__MAIN_TEXT__

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 955 - PREÇO AVULSO: R$2,00

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

www.fundacaonazare.com.br

VIVA CRISTO REI DO

UNIVERSO!


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

N

o lançamento do Sínodo A rq u i d i o c e sano – (Quem ainda lembra?!) – em 15 de novembro de 2018 foi distribuído para todos um “folder explicativo” de todo o caminho previsto até a sua realização. Tudo começava a andar dentro do planejado, quando, de repente, tivemos que interromper a caminhada. Tudo parou por causa da pandemia. Vivemos (e continuamos ainda a viver) um tempo anormal, com poucas atividades pastorais possíveis, com celebrações litúrgicas com limites de parti-

PE. HELIO FRONCZAK heliofronczak@gmail.com

SÍNODO ARQUIDIOCESANO

A participação das paróquias no Sínodo cipação presencial. E alguns afirmam que, daqui pra frente, este será o “novo normal”. Esperamos que, em breve, tenhamos soluções efetivas para este grave problema que nos assola. Uma das questões apresentadas no referido folder era esta: “Qual será a participação das paróquias no sínodo arquidiocesano?”. Repor-

to aqui a resposta. “As paróquias estarão muito envolvidas no processo de preparação do sínodo com encontros de oração, reflexão e aprofundamento do tema, que culminarão em assembleias paroquiais para o Sínodo. Será distribuído para as paróquias o livrinho “Regulamento do Sínodo Arquidiocesano 2021” que explica todo o processo

H

á mais de dois mil anos já fomos ensinados sobre o perdão, mas muitos de nós permanecemos acreditando que perdoar é sinal de fraqueza e não conseguimos dar o primeiro passo para oferecer o perdão ao outro. No entanto, perdoar nos permite avançar, reciclar ressentimentos, nos liberta; é um ato de coragem e de força! Há muitas razões para perdoar, inclusive há estudos científicos que comprovam uma estreita relação entre o perdão e a redução da ansiedade, da depres-

de participação das forças vivas da Arquidiocese. Este documento esclarece que a etapa preparatória nas paróquias “destina-se à reflexão e à tomada de consciência sobre a vida e a missão eclesial e para um diagnóstico da Arquidiocese, a partir das suas ‘bases’, nas comunidades e organizações pastorais do âmbito paroquial e das Regiões Episcopais”;

consta, ainda, que “em cada paróquia, deve ser constituída uma Comissão Paroquial do Sínodo, coordenada pelo Pároco (ou Administrador Paroquial); compete à Comissão Paroquial preparar e acompanhar as ações do sínodo na paróquia”. Neste tempo de preparação para o sínodo continua, certamente, em vigor para a vida pastoral das paróquias o atual

BIANCA MASCARENHAS Psicóloga e formadora do Seminário São Pio X (mascarenhaspsi@yahoo.com.br)

HUMANUS

70 X 7 são e de outros sentimentos e comportamentos que afetam diretamente nossa qualidade de vida. Por quê? Porque se esqueceu do que lhe fizeram? Não, perdoar não é esquecer; não é negar o que aconteceu, o que doeu; não é “aceitar” o que nos prejudicou, mas, perdo-

ar é aprender a “deixar ir” para reinventar um novo eu que tem forças para se libertar e aproveitar o presente e construir um futuro livre dos ciclos das recordações, dos ressentimentos, de um ódio persistente em relação a um evento ou determinada pessoa, de uma infelicidade

crônica. É deixar de sentir as emoções tóxicas da raiva e do ódio, que só trazem mais dor, mais doenças, mais desequilíbrio mental e emocional. Mas, importante lembrar, que o ato de perdoar não quer dizer concordar, aceitar os valores, os pensamentos, os motivos, as atitudes da pes-

Plano de Pastoral da Arquidiocese. As pastorais, movimentos e realidades que estão presentes nas paróquias também deverão estar inseridas nesse trabalho de preparação, além daquilo que já fazem normalmente. Se prevê, portanto, que será um ano de intenso trabalho”. Lembro ainda a todos que as “Novenas de Natal 2020” tem referências importantes para a nossa caminhada sinodal. Esperamos que todas as paróquias da arquidiocese possam utilizar este livro de novenas de natal, para que “a cidade se encha de alegria”.

soa que me prejudicou, machucou, não! Talvez nunca consigamos perdoar completamente a outra pessoa, mas podemos escolher nos libertar de ressentimentos e respirar melhor! O perdão é um processo! É uma oportunidade para se livrar de amarras do passado e seguir adiante! Perdoar é ampliar as suas possibilidades de amar! É, portanto, uma das melhores habilidades que podemos desenvolver como seres humanos. O perdão não é um sentimento, é uma decisão! Decisão de seguir em frente!

ELEIÇÕES em Belém serão decididas no segundo turno Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Eguchi (Patriota) seguem na disputa E l e i t o re s d e Belém voltarão às urnas no dia 29 de novembro para escolher em 2º turno das eleições municipais o novo prefeito da capital do Estado do Pará. Disputam o Executivo Municipal os candidatos Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Eguchi (Patriota). Finalizada a apuração do 1º turno, Edmilson obteve 34,22% dos votos e Eguchi, 23,06%. O Delegado Federal Eguchi (Patriota) não fez coligação para as eleições municipais em Belém. Candidato da coligação “Belém de novas ideias” (PSOL, PT, PCdoB, PDT, PCB, Rede e UP) Edmilson Rodrigues (PSOL), 63 anos, tem como vice Edilson Moura, do PT, 57 anos, e pela 5ª vez disputa a prefeitura. Prefeito de Belém entre 1997 e 2000, foi reeleito para 2001 a 2004. Além disso, já atuou como deputado estadual em três mandatos e dois como deputado federal.

O Legislativo estadual foi a primeira inserção política do professor e arquiteto Edmilson Rodrigues, eleito pelo PT em 1987. A filiação ao PSOL ocorreu em 2005, e foi eleito deputado estadual pelo partido em 2010, e deputado federal, em 2014. Derrotado na eleição para prefeito de Belém, ele foi reeleito deputado federal pelo Pará em 2018. Everaldo Jorge Martins Eguchi, formado em Direito e Economia, tem 57 anos, é delegado da Polícia Federal. Concorreu pela primeira vez em 1918 a deputado federal pelo PSL no Pará, mas não foi eleito. DESAFIOS – O futuro prefeito de Belém irá governar a segunda cidade mais populosa da região Norte do país. Estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indica 1.499.641 habitantes, e o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) era de 0,746 em 2010, considerado um alto índice de desenvol-

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉMPARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

DIVULGAÇÃO

n SEGUEM NA DISPUTA Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Eguchi (Patriota)

vimento humano. O próximo prefeito acolhe uma cidade marcada como a 5ª capital brasileira com a maior taxa de mortes violentas intencionais. Na capital paraense, a taxa de mortes violentas intencionais foi de 38,3 por 100 mil habitantes em 2019, segundo dados da mais recente edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

PELO BRASIL - Podem ter segundo turno as cidades com mais de 200 mil eleitores e, assim, 57 cidades brasileiras irão às urnas outra vez no dia 29, para decidir seus prefeitos em 2º turno. Dentre as cidades ainda sem o resultado final, 18 são capitais. Duas das cidades (Duque de Caxias e Volta Redonda, ambas no Rio de Janeiro), a eleição depende de uma decisão da Justiça

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA/DIAGRAMAÇÃO Fernando Sette Câmara Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

Eleitoral, já que os candidatos mais votados estão “sub judice” (ou seja, tiveram as candidaturas indeferidas, mas ainda recorrem). Mesmo tendo recebido mais de 50% dos votos válidos, eles aguardam para serem decretados vitoriosos. Apagão no Amapá acarretou a suspensão das eleições em Macapá, uma das cidades onde pode haver segundo turno.

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

O

Reino de Deus está no meio de nós! Aprendemos do Senhor que não é necessário andar por aí a buscar manifestações externas do Reino de Deus, mas encontrá-lo na discrição de sua presença efetiva e silenciosa, justamente onde ele mesmo, o Senhor Jesus, se faz presente, tan t o q u e d i z e m os tantas vezes na liturgia que “ele está no meio de nós”. E a Igreja nos propõe festejar a realidade e os valores do Reino de Deus, na Solenidade de Cristo Rei, marca do final do Ano Litúrgico. Certamente a reflexão sobre o Reino de Deus chega oportuna, quando as últimas semanas nos falam de eleições. Pode ser em outras partes do mundo ou no peque-

O Reino de Deus já está presente. Abramos os olhos e o coração para identificar o bem que é feito em torno de nós no horizonte de nossos municípios brasileiros. As dificuldades são tantas, os desafios imensos, e é incrível como tanta gente quer os espaços de poder! Exercê-lo não é simples, mas provocante! Os poderes do mundo atraem e os cristãos, que vivem neste mundo, mas não são do mundo, devem conviver, algumas vezes competir, pelos espaços de poder, sendo provocados por outras realidades que lhes são oferecidas pela fé professada. Como viver neste mundo sem

