Voz de Nazaré

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 939 - PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

www.fundacaonazare.com.br

Igreja SOLIDÁRIA na pandemia Rede Cáritas tem se empenhado em levar ajuda da Igreja para quem mais precisa neste tempo de dificuldades, sobretudo sociais, estabelecido pela pandemia da covid-19. Regional Norte 2 da CNBB intensifica ações diocesanas. CAD. 2, PÁG. 1. FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n SOLIDÁRIA Cáritas em ação para levar ajuda da Arquidiocese de Belém para comunidades assistidas pela Pastoral das Ilhas LUIZ ESTUMANO

EDIFICAÇÕES acolhem evangelização Continuamos a reportagem especial na Área Missionária da Arquidiocese de Belém no bairro Canaã, em Marituba. Nesta edição, a atuação solidária das novas comunidades que não medem esforços para ajudar a levantar as edificações das igrejas, prontas a acolher as manifestações de fé resultantes da atuação pastoral arquidiocesana nas oito comunidades, cujas obras estão em pleno andamento. CADERNO 2, PÁGINA 6

n EXPANSÃO da Igreja de Belém: Comunidade Nssa Senhora das Graças, em Marituba

Hora de falar de VOCAÇÃO

Luto na ARQUIDIOCESE DE BELÉM

O mês de agosto é dedicado pela Igreja a uma vasta reflexão sobre a importância das vocações na sociedade. Leia a meditação de Dom Antônio Ribeiro de Assis sobre o tema. CAD. 1, PÁG. 5

Após dedicar-se à sociedade e à evangelização, Dr. João Lobato, Assessor Jurídico da Arquidiocese de Belém, faleceu. CADERNO 1, PÁGINA 4.

n VOCAÇÕES para a Igreja e para a sociedade são temas relevantes do mês de agosto


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

N

a semana passada, me ocupei do dogma da infalibilidade papal. Hoje, o tema é outro dogma: o do primado de Pedro, proclamado por Pio IX, ao recordar a oração de Jesus ao Pai para que os seus discípulos sejam “uma só coisa”: Pedro e seus Sucessores são “o princípio imutável e o fundamento visível” da unidade da Igreja. Por isso, o Papa proclamou e afirmou, “com base nos testemunhos do Evangelho, que a Pri-

JOÃO CARLOS PEREIRA Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

O primado de Pedro e o comando da Igreja mazia da jurisdição sobre toda a Igreja de Deus foi prometida e conferida, pelo Senhor Jesus Cristo, a Pedro, de modo imediato e direto”. A partir da palavra do romano pontífice, a missão do Papa será baseada na ação do apóstolo Pedro, a fim

E

nquanto hoje vem sendo invocada a participação feminina na hierarquia da Igreja, a mulher, ao longo da história, testemunha sua silenciosa vocação de intercessora em favor da humanidade. Ora cita-se aquela que seria canonizada como Santa Helena, que pediu ao filho, imperador Constantino, para decretar a liberdade religiosa aos cristãos, o que ocorreu no ano 313. A Igreja, ao manter a tradição vinda dos apóstolos, quando o Cristo escolheu

de tornar contínuas a salvação e o bem perene da Igreja. O primado não brotou, por assim dizer, da cabeça do bispo de Roma, mas por vontade dAquele que o colocou no comando de sua barca, a fim de que dure para sempre na Igreja que foi criada so-

bre uma rocha, com o destino de levar os homens à salvação, pelos séculos dos séculos. Desse modo, todos os que vierem a sucedê-lo (e já foram 266) devem, instituídos pelo próprio Cristo, ter Primazia sobre a Igreja Universal. Fica claro que “todos, pastores e

fiéis, de qualquer rito e dignidade, estão vinculados, sob ele, pela obrigação de subordinação hierárquica e verdadeira obediência, não apenas nas coisas, que se referem à fé e aos costumes, mas também nas concernentes à disciplina e ao governo da Igreja,

IVENS COIMBRA BRANDÃO Engenheiro civil e escritor (ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com)

ENCONTRO FRATERNO somente homens para seu discipulado, não quer colocar a mulher em segundo plano na ordem social, muito pelo contrário, reconhece a dignidade da mulher, tomando como premissa que o Verbo de Deus foi humanado no seio de uma mulher (cf. Lc 1, 31-33). Se percorrermos os relatos

A missão da mulher na Igreja do Evangelho, verificamos que na vida pública de Jesus, quando a mulher era fortemente discriminada, o Cristo resgatou-lhe a dignidade nas pessoas daquelas que a Ele recorreram. No decorrer da história da Igreja, a participação da

mulher chegou a tomar a dimensão do que é sublime, na medida em que, pela oração e testemunho de vida, influenciou decisivamente na formação de grandes homens, que haveriam de forjar a fé católica. Ora invoca-se Santa Mô-

nica, que durante 33 anos rezou pela conversão do filho, Agostinho. Santo Ambrósio, bispo de Milão, confortou Mônica: ‘Continue a rezar, pois é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas’. Já convertido, Santo Agostinho (354-430),

no mundo inteiro”. O primado de Pedro salvaguarda a unidade da comunhão e da profissão da mesma fé, centrado na figura do Bispo de Roma. Sob o comando espiritual de Jesus e o poder terreno do Papa, a santa Igreja Católica, Apostólica, Romana trabalhará para a unidade do rebanho sob um único sumo Pastor. “Esta é a doutrina da verdade católica, da qual ninguém pode se distanciar, sem a perda da fé e o perigo da salvação”. que seria Bispo e Doutor da Igreja, reconheceu: ‘Ela me gerou seja na sua carne para que eu viesse à luz do tempo, seja com seu coração para que eu nascesse à luz da eternidade’. A Assunção de Maria ao Céu, ‘a escrava do Senhor’ (cf. Lc 1, 38), Nossa Senhora, é celebrada pela Igreja no dia 15 de agosto - este ano no domingo, 16. É um forte sinal do Criador, reconhecimento do maior exemplo de dignidade que uma mulher encerra, modelo para todas as mulheres.

ABERTAS as inscrições para o XX Encontro Nacional da Pastoral da Educação Com informações CNBB. Com o tema “Igreja em Saída: A Pastoral da Educação na Escola Pública”, o Setor de Educação da Comissão de Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com a Associação Nacional de Educação Católica, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e a FTD Educação, vai promover o XX Encontro Nacional da Pastoral da Educação dias 11 e 12 de setembro deste ano.

Segundo o Arcebispo de Montes Claros (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação da CNBB, Dom João Justino de Medeiros Silva, o objetivo é refletir, partilhar e traçar caminhos para fortalecer a presença da Igreja junto às escolas públicas deste imenso Brasil. “Hoje a realidade na qual estudam mais de 80 % dos brasileiros oferece imensos desafios e possibilidades à ação pastoral da Igreja em ser presença no ambiente da educa-

cional público”, disse. “O XX Encontro Nacional da Pastoral da Educação contribuirá, com certeza, para a percepção do empenho de muitos agentes que se dedicaram e têm se dedicado a ser “sal da terra e luz do mundo”, especialmente, na escola. Desejamos que a participação ampliada no XX ENAPE traga como resultado o crescimento da ação da comunidade eclesial junto às escolas, sobretudo aquelas da rede pública”, afirmou dom João Justino, na apresentação do

e-book, especialmente preparado para subsidiar as reflexões do encontro. Segundo o presidente da Comissão de Cultura e Educação da CNBB, o sonho de uma educação humanista integral está presente em todos nós e tem exigido não poucos esforços da Igreja, de suas instituições de educação e de seus agentes. Devido às implicações da pandemia, os eventos do XX Encontro Nacional acontecerão por transmissão ao vivo pelo Canal do YouTube da comissão de “Cultura e Educação CNBB”, nos dias

FOTOS: DIVULGAÇÃO

11 e 12 de setembro. Em parceria com a IFRN, será oferecido certificado de 12hs aos participantes que

se inscreverem no encontro. O conteúdo completo do evento pode ser acessado pelo site da CNBB.

ESTATUTO da Criança e do Adolescente ganhará versão em Libras Com informações Agência Brasil. O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos abriu uma licitação para produzir o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) em linguagem direcionada para pessoas surdas ou com deficiência auditiva. A iniciativa é fruto de uma parceria do ministério com a Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). O material será voltado a pessoas surdas ou com

deficiência auditiva que dominem a língua brasileira de sinais (Libras), independentemente do conhecimento da língua portuguesa. Para que isso ocorra, o processo de tradução do ECA envolverá a interpretação do texto na língua-fonte (português) e sua reformulação na língua-alvo (Libras), de forma a torná-lo compreensível. Conheça a íntegra do edital. ESTATUTO O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) es-

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita Engenheiro civil e escritor (ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com)

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ IVENS COIMBRA BRANDÃO

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

tabelece direitos e garantias especiais às crianças e aos adolescentes. Sancionado em 13 de julho de 1990, o estatuto prevê a ampla divulgação dos direitos da criança e do adolescente pelo poder público, de forma periódica, nos meios de comunicação social. A legislação também estabelece que as mensagens devem ser veiculadas em linguagem clara, compreensível e adequada a crianças e adolescentes. Segundo o ministério, em comemoração aos 30 anos do ECA, a norma será tra-

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

duzida para atender às necessidades específicas

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA/DIAGRAMAÇÃO Greison Dias Carvalho Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

das pessoas surdas ou com deficiência auditiva.

