{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

TEMPORADA 2019 • FORA DE SÉRIE 5 MÚSICA E MITOLOGIA

CONEXÕES


Ministério da Cidadania e Governo de Minas Gerais apresentam

FORA DE SÉRIE • MÚSICA E MITOLOGIA

15 DE JUNHO MARCOS ARAKAKI, regente


PROGRAMA

LUDWIG VAN BEETHOVEN As criaturas de Prometeu, op. 43: Abertura

FRANZ LISZT Prometeu, Poema sinfônico nº 5

CLAUDE DEBUSSY / Ernest Ansermet Seis epígrafes antigas • Para invocar Pan, Deus dos ventos de verão • Para uma tumba sem nome • Para que a noite seja proveitosa • Para a dançarina com crótalos • Para a egípcia • Para agradecer a chuva da manhã

INTERVALO

CÉSAR FRANCK Psiquê e Eros

FRANZ VON SUPPÉ A bela Galateia: Abertura

CHRISTOPH WILLIBALD GLUCK Orfeu e Eurídice: Dança das fúrias

JACQUES OFFENBACH Orfeu no Inferno: Abertura


FOTO: RAFAEL MOTTA

CAROS amigos e amigas, Picasso dizia que a arte é uma

No concerto desta noite veremos como grandes

mentira que nos faz enxergar a

compositores, como Beethoven, Liszt e Debussy, se

verdade. A identificação de criadores

utilizaram de inspirações dessa natureza para criar

com os exemplos advindos da

obras de grande impacto.

mitologia define verdadeiros marcos na história da arte. Na música não

O fogo de Prometeu, a sensualidade de Psiquê e Eros,

poderia ser diferente. Ora dramática,

o amor incondicional de Orfeu e Eurídice são apenas

ora cômica, ela mostra a relevância e

alguns exemplos da forte união que existe entre a

temporalidade dessas verdades.

Música e a Mitologia.

Passa o tempo, mas não passam os mitos; estes são apenas reciclados.

Bom concerto a todos,

FABIO MECHETTI

2


FABIO diretor artístico e MECHETTI regente titular Diretor Artístico e Regente Titular

da qual hoje é Regente Emérito. Regente Associado de

da Orquestra Filarmônica de Minas

Mstislav Rostropovich na Orquestra Sinfônica Nacional de

Gerais desde sua criação, em 2008,

Washington, com ela dirigiu concertos no Kennedy Center

Fabio Mechetti posicionou a orquestra

e no Capitólio. Da Sinfônica de San Diego, foi Regente

mineira no cenário mundial da

Residente. Fez sua estreia no Carnegie Hall de Nova York

música erudita. Além dos prêmios

conduzindo a Sinfônica de Nova Jersey. Continua dirigindo

conquistados, levou a Filarmônica

inúmeras orquestras norte-americanas e é convidado

a quinze capitais brasileiras, a uma

frequente dos festivais de verão norte-americanos, entre eles

turnê pela Argentina e Uruguai e

os de Grant Park em Chicago e Chautauqua em Nova York.

realizou a gravação de nove álbuns, sendo quatro para o selo internacional

Igualmente aclamado como regente de ópera, estreou nos

Naxos. Natural de São Paulo,

Estados Unidos dirigindo a Ópera de Washington.

Mechetti serviu recentemente como

No seu repertório destacam-se produções de Tosca,

Regente Principal da Filarmônica

Turandot, Carmem, Don Giovanni, Così fan tutte, La Bohème,

da Malásia, tornando-se o primeiro

Madame Butterfly, O barbeiro de Sevilha, La Traviata e Otello.

regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asiática.

Suas apresentações se estendem ao Canadá, Costa Rica, Dinamarca, Escócia, Espanha, Finlândia, Itália,

Nos Estados Unidos, Mechetti esteve

Japão, México, Nova Zelândia, Suécia e Venezuela.

quatorze anos à frente da Orquestra

No Brasil, regeu todas as importantes orquestras brasileiras.

Sinfônica de Jacksonville e, atualmente, é seu Regente Titular Emérito.

