Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 889 - PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

www.fundacaonazare.com.br

Inauguração do Barco-hospital Missa, bênção, entronização da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, ação social a bordo e visitação marcam inauguração do Barco-hospital Papa Francisco dias 17 e 18. Missão da embarcação é promover a saude em áreas riberinhas amazônicas. PÁGINA 6. DIVULGAÇÃO

nANCORADO em Belém, o Barco-hospital Papa Francisco será inaugurado com extensa programação na capital parense neste fim de semana

ÁREA Missionária da SEMANA Agostiniana Santíssima Trindade em Canudos

Reunião teve condução de Dom Antônio que abordou a urgência Programação inicia na terça-feira, 19, no salão paroquial da missionária e a necessidade de avançar na evangelização. PÁGINA 11 Matriz de São José de Queluz. PÁGINA 11 YEDA SOUZA

PADRE Francisco Maria Cavalcante é o novo Pároco de Nazaré

LUIZ ESTUMANO

PARTICIPANTES programação de lançamento do projeto Laços Dourados

NAZARÉ com novo pároco PROJETO Laços Dourados Santa Missa de posse do novo responsável pela Paróquia de Pastoral da Criança e Santa Casa lançam projeto pelo Nazaré foi presidida por Dom Alberto Taveira Corrêa. PÁGINA 10 aleitamento materno. PÁGINA 7


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

JOÃO CARLOS PEREIRA

PE. HELIO FRONCZAK

Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

heliofronczak@gmail.com

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ...

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

Conselho do papa Francisco

N

o domingo passado, falando aos milhares de fiéis que foram acompanhar a oração Angelus, no Vaticano, o papa Francisco repetiu um conselho que, volta e meia, dá ao rebanho: “tenham sempre na bolsa um pequeno Evangelho, para que ele seja a lâmpada acesa”, da qual falava a leitura que a Igreja nos propôs naquela data. Carregar um Evangelho na bolsa ou na pasta é uma maneira de se manter próximo à Palavra. Mas e quem não o leva em sua bolsa ou pasta? A ideia poderia ser levar na mão, como se fosse uma agenda. E há agendas assim, com espaço para anotação e para a reflexão a partir do Evangelho.

Se a pessoa achar que esse material faz volume, a “Liturgia Diária” ou “Deus Conosco” são mais finas e cumprem idêntico propósito. Para quem não pode ir à Missa todo dia, ainda acho mais prático, porque dá para acompanhar a sequência litúrgica. Se, ainda assim, não houver como ter a ”Liturgia” à mão, existe um instrumento maravilhoso, que todo mundo tem: o celular. Basta procurar, no site de busca, que aparecem dezenas de páginas, com a leitura do dia, as catequeses do Papa ou os textos comentados. Alguns, inclusive, trazem a homilia. O mundo moderno pode ter todos os defeitos – e os têm -, mas nunca foi tão fácil en-

trar em contato com a Palavra do Senhor como agora. E o melhor de tudo: todos os sites católicos são gratuitos e não se paga absolutamente nada para encontrar o Senhor. Rezar o terço, ir à Missa diariamente, aprofundar-se no conhecimento da Liturgia e da Palavra são práticas que nos colocam no bom caminho da vida. São o óleo que ajuda a manter viva a chama da lâmpada que nos ilumina rumo à vida verdadeira. Abrir mão disso é o mesmo que dizer: “não, muito obrigado. Eu escolhi ir por outra estrada”. Nesse caso, lamentavelmente, não há muito o que fazer. Cada um é livre para assumir suas escolhas, inclusive as erradas.

A solidariedade humana

"S

olidariedade evoca a vocação de fundo da humanidade à unidade e à comunhão”, diz o teólogo J.J. O’Donell. Pergunta-se: em que sentido a solidariedade é atitude trinitária? Característica irreversível atual é a “globalização” ou “mundialização”: afinal, no nosso mundo todos relacionam-se com todos. Teilhard de Chardin, com estilo provocatório mas exprimindo uma verdade de fundo, escreveu: “O tempo das nações passou; devemos construir a Terra”. Talvez com maior precisão, J. Kennedy declara que na sociedade se reconhecem “como pessoas”: em tal caso, aqueles que possuem mais - em bens, em capacidades humanas, em conhecimentos - sentem-se responsáveis pelos mais fracos e dispõem-se a compartilhar com estes

aquilo que têm. Os mais fracos, por sua vez, não se limitam a assumir uma atitude social passiva e destrutiva mas, reivindicam justos direitos, trabalham também eles para o bem de todos. Os grupos intermediários não buscam somente os seus interesses, mas respeitam os interesses dos outros como os próprios (n. 39). - A mesma coisa é em nível internacional, nos relacionamentos entre nações: as mais ricas, fortes e desenvolvidas, devem sentir-se responsáveis pelas demais, instaurando um sistema internacional que se baseie na igualdade de todos os povos no respeito das legítimas diversidades dos indivíduos. E às nações mais fracas se deve conceder a possibilidade de contribuir para o bem de todos com os seus tesouros de humanidade e cultura que, de outro

modo, seriam perdidos para sempre (n. 39). Quando se praticam tais atitudes, a solidariedade é reflexo da vida trinitária: “Se entrevê à luz da fé um novo modelo de unidade do gênero humano, no qual deve inspirarse, afinal, a solidariedade … reflexo da vida íntima de Deus, um em três Pessoas” (n. 40). Ao contrário, toda vez que corrompemos as pessoas, as enganamos de alguma maneira, que usufruímos de privilégios ou os procuramos injustamente para amigos e conhecidos, que nos enriquecemos pessoalmente ou como grupo ou País, sem relevar dano causado a outrem, em suma, se somos pouco solidários, nos movemos no oposto ao da dinâmica trinitária, justamente porque “a Trindade é … um mistério de solidariedade”.

Arquidiocese de Belém promove neste sábado, 17, FESTIVAL VOCACIONAL Neste sábado, 17, dentro do mês vocacional a Arquidiocese de Belém através do Serviço de Animação Vocacional (SAV) promove na quadra esportiva da Igreja de São Francisco de Assis, os Capuchinhos, em São Brás, mais uma edição do Festival Vocacional cujo tema “Igreja: geradora e educadora de vocações”. A programação da Feira constará de momentos de apresentações artísticas como danças, teatros e vários shows. O Festival Vocacional assim como a Jornada

Vocacional na Arquidiocese tem o objetivo de despertar nos jovens a sua vocação na igreja, seja na vocação sacerdotal, matrimonial, laical ou religiosa. O evento é para alguns o primeiro contato com as congregações religiosas, os seminários e novas comunidades. A partir desse contato constrói-se um laço formativo, onde os interessados passam a participar de eventos de aprofundamento, o autoconhecimento e a descoberta vocacional. A programação do evento proporciona aos jovens conhecer me-

lhor os carismas vocacionais, as espiritualidades das congregações, das novas comunidades e dos seminários, bem como descobrir a sua vocação na Igreja. A organização explica que “a Igreja, que é geradora e educadora de vocações, proporcionará a todos uma oportunidade para entrarem em contato com diversos carismas e expressões vocacionais, sejam elas congregações religiosas, novas comunidades, seminários e tudo isso em um ótimo clima de amizade e fraternidade da Feira Vocacional.”

DIVULGAÇÃO

A programação inicia às 16h, com a palavra de Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano. Em seguida, às 16h15, apresentação da Comunidade Shalom com oração e dança. Depois da encenação teatral, às 17h30, haverá apresentação da Comunidade Maíra, sorteio, testemunho e apresentação da Comunidade Caju. O encerramento acontece às 21h e, durante todo o evento os estandes com as diversas congregações, novas comunidades e movimentos irão estar abertos aos convidados.

“O ESPELHO DA CARIDADE” segundo Aelredo de Rievaulx Tratado sobre a prática da perfeição cristã é o livro “O Espelho da caridade”, sobre o pensamento de Aelredo de Rievaulx, monge e abade cisterciense contemporâneo de São Bernardo de Claraval, no século XII. Será lançado em noite de autógrafos em Belém, no dia 5 de setembro, às 19h, no Salão dos Pontificais da Catedral Metropolitana.

Padre João Paulo Dantas, vigário da Catedral, tradutor do original em Latim, junto com a professora Maria do Socorro Coelho, da Faculdade Católica de Belém, é organizador a edição. Ele assina a introdução e notas e a professora, além da coparticipação, é também revisora do livro da Cultor de Livros editora. “Espelho da caridade” é obra inédita na língua

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

portuguesa sobre santo Aelredo de Rievaulx, explica padre João. Dividido em três partes, o livro, de 328 páginas, versa sobre a excelência da caridade. Inicialmente, a segunda parte é sobre o discernimento necessário e os frutos da caridade, e termina com a prática da caridade nas relações. “A palavra espelho é sugestiva”, diz padre João, “pois santo Aelredo nos

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

coloca frente a frente com a nossa própria alma, dando-nos a oportunidade para uma autoavaliação, para descobrirmos se sabemos fazer a caridade e se estamos vivenciando corretamente esse dom de Deus em nossas vidas”. A obra apresenta-se como o coração da doutrina de Aelredo de Rievaulx, como um roteiro espiritual para a prática da perfeição cristã. O

autor, como se usasse um espelho, ensina aos monges o discernimento necessário a respeito dos diferentes graus da caridade em suas almas. Aelredo buscou coordenar a verdade da fé, a necessidade da criatura e a dinâmica relacional, quando, na obediência a Bernardo de Claraval, decidiu escrever para o bem dos monges que lhe foram confiados.

