{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

F E S T I VA L

2019

CONCERTO DE ENCER RAMENTO 18 JUN, 20H30 SALA MINAS GERAIS


Ministério da Cidadania, Governo de Minas Gerais e CBMM A P R E S E N T A M

ANDRÉ MEHMARI

JURADO

(NITERÓI, RJ, 1977)

PROGRAMA

ACÁCIO PIEDADE ITAPEVA, SP, 1961

MARCELO DINO SÃO PAULO, SP, 1972

Linhagens (2016 / 13 min)

Sama

Compositor, pianista, arranjador e produtor, Mehmari é considerado pela crítica “um artista singular de imaginação vibrante e generosa”. Teve seus primeiros contatos com a música através da mãe e cursou piano erudito na ECA-USP. Compositor prolífico e requisitado, apontado como um dos mais originais e completos músicos brasileiros de sua geração e premiado tanto na área erudita quanto popular, teve composições e arranjos tocados por Maria João Pires, Ricardo Castro, Emmanuele Baldini, Christopher O’Riley e grupos como Osesp, Filarmônica de Minas Gerais, OSB, Banda Sinfônica do Estado, Quarteto da Cidade de São Paulo e Quinteto Villa-Lobos. Além de uma vasta e premiada discografia, Mehmari tem uma ativa carreira internacional como solista e criou duos com Antonio Meneses, Mário Laginha, Gabriele Mirabassi, Antonio Loureiro, Danilo Brito, Maria João, Hamilton de Holanda, Ná Ozzetti, Maria Bethânia e Mônica Salmaso.

(2019 / 8 min)

GUILHERME NASCIMENTO

JURADO

(TIMÓTEO, MG, 1970)

FELIPE VASCONCELOS BELO HORIZONTE, MG, 1985

Cada ano sem Debussy: Dez versos sobre o seu nome (2019 / 12 min)

IGOR MAIA CAMPINAS, SP, 1988

Quatro peças orquestrais (2019 / 12 min)

Guilherme Nascimento é compositor. Doutor em Música pela Unicamp, Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e Bacharel em Composição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É autor dos livros Os sapatos floridos não voam e Música menor e dos CDs Guilherme Nascimento – música de câmara, vols. 1 e 2. Estudou na França e Itália com Stefano Gervasoni, nos Estados Unidos com Richard Bishop e no Brasil com Roger Reynolds, Hans-Joachim Koellreutter, Sergio Magnani, Oiliam Lanna e Silvio Ferraz. Suas obras foram executadas no Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Áustria, França, Itália, Espanha e África do Sul. Atualmente reside em Belo Horizonte. É professor da Escola de Música e coordenador do Centro de Música Contemporânea da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Escreve, regularmente, notas de programa para os concertos da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

LIDUINO PITOMBEIRA

JURADO

(RUSSAS, CE, 1962)

www.filarmonica.art.br / FILARMONICAMG

Sala Minas Gerais RUA T E N E N T E B R I TO M E LO , 1. 090 — BA R RO PR E TO C E P 3 0 .1 8 0 - 0 7 0

|

T E L : ( 3 1 ) 3 2 1 9. 9 0 0 0

BELO HORIZONTE — MG |

FA X : ( 3 1 ) 3 2 1 9. 9 0 3 0

Liduino Pitombeira é professor de composição da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui obras executadas pelo Quinteto de Sopros da Filarmônica de Berlim, Louisiana Sinfonietta, Red Stick Saxophone Quartet, New York University New Music Trio, Duo Barrenechea, The Alexander-Soares Duo, orquestras sinfônicas do Espírito Santo, de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, do Estado de São Paulo, filarmônicas de Chicago e de Poznan. Recebeu o 1º prêmio no Concurso Camargo Guarnieri 1998, 1º lugar no concurso Sinfonia dos 500 Anos e, nos Estados Unidos, o prêmio 2003 MTNA-Shepherd Distinguished Composer of the Year Award. Possui PhD em Composição pela Louisiana State University, onde estudou com Dinos Constantinides. Suas peças são publicadas pela Peters, Bella Musica, Criadores do Brasil, Conners, Alry, RioArte e Irmãos Vitale. Tem obras gravadas pelos selos Magni, Summit, Centaur, Antes, Filarmonika, Blue Griffin e Bis.


