Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 883 - PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

www.fundacaonazare.com.br

Celebração da Missão Episcopal Arcebispo Metropolitano Dom Alberto Taveira Corrêa celebra aniversário de Ordenação Episcopal no dia 6. Na ocasião, presidirá ordenações diaconais na Arquidiocese de Belém, durante a Santa Missa na Catedral. PÁGINA 6.

LUIZ ESTUMANO

n ANIVERSÁRIO de Dom Alberto será celebrado com os fiéis na Catedral Metropolitana de Belém. Na mesma celebração, ele presidirá ordenações. LUIZ ESTUMANO

Belém integra COMISSÕES na Igreja do Brasil Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar, e padre João Dantas, vigário da Catedral de Belém, são eleitos para trabalhar em comissões da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). PÁGINAS 5 E 6.

Estudantes VISITAM a Fundação nazaré Alunos da escola estadual Almirante Renato Guillobel conhecem trabalho da Fundação Nazaré de Comunicação. PÁGINA 12

n BISPO Dom Antônio de Assis Ribeiro LORENA SARAIVA

n VIGÁRIO Padre João Paulo Dantas

Festa de NOSSA Senhora da Graça Catedral Metropolitana de Belém inicia no dia 5 a festividade em honra a padroeira Nossa Senhora da Graça. PÁGINA 11.

LUIZ ESTUMANO

n ESTUDANTES escola Almirante Guillobel na Fundação Nazaré

n FESTIVIDADE vai homenagear Nossa Senhora da Graça


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

JOÃO CARLOS PEREIRA

PE. HELIO FRONCZAK

Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

heliofronczak@gmail.com

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ...

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

A importância deste jornal

L

embro que prometi, na semana passada, retornar, hoje, ao tema do Sínodo da Amazônia, iniciado na edição anterior. O assunto possui importância extraordinária e precisa ser tratado com o respeito que merece. Acontece que o corre-corre da vida me fez esquecer do aniversário do Jornal. Por isso, peço licença para interromper as reflexões sinodais, digamos assim, e voltar os olhos para essa data tão cara aos meios de comunicação da Arquidiocese de Belém. Num momento em que as empresas jornalísticas discutem o futuro, nebuloso e incerto da mídia impressa, visto que a notícia chega de forma quase instantânea ao celular ou ao compu-

tador, os jornais de hoje acabaram se transformando em jornais de ontem, ou de anteontem. Diante dessa realidade, vale perguntar: para que se quer um jornal com notícias que já foram lidas e analisadas? E quando o jornal possui circulação semanal, aí que o quadro se agrava. Mesmo sem ter pretendido,a “ Voz de Nazaré” parece que encontrou a resposta para o dilema, ou pelo menos para parte dele, em que se debate a mídia contemporânea.Nosso jornal não disputa com as redes sociais a primazia do noticiário. Ele aprofunda os fatos que andaram de lado na internet, discute questões, apresenta opiniões sobre

temas, comenta-os, interpreta-os, amplia-os. O primeiro compromisso do Jornal não é com o “furo”, mas com a verdade e também com a evangelização. Hoje, mais do que nunca, um jornal precisa estar atrelado a princípios éticos e morais e não pode navegar ao sabor dos ventos. Em mais de cem anos, a “Voz de Nazaré” só teve um partido e defendeu uma única causa: a do Redentor. É importante para a Igreja de Belém possuir um jornal que se importe apenas com o que é relevante para a vida da Igreja e para a vida em comunidade. E que a boa notícia seja, sempre, a Boa Nova de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

BIANCA MASCARENHAS Psicóloga e formadora do Seminário São Pio X (mascarenhaspsi@yahoo.com.br)

HUMANUS

Por menos ansiedade...

H

á poucos dias, o Papa Francisco comunicou o tema da JMJ Lisboa 2022: “Maria levantou-se e partiu apressadamente”... mas não ansiosamente, completou o nosso Pastor. São mesmo sentimentos e atitudes diferentes: a pressa nos leva à necessidade de resolver algo de forma rápida e, convenhamos, há momentos em que precisamos acelerar... Já a ansiedade nos aflige e nos angustia. Vale ressaltar que a ansiedade é uma emoção natural da vida, na qual o corpo encontra-se no pre-

sente e a mente, no futuro. No entanto, excesso de ansiedade pode significar vivermos e sentirmos num tempo que não existe, numa desconexão entre o hoje e o futuro. E quantos desencontros vivemos entre esses dois tempos... É também importante diferenciar o “estar ansioso” do “ser ansioso”. Todos passamos por momentos de ansiedade na vida (o nascimento de um filho, a chegada das férias, etc.); assim, estar ansioso, eventualmente, é natural. No entanto, permanecer em estado de ansiedade a maior parte do

tempo é caminho para a ansiedade patológica e os transtornos de ansiedade. A ansiedade intensa é destrutiva, piora a concentração e pode gerar dificuldades de atenção e memória, deixar-nos mais irritados e agressivos, prejudicando as relações sociais, familiares e de trabalho...É urgente pararmos um pouco. Por menos ansiedade, por mais equilíbrio, mais encontros e mais saúde.

O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima. (Provérbios 12, 25)

Espiritualidade-corporeidadesocialidade

0

ser humano é uno em si mesmo, mas simultaneamente é corpo, espírito e relações com os outros. Na medida em que uma destas dimensões não é harmonizada “trinitariamente” com as outras, se produzem patologias (desequilíbrios): o individualismo egoísta, ou o hedonismo, ou o espiritualismo. De fato a dimensão espiritual deve ser vivida ao interno da dimensão corpórea e a dimensão intersubjetiva que caracteriza o ser humano é o fundamento da dimensão social. A dimensão corpórea é “epifania” ( = manifestação) da dimensão espiritual, e ao mesmo

tempo é o lugar no qual concretamente se realiza a dimensão social. E a dimensão social é a manifestação da vocação do espírito humano como espírito incarnado em uma história concreta. Estas dimensões precisam viver como que um certo “jogo trinitário”, assim descrito por Clodovis Boff numa entrevista: “Nas assembleias das dioceses e das realidades eclesiais – dizia ele – participam o bispo com seu presbitério, as “bases” e os “assessores”, isto é, os especialistas e teólogos. A dinâmica do encontro se desenvolve segundo o método “ver, julgar, agir”. Quando se trata

de “ver”, são as “bases” cristãs que falam mais, indicando os problemas concretos. No “julgar” intervêm mais os teólogos, para esclarecer, provocar, abrir horizontes. Indicar a ação cabe mais aos agentes de pastoral: bispo, padres, religiosos e leigos empenhados na pastoral. Como se vê, existe uma simbiose, uma estreita colaboração entre teologia, direção pastoral e prática da fé”. Quando estas dimensões dialogam e se comunicam harmonicamente entre elas testemunham um belo exemplo de trinitização / trinitariedade. Precisamos nos exercitar mais e mais nesta prática.

Canonização da IRMÃ DULCE Cidade do Vaticano - Na manhã de segundafeira, 1º de julho, o Papa Francisco presidiu um Consistório Ordinário Público para a Canonização de cinco Beatos, dentre os quais está a Irmã Dulce, o “Anjo bom da Bahia”. Religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, a Beata Irmã Dulce nasceu em Salvador em 26 de maio de 1914 e ali faleceu em 22 de maio de 1992, sendo beatificada em 22 de maio de 2011 pelo Papa Bento XVI. O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, manifestou sua “alegria imensa pela canonização da nossa pequenina, humilde e batalhadora Irmã Dulce dos pobres”. Para o prelado, a ceri-

mônia “será uma ocasião de encorajamento a todos para buscar a santidade. Irmã Dulce veio nos dizer que cada época tem seus Santos, mas todos têm em comum o amor a Deus, o amor ao próximo e a dedicação, especialmente aos preferidos de Jesus, os mais pequeninos”. No dia seguinte à canonização, que será presidida pelo Papa Francisco na praça de São Pedro, Vaticano, no dia 13 de outubro, haverá Santa Missa na Igreja de Santo Antônio dos Portugueses (Roma) em ação de graças pelo dom que Salvador, a Bahia e o Brasil estão recebendo. No dia 20, às 16h, na Arena Fonte Nova, em Salvador, será celebrada uma Santa Missa em honra da nova Santa. O dia de celebração da nova Santa foi estabele-

cida para 13 de agosto, a partir de 2020. Na ocasião, também será canonizado o Cardeal inglês John Henry Newman, fundador do Oratório de São Felipe Neri, na Inglaterra. Nascido em Londres em 21 de fevereiro de 1801, o purpurado faleceu no dia 11 de agosto de 1890, sendo beatificado no dia 19 de setembro de 2010 pelo Papa Bento XVI. Os outros três Beatos a serem canonizados nessa cerimônia do dia 13 de outubro são: Giuseppina Vannini, fundadora das Filhas de São Camilo; Maria Teresa Chiramel Mankidiyan, fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família e Margherita Bays, Virgem, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.

Curso Regional de PEDAGOGIA CATEQUÉTICA Inicia-se dia 6 o Módulo 2019 do Curso Regional de Pedagogia Catequética, uma realização da Animação Bíblico Catequética do Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB N2) em parceria com a Faculdade Católica de Belém (FACBEL). A formação na modalidade presencial tem carga horária de 300h como Extensão Universitária e 360h pa-

ra Pós-Graduação e se estenderá até o dia 20 deste mês no Cenóbio da Transfiguração, localizado no município de Castanhal, (PA). O módulo contará com oito disciplinas: Antropologia Amazônica, com a Profª. Dra. Ivana Oliveira (UFPA), Sínodo para a Amazônia, com Mons. Raimundo Possidônio Carrera da Mata (REPAM), A Iniciação Cristã na Histó-

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

ria da Igreja, com o Pe. Dr. Abimar de Moraes (PUC-RIO), Catequese Fundamental, com o Pe. Dr. Luiz Alves de Lima (UNISAL), Catequese e Bíblia, com o Pe. Alberto Casalegno (FACBEL), Catequese e Moral, com o Prof. Dr. Mário Tito (FACBEL), Catequese e Liturgia, com o Pe. Ms. Thiago Faccini Paro (CNBB) e Metodologia e Planejamento Catequético, com a Profª. Ms.

