Page 1

~

PETROBRAS

apresentam


ínDiCE conTenTS

Apresentação Presentation

2

Espetáculos Shows

6

Sentido Centro

56

Mostra Universitária University Showcase

66

Oi Futuro + Sala das Machinas

68

Seminário Economia da Dança

74

Residências Residences

78

Oficinas Workshops

82

Aulas abertas

87

Espaços Venues

88

Projeto de Formação de público

90

O que é o Circuito?

92

Agradecimentos Thanks

94

Equipe Team

95

Fotos Photos

96


APRESEnTAÇãO PReSenTATIon

2 É sempre emocionante fazer o texto de apresentação de mais uma edição do Panorama. Cada ano, desde que a coreógrafa Lia Rodrigues nos passou a direção geral do festival, em 2006, nos alegramos com a resposta de patrocinadores e parceiros e com o apoio que recebemos do público carioca. num festival sem fins lucrativos como o Panorama, às vezes parece impossível fazer acontecer um evento tão grandioso, com tantas implicações políticas e artísticas, sem abrir mão dos preços populares e dos projetos de formação. Tudo isso só é possível porque temos um crescente investimento por parte de empresas e de esferas de governo que reconhecem o Panorama como um projeto íntegro e essencial para o desenvolvimento da dança contemporânea no Brasil. É também sempre emocionante quando, a dias do festival e com o designer nos esperando para finalizar o catálogo, podemos sentar para falar diretamente com quem freqüenta os espetáculos, oficinas, residências artísticas, palestras, conversas informais, tudo o que acontece nos 12 dias do Panorama. É para esse grande número de pessoas interessadas numa forma de arte que está se reinventando – a dança – que, anualmente, há 17 anos, o Panorama ocupa os espaços culturais e as ruas do Rio. Por ser um dos únicos eventos do Brasil a combinar arte de altíssima qualidade a preços populares – num Brasil de ingressos esgotados a valores de salário mínimo – o festival é a porta de entrada para muitos nas artes cênicas. Entendemos e assumimos esta responsabilidade.

Este ano fizemos um grande investimento em formação de público e em democratização de acesso, com parte dos ingressos do festival destinados a OnGs e outras iniciativas que trabalham com projetos artísticos em vários setores da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. São dezenas de OnGs, escolas das redes públicas, instituições de ensino e de assistência parceiras em 2008, não apenas trazendo espectadores para o festival, mas também realizando trabalho complementar de formação. Em parceria com os Teatros da Rede Estadual e as companhias cariocas, o Panorama faz este ano uma ocupação inédita dos bairros de Marechal Hermes, Campo Grande e Vila Kennedy com o melhor das temporadas recentes da dança carioca durante duas semanas. O circuito SESC na Baixada Fluminense e São Gonçalo completa a programação descentralizada. Formar um novo público para dança nesses teatros é um projeto de longo prazo, mas o Panorama, no terceiro ano dessa ação, já tem tido resultados positivos. Longo prazo é para a Associação Cultural Panorama uma palavra-chave. Demos este ano mais um passo na organização da ACPAn como uma estrutura sem fins lucrativos que possa realizar outras atividades para o desenvolvimento da dança e também obter uma sustentabilidade que permita realizar um festival com planejamento. Em 2008, as atividades da ACPAn incluíram envio de artistas nacionais a residências no exterior, apoio a várias atividades da Rede Sul-Americana


de Dança e fortalecimento do Circuito de Festivais internacionais de Dança, em que o Panorama se une ao FiD – Belo Horizonte, à Bienal do Ceará e ao Festival do Recife. Para 2009 temos o imenso prazer de anunciar a realização do projeto colaboraToRiO, um programa de residências internacionais a ser realizado no Rio de Janeiro e em Teresina (Pi), em associação com o núcleo de Criação do Dirceu (Teresina), Artsadmin (Londres), Festival Alkantara (Lisboa) e Garajistanbul (istambul) e apoio da União Européia. Esse programa, que é de certa forma a continuidade do coLABoratorio realizado em 2006/2007, vai formar novos criadores nas duas cidades, num projeto que em dois anos beneficiará dezenas de artistas. no momento histórico de revisão da Lei Rouanet e de redefinição das responsabilidades do patrocinador de cultura, é preciso dizer que o Panorama mais uma vez tem a apresentação da Petrobras – que também apresenta o Circuito – e este ano vê crescer a presença da Oi como co-apresentadora. Ambos não só são dois dos maiores patrocinadores da cultura brasileira, como fazem seu patrocínio de forma elaborada, pensando além dos limites restritos do marketing cultural. Sabem ver que a arte e a cultura podem assumir muitas formas de risco e que investir na experimentação e na fronteira é olhar para o futuro. nosso time de patrocinadores se completa com o BnDES e a Caixa Econômica Federal, ambos em investimento direto e também no primeiro time dos investidores na cultura do

país. Com as parcerias já longevas da Funarte e do SESC Rio, além da Secretaria Estadual da Cultura e de todos os que de alguma forma apóiam o Panorama, completamos um festival que tem mais de oito fontes diferentes de investimento. Para nós, esta é a confirmação de que é possível repensar o modo de financiamento da arte e da cultura no Brasil, sem radicalismos e com a mente aberta. E é com a mente aberta que vamos aproveitar três dias do festival para discutir o conceito de economia da cultura e as possibilidades de uma economia da dança num seminário realizado no auditório do BnDES, em parceria com o SEBRAE-RJ. Venha, traga suas idéias. O Festival Panorama é sobre isso, idéias. Encontros, trocas, embates, ousadia. no palco, na platéia e na mesa de bar. Dança de muitas formas, para todos. it is always moving to write the opening text for yet another edition of Panorama. Each year, since Lia Rodrigues passed on the general direction of festival to us in 2006, we rejoice with the positive response from our sponsors and partners and with the support we receive from the audiences in Rio. in a non-profit festival, it sometimes seems impossible to produce such a big event, with so many political and artistic implications, without giving up on the low priced tickets and development projects. All this is only possible because we receive increasing investments from companies and from spheres of the government which recognize Panorama as a


4 righteous project and essential for the development of contemporary dance in Brazil. A few days from the festival and with designers already waiting with the rest of the catalogue ready, it is also moving to sit down and speak directly to the ones who take part on the shows, workshops, artistic residencies, lectures, informal talks, everything that happens during the 12 days of the festival. it is for that large number of people interested in an art form that is reinventing itself, dance, that every year, for 17 years, Panorama takes place. Being one of the only events in Brazil to combine art of the highest quality with low priced tickets – in a country where tickets at minimum monthly wage prices are sold out – the festival is an open door for many into the performing arts. We understand and accept the responsibility. This year, we have made great investment in audience development and access democratization, having some of the tickets destined to OnGs and other enterprises that work with artistic projects in many fields in the metropolitan area of Rio de Janeiro. Dozens of OnGs, public schools, education and social aid institutions are partners in 2008, not only bringing audience to the festival, but also carrying out complementary development work. in a partnership with theaters of the state system and companies from Rio, this year during two weeks Panorama makes an unprecedented occupation of the Marechal Hermes, Campo Grande and Vila Kennedy districts with

the best of the recent season of Carioca dance. The SESC circuit in Baixada and São Gonçalo completes the decentralized program of the festival. Developing a new audience for dance in those theaters is a long term project, out of which, however, Panorama has only received positive results in the third year of work. Long term is a key-word for Associação Cultural Panorama. This year we have taken another step for strengthening ACPAn as a non-profit structure able to carry out other activities for the development of dance and also to obtain structural sustainability to produce a festival with a whole team and with planning possibilities. in 2008, the activities of ACPAn included sending Brazilian artists to residencies abroad, supporting many activities of Red Sudamericana de Danza and strengthening the international Dance Festival Circuit, in which Panorama unites with FiD – Belo Horizonte, Bienal do Ceará and Festival internacional de Dança do Recife. For 2009 we have the great pleasure of announcing the colaboraToRiO project, a program of international artistic residencies to take place in Rio de Janeiro and Teresina, in an initiative of Panorama along with núcleo de Criação do Dirceu (Teresina, Brazil), Artsadmin (London), Festival Alkantara (Lisbon) and Garajistanbul (istanbul) and with the support of the European Union. This program, which is in certain ways a continuation of the coLABoratorio that happened in 2006/2007, will support


