Voz de Nazaré

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 943 - PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

www.fundacaonazare.com.br

Missionários junto com MARIA Foi um dia especial. Em Belém, Santa Missa presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa, foi a culminância do Dia do Mandato, o envio dos dirigentes das peregrinações que antecdem o Círio de Nossa Senhora de Nazaré. CADERNO 2, PÁGINA 4. FOTOS: ASCOM BASÍLICA SANTUÁRIO DE NAZARÉ

n DIA DO MANDATO ocorreu ao longo do dia 24 de agosto, quando as imagens que serão conduzidas nas peregrinações foram abençoadas na Basílica Santuário

Mateus Santos é ordenado DIÁCONO Durante Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora do Bom Remédio, o Arcebispo Dom Alberto Taveira Corrêas, presidiu a Ordenação

Especial em FAMÍLIA

LUIZ ESTUMANO

Programa dedicado aos Diaconal de Mateus Ribeiro dos Santos, seminarista benfeitores da evangelização, do Seminário Remptoris a Família Nazaré, será realizado ao vivo, sexta-feira, 28. Mater, em Belém. CADERNO 2, PÁGINA 1.

CADERNO 1, PÁGINA 6. LUIZ ESTUMANO

n REFORMA mobiliza fiéis na Paróquia São José, no Umarizal

Paróquia em reforma

n ORDENAÇÃO do diácono Mateus Santos, realizada na Paróquia Nossa Senhora do Bom Remédio

A comunidade tem sido importante parceira nas obras de reforma da Paróquia São José, no bairro do Umarizal, em Belém.

Mas ainda há muito a fazer. Campanha busca mais recursos para concluir os serviços. CADERNO 2, PÁGINA 6.


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

O Círio 2020 e sua linguagem IRMÃ MARÍLIA MENEZES

O Círio dois mil e vinte Tem ares de eternidade: Mortes, luto, despedidas Esforço pra não chorar Dizendo: “Isto vai passar”.

O Círio dois mil e vinte Em mim, em ti, em nós todos, Este Círio - quem diria? põe saudade na cidade.

A

PE. HELIO FRONCZAK heliofronczak@gmail.com

SÍNODO ARQUIDIOCESANO DE BELÉM

Por que um sínodo? No decorrer da história aconteceram muitas feridas na unidade do Corpo Místico de Cristo. Por motivos religiosos, políticos e culturais, as incompreensões entre as partes culminaram nas divisões entre os cristãos. Não é o caso aqui de analisar as motivações várias que levaram ao surgimento das diferentes confissões cristãs. O que aqui quero destacar é que, depois

M

eu propósito, esta semana, era falar das quatro dimensões do dízimo, anunciadas pela CNBB e que merecem reflexão maior. Como o tema é sempre atual, transfiro-o para a outra edição, porque trago na alma uma sensação maravilhosa, que preciso compartilhar: a alegria de voltar a receber a Sagrada Comunhão. Desde que as igrejas foram fechadas, por causa do isolamento social, eu, assim como toda a gente que sabe a importância de rece-

Engenheiro civil e escritor (ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com)

IVENS COIMBRA BRANDÃO

entre as Igrejas cristãs. Ao interno da nossa Igreja católica, considerando suas múltiplas expressões de dons carismáticos, o caminho sinodal é urgência pastoral, e ao mesmo tempo, o grande desafio de nosso tempo. O Papa Francisco, no seu discurso por ocasião da comemoração do cinquentenário da instituição do sínodo dos bispos, em 17 de outubro de 2015, afir-

mou que “uma Igreja sinodal é uma Igreja da escuta, ciente de que escutar ‘é mais do que ouvir’. É uma escuta recíproca, onde cada um tem algo a aprender. Povo fiel, Colégio Episcopal, Bispo de Roma: cada um à escuta dos outros; e todos à escuta do Espírito Santo, o ‘Espírito da verdade’ (Jo 14, 17), para conhecer aquilo que Ele ‘diz às Igrejas’ (Ap 2, 7)”.

Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

A alegria de voltar a comungar na igreja ber Jesus Sacramentado, me colocava diante da televisão e comungava espiritualmente. Claro que sentia, de fato, o senhor entrar em meu coração e experimentava a plena paz. Semana passada, porém, tudo mudou. Entusiasmado pelo meu querido amigo padre Luiz Car-

los, reitor da Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, me enchi de coragem e fui à missa. P raticamente todos os bancos estavam ocupados, cada um com três pessoas. O calor era grande naquela hora e os ventiladores ajudaram. O ar-condicionado ainda não po-

de ser usado, mas não era algo insuportável. Muitas senhoras levaram seus leques. Quando chegou o momento de comungar, confesso que a emoção era tamanha, a ponto de quase me travar as pernas. Normalmente não me sinto digno de receber Jesus Cristo, mas

desta feita sentia menos ainda. Mas bastou uma palavra dEle, me estimulando a levantar, que fui. Diante do Senhor, me ajoelhei, levantei e, contritamente, O acolhi em minha mão. A alegria que senti só não é indescritível, porque ela atende nome de Jesus. Depois

IVENS COIMBRA BRANDÃO Engenheiro civil e escritor (ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com)

ENCONTRO FRATERNO tos à Sua imagem (cf. Gn 1, 26-27). Criaturas livres, Adão e Eva se deixaram arrebatar pelas mentiras do mal, surgindo, então, o pecado. No entanto, Deus não abandonou suas criaturas, acompanhando a história da humanidade com sucessivas alianças, desde Noé (cf. Gn 8); Abrão, depois

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

do Concílio Vaticano II, ocorrido nos inícios da segunda parte do século XX, entre 1962 e 1965, cresceu a consciência do escândalo que é a separação entre os cristãos e, em consequência, intensificouse a busca de caminhos rumo à unidade completa, por meio do diálogo e do respeito com os irmãos. É o que chamamos de ecumenismo, isto é, a busca de comunhão e diálogo

JOÃO CARLOS PEREIRA

T

udo começou com a Palavra: “Então Deus disse: ‘Que exista a luz!” (cf. Gn 1, 3). Jesus Cristo, o Verbo de Deus, proclamou: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não desaparecerão” (Lc 21, 33). A palavra é instrumento de realizações admiráveis. Na Bíblia, Livro do Gênesis, os dois primeiros capítulos tratam da Criação. Com a Palavra, Deus criou o Universo, todas as coisas, os seres vivos, sendo sua ‘obra prima’ o homem e a mulher, fei-

Dê-me um abraço da corda, dê-me um abraço sem corda mais que um aperto de mão : No Círio dois mil e vinte A Missão fala BEM alto Vai direto ao coração. O CIRIO dois mil e vinte Tem um sabor de Missão.

O Círio dois mil e vinte É um abraço sem enlaço. Círio é saúde, é saudade, É desapego, é renúncia, É um abraço sem braço. Mas dê-me um abraço, ande, Neste Círio de saudade.

Mas, avante, minha gente: Vela é Círio, é luz, verdade Pois, NAZARÉ vai conosco. Vai com o Menino nos braços Dando os abraços sem laços

O Círio dois mil e vinte Aumenta a nossa amizade, um perfume, uma linguagem que tem gosto de SAUDADE. palavra “sínodo” (“odós”=caminho + “sin”=com) significa, literalmente: caminho juntos, caminho com os outros. Teologicamente, a palavra “sínodo” tem grande significado porque explicita a primeira das quatro notas fundamentais da constituição da Igreja de Cristo, como define o CIC (Catecismo da Igreja Católica) nos números 813-823: “A Igreja é una”. É una, antes de tudo, porque a sua fonte é o único Deus; depois, porque o seu fundador realizou a união de todos os povos em um só Povo de Deus; e ainda porque a “alma da Igreja”, o Espírito Santo, que está em todos os seus membros os une intimamente com Cristo e entre eles.

E enlaços de santidade.

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

O Verbo de Deus Abraão(cf. Gn 12); e Moisés (cf. Ex 3). Nas alianças feitas, a Palavra foi instrumento de comunicação entre o Criador e a criatura, assim como as que foram colocadas na boca dos profetas de Deus. Chegada a plenitude dos tempos, Deus

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

firmou com a humanidade a Nova e Eterna Aliança na Pessoa de Jesus Cristo. “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14). Em Sua vida pública, certa vez, alguns fariseus e doutores da Lei questionaram Jesus pelofato

de que seus discípulos desobedeciam a tradição, não lavando as mãos antes de comer (cf. Mt 15, 1-2). Jesus, então, disse: “Não é o que entra na boca que torna o homem impuro, mas o que sai da boca, isso torna o homem impuro” (Mt 15,

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA/DIAGRAMAÇÃO Greison Dias Carvalho Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

Estamos neste processo em nossa arquidiocese de Belém: assembleias nas paróquias, nos movimentos eclesiais, nas regiões episcopais, nas pastorais arquidiocesanas, nas comunidades religiosas e nas novas comunidades, bem como seminários para a escuta do que pensam as organizações e instituições civis. Intensifiquemos nossas orações para que “a

comunhão cresça cada vez mais em nossa Igreja de Belém” (co-

mo pedimos na oração pelo Sínodo arquidiocesano) e esta urgência e desafio pastoral se torne mais visível e contribua para o crescimento do Reino de Deus entre nós. de tantos meses, pude, enfim, encontrá-Lo. O que lamentei foi ver que muitos ainda não caminham em direção à mesa da Eucaristia. Não entendo que grande medo impede a criatura de procurar um sacerdote e reconciliar-se com o Criador. O padre não humilha ninguém, não maltrata o pecador. Pelo contrário: acolhe-o e, em nome de Cristo, limpa-o de toda culpa. Confessar é um gesto de humildade, recompensado com a Comunhão. 11). Jesus referia-se à palavra que, ao ser pronunciada, não tem volta, podendo destruir uma relação. A nível de casal, por exemplo, os cônjuges devem conter seus impulsos, porque uma palavra, uma ofensa lançada, poderá causar ressentimento, assim enfraquecendo a relação conjugal, por vezes, para sempre. Em setembro, quando a Igreja celebra o Mêsda Bíblia, façamos um esforço para mais ouvir e meditar sobre a Palavra de Deus.

