Issuu on Google+


Entrevista

COM Gilvan Trigueiro Júnior

Nataldecor,

associação-referência no mercado A equipe da Revista Profissionais & Negócios entrevistou Gilvan Trigueiro Júnior, presidente da Nataldecor – Associação das Lojas de Decoração de Natal e diretor das empresas Marelli, Maquip e Celmar Móveis Modulados. Confira a entrevista !

Revista P&N: Fale um pouco sobre você. Sua formação acadêmica e as empresas que você dirige. Gilvan Trigueiro: Fui Engenheiro Mecânico do DER e também da UFRN de onde sai para montar a Maquip, empresa que administro a quase 20 anos e que atua no segmento de informática e locação de equipamentos. Em 2006 adquiri a Loja da Marelli , especializada em móveis para escritório e, no final de Maio, inaugurei a Celmar Móveis Modulados em Natal. Conte sobre a Associação NATALDECOR, sua missão, princípios e valores. A NATALDECOR é uma associação fundada a cinco anos e que tem como missão fomentar o mercado de arquitetura e ambientação, sendo uma entidade facilitadora entre o especificador e os associados, beneficiando todo o segmento e proporcionando à sociedade norte-riograndense meios de assistência sócio-cultural. Nossos valores são: Comprometimento Ético, Transparência e Inovação. E nossos princípios são: Ética, Responsabilidade Social, Qualidade de Vida, Marketing Responsável e Incentivo à Gestão do Conhecimento. Quais lojas são associadas à NATALDECOR? Nossa Associação é formada por 15 empresas: Águia Piscinas, Arban, Armazem Pará, Artkasa, Art & Conforto, Vitrallo, Flamma Luminárias, Florense, Fragmentos, Jocil, Marelli, Marmore, Multiclima,

Teto Interiores e Spazzio.Estamos buscando novos associados para fortalecer a NATALDECOR. Quais as ações que a Associação vem implementando? Contamos com o trabalho de uma consultoria empresarial que realiza treinamentos de integração entre os funcionários de nossas lojas para que todos os colaboradores conheçam os produtos e serviços de todas as lojas. Nosso objetivo principal é a excelência no atendimento ao cliente em todas as lojas da Associação. Acreditamos que precisamos treinar as pessoas para que elas tenham um aprendizado contínuo, pois são inúmeras novidades no mercado e as informações circulam em alta velocidade. Outra ação da NATALDECOR é a transformação de seu site em um portal onde haverá espaço tanto para o conteúdo de matérias, reportagens e artigos; quanto para banners de publicidade. Isso sem falar que o portal da Associação será um espaço muito interessante para os arquitetos divulgarem seus trabalhos. Vamos proporcionar uma maior interatividade aos visitantes. Pretendemos também proporcionar eventos técnicos e culturais para movimentar o segmento de arquitetura e decoração no Estado. Qual o perfil dos arquitetos do Rio Grande do Norte ? Com o crescimento da construção civil em nosso Estado, os profissionais de arquitetu-

ra também tiveram que seguir no mesmo caminho. Hoje o nível de conhecimento, experiência e qualidade dos projetos está muito alto. Temos grandes arquitetos e decoradores no Rio Grande do Norte. Nossos profissionais são requisitados para realizar projetos em vários Estados do país e até mesmo do mundo. Vejo que a maioria está buscando atualização profissional com visitas às Feiras Internacionais do setor - um exemplo disso é o Salão do Móvel de Milão que recebeu inúmeros arquitetos do Rio Grande do Norte - Cursos de Especialização e Palestras Técnicas. Quais os cenários de negócios do Estado? Turismo e lazer, construção civil, atividades imobiliárias, comércio e a indústria de transformação formam os principais atrativos do Rio Grande do Norte. O Estado cresce muito e por conseqüência Natal também – o destaque fica para o turismo e a construção civil. É importante lembrar a importância dos investimentos públicos em obras de infra-estrutura, tais como: a Ponte Newton Navarro (ForteRedinha) e a construção do futuro aeroporto de São Gonçalo. Qual é o papel do líder nesses tempos de transformação? O papel do líder é educar. Motivar seus liderados na busca do conhecimento e proporcionar um ambiente para isto, pois só assim conseguiremos crescer e acompanhar as mudanças.

Julho/2008    3


Editorial Paulo Oliveira

www

espaço

Prezados leitores, é com imensa alegria que colocamos a nossa Revista Profissionais & Negócios em suas mãos. Nesta edição estamos oferecendo a matéria especial sobre a importância do design como diferencial competitivo para as empresas e mostrando o quanto as organizações com visão de futuro apostam no design como estratégia de negócios. Aproveito para lembrar que a P&N é um espaço para compartilhar idéias, por isso está aberto para todos os profissionais que queiram mandar artigos sobre os mais diversos assuntos ligados ao mundo do trabalho e ao aprimoramento profissional. Estamos trabalhando para oferecer uma publicação que seja capaz de colaborar com as empresas e com os profissionais do Rio Grande do Norte.

Comunicação interna, diferencial competitivo A comunicação interna nas empresas passou a ser diferencial competitivo, pois as organizações vencedoras são aquelas que estimulam a comunicação entre seus funcionários e valorizam as relações humanas nas organizações. ``Leia mais www.marciaavila.com.br/artigos Criatividade, habilidade essencial A criatividade é uma habilidade essencial, pois significa a capacidade de inovar soluções na resolução de problemas. ``Leia mais www.marciaavila.com.br/artigos

Tenham todos uma ótima leitura e que Deus continue nos abençoando ! Um forte abraço, Márcia Ávila.

