Page 1


Entrevista

COM João Fonseca

Liderança participativa, equipe em sintonia A Revista Profissionais & Negócios entrevistou João Fonseca, diretor da Via Sul Seguros para saber mais sobre o mercado de seguros no Rio Grande do Norte. Formado em Administração de Empresas pela UNP na turma de 1991 e corretor de seguros de todos os ramos, o empresário atua no mercado desde 1988, além de ser participante ativo dos principais congressos do mercado de seguros no país, exerce também a função de diretor do SINEC – Sindicato das Empresas Corretoras de Seguros do RN.

Revista Profissionais & Negócios: Fale sobre sua trajetória profissional ? João Fonseca: Iniciei minha trajetória profissional como bancário durante o período de 1982 a 1987. A partir de então iniciei no ramo de seguros trabalhando em uma corretora de seguros pertencente a um irmão. Em 1995 fundei a Via Sul Corretora de Seguros juntamente com minha esposa, Nina Carvalho, que também é corretora de seguros. Conte um pouco da história da Via Sul Seguros e seus diferenciais? A Via Sul Corretora de Seguros Ltda foi fundada em Natal no dia 31 de Outubro de 1995 e atuou, inicialmente, nos ramos de automóveis e seguros empresariais. A motivação da criação da Via Sul derivou da carência, à época, de uma empresa que atuasse no ramo de corretagem de seguros e tivessem uma filosofia voltada totalmente para assessoria de serviços e funcionasse como agente facilitador do processo de comercialização de seguros, orientando o segurado nos aspectos fundamentais de transação de seguros. Com a expansão dos negócios, nós inauguramos em Outubro de 2001 as novas instalações da Via Sul Seguros na Av. Eng. Roberto Freire, 1831 – Loja I – Capim Macio. Hoje a empresa conta com uma estrutura totalmente voltada para a satisfação de seus clientes, pois coloca à sua disposição uma ampla assessoria de serviços e conta com

uma equipe de profissionais altamente capacitados, operando em todos os ramos de seguros. A Via Sul Seguros possui uma estrutura modelo no Nordeste e para nós o cliente se torna um amigo e não um simples número de apólice. Como você mantém sua equipe sintonizada com o mercado? Procuramos manter nossos profissionais sempre atualizados oferecendo constantemente treinamentos técnicos e motivacionais promovendo a participação dos mesmos em cursos, palestras e eventos do setor. Nossa empresa valoriza muito os recursos humanos e isso faz com que o funcionário trabalhe motivado e dentro de um espírito de equipe. Como vai o mercado de seguros no Rio Grande do Norte ? Como em outros setores da economia a indústria de seguros no Brasil, e especialmente no RN, vem nos últimos 10 anos em franca expansão. O mercado entrou em um circulo virtuoso, que só tende a aumentar na medida em que o cenário econômico brasileiro melhorar e atingir, por exemplo, o tão almejado grau de investimento. É notório que a cidade de Natal, em particular, e o Estado do Rio Grande do Norte, em geral, têm despontado como pólo turístico mais festejado do Nordeste brasileiro, mercê de suas belezas naturais

e suas potencialidades culturais o que nos deixa muito confiantes no crescimento do mercado de seguros no nosso Estado. Quais são suas dicas para quem esta começando um negócio? Em primeiro lugar seu negócio deve estar de acordo com suas habilidades. Analise o mercado que você possui experiência e identifique os nichos dos quais conhece as necessidades. Faça um bom planejamento estratégico dos objetivos de sua empresa para os próximos cinco anos. Forme uma boa equipe e motive seus funcionários fazendo com que eles se engajem no alcance das metas da empresa. Mantenha-se sempre atualizado e informado das novidades de mercado do seu negócio e nunca desista de seus sonhos. Qual é o seu estilo de liderança ? Sempre procurei adotar um estilo de liderança participativo. Como liderar é influenciar pessoas, procuro sempre manter com os meus funcionários um canal aberto e comunicativo, trabalhando sempre em equipe e fazendo com que eles participem do processo. O lado humano é para mim o mais importante, portanto procuro controlar minhas emoções sendo conciliador, sabendo ouvir sem perder o objetivo do comando. Procuro orientar, dando o ritmo sem impor com ordens, mas fazendo com eles trabalhem em sintonia com os objetivos da empresa.

MAI/2008    3


Editorial Paulo Oliveira

www

espaço

Mais uma vez com vocês a nossa Profissionais & Negócios. Nessa edição escolhemos mostrar a importância dos profissionais de farmácia, entrevistamos o empresário de seguros, João Fonseca, para entendermos um pouco mais do setor e buscamos aprimorar nossa visão holística com a profissional da área, Eloísa Helena. Em nossa Revista, você poderá saber como algumas empresas do Rio Grande do Norte estão trilhando o caminho das organizações que aprendem, entender, ainda mais, porque a velocidade está se tornando um fator de diferenciação entre as empresas e também descobrir porque é fundamental que os profissionais cuidem de “seu jardim”, ou seja, de sua carreira.

A Profissionais & Negócios já está nas bancas, avise seus amigos ! Tenham todos uma ótima leitura e que Deus continue nos abençoando ! Um forte abraço, Márcia Ávila

Preparação, segredo do sucesso E o que significa se preparar? Em primeiro lugar é preciso desenvolver a consciência que a nossa vida profissional é feita de escolhas. Se escolhermos ser bons profissionais, temos que escolher estudar, ler e entender o nosso mercado de atuação. ``Leia mais www.marciaavila.com.br/artigos Espiritualidade no Trabalho Se você já está torcendo o nariz para o tema, peço que relaxe e preste atenção: Espiritualidade no Trabalho não é mais um modismo, é na verdade o único caminho que as empresas têm para agregar valor ao seu negócio. ``Leia mais www.marciaavila.com.br/artigos

O espaço é seu !!! Parabéns “Parabéns Márcia, pela “Revista Profissionais & Negócios”! A Revista que estava faltando no mercado. Para mim, é super prazeroso ler as suas matérias, com conteúdos oportunos, objetivos e variados. Pela praticidade de seus artigos, percebo que a Revista está comunicando-se com o mundo empresarial, e trazendo os resultados esperados. Você foi muito feliz, pela idealização deste projeto. Conhecendo a profissional que você é, esse seu poder de criatividade ímpar, o resultado não seria outro, senão o sucesso desta Revista. Te admiro e muito” Francisco Dantas Analista de R. H. do Grupo Artkasa