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

CONVERSA COM MEU POVO

N

o mês vocacional, uma das vocações colocadas em relevo é a dos catequistas, homens e mulheres que se dedicam a fazer ecoar – este é o sentido da palavra catequese – a mensagem de Jesus e acompanhar o desenvolvimento da vida cristã em nossas Paróquias e Comunidades. Sejam agora homenageadas todas as pessoas que têm esta missão na Igreja. Ao escrever estas palavras, meu coração e minha memória se reportam à minha catequista de infância, em outros tempos e estilos diferentes. Era chamada de Dona Nicota, e seu olhar profundo, carregado de simplicidade, edificava a todos. Alguns anos mais tarde, tive o privilégio de levar-lhe muitas vezes a Sagrada Comunhão,

Cabe aos nossos padres assegurar o vínculo entre Catequese, Liturgia e Caridade, especialmente valorizando o domingo como o dia do Senhor e da comunidade cristã em visitas que tinham o sabor de ação de graças a Deus e agradecimento ao bem que esta senhora tinha feito a mim e a tantas crianças. Certamente houve festa no Céu à sua chegada, pois “são formosos, sobre os montes, os passos de quem traz boas-novas,

CAMINHOS da Catequese daquele que traz a notícia da paz, que vem anunciar a felicidade, noticiar a salvação, dizendo a Sião: ‘Teu Deus começou a reinar!’” (Is 52,7). Recordemos com gratidão quem foi catequista em nossa vida! Entretanto, se reconhecemos o serviço prestado por quem é catequista, é importante lembrar que os pais iniciam a catequese de seus filhos quando os geraram, como um ato de amor, que faz parte do plano de Deus. Amar os filhos desde a concepção é o princípio do anúncio do querigma, cujo primeiro passo é justamente a certeza de que Deus nos ama. “A catequese com as famílias é perpassada pelo querigma, porque diante das famílias e no meio delas, deve ressoar sempre de novo o primeiro anúncio, que é o mais belo, o mais importante, mais atraente e, ao mesmo tempo, mais necessário, e deve ocupar o centro da atividade evangelizadora” (Diretório para a Catequese, 230). Depois, o percurso da formação para a vida cristã continua como responsabilidade da família. Os pais apresentem seus filhos para os Sacramentos da Iniciação cristã. O Batismo de crianças foi historicamente uma conquista dos pais, conscientes de que lhes cabe o melhor que pode existir, a entrada na Igreja. E as Igrejas do Oriente cristão, católicas ou ortodoxas, dão também os sacramentos da Crisma e da Eucaristia às crianças apenas nascidas. Cabe aos pais ensinar os filhos a rezarem, com orações espontâneas e com as mais simples, como o sinal da Cruz, o Pai-nosso e a Ave-Maria. E “a comunidade, na pessoa dos catequistas, tenha o cuidado de acolher,

DIVULGAÇÃO

escutar e entender as motivações do pedido do Batismo feito pelos pais, predispor um caminho adequado para que eles possam despertar a graça do dom da fé que receberam” (Diretório para a Catequese, 232).Com o crescimento das crianças, os pais assumam junto com a Paróquia a responsabilidade da educação da fé O Diretório para a Catequese salienta que o Bispo é o primeiro locutor a anunciar o Evangelho por meio das palavras e do testemunho de vida, cabendo-lhe cuidar da Catequese, ocupando-se diretamente da transmissão do Evangelho e mantendo íntegro o depósito da fé. Cabe-lhe assegurar a inculturação da fé, priorizando uma Catequese eficaz, elaborar, com seus assessores, um projeto global da Catequese, despertar e manter uma verdadeira paixão pela Catequese e assegurar que os catequistas sejam devidamente preparados. Nós Bispos, Dom Antônio e eu, acolhemos com alegria e responsabilidade tal missão, e sabemos o quanto podemos realizála nas visitas às Paróquias, nos muitos encontros de formação e também através dos meios de comunicação, um verdadeiro privilégio de nossa Igreja de Belém. Os padres, primeiros colaboradores do

Bispo (Diretório para a Catequese, 115) e por seu envio, na qualidade de educadores da fé, têm a responsabilidade de animar, coordenar e dirigir a atividade catequética da comunidade paroquial. Cabe aos nossos padres assegurar o vínculo entre Catequese, Liturgia e Caridade, especialmente valorizando o domingo como o dia do Senhor e da comunidade cristã. Se toda a Comunidade cristã é responsável por promover o “eco” da mensagem de Jesus Cristo, a Catequese, sabemos que catequistas são cristãos que recebem o chamado peculiar de Deus que, acolhido na fé, capacita para o serviço da transmissão da fé e à missão de iniciar à vida cristã. Participam da missão de Jesus de introduzir os discípulos em sua relação filial com o Pai. Entretanto, o verdadeiro protagonista da Catequese é o Espírito Santo que, mediante uma profunda união que os catequistas nutrem com Jesus Cristo (Diretório para a Catequese, 112). Reconhecemos a presença da vocação de catequistas em nossa Igreja e desejamos que o chamado e a resposta a este ministério cresçam e se desenvolvam na Arquidiocese, reco-

mendando que os sacerdotes e as famílias reconheçam o serviço prestado por estes valiosos irmãos e irmãs. Desejamos que muitas pessoas recebam o ministério da Catequese, na disposição para cerrar fileiras no anúncio da Boa Nova. A Igreja tem assumido, nos últimos anos, como projeto para a Catequese, o estilo da Iniciação Cristã, tendo como referência o Rito de Iniciação Cristã de Adultos. Muitas Paróquias de nossa Arquidiocese já estão celebrando as várias etapa do Caminho Catecumenal, proposto como roteiro de formação cristã para todos. Os Sacramentos da Iniciação Cristã, Batismo, Crisma e Eucaristia venham a ser celebrados com solenidade e dignidade em nossas Paróquias. Certamente muitas pessoas já participaram da celebração de tais Sacramentos na Vigília Pascal, que é cada vez mais recuperada como o dia próprio para os jovens e adultos os receberem, depois de um caminho catequético vivido com grande profundidade. Desejamos oferecer a todos as condições necessárias à vivência plena da conversão a Jesus Cristo e a participação efetiva na Igreja!

O fundamento de tudo isso é o Evangelho, Palavra Viva de Jesus Cristo, acolhido na fé por todos nós. Uma das contribuições mais significativas para este caminho é o Catecismo da Igreja Católica, ponto de referência para os conteúdos da formação cristã a ser oferecida a todos nós. Aliás, independente do estágio de vida cristã em que nos encontremos, é hora de refazer nosso caminho formativo, dispostos a uma participação mais intensa e consciente na vida da Igreja, para que possamos testemunhar os valores do Reino de Deus em nosso tempo. E os irmãos e irmãs chamados ao serviço da Catequese, adequadamente formados, nos ajudem a percorrer esta estrada! Deus abençoe todos os catequistas de nossa Igreja!

O Catecismo da Igreja Católica

A Igreja tem assumido, nos últimos anos, como projeto para a Catequese, o estilo da Iniciação Cristã tendo como referência o Rito de Iniciação Cristã de Adultos


4

IGREJA

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

CHIARA LUBICH PALAVRA DE VIDA “Dai e vos será dado: uma medida boa, socada, sacudida e transbordante será colocada no vosso colo.” (Lc6,38)

“Ali estavam muitos dos seus discípulos e uma grande multidão, gente de toda a Judeia e de Jerusalém, e do litoral de Tiro e Sidônia. Vieram para ouvi-lo...”1: é assim que o evangelista Lucas introduz o longo discurso de Jesus, que se desenvolvepor meio do anúncio das bem-aventuranças, das exigências do Reino de Deus e das promessas do Pai aos seus filhos. Jesus anuncia livremente a sua mensagem a homens e mulheres, de vários povos e culturas, que tinham vindo para escutá-lo; é uma mensagem universal, dirigida a todos e que todos podem acolher para realizarem-

se como pessoas, criadas por Deus Amor, à Sua imagem. “Dai e vos será dado: uma medida boa, socada, sacudida e transbordante será colocada no vosso colo.”

Jesus revela a novidade do Evangelho: o Pai ama cada filho seu pessoalmente,com amor “transbordante” e lhe doa a capacidade de alargar o coração aos irmãos com generosidade cada vez maior. São palavras prementes e exigentes: dar algo do que é nosso; bens materiais, mas também acolhida, misericórdia, perdão; dar com largueza, imitando Deus. A imagem da recompensa abundante que será colocada na dobra da veste nos dá a entender que a medida do amor de Deus por nós é sem medida e que as su-

as promessas se realizam para além das nossas expectativas. Ao mesmo tempo a promessa da recompensa nos liberta da ânsia da nossacontabilidade e dos nossos prazos, da desilusão de não receber dos outros aquilo que achávamos merecer. “Dai e vos será dado: uma medida boa, socada, sacudida e transbordante será colocada no vosso colo.”

Com relação a esse convite de Jesus, Chiara Lubich escreveu: Nun-

ca lhe aconteceu receber um presente de um amigo e sentir a necessidade de retribuir? (...) Se isso acontece com você, imagine então com Deus, com Deus que é Amor.Ele retribui sempre todo o bem que fazemos ao nosso próximo em nome Dele(...). Deus não se comporta

assim para enriquecer você ou para nos enriquecer. Ele age assim para que, quanto mais tivermos, mais possamos dar; para que – como verdadeiros administradores dos bens de Deus – façamos circular tudo na comunidade ao nosso redor (...).Certamente Jesus pensava, acima de tudo, na recompensa que teremos no Paraíso. Mas o que acontece na terra já é prelúdio e garantia disso.2 “Dai e vos será dado: uma medida boa, socada, sacudida e transbordante será colocada no vosso colo.”