O espaço é seu !!! “Posso afirmar que profissionalismo, seriedade e competência são a marca registrada de Márcia Ávila, uma profissional de personalidade forte, determinada e persistente diante dos desafios. Vinda do sul do país, adotou Natal como sua cidade, construindo aqui, um caminho com valores éticos, comportamento assertivo, ousadia e conquistando muitos amigos. Márcia lhe admiro por isso, e desejo muito mais sucesso na sua trajetória profissional.” Ivanilde M. Severiano - Psicóloga e Consultora em Desenvolvimento Humano nas Organizações

Parabéns pelo excelente nível e qualidade das matérias. É o que o profissional precisa saber, está tudo em sintonia com os termos e necessidades do mercado de trabalho atual. Linguagem clara e acessível. Você é demais! Tatiana Seabra - Soluções Recursos Humanos Sou Igor Fuad, consultor de vendas da loja Oculare. Já estava no final de mais um dia de trabalho, quando procurava algo para ler, e me deparei com dois exemplares da “Profissionais e Negócios” (Março e Maio). De cara pensei logo que fossem revistas de circulação nacional,

EDITORIA Ávila Comunicação & Eventos Direção, edição e redação Márcia Ávila - (84) 9414-2163 avilamarcia@ig.com.br

A revista Profissionais & Negócios é uma publicação da Ávila Comunicação & Eventos www.marciaavila.com.br

PROJETO GRÁFICO E DESIGN Firenzze Design & Comunicação - (84) 3086-1228 atendimento@firenzze.com Projeto gráfico e direção de arte Paulo Moreira - (84) 9402-6041 pmoreira@firenzze.com Ilustração Roberto Luiz - (84) 8817-6661 bewasdal@yahoo.com.br

e bem que poderia ser. Levei as duas para casa e as li naquela mesma noite. Pela manhã sai de casa e passei numa banca, no bairro do Tirol, e comprei a edição de Junho. Estou impressionado pela revista e o conteúdo que ela traz. Toda ela é de excelente qualidade. Aguardo ansioso pela próxima. Parabéns!!!! Igor Fuad, Consultor de Vendas da loja Oculare

REVISÃO Gilvan de Oliveira (84) 8873-5476 gilvansbt@yahoo.com.br COMERCIAL E MARKETING Paulo Costa - (84) 9928-9274 paulocosta26@yahoo.com.br TIRAGEM 5.000 Exemplares CORRESPONDÊNCIA Rua Romualdo Galvão, 1703 - Ed. Trade Center - Sl 101 - 59056-100 (84) 3082-7546 / 9444-0248


Entrevista

Marcia Kafensztok

Design estratégico é mais do que saber desenhar A Revista Profissionais & Negócios entrevistou a designer Marcia Kafensztok, profissional que atua no Rio Grande do Norte desde 1989, para conhecer suas idéias sobre a importância do design para as empresas. Formada em Desenho Industrial pela ESDI (Escola Superior de Desenho Industrial) da UERJ em 1987, Márcia possui pós graduação em Design Estratégico pela FARN/ 2005 e vem atuando como designer gráfica desde 1986.

Revista P&N: Fale sobre sua formação acadêmica e sua trajetória profissional. Marcia Kafensztok:Tive oportunidade de estudar numa das melhores escolas de Design do Brasil, a ESDI (Escola Superior de Desenho Industrial)/UERJ. A Revista de Negócios norte-americana “BusinessWeek” em reportagem especial sobre o ensino de Design, em outubro de 2007, avaliou que, junto a diversos cursos dos Estados Unidos, Europa e Ásia, a ESDI é a única escola da América Latina entre os 60 programas de Design destacados pela revista como os melhores do mundo. De lá para cá passei trabalhando com a criação de marcas, impressos, embalagens e projetos de sinalização; num ramo do Design que chamamos de Programação Visual. Há alguns anos atrás, fiz uma pós-graduação em Design Estratégico, na FARN, que mudou radicalmente a minha trajetória profissional. Mudou sua trajetória profissional? De projetos de marca, embalagens e sinalização, o meu trabalho se transformou em gestão da marca, em planejamento estratégico no que tange a comunicação e percepção de valor da marca. A comunicação de marca deve caracterizar uma experiência de relacionamento positiva, tanto dentro da empresa quanto fora dela. Para isto, é preciso conhecer a empresa profundamente, seus mecanismos de comunicação, seus processos de produção e controles internos, suas metodologias de avaliação, seus objetivos e metas.

“As marcas são como bandeiras, que servem para identificar a origem e as características de determinado produto/serviço”.

Qual o seu conceito de design? Design Gráfico é um termo utilizado para definir, genericamente, a atividade de planejamento e projeto relativos à linguagem visual. Atividade que lida com a articulação de texto e imagem, podendo ser desenvolvida sobre os mais variados suportes e situações. Compreende as noções de projeto gráfico, identidade visual, projetos de sinalização, design editorial, entre outras. Porque design vende? Vou mudar um pouco a sua pergunta: Porque se paga pelo Design? Em geral, o que o consumidor paga por produtos/serviços, não necessariamente é o que o produto/serviço vale. Ele paga pelo “valor percebido”. O que faz com que o cliente perceba valor? É o Design. Tome como exemplo um aparelho de DVD. Todos os componentes internos, provavelmente, são feitos pelo mesmo fornecedor e hoje em dia os preços variam

pouco. O que faz com que você prefira um determinado modelo? Com certeza é o Design do produto. Fale um pouco sobre o poder das marcas? As marcas são como bandeiras, que servem para identificar a origem e as características de determinado produto/serviço. Ela deve transmitir o que existe de único e primordial no que ela representa. Se esta comunicação é feita de forma correta, se você diz claramente o que você está oferecendo e direciona esta informação para o mercado que quer consumir o que você oferece, a força desta marca se torna muito grande. Qual a dica que você sugere para quem quer trabalhar com design? Embora no Rio Grande do Norte não exista formação para designers, na Paraíba, em Campina Grande, temos um dos melhores cursos de design do Brasil. Para quem quer trilhar este caminho, minha dica é que o jovem designer agregue ao seu curso outras áreas de seu interesse. Desta forma ele vai enriquecer o seu currículo e agregar outros valores ao seu trabalho. Hoje, o mercado exige do profissional que trabalha com marcas, que ele tenha múltiplas habilidades para entender como se “vende” uma marca. Não basta saber desenhar, é preciso entender de organização empresarial, administração, controles de custos e outras questões que movem as empresas.