Leitura que estimula “A Revista Profissionais & Negócios é muito interessante e sua leitura estimula os micro-empresários a inovarem. Achei interessante uma frase do artigo “Para ser um vendedor” publicado na Edição de Fevereiro - que dizia “os clientes não procuram produtos e serviços, mas sim soluções para os seus problemas”. Isso foi como se um novo leque estivesse se abrindo para mim que sou empresário e me fez perceber ainda mais o valor da Revista. Conheci pessoalmente Márcia Ávila em 2001, na oportunidade em que assisti suas palestras, através da FCDL, PROGRAMA GESTÃO LOJISTA, e por isso, acredito que a Revista funciona. Eu era funcionário

EDITORIA Ávila Comunicação & Eventos Direção, edição e redação Márcia Ávila - (84) 9414-2163 avilamarcia@ig.com.br

A revista Profissionais & Negócios é uma publicação da Ávila Comunicação & Eventos www.marciaavila.com.br

PROJETO GRÁFICO E DESIGN Firenzze Design & Comunicação - (84) 3086-1228 atendimento@firenzze.com Projeto gráfico e direção de arte Paulo Moreira - (84) 9402-6041 pmoreira@firenzze.com Ilustração Roberto Luiz

do banco Bradesco e sempre tive a vontade de montar o meu próprio negócio e foi exatamente em uma de suas palestras que uma frase dita por Márcia me motivou, ela disse que “entre as tendências do consumo e dicas de vendas, os seguros estavam incluídos nesses segmentos”. Ela foi como um espelho para mim. Após sete anos de agência bancária saí e montei a minha própria empresa de seguros.Investi tudo nesse negócio e realmente tenho percebido que ele só tem crescido” Wender Morais da Silva Produtor da “Porto Seguros”, empresa de seguros de Santa Cruz/RN

COMERCIAL E MARKETING Paulo Costa - (84) 9928-9274 paulocosta26@yahoo.com.br

TIRAGEM 5.000 Exemplares CORRESPONDÊNCIA Rua Romualdo Galvão, 1703 - Ed. Trade Center - Sl 101 - 59056-100 (84) 3082-7546 / 9444-0248


Entrevista

Eloisa Helena Silva

Visão holística, bom para profissionais e empresas A Revista Profissionais & Negócios entrevistou a administradora de empresas e tecnóloga em cooperativismo, Eloisa Helena Silva. Especialista em Educação Holística e Qualidade de Vida pela UFRN em 2007 e especialista em Gestão Estratégica de Sistemas de Informações também pela Federal do Rio Grande do Norte em 2005, a consultora em pesquisas atua com abordagem holística, cujo enfoque é o homem visto em sua totalidade, como ser integral, o que possibilita a transdisciplinaridade.

Revista Profissionais & Negócios: Fale um pouco sobre sua trajetória profissional ? Eloisa Helena: Comecei minha jornada profissional em Fortaleza na área de Educação, depois vim para Natal e trabalhei na GTF Construções, uma empresa que fazia na época a Coleta Seletiva da cidade para a Prefeitura. Depois fui trabalhar na área de RH da Telemar, trabalhei também na Office-fast, uma gráfica rápida, onde atuei na área administrativa -financeira.Depois estive à frente da Empório Consultoria, uma empresa especializada em recrutamento e seleção de pessoal. Logo fui para a Trade-Rio, uma prestadora de serviços para a Secretaria Municipal de Saúde, onde atuei na liderança e atualmente atuo como consultora na área de pesquisa. Fale como foi seu trabalho no Programa de Capacitação e Assessoria Integrada através da OCB/ Sescoop/RN? Atuei como consultora no Programa de Capacitação e Assessoria Integrada para fortalecer o processo de autogestão nas cooperativas. E todo o foco do meu trabalho foi no desenvolvimento humano, trabalhando na linha holística.O programa foi desenvolvido junto as seguintes cooperativas: Cooptax, Unimoto, Express

Moto, Coopen, Potyflores e Ccapar. Porque a visão holística é importante para as empresas e para os profissionais? A visão holística é você trabalhar o todo, nada é visto separadamente como compartimentos estanques. Existe uma interrelação de todo o processo, desde o início da cadeia produtiva até o consumo do produto ou serviço. Nesse processo o ser humano tem que ser visto em toda a sua totalidade pela empresa. E o funcionário tem que compreender o contexto em que está inserido. Se as empresas cultivassem a linha holística existiria muito mais

“A visão holística é você trabalhar o todo, nada é visto separadamente como compartimentos estanques. Existe uma inter-relação de todo o processo, desde o início da cadeia produtiva até o consumo do produto ou serviço”

comprometimento por parte dos funcionários e o estresse seria reduzido. Atualmente em quais projetos você está atuando? Estou trabalhando em uma pesquisa para o Governo Federal, através da FUNDAC – Fundação Estadual da Criança e do Adolescente, cujo coordenador de pesquisa é Rinaldo Barros, professor e pesquisador da UFRN. É o Levantamento Nacional do Atendimento Sócio-Educativo ao Adolescente em Conflito com a Lei. São sete unidades em todo o Estado do Rio Grande do Norte. Estou trabalhando também no Projeto “Resgate da Auto-Estima Através da Fotografia” com a socióloga, Deise Areias. Quais as dicas que você tem para os jovens? Minhas sugestões é que eles façam uma revisão de seus valores e procurem traçar seus objetivos de vida. Pensem lá na frente e comecem a trabalhar a visão de futuro. Estudem e busquem constantemente o conhecimento. Quais os valores que devem permear o dia-a-dia dos profissionais? Acredito que você tem que colocar amor em tudo o que você faz. Outro valor importante é a ética. A solidariedade também não pode ser esquecida porque nós não estamos sozinhos no mundo.

