Page 46

Desmistificando a resistência mecânica de componentes protéticos anguláveis AUTOR: MSc. Ing. William de Souza Wiggers. Mestre em Ciência e Engenharia de Materiais pela UFSC, Graduado em Engenharia de Materiais pela UFSC, 10 anos de experiência no desenvolvimento de produtos e tecnologia de fabricação para indústria médica e odontológica e engenheiro pesquisador responsável pela linha de implantes FGM

INTRODUÇÃO Ao planejar uma reabilitação com implante dentário, o cirurgiãodentista tem como premissa posicionar o implante com seu longo eixo coincidindo com o longo eixo do futuro componente protético, de forma a utilizar este último preferencialmente reto. Infelizmente, é sabido que nem sempre este paralelismo será possível, principalmente em regiões de diminuto volume ósseo (espessura ou altura) e/ou proximidades com áreas anatômicas nobres[1]. Nestas situações, considerando que o implante esteja em seu melhor posicionamento quanto à ancoragem, caso esta compensação da angulação não ocorra no intermediário, o tecido peri-implantar ou a própria coroa protética poderão ter seu aspecto e/ou estabilidade sacrificados. Para tanto, têm-se utilizado componentes protéticos préangulados, disponibilizados pelas fabricantes há décadas, de forma a proporcionar tentativa de melhora na solução protética destas reabilitações. Porém, tais componentes são evitados na maioria dos casos devido às várias desvantagens em comparação aos componentes retos[2],[3], deixando o profissional com a ingrata decisão de qual opção tomar (reto ou pré-angulado), de acordo com as várias vantagens e desvantagens inerentes a cada um deles. O Sistema de Implantes Arcsys possibilita, de maneira inédita na implantodontia, a personalização da angulação do componente protético (figura 02), com o intuito de proporcionar a compensação de angulação do mesmo, sem, no entanto, implicar nos prejuízos inerentes dos intermediários pré-angulados. Os componentes protéticos anguláveis podem ter o ângulo personalizado para cada caso clínico. Com esta característica surgiram possibilidades inéditas de planejamento e execução das reabilitações, facilitando de sobremaneira a obtenção de resultados estéticos e funcionais. Tal possibilidade de angulação se tornou possível por meio da combinação de design avançado Figura 01: Conexão Cone Morse Friccional, Sistema de Implante Arcsys.

46 | FGM 2017 | Volume 01

dos componentes protéticos, aliando o uso de ligas especiais de alta resistência mecânica e biocompatibilidade (aço inoxidável fabricado conforme norma americana ASTM F138[10]) com

Revista FGM News 2017 - Implantes  
Revista FGM News 2017 - Implantes  
Advertisement