Julho/2008    5


Carreira É preciso vontade para

Trabalhar Para a maioria das pessoas, trabalhar não é exatamente a melhor coisa do mundo. Acordar cedo para muita gente é uma verdadeira tortura e trabalhar possui alguns sinônimos como: “ralar”, “pegar no pesado”, “ir à luta”, “matar um leão a cada dia”, “apagar incêndio” ou outras expressões do gênero. Talvez essa aversão ao trabalho que inúmeras pessoas carreguem em seu universo imaginário – consciente ou inconscientemente – se deva à palavra “trabalho” que tem sua origem no vocábulo latino “tripaliu” - denominação de um instrumento de tortura formado por três (tri) paus (paliu). Desse modo, originalmente, “trabalhar” significa ser torturado no tripaliu. Isso era na antiguidade e atravessou a Idade Média todinha. Mas quem eram os torturados? Os escravos e os pobres que não podiam pagar os impostos. Assim, quem “trabalhava” naquele tempo, eram as pessoas destituídas de posses. Vale lembrar que somente no século XIV a palavra “trabalho” começou a significar

aplicação dos talentos humanos e das habilidades para alcançar um determinado resultado. Mas chega de história e vamos ao nosso dia-a-dia: trabalhar não é para qualquer um mesmo! É preciso muita “coragem” para trabalhar, ou seja, muita vontade para trabalhar, correr, pensar, projetar e também muita humildade para aprender o que não se sabe, ouvir críticas e tentar melhorar. Isso sem contar que para trabalhar é preciso vencer a preguiça, principalmente em uma cidade como Natal – com muito sol e praias encantadoras que exercem um poder de sedução gigante em qualquer um de nós – seres humanos mortais. “Gosto do indivíduo que enxerga no trabalho um meio, não um fim, mas que vive intensamente quando está nele - é difícil achar gente assim, mas existe!”, diz o médico veterinário Fernando Vasconcelos Heiderich, presidente da Schering-Plough Coopers, Indústria líder no segmento de saúde animal. Quem gosta do que faz passa o dia

trabalhando e nem sente que trabalhou. Mas quem não suporta seu trabalho sofre demais. O fato é que o amor ao trabalho torna a pessoa motivada, espontânea, feliz e com aquele brilho nos olhos. “Se você não gosta do seu trabalho, tente fazê-lo bem feito. Seja o melhor na sua área, destaque-se. Você será aplaudido, valorizado, procurado e outras portas se abrirão. Você vai começar a gostar do que faz, vai começar até ser criativo, inventando coisa nova, e isto é um raro prazer. Faça o seu trabalho mal feito e você estará odiando o que faz, a sua empresa, o seu patrão, os seus colegas, o seu país e a si mesmo. Este é,na minha opinião, o problema número 1 do Brasil. Fazemos tudo mal feito, fazemos o mínimo necessário, simplesmente porque não aprendemos a gostar do que temos de fazer e não realizamos tudo bem feito, com qualidade e precisão”, diz Stephen Kanitz, formado em Administração de Empresas por Harward e articulista da Revista Veja.


Eliana Rodrigues Araújo Psicopedagoga Pesquisadora com foco em inclusão social e educacional das pessoas com autismo e síndrome de Asperger, Fundadora da APACE – Associação de Pais, Profissionais e Amigos de Crianças Especiais, e Idealizadora do Crê-SER – Centro de Estudo Aplicado. Endereço: Av. Miguel Castro, 714 – Lagoa Nova - Natal/RN Fone: (84) 3206-9439 E-mail: creser.natal@digizap.com.br, eliananatal@yahoo.com.br

Somente os corajosos podem viver as emoções” Adilson Rodrigues, diretor uma Rede de Supermercados em Minas Gerais

Crê-SER, uma proposta transdisciplinar O Crê-SER – Centro de Estudo Aplicado está em Natal desde o início deste ano com o objetivo de atender crianças de dois a sete anos com Transtornos Globais de Desenvolvimento, através do Programa de Intervenção Precoce, na modalidade particular e famílias cadastradas na Associação de Pais, Profissionais e Amigos de Crianças Especiais – APACE, pelo projeto social. O programa de atendimento - intensivo e extensivo às famílias e escolas - é realizado por equipe composta dos seguintes profissionais: Terapeuta Ocupacional, Pedagoga, Psicóloga, Psicopedagoga e Médica Geneticista com mestrado em autismo; atuando na metodologia transdisciplinar e princípios sociointeracionista. O grande objetivo do Crê-Ser é garantir a permanência e a participação da criança na escola regular ao longo da vida, na família e o seu acesso ao mercado de trabalho. O Centro de Estudo Aplicado se caracteriza pela priorização da pesquisa, formação de profissionais e parcerias com instituições de ensino superior. Apoiado por uma rede de instituições e profissionais do Brasil e do exterior, busca a sustentação teórica para oferecer uma prática especializada a essas crianças. É importante lembrar que os Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD), pode ser definido por um grupo de transtornos que têm em comum algumas alterações qualitativas na comunicação, comportamento e interações sociais. Deste grupo, a síndrome mais conhecida é o autismo. Estatísticas internacionais apontam uma

incidência de pessoas que apresentam características de TGD de 1 para cada 150. E onde estão essas pessoas? No Brasil existem poucos e recentes estudos. Tanto no campo da Saúde quanto no da Educação faltam dados sistematizados sobre quem são, onde estão e como vivem, percurso escolar e possibilidades de escolarização. No entanto, há dados apontando que a maioria dessa população está sem assistência, em termos de serviços e possibilidades de atendimento; a desinformação e o preconceito acabam contribuindo para a exclusão social, sobretudo daqueles menos favorecidos economicamente. Em busca de apoio mútuo, pais e profissionais organizam-se em associações por todo país, tentando vencer as barreiras da falta de informação e apoio do poder público. Na ampla grade de atividades do Crê-Ser está contemplado o I Curso de Formação em Autismo para Educadores que acontecerá em Setembro desse ano e em 2009 o I Curso de Especialização em TGD. O Centro também promoveu no início do mês de Julho, a I Colônia de Férias, com o objetivo de integrar as crianças com 40 estudantes universitários, preparandoos para a diversidade humana que irão se deparar em suas profissões. A FARN Faculdades Natalense é a instituição parceira nestes projetos, mas para continuar atendendo a população menos favorecida, O Crê-SER e a APACE buscam patrocínio de empresas privadas e organismos governamentais para a continuidade e ampliação do número de atendimentos.

