Issuu on Google+

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM

PE. FLORENCE DUBOIS FUNDADOR

www.fundacaonazare.com.br D O JORNAL CATÓLICO DA FAMÍLIA D

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

XCVIII - Nº 548 - PREÇO AVULSO: R$1,00

Marcados pela unidade Na coluna CONVERSA COM MEU POVO, Dom Alberto Taveira Corrêa anuncia o carisma e o trabalho dos missionários marcados pela unidade e pela caridade para o Projeto Belém em Missão. PÁGINA 3.

OSO IVAN CARD

LUIZ ESTUMANO

A Igreja conta com os leigos Nas mãos da Arquidiocese de Belém está a responsabilidade do mandato missionário, do qual não nos é lícito fugir! No domingo, 3, Missa de Envio do Projeto Belém em Missão. PÁGINA 7.

Retiro Popular 2013

No domingo, 3, Dom Alberto Taveira Corrêa lançará o livro "A quem iremos, Senhor" após a Missa da Família Nazaré na Capela da FNC. A publicação é destinada para reflexões durante a Quaresma. PÁGINA 7.

Mensagem ao Dia da Comunicação

54 anos da Casa da Juventude

Papa Bento XVI anuncia as redes sociais como portais de fé e novos espaços de evangelização.

Comunidade CAJU traz progamação especial para celebração do aniversário neste final de semana.

PÁGINA 5.

PÁGINA 9.

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM

Na coluna CONVERSA COM MEU POVO, Dom Alberto Taveira Corrêa anuncia o carisma e o trabalho dos missionários marcados pela unidade e pela

Marcados pela unidade

Na celebração do Dia Mundial da Vida Consagrada, 2 de fevereiro, a VOZ DE NAZARÉ conta as histórias de vocacionados que firmaram seu compromisso com a missão deiPÁGINA 11. O “sim” axada Deus por Jesus Cristo.

Na celebração do Dia Mundial da Vida Consagrada, 2 de fevereiro, a VOZ DE NAZARÉ conta as histórias de vocacionados que firmaram seu compromisso com a missão deixada por Jesus Cristo. PÁGINA 11.

IVAN CARDOSO

O “sim” a Deus


2

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Opinião Alegria de ser católico João Carlos Pereira

CHARGE DO ANDRÉ ABREU

jcparis@orm.com.br

O “milagre” e o cachê

A

propósito da crônica da semana passada, recebi a ligação de uma leitora desta VOZ, lembrando um caso que já conhecia, mas ao qual jamais dei publicidade. Agora, contudo, por causa das pilantragens que estão sendo divulgadas na TV, penso que é oportuno contar o fato, que se deu com uma pessoa que conheci. A história é rigorosamente verdadeira. O camarada gozava de boa saúde e até jogava futebol. Um dia, sem dizer nada a ninguém, topou fazer parte de uma farsa que seria apresentada como “milagre” na TV. Por um cachê de cem reais, concordou em levantar-se de uma cadeira de rodas, gritando, a plenos pulmões, que Jesus o havia curado. Sem fazer nenhum esforço, levantou-se da cadeira onde “estava preso há tempos” e pôs-se a caminhar. Para completar a cena, levantou a cadeira para o alto e glorificou o nome do Senhor. Quando voltou para casa, encontrou a mala com seus pertences na porta. A mulher, indignada com a cena que, por acaso vira, enquanto trocava de canais, apenas perguntou-lhe desde quando era paralítico e disse que, a partir daquele dia, o casamento deles havia acabado, porque ela não podia conviver com um farsante. Com a vida fracassada, contou que aquele tipo de encenação era considerada prática normal por gente que se fazia passar por coxo, cego, surdo e doente de “aluguel”. Naquele dia ele fez papel de cadeirante. Mas já havia sido cego e doente terminal. Arrependido, contava, a quem quisesse ouvir, como, em troca de magro cachê, eram feitos milagres extraordinários, por um estranho Jesus, que frequenta apenas certos “altares”. Mais do que revolta, fatos como esses entristecem os que amam e adoram o Deus verdadeiro que é Jesus Cristo e que, há dois mil anos, operou milagres e continua a fazêlos. Mas não por cem reais ou por dinheiro algum. Somente por amor e a quem precisa de verdade.

Comente esta charge: voz@fundacaonazare.com.br Jornalista e professor

Panorama José Pereira Ramos joseulina@oi.com.br

Protesto

N

Economista e escritor

o 2º Domingo Comum, dia 20 de Janeiro, dia dedicado a São Sebastião e comemoração da fundação da cidade do Rio de Janeiro, o canal de televisão de maior audiência nacional, no programa do meio dia, anunciou que São Sebastião era o Padroeiro dos homosexuais. Para mim, que nasci no dia 20 de Janeiro, e sou devoto do Santo Guerreiro, que morreu em defesa dos Cristãos, foi um choque. Por isto eu Protesto. Não se trata de descriminação, mas da falta de coerência. Quem não quer, ou não pode ter uma vida coerente com os mandamentos da igreja, também não tem o direito de proclamar um Santo Canonizado pela Igreja Católica, com seu Padroeiro. Por este desrespeito, apresento meu voto de solidariedade ao prezado Dom Orani Tempesta, Arcebispo da Arquidiocese de S. Sebastião do Rio

Encontro fraterno Ivens Coimbra Brandão

ivenscb@oi.com.br

Sobreviventes

D

Engenheiro civil e escritor

ecorria a manhã de um dos primeiros dias do ano, as ruas da cidade ainda esvaziadas com a saída de muitos para os festejos do Ano Novo. Eu dirigia com mais tranquilidade, quando parei o carro diante do sinal vermelho. Enquanto aguardava, chamou-me atenção um transeunte que atravessava a faixa para pedestres. Tratava-se de um homem aparentando idade avançada, passadas cautelosas, olhar voltado para baixo. Observando melhor, verifiquei ser um contemporâneo de juventude, colega de profissão. Antes mesmo que o sinal ficasse verde, passei a meditar o quanto aquele homem encerrava ao longo de sua vida: venturas, desventuras, tristezas e alegrias, preocupações... Lembrei-me dos tempos em que trocávamos ideias, fazíamos projetos em busca de um

Fundado em 5 de julho de 1913

ARQUIDIOCESE DE BELÉM-PARÁ

FUNDADOR Pe. Florence Dubois, barnabita PRESIDENTE Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará VICE-PRESIDENTE Monsenhor Marcelino Ferreira Vigário geral da Arquidiocese de Belém do Pará

de Janeiro. Esses exclusivistas reclamam muito de direitos, mas, não respeitam as convicções dos demais. Como ficam os milhões de habitantes da cidade de Rio de Janeiro, devotos do Santo, vendo o defensor dos cristãos, que não teve medo de dizer não aos poderosos do seu tempo, e morreu martirizado pelo imperador Deoclécio, de Roma, ser apresentado como líder de quem é antagônico aos princípios básicos do cristianismo? Nos mais variados países do mundo, estou vendo serem aprovadas leis de interesses eleitoreiros, que vão de encontro à moral natural. Este importante assunto não pode ser analisado num pequeno espaço como este, mas, também não consigo ficar no silêncio. Cristo não discriminou ninguém, mas, pediu a todos que se convertessem. O que me espanta é que pessoas que não querem viver o Evangelho, pretendam utilizar fatos, eventos e até o nome de Santos Católicos para satisfazerem seus interesses. É por isso que, ousadamente, tantos inventam falsas igrejas, explorando incautos com a Palavra de Cristo. Quando a humanidade irá criar juízo? lugar na teia social, tudo se passando velozmente na minha memória. Já em casa, continuei acompanhado de lembranças, acabando por concluir que estava projetando na imagem daquele colega, realidades que ocorreram na minha própria vida. Deixei-me então levar por um ‘passeio’ ao passado, não para escarafunchar o que não foi bom, sabendo-se que tais lembranças devem ser recicladas, em favor de um presente saudável. Ora reconheço o ‘trabalho’ do meu Anjo da Guarda, que sempre me acompanhou, respeitando, no entanto, a minha liberdade, valor precioso inerente à natureza humana. Lembrei dos tempos em que me debatia em dúvidas, até que, de livre vontade, encontrei o caminho que me levaria a descobrir o verdadeiro sentido da vida. Com relação ao colega transeunte, é evidente que as minhas passadas já não apresentam o vigor da mocidade, me fazendo atento ao chão que piso, para evitar um tombo. Assim como o colega, sou um ‘sobrevivente’. No entanto, minha caminhada é alimentada pela oração, e meu olhar seduzido pelo sinal da esperança a guiar meus passos.

DIRETOR GERAL Monsenhor Raimundo Possidônio DIRETORA ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Marluce Guerreiro Milhomem DIRETOR DE COMUNICAÇÃO Mário Jorge Alves DIRETOR DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS Arnaldo Pinheiro COORDENAÇÃO Franklin Salvador (DRT/PA 2242)

Sua voz Como colaborar com a missão em Belém?

CONSELHO DE PROGRAMAÇÃO E EDITORAÇÃO João Carlos Pereira Padre Nilton Cezar Reis Padre Cláudio de Souza Barradas EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Sérgio Santos (DRT/PA 579) Assinaturas, distribuição, administração e redação Avenida Governador José Malcher, Edifício Paulo VI, 915 CEP: 66055-260, Bairro Nazaré, Belém - Pará Telefones: (91) 4006-9200/ 4006-9209.

“Participo sendo vonluntária da Igreja, praticando a solidariedade. Dessa forma acredito que estou colaborando com a missão.” FRANCIELE LIMA, 33 anos, Téc. em Enfermagem “Sou dizimista e também todo domingo eu coloco a minha oferta para a Igreja. Sempre estou ajudando quem precisa, pois Jesus nos ensinou a olhar ao próximo.” FÁTIMA HABER, 68 anos, Microempresária “Eu colaboro levando a palavra de Deus e informações da Igreja para os cristãos. Desta forma contribuo para a missão.” NATHÁLIA SIMÕES SIQUEIRA, 21 anos, estudante

Fax: (91) 4006-9227 Redação: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veículo da Fundação Nazaré de Comunicação CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Impresso no parque gráfico de O Liberal

FUNDAÇÃO NAZARÉ DE COMUNICAÇÃO


3

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Arcebispo Conversa com meu povo Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

A

Igreja multiplica, Brasil afora, as iniciativas missionárias, para que todos os discípulos de Jesus se descubram chamados a anunciar a Boa Nova. Onde quer que exista um cristão batizado, deve florescer um missionário. Alguns serão testemunhas silenciosas de Jesus Cristo, como sal, luz e fermento na sociedade. Outros assumirão tarefas de liderança em suas Comunidades de Bairro e em suas Paróquias. Muitas pessoas terão em sua profissão o campo missionário. Em todos os lugares poderão despontar famílias exemplares, quais casas construídas num lugar alto, luzes que não foram feitas para serem escondidas. Cresce o número de jovens dispostos a assumir a vocação sacerdotal, religiosa, missionária ou em Comunidades Novas. Nossos Seminários da Arquidiocese recebem um número significativo de novos candidatos ao sacerdócio. E assim testemunhamos o carinho de Deus pelo seu povo. A todos os cristãos chegue o convite à resposta generosa, cada qual se apresentando à Igreja para dizer “o Senhor me chamou a trabalhar, a Messe é grande a ceifar. Senhor, aqui estou!” A muitos homens e mulheres será confiado um mandato missionário específico, com o qual deverão empreender verdadeiro mutirão de visitas, serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão. Na Arquidiocese de Belém, o primeiro Domingo do mês de fevereiro do corrente ano é festa do envio missionário dos irmãos e irmãs que foram preparados no Projeto Igreja de Belém em Missão. O Manual do Missionário tem a seguinte mensagem, agora compartilhada com todos: “Nas mãos de Deus Providente está a vida da Igreja e a certeza de que a Boa Nova do Evangelho há de chegar aos confins da terra. Nas mãos da Igreja de Belém está a responsabilidade do mandato missionário, do qual não nos é lícito fugir! Mas a messe é grande e os operários são poucos! Nas mãos dos irmãos e irmãs que acolheram o chamado à missão está a grande empreitada que agora se inicia. Em suas mãos, caríssimos missionários e missionárias, estão estas orientações práticas, para que o contato com as pessoas e as comunidades de toda a Arquidiocese seja marcado pela unidade e pela caridade com que serão todos tocados pela ação do Espírito Santo, que pode mover os corações, a fim de que todos possam reconhecer Jesus Cristo como Senhor e Salvador e acolher o Evangelho. Nas mãos e no coração de todos está a responsabilidade da oração, para que o Senhor envie mais operários à sua messe. Nas mãos e no coração dos Bispos, Dom Vicente Joaquim Zico, Dom Teodoro Mendes Tavares e Dom Alberto Taveira Corrêa, está o voto de confiança em todas as pessoas que partem em missão, levando no

Anunciar o evangelho LUIZ ESTUMANO

Onde quer que exista um cristão batizado, deve florescer um missionário peito uma Cruz!” A estes e aos muitos missionários e missionárias que a eles se agregarão, cheguem algumas recomendações, brotadas do coração de Deus, na Liturgia da Palavra do Domingo do envio. Elas podem também chegar a muitas outras pessoas de outras partes, desejosas de assumirem a missão evangelizadora. Um profeta de nome Jeremias (Cf. Jr 1,4-19) foi chamado a levar a palavra do Senhor ao povo: “Antes de formar-te no seio de tua mãe, eu já te conhecia, antes de saíres do ventre, eu te consagrei e te fiz profeta para as nações”. Eu respondi: “Ah! Senhor Deus, não sei falar, sou uma criança”. O Senhor me respondeu: “Não digas: ‘Sou uma criança’, pois aos que eu te enviar irás, e tudo o que eu mandar dizer, dirás. Não tenhas medo deles, pois estou contigo para defender-te”. O Senhor estendeu a mão, tocoume a boca e disse: “Eu ponho minhas palavras na tua boca”. Missionários na Igreja podem ser homens e mulheres de várias idades e situações sociais! Deus fez e faz maravilhas contando com pessoas que convertem! Não há desculpas a oferecer. Há uma área na Arquidiocese de Belém cuja evangelização se iniciou quando o Pároco encontrou a resposta num adolescente de quinze anos, hoje respeitado pela vizinhança, pela coragem com que leva a Palavra de Deus. Olhando ao nosso redor, há sempre alguma coisa a fazer, que se torna possível quando cada um se reveste da responsabilidade que lhe é própria, nascida do Batismo. Quem se sente chamado à missão, jogue fora todas as desculpas. No

lugar do nome “Jeremias”, pode colocar seu próprio nome! Quando Jesus apresentou seu “programa” missionário, proclamando um ano de graça da parte do Senhor, mostrou-se como aquele que traz a libertação a todos (Cf. Lc 4,14-30). Para surpresa do público presente na Sinagoga de Nazaré, começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir.” Dali para frente, onde quer que alguém chegue, em nome de Jesus Cristo e na força de sua graça, a Palavra de Deus se realiza. Não somos em primeiro lugar mensageiros de uma doutrina, mas testemunhas de uma pessoa. E ele está presente no meio de nós, caminha conosco até o final dos tempos, não abandona sua Igreja. Portanto, coragem, missionários! O Senhor os acompanha! “Que beleza os passos de quem traz boas-novas, daquele que traz a notícia da paz, que vem anunciar a felicidade, noticiar a salvação, dizendo a Sião: Teu Deus começou a reinar” (Is 52,7). Em Nazaré, todos ficaram maravilhados com as palavras cheias de graça que saíam da boca de Jesus. E perguntavam: “Não é este o filho de José”? Pois é, os missionários da Igreja católica são gente de nossa vizinhança, pessoas simples, conhecidas, até para que também os que recebem as visitas missionárias descubram que também eles podem fazer o mesmo! Que em nossa Igreja ninguém menospreze o que anuncia a boa nova! Na mesma ocasião, Jesus lhes dizia: “Sem dúvida, me citareis o provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’. O que ouvimos dizer

que fizeste em Cafarnaum, faze também aqui, na tua terra!” E acrescentou: “Em verdade, vos digo que nenhum profeta é aceito na sua própria terra”. Ao ouvirem estas palavras, todos ficaram furiosos. Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no para o alto do morro sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de empurrá-lo para o precipício. Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho”. Em todos os tempos os missionários são confrontados com a perseguição e a incompreensão. Não há que desanimar, mas perseverar sempre e cada dia mais, na absoluta fidelidade ao Evangelho, prontos a dar a vida por Jesus Cristo. Se de um lado pedimos a todos que abram suas portas e corações aos missionários, de outra parte sabemos que as provações e provocações eventualmente encontradas não diminuirão a força do Evangelho de Jesus Cristo. Mas a grande “arma” dos missionários da Arquidiocese será “o amor de Deus derramado nos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5). Trazem consigo o amor de caridade (Cf. 1 Cor 12,31 – 13,13), pois sabem que se falassem as línguas dos homens e as dos anjos, mas não tivessem caridade, seriam como bronze que soa ou um címbalo que retine. Se tivessem o dom da profecia, ou conhecessem todos os mistérios e toda a ciência, se tivessem toda a fé, a ponto de remover montanhas, mas não tivessem caridade, nada seriam. Levam consigo a caridade, que é paciente e benfazeja; não é invejosa, não é presunçosa nem se incha de orgulho; não faz nada de vergonhoso, não é interesseira, não se encoleriza, não leva em conta o mal sofrido; não se alegra com a injustiça, mas fica alegra com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, espera tudo, suporta tudo. Esta é a bandeira dos missionários e missionárias!


4

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Liturgia Homilia dominical Padre Romeu Ferreira romeufsilva@gmail.com

A) Texto: Lc 4,21-30.

Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma

Jesus na sinagoga começou a dizer: 21 “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”. 22 Todos davam testemunho a seu respeito, admirados com as palavras cheias de encanto que saiam de sua boca. E diziam: “Não é este o filho de José? 23 Jesus, porém, disse: “Sem dúvida, vós me repetireis o provérbio: médico, curate a ti mesmo. Faze também aqui, em tua terra, tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum”. 24E acrescentou: Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. 25De fato, eu vos digo, no tempo do profeta Elias,

quando não choveu durante três anos e seis meses e houve grande fome em toda a região, havia muitas viúvas em Israel. 26No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva que vivia em Sarepta, na Sidônia. 27E no tempo do profeta Eliseu havia muitos leprosos em Israel. Contudo, nenhum deles foi curado, mas sim Naamã, o sírio”. 28Quando ouviram essas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. 29Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaramno até o alto do monte sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de lança-lo no precipício.30Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho. B) COMENTÁRIO O evangelho de hoje está ligado ao texto do domingo passado, lembrando que Jesus veio dar cumprimento às

profecias (Is 61,1-2). Ele veio “proclamar um ano da graça do Senhor” (Lc 4,19). Isto quer dizer o tempo do perdão que Deus oferece a todo aquele que se aproxima Dele com sentimento de humildade e pobreza; paz no sentido mais amplo,como dom amoroso esperado do alto; paz com as pessoas e com Deus, como reconciliação em Seu amor. “palavras cheias de encanto que saiam de sua boca” (v 22), ou seja, “palavras cheias de graça”. O encanto, ou graça, não se refere só ao tom da pregação, como ao conteúdo dela. Em decorrência da pregação há duas linhas de atitudes: para uns as palavras são encantadoras, “cheias de graça”; e para outros despertam: curiosidade, inveja e dúvidas (Mc 6, 1-6). Os concidadãos de Jesus queriam que ele fizesse lá, o que fizera em outros lugares. Mas o mestre responde com firmeza e exemplos da Escritura (v 24-27). “nenhum profeta é bem

recebido em sua pátria” (v 24). Jesus nesta frase antecipa o resultado de sua trajetória: marginalizado, desprezado... Ele enfoca a dureza do povo eleito (Israel) com os exemplos do leproso e da viúva, mostrando que os pagãos também são destinatários da salvação: Deus é de todos e para todos.Os exemplos de Elias e Eliseu (1 Rs 17,1ss; 2Rs 5,14ss) usados pelos mestre, ensina que já nos tempos proféticos havia uma preferência aos estrangeiros, a mando divino. Por vontade de Deus, sua pátria fica em segundo lugar, mesmo quanto aos milagres; que a eleição divina não está atrelada a vínculos de parentesco. O comentário de Jesus faz com que o povo procure eliminálo. Mas ele, “passando pelo meio deles, continuou o seu caminho” (v 30). Deus é senhor da história. A ordem divina determina um momento para cada gesto salvífico, e cada gesto no seu momento, na sua hora.

Liturgia da Semana w Dia 01, sexta-feira III Semana do Tempo Comum Primeira leitura (Hb 10, 32-39) Responsório 36 (37) Evangelho (Mc 4,26-34) w Dia 2, sábado Apresentação do Senhor Primeira leitura (Ml 3,1-4 Responsório 23 (24)

Evangelho (Lc 2,22-40) w Dia 3, domingo IV Domingo do Tempo Comum Primeira leitura (Jr 1,4-5.17-19) Responsório 70 (71) Evangelho (Lc 4,21-30) w Dia 4, segunda-feira IV Semana do Tempo Comum Primeira leitura (Hb 11,32-40)

Responsório 30 (31) Evangelho (Mc 5,1-20) w Dia 5, terça-feira Santa Águeda Primeira leitura (Hb 12,1-4) Responsório 21 (22) Evangelho (Mc 5,21-43) w Dia 6, quarta-feira São Paulo Miki

Primeira leitura (Hb 12,4-7. 11-15) Responsório 102 (103) Evangelho (Mc 6,1-6) w Dia 7 quinta-feira IV Semana do Tempo Comum Primeira leitura (Hb 12,18-19.21-24) Responsório 47 (48) Evangelho (Mc 6,7-13)

Santos da semana Benedito Otávio (artpresent@hotmail.com) 05/02 - TERÇA-FEIRA Santa Adelaide de Vilich - Camaldulense

01/02 - SEXTA-FEIRA Beato Luigi (Luís) Variara - Sacerdote Salesiano

Nascida em 960, foi enviada por seus pais para estudar no mosteiro de Santa Úrsula em Colônia. Interessante na vida desta santa é que cada vez que morre alguém da família sua vida sofre modificações: Seu irmão em batalha; com a herança o pai constrói um mosteiro e ela toma conta. Sua mãe doente; ela adota as regras de S. Bento. Sua irmã também abadessa; o bispo de Colônia vendo seu desempenho na administração, sede a ela o mosteiro da finada irmã. Mas com tudo isso, Adelaide aspirava bondade e dons místicos.

Luís jogava bola com sua turminha no pátio do Oratório, em Turim, Itália, 1887, ele tinha 12 anos. Dom Bosco passava ali por perto quando um deles gritou: Dom Bosco, Dom Bosco! correram até lá. Mais tarde Luís relatou: “... ele me deu um olhar doce, seus olhos pousaram em mim, aquele dia foi marcante, com o olhar ele lia a minh’alma”. Mais tarde tornou-se sacerdote e missionário na Colômbia, em um hospital na ala dos leprosos, ele escreve: “Parecia um sonho”. Incentivou a criação das Filhas do Sagrado Coração de Jesus e Maria. O menino, o padre, que gerou a alma missionária. 02/02 - SÁBADO Nossa Senhora da Candelária - Memória Mariana Antes do Concílio Vaticano II, as festas de Natal se encerravam aqui, 40 dias após o nascimento de Jesus. Quando a mulher hebréia saia de casa para apresentar seu filho varão no templo e fazia sua purificação espiritual da sangria do parto. Assim como Jesus não precisava de batismo, mas quis segui a lei, Maria também, toda pura, cumpriu a lei e apresentou a “Luz das nações” que é Jesus. Ao longo do tempo surgiu a devoção de N. Sra. da Luz; da Candelária; das Candeias, na Espanha, Portugal e sudeste do Brasil. Aqui, ainda algumas poucas casas benzem velas e as acendem nas janelas. 03/02 - 4º DOMINGO DO TEMPO COMUM São Brás - Bispo e Mártir E por falar em velas, neste dia é costume receber uma benção especial em nossas gargantas com duas velas cruzadas, pois, esse santo que foi médico, bispo de Sebaste na Armênia, e sofreu o martírio em 316, por não oferecer sacrifícios aos deuses pagãos, salvou, conforme narram as Atas de sua vida, um menino que estava para morrer por ter engolido uma espinha, outros dizem que foi um osso, o certo é que até hoje, mães aflitas recorrem à sua intercessão quando um filho engasga ou apresenta problemas de garganta. Por muitos relatos de milagres, ele é bastante venerado em muitos países.

06/02 - QUARTA-FEIRA Santos Paulo Miki e Companheiros - Mártires

04/02 - SEGUNDA-FEIRA Santo Aventino de Troyes - Bispo Nasceu na Gália, Bourges, segunda metade do séc. V. Visto como modelo desde a juventude graças a educação cristã que recebeu. Fez uma visita a São Lupus, bispo de Troyes, o mesmo que salvou a cidade da invasão de Átila, oferecendose como refém. Os dois bispos tornam-se grandes aliados contra o mal, libertando prisioneiros de guerra estrangeiros que eram escravizados. Lupus morreu em 479, foi sucedido por São Cameliano, que era mais espirituoso de vida eremita. Aventino foi chamado a terminar sua vida assim, recluso, em oração, falecendo em 538.

Através da evangelização de S. Francisco Xavier, que o Japão tomou conhecimento do cristianismo, entre 1549 e 1551. Foi filho de militar imperial, torna-se jesuíta e se dedicava ao ensino do catecismo com muito zelo, obtendo nesse apostolado, conversões espantosas. Foi crucificado em Nagasaki, Japão, em 1587, juntamente com outros dois jesuítas, seis franciscanos e dezessete leigos. Canonizados por Pio IX. 07/02 - QUINTA-FEIRA Beato Pio IX - Papa Maria Santíssima sempre presente em sua vida: No nascimento, 13 de maio de 1792. No nome, Giovanni “Maria” Mastai Ferretti. Na enfermidade, curado rezando pela intercessão de N. Sra. de Loreto. Ao encontrar São Vicente Pallotti em 1815, este lhe profetizou o pontificado. Em sua 1ª missa como padre, 1819, na Igreja de Sant’Ana dos Carpinteiros. Já como papa, na proclamação da Imaculada Conceição, em 08/12/1854. Incentivou o culto ao Sag. Cor. de Maria e deu início ao concílio Vaticano I, 1869-1870.


5

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Vaticano MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI PARA O 47º DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS Redes sociais: portais de verdade e de fé; novos espaços de evangelização Amados irmãos e irmãs,

E

ncontrando-se próximo o Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2013, desejo oferecer-vos algumas reflexões sobre uma realidade cada vez mais importante que diz respeito à maneira como as pessoas comunicam actualmente entre si; concretamente quero determe a considerar o desenvolvimento das redes sociais digitais que estão a contribuir para a aparição duma nova ágora, duma praça pública e aberta onde as pessoas partilham ideias, informações, opiniões e podem ainda ganhar vida novas relações e formas de comunidade. Estes espaços, quando bem e equilibradamente valorizados, contribuem para favorecer formas de diálogo e debate que, se realizadas com respeito e cuidado pela privacidade, com responsabilidade e empenho pela verdade, podem reforçar os laços de unidade entre as pessoas e promover eficazmente a harmonia da família humana. A troca de informações pode transformar-se numa verdadeira comunicação, os contactos podem amadurecer em amizade, as conexões podem facilitar a comunhão. Se as redes sociais são chamadas a concretizar este grande potencial, as pessoas que nelas participam devem esforçarse por serem autênticas, porque nestes espaços não se partilham apenas ideias e informações, mas em última instância a pessoa comunica-se a si mesma. O desenvolvimento das redes sociais requer dedicação: as pessoas envolvem-se nelas para construir relações e encontrar amizade, buscar respostas para as suas questões, divertir-se, mas também para ser estimuladas intelectualmente e partilhar competências e conhecimentos. Assim as redes sociais tornam-se cada vez mais parte do próprio tecido da sociedade enquanto unem as pessoas na base destas necessidades fundamentais. Por isso, as redes sociais são a l i m e n t a d a s p o r a s p i ra ç õ e s radicadas no coração do homem. A cultura das redes sociais e as mudanças nas formas e estilos da comunicação colocam sérios desafios àqueles que querem falar de verdades e valores. Muitas vezes, como acontece também com outros meios de comunicação social, o significado e a eficácia das diferentes formas de expressão parecem determinados mais pela sua popularidade do que pela sua importância intrínseca e validade. E frequentemente a popularidade está mais ligada com a celebridade ou com estratégias de persuasão do que com a lógica da argumentação. Às vezes, a voz discreta da razão pode ser abafada pelo rumor de excessivas informações, e não consegue atrair a atenção que, ao contrário, é dada a quantos se expressam de forma mais persuasiva. Por conseguinte os meios de comunicação social precisam do compromisso de todos aqueles que estão cientes do valor do diálogo, do debate fundamentado, da argumentação

lógica; precisam de pessoas que procurem cultivar formas de discurso e expressão que façam apelo às aspirações mais nobres de quem está envolvido no processo de comunicação. Tal diálogo e debate podem florescer e crescer mesmo quando se conversa e toma a sério aqueles que têm ideias diferentes das nossas. «Constatada a diversidade cultural, é preciso fazer com que as pessoas não só aceitem a existência da cultura do outro, mas aspirem também a receber um enriquecimento da mesma e a dar-lhe aquilo que se possui de bem, de verdade e de beleza» (Discurso no Encontro

penso, por exemplo, na cruz, nos ícones, nas imagens da Virgem Maria, no presépio, nos vitrais e nos quadros das igrejas. Uma parte consistente do património artístico da humanidade foi realizado por artistas e músicos que procuraram exprimir as verdades da fé. A autenticidade dos fiéis, nas redes sociais, é posta em evidência pela partilha da fonte profunda da sua esperança e da sua alegria: a fé em Deus, rico de misericórdia e amor, revelado em Jesus Cristo. Tal partilha consiste não apenas na expressão de fé explícita, mas também no testemunho, isto é, no modo como se comunicam DIVULGAÇÃO

com o mundo da cultura, Belém, Lisboa, 12 de Maio de 2010). O desafio, que as redes sociais têm de enfrentar, é o de serem verdadeiramente abrangentes: então beneficiarão da plena participação dos fiéis que desejam partilhar a Mensagem de Jesus e os valores da dignidade humana que a sua doutrina promove. Na realidade, os fiéis dão-se conta cada vez mais de que, se a Boa Nova não for dada a conhecer também no ambiente digital, poderá ficar fora do alcance da experiência de muitos que consideram importante este espaço existencial. O ambiente digital não é um mundo paralelo ou puramente virtual, mas faz parte da realidade quotidiana de muitas pessoas, especialmente dos mais jovens. As redes sociais são o fruto da interacção humana, mas, por sua vez, dão formas novas às dinâmicas da comunicação que cria relações: por isso uma solícita compreensão por este ambiente é o pré-requisito para uma presença significativa dentro do mesmo. A capacidade de utilizar as novas linguagens requer-se não tanto para estar em sintonia com os tempos, como sobretudo para permitir que a riqueza infinita do Evangelho encontre formas de expressão que sejam capazes de alcançar a mente e o coração de todos. No ambiente digital, a palavra escrita aparece muitas vezes acompanhada por imagens e sons. Uma comunicação eficaz, como as parábolas de Jesus, necessita do envolvimento da imaginação e da sensibilidade afectiva daqueles que queremos convidar para um encontro com o mistério do amor de Deus. Aliás sabemos que a tradição cristã sempre foi rica de sinais e símbolos:

«escolhas, preferências, juízos que sejam profundamente coerentes com o Evangelho, mesmo quando não se fala explicitamente dele» (Mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2011). Um modo particularmente significativo de dar testemunho é a vontade de se doar a si mesmo aos outros através da disponibilidade para se deixar envolver, pacientemente e com respeito, nas suas questões e nas suas dúvidas, no caminho de busca da verdade e do sentido da existência humana. A aparição nas redes sociais do diálogo acerca da fé e do acreditar confirma a importância e a relevância da religião no debate público e social. Para aqueles que acolheram de coração aberto o dom da fé, a resposta mais radical às quest��es do homem sobre o amor, a verdade e o sentido da vida – questões estas que não estão de modo algum ausentes das redes sociais – encontra-se na pessoa de Jesus Cristo. É natural que a pessoa que possui a fé deseje, com respeito e tacto, partilhála com aqueles que encontra no ambiente digital. Entretanto, se a nossa partilha do Evangelho é capaz de dar bons frutos, fá-lo em última análise pela força que a própria Palavra de Deus tem de tocar os corações, e não tanto por qualquer esforço nosso. A confiança no poder da acção de Deus deve ser sempre superior a toda e qualquer segurança que possamos colocar na utilização dos recursos humanos. Mesmo no ambiente digital, onde é fácil que se ergam vozes de tons demasiado acesos e conflituosos e onde, por vezes, há o risco de que o sensacionalismo prevaleça, somos chamados a

um cuidadoso discernimento. A propósito, recordemo-nos de que Elias reconheceu a voz de Deus não no vento impetuoso e forte, nem no tremor de terra ou no fogo, mas no «murmúrio de uma brisa suave» (1 Rs 19, 1112). Devemos confiar no facto de que os anseios fundamentais que a pessoa humana tem de amar e ser amada, de encontrar um significado e verdade que o próprio Deus colocou no coração do ser humano, permanecem também nos homens e mulheres do nosso tempo abertos, sempre e em todo o caso, para aquilo que o Beato Cardeal Newman chamava a «luz gentil» da fé. As redes sociais, para além de instrumento de evangelização, podem ser um factor de desenvolvimento humano. Por exemplo, em alguns contextos geográficos e culturais onde os cristãos se sentem isolados, as redes sociais podem reforçar o sentido da sua unidade efectiva com a comunidade universal dos fiéis. As redes facilitam a partilha dos recursos espirituais e litúrgicos, tornando as pessoas capazes de rezar com um revigorado sentido de proximidade àqueles que professam a sua fé. O envolvimento autêntico e interactivo com as questões e as dúvidas daqueles que estão longe da fé, deve-nos fazer sentir a necessidade de alimentar, através da oração e da reflexão, a nossa fé na presença de Deus e também a nossa caridade operante: «Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, sou como um bronze que soa ou um címbalo que retine» (1 Cor 13, 1). No ambiente digital, existem redes sociais que oferecem ao homem actual oportunidades de oração, meditação ou partilha da Palavra de Deus. Mas estas redes podem também abrir as portas a outras dimensões da fé. Na realidade, muitas pessoas estão a descobrir – graças precisamente a um contacto inicial feito on line – a importância do encontro directo, de experiências de comunidade ou mesmo de peregrinação, que são elementos sempre importantes no caminho da fé. Procurando tornar o Evangelho presente no ambiente digital, podemos convidar as pessoas a viverem encontros de oração ou celebrações litúrgicas em lugares concretos como igrejas ou capelas. Não deveria haver falta de coerência ou unidade entre a expressão da nossa fé e o nosso testemunho do Evangelho na realidade onde somos chamados a viver, seja ela física ou digital. Sempre e de qualquer modo que nos encontremos com os outros, somos chamados a dar a conhecer o amor de Deus até aos confins da terra. Enquanto de coração vos abençoo a todos, peço ao Espírito de Deus que sempre vos acompanhe e ilumine para poderdes ser verdadeiramente arautos e testemunhas do Evangelho. «Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura» (Mc 16, 15). Vaticano, 24 de Janeiro – Festa de São Francisco de Sales – do ano 2013.