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

Suzana Coutinho. A participação no curso é mediante inscrição na Extensão Universitária e na Pós-Graduação, sendo ambas por módulo com valores diferentes para cada uma. A inscrição inclui o curso, alojamento, alimentação e certificação. INSCRIÇÕES - Solicite sua ficha de inscrição pelo e-mail: secretariapastoralcastanhal@ gmail.com

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

U

ma das mais belas realidades da vida cristã é o chamado de Deus, a vocação, com os sinais oferecidos pelo Senhor a toda a Igreja e a cada um dos fiéis, com o qual todos podem descobrir seu caminho de disponibilidade e serviço a Deus e ao próximo. Certeza primeira é que existe um olhar de Deus dirigido a cada pessoa e não há um cristão sequer sem uma vocação específica. O primeiro chamado é à participação na vida divina, na qual se encontra também a plenitude do ser humano. Em Cristo, “Deus nos escolheu, antes da fundação do mundo, para sermos santos e íntegros diante dele, no amor. Conforme o desígnio benevolente de sua vontade, ele nos predestinou à adoção como filhos, por obra de Jesus Cristo, para o louvor de sua graça

Todas as formas de entrega a Deus deverão encontrar seu caminho de radicalidade gloriosa, com que nos agraciou no seu bemamado” (Ef 1,4-6). Deus nos leva em conta, Deus pensa em nós, Deus pode intervir em nossa vida sem desrespeitar a liberdade com a qual ele mesmo nos criou. Não se trata de um destino cego, mas da mais digna e decisiva proposta, com a qual se joga o sentido de nossa existência. Assim, falar de vocação é falar de algo que vem do alto! Iluminados pelo Salmo cento e trinta e oito, todos podem proclamar a cantar: “Antes que te formasses dentro do ventre de tua mãe, antes que tu nascesses, te conhecia, te consagrei para ser meu

CONVERSA COM MEU POVO profeta entre as nações eu te escolhi, onde te envio irás, o que te mando proclamarás!”. Na justa medida, dada pelo próprio Deus, todos são chamados a ser profetas, reis-pastores e sacerdotes reais! No Batismo, esta graça nos foi concedida e há de florescer durante a vida. Entretanto, Deus quis depender de nossa participação para que seu chamado se espalhe e suscite respostas. É no mínimo positivamente intrigante a palavra de Jesus: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para sua colheita” (Lc 10,2). A liberdade daquele que tudo pode e pode chamar quis comprometer-se conosco e com nossa oração. Dali para a frente, tornou-se dever para todo cristão, e assim será sempre, a oração pelas vocações. É de São João Paulo II a afirmação de que a vocação é a resposta de Deus providente a uma comunidade orante. Podemos falar de vocações genuínas para o matrimônio cristão, uma forma de entrega a Deus que supera o simples contrato de convivência entre um homem e uma mulher. Podemos pensar nas vocações ao sacerdócio, essenciais em nossa Igreja, com a qual jovens chamados ao ministério e ao celibato se entregam ao Senhor, são consagrados através do Sacramento da Ordem e enviados ao ministério da Palavra, da Santificação e do Pastoreio. E a belíssima vocação dos religiosos e religiosas, prontos a ser sinais dos valores do Reino de Deus na pobreza, castidade e obediência, consagração tão desafiadora quão necessária e urgente! Nossa realidade amazônica deve também sua Evangelização a gerações de missionários e missionárias, de nosso país e de outras

VOCAÇÃO e MISSÃO

DIVULGAÇÃO

n ANTES que te formasses dentro do ventre de tua mãe, antes que tu nascesses, te conhecia, te consagrei para ser meu profeta entre as nações

terras, vocação desafiadora e transformadora. Nos últimos anos, uma nova realidade vocacional cresceu na Igreja e também em nossa Arquidiocese, as Comunidades Novas, que São João Paulo II chamou de resposta providencial à urgência da Nova Evangelização. Nelas, Celibatários, Virgens consagradas, Casais, jovens chamados ao Sacerdócio, uma gama variada de modalidade de serviço se encontra presente e viva. Todas as formas de entrega a Deus deverão encontrar seu caminho de radicalidade, expresso com palavras fortes no Evangelho (Cf. Lc 10,1-12.1720). Serão cordeiros no meio de lobos, aceitando o método do serviço livre e desinteressado, sem empunhar as armas da violência! Quem experimenta o chamado terá um relacionamento de liberdade diante dos bens da terra, renunciando ao supérfluo e valorizando o essencial, o que vale também para os casais cristãos! Vocacionados são homens e mulheres portadores da paz, oferecendo-a a todos, sem distinção e inclusive convivendo

com a possível recusa à mensagem oferecida. Estarão ainda dispostos a não perder tempo, insistindo no essencial da mensagem a ser oferecida: “O Reino de Deus está próximo de vós!” (Lc 10,9). Quando realizarem a missão, ficarão alegres não tanto com os louros da vitória ou as maravilhas realizadas, mas com o que não passa: “Ficai alegres porque vossos nomes estão escritos no céu” (Lc 10,20). Neste ano de 2019, nossa Arquidiocese de Belém se alegra com o chamado de Deus. No sábado, dia 6 de julho, data em que se celebra o vigésimo oitavo ano da Ordenação Episcopal do Arcebispo, são ordenados cinco Diáconos temporários, os seminaristas Alan Henrique, Francimar, Leonardo Matias, Paulo Felipe e Paulo Victor, que serão sacerdotes no final do ano, com mais um que já é Diácono. Em novembro um sacerdote novo religioso. Em quinze de agosto, quadragésimo sexto aniversário de sacerdócio do Arcebispo, serão ordenados mais trinta e oito Diáconos Permanentes, homens casados que se prepara-

ram na Escola Diaconal Santo Efrém, preparados para o serviço da Caridade, da Palavra e do Altar! A vocação está na ordem do dia em nossa Igreja de Belém! Nossa Arquidiocese abriga os Seminários que nos são próprios, Seminário Maior São Pio X, Seminário Maior Monsenhor Edmundo Igreja, Seminário Arquidiocesano Missionário Redemptoris Mater, Seminário Propedêutico Dom Tadeu Prost, Centro Vocacional – Seminário Menor - São João Maria Vianney. Além deles, vários Seminários de Dioceses e Prelazias do Regional Norte II, Seminários das Ordens e Congregações Religiosas e Seminários de Comunidades novas, com seus respectivos seminaristas e formadores. Vale a pena conhecer o espaço da Faculdade Católica de Belém, onde cerca de trezentos seminaristas, religiosos, religiosas, leigos e leigas estudam Filosofia e Teologia. É um espaço de esperança e confirmação do chamado de Deus! Aliás, não faltam as vocações, não falta o chamado de Deus! O que falta é o trato e o

carinho da parte de todos nós! Comunidades paroquiais venham a ser propagandistas do bem que é o Sacramento do Matrimônio! Párocos, Vigários e Agentes de Pastoral que tenham a coragem de chamar ao Sacerdócio e à Vida Religiosa e Missionária nossos jovens e adolescentes, o que deve se acrescentar à oração: “Enviai, Senhor, operários à vossa messe, pois a messe é grande e poucos os operários”.

A messe é grande e poucos os operários

O p r i m e i ro chamado é à participação na vida divina, na qual se encontra também a plenitude do ser humano


4

IGREJA

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

MISCELÂNEA

Os carmelitas em BELÉM

DIVULGAÇÃO

(CONTINUAÇÃO)

R

e l e n d o, a o a r quivá-los, meus recentes artigos, - artigos e não crônicas, como erradamente alguém os definiu – vejo com tristeza que na edição de “Miscelânea” de 7 a 13 de junho escrevi: “na edição passada, falei um pouco sobre São Simão Stock”, quando, na verdade, não falara nada. O artigo sobre ele estava pronto, mas, por distração, enviara à redação, em vez dele, o da semana seguinte, razão pela qual, com mil e um pedidos de perdão ao leitor por esse lapso, corrijo o erro, editando agora o ficado no esquecimento. AQUI VAI ELE:

No verbete “carmelitas”, em seu pequeno “Dicionário de Termos Religiosos e afins”, Editora Santuário, Aparecida, São Paulo, 1994, Aquilino de Pedro afirma, textualmente: “o inglês São Simão Stock é considerado” – fico aqui a me perguntar: por quem? – “como o fundador da Ordem propriamente dita no

século XIII.” Discordo, seja lá quem for que o tenha dito, antes dele. Como foi ele quem a fundou, se essa Ordem já existia havia m u i t o, s e d i a d a n o Monte Carmelo? Vejamos o essencial sobre ele, para o leitor se convencer de que estou com toda a razão. Simão nasceu em 1165, no castelo de sua família, em Kent, condado da Inglaterra, no estreito de Calais. Fundado pelos jutos no século V, o Reino de Kent foi, até o século VI, o primeiro grande centro da civilização anglo-saxã. Filho do governador de Kent, Simão era parente da realeza inglesa. Sua família, cristã e cheia de fé, proporcionoulhe a melhor formação religiosa, intelectual e humana. Inteligente e disciplinado, estudou, desde os sete anos, no afamado colégio Oxford. Ao contrário da família, que planejara para ele uma vida social gloriosa, de muito sucesso, o me-

nino ambicionava viver a serviço de Deus. Assim, aos doze anos, abandonou o castelo dos pais e passou a ser eremita (pessoa religiosa que leva vida solitária) na floresta vizinha a Oxford. Sua morada era o oco de um grande e velho carvalho, daí porque o povo deu de chamá-lo de Simão Stock. Ali viveu vinte anos, inteiramente entregue à oração, à contemplação e à penitência. Lá pelas tantas, teve um sonho, no qual Nossa Senhora lhe ordenou que se reunisse aos monges que viriam do Mosteiro do Monte Carmelo. Mesmo sem compreender bem o tal sonho, Simão obedeceu. Retornando ao castelo, voltou a estudar e foi ordenado sacerdote. Enquanto esperava que os monges do sonho chegassem, preencheu seu tempo visitando os doentes e os pobres das aldeias da região e evangelizando a quantos ia encontrando pelo caminho.

n SÃO SIMÃO STOCK recebe o escapulário das mãos da Virgem Maria

Até que, em 1213, finalmente os Carmelitas chegaram à Inglaterra e ele ingressou na Ordem. Dois anos depois, ou seja, em 1215, seus irmãos de hábito nomearam-no colaborador na direção da Ordem. No ano seguinte, 1216, foi eleito vigário geral, isto é, prior de todas as províncias carmelitas da Europa. Nessa época, a Ordem passava por maus momentos, vítima de perseguições de outras ordens religiosas, pouco faltando para ser extinta. Devido a isso, Simão, na qualidade

de prior geral, enviou a Roma alguns emissários, com a missão de relatar ao papa de então, Honório III (12161227), as dificuldades pelas quais a Ordem estava passando e pedir-lhe que a protegesse. Enquanto isso, por decisão de Stock, todos os carmelitas haja a orar à Virgem Maria, implorando-lhe o fim desses problemas, devendo eles persistir nesses rogos até receber a resposta de Roma. Ela chegou sete meses depois. Em carta de 13

de janeiro de 1252, o Papa não somente declarava legal a existência da Ordem, como também autorizava os carmelitas a continuar criando mosteiros por toda a Europa. Depois disso, Stock promoveu grande reforma estrutural na Ordem: da forma de vida monástica oriental para a vivida no ocidente, dos frades mendicantes ou evangelizadores, chamados apostólicos. O mais, na edição vindoura. Shalom!

LITURGIA

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.comg)

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Lc 10,112.17-20 1O Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. 3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola,... pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem,... Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos ser-

virem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O reino de Deus está próximo de vós’. 10Mas, quando entrardes numa cidade e não fordes bem recebidos, saindo pelas ruas, dizei: 11 Até a poeira de vossa cidade, que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vós. No entanto, sabei que o reino de Deus está próximo!’. 12 Eu vos digo que, naquele dia, Sodoma será tratada com menos rigor do que essa cidade”. 17Os setenta e dois voltaram muito contentes, dizendo: “Senhor, até os demônios nos obedeceram por causa do teu nome”. 18Jesus respondeu: “Eu vi satanás cair do céu como um relâmpago. 19Eu vos dei o poder de pisar em cima de cobras e escorpiões e sobre toda força do inimigo. E nada vos poderá fazer mal. 20 Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos obedecem.