Julho/2008    7


Valores & Princípios O mundo mais feliz “O mundo está ficando mais feliz”, essa foi a constatação divulgada no início do mês de Julho por Ronald Inglehart, um dos pesquisadores sociais mais respeitados na atualidade, em sua pesquisa sobre Felicidade. O norte-americano também constatou que o Brasil ocupa o 30º lugar em um ranking de felicidade publicado pela Fundação Nacional da Ciência, uma organização ligada ao governo dos Estados Unidos. Ronald Inglehar realiza a Pesquisa Mundial de Valores (World Values Survey) em 80 países de seis continentes. Em cada um deles são aplicados, em média, 1,3 mil questionários com 250 questões sobre os mais variados temas – família, religião, segurança e renda, entre outros – totalizando mais de 92 mil entrevistas. Seu estudo abrange 85% de toda a população mundial. Um trabalho vem sendo realizado há mais de 25 anos. A Pesquisa Mundial de Valores é a única fonte de informação sobre algo muito importante. Por meio dela,

é possível saber o que as pessoas pensam, quais são seus valores, metas e motivações. Esses dados são fundamentais para saber, por exemplo, como determinadas decisões são tomadas individualmente e em cada país. No estudo, os pesquisadores descobriram que estão acontecendo mudanças significativas no modo como as pessoas pensam e interagem. Isso afeta o mundo todo. “As mudanças de valores são muitas e, nos nossos questionários, estudamos centenas de questões que investigam essas transformações. Mas, no mundo as principais mudanças são um aumento da tolerância em relação a grupos homossexuais, a maior importância dos valores não-materialistas e uma maior busca da igualdade de gênero. As pessoas têm buscado ainda ter, cada vez mais, liberdade de escolha; o que explica porque a democracia tem se espalhado tanto nos últimos anos. Nas sociedades mais avançadas essas mudanças estão ligadas com o desenvolvimento econômico”, ressalta Ronald Inglehar.

A vida se manifesta através da diversidade” Autor desconhecido


Profissão: Arquitetura

Arquitetura

profissão da criatividade e da inovação O arquiteto é o profissional responsável pelo projeto, supervisão e execução de obras de arquitetura. Embora esta seja sua principal atividade, o campo de atuação de um arquiteto envolve todas as áreas correlatas ao controle e desenho do espaço habitado, como o urbanismo, o paisagismo e diversas formas de design. Os arquitetos podem ser especializados em projetos, mercado imobiliário, ambientação, arquitetura industrial, arquitetura institucional, urbanismo, planejamento urbano, planejamento regional, planejamento institucional e também muitas outras contidas no bojo da Lei 5.194/66, que Regulamentas Profissões do Engenheiro e do Arquiteto. A profissão de arquitetura no Brasil é regularizada e fiscalizada pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia e pelos seus Conselhos Regionais (CREAs), os quais determinam que apenas profissionais que possuam o diploma de bacharelado em Arquitetura e Urbanismo possam exercer a profissão e autodenominar-se arquitetos e urbanistas. Outra Entidade forte para os profissionais de arquitetura é o Instituto de Arquitetos do Brasil. O IAB foi fundado em janeiro de 1921 e nesses 85 anos de existência teve, em sua presidência,

arquitetos renomados das diversas áreas de atuação profissional que muito contribuíram para o fortalecimento da Arquitetura e de entidade. Vale ressaltar que a palavra arquiteto vem do grego arkhitektôn que significa “o construtor principal” (arqui = principal / tectônica = construção) ou “mestre de obras”. A compreensão desta etimologia, porém, pode ser expandida na medida em que a palavra arché deixa de ser entendida como “principal” e passa a ser analisada como “princípio”. Desta forma, o arquiteto seria o construtor primordial e fundamental, seu próprio arquétipo, ou seja, o arquiteto é o construtor ideal. O sistema de regulamentação profissional foi oficializado em 1933, através da fundação do primeiro CREA no Rio de Janeiro. Porém, a profissão existe formalmente no país desde a fundação da Escola Nacional de Belas Artes, também no Rio de Janeiro, no início do século XIX. Anteriormente, não existia formação oficial de arquitetos no país, de forma que os profissionais existentes ou haviam estudado na Europa ou foram aprendizes de Corporações de Ofícios ou de indivíduos isolados (existiram também os auto-didatas, como Aleijadinho).

Para Atualizar NUTAU 2008 O seminário que vai discutir a sustentabilidade na arquitetura nacional e mundial. A sustentabilidade e o desenvolvimento sustentável tornaram-se palavras de ordem de um imenso processo global que visa corrigir as atuais distorções entre crescimento econômico e impactos sobre recursos finitos dos ecossistemas terrestres.O evento acontecerá em São Paulo no período de 8 a 12 de Setembro. Mais informações podem ser obtidas através dos telefones: (11)3091.3082 e (11) 3091.3209. E.mail: nutau@uso.br e site: www.usp.br/nutau. A XVI BIENAL PANAMERICANA DE ARQUITETURA DE QUITO O tema é “Sentir la Arquitectura Latinoamericana” e acontecerá na cidade de São Francisco de Quito, Patrimônio da Humanidade, de 17 a 21 de novembro de 2008, onde serão confrontadas obras realizadas por arquitetos do continente americano, do Canadá ao Chile; com a organização do Colégio de Arquitetos do Equador, núcleo da Província de Pichincha, através da Comissão Bienal. A XVI BAQ conta com o aval da União Internacional de Arquitetos (UIA), a Regional de Arquitetos do Grupo Andino (RAGA) e da Federação Pan-americana de Associações de Arquitetos (FPAA). Mais informações no site: www.baq-cae.ec

Julho/2008    9


Capa

Design Vende! Um novo desenho surge no mundo dos negócios: o foco no design. Seja na embalagem, nos materiais para o ponto de venda, na criação de produto, em projetos gráficos ou identidade corporativa e branding, o design passou a ser um instrumento de gestão empresarial, fundamental no planejamento estratégico das empresas. Em um mercado cada vez mais competitivo e veloz, os produtos estão muito parecidos, a tecnologia também não é mais um diferencial, o preço é praticamente o mesmo, assim como o desempenho e as características dos produtos. Uma avalanche de opções acaba confundindo o consumidor que tem dificuldade em perceber essas diferenças, e em atribuir a elas o seu devido valor. É exatamente ai que reside o poder do design! “Se tratando de um termo bem complexo e diverso, o design, de certa forma, está presente em nossas vidas nos mais diversos segmentos. Em tudo há design, tudo o que pegamos ou vemos foi pensado e elaborado para ter design, mas isso não significa que seja um bom design. Sobre o design nas empresas, observo que deve ser prioridade, nada como um bom ambiente de trabalho, confortável, ergomé-