6

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Catequese AGÊNCIA BRASIL

Um só coração e uma só alma Padre Agostinho Cruz afs.cruz@hotmail.com

Quando a dor é maior

I

Bacharelando em Teologia pela Faculdade Dehoniana (SP), Pároco de São João Batista e Nossa Senhora das Graças (Icoaraci)

ndiscutivelmente o ser humano não encontrará dor maior, do que a dor da separação, da perda repentina, da morte de seus amados. Numa fração de tempo aqueles a quem se ama, por um motivo ou outro, tragédia ou fatalidade, não se terá mais diante dos olhos. Querer buscá-los e não encontra-los, não só parte o coração, como esfacela a alma. O amor que move os corações sai às palpadelas na realidade tão lastimável e presente diante de si, querendo reter num último olhar o sorriso que não verá mais, o corpo que não acariciará mais e a voz que não mais escutará. Há uma fissura tão profunda no coração de um pai e de uma mãe quando não conseguem ver os seus filhos realizados, felizes, progredindo; de outro modo, abre-se, como um abismo, o c o ra ç ã o d e s s e s h o m e n s e mulheres que perderam tragicamente seus filhos. Sim, um abismo; algo sem medida, sem meios de se reparar. Ninguém pede para nascer, mas, Deus em sua infinita bondade concede a vida a tantos quantos Ele quer. É um ato todo Seu; livre e cheio de amor. É assim que a vida vai se manifestando e quando rosto, forma e beleza. Os filhos trazem a marca de Deus impregnada da semente do amor de seus pais; os pais, por sua vez, sentemse eternizar em seus filhos. É o ciclo da vida, pois ninguém está neste mundo sem uma história, sem uma raiz, sem um princípio. Se o ser humano foi lançado no mundo, o foi por pura graça de Deus que o lançou de seu coração para os corações de seus pais, e estes devem, no tempo certo,

w PERDA Parentes e amigos lamentam a morte das vítimas da tragédia em Santa Maria, no RS

lança-los de volta para Deus. O amor que tem raiz em Deus e passa pelo cuidado dos pais, não permite uma rasgadura na relação; não aceita a desculpa esfarrapada da morte que traz a separação. O amor de um pai e de uma mãe eternizam-se no coração dos filhos através das boas obras, dos valores e da fé que lhes transmitiram. Contudo, sempre será verdadeiro pensar, que, para os pais os filhos são sempre filhos. Não se aceita que o filho saia e não volte. Todo pai que ver o seu filho saindo, já coloca em seu coração desejo de reencontrá-lo. É mais pura ligação de amor. Esse amor cuidadoso faria de tudo para colocar-se no lugar do filho se este viesse a enfrentar o perigo. Com certeza, na hora da tragédia de uma separação causada pela morte, muitos pais e mães iam querer trocar de lugar com os filhos que jazem em seu braço, que na infância o ninou, acariciou, afagou e sustentou. E que agora o abraça, como num ato único de não querer se separar.

A vida tem sua lógica, tem seus esquemas, e no existir humano sabemos que o nascer, o crescer, o reproduzir-se e o morrer fazem parte do ciclo natural. Porém, a incógnita da vida, está em perceber que os filhos estão indo antes dos pais, que os pais não terão a alegria de ver os seus rebentos frutificarem, os pais não serão eternizados em seus filhos, pois a morte ceifou os seus sonhos e ideais. Na Sagrada Escritura encontra-se o relato de um pai que ansioso esperava por boas notícias, e que acaba por receber o anúncio de que seu filho está morto. É o caso do rei Davi e seu filho Absalão. Um amor de pai que supera toda dificuldade e espera e acredita no amor de seu filho: “Então o rei, abalado, subiu ao quarto que ficava por cima da porta e chorou. Foi subindo e clamando: ‘Ah, meu filho Absalão! Meu filho, meu filho Absalão! Quem me dera ter morrido em seu lugar! Ah, Absalão, meu filho, meu filho!’” (2 Sm 18,33). O clamor de Davi

pela perda do filho é o mesmo do coração de tantos pais e mães que viram-se furtados da presença de seus herdeiros. É o eco da desolação e da dor, que em prantos chega aos céus, único lugar da verdade do coração. Diante do corpo inerte de um filho, o coração se dilata querendo abarcar e envolvelo como fizera tantas vezes; a voz não sai e sente-se apenas o ofegar da vontade de gritar perguntando-se “por que?”; as mãos, mesmo trêmulas, ganham força para coloca-lo no regaço acolhedor de seu peito. Isso é fruto do amor, o único que não morre com a morte, pois quem ama quer ver o outro vivo, e se possível dar-lhe-ia de novo a vida. No entanto, mesmo quando essa dor maior, deve-se viver com outra realidade, a única capaz de sustenta-lo, o amor, pois “o amor é maior” (1 Cor 13,13). Depois da dor acrisolada pelas lágrimas, o tempo vivido em Deus e com Deus, eternizará aqueles que partiram, deixando a saudade como elo de amor.

Palavra de padre Padre Zezinho, scj

Coerentes como Jesus… Quando Jesus propôs aos discípulos que o “sim” deles fosse “sim” e o “não” fosse “não” propôs uma das virtudes mais difíceis da vida. É que ela engloba muitas outras. O mero fato de alguém se apresentar como pessoa coerente, ou coerente para consigo mesma, já demonstra sua incoerência. Coerência supõe humildade… Está longe de agir como co-herdeiro aquele que caminha junto, mas cortejando os primeiros lugares. Dentre as muitas que se supõe vividas por um cristão, três virtudes traduzem o caminhar sereno de quem optou por Jesus: adesão (ad-haerens) inserção (in-haerens) coerência ( co-haerens). Herda um caminho e o

assume, mergulha fundo no projeto assumido, entende que o projeto é de todos e é também seu. Os católicos repetem a cada missa este chamado: por Cristo,em Cristo, com Cristo; por nele, nele e com ele; vosso reino que também é nosso. As orações da missa trazem implícitas a promessa de coerência. O Pai Nosso, no “Assim como nós perdoamos” outra vez aponta para a coerência. Coerência supõe santidade e maturidade, valores que não caem do céu nem acontecem no estalar de alguns dedos. São conquistas lentas. Coerente foi Pedro quando se arrependeu, incoerente foi Judas quando não aceitou o perdão de Jesus e se matou. Não quis seguir como perdoado.

Coerência supõe santidade e maturidade, valores que não caem do céu nem acontecem no estalar de dedos

Coerente foi Francisco de Assis quando, aos 26 anos, tendo descoberto a pérola que buscava, aderiu, inseriu-se e prosseguiu no caminho da simplicidade e da pobreza solidária. Aos 42 anos sua coerência fora suficientemente testada. Morreu aclamado como santo, e era: não se desviara mais do caminho. Mostramos nossa incoerência quando juramos e não cumprimos, prometemos e não assumimos, quando vamos embora de companheiros, familiares e igrejas ou grupos, se ir embora se nos afigura mais vantajoso; quando escolhemos a nós mesmos e o nosso projeto porque o outro ficou difícil; quando não levamos em consideração o sentimento dos outros;

quando insistimos que tem que ser somente do nosso jeito; quando fugimos da dificuldade; quando erramos, mas damos um jeito de por a culpa nos outros; quando achamos sempre uma desculpa para nossos desvios e nos mostramos inclementes contra os erros dos outros; quando escondemos a enorme farpa no nosso olho e achamos horrível o cisco no olho alheio… O leitor que me segue experimente ler o Novo Testamento sob esta ótica do “disse e fez, prometeu e cumpriu, jurou e não voltou atrás”. Verá por que razão Jesus desafiou os seus acusadores e mostrar qualquer incoerência nele. Coerência é pilar de santidade! Costuma doer, mas cria solidez!


7

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Arquidiocese

LUIZ ESTUMANO

BELÉM EM MISSÃO

Arquidiocese envia seus missionários No domingo (3) haverá Missa de Envio do Projeto Belém em Missão, na Catedral

B

elém se prepara para em 2016 receber dois grandes eventos: o XVII Congresso Eucarístico Nacional e a comemoração dos 400 anos de fundação da capital paraense e de presença da Igreja na Amazônia. Com o objetivo de multiplicar o número de missionários na área de abrangência na Arquidiocese, foi lançado em 2008 o Projeto Igreja de Belém em Missão. Para marcar o início da missão será celebrada neste domingo, 3, na Catedral Metropolitana de Belém, a Missa de Envio dos mais de 1000 missionários que terão como objetivo principal: disseminar a palavra de Deus na região Arquidiocesana. A celebração será presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Ta-

veira Corrêa, às 9h. Na ocasião, todos serão enviados para a missão e convidados para receber a cruz e o manual missionário. Até o momento, cerca de 1200 missionários de diversas paróquias já estão inscritos no projeto. As inscrições podem ser realizadas em todas as paróquias. Para monsenhor Raimundo Possidônio, até 2015, a meta é “evangelizar a cidade de Belém e prepará-la para os 400 anos de evangelização de Belém”. “Nós vamos fazer isso dando vários passos. Um trabalho capilar de evangelização, que nós chamamos também de porta-a-porta, rua-a-rua, para levar e transmitir a Boa Nova do evangelho às pessoas e formar comunidades nas regiões onde não existe a

w NA ASSEMBLEIA PASTORAL EM 2012 Lideranças planejaram as metas para 2013

presença da Igreja Católica, onde ela é rarefeita”, explica. Os voluntários interessados deverão se inscrever na própria paróquia. Ele acrescentou que o projeto é realizável graças ao empenho e dedicação do laicato: “Sem o leigo não há trabalho pastoral, não há trabalho missionário, não há trabalho de Igreja. A função do pároco é ser o incentivador, o animador, que integra que articula, mas quem faz o trabalho missionário é o leigo. O leigo é de fundamental importância para que se faça, deste Belém em Missão, um projeto que realmente prepare a Arquidiocese para as celebrações jubilares de 2016”. Monsenhor Cid, destacou também a elaboração do

plano de pastoral de 2012, durante a Assembléia de Pastoral, em que foram debatidas todas as ações do projeto. Segundo ele, a reunião deste ano será realizada após a Páscoa. E adiantou que o próximo evento será realizado durante a abertura da Campanha da Fraternidade, cujo tema é “Fraternidade e Juventude”, no município de Ananindeua, com celebração de Missa no Ginásio do Abacatão, seguida de passeata em direção à Paróquia Santa Paula Frassinetti. Maria Lassalete Brandão, umas das coordenadoras do projeto na Paróquia Cristo Rei, no bairro do Guanabara, diz que o trabalho missionário requer algumas etapas de preparação. “A princípio

realizamos vários retiros, encontros de formação espirituais e o estudo da área escolhida para realizar a missão. Em seguida realizamos as visitas levando a Palavra de Deus nas casas e orientações cristãs às pessoas que passam por problemas familiares”, explica. A próxima missão será realizada no Bairro da Pedreirinha, após o envio dos missionários. O grupo missionário da paróquia é formado por 15 pessoas na faixa etária de 40 a 50 anos. “É um número bom, no entanto aumenta quando há necessidade. As visitas são feitas a cada duas pessoas que se dividem nas tarefas. É um trabalho fraterno e muito gratificante que precisa se expandir cada vez mais”, disse. LUIZ ESTUMANO

Dom Alberto Taveira lança Retiro Popular 2013

w EM 2012 O tema para reflexão foi “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”

“A

quem iremos, Senhor?”. Este é o título do novo livro “Retiro Popular”, de autoria de Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém. Na capital paraense, o lançamento será neste domingo (03), às 8h, após a missa dedicada a Família Nazaré, na Capela da Fundação Nazaré de Comunicação. A publicação é um roteiro explicativo para igrejas, comunidades, grupos e leigos de como fazer um retiro espiritual durante a Quaresma em preparação à Semana Santa. Neste ano, o livro traz um questionamento do Evangelho de São João, a partir de um diálogo de Jesus com os discípulos: “A quem iremos, Senhor?” (Jo 6, 66-68), propondo uma alternativa para quem deseja viver bem o Tempo Litúrgico da Quaresma. O livro traz ainda outras interrogações de personagens bíblicos como: as do diálogo entre

Jesus e os primeiros discípulos “O que vocês querem? – perguntou Jesus. Os discípulos perguntam também: Onde moras?” (Jo 1, 35). Segundo Dom Alberto, outro questionamento de Jesus que remete os fiéis ao Ano da Fé está na conversa com o cego de nascença: “Você acredita no Filho do Homem?” (Jo 9,35). O lançamento em São Paulo foi no último domingo (27), na Canção Nova. O livro Retiro Popular é realizado desde 1992 pelo prelado e busca servir de orientação para todos os fiéis católicos interessados em se preparar da melhor forma possível para o Tempo da Quaresma. No ano passado, o livro contou com o tema “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”. O Retiro Popular de 2012 se propôs a acompanhar o Evangelho de São Marcos, o primeiro que foi escrito. Tratou-se de uma apresentação de Jesus Cristo, filho de Deus.


8

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Formação C

aro leitor, com este artigo quero dar por encerrada, por hora, a tarefa assumida de esclarecer e divulgar de forma escrita, um pouco mais do maravilhoso trabalho de João Paulo II em defesa da instituição matrimonial através de suas catequeses sobre o amor humano. Ao final de todas as reflexões realizadas, em breves palavras, podemos afirmar que a Teologia do Corpo proposta por João Paulo II é, na verdade, uma Teologia do Amor. Não o amor superficial proposto pelas chamadas “revoluções” do mundo moderno e contemporâneo, mas o amor originado no próprio Deus que desde o princípio foi infundido no ser humano, em sua masculinidade e feminilidade, e definitivamente revelado através da autodoação de Jesus Cristo por nós. Sim. É através desse ‘evangelho do corpo’ que Deus tem comunicado seu amor por nós, porque assim Ele o quis, para que fôssemos totalmente vivificados por essa boa nova de amor e pudéssemos, dessa maneira, estabelecer uma profunda comunhão com Ele e com os outros. Portanto, ao falarmos em Teologia do Corpo falamos da revelação do amor de Deus no corpo humano, principalmente quando Ele mesmo decide livremente entrar na história humana através de um Corpo, cuja obra de amor todos nós bem conhecemos. É isso que a Teologia do Corpo e o próprio corpo nos ensina: que fomos pensados no amor, originados do amor e destinados ao amor. É nessa perspectiva que o Santo Padre declara que “o homem não pode viver sem amor. Ele permanece para si próprio um ser incompreensível e a sua vida é destituída de sentido, se não lhe for revelado o amor, se ele não se

Primavera do mundo Padre Idamor da Mota Jr. (idamorjr@yahoo.com.br)

Teologia do Corpo - Conclusão encontra com o amor, se não o experimenta e se não o torna algo seu próprio, se nele não participa vivamente. E por isto precisamente Cristo Redentor [...] revela plenamente o homem ao próprio homem” (Redemptor Hominis 10). Portanto, toda a nossa busca terrena poderia ser resumida simplesmente na busca por comunhão, e

Todo anseio humano, ainda que distorcido completamente pelo pecado, é no fundo a sede por uma comunhão de amor infinito

comunhão de amor. Todo anseio humano, ainda que distorcido completamente pelo pecado, é no fundo a sede por uma comunhão de amor infinito. Daí dizer Santo Agostinho que nossos corações permanecem inquietos enquanto não encontramos o verdadeiro Amor capaz de saciar a nossa sede de infinito. Fomos criados do amor, por amor e

do Evangelho inscrita em nossos próprios corpos e que todos nossos mais profundos anseios espirituais, psíquicos e corpóreos resumem-se, na verdade, no anseio de comunhão com Deus, comunhão com o outro, comunhão com um amor totalizante capaz de preencher essa lacuna dentro de nós. Por isso, faz-se necessário que cada um de nós tomemos consciência do grande apelo e chamado que o Senhor nos faz através de seus servos, como João Paulo II, dentre outros, que ouviram o apelo do Espírito Santo dentro de Sua Igreja e dedicaram suas vidas a levar a verdade do Evangelho para despertar nos homens e mulheres de boa vontade o desejo de proclamar por ‘cima dos telhados’ a Boa Nova da salvação. Mas, particularmente, nas obras de João Paulo II, descobrimos a beleza do sentido da vida que, como ele mesmo diz, “encontra-se no dar e receber amor”, e assim, nessa dinâmica, “a sexualidade e a procriação alcançam seu verdadeiro e total significado” (cf. EV 81). E tudo isso encontra-se bem perto de nós, dentro de cada um de nós, no ‘evangelho do corpo’, porque assim foi o desejo do Senhor.

para o amor. Essa é a nossa vocação enquanto filhos de Deus. E por isso, Karol Wojtyla, desde o início de seu ministério aprofundou-se no grande mistério de amor que o Criador inscreveu em nossos corpos. Para assim dizer que o amor não é um conceito abstrato e distante, mas que é palpável e se encontra concretamente em cada célula do nosso corpo, manifestando, dessa maneira, a dimensão espiritual dentro da dimensão física. O corpo fala de amor, e por isso o Pai quis comunicar seu amor aos homens assumindo também um corpo. Cristo, o Filho amado, veio para nos comunicar esse amor de várias formas. Ele o revelou inicialmente numa festa de casamento, na celebração da união em ‘uma só carne’ entre homem e mulher. Ali Ele revelou ser o verdadeiro noivo que oferece o vinho novo para os convidados. Vinho este que Ele vai revelando aos poucos através de sua vida pública e que nos oferece constantemente em nossa vida através dos Sacramentos. Ao final de sua vida, Ele quis derramar por completo esse vinho novo, oferecendo-se completamente, de corpo e alma, pela sua esposa, a Igreja. Dessa forma, perpetuou esse dom de amor através do dom de si mesmo dizendo: tomai e comei, isto é o meu Corpo. Assim, Ele assume a nossa carne para desposar o que é humano e revelar a verdadeira face do homem ao próprio homem. Pouquíssimos católicos parecem entender que trazemos a mensagem

O autor é mestre em Bioética e Diretor do CCFC

Na próxima semana, “Escutando o Coração”, com Ir. Lourdes Silva, fsp

Compêndio do Catecismo da Igreja Católica Para reflexões durante o Ano da Fé, o jornal Voz de Nazaré continua nesta edição a publicação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. De maneira concisa, a publicação apresenta todos os elementos essenciais e fundamentais da fé da Igreja numa visão de conjunto, todo o panorama da fé católica.

