Voz de Nazaré

Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

ANO CV - Nº 887- PREÇO AVULSO: R$1,00

BELÉM, DE 2 A 8 DE AGOSTO DE 2019

www.fundacaonazare.com.br

Belém recebe Barco-hospital Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, presidirá cerimônia de envio da missão do Barcohospital Papa Francisco no próximo dia 17, quando a embarcação aportará na capital paraense. PÁGINA 12. FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n PROGRAMAÇÃO com barco-hospital Papa Francisco em missão na Amazônia foi tratada com Frei Francisco Belotti (à direita) em reunião em Belém

RELÍQUIA de Santo Inácio CIPA toma posse Peça é de primeiro grau está na Paróquia Santo Inácio de Fundação Nazaré de Comunicação empossou comissão de prevenção de acidentes de trabalho. PÁGINA 12. Loyola, no município de Ananindeua. PÁGINA 7.

n RELÍQUIA de Santo Inácio de Loyola pode ser venerada no Icuí

n POSSE equipe da CIPA foi empossada pelo diretor Marcos Aurélio

ALTAMIRA: manifesto SIMPÓSIO Teológico CNBB e Arquidiocese de Belém repudiam violência extre- Faculdade Católica de Belém realiza evento para aprofunma ocorrida no presídio regional de Altamira. PÁGINA 6. dar temas da Teologia e do Direito à luz da fé. PÁGINA 7. Loyola, no município de Ananindeua.


2

OPINIÃO

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

JOÃO CARLOS PEREIRA

PE. HELIO FRONCZAK

Jornalista e professor (jcparis1959@gmail.com)

heliofronczak@gmail.com

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU ...

PRIVILÉGIO DE SER CATÓLICO

Correndo ao encontro de Jesus

H

á um soneto de Gregório de Mattos Guerra, o maior nome da poesia barroca do Brasil, que começa assim: “A vós correndo vou, braços sagrados, /Nessa cruz sacrossanta descobertos/ Que para receber-me estais abertos/E por não castigar-me estais cravados”. Acho linda essa imagem do poema “Buscando a Cristo”, porque mostra a pressa em ir ao encontro do Redentor. Na semana passada, durante a santa Missa, assisti a uma cena que traduziu exatamente o que disse o poeta, lá atrás, no século XVII. Muita gente deixa para se confessar na hora da Missa e espera o instante da reconciliação com o Senhor. Uma senhora entrou no

confessionário um pouco antes de começar a distribuição da Sagrada Eucaristia. Não fiquei reparando o tempo que ela permaneceu, como se diz em Portugal, ao pé do padre, porque, além de não ser da minha conta, estava envolvido com minhas orações. Fui comungar, voltei para meu lugar e, quando estava encerrando meu agradecimento, vi a porta do confessionário se abrir e ela sair correndo – literalmente – para receber a hóstia. Não sei, nem imagino, que penitência tenha recebido, mas o certo é que correu para ver se ainda chegava a tempo de receber Jesus Eucarístico. Pelo ar de felicidade que trazia no rosto, imagino

que sim. Um gesto simples, banal, chamou minha atenção e me fez pensar no quanto aquela criatura estava necessitada de fazer a Comunhão, de ir ao encontro com Jesus vivo e presente, oferecido a todos nós de forma generosa, num lindo e incomparável gesto de amor. Graças a Deus, longas filas se formam diante do sacerdote ou dos ministros que o auxiliam a distribuir a Eucaristia. Mas penso que há mais gente sentada do que recebendo a Comunhão. Nessa hora me pergunto: por que as pessoas não comungam? Jesus está tão perto de nós e, por uma bobagem qualquer, não O acolhemos. Isso é tema para outra crônica.

Esvaziamento recíproco

"Q

ue sejam como nós uma só coisa” (Jo 17, 22). Esta frase do Evangelho menciona um dos típicos “como” do Novo Testamento - “ama o teu próximo como a ti mesmo”, “amai-vos como eu vos amei”, “sejam perfeitos como o Pai celeste é perfeito”, etc… -. Neste caso, Jesus pede ao Pai que os cristãos – e, em consequência, toda a humanidade - sejam um como ele e o Pai são um, portanto, pede que nós vivamos como as pessoas divinas, isto é, de modo trinitário. A unidade humana é chamada a realizar-se “ao modo” da unidade divina; o “como” da relação humana tem as suas raízes na participação ao “como” trinitário das relações divinas. Já comentamos nas semanas passadas que é a KÉNOSE que torna possível a

unidade trinitária, seja na vida das pessoas divinas como também entre nós. E também já lembramos que no evento pascal (crucificação, abandono, morte e ressurreição de Jesus) se encontra o ponto mais alto no qual se verificou na história a dinâmica de vida do Deus Uno e Trino. É este, portanto, o “lugar” por excelência para o qual devemos olhar para penetrar na compreensão da trinitariedade de Deus e para realizar o destino trinitário ao qual é chamada a humanidade inteira. O teólogo Piero Coda assim exprime esta realidade: “O rosto do Deus cristão que, sinteticamente, é expresso na frase “DEUS É AMOR”, se revela historicamente no abandono de Cristo na cruz como amor trinitário. O Pai por amor doa o

Filho, o Filho por amor doa Ele mesmo, vivendo profundamente a situação do afastar-se de Deus na qual a humanidade pecadora se encontra, e vence esta situação na “reencontrada” unidade com o Pai no Espírito Santo. O abandono é portanto o momento-cume da revelação histórica do Deus trinitário”. Esta lei da vida trinitária que é, portanto, um princípio-guia para nós podermos realizar uma experiência trinitária nos relacionamentos interpessoais, pode-se sintetizar assim: “Não pode existir unidade trinitária sem uma kénose recíproca, ou seja, sem um evangélico “esvaziar-se” ou um despojamento de si, sem o perder-se um no outro por amor que permite a cada um ser ele mesmo em plenitude

IVENS COIMBRA BRANDÃO

JOSÉ PEREIRA RAMOS

Engenheiro civil e escritor (ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com)

Economista e escritor (joseulina1@gmail.com)

PANORAMA

ENCONTRO FRATERNO

Famílias incompletas

"N

aquela mesa está faltando ele / E a saudade dele está doendo em mim”. São versos de autoria do hoje saudoso jornalista Sérgio Bittencourt em homenagem ao seu pai, Jacob do Bandolim, um dos maiores músicos de ‘choro’ do Brasil. Seja pelo falecimento de um dos cônjuges, ou pela ruptura do compromisso matrimonial, a família torna-se incompleta. Enquanto o falecimento não depende dos cônjuges, a rescisão do contrato civil é efetivada pela vontade humana. Segundo dados estatísticos levantados pelo IBGE, entre 1984 e 2016, o número de dissoluções vem aumentando. Em 1984 representavam 10%

Abundância de bens

do universo de casamentos, saltando para 31,4% em 2016. Em números absolutos, dos 1.1 milhão de casamentos realizados no período, ocorreram 344 mil separações. Ou seja, em cada três casamentos realizados, aconteceu uma separação. Sobre os motivos que levam à separação, um especialista listou os cinco principais. Ouvidos homens e mulheres, as alegações são as mesmas, alterando somente a ordem de importância. Na oportunidade, listo na ordem alfabética: desgaste no relacionamento (falta de respeito); desgaste do relacionamento com familiares do cônjuge; falta de dinheiro; problemas de relacionamento com os filhos; e relacio-

namento extraconjugal. Passando-se das causas para as consequências, o maior prejuízo fica para os filhos. Considerada a alteração do Código Civil em 2014, instituindo a guarda compartilhada, segue o comentário do advogado de família, Danilo Montemurro: “Condenar a criança a passar sua infância com uma mochilinha nas costas, dormindo cada dia em um lugar diferente é indesejável e cruel”. Neste mês de agosto, quando os pais serão homenageados, fazemos votos que a família esteja completa, que o pai e a mãe estejam presentes, para que os filhos sintam que são frutos da perseverança no amor conjugal.

P

rosseguindo no relato do Evangelho de Lucas, a liturgia do 18º Domingo do Tempo Comum chama-nos a atenção para a busca dos bens materiais, esquecendo os espirituais. Busca que nos leva para a ambição, o desejo de ter mais, esquecendo-nos de ser mais. Há um longo caminho entre este “ter” ou “ser”. Muitas vezes os homens se confundem e querem “ser” mais, para mais possuírem. Ao longo da leitura do Evangelho de Lucas, vamos sentindo como Jesus foi esclarecendo e instruindo seus discípulos, sobre os mais variamos temas que enfrentamos na nossa vida cotidiana. E este é um tema em gran-

de evidência na sociedade atual. Quanta gente lutando para “ter” mais! Essa luta se expande por outros conceitos como a vaidade e a inveja. Conceitos que desvirtuam muitas pessoas para o caminho da criminalidade, esquecendo-se do próximo, dos irmãos. Enquanto escrevo, a TV passa uma entrevista de um grupo que distribui durante a noite sopa a moradores de rua, em São Paulo, num bonito trabalho de solidariedade. Acabamos, porém, de ouvir o lamentável relato de um milionário roubo de ouro no aeroporto da mesma grande cidade. São duas exceções, em dois parâmetros tão diferentes.

Se passarmos para o noticiário político, vamos ver como a ambição comanda as principais decisões. Muitos daqueles que deveriam defender o povo ou a Nação, defendem os interesses de grupos, colocando seus desejos em primeiro lugar. Se lessem o Evangelho, iriam ver que não adiantou o homem possuir tanta coisa, que não tinha nem onde colocar. Faleceu repentinamente e nada levou. Concluindo: A única coisa que levaremos é o bem que praticarmos. Esse será o fiel da balança. A consciência livre, a dignidade e a honra serão a melhor herança que poderemos legar aos nossos descendentes.

