Page 1

ARQUIDIOCESE

DE BELÉM

Pe. Florence Dubois Fundador

www.fundacaonazare.com.br D o jornal católico da família D

belém, De 16 a 22 de março de 2018

ANO CIV - Nº 815 - PREÇO AVULSO: R$1,00

Junto do Senhor por 24 horas Iniciativa do Papa Francisco convida toda a Igreja a rezar. Em Belém, fiéis foram às suas comunidades. Programação central foi na Igreja de Nossa Senhora das Mercês . CADERNO 2, Página 1.

luiz estumano

w fiéis acolheram convite e fizeram vigília na Igreja das Mercês luiz estumano

w Santa missa culminou a Vigília "24 horas para o Senhor" - Arcebispo Dom Alberto celebrou Missa no sábado, 10, encerrando a programação luiz estumano

divulgação

Missão e celebração Dom Irineu avalia sua missão na Arquidiocese de Belém nos quatro anos de sua Ordenação Episcopal como Bispo Auxiliar. caderno 2, página 5.

Reconciliação com Deus Arquidiocese de Belém divulga programação do mutirão de confissões em preparação à Páscoa. caderno 2, página 3.

JDJ será dia 25 em Belém w dom irineu - Servir, sempre!

Setor Juventude da Arquidiocese de Belém prepara programação especial e convida os jovens a participar. cad. 2, pág. 6.

w como em 2017 Juventude é chamada a participar da JDJ 2018


2

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Opinião Privilégio de ser católico

charge do andré abreu

João Carlos Pereira Jornalista e professor jcparis@orm.com.br

Ainda o tema do “feriadão”

A

Comente esta charge: voz@fundacaonazare.com.br

Relembrando com saudade nosso querido chargista André Abreu

Panorama José Pereira Ramos joseulina1@gmail.com

O pai adotivo de Jesus

E Economista e escritor

ste 5º Domingo da Quaresma coincide com a dedicação a São José, o pai adotivo do Senhor Jesus. O homem que não teve medo de atender e cumprir com honradez o pedido de Deus. Interrompo as meditações sobre a Quaresma para honrar o Santo, meu homônimo. Na última visita que fiz ao Carmelo de Fortaleza, ganhei de minha filha uma imagem de São José, dormindo. Eu não conhecia tal imagem, mas arrumei-a dignamente numa mesinha, na nossa sala de visitas. Na primeira reunião da Equipe de Nossa Senhora em nossa residência, todos se admiraram daquela imagem. O Assistente Espiritual, padre Josué, ilustre salesiano, desdenhou da admiração de todos e falou: Vocês não leem o Evangelho? “Levanta-te, toma o Menino e sua Mãe e foge para o Egito...” (Mt .2,13). Está muito bem representado o miste-

Encontro Fraterno ivens Coimbra Brandão

ivenscb@oi.com.br; ivenscb@gmail.com

Repleto de virtudes

R Engenheiro civil e escritor

efiro-me ao glorioso São José, esposo de Maria, pai adotivo de Jesus, protetor da Família Sagrada. Bem sabemos: José poucas vezes é citado na Bíblia. No entanto, é mencionado pelo evangelista Mateus como ‘um homem justo’ (cf. Mt 1, 19), que na linguagem bíblica quer dizer repleto de virtudes. José era filho de Jacó, descendente do rei Davi, da tribo de Judá (cf. Mt 1, 16) Em uma de nossas andanças por um dos shoppings de Belém, eu e minha esposa fomos abordados por duas jovens, que perguntaram qual o segredo de permanecermos tantos anos casados. Minha esposa respondeu em poucas palavras, acrescentando que sua mãe recomendava que a filha rezasse a São José para lhe indicar um homem que fosse bom marido. As jovens acolheram a sugestão e se despediram alegremente, afirmando que

Fun­da­do em 5 de ju­lho de 1913 fundador Pe. Flo­ren­ce Du­bois, bar­na­bi­ta

arquidiocese de belém-pará

presidente Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Be­lém do Pa­rá vice-presidente Monsenhor Marcelino Ferreira Vigário-geral da Arquidiocese de Belém do Pa­rá

rioso sonho de São José. Não vou retirar a pequena imagem do lugar de honra que lhe reservei. Porém, o importante não é a imagem e, sim, a devoção ao Santo homem que soube viver a missão que Deus lhe confiou. Sabendo que Jesus era o Filho de Deus, cumpriu as Leis de Moisés e as mensagens recebidas de Deus. Viveu entre seus parentes e amigos, exercendo sua profissão com simplicidade e honradez. É homenageado pela Igreja de Jesus em toda a sua história. Declarou santa Teresa de Jesus: “Quisera persuadir o mundo inteiro a ser devoto deste glorioso Santo, pela grande experiência que tenho dos bens que ele concede. Experimente quem nele não crê e verá, por si mesmo, que imenso bem é recomendar-se o cristão ao glorioso Patriarca e ser seu devoto”. A Arquidiocese tem três paróquias dedicadas ao grande Santo: São José (Doca de Souza Franco), São José de Queluz (Canudos), São José Operário (Ananindeua). Na paróquia de Nazaré, uma Irmandade quase secular. Que São José abençoe o nosso país neste difícil momento. rezariam para São José... O culto a São José remete aos primórdios do cristianismo. Em busca de fontes de informações confiáveis, ora cito o livro do Prof. Felipe Aquino intitulado ‘O Glorioso São José’ – 3ª ed. – Lorena, SP – Cléofas, 2010 – págs. 150/151, que transcreve conclusões de Dom Ascânio Brandão, no livro ‘Glória e poder de São José’ - p.106: “Segundo a tradição católica, celebrava-se a festa de São José já no século IV, no templo que Santa Helena, mãe do imperador Constantino, mandou construir no lugar do Presépio de Belém, uma capela dedicada a São José que existe ainda hoje naquele lugar, dentro da Basílica da Natividade em Belém. (...) Em 1621 o Papa Gregório XV incluiu a festa entre as de preceito. Em 1651 a festa foi fixada em 19 de março. ”O Papa Pio IX, em 8 de dezembro de 1870, proclamou solenemente São José Padroeiro Universal da Igreja. São José, um homem repleto de virtudes, escolhido para esposo da sempre Virgem Maria, pai legal de Jesus, protetor da Família Sagrada, rogai por nós!

DIRETOR GERAL Padre Roberto Emílio Cavalli Junior diretor administrativo e financeiro ­Marcos Aurélio de Oliveira diretor de comunicação Mário Jorge Alves da Silva diretor de captação de recursos ­Arnaldo Pinheiro

propósito do artigo da semana passada, sobre o fato de os dias da Semana Santa não se apresentarem como um feriadão, ou espaço para descansar, mas, sim, um tempo para reflexão, oração e jejum, um leitor mandou um e-mail com a relação dos feriados nacionais, na qual aparece a Sexta-Feira da Paixão e onde se veem outros feriados ligados à Igreja: o Natal, Dia de Finados e o da Padroeira do Brasil, criado a partir de um projeto do deputado paraense Jorge Arbage. Por essa razão, retorno ao tema. Não há dúvida – nunca houve, aliás – sobre o fato de a Sexta-Feira Santa ser ou não feriado. A ideia é que não se pode viver esse dia com o espírito de um feriado comum, como há tantos (até em excesso) no Brasil. É dever de todo católico aproveitar ao máximo o sagrado momento da memória da morte e da ressurreição de Jesus e vivê-lo intensamente na fé. No Brasil, apesar de toda badalação, ainda se vê respeito pela Semana Santa. Na

Itália, me disse um amigo jesuíta, a data quase nada significa. Muitas empresas não a respeitam. Algumas, não sei dizer qual percentual, apenas suspendem o expediente nas chamadas horas santas. No mais, a vida segue como se nada de importante estivesse sendo celebrado. É quase inacreditável que isso aconteça, mas, lamentavelmente, não é uma notícia falsa. Nosso dever, porém, é trabalhar para que a Semana Santa seja, efetivamente, santificada e santificadora e possamos vivê-la da melhor forma possível. Se outros não o fazem, paciência. Como diz o Papa Francisco, quem sou eu para julgar. Nem julgar, muito menos condenar. Há muitos motivos e momentos para escapar da rotina do trabalho, emendar um dia útil, ou dois, com o final de semana e descansar. Este 2018, então, está rico em pontos facultativos e feriados que podem ser estendidos. Mas a Semana Santa – desculpem insistir e parecer repetitivo – não é feriadão.

Assim na terra como no céu ... Pe. Helio Fronczak

heliofronczak@gmail.com

Os âmbitos da atuação dos leigos na Igreja

P

ela ação do Espírito Santo os cristãos tornam-se defensores e difusores da fé, chamados a ser os olhos, os ouvidos, as mãos, a boca, o coração de Cristo na Igreja e no mundo. É assim que Cristo vive e age na Igreja, seu sacramento, sinal e instrumento (Efésios 1,22). Os âmbitos de comunhão eclesial laical são: 1. A Família: lugar não só da geração de filhos, mas do acolhimento da vida que chega como um presente de Deus e santificam-se no cotidiano familiar, Igreja doméstica.  2 .  A P a r ó q u i a e a s Comunidades: espaços para a vivência da unidade na diversidade e lugares para celebrar reflexões bíblicas e novenas ou encontros nos tempos fortes, grupos de terço, e pastorais, como formas concretas de comunhão e participação nas quais o leigo atua como sujeito eclesial.

coordenação Bernadete Costa (DRT/PA 1326) conselho de programação e editoração Padre Agostinho Filho de Souza Cruz Cônego Cláudio de Souza Barradas Edwaldo Lobo Monteiro editoração eletrônica Sérgio Santos (DRT/PA 579) As­si­na­tu­ras, dis­tri­bui­ção, ad­mi­nis­tra­ção e re­da­ção Av. Go­v. Jo­sé Mal­cher, Ed. Pau­lo VI, 915 CEP: 66055-260

3. Os Conselhos Pastorais e os Conselhos de Assunto Econômico: tais conselhos são organismos de participação dos fiéis leigos na corresponsabilidade da condução da vida eclesial. A ausência deles ou o não funcionamento deles é reflexo da centralização da Igreja na figura do padre. 4. As Assembleias e Reuniões Pastorais: nas assembleias e reuniões pastorais temos oportunidade de ser Igreja comunidade, Igreja família, Igreja comunhão. Ciúmes, fofocas, manipulações causam fracasso pastoral. 5. O Espírito Santo capacita a todos na Igreja: como ramo na videira (João 15,5) o leigo, permanecendo Igreja, transita do ambiente eclesial (Igreja) ao mundo civil, para, a modo de sal, luz (Mateus 5,13-14) e fermento (Mateus 13,33; Lucas 20,21), possa somar com todos os cidadãos de boa vontade, na construção da cidadania plena total.

- Na­za­ré, Be­lém - PA Te­l.: (91) 4006-9200/ 4006-9209. Fax: (91) 4006-9227 Re­da­ção: (91) 4006-9200/ 4006-9238/ 4006-9239/ 4006-9244/ 4006-9245 Site: www.fundacaonazare.com.br E-mail: voz@fundacaonazare.com.br Um veí­cu­lo da Fun­da­ção Na­za­ré de Co­mu­ni­ca­ção ­CNPJ nº 83.369.470/0001-54 Im­pres­so no par­que grá­fi­co de O Li­be­ral

fundação nazaré de comunicação


3

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Conversa com meu povo

Arcebispo

Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

C

hegou a “hora” de Jesus. Estamos na segunda parte do Evangelho de São João e parece se armar um verdadeiro tribunal contra o Senhor. No entanto, é agora que acontece a abertura para quem vem de longe e quer “ver” Jesus! (Jo 12,30-33) Alguns gregos se aproximaram um dia dos discípulos, pois queriam “ver Jesus”. Era gente de longe, em que podemos vislumbrar a multidão de pessoas que acorreriam a Jesus, durante os séculos futuros, inclusive o nosso, até que ele venha! Compartilhando o “sonho de Deus”, queremos ver muita gente afastada se aproximar, encontrando o regaço acolhedor da Mãe Igreja, no qual as pessoas são reconhecidas pelo nome, recebem o carinho que lhes é devido e são tratadas com misericórdia. E ele mais uma vez fala de sua elevação na Cruz! Uma das leis fundamentais para entrar no Reino de Deus é a do grão de trigo, que morre para produzir muito fruto, e Jesus a anuncia justamente quando chegam os que estavam distantes. Olhemos ao nosso redor, para identificar quanta gente que está à procura e se encontra conosco. Não nos recusemos a aproximar estas pessoas de Jesus, com nossos gestos de acolhida e nossas palavras. Queremos ver Jesus junto com as pessoas que perderam a fé. Algumas delas chegaram a este ponto pela falta de um testemunho coerente que as atraísse. Outras se encontram num emaranhado de questões internas a serem, sem dúvida, respeitadas, mas que as lançam num verdadeiro beco sem saída. Não temos receio de dialogar com elas e desejamos empreender juntos um caminho de busca da verdade.

Perder ou ganhar

divulgação

w Quem se apega à sua vida perde-a; mas quem não faz conta de sua vida neste mundo, há de guardá-la para a vida eterna

Se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto “Venham!” Sonhamos com as pessoas que se entregaram à revolta com a vida, com seus familiares e com Deus. Pensamos naqueles que se tornaram intratáveis, afastados de tudo e de todos, jogados num canto, morando sozinhos, totalmente isolados. Queremos visitálos e desejamos descobrir irmãos e irmãs que o façam conosco ou em nosso nome. A lei da vida, perder e ganhar, está presente de uma forma ou de outra em nossa existência. Olhando ao nosso redor, quantos são os perdedores? Há gente que a crise econômica fez perder tudo. Há relacionamentos quebrados depois de muitos anos, famílias destruídas, perda de emprego, doenças graves. Não é necessário descrever toda a lista de problemas, conhecidos e ex-

perimentados na carne por todos. Só que temos dificuldades para reconhecê-los e dar nome a todos os passos a serem dados. O Senhor Jesus, em quem acreditamos, aquele que o Pai glorifica (Cf. Jo 12,28), é Deus verdadeiro e homem verdadeiro. Ele assumiu nossa carne, foi até o mais profundo das misérias humanas, percorreu as estradas poeirentas de nossa humanidade e aquelas dos corações angustiados das pessoas. Não teve receio de visitarnos, como somos e onde vivemos. A Carta aos Hebreus descreve o seu amor infinito encarnado na finitude de nossa humanidade (Hb 5, 7-9): “Ele, nos dias de sua vida terrestre, dirigiu preces e súplicas, com forte clamor e lágrimas, àquele que tinha poder de salvá-lo da morte. E

foi atendido, por causa de sua piedosa submissão. Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência, por aquilo que ele sofreu. Mas, quando levou a termo sua vida, tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem”. O segredo é transformar dor em amor! Tomar posse de cada momento presente bem vivido, oferecendo-o a Deus e ao próximo, como gesto de amor e participação no mistério de Cristo. Alguém lhe tira sua fama pessoal, sua riqueza ou sua saúde? Você olha ao redor e vê crises sobre crises? Nas mãos de Deus, o milagre começa agora, acreditando na passagem da morte para a vida, da tristeza para a alegria, das trevas para a luz, do pecado para a graça. Há que se ter cuidado para não

pensar em Deus como alguém à nossa disposição para resolver automaticamente nossas demandas de qualquer ordem. Ele já nos oferece, no mistério pascal de morte e ressurreição de seu Filho amado, a chave para sair das dificuldades e crescer, sem dispensar o uso de nossa inteligência e boa vontade para buscar soluções. Qualquer situação, sem exceção, pode ser oportunidade privilegiada para amar a Deus e ao próximo. Os que chegaram de longe para adorar a Deus durante a festa dos judeus quiseram ver Jesus. Filipe e André foram os intermediários, serviço que muitos de nós podemos oferecer aos outros! Os dois foram falar com Jesus, que lhes respondeu oferecendo nada menos do que seu segredo, justamente para ser transmitido a gente que chegava de longe, mas era hora de dar tudo! “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade,

vos digo: se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto”. E oferece o caminho para viver a lei do grão de trigo: “Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem não faz conta de sua vida neste mundo, há de guardá-la para a vida eterna. Se alguém quer me servir, siga-me, e onde eu estiver, estará também aquele que me serve” (Cf. Jo 12, 20-25). A força do Evangelho pode ser oferecida a pessoas que se encontram na miséria ou na fortuna, na tristeza ou na alegria, na saúde ou na doença! A Igreja experimenta a cada dia, onde quer que exerça seu ministério e apostolado, que não há limites! Os de perto e os mais distantes, as periferias geográficas ou existenciais, todas as situações humanas podem ser tocadas com a lei da vida que se encontra em Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador! Quem se dispuser a experimentar, verá como perder é ganhar!


4

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Arquidiocese agenda de dom antônio de assis ribeiro

agenda de dom irineu roman

agenda de dom alberto corrêa n De 16 a 22 de março de 2018

n De 16 a 22 de março de 2018

n De 16 a 22 de março de 2018

8h - Gravações 9h30 - Audiências

8h30 - Gravações Radio Nazaré (Voz do Pastor) 11h - Audiências 18h - Missa - Abertura do Retiro dos Catequistas (Região Coração Eucarístico de Jesus)

n SEXTA, 16 DE MARÇO

n SEXTA, 16 de MARÇO

n Sábado, 17 DE MARÇO

17h - Missa (Seminário Aberto São João Maria Vianney) n domingo, 18 DE MARÇO

9h - Missa no Centro de Pastoral Santa Teresa de Calcutá (Conjunto Eduardo Angelim – Belém) 19h - Missa na Comunidade São José (Paróquia São Marcos)

n SEXTA, 16 DE MARÇO

Em Brasília - CNBB

n SÁBADO, 17 DE MARÇO

8h30 - Leitura Orante com jovens 16h - Encontro com Guardas de Nazaré 19h - Retiro

n SÁBADO, 17 DE MARÇO

n DOMINGO, 18 DE MARÇO

9h - Gravação - Programa Comunidade Viva Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Júlia Seffer) 19h - Missa - Comunidade São José (Paróquia Imaculada Conceição) - Carananduba

n SEGUNDA, 19 DE MARÇO

n DOMINGO, 18 DE MARÇO

n TERÇA, 20 DE MARÇO

n SEGUNDA, 19 DE MARÇO

n quarta, 21 e quinta, 22 DE MARÇO

n TERÇA-FEIRA, 20 DE MARÇO

8h - Retiro 11h - Missa e encerramento do Retiro 19h - Missa do Setor Juventude (Região Santa Maria Goretti)

n SEGUNDA, 19 DE MARÇO

8h - Missa - Comunidade São José - Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Distrito Industrial) 19h30 - Missa - Comunidade São José (Paróquia Santa Edwiges)

7h - Missa (Paróquia São José de Queluz) 11h - Missa (Comunidade Sementes do Verbo) 15h30 - Gravações 19h - Missa (Paróquia de São José - Umarizal)

8h - Audiências 16h - Encontro na Escola de Comunicação Papa Francisco 19h - Missa - Comunidade São José (Paróquia São Marcos) - Marituba

n TERÇA, 20 DE MARÇO

8h30 - Audiências 19h - Missa (Paróquia São José de Queluz)

8h - Gravações 9h30 - Audiências Reservado

8h - Simpósio “Igreja, sociedade e cultura" (Faculdade Católica) 18h - Missa na Basílica

8h30 - Audiências 10h - Atividades CNBB

n QUARTA, 21 DE MARÇO

n QUARTA, 21 DE MARÇO

Os compromissos de Dom Alberto Taveira podem sofrer alterações sem aviso prévio.