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

CONVERSA COM MEU POVO

Lições da ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

A

Igreja reza aquilo que aprende e aprende com aquilo que reza. Assim acontece com o Ano litúrgico, no qual percorremos os mistérios de nossa fé, acompanhando a História da Salvação, para penetrarmos no Mistério Pascal da Morte, Ressurreição e Ascensão de Jesus e a vinda do Espírito Santo. Entretanto, também as pessoas que se envolveram no mistério da fé são lembradas no Ano litúrgico, começando pela Virgem Maria. Sua participação no mistério de Cristo começou com a livre escolha daquela que viria a ser a Mãe do Verbo de Deus encarnado, passou pelas realidades do nascimento, vida em Nazaré, Caná, discipulado, Cruz e Ressurreição e

Assunção quer dizer que Maria foi assumida, elevada e levada ao Céu o Pentecostes, quando se preparou unida à primeira comunidade cristã. Presente à Comunidade primitiva, a tradição nos indica sua vida em Éfeso. Outros dados mostram-na em Jerusalém, até chegar à participação no mistério da morte, delicadamente chamada de “dormição” de Nossa Senhora. Como foi por graça preservada do pecado, em previsão dos méritos de Cristo, desde os albores da vida da Igreja cresceu a convicção de sua Assunção ao Céu em Corpo e Alma, não vindo o seu corpo a se corrom-

per. O Dogma da Assunção foi proclamado pelo Papa Pio XII em 1950 (Constituição Apostólica Munificentissimus Deus). Diz o Papa: “Nas homilias e orações para o povo na festa da Assunção da Mãe de Deus, santos padres e grandes doutores dela falaram como de uma festa já conhecida e aceita. Com a maior clareza expuseram-na; apresentaram seu sentido e conteúdo com profundas razões, colocando especialmente em plena luz o que esta festa tem em vista: não apenas que o corpo morto da Santa Virgem Maria não sofrera corrupção, mas ainda o triunfo que ela alcançou sobre a morte e a sua celeste glorificação, a exemplo de seu Unigênito, Jesus Cristo. São João D a m a s c e n o, e n t re todos o mais notável pregoeiro desta verdade da tradição, comparando a Assunção em corpo e alma da Mãe de Deus com seus outros dons e privilégios, declarou com vigorosa eloquência: Convinha que aquela que guardara ilesa a virgindade no parto, conservasse seu corpo, mesmo depois da morte, imune de toda corrupção. Convinha que aquela que trouxera no seio o Criador como criancinha fosse morar nos tabernáculos divinos. Convinha que a esposa, desposada pelo Pai, habitasse na câmara nupcial dos céus. Convinha que, tendo demorado o olhar em seu Filho na cruz e recebido no peito a espada da dor, ausente no parto, o contemplasse assentado junto do Pai. Convinha que a Mãe de Deus possuísse tudo o que pertence ao Filho e fosse venerada por toda criatura como mãe e serva de Deus”. Os dogmas de fé não são fruto de deci-

DIVULGAÇÃO

n UMA OBRA DE ARTE retratando a assunção sões voluntaristas dos sucessores de Pedro, mas resultado de uma experiência profunda e arraigada da fé no meio do povo de Deus, amadurecida no decorrer dos séculos. É bonito saber que os Papas proclamam o que o Espírito Santo já revelou ao conjunto dos fiéis que, por sinal, não pode errar em matéria de fé! Assim foi com a Assunção de Nossa Senhora. E como acontece com tudo o que a Igreja professa e celebra, esta verdade da fé é carregada de lições. Assunção quer dizer que Maria foi assumida, elevada e levada ao Céu. Jesus subiu ao Céu na “Ascensão” por ser Deus, Maria foi conduzida pelos méritos de Cristo, tendo chegado à nossa frente para ser sinal seguro de esperança, pois todos temos a eternidade como ponto de chegada. Esta é uma primeira lição. Fomos destinados à eternidade e não feitos para rastejar. A plenitude existe e caminhamos para alcançá-la, o que exige um olhar mais amplo e um horizonte mais alto, a fim de não nos acostumarmos

com as dificuldades do dia a dia, ou nos imaginarmos demasiado pesados para a felicidade completa. E ela já existe aqui e será plena junto com Deus. Saber que Maria já chegou traz consigo a certeza de que temos uma mãe no Céu, o que não é pouca coisa. Afinal, não passa um dia em que o cristão deixe de dizer “Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós pecadores”. E ela reza por nós, acompanhando nossa fadigosa peregrinação terrena com coração de mãe, cheio de ternura e desvelo! Se o Céu já acolheu o corpo e a alma de uma criatura como Maria, é bom olhar ao redor e valorizar todas as realidades humanas. Cristão que se preze reconhece a importância das criaturas postas pelo Senhor à nossa disposição. Não joga fora a oportunidade de um sorriso, as mãos que se abrem para a partilha, as alegrias mais simples da convivência humana. Olha para a natureza e se empenha em cuidar do meio ambiente. Vale para ele varrer uma casa, plantar

uma árvore, recolher o lixo, respeitar o trânsito. Mais do que isso, o cristão abre os olhos para as situações humanas que existem em torno de si, para edificar na partilha e na caridade um mundo diferente, que ele sabe ser possível e urgente. Entretanto, como é costume em nosso país, a festa da Assunção põe em relevo uma vocação tipicamente mariana, a vida religiosa, cuja missão é plantar os valores do Evangelho e da eternidade em nosso tempo. Os religiosos e religiosas têm a responsabilidade de alertar a Igreja e os cristãos para a precariedade existente em muitas escolhas das pessoas, iludidas pelo consumo, pelos prazeres enganosos, a falta da fraternidade, o engano dos projetos falazes que a nada conduzem. Desejamos agradecer a tantos irmãos, sacerdotes ou não, e a tantas irmãs religiosas na vida consagrada, pelo testemunho profético que oferecem à Igreja. Ao mesmo tempo, desejamos que sua presença atraia po-

derosamente muitas jovens, rapazes e moças, à vocação da radicalidade evangélica. Olhando para essas pessoas consagradas, nossa juventude, feita para grandes ideais, saiba reconhecê-los presentes em homens e mulheres bem concretos, dedicados ao testemunho de Jesus Cristo, nos ambientes mais pobres e desafiadores, assim como na educação e no fermento pastoral de tantas comunidades.

Temos uma mãe no Céu

O Dogma da Assunção foi proclamado pelo Papa Pio XII em 1950 (Constituição Apostólica unificentissimus Deus)


4

IGREJA

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

MISCELÂNEA

SEGURANÇA

A

dio para a semana vindoura a série sobre o arquiteto Antônio Landi, prometida na edição passada de “Miscelânea”, e nesta me ocupo com o tema da liturgia da Palavra do 18º Domingo do Tempo Comum: segurança. Segurança, é público e notório, desde que o mundo é mundo e até o final dos tempos, foi, é e será, uma necessidade básica, funda-

Se não a temos, como podemos dá-la? Impossível. "Nemo dat quod non habet" . mental, de todo e qualquer ser humano. É, mas onde e em quê e em quem pôr a segurança? Passemos a ver o que nos diz a Igreja, transmissora e portadora fiel dos ensinamentos de Jesus, que inerrável. Nem em si mesmo,

nem em ninguém, seja ele quem ou o que for. Por que? Resposta: se precisamos dela, - todos precisamos, sem uma única exceção, verdade aceita universalmente, pois que um fato – é porque não a temos, nenhum de nós. E, se não a temos, como podemos dá-la? Impossível. Como ensina o adágio latino, “Nemo dat quod non habet.” Em bom Português: ninguém pode dar o que não tem. Óbvio ululante, na expressão lapidar do saudoso Nelson Rodrigues, ícone, esse sim, do Teatro Brasileiro. Nem, igualmente, na posse dos bens. Todos eles, ainda que possam durar muito, são passageiros. Assim como vêm, assim também vão. Ninguém, até hoje, ao morrer levouos consigo. Nem no poder. Além de passageiro - hoje estou por cima, amanhã ou depois estarei por baixo, serei substituído – escraviza quem o tem. E mais: opõe-no aos outros, levando-o a vê-los como concorrentes, inimigos e, consequentemente, a fazer o que for preciso para afastá-lo do caminho a qualquer custo.

Muito menos nos prazeres. Nunca chegam a nos satisfazer. Quanto mais os temos, mais e mais queremos tê-los, mais os buscamos, cada vez com mais ânsia, uma vez que sempre nos deixam insatisfeitos. Isto, em meu entender, unicamente porque nossas verdadeiras dimensões não são as do nosso corpo, são infinitas. Assim sendo, só o infinito, e mais nada, e mais ninguém, isto é, Deus, nos satisfará e nos preencherá totalmente, como escreve santo Agostinho, logo no início de suas “Confissões”, um

Nem em ninguém, nem em nada, somente em Deus

Vivamos como Deus nos quer: livres, libérrimos. Todo e qualquer apego é uma prisão.

DIVULGAÇÃO

n SOMOS AVES que, se presas, ainda que pelo mais tênue fio, adeus vôo

dos clássicos da espiritualidade: “fizeste-nos para Ti, e inquieto está o nosso coração, enquanto não repousar em Ti”, afirmação que se tornou célebre. Em síntese: nem em ninguém, nem em nada, somente em Deus. Lembremos os ensinamentos da Igreja, aprendidos com Jesus, sobre os bens materiais. Todos eles, mesmo quando nossos, não nos pertencem, têm função social, pelo que devem servir para o bem da comunidade, especialmente dos mais necessitados. O dinheiro facilmente se torna fonte de todas as hierarquias

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.comg)

sociais, de todas as discriminações. Desumaniza e tiraniza quem se deixa dominar por ele, isola seu possuidor, faz com que ele seja invejado e odiado por quem não o tem. O poder deve estar, sempre, a serviço da justiça e do bem comum. Deus nos quer livres de quaisquer amarras, uma das quais os prazeres terrenos. Finalizando, a título de curiosidade, as três atitudes possíveis relativamente a tudo o que é deste mundo: desprezo, apego, uso correto. O desprezo é um erro fatal, pois precisamos deles para poder sobreviver.

O apego também é um erro, uma vez que tudo passa, termina, mais cedo ou mais tarde, deixando-nos na mão, a ver navios. O correto é o uso adequado, à medida de nossas necessidades, mas sem apegar-selhes, visto que isto é o mesmo que pretender aprisionar o vento nas palmas das mãos. Ninguém jamais o conseguiu, nem conseguirá. Vivamos como Deus nos quer: livres, libérrimos. Todo e qualquer apego é uma prisão. Somos aves que, se presas, ainda que pelo mais tênue fio, adeus vôo. Shalom!