Fabio Mechetti é Mestre em Regência e em Composição

Foi também Regente Titular das

pela Juilliard School de Nova York e vencedor do Concurso

sinfônicas de Syracuse e de Spokane,

Internacional de Regência Nicolai Malko, da Dinamarca. 3


MARCOS ARAKAKI Marcos Arakaki teve seu talento reconhecido a partir de 2001, quando venceu o I Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Orquestra Petrobras Sinfônica. Desde então, tem dirigido as principais orquestras sinfônicas brasileiras, além da Filarmônica de Buenos

FOTO RAFAEL MOTTA

Jovens Regentes, promovido pela

Aires, de Karkhiv na Ucrânia, a Boshlav Martinu na República

Orquestra Sinfônica Brasileira, gravou em 2010 a trilha

Tcheca, a Sinfônica de Xalapa

sonora do filme Nosso Lar, composta por Philip Glass.

e da Universidade Autônoma do México. Marcos Arakaki concluiu

Arakaki tem acompanhado importantes artistas, tais

bacharelado em música pela

como os pianistas Gabriela Montero, Sergio Tiempo, Anna

Universidade Estadual Paulista

Vinnitiskaya, Sofya Gulyak e Ricardo Castro; os violinistas

(Unesp) e mestrado em regência

Pinchas Zukerman, Rachel Barton Pine, Chloë Hanslip

orquestral pela University of

e Luíz Fílip; o violoncelista Victor Julien-Laferrière; o

Massachusetts. Participou do Aspen

contrabaixista Günter Klaus, o clarinetista Eddie Daniels,

Music Festival and School (2005),

o trompista/trompetista David Gérrier e o violonista

nos Estados Unidos, recebendo

Yamandu Costa.

orientações de David Zinman, e também de masterclasses com os

Paralelamente, desenvolve atividades como coordenador

maestros Kurt Masur, Charles Dutoit

pedagógico, professor e palestrante em diversos

e Sir Neville Marriner. Entre 2007

projetos culturais e em instituições, como Casa Saber-

e 2010, trabalhou como regente

Rio de Janeiro, Música na Estrada, Universidade

titular da Orquestra Sinfônica da

Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal do

Paraíba e regente assistente da

Rio Grande do Norte, Universidade Federal de Roraima

Orquestra Sinfônica Brasileira.

e em diversos conservatórios brasileiros. Foi professor

Como regente titular, Arakaki

visitante da Universidade Federal da Paraíba por dois

promoveu a reestruturação da

anos, contribuindo para a consolidação da recém-criada

Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem,

Orquestra Sinfônica da UFPB.

recebendo grande reconhecimento da crítica especializada e do público na

Marcos Arakaki é regente associado da Filarmônica de

cidade do Rio de Janeiro. Em 2009,

Minas Gerais e colabora com a Orquestra desde 2011,

recebeu o Prêmio Camargo Guarnieri,

com destacada atuação nos concertos para formação de

concedido pelo Festival Internacional

público. É autor do livro A História da Música Clássica

de Campos do Jordão. À frente da

Através da Linha do Tempo, lançado em 2019.

4


LUDWIG VAN BEETHOVEN Bonn, Alemanha, 1770 — Viena, Áustria, 1827

As criaturas de Prometeu, op. 43: Abertura 1800/1801 — 5 min 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes, tímpanos, cordas. Editora: Breitkopf & Härtel

FRANZ LISZT Raiding, Hungria, atual Áustria, 1811 — Bayreuth, Alemanha, 1886

Prometeu, Poema sinfônico nº 5 1849/1855 — 12 min Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, corne inglês, 2 clarinetes, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, cordas. Editora: Breitkopf & Härtel

Nl

a Mitologia Grega os deuses associam-se à Natureza e à multiplicidade de seus fenômenos. Submetidos às mesmas leis naturais que governam o mundo e os homens, não rejeitam a

condição humana, apenas a excedem – são super-humanos, nunca anti-humanos. E, ao longo dos séculos, como metáforas bem concebidas dos atributos da vida, suscitam diversas interpretações. O mito de Prometeu (cujo nome significa “o que pensa antes”) foi muito querido ao Iluminismo. Esse Titã entregou aos homens o fogo, indicando-lhes a busca do conhecimento, a luta pela civilização, as artes e as ciências. Beethoven escreveu a música para o balé As criaturas de Prometeu, de Salvatore Viganò, entre a composição de suas duas primeiras sinfonias. Como a música de cena deveria ser mais fácil que a destinada às salas de concerto, o Prometeu op. 43 mostra o compositor explorando efeitos orquestrais que jamais viriam

