Page 1

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

Tecnologias Sociais de Comunicação, Informação e Conhecimento

Prof. Fernando Modesto & Prof. Marcos Mucheroni

Interoperabilidade da Informação ou Web Sintática x Web Semântica

2011


Conteúdo • • • • • •

Web sintática Web semântica Interoperabilidade Tipos de Interoperabilidade Metadados Exemplos


American Libraries, 1950


Vannevar Bush. As We May Think. Atlantic: Monthlyl. Vol. 176, n. 1, p. 101-108, July 1945

http://migre.me/GiiK Animação

Sugere um aparelho: Memex, Armazena publicações, livros, anotação e, fotos  suplemento à memória humana com claridade e permanência melhor. Seria uma mesa de trabalho, com display, teclado e botões e alavancas. Conteúdo armazenado em microfilme. Poderia ser recuperado, e indexado por meio de códigos e mnemônicos para acesso fácil. Páginas folheadas dos documentos através de uma alavanca (avanço ou retrocesso). Existiria um botão que convenientemente levaria à página inicial do repositório.


Web Sintática

Semântica

Internet

Computador

Apenas apresentam a informação

O processo de interpretação Humanos

Por que os computadores não podem realizar esse trabalho para nós? Uma das razões reside no fato de que as páginas da Internet não contêm informações sobre si mesmas, ou seja, que tipo de conteúdo está descrito e a que assunto(s) a página se refere. Breitman, K. K. Web dinâmica : a internet do futuro. Rio de Janeiro : LTC, 2005.


Web Sintática Objetivo original da Web  troca de informação entre pessoas, mas de forma de que os computadores participassem da comunicação, ajudando os usuários. Atualmente, computadores têm papel somente no direcionamento e entrega de informações, não tendo acesso ao conteúdo das páginas, porque essa informação está estruturada para utilização pelas pessoas e não por máquinas. É uma Web de documentos e não de informações. Computadores dão ajuda limitada no acesso e processamento da

informação, deixando as funções de extração e interpretação dessa informação a cargo dos usuários.

Dias, T D; Santos, N. Web Semântica: Conceitos Básicos e Tecnologias Associadas. http://www.ime.uerj.br/cadernos/cadinf/vol14/7-neide.pdf


Web Sintática

Analogia – biblioteca

Documentos em vez de organizados por assuntos estivessem todos misturados.

Se quiséssemos recuperar um material faríamos uma busca com palavras que aparecessem em seu título. Leitor interessado sobre protocolo TCP/IP: Procuraria um livro na área de rede. Se utilizasse apenas o termo rede, teria como resposta livros de informática, mas também livros sobre redes telefônicas, redes de transmissão elétrica, e até redes típicas de artesanatos. Caberia ao leitor identificar os livros que atendem aos critérios de sua busca.

Internet desenvolveu-se rapidamente como meio de troca de informação entre pessoas, em vez da troca de dados e informações que pudesse ser processadas automaticamente.


Web Semântica

Objetivo Dar uma estrutura aos conteúdos das páginas Web, criando um ambiente onde agentes de software perambulam pelas

páginas

para

desempenhar

tarefas

sofisticadas

requisitadas pelos usuários. Entre estas tarefas, está a busca contextualizada da informação.

Dias, T D; Santos, N. Web Semântica: Conceitos Básicos e Tecnologias Associadas. http://www.ime.uerj.br/cadernos/cadinf/vol14/7-neide.pdf


Web Semântica  extensão da Web tradicional, onde, a partir do uso intensivo de metadados, espera-se obter o acesso automatizado às informações,

com

base

no

processamento

semântico de dados e heurísticas feitos por máquinas.