10    Julho/2008

trico, funcional, pensado exclusivamente para o conforto de todos os funcionários que ali trabalham. Além de toda a parte, digamos funcional, temos também o valor estético agregado. Nada como um ambiente bonito que permita aos funcionários sentir prazer em trabalhar naquele ambiente de ‘encher’ os olhos. Neste aspecto o papel do arquiteto é fundamental, pois o seu trabalho consiste justamente em reunir todos estes elementos. Desta forma, com certeza, o funcionário irá render mais e trabalhar melhor”, diz a arquiteta Olga Portela, profissional atuante no mercado do Rio Grande do Norte. As pequenas e médias empresas também perceberam que podem e devem investir em design para serem competitivas. “Nos negócios o design é entendido, cada vez mais, como uma atividade essencial que confere vantagem competitiva de suas maneiras: ao trazer à tona o significado emocional que produtos e serviços têm para os consumidores e captar o alto valor dessas ligações emocionais”, diz Gabriela Lojacono, presidente da Design Continuum, empresa de design com escritórios em Boston, Milão e Seul. Os empresários estão ampliando sua visão e entendendo que as habilidades de de-

sign e as de negócios estão convergindo. Nesse sentido estão apostando mais em treinar suas equipes para a criatividade, a inovação e a gestão do conhecimento. “O bom design, além de incidir nos traços estéticos ou físicos dos produtos, cria inovações nas experiências que são oferecidas ao cliente. E a inovação é fator-chave para o sucesso em um ambiente competitivo”, diz Tom Lelly da empresa de design Ideo, que nas últimas cinco edições do Prêmio Excelência em Desenho Industrial – outorgado pela Sociedade de Desenhistas Industriais dos Estados Unidos e patrocinado pela Revista Business Week – recebeu mais de 47 prêmios. O design é mais do que materializar a aparência ou a forma. É uma ferramenta estratégica de diferenciação. Hoje, vemos empresas do mundo inteiro investindo no design para obter esta diferenciação, fazendo com que os atributos tenham grande valor percebido pelo consumidor. Tudo começa quando um designer observa os clientes em situações de vida real e procura entender os problemas em que eles tropeçam e as dificuldades que encontram. Esses obstáculos são pontos de partida para criar algo completamente novo. Portanto design nada mais é do que


um processo para resolver problemas, por isso ĂŠ estratĂŠgico para as empresas que querem se destacar no mercado. “O Design deve estar profundamente tocado e contaminado pela presença fĂ­sica, Ă s vezes se apropriando do passado para renovar o futuro, ou visualizando necessidades e desejos para viver plenamente o presenteâ€?, lembra India Prado, artista plĂĄstica e artesĂŁ, que trabalha em seu ateliĂŞ, desenvolvendo e executando projetos de luminĂĄrias especiais e identidade Visual para inĂşmeros escritĂłrios de arquitetura e empresas do Rio Grande do Norte. O design arrojado e revolucionĂĄrio ĂŠ o item mais cobiçado tanto na moda, quanto na arquitetura, nos objetos ou nas embalagens. A maioria das empresas jĂĄ conseguiu entender que os produtos devem apelar para as emoçþes dos clientes e essas sĂŁo despertadas pelo design, pois ele ĂŠ um, verdadeiro imĂŁ emocional. “Em uma ĂĄrea onde deve imperar a criatividade, peças com um bom design fazem toda a diferença para um projeto de qualidade funcional e estĂŠtica; seja em objetos de decoração ou no mobiliĂĄrio. Um bom design ĂŠ capaz de combinar harmonicamente cor, material e textura e gera espaços Ăşnicos e inovadoresâ€?, ressalta Angelina Costa, arquiteta, urbanista e doutora em Engenharia Civil pela Unicamp. “Em algum momento vocĂŞ tem que sair da lĂłgica analĂ­tica que vem impulsionando os negĂłcios nos Ăşltimos 30 anos e se perguntar o que ĂŠ que realmente atrai as pessoas?â€?, diz J. Mays, vice presidente da Design Global da Ford Motor.O design estĂĄ no centro das estratĂŠgias de diferenciação das empresas e os benefĂ­cios do design de excelĂŞncia sĂŁo traduzidos nos resultados finais de uma organização. “O fator “funcionalidadeâ€? ĂŠ extremamente determinante no design de produtos e na competitividade do mercado atual. Um produto ĂŠ lembrado pela sua beleza, aplicação e praticidade. Um pequeno detalhe faz muita diferença. Hoje, nĂŁo basta

vender mais, Ê preciso vender melhor. As empresas apostam alto no design de seus produtos visando aumentar as vendas e pensando na fidelidade de seus clientes. A origem de uma marca passa por um processo ininterrupto de transformaçþes ao longo dos anos. Fatores como: cores, formas e desenhos estão sendo sempre lembrados pelos clientes e em constantes mudanças. A facilidade de desenvolver projetos para design com as ferramentas atuais, tornam essas mudanças muito mais competitivas�,ressaltam Flavio Rodrigo - signmaker e Ana Maria Barros arquiteta,empresårios da LAF Criação e Impressão, empresa focada em sinalização, banners e vitrines O design agrega valor ao produto em termos de estÊtica, ergonomia, conforto e funcionalidade; alÊm de ser um elemento muito importante na racionalização da produção. O designer, no contexto do mercado globalizado, deve estar apto a atuar com visão estratÊgica, contribuindo para aumentar a competitividade das empresas.

Saiba mais EVENTO Mechele Popcorn, diretora da årea de produtos da Faith Popcorn BrainReserve, Ê a atração da próxima edição do evento Design To Business. A executiva da agência americana apresentarå sua palestra no dia 31 de julho, em São Paulo, em evento simultâneo à Formóbile 2008, feira do setor moveleiro. A realização do evento Ê da Impress Decor Brasil e Centro de Design Paranå. Mais informaçþes pelo e-mail: d2b@centrodedesign.org.br ou pelo site: www.centrodedesign.org.br/ designtobusiness/ SITES www.centrodedesign.org.br www.iedbrasil.com.br www.advanceddesign.org www.di.net www.dmi.org www.cfsd.org.uk www.icsid.org www.adg.org.br www.designbrasil.org.br PUBLICAÇÕES  Arc

Design E-News

 Assintecal  Banana

Design Design GrĂĄfico

 Comunidade  Core

77 em Dia  EcoDesignNews  Embanews  Agitprop - Revista Brasileira de Design  O Sinal  Magazine Design Management  MĂłveis de Valor  New Design Magazine  Novum  Design

Julho/2008    11


Gente & Idéias O Cérebro do Século XXI

Hemisfério direito Einstein só conseguiu ser alfabetizado depois dos 9 (nove) anos de idade. Ele não conseguia aprender as primeiras letras e a escola desistiu dele, aconselhando a seus pais que perdessem a esperança: ele simplesmente não conseguia aprender! Até no seio da família ele era considerado retardado. Muito bem, ele não conseguia aprender mas, certamente, não era por falta de inteligência. Que era então? A resposta é: a maneira de ensinar é que estava errada. O ensino era e é todo orientado para alunos que têm o hemisfério esquerdo do cérebro predominante. Einstein era tipicamente “de hemisfério direito”. Para essas pessoas é preciso que não se deixe nenhum elo faltante entre o período da expressão só oral, em que predomina a imaginação, e o período de letramento (alfabetização), em que a pessoa vai aprender um novo código (a língua), no qual vai conhecer e expressar seus pensamentos. Professor Luiz Machado, Ph.D. Cientista Fundador da Cidade do Cérebro Mentor da Emotologia