MAI/2008    5


Carreira

Velocidade no trabalho O mercado de trabalho está, cada vez mais, exigente! Essa não é nenhuma novidade, mas o que os profissionais precisam entender é que as empresas querem suas equipes muito bem preparadas e rápidas. O velho ditado que diz “devagar se vai ao longe” mudou faz muito tempo, na verdade quem andar lentamente não chega nunca a lugar nenhum. As tartarugas que andam se arrastando pelos corredores das empresas com aquelas caras de preguiça precisam tomar consciência que seus dias estão contados. Os empresários não têm tempo pra perder com gente que adora “enrolar”. Na verdade as empresas querem resultados positivos e rápidos. O maior guru da Administração do Século XX ,Peter Drucker, já profetizava “só existem dois tipos de empresas: as rápidas e as mortas”. Definitivamente, sobreviverão as organizações mais ágeis e mais capazes de se adaptar. Para o consultor Pedro C Ribeiro, diretor da Synthesis Ltda, as prin-

cipais mudanças na área do trabalho referem-se à sua reestruturação como forma de adequar-se à Era da Informação e do Conhecimento, na qual estamos entrando em ritmo acelerado. A competitividade de empresas e nações estará sendo determinada, em grande parte, pela velocidade com que estas conseguirem adaptarem-se às principais tendências para o trabalho. A Nova Era traz consigo um nível de velocidade, complexidade e necessidade de adaptação incompatível com a estrutura burocrática. Criar um senso de urgência é importante para que a empresa amadureça sem envelhecer. O profissional que insiste em dizer “tenho o meu próprio ritmo” estará fora do mercado. Como diz Alvin Toffler, futurólogo americano: “hoje, a competição não ocorre entre os grandes e os pequenos, mas sim entre os rápidos e os lentos”. Segundo o palestrante e consultor empre-

sarial, Professor Marins, os tempos estão mudando e mudando muito rapidamente. Tudo está mudando. E agilidade de decisão e criatividade podem ser as chaves para o sucesso. Devido a essas mudanças o mercado necessita que o profissional seja criativo e principalmente que tenha rapidez no processo decisório. E para que isso seja possível temos que ter uma política em mente, que é a de descentralizar o processo de decisão, assim toda a empresa estará envolvida cada vez mais, visando à agilidade. “Quem está no dia-a-dia das operações nas empresas e conhece de perto os problemas é capaz de tomar as melhores decisões do que quem está longe da realidade dos clientes. São estas pessoas que têm a idéia certa para fazer as mudanças que forem necessárias. Às vezes quem está de fora pode dar a sugestão diferente, pode ter uma ótica diferente, mas quem conhece realmente o problema pra valer é quem está no dia-a-dia”, diz o especialista.


Ricardo Cipriani Maletzke Administrador de Empresas, pós Graduado em Logística pela Ulbra e em Engenharia de Produção pela UFRGS. Gerente da Qualidade e Engenharia de Produtos dos Móveis Thonarte no Rio Grande do Sul. e-mail: ricardo@thonarte.com.br Fone: (51) 8194-6466

“Experiência não é o que acontece com você. É o que você faz com o que lhe acontece” Aldous Huxley, escritor inglês

Qualidade no atendimento: expectativa versus realidade Vivenciamos no dia-a-dia, inúmeras situações onde exercemos nosso papel de cliente e consequentemente, seremos atendidos por algum profissional que naquele exato momento representa a empresa na qual trabalha. Ao passar pela padaria ao amanhecer ou ir no decorrer do mesmo dia a algum lugar de maior sofisticação e requinte, algo semelhante deveria ocorrer nos dois lugares, estamos aqui falando de atendimento feito com qualidade. Não importa o tamanho, segmentação, ou se o ambiente simples ou de luxo, em ambos os casos todo e qualquer cliente espera ser bem atendido. Afinal, o que seria um atendimento com qualidade? Algo difícil de ser mensurável, por vezes pela própria exigência diferenciada das pessoas, cultura, conhecimento entre tantos outros fatores. Podemos citar algumas características de um atendimento de qualidade: boa vontade, paixão, prazer, alegria em servir, sorriso e conhecimento. Um bom serviço é questão de boa vontade, de demonstrar interesse em atender as necessidades do cliente. Ter paixão e prazer pelo que se realiza torna o trabalho mais alegre, saudável e principalmente, para quem trabalha com pessoas é de fundamental importância. A alegria de servir mostra o respeito pelo cliente. Difícil estar feliz todos os dias, porém pode-se buscar minimizar os momentos de tristeza. O sorriso é importante para todas as pessoas, no entanto, na maioria das ve-

zes nem o mais belo, singelo ou simples movimento de cortesia é demonstrado. Por que tanta dificuldade em oferecer um atendimento com qualidade? Falta de treinamento? De conhecimento do produto? Desinteresse? Enfim, podemos listar as mais variadas e possíveis causas, todavia, o que mais chama a atenção na grande maioria dos casos é que nem o básico é feito. Sorrisos são raros, as palavrinhas mágicas como: bom dia, boa tarde, boa noite e muito obrigado raramente saem no discurso dos vendedores. E quantos de nós nos surpreendemos quando somos atendidos com essas premissas básicas? Tais surpresas nos deixam com tamanha satisfação simplesmente porque nos acostumamos com mau atendimento, e ao receber um sorriso, acompanhado de um simples bom dia, ficamos admirados. Culpa, na verdade, de muitos de nós que deixamos a passividade tomar conta e não reclamamos do mau atendimento e permitimos que as coisas aconteçam assim desta forma. As pessoas que realizam atendimento ao público devem ser desenvolvidas e capacitadas, além de ter obrigação de conhecer sobre o produto ou serviço que irão vender. Enfim, ter a condição mínima de oferecer um bom serviço, sem demonstrar a prática da “robotização”. Atendentes e vendedores devem gostar de pessoas, além de demonstrar interesse em solucionar problemas e principalmente, ter paixão em servir.

MAI/2008    7


Gente & Idéias Instituto Fábrica do Milênio No ano de 2001 foi criado o Instituto Fábrica do Milênio - IFM no âmbito do programa Institutos do Milênio do Ministério da Ciência e Tecnologia do Governo do Brasil. Os objetivos gerais do Instituto são a proposição, o desenvolvimento e a disseminação de mecanismos para o aumento da competitividade e do conhecimento científico e tecnológico das empresas instaladas no país. Isto ocorre através da formação de um cluster de pesquisas integradas, abordando os temas que determinam hoje a competitividade de empresas de manufatura.