Tim Berners-Lee

Tim Berners-Lee, James A. Hendler, Ora Lassila, The Semantic Web: A new form of Web content that is meaningful to computers will unleash a revolution of new possibilities [Web semântica: um novo formato de conteúdo para a Web que tem significado para computadores vai iniciar uma revolução de novas possibilidades]. Scientific American, 284(5):34-43, May 2001.

http://www.sciam.com/article.cfm?id=the-semantic-web

Apresentam cenários futuros, onde a Web Semântica tem um papel fundamental em facilitar tarefas do cotidiano das pessoas.


Web Semântica

Resolver o problema: Estruturar o conteúdo das páginas Web de forma que a informação possa ser interpretada pelas máquinas.

A proposta não é a de uma Web separada da atual, mas

uma

extensão da mesma, baseada em documentos – as ontologias descrevendo relacionamentos entre objetos e contendo informação semântica dos mesmos para automatizar o processamento pelas máquinas.


Web Semântica

W3C

Trabalho que por foco o acesso universal a um ambiente onde a informação seja expressa de maneira a possibilitar a automatização de tarefas e a melhor utilização dos recursos por parte dos usuários.

Objetivo é a criação de uma Web confiável, oferecendo confiabilidade e possibilitando que as pessoas assumam a autoria e responsabilidade por suas publicações. Um dos princípios fundamentais utilizados no design de tecnologias para a Web á a interoperabilidade. As especificações de linguagens e protocolos para Web devem ser compatíveis entre si de forma a permitir que qualquer tipo de hardware ou software utilizado para acessar a Web possa trabalhar em conjunto com estas especificações.

O W3C faz uso de princípios como interoperabilidade, evolução e descentralização para desempenhar suas tarefas de identificação de novas tecnologias para a Web e de projeção e padronização das mesmas. http://www.w3c.br/Home/WebHome


Martinez Usero, José Ángel; Lara Navarra, Pablo. La interoperabilidad de la información. Barcelona : Editorial UOC, 2007. Introdução ao conceito de interoperabilidade tecnológica e os principais âmbitos de aplicação, como são: comércio eletrônico, administração eletrônica, elearning, bibliotecas digitais e outros. Apresentam as principais políticas existentes para o fomento da interoperabilidade na União Européia e Espanha. Demarcam o que é a interoperabilidade da informação e as principais tecnologias para favorecer a

interoperabilidade dos conteúdos, desde o ponto de vista sintático como semântico.

Usero: diretor científico do projeto INREDIS, prof. da Universidad Oberta de Catalunya. Navarra: prof. de documentación na Universidad Oberta de Catalunya e assessor estratégico em gestão de conteúdos eletrônicos.


Conceito - Interoperabilidade • Inglês

tradução

• interoperability Def. genérica

• Interoperatividade • Interoperabilidade Informática

Capacidade de um sistema para utilizar partes ou equipamento de outro sistema.

Capacidade do software e do hardware pertencentes à diferentes computadores e de diferentes marcas comerciais compartilharem dados.

Documentação

A capacidade de um sistema de hardware ou software se comunicar e operar com outro sistema em intercâmbio de dados (documentais/bibliográficos), geralmente se trata de sistemas diferente tipo, projetado e produzido por marcas comerciais distintas.


Conceito - Interoperabilidade Los procesos, tecnologías y protocolos requeridos para asegurar la integridad de los datos cuando se transfieren de un sistema a outro, así como la transmisión de resultados correctos y con significado para el usuario final. ... la definición de interoperabilidade incluye la correcta interconexión de

sistemas y el intercâmbio de datos, información y conocimiento entre estos sistemas. Además, cabría añadir la importancia de las estructuras internas de cada organización, que van a condicionar la interoperabilidad em el intercambio de datos, information o conocimiento com otras organizacionaes que posean uma

estructura interna diferente. Martinez Usero, José Ángel; Lara Navarra, Pablo. La interoperabilidad de la información. Barcelona : Editorial UOC, 2007.