Mas o que poderia acontecer se nos dedicássemos a praticar esse amor juntos, com muitos outros homens e mulheres? Seria com certeza o germe de uma revolução social.

Quem nos conta o que segue é um pequeno empresário,Jesús, da Espanha: Minha mulher e

eu trabalhamos em consultoria e em programas de formação. Apaixonamo-nos pelos princípios da Economia de Comunhão3e decidimos aprender a olhar o outro: os funcionários, valorizando os salários e avaliando alternativas diante dedemissões, quando necessárias; os fornecedores, respeitando os preços, os pagamentos, as relações de longo prazo; a concorrência, com cursos feitos em conjunto e oferecendo o nosso conhecimento e a nossa experiência; os clientes, com orientações dadas conscienciosamente, inclusive renunciando a vantagensnossas. A confiança que se estabeleceu foi o que nos salvou depois, na crise de 2008. Em seguida, por meio da ONG “Levánta-te y

Anda”, conhecemos um professor de espanhol na Costa do Marfim. Ele queria melhorar as condições de vida da sua aldeia com um setor de obstetrícia no hospital. Avaliamos o projeto e oferecemos a quantia necessária. Ele não conseguia acreditar. Tive de lhe explicar que eram os lucros da empresa. Hoje esse setor, chamado“Fraternidade”, construído por muçulmanos e cristãos, é o símbolo da convivência. Nos últimos anos os lucros da empresa se multiplicaram por dez. LETIZIA MAGRI

1 2 3

Cf. Lc6,17-18.

LUBICH,Chiara,Amor recíproco, PalavradeVi da,junhode1978. https://www.edc-online.org.

SACERDORTES da Paraíba em visita à Arquidiocese de Belém Na manhã de terça-feira, 25, sacerdotes do Instituto Missionário Jesus Missionário dos Pobres, com sede em Cajazeiras, na Paraíba, visitaram as instalações da Cúria Metropolitana de Metropolitana e da Fundação Nazaré de Comunicação. O coordenador geral, padre Jussiê Braga, explica que a visita motiva-se pela vinda do instituto a Belém no próximo ano, mais

LUIZ ESTUMANO

precisamente, em janeiro. No Pará, o Instituto encontra-se em Cametá com uma casa de missão, e na capital paraense espera-se iniciar uma casa de missão e de estudos. Há, ainda, tratativas iniciais com Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém, para que a congregação assuma a Área Missionária São Francisco do Murinin, em Benevides.

n SACERDOTES durante a visita às instalações da Fundação Nazaré

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.com)

LITURGIA

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Mt 16,21-27

21Jesus começou a mostrar a seus discípulos que devia ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos mestres da lei e que devia ser morto e ressuscitar no terceiro dia. 22Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendêlo, dizendo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isso nunca te aconteça!”23Jesus, porém, voltou-se para Pedro e disse: “Vai para longe, satanás! Tu és para mim uma pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas, sim, as coisas dos homens!” 24Então Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 25Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la. 26De fato, que adianta ao homem ganhar o

mundo inteiro, mas perder a sua vida?...27... o Filho...retribuirá a cada um de acordo com a sua conduta”. B) COMENTÁRIO

Jesus sempre esteve acompanhado pelos discípulos e pela multidão. Mas ele sabia que seu caminho entre os homens passaria pela solidão, principalmente quando tivesse que concluir sua obra salvífica, sua meta final. E a solidão de Jesus não é aquela do isolamento, do sectarismo grupal ou pessoal. Ela é a solidão da entrega de si para livrar os outros; é mais que “resgate”, é a entrega total e absoluta de si, conduzida ou gerada pelo amor extremo a todos. Quando Pedro aconselha Jesus a que não aconteça seu sofrimento, o faz em boa intenção, mas pelo impulso afetivo humano. O apóstolo não tinha presente de que não há glória eterna, não

há ressurreição sem calvário. O mestre repreende Pedro, classificando-o de satanás. Ora, a palavra satanás, vem do hebraico “satan”, que significa aquele que tenta pelo desafio da prova, a q u e l e q u e p ro v a . Assim como “diabo” vem do grego e quer dizer “o que divide”, jogando um contra o outro, o “satanás”, indica “o provador”. O m e s t re j a m a i s chamaria a Pedro de “diabo”, pois significa “aquele que separa”. Jesus escolhe o príncipe dos apóstolos como o vértice de união do grupo. Portanto, é símbolo da união e da salvação: “o que ligares na terra, será ligado noscéus, e o que desligares na terra, será desligado nos céus” (Mt 16,19). Jesus diz a Pedro que se afaste como também chegará o momento em que Jesus pede ao Pai que afaste dele o cáli-

ce: são provações...E quem está livre delas? Por melhor que sejam as intenções, não deixam de ser o que são: tentações! As coisas dos homens são boas, quando não contrastam com as de Deus, nos ensina o mestre. A última parte do texto (v.24-27) é como que um comentário da morte no calvário. Perder a vida significa morrer. O cristão, o seguidor implacável de Cristo, é o que trilha no caminho que passa pela dor, pelo calvário; não há desvio de rota, “quem quiser salvar a sua vida” – por outros atalhos – “vai perdê-la”; e “quem perder a sua vida” – assimilando todas as etapas até consumirse – “vai encontrá-la”. Portanto, só quem vive a renúncia do “ego” por amor, lutando na entrega incondicional pelo Reino, terá repouso garantido na eternidade feliz.

n 28/08 - SEXTA Cor (branco) Primeira Leitura (1Cor 1,17-25) Responsório (Sl 32) Evangelho (Mt 25,1-13) n 29/08 - SÁBADO Cor (vermelho) Primeira Leitura (Jr 1,17-19) Responsório (Sl 70) Evangelho (Mc 6,17-29) n 30/08 - DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Jr 20,7-9) Responsório (Sl 62) Segunda Leitura (Rm 12,1-2) Evangelho (Mt 16,21-27) n 31/08 - SEGUNDA Cor (verde)

Primeira Leitura (1Cor 2,1-5) Responsório (Sl 118) Evangelho (Lc 4,16-30) n 01/09 - TERÇA Cor (verde) Primeira Leitura (1Cor 2,10b-16) Responsório (Sl 144) Evangelho (Lc 4,31-37) n 02/09 - QUARTA Cor (verde) Primeira Leitura (1Cor 3,1-9) Responsório (Sl 32) Evangelho (Lc 4,38-44) n 03/09 - QUINTA Cor (branco) Primeira Leitura (1Cor 3,18-23) Salmo Responsorial (Sl 23) Evangelho (Lc 5,1-11)


5 BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

SETORJUVENTUDE

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

A PROVIDÊNCIA divina nos educa

INTRODUÇÃO

O

profeta Oseias compartilha conosco a sua experiência da ternura de Deus. Visto que Deus é mistério, o profeta a vivenciou através do sofrimento. Todavia foi capaz de perceber o amor preveniente de Deus. Assim fala o Senhor: “Quando Israel era criança, eu já o amava...” (Os 11,1). Somos como crianças amadas e cuidadas por Deus e sem saber! A menç ão ao ser criança amada nos induz a pensar que o amor de Deus é gratuito! O amor de Deus para conosco é preveniente, ou seja,

Dessa forma, mais do que angústia e desespero, nos momentos difíceis devemos nos questionar: que proveito posso tirar de tudo isso? que se antecipa, que chega antes, que nos surpreende; é por isso providente, dá respostas, é proativo, é dinâmico e, por isso preventivo! Nestes meses vimos e ouvimos falar de tantos males e sofrimento. Mas Deus não nos abandonou.

1

Deus cuida de nós Às vezes em momentos difíceis somos tentados a dizer: “Deus me abandonou, o Senhor me esqueceu!” (Is 49,14). Era o que o povo dizia no tempo do profeta Isaías. A resposta do profeta ao povo é fantástica apelando para a ternura divina e questionando essa atitude de enganosa acusação e verdadeira injúria por falta de fé: “Mas pode a mãe se esquecer do seu nenê,

DIVULGAÇÃO

pode ela deixar de ter amor pelo filho de suas entranhas? Ainda que ela se esqueça, eu não me esquecerei de você” (Is 49,15). Mas o mesmo também já tinha acontecido no tempo da travessia do deserto quando, enraivecido e murmurando contra Deus e Moisés, o povo acusava a Deus que o tinha abandonado para morrer no deserto de fome e sede (cf. Ex 15,23-25; Nm 11,1-6; 14,1-2). Nos momentos difíceis a nossa primeira tendência instintiva é murmurar.

2

Tatuados nas mãos de Deus Deus com tino pedagógico comunica ao povo através do profeta Isaías a certeza da sua contínua assistência dizendo: “Eu tatuei você na palma da minha mão” (Is 49,15). A expressão é linda! Tatuagem nas mãos...! Uma imagem como objeto de recordação no “próprio corpo”! A mão é o membro que nos possibilita expressão de ação: de cuidado, de carinho, de carícia, de acolhida, de sustento, de segurança, de trabalho... A “tatuagem” significa sinal de relação incondicional, inseparável, constante... sinal de recordação, de compromisso, de aliança de amizade que tudo supera. Deus está em nós! Ele é a condição do nosso existir! Com essa expressão o profeta diz ao povo que Deus cuida dos seus em todas as circunstâncias, que jamais esquece seus filhos; contudo, se há algo errado na sociedade, o povo deve fazer uma profunda revisão de vida porque a culpa não é divina. Por outro lado, somos pequenos para entender tudo.

