Voz de Nazaré

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 890 - PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

www.fundacaonazare.com.br

Inaugurado o BARCO HOSPITAL Arquidiocese de Belém coordenou extensa programação que inaugurou oficialmente a missão do Barco Hospital Papa Francisco. Após o envio, a embarcação segue para o Baixo Amazonas para dar atenção à saúde da população ribeirinha . PÁGINA 6. LUIZ ESTUMANO

nINAUGURAÇÃO do Barco Hospital Papa Francisco foi conduzida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa.

AO VIVO Programa MISSA DO MANDATO: início oficial do Círio 2019 'Em Família', dia 30 Mais uma edição do programa especial vai ao ar no final deste A partir da solenidade devem iniciar as peregrinações das imagens mês, sendo transmitido pela Rede Nazaré de Televisão. PÁGINA 12

de Nossa Senhora de Nazaré nos lares paraenses.

PÁGINA 10 LUIZ ESTUMANO

DIVULGAÇÃO

n LANÇAMENTO do cartaz da festa de Nossa Senhora de Guadalupe

n MISSA celebrada na capela da Fundação por ocasião da visita

FESTA da Virgem de Guadalupe PADROEIRA da Arquidiocese Coroando idealização da sua juventude, a Paróquia de Nossa Missa foi celebrada na visita da imagem de Santa Maria de Senhora de Guadalupe apresenta cartaz da festividade. PÁGINA 8 Belém à Fundação Nazaré e à Cúria Metropolitana. PÁGINA 11


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

JOÃO CARLOS PEREIRA

PE. HELIO FRONCZAK

Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

heliofronczak@gmail.com

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ...

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

Olhos voltados para Assis 2020

S

e alguém achava que o Sínodo da Amazônia seria o grande evento do pontificado de Francisco, sugiro recolher as certezas porque virá algo de dimensões bem maiores do que a imensidão do encontro dos Bispos da Amazônia com o sumo pontífice. Daqui a sete meses, o Papa deverá balançar as estruturas da economia global, reunindo, em Assis, terra do santo de quem tomou emprestado o nome, para comandar um encontro mundial, no qual se repensará a economia global. Para o encontro, o Papa descartou, previamente, pensamentos viciados, que levaram o mundo para o triste lugar aonde chegou. Ele quer gen-

te nova, sangue vivo, cabeças frescas, olhos injetados de esperança. Para Assis 2020 estão convidados apenas economistas de até 35 anos, empresários na mesma faixa etária e militantes de movimentos comprometidos com as mudanças sociais. Francisco pretende, reunindo gente nova, “corrigir os modelos de crescimento incapazes de garantir o respeito ao meio ambiente, o acolhimento da vida, o cuidado da família, a equidade social, a dignidade dos trabalhadores e os direitos das futuras gerações”. Novidade? Não. Isso está escrito, com todas as letras, na encíclica “Laudato Si”. Basta ir lá e conferir. Se depois desses ar-

gumentos ainda houver um cristão que pergunte qual a razão de a Igreja estar indo nesse caminho, recomendo uma releitura das Sagradas Escrituras, a fim de começar a seguir os passos de Jesus e seus ensinamentos a respeito da existência. A Igreja não são as velhas catedrais escuras e belas. A Igreja é, como disse o Papa, um hospital de campanha, que deve estar ao lado dos que sofrem para curar suas feridas. “Mater et Magistra”, como escreveu São João XXIII, a Igreja é mãe e professora da humanidade. E Assis 2020 será uma grande, uma enorme lição de amor ao mundo, tendo como objeto o crescimento integral do homem.

A liberdade humana

A

ligação entre a qualidade dos relacionamentos e a liberdade é evidente. Sem liberdade não é possível amar, e um autêntico amor altruísta nos faz livres e deixa livres os outros. Portanto, a liberdade está no início e no fim do amor que torna possíveis relacionamentos de trinitário. Historicamente sempre foi “livre” quem vence e domina, enquanto perdedores são subjugados e explorados. Na sociedade escravagista eram “livres” os senhores, não escravos, nem mulheres, nem crianças. Quem entende a liberdade como domínio, poderá ser livre somente causando dano aos outros, tratando-os não como pessoas mas como objetos, como números. A sua liberdade significa para os outros opressão, a sua riqueza empobrece, o seu poder subjuga, concepção antitrinitária da liberdade.

Existe a liberdade “liberal”: cada um faz e pode fazer o que quer, com o único limite de respeitar a liberdade dos outros. Mas isto quer dizer que também para o liberalismo burguês a liberdade significa, no fim das contas, domínio. Tal concepção põe todo semelhante como concorrente, rival na luta pelo poder e pelo possuir. Cada indivíduo é barreira da liberdade dos demais. Cada um é livre para si, mas não toma parte seriamente na liberdade do outro, não o sente como parte de si. Isto contribui para criar uma sociedade de indivíduos (no fundo, de egoísmos paralelos) que, no melhor dos casos, procuram respeitar-se ou não perturbar-se. Estabelecese, assim, uma aliança de egoísmos por interesse. Falta a dimensão trinitária do mútuo dar-se desinteressado, do procurar “o bem do outro".

A verdadeira liberdade é a comunhão. A verdade da liberdade é o amor: sou livre e me sinto livre ao abrir minha vida aos outros e compartilhar com eles, e quando outros abrem a mim a vida deles e a compartilham comigo. Então o outro não é a barreira da minha liberdade mas, trinitariamente, uma ulterior possibilidade e o complemento da minha liberdade. A liberdade dominadora destrói a comunidade. A liberdade comunhão é contrária às lutas impiedosas pelo poder entre as classes sociais, é elemento unificante de tudo o que é separado. Só uma liberdade assim cura feridas produzidas pela liberdade dominadora. “A doutrina trinitária é a doutrina teológica da liberdade”. A Trindade não somente é a fonte mas, em sentido próprio e profundo, é o “espaço da liberdade.

BIANCA MASCARENHAS Psicóloga e formadora do Seminário São Pio X (mascarenhaspsi@yahoo.com.br)

HUMANUS

Família, lugar de amor e de limites

A

Semana Nacional da Família 2019 nos traz o tema “A Família, como vai?”, pergunta que nos provoca reflexões e revisões de atitudes, visto a família ser a primeira escola de vida e de valores, onde aprendemos as noções de relacionamentos sociais e recebemos influências que impactarão

em nossas escolhas pessoais e profissionais. Tenho acompanhado a dificuldade dos pais em dizer não aos filhos, em nome do amor... mas amar é também impor limites; educar é também dizer não e, assim, ajudá-los a conviver com a frustração, desde crianças. É ensinar limites com amor, é

frustrar por amor, pois “no mundo real” vivemos e convivemos com negações e frustrações, cabendo aos pais deixar claro que nem sempre podem oferecer o que lhes pedem, que há hora e tempo para tudo, possibilitando aos filhos viver a experiência do não, do limite e da frustração, com a qual se

encontrarão várias vezes durante a vida. Há em muitas famílias uma inversão de papeis, com pais submissos às vontades dos filhos; pais que, sentindo-se culpados pelo pouco tempo em casa, por exemplo, tentam compensar ausência com presentes e permissões, por vezes se endividando desnecessariamente. É impor-

tante que os pais reassumam sua autoridade e exerçam com firmeza e carinho (sim, firmeza e carinho podem andar juntos...) seu lugar de liderança na família. É fácil? Não, mas é possível! Com tempo de qualidade (dedicado à família); diálogo (não bronca ou ameaça, mas um espaço de falar e escutar); paciência; limites e regras claras; coe-

rência e exemplos. Com equilíbrio entre amizade e autoridade, podemos construir famílias mais felizes e ser, como pais, promotores de adultos equilibrados e emocionalmente saudáveis.

Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles. (Provérbios 22,6)

PE. ANTÔNIO MATTIUZ, CSJ (antoniomattiuz@gmail.com)

CURSILHO DE CRISTANDADE

Assembleia Regional do MCC

E

ntre os dias 17 e 19 de maio de 2019 foi realizada a 31ª Assembleia Regional do MCC em Bragança com a presença de 99 cursilhistas eleitos, que representaram o Cursilho da Região Norte do Brasil. A anterior aconteceu em Belém em abril de 2018. Esta assembleia foi

um encontro de fé e alegria, de revisão e planejamento para andar na mesma direção. Seguiu-se o método Ver-julgar-agir. A assembleia fez o balanço dos sucessos e das omissões. Muito se fez para o Reino de Deus, mas ainda falta mais a fazer. Por isso, traçaram-se metas para este ano.

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

Na assembleia de Bragança esteve presente também o Coordenador Nacional do MCC do Brasil, Sr. Wladimir, que deu ânimo e coragem a todos. Entre outras, esta assembleia regional, para seguir melhor a Jesus Cristo, tomou estas decisões: •É preciso maior presença e participa-

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

ção dos cursilhistas na Escola Vivencial. •Os cursilhistas precisam empenharse nas obras de misericórdia com os mais necessitados. Precisamos ser misericordiosos como o Pai. •É urgente atualizar o Estatuto e o Regimento para agir em conjunto e andar na mesma direção. Entre os dias 5 e 7 de julho de 2019 aconteceu um grande Encontro Regional de

Jovens cursilhistas na casa de Retiros dos Barnabitas, em Benevides. Fique alerta, pois no dia 15/11/2019 você também será convidado a participar da meia jornada de espiritualidade cursilhista em Belém. Aguarde mais informações. Quando você participa de um encontro de Igreja, sempre terá ganhos muito superiores aos sacrifícios feitos.