Principais Aplicações da Interoperabilidade

• • • • • •

Comércio eletrônico / e-commerce Administração eletrônica / e-government Saúde online / e-health Aprendizagem online / e-learning Bibliotecas digitais Sistemas de informação geográfica - SIGs


Principais Aplicações E-commerce/comércio eletrônico

i

– função básica – melhorar a conectividade de redes para empresas e consumidores aproveitem as vantagens do comércio eletrônico.

nteropelabilidade

Comércio eletrônico – def. Utilização das TICs para canalizar os fluxos de informação e operação de negócio existentes entre a empresa e seus interlocutores de negócio (clientes, provedores, entidades financiadores, administração pública, e outros)

- é essencial aos atores do mercado se eles necessitam comunicar, intercambiar informação, oferecer e usar serviços e produtos em tempo real. Há necessidades de normas de i adequadas não só para redes, mas para serviços e processos de negócios que são base da economia em rede.

Ex. CRM – Customer Relantionship Management/gestão de relação com os clientes. SCM – Supply Chain Management /gestão de logística.


Principais Aplicações

Bibliotecas digitais ou repositórios de informação

criação

Implica integração de sistemas complexos: Coleções documentais com diferentes estruturas; Conteúdos de diversos tipos e fontes de informação. Variada lista de componentes de hardware e software para inter-operar através de diferentes estruturas de dados, algoritmos

de

processamento

e

múltiplas

pessoas,

comunidades e instituições com objetivos, políticas e culturas

diferentes.

i apresenta muitas dimensões. Inclui: Criação e desenvolvimento de bases de dados; Geração de metadados; Busca e recuperação da informação; Interação com o usuário.

Perspectiva bibliotecária

i dos sistemas de informação e de seus conteúdos requer implementar opções ricas semanticamente: Modelos para desenhar esquema de metainformação RDF – Resource Description Framework CORBA – Common Object Request Broker Architecture Protocolos para disseminação de conteúdo de metadados como OAI – Open Archives Initiative


Tipos de Interoperabilidade

dos conteúdos

i

sintática ou dos dados – baseada na codificação dos dados, mediante uso de linguagens de marcação para desenvolver sistemas, modelos de gestão e formatos de apresentação da informação para cada tipo de usuário.

semântica ou de metadados – destinada a descrição dos recursos de informação para facilitar o intercâmbio de informação e recuperação pelo usuário.

Uso de ferramentas para a representação de conhecimento contido nos recursos. Ferramentas provenientes da Documentação e Gestão de conhecimento como: vocabulário controlado, metadados, ontologias, topic maps.

Pode-se diferenciar claramente entre sintática (que se identifica com as linguagens de marcação); semântica (que se identifica com os metadados).


Linguagem de marcação

sintática ou dos dados

SW Livre e Fonte Aberta

Formatos abertos para documentos eletrônicos

Diretrizes de acessibilidade

infra-estrutura de uso e reuso livre.

ODF (Open Document Format) – assegurar Ide conteúdos.

WCAG da W3C – garantir acesso adequado a todo tipo de usuário.

Toda organização pública, projeto com recursos públicos, provedores de agências públicas devem garantir nível adequado de acessibilidade.

Consistência na produção, processamento e distribuição da informação.


semântica ou de metadados nos recursos de informação

Conjunto de elementos com semântica aceita e orientado à recuperar informação eletrônica dispersa

Envolve sistema de Classificação e organização do conhecimento.

http://avi.alkalay.net/articlefiles/2008/03/int eroperability.png

Tecnologias de descrição semântica da informação

Problema

Descrever uniforme tipologias documentais diversas (doc. Hipetextuais, sons, imagens e outros)

Entidades implementam metadados de forma particular e que resulta difícil de entender para outros ao estar baseada em normas de consenso.

Ontologias

Instrumento que define termos e relações a partir de vocabulário controlado de uma área, e as regras de combinação dos termos e relações para definir as extensões de um vocabulário.

Objetivo

Melhorar a representação da informação e dos sistemas de recuperação. Melhorar a análise do conhecimento em um campo. Facilitar a compreensão da informação para humanos e máquinas.