3

Fé, confiança e tranquilidade Também hoje em muitas circunstâncias somos tentados a acusar a ausência de Deus em nossa vida e no meio da sociedade. Enganamo-nos! Um

grave erro no qual podemos cair é aquele de pensar Deus como nossa “vareta mágica” que deve resolver todos os nossos problemas e sempre nos conservar numa redoma de “paz e tranquilidade”. Essa postura propõe dois graves erros: o primeiro é a negação da liberdade e responsabilidade humana. Pois, se Deus em tudo intervém, por que deu ao homem a liberdade? (cf. Eclo 15,14-20). O segundo é a negação da fé. Se Deus for concebido como “supermercado” onde tudo se compra (oração!?) para que serve a fé? A atitude de fé saudável postula um firme testemunho da presença de Deus mesmo na ausência de seus evidentes sinais de bondade aos nossos olhos. A ausência de sinais ou a incapacidade de enxergá-los, não se identifica com a negação de Deus. Mas a fé não é um dom que nos livra dos problemas e dificuldades da história! Simplesmente ela nos ajuda a darmos um sentido para as provações e sofrimentos. A fé mais que isenção de problemas é capacidade de superá-los! A fé nos ajuda a manter-nos na viva consciência de estarmos “tatuados” no coração divino e, por, isso jamais se esquece de nós. De nossa parte,

resta a confiança e a serenidade.

4

A Providência Divina O discípulo de Jesus, em todas as circunstâncias, de v e preservar a primazia divina em sua vida. Quando Jesus fala “não vos preocupeis com a vida, com o que havereis de comer, de beber, nem com o vosso corpo, com que havereis de vestir...” (Mt 6, 25) não está negando as evidentes e básicas necessidades humanas. Quando Jesus fala de elementos da natureza, por exemp l o, d o s p á s s a ro s , das flores e das ervas dos campos, não está convidando seus ouvintes a negarem sua racionalidade. Sim, quer evidenciar o fato de que Deus é Providente e, sua sabedoria despenseira, assiste a todas as criaturas segundo a sua espécie, necessidades, beleza, duração, ambiente... e, dentro desse universo das criaturas, o ser humano é aquela que recebe os mais especiais cuidados divinos por causa da sua singularidade: “valeis muito mais que os pássaros do céu... fará ele muito mais por vós” (Mt 6,26.30). O ser humano reflete a grandeza de Deus (cf. Sl 8) e de saber e inteligência a divina providência nos dotou

(cf. Ef 1,8). Sim, ele sabe de tudo e nos acompanha de perto! Mas visto que nos criou como seres inteligentes, também permite que passamos por momentos de turbulências para nos educar. Dessa forma, mais do que angústia e desespero, nos momentos difíceis devemos nos questionar: que proveito posso tirar de tudo isso? Se é verdade que “tudo

concorre para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8,28),

então os momentos dramáticos são tempos de abundância de mensagens divinas. Somos chamados ser intérpretes dos gritos de Deus através dos acontecimentos... Às vezes esses gritos nos chegam também através da voz da natureza de muitas formas: enchentes, terremotos, furacões, tsunamis, secas, doenças, vírus e bactérias.

5

O sofrimento é educativo Deus que é Pai Providente e Bondoso, também é exigente educador. Educar é uma consequência do amor. Se somos filhos cuidados com generosa providência, também precisamos ser educados. A Divina providência é pedagoga! “Meu filho,

não desprezes a educação do Senhor, não te desanimes quando ele te repreende; pois o Se-

nhor corrige a quem ele ama e castiga a quem aceita como filho”. É para a vossa educação que sofreis, e é como filhos que Deus vos trata. Pois qual é o filho a quem o pai não corrige” (Hb 12,5-7). Nessa perspectiva educativa somos chamados a acolher as dificuldades como experiências de amadurecimento humano e espiritual. “Meus

irmãos, fiquem muito alegres por terem que passar por todo tipo de provações, pois vocês sabem que aprendem a perseverar quando sua fé é posta à prova. Mas é preciso que a perseverança complete a sua obra em vocês, para que sejam homens completos e autênticos, sem nenhuma deficiência” (Tg 1,2-4). ”Feliz o homem que suporta com paciência a provação! Porque, uma vez provado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu àqueles que o amam” (Tg 1,12). PARA A REFLEXÃO PESSOAL:

1

Você já sentiu vontade de dizer alguma vez: “Deus me abandonou, o Senhor me esqueceu!”? Como você sente o cuidado de Deus para com você e sua família? Neste tempo de pandemia como você tem percebido a providência divina?

2 3

O amor preveniente de Deus.

O amor de Deus para conosco é preveniente, ou seja, que se antecipa, que chega antes


6

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

A

Rede Nazaré de Televisão apresenta nesta sexta-feira, 28, o programa especial “Em Família”. Com a participação da banda musical da Casa da Juventude (Caju), o programa será exibido ao vivo pela Rede Nazaré de Televisão, canal 30 – ou pela sintonia da sua cidade, das 9h às 12h, a fim de destacar a importância Família Nazaré. Direto do estúdio da TV Nazaré, a programação enaltecerá a importância de pessoas que contribuem com a obra de evangelização da Arquidiocese de Belém, por meio dos veículos de Comunicação Social. A Família Nazaré é a razão do programa “Em Família” ter sido criado pela Fundação Nazaré de Comunicação para levar ao conhecimento do público todo o trabalho realizado com a ajuda dos sócios benfeitores (Família Nazaré), uma quantidade de pessoas que dedica-se a ajudar a Arquidiocese de Belém a manter a instituição que é a responsável pela comunicação oficial arquidiocesana. Será a primeira edição do programa, realizada após o período

FAMÍLIA NAZARÉ

ESPECIAL “Em Família” é retomado na TV Nazaré PROGRAMA ao vivo destaca a relevância da Família Nazaré para a evangelização

LUIZ ESTUMANO

n ELYVANE e padre Wagner, apresentadores do programa "Em Família"

crítico que envolve o mundo pelas conseqüências caóticas da pandemia do novo coronavírus. Por essa razão, diferente das edições anteriores, não será permitida a presença de muitas pessoas na emissora

durante a exibição, estando restrita a participação da direção e equipe de produção do programa. O benfeitor, sempre convidado a estar presente, devido às restrições estabelecidas por decreto estadual objetivando

conter a propagação da covid-19, desta vez, deve acompanhar o programa de sua casa, uma vez que o mesmo será exibido pela TV Nazaré em cadeia com os demais veículos e redes sociais da Fundação Nazaré de

Comunicação. O programa será apresentado por Elyvane Barbosa e padre Wagner Maria. O jornalismo da TV Nazaré terá participação especial mostrando durante o programa. Visitando famílias dos benfeitores

da Família Nazaré. Acompanhe tudo pelas nossas redes sociais e nossos veículos. Precisamos muito da sua parceria para seguir propagando os valores do Reino e levar mais longe a mensagem de Deus.

NOSSOS ANIVERSARIANTES Luis Bento de Oliveira Neusa Soares da Rocha Maria Benedita Cordovil da Silva Raimundo Pinheiro da Costa Raimundo Anselmo dos Santos Rosa Maria Cardoso Maria de Lourdes da Silva Ribeiro Maria Augusta Cardoso Carvalho Maria Edite Felício Felix Maria do Socorro Leal Mendes Maria de Lourdes dos Santos Meireles Nadson do Nascimento Miranda Maria Elza da Cruz Oliveira Maridete Daibes Pereira Ada Gloria dos Santos Barbosa Maria Edna Maciel Dornelas Vilma Socorro Correa de Souza Carlos Amaro Costa de Oliveira José Augusto de Almeida Rodrigues José Maria Nilo de Sousa Hebert Paixão do Nascimento Mayco Michel da Silva Coelho

Elizabete do Socorro de Castro Amaral Rosa Itamira Martins de Oliveira Raimundo Nazareno Pamplona da Silva Ana Paula Serra Rodrigues Ferreira Vitória Maria Barbosa da Silva Irany Nogueira da Costa Jamil Moreno Sales Raimunda Arlete Faro da Silva Raimunda Vitor Farias Maria Helena Duarte Rosalina dos Santos Trindade Raimunda Lameira Lima Celeste Monteiro Gonçalves Raimunda do Socorro Pinheiro Carvalho Elyvane Barbosa Monteiro e Eilyn Juliana

Helena Souza de Souza Maria da Consolação Sarmaneo Correia

Milza Hage Cecim Izabel de Jesus Amaral Raimundo Marques Cardoso Maria das Graças Rodrigues Sasaki Maria de Belém Teixeira Angelim Maria de Nazaré Lopes dos Santos Maria Helena Soares Costa Maria de Belém Leão Cunha Simone da Silva Mamede Maria do Socorro Jesus dos Santos Farias

Maria Rosa Blanco Garcia Rosalina Leal Viana Olivia de Nazaré Kawage Muller

Maria Soares Fátima Nazaré Duarte

Maria de Nazaré Silva e Silva Isaura Barbosa da Silva Maria Lúcia da Fonseca Gomes Lizelia de Barros Ferreira Maria Jose da Silva Moura Antônio Cláudio Campos de Aquino Analea Menezes Gomes Odair Jose Souza Araújo Aline do Socorro Furtado da Silva Deuzalina Faro Sampaio Terezinha de Jesus F. dos Santos Jorge Aristeu Costa Maria das Graças Afonso do Amaral