“A rápida expansão das neurociências produziu uma quantidade quase inimaginável de dados, fatos e descobertas experimentais em todos os níveis, desde o submolecular até o do cérebro como um todo.O problema que me preocupa enormemente é como fundir toda essa massa em uma teoria coerente do cérebro. Por que o cérebro está cheio de paradoxos. Ele é simultaneamente uma estrutura fixa e um conjunto de processos dinâmicos, e em parte independentes. As propriedades – “funções” – estão simultaneamente localizadas e deslocadas, embutidas em pequenos agrupamentos de células ou aspectos do funcionamento do sistema como um todo. Temos o conhecimento parcial de alguns desses agrupamentos e suas especialidades moleculares. Entender como eles se relacionam na rede neural mais ampla é um problema do qual apenas nos aproximamos”, diz Esteven Rose em seu livro “O Cérebro do Século XXI”.

Possibilidades

“Ciência, religião, arte, filosofia: são muitas as possibilidades de desenvolvermos nossa sabedoria. Cada uma com a sua riqueza, suas verdades. Nessa diversidade, o homem tem a possibilidade de sempre encontrar alguma peça do seu quebra-cabeça interior e, assim, abandonar a ignorância que leva aos maus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Ignorar é não saber que algo existe e, muitas vezes, um algo melhor. E essa premissa me leva a respeitar cada ser humano, pois é possível a qualquer pessoa, no seu tempo, passar a reconhecer um contexto expandido da realidade. Percebo nessa expansão a importância de um caminho gradativo que passe pelo informar-se, depois pelo conhecer, em seguida pelo querer, e, finalmente, pelo poder. O informar-se é um ato quase passivo de capturar fatos e dados com algum significado, sem necessariamente processá-los, compará-los e adequá-los. É o que fazemos no consumismo intelectual, muito semelhante ao afã do comprar mais. O conhecer já é mais elaborado, por ser o ato de processar informações através da reflexão e da síntese feita em um determinado contexto”, lembra André Dametto, profissional que atua como Professor, Coach e Consultor de Empresas (www.andredametto.com.br)


Augusto Júnior é Presidente do Fórum de Centrais de Negócio do Rio Grande do Norte, Gerente comercial da Rede Seridó de Supermercado, Aluno do curso de Administração com Formação em Marketing de Varejo pela FGV e com vários trabalhos realizados na área de formação de associações varejistas no Norte e Nordeste. Fone: (84)9937 9445 E.mail: augusto@redeserido.com.br

Como posso oferecer uma experiência única e divertida que chame a atenção dos clientes? Essa deve ser a pergunta para as empresas que querem ter sucesso no mercado” Autor desconhecido

Diferencial para a

competitividade Estado do Rio Grande do Norte é um dos pioneiros na criação de Fórum para Centrais de Negócios. Este ano, com o apoio do Sebrae/RN, se reuniram pela primeira vez os representantes de Redes e Centrais de Negócios do Rio Grande do Norte pertencentes a cinco segmentos diferentes: supermercados, farmácias, materiais de construção, eletrodomésticos e bombonieres. Estes, motivados pelo intuito de formar um Fórum onde pudessem defender seus anseios comuns e manter sua representatividade cada vez mais forte. Trata-se de uma iniciativa audaciosa que possui entre outras finalidades o objetivo de ter uma visibilidade maior por parte dos governos, incentivando a criação de uma legislação especifica para essas Centrais, outro ponto muito discutido é a formação de gestores para administrar essas associações, visto que, trata-se de um mercado novo e com poucos profissionais capacitados. O Fórum ainda tem por objetivo afinar as negociações com Bancos, mídias, fornecedores de insumos e outras parcerias que possa trazer benefícios mútuos. Desde o inicio os principais parceiros e colaboradores, o Sebrae/RN e a FECOMÉRCIO, trabalharam forte para a criação e desenvolvimento deste Fórum. No último encontro realizado na sede do Sebrae/ RN, em Natal, no dia 17 de Junho, foi eleita e empossada a 1ª Diretoria Executiva do Fórum de Centrais de Negócios do Rio Grande do Norte, sendo escolhido os seguintes representantes:

Presidente – Augusto Catunho de Araújo Júnior – Rede Seridó de Supermercados; Vice- presidente – José Alberto da Silva Maciel – Rede Construrn; Tesoureiro – Luciano Roque da Rocha Júnior – Rede Casas Potiguar; 1º Secretário – Antônio Roberto Roque – Assebom; 2º Secretário – Djalma Lemo da Silva – Unifarma. O setor supermercadista comemora a escolha de um de seus representantes para a presidência deste Fórum e agradece pela confiança que lhes foi depositada. Para nós, supermercadistas, isso prova mais uma vez o trabalho e o reconhecimento desse setor que já abrange, em todo o País, mais de 50% das Associações Varejistas como também é importante deixar bem claro o apoio da ASSURN – Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte, que sempre esteve presente nas reuniões do Fórum contribuindo para a formação do mesmo. Para a Rede Seridó é de extrema importância ter o 1º presidente do Fórum, pois só vem demonstrar que apesar de ser uma rede ainda jovem é possível formar profissionais capacitados para tão grande responsabilidade que é gerir um Fórum de tamanha importância principalmente neste momento inicial. Só resta parabenizar a toda diretoria eleita e desejar muito sucesso a frente deste Fórum.

Julho/2008    13


Fique sabendo Investimentos no Brasil A motivação e o comprometimento das pessoas só vem através do reconhecimento. Os empresários que querem sucesso em seus negócios devem fazer com que as pessoas se sintam importantes na organização. Sem isso nada acontece” Márcia Ávila, consultora empresarial.

O mundo continua bastante interessado em investir no Brasil. Foram feitos anúncios e indícios de investimentos em diversas áreas, no período de 2006 a 2016. Os setores que mais atraem o interesse dos estrangeiros são: Petróleo e derivados – intenção de investimento externo de 232,1 bilhões de reais. Mineração e siderurgia – 44,5 bilhões de reais. Transporte e logística – 30,3 bilhões de reais. Energia elétrica – 26,6 bilhões de reais. Petroquímica – 19,0 bilhões de reais. Infra-estrutura – 14,6 bilhões de reais Telefonia – 7,4 bilhões de reais.

