__MAIN_TEXT__

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 884 - PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

www.fundacaonazare.com.br

Ordenações na ARQUIDIOCESE Alan Henrique Campos Silva, Francimar Ferreira Lopes, Leonardo Matias de Carvalho, Paulo Felipe dos Santos e Victor Dourado de Oliveiro foram ordenados diáconos para a Arquidiocese de Belém no último dia 6. PÁGINA 7. LUIZ ESTUMANO

n NOVOS diáconos apresentados à comunidade na Catedral, ao lado do Arcebispo Dom Alberto (centro) e dos Bispos auxiliares, Irineu e Antônio LUIZ ESTUMANO

Devotos de Nossa Senhora da BATALHA retomam missão na ilha de Cotijuba Arquidiocese de Belém reanima missão na ilha de Cotijuba com auxílio missionário do Movimento Arquidiocesano do Terço dos Homens. PÁGINA 6. DIVULGAÇÃO

FESTEJOS em Belém e Benevides reverenciam Nossa Senhora do Carmo

SENHORA do Carmo Fiéis festejam devoção a Nossa Senhora do Carmo. PÁGINA 11.

BATISMO marcou a retomada da evangelização na área Fazendinha


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

JOÃO CARLOS PEREIRA

PE. HELIO FRONCZAK

Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

heliofronczak@gmail.com

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ...

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

A Igreja que fica e não visita

Q

uando São João XXIII anunciou o desejo de convocar um Concílio Ecumênico para atualizar a Igreja a seu tempo, o mundo conservador desabou sobre sua cabeça. Eleito para ser um Papa de transição, ele se transformou não apenas num Papa definitivo, como foi feito santo. Por muito menos, o papa Francisco, que não convocou um Concílio, mas um Sínodo para levar a Igreja às mais distantes regiões da Amazônia, está sendo alvo de um bombardeio, com munição pesadíssima. A intransigência é perigosíssima. É impossível ver heresia – da qual o romano pontífice é acusado -, num gesto de amor tão

largo e tão basilar aos princípios do cristianismo, que é levar a Sagrada Eucaristia aos rincões da floresta amazônica. O que o Papa deseja, em linhas gerais, é fazer com que a base da Igreja, a Eucaristia, não seja um acontecimento semestral, ou talvez anual, na vida dos povos amazônidas, mas uma rotina, um fato constante, uma realidade cotidiana. O que Francisco quer é uma Igreja que seja presente e não apenas que, uma vez ou outra, visite as pessoas. Como a messe é grande e os operários, poucos, conforme o próprio Jesus havia dito 2000 mil anos atrás, ele propôs aos padres sinodais uma reflexão sobre a possibilidade de

Teoria e práxis

homens com mais de 60 anos, casados, com vida organizada, fiéis à Igreja, poderem ser ordenados e, assim, ministrar os sacramentos. O Papa deseja que esses homens sejam, preferencialmente, indígenas, que falem de Jesus na língua da tribo ou de sua gente. Quando Jesus mandou seus apóstolos sair pelo mundo, pregando a Palavra, curando doentes e fazendo o bem, não limitou o idioma. Anchieta, o apóstolo do Brasil, ao aqui chegar, aprendeu de imediato a língua dos índios e até escreveu uma gramática para melhor se comunicar com eles e lhes falar do Cristo de Deus. Voltarei ao tema na próxima semana.

N

ormalmente a práxis decorre da teoria; mas quando isto não acontece resulta uma situação desastrosa. Pode-se dizer que uma realidade humana resulta grotesca e traumática se ela é contrária à verdade sobre a qual se baseia; é grotesca uma teoria que não busque ser coerente com a vida, e são contraditórios um pensamento e uma práxis que não levem em conta a sociedade e o empenho para transformá-la. Traduzindo isto em linguagem religiosa: na experiência cristã acontece uma situação análoga nos relacionamentos entre teologia, espiritualidade e comunidade. Vejamos: uma espiritualidade não fundada bíblica e

teologicamente não serve ao crescimento das pessoas; e uma teologia insuficientemente vivificada por uma robusta experiência evangélica e comunitária facilmente se limita a um estéril exercício lógico e dialético; e uma comunidade sem raízes teológicas e espirituais reduz-se a um grupo psicológico e se resume num vazio ativismo, sem produzir os frutos típicos do Espírito. Evidentemente, somente uma “trinitariedade” pericorética entre estes diferentes aspectos os desenvolve de maneira adequada. Isto é mais um exemplo de que somente quando se vive ao mesmo tempo as quatro atitudes indicadas nos artigos anteriores – viver com os outros, pelos outros,

nos outros, e graças aos outros – é que se produz uma autêntica vida trinitária entre nós. Deste modo entramos na dinâmica do “assim na terra como no céu”. A Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Benevides, celebra sua padroeira de 13-21/julho. “Com Nossa Senhora do Carmo, vamos evangelizar”. Venha participar conosco.

PE. ANTÔNIO MATTIUZ, CSJ (antoniomattiuz@gmail.com)

CURSILHO DE CRISTANDADE

Um cristão coerente

N

a escuridão da noite, Nicodemos, um mestre da Lei, foi visitar Jesus e perguntou: “Mestre, o que devo fazer para entrar no Reino dos Céus”? Jesus lhe respondeu: “Deves nascer de novo” - Jo 3,3. Para nascer de novo é preciso despir-se do Velho Homem e revestir-se do Homem Novo - Ef, 4 22ss. Ve l h o H o m e m é quem tem mentalidade mundana: é ser deso-

nesto, velhaco, egoísta, orgulhoso... Homem Novo é quem assume a mentalidade de Cristo: honestidade, piedade, paciência, humildade, bondade, caridade, misericórdia... Darci é um padeiro casado com Joana. Eles têm dois filhos: Clara com 13 anos e Adel com 11. Eles moram num apartamento de condomínio. Próximo da casa eles têm uma panificadora de onde tiram o sus-

tento da família. Darci levanta bem c e d o, re z a , a b re a panificadora, saúda com amor seus três empregados. Alguns anos atrás Darci era nervoso, ganancioso, rude, com sonhos de ficar rico. Para isto, não tinha escrúpulos de ser desonesto quando aparecia uma oportunidade. Darci exagerava na bebida. As brigas do casal eram freqüentes e o ambiente do lar era pesado.

Um dia Joana fez o Cursilho de Cristandade. Um mês depois Darci também foi convidado. Relutou, arranjou desculpas, mas por fim aceitou e também fez o Cursilho. Lá o Espírito Santo iluminou a ambos. A vida do casal mudou. Seus olhos abriram-se e eles viram com clareza como agir para ser cristão de verdade. Darci e Joana renasceram e a vida deles mudou. Hoje eles são muito mais felizes, freqüentam a missa aos domingos. Darci é membro da Liturgia.

Joana ajuda na Pastoral do dízimo. Clara é coroinha e Adel está na catequese. No condomínio, o casal anima a Novena do Círio e um Grupo da Leitura Orante da Bíblia, que se reúne todas as 4ªs feiras às 19 horas. Os filhos estudam. À noite os pais examinam os cadernos deles, perguntam como foi o dia e comentam. O casal não briga mais, mas resolve suas diferenças num diálogo respeitoso. Antes das refeições fazem o sinal da cruz e antes de dormir fazem suas

orações. Darci e Joana trabalham na padaria. Eles tratam seus empregados como irmãos e ajudam alguns pobres que não têm o dinheiro suficiente para pagar o que compram. Com o Cursilho, esta família se despiu da mentalidade mundana e renasceu para uma vida nova orientada pelas palavras e pelos exemplos do Mestre Jesus Cristo. No Cursilho, o Espírito Santo abre os olhos, aviva a fé e fortalece a vontade dos fiéis para seguirem o Caminho.

Encontro Estadual de Coordenadores da RCC PARÁ Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém e Assessor Eclesiástico da Renovação Carismática Católica no Brasil (RCC BRRASIL), presidirá Missa sábado, 13, às 17h, no Encontro Estadual de Coordenadores da RCC Pará, que ocorre de 12 a 14 deste mês, no Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC), na BR-316, Km 6, em Ananindeua.

O evento reunirá lideranças dos mais de 350 Grupos de Oração espalhados pelo Pará, movidos pelo tema “Grupo de Oração, lugar de santidade”. É fundamental a presença dos coordenadores de Grupos de Oração e também de integrantes do Núcleo de Serviço. O encontro estadual segue orientação do Conselho Nacional, visando alinhar as lide-

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

DIVULGAÇÃO

ranças do movimento aos direcionamentos de Deus à RCCBRASIL, a fim de serem formadas e capacitadas para desempenhar com eficácia sua missão, e, ainda, uma oportunidade de convívio, partilha e comunhão fraterna. O missionário Armando Soares, coordenador da RCC Pará, está à frente do encontro e acolherá participantes e convidados.

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

S

ão Camilo de Lellis, comemorado pela Igreja no dia quatorze de julho, fundador dos Ministros dos enfermos, “Camilianos”, foi um homem de grande piedade e não menor compaixão pelos doentes e moribundos e por todos os pobres e miseráveis. Em sua atribulada e diversificada vida, experimentou o afeto familiar, a orfandade, as aventuras de um jovem perdido na vida, engajou-se como soldado, sentiu o maravilhoso sabor da conversão, tentou ser capuchinho, descobriu a dor da enfermidade e das feridas que por anos o incomodaram. Em suma, rico percurso de fraquezas, vitórias, ousadia e abertura para Deus. No meio de tudo isso, o maravilhoso fio condutor de sua vida foi a caridade, na força das palavras do Evangelho que se estamparam em seu coração com letras de fogo: “Todas as vezes que fizestes isso a um

São Camilo foi um homem de grande piedade e não menor compaixão destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!” (Mt 25,40) Várias vezes, cuidando dos doentes, chamava-os com o nome de Jesus, tal a convicção com que esta verdade o havia atraído. E nós todos teremos um exame final, cujas perguntas já nos foram antecipadas pelo Senhor. Todos os homens e mulheres da história serão julgados pelo amor! Realidade provocante e ao mesmo tempo consoladora, que nos oferece a oportunidade para refletir sobre as muitas possibilidades que temos para amar o próximo. De fato, a caridade, que apaga uma