CONVERSA COM MEU POVO

VENHA a nós o vosso Reino! perder a perspectiva do Reino de Deus? Apaixonar-se pelo Reino! Podemos percorrer as páginas dos Evangelhos a identificar que Jesus veio para proclamar, anunciar com força e fazer acontecer o Reino de Deus. Escolher este Reino é fazer uma verdadeira revolução em nossa alma. Trata-se de mudar o rumo de nossas escolhas. Viver apenas para si ou pelos limitados interesses que nos atraem só leva a uma progressiva frustração. Viver para acumular bens, ou buscar elogios, mergulhar na incontrolável busca de prazeres, competir apenas pelos espaços na sociedade, numa luta que comporta muitas vezes destruir os outros, este é um projeto que nos destrói por dentro! A provocação positiva que Jesus nos faz no Sermão da Montanha é diferente: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mt 6,33). Mudemse as perspectivas de vida. Trata-se de um novo modo de viver, deixar de viver para si e viver para o Senhor. Vamos lá! O Reino de Deus já está presente. Abramos os olhos e o coração para identificar o bem que é feito em torno de nós. Descobrir a importância dos pequenos gestos, a reta intenção, a simplicidade de vida que revela tesouros inimagináveis! Há muito bem sendo feito pelas pessoas. Estes meses difíceis pelos quais passamos nos fizeram descobrir muita gente generosa, muitas experiências de partilha e caridade, desejo de crescer, generosidade imensa em pessoas que talvez fossem julgadas negativamente. Faz-se necessário ca-

var a terra em torno dos corações para verificar que existem raízes de bem, que não foram destruídas nem mesmo pelas aventuras erradas da vida de tantos irmãos e irmãs. Então, olhar ao nosso redor e descobrir o bem que existe no coração das pessoas e na sociedade! Outro passo será o compromisso com os valores do Reino de Deus. A Missa da Solenidade de Cristo Rei descreve o Reino que Jesus vai entregar ao Pai: “reino da verdade e da vida, reino da santidade e da graça, reino da justiça, do amor e da paz”. Onde estes valores estiverem presentes, lá estarão os cristãos! Prestar atenção, comprometer-se, solidarizar-se com quem se identifica com estas realidades, purificar-se de tudo o que dele pode afastar-nos, priorizar o que nos aproxima das atitudes próprias do Reino de Deus, saber compartilhar a procura do bem existente nas outras pessoas, mesmo aquelas que em muitos aspectos pensam diferente de nós. E Jesus marcou um encontro definitivo conosco no fim dos tempos. É como um exame final, do qual sabemos as questões que serão apresentadas: “Eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa; estava nu e me vestistes; doente, e cuidastes de mim; na prisão, e fostes visitar-me’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede, e te demos de beber? Quando foi que te vimos como forasteiro, e te recebemos em casa, sem roupa, e te vesti-

n SOLENIDADE de Cristo Rei, marca do final do Ano Litúrgico

mos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’ (Cf. Mt 25,35-40). O Reino de Deus acontece quando sabemos antecipar o fim, a finalidade de tudo! Começar imediatamente, reconhecendo a presença de Jesus no próximo, para que o Reino venha, pois somos todos chamados a ele. Enquanto esperamos e apressamos a vinda do Dia de Deus (Cf. 2 Pd 3,12), participamos de um caminho rumo à plenitude, como nos anuncia a Liturgia de Cristo Rei: “É preciso que ele reine, até que Deus ponha todos os seus inimigos debaixo de seus pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. Com efeito, Deus pôs tudo debaixo de seus pés. Ora, quando ele disser: ‘Tudo está submetido’, is-

so, evidentemente não inclui aquele que lhe submeteu todas as coisas; mas quando tudo lhe estiver submetido, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos” (1 Cor 15,25-28). Se esperamos que Deus seja tudo em todos, a Solenidade de Cristo Rei se reveste de missão, indo ao encontro dos outros, pois “há muitos recantos em nossos corações e na humanidade nos quais não é acolhido o reinado de Cristo. Até que um só dos membros de seu corpo ainda não se dispõe a oferecer-se com ele ao Pai, ele não dará por cumprida a sua obra. Nele não existe resignação de deixar alguém para trás. Na Eucaristia, temos a oportunidade ideal para renovar a nossa escolha. Nele o Cristo se oferece ao Pai e oferece consigo todo o seu corpo, numa única e indivisa oferta. Antecipa-se no mistério a entrega do Reino ao Pai que

acontecerá no fim dos tempos. Como um riacho que deságua num rio, como que atraído pelas grandes águas, para ser levado ao mar, nós nos lançamos, mergulhando-nos em Cristo”. (Cf. Raniero Cantalamessa, Gettare le retti, Anno C, p. 344), PIEMME, 2004) Venha a nós o vosso Reino!

O Reino de Deus

Se esperamos que Deus seja tudo em todos, a Solenidade de Cristo Rei se reveste de missão


4

IGREJA

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

N

a edição passada, continuando a falar de meus Círios nos saudosos tempos em que, da segunda quinzena de agosto de 1987 à primeira semana de fevereiro de 1993, atuei na Catedral, pareina parte em que contava que, após a saída dis fiéis do templo, finda a Trasladação, os componentes do Clube dos Acólitos e eu, sob às ordens de Monsenhor Nelson Soares, limpávamos a igreja muito bem limpinha para a missa do Círio na

Mais ou menos às 4 horas, um grupo de acólitos abria um dos lados da porta e os demais o outro, rapidíssimo manhã seguinte, depois do que um jantar reforçado, providenciado por Monsenhor Nelson, e íamos dormir. Comecemos a partir daí. Dormíamos todos lá mesmo, alojados por tu-

MISCELÂNEA do quanto era canto. Alguns de nós, em vez de dormir, ficavam tagarelando. Erámos acordados bem cedinho, muito antes das 4 da madrugada, pelo próprio Monsenhor. Aglomerado à porta da igreja, o povaréu que passava a noite, uns dormindo pelo chão para marcar seu lugar na corda, outros acordados, conversando para matar o sono, batia insistentemente à porta central na ânsia de entrar. Mais ou menos às 4 horas, um grupo de acólitos abria um dos lados da porta e os demais o outro, rapidíssimo, ao mesmo tempo, e davam um jeito de sair de lá para não serem esmagados pela multidão, que entrava correndo, a modo estouro de boiada, cada qual querendo ser o primeiro a se posicionar no melhor lugar. Em pouco mais de um segundo, se tanto, a igreja estava lotada, de não caber mais ninguém, um calorão de lascar. Mas o povo nem ligava para isso. Finda a celebração da Santa Missa, a Imagem da Senhora de Nazaré era conduzida até à Berlinda, que lá fora já estava à sua espera, em frente à porta central. Em 1992, meu primeiro ano de padre, tendo Monsenhor Nelson necessidade premente, não lembro de

Meus CÍRIOS (5) DIVULGAÇÃO

pela luz, mais levado que andando, até a sua Basílica. Cansado – nem era para menos - depois daquele almoço do Círio, que todo paraense conhece muito bem, até quem não é católico, dormia a tarde inteira, numa redinha gostosa, e à noite, na Sé, para a Missa Paroquial. Por hoje, é isso aí. Shalom!

Continuando a falar de meus Círios

n INTERIOR da Catedral

que, de se ausentar de Belém, por determinação expressa sua fui eu quem presidiu a Missa antes do Círio e depois – que honra! Quanta alegria! – levei com essas minhas mãos a Imagem até à Berlinda e a entreguei a um dos diretores da festa, que a pôs em seu lugar. Era mais quem, ali mesmo, me dizia: pelo visto, o senhor subiu de posto, né? Parabéns. Mal se iniciava o Círio, fechava-se a igreja

e haja nova limpeza e a reposição dos bancos, supervisionadas com olhos de lince por Monsenhor Nelson. Terminado o trabalho ele nos oferecia um suculento café, que servia de almoço, e nos dizia: para nós da Sé o Círio acaba aqui. Acaba nada, dizia-me eu. E corria às pressas, como quem, no dizer de minha saudosa mãe, vai tirar o pai da forca, e me mandava pro Círio, em companhia de

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.com)

alguns acólitos. Corta caminho daqui e dali, ainda conseguia alcançar a Berlinda na subida da Presidente Vargas, tantas e demoradas suas paradas, coisa que, felizmente acabou, ou diminuiu ao máximo, de uns tempos para cá. Sempre dava, nem sei como, um jeitinho de ficar o mais perto possível da Berlinda – aqui estou, mãezinha querida - e lá ia eu, sem tirar os olhos dela, mariposa magnetizada

Corta caminho daqui e dali, ainda conseguia alcançar a Berlinda na subida da Presidente Vargas, tantas e demoradas suas paradas

LITURGIA

HOMILIA DOMINICAL A) TEXTO: MT 25,31-46

Disse Jesus...: 31“Quando o Filho do homem vier em sua glória, acompanhado...os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. 32Todos os povos da terra... reunidos diante dele...33...34 Então o rei dirá aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o reino...35 Pois eu estava com fome...; eu... com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu...; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e foste me visitar. 37Então os justos...: Senhor, quando foi que... te demos de comer? Com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te

visitar? 40Então o rei lhes responderá: Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes! 41Depois o rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: Afastaivos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer;...43...44E responderão também eles: Senhor, quando foi que te vimos com fome...e não te servimos? 45Então o rei lhes responderá: ...todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!...46...os justos irão para a vida eterna”. B) COMENTÁRIO