Altair dos Santos Fonseca Maria do Socorro Tavares de Castro Edilena Cordeiro da Silva José Humberto Vianna Longo Ruth Pimentel Monteiro José Maria Alves da Silva Júnior Jaime Barros da Silva Aurilena Neves Maria de Nazaré da Luz Silva Silney Alexandre Costa dos Santos Josivan Pinheiro Correia Jeffer Junio Duarte Gonçalves Deuzilene Moreira Viana Patrick Martins Theo Fonseca Botelho

n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 31/08 – Diác. Raimundo Hedison Alves de Oliveira 31/08 – Diác. Raimundo Nonato Braga 31/08 – Diác. Moisés de Jesus Conceição Rabelo 01/09 – Pe. Carlos Magno D´Almeida 02/09 – Pe. Amadeu Alves Linhares Neto 03/09 - Diác. João Maria Ribeiro Gomes n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 30/08 – Pe. Lino Zuchi 01/09 – Pe. Frei Francineto Alves Pinheiro 03/09 – Pe. Hellyson Wagner Amaral de Lima


BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

N

o sábado, dia 22 de agosto, durante rito de ordenação diaconal transitória na Igreja Matriz da Paróquia de Jesus Bom Samaritano, no Tapanã, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano, ordenou diácono transitório Mateus Ribeiro dos Santos, do Seminário Redemptoris Mater, que agora aguarda a ordenação sacerdotal no dia 8 de dezembro. Estiveram presentes formadores, amigos seminaristas e membros da comunidade do Caminho Neocatecumenal. Com esta, são quatro ordenações no segundo semestre de 2020. Para Dom Alberto, essa continuação das vocações, no mês em que a Igreja no Brasil volta-se para as vocações, é motivo de grande alegria. “Nós não passamos nenhum ano sem ordenação sacerdotal. É o sinal primeiro de que Deus chama e segundo que as pessoas podem dar suas respostas”. Segundo ele, naquela semana realizou-se a estatística de semi-

CADERNO DOIS

ORDENAÇÃO diaconal transitória na Paróquia de Jesus Bom Samaritano RITO DE ORDENAÇÃO do diácono Mateus Ribeiro dos Santos, do Seminário Redemptoris Mater FOTOS: LUIZ ESTUMANO

naristas que a Arquidiocese de Belém possui nos cinco seminários, começando do menor até o final do curso de Teologia, totalizando 83 seminaristas. “É uma graça muito grande. Além disso, temos os seminários das comunidades de vida, das comunidades religiosas e de outras dioceses e aí a nossa igreja de Belém tem um perfil vocacional. O mês vocacional demonstrou na valorização da vocação sacerdotal, a vocação da família, a vida religiosa e essas ordenações, cada uma delas, significam um chamado muito forte. Estou aqui com muita alegria para esta ordenação”, pontuou o arcebispo. Natural do município de Sales Oliveira, região de Ribeirão Preto, no interior do Estado de São Paulo, Mateus Ribeiro, 34, ingressou em 2013 no Seminário Redemptoris Mater de Brasília, mas, segundo o próprio, o discernimento aconteceu após muita relutância. “Eu relutava, sempre queria fazer a minha vontade, achava que a minha vida estava em minhas mãos e

n IMPOSIÇÃO mãos de Dom Alberto sobre o diácono

n UM DOS MOMENTOS marcantes do rito de ordenação

pelo contrário, estava nas mãos de Deus”. Ele destacou ainda que “é uma alegria ser ordenado diácono, ascendendo a essa ordem, acho que é o sonho de todo seminarista que começa seu caminho vocacional e vai confirmando as etapas. Chegar a esse momento é como uma coroação de

todo tempo de batalhas que enfrentamos. É uma grande felicidade mesmo”. EXPECTATIVA Agora, após a ordenação, o Diácono Mateus coloca-se a disposição do serviço, sinônimo do ser diácono. “Minha expectativa é poder entrar nesse serviço com ardor com

coração pulsando de alegria e felicidade. De poder ver a Cristo no outro, de poder chegar a lugares onde a Igreja ainda não está presente e como diácono servir de fato”. O Seminário Redemptoris Mater, no qual Mateus fez sua formação, foi o centésimo aberto no mundo. Os seminaristas realizam sua formação junto com outros diocesanos, mas, uma vez formados, passam por experiência pastoral e depois são enviados a qualquer parte do mundo, por ser um seminário internacional e de missão. Padre Carlos Damaglio, reitor do seminário, explica que o de Belém surgiu como uma resposta à nova evangelização, com direcionamento para a Amazônia. “A formação acontece com intuito de amor à igreja universal. É uma alegria imensa termos mais um diácono visto que o seminário surgiu em meio a dificuldades, em 2013, os seminaristas moravam na casa de pessoas e iniciamos sem nada. E aos poucos Deus ia tocando o coração das pessoas que iam dividindo aquilo que tinham. E depois de tanta dificuldade esse já é o terceiro diácono que no dia 8 de dezembro será ordenado presbítero.

RETOMADAS atividades na Pastoral das Ilhas de Belém do Pará A Arquidiocese de Belém retomou as atividades na Pastoral das Ilhas no domingo, 23 de agosto. Bem cedo, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém embarcou com a equipe da pastoral para a Área Missionária do Baixo Acará, cuja padroeira é Nossa Senhora

Auxiliadora. Ali, encontrou-se com os fiéis. A comunidade da vila de Itacoã acolheu todos no ambiente em torno da Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, onde houve a Santa Missa, presidida pelo Arcebispo Dom Alberto, auxiliado por diáconos, e acompanhado de religiosas e

leigos que atuam na Pastoral das Ilhas. Na homilia, Dom Alberto falou sobre a fé ao discorrer sobre a missão de Pedro ao receber as chaves da Igreja, alicerçada na rocha que é Cristo. Após a Missa, houve um lanche partilhado, e no início da tarde a equipe da Pastoral das Ilhas

rtornou a Belém. A Missa em Itacoã marcou o retorno das atividades da Arquidiocese de Belém na região ribeirinha, interrompida desde que se estabeleceu a situação de calamidade pela pandemia do novo coronavírus, em meados de março deste ano. A celebração ocorreu

com todas as medidas recomendadas pelas autoridades para prevenir o contágio da covid-19. A PASTORAL Para atender as comunidades desta região ribeirinha, a Arquidiocese de Belém criou a Pastoral das Ilhas, coordenada atualmente por Dom Alberto Taveira

Correa, Arcebispo Metropolitano de Belém. Religiosas, sacerdotes, diáconos permanentes, seminaristas, leigos e leigas ajudam na missão da Pastoral das Ilhas junto a comunidades em 34 ilhas, primando pela evangelização realizada com cuidado com a Casa Comum. FOTOS: DIVULGAÇÃO

n DOM ALBERTO presidiu Missa em Itacoã

n CAPELA de Nossa Senhora do Monte Serrat, local da celebração


2

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

Marcos Valério DESTACA protagonismo literário ESCRITORES e jornalistas constam da pesquisa de doutorado do jornalista, ligado à TV Nazaré

O

jornalista Marcos Valério Lima Reis defendeu dia 25 de agosto a sua tese de Doutorado em Comunicação, Linguagens e Cultura, intitulada “Abguar Bastos, Amaz ô n i a e re n o v a ç ã o Modernista: manifestos e romances”. Versando sobre escritores e jornalistas que labutavam na li-

teratura e nas redações de jornais, Marcos os recorda. O livro "Terra de Icamiaba", do escritor e Abguar Bastos, e sua narrativa são objeto da pesquisa de Marcos, onde ele enfoca o olhar exógeno sobre a região amazônica, e prova que o Modernismo já era tema em Belém do Pará, antes da Semana de Arte Moderna.

A professora doutora Vânia Torres, e os os professores doutores Aldrin Moura de Figueiredo, Marco Antonio Camelo e José Guilherme Castro formaram a banca examinadora do Doutorado. O professor doutor Paulo Nunes, o orientador. Marcos é graduado em Letras, especialista em Estudos lin-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

guísticos e Literários e mestre em Comunicação, Linguagens e Cultura. É membro da Academia Paraense de Jornalismo, do Grupo de Estudos Culturais da Amazônia e da Academia do Peixe Frito, professor universitário e diretor de produção da Rede Nazaré de Televisão na Fundação Nazaré de Comunicação.

n MARCOS no ato da defesa de sua tese

COPTREL aprova carta de Belém sobre o processo eleitoral 2020

O Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, foi o convidado de honra do evento realizado virtualmente, em Be-

lém, com a presença de todos os presidentes de TREs. O II Encontro Virtual do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais

(Coptrel) demonstrou que as ferramentas da Tecnologia da informação fazem valer o trabalho da Justiça Eleitoral, que neste período de isolamento social não parou suas atividades e vem realizando importantes eventos e ações preparativas para o pleito deste ano. Durante todo o dia 24 de agosto, representantes dos Tribunais Regionais Eleitorais do Brasil participaram de reuniões, debates, e explanações sobre o trabalho da Justiça Eleitoral em tempos tão diferenciados dos outros anos

eleitorais. Pela manhã, duas reuniões técnicas foram realizadas, uma com os Diretores-Gerais de cada Tribunal Regional Eleitoral e outras com os assessores de Comunicação dessas instituições. Das reuniões foram levantadas questões apresentadas na parte da tarde aos integrantes do Coptrel. Na abertura oficial do evento, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, desembargador Roberto Moura, anfitrião do evento, deu as boas vindas ao público

presente ao encontro virtual, ressaltando a importante missão de cada um em conduzir as Eleições Municipais 2020. “Contamos com

o norte do Tribunal Superior Eleitoral, que tem preservado a autonomia dos Regionais na condução do processo eleitoral", disse.

LIVE SHOW VOCACIONAL PARÓQUIA NOSSA SENHORA AUXILIADORA

RÁDIO NAZARÉ

FM 91 .3 MHZ

n ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL EM TEMPO DE PANDEMIA O programa Saúde e Cidadania da próxima segunda-feira, 31, terá como tema “Cuidados com a alimentação”. Neste período delicado que estamos atravessando de combate à covid19, uma alimentação adequada e saudável aumenta a imunida-

de e pode prevenir doenças. O Nutricionista Ricardo Pereira vai falar sobre o assunto. O Programa Saúde e Cidadania vai ao ar todas as segundas-feiras, às 16h. Sintonize 91,3 MHz e participe conosco pelo 4006-9211 ou 9.8814-0275 (WhatsApp).