Antes, ficai alegres porque vossos nomes estão escritos no céu”. B) COMENTÁRIO

O texto mostra a escolha que Jesus faz, dos propagadores do Reino. Ele antes escolhera doze e agora mais setenta e dois (v 1). Todos devem aprender como ensinar a viver; são seus alunos, seus discípulos. A caminhada será feita em dupla, pois além do apoio mútuo, um será o espelho do outro. “pedi ao dono da messe...” (v 2). Este “pedi”, é a comunicação necessária com o dono; não é suficiente falar do Senhor, mas principalmente falar com o Senhor, tendo contato vigoroso com Ele. Ou seja, a oração. Ela é indispensável, é a necessidade premente. A oração constitui o ponto de partida e sustentação para a eficácia da difícil missão de cordeiros entre lobos (v 3). Uns destinatários aceitarão a mensagem, outros não.

Por outro lado não cabe ao apóstolo a sentença final, destinada a cada pessoa ou cidade refratária; é função do dono. O que se destaca é o desempenho da missão a ser feita em clima de paz, desejada expressamente pelo missionário a cada casa (v 5). O missionário pode correr o risco de desanimar, nas respostas negativas da colheita; ou de se alegrar em demasia, pelo sucesso adquirido até sobre “os demônios” (v 17). O Mestre, porém, adverte apontando para a alegria maior, para o mais importante que é a salvação para quem anuncia e para quem recebe o anúncio do Reino. Ele declara: “Antes, ficai alegres porque vossos nomes estão escritos no céu” (v 20). Desempenhemos nossa missão, cientes de que só a Deus cabem a devida condenação ou a premiação diante do anúncio.

n 05/07, SEXTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (Gn 23,14.19; 24,1-8.62-67) Responsório (Sl 105,1-5) Evangelho (Mt 9,9-13) n 06/07, SÁBADO Cor (verde) Primeira Leitura (Gn 27,1-5.15-29) Responsório (Sl 134) Evangelho (Mt 9,14-17) n 07/07, DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Is 66,1014c) Responsório (Sl 65) Segunda Leitura (Gl 6,14-18) Evangelho (Lc 10,1-12.17-20) n 08/07, SEGUNDA Cor (verde)

Primeira Leitura (Gn 28,10-22a) Responsório (Sl 90) Evangelho (Mt 9,18-26) n 09/07, TERÇA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Gn 32,23-33) Responsório (Sl 16) Evangelho (Mt 9,32-38) n 10/07, QUARTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Gn 41,5557;42,5-7a.17-24a) Responsório (Sl 32) Evangelho (Mt 10,1-7) n 11/07, QUINTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (Gn 44,1821.23b-29;45,1-5) Responsório (Sl 104,16-21) Evangelho (Mt 10,7-15)


5 SETORJUVENTUDE

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

O sentido das FÉRIAS (parte 1) INTRODUÇÃO

J

ulho é um mês ansiosamente esperado por muitos, sobretudo pelos estudantes. Mas também para muitos trabalhadores. É tempo de férias! Além das escolas, muitas empresas neste mês, sobretudo na capital paraense, reorganizam seus serviços e dão férias coletivas ou reduzem o tempo de serviço para seus colaboradores. Nossas praias se revestem de especial colorido, movimento e barulho! Se para uns é tempo de repouso, para outros é uma grande oportunidade de mais negócios. Seja como for, em geral, todos nos alegramos com as férias. Por causa da sua importância, vale a pena refletirmos sobre esse assunto.

1

O que são as férias? Vamos começar refletindo a partir do significado da palavra “férias” em português e em outras línguas. Na língua portuguesa, a palavra “férias”, que deriva do latim, se refere ao tempo s e m t r a b a l h o, s e m negócios (ócio). Férias, em espanhol se diz “vacaciones”, em italiano “vacanze”

e em francês “vacances”; todos esses termos nos induzem a pensar nas férias como tempo vago, tempo sem obrigação de trabalho, tempo sem a obrigatoriedade da produção econômica. Nesses idiomas as férias são entendidas c o m o t e m p o l i v re ! Tempo vago, tempo de folga. Mas temos ainda o u t ro s i g n i f i c a t i v o termo “holidays”, em inglês; “holidays”, literalmente traduzido quer dizer, dias santos, dias sagrados; portanto, temos aqui outra conotação das férias; a perspectiva

Julho é um mês ansiosamente esperado por muitos, sobretudo estudantes das férias proveniente da língua inglesa é profundamente religiosa. As férias como “dias santos”, nos remetem ao livro do Gênesis, quando fala do repouso sagrado. Deus criou o mundo em seis dias e no séti-

mo ele descansou (cf. Gn 2,1-2). Portanto, o homem não deve somente trabalhar.

2

As dimensões das férias Essas diversas traduções da palavra férias nos ajudam a entender melhor os vários horizontes ou dimensões das férias, portanto: férias é tempo de repouso do trabalho; férias é tempo livre; férias é oportunidade de organizar com liberdade a gestão do próprio tempo; férias é também tempo para o sagrado repouso, para repor as energias! Esta última dimensão tem uma conotação religiosa e é uma das mais profundas sobre o significado e o sentido das férias. É preciso aprofundarmos a nossa compreensão das férias, atualmente, profundamente relacionada ou pensada a partir do trabalho remunerado. Por isso, infelizmente, se pensa que quem não tem emprego não tem férias. Todavia, não vivemos para trabalhar, mas devemos trabalhar para viver... Não há férias porque trabalhamos, mas porque é um componente da nossa vida! Vivemos para ser! Nós somos

senhores do tempo! Nós somos gestores da nossa história.

3

As férias como necessidade humana As férias não são simplesmente “cessação do trabalho”, mas sobretudo, experiência de liberdade na gestão da própria agenda que nos leva a reservar-nos e a nos dispor de um tempo pessoal. Férias é, sobretudo, tempo pessoal! Nessa perspectiva humana, também pode usufruir delas quem está desempregado e ou autônomo. Assim, é possível fazermos férias fora do tempo das “férias trabalhistas” ou das escolares”. A relação mais autêntica não é “trabalho x férias”, mas “necessidade humana x repouso”. É preciso saber parar! É uma necessidade saber fazer férias durante o dia, como experiência de parada; não reduzir a vida à agitação desenfreada; ao corre-corre desorganizado, à produção estressante... Por isso o descanso ou repouso, não devem ser visto em função do trabalho! A questão “cansaço” não é relativa ao trabalho. Pois, há muitas formas de fadiga!

Nesse horizonte humano podemos dizer que as férias não são meramente tempo de “ócio”, ou seja, de negação do trabalho (dos negócios!), mas é sobretudo, “tempo livre”. Não no sentido de vago, mas tempo de exercício da liberdade em optar por fazer isto ou aquilo.

4

A “síndrome do tempo perdido” É um sentimento de mal estar vivido por muitas pessoas que não conseguem ficar paradas; que não conseguem repousar, não conseguem ficar sem “fazer nada”; não conseguem gerir serenamente o próprio tempo de folga.

Férias, tempo sem trabalho, sem negócios

As férias, como "dias santos", nos remetem ao livro do Gênesis, quando fala do repouso sagrado

A “síndrome do t e m p o p e rd i d o ” s e manifesta através de alguns sintomas, como a sensação de vazio, o sentimento de tédio, de irritação, de angústia; a sensação de prejuízo, a fuga das relações interpessoais e o estresse. A “síndrome do tempo perdido” acusa uma concepção negativa da dimensão lúdica do ser humano. O homem é um ser lúdico: sente a necessidade da diversão, do prazer, do lazer, do entretenimento, do riso, da festa, da competição, das artes. Quando negamos a nossa dimensão lúdica caímos numa concepção mecanicista da vida, passando a maltratar-nos e a ver os outros como máquinas de produção. Não somos máquinas! Na sociedade pós-moderna, produtivista, economicista se reduz o ser e o viver, ao produzir! REFLEXÃO: Você já tinha parado para pensar no sentido das férias? “Não vivemos para trabalhar, mas trabalhamos para viver!”. O que isso significa e quais são as consequências dessa afirmação? Você já encontrou alguém acometido pela “síndrome do tempo perdido”?

1 2 3

Comissão da Juventude tem novos BISPOS

D

urante a reunião no dia 26 de junho o Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), composto pela Presidência, pelos presidentes das Comissões e pelos representantes dos regionais, elegeu os bispos que passam a compor a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (2019-2023), cuja função é acom-

panhar a juventude católica de todo o país. São eles: Dom Nelson Francelino Ferreira (Presidente) - O bispo de Valença (RJ) já é conhecido dos jovens brasileiros, pois compôs a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude nos últimos anos, acompanhando, até então, os grupos de Pastoral da Juventude pelo Brasil. Ele foi eleito anteriormente, durante a 57ª Assembleia Geral

da CNBB. Dom Antônio de Assis – Um dos bispos auxiliares da Arquidiocese de Belém (PA), já atuou em frentes salesianas quando ainda era apenas padre. Já atuou como vice-inspetor (vice-provincial) da Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia, delegado provincial para a Pastoral Juvenil Salesiana e vocacional; encarregado da promoção do voluntariado Juvenil

Inspetorial e diretor-sócio da Faculdade Salesiana de Dom Bosco, de Manaus. Dom Amilton Manoel - Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba (PR), colaborou na CRB Na-

cional com assessorias às Congregações religiosas: Assembleias, Capítulos Provinciais, formação permanente e exercícios espirituais; assessorou as etapas do Novinter e Juninter em várias regiões.

Especializou-se em formação humana, espiritualidade e parapsicologia. Por isso, o pastor dedicou-se à formação de lideranças leigas voltada a esses temas.


igreja

belém, De 5 a 11 de julho de 2019

Dom Alberto completa 28 anos de ordenação santa missa em ação de graças dia 6, na Catedral

N

este sábado, 6, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, completa o seu 28° aniversário de Ordenação Episcopal. Uma Santa Missa em Ação de Graças, com a presidência de Dom Alberto, na Catedral Metropolitana de Belém, bairro Cidade Velha, às 10h, marca a data. Na ocasião da Celebração Eucarística ocorre a Ordenação Diaconal Transitória dos seminaristas Alan Henrique Silva, Francimar Lopes, Leonardo Matias, Paulo Santos e Paulo Victor de Oliveira. Em 6 julho de 1991, Dia de Santa Maria Go-

retti - Mártir da pureza -, Dom Alberto, foi Ordenado Bispo, como Auxiliar de Brasília. Escolheu como lema o texto do Evangelho de São João 6, 51: “O Pão que eu darei é a minha Carne para a vida do mundo”, no brasão episcopal expresso com a frase latina “Pro Mundi Vita”- Para a Vida do Mundo. No sábado, Dia da Festa Litúrgica de Santa Maria Goretti, à noite, às 19h, Dom Alberto, preside Santa Missa Solene na Matriz da Paróquia de Santa Maria Goretti, em festividade pela padroeira. A Matriz fica localizada na Rua Silva Castro, Passagem

São Cristóvão, 23, bairro do Guamá. A Fundação Nazaré de Comunicação parabeniza-o pelo seu 28° aniversário de Sagração Episcopal e se une em oração à comunidade católica pelo seu ministério.