CLAUDE DEBUSSY Saint-Germain-en-Laye, França, 1862 — Paris, França, 1918

Seis epígrafes antigas 1914 — 16 min Piccolo, 3 flautas, 3 oboés, corne inglês, 3 clarinetes, clarone, 3 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tímpanos, percussão, 2 harpas, celesta, cordas. Editora: Durand-Salabert-Eschig Representante: Melos Ediciones Musicales S.A.

a aparecer em suas sinfonias. A Abertura apresenta um exuberante Allegro, precedido de pequena Introdução. No teatro clássico de Ésquilo, Prometeu, por entregar aos homens o fogo, é castigado: preso ao alto de uma montanha, ele teria o fígado alternadamente devorado por uma águia e sempre regenerado. A busca do conhecimento humano marcava-se, assim, tragicamente, com o sofrimento de um único herói em prol do esclarecimento da humanidade. Em 1850, Franz Liszt compôs uma Abertura para Prometeu Libertado, peça do poeta Johann G. Herders sobre a libertação do Titã por Hércules. A partitura de Liszt fundamenta-se no díptico Paixão e Iluminismo, conforme a

CÉSAR FRANCK

alternância dos temas nos teatros de Ésquilo e Herder.

Liège, Bélgica, 1822 — Paris, França, 1890

Psiquê e Eros 1887/1888 — 6 min 2 flautas, 2 oboés, corne inglês, 2 clarinetes, clarones, 4 fagotes, 4 trompas, 4 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, cordas. Editora: Bornermann

Em 1893, Claude Debussy (que já havia composto o Prelúdio para “A tarde de um fauno”, sobre poesia de Mallarmé) conheceu Pierre Louys, autor de Les chansons de Bilitis. Segundo esse poeta, os versos teriam sido traduzidos de antigos originais de Bilitis, uma poetisa grega – mentira aceita de bom grado nos meios artísticos parisienses. Debussy escreveu música de cena para a apresentação 5


FRANZ VON SUPPÉ Spalato, Dalmácia, atual Split, Croácia, 1819 — Viena, Áustria, 1895

A bela Galateia: Abertura 1865 — 7 min Piccolo, flauta, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tímpanos, percussão, cordas. Editora: Kalmus

recitada das canções, com instrumentação inusitada – duas harpas, duas flautas e celesta. Em 1914, o compositor recriou a obra, com muitas modificações e acréscimos, transformando-a nas Six épigraphes antiques, para piano a quatro mãos. As Epígrafes impressionam por sua concisão, pela clareza e transparência da textura musical que dispensa qualquer efeito espetacular. As peripécias do romance entre Eros, deus do amor, e a linda mortal Psiquê (narradas nas Metamorfoses do poeta latino

CHRISTOPH WILLIBALD GLUCK

Ovídio) inspiraram o poema sinfônico de César Franck, para

Berching, Alemanha, 1714 — Viena, Áustria, 1787

coro e orquestra. Frequentemente apresentada sem o texto,

Orfeu e Eurídice: Dança das fúrias

convincentemente expressiva. No final, sugere a imagem do

1762 — 5 min 2 oboés, fagote, 2 trompas, cordas. Editora: Lemarchand

paraíso: Psiquê tornou-se uma deusa; o casal teve uma filha

JACQUES OFFENBACH Colônia, Alemanha, 1819 — Paris, França, 1880

Orfeu no Inferno: Abertura 1858 — 10 min Piccolo, flauta, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa, cordas. Editora: Bert Breig