TV NAZARÉ

CANAL 30.1

n ENCANTOS DA AMAZÔNIA Você conhece as riquezas culturais da nossa vasta Amazônia? Saiba que a Rede Nazaré de Televisão (canal 30, ou na sintonia da sua cidade) pode levar até você diversas informações a respeito da nossa região. Sintonize nossa

emissora e acompanhe nossos documentários todas as quintas-feiras e sábados, às 20h. Você terá contato com a diversidade e as tradições das nossas cidades, como o município de Vigia de Nazaré, por exemplo. Confira!

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n SINTONIZE A TV NAZARÉ! Desejamos estar cada vez mais perto de você com a programação da TV Nazaré. Por isso, preparamos algumas orientações para que você possa atualizar sua TV e ficar sintonizado conosco. Não esqueça! Ainda buscamos normalizar a capacidade do nosso transmissor para atuarmos em 100% de nossa capacidade, portanto, a atualização de canais em sua televisão auxilia na melhoria da qualidade

de sinal da TV Nazaré e de suas programações. E se mesmo realizando a atualização, você não consiga nos encontrar, peça ajuda a um técnico de sua confiança. Você também pode acompanhar nossa programação pelo Portal Nazaré (www.fundacaonazare. com.br) na aba “TV ao Vivo” e algumas celebrações eucarísticas diárias e programações aqui em nossa página no Facebook.

Acontecerá neste domingo (30/08) apartir das 20h a Live Show vocacional da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. Será uma noite cheia de belíssimas canções católicas para louvar e adorar o Senhor em casa, interpretadas pelos músicos que pertencem às pastorais e movimentos da paróquia. O evento terá transmissão simultânea nos seguintes canais: Youtube/Paróquiaauxiliadoraananindeua Facebook/Família Auxiliadora

BOA DICA nESPIRITUALIDADE E A ARTE DE VIVER - Livro (PAULUS, R$ 35,00 )

A

obra traz a compilação de textos do autor em torno da ideia de traduzir a espiritualidade concretamente na vida cotidiana, e de entendê-la como a arte de viver saudavelmente. O autor lembra que só se aprende a arte da vida quando se conhece e compreende a essência, ou seja, a natureza do ser humano. O livro contém recomendações e sugestões para experimentar caminhos diferentes, para depois o leitor testar qual deles dá certo em sua vida. nABRAÇAR O FUTURO COM ESPERANÇA – O amanhã da vida consagrada Livro (Paulinas, R$ 18,34)

O

título e o subtítulo já dizem com suficiente clareza o sujeito que reflete (= a vida consagrada), o problema sobre o qual reflete (= o seu futuro) e as alternativas diante dele (= medo ou esperança). A abordagem é feita em chave de leitura positiva. Amadeo Cencini é conhecido e admirado entre os religiosos(as) consagrados(as) pela sua competência e experiência. A leitura e reflexão desta obra é essencial, neste momento de preocupação e de busca de caminhos novos para o futuro da vida religiosa consagrada.


VATICANO

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

3

Papa lembra SOFRIMENTO provocado pela pandemia

"OLHAR para o outro com os próprios olhos de Jesus; por outro, é ver Jesus no rosto dos pobres"

C

om informações agência Ecclesia. O Papa Francisco recordou também no domingo, 23, no Vaticano as vítimas da pandemia de Covid-19 e suas famílias. “Não nos esqueçamos das vítimas do coronavírus”, apelou, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do ângelus. A intervenção evocou os “voluntários, médicos, enfermeiros, irmãs, sacerdotes que perderam a vida” e todas as famílias que sofreram com a pandemia. “Ainda esta manhã, ouvi o testemunho de uma família que perdeu os avós, sem se poder despedir deles, saudálos, no mesmo dia. Tanto sofrimento, tantas pes-

soas que perderam a vida, vítimas da doença”, relatou Francisco aos peregrinos reunidos na Praça de São Pedro. O Papa assinalou, depois, o 10.º aniversário do massacre de 72 migrantes em Tamaulipas, México, a 24 de agosto de 2010. “Eram pessoas de vários países que procuravam uma vida melhor. Manifesto a minha solidariedade às famílias das vítimas, que ainda hoje pedem justiça e verdade sobre o que aconteceu”, observou. O Senhor vai pedirnos contas de todos os migrantes que caíram nas viagens da esperança. Foram vítimas da cultura do descarte”.

Também na segunda-feira, 24, recordou o pontífice, cumpremse quatro anos sobre o terramoto que atingiu a Itália central, com particular impacto na localidade de Amatrice. “Renovo a oração sobre as famílias e as comunidades que sofreram maiores danos, para que possam seguir em frente, com solidariedade e esperança. Espero que se acelere a reconstrução, para que as populações possam voltar a viver serenamente nestes belíssimos territórios”, disse o Papa. O terremoto ocorreu em 24 de agosto de 2016, a sudeste de Nórcia, cidade da província de Perúgia, na

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n PAPA da janela do apartamento pontifício, antes da recitação da oração do ângelus

região da Umbria, seguindo-se réplicas ali e nas regiões de Lácio, nas proximidades de Roma, e das Marcas. Ainda nesta manhã, o Papa referiu que no

sábado, dia 22, se assinalou o dia mundial em memória das vítimas de violência baseada em religiões ou credo. “Rezemos por estes nossos irmãos e irmãs

e sustentemos, com a oração e a solidariedade, os que – e são muitos – ainda hoje são perseguidos, por causa da sua fé religiosa. Tantos”, apontou.

“CARIDADE CRISTÃ não é FRANCISCO: não se usa o nome simples filantropia”, alerta Francisco de Deus para aterrorizar as pessoas Com informações agência Ecclesia. O Papa disse no domingo, 23, no Vaticano que a ação solidária da Igreja Católica tem de partir do encontro concreto com Jesus Cristo e os pobres, para ser realmente “cristã”. “A caridade cristã não é simples filantropia. Por um lado, é olhar para o outro com os próprios olhos de Jesus; por outro, é ver Jesus no rosto dos pobres. Este é o verdadeiro caminho da caridade cristã, com Jesus no centro, sempre”, referiu, desde a janela do apartamento pontifício, antes da recitação da oração do ângelus. Francisco desafiou os presentes na Praça de São Pedro a responder à pergunta que Jesus fez aos apóstolos, na

passagem do Evangelho que é lida hoje nas igrejas de todo o mundo: “E tu, quem dizes que eu sou?”. “Cada um de nós tem de dar uma resposta, não teórica, mas que envolve fé, isto é, vida, porque a fé é vida”, apelou. Estai atentos: é indispensável e louvável que a pastoral das nossas comunidades esteja aberta às tantas pobrezas e emergências que estão por todo o lado. A caridade é sempre a via mestra do caminho de fé, da perfeição da fé. Mas, é necessário que as obras de solidariedade que fazemos não distraiam do contato com o Senhor Jesus”. O Papa destacou a importância do momento em que Pedro professa sua fé em Je-

sus como Messias e Filho de Deus. “Esta confissão do Apóstolo é provocada pelo próprio Jesus, que quer levar os seus discípulos a dar o passo decisivo no seu relacionamento com Ele. Na verdade, todo o caminho de Jesus com aqueles que o seguem, especialmente com os doze, é uma jornada de educação da sua fé”, precisou. Francisco afirmou que a fé manifestada por Pedro é “a pedra inabalável sobre a qual o Filho de Deus quer construir a sua Igreja, isto é a sua comunidade”. “A Igreja avança sempre sobre a fé de Pedro, sobre a fé que Deus reconhece, que Jesus reconhece, fazendo-o chefe da Igreja”, declarou.

n PAPA: parem de instrumentalizar as religiões

Com informações agência Ecclesia . O Papa Francisco afirmou no sábado, dia 22, que “Deus não quer que o Seu nome seja usado para aterrorizar as pessoas”, numa mensagem na rede social ‘Twitter’ no ‘Dia Internacional das Vítimas de Violência baseada na

Crença ou Religião’. “Deus não precisa ser defendido por ninguém e não quer que o Seu nome seja usado para aterrorizar as pessoas”, afirma Francisco na conta @pontifex_pt na rede social de microblogging. No tweet (mensagem), na rede social ‘Twitter’, o Papa pede “a

todos que parem de instrumentalizar as religiões para incitar ao ódio, à violência, ao extremismo e ao fanatismo cego”. A publicação no segundo ‘Dia Internacional das Vítimas de Violência baseada na Crença ou Religião’ é acompanhada pelo hashtag (marcador) #fraternidadehumana. O ‘Dia Internacional das Vítimas de Violência baseada na Crença ou Religião’, que se assinala hoje (22 de agosto), foi aprovado pela ONU a 28 de maio de 2019. A Fundação pontifícia AIS – Ajuda à Igreja que Sofre considera que a violência religiosa “só piorou” no último ano e alerta para o “crescimento do terrorismo internacional” e a “tendência alarmante de ataques a edifícios e símbolos religiosos”.