Formação para RCC BELÉM A Renovação Carismática Católica de Belém (RCC) realizará o primeiro módulo da Formação de formadores nos dias 17 e 18 deste mês. O evento é destinado a todos os membros do movimento que almejam tornarem-se um formador, seja como coor-

denador (de região, de setor e de grupo de oração), seja como agente que atua na formação específica dos Ministérios da RCC. O evento visa o aprimoramento técnico e prático do futuro formador através de temáticas específicas, orientando-os quanto ao Proces-

Fundado em 5 de julho de 1913 FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Antônio de Assis Ribeiro Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará

so Formativo da RCC, o planejamento formativo, a organização e a metodologia da própria formação, favorecendo o estudo dos documentos da Igreja e sua respectiva aplicação na formação do movimento. A RCC Belém está ofertando 50 vagas e a forma-

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marcos Aurélio de Oliveira DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves da Silva DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Kleber Costa Vieira

ção ocorrerá no salão da Paróquia Imaculada Conceição, localizado na passagem Snapp, nº 9, bairro da Castanheira. As inscrições podem ser feitas diretamente no site oficial do evento no endereço: https://www. e-inscricao.com/rccbelem/ formacaoformadores

COORDENAÇÃO Bernadete Costa (DRT 1326) CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Alan Monteiro da Silva EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Av. Gov. José Malcher, Ed. Paulo VI, 915 CEP: 66055-260

- Nazaré, Belém - PA Tel.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


ARCEBISPO

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA

3

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

E

stamos empenhados em buscar juntos as indicações para os vários aspectos da vida cristã. E um dos grandes desafios para os cristãos é o uso dos bens da terra. Somos iluminados pela Palavra de Deus e pelos desdobramentos dela nascidos, presentes no Ensino Social da Igreja. Ao participar da Missa do domingo, ouviremos o texto do Evangelho de São Lucas que nos orienta nesta direção (Lc 12,1321): “Alguém do meio da multidão disse a Jesus: ‘Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo’. Ele respondeu: ‘Homem, quem me encarregou de ser juiz ou árbitro entre vós?’ E disse-lhes: ‘Atenção! Guardai-vos de todo tipo de ganância, pois mesmo que se tenha muitas coisas, a vida não consiste na abundância de bens’. E contou-lhes uma parábola: ‘A terra de um homem rico deu uma grande

Separar sempre o que é justo para devolver a Deus através do dízimo em nossa Igreja colheita. Ele pensava consigo mesmo: Que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita. Então resolveu: Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, goza a vida! Mas Deus lhe diz: Tolo! Ainda nesta noite, tua vida te será tirada. E para quem ficará o que acumulaste?Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não se torna rico diante de Deus”.

CONVERSA COM MEU POVO Não é difícil encontrar situações em que a partilha de heranças resultou em grandes litígios entre familiares. É também conhecido o que acontece com o dinheiro de loteria, quando a importância recebida sem luta e sem o suor do rosto resulta em gastanças e malversação dos bens. E nem ficam distantes de nós as brigas no interior por causa de meio metro de cerca, ou os assassinatos e chacinas que ainda se multiplicam, manchando de sangue esta terra de Deus. Afinal de contas, é justo acumular os bens e buscar o sustento pessoal e familiar adequado? É pecado investir dinheiro, mesmo que seja no meio mais simples que é a poupança? E posso desejar ter bens como casa, carro e outras expressões de conforto? Posso julgar aquela pessoa que luta com todas as forças para ter casa própria, e se sente contente por ter, mesmo que seja com simplicidade e limites, aquele bem tanto desejado? Acolhamos a palavra do Papa Francisco: “Não somos Deus. A terra existe antes de nós e foi-nos dada. Isto permite responder a uma acusação lançada contra o pensamento judaico-cristão segundo a qual a narração do Gênesis, que convida a dominar a terra (Cf. Gn 1, 28), favoreceria a exploração selvagem da natureza, a p re s e n t a n d o u m a imagem do ser humano como dominador e devastador. Mas esta não é uma interpretação correta da Bíblia, como a entende a Igreja. Se é verdade que nós, cristãos, algumas vezes interpretamos de forma incorreta as Escrituras, hoje devemos decididamente rejeitar que, do fato de ser criados à imagem de Deus e do mandato de dominar a terra, se deduza um domínio absoluto sobre as ou-

O USO DOS BENS tras criaturas. É importante ler os textos bíblicos no seu contexto e lembrar que nos convidam a cultivar e guardar o jardim do mundo (Cf. Gn 2, 15). Cultivar quer dizer lavrar ou trabalhar um terreno, guardar significa proteger, cuidar, preservar, velar. Isto implica uma relação de reciprocidade responsável entre o ser humano e a natureza. Cada comunidade pode tomar da bondade da terra aquilo de que necessita para a sua sobrevivência, mas tem também o dever de a proteger e garantir a continuidade da sua fertilidade para as gerações futuras. Em última análise, ‘ao Senhor pertence a terra’ (Sl 23, 1), a ele pertence ‘a terra e tudo o que nela existe’ (Dt 10, 14). (Cf. Laudato si 67-68) O Compêndio da Doutrina Social da Igreja (Número 172) ensina que o princípio da destinação universal dos bens da terra está na base do direito universal ao uso dos bens. Todo homem deve ter a possibilidade de usufruir do bemestar necessário para o seu pleno desenvol-

Para quem ficará o que acumulaste?

Podemos rever nossas posses e guardados, para verificar o que é supérfluo e pode ser colocado à disposição dos outros

vimento. O princípio do uso comum dos bens é o primeiro princípio de toda a ordem ético-social e princípio típico da doutrina social cristã. Trata-se, antes de tudo, de um direito natural, inscrito na natureza humana. É inerente a cada pessoa, e é prioritário em relação a qualquer intervenção humana sobre os bens, a qualquer regulamentação jurídica dos mesmos, a qualquer sistema e método econômicosocial. Todos os outros direitos, quaisquer que sejam, incluindo os de propriedade e de comércio livre, estão-lhe subordinados: não devem portanto impedir, mas, pelo contrário, facilitar a sua realização; é um dever social

grave e urgente conduzi-los à sua finalidade primeira. Nós temos necessidade do pão de cada dia, e Deus nos ensinou a pedir este pão. Precisamos de tudo o que nos serve, roupa, casa, trabalho. O que Deus condena é a cobiça, o desejo incontrolável da posse e do poder, a arrogância, o senso de superioridade ligado à riqueza. Trata-se da pessoa que diz ser segura apenas por ser rica, pensando ser autossuficiente, sem descobrir que os bens são um meio e não a finalidade da vida. É como perder de vista a meta da viagem da vida! Algumas propostas

podem ajudar-nos. Podemos rever as nossas posses e guardados, para verificar o que é supérfluo e pode ser colocado à disposição dos outros. Há muita coisa acumulada, com a desculpa de que um dia poderá servir, e nunca vem a ser utilizada. Podemos ainda

DIVULGAÇÃO

comprometer-nos seriamente com obras a instituições que cuidam do serviço ao próximo e da caridade. Vale ainda abrir os nossos olhos, os braços e o bolso para fazer o bem ali bem pertinho de nós, onde existem pessoas sofrendo, e muitas vezes caladas ou oprimidas. Além disso, ao verificar o que nos cabe no ganho mensal, separar sempre o que é justo para devolver a Deus através do dízimo em nossa Igreja e o que pode ser partilhado em beneficência. E isso vale para todos, inclusive porque sabemos que as mãos mais pobres são as que mais se abrem para tudo dar!


4

IGREJA

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

CÔN. CLÁUDIO BARRADAS (claudiobarradaspe@gmail.com)

MISCELÂNEA

OS CARMELITAS em Belém

N

a edição de 19 a 25 de julho, ao falar da Igreja do Carmo, na Cidade Velha, escrevi, quase no final: “Em 1690, por, não sei como, encontrarem-se (saiu, erradamente, encontraram-se) em ruínas, a casa e a capela foram demolidas e, no mesmo ano e nesse mesmo lugar, iniciou-se a construção da Igreja e do Convento atuais.” Errado, erradíssimo,

A construção da segunda Igreja teve as obras intertidadas em 2 de julho de 1696 pois essa foi a segunda, enquanto que a atual, a terceira, teve a construção iniciada aí por volta – digo por volta porque não tenho a data exata – de 1706. Para pôr as coisas no seu devido lugar, elenquemos as sucessivas construções da referida igreja. Ao chegar a Belém, em janeiro de 1626, provenientes do Ma-

ranhão, os Carmelitas Calçados, ou da Antiga Observância, instalaram-se em um sítio, cuja localização ignoro, e nele ergueram uma modesta capela. Um ano depois, ou seja, em 1627, no dia 31 de maio, o CapitãoMor da Capitania do Grão-Pará, Bento Maciel Parente, e seu filho, do mesmo nome, Capitão de Infantaria, doaram-lhes para residência uma casa de campo, de taipa-pilão, situada na atual Travessa Siqueira Mendes, àquela época Rua do Norte, num terreno alagadiço próximo aos “Baixos do Juçara” que, na minha crassa ignorância, não sei o que eram. Ah aqui, o saudoso Augusto Meira Filho, profundo conhecedor da nossa Belém, para, generoso como sempre, me tirar desse sufoco! Ao lado dessa casa, que lhes servia de convento, os religiosos apressaram-se em construir uma pequena capela, dedicando-a a Nossa Senhora do Carmo, ancestral, digamos assim, da primeira igreja propriamente dita, a primeira Igreja do Carmo, cuja construção iniciada

(CONTINUAÇÃO) LUIZ ESTUMANO

por eles em 1690. Foi, repito, a primeira e, não, a atual, como erradamente afirmei na edição citada no início desta matéria. A construção da segunda Igreja do Carmo teve as obras interditadas em 2 de julho de 1696, por terem descoberto que aí fora, no passado, sepultado um excomungado. Inconformados com essa interdição, os carmelitas apelaram para a Justiça Real de Lisboa, cuja decisão, datada de 21 de abril de 1700, foi-lhes favorável, prosseguindo-se imediatamente a cons-

Esse segundo templo foi demolido, por volta de 1766, e em seu lugar foi construído o terceiro

Landi foi o autor das novas molduras e fachadas da igreja definitiva

n O INTERIOR da atual Igreja do Carmo, Cidade Velha

trução – da segunda igreja, repito – concluída em 1721. Esse segundo templo foi demolido, por volta de 1766, e em seu lugar foi construído o terceiro, este, sim, o atual, em estilo barroco italiano de importação portuguesa, estilo predominante nas igrejas da época, posteriormente modificado pelas influências locais. As obras estavam em andamento quando assumiu-lhes o comando o inigualável arquiteto-régio bolonhês Giuseppe Anto-

nio Landi, objeto da minha próxima série de artigos, uma vez que finda esta. Landi foi o autor das novas molduras e fachadas da igreja definitiva, a que até hoje está lá, em alvenaria de pedra. A cantaria da fachada, toda em pedras de liós talhadas em Portugal e de lá trazidas em caixotes, graças à generosidade dos fiéis. Também muito contribui para o êxito desse empreendimento o ilustre cametaen-

se coronel Hilário de Morais Bittencourt. Embora as obras estivessem inacabadas, pois os altares laterais e a capela da Ordem Terceira, anexa à igreja não tinham sido concluídas e só viessem a sê-lo apenas em 1784, a igreja foi inaugurada assim mesmo, não sei por qual razão, em 23 de julho de 1777. O mais sobre ela, pois que o há, fica para a próxima edição. Até lá, se Deus nolo permitir, e shalom!