LITURGIA

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Lc 1,39-56 39Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente, a uma cidade da Judéia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre! 45Bemaventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46Então, Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu salvador, 48porque olhou para a humildade de sua

serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor...” 56Maria ficou três meses com Isabel, depois voltou para casa. B) COMENTÁRIO

É Festa da “Assunção de Nossa Senhora” e o Evangelho nos mostra o encontro de duas gestantes. São mulheres fecundas e que no diálogo reconhecem o extraordinário da ação de Deus em suas vidas. Uma interpela: “como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?” (43). E a outra responde: “A minha alma engrandece o Senhor,...” (46-49). Ambas estão isentas de egoísmo, pois os méritos apresentados por elas são presentes recebidos e reconhecidos como de Deus. Isabel em seu comentário nos faz lembrar a humildade daquele ho-

mem que pede socorro a Jesus e logo se acha indigno de recebê-lo em sua casa (Lc 7,6): “Senhor, não sou digno de que entres em minha casa...” // “como posso merecer...”. A humildade é qualidade dos destinatários das graças de Deus (Isabel); ou de quem a Ele se dirige (Maria), como se lê: “todo o que se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado” (Lc 18,14). Maria, ao responder o elogio da outra, diz que tudo o que ela tem e é vem de Deus: fonte primeira e última de nosso ser e de todos os bens. Isabel entende que Maria é feliz por ser mulher de fé: “Bem-aventurada aquela que acreditou...”. Ora, “Bem-aventurada = Feliz”, pois “feliz” é uma tradução da palavra original grega “makária”: “Felizes as entranhas que te trouxeram... Felizes, antes, os que ouvem a palavra de Deus e a ob-

servam” (Lc 11,27s). Maria é a mais “makária” dentre todas as mulheres. Ninguém viveu tanto a Palavra de Deus como Maria, pois a Palavra se fez vida em sua vida: Jesus (Jo 1,14; Gl 4,4). Ela é exemplo de serviço (visita e ajuda a Isabel), de gratidão (magnificat); fraternidade, humildade e fecundidade. Maria gerou a Palavra em seu ventre, e nós, em nossos corações e ações. “Maria ficou três meses com Isabel, depois voltou para casa”. Conclui-se que, somando três aos seis (Lc 1,26) meses, completa o tempo do nascimento do filho de Isabel. Uma visita plena, adquirindo ao mesmo tempo experiência para o nascimento de seu Jesus. É lição de que a visita

movida pela caridade

é caminho de benefício duplo: para quem dá e para quem recebe. Caminho que se abre aos céus. Percorramos!

n 16/08, SEXTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (Js 24,1-13) Responsório (Sl 135) Evangelho (Mt 19,3-12) n 17/08, SÁBADO Cor (verde) Primeira Leitura (Js 24,14-29) Responsório (Sl 15) Evangelho (Mt 19,13-15) n 18/08, DOMINGO Cor (branco) Primeira Leitura (Ap 11,19a;12,1.3-6a.10ab) Responsório (Sl 44) Segunda Leitura (1Cor 15,20-27a) Evangelho (Lc 1,39-56)

n 19/08, SEGUNDA Cor (verde) Primeira Leitura (Jz 2,11-19) Responsório (Sl 105,34-44) Evangelho (Mt 19,16-22) n 20/08, TERÇA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Jz 6,11-24a) Responsório (Sl 84) Evangelho (Mt 19,23-30) n 21/08, QUARTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Jz 9,6-15) Responsório (Sl 20) Evangelho (Mt 20,1-16a) n 22/08, QUINTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Is 9,1-6) Responsório (Sl 112) Evangelho (Lc 1,26-38)


5 SETORJUVENTUDE

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

SÍNODO PAN-AMAZÔNICO: a promoção humana e suas exigências (parte 5) INTRODUÇÃO

F

alamos no artigo anterior sobre a inseparabilidade entre evangelização e promoção humana. Bem como, apresentamos quatro fontes inspiradoras e condicionadoras do agir da Igreja na esfera social. No amplo contexto Amazônico, a relação entre evangelização e promoção humana é desafiadora por causa das suas muitas e complexas demandas. Por isso, é preciso muita clareza e transparência, para que a Igreja seja fiel à sua missão, sem se confundir com as atitudes e reivindicações de uma Organização Não Governamental.

sociais também nos alerta afirmando: “No diálogo com o Estado e com a sociedade, a Igreja não tem soluções para todas as questões específicas. Mas, juntamente com as vá¬rias forças sociais, acompanha as propostas que melhor correspondam à dignidade da pessoa hu-mana e ao bem comum. Ao fazê-lo, propõe sem¬pre com clareza os valores fundamentais da exis¬tência humana, para transmitir convicções que possam depois

no amplo contexto amazônico, a evangelização é muito desafiadora

1

A contribuição ética da Igreja Quando Jesus disse a seus discípulos: “pobres sempre tereis, mas a mim nem sempre” (Jo 12,8) nos deixou a seus discípulos um profundo alerta. A centralidade da missão da Igreja é a promoção do Reino de Deus. O resto é consequência! Para a Igreja, fora da motivação teológica, tudo se esvazia e desvia. Como aconteceu Judas Iscariotes em nome dos pobres, porque suas motivações eram errôneas e não estavam centradas na pessoa de Jesus (cf. Jo 12,4-8). O Papa Francisco, fiel aos fundamentos teológicos da missão da Igreja em relação às questões

traduzir-se em ações políticas” (EG, 241). A Igreja não tem respostas técnicas para os problemas da sociedade, não é sua missão; mas contribui com sua reflexão, aponta princípios, sugere caminhos à luz da Fé (cf. C.A, 55).

2

Amazônia: Galileia da Igreja Em relação ao Sínodo da Pan-Amazônia, seria míope por parte da Igreja uma preocupação meramente socio-ambientalista. Quem está meramente preocupado

com essa questão desconhece a sensibilidade da Igreja. Todavia, o justo equilíbrio deverá sempre ser mantido. E quais situações dos diversos contextos amazônicos requerem da parte da Igreja uma especial atenção? A Amazônia é a Galileia da Igreja no continente americano. Por ser um território profundamente marcado pela pobreza e pela desatenção política, violência, opressão e injustiça de muitas formas, Jesus deu especial atenção aos galileus e se fez um deles vivendo em Nazaré. A Igreja, “perita em humanidade” (cf. PauloVI, Populorum progressio, 13), é partícipe “das alegrias e esperanças, das angústias e das tristezas dos homens” (GS, 1), por isso, é solidária com todo homem e a toda a mulher, de todo lugar, tempo, cultura e religião testemunhando-lhes os valores do Reino de Deus. Assim a Igreja não só crê em «novos céus», mas está comprometida com a transformação deste mundo (cf. Rm 12,1-3; 2Pd 3,13). Para a Igreja a dimensão antropológica abraça inevitavelmente a questão socio-ambiental com todas as suas exigências. Não podemos falar de evangelização na Amazônia sem tocar naquilo que é característica fundante da identidade da Amazônia: a beleza e a abundân-

cia da biodiversidade e suas ameaças. A questão da promoção humana abraça a totalidade das dimensões da existência do ser humano, independente do seu contexto.

3

A Amazônia e suas necessidades específicas As necessidades da promoção humana são sempre as mesmas em qualquer lugar do mundo, todavia, é necessário, considerarmos o contexto existencial das pessoas presentes em cada realidade. Cada contexto é rico de demandas específicas! Há uma variedade de fatores (socioculturais, ambientais, políticos, econômicos, religiosos...), que condicionam o dinamismo da promoção humana e da evangelização em cada contexto. O mesmo acontece na Amazônia. A promoção humana, abraçando a totalidade das dimensões da pessoa, em todos os contextos e situações, exige ação conjunta: nenhum ator social é, isoladamente, o responsável pela acolhida, tutela, defesa e promoção da pessoa humana. A Amazônia, por sua própria, natureza, exige interação, senso de corresponsabilidade, ação conjunta, parcerias. Infelizmente, ainda na gestão da promoção humana na Amazônia, nem sempre os diversos atores sociais convergem e se esforçam para serem bons

parceiros, colaboradores uns dos outros; onde há modos variados de compreensão da dignidade humana (e do valor da vida humana), há conflitos, inimizade, antagonismo, sangue derramado. Por isso, urge a promoção da profecia do diálogo em vista da promoção de processos de convergência

4

Anúncio, diálogo e denúncia A promoção humana estimulada pela Igreja propõe intervenção em todos os contextos socioculturais e situações: indígena, negro, rural, ribeirinho, urbano (centro e periferia). Lamentavelmente a Amazônia é palco de conflitos e mortes! Por parte

Centralidade da missão da Igreja é o Reino de Deus

fora da motivação teológica, tudo se esvazia e desvia; errôneas as motivações não centradas em Jesus

da Igreja não é suficiente a denúncia dos males. Talvez precisemos crescer mais em atitudes pedagógicas capazes de estimular o discernimento, a convergência, o diálogo e a resolução serena dos conflitos. Foi o que Jesus fez com Zaqueu! Graves situações humanas vão perdurar enquanto houver a fragmentação das instituições e o oposicionismo entre elas, que criam barreiras entre si, gerando antipatias entre governos, empresas, fazendeiros, militares, ONGs, movimentos, Igreja, instituições de controle social. Por outro lado, muitas vezes, a surdez das instituições de controle social favorece a violência. Cada ator social tem uma profunda responsabilidade que deve ser resgatada por sua dignidade vocacional. Todavia, onde cresce o antagonismo, todos perdem, se enfraquecem, e se instaura a “guerra fria”. REFLEXÃO: O que significa que a Igreja não tem soluções técnicas para os problemas da sociedade? O que você entende pela afirmação: a Igreja é partícipe das alegrias e esperanças, das angústias e das tristezas dos homens? Quais antagonismos, entre instituições ou categorias de pessoas, você percebe na Amazônia? Como a Igreja pode ajudar?

1 2 3

SETOR JUVENTUDE BELÉM reúne com assessores episcopais Com presença de padres, religiosos e jovens ocorreu sábado, 10, na Igreja de Jesus Ressuscitado, na Marambaia, a primeira reunião celebrativa juvenil do semestre, promovida pelo Setor Juventude de Belém e participação dos assessores das regiões episcopais. A reunião iniciou comalmoço fraterno. Imbuídos da comunhão de espírito de discernimento e ousadia pastoral, os presentes dialogaram acerca das pontuações do planejamento. Estiveram presentes padre Maurício Henrique (Região Santa Cruz), assessor Arquidiocesano, padre Luciano (Região Coração Eucarístico); padre

Paulo João (Região São João Batista); Ir. Cícera (Região Menino Deus) e a coordenação Arquidiocesana do Setor Juventude. Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém e referencial para a juventude, em conjunto com o Setor juventude, explanou as atividades realizadas no primeiro semestre e os projetos futuros para a juventude em vista dos múltiplos processos educativo-pastorais para as expressões juvenis da Arquidiocese. No momento de integração, partilha e orações discutiram-se e avaliaramse as seguintes pautas: agenda da pastoral juvenil; a força-tarefa sobre a

conscientização do Curso de Formação de lideranças em Janeiro de 2020; organização e fundação de oratórios nas paróquias e comunidades, onde houver abertura e interesse. Discutiram-se ainda a agenda do Círio 2019,de inscrição para a JMJ 2022, lançamento do livreto sobre o oratório, promoção do protagonismo juvenil através dos conselhos e o estudo da exortação apostólica Christus Vivit, do Pap Franciso, escrita em resposta à Décima Quinta Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, sobre os jovens, a fé e o discernimento vocacional, realizada de 3 a 28 de outubro de 2018.

DIVULGAÇÃO

n ALGUNS dos presentes à reunião avaliativa

Dados os encaminhamentos futuros, renovou-se o compromisso

assumido frente às diversas realidades juvenis da arquidiocese, com o de-

sejo de semear e colher bons frutos para o reino de Deus.