CONVERSA COM MEU POVO multidão de pecados (1Pd 4,8), tem muitas faces e está disponível à boa vontade de todos. A luz que ilumina hoje nossas descobertas e nossos passos vem da magnífica parábola do Bom Samaritano (Lc 10, 15-37). Os muitos caminhos da humanidade em nossos dias se parecem com estradas que descem de Jerusalém para Jericó. Multiplicam-se, literalmente, a violência, os atentados à vida, a humanidade caída à beira do caminho. Causa estupor a quantidade de recursos hoje existentes e a multiplicação de atos e iniciativas pensadas para destruir a vida. E até se reforça, em muitas partes do mundo, o incentivo aos armamentos de todo calibre e ao porte e uso de tais equipamentos. Parece natural que todos se sintam no direito de estar armados até os dentes, ou cercados de muros, alarmes e vigilância, porque ameaçados dia e noite em sua integridade. Entretanto, a vida cristã oferece a alternativa da não-violência ativa, expressão tão querida a um dos nomes mais significativos da vida da Igreja no Brasil, Dom Helder Câmara, cujo processo de beatificação está em andamento. O Bom Samaritano por excelência é o próprio Senhor Jesus, que desceu do Céu para inclinar-se sobre a humanidade, espalhou a força de seu amor e dos sacramentos, simbolizados no óleo e no vinho derramados sobre as feridas do homem caído, tendo-o levado em sua própria montaria, a Cruz, à hospedaria, a Igreja, para dele cuidar até sua volta no fim dos tempos, assumindo todas as responsabilidades: “No dia seguinte, pegou dois denários e entregou-os ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, pagarei o que tiveres gasto a mais’” (Lc 10,35). E como “quem der, ainda que seja apenas

As muitas faces da mesma CARIDADE

DIVULGAÇÃO

n IMITEMOS o exemplo do Bom Samaritano um copo de água fresca, a um desses pequenos, por ser meu discípulo, em verdade vos digo: não ficará sem receber sua recompensa” (Mt 10,42), valem todos os gestos de amor feitos em consequência do próprio amor de Deus, derramado em nossos corações. Pode acontecer que nosso fraco julgamento estabeleça comparações injustas entre as coisas que as pessoas podem fazer pelas outras! Há uma infinidade de gestos simples e escondidos, a partir do centavo dado segundo o modelo da viúva pobre do Evangelho. Chamese esmola ou ato de caridade, nada fica esquecido por Deus! Muitas pessoas experimentarão o convite a participarem do que podemos chamar de “caridade organizada”, quando se comprometem em ações de solidariedade e misericórdia na Igreja e na Sociedade, como aquelas feitas pela Cáritas ou pelas Obras Sociais das Paróquias. Outros serão chamados por vocação a entrar em famílias religiosas dedicadas à caridade. Nos próximos meses, conheceremos muito mais a respeito

da Beata Dulce dos Pobres, que será canonizada pelo Papa no dia treze de outubro, fundadora de uma Obra Social na Bahia, que atende anualmente milhões de pessoas. Aqui bem perto de nós, já navega pelo Rio Amazonas o Barco Hospital Papa Francisco, cuja bênção acontecerá aqui em Belém no dia dezessete de agosto, com a entronização de uma Imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Ele se destina a atender as populações ribeirinhas, expressão da caridade de um grupo de Franciscanos e da Diocese de Óbidos. Outra manifestação da caridade é o engajamento em entidades que cuidam da promoção humana e da defesa da dignidade das pessoas, com uma sensibilidade apurada diante das violações dos direitos humanos. A elas cabe a tarefa de ser pontas de lança, ajudando a manter acesa a vigilância cristã, com o anúncio e a denúncia próprios dos servidores do Evangelho, sem desvalorizar os gestos mais simples de pessoas e grupos. Cabe-lhes ainda identificar e estabelecer canais de colaboração

com outros grupos da sociedade também especialmente interessados no serviço aos mais pobres. A Doutrina Social da Igreja abre ainda um vasto campo para o exercício da caridade, quando declara que um de seus princípios é o Bem Comum! Abre-se o horizonte da caridade para o conjunto da sociedade: “As exigências do bem comum derivam das condições sociais de cada época e estão estreitamente conexas com o respeito e com a promoção integral da pessoa e dos seus direitos fundamentais. Essas exigências referem-se ao empenho pela paz, à organização dos poderes do Estado, a uma sólida ordem jurídica, à salvaguarda do ambiente, à prestação dos serviços essenciais às pessoas, alguns dos quais são, ao mesmo tempo, direitos do homem: alimentação, morada, trabalho, educação e acesso à cultura, saúde, transportes, livre circulação das informações e tutela da liberdade religiosa...O bem comum empenha todos os membros da sociedade...O bem comum exige ser servido ple-

namente, não segundo visões redutivas subordinadas às vantagens de parte que se podem tirar, mas com base em uma lógica que tende à mais ampla responsabilização. O bem comum corresponde às mais elevadas inclinações do homem, mas é um bem árduo de alcançar, porque exige a capacidade e a busca constante do bem de outrem como se fosse próprio” (Compêndio da Doutrina Social da Igreja, 166-167).

O Bom Samaritano por excelência é o próprio Senhor Jesus

Valem todos os gestos de amor feitos em consequência do próprio amor de Deus, derramado em nossos corações


4

IGREJA

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

MISCELÂNEA

Os Carmelitas em BELÉM

P

e ç o v ê n i a p a ra continuar a matéria sobre São Simão Stock, iniciada em nossa edição passada. No dia 16 de julho de 1251, comemoração litúrgica de Nossa Senhora do Carmo, estando ele em profunda e intensa oração, foi agraciado com uma visão da própria rodeada de anjos. Ela lhe mostrou o escapulário da Ordem, dizendo-lhe:

16 de julho: comemoração litúrgica de Nossa Senhora do Carmo - “Este será o privilégio para ti e todos os carmelitas: quem morrer vestindo-o, se salvará.” E ordenou-lhe que os distribuísse a todos eles, para tranqüilizálos, creio que relativamente às perseguições por parte de outras ordens religiosas e da ameaça de extinção, como aqui se disse na semana passada. Como

também então se relatou, Simão enviou ao papa, na época Honório III, emissários com a missão de informá-lo detalhadamente sobre a difícil situação em que a Ordem se encontrava e pedir-lhe proteção. Obteve duas respostas: a primeira, de Nossa Senhora, acima referida; a segunda, do Papa, numa carta, sete meses depois, precisamente de 3 de janeiro de 1252. Nela o Papa declarava legal a existência da Ordem e autorizava os carmelitas a erigir mosteiros por toda a Europa. São Simão Stock faleceu no dia 16 de maio de 1265, com 100 anos, nascido que fora em 1065. Local do óbito: o mosteiro da cidade francesa de Bordeaux, onde foi sepultado. Como é de praxe na Liturgia, a Igreja comemora-lhe a memória no dia exato de sua morte,16 de maio, chamado por ela “dies natalis”, ou seja, dia de seu nascimento para a vida eterna. E ESCAPULÁRIO, O QUE É?

Pois não. Vamos a ele. A palavra escapulário vem do termo latino sca-

(CONTINUAÇÃO) DIVULGAÇÃO

pula, que significa ombro. O escapulário é uma faixa de pano, um tanto larga, superposta ao hábito de certas ordens religiosas. Ele cai, pelo peito e pelas costas, quase até os pés. Sua cor varia segundo a Ordem. Assim, por exemplo, o dos beneditinos é negro; o dos dominicanos, branco; o dos carmelitas, da cor do pó de café, e azul o de uma das novas comunidades mais promissoras, a “Sementes do Verbo”, que administra, e muito bem, a casa de retiros e encontros por nome Tabor, da nossa arquidiocese, situada na orla de Icoaraci, na Travessa do

Escapulário vem do termo latino scapula que signifca ombro

O escapulário é uma faixa de pano, um tanto larga, superposta ao hábito

n RELIGIOSA do instituto Hesed, de espiritualidade carmelita, com seu escapulário

Cruzeiro, 404, onde tenho a honra e a alegria de residir há pouco mais de um ano. Na forma reduzida, para uso dos fiéis leigos, compõe-se de dois pedacinhos de pano, unidos por fitas, que ficam sobre o peito e as costas do portador. O leitor aí já tem o seu? Caso não, trate de

PADRE ROMEU FERREIRA

providenciá-lo. Lembre-se da promessa a quem o usa, da Senhora do Carmo a São Simão Stock: “quem morrer vestindo-o se salvará”. Com essa promessa, evidentemente, Nossa Senhora não quis dizer que

basta usá-lo para, automaticamente, salvar-se. Não que não. É preciso mais: não desmerecê-lo, como? Vivendo segundo os ensinamentos de seu Divino Filho, Jesus. Shalom!

LITURGIA

Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.comg)

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Lc 10,25-37 25Um mestre da lei se levantou e,...perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” 26 Jesus lhe disse: “O que está escrito na lei? Como lês?” 27Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao próximo como a ti mesmo!” 28 Jesus lhe disse: “tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. 29Ele,...disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no e foram-se embora, deixando-o quase morto. 31Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem,

seguiu adiante, pelo outro lado. 32 O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar viu o homem e seguiu adiante pelo outro lado. 33Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. 34Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. 35No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais”. E Jesus perguntou: 36“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” 37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

B) COMENTÁRIO

O texto enfoca as questões da “vida eterna” e do “próximo”. A vida eterna não depende do conhecer e, sim, do viver com o próximo. Que significa “próximo” na lei: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”? O magistrado pergunta a Jesus, que responde perguntando. O Mestre conclui: “Na tua opinião, qual dos três foi o próximo...”? É importante refletir sobre o que indagamos! A resposta não deve vir de fora, e sim brotar de nosso interior; do confronto pessoal: “O que está escrito na lei? Como lês?” Como vives tua fé? Quem é o próximo? Ninguém fique indiferente à realidade do outro; do contrário estaria distante e não próximo de quem faz parte da vida humana; da minha, da sua vida: como sacerdote, como levita ou samaritano. Às vezes não queremos trilhar o caminho do sofredor, desvia-

mos para o “outro lado” (v 32.33). O perigo de morte está por todas as partes. Ninguém escapa dele, e não há, em sã consciência, quem queira morrer! Abate o homem a inquietude vital, e ele indaga a Jesus: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” Não há herança melhor que a preservação da vida! Na pergunta vislumbra-se a resposta. Se a indagação diz “que fazer”?... a resposta será a da prática. O interlocutor responde corretamente a Jesus, e o Mestre o remete à ação: “Vai e faze a mesma coisa”. Imitar o bem não está mal. Em suas lições, o Mestre instrui os discípulos e diz: “Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, também vós o façais” (Jo 13, 15). Jesus é exemplo, o samaritano também. O Mestre nos diz hoje: “Vai e faze a mesma coisa”.