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

CONVERSA COM MEU POVO

NINGUÉM passe em vão ao nosso lado "J

esus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes. Ao entardecer, os discípulos aproximaram-se dele e disseram: ‘Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!’ Jesus, porém, lhes disse: ‘Eles não precisam ir embora. Vós mesmos dai-lhes de comer!” (Mt 14,14-16). Deus olhou com misericórdia e compaixão para a humanidade, enviando seu Filho amado, que veio assumir a nossa carne, sentir tudo o que é nosso, isento apenas do pecado. Jesus, que sentiu fome nos dias passados no deserto, sabia por ex-

E hoje ele se volta para a imensidão de pessoas, filhos e filhas amados por Deus, que vivem na miséria mais absoluta, renovando sua compaixão pela humanidade periência própria o que é esta duríssima realidade. E hoje ele se volta para a imensidão de pessoas, filhos e filhas amados por Deus, que vivem na miséria mais absoluta, renovando sua compaixão pela humanidade. Além disso, ele tem comiseração por todas as sedes e fomes humanas, tal qual a sede de sentido que perpassa os corações, assim como o desejo de descobrir o amor verdadeiro, aquele

que vem de Deus. Em Jesus existe a sensibilidade pelos problemas humanos, quais sejam a fome e a sede, a falta de abrigo e habitação, a migração forçada, o desemprego e a falta de trabalho. Em todos os seus discípulos, feitos Igreja pela vocação cristã, há de resplandecer a percepção dos problemas existentes. Passo fundamental é a capacidade para olhar ao nosso redor, prestando atenção às necessidades das pessoas, apurar nossa sensibilidade! Cada um de nós tem a capacidade de perceber uma dimensão da situação humana. Nem todos têm condições para repartir bens existentes, mas a responsabilidade de quem foi mais aquinhoado é dobrada, pois, a quem tem, muito será pedido. Outras pessoas são capazes de motivar a partilha, ajudando a criar consciência as várias situações, e sabem fazê-lo com santa diplomacia, movendo os corações. Com certeza já encontramos quem sabe anunciar a Palavra do Evangelho com serenidade e vigor, conduzindo multidões à conversão e ao espírito de partilha e comunhão. Além disso, a falta de sentido para a vida encontrará sábios conselheiros, capazes de enxergar e fazer ver a luz no meio das trevas. Descobrir o dom que nos é próprio é decisivo para fazer o bem, e haveremos de valorizar a complementariedade dos dons, superando os exclusivismos, ciúmes e invejas. Vale o ensinamento de São Paulo: “Se um membro sofre, todos os membros sofrem com ele; se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.Vós todos sois o corpo de Cristo e, individualmente, sois membros desse corpo. Assim, na Igreja, Deus estabeleceu, primeiro, os apóstolos; segundo, os profetas; terceiro, os que ensinam; depois, dons diversos:

DIVULGAÇÃO

n JESUS porém, lhes disse: ‘Eles não precisam ir embora. Vós mesmos dai-lhes de comer!"

milagres, cura, beneficência, administração, diversidade de línguas. Acaso todos são apóstolos? Todos são profetas? Todos ensinam? Todos fazem milagres? Todos têm dons de cura? Todos falam em línguas? Todos as interpretam? Aspirai aos dons mais elevados. E vou ainda mostrar-vos um caminho incomparavelmente superior” (1 Cor 12,26-31). E em seguida fala do dom superior, que é a caridade! Sabendo o que Deus concedeu a cada um de nós, nasce a responsabilidade: “Eles não precisam ir embora. Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt 14,16). Trata-se de ser concretos, fazendo o que estiver ao nosso alcance, para que ninguém passe em vão ao nosso lado! Responsabilidade que pede criatividade, coragem para tomar iniciativa e dar o primeiro passo, na consciência de que cada um pode fazer alguma coisa. Uma das grandes lições da multiplicação dos pães e dos peixes (Mt 14,13-21), texto que a Igreja proclama neste final de semana, é justamente o pouco a ser posto à disposição de Jesus. O Evangelho de São João, narrando o mesmo fato, narra o seguinte:

“Um dos discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse: ‘Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas, que é isso para tanta gente?’” (Jo 6,89). Um menino, pouca coisa disponível, e o milagre acontece! O apelo é que todos revejam sua própria vida e seus dons, seus bolsos, armários e gavetas, para retirar o que pode ser posto à disposição de Jesus, sabendo que ele e só ele é capaz de multiplicar. E o que é dado vai sobrar para nós mesmos e para os outros, em abundância. No início do mês dedicado às vocações, é bom redescobrir o que cada chamado feito por Deus pode oferecer. Os sacerdotes, cujo padroeiro, São João Maria Vianney, é celebrado logo no início do mês, são chamados a oferecer o melhor que puderem para anunciar o Evangelho, santificar o povo de Deus e edificar pastoralmente as comunidades. E Deus os multiplica e faz fecundos no ministério. O dia dos pais, celebrado no segundo domingo do mês, dê aos casais a consciência de que “os filhos são herança do Senhor, é graça sua o fruto do ventre. Como flechas na mão de um guerreiro são os

filhos gerados na juventude. Feliz o homem que tem uma aljava cheia deles: não ficará humilhado quando vier à portapara tratar com seus inimigos” (Sl 127,3-5). No terceiro domingo de agosto, à luz da Assunção de Nossa Senhora, os religiosos e religiosas e membros de outras formas de dedicação total a Deus redescubram a força da coragem para viver os conselhos evangélicos da pobreza, castidade e obediência, um serviço a ser multiplicado pela doação total da vida. O quarto domingo de agosto nos abre o conhecimento de tantas pessoas dedicadas à catequese, a quem se aplique a palavra do profeta: “Que beleza, pelas montanhas, os passos de quem traz boas-novas, daquele que traz a notícia da paz, que vem anunciar a felicidade, noticiar a salvação, dizendo a Sião: ‘teu Deus começou a reinar!’” (Is 52,7). Enfim, o quinto domingo de agosto trará à luz a vocação dos leigos e leigas, chamados a serem fermento do Evangelho no meio do mundo, aos quais cabe justamente fazer frutificar nas estruturas da sociedade os valores do Evangelho. Enfim, durante este mês, cabe-nos ainda

rezar, para pôr em prática o apelo de Jesus: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para sua colheita!” (Mt 9,37-38). Todos nós nos transformemos em tais trabalhadores, mesmo quando nos sentirmos apenas como aquele menino da multiplicação dos pães!

Coragem para tomar iniciativa

Em todos os seus discípulos, feitos Igreja pela vocação cristã, há de esplandecer a percepção dos problemas existentes


4

IGREJA

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 60 DE AGOSTO DE 2020

CHIARA LUBICH PALAVRA DE VIDA “Quem nos separará do amor de Cristo?” (Rm 8,35)

A carta que o apóstolo Paulo escreve aos cristãos de Roma é um texto excepcionalmente rico de conteúdo. Com efeito, ali ele exprime a potência do Evangelho na vida de cada pessoa que o acolhe, a revolução trazida poreste anúncio: o amor de Deus nos liberta! Foi o que Paulo experimentou. Ele quer ser testemunha disso, com as palavras e com o exemplo. É essa fidelidade sua ao chamamento de Deus que o levará exatamente a Roma, onde poderá entregar a vida pelo Senhor. “Quem nos separará do amor de Cristo?”

Pouco antes, Paulo tinha afirmado: “Deus é por nós”!1 Para ele, o amor que Deus tem por nós é o amor do Esposo fiel, que jamais abandonaria a esposa, à qual se uniu livremente com um laço indissolúvel, à custa do próprio sangue. Portanto, Deus não é um juiz, mas, pelo contrário, é aquele que assume pessoalmente a nossa defesa. Então, nada nos pode separar Dele, graças ao nosso encontro com Jesus, o Filho amado. Nenhuma dificuldade, grande ou pequena, que possamos encontrar em nós e fora de nós é um obstáculo insuperável para o amor de Deus. Aliás, diz Paulo, justamente nessas situações, quem confia

em Deus e a Ele se confia é “super vencedor”!2 Nesse nosso tempo de super-heróis e super-homens, que pretendem vencer tudo e todos com a arrogância e o poder, a proposta do Evangelho é a mansidão construtiva e a abertura às razões do outro. “Quem nos separará do amor de Cristo?”

Para compreendermos e vivermos melhor essa Palavra, o conselho de Chiara Lubich pode nos ajudar: É verdade que nós acreditamos – ou pelo menos dizemos que queremos acreditar – no amor de Deus. Muitas vezes, no entanto, (...) a nossa fé não é tão corajosa como deveria ser (...) nos momentos da

provação, como nas doenças ou nas tentações. É bem fácil que nos deixemos assaltar pela dúvida: “Mas será mesmo verdade que Deus me ama?” Nada disso!Não devemos duvidar. Devemos abandonar-nos com confiança, sem restrição alguma, ao amor do Pai. Devemos superar a escuridão e o vazio que podemos estar sofrendo, abraçando bem a cruz. E depois, lançar-nos a amar a Deus, cumprindo a sua vontade, e a amar o próximo. Se fizermos isso, experimentaremos juntamente com Jesus a força e a alegria da ressurreição. Tocaremos com mãos o quanto é verdade que, para quem crê e se abandona ao seu amor, tudo se transfor-

ma: o negativo se torna positivo; a morte se torna fonte de vida, e das trevas veremos despontar uma maravilhosa luz”3. “Quem nos separará do amor de Cristo?”

Mesmo na assombrosa tragédia da guerra, aqueles que continuam acreditando no amor de Deus abrem brechas luminosas de humanidade: Nosso país se encontrava em uma guerra absurda, aqui, nos Bálcãs. No meu esquadrãoentravamtambém soldados da mais avançada frente de combate, vítimas de muitos traumas porque viam parentes e amigos morrer diante dos próprios olhos. Eu não podia fazer outra coisa senão amá-los um a um, na medida do possível. Nos

raríssimos momentos de trégua, eu procurava falar com eles das muitas coisas que uma pessoa pode experimentar nessas circunstâncias. Chegamos a falar até mesmo de Deus, pois muitos deles não tinham fé. Num desses momentos de escuta eu fiz a proposta de chamar um padre para celebrar a Missa. Todos aceitaram e alguns foram se confessar depois de vinte anos. Posso dizer que Deus estava ali, conosco. LETIZIA MAGRI

1 2 3

Rm 8,31. Cf. Rm 8,37.