6

ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

Arquidiocese de Belém inaugura BARCOHOSPITAL PAPA FRANCISCO CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA E AÇÃO SOCIAL na Cidade Velha marcam ato inaugural dia 17

S

erá no próximo sábado, dia 17, às 16h, em um hotel localizado na avenida Nazaré, 375, em Belém, a bênção de inauguração do Barco Hospital Papa Francisco. Às 19h, na Escadinha do Cais do Porto (Praça do Pescador - Estação das Docas), acontecerá a bênção do barco com a entronização da imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Conduzirá a cerimônia e abençoará o Barco, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira

Corrêa, com a presença do Bispo Diocesano de Óbidos e Presidente do Regional Norte 2 da CNBB, Dom Frei Bernardo Bahlmann, de Monsenhor Massimo Catterin, da Nunciatura Apostólica no Brasil, dos bispos auxiliares Dom Irineu Roman e Dom Antônio de Assis Ribeiro, e de autoridades e apoiadores do Estado do Pará e outras regiões do Brasil. O Barco Hospital Papa Francisco percorrerá o rio Amazonas, levando saúde e assistência médica às comunidades ribeiri-

nhas. As ações constarão de consultas, cirurgias de baixa e média complexidade, exames e diagnósticos, devendo chegar às pessoas mais necessitadas, as que tem pouco ou nenhum acesso ao atendimento de saúde na região amazônica. Os voluntários que integram o projeto são missionários e religiosos que responderam ao chamado de Deus para a missão de levar assistência médica à população ribeirinha ao longo da Região Amazônica.

BARCO HOSPITAL PAPA FRANCISCO Construído em Fortaleza, no Ceará, o Barco Papa Francisco objetiva oferecer acesso à saúde básica aos ribeirinhos necessitados de assitência médica. A ideia do barco hospital surgiu a partir do incentivo do Papa Francisco, na Jornada Mundial da Juventude (2013), realizada no Brasil. Naquela ocasião, o Pontífice visitou um hospital no Rio de Janeiro, administrado pela Associação e Fraternidade São Francisco, e perguntou se a Associação já havia implantado o projeto de assistência médica na Amazônia. A partir desse encontro, Dom Frei Bernardo Bahlmann e demais religiosos da Fraternidade idealizaram o projeto cujo objetivo atender a população ribeirinha.

ESTRUTURA O Barco Hospital Papa Francisco tem o comprimento de 32 metros, com capacidade para até 30 tripulantes. Possui salas para raio-x, mamógrafo, ecocardiograma, teste ergométrico, sala cirúrgica, laboratório de análises, farmácia, sala de vacinação, consultórios médicos, consultório oftalmológico e odontológico e, ainda, leitos de internação e contará com até 23 profissionais da área da saúde. A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus realiza trabalhos direcionados a levar saúde básica, como ambulatórios, pronto socorro, farmácia, abrigos e comunidade terapêuticas desde 1985. Tem sede em Jaci (SP), e está presente no Pará, no Ceará, no Paraná, no Rio de Janeiro e em Goiás.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n O BARCO-HOSPITAL Papa Francis AÇÃO SOCIAL EM BELÉM

A primeira ação na capital belemense será no domingo, dia 18, com celebração eucarística em ação de graças, às 8h, na Igreja Nossa Senhora do Carmo (Cidade Velha) e, ao longo do dia, “Ação Solidária” no Porto Palmeiraço, também na Cidade Ve-

lha, com a presença do Barco-hospital. No momento haverá, dentre outras ações gratuitas, assistência à população mais necessitada, com atendimentos médicos, clínico geral, neurologia, odontologia, raio-x, mamografia, ultrassonografia, exames laboratoriais, cirurgias de baixa e média comple-

xidade, entretenimento para crianças, atendimentos espirituais. A programação é fruto de parceria entre a Fraternidade e Associação L ar São Francisco de Assis na Providência de Deus e Arquidiocese de Belém do Pará e contará com diversos apoiadores dos diversos setores.

PROGRAMAÇÃO SÁBADO (17.08)

10h – Barco Hospital aberto à visitação Local: Escadinha da Estação das Docas 16h – Cerimônia Oficial de Inauguração 18h – Coquetel Local: Hotel (Avenida Nazaré, 375, bairro de Nazaré) 19h – Bênção do Barco e entrega da imagem de Nossa Senhora de Nazaré Local: Escadinha da Estação das Docas DOMINGO (18.08)

8h – Missa em Ação de Graças pelo Barco Papa Francisco Local: Igreja do Nossa Senhora do Carmo (Tv. Dom Bosco - Cidade Velha) 9h – Ação solidária: atendimento à população mais necessitada (atendimentos médicos, consultas, exames e diagnósticos, ação missionária nas ruas da cidade velha, atendimentos e aconselhamentos espirituais, brincadeiras lúdicas para crianças) Local: Porto do Palmeiraço (Cidade Velha)

SIMPÓSIO discutiu temas da Igreja à luz do Direito A Lei na Sagrada Escritura, o Direito Canônico na prática e os Direitos Humanos foram temas do Simpósio de Teologia realizado entre os dias 7 e 9 deste mês pela Faculdade Católica de Belém (Facbel), sob o tema “Teologia e Direito, a serviço da comunhão”, explanado por especialistas de outros Estados para contribuir com os debates que aconteceram em três dias. Aproximadamente 400 pessoas participaram do evento para refletir e se aprofundar a respeito do que a Teologia tem a dizer acerca do Direito. No primeiro dia foram expostos os fundamentos bíblicos do Direito. A primeira apresentação foi a Lei em Israel, ministrada pelo professor da Faculdade Católica de Fortaleza, Dr. Pe Fernando Reis, que mostrou a evolução da lei, isto é, a lei mosaica apresentada no Antigo Testamento alcança seu pleno cumprimento e plenitude na encarnação do verbo de Deus, Jesus Cristo.

Para Pe Fernando, falar da lei de Israel para esse público é necessário, pois “hoje as pessoas tem a grande tendência de horizontalizar a lei, e neste simpósio foi colocado em discussão a verticalidade dela, a lei revelada que é Deus”. O professor. Dr. Pe Josué do Nascimento apresentou o tema “Paulo, o Cristianismo e a Lei”, abordando a história de Paulo, e a importância do apóstolo para a propagação da Lei de Deus plenificada em Cristo. Assim, os dois temas complementaram-se, permitindo o entendimento do Direito e da Lei a partir das sagradas escrituras. O Direito Canônico no segundo dia foi expostopelo professor da Faculdade Católica de Belém, Dr. Pe. João Paulo Dantas, versou sobre os fundamentos teológicos do Direito Canônico. Em sua apresentação, ele mostrou que o Código de Direito Canônico está em intrínseca união com a nature-

za da Igreja, fundamentado no caráter normativo e imperativo das palavras de Cristo, objetivando a salvação das almas. Bispo auxiliar de Brasília, Dr. Dom José Aparecido de Almeida, expôs o tema sobre o Direito Canônico a serviço da comunhão eclesial e da pastoral. Nesse sentido, foi possível observar a finalidade prática do Direito Canônico, ou seja, o modo pelo qual a observância do Código contribui para a missão salvífica da Igreja. Desse modo, os temas apresentados concatenaram-se, o primeiro fundamentou o Direito canônico e o segundo, apresentou sua práxis. O Diácono Paulo Santos, participante do simpósio, destacou que as duas conferências apresentadas pelo do Bispo Auxiliar de Brasília, Dom José Aparecido, mostraram de forma muito prática o Direito Canônico, explicando de forma vivida a teoria na prática, “o

n SIMPÓSIO reuniu especialistas nas áreas da Teologia e do Direito

simpósio veio esclarecer e abrir os horizontes das questões práticas vividas na minha pastoral, sobre as coisas que vivemos hoje em dia”. No terceiro dia, a reflexão foi o Cristianismo e direitos humanos hoje, e também sobre o Acordo Brasil-Santa Sé. O primeiro tema foi exposto pelo professor da Universidade Católica do Ceará, Prof. Dr. Rudy de Assunção. Em sua exposição, o professor apresentou a origem dos

direitos humanos, a relação da Igreja Católica com a Organização das Nações Unidas e os desafios encontrados pela Igreja nesta relação. O professor destacou que a relação da igreja com os Direitos Humanos é uma relação com a modernidade e que o grande desafio é continuar defendendo a liberdade religiosa. “A religião católica está atenta à racionalidade, não prega a violência e ao mesmo tem que formular um

discurso ético, baseado em valores que entendam o mundo moderno sem trair a sua fé”. Finalizando a programação Dom José Aparecido, apresentou o acordo Brasil-Santa Sé, para resguardar os direitos dos católicos brasileiros. O Bispo aproveitou a oportunidade para parabenizar a programação do Simpósio. "Abrem os horizontes para a compreensão da pessoa humana como centro da atividade pastoral".


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

7

PASTORAL DA CRIANÇA E SANTA CASA lançam projeto pelo aleitamento materno PROGRAMAÇÃO OCORREU NO GUAMÁ, projeto busca implantar pólo na Paróquia de São Pedro São Paulo

A

umentar a arrecadação de leite materno para o Banco mantido pela Santa Casa de Misericórdia. Este é o objetivo do projeto “Laços Dourados – solidariedade que alimenta a vida”, fruto da parceria da Pastoral da Criança da Arquidiocese de Belém e da Santa Casa e apoio do Corpo de Bombeiros do Pará, lançado no último sábado, 10, no salão paroquial da Igreja de São Pedro e São Paulo, no Guamá. Estiveram presentes autoridades, agentes pastorais e gestantes. O projeto é uma atividade concreta do ‘Agosto Dourado’, mês em que são intensificadas ações para a importância do leito materno e da amamentação para saúde de recém nascidos. Ele nasceu depois de uma experiência de agentes da Pastoral que, ao iden-

tificar, no Distrito de Icoaraci, uma mãe desnutrida que não conseguia amamentar, buscaram o serviço do banco de leite da Santa Casa. Lá, o casal soube do déficit do banco que dispunha apenas de um litro de leite para suprir a alimentação de 94 crianças e que não conseguiria atender a família de Icoaraci. Cerca de 30% das crianças que nascem na Santa Casa têm algum nível de prematuridade e muitas delas têm que ficar meses dentro do berçário, dentro da UCI neonatal, precisando de leite materno. Foi então que a Pastoral oficializou o projeto para que mães lactantes que são de conhecimento da Pastoral e possuem excedente de leite tivessem conhecimento do déficit e, assim, se tornassem doadoras. A

coordenação do Banco de Leite viu com bons olhos a oportunidade e entrou como parceira. “Nós vislumbramos nessa parceria a oportunidade de ampliarmos a importância da amamentação e da doação do excedente de leite, iniciando aqui pelo Guamá, que é um dos nossos bairros populosos e que nós precisamos atingir quem ainda não teve a oportunidade de ter essa informação justamente de que a amamentação deve ser estendida até o sexto mês de idade e continuar até o segundo ano de vida ou mais.”, afirma Cynara Souza, coordenadora do Banco de Leite. A parceria das instituições pretende, ainda, criar pólos de amamentação, com apoio de algumas paróquias da cidade. A paróquia de São Pedro e São Paulo

LUIZ ESTUMANO

n PARTICIPANTES do encontro que ocorreu na paróquia do Guamá

foi escolhida por situarse no Guamá, um dos bairros mais populosos de Belém, com quase 95 mil pessoas, segundo o censo de 2010. Além disso, é o bairro em que o projeto dos Bombeiros do Pará encontrava dificuldade em alcançar. O projeto será realizado com a identificação de possíveis doadoras pelos agentes que já realizam periodicamente visitas às famílias. Os agentes passarão por

capacitação do Corpo de Bombeiros sobre o armazenamento, cuidados higiênicos, retirada do leite e como conservar o líquido. E nas visitas eles serão responsáveis por repassarem o conhecimento às mães. Eurídes Borges, coordenadora arquidiocesana da Pastoral, destaca a importância de contribuir para reversão do déficit de leite materno: “Nós da Pastoral vimos na

campanha do ‘Agosto Dourado’ a oportunidade para contribuir com o Banco de Leite da Santa Casa. Até porque os bombeiros estavam encontrando dificuldade para alcançar essas famílias por conta do risco que estavam correndo e para nós a facilidade é maior. Pretendemos ampliar para as outras regiões para suprir essa grande necessidade da Santa Casa.”