8h - Simpósio “Igreja, Sociedade e Cultura Faculdade Católica 14h - Rádio Nazaré: Programa Fé e Vida 15h30 - Audiência 16h30 - Gravação na TV Nazaré 19h30 - Missa com grupo do Neo Catecumenato Paróquia Jesus Bom Samaritano - Tapanã

8h30 - Gravações Radio Nazaré(Voz do Pastor) 15h - Gravação - Programa Comunidade Viva

n QUINTA, 22 DE MARÇO

8h30 - Audiências 17h - Missa com terço das “Mães que oram pelos filhos”

n QUINTA, 22 DE MARÇO

8h - Simpósio “Igreja, sociedade e cultura" Faculdade Católica 17h - Audiências 19h - Reunião com Pastoral AFRO

Os compromissos de Dom Irineu Roman podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Os compromissos de Dom Antônio de Assis podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Homilia Dominical Padre Romeu Ferreira romeufsilva@gmail.com

A) Texto: Jo 12,20-33

Formado em Exegese pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma

20havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa. 21 Aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galileia, e disseram: “Senhor, gostaríamos de ver Jesus”. 22Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus. 23Jesus respondeu-lhes: “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado. 24Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo;...25Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta

de sua vida neste mundo, conservá-la-á para a vida eterna. 26Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. 27Agora, sinto-me angustiado. E que direi? Pai, livra-me desta hora? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. 28Pai, glorifica o teu nome! Então, veio uma voz do céu: “Eu o glorifiquei e o glorificarei de novo! 29A multidão que ai estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão...30Jesus respondeu e disse: Essa voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, 32e eu, quando for elevado

da terra, atrairei todos a mim. 33Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer. . B) Comentário Aqui temos a atração de Jesus e intercessão dos que já o conhecem, estão com ele: os discípulos. Outras culturas buscam Jesus – ele é atração – e estão representadas na expressão: “alguns gregos”, que se manifestam dizendo: “gostaríamos de ver Jesus” (v 21). E o “ver” no caso, não é só contemplar com a vista e, sim, conhecer: “De onde me conheces? Pergunta Natanael. Antes que Felipe...eu te vi” (Jo 1,48). E é nesta busca de Jesus, e mediação dos discípulos, que o mestre fala de sua hora (v 23), se “auto in-

terroga” sobre ela (v 27), e responde mostrando a essência de sua missão: “foi precisamente para esta hora que eu vim” (v 27). Que hora é esta de Jesus (Jo 2,4; 7,30; 8,20; Jo 17,1)? Que angústia é esta (v 27) que padece um filho diante de seu pai? É como a angústia de Issac, o filho amado de Abraão: “Meu pai...onde está o cordeiro para o holocausto?” (Gn 22,7). Deus compadeceu-se de Abraão; Issac não foi imolado, houve um cordeiro em seu lugar (Gn 22,13). Porém, Deus não teve compaixão de si mesmo; nenhum cordeiro substituiu seu filho amado, Jesus; ele é o próprio “cordeiro de Deus” (Jo 1,36), “que tira o pecado do mundo”. Esta é a hora;

é a hora do sacrifício! Da entrega total de Jesus no patíbulo da cruz; entrega absoluta até a última gota: “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23,43). O que é entregue ao Pai, está seguro. E por isso veio a resposta paterna: “Eu o glorifiquei e o glorificarei de novo!” (v 28): A Ressurreição. Como é bom perceber e entender que a intercessão se dá na comunhão! Que nossa ação missionária leve as pessoas a Jesus, principalmente quando nos buscam para ver, para conhecêlo (v 21). Aí acontece a colaboração de um Felipe combinando com um André (v 22): Na humilde troca de experiência e melhor eficiência; na pastoral partilhada!

Liturgia da Semana w 16/03, SEXTA-FEIRA

Cor (roxo) Primeira Leitura (Sb 2,1a.12-22) Responsório (Sl 33) Evangelho (Jo 7,1-2.10.25-30)

w 17/03, SÁBADO

Cor (roxo) Primeira Leitura (Jr 11,18-20)

Responsório (Sl 7) Evangelho (Jo 7,40-53)

w 18/03, DOMINGO

Cor (roxo) Primeira Leitura (Jr 31,31-34) Responsório (Sl 50) Segunda Leitura (Hb 5,7-9) Evangelho (Jo 12,20-33)

w 19/03, SEGUNDA

Cor (branco) Primeira Leitura (2Sm 7,4-5a.12-14a.16) Responsório (Sl 88) Segunda Leitura (Rm 4,13.16-18.22) Evangelho (Mt 1,16.18-21.24a)

w 20/03, TERÇA-FEIRA

Cor (roxo) Primeira Leitura (Nm 21,4-9) Responsório (Sl 101,2-21) Evangelho (Jo 8,21-30)

w 21/03, QUARTA-FEIRA Cor (roxo) Primeira Leitura

(Dn 3,14-20.24.49a.91-92.95) Responsório (Dn 3,52-56) Evangelho (Jo 8,31-42)

w 22/03, QUINTA-FEIRA

Cor (roxo) Primeira Leitura (Gn 17,3-9) Responsório (Sl 104,4-9) Evangelho (Jo 8,51-59)


5

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Vaticano

C

om informações ACI Digital. O Papa assinalou, durante a Missa celebrada na Casa Santa Marta na manhã da segunda-feira, 12, que a fé não deve se sustentar apenas nos milagres, mas deve se fundamentar no desejo de Deus. O Papa refletiu sobre as palavras que Jesus dedica ao funcionário do rei que foi ao seu encontro na Galileia para pedir a cura do seu filho doente. “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais”. Francisco assinalou que parecia que Jesus estava perdendo a paciência com o fato de o prodígio ser a única coisa que contava para o povo. O Papa perguntou: “Onde está a fé? Ver um milagre, um prodígio e dizer: ‘Mas Tu tens a potência, Tu és Deus’, sim, é um ato de fé, mas pequenino assim. Porque é evidente que este homem tem um poder forte; mas

Papa Francisco pede aos cristãos uma fé que vá além dos milagres "A fé não deve se sustentar apenas nos milagres, mas no desejo de Deus" fotos: divulgação

w papa francisco durante a celebração na Casa Santa Marta

ali começa a fé, que depois deve ir avante. Onde está o seu desejo de Deus? Porque a fé é isto: ter o desejo de encontrar Deus,

encontrá-Lo, estar com Ele, ser feliz com Ele”. Para explicar o grande milagre que o Senhor realiza, o Pontífice men-

cionou a primeira leitura extraída do livro do profeta Isaías: “Eis que eu criarei novos céus e nova terra. Haverá alegria e

exultação sem fim em razão das coisas que eu vou criar”. Deste modo, “o Senhor atrai o nosso desejo para a alegria de estar com Ele”. “Quando o Senhor passa na nossa vida e faz um milagre em cada um de nós, e cada um de nós sabe o que o Senhor fez na sua vida, ali não termina tudo: este é o convite a ir avante, a continuar a caminhar, buscar a face de Deus, buscar esta alegria”. O milagre, portanto, é somente o início, e o Papa convidou a não parar. “Existem muitos cristãos parados, que não cami-

nham; cristãos atolados nas coisas de todos os dias, mas não crescem, permanecem pequenos. Cristãos estacionados: se estacionam. Cristãos enjaulados que não sabem voar com o sonho a esta bela coisa para a qual o Senhor nos chama”. O Papa convidou a perguntar-se: “Como é meu desejo? Busco o Senhor ou tenho medo, sou medíocre? (…) Qual é a medida do meu desejo? O Papa concluiu convidando a “proteger o próprio desejo: ir mais além, arriscar. O verdadeiro cristão arrisca, sai da segurança”.

“Para atender bem a confissão dos jovens, primeiro deve saber escutá-los” Com informações ACI Digital. O Papa Francisco deu algumas recomendações aos confessores e os encorajou especialmente a dar testemunho e saber ouvir as inquietudes dos jovens. Ao receber os participantes de um Curso do Foro Interno no Vaticano, reconheceu que os confessores jovens podem viver o Sacramento da Reconciliação “como jovens entre os jovens” graças à “proximidade em relação à idade que favorece o diálogo sacramental por uma afinidade natural na linguagem”. O Pontífice se dirigiu aos jovens confessores e falou sobre como ajudar quando ainda não têm muita experiência.

“Em primeiro lugar, é preciso redescobrir, como diz Santo Tomás de Aquino, a dimensão instrumental do ministério da Penitência”. “O sacerdote confessor não é fonte de Misericórdia, de graça, nem instrumento indispensável, mas apenas instrumento! Isto deve favorecer uma atenciosa vigilância sobre o risco de se tornar dono das consciências”. O Papa Francisco também sublinhou a capacidade de saber “ouvir as perguntas, antes de dar respostas”. “Dar respostas, sem se preocupar por ouvir as perguntas dos jovens” seria “uma atitude errada”. Portanto, o confessor

“é chamado a ser, sobretudo, um testemunho”. “Testemunho no sentido de ‘mártir’, chamado à compaixão dos pecados dos irmãos, como o Senhor Jesus; e depois dar testemunho da misericórdia divina”. VIA SACRA

w papa Francisco atende confissões na Praça de São Pedro em 2016

“deve ser homem da escuta: escuta humana do penitente e escuta divina do Espírito Santo”. “Todo jovem tem o direito de ouvir a voz de Deus, seja na sua consciência seja através da escuta da Palavra” e, “neste caminho, é im-

portante ter o acompanhamento sapiente do confessor, que se torna padre espiritual”. Sobre o discernimento vocacional, disse que “consiste, antes de tudo, em uma leitura dos sinais, que Deus colocou na vida do jovem, me-

diante as suas qualidades e inclinações pessoais, por meio de encontros e oração”. “A vocação é o contato direto, vital e imprescindível com o próprio Jesus”, destacou. Francisco também disse que um confessor

Foi divulgado pelo Vaticano quem será responsável pelas meditações da Via Sacra da próxima Sexta-feira Santa, 30 de março: 15 jovens e seu professor da escola. O Vaticano comunicou que o Papa Francisco deu esta tarefa ao professor Andrea Monda, que, por sua vez, coordenará 15 jovens estudantes para que escrevam as meditações.

Papa adverte contra atalhos que levam às drogas ou aos rituais de magia Com informações ACI Digital. Durante a oração do Ângelus no domingo, 11 de março, na Praça de São Pedro no Vaticano, o Papa Francisco advertiu contra os perigosos atalhos que levam a cair nas drogas, nas superstições ou nos rituais de magia. Ante isso, o Pontífice propôs deixar-se levar

D O

pelo amor de Deus e pela alegria cristã, que “exige fé e uma vida moral saudável”. Em suas palavras antes da oração do Ângelus, o Santo Padre refletiu sobre a alegria, destacando que aquele era o domingo da alegria. “A antífona no começo da liturgia eucarística nos

convida a alegria: ‘Alegra-te Jerusalém’”. “Qual é o motivo dessa alegria?”, perguntou o Papa. “É o grande amor de Deus pela humanidade, como nos indica o Evangelho de hoje: ‘Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê

eixar-se encontrar por Jesus é o segredo para manter viva a chama da vida espiritual. (13 de fevereiro) que seria de nós, se Deus não nos desse sempre uma oportunidade para recomeçar de novo? (11 de fevereiro)

não pereça, mas tenha a vida eterna’”. “De fato, Deus não está separado do homem, mas entra na história da humanidade, envolvese na nossa vida, entra, para animá-la com a sua graça e salvá-la”. Em suas palavras, o pontífice disse que “devemos estar atentos para escutar este anúncio, rejeitando a tentação de considerar-nos seguros de nós mesmos, de querer deixar de lado Deus, reivindicando uma absoluta liberdade d’Ele e da sua Palavra”. “É preciso ter coragem para reconhecernos por aquilo que somos, frágeis, limitados. E quando nos deparamos com nossos pecados e fraquezas, pode acontecer de sermos tomados pela angústia, pela in-

quietação pelo amanhã, pelo medo da doença e da morte”. Atalhos

Em seguida, o Papa indicou: “isto explica porque muitas pessoas, buscando uma saída, enveredam às vezes por perigosos atalhos, como por exemplo, o túnel da droga ou o das superstições ou de desastrosos rituais de magia”. “O cristianismo não oferece consolações fáceis, não é um atalho, mas requer fé e vida moral saudável, que rechace o mal, o egoísmo e a corrupção. Mas também nos dá a verdadeira e grande esperança de Deus Pai, rico em misericórdia, que nos deu o seu Filho, revelando-nos assim o seu imenso amor”. Afirmou também

que “a Cruz de Jesus é a maior manifestação do amor de Deus: um amor que vem do coração do Pai e que é acolhido e entregado com generosidade pelo coração do Filho”. “Trata-se de abrir o coração a estes dons, continuou, e durante o tempo da Quaresma, a nossa alegria sempre é acolher a misericórdia de Deus. Somente assim, podemos viver uma vida animada pela justiça e pela caridade, e daremos testemunho desse amor divino, que se oferece gratuitamente, sem limites”. Ao concluir, o Santo Padre invocou a proteção da Virgem Maria para que “coloque em nossos corações a certeza de que somos amados por Deus”.


6

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Igreja no Mundo

Argentina sedia congresso internacional País será sede do Congresso Internacional de Maria Auxiliadora

C

om informações da agência Gaudium Press. De 07 a 10 de novembro de 2019, a Argentina será a sede do Congresso Internacional de Maria Auxiliadora. O evento, coordenado pela Associação de Maria Auxiliadora (ADMA) a nível mundial. Em preparação para este evento, que se nutre do carisma salesiano e conta em cada versão com a participação de representantes da família fundada por São João Bosco presente nos cinco continentes, realizou-se recentemente na capital argentina um encontro com a equipe organizadora do Congresso internacional. Esta será a versão número 08 do Congresso Internacional de Maria Auxiliadora. O anúncio da Argentina como a sede do evento foi dado pelo Reitor

w imagem de Nossa Senhora Auxiliadora

Mor dos Salesianos no marco do 7º Congresso celebrado em Turim, em agosto de 2015, no contexto das celebrações pelo bicentenário

do nascimento de São João Bosco. Vários foram os motivos para escolher o país austral como sede do Congresso: foi na Ar-

gentina onde ocorreu a primeira expedição missionária salesiana, ali nasceu o Papa Francisco, e conta com a infraestrutura adequada e suficiente para abrigar a Família Salesiana que do mundo se reunirá no evento. Além da presença de dois santuários importantes: o de Nossa Senhora de Luján e o de Maria Auxiliadora de Almagro. Também será um ano especial com a celebração do 150º aniversário da fundação da ADMA. A Associação de Maria Auxiliadora foi fundada por São João Bosco um ano depois de ter terminado a Basílica de Maria Auxiliadora em Turim, com o objetivo de irradiar no mundo a devoção a Nossa Senhora sob esta invocação. A ela pertencem fiéis devotos que unem o amor a Jesus e a Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos.

Bangladesh celebra os 500 anos de evangelização do país Com informações da agência Gaudium Press. A Arquidiocese de Chittagong em Bangladesh viverá um ano jubilar considerado “Ano da Missão” como celebração dos 500 anos de evangelização do país. Os eventos de comemoração se desenvolverão em 11 Paróquias da Diocese, inclui uma jornada de oração, catequese e atos de caridade “para celebrar a Fé e levar o feliz anúncio a todos os que não conhecem a Cristo”. “Nossa Igreja foi abençoada com o serviço de 18 Bispos, centenas de homens e mulheres de 27 ordens religiosas e muitos leigos missionários e catequistas”, disse Dom Moses Costa, Arcebispo de Chittagong. As prioridades pastorais deste Ano da Missão são o catecismo e a confirmação da Fé, a educação e a cultura, o desenvolvimento organizacional, a sustentabilidade econômica, os serviços de saúde e a Evangelização. Como exemplo do compromis-

fotos: divulgação

w dom Moses Costa

so missionário atual, a Arquidiocese destacou o serviço do catequista Robi Christopher D’Costa, falecido em janeiro passado e que serviu durante 33 anos à evangelização e à catequese em Chittagong, tendo que viajar em diversas ocasiões à lugares muito isolados para cumprir este propósito. Chittagong foi o ponto de entrada da Fé para o país, por ser o porto onde chegaram os comerciantes cristãos de Portugal em 1517. O primeiro vicariato de Bengala Oriental foi criado em 1845 e a Diocese de Chittagong foi estabelecida em 1950, sendo elevada à Arquidiocese em 2017.

Igreja no Brasil

Caminhada Penitencial reúne milhares de fiéis na Bahia

C

om informações agência Gaudium Press. A Caminhada Penitencial reuniu moradores das regiões de Cajazeiras e demais localidades baianas no domingo, 4 de março. Com velas nas mãos, os fiéis realizaram um percurso de oito quilômetros, partindo da Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, com destino à Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim. Ao longo do trajeto, os fiéis tomaram conta das ruas da Cidade Baixa. A iniciativa é organiza-

da pela Arquidiocese de Salvador. Pela manhã, o Arcebispo e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, iniciou a Missa em frente à Basílica Nossa Senhora da Conceição da Praia, declarando que “a Caminhada Penitencial, que já é uma rica tradição de nossa Arquidiocese, tem o sentindo de nos lembrar que nós somos peregrinos nessa terra. Caminhamos para a Jerusalém celeste”. Após a cerimônia, ocorreu, de fato, a Caminhada Penitencial. Ao mesmo tempo que os fiéis saíam em procissão

w evento reuniu moradores das diversas regiões e demais localidades

da Conceição da Praia, na Matriz da Paróquia

Nossa Senhora dos Mares, o bispo auxiliar, Dom

Gilson Andrade da Silva, presidia a Missa para o

público que se encontrava no Largo dos Mares. Segundo Dom Gilson, “a Caminhada Penitencial é um dos momentos fortes de expressão da nossa Igreja aqui em Salvador, e no tempo da Quaresma tem um significado: primeiro, realmente, da necessidade de nos despojarmos, do sacrifício, para estarmos mais dispostos a ouvirmos a Palavra de Deus. Por outro lado, também é um testemunho de fé diante da cidade e também uma oportunidade para as pessoas pensarem que é preciso caminhar para a Páscoa”.

No Piauí “Caravana das Mulheres” celebra o Ano Nacional do Laicato

w parte dos participantes da peregrinação ao Santuário Santa Cruz

Com informações agência Gaudium Press. Entre os dias 3 e 4 de março, o Santuário Santa Cruz dos Milagres, no Piauí, acolheu a terceira edição da “Caravana das Mulheres”. O momento de fortalecimento da fé através da oração é uma iniciativa que integra o calendário Arquidiocesano no Ano Nacional do Laicato. A respeito do encontro, o Padre Fábio Fernandes afirmou que “peregrinar está no sangue do povo de Deus, desde os tem-

pos remotos até os nossos dias”. “Peregrinar não é só viajar, tirar férias, passear com o povo da Igreja. Peregrinar tem um sentido maior: é levar algo ou acolher algo. Deus quer que o povo d’Ele peregrine e tem um plano para realizar na vida daqueles que são escolhidos para isso”, explicou. Para ele peregrinar também é um chamado de Deus. “Eu sempre falo aos grupos: não pensem que vocês vieram aqui porque planejaram; ou porque

estavam de férias. Também foi por isso. Mas, o motivo principal foi porque Deus escolheu cada um para estar aqui. Com isso, eu quero dizer que eu, você e todos nós somos peregrinos, não importa se é indo à Terra Santa, aos santuários da Europa, Lourdes, Fátima ou ao Santuário de Santa Cruz dos Milagres. O importante é sabermos que Deus nos convida". Sinta-se convidado por Ele para ser peregrino!”.


7

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Igreja

Juventude na Campanha da Fraternidade 2018

divulgação

Cartilha apresenta quatro encontros temáticos

O

s dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública indicam que 81,2% das pessoas assassinadas no Brasil em 2016 tinham entre 12 e 29 anos. Esse retrato da violência contra a juventude brasileira é objeto de reflexão da Campanha da Fraternidade 2018, q u e p ro p õ e o t e m a “Fraternidade e Superação da violência”.

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, por meio de uma de suas equipes de trabalho, contribuiu para a construção do caderno “Jovens na CF”, o qual apresenta quatro encontros com temáticas ligadas à vida da juventude: Estrutura política e social de desigualdade; Um novo olhar para os

rostos vitimados; Mídias sociais promovendo a fraternidade; A vida em plenitude. O padre explica que a Comissão tem feito o trabalho de ouvir os jovens e acompanhá-los no seu processo de formação integral, no amadurecimento da fé e na elabo-

ração do projeto de vida. “Ela sabe que investir e acompanhar os jovens provavelmente terá uma sociedade mais justa e fraterna”, considera. Para a Comissão, a cultura de paz só é possível quando o ser humano reconhece que a outra pessoa tem direi-

tos que precisam ser respeitados. E todo jovem traz dentro de si o dom da paz, pois é dado por Deus no ato da criação. Aos adultos é feito o convite a alimentar e desenvolver o “dom preciso” presente no coração de cada jovem. “Os jovens têm o desejo

de viver a vida em plenitude. São abertos ao novo. Buscam modelos a ser seguido. Sonham com a civilização do amor. Para que tudo isso se realize a sociedade precisa fazer a sua parte”, conta padre Antônio, que tem feito contato direto com os jovens nas assessorias e articulações da Pastoral Juvenil. A equipe que preparou o caderno Jovens na CF é um dos grupos de trabalho na estrutura da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB. Ela é composta por dez jovens que representam expressões juvenis da Igreja no Brasil, como Congregações, Pastorais da Juventude, Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades.