Metadados Conhecidos como informações sobre dados, são utilizados para documentar e organizar de forma estruturada e padronizada as informações de documentos com o objetivo de facilitar e tornar mais efetiva a busca e recuperação da informação na Web. O metadado é estruturado com elementos de descrição do conteúdo dos dados. Cada bloco de informações deve conter, por exemplo, autor, título, data de publicação etc. e para cada campo pode conter as seguintes informações: nome do campo, descrição do campo, tipo de dados, formato, etc, e qualquer informação que seja relevante para a recuperação da informação. No contexto da Web, três aspectos devem ser considerados no desenvolvimento de metadados: descrição de recursos, produção e uso de metadados. Iannella, R., Waugh, A. Metadata: Enabling the Internet. http://migre.me/5Y4k6


Metadados Tem que ser flexível para capturar informações de diversas fontes distintas. Metadados nada mais são determinada informação.

do que sumários

Utilizar trabalho humano para cansativo.

sobre uma

gerar metadados

é caro e

A tendência é automatizar este processo o máximo possível.

Metadados serão acessados e utilizados. Eles têm que estar disponibilizados de maneira que possam ser processados preservando seu conteúdo semântico. Quanto à sua utilização, podem servir de forma especialmente relevante na localização de recursos na Web, contendo informação descritiva dos recursos e onde estes podem ser encontrados. Dias, T D; Santos, N. Web Semântica: Conceitos Básicos e Tecnologias Associadas. http://www.ime.uerj.br/cadernos/cadinf/vol14/7-neide.pdf


Conceito de metadados  CI Metadados usualmente são informações sobre um recurso informacional, que descreve um documento.

Definição de metadados no contexto da textualidade eletrônica “[...] qualquer dado que faz alusão à identificação, descrição e localização de recursos eletrônicos em rede. São, pois, dados que descrevem os atributos de um recurso, caracterizam suas relações, suporta sua recuperação, gestão e uso efetivo, e existem em um contexto estritamente eletrônico”. MÉNDEZ RODRÍGUEZ, E. Metadatos y recuperación de información: estándares, problemas y aplicabilidad en bibliotecas digitales. Gijón: Trea, 2002. 429p. (Biblioteconomía y Administración Cultural; 66)


Conceito de metadados  CI Metadados podem ser categorizados como: descritivo

(facilita a

indexação, busca, identificação e seleção de

documentos);

estrutural

(descreve a estrutura interna de documentos); e

administrativo

(ajuda na administração de recursos, podendo incluir

metadados técnicos, de propriedade e preservação, que descrevem as características física de um recurso).

REITZ, J. M. ODLIS: Online Dictionary for Library and Information Science. 2007. Disponível em: http://www.abc-clio.com/ODLIS/odlis_A.aspx


Conceito de metadados  CI Há tipos diferentes de metadados descritivos: o técnico (descrevem

formato, padrões de codificação); o administrativo (descreve direitos de propriedade intelectual, condições de acesso); e o de conteúdo (temática, escopo, autoria, etc.). O autor considera que todo metadado é descritivo, assim, pode-se afirmar, que os metadados são conjuntos de dados que descrevem um recurso informacional, do ponto de vista de conteúdo, de forma,

de

gestão,

etc.,

sendo

um

método

específico

de

representação da informação, pois está condicionado aos pacotes informacionais. BUCKLAND, M. K. Descrição e pesquisa: metadados como infra-estrutura. Brazilian Journal of Information Science – BJIS, Marília, v.0, n.0, p.3-15, jul./dez. 2006. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis/article/view/26


Lagoze (1996) Funcionalidades dos metadados. Tipos de metadados facilitar : Descoberta de recursos. Busca de informações Gestão da Informação e de Fonte

Uso de recursos

Recursos em relação a sua utilização pelo usuário

Tipologias de metadados de acordo com alguns autores e IFLA Lagoze (1996)