“A felicidade é a única ratificação da vida: onde a felicidade falha, a existência fica sendo uma experiência louca e lamentável” George Santayana, filosofo e poeta espanhol.

Miranda Computação A Miranda Computação empresa da terra potiguar, que tem a marca como seu maior patrimônio, conquistou sua credibilidade em uma relação de confiança com o cliente, resultado de um bom trabalho dos seus colaboradores ao longo destes 21 anos. A empresa apostando no potencial criativo de seus colaboradores tem um planejamento anual de treinamentos, cursos coletivos e eventos voltados para a capacitação profissional, motivação e qualidade de vida.A Diretoria prioriza os investimentos em Recursos Humanos, garantindo resultados de sucesso do trabalho voltado exclusivamente para satisfação do cliente.

14    Julho/2008

Dicas de livros O profissional de que qualquer organização precisa é aquele que sabe negociar, conhece seu mercado, assessora o cliente, enfim, é um importante elo da cadeia de valor de qualquer produto ou serviço. Existem diferentes técnicas e abordagens para chegar lá, e é o que este livro oferece. Fruto de anos de experiência, estudos, observação e interações, este livro irá ajudar os leitores a se desenvolver e crescer como negociador. Escrito para todos os envolvidos no mercado de trabalho, esta abrangente fonte de consulta trata de todas as questões mais freqüentes e exigentes do atual mercado de trabalho. Os autores mostram como usar suas habilidades pessoais para lidar mais eficazmente com os funcionários, efetuar contatos que duram mais tempo, conquistar clientes, fechar negócios, ou seja, tudo que você precisa saber para progredir em sua carreira. Eduardo Najjar atendeu, nos últimos cinco anos, aproximadamente quatro centenas e meia de casos de pessoas que buscaram (e, na maioria, atingiram) uma mudança no caminho profissional: em mais de 90% dos casos ele aplicou, paralelamente à metodologia que desenvolveu, conceitos e estratégias de diversas áreas do conhecimento humano.


Educação

Criatividade na escola: uma forma diferente de se conceber os processos de ensino-aprendizagem Falar sobre atividades pedagĂłgicas quando estamos tratando de educação ĂŠ quase inevitĂĄvel. A fundamentação ou a criação inerente ao processo de execução e apropriação dos conhecimentos escolares ĂŠ algo que merece atenção, atĂŠ porque nunca se falou tanto na necessidade de estimular nos alunos uma forma autĂ´noma de pensar e de agir. Tudo isso se refere a capacidade que a educação tem de estimular a difusĂŁo do ato criador, ou da criatividade alĂŠm das atividades. E quando se trata de crianças pequenas aĂ­ a dĂşvida ĂŠ maior: o que a escola pode fazer para desenvolver a criatividade delas? “Para desenvolver a criatividade dos pequenos ĂŠ preciso entender as caracterĂ­sticas da personalidade da criança, observar a sua forma de agir e de se expressar, estruturar novas metodologias de ensino que estimulem formas de pensamento de maneira positiva e que contribuem significativamente para o desenvolvimento do potencial criativo dos alunosâ€?, diz Giovana Amorim, diretora PedagĂłgica da Escola LĂĄpis de Cor. Desde os primeiros nĂ­veis de ensino atĂŠ o final do Ensino Fundamental, a equipe da Es-

cola Låpis de Cor procura vincular a noção de aprendizagem e o potencial criador dos seus alunos com atividades diversificadas que estimulem a mente, o corpo e o movimento, interligando os processos pedagógicos à esfera da motivação e ao envolvimento com as atividades, pois quando se oferece ao aluno a oportunidade para ser criativo, estå se oferecendo tambÊm uma abertura para a expressão de sentimentos, emoçþes e atitudes. Dessa forma, toda a proposta pedagógica da Escola conta com atividades intra e extra-classe como: passeios, musicais, feiras de conhecimentos e atividades relacionadas ao trabalho corporal – psicomotor e de registro viso-motor, objetivando desenvolver a originalidade, a flexibilidade, fluidez e a elaboração (conceitos relacionados ao desenvolvimento do potencial criativo) de modo a proporcionar uma aprendizagem eminentemente significativa. Ou seja, para a turminha do Låpis de Cor o significado de aprender vai muito alÊm do ensinar: as crianças trazem a vida para a sala de aula e a sala de aula para a vida, criando e recriando o ato de educar a cada minuto.

Níveis de Ensino/ Serviços oferecidos pela Escola Låpis de Cor:  Berçårio;  Educação

Infantil; Fundamental  Escola Ampliada/ Tempo integral  Novidade: Låpis de Cor Bilíngße (para criança de 2,7 a 12 anos)  Ensino

Mais informaçþes: (84) 3231-2305 - www.lapisdecornatal.com.br

Julho/2008    15


Marcio Barbosa da Silveira é publicitário, repórter cinematográfico profissional, vídeomaker com experiência internacional em Sidney na Austrália e na Liquid Vídeo Productions Bradenton na Florida. Fone: (84) 91716634 e-mail: Silveiramarcio@ hotmail.com

Quem hoje tem medo do ridículo, não esta entendendo nada” Leila Navarro, palestrante motivacional 16    Julho/2008

Um olhar sobre

design Como profissional da área de publicidade e vídeomaker tenho trabalhado para entregar aos meus clientes as melhores imagens. Sendo assim, o design tem permeado todo o meu trabalho. Atualmente, a imagem é o principal veículo de valores e significados, através dela comunicam-se realidades produtivas em diversos setores, como a moda, o design e a arquitetura. Novas tecnologias modificam continuamente o papel das imagens na comunicação. Em Outubro do ano passado a Apple lançou um novo filme publicitário do seu Ipod Touch que pode ser visto em seu site institucional. Duas curiosidades seguem esse comercial: O filme publicitário não foi criado por uma agência de publicidade, mas por Nick Haley, um estudante de 18 anos da Inglaterra. Nicky produziu o filme em casa e publicou no YouTube. O sucesso chamou a atenção da Apple que resolveu assumir o filme como parte da sua campanha para o Ipod Touch. Assim, a agência de publicidade oficial da Apple, a TBWA/Chiat/Day entrou em contato com o estudante e o contratou para que desenvolvesse uma nova versão para a Apple. Atualmente é possível ver o vídeo tanto no site oficial da Apple como no YouTube. As duas versões possuem pequenas variações, mas são, definitivamente, a mesma peça publicitária. Na era da globalização e da diversidade em que estamos vivendo, cada vez mais