“A mais importante das novas tendências do mundo dos negócios é o declínio das raposas e dos tubarões e a ascensão das pessoas gentis e inteligentes” Tim Sanders, autor livro “O Amor é a Melhor Estratégia”

Jesus nos ensinou

Verdadeiro Luxo

“Jesus ensinou que o que sentimos no coração determina quem somos. Ele falou em renascer, viver com fé e ter um coração de criança. Ele queria que fôssemos como crianças porque estas são inocentes, crédulas e abertas às suas emoções. Jesus gostava de desafiar a maneira como as pessoas pensavam. Para sermos grandes, disse ele, precisamos ser pequenos. Para sermos líderes, precisamos servir aos outros. Para sermos profundos pensadores temos que ser capazes de sentir. Jesus ensinou que a identidade do ser humano é uma questão do coração”, diz Mark W. Baker em seu livro “Jesus, o Maior Psicólogo que Já Existiu”

“Quando penso sobre o que será o luxo no futuro, percebo que compras, carros e eletrodomésticos serão cada vez menos gratificantes. O passar das décadas reduzirá o valor de grifes e símbolos de status. No seu lugar, virão os artigos de verdadeiro luxo, como: silêncio, tempo para pensar na vida, um ambiente saudável ou 35 minutos a mais na cama. Queremos que nossos funcionários tenham tudo isso. Nada é mais luxuoso do que poder aposentar o despertador ou ficar 35 minutos a mais na cama com preguiça ou pegar o filhinho na cama, abraçar, e virarem para o outro lado. A empresa moderna tem que se preocupar em dar acesso a esses luxos. As organizações que acham que dando um dinheiro a mais resolvem a questão estão enganadas”, diz Ricardo Semler em seu livro “Você está Louco – Uma vida administrada de outra forma”

A árvore da vida Segundo o médico, Drauzio Varela, é chegado o momento de construirmos a árvore da vida. Terminado o Projeto Genoma, esse será o grande projeto da biologia.“Galho por galho, ramificação por ramificação, as espécies de animais, vegetais e microorganismos serão ordenadas pelo grau de parentesco e pela ordem de aparecimento na evolução. Desde que Darwin e Wallace revolucionaram a biologia com a demonstração de que as espécies não haviam sido criadas por Deus num dia, como imaginava a ciência da época, houve várias tentativas de agrupar os seres vivos com base em critérios morfológicos como: tamanho,número de células, esqueleto ósseo, disposição dos membros ou capacidade de mamar quando pequeno”


ProfissĂŁo: FarmĂĄcia Responsabilidade tĂŠcnica e assessoramento A profissĂŁo de farmacĂŞutico no Brasil ĂŠ muito antiga. A chegada dos primeiros profissionais da farmĂĄcia no paĂ­s coincide com a histĂłria da colonização portuguesa, no sĂŠculo XVI. Os profissionais da ĂĄrea fizeram um longo caminho na busca do aperfeiçoamento e a farmĂĄcia no Brasil teve de vencer muitos obstĂĄculos para se firmar como profissĂŁo. É importante lembrar que as atribuiçþes privativas do farmacĂŞutico sĂŁo as seguintes: assessoramento e responsabilidade tĂŠcnica (indĂşstria farmacĂŞutica, controle ou inspeção de qualidade, anĂĄlise prĂŠvia, de controle ou fiscal, farmaquĂ­micos, depĂłsito de produtos farmacĂŞuticos, estabelecimentos de distribuição e dispensação de medicamentos), fiscalização profissional, sanitĂĄria e tĂŠcnica, laudos tĂŠcnicos, perĂ­cias tĂŠcnicas e legais, magistĂŠrio superior dispensação e manipulação de fĂłrmulas magistrais, oficinais e farmacopĂŠicas. “A FarmĂĄcia ĂŠ uma profissĂŁo multidimensional como um arco-Ă­ris, branco quando em movimento, festa de cores quando interpretada, desenvolvida e direcionada a serviço do bem comum, na dimensĂŁo da saĂşde, em todo o espaço da existĂŞncia. Enfatizamos com emoção que a FarmĂĄcia Norte-riograndense vive dias mais felizes, porque possui profissionais abnegados, os quais na plenitude de seu trabalho percebem o poder de suas palavras, gestos e açþes para transformar para melhor a profissĂŁo farmacĂŞutica e ter legitimidade social. Este pensamento positivo e que enleva o espĂ­rito nos levarĂĄ ao nosso

próprio tempo, nos projetando a um tempo sem fronteiras e voltado ao homem, onde toda a tecnologia e suas variantes, toda a modernidade e o aporte crescente da nossa ciência e tÊcnica em constante evolução propiciarão a visibilidade da profissão, incutindo nas futuras geraçþes o orgulho de ser farmacêutico, apesar da complexidade dos desafios ainda a enfrentar�, diz Maria CÊlia Ribeiro Dantas de Aguiar, presidente do Conselho Regional de Farmåcia do Rio Grande do Norte e Farmacêutica Bioquímica Analista Clínica, professora das disciplinas Farmacognosia; Estågios I e V; Gestão Empresarial em Farmåcia e Drogaria; professora Adjunto IV da UFRN, coordenadora geral de Estågios do Curso de Farmåcia, Especialista em Química Orgânica e Mestre em GenÊtica e Biologia Molecular na årea de Mutagênese de Plantas. Hoje no Rio Grande do Norte são 1.368 farmåcias e drogarias, e um total de 1.936 farmacêuticos. Segundo o Fórum Nacional de Diretrizes Curriculares para os Cursos de Farmåcia de 2001, o perfil do farmacêutico deve estar fundamentado na formação sólida no âmbito do medicamento, sendo esta generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Conselho Regional de Farmåcia do RN Praça AndrÊ de Albuquerque, 634 - Cidade Alta Natal/RN Fone: (84) 3222-0926 E-mal: crfrn@crfrn.org.br