Gilliland-Swetland (2000)

Greenberg (2001)

Descritivo; Identificação

Descritivo

Exploração

Administrativo

Administrativo, de preservação

Administrativo

Termos e condições de uso

Administrativo, de preservação; de utilização

Utilização técnica; Utilização intelectual; Administrativo

De conteúdo

De utilização

De utilização técnica; De utilização Intelectual

Autenticação de recursos, e outras atividades relacionadas com a sua procedência

De procedência

Administrativo; de utilização

de autenticação; Administrativo

Conexão com outros recursos

Ligação; Estrutural

Administrativo

Estrutural

Técnico; de utilização

Requisito de Recursos de hardware e software

Caplan (2003)

IFLA (2005)

Descritivo

Descritivo

Administrativo

Administrativo; Vinculação

Administrativo; Ligação

Administrativo, Outros metadados Administrativo, de preservação; de utilização; Outros De utilização; Gestão de direitos

Administrativo

Administrativo; Analítico

de autenticação; Administrativo

Ligação

Estrutural

Técnico; de utilização

Estrutural

Estrutural; Técnico


Os tipos de metadados proposto por Gilliland - Swetland, Greenberg, Caplan e IFLA são mapeados para as funcionalidades de metadados desenvolvido pela Lagoze, em correspondência com conotações diferentes dependendo da função de metadados e sua responsabilidade em relação às funções que desempenham.

Metadados administrativos: informações sobre o recurso em si ( a sua criação, modificação, relacionamento com outros registros, etc.) Estes metadados podem incluir: número do registro, data de sua criação e modificação, a identificação do criador e revisor; linguagem; notas; relação com recurso (s ) outro ( s). Metadados descritivos: informações sobre as propriedades físicas e intelectuais ou o conteúdo de um recurso digital, que pode conter: título, criador, data, editora; identificadores únicos (ISBN, ISSN, etc ); links dinâmicos (URI; URL, etc ); resumo; nota descritiva; revisão; formato; versão de idioma,, etc Metadados analítica: informações explorar e melhoria do acesso ao conteúdo do recurso, que pode incluir: termos de assunto controlados, abstrato; tabela de conteúdos, códigos derivados de sistemas de classificação; outros elementos de importância local; links para outros conteúdos relacionados. Metadados de Gestão de Direitos: informações sobre restrições / permissões (legal; financeiros, etc ) sobre o acesso ou uso de itens digitais ou objetos. Metadados técnicos: informações sobre hardware ou software usado na conversão de um item de informações para um formato digital, ou no armazenamento, visualização, etc Metadados de preservação: informações sobre a condição física de um item / objeto e as ações ( recarregamento, migração, etc ) realizada para preservar e gerenciar itens físico e digital / objetos / coleções. Metadados estruturais: informações sobre os tipos, versões, relacionamentos e outras características de itens digitais ou objetos, e / ou suas partes componentes. Metadados do uso: informações sobre o nível e tipo de uso de recursos de informação. Outros metadados: elementos de especial aplicação local, regional, nacional e / ou requisitos organizacionais.


Conceito de metadados  CI

Exemplo de formato de metadados é o MARC (MAchine-Readable Cataloging – Catalogação Legível por Computador), que se trata de “um conjunto de padrões para identificar, armazenar, e

comunicar

informações bibliográficas em formato legível por máquina, de forma que diferentes computadores e programas possam reconhecer, processar e estabelecer pontos de acesso dos elementos”. O MARC é um formato comum utilizado em bibliotecas.