n 12/07, SEXTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (Gn 46,17.28-30) Responsório (Sl 36) Evangelho (Mt 10,16-23) n 13/06, SÁBADO Cor (verde) Primeira Leitura (Gn 49,2932;50,15-26a) Responsório (Sl 104,1-7) Evangelho (Mt 10,24-33) n 14/07, DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Êx 1,8-14.22) Responsório (Sl 18B) Primeira Leitura (Dt 30,10-14) Evangelho (Lc 10,25-37)

n 15/07, SEGUNDA Cor (verde) Primeira Leitura (Êx 1,8-14.22) Responsório (Sl 123) Evangelho (Mt 10,34–11,1) n 16/07, TERÇA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Zc 2,14-17) Responsório (Lc 1,46-55) Evangelho (Mt 12,46-50) n 17/07 QUARTA-FEIRA Cor (vermelho) Primeira Leitura (Êx 3,1-6.9-12) Responsório (Sl 102,1-7) Evangelho (Mt 11,25-27) n 18/07, QUINTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (Êx 3,13-20) Responsório (Sl 104,1.5-27) Evangelho (Mt 11,28-30)


5 SETORJUVENTUDE

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

FÉRIAS: um tempo para cada coisa (parte 2) INTRODUÇÃO

C

oncluímos com este artigo a reflexão sobre as férias. No artigo anterior falávamos das diversas perspectivas das férias a partir de alguns idiomas e da importância da nossa dimensão lúdica. Não fazemos férias por causa do emprego, ou do trabalho, mas porque temos necessidade de prazer, lazer, diversão e repouso.

Não vivemos para trabalhar, mas trabalhamos para viver. A visão mecanicista da vida nos leva a viver em função do trabalho e da produção. Mas o ser humano tem muitas dimensões. Por outro lado, a nossa condição de seres limitados nos exige tempos de repouso e mudança de atividades que “oxiginem” nossa mente e nosso coração.

1

A necessidade de férias Precisamos de férias, antes de tudo, porque o agir humano não se reduz à dimensão econômica, aquela da automanutenção! Precisamos de férias para dar qualidade ao nosso dinamismo existencial. Para isso é preciso pararmos para encontrar o ponto de equilíbrio em vista da continuidade de nossa missão como seres humanos produtivos e atuantes. Precisamos de férias para realimentar nossas energias físicas, afetivas,

sociais, mentais... As férias, muito mais do que um desejo corporal, é uma necessidade mental e sócio-afetiva que alimenta o nosso viver. Precisamos de férias para dar mais qualidade a nossa existência. Precisamos de férias para sair da rotina escravizante; para contemplar o novo, fazer experiências boas e diferentes, que arejem nossa mente e nossas relações. Por isso, o repouso puramente físico não são férias.

2

O que fazer no tempo de férias? É importante, antes de tudo, não reduzir as férias como simples tempo de

Nossa condição de seres limitados nos exige tempos de repouso e mudança de atividades ausência de trabalho; é necessário libertar-se da obcessão “trabalhista das férias”. Portanto, férias para quê? Férias, para dar manutenção a nós mesmos, cuidando da própria totalidade, para zelar pelo nosso ser; férias para re-

pousar; férias, para dar mais tempo para a família e gozar da convivência dos parentes e amigos. Férias, para fazer um passeio, conhecer novos ambientes, ampliar os próprios horizontes culturais; férias, para cuidar da própria saúde; férias, para aprimorar a própria formação: fazer um curso, a leitura de um bom livro, um treinamento. Todavia, tudo isso só é possível quando cultivamos uma visão mais ampla das necessidades humanas; sem a percepção da pluridimensionalidade da nossa vida não mudamos a concepção de férias. Por outro lado, é necessário organizar o tempo e fazer o próprio planejamento.

3

Os riscos do período de férias As férias também podem ser um tempo de risco. Por exemplo: não se programar e continuar com o mesmo ritmo de vida, com o mesmo correcorre, não adotando outra forma de vivência do próprio tempo. Pode ser um sério risco a tentação de se assumir um ritmo de vida ainda mais intenso e estressante de produção, de afazeres, inventando outras atividades. É um risco fazer o mau negócio de vender as próprias férias, sem necessidade! É preciso dar prioridade para aquilo que, de fato, é mais importante.

É um sério risco promover um lazer desordenado e desequilibrado, causando problemas para a própria saúde; provocando acidentes, gerando prejuízo para os outros. Infelizmente, a experiência dos exageros é muito comum nas férias! Outro possível risco é também aquele de alguém reduzir todo o tempo de férias a uma só atividade, como por exemplo, só ao lazer ou só ao estudo. Férias também é tempo de diversidade.

4

As férias na Palavra De Deus Na Bíblia não encontramos a palavra “férias”, porém fala-se de “repouso” e também da justa ocupação do tempo livre como sinal de sabedoria do viver. Quem sabe optar pelo lazer no seu devido momento, está dando sinal de sabedoria (cf. Eclo 38,25). Por isso é necessário respeitar o repouso alheio (cf. Pv 24,15). No Eclesiastes a nossa vida é apresentada como composição de uma diversidade de atividades, pois “há um tempo para cada coisa” (Ecle, 3,1). É preciso também reservar tempo para si para o bem viver. De fato, no livro do Êxodo 5,9, a escravidão trabalhista suprimiu ao povo o direito ao descanso e assim o trabalho tornou-se instrumento de opressão e sofrimento. Portanto, o re-

pouso é uma experiência sagrada e dom de Deus (cf. Dt 3,20; Js 22,4). A assimilação dessa perspectiva levou os judeus a considerar o repouso como preceito legal, pois o repouso é uma ordem divina: “Durante seis dias trabalharás, mas o sétimo será sábado, dia de repouso absoluto, com uma santa assembleia. Não fareis trabalho algum; é o sábado do SENHOR, onde quer que habiteis” (Lv 23,3). O repouso é também tempo propício para dedicar-se às artes (Sb 13,13). Nos Evangelhos, Jesus se apresenta como fonte de repouso, aquele que nos

É preciso também reservar tempo para si

Jesus se apresenta como fonte de repouso, aquele que nos proporciona o essencial para a felicidade da vida

proporciona o essencial para a felicidade da vida: “Venham a mim, todos vocês que estão cansados e carregados dos seus fardos, e eu lhes darei descanso” (Mt 11,28). Jesus se preocupou com o cansaço dos apóstolos, manifestando a compreensão da importância e a necessidade do equilíbrio entre as atividades humanas: “Venham a sós para um lugar deserto, e descansem um pouco”! (Mc 6,31). Para Jesus não basta fazer o bem, devemos testemunhá-lo com o nosso bemestar. O bem deve nos fazer bem! Quem faz o bem, fazendo-se mal, não está saudável. Enfim, recordemos a advertência de Jesus a Marta, exageradamente preocupada fazendo muitas coisas em casa. O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada com muitas coisas. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada!” (Lucas 10,40-41). Jesus, portanto, lhe chamava a atenção sobre o acúmulo de atividades, a agitação e a falta de uma escala de valores. REFLEXÃO: Quais os riscos que corremos no tempo das férias? Quando nos tornamos escravos do trabalho? O que Jesus acusou na atitude de Marta?

1 2 3

SETOR JUVENTUDE promove curso de formação para líderes juvenis

C

om o objetivo de estimular o aprofundamento dos conteúdos fundamentais da fé cristã e seus desafios pastorais da era contemporânea, o Setor Juventude da Arquidiocese de Belém realizará o curso de formação de lideranças juvenis em pastoral, cujo primeiro módulo será de 14 a 21 de julho, no Centro Arquidiocesano de Pastoral Juvenil, em Ananindeua. Poderão participar jovens de 16 a 29 anos. A iniciativa da forma-

ção surgiu após o Setor Juventude notar a necessidade de um curso sistemático para juventude. Isso, porém, não significa formar adultos líderes para animar os jovens, mas sim, de promover as potencialidades de jovens líderes em vista de qualificá-los para serem referências, formadores e acompanhantes de outros jovens. Com carga horária de 270 horas dividida em três módulos: julho/2019; janeiro/2020 e julho/2020, a capacitação irá formar os participantes para que sejam

capazes de liderar pessoas, coordenar processos e organizar iniciativas pastorais, em espírito de comunhão eclesial e estimulando o protagonismo dos liderados. A proposta trabalhará quatro grandes dimensões: Antropológica, Cristológica, Eclesiológica e Administrativa. Nessas dimensões serão tratados temas, como: psicologia da juventude; A Igreja e a promoção do Reino de Deus no meio juvenil; liturgia e juventude; juventude e a Sagrada Escritura; história e a proposta de evangelização juvenil

no Brasil e na América Latina; assessoria e protagonismo juvenil. A programação está disposta da seguinte forma: 15 e 16 a disciplina “A realidade juvenil contemporânea e desafios pastorais”, com a professora Fátima Fonseca; 17 e 18 de julho, o Padre Maurício Henrique de Almeida ministra a disciplina “A pessoa de Jesus Cristo e a promoção do Reino de Deus”; o Ir. Daivson Braga coordenará a disciplina “Psicologia da Juventude: afetividade e sexualidade” no dia 19. Por fim, Dom Antônio de

Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém e referencial da juventude, será o ministrante da disciplina “Projeto de Vida”. As inscrições são online (http://abre.ai/cursodosetor) e estão disponíveis com a possibilidade do repasse da taxa de custos em boleto, cartão crédito, aplicativo, débito e parcelamento. Estão abertas até o próximo domingo, 14, início do primeiro módulo. O investimento é de R$ 350,00 sendo individual e por módulo. Os participantes irão dormir no local e as inscrições em

grupo terão desconto. Participe!