Campo de atuação profissional do Farmacêutico  Medicamento

(årea privativa) Clínicas  Anålises toxicológicas  Anålises químicas  Dermofarmåcia e cosmÊticos  Alimentos  GenÊtica  Radioisótopos (radiofarmåcia)  Saúde pública  Forças armadas  Polícia científica  MagistÊrio superior  Acupuntura  Anålises


Capa

Vivemos o tempo das Organizações que Aprendem Hoje vivemos a Era do Conhecimento e um dos requisitos básicos para acompanhar o mercado é aprender a aprender. Empresas e profissionais precisam ter A organização a “cabeça aberta” às novas que aprende é idéias e rever seus processos, seus conceitos e suas crenconsiderada ças. É importante lembrar que o tipo de o conhecimento que suporta organização as ações inteligentes e estraadequada para tégicas de uma empresa não atender às é um conhecimento isolado e demandas da solitário: é um processo iterasociedade atual. tivo e disseminado que fundamenta todas as mudanças necessárias. As organizações que aprendem exigem que todas as pessoas colaborem. “A organização que aprende é considerada o tipo de organização adequada para atender às demandas da sociedade atual. A organização que aprende tem como principal característica a capacidade de propiciar um ambiente de aprendizagem constante, neste tipo de organização os acertos servem de exemplo e estímulo para fazer melhor e os erros, como oportunidade de aprender e de inovar. O conhecimento passa a ser um diferencial estratégico, e as pessoas, como detentoras de parte do conhecimento, passam a ser mais valorizadas e estimuladas a aprender a aprender. A organização que aprende é capaz de adaptar-se às constantes mudanças no ambiente e de criar resultados Henry Ford inventor da indústria com e através das pessoas. Nesta organiautomobilística, um dos grandes zação, as pessoas são estimuladas a criar, negócios do século inovar, compartilhar e buscar novos conhe-

“Todo aquele que pára de aprender é velho, tenha 20 ou 80 anos. Todo aquele que continua aprendendo é moço. A melhor coisa da vida é conservar a mente jovem”

10    Maio/2008

cimentos. As organizações da aprendizagem exigem novas competências dos profissionais que dela fazem parte; além das competências técnicas, são exigidas competências pessoais e interpessoais compatíveis com a cultura do aprender a aprender e da aprendizagem coletiva. Por outro lado, as políticas de gestão de pessoas tendem a ser consistentes e inovadoras, tendo com alicerce o reconhecimento e a valorização das contribuições de cada profissional”, diz Patricia Whebber S. de Oliveira, psicóloga, Doutora em Educação, Mestre em Administração, sócia-proprietária da SERH Consultoria e Gestão de Recursos Humanos em Natal e vice-coordenadora e professora do Mestrado Profissional em Administração da UnP. A inovação consiste em grande parte em fazer com que as pessoas evoluam frente a desafios reais através de formas diversificadas de aprendizagem. O uso de perguntas, metáforas, raciocínio analógico, intuição, imaginação são essenciais para mobilizar pessoas na superação de obstáculos e geração de algo novo, diferente e impactante. Essa abordagem é conhecida pelos gestores, líderes e profissionais de recursos humanos. Há apenas quatro anos no mercado do Rio Grande do Norte, a Interjato já desponta como uma empresa que faz questão de investir em conhecimento e informação de seus gerentes e colaboradores. Para o diretor, Erich Rodrigues, essa é a mola propulsora da organização. “Nós podemos comprar os melhores equipamentos, dispor da tecnologia mais avançada,


“Aprendizagem é o princípio de tudo. É a base. Uma pessoa que acredita no estudo e se mantém nele está em constante desenvolvimento e diferencia-se da massa alienada e estagnada” Abraham Shapiro, coach e consultor especializado em lideranças

mas sem investir no humano, nada disso adianta. É preciso estimular a motivação das pessoas, afinal, todos querem crescer no ambiente de trabalho, ter as habilidades reconhecidas e aprimoradas. Com profissionais bem treinados, o resultado é imediato também para a empresa, uma vez que se cria uma roda que vai girando: as pessoas querem mais conhecimento, trazem novas idéias que podem melhorar os processos, gerar economia e até grandes negócios. Nossa meta era investir 1% do faturamento da Interjato em treinamento. No entanto, fechamos 2007 com 1,44%, um índice acima do das empresas de referência, que é 1%. Isso para nós é motivo de orgulho”, ressalta o empresário. Com o passar dos anos as empresas podem aprender ou desaparecer, passando por experiências que transformam a maneira de enxergar o mundo e até descobrem que em certos casos a experiência é ganha quando não se precisa mais dela. “Na nossa empresa, o treinamento de Boas Práticas de Fabricação – BPF (por exemplo) remete a uma atividade prazerosa e lucrativa tanto para a empresa quanto para o funcionário. Na contra-mão da maioria das empresas não adotamos treinamento como uma atividade comum às rotinas de RH e sim como parte de planejamento estratégico em prol do de-

A organização que aprende tem como principal característica a capacidade de propiciar um ambiente de aprendizagem constante

senvolvimento organizacional.Ainda que as organizações demonstrem um maior enfoque do treinamento para os níveis gerenciais e administrativos e aquelas que possuem R.H. direcionem-se mais aos cargos técnicos e operacionais, entendemos que o colaborador de chão de fábrica tem um peso acentuado no bom clima organizacional e no desenvolvimento dos programas de qualidade e melhorias contínuas ajudando-nos a cumprir as novas demandas do mercado, uma vez que o envolvimento da equipe é o caminho mais sólido para o enfrentamento das mudanças e manutenção do status de competitividade”, diz Luiz Lyra, gerente administrativo/financeiro da empresa Sacoplast no Rio Grande do Norte. Permitir que o conhecimento de cada indivíduo aflore e promover a partilha deste conhecimento entre os funcionários são as características principais da “empresa quali-

ficante”, ou seja, da empresa que aprende. “A proficiência é dirigida pelo aprendizado, que consiste na busca e prática do conhecimento e da sabedoria. Se a proficiência corta a madeira, o aprendizado afia o machado. Segundo o dicionário, liderar é “apontar o caminho” e ensinar, é “mostrar como”. Para adquirir grande proficiência, esse ensinamento deve provir de mestre – em pessoa ou por intermédio de seus escritos. A proficiência jamais é perfeita, como perfeitos não são o conhecimento nem a sabedoria. Portanto o aprendizado contínuo – pela vida inteira – é imprescindível para que a proficiência contínua florescer em todas as áreas de nosso trabalho e vida pessoal. Reparem que o valor está no aprendizado e não no adestramento que é para cães, aprendizado é atitude”, diz Lance H.K.Secretan em seu livro “Um Nível Acima - Construindo uma organização que estimule a excelência”.