FOTO: DORA MENDES

MARCELO DINO S A M A Marcelo Bellini Dino é formado em Composição e Regência pela Unesp e Mestre pela USP. Desde 1996 compõe música para televisão. Entre suas premiações estão a 1ª Sinfonia, menção honrosa no 39º Festival de Música Nova; 3 Prelúdios, 1º lugar no 2º Concurso de Composição do Instituto Villa-Lobos da Unirio; Anhum, 4º lugar no Prêmio Jazz Sinfônica Bienal de Composição; e Menniniana, vencedora do 8º Festival Tinta Fresca. Em 2018, a Filarmônica de Minas Gerais e o maestro Fabio Mechetti estrearam sua Aurora Borealis. É professor da Universidade Anhembi Morumbi. Sama possui a forma sonata como princípio gerador: dois temas principais desenvolvidos ao longo da peça e reexpostos ao final. O título se refere ao ritual Sufi de adoração, cujo significado é escutar. Uma jornada mística de ascensão espiritual a serviço de toda a criação. Uma prática que revela o que já está no coração; uma tentativa de desvendar os mistérios e obter conhecimento espiritual. REGENTE

FOTO: MARGARITA VALDIVIESO

ACÁCIO PIEDADE L I N H A G E N S Bacharel em Composição pela Unicamp, Acácio Piedade estudou com Almeida Prado. Professor da Universidade do Estado de Santa Catarina, teve obras executadas no Panorama da Música Brasileira Atual, Festival Música Nova, Bienal de Música Brasileira Contemporânea, London New Wind Festival e Weimarer Frühlingstage für Zeitgenössische Musik. Dentre os intérpretes de sua música estão o Quinteto Lorenzo Fernandez, Orquestra de Sopros da UFRJ e Orquestra Filarmônica de Jena. Linhagens é baseada em dezessete grupos de acordes. Expostos três vezes, eles se apresentam em blocos de texturas e timbres variados, conectados por motivos que se originam em sua própria estrutura. A sucessão de cenários, ora escuros, ora lúdicos, visa provocar os sentidos do ouvinte pela orquestração. O termo linhagens sugere dois sentidos: o alinhavo da sucessão de acordes e o parentesco com o sistema harmônico tonal, através do uso de terças e tríades.

FELIPE VASCONCELOS C A DA A N O S E M D E B U S SY : DEZ VERSOS SOBRE O SEU NOME Felipe Vasconcelos graduou-se em Música na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É Mestre pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, orientado por Celso Chaves, e doutorando na UFMG, sob orientação de Oiliam Lanna. Obteve 1º lugar no Concurso Nacional Guerra-Peixe: 100 anos e 1º lugar no Concurso Latinoamericano de Composición Electroacústica y Electrónica Gustavo Becerra Schmidt. Finalista do Festival Tinta Fresca em 2015 e 2017, lecionou na Faculdade de Música do Espírito Santo e na UFMG. Cada ano sem Debussy: Dez versos sobre o seu nome é uma homenagem ao compositor francês Claude Debussy (1862-1918). A peça explora como material harmônico e melódico a associação das letras do seu nome com as notas musicais (D-E-BU-S-Sy, isto é: Ré, Mi, Si bemol, Dó, Mi bemol, Si). Além disso, a obra é repleta de citações e alusões à música do homenageado, mas também de outros compositores, o que cria um ambiente de intertextualidade e diálogos. FOTO: HERBERTH BRAND

Marcos Arakaki teve seu talento reconhecido a partir de 2001, quando venceu o I Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Jovens Regentes, promovido pela Orquestra Petrobras Sinfônica. Desde então, tem dirigido importantes orquestras do Brasil e do exterior. Bacharel em Música e Mestre em Regência Orquestral, Arakaki tem contribuído de forma decisiva para a formação de novas plateias, por meio de concertos didáticos, bem como para a difusão da música de concerto através de turnês a mais de setenta cidades brasileiras. Atua, ainda, como coordenador pedagógico, professor e palestrante em diversos projetos culturais e instituições do país. Marcos Arakaki é regente associado da Filarmônica de Minas Gerais e colabora com a Orquestra desde 2011. É autor do livro A História da Música Clássica Através da Linha do Tempo, lançado em 2019.