LITURGIA

PADRE ROMEU FERREIRA Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (romeufsilva@gmail.comg)

HOMILIA DOMINICAL A) Texto: Lc 12,13-21. 13Alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”.14 Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”. 16E contoulhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma

boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse : ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus.. B) COMENTÁRIO

“Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens” (v 13). Há um adágio popular que diz: “Todo cuidado é pouco!”. E aqui vem a advertência: “Tomai cuidado contra todo tipo de ganância”. A ganância alucina a pessoa; tira-lhe a paz, principal elemento da felicidade. E ninguém se realiza na vida se não é feliz: “a vida de um homem não consiste na abundância de bens” (v 15).

Lucas se mostra sensível na questão da riqueza e pobreza. A riqueza não é um valor supremo, pois Jesus comenta: “mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”. A riqueza não é uma realidade sobre a qual a pessoa possa confiar suas aspirações; ela é caduca e perecedora. No mundo profano, o homem vale pelo que tem, mas isto não é verdade no mundo divino. A desventura chega segura para “quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus” (v 21). Que quer dizer: “Juntar tesouros para si mesmo”? E que significa “Ser rico diante de Deus”? “Juntar tesouros para si mesmo” quer dizer ter uma visão apenas introspectiva da vida; é ter como horizonte somente o eu, o ego; é ser egoísta; masoquista; um estilo do rico e Lázaro (Lc 16,1931) e demais (Mt 19,16-

22-26). Certamente a vida de tal pessoa não terá consistência; a depressão aproximar-se-á dela, para sucumbi-la. A felicidade e a alegria andam de “mãos dadas”. E há maior alegria em dar que em receber, diz o Mestre. “Ser rico diante de Deus” significa agir como Deus; ter os mesmos sentimentos do “homem-Deus”. O homem é feito à imagem e semelhança de Deus (Gn 1,26); É ser generoso (Mc 12,41-44). E Paulo nos lembra: “Com efeito, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo, que por causa de vós se fez pobre, embora fosse rico, para vos enriquecer com a sua pobreza” (2Cor 8,9). Os tesouros que valem são os eternos (Mt 6, 18-21), voltados para as pessoas necessitadas. Como é bom fazer o bem sem olhar a quem! Há muito que aprender a viver! Empenhemonos, pois!

n 02/08, SEXTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Lv 23,1.411.15-16.27.34b-37) Responsório (Sl 80) Evangelho (Mt 13,54-58) n 03/08, SÁBADO Cor (verde) Primeira Leitura (Lv 25,1.817) Responsório (Sl 66) Evangelho (Mt 14,1-12) n 04/08, DOMINGO Cor (verde) Primeira Leitura (Ecl 1,2;2,21-23) Responsório (Sl 89) Segunda Leitura (Cl 3,1-5.9-11) Evangelho (Lc 12,13-21 n 05/08, SEGUNDA Cor (branco)

Primeira Leitura (Nm 11,4b-15) Responsório (Sl 80) Evangelho (Mt 14,13-21) n 06/08, TERÇA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Dn 7,9-10.13-14) Responsório (Sl 96) Evangelho (Lc 9,28b-36 n 07/08 QUARTA-FEIRA Cor (verde) Primeira Leitura (Nm 13,12.25-14,1.26-30.34-35) Responsório (Sl 105,6-23) Evangelho (Mt 15,21-28) n 08/08, QUINTA-FEIRA Cor (branco) Primeira Leitura (Nm 20,1-13) Responsório (Sl 94) Evangelho (Mt 16,13-23)


5 SETORJUVENTUDE

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

MUNDO JUVENIL E A FÉ CRISTÃ

SÍNODO PAN-AMAZÔNICO: riquezas e alegrias da Igreja (parte 3) INTRODUÇÃO

A

pós termos refletido sobre os gritos socio-ambientais e os clamores eclesiais, falemos um pouco sobre as riquezas e alegrias da Igreja na Amazônia. A diversidade dos contextos sociais, étnicos, históricos, teológicos, pastorais, culturais, políticos, econômicos, ambientais e religiosos, não nos permite uma abordagem exaustiva sobre todas as riquezas. Certo é que angústias e alegrias caminham juntas! Não tenho dúvidas de que temos mais grandezas do que fragilidades, mais alegrias do que tristezas, mais esperança do que lamentos, mais futuro do que passado em relação à vida da Igreja na Amazônia. A Igreja na Amazônia tem características próprias que marcam profundamente a vida dos católicos que dela participam, aqui vivem e ou vieram de fora como missionários.

1

A diversidade de carismas na Amazônia A Amazônia foi evangelizada através de uma variedade de carismas religiosos; essa é uma marca da sua história que sempre esteve presente e tem dado grande apoio e, em alguns contextos, ainda garante a animação e a sustentabilidade da Igreja. As diversas congregações (Capuchinhos, Carmelitas, Jesuítas, Mercedários,

Dominicanos, Ordem dos Frades Menores, Salesianos, Agostinianos, Crúzios, Verbitas, Missionários do Sangue de Cristo, Xaverianos, Espiritanos, Barnabitas, Oblatos...) deram, no passado e ainda hoje, uma grande contribuição para a evangelização da Amazônia. Os primeiros missionários, aos poucos, ao longo dos séculos, foram navegando os rios, embrenhando-se nas matas, batizando, catequizando, formando comunidades. Nasceram assim as primeiras comunidades,

A Amazônia foi evangelizada através de uma variedade de carismas paróquias, prelazias, dioceses e arquidioceses. No ramo feminino, centenas de congregações atuaram e continuam servindo com seus carismas e variedade de serviços enriquecendo a beleza da Igreja na promoção do Reino de Deus. Vale a pena recordar que a Amazônia também é berço de muitas congregações e institutos religiosos. Algumas que aqui nasceram já ganharam o mundo e fazem-se presentes em outros continentes. A semente do Evangelho lançada na terra foi acolhida, germinou, brotou, cresceu

e continua dando bons frutos (cf. Mc 4,8).

2

O dinamismo da Igreja na Amazônia A rica contribuição da Vida Religiosa, como Igreja na Amazônia, proporcionou a paciente gestação de muitas prelazias e dioceses. Por outro lado, sempre abrilhantou a beleza da presença da Igreja com uma enorme variedade de atividades e obras ao longo destes séculos de evangelização da Amazônia brasileira. Quem for escrever a história do desenvolvimento humano na Amazônia, por honestidade histórica, deverá falar da grande contribuição da Igreja Católica, por meio das Congregações, com suas mais variadas atividades como: a promoção da educação, da saúde, defesa da cultura indígena, formação de lideranças, estímulo ao uso da tecnologia, melhoria nos transportes, agricultura, pecuária, indústria, capacitação profissional, construção de estradas, pontes, portos e aeroportos.

3

Riquezas e Alegrias da Igreja na Amazônia - A história é a nossa primeira alegria, marcada por tanto pioneirismo, sensibilidade humana, ousadia, investimentos, vidas gastas e, em diversos casos, sangue derramado; - A Igreja na Amazônia tem maravilhosos tes-

temunhos de missionários, sacerdotes, religiosos (as), bispos e leigos, santos e mártires; - Por todos os lugares encontramos em nossas comunidades, nas cidades e na zona rural, uma grande massa de crianças, adolescentes e jovens; - Durante todos os meses, em geral, muitas de nossas paróquias celebram o sacramento do batismo de novos membros; - Todos os anos, milhares de crianças que fazem a Primeira Comunhão e recebem o sacramento da Crisma em nossas paróquias; sinal do vigor da catequese; - Nossas liturgias em geral são alegres, vivas, cheias de vitalidade e participação; - Temos uma Igreja que, através das pastorais e líderes de diversos níveis, se manifesta profundamente comprometida com a defesa, tutela e promoção da dignidade humana; - A Igreja na Amazônia tem compromissos diferenciados na luta em prol do meio ambiente, do direito dos trabalhadores sem terra, dos pescadores, dos ribeirinhos, dos seringueiros, indígenas, agricultores, populações quilombolas, moradores de rua; - A Igreja na Amazônia gosta de celebrar festivamente seus padroeiros através de muitas atividades evangelizadoras: novenas, quinzenas, procissões,

terços, ladainhas, arraiais; - Temos uma Igreja com profundo senso comunitário, fraterno, solidário, por isso, promove mutirões e campanhas em prol de causas comunitárias, onde em geral todos se envolvem; - A Igreja na Amazônia é dinâmica e dá especial atenção a eventos reflexivos tais como, romarias, assembleias (por exemplo, a romaria da terra, das CEBs, da floresta); - Nossa Igreja tem forte sensibilidade social evidenciada através do serviço desenvolvido pelas Cáritas Diocesanas, CIMI, CPT, Comissão Justiça e Paz, Pastoral da Criança, etc; - A Igreja na Amazônia conta com uma especial força feminina, materna e mariana; - Crescem na Amazônia as vocações sacerdotais,

Semente do Evangelho

Nossas liturgias em geral, são alegres, vivas, cheias de vitalidade e participação

religiosas e consagradas autóctones, ela conta com alguns bispos nascidos na região e cresce o número de sacerdotes indígenas; - Há um contínuo esforço para o fortalecimento da corresponsabilidade dos católicos em vista da promoção da autossustentabilidade das prelazias e dioceses; - A grande maioria das dioceses e prelazias tem Centros de formação, Casas de retiros, Seminários (ou Faculdade Católica); - Em todas as comunidades e paróquias percebemos um forte protagonismo dos leigos; - Crescem em geral a sensibilidade e a cultura missionária (em muitas dioceses e paróquias realizam-se as Santas Missões Populares); - De modo geral nas dioceses e cresce o número de diáconos permanentes; - Em todas as dioceses e prelazias há forte sensibilidade para com a comunicação através das rádios, canais de TV, jornal impresso (folheto ou revista), presença nas Redes Sociais. REFLEXÃO: Quais das Congregações e Carismas você conhece? O que você admira neles? Quais outros aspectos positivos você percebe em nossa Igreja? O que podemos fazer para promover mais a corresponsabilidade dos leigos e a promoção das vocações sacerdotais?