ALVES, M. das D. R.; SOUZA, M. I. F. Estudo de correspondência de elementos metadados: Dublin Core e MARC 21. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 4, n. 2, p. 20-38, jan./jun. 2007. Disponível em: http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/index.php/sbu_rci/article/view/358


Conceito de metadados  CI

Estrutura básica de metadados do Formato MARC Campos Descrição 0XX Informações de controle, números e códigos 1XX Autoria (nome pessoal, entidade, evento) 2XX Títulos, edição, distribuição 3XX Descrição física 4XX Série 5XX Notas 6XX Entradas de assuntos 7XX Entradas secundárias (nome pessoal, entidade, evento, título) 8XX Entradas secundárias de série 9XX Uso local


Metadados descritivos


Matadados descritivos ďƒ MARC


Conceito de metadados  CI Padrão de metadados que tem seu foco no ambiente da Web, sendo adotado no projeto da Web Semântica. Dublin Core (DC). O conjunto de metadados descrito pelo DC é composto de 15 elementos, os quais poderiam ser descritos como o mais baixo denominador comum para descrição de recurso (equivalente a um registro catalográfico) As principais características do padrão DC são a simplicidade na descrição dos recursos, entendimento semântico universal (dos elementos), escopo internacional e extensibilidade (o que permite sua adaptação às necessidades adicionais de descrição).

SOUZA, M. I. F.; VENDRUSCULO, L. G.; MELO, G. C. Metadados para a descrição de recursos de informação eletrônica: utilização do padrão Dublin Core. Ciência da Informação, Brasília, v.29, n.1, p.93-102, jan./abr. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v29n1/v29n1a10.pdf.


Título: o nome dado ao recurso informacional (metadado de conteúdo); Autor/Criador: a pessoa ou organização responsável pelo conteúdo intelectual de recurso (metadado de propriedade intelectual);

Assunto(s) ou palavra(s)-chave: termos que descrevem os temas que cobrem o conteúdo intelectual o recurso (metadado de conteúdo); Descrição: descrição textual do conteúdo do recurso, resumo para documentos textuais e descrição para recursos visuais (metadado de conteúdo); Publicador /Editor: o responsável (indivíduo ou organização) por tornar o recurso ou documento disponível (metadado de propriedade intelectual); Contribuidores/Colaboradores: indivíduos ou organizações que contribuíram para a criação do conteúdo do recurso (metadado de propriedade intelectual); Data: data em que o recurso foi tornado disponível (metadado administrativo);

Tipo: categoria do recurso, se imagem, texto, vídeo, etc. (metadado de conteúdo); Formato: estabelecido o tipo de recurso, determina-se o seu formato, o tipo texto, pode ser digital ou impresso (metadado administrativo); Identificador: número que caracteriza o recurso como único (metadado administrativo);

Fonte: informação sobre outro recurso do qual o presente recurso é derivado (metadado de conteúdo); Linguagem /Idioma: o idioma do conteúdo intelectual do recurso (metadado administrativo e de conteúdo); Relação: permite o relacionamento com outros recursos, como, por exemplo, se é um capítulo em um livro (metadado administrativo); Cobertura: onde o recurso está fisicamente localizado (metadado administrativo);

Direitos autorais: declaração de direito sobre a propriedade, um identificador que

link a uma declaração de direito sobre a propriedade, ou um identificador que link a um serviço que fornece informação sobre o direito de propriedade do recurso (metadado de propriedade intelectual).


http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/issue/current/showToc


http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/view/1873


http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/rt/metadata/1873/0


Conceito de metadados  CI Conjuntos de dados estruturados que descrevem os principais atributos de representação / características dos recursos de informação. Um "registo simples de metadados" consiste de um conjunto de atributos ou elementos, necessários para descrever o recurso em questão. Metadados associados com o objeto de informação alivia os usuários de ter completo conhecimento sobre o acesso à informação existente, e da sua recuperação. Se vale a pena tornar um recurso identificável ​e acessível, então vale a pena representá-lo com itens de metadados, de forma a maximizar a capacidade para localizar, capturar e recuperá-lo.