INFORMAÇÕES Curso de Formação de Lideranças em Pastoral Juvenil I Módulo DATA: 14 a 21 de Julho de 2019 LOCAL: Centro Arquidiocesano de Pastoral Juvenil - Ananindeua INVESTIMENTO: R$ 350,00 (individual /modulo)


6

IGREJA

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

COTIJUBA reforça ação missionária

FOTOS: DIVULGAÇÃO

NOSSA SENHORA DA BATALHA será a padroeira

D

omingo, 7 de julho de 2019, como testemunhas da graça do Batismo do pequeno Nelson Wesley Moraes da Conceição, a Comunidade Fazendinha, na ilha de Cotijuba, sentiu a alegria da presença divina em suas vidas. Mobilizada pelo Movimento Arquidiocesano do Terço dos Homens Mãe Rainha (MTHMR), os moradores se reuniram em um barraco para a celebração da Palavra,

conduzida pelo recém-ordenado diácono Leonardo Matias de Carvalho, também intergrante do grupo de oração mariana. O dia, histórico, celebrou também a retomada da missão na Fazendinha, há 20 anos esperando para renovar a tradição da fé católica na comunidade remanescente de quilombo, uma vivência inspirada pelo título de Nossa Senhora da Batalha, também conhecida como Nossa Senhora

das Vitórias. As manifestações da fé católica no lugar estavam paradas há duas décadas, pois era animada por famílias que, após a partida de seus antepassados que mantinham ativas as tradições, deixaram a ilha, levando consigo também o referencial da devoção dos nativos: uma imagem de Nossa Senhora da Batalha. Sem saber do destino de seus familiares, afastados por muito tempo, eles

n BATISMO do menino Nelson Conceição marcou recomeço da missão

n DIÁCONO Leonardo conduz a celebração da Palavra na Fazendinha

também abandonaram as manifestações religiosas naquela comunidade. Foi o grupo do Terço dos Homens que há cerca de 20 dias esteve em missão na Fazendinha, enviados pela Paróquia de São Francisco das Ilhas, sediada em Cotijuba, que localizou na Fazendinha a família de Hermínio Barbosa de

Moraes, a única que conhecia a história da antiga tradição da padroeira daquela localidade. Padre Joseildo da Silva, pároco da Paróquia São Francisco das Ilhas, determinou, então, que o grupo do Terço dos Homens junto com o diácono Leonardo Carvalho, passam a acompanhar a reorganização da comu-

nidade, confiada à devoção a Nossa Senhora da Batalha. No dia dia 18 de agosto, haverá novo Batismona família de Hermínio, inicialmente, o responsável pela comunidade. A Arquidiocese de Belém começa ainda este mês a organização pastoral, o que reanima a comunidade Fazendinha.

n GRUPO do Terço dos Homens acompanha a missão na Fazendinha

Sorteio entre colaboradores da campanha “SEJA MAIS UM” Na tarde do dia 4, a Rádio Nazaré FM realizou o sorteio do Terço de Nossa Senhora da Fátima, uma estampa de Nossa Senhora e do Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, entre os colaboradores da campanha “Seja Mais Um”, através de seu programa homônimo. A campanha especial é uma promoção da Arquidiocese de Belém para manter o trabalho de evangelização pela Fundação Nazaré de Comunicação através da Rádio Nazaré FM, Rede Nazaré de Televisão, Portal Nazaré e Jornal Voz de Nazaré. A contemplada com os ob-

jetos religiosos foi Olendina Barbosa da Silva. De 26 do mês em curso a 4 do mês seguinte, durante o programa “Seja Mais Um”, a campanha é intensificada. O programa é direcionado à Família Nazaré, benfeitores que contribuem com doações mensais para ajudar a Arquidiocese a manter a Fundação Nazaré. Ele vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 9h às 10h. Objetiva agradecer a Deus pela vida dos sócios evangelizadores e acolher novos sócios que, junto aos outros, vêm somarse à Família Nazaré. Durante a progra-

CAMPANHA SEJA MAIS UM - Colabore com a obra de evangelização da Arquidiocese sendo mais um benfeitor da Fundação Nazaré de Comunicação. O cadastro pode ser feito pessoalmente na sede da Fundação, situada na avenida José Malcher, nº 915 – Edifício Paulo VI, Nazaré, de segunda a sábado, das 7h às 19h. Ou pelos sites oficiais (www.sejamaisum.com), (www.fundacaonazare.com.br), ou pelo telefone (91) 4006-9211. Se preferir entrar em contato por e-mail, envie mensagem para famjor@fundacaonazare. com.br e faleconosco@fundacaonazare.com.br

mação o ouvinte pode realizar uma doação espontânea ou realizar seu cadastro para tornar-se sócio. O sorteio mensal, feito no programa “Seja Mais Um”, transmitido pela Rádio Nazaré, 91,3 Mhz, é apenas a consequência da generosidade das pessoas, que se sentem chamadas a fazer algo a mais pelos veículos da Fundação Nazaré de Comunicação. Você também, leitor, contribua com a evangelização na Amazônia. Ligue para (91) 40069211 ou envie uma mensagem instantânea para (91) 99315-5743 (WhatsApp).

LUIZ ESTUMANO

SERVIÇO Durante o programa "Seja Mais Um", de 26 do mês em curso a 4 do próximo mês, todas as pessoas que contribuírem com um valor a mais do que aquele com que costuma contribuir, e, ou, até mesmo aqueles que se sentirem desejosos de fazer uma doação independente do valor, podem participar do sorteio, enviando o comprovante de pagamento pelo aplicativo de mensagem, (91) 993155743 (WhatsApp).

n OBJETOS RELIGIOSOS A SEREM SORTEADOS


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

Dom Alberto preside ORDENAÇÃO diaconal em Belém

7

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

FINAL deste ano os cinco ordenados serão presbíteros

H

há alguns anos, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano, escolhe a data de sua Ordenação Episcopal, 6 de julho, dia de Santa Maria Goretti, mártir e santa da castidade, para realizar ordenações na Arquidiocese de Belém. Sábado, na Catedral Metropolitana, junto aos seus auxiliares, Dom Irineu Roman e Dom Antônio de Assis Ribeiro, e alguns sacerdotes, o Arcebispo presidiu a ordenação de cinco novos diáconos transitórios que, até o final deste ano, serão ordenados presbíteros. Familiares, amigos, colegas, seminaristas

e sacerdotes ligados à formação dos ordenados os prestigiaram. Os ordenados são Alan Henrique Campos Silva, Francimar Ferreira Lopes, Leonardo Matias de Carvalho, Paulo Felipe dos Santos e Paulo Victor Dourado de Oliveira. Eles receberam o primeiro grau da ordem, depois virá o presbiterado. Dom Alberto afirmou que “a ordenação é uma comprovação do chamado de Deus, que chama quem quer, dá as graças necessárias para as pessoas se dedicarem a Ele. Este ano ordenarei cinco diáconos que serão padres no final do ano. Serão seis sa-

cerdotes que ordenarei até o final deste ano e a nossa Igreja crescerá na força da evangelização, no anúncio da Palavra de Deus, no pastoreio do nosso povo”. As ordenações, para Dom Alberto, são resposta aos grandes desafios da evangelização na grande Belém: “Pedimos a Deus, continuamente, a graça de operários, pessoas que trabalhem para o serviço do Evangelho". A ordenação começou pela apresentação dos candidatos e testemunho do reitor do Seminário São Pio X, cônego Vladian Alves: “Nos sentimos participantes desse momento, sabendo

n MOMENTO da prostração pelos cinco candidatos

n IMPOSIÇÃO DAS MÃOS sobre os candidatos por Dom Alberto que ajudamos jovens a percorrer esse caminho. E alegramos-nos ainda mais por saber que esses jovens no presbiterado irão ajudar tantas outras

pessoas no caminho de fé e salvação”. Após a homilia de Dom Alberto, o rito prosseguiu. Finda a Missa, o recém ordenado

diácono Paulo Felipe discursou, agradecendo o apoio do Arcebispo, dos familiares, dos amigos e dos reitores dos seminários.

n OS FIÉIS PRESENTES na Catedral na manhã da ordenação diaconal

ORDENAÇÕES SACERDOTAIS AINDA ESTE ANO Os neo diáconos aguardam suas respectivas ordenações sacerdotais, enquanto desempenham funções pastorais em algumas das paróquias da arquidiocese de Belém. Leonardo Matias, de Belém, atua na Paróquia de São Francisco das Ilhas, em Cotijuba, auxiliando o pároco, padre Joseíldo da Silva. Leonardo será ordenado em 21 de dezembro, na Matriz da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Icoaraci. Alan Henrique, natural de Belém, mem-

bro consagrado de Vida da comunidade Maíra onde iniciou seu discernimento vocacional, reside atualmente em Mosqueiro, e ajuda na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Carananduba. Sua ordenação acontecerá em 12 de dezembro, na Basílica Santuário de Nazaré. Pa u l o Fe l i p e , d e Alagoas, fez toda sua formação em Belém e atualmente auxilia na Paróquia de Santa Rosa de Lima, em Benevides, onde aguarda sua ordenação sacerdotal no dia 8 de dezembro,

na Matriz da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no bairro do mesmo nome. Francimar Lopes, filho de Rio Sono, no Estado do Tocantins, iniciou sua formação em 2009 no seminário da Arquidiocese de Palmas, onde estudou Filosofia. Ao final do curso, sentiu o chamado de uma experiência mais radical e foi acolhido em Belém. Vem auxiliando a Paróquia de Santa Bárbara, no município homônimo, onde aguarda o segundo grau da ordem no dia 14 de dezembro, sem local definido ainda.

n OS PRESBÍTEROS E DIÁCONOS presentes acolhem os novos diáconos Por fim, Paulo Victor Dourado, de Belém, iniciou seu discernimento com 15 anos, quando ainda era coroinha na Paróquia do Sagrado

Coração de Jesus, no conjunto Júlia Seffer, em Ananindeua. Atualmente é responsável pela acolhida de seminaristas do seminário menor, anexo à Paró-

quia de Nossa Senhora do Bom Remédio, no Satélite. Sua ordenação será em 30 de novembro, na Matriz da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus.

VATICANO

Arqueólogos descobrem cidade bíblica de SICELEG Pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém, da Autoridade de Antiguidades de Israel e da Universidade Macquarie, em Sydney, Austrália, acreditam ter encontrado a cidade filisteia de Siceleg, em escavações às proximidades da cidade de Kiryat Gat. Imortalizada na

narrativa bíblica, Siceleg é citada várias vezes na Bíblia, relacionada a Davi. Enquanto fugia do rei Saul, ele juntou-se aos filisteus, inimigos de Israel. Com 600 homens, Davi apresentou-se a Aquis, rei da cidade filistéia de Gate, pediu asilo e recebeu do rei a cidade de Siceleg. Ali, ele viveu

um ano e quatro meses (I Sm, 21,1-7) Baseado em Siceleg, Davi invadiu a região de Olam (ou Telem) no caminho de Sur e para a terra do Egito (I Sm 27, 8; I Sml 27, 9-11). ESCAVAÇOES - Iniciadas em 2015 em Khirbet a-Ra’i, na Judéia, entre Kiryat Gat e Lachish,

as escavações seguem há sete temporadas, com grandes áreas expostas aproximadamente 1.000 m² - levando à identificação de Siceleg. O prof. Yosef Garfinkel, chefe do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém, está à frente das pesquisas arqueológicas na área.

