{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

TEMPORADA 2019 • FORA DE SÉRIE 3 MÚSICA E CINEMA

CONEXÕES


Ministério da Cidadania e Governo de Minas Gerais apresentam

FORA DE SÉRIE • MÚSICA E CINEMA

4 E 5 DE MAIO MARCOS ARAKAKI, regente


PROGRAMA

ERICH KORNGOLD Abertura Capitão Blood

NINO ROTA O Poderoso Chefão: Suíte • Valsa • Pastoral Siciliana • O imigrante • A coleta • Kay • Tema de amor • O novo carpete • Título final

CAMARGO GUARNIERI Suíte Vila Rica • Maestoso • Andantino • Misterioso • Scherzando • Agitado • Alegre • Valsa • Saudoso • Humorístico • Gingado

PAUL DUKAS O Aprendiz de Feiticeiro

INTERVALO

GEORGE GERSHWIN Um americano em Paris

JOHN WILLIAMS ET: Aventuras na Terra


FOTO: ALEXANDRE REZENDE

CAROS amigos e amigas, Continuando a explorar a relação

subliminar para grandes emoções seriam extremamente

da música com outras artes

ineficientes sem a ajuda fundamental da música.

destacamos na noite de hoje o papel essencial que ela exerce

Nesta noite exploraremos alguns desses exemplos,

junto ao cinema.

desde peças sinfônicas utilizadas em sua versão original para enriquecer cenas até a música

Imaginem qualquer filme de

especialmente escrita para o filme. De clássicos, como

Charles Chaplin sem fundo

O Poderoso Chefão e Fantasia, à inspirada música que

musical. Ou Morte em Veneza sem

Camargo Guarnieri escreveu em sua Suíte Vila Rica,

o Adagietto da Quinta Sinfonia de

presenciaremos neste concerto a identificação estrita

Mahler, ou mesmo Apocalipse Now

que une essas duas artes irmãs: Música e Cinema.

sem a Cavalgada das Valquírias de Wagner. Por mais rica e direta que

A todos um bom concerto.

seja a linguagem cinematográfica, o estabelecimento de determinadas atmosferas, a ilustração musical de certos cenários, a preparação 2

FABIO MECHETTI


FABIO diretor artístico e MECHETTI regente titular Diretor Artístico e Regente Titular

da qual hoje é Regente Emérito. Regente Associado de

da Orquestra Filarmônica de Minas

Mstislav Rostropovich na Orquestra Sinfônica Nacional de

Gerais desde sua criação, em 2008,

Washington, com ela dirigiu concertos no Kennedy Center

Fabio Mechetti posicionou a orquestra

e no Capitólio. Da Sinfônica de San Diego, foi Regente

mineira no cenário mundial da

Residente. Fez sua estreia no Carnegie Hall de Nova York

música erudita. Além dos prêmios

conduzindo a Sinfônica de Nova Jersey. Continua dirigindo

conquistados, levou a Filarmônica

inúmeras orquestras norte-americanas e é convidado

a quinze capitais brasileiras, a uma

frequente dos festivais de verão norte-americanos, entre eles

turnê pela Argentina e Uruguai e

os de Grant Park em Chicago e Chautauqua em Nova York.

realizou a gravação de nove álbuns, sendo quatro para o selo internacional

Igualmente aclamado como regente de ópera, estreou nos

Naxos. Natural de São Paulo,

Estados Unidos dirigindo a Ópera de Washington.

Mechetti serviu recentemente como

No seu repertório destacam-se produções de Tosca,

Regente Principal da Filarmônica

Turandot, Carmem, Don Giovanni, Così fan tutte, La Bohème,

da Malásia, tornando-se o primeiro

Madame Butterfly, O barbeiro de Sevilha, La Traviata e Otello.

regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asiática.

Suas apresentações se estendem ao Canadá, Costa Rica, Dinamarca, Escócia, Espanha, Finlândia, Itália,

Nos Estados Unidos, Mechetti esteve

Japão, México, Nova Zelândia, Suécia e Venezuela.

quatorze anos à frente da Orquestra

No Brasil, regeu todas as importantes orquestras brasileiras.

Sinfônica de Jacksonville e, atualmente, é seu Regente Titular Emérito.

