__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 967 - PREÇO AVULSO: R$2,00

www.fundacaonazare.com.br

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

Quaresma: “O TEMPO DA GRAÇA”

O livro Retiro Popular, de autoria do Arcebispo Metropolitano de Belém , Dom Alberto Taveira Corrêa, já está disponível para os leitores. Um roteiro completo para bem viver o tempo penitencial da Quaresma deste ano. C ADERNO 2, PÁGINA 1. LUIZ ESTUMANO

n DOM ALBERTO durante o lançamento do livro Retiro Popular 2021 em programa especial de TV devido às restrições sanitárias impostas pela pandemia do novo coronavirus DIVULGAÇÃO

NOVOS párocos e vigários Continuam as transferências de párocos e vigários em diversas pároquias da Arquidiiocese de Belém. As transições são comuns na Igreja Católica e ocorrem com intuito de melhorar o trabalho pastoral, além de ser uma oportunidade de renovação para os sacerdotes e para as comunidades paroquiais.

n EM BENFICA Padre Marcio Souza assume o trabalho pastoral na Paróquia Nossa Senhora da Conceição

Sacramentos para fiéis surdos A Paróquia Santa Maria Mãe de Deus, no Maguari, foi a quarta a realizar cerimônia sacramental com pessoas surdas na Arquidiocese de

CADERNO 2, PÁGINA 6. DIVULGAÇÃO

Belém. Catequisandos surdos e ouvintes receberam os sacramentos do Batismo, Primeira Comunhão e Crisma . CADERNO 2, PÁGINA 1.

Jornada de ORAÇÃO A Arquidiocese de Belém promove uma jornada de oração, reflexões e meditações no dia 19, a partir das 7h. A programação terá

participação de representantes de grupos e movimentos e será transmitida ao vivo. CADERNO 2, PÁGINA 6.

n CATEQUISANDOS surdos recebendo os sacramentos em cerimônia na paróquia do Maguari


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

A

s Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) da CNBB 2019-2023 (como todas as demais Diretrizes de Ação Pastoral nas dioceses) são elaboradas para ajudar a Igreja do Brasil a responder aos desafios de evangelizar um país cada vez mais urbano. As DGAE são importante instrumento de comunhão para que a ação pastoral da Igreja no Brasil possa ter eficácia e, assim, contribua para que o

PE. HELIO FRONCZAK heliofronczak@gmail.com

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ...

Comunhão eclesial Reino de Deus se estabeleça sempre mais em nosso país. Os 4 pilares propostos, Palavra-Pão-Caridade-Ação missionária, correspondem à natureza da Igreja, isto é, são pilares que sustentam o edifício e

Talvez você, leitor, ainda não tenha ouvido essa verdade, mas é uma verdade, a de que todos somos imperfeitos, todos nós! E, sendo todos imperfeitos, todos somos passíveis ao erro. É assim, somos falhos, incompletos, deparamo-nos com situações que nos colocam de frente com nossa incompletude. Processo humano, normal. No entanto, todos conhecemos pessoas que têm necessidade de estabelecer padrões elevados e rígidos para si mesmo, com autoavaliação e autocrítica rigorosas, constantemente insatisfeitas com seu próprio desempenho na vida, suas obrigações e tarefas. E que, além de se cobrar a perfeição para si mesmo, também cobram comportamentos e resultados perfeitos para o outro, com a convicção de

se não estiverem todos equilibrados, ou se um deles sofrer rachaduras, todo o edifício sofrerá as consequências e, inclusive, pode desabar. É preciso transformar estas Diretrizes Gerais em projetos

pastorais de ação. Estas precisam inspirar a formação, o planejamento e as práticas de todas as instâncias eclesiais: Conferências Episcopais Regionais, Dioceses, Paróquias, Seminários, Comunidades, Movi-

mentos, Meios de Comunicação e outros. Se uma pessoa, ou um grupo de pessoas, uma associação ou movimento eclesial da Igreja católica rejeita completa ou parcialmente estas DGAE, que são orientações

BIANCA MASCARENHAS Psicóloga e formadora do Seminário São Pio X (mascarenhaspsi@yahoo.com.br)

HUMANUS

Somos imperfeitos! que a perfeição é o único caminho para a aceitação pessoal e dos outros, podendo ser, ainda, uma forma de se proteger das críticas, da rejeição e da desaprovação do mundo. Importante observar que buscar fazer o melhor, o mais perfeito, pode ajudar a pessoa a atingir mais rapidamente seus objetivos, aperfeiçoado suas habilidades e focando no que hoje está tanto em voga que é “a busca da sua melhor versão”. Pessoas perfeccionistas prestam mais atenção aos detalhes e orientações,

executam tarefas com facilidade, são observadoras e cuidadosas com os detalhes. E isso é bom! O empenho saudável é focado em si mesmo: “Como posso melhorar? ”Já o perfeccionismo é focado no outro: “O que eles vão pensar?” ou “Preciso fazer o melhor para que todos vejam.” As pessoas perfeccionistas aprenderam em algum momento que falhar é ameaçador, mas o erro faz parte da nossa condição humana e precisamos acolher a imperfeição, lidar com mais liberdade e leve-

za, deixar de lado o que as pessoas vão pensar e reduzir as cobranças sobre nós e sobre os outros. Reduzir o nível de perfeccionismo envolve coragem, mas é libertador. Até porque buscar a perfeição 24 horas é um peso muito grande que pode levar a “pessoa perfeita” a tornar-se sisuda, sem hobbies, sem flexibilidade, sem criatividade e, consequentemente, sem alegria de viver, afetando sua qualidade de vida, influenciando negativamente o nosso estado mental e emocional, podendo levar à depressão,

da Igreja que indicam os rumos para a sua missão, certamente, se coloca em oposição ao que o Espírito diz à Igreja do Brasil neste momento histórico, pois estas diretrizes nasceram de um profundo senso de comunhão entre todos os pastores da Igreja no Brasil. Sob a proteção da Virgem Maria, a Igreja quer anunciar o Evangelho da alegria a todos. Façamos a nossa parte.

ansiedade, insônia e distúrbios alimentares. Consequências de um caminho exaustivo para manter um padrão humanamente inatingível. Mas, não se nasce perfeccionista, aprendemos a sê-lo em nossa vida e, se aprendemos, podemos desaprender, transformar. Comece hoje a diminuir “o peso da perfeição”, praticando, por exemplo, a autoaceitação, sendo mais tolerante com você mesmo, suas limitações e falhas bem como com aqueles com quem convive, pois, certamente, o outro está buscando ser o melhor que ele pode naquele momento. Assuma suas fraquezas e vulnerabilidades, resista à pressão, sua e dos outros. Você não precisa estar sempre certo, não precisa fazer sempre tudo certo. Você é humano!

CÁRITAS lança novo documento no compromisso com a proteção das pessoas Com informações CNBB. Para garantir a realização da missão institucional, a Cáritas Brasileira instituiu a Política Nacional de Proteção, Código de Conduta Ética e Mecanismos de Salvaguarda. O documento tem como referencial as orientações da Cáritas Internationalis, a legislação brasileira sobre o tema, tratados internacionais reconhecidos pelo Brasil que garantem o respeito aos Direitos Humanos, além de cartilhas elaboradas pelo Ministério Público Federal e Ministério Público do Trabalho. “A elaboração do documento significa para a rede Cáritas estabelecer um programa de existência ética à luz da dignidade da pessoa humana. Significa assumir um compromisso com a proteção das pessoas. Significa também evitar preconceitos e violências, assédios e abusos, com a cultura da paz. E ainda mais, promover ambientes seguros e saudáveis no cumprimento de sua mis-

são”, afirma o bispo de Roraima, segundo vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e presidente da Cáritas Brasileira, dom Mário Antônio da Silva. As Sagradas Escrituras e os documentos da Doutrina Social da Igreja Católica, também são referenciais presentes no caminho ético que a Política Nacional de Proteção da Cáritas Brasileira propõe, assim como o encontro pessoal de amor com as pessoas empobrecidas, com as quais compartilha ações de promoção e defesa da vida, em todas as partes do país. VALORES HUMANOS E CRISTÃOS “O papa Francisco tem insistido num caminho lúcido e coerente e a Igreja no Brasil tem caminhado com muita responsabilidade, pois proteção e salvaguarda requerem discernimento e determinação”, conclui dom Mário. O documento reafirma o compromisso institucional

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Dom Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

de promover e incentivar relações livres de parcialidades, preconceitos ou assédios e oferece uma base ética para que cada agente Cáritas e pessoas responsáveis no âmbito da gestão assumam responsabilidades individuais e coletivas nas relações humanas inerentes à sua missão. “Este documento é a expressão clara de que nós desejamos viver os valores humanos e evangélicos em nossas relações cotidianas, seja com companheiras e companheiros de trabalho, seja com os grupos acompanhados em nossa ação Cáritas. É a afirmação de nossa crença no princípio das relações igualitárias de gênero, geração e etnia. É uma demonstração clara do respeito que queremos cultivar entre nós e, sobretudo, na relação com os grupos mais vulneráveis”, destaca a vice-presidente da Cáritas Brasileira, Cleusa Alves da Silva. A construção do documento se deu a partir de um longo processo de elaboração e

DIRETOR GERAL Cônego Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

DIVULGAÇÃO

reflexão de toda Rede Cáritas e agora chega às mãos de todas as pessoas que atuam seja no voluntariado ou como agentes contratados(as), como afirma o diretor-executivo da instituição, Carlos Humberto Campos. “O documento nos ajuda a prevenir e orientar toda Rede Cáritas sobre a perspectiva dos direitos de cada pessoa, do respeito às diferenças e também retrata o compromisso que a Cáritas tem com a vida. É com muita alegria que a Cáritas apresenta esse documento e deseja que toda rede se aproprie desse processo construindo ao longo

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA/DIAGRAMAÇÃO Greison Dias Carvalho Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

dos anos”. Depois da elaboração do documento, o segundo passo será o processo formativo com toda Rede Cáritas sobre os elementos que compõem a Política Nacional de Proteção. “A partir de agora, com a aprovação e publicação e s t a m o s p re p a r a n d o o planejamento e a metodologia para levar esse conteúdo a todos os grupos que trabalhamos ou nos relacionamos. A ideia é realizar rodas de conversas, diálogos em grupos e seminários”, destaca Carlos Humberto.