DIVULGAÇÃO

n YOSEF, arqueólogo, na área descoberta


8

IGREJA

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

NAZARÉ REPÓRTER n FORMAÇÃO

DIVULGAÇÃO

R "N

ezemos pelos enfermos que são esquecidos e abandonados à morte. Uma sociedade é humana se protege a vida, toda a vida, do início ao seu fim natural, sem escolher quem é digno ou menos para viver. Que os médicos sirvam à vida, não a tirem. (10 de julho) ão se trata apenas de migrantes!", no duplo sentido de que os migrantes são, antes de mais nada, pessoas humanas e que, hoje, são o símbolo de todos os descartados da sociedade globalizada. (8 de julho)

Na última segunda-feira, 8, na Matriz da Paróquia de Santo Inácio de Loyola, no Icuí-Guajará, aconteceu formação Bíblica com as lideranças, ou seja, com os representantes das pastorais, serviços e movimentos daquela igreja. A formação foi facilitada por Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares da Arquidiocese de Belém, em

RÁDIO NAZARÉ FM 91 .3 MHZ

n CUIDADOS COM A VISÃO DAS CRIANÇAS NAS FÉRIAS O programa "Saúde e cidadania" da próxima segunda-feira, 15, será sobre as “Férias de julho: como proteger os olhos das crianças”. A proposta do programa é alertar pais e responsáveis sobre o cuidado com os olhos das crianças, como protege-los e evitar acidentes comuns que acabam comprometendo a visão. Um especialista dará dicas aos ouvintes sobre a correta proteção dos olhos e também indicará meios de evitar acidentes comuns que podem acabar tornando-se fatais. Sintonize 91,3 Mhz, a partir das 16h e participe! Para interagir, ligue 4006-9211 ou 9.8814-0275 (WhatsApp).

n VERÃO A Comunidade Católica Mar-a-Dentro promove o “Verão Radical”, a partir da próxima terça-feira, 16, em Outeiro, distrito de Belém. O evento, anual, objetiva proporcionar a crianças, jovens, adultos e idosos uma oportunidade de diversão, cujo pilar a evangelização, através da Colônia de Férias, de 16 a 18, na Casa de Missão, localizada na rua Manoel Barata, 1666, bairro São João do Outeiro. De 22 a 25, ocorrerão as visitas missionárias aos lares e às praias do distrito; e, no dia 27, arraial Julhino, em Outeiro, na Casa de missão.

TV NAZARÉ CANAL 30.1

n JUVENTUDE “O Espírito do Senhor está sobre mim” (Is 61,1) é o tema da Semana Jovem Missionária, promovida pela Matriz da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Benfica. O evento ocorre de 21 a 28 de julho, com uma extensa programação, que compreende, entre outras, procissão, evangelização de casa em casa, kairós missionário. A Matriz fica localizada na praça da Matriz, s/n, em Benfica, distrito do município de Benevides. Informações (91) 3456-8147 ou (91) 98324-0154

n ADORE AO SENHOR COM A TV NAZARÉ Aproveite o período mais tranquilo das férias escolares também para um encontro especial com Jesus Sacramentado. Sintonize a TV Nazaré no canal 30 – ou na sintonia da sua cidade - e acompanhe a Adoração, sempre das 15h às 16h. De segunda a quarta-feira, as orações e meditações diante do Santíssimo Sacramento são conduzidas pelo cônego Sebastião Fialho, pároco da Paróquia de São José, no Umarizal. Às quintasfeiras, o programa é apresentado por sacerdotes e diáconos de nossas paróquias. O telespectador interage, via mensagem (whatsApp) para o número (91) 9 9315-5743.

n ENCONTRO DE NOIVOS A Pastoral Familiar da Matriz da Paróquia da Santíssima Trindade promove, de 17 a 18 de agosto, o encontro de noivos. A formação visa a preparação para o matrimônio. O evento será realizado no auditório do Centro Social Monsenhor Geraldo Menezes, situado na matriz, na praça Barão do Rio Branco, 71, bairro da Campina. Informações: (91) 3215-7007 (91) 3242-4917.

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n ENCONTRO NACIONAL Nesta sexta-feira, 12, Benevides sediará o 4° Encontro Nacional do Movimento Eucarístico Jovem (Mej). O evento, reúne as lideranças das dioceses do Brasil e se estenderá até domingo, dia 14, na Casa dos Barnabitas, localizada na rodovia BR-316, s/n, bairro Luís Gonzaga. Participe!

n NOVENA À MÃE DO PERPÉTUO SOCORRO Toda terça-feira, às 15h, o Portal Nazaré (www.fundacaonazare. com.br) e a página Facebook/FNCBelem transmitem a novena em honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, direto da Matriz da paróquia da padroeira, na rodovia Artur Bernardes, bairro do Telégrafo. Participe e reze conosco! Faça parte da Família Nazaré! Como sócio evangelizador, você ajuda a Arquidiocese a realizar essas e outras transmissões para que o Evangelho alcance todos os lugares. Informações: (91) 4006-9211 ou (91) 99315-5743 (WhatsApp).

BOA DICA

AGENDA DE DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA n SÁBADO, 13 DE JULHO 17h – Missa - Retiro Estadual de Coordenadores de Grupos de Oração da RCC (CCFC)

11h – Missa - Círio de Nossa Senhora do Carmo (Paróquia Nossa Senhora do Carmo) 17h - Missa (Fazenda da Esperança)

n DOMINGO, 14 DE JULHO 7h – Missa (Catedral de Belém)

n TERÇA, 16 DE JULHO 6h25 – Missa (Carmelo Santa

AGENDA DE DOM IRINEU ROMAN

n DOMINGO, 14 DE JULHO 7h - Missa - Paróquia São João Batista e Nossa Senhora das Graças – Icoaraci 17h - Crisma - Paróquia Santíssimo Redentor

n SEGUNDA, 15 DE JULHO 19h - Missa - Comunidade Nossa senhora do Carmo - Paróquia São Francisco de Assis (Tapanã)

Teresinha) 12h – Missa (Igreja de Nossa Senhora do Carmo) n QUINTA, 18 DE JULHO 19 h – M i s s a - C o m u n i d a d e Fraternidade “O Caminho”

n TERÇA, 16 DE JULHO 19h - Missa - Comunidade São José (Área Missionária São Clemente)

AGENDA DE DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO n SEXTA, 12 DE JULHO 6h30 – Missa – Residência Episcopal

n DOMINGO, 14 A QUINTA, 18 DE JULHO Curso de Formação de Liderança Juvenil – Extensão universitária

consonância com o documento lançado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil para o próximo quadriênio (2019 a 2023). A formação visou a preparação dos comunitários para a festividade do padroeiro que acontecerá no período de 2 a 10 de agosto.

n BÍBLIA - MENSAGEM DE DEUS - Média/capa cristal (Paulinas, R$ 19,50)

A

Bíblia “Mensagem de Deus” foi a primeira traduzida dos textos originais lançada no Brasil. Agora, ela chega até você em uma parceria entre as editoras Paulinas e Loyola. Com nova capa e preço acessível, a Bíblia “Mensagem de Deus” tem um texto leve e notas reduzidas, de fácil entendimento, para melhor compreensão da Palavra.

n BENTINHO, O AMIGO DE DEUS – A história de São Bento contada às crianças - Livro (Paulus, R$ 23,20)

E

mbora Bento vivesse sozinho na gruta de Subiaco, sem conversar e ver ninguém, Deus fez com que a luz de sua bondade iluminasse outras pessoas. Assim, após três anos vivendo na solidão, aconteceu que, certo dia, alguns pastores que passavam pelas redondezas o descobriram e foram conversar com ele.


IGREJA

9

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

CNBB realiza o 11° MUTICOM

EVENTO reúne jornalistas, agentes de Pastoral da Comunicação, padres, diáconos e outros participantes em Goiânia

R

efletir sobre os caminhos e as perspectivas das relações entre a Igreja Católica, a sociedade brasileira e a cultura contemporânea, no campo da Comunicação, será o objetivo do 11° Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom), promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), de 18 a 21 de julho, na Arquidiocese de Goiânia. Com a temática “Comunicação, Democracia e Responsabilidade Social”, o evento ocorre no Centro Pastoral Dom Fernando, em Goiânia. O Muticom ocorre a cada dois anos e reúne jornalistas, agentes de Pastoral da Comunicação, padres, diáconos,

seminaristas, religiosos, professores, estudantes, pesquisadores e outros interessados na área. O evento proporciona uma imersão em temáticas voltadas ao desenvolvimento da comunicação no Brasil e a especificidades da comunicação na Igreja. A Arquidiocese de Belém será representada pelo padre Nilton César Reis, coordenador da Pastoral da Comunicação Arquidiocesana (Pascom), pároco da Matriz da Paróquia de Cristo Peregrino e apresentador do programa “Igreja Ponto a Ponto”, da Rádio Nazaré 91,3 MHZ, um dos veículos de comunicação da Fundação Nazaré da Arquidiocese de Belém, que reúne outros três: Rede

Nazaré de Televisão, Jornal Voz de Nazaré e Portal Nazaré. Segundo padre Nilton Reis, que participa do evento desde 2005, o Muticom possibilita ficar atualizado com as mudanças na área da comunicação: “Há uma preocupação muito grande da Igreja, sobretudo da CNBB, com os eventos do Muticom, pois eles tem o mérito de nos atualizar e propor o caminho que nos facilite a melhor evangelização. O Muticom tem uma responsabilidade muito grande de ter um olhar mais claro frente aos desafios do nosso tempo na evangelização, mas também de nos propor uma melhor maneira de evangelizar,

de atingir as pessoas. Participar do evento é buscar atualizar-se para melhor servir a Igreja, para melhor contribuir com a Igreja, em especial a de Belém”. Além das conferências principais, o Muticom acontecerá no formato de “trilhas do conhecimento”, possibilitando aos mais de 600 participantes experiências independentes e autônomas, com percurso entre reflexões teórico-práticas a partir dos tópicos-chaves, organizados em três trilhas: Comunicação, Democracia e Responsabilidade Social. Além de percorrerem as trilhas, com programação mista de conferências, workshops, stand-up, cases, os participantes pode-

rão apreciar a programação cultural, com shows, cerimônia de entrega dos prêmios de comunicação da CNBB e apresentações diversas. O evento ocorre desde 1998, com a promoção da conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A 1ª edição do Muticom, ocorreu em 1998 em Belo Horizonte (MG), com a temática “SolidariedadeÉtica-Cidadania”. Desde então, ele vem ocorrendo a cada dois anos. A anfitriã do

5° Muticom, cuja temática “Comunicação e Amazônia - Fé e Cultura de Paz”, foi a Arquidiocese de Belém, em 2007. Em 2000, a 2ª edição em São Paulo (SP); em 2003, a 3ª, em Salvador (BA); em 2005, a 4ª, em Guarapari (ES); em 2010, a 6ª, em Porto Alegre (RS); em 2011, a 7ª, no Rio de Janeiro (RJ); em 2013, a 8ª, em Natal (RN); em 2015, a 9ª , em Vitória (ES), e, em 2017, a 10ª em Joinville (SC).