CAPÍTULO SEGUNDO

A Sagrada Escritura Deus vem ao encontro do homem

1

Por que a Sagrada Escritura ensina a verdade?

Porque o próprio Deus é o autor da Sagrada Escritura; por isso se diz que ela é inspirada e ensina sem erro as verdades que são necessárias à nossa salvação. Com efeito, o Espírito Santo inspirou os autores humanos, que escreveram o que ele quis nos ensinar. A fé cristã, todavia, não é “uma religião do Livro”, mas da Palavra de Deus, que não é “uma palavra escrita e muda, mas o Verbo encarnado e vivo” (São Bernardo de Claraval). 105-108 135-136

2

Como ler a Sagrada Escritura?

A Sagrada Escritura deve ser lida e interpretada com a ajuda do Espírito Santo e sob a guia do Magistério da Igreja, segundo três critérios: l) atenção ao conteúdo e à unidade de toda a Escritura; 2) leitura da Escritura na Tradição viva da Igreja; 3) respeito à analogia da fé, ou seja, à coesão das verdades da fé entre si. 109-119 157

3

O que é o cânone das Escrituras?

O cânone das Escrituras é a lista completa dos escritos sagrados que a Tradição Apostólica fez a Igreja discernir. Esse cânone compreende 46 escritos do Antigo Testamento e 27 do Novo. 120 138

4

6

Os cristãos veneram o Antigo Testamento como verdadeira Palavra de Deus: todos os seus escritos são divinamente inspirados e conservam um valor permanente. Eles dão testemunho da divina pedagogia do amor salvífico de Deus. Foram escritos sobretudo para preparar o advento de Cristo Salvador do universo. 121-123

A Escritura é una, porquanto única é a Palavra de Deus, único o desígnio salvífico de Deus, única a inspiração divina de ambos os Testamentos. O Antigo Testamento prepara o Novo e o Novo dá cumprimento ao Antigo: os dois se iluminam mutuamente. 128-130 140

Que importância tem o Antigo Testamento para os cristãos?

5

Que importância tem o Novo Testamento para os cristãos?

O Novo Testamento, cujo objeto central é Jesus Cristo, confia-nos a verdade definitiva da Revelação divina. Nele, os quatro Evangelhos — de Mateus, Marcos, Lucas e João -, por serem o principal testemunho sobre a vida e a doutrina de Jesus, constituem o coração de todas as Escrituras e ocupam um lugar único na Igreja. 124-127 139

Que unidade existe entre Antigo e Novo Testamento?

7

Que função tem a Sagrada Escritura na vida da Igreja?

A Sagrada Escritura dá suporte e vigor à vida da Igreja. É para seus filhos firmeza da fé, alimento e fonte de vida espiritual. É a alma da teologia e da pregação pastoral. Diz o salmista: ela é “lâmpada para meus passos e luz no meu caminho” (SI 119,105). A Igreja exorta por isso à frequente leitura da Sagrada Escritura, porque “a ignorância das Escrituras é ignorância de Cristo” (São Jerônimo). 131133 141-142


9

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Juventude ANIVERSÁRIO

CAJU completa 54 anos de evangelização Comunidade celebra a data com missa e show neste final de semana

A

Comunidade Católica Casa da Juventude (CAJU) comemora 54 anos. Neste fim de semana a comunidade traz uma agenda especial para celebrar seu aniversário em grande estilo, na programação que contempla dois dias de celebrações. Está confirmada a presença do cantor Maninho que fará em única apresentação um show de voz de violão, no próximo sábado (2). O artista soma um leque de talentos: cantor, compositor e médico. Maninho começou cedo na música e aliou o habilidade ao prazer de adorar a Deus. Natural de Porto Alegre, casado, médico especialista em ortopedia e traumatologia, o cantor luta para manter vivo seu trabalho musical e o simples objetivo de evangelizar. O artista viu a necessidade de viver as duas realidades, simultaneamente, de músico e médico. Esse é um dos seus temas preferidos, que o conduz a compor as canções intimistas e poéticas. As comemorações continuarão no domingo (3), haverá uma missa em ação de graças pelo aniversário da Casa da Juventude, às 17h30, no prédio sede da comunidade, que fica localizado na Av. Almirante Barroso, nº 883. Toda a renda arrecadada com o show será

revertida para a construção da Capela Beato João Paulo II que será a primeira na região Norte a homenagear o Papa, conhecido como o Apóstolo da Juventude. O show voz e violão com o cantor católico Maninho no dia 2, sábado, às 20 horas. Local: no Auditório da FACI (Rua dos Mundurucus, nº 1412). Valor do Ingresso antecipado: R$ 20,00. Local de venda: na Secretaria da CAJU (segunda à sexta 13h30 às 19h30/sábado 08h às 12h) e na hora do evento na FACI. Mais informações pelo telefone: (91) 32361188. COMUNIDADE A comunidade foi fundada em 1959, pelo cônego Raul Ta v a r e s d e Sousa, que escreveu uma linda história de vida e promoveu aos membros e seguidores da Casa da Juventude uma comunidade alicerçada na alegria da ressurreição de Cristo.

w SHOW MUSICAL O cantor Maninho será a atração no sábado, 2

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Retiro de Carnaval 2013 Segundo a coordenação do evento, as pessoas que fizerem sua inscrição contarão com toda infraestrutura necessária para passar os seis dias do retiro. O evento é uma realização da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Comunidade Católica Casa da Vitória, Ministério Som da Graça, Ministério Eloi Hesed, grupo de Jovens Ágape e Pastoral da Catequese e Amigos. Mais informações: (91) 88018237/ 88246099 / 93380907.

Com o Tema: “Eu Tenho um Chamado”, o Retiro de Carnaval 2013 será realizado de 08 a 13 de fevereiro, em Benevides (Retiro Mãe da Divina Providência d o s Pa d re s B a r n a b i t a s ) . O retiro contará com uma vasta programação com atividades, pregações, santa missa, gincana e o tradicional baile de carnaval com Cristo na terça-feira. A taxa de inscrição é de R$ 80,00 (incluindo refeições e todo material das atividades).

w FUNDADOR Cônego Raul, na celebração do aniversário em 2012

E

revertida para a construção da Capela Beato João Paulo II que será a primeira na região Norte a homenagear o Papa, conhecido como o Apóstolo da Juventude. O show voz e violão com o cantor católico Maninho no dia 2, sábado, às 20 horas. Local: no Auditório da FACI (Rua dos Mundurucus, nº 1412). Valor do Ingresso antecipado: R$ 20,00. Local de venda: na Secretaria da CAJU (segunda à sexta 13h30 às 19h30/sábado 08h às 12h) e na hora do evento na FACI. Mais informações pelo telefone: (91) 32361188. COMUNIDADE

A comunidade

escreveu uma linda história de vida e promoveu aos membros e seguidores da Casa da Juventude uma comunidade alicerçada na alegria da

Comunidade celebra a data com missa e show neste final de semana

de evangelização

Na próxima edição confira as programações dos Carnavais com Cristo da Arquidiocese de Belém.

PRIMEIRA PARTE

YOUCAT

m preparação à Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013), o jornal Vo z d e N a z a r é inicia seus estudos sobre o YOUCAT que, baseado no Catecismo da Igreja Católica, está escrito por e para JOVENS que querem saber em que acreditam. O estudo se dividirá em quatro partes. Estudaremos juntos. Boa leitura!

1

Em que cremos 2

Por que procuramos Deus?

Deus colocou no nosso coração um desejo: procurá-l’O e encontrá-l’O. Santo Agostinho diz: «Tu criaste-nos para Ti e o nosso coração está irrequieto até encontrar o descanso em Ti.» A este desejo de Deus chamamos - RELIGIÃO.[27-30].

A busca de Deus é natural na pessoa humana. Toda a sua aspiração pela verdade e pela felicidade é, no fundo, uma busca daquilo que a sustenta absolutamente, que a satisfaz absolutamente, que a torna absoLutamente útil. Uma pessoa só está totalmente consigo própria quando encontrou Deus. Quem procura a verdade procura Deus, seja isso evidente ou não para ela.» (Santa Edith Stein) - 5,281-285

Podemos descobrir a existência de Deus com a nossa razão?

Sim, a razão humana pode, seguramente, descobrir Deus. [31-36.44-47]

O mundo não pode ter origem nem fim em si mesmo.Em tudo o que existe está mais do que aquilo que se vê.A ordem, a beLeza e o desenvoLvimento do mundo apontam para fora de si mesmos e remetem para Deus.Cada pessoa humana está aberta ao Verdadeiro, ao Bom e ao Belo.Ela escuta, dentro de si, a voz da consciência, que a impele para o bem e a adverte do mal. Quem segue esta pista encontra Deus.


10

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Belém HISTÓRIA

Igreja de Sant’Ana reúne estilos e encanta admiradores da arte LUIZ ESTUMANO

Templo totalmente restaurado em dezembro de 2012

A

ssim como a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, outra obra prima da capital paraense é a histórica Igreja de Sant’ Ana, localizada no bairro do Comércio. Nas concepções impressas nesse prédio também é possível perceber a relação da Igreja Católica com o contexto da formação de Belém. A mistura de estilos impressos no templo tombado como patrimônio histórico e artístico belenense pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), encantam os admiradores da arte. As colunas de hoje, com cheiro de tinta fresca, devido à recente reforma, são testemunhas da época colonial. Apesar das alterações feitas no século XIX, a igreja ainda é uma referência da época de sua construção. Uma cerimônia no dia 19 de dezembro de 2012 devolveu a Belém a Igreja de Sant’Ana totalmente restaurada. O templo também passava por reformas realizadas em cinco etapas, sendo a primeira iniciada em 2004. Sede da então nova paróquia da Campina, a igreja e o seu aparato decorativo foram

projetados e realizados por Landi a partir de 1760. A construção iniciada em 1762 foi concluída somente em 1782 graças à contribuição de vários habitantes de Belém entre os quais o próprio arquiteto. Na fachada principal o grande frontão em forma de arco segue o projeto original. O interior é uma planta central em forma de cruz grega. A igreja é tombada apelo IPHAN, cuja superintendente, Dorotéa Lima, explica que em todo o trabalho da última restauração foram mantidas as linhas arquitetônicas cujas formas clássicas, elementos artísticos móveis e integrados e volumetria são valorizados pelo jogo de luz e sombra. Das telas, duas integram os retábulos do transepto. Datadas de 1778, são de autoria de Pedro Alexandrino. De estilo barroco italiano tardio, com o passar dos anos a igreja passou por processo de descaracterização e deterioração. Suas linhas arquitetônicas e decoração interior foram alteradas, incorporando torres laterais IVAN CARDOSO

w ESTILO Alterações na igreja feitas no século XIX não alteraram a construção de época

e anexos, bem como novos altares que se sobrepuseram aos antigos retábulos e pintura marmorizada. Em 2002 o estado de conservação do templo já exigia maior atenção, requerendo uma grande intervenção com possibilidade de reversão dos danos e com a recuperação da potencialidade do edifício como obra de arte. A pequena paróquia da Campina era a segunda de Belém na época colonial. Ela apresenta características neoclássicas e abóbada em ogiva, encimada por lanterna redonda coroada por cúpula e cruz, raridades nas igrejas brasileiras. Segundo o historiador de arte, curador e restaurador francês Germain Bazin, a nave em cruz é “um hábil compromisso entre a cruz grega e a cruz latina”. O conservador de pinturas do Museu do Louvre viajou pelo Brasil estudando a arquitetura religiosa barroca. Na Igreja de Sant’ Ana encontrou um precioso acervo, além de uma imagem de São Pedro réplica da de Roma. O teto é abobadado com pintura floral e as paredes dos altares e da Capela-Mor são revestidas de mármore. As reformas de 1840 e 1855 alteraram significativamente as fachadas. Como isso comprometeu a estrutura, as colunas laterais foram demolidas e duas torres foram erguidas, então, na frente da igreja. Em 1940 a fachada foi restaurada.

LUIZ ESTUMANO

w IMAGEM Ig. de Sant'Ana tem precioso acervo LUIZ ESTUMANO

w NOVOS ALTARES Sobrepuseram aos antigos retábulos

w CLÁSSICO Igreja tombada pelo IPHAN mantém linhas e elementos artísticos

Nas próximas edições, confira a continuação da reportagem especial sobre as Igrejas Históricas de Belém


11

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Vocação M

uitas pessoas dedicam suas vidas em busca do reconhecimento financeiro e/ou pessoal. Já outras optam por deixar todos seus bens, como a casa, a família, os amigos, o emprego e tudo que conquistaram ao longo da vida, com um só propósito: servir a Deus. Foi o que aconteceu na vida da pedagoga Samira Andrade, 28, após o despertar para a vida consagrada. Para a educadora, “nada aconteceu por acaso”. Católica praticante, Samira passou por situações difíceis em sua vida que a afastaram por um tempo da Igreja. Segundo ela, foi um dos momentos mais conturbados e reveladores de sua vida. “Foi no período em que me afastei do grupo de oração da minha Igreja e fui convidada para viver uma rotina que não conhecia. Naquele período recebia muitos convites para participar de festas noturnas, meio a bebidas, e que resolvi experimentar. Mas que no fundo não me fazia bem”, conta. Segundo ela, a vida passou e revelou-se vazia. “Foi quando percebi que precisava retornar à ‘Casa do Pai’. Aquela não era a vida que havia planejado para mim”, ressaltou. Samira conta que na volta à Igreja, o Evangelho de João 15,8 a surpreendeu. Dizia: “nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos”. E não teve dúvidas. “Foi o meu primeiro chamado para a vida missionária”, revela. Com a ajuda de um grande amigo, Samira passou a participar de outro grupo de oração e a conhecer o carisma e a espiritualidade da Comunidade Canção Nova, em São Paulo. Em um dos momentos de adoração, ela pediu um sinal de Deus. “Ouço que tu falas com as pessoas, comigo nunca falastes, então me dá sinais Senhor”. E quando olhou para o sacrário viu um homem de braços abertos em sua direção. Em seguida, uma pessoa do grupo,

VIDA NOVA

Vocacionados, os apóstolos do século XXI A vida daqueles que largaram tudo pela evangelização FOTOS: IVAN CARDOSO

w CHAMADO Leonardo é feliz realizando o sonho do Pai

falou: “minha filha, sou eu, venha em minha direção, pois o que você pedir vai se realizar”, recorda. O sinal

divino a impulssionou para a preparação da mais nova etapa de sua vida. Foram então três anos

w MISSÃO Samira deseja ser dócil a vontade de Deus

de preparação no caminho vocacional. E este ano veio à notícia mais aguardada de sua vida: a resposta positiva da equipe vocacional para o seu ingresso no Pré-Discipulado da comunidade, a primeira fase da formação. Em 2013, Samira foi uma das primeiras a concluir o caminho vocacional e a única leiga a ingressar na Comunidade de Vida, de Belém. Para ela, esse ano será repleto de mudanças, principalmente aos candidatos a ingressar na vida consagrada. “Será uma oportunidade de contato com as várias realidades da comunidade, como o carisma, trabalho, missão, formação, princípios e vivência. Após essas e outras experiências seremos enviados para missões específicas por tempo permanente”, explica. E acrescenta que seu maior desejo “é ser dócil para fazer a vontade de Deus”. A formadora dos membros da comunidade Canção Nova, Vera Lúcia Reis, afirma que “a vocação dos missionários é reconhecida pela busca do equilíbrio de uma vida de oração, de vida fraterna em comunidade e trabalho santificado, com o coração voltado à evangelização”. A cada ano, cerca de 60 jovens, entre 18 e 30 anos, aceita o chamado à vida comunitária em prol da evangelização. Missão dedicada a Deus que requer muitas renúncias. “A decisão não foi tão simples, tive que deixar o meu trabalho, já estável, a minha casa, meus amigos e familiares. Acredito que o mais difícil disso tudo vai ser dizer tchau à minha família”, disse Samira.

VOCAÇÃO SACERDOTAL

Este ano também será de muitas transformações na vida do vocacionado Leonardo Monteiro, 20. O despertar para a vida sacerdotal aconteceu na infância, quando já falava em ser padre. “Fui crescendo e tudo pra mim virava alguma coisa associada ao sacerdócio. Pegava dois palitos de fósforo e montava uma cruz. Nos meus aniversários, pedia sempre que me dessem imagens de santos, e montei no meu quarto a minha “paróquia”, onde fazia minhas “missas” e “orações”, recorda. Assim como Leonardo, mais 11 vocacionados da Região Metropolitana d e B e l é m i n g re s s a ra m na quarta-feira (30), no Seminário Propedêutico, D o m Ta d e u P ro s t , e m Ananindeua. A formação acadêmica consiste em sete anos, nos quais o candidato irá cursar filosofia e teologia. Após essa etapa, o candidato fica à disposição do Bispo responsável pela Diocese para a futura ordenação diaconal e prebisteral, e posteriormente enviado para o estágio pastoral, no qual será acompanhado por um pároco. S o b re a m i s s ã o e a s re n ú n c i a s , e l e a f i r m a . “As renúncias na vida são necessárias. Quem quer ser padre, renuncia! Quem quer casar, também renuncia! E quem quer ser solteiro, também exerce a renúncia. No meu caso, abro mão do mundo, para ganhar uma coisa muito melhor: a vida eterna! Disse Jesus: de que adianta o homem ganhar o mundo, se perde a sua alma?”. Para ele, o importante é “ser feliz fazendo tudo aquilo que Deus sonhou pra mim!”.