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

M

uitos de nós lembramos como era exigente o tempo de resguardo das mulheres após o parto. Quarenta dias com o adequado repouso, alimentação especial, a verdadeira cerimônia do primeiro banho da criança, os cueiros utilizados, o umbigo a ser destinado a um lugar especial para ser enterrado, e daí por diante. É claro que os cuidados com o parto mudaram com o tempo, a ciência ajudou muito, mas o nascimento de uma criança continua resguardado com atenção e carinho. Depois, a escolha do nome, o Batismo, a festa! E nossas populações interioranas ainda nos ensinam tanto! Que dizer dos povos indígenas e originários, cuja presença é ou deveria

Quaresma é tempo de Via-Sacra, que pode ser feita em família, com o texto proposto no Retiro Popular ser mais valorizada! Entretanto, há outras situações em que os povos de hoje tiveram que aprender o que significa quarentena! Quarenta, quatorze, dez ou tantos dias, a pandemia ensinou as pessoas a se resguardarem. Querendo ou não, temos sido obrigados a ficar dentro de casa e tomar todos os cuidados diante de um bichinho invisível e perigoso que está assustando toda a humanidade! Todos acabam percebendo que restrições de passos ou de alimentos têm valor para a vida humana. Usar máscaras, lavar as mãos,

CONVERSA COM MEU POVO o álcool em gel, evitar aglomerações! Quanto tempo vai durar esta quarentena global, isso não sabemos! E ainda existem pessoas resistindo às vacinas descobertas e que são a única saída disponível da parte da ciência! A sabedoria bíblica e a vida da Igreja já tinham descoberto há muito tempo o que pode significar e ajudar uma quarentena. Quarenta anos simbólicos no deserto, Moisés no Monte para receber a Lei de Deus e passa duas vezes quarenta dias diante de Deus, profetas que caminham quarenta dias. E a tradição litúrgica da Igreja dedica os quarenta dias que precedem a Páscoa a esta quarentena, que chamamos de Quaresma. Não é um tempo estranho ou misterioso, mas tempo forte e especial da graça de Deus, a ser aproveitado, sabendo todos nós os frutos que podem advir. N o s s a A rq u i d i o c e s e p ro p õ e o q u e c h a m a m o s “ R e t i ro Popular Quaresmal”, neste ano com o título “Tempo da Graça”. Todos sabemos o quanto o ano de 2020 foi desafiador para a humanidade. Alguns o consideram “ano perdido”, o que não é verdade, pois tudo coopera para o bem dos que amam a Deus, como ensina o Apóstolo São Paulo. Todos os dias, as alegrias e os sofrimentos, as esperanças e as angústias do ano passado podem ser acrescentadas na conta do plano infinito de amor do próprio Deus. Para dar sentido ao que pudemos passar, há que colocar na frente o amor de Deus (Cf. Rm 8,28). Aí, tudo fica diferente! Bíblia nas mãos, roteiro do Retiro Popular e vamos adiante, para viver a mais santa de todas as Quaresmas! E o ano de 2021 poderá ser melhor ain-

QUARENTENA DIVULGAÇÃO

n NOSSA ARQUIDIOCESE propõe o que chamamos “Retiro Popular Quaresmal”, neste ano com o título “Tempo da Graça”

da, com Quaresma, Páscoa, Festas dos Santos, Círio de Nazaré, tudo o que quisermos se o amor de Deus e o amor a Deus vierem na frente de t u d o. N ã o s e t r a t a apenas de calendário, mas de oportunidade que a graça de Deus nos dá, para sairmos de nós mesmos, olhar ao redor, interessar-nos pelo bem dos outros, superar o fechamento, as calúnias, o egoísmo que se espalha, vencermos o medo que se espalha em algumas redes sociais, como se estivéssemos no fim do mundo! Sim, o mundo vai durar enquanto Deus quiser, um dia ou milhões de anos, “pois para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos como um dia” (2 Pd 3,8). Ninguém perca o sono por causa de ameaças de uma nova ordem mundial, pois Deus é o Senhor da história e esta não é a primeira nem a última das crises, epidemias, pandemias ou

guerras causadas pelas forças da natureza ou pelos atos humanos, tantas vezes pela força do pecado e a ação do maligno. Algumas ações devem acompanhar nossa Quaresma. Aproveitemos as eventuais re s t r i ç õ e s a l i m e n tares, por dietas ou limite de recursos, para transformar em jejum da boca. Podemos fazer um belo jejum de televisão, aliás, carregada de cenas deprimentes e vergonhosas, como algumas que geraram protestos nos últimos dias. Jejum do ouvido pode ser fechá-lo para as fofocas e intrigas, os ciúmes e as invejas. O jejum da despensa de nossa casa pode acontecer com a prática da caridade, repartindo o pouco ou o muito do alimento que temos. Jejum do coração será a prática do perdão e a cura dos ressentimentos guardados há tanto tempo. Os lábios, o rosto e os olhos poderão fazer

jejum sorrindo mais, superando a cara fechada. Certamente teremos aprendido, com o uso das máscaras, a sorrir com os olhos! E estes olhos podem ver e valorizar o bem! Nossos passos também podem fazer jejum. Na medida do possível, a atenção aos doentes, com os cuidados prescritos pelas autoridades. Há muitos profissionais de saúde que o fazem em nosso nome! E nossos telefones celulares são convidados a fazer penitência! Evitar sites inconvenientes, ligar para as pessoas com elogios e reconhecimento do bem que é feito, não espalhar notícias falsas, coisa que tem feito tanto mal! E a oração? Quaresma é tempo de Sacramento da Penitência, vivido com boa preparação e propósito de vida nova! Quaresma é tempo de Via-Sacra, que pode ser feita em família, com o texto proposto no Retiro Popular. Quaresma é

tempo de participação na Santa Missa, valorizando o caminho que a Igreja nos propõe, especialmente, na liturgia dominical. Além disso, nossa Arquidiocese oferece a transmissão diária da Missa pela TV Nazaré, além das redes sociais que transmitem Missas das Paróquias, pois há restrições para muitos irem às Paróquias. Mas a Igreja entra em cada casa. E Quaresma é tempo de rezar o Rosário, valorizando esta prática em família! Enfim, Quaresma é Tempo de Campanha da Fraternidade, neste ano realizada de forma ecumênica, com o tema do diálogo: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade” (Ef 2,14) - “Fraternidade e Diálogo: Compromisso de amor”, tema que, posteriormente, desenvolveremos para a necessária compreensão do alcance da mesma Campanha.

“Tempo da Graça”

Todos sabemos o quanto o ano de 2020 foi desafiador para a humanidade. Alguns o consideram “ano perdido”, o que não é verdade


4

IGREJA

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

MISCELÂNEA

Um PEQUENO grande livro (7)

H

oje veremos o que no livro “O Monge e o Pastor”, coletânea de cartas – ao todo 27, das quais 14 do monge beneditino Marcelo Barros e 13 de Henrique Vieira, pastor batista, intercambiadas, em maio de 2020 por e-mail devido à pandemia – sobre a tristeza, o sofrimento, a esperança, a solidão e a morte. S o b re a t r i s t e z a : Henrique Vieira, na carta de 19/05: “Rubem Alves, teólogo e educador falava em pelo menos dois tipos de tristeza. Uma ele chamava de tristeza do amanhecer, motivada por acontecimentos como a perda

Tudo passa, inclusive nós, só que passamos para ficar, mas propriamente, para nos eternizarmos

DIVULGAÇÃO

n TRISTEZA bate a porta

de alguém querido, o fim de um relacionamento, a demissão d e u m e m p re g o, a doença de um amigo. Rubem Alves diz, inclusive, que quem não sente tristeza por situações assim precisa de terapia para aprender a ficar triste. A tristeza é parte da experiência humana. A outra ele chama de tristeza do entardecer. Para essa não há motivo aparente ou específico, pois nada de ruim objetivamente aconteceu contudo, mesmo assim, somos atravessados por essa tristeza simbolizada pelo fim do dia que

marca a passagem do tempo, o pôr do sol, a percepção de que tudo na vida passa, de que tudo que a gente ama mergulha no fluxo do tempo. É quando eu me lembro da minha infância e fico triste porque já passou. Ou recordo os primeiros meses da minha filha e sinto saudade daqueles momentos. É só a vida seguindo seu curso. Acredito que existe uma sabedoria em transitar por essas tristezas. É preciso saber ficar triste para não se render totalmente à desesperança – e reconhecer nossa vulnerabilidade e abrir

mão da tentativa de controle sobre todas as variáveis da vida, o que é libertador.” Ambos, Marcelo e Henrique, no final do livro, intitulado “Uma bênção para o caminho a seguir”: “a tristeza não nos desumaniza, ao contrário, nos torna mais humanos.” Da minha parte, uma sugestão ao prezado leitor: jamais corra atrás da tristeza, mas, quando ela bate à sua porta, faça como se canta numa bela canção, não lembro da autoria de quem: fique à vontade, eu direi abrindo a porta. Nada de pensar co-

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.com)

mo uma das cantigas do filme “Orfeu do Carnaval”: tristeza não tem fim, felicidade sim. Tanto a tristeza quanto a felicidade e tudo o mais têm fim, sim. Ou, antes, sabiamente, tudo passa, inclusive nós, só que passamos para ficar, mais propriamente, para nos eternizarmos. Nem como o pequeno Nelson Ned, cantor evangélico de voz tonitruante, já falecido, que canta, numa de suas canções: “e tudo passa , tudo passará, e nada fica nada ficará”. Concordo, em parte: em meu modo de ver tudo

passa, sim, mas muito do que passa, fica. É imprescindível saber passar para se ficar. Terminando, tenho pra mim, e creio estar certo, que só fica quem sabe passar. Por isso faço minhas as palavras de um poema de Fernando Pessoa: “passa, ave, passa, e ensina-me a passar.” O s o u t ro s t e m a s que me propus – sofrimento, esperança, solidão e morte - e não foram tratados, sê-loão na vindoura edição aqui de “Miscelânea”. Shalom!