Mundo juvenil e a fé cristã Dom Antônio de Assis Ribeiro - Bispo Auxiliar de Belém (domantoniodeassis@arqbelem.org)

A questão do acompanhamento espiritual dos jovens (parte 1) Introdução

Iniciamos com este artigo introdutório, mais uma série de reflexões, desta vez direcionada não somente à juventude, mas também a todos aqueles que tem a missão de acompanhar (espiritualmente) adolescentes e jovens. Esse tema ganha hoje, na Igreja, uma séria notoriedade por causa do Sínodo dos Bispos que vai acontecer em outubro deste ano em Roma, tendo como tema “Juventude, fé e discernimento vocacional”. A questão do acompanhamento é ampla e complexa. O acompanhamento é um compromisso que faz parte de todo processo educativo. Não há educação onde não acontece o acompanhamento educativo e pedagógico. Todos nós sabemos muito bem, que quando numa família, os pais não acompanham os filhos ou na escola, esse serviço é negligenciado pelos educadores, a formação humana e moral os filhos ficam prejudicadas. O acompanhamento faz parte também do processo de educação à fé e da fé. “Educação à fé” como processo de apresentação da pessoa de Jesus Cristo e “educação dá fé” enquanto aprofundamento da opção por Jesus Cristo e o Reino de Deus. A fé mal acompanhada e mal-educada promove o proselitismo, o fundamentalismo, o intimismo e a intolerância. São desvios religiosos que conflitam com a dignidade humana! Não há catequese, ou seja, crescimento e aprofundamento da fé, onde não coexiste o devido acompanhamento. A experiência religiosa é algo

que se transmite, de preferência pelo testemunho da prática da fé cotidiana (levar os filhos à igreja, orações em família, etc.). Por isso, constatamos que onde há famílias sem sensibilidade religiosa, aí também, em geral, os filhos crescem sem fé e moralmente insensíveis. O Sínodo sobre os Jovens

O documento de estudo do Sínodo dos Bispos sobre os jovens coloca em direta relação o discernimento vocacional relacionado à necessidade da experiência do acompanhamento espiritual dos jovens. Apesar da experiência do acompanhamento ser mais ampla, de fato, o processo de discernimento vocacional exige essa experiência. A descoberta da vontade de Deus é fruto de uma busca. Há hoje, na cultura contemporânea, muitas vozes que deixam profundas marcas na consciência dos jovens e isso constitui um verdadeiro e forte ruído que, muitas vezes, atrapalha a escuta da vontade de Deus. Por isso discernir, como experiência de confronto, é importante. Certamente não haveria, hoje, tantas pessoas vocacionalmente frustradas, arrastando a vida como carga pesada, se houvesse na família, na escola e na Igreja, de modo mais evidente e forte, a cultura do acompanhamento vocacional. Acompanhamento, direção e orientação espiritual

Nestas reflexões queremos aprofundar, semanalmente, o significado do acompanha-

mento espiritual. O verbo “acompanhar” vem do latim “cum+panis” (cum=com; panis=pão); é daí que vem a composição da palavra “companheiro(a)”. Companheiro é aquele com quem se reparte o “pão”. O verbo acompanhar nos remete à experiência de proximidade, solidariedade, amizade, afeto, confiança, sintonia de sentimentos, liberdade de estar com alguém e compartilhar o que temos, pensamos e sentimos. Repartimos “as coisas” por solidariedade com quem precisa, mas as riquezas do nosso íntimo só as partilhamos com aqueles(as) nos quais nós confiamos e entramos em sintonia. Dessa forma, o “acompanhamento” de alguém é, desde a sua mais remota origem, uma experiência exigente, que requer condições básicas, atitudes de compromisso e respeito, tempo, envolvimento de sujeitos afinados (fome!) e “pão” para ser compartilhado e saboreado juntos! “O acompanhamento espiritual acontece quando uma pessoa ajuda a outra a crescer na fé, e a ser ela mesma, instrumento na realização da vontade de Deus. Deve ser livremente aceito e de longa duração. Trata-se de uma ajuda. O termo acompanhamento é melhor expresso, do que o antigo termo “direção espiritual”. O essencial é que o acompanhante espiritual não decida (nesse caso, tornar­se-ia “diretor”), antes deixe o acompanhado livre para decidir por si mesmo”(IET VAN BREEMEN. O acompanhamento espiritual, hoje. In: Revista de Espiritualidade Ina-

ciana 65, setembro de 2006, Ano 16, pag. 42). É preferível o termo “acompanhamento”, em vez de “direção”. O termo acompanhamento coloca em evidência um dinamismo antropológico (aquilo que é natural do ser pessoa) muito mais expressivo, rico de conteúdo e de condições, pois requer: presença constante, liberdade, afeto, caminho, processo, conteúdo compartilhado, cumplicidade, etc. Por outro lado, o termo “direção” é estático, nos fala simplesmente de rumo, direção. Talvez o verbo “dirigir” não seja o mais indicado, pois não evidencia com clareza a dimensão subjetiva do “dirigido” e nem o dinamismo do caminho. Na verdade, por respeito à dignidade humana, ninguém dirige ninguém! Deus nos fez para a liberdade, nos dotando da capacidade de discernimento e escolha. Os outros simplesmente nos ajudam, favorecem, contribuem (cf. Eclesiástico 15,14-20). Somos orientados! Cada um deve, a partir daquilo que escuta e aprofunda, tomar a sua decisão pessoal. Quem só se deixa “dirigir” negando o dever do crescimento no exercício da autonomia, da liberdade e da responsabilidade com suas escolhas, se infantiliza. Orientação no acompanhamento espiritual

A orientação espiritual é o aspecto pedagógico do processo do acompanhamento. A palavra “orientação” nos fala de indicação, proposta, sugestão, pistas. Dentro da experiência do acompanhamento deve

acontecer a orientação. Mas cada sujeito continua na sua liberdade! Há uma profunda diferença entre “ser dirigido” e “ser orientado”. O carro nós dirigimos, os animais nós direcionamos, mas as pessoas as motivamos! Sem orientação o acompanhamento fica sem conteúdo! Mas sempre é preciso ser livre! De nada serve aos pais ou educadores acompanharem, no sentido de estar com seus filhos e alunos, de fazerem um caminho com eles, se depois não são capazes de orientá-los, de apontar o rumo certo da vida! Orientar pressupõe reflexão, confronto, indicação de pistas, balizas, indicação de direção... A orientação requer recursos disponíveis (razão, vontade, confiança) à disposição de quem deve seguir um caminho, uma direção, uma meta. A acolhida de orientações requer a liberdade e o discernimento do sujeito orientado. Quem acompanha deve, portanto, orientar! O lugar da orientação espiritual, ordinariamente, acontece dentro de um processo de acompanhamento porque exige diálogo, liberdade, conhecimento da sensibilidade de quem está sendo acompanhado. É um processo dinâmico de interação e confronto! REFLEXÃO: Por que o discernimento vocacional exige acompanhamento? Qual é a diferença entre “direção espiritual” e “orientação espiritual”? É possível o acompanhamento espiritual sem contar com a liberdade do sujeito orientado?

1 2 3


8

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Nazaré Repórter

rádio nazaré

J Recordando

fm

z mh 3 . 91

fotos: divulgação

Chiara Lubich

A praça Chiara Lubich será lugar da Santa Missa com a qual o Movimento dos Focolares no Pará celebrará domingo, 18, às 10h, a memória de sua fundadora, que partiu para a pátria celeste no dia 14 de março de 2008, na Itália. A comunidade focolarina convida a todos para a celebração. A praça fica na Estrada da Providência, em Ananindeua, local mais conhecido como o “complexo” do conjunto Cidade Nova 8. Participe desse momento de fé e esperança.

J Trilha da Juventude A Comunidade Católica Doce Mãe de Deus realizará no dia 14 de abril a “Jovenitrilha” na estrada do Furo da Marinhas, na Baía do Sol, em Mosqueiro. O objetivo é levar a juventude a realizar uma trilha diferente com música, oração, animação e muito mais. Interessados devem ter a idade mínima de 14 anos e podem inscreverse na secretaria da Paróquia Santa Paula Frassinetti, na Cidade Nova 6, WE 72, em Ananindeua. O valor da inscrição inclui lanche e traslado dos participantes. Vagas limitadas.

l Doença renal será tema na Rádio Nazaré FM

J Retiro Reencontrar A Comunidade Católica Maíra realizará de 13 a 15 de abril o retiro “Reencontrar”, cujo tema “Em tudo somos mais que vencedores graças Àquele que nos amou” (Rm 8, 37). A Casa de Retiro Preciosinas, localizada na rua dois de junho, 1802, em Ananindeua, acolhe os participantes que podem inscreverse na sede da comunidade Maíra, à travessa 14 de Março, 1182, no Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3266-8624.

J Semana Santa A Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe ultima os preparativos para a encenação da Paixão de Cristo. Integrantes do grupo jovem (JOG) intensificam ensaios, assim como a limpeza da área externa onde acontecerá a peça teatral. A paróquia lembra à comunidade que os ensaios continuam e ainda há vagas para interessados em participar da peça teatral. Contatos com a coordenação no número (91) 3245-7440.

O programa “Saúde e cidadania” apresenta nesta segunda-feira, 19, o tema "Problemas renais - Sintomas, causas e tratamento". A Nefrologista do Hospital de Clínicas Gaspar Viana, Salomé Soares, vai falar

sobre o assunto. Sintonize 91,3MHz a partir das 16h. Lembrando que o ouvinte pode interagir durante a programação ligando para a central de atendimento, através do 4006-9211. Participe!

Rádio Nazaré FM - 91,3. A serviço da vida. nossa missão é evangelizar!

rede nazaré de televisão

al can

30

J Encontro de Jovens com Jesus O grupo Encontro de Jovens com Jesus (EJC) da Paróquia de Nazaré promoverá nos dias 16, 17 e 18 deste mês, na Creche Sorena, uma programação especialmente para a juventude da Arquidiocese de Belém, com momentos

de louvor, Adoração ao Santíssimo, pregação da Palavra, espiritualidade e muita animação! Convide os amigos e participe desse encontro especial com Deus. Endreço: Avenida Generalíssimo Deodoro, 2130.

l Cine ‘nostalgia’ na TV Nazaré

J Feijoada de Páscoa A Matriz da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua, realizará dia 1 de abril a Feijoada de Páscoa, a partir das 11h, no Salão Paroquial, para contribuir com a reforma do

J Escola da Fé A Matriz da Paróquia São Francisco de Assis (Capuchinhos), localizada na Travessa Castelo Branco, 1541, bairro de São Bráz em Belém, está realizando toda segunda-

Acompanhe pela TV Nazaré, canal 30 – ou na sintonia de sua cidade – a transmissão do programa Cine Nostalgia, que exibe semanalmente clássicos

salão paroquial. Haverá música ao vivo. Para adquirir o cartão dirija-se até a secretaria da paróquia. Valor individual do cartão de R$10,00. A igreja fica na praça Raimundo Vera Cruz, 262.

feira a partir das 19h30, a Escola da Fé, com temas sobre a doutrina da igreja. Inscrições na secretaria da paróquia. Mais informações, ligue para o número (91) 3073-1500.

J Visita de imagem A Sociedade de São Vicente de Paulo, localizada na rua Diogo Moia, 455, bairro do Umarizal, receberá a imagem relíquia do fundador, o Bem Aventurado Antônio Frederico Ozanam. A imagem ficará em peregrinação entre as unidades de 7 a 21 de abril.

portal nazaré

do cinema. Nesta semana, serão exibidas três curtas metragens do filme ‘O Gordo e o Magro’, no sábado (17), às 20h30. E no domingo, 18, às 15h. w. ww re. aza on m.br a c co da fun

l Tríduo de São José: reze com o Portal Grupo de Oração O grupo de oração Nossa Senhora do Calvário reúne-se toda segunda-feira a partir das 19h, para meditar os mistérios da vida de Jesus por meio da Intercessão da Virgem Santíssima, através da oração do terço, pregação e orações. Os encontros são realizados na avenida Alcindo Cacela com Bernardo Sayão (ao lado da Matriz de São Judas Tadeu), no bairro da Condor, em Belém. Participe! Mais informações, ligue (91) 98156-1222.

Grupo de Jovens O grupo de Jovens “Anjos”, pertencente à comunidade Cristo Alegria, convida a todos os jovens a participarem dos encontros que se realizam todos os sábados, às

18h, na Igreja de Santo Expedito, localizada na avenida Júlio César, 3000, dentro ddas dependências do Comando Geral do Corpo de Bombeiros, em Belém.

Em preparação à Solenidade do glorioso São José, Esposo da Virgem Maria e Patrono Universal da Igreja Católica, o Portal Nazaré quer rezar com você um tríduo, que são três dias de oração suplicando a graça e a bondade de Deus através da intercessão desse santo

tão querido. Os textos com as orações serão postados nos dias 16, 17 e 18 de março, sempre ao meio-dia. Acesse fundacaonazare.com.br ou acompanhe os posts através das nossas redes sociais: facebook.com/ FNCBelem e twitter.com/ FundacaoNazare e deixe seus pedidos de oração.


9

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Igreja

O

Papa Francisco estabeleceu que a assembleia especial do Sínodo dos Bispos para a Pan-amazônia, programada para outubro de 2019, terá como tema: “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral”. Além do tema foram divulgados os nomes dos membros do Conselho pré-sinodal, nomeados pelo Pontífice, que irá colaborar com a Secretaria Geral na preparação dessa assembleia. Entre eles, cinco brasileiros foram nomeados: o Cardeal Cláudio Hummes, Arcebispo emérito de São Paulo e presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), o Arcebispo de Porto Velho (RO), Dom Roque Paloschi,

O Papa Francisco define o tema do Sínodo dos Bispos em 2019 "Amazônia: novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral” fotos: divulgaçã0

o bispo de Juína (MT), dom Neri José Tondello, o prelado emérito do Xingu (PA), Dom Erwin Krautler, e a assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Amazônia, irmã Maria Irene Lopes, que terá o papel de representar a Confederação Latino-Americana e Caribenha de Religiosos e Religiosas (CLAR) no Conselho. A irmã Maria Irene recebeu a notícia de sua nomeação com alegria:

“Eu quero ser a voz de todas as pessoas da Amazônia e principalmente das mulheres”. Segundo ela, o Sínodo quer dar voz a todas as pessoas que estão nas bases (quilombolas, indígenas, ribeirinhos, etc) e nas cidades que integram a Amazônia Legal, bioma que abrange 60% do território brasileiro. “Nós seremos porta vozes destas pessoas no Conselho pré-sinodal”, concluiu.

Mater ecclesiae

Pe. Wiremberg Miranda (wiremberg.miranda@gmail.com)

P

Viver com Santa Maria a Quaresma

rezados leitores, ainda nessa vivência quaresmal que nos conduzirá à Semana Santa e ao Sacro Tríduo Pascal para, em seguida, vivermos com intensidade a Páscoa do Senhor, nos apresenta o Lecionário para as missas de Nossa Senhora para o tempo em uso que vivemos, dizendo: “que no tempo da quaresma, os fiéis ouvindo mais abundantemente a Palavra de Deus, entregando-se à oração, fazendo penitência, cultivando a memória do Batismo e seguindo o Cristo pelo caminho da Cruz, preparam-se de maneira conveniente à celebração da Páscoa. Nesta “caminhada quaresmal”, a sagrada liturgia apresenta aos fiéis a bem-aventurada Virgem como modelo de discípulo que ouve com fidelidade a Palavra de Deus e segue firmemente os passos de Cristo rumo “ao lugar do Calvário”, para morrer com ele (2Tm 2, 11). Terminada

da Paixão de Cristo. Tal culto iniciou-se no ano de 1221 no Mosteiro de Schönau, na então Germânia, hoje, Alemanha. A festa de Nossa Senhora das Dores como hoje a conhecemos, celebrada em 15 de setembro, teve início em Florença, na Itália, no ano de 1239 através da Ordem dos Servos de Maria, uma ordem profundamente mariana.

a quaresma, no Tríduo Pascal, é apresentada aos fiéis como nova Eva ou “nova mulher” que, permanecendo junto à árvore da vida (Jo 19, 25), se associou a Cristo, “o novo Homem”, e também como mãe espiritual, a cujos cuidados maternos o Senhor confiou todos os discípulos (Jo 19, 26). Para isto temos uma coletânea de cinco missas, correspondentes exatamente aos cinco sábados da Quaresma, a saber: Santa Maria, discípula do Senhor. Bem-aventurada Virgem Maria junto à cruz do Senhor (I). Bem-aventurada Virgem Maria junto à cruz do Senhor (II). Recomendação da Bem-aventurada Virgem Maria.

1 2 3 4

5

Bem-aventurada Virgem Maria, mãe da reconciliação. Para vermos com clareza que a Igreja celebra em sua liturgia em to-

As sete dores de Nossa Senhora

dos os tempos e épocas a Virgem Maria inserida no mistério de Cristo e de sua Igreja celebrante e celebrada. Outro dado importante nos aproximando da Semana Santa, onde no Sacro Tríduo Pascal celebramos a Bem-aventurada Virgem Mãe das Dores, indica-se:

Nossa Senhora das Dores ou Mater Dolorosa (Mãe Dolorosa) é um dos vários títulos que a Virgem Maria recebeu ao longo da História. Este título, em particular, refere-se às sete dores que Nossa Senhora sofreu ao longo de sua vida terrestre, principalmente nos momentos

1 2 3 4 5 6

A profecia de Simeão sobre Jesus (Lucas, 2, 34-35) A fuga da Sagrada Família para o Egito (Mateus, 2, 13-21); O desaparecimento do Menino Jesus durante três dias (Lucas, 2, 41-51); O encontro de Maria e Jesus a caminho do Calvário (Lucas, 23, 27-31); O sofrimento e morte de Jesus na Cruz (João, 19, 25-27); Maria recebe o corpo do filho tirado da Cruz (Mateus, 27, 55-61);

7

O sepultamento do corpo do filho no Santo Sepulcro (Lucas, 23, 55-56).

Nossa Senhora das Dores é representada com um semblante de dor e sofrimento, tendo sete espadas ferindo seu Imaculado coração. Às vezes, uma só espada transpassa seu coração, simbolizando todas as dores que ela sofreu. Ela é também representada com uma expressão sofrida diante da Cruz, contemplando o filho morto. Foi daí que se originou o hino medieval chamado StabatMater Dolorosa (Estava a Mãe Dolorosa). Ela ainda é representada segurando Jesus morto nos braços, depois de seu corpo ser descido da Cruz, dando assim origem à famosa escultura chamada Pietà. Rogamos, estimados leitores, que possa a Virgem e Mãe do Senhor nos suster nesta caminhada quaresmal rumo à Páscoa eterna do Filho, onde seremos nele uma única realidade. FELIZ PÁSCOA!

Cursilho de Cristandade

Pe. Antônio Mattiuz, csj (antoniomattiuz@gmail.com)

Q

uando ainda era bispo de Buenos Aires, o Papa Francisco disse aos leigos: “Prefiro uma Igreja ferida, enlameada, suja por ter saído pelas ruas, a uma Igreja mofada e doente por ter ficado no templo”. A Igreja existe para evangelizar e fazer acontecer a salvação de Deus. Fi c a r re t i r a d o n a

“Prefiro uma Igreja ferida...” Igreja rezando e meditando é cômodo, mas Cristo nos enviou a sair e evangelizar. Ir à Igreja rezar é necessário para conservar e fazer crescer a fé, mas não basta. Rezar pelos pecadores é ótimo, mas depois vá procura-los, anunciar-

lhes a vontade de Deus e peça que se convertam em vida. Quanto menos se pratica a religião, tanto pior fica o mundo, e tanto mais as pessoas sofrem. A pessoa de fé não é perfeita e nem é um anjo. Mas ela é muito melhor do que um indi-

ferente. Se você deseja um m u n d o m e l h o r, u m mundo onde reinam a honestidade, a bondade, o amor, sem violência, leve-o a Jesus Cristo. Quem trabalha, algumas vezes pode errar, mas quem nada faz, erra sempre. Mil vezes me-

lhor é errar alguma vez por ter saído a evangelizar do que errar sempre por não fazer nada. As palavras do Papa Francisco são luzes para todos nós. Vamos sair, anunciar, evangelizar os ambientes, os bares, as feiras, os condomínios. Vamos buscar os afasta-

dos e desviados. Jesus instruiu e treinou 72 discípulos a irem anunciar Evangelho para a conversão. Hoje o Cursilho tem a Escola Vivencial, os Núcleos e as Ultréyas. Frequenta-os e te tornarás muito mais ativo, eficiente e competente. Nós somos a Igreja de Jesus. Cristo quer que a sua Igreja seja missionária. Nada de vergonha!


