assumida com convic-

ção mais firme e laboriosa por todos os cristãos; e 3) porque capaz de suscitar um sério e corajoso confronto cultural com todos. A urgência desta viragem cultural relaciona-se diretamente ao contexto histórico que vivemos, mas, fundamenta-se sobretudo na própria missão evangelizadora confiada à Igreja. Com esta exortação, o Papa da Misericórdia introduz o fiel católico nas quatro categorias, cuja atuação no mundo contemporâneo assume o protagonismo na VIRAGEM CULTURAL por ele proposta, a saber: os professores e educadores; os intelectuais, nomeadamente, os intelectuais católicos; os profissionais dos mass-media; e as mulheres. Vejamos um breve estudo sobre cada uma dessas categorias, na perspectiva do olhar histórico-cultural explicitado por São João Paulo II. a) Professores e Educadores - no dizer de São João Paulo II, a formação da consciência está estritamente ligada à chamada obra educativa, que ajuda o homem a ser cada vez mais homem, introdulo sempre mais profundamente na verdade, orienta-o para o respei-

to da vida, forma-o nas justas relações entre as pessoas. A obra de educação para a vida comporta a formação dos cônjuges sobre a procriação responsável. Na perspectiva da obra educativa, duas categorias se inserem: os professores e os educadores que, ao lado da tarefa das famílias, enseja uma contribuição particularmente preciosa a missão dos professores e dos educadores. Deles está dependente a possibilidade de os jovens saberem preservar dentro de si e espalhar ao seu redor ideais autênticos de vida, e saberem crescer no respeito e ao serviço de cada pessoa, em família e na sociedade. b) Intelectuais – também esta categoria pode muito contribuir para a construção de uma nova cultura da vida, nomeadamente os intelectuais católicos, os quais são chamados a estarem ativamente presentes nos espaços privilegiados de produção de conhecimento, ou seja, nas escolas e universidades, na investigação científica e técnica, na criação artística e reflexão humanista. Registre-se que foi com esta finalidade que o Papa João Paulo II instituiu a Pontifícia Academia para a Vida, cuja missão enseja “estudar,

informar e formar acerca dos principais problemas de biomedicina e de direito, relativos à promoção e à defesa da vida, sobretudo na relação direta que eles têm com a moral cristã e as diretrizes do Magistério da Igreja” (in Motu proprio Vitae mysterium 11 de Fevereiro de 1994; 4: AAS 86 - 1994, 386387). Conclamou ele que das Universidades, em particular católicas, bem como dos Centros, Institutos e Comissões de bioética, emergissem contributos específicos em favor da cultura da vida. c) profissionais dos mass-media – o autor da Evangenliun Vitae conclama essa categoria de profissionais para que façam das mensagens por eles produzidas um verdadeiro contributo para a cultura da vida. Desta feita, São João Paulo II conclama os mass-media a apresentar exemplos altos e nobres de vida e dar espaço aos testemunhos positivos e por vezes heróicos de amor pelo homem; propor, com grande respeito, os valores da sexualidade e do amor, sem contemporizar com nada daquilo que deturpa e degrada a dignidade do homem. d) mulheres – consoante nos preleciona São João Paulo II, compete às mulheres a promo-

ção de um “novo feminismo” que, sem cair na tentação de seguir modelos “masculinizados”, saiba reconhecer e exprimir o verdadeiro gênio feminino em todas as manifestações da convivência civil, trabalhando pela superação de toda a forma de discriminação, violência e exploração. Posto isto, conclui ele sobre a importância das mulheres na consecução da viragem em favor da cultura da vida, que elas percebem e ensinam “que as relações humanas são autênticas quando se abrem ao acolhimento da outra pessoa, reconhecida e amada pela dignidade que lhe advém do facto mesmo de ser pessoa e não de outros fatores, como a utilidade, a força, a inteligência, a beleza, a saúde. Este é o contributo fundamental que a Igreja e a humanidade esperam das mulheres. E é premissa insubstituível para uma autêntica viragem cultural”. Conclui, por fim, que “é urgente uma grande

oração pela vida, que atravesse o mundo inteiro. Com iniciativas extraordinárias e na oração habitual, de cada comunidade cristã, de cada grupo ou associação, de cada família e do coração de cada crente eleve-se uma súplica veemente a Deus, Criador e amante da vida. O próprio Jesus nos mostrou com o seu exemplo que a oração e o jejum são as armas principais e mais eficazes contra as forças do mal (cf. Mt 4, 1-11), e ensinou aos seus discípulos que alguns demônios só desse modo se expulsam (cf. Mc 9, 29)”. Afirma ele que encontremos novamente a “humildade e a coragem de orar e jejuar, para conseguir que a força que vem do Alto, para fazer ruir os muros de enganos e mentiras que escondem, aos olhos de muitos dos nossos irmãos e irmãs, a natureza perversa de comportamentos e de leis contrárias à vida, e abra os seus corações a propósitos e desígnios inspirados na civilização da vida e do amor”.