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

SERVIÇO Meia jornada de espiritualidade cursilhista em Belém. Dia: 15/11/2019

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

CONVERSA COM MEU POVO

"J

esus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. Alguém lhe perguntou: ‘Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?’ Ele respondeu: ‘Esforçai-vos por entrar pela porta estreita. Pois eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão” (Cf. Lc. 13,22-30). A pergunta continua a ressoar na mente e na boca de tantas pessoas. Com certa frequência, os “outros” e não “nós” são os considerados como possíveis candidatos à perdição. Cercar-se de orgulho, julgando-se proprietários da obra de Deus não corresponde ao seu plano de amor. Deus quer salvar a todos e que todos cheguem ao conhecimento da verdade (Cf. 1 Tm 2,4). No seu plano in-

Uma boa estrada é fazer-se um com os outros, menos no pecado finito de amor, não é sua vontade que qualquer pessoa seja precipitada no inferno da perdição. Ele olha com bondade e misericórdia todas as suas criaturas e especialmente o ser humano, feito à sua imagem e semelhança, para servi-lo e amá-lo e viver no mesmo amor com todos os irmãos e irmãs. As parábolas da misericórdia, contadas por Jesus, mostram o quanto moeda perdida, ovelha perdida e filho perdido são sinais de tantas realidades humanas, presentes em todas as gerações, inclusive a nossa. Da parte de Deus, cabe todo mundo na festa da moeda re-

A estrada da SALVAÇÃO encontrada, no redil de ovelhas e na casa do Pai Misericordioso. A resposta de Jesus à provocante pergunta que lhe é feita tem consequências em nossa vida. Se Deus quer salvar a todos, esta salvação não suscita em nós uma atitude irresponsável, como se tivéssemos adquirido um título de propriedade no Céu. O Senhor constata que são muitos os que se perdem! Dura realidade, pois a oferta de salvação feita por Deus, nos méritos de Jesus Cristo, nosso Salvador, vem ao encontro de nossa liberdade. Terrível e provocante verdade: nós podemos nos perder, ou podemos ir contra a vontade mais decidida de Deus, a nossa salvação! Aprender a usar bem nossa liberdade é tarefa que dura a vida inteira, e pede discernimento, clareza, capacidade de decisão. Para entendermos o caminho a ser percorrido, Jesus usa a imagem da porta estreita e apertado o caminho que leva à vida (Cf. Mt 7,13-14). O Senhor veio ao nosso encontro, percorreu a estrada do amor e da doação total da vida, convocou e convoca discípulos que se disponham a seguilo. A todos ele chama a deixar tudo, abraçar a Cruz, caminho estreito, passar pela porta que conduz à vida verdadeira, que é seu mistério de Morte e Ressurreição. A porta estreita e o caminho apertado estão à nossa disposição, pois trata-se do caminho do amor, a superação do egoísmo, uma ordem de valores que coloque em primeiro lugar o serviço e o bem do próximo, a renúncia ao comodismo, a realização da própria vocação, e todas as vocações serão sempre formas de amor a Deus e ao próximo.

DIVULGAÇÃO

n “ESFORÇAI-VOS para entrar pela porta estreita” Seria cômodo deixar a vida correr, sem assumir responsabilidades, mas já nesta terra seríamos pessoas frustradas, por não ter encontrado o caminho estreito da doação da vida. Diante de todos, estejamos atentos à recomendação de São Pedro: “Estai sempre prontos a dar a razão da vossa esperança a todo aquele que a pedir. Fazei-o, porém, com mansidão e respeito e com boa consciência. Então, se em alguma coisa fordes difamados, ficarão com vergonha aqueles que ultrajam o vosso bom procedimento em Cristo. Pois será melhor sofrer praticando o bem, se tal for a vontade de Deus, do que praticando o mal. De fato, também Cristo morreu, uma vez por todas, por causa dos pecados, o justo pelos injustos, a fim de nos conduzir a Deus” (1Pd 3, 15-16). E como fazer? Como incluir no quadro dos destinados à salvação quem, a nosso modo de ver, se encontra afastado? Comecemos vendo cada pessoa que encontrarmos como candidata à vida plena em Jesus Cristo, ninguém excluído. Aproveitemos

para identificar, todas as vezes em que percebermos uma falha de qualquer pessoa, algum aspecto positivo em sua vida e comportamento. Uma boa estrada é fazer-se um com os outros, menos no pecado. Uma boa conversa, um sorriso, um cumprimento educado, a capacidade de escutar, a valorização dos assuntos que aos outros interessa, pode abrir-lhes a porta, ainda que apertada, para a comunhão com Deus. Não é segredo para nós a constatação de que discursos pesados e moralizantes produzem efeito contrário, afastando mais ainda as pessoas distantes. Pode acontecer que o outro não aceite um ensinamento de nossa parte, mas a escuta, o amor, aquele que vem de Deus, com certeza tocará o coração das pessoas, mesmo aquelas que rejeitam até a afirmação de que Deus as ama. Diante de histórias dolorosas e sofridas, a proximidade com certeza suscitará frutos. Ao escutá-las, e muitas vezes chegam a ser escabrosas, vencer o julgamento, ter a certeza de que Jesus morreu e

ressuscitou por aquela pessoa, mesmo que seja a mais pecadora existente no mundo. Estreitar os laços de fraternidade pode abrir portas inimagináveis! E conversão é exatamente para quem está no pecado! E o nome de Jesus Cristo Salvador é o que podemos oferecer de melhor, sendo sua presença de amor Outro passo pode ser o anúncio de que é possível empreender a estrada da fé e da conversão, especialmente com pessoas que se consideram frágeis e pecadoras a ponto de não enxergarem luz no fundo do túnel. É até possível contar a própria história, e quantos de nós passaram por experiências de conversão! Chegará, com certeza, o momento em que o Espírito Santo tomará a direção, inspirando a palavra certa a ser dita, muitas vezes simples e discreta, mas aquela que vai ao fundo do coração. Já constatei que apenas saber dizer, na hora certa, o quanto somos solidários com o sofrimento real vivido pelas pessoas foi a ocasião de uma abertura, suscitada, sim, pelo Es-

pírito Santo. Os mais afastados poderão ainda ser acolhidos na Comunidade Cristã, nos vários grupos, pastorais e movimentos de Igreja. Que tal encontrar sempre a forma de receber alguém, vindo das periferias geográficas ou existenciais, em nossos ambientes eclesiais, para que se constate na verdade a afirmação do Senhor de que “últimos serão primeiros e primeiros serão últimos”? (Lc 13,30).

abraçar a Cruz

A oferta de salvação feita por Deus, nos méritos de Jesus Cristo, nosso Salvador, vem ao encontro de nossa liberdade


4

IGREJA

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

MISCELÂNEA

ASSUNÇÃO

P

ela segunda vez adio a matéria prometida sobre Antônio Landi, o grande arquiteto a quem Belém deve algumas de suas mais significativas construções. Desta, para abordar a Assunção de Maria, em atenção à sugestão de duas ou três pessoas que ouviram minha homilia no dia dessa que é, não sou eu quem o diz, a maior solenidade em sua honra.

Privilégios marianos: a maternidade divina, sua concepção imaculada e sua assunção ao Céu - Padre, que tal se o senhor a publicasse em sua coluna no jornal Voz de Nazaré? Embora a data já tenha passado, o assunto, creio, não deixa de ser atual. Pelo que, aqui vai ela, com as modificações que, em meu entender, necessárias.

Três são os privilégios concedidos por Deus a Maria e reconhecidos como tal, nem poderia ser diferente, pela Igreja Católica. Privilégio, ensina todo bom dicionário, dentre outros significados, é a prerrogativa, em outras palavras, o direito especial, exclusivo, de uma pessoa, ou de um grupo de pessoas, de ter, ser, ou fazer algo, seja lá o que for. Um exemplo: a celebração da Santa Missa é privilégio dos presbíteros, mais conhecidos como padres. Outro: o poder administrativo de um país, se democrático, é privilégio do presidente da República. Privilégios marianos: a maternidade divina (Mãe de Deus feito homem, Jesus), sua concepção (conceição) imaculada e sua assunção ao Céu. Todos três, liturgicamente, são solenidades, isto é, celebrações de primeiríssima grandeza, consequentemente dias santos de guarda. Nesses dias, quem faltar à Santa Missa, se não for por justa causa (uma delas: estar acamado) comete pecado grave, não podendo comungar a não ser depois de

se ter confessado. Vale lembrar que quem chega à Igreja depois da liturgia da Palavra, é como se não tivesse ido, ou seja, essa missa não valeu, por não se ter cumprido por completo o preceito dominical. Para facilitar a vida dos fiéis (fiéis: os que foram devidamente batizados), aqui no Brasil, quando uma solenidade cai em dia útil, passa a ser celebrada no domingo mais próximo e, assim, está salva a pátria. As solenidades podem ter data fixa, como o Natal, ou não, sendo, então, chamadas mó-

Os três são dogmas, isto é, verdades de fé

A assunção foi declarada dogma pelo Papa Pio XII em 1º de novembro de 1950

DIVULGAÇÃO

n TELA REPRESENTATIVA da Assunção de Maria

veis, como a Páscoa. As três que celebram os privilégios de Maria são fixas. Suas datas: a da maternidade de Maria: 1º de janeiro; a da assunção: 15 de agosto; a da Conceição (Nossa Senhora da Conceição): 8 de dezembro. Os três são dogmas, isto é, verdades de fé. Quem não acredita que o sejam, ipso facto, ou seja, automaticamente, está fora da comunhão católica, excomungado. A maternidade de Maria foi declarada dogma, solene e publicamente, em 459, pelo Concílio (assembleia geral do magistério) de Calcedônia. A assunção, pelo Papa Pio XII, em 1º de novembro de 1950, data, para mim, de triste e dolorosa

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.comg)

memória, pois foi nesse dia que abandonei o Seminário, final do ano letivo, por livre e espontânea vontade. Mas, como Deus queria que eu fosse padre, só Ele sabe por que, retornei, décadas depois, a convite do saudoso Dom Alberto Gaudêncio Ramos, e em 25 de janeiro de 1992, conversão de São Paulo, - ele e Santa Teresinha do Menino Jesus meus padrinhos de ordenação - fui ordenado presbítero, na Catedral de Belém –nela fui batizado em maio de 1930 -, pelas mãos do não menos saudoso Dom Vicente Joaquim Zico, a quem passei a chamar de meu terceiro pai, sendo que o primeiro é Deus, meu criador, e o segundo o lusitano Ma-

noel Júlio Barradas, a quem depois de Deus, devo a vida. Já a Imaculada Conceição, quem a declarou dogma foi o Papa Pio IX, em 1854. A título de curiosidade: as outras celebrações católicas, em ordem crescente: memórias facultativas, memórias obrigatórias e festas. Que tristeza, ao menos pra mim! Meu espaço neste jornal estourou e nem sequer entrei na assunção, como era meu desejo. Uma pena. Mas, se na semana vindoura ainda estiver por aqui, - para morrer basta estar vivo, que a vida sempre por um fio – saldarei este meu débito. Por favor, como diz o Papa Francisco, me aguardem. Shalom!