1 2 3

Definida programação do CÍRIO MUSICAL 2019

A

diretoria da Festa de Nazaré anunciou dia 30 de julho a programação oficial do Círio Musical 2019, os shows na praça Santuário durante a quadra nazarena, em Belém.

A programação estreia no dia 13 de outubro, dia do Círio de Nazaré, com a apresentação da banda Anjos de Resgate, um dos grupos mais famosos da música católica no país. Outros cantores famosos como Eliana Ribeiro, Adryana Arydes, Missionário Shalom, Adoração e Vida, entre outros, estarão no palco da praça Santuário de Nazaré. O Círio Musical terá espaço para a música local, com a participação da banda Ministério Se-

ráfico, o Coral da Vale e a cantora paraense Lucinha Bastos, além da banda Cristo Alegria, que encerrará a programação. O projeto Círio Musical tem o objetivo de utilizar as noites da quadra nazarena como forma de evangelização junto ao público por meio da música. Confira a programação e participe!

ráfico, o Coral da Vale e a cantora paraense Lucinha Bastos, além da banda Cristo Alegria, que encerrará a programação. O projeto Círio Musical tem o objetivo de utilizar as noites da quadra nazarena como forma de evangelização junto ao público por meio da música. Confira a programação e participe!

DIVULGAÇÃO


6

PANORAMA

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

VIOLÊNCIA no presídio regional de Altamira A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - Regional Norte 2 e Arquidiocese de Belém emitem nota oficial sobre a tragédia ocorrida no presídio regional de Altamira para manifestar o repúdio de ambas as instituições a toda e qualquer forma de violência e de desrespeito à dignidade humana. A nota expressa ainda total repúdio à cultura do "encarceramento em massa", a "ideologia da repressão" e defende a promoção da "cultura preventiva" dentro e fora dos presídios. A manifestação da Igreja reitera a necessidade de políticas públicas integradas urgentes.

C

NOTA SOBRE A VIOLENTA TRAGÉDIA NO PRESÍDIO REGIONAL DE ALTAMIRA

onsiderando a tragédia acontecida no presídio Regional de Altamira, no dia 29 de julho, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil Regional Norte 2 e a Arquidiocese de Belém vêm a público manifestar repúdio a toda e qualquer forma de violência e desrespeito à dignidade humana. O evento, lamentavelmente, não está isolado e é mais um grito clamoroso acusando a ineficiente gestão dos presídios brasileiros caracterizada por fugas, rebeliões, tensão, ociosidade, péssimas estruturas, superlotação e negligência pedagógica. Repudiamos a “cultura do encarceramento em massa”, bem como a “ideologia da repressão” em vez da promoção da “cultura preventiva” dentro e fora dos presídios. Por outro lado, bem sabemos, a cultura repressiva não tem consistência para, de forma isolada, dar resposta à gravidade e amplitude das causas da violência, que são múltiplas e profundas. Reiteramos a necessidade da promoção de políticas públicas integradas e a urgência da promoção da preventividade, sobretudo, por meio de programas sociais voltados para o apoio à família, infância e juventude. Inspirados nas atitudes de Jesus Cristo, que tratou a todos com o máximo respeito, renovamos o nosso compromisso de presença diferenciada nas unidades prisionais através da Pastoral Carcerária. A promoção da justiça não combina com a violência. Por isso, Deus não deseja a morte do pecador, mas sim que ele se converta e viva (cf. Ez 18, 23). Para isso precisamos de um Sistema Penal à altura da dignidade humana para que a mais profunda remissão aconteça na mente e no coração de cada detento. É preciso que continuemos a sonhar por mudanças como nos pede a Palavra de Deus: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito” (Rm 12, 2).

Que o sangue derramado nos presídios seja semente de um sistema penal mais humano e coerente com a dignidade da pessoa humana! A todos chegue a nossa benção de paz. BERNARDO JOHANNES BAHLMANN Bispo da Diocese de Óbidos - PA Presidente da CNBB Norte 2 DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará Vice-Presidente da CNBB Norte 2 DOM IRINEU ROMAN Bispo Auxiliar de Belém do Pará Secretário da CNBB Norte 2 DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO Bispo Auxiliar de Belém do Pará

CNBB: declaração da Ministra da MULHER no Marajó é equivocada A Comissão Justiça e Paz da CNBB-Regional 2, define como equivocada a declaração da ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, que em vídeo divulgado nesta quartafeira, 24, afirma que as crianças do Marajó são vítimas de exploração sexual “porque não usam calcinha”, por serem muito pobres. Portanto, a solução para este problema será instalar uma fábrica de calcinha no arquipélago, uma forma das meninas adquirirem as calcinhas baratinhas. A ministra veio ao Pará dia 12 de julho, onde lançou o programa Abrace o Marajó, no município de Breves, prometendo ações de combate à

exploração sexual de crianças e adolescentes e combater a violência contra mulheres e idosos do arquipélago. Damares Alves passou apenas três horas em Breves, fez um grande alvoroço na mídia nacional, mas não divulgou as ações concretas do programa, nem quais investimentos financeiros o governo federal faria nos municípios do arquipélago do Marajó para implantar e consolidar o programa lançado. Todos sabemos as reais necessidades do arquipélago do Marajó e sua população, já tão cansada de pirotecnias de sucessivos governos, que prometem implementar ações de infraestrutura, regulari-

zação fundiária, qualificação profissional e combate à exploração sexual, mas muito pouco ou quase nada tem sido materializado. No arquipélago do Marajó estão municípios que detêm os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do País, pela baixa capacidade de geração de emprego e renda, alta taxa de analfabetismo (21%) e de pobreza (57%) e terceira maior taxa de mortalidade infantil (17%) do Pará, de acordo com dados da Fapespa, referentes a 2015. Dom Luiz Azcona, bispo acompanhante da Comissão Justiça e Paz e emérito da Prelazia do Marajó,

participou do lançamento do Abrace o Marajó a convite da ministra. O bispo atua verdadeiramente na defesa do povo marajoara, denunciando a exploração sexual de crianças, adolescentes e jovens e tem sido uma voz de credibilidade, que luta pelo desenvolvimento e paz no Marajó. A verdadeira defesa da infância precisa de comprometimento real, de programas que levem em consideração os dados dos institutos de pesquisa, que mostram a carência e miséria do Marajó, e acima de tudo, que levem ações concretas, reais. “Destacamos o trabalho conjunto que vem sendo

realizado pela CNBB, em parceria com o Ministério Público do Estado Pará, na execução de Programa de Ações Multissetoriais de

DENUNCIE CORRETAMENTE: disque 181 ou 190

C

o m o p ro c e d e r em casos de denúncias? Qual número ligar? Minha identidade vai ser preservada? Devo ligar, por quê? Eles devem estar muito ocupados, será que eu ligo? Essas são algumas das perguntas que vêm à cabeça minutos antes de alguém ligar para o Disque Denúncia que atende pelo número 181 e pelo Disque 190. As perguntas são totalmente pertinentes, pois o uso indevido desses números pode colocar em risco a vida de quem realmente precisa do serviço do Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social – SIEDS, do Governo do Estado do Pará. Há uma errônea utilização de serviços paralelos aos órgãos compe-

tentes, oficiais e regulamentadores promovidos por agentes do Sistema de Segurança Pública. Ao ligar para o Disque Denúncia 181, as denúncias são gerenciadas de forma anônima e encaminhadas aos setores competentes da área de segurança pública ou para outros órgãos. É importante destacar que o telefone 181 deve ser discado para denúncias anônimas, que podem ser feitas pelo cidadão que tenha informações mais detalhadas e completas de uma ocorrência, seja tentando prevenir o ilícito criminal que não ocorreu, ou que possua informações para corroborar e auxiliar as polícias na elucidação de crimes. Outro serviço disponível para a população é o Disque 190, que

Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes no Arquipélago do Marajó, com atividades de sensibilização

DIVULGAÇÃO

INFORMAÇÕES DISQUE DENÚNCIA 181

DISQUE 190

funciona para comunicação de urgência e emergência, ou seja, fatos que estejam em andamento ou que tenham acabado de ocorrer. É gerenciado pelo Centro Integrado de Operações (CIOP/

SEGUP), que agrega todos os órgãos de segurança pública do Estado: Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento de Estado de Trânsito (DETRAN), C e n t ro d e Pe r í c i a s

“Renato Chaves” e Superintendência do Sistema Penitenciário (SUSIPE). Sim, você deve ligar. Porque a sua denúncia entra para o banco de estatísticas dessas secretarias. Ilícitos como

roubo, furtos, assaltos com refém, acidentes de trânsito, atitudes suspeitas, crimes com animais, lesões corporais, dentre outros, devem ser registrados através do CIOP pelo número 190.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