Solodovnik , I . Innovative methods for information representation and new knowledge creation in Digital Libraries . Libr & Information Sci. Critique, Vol. 4, No.1, p. 49-72, Jan-Jun 2011. http://eprints.rclis.org/bitstream/10760/16040/6/cb.vol4.no1.pdf


Conceito de metadados  CI Uma das características comuns dos itens de metadados é seu caráter relativo: a informação que em um sistema de informação representa metadados, em outro pode ser realmente dados. Na verdade, muitos dos metadados são dados simultaneamente, já que eles tomam um lugar tanto na meta-descrição de um objeto

digital e no próprio objeto. Como, por exemplo, são título, autor, resumo e os metadados específicos de outros documentos de texto simples. Para outros tipos de objetos digitais, tais como imagens, apresentado na

forma de arquivos gráficos, os metadados não estão incluídos no objeto. Solodovnik , I . Innovative methods for information representation and new knowledge creation in Digital Libraries . Libr & Information Sci. Critique, Vol. 4, No.1, p. 49-72, Jan-Jun 2011. http://eprints.rclis.org/bitstream/10760/16040/6/cb.vol4.no1.pdf


Metadados controle


Conceito de metadados  CI Padrões de metadados se propõem a resolver a questão de interoperabilidade em domínio específicos ou em domínio heterogêneos.

Padrão DC é dos poucos que se propõem a integrar a informação de fontes totalmente heterogêneas utilizando um conjunto mínimo de

elementos e qualificadores.

Os padrões de metadados (MARC e DC) citados não são suficientes

para prover a interoperabilidade semântica em fontes heterogêneas necessárias à organização da informação legislativa e jurídica do Brasil.


Ciência da Informação

desenvolvimento de ontologias

Surge da necessidade da representação da informação em meio digital. Permeia a produção, a disseminação e a recuperação dos conteúdos na atualidade. A Organização do Conhecimento (OC) é um campo de estudo interessado pela natureza e pela qualidade dos processos implicados na própria

OC: a descrição de documentos, a indexação, a classificação, etc. Processos que se realizam por bibliotecários, especialistas em informação e também por algoritmos computacionais.

HJORLAND, B. Semantics and Knowledge organization. Annual Review of Information Science and Technology, v. 41, p. 367-405, 2007b.


semântica ou de metadados nos recursos de informação

Conjunto de elementos com semântica aceita e orientado à recuperar informação eletrônica dispersa

Envolve sistema de Classificação e organização do conhecimento.

http://avi.alkalay.net/articlefiles/2008/03/int eroperability.png

Tecnologias de descrição semântica da informação

Problema

Descrever uniforme tipologias documentais diversas (doc. Hipetextuais, sons, imagens e outros)

Entidades implementam metadados de forma particular e que resulta difícil de entender para outros ao estar baseada em normas de consenso.

Ontologias

Instrumento que define termos e relações a partir de vocabulário controlado de uma área, e as regras de combinação dos termos e relações para definir as extensões de um vocabulário.

Objetivo

Melhorar a representação da informação e dos sistemas de recuperação. Melhorar a análise do conhecimento em um campo. Facilitar a compreensão da informação para humanos e máquinas.


Geração de conhecimento

Adquirir

Filtrar

SW Livre Formatos Abertos

XML SGED

Interoperabilidade

Representação do conhecimento

Criar

Organizar

Sistema de Classificação Metadados Ontologias Topic Maps

Interoperabilidade semântica

Transferência do conhecimento

Acesso

Acessibilidade Web

Usar

Formatos Abertos

Interoperabilidade sintática

Relação entre gestão do conhecimento e interoperabilidade Usero & Navarra, 2007


Interoperabilidade da Informação

integração

i

sintática semântica

envolver

i

•dos sistemas de informação; •linguagens de marcação; •de sistemas de classificação; •de registros eletrônicos; • e outros ambientes com maior ou menor especificidade.

adaptação

conceito interrelacionado a vários níveis e facetas

transformação

Combinação Quando a informação fornecida procede de deferentes fontes

Produtor proporciona informação

Produção, relacionamento

Distribuição, Integração de conteúdos

adequação

Normaliza, Depura, Integra.