Viver a unidade em Cristo Em 1997, o Papa João Paulo II instituiu, oficialmente, o dia 2 de fevereiro como o Dia Mundial da Vida Consagrada. Nessa data a Igreja comemora a festa da Apresentação de Jesus no Templo, quando a Santíssima Virgem Maria O apresenta e o Senhor é revelado como a luz do mundo. Neste dia mais que especial para as comunidades, todos são convidados a renovar o compromisso e dizer mais uma vez seu sim a Deus. Sarita Gazon, 53, conta que seu chamado aconteceu aos 21 anos. Na ocasião, a jovem partiu do interior de São Paulo, deixando a família, os amigos e o noivo

para viver em doação a Deus e completamente à disposição do Movimento dos Focolares. Sarita conta que o chamado aconteceu com a descoberta da espiritualidade da unidade. “Fui atraída pela descoberta do Evangelho. No início, acreditava que a palavra de Deus só servia para meditar, e aos poucos fui colocando em prática e percebendo a grande riqueza que representa”, recorda. Logo depois, por meio de um casal de amigos, Sarita conheceu a vida da fundadora do Movimento, Chiara Lubich, uma leiga consagrada que se identificou

muito. “Com ela descobri o valor da família, da vocação e o quanto senti que Deus me convidou para servi-Lo”, resume. A paulista natural de Matão, interior de SP, então partiu em busca da vida missionária. Foram dois anos de preparação vocacional no Centro de Formação Mariápolis Ginetta, em Vargem Grande Paulista, SP, e outros dois anos na Itália, onde concluiu os estudos. Em seguida, a focolarina foi enviada para a sua primeira missão, em Benevides, interior do Pará, onde atua há 25 anos, como administradora da Mariápolis Glória, acompanhando a formação

de muitos jovens. “Sinto-me muito feliz com o convívio fraterno dos irmãos. Hoje, a minha vida só tem sentido quando procuro gerar a presença de Jesus Cristo entre nós”, explica. Sarita agora se prepara para mais uma etapa da vida consagrada. Há pouco tempo ela recebeu a notícia de que será transferida para Portugal, para dar continuidade a missão realizada em Benevides. “Recebi a notícia com muita alegria, pois amo a minha vocação e o meu chamado. Posso dizer que hoje me sinto realizada por me dedicar a tudo aquilo que eu amo”, conclui.


12

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Em Nazaré FORMAÇÃO

Basílica oferece cursos de evangelização O primeiro curso terá início no dia 19 de fevereiro, no Centro Social de Nazaré

ACOMPANHE A PROGRAMAÇÃO DOS CURSOS: LUANA SANTOS

Fevereiro/ 2013 - Ano Litúrgico Data: 19 a 22 : Ano C Curso: Evangelho de Lucas Ministrado pela equipe do Centro de Estudo Bíblico. Hora: 19h15 às 21h Março/ 2013 - A Profissão de Fé Data: 04, 05 e 06 Curso: Eu Creio - Nós Cremos Ministrado por Pe. Ramos e Teólogo Hora: 19h15 às 21h Março/ 2013 - Escatologia Data: 18 a 22 Curso: Ressurreição e Reencarnação. Hora: 19h15 às 21h

A

Basílica Santuário de Nazaré com o objetivo de formar e ensinar as doutrinas da Igreja abrirá cursos de evangelização para fiéis a partir de Fe-

vereiro. Os cursos são para o público em geral, incluindo comunidades, pastorais, movimentos e jovens. As inscrições estão sendo feitas na Loja Lírio Mimoso,

da Basílica, e os cursos ocorrerão no Centro Social de Nazaré. Ao término de toda a programação, em Junho, os participantes receberão certificado. LUANA SANTOS

Abril/ 2013 - A Profissão da Fé Cristã. Data: 01, 02 e 03 Curso: Creio em Deus Pai Ministrado por Pe. Ramos e Teólogo Obs: Constituição Apostólica Introdução à Carta Apostólica Porta Fidei - Ano da Fé Hora: 19h15 às 21h Maio/ 2013 : A Profissão da Fé Cristã. Data: 06, 07 e 08 Curso: Creio em Jesus Cristo, Filho único de Deus Ministrado por Pe. Ramos e Teólogo. Hora: 19h15 às 21h Maio/ 2013 - Mariologia Curso do Vaticano II Data: 20 a 24 Hora: 19h15 às 21h Junho/ 2013 - A Profissão da Fé Cristã Data: 03, 04, e 05 Curso: Creio no Espírito Santo Ministrado por Pe. Ramos e Teólogo. Hora: 19h15 às 21h

w NAS CRECHES A busca pelo conhecimento é cultivada em ambiente harmonioso

Atividades nas creches começarão depois do Carnaval Início de ano, sinônimo de voltas às aulas. A partir de Fevereiro, após o Carnaval começarão as atividades nas Creches e projeto social da Basílica Santuário de Nazaré. O período agora é de matrícula e de visita às famílias. Os espaços, além de oferecerem refeições, desenvolvem atividades pedagógicas, recreativas, como contação de histórias, vídeos, brincadeiras e jogos, campanhas educativas, projetos e atendimento às crianças e suas famílias. A Creche Sorena, que atende crianças entre 2 e 5 anos, iniciou seu período de matrícula em Dezembro

e disponibilizou 25 vagas, sendo 15 vagas para crianças de 2 anos e 10 vagas para crianças de 3. Atualmente, uma equipe de assistentes sociais está visitando as famílias afim de avaliarem se a família se enquadra no perfil social do espaço. O Cantinho São Rafael, projeto social presidido por Pe. Ramos, atende crianças e adolescentes entre 7 e 17 anos. A matrícula começará nesta segunda-feira (4) e irá até sexta-feira (8). No dia 14 deste mês, iniciou a Colônia de Férias do espaço e irá até amanhã. A vice-presidente Ana Maria Mendes, afirma que a iniciativa da ação é

importante pois as crianças e adolescentes atendidos muita das vezes não possuem férias, já que sua famílias não têm condições financeiras. A Creche Casulo, espaço que atende crianças entre 3 e 5 anos, possui 60 vagas e também já encerrou seu período de matrícula. As atividades terão início em 18 de Janeiro. A Creche funcionará provisoriamente em novo prédio adaptado conforme as exigências do Conselho Municipal de Educação e fica ao lado da Igreja Santo Antonio Maria Zaccaria, na Rua Boaventura da Silva.


13

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Nazaré Repórter J Dom Hélio Rubert fala sobre a tragédia em Santa Maria Após o trágico incêndio que levou a óbito mais de 200 jovens, na madrugada do último domingo (27), na boate Kiss, em Santa Maria (RS), a Igreja Católica, em nota, manifestou suas condolências a todas as famílias que perderam seus parentes e amigos. O Arcebispo Metropolitano de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert, disse que a Igreja de Santa Maria, bem como todo o povo gaúcho, está consternada com o ocorrido, que vitimou muitas pessoas, na maioria, jovens. “Para nós foi um golpe muito forte esta perda. Uma tragédia sem precedentes que nos traz grande sofrimento. Mas, como somos pessoas de fé e de esperança, nós procuramos acolher esse sofrimento e partilhar com os familiares, especialmente, com os pais das vítimas e, também, com as comunidades e contar com o conforto e a ajuda de todos. Nossa diocese, especialmente, a cidade de Santa Maria, se colocou à disposição. Nossas igrejas estão a serviço dos familiares para rezar seus

mortos e realizar os ritos fúnebres, e assim prestar o socorro junto com a sociedade civil, militar e demais forças aqui em Santa Maria”, explicou. O Arcebispo destacou a mudança das programações nas paróquias, devido ao trágico acontecimento. Várias paróquias foram cedidas para realização das cerimônias fúnebres. Nesta época do ano, a maioria do clero tira férias para descansar de suas atividades. Com o menor número IVAN CARDOSO

J Indulgência plenária de sacerdotes e a necessidade de rezar pelas vítimas, Dom Hélio fez na segunda-feira (28), uma celebração ecumênica com muitas orações. O Arcebispo de Santa Maria faz um pedido aos fiéis. “Devemos orar pelos falecidos dessa tragédia e desejo que nós possamos aprender com as lições dessa tragédia, que vale para a sociedade civil e para Igreja Católica, para as famílias, para os nossos governantes. Enfim, nós acreditamos no amor e na misericórdia de Deus e continuaremos orando para os nossos mortos”, disse. No final, Dom Hélio lembrou da mensagem enviada pelo Santo Padre, o Papa Bento XVI, no qual manifesta sua solidariedade com a igreja de Santa Maria. Em nota, o Papa deseja que Deus amenize a dor da perda aos atingidos com está tragédia, e ora pelos falecidos, pelos familiares e pelos feridos. Este é o pedido do Pontífice ao Arcebispo de Santa Maria, para transmitir as suas condolências, solidariedade da oração e benção do Santo Padre.

Na última sexta-feira (25), o programa “Estação Segurança” completou cinco anos de audiência, no estúdio da Rádio Nazaré FM (91,3). O programa é destinado à discussão das temáticas de segurança pública que inquietam e preocupam a sociedade paraense. Estiveram no estúdio da Rádio Nazaré, o apresentador o major e assessor da PM, Leno Carmo, o idealizador do projeto Coronel Costa Júnior, Tenente Quemel e Major PM Elson. Segundo o major Carmo, “o programa procura orientar através do diálogo a comunidade e também, valorizar o trabalho do servidor de segurança”. DIVULGAÇÃO

A

Arquidiocese de Belém se alegra com a entrada dos 12 vocacionados ao Seminário Propedêutico da Arquidiocese no dia 30 de janeiro. Na foto: o reitor do seminário, padre Lindomar Pinheiro e os novos seminaristas.

J EDITAL DE CONVOCAÇÃO O Centro Catequético e de Promoção Humana Santa Isabel da Hungria convoca a Diretoria do Centro e seus associados para Assembleia Geral Extraordinária a realizar-se na comunidade n o d i a 07 / 0 2 / 13 . P r i m e i ra Convocação às 19h. Segunda convocação às 19h30. Pauta: prestação de contas do ano de 2012 e preparação para o triênio 2013/2016. A diretoria.

J Programação CCFC 2013 O Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC), já disponibilizou a programação dos eventos de 2013. Este mês será realizado o Estudo do Catecismo da Igreja, nos sábados e domingos das 8h30 às 12h30. No dia 17 acontece o encontro de formação Jornada Vocacional, com o tema “Vocação: uma resposta de fé”, ministrado pelo Pe. Lindomar e Ir. Lourdes Silva, a partir das 8h. Confira a programação de 2013 no site: www. ccfc.com.br. Mais informações pelo telefone: (91) 4009 1550.

Por ocasião do XXI Dia Mundial do Enfermo, comemorado no dia 11 de fevereiro, o Papa Bento XVI concederá indulgência plenária aos fiéis que atenderem três condições: a Confissão sacramental, a Comunhão eucarística e a oração. O decreto foi assinado pelo Cardeal-mór, Monteiro de Castro, e o regente da Penitenciaria, Dom Krzysztof Nykiel. Os fiéis doentes que, devido a sua condição física e idade, não puderem participar, a indulgência plenária será reservada, se com a alma desapegada de todo e qualquer pecado, se proponham a cumprir, assim que possível, as condições pré-estabelecidas. O decreto prevê também a indulgência parcial a todos os fiéis que, nos dias estabelecidos, “com o coração contrito”, e em modo devoto rezarem pelos enfermos, “no espírito do corrente Ano da Fé”.

J Festividade de Nossa Senhora dos Navegantes A comunidade Nossa Senhora dos Navegantes pertencente à Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada na Vila da Barca, bairro do Telégrafgo, iniciou sua 14° festividade no último dia 23, com o tema “Maria mãe do amor perfeito, da esperança e da paz; mostra teu sim ao seu povo jovem”.

J Cinco anos do “Estação Segurança”

no Dia Mundial do Enfermo

São dez dias de programação. No sábado (2), às 9h acontece o Círio fluvial em honra a padroeira dos Navegantes. Às 18h30 haverá a tradicional procissão luminosa seguida da missa de encerramento, que será celebrada pelo pároco da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Padre Radames Antônio Santenaro.


14

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Família A

dor das famílias de Santa Maria (RS), que choram pela perda de tantas vidas queridas, ficará ainda por muito tempo nos corações brasileiros e nos do mundo todo que assistiram as tristes cenas que retrataram a perda, a saudade e as lembranças de pais, mães, irmãos, amigos, colegas de faculdade, professores e familiares. Vimos que eram tantos e tão jovens os que se partiram; boa parte com menos de 25 anos, meninos e meninas com um sorriso jovial e os olhos cheios de esperança, de quem estava vivendo um período tão belo da vida, chamado juventude. De certa forma, eram também os nossos jovens, brasileiros com sonhos tão bonitos, que buscavam a felicidade por meio da amizade, das brincadeiras, da formação profissional, das múltiplas descobertas, próprias da pouca idade. A cidade gaúcha, por certo, jamais será a mesma; os sorrisos, a música e as gargalhadas que enchiam os campi universitários estão silenciados nestes momentos de dor, marcados pelos porquês das partidas prematuras das mais de 230 vidas perdidas na madrugada do domingo, 27 de janeiro de 2013. Penso na angústia dos que ficaram e naqueles que ainda esperam a recuperação de seus filhos e amigos que lutam pela vida nos hospitais, sobreviventes de um evento que poderia ter sido evitado com medidas adequadas de responsabilidade e de segurança coletiva. Penso nas famílias que terão de sobreviver com o peito “sangrando”, como diria o Gonzaguinha e nos que sobreviveram e terão de superar as

Sal e Luz Leno Carmo (lenocarmo@yahoo.com.br)

Por nossos jovens próprias limitações para reaprender a sonhar e até a sorrir. Penso nos pais que viram seus filhos saírem da casa de show com vida, mas a ofertaram voltando para lá, com o intuito de salvar aqueles que ficaram e assim pereceram, doando a si mesmos pelos amigos, parentes e até por desconhecidos; heróis anônimos. Penso, enfim, nos nossos jovens, nossos filhos e filhas que estão por aí, como aqueles jovens, vivendo, às vezes, perigosamente, nas baladas, danceterias, nas casas de show de nossas cidades, nos diversos lugares onde, muitas vezes, a bebida, a droga e o sexo são vividos sem limites. Penso nesses e em tantos jovens, que em dados do “Mapa da Violência 2012” foram mortos no ano que passou; pessoas com até 19 anos que fizeram crescer, cerca de 376% desde 1980, o número total de homicídios. Nos últimos trinta anos, foram 55 mortes todos os dias, em média, deixando nosso país em lugar de destaque neste triste mapa. Se aprofundássemos a discussão da tragédia gaúcha, veremos muitas das razões que fazem do país o quarto lugar onde mais se matam jovens e crianças em todo o mundo; mas ainda procuramos, como no caso de Santa Maria, apenas os culpados e silenciamos sobre todos os demais responsáveis. Responsáveis somos todos nós, porque aceitamos que pouco se fale

de Deus em nossa sociedade e até se ironize Seu plano de amor nos meios de comunicação; responsáveis porque continuamos elegendo gente que luta contra a vida e a família e trabalha a favor da cultura de morte; responsáveis porque aceitamos que é mais fácil ir a uma boate para embriagar-se do que participar da Santa Missa; responsáveis porque muitos de nós matriculam os filhos para aprender idiomas, fazer aulas de dança e de luta, mas esquecem de levá-los à catequese. Responsáveis porque não denunciamos o culto ao sucesso, ao dinheiro e ao prazer a qualquer preço e deixamos os valores cristãos de lado, enquanto eles aprendem nos “reality show” como se deve trapacear, enganar os outros, ser egoísta, infantilizado. Responsáveis porque toleramos a violência, banalizada em nosso cotidiano, mas pouco dobramos nossos joelhos em oração por nossos entes queridos ou os abençoamos quando dormem ou saem para suas atividades; responsáveis porque não os motivamos a pedir a nossa bênção como pais e mães, nem rezamos com eles com frequência, muito menos damos testemunho do amor de Deus em nossas vidas; responsáveis porque calamos diante do aborto, do divórcio, da sexualidade distorcida e desordenada e ocultamos deles a verdade que é Jesus. Choramos sim, a perda dos que ainda

Cuidemos de nossos jovens, cultivando a família como espaço do diálogo

tanto tinham para viver, mortos pela irresponsabilidade e pela ganância; mas não nos esqueçamos que aqueles que amamos são criaturas de Deus e a Ele voltarão um dia e nosso dever é prepará-los para isto, ensinando-os e dando o exemplo do amor, da caridade, do perdão. Na crise de valores em que vivemos; crise, que na sabedoria chinesa significa perigo; mas também significa oportunidade, precisamos resgatar o valor do aprendizado em nossos lares, reservar o espaço e o tempo para a oração em família. Cuidemos de nossos jovens, cultivando a família como espaço do diálogo, da escuta, da verdade; cuidemos de sua formação como pessoas e de seu espírito, para que aprendam a valorizar o Ser. Felizes os pais que mesmo nestes momentos de saudade e tristeza, tem a certeza que prepararam seus filhos para o encontro com o amor de Cristo desde pequenos e os encaminharam para o bem. Rezemos por eles, pelos que partiram e por todos nós, para que nossas pegadas valham a pena serem seguidas porque seguimos ao próprio o Caminho que é Jesus.


belĂŠm, De 1 a 7 de fevereiro de 2013

15


16

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

A semana AGENDA DE DOM TEODORO TAVARES

AGENDA DE DOM ALBERTO CORRÊA n De 1 a 7 de fevereiro

n De 1 a 7 de fevereiro

w Sexta-feira, dia 01 15h: Missa de Encontro da Pastoral da Pessoa w Sábado, dia 02 10h: Missa com a Vida Religiosa 19h: Dedicação da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, na Cidade Velha w Domingo, dia 03 7h: Missa da Família Nazaré 9h: Missa de envio dos Missionários do Projeto Igreja de Belém em Missão w Segunda-feira, dia 04 15h: Conselho Episcopal w Terça-feira, 05 a Quinta-feira, dia 7 Retiro do Clero

w De sexta-feira, dia 01, a quarta-feira, 6 Simpósio de Formação Ecumênica, em São Paulo

FOTOS: LUIZ ESTUMANO

w Quinta-feira, dia 07 Retiro do Clero

Os compromissos de Dom Teodoro Mendes Tavares podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Os compromissos de Dom Alberto Taveira podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Horários de Missas na Arquidiocese de Belém REGIÃO EPISCOPAL DE SANT’ANA Nossa Senhora da Graça

(Catedral) Cidade Velha - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 3223-2362/ 3225-2715