LANÇADO o 2º capítulo da “Querida Amazônia: os sonhos do Papa”

n PAPA com os indígenas da Amazônia

Com informações Vatican News. A Verbo Filmes e a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM) acabam de lançar o capitúlo II da série documental: ‘Querida Amazônia: Os sonhos do papa Francisco para a PanAmazônia’. O primeiro capítulo apresentou o sonho

social do Pontífice para a região e seus povos, segundo sua Exortação Apostólica Post-sinodal ‘Querida Amazônia’, publicada no dia 2 de fevereiro de 2020: “Sonho com uma Amazônia que lute pelos direitos dos mais pobres, dos povos nativos, dos últimos, de modo que a sua voz seja escutada

e que sua dignidade seja promovida” (QA, n° 7). Neste segundo capítulo participaram também indígenas, campesinos, ribeirinhos, afrodescendentes e agentes de pastoral dos países da Pan-Amazônia. “O formato deste programa é especial: as próprias pessoas que deram depoimento foram encarregadas de fazer a gravação, utilizando a câmera do celular. E o resultado foi muito positivo”, afirma Cireneu Kuhn, diretor da Verbo Filmes. Por sua vez, o secretário executivo da R E PA M , M a u r i c i o López, ressalta que o Documento Final do sínodo “é um presente enorme”, porque reco-

lhe as vozes da PanAmazônia e estabelece caminhos específicos por onde caminhar. “Esta navegação é

um convite para olharmos todas estas propostas, assumi-las, porque o sínodo não terminou. O processo sinodal

continua e depende de você, de cada um, de cada uma, de levá-lo à vida. Estamos apenas no início!

A R

raiz de qualquer erro espiritual é acreditar que você está certo. Acreditar-se justo é deixar Deus, o único justo, fora de casa. (25 de agosto)

ezar é deixar-se olhar dentro de si mesmo por Deus sem ficções, sem desculpas, sem justificações; porque do diabo vêm a opacidade e a falsidade, de Deus a luz e a verdade. (24 de agosto)

N

ão nos esqueçamos das vítimas do Coronavírus: tanto sofrimento, tantas pessoas que perderam a vida, e tantos voluntários, médicos, enfermeiros, religiosas, sacerdotes, que também perderam a vida. Recordemos as famílias que sofreram por isso. (23 de agosto)


4

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

CADERNO DOIS

EM NAZARÉ

NAZARÉ EM DESTAQUE

Dia do MANDATO iniciou programação oficial CÍRIO 2020: missas dedicadas à realização da bênção das imagens de Nossa Senhora de Nazaré

N

o ano em que o mundo inteiro foi acometido pelo vírus da COVID19, novas alternativas foram elaboradas para dar continuidade a tradição de um povo de fé. Em 2020, a Arquidiocese de Belém,

os Padres Barnabitas e a Diretoria da Festa de Nazaré, encontraram melhores alternativas a fim de manter firmes as programações que envolvem a grande festa da Rainha da Amazônia. Foi com esse objetivo

n DEVOÇÃO E FÉ durante a celebração

que os Padres Barnabitas, a Arquidiocese de Belém e a Diretoria da Festa de Nazaré realizaram na ultima segunda-feira (24) o Dia do Mandato. As quatro celebrações ocorridas no dia em questão foram dedicadas à realização da bênção das imagens de Nossa Senhora de Nazaré que sairão em peregrinação pelas casas de milhares de paraenses. Os fieis como de costume, levaram as imagens com seus mantos e mais diversas tamanhos, até a Basílica Santuário de Nazaré

FOTOS: ASCOM BASÍLICA SANTUÁRIO DE NAZARÉ

n DOM ALBERTO presidindo celebração na Basílica Santuário de Nazaré

para que o momento significativo e que marca oficialmente a abertura da festivida-

de nazarena. A partir desta ocasião, a preparação espiritual para a 22ª edição da grande

festa da Rainha da Amazônia alvoreceu, esta que será a mais singular de todas!

n BÊNÇÃO das imagens de Nossa Senhora de Nazaré durante as celebrações ocorridas no Dia do Mandato, na segunda-feira, dia 24, na Basílica

5ª LIVE “Cantos para a Mãe de Nazaré” contará com novo repertorio O s Pa d re s B a r n a b i t a s re a l i z a r ã o a 5ª edição da Live “Cantos para a Mãe de Nazaré”, neste sábado (29), a partir das 20h, na Basílica Santuário de Nazaré. Desta vez o formato será um pouco d i f e re n t e : m ú s i c a barroca. A apresentação será transmitida pelas redes sociais da Basílica Santuário: Facebook (www.

facebook.com/basilicadenazareoficial) e Youtube (www.youtube.com/basilicadenazare) que também estará aberta para o público, respeitando o distanciamento estabelecido pelas autoridades competentes de até 500 pessoas no Santuário da Rainha da Amazônia. O espetáculo contará com Victor Barral (Flautista), além

dos convidados especiais: Padre Francisco Maria Cavalcante (Pároco de Nazaré); Antônio Wilson (Tenor) e Luis Oliveira (Violino). O Grupo Agnus também estará presente, com a seguinte formação: Renan Cardoso e Peter Gomes (violino); Pedro Teixeira e Felipe Ryan (violino); Nayara Araújo e Vitor Freitas (violas); Ra-

mon Mateus e Roberta Mikaelle (cellos); Léo Lima (cantor); Christian Quintela (teclado); Israel Peniche eDanielson dos Santos (trompetes). A live “Cantos para a Mãe de Nazaré” tem o patrocínio da L oja Lírio Mimoso, Associação de Devotos de Nossa Senhora de Nazaré (ADENAZA), e o apoio da CN Produções.

Padre José M. Ramos lançou LIVRO: “A Quarentena de um Sacerdote: 11 dias de um pequeno calvário” Na terça-feira (25),uma nova página da vida do religioso Padre José M. Ramos foi escrita em função de mais um feito que marca a sua vida missionária. Nestemesmo dia,que celebrou 31 anos de sacerdócio, também, lançou o livro “A Quarentena de um Sacerdote: 11 dias de um pequeno calvário”. A decisão de relatar suas reflexões e experiências surgiu apósser acometido pela COVID-19. Os exemplares estão avenda na Loja Lírio Mimoso e Atendimento da Basílica Santuário de Nazaré.

n PADRE JOSÉ RAMOS durante o lançamento do livro


ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

5

Festival VOCACIONAL 2020 em edição virtual PROGRAMAÇÃO com transmissão online teve como tema este ano “Chamados e enviados”

O

Serviço de Animação Vocacional (SAV), da Arquidiocese de Belém, promoveu no sábado, 22, a transmissão online do Festival Vocacional cujo tema “Chamados e enviados” que trabalha entre os jovens de forma dinâmica a questão do discernimento das vocações. Com muita animação, reflexão, pregação e debates, os participantes puderam aprender sobre cada uma das quatro vocações que a Igreja possui. Este ano, como todas as outras atividades com público, o Festival Vocacional teve que adaptar-se para que fosse possibilitado e garantir o intuito maior: suscitar vocações para a Igreja. Para o padre Paulo Victor Dourado de Oliveira, coordenador do Serviço de Animação Vocacional, este foi o grande desafio e incentivo da edição deste ano. “Nós pensamos em como fazer o Festival Vocacional, colocando vários jovens sem fazer aglomeração. Pensamos no formato da live que muitos eventos se utilizaram durante esta pandemia no Brasil”. Acrescentando ele disse que “tudo para poder manter esse momento de promoção vocacional, porque mesmo em momento de pandemia e dificuldades em nossas vidas, Deus não cansa de chamar os jovens

para servir na sua Igreja, para serem vocacionados e ofertarem suas vidas”. Sobre a temática Padre Paulo afirma que trata-se do processo no qual Deus coloca cada um. “Deus realmente nos chama para uma missão, ele nos envia, nos leva ao encontro dos outros, então aquilo que experimentamos de Deus, o Seu chamado para nossas vidas nós precisamos levar aos outros, ser também anunciadores de Jesus Cristo. Temos toda uma equipe com as dimensões das vocações presentes em nossas igrejas para acompanhar os jovens. O SAV realiza esse momento inicial para depois ser encaminhado para onde Deus está chamando”. O CHAMADO VOCACIONAL Idealizado pelo SAV, o Festival Vocacional é um evento anual, realizado sempre no mês de agosto, com o intuito de despertar no coração dos jovens a importância do chamado vocacional. As quatro vocações foram trabalhadas de forma especiais durante a programação com um convidado convocado para falar sobre a sua vocação. A sacerdotal ficou a cargo do Padre Maurício Henrique, pároco da Paróquia de Jesus Ressuscitado, na Marambaia. O sacerdote afirma que é missão de todo sacerdote promover e suscitar no coração dos jovens o chama-

FOTOS: REPRODUÇÃO

n APRESENTAÇÕES ocorreram durante a transmissão online do Festival Vocacional

do de Deus e ajudá-los a discernir qual a vontade do Senhor para suas vidas. “O chamado para o sacerdócio é um chamado para o pastorear o povo de Deus, para santificá-lo, fazê-lo crescer na fé, gerar a vida divina na vida dos outros. É essa a missão de todos os sacerdotes, pois Deus continua chamando”, afirmou. A família, seio de toda e qualquer vocação, teve contribuição do casal Alexandre Maia e Elaine, da Paróquia de Jesus Ressuscitado, que abordaram a vocação do matrimônio. O casal, com quase 20 anos de casados, abordou a beleza e a fecundi-

dade do casamento. “É uma vocação linda que procuramos todos os dias aprofundar juntamente com Cristo e com Deus”, destacou Alexandre. A Vi d a R e l i g i o s a Consagrada também teve seu espaço. Irmã Alcione Barbosa, da Congregação das Angélicas de São Paulo, pregou sobre esse grande tesouro da Igreja. “No mês de agosto a Igreja do Brasil dedica as vocações e no terceiro domingo para a vida consagrada. E o que é ser consagrado nessa igreja de hoje? É um grande espelho e um grande testemunho de Cristo para os jovens e para aqueles que realmente precisam como

pobres, doentes, as crianças que nós trabalhamos. É uma grande alegria testemunhar essa grande vocação”. A programação teve pronunciamentos de Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano, e Dom Antônio de Assis Ribeiro,

Bispo Auxiliar, além de uma mesa redonda com formato de talkshow sobre o chamado vocacional e suas dimensões. Houve ainda Adoração ao Santíssimo Sacramento, bênção Eucarística e, às 20h, encerramento da programação.