MAI/2008    11


Gilvan de Oliveira Graduando em Letras na UFRN, consultor em vendas e professor-estagiário no Colégio Municipal Hélio Galvão em Parnamirim /RN. E.mai: gilvansbt@yahoo.com.br Fone: (84) 9909.6950

Profissão & Reflexão Uns aprenderam a ser liderados, Outros aprenderam a liderar, Mas o verdadeiro profissional é aquele que aprendeu a ter iniciativas. Na escola da vida somos os melhores professores. Temos sempre algo para ensinar aos outros. Mas somos os piores alunos, pois não somos humildes o suficiente para aceitar o que os outros têm a nos ensinar. No mundo dos negócios é assim, cada profissional ensina o que sabe e esquece de aprender a lição da reciclagem. Não estão abertos às novas idéias. Acham que tudo o que sabem, sobre as particularidades de sua profissão, são suficientes para ensinar na faculdade do sucesso. Entre esses estão aqueles que aprenderam a ser liderados e

os que aprenderam a liderar e que agora tem pouco a nos ensinar. O Profissional que aprendeu a ser liderado ensina a lição da passividade, mas não aprendeu ainda que para vencer na vida, é preciso ter uma personalidade forte. O profissional que aprendeu a liderar pretende ensinar aos seus liderados como vencer na vida. Mas ainda não aprendeu a lição da humildade, pois não aceita as idéias de seus liderados, porque se acha auto-suficiente e que todos devem estar sobre o seu domínio. O verdadeiro profissional é aquele que aprendeu a ter iniciativas. É aquele que através de sua liderança aprendeu ser liderado, pois tem sempre algo ensinar, principalmente quando está disposto a aprender.


Currículo & Atitude Faça o que puder para melhorar! Se você está pretendendo conquistar seu “lugar ao sol” no mercado de trabalho. Faça o que puder para melhorar – tanto quanto pessoa, quanto profissional. É assim mesmo e não tem pra onde correr. Não adianta se sentir injustiçado, ficar choramingando por aí ou viver reclamando. O mercado de trabalho é implacável e as empresas estão cada vez mais exigentes. Se você não está estudando, tenha absoluta certeza que você está perdendo espaço. Se você faz o tipo temperamental ou mal humorado acredite que nenhuma empresa vai contratar você. Hoje as empresas querem gente que goste de gente, pessoas que queiram ampliar sua visão e estejam dispostas a aprender. Dica: Reflita sobre suas atitudes para ter consciência de sua postura profissional !

Pense nisso! “As pessoas serão definitivamente as verdadeiras diferenciações competitivas entre as empresas. O sucesso irá depender de como lidamos com as pessoas. A empresa tenderá a um aprimoramento do nível de nobreza das relações humanas que a compõe: desconfiança, vaidade, inveja, fofoca cederão espaço para um gesto engrandecedor, no qual a prioridade deixará de ser a disputa com o outro e passará a ser o desenvolvimento dos fatores críticos de sucesso do próprio negocio”, dizem os consultores e estrategistas de empresas, Marco Aurélio Vianna e Sérgio Duarte Velasco no livro: “Futuro: Prepare-se !”

Líder Coach Se você é líder em sua empresa turbine seu currículo com os eventos do Grupo Catho-RN. Já está marcado para o dia 20 de Maio o lançamento do projeto “Empresas no Cinema” que trará no decorrer de 2008 grandes nomes para Natal. Mais informações através dos telefones: (84) 3206.4195 e (84) 3133.3033.

“Se não fizer com excelência, não faça. Porque, se não houver excelência, não haverá lucro nem divertimento, e se você não está no negócio para se divertir ou ter lucro, que diabos você está fazendo lá?” Robert Townsend, ator americano


Fique sabendo Estratégia clara Em um número surpreendente de empresas, os executivos, funcionários da “linha de frente” e todos aqueles que atuam no meio desses dois extremos, são frustrados por conta da falta de uma estratégia clara para a empresa ou para as suas linhas de negócios.

Pesquisa A Market Analysis, instituto de pesquisa e opinião pública, apresentou os resultados da pesquisa “Responsabilidade Social das Empresas - Percepção do Consumidor Brasileiro”, em parceria com o Instituto Akatu de Responsabilidade Social e o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. Os dados se integram ao levantamento global feito em mais de 20 países sob a coordenação do Instituto GlobeScan. Segundo Fabian Echegaray, diretor da Market Analysis,foi constatado que o consumidor brasileiro se sobressai como mais atento ao que ocorre na esfera corporativa se comparado à América Latina e também em relação a algumas sociedades mais desenvolvidas.

Rotatividade “Os executivos estão trocando de empresa numa taxa sem precedentes. Recentes Estudos globais concluíram que a taxa de rotatividade desses profissionais chega a 15% ao ano. Mas o detalhe é que desses executivos em transição empregatícia, cerca de 50% fracassam em seus novos empregos. Alguns pedem demissão. Outros, são demitidos. O Institute of Executive Development (IED) and Alexcel Group finalizaram uma pesquisa com esses executivos. De acordo com os entrevistados, mais de 90% dos executivos contratados disseram que levaram mais de 90 dias para se sentirem produtivos e mais de 60% deles disseram que esse período foi de 180 dias”, diz John Baldoni consultor/mentor de liderança e palestrante. John também é autor de seis livros sobre este assunto.