Sobre a tristeza

Em meu modo de ver tudo passa, sim, mas muito do que passa fica. É imprescindível saber passar para se ficar

LITURGIA

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Mc 1,40-45

40Um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres tens o poder de curar-me”. 41 Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” 42No mesmo instante a lepra desapareceu e ele ficou curado. 43Então Jesus o mandou logo embora, 44falando com firmeza: “Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostrate ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!” 45Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo. B) COMENTÁRIO

A doença é ameaça para a vida. Jesus encontra-se com um leproso, doente horri-

pilante para a época. Confrontemos o pedido do doente, com o gesto de atendimento do mestre. O leproso, seguro da capacidade de Jesus e nele confiante, suplica: “se queres tens o poder de curar-me”. O suplicante atina só para a dimensão volitiva de Jesus e diz: “se queres”. E como ele já sabe plenamente do que o mestre é capaz, o que está agora em jogo é só a vontade: “se queres”. Imagina-se que Jesus teria pensando... “ora, ora se quero! Para isto é que vim: ‘para que todos tenham vida e vida em plenitude’! Claro que quero!” E sua resposta é ação imediata: “Eu quero: fica curado!” (v 41). A verdadeira vida é impedida pela doença, pelo pecado e por fim, pela própria morte. Jesus é baluarte, é fonte de vida. Ele surpreende, pois antes de falar estampa o gesto de tocar no leproso, coisa inédita, pois

ninguém nem se quer poderia aproximar-se de um leproso como adverte a bíblia no Levítico (Lv 13,45s); muito menos tocá-lo. E Jesus o toca com carinho e compaixão, ditando a palavra esperada pelo doente: Quero. “Eu quero: fica curado!” (v 41). Era tudo o que ansiava um pobre leproso afortunado. Jesus não é contaminado e o homem é curado. Às vezes dirigimos nossos pedidos a quem não tem condições, ou vontade em atendê-los; logo não chegaremos à meta almejada. No entanto o enfermo do texto é consciente das condições do solicitado e apela para sua bondade em socorrê-lo; e não fica defraudado, como todo aquele que recorre com fé a Jesus. Assim o recuperado agradecido, começa e não termina de relatar a todo mundo, o bem recebido. Após curar o leproso, Jesus toma uma postura ríspida, inesperada

e veemente com ele (v 44). Parece ser que o mestre tinha urgência em que o doente voltasse o quanto antes ao seio familiar, social, comunitário, com todas as garantias contra possíveis discriminações. Sabe-se que a lepra não era somente uma doença, como também uma segregação social; pois aquele tipo de doença deveria levar a pessoa a viver à margem da sociedade; seria um “marginal” que não dependia de sua vontade, nem vícios. Não era um marginal por comportamento e sim por imposição da nefasta doença. É importante redescobrir a força do evangelho; a eficácia da palavra de Jesus na vida dos marginais seja da consequência, ou situação que for. Não importa a procedência do mal que marca e oprime a pessoa; a cura sempre será possível!

n 12/02 – SEXTA-FEIRA Cor: Verde 1ª Leitura - Gn 3,1-8 Salmo - Sl 31, 1-2. 5. 6. 7 Evangelho - Mc 7,31-37 n 13/02 – SÁBADO Cor: Verde 1ª Leitura - Gn 3,9-24 Salmo - Sl 89, 2. 3-4. 5-6. 12-13 Evangelho - Mc 8,1-10 n 14/02 – DOMINGO Cor: Verde 1ª Leitura - Lv 13,1-2.44-46 Salmo - Sl 31,1-2.5.11 2ª Leitura - 1Cor 10,31-11,1 Evangelho - Mc 1,40-45 n 15/02 – SEGUNDA-FEIRA Cor: Verde 2ª Leitura - Gn 4,1-15.25 Salmo - Sl 49, 1.8. 16bc-17. 20-21

Evangelho - Mc 8,11-13 n 16/02 – TERÇA-FEIRA Cor: Verde 1ª Leitura - Gn 6,5-8; 7,1-5.10 Salmo - Sl 28,1a.2. 3ac-4. 3b.9b-10 Evangelho - Mc 8,14-21 n 17/02 – QUARTA-FEIRA Cor: Roxo 1ª Leitura - Jl 2,12-18 Salmo - Sl 50 (51), 3-4. 5-6a. 12-13. 14.17 1ª Leitura - 2Cor 5,20-6,2 Evangelho - Mt 6,1-6.16-18 n 18/02 – QUINTA-FEIRA Cor: Roxo 1ª Leitura - Dt 30,15-20 Salmo - Sl 1, 1-2. 3. 4.6 Evangelho - Lc 9,22-25


5 BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

SETORJUVENTUDE

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

A EDUCAÇÃO católica: educar a dimensão emocional, religiosa, vocacional e profissional (parte 6) INTRODUÇÃO

C

om a apresentação destas quatro dimensões queremos concluir nossa reflexão sobre a educação integral como uma das características fundamentais da educação católica. Na verdade, todas essas marcas constituem a base antropológica da educação que não são válidas simplesmente para a educação católica. Todo e qualquer sistema de educação deveria, naturalmente, levar em conta a identidade do ser humano. Mas, bem sabemos, que nem sempre isso acontece porque os interesses que estão por trás condicionam negativamente a missão educativa.

1

A dimensão emocional Aquele que é educado é um ser que sente emoções e tem consciência disso. A consciência das emoções é uma das mais bonitas características do ser humano. As nossas emoções exercem uma profunda pressão e influência sobre o teor das nossas atitudes. A palavra “emoção”, de origem latina, “ex movere”, significa “mover para fora”. As emoções são sensações que nos levam a manifestar-nos, a reagir, a expressar um determinado modo, dependendo daquilo que estamos sentindo. Portanto, trata-se de um fenômeno a ser gerido com muita atenção porque influenciam as nossas atitudes tanto positivamente, quanto negativamente. Não vivemos sem emoções! A nossa vida perderia seu sabor se perdêssemos a capacidade de vivenciá-las. Sentimos, dependendo das circunstâncias, uma enorme experiência de sentimentos positivos que nos alimentam e estimulam, tais como: afeição, alegria, ânimo, ardor, atração, calma, compaixão, confiança, coragem, entusiasmo, fascínio, meiguice, otimismo, ousadia, paixão, prazer, pudor, simpatia, ternura, etc. Mas, nossos sentimentos são mais complexos ainda;

não sentimos somente o teor positivo e estimulante, mas também destrutivo e maléfico das nossas emoções, como por exemplo: agitação, agressividade, amargura, ansiedade, antipatia, arrogância, cansaço, chateação, ciúme, desânimo, desespero, desgosto, desprezo, emburramento, estresse, frieza, horror, insatisfação, intolerância, insegurança, inveja, irritação, medo, melancolia, nojo, obcecação, orgulho, pânico, preconceito, preguiça, raiva, rancor, ressentimento, tédio, tristeza, etc. Eis aí a importância da necessidade da educação emocional para que a pessoa, à medida que vai crescendo, tome consciência da necessidade de gerir seus sentimentos canalizandoos a serviço do próprio bem e dos outros. Por isso é necessário que a educação explore o significado da inteligência emocional. Pessoas que perdem a cabeça facilmente, são explosivas e extremistas, vivem sempre em estado de desequilíbrio, tornando-se uma contínua ameaça para si e para os outros. Se houvesse mais educação emocional, certamente, haveria menos crimes passionais e suicídios na sociedade. A pessoa virtuosa é capaz de servir com paciência e delicadeza alguém, mesmo vivenciando fortes emoções negativas. A inteligência deve gerir as emoções.

2

A dimensão religiosa A religiosidade brota a partir da dimensão espiritual da pessoa humana. Onde se abafa a dimensão espiritual, as manifestações religiosas são sufocadas e o ser humano fica estrangulado pela opressão materialista. A dimensão religiosa se expressa através de múltiplos credos. É através da religiosidade que o ser humano dá sentido para as suas buscas, inquietudes, questionamentos, relação com os outros, sacrifícios pessoais e problemas pelos quais

DIVULGAÇÃO

n NA QUESTÃO VOCACIONAL está presente a consciência da nossa condição de dependência de Deus

passa. A dimensão religiosa é motivadora. Educar a dimensão é despertar para a transcendentalidade, para o culto, para a esperança, para o respeito para com o sentido da vida. Educar a religiosidade é buscar respostas para as mais profundas e inquietantes questões do homem: Quem sou eu? De onde vim? Onde estou? Com quem estou? Qual é o sentido da minha

Educação integral

Todo e qualquer sistema de educação deveria, naturalmente, levar em conta a identidade do ser humano existência? Para onde vou? A busca por uma honesta resposta a essas perguntas leva a pessoa a encontrar-se com o mistério da sua existência e, assim,

passará a admitir que há uma fonte de tudo, Deus; um ser regente que tudo mantém onde reside o sentido de tudo. Isso o motiva a ser verdadeiro, justo, amável, correto, generoso, fraterno, uma vez que reconhecerá o outro como seu irmão porque tem a mesma origem. Num mundo cada vez mais profundamente caracterizado pela pluralidade de credos e cultos, é urgente que essa dimensão não seja esquecida na educação. Onde há negligência para com essa dimensão, ali crescem problemas como o proselitismo, o doutrinalismo, o fundamentalismo, a intolerância religiosa, o charlatanismo, etc.

3

A dimensão vocacional Da consideração das nossas origens brota a consciência da nossa identidade: quem nós somos?! Somos criaturas inteligentes, conscientes, capazes de amar, somos filhos que, geneticamente, trazem no próprio ser as mais evidentes e profundas marcas do nosso criador e Pai. Na questão vocacional reconhecemos um vínculo indestrutível, a nossa criaturalidade. A criaturalidade é o reconhecimento do vínculo com o nosso criador, nossa fonte. Portanto, na questão vocacional, está presente a consciência

da nossa condição de dependência de Deus como criaturas e filhos que nos chama a viver em comunhão consigo. Todavia, onde não se admite a dimensão espiritual e onde se abafa a religiosidade, em consequência, não haverá espaço para dimensão vocacional. A questão vocacional nos fala de alguém que nos chamou à vida, nos cumulou de dons (cf. Mt 25,14-31 – Parábola dos talentos) e tem um projeto para cada um de nós. Isso tudo pressupõe a experiência da fé. A felicidade, na sua essência, é inseparável da experiência da fé no Bem Supremo. O sentido da vida está atrelado ao reconhecimento das nossas fontes, que é o nosso Sumo Bem e, a partir do qual, é possível organizar a hierarquia dos valores e a ordem de importância daquilo que nos edifica e realiza como pessoa. A dimensão vocacional nos leva ao compromisso de discernimento sobre o como viver, qual projeto de vida abraçar e estado de vida a seguir como forma de realização para própria existência que vai muito além do sucesso econômico.