10

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Santa Missa Horários de Missas nas paróquias da Arquidiocese de Belém Região Episcopal Sant’Ana Nossa Senhora da Graça (Catedral) Cidade Velha - Belém Sábado: 19h, Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 2121-3723/ 2121-3724 N. Sra. das Mercês (Reitoria) Comércio - Belém Sábado: 12h e 17h, Domingo: 12h e 17h Sant'Ana da Campina Comércio - Belém Sábado: 12h (Igreja Matriz) Domingo: 7h (Col. D. Bosco) 9h (Igreja Matriz) Telefone: 3230-3734 São Judas Tadeu Condor - Belém Sábado: 19h. Domingo: 7h, 9h e 19h Telefone: 3115-6020 Santa Teresinha do Menino Jesus Jurunas - Belém Sábado: 6h e 18h30 Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3272-2251 Santo Antônio de Lisboa Batista Campos - Belém Sábado: 6h30, 12h, 17h e 18h30 Domingo: 8h, 11h, 17h, 18h30 e 20h Telefone: 3215-7004/ 3222-0097 Santíssima Trindade Campina - Belém Sábado: 16h,Domingo: 7h, 10h, 11h30, 17h30 e 19h Telefone: 3215-7007/ 3242-4917 Nossa Senhora da Conceição Cidade Velha - Belém Sábado: 18h30, Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3215-7006 São José Umarizal - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 11h e 19h Telefone: 3230-1633 Santa Luzia Jurunas - Belém De terça a sexta-feira: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 7h; 9h; 18h30 Telefone: 3271-2146 Nossa Senhora de Lourdes Nazaré - Belém Seg a Sáb: 6h30 e 18h Domingo: 7h, 9h, 17h30 e 19h30 Telefone: 3223-5728 Nossa Senhora do Carmo Cidade Velha Sábado: 18h - Domingo: 7h Região Episcopal Santa Maria Goretti Santa Maria de Belém Terra Firme - Belém Terça: 19h Sábado: 19h - Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3253-5422 São Pedro e São Paulo Guamá - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3283-6021/3259-0413 São José de Queluz Canudos - Belém Segunda a sábado: 6h30 e 19h Domingo: 7h, 10h, 17h e 19h Telefone: 3226-2612 São Domingos de Gusmão Terra Firme - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 19h30 Telefone: 3253-2656/3274-4746 São Miguel Arcanjo Cremação - Belém Sábado: 18h30 Domingo: 7h30, 11h e 18h30 Telefone: 3283-6022 Nossa Senhora de Fátima Fátima - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 6h45, 8h30, 17h30 e 19h30 Telefone: 3266-1392/3226-0503 Santa Maria Goretti Guamá - Belém Domingo: 9h30 e 18h Telefone: 3283-6023 Nossa Senhora de Nazaré (Basílica Santuário)

Nazaré - Belém Sábado: 7h, 8h30,12h,17h Domingo: 6h30, 8h, 10h, 16h30, 18h e 20h Telefone: 4009-8400 São Francisco de Assis (Capuchinhos) São Brás - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 6h, 7h30, 9h30,18h, 20h Telefone: 3073-1500 Santo Antônio do Tucunduba Guamá - Belém Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30 Telefone: 3274 -9001 Região Episcopal Santa Cruz Imaculada Conceição Castanheira - Belém Sábado: 17h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3277-4642/98111-8110 São Sebastião Sacramenta - Belém Sábado e domingo: 7h, 17h e 19h Telefone: 3264-9060/3254-7354

São Francisco de Assis Tapanã - Belém Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3258-8036 Nossa Senhora de Fátima Icoaraci - Belém Terça, quinta e sexta: 18h30 Sábado: 19h - Domingo: 19h Telefone: 3297-7251 Jesus Bom Samaritano Tapanã - Belém Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 3033-2004 São Francisco das Ilhas Cotijuba - Belém Terça e quinta: 19h30 Sábado: 19h30 Domingo: 7h e 19h30 Telefone: 3247-1438 Nossa Senhora da Imaculada Conceição Outeiro - Belém Terça e quinta: 19h; Sábado: 9h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3267-1174

Jesus Ressuscitado Marambaia - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h, 10h e 18h Telefone: 3277-4643

Nossa Senhora do Livramento Icoraci - Belém Terça, quinta, sexta e sábado:19h Domingo: 7h e18h Telefone: 3288-4250

São Geraldo Magela Val de Cans - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h30, 10h30 e 18h Telefone: 3257-7950

Divina Misericórdia Águas Negras - Icoaraci Terça a sexta: 18h30 Sábado: 17h e 19h30 (comunidade) Domingo: 7h e 19h 30

N. Sra do Perpétuo Socorro Segunda a sábado: missa - 19h Domingo: missa: 7h, 8h30, 17h30 e 19 h - Telefone: 3233 1797

Santo Afonso de Ligório Pratinha - Belém Sábado: 19h Domingo: 8h30 e19h Telefone: 3258-1554/3274-8281

São Jorge Marambaia - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 17h e19h Telefone: 3277-4641 São Raimundo Nonato Umarizal - Belém Sábado: 6h30 e 18h Domingo: 6h30, 8h30 e 18h Telefone: 3277-4644

São Francisco de Assis Campina - Icoaraci Domingo: 7h, 9h e 18h30 De terça-feira a sexta-feira: 19h Telefone: 3297-0765 Região Episcopal Coração eucarístico de jesus

Santa Cruz Marco - Belém Sábado: 7h e 18h30 Domingo: 7h, 9h, 11h30 e 18h30 Telefone: 3277-4640/3276-0941

Coração Eucarístico de Jesus Catalina - Belém Sábado: 18h Domingo: 7h, 10h e 18h Telefone: (91) 3285-1433

Nossa Senhora da Conceição Aparecida Pedreira - Belém Terça a Sábado: 18h Dom.: 7h, 9h e 18h/1ª Sexta-mês: 9h Telefone: 3233-4224/3276-9573

Santa Edwiges Mangueirão - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h30 e18h Telefone: 3279-1654

São Francisco Xavier Marco - Belém Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3352-8845 N. Senhora, Mãe da Divina Providência Val de Cans - Belém Sábado:19h - Domingo: 7h e 19h Telefone: 3257-2388 Sagrada Família Curió Utinga - Belém. Sábado: 7h e 19h30 Domingo: 7h, 9h e 19h30 São João Paulo II Souza - Belém De terça a sábado: 18h Domingos: 8h e 18h Telefone: 3277-4062 Nossa Senhora de Loreto Marco - Belém Telefone: (91) 3355-6302 Sábado: 17h Domingo: 7h, 9h, 11h, 17h e 19h São Benedito Rua São Benedito, Barreiro Terça a sexta-feira - 19h Sábado - 8h (missa com crianças) Domingos - 7h30 e 18h30 Região Episcopal São João Batista São João Batista e Nossa Senhora das Graças Icoaraci - Belém Terça a sexta: 6h30 Sábado: 6h30, 17h, 20h Domingo: 7h e 18h Telefone: 3297-7250

N. Senhora Rainha da Paz Bengui - Belém Domingo: 7h, 9h e 18h30 Telefone: 3277-4645 Nossa Senhora do Bom Remédio Conjunto Satélite - Belém Sábado: 17h30 Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3289-5355/3248-1136 Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo Conjunto Sideral - Belém Domingo: 7h, 9h e18h Telefone: 3067-2017 Santa Luzia do Bom Futuro Cabanagem - Belém Sábado: 17h - Domingo: 7h e 19h Santa Teresinha do Menino Jesus Tenoné - Belém Domingo: 7h e 18h Telefone: 3289-5368 Nossa Senhora de Lourdes Coqueiro - Ananindeua Sábado: 17h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3275-2391 Santo Antônio de Pádua Coqueiro - Ananindeua Sábado: 19h. Domingo: 7h e 18h Telefone: 98152-2200 Arcanjo São Miguel Una - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h30. 9h30 e 19h Telefone: 3234-4674 Região Episcopal Menino Deus

N. Senhora Auxiliadora Anita Gerosa (Aurá) - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefones: 3255-3828 N. Senhora das Vitórias Almir Gabriel - Marituba Sábado: 19h Domingo: 7h, 19h Telefone: 3256-7655 Sagrado Coração de Jesus Júlia Seffer - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h30, 9h e18h Telefone: 3265-5413 Sagrado Coração de Jesus Distrito Industrial - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h, 8h30 e 17h30 Telefone: (91) 98855 - 2232 REGIÃO EPISCOPAL MENINO DEUS Paróquia Nossa Senhora do Carmo Benevides Sábado - 19h Domingo - 8h e 19h Telefone: (91) 3724-1098 Menino Deus Centro - Marituba Domingo: 6h, 8h30 e 18h Telefone: 3237-8351 N. Sra. de Nazaré Quarta - feira Horário de Missa: às 19h Domingos: às 8h30 Telefone: 98040-5117 /98102 - 7344 N. Sra. das Graças Centro - Ananindeua Sábado: 19h Domingo: 7h e 19h Telefone: 3255-2654 N. Sra. do Ó Vila - Mosqueiro Sábado: 19h30 Domingo: 6h30, 9h30 e 19h30 Telefone: (91) 3771-1278 São Pio X Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30 e 19h30 Telefone: 32155-2583 Santa Rosa de Lima Independente - Benevides Terça a Sexta:18h, Sábado:17h, 19h Domingo: 07h30 e 19h Telefone: (91)3724- 1135 Bom Pastor Nova Marituba - Marituba Segunda a Sexta: 18h Sábado: 6h, 9h30 e 19h Domingo: 6h, 9h30 e 19h Telefone: 4106-0202 N. Sra da Conceição Praça Matriz - Benfica Domingo: 6h15 e 19h30 Telefone: 3450-8147 N. Sra da Conceição Carananduba - Mosqueiro Ter a Sex: 18h30 Sábado: 18h30 - Domingo: 7h e 19h Telefone: 3772-1183

Domingo: 9h e 11h Telefone: 98292-9199 Santíssimo Sacramento Nova União - Marituba Sábado: 18h30 (Capela N. Sra. do Perpétuo Socorro) Domingo: 18h30 (Capela S. Francisco de Assis) Região Episcopal São Vicente de Paulo Cristo Rei Guanabara - Ananindeua Domingo: 7h, 9h30 e 19h Telefone: 3235-1405 Divino Espírito Santo Cidade Nova - Ananindeua Sábado: 7h. Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3263-0603 Santo Inácio de Loyola Icui Guajará - Ananindeua Domingo: 7h e18h Telefone: 991541971 São Lucas Evangelista Guajará - Ananindeua Sábado: 19h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3279-2621 Santa Maria Mãe de Deus Maguari - Ananindeua Terça, quarta, sexta e sábado: 7h Quinta: 19h; Domingo: 7h e 19h Fone: (91) 3255-5284 Santa Teresinha Águas Lindas - Ananindeua Domingo: 7h30 e 18h Telefone: 9916-4548/99169-3443 N. Senhora de Guadalupe Coqueiro - Ananindeua Terça a sexta: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 7h ,9h e18h Telefone: 3245-7440 Cristo Peregrino Jaderlândia - Ananindeua De Segunda a Sábado: 19h Domingo: 7h,17h e19h Telefone: 3237-9891 Santa Paula Frassinetti Cidade Nova VI - Ananindeua Segunda e quarta: 18h30 Terça e quinta: 19h30 Sexta: 7h. Sábado: 19h Domingo: 7h, 9h, 18h Telefone: 3279-2620 Transfiguração do Senhor Curuçambá - Ananindeua Sábado: 18h30 e 20h Domingo: 7h e 18h30 Telefone: 3286-8570 Santa Rita de Cássia Cidade Nova V - Ananindeua. Sábado: 6h30 e 17h30 Domingo: 6h30, 8h30, 7h30 e 19h30. Telefone: 3273-3191/ 3273-3310 Paróquia Santíssimo Redentor Icuí-Guajará - Ananindeua Sábado: 19h30 - Igreja Matriz Domingo: 7h - Igreja Matriz 9h - Comunidade Santo Afonso 17h - Igreja Matriz 19h - Comunidade Cristo Rei

Santa Bárbara Centro - Santa Bárbara Domingo: 7h30 e 19h Telefone: 3776-1529

São Vicente de Paulo Paar - Ananindeua Domingo: 7h, 8h30 e 19h

São Marcos Uriboca - Marituba Terça: 19h. Domingo: 7h e 19h Telefone: 3237-8351

São José Operário Conj. Carnaúba, Icuí - Ananindeua Domingo: 7h e 18h Telefone: 3295-3545/3031-1172

Pedro Pescador Baía do Sol - Mosqueiro Ter a sexta: 19h (Igreja S. Sebastião) Quarta: Matriz - 19h Sábado:19h (Igreja São Sebastião) Domingo: 8h (Ig. S. Sebastião); 10 h 3 0 ( I g . D i v. E s p . S a n t o ) ; 19h ( Matriz) Telefone: 99919-4153

Nossa Senhora do Amparo Cidade Nova 8 - Ananindeua Terça a Sexta: 19h30 Sábado: 19h30 Domingo: 7h, 9h e 18h Telefone: 3287-2418

Área Missionária São Paulo, Apóstolo Rodovia BR-316

Santo André Apóstolo Coqueiro - Ananindeua Segunda a sexta - 19h Sábado: 19h45 - Domingo: 8h 19h Telefone: (91) 3235-1658

Não encontrou o horário da sua paróquia aqui? Entre em contato com seu pároco ou com a secretaria da sua paróquia e solicite que nos informem para podermos publicar.


11

belém, De 16 a 22 de março de 2018

D

irecionado ao público universitário, o programa “Universo Acadêmico”, estreou na programação da Rádio Nazaré, 91, 3 MHZ, no domingo, dia 11, às 14h. O programa tem a missão de evangelizar especialmente universitários, professores e funcionários das instituições de ensino superior e, também, passar alegria aos ouvintes. Com duas horas de duração, sob os cuidados da Pastoral Universitária (PU) o programa foi apresentado por padre Idamor da Mota, professor Ricardino Lassadier, e pelos estudantes Ana Cleide (Comunidade Shalom), Alfredo Júnior, Wellington Damasceno e Mayda Alethea, coordenadora da Pastoral Universitária (PU). O programa dispõe de cinco quadros, sendo eles “Entre a fé e a razão” (entrevista); “Testemunhas do Amor” (vivência da fé no ambiente universitário); “Sábios da fé”, conduzido pelo professor Ricardino Lassadier, que trata sobre os santos e per-

Família Nazaré “Universo Acadêmico”, novo programa da Rádio Nazaré Com duas horas de duração e sob os cuidados da Pastoral Universitária fotos: divulgação

cessão de Nossa Senhora de Nazaré”. Segundo o diretor de comunicação, da Fundação Nazaré de Comunicação, Mário Jorge Alves, o programa é reflexo do desejo da juventude universitária e dará visibilidade às ações da comunidade acadêmica. Para ele, o grande objetivo é atingir o jovem universitário e fortalecer a espiritualidade.

Serviço

w programa que tem a missão de evangelizar conta com representações de movimentos juvenis

sonalidades que marcaram a história da Igreja; “Universitários perguntam” e a “Agenda Uni-

versitária”. O programa conta ainda com muita música e participação dos ouvintes.

Segundo Mayda Alethea, o programa é fruto do desejo da juventude; para ela, o momento é

de graça: “Unimos forças e estamos todos aqui para servir a Deus e a sua Igreja com a inter-

O programa “ U n i v e r s o Acadêmico”, vai ao ar pela Rádio Nazaré, 90,3 MHZ, aos domingos das 14h às 16h, com uma programação dinâmica, com música e quadros variados.

Testemunho de Fé

E

m 2015, um exame detectou um nódulo em meu seio, aos 14 anos. Diariamente eu sofria com inchaço e muitas dores, não conseguia dormir direito. Sempre freqüentei a igreja, junto com a minha família. Certo dia, uma amiga me chamou para ir junto com ela para a romaria da juventude, durante a quadra nazarena. Nesse dia, eu

estava com muita dor, mas mesmo assim fui. Acompanhei todo o trajeto até que, em certo momento, a berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré passou por mim. Eu pedi a ela, com muita fé, que me curasse e eu não precisasse realizar a cirurgia para retirada do nódulo, pois corria risco, era bem delicado. Fiz a promessa de que todos os anos eu acompanharia a romaria da juventude até o final. Dois dias depois, fui para a consulta antes da cirurgia. O médico me examinou e disse que não havia mais nenhum

nódulo e que eu estava curada. Não precisei fazer mais cirurgia e os médicos não sabiam explicar. Todos diziam ser um milagre. Eu acredito que seja Deus. E Nossa Senhora que ouviu minhas preces e intercedeu por mim. Hoje, aos 16 anos, estou bem. E acompanho a romaria da juventude, sempre agradecendo a Deus pela minha saúde. Juliana Ferreira de Souza, 16 anos, estudante

Parabéns para você!

G

ostaria de agradecer por mais um ano de vida que Deus me permitiu viver. Agradecer por ter uma família linda, um trabalho digno e saúde para continuar seguindo em frente. Peço que o Espírito Santo converta meu coração e que a mãe de Nazaré continue me abençoando com as graças que sempre alcanço. Amém! Hilda Heloísa Silva Nascimento, 43 anos, do lar 19/03 16/03 Amélio Marques Paixão Carlos Magno Lobato da Costa Casal Alison Batista Cohen Silva e Ana Carolina Ferreira Cohen

Cilma Freitas da Costa Maria Creuza Dias da Silva Maria do Socorro Ribeiro da Silva Maria Madalena Faro Reis Maria Nazaré Damasceno de Araújo Paulo Roberto Queiroz da Costa 17/03 Almir Oliveira Freitas Célia Valente Calandrine de Azevedo Deuzalina Dias Lameira Doralice Begot Valente Eliene Bezerra Leal Jacira Tavares Feio Maria Ivaneide Barbosa Santos Padre Luis Mosconi Patrícia Teixeira de Oliveira 18/03 Ademirson Dias de Oliveira Maria José Batalha Cardoso Santana Raimunda Acine Garcia Lopes de Souza Regina Pereira Damasceno Sebastião Assunção Favacho 19/03 Maria José da Costa Silva Casal José Rodrigues Brito e Maria de Lourdes Hilda Heloisa Silva Nascimento Idaliana Marinho de Azevedo José Antônio de Paula Guimarães José Costa Aleixo Maria das Graças Bastos de Castro Maria de Lourdes Souza de Almeida Maria José Fonseca Santos Maria José Nogueira 20/03 Cláudia de Oliveira Brandão Darcy Dias da Silva

Elitelma da Silva Portal Maria José da Silva Linhares Maria José Fonseca Koury 21/03 Albenize Gatto Cerqueira Casal Paulo Roberto Almeida e Cláudia Peixoto Almeida Doralice Batista da Costa Francisco de Assis Reis Miranda Henrique Guerreiro Diniz Alvarenga José Bento Marruaz da Silva Maelza Chaves Pinheiro Maria Célia Rabelo Maria José Gonçalves Silva w

Maricel Cândida Martins Rubenval Freitas Costa Júnior Sílvia Sabrina de Castro de Macedo Sônia Maria Saraiva Pereira Terezinha Dias Garcês 22/03 Guiomarina Rocha Sales Lucidéia Oliveira Maia Luiz Gonçalves dos Santos Maria das Graças Lima Cordeiro Maria Georgina Mesquita de Freitas Maria Marcilene Batista dos Reis Nelcy Maria Machado Pereira Walquíria de Nazaré Corrêa de Souza

Aniversário natalício de padres e diáconos diocesanos 16/03 - Diác. Antônio de Souza Martins 17/03 - Diác. Raimundo Israel Tavares Martins 17/03 - Pe. Adalberto do Espírito Santo Brandão 18/03 - Diác. Ademirson Dias de Oliveira 20/03 - Diác. Miguel Jorge de Amorim Pinto 20/03 - Diác. Robert Taylor Miranda Lima 21/03 - Diác. José Bento Marruaz da Silva 21/03 - Côn. Roberto Emílio Cavalli Júnior

w

Aniversário de ordenação dos padres e diáconos diocesanos 19/03 - Pe. José Maria da Silva Ribeiro 19/03 - Pe. Andréas Albertus Cornelis Heijligers

Ajude a manter a Fundação Nazaré de Comunicação. Ligue para 4006-9200 e seja sócio da Família Nazaré.