CAMINHADA pela Vida e pela Família no dia 18

A “Família, fonte de vida, amor e paz” será o tema da sétima Caminha-

da pela Vida e pela Família, que acontecerá domingo, 18, a partir das 7h, na Paróquia São José de Queluz, localizada no bairro de Canudos, em Belém, realização da Pastoral Familiar Arquidiocesana. A caminhada se propõe a ser um momento propiciado pela Arquidiocese de Belém para refletir acerca da vida humana e celebrá-la como dom de

Deus, valorizando-a incondicionalmente. A Santa Missa às 7h, na Matriz de Queluz, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, dará início à programação. Ao término da celebração, às 8h, começará a caminhada. Os participantes seguirão por algumas ruas de Belém com destino à Paróquia de São Pedro e São Paulo, situada na rua Barão de Igarapé

Miri, no Guamá. Padre Idamor da Mota, assessor da Pastoral Familiar, convida a comunidade a partilhar dessa ação de suma importância para a sociedade: “Quero convidar todos aqueles que puderem estar presentes. A caminhada tem por objetivo congregar todas as forças vivas da nossa Arquidiocese para, juntos, manifestarmos todo o nosso apoio incondicional à vida humana e à família. Vamos às ruas pra dizer

“sim” à vida e à família”. A caminhada pela vida e pela família é uma ação aberta à participação de qualquer pessoa que defenda a vida e a família como uma dádiva de Deus. A coordenação da caminhada enfatiza que os participantes compareçam ao ato trajando roupas brancas como uma forma de evidenciar que o evento também quer fazer um apelo pela paz no mundo, especialmente em Belém.

SERVIÇO Caminhada pela Vida e pela Família Data: 18 de agosto de 2019, domingo Horário: 7h Local: Paróquia São José de Queluz (Av. Cipriano Santos, 311 - Canudos )

VATICANO

PAPA SAI EM DEFESA DO SÍNODO DA AMAZÔNIA: missão e dimensão evangelizadora DIVULGAÇÃO

Com informações agência Ecclesia. O Papa Francisco disse que o próximo Sínodo especial sobre a Amazônia, a ocorrer em outubro, no Vaticano, é uma resposta da Igreja Católica a preocupações religiosas e ambientais, numa região

decisiva para a sobrevivência da humanidade. “Não é uma reunião de cientistas ou de políticos. Não é um parlamento: é outra coisa. Nasce da Igreja e terá missão e dimensão evangelizadora. Será um trabalho de comunhão conduzido pelo Espírito

Santo”, explicou, em entrevista publicada na sexta-feira, 9 de agosto, pelo jornal italiano ‘La stampa’. A reunião de bispos foi anunciada pelo Papa em 15 de outubro de 2017 e refletirá, de 6 a 27 de outubro deste ano, sobre o tema ‘Amazônia: Novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral’. “A ameaça à vida das populações e do território deriva dos interesses econômicos e políticos dos setores dominantes da sociedade”, sustenta Francisco, sublinhando que a desflorestação significa “matar a humanidade”. Este Sínodo especial motivou reações negati-

vas do Governo brasileiro, que manifestou a “preocupação funcional do Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional com alguns pontos” dos trabalhos. O Papa, no entanto, entende que os temas importantes são os que dizem respeito aos “ministérios da evangelização e aos vários modos de evangelizar”, na região. A este respeito, observa que a possibilidade de ordenar indígenas casados, onde faltam sacerdotes, é “simplesmente um número do Instrumentum Laboris” (Instrumento de trabalho, ndr). Francisco sublinha que a Amazônia, uma região que

consta de nove Estados, é “um lugar representativo e decisivo”, com uma contribuição “determinante para a sobrevivência do planeta”, pelo que “não diz respeito a uma única nação”. O Papa admite temer “o desaparecimento da biodiversidade” ou o surgimento de “novas doenças letais”. “Uma deriva e uma devastação da natureza poderiam levar à morte da humanidade”, adverte. A política, prossegue, deve “eliminar as suas próprias conivências e corrupções” e assumir responsabilidades concretas em questões como “as minas a céu aberto, que envenenam a água, cau-

sando muitas doenças”. O pontífice fala das suas preocupações em relação à Europa, lamentando a perda de identidade, ligada a valores humanos e cristãs, e o surgimento de novos nacionalismos e populismos. “Estou preocupado porque se ouvem discursos que se assemelham aos de Hitler em 1934. Nós primeiro. Nós… nós… Estes são pensamentos assustadores”, declarou. Francisco defende que cada país deve ser “soberano, mas não fechado”, destacando, a este respeito, que no acolhimento aos imigrantes deve ser respeitado o direito à vida, “o mais importante de todos”.


8

IGREJA

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

NAZARÉ REPÓRTER n MISSA COM A PASTORAL UNIVERSITÁRIA

A 0

educação com horizontes abertos à transcendência ajuda os jovens a sonhar e a construir um mundo mais bonito. (12 de agosto) testemunho cristão, afinal, anuncia apenas isto: que Jesus está vivo e é o segredo da vida. (10 de agosto)

RÁDIO NAZARÉ FM 91 .3 MHZ

n CONHEÇA O RISCO DAS DOENÇAS CARDIOVASCULARES O programa “Saúde e cidadania” de segunda-feira, 19, apresentará o tema “Doenças cardiovasculares: sintomas, causas e tratamento”. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são o principal motivo de mortes no mundo todo. Um especialista vai falar sobre as ações de conscientização e alertar sobre os fatores de risco dessas doenças. Sintonize 91,3 Mhz, a partir das 16h e participe! Ligue 4006-9211 ou 9.8814-0275 (WhatsApp).

n PRÉ-SINODO EM BELÉM A Igreja da Amazônia reúne-se em Belém, representada pelos seus Bispos, no período de 27 a 30 de agosto, para as prévias do que será tratado no Sínodo Especial para a Amazônia que ocorrerá no Vaticano em outubro vindouro. A reunião episcopal acontecerá na Casa de Retiros Monte Tabor, situada em Icoaraci, distrito de Belém. A acolhida está a cargo da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam Brasil).

TV NAZARÉ

n FESTA DE SANTA MARIA DE BELÉM A Catedral de Belém iniciará dia 25 de agosto a festividade de sua padroeira, Santa Maria de Belém, também padroeira da capital do Pará. "Maria de Belém, Estrela da Evangelização" será o tema animador para os fiéis. O festejo sob a direção do Cura da Sé, cônego Roberto Cavalli, encerrará com Missa solene e procissão para homenagear a padoeira no dia 1 de setembro.

CANAL 30.1

n MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELO BARCO PAPA Acompanhe ao vivo pela Rede Nazaré de Televisão, canal 30 – ou na sintonia da sua cidade – a Missa em Ação de Graças pelo Barco-hospital Papa Francisco, direto da Igreja de Nossa Senhora Carmo, localizada na travessa Dom Bosco, na Cidade Velha. Depois, a emissora transmitirá flashes da Ação solidária que ocorrerá a bordo da embarcação, ancorada no Porto Palmeiraço, para atendimento à população mais necessitada (atendimentos médicos, consultas, exames

n LUAU NO MAGUARI O Setor Família da Paróquia Santa Maria, Mãe de Deus no Maguari convida para o "Luau das família" neste sábado, 17, a partir das 20h. O ingresso é medianye pagamento pra quem quiser curtir as atrações culturais da noite paroquial animada pelos artistas Bianca Furtado e Maick Gomes. Participe! A festa será na avenida Claudio Saunders, 1670 - Estrada do Maguari.

PORTAL NAZARÉ

n ENCONTRAR Missa, palestras, bate-papo e gincana animam a terceira edição do "Encontrar", promovido pela Paróquia Cristo Rei, na Guanabara. As inscrições estão abertas mediante doação de 1kg de alimento não perecível ou um pacote de fralda geriátrica. O encontro religioso baseado na experiência de São Luiz Orioni tem como tem "Duas chamas, um só coração" e será realizado no dia 25 de agosto, a partir das 7h, no Seminário Giuliano Moretti.

WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n BARCO-HOSPITAL PAPA FRANCISCO EM BELÉM O Barco-hospital Papa Francisco chega a Belém neste sábado, 17, e estará aberto para visitação. Acesse o portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br) e se informe sobre a programação completa e participe. Você também pode acompanhar flashes ao vivo da programação no sábado pelo portal Nazaré e pela nossa página no Facebook:/FNCBelem. Você também poderá participar da Missa em Ação de Graças pelo Barco Hospital, a partir de 8h, na Igreja do Carmo, na Cidade Velha, ao vivo, pelo Portal e pelo nosso Facebook.