a música, de exacerbado cromatismo romântico, torna-se

chamada Prazer e os três vivem felizes no monte Olimpo. A mitologia serviu também à chamada música ligeira, às operetas tão apreciadas em sua época e quase esquecidas hoje. De Franz von Suppé, representante do gênero em Viena, ainda se ouve a Abertura de A bela Galateia, nome da estátua pela qual o escultor Pigmalião se apaixona. Nos âmbitos mais sérios da Psicologia e da Estética, essa narrativa de Ovídio ilustra a idealização da pessoa amada, ou ainda as relações do criador com sua obra. A mitologia grega uniu a poesia e o canto na imagem de Orfeu, cuja música podia domar as feras e apaziguar os corações. O amor de Orfeu e Eurídice tornou-se um dos temas mais recorrentes na história da ópera, desde o início do gênero. No século XVIII, a estória serviu à radical reforma dramático-lírica empreendida por Gluck. O poder dramático do seu Orfeu exemplifica-se na Dança das fúrias: elas incitam Cérbero, o cão de três cabeças, a atacar o herói, mas acabam subjugadas pela doçura de seu canto. No século XIX, Orfeu submeteu-se à alegre paródia da opereta

PAULO SÉRGIO MALHEIRO DOS SANTOS

parisiense, sob o reinado de Offenbach. Como compositor do Teatro

Pianista, Doutor em Letras, professor na

das Folies-Bergères, Offenbach dedicou seu talento à sátira, à ironia

UEMG, autor dos livros Músico, doce músico e O grão perfumado – Mário de Andrade e a arte do inacabado. Apresenta o programa semanal Recitais Brasileiros, pela Rádio Inconfidência. 6

e ao nonsense, até merecer de Wagner a alcunha de “O Mozart dos Champs-Élysées”. A Abertura de Orfeu no Inferno resume os principais temas da opereta, com destaque para o Cancã das Fúrias, uma das páginas mais célebres da música ligeira.


para

OUVIR, ASSISTIR E LER

BEETHOVEN CD Beethoven – The 9 Symphonies;

Jean Barraqué – Debussy – Éditions du Seuil – 1962

5 Overtures – Vienna Philharmonic Orchestra – Leonard Bernstein, regente – Deutsche

Paul Griffiths – A música moderna – Zahar – 1998

Grammophon – 1990 CD Beethoven – Complete Overtures – Gewandhausorchester Leipzig – Kurt Masur, regente – Phillips Classics – 1993 NHK Symphony Orchestra – Paavo Järvi, regente | Acesse: fil.mg/bprometeu Lewis Lockwood – Beethoven, a música

FRANCK CD C. Franck – Sinfonia, M. 48. Psyke e Eros – Pro-Orquestra Sinfônica Arte – James Arthur Gardner, regente – Naxos – 2003 Berliner Philharmoniker – Carlo Maria Giulini, regente Acesse: fil.mg/fpsique François-René Tranchefort – Guia da Música Sinfônica –

e a vida – Códex – 2004

Nova Fronteira – 1990

LISZT

SUPPÉ

CD Franz Liszt – Prometheus, The Myth

CD F. von Suppé – La Bella Galatea: Obertura – Orquesta Lírica de

in Music – Prometheus Symphonic Poem

Barcelona – José María Damunt, regente – Los Grandes Maestros de la

No. 5, S. 99 – Berliner Philharmoniker –

Música Clásica: Nostalgia – Espanha – 2013

Claudio Abbado, regente – Sony Music – 1994 Wiener Philharmoniker – Lorin Maazel, regente CD Liszt – Les Préludes; Tasso;

Acesse: fil.mg/sgalateia

Prometheus – London Philharmonic Orchestra – Sir Georg Solti, regente – Decca – 1978 The Philadelphia Orchestra –

GLUCK DVD C. W. von Gluck – Orfeu e Eurídice – Walter Licastro, diretor de

Yannick Nézet-Séguin, regente

TV – Bernadette Manca Di Nissa,Orfeu – Paula Aumerares, Eurídice –

Acesse: fil.mg/lprometeu

Paola Antonucci, Amor – Proggetto Italia – 1998

Lauro Machado Coelho – O cigano

Orchestre de Caen – Vahan Mardirossian, regente | Acesse: fil.mg/gfurias

visionário: Vida e obra de Franz Liszt – Algol Editora – 2009

DEBUSSY

OFFENBACH CD Orpheus in the Underworld: Overture – Vários cantores – Álbum 99 Must-Have Classic Gold – The Orchard Music – 1999