new creators in both cities in a project that will benefit dozens of artists in two years. in a historical moment of re-examination of Lei Rouanet and redefinition of the responsibility of the culture sponsor, it is necessary to say that Panorama once again will have the presentation of Petrobras – which also represents the Circuit – and this year the presence of Oi increases, co-presenting the festival. Both are not only the biggest sponsors of Brazilian culture, but also make their sponsorship in an elaborate way, thinking outside the strict limits of cultural marketing. They are able to see that art and culture can assume many risk forms and that investing in experimentation and in the borders is looking towards the future. Our sponsor team is complete with BnDES and Caixa Econômica Federal, both in direct investments and also in the first team of investors in Brazilian culture. With the already long-lived partnership with Funarte and SESC Rio, besides the Secretaria Estadual de Cultura and all those who support Panorama in some way, we complete a festival that has over eight investments sources. To us, that is the confirmation it is possible to rethink the way art and culture are financed in Brazil without radicalism and with an open mind. And, with an open mind we will take three days during the festival to discuss the concept of economy in culture and

the possibilities of an economy of dance in a Seminar in the BnDES auditorium, in partnership with SEBRAE RJ. Come and join us, bring your ideas. Festival Panorama is about ideas. Meetings, exchanges, clashes, boldness. On stage, in the audience and at the pub table. Dance in many forms, for everybody. Eduardo Bonito & Nayse López


ESPETáCULOS ShoWS Umwelt

1h10

Cie. Maguy Marin 30/10

qui thu

França France 19h30

Teatro João Caetano

6 Depois de cinco anos, a Cie. Maguy Marin está de volta ao Brasil. Considerado pela crítica mundial uma obraprima, Umwelt é inspirado em textos do irlandês Samuel Beckett e aborda a falta de significado e expressão na existência humana. no palco, em meio a duas fileiras de espelhos em posições alternadas, os intérpretes aparecem e desaparecem representando atos corriqueiros como lavar o chão ou embalar um bebê. O público acompanha as ações típicas do dia-a-dia de qualquer pessoa numa seqüência entrecortada pelos espelhos, que tomam conta da extensão do palco. Umwelt é um espetáculo visual impactante com cenário surpreendente. Uma das companhias de dança contemporânea mais respeitadas do mundo, a Maguy Marin nasceu em 1978 do desejo da então bailarina de realizar suas próprias investigações. Antes, Maguy havia estudado no Conservatório de Toulouse, no Strasbourg Ballet e na Mudra, de Bruxelas. Também passou pelo Chandra, grupo de pesquisa de Maurice Béjart, onde criou suas primeiras coreografias. Em 1998, a companhia se tornou residente no Centre Chorégraphique national de Rillieux-la-Pape. After five years, cie. Maguy Marin is coming back to Brazil. Regarded by critics worldwide as a masterpieces, Umwelt was inspired by texts by Irish playwright Samuel Beckett and approaches the lack of meaning and expression in human existence. on stage, amidst two rows of mirrors in alternate positions, dancers appear and disappear, representing trivial

acts of everyday life, such as cleaning the floor or rocking a baby. The audience watches actions that are typical in anyone’s daily life and that take over the whole extension of the stage. Umwelt is a striking visual show in a surprising setting. one of the most respected contemporary dance companies in the world, cie. Maguy Marin was created in 1978, by Maguy, out of her desire to carry out her own investigations. Before that, she had studied in the Toulouse conservatory, in the Strasbourg Ballet and in Mudra, in Brussels. She also passed by chandra, Maurice Bejárts theatrical research group, where she created her first choreographies. In 1998, the company became resident at centre chorégraphique national in Rillieux-la-Pape. Concepção Concept Maguy Marin Colaboração Collaboration Ulises Alvarez, Annabelle Bonnéry, Yoann Bourgeois, Teresa Cunha, Philippe Dusigne, Renaud Golo, Sandra iché/Jeanne Vallauri, Vania Vaneau, Vincent Weber Designer de Música Music Designer Denis Mariotte Designer de Figurino Costume Designer Cathy Ray, Chantal Cloupet & Aurora Van Dorsselaer Designer deLuz Light Designer Alexandre Béneteaud e Denis Mariotte Diretor Técnico Technical DirectorJudicaël Montrobert Som Sound Loïc Goubet Produtor de Palco Stage Manager Michel Rousseau Coordenador de Produção Production Manager Antoine Manologlou. Classificação etária 16 anos


Co-Produção Co-Production Théâtre de La Ville (Paris), Maison de La Danse de Lyon, Toboggan de Décines et le Centre Chorégraphique national de Rillieux-la-Pape Apoio da turnê Tour support Ministère de la Culture et de la Communication – Drac Rhône-Alpes, Région Rhône-Alpes, Département du Rhône, Rillieux-la-pape, Culturesfrance, Consulados Gerais da França no Rio de Janeiro e em São Paulo Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Bienal de Dança do Ceará, Festival internacional de Dança do Recife, Sesc São Paulo.


A Glimpse Of Hope

60 min

Deja Donne itália 31/10 02/11

Italy sex fri 19h dom sun 19h

Teatro nelson Rodrigues Sesc São Gonçalo

8 Criado em 2008, o espetáculo é a segunda parte da trilogia happiness is only a question of habit. Em cena, cinco mulheres exploram movimentos fortes para apresentar um olhar feminino, porém nada “mulherzinha”, do mundo nos últimos 50 anos, mostrando como muitos dos fatos do presente estão fortemente conectados ao passado. O Deja Donne foi fundado em 1997 pela tcheca Lenka Flory e pelo italiano Simone Sandroni, então membros da companhia holandesa Ultima Vez, de Wim Vandekeybus. Em seu trabalho conjunto, o casal trata de temas relevantes para a sociedade contemporânea de forma leve, emocional e com um eventual toque de ironia. created in 2008, the show is the second part of the Hapiness is only a question of habit trilogy. on stage, five women explore fierce movements presenting a feminine, although not a “girlie”, perspective of the world in the last 50 years, showing how many of the facts in the present are strongly connected to the past. Deja Donne was founded in 1997 by czech Lenka Flory and Italian Simone Sandroni, then members of Dutch company Ultima Vez, directed by Wim Vandekeybus. In their joint work, the couple deals with subjects relevant to contemporary society in a light, emotional way and with an occasional touch of irony.

Direção e Coreografia Direction and Choreography Simone Sandroni & Lenka Flory Intérpretes Performers Virginia Spallarossa, Eleonora Chiocchini, Daria Menichetti, Morena de Leonardis, Andrea Bartola, Simone Sandroni Dramaturgia Sonora Sound Dramaturgy Luigi Ceccarelli Som Sound Gaëtan Van Den Berg, Luigi Ceccarelli Música Original Original Music Luigi Ceccarelli Design de Luz Light Design Massimo Guarnotta Consultoria de Design de Luz Light Design Advisor Arnaud Poumarat Design de Palco & Design de Figurino Stage and Costume Design Lenka Flory Técnica Technical Crew Massimo Guarnotta, Andrea Bartola Vídeo Performance Video Performance Pietro Micci Registro em Vídeo Video Recording Dutch Rall Grafismos Graphics Pavel Skoda Fotografia Photography Dutch Rall, Adriano Scognamiglio Produção Production Deja Donne, Lenka Flory Assistente de Produção Production Assistant Elisa Chianella Co-Produção Co-Production Tanzhaus Düsseldorf, Theater im Pfalzbau Ludwigshafen, Dance Festival Munich, Região da Umbria, nationales Performance netz Apoio da turnê Tour support italian Ministry of Culture, Úmbria, Tuoro Sul Trasimeno Parceria no Brasil Brazilian Partners instituto italiano di Cultura.

Classificação etária 14 anos


Ritornelo

55 min

Renato Vieira Cia. De Dança 31/10

sex fri

20h

Brasil, RJ Sesc São Gonçalo

10 O retorno. A idéia de circularidade do movimento. Ritornelo marca a retomada da parceria de Renato Vieira com Bruno Cezário, que volta ao Brasil depois de sete anos na Europa. O espetáculo, que festeja os 20 anos da companhia de Renato, faz referências à literatura e à música barrocas. O coreógrafo e diretor do grupo, Renato Vieira, é conhecido por sua versatilidade: já criou trabalhos para a Companhia de Ballet da Cidade de niterói, para o Teatro Guaíra e para o Theatro Municipal, além de estar entre os pioneiros na direção de movimento para cinema, teatro e televisão. The return. An idea of circularity of movement. Ritornelo represents the return of the partnership between Renato Vieira and Bruno cezário, who comes back to Brazil after seven years in europe. The show that celebrates the 20 years of Renato´s company has references to literature and baroque music.