LITURGIA

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Lc 13,22-30. 22Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. 23Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” Jesus respondeu: 24 “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão. 25Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós do lado de fora, começareis a bater, dizendo: ‘Senhor, abre-nos a porta! ’ Ele responderá: ‘Não sei de onde sois’. 26Então começareis a dizer: ‘Nós comemos e bebemos diante de ti e tu ensinaste em nossas praças! ’ 27Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça! ’ 28Ali haverá choro e ranger de dentes quando virdes Abraão, Isaac e Jacó junto com to-

dos os profetas no reino de Deus e vós, porém, sendo lançados fora. 29Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no reino de Deus. 30E assim há últimos que serão primeiros e primeiros que serão últimos”. B) COMENTÁRIO

Eis no Evangelho a indagação feita por alguém a Jesus: “São poucos os que se salvam?” A condição para se salvar, para entrar no espaço salvífico, é respondida pelo Mestre com este pensamento: “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão” (v 24). Para entrar no Reino o acesso é único: só pela porta estreita; a entrada se torna apertada. Não é nada fácil entrar lá; exige o esforço pessoal e dedicado, expres-

so no Evangelho como: “Fazei todo esforço possível”. É entendido que todo é todo, e não apenas uma parte do esforço. O possível é o que toca ao ser humano, já que para Deus nada é impossível (Mt 19,26). Ninguém consegue bilhete antecipado para entrar no céu; só conseguirá entrar nele com o esforço próprio, ajudado e correspondido pela graça de Deus. ‘Também não é suficiente ser do povo eleito ou de uma família religiosa praticante. A conversão é individual; ela não é um titulo hereditário ou coletivo. Cada qual responderá por si. E não basta ver Jesus, ouvir suas palavras, ou sabê-las de memória; tem que vivê-las. ‘Nós comemos e bebemos diante de ti e tu ensinaste em nossas praças!’ (v 26). Ele certamente dirá: sim, é verdade, eu vos ensinei, mas vós não aprendes-

tes, para por em prática! Vós praticais a injustiça! (v 27). Não vale só receber o ensino, mas viver o que foi ensinado! “Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!” Assim sendo, a injustiça nos afasta de Deus, já que injustiça é sinônimo de pecado, e Deus é o justo por excelência (Gn 18,25). “ Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no reino de Deus” (v 29). E tudo acontecerá assim, porque a salvação não depende desta ou daquela ideologia. Não é a boa ideologia que salva, como não é a má ideologia que condena. O que salva é a boa vontade; a boa vontade que se torna boa, fazendo o bem; a boa vontade praticada. O que salva é o exercício do bem aos outros. Não fiquemos parados! É tempo de exercício, é a “hora” da salvação!

n 23/08, SEXTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (2Cor 10,17–11,2) Responsório (Sl 148) Evangelho (Mt 13,44-46) n 24/08, SÁBADO Cor (vermelho) Primeira Leitura (Ap 21,9b-14) Responsório (Sl 144) Evangelho (Jo 1,45-51) n 25/08, DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Is 66,18-21) Responsório (Sl 116) Segunda Leitura (Hb 12,5-7.11-13) Evangelho (Lc 13,22-30)

n 26/08, SEGUNDA Cor (branco) Primeira Leitura (1Ts 1,1-5.8b-10) Responsório (Sl 149) Evangelho (Mt 23,13-22 n 27/08, TERÇA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (1Ts 2,1-8) Responsório (Sl 138) Evangelho (Mt 23,23-26) n 28/08, QUARTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (1Ts 2,9-13) Responsório (Sl 138) Evangelho (Mt 23,27-32) n 29/08, QUINTA-FEIRA Cor (vermelho) Primeira Leitura (Jr 1,17-19) Responsório (Sl 70) Evangelho (Mc 6,17-29)


5 SETORJUVENTUDE

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

SÍNODO PAN-AMAZÔNICO importantes atitudes eclesiais (parte 6) INTRODUÇÃO

É

longa a lista dos problemas humanos presentes na Amazônia. Mas, como já refletimos no artigo precedente, não toca à Igreja resolver os dramas da humanidade. Aliás, é bom recordar que também Jesus e a comunidade primitiva não resolveram os problemas sociais daquele tempo. Mas deram autênticas e sugestivas respostas! As atitudes de Jesus e da comunidade primitiva são paradigmáticas para a Igreja de hoje. O foco da nossa missão é contribuir com a promoção do Reino de Deus; isso significa enfrentarmos profeticamente os males deste mundo, mas sem perdermos a consciência de que o centro da nossa missão não é o meramente político, técnico, nem econômico, mas especificamente o espiritual e ético.

1

Sinais do Reino de Deus Os primeiros sinais do Reino de Deus não estão naquilo que vemos e fazemos, mas no que somos e manifestamos com a nossa mentalidade, atitudes e opções. O Reino de Deus não consiste no sucesso material, mas “é justiça, paz e alegria no Espírito Santo. Quem serve a Cristo nessas coisas, agrada a Deus e é estimado pelos homens” (Rm 14,17-18). Essencialmente a missão da Igreja é estimular a conversão! Isso a compromete profundamente a voltar-se para as pessoas, a dar-lhes atenção, a escutá-las, a entrar em diálogo com elas. Estamos falando de atitudes! Um modo errôneo de

agir, enquanto Igreja, seria aquele de só vermos à nossa frente problemas, instituições, sistemas... Jesus, acima de tudo, deu atenção às pessoas. E quando acolhiam a sua Palavra, despertavam para a fé e saíam libertadas, alegres e felizes: tinham recebido a devida atenção e o que desejavam.

2

As pastorais: encarnação na realidade Para a Igreja Católica, as pastorais constituem

A Igreja não está sozinha na Amazônia; não é a única que promove o bem

as expressões mais significativas de encarnação na realidade, de respostas aos clamores humanos e compromissos concretos com a promoção do Reino de Deus. Assim a Igreja continua a obra do seu Mestre e Senhor que disse: “Vão e anunciem que o Reino do Céu está próximo. Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios” (Mt 10,7-8). “Os discípulos partiram, e percorriam os povoados, anunciando a Boa Notícia, e fazendo curas em todos os lugares” (Lc 9,6). As palavras imperativas de Jesus motivam a Igreja a estar “em estado permanente de missão” e sempre cultivando uma atitude de escuta da realidade para não

cair no drama da insig-

nificância e da mediocridade mundana (cf.

Mt 5,13-14. Por isso o Papa Francisco recomenda: “Não deixemos que nos roubem o Evangelho!” (EG, 97).

3

As pastorais: paixão pelo Reino de Deus As pastorais são instrumentos estratégicos da Igreja estimulando a transformação da realidade. A Igreja na Amazônia tem uma profunda marca pastoral e missionária, que revela a sua sensibilidade e inquietude. Isso deve ser preservado e promovido! Somos convocados a promover a inquietude missionária de nossas comunidades passando «de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária» (DA, 548). Assim, em sua missão de pregar, curar e santificar, abraçando os desafios da promoção humana na Amazônia, a Igreja promove as pastorais. Temos muitas pastorais, por exemplo: a pastoral da saúde, pastoral dos enfermos, pastoral da mulher, pastoral carcerária, pastoral da comunicação, pastoral da criança, pastoral juvenil, pastoral da visitação ou pastoral da itinerância (acompanhamento das comunidades ribeirinhas), pastoral afro, pastoral indigenista; pastoral da mobilidade humana, pastoral da pessoa idosa, pastoral da sobriedade, pastoral da terra, pastoral dos moradores de rua, pastoral dos ribeirinhos, pastoral do surdo, pastoral da catequese, pastoral do turismo, pastoral dos pescadores, pastoral dos refu-

giados, pastoral da família, pastoral universitária... Cada uma dessas pastorais revela a sensibilidade e o cuidado da Igreja para com tais realidades. Graças a essa ampla, secular, convicta presença e testemunho da Igreja na promoção da dignidade humana através das pastorais, temos hoje muitos mártires; pessoas que deram a vida por Cristo defendendo a dignidade humana, testemunhando o Reino de Deus. Todavia, recordemos bem, não se trata de um mero serviço público. Mas de testemunho dos valores e das exigências do Reino de Deus. As pastorais não são serviços supletivos ao Estado, são evangelização abraçando a totalidade das dimensões da vida humana. O suor e o sangue derramados são expressões da fidelidade ao Reino de Deus, jamais puros compromissos sociais terrenos.

aos mais embrutecidos pelo ódio, comodismo e pela indiferença. Movidos pela Esperança de servidores da Caridade, nós todos, ministros ordenados e agentes de pastorais em todas as esferas, somos chamados a testemunhar a alegria e o otimismo do Evangelho, conservando a ternura, a firmeza e a serenidade, sobretudo nos contextos sócio-pastorais mais hostis, evitando assim a “pastoral da raiva” (amargura, conflitos desnecessários, antagonismos, posturas agressivas, iniciativas ideologizadas, isolamento, atitudes maniqueístas, antipáticas e polarizantes). Se não, perdemos as ovelhas! A Igreja não está sozinha na Amazônia; não é a única que promove o bem; por isso é preciso crescermos na atitude de motivar e articular uma parceria saudável com outros atores sociais para que, juntos, possamos

4

Importantes atitudes eclesiais Deus nos livre de sermos uma Igreja de viseira e nos defenda do mal de tropeçarmos em paixões socio-ambientalistas, sem visão da totalidade dos povos e contextos e das dimensões da realidade Amazônica segundo o Evangelho! Como Boa Samaritana na Amazônia, a Igreja é chamada a aproximar-se, “descer”, a “encarnar-se” sempre mais nas variadas realidades (rurais, urbanas, ribeirinhas, indígenas...); a ouvir os clamores e a estender a mão aos sofredores e ameaçados em sua dignidade, bem como

O suor e o sangue derramados

As pastorais são instrumentos estratégicos da Igreja estimulando a transformação da realidade

assumir causas que tenham afinidade com os valores éticos e evangélicos; pois juntos podemos estudar, dialogar, somar, contribuir, promover em rede a cultura da vida e da ecologia integral. Nunca devemos esquecer que a Igreja é serva e servidora Daquele que veio para salvar, não condenar (cf. Jo 12,47) e que desejou que nenhum se perdesse (cf. Jo 6,39). Os opressores são chamados à conversão; precisam ser evangelizados! A vontade divina não é a morte do opressor, mas sua conversão (cf. Ez 18,23); precisamos evangelizar os ricos (cf. Lc 16,19-31; Lc 19,1-10; DA, 395, 1156; EG 58). O povo quer pastores, sacerdotes, diáconos, religiosos e líderes leigos, agentes de pastorais próximos, com atitudes sensíveis; isso implica a superação da frieza, da arrogância, do intelectualismo teológico, do puritanismo ... Os atuais desafios pastorais da Igreja na Amazônia nos dizem que devemos combater o “paternalismo pastoral” que é uma forma de evangelizar e catequizar que não favorece o crescimento das pessoas, não forma sujeitos eclesiais, não estimula o sentido de pertença, não promove líderes e nem estimula o surgimento de discípulos missionários. REFLEXÃO: Em que consiste o foco central da missão da Igreja? Por que as pastorais são manifestação da encarnação da Igreja na realidade? Quais outras atitudes pastorais precisamos cultivar na Igreja?