CD Debussy – Orchestrations by Caplet, Ansermet, Ravel, Stokowski e Busser –

New York Philharmonic – Zubin Mehta, regente | Acesse: fil.mg/oorfeu

Orchestre Symphonique de Québec – Ernest Ansermet, regente – Naxos – 2003 Orchestre Royal de Chambre de Wallonie – Jean-Pierre Wallez, regente Acesse: fil.mg/depigrafes

SUPPÉ, GLUCK, OFFENBACH Kobbé – O livro completo da ópera – Editado pelo Conde de Harewood – Zahar – 2003 7


Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

DIRETOR ARTÍSTICO E REGENTE TITULAR

Fabio Mechetti REGENTE ASSOCIADO

Marcos Arakaki

PRIMEIROS VIOLINOS

VIOLONCELOS

FAGOTES

HARPAS

Anthony Flint – Spalla

Philip Hansen *

Catherine Carignan *

Clémence Boinot *

Rommel Fernandes – Spalla

Robson Fonseca ***

Victor Morais ***

Marcelo Penido ****

associado

Camila Pacífico

Andrew Huntriss

Ara Harutyunyan –

Camilla Ribeiro

Francisco Silva

Spalla assistente

Eduardo Swerts

Ana Paula Schmidt

Emília Neves

TROMPAS

Ana Zivkovic

Lina Radovanovic

Alma Maria Liebrecht *

Arthur Vieira Terto

Lucas Barros

Evgueni Gerassimov ***

GERENTE

Joanna Bello

William Neres

Gustavo Garcia Trindade

Jussan Fernandes

TECLADOS

Ayumi Shigeta *

José Francisco dos Santos

Laura von Atzingen Luis Andrés Moncada

CONTRABAIXOS

Lucas Filho

INSPETORA

Roberta Arruda

Nilson Bellotto *

Fabio Ogata

Karolina Lima

Rodrigo Bustamante

André Geiger ***

Rodrigo M. Braga

Marcelo Cunha

TROMPETES

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Rodrigo de Oliveira

Marcos Lemes

Marlon Humphreys *

Risbleiz Aguiar

Wesley Prates

Pablo Guiñez

Érico Fonseca **

Rossini Parucci

Daniel Leal ***

ARQUIVISTA

Walace Mariano

Tássio Furtado

Ana Lúcia Kobayashi

Hyu-Kyung Jung ***

FLAUTAS

TROMBONES

ASSISTENTES

Gideôni Loamir

Cássia Lima *

Mark John Mulley *

Claudio Starlino

Jovana Trifunovic

Renata Xavier ***

Diego Ribeiro **

Jônatas Reis

Luka Milanovic

Alexandre Braga

Wagner Mayer ***

Martha de Moura Pacífico

Elena Suchkova

Renato Lisboa

Radmila Bocev

OBOÉS

TUBAS

Rodolfo Toffolo

Alexandre Barros *

Eleilton Cruz *

MONTADORES

Tiago Ellwanger

Públio Silva ***

Isaque Macedo ****

Hélio Sardinha

Valentina Gostilovitch

Israel Muniz

SEGUNDOS VIOLINOS

Frank Haemmer *

Maria Fernanda Gonçalves

Klênio Carvalho TÍMPANOS

Patricio Hernández Pradenas *

VIOLAS

João Carlos Ferreira *

CLARINETES

Roberto Papi ***

Marcus Julius Lander *

PERCUSSÃO

Flávia Motta

Jonatas Bueno ***

Rafael Alberto *

Gerry Varona

Ney Franco

Daniel Lemos ***

Gilberto Paganini

Alexandre Silva

Sérgio Aluotto Werner Silveira

Katarzyna Druzd Luciano Gatelli Marcelo Nébias Mikhail Bugaev Nathan Medina

* PRINCIPAL

SUPERVISOR DE MONTAGEM

Rodrigo Castro

Matheus Braga

** PRINCIPAL ASSOCIADO

*** PRINCIPAL ASSISTENTE

**** MUSICISTA CONVIDADO


Instituto Cultural Filarmônica OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – Lei 14.870 / Dez 2003 OS — Organização Social — Lei 23.081 / Ago 2018