Hospital. Foi ordenado Bispo, como Auxiliar de Brasília, no dia 06 de julho de 1991. Foi Membro da Comissão Episcopal de Vocações e Ministérios do Conselho Episcopal Latino – Americano – CELAM, de 1995 a 1999. Em 31 de maio de 1996, tomou posse como primeiro Arcebispo Metropolitano de Palmas

(TO). Em 30 de dezembro de 2009, foi nomeado o 10° Arcebispo Metropolitano de Belém, tomando posse em

25 de março de 2010. Dom Alberto é Presidente do Instituto Dom Vicente Zico; Grão Chanceler da Faculdade Católica de Belém, Presidente da Fundação Nazaré de Comunicação, Presidente da Festa do Círio de Nazaré. Também é apresentador dos Programas Conversa com Meu Povo (TV Nazaré), Palavra de Vida Eterna (TV Nazaré e TV Canção Nova), A voz do Pastor (Rádio Nazaré FM).

Histórico

Ordenado sacerdote no dia 15 de agosto de 1973, exerceu seu ministério na Arquidiocese de Belo Horizonte (MG), Reitor do Seminário, Professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Pároco em várias Paróquias, Vigário Forâneo, Vigário Episcopal para a Pastoral e Capelão de

luiz estu man o

6

Padre Agostinho Cruz recebe condecoração Na última terça-feira, 2, uma cerimônia cívico-militar marcou as comemorações pelo Dia Nacional do Bombeiro, no Quartel do Comando Geral do CBMPA, na avenida Júlio César, 3000, bairro Valde-Cans, em Belém. A solenidade reuniu diversas personalidades que foram agraciadas com a “Medalha do Mérito D. Pedro II”, dentre elas o padre Agostinho Cruz, pároco da Paróquia de São João Batista e Nossa Senhora das Graças, em Icoaraci, distrito de Belém. A condecoração é em reconhecimento aos relevantes serviços prestados ao Estado, de modo especial à Corporação Bombeiro Militar. A Solenidade Cívico Militar alusiva ao Dia

Nacional dos Bombeiros objetiva comemorar mais um ano que representa a história do Bombeiro, com seu patrono Dom Pedro II (1825-1891). A programação foi cortejada pelo Governador do Estado Helder Barbalho, Comandante Geral Coronel Hayman Souza e autoridades locais, trazendo honra aos militares que atuaram ou atuam nessa instituição, que tem como finalidade o salvamento de vidas. Padre Agostinho Cruz, agradeceu a honraria em sua rede social: “Agradeço ao Comandante Geral do CBMPA, o Coronel QOBM Haymam Apolo Gomes de Sousa, a honraria da medalha do mérito Dom Pedro II, a qual ofereço a todos que contribuem com

o bom exercício de meu ministério sacerdotal frente à Paróquia São João Batista e Nossa Senhora das Graças, à Arquidiocese de Belém do Pará, e a todos os meus familiares”. Histórico - Criado por Portaria Provincial, no dia 24 de novembro de 1882, o Corpo de Bombeiros Militar surge no Pará como uma companhia da Polícia Militar e teve como primeiro comandante o então Capitão BM Antônio Veríssimo Ivo de Abreu. O atual comandante geral da corporação, o Coronel QOBM Hayman Apolo Gomes de Souza, é o 51º Comandante do Corpo de Bombeiros. A Corporação tem como patrono nacional Dom Pedro II (assim como todos os Corpos de

Bombeiros do Brasil) e, patrono estadual o Intendente Antônio Lemos. Com a promulgação da Constituição Estadual de 1989 o, então, Corpo de Bombeiros da Policia Militar do Pará se emancipa. Além de obter autonomia ganha também um novo regime jurídico, passando a ser subordinado diretamente ao governo estadual e, passa, enfim, a chamarse Corpo de Bombeiros Militar do Pará. A nova Constituição do Estado também unificou o Comando do CBMPA com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC, passando o Comandante Geral do CBMPA a coordenar também a Defesa Civil do Estado. O Quartel do Comando

DIVULGAÇÃO

n Padre agostinho cruz

Geral do Corpo de Bombeiros do Pará sedia-se na própria capital paraense, Belém, à avenida Júlio César, 3.000, com a avenida Pedro Álvares Cabral, bairro de Val-deCans. Além do Quartel do Comando Geral, a Cor-

poração tem 30 unidades operacionais, 7 unidades e setores distribuídas na região metropolitana de Belém e interior. Hoje, além de Belém, mais 19 municípios contam com a presença do Corpo de Bombeiros no Pará.

Padre João Paulo dantas, de Belém, é eleito assessor da Comissão para a Doutrina da Fé O padre João Paulo de Mendonça Dantas, sacerdote da arquidiocese de Belém, foi eleito na manhã do dia 27, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para Doutrina da Fé. A CEPDF é presidida pelo bispo de Santo André-SP, Dom Pedro Carlos Cipollini. Foi ele quem fez o convite ao padre João Paulo para integrar a comissão na condição de assessor. A eleição ocorreu dentro do Conselho Permanente (Consep) da CNBB, que esteve reunido entre os dias 25 e 27 de junho, em Brasília-DF. A reunião, da qual participam a presidência da CNBB, bispos que presidem as comissões episcopais pastorais, os bispos que presidem os 18

regionais da CNBB e representantes de organismos eclesiais da Igreja no Brasil, esteve em sua 99ª edição. A comissão é composta pelo presidente acompanhado de quatro bispos de diversas partes do Brasil. Além deles há o assessor que é o principal encarregado de executar o que é pedido pelos bispos e o que chega de demanda da CNBB (publicações, pronunciamentos oficiais, etc). É o assessor também quem marca retiros e representa oficialmente a comissão em eventos. Há ainda um grupo de peritos, teólogos que frequentemente são consultados e dão pareceres teológicos acerca de textos, publicações, manifestações, etc.

De acordo com o presbítero, a notícia foi recebida com um misto de sentimentosç: “É um sentimento duplo que tenho, tal como Maria ao entoar o ‘Magnificat’: de um lado a humildade ao assumir uma missão que Deus nos pede, de outro lado a coragem (parresía) dada por Ele para exercer esta missão que é sublime e ultrapassa minha capacidade”. Currículo – Pe. João

Paulo é natural de BelémPA. Nasceu em 26 de maio de 1975. Foi ordenado diácono em 26 de dezembro de 2004. A ordenação sacerdotal ocorreu na Catedral de Fortaleza em 12 de dezembro de 2005, festa litúrgica de Nossa Senho-

ra de Guadalupe. Fez o Bacharelado em Filosofia no Instituto Teológico do Ceará de 1999 a 2001. De 2001 a 2004, fez os estudos teológicos na Faculdade de Teologia de Lugano (Suíça). Na mesma faculdade, o teólogo obteve o Mestrado em 2006 e o doutorado em 2009. De 2010 a 2011, foi administrador paroquial de Santa Roseline (Toulon, França). A pedido do arcebispo de Fortaleza-CE, dom José Antônio Tosi Marques, retornou ao Brasil em 2011, para lecionar na Faculdade Católica do Ceará, especificamente nas disciplinas: Trindade e Sacramentos. Nesse mesmo período acompanhou e dirigiu espiritualmente os

seminaristas propedeutas da arquidiocese de Fortaleza. Em 2014 retornou a Lugano para o Pós-Doutorado (habilitação em Teologia). No ano seguinte, o arcebispo metropolitano de Belém e vice-presidente da CNBB Norte 2, dom Alberto Taveira Corrêa, convidou-o a auxiliar na fundação da Faculdade Católica de Belém, onde Pe. João Paulo está até os dias de hoje na coordenação de pós-graduação e extensão e em sala de aula lecionando algumas disciplinas como, entre outras, Sacramento da Ordem, Cristologia, Trindade. Atualmente é vigário na Catedral Metropolitana de Belém, onde atende confissões, direções espirituais

luiz estumano

n Padre João Paulo

e acompanha a catequese de crianças, jovens e adultos, bem como organiza retiros e as Escolas de Teologia, Espiritualidade e Bíblia, muito procuradas pelos paroquianos e membros de outras paróquias.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

Preparativos para o DIA MUNDIAL dos Pobres ARQUIDIOCESE inicia planejamento para a data

D

om Antônio de Assis Ribeiro, um dos Bispos Auxiliares de Belém, participou de reunião, juntamente com representantes de pastorais, serviços e movimentos, além de representantes das Novas Comunidades da Arquidiocese de Belém, no auditório da Cúria Metropolitana de Belém, bairro Nazaré, na tarde da última quarta-feira, 26. A reunião objetivou iniciar o planejamento da III Jornada Mundial dos Pobres, programada para 17 de novembro de 2019, por determinação do Papa Francisco. Na ocasião, Dom Antônio apresentou aos vários organismos da Arquidiocese de Belém

a mensagem do Papa Francisco para o III Dia Mundial dos Pobres, cuja temática “A esperança dos pobres jamais se frustrará” (Sal 9, 19), publicada no dia 13 de junho de 2019. Em um dos trechos da mensagem o Sumo Pontífice recorda: “O compromisso dos cristãos, por ocasião deste Dia Mundial e, sobretudo na vida ordinária de cada dia, não consiste apenas em iniciativas de assistência que, embora louváveis e necessárias, devem tender a aumentar em cada um aquela atenção plena, que é devida a toda pessoa que se encontra em dificuldade”. Segundo Dom Antônio, a jornada é um chamado para ações concretas em prol dos

pobres: “O convite do Papa Francisco para celebrarmos a Jornada Mundial dos pobres, não é nada mais nada menos que um convite para renovarmos nossa opção preferencial pelos pobres, como fez Jesus. Trata-se de uma consequência inevitável do amor a Deus e ao próximo. Não se trata de cuidado dos pobres pelos pobres, mas se trata da busca de promoção da justiça, da fraternidade, e promoção da cultura da solidariedade”. “Esperamos que haja a tomada de consciência desse dever evangélico ao qual somos todos chamados a obedecer; articular um processo promotor de maior sensibilidade para com a missiona-

7

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n DOM ANTÔNIO com representantes de pastorais, serviços e

movimentos, e representantes das Novas Comunidades da Arquidiocese

riedade na Igreja de Belém, uma vez que o cuidado com os pobres é manifestação concreta de compaixão e missionariedade; fazer uma caminhada de reflexão e aprofundamento sobre a significatividade da dimensão social da caridade; ver crescer em todas as forças vivas da igreja de Belém a consciência da fraternidade e a importância da partilha daquilo que pensamos e fazemos pela promoção da dignidade humana; constituir uma agenda de compromissos e estudos que nos levem à celebração desse dia com muito fervor e alegria e promover um fórum de reflexão sobre os

nossos atuais desafios missionários, em vista do despertar em todas as nossas organizações eclesiais, o desejo da cultura da Solidariedade eclesial”, são as expectativas das reuniões, segundo Dom Antônio. No próximo semestre de 2019 serão realizadas novas reuniões, em continuidade às atividades iniciadas em junho, sendo elas, nos dias 15 de agosto, 13 de setembro, 03 de outubro e no encerrando no dia 6 de novembro. Todas as reuniões ocorrerão no auditório da Cúria Metropolitana de Belém, sempre às 15h, com a participação de Dom Antônio e dos representantes de pastorais, serviços e mo-

vimentos, além de representantes de Novas Comunidades da Arquidiocese de Belém. DIA MUNDIAL DOS POBRES

Em 2016, Ano Santo da Misericórdia, o Papa Francisco instituiu um “Dia Mundial dos Pobres”, na Igreja Católica, celebrado em toda a Igreja no XXXIII Domingo do Tempo Comum, 17 de novembro. Tema, este ano: “A esperança dos pobres jamais se frustrará”. Em 2018, a temática foi: “Este pobre clama e o Senhor escuta”. No ano seguinte à sua instituição em 2017, foi: “Não amemos com palavras, mas com obras”.