4

A dimensão profissional Muito próxima à questão vocacional, está a reflexão sobre a profissão. Vocação e

profissão não se confundem. A vocação está para o estado de vida (casado ou solteiro), para o “ser” (identidade), que é permanente e dinâmico, mas a profissão está voltada para o “fazer” que pode ser diversificado. Por exemplo, a paternidade ou maternidade é vocação, que é compromisso permanente, mas ser motorista, médico, dentista, pedreiro ou advogado é ocupações que podem variar ou serem acumuladas ao longo da vida. Educar para a dimensão profissional significa o investimento que vai ao encontro das necessidades do «saber fazer», para servir com honestidade, competência, sinceridade, eficiência...Educar a dimensão profissional quer dizer levar os estudantes à compreensão de que na vida não basta ter um ofício, trabalhar, ter um emprego, mas é necessário aprender a deixar-se orientar por valores. Portanto, é preciso no exercício profissional «saber pensar», «saber conviver», «saber ser», «saber discernir», «saber escolher», “saber obedecer”, “saber respeitar”, etc. O profissional é chamado a trabalhar com maior dignidade; é chamado a passar da alegria de ter um emprego para a consciência da empregabilidade; a passar da vontade de fazer as coisas, para o cultivo da laboriosidade; enfim, é chamado a passar da visão mecanicista préprogramada em executar procedimentos para a criatividade de iniciativas e cordialidade nas relações com os outros, revelando seu senso de responsabilidade social. Profissionais sem senso de coletividade e ética profissional se dão mal. PARA A REFLEXÃO PESSOAL:

1 2 3

Quais influências as emoções exercem em nossa vida? O que é a inteligência emocional? Por que a vida profissional exige muitos saberes?


6

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

AJUDE na conclusão da reforma da capela

A PARTIR da conclusão, os fiéis terão a possibilidade de participar de missas e, ainda, da Adoração ao Santíssimo Sacramento

A

obra de ampliação da capela d a Fu n d a ç ã o Nazaré já encontra-se em estágio avançado. Iniciada em novembro do ano passado, o trabalho está previsto para terminar em este mês. Localizada no térreo, ao lado da recepção do prédio localizado na avenida Governador José Malcher, bairro Nazaré, a capela é o local onde funcionários e sócios evangelizadores se reúnem para a celebração da Santa Missa a cada primeira sextafeira do mês, em Ação

de Graças pela Família Nazaré. Desde 2018 já pensava-se na possibilidade de reformar e ampliar o espaço para ficar ainda mais próximo ao público e maior participação de todos os membros e v a n g e l i z a d o re s e funcionários em momentos de oração e celebração. Com a reforma, a Capela deixa de ser vinculada aos estúdios de gravação da Rede Nazaré de Comunicação, permitindo mais tempo aberto aos fiéis. “Com essa nova

estrutura da Capela, a gente está buscando desvincular a capela de nossos estúdios e com isso abrir e deixar mais tempo aberta ao público para que possa vir fazer a sua oração e adoração. A Capela, hoje, fisicamente, está dobrando de tamanho. Embora seja uma Capela pequena, mas a gente já está dobrando o espaço físico. Também ela passa por uma modernização da arquitetura e com isso também a modernização das câmeras e áudio”, explica Marcos Aurélio de

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

Oliveira, Diretor Administrativo e Financeiro da Fundação Nazaré de Comunicação. Finalizada a obra os fiéis pode-

rão participar de Missas e, ainda, da Adoração ao Santíssimo Sacramento, com transmissão pelos veículos de comunicação.

SEJA FAMÍLIA NAZARÉ, SEJA UM BENFEITOR DA EVANGELIZAÇÃO Ajude-nos a concluir a reforma da capela da Fundação Nazaré de Comunicação. A obra propiciará aos fiéis um ambiente mais amplo e mais acolhedor para a Santa Missa e para a sua oração. A Família Nazaré tem nos ajudado. Você também pode ajudar. Acesse www.fundacaonazare.com.br/cadastro ou ligue 4006-9211/4006-9212 99315-5743 (WhatsApp).

CONTAS PARA DOAÇÃO FAVORECIDO: FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO CNPJ: 83 36 94 70 / 00 01-54 BANCO DO BRASIL AGÊNCIA: 1686-1 CONTA CORRENTE: 122460-3 BANCO BRADESCO AGÊNCIA: 2398-1 CONTA CORRENTE: 27900-5

BANCO DA AMAZÔNIA (BASA) AGÊNCIA: 07 CONTA CORRENTE: 076106-0 BANPARÁ AGÊNCIA: 024 CONTA CORRENTE: 301491-6

NOSSOS ANIVERSARIANTES Nazaré Fragoso Pires Maria Haydee Matos Carneiro Maria da Glória Oliveira dos Santos Joana Célia de Freitas Trindade Maria Lucia Melo Lima Ana Cely Monteiro da Silva Heveraldo Max da Cruz Cardoso Paulo Sergio Cabral dos Santos Luis Antônio Quingosta Baganha Taissandra de Sousa Rodrigues Jose Felipe dos Santos Barbosa Therezinha de Jesus Amaral Maia Ismael Dias de Azevedo Maria de Jesus Miranda Nilce Nogueira de Oliveira Maria Albaniza Araujo Daibes Anália Casseb Maria da Graça Franco Freitas Francisco Lourenço de Souza Luiz Carlos V Silva Antonio Massoud Salame Avanir Souza Da Silva Luzia Santana Siqueira Carmelita Santos Angelim Raimunda Pereira da Costa Clarisse Pacheco Paes Barreto Adima Maria Aood Pereira Raimundo da Cruz

Regina Coeli Santana Pinho Ana Maria Pureza Pinto Maria de Lourdes Raiol Trindade Marly de Fátima Busby Pinto Lia Braga Vieira Roberto Borges da Cruz Luzia do Vale Lucas Maria Siqueira Melo Rosilda Coelho de Oliveira Jose Ilson Neves Maria de Jesus da Costa Alberto Plácido Pinheiro Cavalcante Junior Edmilson de Sousa Lobo Robson de Sousa Costa Eduardo Alexandre Souto Machado Catarina Ellem Martins da Silva Maria Oliveira Viegas Rosa Ferreira de Sousa Maria Raimunda de Carvalho Nogueira Eunice Coelho Martins Maria Lucrecia Calderaro Mileo Carmen Pedreira de Melo Maria da Conceição de Sousa Dias Sandra Maria Barata Gomes Maria de Nazaré da Cruz Brito Karla Cristina Batista de Souza Maria de Nazaré Câmara Rodrigues

Wilson Augusto de Carvalho Maria Nazaré Cardoso dos Santos Maria Jose Ribeiro de Melo Aldo Henrique Risuenho Garcia Tereziha Reis de Moura Guiomar Gadelha de Brito Raimundo Alves Cardoso Elizabete Lima Pessoa José Ferreira da Silva Filho Jorge Tryon Miranda Lima Rosa Maria Xavier Alves Sebastião Soares da Silva João Bosco da Silva Cruz Cardoso Maria do Socorro Pena Marques Alexandre Pontes dos Santos

Maria Rosele Sena Couto Ferro Otenes Luis Pereira da Silva Maria de Lourdes Monteiro Feitosa Ivone dos Santos Coelho Jail Jose Alves Ilva Milton Tome da Silva Liduina Venceslau da Silva Paulo Roberto Duarte de Almeida Joelma Maria da Silva Rosilene Farias da Silva Antônio Carlos Bittencourt Braga Anderson Gomes Neves

n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 13/02 – Pe. Paulo Victor Dourado de Oliveira 14/02 – Pe. Igino Sala 17/02 – Diác. Armínio Albues Gonçalves 17/02 – Diác. Gilmar da Silva Lobato 18/02 – Diác. José Maria da Consolação 18/02 – Diác. Paulo Roberto Duarte Almeida n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 12/02 – Pe. Antônio Jailson da Silva 15/02 – Pe. José Costa Nunes 17/02 – Pe. Luciano Costa Pereira 17/02 – Pe. Paulo Humberto Rodrigues Cruz


BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

CADERNO DOIS

LANÇADO o Retiro Popular deste ano

FOTOS: LUIZ ESTUAMANO

INTITULADO “O tempo da Graça”, a obra do Arcebis-

po de Belém, Dom Alberto, está à disposição do leitor

O

livro Retiro Popular - “O tempo da Graça”, de autoria do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, já está disponível para os leitores. Devido às restrições sanitárias impostas pela pandemia do novo coronavirus, a obra foi lançada dia 5 deste mês, por meio de um programa especial, transmitido ao vivo e simultâneo pelos veículos da Rede Nazaré de Comunicação, exibido das 10h30 às 12h. De forma descontraída e em conversa com os padres Wagner Maria, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Pedreira, e André Teles, Vigário Episcopal da Região Episcopal São Vicente de Paulo, o autor destacou a sua proposta de roteiro para bem viver o tempo penitencial da Qua-

resma deste ano. Após o programa, Dom Alberto celebrou Missa em Ação de Graças na capela da Fundação Nazaré de Comunicação, atualmente em reforma. RETIRO POPULAR - Quando era Bispo Auxiliar de Brasília, Dom Alberto já promovia um breve retiro quaresmal na Rádio Nova Aliança, quando em 1992 foi convidado pela Canção Nova para transformar o retiro em um livro para que mais fiéis de todo Brasil tivessem acesso, desde então não parou mais. Este ano entrega a 28°edição, destas 23 são pela editora Canção Nova. Devido a um problema de saúde, o ano de 2019 foi o único ano que não foi publicado o livro quaresmal. TESTEMUNHO - O programa, realizado em blocos de entrevista com Dom Alberto, perpassou a trajetória dessa contribuição de evangelização que o Arcebispo vem preparando e entregando à Igreja há 28 edições do livro, histórico resgatado e confirmado pelo pastor da Igreja particular da Amazônia. Durante a exibição do especial, fotografias, reportagem e vídeos testemunhais como o do Diac. Nelsinho Corrêa, da cantora Celina Borges, e do padre Wagner Ferreira, falaram de sua experiência em tomar os livros do Retiro Popular, como inspiração missionária para suas vidas em comunidade. Padre Wagner Ferreira atestou a exitosa parceria da Canção Nova em ajudar Dom Alberto a expandir o retiro para a Igreja. “Tem sido