1 2 3

FESTIVAL vocacional para indicar o caminho missionário “Igreja: geradora e educadora de vocações” foi o tema Festival Vocacional realizado sábado, 17, pela Arquidiocese de Belém, através do Serviço de Animação Vocacional (SAV), na quadra esportiva da Igreja de São Francisco de Assis, os Capuchinhos, bairro de São Brás. A programação constou de apresentações artísticas, teatros e vários shows no intervalo das palestras

relativas ao tema. O Festival Vocacional assim como a Jornada Vocacional na Arquidiocese de Belém com a finalidade de despertar , principalmente entre os jovens, a sua vocação na igreja, seja na vocação sacerdotal, matrimonial, laical ou religiosa. O evento é para alguns o primeiro contato com as congregações religiosas, os seminários e novas co-

munidades e, a partir das palestras e testemunhos conhecidos durante os eventos, muitos participantes encontram-se com a própria vocação a seguir. A programação, dinâmica e atrativa, possibilitar aos jovens conhecer melhor os carismas vocacionais, a espiritualidade das congregações, novas comunidades e seminários, dentre outros meios de evangelização.

DIVULGAÇÃO

n MOMENTOS do festival vocacional realizado em Belém


6

ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

BARCO-HOSPITAL PAPA FRANCISCO é inaugurado em Belém MISSA E AÇÃO SOCIAL precederam envio para a missão no Baixo Amazonas

O

Papa Francisco, em mensagem à Arquidiocese de Belém, manifestou sua satisfação porque o barcohospital que leva seu nome está apto a seguir em missão pelo Baixo Amazonas, no Estado do Pará, capitaneado pela Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus. Em meio a extensa programação com Missa e ação social, a embarcação foi inaugurada na capital paraense com ações nos dias 17 e 18, conduzidas pelo Bispo do Óbidos, Dom Bernardo Bahlmann, presidente do Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. O projeto Barco-Navio Hospital Papa Francisco é um ousado empreendimento da Igreja

MISSA em

Uma celebração eucarística de Ação de Graças, na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Cidade Velha, precedeu a Ação Social domingo, 18. Ela foi presidida por Monsenhor Massimo Catterin, secretário da Nunciatura Apostólica no Brasil, e concelebrada por sacerdotes da Arquidiocese de Belém e da Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, administradora do Barco Hospital. A abertura foi realiza por Cônego Roberto Cavalli Júnior, Cura da Sé de Belém. Após a leitura, o presidente da celebração, Mons.

que vai percorrer mil quilômetros do Estado do Pará, oferecendo atendimento médico a mil comunidades ribeirinhas e 12 municípios, alcançando cerca de 700 mil pessoas. A programação começou no sábado, às 16h, com cerimônia em um hotel de Belém, ocasião em que diversas personalidades participaram da solenidade. A saudação inicial envolveu os pronunciamentos oficiais da Arquidiocese, da Marinha do Brasil, do Ministério Público do Trabalho e também

de outras autoridades civis e governamentais Após inauguração oficial no sábado, 17, o Barco-Hospital Papa Francisco ofereceu parte de sua capacidade em atendimento médico durante uma Ação Social, realizada no porto Palmeiraço, Cidade Velha, ao longo de todo o domingo, 18. Pela manhã, às 8h, na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, também na Cidade Velha, houve a Santa Missa em Ação de Graças, presidida por Monsenhor Massimo Catterin, secretário da Nunciatura Apostólica no Brasil.

n ENTRONIZAÇÃO da imagem da Virgem de Nazaré

Ação de Graças Massimo, dirigiu-se à assembleia recordando que aquele domingo era voltado para a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora: “Maria é a via de fé, uma mãe que se fez discípula de Seu Filho”. Em seguida, Mons. Massimo passou a palavra ao Padre Divã Anísio, Vigário na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Benevides, que abordou o modelo de vida cristã vivido por Maria em sua simplicidade: “onde está a grandiosidade de Maria? Está na simplicidade. O Evangelho de hoje descreve-a como uma jovenzi-

nha simples, aproximadamente 15 anos, que recebe a grande missão de Deus: ser mãe do Seu Filho. O grande mistério da encarnação realizouse em Maria, na pequena Maria. Pedimos a Deus o dom da graça e as virtudes de Maria. Pedimos a ela que também sejamos capazes de vivenciar dignamente aquilo que Deus nos pede.” Ao final da celebração, Frei Francisco Belotti, fundador da Associação e Fraternidade, lembrou o conselho do Papa Francisco, a construção do barco, e agradeceu o apoio de Dom Alberto Taveira na missão.

A SATISFAÇÃO DO SANTO PADRE COM O “BARCO HOSPITAL PAPA FRANCISCO” Com informações Vatican News. O Papa Francisco enviou uma mensagem por ocasião da chegada a Belém do navio que leva seu nome, e afirma que promover a vida será a missão primordial do projeto. No texto da mensagem, o Papa afirma que se une a este momento de “alegria e ação de graças a Deus” com “grande satisfação”. Para Francisco, além de ser um belo gesto concreto em vista do Sínodo dos Bispos para a Amazônia, o hospital fluvial é acima de tudo “uma resposta ao mandato do Senhor, que continua a enviar seus discípulos a anunciar o Reino de Deus e a curar os doentes”. Neste sentido, prossegue o Pontífice, “se a Igreja está chamada a ser um ‘hospital de

campo’, acolhendo a todos, com esta iniciativa, Ela se apresenta agora também como um ‘hospital sobre as águas’”. “E do mesmo modo como Jesus, ao aparecer caminhando sobre as águas, acalmou a tempestade e fortaleceu a fé dos discípulos, este barco levará tanto o conforto espiritual como a calmaria para as agitações dos homens e mulheres carentes, abandonados à própria sorte.” O Papa finaliza a carta agradecendo a Dom Bernardo Bahlmann, Bispo de Óbidos, e aos Franciscanos da Providência, que foram os idealizadores e executores da iniciativa, pedindo orações pelos bons frutos do próximo Sínodo para a Amazônia.

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n A PALAVRA DE INCENTIVO de Dom Alberto no Hotel Gran Mercure, em Belém

ACORDO governamental Assumindo o mote “Saúde por todo o Pará!”, o governo do Estado do Pará assinou um termo de fomento com a Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus no dia 19, para oficializar as ações de atendimento médico e odontológico, exames e outros serviços de saúde que serão levados à população ribeirinha pelo Barco Hospital Papa Francisco. A cerimônia ocorreu na Escadinha do Cais, em Belém, à frente o governador do Estado, Helder Barbalho, e frei Francisco Belotti, presidente nato da Associação Lar São Francisco, e diversas autoridades. O termo assinado prevê apoio do governo, através

da Secretaria de Estado de Saúde, no valor de R$ 397 mil por mês. As ações se iniciarão pelo mapeamento da região para conhecer as principais necessidades das comunidades locais, com apoio das Secretarias Municipais de Saúde, por meio dos seus agentes, de líderes comunitários e do 9º Centro Regional de Saúde (CRS). “O governo do Estado assina um convênio com a irmandade São Francisco de Assis, para custeio do Barco Papa Francisco, o que permitirá o seu funcionamento durante o próximo ano. A embarcação, desenhada com essa finalidade, vai cumprir um papel fundamental e, por isso, a importância da parceria do Estado e da

AÇÃO SOCIAL Ancorado no porto, o barco acolheu a população necessitada para assistência gratuita em clínica médica, pediatria e ginecologia. Os serviços eram prestados na área interna do barco e na parte externa com estrutura cedida pela Catedral Metropolitana de Belém. Aliado à ação social, houve assistência espiritual, parte do atendimento que a equipe do barco irá promo-

Secretaria de Saúde. São cerca de R$ 400 mil reais por mês, que permitirão o pleno funcionamento do barco, que deverá deslocar-se por toda a Calha Norte, oferecendo mais atendimento, atenção à saúde e, sobretudo, melhorando os indicadores de acesso e de qualidade de saúde para as pessoas que vivem nessas áreas tão afastadas e, muitas vezes, abandonadas”, ressaltou o secretário de Saúde do Estado, Alberto Beltrame. O termo prevê, ainda, que em casos de calamidade, catástrofes, inundações e outras situações emergenciais, o BHPF poderá se deslocar a outras regiões de acordo com a necessidade.

no porto

ver no Baixo Amazonas. Na parte externa aconteceram evangelização e vivência fraterna com confissões, visita às famílias da área portuária, Unção dos Enfermos e interatividade com crianças, incluindo teatro, fantoche, animação, dança, pintura, brincadeiras e distribuição de lanche. Frei Joel Souza, responsável pelo barco-hospital, destacou que a promoção da

ação social em Belém foi motivo de satisfação e gratidão pela parceria mantida com a Igreja de Belém. “É uma alegria para nós estar nesta terra tão sagrada da nossa Mãe, Nossa Senhora de Nazaré. Agradeço a todos os voluntários de Belém, da Catedral, de São Paulo, de todos os Estados e países que estão aqui conosco para fazer esta grande teia do amor”.

n BARCO PAPA FRANCISCO recebeu a benção no porto de Belém do Pará


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

7

Encontro sobre ‘INSTRUMENTUM LABORIS’ do Sínodo para a Região Pan-Amazônica ESTUDO DO DOCUMENTO DE TRABALHO acontece no Centro de Espiritualidade Monte Tabor, em Icoaraci