7

Relíquia de SANTO INÁCIO DE LOYOLA em solo paraense

Objeto de veneração é ACOLHIDO PELA MATRIZ, em Ananindeua

A

Relíquia de Primeiro Grau de Santo Inácio de Loyola chegou ao solo paraense na manhã da última sexta-feira, dia 26. A relíquia, doação da Cúria Geral dos Jesuítas em Roma, à Matriz da Paróquia de Santo Inácio de Loyola, bairro Icuí-Guajará, estava sob os cuidados do padre Adelson dos Santos, que a entregou oficialmente à Matriz, dia 31, Dia da Festa Litúrgica de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus. Para acolher o objeto preservado para efeitos de veneração foi realizado de 28 a 30 Tríduo em honra ao Santo, que preparou a comunidade para a festividade do padroeiro da Paróquia de Santo Inácio de Loyola, que ocorre nesta sexta-feira, 2. A Relíquia de primeiro grau, do fragmento de im dos ossos de Santo Inácio de Loyola, doada pela Cúria Geral dos Jesuítas em Roma, contou com o pedido do padre Adelson dos

Santos, único brasileiro professor na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Segundo ele, o pedido foi aceito graças à devoção dos paraenses, ao Sínodo e ao afeto do Papa Francisco pela Amazônia: “Entrei em contato com nossa Ordem Religiosa e nossa Cúria Geral e expliquei a realidade da paróquia e a devoção que os paroquianos têm pela figura de Santo Inácio e foi concedida essa graça. Já não há tantas relíquias de Santo Inácio hoje, mas eles disseram que, para uma paróquia desse tamanho na Amazônia, em vista do Sínodo, o carinho que o Papa Francisco tem mostrado pela nossa região Amazônia, eles não poderiam deixar de atender”. Para ele, a relíquia é um presente para toda a Região Metropolitana de Belém e para a Arquidiocese de Belém: “Agora vim deixar esse presente aqui, não só para os paroquianos lá da paróquia de Santo Inácio, mas para toda

a Região Metropolitana de Belém, para toda a Arquidiocese, porque também o povo da Capela de Lourdes é muito devoto de Santo Inácio de Loyola pela presença dos Jesuítas que, aliás, estão presentes na cidade de Belém desde o século XVII, 1615, os primeiros que chegaram e, na Capelinha de Lourdes, desde 1917”. De 28 a 30, foi realizado Tríduo em homenagem a Santo Inácio de Loyola, em três templos religiosos da Região Metropolitana de Belém. No dia 28, o Tríduo foi realizado na Capela de Nossa Senhora de Lourdes, sede da Comunidade dos padres Jesuítas, localizada na Avenida Governador José Malcher, 1169, bairro Nazaré; no dia 29, na Basílica de Nossa Senhora de Nazaré;

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n PADRE Edvaldo Andrade Amaral e padre Adelson dos Santos no dia 30, na Igreja Matriz de São Vicente de Paulo, no Paar. No dia 31, Solenidade de Santo Inácio de Loyola, da Matriz da Paróquia de São Vicente de Paulo, foi realizada Procissão com a Relíquia de Santo Iná-

cio, rumo à Matriz da Paróquia de Santo Inácio de Loyola. À chegada houve a entrega oficial da Relíquia de Primeiro Grau de Santo Inácio de L oyola, durante a Santa Missa Solene. A palavra relíquia tem origem no

latim reliquia, que significa resto. Uma relíquia é parte do corpo de um santo ou objetos que estiveram em contato com seu corpo ou foram usados por ele, a quem os católicos prestam veneração ou reverência.

SANTO INÁCIO DE LOYOLA É CELEBRADO PELA MATRIZ NO ICUÍ-GUAJARÁ, EM ANANINDEUA Nesta sexta-feira, 2, inicia-se a festividade em honra de Santo Inácio de Loyola, promovida pela Igreja Matriz de Santo Inácio de Loyola, localizada na Estrada Santa Fé, Icuí-Guajará, em Ananindeua, cujo pároco é o padre Edvaldo Andrade Amaral. Com a temática “Somos Igreja viva, em saída, semeando o Evangelho”, a programação estende-se até o próximo sábado, dia 10. Durante o período da festividade, as Missas serão presididas, às 19h, por padres convidados da Região Episcopal São Vicente de Paulo e pelos padres Jesuítas, congregação que foi fundada por Santo Inácio de Loyola, padroeiro da Paróquia. Após as celebrações eucarísticas ocorre programação cultu-

n RELÍQUIA: fragmento de osso de Santo Inácio

ral na área paroquial. A festividade ocorre em meio à chegada da Relíquia de Primeiro Grau de Santo Inácio de Loyola, acolhida na Paróqua que tem como pároco o padre Edvaldo Andrade Amaral. A Paróquia de Santo Inácio de Loyola foi erigida pelo então Arcebispo Metropolitano de Belém Dom Vicente Joaquim Zico no dia 19 de setembro de 2003, desmembrada da Paróquia de São Vicente de Paulo. Suas comunidades são: Nossa Senhora de Nazaré, Sagrada Família, Sagrado Coração de Jesus, Santa Rita de Cássia, Santíssimo Redentor, São Clemente e São Marcos.

FACULDADE CATÓLICA promove o Simpósio Teológico sobre Teologia e Direito na Arquidiocese de Belém Como parte da programação do terceiro centenário da Diocese de Belém, a Faculdade Católica de Belém promove, de 7 a 9 de agosto, das 8h às 12h, em seu auditório Guará, o Simpósio Teológico, cujo tema “Teologia e Direito, a serviço da comunhão” que perpassará pelos fundamentos teológicos, direitos humanos, com convidados especializados. As inscrições estão abertas para alunos e público externo, na sede da instituição. Serão três dias de evento que reunirão grandes nomes da área e discutirá, entre outros temas, as Leis de Israel, fundamentos teológicos do Direito Canônico a serviço da comunhão eclesial e da pastoral, o tratado Brasil – Santa Sé, o Cristianismo e os Direitos Humanos Hoje, todos relacionados à Teologia e ao Direito. O Simpósio acontecerá em três dias. Os debates estão estruturados da seguinte forma: no pri-

meiro dia serão abordadas as Leis. Nele o professor Dr. Pe. Fernando Reis falará sobre “A Lei em Israel, uma leitura bíblica”; em seguida o professor Dr. Pe. Josué do Nascimento falará sobre “Paulo, o Cristianismo e a lei”. O professor Dr. Pe. João Paulo de Mendonça Dantas dará inicio às atividades do segundo dia do simpósio explicando “Os Fundamentos Teológicos do Direto Canônico”. Em seguida, o Bispo Auxiliar de Brasília, Dom José Aparecido, falará sobre “O Direito Canônico a serviço da comunhão e da Pastoral Eclesial”. O último dia do simpósio começará com o tema “Cristianismo e Direitos Humanos: desafios contemporâneos”, a ser ministrado pelo professor Dr. Victor Sales Pinheiro. Finalizando o Simpósio, o Bispo Auxiliar de Brasília, Dom José Aparecido, retornará para explicar “O

Acordo Brasil – Santa Sé”. Ao final da programação de cada dia, será reservado um tempo de trinta minutos para mesa redonda. Com carga horária de 15h, o simpósio está com inscrições no valor de R$ 20,00 para alunos da Faculdade Católica e de R$ 40,00 para o público externo. Os interessados poderão efetuar a inscrição no local do evento, BR-316, KM 6, Águas Lindas, em Ananindeua. Informações: (91) 32552324 ou 98442-5713.

FACULDADE CATÓLICA A Faculdade Católica de Belém faz parte do complexo São Pio X, que também conta com Seminário Maior São Pio X, Seminário Propedêutico Dom Tadeu Prost, Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC) e Paróquia de São Pio X. Fundada em 21 de junho de 2016, conforme portaria nº

521, a Faculdade vem dotando-se de grandes responsabilidades, pois tem como primórdio a educação de forma integral, visando formar lideranças comprometidas com um projeto de desenvolvimento sustentável para a Amazônia, estruturado à luz da fé Católica, pautada na geração do conhecimento filosófico e teológico.

INFORMAÇÕES Simpósio “Teologia e Direito, a serviço da comunhão” DATA: 07 a 09 de Agosto de 2019 HORA: 08h às12h LOCAL: Faculdade Católica de Belém - BR 316, KM 6 - Águas Lindas, Ananindeua.


8

IGREJA

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

NAZARÉ REPÓRTER n FESTIVIDADE DIVULGAÇÃO

R A

ezemos para que o Senhor liberte as vítimas do tráfico e nos ajude a responder ativamente ao grito de ajuda de tantos irmãos e irmãs privados de sua dignidade e liberdade. (30 de julho) todos nós o Senhor dá uma vocação para nos fazer descobrir os talentos e as capacidades que possuímos a fim de colocá-los a serviço dos outros. (29 de julho)

RÁDIO NAZARÉ FM 91 .3 MHZ

n RÁDIO NAZARÉ FM ALERTA SOBRE O GLAUCOMA O Programa Saúde e Cidadania da próxima segunda-feira, 05 de agosto, apresenta o tema “Combate ao Glaucoma”. O glaucoma é uma doença bastante comum no mundo moderno devido ao envelhecimento da população, mas se não for tratada no momento e da forma correta pode levar à cegueira. A oftalmologista Ana Luiza Gomes Hass Gonçalves vai explicar sobre os sintomas, causas e formas de tratamento. Sintonize 91,3 MHz, toda segunda-feira, a partir das 16h e participe! Para interagir, ligue 4006-9211 ou 9.8814-0275 (WhatsApp).

Neste sábado, 3, inicia-se a 12° edição da Festividade em honra a São Tarcísio, com Santa Missa de Abertura na Matriz da Paróquia de Santa Cruz, no Marco, às 9h30. A festividade em nível Arquidiocesano tem como tema “São Tarcísio, ardor missionário pela Eucaristia” e segue até o dia 17 com extensa programação que consta de Atos Devocionais pelas paróquias da Arquidiocese de Belém de 4 a 14; Abertura do Tríduo na Igreja Matriz de Santa Cruz, dia 15, às 9h30; segundo dia do Tríduo na Matriz da Paróquia de Cristo Rei, no dia 16, às 18h, e, dia 17, terceiro dia do Tríduo na Matriz da Paróquia de São Francisco de Assis (Capuchinhos) às 7h30. Após a conclusão, haverá a Procissão de São Tarcísio rumo

n ENCONTRO Neste domingo, 4, ocorre mais uma edição do encontro “Curados para Amar”, promovido pela Comunidade Católica Kerygma. O evento, de cura e libertação, tem como temática “Tu me seduzes, Senhor , e eu me deixo seduzir”, e compreende momentos de louvor, pregação, adoração, Kerygma e Santa Missa. O encontro, com entrada gratuita, acontece no Seminário São Pio X, localizado na BR 316, Km 6, bairro de Águas Lindas, em Ananindeua. Informações: (91) 98156-1222.