BOA DICA

AGENDA DE DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA n SEXTA, 16 DE AGOSTO 6h25 - Missa (Carmelo Santa Teresinha) 19h - Missa da Unidade (Paróquia São José de Queluz) n SÁBADO, 17 DE AGOSTO 8h - Missa (Paróquia São Pedro e São Paulo)

10h - Missa com os Servidores do Altar - Festa de São Tarcísio (Basílica Santuário) n DOMINGO, 18 DE AGOSTO 7h - Missa e caminhada pela família (Paróquia São José de Queluz) 19h - Missa de encerramento da Visita Pastoral

Missionária (Paróquia Santa Maria Goretti) n SEGUNDA, 19 A QUINTA, 21 DE AGOSTO Retiro Latino-americano de Sacerdotes (Aparecida - SP)

AGENDA DE DOM IRINEU ROMAN

n SEXTA, 16 DE AGOSTO VI Encontro da Pastoral do Turismo(Salvador-BA)

n SÁBADO, 17 DE AGOSTO II Encontro Nacional Latino Americano da Pastoral do Turismo (Salvador) VI Encontro da Pastoral do Turismo(Salvador-BA) 17h - Gravação Programa Comunidade Viva (no Barco Hospital) 19h - Benção e Entrega da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré(Barco Hospital)

n DOMINGO, 18 DE AGOSTO 7h – Missa - Paróquia São Miguel Arcanjo 10h – Missa - Chegada do Círio Nossa Senhora das Graças (Ananindeua) 18h30 – Missa - Comunidade São Benedito (Paróquia são Francisco de Assis - Tapanã)

n SEGUNDA, 19 DE AGOSTO 9h - Visita às casas CTM II(Caixa Parah) 14h30 - Visita às casas Penais UASE (Ananindeua) n TERÇA, 20 DE AGOSTO 9h – Visita à casa penal

19h - Missa - Paróquia Santa Rosa de Lima (festividade) n QUARTA, 21 DE AGOSTO 9h - Visita às casas penais - Centro de Triagem da Cremação 14h30 - Visita às casas penais 19h - Missa - Comunidade Ágape da Cruz n QUINTA, 22 DE AGOSTO 8h30 - Reunião do Presbitério (Confraternização pelo Mês Vocacional) 19h - Missa - Paróquia Rainha da Paz (Dia do Padroeiro)

AGENDA DE DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO n SEXTA, 16 DE AGOSTO 6h30 - Missa - Residência Episcopal 18h – Missa - Paróquia São José de Queluz - Canudos n SÁBADO, 17 DE AGOSTO Missa - Juventude em retiro

n DOMINGO, 18 DE AGOSTO 7h – Missa - Paróquia Santa Maria de Belém 11h – Missa - Juventude em retiro 19h30 – Missa - Encerramento da festividade (Paróquia Jesus Bom Samaritano) n SEGUNDA, 19 DE AGOSTO 18h – Missa com a Pastoral Universitária Basílica Santuário

DIVULGAÇÃO

A Pastoral Universitária da Arquidiocese de Belém convida a comunidade, especialmente os universitários, para a Missa em Ação de Graças pelo bom andamento do período letivo que começa neste mês. A celebração eucarística será na Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, segunda-feira, dia 19, às 18h. A pastoral tem como missão evangelizar as pessoas que compõem as diversas instituições de Ensino Superior, realizando o diálogo entre fé e razão.

n TERÇA, 20 DE AGOSTO 17h - Missa e formação com as “Mães que oram pelos filhos“ n QUARTA, 21 DE AGOSTO 19h – Missa - Nova Timboteua n QUINTA, 22 DE AGOSTO 6h30 - Missa - Residência Episcopal

n AS CELEBRAÇÕES EXPLICADAS AOS COROINHAS E ACÓLITOS - Pequeno Manual de Liturgia Prática - Livro (Paulus, R$ 12,80)

U

m subsídio que além de rico em indicações práticas para coroinhas e acólitos exercerem bem seus respectivos ministérios nas mais diversas celebrações nas comunidades, também oferece uma fundamentação litúrgico-teológica dos sacramentos e de outras celebrações. É certo que aos coroinhas e acólitos não é suficiente, no exercício de seus ministérios, saber executar uma ação ritual. Como membros participantes das assembleias litúrgicas, antes de tudo são convidados a participar ativa e conscientemente das celebrações. Por isso, este subsídio privilegia tanto os aspectos litúrgico-teológicos dos sacramentos e celebrações como seus aspectos práticos.

n O DOM DA LEITURA - Livro (Paulinas, R$ 25,80)

A

presente obra narra um percurso humano digno dos heróis e dos santos. É impossível não se encantar com o trajeto pessoal de Dom Helder Camara, que vai mostrando como simplicidade e grandeza podem ser pares perfeitos na construção dos grandes homens. Dom Helder soube cuidar do dom da vida, do dom da razão e do dom da fé na construção de si mesmo nos mundos em que foi habitando e nas missões que foi assumindo. Os que conheceram o Bispo dos Pobres não supõem qual terá sido seu trajeto intelectual. A paixão pela justiça, a liderança do episcopado, a resistência às tiranias e a mística profunda beberam diariamente das fontes da fé e da razão. Este livro convida o leitor a passear por entre as estantes das bibliotecas pessoais de Dom Helder, apresentando o Helder leitor, pouco conhecido do grande público, para quem os livros representaram muito mais do que uma fonte de informações.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

PROF. RICARDINO LASSADIER

9

Movimento Apostólico da Divina Misercórdia Adoradores Eucarísticos da Igreja das Mercês bessadecastroadv@gmail.com

SERVINDO À VERDADE

Prazeres de LER

O

lá, meu irmão e minha irmã. No “Servindo à Verdade anterior, compartilhei minha experiência de amor à leitura. Considero esse tema (sobre a leitura) tão significativo e apaixonante para toda pessoa humana em geral e para nós católicos em particular que gostaria de voltar ao assunto tocando em outros aspectos. O primeiro seria: por que ler? Antes de tudo, é preciso dizer que a leitura

Possa afirmar que um livro (ou HQ) é um amigo bom e fiel é uma fonte de prazer. Mas, que forma de prazer podemos ter com a leitura? Na verdade existem variados tipos de prazeres que podemos obter com a leitura. Sem pretender esgotar, cito alguns prazeres. A leitura pode nos oferecer um prazer em sentido estético. É quando o

texto esta tão belamente escrito, tão artístico que nos deleitamos em percorrê-lo, apreciando a beleza do texto. Outro modo de prazer seria o intelectual. É quando, no processo da leitura, percebemos que estamos adquirindo conhecimento. Esse prazer intelectual pode acontecer com um texto de ficção, embora não seja muito comum. O prazer intelectual se dá quando desvendamos coisas novas. Por exemplo: a pessoa está lendo o CIC (Catecismo da Igreja Católica) e se depara com a temática do suicídio, desvela o quão a Sã Doutrina ensina, acontece a descoberta: “Que interessante, que bonito! Eu desconhecia o que a Igreja ensina. Há, também, um prazer emocional. Acontece quando lemos uma história de ficção: aventura, terror, romance, suspense, investigação policial, dentre outros. Envolvemos-nos com a trama, com os personagens, passamos, de certo modo, a viver a vida dos personagens e aí nos alegramos, com a conquista de um, nos lamentamos

com a morte de outro. Outro prazer que podemos citar é o de sentido moral e ético. É quando a reflexão desenvolvida nos leva a meditar e considerar nossa conduta pessoal e social acerca do bom e do mau, do justo e do injusto, do certo e do errado. Nosso caráter pode, desse modo, ser moldado, aprimorado. Podemos tomar consciência de erros e acertos. Ter maior clareza sobre as escolhas que fazemos e os valores que estão por trás de cada opção. Podemos, ao mesmo tempo, lutar para corrigir erros passados. A leitura pode nos proporcionar um prazer espiritual. Dá-se quando meditamos um texto e percebemos que Deus nos fala, conforta, exorta, orienta. Vejamos a seguinte situação: você se encontra numa crise, num desânimo espiritual, sem vontade de rezar, parece que Deus está surdo às suas orações. Mas eis que você abre a Escritura e lê: “Eu lhes digo: peçam e lhes será dado. Procurem e encontrarão. Batam e lhes será aberta a porta.

Quem de vocês, sendo pai, se o filho pedir peixe, em vez de peixe lhe dará uma cobra? Ou se ele pedir um ovo lhe dará um escorpião? Ora, se vocês que são maus sabem dar coisas boas a seus filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que lhe pedirem?” (Lc 11,9-13). Após a leitura dessa passagem, você recorda que Deus é Pai, é bondoso. E sua disposição para rezar é renovada. Passa a rezar com perseverança, paciência e confiança. Há outros modos de prazeres. Citei apenas alguns. Mas certamente que essas f o r m a s d e p r a z e re s podem vez por outra se entrelaçar, pois há um gênero de prazer que está na base do ato de ler. Refiro-me a um prazer, digamos, terapêutico, curador. Quando, ao ler, a pessoa se sente acalmada, alegre. É como se a leitura nos desse (e dá) à alma alento de modos variados. Penso que é daí que decorre a biblioterapia. Grosso modo, podemos dizer que biblioterapia seria o emprego das leituras para o tratamento de distúrbios nervosos, emocionais. Não é por acaso que

filósofos, teólogos e grandes mestres da vida espiritual classificam a leitura como uma forma de prazer superior. Um prazer que atinge o sentimento, o intelecto, o espírito. Há pessoas que classificam a leitura como uma espécie de fuga da realidade. Falam em sentido pejorativo. Em meu modesto modo de pensar, considero que a leitura pode até ser taxada de fuga, porém, não em sentido pejorativo. Afinal, com a leitura, saímos de nós mesmos, para depois retornarmos a nós mesmos, revigorados em nós mesmos. Somos falíveis, limitados. Isso significa que não somos capazes de estar sempre saudáveis seja no campo emocional, moral e espiritual. Então, precisamos de certas fugas”onde possamos nos cuidar, descansar, aprender, revigorar. A leitura pode nos oferecer esse “oásis”de modo a nos ajudar no cultivo da saúde interior. Pela minha experiência possa afirmar que um livro (ou HQ) é um amigo bom e fiel: divertido em certos momentos, conselheiro em outros. Disse Fernando Pessoa: “ler é sonhar pela mão de outros". Para o

filósofo John Locke “ler fornece ao espírito materiais para o conhecimento. O escritor Jorge Lus Borges comentou de modo poético: “Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de biblioteca. O padre Zezinho disse certa vez que não é necessário que todo católico seja doutor, mas é importante que todo católico seja leitor. Sigamos em frente pensando com a Igreja no serviço da Verdade. Fique com Nossa Senhora e São José.