Trabalhar e muito Definitivamente acabou a vida mansa dos executivos. Foi esta a lição dada por Cláudio de Moura Castro, economista e presidente do Conselho Consultivo da Faculdade Pitágoras, de Belo Horizonte (MG), durante conferência sobre “As exigências da Nova Indústria” em Curitiba, no dia 12 de Abril.Castro deixou claro que já se foi o tempo que chefiar se resumia a apenas assinar documentos. “Agora tem que trabalhar muito para a empresa não fechar”, advertiu. Como principais causas da pressão sobre os executivos de hoje estão a reversão da proteção alfandegária, a valorização do real e a velocidade com que as inovações tecnológicas surgem e são superadas. O palestrante deixou uma mensagem desafiadora: ser competente é um imperativo.

14    Maio/2008

Dicas de livros Interesses e Profissões Muito daquilo que acontece no mundo do trabalho não pode ser diretamente observado por um jovem. Ele pode beneficiar-se de orientação vocacional para apontar-lhe um caminho a ser seguido sem que ele seja participante ativo do mesmo. Este livro é indicado para esta função e contém um guia com 210 profissões de nível superior. Cuba Sem Fidel: O Regime Cubano e Seu Próximo Líder Quem é Fidel Castro? Como, ainda jovem, Fidel trilhou seu caminho tornando-se um dos mais conhecidos e polêmicos líderes do século XX e XXI? Como ficará Cuba, agora sob o comando de Raúl Castro?Essas são algumas questões que o ex-agente da CIA, Brian Latell, pretende responder. Grandeza de Cada Dia A primeira escolha que fazemos dia após dia é tomar as rédeas da vida ou se deixar conduzir. Nós podemos e devemos nos tornar a força criativa de nossas próprias vidas - e de nosso próprio futuro. Stephen R. Covey é conhecido internacionalmente por oferecer um caminho de sucesso e felicidade norteado por princípios e valores. Abordando temas como coragem, caridade, superação, integridade, respeito e colaboração,a obra demonstra o poder transformador de nossas atitudes e escolhas.


Helouise Melo Jornalista com experiência internacional e profissional de vendas do Grupo Artkasa.

Profissional comprometido com a empresa Quando lemos e ouvimos por aí que as empresas hoje querem profissionais comprometidos nos questionamos sobre o perfil destes profissionais. Afinal, o que significa ser comprometido? Dizer que comprometimento é vestir a camisa da empresa é algo já banal de ser dito e hoje o assunto merece uma maior reflexão. Cada empresa tem seus objetivos e o profissional comprometido é aquele que não mede esforços para atingi-los, independentemente do tamanho dos desafios que encontra no dia-a-dia. Mas como enfrentar esses desafios que parecem não ter fim? Bom, eles são vencidos com auto motivação, ou seja, vontade e entusiasmo em fazer um trabalho cada vez melhor. Isto porque a pessoa que tem esse perfil não se contenta em ser mais um. O profissional comprometido quer se destacar, receber elogios e ter a certeza de que o que ele faz, realmente faz a diferença para a empresa. E quando todos os outros funcionários estão reclamando pelos corredores, o profissional comprometido está agindo, está mostrando seu talento e explorando seu potencial.

O profissional comprometido está sempre preocupado com sua atualização, pois com isto vem o questionamento sobre o seu trabalho e o dos outros colaboradores. Isto porque para qualquer empresa é importante que o profissional sugira, opine e que, claro, esteja aberto a críticas sobre a sua própria atuação. E isto um funcionário só vai saber fazer se estiver por dentro do que está acontecendo em sua área de trabalho. Afinal, o desenvolvimento de uma empresa depende também da vontade de profissionais em estarem dispostos a se aperfeiçoar, pois já está mais do que claro que quem fica parado no tempo não tem vez nas empresas modernas. Se comprometer com algo significa hoje mais do que simplesmente não faltar ao trabalho ou cumprir as obrigações básicas que uma empresa exige. Comprometimento é um laço de lealdade que é criado. O profissional que realmente se compromete não precisa vestir uma camisa com o nome da empresa. Ele mostra que está sempre ali, disposto a colaborar, apenas com os seus atos, que se tornam espelhos para os mais atentos.

MAI/2008    15


Valores & Princípios O hábito de fazer

mais do que a obrigação O trabalho que desperta o prazer é capaz de fazer uma pessoa ficar envolvida longas horas e sem se dar conta que está trabalhando. Isso alguns chamam de amor outros definem como obstinação. De qualquer forma a grande verdade é que o profissional que cultiva o hábito de fazer sempre mais do que a sua obrigação, na maioria das vezes alcança seus objetivos de realização. Mas, infelizmente a maioria das pessoas vai para o trabalho arrastando sua alma e fazendo sempre o velho “ feijão-com-arroz” e depois ainda pergunta porque não sai da mesma. “Nunca imaginei que um dia trabalharia aqui. Sou ginasta, e o meu treinamento era para realizar números acrobáticos, de modo que não conhecia algumas das façanhas mais fora do comum. Mas persisti, e ficava treinando depois que todo mundo já tinha ido para casa. Quando um técnico me pedia para dar uma cambalhota para trás, eu dava uma cambalhota de costas mais pirada que conseguisse imaginar. Creio que foi por causa disso que acabei me destacando, sempre fazia mais do que todo mundo esperava”, disse Marin, acrobata que trabalha no Cirque Du Soleil. O fato de que a maioria das pessoas faz apenas o trabalho necessário para poder permanecer no emprego é uma vantagem para todos aqueles que prestam mais serviços do que a sua obrigação, pois todos que agem dessa maneira lucram, quando comparados

16    Maio/2008

com os outros. Trabalhando menos possível, uma pessoa pode conservar o emprego, mas não passará disso. Fazer mais do que a obrigação é fundamental para enfrentar a concorrência no mercado de trabalho. “Acho importante também, a construção de uma história pessoal rica e diversificada em experiências e vivências que possibilitem a atuação profissional nas mais variadas áreas da profissão. A cada nova vivência profissional é preciso mais dedicação e envolvimento com o intuito de se apropriar de novos conhecimentos, de conhecer novas pessoas e de aventurar em horizontes ainda desconhecidos. Portanto, é preciso para sermos “os melhores” em nosso labor, vencermos a nós mesmos, dia após dia, hora após hora, minuto após minuto, incessantemente e incansavelmente. Em resumo, a perseverança deve ser a grande mola mestra para continuar fazendo sempre mais e melhor tudo que pudermos!“, diz Carlos Félix, profissional graduado em Educação Física pela UFRN e graduado em Fisioterapia também pela Federal do Rio Grande do Norte, pós graduado em Administração Hospitalar e mestrando em Administração Profissional pela UnP. Carlos também é professor do Curso de Educação Física da UnP, professor de Judô do Colégio Marista de Natal e árbitro de Judô Aspirante à FIJ pela CBJ (Confederação Brasileira de Judô).