Ir. Angela Tutas relata missão em LIVRO romeno

A Romênia é a terra natal da Ir. Angela Tutas, onde a religiosa se encontra para o lançamento do livro ”Confissões da vida missionária no Brasi”, o séti-

mo de sua autoria, editado em língua romena. A obra é prefaciada pelo Prof. Dr. Pe. Ioan Mitrofan, ex-reitor da Faculdade de Teologia da Metropolia Greco Católica de Blaj (Romênia), onde Tutas iniciou, em 1997, a carreira de professora de Teologia Espiritual, Patrística e outras disciplinas teológicas, naquela renomada instituição que ressurgia na clandestinidade. A obra evoca o estágio de vida acadêmica que Tutas desempenhou em

Blaj, seguido com heroísmo e dinamismo da vida missionária, movida apenas pela fé num projeto de amor divino. Fruto da leitura que o padre fez do relato da Ir. Angela sobre sua vida missionária no Brasil, ele ressalta a evolução espiritual, cultural e o fortalecimento da vida virtuosa da religiosa nas missões Sul americanas, ao vencer adversidades. Tutas reassalta que "aspalavras de Jesus atestam que não fui eu que escolhi vir para o Brasil, mas

obedeci a um mandato missionário específico que me foi confiado, em 2004, quando ainda vivia na Abadia Santa Maria de Pomposa, na Itália. Uma noite, como de costume, estava rezando o terço mariano diante do ícone de Nossa Senhora da Ternura, quando de repente tocou o telefone. Eram 22h. Ao atender ouvi as palavras do Padre Fundador: Ângela, prepara teus documentos porque pensei em te enviar para o Brasil, pois estão precisan-

do de professores de Teologia para lecionar para os seminaristas. E como você já tem experiência do ensino na Romênia, não tenho dúvida de que você vai dar conta". "O livro traz na capa o ícone da Virgem Mariaque sobreviveu às intempéries do comunismo e, após ser reformado, hoje é venerado no Mosteiro de Prilog, Romênia, onde vivem os monges de São Basílio Magno. Esse ícone foi pintado segundo a tipologia do ícone Salus

Populi Romani venerado na Basílica Santa Maria Maior, em Roma", explica Ir. Angela Tutas. A contra capa do livro apresenta uma fotografia de alunos do primeiro ano de Teologia da Faculdade Católica de Belém, para quem Ir. Angela ministrou aulas no semestre passado, reflexo do carisma que ela cultiva na vida de religiosa. As bandeiras do Brasil e da Romênia são também um detalhe que expressam o enriquecimento da vida missionária da religiosa.

VATICANO

Papa ao Apostolado da Oração: o coração da missão da Igreja é a ORAÇÃO Com informações Vatican News. “A oração suscita sempre sentimentos de fraternidade, abate as barreiras, supera os confins, cria pontes invisíveis, mas reais e eficazes, abre horizontes de esperança”, disse Francisco, ao receber em audiência, sexta-feira, 28 de junho, a Rede Mundial de Oração pelo Papa, que completa 175 anos de fundação. A associação pública de fiéis é também conhecida como “Apostolado da Oração” O Santo Padre expressou a alegria de encontrá-los e acolhêlos na ocasião dos 175 anos da Rede Mundial,

agradecendo pelo empenho de oração e de apostolado em favor da missão da Igreja. Agradecendo também pelos testemunhos precedentemente dados, em seu discurso aos presentes o Pontífice atevese a estes, que descrevem os vários aspectos do serviço de animação espiritual do “Apostolado da Oração”. “A Igreja, através da sua rede de oração e as intenções para cada mês, fala ao coração dos homens e das mulheres do nosso tempo”, disse o papa. “Todos nós, pastores, consagrados e fiéis leigos, somos chamados a entrar na história con-

creta das pessoas que estão ao nosso lado, sobretudo rezando por elas, assumindo na oração suas alegrias e seus sofrimentos. Desse modo responderemos ao apelo de Jesus que nos convida a abrir nosso coração aos irmãos, especialmente aos que são provados no corpo e no espírito”. “Trata-se de uma missão de compaixão pelo mundo, podemos dizer, um ‘caminho do coração’, ou seja, um itinerário orante que transforma a vida das pessoas. O coração de Cristo é tão grande que deseja acolher-nos a todos na revolução da ternura”, frisou Francisco, acrescentan-

n O PAPA FRANCISCO, a quando da audiência ao Apostolado da Oração, na sala Paulo VI, no Vaticano do: “somos chamados a ser testemunhas e mensageiros da misericórdia de Deus, para oferecer ao mundo uma perspectiva de luz onde há trevas, de esperança onde reina o desespero, de salvação onde abunda o pecado”. MUNDO DIGITAL

O Pontífice agradeceu o testemunho de Pe. António (Portugal), que disse como o Apostolado da Oração, entrando no mundo digital, apro-

xima anciãos e jovens, ajudando-os a dar nova vitalidade ao tradicional apostolado da oração. “É preciso que a missão da Igreja se adeque aos tempos e utilize os instrumentos modernos que a técnica coloca à disposição. Trata-se de entrar nos areópagos modernos para anunciar a misericórdia e a bondade de Deus.” O Papa disse por fim que é preciso, porém, prestar atenção, a servir-

se destes meios, especialmente da rede de Internet, sem tornar-se servos dos meios. É preciso evitar tornar-se reféns de uma rede que nos prende, ao invés de ‘pescar peixes’, ou seja, atrair almas para levá-las o Senhor. “O apostolado da Oração, com a sua Rede mundial de oração pelo Papa e em comunhão com ele, recorda que o coração da missão da Igreja é a oração”, concluiu Francisco.


8

IGREJA

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

NAZARÉ REPÓRTER n FEIRA VOCACIONAL DA ARQUIDIOCESE DE BELÉM

C A

Com a atenção aos pequenos e aos pobres vocês poderão acender estrelas na noite de quem sofre. (2 de julho) Bíblia não é um belo livro para guardar na estante, é Palavra de vida a semear, dom que Jesus Ressuscitado pede para acolher para ter a vida em seu Nome. (1 de julho)

RÁDIO NAZARÉ FM 91 .3 MHZ

n FÉRIAS DE JULHO: APROVEITE COM ECONOMIA

TV NAZARÉ CANAL 30.1

n ROMARIA FLUVIAL O Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater de Belém está com ingressos à venda para o Círio Fluvial, que ocorre dia 12 de outubro. O valor arrecadado será destinado à formação de presbíteros para a Amazônia, em especial, para a Arquidiocese de Belém. Ingressos à venda. Mais informações: (91) 3014-3030 ou pelo celular (91) 99146-5196.

n ORDENAÇÃO NA CATEDRAL DE BELÉM Acompanhe ao vivo neste sábado, 6, a Ordenação Diaconal Transitória dos seminaristas Alan Henrique Silva, Francimar Lopes, Leonardo Matias, Paulo Santos e Paulo Victor de Oliveira, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, durante a Missa em Ação de Graças pelo transcurso do 28º aniversário de sua Ordenação Episcopal.

n DIVULGAÇÃO A Paróquia de Jesus Bom Samaritano, no Tapanã, divulgou na última semana do mês de junho o cartaz da festividade, cujo tema “Anunciando o Evangelho de Jesus Cristo na Amazônia – O Espírito Missionário do Samaritano”. A festividade ocorrerá de 11 a 18 de agosto.

PORTAL NAZARÉ WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n PEREGRINAÇÕES Encerra neste sábado, 6, as peregrinações com a imagem de Santo Antônio, promovido anualmente por famílias oriximinaenses residentes em Belém. As peregrinações antecedem a grande festividade do padroeiro no mês de agosto, entre os dias 4 e 18, no município de Oriximiná, no extremo leste do Pará. No dia 6 as famílias participam de Santa Missa pela culminância das visitações.

n SUA COMUNIDADE NO PORTAL Colabore com a produção do Portal Nazaré. Envie sua sugestão de pauta, programação da festividade ou a programação de sua paróquia para o e-mail: portal@fundacaonazare.com.br. Lembre-se! As pautas devem estar de acordo com a missão da Fundação Nazaré de Comunicação: “Promover a formação integral da pessoa humana e a defesa da vida, à luz do Evangelho, através dos meios de comunicação”. Acesse: www.fundacaonazare.com.br Facebook:/FNCBelem e Twitter: @FundacaoNazare.

BOA DICA

AGENDA DE DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA 19h - Missa (Comunidade Sementes do Verbo)

Episcopal e Ordenações Diaconais (Catedral) 19h - Missa (Paróquia Santa Maria Goretti)

n SÁBADO, 6 DE JULHO

n DOMINGO, 7 DE JULHO

10h - Missa em Ação de Graças pelo 28º Aniversário de Ordenação

8h30 - Missa e Crisma (Paróquia Nossa Senhora de Fátima)

17h – Missa - Encerramento do Acampamento da Comunidade Shalom (Chácara Eterna Aliança - Benevides) n SEGUNDA, 8 DE JULHO 18h - Missa (Basílica Santuário)

AGENDA DE DOM IRINEU ROMAN n SEXTA, 5 DE JULHO

n SÁBADO, 6 DE JULHO

19h - Missa - Encontro Regional de Macro com a Juventude Cursilhista (Retiro dos Barnabitas)

10h - Ordenação de Seminaristas da Arquidiocese de Belém (Catedral) 18h – Missa - Acamp’s Shalom

n DOMINGO, 7 DE JULHO 9h - Missa - Pastoral das Ilhas (Missão Jovem) 19h – Missa com Crisma - Paróquia Arcanjo São Miguel

AGENDA DE DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO n SEXTA, 5 DE JULHO Missa - Retiro dos líderes do Setor Juventude da Arquidiocse de Belém n SÁBADO, 6 DE JULHO 10h - Ordenação de Seminaristas da Arquidiocese de Belém (Catedral)

n DOMINGO, 7 DE JULHO 16h30 - Missa (Shopping – Rod. Augusto Montenegro) 19h - Missa - Semana da Juventude Paroquial (abertura) - Paróquia

to consta de feira, shows, teatro, culminando com a Santa Missa.

n CURSO DE FORMAÇÃO O Instituto de Pastoral Regional (Ipar), organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) Regional Norte 2, promove formação missionária, de 15 a 27 de julho, na sede da CNBB N2, na travessa Barão do Triunfo, 3151, entre Almirante Barroso e 25 de Setembro, bairro Marco. Com o tema “Ser Missionário hoje na Amazônia”, o evento objetiva contribuir na formação de missionários para uma evangelização inculturada na Amazônia. O curso é voltado aos agentes de pastoral leigos, religiosos, seminaristas, diáconos e padres. As inscrições seguem abertas no valor de 600,00 reais. Informações e inscrições: (91) 3238-1555 ou (91) 98143-5114.