gratificante para nós sermos, junto com Dom Alberto, um canal de graças para o povo de Deus, à medida que so-

n DOM ALBERTO no programa especial com os apresentadores, Padre André e Padre Wagner

mos também evangelizados com o Retiro Popular, todos os anos”. “Dom Alberto é fonte de inspiração para muitas coisas em nossa evangelização”, comentou diác. Nelsinho. “Um pastor zeloso, um exemplo de seriedade e inspiração para minha conversão pessoal também é o que representa Dom Alberto para minha vida”, declarou Celina. “Emocioname, muito, ouvir estes irmãos de jornada missionária”, disse Dom Alberto ao ouvir os relatos do missionários ligados à Comunidade Canção Nova, com quem tem convívio já há bastante tempo na parceria de evangelização. A edição deste ano, publicada pela Editora Canção Nova, segue o estilo inaugurado por Dom Alberto que propõe ao leitor um momento de aprofundamento espiritual em preparação para a Páscoa do Senhor, favorecendo a conversão pessoal para Cristo daqueles que lêem a obra. “Eu espero com este pequeno livro, re-

forçar a necessidade da vida sacramental da Igreja, destacando a importância da Eucaristia e da Confissão”, disse o autor aos apresentadores. O Retiro Popular indica ao leitor a importância das práticas penitenciais, percorrendo um caminho centrado na oração, Via Sacra, rosário, jejum, caridade, e a indispensável leitura orante (Lectio Divina) da Palavra de Deus, indicada principal-

n MISSA presidida por Dom Alberto após o programa especial

ONDE COMPRAR

TEMA DO LIVRO “O Tempo da Graça” é um convite para o leitor refletir sobre este tempo desafiador em que todos nós estamos apreensivos. Mas, todo este sofrimento é também uma oportunidade para vivermos bem o período da Quares-

ma”, reforçou Dom Alberto. A Quaresma este ano será de 17 de fevereiro e 28 de março, preparação com aprofundamento espiritual para a Páscoa do Senhor no dia 4 de abril.

O Retiro Popular já pode ser adquirido em todo o Brasil pela editora Canção Nova. Na Arquidiocese de Belém pode ser adquirido por R$ 6,00 na Fundação Nazaré de Comunicação de segunda a sába-

do, das 7h às 18h, e também nas livrarias católicas, como a loja Lírio Mimoso, anexa à Basílica Santuário. Toda a renda será destinada para a manutenção dos meios de comunicação da Arquidiocese de Belém.

Fiéis SURDOS recebem Sacramentos no Maguari A Pastoral do Surdo da Arquidiocese de Belém realizou dia 6, cerimônia de rito sacramental na Paróquia Santa Maria Mãe de Deus, situada no bairro do Maguari, em Ananindeua. Catequisandos surdos e ouvintes receberam os sacramentos do Batismo, Primeira Comunhão e Crisma. A Santa Missa foi presidida pelo padre José Maria Ribeiro, que ministrou os sacramentos para dois surdos que receberam o Batismo, e nove deles que receberam a Crisma, incluindo os dois batizados. A programação ocorreu na própria igreja matriz,

mente pela liturgia de cada dia da Quaresma, continuou explicando Dom Alberto. Encerrando o programa, Dom Alberto respondeu a perguntas sobre a elaboração e objetivo evangélico do Retiro Popular. Após a exibição do programa, Dom Alberto presidiu a Missa em Ação de Graças pela edição do Retiro Popular, concelebrada pelo cônego Roberto Cavalli, na capela da Fundação Nazaré.

realizada em dois dias. No sábado, 6, os catequisandos foram preparados para os sacramentos, fazendo a Confissão e ensaios com os padrinhos. Domingo, 7, durante a Santa Missa das 9h, receberam os sacramentos do Batismo, Primeira Comunhão e a Crisma. A Paróquia Santa Maria Mãe de Deus foi a quarta a realizar sacramentos com pessoas surdas na Arquidiocese. Em outras ocasiões os sacramento foram ministrados na Basílica Santuário, Paróquia Rainha da Paz e na Paróquia Nossa Senhora de Fátima. A Paróquia Santa Maria Mãe de Deus tem no entor-

no da comunidade paroquial um grande número de pessoas com deficiência auditiva e, por essa razão, foi escolhida para a cerimônia desta vez. NÚCLEO MAGUARI Além dos sacramentos, a pedido do pároco José Maria, a Pastoral do Surdo implantou na Paróquia Santa Maria Mãe de Deus um núcleo a nível paroquial para oferecer a evangelização em toda a região próxima àquela comunidade. “O desejo é que as paróquias façam o batismo com seus surdos, porque a ideia é a ramificação. Descentralizar da pastoral e levar núcleos

para as paróquias, para que os surdos tenham liberdade de ir para uma igreja mais perto da sua casa,”, afirma Lúcia Silva, Secretária Arquidiocesana da Pastoral do Surdo. Oficializada na Arquidiocese de Belém a 27 de abril de 2017, a Pastoral do Surdo está sediada na Paróquia Rainha da Paz, no Bengui, onde funciona desde 2018. Atua desde 1994 na evangelização com surdos na Igreja de Belém, sob a coordenação das Irmãs Salesianas do Sagrado Coração, responsáveis pelo Instituto Felippe Smaldone, uma referência na escolarização e evangelização com esse público em todo o Pará.

DIVULGAÇÃO

n RECEBENDO o Batismo


2

PANORAMA

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

COVID-19: Barco Hospital Papa Francisco

NAZARÉ REPÓRTER

ESTÁ PRESTANDO atendimento em comunidade quilombola

C

om informações agência Pará. A cerca de 80 quilômetros de distância, aproximadamente sete horas de barco da sede municipal de Oriximiná, na região Oeste, a comunidade remanescente de quilombo Jauari recebeu na quinta-feira, 4, o Barco Hospital Papa Francisco. A embarcação chegou à localidade para oferecer atendimento médico para pessoas com sintomas leves de Covid-19. Neste mês de fevereiro, o Barco Hospital Papa Francisco, que funciona junto com a unidade Papa São João Paulo II, passará por nove cidades da região do Baixo Amazonas. O atendimento começou na segunda-feira, 1º, no município de Óbidos, depois em a comunidades de Oriximiná. Com uma equipe composta por 13 profissionais da saúde, que realizam a média de 700 atendimentos diários, o objetivo do Barco Hospital é garantir o acesso a serviços de saúde, principalmente para comunidades ribeirinhas, a fim de evitar que os casos

DIVULGAÇÃO

de Covid-19 sejam tratados de forma preventiva, evitando o agravamento da doença. A embarcação chegou ao Oeste do Pará com financiamento do governo do Estado, como mais uma estratégia de combate à pandemia. “A missão do Barco Papa Francisco, juntamente com o governo do Estado, é levar esse atendimento às comunidades ribeirinhas. Se já era difícil para nossos ribeirinhos, quilombolas e indígenas chegarem até a cidade para atendimento básico, agora nesse tempo de pandemia piorou. O que a gente percebe é um grande alastramento da Covid também nessas regiões mais distantes.

Então, nós entramos nesse combate, junto com o governo e a Sespa, para juntos frearmos essa doença. Nosso objetivo é tratar de forma preventiva e identificar os casos mais leves, para que eles não cheguem aos hospitais”, explicou frei Joel, coordenador do Barco Hospital. INÍCIO EM FARO Nesta segunda onda de contágio na região Oeste, a embarcação começou esse trabalho na comunidade Novo Maracanã, no município de Faro, o que representou um grande desafio para a equipe. “A situação em Faro estava muito crítica. Lá foi um grande desafio, mas consegui-

mos dar uma resposta positiva e imediata. Agora, estamos indo para os outros municípios. Serão duas etapas. Na primeira vamos atender Óbidos, Oriximiná, Terra Santa, Juruti e Curuá. Na segunda etapa, vamos para Almeirim, Prainha, Monte Alegre e Alenquer”, completou frei Joel. Com 218 mil hectares de área demarcada, a comunidade remanescente do Quilombo Jauari está situada no território quilombola do Erepecuru, no município de Oriximiná. A comunidade, que existe desde 1949, atualmente abriga cerca de 40 famílias. A maioria sobrevive da coleta de castanha.

n RETIRO DE CARNAVAL 2021 tes da Arquidiocese de Belém: Pe. Benedito Rocha: “Viver a fé em tempos de crise”; Pe. José Maria Ribeiro: “Um tempo de superação, desafios e esperança”; Pe.Thiago Barros: “Como ser igreja no novo vel ao que crê: um olhar de esperança”; e Pe. normal diante da pandemia”; Pe. Maurício Henrique dos Santos:“Viver um retiro Paulo João Ribeiro: “Tudo é possí- em família”. Sintonize 91,3.

TV NAZARÉ n RETIRO ESPECIAL E QUARESMA sacerdotes da Arquidiocese de Belém estarão fazendo meditações sobre a Palavra de Deus. Quartafeira, 17, às 9h, você acompanha, ao vivo, a coletiva à Imprensa sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano e, às 19h, de Belém. Também no dia 19, acompanhe e reacompanhe a Missa com imposi- ze com a Arquidiocese de Belém na Jornada de ção das Cinzas, direto da Catedral Oração, das 7h às 17h. Participe!!!

O Hemopa retomou o serviço de agendamento para a doação de sangue, por meio do 0800 280 8118. O Hemocentro tem reforçado as medidas de segurança sanitária em todas as unidades de coleta de sangue do estado, para garantir as doações.

NOVAS MEDIDAS A partir do dia 01, até o dia 31 de março, o atendimento ao público será suspenso nas zonas eleitorais e postos de atendimento ao eleitor em todo estado. Ainda segundo a portaria, “Ao eleitor, deverão ser mantidos os procedimentos estabelecidos na Resolução TSE nº 23.615/2020, incluindo as operações de alistamento, revisão, transferência, realizados na forma remota (online), por intermédio da plataforma TítuloNet, e, ainda, dispensada a coleta de dados biométricos.”