12

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Arquidiocese

fotos: divulgação

w companhia tem como foco a evagelização por meio da arte

wprogramação contará com apresentação de danças

Comunidade Católica Missão Louvai celebra 20 anos com show artístico Evento terá participação de alguns ministérios de dança pertencentes às paróquias da Arquidiocese

E

vangelizar por meio da arte sempre foi o principal foco da “Companhia de artes louvai” que pertence a Comunidade Católica Missão Louvai, localizada na Cidade Nova VI, na Travessa WE 81, em Ananindeua. No dia 7 de Abril a companhia vai comemorar os 20 anos de fundação e evangelização com um show para a juventude arquidiocesana, às 19h, no Teatro Waldemar Henrique, em Belém. A Comunidade Católica Missão Louvai foi fundada no dia 7 de Fevereiro de 1997, por Almir Santos, que participava de um grupo de oração que se reunia na Comunidade Santa Luiza, da Paróquia São Lucas, no Conjunto Guajará. O encontro dos diversos jovens originou a comunidade, que atualmente leva a dança, assim como a música, como objetos de carisma e alegria sempre presente no grupo. Dentro da comunidade surgiu também o grupo de dança ‘Companhia Louvai Artes’, coordenada por Emanuel Victor,

que está na liderança há oito anos. “Sempre fui do ministério de dança desde o meu ingresso e nesse período vejo a importância nas manifestações artísticas em nossa Igreja, e o quanto precisamos dessas manifestações para trazer jovens, crianças, adultos para um contato mais próximo com Jesus, pois foi assim o meu chamado para servir a igreja entregando o meu dom para Ele”, explica. Ao longo dos anos de fundação a comunidade realizou inúmeros shows de evangelização em paróquias e comunidades, bem como a realização de grandes eventos, buscando expressar o carisma da alegria e do louvor, fruto da amizade com Cristo por meio da arte. O objetivo de realizar apresentações é reconhecer as diversas formas de expressões que possam atuar como instrumentos de evangelização com jovens, assim como motiválos a fundarem grupos em suas comunidades e paróquias. O grupo

w Louvai 20: evento comemorativo celebra duas décadas de fundação

atua também no campo de formação, tendo sempre a arte como elemento de evangelização. Os encontros são realizados todas as quartas feiras às 19h30. E uma vez ao mês a celebração da Santa Missa na comunidade. Show Louvai 20 anos

O evento Louvai 20 anos é um evento co-

eu indico

N

Marcos Vinícius Farias,

22 anos, jornalista

o livro ‘Grandeza de coração’, o autor Rafael llano Cifuentes aborda que se queremos ter um ideal que valha a pena, temos de pôr os olhos em Cristo, escutar o seu coração e deixar que passem para o nosso as suas pulsações de magnanimidade e generosidade, de santa indignação, de fome e sede de justiça, de um ilimitado espírito de conquista. É um livro que as pessoas vão gostar.

memorativo da comunidade que está celebrando duas décadas de fundação. Atualmente a ‘Companhia de dança Louvai’ é composta por sete membros. “Somos jovens nos quais desenvolvemos o nosso trabalho de evangelização, utilizando a dança como forma de expressar a beleza de Deus, assim como transmitir o nosso carisma que é Alegria do

BOA DICA

Louvor”, ressalta Emanuel Victor. O evento terá participações especiais de alguns ministérios de dança pertencentes às paróquias da Arquidiocese, destacando o grupo Agnus Dei da Paróquia Cristo Rei; Ritmo e Louvor, da Paróquia São Pedro e São Paulo; Getsêmani, da Paróquia Mãe da Divina Providência e Unidos por Jesus, da Pa-

róquia Rainha da Paz. A programação do dia do evento será apenas com apresentações de dança. Serão em torno de 15 apresentações nas diversas modalidades, tais como balé, contemporâneo, axé e hip hop. Os integrantes do grupo estão ensaiando há quatro meses para este show. Emanuel Victor convida a todos os jovens e ministérios a participarem deste momento de alegria e louvor a Deus. “O motivo de convidálos para estarem conosco é pelo fato de que eles também fazem parte de nossa historia. Passamos a conhecê-los quando participamos de eventos da igreja. Com isso passamos estreitar laços de amizade, respeito e admiração, pois são ministérios que comungam também do nosso mesmo propósito.”, finaliza.

livros e cd's

DEUS É JOVEM - Livro (Paulus, R$ 29,90)

T

estemunhando um Deus não só Pai – e Mãe, como já havia revelado João Paulo I – mas Filho, e por isso Irmão, a mensagem de libertação do Papa Francisco atravessa o presente e desenha o futuro, para renovar verdadeiramente

a nossa sociedade. Com palavras memoráveis, o pontífice reivindica para as jovens gerações a centralidade, e os indica como protagonistas da história, retirando-os das margens nas quais durante muito tempo foram relegados.

FAMÍLIA, A LEGRIA DO AMOR - DVD (Paulinas, R$ 31,90)

O

DVD é fundamentado na Exortação Apostólica Amoris Laetitia, do Papa Francisco. De forma dinâmica, usando a história ficcional de uma família, clipes musicais, entrevistas de especialistas e depoimentos de famílias de diferentes realidades,

o DVD inspira sacerdotes, missionários e agentes das diversas pastorais da Igreja a olhar com amor todas as famílias. O DVD está dividido em seis blocos, para facilitar o uso em palestras, cursos de noivos, encontros de jovens e casais.

Serviço Show Louvai 20 Anos Ingresso R$ 10,00 R$5,00. (meia) informações: 99964-5714.


aderno Dois C2º

1

belém, De 16 a 22 de março de 2018

w Dom Antônio: missa de abertura, com os cônegos Cláudio e Beltrão

U

ma convocação do Santo Padre e que há cinco anos tornou-se tradição no mundo todo, a ‘Vigília 24 horas para o Senhor’ é uma iniciativa que busca convidar os fiéis para a celebração do Sacramento da Reconciliação em contexto de Adoração Eucarística. Com o tema “Em ti se encontra o perdão” (Sl 130,4), cada diocese e arquidiocese no mundo realizou sua programação, este ano destacada para acontecer dias 9 e 10, de sexta-feira para sábado. Em Belém, a Arquidiocese concentrou o evento na Igreja de Nossa Senhora das Mercês, no centro comercial da capital, que já é local de adoração perpétua ao Senhor Sa-

fotos: luiz estumano

w momento de oração e adoração durante a programação nas Mercês

Vigília das 24 horas para o Senhor, em Belém

Em Belém a Arquidiocese concentrou a programação na Igreja das Mercês cramentado. A iniciativa de um dia inteiro de Vigília nasceu em Roma há cinco anos, mas logo se tornou mundial, unindo espiritualmente ao Santo Padre as Igrejas espalhadas nos cinco continentes, oferecendo a todos a possibilidade de fazer experiência pessoal da infinita misericórdia de Deus. O pedido do Santo Padre

é de que ao menos uma igreja fique aberta durante as 24h. A Igreja das Mercês, presente na área comercial da capital com grande concentração de pessoas, é o referencial da presença de Deus, pois, desde quando Dom Alberto Taveira, Arcebispo Metropolitano, tornou-a reitoria deu a o encargo de espaço para adoração perpétua. Dessa forma,

w dom alberto presidiu a celebração eucarística de encerramento

a Igreja torna-se propícia para colocar-se diante da grandeza de Deus na vida dos fiéis. Para Dom Alberto a ideia do Papa é muito bonita e ressalta o valor da oração diante de Jesus Sacramentado. “Foi um dia inteiro para adorar a Deus e depois pedir o perdão no Sacramento da Penitência em preparação à Semana Santa e à Páscoa. Tenho

a certeza de que os grandes frutos acontecem no coração das pessoas, na certeza de que a obra de Deus acontece no coração de cada pessoa”. Para o Cônego Antônio Beltrão, Reitor da Igreja das Mercês, o evento é de grande importância litúrgica, por estar dentro do tempo quaresmal, visando a Páscoa do Senhor: “Para nós católicos que temos

a Eucaristia como um grande dom, a Eucaristia e Reconciliação são dois sacramentos que se unem e estão interligados. Na Vigília, ao adorar a Eucaristia, ao celebrarmos a Eucaristia no período quaresmal, sobretudo, é conveniente que haja essa atitude de confessar-se como forma de buscar a reconciliação concretamente com Deus e consigo mesmo”.

w programação contou com a participaçao de muitos fiéis

Adoração, oração e confissão O evento teve início com celebração eucarística, às 17h, presidida por Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém. Dom Antônio avaliou que a Vigília é uma profunda experiência de preparação para a Páscoa do Senhor: “A Páscoa do Senhor inicia-se em nós quando nos abrimos para receber a graça de Deus que quer atuar em nós. Significa também reconciliação de nós mesmos conosco e com Deus”. O bispo auxiliar diz ainda que “tantas vezes brigamos com nós mesmos não nos aceitando, guardando mágoa, pensamentos ruins,

articulando o mal dentro de nós. Quando começamos esse processo de aproximação da Páscoa, nós temos que entrar em reconciliação conosco mesmos e, naturalmente, assim nos abrimos para a graça de Deus, para a fraternidade universal, para o perdão e para a plena beleza da graça de Deus para nós. O objetivo é indicar um caminho para a Páscoa. Sem essa reconciliação conosco, com os outros e com Deus, não há a verdadeira celebração da Páscoa”. Após a abertura da Vigília, a todo momento pessoas adentravam para adorar e também,

w reconciliação: Cônego Cláudio atendendo confissões nas Mercês

procuravam o Sacramento da Reconciliação. Para Sebastiana Bastos, leiga consagrada, estar diante do Santíssimo é estar no céu: “Passar essas 24 horas ao lado do Senhor é maravilhoso,

momento de se prostrar para vivenciá-Lo e agradecer por todas as maravilhas. O dia de hoje até amanhã representa a entrega, pedindo perdão pelas nossas falhas, nossas indiferenças, tudo com

o intuito de renovarnos de tudo que nos impede de estar verdadeiramente ao lado do Senhor proclamando-o. A Vigília vem nos libertar disso tudo que nos prende nesta sociedade tão injusta”.

Já para Marco Antônio, da Fraternidade O Caminho, estar diante de Jesus Sacramentado foi uma ótima oportunidade de preparação à Semana Santa: “Para bem vivermos a Páscoa do Senhor é necessário que tenhamos um coração aberto. Com a abertura de nossos corações, será possível amar o próximo. Com essa Vigília, temos a preparação necessária antes da Páscoa em que buscamos um coração fervoroso capaz de amar não somente aqueles ao nosso lado, mas, principalmente, aos mais distantes, os mais necessitados”.


2

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Igreja

2º Caderno Miscelânea

Côn. Cláudio Barradas (claudiobarradaspe@gmail.com)

A

pós duas digressões, - a da edição retrasada, para uma avaliação comparativa da imprensa de Belém da minha adolescência e a da atualidade, em minha ótica em detrimento desta, e a da passada, para um breve histórico de meu inusitado encontro com o temido jornalista Paulo Maranhão, cuja pena brilhante ó que espada afiadíssima – volto hoje à síntese cronológica, a partir de seu início no séc. XVIII, do culto à Senhora de Nazaré em nossa, apesar dos pesares, gostosa Belém, cidade eminentemente mariana. Paramos, se bem me lembro, em 1855, ano da terrível epidemia de cólera-morbo, doença infecciosa aguda, contagiosa, segundo nos informa o Novo Dicionário Aurélio à pag. 430, que, ao se manifestar sob forma epidêmica, como então em Belém, caracteriza-se por diarréia abundante, prostração e cãibras, infelizmente fatal, se não for

A propósito do Círio (20) bem tratada e a tempo. Antes de ir em frente, uma breve, mas fervorosa oração, inspirada na Ladainha de Todos os Santos: “A colera-morbo libera nos, Domine.” Traduzindo: Livra–nos, Senhor, do cólera-morbo. Agora, sim, podemos reiniciar nossa viagem ao passado nazareno. Ainda em 1855: surge a primeira berlinda, em substituição à sege que, como já vimos aqui, era um coche, ou seja, uma carruagem fechada, de duas rodas, varais, um só assento, com a frente fechada por cortinas ou vidraças, puxada por dois cavalos. Como chovera bastante e o trajeto, porque de terra batida, estava enlameado, ao passar pelo Ver-o-Peso, a berlinda atolou. Para desatolá-la recorreu-se a uma corda providencial, trazida de uma das inúmeras embarcações como até nossos dias lá atracadas. Mí-

divulgação

w a quinta Berlinda, obra de João Pinto

zar Bonna, pesquisadora das boas, informa-nos (“Dois Séculos de Fé”, pág. 36”) textualmente: “o povo gostou da ideia

e nos anos seguintes já trazia uma corda na Berlinda para qualquer eventualidade.” Aqui, uma observação:

não foi nesse ano, 1855, como equivocadamente há quem insista em afirmar, que a corda foi oficializada, mas, sim, em 1885, portanto, 30 anos depois. Quanto à Berlinda, pelo que me consta, embora essa palavra nos tenha vindo do Francês, “berline”, o veículo assim chamado era próprio da cidade de Berlim, na Alemanha, daí seu nome Berlinda. Foi o que li, não há muito, não lembro onde. Quem entende do assunto sabe que há vários tipos e formatos de berlinda, alguns dos quais cheguei a ver no Dicionário Enciclopédico Ilustrado Veja Larousse, editado pela Abril. Como por ora só nos interessa o que no Círio transporta a imagem da Virgem de Nazaré, fiquemos com ele. Não havendo esse paraense, ainda que não católico, que não saiba

detalhadamente como ela é, por não se cansar de vê-la, ano após ano, em outubro, o mês mais querido e mais esperado por quem é de nossa Igreja, abstenho-me de descrevê-la, limitandome a alguns informes. A atual é a quinta, pela contagem, correta, de Mízar. Confeccionada em 1964, em outubro desse mesmo ano centralizava as atenções tanto na Trasladação quanto no Círio, emocionando a todos. Eu fui um deles. Seu autor foi o grande escultor João Pinto. Tive oportunidade de vê-lo trabalhandoa com mãos de mestre, em sua modesta oficina, no Umarizal. Foi toda esculpida em cedro vermelho, ao depois dourado, em estilo barroco. Por hoje, c’est fini, como dizem os franceses, que meu espaço acabou. O mais fica para a semana vindoura, se até lá eu ainda estiver vivo. Fazendo minha a saudação costumeira de Jesus, Shalom!

Santos da semana Diác. Benedito Otávio (artpresent@superig.com.br)

16/03 - Sexta-feira Santo Abraão Kidunaia - Sacerdote Eremita

20/03 - Terça-feira São Martinho de Braga - Bispo

Nascido na Mesopotâmia, atual Síria, em 296, era filho de pais religiosos cristãos. Quando, porém, queriam lhe dar um destino matrimonial ele recusava e dizia que seu coração clamava para entregar-se a Cristo. Foi, então, forçado a casar-se, mas ele fugiu e só foi encontrado 17 dias depois em uma cela que construira em uma caverna no deserto próximo de Edessa, ficando lá por 10 anos. Mas também foi missionário em Kidunaia, que rendeulhe o nome. Ajudou também uma sobrinha, Maria, a encontrar o caminho da fé, mais tarde canonizada como Maria de Edessa. Tudo isso quem nos relata é Santo Efrém.

Nasceu em 520 em Pannoni, perto do Danúbio (atualmente pertencente à Hungria). Bispo e evangelista, converteu o Rei dos Visigodos na Espanha. Transferiu-se para a Península Ibérica, depois de ter sido monge durante algum tempo na Terra Santa. Foi Bispo de Braga (Portugal) e da Galícia metropolitana. Era muito grande sua erudição e deixou escritos de grande valor. Faleceu em Dúmio, em 580. Seu túmulo logo tornou-se local de peregrinação e vários milagres são creditados a sua intercessão. 21/03 - Quarta-feira São Serapião de Thmuis - Bispo

17/03 - Sábado São Patrício - Bispo Nascido na costa oeste da Grã-Bretanha, século IV. Foi escravo na Irlanda, mas depois escapou e retornou à sua família. Iniciou então sua vida religiosa pregando o Evangelho. Converteu centenas de pessoas, muitas das quais se tornaram monges. Para explicar a Santíssima Trindade, ele utilizava o trevo de três folhas e por isso tem papel importante na cultura Irlandesa. Foi incentivador do Sacramento da Confissão particular, visto que então era realizado de forma comunitária. Uma das lendas, ou história real, mais conhecida é a de ter expulsado da Irlanda as serpentes que infestavam a ilha. 18/03 - 5º domingo da Quaresma São Cirilo de Jerusalém - Bispo e Doutor da Igreja Patriarca de Jerusalém, sofreu perseguições dos hereges durante seu bispado, sendo três vezes desterrado e passando, no total, 16 anos no exílio. Sua canonização demorou muito porque, durante muito tempo, seu pensamento teológico foi considerado “vacilante”, como consta nos registros. Finalmente em 1882, o Papa Leão XIII, na solenidade em que instituiu sua veneração, honrou São Cirilo de Jerusalém, com os títulos de doutor da Igreja e príncipe dos catequistas católicos.

19/03 - Segunda-feira Beato André Gallerani - Leigo e fundador De uma nobre família de Siena, Itália, século XIII. Sua vida é marcada por um assassinato e uma condenação ao exílio. Porém, não foi esclarecida, até então, sua culpa ou inocência neste crime. Mas é conhecido que, ao voltar do exílio, resolve praticar a caridade sem o ingresso ou ajuda de qualquer ordem religiosa. Fundou então o Hospital da Misericórdia com sua fortuna, e conseguiu muitos seguidores. Foram chamados de “Frades, ou Irmãos da Misericórdia”. Sua religiosidade assemelhava -se a dos franciscanos e dominicanos.

Nasceu no Egito, norte da África. Cursou a escola de Alexandria e tornou-se monge sob os ensinamentos de Santo Antão. Profundo conhecedor das questões eclesiásticas, tornou-se um dos maiores combatentes dos hereges no séc. IV, principalmente o maniqueísmo, que afirma ser a matéria má e o espírito bom, ambas sendo forças opostas, de encontro com a superioridade do bem que professamos. Foi consagrado Bispo de Thmuis, norte do Egito. Foi deposto pelo Imperador Constâncio II em 356. Morreu em 362. 22/03 - Quinta-feira Santa Leia - Viúva e Religiosa Também conhecida como Lea, foi uma nobre romana do século IV. Ficou viúva ainda jovem, porém, não quis um novo casamento. E como era o costume da época para as viúvas que não casavam de novo, foi viver numa cela pequena, com simplicidade e dedicada à oração, à caridade e à penitência. São Jerônimo narra que, na entrega total ao Senhor, ela encontrou a maneira de alcançar seu lugar ao lado de Deus na eternidade.


3

belém, De 16 a 22 de março de 2018

2º Caderno

Arquidiocese

Arquidiocese de Belém realiza mutirão de confissões no período quaresmal E

ntre as atividades nas paróquias da Arquidiocese de Belém durante o período quaresmal, iniciado na Quarta-feira de Cinzas, está o mutirão de confissões. Abaixo, uma lista com a programação diocesana. Confira e aproveite a Quaresma como tempo litúrgico de conversão e penitência.

Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Cidade Velha) - A partir das 19h

CONFISSÕES NAS REGIÕES EPISCOPAIS

TERÇA-FEIRA – 20/03 Paróquia São Geraldo Magela - A partir das 18h Paróquia São Raimundo Nonato - A partir das 15h Paróquia Santa Maria de Belém - A partir das 19h Paróquia Santa Bárbara - A partir das 19h Paróquia Santa Edwiges - A partir das 19h

REGIÃO EPISCOPAL SÃO JOÃO BATISTA Paróquia Nossa Senhora do Livramento 16/03 - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Icoaraci) 21/03 - A partir das 19h Paróquia São Francisco de Assis (Icoaraci)22/03– A partir das 19h Paróquia São João Batista e Nossa Senhora Das Graças 23/03 - A partir das 17h REGIÃO EPISCOPAL SANTA CRUZ Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro 20/03 - A partir das 19h Paróquia da Santa Cruz 16/03 – A partir das 19h Paróquia São Benedito 16/03 – A partir das 19h Paróquia São Geraldo Magela 20/03 - A partir das 18h Paróquia São Raimundo Nonato 20/03 - A partir das 15h Paróquia Jesus Ressuscitado 21/03- A partir das 19h Paróquia São João Paulo II -22/03- A partir das 19h Paróquia São Jorge 23/03- A partir das 19h Paróquia São Sebastião 26/03 – A partir das 15h Paróquia São Francisco Xavier 27e 28/03- A partir das 19h Capela de Nossa Senhora do Loreto 28/03 – 15h Às 19h Paróquia Nossa Senhora do Loreto 28/03 - A partir das 19h REGIÃO EPISCOPAL SANTA MARIA GORETTI Paróquia São Pedro e São Paulo 16/03 - A partir das 19h Paróquia Santa Maria de Belém 20/03 - A partir das 19h Paróquia São Francisco de Assis (Capuchinhos) 21/03 - A partir das 19h Paróquia Santa Maria Goretti – 22/03 - A partir das 19h Paróquia São Miguel Arcanjo 23/03 - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora de Fátima 26/03 - A partir das 19h Paróquia São José de Queluz 27/03 - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora de Nazaré do Desterro (Basílica Santuário) 28/03 - A partir das 17h REGIÃO EPISCOPAL SÃO VICENTE DE PAULO Paróquia Santa Rita de Cássia 16/03- A partir das 18h Paróquia Santíssimo Redentor 16/03 - A partir das 18h Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (Águas Lindas) 21/03 - A partir das 18h Paróquia Mistério da Transfiguração do Senhor 21/03 - A partir das 18h Paróquia Nossa Senhora do Amparo 23/03- A partir das 18h Paróquia Cristo Peregrino 23/03- A partir das 18h Paróquia São José Operário 23/03 - A partir 18h Paróquia São Lucas Evangelista 26/03- A partir das 18h Paróquia Cristo Rei 26/03- A partir das 18h Paróquia Santo Inácio De Loyola 26/03- A partir das 18h Paróquia São Vicente De Paulo 28/03 - A partir das 18h Paróquia Santo André Apóstolo 28/03 - A partir das 18h REGIÃO EPISCOPAL SANT’ANA Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Cidade Velha) 16/03- A partir das 19h Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (Jurunas) 19/03 - A partir das 19h REGIÃO EPISCOPAL MENINO DEUS Paróquia Santa Bárbara 20/03 - A partir das 19h Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Júlia Seffer ) 21/03- A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora das Graças - Ananindeua 22/03- A partir 16h CORAÇÃO EUCARÍSTICO DE JESUS Paróquia Santa Edwiges 20/03- A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz 21/03 - A partir das 19h PROGRAMAÇÃO POR DIA SEXTA-FEIRA – 16/03 Paróquia Nossa Senhora do Livramento - A partir das 19h Paróquia da Santa Cruz – A partir das 19h Paróquia São Benedito – A partir das 19h Paróquia São Pedro e São Paulo- A partir das 19h Paróquia Santa Rita de Cássia - A partir das 18h Paróquia Santíssimo Redentor - A partir das 18h

SEGUNDA-FEIRA – 19/03 Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (Jurunas) - A partir das 19h

QUARTA-FEIRA – 21/03 Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Icoaraci) - A partir das 19h Paróquia Jesus Ressuscitado - A partir das 19h Paróquia São Francisco de Assis (Capuchinhos) - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz - A partir das 19h Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (Águas Lindas) - A partir das 18h Paróquia Mistério da Transfiguração do Senhor - A partir das 18h Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Júlia Seffer ) - A partir das 19h QUINTA-FEIRA – 22/03 Paróquia São Francisco de Assis (Icoaraci)2– A partir das 19h Paróquia São João Paulo II - A partir das 19h Paróquia Santa Maria Goretti - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora das Graças – Ananindeua - A partir 16h SEXTA-FEIRA – 23/03 Paróquia São José Operário 23/03 Paróquia São João Batista e Nossa Senhora Das Graças - A partir das 17h Paróquia São Miguel Arcanjo - A partir das 19h Paróquia São Jorge - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora do Amparo - A partir das 18h Paróquia Cristo Peregrino - A partir das 18h Paróquia São José Operário - A partir 18h SEGUNDA-FEIRA - 26/03 Catedral Metropolitana -16h às 19h Paróquia Nossa Senhora de Fátima - A partir das 19h Paróquia São Lucas Evangelista - A partir das 18h Paróquia Cristo Rei - A partir das 18h Paróquia Santo Inácio De Loyola - A partir das 18h TERÇA-FEIRA – 27/03 Catedral Metropolitana -16h às 19h Paróquia São Francisco Xavier - A partir das 19h Paróquia São José de Queluz - A partir das 19h QUARTA-FEIRA - 28/03 Paróquia São Francisco Xavier - A partir das 19h Capela de Nossa Senhora do Loreto – 15h Às 19h Paróquia Nossa Senhora do Loreto - A partir das 19h Paróquia Nossa Senhora de Nazaré do Desterro (Basílica Santuário) - A partir das 17h Paróquia São Vicente De Paulo - A partir das 18h Paróquia Santo André Apóstolo - A partir das 18


4

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Arquidiocese A

Igreja em todo o mundo, celebra segunda-feira, 19, o dia de São José, homem justo, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus, homem eleito e escolhido por Deus para desempenhar um papel fundamental nos desejos salvíficos do Criador para toda a humanidade. A contemplação da vida de São José na Igreja sempre está associada à figura de Maria cuja importância na história da salvação, é singular. E é pelos desígnios de Deus que José está sempre ao lado da Mãe do Verbo Encarnado como o inseparável companheiro, um homem santo, justo, virtuoso, sobretudo, mas também homem muito temente e íntimo do Pai Eterno. São José é reverenciado pela Igreja como um homem de Deus, fiel e temente ao seu Criador, além de amar a Deus sobre todas as coisas. São virtudes que apresentam José à Igreja como a perfeita concretização do que é ter grandeza de alma, visto que teve amor para com Maria e Jesus, justamente porque ele tinha no coração muito amor a Deus. A decisão de Deus ao escolher Maria para ser a mãe do Salvador, em princípio, não foi entendida nem bem compreendida por José, mas porque amava a Deus sobre todas as coisas, ele silenciou tudo no coração e apresentou-se a Deus. Em sonho, um anjo do Senhor disselhe: "José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo". "A virtude de José está justamente em mesmo diante de tantas e possíveis críticas, ou questionamentos feitos pelos seus contemporâneos, ou até mesmo na sua própria cabeça, o que mais

2º Caderno

São José, Patrono da Igreja, homenageado no dia 19

São José é exemplo de amor, fidelidade e entrega a Deus luiz estumano

w em canudos tradicional procissão em devoção ao padroeiro percorre diversas ruas do bairro

se evidencia em sua vida é o fato de ele aceitar colaborar com o projeto de Deus que lhe vem revelado pelo anjo que lhe pede em sonho para acolher Maria", destaca padre Wagner Maria, vigário da Paróquia Nossa Senhora de Fátima. O sacerdote ressalta

ainda que outra reflexão que a vida de São José demonstra "é no quanto ele tem a nos ensinar diante dos desafios de sermos cristãos no dias de hoje". O acolhimento amoroso de José a Maria é tomado pela Igreja como uma exemplar atitude, modelo

para os fiéis que, diante de suas dificuldades, devem agir como José evitando precipitações, ao contrário, devem submeter-se à sublime vontade de Deus, e, dessa forma, viver a vida conduzidos no Espírito, assim como aconteceu com José. Acompanhada do Es-

pírito Santo, assim como José, a pessoa temente a Deus torna-se capaz de alcançar a graça mediante a intervenção divina. No caso de José, Deus serviu-se de um meio para intervir, se manifestar e mostrar a José (o sonho) qual era a Sua vontade.

A narrativa do importantíssimo acontecimento na vida de José demonstra que o homem tem receios de tomar decisões, especialmente, se não se julga capaz de escolher sozinho o melhor caminho. Mas a trajetória de São José revela que os medos postos diante de Deus, desaparecem com a presença do Espírito Santo que é quem o conduz. Foi dessa maneira que José compreendeu que foi o próprio Deus quem lhe mostrou que ele havia sido o eleito para cuidar do tesouro divino: Jesus, o Filho de Deus, Senhor e Salvador do mundo, e sua Mãe Maria, portadora da graça de Deus. A caminhada de fé de São José o leva a ser o grande guardião da Igreja, o grande guardião da família e protetor de todos os fiéis! Escolhido por Deus, José recebeu do Criador a missão de: cuidar, guardar, vigiar aquilo que é d’Ele. José, então, zela para que a graça de Deus permanceça com a Igreja..

HOMENAGEM DAS PARÓQUIAS A Arquidiocese de Belém festeja São José nas paróquias dedicadas ao santo no Umarizal, em Canudos e no Icuí-Guarajá. Acompanhe a programação: - Paróquia São José de Queluz (Canudos) - Rua Cipriano Santos, 311 A festividade realiza-se com o tema “São José, modelo missionário da palavra de Deus” até o dia 19, com Missas, no-

vena e programação cultural todas as noites. No dia de São José, 19, haverá Missa Solene celebrada pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, às 7h, em seguida da tradicional procissão com a imagem de São José pelas ruas do bairro de Canudos. Durante todo o dia a paróquia ficará aberta à visitação. Às 10h, 12h e a das 19h com benção dos lírios, sob presidência de Dom Irineu Roman, Bispo

Auxiliar de Belém.

berto Taveira Corrêa, às 19h.

- Paróquia de São José (Umarizal) - situada no início da rua Domingos Marreiros, nº 104 A festividade sob o tema “Um Jovem chamado José” segue até o dia 19 com procissão de encerramento, às 18h, saindo do shopping localizado na Doca, para a Matriz de São José, onde haverá Missa pelo Arcebispo de Belém, Dom Al-

- Paróquia de São José Operário (Icui- Guajará) Rua São Salvador, 50 – IcuíGuarajá Embora o padroeiro seja festejado no dia 1° maio, a paróquia realizará programação no dia 19, às 19h, com Missa Solene e bênção dos lírios, das famílias e apresentará o cartaz da para a festividade deste ano.

Compêndio do Catecismo da Igreja Católica O Jornal Voz de Nazaré continua as reflexões iniciadas em 2013, Ano da Fé, com a publicação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. De maneira concisa, a publicação apresenta, numa visão de conjunto, todo o panorama da fé católica, com seus elementos fundamentais.

Iv Parte (A Oração Cristã) Primeira Seção A Oração na Vida Cristã A Oração no tempo da igreja

554

555

A intercessão consiste em pedir em favor de outro. Ela nos informa e nos une à oração de Jesus, que intercede junto ao Pai por todos os homens, em particular pelos pecadores. A intercessão deve-se estender também aos inimigos. 2634-2636 2647

A Igreja dá graças a Deus incessantemente, sobretudo ao celebrar a Eucaristia, na qual Cristo a faz participar da sua ação de graças ao Pai. Todo acontecimento se torna para o cristão motivo de ação de graças. 2637-2638 2648

. Em que consiste a intercessão?

. Quando se presta a Deus ação de graças?


5

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Arquidiocese

2º Caderno

N

esta segunda-feira, 19, o Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman, da Congregação São José (Josefinos de Murialdo), completa quatro anos de ordenação episcopal. Na ocasião Dom Irineu preside Missa Solene, às 19h, na Paróquia de São José de Queluz, em Canudos. Em 2014, o Papa Francisco nomeou Dom Irineu para ajudar na evangelização da Igreja no Estado do Pará. A cerimônia de ordenação de Dom Irineu aconteceu no município de Vista Alegre do Prata, interior do Rio Grande do Sul, dia 19 de março daquele ano. Na cidade natal, em uma manhã de quartafeira, Dia da Solenidade de São José, Dom Irineu disse “sim” ao ministério episcopal, tendo como lema episcopal “Vim para servir”. A ordenação de Dom Irineu foi feita com a imposição das mãos do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. Estavam presentes o Bispo de Ponta de Pedras, Dom Teodoro Mendes, na época Bispo Auxiliar de Belém, o Arcebispo Emérito de Belém, Dom Vicente Joaquim Zico, o Bispo de Caxias do Sul, Dom Alessandro Ruffinoni, e outros membros do clero. Desde então, Dom Irineu assumiu o seu novo ministério com zelo e com muita responsabilidade, sendo um dos principais objetivos servir a Igreja e estar ao lado dos mais necessitados. Dentre seus compromissos estão o de bispo responsável pela Pastoral da Ilhas, em 2015, e bispo referencial da Pastoral do Turismo, nomeado, em 2016, pela presidência da CNBB. Nesta entrevista exclusiva Dom Irineu destaca a missão à frente do ministério episcopal que lhe foi confiado, em

entrevista

Dom Irineu: quatro anos de ordenação episcopal

Ministério assumido com zelo e responsabilidade, cujo objetivo é servir à Igreja alan monteiro

w Momento da imposição das mãos de Dom Alberto, há quatro anos

2014, e revela algumas curiosidades. Jornal Voz de Nazaré - Qual a sua avaliação durante esse período fecundo como bispo Auxiliar de Belém? Dom Irineu Roman - Avalio como um período de muitos frutos, muitas bênçãos nas atividades de bispo auxiliar. No começo foi um período de aprendizagem, de experiência de como ser bispo, mas depois eu fui aprendendo sobre o ministério episcopal, sobre as funções do bispo, o serviço do bispo. Foram muitas as experiências ao longo desses quatro anos. No começo estive em formação em Brasília com novos bispos, momento rico de conhecimento para saber qual é a função do bispo, como é que funciona o ministério do bispo e também conhecer o que o Direito

O bispo é como um apóstolo, temos a função de servir. É um serviço a Deus, é um servir ao próximo. Canônico fala sobre a tarefa de ser bispo dentro de uma Igreja particular, dentro de uma Arquidiocese que tem toda uma estrutura, uma organização própria em termos pastorais administrativos, a serviço das pessoas, do anúncio do Evangelho, da evangelização, da missionariedade. Na Itália tive também a oportunidade de participar do curso dos bispos. No Vaticano nos encontramos com o Papa Francisco. Foi também uma experiência, uma aprendizagem de como deve ser o bispo, como ele deve agir dentro de uma Igreja. Depois dos cursos o meu trabalho melhorou em qualidade.

Eu me envolvi muito nas visitas pastorais, no trabalho em conjunto com os demais; com Dom Alberto e os demais bispos, sempre em conjunto, a serviço da Igreja. A Igreja tem a dimensão da fé, da esperança e da caridade, seus três fundamentos. Durante esse período fiz muitas visitas pastorais às paróquias, às comunidades, o trabalho da Pastoral das Ilhas, que foi algo muito forte. JVN - Seu lema epis-

copal é “Vim para servir”. O que o atraiu e ainda atrai nessa passagem bíblica? Dom Irineu - Eu escolhi esse lema “Vim para servir”, porque é o

TERCEIRA PARTE

YOUCAT

A VIDA EM CRISTO Primeira seção

Para que estamos na terra, o que devemos fazer e como nos ajuda o Espírito Santo de Deus? Segundo Capítulo

A Comunhão Humana

O

Jornal Voz de Nazaré segue os estudos sobre o YOUCAT Catecismo da Igreja Católica, escrito para JOVENS que querem saber em que acreditam. Este projeto iniciou-se por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, Rio, 2013.

333

. Existe uma Lei Natural que possa ser conhecida por todos?

Se as pessoas fazem o bem e evitam o mal, deve estar inscrita, no seu íntimo, a sua consciência sobre aquilo que é bom ou mau. Com efeito, existe uma tal lei, por assim dizer “natural” ao ser humano, que em princípio pode ser descoberta por qualquer pessoa através da sua razão. [1949-1960, 1975, 1978-1979]

lema que o próprio Jesus Cristo utiliza quando está com os seus apóstolos. Ele dá o exemplo de como os apóstolos devem se comportar no mundo. Várias passagens da Bíblia falam disso. Jesus profere aquela famosa frase: “Eu não vim para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate de muitos” (Mc 10,45). Então, baseado nessa passagem, extrai três palavras “Vim para servir”. É uma maneira de ser de Jesus. Na última ceia Jesus lava os pés dos discípulos e diz assim: “Vocês devem fazer isso que eu estou fazendo com vocês, vocês devem servir uns aos outros”, que é o serviço. O nosso ministério é um serviço à Igreja, um serviço aos necessitados, aos pobres, à missão da Igreja, à evangelização. Penso que é um servir diferente, que não é um servir tendo em vista a si mesmo, é um serviço a Deus, é um servir ao próximo. Ser bispo é fazer caridade, é levar a evangelização às pessoas. Por isso que eu escolhi “Vim para servir” como lema. Poderia ter escolhido outro lema, mas achei importante, naquela hora, naquele momento. Servir faz parte da Igreja. O papa é um servo, o próprio Jesus Cristo é visto como servo. O bispo é como um apóstolo, temos a função dos apóstolos de servir. De servir o quê? Servir o anúncio do Evangelho, da boa notícia, da Palavra, da evangelização, mas também servir na caridade e aos doentes. JVN - Em 2017, o senhor assumiu um novo compromisso, a apresentação do Programa “Em Família”, da TV Nazaré. Qual a marca que esse programa procura deixar? Dom Irineu - Integro o Conselho Curador da Fundação Nazaré de Comunicação e senti a necessidade de dinamizar a Família Nazaré, em prol do anúncio da Boa Nova, para eles serem colaboradores da Família Nazaré e poderem fortalecer a FNC do ponto de vista administrativo. O meu trabalho, porém, não é a parte administrativa, é a da evangelização. Sugeri realizar

o trabalho de evangelização durante as visitas às famílias e, consequentemente, o programa. Daí eu faço uma visita às casas como bispo auxiliar, ou seja, um trabalho de evangelização dessa família. Com isso eu ajudo a Fundação Nazaré de Comunicação administrativamente, talvez trazendo mais gente para colaborar com a Fundação Nazaré. As pessoas estão gostando e perguntam: “Quando vai ter na minha casa?” Porque eu estou indo como bispo, não estou indo como um profissional da comunicação. Eu estou fazendo uma visita de bispo, é claro que a gente faz o programa. Eu faço o programa de modo muito familiar. Eu creio que é assim que as pessoas gostam porque a maioria dessas pessoas é simples, são pessoas humildes. As pessoas colaboram porque sabem que estão colaborando para a evangelização através dos meios de comunicação da Arquidiocese de Belém. Então, eu faço como muito amor, com muito carinho, com muito empenho. Enquanto Deus me der a graça de ajudar, eu vou continuar. JVN - O que o senhor

espera para o futuro? Dom Irineu - O futuro a Deus pertence (risos). Eu já tenho quatro anos como bispo auxiliar de Belém. Por enquanto eu continuo em Belém até me chamarem para outra missão. O dia em que me chamarem para outra missão, eu estou pronto: “Eis-me aqui, Senhor”. P a r a e n c e r r a r, Dom Irineu em poucas palavras: Um exemplo? Dom Vicente Zico. Uma comida? Açaí. Uma personalidade? O Papa Francisco. Um lugar? As Ilhas de Belém. Um pedido? Paz. Que haja mais paz em nossa cidade. Uma lembrança? O dia da minha ordenação episcopal. Pois este foi o momento que mudou a minha vida. Mudou porque eu assumi outro serviço, um novo ministério que é a serviço da Igreja, de grande importância, de grande responsabilidade.