Bailarinos Dancers Bruno Cezario, Soraya Bastos, Laura ávila, Joaquim Tomé, Thiago Sancho Ensaiador Rehearser Gregory Lorenzutti Design de Luz Light Designer Binho SchaeferFigurino Costume Bruno Cezario e Marine Levesque Trilha Sonora Soundtrack Bruno Cezario Direção de Produção Production Direction Sara Calaza Assistência e Operação de Luz Assistance and Light Operation Anderson Ratto e Juca Baracho Cenotécnico Stage Manager Cezinha Fotos Photography Bruno Veiga Design Gráfico Graphic Design Christhianne Vassão Professores Convidados Durante o Processo de Criação Teachers Invited to the Creative Process Vera Aragão e Manoel Francisco Agradecimento Especial Special Thanks Fernanda Schnoor

choreographer and director of the group Renato Vieira is known for his versatility: he has created works for companhia Ballet da cidade de niterói, Teatro Guaíra and Theatro Municipal, besides being among the pioneers of movement direction for cinema, theater and television. Concepção, Direção e Coreografia Conception, Direction and Choreography Renato Vieira & Bruno Cezario Classificação etária livre


h3

50 min

Bruno Beltrão/Grupo De Rua De Niterói 31/10 01/11

sex fri sáb sat

21h 21h

Brasil, RJ Teatro Villa-Lobos Teatro Villa-Lobos

12 O Grupo de Rua de niterói faz no Panorama a estréia carioca de h3. neste novo trabalho, o coreógrafo Bruno Beltrão continua a pesquisa iniciada com h2 sobre a técnica do hip-hop e suas interseções com a cena contemporânea. no palco, nove bailarinos se alternam em solos, duos e trios que rediscutem os fundamentos do hip-hop, reinventando o vocabulário e abrindo espaço para novas questões da dança contemporânea. O Grupo de Rua de niterói (GRn) foi fundado em 1996. Em 2000, ao entrar na faculdade de dança e descobrir a filosofia e a dança contemporânea, Bruno Beltrão levou para a companhia a idéia de reler o hip-hop. A companhia é hoje uma das mais importantes no cenário europeu de dança. Grupo de Rua de niterói (niterói Street Group) performs H3 in Panorama, for the first time in Rio. In his latest work, choreographer Bruno Beltrão continues the research that started with H2 about hip-hop technique and its intersections with the contemporary scene. on stage, nine dancers take turns in solos, duets and trios that discuss the foundations of hip-hop, reinventing its vocabulary and opening space for new questions in contemporary dance.

the company is one of the most important in the european contemporary dance scene. Direção e Coreografia Direction and Choreography Bruno Beltrão Produção Executiva Executive Production Mariana Beltrão Diretor-Assistente Assistant Director Ugo Alexandre neves Produção Production Gabriela Weeks Designer de Luz Light Designer Renato Machado Designer de Palco Stage Designer Gualter Pupo Figurino Costume Marcelo Sommer Música Music Lucas Marcier, Rodrigo Marçal – Arpx Administração Management João Marcos Beltrão Bailarinos Dancers Bruno Duarte, Bruno Williams, Charlie Felix, Danilo Pereira, Eduardo Hermanson, Filipi de Moraes, Kristiano Gonçalves, Luiz Claudio Souza e Thiago Almeida CoProdução Co-Production Grupo de Rua, Kunsten Festival des Arts, Festival internacional de las Artes, Salamanca 2008 – Junta de Castilla y Leon, Le Grand Théâtre de Luxembourg, Festival D’automne à Paris Colaboração Collaboration Hebbel-Am-Ufer, La Ferme du Buisson Parceria no Brasil Brazilian Partner Sesc São Paulo.

Grupo de Rua de niterói (GRn) was founded in 1996. In 2000, as he started studying dance in college and discovered philosophy and contemporary dance, Bruno Beltrão brought to the company the idea of rethiking hip-hop. nowadays, Classificação etária livre


Suíte Funk

50 min

Sônia Destri / Companhia Urbana De Dança Brasil, RJ

14

01/11 02/11 08/11 09/11

sáb sat dom sun sáb sat dom sun

19h 17h 20h 17h

O Rio de Janeiro de um ponto de vista múltiplo, de quem vive nos subúrbios, nas favelas, na linha de risco. Suíte Funk é uma construção fragmentada, um olhar dos integrantes da Companhia Urbana de Dança, dirigida pela coreógrafa Sônia Destri, sobre a cidade em que cresceram, ao som de break, samba e outros ritmos da rua. Em 2005, ao voltar ao Brasil após 10 anos vivendo na Europa, Sônia Destri fundou a Companhia Urbana de Dança. na Alemanha, no início dos anos 90, ela descobriu o hip-hop, que se tornou essencial no seu trabalho com a companhia, formada hoje por 10 dançarinos moradores da Zona norte do Rio. Em 2008, Sônia Destri comemora 30 anos de carreira.

Teatro Mário Lago Teatro Mário Lago Teatro Arthur Azevedo Teatro Arthur Azevedo Dançarinos e Colaboradores Dancers and Collaborators Thiago Willians, Tiago “Ts” Sousa, Zé “Joro”, Ruy Chagas, Rapahel Roussier, Direção Artística Artistic Direction Sonia Destri Assistente de Direção Assistant Director Tiago Sousa Coreografia Choreography Sônia Destri Assitente de Coreografia Choreography Assitant Companhia Urbana de Dança Designer de Dança Dance Designer Sônia Destri Ensaiadore Rehearser Ruy Chagas Júnior, Raphael rossier e TS Trilha Soundtrack Diego White e Sônia Destri Figurino Costume Reinaldo Elias Cena Scene Ruy Junior, Raphael Xavier E Sônia Destri (Projeção e Vídeo Projection And Video) Cenário Set Design Marimba Luz Light Fernanda Mantovani Best Boy Marcos “Lord Aramis” Produção Production Marcio Destri e Residance.

Rio de Janeiro is seen from a different viewpoint, from those who live in the outskirts, in the favela, in the line of fire. Suite Funk is a fragmented construction, the perspective of the members of companhia Urbana de Dança, directed by choreographer Sônia Destri, of the city they grew up in, listening to break music, samba and other rhythms of the streets. In 2005, upon returning to Brazil after 10 years living in europe, Sônia Destri founded companhia Urbana de Dança. In Germany, in the beginning of the 90´s, she discovered hip hop, which became essential to her work with the company, currently composed by 10 dancers who live in Rio´s Zona norte. In 2008, Sônia Destri celebrates 30 years of her career. Classificação etária 16 anos


Por Minha Parte

50 min

Esther Weitzman Cia. de Dança

01/11 02/11

sáb sat dom sun

20h 17h

Brasil, RJ Teatro Armando Gonzaga Teatro Armando Gonzaga

16 O trabalho é uma espécie de país imaginário da coreógrafa, com suas cores, sonoridades e identidades. País imaginário compartilhado pela equipe da companhia, que insere suas percepções. O trabalho é feito dessa mistura, dessa troca. E a partir dessas várias partes e dos encontros com o outro e com a música, nasce o resultado final. Esther Weitzman é formada em dança pela Escola Angel Vianna e em educação física pela Universidade Gama Filho. Aprofundou seus estudos com ivaldo Bertazzo na Escola de Reeducação do Movimento, em São Paulo. Em 1999 fundou a Esther Weitzman Companhia de Dança, onde aprofunda seu trabalho de aliar a pesquisa de movimento à atividade didática. The piece is a kind of imaginary country of the choreographer, with its colours, sounds and identities. This imaginary country is shared with the company crew, who insert their own perceptions. The piece is composed by this mixture. out these many parts and the encounters with the other and with music, rises the final result.