LUBICH,Chiara,Pa lavradeVida, agosto de1987.

ARQUIDIOCESE manifesta pesar pelo falecimento do Dr. João Lobato A Arquidiocese de Belém informa, com pesar, que Dr. João Maria Lobato da Silva, seu assessor jurídico, faleceu na madrugada do dia 24 de julho, no hospital Amazônia, onde estava internado há algumas semanas por complicações renais. O velório foi realizado na capela de uma funerária localizada na avenida José Bonifácio, em

Belém. Após a Missa de corpo presente às 8h, ocorreu o sepultamento. Dr. João era natural de Cachoeira do Arari, município da ilha do Marajó, no Pará. Estava com 84 anos e há mais de duas décadas servia a Arquidiocese de Belém com doações na função de Assessor Jurídico, que exercia desde o mandato de Dom Vicente Joa-

quim Zico. Dentre atividades na Igreja em prol da e v a n g e l i z a ç ã o, D r. L obato foi membro do Cursilho da Cristandade, do Conselho de Fiscal da Fundação Nazaré de Comunicação e do Instituto de Desenvolvimento Humano Integral (IDHI). Experiente em sua atuação profissional, D r. L o b a t o p a s s o u por diversos órgãos

em sua carreira, ocupando importantes funções como Procurador de Estado do Pará, Secretário Municipal de Finanças e Secretário de Estado da Fazenda. A Arquidiocese de Belém pede a todos, orações em sufrágio de sua alma, rogando a Deus que traga conforto aos familiares e amigos, neste momento de dor, tristeza e esperança.

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.com)

DIVULGAÇÃO

n ASSESSOR Jurídico - Dr. João Lobato

LITURGIA

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Mt 14,13-21

13quando soube da morte de João Batista, Jesus partiu e foi de barco para um lugar deserto e afastado. Mas quando as multidões souberam disso, saíram das cidades e o seguiram a pé. 14Ao sair do barco Jesus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes. 15Ao entardecer, os discípulos aproximaram de Jesus e disseram: “Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!” 16Jesus, porém, lhes disse: “Eles não precisam ir embora. Dai-lhes vós mesmo de comer!” 17Os discípulos responderam: “Só temos aqui cinco pães e dois peixes”. 18Jesus disse: “Trazei-os aqui”. 19... Então pegou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu e pronunciou a bênção. Em seguida partiu os pães e os deu

aos discípulos. Os discípulos distribuíram às multidões... B) COMENTÁRIO

É bom observar que os discípulos têm como missão: ver as necessidades das multidões e levá-las a Jesus. E Jesus lhes diz que entrem eles mesmos em ação para resolver a situação. A atenção de Mt (cf. Mc 6,34s) está voltada para a figura de Jesus e seu comportamento para com a multidão. O milagre não é o principal. A multidão que segue Jesus (v.13) e é nutrida por ele é imagem do “novo” povo de Deus, que tem Cristo – rejeitado pelos homens, mas pedra fundamental – como mestre e amigo: um mestre que exerce sua autoridade na forma de “serviço”. E os gestos de Jesus (v.19) suscitavam nos primeiros leitores como que um eco da mais genuína cultura hebraica – era comum

o pai distribuir o pão aos filhos: a ceia de Jesus com os discípulos; a Eucaristia da Igreja primitiva; o Banquete escatológico no futuro reino de Deus. É um desafio para nós, que estamos acostumados a pensar na Eucaristia só em dimensão espiritual: alimento da alma; pão dos anjos. Porém a Eucaristia celebrada por Jesus no local desértico – inóspito e carente – e a multidão pela qual ele sente profunda compaixão, e oferece alimento e serenidade, é um todo de pessoas que realmente sentem na carne o peso esmagador da fome: real necessidade de comer. Quantas e quantas pessoas e até famílias padecem fome atroz em nosso mundo hodierno! Jesus diz aos discípulos que resolvam a situação e, todavia, continua dizendo aos cristãos de hoje, o mesmo que antes. Será se permanecemos distantes

de Jesus ou nos aproximamos dele para falar das carências da multidão, das carências de pessoas que conhecemos, e das nossas próprias carências? O muito ou o pouco distante de Deus, de nada serve! Mas até o pouco com Ele pode e tem condições de ser muito. Onde estão os cinco pães e os dois peixes? Já houve muitas campanhas...Porém, que faço eu e você para que o problema da fome real, e das pessoas desnutridas, e atingidas por ela, tal problema seja resolvido no ambiente em que vivemos ou conhecemos? Onde estão os empresários que se dizem cristãos? Será se eles existem? A finalidade com união faz a força, e a força maior vem de Deus, que requer transformações a bem de todos. Eis nossa missão: gerar a humanidade conforme Cristo.

n 31/07 - SEXTA Cor (branco) Primeira Leitura (Jr 26,1-9) ; Responsório (Sl 68); Evangelho (Mt 13,54-58) n 01/08 - SÁBADO Cor (branco) Primeira Leitura (Jr 26,1116.24); Responsório (Sl 68) Evangelho (Mt 14,1-12) n 02/08 - DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Is 55,1-3) Responsório (Sl 144); Segunda Leitura (Rm 8,35.37-39) Evangelho (Mt 14,13-21) n 03/08 - SEGUNDA Cor (verde) Primeira Leitura (Jr 28,1-17)

Responsório (Sl 118) Evangelho (Mt 14,22-36) n 04/08 - TERÇA Cor (branco) Primeira Leitura (Jr 30,1-2.1215.18-22); Responsório (Sl 101); Evangelho (Mt 15,12.10-14) n 05/08 - QUARTA Cor (branco); Primeira Leitura (Jr 31,1-7); Salmo Responsorial (Jr 31,10-13); Evangelho (Mt 15,21-28) n 06/08 - QUINTA Cor (branco) Primeira Leitura (Dn 7,910.13-14); Salmo Responsorial (Sl 96); Evangelho (Mt 17,1-9)


5 BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

SETORJUVENTUDE

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ INTRODUÇÃO

I

niciamos o mês de agosto e, com ele, temos todos os anos um permanente convite à reflexão sobre a importância do tema “vocação”. Trata-se de um assunto de fundamental importância; mas para que alguém o reconheça se pressupõe que tenha fé em Deus. Fé e vocação caminham juntas porque Deus é a fonte e o Senhor de todas as vocações. Naturalmente, esse conceito teológico muito se distancia da ideia de vocação do senso comum. Para a maioria das pessoas, quando se pensa em vocação, logo a

A questão vocacional é profunda; pressupõe a acolhida da vida como Dom de Deus relacionam à ideia de profissão. É verdade que toda vocação tem uma dimensão prática, mas não é justo reduzirmos ou equipar o conceito de vocação ao de profissão. A questão vocacional é profunda; pressupõe a acolhida da vida como Dom de Deus e responsabilidade humana, portanto, significa considerar as nossas origens, o sentido da vida, os caminhos da felicidade e sua plenitude. Infelizmente, uma concepção utilitarista da vida humana está seduzindo as pessoas a confundir vocação com profissão, o ser com o fazer.

1

Considerar as nossas origens O conceito de vocação nos convida a mergulhar nas nossas origens. Nelas está o sentido do nossa vida. O primeiro valor e base sobre a qual se assenta todos os outros é a vida. No grande universo biológico, a vida humana ocupa um lugar especial à causa da sua indiscutível e peculiar qualidade em relação às

A IMPORTÂNCIA da questão vocacional

outras formas de ser. A vida humana, como as demais formas de vida, traz consigo uma grande superioridade que se manifesta no concreto do agir humano através da sua inteligência, liberdade, vontade, consciência de si mesmo, capacidade de amar e de buscar nossas origens e nosso fim. Esse é o diferencial da existência humana. Também a Sagrada Escritura contempla a maravilha da vida humana. Diz o salmista: “O que é o homem, Senhor, para dele te lembrares? O que é o ser humano para que o visites? Tu o fizeste pouco menos do que um deus e o coroaste de glória e esplendor” (Sl 108,5-6). O livro do Gênesis reconhece que em nossa fonte há um mistério; Deus é a fonte da vida. Fomos criados à imagem e semelhança do próprio Deus, Senhor da Vida (cf. Gn 1,26-27). É do reconhecimento dessa fonte que depende a consciência vocacional de uma pessoa, ou seja, o fato de não estar neste mundo por acaso. Da consideração das nossas origens brota a consciência da nossa identidade: quem nós somos?! Somos criaturas inteligentes, conscientes, capazes de amar, somos filhos que, geneticamente, trazem no próprio ser as mais evidentes e profundas marcas do nosso criador e Pai. Na questão

vocacional reconhecemos um vínculo indestrutível, a nossa criaturalidade. A criaturalidade é o reconhecimento do vínculo com o nosso criador, nossa fonte. Portanto, na questão vocacional, está presente a questão da consciência da nossa condição de dependência de Deus como criaturas e filhos. Por isso, a fé é imprescindível para o aprofundamento do tema vocacional.