PROGRAMAÇÃO Quinta-feira, 18 de julho 16h30- Solenidade de abertura 17h às 17h50 - Conferência de abertura - Midiatização e Responsabilidades na Igreja e no Mundo (Prof. Dr. Moisés Sbardelotto) 17h50 às 18h20 - Lançamento do Livro - Os papas na comunicação (Profa. Dra. Ir. Helena Corazza / Profa. Dra. Ir.Joana Puntel) 18h30 - Show Cultural

11h10 às 11h50 - Trilhas do Conhecimento 14h30 às 15h10 - Conferência 15h40 às 16h20 - Trilhas do Conhecimento 16h50 às 17h30 - Trilhas do Conhecimento 17h30 - Workshop - Prática da comunicação institucional (Tenente Pedro Aihara, Corpo de Bombeiros MG) 20h- Entrega dos Prêmios de Comunicação da CNBB

Sexta-feira, 19 de julho 7h30 - Santa Missa presidida por Dom Washington Cruz, CP - Arcebispo de Goiânia 9h às 9h50 - Conferência 10h10 às 10h50 - Trilhas do Conhecimento

Sábado, 20 de julho 7h30 - Santa Missa presidida Dom Levi Bonato - Bispo auxiliar de Goiânia 9h às 9h50 - Conferência 10h10 às 10h50 - Trilhas do Conhecimento

11h10 às 11h50 - Trilhas do Conhecimento 14h30 às 15h10 - Conferência 15h40 às 16h20 - Trilhas do Conhecimento 16h50 às 17h30 - Trilhas do Conhecimento 17h50 - Workshop - A prática do jornalismo político (Jornalista Nilson Klava) 19h30 - RISEN PROJET (Stone Entertainment) Domingo, 21 de julho 7h30 - Translado para a cidade de Trindade e peregrinação ao Santuário Basílica do Divino Pai Eterno 10h - Santa Missa de encerramento do 11º Muticom presidida por Dom Joaquim Mol, presidente da Comissão de Comunicação da CNBB

MARIA ELISA BESSA DE CASTRO Graduado (Bacharel e Licenciado) e Especialista em Filosofia pela UFPA e Especialista em Teologia pelo CESUPA.

EVANGELIZAÇÃO NO TERCEIRO MILÊNIO

As rainhas das VITUDES n Por São Francisco de Sales

N

a segunda geração da Reforma Protestante (século XVI), a Igreja foi atingida por uma profunda crise espiritual. Em meio a esse turbilhão, quis o Redentor abençoar o mundo com a envergadura intelectual e espiritual de São Francisco de Sales. Nascido em 21 de agosto de 1567, o olhar místico desse humilde santo, unido à sua profunda ascese e vida interior, produziu um precioso tesouro espiritual, com o título de “Filoteia” ou “Introdução à Vida Devota”. Trata-se de um pequeno escrito endereçado aos leigos, apresentando-lhes um caminho para alcançar a santidade. A palavra “Filoteia” significa uma alma que Ama a Deus. O livro que leva esse título enseja uma obra de direção espiritual e ou aconselhamento, inicialmente dirigido a uma parenta do autor, que era casada e pediu-lhe conselhos espirituais. Eis que a

11° MUTICOM

profundidade do conteúdo não tardou em se fazer conhecer por outras pessoas, que lhe requisitaram a publicação do texto. Assim, a primeira edição deu-se em 1609. No escrito, São Francisco de Sales demonstra que a santidade não é uma exclusividade da vida sacerdotal ou religiosa, pois ela é possível em todos os estados de vida, inclusive aos casados e aos solteiros, ou seja, a santidade não é um privilégio da clausura, da vida religiosa e/ou da Ordem, pois que ela pode ser vivida secularmente. Destarte, o autor de Filoteia propõe aos leigos viver a santidade em seus próprios estados de vida, leia-se, situados e datados no mundo. O itinerário proposto pelo autor fundamentouse em sua própria experiência como leigo, leia-se, vivida antes do sacerdócio, na condição de filho de família nobre, acadêmico de Direito e Teologia, advogado e intelectual. Este estado de vida, ainda antes do sacerdócio, forneceu

a São Francisco de Sales elementos para o itinerário espiritual proposto no livro. Dir-se-ia que a obra é fruto da experiência de um ex leigo que buscou uma vida devota, uma vida de santidade; e, agora, já presbítero, a propõe à vida leiga como itinerário espiritual. Em Filoteia, o autor coloca a DEVOÇÃO como a Rainha das Virtudes. Afirma ele que“... o mundo

anda a difamar diariamente a santa devoção, espalhando por toda a parte que isto torna os espíritos melancólicos e os caracteres insuportáveis e que, para persuadir-se, é bastante contemplar o semblante enfadonho, triste e pesaroso das pessoas devotas”.

Todavia,é o próprio Espírito Santo que assevera ser a vida devota suave, aprazível e ditosa. Neste mesmo sentido, com a propriedade de quem experimenta os fundamentos do que escreve, afirma o autor:“Vê o mundo que as pessoas devotas jejuam, rezam, sofrem com pa-

ciência as injúrias que lhes fazem, cuidam dos enfermos, dão esmolas, guardam longas vigílias, reprimem os ímpetos da cólera, detém a violência de suas paixões, renunciam aos prazeres sensuais e fazem tantas outras coisas que são de si custosas e contrárias à própria natureza, mas o mundo não vê a devoção interior que torna tudo agradável, doce e fácil”.

Em seus conselhos à vida leiga para bem viver a santidade, São Francisco de Sales explicita, com muita precisão (certamente porque experimenta a realidade humano-espiritual que descreve), os efeitos da santa devoção na alma. Vejamos:

“a devoção sanzona todas as coisas com uma afabilidade extrema, atenua o amargor das mortificações, preserva o pesar dos pobres, consola os oprimidos, humilha o orgulho na prosperidade, soleva o enjoo da solidão, torna recolhidos os que

andam a lidar com o mundo. È para nossas almas o fogo no inverno e o orvalho no verão; faz-nos moderados na abundância e pacientes no sofrimento e pobreza; tira proveito tanto das honras, como dos desprezos; enfrenta com a mesma disposição o prazer e a dor; inunda a nossa alma de uma admirável suavidade".

O devotíssimo santo, cujo semblante transcendia essa suavidade, fez uma bela interpretação da emblemática escada do sonho de Jacob. Em Filoteia, o autor nos convida a contemplar a escada de Jacob, que enseja a verdadeira imagem da alma devota. Diz ele: “Os dois

lados da escada representam um a oração que suplica o amor de Deus e o outro a recepção dos sacramentos que o conferem. Os degraus são os diversos graus de caridade, pelos quais se sobe, de virtude em virtude, ora abaixando-se até a servir o próximo e suportar-lhe as fraquezas, ora guindando o espírito, pela contemplação, à união caritológica com Deus”.

DIVULGAÇÃO

n FRANCISCO de Sales

Emprestamos as palavras de São Francisco de Sales para concluir o presente artigo. “Sim, a

Devoção é a Rainha das Virtudes, sendo a perfeição da caridade como a nata para o leite, a flor para a planta, o brilho para a pedra preciosa, o perfume para o bálsamo. Diz ele, ainda, que “a devoção exala por toda a parte um odor de suavidade que conforta o espírito do homem e alegra os anjos”.

Possamos nós também compreender a importância da Santa Devoção para a nossa vida espiritual, fazendo dela um especial meio de santificação, a alcançar-nos, por via de consequência, a Salvação que nos dará acesso ao Céu, onde contemplaremos a visão beatífica da Santíssima Trindade, por todo o sempre.


10

EM NAZARÉ

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

FOTOS: DIVULGAÇÃO

NAZARÉ EM DESTAQUE

Mãe da PROVIDÊNCIA

n Por Pe. Francisco Maria Cavalcante Júnior, crsp Reitor do Seminário Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

N

ossa Senhora Mãe da Divina Providência, eis aí um dos títulos marianos que vêm alimentando a fé filial de muitos fiéis. Ele nasceu no coração dos Clérigos Regulares de São Paulo, ditos Barnabitas e sublinha: I. A maternidade de Maria - a Virgem é mãe do Verbo encarnado. Jesus, divino e humano, por meio do ventre da Virgem Maria tocou nossa humanidade nos possibilitando conhecer uma das mais belas dádivas que Deus Pai nos concedeu: Jesus(YESHUA - Deus salva - salvação). Em outras palavras, enquanto aquela que gerou a humanidade de Cristo, Divina Providência encarnada, é propriamente mãe do Salvador; II. Deus, uno e trino, é Providência e como tal, governa sua criação, não abandona a sua obra, faz-se presente objetivando conduzi-la à plenitude

de sua existência; todo aquele que abre seu coração olhando seu entorno com os olhos da fé, vê-se guiado pela providencial ação Divina.