Concepção, Direção e Coreografia Conception, Direction and Choreography Esther Weitzman Bailarinos Colaboração Coreográfica Dancers and Choreographic Collaboration Beatriz Peixoto, Carla Reichelt, Edney D’conti, Roberta Repetto e Tony Hewerton Assistência de Coreografia Choreography Assistant Carla Reichelt Dramaturgia Dramaturgy Beatriz Cerbino Desenho de Luz Light Design José Geraldo Furtado Figurino Costume Gerah Diaz Cenografia Stage Settings Derô Martín e Leo Bungarten Produção Musical Music Production Mangajingle Composição e Arranjos Composition and Arrangement Craquelê – Formação Pedro Guedes – Piano, Flavia Ventura – Piano, Pedro Mibielli – Violino Violin Participações Especiais Special Participation naife Simões – Percussão Percussion, Mário Zavz – Contrabaixo Bass Produção Production Esther Weitzman Fotografia Photography Robson Drummond Vídeo Video Cavi Borges Apoio Support Espaço Sesc.

esther Weitzman graduated in dance from escola Angel Vianna and in physical education from Universidade Gama Filho. She intensified her studies with Ivaldo Bertazzo, in the escola de Reeducação do Movimento, in São Paulo. In 1999 she founded the esther Weitzman dance company, where she deepened her work of bringing together research movement and teaching activity. Classificação etária 12 anos


Manual de instruções

70 min

Cia. Dani Lima

18

01/11 02/11 08/11 09/11

Brasil, RJ sáb sat 20h dom sun 17h sáb sat 20h dom sun 17h

Manual de instruções é a segunda parte da trilogia Vida real em 3 capítulos, formada também pela performance solo estratégia nº 1: entre e pela instalação eu é um outro. O espetáculo explora a relação entre as esferas pública e privada, presentes no dia-a-dia de todos. Percebemos que as “instruções” podem nos acompanhar em diferentes momentos, como numa aula de samba com tradução simultânea para o inglês, nas medidas do palco do teatro e até no passo-a-passo para vestir uma simples camiseta. Dani Lima é bailarina, diretora e coreógrafa. Fundou a intrépida Trupe e integrou o grupo durante 13 anos, ajudando a reinventar a linguagem circense incorporando música pop, dança contemporânea e teatro aos espetáculos. Criou a Cia. Dani Lima em 1997. Este espetáculo foi criado em colaboração com André Masseno, Dani Lima, Denise Stutz, Michelle Moura, Mônica Burity, Renato Cruz e Vivian Miller. Manual de instruções is the second part of the Vida real em 3 capítulos trilogy, formed by the solo performance Estratégia nº 1: entre and the installation Eu é um outro. The work deals with the relationship between the public and the private spheres present in everyone´s daily life. We realize that “instructions” can accompany us in different moments, like in a samba class with simultaneous translation to english, in the measurement of the stage and even in the step-by-step to put on a t-shirt.

Teatro Arthur Azevedo Teatro Arthur Azevedo Teatro Armando Gonzaga Teatro Armando Gonzaga Dani Lima is a dancer, director and choreographer. She founded Intrépida Trupe and was part of the group for 13 years, helping reinvent the circus language, incorporating pop music, contemporary dance and theatre into the performances. She created her own company in 1997. This show was created in collaboration with André Masseno, Dani Lima, Denise Stutz, Michelle Moura, Mônica Burity, Renato cruz and Vivian Miller. Concepção e Direção Conception and Direction Dani Lima Intérpretes Performers André Masseno, Michelle Moura, Mônica Burity, RenaTo Cruz e Vivian Miller Assistência de Direção Assistant Directors André Masseno e Denise Stutz Dramarturgia Dramaturgy Silvia Soter Direção de Arte Art Direction João Modé Direção Musical Music Direction Felipe Rocha Iluminação Lighting Paulo César Medeiros Designer Gráfico Graphic Designer Vivian Miller Coordenação Geral General Coordination Márcia Dias Direção de Produção Production Director Tatiana Garcias.

Classificação etária livre


My Mother naked

60 min

Cristina Moura 02/11 03/11

Brasil, RJ dom sun 19h seg mon 19h

Teatro nelson Rodrigues Teatro nelson Rodrigues

20 Para criar My mother naked, Cristina Moura partiu da observação de corpos femininos e das imagens transmitidas por eles. Corpos envelhecidos, mortos, inventados, pornográficos e os sentimentos emanados por eles – como raiva, surpresa ou sofrimento – são objetos dessa investigação. O resultado é um trabalho que evoca diferentes sentimentos no público e provoca reações diversas. Estreou em março deste ano no Theatre Pole Sud, em Strasburgo. Cristina Moura é coreógrafa, diretora e performer. integrou o Grupo EnDança, de Brasília, e de 1996 a 2003 viveu na Europa, onde trabalhou com as companhias Mudances (Espanha), L’Esquisse (França) e Les Ballets C. de la B. (Bélgica). nesse período, também colaborou com os coreógrafos Angela Guerreiro, Rui Horta e João Fiadeiro Em 1998 começou a desenvolver trabalhos solo. To create My Mother naked, the starting point for cristina Moura was the observation of female bodies and the images they convey. The subjects of this investigation are decaying, dead, invented, pornographic bodies and the feelings that emanate from them, such as anger, surprise and suffering. The result is a show that evokes different feelings in the audience and provokes diverse reactions. It premiered last march in Theatre Pole Sud, in Strasbourg.

in europe from 1996 until 2003, where she worked with Mudances (Spain), L’esquisse (France) and Les Ballets c. de la B.(Belgium). During that period, she collaborated with choreographers Angela Guerreiro, Rui horta and João Fiadeiro. In 1998 she started developing solo work. Direção, Criação e Interpretação Direction, Creation and Performance Cristina Moura Dramaturgia Dramaturgy Carmen Mehnert Iluminação e Direção Técnica Lighting and Technical Direction Dalton Camargos Trilha Sonora Original Original Soundtrack Beat Halberschmidt Cenário Stage Settings Afonso Tostes Objetos Props Aurora dos Campos e Cristina Moura Assistente da Diretora Assistant to the Director Helena Saldanha e Luciana Froés Produção Production Tatiana Garcias Co-Produção Co-Production Thetre Pole Sud, Strasbourg – França; Le Maillon Theatre, Strasbourg – França; O Espaço do Tempo, Montemor o novo – Portugal, Rodrigo Marçal e Estúdio Arpx Apoio Support Rio Cena Contemporânea, Rio de Janeiro – Brasil; la Menagerie de Verre sur le Cadre Studio Lab, Paris – França.

cristina Moura is a choreographer, director and performer. She was part of Grupo enDança, from Brasília, and she lived Classificação etária 16 anos


Argumentos A Favor de La Oscuridad

40 min

Edgardo Mercado 03/11 04/11

seg mon ter tue

Argentina 21h 21h

iAB | Sala das Machinas iAB | Sala das Machinas

22 Argumentos a Favor de la oscuridad (2007) encerra a trilogia iniciada com Tierra de Mandelbrot e Plano difuso (também no Panorama 2008). Aqui, o coreógrafo Edgardo Mercado continua a exploração da relação entre luz, corpos projetados e movimento. Todo o tempo, as intérpretes brincam com o jogo de luz x sombra, preto x branco; elas se misturam às projeções, colocando corpos reais e virtuais dançando em sobreposição. Em muitos momentos fica a dúvida: o que é real? O que é virtual? Edgardo Mercado é coreógrafo, bailarino e professor. Desde 1997 dança no argentino nucleodanza, sob a direção de Susana Tambutti e Margarita Bali. Passou uma temporada na Europa, onde foi convidado no Centro nacional de Rillieux-la-Pape, dirigido por Maguy Marin, e no Centro Coreográfico nacional de Tours, dirigido por Daniel Larrieu. Antes de se dedicar à dança, estudou ciências físicas e chegou a dar aulas de matemática. Argumentos A Favor de la Oscuridad (2007) ends a trilogy that began with Tierra de Mandelbrot and Plano Difuso (also in Panorama 2008). The choreographer continues his exploration of the relationship between light, projected images of bodies and movement. During the time of the show, the performers play games of light x shadow, black x white; they mix themselves with projections, juxtaposing real and virtual dancing bodies. In many moments we are left with a doubt: What is real? What is virtual? edgardo Mercado is a choreographer, dancer and professor.

Since 1997, he dances in Argentinean group nucleodanza, under the direction of Susana Tambutti and Margarita Bali. he spent a season in europe, where he was a guest at centre chorégraphique national de Tours, directed by Daniel Larrieu. Before dedicating himself to dance, edgardo studied Physics and even taught math. Idéia e Direção Idea and Direction Edgardo Mercado Música Original e Direção Multimedial de Imagens Digitais Original Music and Multimedia Direction of Digital Images Gabriel Gendin Bailarinas Dancers Maria Eugenia Cairo, Lía Mazza, Roberta Menzzaghi, Mariana Tellechea Bailarinas Suplentes Stand-By Dancers Romina Robles, Lucia Perez Coreografia Choreography Edgardo Mercado Desenho Multimedial de Imagens Digitais Multimedia Design of Digital Images Gabriel Gendin, Edgardo Mercado Desenho de Luz Light Design Gonzalo Córdova Cenografia Stage Settings Ariel Vaccaro Figurino Costume Federico Laboreau Assistente de Produção Production Assistant Laura Arensburg Assistência Técnica Technical Assistant Lucia Pérez Fotografia Photography José Cariacedo Agradecimentos Thanks Laboratorio de investigación Y Producción Musical, Centro Cultural Recoleta, Sra. nelly di Tella, ing. Juan Felix Figini, Julio Viera, Javier Leichman, Diana Piazza, Dep. De Artes Del Mov. Luna, Magarita Bali, Susana Tambutti, Ana Deutsch, Ana, Theo, ignacio Meroni, Flia Mercado e os bailarinos Diego Poblete, Exequiel Barreras, Pablo Fermani e Emanuel Ludueña. Classificação etária livre


Co-Produção Co-Production CETC (Centro de Experimentación del Teatro Colón), PRODAnZA, Fondo Metropolitano de las Artes y las Ciencias Apoio Support Secretaria de Extensión Universitaria iUnA, Departamento de Artes del Movimento y de Siserpem S.A. Apoio da turnê Tour support Fondo Metropolitano de las Artes y las Ciencias Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Bienal de Dança do Ceará e Festival internacional de Dança do Recife.


Qwerty

50 min

Yuzo Ishiyama / A.P.I. 04 /11

ter tue

Japão Japan

19h30

Teatro João Caetano

24 no ano em que se comemora o centenário da imigração japonesa no Brasil, Yuzo ishiyama mostra com Qwerty que a dança japonesa vai além das escolas tradicionais. Explorando inúmeras possibilidades tecnológicas de luz e vídeo, o espetáculo propõe um novo entendimento do papel do corpo humano na cena, com corpos reais e imagens digitais dividindo o mesmo espaço e importância. Com o nome do teclado em que a maioria de nós passa os dias a decidir cada passo da vida, Qwerty é uma experiência visual e uma prova de que a tecnologia está definitivamente inserida no nosso cotidiano. O japonês Yuzo ishiyama é coreógrafo e performer que trabalha com novas tecnologias. É co-diretor de performances em mídia da companhia nEST e vem apresentando inúmeros trabalhos integrando som, instalações, projeções e dança. In the year of the centennial commemoration of the Japanese immigration in Brazil, Yuzo Ishiyama shows with Qwerty that Japanese dance goes beyond the traditional schools. exploring countless technological possibilities of light and video, the show proposes a new understanding of the role of the human body on stage, with real bodies and digital images sharing the same space and the importance. Bearing the name of the keyboard in which most of us spend our days deciding each step of our lives, Qwerty is a visual experience and proof that technology is definitely inserted in our daily life.

Japanese Yuzo Ishiyama is a choreographer and performer who works with new technologies. he is co-director of media performances in neST company and has been presenting many works that integrate sound, installations, projections and dance. Concepção e Direção Concept and Direction Yuzo ishiyama Som Sound Yuta Kumachi Visuais Visuals Sakura (exe+) nobuyuki Shintani Iluminação Lighting Rasa Design Production Figurino Costume Rocca Works Diretor Técnico Technical Director Yutaka Endo (Luftzug) Interpretado e Coreografado Por Performed and Choreographed By So Ueda, Rieko Watanabe, Akino Miyao, Yuzo ishiyama Agradecimentos Thanks Kazutomi Kozuki, Satsumi Fukai, Mitsutake Kasai, Yuji Sekiguchi Apoio da turnê Tour support Japan Foundation Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Sesc São Paulo.

Classificação etária livre


Tombé

Dimenti 04/11 05/11

50 min Brasil, BA ter tue 20h qua wed 16h

Sesc São João de Meriti Sesc São João de Meriti

26 Tombé mistura mitos, rituais e estereótipos da dança. De forma irreverente, o Dimenti leva para o palco situações vividas diariamente pelos bailarinos nas salas de aula. O resultado é uma brincadeira sobre a possibilidade de convivência entre as diversas formas de dança. Criado em 1998 na Bahia, o Dimenti atua em diferentes frentes de produção cultural. Formado por artistas de áreas distintas, sua pesquisa envolve dança, teatro, cartoons e música. A atuação do Dimenti ultrapassa os limites do palco, incluindo oficinas, debates, intercâmbios, publicações e projetos audiovisuais.

and Choreography Jorge Alencar Direção Musical Musical Direction Osvaldo Ferraz e Tiago Rocha Figurino Costume Jorge Alencar Maquiagem Make-Up Márcio nonato Projeto de Luz Light Design Ellen Mello e Márcio nonato Direção de Produção e Assessoria de Imprensa Production Direction and Press Relations Ellen Mello Logomarca Logo Moisés Carneiro.

Tombé mixes myths, rites and stereotypes of dance. In an irreverent and clever way, Dimenti takes to the stage situations that are experienced daily by the dancers in the classroom. The result is a game about the possibility of different forms of dance living together. created in 1998 in Bahia, Dimenti works in different fronts of cultural production. Formed by artists from different areas, its research involve dance, theater, cartoons and music. The work of the group goes beyond the limits of the stage, including the production of workshops, debates, exchanges, publications and audiovisual projects. Intérpretes-Criadores Performers-Creators Daniel Moura, Fábio Osório Monteiro, Jorge Alencar, Márcio nonato, Vanessa Mello Direção e Coreografia Direction Classificação etária 16 anos


império, Love to Love You, Baby

70 min

Ricky Seabra 04/11 05/11

Brasil, RJ ter tue 21h qua wed 21h

Teatro Villa-Lobos Teatro Villa-Lobos

28 Qualquer semelhança não é mera coincidência: Rickyoncé, a musa de Império, love to love you, baby, é um clone da americaníssima Beyoncè Knowles. Através dessa personagem e de outros ícones da cultura e estética norte-americanas, o meio-americano-meio-brasileiro Ricky Seabra discute com ironia e bom humor a influência do império do Tio Sam pelo mundo. Um espetáculo pop e moderno que faz sua estréia carioca no dia das eleições americanas. Ricky Seabra nasceu em Washington em 1964, com nacionalidade brasileira e americana. Estudou comunicação visual na Parsons School of Design, mas sempre esteve perto do mundo da dança. Trabalhou anos com a coreógrafa Andrea Jabor, em espetáculos como De areia e mar (1997), Aviões e arranha-céus (2002) e Isadora.orb (2003). Any resemblance is not a mere coincidence: Rickyoncé, the muse of Empire, Love to Love You, Baby is a clone of überamerican Beyoncé Knowles. Through this character and other icons of American culture and aesthetics, halfAmerican-half-Brazilian Ricky discusses the influence of Uncle Sam’s empire throughout the world with humor and irony. A pop and modern show, that will premiere in Rio the same day of the American elections. Ricky Seabra was born in Washington in 1964, having both Brazilian and American nationalities. he studied Visual communication in the Parsons School of Design, but was always close to the dance world. he worked for many years

with choreographer Andrea Jabor in performances like From Sand to Sea (1997), Airplanes and Skyscrapers (2002) and isadora.Orb (2003). Criação e Interpretação Creaton and Performance Ricky Seabra Direção e Co-Autoria Direction and Co-Authorship Dirk Verstockt Dramaturgia Português Portuguese Dramaturgy Marcia Beatriz Bello Direção de Movimento Movement Direction Sonia Destri Assistente de Direção de Movimento Movement Direction Assistant Raphael Russier Desenho de Luz Light Designer Kim Rens e Marcelo Augusto Santana Operação de Luz Light Operation Marcelo Augusto Santana Traduções Translation Elisa Hugueney Consultoria Histórica Historical Advisor Jan De Pauw Figurino Imperatriz Empress Costume Design Marcelo Marques Programação Visual Visuals Daniel Whitaker/Cobertura 01 Trilha Sonora Soundtrack Kreng Concepção Vídeos Video Conception Ricky Seabra e Dirk Verstockt Edição e Finalização Vídeos Video Editing and Finishing Roberta Rangé e Stef Deneer Construção Trono Throne Construction izan Curvas/ Taguatinga Crew Cenotécnicos Technical Crew Djavan & Maranhão Produção e Administração Production and Management Fomenta Produções e Kunstencentrum nona, Bélgica Administração Management Fomenta Produções Direção de Produção e Técnica Production and Technical Direction João Braune Produção Executiva Executive Production Carla Mullulo Assistente de Produção Production Assistant Kelly. Classificação etária 18 anos


Correspondances

50 min

Kettly Noël Mali & Nelisiwe Xaba áfrica do Sul

05/11

qua wed

19h

South Africa Teatro nelson Rodrigues

30 nelisiwe nasceu na áfrica do Sul. Kettly é de Mali. Elas se conheceram em 2007 em Johannesburgo. Depois de outros dois rápidos encontros, começaram a trocar correspondências. Da troca de idéias e de sentimentos, nasceu o espetáculo correspondances. no palco, duas mulheres – Madame X e Madame Y – descobrem muito em comum sobre ser mulher e africana no mundo globalizado. nelisiwe Xaba nasceu em Soweto. Estudou na Johannesburg Dance Foundation saindo em 1996 para estudar em Londres. Lá, ela fez parte da Pact Dance Company (1997) e trabalhou com Robyn Orlin. Kettly noël saiu de Port au Prince, no Haiti, aos 17 anos, e se juntou à companhia de Patrick Lacroix. no fim dos anos 90, foi para Mali, onde criou o festival de Bamako. nelisiwe was born in South Africa. Kettly comes from Mali. They met in 2007 in Johannesburg. After other two brief encounters, they started to exchange correspondences. out of the exchange of ideas and feelings, Correspondances was born. on stage, two women – Madam X and Madam Y – discover a lot in common about being women and African in a globalized world. nelisiwe Xaba was born in Soweto. She studied in Johannesbourg Dance Foundation and left in 1996 to study in London. There, she was part of Pact Dance company (1997) and worked with Robyn orlin. Kettly noël left Port au Prince, haiti, at age 17 and joined the company of Patrick Lacroix. In the end of the 1990´s, she went to Mali, where she created the festival of Bamako.

Coreografia e Interpretação Choreography and Performance Kettly noël & nelisiwe Xaba Cenografia e Figurino Stage and Costume Design Joël Andrianomearisoa Desenho de Luz Light Design Gilles Gentner Técnica Technical Crew Christian Le Moulinier Video Video Frédéric Koening Foto Photography Eric Boudet Música Music Jill Scott, Betty Carter, Blossom Dearie, Godspeedyou Black Emperor, Annie Lenox Eurythmics, John Cage, Angedup Produção Production Donko Seko/La Compagnie Kettly noël Co-Produzido por Co-Produced by Rencontres Chorégraphiques internationales de Seine-Saint-Denis, Programme Afrique en Création de Cultures France, Centre Culturel Français de Bamako, Service de Coopération Et D’action Culturelle de L’ambassade de France au Mali, institut Français D’afrique du Sud (ifas), Ambassade de France en Afrique du Sud (Johannesburg), les Francophonies en Limousin Centre Chorégraphique national de CaenBasse normandie Residências e Apoio Residencies and Support Schlachthaus Theater (Berne), Centre Culturel Français (Bamako), CCn Ballet Preljocaj le Pavillon noir (Aix en Provence), CCn de Caen-Basse normandie, Rencontres Chorégraphiques internationales de Seine Saint-Denis Agradecimentos Thanks Bénédicte Alliot, Valéry Gaillard. Apoio da turnê Tour support Afrique et Caraïbes en Créations/Culturesfrance – Ministère des Affaires étrangères Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte).

Classificação etária 16 anos


Coca-Cola Dreams

Luvyen Mederos

05/11 06/11

qua wed qui thu

12 min Cuba 21h 21h

iAB | Sala das Machinas iAB | Sala das Machinas

32 O próprio Luvyen Mederos já declarou ficar feliz ao perceber pessoas rindo na platéia ao assistir a coca-cola Dreams. Seu objetivo é exatamente este: ridicularizar o sonho americano. no solo, ele critica os estereótipos clássicos da sociedade americana do ponto de vista da sociedade de Cuba. coca-cola Dreams tem como objetivo gerar reflexão sobre o que leva o povo cubano a querer fazer parte do mundo capitalista mesmo que para isso precise se aventurar mar adentro. Tudo com muito bom humor. O bailarino e coreógrafo cubano Luvyen Mederos começou no teatro, aos 19 anos. Dançou na companhia narciso Medina e na Prodanza. Em 2005, Luvyen se formou na Escuela de Espectáculos de Tropicana e aos 22 anos entrou para a companhia Danza Contemporánea de Cuba, onde está até hoje. Com coca-cola Dreams recebeu o prêmio da i Bienal de Danza del Caribe.

cuban dancer and choreographer Luvyen Mederos started in theater at the age of 19. he danced in the narciso Medina company and in Prodanza. In 2005, Luvyen graduated from escuela de espetáculos de Tropicana and at age 22 he entered Danza contemporánea de cuba company, where he is to this day. With coca-cola dreams he received the award of the first Bienal de Danza del caribe. Coreografia e Interpretação Choreography and Performance Luvyen Mederos Apoio da turnê Tour support Afrique et Caraïbes en Créations/ Culturesfrance – Ministère des Affaires étrangères Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte).

Luvyen Mederos himself has declared that he was happy to realize people in the audience were laughing while watching Coca-Cola Dreams. his goal was exactly that: to make fun of the American dream. In the solo, he criticizes the classic stereotypes of American society from the perspective of cuban society. Coca-Cola Dreams aims to generate reflections about what makes the cuban people want to be part of the capitalist world even if it takes venturing into open sea. All in a very humorous tone.

Classificação etária livre


Maravillosa

44 min

Josie Cáceres Equador 05/11 06/11q

qua wed ui thu

ecuador & Federica Folco Uruguai Uruguay 21h iAB | Sala das Machinas 21h iAB | Sala das Machinas

34 Vivemos em uma sociedade de consumo onde tudo é vendável? Então, o que vende um espetáculo de dança? idéias? Sentimentos? Um simples passatempo? Tentando responder a essas questões nasceu Maravillosa. Os interessados podem escolher entre as versões standard e de bolso. Uma reflexão sobre os limites do que é mercadoria na nossa sociedade de consumo desenfreado. Sem contraindicações. Josie Cáceres é coreógrafa e bailarina. É fundadora, co-diretora e docente da Frente de Dança independente, uma das principais referências da dança contemporânea no Equador. Através da Frente, produz inúmeros eventos de valorização da dança no país, entre eles o festival no Más Luna en el água e o encontro Las Estéticas del Cuerpo. Bailarina e coreógrafa, Federica Folco trabalha de forma independente e é diretora do espaço La Compañía, referência da dança no Uruguai. Do we live in a consumer society where everything is for sale? So, what does a dance show sell? Ideas? Feelings? Mere entertainment? Trying to answer those questions, Maravillosa was born. A discussion about the boundaries of what is merchandise in our uncontrolled consumer society. no side effects.

dance in ecuador. Through Frente, Josie produces countless events to promote dance in the country, among them is the no Más Luna en el água festival and the Las estéticas del cuerpo meeting. Dancer and choreographer Federica Folco works in an independent way and is the director of La compañia space, a reference for dance in Uruguay. Criação e Dança Creation and Dance Josie Caceres, Federica Folco Arte Art Daniela Beracochea/ Sandra Marroig. Maravillosa é resultado do projeto coLABoratorio – Encontro Sul-Americano e Europeu de Coreógrafos, uma iniciativa do Festival Panorama de Dança (Rio de Janeiro) com apoio do Programa Cultura 2000 da União Européia e com a colaboração do FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Bienal de Dança do Ceará (Fortaleza), Artsadmin (Londres), Alkantara (Lisboa) e Theatre institut (Praga). Maravillosa também recebeu apoio da Red Sudamericana de Danza e de Perú en Danza (Lima). Parceiros no Brasil Brazilian Partners Festival Contemporaneo de Dança (São Paulo) e FiD – Forum internacional de Dança (Belo Horizonte).