Fabio Mechetti é Mestre em Regência e em Composição

Foi também Regente Titular das

pela Juilliard School de Nova York e vencedor do Concurso

sinfônicas de Syracuse e de Spokane,

Internacional de Regência Nicolai Malko, da Dinamarca. 3


MARCOS ARAKAKI Marcos Arakaki teve seu talento reconhecido a partir de 2001, quando venceu o I Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Orquestra Petrobras Sinfônica. Desde então, tem dirigido as principais orquestras sinfônicas brasileiras, além da Filarmônica de Buenos

FOTO RAFAEL MOTTA

Jovens Regentes, promovido pela

Aires, de Karkhiv na Ucrânia, a Boshlav Martinu na República

Orquestra Sinfônica Brasileira, gravou em 2010 a trilha

Tcheca, a Sinfônica de Xalapa

sonora do filme Nosso Lar, composta por Philip Glass.

e da Universidade Autônoma do México. Marcos Arakaki concluiu

Arakaki tem acompanhado importantes artistas, tais

bacharelado em música pela

como os pianistas Gabriela Montero, Sergio Tiempo, Anna

Universidade Estadual Paulista

Vinnitiskaya, Sofya Gulyak e Ricardo Castro; os violinistas

(Unesp) e mestrado em regência

Pinchas Zukerman, Rachel Barton Pine, Chloë Hanslip

orquestral pela University of

e Luíz Fílip; o violoncelista Victor Julien-Laferrière; o

Massachusetts. Participou do Aspen

contrabaixista Günter Klaus, o clarinetista Eddie Daniels,

Music Festival and School (2005),

o trompista/trompetista David Gérrier e o violonista

nos Estados Unidos, recebendo

Yamandu Costa.

orientações de David Zinman, e também de masterclasses com os

Paralelamente, desenvolve atividades como coordenador

maestros Kurt Masur, Charles Dutoit

pedagógico, professor e palestrante em diversos

e Sir Neville Marriner. Entre 2007

projetos culturais e em instituições, como Casa Saber-

e 2010, trabalhou como regente

Rio de Janeiro, Música na Estrada, Universidade

titular da Orquestra Sinfônica da

Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal do

Paraíba e regente assistente da

Rio Grande do Norte, Universidade Federal de Roraima

Orquestra Sinfônica Brasileira.

e em diversos conservatórios brasileiros. Foi professor

Como regente titular, Arakaki

visitante da Universidade Federal da Paraíba por dois

promoveu a reestruturação da

anos, contribuindo para a consolidação da recém-criada

Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem,

Orquestra Sinfônica da UFPB.

recebendo grande reconhecimento da crítica especializada e do público na

Marcos Arakaki é regente associado da Filarmônica de

cidade do Rio de Janeiro. Em 2009,

Minas Gerais e colabora com a Orquestra desde 2011,

recebeu o Prêmio Camargo Guarnieri,

com destacada atuação nos concertos para formação de

concedido pelo Festival Internacional

público. É autor do livro A História da Música Clássica

de Campos do Jordão. À frente da

Através da Linha do Tempo, lançado em 2019.

4


ERICH KORNGOLD Brno, República Tcheca, 1897 – Hollywood, Estados Unidos, 1957

Abertura Capitão Blood 1935 — 3 min 2 flautas, 2 oboés, corne inglês, 2 clarinetes, clarone, 2 fagotes, 4 trompas, 4 trompetes, 4 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa, cordas. Editora: Schott Music

El

m 1934, Korngold foi convidado por Max Reinhardt a adaptar a suíte Sonho de Uma Noite de Verão de Mendelssohn para seu filme homônimo. Em Hollywood, fundou um

gênero próprio, a composição sinfônica para cinema, e consagrou-se ao conquistar o Oscar de melhor trilha sonora por Adversidades (1936) e por As Aventuras de Robin Hood (1938). Para ele, cada trilha sonora é como uma “ópera sem canto”, em que a música pode ser ouvida independentemente do filme. Sua primeira trilha sonora foi para o filme Captain

NINO ROTA Milão, Itália, 1911 – Roma, Itália, 1979

O Poderoso Chefão: Suíte 1977 — 22 min 2 flautas, 2 oboés, corne inglês, 3 clarinetes, clarone, 2 fagotes, saxofone alto, saxofone barítono, 3 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, escaleta, bandolim, baixo elétrico, guitarra, harpa, piano, celesta, cordas. Editora: Novello (MSC) Representante: Barry Editorial