“Eu acredito que tudo o que você faz de ruim volta para você. Mas, em minha mente, sinto que estou fazendo o bem, então me sinto em direção ao paraíso” Tupac Shakur, o maior rapper de todos os tempos.


Para Refletir

Cuide de

seu jardim

Alguém já disse: “cuide de seu jardim, que as borboletas vêm”. Essa é uma ótima dica para os profissionais que ficam - o tempo todo - preocupados com o que os outros estão fazendo e quanto estão ganhando. No lugar de se preocupar com seus colegas de trabalho e ficar bisbilhotando quais são seus salários, o ideal é que você procure estudar mais, ficar antenado com os novos rumos de sua empresa no mercado, ler, procurar cooperar e dar idéias inovadoras para que os processos de sua organização se tornem a cada dia, mais inteligentes e interessantes. Pare imediatamente de olhar “a grama do vizinho” e comece a regar a sua grama, cuidar de suas flores e podar os galhos de suas árvores quando chegar a hora certa. Invejar os outros profissionais do mercado ou seus colegas de trabalho só vai atrasar a seu sucesso profissional. “Pode ser natural você pensar: “Minha empresa é uma bomba, meu chefe é um crápula, e meu salário é uma miséria”.

Desculpe-me, mas não estou falando disso. Se você quiser limitar suas fronteiras em função dessas desculpas, é problema seu. Mas se quiser, apesar de todas essas adversidades, brilhar e ser notado mude sua atitude e comece a trabalhar em prol de seu crescimento. Afinal, o que está em jogo é você, seu futuro!”, diz Paulo Angelim, consultor de empresas e arquiteto pós-graduado em Gestão de Marketing. Há pessoas que adoecem com a felicidade e o sucesso dos outros. Pessoas assim não conseguem ver nada de positivo no próximo. “Algumas pessoas estão sempre criticando, fazendo uma brincadeirinha de mau gosto, enfim, estão sempre dispostos a desqualificar aquilo que na verdade gostariam de elogiar só que a inveja não permite”, lembra Robert Lobato, administrador de Empresas e Consultor Organizacional. Exatamente aí que reside a importância de refletir sobre o quanto é fundamental cuidar do próprio jardim.


Conhecimento & Gestão

Vida é movimento ! O mercado de trabalho, a empresa, os negócios, o mundo, as profissões, enfim a vida é puro movimento. Portanto mudar para acompanhar o mercado, para ganhar mais competitividade e fazer a diferença é algo extremamente natural. A concepção dinâmica do mundo nos ajuda a entender que mudança é a nossa única certeza. Nosso corpo, por exemplo, está num processo contínuo de renovação. Fabricamos um novo esqueleto a cada noventa dias, um novo fígado a cada seis semanas, uma pele diferente a cada cinco semanas, um novo revestimento do estômago a cada cinco dias e novas células epiteliais do estômago a cada cinco minutos. Isso sem falar que cerca de 180 fios de cabelo da nossa cabeça caem em média todos os dias e que ao amanhecer deixamos em nossos lençóis inúmeras células mortas. Olhando por esse ângulo, nós somos seres em constante mutação, não é mesmo? Sendo assim, porque as pessoas têm tanta dificuldade em mudar. Porque ainda tem gente que acredita que não precisa refletir sobre sua maneira de tratar os outros ou de trabalhar? O maior sofrimento para os profissionais é o apego às idéias que já não funcionam mais e a negação da transitoriedade e das transformações incessantes da realidade do mundo dos negócios. As empresas perdem quando acreditam que não precisam mudar e que revisar os processos dá muito trabalho. “Não consigo imaginar coisa pior do que viver uma vida estagnada, destituída de mudança e de progresso. A maioria das pesso-

18    Maio/2008

as luta contra as mudanças, especialmente se elas as afetam pessoalmente. A ironia é que a mudança é inevitável. Todos têm de lidar com ela. Por outro lado, o crescimento é opcional. Você pode optar por crescer ou lutar contra ele, mas saiba de uma coisa: pessoas que não querem crescer nunca alcançarão seu potencial”, diz Daniel “O problema nunca é como C.Luz, autor dos livros Insight1 e Insight2. Al- ter pensamentos novos e guém já disse uma vez inovadores na cabeça, mas “Quando você acha como tirar os velhos” que tem todas as re- Dee Hock, visionária de negócios e criadora do Visa postas, o mundo vem e muda as perguntas”. E aí? Como é que você fica ? Com certeza fica com a “cara mexendo” não é mesmo ? A maioria das pessoas prefere imaginar a vida como algo estável, mas essa é uma doce ilusão, pois a vulnerabilidade é inerente a nossa condição humana. Tudo muda o tempo todo, seja de forma previsível ou não e quase ninguém gosta de pensar que, para se morrer, a única condição necessária e suficiente é estar vivo. E pouca gente lembra que mesmo o interior da matéria e o Cosmos (o infinitamente grande e o infinitamente pequeno) estão em constante movimento e em constante mudança, provocados pela contradição latente em tudo no Universo (que, digase de passagem, está em expansão). “O problema nunca é como ter pensamentos novos e inovadores na cabeça, mas como George Arliss, ator tirar os velhos”, disse uma vez Dee Hock, visionária de negócios e criadora do Visa. americano

“A humildade é a única sabedoria verdadeira pela qual nós preparamos nossas mentes para todas as possíveis mudanças da vida”


Profissionais & Negócios Nº6  

Esta revista serve de instrumento para reflexões sobre o mercado de trabalho e sobre cada pessoa que quer melhorar a qualidade de vida, melh...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you