Aqui Mt apresenta a conclusão do discurso escatológico e suas conseqüências, tendo o Cristo como juiz as-

sentado em seu trono de glória. O tema do juízo final é a caridade, não como conceito e, sim, como prática: “foi a mim que o fizestes” (v 40). O Cristo a quem devemos amar e servir, o encontramos nos “fatos” cotidianos de nossa vida, e não há outro local: é aqui, e em qualquer lugar que o homem apele à nossa misericórdia. Desde que Deus se tornou humano, necessitado como um de nós, já não há outro caminho para chegar a Ele e amá-Lo; por isso o mais importante é “acolher” qualquer necessitado. Deus nos espera na vida das pessoas. Entre nós há quem não conhecemos: o faminto, o sedento, o desprezado, o enfermo, e o prisioneiro em vários sentidos. Deus se nos apresenta na penúria dos demais. É sinal de nossa indiferença para com Deus, quando ficamos indiferentes com as pessoas

em seus apuros; e às vezes, em lugar de ajudar, preferimos difamar e até eliminar o próximo. Como esperar a ajuda divina, se não ajudamos? Esquecemos de que na última curva da vida há uma prestação de contas do que somos e fazemos, há um juízo final, para nosso destino definitivo. Qual será a sentença que nos aguarda no tribunal eterno? É melhor ter surpresa agradável. No fim dos tempos, na conclusão de tudo, virá o juiz e dirá: “Vinde, benditos de meu Pai!” E, atônitos, dirão: será se está falando conosco? Mas, quando foi que fizemos algo tão extraordinário e digno deste convite? E o próprio juiz explicará que eles o encontraram quando estiveram como sinal sacramental em atenção aos padecidos da miséria humana. É inútil ser ortodoxo na fé e ser cego, sem ver Jesus que está entre nós, como carente.

n 20/11 - SEXTA Cor (verde) Primeira Leitura (Ap 10, 8-11) Responsório (Sl 118) Evangelho (Lc 19,45-48) n 21/11 – SÁBADO Cor (branco) Primeira Leitura (Zc 2,14-17) Salmo Responsorial (Lc 1,46-55) Evangelho (Mt 12,46-50) n 22/11 - DOMINGO Cor (branco) Primeira Leitura (Ez 34,11-12.15-17) Responsório (Sl 22) Segunda Leitura (1Cor 15,20-26.28) Evangelho (Mt 25,31-46) n 23/11 – SEGUNDA Cor (verde) Primeira Leitura

(Ap 14,1-3.4b-5) Responsório (Sl 23) Evangelho (Lc 21,1-4) n 24/11 – TERÇA Cor (vermelho) Primeira Leitura (Ap 14,14-19) Responsório (Sl 95) Evangelho (Lc 21,5-11) n 25/11 – QUARTA Cor (verde) Primeira Leitura (Ap 15,1-4) Responsório (Sl 97) Evangelho (Lc 21,12-19) n 26/11 QUINTA Cor (verde) Primeira Leitura (Ap 18,1-2.21-23; 19,1-3.9a) Responsório (Sl 99) Evangelho (Lc 21,20-28)


5 BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

SETORJUVENTUDE

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

Dia MUNDIAL dos Pobres:

INTRODUÇÃO

"E

stende a tua mão ao pobre» (Eclo 7,32). Esse é o lema da IV Jornada Mundial dos Pobres, a ser celebrado no próximo domingo na Arquidiocese de Belém. Devido à pandemia, o cronograma de atividades foi concentrado na dimensão formativa através de diversas “lives” veiculadas nos últimos três meses, abordando diversos temas. Neste texto queremos lhe oferecer uma síntese da mensagem d o Pa p a Fr a n c i s c o para essa IV Jornada, que tem como foco um sério convite à solidariedade, a sairmos

Para a prática da misericórdia requer um treino diário, que parte da consciência de quanto nós próprios, em primeiro lugar, precisamos duma mão estendida em nosso favor de nós mesmos, a perceber os necessitados e a estender as mãos a eles, ou seja, dar-lhes a nossa contribuição para amenizar seus sofrimentos. O versículo bíblico que constitui o lema desta IV Jornada nos convida a superar as barreiras da indiferença, a frieza da passividade, o conforto do comodismo; por isso, hoje a pobreza tem muitos rostos, se manifestando de muitas formas.

1

O livro do Eclesiástico O livro do Eclesiástico é um maravilhoso compêndio de orientações para as relações humanas pautadas na Sabedoria. O autor, Ben-Sirá, nos convida a olhar para

«Estende a tua mão ao pobre»

Deus e para a realidade humana. Oração a Deus e a solidariedade (com os pobres e os enfermos) são inseparáveis. O culto agradável ao Senhor nos leva a reconhecer que toda pessoa, mesmo a mais indigente e desprezada, é imagem de Deus. O tempo dedicado à oração não pode tornarse uma fuga do encontro com o pobre; a verdadeira oração nos leva ao encontro dos pobres, necessitados e a servi-los. Esse convite continua sendo válido na atualidade, pois a Palavra de Deus ultrapassa o espaço, o tempo, as religiões e as culturas; a generosidade apoia o vulnerável, consola o aflito, mitiga seus sofrimentos e promove a dignidade humana. O bem que devemos fazer aos pobres não está condicionado ao tempo disponível ou a interesses privados. Não se deve fazer o bem por desejos narcisistas; a dignidade do outro deve estar em primeiro lugar.

2

O encontro com o pobre A Palavra de Deus nos pede de ir ao encontro dos pobres. Esse foi e continua sendo o comportamento do próprio Deus. A Palavra de Deus nos provoca e nos questiona como aliviar o sofrimento alheio e como ajudá-lo concretamente. “Não podemos sentir-nos tranquilos, quando um membro da família humana é relegado para a retaguarda, reduzindo-se a uma sombra”. Movidos pela fé somos chamados a estar atentos aos clamores silenciosos dos que sofrem calados hoje. A Igreja não tem solução para os graves problemas sociais, mas devemos nos manifestar sensíveis e sermos capazes de partilha! Os que fazem o bem, perto de nós, são um reflexo da presença de Deus, porque testemunham santidade, ge-

DIVULGAÇÃO

nerosidade, respeito... Infelizmente, hoje, em nossa sociedade, há indiferença, maldade, violência, prepotência, corrupção...

3

Lições da pandemia Somos chamados a estender as mãos aos mais necessitados. Nem todos são capazes disso; mas neste tempo de pandemia, apesar do sofrimento, do medo, dor, morte, desconforto, perplexidade, isolamento, há muitas mãos estendidas para ajudar; por exemplo, as mãos de médicos, mãos de enfermeiras (os), administradores, farmacêuticos, sacerdotes, voluntários... Todas estas mãos desafiaram o contágio e o medo, para apoiar e consolar! Neste tempo de pandemia estamos aprendendo algumas importantes lições: a importância da simplicidade e a manter os olhos fixos no essencial; amadurecer em nós a exigência da promoção de uma nova fraternidade, capaz de ajuda recíproca e estima mútua; crescer na consciência de responsabilidade para com os outros e o mundo; desenvolver a cultura do cuidado do meio ambiente.

4

A misericórdia não se improvisa O papa Francisco também nos convida a refletir sobre a impor-

tância da educação para a solidariedade, pois a “misericórdia não se improvisa”. A pandemia veio de improviso e nos causou desorientação, impotência, medo; causou-nos a sensação da limitação, a restrição da liberdade; nossas riquezas espirituais e materiais foram postas em questão. Mas a mão estendida ao pobre não chegou de improviso. Não nos improvisamos como instrumentos de misericórdia. Para a prática da misericórdia requer um treino diário, que parte da consciência de quanto nós próprios, em primeiro lugar, precisamos duma mão estendida em nosso favor. O versículo “estende a mão ao pobre» é na verdade um convite para crescermos na responsabilidade uns para com os outros. Trata-se de um encorajamento a assumir o peso dos mais vulneráveis, daqueles que sofrem. Esse convite está fortemente presente na Sagrada Escritura quando afirma: «Não fujas dos que choram» (Eclo 7, 34); «Não sejas preguiçoso em visitar um doente» (Eclo 7,35); «Pelo amor, fazei-vos servos uns dos outros” (Gal 5,13); “Ama o teu próximo como a ti mesmo” (Gal 5,14); “Carregai as cargas uns dos outros» (Gal 6,2).

Enfim, o convite «estende a mão ao pobre», é também uma denúncia da indiferença diante dos pobres e do cinismo dos ricos; há mãos que só se estendem para o dinheiro, para o luxo, para aquilo que é efêmero (passageiro); há mãos também que se estendem para a corrupção! “Mas não poderemos ser felizes enquanto estas mãos que semeiam morte não forem transformadas em instrumentos de justiça e paz para o mundo inteiro”, adverte o papa. Ele está falando da importância da evangelização dos corruptos. Recordemos Zaqueu (cf. Lc 19,1-10).

5

Cuidar do sentido da vida O Papa Francisco conclui sua mensagem recordando-nos o sentido da vida nos apresentando o versículo: «Em todas as tuas obras, lembra-te do teu fim» (Eclo 7,36). A consciência do fim da nossa existência nos estimula a viver e a fazer o bem. O objetivo de cada ação nesta vida só pode ser o amor: tal é o objetivo para onde caminhamos, e nada deve distrair-nos dele. Este amor é partilha, dedicação e serviço, mas começa pela descoberta de que primeiro fomos nós amados e despertados para o amor.

A “mão estendida” é muito mais que um gesto, é o estilo de vida dos discípulos de Cristo, em contínua abertura aos mais necessitados. O papa nos estimula a promover a cultura da solidariedade! Neste caminho de encontro diário com os pobres, acompanhanos a Mãe de Deus que é, mais do que qualquer outra, a Mãe dos pobres. A Virgem Maria conhece de perto as dificuldades e os sofrimentos de quantos estão marginalizados, porque Ela mesma Se viu a dar à luz o Filho de Deus num estábulo. Devido à ameaça de Herodes, fugiu, juntamente com José, seu esposo e o Menino Jesus para outro país; a Sagrada Família conheceu a condição de refugiados. PARA REFLEXÃO PESSOAL: Como você se sente em relação à solidariedade? O que mais lhe afasta dos mais necessitados? O que significa afirmar que “a misericórdia não se improvisa”?