Igreja N. S. das Mercês

(Reitoria) Comércio - Belém Sábado: 12h e 17h Domingo: 12h e 17h Telefone: 3212-3102

Sant'Ana da Campina

Comércio - Belém Sábado: 12h Domingo: 7h (Col. D. Bosco) 9h Telefone: 3230-3734 São Judas Tadeu

Condor - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3283-6020

Sta. Terezinha do Menino Jesus

Jurunas - Belém Sábado: 6h30 e 18h30 Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3272-2251

Santo Antônio de Lisboa

Batista Campos - Belém Sábado: 6h30, 12h, 17h e 18h30 Domingo: 8h, 11h, 17h, 18h30 e 20h Telefone: 3215-7004/ 3222-0097

Santíssima Trindade

Capina - Belém Sábado: 16h Domingo: 7h, 10h, 11h30, 17h30 e 19h Telefone: 3215-7007/ 3242-4917

N. S. da Conceição

Cidade Velha - Belém Sábado: 18h30 Domingo: 6h30, 8h30 e 18h30 Telefone: 3215-7006

São José Operário

Umarizal - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 11h e 19h Telefone: 3251-0029

Santa Luzia

Jurunas - Belém Sábado: 7h, 17h e 19h Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3271-2146 REGIÃO EPISCOPAL SANTA MARIA GORETTI

São Pedro e São Paulo

15h: Missa de Encontro da Pastoral da Pessoa 10h: Missa com a Vida Religiosa 19h: Dedicação da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, na Cidade

Simpósio de Formação Ecumênica,

Domingo: 7h, 8h30, 17h30 e 20h Telefone: 3226-2151/ 3226-2612

Domingo: 7h30, 9h, 17h, 19h Telefone: 3277-4641

São Domingos de Gusmão

São Raimundo Nonato

Terra Firme - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 8h30 e 19h30 Telefone: 3283-6023 São Miguel

Cremação - Belém Sábado: 18h30 Domingo 7h30, 11h e 18h30 Telefone: 3283-6022 Nossa Senhora de Fátima

Fátima - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 6h45, 8h30, 17h30e 19h30 Telefone: 3228-0864

Santa Cruz

Marco - Belém Sábado: 7h e 18h30 Domingo: 7h, 9h, 11h30 e 18h30 Telefone: 3277-4640/3276-0941

Nossa Senhora da Conceição Aparecida

Pedreira - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 19h Telefone: 3264-9062/

São Francisco Xavier

Guamá - Belém Domingo: 9h30 e 18h Telefone: 3283-6023

Marco - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 8h, 18h Telefone: 3283-3052

N. S. de Nazaré (Basílica Santuário)

Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

Paróquia Santa Maria Goretti

Nazaré - Belém Sábado: 7h, 8h30,12h,17h Domingo: 6h30, 8h, 10h, 16h30, 18h, 20h Telefone: 4009-8400 São Francisco de Assis

(Capuchinhos) São Brás - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 6h, 7h30,9h30,18h, 20h Telefone: 3073-1500 Santo Antônio do Tucunduba

Guamá - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30

REGIÃO EPISCOPAL SANTA CRUZ Imaculada Conceição

Castanheira - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h e 19h Telefone: 3277-4642 São Sebastião

Sacramenta - Belém Sábado e domingo: 7h; 17h e 19h Telefone: 3264-9060/3254-7354 Jesus Ressuscitado

Marambaia - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 3277-4643 São Geraldo Magela

Val de Cans - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h30 e 18h Telefone: 3257-7950

Guamá - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3283-6021/ 3259-0413

Telégrafo - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 8h30, 17h30 e 19h Telefone: 3264-9061

São José de Queluz

São Jorge

Canudos - Belém Sábado: 6h30 e 20h

Umarizal - Belém. Sábado e domingo: 6h30 e 18h Telefone: 3244-8416

N. S. do Perpétuo Socorro

Marambaia - Belém Sábado: 19h

Val de Cans - Belém Sábado:19h Domingo: 7h e 19h Telefone: 3257-2388

Sagrada Família

Curió Utinga - Belém. Sábado: 7h e 19h30 Domingo: 7h, 9h e 19h30 REGIÃO EPISCOPAL SÃO JOÃO BATISTA

São João Batista e Nossa Senhora das Graças

Icoaraci - Belém. Sábado: 6h30 e 20h Domingo: 7h, 10h, 18h Telefone: 3297-7250

São Francisco de Assis

Tapanã - Belém Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3258-8036

Coração Eucarístico de Jesus

Catalina - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 7h, 10h e 19h

N. S. da Imaculada Conceição

Outeiro - Belém Sábado: 8h Domingo: 7h Telefone: 3277-4648

N. S. do Bom Remédio

Conjunto Satélite - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 7h, 18h30 Telefone: 3289-5355 Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo

Conjunto Sideral - Belém Domingo: 7h, 9h, 18h Telefone: 3288-4250 Santo Antônio de Pádua

Coqueiro - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3237-8350

Santo Afonso de Ligório

Pratinha - Belém Sábado: 19h Domingo: 8h30, 19h Telefone: 3258-1554/3274-8281 Arcanjo São Miguel

Santa Edwiges

N. S. Auxiliadora

Anita Gerosa (Aurá) - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefones: 3255-3828 N. S. das Vitórias

Sagrado Coração de Jesus

Menino Deus

Centro - Marituba Domingo: 6h, 8h30, 18h Telefone: 3237-8351 N. S. de Nazaré

Colônia - Marituba Domingo: 9h Telefone: 3279-2624

Santo Inácio de Loyola

Icui Guajará - Ananindeua Domingo: 7h, 18h Telefone: 3295-3545

São Lucas Evangelista

Guajará - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 18h Telefone: 3279-2621

Santa Teresinha

Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30, 18h Telefone: 3245-7440

N. S. de Guadalupe

Coqueiro - Ananindeua Sábado: 18h30 Domingo: 7h, 9h, 18h Telefone: 3245-7440 Jaderlândia - Ananindeua Domingo: 19h Telefone: 3237-9891 Cidade Nova VI - Ananindeua Sábado: 19h30; Domingo: 6h30, 8h15, 18h Telefone: 3279-2620

Transfiguração do Senhor

Curuçambá - Ananindeua Sábado: 18h30, 20h Domingo: 7h30, 19h Telefone: 3282-1274

Santa Rita de Cássia

Cidade Nova V - Ananindeua. Sábado: 6h30, 17h30 Domingo: 6h30, 8h30, 17h30, 19h30. Telefone: 3273-3191/ 3273-3310

São Vicente de Paulo

Paar - Ananindeua Domingo: 7h, 8h30, 19h Telefone: 3283-8400

São José Operário

Conj. Carnaúba, Icuí Domingo: 7h e 18h Telefone: (91) 3295-3545/ 3031-1172

N. S. das Graças

Nova Marambaia - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h30, 18h Telefone: 3279-1654

Centro - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h, 19h Telefone: 3255-2654

N. S. Rainha da Paz

Vila - Mosqueiro Sábado: 19h30 Domingo: 6h30, 9h30, 19h30 Telefone: (91) 3771-1278

Bengui - Belém Domingo: 7h, 9h, 18h30 Telefone: 3277-4645

Coqueiro - Ananindeua Sábado: 7h Domingo: 7h, 9h30, 19h30 Telefone: 3263-0603

Santa Paula Frassinetti

Jesus Bom Samaritano

Cotijuba - Belém Sábado: 19h30; Domingo: 8h, 9h30, 19h30 Telefone: 3247-1438

Divino Espírito Santo

REGIÃO EPISCOPAL MENINO DEUS

Águas Lindas - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h30, 9h, 18h Telefone: 3265-5413

São Francisco das Ilhas

Guanabara - Ananindeua Domingo: 7h, 9h30, 19h30 Telefone: 3235-1405

Cristo Peregrino

Nossa Senhora de Fátima

Tapanã - Belém. Sábado: 7h Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 3033-2004

Cristo Rei

Una - Ananindeua Sábado: 6h30 Domingo: 7h, 20h Telefone: 3234-4674

Almir Gabriel - Marituba Sábado: 19h Domingo: 7h, 19h Telefone: 3256-7655

Icoaraci - Belém Sábado: 20h Domingo: 7h, 19h Telefone: 3297-7251

REGIÃO EPISCOPAL SÃO VICENTE DE PAULO

N. S. do Ó

Não encontrou o horário da sua paróquia aqui?

Entre em contato com seu pároco ou com a secretaria da sua paróquia e solicite que nos informem para podermos publicar.


17

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Vida Palavra de vida Chiara Lubich

“Sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos.” (1 Jo 3,14)

O

quando se converteram; ou seja: quando se coloca em prática os mandamentos de Deus, em particular o mandamento do amor para com os irmãos, se entra na própria vida de Deus. Mas será que os cristãos de hoje conhecem essa experiência? Certamente eles sabem que os mandamentos do Senhor têm uma finalidade prática. Jesus insiste continuamente que não basta ouvir, mas é preciso colocar em prática a Palavra de Deus (cf. Mt 5,19; 7,21.24.26). Por outro lado, o que não é ponto pacífico para a maior parte dos cristãos – ou por não saberem ou por terem disso um conhecimento meramente teórico, isto é, sem tê-lo experimentado – é esse aspecto maravilhoso da vida cristã, evidenciado aqui pelo apóstolo. Isto é: quando nós vivemos o mandamento do amor, Deus toma posse do nosso ser; e o sinal inconfundível disso é aquela vida, aquela paz, aquela alegria que Ele nos faz saborear já aqui na Terra. Então, tudo se ilumina, tudo se torna harmonioso. Não existe mais separação entre a fé e a vida. A fé torna-se aquela

apóstolo João escreve às comunidades cristãs por ele fundadas, num momento em que passavam por sérias dificuldades. De fato, começavam a insinuar-se as heresias e as falsas doutrinas em matéria de fé e de moral e, além do mais, os cristãos tinham de viver num ambiente pagão, duro e hostil ao espírito do Evangelho. Querendo ajudá-los, o apóstolo lhes indica o remédio radical: amar os irmãos, viver o mandamento do amor recebido desde o início, no qual ele considera resumidos todos os mandamentos. Agindo assim, os cristãos conhecerão o que é “a vida”, isto é, serão introduzidos cada vez mais na união com Deus, farão a experiência de Deus Amor. Passando por essa experiência, serão confirmados na fé e poderão enfrentar todos os ataques, sobretudo em tempos de crise. “Sabemos...”. O apóstolo se refere a um conhecimento que vem da experiência. É como se dissesse: nós experimentamos isso, nós o tocamos com as mãos. É a experiência que fizeram os cristãos por ele evangelizados,

Quando vivemos o Mandamento do Amor, Deus toma posse do nosso ser.

força que permeia e liga entre si todas as nossas ações. Essa Palavra de Vida nos diz que o amor ao próximo é o caminho régio que nos leva a Deus. Visto que somos todos filhos seus, nada Ele deseja mais do que o nosso amor aos irmãos. Não lhe podemos dar maior alegria do que aquela que lhe damos quando amamos nossos irmãos. E, uma vez que o amor fraterno nos traz a união com Deus, ele é uma nascente inesgotável de luz interior, é fonte de vida, de fecundidade espiritual, de renovação contínua. Ele impede que no povo cristão se formem g a n g re n a s , e s c l e ro s e s ,

estancamentos; numa palavra, ele “nos faz passar da morte para a vida”. Quando, pelo contrário, não existe a caridade, tudo murcha e morre. Então, se compreendem certos sintomas tão difundidos no mundo em que vivemos: a falta de entusiasmo e de ideais, a mediocridade, o tédio, o desejo de fugir, a perda de valores, etc. Os irmãos, aos quais se refere aqui o apóstolo, são sobretudo os membros da comunidade a que pertencemos. Se é verdade que devemos amar a todas as pessoas, não é menos verdade que esse nosso amor deve começar por aqueles que habitualmente vivem conosco, para depois se estender a toda a humanidade. Devemos, portanto, preocupar-nos p r i m e i ra m e n t e c o m o s nossos familiares, os nossos colegas de trabalho, os membros da paróquia, da associação ou comunidade religiosa à qual pertencemos. O amor aos irmãos não seria autêntico e bem ordenado se não começasse por aqui. Onde quer que estejamos, somos chamados a construir a família dos filhos de Deus.

Testemunho de Fé IVAN CARDOSO

O dia do nascimento do meu filho Alex Ribeiro, há 12 anos, foi muito conturbado na minha vida. Na hora do parto perdi uma grande quantidade de sangue, e como consequência tive uma complicação muito séria, na qual eu e o meu filho corremos risco de morte. No momento em que ele ia nascer eu não tinha mais forças e acabei desmaiando. O Alex nasceu sem chorar e então pensei que ele tivesse falecido. Na

hora, eu tive muita fé e me aproximei muito de Deus e Nossa Senhora de Nazaré. Pedi para que Ele não levasse a vida dele e sim a minha, mas com a graça de Deus e de Nossa Senhora, ele chorou e se recuperou totalmente. Essa foi a primeira e a grande graça que eu recebi.

Esta Palavra de Vida nos abre perspectivas imensas. Ela nos impulsiona na divina aventura do amor cristão, que tem desdobramentos imprevisíveis. Antes de tudo nos lembra que, num mundo como o nosso, onde se teoriza a luta, a lei do mais forte, do mais esperto, do mais inescrupuloso, e onde às vezes tudo parece paralisado pelo materialismo e pelo egoísmo, a resposta a ser dada é o amor ao próximo. É esse o remédio que pode curar o mundo. De fato, quando vivemos o mandamento do amor, não só a nossa vida se fortalece, mas tudo ao nosso redor sente a influência. É como uma onda de calor divino, que se irradia e se propaga, impregnando as relações entre as pessoas e entre os grupos, transformando aos poucos a sociedade. S e n d o a s s i m , va m o s decidir-nos! Todos nós temos e sempre teremos irmãos a serem amados em nome de Jesus. Permaneçamos fiéis a esse amor. Ajudemos muitos outros a fazer o mesmo. Assim, experimentaremos em nossa alma o que significa a união com Deus. A nossa fé se reacenderá, as dúvidas desaparecerão, não saberemos mais o que é o tédio. A vida será plena, plena. CHIARA LUBICH A Palavra de Vida é um trecho do Evangelho comentado por Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares.

MARCILENE ADÃO RIBEIRO,

35 anos, manicure

Parabéns para você! LUIZ ESTUMANO

“Só Tenho que agradecer o ano que passei pelas graças alcançadas e pela minha família.” MARCILIA SIQUEIRA DE SOUZA,

85 anos, 5 de janeiro

1/2 Adriana Duarte Cunha Ana Maria Borges Santa Brigida Argemiro Dias do Nascimento Neto Carmem de Moraes Braga Elza Maria Ferreira Oliveira Haroldo Gonzaga Santos Ivani Ataide Avelino Maria Goretti Campos da Gama Maria Samira Nascimento Lyra Natalina de Araujo Raimunda Fernandes Mendes Waldemar Risuenho da Silva 2/2

Aldecy Fernandes de Aguiar Ana do Socorro Silva Frazào Benedita Moraes Bandeira Carmem de Moraes Braga Ester Jaques Paiva Gilberto Pereira Feio Judite Magina da Costa Maria da Conceicao Ferreira Duarte Marisa Beltrao da Silva Paulo Augusto Calheiros Garcia Raimunda do Rosario Silva 3/2 Antônio Marques Antonio Marques de Oliveira Maria Amelia Silva Tavares Maria das Graças da Silva Pacheco Thaize Daria Rocha de Farias 4/2 Antonio Carlos Brito de Araujo Elzilene Ribeiro da Cunha Fabio de Paula Melo Diniz Iracy Fagundes Nascimento Maria de Fatima Dias Negrao Regina Cardoso 5/2 Angela Maria Martins e Silva Aguida Maria Ramos Pereira Aguida Madalena Rodrigues da M. Cardoso Janilde das Gracas Nascimento Jorge Jose Faro Paulo Leolinda Castelo Cardoso Leonilde de Jesus Souza Lucia Pinheiro da Silva

Maria do Carmo Pinho da Rocha Maria Judite de Freitas Ferreira Maria de Lourdes Cabral Vaz Maria de Lourdes Pinho da Motta Maria do Socorro Vieira Correa Simone do Socorro Cordeiro dos Santos Terezinha de Nazaré Neves 6/2 Amelia Nunes Pinheiro Antonio Jorge dos Santos Esmelina da Silva Cruz Luiz Carlos Dantas Braga Manoel Pedro dos Santos Maria Conceiçao Leal da Silva w

Maria Cristina da Rocha Martins Maria Liduina Bentes Tenorio Marilia das Graças Miranda Vieira Rubenita Maria Silva da Silva Sueli Santos Pereira 7/2 Júlio Elias Nery Sarraf Leonice Barros Secco Maria Célia do Nascimento Maria Dilce Batista de Farias Maria Lúcia Fernandes de Pinho Neusalina do Carmo Monteiro Raimundo Conceicão de Oliveira Vilma Dias do Vale

Aniversário natalício de padres e diáconos diocesanos 2/2 - Pe. Filipe Buzière 3/2 - Pe. Frei Antônio Rabanal 3/2 - Pe. Luiz Fernando Martins do Rosário 5/2 - Pe. Romeu Ferreira da Silva 6/2 - Pe. Francisco das Chagas Souza Neves 6/2 - Diác. Walmir de Jesus Corrêa se Souza

w

Aniversário de ordenação dos padres e diáconos diocesanos 2/2 - Pe. José Edmundo da Silva Santiago 7/2 - Diác. Sílvio Farias da Silveira 7/2 - Pe. Wendel Xavier da Divina Misericórdia Q. da Silva

Ajude a manter a Fundação Nazaré de Comunicação. Ligue para 4006-9200 e seja sócio da Família Nazaré.