Conselho Administrativo

Equipe Técnica

Equipe Administrativa

MENSAGEIRO

GERENTE ADMINISTRATIVO-

JOVEM APRENDIZ

FINANCEIRA

Sunamita Souza

Ana Lúcia Carvalho

Sala Minas Gerais

Douglas Conrado

GERENTE DE COMUNICAÇÃO PRESIDENTE EMÉRITO

Merrina Godinho Delgado

Jacques Schwartzman GERENTE DE PRESIDENTE

PRODUÇÃO MUSICAL

Roberto Mário

Claudia da Silva Guimarães

Gonçalves Soares Filho

GERENTE CONTÁBIL

Graziela Coelho

CONSELHEIROS

PROGRAMAÇÃO MUSICAL

GERENTE DE

Angela Gutierrez

Gabriela de Souza

RECURSOS HUMANOS

Quézia Macedo Silva

Arquimedes Brandão Berenice Menegale

PRODUTOR

Bruno Volpini

Luis Otávio Rezende

Celina Szrvinsk

GERENTE DE OPERAÇÕES

Jorge Correia João Paulo de Oliveira

TÉCNICOS DE ÁUDIO

Paulo Baraldi

E DE ILUMINAÇÃO

ANALISTAS DE COMUNICAÇÃO

Ítalo Gaetani

Fernando Dornas

Marco Antônio Pepino

Lívia Aguiar

SECRETÁRIA EXECUTIVA

Marco Antônio Soares da

Renata Gibson

Flaviana Mendes

Cunha Castello Branco

Renata Romeiro

Mauricio Freire

Carolina Moraes Santana

Diano Carvalho Rafael Franca ASSISTENTE OPERACIONAL ASSISTENTE ADMINISTRATIVA

Rodrigo Brandão

Cristiane Reis

Octávio Elísio

Diretoria Executiva

Renato Bretas

ANALISTAS ADMINISTRATIVOS

Fernando de Almeida

Sérgio Pena

GERENTE DE INFRAESTRUTURA

ASSESSORA DE

ANALISTA DE MARKETING E PROJETOS

ASSISTENTE DE

Lilian Sette

RECURSOS HUMANOS

Jessica Nascimento DIRETOR PRESIDENTE

ANALISTA DE MARKETING

Diomar Silveira

E RELACIONAMENTO

RECEPCIONISTAS

Itamara Kelly

Meire Gonçalves Vivian Figueiredo

DIRETOR ADMINISTRATIVOFINANCEIRO

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO

Joaquim Barreto

Rildo Lopez

AUXILIAR CONTÁBIL

Pedro Almeida

FORA DE SÉRIE

Música e Mitologia junho 2019

DIRETOR DE COMUNICAÇÃO

AUXILIARES DE PRODUÇÃO

Agenor Carvalho

André Barbosa

AUXILIAR ADMINISTRATIVA

COORDENADORA

Jeferson Silva

Geovana Benicio

DA EDIÇÃO Merrina

DIRETORA DE MARKETING

Godinho Delgado

E PROJETOS

AUXILIARES DE

Zilka Caribé

SERVIÇOS GERAIS

Ailda Conceição DIRETOR DE OPERAÇÕES

Ivar Siewers

Rose Mary de Castro

EDIÇÃO DE TEXTO

Berenice Menegale IMAGEM DA CAPA

Detalhe de Psiquê e Cupido, pintura de François Gérard


APROVEITE A NOITE PARA JANTAR EM UM DE NOSSOS RESTAURANTES PARCEIROS Confira aqui os benefícios para o público da Filarmônica R. Rio Grande do Sul, 1236 — Santo Agostinho / 2525-6092 ASSINANTES E PÚBLICO DO DIA:

válido para a data do concerto • uma taça de vinho da casa ou uma trilogia de brusquetas PROGRAMA AMIGOS:

válido para a data do concerto • 50% de desconto no segundo prato (de igual ou menor valor)