C

om organização da Comissão Episcopal Especial para a Amazônia/CEA, apoio da Rede Eclesial Pan-Amazônica/REPAM-Brasil, a Arquidiocese de Belém efetua, de 28 a 30 deste mês, no Centro de Espiritualidade Monte Tabor, em Icoaraci, o estudo do Documento de Trabalho (Instrumentum Laboris) do Sínodo para a Amazônia. Ele será o último encontro antes do evento sinodal em outubro próximo. Dele participam todos os bispos titulares e auxiliares das 56 dioceses e prelazias da Amazônia Brasileira, leigos, religiosos e lideranças dos seis regionais da CNBB ( Norte 1, Norte 2, Norte 3, Nordeste 5, Noroeste e Oeste 2), que deverão contribuir com as vozes das realidades e na interlocução com os bispos. Participarão também o Cardeal Dom Cláudio Hummes, presidente da CEA e da REPAM, relator do Sínodo para a Amazônia e coordena-

dor do evento, Dom David Martinez de Aguirre Guiné, Bispo de Puerto Maldonado, no Peru, e Padre Michael Czerny, subsecretário da Seção Migrantes e Refugiados para o Serviço de Desenvolvimento Integral Humano, nomeados secretários do Sínodo para a Amazônia, e Dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Além deles, também participarão Cristiane Murray, da secretaria do Sínodo e vice-diretora da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alfredo Ferro, de Letícia, na Colômbia, da equipe de assessores da REPAM internacional e assessores da REPAM-Brasil. Todos eles deverão chegar à capital paraense na próxima terçafeira, 27, para, no dia seguinte, quarta, 28, iniciarem os trabalhos logo cedo, às 6h30, com oração, promovida pela secretaria executiva REPAM-Brasil. Após o

café, apresentação dos participantes e sessão de abertura com Dom Cláudio Hummes, Dom Walmor Oliveira, Dom David Martinez, Padre Michael Czerny, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano e vice-presidente do Regional Norte 2, e Dom Bernardo Johannes Bahlmann, presidente do Regional Norte 2. L ogo em seguida, acontecerá a contextualização histórica do Sínodo, ministrada pelo Padre José Oscar Beozzo. Após partilhas, trabalhos em grupos, plenárias e escutas, haverá celebração eucarística, às 18h, com transmissão da Rede Nazaré de Televisão e Portal Nazaré. Na quinta-feira, 29, a programação iniciase com Santa Missa, às 6h30, e, após um longo dia de novas discussões e deliberações, noite cultural. Na sexta-feira, 30, haverá celebração eucarística e envio, às 6h30, café da manhã, captadores, trabalhos em grupos,

DIVULGAÇÃO

plenária e encaminhamentos finais. DOCUMENTO DE TRABALHO Publicado oficialmente em junho deste ano em três idiomas (Espanhol, Italiano e Português) o Instrumentum Laboris consta de 147 pontos estruturados em 21 capítulos separados

por três partes. A primeira parte entitula-se “a voz da Amazônia” e tem a finalidade de apresentar a realidade do território e de seus povos. O texto estruturase com base nas três conversões às quais nos convida o Papa Francisco: a conversão pastoral, à qual nos chama com a Exorta-

ção Apostólica Evangelii Gaudium (verescutar); a conversão ecológica, com a Encíclica Laudato Si’, que orienta o rumo (julgaratuar); e a conversão à sinodalidade eclesial, com a Constituição Apostólica Episcopalis Communio, que estrutura o caminhar juntos (julgar-atuar).

CAMINHADA Pela Vida e Pela Família realizada em Belém

n CAMINHADA levou fiéis à Paróquia São Pedro e São Paulo

A VII Caminhada Pela Vida e Pela Família da Arquidiocese de Belém ocorreu no dia 18 pela manhã. Antes

da caminhada para a Paróquia de São Pedro e São Paulo, localizada no bairro, houve a Santa Missa presidi-

da pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, na Paróquia São José de Queluz.

Os participantes se concentraram na Paróquia São José de Queluz, localizada na avenida Cipriano Santos, em Canudos, e ali foram recepcionados pelo pároco, padre Valdinei Silva. A caminhada seguiu pelas principais ruas de Belém e encerrouse Paróquia de São Pedro e São Paulo. Este ano, a mobilização se deu com base no tema “Família, fonte de vida amor e paz”. A Arquidiocese de Belém, por meio da Pastoral Familiar, bus-

ca com a mobilização social incentivar a sociedade a se manter

vigilante na defesa incondicional pela vida humana.

n MISSA celebrada antes da caminhada

VATICANO

Divulgação para a CELEBRAÇÃO DO DIA DO MIGRANTE

Com informações agência Ecclesia. A Secção para os Migrantes e Refugiados da Santa Sé preparou diversos materiais para a celebração do 105º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR), que a Igreja Católica viverá em 29 de setembro. A seção, que é dirigida pessoalmente pelo Papa Francisco, preparou um “kit” com subsídios como reflexões, orações, ideias para homilias e sugestões de encontros, cartaz, material para usar em sítios online e redes sociais.

O Papa escolheu o tema ‘Não se trata apenas de migrantes’, e o subtema ‘trata-se também dos nossos medos’, para o 105º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR), uma data que a Igreja Católica celebra desde 1914. No domingo 29 de setembro, Francisco presidirá Eucaristia, às 10h30, na Praça de São Pedro. Na pasta, que pode ser baixada diretamente no site da Seção, há reflexões, orações, ideias para homilias e encontros e diversas outras sugestões. Cada ficheiro pode ser descar-

regado, usado, impresso e partilhado livremente para apoiar a mensagem pastoral do Santo Padre e celebrar o Dia juntamente com comunidades, migrantes, refugiados, deslocados internos, vítimas do tráfico de pessoas e organizações que se dedicam à sua assistência. Para além da partilha de materiais, a Secção Migrantes e Refugiados convida os fiéis a partilharem a vivência/celebração desse dia nas comunidades através de vídeos, fotografias e outro material para o

endereço – media@ migrants-refugees.va. “Unamo-nos ao Papa Francisco solicitando, por intercessão da

Virgem Maria, Nossa Senhora da Estrada, abundantes bênçãos sobre todos os migrantes e refugiados do mundo e

sobre quantos se fazem seus companheiros de viagem”, apelo da secção da Santa Sé que é da responsabilidade do Papa.


8

IGREJA

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

NAZARÉ REPÓRTER n GUADALUPE EM FESTA

É H

preciso de mais força para reparar do que para construir, para recomeçar do que para iniciar, para reconciliar-se do que para estar de acordo. Esta é a força que Deus nos dá. (21 de agosto) oje recordamos todas as mulheres corajosas que vão ao encontro dos seus irmãos e irmãs em dificuldade. Cada uma delas é sinal da proximidade e da compaixão de Deus. (19 de agosto)

RÁDIO NAZARÉ FM 91 .3 MHZ

n O BOM DESEMPENHO DO CÉREBRO Você já parou para ver como vai seu desempenho no trabalho e nos estudos? O tema do programa “Educação e cidadania” de quarta-feira, 28, será “Exercícios para o cérebro: habilidades que contribuem para mantê-lo sempre ativo”. A Rádio Nazaré FM levará até você informações para manter a mente saudável, com mais concentração, raciocínio, memória, criatividade e autoestima. Sintonize 91,3 MHz a partir das 16h e participe! Para interagir, ligue 4006-9211 ou 9.8814-0275 (WhatsApp).

“Com Maria de Guadalupe anunciamos o Evangelho de Jesus Cristo na Amazônia”, e o lema “Fazei tudo o que Ele vos disser.” (Jo 2,5), a Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe festejará a padroeira de 1 a 12 de dezembro em Ananindeua. O pároco Antônio Célio Martins diz que "o tema e o lema renovam a espiritualidade e o carisma eclesiástico, apostólico e missionário paroquial". Dia15, o lançamento do cartaz, idealizado e criado por Gabriela e Rafaela Farinha, uniu as

DIVULGAÇÃO

comunidades paroquiais. Informações: (91) 3245-7440 ou no conj. Cidade Nova 1, trav. WE 10b.

n GRUPO DE ORAÇÃO JUBILAR DA RCC BELÉM A Capela de Santo Antônio de Lisboa, em Batista Campos, acolherá a noite de louvor da Renovação Carismática Católica sábado, 24, como gratidão ao Espírito Santo de Deus pela participação da RCC nas celebrações jubilares pelos 300 anos da Diocese de Belém do Pará. O evento iniciar-se-á com Missa às 18h30, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa, também Assessor da RCC Brasil. Logo em seguida acontecerá a Noite de Louvor com a presença de Armando Soares, coordenador estadual da RCC Pará, que animará os fiéis depois na capela que é de expressiva importância para a RCC, pois ali os grupos “Perseverança no Senhor” e “Glória no Senhor” foram os pioneiros das expressões do movimento na Arquidiocese de Belém.

TV NAZARÉ CANAL 30.1

n MISSA PELO SÍNODO DA AMAZÔNIA Acompanhe pele Rede Nazaré de Televisão, canal 30 – ou na sintonia da sua cidade, a Santa Missa que ocorrerá no encontro pré-sinodal que acontece em Belém até o dia 30, na Casa de Retiros Tabor, em Icoaraci. Reze junto com a Arquidiocese de Belém pelo Sínodo da Amazônia que acontecerá em outubro no Vaticano. A celebração contará com a presença de bispos da Pan-Amazônia que se encontram reunidos na capital paraense desde o dia 27.

n EAPADI: 21 ANOS DE MISSÃO Agentes da Pastoral do Dízimo, padres, diáconos, religiosos, leigos e dizimistas em geral são os convidados para a Santa Missa em Ação de Graças pelos 21 anos de missão da Equipe Arquidiocesana de Pastoral do Dízimo (EAPADI). A celebração será na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Belém, nodomingo, 25, às 10h, sob a presidência do padre José Maria Ribeiro, pároco da Paróquia Santa Maria, Mãe de Deus, no Maguari, e também o Assessor Eclesiástico da EAPADI na Arquidiocese de Belém.