2

Questionar-se sobre como viver Da questão vocacional brota também outro importantíssimo tema, que é o sentido da vida. Trata-se do “como viver”, por onde caminhar, qual conteúdo assegurar ao longo da existência. É aqui que entra a consideração sobre a felicidade. Não estamos falando de sucesso! A felicidade, na sua essência, é inseparável da experiência da fé no Bem Supremo. O sentido da vida está atrelado ao reconhecimento das nossas fontes, que é o nosso Sumo Bem e, a partir do qual, é possível organizar a hierarquia dos valores e a ordem de importância daquilo que nos edifica e nos realiza como pessoa. O “porque e como viver” nos leva à reflexão sobre a importância dos valores e das virtudes. Somos seres inteligen-

tes, capazes do discernimento do bem e do mal, portanto, dotados de capacidades de reconhecer aquilo que é autêntico. Por isso, o sentido da vida, que implica a decisão pelo bem viver, depende da ordem dos valores e de uma escala de prioridades para os investimentos da vida. Nem tudo tem o mesmo valor e importância. Isso é possível através do exercício das virtudes, ou seja, da prática do bem que nos leva a querer e fazer o bem. Da experiência do verdadeiro sentido para a vida, nasce a experiência da paixão pelo bem, a alegria do viver e a repulsa a tudo aquilo que ameaça a felicidade, como toda espécie de vício e mediocridade.

3

A Vida é dom e responsabilidade A questão vocacional nos convida a conceber a vida como dom de Deus e responsabilidade humana. Significa sublinhar dois aspectos diferentes e inseparáveis da nossa existência. O primeiro é aquele de acolher a beleza da vida como presente de Deus. Disso deriva a consciência de que Nele está o nosso sustento e consistência da nossa vida. Desviando-nos de Deus, perdemos o apreço pelo bem e o sagrado respeito para com a vida. O homem arbitrariamente poderá

destruí-la, mas jamais será capaz de retomá-la por si mesmo. Da descoberta da vida como dom, a pessoa se reconhece como devedora de Alguém e sentirá a necessidade da gratidão e gratuidade para com seu Senhor e seus semelhantes. Quando a vida humana é acolhida como dom, é possível respeitá-la como valor que transcende as circunstâncias e situações acidentais. O segundo aspecto é o reconhecimento de que a vida é tarefa, a vida é missão, a vida é responsabilidade. Com a acolhida da Vida, tomamos consciência de que se trata de uma grande responsabilidade. Nada está pronto! Mas Aquele que nos criou também nos capacitou para a responsabilidade através da inteligência, da consciência, da vontade, da liberdade, da capacidade de cuidar. Vamos aprendendo! Viver é percorrer um caminho! Somos chamados a nos educar para o sentido da vida como responsabilidade, dever, exigência e responsabilidade. Por isso nos perguntamos: “o que fazer?”, “como viver?”, “para onde ir?” Falar de vocação é admitir a necessidade de viver a própria vida como um projeto que nos foi confiado e que exige resposta livre e responsável.

Esse senso de responsabilidade vocacional se manifesta em nós através do sentido da justiça, do dever da prática do bem e evitar o mal, do chamado à solidariedade, da natural vontade de harmonia interior, da busca contínua de felicidade. O sentido da vida como responsabilidade proporciona ao ser humano a abertura de horizontes para a compreensão da existência e a necessidade de viver com entusiasmo, alegria, liberdade, ousadia, coragem, generosidade explorando os próprios talentos (cf. Mt 25, 14-30). A perspectiva da responsabilidade apresenta a vida como projeto, nos educa para a consciência de compromisso; estimula-nos ao exercício cotidiano do esforço, da luta; pede-nos a necessidade de discernimento e tomada de decisões; convidanos a dar respostas às necessidades, a sermos capazes de servir com alegria e generosidade. Quem faz isso é feliz! PARA A REFLEXÃO PESSOAL:

1 2 3

Você acha importante a reflexão sobre a questão vocacional? Por que a vida é dom ou presente? Em que consiste conceber a vida como responsabilidade?

Fé e vocação caminham juntas

Da questão vocacional brota também outro tema importante, que é o sentido da vida


6

A

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

Missa pela Família Nazaré, c o m p ro m i s s o mensal da Arquidiocese de Belém toda primeira sexta-feira do mês, será no dia 7 de agosto. É o agradecimento diocesano a Deus pela vida das pessoas que dispõem, fielmente, de seus recursos todos os meses para manter funcionando os veículos da Fundação Nazaré de Comunicação - Rede Nazaré de Televisão, Rádio Nazaré FM, Portal Nazaré e o Jornal Voz de Nazaré. A celebração eucarística ocorre na Capela da Fundação Nazaré. Devido à pandemia do novo coronavírus, ainda está restrita a participação presencial dos fiéis, porém, o benfeitor é convidado especial a participar virtualmente da Missa. A Santa Missa pode ser acompanhada ao vivo pela TV Nazaré, canal 30 – ou na sintonia da sua cidade -, e pelas redes sociais da Fundação Nazaré (Facebook, Portal Nazaré e Youtube). A Missa se constitui em momento especial de oração da Igreja de Belém para que o Senhor abençoe todas as pessoas que se dispõem a ser um membro da Família Nazaré

FAMÍLIA NAZARÉ

DIA 7, a Missa pela Família Nazaré CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA acontece toda primeira sexta-feira do mês na Fundação Nazaré LUIZ ESTUMANO

CAMPANHA SEJA MAIS UM

n MISSA será presidida pelo cônego Roberto Cavalli, Cura da Sé

em retribuição a sua boa vontade em ajudar a manter a obra de evangelização da Arquidiocese de Belém. No mês de agosto,

a intercessão da Arquidiocese de Belém pelos benfeitores contará também com a participação da Paróquia Nossa Senhora da

Graça, e a Missa será presidida pelo cônego Roberto Cavalli, Cura da Sé e pároco da paróquia, que tem sede na Catedral de Belém.

Torne-se um benfeitor, colabore com a obra de evangelização da Arquidiocese de Belém. Atualmente, a Fundação Nazaré de Comunicação está empenhada na campanha “Seja mais um” com o objetivo de ampliar o número de benfeitores. Venha você também fazer parte da nossa família em Cristo, tornando-se um sócio benfeitor.

O cadastro pode ser feito pela internet no site oficial da campanha (www.sejamaisum. com), no site da Fundação Nazaré de Comunicação (www.fundacaonazare.com.br) ou pelo telefone (91) 4006-9211. Se preferir entrar em contato por e-mail, envie mensagem para famjor@fundacaonazare.com.br e faleconosco@fundacaonazare.com.br

NOSSOS ANIVERSARIANTES Joana Taveira dos Santos Darcy Alves Serrão Juraci dos Santos Serrão Maria de Nazaré Rodrigues Teixeira Helena Savino da Paz Vera Lúcia Oliveira Marjane Azevedo Serra Florenzano Ieda dos Reis Ribeiro Thelma de Fatima Fadel Dias Casal Alexandre Ribeiro e Simone Maria do Vale Neves Machado Narcely Nascimento Laranjeira Terezinha do Rosário Medeiros Vieira Ivone de Aquino Costa Lucimar Alves Maciel Maria da Glória Holanda Lima Maria de Nazaré do Nascimento Sandra Helena Isse Polaro Sandra Maria Silva Selma do Socorro Ferreira da Silva Raymunda de Siqueira Mendes Vallinoto Andre Luiz Dax das Chagas Djean Rodrigo Miranda Figueira Luciano Ramos Maia Maria Regiane Duarte de Sousa

Joana Caldas Barros Elisabete Benal da Rocha Moreira Rosilda Oliveira Martins Orlando Roldão Miranda Anna Celina Penin Favacho Maria de Lourdes de Oliveira Lima Benedito Costa Cordeiro Afonso Tadeu Santos Oliva Joana Selma Nascimento da Silva Gazola Orivaldo Benedito de Souza Laudomiro Soares de Amorim Júnior Rita Gorete Soares Rodrigues da Silva Lúcia Castro Nascimento Vivian da Silva Lobato Carla Beatriz de Lacerda Nunes Ivan Costa de Carvalho Jurandir Barroso de Souza Gilka Pimenta Lima Ruth Cecília Palmeira Gonçalves Ana Maria Dias Brito Eliete Andrade Lopes Maria de Nazaré Alves Rodrigues Daniel Silva Lobato Eliana da Silva Teixeira

Ilailson Junior Cunha Alves Dejeane Layne Pereira Jardim Erandina Lima Guerreiro Nailsa Lima de Matos Maria de Nazareth Pena de Vasconcelos Raimunda Soares de Lima Luiz Correa Júnior Maria Terezinha Castro Daibes Alvanir da Silva Carvalheiro Maria Noelia Souza da Silva Ana Maria Moreira Monteiro Domingas Rodrigues Cabral (In Memorian) Maria Ivete Lima dos Santos Maria Virginia Soares Antonio Maria Brígido de Araújo

Maria Neves da Costa Mussio Francisco Golenhesky da Luz Carmen Julia Reis Maria do Socorro de Oliveira Lisboa Glaucia de Sousa Oliveiras Darcy Cunha Brabo Alzira Reinaldo Simor Maria de Jesus Siqueira da M. Cunha Maria Leuda de Nazaré Silva Marcus Vinicius Martins Moraes Marcos André Cosme da Silva Alcilene Osmarina Gomes da Silva Domingas do Socorro Cristo dos Santos Ronaldo Martins Espínola Paulo Andre Silva Carlos Augusto Modesto da Costa Elizangela Santos Valente

n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 31/07 – Pe. João Mometti 02/08 – Pe. Edmir José da Silva 04/08 – Pe. Antônio Cézar Augusto de Souza 05/08 – Diác. Alberto Alexandre Gonçalves Martins 05/08 – Diác. Manoel Onildo Botelho de França


BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

I

nformações CNBB Norte 2 - Desde que iniciou a pandemia da covid-19, em março deste ano, várias ações emergenciais e solidárias foram promovidas e apoiadas pela Cáritas do Regional Norte 2, organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), como também pelas Cáritas das arqui/dioceses do Regional para ajudar várias pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade social e impactadas pela pandemia do novo coronavírus. Dentre os diversos parceiros nestas iniciativas, destacam-se: Cáritas Alemã, Fundação Banco do Brasil (FBB), Movimento Camponês Popular (MCP), Pastoral da Criança, da Pastoral da Juventude, Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus (Paragominas), Tribunal de Justiça do Estado do Amapá. A coordenadora da Cáritas do Regional Norte 2, Keila Marães, destacou como a Igreja no regional tem trabalhado no cuidado com a vida nesse período de pandemia com inúmeros desafios, como o distanciamento social. “Diante do agravamento da situação social, política e econômica, e as incertezas que se apresentam para os próximos dias, estamos atuando com visitas, elaboração de material informativo e doações de cestas básicas e kits de higiene e proteção. Trabalhamos protegidos e seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para garantir a vida e proteção dos voluntários e agentes Cáritas na missão de solidariedade nestes tempos”, explicou. Sobre os desafios encontrados para seguir as iniciativas, Keila ressalta que a própria Covid-19 foi o maior desafio, por ser uma doença altamente contagiosa, “invisível, que exigiu mudanças rápidas, adaptação das atividades, ou mesmo paralisação, suspensão de ações para não colocar em risco as pessoas que executam as ações, como também o público beneficiário. Também o fator emocional e o risco real da contaminação, como disse uma das nossas agentes, ‘um desafio para os que assumem a missão de solidariedade e atenção aos vulneráveis neste contexto, estar preparado para um possível adoecimento é uma dificuldade real e dolorida”. Mas a Cáritas buscou alternativas para que a missão não parasse, como o diálogo e o replanejamento com par-

CADERNO DOIS

REDE CÁRITAS promove solidariedade durante a pandemia da covid-19 REGIONAL Norte 2 leva a ajuda da Igreja para as comunidades mais afetadas nas dioceses FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n CÁRITAS BELÉM uma das instituições da rede a levar auxílio para quem precisa

cerias para adaptação necessária. Segundo a coordenadora foi um elemento importante das ações da Rede Cáritas. De acordo com Keila, as ações foram planejadas de forma a não expor os agentes/voluntários e parceiros, realizando as entregas com escalas e com o devido cuidado de prevenção mantendo os protocolos de prevenção contra o novo coronavírus.

ATUAÇÃO DA REDE CÁRITAS

CÁRITAS BELÉM A Cáritas de Belém promoveu uma campanha de arrecadação de alimentos, de material de limpeza e kits de higiene em parceria com a Associação Paraense de Supermercados da região metropolitana de Belém e outra que arrecadou alimentos, material de limpeza e kits de higiene em parceria com um shopping da travessa Pe. Eutíquio, também em Belém. Esta iniciativa atendeu diversas famílias em situação de vulnerabilidade social. Junto com a Pastoral das Ilhas, a Cáritas Belém concluiu a entrega das cestas para as 14 Comunidades do Baixo Acará: 266 cestas básicas e 266 kits de material de higiene, adquiridas com o valor doado pelo Santo Padre e pela CNBB Regional Norte 2. CAMPANHA REDE AMAZÔNICA DE SOLIDARIEDADE E RESISTÊNCIA A Cáritas Regional Norte 2 apoia neste período de pandemia a campanha “Rede Amazônica de

Solidariedade e Resistência”, com outros parceiros na Região metropolitana de Belém e adjacências. São atendidas mulheres das redes de EPS, migrantes e refugiados, famílias em situação de extrema vulnerabilidade e desempregados. A iniciativa continua em andamento e já foram doadas cestas básicas e máscaras de proteção. “DOE AMOR” – ARQUIDIOCESE DE SANTARÉM A Cáritas da Arquidiocese de Santarém promoveu no primeiro semestre deste período pandêmico a campanha “Doe Amor”. Foi um atendimento ao apelo da Secretária do Estado do Pará e Poder Público do município de Santarém no período em que chegava para o município a pandemia do coronavírus. O objetivo foi acolher as pessoas em situação de rua no abrigo São Raimundo. A campanha passou a atingir famílias carentes em alguns bairros da cidade de Santarém com a doação de materiais de limpeza e de higiene pessoal, alimentos e roupas. Com uma solicitação do Ministério Público a campanha passou a acompanhar também indígenas (do município de Itaituba) que vivem na Casa de Saúde Indígena em Santarém (CASAI).

DIOCESE DE ÓBIDOS Na Diocese de Óbidos, através da Cáritas Diocesana e Pastoral Social, foram doadas cestas básicas, materiais de limpeza e higiene pessoal às famílias mapeadas e acompanhadas nos municípios de abrangência da diocese: Óbidos, Alenquer, Curuá, Oriximiná, Juruti, Terra Santa e Faro. DIOCESE DE CASTANHAL Foram entregues cestas/paneiros de alimentação básica com produtos da agricultura familiar à Paróquia São João Batista, do município de Primavera, gerando renda para os agricultores e fortalecendo a produção agrícola, o desenvolvimento sustentável e a Economia Popular Solidária do Município de Primavera. Esta foi uma ação da Cooperativa dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Primavera-COOPRIMA, integrante da RECOMSOL, atendendo metas do Projeto Emergencial executado pela Cáritas Brasileira Regional Norte 2, com apoio da Cáritas Alemã, em parceria com a Diocese de Castanhal. DIOCESE DE ABAETETUBA Na Diocese de Abaetetuba, a Cáritas realizou uma campanha para a compra de uma máquina de lavar para o hospital no município de Abaetetuba. O serviço é para atender os trabalhadores

n NECESSIDADES minimizadas com doações recebidas pela Igreja e distribuídas às comunidades

da saúde do Centro Médico Nossa Senhora da Conceição (centro beneficente da Igreja Católica). Também foram doados kits de proteção para 25 agentes de saúde. A iniciativa também beneficiou moradores do município de Mojú, que receberam cestas básicas. DIOCESE DE MACAPÁ Em Macapá, a Cáritas Diocesana, a Cáritas Comunitária São Raimundo Nonato e a Associação da Divina Misericórdia (ADIMI) promoveram a campanha “Amapá Solidário”, com arrecadação de alimentos, material de limpeza e kits de higiene. Houve uma parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Amapá para compra de alimentos, através de Termo de Cooperação. Aproximadamente 2 mil cestas básicas foram entregues às famílias atendidas pela Cáritas e comunidades quilombolas. AÇÃO SOLIDÁRIA NA DIOCESE DE BRAGANÇA Na Diocese de Bragança, foram realizadas ações nos municípios de Bragança e Paragominas com a doação de cestas básicas às famílias em situação de vulnerabilidade social em meio à pandemia. A iniciativa contou com diversos apoiadores. É TEMPO DE CUIDAR – CAMPANHA NACIONAL Outra iniciativa é a campanha “É tempo de cuidar”, da Cáritas Brasileira, sendo também executada nas Dioceses do Regional Norte 2 (áreas de atuação da rede Cáritas). Estão sendo beneficiadas pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade impactadas pela pandemia do novo coronavírus, com a doação de alimentos, roupas, calçados, materiais de higiene e limpeza, e materiais de proteção. SAIBA MAIS: www. cnbb.org.br/tempodecuidar/ Keila ressalta que estas ações têm despertado a novidade na atuação da Igreja, e ressalta que muita coisa deve permanecer no pós-pandemia. “A utilização das mídias sociais e veículos de comunicação para as ações de mobilização, as reuniões virtuais, celebrações e formações, estes meios de comunicação são ferramentas importantes para uma nova postura pós-pandemia”, assegurou a coordenadora da Cáritas do Regional Norte 2.


2

ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

LANÇADA a campanha “Amazoniza-te”, uma ação urgente e necessária

INICIATIVA da Comissão Episcopal para a Amazônia, da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB)

N

a última segunda-feira, 27 de julho, durante live, ocorreu o lançamento da Campanha “Amazoniza-te”, organizada pela Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com outras organizações eclesiais e da sociedade civil. A iniciativa surge atenta ao contexto onde as violências contra os povos tradicionais são agravadas pela pandemia da Covid-19. Enfrenta-se uma conjuntura onde o desmatamento e a grilagem, as queimadas, a mineração e garimpo se intensificam, tornandose agentes de proliferação do coronavírus nas comunidades da região amazônica. A campanha levanta o chamado a “Amazonizar-te”, em um convite de ações que articulem as lideranças dos povos e comu-

nidades tradicionais, a Igreja na Amazônia, os diferentes organismos eclesiais, artistas e formadores de opinião, pesquisadores e cientistas. A convocatória “Amaz o n i z a r ” p ro p õ e a participação ativa de todo o povo em defesa da Amazônia, seu bioma e seus povos ameaçados em seus territórios. São vozes que se somam diante uma realidade de muitas vidas injustiçadas, expulsas de suas terras, torturadas e assassinadas nos conflitos agrários e socioambientais, vítimas de uma política norteada pelo agronegócio e por grandes projetos econômicos desenvolvimentistas que não respeitam os limites da natureza nem a sua preservação. A iniciativa une-se a caminhada realizada ao longo dos últimos anos em vista do Sínodo para a Amazônia,

realizado em outubro de 2019, em Roma. Com o papa Francisco, a região Amazônica e a vida dos povos que habitam a região ganham o centro dos debates na Igreja. “Na Amazônia aparece todo tipo de injustiça, destruição de pessoas, exploração de pessoas em todos os níveis. E destruição da identidade cultural”, destacou papa Francisco no encerramento do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia. De acordo com o presidente da CNBB, D o m Wa l m o r O l i veira de Azevedo, a campanha “Amazoniza-te” é um convite, uma convocação e uma oportunidade para se viver a solidariedade com a floresta e com os povos da região. “Nós queremos, nesse convite a ‘amazonizar’, superar a violação sistemática da legislação de proteção ambiental e o desmonte dos órgãos

RÁDIO NAZARÉ

FM 91 .3 MHZ

n PROGRAMA “MARIA DE TODOS OS POVOS” Neste sábado, 1º de agosto, o programa “Maria de todos os povos” será retomado normalmente com atividade no estúdio da Rádio Nazaré FM e trará novidades! Padre

CANAL 30.1

n ASSISTA A MISSA PELA TV NAZARÉ cia episcopal, sob a presidência dos Bispos da Arquidiocese de Belém, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, e seu auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro. Sintonize nossa emissora e participe deste momento de fé e partilha.