Blood, composta em 1935 e indicada ao Oscar. Graças às mais de 170 trilhas compostas para filmes dos principais nomes do cinema italiano, como Soldati, Zeffirelli, Visconti, e, principalmente, Federico Fellini, para quem compôs dezessete trilhas, Nino Rota personifica a música italiana para cinema. Devido a essa essência italiana, foi convidado a compor as trilhas dos dois primeiros filmes da trilogia de Francis Ford Coppola, O Poderoso Chefão (1972, 1974), para as quais tomou de empréstimo trechos da música inicialmente composta para Fortunella (1958), de Eduardo De Filippo. Agraciado com o Oscar pela música composta para o segundo filme da série, Rota imortalizou

CAMARGO GUARNIERI Tietê, Brasil, 1907 – São Paulo, Brasil, 1993

Suíte Vila Rica 1958 — 19 min 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes, 2 trombones, tímpanos, percussão, harpa, piano, cordas. Editora: Osesp

o matrimônio all’italiana entre amor e tragédia na Valsa do Poderoso Chefão e em seu Tema de Amor. A trilha do filme Rebelião em Vila Rica (1958), de Renato e Geraldo Santos Pereira, é a única que Camargo Guarnieri assinou em sua vida, embora estivesse associado, junto a Francisco Mignone, aos estúdios da Vera Cruz, a primeira tentativa brasileira de produção cinematográfica industrial

PAUL DUKAS Paris, França, 1865 – 1935

O Aprendiz de Feiticeiro 1897 — 11 min Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, clarone, 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 4 trompetes, 3 trombones, tímpanos, percussão, harpa, cordas. Editora: Durand

aos modos de Hollywood. Inspirado por Villa-Lobos e Mário de Andrade, os ideais de Guarnieri vão ao encontro do filme, que retrata um levante de alunos em Ouro Preto contra um reitor autoritário, no final dos anos de 1940. Com personagens nomeados a partir dos inconfidentes, o longa-metragem sugere um paralelo entre a Inconfidência Mineira e a resistência ao governo de Getúlio Vargas.

5


GEORGE GERSHWIN Nova York, Estados Unidos, 1898 – Hollywood, Estados Unidos, 1937

Um americano em Paris 1928 — 16 min Piccolo, 3 flautas, 2 oboés, corne inglês, 2 clarinetes, clarone, 2 fagotes, saxofone alto, saxofone barítono, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, celesta, cordas. Editora: Schott Music

Conceituado professor de composição e crítico musical francês, Paul Dukas jamais teria imaginado que seu “scherzo segundo uma balada de Goethe”, O Aprendiz de Feiticeiro (1897), seria imortalizado por uma produção cinematográfica. Figurando entre as oito obras do repertório musical de concerto animadas por Walt Disney, em Fantasia (1940), o poema sinfônico de Dukas, assim como o filme de Disney, segue de perto o roteiro da balada de Goethe, que conta a história de um aprendiz de feiticeiro, no filme representado por Mickey Mouse, que, na ausência do seu mestre, encanta uma vassoura para que ela o ajude com a limpeza, mas se desespera ao descobrir que não sabe como

JOHN WILLIAMS

reverter o feitiço.

Nova York, Estados Unidos, 1932

ET: Aventuras na Terra 1982 — 10 min Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa, piano, celesta, cordas. Editora: MCA Music Publishing

Gershwin é celebrado pela ópera Porgy and Bess (1935), pela Rapsódia em Blue (1924), Um americano em Paris (1951) e pelas inúmeras canções que escreveu para musicais da Broadway e para o Tin Pan Alley, grupo de editoras e compositores nova-iorquinos que dominou o mercado da música popular nos Estados Unidos no começo do século XX. Além de uma experiência frustrada com a Fox Film Corporation, em 1929, sua atuação em Hollywood se restringe ao seu último ano de vida, quando compôs a música para Shall We Dance e A Damsel in Distress, ambos estrelados por Fred Astaire e lançados em 1937. Sua música, contudo, inspirou algumas centenas de produções, incluindo o celebrado filme musical Um americano em Paris (1951), de Vincente Minnelli. Com uma linguagem neorromântica inspirada nas grandes obras orquestrais do final do século XIX, John Williams revolucionou a história da música para cinema ao criar algumas das mais icônicas trilhas de todos os tempos, como as dos filmes Tubarão, Guerra nas Estrelas, Super-Homem, Indiana Jones, E.T. – O Extraterrestre, O Parque dos Dinossauros, Harry Potter, dentre outros. Williams recebeu 24 Grammys, sete BAFTAs, cinco Golden Globes, além de 51 indicações ao Oscar e cinco estatuetas, o que o faz o segundo indivíduo com mais indicações para a premiação, atrás apenas de Walt Disney. Com uma carreira de mais de seis décadas, ele não apenas reinventou a