Convite à solidariedade

A Igreja não tem solução para os graves problemas sociais, mas devemos nos manifestar sensíveis e sermos capazes de partilha


6

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

FAMÍLIA NAZARÉ

Santa MISSA pela Fundação Nazaré INCENTIVO à evangelização pela TV, pelo rádio e pelas redes sociais destaca a Santa Eucaristia

A

Fundação Nazaré de Comunicação é o principal suporte da evangelização realizada pela Arquidiocese de Belém, capital do estado do Pará, região Norte do Brasil. A pandemia, que alterou a vida do país em meados do mês de março, afetou profundamente a vida em sociedade, não sendo diferente para o povo belenense dar cumprimento às medidas de segurança determinadas pelas autoridades, dentre elas, o isolamento social, como medida de prevenir e conter o alastramento da covid-19. Veio a flexibilização desse período, e com um abrandamento das recomendações das autoridades sanitárias, já é possível ir à Missa presencialmente. Mas ainda há

restrições, como a limitante do quantitativo de fiéis que cada igreja pode receber a cada celebração eucarística, visando ainda a preservação dos fiéis contra a pandemia. Assim, a Fundação Nazaré de Comunicação, com seus veículos, assumiram relevância ainda maior para o povo de Deus com uma programação que mantém diversas formas de evangelizar no ar, mas buscou-se privilegiar mais a partilha da Santa Missa, gerada ao vivo pela TV Nazaré para toda a Rede Nazaré de Televisão, para a Rádio Nazaré FM, e ainda é possível acompanhar pelas redes sociais. Destacamos da programação especial para este tempo de dificuldades, as Missas

DIVULGAÇÃO

n DOM ALBERTO em celebração diária na Residência Episcopal

diárias celebradas pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, que ao lado do seu auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, encontraram com a celebração teleisiva, uma

ampla possibilidade de ir mais longe com a mensagem do Evangelho, e seguir acompanhando o rebanho. Acompanhe a Santa Missa, exibida diariamente, às 12h, direto da Residência Episco-

pal. “É bonito e muito gratificante para nós, para mim e para Dom Antônio, perceber a fidelidade e a confiança com que o povo de Deus tem nos acompanhado”, afirma Dom Alberto.

Sintonize o canal 30 – ou na sintonia sua cidade – a Santa Missa. Acompanhe também pela Rádio Nazaré FM – 91.3 Mhz , pelo Portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br e pelas nossas redes sociais.

NOSSOS ANIVERSARIANTES Stela Carneiro de Oliveira Lucimar de Sousa Silva Rex Maria Ribeiro Vieira Isaura de Santana Cardoso Paulo Edson Ribeiro de Barros Elayne Maria Ribeiro Maria Lucia Alves Pontes Vera Lucia Bezerra de Oliveira Varela Maria de Fátima Bezerra Peres Luiz Otavio Cordeiro de Oliveira James Ribeiro Tocantins Maltez Andréia dos Santos Portela Casal Francisco Pereira Sobrinho e Sonia Amorim Sobrinho Casal João Araújo dos Santos e Zaira Brito dos Santos Maria do Carmo Ribeiro Caldas José Olavo Ferreira Francisca das Chagas Jamacaru Linda Maria Palmeira Imbiriba Sonia Maria Kós Santos Rosangela Patelo da Silva Leonildo de Oliveira Conceição Vitoria Rocha Ferro Edson Haroldo Rayol da Silva Fernando Guerreiro Pereira Luciana Silva Moraes Ataíde Casal Antonio Maria Martins Rogea e Marilene Bezerra de Oliverira La7 Participações e Empreendimentos Imobiliários Ltda Doracy dos Reis Marques Cecília Marques de Lima Viriato Pedro Pereira de Sousa Sadia Mamed Edoron Machado

Lucival de Alencar Cecília Maria Furtado Ribeiro Cecília E. F. Silva Edna Souza de Aquino Clauvis José Reis do Nascimento Silvia Maria Gonzaga Guimarães Ana Maria Gomes Vieira Veraluce Fonseca Neves Nelson Paulo Martins de Queiroz Elzarina Cecília Soares de Souza Joseni Cardoso Paixão Ronilson Recio Santos dos Santos Noé Teixeira de Araújo Raimunda Gemaque Mendes Ana Maria Santos da Silva Maria Luiza Bussons dos Anjos Elza Maria Nogueira Nair Maria da Silva Maria de Nazaré Silva Dias Maria Raimunda Nascimento de Moraes Edvania dos Santos Souza Newton Pinto da Silva Neto João Pedro de Queiroz Bittencourt Rozinete Alencar de Souza Mary Hage Cecim Albim Marcia Taveira Leite José Raimundo da Costa Tavares Maria Margarida Ribeiro dos Santos Luis Fernando Fragoso Toscano Carlos Alberto Barata Gomes Marly do Socorro Ferreira Favacho Sandra Nascimento Corrêa Vitor Nascimento Corrêa Rubens e Rafaela Farias

Priscila Guerreiro de Freitas Maria Alice Brandão Rodrigues Elizabete Garcia Vulcão Djalma Fernando de Barros Francisca das Chagas do Nascimento Aldenora Maria de Souza Fernado de Sousa Oliveira Anabel Sidonia Mendes Raimundo da Conceição Lopes Cecília Nazaré Santos Abdon Kelly Anne Lacerda Costa Gonçalves Aigya Fanine Modesto Calumby Casal Vitor Celio Rodrigues de Freitas e Elany

Antonio Mendes Goes Luzemira Pereira Flexa Elzarina de Franca Cardias Pedrilho Garcia Veras Margareth Leal Cunha Casal Milton Freire e Maria Melo Yana Maria Calumby Oliveira Casal Fabio de Holanda Leite e Dayana Michelly Amador Leite

n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 20/11 – Diác. Benedito Otávio Cardoso Quaresma 21/11 – Pe. Gbèyigbèna Pierre Agon 22/11 – Pe. Antônio Luís Farias de Oliveira 23/11 – Pe. Marco Sora 23/11 – Diác. Ademir da Silva 23/11 – Diác. Messias Jorge Silva Quemel 24/11 – Diác. Amarildo de Jesus Lameira Moraes 25/11 – Diác. Luiz Gonzaga Lobo Rodrigues 26/11 – Diác. João Guilherme Bias Costa 26/11 – Diác. Sabino Manoel de Souza Barros 26/11 – Diác. Silvio Farias Silveira Nascimento n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 20/11 – Pe. Adalberto do Espírito Santo Brandão 21/11 – Pe. Adrick José de Sousa Araújo 21/11 – Pe. Vanderson Jorge da Costa Barata 22/11 – Pe. Frei Arilson Lopes Uchôa 24/11 – Côn. Raul Tavares de Souza 25/11 – Diác. José Maria da Consolação


BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

CADERNO DOIS

Comunidade Cristo REDENTOR, nova paróquia da Arquidiocese de Belém

DIVULGAÇÃO

INSTALAÇÃO da 96ª sede paroquial será em

março de 2021, na rodovia Mário Covas

A

Comunidade Cristo Redentor será a primeira paróquia instalada do ano de 2021, tornando-se a sede paroquial de número de 96 da Arquidiocese de Belém, cuja cerimônia já marcada para o dia 26 de março. A notícia foi oficializada dia 14 deste mês, durante a Missa de abertura da festividade, presidida por Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém, na presença do padre Humberto de Paiva Brito, futuro pároco da nova paróquia, e do diácono permanente Ricardo Cordeiro. Atualmente a comunidade ainda está em festividade com programação que se estende até o dia 22, com celebrações todas as noites. A nova paróquia, até então, pertencente à Paróquia Santo Antônio de Pádua, situada na rodovia Mário Covas, no bairro do Coqueiro, em Ananindeua, está inserida da Região Episcopal Coração Eucarístico de Jesus. Após o pronunciamento de Dom Antônio sobre o

anúncio da futura instalação da paróquia, foi proferida a leitura do breve histórico da comunidade, ato testemunhado por mais de 400 fiéis presentes na assembleia, que relembraram a origem da comunidade que, após a ocupação da área da Cabanagem em 1988, recebeu a missão das Missionárias Xaverianas, como também o missionário da mesma congregação, padre Jorge Paiusco. Juntos, animaram a Comunidade São Francisco, existente naquela área. Ainda de acordo com o histórico da comunidade, alguns anos depois, padre Jorge chegava ao conjunto Jardim Europa, com o seu carisma missionário e dinamismo pastoral. Através da senhora Sabazinha, na passagem Funda, houve a primeira Missa nesse local, onde hoje está situada a Comunidade Cristo Redentor, inaugurada em 27 de fevereiro de 1993, pelo então Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Vicente Joaquim Zico.

n DOM ANTÔNIO, bispo auxiliar de Belém, presidindo a celebração

Área Missionária em plena atividade Atualmente a Área Missionária Cristo Redentor conta com três áreas de missão já com os seus respectivos padroeiros: Nossa Senhora de Nazaré no Jardim Brasil, Nossa Senhora das Graças na área dos Comerciários, e Santo Expedito, na área Vale Verde, além de 10 grupos organizados em serviços, movimentos, ministérios e pastorais. Para Tecla Libaneses, 78,

testemunhar este sonho de que “a comunidade será uma paróquia no futuro, é uma graça de Deus”, agradeceu a catequista, emocionada. Durante a homilia, Dom Antônio recordou para a futura comunidade paroquial que “três realidades compõem a essência da criação de uma paróquia: acolhimento, serviço e missionariedade. O bispo também

destacou o desejo de que a nova paróquia seja uma referência para a dimensão familiar. Os próximos meses serão um tempo de muito trabalho com a organização de cursos de lideranças, reuniões, planejamento, visitas missionárias, além da estrutura física com a construção de sala para o pároco e para a secretaria”, antecipou Dom Antônio.