6

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Arquidiocese N

o próximo dia 25 de março, Domingo de Ramos, a juventude da Arquidiocese de Belém celebrará a Jornada Diocesana da Juventude, a JDJ como é conhecida, cujo tema “Não tenhas medo, Maria! Encontraste graça junto a Deus” (Lc 1,30). Convocada pelo Papa Francisco, é celebrada no mundo todo, nas dioceses, em preparação para a próxima JMJ. Em Belém, está sendo organizada pelo Setor Juventude. A concentração será, a partir das 14h, na matriz da Paróquia de São Pio X, no Complexo do Seminário Maior, na BR-316, km 6, Ananindeua. A JDJ é tradicionalmente celebrada nas igrejas locais no Domingo de Ramos ou durante o tempo pascal. Seu principal objetivo é fazer a pessoa de Jesus o centro da fé e da vida de cada jovem, para que Ele seja seu ponto de referência constante e também inspiração para cada iniciativa e compromisso para a educação das novas gerações. As jornadas diocesanas da juventude são realizadas entre as jornadas

2º Caderno

Jornada Diocesana da Juventude será no próximo domingo, 25

Caminhada festiva em preparação à Jornada Mundial da Juventude (JMJ) w Jovens na Jornada Diocesana da Juventude com a Cruz Missionária, em 2017

mundiais e visam a preparação para esses eventos maiores. Com temas específicos, escolhidos pelo Santo Padre, este ano a JDJ refletirá sobre a temática mariana com o intuito de levar os jovens a conhecer a jovem de Nazaré, escolhida por Deus como

Mãe do seu Filho. “Na JMJ de 2017 o Papa convocou a lançarmos nossos olhos para o passado e, embalados pelo cântico de louvor de Maria ( Lc 1, 49), acreditarmos que temos mais futuro que passado. Para a 33ª Jornada, a temática e metodologia são convi-

foto: divulgação

te com espanto, deixou que infundisse coragem, ânimo e graça necessária para responder à sua chamada “Não tenhas medo, Maria! pois achaste graça diante de Deus” (Lc 1, 30) e assim deu um passo decisivo, firme e seguro, para a salvação da humanidade e para a construção do reino de Deus!”, destaca Henrique Carreira, do Setor Juventude. A concentração, como aqui ja se disse, às 14h, na Matriz da Paróquia de São Pio X, será um momento reservado para que expressões, grupos e movimentos tes a olhar criticamente juvenis possam efetuar para o hoje. Em 2018, a inscrição para carreano do Sínodo da Juven- gar a Cruz Missionátude, o Papa ressalta que ria, símbolo do cristão, esta “feliz coincidência” levando o qual, todos nos levará a olhar para os jovens são chamaa jovem Maria, que em dos a testemunhar o meio à sua rotina e às “tome sua cruz e sigatarefas do seu dia-a-dia,  me". Nesse dia, após a escutou a voz de Deus e, bênção dos ramos, inimesmo que inicialmen- ciar-se-á a caminhada

festiva rumo à Matriz de Nossa Senhora Auxiliadora. Percurso da caminhada: BR-316, passando pela Estrada do Aurá até à Matriz. À chegada do cortejo, esperada para as 18h, haverá celebração eucarística, foto oficial e, às 19h30, abertura de apresentações culturais. Preparação

Visando descentralizar e atender com mais qualidade a um maior número de jovens, este ano a atividade formativa, ou pré-JDJ como é comumente chamada, ocorrerá em nível de região episcopal. Segundo a comissão organizadora, esta edição, pretende atender em torno de 6 a 10 mil jovens. A organização centralizadora do Setor Juventude orienta que cada jovem busque participar das formações ofertadas em sua região episcopal. fotos: divulgação

w jovens unidos em mutirão começaram a limpeza do lugar

w voluntários das regiões episcopais ajudaram na capinação da área

Arquidiocese prepara Centro Pastoral Juvenil Eram mais de 40 jovens que passaram o sábado, 10, nas instalações do antigo Seminário Maior de São José, da Diocese de Macapá, em Ananindeua. No local, a Arquidiocese de Belém prepara o futuro Centro Pastoral Juvenil. Na ocasião, um mutirão resultou no inventário do ambiente e em serviços de capinação, jardinagem e limpeza. Voluntários da Juventude Salesiana, Jovens Seminaristas Orionitas, Sementes do Verbo, Comunidade Maíra, Casa da Juventude (Caju), Pastoral da Juventude e Movimento Igreja Jovem atuaram junto com voluntários das regiões Episcopais Santa Cruz e São Vicente de Paulo, além do Bispo Auxiliar,

Espaço será sede arquidiocesana da ação pastoral jovem

sede do trabalho do Setor Juvetude na Arquidiocese de Belém. "Uma realização relevante para os jovens", enfatiza Henrique Carreira, da coordenação do Setor Juventude. Mutirões - A inauguração do Centro Pastoral Juvenil está prevista para o mês de agosto, em data a ser marcada. Enquanto

está sendo preparado, haverá outros mutirões. O Centro Pastoral Juvenil “irá valorizar ainda mais o protagonismo da juventude na Arquidiocese de Belém, uma vez que o ambiente será dirigido e gerido pelas mãos da juventude", antecipa Henrique, observando que "o campo de missão é abrangente e todos são convocados a contribuir para tornar o espaço funcional para essa missão”.

Serviço w unidade: jovens, voluntários e Dom Antônio posam para a fotografia

Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Referente para a Juventude na Arquidiocese de Belém, passaram o dia em ação. Matheus Viggo, jovem da Região Episcopal São

Vicente de Paulo, afirma: “o dia foi de colocar a mão na terra, de sonhar e caminhar juntos” e considera “importante a participação e a união da juventude nesse momento

de construção e preparação do espaço do Centro Juvenil” e enfatizou a sua alegria de “vivenciar a experiência do trabalho em grupo e da partilha”. O espaço - Será a

O Centro Pastoral Juvenil localiza-se na rua Leopoldo Teixeira, próximo à rodovia BR 316, em Ananindeua-PA, nas imediações do km 6. Caso a comunidade queira participar dos próximos mutirões, entre em contato com a coordenação do Setor Juventude pelo número (91) 98178-8132, pelo e-mail juventudebelem@gmail. com e ainda pelas redes sociais do Setor Juventude de Belém: Facebook: @Juventudebelem; Instagram: @ juventudebelem e Twitter: @Juventudebelem.


7

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Igreja

2º Caderno

Dom Fernando Rifan manifesta defesa à CNBB Em vista dos recentes ataque à entidade episcopal brasileira Diante de ataques e insultos recentes, Dom Fernando Arêas Rifan, Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney e Membro do Regional Leste 1, defende a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Em defesa da CNBB T

não existe para anular o poder dos Bispos, instituição divina. O Papa Emérito Bento XVI, quando Cardeal, falou sobre um dos “efeitos paradoxais do pós-concílio”: “A decidida retomada (no Concílio) do papel do Bispo, na reaAOS CARÍSSIMOS IR- lidade, enfraqueceu-se MÃOS LEIGOS, em cujo um pouco, ou corre até ano estamos – Ano do mesmo o risco de ser suLaicato -, lembro-lhes pa- focada pela inserção dos ternalmente que a Igreja, prelados em conferêncomo mãe, os ama, quer cias episcopais sempre o seu bem e deseja escu- mais organizadas, com estruturas burocráticas tá-los também. Sinceramente lhes frequentemente pesadigo que esses insultos das. No entanto, não à Conferência Episcopal devemos esquecer que me atingem também, de as conferências episcocerta maneira, pois dela pais...não fazem parte faço parte por ser Bispo da estrutura indispensácatólico, pela graça de vel da Igreja, assim como Deus, em plena comu- querida por Cristo: têm nhão com a Santa Igre- somente uma função ja. Aos que pensam que prática, concreta”. É, alia CNBB é apenas um ás, contínua, o que conescritório central, uma firma o Direito Canôniagência ou “quase um co, que fixa os âmbitos sindicato dos Bispos”, de autoridade das Confeensino-lhes que a CNBB rências, que “não podem é o conjunto dos Bispos agir validamente em nodo Brasil que exercem me de todos os bispos, a conjuntamente certas menos que todos e cada funções pastorais em fa- um dos bispos tenham vor dos fiéis do seu terri- dado o seu consentimento”, e quando não tório (CIC cân.447).  Conforme explicou se trate de “matérias soSão João Paulo II na bre as quais haja disposCarta Apostólica Apos- to o direito universal ou tolos suos, é “muito con- o estabeleça um especial veniente que, em todo mandato da Sé Apostólio mundo, os Bispos da ca”. E recorda o Código mesma nação ou região e o Concílio: “o Bispo se reúnam periodica- é o autêntico doutor e mente em assembleia, mestre da Fé para os fipara que, da comuni- éis confiados aos seus cação de pareceres e cuidados”. “Nenhuma experiências, e da tro- Conferência Episcopal ca de opiniões, resulte tem, enquanto tal, uma uma santa colaboração missão de ensino: seus de esforços para o bem documentos não têm vacomum das Igrejas”. lor específico, mas o vaEnsina ele que “a união lor do consenso que lhes colegial do Episcopado é atribuído pelos bispos manifesta a natureza da individualmente” (RatIgreja...Assim como a zinger, A Fé em crise, Igreja é una e universal, pag. 40 e 41).  Isso posto, recordaassim também o Episcopado é uno e indiviso, mos que o espírito de fé sendo tão extenso como e o respeito que o católia comunidade visível co deve à hierarquia da da Igreja e constituindo Igreja impedem-no de a expressão da sua rica tratar a Igreja como uma variedade. Princípio e sociedade qualquer. Se fundamento visível des- a chamamos “a santa sa unidade é o Romano Madre Igreja”, é porque Pontífice, cabeça do cor- a consideramos nossa po episcopal”. “O Espíri- mãe, merecedora de to Santo vos constituiu todo o nosso respeito e Bispos para pastorear a amor. E não se expõem Igreja de Deus, que ele os defeitos da mãe em adquiriu com o seu pró- público, sobretudo em prio sangue” (At 20, 28).   redes sociais. Mas já que Mas vale ressaltar que o fizeram, faço aqui ala Conferência Episcopal, guns esclarecimentos.  Na Igreja, divina na instituição eclesiástica,

divulgação

em havido ultimamente muitas críticas e mesmo ofensas e insultos à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que requerem esclarecimentos, pois desorientam os católicos.

w Dom Fernando Arêas Rifan

sua fundação, graça, sacramentos e doutrina, mas humana, nos membros que a compõem, tem, por isso mesmo, fraquezas e pecados nos seus membros. “Cremos na Igreja una, santa, católica e apostólica...Ela é santa, apesar de incluir pecadores no seu seio...É por isso que ela sofre e faz penitência por esses pecados, tendo o poder de livrar deles a seus filhos, pelo Sangue de Cristo e pelo dom do Espírito Santo” (Credo do Povo de Deus). “A Igreja, que reúne em seu seio os pecadores é, ao mesmo tempo, santa, e sempre necessitada de purificação...continua o seu peregrinar entre as perseguições do mundo e as consolações de Deus” (Lumen Gentium). Nosso Senhor comparou o seu Reino a uma rede cheia de peixes, bons e maus (Mt 13, 4750). A separação será no fim dos tempos. Quem quiser agora uma Igreja só de santos deveria morrer e ir para o céu, onde lá só estão os bons. Por isso, não percamos a fé ao vermos os erros da parte humana da Igreja.   No conjunto do episcopado brasileiro, há muitos bispos sábios e santos. Mas há também bispos como eu. Nem por isso somos menos dignos de respeito.  Ao combater os erros que existem na parte humana da Igreja, não podemos perder o respeito às pessoas, sobretudo às autoridades da Igreja, e muito menos desprestigiá-las, para alegria dos seus inimigos, com

ofensas, exageros, meias verdades e até mentiras, caindo em outro erro. A meia verdade pode ser pior do que a mentira deslavada. Qualquer pessoa não católica que lesse certos sites e postagens de alguns católicos críticos, injuriando os Bispos e autoridades da Igreja, certamente iria raciocinar: “é impossível que tais pessoas sejam católicas, pois não se fala assim da própria família!”.  Por outro lado, AOS CARÍSSIMOS IRMÃOS NO EPISCOPADO lem-

bro, humildemente, que, mesmo exagerando e passando dos limites, os clamores dos fiéis leigos podem estar refletindo o “sensus fidelium”, que devemos escutar. Está na hora de recuperarmos o bom nome da nossa Conferência Episcopal. Não podemos tolerar pacificamente tantos abusos doutrinários e litúrgicos que vemos por aí, em nossas Igrejas, e que fazem tanto sofrer nossos fiéis. Será que eles não estão explodindo de tanto aguentar certas invencionices litúrgicas e aberrações doutrinárias? Não estaria ocorrendo o que São João Paulo II descreveu na sua Encíclica Ecclesia de Eucharistia: “Num contexto eclesial ou outro, existem abusos que contribuem para obscurecer a reta fé e a doutrina católica acerca deste admirável sacramento. Às vezes transparece uma compreensão muito redutiva do mistério eucarístico. Despojado do seu valor sacrifical, é vivido

como se em nada ultrapassasse o sentido e valor de um encontro fraterno ao redor da mesa...(n. 1 0 ) . “ Te m o s a lamentar, infelizmente, que, sobretudo a partir dos anos da reforma litúrgica pós-conciliar, por um ambíguo sentido de criatividade e adaptação, não faltaram abusos, que foram motivo de sofrimento para muitos...”(n. 52). “O mistério eucarístico – sacrifício, presença, banquete – não permite reduções nem instrument alizações...”(n. 61). Não sentem nossos leigos vontade de exclamar como os hebreus: “Senhor, invadiram tua herança, profanaram o teu santo templo...” (Sl 79, 1)? É claro que os nossos fiéis ficam escandalizados vendo ministras não católicas no altar “concelebrando” a Santa Missa junto com os nossos Bispos. Para que permitirmos em nossos textos a terminologia de “gênero”, que veicula uma ideologia não ortodoxa? Todos são convidados e bem-vindos aos nossos encontros. Mas por que deixarmos pessoas de mentalidade socialista e mesmo comunista, membros de partidos políticos de “esquerda” serem protagonistas em nossos encontros eclesiais e nos instruírem em análises de conjuntura? Combatemos com razão os desmandos do capitalismo selvagem, do consumismo e do espírito mercantilista. Mas não podemos nos esquecer dos ensinamentos do Magistério sobre o socialismo: “O socialismo, quer se considere como doutrina, quer como fato histórico, ou como ‘ação’, se é verdadeiro socialismo, mesmo depois de se aproximar da verdade e da justiça, não pode conciliar-se com a doutrina católica, pois concebe a sociedade de modo completamente avesso à verdade cristã...E, se esse erro, como todos os mais, encerra algo de verdade, o que os Sumos Pontífices nunca negaram, funda-se, contudo, numa concepção da sociedade humana diametralmente oposta à verdadeira

doutrina católica. Socialismo religioso, socialismo católico são termos contraditórios: ninguém pode ser ao mesmo tempo bom católico e verdadeiro socialista” (Pio XI, Encíclica Quadragesimo Anno, n. 116 e 119 - 15/5/1931). Devemos deixar bem claro que somos fiéis à doutrina social da Igreja e, por isso, nos ocupamos das questões sociais e da política, como sendo “uma prudente solicitude pelo bem comum” (João Paulo II, Laborem exercens, 20). A Igreja está ao serviço do Reino de Deus, anunciando o Evangelho e seus valores, mas “não se confunde com a comunidade política nem está ligada a nenhum sistema político” (Gaudium et Spes, 76). Principalmente “a Igreja não pode estimular, inspirar ou apoiar as iniciativas ou movimentos de ocupação de terras, quer por invasões pelo uso da força, quer pela penetração sorrateira das propriedades agrícolas” (Discurso aos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, na sua visita “ad limina”, março de 1996). Além disso, é preciso que tenhamos clareza na prestação de contas das coletas da Campanha da Fraternidade. Diante da suspeita levantada de que as doações dos fiéis estão indiretamente indo para entidades que patrocinam o aborto e movimentos revolucionários, devemos ser claros na explicação ao nosso povo: se por acaso desviaram suas doações, o que pode acontecer com qualquer esmola que damos, devemos de agora em diante ser mais exigentes na aplicação desses valores e não permitir tais desvios. Há tantas entidades beneficentes católicas que poderiam receber essas doações! Que Deus nos abençoe, que Maria, Mãe da Igreja, nos proteja e São José, patrono da Igreja católica, nos defenda do mal.


8

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Em Nazaré

2º Caderno

Círio 2018: recadastramento de voluntários fotos: divulgação

Pastoral da Acolhida atualiza o cadastro

A

w Atendimento realizado aos romeiros durante o Círio de Nazaré

Pastoral da Acolhida da Paróquia de Nazaré, uma das mais atuantes na realização do Círio de Nazaré, abriu esta semana a atualização do cadastro de voluntários que já fazem parte da Pastoral. Os interessados devem comparecer na sala da Pastoral, no Centro Social de Nazaré, munidos de RG, CPF e 1kg de alimento não perecível para atualizar o cadastro. O atendimento é feito

às segundas, quartas e sextas-feiras, de 15h às 20h. Outras informações podem ser solicitadas através do e-mail: pastoralacolhidacirio@ gmail.com. Missão

Com a direção espiritual do pároco de Nazaré, Padre Giovanni Incampo, a Pastoral da Acolhida é a expressão da fraternidade e solidariedade da grande festa da Rainha da Amazô-

nia. Em 2017, a Pastoral contou com o apoio fundamental de mais de mil voluntários que, durante a semana do Círio, se revezaram 24 horas e realizaram mais de 49 mil atendimentos aos peregrinos no Centro Social de Nazaré. Além de oferecer suporte espiritual, a Pastoral da Acolhida oferece aos peregrinos serviços como lava-pés, alimentação, atendimento de primeiros socorros e massagem.

Crianças da Creche Sorena voltam às aulas As crianças da Creche Sorena, instituição mantida pelas Obras Sociais de Nazaré (Ospan), voltaram às aulas nesta semana. Os pequenos das turmas do maternal, jardim I e II participaram de um momento de acolhida e espiritualidade preparado pelo grupo pedagógico como forma de boas-vindas ao novo ano letivo. Atualmente, a Creche Sorena atende

120 crianças em tempo integral, divididas em sete turmas, onde realizam acompanhamentos psicopedagógicos, odontológicos e recreativos. O espaço conta com a estrutura de nove salas de aula, quadra poliesportiva (coberta), sala da coordenação, sala do serviço social, biblioteca, escovódromo, banheiros, cozinha, refeitório, jardim, lavanderia, parque

de diversão, brinquedoteca, videoteca, consultório odontológico, estacionamento interno, almoxarifado e horta. A creche é coordenadas pelas Irmãs Missionárias de Santa Teresinha: irmã Celeste Sousa, irmã Maria de Lourdes e irmã Ana Ribeiro e está localizada na Avenida Generalíssimo Deodoro, nº 2130, entre Rua dos Caripunas e Pariquis.

w crianças foram recepcionadas com muita alegria pelas educadoras

Serviço Social da OSPAN promove capacitações Nesta semana o Setor de Serviço Social das Obras Sociais da Paróquia de Nazaré (OSPAN) realizou mais uma capacitação para a comunidade. Desta vez, foi

o curso de pintura em telha. A programação aconteceu em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), no Centro Social de Nazaré.

Para a Assistente Social da OSPAN, Marília Amorim da Costa, a previsão é de que mais cursos sejam realizados: “Nosso objetivo é cada vez mais ajudar na gera-

w curso de pintura em telha, parceria com Senar, atraiu interessados

ção de renda de cada família, mais cursos serão promovidos com a graça de Deus”. A capacitação gratuita faz parte do projeto de qualificação profissional, executado pelo Serviço Social. Mais outras duas oficinas estão previstas para o primeiro semestre. O curso de confecção de bombons de chocolate, que vai acontecer de 09 a 13 de abril, e o curso de planejamento de cardápios com aproveitamento de alimentos, que será realizado no período de 21 a 25 de maio. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no Centro Social de Nazaré, sala do Serviço Social, sempre em horário comercial. Mais informações pelo telefone (91) 40098424.

Inscrições abertas para o retiro espiritual “Vinde a mim” O Ministério de Música Adorar Jesus, que desde o ano de 2012 conduz e anima as noites de quarta-feira durante a Adoração ao Santíssimo Sacramento na Basílica Santuário de Nazaré, vai promover a segunda edição do retiro espiritual “Vinde a mim”. O evento vai acontecer nos dias 18, 19 e 20 de maio no Seminário Mãe da Divina Providência, localizado em Benevides. Com o tema: “E pelas suas feridas fomos curados Senhor, És a Verdadeira Liberdade”, a programação vai contar com momentos louvor, espiritualidade e troca de experiências acerca da vida cristã. As inscrições para o retiro custam R$ 60,00 e já estão abertas. Podem ser feitas as quartas-feiras, a partir das 19h, no corredor lateral da Basílica Santuário de Nazaré. Mais informações na pagina oficial do Adorar Jesus nas redes sociais.

Celebração de 28 anos de ordenação do padre Francisco Silva

w padre Francisco, pároco de Nazaré

No próximo dia 19 de março será celebrado os 28 anos de ordenação do padre barnabita Francisco Chagas Maria Silva. Paraense do município de Irituia, atuou como Reitor do Seminário Mãe da Divina Providência, como pároco de Nazaré, e conselheiro geral dos Barnabitas. Atualmente o sacerdote é o Superior Geral da Congregação, sendo o primeiro brasileiro a ocupar o cargo. “Roguemos à Virgem de Nazaré pela vocação deste querido Padre!”