Movimento Apostólico da Divina Misercórdia Adoradores Eucarísticos da Igreja das Mercês bessadecastroadv@gmail.com

Próximo artigo: Prof. Ricardino Lassadier


11

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Arquidiocese Ananindeua festeja São Benedito 2º Caderno

São mais de 30 anos de tradição religiosa conhecida também como "Marujada de Ananindeua"

F

estividade em honra a São Benedito será realizada nos dias 13 e 14 de Janeiro, no clube da Assuepa (Associação dos Servidores da Uepa) com grandes homenagens de grupos e marujadas, atraindo tradicionalmente mais de seis mil devotos de todo os estados do Brasil. A marujada de Ananindeua, como é conhecida tradicionalmente, realiza a 33ª edição dos festejos. Entrada gratuita para todos. A festividade de são Benedito de Ananindeua iniciou através de uma senhora que era cega chamada de dona Amélia. Na ocasião, encontrava-se desesperada e queria sua cura. Então, realizou uma promessa a São Benedito, caso voltasse a enxergar, ela iria promover em Ananindeua, no bairro Lago Azul, uma marujada em honra ao santo. Após um tempo, suas preces foram alcançadas. E quando curada, dona Amélia, imediatamente começou os preparativos para dar inicio a homenagem a São Benedito. Iniciou

customizando 30 peças de roupas, sendo 15 para marujas e 15 para marujos, para a apresentação de danças na marujada. Através disso, ela solicitou ajuda para realizar a festividade. Os preparativos iniciaram com ensaios, envolvendo os dançarinos convidados a se apresentar na marujada. A ação social concedida por dona Amélia no inicio era também realizar doações de alimentos para aproximadamente 50 pessoas. Mas ao passar dos anos, a festa ficou tradicionalmente conhecida como “Marujada de Ananindeua”. O número de devotos foi aumentando e atualmente são realizadas doações de alimentos a quase seis mil devotos. Os festejos já foram realizados na Paróquia Divino Espírito Santo, Paróquia Santa Paula Frassinetti, e atualmente, é promovido na Assuepa – Associação dos Servidores da UEPA, em Ananindeua. A programação

A programação da festa este ano inicia no sábado,

divulgação

decimento ao São Benedito. Teremos também vendas de comidas, para quem desejar comprar algo de sua preferência. A festa é totalmente beneficente e convidamos a todas as pessoas virem a festejar conosco este momento”.

Tradição

w marujos e marujas saindo em procissão com imagem do padroeiro

13, com a levantação dos dois mastros, representados por duas crianças, Gabriel e Sofia. O cortejo atravessará a BR, percorrendo as ruas do município de Ananindeua, com destino ao clube da Assuepa. Após a chegada, a festividade de São Benedito, através do ensaio geral, preparativos finais, é oficialmente aberta. No domingo, 14, a programação da festividade inicia às 6h com o Terço da Alvorada, seguido de Celebração Euca-

rística às 8h, no clube da Assuepa, presidida pelo Padre Benedito Lopes, pároco da Paróquia São José Operário. Após a missa, a programação cultural inicia às 11h com a apresentação da tradicional Marujada de Ananindeua, seguida das apresentações de marujadas convidadas, que são a Marujada de Bragança, o grupo de Carimbó Parananin, de Ananindeua, Marujada de Quatipuru, e Tracuateua. O Presidente da Ma-

rujada de Ananindeua, Raimundo Ferreira, destaca a expectativa de vivenciar e celebrar mais um ano de trabalho em honra ao santo: “A expectativa é para a participação de mais de seis mil devotos, que serão muito bem recebidos. Além disso, iremos doar mais de mil cafés da manhã e mais de seis mil pratos de comida, no almoço, destinados a todas essas pessoas que participam conosco desse momento de agra-

A cor da roupa de são Benedito, vermelha, branca e azul caracteriza as vestimentas dos marujos e marujas, em homenagem ao santo. Azul representa o nascimento do menino Jesus, vermelho e branco representa alguns milagres de multiplicação de alimentos, que aconteceram na cozinha de São Benedito. Por isso, ele é tido carinhosamente pelo povo como o Santo Protetor da cozinha, dos cozinheiros, contra a fome e a falta de alimentos.