Processo de instalação da paróquia

n COMUNIDADE em celebração

Arquidiocese de BELÉM lança Novena de Natal A Arquidiocese de Belém iniciou preparativos para o Natal na quarta-feira, 18, lançando a segunda edição da Novena de Natal, este ano com o tema “Em Belém, a história de Natal: A cidade se encheu de alegria (At 8,8), em ato ocorrido às 16h, na Cúria Metropolitana. O lançamento transmitido ao vivo pela TV Nazaré e redes sociais da arquidiocese contou com a presença do Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa, do Bispo Auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, do Vigário para Pastoral, cônego Sílvio Trindade e a comissão central do Sínodo Arquidiocesano.

A Novena de Natal integra a programação do Sínodo Arquidiocesano (adiado para 2021, devido à pandemia). Três mil exemplares dos livretos vão para as paróquias das oito Regiões Episcopais (Coração Eucarístico de Jesus, Menino Deus, Nossa Senhora do Ó, Sant’ Ana, Santa Cruz, Santa Maria Goretti, São João Batista e São Vicente de Paulo). Os encontros da Novena serão de 1° a 20 de dezembro, promovidos pelos grupos paroquiais nos lares das famílias. Quem não puder participar, pode acompanhar diariamente a novena a partir de 1° de dezembro, às 18h,pela Rádio Nazaré FM 91.3

De acordo com o futuro pároco, padre Humberto, “diante do apelo evangelizador daquela área, se viu a necessidade de subdividir a área pastoral para que a presença de Igreja pudesse chegar a outras áreas, como condomínios e área de ocupação. Com esse objetivo ocorreram diversas reuniões”, relata o sacerdote. O documento da criação da nova área missionária foi

apresentado à comunidade na primeira reunião que contou com as presenças do padre Fabrício Albuquerque, pároco da Paróquia Santo Antônio de Pádua, cônego José Luiz Alves Fernandes, Vigário Episcopal da Região Coração Eucarístico, e padre Edinaldo Duarte, pároco da Paróquia Arcanjo São Miguel. Padre Humberto informa, ainda, que “na segunda reu-

nião estava presente o Bispo Auxiliar de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, e nessa ocasião, definiu-se circunscrição eclesiástica e a limitação territorial da paróquia, como também a indicação do padre Humberto como o primeiro pároco da nova paróquia, a ser empossado no dia 26 de março de 2021, ato solene de instalação da nova paróquia da Arquidiocese de Belém”.

Nota de PESAR: Falecimento de Jorge Arbage É com grade pesar que a Arquidiocese Belém recebeu a notícia do falecimento de Dr. Jorge Wilson Arbage, nesta terça-feira 17 de novembro, um grande colaborador da Igreja Católica, servidor público, político da esfera estadual e federal. Dr. Jorge nasceu em Belém do Pará no dia 17 de fevereiro de 1924, filho de José Jorge Arbage e de Salustiana Cecim Arbage. Na Arquidiocese de Belém foi membro do conselho econômico. Começou sua escalada política na década de 50, pelo Tribunal de Justiça do Pará e promotor público de Capanema, aonde veio se tornar prefeito em 1958. Elegeuse como deputado estadual em 1966 e deputado federal

1974. Promoveu diversos projetos e emendas, compôs conselhos e comissões. Ainda em sua vida política, teve o grande feito da criação da lei federal que tornou o dia 12 de outubro um feriado nacional: o Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Escritor e acadêmico Jorge Wilson Arbage foi membro da Academia Paraense de Letras, onde ocupava a Cadeira nº 25, cujo patrono é Juvenal Tavares. Foi autor de diversas obras, dentre as mais recentes esta a trilogia “Pelas Lentes

do Passado”, “Desafios da Hermenêutica” e “Sob a Ótica do Caos”. Em sua trajetória de vida sempre declarou sua devoção à Virgem de Nazaré e a sua dedicação ao catolicismo, como construção de igrejas e capelas, auxilio aos mais carentes, desenvolvimentos de projetos, campanhas, doações, entre outros. Manifestamos aos seus familiares e amigos nossos sentimentos de solidariedade e orações, pedindo ao Senhor que acolha junto de si este seu filho. Pedimos a todas as orações em sufrágio de sua alma.


2

FESTA de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

JUBILEU: Comunidade Mar a Dentro - 30 anos

EM VAL DE CANS devotos celebram a sua padroeira até o dia 22

I

nformações do Portal Nazaré - A Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, localizada bairro Val-deCans, realiza até domingo (22), a festividade tem como tema “Mãe da Divina Providência, presença de amor na vida dos povos da Amazônia”. Desde o dia 14, paroquianos participam da programação religiosa, com sacerdotes convidados presidindo a Santa Missa, às 19h, seguida da programação cultural em formato live musical. Segunda-feira 16, às 19h, a Santa Missa foi presidida pelo padre Lucivaldo Corrêa. Além dos padres convidados nas celebrações eucarísticas, o Bispo Auxiliar de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, celebrou quarta-feira 18,

DIVULGAÇÃO

às 19h. As celebrações e apresentações musicais são transmitidas pelas redes sociais da paróquia (Facebook/paroquiamaedaprovidenciabelem e Instagram/ paroquiaprovidenciabelem).

Além da programação litúrgica e cultural, a Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, promove a venda de café da manhã em delivery, das 8h às 10h30, o valor da cartela custa R$8. No domingo, 22,

encerramento da festividade, a organização do evento realizará sorteio de dois prêmios no valor de R$500. As cartelas podem ser adquiridas na secretaria paroquial. Para mais informações: (91) 3257-2388.

PROGRAMAÇÃO 20/11 - SEXTA-FEIRA Santa Missa - às 19h Celebrante: Cônego Ronaldo Menezes 21/11 - SÁBADO Santa Missa - às 19h

Celebrante: Pe. Pedro Saul Ruiz Alvarez 22/11 - DOMINGO Santa Missa - às 7h - Celebrante: Pe. Pedro Diocrésio Santa Missa - às 18h - Celebrante: Pe. Ivan Conceição

TV NAZARÉ CANAL 30.1

n PROGRAMA VIDA CONSAGRADA Vida Consagrada traz religiosos para relatarem as experiências do serviço missionário de Deus, seus desafios e suas virtudes. O programa está retornando com muitas novidades. Nessa semana o convidado é o padre jesuíta Alberto Casalegno.

A apresentação do programa Vida Consagrada é do seminarista Alberto Cardoso. Vida Consagrada vai ao ar sábado, ás 10h e 22h e aos domingos às 19h30. Sintonize 91,3 MHz e participe conosco pelo telefone 4006 9211 ou 98814 0275 (WhatsApp).

RÁDIO NAZARÉ FM 91 .3 MHZ n NOVENA DE NATAL 2020 A Rádio Nazaré FM começa os preparativos para a programação de Natal 2020. Uma das produções deste ano será a Novena de Natal, onde seguirá pelo segundo ano o modelo de roteiro produzido pela Arquidiocese de Belém, que tem como tema “Em Belém, a história de Natal: A cidade se encheu de alegria (At

8,8). Os ouvintes poderão acompanhar a Novena de Natal no período de 16 a 24 de dezembro, às 18h, exceto às terças-feiras, pois em virtude da transmissão da Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a novena de Natal será às 15h30. Rádio Nazaré FM – 91,3. A Serviço da vida. Nossa missão é Evangelizar.

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n SANTA MISSA, ÀS 12H, AO VIVO, DIRETO DA RESIDÊNCIA EPISCOPAL Todos os dias você participa da Santa Missa, às 12h, ao vivo, direto da residência Episcopal, com o Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa e com o Bispo Auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, pela página da Rede Nazaré de Comunicação no facebook. com/FNCBelem e pelo Portal Nazaré

ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

(www.fundacaonazare.com.br). Ajude-nos a continuar realizando esta e outras transmissões fazendo parte da Família Nazaré. Contamos com você! Para mais informações, entre em contato: (91) 4006-9200 ou envie uma mensagem para nosso WhatsApp: (91) 99315-5743.