INSCRIÇÕES PARA PÓS-GRADUAÇÃO A Universidade do Estado do Pará (Uepa) está com inscrições abertas em diversos processos seletivos de Programas de PósGraduação, nos campi de Belém e do interior do Pará. As inscrições podem ser feitas até os primeiros meses de 2021 e as turmas iniciarão as aulas ao longo do ano.

BOA DICA

C

ompleta uma série de relatos anteriores, já publicados, que contém a mesma doutrina. Mostra as forças vivas que alimentam a vida cristã da Rússia do século passado. O peregrino russo exprime os traços constantes da devoção russa: o sentido do mistério, a imitação da vida de Cristo. Nele se encontram a devoção popular e a tradição teológica oriental. n É POSSÍVEL, É REAL - O PODER DA ESPERANÇA – Livro (Paulinas, R$ 19,10)

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

C

n NOVENA EM HONRA A NOSSA SENHORA MÃE DO PERPÉTUO SOCORRO bairro do Telégrafo. Participe e reze conosco! Faça parte da Família Nazaré e seja um sócio evangelizador. Ajude-nos a realizar essas e outras transmissões para que a missão evangelizadora alcance todos os lugares. Para mais informações,

SANGUE

n O PEREGRINO RUSSO TRÊS RELATOS INÉDITOS - Livro (PAULUS, R$ 20,00 )

CANAL 30.1

Toda terça-feira, às 15h, o Portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br) e a nossa página no Facebook:/FNCBelem transmitem a novena em honra a Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro direto da paróquia da padroeira, na Rodovia Artur Bernardes, no

rência do atual cenário epidemiológico do estado, o ano letivo de 2021, na rede pública estadual teve início na quarta-feira (3), de maneira não presencial, dando continuidade às ações do movimento “Todos em Casa Pela Educação”.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) abriu as inscrições para a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica. Para submeter as propostas, as coordenações dos Programas das universidades e das instituições de pesquisa devem encaminhar ao CNPq, por email, até o dia 22 de março. Informações no Portal da UFPA.

FM 91 .3 MHZ

Antecedendo a Quaresma, a Rede Nazaré de Televisão, canal 30, ou na sintonia da sua cidade, propiciará aos telespectadores uma ocasião especial de oração e reflexões com o objetivo de aproximar mais os fiéis do coração de Deus. Segunda-feira , 15, e terça-feira, 16, ao longo da programação, cinco

A nova oportunidade se destina às pessoas que não se pré-matricularam pela central de atendimento ou site da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O processo de matrículas está sendo realizado de maneira presencial nas unidades de ensino da rede estadual. Em decor-

PRÊMIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

RÁDIO NAZARÉ

A Rádio Nazaré FM apresenta o tradicional Retiro de Carnaval nos dias 13, 14, 15 e 16 de fevereiro. Todos os ouvintes são convidados a viverem nesses dias um momento profundo de espiritualidade e encontro com Deus através das reflexões feitas pelos sacerdo-

VAGAS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO

entre em contato: (91) 4006-9211 ou (91) 99315-5743 (WhatsApp).

om uma linguagem metafórica, a obra pretende levar o leitor a renovar suas esperanças comparando sua vida com um jardim bem cuidado ou um terreno abandonado. Ao final de cada capítulo há atividades de reflexão e exercícios práticos e, na conclusão, relaciona o que os autores chamam de “Os sete passos para a colheita extraordinária”, e que nos conduzem a análise diante de vários aspectos da vida (Deus ou Vida Espiritual; O Outro ou Vida Social; Você ou Vida Pessoal).


VATICANO

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

3

PAPA Francisco reforça o cuidado com os doentes

CUIDAR de todos os tipos de doentes não é uma atividade opcional da Igreja, é parte integrante da sua missão

C

om informações agência Ecclesia. O Papa defendeu no Vaticano a necessidade de cuidar dos doentes e defender a vida, falando aos peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, para a recitação da oração do ângelus, no domingo, dia 7 de fevereiro. “A realidade que estamos a viver em todo o mundo, como resultado da pandemia, torna esta mensagem particularmente relevante, esta missão essencial da Igreja”, assinalou Francisco, evocando a próxima celebração do Dia Mundial do Doente

(11 de fevereiro). A intervenção destacou que Jesus Cristo mostrou sempre “predileção pelas pessoas que sofrem no corpo e no espírito”. “Isso continuou, sem interrupção, na vida da Igreja até hoje. Cuidar de todos os tipos de doentes não é uma atividade opcional da Igreja, algo acessório, não, é parte integrante da sua missão, como a de Jesus: levar a ternura de Deus à humanidade sofredora”, apontou. Perante a fragilidade humana, indicou Francisco, Jesus respondeu “com uma presença de

FOTOS: DIVULGAÇÃO

amor que se inclina, que toma pela mão e faz levantar”. “Proximidade, ternura, compaixão”, recomendou o Papa aos católicos. O Papa rezou para que a sociedade rejeite “todos os atentados contra a vida” e esta “seja tutelada em todas as suas fases”. O Papa manifestou a sua satisfação por, vários meses depois, poder voltar a rezar o ângelus desde a janela do apartamento pontifício, com peregrinos na Praça – um encontro que estava suspenso por causa da pandemia de Covid-19.

n PAPA satisfação por voltar a rezar o ângelus da janela do apartamento pontifício

"O mundo PRECISA de fraternidade e esperança tanto quanto de vacina" Com informações Vatican News. A audiência ao Corpo Diplomático constitui um dos eventos mais tradicionais do ano no Vaticano. Ao receber os embaixadores, na segunda-feira, 8, o Papa formula seus votos de felicitações a todos os mais de 180 países com os quais a Santa Sé mantém relações diplomáticas. Mas, sobretudo, é a ocasião em que o Pontífice faz uma análise da atual conjuntura sociopolítica mundial. A pandemia e suas consequências guiaram a reflexão de Francisco, identificando em seu longo discurso as crises que a Covid-19 provocou em escala global. O mundo está doente, afirmou o Papa, e não só por causa do vírus. CRISE SANITÁRIA A doença e a morte ficaram muito mais palpáveis com a pandemia, o que leva a recordar o valor da vida, “de cada vida humana e da sua dignidade, em todos os momentos, desde a concepção no ventre materno até ao seu fim natural”. Francisco manifestou sua dor com o fato de que muitas legislações no mundo se afastaram do seu dever primário de defender a vida, legalizando o aborto com o pretexto de garantir “pretensos direitos subjetivos”. Mais uma vez o Pontífice renovou seu apelo para que os cuidados na área na saúde, como as vacinas, por exemplo, estejam à disposição de todos, sobretudo dos mais vulneráveis. Recordando, porém, que é responsabilidade de todos manter um comportamento responsável para si e para os de-

mais. CRISE AMBIENTAL Contudo, constatou o Papa, “não é apenas o ser humano que está doente, a nossa Terra também”. Francisco citou a exploração indiscriminada dos recursos naturais e as mudanças climáticas, que provocam, por sua vez, insegurança alimentar e desastres ambientais. CRISE ECONÔMICA E SOCIAL No campo econômico, a pandemia obrigou muitos países a adotarem quarentenas e lockdowns para conter a difusão do vírus, com o consequente aumento do desemprego e da vulnerabilidade social. Crises humanitárias foram acentuadas, como o tráfico de seres humanos, a exploração da prostituição e o fluxo migratório. Esta crise evidenciou que é necessária uma “nova revolução copernicana”, que coloque de novo a economia a serviço do homem e não vice-versa. E recordou que a Santa Sé considera ineficaz a lógica das sanções de um país contra o outro. “Oxalá esta conjuntura que estamos a atravessar sirva, igualmente, de estímulo para perdoar ou, pelo menos, reduzir a dívida que pesa sobre os países mais pobres, impedindo efetivamente a sua recuperação e pleno desenvolvimento.” CRISE POLÍTICA A política também sofreu de Oriente a Ocidente, mesmo em países de longa tradição democrática. O Papa constatou um “aumento das contraposições políticas e a dificulda-

de, senão mesmo a incapacidade, de procurar soluções comuns e partilhadas para os problemas que afligem o nosso planeta”. E encorajou os países a empreenderem reformas. Manifestou sua satisfação com o Tratado para a Proibição das Armas Nucleares, com sua iminente viagem ao Iraque e o prolongamento do Acordo Provisório entre Santa Sé e China sobre a nomeação dos Bispos. “Trata-se de um entendimento de caráter essencialmente pastoral e a Santa Sé espera que o caminho percorrido continue, em espírito de respeito e mútua confiança.” O terrorismo também preocupa o Santo Padre, que com frequência atinge os locais de culto, “com uma consequência direta da defesa da liberdade de pensamento, consciência e religião”. RELACÕES HUMANAS Mas para Francisco, há uma crise que talvez seja a mais grave de todas: a crise dos relacionamentos humanos, expressão de uma crise antropológica geral. O Papa manifestou sua preocupação com a “catástrofe educativa”, acirrada com a pandemia, que evidenciou a desigualdade no acesso à instrução, relegando milhões de estudantes a um limbo pedagógico. A Covid-19 impactou também nos relacionamentos familiares, com o aumento da violência doméstica e nas limitações da liberdade religiosa. “Um bom cuidado do corpo nunca pode prescindir do cuidado da alma”, disse Francisco, que concluiu: “O ano de 2021 é um

n PAPA FRANCISCO durante a audiência com o Corpo Diplomático

tempo a não perder; e não se perderá na medida em que soubermos colaborar com generosidade e empenho.

Neste sentido, considero que a fraternidade seja o verdadeiro remédio para a pandemia e os inúmeros males

que nos atingiram. Fraternidade e esperança são remédios de que o mundo precisa, hoje, tanto como as vacinas.”

Papa preside MISSA de Cinzas O Papa Francisco vai presidir à Missa de início do tempo da Quaresma, este ano dia 17 de fevereiro, com o rito da bênção e imposição das Cinzas na catedral de São Pedro. A Sala de Imprensa da Santa Sé informa que no dia 17 não se realiza a audiência geral semanal e a Eucaristia de Quarta-feira de Cinzas presidida pelo Papa vai ter uma participação de fiéis limitada, de acordo com as modalidades utilizadas nos últimos meses, em conformidade com as medidas de proteção previstas. A pandemia obrigou a adaptações no rito de Quarta-feira de Cinzas e a Congregação para o Culto Divino (Santa Sé) publicou uma nota com orientações para a celebração das cinzas que marca o início do tempo litúrgico da Quaresma.