Josie cáceres is a choreographer and dancer. She was the founder and is co-director and teacher at Frente de Dança Independente, one of the main references of contemporary Classificação etária livre


Accords

78 min

Zoo / Thomas Hauert

06/11

qui thu

Bélgica Belgium

19h30

Teatro João Caetano

36 Accords é o trabalho mais recente da ZOO, do suíço Thomas Hauert. O espetáculo é a mais nova etapa do trabalho de pesquisa corporal e de movimento iniciado pela companhia em 1998 com cows in space. Accords se concentra na relação entre dança e música e em movimentos improvisados nma partitura muito complexa. Criada pelo coreógrafo suíço Thomas Hauert, a ZOO está comemorando 10 anos. Depois de dançar ao lado de Anne Teresa De Keersmaeker, Pierre Droulers, David Zambrano e Gonnie Heggen. O coreógrafo participa do Panorama também com um workshop em que utiliza a técnica de improvisação trabalhada na ZOO e em seus cursos na P.A.R.T.S. Accords is the latest work of Belgian company Zoo, from Swiss choreographer Thomas hauert. The show is the new stage of the research work of the body and movement the company started in 1998 with Cows in Space. Accords concentrates on the relationship between dance and music and improvised movements within a very complex music score. created by Swiss choreographer Thomas hauert, Zoo is celebrating its 10th anniversary. After dancing besides Anne Teresa De Keersmaeker, Pierre Droulers, David Zambrano and Gonnie heggen. The choreographer also participates in Panorama with a workshop in which he uses the improvisation technique used in Zoo and in his classes at P.A.R.T.S.

Coreografia Criada e Apresentada por Choreography Created and Performed by Thomas Hauert, Martin Kilvady, Sara Ludi, Chrysa Parkinson, Zoë Poluch, Mat Voorter e Samantha Van Wissen Desenho de Luz e Cenário Light and Stage Design Jan Van Gijsel Desenho de Luz e Música Original Light Design and Original Music Peter Van Hoesen Música Music el Mandaito (Bulerias) – Vicente Amigo; Kabinett Mit Vierteltönen noch ein Perpetuum Móbile – Roland Moser; Immortal Bach – Knut nystedt; Prelude op. 23, n0 10 In G Flat & Piano Sonata no 2 In B Flat Minor – Sergej Rachmaninov; La Valse – Maurice Ravel; Dawn chorus At Bialowieja Forest, concert De crapauds & concerts de La nuit concerts des Loups en Forêt canadienne – Jean C. Roché; Première Gymnopédie – Erik Satie; Drama & de Breton – Dick Van Der Harst; Marsch – Stefan Wolpe Figurino Costume Own Produção Production Zoo Co-Produção Co-Production Kunstenfestivaldesarts, Brussels – Kaaitheater, Brussels, - Pact Zollverein, Essen – Festival Alkantara, Lisbon – Mercat de Les Flors, Barcelona Agradecimentos Thanks Charleroi/Danses, Centre Chorégraphique de La Communauté Française de Belgique Apoio Support Government of Flanders, Flemish Community Commission, Pro Helvetia – Swiss Arts Council, Ein Kulturengagement Lotteriefonds Kanton Solothurn

Conceito e Direção Concept and Direction Thomas Hauert Classificação etária livre


Tierra de Mandelbrot

30 min

Edgardo Mercado 07/11

sex fri

Argentina 19h

Teatro nelson Rodrigues

38 Em uma mesma noite, o público carioca poderá conferir duas obras do argentino Edgardo Mercado. nos dois trabalhos, o coreógrafo explora com sofisticação a integração entre dança e tecnologia: os corpos dos intérpretes se misturam a imagens geradas digitalmente – tema que voltará a trabalhar mais tarde em Argumentos a Favor de la oscuridad. Tierra de Mandelbrot traz duas bailarinas e um músico cujos corpos se alternam nos papéis de sujeitos da ação e do espaço onde a ação acontece. Vestidos de roupas brancas, os três são entrecortados por feixes de luz todo o tempo, chegando a parecerem pixels em uma das cenas. O público é levado a exercitar uma nova forma de olhar e perceber a ação. In a same night, the audiences in Rio will be able to watch two pieces of Argentinean edgardo Mercado. In both pieces, the choreographer explores with sophistication the integration between dance and technology: the bodies of the dancers are mixed with digitally generated images – a subject he will further explore in Argumentos a Favor de la Oscuridad . In Tierra de Mandelbrot, there are two dancers and a musician, whose bodies alternate the role of subject of action and space where the action takes place. Dressed in white, the three of them are cut by light beams all the time, to the point of resembling pixels in one of the scenes. The audience is led to exercise a new way of regarding and perceiving action.

Mercado Colaboração Coreográfica Choreographic Collaboration Sofía Cerdan Intérpretes Performers inés Armas, Lía Mazza, Maximiliano Dacuy Desenho Multimedia Digitais Multimedia Design Gabriel Gendín Música Original Original Music Rodrigo López Klingenfuss Desenho de Luz Light Design Gonzalo Córdova Operação de Vídeo e Som Sound and Video Operation Gabriel Gendín Engenheiro de Som Sound Engineer Lucas Cordiviola Figurino Costume Laureano Mon y Cecilia Coronado Assistência Técnica Technical Assistant Soledad Gutierrez Assistência de Produção Production Assistant Laura Arensburg Fotografia Photography José Carracedo Apoio Support PRODAnZA 2004 Apoio da turnê Tour support Fondo Metropolitano de las Artes y las Ciencias Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Bienal de Dança do Ceará, Festival internacional de Dança do Recife.

Criação e Direção Creation and Direction Edgardo Mercado Coreografia Choreography Edgardo Classificação etária 12 anos


Plano Difuso

21 min

Edgardo Mercado 07/11

sex fri

Argentina 19h

Teatro nelson Rodrigues

40 Em Plano Difuso, Mercado continua a explorar as possibilidades do diálogo entre dança e tecnologia. Aqui, as projeções funcionam em alguns momentos como delimitadoras do espaço da dança: o intérprete já reconhece os limites impostos pela tecnologia, conhece o seu meio e trata de usá-lo a seu favor. no palco, um único intérprete se multiplica e ocupa todo o espaço do palco com a ajuda de ferramentas tecnológicas que criam ora um cenário para a performance do artista ora outros “bailarinos” em cena. In Plano Difuso, Mercado continues to explore the possibilities of dialogue between dance and technology. In this case, the projections work as boundaries for the space of the dance: the performer already recognizes the limits imposed by technology, he knows his environment and uses it in his favor. A single performer multiplies himself and occupies the whole stage with the help of technological tools that sometimes create a setting for the artist’s performance and sometimes create other “dancers” on stage.

Luz Light Design Gonzalo Córdova Operador de Som e de Vídeo Sound and Video Operator Gabriel Gendín Figurino Costume Emilce Benitez Assistente Técnica Technical Assistant Soledad Gutierrez Assistente de Produção Production Assistant Laura Arensburg Fotografia Photography José Carracedo Apoio Support PRODAnZA , Fondo Metropolitano de las Artes y las Ciências, Secretaria e Extensión Universitaria iUnA – Departamento de Artes del Movimento y de Siserpem S.A. Apoio da turnê Tour support Fondo Metropolitano de las Artes y las Ciencias Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Bienal de Dança do Ceará, Festival internacional de Dança do Recife.

Criação e Direção Creation and Direction edgardo Mercado Coreógrafo Choreographer edgardo Mercado Assistente de Coreografia Choreography Assistant Pablo Castronovo Bailarina Dancer Pablo Castronovo Desenho Multimídia Multimedia Design Gabriel Gendín em colaboração collaboration com Edgardo Mercado Direção Multimedia Multimedia Direction Gabriel Gendín Música Original Original Music Gabriel Gendín Desenho de Classificação etária livre


Quinteto

50 min

Staccato Dança Contemporânea

07/11

sex fri

20h

Brasil, RJ Sesc nova iguaçu

42 Quinteto explora o minimalismo dos movimentos, os pequenos gestos sem influências de elementos externos, como o cinema ou as artes plásticas, sempre tão presentes no trabalho do coreógrafo Paulo Caldas. Depois da grandiosidade cenográfica de Filme (2007) – obra anterior da companhia – simplicidade é a palavra de ordem, dos movimentos ao figurino e cenário. Tudo em cena é voltado para o movimento. Em 2008, a Staccato comemora 15 anos. Criada em 1993 pelo coreógrafo Paulo Caldas e pela bailarina Maria Alice Poppe, a Staccato Dança Contemporânea inicialmente trabalhou com duetos a partir das técnicas de contato e improvisação e do Sistema Laban. Sua produção, singularizada por uma pesquisa sobre a linguagem cinematográfica em cena, mereceu prêmios e distinções nacionais e internacionais.

duets with the techniques of contact improvisation and the Laban System. Its productions, unique in its research of the cinematographic language on stage, won several national and international awards and distinctions. Direção e Coreografia Direction and Choreography Paulo Caldas Bailarinos Pesquisa de Movimento Dancers Movement Research Carolina Wiehoff, João Paulo Gross, natasha Mesquita, Paula Maracajá, Toni Rodrigues Iluminador Lighting Renato Machado Figurino Costume Ticiana Passos Fotos Photography Guilherme Rodrigues Design Design Karin Palhano Produção Executiva Executive Production nely Coelho Direção de Produção Production Director Verônica Prates.