18

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Fundação Nazaré Escute na Rádio Nazaré SEXTA - FEIRA 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor 05h10 - Oração do Ângelus 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Dolorosos 06h00 - Voz do Pastor 06h30 - A Bíblia ao alcance de todos 06h50 - Caminhando na Fé 07h00 - Jornal Brasil Hoje 07h30 - Especial Roberto Carlos 08h00 - Igreja Ponto a Ponto 08h55 - Plantão RCR 09h00 - Nazaré em revista 09h30 - Informe notícia 09h55 - Plantão RCR 10h30 - Informe Notícia 11h55 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso 12h00 - A voz do pastor 12h15 - Cardápio Instrumental 14h00 - Estação Segurança 14h30 - Informe Noticias 15h00 - Terço da Misericórdia 15h30 - Informe Noticias 15h55 - Plantão RCR 16h00 - Freqüência Musical 16h30 - Informe Notícia 17h30 - Informe Notícia 17h45 - Liturgia das horas - Vésperas 17h55 - Oração do Ângelus 18h00 - Voz do Pastor 18h15 - Oração do Terço – Mistérios Dolorosos 18h40 - Musical Mariano 19h00 - Voz do Brasil 20h00 - Saudade em Versos e Canções 22h00 - A voz do pastor 22h30 - Jornal RNA 23h00 - Programa Salmos ao Deus da Vida 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat – Igreja no Rádio SÁBADO 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor 05h10 - Oração do Ângelus 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Gozosos 06h00 - Voz do Pastor 06h30 - Questão de Fé 07h00 - Jornal Brasil Hoje 07h30 - Especial Roberto Carlos 08h00 - Conhecendo Jesus 10h00 - Maria de Todos os Povos 11h55 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso 12h00 - A voz do pastor 12h15 - Cardápio Instrumental 14h00 - Caminho Aberto 15h00 - Criança Evangelizando Criança 16h00 - Evangelizando Através do Dizimo 17h00 - Musical Nazaré

IVAN CARDOSO

17h45 - Oração das Vésperas 17h55 - Oração do Ângelus 18h00 - Voz do Pastor 18h15 - Oração do Terço - Mistérios Gozosos 18h30 - Musical Mariano 18h30 - Preparando a Festa 19h00 - Musical Nazaré 22h00 - A voz do Pastor 22h15 - Domínio jovem 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat DOMINGO 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor 05h10 - Oração do Ângelus, 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Gloriosos 06h00 - Voz do Pastor 06h30 - Preparando a Festa 07h00 - SANTA MISSA 08h00 - Vem e Segue-me 10h00 - Domingo Alegre 11h55 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso 12h00 - A voz do pastor 12h15 - Cardápio Instrumental 14h00 - A Vida e o Tempo - Envelhecer de Bem com a Vida 16h00 - As Mais Tocadas 17h00 - Raiz do Céu 17h55 - Oração do Ângelus 18h00 - Voz do Pastor 18h15 - Liturgia das Horas - Vésperas 18h30 - Oração do Terço - Mistérios Gloriosos 19h00 - Clássico Nazaré 20h00 - Circuito MPB 22h00 - A voz do Pastor 22h15 - Especial PE. Zezinho 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat - Igreja no Rádio SEGUNDA - FEIRA 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor 05h10 - Oração do Ângelus 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Gozosos 06h00 - Voz do Pastor 06h15 - Forrozinho da fé 06h30 - A Bíblia ao alcance de todos 06h50 - Caminhando na Fé 07h00 - Jornal Brasil Hoje 07h30 - Especial Roberto Carlos 08h00 - Igreja Ponto a Ponto 08h55 - Plantão R CR 09h00 - Nazaré em revista 09h30 - Informe Notícia 09h55 - Plantão RCR 10h30 - Informe Notícia 11h50 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso

O programa ENTRE NÓS é dedicado à evangelização das comunidades das ilhas de Belém. O programa aborda a necessidade da valorização do homem na Amazônia, além da reflexão da Palavra de Deus e muita música com a participação dos ouvintes. É apresentado pelo Bispo Auxiliar de Belém, DOM TEODORO MENDES, na quintafeira às 14h. 12h00 - A voz do Pastor 12h20 - Cardápio Instrumental 14h00 - Saúde e Cidadania 14h30 - Informe Notícia 15h00 - Terço da misericórdia 15h30 - Informe Notícia 15h55 - Plantão R C R 16h00 - Frequência Musical 16h30 - Informe Notícia 17h30 - Informe Notícia 17h50 - Oração do Ângelus 17h45 - Liturgia das horas- Vésperas 18h00 - Voz do Pastor 18h15 - Oração do Terço - Mistérios Gozosos 18h40 - Musical Mariano 19h00 - Voz do Brasil 20h00 - Crescendo na Fé 21h00 - Orando com Você - Com. Maíra 22h00 - A voz do pastor 22h30 - Jornal RNA 23h00 - Programa Salmos ao Deus da Vida 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat - Igreja no Rádio TERÇA - FEIRA 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor

05h10 - Oração do Ângelus 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Dolorosos 06h00 - Voz do Pastor 06h15 - Forrozinho da fé 06h30 - A Bíblia ao alcance de todos 06h50 - Caminhando na Fé 07h00 - Jornal Brasil Hoje 07h30 - Especial Roberto Carlos 08h00 - Igreja Ponto a Ponto 08h55 - Plantão R C R 09h00 - Nazaré em revista 09h30 - Informe notícia 09h55 - Plantão RCR 10h30 - Informe Notícia 11h55 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso 12h00 - A voz do Pastor 12h15 - Cardápio Instrumental 14h00 - Direito e Cidadania 14h30 - Informe Notícia 15h00 - Terço da Misericórdia 15h30 - Informe Notícia 15h55 - Plantão R C R 16h00 - Freqüência Musical 16h30 - Informe Notícia 17h25 - Informe Notícia 17h30 - Liturgia das Horas - Vésperas 17h45 - Voz do Pastor 18h00 - Novena Nossa Senhora Perpétuo Socorro 18h30 - Musical Mariano 19h00 - Voz do Brasil 20h00 - Família em Ação 22h00 - A voz do pastor 22h30 - Jornal RNA 23h00 - Programa Salmos ao Deus da Vida 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat – Igreja no Rádio QUARTA - FEIRA 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor 05h10 - Oração do Ângelus 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Gloriosos 06h00 - Voz do Pastor 06h15 - Forrozinho da fé 06h30 - A Bíblia ao alcance de todos 06h50 - Caminhando na Fé 07h00 - Jornal Brasil Hoje 07h30 - Especial Roberto Carlos 08h00 - Igreja Ponto a Ponto 08h55 - Plantão RCR 09h00 - Nazaré em revista 09h30 - Informe notícia 09h55 - Plantão RCR 10h30 - Informe Notícia 11h55 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso 12h00 - A voz do Pastor - Reprise 12h15 - Cardápio Instrumental 13h30 - Informe Notícia 14h00 - Educação e Cidadania 14h30 - Informe Notícia 15h00 - Terço da Misericórdia

15h30 - Informe Noticia 15h55 - Plantão RCR 16h00 - Frequência Musical 16h30 - Informe Notícia 17h30 - Informe Notícia 17h45 - Liturgia das horas - Vésperas 18h00 - Voz do Pastor 18h15 - Oração do Terço - Mistérios Gloriosos 18h40 - Musical Mariano 19h00 - Voz do Brasil 20h00 - Musical 21h00 - Orando com Você - Com. Mar adentro. 22h00 - A voz do pastor 22h30 - Jornal RNA 23h00 - Programa Salmos ao Deus da Vida 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat - Igreja no Rádio QUINTA - FEIRA 04h00 - Abertura da Emissora 04h05 - Especial Pe. Zezinho 05h00 - Lírio Mimoso 05h05 - Cura-me Senhor 05h10 - Oração do Ângelus 05h15 - Liturgia das horas - Láudes 05h30 - Oração do Terço - Mistérios Luminosos 06h00 - Voz do Pastor 06h15 - Forrozinho da fé 06h30 - A Bíblia ao alcance de todos 06h50 - Caminhando na Fé 06h55 - Prestando Contas 07h00 - Jornal Brasil Hoje 07h30 - Especial Roberto Carlos 08h00 - Igreja Ponto a Ponto 08h55 - Plantão RCR 09h00 - Nazaré em revista 09h30 - Informe notícia 09h55 - Plantão RCR 10h30 - Informe Notícia 11h55 - Momento de Oração - Oração do Ângelus, Pai - nosso 12h00 - A voz do pastor 12h15 - Cardápio Instrumental 13h30 - Informe Notícia 14h00 - Entre nós 14h30 - Informe Notícia 15h00 - Terço da misericórdia 15h15 - Igreja em Diálogo 15h30 - Musical Nazaré 15h30 - Informe Notícia 15h55 - Plantão R C R 16h00 - Frequência Musical 16h30 - Informe Notícia 17h30 - Informe Notícia 17h45 - Oração das Vésperas 18h00 - Voz do Pastor 18h15 - Oração do Terço - Mistérios Luminosos 18h40 - Musical Mariano 19h00 - Voz do Brasil 20h00 - Amor à Igreja 20h30 - Musical Nazaré 21h00 - Orando com Você - Com. Shalon 22h00 - A voz do Pastor 22h30 - Jornal RNA 23h00 - Programa Salmos ao Deus da Vida 23h50 - Mensagem de Encerramento 00h00 - Rede Milícia Sat – Igreja no Rádio

Assista na TV Nazaré SEXTA-FEIRA 00h00 00h05 02h30 02h45 02h50 03h00 03h55 04h00 05h00 05h15 05h20 05h25 05h55 05h58 06h00 06h30 06h45 06h55 07h00 07h55 08h00 10h15 10h55 11h00 11h45 12h00 12h30 12h35 13h00 13h30 13h45 13h50 14h00 15h00 15h30 16h00 16h30 17h00 17h15 17h20 17h30 18h00 18h55 19h00 19h35 19h55 20h00 20h15 20h20 20h30 20h50 21h00 22h00 22h30 23h58

A Palavra de Deus é Luz Mulher.com Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Evangeliza Show Palavra de Vida Eterna Diálogo Aberto Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Fazendo Esperança Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV Terço Doloroso Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Santa Missa Palavra de Vida Eterna Mulher.com De Mãos Dadas Palavra de Vida Eterna Atelier na TV Desenho Nazaré Notícias Palavra de Vida Eterna Desenho Fazendo Esperança Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Mãe Maria Família em Foco De Coração Desenho De Palavras Fazendo Esperança Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Oração da Tarde Terço Doloroso Santa Missa Palavra de Vida Eterna Nazaré Notícias Desenho Palavra de Vida Eterna Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Mãe Maria Terra Santa News Eu Creio Caminho de Evangelização Nazaré Notícias Espaço Cultural Encerramento da Programação da TV

SÁBADO 00h00 02h00 02h30 03h00 04h00 05h00 05h55 05h58 06h00 06h30 06h55 07h00 07h45 07h50 08h00 09h00 09h30 10h00 11h00

Música Mensagem De Coração Conversa com Meu Povo Caminho de Evangelização Espaço Cultural Evangeliza Show Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV Terço Gozoso Conversa com Meu Povo Palavra de Vida Eterna Notícias Pastorais Eu Creio JMJ Missa no Rio de Janeiro-RJ Viola Brasil Igreja no Brasil Diálogo Aberto Pesca Amazônia

12h00 12h45 12h50 13h00 13h30 14h00 15h45 16h45 17h30 18h00 18h55 19h00 20h00 20h30 22h30 23h00 23h05 23h59

Notícias Pastorais Eu Creio JMJ Viagem pela Amazônia Conversa com Meu Povo Santa Missa e Adoração em São Paulo-SP Pensando Bem Notícias Pastorais Terço Gozoso Especial Musical Palavra de Vida Eterna Encantos da Amazônia Conversa com Meu Povo Música Mensagem Conversa com Meu Povo Palavra de Vida Eterna Espaço Cultural Encerramento da Programação da TV

DOMINGO 00h00 02h00 03h00 04h00 04h30 05h30 05h45 05h55 05h58 06h00 06h30 06h55 07h00 08h00 08h45 08h50 09h00 09h30 10h00 11h00 12h00 12h45 12h50 13h00 13h30 13h40 14h40 14h55 15h00 16h00 16h05 17h00 18h00 18h30 18h55 19h00 20h00 21h00 22h30 22h35 23h35 23h58

Música Mensagem Vida Consagrada Oração e Adoração Igreja que Sofre Música Arte e Vida Sobre Todas as Coisas JMJ Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV Terço Glorioso Igreja no Brasil Palavra de Vida Eterna Santa Missa Dominical Notícias Pastorais Eu Creio JMJ Desenho Viagem pela Amazônia Diálogo Aberto Pesca Amazônia Notícias Pastorais Eu Creio JMJ Igreja que Sofre Mãe Maria Encantos da Amazônia Ângelus Palavra de Vida Eterna Vida Consagrada Palavra de Vida Eterna Dedo de Prosa Missa Santuário Nacional de Aparecida Desenho Terço Glorioso Palavra de Vida Eterna Instrumetal Sesc Brasil Janela Aberta Espaço Cultural Palavra de Vida Eterna Questão de Fé Terço Glorioso Encerramento da Programação da TV

SEGUNDA-FEIRA 00h00 00h05 02h30 02h45 02h50 03h00 04h00 05h00 05h15 05h20 05h25 05h55 05h58

A Palavra de Deus é Luz Mulher.com Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Encantos da Amazônia Oração e Adoração Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Fazendo Esperança Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV

IVAN CARDOSO

23h58 Encerramento da Programação da TV TERÇA-FEIRA

O programa CONVERSA

COM

O

MEU

POVO

apresentado por Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém, orienta por meio de mensagens temas importantes para a sociedade com ensinamentos bíblicos e explicações sobre as tradições da Igreja. O programa é exibido na terça, quarta e sábado às 1h30, 6h30, 13h20, 22h30 e 0h30.

06h00 06h30 06h45 06h55 07h00 07h55 08h00 10h15 11h00 11h45 12h00 12h30 12h35 13h00 13h30 13h45 13h50 14h00 15h00 16h00 16h30 17h00 17h15 17h20 17h30 18h00 18h55 19h00 19h35 20h00 20h15 20h20 20h30 20h50 21h00 22h00 22h30 23h00 23h05 23h20 23h30

Terço Gozoso Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Santa Missa Palavra de Vida Eterna Mulher.com De Mãos Dadas Atelier na TV Desenho Nazaré Notícias Palavra de Vida Eterna Desenho Fazendo Esperança Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Mãe Maria Família em Foco Diálogo Aberto De Palavras Fazendo Esperança Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Oração da Tarde Terço Gozoso Santa Missa Palavra de Vida Eterna Nazaré Notícias Desenho Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Mãe Maria Terra Santa News Eu Creio Janela Aberta Nazaré Notícias Igreja que Sofre Palavra de Vida Eterna Caminhando Na Fé Mãe Maria Boas Notícias

00h00 00h05 02h30 03h00 03h55 04h00 05h00 05h30 05h45 05h50 05h55 05h58 06h00 06h30 06h55 07h00 08h00 10h15 11h00 11h45 12h00 12h30 12h35 13h00 13h30 14h00 15h00 15h40 16h00 16h30 17h00 17h20 17h30 18h00 18h55 19h00 19h35 19h50 20h00 20h30 21h00 22h00 22h30 23h00 23h05 23h20 23h30 23h58

Palavra de Vida Eterna Mulher.com Conversa com Meu Povo Janela Aberta Palavra de Vida Eterna Diálogo Aberto Conversa com Meu Povo Sobre Todas as Coisas Palavra de Vida Eterna Eu Creio Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV Terço Doloroso Conversa com Meu Povo Palavra de Vida Eterna Santa Missa Mulher.com De Mãos Dadas Atelier na TV Sobre Todas as Coisas Nazaré Notícias Palavra de Vida Eterna Desenho Igreja que Sofre Conversa com Meu Povo Desenho Novena do Perpétuo Socorro Sobre Todas as Coisas De Palavras Conversa com Meu Povo Desenho Oração da Tarde Terço Doloroso Santa Missa Palavra de Vida Eterna Nazaré Notícias Sobre Todas as Coisas Palavra de Vida Eterna Conversa com Meu Povo Igreja que Sofre Questão de Fé Nazaré Notícias Conversa com Meu Povo Palavra de Vida Eterna Sobre Todas as Coisas Mãe Maria Boas Notícias Encerramento da Programação da TV

QUARTA-FEIRA 00h00 00h05 02h30 02h45 02h50 03h00 03h40 03h55 04h00 05h00 05h15 05h20 05h25 05h55 05h58 06h00 06h30 06h45 06h55 07h00 07h55 08h00 10h15 11h00

A Palavra de Deus é Luz Mulher.com Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Novena do Perpétuo Socorro Mãe Maria Palavra de Vida Eterna Questão de Fé Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Fazendo Esperança Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV Terço Glorioso Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Palavra de Vida Eterna Santa Missa Palavra de Vida Eterna Mulher.com De Mãos Dadas Atelier na TV

11h45 12h00 12h30 12h35 13h00 13h30 13h45 13h50 14h00 15h00 16h00 16h30 17h00 17h15 17h20 17h30 18h00 18h55 19h00 19h35 20h00 21h00 22h00 22h30 23h00 23h05 23h20 23h30 23h58

Desenho Nazaré Notícias Palavra de Vida Eterna Desenho Fazendo Esperança Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Mãe Maria Família em Foco Pensando Bem De Palavras Fazendo Esperança Caminhando Na Fé A Palavra de Deus é Luz Oração da Tarde Terço Glorioso Santa Missa Palavra de Vida Eterna Nazaré Notícias Caminhando Na Fé Encantos da Amazônia Vida Consagrada Nazaré Notícias De Coração Palavra de Vida Eterna Caminhando Na Fé Mãe Maria Boas Notícias Encerramento da Programação da TV

QUINTA-FEIRA 00h00 00h05 02h30 03h00 03h55 04h00 05h00 05h30 05h45 05h50 05h55 05h58 06h00 06h30 06h55 07h00 08h00 10h15 11h00 11h45 12h00 12h30 12h35 13h00 13h30 14h00 15h00 16h00 16h30 17h00 17h20 17h30 18h00 18h55 19h00 19h35 19h50 20h00 20h30 21h00 22h00 22h30 23h00 23h05 23h20 23h30 23h58