T

odos somos responsáveis pela comunicação que fazemos, pelas informações que damos, pelo controle que podemos conjuntamente exercer sobre as notícias falsas, desmascarando-as. Todos somos chamados a ser testemunhas da verdade. (09 de fevereiro)

A

fraternidade é o verdadeiro remédio para a pandemia e os inúmeros males que nos atingiram. Fraternidade e esperança são remédios de que o mundo precisa, hoje, tanto como as vacinas. (08 de fevereiro)

O

Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico nos encoraja a não parar de rezar e lutar juntos para que cada pessoa escravizada volte a ser livre. (08 de fevereiro)


4

EM NAZARÉ

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

Quarta-Feira de CINZAS na Basílica Santuário TODAS as celebrações serão presenciais e seguirã as recomendações dos protocolos de segurança FOTOS: ASCOM BASÍLICA SANTUÁRIO DE NAZARÉ

T

empo de penitência e oração mais intensa, a Quarta-Feira de Cinzas é o momento em que o povo cristão é convidado a fazer penitência assim como Jesus fez durante os quarenta dias em que passou no deserto. As cinzas bentas colocadas sobre as cabeças dos fiéis fazem lembrar que somos pó e ao pó da terra voltaremos (cf. Gn 3, 19), para que nosso corpo seja refeito por Deus de maneira gloriosa, para não mais perecer. Confira os horários das Santas Missas realiza-

das na Basílica Santuário de Nazaré, neste dia 17 de fevereiro: 7h (Transmitida pelo Facebook, YouTube e TV Nazaré) 8h30 12h 18h (Transmitida pelo Facebook, YouTube e TV Nazaré) Todas as celebrações são presenciais. Para o bem-estar e saúde dos fiéis, é necessário seguir as recomendações dos protocolos de segurança em prevenção ao COVID-19.

Apresentação: Juventude NAZARENA passa por mudanças Neste ano de 2021 as coordenações dos grupos que fazem parte da Juventude Nazarena da Paróquia de Nazaré passaram por mudanças. No próximo domingo (14), os novos coordenadores dos grupos assim como os da própria Juventude Nazarena serão apresentados durante a Santa Missa das 18h, na Basílica Santuário de Nazaré. A celebração acontecerá no Santuário da Rainha da Amazônia e será presidida

pelo Padre Francisco Maria Cavalcante, Pároco de Nazaré, que é também grande incentivador da participação direta dos jovens na igreja. Que Nossa Senhora de Nazaré interceda pelos jovens, para que busquem trilhar o caminho de Jesus! Você pode acompanhar ao vivo pelo YouTube (www. youtube.com/basilicadenazare) ou pelo Facebook (www.facebook.com/basilicadenazareoficial).

n PROGRAMAÇÃO com a Juventude Nazarena

COMUNIDADE São Paulo Apóstolo em missão

n JUVENTUDE NAZARENA durante espiritualidade

Levar conforto espiritual para aqueles que precisam. Esse é o objetivo dos integrantes da Comunidade São Paulo Apóstolo, uma das que fazem parte da Paróquia de Nazaré, ao realizarem uma ação em prol dos venezuelanos que buscaram abrigo em Belém. Uma Santa Missa será presidida pelo Pároco de

Nazaré, Padre Francisco Maria Cavalcante, na língua desses irmãos que têm moradia localizada no Bairro do Tapanã. Durante o ato, todos seguirão os protocolos dos órgãos de saúde como, por exemplo, o uso de máscara, álcool em gel e distanciamento pessoal.


ARQUIDIOCESE

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

Área missionária herda PROJETO social

5

DENOMINADO de “Casa Dom Orione”, o projeto social passou a fazer parte da nova estrutura pastoral

A

recém-criada Área Missionária Nossa Senhora Mãe da Igreja, desmembrada da Paróquia Cristo Rei, no bairro da Guanabara, herdou um projeto social inaugurado há quatro anos pelos missionários orionitas. Denominado de “Casa Dom Orione”, o projeto social passou a fazer parte da nova estrutura pastoral da recém criada área missionária. No sábado dia 6 de fevereiro, após a celebração da Eucaristia realizada na comunidade Nossa Senhora Aparecida, onde acontece o projeto, houve um encontro com as lideranças da comunidade, contando com a participação do administrador da área missionária, representante da Cáritas Belém e, ainda a presença de leigos voluntários. O momento foi para iniciar o processo de conhecimento do projeto social desenvolvido na localidade, bem como in-

formações a respeito o andamento das atividades e perspectivas para o futuro. O encontro foi proposto pelo bispo auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, que reconhece a importância do projeto e a necessidade de ser potencializado, uma vez que corresponde à sensibilidade pastoral da arquidiocese e vai ao encontro das demandas sociais do ambiente onde está inserido. O projeto atende basicamente crianças e adolescentes da redondeza através de atividades esportivas, artísticas e culturais todos os dias. Trata-se de um trabalho preventivo, com um grande potencial preventivo. Uma das propostas é buscar parceiros para que essas atividades pedagógicas sejam atendidas com maior eficiência e, assim, novos passos possam ser dados naquela comunidade.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n DOM ANTÔNIO durante a celebração eucaristia realizada na comunidade

SENSIBILIDADE SOCIAL No processo de organização das áreas missionárias é necessário que se dê atenção à totalidade das dimensões da vida de uma paróquia no processo de evangelização. Por exemplo, deve ser dado atenção

à dimensão litúrgica, pastoral, organizativa, estrutural, espiritual, afetiva (a melhoria do relacionamento entre as pessoas e comunidades), política (a formação de lideranças), etc. Outra dimensão muito significativa é a social. A fé

tem uma dimensão social; essa dimensão brota do amor a Deus e ao próximo, pois “a fé sem obras é morta” (Tg 2,17). Promoção das pastorais sociais é um sinal concreto da autenticidade e da harmonia do dinamismo pastoral de uma paróquia.

VÍDEOCLIP “Vila da Barca” é contemplado e revela talentos Quando todos os moradores da Vila da Barca ainda moravam sob as pontes (meados dos anos 90) o músico e produtor, Pawer Martins, crescia ouvindo a canção “Doce navegar”, do compositor da própria comunidade, seu Beneditinho. Foi essa memória afetiva que gerou a ideia no artista e produtor de criar o videoclipe musical “Vila da Barca”, contemplado pela Lei Aldir Blanc, através do edital de música, categoria Luz, câmera e clipes. A produção visual contou com a participação do coral da Catequese, da Capela Nossa Senhora dos Navegantes, localizada na Vila da Barca. O projeto abraça cerca de 20 crianças da comunidade e outros moradores. A pré-estreia ocorreu dia 2 deste mês, no “Espaço da Amélia”, também situado na Vila da Barca, apenas para convidados e respeitando as medidas de proteção contra a pandemia do no coronavirus. O lançamento oficial do clipe realizou-se dia 6, disponibilizado nas plataformas digitais. A proposta do projeto premiado é realização da produção de um videoclipe musical com o compositor Paulo Ronaldo e coral da Cateque-

se da Capela Nossa Senhora dos Navegantes, dentro da Vila da Barca, uma das maiores moradias sob palafitas da América Latina. Localizada às margens da Baía do Guajará, a “Vila” ainda se divide entre as moradias com saneamento e outra parte que mora sob as pontes e com pouca ou nenhuma saúde sanitária. “O objetivo é mostrar e divulgar a diversidade cultural que existe na comunidade, além de apresentar as diversas possibilidades através da arte, fortalecer o empreendedorismo local a partir da contratação de serviços da própria comunidade. Divulgar também a comunidade para o mundo todo numa perspectiva positiva, mostrar que aqui não existe só violência”, explica Pawer Martins, artista e produtor responsável pelo projeto. A gravação do videoclipe “Vila da Barca” gerou renda para cerca de 25 crianças além de outras pessoas da comunidade. Duas oficinas de roteiro foram ministradas dentro da Vila da barca. “O processo criativo tornou-se coletivo. No último dia das oficinas, decidimos, coletivamente, onde seriam os locais de gravação”, explica Pawer.

n PROJETO realizado com crianças do coral da Catequese da Capela Nossa Senhora dos Navegantes

A pequena moradora da área das pontes da Vila da Barca, Stefany Cristina, 10 anos, sonha com um futuro melhor pro seu local de moradia e conta com orgulho sobre o prazer de produzir arte periférica. “Eu me sinto muito feliz por fazer parte desse clipe e do coral. Eu gosto muito de cantar, então, quando eu canto, eu me divirto muito. Pra mim é um orgulho, sendo criança e tá levando a Vila da Barca pra longe e eu quero levar ela cada vez mais longe. A gente sonha que a Vila da Barca pode virar um lugar melhor”, explica a cantora mirim. O proponente do projeto, Pawer Martins, tem um longo

histórico de participações em projetos sociais e é uma reconhecida cria do Curro Velho. Hoje, um profissional da área da cultura, conta como é ser uma criança periférica e o diferencial que seus pais fizeram em sua trajetória. “Espero, como artista e morador da comunidade, sempre criar e dar oportunidades para que cada criança daqui possa ter uma escolha. Também espero que os projetos sociais possam possibilitar isso. Sem possibilidades dentro da comunidade da Vila da Barca, não haverá uma geração para renovar esse sentimento. O único projeto que resistiu ao desmonte dos

trabalhos sociais na comunidade foi a catequese. Com muito esforço da mamãe e suas amigas”, declara, orgulhoso, o produtor Pawer. ONDE ASSISTIR - As ações de divulgação do vídeo clipe na web serão em uma série de postagens, iniciada às 19h30 do sábado, 6, em vários canais de comunicação ligados à comunidade, como a fanpage oficial da comunidade da Vila da Barca (AMVB), que tem 1800 seguidores, a página oficial da Associação dos moradores do da Vila da Barca, cerca de 2.000 seguidores e do Pestudio, estúdio de gravações independentes, criadas pelo próprio Pawer Martins.