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

BOA DICA

n MISSA DO MANDATO: TUDO AO VIVO, NO PORTAL Segunda-feira, 26, às 18h, a Missa do Mandato, na Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, poderá ser acompanhada pelo portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br) e pelas nossas redes sociais: Facebook:/FNCBelém e Twitter:@FundacaoNazare. Ajude-nos a realizar essa e outras transmissões, sendo um sócio evangelizador da Família Nazaré. Você contribui para levar o Evangelho mais longe. Acesse www.sejamaisum.com e junte-se à nossa campanha. Dia 30, o programa especial “Em Família”, às 9h, será ao vivo pelos veículos de comunicação da Fundação, e inteiramente dedicado a você, benfeitor da evangelização. Mais informações, ligue (91) 4006-9211 ou envie uma mensagem para (91)99315-5743.

n TUITANDO COM DEUS - Livro(Paulus, R$ 43,40)

"T

AGENDA DE DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA n SEXTA, 23 DE AGOSTO 19h – Missa (Paróquia Santa Rosa de Lima) n SÁBADO, 24 DE AGOSTO 10h – Missa e Crismas na Missão Belém (Benevides) 18h30 – Missa com a RCC da Arquidiocese (Capela de Santo Antônio de Lisboa)

n DOMINGO, 25 DE AGOSTO 9h – Missa e Crismas (Paróquia de Nossa Senhora de Fátima - Icoaraci) 12h – Missa (Fazenda da Esperança) 19h – Missa (Paróquia de São Pio X)

n SÁBADO, 24 DE AGOSTO 19h – Missa - Paróquia Nova Timboteua (festividade)

n QUARTA, 28 E QUINTA, 29 DE AGOSTO Reunião Pré-Sinodal da Amazônia

n TERÇA, 27 DE AGOSTO Reunião Pré-Sinodal da Amazônia 7h30 – Missa – 30 anos de Ordenação do

AGENDA DE DOM IRINEU ROMAN

n SEXTA, 23 DE AGOSTO 20h - Crisma - Paróquia São Geraldo Magela

Padre Sadeck (EEEFM Salesiana do Trabalho)

n DOMINGO, 25 DE AGOSTO 9h - Missa - Pastoral das Ilhas (encontro com as famílias) 19h - Missa - Comunidade Nossa Senhora das Graças (Paróquia São Judas Tadeu)

n TERÇA, 27 A QUINTA, 29 DE AGOSTO Assembleia Pré-Sinodal da Amazônia

AGENDA DE DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO n SEXTA, 23 DE AGOSTO Viagem a Brasília – Compromisso na CNBB n DOMINGO, 25 DE AGOSTO Viagem a Brasília – Compromisso na CNBB 18h - Missa e Crisma (Paróquia Santa Teresinha - Tenoné)

n SEGUNDA, 26 DE AGOSTO 18h – Missa do Mandato da Diretoria do Círio de Nazaré (Basílica Santuário) 19h – Missa - Comunidade Nossa Senhora das Graças (Paróquia São Judas Tadeu)

n TERÇA, 27 A QUINTA, 29 DE AGOSTO Assembleia Pré-Sinodal da Anazônia

uitando com Deus” tem como objetivo ajudar a crescer na fé e no relacionamento com Jesus, apresentando as noções básicas sobre a fé em Deus, com base na Bíblia e nos ensinamentos da Igreja Católica. As perguntas deste livro são perguntas verdadeiras, feitas por jovens que, durante vários anos, reuniam-se na paróquia do autor, na Holanda, para debater a sua fé. Todos os tópicos foram falados abertamente, e nada foi tabu. Portanto, não é de se esperar uma catequese completa neste livro: as respostas estão formuladas como seriam numa conversa com jovens. As perguntas foram agrupadas sob tópicos globais (divididos em quatro partes), de modo que sejam encontradas mais facilmente. Na parte 1, encontram-se as perguntas sobre Deus; na parte 2, as perguntas sobre a Igreja; na parte 3, as perguntas sobre a nossa relação com Deus, através da oração e dos sacramentos; na parte 4, as perguntas sobre a vida cristã, do ponto de vista da ética e da fé.

n QUANDO DEUS CHAMA - Livro (Paulinas, R$ 14,30)

P

ronunciamento do autor na abertura do Congresso Internacional dos Jovens Religiosos e Jovens Religiosas, realizado em Roma, de 29 de setembro a 4 de outubro de 1997, cujo tema foi ‘Vimos o Senhor’. A obra se apresenta não como uma conferência ou aula, mas como uma conversa ‘de igual para igual’, diz o autor, assumindo o papel do formador, que se identifica e se põe ao lado dos jovens religiosos seus irmãos. Depois de situar a vida religiosa como expressão da juventude da Igreja, aberta para o futuro e repleta de esperança, o autor analisa a vocação como um diálogo entre duas liberdades, a de Deus, que chama, e do consagrado, que acolhe o chamado à vida, à fé, ao dom total de si mesmo, no seio da Igreja e no meio do mundo.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

9

CAMETÁ celebra Jubileu de Ouro das Comunidades Cristãs PROGRAMAÇÃO intensa celebra a missionariedade das comunidades que partilham compromisso com a Igreja

A

segunda edição d o C o n g re s s o Diocesano das Comunidades iniciou no dia 22 e segue até domingo, 25. Neste ano, as celebrações são especiais por conta dos 50 anos das Comunidades Cristãs (C.C’s). O congresso reflete o tema “50 anos de C.C’s – Caminho, encontro, partilha e compromisso” e como lema “Eram perseverantes e Maria estava com eles” (At 1, 14). Para o bispo diocesano de Cametá, Dom José Altevir da Silva,o momento é um marco na vida da Igreja cametaense. “Um momento de celebrar as conquistas e alimentar as esperanças para fortalecer

ainda mais a história de fé desta Igreja local. O tema consiste em refazer simbolicamente o itinerário espiritual de Filipe com o eunuco etíope (At 8, 36-38). Filipe, obediente à ação do Espírito Santo, dirige-se para Gaza, cidade além das fronteiras de Israel. Encontra um etíope que acolhe bem a proposta. O relato mostra que a Palavra vence todas as barreiras: de raça (o etíope é negro), sociais, (é escravo), nacionais (é estrangeiro) e de religião (eunucos não poderiam pertencer à assembleia dos fiéis)”, afirma Dom Altevir. HISTÓRIA - As Comunidades Cristãs nasceram na diocese, na

n DOM JOSÉ ELIAS terá recordada a sua missão

época Prelazia de Cametá, a partir do dia 11 de fevereiro de 1969. As comemorações do jubileu recordarão, dentre tantos missionários e missionárias, a pessoa de Dom José Elias Chaves Júnior, mineiro, nascido em 28/04/1926. Foi sagrado o segundo bispo prelado de Cametá em 25/07/1980, e o lema episcopal era: “Evangelizar os pobres”. Exerceu seu ministério episcopal como bispo de Cametá entre 1980 a 1999. Por motivos de saúde, Dom Elias tornou-se emérito e voltou para Belo Horizonte, mas ainda pensava em retornar para ser missionário na região onde dedicou boa parte da sua vida. Mas, pelos desígnios de Deus, isso não foi possível, e Dom Elias veio a falecer no dia 31/10/2006, em sua cidade natal. No último dia do Congresso, os restos mortais de Dom José serão enterrados de modo solene na Catedral. O I Congresso das Comunidades aconteceu no ano de 1989, por ocasião das comemorações dos 20 anos das Comunidades Cristãs e teve como tema “Prelazia de Cametá, 20 anos de caminhahada comunitária", e como lema “Comunidade, o jeito de ser de Deus – C.C., nosso jeito de ser Igreja e inspiração para uma nova sociedade”. PROGRAMAÇÃO Na quinta-feira, 22,

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n DOM JOSÉ ALTEVIR "Um marco na vida da Igreja de Cametá"

ocorreu, na Estação Tucumã,a partir das 16h, a acolhida dos participantes das 740 Comunidades da Diocese (estima-se mais de 800 participantes), com um momento de mística acolhedora e de resgate histórico, em comunhão com o Sínodo da Amazônia. Logo após, palavra de abertura do bispo diocesano, Dom Altevir, e, para concluir, a Santa Missa Solene. Sexta-feira, 23, será realizada a trajetória histórica das Comunidades Cristãs, com palestras e também testemunhos de leigos e leigas que viveram o início das C.C’s., além de documentário sobre a vida e missão de Dom José Elias, e reflexões sobre o Sínodo da Amazônia, com o monge Marcelo Barros. No sábado, 24, haverá um retiro comunitário com o tema “Espiritualidade das C.C’s. – En-

contro Pessoal com Jesus Cristo”, sob orientação do bispo de Abaetetuba-PA, Dom José Maria Chaves dos Reis. Também nesse dia serão desenvolvidos os mutirões de reflexão com variados temas: “A presença de Maria nas C.C’s”; “histórico da Diocese de Cametá na ótica Eclesial 1617-2019”; “influências das mídias”; “Povos Tradicionais: indígenas, quilombolas e ribeirinhos”; “identidade das C.C’s e compromissos sociais”; “desafios do mundo urbano”; “religiosidade popular”; “Direitos Humanos”; “A comunidade canta”; “C.C’s e a juventude”; “Renovação Carismática e as novas expressões nas C.C’s”; “C.C’s e Políticas Públicas”; “C.C’s e Saúde Popular, Educação e Movimentos sociais”; “As liturgias nas C.C’s”; “C.C’s e violência no campo”; “C.C’s e a defesa da Casa

Comum”; “C.C’s e os desafios do Ecumenismo”; “A expressão do dízimo nas C.C’s”; e “C.C’s e a Missão”. Domingo, 25, todas as Comunidades diocesanas farão alvorada, às 5h, com fogos, alegria e partilha do café da manhã, anunciando 50 anos de história. Ainda nesse dia serão encaminhados os compromissos a serem assumidos enquanto Igreja, em preparação à IV Assembleia do Povo de Deus (2020). E, ao final da tarde, haverá uma caminhada pelas ruas da cidade, saindo da Igreja Matriz de Santa Maria em direção à Catedral de São João Batista, onde aconteceráa celebração eucarística do aniversário de 50 anos das C.C’s. Seguida do enterro dos restos mortais de Dom José Elias na Catedral e noite de congraçamento das Comunidades.

Arquidiocese de Porto Velho recebe NORTÃO DE PRESBÍTEROS

E

ntre os dias 26 e 30 de agosto, no Centro de Pastoral da Arquidiocese de Porto Velho (RO), acontecerá o IV Nortão de Presbíteros com expectativa de reunir 100 sacerdotes dos quatros regionais da Amazônia (Norte 1, Norte 2, Norte 3 e Noroeste). O evento terá assessoria de Padre Rosimar José de Lima Dias, da arquidiocese de Cuiabá e doutor em Psicologia. O IV Nortão de Presbíteros, em Porto Velho (RO), iniciará na segunda-feira, 26, com jantar às 19h e concluirá às 10h na sexta-feira, 30. O tema que norteará o encontro é: Vocação e discernimento do Presbítero – contribuições da Psicologia e como lema: Mostrai-me, Senhor, os teus caminhos (Sl 25,4). A assessoria será do Padre Rosimar José de Li-

ma Dias, doutorado e pós doutorado em psicologia clínica pela Argosy University – EUA. Padre Tiago, presidente da CRP Noroeste, afirma que o Nortão é uma oportunidade de aproximar, partilhar, descontrair e colaborar mutuamente: “Nós presbíteros precisamos desses momentos. É certo que em muitas dioceses isso já está acontecendo e que bom que os padres estão sentindo essa necessidade. Contudo, ainda precisamos avançar muito nessa direção da comunhão presbiteral entre nós, pois a eficácia do nosso serviço ao povo de Deus passa pela interação entre nós presbíteros nessa tão desafiadora Igreja na Amazônia.” O arcebispo de Porto Velho, Dom Roque Paloschi, estará presente

em todo evento e, em uma tarde fará o repasse sobre os encaminhamentos para o Sínodo para a Amazônia. Pelo Regional Norte 2, 24 padres estarão presentes: Arquidiocese de Belém: Pe. André Maia Teles, Cônego Sílvio Trindade e Pe. José Maria Ribeiro; Diocese de Abaetetuba: Pe. Marcos Belém e Pe. Sebastião; Diocese de Bragança do Pará: Pe. Márcio; Diocese de Cametá: Pe. Edmilson Furtado, Pe. João Crisóstomo, Pe. Joelson Júnior, Pe. Joelson Nacimento e Pe. Sandro Giovanni; Diocese de Castanhal: Pe. Carlos Gomes; Diocese de Macapá: Pe. Francivaldo Lima, Pe. Railson, Pe. Rosielson e Pe. Paulo Ney; Prelazia do Marajó: Pe. Marcelo; Diocese de Óbidos: Pe. Emmanuel, Pe. Sebastião Sadeck; Diocese de Santarém: Pe. Auricélio Paulino, Pe.

Antônio Jorge e Pe. Alaelson; e Prelazia do Xingu: Pe. Alírio Bervian e Pe. Waldemar. NORTÃO DOS PRESBÍTEROS A primeira edição do Nortão, em novembro de 2011, ocorreu em Manaus (AM) com sacerdotes do regional Norte 1, Norte 2 e Noroeste reunindo 120 presbíteros, 6 bispos oriundos de dessas dioceses e prelazias. Este primeiro evento contou com assessoria do teólogo Padre Libânio, S.J. e teve como objetivo reunir os presbíteros das Igrejas particulares na Amazônia para a escuta das experiências vividas, estreitar nossos laços da fraternidade presbiteral, priorizar a formação permanente e lançar as bases da construção de um pro-

jeto de articulação em nível inter-regionais. Em 2014 a Arquidiocese de Belém (Norte

2) sediou o II Nortão e, em 2017 a Arquidiocese de Palmas (Norte 3) acolheu o III Nortão.


10

EM NAZARÉ

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

NAZARÉ EM DESTAQUE

MISSA DO MANDATO celebra início oficial do Círio 2019 SÃO ESPERADOS cerca de três mil fiéis representando todas as paróquias que integram a arquidiocese

N

o próximo dia 26 de agosto, segunda-feira, ocorre na Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré a celebração da Missa do Mandato, que marca a abertura da programação oficial do Círio 2019. A partir da solenidade devem iniciar-se as peregrinações das imagens de Nossa Senhora de Nazaré aos lares paraenses. Esta tradição objetiva preparar espiritualmente os devotos para a grande festa da Rainha da Amazônia. Durante

a Missa, serão abençoadas as imagens da Virgem de Nazaré que percorrerão diversos bairros de Belém. A Missa será presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, a partir das 18h. Para o Diretor de Evangelização da Festa de Nazaré, Jorge Xerfan, a Missa do Mandato é um dos grandiosos momentos do Círio: “Este é um dos momentos em que convidamos os devotos a rezar e a preparar os corações para, de fato,

sentir o Círio que se aproxima”. Ainda segundo ele, para a Diretoria, o Círio começou em janeiro deste ano, com o planejamento das atividades, mas, para os dirigentes de paróquias e fieis, este é o momento de sentir que a festa da fé começou. Durante as peregrinações, que acontecerão até as vésperas do Círio, a estimativa da Diretoria da Festa de Nazaré é de que a imagem da Virgem Peregrina visite mais de 100 mil lares paraenses. As paróquias que

YÊDA SOUSA

n MISSA DO MANDATO marca abertura da programação oficial do Círio desejarem adquirir kits para as peregrinações podem encomendar na Loja Lírio

MIL AVE MARIAS será neste sábado, 24 A recitação das Mil Ave-Marias tem como objetivo intensificar o momento de espiritualidade e intenções para a realização do Círio de Nazaré. Nesse momento especial, os fiéis pedem a intercessão da Rainha da Amazônia pelas suas intenções pessoais e também pela grande festa da evangelização. O diretor de evangelização do Círio 2019, Jorge Xerfan, afirma que o evento já faz parte da programação oficial do Círio: “É uma preparação espiritual para

que a Diretoria do Círio, as comunidades e todos aqueles que colaboram conosco nessa nossa missão, que é a realização do Círio, possam estar preparados espiritualmente para poder realizá-lo da melhor forma possível. Começamos às 8h30, como se fosse um Terço rezado, os mistérios do Terço. Um Pai Nosso, as Ave-Marias, o Glória ao Pai, sendo que, em vez de dez a dez Ave-Marias, fazemos de 50 a 50, com o rodízio entre os casais, a Guarda de Nazaré e as pessoas convidadas a

se fazer presentes”. Ao final da programação, Santa Missa, presidida

pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira. Participe! ALINE ANDRADE

n MIL AVE MARIAS: momento de espiritualidade

Inscrições abertas para o concurso de REDAÇÃO DO CÍRIO Estudantes do ensino médio das redes pública e particular de todo o Estado poderão inscrever-se a partir de 26 de agosto no XXV Concurso de Redação do Círio, destinado a premiar os autores das melhores obras e seus respectivos professores. Cada escola poderá inscre-

ver até dois alunos. O certame será realizado no dia 29 de setembro, às 8h, no Centro Social Nazaré. Com o tema “Maria, Mãe da Igreja”, o mesmo do Círio 2019, os candidatos deverão desenvolver uma redação em prosa de no mínimo 12 linhas e, no máximo, 30. “Já

são 25 anos trabalhando, incentivando e contribuindo com a formação espiritual de nossos jovens”, destacou a coordenadora do concurso, Lilian Acatauassú. Os alunos interessados deverão preencher a ficha de inscrição, disponível no site www. ciriodenazare.com.

LANÇAMENTO do livro do padre José Ramos Histórias da família, da infância, da juventude, vocação, dos estudos e ainda sobre a vida sacerdotal. Tudo contado em uma obra escrita para celebrar os quarenta anos de vida missionária e trinta anos destinados ao sacerdócio, escrita pelo

Superior da Província Norte dos Clérigos Regulares de São Paulo, Padre José Adelson Maria Ramos das Mercês. O lançamento da publicação “Trinta anos edificando a Esperança e a Fé”, aconteceu na última semana ao final de Missa realizada na

Basílica Santuário de Nazaré. A sessão de autógrafos, com a presença do autor, aconteceu na Loja Lírio Mimoso. O livro está à venda na loja oficial do Santuário da Rainha da Amazônia que fica ao lado da Basílica de Nazaré.

br e encaminhar para o e-mail secretaria@ ciriodenazare.com.br, junto com a cópia do documento de identidade. As fichas também poderão ser encaminhadas, de 12h às 20h, para a secretaria da Diretoria da Festa, situada na Praça Justo Chermont, Centro Social Nazaré.

Mimoso (que fica ao lado da Basílica de Nazaré). Cada kit contém uma Imagem

de Nossa Senhora de Nazaré, livros de peregrinações e cartazes do Círio 2019.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

11

Arquidiocese realiza a festividade da padroeira SANTA MARIA DE BELÉM

PROGRAMAÇÃO da padroeira da capital e da arquidiocese tem início na sexta-feira, dia 23

N

os 300 anos de criação da Diocese de Belém do Pará, consagrada a Santa Maria de Belém, a Catedral Metropolitana promove a partir desta sexta-feira, 23, a festividade em honra da padroeira da capital e Arquidiocese com ampla programação. Este ano as atividades serão orientadas pelo tema “Maria de Belém, estrela da evangelização” em alusão a Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium” (Alegria do Evangelho, em Português). Para o Cônego Roberto Cavalli Junior, Cura da Sé, mais uma vez os paroquianos são convidados a viver com alegria o festejo em honra da padroeira: “É um momento de graça para

quem participa, pois ela nos concede a oportunidade de celebrarmos a nossa fé, por isso em nossa programação temos vários eventos, terços marianos, novenas, santas missas, procissões e nossas noites culturais. Todos eles devem nos ajudar a colocar em prática nossa fé, nossa fraternidade e nossa comunhão”. A temática, Cônego Roberto explica, reforça o que propõe o Papa Francisco de que Maria é mulher de fé, que vive e caminha na fé, por isso sua excepcional peregrinação de fé constitui sempre um ponto de referência para toda a Igreja: “O Santo Padre nos lembra também que nesta peregrinação evangelizadora não fal-

tam as fases de aridez, de ocultação e até de certo cansaço, como as que viveu Maria nos anos em Nazaré enquanto Jesus crescia”. Por fim conclui: “é nela que devemos nos inspirar e seguir firme na missão de anunciar seu Filho Jesus Cristo. Portanto supliquemos o auxilio constante da Virgem de Belém para que nunca deixe faltar o paráclito que dá vida e faz crescer a missão da Igreja”. PROGRAMAÇÃO

Na sexta-feira, 23, a partir das 20h, no Salão dos Pontificais, abertura da festividade de Santa Maria de Belém com jantar e música ao vivo. No domingo, 25, concentração em frente a Catedral, às 8h, Carreata de Santa

Maria de Belém. Ainda no domingo, às 18h, bênção e abertura do arraial seguido de Santo Terço, celebração eucarística. A atração da noite será a banda Warilou. De 26 a 31 a programação seguirá um mesmo formato: Terço às 18h, Novenário Solene às 18h30 e Santa Missa às 19h, com um bispo convidado como celebrante. No dia 1º de setembro, festa litúrgica de Santa Maria de Belém, haverá missa solene às 7h e 9h. No período vespertino, às 17h, II Vésperas Solene – Te Deum, com o Cabido Metropolitano e, às 18h, Pontifical Solene com presidência de Dom Alberto Taveira, Arcebispo Metropolitano. Após o ato litúrgico, procissão luminosa.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

nTEMA "Maria de Belém, estrela da evangelização”