TV NAZARÉ CANAL 30.1

n KD A BERLINDA? Está em desenvolvimento a nova versão do aplicativo “KD a Berlinda”, popularizado entre os fiéis que acompanham as 12 procissões que integram a quadra nazarena. O app para celulares permite que o usuário saiba a localização exata da berlinda que percorre algumas ruas da Região Metropolitana levando a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira do Pará, mais próxima de seus fiéis.

n SUA PARÓQUIA NA TV: PERPÉTUO SOCORRO Acompanhe pela TV Nazaré, Canal 30.1 – ou na sintonia de sua cidade – a transmissão do programa Janela Aberta, no dia 5 de agosto, segunda-feira, às 20h. O programa, apresentado pelo diácono Théo Cruz, mostrará para o telespectador toda a riqueza da evangelização realizada pela Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no bairro do Telégrafo.

n FESTA DE SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO Iniciou-se dia 1º e segue até dia 8 a festividade de São Domingos na paróquia de mesmo nome, situada em São Domingos do Capim, nordeste paraense, Diocese de Castanhal. Programação litúrgica e cultural. Tema: “Com São Domingos de Gusmão, uma Igreja se aproxima, escuta e ilumina”.

PORTAL NAZARÉ

BOA DICA

WWW. FUNDACAONAZARE. COM.BR

n PARTICIPE DOS EVENTOS DA ARQUIDIOCESE

n CONFESSAR SEM MEDO - Dez

Acessando o portal Nazaré (www.fundacaonazare.com.br) você encontra matéria completa sobre o Simpósio Teológico “Teologia e Direito”, promoção da Faculdade Católica de Belém, de 7 a 9 deste mês. Inscrições abertas até o dia do evento. Acesse também nosso portal e nossas redes sociais (Facebook:/FNCBelem Twitter: @FundacaoNazare). Confira ainda informações sobre as prévias Círio 2019 e das festividades realizadas em agosto.

passos para uma frutuosa confissão sacramental- Livro (Paulus, R$ 8,00)

V

AGENDA DE DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA n SEXTA, 2 A QUINTA, 8 DE AGOSTO Em viagem – Retiro para Bispos (Graz - Áustria)

AGENDA DE DOM IRINEU ROMAN

n SEXTA, 2 DE AGOSTO 19h30 - Missa Votiva do baluarte São Pedro Julião Eymard (Catedral)

n SÁBADO, 3 DE AGOSTO 19h - Crisma - Paróquia Imaculada Conceição - Castanheira n DOMINGO, 4 DE AGOSTO

10h - Missa - Comunidade Chicanos (Círio de Nossa Senhora das Neves) - Santa Bárbara 17h - Encontro Geral da Obra (Shalom) - Missa de encerramento

n TERÇA, 6 DE AGOSTO 9h- Lançamento do Terço dos Homens - PEM II (Casa Penal) 19h30 - Missa - Paróquia Transfiguração do Senhor

n SEGUNDA, 5 DE AGOSTO 18h - Missa -Abertura do Mês vocacional (Basilica Santuário)

n QUINTA, 8 DE AGOSTO 19h – Missa – Posse do pároco - Paróquia Nossa Senhora das Graças (Ananindeua)

AGENDA DE DOM ANTÔNIO DE ASSIS RIBEIRO n SEXTA, 2 DE AGOSTO 19h - Missa - Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Canaã/Marituba n SÁBADO, 3 DE AGOSTO 19h - Missa - Paróquia Arcanjo São Miguel - Una n DOMINGO, 4 DE AGOSTO 8h - Missa - Comunidade Nossa

Senhora do Perpétuo Socorro – Canaã/Marituba 12h - Missa - Shopping - Avenida Centenário, 1052 - Val de Cans 18h - Missa com Crisma - Comunidade Santa Isabel da Hungria - Guamá n SEGUNDA, 5 DE AGOSTO 6h30 – Missa – Residência Episcopal 18h - Missa - Casa das Missionárias da Santíssima Trindade

à Basílica de Nossa Senhora de Nazaré. À chegada, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, preside Santa Missa, às 10h.

n TERÇA, 6 DE AGOSTO 6h30 - Missa – Residência Episcopal n QUARTA, 7 DE AGOSTO 20h - Missa - Condomínio Ipê - Bengui n QUINTA, 8 DE AGOSTO 6h30 – Missa – Residência Episcopal 17h - Seminário da Diocese de Bragança

ocê tem medo de confessar-se? Já lhe é habitual essa prática de procurar um ministro de Deus, seja o padre ou o bispo, para confessar-se? Você se confessa pelo menos uma vez por ano? É bom recordar que o sacramento da confissão foi instituído por Jesus (cf. Jo 20,21-23; 2Cor 5,18). E a Igreja cuida com zelo para que essa boa prática seja vivida pelos fiéis. Muitas vezes, ouve-se que os fiéis ficam com medo de confessar-se ou não sabem bem como fazê-lo. Foi com o desejo de oferecer instruções para uma boa confissão e de amenizar os possíveis medos que organizamos este livro. Fique atento aos dez passos para uma frutuosa confissão. No final do livro, uma opção de exame de consciência a partir da Exortação Apostólica do Papa Francisco sobre o chamado à santidade no mundo atual. Aproveite!

n ELOGIO DA VIDA IMPERFEITA – Livro (Paulinas, R$16,50)

E

m breves palavras, o autor coloca uma questão fundamental para a nossa vida: a aceitação dos próprios limites. Propõe recuperar a realidade do limite e reconciliar-nos com ela. Nós existimos somente enquanto limitados. Nascemos e morreremos, porque somos limitados no tempo. Temos um corpo cujos contornos definem a nossa fronteira com o mundo que nos circunda, e isto nos diz que somos limitados no espaço. Queríamos ser capazes de amar mais, relacionar-nos de modo diferente, mas a cada dia fazemos a dura experiência de ‘ser feitos assim’ (cada pessoa tem a sua história, a sua estrutura psicológica, o seu caráter, as suas doenças interiores...): somos limitados no amor.


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

9

CONSAGRAÇÃO À VIRGEM MARIA no bairro da Terra Firme INSCRIÇÕES ABERTAS. Formação será de agosto até novembro

A

A Comunidade Mãe da Divina Providência, integrante da Paróquia de São Domingos de Gusmão, bairro da Terra Firme, está com inscrições abertas até o próximo dia 13, para o curso de Consagração a Jesus pelas mãos de Maria. L ocal de inscrição: secretaria da Matriz, localizada na Avenida Celso Malcher, 733, Terra Firme. Com a temática “Consagrados por amor”, o curso de Consagração a Jesus pelas mãos de Maria será aplicado segundo o método de São Luiz Maria Grignion de Montfort, sacerdote francês e santo católico. Ele é reconhecido por ser um pregador e um escritor, cujos livros são amplamente lidos nos dias atuais e considerados de extrema importância pelo Magistério da Igreja Católica. O Sacerdote foi beatificado em 20 de janeiro de 1888

pelo Papa Leão XIII e canonizado em 20 de julho de 1947 pelo Papa Pio XII. A Consagração à Virgem Maria, pelo método de São Luís Grignion de Montfort consiste num caminho para configurar a vida de cada indivíduo a Cristo Jesus, com o intuito de colaborar c o m e s s e p ro c e s s o de santificação por meio de Maria, Mãe da Igreja e nossa. O encontro de formação surgiu devido a grande procura de pessoas. Esta é a primeira vez que ocorre com a promoção da Comunidade Mãe da Divina Providência existente desde janeiro deste ano, integrante da Paróquia de São Domingos de Gusmão. A formação é aberta ao público em geral e tem a intenção de alcançar as pessoas interessadas em conhecer a metodologia de São Luiz Maria Grignion de Montfort e as já consagradas que

desejam renovar sua Consagração a Maria. O curso será orientado por padres da Arquidiocese de Belém, nas terças-feiras em agosto e nas sextasfeiras até o mês de novembro, às 19h30, no auditório da Matriz da Paróquia de São Domingos de Gusmão, localizada na Avenida Celso Malcher, 733, Terra Firme. Os participantes do curso farão o Ato de Consagração no dia da Festa Litúrgica de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, 17, durante Celebração Eucarística, na Matriz da Paróquia de São Domingos de Gusmão, Terra Firme. O Ato de Consagração ocorre em meio à festividade da padroeira da comunidade, a ser realizada de 15 a 17 de novembro. As inscrições o para o curso de Consagração a Jesus Cristo por Maria seguem abertas até o dia 13, na secretaria da Paróquia.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Valor da taxa de inscrição: R$ 5.00 reais. Os interessados podem adquirir um Kit opcional no valor de R$40,00 reis que pode ser parcelado em até 4X e inclui corrente,

cadeado, medalha e camisa. Os encontros de formação ocorrem de 13 de agosto a 05 de novembro, às 19h30, no auditório da Matriz da Paróquia de São Domin-

gos de Gusmão, localizada na Avenida Celso Malcher, 733, Terra Firme. Mais informações: (91) 98194-1106 / (91) 98540-0414 / (91) 98122-3213.

PROF. RICARDINO LASSADIER Movimento Apostólico da Divina Misercórdia Adoradores Eucarísticos da Igreja das Mercês bessadecastroadv@gmail.com

SERVINDO À VERDADE

LER

O

lá, meu irmão e minha irmã. Tive algumas semanas de férias e, pelo terceiro (ou seria quarto?) ano, ficamos alguns dias na bucólica Mosqueiro. Com a proximidade das férias, é natural - especialmente, mas não exclusivamente - que cresça nas crianças a expectativa. Entra-se num processo de preparação: protetor solar, roupa de banho, seleção de jogos, filmes, desenhos. À preparação coletiva da família soma-se minha preparação pessoal em organizar minhas leituras. Sim, também nas férias os livros e HQs se fazem presentes como objetos indispensáveis. Na verdade a leitura é presente em minha existência desde muito cedo.