Um prazer espiritual

Não é por acaso que filósofos, teólogos e grandes mestres da vida espiritual classificam a leitura como uma forma de prazer superior

A DEVOÇÃO MARIANA em Schoenstatt no Norte do Brasil

n Por Antonio Fiock

B

elém do Pará é cidade mariana por excelência. Aqui nasceu, em outubro de 1700 (época do encontro da imagem pelo caboclo Plácido), a grande devoção a Nossa Senhora de Nazaré do Desterro, como Mãe de todos nós! Desde ai essa grande mestra vem demonstrando ter forte capacidade intercessora junto ao seu filho Jesus, a ponto de atrair para sí milhares de peregrinos que adentram seu santuário todos os dias do ano e durante o dia todo, culminando na festa do Círio, em outubro. Essa imensa porta devocional abre, assim,os corações dos paraenses para acolher outros carismas marianos. A experiência da recitação do terço por Homens, na Amazônia, e, precisamente, em Belém do Pará, encontra, portanto, ambiente sensivel e propicio, proporcionado pela devoção à Rainha da Amazônia! COMO COMEÇOU A REZA DO TERÇO

POR HOMENS Foi da cidade maranhense de São Luis que veio, em novembro de 2005, a inspiração para iniciar a reza do terço pela devoção à Mãe de Schoenstatt. Depois de relatar a descoberta desse grupo ao então reitor do Santuário Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, Padre José Ramos Mercês, ao qual estava eu vinculado, obtive dele o estimulo para a organização do movimento Terço dos Homens na Paróquia de Nazaré, através da Comunidade de São José, hoje paróquia! Ora, estávamos nós no santuário da Rainha da Amazônia, a Universidade de Maria, e aquele incentivo nos passou o sentimento do que significava o verdadeiro propósito de unidade da igreja católica apostólica romana: a Senhora Mãe de Schoenstatt era a mesma de Nazaré e de tantas outras santas Marias! A relevância desse carisma schoenstatiano e do formato educador que traz

e que no inicio não tinha sequer imagem ou quadro (obtida somente em 1915, das mãos de um professor que havia descoberto um quadro de obra do pintor italiano Crósio, do final do século XIX, como narrou padre Vandemir Maester), foi ratificado tambem aqui em Belém do Pará, em março de 2007, num Simpósio Mariano, com o reconhecimento e a inclusão do nome Rainha, atrelado ao termo Mãe Vencedora, Três Vezes Admirável. Obtiamos, assim, o título THMR. DE 12 PARA 7.000 HOMENS Com esse referencial, objetivamente, naquela modesta comunidade,12 homens, comigo à frente, começaram essa caminhada missionária no dia 20.03.2006, há 13 anos atrás. Com o aval de nossa arquidiocese, na pessoa do então Arcebispo, Dom Orani Tempesta, e, hoje, extraordinariamente apoiado pelo atual arcebispo, Dom Alberto Taveira, o THMR que, cautelosamente, sucedeu o Go-

DIVULGAÇÃO

n RECITAÇÃO DO TERÇO por um grupo do Terço dos Homens Mãe Rainha th, pulou de 12 para um número proximo de 7.000 homens participativos, em cerca de 120 grupos apenas nas 08 regiões episcopais desta Arquidiocese de Belém.A decisão de Maria de ir ao encontro de sua prima encontrou nesse homem o firme exemplo a seguir! AÇÕES O entendimento do poder da oração, do progresso espiritual e da capacidade de transformar e criar homens novos, encorajou-os a avançar de sua igreja doméstica para obras

missionarias e de serviços sociais que passam, de modo organizado, por comunidades urbanas e ribeirinhas (ilhas).

Dia municipal de Mãe Rainha, terço ecológico, encontros, imersões, vigilias, mobilização para doação de sangue, carreatas, procissões, construção de comunidade e outros gestos missionários, passaram a ser iniciativas desses homens que compreenderam e se moldaram no exemplo e na santidade do Padre José Kentenich, fundador desse movimento apostólico, nos idos de

1914, na distante cidade de Vallendar, bairro de Schoenstatt (com significado de belo lugar), na Alemanha. Aquela Aliança de Amor com Nossa Senhora dava os frutos que Kentenich esperava, premiando suas dores e sacrificios, ao lado de seus alunos. Em nosso ambiente tropical, afirmo, por fim, que essa Mãe e Educadora encontra discipulos comprometidos em "dar a volta por cima“ e levar a todos a imagem de Jesus Cristo, pelo bom exemplo de seus alunos!


10

EM NAZARÉ

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

NAZARÉ EM DESTAQUE

DIRETORIA DA FESTA E FORÇAS ARMADAS definem estratégias para procissões

NA OCASIÃO foram confirmados, entre outros encaminhamentos, o horário de atrelamento da corda

N

a quarta-feira, dia 07, a Diretoria da Festa de Nazaré, representantes das Forças Armadas,(Marinha, Exército e Aeronáutica), Corpo de Bombeiros e Guarda de Nazaré reuniram-se

para definir novas estratégias de segurança e apoio durante as procissões da Trasladação e Círio 2019. Na oportunidade foram confirmados os horários de atrel a m e n t o d a c o rd a , posicionamento das

n NA REUNIÃO discussões sobre as procissões

estações, segurança dos promesseiros em pontos de afunilamento das vias, detalhamento dos locais e pontos de apoio, além de se estabelecer uma logística adequada para que as procissões ocorram de forma tranquila para os fiéis que estarão nas ruas. De acordo com o Diretor de Procissões, Antônio Sousa, “preparamos o Círio da melhor forma possível para a população. Não devemos deixar de nos preocupar com os

FOTOS: YÊDA SOUSA

n PRIMEIRA reunião geral entre a Diretoria da Festa e as Forças Armadas horários, por exemplo, com os detalhes. Durante anos vamos

NOVO PÁROCO em Nazaré Na segunda-feira, 12, representantes das mais de 20 pastorais, movimentos, serviços e das sete comunidades que integram a Paróquia participaram da Santa Missa de posse do novo responsável pela Paróquia de Nazaré, Padre Francisco Maria Cavalcante. A celebração aconteceu na Basílica Santuário e foi presidida pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, e contou com a presença de autoridades civis e eclesiásticas. Na oportunidade, após a Santa Missa houve uma confraternização na Casa de Plácido.

n DOM ALBERTO com os padres barnabitas e o novo pároco de Nazaré

n ENTREGA da casula ao novo pároco de Nazaré, Padre Francisco Maria

NOVO CASAL da Diretoria da Festa de Nazaré recebeu medalhas No domingo, dia 11, em que se comemorou o dia dos pais, um novo casal da Diretoria da Festa de Nazaré (DFN) participou da cerimônia de bênção

das medalhas. Ronaldo e Juliana Martins receberam, durante a santa missa presidida pelo Reitor da Basílica Santuário e presidente da Fes-

ta de Nazaré, padre Luiz Carlos Nunes M. Gonçalves, as medalhas que representam simbolicamente a oficialização como integrantes da DFN.

Que Nossa Senhora de Nazaré interceda por esse casal que se dedicará, a partir de então, à organização da grande festa da Rainha da Amazônia.

PASTORAL DA ACOLHIDA recebe mantimentos para acolher romeiros A Pastoral da Acolhida está recebendo doações de alimentos não perecíveis e água mineral para melhor receber os peregrinos que chegam à Casa de Plácido durante a quadra nazarena. Os interessados podem deixar as doações na sala da pastoral, localizada no Centro Social de Nazaré, das 9h às 12h e das 15h às 18h.

n AGENTES da Pastoral da Acolhida em ação na Casa de Plácido

melhorando e ajustando com as Forças Armadas e é isso que

faz com que o Círio seja mais tranquilo”, explicou.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 16 A 22 DE AGOSTO DE 2019

11

Paróquia de Queluz recebe ciclo de palestras da SEMANA AGOSTINIANA

PROGRAMAÇÃO ocorre de 19 a 21 deste mês e os certificados serão expedidos pela CRB FOTOS: DIVULGAÇÃO

I

nicia-se na próxima terça-feira, 19, e estende-se até quarta, 21, a Semana Agostiniana, organizada pela Fraternidade Secular Agostiniana Recoleta, com apoio da Conferência dos Religiosos do Brasil/ Regional Belém (CRB),

Faculdade Católica de Belém e Portal Dialético, com ciclo de palestras com temas relacionados a Santo Agostinho. Evento promovido no Salão Paroquial da Matriz de São José de Queluz, em Canudos, a partir das 19h.

Em agosto a Igreja celebra a memória de Santo Agostinho, bispo de Hipona e um dos grandes teólogos. Por isso, a Fraternidade Agostiniana, presente em Belém desde 1982, escolheu fixar a programação da Semana Agostiniana nesse mês. A Semana, que busca divulgar o carisma agostiniano, está embasada no tripé comunidade, interioridade (oração) e apostolado (missão), bem como no pensamento filosófico e teológico de Santo Agostinho. “Em anos anteriores, a Comunidade dos Agostinianos Recoletos da Paróquia de São José de Queluz, durante o mês de agosto propunha formações, gincanas e adorações vocacionais. Desde 2016, oferecemos mais de um dia de formação, dando origem, assim, ao Ciclo de Pales-

tras”, afirma Rita de Cássia, presidente da Fraternidade Agostiniana. Segundo ela, a semana busca atingir um público variado: “são convidados os paroquianos, agentes de movimentos e pastorais, estudantes das instituições de nossa cidade. A maior procura é de alunos da Faculdade Católica de Belém”. A programação inicia-se dia 19, segundafeira, com a palestra “A eclesiologia em Santo Agostinho”, ministrada pelo Prof. Dr. Padre João Paulo Dantas, coordenador de pós-graduação e extensão na Faculdade Católica e Vigário na Catedral Metropolitana. No dia seguinte, o Prof. Dr. Joel Gracioso, doutor em Filosofia e professor na Faculdade de São Bento (SP), discorre sobre “Santo Agostinho e metafísica da interioridade”. No último dia, 21, encerrando a pro-

gramação, Vitor Sales Pinheiro, Doutor em Filosofia e professor no Portal Dialético, abordará o tema “Livre arbítrio e o problema do mal em Santo Agostinho”. As inscrições, no valor de R$ 10,00, podem ser feitas através de um formulário disponível em: https://forms.gle/ JKvFkdavnD6zEpUQ8. No formulário, deve constar o nome completo do candidato, telefone, e-mail, curso ou institucional e o nome de sua paróquia. Os certificados serão expedidos pela CRB - Conferência dos Religiosos do Brasil - Regional Belém. FRATERNIDADE SECULAR

A Fraternidade Secular Agostiniana Recoleta atua em Belém desde 1982, e foi fundada por Frei Dionísio Pastor Bueno. Na época, 14

leigos optaram por seguir os ensinamentos de Santo Agostinho de acordo com a realidade e estado de vida particular, ou seja, os membros da fraternidade vivem a espiritualidade e a vocação agostiniana, mas continuam exercendo suas atividades no meio secular.

SERVIÇO Semana Agostiniana IV Ciclo de Palestras Período: 19 a 21 de agosto Hora: 19h às 21h Local: Paróquia São José de Queluz – Avenida Cipriano Santos, 311 (Salão Paroquial) Investimento: R$ 10,00 (no local do Evento) Contatos: fsarbelem@gmail.com

Preparação da ÁREA MISSIONÁRIA DA SANTÍSSIMA TRINDADE Na quinta-feira, 8, às 19h, Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém, presidiu Eucaristia na Comunidade Santíssima Trindade no bairro do Aurá, em Ananindeua, pertencente à Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora. Concelebraram os padres Márcio Mota, pároco, e Antônio Zanini, missionário redentorista. Após a celebração, houve uma reunião com todas as lideranças das comunidades vizinhas. Com presença de 60 pessoas, a reunião foi conduzida por Dom

Antônio que abordou a urgência missionária e a necessidade de avançar na evangelização fundando novas comunidades, formando lideranças e reforçando a catequese, dinamizando as pastorais, grupos e movimentos já existentes. Em seguida, destacou as atuais Áreas Missionárias presentes na Arquidiocese, concluindo com a apresentação da proposta da criação de mais uma área missionária, a da Santíssima Trindade. Os participantes acolheram a proposta com muita alegria e aplausos. Objetivo da reunião: apresentar o projeto de

redimensionamento da Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, visando a criação da Área Missionária da Santíssima Trindade. Assuntos tratados, dentre outros: a necessidade de providenciar uma casa para a acolhida dos missionários redentoristas, responsáveis pela condução e organização da nova área missionária; mapeamento da nova Área Missionária e definição dos seus limites e a aquisição da mobília necessária para residência dos missionários. Organizou-se ainda uma agenda de compromissos formativos

com membros das comunidades: 22 de agosto, às 19h, irmã Carmem Silva ministra a palestra “Liderança na Palavra de Deus”; 16 de setembro, às 19h, Dom Antônio de Assis abordará Orientações pastorais para as lideranças; 3 de outubro, às 19h, apresentação do Plano de Pastoral da Arquidiocese, pelo Padre Márcio Mota. Nos dias 9 e 10 de novembro, Irmã Nazaré formará catequistas das comunidade. No dia 19 de setembro, às 19h, haverá a Missa de Início da Área Missionária, presidida por Dom Alberto Tavei-

n DOM ANTÔNIO falando aos presentes ra, ou por um dos bispos auxiliares. A celebração será precedida por Tríduo e várias atividades: visitas missionárias, Celebração Eucarística, Adoração e Terço. Comunidades da futura Área Missioná-

ria Santíssima Trindade: São José Operário, Santíssima Trindade (sede), Nossa Senhora Desatadora dos Nós, Sagrada Família, São Sebastião, Imaculada Conceição e Sagrado Coração de Jesus.

Paroquianos do Tapanã comemoram FESTIVIDADE O bairro do Tapanã está em festa pelo padroeiro desde o dia 11, início da festividade da Paróquia Jesus Bom Samaritano, que contou com a presença do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa na Missa de abertura, celebrada às 19h30, na igreja matriz, situada no conjunto Cordeiro de Farias. A festividade 2019 tem como tema “O Espírito Missionário do Bom Samaritano” animado por missas, adorações, novenas e shows. PEREGRINAÇÃO – A

missa de envio das imagens de Jesus Bom Samaritano foi celebrada pelo

bispo auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman. Durante a homilia ele lembrou a vida de Santo Inácio de Loyola, celebrado pela igreja no último dia 31 de julho, e destacou a importância de se conhecer a palavra de Deus e a vida dos Santos, assim como fez Inácio. Durante a celebração o bispo auxiliar também abençoou as imagens usadas na Novena do Jesus Bom Samaritano e ratificou a importância da palavra. “Que nesses encontros possamos fazer brilhar a palavra, para que ela se torne luz e fortaleça a nossa fé. E que o Bom Samaritano também seja luz, primeiro para nós e

depois para os outros”. Eduardo Domingues, 25 anos, é um dos evangelizadores da novena do Jesus Bom Samaritano. Ele conta que pela primeira vez criou um grupo com jovens na capela de São Raimundo Nonato que realizaram as novenas em preparação à festividade. “Os jovens da comunidade estão envolvidos na liturgia da missa na capela e agora vamos realizar a novena na casa das famílias desses jovens”, explica. Maria Raimuda de Souza pertence à capela de São Gaspar e se sente realizada em ter participado das novenas. “Nós procuramos realizar novenas na casa das pessoas que

n ENVIO das imagens foi conduzido por Dom Irineu Roman, bispo auxiliar estão mais afastadas da igreja, que não frequentam, pois é uma maneira de apresentar e convidar para participar deste grande momento da nossa igreja”, comemora. A festividade será reali-

zada até o domingo, 18, sempre com Missas às 19h, seguidas da programação festiva. No dia 15, celebrou-se os 11 anos de Dedicação da Igreja com procissão e comemoração pelas graças re-

cebidas com a Paróquia Jesus Bom Samaritano junto com seus paroquianos. O padre Marco Antônio Souza, pároco e padre Rinaldo estiveram à frente deste grande momento paroquial.


12

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 16 A XX DE AGOSTO DE 2019

FAMÍLIA NAZARÉ

ESPECIAL EM FAMÍLIA será no dia 30 de agosto PROGRAMA ao vivo será transmitido ao vivo das 9h às 12. O benfeitor pode participar e visitar a Fundação.

A

Fundação Nazaré de Comunicação exibirá no dia 30 de agosto o programa “Em Família”, transmitido pela Rede Nazaré de Televisão para promover um grande confraternização em torno da Família Nazaré, sócios benfeitores que ajudam a manter a obra de evangelização realizada pela Arquidiocese de Belém através dos meios de comunicação – Rádio Nazaré FM, Rede Nazaré de Televisão, Portal Nazaré e o Jornal Voz de Nazaré. A programação ao

vivo, apresentada pelo padre Wagner Lima e Elyvane Barbosa, com participação especial de Dom Irineu Roman, iniciar-se-á às 9h e seguirá até às 12h. A produção já está finalizando o roteiro do programa que terá como tema, nessa edição, as vocações, razão pela qual os convidados especiais e a programação dinâmica deverão abordar experiências da Igreja voltadas à vocação sacerdotal, à vida religiosa consagrada, à vocação familiar e à missão dos leigos.

SORTEIO – No decorrer do programa será sorteada entre os benfeitores uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Quem ainda não é sócio evangelizador poderá cadastrar-se ao longo do programa e, assim, tornar-se membro da Família Nazaré. VISITA - O benfeitor pode comparecer à Fundação Nazaré de Comunicação e acompanhar o programa ao vivo. Também pode visitar as insttalçaões da instituição e conhecer o trabalho realizado.

DIVULGAÇÃO

n APRESENTAÇÃO do programa com Elyvane e padre Wagner

CAMPANHA SEJA MAIS UM Colabore com a obra de evangelização da Arquidiocese sendo mais um benfeitor da Fundação Nazaré de Comunicação. O cadastro pode ser feito pessoalmente na sede da Fundação, situada na avenida José Malcher, nº 915 – Edifício Paulo VI, Nazaré, de segunda a sábado, das 7h às 19h. Ou pelos sites oficiais (www.sejamaisum.com), (www.fundacaonazare.com.br), ou pelo telefone (91) 4006-9211. Se preferir entrar em contato por e-mail, envie mensagem para famjor@fundacaonazare. com.br e faleconosco@fundacaonazare.com.br

NOSSOS ANIVERSARIANTES 16/08 Ana Maria Lima Do Espirito Santo Carlos Teles De Barros Custodia Da Silva Monteiro Francisco De Assis Fernandes Pantoja Gladys Do Socorro Dutra Barbosa Ivony Antunes Azevedo Jose Edson R Dos Santos Jovanir Ribeiro Rodrigues Lilian Angelica Carvalho Araujo Manoel De Oliveira Paes Maria Lucidaria Santos Dos Santos Minervina Trindade De Olkiveira Odiane Do Carmo Nunes Raul Cesar Gordiano Oliveira Rosangela Costa Rosangela De Sousa Rodrigues 17/08 Angela Maria Macedo Dos Santos Jeovana Maria Das Gracas Fazzi De Deus Lucas De Sousa Freitas Maria Augusta Mendonca Costa Maridalva Ramos Leite Odair Sa De Almeida Thayane Pinheiro Moraes

18/08 Celeste Maria Costa Ferreira Luiz Augusto Souza Santos Valdira Do Socorro Nobre De Araujo Regina Castro Do Carmo Lima Cleuma Cristina Gomes De Oliveira Joaquim Jose De Paiva Anaissi Maria Marisa Lobato Nahum Raimunda Martins De Queiroz

Geraldo Alves de Freitas Filho Izael De Souza Castro Jovita Maria de Lima Cordeiro Odneia Saturnino da Cruz Rosilda Silva Neves Suana Amanda M. de Freitas Cardoso

19/08 Carlos Jose Pinheiro Pompeu Dilma Franca Rolim Elisabete Pacheco Pereira Emmanuel Neves Magalhaes Laercio Negrao Leonor Rodrigues Santana Luis Augusto Pinheiro Maria do Rosário Maciel Cruz Marilia De Nazare Peixoto Vasconcelos Sineia Mendes Barbosa

21/08 Casal João Roberto Pinheiro dos Santos e Helena Rosário do Santos Casal José Batista Junior e Rosângela de Andrade Laurindo Joao Guilherme da Costa Lilian Leslie De Souza Lima Maria De Jesus Lopes De Souza Maria De Nazare Pinheiro Machado Maria Virginia Fernandes Pinho Mizar Klautau Bonna Raimunda Peck de Barros (in memorian) Regina Celia Fernandes Da Silva Vinicius Pedrosa Raffaele Yolanda Santos Costa

20/08 Fernando Augusto Noronha Chaves Francilene Nunes Da Rocha

22/08 Claudio Augusto Carvalho/Alda Leite Maria Brigida Monteiro

Maria Do Socorro Seabra G. Feio Maria Valnice Pereira De Miranda Raimunda Paiva Moy Raimunda Santana Siqueira Rosania Moraes Valente Costa Rosemary Santos Da Rocha Suely Da Conceicao Dos Santos n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 16/08 - Diác. Manoel de Oliveira Paes 18/08 - Pe. Fábio Giovanni Martins Jacob de Carvalho 18/08 - Diác. Luiz Augusto Souza Santos 20/08 - Pe. Ednaldo de Jesus Soares Ferreira 22/08 - Pe. André Luiz Maia Teles n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 18/08 - Pe. Edilson Moreira da Silva 19/08 - Diác. Lucino Saraiva de Campos 22/08 - Pe. Ednaldo de Jesus Soares Ferreira

Profile for Fundação Nazaré de Comunicação

Voz de Nazaré  

Edição de 16 a 22 de agosto de 2019.

Voz de Nazaré  

Edição de 16 a 22 de agosto de 2019.

Advertisement