Comunidade festeja Maria, mãe da Igreja, no Distrito Industrial A comunidade Maria, mãe da Igreja, localizada no bairro do Distrito Industrial, em Anananindeua, está em festa celebrando sua padroeira. Os festejos iniciaram no dia 11 e vão até o dia 13 de janeiro, sob o tema “No Ano do Laicato, Maria é testemunha profética que transforma a realidade” e o lema “Profecia

nossa marca”. A abertura, na quinta-feira, 11, contou com adoração ao Santíssimo Sacramento, às 17h30 e em seguida missa, em intenção dos dizimistas e idosos, presidida pelo padre Paulo Cruz, pároco da paróquia Sagrado Coração de Jesus do Distrito Industrial. Após a celebração, programa-

ção cultural . “Para compreendermos em toda a sua grandeza e dignidade a natureza e missão dos cristãos leigos e leigas, podemos dirigir o nosso olhar para Maria. Nela encontramos a máxima realização da existência humana Cristão. Por sua fé e obediência à vontade de Deus e por constante meditação

e prática da palavra, ela é a discípula mais perfeita do senhor. Mulher livre, forte e discípula, Maria foi verdadeiro sujeito na comunidade cristã. Que nesta festividade de nossa padroeira este perfil mariano da Igreja abra muitos horizontes e ofereça luzes para que possamos compreender melhor o ser e a missão dos

Círio de Bom Jesus dos Navegantes, em Vila do Conde No segundo domingo do mês de janeiro, 14, ocorre o Círio de Bom Jesus dos Navegantes que marca o início dos festejos em honra ao santo protetor dos navegantes e pescadores, em Vila do Conde no município de Barcarena. Com o tema “Seguindo os passos de Bom Jesus e de Maria evangelizaremos nossas comunidades” e o lema “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5), a Igreja de São João Batista e Paróquia São José Trabalhador promovem festividade que encerrase no dia 21. Tradicionalmente a imagem de Bom Jesus dos Navegantes deixa

a Vila de Conde e segue em romaria para o município de Abaetetuba. Desde o mês de setembro a imagem encontra-se em Abaetetuba, onde ao longo dos meses peregrinou pelas Igrejas, comunidades, Ilhas, casas e estabelecimentos. A imagem deixará o município nas primeiras horas do segundo domingo do mês de janeiro, dia 14, com destino à Comunidade Cristo Rei, em Vila de Conde, de onde sairá o Círio às 8h. A procissão do Círio percorrerá algumas ruas rumo a Matriz da Igreja de São João Batista. As homenagens con-

templam programação litúrgica e cultural, de 14 a 21, cujas missas serão presididas às 19h, exceto no dia 21, cuja missa será às 10h e após a procissão de encerramento da festividade, às 18h. Os notários ocorrem no salão anexo a Igreja de São João Batista, após a missa. Mensagem do Pároco

Celebramos com alegria a festividade de Bom Jesus dos Navegantes de longa tradição na Vila do Conde, Paróquia de São José Trabalhador. O Bom Jesus dos Navegantes é protetor de navegantes e pescadores que labutam e trafegam nas águas e o

invocam para uma travessia calma e tranquila, logo a devoção ao Bom Jesus se espalhou pelas comunidades ribeirinhas e ainda hoje se congregam para a festa. A cada ano a comunidade católica de São João Batista, do Conde, prepara com carinho esta festa para que ela se torne momento forte de evangelização e todos sigamos os passos do Bom Jesus e de Maria com mais decisão conforme nos propõe o tema da festa: “Seguindo os passos de Bom Jesus e Maria, evangelizamos nossas comunidades” e o lema que diz: “Fazei tudo o que Ele vos disser.” (Jo 2,5).

leigos e leigas no seio do povo de Deus”, destacou em mensagem o Padre Paulo Cruz, pároco da comunidade. No segundo dia, sexta-feira, 12, a programação litúrgica inicia com o Terço mariano, às 17h30, organizado pela Pastoral Familiar, em seguida ação de graças pelas famílias, às 18h, presidida pelo padre Paulo Cruz. Após a missa haverá a noite cultural e arraial e a realização do bingo que sorteará prêmios surpre-

sas e uma cesta básica. O encerramento, no sábado, 13, será com a procissão pelas ruas do bairro junto da imagem peregrina de Maria, com saída da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, às 17h30 com destino para a comunidade Maria, mãe da Igreja, onde será realizada missa presidida pelo padre Paulo Cruz. Após a celebração, ocorre a noite cultural e arraial, e o último dia do bingo, sorteando prêmios surpresas e uma bicicleta.