IGOR MAIA Q UAT R O P E Ç A S O R Q U E ST R A I S Igor Maia é compositor e regente, PhD em Composição Musical pelo King’s College London. Sua música tem sido tocada em diversos concertos e festivais na Europa, Américas e Japão. Igor foi agraciado com o Prêmio Funarte de Composição Clássica, 2º lugar do 6º Concurso de Composição Pablo Casals, França, e o BMI Student Composer Award, Estados Unidos. Como regente, atuou na Alemanha, Brasil, Espanha, Holanda e GrãBretanha. Na obra Quatro peças orquestrais, cada peça possui um caráter e forma, com títulos sugestivos (Prelúdio, Dança, Coral e Tocata). Apesar dos títulos aludirem a formas tradicionais, as peças foram criadas como releitura, em uma escrita livre. A composição explora a riqueza orquestral, com combinações de timbres e novas sonoridades, além do desenvolvimento harmônico e melódico que transita entre o modal e o cromático. O compositor procura, assim, uma escrita idiossincrásica, que tanto reflita sobre o passado quanto busque novos caminhos. FOTO: LIZ ISLES

FOTO: RAFAEL MOTTA

MARCOS ARAKAKI


FABIO MECHETTI Diretor Artístico e Regente Titular PRIMEIROS VIOLINOS Anthony Flint – Spalla Rommel Fernandes – Spalla associado Ara Harutyunyan – Spalla assistente Ana Paula Schmidt Ana Zivkovic Arthur Vieira Terto Joanna Bello Laura von Atzingen Luis Andrés Moncada Roberta Arruda Rodrigo Bustamante Rodrigo M. Braga Rodrigo de Oliveira Wesley Prates SEGUNDOS VIOLINOS Frank Haemmer * Hyu-Kyung Jung *** Gideôni Loamir Jovana Trifunovic Luka Milanovic Martha de Moura Pacífico Matheus Braga Radmila Bocev Rodolfo Toffolo Tiago Ellwanger Valentina Gostilovitch VIOLAS João Carlos Ferreira * Roberto Papi *** Flávia Motta Gerry Varona Gilberto Paganini Katarzyna Druzd Luciano Gatelli Marcelo Nébias

MARCOS ARAKAKI Regente Associado

Mikhail Bugaev Nathan Medina

FAGOTES Catherine Carignan * Victor Morais *** Andrew Huntriss Francisco Silva

VIOLONCELOS Philip Hansen * Robson Fonseca *** Camila Pacífico Camilla Ribeiro Eduardo Swerts Emília Neves Lina Radovanovic Lucas Barros William Neres

TROMPAS Alma Maria Liebrecht * Evgueni Gerassimov *** Gustavo Garcia Trindade José Francisco dos Santos Lucas Filho Fabio Ogata

CONTRABAIXOS Nilson Bellotto * André Geiger *** Marcelo Cunha Marcos Lemes Pablo Guiñez Rossini Parucci Walace Mariano FLAUTAS Cássia Lima * Renata Xavier *** Alexandre Braga Elena Suchkova

CLARINETES Marcus Julius Lander * Jonatas Bueno *** Ney Franco Alexandre Silva

TECLADOS Ayumi Shigeta *

GERENTE Jussan Fernandes INSPETORA Karolina Lima

TROMPETES Marlon Humphreys * Érico Fonseca ** Daniel Leal *** Tássio Furtado

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Risbleiz Aguiar

TROMBONES Mark John Mulley * Diego Ribeiro ** Wagner Mayer *** Renato Lisboa

ASSISTENTES Claudio Starlino Jônatas Reis

TUBAS Eleilton Cruz * Isaque Macedo ****

OBOÉS Alexandre Barros * Públio Silva *** Israel Muniz Maria Fernanda Gonçalves

HARPA Clémence Boinot *

ARQUIVISTA Ana Lúcia Kobayashi

SUPERVISOR DE MONTAGEM Rodrigo Castro MONTADORES Hélio Sardinha Klênio Carvalho

TÍMPANOS Patricio Hernández Pradenas * PERCUSSÃO Rafael Alberto * Daniel Lemos *** Sérgio Aluotto Werner Silveira

* principal ** principal associado *** principal assistente **** musicista convidado

MANTENEDOR

PAT R O C Í N I O M Á S T E R

DIVULGAÇÃO

COMUNI CAÇ ÃO IC F / 20 19

REALIZAÇÃO

Profile for Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Festival Tinta Fresca 2019 | Concerto de Encerramento  

Marcos Arakaki, regente Acácio PIEDADE | Linhagens Marcelo DINO | Sama Felipe VASCONCELOS | Cada ano sem Debussy: Dez versos sobre o seu nom...

Festival Tinta Fresca 2019 | Concerto de Encerramento  

Marcos Arakaki, regente Acácio PIEDADE | Linhagens Marcelo DINO | Sama Felipe VASCONCELOS | Cada ano sem Debussy: Dez versos sobre o seu nom...

Advertisement