O PRIMEIRO QUADRO: é de autoria do

grande pintor italiano, Scipione Pulzone de Gaeta (1550-1597), mede 54 por 42 centímetros. Pintura colorida a óleo sobre tela a qual imortaliza o êxtase materno vivido por Maria com seu Filho. COMO A TELA CHEGOU AOS BARNABITAS? Em 1677, precisou-

se fazer uma ampliação na Praça Colonna em Roma, a mando do Papa Alexandre VII. Em consequência disso, foi necessário demolir o convento e a igreja dos Barnabitas dedicado a São Paulo Apóstolo que aí se encontrava. Havia nessa comunidade um afresco mariano que os religiosos muito estimavam, por isso,

n QUADRO original da Mãe da Providência

n PAPA João Paulo II venerando o quadro

pediram ao arquiteto em exercício para remover e sistematizar uma forma de transladá-lo à outra comunidade dos religiosos em Roma na Praça Catinari, paróquia dedicada a São Carlos Borromeu. Lamentavelmente, ao transportar o afresco, acidentalmente, ele foi quebrado. Como forma de se desculpar, o arquiteto presenteou aos Clérigos Regulares de São Paulo um pequeno quadro mariano, sem título, pertencente a sua família. Os religiosos colocaram o quadro na capela de sua residência localizada ao lado da paróquia São Carlos. ORIGEM DO TÍTULO:

Acredita-se que os Barnabitas, Irmãs Angélicas e Casais de São Paulo já invocavam a muito tempo a Virgem Maria como Mãe da Divina Providência. Por exemplo, em 1613, os Barnabitas haviam decidido colocar na torre da igreja dedicada a São Paulo, em Bolonha, uma imagem de Maria com o mencionado título; nesse período, as Irmãs Angélicas, em Milão, veneravam uma imagem da Virgem Maria segurando o menino com o mesmo título. Fato é que a devoção ainda não tinha o reconhecimento pontifício. Em meados do século XVII, as obras da igreja de São Carlos estavam inacabadas, com a morte do Cardeal Lenie, amigo dos Barnabitas, esse é velado na paróquia São Carlos, lê-se seu testamento, nesse se manifesta que ele deixara parte de seus bens para ajudar no término da obra. Outros benfeitores, aos poucos, começaram a se mobilizar ao ponto que em 1650 os trabalhos são finalizados. Pe. Bras Maria Palma, superior da comunidade São Carlos, era grande devoto de Maria e muito trabalhou para o término da construção da referida igreja; o religioso teve a perspicácia de relatar por escrito minuciosamente tal façanha afirmando

n REPRESENTAÇÃO de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência várias vezes que Maria age como doce e eficaz providência de todos os que recorrem a ela com confiança. O relatório ficou esquecido por anos, até que, mais ou menos um século depois, providencialmente, foi encontrado pelo Pe. Januário Maria Maffetti, esse também grande devoto de Maria, leu-o e sentiu o ardente desejo de difundir o culto a Nossa Senhora mostrando sua atuação providente na vida de seus filhos. Lembrou do quadro da Virgem segurando o menino venerado na capela da sua comunidade religiosa. Pede ao Irmão Pietro Maria Valentini para fazer uma cópia do original e em julho de 1732 foi colocado no corredor que interligava a igreja ao convento dos religiosos. Depois de meditar sobre a experiência que Pe. Palma vivenciou com a Providência Divina por intermédio da Mãe do céu, somando-se a todas as graças providenciais que os filhos e plantas de Paulo receberam por intercessão da Virgem Maria, eis que brota no coração piedoso do Barnabita Pe. Maffetti a inspiração de colocar sob o quadro o título “Mãe da Divina Providência”. Os devotos começam a crescer em número e vinham agradecer pelas graças alcançadas. Com o afã de oficializar a devoção frente a Santa Sé, os Barnabitas criaram uma associação intitulada “Maria Mãe da

Madrinhas realizam jantar em prol d a s VOCAÇÕES BARNABITAS Com o objetivo de manter o Seminário Mãe da Divina Providência, que é o celeiro das vocações barnabíticas, no dia 17 de agosto as madrinhas irão promover o Jantar das Vocações Barnabitas. A programação será na Casa de

Plácido, no Centro Social de Nazaré, e irá contar com muita animação. Toda renda arrecadada será destinada a manutenção do Seminário Mãe da Divina Providência e às obras de evangelização promovidas pelo Seminário. Participe! Adquira sua adesão no valor de R$: 50,00 no atendimento da Basílica Santuário de Nazaré.

Divina Providência” com regulamento aprovado pelo Papa Bento XIV em 1744. Em julho de 1839,

o Papa Gregório XVI a elevou a Arquiconfraria e a ela se associaram papas e reis.

n PARÓQUIA de São Carlos


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

NOSSA SENHORA DO CARMO é festejada em Belém e Benevides

11

DIVULGAÇÃO

TÍTULO DE NOSSA SENHORA está unido ao símbolo do escapulário

N

a próxima terçafeira, 16 de julho, a Igreja celebra a memória de Nossa Senhora do Carmo, título da Virgem Maria que remonta o século XII, e tem origens no Monte Carmelo, Palestina, o início da Ordem dos Carmelitas. Hoje, a devoção está espalhada pelo mundo e, em Belém e Benevides, programações festejam esta presença de Maria com o título também unido ao símbolo do escapulário. BENEVIDES

Em Benevides a programação iniciou na quinta-feira, 11, às 5h30, com procissão no Convento das religiosas carmelitas e Santa Missa às 6h20 na Comunidade do Centro. Nesta sexta, 12, haverá procissão do Convento em direção à Igreja Matriz com celebração eucarística na chegada, prevista para às 19h.

A proposta do tema “Com Nossa Senhora do Carmo, vamos evangelizar” está em sintonia com o escolhido para a celebração dos 300 anos de fundação da diocese de Belém, explica Padre André Heijligers em mensagem à comunidade: Deste modo queremos expressar nossa total adesão ao projeto de evangelização que a Arquidiocese está vivendo e queremos de fato ser uma “igreja em saída”, isto é, uma paróquia que não se limita a uma “pastoral de conservação” mas que se torna uma “rede de comunidades” onde o “protagonismo dos leigos” é valorizado.” Sábado, 13, haverá missa na Matriz para saída da Trasladação para Canutama, às 19h, e no domingo, 14, missa de abertura do Círio, às 7h30, em Canutama, e, logo após, saída da procissão em direção à Matriz

com nova celebração à chegada, prevista para 11h30. Ao meio-dia, será servido o almoço do Círio no salão e atração cultural do grupo Para Folclórico Vaiangá. Na terça, 16, feriado municipal e dia de Nossa Senhora do Carmo, haverá o tradicional Círio das Crianças com saída do Carmelo às 8h e chegada na Matriz. Na quarta-feira, 17, às 9h, Missa dos Enfermos e dos Idosos. À noite, programação de responsabilidade das famílias benevidenses e atração de Lucinha Bastos. IGREJA DO CARMO

Em Belém, na Cidade Velha, a Igreja de Nossa Senhora do Carmo promove Tríduo festivo com o tema “Com Maria, o Carmo faz parte dessa história”, também em sintonia com a proposta das comemorações do tricentenário de fundação. Iniciando no sábado, 13, o

festejo nos dias seguintes até 15 de julho, contará com Santa Missa às 18h e programação cultural. No dia da abertura, Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém, preside a celebração. Na terça-feira, 16, haverá celebrações às 7h, 12h e 18h, presididas, respectivamente, pelo Padre Daniel Cunha, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano e o Cônego Roberto Cavalli Júnior, Cura da Sé. Ainda neste mesmo dia, data da festa litúrgica da padroeira, haverá procissão às 17h, com saída da Catedral rumo à Igreja do Carmo. NOSSA SENHORA DO CARMO

Nossa Senhora do Monte Carmelo ou Nossa Senhora do Carmo é o título dado à Maria em honra de sua função como padroeira da Ordem Carmelita.

Os primeiros carmelitas eram eremitas que viviam no Monte Carmelo, na Terra Santa, entre o final do século XII e meados do século XIII. Desde o século XV, a devoção popular a Nossa Senhora do Carmo está centrada em seu escapulário, também conhecido como escapulário marrom, um sacramental associado às promessas de ajuda feitas por Maria para a salvação do devoto portador. Segundo a tradição, Maria entregou o escapulário a um carmelita chamado Simão Stock.

A festa litúrgica de Nossa Senhora do Carmo foi celebrada, pela primeira vez, na Inglaterra, no final do século XIV. O objetivo era agradecer a Maria pelos benefícios concedidos nos tempos de dificuldades dos primeiros anos da Ordem do Carmo. O dia escolhida foi 17 de julho, entretanto, no continente europeu esta data conflitava com a festa de Aleixo de Roma, o que exigiu uma mudança para o dia 16 de julho, que continua a ser, até hoje, a data da festa de Nossa Senhora do Carmo em toda a Igreja.

Pastoral Carcerária conclui formação para MINISTROS DA PALAVRA Nesta sexta-feira, 12, o Bispo Referencial para Pastoral Carcerária, Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos Bispos Auxiliares de Belém, preside Missa de Envio de 12 Ministros da Palavra, no Central de Triagem Masculina (CTM), no bairro de Coqueiro, em Ananindeua, às 9h. O s ministros da Palavra são internos do centro e atuarão como multiplicadores da Palavra de Deus na Casa Penal, após o encerramento da 1° fase do Curso de Formação para Ministros da Palavra, promovido pela Pastoral Carcerária Arquidiocesana. A Pastoral Carcerária concluiu a 1° fase do curso de Formação para Minis-

tro da Palavra destinado a 12 internos do Central de Triagem Masculina (CTM), no Coqueiro. A 2° fase da formação inicia em agosto em encerra no final do ano, com a entrega dos certificados de conclusão do curso de Formação para Ministro da Palavra. A formação objetiva que eles se tornem multiplicadores da Palavra de Deus junto a outros internos contribuindo, assim, no processo de auto-conversão bem como na conversão do outro. Os responsáveis pela formação foram os diáconos da Escola Diaconal Santo Efrém, atuante na formação dos candidatos ao Diaconato Permanente da Arquidio-

cese de Belém do Pará. Segundo o coordenador da Pastoral Carcerária, diácono Ademir da Silva, os enviados terão uma papel muito importante no processo de evangelização dos apenados. “A Pastoral Carcerária, considerando o número elevado da população carcerária, e que ela não consegue atingir a todos, busca, através dos encarcerados, fazer deles evangelizadores. Assim como Jesus enviou os 72 discípulos, os nossos irmãos encarcerados estão sendo enviados através da Pastoral Carcerária e da benção do nosso Bispo, para serem evangelizadores na casa penal”.