Palavra de Vida Eterna Mulher.com Conversa com Meu Povo Pensando Bem Palavra de Vida Eterna Encantos da Amazônia Conversa com Meu Povo Sobre Todas as Coisas Palavra de Vida Eterna Eu Creio Consagração a Nª Sª de Nazaré Abertura da Programação da TV Terço Luminoso Conversa com Meu Povo Palavra de Vida Eterna Santa Missa Mulher.com De Mãos Dadas Atelier na TV Sobre Todas as Coisas Nazaré Notícias Palavra de Vida Eterna Desenho Igreja que Sofre Conversa com Meu Povo Desenho Diálogo Aberto De Palavras Conversa com Meu Povo Desenho Oração da Tarde Terço Luminoso Santa Missa Palavra de Vida Eterna Nazaré Notícias Sobre Todas as Coisas Palavra de Vida Eterna Conversa com Meu Povo Terra Santa News Evangeliza Show Nazaré Notícias Conversa com Meu Povo Palavra de Vida Eterna Sobre Todas as Coisas Mãe Maria Boas Notícias Encerramento da Programação da TV


19

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Entretenimento Cinema & DVD

Na Locadora

Pedro Veriano (pveriano@gmail.com)

Filmes premiados Entre a resignação e o desespero foge a razão e a fé (se esta, um dia, existiu)

D

ois filmes que acumulam prêmios e são candidatos ao próximo Oscar, o cobiçado troféu da Academia e Artes e Ciências de Hollywood, estão sendo exibidos em Belém: “Amor” e “Lincoln”. “Amor” (Amour) é uma produção austro-francesa do diretor austríaco Michael Haneck (de “A Linha Branca” e “Caché”). Focaliza um casal de músicos idosos, George (Jean Louis Trintignant) e Anne (Emanuelle Riva). O drama começa quando ele e ela fazem refeições e conversam como de hábito. De repente Anne se mostra apática. Logo se sabe que ela sofreu uma isquemia que prejudicou a vascularização cerebral. Hospitalizada, não melhora. Volta para casa em cadeira de rodas. E lentamente vai se deteriorando para desespero do marido. O fim é i n ev i t á ve l e o f i l m e c o m e ç a com pessoas estranhas achando o corpo de Anne na casa que estava fechada. A base do argumento é o comportamento do amor quando a pessoa amada sofre. Entre a resignação e o desespero foge a razão e a fé (se esta um dia existiu). Uma linguagem simples e atores excepcionais dão conta de um quadro dramático que emociona. Poucas realizações cinematográficas dizem tanto à sensibilidade dos espectadores quanto esta obra-prima que demonstra a consciência de

eu indico

quem faz, ao casar, o voto de estar se unindo até que chegue a morte. O filme ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes e é candidato aos Oscar de filme, diretor, atriz e filme estrangeiro. Deve ganhar nesta última categoria, mas o desempenho de Emanuelle Riva, descoberta por Alain Resnais em “Hiroshima meu Amor”, está acima de qualquer concorrente se o prêmio partir da imparcialidade. “Lincoln” é uma produção extremamente bem cuidada de Steven Spielberg. Sem concessões comerciais nem parece ser um filme de quem fez “O Parque dos

Dinossauros” ou a trilogia “Indiana Jones” (muito menos a nova versão de “A Guerra dos Mundos”). Focaliza os últimos meses da vida do presidente norte-americano Abraham Lincoln, detendo-se no período em que ele fez força para que fosse aprovada a lei que libertaria os escravos. Nesse tempo ainda eclodia a guerra civil e o sul, escravagista, até porque achava que se acabasse a mão de obra negra pararia a sua maior fonte produtora, o algodão, lutava contra. Lincoln, do Partido Republicano, precisava de votos para que a emenda fosse aprovada, mas para isso seria necessário convencer parlamentares até mesmo do Partido Democrata, o opositor. O presidente havia perdido um filho na guerra e a mulher dele temia que outro filho, inconformado com os massacres que expunham cadáveres por toda parte, também fosse para campo de batalha. Além disso, Lincoln precisava mostrar que a libertação dos escravos nada tinha a ver com a guerra. O ator Daniel Day Lewis é desde já o que melhor encarnou o mandatário americano dentre muitos filmes até hoje feitos sobre ele. E o roteiro de Tony Curshner baseado no livro de Doris Kearn Godwin é conciso, não se afastando de um tema que praticamente é um discurso político, durando na tela do cinema mais de duas horas e meia. Uma aula de história americana. w EM "LINCOLN O ator Daniel Day Lewis se destaca na interpretação do ex-presidente norteamericano

DIVULGAÇÃO

secretário de Pastoral e Músico da Paróquia de São Miguel.

BOA DICA

w

O filme tenta achar o humor das comédias italianas dos anos 60, como as de Dino Risi, Mario Monicelli e Steno. Consegue em parte. Falta um jeito nacional q u e é i n i m i t á ve l . M e s m o assim, o fecho com Domenico Modugno cantando “Volare”é motivo para saudade de um tipo de cinema que marcou a memória de uma geração.

LUAM FELIPE MARQUES DE OLIVEIRA,

SANTA PACIÊNCIA - ANDRÉ ABREU

cadáveres por toda parte, também fosse para campo de batalha. Além disso, Lincoln precisava mostrar que a libertação dos escravos nada tinha a ver com a guerra. O ator Daniel Day Lewis é desde já o que melhor encarnou o mandatário Na Locadora americano dentre muitos filmes até hoje feitos sobre ele. E o roteiro de Tony Curshner baseado no livro de Doris Kearn Godwin é conciso, não se afastando de um tema que praticamente é um discurso político, durando na tela do cinema mais de duas horas e meia. Daniel Day Lewis se Uma aula de história americana. destaca na interpretação

Há quem diga que os filmes de Woody Allen por menores que sejam ganham os concorrentes nas salas comerciais. De fato, o mais recente trabalho desse cineasta, “Para Roma Com Amor” (To Rome with Love) não traz novidades e de um modo geral é apenas um programa divertido. Mas a diversão é inteligente. São várias historias, duas delas hilárias: um agente de cantores de opera (o próprio Woody Allen) visita a filha, na capital italiana, que está noiva. Em Roma ele conhece o futuro sogro da moça que é um excelente tenor. Mas só canta no chuveiro, ao tomar banho. Mesmo assim, o agente levao para uma apresentação de “Il Pagliacci” botando um chuveiro no palco. Outra história é a de um cidadão pacato (o cômico Roberto Benigni) que de repente é guinado à celebridade. Ele não pode andar na rua sem ser perseguido por repórteres. Depois de muito lutar contra isso, consegue ser esquecido. Mas acaba com saudades da fama e sai gritando para quem passa: “-Ei, aqui estou eu!”.

Eu indico o livro POR QUE SOU CATÓLICO?, do Professor Felipe Aquino. Neste livro encontramos a maneira clara, objetiva e profunda, as razões da fé e por que a Igreja Católica é a única que Jesus fundou e desejou neste mundo, para levar a humanidade de volta para Deus.

QUADRINHOS

Spielberg. Sem concessões comerciais nem parece ser um filme de quem fez “O Parque dos

Para Roma com sorrisos

LIVROS E CD'S

n UM MÊS EM ORAÇÃO PELA FAMÍLIA, JOSÉ CARLOS FERREIRA DA SILVA (Paulinas,128págs,R$9,00)

n AS IMAGENS DE JESUS: LEITURA A PARTIR DOS MANUAIS DE CONFIRMAÇÃO DO BRASIL, VICENTE FRISULLO (Paulinas,128págs,R$ 14,00)

O autor, nesta obra, propõe um mês de encontro marcante entre o leitor,a família e Deus. O objetivo é envolver Deus no diálogo cotidiano da vida familiar, em seus diversos temas e conflitos, através de uma forma poética, simples, direta e muito afetiva.

O livro aprofunda a imagem de Jesus Cristo na catequese de Confirmação, avalia seus méritos e limites para que seja mais bíblica e, ao mesmo tempo, mais próxima dos anseios da juventude. O estudo dos diversos manuais de crisma do Brasil levou a três esquemas mais frequentes nesta obra: Jesus amigo, Salvador e Revelador do Pai.

PALAVRAS CRUZADAS


20

BELÉM, DE 1 A 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Palavra Final

DIVULGAÇÃO

Tesouros da Igreja IRMÃ ÂNGELA TUTAS

Reflexões sobre vida e morte

A

s últimas noticias recebidas de minha família informavam sobre o falecimento de um tio e uma tia muito queridos. Isso tudo ocorreu em um pequeno espaço de tempo: no mesmo dia da celebração litúrgica do enterro do tio (Gheorghe) ocorreu a morte também de uma tia (Mica), ambos irmãos de minha mãe e que me determinaram a refletir sobre a existência da alma e o mistério da morte e ressurreição. Em 2004, logo que cheguei ao Brasil como missionária faleceu o meu pai que deixei na Romênia. Encontrando-me em terra distante e fazendo parte de uma comunidade

uma tia, irmã do tio que acabava de ser enterrado. Minha irmã Ana, da Itália, ligou dizendo que a mãe estava bastante abalada. Retornei de imediato a ligação para Romênia a fim de falar com minha mãe que não conseguia parar de chorar. Pelo telefone ela dizia que quando uma pessoa está doente e a agonia manifesta os sinais de que a hora do encontro com o Senhor está para acontecer todos procuram se conformar com a Vontade Divina, mas que a morte da tia pegou a todos de surpresa pelo fato de, um dia antes estar bem de saúde e falando com todos. De repente se sentiu mal, foi levada ao hospital, os médicos

Os enigmas da existência humana sempre desafiaram o homem. A discussão sobre a vida após a terrena é um desses mistérios religiosa de missionários, comuniquei ao superior da Itália da perda do meu ente querido, mas não tive a possibilidade de voltar à pátria para estar presente neste momento tão marcante. Tive que enfrentar o acontecimento com a força do espírito de fé na oração e me conformar com a vontade divina, mesmo que naquele momento eu tenha perdido o “maior afeto” que Deus me deu na vida. Três anos depois, em 2007, ao retornar para Europa (em Roma) por motivos de estudos, tive a oportunidade de visitar também a família na Romênia (minha mãe e meus irmãos), e ao mesmo tempo passei no cemitério para rezar ao túmulo do meu pai. Após esses episódios, quando encontro no celular uma ligação dos familiares, fora do horário normal do Brasil, fico assustada porque já penso que algo deve ter acontecido como agora no dia 3 de janeiro passado verifiquei uma ligação às 6.22 h de manhã. Naquele horário estava participando da santa Missa na residência episcopal e, ao ver a ligação quando retornei, fiquei com coração apertado. Isso se confirmou: recebi a noticia da morte do tio (54 anos) acima citado pelo qual tinha um grande carinho. Na mesma hora ajoelhei-me e rezei ao Senhor para que sua alma descansasse em paz. Entretanto, todos podem imaginar o que se passa pelo coração ao sofrer um abalo familiar desta dimensão! Na Romênia se tem por costume velar o defunto durante três dias em casa, tempo de intensas orações por parte dos familiares, vizinhos e amigos. Quanto a mim, fiz uso de instrumentos que aprendi a utilizar durante minha caminhada de religiosa: a oração e a meditação. Coloquei sua alma nas intenções das Santas Missas na Paróquia da Ssma Trindade e fiz orações particulares em casa. Porém, no dia 6 de janeiro, outra notícia me sobressaltou a alma. Era o dia da celebração funerária do tio com a presença do pároco Pe. Ioan Zbona e Pe. Sandu, monge da Ordem de São Basílio, que coincidiu com a Festa da Epifania. Falecera

aplicaram-lhe uma injeção e naquele momento ela faleceu. Portanto, diferente é a reação de todos quando hoje você fala com a pessoa, ela está bem e o dia seguinte não respira mais. Daqui de Belém procurei pelo telefone confortar os familiares, pois, nesses momentos há uma grande cobrança em cima de uma pessoa consagrada como no meu caso. Eles esperam que parta de mim um conforto espiritual. Isso me levou a lembranças de quando era jovem e meditava as palavras de Jesus: “Deixa os mortos enterrarem seus mortos, você vem e segue-me”. Por mais que refletisse, não entendia muito bem o sentido dessas palavras. Hoje, porém, com o decorrer de experiências em minha missão, duas coisas estão se apresentando para minha reflexão: o mistério da missão, isto é, ser missionária além das fronteiras e a natureza da vida e da morte, a existência da alma e da ressurreição. A morte de familiares torna-se sempre uma ocasião para refletir sobre a própria existência. Quem somos? Donde viemos? Para onde estamos nos direcionando? Os enigmas da existência humana sempre desafiaram a capacidade investigativa dos homens. Quase todos esses questionamentos, ainda que explorados por muitos estudiosos, não encontraram uma explicação plausível que seja aceita universalmente. A discussão sobre a vida do ser humano após a terrena é um desses mistérios. O homem fica sempre perplexo diante da realidade da morte. São questionamentos que se apresentam para o ser humano provocando inquietações como: determinar com exatidão qual o seu destino final? Existe a vida após a morte? Como essa vida irá se realizar? E o Purgatório? Qual a relação desta vida com o corpo e com Deus? Todas estas questões transtornam a alma e não se chega a uma exata conclusão. Propor uma teoria que apresente o destino do homem depois da morte é atitude ousada, pois consiste em desvendar aquilo que se encontra numa dimensão do mundo

inteligível. As grandes religiões tentam responder às tais questões. A filosofia clássica também se interessa por esses debates e oferece suas convicções, mas o cristianismo trouxe suas respostas originais como patrimônio doutrinal da fé católica sobre este assunto e as apresenta a todos os que desejam conhecê-las. A literatura dos primeiros Padres da Igreja nos oferece ricos e profundos tratados sobre a existência da alma e o destino do homem além da vida. Nesses momentos de provações minha mãe, mesmo no seu grande abalo, deixou-me confortada e admirada pelo espírito de fé com o qual procurava superar a perda de dois irmãos em apenas três dias. Ela me disse: “Minha filha, lembro-me das provações e do drama do justo Jó do Antigo Testamento e com esse testemunho de fé procuro confortar os familiares”. Parecia que eu querendo confortar minha mãe na conversa telefônica, fui por ela confortada mesmo em meio de choro e tristeza. Ela me deu uma grande lição de como temos que, na vida, enfrentar as provações... Dentro deste clima, penso que refletir sobre a morte e a ressurreição nos ajuda redimensionar a nossa vida, nosso relacionamento com Deus, com a criação e com a comunidade dos irmãos. Esses acontecimentos me remetem aos vivos ensinamentos de Santa Macrina, uma monja do IV século contidos no tratado do seu irmão Gregório de Nissa: A alma e a ressurreição. Sem nos desvincular da fé, neste tesouro da Igreja encontramos uma comprovação racional e coerente, fundamentada nas Sagradas Escrituras sobre a ressurreição, a separação entre corpo e alma e as características da natureza da alma. O tratado conhecido como o “Fédon cristão” é um diálogo de Gregório com sua irmã Macrina a quem tinha por mestra e santa, provavelmente um dia anterior da morte dela. Gregório em toda obra não chama a irmã pelo seu nome, mas usa os termos “a virgem” ou “a mestra” para se referir a ela como forma de sua admiração. Esse diálogo é narrado pelo próprio Gregório e apresenta as convicções dos dois irmãos sobre a imortalidade da alma, sua natureza, seu destino, sua relação com corpo e com Deus. Gregório após a dolorosa experiência de luto pela morte do irmão e mestre Basílio sente a necessidade de visitar sua irmã Macrina para, como ele mesmo diz, partilhar com ela a infelicidade que experimentava. Nada melhor que ela, por ser da

família compreenderia essa perda significativa que muito lhe afligiu a alma. Além do mais, Macrina encontrava-se acometida por uma doença mortal e parece que Gregório queria de alguma forma mostrar seu apoio pela situação que ela se encontrava. Mas ao contrário, assim como aconteceu comigo e minha mãe, ele a encontra equilibrada e firme a ponto de mesmo com todos esses acontecimentos manifestar uma fé consistente. Macrina é quem procura consolar seu irmão a respeito da situação de sua amargura. Assim, a irmã aumentou ainda mais a inquietude em Gregório sobre a questão da morte e desencadeou uma discussão sobre a alma do ser humano, a morte e ressurreição (1Ts 4,13). Gregório questiona Macrina: “Como é possível que os homens ponham em prática esta palavra, se em cada um deles é assim inata uma aversão natural pela morte, e se quem observa um morto não suporta de bom grado este espetáculo, enquanto quem vê aproximar-se a morte faz de tudo para afugentá-la com todas as suas forças?” Gregório lembra como todos os esforços dos homens buscam a manutenção de sua existência e afastar melhor possível a chegada da morte: as habitações, a agricultura, a medicina, as armas defensivas e os muros das cidades. Tudo isso prova o medo da morte para os homens. Então Gregório pergunta: como não se incomodar pela morte de alguém? Macrina, sabiamente como mestra em filosofia e teologia, tenta perscrutar ainda mais o seu irmão, não o deixando ficar na superficialidade sobre essas questões de fé, movendo-se apenas por sentimentos e pelo desespero. Aflito, Gregório reluta mostrando como a morte faz perder todas as funcionalidades dos órgãos sensoriais do corpo humano deixando sair aquilo que lhe é tão necessário: o princípio vital, a alma. Com a separação corpo-alma, para onde a alma se encaminha? Ou será que apenas se dissolve como uma chama de vela antes acesa deixando de existir? Isso tudo até hoje a humanidade questiona e sobre estes questionamentos voltaremos com mais detalhes. Irmã Ângela Tutas é doutora em “Scientiis Eclesiasticis Orientalibus” e professora de Patrística no Instituto Regional para Formação Presbiteral da CNBB Norte 2.

Próximos artigos: Maria Elisa Bessa de Castro

Pe. Giovanni Martoccia

Pe. Fábio de Melo

Pe. Reginaldo Manzotti


Voz de Nazaré