Mamãe (que já está na Casa do Pai Eterno), dizia que aprendi a ler muito cedo, por volta dos quatros anos de idade. Francamente, não lembro. Trago na memória duas imagens que foram determinantes para despertar meu amor pela leitura. Morava conosco um tio (irmão mais velho de minha mãe). Não sei qual era seu nível de escolaridade. Mas tenho certeza de que não tinha nível superior. Ele era motorista de profissão. Saía bem cedo para trabalhar, chegava em casa por volta das 18 horas. Descansava, tomava banho, jantava, assistia o telejornal e depois se acomodava numa poltrona com uma xícara de café e alguns livros. Alberto (era o nome do meu

tio), lia de tudo: faroeste, policial, aventura, terror, história, filosofia, teologia. Nossa casa não era espaçosa e, por isso, ele guardava seus livros em caixas em cima de um guarda roupas e embaixo da cama. Aqueles momentos de recolhimento e de deleite para ele eram mágicos para mim. Eu ficava observando-o. Ele ficava parado, compenetrado, presente, porém, ausente. Vez por outra franzia a testa, balançava a cabeça como que desaprovando algo. Em outros momentos expressava um leve sorriso.

Aprendi a ler muito cedo

Ler é perder-se nas ideias, na alma, na mente de outros para nos encontrarmos conosco

Acho que aquele velho motorista viajava mais lendo do que dirigindo. Naquele tempo era comum às crianças brincarem de “pira” na rua. Eu gostava muito de brincar na rua. No entanto, havia dias em que eu optava por não ir para “pira”, escolhia ficar em casa imitando meu tio. Explico: por volta dos meus seis anos comecei a ler HQs (gibis): Tio Patinhas, Asterix, Bolinha, Mônica. Depois passei para os super-heróis: Batman (meu preferido), Homem Aranha, Capitão América, Homem de Ferro, Hulk. Jamais gostei do Super-homem. Alberto se acomodava na poltrona com suas leituras, com seus livros. Eu arrumei um canto no sofá e aí estacionei com meus gibis. De algum modo que não sei definir, me sentia importante, pois tinha a impressão de participar do mesmo mundo de meu tio. Eu pensava: “o Alberto (não chamava-o de tio) sabe muitas coisas por ler muito”. No íntimo, eu queria ser igual a ele. Alberto não era médico, advogado, professor. Alberto era um competente e digno motorista leitor. Ou talvez um leitor motorista.

Sim, ele era, sobretudo, leitor. Caixas de livros sobre o guarda-roupa e sob a cama eram suas riquezas. Eu também queria ter meus tesouros. Consegui uma caixa de papelão na taberna do “seu Natílio” e comecei a guardar meus gibis (tesouros). Outro leitor que merece referência era um senhor que residia próximo de nossa casa. Não recordo o nome dele. Lembro que era advogado. Em minha mentalidade infantil, casa bonita tinha que ter pátio. A casa desse senhor tinha pátio, então era bonita. No entanto, o que mais me chamava a atenção era ele, sentado em uma cadeira posta no pátio, lendo. Um advogado e um motorista, ambos leitores. Correção: um advogado, um motorista e eu, que era nada, tornava-me leitor. Eu participava do mundo deles. Eles não sabiam, mas isso não importava. Eu era presente, existia nesse mundo silencioso. Eles com seus livros e revistas, eu com meus gibis. Talvez eu tenha passado a impressão de que os gibis são restritos ao mundo infantil. Não é verdade. Mas disso trato em outro momento.

A leitura é presente em minha existência desde cedo Ler é perder-se nas ideias, na alma, na mente de outros para nos encontrarmos conosco. Isso é válido para toda leitura. Deduzo daí a importância de lermos a Sagrada Escritura, o Catecismo da Igreja Católica (CIC), textos dos santos. De certo modo, isso nos possibilita mergulhar em Deus e respirar o Divino. Nesse sentido, uma boa leitura fortalece a fé e a aprofunda a espiritualidade. Voltarei a conversar sobre o tema. No momento concluo este texto sugerindo algumas leituras: “O Breviário da Confiança”, “A prática da humildade”, “Construir o homem e o mundo”, “O mistério de nossa conformidade com Cristo”, “O Combate espiritual”, “A arte de aproveitar as próprias faltas”, “Para estar com Deus”. Sigamos em frente pensando com a Igreja no serviço da Verdade. Fique como Nossa Senhora e São José.


10

EM NAZARÉ

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

NAZARÉ EM DESTAQUE

Imagem Peregrina de NOSSA SENHORA DE NAZARÉ visita o Rio de Janeiro (RJ)

IMAGEM chega à cidade de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, dia 2 de agosto

A

n IMAGEM Peregrina de Nossa Senhora

devoção a Nossa Senhora de Nazaré ultrapassa as fronteiras geográficas de nosso Estado. Desta vez, a Imagem Peregrina chega à cidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (02). Será recebida, na Base Aérea do Galeão, pelo Bispo Auxiliar de Niterói, Dom Luiz Antonio e seguirá para a Catedral de São João Batista. Sábado, 3, via-

ja rumo à capital, onde visitará o Convento de Nossa Senhora de Belém, finalizando o roteiro do dia na Igreja Nossa Senhora de Nazaré, em Anchieta.Já no domingo, 4, estará na Paróquia São Paulo Apóstolo, em Copacabana. No mesmo dia acontecerá o encerramento das peregrinações, com o Mini-Círio na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré e Santos Mártires Ugandenses.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

n LOCAL da chegada da imagem peregrina

CÍRIO 2019: DFN promoverá Manhã de Formação para Dirigentes de Peregrinação Em preparação espiritual para o Círio 2019, a Diretoria da Festa de Nazaré promoverá, dia 18 de a g o s t o, n o H a n g a r - Centro de Convenções, a partir das 8h, a “Manhã de Formação de Dirigentes de Peregrinação”. Como em todos os anos, alguns meses antes da grande festa da Rai-

nha da Amazônia, os fiéis realizam peregrinações pelas casas do bairro onde moram. A formação terá como orientador o padre João Paulo Dantas, orientador e revisor do Livro das Peregrinações. A Santa Missa de encerramento será presidida por Dom Alberto Taveira Corrêa.

ANDREIA TEIXEIRA

Durante o encontro, aproximadamente duas mil pessoas serão orientadas, dentre outros temas, quanto ao conteúdo do livro, os temas dos quinze encontros; sobre quais as comunidades que receberão a visita de imagens de Nossa Senhora de Nazaré.

n PREPARAÇÃO ESPIRITUAL Programação acontece no Hangar a partir das 8h

MADRINHAS DAS VOCAÇÕES promoverão Jantar beneficente No sábado (17), as madrinhas das vocações barnabitas promoverão um jantar cujo objetivo arrecadar recursos para auxiliar na manutenção do Seminário Mãe da Divina Providência, celeiro das vocações barnabíticas. Além disso, o momento objetiva contribuir com o custeio da preparação da vida sacerdotal dos seminaristas.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

A programação acontecerá na Casa de Plácido, no Centro Social de Nazaré. Todo o montante arrecadado será destinada à manutenção do Seminário Mãe da Divina Providência Participe! Adquira sua adesão no valor de R$: 50,00, no atendimento da Basílica Santuário de Nazaré. n CAPELA do Seminário Mãe da Divina Providência, celeiro das vocações barnabíticas


ARQUIDIOCESE

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

11

Festividade de SANTA ROSA DE LIMA anima Benevides em agosto

Paróquia de Santa Rosa de Lima PROMOVE PROGRAMAÇÃO de 17 a 25

A

partir do tema “Suave perfume do Evangelho” a Paróquia de Santa Rosa de Lima, em Benevides, promove festividade em honra de sua padroeiram, de 17 a 25 deste mês, culminando com Círio por algumas ruas do município. O programa da festa consta de celebrações eucarísticas, procissão, venda de comidas típicas e arraial. Em mensagem à comunidade, o pároco de Santa Rosa de Lima, padre Leonardo Bonze, afirmou que este tempo de festejos é “um momento forte de bênçãos e alegrias em sua e na vida de sua família, pois a festividade da padroeira é sempre um momento forte, especial e favorável. Forte porque nos faz trabalhar em comum rumo à mesma meta; especial porque nos faz congregar com outras pessoas que querem prestigiar esse momento de celebração de fé; favorável porque cria um ambiente de evangelização e devoção à padroeira”. Por fim, pediu: “Que

Santa Rosa de Lima interceda por cada um de nós, para que, a seu exemplo, possamos exalar o suave odor do Evangelho, vivendo dias cheios de graça, oração, reflexão e partilha”. No sábado, 17, a festa começa com Santa Missa, às 19h, sob a presidência do Vigário Episcopal da Região, padre Hélio Fronczak, seguida de bingo, venda de comidas e outras atividades culturais que se estenderão até o dia 25, sempre após a celebração. Dia 20, terça-feira, Dom Irineu Roman, um dos bispos auxiliares de Belém, preside celebração eucarística às 19h, enquanto que Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano, na sexta-feira, 23, dia da Festa de Santa Rosa de Lima, também às 19h. No sábado, 24, haverá a noite vocacional com Missa às 19h, na Igreja Matriz, presidida pelo Cônego Vladian Alves, Reitor do Seminário São Pio X, com presença de seminaristas. Após o ato litúrgico, a imagem de Santa Rosa de Lima será trasladada

FOTOS: DIVULGAÇÃO

até a antiga capela de São Sebastião, na BR-316, onde, no dia seguinte, às 8h, após celebração eucarística presidida pelo Pe. Leonardo, haverá a saída do Círio de Santa Rosa de Lima em direção à Igreja Matriz, situada na Rua Fernando Guilhon, bairro Independente, Benevides. Outra celebração eucarística está prevista para a chegada da procissão. Ao meio-dia, haverá almoço fraterno e, a partir das 15h, show, bingo, brincadeiras e leilões. SANTA ROSA DE LIMA

Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586, filha de pais espanhóis. Chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendolhe: “Você é bonita como uma rosa!”. A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena, e, a partir dessa consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa

Maria. Começou a viver a vida religiosa no fundo do quintal dos pais e, assim, na oração, penitência, caridade para com todos, principalmente

índios e negros, Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo, tanto quanto no sofrimento. Antes de morrer, aos 31 anos (1617), exclamou:

“Senhor, fazei-me sofrer, contanto que aumenteis meu amor para convosco”. Foi canonizada em 12 de abril de 1671 pelo Papa Clemente X.

Cartaz do Círio de NOSSA SENHORA da Conceição 2019 é apresentado No último doming o, 2 8 , a o f i n a l d a Santa Missa, foi apresentado aos fiéis, na P raça da Matriz, o Cartaz oficial do Círio de Nossa Senhora da Conceição 2019, padroeira da Diocese de Santarém, oeste do Pará. A apresentação abriu, também, as peregrinações da imagem peregrina, que se iniciaram pela residência de Enoé

Sussuarana, naquele mesmo dia. O Círio 101º de Nossa Senhora da Conceição acontecerá dia 24 de novembro de 2019, com o tema “Maria, Nossa Mãe”. As festividades deste ano celebram o Centenário do Círio (aniversário de 100 anos da realização do primeiro Círio) e os 200 anos de Dedicação da Catedral a Nossa Se-

nhora da Conceição. Na celebração de envio, dia 28, foram abençoadas 12 imagens disponíveis para as peregrinações e aos missionários que levarão a Palavra de Deus e a imagem da Mãe de Jesus aos diversos locais, dentre outros, como casas, igrejas, órgãos públicos e empresas privadas. Até o dia 15 de novembro 3.500 locais devem receber a visita das imagens da padroeira da Diocese de Santarém. Este ano haverá mais uma edição do Círio Social. Durante as peregrinações, os fiéis podem doar alimentos não perecíveis, material escolar, material de limpeza e frangos congelados, que serão levados para várias entidades da cidade de Santarém. CARTAZ DA FESTA 2019

O cartaz retrata a Imagem da Padroeira da Diocese de Santarém em um fundo semi-azul, com fotos escolhidas por um filho de Maria, que em seu pensamento cultiva as boas lembranças de

sua mãe. A ideia central do Cartaz 2019 foi uma solicitação de Padre Walter Imbiriba para retratar mães, filhos e filhas, numa reflexão que busca resgatar o sentido de ser família. Lembrando sempre o quarto Mandamento: honrar pai e mãe. Ao centro do cartaz a centenária imagem de Nossa Senhora, ornada com o manto azul,

q u e t r a z b o rd a d o o brasão de Santarém, da Diocese e do Centenário do Círio, e a disposição do manto, ainda a pedido de Dom Flávio Giovenale, SDB, enquanto era bispo titular, deixando ver os belos traços artísticos da imagem, bem como a perna direita à frente de seu corpo, em sinal de caminhada. Ao fundo, registros

fotográficos, num tom semi-azul, dispostos e escolhidos para repassar muitos sentimentos, segundo Santo Agostinho: “O molde que Deus usa para fazer uma série de santos é a Virgem Maria”. A arte final - disposição de fotos, cores, logomarcas da Diocese e dos 200 anos - é de Vitor Designer, e fotografia da Imagem Oficial de Miciê Braga.


12

FUNDAÇÃO NAZARÉ

BELÉM, DE 02 A 08 DE AGOSTO DE 2019

FAMÍLIA NAZARÉ

CIPA tomou posse na Fundação Nazaré COMISSÃO atuará para prevenir acidentes de trabalho na instituição no mandato 2019-2020

A

Fundação Nazaré de Comunicação (FNC) empossou dia 31 de julho, às 11h, a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) - gestão 2019-2020. Diante dos funcionários, o Diretor de Administrativo e Finan-

ceiro, Marcos Aurélio de Oliveira, empossou o presidente André Luis Bentes Macedo e suplente Tarcísio Monteiro de Assis; a vicepresidente Eliana Lorena Chagas Ferreira, e suplente Denis Eduardo Mendes Alves, e Maria Bernadete

n EQUIPE anterior da CIPA: 2018-2019

Felizarda e Costa, primeira secretária. Os cipeiros representam a Divisão Técnica, o Jornal Voz de Nazaré, a Diretoria Administrativa e Financeira, a Rádio Nazaré FM e a TV Nazaré. A posse ocorreu na instituição, precedida da despedida da gestão 2018-2019, aberta pelo ex-presidente João Antônio do Carmo, com oração. Emília Silva Jacob, vice-presidente daquela gestão, disse que “este é um dia de agradecimento pelo trabalho que realizamos”. Depois, sintetizou a atuação da CIPA. O diretor Marcos Aurélio falou do trabalho da comissão. “Agradecemos à

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

n A EQUIPE da CIPA que atuará na gestão 2019-2020 comissão por não termos todos vocês”, disse André, Lucian Cabral Filgueira; tido acidentes de trabalho assim como Lorena. vice-presidente Emília graves”. Marcos Aurélio agradeSilva Jacob e suplente SilA nova equipe pediu ceu à CIPA anterior: João vano Ferreira Viana, e a apoio dos funcionários. Antônio do Carmo, exsecretária Bernadete, que “Esperamos contar com presidente, e o suplente segue na gestão atual.

ACOLHIDA do Barco-hospital Papa Francisco O Barco-hospital Papa Francisco estará em Belém no próximo dia 17. A Arquidiocese de Belém recebeu na quarta-feira, 31 de julho, na Fundação Nazaré de Comunicação o Frei Francisco Bellotti, fundador da Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, do Rio de Janeiro, para tratar dos detalhes da cerimônia de envio da em-

barcação para atuar em missão na Amazônia. Durante a permanência do barco na capital paraense será possível a visitação de quem desejar conhece-lo. Após a cerimônia de envio, está prevista uma ação social a cargo dos profissionais que atuam no barco. Na próxima edição divulgaremos os detalhes da referida programação.

n FREI BELLOTTI em reunião na Fundação

MISSA FAMÍLIA NAZARÉ A Missa pela Família Nazaré será sexta-feira, 2, a primeira do mês, em agradecimento a Deus pela vida de pessoas que dispõem generosamente de seus recursos todos os meses para manter funcionando os veículos da Fundação Nazaré de Comunicação TV, rádio FM, portal e jornal Voz de Nazaré. A celebração será na Capela da Fundação Nazaré. O benfeitor pode, se desejar, comparecer à av. Nazaré, 915. A Santa Missa é ao vivo pela TV Nazaré, canal 30 – ou na sintonia da sua cidade -, e pelas redes sociais da Fundação Nazaré (fecebook, Portal da Fundação Nazaré e Youtube). Antes da Missa haverá a recitação do Santo Terço com o Movimento do Terço dos Homens.

NOSSOS ANIVERSARIANTES 02/08 Anna Celina Penin Favacho Benedito Costa Cordeiro Carla Beatriz de Lacerda Nunes Elisabete Benal da Rocha Moreira Ivan Costa de Carvalho Joana Caldas Barros Joana Selma Nascimento da Silva Gazola Laudomiro Soares de Amorim Junior Lucia Castro Nascimento Mara Cristina Nogueira Viana Maria de Lourdes de Oliveira Lima Orivaldo Benedito de Souza Orlando Roldao Miranda Rita Gorete Soares Rodrigues da Silva Rosilda Oliveira Martins Vivian da Silva Lobato 03/08 Ana Maria Dias Brito Daniel Silva Lobato Eliana da Silva Teixeira Eliete Andrade Lopes Gilka Pimenta Lima Ilailson Junior Cunha Alves Jurandir Barroso de Souza Maria de Nazare Alves Rodrigues

Maria Helena Nunes de Matos Ruth Cecilia Palmeira Goncalves 04/08 Alvanir da Silva Carvalheiro Ana Maria Moreira Monteiro Erandina Lima Guerreiro Luiz Correa Junior Luiz de Franca Solon Maria Terezinha Castro Daibes Maria de Nazareth Pena de Vasconcelos Maria Noelia Souza da Silva Raimunda Soares de Lima 05/08 Antonio Maria Brigido de Araujo Carmen Julia Reis Do Socorro de Oliveira Lisboa Domingas Rodrigues Cabral (In memorian) Francisco Golenhesky da Luz Glaucia de Sousa Oliveira Maria Ivete Lima dos Santos Maria Neves da Costa Musssio Maria Virginia Soares

06/08 Alcilene Osmarina Gomes da Silva Alzira Reinaldo Simor Carlos Augusto Modesto da Costa Darcy Cunha Brabo Domingas do Socorro Cristo dos Santos Elizangela Santos Valente Glacy Cunha Brabo Marcos Andre Cosme da Silva Marcus Vinicius Martins Moraes Maria de Jesus Siqueira da M. Cunha Maria Leuda de Nazare Silva Ronaldo Martins Espindola 07/08 Acacio Nascimento dos Reis Alexandro Teixeira de Arruda Furtado Caetana Andrade dos Anjos Ilzadea dos Santos Rebelo Maria Borges de Oliveira Maria Celeste Simaes Maria de Nazare de Almeida Rodrigues Maria Helena Santa Maria Moraes Osmarina de Sousa Neves Rauzilda da Natividade Leal Sandra Maria Sousa Monteiro Sebastiana Elaine Vasconcelos Brito

08/08 Adra Regina Cecim Albin Casal Antonio de Jesus Pantoja Magno e Selma do Socorro Gomes Cecilia Albertina Oliveira Campos Fatima Silva da Conceicao Izana Marlise Santana Nazare dos Reis Lima e familia Raimunda Carvalho de Almeida Roberto de Gusmao Oliveira Teofila de Oliveira Mattos Walter Ciríaco Teixeira n NATALÍCIO DE PADRES E DIÁCONOS 07/08 - Pe. Evandro Luiz Fonseca Araújo 09/08 - Pe. Valdemir Batista de Sena Júnior

n ORDENAÇÃO DE PADRES E DIÁCONOS 04/08 - Pe. Antônio Cezar Augusto de Souza 05/08 - Diác. Alberto Alexandre Gonçalves Martins 05/08 - Diác. Manoel Onildo Botelho de França