LIVE MUSICAL 20/11 - Ministério de Música: Trindade Santa 21/11 - Ministério de Música: Mas de Ti 22/11 - Ministério de Música: Cântico Novo

“Avançando para águas mais profundas” (Lc 5, 4), a Comunidade Católica Mar a Dentro realizará, de 1 a 8 de dezembro, o Congresso “Só Deus Basta”. Gratuita, a iniciativa se dará de forma 100% virtual. AÇÃO DE GRAÇAS - Favorecer a oração nos caminhos dos Santos do Carmelo. Essa é a proposta do Congresso “Só Deus Basta”. A ação, que se insere nas comemorações pelos 30 anos de fundação da Comunidade Mar a Dentro, contará com mais de 20 horas de catequese. “A espiritualidade e a oração nos caminhos dos Santos do Carmelo têm muito a ensinar para aqueles que desejam fazer a experiência do Deus Amor. Santa Teresa D’Ávila, São João da Cruz, Santa Teresinha do Menino Jesus e tantos outros santos, encontraram nessa espiritualidade a graça de compreender que só Deus basta e que Ele é a nossa única razão de existir”, destacam os organizadores. DINÂMICA - A par-

tir do site congresso. maradentro.com.br os interessados poderão fazer sua inscrição. No dia do evento, todos receberão um link para acompanhar as palestras de qualquer lugar e dispositivo; garantindo a facilidade de acesso. PREGADORES - Com mais de 2.200 inscritos até o momento, o Congresso “Só Deus Basta” contará com as participações de pregadores nacionais e internacionais. PROGRAMA - Entre 1º e 3 de dezembro serão 2 palestras por dia. A partir do dia 4, até o final; em 8 de dezembro, serão 3 “catequeses”. Toda essa formação estará disponível por 24 horas para quem se inscrever antecipada e gratuitamente. Após esse período, o conteúdo poderá ser acessado a partir da Escola Efeta. SERVIÇO De 1 a 8/12 - 100% online / Inscrições gratuitas / Informações em congresso.maradentro.com. br Atendimento / Imprensa Padre João Paulo ( 17. 9 8147.2223)

BOA DICA n HELDER CAMARA, UM NORDESTINO CIDADÃO DO MUNDO - Ilvana Maria Pereira Bulla / Martinho Condini (Paulus - R$ 17,60) ompaixão é do menino Hela capacidade der, sua infância, que algumas pessoadolescência, os as têm de sentir dor estudos para a com a dor do outro consagração sae de ser solidárias cerdotal em Forcom o próximo. E taleza e sua atufoi esse sentimento ação no cenário que norteou a careligioso, social minhada de Dom e político, no Rio Helder Camara, de Janeiro e em uma das figuras Recife. O texto de religiosas mais lembradas e Ilvana Bulla e Martinho Conqueridas do Brasil, cuja bio- dini e as ilustrações de Fagrafia é agora recontada aos biana Salomão conseguem jovens leitores. Em linguagem transmitir às crianças toda a acessível e poética, os autores ternura desse exemplo de fé e mostram os primeiros passos caridade.

C

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER - UM PROBLEMA DE TODA A SOCIEDADE - Instituto Patrícia Galvão (Paulinas, R$ 31,80)

E

ste livro traz uma coletânea de artigos, escritos por especialistas, com o objetivo de divulgar a Lei Maria da Pe n h a e o s trabalhos que vêm sendo realizados pelas áreas de segurança, justiça e assistência psicossocial, assim como pelo ativismo social e religioso, de modo que as mulheres saibam identificar um caso de violência doméstica, conheçam seus direitos e descubram como acessálos. Os artigos visam ainda divulgar as providências e as medidas judiciais que podem ser tomadas no caso de uma relação violenta, como funcionam as medidas protetivas, quais os recursos disponíveis para acolher e oferecer as-

sistência à mulher que sofre violência e como funcionam os grupos reflexivos para autores de violência doméstica. Os homens são convidados a perceber que, mesmo não sendo autores de agressão, vivem numa sociedade machista e podem colaborar mudando de atitude e promovendo mudanças em seu entorno. A apresentação da obra é assinada por Maria da Penha Maia Fernandes, a farmacêutica bioquímica que deu nome à Lei 11.340/2006. As ilustrações foram criadas por Helena Cortez, artista plástica que sonha com relações mais harmoniosas e amorosas.


VATICANO

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

3

Repetir ao CORAÇÃO que “o pobre sou eu”

PAPA DISSE “Estende a tua mão aos pobres, há pessoas que precisam de ti, não sejas egoísta”

C

om informações agência Ecclesia. O Papa presidiu no domingo15, no Vaticano, a Missa do IV Dia Mundial dos Pobres, celebração instituída no atual pontificado, com uma delegação de pessoas pobres e sem-abrigo, considerando que estes estão no “centro” da mensagem cristã. “Os pobres estão no centro do Evangelho, o Evangelho não se entende sem os pobres, estão na própria personalidade de Jesus, que sendo rico se aniquilou a si próprio, fez-se pobre”, declarou, na homilia da celebração. Numa celebração limitada pelo desenvolvimento da pandemia, Francisco convidou a olhar em volta e a identificar as necessidades alheias, sem se deixar “contagiar pela indiferença”. “Nestes tempos de incerteza e fragilidade que correm, não desperdicemos a vida pensando só em nós mesmos. Não nos iludamos dizendo ‘paz e

segurança’”, apontou, desafiando os católicos a servir e a arriscar, na sua vida. “Serviço é também a nossa atividade, aquilo que faz frutificar os talentos e dá sentido à vida: de fato, quem não vive para servir, não serve para viver. Temos de repeti-lo muitas vezes: quem não vive para servir, não serve para viver”, precisou. “Mas qual é o estilo do serviço? Servos bons, no Evangelho, são aqueles que arriscam”, acrescentou. Um grupo de 100 pessoas reuniu-se para esta Eucaristia, com transmissão online. O Papa disse que a maior pobreza é a “pobreza de amor”, desejando que na próxima celebração do Natal as pessoas se concentrem mais em “dar aos outros, para ser como Jesus”, do que em “comprar”. “Em vez de exigir o que te falta, estende a mão a quem passa necessidade: assim multiplicarás os talentos que recebeste”, recomen-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

dou. Francisco criticou quem vive “só a acumular, pensando mais em estar bem do que em fazer bem”. “Como é vazia, porém, uma vida que se preocupa das próprias necessidades, sem olhar para quem tem necessidade! Se temos dons, é para ser dons”, apontou.

A homilia alertou para uma “mumificação da alma”, que acontece na vida de muitos cristãos, realçando que não há “fidelidade sem risco” e “não basta observar as regras”. O Papa disse ser “triste quando um cristão se coloca à defesa, prendendo-se apenas à observância das regras e ao respeito dos mandamentos”. “Se não queremos viver pobremente, peçamos a graça de ver Jesus nos pobres, servilo nos pobres”, realçou, apresentando o “sucesso, o poder e o dinheiro” como uma ficção, que desaparece no fim

n PAPA durante celebração na Cátedra da Basílica de São Pedro

da vida. A reflexão partiu de uma das parábolas apresentadas por Jesus, em que um homem entregou a três servos uma soma avultada de dinheiro: a um cinco talentos, a outro dois, e ao terceiro um – calcula-se que um único talento equivalia aproximadamente ao salário de vinte anos de trabalho. Francisco sublinhou como cada um destes homens geriu o que lhes foi dado, alertando para a tentação do “quem dera”, que tantas vezes paralisa as pessoas.

“A ilusão do ‘quem dera’ impede-nos de ver o bem e faz-nos esquecer os talentos que possuímos. Mas Deus confiou-no-los, porque conhece cada um de nós e sabe aquilo de que somos capazes; confia em nós, apesar das nossas fragilidades”, apontou. “Se não se investir, perde-se, já que a grandeza da nossa vida não depende de quanto amealhamos, mas do fruto que produzimos”, prosseguiu. Na recitação do ângelus, desde a janela do apartamento pontifício,

o Papa voltou à reflexão sobre a “parábola dos talentos”, sublinhando que “Deus recompensará com o Céu, com a vida eterna, aqueles que usaram seus dons para fazer o bem”. Francisco destacou que esta jornada desafia os cristãos a “estender a mão aos pobres” e rejeitar a “lógica da indiferença”. “Estende a tua mão aos pobres, não estás sozinho na vida, há pessoas que precisam de ti, não sejas egoísta”, apelou. “Jesus diznos isto: o pobre sou eu”, disse.

PANDEMIA: medidas têm “limitado” as atividades religiosas Com informações agência Ecclesia. O observador permanente da Santa Sé junto à OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa), monsenhor Janusz Urbaczyk, considera que as medidas impostas pelos Estados para combater a pandemia da COVID-19 “têm limitado as atividades religiosas”. “As diferentes medidas impostas pelos Estados para combater a pandemia da Covid-19 têm tido consequências profundas na liberdade de manifestar a própria religião ou crença e têm limitado as atividades religiosas, educacionais e caritativas das comunidades religiosas”. Esta realidade foi sublinhada por monsenhor Janusz Urba?czyk na terceira reunião suplementar sobre a dimensão humana dedicada ao tema “Liberdade de Religião ou Credo”, que teve lugar nos dias 9 e 10 de novembro em Viena (Áustria). Monsenhor Urba? czyk diz que, em “certas sociedades, as religiões ainda são vistas mais como uma fonte de intolerância e uma

ameaça à paz do que como um bem cultural e social”. O representante do Vaticano advertiu, especialmente, “os legisladores das graves consequências que medidas restritivas como as implementadas devido à pandemia” criam nas comunidades religiosas que, além de desempenharem um “papel importante na luta contra a crise”, inclusive na área da saúde, oferecem “apoio moral e mensagens de solidariedade e esperança”, refere. Nas três sessões dedicadas aos desafios e oportunidades da liberdade religiosa na região, bem como ao papel dos meios de comunicação digitais e da sociedade civil na garantia plena deste direito, o observador da Santa Sé salientou, em cada discurso, o empenho dos países da OSCE em assegurar “não só a dimensão individual da religião, mas também sua condição de organizações socialmente autônomas no âmbito de um quadro administrativo, legislativo e jurídico.” “Os Estados devem respeitar a autonomia das comunidades religiosas, garantindo-lhes

a liberdade de escolher, nomear e substituir os seus líderes ou decidir – baseadas nas suas regras internas – o conteúdo das suas crenças, sua estrutura ou seu nome”, ressaltou. O bispo polaco mencionou, a título de exemplo, “algumas leis discriminatórias que podem limitar o direito de contratar ou despedir pessoas de acordo com as opiniões e interesses das comunidades.” Tolerância religiosa Monsenhor Janusz Urba?czyk apelou para que a OSCE desenvolva “diretrizes profissionais e autorreguladoras para promover a tolerância religiosa e a não discriminação nos meios de comunicação social” e, em particular, para evitar “rotular e difamar” os crentes ou as suas comunidades como “intolerantes e fanáticos” a ponto de os excluir do discurso público. No campo das comunicações, mas mais especificamente no papel dominante atualmente desempenhado pela Internet, e mais ainda pelas redes sociais, o observador permanente da Santa Sé junto à OSCE condenou a “disseminação

n JANUSZ Urbaczyk, observador permanente da Santa Sé junto à OSCE

do desprezo” para com as comunidades religiosas, incluindo con-

teúdos de “incitação ao ódio”, “promoção da irreverência” ou de

“representações provocatórias” de símbolos religiosos.