SEMENTES do Verbo abre inscrições para o Festival de Jovens Os preparativos para o Festival de Jovens 2021, da Comunidade Sementes do Verbo (SdV), já começaram. Este ano, apresenta o tema “A Gloriosa Liberdade dos filhos de Deus (Rm 8,1)” e será realizado nos dias 12 a 16 de fevereiro, com toda a programação online. O FJ é um evento anual que reúne jovens de todo o Brasil para viverem cinco dias de encontro com a Palavra de Deus. Todos os anos, a Comunida-

de SdV promove o Festival nas Casas de Missão em Palmas (TO) e mais recentemente, na Casa São Francisco de Sales, no Rio de Janeiro. A programação inclui formações baseadas no tema central do evento, momentos de partilha e fraternidade, Santa Missa, Confissão, atividades artísticas, ofícios litúrgicos e muito mais. Durante os cinco dias, os participantes são chamados a viver uma intimidade maior com Deus, fazendo novas amizades e reconhecendo-se

como jovens livres e filhos de Deus. Uma das grandes atrações do Festival também é o “Festival de Música”, aberto a todos os inscritos no evento, em que o jovem tem a oportunidade de apresentar seus dons musicais com composições originais baseadas no tema do FJ e na fé católica. Com as restrições devido ao Covid-19, a 17ª edição do FJ será pela primeira vez online, uma nova experiência para todos os que participaram. Sendo transmitido pela plataforma

de formação B-Logos, permitindo que jovens do mundo inteiro também possam participar. As inscrições já estão disponíveis e podem ser feitas pelo site oficial: https://www. festivaldejovens.org/ . HISTÓRICO A Comunidade Católica Sementes do Verbo foi fundada no dia 16 de julho de 2004 em Palmas (Tocantins) e está presente em seis países, com diversas casas e missões. Reúne membros de diversos estados

de vida (solteiros, consagrados, casais, famílias, padres...). Numa vida doada, a tempo integral a serviço da evangelização. Dinamizados pela Efusão do Espírito Santo, cada um viveu um novo Pentecostes em sua vida, o qual está na origem de muitas das nossas histórias vocacionais, pessoais e comunitárias. Nossa missão é tornar a Palavra de Deus acessível a todos e um dos meios é através do Festival de Jovens, realizado todos os anos nas Casas de Missão.


6

CADERNO DOIS

BELÉM, DE 12 A 18 DE FEVEREIRO DE 2021

ARQUIDIOCESE

Arquidiocese promove JORNADA de Oração PROGRAMAÇÃO acontece no dia 19 de fevereiro das 7h às 17h com transmissão ao vivo

A

Arquidiocese de Belém vai promover uma jornada de oração, reflexões e meditações no próximo dia 19, a partir das 7h até as 17h, a ser realizada na sala do Pool de Jornalismo, nas dependências da Fundação Nazaré de Comunicação, situada na avenida Governador José Malcher, 915, bairro de Nazaré. A jornada será transmitida ao vivo e simultaneamente pela Rede Nazaré de Comunicação (TV, rádio e redes sociais), com a participação de representantes de grupos e movimentos das paróquias diocesanas que animarão a programação com a Liturgia das Horas, o Santo Terço, Ladainha e testemunhos, sendo o ápice a celebração da Santa Missa. À frente da programação estão Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém, e cônego Roberto Cavalli, Cura da Catedral Metropolitana. Dom Antônio fala da motivação da arquidiocese para a jornada. “A oração é um recurso bem-vindo em toda em qualquer situação existencial pela qual passa o ser humano. Nos dias atuais, a humanidade caminha num mundo profundamente marcado pelo sofrimento por causa da pandemia da

covid-19. As centenas de milhares de mortos no Brasil crescem a cada dia; milhares de famílias passando por grandes sofrimentos e luto; a economia do país entrou profundamente em colapso! Há milhões de desempregados...” A Liturgia das Horas – Laudes inicia a jornada às 7h com a participação do Fórum de Movimentos e Serviços da Arquidiocese de Belém. O Movimento Arquidiocesano do Terço dos Homens “Mãe Rainha” (MTHMR) recitará o Terço Mariano às 7h30. O Instituto Missionárias da Santíssima Trindade conduzirá a Lectio Divina às 8h. O bispo Dom Antônio observa que “também a religião foi atingida em consequência da pandemia. Por causa do distanciamento social, os nossos templos estão quase vazios. O medo do contágio e outros males tem contribuído para o crescimento do adoecimento mental de milhares de pessoas. Diante desse mal, como fiéis discípulos de Jesus Cristo, somos chamados a renovar o nosso espírito de fé, a manter a comunhão eclesial, a aquecer a fraternidade, a crescer no espírito de família e praticar a solidariedade”.

“A superação desse drama e outros males consequentes, não virá dos recursos humanos, mas de Deus, pois Nele está a nossa esperança!”, afirma, enfaticamente, o bispo Dom Antônio, informando que a jornada também tem a proposta de apontar diretamente para Cristo para buscar essa força maior. Assim, das 9h30 às 11h30, a Adoração ao Santíssimo Sacramento acontecerá com a intercessão do Movimento Arquidiocesano do Terço dos Homens “Mãe Rainha” (MHTMR), e representante das Novas Comunidades. A parte vespertina da jornada iniciará após intervalo para programação da Rede Nazaré de Televisão e transmissão da Santa Missa, direto da Residência Episcopal. A Pastoral do Surdo dará testemunho de atuação missionária a partir das 12h40. A intercessão da Virgem de Nazaré será a motivação da recitação do Terço da Esperança, às 14h, seguido da Ladainha a São José. Às 15h, será o Terço da Misericórdia e a Ladainha de Nossa Senhora, seguidos da Via Sacra. Após a Via Sacra, a jornada de oração encerra-se com a celebração da Santa Missa.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

ORAÇÃO: FONTE DE FORÇA E SUPERAÇÃO NOS TEMPOS ATUAIS A convocação para a Jornada de Oração surgiu a partir de uma reunião do bispo auxiliar, Dom Antônio, com os vigários episcopais da Arquidiocese de Belém. Alguns dias depois, essa proposta foi reforçada e programada a partir de uma reunião com um grande grupo de líderes de grupos, movimentos, serviços, pastorais, novas Comunidades e religiosos presentes na Arquidiocese de Belém. Nesse evento, ratificou-se que, diante de muitos desafios internos e externos, os católicos são chamados a reforçar o espírito de oração e a robustecer a comunhão, orando pela superação de todos os males. Essa grande corrente de oração deverá ser multiplicada em muitas

instâncias, como nas famílias, nas comunidades, grupos, pastorais e movimentos. “Antes de tudo, a Arquidiocese de Belém, almeja reforçar para os fiéis a importância da força da fé e cultivar mais o sentimento de esperança em Deus, que é o Senhor da história”, ressalta Dom Antônio. “Por isso, não podemos desanimar nem nos desesperar; através da oração queremos pedir a Deus o crescimento do sentido de comunhão e fraternidade, respeito e serenidade na Arquidiocese de Belém; queremos, através desta jornada de oração, implorar a Deus pelo fim da pandemia e pedir que todas as famílias que estão sofrendo, não desanimem, mas renovem a própria fé”.

Posses: continuam as TRANSFERÊNCIAS de párocos e vigários Dando continuidade as transferências e trocas de funções dos padres nas diversas paróquias da Arquidiocese de Belém, foram realizadas celebrações de posses em três paróquias de vigários e párocos no primeiro final de semana de fevereiro. Todas as celebrações foram presididas por Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano. As transições são comuns na Igreja Católica e ocorrem com intuito de melhorar o trabalho pastoral, além de ser uma oportunidade de renovação para os sacerdotes e para as comunidades

paroquiais. Na noite do sábado, 06, Dom Alberto presidiu a missa de posse do novo pároco de Benfica, Padre Marcio Souza que assume o trabalho pastoral na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, juntamente com o Instituto Jesus Missionário dos Pobres. A paróquia foi fundada no ano de 1758, no Distrito de Benfica, município de Benevides. A Igreja de Nossa Senhora da Conceição foi elevada a condição de paróquia em 2006, com a chegada de seu pároco permanente. Pertence a Arquidiocese de Belém, Re-

gião Episcopal Nossa Senhora do Ó, atualmente a paróquia está sob a responsabilidade da Comunidade Missionária Providência Santíssima, contado com 11 comunidades. No domingo, 7, foi celebrada a missa de posse do Padre Fábio Quintal na Paróquia do Divino Espírito Santo, localizada na Cidade Nova, em Ananindeua. A celebração foi presidida por Dom Alberto. Padre Fábio foi pároco da Paróquia Nossa Senhora das Vitórias, em Marituba, local onde Frei Chiquinho era vigário e sempre foi bem acolhido por Padre Fábio. Toda

n POSSE novo pároco da Igreja Nossa Senhora da Conceição, em Benfica

comunidade paroquial pede que Deus abençoe Padre Fábio nessa nova jornada, pedindo ao Divino Espírito Santo que o ilumine para conduzir seu no-

vo rebanho. A outra posse ocorrida no domingo, 7 de fevereiro, foi do Padre José Reinaldo Ferreira como pároco da Paróquia Nossa Senhora das

Vitórias, em Marituba. Devido a pandemia, todas as paróquias respeitaram os protocolos de segurança durante as cerimônias religiosas.

AGENDA DE POSSE PARA ESTE FINAL DE SEMANA

n DOM ALBERTO presidiu a Missa de posse do novo pároco, Padre Marcio Souza

Dia 12 de fevereiro, às 19h – Posse Padre Antônio de Pádua Rodrigues da Silva como pároco da Paróquia São Benedito – Barreiro; Dia 13 de fevereiro, às 19h – Posse do Padre Francisco Sorrentino PIME, como pároco de Santa Luzia, no Jurunas; 14 de fevereiro, às 8h – Posse Padre Devair Nunes Delgado como pároco da Paróquia do Apóstolo Santo André, contará com a Comunidade de vida Mensageiros da Boa Nova;

Dia 14 de fevereiro, às 8h, Posse do Padre Rinaldo Felipe dos Santos como pároco e Padre Danilo como vigário da Área Missionária São Clemente – Bengui; Dia 14 de fevereiro, às 19hPosse do Padre José Antônio Paixão da Silva como pároco da Paróquia São Pedro e São Paulo – Guamá; Dia 14 de fevereiro, às 19h Padre Tadeu Flávio Santos dos Santos como pároco da Paróquia do Coração Eucarístico de Jesus.

Profile for Fundação Nazaré de Comunicação

Voz de Nazaré  

Edição de 12 a 18 de fevereiro de 2021

Voz de Nazaré  

Edição de 12 a 18 de fevereiro de 2021

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded