Page 1

05>21

NOV

Patrocínio

Patrocínio Master

www.panoramafestival.com

b

C


b


05>21

NOV

Patrocínio

Patrocínio Master

www.panoramafestival.com

C


Patrocínio Master

Promoção

Realização

Parceria

Apoio Institucionall

Patrocínio Co-patrocínio

_agradecimentos acknowledgments 33 Produções

Elida Candida de Oliveira

Marcos Correa

Adriana Ferraz

Eva Doris

Marcus Bonito

Alberto Aleixo

Fabiano Carneiro

Marie Depalle

Alessandra Reis

Marina Correa

Aline Bernardi - Coletivo A CIDADE

Fátima Valente e Flora Machado – Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro - Coordenadoria de Educação, Gerência de Educação de Jovens e Adultos

Ana Ignácio

Fólio Comunicação

Maximiliano Berti

Ana Tomé

Gabriel Ramos

Monica Mello

Antonio Martínez

Geoffrey Gamarra - Latin American Turismo

Mônica Valéria Costa Farias - Projeto Grão

Arianne Pelle

Gill Lloyd

Nadine Owen

Bebel Frota

Gustavo Ciríaco

Núcleo Experimental de Educação e Arte

Beto Junior

Heliana Marinho da Silva

Os Fodidos Privilegiados

Bia Radunsky

Ignácio Neto

Patricia Broers-Lehmann

Biza Viana

Isnard Manso

Paulo Sabino

Cacá Melo

Izabela Pucu

Phoebe Davies

Caio Branco

João Cardoso

Regina Bonito

João Carlos Monteiro Guimarães

Renata Estevez

Joelson Gusson

Ricardo Malheiros

Jorge Ferrari

Roberta Guimarães

Jorge Ramos

Roberto Guimarães

Juliano Pires

Rodrigo Lamounier

Layane de Holanda

Rogério Faria

Leonel Brum

Silvia Soter

Lia Rodrigues

Sonia Ferman

Lucia Guimarães – Funarj

Sonia Sobral

Lucía Russo

Stéphanie Suffren

Luciana Olegário - Rio’s Presidente

Tatyana Ribeiro de Paiva

Luis Brito

Diogo Oliveira

Magda Sayão – Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro – Coordenação de Cultura na Escola

Valdeci Alves Pereira Durante Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro – Coordenação de Cultura na Escola

Duda Freire – Coletivo A CIDADE

Marcela Levi

Verônica Cunha

Eliana Sousa

Marcelo Bones

Victor D’Almeida Oliveira

Alfons Hug

Camila Medina Carla Lobo Carmen Luz Catherine Faudry Cecilia Coelho - Hotel Toledo Celso Fioravante - Mapa das Artes Cely Bianchi Cida Fernandes Clarisse Rivella Cléa de Miranda Conchi Zarzuela Daniel Dias Dimitry Ovtchinnikoff

2

Marina Guzzo Marisa Riccitelli Sant’ana


_passado e futuro, sempre presentes past and future, always present Escrevemos este texto às vésperas do segundo turno das eleições para a Presidência da República. Não sabemos o resultado, mas você, quando ler este texto, já saberá. Seja ele qual for, a cultura e a arte brasileiras perderam. Em todos os meses de campanha, esses dois temas não foram discutidos e sequer fizeram parte das sabatinas aos candidatos. Seja quem for o vencedor, o Brasil tem agora uma grande oportunidade de renegociar o status da cultura como pilar do desenvolvimento de uma nação. Apesar da estabilidade econômica atual, que permite um melhor planejamento das ações, individuais ou coletivas, empresariais ou políticas, as formas menos comerciais de arte permanecem em risco e na precariedade. Continuamos com a maioria esmagadora de profissionais e artistas da dança contemporânea brasileira em dificuldades financeiras e de sustentabilidade. É neste Brasil de enorme crescimento econômico, mas também de urgente repactuação de valores, que o Panorama se insere como um dos mais importantes festivais de artes cênicas do país. Momento parecido com o vivido pelo próprio festival, prestes a completar duas décadas desde sua criação pela coreógrafa Lia Rodrigues – homenageada nesta edição. Nosso amadurecimento como projeto e o desenvolvimento de várias ações complementares levaram à necessidade de pensar como queremos que o Panorama entre na próxima década. O Panorama se tornou um ponto de estabilidade da dança carioca e, embora não conte com subsídios de manutenção plurianuais essenciais a esse tipo de atividade, vem conseguindo a continuidade de seus patrocínios e apoios. Graças a eles temos a possibilidade de planejar, manter uma equipe de longa duração e criar parcerias nacionais e internacionais duradouras. Estamos muito felizes de apresentar ao público carioca dois grandes nomes da dança mundial e celebrar uma das mais importantes artistas brasileiras. A americana Trisha Brown, o alemão Raimund Hoghe e Lia Rodrigues recebem mostras de seus trabalhos. O brasileiro Marcelo Evelin, nosso parceiro de longa data, estreia sua nova criação e remonta um solo histórico, apresentado há 15 anos no Panorama. Mario Nascimento recria seu primeiro solo em uma versão concebida para a sua hoje grande companhia. São janelas para o passado através do percurso de grandes artistas da atualidade. E pensar no passado nos remete imediatamente para o futuro. No Panorama 2010 ele se apresenta na tradicional Mostra Universitária, nos resultados do projeto coLABoratorio e numa nova linha de espetáculos, o Panorama Futuro. Este ano será inaugurado ainda outro projeto: as Tardes no Parque, uma parceria com a Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Fazer arte é fazer política, já dizia Lia no começo do Panorama. Quase 20 anos depois, nos perguntamos: que arte para que política? Que dança pode falar do nosso tempo? Este ano uma programação que discute a possibilidade de uma obra política dá moldura à primeira etapa de um novo projeto, o com.posições.políticas. O seminário que acontece este ano durante o festival se estenderá, ao longo de 2011, em residências que culminarão com um grande encontro ibero-americano, no festival Panorama 20 Anos. Outra frente de discussão se mantém, e com urgência: a economia da dança, que motiva o terceiro seminário em torno do tema. Na extensa programação deste que é a maior edição do festival até hoje, são muitos os percursos possíveis: o ontem e o hoje de um artista, a política, os cruzamentos entre danças populares e composição contemporânea – nos olhares emocionantes da uruguaia Federica Folco sobre o tango e nos da carioca Andrea Jabor sobre o samba. Ao todo, são mais de 30 obras, para todos os interesses e públicos. Fazemos este festival com a alegria de poder dividir com um número cada vez maior de pessoas essa forma de arte tão poderosa, capaz de nos modificar a cada contato.E, também, agradecendo a todas as instituições, patrocinadores e parceiros que há tantos anos nos apoiam por entenderem que somente com a soma de esforços podemos construir um festival sustentável, que olhe tanto para o passado quanto para o futuro e contribua para o desenvolvimento da dança brasileira.

_índice contents apresentação dos curadores | curators presentation_________________ 3 patrocinadores | sponsors _ ___________________________________ 4 trisha brown dance company _______________________________ 5 lia rodrigues companhia de danças __________________________ 6 raimund hoghe _________________________________________ 8 fabián gandini __________________________________________ 9 marcelo evelin + demolition inc. + núcleo do dirceu _ ____________ 10 cia. mário nascimento ___________________________________ 12 antonio tagliarini + idoia zabaleta _ _________________________ 13 l’a / rachid ouramdane _ _________________________________ 14 emio greco | pc ________________________________________ 15 yann marussich _ ______________________________________ 17 thembi rosa _ _________________________________________ 18 alain buffard _________________________________________ 18 michel groisman + gabriela duvivier _ _______________________ 19 alice ripoll + juliana medella ______________________________ 19 panaíbra gabriel_______________________________________ 20 federica folco _________________________________________ 21 marta soares _ ________________________________________ 22 guia de programação | program _ _____________________________ 23 ingressos e bilheterias | tickets _______________________________ 25

We are writing this text on the eve of the second turn of the presidential elections in Brazil. We don´t know the results yet, but you will when you read this text. Whatever the result is, Brazilian culture and art lost. During the campaign, these subjects weren´t discussed and weren´t even part of the candidate’s interviews. Whoever wins, Brazil now has a great opportunity to renegotiate the status of culture as a pillar in the development of a nation. Despite the current economic stability that allows better planning of individual or collective, business or political actions, the less commercial art forms remain at risk and precarious. The overwhelming majority of contemporary dance professionals and artists in Brazil are still in financial and sustainability difficulties. In this Brazil of huge economic growth, but also urgent need for reformulation of values, Panorama inserts itself as one of the country´s most important performing arts festival. The festival is going through a similar moment, about to complete two decades since its creation by choreographer Lia Rodrigues – who is being honored in this edition. Our growth as a project and the development of several complementary actions lead to the need to reflect about the Panorama we want for the next decade. Panorama has become a point of stability for dance in Rio and, albeit not having subsidies for multiannual maintenance essential to this kind of activity, it has been managing to keep the continuity of its sponsorships and supports. Thanks to them, we have the possibility of planning, keeping a long term team and creating lasting national and international partnerships. We are very happy to bring important names of international dance to the audiences of Rio and celebrate one of the most important Brazilian artists. American Trisha Brown, German Raimund Hoghe and Lia Rodrigues receive showcases of their work. Brazilian Marcelo Evelin, our partner for a long time, premieres his new creation and restages a historical solo presented in Panorama 15 years ago. Mario Nascimento recreates his first solo in a new version conceived for his currently large company. These are windows to the past through the path of great artists of our time. Thinking about the past immediately remits us to the future. In Panorama 2010 it is in the traditional University Showcase, in the results of coLABoratorio and a new line of shows, Panorama Futuro. This year yet another project will be inaugurated: Tardes no Parque, a partnership with Escola de Artes Visuais do Parque Lage. In a building essential to arts in Rio, which it experiencing revitalization as a school for contemporary thinking, we will have historical performances like the Early works of Trisha Brown. To make art is to make politics, Lia already said in the beginning of Panorama. Almost 20 years later, we ask ourselves: which art for which politics? Which dance can talk about our times? This year a program that discusses the possibilities of a political work of art frames the first stage of a new project, com.posições.políticas. The seminar taking place this year during the festival will continue throughout 2011 as residencies that will culminate in a big Ibero-American encounter at Panorama 20 Anos. Another focus of discussion is maintained: the economy of dance, which motivates the third seminar about the subject. In this year’s extensive program, the biggest edition of the festival yet, there are many possible paths: the past and the present of an artist, politics, crossings between popular dances and contemporary composition – in the touching view of Uruguayan Federica Folco about tango and that of Andrea Jabor about samba. All in all, there will more than 30 pieces, for all interests and audiences We made this festival with the joy of being able to share with an increasing number of people this powerful art form, able to change us in each contact. And we also thank all the institutions, sponsors and partners who have been supporting us for so many years for understanding that only by the sum of efforts we can build a sustainable festival, that looks both to the past and to the future and contributes to the development of Brazilian dance.

espaços | venues ___________________________________________ andrea jabor / arquitetura do movimento _ ___________________ pires. pizamiglio. mouramateus _ __________________________ leo frança ____________________________________________ dani lima + paola barreto_________________________________ gustavo ciríaco ________________________________________ ján mancuska _________________________________________ membros cia. de dança __________________________________ di cia. de dança ________________________________________ balangandança cia. _____________________________________ denise stutz + felipe ribeiro _______________________________ focus cia. de dança _____________________________________ mostra universitária ____________________________________ colaboratorio _________________________________________ com.posições.políticas _ _________________________________ seminário economia da dança | dance economy seminar ___________ residências | residencies _ ___________________________________ entrando na dança _ ____________________________________ formação de público + associação cultural panorama | audience development______________________________________ equipe | staff _ ________________________________________ circuito de festivais | festival circuit _________________________

26 27 28 29 30 31 32 33 33 34 35 36 37 38 40 42 43 44 45 46 47

3


O Festival Panorama de Dança chega à sua 19ª edição como um dos mais importantes eventos de dança da América do Sul. Como o próprio nome diz, o Festival pretende, a cada ano, mostrar um panorama do que está acontecendo de melhor e mais inovador na dança contemporânea mundial, com uma programação que reúne grupos de várias regiões do Brasil e de países estrangeiros, além de promover debates, seminários e oficinas. Nesses 18 anos de existência, o Panorama contribuiu de maneira decisiva para fomentar a pesquisa de linguagem em dança contemporânea, estimular o intercâmbio entre criadores e intérpretes, incentivar a internacionalização da dança brasileira, abrir espaço para novas linguagens e propostas experimentais. E também, é claro, para atrair público e promover a formação de novas plateias. Ao longo de sua trajetória, o Festival Panorama de Dança vem aumentando consideravelmente o número de espectadores e amantes da dança, pessoas que acompanham com entusiasmo a programação, e não só na cidade do Rio de Janeiro, mas também em municípios vizinhos. Ao cobrar ingressos a preços populares ou oferecer apresentações gratuitas e realizar espetáculos em áreas carentes, o evento fortalece o acesso democrático à arte. Ao patrocinar o Festival Panorama de Dança, a Petrobras reafirma o seu compromisso com a arte e a cultura do país. O Festival Panorama de Dança integra o Circuito dos Festivais Internacionais de Dança, junto com a Bienal de Dança do Ceará, o Fórum Internacional de Dança (FID) e o Festival de Dança do Recife, todos patrocinados pela Petrobras.

Festival Panorama de Dança reaches its 19th edition as one of the most important dance events in South America. As its own name suggests, every year the Festival intends to present a panorama of the best and most innovating contemporary dance initiatives from all over the world, with a program that brings together groups from several regions in Brazil and foreign countries, besides promoting debates, seminars and workshops. In its 18 years of existence, Panorama decisively contributed to foment contemporary dance language research, stimulate exchange among creators and performers, foster the internacionalization of Brazilian dance, open space for new languages and experimental proposals and, of course, also attract the public and promote the development of new audiences. Throughout its trajectory, Festival Panorama de Dança has been considerably increasing the number of spectators and lovers of dance, people who enthusiastically follow the program, not only in the city of Rio de Janeiro, but also in neighboring towns. By charging popular prices for the tickets or offering free presentations and bringing shows to destitute areas, the event encourages democratic access to art. By sponsoring Festival Panorama de Dança, Petrobras asserts its commitment to Brazilian Culture and Art. Festival Panorama de Dança is part of the International Dance Festivals Circuit, along with Bienal de Dança do Ceará, Fórum Internacional de Dança (FID) and Festival de Dança do Recife. All of them are sponsored by Petrobras.

Petrobras

É com orgulho que a Oi patrocina, mais uma vez, o Festival Internacional Panorama de Dança 2010, maior evento de performance e dança contemporânea do Brasil e um dos mais importantes da América Latina. A programação deste 19º Panorama abraça praticamente todo o Rio de Janeiro, presente em 13 espaços distintos, da Zona Sul à Baixada Fluminense passando pelo Centro da cidade. Dessa forma, confirma a tendência já manifestada em anos anteriores, de democratizar o acesso a uma das mais belas expressões artísticas da atualidade. O apoio cultural do Oi Futuro – instituto de responsabilidade social da Oi – refletese especialmente no Panoraminha, mostra paralela que faz a alegria de jovens de diversos programas socioculturais. Oi e Oi Futuro aplaudem vigorosamente o Panorama 2010 e convidam para a apresentação da instalação Double skin / Double mind, da companhia holandesa Emio Greco | PC no Oi Futuro Flamengo.

It is with pride that Oi sponsors once again Festival Internacional Panorama de Dança 2010, the biggest performance and contemporary dance event in Brazil and one of the most important in Latin America. The program of this 19th Panorama encompasses almost all of Rio, present in 13 different spaces, from the South Zone to Baixada Fluminense and the City Center. It thus confirms the tendency already expressed in previous years of democratizing the access to one of the most beautiful artistic expressions of our time. The cultural support of Oi Futuro – Oi’s social responsibility institute – is specially reflected in Panoraminha, showcase that makes the youth of several sociocultural programs in Rio very happy. Oi and Oi Futuro vigorously applaud Panorama 2010 and invite all to attend the installation Double Skin / Double Mind, of Dutch artists Emio Grego | PC in Oi Futuro Flamengo. Enjoy. Dance is all over the city.

Aproveitem. A dança está solta nas ruas.

Oi

O setor de cultura e entretenimento é hoje um dos mais dinâmicos da economia mundial, estimulando significativamente e de maneira crescente a geração de emprego, renda e riquezas. Assim, além de compor a identidade de um país, a cultura representa também um importante instrumento para a promoção de seu desenvolvimento socioeconômico. Reconhecendo esse potencial, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem atuado de forma expressiva no apoio à cultura nacional, financiando ou patrocinando projetos no intuito de fomentar a economia criativa e estimular a democratização do acesso à cultura. São eventos e publicações nas áreas de cinema, música, literatura e dança, e empreendimentos culturais nos mais diversos segmentos, tais como produção e comercialização de filmes e obras fonográficas; preservação de acervos e do patrimônio histórico nacional; modernização de editoras, gravadoras e livrarias; e, mais recentemente, construção de salas de cinema. O BNDES também valoriza a cultura brasileira oferecendo uma programação de exposições e espetáculos gratuitos e abertos à população em sua sede, no Rio de Janeiro. O patrocínio ao Festival Panorama de Dança é mais uma ação do BNDES nesse sentido. A parceria com o festival, iniciada em 2008, leva ao público um apanhado da produção brasileira e internacional de dança contemporânea, contribuindo para o fomento da cadeia produtiva, para a formação de plateias e para o desenvolvimento socioeconômico do país através da cultura.

The culture and entertainment sector is currently one of the most dynamic in the world economy, significantly and increasingly stimulating the generation of employment, income and wealth. Thus, besides composing the identity of a country, culture also represents an important instrument for fostering social and economical development. Acknowledging this potential, the Brazilian Development Bank (BNDES) has been significantly acting in support of national culture, financing or sponsoring projects, aiming to foster the creative economy and stimulate the democratization of access to culture. Events and publications in the areas of cinema, music, literature and dance, and cultural undertakings in the most different segments, such as the production and the commercialization of phonographic works; preservation of collections and the historical national patrimony; modernization of publishers, recording studios and bookstores; and, more recently, the construction of movie theaters. BNDES also values Brazilian culture by offering a free, open to the public, program of exhibitions and shows in its headquarters, in Rio de Janeiro. The sponsorship of Festival Panorama de Dança is another action of BNDES towards that end. The partnership with the festival started in 2008 and brings to the public a selection of the Brazilian and the international production of contemporary dance, contributing to stimulate the productive chain, the development of audiences and the social and economical development of the country through culture.

BNDES

Ao longo dos anos, a Fundação Nacional de Artes – Funarte vem buscando o fomento cada vez mais amplo à área da dança, no sentido de contemplar não somente sua produção, mas também a difusão, a circulação, a formação, a capacitação, a investigação, o intercâmbio e a formação de público, necessidades evidentes em cada elo de sua cadeia produtiva. A continuidade do apoio ao Festival Panorama de Dança em sua 19ª edição, que mais uma vez movimenta os palcos cariocas com espetáculos do Brasil e do exterior, vem então ao encontro das políticas da instituição, proporcionando um ambiente de diálogo entre linguagens, estilos e experiências diversas, de formação de plateia e reciclagem profissional e de intercâmbio de ações culturais nacionais e internacionais. Reconhecer assim a importância e o alcance das ações que o evento tem realizado no circuito da dança brasileira, através de seu apoio, é para a Funarte unir forças e potencializar cada vez mais o desenvolvimento desta arte em território nacional. Parabenizamos os organizadores pela realização de mais uma edição do Festival Panorama de Dança, endossando nosso apoio para a continuidade e o crescimento deste importante trabalho.

Sérgio Mamberti, Presidente da Funarte

4

Throughout the years, the National Arts Foundation – Funarte has been striving for an increasingly wider support for the area of dance, in the sense of contemplating not only the production, but also the diffusion, circulation, development, training, investigation, exchange and audience development, evident necessities in every link of the productive chain. The continuing support to Festival Panorama de Dança in its 19th edition, once again stirring the stages in Rio de Janeiro with shows from Brazil and abroad, meets the policies of the institution, providing an environment of dialogue among different styles and experiences, audience development, professional recycling and exchange among national and international cultural initiatives. Thus recognizing through our support the importance and reach of the actions the Festival has been carrying out in the Brazilian contemporary dance scene, means joining forces and strengthening more and more the development of dance in the national territory. We congratulate the organizers for the achievement of yet another edition of Festival Panorama de Dança, endorsing our support for the continuity and growth of this important initiative.


Trisha Brown Dance Company

Foto: Julieta Cervantes

EUA - USA Repertory 40 05 NOV 20h 06 NOV 19h Teatro João Caetano 110min com intervalo with intermission Classificação etária Show’s rate

Participação especial Special guest Orquestra Voadora

Uma das companhias de dança mais importantes do mundo, a Trisha Brown Dance Company passa pelo Brasil dentro da turnê comemorativa de seus 40 anos. O Panorama 2010 apresenta dois programas: uma noite no Teatro João Caetano com peças históricas e sua última criação e os Early works dos anos 70 no Parque Lage. O primeiro reúne quatro peças de diferentes momentos de sua carreira: Glacial decoy (1979), Foray forêt (1990), If you couldn’t see me (1994) e L’amour au théâtre (2009). Glacial foi o primeiro trabalho de Trisha para o palco italiano, no qual ela brinca com as convenções teatrais. Foi a primeira colaboração entre Trisha e o artista visual e parceiro de longa data Robert Rauschenberg. Em Foray forêt, a ação se desenrola dentro do teatro enquanto uma banda local toca músicas tradicionais, dando um toque único a cada apresentação. No solo If you couldn’t see me, também uma colaboração entre Trisha e Rauschenberg, a intérprete dança todo o tempo de costas para a plateia, sem permitir que o público veja seu rosto. A música e o figurino completam o clima de sensualidade. L’amour au théâtre é inspirado nas formas de dança pré-clássicas inerentes a Hippolyte et Aricie, primeira ópera de autoria de Jean-Philippe Rameau. One of the most important dance companies in the world, Trisha Brown Dance Company comes to Brazil as part of the its 40 year anniversary celebration. Panorama presents two programs: the stage repertoire in Teatro João Caetano and the Early works from the 70’s in Parque Lage. The first gathers historical moments of the choreographer’s career and her last piece: Glacial decoy (1979), Foray forêt (1990), If you couldn’t see me (1994), L’amour au théâtre (2009). Glacial was the first work the choreographer created for an Italian stage, where she plays with theatrical conventions.The piece is the first collaboration between Trisha and Robert Rauschenberg. The action in Foray forêt unfolds inside a theater while a local band plays traditional songs outside, giving an unique quality to each presentation. In the solo If you couldn’t see me (1994), the artist dances with her back to the audience the whole time, without allowing the audience to see her face at any time. The music and the costumes add up to the piece’s sensual atmosphere. This also resulted from a collaboration between Trisha and Rauschenberg. L’amour au théâtre (2009) was inspired by pre-classic dance forms inherent to Hippolyte et Aricie, the first opera written by Jean-Philippe Rameau. Trisha Brown Dance Company agradece ao apoio de Acknowledges the support The Andrew W. Mellon Foundation, The Booth Ferris Foundation, Carnegie Corporation of New York, The Gladys Krieble Delmas Foundation, The Fan Fox and Leslie R. Samuels Foundation, The Goldman Sachs Foundation, Harkness Foundation for Dance, The Shubert Foundation, Mid Atlantic Arts Foundation/USArtists International, New England Foundation for the Arts’ National Dance Project (com o generoso apoio da Doris Duke Charitable Foundation, Andrew W. Mellon Foundation, Ford Foundation, e MetLife Community Connections Fund of the MetLife Foundation), National Endowment for the Arts’ American Masterpieces: Three Centuries of Artistic Genius, National Endowment for the Arts, New York City Department of Cultural Affairs e New York State Council on the Arts. L’Amour au théâter é uma coprodução do Théâtre National de Chaillot in Paris e De Singel na Antuérpia com apoio do National Endowment for the Arts e New York City Department of Cultural Affairs | L’Amour au theater is a co-production of Théâtre National de Chaillot in Paris and De Singel, in Antwerp, with the support of National Endowment for the Arts and the New York City Department of Cultural Affairs.

Early works

Direção artística e coreografias Artistic direction and choreography Trisha Brown Bailarinos Dancers Dai Jian, Elena Demyanenko, Leah Morrison, Tamara Riewe, Nicholas Strafaccia, Laurel Jenkins Tentindo, Samuel von Wentz Assistente de coreografia Choreography assistant Carolyn Lucas Diretora de ensaios Rehearsal director Diane Madden Diretor de ensaio da turnê Tour rehearsal director Todd Lawrence Stone Gerente de produção Production manager John Torres Gerente de palco Stage manager Sarissa Michaud Diretora executiva Executive director Barbara Dufty Glacial decoy (1979) Cenário, figurino e direção visual Set design, costumes and visual direction Robert Rauschenberg Iluminação Lighting Beverly Emmons Performers Elena Demyanenko, Leah Morrison, Tamara Riewe, Laurel Tentindo Foray forêt (1990) Música Music Orquestra Voadora Desenho de figurino Costume design Robert Rauschenberg Iluminação Lighting Spencer Brown com Robert Rauschenberg Performers Dai Jian, Elena Demyanenko, Leah Morrison, Tamara Riewe, Nicholas Strafaccia, Laurel Tentindo, Samuel von Wentz If you couldn’t see me (1994) Música, figurino e direção visual Music, costumes and visual direction Robert Rauschenberg Iluminação Lighting Spencer Brown with Robert Rauschenberg Performer Dai Jian L’amour au théâtre (2009) Música Music Trechos de Hippolyte et Aricie, de Jean-Philippe Rameau Gravação Recording William Christie e Les Arts Florissants for Erato Visual Look Trisha Brown Figurino Costumes Elizabeth Cannon Iluminação Lighting Jennifer Tipton Performers Dai Jian, Elena Demyanenko, Leah Morrison, Tamara Riewe, Nicholas Strafaccia, Laurel Tentindo, Samuel von Wentz

Ver página 16

www.trishabrowncompany.org

5


lia rodrigues companhia de dancas Foto: Sammy Landweer

Brasil - RJ Pororoca (2009) 06 NOV 20h30 Teatro Municipal Carlos Gomes

60min Classificação etária Show’s rate

Do tupi, poro’rog significa “estrondar” e é um fenômeno natural provocado pelo confronto das águas dos rios com as águas do mar. É, ao mesmo tempo, um processo frágil e um encontro violento, que pode derrubar árvores e alterar as margens dos rios. Em Pororoca, o que se vê é um encontro duro e por vezes delicado de corpos com diferentes formações e histórias. Choques, paixão, ódio, violência, está tudo ali, misturado. Criado em 2009, este é o trabalho mais recente da coreógrafa carioca Lia Rodrigues. Junto com Formas breves, Aquilo de que somos feitos e Encarnado, integra o projeto de repertório da companhia, que está comemorando 20 anos de atividades. O Panorama 2010 mostra os quatro últimos trabalhos dessa que é considerada uma das mais importantes artistas brasileiras hoje. In tupi language, ‘poro’rog’ means ‘to thunder’ and it’s the name of a natural phenomenon caused by the encounter of the water of rivers and the water of the see. A fragile process and, at the same time, a violent encounter that can bring down trees and change riverbanks. In Pororoca, there is a tough, and sometimes delicate, encounter of bodies with different training and backgrounds. Clashes, passion, hate, violence, all mixed together. Created in 2009, the latest work of choreographer Lia Rodrigues is part of the company’s repertoire project, along with Formas breves, Aquilo de que somos feitos and Encarnado. This year, the company celebrates 20 years of activities. Panorama 2010 shows the four last works of the company that is considered one of the most important in Brazilian dance today. Essa criação faz parte do projeto de compagnonnage (acompanhamento) com o Théâtre Jean-Vilar de Vitry-surSeine, com o apoio do Conseil Regional d’Ile-de-France, com o título de permanência artística. A Lia Rodrigues Companhia de Danças recebeu financiamento da Petrobras, através da Lei Rouanet - Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, dinheiro público, originário de renúncia fiscal, dentro do programa Petrobras Cultural 2007 de “Manutenção - por 2 anos 2008/2009 - de Grupos e Companhias de Teatro e Dança”. A Fundação Prince Claus/Holanda é parceira da Companhia no projeto “Nova Holanda/Novos Horizontes” de aulas para a comunidade desenvolvido no Centro de Artes da Maré. Uma parceria com a REDES de Desenvolvimento da Maré. This piece is part of Théâtre Jean-Vilar de Vitry-sur-Seine’s compagnonnage project, with the support of Conseil Regional d’Ile-de-France, under the title of artistic permanence. Lia Rodrigues Companhia de Danças received funds from Petrobras, through Rouanet Law – Federal Law for Culture Incentive, of the Brazilian Culture Ministry, public money obtained from tax waivers, as part of the Petrobras Cultural 2007 program for “Maintenance - 2 years 2008/2009. The Prince Claus Fund, from Holland, is a partner of the company for “Nova Holanda/Novos Horizontes”, a project of classes for the community developed at Centro de Artes da Maré. A partnership with REDES de Desenvolvimento da Maré.

www.liarodrigues.com

6

Criação e direção Creation and direction Lia Rodrigues Dramaturgia Dramaturgy Silvia Soter (em parceria com o Théâtre Jean Vilar de Vitry-sur–Seine/França) Dançado e criado em estreita colaboração com Performed by and crated in close collaboration with Amália Lima, Allyson Amaral, Ana Paula Kamozaki, Leonardo Nunes, Clarissa Rego, Carolina Campos, Thais Galliac, Volmir Cordeiro, Priscilla Maia, Calixto Neto, Lidia Larangeira Participação de With the participation of Gabriele Nascimento, Jeane de Lima e Luana Bezerra Assistente de coreografia para a criação Choreography and creation assistant Jamil Cardoso Luz Light Nicolas Boudier Figurino Costumes João Saldanha e Marcelo Braga Projeto gráfico Graphic project Mônica Soffiatti Fotos Photos Sammi Landweer Assessoria de imprensa Press relations Claudia Oliveira Produção Production Diana Nassif e Claudia Oliveira Coprodução Co-production Théâtre Jean Vilar - Vitry-sur-Seine/França, Théâtre de la Ville - Paris/França, Festival d’Automne de Paris/França, Centre National de Danse Contemporaine d’Angers/França e Kunstenfestivaldesarts - Bruxelas/Bélgica Apoio Support ONDA/França e Espaço SESC - Rio de Janeiro (local de ensaio) A Companhia Assistente de coreografia Amália Lima Preparação Corporal Amália Lima, João Saldanha , Marcela Levi, Felipe Koury, Paulo Marques, Sylvia Alcantara Secretária Glória Laureano Produção e Difusão Internacional Thérèse Barbanel - Les Artscéniques Assistente Colette de Turville Realização Rodrigues & Assumpção Produções Artísticas


Encarnado (2005) 07 NOV 20h Teatro Municipal Carlos Gomes

60min Classificação etária Show’s rate

A palavra encarnado contém diversos sentidos: bíblico, político, folclórico, linguístico. Da Bíblia, no Antigo Testamento, é conhecida a sentença: “E o verbo se fez carne e habitou entre nós”. É conhecida também a simbologia política do encarnado ou do vermelho. Nas festas populares do interior do Brasil há disputas tradicionais e acirradas entre os partidos azul e encarnado. Encarnado vem do ato de encarnar, de tornar alguma coisa semelhante à carne. Encarnado é a cor do sangue. Neste espetáculo, a companhia de Lia Rodrigues faz um passeio pelos inúmeros sentidos da palavra encarnado. The Portuguese word ‘encarnado’ means incarnate and also a shade of red, like that of blood. It has different biblical, political, folkloric and linguistic meanings. It’s also known for the political symbology of the color red. In popular parties in the interior of Brazil there are traditional and tough disputes between blue and red parties. ‘Encarnado’ has the word ‘carne’, Portuguese for flesh, as its root. In this piece, Lia Rodrigues’ company visits countless meanings of the word.

Direção e criação Direction and creation Lia Rodrigues Dramaturgia Dramaturgy Silvia Soter Interpretação Performance Amália Lima, Allyson Amaral, Ana Paula Kamozaki, Leonardo Nunes, Thais Galliac, Calixto Neto, Lidia Larangeira, Carolina Campos, Volmir Cordeiro, Priscila Maia, Clarissa Rego Colaboração na criação Creative collaboration Micheline Torres, Jamil Cardoso, Amália Lima, Ana Paula Kamozaki, Allyson Amaral, Gustavo Barros, Celina Portella, Leo Nabuco, Giovana Targino, Leonardo Nunes Luz Light Milton Giglio Coprodução Co-production Centre National de la Danse - Paris, Festival d’Automne Paris, La Ferme du Buisson - Noisiel Scène Nationale de Marne-la-Vallée, Maison de la Danse - Lyon/França; Tanzquartier e IDEE programa Culture 2000 da União Européia - Viena/Áustria. Participação da Région Rhône-Alpes no programa do Réseau des Villes - França e Casa das Culturas - Berlin/ Alemanha Apoio cultural Support Espaço SESC - Rio de Janeiro A Companhia Assistente de coreografia Amália Lima Preparação Corporal Amália Lima, João Saldanha , Marcela Levi, Felipe Koury, Paulo Marques, Sylvia Alcantara Secretária Glória Laureano Produção e Difusão Internacional Thérèse Barbanel - Les Artscéniques Assistente Colette de Turville Realização Rodrigues & Assumpção Produções Artísticas

Foto: Les Artscéniques

Formas breves (2002) 08 NOV 20h30 Teatro Municipal Carlos Gomes

60min Classificação etária Show’s rate

Esta obra de 2002 é um encontro imaginário entre dois importantes nomes da arte mundial: o alemão Oskar Schlemmer (1888-1943), um dos fundadores do movimento de design e arquitetura Bauhaus, e o escritor italiano Italo Calvino (1923-1985). Em comum entre eles, a discussão sobre o homem e seu futuro e a investigação das estruturas por trás da obra artística. No espetáculo, o tecido coreográfico se constrói como uma estrutura facetada em que cada texto curto está próximo dos outros numa sucessão que não implica uma relação de consequência ou hierarquia, mas uma rede onde se podem traçar múltiplos percursos e extrair conclusões múltiplas e ramificadas. This piece from 2002 is an imaginary encounter between two important names of international art: German Oskar Schlemmer (1888-1943), one of the founders of Bauhaus design and architecture movement, and Italian writer Ítalo Calvino (19231985). What they have in common is the debate about mankind and its future and the investigation of structures behind artworks.The choreography is built like a faceted structure in which each short text is closer to the other in a sequence without relationships of consequence or hierarchy, but rather as a network in which multiple paths and ramified conclusions are possible.

Direção e criação Direction and creation Lia Rodrigues Dramaturgia Dramaturgy Silvia Soter Codireção Co-direction Marcela Levi Interpretação Performance Amália Lima, Allyson Amaral, Ana Paula Kamozaki, Leonardo Nunes, Thais Galliac, Calixto Neto, Carolina Campos, Volmir Cordeiro, Priscila Maia, Lidia Larangeira, Clarissa Rego Colaboração na criação Creative collaboration Marcela Levi, Micheline Torres, Jamil Cardoso, Marcele Sampaio, Amália Lima, Ana Carolina Rodrigues Luz Light Milton Giglio Música Music Fahrenheit 303 – Orbital Fotos Photos Lucia Helena Zaremba Produção /Assessoria de Imprensa Production /Press relations Claudia Oliveira Coprodução Co-production Culturgest/Caixa Geral de Depósitos, Lisboa, 2002

Aquilo de que somos feitos (2000) 13 NOV 22h 14 NOV* 21h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

80min Classificação etária Show’s rate

Levantar ou tirar aquilo que cobria, pôr à vista, encontrar, descobrir, achar, encontrar pela primeira vez, manifestar, revelar, descobrir segredos, mostrar-se. Aquilo de que somos feitos é a soma de dois anos de ensaios diários, pesquisas e improvisações. Não há separação entre palco e plateia, nem cenários ou cadeiras, fazendo com que, em algumas partes, o público faça parte da ação. Uma peça fundamental para a história da dança brasileira. Raising or removing what was covering, exposing, finding, discovering, meeting for the first time, expressing, revealing, discovering secrets, showing up. Aquilo de que somos feitos is the result of two years of daily rehearsal, research and improvisation. There is no separation between the stage and the audience, nor setting or chairs, so that the audience is part of the action in some moments. A fundamental piece in the recent history of Brazilian dance.

*Conversa com os artistas após o espetáculo *Conversation with the artists after the show

Direção e criação Direction and creation Lia Rodrigues Interpretação e criação Performance and creation Amália Lima, Allyson Amaral, Ana Paula Kamozaki, Leonardo Nunes, Thais Galliac, Calixto Neto, Carolina Campos, Volmir Cordeiro, Lidia Larangeira, Priscila Maia, Clarissa Rego Colaboração na criação Creative collaboration Marcela Levi, Micheline Torres, Denise Stutz, Marcele Sampaio, Amália Lima, Gustavo Barros, Rodrigo Maia, Claudia Muller Música Music Zeca Assumpção Luz Light Milton Giglio Projeto gráfico Graphic project Mônica Soffiatti Fotos e montagem de fotos Photo and photo montage Tatiana Altberg Produção / assessoria de imprensa Production / Press relations Claudia Oliveira Coprodução Co-production Compagnie Maguy Marin e Centre Chorégraphique National de Rillieux-la-Pape. A Companhia Assistente de coreografia Amália Lima Preparação Corporal Amália Lima, João Saldanha , Marcela Levi, Felipe Koury, Paulo Marques, Sylvia Alcantara Secretária Glória Laureano Produção e Difusão Internacional Thérèse Barbanel - Les Artscéniques Assistente Colette de Turville Realização Rodrigues & Assumpção Produções Artísticas

Foto: Tatiana Altberg

7


raimund hoghe Foto: Rosa Frank

Alemanha - Germany Boléro variations (2007) 10 NOV 20h Teatro João Caetano 120min com intervalo with intermission Classificação etária Show’s rate

Pela primeira vez no Brasil, o coreógrafo e dramaturgo alemão Raimund Hoghe é uma das grandes atrações do Festival Panorama 2010. São duas peças e uma lecture performance que dão um panorama de sua criação atual: uma versão ao ar livre de L’apres midi, a impressionante tour de force de Boléro variations e sua famosa palestra-performance. Raimund Hoghe trabalhou como dramaturgo para a companhia Tanztheater Wuppertal, de Pina Baush. Começou a desenvolver suas próprias obras em 1989. A coreografia Boléro variations, criada em Paris na época da morte de Maurice Béjart, não remete apenas ao Bolero, de Ravel, mas também a outras formas de bolero e músicas populares. No palco, performers com visuais bem distintos interpretam séries de movimentos minimalistas ao som de belos trechos de boleros. As inspirações de Hoghe para este trabalho tiveram as mais variadas fontes: da coreografia revolucionária para patinação no gelo do casal Jayne Torvill e Christopher Dean, nos anos 80, ao famoso balé Bolero (1960), de Maurice Béjart. In Brazil for the first time, German choreographer Raimund Hoghe is one of the main attractions of Festival Panorama 2010. Two pieces and a lecture performance help audiences have a panoramic view of his recent creations: an outdoor version of L’apres midi, the impressive tour-de-force Boléro variations and a lecture-performance. Raimund Hoghe worked as a playwright for Pina Bausch’s Tanztheater Wuppertal. He began developing his own pieces in 1989. The choreography Boléro variations was created in Paris around the time of Maurice Bejárt’s death. It makes reference not only to Ravel’s Boléro, but also to other forms of bolero and folk music. On stage, performers with very different looks perform a series of minimalist movements to the sound of beautiful boleros. Hoghe’s inspiration for this work came from the most different sources: from the revolutionary ice skating choreography of Jayne Torvill and Christopher Dean, in the 80’s, to Maurice Bejárt’s famous Bolero (1960).

Conceito e coreografia Concept and choreography Raimund Hoghe Colaboração artística Artistic collaborator Luca Giacomo Schulte Iluminação Lighting Raimund Hoghe, Ditimar Evtimov Som Sound Bente Lambrecht Administração Management Arnaud Antolinos Com With Ornella Balestra, Lorenzo De Brabandere, Emmanuel Eggermont, Raimund Hoghe, Yutaka Takei, Nabil Yahia-Aïssa Música Music Maurice Ravel, Giuseppe Verdi, Pyotr Illyich, Tchaikovsky, South American bolero Interpretação Performed by Marguerite Long, Maurice Ravel, Leonard Bernstein, Robert Casadesus, Benny Goodman, Morton Gould, Pierre Monteux, Maria Callas, Anita Lasker-Walfisch, Chavela Vargas, Pedro Infante, Doris Day, Tino Rossi, Luis Mariano, Mina Apoio de turnê Tour support Goethe Institut, NRW Fonds Parceiro na turnê Tour partner FID – Fórum Internacional de Dança de Belo Horizonte

Body, space, music 08 NOV 18h Teatro Municipal Carlos Gomes

90min Classificação etária Show’s rate

“Por muitos anos eu escrevi com palavras. O corpo por trás das palavras era invisível. Agora, estou escrevendo com corpos – com o meu e os corpos dos bailarinos. Entre escrever com palavras e escrever com corpos – finalmente não há diferença para mim” (Raimund Hoghe) Body, space, music é uma palestra-performance solo apresentada por Raimund Hoghe em que ele contempla palavras, música e o corpo. Baseada em trechos do repertório do coreógrafo exibidos em vídeo, Body, space, music é um mergulho na carreira deste raro artista. “For many years I was writing with words. The body behind the words was invisible. Now I’m writing with bodies - with my body and the bodies of dancers. Between writing with words and writing with bodies - finally there is no difference for me” (Raimund Hoghe). Body, space, music is a solo lecture performance; a contemplation on words, music, and the body. Drawing on video footage and excerpts from Hoghe’s repertoire of work, Body, space, music affords an insight into his practice as an artist.

L’après-midi (2008) www.raimundhoghe.com

8

Ver página 17

Produção Production Cie. Raimund Hoghe Colaboração artistic Artistic collaborator Luca Giacomo Schulte Apoio de turnê Tour support Goethe Institut, Regional Government of Düsseldorf / Germany Parceiro na turnê Tour partner FID – Fórum Internacional de Dança de Belo Horizonte


fabian gandini Foto: José Carracedo

Argentina Pieza para pequeño efecto Uma mesa com pedaços de cartolina, tesoura, alfinetes, uma handcam, uma luminária e bonequinhos de plástico movidos a corda chamam a atenção durante boa parte da encenação de Pieza para pequeño efecto, do argentino Fabián Gandini. Como numa brincadeira de criança, ele explora inúmeras possibilidades a partir desses elementos, criando pequenos vídeos com os bonecos e efeitos de luz. O espetáculo vai sendo criado ali, sob o olhar do público. Uma investigação sobre a ideia de dança e de efeitos, como camadas à sua volta.

Intérpretes Performers Germán Cunese y Fabián Gandini Cenografia e figurino Set design and costumes Mariana Tirantte Colaboração artística Artistic collaboration Natalia Caporale e Luciana Acuña Direção Direction Fabián Gandini Parceiro na turnê Tour Partner FID - Forum Internacional de Dança (Belo Horizonte)

Classificação etária Show’s rate

Fabián Gandini é coreógrafo e bailarino e dirige a companhia Contenido Bruto. Atualmente é bolsista da Fundación Antorchas, do Fondo Nacional de las Artes e do Instituto Nacional de Teatro. Participou da edição 2007-2008 do coLABoratorio, projeto internacional de residências artísticas realizado pela Associação Cultural Panorama. Foi durante essa residência que começou a desenvolver a ideia que culminou em Pieza para pequeño efecto.

Esta obra conta com o apoio do Fondo Nacional de las Artes (FNA), Prodanza e Instituto Nacional del Teatro (INT)

*Conversa com o artista após o espetáculo *Conversation with the artist after the show

A table with pieces of cardboard, scissors, pins, a handcam, a lamp and wind-up plastic dolls draws the attention of the audience during most of Pieza para pequeño efecto, by Argentinean Fabián Gandini. Like a child playing, he explores countless possibilities with these elements, creating little videos with the dolls and light effects. The show is gradually created under the eyes of the audience. A simple investigation on the notion of visual effects and dance, as if layers were created around it. Fabián Gandini is a choreographer, a dancer and directs the company Contenido Bruto, where he created el juego, Kevental and La garza sobre el agua. He currently holds bursaries from Fundación Antorchas, Fondo Nacional de las Artes and Instituto Nacional de Teatro. He participated in the 2007-2008 edition of coLABoratorio, an international residency project organized by Associação Cultural Panorama. Fabián started developing the idea that resulted in Pieza para pequeño efecto during the residency.

05 e 06 NOV 21h 07 NOV* 19h Espaço SESC mezanino

40min

This piece has the support of Fondo Nacional de las Artes (F.N.A), Prodanza and Instituto Nacional del Teatro (I.N.T)

9


marcelo evelin Demolition Inc. nucleo do dirceu

Brasil - Holanda Brazil - Netherlands

Foto: Rogério Ortiz

Matadouro 13 NOV 20h30 14 NOV 18h Teatro Municipal Carlos Gomes 15 NOV* 18h Centro de Artes da Maré

60min Classificação etária Show’s rate

*Conversa com os artistas após o espetáculo *Conversation with the artists after the show

Marcelo Evelin é hoje um dos nomes de frente da dança, performance e atuação política nas artes contemporâneas. Coreógrafo, pesquisador e intérprete, vive e trabalha desde 1986 na Europa, onde atua na área da dança e do teatro físico, tendo colaborado com profissionais de variadas linguagens, nacionalidades e experiências. É criador residente do Hetveem Theater, em Amsterdã, com sua Companhia Demolition Inc., e ensina improvisação e composição na Escola Superior de Mímica de Amsterdã. Desde 2006 se divide entre Holanda e Teresina, sua cidade natal, onde coordena o coletivo Núcleo do Dirceu. O projeto piauiense é parceiro do Panorama no projeto internacional de residências coLABoratorio (ver pág 38). O festival apresenta, dentro da série de artistas com longo percurso da programação 2010, a remontagem do solo Ai, ai, ai e a estreia nacional de sua última criação, Matadouro.

Marcelo Evelin / Demolition.inc + Núcleo do Dirceu: Alexandre Santos, Andrez Lean Ghizze, Cipó Alvarenga, Fábio Crazy da Silva, Fagão, Izabelle Frota, Jaap Lindijer, Jacob Alves, Josh S., Layane Holanda, Marcelo Evelin, Regina Veloso, Rogério Ortiz, Silvia Soter Agradecimentos Ackowledgement Sérgio Matos, João Pimenta, Wilena Weronez, Loes van der Pligt, Marcel Bogers, Renate Zentschnig, Judith Schonenveld, Reginaldo Carvalho, Yang Dallas, Christine Greiner.

Uma das estreias nacionais da programação do Panorama 2010, Matadouro fecha a trilogia de Marcelo Evelin / Demolition Inc. iniciada com Sertão (2003) e Bull dancing (2006), a partir do romance Os sertões, de Euclides da Cunha, de questões relacionadas à identidade territorial e cultural deslocada e ao embate entre racionalidade x animalidade na vida do homem contemporâneo. Matadouro investiga o corpo como metáfora de um campo de batalha em que aparecem lutas entre: oficial e marginal, selvageria e civilidade, território e mundo globalizado. Em cena, oito intérpretes que, através de uma ação contínua, incorporam a luta em seu estado limite e arrastam consigo o espaço da periferia.

Este espetáculo foi subsidiado com bolsa de estímulo à criação artística em dança da Funarte (2008) e conta com apoio da Lei de Incentivo Estadual do Governo do Piauí/SIEC/FUNDAC. Foi criado no Galpão do Núcleo do Dirceu, em Teresina, e em residência artística no Hetveem Theater de Amsterdã e no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro. Estreia no Festival Panorama 2010.

Marcelo Evelin is today a front runner in the fields os dance, performance and political action in contemporary Brazilian arts. Choreographer, researcher and performer, has been living and working in Europe since 1986, where he works with dance and physical theater and has collaborated with professionals of different fields, nationalities and backgrounds. He is a resident creator at Hetveem Theater, in Amsterdam, with his company Companhia Demolition Inc. He teaches improvisation and composition at Mime School in Amsterdam. Since 2006, splits between Amsterdam and his hometown of Teresina, in Piaui, where he coordinates the collective Núcleo do Dirceu. The project is Panorama’s partner in the international residence program coLABoratorio (see page 36). This year Evelin is also one of the artists with long careers invited for the festival, that will show the re-staging of his solo Ai, ai, ai and the premiere of the new piece Matadouro. One of this year’s national premieres, Matadouro is third in Marcelo Evelin / Demolition Inc.’s trilogy that started with Sertão (2003) and Bull dancing (2006), elaborated upon themes present in the classic epic Os sertões, written by Euclides da Cunha, issues regarding displaced territorial and cultural identity and the clash between rationality and bestiality in the life of contemporary men. Matadouro investigates the body as a metaphor for a battleground where there is conflict between official and marginal, savagery and civility, territory and a globalized world. On stage, eight performers incorporate this struggle in a borderline state and drag with them the space of the periphery.

This show was subsidized by a bursary to stimulate artistic creation from FUNARTE (2008) and has the support of Lei de Incentivo Estadual do Governo do Piauí/ SIEC/FUNDAC. It was created at Galpão do Núcleo do Dirceu in Teresina-PI and in an artistic residency at Hetveem Theater, in Amsterdam, and Centro Coreográfico do Rio de Janeiro. Premieres at Festival Panorama de Dança 2010.

www.nucleododirceu.com

10


Ai, ai, ai (1995) 06 NOV 22h 07 NOV 21h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

50min Classificação etária Show’s rate

O coreógrafo piauiense Marcelo Evelin vivia na Holanda quando criou Ai, ai, ai, em meados dos anos 90. Há anos distante de sua terra, o solo foi concebido como um mergulho em suas raízes, um trabalho pessoal criado a partir de questões pertinentes ao próprio corpo. Completando 15 anos em 2010, será encenado em duas noites dentro da programação do Panorama, onde esteve em seu ano de estreia, despertando lembranças em quem já assistiu e o interesse de quem o verá pela primeira vez. Ai, ai, ai é um marco na trajetória de Evelin. In the middle of the 90’s, choreographer Marcelo Evelin lived in Holland when he created Ai, ai, ai. The solo is a dive into his roots, a personal piece based on issues pertinent to his own body, distant from his homeland for years. The work completes 15 years in 2010 and it will be staged twice within the program of Panorama, where it was performed in its premiere year, awakening memories in those who have seen it or the interest of those who haven´t. Ai, ai, ai is a landmark in Evelin’s career.

Concepção, coreografia, dança Conception, choreography and dance Marcelo Evelin Filmes em super-8 Super-8 films Karim Ainouz Cenário e figurino Set design and costumes John Murphy Assistência de coreografia Choreography assistance Christiana Cavalcanti Design de som Sound design Jaap Lindijer Design de luz Light design Marc van Gelder Técnica Techinicians Silva Neto, Jacob Alves e Cipó Alvarenga Fotos Photos Ben van Duin e Rogério Ortiz Música Music Ella Fitzgerald e Chorinhos Brasileiros Produção Production Regina Veloso.

Esse espetáculo é um projeto de Demolition Inc., criado em Nova Iorque, estreou em setembro de 1995 no Teatro Brakke Grond em Amsterdã e foi financiado pelo Amsterdams Fonds Voor The Kunst. Foi remontado em 2010 a convite do Panorama Sesi de Dança - SP em parceria com o Núcleo do Dirceu. The show is a project of Demolition Inc., it was created in New York, premiered in September 1995 at Brakke Grond Theater in Amsterdam and was financed by Amsterdams Fonds Voor The Kunst. It was restaged in 2010 at the invitation of Sesi de Dança - SP in partnership with Núcleo do Dirceu. www.nucleododirceu.com

Foto: Ben van Duin

11


Cia. Mario Nascimento Foto: Ed Felix | Na Lata

Brasil - MG Escapada 08 NOV 19h Teatro João Caetano

60min Classificação etária Show’s rate

Conversa com os artistas após o espetáculo *Conversation with the artists after the show

Em 1998 a Cia. Mário Nascimento estreou seu primeiro espetáculo, Escapada, com a participação de Mário Nascimento e do músico Fábio Cardia. A obra rendeu prêmio de melhor coreógrafo naquele ano a Nascimento, além de uma elogiada turnê internacional. Agora, 12 anos depois, a companhia revisita o universo de Escapada com um novo olhar. Nascimento e Cardia partem de algumas ideias cênicas e musicais do espetáculo original, ampliando suas fronteiras e aprofundando a pesquisa. Nessa nova versão, que estreia no Panorama 2010, os oito bailarinos da companhia estão em cena para representar o homem sufocado na grande cidade, desejando fugir da opressão, da falta de tempo e dos problemas contemporâneos. A Cia. Mário Nascimento foi criada em São Paulo em 1998 pelo coreógrafo Mário Nascimento e o compositor Fábio Cardia. Com a primeira versão de Escapada (1998), Nascimento ganhou o prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) de melhor coreógrafo. Em 2002, a companhia se mudou para Belo Horizonte, onde mantém sua sede. In 1998, Cia. Mário Nascimento premiered its first show: Escapada, with the participation of musician Fábio Cardia. Mário Nascimento won a best choreographer award for the piece, besides an acclaimed international tour. Now, 12 years later, the company revisits the universe of Escapada with new eyes. Nascimento and Cardia start with some ideas and songs from the original show, pushing the boundaries and deepening the research. This new version premieres at Panorama 2010. Eight dancers depict men suffocated by the big city, trying to escape oppression, the lack of time and contemporary problems. Cia. Mário Nascimento was created in São Paulo in 1998 by choreographer Mário Nascimento and composer Fábio Cardia. Nascimento won the award for best choreographer from APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) that year. In 2002, the company moved to Belo Horizonte. www.ciamn.com.br

12

Direção e coreografia Direction and choreography Mário Nascimento Assistente de direção e coreografia Direction and choreography assistant Rosa Antuña Trilha sonora Soundtrack Fábio Cardia Textos Text Rosa Antuña Elenco Cast André Rosa, Aretha Maciel, Brenda Melo, José Villaça, Léo Garcia, Mariel Godoy, Rafael Bittar, e Rosa Antuña Professores e ensaiadores Teachers and rehearsers Mário Nascimento e Rosa Antuña Preparação teatral e vocal Theatrical and vocal coach Rosa Antuña Técnico de luz e som Light and sound technician Ricardo Cavalcante Fotos Photos Ed Felix | Na Lata Design Gráfico e Produtor Graphic design and producer José Villaça Produção geral General production Cia. MN


Antonio Tagliarini Idoia Zabaleta

Foto: Gonçalo Alexandre

Itália/Espanha - Italy/Spain Royal dance 10 NOV 11 NOV* 19h CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

70min Classificação etária Show’s rate

*Conversa com os artistas após o espetáculo *Conversation with the artists after the show

Em sintonia com as discussões do projeto com.posições.políticas, que começa este ano no Panorama, o festival abre espaço para novos formatos de arte política. Em Royal dance, a basca Idoia e o italiano Antonio partem de um tradicional símbolo do Estado, a bandeira nacional, para explorar questões ligadas ao nacionalismo e ao patriotismo a partir de clichês corporais. Juntos, elaboram uma dramaturgia com bandeiras de dezenas de países que evidencia as ambiguidades da ideia de nação. Royal dance estreou na La Fundación, em Bilbao, País Basco. Idoia Zabaleta, coreógrafa e bióloga, é uma das fundadoras da associação Moare Danza, na qual dirigiu e participou de várias peças. Também trabalha com a companhia Mal Pelo e dá aulas na Universidade do País Basco. Antonio Tagliarini é performer, artista e encenador, tendo trabalhado com criadores como Miguel Pereira e Raffaella Giordano. Idoia e Antonio se conheceram em 1996, quando participavam como intérpretes de um projeto de improvisação dirigido pela Company Blue, em Florença. Voltaram a se encontrar diversas vezes artisticamente até criarem o duo Royal dance. In tune with the debates of the com.posições.políticas project, launched this year in Panorama, the festival opens space for new formats of political art. In Royal dance, Idoia and Antonio start with a traditional symbol of State to discuss issues regarding nationalism and patriotism. Together, they deconstruct the identity of flags from dozens of countries, in a parade of small scenes in which they refer to the ambiguities of each country in question. Royal dance premiered in La Fundición, in Bilbao, Basque Country. Idoia is a choreographer and a biologist. She is a founding member of Moare Danza association, where she directed and participated in several pieces. She also works with the company Mal Pelo and teaches at the Basque Country University. Antonio is a performer, artist and director and worked with artists such as Miguel Pereira and Raffaella Giordano. Idoia and Antonio met in 1996, when they participated as performers in an improvisation project directed by Company Blue, in Firenze. Before their paths crossed, they had a similar background: both practiced gymnastics from a young age and ended up enchanted by contemporary dance, especially by improvisation techniques. They met again artistically several times until the duo Royal dance was born.

Ideia e direção Idea and direction Antonio Tagliarini e Idoia Zabaleta Coreografia e interpretação Choreography and performance Antonio Tagliarini e Idoia Zabaleta Desenho de luz Light design Mirella Brandi Acompanhamento Monitoring Jaime Conde Salazar e Attilio Scarpellini Produção executiva Executive production Filipe Viegas e Cristina de la Renta Residências artísticas Artistic residencies AZALA, espacio de creación (Lasierra, País Basco), La Scatola dell’Arte (Roma, Italia) Produção Production MOARE DANZA || PLANET 3 Coprodução Co-production Departamento de Cultura do Governo Basco, AZALA espacio de creación (Lasierra, País Basco), Associazione Culturale Planet 3 / Italia, CORE – Coordinamento Danza e Arti Performative del Lazio Colaboração Collaboration Servicio de Planificación y Programación Cultural del ayuntamiento de Vitoria-Gasteiz, Teatro de Merode/Casale de Merode Apoios para esta turnê Support for the tour Departamento de Cultura do Governo Basco

13


La Rachid Ouramdane Foto: Patrick Imbert

França - France Des témoins ordinaires 11 NOV 12 NOV* 20h30 Teatro Municipal Carlos Gomes

75min Classificação etária Show’s rate

*Conversa com o artista após o espetáculo *Conversation with the artist after the show

Des témoins ordinaires resulta de dois anos de pesquisas feitas por Rachid Ouramdane sobre as vítimas de tortura política. Em períodos de residência artística em países como a França, a Argélia e o Brasil, o artista recolheu dezenas de horas de depoimentos em vídeo e estudou o comportamento físico dessas testemunhas. O resultado é uma peça forte e emocionante que nos faz refletir sobre as cicatrizes políticas, emocionais e físicas da violência. Em cena, seis bailarinos vivem uma jornada entre luzes, vídeos e música, inspirados pelos relatos de ex-prisioneiros políticos de vários países, como a escritora brasileira Ana Miranda e a cineasta Lucia Murat. Rachid Ouramdane despontou nos anos 90 como uma das principais vozes de uma dança francesa preocupada com os aspectos sociais e políticos da arte. Filho de argelinos e com sua história pessoal impregnada de questões em torno do exílio, da guerra e do lugar da Europa nos processos coloniais, este artista tem feito peças contundentes nas quais o corpo questiona suas próprias definições. Des témoins ordinaires results from Rachid Ourmandane’s two-year research about victims of political torture. During periods of artistic residency in countries like France, Algeria and Brazil, the artist gathered dozens of hours of testimonies in video and studied the physical behavior of the speakers. The result is a strong and moving piece that makes us think about the political, emotional and physical scars left by violence. On stage, six dancers live a journey amidst lights, videos and music, inspired by the statements of former political prisoners from several countries, like Brazilian writer Ana Miranda and filmmaker Lucia Murat. Rachid Ouramndane emerged in the 90’s as one of the main voices in French dance concerned with the social and political aspects of art. He is the son of Algerians and his personal history is impregnated with issues related to exile, war and Europe’s role in the colonial process. The artist has been creating striking pieces in which the body questions its own definitions. L’A. tem financiamento do Ministère de la Culture et de la Communication / DRAC Île de France, Région Île de France, e Cultures France para os projetos internacionais. Rachid Ouramdane e L’A. são associados ao Théâtre de la Ville de Paris e Bonlieu, Scène Nationale d’Annecy. L’A. has the support of Ministère de la Culture et de la Communication / DRAC Ile de France, Région Ile de France, and Cultures France for international projects. Rachid Ouramdane and L’A. are associated with Théâtre de la Ville de Paris e Bonlieu, Scène Nationale d’Annecy www.rachidouramdane.com

14

Concepção Conception Rachid Ouramdane Performance Lora Juodkaite, Mille Lundt, Jean-Claude Nelson, Georgina Vila Bruch, Xavier Kim Música Music Jean-Baptiste Julien Luz Light Yves Godin Vídeo Jenny Teng and Nathalie Gasdoué Assistência técnica para video Video technical assistance Jacques Hoepffner Assistência dramatúrgica Dramaturgic assistance Camille Louis Visual Look Erell Melscoët Figurino Costumes La Bourette Direção técnica Technical direction: Sylvain Giraudeau Técnico de luz Light technician Stéphane Graillot Técnico de vídeo Video technician Stéphane Lavoix Administração e produção Management and production Charlotte Giteau Tour management Frédéric Pérouchine Comunicação Communication Eve Beauvallet Agradecimentos Thanks to Lucia Murat, Ana Bursztyn Miranda, Paolo Cesar Ribeiro, Pedro Albuquerque, Mario Albuquerque, Rosa da Fonseca, Oswald Barroso, Arthur, Mohamed Osmane, Gilbert Gatore e a todos os que preferiram gravar seus depoimentos no anonimato; a Eduardo Bonito, Isabel Ferreira e Sonja Gradel pela ajuda no Brasil; e a Bamiyan Shiff Produção Production L’A. Coprodução Co-production Bonlieu, Scène Nationale d’Annecy; Théâtre de Gennevilliers; Festival d’Avignon; Festival d’Automne; Festival d’Athènes; Centre Chorégraphique National de Grenoble; Centre Chorégraphique National du Havre; Centre Chorégraphique National de Créteil Apoios para esta turnê Support for the tour Cultures France


emio greco pc

Foto: Basil Childers

Holanda - Netherlands Conjunto di NERO 14 NOV 20h Teatro João Caetano

80min Classificação etária Show’s rate

Três homens e duas mulheres exploram um mundo de luz e movimento. Luz e sombra são quase membros do elenco, mudando o ambiente e a paisagem no palco com um timing preciso. O som também tem presença incomum – uma paisagem sonora única. Conjunto di NERO é uma joia cênica e uma das mais importantes peças de movimento de um dos mais reconhecidos coreógrafos do século 20. Se completa com a instalação interativa Double skin / Double mind, que ocupa o teatro Oi Futuro. Para o coreógrafo italiano Emio Greco e o diretor de teatro holandês Pieter C. Scholten, a curiosidade sobre o corpo e suas motivações interiores serve como ponto de partida para a dança. Colaboradores desde 1995, Emio Greco | PC participam com artistas de outras disciplinas artísticas e exploram as possibilidades e os limites da dança através de oficinas e projetos educacionais em vários países.

Coreografia e direção Choreography and direction Emio Greco | Pieter C. Scholten Luz e som Light and sound Emio Greco | Pieter C. Scholten Intérpretes Performers Victor Callens, Vincent Colomes, Emio Greco, Sawami Fukuoka e Suzan Tunca Desenho de luz Light design Henk Danner Figurino Costumes Clifford Portier Sound Collage Wim Selles Projeções Projections Erik Lint Técnicos Technicians Paul Beumer, Maarten Heijdra Produção Production ICKamsterdam - Emio Greco | PC Coprodução Co-production Montpellier Danse (F), Théâtre National de Bretagne, Rennes (F)

Three men and two women explore a world of light and movement. Light and shadow are almost members of cast, changing the environment and the landscape on the stage in precise timing. The sound also has an uncommon presence – a unique landscape of sound. Conjunto di NERO is a scenic treasure and one of the most important pieces of one the most renowned choreographers of the 20th century. The piece makes a fine combination with the interactive installation Double skin / Double mind, that will occupy Oi Futuro. For Italian choreographer Emio Greco and Dutch theater director Pieter C. Scholten, curiosity about the body and its internal motivations are starting points for dance. Collaborators since 1995, Emio Greco | PC collaborate with artists from other artistic disciplines, explore the possibilities and limits of dance through workshops and educational programs in their country and abroad.

Double skin / Double mind 16 a 18 NOV 11h às 20h Oi Futuro Flamengo duração variável Different durations Classificação etária Show’s rate

A instalação explora os princípios do vocabulário do movimento propostos pela dupla de artistas. Num ambiente de alta tecnologia, o participante é guiado a fazer escolhas físicas diante de vários impulsos: palavras, qualidades e sons. Suas três telas e duas câmeras oferecem ao público a chance de se vestir na pele do performer em tempo real. A peça é uma colaboração com o renomado media designer Chris Ziegler (ZKM Center, Alemanha) e a cineasta Maite Bermudez. The Double Skin/ Double Mind installation explores the principle of the movement vocabulary proposed by the artists. In a high-tech environment, the spectator is led to make physical choices among different impulses: words, qualities and sounds. Three screens and two cameras provide the audience with a chance to fill the shoes of the performer in real time. The piece is the result of a collaboration with renowned media designer Chris Ziegler (ZKM Center, Germany) and filmmaker Maite Bermudez. ICKamsterdam tem apoio do Performing Arts Fund NL e da Prefeitura de Amsterdam. ICKamsterdam is supported by the Performing Arts Fund NL and the Municipality of Amsterdam.

Conceito e criação Concept and realization Chris Ziegler, Frédéric Bevilacqua, Bertha Bermúdez Desenho da instalação Installation design Chris Ziegler, Martin Bellardi, Sarah Fdili Alaoui Acompanhamento do movimento Gesture follower Frédéric Bevilacqua Diretor do filme Film director Maite Bermúdez Desenho de música Music design Pieter C. Scholten Câmera Camera Katharina Pohlmann Coprodução Co-production ICKamsterdam/Emio Greco | PC and Amsterdam School of the Arts Research Group Art Practice and Development Apoio ao projeto Project support by Prins Bernhard Cultuurfonds Apoio para esta turnê Support for this tour Netherlands Consulate in Rio.

www.ickamsterdam.com

15


tardes no parque _ Numa das principais novidades do Panorama 2010, o belo espaço da Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage receberá, durante dois fins de semana, uma programação gratuita de performances e espetáculos. Peças históricas como os Early works, de Trisha Brown, e recentes, como L’après midi, de Raimund Hoghe, dividem o programa com trabalhos de jovens cariocas como Alice Ripoll e Michel Groisman e os consagrados Yann Marussich e Thembi Rosa. Uma edição especial do Cine Lage completa a programação. O Panorama 2010 embarca no clima do verão carioca e proporciona ao seu público uma chance de vivenciar de forma única e inusitada a beleza do prédio da EAV e seus jardins.

In one of the main new features of Panorama 2010, the beautiful space of Parque Lage’s Escola de Artes Visuais (EAV) will receive a free program of performances and shows, during two weeks. Historical pieces such as Trisha Brown’s Early works and recent ones, like Raimund Hoghe’s L’après midi, share the program with young artists from Rio, like Alice Ripoll and Michel Groisman and the acclaimed Yann Marussich and Thembi Rosa. A special edition of Cine Lage completes the program. Panorama 2010 gets into the mood of summer in Rio and offers the audience a chance to experience the beauty of the EAV and its gardens in a unique and unexpected way.

Early works 06 e 07 NOV 15h Parque Lage duração variada different durations

Durante os anos 60 e 70, Trisha integrou o grupo de coreógrafos americanos que ficou famoso pelos trabalhos experimentais realizados na Judson Church, em Nova York. Os Early works foram criados num contexto de ruptura da dança pós-moderna em NY. O programa reúne obras de 1970 até 1974 e exploram os movimentos cumulativos, espaços alternativos para as apresentações e novas relações entre o corpo e o espaço. O Panorama 2010 leva ao Parque Lage um importante recorte da história da dança mundial com cinco peças do repertório antigo da companhia: Accumulation (1971), Floor of the forest (1970), Group primary accumulation with movers (1973), Spanish dance (1973) e Spiral (1974). During the 60’s and 70’s, Trisha was part of a group of choreographers that became famous for the experimental works developed at Judson Church, in New York City. The Early works were created in this context. The program gathers pieces from 1969 to 1977 that explore cumulative movements, alternative spaces and new relationships between body and space. Panorama 2010 brings to Parque Lage an important glimpse in the history of dance showing five pieces from the company’s old repertory: Accumulation (1971), Floor of the forest (1970), Group primary accumulation with movers (1973), Spanish dance (1973) and Spiral (1974). www.trishabrowncompany.org

Trisha Brown Dance Company

Accumulation (1971) Música Music Grateful Dead, “Uncle John’s Band” Intérpretes Performers Leah Morrison, Tamara Riewe Floor of the forest (1970) Cenário Set design Trisha Brown Intérpretes Performers a companhia The company Group primary accumulation with movers (1973) Intérpretes Performers a companhia The company Spanish dance (1973) Música Music Early Mornin’ Rain, de Gordon Lightfoot, na voz de Bob Dylan Performers Elena Demyanenko, Leah Morrison, Tamara Riewe, Laurel Tentindo Bailarina convidada Guest dancer Lucy Guerin Spiral (1974) Intérpretes Performers The company

a

companhia

Suporte a esta turnê Mid Atlantic Arts Foundation through USArtists International em parceria com o National Endowment for the Arts e Andrew W. Mellon Foundation. Tour support Mid Atlantic Arts Foundation through USArtists International in partnership with the National Endowment for the Arts and the Andrew W. Mellon Foundation.

EUA - USA

Em caso de chuva, a programação poderá ser alterada. Confira no site do festival. In the case of rain, the program is subject to change. Check the festival website.

Foto: Gene Pittman

16


Bleu remix 06 e 07 NOV 17h30 Parque Lage

60min Classificação etária Show’s rate

Participaçãoespecial Special guest Saulo Laudares

Os trabalhos de Yann Marussich exploram a imobilidade em cena. Durante uma hora, o público observa um corpo absolutamente parado, tendo apenas um líquido azul que escorre por sua pele, criando um caminho, uma coreografia. Com Bleu remix, Marussich quer provar que a imobilidade é, na verdade, a base do movimento. A obra foi vencedora do Prix Ars Electronica 2008. Yann Marussich começou a carreira como performer em 1989, tornando-se um dos mais importantes no cenário atual. Seus trabalhos se aproximam da body art, são provocativos, perturbadores, exercendo forte impacto sobre a plateia. Entre 1993 e 2000, foi diretor do Théâtre de l’Usine, em Genebra.

Conceito e interpretação Concept and performance Yann Marussich Colaboração artistic e luz Artistic collaboration and light Daniel Demont Construção do ambiente Setting construction David Châtel Remix de som Sound remix Saulo Laudares Produção Production Perceuse Productions Scènes Difusão Press relations Thuy-San Dinh Apoios para esta turnê Support for the tour Ville de Genève, la Loterie romande et Pro Helvtia

The works of Yann Marussich explore the stillness on stage. During one hour, the audience observes an absolutely still body, except for the blue liquid that oozes from his skin, creating a path, a choreography. With Bleu remix, Marussich wants to prove that stillness is actually the basis for movement. The piece was awarded the Prix Ars Electronica 2008. Yann Marussich started as a performer in 1989 and became one of the most important names in the current dance scene. His works approach body art, they are provocative, disturbing and have a strong effect on the audience. www.yannmarussich.ch

Yann Marussich Suíça - Switzerland Foto: Marc Gremillon

L’après-midi (2008) 06 e 07 NOV 16h30 Parque Lage

75min Classificação etária Show’s rate

Em L’après-midi, Hoghe mostra seu olhar único e inovador sobre um dos mais importantes clássicos da história da dança: o balé homônimo de Vaslav Nijinsky, com música de Debussy. A coreografia foi criada especialmente para o bailarino francês Emmanuel Eggermont. Num palco sem cenário – à exceção dos copos de leite que vão sendo deslocados por Hoghe de tempos em tempos –, esta obra de movimentos minimalistas e precisos e de música arrebatadora hipnotiza o espectador. Uma versão surpreendente de um clássico da dança. In L’après-midi, Hoghe shows his unique and innovating views on one of the most important classic pieces in the history of dance: Vaslav Nijinsky’s homonymous ballet, with the music of Debussy. The choreography was created specially for French dancer Emmanuel Eggermont and had an acclaimed premiere at Montpellier Danse, in 2008. On a stage without any scenery – except for milk glasses that are moved by Hoghe from time to time – this piece of precise and minimalist movements and breathtaking music hypnotizes the spectator. A surprising version of a dance classic. www.raimundhoghe.com

Conceito e coreografia Concept and choreography Raimund Hoghe Intérprete Performer Emmanuel Eggermont Colaboração artística Artistic collaboration Luca Giacomo Schulte Luz Light Raimund Hoghe e Dimitar Evtimov Som Sound Silas Bieri Direção técnica Technical direction Dimitar Evtimov Manager Arnaud Antolinos Projeto técnico Danspace technical project Tim Cryan Música Music Prélude à l’Aprèsmidi d’un faune, de Claude Debussy e Lieder, de Gustav Mahler

Em caso de chuva, a programação poderá ser alterada. Confira no site do festival. In the case of rain, the program is subject to change. Check the festival website.

raimund hoghe Alemanha - Germany Foto: Rosa Frank

17


tardes no parque _ Verdades inventadas 20 e 21 NOV 15h30 Parque Lage

60min Classificação etária Show’s rate

Verdades inventadas parte da instalação alarm floor, desenvolvida por Rivane Neuenschwander em colaboração com os músicos de O Grivo. A ação acontece em cima de um piso de madeira que dispara sons diferenciados. Um ambiente sonoro e instável, que propõe uma nova relação entre dança e música. A mineira Thembi Rosa é dançarina, coreógrafa e pesquisadora. Graduada em letras pela UFMG e mestre em dança pelo Programa de Pós-Graduação em Dança da UFBA. Desde 2000 realiza projetos solos de dança em parceria com o duo musical O Grivo e com coreógrafos e criadores convidados. Verdades inventadas is based on the alarm floor developed by Rivane Neuenschwander in collaboration with the musicians of O Grivo. The action takes place over a wood floor that makes different sounds when stepped on. An unstable sound ambience proposes a new relationship between dance and music. Thembi Rosa is a dancer, choreographer and researcher. Since 2000, she created solo dance projects in partnership with music duo O Grivo and with collaborating artists.

Projeto e dançarina Project and dancer Thembi Rosa Instalação alarm floor Alarm floor installation Rivane Neuenschwander em colaboração com O Grivo Sonorização e trilha sonora Soundtrack O Grivo Figurino Costumes Ronaldo Fraga Vídeo Video Roberto Bellini Fotos Photos Renato Paschoaleto Produção em SP Production in SP Dora Leão (platô produções) Realização Production Rosa de Jorge Patrocínio Sponsorship

Este trabalho foi viabilizado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna /2007. This work was made possible by Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna /2007.

thembi rosa Brasil - MG

Fotos: Renato Paschoaleto

My lunch with Anna 19 NOV 20h Parque Lage

52min Classificação etária Show’s rate

O Panorama faz uma edição especial do Cine Lage, mostra mensal de filmes programados por curadores convidados. Em My lunch with Anna, o coreógrafo Alain Buffard registra uma série de encontros com a lendária coreógrafa americana Anna Halprin. As entrevistas, sempre almoços, foram em locais onde Anna realizou algumas performances, como a Washington Square e o Berkeley Art Museum. Alain Buffard vive e trabalha em Paris. Nascido em 1960, começou a dançar em 1978 com Alwin Nikolais, no Centre National de Danse Contemporaine (CNDC), em Angers, onde continuou com Viola Farber. Dois encontros foram particularmente importantes em sua trajetória: com Anna Halprin e com Yvonne Rainer. Panorama does a special edition of Cine Lage, the film showcase programmed by guest curators. In My lunch with Anna, choreographer Allain Buffard documents a series of meetings with legendary American choreographer Anna Halprin. The interviews, always during lunch, were in places where Anna did her performances, like Washington Square and the Berkeley Art Museum. Alain Buffard was born in 1960. He lives and works in Paris and began dancing in 1978 with Alwin Nikolais, at the Centre National de Danse Contemporaine (CNDC) in Angers and with Viola Farber. Two encounters were particularly important in his career: with Anna Halprin and Yvonne Rainer. Agradecimentos Acknowledgements Lawrence Halprin, Palmina d’Ascoli, Gregory Douest-Lasne, Cherif Castel (Consulat de France San Francisco), Emmanuelle de Montgazon (Consulat de France New-York), Karen Moss, Paul Klein (San Francisco Art Institute), Dennis Love, Caverlee S. Cary, Lynne Kimura (The Berkeley Art Museum), Steve Ujlaski (San Francisco State University), Eric Prigent (Le Fresnoy Studio national des Arts Contemporains), Michèle Bargues (Vidéodanse - Service audiovisuel du Centre Pompidou).

www.alainbuffard.eu

Realização Direction Alain Buffard Com With Alain Buffard, Anna Halprin e Sherwood Chen, Lesley Ehrenfeld, Karl Gillick Direção e edição Direction and editing Alain Buffard Direção de fotografia Direction of photography Brett Rogstad, Jesse Oliver Captação de som Sound recording Allie Sultan, Juliana de Brés Maquinistachefe Key grip Francis Crossman Edição Editing Alain Buffard, Christophe Bargues Assistência de Produção e Catering Production assistant and Food stylist Rana Stewart Produtores associados Associate producers Tanguy Accart, Hélène Joly Assistência de direção e produção on-line (EUA) Assistant director and online producer (USA) Terre Unité Parker Produção Producers pi:es, Alain Buffard Apoio Support Association Française d’Action Artistique, Villa Médicis - Hors les murs, Consulats de France San Francisco / New York, Le Fresnoy - Studio national des Arts Contemporains, The San Francisco Art Institute, Centre Pompidou - Paris. PI:ES é apoiado pela DRAC Ile-de-France e Ministério da Cultura a título de ajuda à companhia conveniada e CulturesFrance para seus projetos estrangeiros.

alain buffard _Cine Lage especial

França - France 18

Crédito: frame do filme


Órgão 20 e 21 NOV 10 às 15h30 Parque Lage duração variada Different duration Classificação etária Show’s rate

Órgão é uma instalação interativa formada por diversos infláveis e caixas musicais, produzindo diferentes sons e movimentos corporais. O trabalho foi apresentado pela primeira vez na Mostra de Processos Rumos Dança, em março. A parceria entre Michel Groisman e Gabriela Duvivier já dura anos e resultou em projetos como Sirva-se e Máquina de desenhar. Aqui, eles reúnem mais uma vez a experiência dele com artes plásticas e equipamentos corporais humanos e a dela como atriz, dançarina, treinadora de improvisação teatral e professora da Técnica Alexander. Órgão is an interactive installation composed by different inflatables connected through hoses to music boxes, producing different sounds and body movements. The work was presented for the first time at Mostra de Processos Rumos Dança, in March. The partnership between Michel Groisman and Gabriela Duvivier has lasted for years and resulted in projects like Sirva-se and Máquina de desenhar. In this case, they combine his experience with plastic arts and human body equipments and her experience as an actress, dancer, theater improvisation trainer and teacher of Alexander Technique.

Concepção Conception Michel Groisman Dinâmicas interativas Interactive dynamics Gabriela Duvivier Fotógrafo Photographer Sung Pyo Hong Construção de instrumento Gadget construction Mindo Falcão Consultoria de montagem de instrumento Gadget ensemble consultant Gil Infláveis Inflatable Destak Balões

Esta pesquisa coreográfica foi desenvolvida com subsídio do Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10. This choreographic research was developed with funds from Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10.

Michel Groisman gabriela duvivier

Brasil - RJ

Foto: Sung Pyo Hong

Cornaca 20 e 21 NOV 16h30 Parque Lage

40min Classificação etária Show’s rate

Intérpretes e criadoras de uma nova safra de artistas cariocas, Alice e Juliana pesquisam diferentes possibilidades de contatos corporais e deslocamentos, sugerindo encaixes cada vez mais elaborados. Cada encontro entre dois ou mais intérpretes constrói situações peculiares e atmosferas carregadas de imagens inusitadas. Alice Ripoll e Juliana Medella são bailarinas e coreógrafas. Desde 2006, vêm desenvolvendo diferentes projetos de dança, em parceria e ao lado de outros intérpretes criadores. Performers and creators from a new crop of artists from Rio, Alice and Juliana approach different possibilities of body contact and the displacements that emerge from them. Each encounter between two or more performers builds peculiar situations and atmospheres charged with unexpected images. Alice Ripoll and Juliana Medella are dancers and choreographers. Since 2006, the artists have been developing a partnership in different dance projects, and in collaboration with other artists.

Direção Direction Alice Ripoll e Juliana Medella Interpretação e criação Performance and creation Alan Ferreira, Alex Tavares, Erick Nery, Leandro Lima, Leandro Coala e Luiz LA Trilha original Original sountrack Isadora Medella Figurino Costumes Paula Ströher Produção Production Alice Ripoll e Juliana Medella Agradecimentos Acknowledgements Cláudia Ribeiro, Instituto Prósaber, Maisa Aguiar, Sullivan Santos, Diogo Moraes, Chiara Krengiel, Creche São Sebastião, Renato Oliveira Apoio Support Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro

alice ripoll Juliana Medella

Brasil - RJ

Foto: Alice Ripoll e Juliana Medella

19


panaibra gabriel Foto: Arthur Fink

Moçambique - Mozambique Time and spaces: “the marrabenta solo” 17 NOV 18 NOV* 20h30 Teatro Municipal Carlos Gomes

60min Classificação etária Show’s rate

*Conversa com o artista após o espetáculo *Conversation with the artist after the show

“Meu nome é Panaíbra Gabriel Canda, filho de Gabriel Canda, cantor de marrabenta e violonista nascido em Inhambana, imigrou para Lourenço Marques, hoje Maputo; minha mãe era costureira e protestante, e juntos eles tiveram quatro filhos...” O moçambicano Panaíbra desconstrói a ideia de corpo colonizado africano, afastando-o de clichês. Sua pesquisa se apoia no histórico da ex-colônia portuguesa de Moçambique e da atual situação sociopolítica do país. A performance é acompanhada por Jorge Domingos, que executa ao vivo a “marrabenta” – estilo de música urbana típico, comumente relacionada a ideais revolucionários.

Coreógrafo Choreographer Panaíbra Gabriel Intérpretes Performers Panaíbra Gabriel and Jorge Domingos Músico Musician Jorge Domingos Desenho de luz Light design Dan Minzer Adereços Props Gonçalo Mabunda Apoio administrativo Administrative support Jeremias Canda Patrocinio Sponsorship culturArte HivosHarare, VSArts-USA

Panaíbra Gabriel nasceu em Maputo, capital de Moçambique, onde vive e desenvolve seu trabalho artístico até hoje. Começou a dançar em 1993 como bailarino de danças tradicionais africanas. Realizou parte de seu treino em dança contemporânea durante workshops em Lisboa (organizados pelo projeto Danças nas Cidades), onde trabalhou com artistas de renome mundial como Vera Mantero, Frans Poelstra e Meg Stuart. Em 1998 fundou a CulturArte, organização que promove o desenvolvimento de projetos artísticos, workshops e treinamento para coreógrafos africanos.

O projeto Time and spaces foi realizado graças ao Sylt Quelle Cultural Award for Southern Africa 2009 - Goethe Institut Johannesburg e à residência no Bates Festival. The Time and spaces project was made possible by the support of Sylt Quelle Cultural Award for Southern Africa 2009 - Goethe Institut Johannesburg and the residency at Bates Festival.

“My name is Panaíbra Gabriel Canda Son of Gabriel Canda, a marrabenta singer and guitar player born in Inhambana. He immigrated to Lourenço Marques, now Maputo; my mother was a seamstress and a protestant, and together they had four children...” Panaíbra Canda deconstructs the idea of a colonized African body, keeping away from clichés. His research is based on the history of former Portuguese colony Mozambique and the country’s social and political situation. The performance is accompanied by Jorge Domingos, who plays live “marrabenta” music – an urban style typical of Mozambique, usually associated with revolutionary ideals. Panaíbra Gabriel was born in Maputo, the capital of Mozambique, where he lives and develops artistic work to this day. He started in 1993, as a dancer of traditional African dances. His training on contemporary dance took place in workshops in Lisbon (organized by the project Danças nas Cidades), where he worked with worldrenowned artists such as Vera Mantero, Frans Poelstra, Meg Stuart, among others. In 1998 he founded CulturArte, an organization that promotes the development of artistic projects, workshops and training for African choreographers. www.culturartemz.org

20


federica folco Foto: Sandra Marroig

Periférico: proyecto tango

Uruguai - Uruguay

50min

O novo trabalho de Federica Folco é uma investigação sobre o ritmo mais conhecido da região do Rio da Prata: o tango. Periférico: proyecto tango mistura os movimentos puros do tango e sua sensualidade com elementos da dança contemporânea de forma equilibrada, sem que o público perceba onde começa um e termina o outro. Em cena, os belos bailarinos se encontram em duos e trios, desconstruindo e reconstruindo os passos e as relações tradicionais do tango para criar uma série de novas possibilidades de movimentos. Periférico: proyecto tango estreou em maio de 2010 no Uruguai.

Classificação etária Show’s rate

No dia 16 de novembro, no Espaço SESC, Federica e Andrea Jabor conversam sobre matrizes populares e dança contemporânea com mediação de Dani Lima.

12 e 13 NOV 19h CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

Conversa pública Public conversation 16 NOV 19h Espaço SESC

Federica Folco é bailarina e coreógrafa. Desde 2000 cria obras em colaboração com artistas do Uruguai e de outros países – as mais recentes são Desde (2009) e Titán (2008). É professora de técnica e, nos últimos anos, coordena oficinas de criação, como o projeto “los entres del movimiento” (análise de obras de dança contemporânea), Plataforma MEC 2008. É membro da Red Sudamericana de Danza (RSD).

Direção Direction Federica Folco Intérpretes Performers Guillermo Fleitas, Gabriela Farías, Eduardo Ferrer, Chenkuo Che, Federica Folco, Sebastian Niz Música original Original music Fernando Goicoechea Desenho de luz Light design Gonzalo Córdova (Argentina) Assistente Assistant Leticia Skrycky Músicos Musicians Fernando Goicoechea (piano), Nicolás Mora (bandoneón e violão), Eduardo Elissalde (percussão), Alfonso Santini (contrabaixo) Desenho gráfico e fotografia Graphic design and photography Sandra Marroig Apoio Support Fondos Concursables 2009 del Ministerio de Educación y Cultura e dos Fondos de Incentivo Fiscal 2009

The latest work of Federica Folco is an investigation about the best known rhythm from the River Plate region: tango. Periférico: proyecto tango combines the pure movements of tango and its sensuality with elements of contemporary dance in a balanced way, without the audience noticing where one ends and the other starts. On stage, the beautiful dancers meet in duos and trios, deconstructing and reconstructing the steps and traditional relationships of tango and creating a series of new movement possibilities. Periférico: proyecto tango premiered in May 2010, in Uruguay. November 16th at Espaço SESC, Federica and Andrea Jabor talk about tradicional and contemporary dance, mediated by Dani Lima. Federica Folco is a dancer and choreographer. Since 2000, she creates pieces in collaboration with artists from Uruguay and abroad. Her most recent creations are Desde (2009) and Titán (2008). As a technique teacher, in the last years she has coordinated creation workshops, such as the project “los entres del movimiento” (analysis of contemporary dance works) Plataforma MEC 2008. She is a member of Red Sudamericana de Danza (RSD). federicafolco.wordpress.com

21


Marta Soares Foto: João Caldas

Brasil - SP Vestígios 19 a 21 NOV 19h Espaço SESC mezanino

50min Classificação etária Show’s rate

Os rituais de sepultamento realizados nos cemitérios indígenas pré-históricos – os sambaquis – despertaram o interesse da performer Marta Soares e foram o ponto de partida para Vestígios. O trabalho mescla linguagens de performance, vídeo e efeitos sonoros. Um corpo imóvel sob a areia. Durante quase uma hora, o público vê a ação que o tempo exerce, seu deslocamento por conta do vento e o aparecimento do corpo soterrado da performer. O projeto Vestígios foi contemplado pelo edital de Desenvolvimento de Pesquisa Coreográfica em Dança Contemporânea do Rumos Itau Cultural e estreou em julho deste ano no SESC Consolação (SP). Marta Soares é dançarina e coreógrafa. Entre suas criações destacam-se Les poupées (Prêmio APCA 1997), Formless, O homem de jasmim (Prêmio APCA 2000), O banho (Prêmio APCA 2004) e Um corpo que não aguenta mais. Marta é mestre em comunicação e semiótica pela PUC-SP, onde leciona no Programa de Comunicação das Artes do Corpo, e é doutoranda no Programa de Psicologia Clínica. The burial rituals carried out in ancient pre-historic indian cemiteries – the sambaquis – sparked the interest of performer Marta Soares and were the starting point for Vestígios. The piece mixes the languages of performance, video and sound effects to create an environment similar to that of the sambaquis. In a room, a sand pile, a ventilator and two screens showing images of those places. For almost an hour, the audience sees the action of time in the sand pile as it shifts due to the wind and reveals the buried body of the performer. The project was awarded by the Desenvolvimento de Pesquisa Coreográfica em Dança Contemporânea program and premiered last July in SESC Consolação (SP). Marta Soares is a dancer and choreographer. Some of her highlighted creations are Les poupées (Prêmio APCA 1997), Formless, O homem de jasmim (Prêmio APCA 2000), O banho (PrêmioAPCA 2004) and Um corpo que não aguenta mais. Marta has a master’s degree in Communication and Semiotics by PUC-SP, where she teaches in the Communication of the Arts of the Body program and is a doctorate candidate in the Clinical Psychology. coletadevestigios.wordpress.com

22

Concepção Conception Marta Soares Direção geral General direction Marta Soares Performance Performance Marta Soares Desenho de som Sound design Lívio Tragtenberg Desenho de luz Light design Andre Boll Operação de luz Light operation Silviane Ticher Espaço cenográfico Cenography Renato Bolelli Rebouças Vídeo Leandro Lima Fotografia do vídeo Video photography Ding Musa Captação de som Sound capture Fernando Mastrocolla de Almeida Designer gráfico Graphic design Sato/Casa da Lapa Fotografia para divulgação Advertisement photography João Caldas Assistente de ensaio e montagem Rehearsal and staging assistant Manuel Fabrício Produção Production Cristiane Klein Agradecimentos Ackowlegement Alexandre Sahade Gonçalves, Ana Noronha, Anne Cerutti, Bruno Mendonça, Beto de Faria, Cainan Baladez, Claudio Lacerda, Christine Greiner, Eduardo Fukushima, Flávia Aranha, Josias Zanco Junior, Helena Katz, Julia Rocha, Juracy Rosa Soares, Lilia Shaw, Lucia Rosenberg, Marta Ricoy, Maria Lucia de Amorim Soares, Prof. Dr. Paulo De Blasis, Pousada Genoveva, Sonia Sobral, Suely Rolnik, seu Ari e Tiago Romanini.

Essa pesquisa coreográfica foi desenvolvida com subsídio do Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10. This choreographic research was developed with funds of Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10.


05>21

NOV

PatrocĂ­nio

trocĂ­nio Master

www.panoramafestival.com

23


05 NOV SEX

Mostra Universitária Programa 01

06 NOV

07 NOV

SAB

DOM

SEG

09 NOV TER

10 NOV

11 NOV

QUA

QUI

12 NOV

13 NOV

SEX

SAB

CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

18h

17h CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

Mostra Universitária Programa 02 Trisha Brown Dance Company Repertory 40

08 NOV

17h

18h

Teatro João Caetano

20h

19h Teatro João Caetano 19h*

Cia. Mario Nascimento Escapada Teatro Carlos Gomes 20h30

Lia Rodrigues Companhia de Danças Pororoca

Teatro Carlos Gomes 20h

Lia Rodrigues Companhia de Danças Encarnado Lia Rodrigues Companhia de Danças Formas

Teatro Carlos Gomes 20h30

breves

Espaço Cultur Sérgio

Lia Rodrigues Companhia de Danças

Aquilo de que somos feitos

22h Espaço SESC mezanino

Fabián Gandini Pieza para pequeño efecto

21h

19h* Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Marcelo Evelin+Demolition Inc. Ai ai ai

22h

21h

Teatro Car

Marcelo Evelin+Demolition Inc. Matadouro

20h30 CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

Antonio Tagliarini+Idoia Zabaleta Royal dance

19h

19h*

Teatro João Caetano

Raimund Hoghe Boléro variations

20h Teatro Carlos Gomes

L ’ A / Rachid Ouramdane Des témoins ordinaires

20h30

20h30* CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

Federica Folco Periférico: proyecto tango

19h SESC Nova Iguaçu

Focus Cia. de Dança Ímpar

19h*

Emio Greco+PC Conjunto di NERO Emio Greco – Instalação Double skin/Double mind Panaíbra Gabriel

Time and spaces : "the marrabenta solo” Marta Soares Vestígios Andrea jabor / Arquitetura do movimento

Arquitetura do samba

Trisha Brown Dance Company Early works

Parque Lage 15h

Raimund Hoghe L'après midi

Parque Lage 16h30

Yann Marussich Bleu remix

Parque Lage 17h30

Thembi Rosa Verdades inventadas Alice Ripoll+Juliana Medella Cornaca Michel Groisman + Gabriela duvivier Órgão cine lage - Alan buffard My lunch with Anna Teatro João Caetano

Panoraminha - Balangandança Cia.

O tal do quintal

15h

Panoraminha - Denise Stutz+Felipe Ribeiro

Espaço SESC mezanino

Espalha pra geral

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Panorama futuro – Pires, Pizamiglio e MouraMateus Cavalos

19h

Panorama futuro – Leo França Brecha Teatro Cacilda Becker

colaboratorio Mostra de processos

15h30 > 17h30 e 19h30 > 21h30 Espaço SESC mezanino

LUCY GUERIN Resultado da residência Dani Lima + Paola Barreto

Coreografia para prédios, pedestres e pombos

19h 17h

Oi Futuro

Oi Futuro

11h30/13h30

17h

11h30/13h30 Metrô Carioca 13h

DI cia. de dança

Metrô Ipanema

Pseudópodos procedimento II - urbano

18h

Centro Coreográfico da Cidade do RJ

Membros Cia. de Dança Raio X

17h*

17h

Ján Mancuška While I walked across the room /

Espaço Cultural Municipal Sérg

Nude descending a staircase (vídeo)

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Ján Mancuška The Other (I asked my wife to

blacken all the parts of my body which I cannot see)

20h

Gustavo Ciríaco Eles vão ver Teatro Carlos Gomes 18h

Raimund Hoghe Body, space, music ANDREA JABOR E FEDERICA FOLCO Conversa Pública SEMINÁRIO ECONOMIA DA DANÇA

Instituto Cervantes do Rio de

SEMINÁRIO CRUZAMENTOS CONTEMPORÂNEOS ENTRE ARTE E POLÍTICAS (com.posições.políticas)

14h às 18h

05 NOV

24

Veja os endereços completos na página 26 – Espaços

06 NOV

07 NOV

See complete adresses on page 26 - Venues.

08 NOV

09 NOV

10 NOV

11 NOV

12 NOV

13 NOV


14 NOV

15 NOV

DOM

SEG

16 NOV TER

17 NOV

18 NOV

QUA

QUI

19 NOV SEX

20 NOV SAB

21 NOV DOM

INGRESSOS Os ingressos para o Festival Panorama de Dança 2010 podem ser adquiridos nas bilheterias de cada teatro, na bilheteria central do festival ou pela internet.

Bilheteria central CAIXA Cultural Avenida Almirante Barroso, 25 sobreloja – Centro De 02 a 17 de novembro, de terça-feira a domingo, das 14h às 18h

ral Municipal o Porto

Formas de pagamento: dinheiro e cartões de débito Visa e MasterCard.

21h*

rlos Gomes

18h

Estarão à venda os ingressos para os seguintes teatros:

Centro de Artes da Maré

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto*

18h*

Espaço SESC mezanino Teatro Angel Vianna (Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro) Teatro Carlos Gomes* Teatro João Caetano CAIXA Cultural - Teatro Nelson Rodrigues *Com exceção dos espetáculos do dia 14 de novembro (“Domingo a R$ 1”)

Teatro João Caetano

20h Oi Futuro 11h > 20h

Descontos

Teatro Carlos Gomes 20h30 Espaço SESC mezanino 19h Teatro Carlos Gomes

- Têm direito a 50% de desconto na compra do ingresso: • Estudantes e idosos mediante comprovação

20h30

• Classe artística mediante apresentação das carteiras do SATED, SBAT e SINDICATO DOS BAILARINOS** Parque Lage 15h30 Parque Lage 16h30 Parque Lage 10h > 15h30 Parque Lage

20h

16h

• Clientes CAIXA mediante apresentação do cartão de correntista da CAIXA**

SESC São João de Meriti

SESC São Gonçalo

16h*

16h*

• Clientes Petrobras mediante apresentação do cartão Petrobras** - Têm direito a 30% de desconto na compra do ingresso:

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

21h

• Funcionários BNDES, Caixa Econômica Federal, Oi e Petrobras mediante apresentação dos seus respectivos crachás**

- Clientes do Metrô Rio mediante apresentação do cartão de recarga do Metrô**

19h

**Estes descontos são válidos APENAS nas bilheterias dos teatros e na bilheteria central do festival.

Venda pela internet* Teatro João Caetano: www.ingresso.com.br Demais teatros: www.ticketronic.com.br

gio Porto 14h às 22h

*Com exceção dos espetáculos do dia 14 de novembro (“Domingo a R$ 1”)

Espaço Cultural Municipal Sergio Porto

22h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

21h Espaço SESC mezanino 19h Auditório do BNDES

14h às 18h

CALLCENTER Ticketronic: (21) 3344-5500

10h30 às 13h 14h às 18h

(Rio de Janeiro) atendimento de segunda a sexta das 8h às 20h e sábado das 8h às 18h. (15 % de taxa administrativa). Consulte outros pontos de vendas no site Ticketronic.

Lona Cultural Municipal Herbert Vianna (Lona da Maré)

e Janeiro

11h30 às 14h30

14 NOV

15 NOV

16 NOV

*Conversas dos artistas com o público.

17 NOV

Nas compras realizadas pela internet só é válido o desconto para estudantes e idosos e a comprovação deve ser apresentada na portaria do teatro.

18 NOV

19 NOV

20 NOV

21 NOV

25


ESPAÇOS > CENTRO

> ZONA SUL

BNDES - Auditório Reginaldo Treiger www.bndes.gov.br Av. Chile, 100 - subsolo 1 | tel 2172.7447

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto* | ecmsergioporto.blogspot.com Rua Humaitá, 163 | Humaitá (entrada pela Rua Visconde Silva, s/nº) | tel 2535.3846

116 Lugares | entrada franca Presidente Luciano Coutinho Vice-Presidente Armando Mariante Carvalho Diretores Eduardo Rath Fingerl, Elvio Lima Gaspar, João Carlos Ferraz, Luiz Fernando Linck Dorneles, Maurício Borges Lemos, Wagner Bittencourt de Oliveira ..........................................

CAIXA Cultural – Teatro Nelson Rodrigues | www.caixacultural.com.br Av. Chile, 230 | tel 2262.5483 388 lugares (2 para cadeirantes) | R$ 16 - R$ 8 Horário da bilheteria: terça a sexta-feira, das 13h às 20h (pagamento apenas em dinheiro) Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Presidenta da Caixa Econômica Federal Maria Fernanda Ramos Coelho Ministro da Fazenda Guido Mantega

Horário da bilheteria: quarta-feira a domingo, das 17h às 21h (pagamento apenas em dinheiro) Direção artística do Projeto Entre Joelson Gusson, Daniela Amorim Direção de Produção Angela Blazo Secretária Teatral Mônica Melo Operador de Luz Carlinhos Magé, Bruno Henrique Operador de Som Marcos Aurélio “Bactéria”, Luciano Ramos Cenotécnicos Emanuel Mendes Nunes “Mineiro”, Jeová Alves Carneiro Contrarregra Agnaldo Rodrigues Paz Bilheteiro Daniel Santos ..........................................

Espaço SESC - Mezanino www.sescrio.org.br Rua Domingos Ferreira, 160 | Copacabana | tel 2547.0156

..........................................

100 lugares (dependendo do espetáculo, de 40 a 150) R$ 16 | R$ 8 | R$ 4 (comerciários)

Teatro Municipal Carlos Gomes | Pça Tiradentes, 19 | tel 2224.3602

Horário da bilheteria: de terça-feira a domingo, das 15h às 19h (pagamento apenas em dinheiro)

685 lugares | R$ 16 - R$ 8

Presidente Sesc Rio Orlando Diniz Diretor Regional Sesc Rio Arthur Négri Gerente em exercício Espaço Sesc Cely Bianchi

Horário da bilheteria: terça-feira a domingo, das 14h às 18h (pagamento apenas em dinheiro) Direção Artística Residente Sandro Chaim, Rose Dalney Diretor de Produção Ana Ignácio dos Santos Freire Secretaria Teatral Alex Pereira, Claudia Garcia Assistente de Produção Ana Paula Batista Diretor de Palco Jayro Botelho Cenotécnico Beto de Almeida Maquinistas Jorge Afrânio, Renato Mandarim Camareiras Adalgisa Louzada de Araújo, Cecília Vianna Harrigan Operador de Som Ailson Conceição, Jorge Madeira Técnicos em Iluminação Ricardo Kaká, Paulo Santos Eletricistas Agostinho Altivo Lúcio Júnior, Cosmo Soares de Melo, Josenias da Silva Oliveira, Nelson Gonçalves da Cruz Bilheteria Fabiana Flores Grangeiro, Gladson Delphino Recepcionistas Ricardo do Nascimento Sabino, João Batista Lisboa Peçanha, Juliana Morena de Barros Ramirez, Kátia de Oliveira Flores, Renata Alves de Figueiredo, Rosilene Conceição da Hora Auxiliares de Serviços Gerais Antonio Alvez da Silva, Dalila Harrigam de Oliveira, Décio Batista, Eliane Ferreira de Melo Silva, Marcelo Soares Silva, Rosimere Loretti, Silvia Helen Moreira de Freitas, Vera Lúcia A. de Holanda dos Santos Portaria André Luiz Simões, Carlos Roberto da Silva, Juarez Antônio Domingos, Júlio Gonçalves dos Santos, Quariguazil Costa dos Santos, Samir Jorge Ramos dos Santos ..........................................

Teatro João Caetano | www.funarj.rj.gov.br Praça Tiradentes, s/n° tel 2332.9166 (bilheteria) 1.143 lugares | (16 para cadeirantes) | R$ 16 - R$ 8 Horário da bilheteria: terça-feira a domingo, das 14h às 18h (pagamento apenas em dinheiro) Direção Daniel S.A. Dias da Silva Administração Antônio Claret Hannas Hipólito Apoio Administração Wanderleia P. de Queiroz, Júlio Cesar C. Carvalho, Gilda Helena C. Vasquez Atendimento Valter Cavalcanti Pova, Vicente Ferreira Martins Filho, Sílvio de Oliveiro Santos, Rogério de Freitas, Natanael Ramos Dias, Carlos Roberto Rosa Portaria Jorge Luiz de Oliveira Santos, José dos Santos, Fernando Felício Soares Bilheteria Eliete de Paiva, Rosa da Motta Leite, Ruy Carreiro, Aurelina Abreu Cruz Manutenção Antônio José da Silva, Valdelino José Knupp, Tânia Maria do Carmo Maquinaria Reginaldo Bispo de Queiroz, Josias Borges, Hamilton Alves da Cruz, Amaro Gurgel dos Santos Iluminação José Gomes Alves, Celso Rodrigues Dias  Som Luiz Roberto do A. Santos, Satírio Carvalho

..........................................

Instituto Cervantes do Rio de Janeiro www.riodejaneiro.cervantes.es Rua Visconde de Ouro Preto, 62 | Botafogo tel 3554.5910 84 lugares | entrada franca Diretor Antonio Martínez Luciano Administrador José Pérez Peiró Oficial Administrativo Romulo Barbieri González Auxiliar Administrativo Ruth Carlos de Oliveira, Leonardo Rodrigues dos Santos, Maria Fernanda Miguez Bastos Bibliotecário Carlos Alberto Della Paschoa Chefe de Estudos Rosa María SánchezCascado Nogales Gestora Cultural Noemí Oliva García-Baquero ..........................................

Oi Futuro | www.oifuturo.org.br Rua Dois de Dezembro, 63 | Flamengo | tel 3131.3082 entrada franca Presidência José Augusto da Gama Figueira Vice-Presidência George Moraes Direção de Cultura Maria Arlete Gonçalves Direção de Educação Samara Werner Direção Marketing e Conteúdo Wellington Silva Direção Administrativo-Financeira Flavio Copello Direção Institucional José Zunga Curadoria de Artes Visuais Alberto Saraiva Curadoria de Artes Cênicas Roberto Guimarães Produção de Artes Visuais RJ Claudia Leite Produção Artes Cênicas RJ Lucia Nascimento Patrocínios Culturais Incentivados Shirley Fioretti, Victor D’Almeida Equipe Cultura Bruna Cruz, Cacá Teixeira, Claudio Tizo, Maria de Fátima Guerra (BH), Maria de Fátima Santana, Shirley Fioretti, Victor D’Almeida, Sergio Pereira (BH), Rachel Palhares (BH), Pedro Gomes (BH) Comunicação Corporativa Graciela Mendes, Laura Fontoura

186 lugares | entrada franca (distribuição de senhas 1h antes) Administrador Ricardo Malheiros Auxiliar Administrativo Alcides Barbosa Bilheteira Ana Maria Sardinha

> ZONA NORTE Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro – Teatro Municipal Angel Vianna | www.centrocoreografico.blogspot.com Rua José Higino, 115 | Tijuca tel 2268.7139 | 3238.0357 | 3238.0601 145 lugares | R$ 10 - R$ 5 Horário da bilheteria: quinta-feira a domingo, das 14h às 21h (pagamento apenas em dinheiro) Direção Carmen Luz Coordenador de Produção Diogo Oliveira Coordenador Técnico e Administrativo Gil Santos Núcleos de Produção, Dança e Educação Fany Castro, Yuri Chamusca, Helena Lima Cenotécnico  Cristiano Teodoro Operador de Luz Ivan Souza Operador de Áudio Igor Guapyassu, Leandro Machado Contrarregra Wellington Camillo Camareira Jaqueline Magalhães Bilheteria Edson Vidal, Alessandro Rocha Manutenção Tiago Vianna, Rodrigo Vilela, Marco Aurélio Corrêa Recepção Ana Maria Santos Equipe de Apoio Lucilene dos Santos, Wanda Inácio, Maria do Socorro, Maria do Carmo, Andreia da Conceição, Luiz Adriano, Everaldo Gomes, Clara Maria, Rozália Conceição, Renata Cabral, Marluce da Silva, Itamar dos Santos, Jorge Luís, Lúcio Portela ..........................................

Centro de Artes da Maré redesdamare.org.br Rua Bittencourt Sampaio, 181 | Nova Holanda (próximo à Av. Brasil) | tel 3105.5531 sujeito a lotação do espaço | entrada franca ..........................................

Lona Cultural Municipal Herbert Vianna Rua Ivanildo Alves s/nº | Maré | tel 3105.3579 | 3105.7139  600 Lugares | entrada franca Diretoria Eblin Farage, Edson Diniz, Eliana Sousa, Fernanda Gomes Coordenação Alberto Aleixo Coordenação Curso Conectando Alessandra Guedes Coordenação Geral Programa Criança Petrobras Ana Muniz Coordenação Programa Jovem Aprendiz Andréia Martins Coordenação Curso de Línguas Antonio Augusto Pereira Coordenação Setor Administrativo e Financeiro Claudia Santos Coordenação Equipe Social Débora Rodrigues Coordenação Curso Preparatório Fabio Barglini Coordenação Curso Preparatório Neide Lugão Coordenação Geral Programa Criança Petrobras Patrícia Vianna Coordenação Mobilização Comunitária Shyrlei Rosendo Coordenação de Cultura Silvia Soter Coordenação Comunicação Tatiana Verônica Bezerra Galvão Coordenação Curso Fotografia Tatiana Altberg Secretaria Thais Custódio, Luana Justino Coordenação Curso Pré-Vestibular Tiago Cavalcante Coordenação Curso Conectando (Informática) Alessandra Guedes

..........................................

Escola de Artes Visuais do Parque Lage www.eavparquelage.rj.gov.br Rua Jardim Botânico, 414 | tel 3257.1800 entrada franca Governador Sérgio Cabral Vice-Governador Luiz Fernando Pezão Secretária de Estado Adriana Rattes Subsecretária de Relações Institucionais Olga Campista Superintendente de Artes Eva Doris Rosental Escola de Artes Visuais do Parque Lage: Diretora Claudia Saldanha Coordenador Administrativo Herbert Hasselmann Coordenadora de Ensino Tania Queiroz Coordenadora de Projetos Izabela Pucu Associação de Amigos da Escola de Artes Visuais – AMEAV: Presidente Paulo Albert Weyland Vieira

> BAIXADA FLUMINENSE SESC Nova Iguaçu | www.sescrj.org.br Rua Dom Adriano Hipólito, 10 | Moquetá | tel 2797.3390 384 lugares | entrada franca Presidente Sesc Rio Orlando Diniz Diretor Regional Sesc Rio Arthur Négri Gerente da Unidade Marilene Rocha ..........................................

SESC São João de Meriti | www.sescrj.org.br Av. Automóvel Club, 66 | Centro tel 2755.7070 2755.6544

Co-patrocínio

348 lugares | entrada franca Presidente Sesc Rio Orlando Diniz Diretor Regional Sesc Rio Arthur Négri Gerente da Unidade Isabel Pereira

26

Realização

Parceria

Apoio Institucional

> SÃO GONÇALO

Promoção

*No dia 14 de novembro os ingressos para esses teatros custarão R$ 1. Não haverá venda antecipada.

98 lugares (+ 50 cadeiras) = 148 lugares (depende da montagem do espetáculo) | R$ 16 - R$ 8

Teatro Cacilda Becker | Rua do Catete, 338 | Largo do Machado tel 2265.9933

SESC São Gonçalo | www.sescrj.org.br Av. Presidente Kennedy, 755 | Estrela do Norte tel 2712.3282 350 lugares | entrada franca Presidente Sesc Rio Orlando Diniz Diretor Regional Sesc Rio Arthur Négri Gerente da Unidade Vânia Regina Motta


andrea jabor arquitetura do movimento _Pré-estreia

Foto: Ton Bernardes

Arquitetura do samba 20 NOV Arquitetura do samba 20h30 Teatro Municipal Carlos Gomes

40min Samba na praça 22h Largo Albino Pinheiro

40 min Classificação etária Show’s rate

Conversa pública Public conversation 16 NOV 19h Espaço SESC

Brasil - RJ

O samba carioca é, desde 2007, objeto de estudo da coreógrafa Andrea Jabor. O espetáculo Arquitetura do samba é a terceira parte da trilogia e apresenta a dança do casal de mestre-sala e porta-bandeira – figuras emblemáticas das escolas de samba – como sua matriz de movimento. No palco, o encontro de corpos moldados em diferentes tipos de dança: bailarinos de formação contemporânea, porta-bandeiras e mestres-salas profissionais. Entre eles, Mestre Manoel Dionísio, figura famosa no mundo do samba, mestre-sala desde 1955 e fundador da principal escola de mestresala e porta-bandeira do Rio de Janeiro. O resultado é um espetáculo emocionante, onde coabitam elementos da dança contemporânea e do universo do samba. Após a apresentação, o samba continua a poucos metros dali, numa edição especial do projeto Samba na Praça, da Prefeitura do Rio. Uma roda de partido alto marca o lançamento do DVD As matrizes do samba carioca, com toda a pesquisa feita pela companhia Arquitetura do Movimento. No DVD, o samba de terreiro, de partido alto e enredo. A noite será embalada pelo grupo DNA do Samba, que promete reunir figuras ilustres do samba carioca a cantar e sapatear o partido alto. No dia 16 de novembro, no Espaço SESC, Andrea Jabor e Federica Folco conversam sobre matrizes populares e dança contemporânea com mediação de Dani Lima. A companhia Arquitetura do Movimento foi criada e é dirigida pela coreógrafa Andrea Jabor. Desde sua fundação conta com a colaboração artística do artista visual Ricky Seabra e do coreógrafo Luiz Mendonça. Em 2009, a companhia recebeu dois prêmios de manutenção em comemoração aos seus 10 anos de atividades, o que possibilitou a realização do projeto de Manutenção, Memória e Intercâmbio da companhia, do qual faz parte a pesquisa sobre o samba.

Concepção, direção, coreografia e trilha sonora Conception, direction, choreography and soundtrack Andrea Jabor Colaboração artística Artistic collaboration Ricky Seabra Colaboração coreográfica Choreographic collaboration Letícia Ramos e Luiz Mendonça Assistente Assistant Edney D’Conti Intérpretes criadores Performers Agatha Oliveira, Claudia Ramalho, Luana Bezerra, Munique Mattos, Jacqueline Barbosa, Edney D’Conti, Mestre Manoel Dionísio, mestre-sala Hugo César, mestresala José Roberto e porta-bandeira Luiza Mendes Stand-in Shirlene Paixão e porta bandeira Débora Santos Iluminação Lighting Ton Bernardes Figurino Costumes Rui Cortez e Cia Arquitetura do Movimento Professor de mestre-sala e portabandeira Mestre-sala and porta-bandeira teacher Mestre Manoel Dionísio Fotografia Photography Elisa Hugueney Assessoria de imprensa Press relations Monica Rianni Produção Production Luana Cabral Parceria Partnership Escola de MestreSala, Porta-Bandeira e Porta Estandarte, Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro e Prefeitura do Rio Realização Production Arquitetura do Movimento e Belas Estratégias Produções

Samba has been the study object of Andrea Jabor since 2007. Arquitetura do samba is the third part of the trilogy and presents the dance done by mestre-sala and portabandeira – classic roles in samba schools – as a matrix of movements. On stage, bodies forged by different kinds of dance come together: dancers trained in contemporary dance, professional porta-bandeiras and mestre-salas. Among them, Mestre Manoel Dionísio, a famous character in the world of samba, a mestre-sala since 1995 and founder of the most important school for mestre-salas and porta-bandeiras in Rio de Janeiro. The result is a touching show, in which elements of contemporary dance co-exist with elements of samba. After the presentation, samba goes on a few meters away, in a special edition of the Samba na Praça project. A samba show will celebrate the launching of the DVD Matrizes do samba carioca, with the complete research about samba conducted by Arquitetura do Movimento. Group DNA do Samba will play, bringing together prominent characters of samba to sing and dance Partido Alto, the samba tap dance. November 16th at Espaço SESC, Andrea Jabor and Federica Folco talk about tradicional and contemporary dance, mediated by Dani Lima. Arquitetura do Movimento was created and is directed by choreographer Andrea Jabor. Since its creation, the company has been counting on the artistic collaboration and partnership of visual artist Ricky Seabra and choreographer Luiz Mendonça. In 2009, the company received two awards to maintain its activities in celebration of its 10 years, which allowed the production of Manutenção, Memória e Intercâmbio project, in which Andrea is researching the samba. www.arquiteturadomovimento.com

27


panorama futuro panorama future A programação de espetáculos do Panorama retoma a tradição do festival em olhar para as novas gerações e traz uma novidade: o Panorama Futuro, um espaço destinado a jovens artistas da coreografia e performance brasileira. Este ano, um trabalho vindo da cada vez mais forte dança do Ceará e outro do caldeirão de influências que forma a atual cena baiana.

This year, Panorama’s show program has a new feature: Panorama Futuro, a space dedicated to young Brazilian choreography and performance artists. This year, a work from the increasingly strong dance in the state of Ceará and another from the melting pot of influences that set the current scene in the state of Bahia.

Cavalos 10 e 11 NOV 19h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

45min Classificação etária Show’s rate

O que pode ser produzido no encontro? Cavalos trata da possibilidade de enfrentamentos. A partir de movimentos incomuns e originais, Andréia e Daniel se encaram e se provocam sem parar, mas, ao mesmo tempo que parecem se repelir, se atraem. Como quando se enroscam num colar de pérolas: quanto mais tentam se desvencilhar dele, mais se veem unidos. Andréia Pires é graduada em artes cênicas pelo CEFET/CE e formada no Curso Técnico em Dança – I.A.C.C., Senac e Secult. Coordena o projeto No Passo do Trilho, realizado com crianças da Favela do Trilho, em Fortaleza. Daniel Pizamiglio é aluno de licenciatura em teatro do IFCE/CE. É formado no Curso Técnico em Dança – I.A.C.C., Senac e Secult. Leonardo Mouramateus é aluno de artes visuais no IFCE/ CE e de cinema e audiovisual na UFC. É pesquisador de dramaturgia em dança e performance. What can be produced in an encounter? Cavalos deals with the possibilities of confrontation. Based on unusual and original movements, Andréia and Daniel face and provoke each other all the time. While they seem to repulse each other, they are also attracted. Like when they wrap themselves with a pearl necklace: the more they try to disentangle, the more they find themselves connected. Andréia Pires graduated in performing arts at CEFET/CE and completed the Curso Técnico em Dança – I.A.C.C., Senac and Secult. She currently coordinates the project No Passo do Trilho, aimed at children from Favela do Trilho, in Fortaleza. Daniel Pizamiglio is a theatre graduate student at IFCE/CE. He completed the Curso Técnico em Dança – I.A.C.C., Senac and Secult. Leonardo Mouramateus is a visual arts student at IFCE/CE and a Film and Audiovisual student at UFC. He is a researcher of dance and performance dramaturgy.

pires. pizamiglio. mouramateus Brasil - CE

Foto: Alex Hermes

28

Criação e dramaturgia Creation and dramaturgy Andréia Pires, Daniel Pizamiglio e Leonardo Mouramateus Performance Andréia Pires e Daniel Pizamiglio Orientação Orientation Gustavo Ciríaco e Paulo Caldas Luz Light Walter Façanha Fotos Photo Alex Hermes e Marina Cavalcante Música Music Saiba, Arnaldo Antunes Operação de som e luz Sound and light operator Leonardo Mouramateus


Brecha 16 NOV 21h 17 NOV 19h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

45min Classificação etária Show’s rate

Brecha problematiza o design dos objetos que funcionam como dispositivos de segurança, proteção e isolamento. As ações transitam entre encenação/ demonstração, reconfigurando a funcionalidade de objetos como tijolos e ferros no ambiente. A violência é tratada como força vital e criativa do corpo. Trata-se da continuação de uma pesquisa em dança design performativo iniciada em 2009, durante a residência de Leo França no c-e-m, centro em movimento, em Lisboa. Performer, dançarino, ator e membro do coletivo Construções Compartilhadas. Atualmente, seu interesse se concentra nas relações entre dança, intervenção urbana e design. Brecha deals with the design of objects that work as safety devices in our homes. The actions of the performer range from staging to demonstration, reconfiguring the function of objects like bricks and irons. Violence is handled as a vital and creative force of the body. This work is the continuation of a research in dance e performing design that started in 2009, during the residency of artist Leo França at c-e-m, centro em movimento, in Lisbon.

Concepção/direção Conception/direction Leo França Performer Leo França Performer sonoro Sound performer Mateus Dantas Desenho de luz Light design Márcio Nonato Criação de objetos plásticosonoros Creation of plastic-sound objects Mateus Dantas e Leo França Fotos Photos Paulo Lima

Premiado pelo edital de residência artística no exterior da SECULT – BA (2009). This piece has been awarded by the program of artistic residency abroad of SECULT – BA (2009).

Leo França is a performer, dancer, actor and a member of Construções Compartilhadas. He is currently interested in the relationships between dance, urban intervention and design. coletivoconstrucoescompartilhadas.blogspot.com

leo franca Brasil - BA

leo franca Brasil - BA

Foto: Paulo Lima

29


projetos associados associated projects _ Coreografia para prédios, pedestres e pombos 05, 11 e 12 NOV 17h 06 e 13 NOV 11h30 e 13h30 Oi Futuro Flamengo

60min Classificação etária Show’s rate

Dando prosseguimento à pesquisa de linguagem que investiga as possíveis conexões entre arte, realidade e ficção, Dani Lima e Paola Barreto assinam a criação da instalação coreográfica Coreografia para prédios, pedestres e pombos. Onze bailarinos/atores serão filmados em performances em quatro pontos do Largo do Machado e essas imagens serão exibidas, editadas e sonorizadas, numa apresentação ao vivo no Oi Futuro. Os performers seguem regras de movimentação, mas interagem livremente com os pedestres, a arquitetura e as situações imprevisíveis no momento da ação. As artistas utilizam câmeras de vigilância para captar as imagens, deixando à mostra a espetacularização do cotidiano nos dias atuais. Dani Lima tem uma formação artística extensa que abarca técnicas de balé, dança moderna, contemporânea, contato-improvisação, artes circenses, teatro e performance. Foi uma das fundadoras da Intrépida Trupe, que integrou durante 13 anos. Em 1997 criou a sua companhia, onde investiga questões de identidade, memória e percepção e trabalha no desenvolvimento de uma “poética do corpo cotidiano”. Paola Barreto é cineasta e videoartista, tendo atuado como diretora de programas de televisão e no mercado cinematográfico. Desde 2008 desenvolve projeções e vídeos para espetáculos de dança, performance e teatro, aprofundando a pesquisa sobre as possibilidades de hibridismo entre o corpo e a imagem, o palco e a tela. Continuing the language research that investigates possible connections between art, reality and fiction, Dani Lima and Paola Barreto created the choreographic installation Coreografia para prédios, pedestres e pombos. Eleven dancers/actors will be filmed in performances in four places of Largo do Machado and the images will be screened, edited and added with sound, in a live presentation at Oi Futuro. The performers follow rules of movement, but they interact freely with pedestrians, the architecture and unpredictable situations. The artists use surveillance cameras to capture images, exposing the spectacularization of daily life we experience nowadays. Dani Lima has an extensive artistic background that includes ballet, modern and contemporary dance, contact-improvisation, circus, theater and performance techniques. She was one of the founders of Intrépida Trupe and a member for 13 years. In 1997, she created her own company, in which she investigates issues of identity, memory, perception and works in the development of a “poetics of the everyday body”. Paola Barreto is a filmmaker and a videoartist. She has worked as a director of television programs and films. Since 2008, she has been developing projections and videos for dance shows. The beginning of the relationship with Dani Lima was the show Pequeno inventário de lugares comuns, for which she created the videos.

Concepção e direção coreografia Conception and choreography direction Dani Lima Concepção e direção videoinstalação Conception and videoinstalation direction Paola Barreto Em cena Performers Alice Ripoll, Ana Pi, Átila Calache, Eléonore Guisnet, Gimena de Mello, Ibson Salba, Juliana Medella, Luar Maria, Luciana Costa, Thiago Gomes e Tony Hewerton Assistente de coreografia Choreography assistant Laura Samy Editor de vídeo Video editing Alexandre Antunes Engenheiro de som Sound engineer David Cole Câmera Camera Thiago Britto e Guilherme Guerreiro Pesquisadora Researcher Poliana Paiva Diretor técnico Technical director Carlos Alexandre Moraes Rede de vídeo Video network Facilink Assessoria de internet Internet assistant Luciana Paiva Direção de produção Production direction Verônica Prates Produção executiva Executive production Isa Avellar

Dani Lima também faz durante o panorama uma residência nômade de pesquisa em parceria com Christophe Wavelet, como parte de sua nova criação. Os vídeos resultantes ficarão disponíveis no site do festival. Dani Lima also does a research residence, with Christophe Wavelet , as part of her new creation. The resulting videos will be available at the festival’s website.

coreogthere.blogspot.com

dani lima paola barreto Brasil - RJ

Foto: frame de um dos vídeos

30


Eles vão ver 19 a 21 NOV 21h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

60min Classificação etária Show’s rate

Ava Gardner, por ocasião de uma filmagem nas selvas de Bornéu, comentou com um técnico: “Aqui é tão claro e ali tão escuro que parece que sou meio cega, meio águia. Vejo dois mundos que quase se tocam, como óleo escuro na água. (...) Somos seres estranhos. Sombras animadas. Levamos conosco o escuro do dia, a possibilidade da noite, do sonho”. Nesse movimento, o que acontece e é percebido depende da força que um detalhe pode provocar. Demarcar deslocamentos, cruzamentos, agrupamentos, isolamentos para deixar arrebentar a costura dos sentidos. Eles vão ver se situa em fronteiras, entre o que permanece e o que passa: a presença. Entre a ficção apresentada e o real construído: a cena. Entre a escuridão que apaga e a claridade que revela: um teatro. Gustavo Ciríaco é artista da dança e ex-cientista político. Mantém colaboração regular com outros artistas e projetos em contextos nacionais e internacionais, indo do trabalho em dança no palco a formatos de performance e site specific. Questões como presença, compartilhamento sensível, percepção e discurso são especialmente constantes em sua pesquisa. Ava Gardner, in a film set in the jungles of Borneo, commented with a technician: ‘here the light is so bright and over there it’s so dark that I feel half blind, half an eagle. I see two worlds that barely touch each other, like dark oil in the water (...) We are strange beings. Animated shadows. We carry along with us the darkness of the day, the possibility of the night, of the dream’. In this movement, what happens and what is perceived depends on the force of present that a detail can provoke. Setting dislocations, crossings, groupings, isolations to burst the seam of the senses. Eles vão ver is set in borders, between what remains and what passes: the presence. Between presented fiction and constructed reality: the scene. Between an erasing darkness and a revealing clarity: a theater. Gustavo Ciríaco is dance based artist and former political scientist, regularly in collaboration with other artists in national and international projects and contexts, ranging from dance stage work to performance and site specific formats. Questions as presence/presentness, sensible sharing, perception and discourse, are especially constant in my work. gustavociriaco.blogspot.com

Concepção e direção Conception and direction Gustavo Ciríaco Codireção Codirection Lucía Russo Criação Creation Dyonne Boy, Francini Barros, Gustavo Ciríaco, Ignacio Aldunate, Lucía Russo, Milena Codeço, Francini Barros Assistência e colaboração artística Assitance and artistic collaboration António Pedro Lopes Música Music Rodrigo Marçal Desenho de luz Light design Andrea Capella Cenografia Set design Mayra Alves (inicial) e Luiza Paes (final) Produção e administração Production and management Marta Vieira Estagiário Intern Lucas Bueno Fotografia Photography João Milet Meirelles Parceria e apoio Partnership and support Casa da Glória, Fomenta Produções, Escola Angel Vianna, Centro de Artes da Maré, UniverCidade, Uni-Rio, UFRJ Agradecimentos especiais Special acknowledgement Francini Barros e António Pedro Lopes, João Braune e Casa da Glória, Maria Alice Poppe e Tato Taborda, Lenise e Daniel, Joelson Gusson, Isabel Martins Novo, Lia Rodrigues, Alysson Amaral e Gabi, Leonardo Nunes, Ângela Ferreira e Vítor Lemos, Juliana Polo e Andrea Chiesorin e aos alunos e professores da UniRio, da Escola Angel Vianna, do Centro de Artes da Maré, da Escola de Dança da UFRJ e da UniverCidade.

Essa pesquisa coreográfica foi desenvolvida com subsídio do Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10. Este projeto foi contemplado com Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2009 This choreographic research was developed with funds from Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10. This project was awarded by Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2009

gustavo ciriaco Brasil - RJ

Foto: João Milet Meirelles

31


projetos associados associated projects _ While I walked across the room Nude descending a staircase The Other While... 05 a 21 NOV 14h às 22h Classificação etária Show’s rate

Nude... 05 a 21 NOV 14h às 22h Classificação etária Show’s rate

The Order 11 NOV 20h 16 NOV 22h Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

60min Classificação etária Show’s rate

O público do Panorama 2010 verá três obras do artista eslovaco dentro do Projeto Entre. While I walked across the room propõe um labirinto de significados e narrações a partir das relações entre o corpo do espectador e o espaço. Em Nude descending a staircase, o artista alude à obra homônima de Marcel Duchamp em que o movimento é indicado por múltiplas imagens sobrepostas. Para esse vídeo, Mancuška filmou uma sequência de dois minutos de uma mulher nua descendo uma escada e editou esse material digitalmente, seguindo um princípio matemático randômico. Na performance The Other (I asked my wife to blacken all the parts of my body which I cannot see), uma mulher aplica tinta em partes do corpo de um homem as quais ele não pode ver. The Other... gira em torno de um fracasso encenado da completa representação de um ser humano. Ján Mancuška nasceu em 1972 em Bratislava, Eslováquia, e hoje vive e trabalha em Praga. Suas obras são conceituais e têm uma presença quase duplicada materialmente, alcançando seu objetivo formal ao integrar fisicamente o espectador. Seus trabalhos mais recentes apresentam um caráter “individual”, à medida que pressupõem interação com o público. Mancuška já expôs em Berlim, Nova York, Praga, Viena, Ljubljana. The audience of Panorama will have the chance to experience three of the Slovak artist’s pieces, as an associated project proposed by Projeto Entre. While I walked across the room consists of a labyrinth of significations and narratives between the expectator’s body and the space. Nude descending a staircase alludes to Marcel Duchamp’s homonymous piece in which movement is indicated by several juxtaposed images. Mancuška filmed a two-minute sequence of a naked woman descending a staircase and edited this footage digitally according to a random mathematical principle. In the performance The Other (I asked my wife to blacken all the parts of my body which I cannot see) (2007) a woman applies paint to all the parts of a man’s body he cannot see. The Other revolves around the staged failure of the complete representation of a human being. Ján Mancuška was born in 1972 in Bratislava, Slovakia. He currently lives and works in Prague. His work is conceptual and has an almost materially doubled presence, only reaching their formal aim by physically integrating their viewer. His latest works have an ‘individual quality’, as they foresee the audience’s interaction. Mancuška has exhibited his work in Berlin, New York, Prague, Vienna, Ljubljana, and now lands in Rio de Janeiro. janmancuska.com

jan mancuska Eslováquia - Slovakia

Foto: divulgação

32


Raio X 06 NOV* 07 NOV 17h Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro

50min Classificação etária Show’s rate

*Conversa com o artista após o espetáculo *Conversation with the artist after the show

Raio X é o encontro de um olhar poético com outro, de tintas realistas sobre a violência. A coreografia é dividida em dois atos ininterruptos. O primeiro exibe uma visão caótica da violência, contrastando o leve e o pesado, a música clássica com textos políticos e bases de movimento do hip-hop. No segundo o público é confrontado com uma perspectiva profunda do sistema carcerário brasileiro, tendo como base histórica o massacre do Carandiru (SP), em 1992.

Direção artística Artistic direction Paulo Azevedo Coreografia Choreography Taís Vieira Intérpretes Performers Jean Gomes, João Carlos, Rafael Souza, Luis Henrique, Jonas Leonardo Iluminação Lighting Felippe Xyu Sonorização Sound Filipe Itagiba Produção Production Dilma Negreiros

A Membros Cia. de Dança foi fundada em 1999 por Paulo Azevedo e Taís Vieira, em Macaé, interior do Estado do Rio de Janeiro. A companhia é um dos eixos que compõem o Centro Integrado de Estudos do Movimento Hip-Hop (CIEM.h2), de onde também saiu a DI cia. de dança, que se apresenta este ano no metrô. Raio X is the encounter between a poetic vision and a more realistic one about violence. The choreography is divided in two uninterrupted acts. The first has a chaotic view of violence, contrasting light with heavy aspects, classic music with political text and hiphop movements. In the second, the audience is confronted with a deep perspective of the Brazilian prison system, based on the Carandiru massacre, in 1992. Membros Cia. de Dança was founded in 1999 by Paulo Azevedo and Taís Vieira, in Macaé, in the interior of the state of Rio de Janeiro. The company is part of Centro Integrado de Estudos do Movimento Hip-Hop (CIEM.h2), where D.I. Cia. de Dança, which will also perform in Panorama 2010, was also created. www.membros.info

membros cia. de danca Foto: Dominik Fricker

Brasil - Rj, Macaé

Pseudópodos, procedimento II - urbano 12 NOV Estação Metrô Carioca 13h Estação Metrô Ipanema 18h

17min Classificação etária Show’s rate

O Panorama 2010 apresenta uma versão adaptada para espaços urbanos desta pesquisa, que ocupará duas estações do metrô. O objetivo é aproximar o público do processo da companhia, que propõe um novo contato entre corpos únicos. Pseudópodos, procedimento II- urbano estreou no Festival Dies de Dansa, em Barcelona. A DI cia. de dança é um dos grupos profissionais do CIEM.h2 (Centro Integrado de Estudos do Movimento Hip-Hop), que também abriga a Membros Cia. de Dança. A experiência do grupo está pautada na dança inclusiva, mesclando em seus trabalhos pessoas com e sem deficiências. Ao perceber a dimensão limitadora que o conceito de dança inclusiva carrega, o fundador e coreógrafo Paulo Azevedo e a coordenadora Dilma Negreiros resolveram chamar a companhia de DI, sigla de definição infinita, dança imperfeita ou distinta identidade. A DI iniciou suas atividades em 1999.

Diretor artístico e coreógrafo Artistic director and choreographer Paulo Azevedo Produtora e coordenadora Producer and coordinator Dilma Negreiros Intérpretecriador e assistente de direção Creatorperformer and direction assistant Renato Mota Ensaiadora Rehearser Ariana Mota Intérpretes Performers Aline Negreiros, Everton Viana, Maurício de Muros, Gleydson Dias e Felippe (Xyu) Machado

Panorama 2010 presents a version of the piece adapted to urban spaces, which will occupy two metro stations. The work aims to bring the audience closer to the research process developed by the company, proposing a new contact between unique bodies. DI cia. de dança is one of the professional groups of CIEM.h2 (Centro Integrado de Estudos do Movimento Hip Hop), which also houses Membros Cia. de Dança. The group’s experience is based on the concept of inclusive dance, mixing people with and without disabilities. When the founder and choreographer Paulo Azevedo and the coordinator Dilma Negreiros realized how limited the concept of inclusive dance was, they decided to name the company DI, an acronym in Portuguese for infinite definition, imperfect dance or distinct identity. The activities of DI started in 1999.

di cia. de danca Foto: Fábio Pazinni

Brasil - Rj, Macaé 33


O tal do quintal – brincadeiras, medos e sonhos 12 NOV 15h Teatro João Caetano

60min Classificação etária Show’s rate

Mesmo quem já não é criança se encanta com o universo cheio de cor e brincadeiras criado pela Balangandança Cia. no espetáculo O tal do quintal. Embalados por uma seleção musical que valoriza os ritmos brasileiros – de autoria de Paulo Tatit e Sandra Perez –, os bailarinos exploram em cena, de forma lúdica, situações bem conhecidas da garotada, como as brincadeiras no quintal, os sonhos, os medos e até a vontade de voar! Espetáculo recomendado para todas as idades, O tal do quintal promove uma grande festa com a participação das crianças. Esse trabalho estreou em 2006 e foi contemplado com o Prêmio Estímulo de Dança – 2005, da Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado de São Paulo, e pelo Prêmio Funarte Petrobras de Fomento à Dança do Ministério da Cultura – Governo Federal. A Balangandança Cia. foi criada em 1997 por Georgia Lengos com o objetivo de, unindo arte e educação, trabalhar a linguagem corporal de crianças levando até elas espetáculos de dança que exploram o seu lado lúdico e criativo, como Brincos & folias, Pé de moleque e Entranças. Além das coreografias, a Balangandanças Cia ministra oficinas de dança para crianças e de capacitação para professores. Even those who are no longer children will be enchanted by the world full of color and fun created by Balangandança Cia. With a music selection that favors Brazilian rhythms – composed by Paulo Tatit and Sandra Perez – the dancers explore situations that children know very well, like playing in the backyard, dreams, fears and even the desire to fly! A show recommended for people of all ages, O tal do quintal promotes a big party with the participation of the children. The show premiered in 2006. It was awarded with Prêmio Estímulo de Dança – 2005, from the State Culture Office – Government of São Paulo and with Prêmio Funarte Petrobras de Fomento à Dança, from the Culture Ministry – Federal Government. Balangandança Cia. was created in 1997 by Georgia Lengos with the goal of exercising children’s body language, combining art and education and bringing to the child audience dance shows that explore the playful and creative side of little spectators. Brincos & folias, Pé de moleque and Entranças are some of the company’s works. Besides the choreographies, Balangandanças Cia. also gives dance workshops for children and training for teachers.

Concepção e direção Conception and direction Georgia Lengos Coreografia Choreography Balangandança Cia. Intérpretes criadores Performers Anderson do Lago Leite, Alexandre Medeiros, Coré Valente, Dafne Michellepis e Maristela Estrela Assessoria em psicologia infantil Child psychology consultant Patrícia Getlinger Figurinos Costumes Dafne Michellepis Assessoria em adereços Prop advisor Mila Reily Edição de trilha sonora Soundtrack editing Kito Siqueira Iluminação Lighting Joyce Drumond (Estação da Luz) Ilustração Illustrations Fê Projeto gráfico Graphic design Celso Linck Fotografia Photography Gil Grossi Músicas especialmente compostas Songs specially composed for the show Um minutinho, de Paulo Tatit e Zé Tatit; Fantasia: Sandra Peres/Alice Ruiz/Estrela Leminski Produção Production Anderson do Lago Leite

balangandanca.wordpress.com

balangandanca cia. Brasil - SP

Foto: Gil Grossi

34


Espalha pra geral 12 a 14 NOV 16h Espaço SESC mezanino 18 NOV* 16h SESC São João de Meriti 20 NOV* 16h SESC São Gonçalo

40min Classificação etária Show’s rate

*Conversa com os artistas após o espetáculo *Conversation with the artists after the show

Depois de uma temporada experimental dentro do projeto Entrando na Dança – quando foram muito bem-recebidos –, Denise Stutz e Felipe Ribeiro estreiam a versão final de Espalha pra geral no Panorama 2010. O espetáculo trabalha com o imaginário infantil contemporâneo, propondo o jogo de cena entre dança e artes visuais que surge a partir de uma pesquisa de movimento, forma e invenção de narrativas feita com crianças pelo Rio de Janeiro. Dos jogos de morte do videogame aos cruzamentos de pipas, das danças de rua à brincadeira de casinha, da TV ao celular, o espetáculo propõe um universo no qual o público se insere junto com os artistas.

Roteiro, texto e criação Script, text and creation Denise Stutz e Felipe Ribeiro

Denise Stutz iniciou seus estudos de dança em Belo Horizonte. Em 1975, junto com outros dez bailarinos, fundou o Grupo Corpo. Trabalhou com Lia Rodrigues como bailarina, professora e assistente de direção. Há dez anos cria e interpreta suas próprias obras, com grande circulação nacional e internacional. A parceria com o artista visual carioca Felipe Ribeiro, autor de diversas peças de vídeo e cinema, também rendeu o espetáculo Justo uma imagem. After an experimental season within the Entrando na Dança project - in which they were very well received -, Denise Stutz and Felipe Ribeiro premiere the final version of Espalha pra geral at Panorama 2010. The show is part of the Panoraminha program and deals with the imagination of contemporary children, proposing a game between dance and visual arts that emerges from the research of movement, form and invention of narratives of children around Rio de Janeiro. From videogame death games to kites crossing, from street dances to house playing, from TV to cell phones, the show proposes a universe in which the audience participates with the artists. Denise Stutz started her dance studies in Belo Horizonte. In 1975, along with ten other dancers, she founded Grupo Corpo. She has worked with Lia Rodrigues as a dancer, teacher and assistant director. For the last ten years, she has been creating and performing her own pieces, which widely circulate both nationally and internationally. The partnership with video and film maker Felipe Ribeiro has also resulted in the adult show Just a image. denisestutz.wordpress.com

denise stutz felipe ribeiro

Brasil - RJ

Foto: Erika Lôbo

35


focus cia. de danca

Foto: Marian Starosta

Brasil - RJ Ímpar 13 NOV 19h SESC Nova Iguaçu

50min Classificação etária Show’s rate

Conversa com os artistas após o espetáculo Conversation with the artists after the show

36

A palavra ímpar refere-se a tudo que é único, singular. Em seu mais recente espetáculo, a Focus Cia. de Dança monta uma estrutura fragmentada para mostrar o estado de constante transformação das coisas. Sete bailarinos passam por texturas de movimentos distintas e dão vida a nove cenas, embaralhadas e fora de sua ordem cronológica, para contar uma história. Assim instaura-se um quebracabeça de movimento em que o público exercita a memória e a percepção. Com dez anos de estrada, a Focus Cia. de Dança vem conquistando espaço entre os principais grupos cariocas. Dirigida e coreografada por Alex Neoral, a Focus tem o apoio do SESC Rio, onde realiza diariamente seus ensaios e, por dois anos consecutivos, fez parte do Projeto de Residência Artística (2008 e 2009), também do SESC Rio. Ao longo da carreira, já se apresentou em mais de 30 cidades brasileiras e também no exterior: em julho de 2010, realizou uma turnê por dez cidades da França com Ímpar, e em setembro apresentou 3 pontos na Biennale de Danse de Lyon. The word ‘ímpar’ means odd in Portuguese and refers to what is unique, singular. The latest work of Focus Cia. de Dança creates a fragmented structure to show the state of constant transformation of things. In order to tell a story, seven dancers go through different movement textures and give life to nine scenes that are shuffled, out of their chronological order. A puzzle of movements is thus established and makes the audience exercise memory and perception. With a ten-year career, Focus Cia. de Dança has been establishing its place among the main companies of Rio de Janeiro. Directed and choreographed by Alex Neoral, Focus has the support of SESC Rio, where it rehearses daily. For two consecutive years, it was also part of SESC’s Artistic Residency Program. Throughout its career, the company has performed in more than 30 cities in Brazil and also abroad: in July 2010, the company toured with Ímpar through 10 cities in France and performed 3 pontos at Biennale de Danse de Lyon in September.

Direção e coreografia Direction and choreography Alex Neoral Direção de produção Production direction Tatiana Garcias Bailarinos Dancers Alex Neoral, Andrey Alves, Carol Pires, Clarice Silva, Marcio Jahu, Marisa Travassos e Mônica Burity Iluminação Lighting Binho Schaefer Figurinos Costumes Alex Neoral e Mônica Burity Confecção de figurinos Costume making Jacira Garcias Seleção musical Music selection Alex Neoral Cenotécnico Stage technician Custódio Vieira Fotos Photos Marian Starosta Visagismo Visagism Andre Vital Fisioterapia Physiotherapy Equipe de fisioterapeutas da CEART Carla Danielle Chagas, Julia Ramos, Paloma Renault, Maria Fernanda Soledade e Caroline Martins Agradecimentos Acknowledgment SESC Rio e Centro de Artes Nós da Dança.


mostra universitária university showcase _ Pelo quinto ano consecutivo, o Festival Panorama abre espaço para trabalhos desenvolvidos por alunos de cursos de graduação em dança. Essa iniciativa – uma das mais longevas do festival - tem como objetivo incentivar a pesquisa e fomentar o surgimento de novos criadores. Nesses cinco anos já passaram pela Mostra Universitária mais de 50 trabalhos de várias faculdades brasileiras. Este ano, a Mostra reúne trabalhos das três faculdades cariocas – UniverCidade, Faculdade Angel Vianna e UFRJ - em dois programas diferentes, dando mais espaço para os estudantes.

For the fifth consecutive year, Festival Panorama opens space for works developed by dance graduation students. This initiative – one of the longest-lived in the festival – aims to encourage research and foster the emergence of new creators. Over 50 works from many Brazilian Universities have been part of the University Showcase in the last 5 years. This year, the showcase brings together works from three schools from Rio de Janeiro – UniverCidade, Faculdade Angel Vianna e UFRJ – in two different programs, giving more space to the students.

Programa 1 UFRJ 05 NOV 18h 06 NOV 17h

Amor em Dois Atos (5 min) Uma relação a dois que apresenta uma visão cômica de situações cotidianas. A relationship between two people showing a comical view on everyday situations.

CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

o seu mais comum ser. Inspirado em Kandinsky. Subvert oneself; turn oneself inside out. Lost among loose fragments in space; intelligent body that asks, stops and recreates its most common self. Inspired by Kandinsky.

45 min

Direção Direction Cristiano de Oliveira e Lila Santos Criação coreográfica Choreography creation Cristiano de Oliveira e Lila Santos Intérpretes Performers Cristiano de Oliveira e Lila Santos Trilha sonora (música/ compositor) Soundtrack (song/composer) Fica Comigo esta Noite/ Nelson Gonçalves e Adelino Moreira. A volta do boêmio/ Nelson Gonçalves Orientação Guidance Andrea Maciel

Fragmento no 5 (4 min) Subverter-se; virar-se do avesso. Perdido em fragmentos soltos no espaço; corpo inteligente que pede, impede, recria Direção Direction Rodrigo Rivera Criação coreográfica Choreography creation Rodrigo Rivera Interpretação Performance Rodrigo Rivera Trilha sonora (música/compositor) Soundtrack (song/composer) Frank Bretschineider Orientação Guidance Maria Alice Poppe

Omelete Carioca (5 min) Mergulho no universo do funk do Rio de Janeiro, focalizando e apropriando-se dos modos de execução tradicionais desta face da cultura carioca. A dive into the world of funk music in Rio de Janeiro, focusing and appropriating traditional execution forms of this aspect of culture in Rio.

Direção Direction Shirlene Paixão Criação coreográfica Choreography creation Shirlene Paixão e elenco Intérpretes Performers Luisa Sabino, Mariana Yoshida, Malcolm Matheus, Rodrigo Rivera Trilha sonora (música/ compositor) Soundtrack (song/composer) Mixagem – Vinheta da Furacão 2000 Orientação Guidance Marina Martins e Andrea Maciel

Faculdade Angel Vianna Gira a Gira (3 min) Criador Creator Yasmin Mello Professor orientador Guiding professor Ana Vitória Freire Música ao vivo Live music atabaque Sair da Moldura (4 min) Criador/Intérprete Creator/Performer Ingrid Medeiros Professor orientador Guiding professor Ana Vitória Freire Música Music

Primavera de Vivaldi

Autoensaio (3 min) Criador /intérprete Creator/Performer Túlio Rosa Professor orientador Guiding professor Maria Alice Poppe Trilha sonora Soundtrack som autoral de Heder Magalhães e Túlio Rosa

Sem Chão (5 min) Criador/ intérprete Creator/Performer Tânia Tiemi Ikeoka e Marina Magalhães Professor orientador Guiding professor Márcia Rubin e

Frederico Paredes Músicas Music Karlheinz Stockhausen (Takt 212-237 e Takt 238-261)

UniverCidade ODE (5 min) Ode ao amor e à amizade. Concepção e direção Conception and direction Ana Figueiredo Assistente Assistant Fátima Fontenelle Intérpretes criadores Performers creators Ana Figueiredo, Isadora Couto, Luana Bezerra, Mariana Neder e Rafaela Costa Música Music Pot Pourri Nº 3, O Velho e A Flor, Veja Você, Mais um Adeus. Vinícius de Morais – Toquinho – Bacalov

Programa 2 UFRJ 07 NOV 17h 08 NOV 18h

Caminhos (4 min) “(...) De uma ponta a outra/ Entre o nada e o além tudo/ ainda assim em silêncio/ Que demore mil anos/ Um dia se chega no destino que se mira” – Thiago de Los Reyes. “(...) From one end to the other / Between nothing and everything beyond / still in silence / It may take a thousand years / One day the targeted destination will be reached” – Thiago de Los Reyes.

CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues

Couro em Fio (4 min) Elemento forte e ancestral, o cabelo compõe um diálogo entre dança e a cultura, questionando as tramas alisadas e a tessitura de um espaço de presença e legitimidade. Fragmento do projeto Identidade cabelo (2008), que se propõe a intermediar a linguagem da dança contemporânea e a cultura afro-brasileira. A strong and ancestral element, hair composes a dialogue between dance and culture, questioning the straightened weaves and the texture of a space of presence and legitimacy. A fragment of the project Identidade cabelo (2008), which proposes to intermediate contemporary dance language and Afro-Brazilian culture.

45 min

Direção Direction Luiza Sabino Criação coreográfica Choreography creation Luisa Sabino Interpretação Performance Luiza Sabino Trilha sonora (música/ compositor) Soundtrack (song/ composer) Dream/John Cage Orientação Guidance Andrea Maciel

Direção Direction Shirlene Paixão Criação coreográfica Choreography creation Shirlene Paixão e Malcolm Matheus Interpretação Performance Malcolm Matheus Trilha sonora (música/ compositor) Soundtrack (song/ composer) Vento chamado vento/ Naná Vasconcelos Orientação Guidance Ignês Calfa e Andrea Maciel

Pólos (5 min) Da diversidade das características pessoais dos intérpretes, surge a pesquisa que evidencia a dualidade e os conflitos advindos da

Classificação etária Show’s rate

diferença (o outro e o outro que sou eu), mas que aponta também para aquilo que os torna inteiros: um mosaico-movimento de dois seres em uma cena. The research that explicits the duality and conflicts arising from difference (the other and the other that is me) emerges from the diversity of the performer’s personal characteristics, but also pointing out that which makes us whole: a mosaic-movement of two beings on stage.

Direção Direction Mery Horta e Yasmin Coelho Criação coreográfica Choreography creation Mery Horta e Yasmin Coelho Interpretação Performance Mery Horta e Yasmin Coelho Trilha sonora (música/ compositor) Soundtrack (song/ composer) The Mirros/ Gabrielle Roth Orientação Guidance Maria Alice Poppe

De um Dum (3 min) Da ludicidade dos jogos e brincadeiras vividos na infância vêm as possibilidade de “brincar” com o espaço na interação com o outro. The possibilities of “playing” with space in interaction with the other comes from the playfulness of the games experienced in childhood. Direção Direction Mariana YoshidaCriação coreográfica Choreography creation Mariana Yoshida e Malcolm Matheus Interpretação Performance Mariana Yoshida

e Malcolm Matheus Trilha sonora (música/ compositor) Soundtrack (song/ composer) When broken consider it/ Boy Robot Orientação Guidance Andrea Maciel

Faculdade Angel Vianna A dois (5 min) Criador /intérprete Creator/Performer Alessandra Lemos e Fábio Sanfer Professor orientador Guiding professor Maria Alice Poppe Metade of me (6 min) Criador/intérprete Creator/Performer Rosana Seager Professor orientador Guiding professor Ana Vitória Freira Músicas Music

Good bye Lenin (Yann Tiersen) e The winner is (Devotchka)

Tem mais presença em mim o que me falta (5 min) Criador/intérprete Creator/Performer Luar Maria Professor orientador Guiding professor Ana Vitória Freire Músicas Music In the mood of love Les Femmes (3 min) Criador/intérprete Creator/Performer Carolina Bahiense e Michelle França Professor orientador Guiding professor Letícia Teixeira Músicas Music Ausência. (Goram Bregovich)

37


O Panorama 2010 marca o fim da segunda etapa do projeto coLABoratorio 2009/2010. Realizado pela Associação Cultural Panorama (RJ) em parceria com o Núcleo do Dirceu (PI), é um programa de residências artísticas em dança contemporânea que tem enfoque na criação colaborativa e no intercâmbio cultural entre artistas nacionais e internacionais. No último biênio, o projeto teve a participação de 46 artistas bolsistas – da América Latina, incluindo o Brasil, e da África – ao longo de 11 residências com artistas convidados de diferentes continentes. A edição do coLABoratorio 2010 promoveu cinco residências, de seis semanas cada, em Teresina e no Rio de Janeiro, com duração total de sete meses. Os artistas bolsistas foram selecionados através de convocatória pública, totalizando oito vagas para cada cidade, com participantes de diferentes estados. Para garantir o intercâmbio internacional e fortalecer a cena da dança nos países luso-ibéricos, foi aberta uma convocatória específica para Bolívia, Paraguai e Guiné Equatorial, graças ao apoio do Centro Cultural de Espanha de São Paulo. O coLABoratorio teve sua primeira edição no biênio 2006/2007 e sua segunda edição em 2009. Ambas as edições foram realizadas com financiamento da União Europeia e nenhum financiamento brasileiro, apesar de ter se candidatado em diversos editais nacionais. O coLABoratorio, junto com outros projetos da Associação Cultural Panorama, garante a continuidade de investimentos em residências e intercâmbio artístico desde 2004. Para atuar como provocadores na edição 2010 foram convidados os seguintes artistas e pensadores de arte contemporânea: Christine Greiner (São Paulo); Jorge Alencar (Bahia); Marcelo Evelin (Piauí); Ricky Seabra (Brasil / EUA); Julia Barsdley (Inglaterra); Miguel Pereira (Portugal); Christophe Wavelet (França). O coLABoratorio também apoiou a residência de colaboração e criação artística de piece... together? – coordenada pelos artistas Cristian Duarte (Brasil) e Paz Rojo (Espanha). Encontrão Rio A etapa 2010 do coLABoratorio começou em Teresina com um grande encontro, que reuniu todos os participantes do projeto. A residência final será dividida em duas etapas: a primeira é uma imersão criativa em Miguel Pereira, no Centro Popular de Conspiração Gargarullo; a segunda consiste na ocupação artística do Teatro Cacilda Becker, durante três dias do Festival Panorama. O Encontrão Rio de Janeiro acontecerá de 24 de outubro a 14 de novembro, com a participação de todos os artistas bolsistas, do Rio de Janeiro e de Teresina, e a presença de Christophe Wavelet como orientador convidado.

Panorama 2010 marks the end of the second stage of coLABoratorio 2009/2010. Produced by Associação Cultural Panorama (RJ) in partnership with Núcleo do Dirceu (PI), coLABoratorio is a program of contemporary dance residencies focused on collaborative creation and cultural exchange among national and international artists. In the last two years, 46 bursary artists – from Brazil, Latin America and Africa – participated in the project, throughout 11 residencies with artists from different countries. The 2010 edition of coLABoratorio had five residencies, with six weeks each in Rio de Janeiro and Teresina in a total of seven months. The bursary artists from different states were selected through a call-for-entries for eight vacancies in each city. In order to ensure international exchange, this year there was a call-for-entries specifically for Bolivia, Paraguay and Equatorial Guinea, thanks to Centro Cultural de Espanha in São Paulo. The first edition of coLABoratorio took place in 2006/2007. The second edition happened in 2009 and ended during Panorama. Both editions were produced with funds from the European Union and had no Brazilian funds at all, in spite of having applied to several grant programs. Along with other projects of Associação Cultural Panorama, coLABoratorio ensures the continuous investments in artistic residencies since 2004. For the 2010 edition, artists and researchers of contemporary art were invited as provocateurs: Christine Greiner (São Paulo); Jorge Alencar (Bahia); Marcelo Evelin (Piauí); Ricky Seabra (Brazil/USA); Julia Barsdley (England); Miguel Pereira (Portugal) and Christophe Wavelet (France). coLABoratorio also supported the collaboration and artistic creation residency a piece... together?, coordinated by artists Cristian Duarte (Brazil) and Paz Rojo (Spain). Encontrão Rio The 2010 edition of coLABoratorio started with a big meeting in Teresina that gathered all the participants of the project. IThe final residency will be divided in two phases: the first is a creative immersion in Miguel Pereira, at Centro Popular de Conspiração Gargarullo; the second consists in the artistic occupation of Cacilda Becker theater, during three days of Festival Panorama. Encontrão Rio takes place from October 24 to November 14 and will count on the participation of all the bursary artists, from Rio and Teresina, and the presence of Christophe Wavelet. To learn more about project coLABoratorio visit the collaborative blog www.colaboratorio.panoramafestival.com

Para saber mais sobre o projeto coLABoratorio visite o blog colaborativo www.colaboratorio.panoramafestival.com Bolsistas 2010 Bursary artists 2010 Agnaldo Martins (AM) / Ana Cecilia Moreno (Bolívia) / Cleyde Silva (PI) / Clodomir Junior (PI) / Damares D’Arc (AM) / Darwin Mora (Chile) / Datan Izaká (PI) / Jacob Alves (PI) / Jazmin Derbas (Paraguai) / Joubert Arrais (CE) / Juliana França (SP) / Leonardo Nabuco (SP) / Patricia Bárbara (RJ) / Valdemar dos Santos (PI) / Vandré Vitorino (RJ) / Victor D’Olive (RJ) Direção artística Artistic direction Eduardo Bonito e Marcelo Evelin Coordenação de produção Production coordination Paula Gorini Produção Teresina Production in Teresina Regina Veloso

www.colaboratorio.panoramafestival.com Subvenção

Co-organizadores

Apoios

38

Parcerias


Foto: Núcleo do Dirceu

Ocupação Teatro Cacilda Becker 09 a 11 NOV 15h às 17h30 19h30 às 21h30 Teatro Cacilda Becker Classificação etária Show’s rate

Apud (Joubert Arrais / Fortaleza – CE) Banho (Patricia Bárbara/ Rio de Janeiro – RJ) É obrigatória a obediência do nº 8 (Vandré Vitorino / Rio de Janeiro – RJ) El burro nuestro de cada día (Ana Cecilia Moreno Morales / Cochabamba – Bolívia) Espiral (Clodomir Júnior/ Teresina –PI) Estudo sobre o corpo nº 0224 (Valdemar dos Santos / Teresina – PI) “Flavor”, em um corpo não codificado (Cleyde Silva / Teresina – PI) Homem coisa coisa cubo (Datán Izaká / Teresina – PI, Jacob Alves / Teresina – PI, e Jazmín Derbas / Assunção – Paraguai) LAButa - um memorial colaborativo (videoperformances) (Joubert Arrais / Fortaleza – CE) Mude seu corpo em 5 minutos. Por que eu quero ser Linda? (Damares D’Arc / Manaus – AM) Rapsódia para morangos e poemas fálicos (Agnaldo Martins / Manaus – AM) Repitologia (Victor D’Olive/ Rio de Janeiro – RJ) Sem título (nome provisório) (Juliana França / Santos – SP, e Leo Nabuco/ São Paulo – SP) Tentativas de um relacionamento vulgar (Darwin Elso / Conceição – Chile)

39


com.posições.políticas _ 12 a 14 NOV 14h às 18h Instituto Cervantes do Rio de Janeiro 15NOV 11h30 às 14h30 Lona Cultural Municipal Herbert Vianna / Lona da Maré

De 12 a 15 de novembro vamos falar de política. O projeto com.posições.políticas abre espaço para a troca de informações e experiências sobre as diversas interseções contemporâneas entre arte e política através de um passeio por questões como: o que significa hoje realizar arte política; o desafio de politizar o corpo que dança; o impacto do movimento queer nas práticas cênicas contemporâneas; e as diversas articulações entre arte e ativismo. Com.posições.políticas 2010 se completa com a programação artística especial que o festival reservou para as datas do seminário e que inclui discussões com os artistas sobre determinados espetáculos, além da oficina What am I not allowed to do?, do artista e ativista esloveno Janez Jansa. A Associação Cultural Panorama celebra os 20 anos do Festival Panorama em 2011 lançando o programa com.posições.políticas, que, além do seminário, conta com residências artísticas (no segundo semestre de 2011) e um Encontro Ibero-Americano (em novembro de 2011). Com.posições.políticas conta com o apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional ao Desenvolvimento. Em 2010 CPP tem a colaboração do REDES – Redes de Desenvolvimento da Maré e do Instituto Cervantes do Rio de Janeiro e do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro e Cultures France. Mais informações sobre o projeto com.posições.políticas no blog http://www.cpp.panoramafestival.com

From November 12 to 15 we will talk about politics. Com.posições.políticas opens space for the exchange of information and experience about the different contemporary intersections between art and politics by the means of a panoramic voyage through the following issues: what does it mean to make political art nowadays; the challenge of politicizing the dancing body; the impact of the “Queer” concept on contemporary practices and the different articulations between art and activism. Com. posições.políticas 2010 is completed with the special artistic programme Festival Panorama de Dança prepared for the period of the seminar, including debates with the artists of the performances and workshops What am I not allowed to do?, of Slovenian artists and activist Janez Jansa. Associação Cultural Panorama will celebrate the 20 years of Festival Panorama de Dança in 2011 by launching the com. posições.políticas programme, which also includes artistic residencies and will hold an Ibero-American meeting on the second semester of 2011. Com.posições.políticas has the support of Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo. In 2010 CPP has the collaboration of REDES - Redes de Desenvolvimento da Maré and Instituto Cervantes do Rio de Janeiro and Consulado Geral da França in Rio de Janeiro e Cultures France. More information at com.posições.políticas blog: http://www.cpp.panoramafestival.com

Seminário Cruzamentos Contemporâneos entre Arte e Política O seminário é um ponto de partida para explorar as principais questões que atravessam o binômio arte e política hoje e para conhecer seus protagonistas no Brasil, na Ibero-América e no mundo. Todas as questões apontadas serão desenvolvidas com maior profundidade nas atividades previstas para 2011.

The seminar is a starting point to explore the main issues involved in the relationship between art and politics and to get to know their protagonists in Brazil, Ibero-America and the world. All the issues raised and others that will certainly arise will be further developed in the activities planned for 2011.

www.cpp.panoramafestival.com

12 NOV Instituto Cervantes do Rio de Janeiro

O que significa fazer arte política hoje?

What does it mean to make political art today?

Como a arte se articulou com os movimentos sociais e as instituições nos últimos anos e qual o espaco institucional da arte mais política? Estamos no começo de uma nova etapa? O que significa fazer arte política hoje? E amanhã, para onde vamos?

How art has been articulated with social movements and institutions in the last years and what is the institutional space of political art? Are we in the beginning of a new phase? What does it mean to make political art today? And what about tomorrow, where are we headed?

14h Eduardo Bonito (Brasil, RJ) | Apresentação com. posições.políticas

Eduardo Bonito (Brasil, RJ) | Presentation of com.posições. políticas

14h10 Daniela Labra (Brasil, RJ) | Onde estão os subversivos? 15h Marcelo Expósito (Barcelona /Buenos Aires) | El arte, entre la experimentación institucional y las políticas de movimiento. Imagens comentadas Moderador: Marcos Moraes (Brasil, SP) Programação artística com.posições.políticas Teatro Carlos Gomes

20h30 Des témoins ordinaires | L’A / Rachid Ouramdame (França) | Conversa com o público depois da apresentação.

Marcelo Expósito (Barcelona/Buenos Aires) | Art, between institutional experimentation and politics of movement. Commented images Daniela Labra (Brasil, RJ) | Where are the subversives? Com.posições.políticas artistic programme Des témoins ordinaires | L’A / Rachid Ouramdame (França) |Debate with the audience after the performance.

13 NOV Instituto Cervantes do Rio de Janeiro

40

Mesa 1. Corpos e subjetividades dissidentes

Table 1. Dissident bodies and subjectivity

Uma visita pelas obras de artistas que desafiaram os códigos específicos do que um corpo pode ou não ser e fazer de acordo com seu gênero e opção sexual, e de artistas que trabalham com a representação crítica e criativa da sexualidade, sugerindo uma outra ideia de corpo e outros prazeres.

A visit through the work of artists who challenge the specific codes of what a body can and cannot do according to its gender and sexual orientation and artists who work with critical and creative representations of sexuality, suggesting another notion of the body and other pleasures.

14h Jennifer Doyle (EUA) | Corpos e subjetividades dissidentes. Imagens comentadas

Jennifer Doyle (EUA) | Dissident bodies and subjectivities. Commented images


14h50 Jorge Alencar (Brasil, BA) | Queer eye from a strange Guy. Imagens comentadas

Jorge Alencar (Brasil, BA) | Queer eye from a strange guy. Commented images

Moderador: Ricardo Marinelli (Brasil, PR) | Instituto Cervantes do Rio de Janeiro Mesa 2. O desafio é politizar o corpo que dança

Table 2. “The challenge of politicizing the dancing body”

O crítico de dança Roberto Pereira nos dizia que o corpo político que dança tem o desafio de propor uma questão para o mundo, desafio de construir no corpo uma ideia, uma questão, e de marcar um território para que o público tivesse espaço para entendê-la. Que estratégias o coreógrafo utiliza para refletir no corpo as questões que o preocupam?

Roberto Pereira used to say the political dancing body has the challenge of proposing an issue to the world, the challenge of constructing an idea in the body and marking a territory so that the audience has room to understand that idea. Which strategies does the choreographer use to reflect in his body the issues that concern him?

16h30 Christophe Wavelet (França) | O mal-entendido: que dança para que política?

Christophe Wavelet (França) | The Misunderstanding: which dance to which politics?

17h20 Paulo Azevedo (Brasil, Macaé/RJ) | Nova gramática política

Paulo Azevedo (Brasil, Macaé/RJ) | New political grammar

Programação artística com.posições.políticas

Com.posiçoes.políticas artistic programme

10 às 12h30 Exibição do vídeo No reconciliados (Nadie sabe lo que un cuerpo puede), de Marcelo Expósito.

Screening of the video No reconciliados (Nadie sabe lo que un cuerpo puede), by Marcelo Expósito.

Foto: Isabel Ferreira

14 NOV Instituto Cervantes do Rio de Janeiro

Interseções entre arte e ativismo

Intersections between art and activism

Desenharemos um mapa aberto sobre as práticas artísticas que reativam a consciência de cidadania, estabelecem imaginários possíveis e inventam dispositivos críticos que servem para criar uma comunidade, para adquirir subjetividades distintas oferecidas pela publicidade.

We will draw an open map of the artistic practices that reactivate citizenship awareness, establish possible imageries and invent critical devices that serve to create a community, to acquire distinct subjectivities offered by advertisement.

14h Carolina Boluda (Espanha) | Mapa abierto: escena y activismos. Imagens comentadas

Carolina Boluda (Espanha) | Open map: scene and activism. Commented images

14h50 Ricky Seabra (Brasil, RJ) | Autorretrato de um artista ativista. Imagens comentadas

Ricky Seabra (Brasil, RJ) | Self-portrait of an activist artist. Commented images

16h Janez Jansa (Eslovênia) | NAME Readymade. Imagens comentadas

Janez Jansa (Eslovênia) | NAME Readymade. Commented images

17h Franz Manata (Brasil, RJ) | Abotoados pela manga. Imagens comentadas

Franz Manata (Brasil, RJ) | Abotoados pela manga. Commented images

Moderador: Cristina Ribas (Brasil, RJ) Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Programação artística com.posições.políticas

Com.posiçoes.políticas artistic programme

21h Aquilo de que somos feitos | Lia Rodrigues Companhia de Danças (Brasil, RJ) | Conversa com o público depois da apresentação.

Aquilo de que somos feitos | Lia Rodrigues Companhia de Danças (Brasil, RJ) | Debate with the audience after the performance.

41


com.posições.políticas _ 15 NOV Lona Cultural Municipal Herbert Vianna (Maré)

Centro de Artes da Maré

A conquista do espaço público / Urgências políticas

Conquering public space / Urgent policies

O espaço comum como um espaço móvel, resistente à homogeneização e sua clausura. Trataremos também dos processos conflituosos de territorialização do espaço público brasileiro e das diversas práticas artísticas que atuam para identificá-lo, torná-lo visível e, de certo modo, recuperá-lo.

The common space as a moving one, resistant to homogenization and its confinements. We will talk about conflicting processes of territorialization of the Brazilian public space and the different artistic practices that act to identify it, make it visible and recovering it somehow.

11h30 Marcos Faustini | Cultura e território

Marcos Faustini | Culture and Territory

12h André Mesquita | O corpo em ação! Interstícios e rupturas criativas. Imagens comentadas

André Mesquita | The body in action! Intersection and creative ruptures. Commented images

12h40 Eliana Souza | Quais são nossas urgências políticas?

Eliana Souza Which are our political urgencies

13h10 Trabalho em grupos: reflexões, sugestões, propostas, acordos, desacordos…

Group work: reflection, suggestions, proposals, agreements, disagreements...

15h Almoço a preço popular na Lona Cultural

Lunch at affordable prices at the Lona Cultural

Programação artística de com.posições.políticas

Com.posições.políticas artistic programme

18h Matadouro | Marcelo Evelin + Demolition Inc. (Brasil/ Holanda) | Conversa com o público depois da apresentação.

Matadouro | Marcelo Evelin + Demolition Inc. (Brazil/Netherlands) | Debate with the audience after the presentation

Obs: nos dias 12, 13 e 14 haverá serviço de transporte da Maré para o Centro do Rio saindo às 13h da porta do Centro de Artes da Maré e voltando às 23h30. No dia 15, haverá serviço de transporte do Centro do Rio para a Maré saindo do Hotel Rio’s Presidente às 10h30 e voltando às 19h30.

Notice: There will be a transportation service from Maré to Instituto Cervantes em Botafogo on November 12, 13 and 14, leaving at 13h from Centro de Artes da Maré and returning at 23h from the Festival Center. On November 15, the car will leave from Rio’s center at 10h30 and return at 19h30, the meeting point is Hotel Rio’s Presidente, near Teatro Carlos Gomes.

seminário economia da dança seminar economy of dance 16 NOV 14h às 18h Apresentações, alertas e debates 17 NOV 10h30 às 13h Grupos de trabalho 14h às 18h Conclusões, alertas e debates Auditório do BNDES

O Seminário de Economia da Dança do Festival Panorama chega à 3ª edição. Nas duas últimas organizamos palestras, debates e grupos de trabalho que discutiram diversos aspectos da economia da cultura e da dança e ajudaram a criar um panorama da situação hoje. Estes encontros impulsionaram a realização de outros seminários e eventos similares em diversas cidades do Brasil e de outros países da América do Sul. Profissionais organizadores dessas cidades poderão aproveitar o encontro deste ano, no Rio, para trocar experiências e novidades. Este ano temos dois grandes eixos que serão discutidos em grupos de trabalho e plenárias. Cada discussão será ativada por um grupo de participantes, que se reunirá, na manhã do dia 16, para organizar o debate e as apresentações de conteúdos à tarde. No dia 17, os participantes inscritos poderão integrar os grupos de trabalho pela manhã para aprofundar as discussões e, à tarde, mostrar os resultados dessas conversas na forma de apresentações, debates e alertas.

The Dance Economy Seminar of Festival Panorama reaches its 3rd edition in 2010. On the previous ones we have organized lectures, debates and work groups in which several aspects of the economy of culture and dance were discussed, helping to create a panorama of the current situation. These meetings propelled other seminars and similar events in different cities of Brazil and South America. The organizers from these cities will be able to take the opportunity of this year’s encounter in Rio to exchange experiences and new developments. This year, we propose to work with two main axis, which will be discussed in work groups and plenary meetings. Each discussion will be set off by a group of professionals, who will meet in the morning of November 16 to organize the debate and the content presentations of the first afternoon. On the second day, the registered participants will be able to take part on the workgroups to deepen the discussions in the morning and present the results of these talks in the afternoon, as presentations, debates and alerts.

Informações: seminário@panoramafestival.com

Informations at: seminário@panoramafestival.com

A dança do “Brasil 5ª potência”

The dance of “Brazil the 5th economic power”

Propõe o exame da condição de um Brasil emergente em tempos de crise mundial e de diminuição de apoio internacional às ONGs nacionais e à cultura e de nossa relação com os países do hemisfério sul. Como acelerar a colaboração entre os países vizinhos e os das Américas, da África, da Ásia e da Oceania? Qual o papel do indivíduo e das instituições nesse processo?

This axis proposes an investigation of the condition of an emerging Brazil in times of international financial crisis, the diminishing support to national NGOs and to culture and our relationship with the countries of the Southern Hemisphere. How to accelerate international collaboration among neighboring countries and those of the Americas, Africa, Asia and Oceania? What is the role of individuals and institutions in this process?

Vamos sair da dança do “faz de contas”? Os recentes aumentos de fundos destinados à cultura no Brasil e os avanços na área da dança deram mais capilaridade ao apoio à dança. Apesar disso, o diagnóstico de nossa atuação profissional ainda indica um alto grau de precariedade. Cabemos todos nesse mercado? Os governos federal, estaduais e municipais estão cumprindo seus papéis? E os patrocinadores privados e estatais? Os editais promovem excelência e profissionalização?

42

When will dance stop making believe? The recent increase in funds for culture in the country and the advances in the dance area gave made support for dance more spread throughout the national territory. Yet, the diagnosis of our professional action still indicates a high level of precariousness. Do we all fit into this market? Are the federal, state and city governments doing their jobs? And what about private and government sponsors? Do the state funding programs warrant excellence and professionalization?


residências residences _ What am I not allowed to do? 16 a 20 NOV 10h às 14h CAIXA Cultural Teatro Nelson Rodrigues mini-galeria Inscrições prévias Previous submission required

O artista esloveno Janez Jansa retorna ao Panorama com uma proposta onde os participantes lidam com limitações, proibições e autocensura, explorando as diferentes fronteiras e restrições que um performer encontra ao trabalhar no palco. Isso inclui limites físicos do corpo (gravidade, resistência, exaustão etc.), limites psicológicos, convicções morais e ideológicas, assim como preferências estéticas e gostos. Esta residência faz parte do programa com.posições.políticas. Janez Jansa nasceu em 1964, na Eslovênia, com o nome de Emil Hrvatin. Com dois outros artistas, assumiu como seu o nome do primeiro-ministro esloveno. É autor, performer e diretor de trabalhos que misturam diferentes linguagens artísticas, sempre buscando relacionar a arte a aspectos políticos e sociais. Entre 1999 e 2006 foi diretor da Maska, organização sem fins lucrativos que atua nos setores de publicação, produção e educação em Ljubljana.

Slovenian artist Janez Jansa returns to Panorama and proposes a situation in which the participants deal with limitations, restrictions, prohibitions and self-censorship, exploring different notions of frontiers, limits and restrictions a performer is faced with when working on stage. This includes the physical limits of the body (gravity, resistance, exhaustion etc), psychological limits, moral and ideological convictions, as well as aesthetic preferences. This residence is part of the com.posições.políticas project. Janez Jansa was born in 1964, in Slovenia, with the name Emil Hrvatin. Alongside two collaborating artists, he assumed the name of the Slovenian prime-minister. He is an author, performer and director of works that mix different artistic languages, always seeking to relate art with social and political aspects. Between 1999 and 2006, he was the director of Maska, a non-profit organization that works with publication, production and education in Ljubljana.

www.maska.si

Foto: Varja Hrvatin

Untrained Resultado e conversa pública 09 NOV 19h Espaço SESC Mezanino Classificação etária Show’s rate

O workshop trabalhará com a proposta do projeto Untrained, novo trabalho de Lucy Guerin Inc, que questiona nossas ideias sobre o que vale a pena assistir em uma performance. A australiana Lucy Guerin se formou no Centre for Performing Arts e integrou as companhias de Russell Dumas (Dance Exchange) e Nanette Hassall (Danceworks). Em 2002 formou a Lucy Guerin Inc, em Melbourne. Já foi premiada com o New York Dance and Performance Award (Bessie), o Australian Dance Award e o Sidney Myer Award. A residência de Lucy Guerin faz parte de uma parceria do Panorama com a Dancehouse Melbourne, Austrália, com apoio do governo australiano. Em 2009 Martin del Amo esteve no Rio, e a brasileira Denise Stutz será artista convidada na Dancehouse como parte deste projeto. Ainda nesta edição do Panorama teremos mais dois artistas visitantes vindos da Austrália para conhecer artistas locais e estabelecer parcerias criativas.

The workshop will be based on the proposal of Untrained, the latest work of Lucy Guerin Inc, which questions our ideas about what is worth watching in a performance. Australian Lucy Guerin graduated at Centre for Performing Arts and was part of the companies of Russell Dumas (Dance Exchange) and Nanette Hassall (Danceworks). In 2002, she founded Lucy Guerin Inc, in Melbourne. She was awarded a Bessie Award, an Australian Dance Award and Sidney Myer Performing Arts Award. Lucy Guerin’s residence is part of a collaboration between Dancehouse Melborne and Panorama, with the support of the Australian government. In 2009 Martin del Amo was in Rio, and Brazilian artist Denise Stutz will be guest artists in Dancehouse as a part of this interchange. Still in this year’s Panorama other visiting artists will come from Australia to meet local artists and start new creative partnerships.

www.lucyguerin.com

43


Foto: Erika Lôbo

entrando na dança

_

O Entrando na Dança em 2010 chega à sua segunda edição, comprovando o sucesso da iniciativa de levar a dança aos teatros da rede FUNARJ nas Zonas Norte e Oeste da cidade. O projeto renovou o patrocínio do Instituto Votorantim, através do seu programa de Democratização Cultural, e do governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria de Cultura.

Entrando na Dança had its second edition in 2010, reassuring the success of the initiative in the theaters of FUNARJ, in the North and West Zones of the city. For two years, Entrando na Dança has been sponsored by Instituto Votorantim, through its program for Cultural Democratization, and by the Government of the State of Rio de Janeiro, through the Culture Secretary.

Nos meses de maio, julho e setembro, o Entrando na Dança levou espetáculos de companhias renomadas no cenário da dança contemporânea carioca a Marechal Hermes (Teatro Armando Gonzaga), Vila Kennedy (Teatro Mário Lago) e Campo Grande (Teatro Arthur Azevedo). Dani Lima, Denise Stutz e Felipe Ribeiro, Paula Aguas e Luis Igreja, Arquitetura do Movimento, Cia. de Dança da Cidade, Teatro Xirê, Companhia Urbana de Dança e Focus Cia. de Dança fizeram juntos 28 apresentações, para cerca de 2.500 pessoas.

In May, July and September, Entrando na Dança brought shows of renowned contemporary dance companies from Rio de Janeiro to Marechal Hermes (Teatro Armando Gonzaga), Vila Kennedy (Teatro Mário Lago) and Campo Grande (Teatro Arthur Azevedo). Dani Lima, Denise Stutz and Felipe Ribeiro, Paula Aguas and Luis Igreja, Arquitetura do Movimento, Cia. de Dança da Cidade, Teatro Xirê, Companhia Urbana de Dança and Focus Cia. de Dança performed together 28 shows, attracting about 2.500 people.

Além dos espetáculos, o Entrando na Dança também promoveu oficinas gratuitas em todos os bairros, para aproximar ainda mais o público da dança e seu processo de criação. Em 2010 ampliamos as parcerias, com a expansão para além dos teatros. Mais de 200 pessoas estiveram nas oficinas.

44

Entrando na Dança also promoted free workshops to bring contemporary dance audiences closer to the creative process. In 2010, an increased number of partnerships allowed the expansion of actions beyond theaters. More than 200 people participated in the workshops.


formação de público audience development Há três anos o projeto de formação de público da Associação Cultural Panorama assumiu o desafio de formar público e fugir da simples distribuição de ingressos. Para isso conta com uma equipe especializada que também faz o projeto Entrando na Dança, como continuidade do festival.

Three years ago, Panorama faced the challenge of developing audiences and escaping the mere distribution of tickets, with its audience development project. A specialized team was created and works also in Entrando na Danca, our year long democratization project.

Além do mapeamento dos possíveis interessados na programação do festival, a equipe de formação também realiza um cruzamento de interesses, levando em consideração cada espetáculo. São agendados encontros prévios com educadores para apresentar a programação.

Besides mapping those interested in the festival’s program, the audience development team also makes a cross between their interests and the program, taking into account teach show. Previous meetings are scheduled with educators with the goal of introducing the program.

É um trabalho árduo, mas que garante o acesso à (in) formação e beneficia, principalmente, a população que não tem acesso às produções culturais da cidade. Assim, pretendemos contribuir com a democratização do acesso à cultura e com o desenvolvimento de um olhar mais sensível para a dança contemporânea.

It’s hard work, but it ensures access to (in)formation and benefits mainly the population that doesn’t have access to the city’s cultural production. We thus intend to contribute to the democratization of access to culture and to the development of a more sensitive gaze upon contemporary dance.

Instituições Parceiras Ação Comunitária Brasil|Arte de Dançar Afro | Briza|Casa das Artes Terreirão|CEAT – Centro | Centro Integrado de Artes Tablado - Tabladinho |Centro Universitário da Cidade - UniverCidade | Cia. Corpafro | CIEP 360|CIEP 386 | CIEP J. P. Varela|Cine Clube Planeta em Cena | Coletivo A Cidade | Coral do Colégio São Vicente | Criançarte | Dançando para não dançar | Escola de Gente – Comunicação em Inclusão | Escola de Teatro Estadual Martins Pena | Escola Municipal Alagoas | Escola Municipal Orlando Villas Boas | Escola Municipal Rivadávia Corrêa | Estúdio de Artes Espaço Aberto da Rocinha | Favela Mundo | Grupo A Arte de Dançar Afro|Luta Pela Paz | Nucleo Experimental de Educação e Arte do MAM|Petite Danse | Pimpolhos | Planeta em Cena | Polo Leblon |Programa Educativo Oi Futuro | Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Seropédica|Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Belford Roxo | Teatro de Anônimo | Todo Mundo Vai Ao Circo | UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro | UNAPE - Anchieta

Foto: Erika Lôbo

associação cultural panorama _ A Associação Cultural Panorama é uma entidade sem fins lucrativos criada em 2007 para ser a instituição responsável pelo Festival Panorama de Dança e por diversos projetos na área cultural, especialmente nas artes cênicas. Desde sua fundação passou a assumir, perante as esferas de governo, os patrocinadores e os parceiros, a execução do Festival Panorama de Dança, bem como a gestão de fundos e sua consequente prestação de contas.

Associação Cultural Panorama is a non-profit entity created in 2007 to be the institution responsible for Festival Panorama de Dança and several other projects in the cultural area, specially the performing arts. After its creation, Associação assumed the executing Festival Panorama de Dança before government spheres, sponsors and partners, as well managing the funds and providing accounts.

A Associação Cultural Panorama tem, no entanto, uma abrangência geográfica que vai muito além do Festival no Rio de Janeiro. Atividades incluem o projeto coLABoratorio (ver pág. 38). Outro projeto realizado pela Associação é o Entrando na Dança (leia mais ao lado).

The geographic reach of Associação Cultural Panorama, however, goes beyond the Festival in Rio de Janeiro. The activities include coLABoratorio (see page 38). Entrando na Dança is another project carried out by Associação, with dance performances and workshops in neighorhoods (read more on the next page).

Membro da ietm.org, uma das maiores redes mundias de artes cênicas, a Associação também é um dos apoiadores da rede social movimiento.org, em parceria com www.idanca.net e Red Sudamericana de Danza.

Associação Cultural Panorama is member of ietm, one of the biggest worldwide performing arts networks and is also one of the supporters of social network movimiento.org, in partnership with www.idanca.net and Red Sudamericana de Danza.

Em outubro de 2010 a ACPAN se tornou um Ponto de Cultura. Em 2011 abre o Espaço Panorama, com atividades pedagógicas e residências. Também será aberta ao público a Videoteca Panorama, com mais de 1.500 registros em vídeo e DVD de obras de dança e performance. Saiba tudo sobre nossas atividades em www.panoramafestival.com.

On October 2010, ACPAN became a Ponto de Cultura. In 2011, we will open Espaço Panorama, where pedagogical activities and residencies will be held. Videoteca Panorama will also be there, a collection of more than 1.500 video and DVD recordings. Learn all about our activities at www.panoramafestival.com.

45


equipe | staff _ Direção Geral e Curadores General directors and Curators Eduardo Bonito Nayse Lopez Assistente da Direção Director’s Assistant Renata Monnerat

Transporte Transportation Lula Dantas Assistente de Transportes Transportation assistant Duda Parahyba

Coordenação de Produção Production Coordinator Tonia Schubert

Agente de Viagens Travel Agents Norberto Silva Junior Geoffrey G. Gamarra (Latin Tur)

Produção Executiva Executive Producer Patricia Spohr

Coordenação da Bilheteria Box Office Coordinator Monica Bittencourt

Produção Administrativa Administrative Producer Solange Faria

Bilheteria Box office Roberta Pisco Rafael Fernandes

Assistente de Produção Production Assistant Rodolfo Alves Débora Rocha

Leque Ricardo Formiga Alfredo Vagner Teixeira Fabiana Brito Marten Stein Jimmy Menezes Antonio Jorge Junior Tiago Merij Camareiras Wardrobe Rosimere Sara Jane Antonia Claudia Maria Cecilia da Silva Joyce de Assis Ana Maria Vicente de Araujo Consultoria Financeira Finance Consulting Marcos Bonito

Assistente Bilheteria Box Office Assistant Ana Helena Lima

Gerência Financeira Financial Management Genésio Nogueira

Direção Técnica Technical Direction D5 Produções Artísticas Adriana Ortiz Hugo Damatta Sergio Santos Felicio Mafra

Bilheteira Box Office Clerk Claudia Sardinha

Assistente Gerência Financeira Financial Management Assistants Jocimar Rodrigues Christian David Kelly Cristina

Produtora Técnica Assistente Technical Production Assistant Carolina Dworschak

Estagiário de Comunicação Communication Intern Jessica Nakazima

Estagiária de Produção Técnica Technical Production Intern Julia Requião

Projeto Gráfico Graphic Design Ana Laet COM

Coordenação de Atividades Paralelas Parallel Activities Coordinator Erika Lôbo

Edição e Revisão Editing and Proofreading Kathia Ferreira

Coordenação Seminário com.posições.políticas com.posições.políticas Seminar Coordinator Isabel Ferreira

website Eber Freitas

Estagiário Atividades Paralelas Parallel Activities Intern Bruno Imenes Produção Residências Residencies Producers Paula Gorini Coordenação de Profissionais Visitantes Assistência em Residências Visiting Professionals Coordinator Residency Assistant Ioli Georgila Coordenação de Formação de Público Audience Development Coordinator Carla Strachmann Assistentes de Formação de Público Audience Development Assistant Ricardo Brasilia Glizia Melo Voluntários Formação de Público Audience Development Volunteers Mariah Ugelli Hanna Kaufmann Mattsson Coordenação de Receptivo Guest relations Coordinator Julia Baker Assistente Receptivo Guest Relations Assistant Marcela Miranda Receptivo Aeroporto Airport Erika Miranda Julia Pimenta

46

Comunicação Communication Isabella Motta

Edição de Vídeo Video Editing Luiz Guilherme Guerreiro

Escritório Contábil Accountants Sesan Contabilidade Assessoria Jurídica Legal Advice Flávio Pougy Apoio Support Lúcia Maximiliano Tatiane Santos Transporte Internacional e Importação de Cargas International Freight Shipping and Importation SAX Logística e Eventos /DFX Group Waiver Logistics

Assessoria de Imprensa Press Relations PALAVRA assessoria em comunicação

Transporte Nacional de Cargas National Freight Shipping Cine Van Junicar Transportes e Locação LTDA

Tradução Translation Gabriela Baptista

Motoristas Rio de Janeiro Drivers in Rio de Janeiro Rosamar Locadora de Veiculos e Turismo

Produtores nos Teatros Production at Venues Teatro Nelson Rodrigues e Oi Futuro – Carla de Torrez Espaço SESC Mezanino – Henrique Madeira Teatro Cacilda Becker – Paula Gorini Teatro Carlos Gomes – Joyce Soares Teatro João Caetano – Flávia Cândida Teatro Sérgio Porto – Aline Carrocino SESC Nova Iguaçu, São Gonçalo e São João de Meriti e Centro de Artes da Maré – Fabio Mateus Parque Lage – Daniela Pinheiro Produtor Centro do Festival – Felipe Maximiliano e Caio Branco Produtor/intérprete Trisha Brown – Tobias Valentim

Coordenação de Camarins Dressing Room Coordinator Leila Melo

Maquinistas Key Grips Celso de Paiva Samuel Fernandes Gerson Oliveira Luis Mussum Jean Eletricistas Cênicos Electricians Daniel Galvan Dum Marino Antonio Figueiredo

Monitores Monitors Adriana Porto Adriana Lemos Beatriz Terra Diego Campos Helena Tavares Lívia Andrade Mariana Assunção Mayara Gama Nathalia Cantarino Yuka Fuchigami Carolina Rocha Clarissa Palma Gilson Rodrigues Júlia Lima Mariana Darsie Michela de Oliveira Nátani Torres Negra Maria Viviane de Paula Coordenadora de Monitoria - 33 Produções Monitors Coordinator – 33 Produções Gabriela Farias


Trata-se de reunir estruturas tendo em vista não apenas fortificar as cenas de novos artistas locais, como facilitar a troca de informação, otimizar a circulação de artistas estrangeiros e brasileiros em nossos festivais e fomentar a cooperação. Juntos, esses quatro festivais têm potencial de alcance de mais de 60 mil pessoas, com enorme retorno de mídia. Em cada festival, um recorte curatorial diferente. Em comum, a qualidade das produções e a aposta na democratização da cultura. Os quatro festivais brasileiros de dança contemporânea de maior repercussão estão unidos desde 2005 para incentivar a circulação de companhias nacionais e estrangeiras, compartilhando programas, ideias e recursos. O circuito abrange duas regiões, Sudeste e Nordeste, a partir de quatro capitais: Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ); Recife (PE) e Fortaleza (CE). Suas ações também se estendem a outras cidades de seus respectivos estados.

A prática de uma política de ingressos a preços populares e a interação com espaços públicos e não convencionais vêm resultando no crescimento de público e no aumento de interesse da mídia. Dessa forma, o Circuito se firma como uma iniciativa que fala diretamente aos formadores de opinião, aos jovens e a todos os interessados na arte. O Circuito, além de mostrar o melhor da produção internacional no Brasil, é também a maior vitrine para a circulação de artistas e grupos nacionais.

E os festivais que o formam dividem a tarefa de fomentar a produção dos jovens artistas brasileiros com estreias e projetos de cooperação internacional e de formação. São quatro iniciativas muito diferentes em termos de curadoria e de realidades locais, mas que têm em comum o interesse pela experimentação de linguagem, a preocupação com a formação de plateias e a atitude de cooperação igualitária entre brasileiros e estrangeiros em processo de criação artística. Um dos objetivos transformados em ação conjunta pelo Circuito de Festivais é o aumento do intercâmbio com a América Latina e a África. Trata-se de uma decisão política e estratégica estreitar os laços culturais e de economia da cultura com os países dessas regiões. O Circuito Brasileiro de Festivais Internacionais de Dança convida o público para as edições de 2010 do Festival do Recife, da Bienal de Par em Par do Ceará, do FID e do Panorama.

A programação do Festival Panorama 2010 faz parte do evento Brasilidade, do Ministério da Cultura.

Parceiros Internacionais

Parceiros Institucionais

Apoio Local

MAS SERÁ O BENEDITO

Os seguintes espetáculos foram contemplados pelo Prêmio Klauss Vianna: Verdades inventadas (2007), Arquitetura do samba (2008), Matadouro (2008), Eles vão ver (2009). Patrocínio

Apoio

Realização

47

Festival Panorama 2010  

19ª Edição Festival Panorama

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you