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n MISSA PELA FAMÍLIA NAZARÉ: ACESSE O PORTAL! Na próxima sexta-feira, 7 de agosto, você participa da Missa em Ação de Graças pela Família Nazaré, ao vivo, às 15h, com transmissão pelo Portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br) e pela nossa página no Facebook. com/FNCBelem.

públicos com atuação do governo para desregulamentar e ampliar de forma ilegal a atuação das mineradoras, agronegócio, madeireiras e pecuaristas na região”, ressaltou Dom Walmor. Orientados pela escuta dos clamores e esperanças, a campanha é culminância das diferentes ações

e mobilizações realizadas pelas organizações eclesiais e sociais que atuam na Amazônia ou na defesa dela, como o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), Mídia Ninja e Movimento Humanos Direitos (MHuD). Durante o lançamento foi divulgado o hotsite da campanha com materiais de apoio, manifestos políticos das organizações e um com-

Wagner Maria apresentará as novidades do programa que vai ao ar todos os sábados na emissora arquidiocesana. Sintonize 91.3 Mhz, das 10h às 12h e acompanhe!

TV NAZARÉ

A Rede Nazaré de Televisão, canal 30 – ou na sintonia da sua cidade – continua fazendo esforços para manter você ligado à vida da Igreja, em tempo de pandemia.Uma programação especial é a Santa Missa às 12h, ao vivo, transmitida direto da residên-

DIVUÇGAÇÃO

Ajude-nos a continuar realizando esta e outras transmissões fazendo parte da Família Nazaré. Contamos com você e fique em casa. Para mais informações, entre em contato: (91) 4006-9200 ou envie uma mensagem para nosso WhatsApp: (91) 99315-5743.

pilado de estudos sobre a realidade da Amazônia para fundamentar ações e posicionamentos. A campanha traz uma série de vídeos com depoimentos das populações tradicionais da Amazônia que dialogam com o alerta assumido também por artistas de expressão nacional e internacional. O grupo de organizações p ro p o r á u m a l i s t a de ações concretas a serem assumidas de forma pessoal ou coletiva na perspectiva de “Amazonizar-se”.

BOA DICA n CAMINHAR JUNTOS Reflexão e ação após o Sínodo dos Bispos sobre os jovens - Livro (PAULUS, R$ 19,20 )

O

s autores deste livro tiveram a oportunidade de levar para o coração da Igreja suas reflexões sobre muitos temas das juventudes de hoje. E, mais do que isso, dispuseram-se a compreender melhor o que os outros participantes tinham a dizer. Nesta breve coleção de artigos, reúnem-se pensamentos da maioria dos brasileiros presentes na Assembleia do Sínodo dos Bispos sobre Os jovens, a fé e o discernimento vocacional. Nosso objetivo é ajudar líderes leigos, bispos, padres, religiosos e os próprios jovens em suas reflexões agora, depois do Sínodo. É preciso refletir sobre o que foi dito ali e colocar em prática. nO GOSTO DAS PEQUENAS VITORIAS: Como vencer os medos que nos afligem diariamente - Livro (Paulinas, R$ 10,88)

S

entir medo é algo natural em toda pessoa. É o instinto de auto preservação. Mas quando a baixa autoestima domina a pessoa, surge a insegurança e a incapacidade para seguir adiante com os projetos. O medo pode afetar profundamente a nossa vida. Nesta obra, o autor aborda os principais tipos de medo que se manifestam ao longo da vida. Na obra, a proposta é vencer o medo – fobias e pânicos – através do amor, da fé e da determinação.E as orientações e dicas do livro ajudam a cultivar e a desenvolver a autoconfiança, o otimismo e a proatividade que conduzem às “pequenas vitórias” e, por conseguinte, aos grandes feitos


VATICANO

CADERNO DOIS BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

PAPA: "Jesus é o tesouro escondido que dá sentido a nossa vida"

3

O REINO DOS CÉUS, tesouro que renova a vida e a expande em direção a horizontes mais amplos

C

om informações Vatican News. “Jesus, que é o tesouro escondido e a pérola de grande valor, só pode suscitar alegria, toda a alegria do mundo: a alegria de descobrir um sentido para a própria vida, a alegria de senti-la comprometida com a aventura da santidade”, disse o Papa Francisco no Angelus, do domingo 26 de julho, comentando duas parábolas sobre o Reino dos Céus contidas no Evangelho deste XVII Domingo do Tempo Comum A reflexão do Pontífice concentrou-se no Evangelho do dia (Mt 13,4452), que corresponde aos últimos versículos do capítulo que Mateus dedica às parábolas do Reino dos Céus. O trecho compreende três parábolas brevemente acenadas e muito curtas: a do tesouro escondido no campo,

a da pérola preciosa e a da rede lançada ao mar. Na alocução que precedeu à oração mariana Francisco deteve-se sobre as duas primeiras nas quais o Reino dos Céus é assimilado a duas diferentes realidades “preciosas”, ou seja, o tesouro no campo e a pérola de grande valor. “A reação daquele que encontra a pérola ou o tesouro é praticamente igual”, observou: “o homem e o mercante vendem tudo para adquirir aquilo mais têm a peito”. “Com essas duas semelhanças, Jesus se propõe envolver-nos na construção do Reino dos Céus, apresentando uma característica essencial do mesmo: aderem plenamente ao Reino aqueles que estão dispostos a arriscar tudo”, ressaltou: “De fato, tanto o ho-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

mem quanto o mercante das duas parábolas vendem tudo aquilo que possuem, abandonando assim suas seguranças materiais. Disso se entende que a construção do Reino exige não somente a graça de Deus, mas também a disponibilidade ativa do homem.” REINO DOS CÉUS Os gestos daquele homem e do mercante que vão em busca, privando-se de seus bens, para comprar realidades mais preciosas, são gestos decididos e radicais. “E, sobretudo – observou –, feitos com alegria, porque ambos encontraram o tesouro.” “Somos chamados a assumir a atitude destes dois personagens evangélicos, tornando-nos também nós saudáveis buscadores irrequietos do Reino dos Céus. Tra-

n PAPA FRANCISCO no Angelus, do domingo 26 de julho

ta-se de abandonar o pesado fardo de nossas seguranças mundanas que nos impedem de buscar e construir o Reino: a ganância pela posse, a sede de lucro e de poder, o pensar somente em nós mesmos.” Em nossos dias, prosseguiu o Papa, “a vida de alguns pode resultar medíocre e sem brilho por-

que provavelmente não foram em busca de um verdadeiro tesouro: contentaram-se com coisas atraentes, mas efêmeras, cintilantes, mas ilusórias, porque depois deixam na escuridão.” Ressaltando que o Reino dos Céus “é um tesouro que renova a vida a cada dia e a expande em direção a ho-

rizontes mais amplos”, o Pontífice acrescentou que “quem encontrou este tesouro tem um coração criativo e em busca, que não repete, mas inventa, traçando e percorrendo novos caminhos, que nos levam a amar Deus, a amar os outros, a amar verdadeiramente a nós mesmos”.

BIBLIOTECA Vaticana com novo site: mais ágil e intuitivo Com informações Vatican News. “O objetivo do novo site é ser um lugar de acolhida, colaboração e abertura”. Palavras do Prefeito da Biblioteca Apostólica Vaticana Cesare Pasini. No endereço vaticanlibrary.va está on-line o novo site da Biblioteca do Vaticano, uma renovação visível aos leitores desde 16 de julho passado, mas em preparação há algum tempo, e caracterizado por um novo layout e um acesso mais fácil a todos os conteúdos e serviços que o enriquecem. Os procedimentos para solicitar reproduções de manuscritos e outros materiais armazenados na Biblioteca foram simplificados e tornaram-se mais intuitivos. Como pode ser

visto nos sites mais recentes, a técnica de criação de conteúdo on-line é estática (textos, links de hipertexto, imagens), mas acima de tudo dinâmica: o site permite interagir com outros sistemas de informação conectados. Como os motores de busca de catálogos e biblioteca digital, consulta do catálogo editorial, gerenciamento do twitter visto da web, e-commerce. A operação de restyling é particularmente apropriada neste período pandêmico, quando as regras de segurança sanitária dificultam o acesso físico dos estudiosos. “A gráfica evolui rapidamente neste tipo de comunicação digital, por isso já há algum tempo estáva-

mos conscientes de que precisávamos atualizá-la com algo mais ágil e mais intuitivo. Também havia novas modalidades, novas ferramentas que deviam que ser inseridas e o site renovado oferece estes novos serviços muito dinâmicos. Por um lado, é um site estático - há textos para ler e imagens para ver - mas há pesquisas que podem ser feitas e tudo isso exigia uma inovação como a que fizemos”, destacou Monsenhor Cesare Pasini. O Monsenhor ressaltou também o quanto a internet é importante para o serviço dos bibliotecários do Papa. “Somos os bibliotecários do Papa porque a biblioteca é sua e foi aberta por sua vontade há muitos séculos.