IGOR REYNER Pianista, Mestre em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutor em Literatura pelo King’s College London. 6

forma de composição para cinema, como também colaborou com alguns dos maiores nomes do gênero, como Henry Mancini, Bernard Hermann, Alfred Newman e Franz Waxman.


para

OUVIR, ASSISTIR E LER

KORNGOLD CD Erich Wolfgang Korngold – Captain Blood (Original motion picture soundtrack) – Erich Wolfgang Korngold, regente – Tsunami TSU 0141 – 2001

DUKAS CD The Essential Paul Dukas – Ulster Orchestra; BBC Philharmonic – Yan Pascal Tortelier, regente – Chandos CHAN 241-32 – 2006 Fantasia – Walt Disney, produção – 1940

O Capitão Blood – Michael Curtiz, direção – 1935

GERSHWIN CD George Gershwin – An American in Paris (Original motion picture

ROTA CD Nino Rota – The Godfather – Carlo Savina, regente – Silva Screen

soundtrack) – MGM Studio Orchestra – TCM Turner Classic Movies Music – Johnny Green, regente – 8122 71961-2 – 1996 Um Americano em Paris – Vincente Minnelli, direção – 1951

FILMCD 032 – 1988 O Poderoso Chefão – Francis Ford Coppola, direção – 1972, 1974 Mario Puzo – O Poderoso Chefão – Record – 1969/1984

J. WILLIAMS CD E.T. The Extra-Terrestrial – La-La Land Records LLLCD 1420 – 2017 (35th Anniversary: Limited Edition) ET, o extraterreste – Steven Spielberg – 1982

GUARNIERI CD Camargo Guarnieri – Symphonies Nos. 5 & 6; Villa Rica Suite – Orquestra Sinfônica de São Paulo – John Neschling, regente – BIS 1320 CD – 2004 Rebelião em Vila Rica – Renato e Geraldo Santos Pereira, direção – 1958