Condor celebra NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS O tema “Maria, Mestra e Mãe da Igreja” e o lema “Todas as gerações me chamarão de Bemaventurada” (Lc 1-48) direcionam a festividade de Nossa Senhora das Graças da comunidade pertencente à Paróquia de São Judas Tadeu, na Condor. Com carreata, procissão das crianças, trasladação e procissão luminosa, o festejo inicia-se no domingo, 25, e estende-se até 1º de setembro. Em mensagem voltada a comunidade o pároco, Padre Rafael Brito, comentou a temática da 33ª edição do festejo “Como mãe de Jesus Cristo, na totalidade de suas duas naturezas, a divina e a hu-

mana, Maria também é Mãe da Igreja (Mater Ecclesiae) que é corpo de Cristo e da qual Cristo é a cabeça”. Prosseguiu, ainda, afirmando que “Maria também é mestra da Igreja (Magister Ecclesiae) porque nos ensina mais com seu testemunho do que com suas palavras. (...) É mestra da Igreja porque é o modelo e inspiração de vida cristã para todos os cristãos”. Por fim, concluiu dizendo o tema precioso será mais abordado e aprofundado nos círculos de estudos e peregrinações, sendo motivo para o aumento da devoção e amor para com Maria. Como forma de pre-

parar espiritualmente os fiéis para o festejo, realizou-se no dia 17, sábado, espiritualidade da juventude, nos altos do salão paroquial e, no dia seguinte, 18, às 8h, 3ª carreata de Nossa Senhora das Graças que teve concentração na Praça Santa Isabel, na área portuária de Belém. No sábado, 24, haverá caminhada da juventude de Nossa Senhora, com saída da Matriz e chegada na comunidade de Nossa Senhora das Graças. O programa da festividade iniciase oficialmente no dia 25, às 19h, com celebração eucarística presidida por Dom Irineu Roman, um dos bispos

auxiliares de Belém. Na segunda-feira, 26, o celebrante será Dom Antônio de Assis Ribeiro. No dia 31, sábado, às 18h, haverá traslado com a imagem da padroeira com saída da Comunidade de Nossa Senhora de Fátima, no Conjunto Radional II, em direção à Igreja de São Judas Tadeu. No dia seguinte, 1º de setembro, a partir das 18h30, procissão luminosa de Nossa Senhora das Graças, com saída da Matriz e chegada na Comunidade de Nossa Senhora das Graças, situada na passagem Allan Kardec. Na chegada, haverá Santa Missa presidida pelo pároco, Padre Rafael.

VISITA da imagem de Santa Maria de Belém à Fundação Nazaré de Comunicação e à Cúria Metropolitana Quarta-feira, 21, às 16h, a Fundação Nazaré de Comunicação e a Cúria Metropolitana de Belém receberam a visita da imagem de Santa Maria de Belém, a padroeira da

Arquidiocese de Belém e também da capital do Estado do Pará. Entronizada no altar da capela da Fundação Nazaré, a imagem permanceu na presença de

funcionários de ambas as instituições durante a Santa Missa presidida pelo Cura da Catedral Metropolitana de Belém, cônego Roberto Cavalli. A visita da imagem de

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

Santa Maria ocorreu dentro do calendário de peregrinação que antecede a festvidade da padroeira que começará no dia 23 e seguirá até o dia 1 de setembro, conforme informou cônego Roberto. MISSA

n VISITA da imagem culminou com Missa na capela da Fundação Nazaré

Celebrando a memória de São Pio X, cônego Roberto presidiu a Santa Missa agradecendo pela acolhida da imagem de Santa Maria pelas instituições arquidiocesanas. Na homilia, cônego Roberto destacou a importância da perseverança na fé, tendo Santa Maria como modelo de discípula. Ratificou, conforme a liturgia, que "devemos

nHOMILIA "Maria é modelo de fé e perseverança" ter Nosso Senhor como único Salvador", e ressaltou que "nos 300 anos da missão de nossa Igreja, sempre contamos com a intercessão dela que, por amor a Deus, nos deu

testemunho do seu "sim" por toda a sua vida". Concluindo, cônego Roberto pediu "a Deus, pela intercessão de Santa Maria, bençãos para a Fundação Nazaré".


12

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 23 A 29 DE AGOSTO DE 2019

FAMÍLIA NAZARÉ

Sexta-feira, 30, o programa “EM FAMÍLIA” ESPECIAL É TODO voltado aos sócios evangelizadores da Família Nazaré

A

Fundação Nazaré de Comunicação já tem quase tudo pronto para o programa especial “Em Família” que vai ao ar na próxima sexta-feira, 30, ao vivo, das 9h às 12h. Inteiramente dedicado à Família Nazaré, o programa será transmitido ao vivo pela Rede Nazaré de Televisão para promover uma manhã muito festiva em homenagem aos sócios benfeitores que ajudam a manter a obra de evangelização da Arquidiocese de Belém, propagada para o povo de Deus em Belém do Pará pelo meios de comunicação – Rádio Nazaré FM, Rede Nazaré de Televisão, Portal Nazaré e o Jornal Voz de Nazaré. A programação terá a participação especial de Dom Irineu Roman, um dos bispos auxiliares da Arquidiocese de Belém, e será apresentado pelo padre Wagner Lima e por Elyvane Barbosa. O programa irá abordar as vocações, e para falar dos diversos aspectos da vivência de cada uma delas os convidados especiais dirão aos teles-

pectadores das diversas informações a respeito da missão da Igreja realizadas conjuntamente com os vocacionados nas áreas da vocação sacerdotal, da vida religiosa consagrada, da vocação familiar e dos leigos. SORTEIO No decorrer do programa será sorteada entre os benfeitores uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Se você ainda não é um sócio evangelizador da Família

LUIZ ESTUMANO

Nazaré, poderá cadastrar-se ao longo da apresentação do programa e, dessa forma, ser um membro da família dos benfeitores da evangelização arquidiocesana. VISITA O benfeitor pode comparecer à Fundação Nazaré de Comunicação e acompanhar o programa ao vivo. Também pode visitar as instalações da instituição e conhecer o trabalho realizado.

n ELYVANE e pe. Wagner, os apresentadores do programa

CAMPANHA SEJA MAIS UM Colabore com a obra de evangelização da Arquidiocese sendo mais um benfeitor da Fundação Nazaré de Comunicação. O cadastro pode ser feito pessoalmente na sede da Fundação, situada na avenida José Malcher, nº 915 – Edifício Paulo VI, Nazaré, de segunda a sábado, das 7h às 19h. Ou pelos sites oficiais (www.sejamaisum.com), (www. fundacaonazare.com.br), ou pelo telefone (91) 4006-9211. Se preferir entrar em contato por e-mail, envie mensagem para famjor@fundacaonazare. com.br e faleconosco@fundacaonazare.com.br

NOSSOS ANIVERSARIANTES 23/08 Alda Terezinha Pinheiro Rodrigues Ana Das Gracas Graim Mendonca Antonio Valdino Matos Soares Joana Padilha Souza Djanira Ribeiro Da Rocha Raimundo Anselmo Carmen Lucia Farias Ferraz Oscar Rabelo Furtado Aldovrando Amoras De Oliveira Junior Celio Palheta Ferreira Eliana Brito Dos Santos Guilherme Da Cunha Souza Honorata Magno De Matos Maria De Nazareth Oliveira Gomes Miguel Benedito De Sena Filho 24/08 Alessandro Wladeston De Oliveira Deolinda Sales Chaves Otavia Maria De Sousa Mendes Francisca Gomes Siqueira Maria Regina Lobato Maria Regina Lobato Feitosa Djanira Braga Santos Joao Alves Barbosa Maria Tereza De Figueiredo

Izabel Lourenca De Souza Batista Leoniza Ferreira Da Silva Helio Tadeu Dos Santos Castro Zila Do Socorro Do Carmo Martins Pereira Afonso Brandao Goncalves Jefferson Luis Pereira Vieira 25/08 Adalberto Rodrigues Montenegro Diacono Adalberto Rodrigues Montenegro Roseana Nina Ribeiro Tereza Cristina Silva Eunice De Jesus Rodrigues Da Costa Mariana Do Rego Lima Ruth Helena Silva Barata Elisa Estelita Vasconcelos Luz Maria Amelia Ribeiro De Oliveira Joao Afonso Da Luz Cavalcante e Celia Nazare Cavalcante Joelma Silva De Menezes Katiane Loise Franca Navegante Araujo Luciano Martins Dos Santos Francidalva Do Socorro Oliveira Nascimento John Lennon Brito Da Silva 26/08 Maria Da Conceicao Barbosa Brabo

Maria Luiza Girard Teixeira Maria Do Socorro Furtado Da Silva Maria De Lourdes Lima Seixas Maria Doralice Lima Natividade Roberto Barbosa Silva Dos Reis Octávio Ribeiro Guilhon Marcilene Sena Pacheco Erica Feio Carneiro Nunes Roberta Costa Brandao Alves Maria Clara Costa Brito 27/08 Laura e Edwald Nobre De Castro Jaelcio Barros Pereira Ana Claudia Rocha Ruth Castro De Barros Eliete Cardoso Sampaio Regina Celis Silva Flores Maria Brabo Alves Maria Lucideia Da Silva Campos Elma Gomes Almeida Francisco Nogueira Sandra Maria De Souza Lopes Selma Miranda Leao De Menezes Vinicius Guerreiro Milhomem De Miranda 28/08

Luis Bento De Oliveira Maria Augusta Cardoso Carvalho Raimundo Carlos Da Silva Mendonca Maria Edite Felicio Felix Maria De Lourdes Da Silva Ribeiro Maria Do Socorro Leal Mendes Maria De Lourdes Dos Santos Meireles Nadson Do Nascimento Miranda Neusa Soares Da Rocha Maria Benedita Cordovil Da Silva

Raimundo Pinheiro Da Costa Rosa Maria Cardoso 29/08 Hebert Paixao Do Nascimento Maria Elza Da Cruz Oliveira Maridete Daibes Pereira Ada Gloria Dos Santos Barbosa Maria Edna Maciel Dornelas Vilma Socorro Correa De Souza Carlos Amaro Costa De Oliveira Jose Augusto De Almeida Rodrigues Mayco Michel Da Silva Coelho

n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 24/08 - Diác. Ronan Soares da Silva 25/08 - Pe. Luiz Rabelo Santos 25/08 - Diác. Adalberto Rodrigues Montenegro 27/08 - Pe. Nilton César Reis

n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 27/08 - Pe. Rúzevel do Socorro Lourinho Ferreira