Rua Curitiba, 2244 — Lourdes / 3291-1447 PROGRAMA AMIGOS E ASSINANTES:

FOTO: DAEN VAN BEERS — UNS PL ASH

válido para todos os dias • 15% de desconto para o titular do cartão e acompanhante • uma taça de vinho ou espumante (até R$ 25) ou uma sobremesa • possibilidade de reserva tardia (após 22h15) para mesa de até 4 pessoas PÚBLICO DO DIA:

válido para a data do concerto • 15% de desconto para o portador do ingresso e acompanhante

Necessária a apresentação do cartão de Amigo ou Assinante ou, no caso de público do dia do concerto, a apresentação do ingresso.


NO CONCERTO... Seja pontual.

Cuide da Sala Minas Gerais.

Traga seu ingresso ou cartão de assinante.

Não coma ou beba.

Desligue o celular (som e luz).

Deixe para aplaudir ao fim de cada obra.

Não fotografe ou grave em áudio / vídeo.

Se puder, devolva seu programa de concerto.

Faça silêncio e evite tossir.

Evite trazer crianças menores de 8 anos.

PRÓXIMOS CONCERTOS DIA 18 DE JUNHO, 20h30 FESTIVAL TINTA FRESCA

DIA 30 DE JUNHO, 11h CLÁSSICOS NA PRAÇA / BETIM

Concerto de encerramento com

Clarke / Mozart / Beethoven / Suppé /

obras inéditas dos finalistas

Saint-Saëns / Fernandez / Duda / J. Williams

DIA 23 DE JUNHO, 11h CONCERTOS PARA A JUVENTUDE / FORMAS MUSICAIS

DIAS 5 E 6 DE JULHO TURNÊ ESTADUAL / UBERABA E ITUIUTABA

Mozart / Tchaikovsky / Dvorák / Bizet /

Saint-Saëns / Fernandez / Duda / J. Williams

Clarke / Mozart / Beethoven / Suppé /

Sibelius / Grieg / A. Alves

DIAS 11 E 12 DE JULHO, 20h30 PRESTO E VELOCE

DIAS 27 E 28 DE JUNHO, 20h30 ALLEGRO E VIVACE

Britten / Mozart / J. Strauss Jr.

Ripper / Mendelssohn / Borodin

Restaurantes parceiros

Nos dias de concerto, apresente seu ingresso,

cartão de Amigo ou Assinante e obtenha descontos especiais. Saiba mais: fil.mg/restaurantes

RUA RIO DE JANEIRO, 2076 – LOURDES TEL: 3292-6221

RUA PIUM-Í, 229 – CRUZEIRO TEL: 3227-7764

RUA RIO GRANDE DO SUL, 1236 – SANTO AGOSTINHO TEL: 2515-6092

11 RUA CURITIBA, 2244 – LOURDES TEL: 3291-1447


MANTENEDOR

PATROCÍNIO

DIVULGAÇÃO

REALIZAÇÃO

SALA MINAS GERAIS

(31) 3219.9000 | Fax (31) 3219.9030

WWW.FILARMONICA.ART.BR

/filarmonicamg

/filarmonicamg

@filarmonicamg

/filarmonicamg

COMUNICAÇÃO ICF

Rua Tenente Brito Melo, 1.090 | Barro Preto | CEP 30.180-070 | Belo Horizonte - MG


Profile for Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Fora de Série: Conexões | Música e Mitologia  

Marcos Arakaki, regente BEETHOVEN | As criaturas de Prometeu, op. 43: Abertura LISZT | Prometeu, Poema sinfônico nº 5 DEBUSSY/Ansermet | Se...

Fora de Série: Conexões | Música e Mitologia  

Marcos Arakaki, regente BEETHOVEN | As criaturas de Prometeu, op. 43: Abertura LISZT | Prometeu, Poema sinfônico nº 5 DEBUSSY/Ansermet | Se...

Advertisement