E, conclui, depositando a confiança nos internos: “O objetivo é uma filosofia de inclusão, tirar esses irmãos que estão excluídos e dizer que eles fazem parte, - "Vocês também são evangelizadores!" Eles são ministros de Deus, são apóstolos. A missão é fazer com que eles nos ajudem nessa caminhada porque é impossível chegar a todos. Acreditamos que eles são capazes e, se bem preparados, eles têm condições de contribuir para a construção do Reino de Deus, dentro da casa penal”. A Pastoral Carcerária

objetiva que, a ideia de formar os apenados como Ministros da Palavra dentro do próprio centro atinja todas as casas penais. A iniciativa já ocorre no Centro de Recuperação do Coqueiro, Centro de Detenção Provisória de Icoaraci e, em breve, no Centro Estadual Metropolitano II, em Marituba. A Pastoral Carcerária reúne cerca de 75 agentes de pastoral que realizam visitas diárias às casas penais, contribuindo com a evangelização dos apenados, mas a meta é que este número aumente para 300 agentes. PASTORAL CARCERÁRIA

O propósito da Pasto-

ral Carcerária vai além de evangelizar, busca assistir os encarcerados em três dimensões, sendo elas: social, jurídica e religiosa. As ações da pastoral não se restringem aos encarcerados, mas aos seus familiares e aos familiares das vítimas, visando a reconciliação pelo perdão. Os agentes da Pastoral Carcerária realizam os trabalhos dentro das casas penais, junto ao encarcerado e nos Centros de Internação do Menor Adolescente, junto aos adolescentes em conflito com a lei. As idas dos agentes ocorrem nos dias de semana e nos finais de semana.

FUNDAÇÃO Nazaré de Comunicação recebe visitas Dom Evaristo Spengler, Bispo da Prelazia do Marajó, e Ir. Jucélia de Jesus Silva, coordenadora da Comissão de Religiosos do Brasil (CRB) no regional Norte 2 da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), estiveram na Fundação Nazaré de Comunicação no dia 9 para divulgar missão do núcleo Novas Gerações. Trata-se de uma imersão missionária, a cargo da CRB, envolvendo formação em Belém de 15 a 17 deste mês, seguida

de missão evangelizadora na região do rio Tajapuru, no arquipélago do Marajó, no Pará, a partir do dia 18. A acolhida de 43 missionários brasileiros será em Belém no dia 15, e no dia 18 eles seguem para a missão marajoara. CARUTAPERA - Acompanhado da amiga Almira Miranada Lobato, benfeitora da Família Nazaré, padre Henrique Baltazar, da Diocese de Zé Doca, no Estado do Maranhão, também esteva na Fundação Nazaré no dia 10.

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n DOM EVARISTO foi recebido pela Fundação De férias em Belém, revendo amigos do início da caminhada vocacional para servir à Igreja, ele esteve na Fundação para

conhecer o trabalho dos veículos de comunicação da Arquidiocese de Belém, obra evangelizadora que ainda não conhecia,

n PE. HENRIQUE e benfeitora Almira na redação pois há muitos anos atua em Carutapera, como vigário da Paróquia São Sebastião, ao lado do pároco Agnaldo Oliveira. “É

uma grandiosa estrutura a serviço de Deus. Que o Senhor abençoe esta maravilhosa obra", declarou padre Henrique.


12

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 12 A 18 DE JULHO DE 2019

FAMÍLIA NAZARÉ

Missa da FAMÍLIA NAZARÉ pela evangelização

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

CELEBRAÇÃO é ação de graças pelos benfeiores da Fundação

T

oda primeira sexta-feira do mês é compromisso da Arquidiocese de Belém agradecer a Deus pela vida dos benfeitores da evangelização pelos veículos da Fundação Nazaré de Comunicação. Assim, no dia 5, a Missa mensal pela Família Nazaré, na Capela da Fundação Nazaré de Comunicação, foi presidida pelo padre Gelcimar Santos, pároco da Paróquia da Divina Misericórdia, de Icoaraci. A programação iniciou às 14h30, quando o Movimento Arquidiocesano Terço dos Homens Mãe

Rainha (THMR) recitou o Terço. Às 15h, começou a Missa, transmitida ao vivo pela Rede Nazaré de Televisão, em cadeia com a Rádio Nazaré FM, portal e redes sociais da Fundação Nazaré. A liturgia do dia foi refletida no evangelho de São Mateus 9,9-13, versando sobre a missão misericordiosa, aspecto da mensagem de Deus bastante evidenciada pelo padre Gelcimar. O sacerdote lançou um convite aos fiéis prsentes e a quem o acompanhava pelos veículos de comunicação

n DEVOTOS de Santo Antônio participaram

da Fundação Nazaré. Pediu eles aos telespectadores, ouvintes e internautas que se mantivesse vigilantes sobre os desígnios de Deus em suas vidas. “O Senhor é bom e eterna é a sua misericórdia”. Meditando essa frase, padre Gelcimar recordou aos fiéis que "é importante sermos gratos a Deus por tudo, entoar louvores a Deus em todos os momentos da vida cristã. Pa d re G e l c i m a r também evidenciou muito o testemunho da Virgem Maria. "Mesmo diante da crucificação, Maria nunca cessou de dra graças a Deus, peçamos a Deus a graça de seguir o exemplo de Maria". O padre ainda falou sobre a importância de "estarmos atentos ao convite de Jesus feito para para nós, diariamente. “Segue-me!” é outra expressão pre-

n MISSA foi celebrada na capela da Fundação Nazaré de Comunicação sente no evangelho do dia que chama todos nós, pecadores, a seguir os desígnios de Deus e seguir na missão evangelizadora como Mateus e Santo Antônio". Mencionando a presença dos devotos de Santo Antônio, padroeiro de Oriximiná, presentes à Missa, padre Gelcimar destacou a missão do santo que se esmerou para anunciar a Boa Nova de Jesus. Finalizando a celebração, ele agradeceu a partcipação da Família Nazaré. "Vocês são um rico

NOSSOS ANIVERSARIANTES 12/07 Conceição Cleonice Carvalho da Silva Maria de Fátima Campos de Pinho Jacirema Nunes Antunes Maria Aurora Santos da Mota Karla Maria Cruz Rocha Jussara Maria Padilha Adalgiza Silva de Oliveira Estélio Maurício Maciel da Silva Maria Fátima Cunha 13/07 Leonor Pinheiro Pereira Alexandre Alcides Seabra Pantoja Irsef Ivan Araújo Souza Antânio Manoel Bittencourt de Almeida Roberto de Souza Mendes Joselia Furtado Lustosa Marcelo Cássio Corrêa de Leão Junior 14/07 Maria de Nazaré Miranda dos Santos Maria Rosália Cardoso Souto Laurimar Naiff de Mendonca Odete Gomes Moreira Raimunda Justiniana de Oliveira Benedito de J. R. da Costa Francisco de Assis da Silva Ambrosia Ribeiro Maia Paulo César Teixeira da Cruz Bianor Rodrigues de Souza Filho Francisco Edilberto Mesquita Bastos

Junior Henrique Brito Farias 15/07 Geraldo Pereira Martins Isaura Salomão de Car valho (in memorian) Ilaice Alcoforado Bessa Antonio Mário do Vale Tavernard Irene Mendonça Figueroa Maria do Carmo Gil Maia Cícero Barbosa de Lima Edna Maria Burcões Santiago Domingos Aguiar Arruda Neto Edson Araújo do Nascimento Henrique Corrêa da Silva Maria de Fátima Oliveira Chaves Rosemar Feijó Silva Carlos Henrique Sauma Lopes Elizia Helena Mendonça Alves Galvão Renato Cardoso de Oliveira Roberto Alves Rodrigues Casal Alex da Conceição e Maria diniz 16/07 Maria de Lourdes Silva Cézar Carmina Pimentel de Sena Maria do Carmo Angelina Miléo Euna Leite Marques Tereza Feio Pinheiro Edmilson e Lúcia Castro Raimundo Edmilson Castro

Miguel Soares Brabo Arquimima do Carmo Silva de Souza Angelina do Carmo Panzut Maria Monteiro e Monteiro Manoel do Carmo R. da Silva Jorge Corrêa da Silva Maria do Socorro Ferreira da Silva Maria do Carmo Oliveira Alves Jose do Carmo Ferreira Gomes Denilson Araújo Paróquia Nossa Senhora do Carmo (especial) Maria do Carmo Souza Fontes Maria do Rosário Arrais Almeida Reginaldo Teruyoshi Hamaguchi Casal Hélio Alves Pinheiro e Ana Beatriz Cantanhede 17/07 Manoel Maria Caldas Antônio Walmir Fiock da Silva Graciete Naíde de Barros Fima Ocivaldo Quintairos Seabra Evaldo Lopes de Freitas Filho Luiz Otávio Castro dos Santos Dayse Lima da Silva 18/07 Newton Dias Maria Dulcirene da Silva Cunha Rutte Maria Lima de Sousa Antonio Carlos Albério

tesouro para nossa Igreja. É graças a sua generosidade que hoje transmitimos esta Santa Missa. Que Deus possa abençoar muito as suas vidas". PRIMEIRA VEZ

Paroquianos da Divina Misericórdia participaram pela primeira vez da Missa pela Família Nazaré. Lindolfa Silva, paroquiana e integrante do Apostolado da Oração da paróquia, afirmou que sua participação na celebração "foi uma oportunidade de evangelização e oração pelos colaboradores da Família Nazaré

e pela paróquia".

SANTO ANTÔNIO

Um grupo de devotos de Santo Antônio, padroeiro de Oriximiná, visitou a Fundação Nazaré e participou da Santa Missa. O grupo realiza peregrinações em honra a Santo Antônio nas residências de famílias oriundas de Oriximiná que residem em Belém. Os devotos realizam, assim, sua espiritualidade paralela à que ocorre em Orximiná, antes a festividade de Santo Antonio, em agosto. Em 2019, a iniciativa completa seis anos.

Maria de Nazaré Souza de Castro Santana Galdino e Sebastião Costa Reis João Afonso da Silva Conceição Walter Junior Canelas de Figueiredo Benedito Francinaldo Brabo Alves

A

gradeço a Deus pelo dom da vida, pelos 50 anos de matrimônio, pela saúde dos meus três filhos, 15 netos e quatro bisnetos. Que Ele e a Virgem de Nazaré continue nos abençoando sempre. MIGUEL SOARES BRABO Aposentado, 75 anos (16/07)

n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 13/07 - Pe. Bruno Sechi 13/07 - Pe. Glaudemir Simplício de Lima 13/07 - Diác. Francisco das Chagas Teixeira 14/07 - Côn. Antonio Beltrão Ribeiro Filho 15/07 - Diác. José Maria Pereira Costa n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 14/07 – Pe. Romeo Montimor Catan 17/07 - Pe. Evandro Rosendo Favacho do Carmo 18/07 - Pe. Padre Hélio Fronczak

Profile for Fundação Nazaré de Comunicação

Voz de Nazaré  

Edição de 12 a 18 de julho de 2019.

Voz de Nazaré  

Edição de 12 a 18 de julho de 2019.

Advertisement