empresas necessitam de uma única, e inconfundível, forma de comunicação. O Design é uma atividade que carrega em sua essência as noções de projeto e interdisciplina, em qualquer das suas especialidades. Dentro desta formação, há áreas de sombra entre conhecimentos relativos à cultura, à industria e à comunicação que desde sempre dialogaram. Foi com o foco no Cinema e no Design, que aconteceu no mês de Junho em Recife, o Cine Design. Uma oportunidade para aproximar os profissionais do cinema e do design, interagindo com áreas afins e difundindo entre diretores e produtores a importância e a peculiaridade do olhar projetual do designer em alguns setores técnicos e criativos desta cadeia produtiva. As áreas contempladas nesta primeira edição do evento foram: Direção de Arte, Figurino, Animação, Broadcast, novos suportes e narrativas como o Vídeo em Mídias Móveis e a constante aproximação entre as linguagens do Cinema e dos Games. Acredito que um designer precisa muito mais de repertório, de dicionário imagético e textual do que de meros conhecimentos técnicos. A visão poética e crítica do cinema, a sensibilidade ao se experimentar sensações transmitidas apenas pela junção de diversos canais de percepção dão ao designer embasamento para o desenvolvimento de novas idéias e práticas projetuais.


Conhecimento & Gestão

Divulgação

Missão da empresa: “Deslumbrar o mundo” Márcia Ávila No início desse ano tive a oportunidade de assistir o espetáculo “Alegria” do Cirque du Soleil no Rio, foi uma oportunidade fantástica de observar de perto o quanto o trabalho em equipe faz a diferença em uma empresa. Todos se ajudam, tudo parece estar em uma sintonia perfeita (digo parece porque imagino o quanto eles treinam para isso e muitas vezes, com certeza erram, caem e tropeçam, mas não desistem de encantar o público) e fica nítido o quanto um profissional necessita do apoio de seu colega para dar o melhor de si no trabalho. O Circo contrata os melhores ginastas do mundo. A sede da empresa - que soube combinar perfeitamente arte com negócios - fica perto de Montreal e possui 75 mil metros quadrados, sendo que 32 mil deles de superfície coberta, e sua construção um investimento de 60 milhões de dólares canadenses (aproximadamente US$ 50 milhões). Lá trabalham cerca de duas mil pessoas de 40 países diferentes (os outros mil funcionários ficam viajando pelo mundo nas apresentações) e falam 25 idiomas diferentes. Então conviver com a diversidade é tão natural para eles, quanto tomar água! O Cirque du Soleil surpreende mais de 7 milhões de espectadores por ano e a

maioria das pessoas que chega ao Cirque é perfeitamente normal, tudo que elas têm é vontade de ir além. Na verdade eles podem ser comparados aos funcionários de atendimento e vendedores que querem encantar o cliente. E, com certeza, eles conseguem! E eles conseguem porque o Circo é uma organização feita por meio das pessoas, com as pessoas e para as pessoas. É uma empresa que tem planejamento, visão de futuro, coragem para mudar, determinação e o mais importante: as pessoas estão sempre preparadas para correr riscos, soltar seu potencial criativo e o grande poder da imaginação. São pessoas que trabalham duro para chegar onde querem e isso não é sorte ou magia. Isso é treino, motivação e liderança! Sem motivação e líderes comprometidos com os resultados, os espetáculos não seriam perfeitos e nem os mais de 300 artesãos que trabalham nos ateliês que confeccionam 20 mil peças de vestuário e 4 mil pares de sapatos por ano colocariam energia em seu dia-a-dia. Mas tudo acontece em sincronia porque no Cirque du Soleil todos têm a dimensão exata da força da união e da colaboração. Todos

os funcionários sabem que juntos ficam mais fortes e a empresa cresce. A prova disso é que o circo também é terceirizado, pois a empresa de cruzeiros Celebrity vem investindo em oferecer experiências diferentes aos passageiros de seus navios com um espetáculo a bordo ambientado em paisagens marinhas, onde personagens maravilhosos entregam aos passageiros mensagens dentro de garrafas. Temos muito que aprender com o Cirque du Soleil, não é verdade?


Currículo & Atitude

Cuidado com o MSN Em algumas empresas, a diretoria até permite que os funcionários acessem seu e-mail pessoal, mas também não é para abusar e ficar conectado na Internet, falando com amigos. O MSN é muito legal até mesmo para trabalhar. Todo o cuidado é pouco com ele, pois tem gente que é capaz de esquecer seu trabalho e perder um tempão com isso.

A felicidade é antes de tudo o sentimento tranqüilo, contente e seguro da inocência” Henrik Ibsen, dramaturgo norueguês 18    Julho/2008

Para romper os limites “Quanto do que sonhamos realmente usamos para fazer o que estamos pensando. Muitas vezes ficamos no meio, ou seja, queremos e não fazemos. Parte porque nosso dia-a-dia é tomado de uma necessária obrigação dentro da ironia do sistema, e parte porque é muito difícil ter que encarar os riscos da mudança, sair fora do que consideramos como fronteiras da segurança. O duro de tudo é que, quem não tenta, não avança, e mais do que acertar ou errar, o grande negócio é ter espaço para treinar, desenferrujar e assim ajudar a romper os limites, aqueles que não imaginávamos que poderíamos superar”, diz Sérgio Dal Sasso, administrador especializado em gestão de negócios e diretor da Sérgio Dal Sasso Consultoria Empresarial. (www.sergiodalsasso.com.br)

Prepare-se sempre Por mais que você tenha vocação, sem estudo, conhecimento do mercado para o qual está trabalhando e planejamento, não há sucesso. Não se iluda, pois para conquistar seu lugar ao sol você vai ter que se preparar e muito. Nada cai do céu! Ficar sonhando sem descruzar os braços é perda de tempo. Portanto busque sempre aprender o que você não sabe ainda e não tenha medo de perguntar para quem está a mais tempo no mercado.

Se quiséssemos ser apenas felizes, isso não seria difícil. Mas queremos ser mais felizes que os outros, e isso é quase sempre difícil por que nós sempre acreditamos que os outros são mais felizes do que eles são” Montesquieu, filósofo francês



Profissionais & Negócios Nº8