O tema do programa “Educação e cidadania” de quarta-feira, 10, será “Educação financeira”. Julho é mês de férias escolares e durante esse período os pais costumam planejar o momento para aproveitar em família. O economista Alexandre Damasceno apresenta algumas orientações para curtir as férias sem preocupações com o bolso. Sintonize 91,3 MHz, toda quarta-feira, a partir das 16h e participe! Para interagir, ligue 4006-9211 ou 9.8814-0275 (WhatsApp).

n SEXTA, 5 DE JULHO

“Igreja: geradora e educadora de vocações” é o tema do Show Vocacional 2019 que ocorrerá no dia 17 de agosto, das 17h às 21h, na área da Quadra dos Capuchinhos, avenida Conselheiro Furtado, esquina com a Castelo Branco. Realização da Arquidiocese de Belém, por intermédio do Serviço de Animação Vocacional (SAV). O evento objetiva reunir principalmente os jovens para aprenderem durante um dia de atividades as diversas formas de encontrar sua vocação na Igreja, seja na vida religiosa consagrada, no sacerdócio, no Matrimônio ou como leigo consagrado. O even-

Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo – Conj. Jardim Sideral n SEGUNDA, 8 A QUINTA, 11 DE JULHO 6h30 - Missa (Residência Episcopal)

n O SÍNODO PARA A

AMAZÔNIA- Livro (Paulinas, R$ 15,00)

A

njos são amigos enviados por Deus para guardar nossos passos e defender-nos na nossa caminhada na terra. São mensageiros do amor, da paz, da alegria e da esperança. Estão sempre por perto, socorrendo-nos e intercedendo por nós junto ao Senhor. A Bíblia traz inúmeros relatos da presença dos anjos na vida do ser humano. Pe. Agnaldo relembra alguns deles, mostrando neste livro como essa presença se deu no Antigo Testamento, na vida dos patriarcas e dos profetas, e também no Novo Testamento, na vida de Jesus, dos apóstolos e da comunidade cristã nascente. E também conta um pouco da sua experiência com esses amigos invisíveis.

n PASTORAL DO DÍZIMO - DA COMUNICAÇÃO AO COMPROMETIMENTO – Livro (Paulus, R$ 25,00)

A

Pastoral do Dízimo deve envolver todas as pastorais da paróquia, os movimentos, os serviços e as novas comunidades, porque cuida de todas as pastorais, comunidades e, principalmente, das pessoas. Ela nos remete a uma realidade muito ampla e, ao ser reduzida ao aspecto monetário, desvirtua-se todo o sentido de sua existência na Igreja. Essa é a Pastoral que cuida, orienta a consciência, ensina o desapego, provê, defende e é solidária com as pessoas, assegurando as condições para a celebração digna do mistério pascal, da evangelização, da catequese, da promoção da vida e do cuidado com os pobres. O dízimo é destinado às celebrações, à evangelização e à assistência aos necessitados.


OPINIÃO

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

LENO CARMO

9

(lenocarmo@yahoo.com.br)

SEMEANDO

Na simplicidade de DEUS

A

o longo de nossa vida, muitas coisas vamos percebendo de forma mais clara à medida que o tempo de nossa história passa. Sim, aos poucos, vamos nos dando conta que não podemos perder tempo de expressar o amor que sentimos para quem amamos de forma clara, na simplicidade de um olhar, de um gesto de carinho, de amor, de amizade. Ser família é um pouco disto, de forma singela, expressar, comunicar o amor, seja na presença, seja nas pontadas de saudade, na distância que revela que o amor resiste ao tempo e ao espaço. Com o tempo entendemos que não temos o direito de perder o valioso correr de nossas vidas sem fazer deste

tempo que segue, pitadas valiosas de doces momentos de encontro e de comunicação amorosa, de relacionamentos de bem querer. Há um imenso valor na simplicidade destes instantes, um tesouro que se desvenda diante de nossos olhos, clareando como o sol no amanhecer; timidamente, no andar da existência, espalhando luz, energia, calor, penetrando os espaços, retirando as sombras, diga com todas as letras hoje, agora um ”eu te amo!” há quem se quer bem. O amor é assim, simples, Deus é simples, sua forma de comunicar-se conosco é de uma beleza encantadora, Ele está tão perto de nós que podemos senti-lo em suas criaturas, em sua criação, no mosaico da vida

que ele coloca como um pintor que em um único traço do pincel faz a reviravolta no quadro e enche de cor e alegria dando vida e realce a partir de um pequeno pingo de azul ou amarelo que inicialmente manchou o papel mas permitiu transformar a obra em algo mais encantador que o projeto original. Assim também é Deus, onipotente, criatividade elevada a graus inefáveis, plenitude. Simplicidade, esta é a palavra de Deus para nós, que rima com felicidade, como molhar os pés na água fria e refrescante de um curso d’água no calor de uma manhã de julho, sol a pino e a refrescante sombra no rio que se esconde na mata, um convite a explorar o que o verde

guardou do mistério da floresta, sob o som dos pássaros; simplicidade da brisa que esvoaça os cabelos e acaricia o rosto em um sorriso que este carinho de Deus provoca e propõe. Simplicidade dos pés

ao longo da vida percebemos muitas coisas

não podemos perder tempo de expressar o amor que sentimos para quem amamos de forma clara

molhados lado a lado com os que amamos, sentados à beira do igarapé, brincando de ser feliz, sem estruturas formais, sem planos elaborados, sorrisos, afetos, no abandono ao Senhor que nos cuida com seu amor criativo. Simplicidade como é criar ondas e círculos com o movimento das mãos na água, quando exigimos do mundo tréguas da rotina quase incessante para ouvir a voz do céu e assim, Deus fala-nos por meio de sua criação que o louva com seus sons, sua música, sua comunicação diferente, harmônica. Ternura de Deus como os encontros de pais e filhos, com os braços abertos em um abraço com sabor de infinito, abraços que damos, “o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço”, canta o artista; abraço de mãe, abraço de pai, abraço de irmão, abraço de amigo, abraço de Deus, lágrimas felizes dos que amam, dos que

sentem o amor e aproveitam os instantes para revelar a decisão do bem querer e da promessa do Cristo, que com Ele, a alegria é plena. Simplicidade por fim, dos risos, das gargalhadas infantis que preenchem os espaços e transbordam de alegria os ambientes e transformam até os rostos mais sisudos, fechados, cinzas, por isso é das crianças o Reino dos Céus, daqueles que aceitaram deixar que o Senhor transforme seus corações em almas simples, abertas ao fazer, ao querer de Deus. Que nossos corações percebam a simplicidade do amor que cura e liberta e nos faz filhos de Deus, crianças que buscam em Seu colo o carinho do céu. É fácil ser simples, embora ainda estejamos no aprendizado de querer ser simples. Deus nos ama, O amemos, portanto, em ato, a potência que Ele nos dispôs e capacitou. Que assim seja!

SÍNODO PAN-AMAZÔNICO : um grande projeto.

n Pe. João Mendonça, sdb

O

InstrumentumLaboris (IL) do Sínodo que se realizará em outubro deste ano já está à disposição para leitura e acompanhamento de todos. Os padres e madres sinodais, além desse texto, levarão também suas alegrias e tristezas, esperanças e angústias. O documento é fruto de uma ampla escuta, eu mesmo participei de uma delas em Manaus de 16 a 18/08/19, com outros religiosos e religiosas. Ti-

vemos a oportunidade de colaborar na construção do Sínodo. Com Francisco o Sínodo ganhou uma nova fisionomia, a sinodalidade, quer dizer, a escuta e o discernimento. A Igreja não está em busca de verdades absolutas e dogmáticas, mas dos gritos que brotam da vida do Povo de Deus. O conteúdo do texto tem três colunas: 1. A voz da Amazônia; 2. Ecologia integral: o clamor da terra e dos pobres; 3. Igreja pro-

fética na Amazônia: desafios e esperanças. Pelo esquema geral é possível ver claramente que o Sínodo segue um dinamismo crescente: saber ver, saber avaliar à luz da ecologia integral, saber projetar à luz do profetismo. Isto significa que a “Amazônia é um novo sujeito eclesial” (IL, 2), que precisa ser ouvida, portanto uma Igreja sinodal. A Pan-Amazônia entendida como uma “artéria do continente e do

mundo” (IL, 8), na imagem do grande rio Amazonas, é uma biosfera rica e complexa, formando uma intercomunicação cosmológica que mantém a vida no planeta, formando assim o “bem viver para todos os povos” (IL, 12). No entanto esta vida está terrivelmente ameaçada pelos megaprojetos, assassinatos de lideranças, narcotráfico, alcoolismo, violência contra a mulher, exploração sexual e o tráfico de pessoas (IL, 15), além do desmatamento que poderá gerar um colapso ambiental de grandes proporções. A Amazônia não pode

ser entendida como um museu a céu aberto, mas um mundo multiétnico, multicultural e multireligioso que exige diálogo (IL, 36), no qual a mensagem do Evangelho não gere exclusões e divisões, mas a comunhão na diversidade. Portanto, a Igreja na Amazônia deve ser profética, ou seja, capaz de diálogo, com clara opção pelos pobres, testemunho de vida e busca concreta em favor de uma ecologia integral (IL, 42). Daí a necessidade de uma ecologia integral capaz de gerar justiça e comunicação intergerencial para que a obra criadora de

Deus continue seu processo de vida plena (IL, 50). Tudo isso dentro de uma clara consciência de que vivemos num contexto urbano, no qual 70% a 80% da população vive amontanhada nas cidades (IL, 71), com graves problemas para a sobrevivência no campo da saúde, trabalho, moradia e segurança. O Sínodo é o momento de reflexão dessa complexa realidade local que repercute em todo o planeta. Será celebrado em Roma, considerada o centro da catolicidade. A periferia do mundo vai a Roma, para que Roma venha à periferia.