Portanto, queremos estar verdadeiramente ao serviço de nossos visitantes com um instrumento moderno e atualizado que proporcione imediatamente a resposta a uma pesquisa ou leve a maior interesse pela Biblioteca. Com o site queremos nos fazer conhecer pelo que somos e pelo que temos e oferecer um serviço que alcance as fronteiras do mundo. O Papa Francisco fala frequentemente que temos que chegar às periferias: por isso creio que não exista nada como um site on-line que potencialmente nos permita chegar a todas as fronteiras e a todos os países do mundo, próximos e distantes. Naturalmente, não negligenciamos o serviço presen-

n BIBLIOTECA do Vaticano com novo site

cial dos que nos visitam e tentamos servi-los bem. Mas, especialmente neste período de emergência sanitária que estamos vivendo, com a mobilidade limitada é mais difícil para

muitos vir diretamente à Biblioteca. Portanto este site aberto e comunicativo, rico e atraente, quer ser um lugar importante de acolhida, colaboração e abertura”, finalizou.

COVID-19: Vaticano lança campanha de abraços para os mais velhos Com informações agência Ecclesia. O Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé) lançou na segunda, 27, uma campanha de abraços, físicos e virtuais, para os mais velhos, inspirado pela intervenção do Papa, no domingo, 26, sobre o Dia dos Avós. “É possível vencer o isolamento dos idosos também respeitando rigorosamente as normas de saúde em matéria de Covid-19. A pandemia atingiu particularmente os idosos e debilitou os já fracos vínculos entre as gerações, mas respeitar o distanciamento não significa aceitar um destino de solidão e de abandono”.

A campanha “Cada idoso é teu avô” convida os jovens de todo o mundo a fazer “um gesto de ternura para com os idosos que se sentem sozinhos”. A nota destaca os testemunhos que chegam de várias comunidades católicas, que multiplicaram contatos telefônicos, via web, redes sociais – “até serenatas para os hóspedes das casas de repouso” – realizados por jovens, para impedir a solidão de muitas pessoas forçadas pela pandemia a permanecer em suas casas ou fechadas em lares. Nesta fase da campanha, para respeitar as normas sanitárias em vigor nos diferentes países, o

convite é o de “reunir virtualmente os idosos mais solitários do bairro ou da paróquia e enviar-lhes um abraço, como o Papa pediu, por meio de uma ligação telefônica, uma videochamada ou uma imagem”. “Onde for possível – ou quando a emergência sanitária permitir -, convidamos os jovens a tornar o abraço ainda mais concreto, indo ao encontro dos idosos pessoalmente”, acrescenta o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida. A iniciativa tem associada a hashtag #sendyourhug e os posts mais significativos vão ser divulgados nas contas de redes sociais do organismo do Vaticano, @laityfamilylife.

Q

uando alguém nos oferece um serviço, não devemos pensar que tudo nos é devido. A gratidão, o reconhecimento, é antes de tudo um sinal de boas maneiras, mas é também um distintivo do cristão. É um sinal simples, mas genuíno do reino de Deus. (27 de julho)

N

a memória dos Santos Joaquim e Ana, os “avós” de Jesus, gostaria de convidar os jovens a fazer um gesto de ternura para com os idosos, sobretudo os mais solitários, nos lares e residências. Queridos jovens, cada um desses idosos é seu avô! (26 de julho)

O

Reino dos Céus é o contrário das coisas supérfluas que o mundo oferece, é o contrário de uma vida banal: é um tesouro que renova a vida a cada dia e a expande em direção a horizontes mais amplos. ((26 de julho)


4

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

CADERNO DOIS

EM NAZARÉ

NAZARÉ EM DESTAQUE

MODERNIZAÇÃO do estúdio de transmissões

CONTRIBUA com a melhoria dos equipamentos utilizados para transmissão das santas missas

A

Igreja tem alcançado os corações dos fiéis no mundo inteiro, por conta da dinamização e modernização dos meios de comunicação que permitem, através das plataformas digitais, com que se cumpra o desafio de levar a experiência do fogo do Espírito Santo àqueles que precisam ser aco-

lhidos pela Palavra do Santo Evangelho. Assim fazem os Padres Barnabitas que se empenhamem promover a fortaleza do encontro com Cristo ao povo do mundo inteiro, a partir das transmissões das santas celebrações realizadas na Basílica Santuário de Nazaré. Mas, em função do longo uso

FOTOS: ASCOM BASÍLICA SANTUÁRIO DE NAZARÉ

dos equipamentos utilizados durante este trabalho, alguns precisam ser substituídos. Para isso, contamos com a sua ajuda! Sabemos que a missão da evangelização não pode parar. Ajude-nos! Contribua para com a modernização dos equipamentos utilizados para a transmissão das santas Missas.

AJUDE-NOS! Contribua para com a modernização das transmissões no Santuário da Rainha da Amazônia. Faça sua doação online, acesse: www.basilicadenazare.com.br ou através de transferência bancária: Obras Sociais da Paróquia de Nazaré - CNPJ 04.746.442/0001-32 •Banco SICOOB (756), Agência

4609 / Conta Corrente: 3.156-9 •Banco Bradesco (237) Agência 2398-1 / Conta Corrente: 3-5 •Banco do Brasil (001), Agência: 1686-1 / Conta Corrente: 122005-5 •Caixa Econômica Federal (104), Agência 0820 / Conta Corrente: 501-3

n TRANSMISSÕES celebrações realizadas na Basílica Santuário de Nazaré

ADQUIRA já o seu kit para a tradicional ‘Feijoada do Papai’

ADENAZA auxilia famílias em situação de vulnerabilidade social A Associação de Devotos de Nossa Senhora de Nazaré (Adenaza) reúne filhos do Brasil inteiro que juntos, tornam possíveis as ações socio-evangelizadoras e estruturais promovidas pelas Obras Sociais da Paróquia de Nazaré (OSPAN). A missão de evangelizar exige a disponibilização de recursos necessários a concretizar os projetos. Tornar-se um integrante da Adenaza é dar continuidade à valorosa missão da Igreja. No campo social, a Adenaza colabora com a manutenção do Cantinho São Rafael e das Creches Sorena e Casulo, auxiliando crianças, jovens e adultos que vivem em situação de vulnerabilidade social em Belém e Ananindeua. Além disso, quem chega ao Santuário encontra a casa sempre preparada para acolher. Iluminação,

A Feijoada do Papai, evento promovido pela Diretoria da Festa de Nazaré já virou tradição

e este ano, em função dos cuidados necessários diante a pandemia mundial, o momento aconte-

cerá de forma diferente. Os interessados já podem adquirir os tickets que estão disponíveis no site www. lojinhadocirio.com.br A retirada dos kits será através do sistema Drive Thru. Todo o valor angariado será dedicado às Obras Sociais da Paróquia de Nazaré, responsável pela manutenção de duas creches e um projeto social que atende crianças, jovens e adultos que vivem em situação de vulnerabilidade social, tanto em Belém quanto no município de Ananindeua.

ATENDIMENTO da Basílica Santuário de Nazaré, melhor para você!

climatização, limpeza, manutenção precisam ser custeados. A Adenaza também ajuda a levar a devoção mariana a outros lugares, custeando as transmis-

sões pelas emissoras de televisão, rádio, revista, site e as redes sociais. Faça parte você também desta grande família de devotos, contribua mensalmente com a Adenaza.

Com um ambiente espaçoso e moderno, o setor de Atendimento da Basílica de Nazaré passou por uma reforma para ampliar o espaço e melhor atender os fiéis que chegam ao Santuário da Rainha da Amazônia. O espaço, também, conta com um quiosque de serviços rápidos da Loja Lírio Mimoso, composto de produtos

tradicionais ao povo por representar a devoção mariana, bem como os objetos de cera, que estarão disponíveis para venda durante o ano inteiro. A novidade é que os devotos contarão com mais um ambiente de devoção, dentro da Basílica Santuário de Nazaré. Agora, os fiéis terão acesso a um velário, lugar especial para deixar lembranças a um

ente querido. Além disso, os fiéis contam com um espaço dedicado ao atendimento exclusivo da Pastoral do Dízimo e da Associação de Devotos de Nossa Senhora de Nazaré. O espaço funciona de segunda a sexta-feira de 7h às 19h. Aos sábados, das 7h às 17h e aos domingos de 7h às 11h e 15h às 19h.


ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

5

Arquidiocese realizará festa diferente para a padroeira de SANTARÉM FOTO: PASCOM SANTARÉM

CÍRIO será mantido na data programada,

mas adaptado à realidade ante a pandemia

I

nformações da Arquidiocese de Santarém – Dia 24 de julho, em entrevista coletiva nas dependências do Sistema Arquidiocesano de Comunicação, foi anunciada a programação da Festa de Nossa Senhora da Conceição 2020, padroeira da Arquidiocese de Santarém, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Irineu Roman, junto ao pároco da Catedral Metropolitana de Santarém e diretor geral da festa, padre Walter Imbiriba; e o coordenador geral da festa, Gilberto Dinelly. O tema do 102° círio de Santarém será “Maria, a servidora do Senhor” na grande festa no dia 22 de novembro. E será bem diferente. Segundo Dom Irineu, ainda não está definido como será a manifestação religiosa, por causa

da pandemia da covid-19, mas que não será possível promover o grande círio de modo tradicional, levando milhares de pessoas às ruas. Dom Irineu explicou que “o círio de Nossa Senhora da Conceição irá acontecer aqui em Santarém, em primeiríssimo lugar, por causa da vida espiritual do nosso povo. Eu posso dizer que o povo santareno, o povo da região do Baixo Amazonas é um povo muito religioso, de uma fé, de uma fidelidade muito profunda, é uma devoção, uma fidelidade a Deus na observância da Palavra, na escuta da Palavra. Mas é claro que, neste ano, nós faremos um círio diferente, bem diferente”. As demais procissões e eventos da festa também estão previstos na programação, mas a forma de realização dependerá dos protocolos de segurança das autoridades de saúde. Cartaz - Dia 26 de julho, o cartaz oficial foi apresentado e a as imagens peregrinas de Nossa Senhora da Conceição foram abençoadas na Missa campal celebrada às 19h na Praça da Matriz. Os fiéis acomodaram-se em 200 cadeiras, quantidade liberada pela prefeitu-

n ARCEBISPO D. Irineu fala do círio de N. Sra. da Conceição

ra, informou o coordenador da festa, Gilberto Dinelly. A descida da Catedral até a praça foi higienizada, inclusive o elevado e as cadeiras, observado o distanciamento entre elas”. No local houve a aferição da temperatura dos fiéis, assim como foi disponibilizado álcool em gel para higienização, além de outros cuidados.