T

odo o tipo de intolerância fundamentalista danifica as relações entre pessoas, grupos e povos, comprometamo-nos a viver e ensinar o valor do respeito, o amor capaz de aceitar as várias diferenças, a prioridade da dignidade humana. (16 de novembro)

E A E

m vez de exigir o que te falta, estende a mão a quem passa necessidade: assim multiplicarás os talentos que recebeste. (Mt 25,14-30) (15 de novembro) bênção do Senhor desce sobre nós e a oração alcança o seu objetivo, quando eles são acompanhadas pelo serviço dos pobres. (14 de novembro)

stender a mão leva a descobrir, antes de tudo a quem o faz, que dentro de nós existe a capacidade de realizar gestos que dão sentido à vida. (13 de novrmbro)


4

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

CADERNO DOIS

Mãe da PROVIDÊNCIA – II

EM NAZARÉ

NESTA EDIÇÃO a continuidade do artigo do Padre Francisco Cavalcante, B., Pároco de Nazaré Padre Francisco Maria Cavalcante, B. Pároco de Nazaré

O

rigem do título: acredita-se que Barnabitas, Irmãs Angélicas e Casais de São Paulo já invocavam, havia tempo, a Virgem Maria como “Mãe da Divina Providência”. De fato, em 1613, os Barnabitas decidiram colocar na torre da igreja dedicada a São Paulo, na cidade de Bolonha, uma imagem de Maria com esse título. Nessa época, as Irmãs Angélicas, em Milão, veneravam uma imagem da Virgem segurando o menino com o mesmo título. Fato é que, todavia,a devoção não possuía ainda o reconhecimento pontifício. Em meados do século XVII, as obras da igreja de São Carlos (Roma) estavam inacabadas. Com a morte do Cardeal Lenie, amigo dos Barnabitas, esse é velado nessa paróquia. Em seu testamento, lê-se que ele deixara parte de seus bens para ajudar no término da obra. Outros benfeitores também se mobilizam, até que em 1650 os trabalhos foram finalizados. O Padre Brás Maria Palma, superior da comunidade São Carlos e grande devoto de Maria, trabalhou muito para o término dessa construção. Ele teve a perspicácia de relatar minuciosamente por escrito tal façanha afirmando várias vezes que Maria age com doce e eficaz providência para com todos os que à ela recorrem confiantes. O relatório disso ficou esquecido até que, quase um século depois, foi providencialmente encontrado pelo Padre Januário Maria Maffetti. Também ele grande devoto de Maria, leu-o e sentiu o ardente desejo de difundir o culto a Nossa Senhora, mostrando como ela age providente na vida de seus filhos. Lembrando-se então do quadro da Virgem segurando o menino, venerado na capela da sua comunidade religiosa, pediu ao Irmão Pedro Maria Valentinifazesse uma cópia do original, a qual, em julho de 1732, foi colocada no cor-

redor que ligava a igreja ao convento dos religiosos. Após meditar a experiência que Padre Palma vivenciou com a Providência Divina por intermédio da Mãe do céu, somando-se a todas as graças providenciais recebidas pelos “filhos e plantas de Paulo” (nome dado aos discípulos de Santo Antônio Maria Zaccaria)por intercessão da Virgem Maria, eis brotar no coração piedoso do Padre Maffetti, a inspiração de

colocar sob o quadro o título “Mãe da Divina Providência”. Devotos aumentam e m n ú m e ro, v i n d o agradecer benefícios alcançados. Com o afã de oficializar a devoção junto à Santa Sé, os Barnabitas criaram uma associação intitulada “Maria Mãe da Divina Providência”, com regulamento aprovado em 1744 pelo Papa Bento XIV. Em julho de 1839, o Papa Gregório XVI elevou-a a Arquiconfraria, nela associando-se papas e reis.

DIVULGAÇÃO

n IMAGEM Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

Novembro: MÊS do dízimo Em unidade com a Arquidiocese de Belém, a Pastoral do Dízimo da Paróquia de Nazaré realiza, durante novembro, a ação “Projeto Mês do Dízimo”. Ao longo do mês, momentos de reflexão e explanação acerca da importância desse compromisso cristão. A Pastoral do Dízimo é essencialmente uma dimensão missionária. Seu objetivo é promover a evangelização de cada pessoa e da sociedade. A comunidade dizimista, pela assistência e pela promoção, serve o pobre gratuitamente. Pela assistência atende-se

àquelas necessidades urgentes, como: alimento, roupa, remédio e etc.; pela promoção investe-se na formação e capacitação, dando às pessoas condições de terem uma forma de sustento e/ou uma profissão. O Dízimo assim como a missionariedade precisam ser uma experiência da fé da pessoa que se abre à solidariedade. Você pode fazer parte da Família de Dizimistas da Paróquia de Nazaré! Entre em contato conosco pelo telefone (91) 40098431/8448 ou através do WhatsApp (91) 985194265.

Manutenção dos SINOS Prezando sempre pela conservação da Casa da Mãe de Nazaré, os Padres Barnabitas realizam durante o ano inteiro diversas ações de cuidado com o patrimônio. Um dos principais ícones da capital paraense, os sinos da Basílica Santuário de Nazaré que diariamente entoam “Vós sois o lírio mimoso”, estão recebendo uma minuciosa manutenção. O serviço tem como objetivo modernizar o sistema de comando do campanário, bem como manter viva a tradição e a voz da Igreja.

A reforma do conjunto de nove sinos é feita pela empresa RSR Carrilhões, especializada em sinos e relógios. A novidade desta manutenção foi a aquisição de um novo computador que comanda toda a estrutura que envolve o campanário. O equipamento de origem italiana foi desenvolvido especialmente para sistemas de sinos. Além do investimento no novo computador, os Padres Barnabitas também promoveram a revisão de toda a parte mecânica e a pintura da estrutura.


ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

5

DIVULGAÇÃO

n PADRE AGOSTINHO em celebração e os devotos de Nossa Senhora das Graças

CÍRIO de Nossa Senhora das Graças em Icoaraci DEVIDO à pandemia, não haverá as tradicionais procissões pelas ruas do distrito

"M

aria, causa de nossa alegria” é o tema que vai nortear o 68° Círio de Nossa Senhora das Graças, em Icoaraci,com uma extensa programação. O tradicional tríduo de atividades como procissões e encontros não ocorrerão neste ano devido os protocolos de saúde. As homenagens dos fiéis serão em forma de carreata, e dessa forma, não haverá a procissão da trasladação e procissão do domingo, porém os fiéis podem prestar suas homenagens direto de seus lares, na passagem da carreata com a imagem da padroeira. Padre Agostinho Cruz, pároco da Igreja São João Batista e Nossa Senhora das Graças, pede aos fiéis que durante as homenagens ao longo da carreata, as famílias, assim como seus amigos, elevem uma prece de gratidão à Virgem Maria e, se possível, arrumem em seus lares um altar com velas e o Terço. O ápice da festa de Nossa Senhora das Graças ocorre neste fim de semana. Dia 20, será o traslado da imagem de Nossa Senhora das Graças em carreata para a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima,

percorrendo a rua Padre Júlio Maria, travessa Berredo e, rua 8 de Maio. Sábado, 21, a Santa Missa do Traslado, na Igreja de Fátima, antecipa a saída imagem em carreata pelas ruas de Icoaraci com destino à Igreja São João Batista. Domingo do Círio (22), não ocorrerá a tradicional procissão, que geralmente reúne quase 150 mil pessoas, somente a carreta. A programação vem promovendo eventos culturais ligados à festividade, especialmente para levantar recursos pra a manutenção dos serviços paroquiais, dentre eles o “Leilão das Graças - Live Show” e “II Festival do Pastel”. A parte espiritual da festa de Nossa Senhora das Graças também conta com diversas iniciativas como encontros, visitas com imagens peregrinas da padroeira para a evangelização nos lares,sendo um destaque a visita da Imagem de Nossa Senhora das Graças às paróquias da Região Episcopal São João Batista, tudo isso antecedido da Missa de envio dos missionários ocorrida dia 8 de novembro e encerradas dia 20. Toda a programação pode ser acompanhada pelos fiéis pelo Rádio Círio também.