MUTICOM reúne comunicadores da Igreja em Goiânia

A cidade de Goiânia (GO) sediará a 11ª edição do Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom) no período de 18 a 21 de julho com o tema “Comunicação, Demo-

cracia e Responsabilidade Social”, propondo-se a ser um ambiente de reflexão sobre os caminhos e as perspectivas das relações entre a Igreja Católica, a sociedade brasileira

e a cultura contemporânea, no campo da comunicação. Neste ano o Muticom terá na sua programação o 1º Encontro de Jovens Comunicadores da Signis Brasil, o 10º Encontro de Jornalistas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a cerimônia de entrega dos Prêmios de Comunicação da CNBB. O Muticom será realizado Centro de Pastoral Dom Fernando em ambiente preparado com a ideia de representação de uma cidade, a “Cidade da Comunhão”, item facilitador de uma imersão na realidade urbana

para “viver a comunicação, a democracia e a responsabilidade social”. Os jornalistas João Paulo Charleaux, que atua como repórter especial do Nexo Jornal e é um dos diretores da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji); e Nilson Klava, atualmente é repórter da GloboNews em Brasília (DF), são profissionais já confirmados no evento. Charleaux abrirá o Muticom como conferencista, abordando os três elementos do tema principal do evento. “ GOIÂNIA - Esta é a primeira vez que o en-

contro será realizado na capital goiana. De acordo com o coordenador da Pastoral da Comunicação do regional CentroOeste da CNBB, irmão Diego Joaquim, o 11º Muticom “será um espaço para a formação, a exposição das iniciativas já realizadas e o amplo debate, com presença de grandes pensadores na área para uma reflexão sobre as perspectivas da comunicação na Igreja e na sociedade”. INSCRIÇÕES - A organização do 11º Muticom estipulou a taxa de inscrição para o evento e são s são oferecidas cinco op-

ções de pacotes, os quais “foram pensados na viabilidade do participante em usufruir os benefícios da Cidade da Comunhão”. Os pacotes variam de acordo com o tipo de hospedagem, local das refeições e translado. Para realizar sua inscrição no 11º Muticom, acesse o site oficial do evento: http://muticom.com.br/ O Mutirão Brasileiro de Comunicação é promovido pela CNBB, por meio da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, com apoio do regional Centro-Oeste da CNBB e é realizado pela arquidiocese de Goiânia.


10

EM NAZARÉ

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

NAZARÉ EM DESTAQUE

5 de julho: Dia de SANTO ANTÔNIO MARIA ZACCARIA, fundador dos Barnabitas!

n Por André Patrick Maria Cardoso do Nascimento, CRSP

A

ntonio Maria Zaccaria nasceu no ano de 1502 em Cremona, Itália. Filho de Lazzaro Zaccaria, próspero comerciante, e da nobre Antonietta Pescaroli, o que fez com que em 1520 renunciasse aos bens materiais, reservando para si somente 100 libras imperiais, destinado aos seus estudos. Tendo dois anos de idade, seu pai falecera repentinamente, deixando viúva a jovem esposa, que se dedicou inteiramente à educação de seu filho, importantíssimo tesouro que Deus confia aos casais; como resultado de sua educação cristã, quando ainda era jovem, numa tarde fria, Antonio Zaccaria, andando pelas ruas de Cremona, vê um mendigo que se tremia de frio, aju-

da-o a levantar-se, retira seu manto de veludo e cobre aquele pobre que se tremia de frio. Grande gesto de caridade! No que diz respeito a sua formação humana e cristã, Antonio Maria, formou-se em Filosofia, mas também, decidiu, impulsionado de amor ao próximo, estudar Medicina, pois, considerava a profissão mais nobre a serviço da humanidade. De fato, o recém-formado em Medicina, se doou sem reservas em favor dos necessitados, atendendo-os e até mesmo fornecendo remédios aos pobres. Foi assim que, aos poucos, não obstante a sua relutância, que se encaminhou para tornarse médico integral: corpo e alma; por orientação de seu diretor espiritual, o dominicano Frei Marcelo.

KAROL COELHO

E s t u d o u Te o l o g i a e foi ordenado em 20 de fevereiro de 1529. Chamado por Cristo ampliou seu apostolado ao ser ordenado sacerdote, testemunhando Jesus e a unidade da Igreja num período em que a decadência das ordens religiosas, do clero, exigia não uma Reforma Protestante e, sim, uma santidade transformadora. Impulsionado pela Reforma (interior), com a ajuda de Ludovica Torelli, unido a Thiago Antonio Morigia e Bartolomeu Ferrari, funda em 1530, a Ordem dos Clérigos Regulares de São Paulo, mais conhecidos como Barnabitas, devido à primeira comunidade religiosa situada na Igreja de São Barnabé (Milão). Recebeu das mãos

n MARIA ZACCARIA testemunhou Jesus e a unidade da Igreja do Papa Clemente VII, em 18 de fevereiro de 1533, a benção e aprovação da primeira Família Religiosa Paulina na história da Igreja. Em 1535 fundou também as Irmãs Angélicas de São Paulo, quanto aos Casais de São Paulo, estes desde o começo já estavam

integrados aos trabalhos com o jovem sacerdote. Faleceu em 5 de julho de 1539. Foi canonizado em 27 de maio de 1897. A nós, seus filhos queridos, Santo Antonio Maria Zaccaria deixou grande legado espiritual, para de fato sermos

verdadeiros RENOVADORES DO FERVOR CRISTÃO, iniciando pela fuga da tibieza! Que a exemplo do grande médico e sacerdote, possamos testemunhar a Cristo! Santo Antonio Maria Zaccaria, rogai por nós!

GUARDA MIRIM de Nossa Senhora de Nazaré celebra 19 anos a serviço de Maria! A Guarda Mirim de Nossa Senhora de Nazaré completou 19 anos de fundação, momento celebrado esse momento houve Missa em ação de graças sábado, 29, na Basílica Santuário

de Nazaré. A celebração foi presidida pelo Padre Anthony Maria Pondoc e reuniu a coordenação da Guarda Mirim, os pequenos que integram o movimento, além dos

pais das crianças. Acolhendo meninos entre 5 e 17 anos de idade, a Guarda Mirim atua na Paróquia de Nazaré e também em outras comunidades durante procissões, missas e

demais eventos. Hoje, o movimento conta com a presidência e direção espiritual do padre Luiz Carlos Nunes Gonçalves, reitor da Basílica Santuário de Nazaré.

ALINE ANDRADE

ALINE ANDRADE

n MISSA em ação de graças pelos 19 anos de fundação da Guarda Mirim, na Basílica de Nazaré

Juventude Zaccariana em COLÔNIA de Férias ALINE ANDRADE

O grupo Juventude Zaccariana, que integra a Paróquia de Nazaré, realiza a terceira Colônia de Férias. A programação este ano tem como tema “Jesus, meu primeiro herói”, e acontece no Centro Social de Nazaré.

Focado na evangelização dos pequenos, o evento é direcionado às crianças entre 4 e 12 anos de idade. Os ensinamentos de Santo Antônio Maria Zaccaria, fundador do grupo, embasa os temas da atividade.

n CRIANÇAS brincam durante atividade lúdica

OSPAN promoveu primeira festa junina DIVULGAÇÃO

n EVENTO reúniu membros da Paróquia

DIVULGAÇÃO

Com o objetivo de arrecadar recursos para a manutenção das Obras Sociais da Paróquia de Nazaré, no último fim de semana a administração da OSPAN realizou a sua primeira festa junina, realizada na Casa de Plácido, no Centro Social de Nazaré.

A programação contou com diversas brincadeiras, apresentações culturais, desfile de miss além da venda de comidas variadas. Colaboradores, integrantes da Paróquia de Nazaré e Padres Barnabitas participaram do evento.

n PROGRAMAÇÃO animou a comunidade


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

Catedral homenageia PADROEIRA: Nossa Senhora da Graça

11

LUIZ ESTUMANO

FESTIVIDADE PAROQUIAL compreende de Triduo, Santa Missa e Procissão

A

Catedral Metropolitana de Belém, com o título de Nossa Senhora da Graça, realiza Festa de cunho religioso a padroeira com a temática “Com Maria anunciamos o evangelho do seu Filho Jesus”. Nesta sexta-feira, 5, ocorre a abertura da festividade com Santa Missa, na Catedral, localizada em frente à Praça Dom Frei Caetano Brandão, s/n, bairro Cidade Velha, às 19h, e em seguida programação cultural. As homenagens em honra a Nossa Senhora da Graça ocorrem até

a próxima terça-feira, 9, e compreende de Tridou, Santa Missa e Procissão. A Catedral Metropolitana de Belém - Paróquia de Nossa Senhora da Graça - é um importante templo religioso, pois foi a primeira Igreja da Arquidiocese de Belém, fundada em 1617. Segundo o cônego Roberto Cavalli Júnior, Cura da Sé, o tema da festa paroquial, dedicada a Nossa Senhora da Graça, padroeira da Paróquia, está em sintonia aos 300 anos de criação da Diocese de Belém (1719-2019).

De 6 a 8, a festividade compreende de Triduo às 18h30 e Santa Missa às 19h. Na terça-feira, 9, Dia da Solenidade de Nossa Senhora da Graça, haverá Santa Missa às 19h e em seguida Procissão. “Nós queremos que essa festa possa ajudar as pessoas a refletirem sobre a sua caminhada de Igreja, sobre o seu Anúncio do Evangelho; como anda a sua evangelização, como anda a sua vida de fé e Maria para nós é um exemplo. Maria foi a primeira discípula, Maria foi a primeira a acolher a Palavra Deus na

vida, acolheu o próprio Verbo encarnado no seu ventre e nos ensina com a sua vida a ser perseverante fazer parte da Igreja com Mãe da Igreja e, que possamos, com Maria continuar anunciando o Evangelho do seus Filho Jesus”, disse o cônego Roberto Cavalli Júnior, acerca da festividade. DA GRAÇA

A Paróquia Nossa Senhora da Graça foi fundada em julho de 1617, sendo a primeira Igreja de Belém, pertencente ao Bispado da Bahia, chamada, na época de

n IMAGEM de Nossa Senhora da Graça no interior da Catedral

Freguesia de Nossa Senhora da Graça. A imagem de Nossa Senhora da Graça ficava na custodia no Forte do Castelo onde, foi construída uma capela, que logo foi transferida para uma clareira na mata onde hoje fica a Catedral de

Belém, naquela época conhecida como Igreja Matriz. A Catedral Metropolitana de Belém é um importante marco na história da Arquidiocese de Belém, pois foi a primeira Igreja da Arquidiocese, neste mês completa 402 anos.