7


Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

DIRETOR ARTÍSTICO E REGENTE TITULAR

Fabio Mechetti REGENTE ASSOCIADO

Marcos Arakaki

PRIMEIROS VIOLINOS

VIOLONCELOS

FAGOTES

HARPA

Anthony Flint – Spalla

Philip Hansen *

Catherine Carignan *

Clémence Boinot *

Rommel Fernandes – Spalla

Robson Fonseca ***

Victor Morais ***

associado

Camila Pacífico

Andrew Huntriss

TECLADOS

Ara Harutyunyan –

Camilla Ribeiro

Francisco Silva

Ayumi Shigeta *

Spalla assistente

Eduardo Swerts

Ana Paula Schmidt

Emília Neves

SAXOFONES

BANDOLIM

Ana Zivkovic

Lina Radovanovic

Paulo Rosa *****

Pablo Malta *****

Arthur Vieira Terto

Lucas Barros

Robson Saquett *****

Joanna Bello

William Neres

Laura von Atzingen

GUITARRA TROMPAS

Beto Lopes *****

Luis Andrés Moncada

CONTRABAIXOS

Alma Maria Liebrecht *

Roberta Arruda

Nilson Bellotto *

Evgueni Gerassimov ***

Rodrigo Bustamante

André Geiger ***

Gustavo Garcia Trindade

GERENTE

Rodrigo M. Braga

Marcelo Cunha

José Francisco dos Santos

Jussan Fernandes

Rodrigo de Oliveira

Marcos Lemes

Lucas Filho

Wesley Prates

Pablo Guiñez

Fabio Ogata

SEGUNDOS VIOLINOS

Walace Mariano

Frank Haemmer *

INSPETORA

Karolina Lima

Rossini Parucci TROMPETES

Marlon Humphreys *

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Hyu-Kyung Jung ****

FLAUTAS

Érico Fonseca **

Risbleiz Aguiar

Gideôni Loamir

Cássia Lima *

Daniel Leal ***

Jovana Trifunovic

Renata Xavier ***

Tássio Furtado

Luka Milanovic

Alexandre Braga

Martha de Moura Pacífico

Elena Suchkova

ARQUIVISTA

Ana Lúcia Kobayashi TROMBONES

Mark John Mulley *

ASSISTENTES

Radmila Bocev

OBOÉS

Diego Ribeiro **

Claudio Starlino

Rodolfo Toffolo

Alexandre Barros *

Wagner Mayer ***

Jônatas Reis

Tiago Ellwanger

Públio Silva ***

Renato Lisboa

Valentina Gostilovitch

Israel Muniz

Matheus Braga

Maria Fernanda Gonçalves

SUPERVISOR DE MONTAGEM TUBA

Rodrigo Castro

Eleilton Cruz *

VIOLAS

João Carlos Ferreira *

CLARINETES

Roberto Papi ***

Marcus Julius Lander *

TÍMPANOS

Hélio Sardinha

Flávia Motta

Jonatas Bueno ***

Patricio Hernández Pradenas *

Klênio Carvalho

Gerry Varona

Ney Franco

Gilberto Paganini

Alexandre Silva

MONTADORES

PERCUSSÃO

Katarzyna Druzd

Rafael Alberto *

Luciano Gatelli

Daniel Lemos ***

Marcelo Nébias

Sérgio Aluotto

Mikhail Bugaev

Werner Silveira

Nathan Medina

* PRINCIPAL

** PRINCIPAL ASSOCIADO

*** PRINCIPAL ASSISTENTE

**** PRINCIPAL/ASSISTENTE SUBSTITUTA

***** MUSICISTA CONVIDADO


Instituto Cultural Filarmônica OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – Lei 14.870 / Dez 2003 OS — Organização Social — Lei 23.081 / Ago 2018