A informação se transforma para adaptar às necessidades do usuário


Modelo de Interoperabilidade de informação Produção e distribuição de conteúdos

1 nível - superar a distribuição geográfica e a heterogeneidade de estruturas dos dados.

2 nível – unir atributos compatíveis semanticamente, mediante técnicas simples de normalização de dados.

3 nível – mediação entre diversas representações para que se faça referência ao mesmo conceito.

4 nível – unir múltiplas fontes


Interoperabilidade

Problemas

Sistemas – incompatibilidade entre hardware e sistemas operacionais; Sintática – diferenças na codificação e representação da informação; Estrutural – variações nos modelos de dados e esquemas; Semântica – inconsistência na terminologia e significados

Enquanto problemas de interoperabilidade de sistema e sintática podem ser resolvidos com padrões já estabelecidos de representação, codificação e intercâmbio (XML, UNICODE, OAI-PMH etc.), a interoperabilidade estrutural e a semântica exigem a adoção de um modelo de referência que permita o mapeamento dos diversos modelos e o uso de uma terminologia unificada entre diferentes tipos de informação.

Ouksel, A. m.; Sheth, A. Semantic Interoperability in Global Information Systems. ACM SIGMOD Record, v, 28, n,1, p.5-121, 1999.


Conclusão • A evolução na gestão de conteúdos eletrônicos implica a reestruturação da gestão interna das organizações mediante a reengenharia de processos e a substituição dos processos baseados em papel (impressos) por serviços web baseados em tecnologias interoperacionais e normas abertas, sobre tudo nas organizações públicas


Conclusão

O compartilhamento de conhecimento é condição essencial para a interoperabilidade. Se as pessoas não dispuserem de uma base comum de conhecimento, não poderão falar entre si e, muito menos, fazer com que seus sistemas se comuniquem. Um exemplo foi a disponibilização do código do protocolo TCP/IP. Embora não fosse o mais seguro para comunicação em rede, era leve e aberto. Sem ele hoje não teríamos a internet que conhecemos. Alvin, F. A.; Miranda, L. A.; Côrtes, D. S. Software Público e Interoperabilidade. In: Mesquita, C. S. F.; Bretas, N. L. (orgs). Panorama da Interoperabilidade no Brasil. Brasília, DF: Ministério do Planejamento, 2010.


Conclusão 2

O termo “interoperabilidade”, juntamente com o termo "metadados",

é uma palavra usada de maneira

crescente na área da ciência da informação,

envolvendo

atividades

relacionadas

à

gestão

da

informação nas bibliotecas e outras unidades tipológicas de informação. Seu significado, entretanto, permanece

um pouco ambíguo, como os possíveis benefícios de um comportamento "interoperacionável". Fernando Modesto


Exemplo

UltraViolet Modelo de negócio de filme

Compra-se o filme em DVD numa loja ou em formato virtual (Internet).

O DVD sai da loja com um código que libera o filme na biblioteca digital que o cliente cria gratuito no site da Ultraviolet. Pela internet, a compra adiciona o título ao catálogo, no ato da aquisição. Vídeo disponível on-line (até 6 pessoas podem usar a mesma conta) Pode ver o filme em sites de streaming, Baixar o filme em laptop ou netbook, Celulares e Tablets


Exemplo

No TED Índia, Pranav Mistry faz a demonstração de uma série de instrumentos que ajudam o mundo físico interagir com o mundo de dados -

- incluindo um profundo olhar no seu dispositivo SixthSense [Sexto Sentido] com um novo e transformador paradigma do 'laptop' de papel.

http://www.ted.com/talks/lang/por_br/pranav_mistry_the_thrilling_potential_of_sixthsense_technology.html

Interoperabilidade da Informação  

Palestra sobre conceitos relacionados com a interoperabilidade.