Benevides realiza círio em homenagem à PADROEIRA DO MUNICÍPIO Em Benevides, a Matriz da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo promove festividade em honra a padroeira da Ordem dos Carmelitas, Nossa Senhora do Carmo, de 13 a 21 julho. “Com Nossa Senhora do Carmo Vamos evangelizar” é o tema da festividade desse ano que, tradicionalmente, realiza o Círio de Nossa Senhora do Carmo no segundo domingo do mês de julho, ocorrer no próximo domingo, dia 14, edição de número 64. Em preparação para a festividade da padroeira do município, a matriz, promove desde maio visitas da imagem peregrina de Nossa Senhora do Carmo em repartições públicas e privadas, em institui-

ções de ensino e em Comunidades pertencentes a Matriz da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, que seguem até a próxima quarta-feira, 10. Segundo padre Hélio Fronczak, pároco da paróquia, o tema da festividade desse ano “Com Nossa Senhora do Carmo Vamos evangelizar”, está em sintonia com o tema dos 300 anos da criação da Diocese de Belém “Anunciando o Evangelho de Jesus Cristo na Amazônia”, sendo uma ‘Igreja em Saída’. A abertura da Festividade, dia 13, haverá Santa Missa na matriz, localizada na Avenida Nações Unidas, s/n, no município de Benevides, às 19h, e, em seguida, ocorre a Trasladação da imagem de

Nossa Senhora do Carmo rumo à Comunidade de São Sebastião, na Vila de Canutama, em Benevides. No dia seguinte, domingo, dia 14, ocorre o Círio de Nossa Senhora do Carmo, com Santa Missa, às 7h30. A procissão do Círio de Nossa Senhora do Carmo, inicia às 8h30 rumo à Matriz. À chegada, haverá Santa Missa. Neste dia, à noite, às 18h30 Ofício e às 19h Celebração Eucarística. Na terça-feira, 16, ocorre o Círio das crianças às 8h, com saída do Carmelo rumo à Matriz. A programação litúrgica da festividade consta de Ofício às 18h30 e Celebração Eucarística às 19h, e seguem até o dia 21, conclusão da festividade, assim como a programa-

LUIZ ESTUMANO

n CÍRIO DE NOSSA SENHORA DO CARMO reúne fiéis em Benevides, no segundo domingo do mês de julho

ção cultural, no salão paroquial, com atrações culturais e comidas típicas. CÍRIO

O primeiro Círio de Benevides foi realizado em 10 de julho de 1955, assistido pelo padre Marcos Schawalder, vigário de Santa Izabel do Pará, na época. Na véspera da primeira edição do Círio a imagem de Nossa Senhora do Carmo foi trasladada da casa São Jorge para a capelinha de São Sebastião na Comunidade de Canutama. No dia do Círio, a imagem da Virgem do Carmo, retornou para a Igreja Matriz em pequena romaria. Na época, poucas pessoas participaram da manifestação de fé a Nossa Senhora do Carmo. O primeiro Círio realizou-se por iniciativa de fiéis católicos da época, que, inspirados no Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em

Belém. Escolheram o segundo domingo do mês de julho para manifestação de fé e devoção à padroeira do povo benevidense, cuja tradição é mantida até hoje. ESCAPULÁRIO: OBJETO DE DEVOÇÃO

No século XI, um grupo de homens dispostos a seguir Jesus Cristo, reuniram-se no Monte Carmelo, em Israel. Ali construíram uma capela em honra de Nossa Senhora. A palavra “Carmelo” quer dizer: jardim ou pomar. Nascia ali os carmelitas, ou a Ordem dos Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo. Os carmelitas, anos depois mudaram-se para a Europa e passavam por grandes dificuldades. No dia 16 de julho de 1251, quando rezava em seu convento de Cambridge, Inglaterra, S. Simão Stock, superior geral da

Ordem, pediu a Nossa Senhora, um sinal de sua proteção, que fosse visível aos seus inimigos. Recebeu, então, de Nossa Senhora o escapulário, com a promessa: “Recebe, filho amado, esse escapulário. Todo o que com ele morrer, não padecerá a perdição no fogo eterno. Ele é sinalde salvação, defesa nos perigos, aliança de paz e pacto sempiterno. O escapulário é sinal da proteção de Maria. A festa de Nossa Senhora do Carmo é celebrada todo 16 de julho, desde 1332, e foi estendido à Igreja Universal no ano de 1726, pelo papa Bento XIII. São João Paulo II, quando papa, declarou que usava o escapulário desde sua juventude, e escreveu: “O Escapulário é signo de aliança entre Maria e os fiéis. Traduz concretamente a entrega, na cruz, de Maria ao discípulo João” (Jo 19,25-27).


12

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 5 A 11 DE JULHO DE 2019

FAMÍLIA NAZARÉ

Dia 5, a Missa pela FAMÍLIA NAZARÉ AÇÃO DE GRAÇAS pela vida dos benfeitores da evangelização

S

exta-feira, 5, a Fundação Nazaré de Comunicação celebrará a Ação de Graças pelos benfeitores da Família Na-

zaré. A Santa Missa mensal será preparada desde às 14h30 com a recitação do Santo Terço pelo do Movimento Arquidiocesa-

no do Terço dos Homens “Mãe Rainha”, momento que precede a Eucaristia e é transmitido ao vivo pela Rede Nazaré de Te-

levisão – canal 30. Às 15h terá início a Santa Missa na capela da Fundação Nazaré de Comunicação, transmitida também ao vivo, simultaneamente, pela Rádio Nazaré FM (91.3 Mhz) e pela página da Fundação Nazaré no Facebook, além do site da Fundação Nazaré (www. fundacaonazare.com.br). A Missa pelos benfeitores ocorre sempre na primeira sexta-feira do mês. A Santa Missa deste mês será presidida pelo padre Gelcimar Santos, páro-

co da Paróquia Divina Providência. Os benfeitores que quiserem, podem participar da celebração na capela da Fundação Nazaré, situada na avenida Governador José Malcher, 915, edifício Paulo VI, no bairro de Nazaré, área central de Belém. SEJA UM BENFEITOR Quem não faz parte ainda da Família Nazaré pode fazer seu cadastro no Portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br/cadastro) ou ligar para o número

4006-9211/4006-9212. O benfeitor é qualquer pessoa que, de boa vontade, possa contribuir com a missão evangelizadora da Arquidiocese de Belém, como um sócio evangelizador, passando a fazer parte da família de benfeitores, a chamada Família Nazaré. A contribuição dos benfeitores é investida na manutenção do trabalho de evangelização realizado pela Fundação Nazaré de Comunicação.

ESTUDANTES visitam a Fundação Nazaré de Comunicação A Fundação Nazaré recebeu no dia 27 de junho a visita de um grupo de alunos da Escola Estadual Almirante Renato Guillobel para conhecer as instalações da instituição que abriga os veículos de Comunicação Social da Arquidiocese de Belém. Acompanhados de professores, os estudantes participaram de visita guiada à Fundação. À chegada, os estudantes foram acolhidos por Elyvane Barbosa, coordenadora da Rádio Nazaré FM. Na ocasião, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer as dependências da instituição, iniciando pela TV Nazaré. Em se-

guida, estiveram na redação e conheceram todo o processo de produção dos veículos de comunicação. Os alunos conheceram ainda o trabalho realizado pelo Portal Nazaré e pelo Jornal Voz de Nazaré. A visita encerrou-se no estúdio na Rádio Nazaré FM, onde os alunos também tomaram conhecimento de como se desenvolve a produção jornalística para uma emissora radiofônica, a partir das explicações da coordenadora Elyvane Barbosa. Ao final da visita, os estudantes revelaram muita satisfação em conhecer a Fundação Nazaré.

LORENA SARAIVA

n ESTUDANTES manifestaram interesse em conhecer o processo de produção jornalística dos veículos da Fundação Nazaré de Comunicação

NOSSOS ANIVERSARIANTES 05/07 Odete Tavares da Silva Maria do Socorro Silva Resque Pedro Antônio Ramos Leite e Elizabeth Paulo César dos Santos Lemos Martha Maria Ferrari Nassar Casal José Maria de Araújo Barros e Déria Maria dos Santos Barros Nizomar Oliveira da Trindade Neuzilene de Souza Campos Ronaldo Ribeiro Teixeira

07/07 Maria Jeanete Vieira Valente do Couto Fernando Avelino Neves Ana Catarina de Paiva e Silva Isa Lima de Sena Alda Maria P. R. Silva Maria das Graças Gomes de Souza Alice Marques Secco Edson Neves Fernandes Ângela Miranda Nogueira Stanley Diego Soares Tavares

06/07 Marina Leda Darwich Oneide Possas Ventura Lindalva Santos Mendes Josefina Uchôa Corrêa Maria Vieira da Costa Terezinha de Jesus Vilhena Pereira Antônio Maria Silva de Oliveira Maria de Lourdes Magalhães Muniz Elza Maria Bezerra da Silva Ana Cecília Guerreiro Diniz Ana Maria da Costa Medeiros Ana Lúcia Castelo do Monte Oliveira Maria José dos Santos Gomes Izildinha Maria Pinheiro de Sousa Paulo Sérgio Batista Ramos Paula Doriani dos Santos Bormann Marília Vasconcelos Joyce da Silva Farias Odenaldo da Silva Monteiro

08/07 Risoleide Lopes Borges Nazareno Pantoja da Silva Maria Emília Souza de Castro Núbia de Cássia Carneiro Coimbra Paulo Sérgio da Silva Cordeiro Júnior Raimundo Mota Gomes 09/07 Joana D’Arc Guimarães de Oliveira Pe. Jaime de Moura Pereira Wanda Ayres Nunes Edvardo Vasconcelos de Albuquerque Darci Bezerra Galvão Maria do Carmo da Silva Moraes Maria Iracema Brasil Viana Fátima Sousa Conceição Carvalho Manoel Batista da Costa Vitória Maria Silva Lara Waldileia Brito Cunha Francisca de Albuquerque Ferreira

Ajax Luiz Rodrigues Favacho C a s a l L e a n d ro B a r b o s a M o t a e Elisãngela G. Barbosa 10/07 Maria do Faro Lopes Chaves Domingas Oliveira Santos Nina Antônia do Nascimento Venâncio Maria Raimunda da Costa Lobato Maria Amélia Salomão Barile José Maria do Amaral Mota Valderina Nascimento da Silva Joana Lúcia do Carmo de Souza Antônia Maria Braz Maciel Cristiane Baia Campelo Lima Flávia Vieira Amorim 11/07 Zulma Martins de Jesus Maria Helena Fortunato da Silva Iracy Marques do Nascimento Raimunda Gregório da Silva Anette Macedo Alegria Maria de Nazaré Fiuza de Melo Pereira Maria Sueli Santos Nascimento/Maria Marlene da Silva Santos Ana Lúcia Sousa Marluce do Socorro Franco Oliveira Gélzia do Socorro Alves Pinto Sílvio Carlos Azevedo Andrade Amanda Caroline Soares Grupo AMAR (Amigos da Mãe do Rei) Heronildes Ferreira Dias

N

este aniversário agradeço a Deus pelo dom da vida e por também ser a data que marca um ano de um grande livramento em minha vida.

AMANDA CAROLINE SOARES Pedagoga, 35 anos (11/07)

n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 05/07 - Diác. Ruberval Cardoso Pantoja 06/07 - Pe. Gelcimar Souza Santos 07/07 - Pe. José Costa Nunes 08/07 - Diác. José Walter de Carvalho Rolim 09/07 - Côn. Jayme de Moura Pereira 09/07 - Diác. Ismael Palheta Cabral 10/07 - Pe. Paulo Cezar Falcão da Rocha 10/07 - Diác. Manoel Paulo da Silva n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 06/07 – Pe. Cleiton Marques da Silva Liker 06/07 – Pe. Glaucon de Oliveira Feitosa 06/07 – Pe.Glebson Joan Nunes Rodrigues 06/07 – Pe. Isan Alves Vieira 06/07 – Pe. Márcvio José Sousa Motta 06/07 – Pe. Maurício Dias do Mar 06/07 – Pe. Plínio0 Moraes Pacheco 06/07 – Côn. Roberto Emílio Cavalli Júnior 06/07 – Pe. Thiago Barros dos Santos 06/07 – Diác, Marcelo Daniel Lopes 08/07 – Pe. Lucivaldo Corrêa da Silva 08/07 – Diác. José dos Santos Ventura

Profile for Fundação Nazaré de Comunicação

Voz de Nazaré  

Edição de 5 a 11 de julho de 2019.

Voz de Nazaré  

Edição de 5 a 11 de julho de 2019.

Advertisement