12

belém, De 12 a 18 de janeiro de 2018

Especial Juventude

Jovens protagonistas de um mundo melhor

O

Vaticano prepara para outubro de 2018 o Sínodo dos Bispos, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, visando estabelecer os pilares da atividade pastoral da Igreja com os jovens, na XV Assembleia Geral Ordinária dos Bispos. Acolhendo a sugestão do Papa Francisco, o Jornal Voz de Nazaré segue com a série de reportagens a fim de divulgar a ação pastoral do Setor Juventude da Arquidiocese de Belém, sob a coordenação de um dos Bispos Auxiliares de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, designado como Bispo Referencial para a Juventude pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa. Nesta edição, o destaque é para atuação do Centro Magis em Belém. fotos: divulgação

w jovens de diversos movimentos e pastorais participam das ações

w através do programa Magis Brasil são realizadas diversas ações

Centro Magis Amazônia em Belém Centro atende a juventude da região Norte através do programa Magis E

m Belém está localizado o Centro Magis Amazônia que atende a juventude da região Norte do Brasil através do programa Magis. Idealizado pela Companhia de Jesus e por jovens que vivem o Magis inaciano o centro objetiva proporcionar à juventude uma formação humana, afetiva, espiritual, cultural, intelectual e principalmente socioambiental. O Centro fica anexo a Capela Nossa Senhora de Lourdes, localizada na Avenida Governador José Malcher, 1169, bairro Nazaré. A juventude é uma das prioridades apostólicas da Província dos Jesuítas no Brasil, que se dá através do programa Magis Brasil, cujos trabalhos são reali-

w a juventude é uma das prioridades apostólicas da Província dos Jesuítas no Brasil

zados nas casas, centros e espaços Magis espalhados pelo Brasil. O programa compreende cinco eixos voltados para a espiritualidade inaciana, voluntariado jovem, socioam-

biental, metodologia/pedagógica e vocação. Em Belém fica um dos quatro centros existentes, sendo o Centro Magis Amazônia, que coordena e articula os tra-

balhos em âmbito local, regional e nacional. Em nível local promove atividades do programa Magis Brasil, assim como os demais centros. Regionalmente, ajuda no pro-

cesso de aproximação, ou seja, promovendo atividades em conjunto com os municípios de Santarém e Manaus e o Espaço Magis Santarém e Casa Magis Manaus.

Atividades As atividades realizadas com os jovens seguem um calendário com programação nos finais de semana. As formações oferecidas buscam atender aos cinco eixos do programa Magis Brasil, com espiritualidade, trilhas inacianas, simpósios denominado Papo Magi, ação social em bairros periféricos de Belém e acompanhamento do jovem no processo de construção de um projeto de vida ligado a vida religiosa ou não.

Segundo o coordenador do Centro Magis Amazônia, Vitor Bazucco, o Magis é um serviço à juventude através da Companhia de Jesus e não um movimento eclesial. É feito o acolhimento da pluralidade da juventude, seja ela da Renovação Carismática Católica, Pastor da Juventude, Salesianos, entre outros. Para ele há muito desafios, mas possíveis de superar: “A complexidade do ser jovem hoje é muito grande.

Acolher essa juventude é uma necessidade é acolher essa complexidade que nos desafia. Tentar superar e tendo essa presença acolhedora, essa escuta, esse acompanhamento dos processos pessoais coletivos dessa juventude para saber o melhor modo de atuar com essa juventude, não trazendo algo pronto, fechado, mas trazendo algo inspirador, mas ao mesmo tempo a partir dessa realidade”. O C e n t ro M a g i s

Os espaços ajudam no processo de articulação da juventude, promovendo atividades comuns e no favorecimento das atividades locais. Nacionalmente, o Centro Magis Amazônia é responsável pelo eixo socioambiental, principalmente por estar situado no coração da Amazônia. O centro atua na promoção de discussões, simpósios, palestras e formações, que evidenciam a temática que é uma novidade tanto para a Igreja, quanto para a juventude. As formações visam que os jovens se apropriem da temática para em seguida colocála em prática.

Magis Amazônia, é este espaço que deseja acolher as juventudes em suas diferentes e diversas dimensões. Para isso, quer favorecer experiências marcantes com Deus, consigo mesmo e com a criação, na busca pelo espírito Magis, por meio dos exercícios espirituais, bem como de um itinerário formativo para diminuir as distâncias que afastam as classes sociais que segregam e qualificam mediante a critérios econômi-

cos. Para Santo Inácio essa busca faz com que o exercitante se reconheça mediante o encontro com Deus e seu desejo em melhor serviLo, no concreto de sua vida com tudo aquilo que possui. Essas experiências moldam um mundo mais humano no serviço aos demais a partir de uma consciência e sensibilidade socioambiental sendo promotores de um mundo mais humano, mais justo, mais fraterno e mais sustentável.

Magis é um termo em latim, e quer dizer o mais, o maior, o melhor. A palavra utilizada por Santo Inácio de Loyola, quer dizer que sempre podemos experimentar um avanço em relação àquilo que já fazemos ou vivemos. Em Belém, o Centro Magis Amazônia tem como diretor o padre Edson Tomé Pacheco e conta com a colaboração de uma equipe formada por leigos e religiosos.