n ADORAÇÃO ao Santíssimo Sacramento

n MESA REDONDA com formato de talk-show sobre o chamado vocacional e suas dimensões

COMISSÃO Sinodal Arquidiocesana reúne-se em Belém Após alguns meses inativa, a Comissão Preparatória do Sínodo Arquidiocesano de Belém retomou as suas atividades dia 20 de agosto, quinta-feira, às 15h, realizando a sua 10ª reunião, desta vez na modalidade virtual. A Comissão conta com um novo integrante, o coordenador de Pastoral da Arquidiocese, o cônego Sílvio Trindade. A reunião, presidida por Dom Antônio Ribeiro de Assis, coordenador da Comissão e Bispo Auxiliar de Belém, abriu-se com as palavras do Arcebispo, Dom Alberto Taveira Corrêa, que estimulou a Comissão a “avançar para águas mais profundas” valorizando o

processo percorrido e acolhendo as contribuições já oferecidas. Os membros da Comissão fizeram memória do processo percorrido, compartilharam ideias em vista da retomada das atividades, refletiram sobre novas preocupações pastorais que emergiram na pandemia a serem consideradas e definiram um GT (grupo de estudo) para fazer a reorganização geral do cronograma das atividades do Sínodo. A reunião foi objetiva, participativa e rica de conteúdo. A próxima foi marcada para o dia 23 de setembro, às 15h, servindo-se da mesma modalidade virtual.

n ENCONTRO VIRTUAL retorno das atividades da comissão


6

BELÉM, DE 28 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2020

CADERNO DOIS

ARQUIDIOCESE

SÃO JOSÉ: “Quero minha paróquia bonita”

REVITALIZAÇÃO e reforma aguarda doações para conclusão da obra da paróquia do Umarizal

A

Paróquia de São José, localizada no bairro do Umarizal, pede a contribuição de fiéis e devotos de São José para a conclusão das obras de revitalização e readequações da estrutura física da Igreja Matriz. Com a campanha “Quero minha paróquia bonita”, a equipe administrativa busca arrecadar recursos. Com origem na década de 70, a Igreja de São José surgiu com a realização de trabalhos sociais nas casas situadas à Rua Domingos Marreiros promovidos pelo grupo de paroquianas de Nazaré, organizadas no Clube das Mães. No final daquela década, em 1978, um grupo de casais com Cristo começou uma trabalho pastoral na área, originando a Comunidade de São José, que gerou várias pastorais e movimentos. As instalações físicas contemplavam o prédio atual, com dois pavimentos. Segundo o Cônego Sebastião Fialho, pároco de São José, a estrutura, com quase 30 anos, não estava de acordo com as normas presentes no documento 106 “Orientações para Projeto e Construção de Igrejas” que dispõe sobre, entre outros

temas, sobre o sentido da construção, adaptação e disposição do espaço celebrativo. Um dos primeiros momentos da reforma foi a mudança do presbitério, que estava disposto “de costas” para a rua, o que estava em total desacordo com o documento anteriormente referido: “Nossa primeira ação foi a mudança de lugar do presbitério, que encontrava-se de costas para a rua. Depois passamos para a construção de duas capelas na lateral do altar, a do Santíssimo Sacramento e a de São José, depois passamos para o forro. Atualmente estamos na parte da escadaria que está toda pronta e depois temos a etapa do telhado que deve ser mudado por completo e, enfim, o nosso grande desejo, a última etapa será a energia solar”. O pároco recorda que tudo está sendo possível graças à contribuição de pessoas sensíveis à causa. “Nossa campanha, graças a Deus tem tido sucesso com os paroquianos ajudando mesmo, vendo a obra, aplicando toda aquela moedinha que chega. Para essa reforma nós pensamos sempre em oferecer o melhor pa-

ra a comunidade, uma igreja mais aconchegante, mais confortável e isso está acontecendo graças a Deus a ajuda de fiéis e dos devotos de São José.” Diácono Francisco Damião, responsável pela obra na Igreja, explica que o prédio, por ter inicialmente o objetivo de ser um centro pastoral, ao ser adaptado para ser uma igreja matriz acarretou em sobrecarga em sua estrutura. “Na parte térrea tínhamos várias salas com rachaduras em função dessa sobrecarga. Existia uma escada lateral na parte de fora do prédio que estava cedendo e puxando o prédio. Esse prédio foi construído há 30 anos e a engenharia tinha outro conceito. Hoje temos a simplificação da estrutura”. O responsável conta que para interromper essa sobrecarga do prédio foi reforçada com estrutura metálica e laje com isopor. O andar de cima está mais bem distribuído com a retirada da cozinha, depósito e mudança dos banheiros para a parte da frente. A acessibilidade do prédio, segundo ele, está garantida. “Passamos a área do elevador para frente e um paroquiano voluntariou-se

LUIZ ESTUMANO

n PÁROCO Sebastião Fialho em meio a obras da igreja

para a revitalização e modernizá-lo”. HISTÓRICO No dia 29 de janeiro de 2011 foi criada a Paróquia São José, por decreto assinado pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. A Igreja possui as comunidades de São Vicente de Paulo, Capela de Nossa Senhora Medianeira de todas as Graças (Círculo Operário), Cantinho da Divina Misericórdia, Comunidade São Pedro, Capela Nossa Senhora de Nazaré (no Shopping Boulevard) e Capela de Nossa Senhora de Lourdes (aos cuidados dos padres Jesuítas).

COMO CONTRIBUIR As opções para contribuir com o projeto são por boleto bancário, débito automático, carnê, depósito bancário e cartão de crédito. Além de um folder de cadastro disponível na paróquia, no qual o interessado deve preencher com nome completo, RG, CPF, data de nascimentos, contato e

outros dados pessoais. Para depósitos avulsos, a Paróquia de São José disponibilizou a conta bancária: Agência Bradesco: 1399 digito 4; conta: 4687, digito 6. Arquidiocese de Belém Paróquia de São José

SERVIÇO PARÓQUIA SÃO JOSÉ End: Rua Domingos Marreiros, 104 – Umarizal CONTATO: 3230-1633/98121-0569 E-MAIL: psj.umarizal@ gmail.com

LANÇAMENTO da pedra fundamental de igreja em Marituba No domingo, 23, ocorreu o lançamento da pedra fundamental da construção da igreja da Comunidade de Nossa Senhora das Graças, na Área Missionária de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro do Canaã, em Marituba. Houve celebração eucarística presidida por Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém, com presença de diáconos e da Cáritas Belém, presente na pessoa do seu presidente, diácono Raimundo Nonato, de benfeitores e membros da comunidade. A Comunidade Nos-

PARÓQUIA SÃO JOSÉ

sa Senhora das Graças, faz parte de um conjunto de oito comunidades presentes no bairro Canaã em Marituba. Trata-se de uma ocupação que já tem mais de 10 anos onde moram pessoas que vieram de diversos estados e municípios paraenses e ocuparam uma vasta área, onde funcionava o projeto Amafrutas. Hoje calcula-se mais de cinco mil moradores e já conta com alguns serviços públicos, como ruas, energia elétrica e posto de saúde em construção. A Igreja entrou nesse território há alguns anos

n FACHADA da igreja da comunidade

com muita firmeza graças à solidariedade de várias paróquias do centro de Belém. As capelas que estão em processo de construção são custeadas por benfeitores e também a própria comunidade local envolvida. Para estimular o senso de corresponsabilidade e sentido de pertença, a campanha em prol dessas construções tem como objetivo garantir uma estrutura básica, o resto a própria comunidade se responsabiliza, como o acabamento. A pedra fundamental da nova capela, que será no local da antiga, representa o esforço conjunto de comunitários e da sua organização sólida. Para Dom Antônio uma capela é uma estrutura física, uma construção dedicada ao culto católico. “A comunidade são as pessoas. Podemos dizer que a capela é a casa da comunidade, onde acontecem as celebrações, as liturgias, as reuniões, os eventos formativos, os encontros comunitários, as festas da comunidade”. Prosseguindo Dom Antônio disse que “a Igreja Católica não tem simples-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n DOM ANTÔNIO presidindo celebração eucarística na comunidade

mente, casa de oração (as capelas), mas sobretudo uma comunidade. A capela é consequência da ação comunitária. As pessoas constroem capelas, e as capelas abrigam a comunidade. Um conjunto de comunidades, com suas capelas, formam uma paróquia. Uma paróquia para Igreja católica é uma rede de comunidades unidas entre si e coordenadas por um sacerdote, o pároco”. A capela Nossa Senhora das Graças vai ao encontro das necessidades espirituais, afetivas e sociais da comunidade onde ela está inserida, um contexto

marcado pela pobreza. “As pessoas precisam de espaços comunitários para que haja reforço dos vínculos afetivos; é lá que acontece a experiência da solidariedade, da caridade, dá atenção as necessidades de cada um. Eis a sua grande importância religiosa, humanista e ética”, afirma Dom Antônio. ÁREA MISSIONÁRIA Fundada em 27 de junho de 2018, no bairro de Canaã, periferia de Marituba, a Área Missionária Nossa Senhora do Perpétuo Socorro destaca pelo processo de expansão e de con-

solidação de suas comunidades com vistas à evangelização e trabalho pastoral. Desmembrada da Paróquia de Nossa Senhora das Vitórias, a área missionária, na Região Menino Deus, possui um longo e extenso território que inicia no KM 17, da BR-316, seguindo pela Rua dos Navegantes, até o rio Guamá. Do Rio o território segue até o limite com o município de Benevides e por este limite retorna até o ponto inicial. Fazem limite com Nossa Senhora do Perpétuo Socorro as paróquias de Nossa Senhora das Vitórias, Nossa Senhora da Conceição (Benfica) e Santa Rosa de Lima.