DIVULGAÇÃO

n COMUNIDADE e os festejos à devoção para a padroeira da paróquia

Círio das Crianças Sem poder ser realizado como nos anos anteriores, o envolvimento das crianças no Círio já vem ocorrendo desde outubro, quando foi lançado o especial “Turma da Gracinha” com contação de histórias em quadrinhos para levar aos devotos mirins a origem da festa de Nossa Senhora das Graças em Icoaraci. O especial é animado pelos personagens da Gracinha, o

João, Rita de Catarina e Sebastião. Este ano não haverá a procissão infantil em razão da pandemia, mas haverá a Santa Missa especial do Círio das Crianças, na Igreja Matriz de São João Batista e Nossa Senhora das Graças, localizada na praça Pio XII, 148. Encerramento – Será dia 7 de dezembro quando o Arcebispo Metropolitano de

Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, que presidirá a Missa às 19h30. Você pode acompanhar a programação pelas transmissões na fanpage especial para a festividade facebook. com/ciriodeicoaracioficial, a exemplo do Terço Luminoso em intenção do círio, recitado quinta-feira, 19, às 19h, na Praça da Matriz. Confira a programação e participe!

PROGRAMAÇÃO - 68° CÍRIO DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS DIA 20 - SEXTA-FEIRA Missa de Entrega das Ofertas das Famílias às 17h30 – Traslado da imagem do Colégio Nossa Senhora de Lourdes para a Matriz. Às 18h – Igreja Matriz – seguida de Carreata para Paróquia de Fátima. DIA 21 – SÁBADO Missa de saída da Trasladação (Carreata) - às 18h30 – Missa na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, seguida de trasladação até a Igreja de São Sebastião. DIA 22 – DOMINGO 68º Círio de Nossa Senhora das Graças (Carreata) 7h - Missa de saída do Círio – Igreja Matriz – Pe. Agostinho Cruz (após a Missa, a Imagem seguirá o percurso tradicional do Círio, saindo da igreja de São Sebastião) 10h30 - Missa da chegada do Círio – Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém 18h – Missa de Abertura do Quinzenário do Círio – Pe. Thiago, SV. DIA 23 – SEGUNDA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa - Pe. Plínio Pacheco.

DIA 24 – TERÇA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 17h30 – Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. Romeu Ferreira DIA 25 – QUARTA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. George Jenner DIA 26 – QUINTA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. Alberto Maia DIA 27 – SEXTA-FEIRA – DIA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS BÊNÇÃO DAS MEDALHAS 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. Agostinho Cruz DIA 28 – SÁBADO - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 15h30 – Santo Terço Meditado pelas crianças. 16h30 – XV Caminhada da Juventude (Carreata) – saída da igreja matriz. 17h – Missa com as Crianças 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. Gelcimar.

DIA 29 – DOMINGO - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 7h – Missa paroquial – Pe. Agostinho Cruz 9h – Missa Especial do Círio das Crianças – Pe. Rangel Anderson 18h – Missa – Pe. Joaquim.

DIA 04 – SEXTA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 6h30 – Missa do Apostolado da Oração – Pe. Agostinho Cruz 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Côn. Silvio Trindade

DIA 30 – SEGUNDA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. Adalberto Brandão.

DIA 05 – SÁBADO - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 6h30 – Missa da Congregação Mariana – Pe. Agostinho Cruz 17h – Missa com as Crianças – Pe. Agostinho Cruz 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa –Pe. Marco Antônio

DEZEMBRO DIA 01 – TERÇA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 17h30 – Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Pe. Paulo João. DIA 02 – QUARTA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Mons. Raimundo Possidônio (CID) DIA 03 – QUINTA-FEIRA - MISSA DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Cônego José Gonçalo Vieira.

DIA 06 – DOMINGO - MISSA DE ENCERRAMENTO DO QUINZENÁRIO DO CÍRIO 7h – Missa – Presidente: – Presidente: Pe. Agostinho Cruz 8h – III Ciclo Romaria de Nossa Senhora das Graças 18h – Missa –Pe. Maurício Henrique. DIA 07 – SEGUNDA-FEIRA - RECÍRIO 19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento 19h30 – Missa – Presidente: D. Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém. Após a missa, Recírio até o Colégio Nossa Senhora de Lourdes.


6

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 20 A 26 DE NOVEMBRO DE 2020

ARQUIDIOCESE

Paróquia homenageia CRISTO REI

PROGRAMAÇÃO paroquial envolve a comunidade em meio à Santa Missa, novena e parte cultural

S

exta-feira, 20, a Paróquia Cristo Rei, situada no bairro da Guanabara, destaca na festividade da Arquidiocese de Belém a Cristo, rei do Universo, a homenagem ao patrono da missão naquela igreja, São Luiz Orione, na Missa dos Orionitas. A festa em homenagem a Cristo Rei segue até dia 22, neste ano iluminada pelo tema “Cristo Rei, acolhe e abençoa teu povo”. Toda a programação paroquial envolve a comunidade em meio a Santa Missa, novena e parte cultural com sorteios de prêmios, cuja participação dos fiéis, em grande parte, vem se dando pela interação virtual coma atividades transmitidas pelas rede sociais da paróquia em espaços como o Youtube, Facebook e Instagram. A festividade está sob a direção espiritual do pároco, padre Pedro Júnior, e acontece de forma diferenciada buscando a participação dos fiéis da forma mais segura possível, face às recomendações sanitárias

perante a pandemia. A programação, aberta dia 13, às 19h, com Missa presidida pelo padre Antônio, da Comunidade Rainha dos Corações, tem possibilitado aos paroquianos participar de momentos especiais como a celebrações pelos colaboradores, pela santificação do Matrimônio, assim como as Missas pelas ações pastorais, pelos movimentos e pelos serviços missionários, além de celebração eucarística pelos vocacionados e pelas crianças. A abertura oficial dia 13 foi animada com live após a Missa, às 20h30, alegrado os paroquianos com a “Noite Cultural” Carimbó. Sequência especial da programação destacou a Igreja Doméstica no sábado, 14, dedicado à família. Na ocasião, alguns casais colocaram suas vidas junto com seus familiares aos pés do padroeiro Cristo Rei durante a Missa da Santificação do Matrimônio, às 18h. Momento digno de celebração cultural logo depois, às 20h30,

FOTOS: PASCOM CRISTO REI

n BISPO AUXILIAR, Dom Antônio presidiu a Santa Missa dedicada às comunidades

oficializada com a live do grupo Imenso Dom. A infância conferiu o tom alegre da programação no dia 15, domingo, às 9h30, na Missa das Crianças. À noite, foi a vez dos jovens reunirem na Missa da Juventude, às 19h, seguida pela live com a banda Cristo Amigo às 20h30. O Bispo Auxiliar de

Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, presidiu a Santa Missa dedicada às Comunidades no dia 16, segunda-feira, celebrando a vida dos missionários dedicados à evangelização nas comunidades no entorno da Paróquia Cristo Rei. Após a celebração, às 20h30, a banda Ministério Seráfico animou

a live da programação cultural transmitida aos fiéis via redes sociais. Dia 17, a devoção a Nossa Senhora marcou a festividade na Missa Mariana, às 19h, seguida de live às 20h30 com o grupo Cristo Missionário. Quarta-feira, 18, às 19h, foi o congraçamento paroquial

durante a Missa da Integração da Região São Vicente de Paulo, acompanhada da live do grupo Alto do Céu, iniciada às 20h30. A Missa das Pastorais, Movimentos e Serviços reuniu fiéis às 19h, que depois pode acompanhar às 20h30, a live com o grupo Filhos da Rainha.

Círio de Cristo Rei Em razão das recomendações das autoridades sanitárias pelo protocolo de prevenção ante a pandemia, o Círio de Cristo Rei será domingo, 22, realizado de forma diferente. Primeiro será celebrada a Santa Missa, às 7h, na Comunidade Cristo Missionário. Em seguida, uma carreata marca o círio, saindo da igreja em direção à Matriz paroquial onde a Missa do Círio será às 10h30. Os fiéis podem preparar-se para acompanhar a passagem da carreata com a imagem de Cristo Rei pela rua Ricardo Borges, passagem Natal, rua da Pedreirinha até o campo da Socilar, dali

retorna pela rua da Pedreirinha, avenida João Paulo II, praça da Pedreirinha, travessa Euclides da Cunha, avenida 1º de Dezembro, rua José Assegawa, rua Sol Nascente, passagem José de Alencar,rodovia BR-316, alameda Moça Bonita, avenida 1º de Dezembro, rua Olinto Meira, passagem São José, rua Jardim Esmeralda, passagem Santana, rua do Fio e rua Rosa Vermelha. A Missa de Encerramento da festividade de Cristo Rei será à noite, às 19h. A live com Xandy Pancadão às 20h30 será a última atividade da programação em homenagem a Cristo, Rei do Universo.

PROGRAMAÇÃO Você ainda pode acompanhar a festvidade de Cristo Rei. Atente à programação a seguir e participe! 20/11 - (sexta-feira) 19h - Missa dos Orionitas 20h30 - Live - Grupo Filhos do Céu 21/11 - (sábado) 19h - Missa dos Vocacionados 20h30 – Live - Grupo Cântico Novo 22/11- (domingo) - Círio de Cristo Rei (Carreata) 7h - Missa na Comunidade Cristo Missionário 8h - Círio de Cristo Rei (Carreata) 10h30 - Missa do Círio de Cristo Rei 19h - Missa de Encerramento 20h30 - Live com Xandy Pancadão

n DEVOÇÃO, paroquianos homenageando Cristo, Rei do Universo

Profile for Fundação Nazaré de Comunicação

Voz de Nazaré  

Edição de 20 a 26 de novembro

Voz de Nazaré  

Edição de 20 a 26 de novembro

Advertisement