PEREGRINAÇÃO – A Arquidiocese elaborou um protocolo para as visitas da imagem peregrina a famílias e a instituições, de acordo com padre Walter. “Esse protocolo é baseado nas orientações da Arquidiocese, do dia 5 de junho, e no decreto municipal. São várias coisas, mas destaco as principais: o núme-

ro de pessoas por família, dependendo do espaço, é até 15 pessoas, cumprindo o espaçamento de um metro e meio. O tempo destinado para a visita ficar em cada lar será, no máximo, 30 minutos, tempo curto, mas é o que achamos necessário”. Haverá a aferição da temperatura, caso alguém estiver com mais de 37 graus não poderá participar. Padre Walter explicou que se houver pessoas doentes nos locais da visita, é necessário avisar à coordenação. “Em alguns casos, nós não iremos, dependendo da situação do doente da família, por conta do isolamento”, disse. As equipes dos missionários que irão às casas também utilizarão os equipamentos de proteção necessários.

CAMINHADA - Sobre a 26ª Caminhada de Fé com Maria, a coordenação anunciou que não será realizada a caminhada, mas uma carreata no dia 6 de dezembro, saindo do município de Mojuí dos Campos, às 6h, encerrando-se em Santarém, na Praça da Matriz.

FACULDADE Católica de Belém PASTORAL da Pessoa Idosa inicia segundo semestre letivo de 2020 promove homenagem aos avós

As aulas do segundo semestre letivo da Faculdade Católica de Belém iniciarão no dia 10 de agosto e para celebrar

esse momento, a instituição convida todos os alunos e funcionários a participarem da Santa Missa que será transmi-

tida através da página da Faculdade no Facebook, às 9h. Visando a segurança dos alunos, professores e colaboradores as aulas continuarão de forma remota (online) até o dia 18 de dezembro quando se encerrará o semestre. As aulas remotas são também uma orientação do Ministério da Educação (MEC), e continuarão sendo desenvolvidas dessa forma até o final. A parte administrativa da Faculdade Católica de Belém está funcionando diariamente, das 8h às 14h, tomando todos os cuidados sanitários necessários para evitar qualquer tipo de favorecimento à transmissão do coronavírus.

PROGRAMAÇÃO online da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro A Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no bairro do Telégrafo, em Belém, e onde ocorre a tradicional Novena em honra à Mãe do Perpétuo Socorro às terçasfeiras, informa aos paroquianos e devotos, os seus horários de transmissões ao vivo pelas redes sociais. A paróquia também convida os fiéis a participarem do tríduo que está sendo realizado desde o dia 29 de julho e termina nesta sexta-feira, 31, a fim de celebrar a vida e testemunho de Santo Afonso Maria de Ligório, cuja festa será no dia 1° de agosto. Participe!

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n AGRADECIMENTO muito especial aos avós

As equipes Pastoral da Pessoa Idosa (PPI) das paróquias na Arquidiocese de Belém foram incentivadas pela Coordenação Arquidiocesana a realizarem uma homenagem aos idosos acompanhados, por ocasião do dia São Joaquim e Sant´Ana, o “

Dia dos Avós “. O objetivo da homenagem foi valorizar os avós por tudo o que fizeram e, alguns, ainda fazem, pelos netos. A Paróquia Santa Rita de Cássia, no conjunto Cidade Nova V, em Ananindeua, foi uma das que participou.

n HOMENAGEM muito bem-vinda


6

BELÉM, DE 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2020

ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

A importância das EDIFICAÇÕES para a evangelização em Canaã, Marituba

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

NOVOS TEMPLOS acrescentam dinâmica e

participação dos fiéis na Área Missionária

"T

u és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18). A construção de um templo, seja o mais modesto possível, transforma-se, imediatamente, num marco geográfico e pastoral. Na Área Missionária Nossa Senhora do Perpétuo Socorro as construções de novas capelas, além de ser um incentivo para os moradores, mostra o crescimento da presença da Igreja de Cristo nos recantos da arquidiocese. Como já dissemos em outras matérias sobre esta área missionária, no início, quando pertencia como capela e área pastoral da Paróquia de Nossa Senhora das Vitórias, existia apenas a Comunidade de São Francisco de Assis. Ela, sozinha, dava conta de toda extensão do bairro Canaã, que já era

predominantemente cercado por igrejas neopentecostais. A geografia do bairro também dificultava muito a participação desses fiéis na única capela existente. Estradas de terra batida, às vezes piçarra, saneamento inexistente e a distância são alguns dos fatores que dificultavam essa participação. Os moradores contam que faltava a opção de uma capela católica que reunisse o povo, recebesse celebrações eucarísticas e tivesse o trabalho de pastorais, grupos, catequese e movimentos. Aos poucos essa realidade muda. Hoje, com as oito comunidades, bem distribuídas e com construções completas ou em andamento, os fiéis podem prestar culto, participar da comunhão e reunir para tomadas de decisão em um espaço próprio. “Quando era só São Francisco, víamos que as pessoas sentiam-se mais recolhidas em suas casas, agora elas saem mais, pois as comunidades e opções são muitas. Percebi isso quando fomos fazer a novena de Nossa Senhora de Nazaré em uma casa aqui da comunidade e a dona da casa relatou que há dez anos não tinha presença na comunidade. Isso pra mim foi gratificante”, diz Joana

n COMUNIDADE SÃO FRANCISCO terá ampliação de mais um prédio para atividades

de Macedo, coordenadora da Comunidade Mãe Rainha. Sobre a importância dessas edificações Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém, frisa que são importantes, antes de tudo, porque a igreja tem a missão de evangelizar. “O serviço de evangelização deve ser efetivado em todos os contextos humanos e com estruturas pastorais para a reunião dos fiéis, formação e convivência”. Para ele, a evangelização através da Igreja Católica

n COMUNIDADE SÃO VICENTE DE PAULO obras iniciaram em julho

tem um grande diferencial que é a promoção do Reino de Deus. Significa compromisso para a promoção da dignidade humana, fidelidade ao ser humano, amor a Deus e ao próximo e nesse contexto estão inclusas as construções. “A construção de novas capelas é uma referência de casa, de família, de comunidade, de experiência de comunhão, de afeto, de corresponsabilidade e de formação. Essa referência física é fundamental. Na maioria dos outros grupos religiosos neopentecostais há carência do conceito de vida

fraterna, comunhão e vida comunitária”. Quem deseja contribuir com essas comunidades, procure diretamente a Cúria Metropolitana, através da secretaria, telefones ou e-mail para agendar um encontro. “A Igreja somos nós, somos corresponsáveis pela sua promoção. Isso foi um pedido de Jesus Cristo. Ele delegou a nós essa responsabilidade. Temos muitas novas comunidades para serem abertas e novas áreas missionárias que deverão ser organizadas nos próximos anos”, destacou Dom Antônio.

n LEOMÁRIO HENRIQUES "Estamos aqui em união"

COMUNIDADES PASSAM POR AMPLIAÇÃO E READEQUAÇÕES Osvaldo Marques, engenheiro responsável pelas obras nas comunidades da área missionária e membro do Terço dos Homens, auxilia no desenvolvimento dos projetos com anuência de Dom Antônio. Segundo ele, cada comunidade está passando por algum tipo de revitalização, ou readequação ou, ainda, construção de fato. Ele cita, por exemplo, a comunidade de São Francisco que terá ampliação de mais um prédio para atividades. “Estamos implantando agora junto com a coordenação um espaço que servirá de salão, outros anexos como banheiro e cozinha para servir como apoio a determinados eventos que vamos encontrar aqui assim como em todas as outras”, explicou o engenheiro.

Na Comunidade de São Vicente de Paulo as obras iniciaram no último dia 18. O terreno com dimensões de 40x60 é fruto de doação e já recebeu três mutirões para limpeza, retirada de raízes e capinação. No local haverá um barracão para celebrações, reuniões e encontros e, posteriormente, a capela para as missas. Benedito Santos, coordenador desta comunidade, conta que tudo é possível com o engajamento da comunidade que, consciente da importância de um templo próprio, sabe dos frutos que serão colhidos num futuro próximo. “Estamos aqui disponíveis para fazer esse trabalho para a comunidade, não para nós, mas para com todos, os que estão chegando, os que estão saindo, e os que estão aqui presentes. Estamos

aqui empenhados nesse trabalho, de acordo com nossas possibilidades”. Nesse mês de julho, a Comunidade Santo Antônio de Lisboa teve a bênção da sua nova capela e que já recebeu a primeira celebração eucarística, presidida por Dom Antônio. As celebrações anteriormente estavam sendo realizadas na casa dos moradores ou embaixo de árvores. Leomário Henriques, da Comunidade de São Francisco, que ajudou na mão de obra da construção da capela, reconhece a importância deste novo templo. “Estamos aqui em união, com toda nossa equipe e é uma felicidade para nós termos esse apoio e da nossa área missionária em unidade. Uma igreja é muito bom, ela faz um bem enorme. Será pa-

ra evangelizarmos o povo que precisa dela”. De acordo com ele “muitos aqui passam por tribulações, mas ao passarem ali na rua, acabam escutando a Palavra, mesmo que não aden-

trem, mas a Palavra atrai, porque Deus atrai mesmo. E nesse momento que ele é atraído por Deus ele vem também participar. Acredito que esse é o bem que faz e fará por nós”.

n COMUNIDADE Santo Antônio de Lisboa