Conselho Administrativo

Equipe Técnica

Equipe Administrativa

MENSAGEIRO

GERENTE ADMINISTRATIVO-

JOVEM APRENDIZ

FINANCEIRA

Sunamita Souza

Ana Lúcia Carvalho

Sala Minas Gerais

Douglas Conrado

GERENTE DE COMUNICAÇÃO PRESIDENTE EMÉRITO

Merrina Godinho Delgado

Jacques Schwartzman GERENTE DE PRESIDENTE

PRODUÇÃO MUSICAL

Roberto Mário

Claudia da Silva Guimarães

Gonçalves Soares Filho

GERENTE CONTÁBIL

Graziela Coelho

CONSELHEIROS

PROGRAMAÇÃO MUSICAL

GERENTE DE

Angela Gutierrez

Gabriela de Souza

RECURSOS HUMANOS

Quézia Macedo Silva

Arquimedes Brandão Berenice Menegale

PRODUTOR

Bruno Volpini

Luis Otávio Rezende

Celina Szrvinsk

GERENTE DE OPERAÇÕES

Jorge Correia João Paulo de Oliveira

TÉCNICOS DE ÁUDIO

Paulo Baraldi

E DE ILUMINAÇÃO

ANALISTAS DE COMUNICAÇÃO

Ítalo Gaetani

Fernando Dornas

Marco Antônio Pepino

Lívia Aguiar

SECRETÁRIA EXECUTIVA

Marco Antônio Soares da

Renata Gibson

Flaviana Mendes

Cunha Castello Branco

Renata Romeiro

Mauricio Freire

Carolina Moraes Santana

Diano Carvalho Rafael Franca ASSISTENTE OPERACIONAL ASSISTENTE ADMINISTRATIVA

Rodrigo Brandão

Cristiane Reis

Octávio Elísio

Diretoria Executiva

Renato Bretas

ANALISTAS ADMINISTRATIVOS

Fernando de Almeida

Sérgio Pena

GERENTE DE INFRAESTRUTURA

ASSESSORA DE

ANALISTA DE MARKETING DE RELACIONAMENTO

ASSISTENTE DE

Mônica Moreira

RECURSOS HUMANOS

Jessica Nascimento DIRETOR PRESIDENTE

ANALISTAS DE

Diomar Silveira

MARKETING E PROJETOS

RECEPCIONISTAS

Itamara Kelly

Meire Gonçalves

Lilian Sette

Vivian Figueiredo

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO

AUXILIAR CONTÁBIL

Rildo Lopez

Pedro Almeida

AUXILIARES DE PRODUÇÃO

AUXILIAR ADMINISTRATIVA

COORDENADORA

André Barbosa

Geovana Benicio

DA EDIÇÃO Merrina

DIRETOR ADMINISTRATIVOFINANCEIRO

Joaquim Barreto DIRETOR DE COMUNICAÇÃO

Agenor Carvalho DIRETORA DE MARKETING

Jeferson Silva AUXILIARES DE

Zilka Caribé

SERVIÇOS GERAIS

Ailda Conceição Ivar Siewers

Música e Cinema maio 2019

Godinho Delgado

E PROJETOS

DIRETOR DE OPERAÇÕES

FORA DE SÉRIE

Rose Mary de Castro

EDIÇÃO DE TEXTO

Berenice Menegale IMAGEM DA CAPA

Cartaz de divulgação de E.T. – O Extraterrestre


APROVEITE A NOITE PARA JANTAR EM UM DE NOSSOS RESTAURANTES PARCEIROS Confira aqui os benefícios para o público da Filarmônica R. Rio de Janeiro, 2076 — Lourdes / 3292-6221

Segundo prato de cortesia (de igual ou menor valor) PROGRAMA AMIGOS E ASSINANTES:

válido para todos os dias PÚBLICO DO DIA:

válido para a data do concerto

R. Pium-í, 229 — Cruzeiro / 3227-7764 PROGRAMA AMIGOS E ASSINANTES:

válido para todos os dias

FOTO: JAKU B DZIU BAK — UNS PL ASH

• 15% de desconto para o titular do cartão e acompanhante • uma taça de vinho ou espumante (até R$ 25) ou uma sobremesa • possibilidade de reserva tardia (após 22h15) para mesa de até 4 pessoas PÚBLICO DO DIA:

válido para a data do concerto • 15% de desconto para o portador do ingresso Necessária a apresentação do cartão de Amigo ou Assinante ou, no caso de público do dia do concerto, a apresentação do ingresso.


NO CONCERTO... Seja pontual.

Cuide da Sala Minas Gerais.

Traga seu ingresso ou cartão de assinante.

Não coma ou beba.

Desligue o celular (som e luz).

Deixe para aplaudir ao fim de cada obra.

Não fotografe ou grave em áudio / vídeo.

Se puder, devolva seu programa de concerto.

Faça silêncio e evite tossir.

Evite trazer crianças menores de 8 anos.

AGENDA maio  / 2019 DIAS 4 E 5, 18h FORA DE SÉRIE / MÚSICA E CINEMA

DIAS 16 E 17, 20h30 PRESTO E VELOCE

Korngold / Rota / Guarnieri / Dukas /

Almeida Prado / Villa-Lobos

Gershwin / J. Williams

DIAS 9 E 10, 20h30 ALLEGRO E VIVACE

DIA 25, 18h FORA DE SÉRIE / MÚSICA, FAUNA E FLORA Yoshimatsu / Puccini / Respighi /

Haydn / Almeida Prado / Dvorák

Hovhaness / Villa-Lobos

DIA 12, 11h CLÁSSICOS NA PRAÇA / INHOTIM

DIAS 30 E 31, 20h30 ALLEGRO E VIVACE

Clarke / Mozart / Beethoven / Suppé /

Stravinsky / Rimsky-Korsakov / Gulda

Saint-Saëns / Dvorák / Nepomuceno / Fernandez / Duda 11


MANTENEDOR

PATROCÍNIO

APOIO

DIVULGAÇÃO

REALIZAÇÃO

SALA MINAS GERAIS

(31) 3219.9000 | Fax (31) 3219.9030

WWW.FILARMONICA.ART.BR

/filarmonicamg

/filarmonicamg

@filarmonicamg

/filarmonicamg

COMUNICAÇÃO ICF

Rua Tenente Brito Melo, 1.090 | Barro Preto | CEP 30.180-070 | Belo Horizonte - MG


Profile for Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Fora de Série: Conexões | Música e Cinema  

Marcos Arakaki, regente KORNGOLD | Abertura Capitão Blood ROTA | O Poderoso Chefão: Suíte GUARNIERI | Suíte Vila Rica DUKAS | O Aprendiz de...

Fora de Série: Conexões | Música e Cinema  

Marcos Arakaki, regente KORNGOLD | Abertura Capitão Blood ROTA | O Poderoso Chefão: Suíte GUARNIERI | Suíte Vila Rica DUKAS | O Aprendiz de...

Advertisement