9

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Em Nazaré Confraria convida para a festividade 2º Caderno

fotos: divulgação

São José recebe diversas homenagens

“S

w são josé guarda fiel do Filho de Deus e da Virgem Maria

ão José, escolhido pelo Pai para ser o guarda fiel e providente dos seus dois maiores tesouros: O Filho de Deus e a Virgem Maria!” (São Bernardino de Sena). No próximo dia 19 a Igreja celebra o glorioso São José, esposo castíssimo de Maria e padroeiro universal da Igreja, que com seu exemplo de pai conduziu a Sagrada Fa-

mília, aceitando a missão divina de acompanhar Jesus antes do início de seu ministério. A Confraria de São José da Paróquia de Nazaré convida para a festividade em honra ao seu padroeiro. A programação iniciou no dia 15 de março com a Santa Missa, às 7h, e após, o tríduo no altar lateral dedicado ao santo, na Basílica Santuário. A programa-

ção segue até o dia 17, sábado. No dia 19, Dia de São José, acontecerá a solenidade, com procissão, às 6h30, seguida da Santa Missa e após, um café da manhã será servido aos idosos na Casa de Plácido. Participe! Venha louvar e pedir a intercessão de São José para a sua família e as famílias do mundo inteiro!

w padre giovanni recebeu homenagens dos diversos grupos

Homenagens ao Padre Giovanni Incampo pelo aniversário natalício Quase uma vida inteira dedicada ao sacerdócio. De origem italiana, mas sentindo-se paraense de coração, o Padre Barnabita que atualmente exerce a função de pároco de Nazaré, Giovanni Incampo, completou

no último dia 11 de março, 86 anos de vida! Em comemoração a este dia especial, os integrantes da Pastoral Familiar e da Pastoral de Liturgia da Paróquia de Nazaré homenagearam o sacerdote

que participa ativamente das atividades realizadas nas comunidades da Paróquia. Roguemos à Virgem de Nazaré para que continue intercedendo junto a Deus por esse filho amado em sua missão.

Centro de Atendimento a Família (CAF) O Centro de Atendimento a Família (CAF) é um serviço vinculado a Pastoral Familiar da Paróquia de Nazaré. Oferece assistência especializada a famí-

lias em situações de dificuldade na relação familiar como alcoolismo, drogas, violência doméstica, gravidez na adolescência, entre outras situações. O

serviço conta com escuta, aconselhamento e encaminhamento. O atendimento pode ser agendado pelos fones: 4009-8407 ou 40098440.


10

belém, 16 a 22 de março de 2018

Panorama

2º Caderno

Recadastramento biométrico do eleitor termina no dia 23

Mas muitos eleitores em Belém ainda não fizeram o procedimento

O

que demonstra que o eleitor não está buscando o atendimento, fator que pode acarretar em enormes filas em frente aos postos. O ano de 2018 é de eleições gerais no Brasil. A votação para o pleito em Belém e mais 41 municípios paraenses vai exigir a identificação do eleitor será através da impressão digital. Quem não fizer o recadastramento biométrico terá o Título de Eleitor cancelado, não terá direito ao voto e ainda pode perder benefícios sociais como Bolsa Família e a apo-

sentadoria. TSE - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informa que o cadastramento biométrico por meio da revisão do eleitorado com vistas às Eleições Gerais de 2018 será feito até 4 de abril deste ano, data limite definida pela Corregedoria-Geral Eleitoral. Entretanto, as datas de início e fim do processo em cada município são determinadas pelo Juízo Eleitoral local. Em 2018 esperase concluir a biometria em mais 1.257 municípios, além dos 1.541 que já votaram biometricamente em 2016.

Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Pará concluirá o recadastramento biométrico dos eleitores de Belém no próximo dia 23 de março. Entretanto, o tribunal preocupase, pois ainda é grande o número de eleitores que necessitam fazer o procedimento da divulgação atualização cadastral. O recadastramento vem sendo realizado desde o dia 16 de novembro de 2017. O TRE disponibilizou 9 postos de atendimento na capital, dos quais três são para a demanda espontânea. A capacidade de atendimento diário é de quase seis mil pessoas, porém, está sendo feito apenas 50%, registro w digital Sem a biometria, o eleitor prejudica-se

Biometria do eleitor De acordo com os dados do TRE do Pará, os bairros em que ainda faltam muitos eleitores regularizarem o cadastro são: 1. Pedreira (30.916); 2. Marco (30.585); 3. Guamá (29.604); 4. Jurunas (26.441); 5. Marambaia (23,379) e; 6. Telégrafo (19,962). Nos bairros da Pedreira e Guamá existem postos de atendimento de demanda espontânea. Horário de funcionamento dos postos:

- Posto CDP – 8h às 16h (Atendimento demanda espontânea) - Posto UFPA – 8h às 14h (Atendimento demanda espontânea) - Posto CAE – 8h às 14h (Atendimento demanda espontânea) - Posto de Icoaraci – 8h às 14h (Atendimento agendado) - Posto Mosqueiro – 8h às 14h (Atendimento agendado) - Posto São Francisco – 8h às 17h (Atendimento agendado) - Posto Shopping Castanheira – 12h às 18h (Atendimento agendado) - Posto Parque Shopping – 12h às 18h (Atendimento agendado) - Posto Shopping Bosque Grão Pará – 10h às 18h (Atendimento agendado) O agendamento pode ser feito pelo site do TRE – www.tre-pa.jus.br  O que é necessário? * Carteira de Identificação oficial com foto: RG, Carteira de Trabalho ou Passaporte * Para alistamento, 1º via, é necessário apresentar o documento de reservista (para homens) * Se tiver mudado de estado civil, é necessário levar a Certidão de casamento. Biometria 

A biometria é um dos métodos mais seguros de identificação do indivíduo, pois cada pessoa possui características únicas nas pontas dos dedos, na digital. A modernização do sistema de votação garante uma eleição mais justa e diminui a probabilidade de fraudes. O que é coletado do eleitor:

* Assinatura * Foto * As impressões digitais dos dez dedos. Tribunal Regional Eleitoral no Pará Rua João Diogo 288,Campina, Belém- PA - Tel: (91) 3346-8000.

Servindo à verdade Prof. Ricardino Lassadier

O

Graduado (Bacharel e Licenciado) e Especialista em Filosofia pela UFPA e Especialista em Teologia pelo CESUPA.

Apostolicam Actuositatem (Parte 2)

lá, meu irmão e minha irmã. Neste ano dedicado a nós (leigos) estou buscando dividir e, ao mesmo tempo, refletir com você acerca da vocação laical. Pretendo oferecer um material de cunho formativo, catequético ,sobre o tema. Vamos dar continuidade às considerações sobre o Decreto do Vaticano II Apostolicam Actuositatem, que trata do apostolado dos leigos. Nós, leigos, somos chamados ao apostolado, e isso constitui um direito e um dever. Mais até: o leigo foi destinado ao apostolado por Cristo mesmo (cf. AA, 2). Assim, é vontade de Deus para nós leigos que nos empenhemos na ação missionária de evangelizar. Talvez alguém diga não ter dom algum para pregar, para catequizar. Talvez alguém alegue incapacidade para evangelizar. Ora, meu irmão, a evangelização não se dá de um mo-

do só. Engana-se quem pensa que evangelizador é, por exemplo, somente o pregador. Essa é uma ideia muito estreita sobre a evangelização. Todos que, de algum modo, colaboram para o processo evangelizador têm participação na evangelização. Permita-me exemplificar compartilhando um pouco de minha experiência. Graças a Deus, sempre sou convidado para realizar encontros de formação. Não posso negar que dessa maneira estou procurando colaborar com o Evangelho. Mas, para que eu possa falar sobre a Doutrina da Igreja durante algumas horas, há a colaboração de muitos irmãos: um se oferece para transportar, outro prepara um material de divulgação, um terceiro ajuda na feitura do material que será utilizado. Há quem, com carinho, prepare o local onde será realizado o encontro; há a turma que prepara

a merenda e recepciona os participantes com um belo e sincero sorriso de boas vindas. Veja bem, se é verdade que estou colaborando com a Igreja na evangelização, não é menos verdade que cada irmão desses que citei também colabora de modo belíssimo, pois, muitas vezes não aparecem, servem à Igreja de modo silencioso, não recebem aplausos, nem esperam “obrigado”, nem tapinha nas costas, nem elogios. Na verdade, penso que têm muitos mais méritos do que eu. São como anjos anônimos que servem ao Senhor. Não há quem não possa colaborar com a Igreja para expandir a Boa Nova. Deus nos capacita com dons diferentes pa-

ra que, colaborando uns com os outros, possamos realizar a comunhão de dons mediante a partilha desses mesmos dons. Desse modo aprendemos uma lição valiosa: a comunhão só se realiza pela partilha. Na Igreja não há lugar para autossuficientes e nem para parasitas. Todos devem, cada um de acordo com sua medida, colaborar, ajudar e se deixar ser ajudado. Afinal, é amor amar, mas é amor também se deixar ser amado. Quem não sabe ser amado, igualmente não sabe amar. Assim ensina a Igreja (AA, 3): “O mesmo Espirito Santo que santifica o povo de Deus pelo ministério e pelos sacramentos, concede também aos fiéis dons peculiares

Não há quem não possa colaborar com a Igreja para expandir a Boa Nova. Deus nos capacita com diferentes dons

(cf. 1Cor 12, 7) para o exercício do apostolado, ‘distribuindo-os ao seu bel prazer’ (cf. 1Cor 12, 11). Assim, ‘cada um na medida da graça recebida é chamado a colocar esses dons a serviço dos outros’, tornando-se todos bons ‘dispensadores da graça multiforme de Deus’ (cf. 1Pd 4, 10), para a edificação de todo o corpo no amor’ (cf, Ef 4,16)”. Logo, todos na Igreja têm algum dom que nos é concedido pelo poder do Espirito Santo. E, pelo exercício desses dons, desses carismas, nós nos tornamos como que canais da graça de Deus para o mundo e para a própria Igreja. Isto é, nos tornamos Igreja, para a Igreja,

na Igreja. Nos tornamos Igreja para o mundo, no meio do mundo. Que, porém, tudo seja feito em liberdade e em harmonia com o Sagrado Magistério, já que é o Espirito Santo que tudo dirige e tudo guia. Mas o contrário parece ser verdadeiro: na medida em que usamos mal os dons, de modo egoísta e com mesquinharia, tornamo-nos como que obstrutores da graça de Deus. Passamos a trabalhar contra Deus. Não seria esse o drama que assola o laicato nestes tempos? Sigamos em frente, pensando com a Igreja no serviço da Verdade. Fique com Nossa Senhora e São José.

Graduado (Bacharel e Licenciado) e Especialista em Filosofia pela UFPA e Especialista em Teologia pelo CESUPA.

Próximo artigo: Maria Elisa Bessa de Castro


11

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Arquidiocese

2º Caderno

Comunidade São José, no Guamá, festeja o padroeiro

fotos: divulgação

Comunidade pertencente à Paróquia São Pedro e São Paulo

N

esta sexta-feira, 16, a Comunidade São José, no Guamá, pertencente à matriz da Paróquia de São Pedro e São Paulo, inicia a festividade em honra ao patrono universal da Igreja, São José. A festividade contempla recitação do Santo Terço de São José, missas, programação cultural e procissão, que será realizada no dia do festejo litúrgico, dia 19, às 18h. “São José, um modelo para um Laicato em estado permanente de missão”, é o tema da festividade deste ano e foi inspirado no Ano do Laicato. A decisão ficou acertada durante encontro em 2017, nela ficou decidido que, assim com a matriz da Paróquia de São Pedro e São Paulo, as comunidades que pertencem à paróquia,

ao todo seis, também, escolheriam temas em alusão ao Ano do Laicato. A Igreja no Brasil vai celebrar, no período de 26 de novembro de 2017 a 25 de novembro de 2018, o “Ano do Laicato”, que refere-se a missão, ou seja, o protagonismo de cristãos leigos e leigas. A abertura da festividade, dia 16, será marcada com recitação do terço às 18h, Santa Missa às 19h, presidida pelo padre Edvaldo Andrade Amaral, vigário e responsável pela comunidade, localizada na Travessa 20 de fevereiro, 778. No dia 17, o terço e a Santa Missa ocorrem, respectivamente, às 18 e às 19h, com missa presidida pelo padre Antônio da Silva. No dia 18, às 8h, Santa Missa, presidida pelo padre Antônio da Silva. Neste

w devoção paroquianos do Guamá prestam homenagens ao patrono universal da Igreja

de será celebrada Santa Missa presidida pelo padre Edvaldo. Durante o período da festividade haverá programação cultural, com venda de comidas típicas. Visitas

w procissão que acontece todos os anos percorre várias ruas do bairro

dia, a recitação do Santo Terço, será às 18h30. No dia da solenidade de São José, 19, haverá procissão com saída às

w a comunidade Santa Clara foi uma das favorecidas pela campanha

Para suprir a falta de material escolar das crianças da comunidade, a Guarda Franciscana da Paróquia de São Francisco de Assis (Capuchinhos), em São Brás, realizou no início do mês a entrega de material escolar para crianças residentes em diversas comunidades que integram a paróquia. O material escolar é resultado da campanha de arrecadação que há quatro anos é realizado pela Guarda Franciscana. A arrecadação de material escolar começou em novembro de 2017, e em fevereiro deste ano os materiais foram entregues. A iniciativa foi idealizada pelo integrante da Guarda Franciscana,

18h, da Comunidade de Nossa Senhora das Graças, situada na Rua da Paz, Quadra 1, entre Barão de Igarapé Miri

e Rua da Olaria, nº 20, no Guamá. A procissão seguirá por ruas do bairro em direção a Comunidade São José, on-

Os dias que antecederam as comemorações da festividade foram realizadas visitas nas comunidades e na matriz. A primeira comunidade a receber visita foi Nossa Senhora de Fátima, no dia 25 de fevereiro. A segunda foi a de São João Batista, no dia 4. A terceira, a Matriz da Paróquia de São Pedro e São Paulo, no dia 11, esta foi mais longa com início às 7h e término às 18h30.

w parte do material arrecadado durante a realização da campanha

Guarda Franciscana dos Capuchinhos entrega material escolar para crianças Claudio Alves, administrador, que reconhece que o estudo é uma ferramenta capaz de transformar vidas, mas mais ainda, sabe que muitos pais não têm condições de oferecer um material escolar para os filhos. “O objetivo é preparar essa criança hoje para que amanhã eu não tenha que dar o peixe, mas que eu mostre o rio e que ela tenha condições de pescar”. Há quatro anos a proposta foi apresentada aos demais integrantes da Guarda e de lá para cá, o número de doações

cresce e os contemplados também. Lápis, borracha, caderno, apontador, canetinha, macinha, giz de cera, tinta guache, resma de papel A4, caneta, e outros foram os itens recebidos durante a 4ª edição da campanha, que arrecadou 4.836 mil itens escolares. Todo material, assim como dos anos anteriores, é fruto de doação, do comprometimento e da responsabilidade com o futuro de centenas de crianças. Os kits escolares fo-

ram montados e destinados a três comunidades pertencentes à matriz, sendo elas: Santa Clara, Santa Isabel da Hungria e Nossa Senhora das Graças e, também, Pastoral do Esporte, que proporciona diversão através do esporte e momentos de espiritualidade. Cerca de 180 crianças de três a 13 anos puderam sonhar com um futuro melhor após a entrega dos materiais escolares. De acordo com Claudio Alves, os kits são montados conforme a

necessidade escolar das crianças, ou seja, folhas de papel A4, tintas, canetinha, e outros itens são mais voltados para crianças abaixo de cinco anos, já os acima de cinco anos os kits contém, caneta, caderno, apontador, borracha, e outros. Por exemplo, na Comunidade Santa Isabel da Hungria, todo material foi especifico para crianças da creche, cuja comunidade recebeu cerca de 100 kits. Para ele, as crianças têm estímulos para estudar e, quem ganha são

as famílias, as crianças e a sociedade. “Quem ganha são as crianças e toda a comunidade, elas; ganham diretamente por que os pais não têm condições de comprar, mas quem ganha com isso é a sociedade por que é mais uma criança que está com estímulo para estudar, e consequentemente menos uma que está na rua à mercê de pessoas que induzem para o caminho errado. Então, quem ganha são as famílias, as crianças e a sociedade”, disse Claudio Alves.


12

belém, De 16 a 22 de março de 2018

Especial Juventude

Jovens protagonistas de um mundo melhor

O

Vaticano prepara para outubro de 2018 o Sínodo dos Bispos, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, visando estabelecer os pilares da atividade pastoral da Igreja com os jovens, na XV Assembleia Geral Ordinária dos Bispos. Acolhendo a sugestão do Papa Francisco, o Jornal Voz de Nazaré segue com a série de reportagens a fim de divulgar a ação pastoral do Setor Juventude da Arquidiocese de Belém, sob a coordenação de um dos Bispos Auxiliares de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, designado como Bispo Referencial para a Juventude pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa. Nesta edição, o destaque para o Núcleo Jovem São Vicente de Paulo. fotos: divulgação

w visitas o Núcleo realiza com frequência visitas em outras instituições

P

resente em Belém e composto essencialmente por leigos, a Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) é um movimento que se dedica, sob o influxo da justiça e da caridade, à realização de iniciativas destinadas a aliviar o sofrimento do próximo, em particular dos social e economicamente mais desfavorecidos, mediante o trabalho coordenado de seus membros. Dentro do movimento há um núcleo jovem, um dos que integram a Juventude Vicentina de Belém e desempenha atividades caritativas. A Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) é uma organização civil de leigos, homens e mulheres, dedicada ao trabalho cristão de Caridade. Criada em 23 de abril de 1833, em Paris, na França, por um grupo de seis jovens universitários católicos e um senhor mais velho, a organização está presente no Brasil em 20 mil conferências e em cada uma delas, uma Comissão de Jovens, que tem por finalidade incrementar a participação dos jovens na vida da SSVP. Em Belém, a SSVP está presente há 145 anos, sendo que a juventude organiza-se com seu núcleo um pouco mais de 45 anos. Seguindo o

w o núcleo também realiza trabalhos com crianças das comunidades

Juventude Vicentina II: Núcleo Jovem da Sociedade São Vicente de Paulo Caminhos que busquem valores éticos e compromisso com a causa social

w missionários todos os participantes desenvolvem este carisma

regulamento nacional e internacional da entidade, o núcleo jovem conta com 30 membros com faixa etária dos 16 aos 26 anos, e tem por responsabilidade oferecer à juventude caminhos que busquem valores éticos, compromisso efetivo e afetivo com a causa social e com a Igreja, desenvolvendo o espírito de partilha, solidariedade e a espiritualidade. Para a participação dos jovens membros do grupo é necessário que estes estejam engajados nas conferências, que

são os grupos espalhados nas paróquias da Arquidiocese de Belém. Ao todo, são 40 conferências situadas na capital e no distrito de Icoaraci. Com carisma principal voltado para a caridade, outro carisma que também define o núcleo jovem da SSVP é o missionário, desenvolvendo um trabalho “em saída”, com atuação na casa de irmãos necessitados e famílias para que, assim, possam mudar as estruturas de suas vidas e resgatar a dignidade pessoal.

Ações

Assim, o núcleo jovem realiza visitas em residências e em instituições como abrigo São Vicente de Paulo, Abrigo João de Deus e Lar da Tia Socorro. Além das visitas, o grupo desenvolve atividades formativas que são promovidas por um setor chamado Escola de Capacitação Antônio Frederico Ozanam, conhecida como Ecafo. A Ecafo é responsável pela formação contínua dos confrades e consócias. Como uma escola, essa formação acontece

através da aplicação de módulos temáticos específicos, de acordo com as demandas de cada unidade vicentina. As formações, voltadas para novos e antigos membros, tem como objetivo capacitar os jovens para que, nas ações promovidas, saibam atender os mais carentes sem ofendê-los. Por esse eixo também são realizadas formações permanentes, momentos de espiritualidade uma vez ao mês e Adoração ao Santíssimo Sacramento também mensal, geralmente no quarto sábado de cada mês, na Capela situada na Rua Diogo Móia. O núcleo jovem da SSVP, com a ajuda de voluntariado, já ofereceu também capacitações e cursos, como de dança, para famílias assistidas. Outro público-alvo das atividades são os idosos, promovendo momentos

durante o Natal. Assim como as atividades de visita, o núcleo realiza periodicamente distribuição de sopa e café da manhã para moradores em situação de rua, além de retiros e bazares beneficentes com roupas, calçados e outras itens em favor dos mais necessitados. Os jovens são incentivados também a realizarem visitações em outras instituições que de alguma forma atendam os mais pobres. Os interessados em participar da juventude vicentina da Sociedade de São Vicente de Paulo, segundo Tuany Dias, coordenadora no núcleo, devem procurar uma das conferências na paróquia mais próxima. Segundo ela, a experiência é transformadora: “é gratificante ver Cristo no rosto das pessoas, dos mais necessitados. É um contato com o divino e com o humano ao mesmo tempo”.

Serviço Núcleo Jovem da Sociedade São Vicente de Paulo Capela São Vicente de Paulo Endereço: Rua Diogo Móia, 455 – Umarizal. Contato: (91) 3230-1633 ou 98052-6842.

Voz de Nazaré  

Edição de 16 a 22 de Março de 2018

Voz de Nazaré  

Edição de 16 a 22 de Março de 2018

Advertisement