Quinteto explores movement minimalism, small gestures, without the influence of external elements like cinema or the visual arts, which are always so present in the work of choreographer Paulo caldas. After the scenic grandiosity of Filme (2007) – the company’s last piece –, simplicity is the motto, in movement, costume and stage settings. everything in the stage is driven toward movement. In 2008 Staccato celebrates its 15th anniversary. created in 1993 by choreographer Paulo caldas and dancer Maria Alice Poppe, Staccato Dança contemporânea initially worked with Classificação etária livre


We Failed To Hold This Reality in Mind Impure Company/Hooman Sharifi 07/11

sex fri

21h

60 min

noruega norway Teatro Villa-Lobos

44 Como apresentar ou criar uma identidade? Etnia é apenas etnia ou é algo funcional? Como criar empatia por algo ou alguém? Com o trabalho solo We failed to hold this reality in mind, Hooman Sharifi tenta responder a essas questões e entender sua própria história. Durante 60 minutos, o público é confrontado com elementos da cultura iraniana: na música, nos movimentos executados pelo artista e em imagens. O público fica sob a luz, deixando transparecer suas reações.

choreographer and dancer hooman Sharifi was born in 1973 in Iran. At age 14, he ran away from his country and ended up in norway, where he started his career and lives to this day. Still at a young age, he got interested in dance through hip-hop and street-jazz. he studied classic and modern dance and in 2000 he graduated as a choreographer from national college of Ballet and Dance, in oslo. Since then, he has created a series of performances with his company, Impure co.

O coreógrafo e bailarino Hooman Sharifi nasceu em 1973 no irã. Aos 14 anos, fugiu de seu país e foi parar na noruega, onde iniciou sua carreira e vive até hoje. Ainda jovem, se interessou pela dança através do hip-hop e do street-jazz. Estudou dança clássica e moderna e em 2000 se formou coreógrafo pela national College of Ballet and Dance, em Oslo. Desde então vem criando uma série de performances com a sua companhia, a impure Co.

Coreografia, Luz e Performance Choreography, Light and Performance Hooman Sharifi Colaboração Artística Artistic Collaboration Leif Hernes Consultor Musical Musical Advisor Javid Afsrirad Título Title Virginia Woolf Ajuda Técnica Technical Help Rikke Baewert Música Music Mohammad Reza Shadjarian, Ensemble Aref, Hossein Alizadeh, Kayhan Kalhor, Parviz Meshkatian, Homayoon Shadjarian, Hafez nazeri, Alireza Faiz Bashipuor And Shahram nazeri Produção Production impure Company Co-Produção CoProduction Rencontres Chorégraphiques internationales de Seine-Saint-Denis Paris, Monty Antwerp, BitTeatergarasjen Bergen and Springdance/Works Utrecht. Parceria no Brasil Brazilian Partners Sesc São Paulo, FiAC – Festival internacional de Artes Cênicas (Salvador).

how to present or create an identity? Is ethnicity just ethnicity or is it functional? how to create empathy for something or someone? With the solo piece We failed to hold this reality in mind (2005), hooman Sharifi tries to answer those questions and to understand his own history. During 60 minutes, the audience is confronted with elements of Iranian culture: the music, the movements executed by the artist and images. The audience is illuminated and their reactions are revealed.

Classificação etária 16 anos


Raio X

55 min

Membros Cia. de Dança Brasil, RJ 08/11 09/11

sáb sat dom sun

19h 17h

Teatro Mário Lago Teatro Mário Lago

46 Raio X é a primeira parte de uma trilogia que tem a violência como tema. O espetáculo mistura uma leitura da violência com movimentos mais virtuosos, criados pela coreógrafa Taís Vieira a partir de notícias policiais. A trilha sonora segue a mistura de estilos: música clássica com textos políticos e a base agressiva do hip-hop. A Membros também está na programação do Sentido>Centro, se apresentando com convidados em várias estações das linhas 1 e 2 do Metrô Rio. Fundada em 1999 por Paulo Azevedo e Taís Vieira, a Membros é formada por jovens de Macaé, Estado do Rio de Janeiro. A companhia é um dos eixos que compõem o Centro integrado de Estudos do Movimento Hip-Hop (CiEM.h2). O nome Membros surgiu depois que eles assistiram a uma apresentação do Grupo Corpo, como uma espécie de homenagem.

de Janeiro. The company is only one of the axis that form centro Integrado de estudos do Movimento hip-hop (cIeM h2). The name Membros (limbs) came up after they watched a show of Grupo corpo – which means body –, as a kind of tribute. Direção e Trilha Sonora Direction and Soundtrack Paulo Azevedo Coreografia e Concepção Choreography and Conception Taís Vieira Intérpretes Criadores Performers-Creators Julis Mack, Zanzibar Luis, João Silva, Jean Gomes, Luiz Lima, Rogerio Araujo Iluminação Lightening Flavio Pereira.

Raio X is the first part of a trilogy that has violence as a theme. The show mixes a reading of violence with virtuoso movements, created by choreographer Taís Vieira based on police news texts. The soundtrack follows the mixture of styles: classic music with political texts and the aggressive hip-hop base. Membros is also in the Sentido>centro program, performing with guests in various stations of Rio’s Subway. Founded in 1999 by Paulo Azevedo and Taís Vieira, Membros is made up by young students of Macaé, in the state of Rio Classificação etária livre


God Exists, The Mother is Present, But They no Longer Care Impure Company/Hooman Sharifi 08/11

sáb sat

21h

70 min

irã/noruega Iran/norway Teatro Villa-Lobos

48 Trechos de textos de Friedrich nietzsche, Hannah Arendt, Roland Barthes e Peter Handke convivem com os bailarinos em cena em God exists, the mother is present, but they no longer care (2007). O coreógrafo Hooman Sharifi volta a apresentar uma obra engajada ao se inspirar diretamente nesses autores para criar movimentos fortes que destilam raiva e violência. Os textos são projetados uma a um, como parte do processo de reflexão que a obra propõe. O coreógrafo e bailarino Hooman Sharifi nasceu em 1973 no irã. Aos 14 anos, fugiu de seu país e foi parar na noruega, onde iniciou sua carreira e vive até hoje. Ainda jovem, se interessou pela dança através do hip-hop e do street-jazz. Estudou dança clássica e moderna e em 2000 se formou coreógrafo pela national College of Ballet and Dance, em Oslo. Desde então vem criando uma série de performances com a sua companhia, a impure Co. excerpts from texts by Friedrich nietzsche, hannah Arendt, Roland Barthes and Peter handke share the stage with bodies of dancers in God exists, the mother is present, but they no longer care (2007). hooman Sharifi presents another political piece, directly inspired by the above mentioned authors to create movements that instill anger and violence. The texts are projected one by one, as part of the reflection process the show proposes.

up in norway, where he started his career and lives to this day. Still at a young age, he got interested in dance through hip-hop and street-jazz. he studied classic and modern dance and in 2000 he graduated as a choreographer from national college of Ballet and Dance, in oslo. Since then, he has created a series of performances with his company, Impure co. Coreografia, Direção, Luz Choreography, Light and Performance Hooman Sharifi Criação e Performance Creation and Performance Rikke Baewert, Loan Hà, Matthew William Smith, Peder Horgen Colaboração Artística Artistic Collaboration Marianne Van Kerkhoven, Bojana Kunst Coordenação Artística Artistic Coordination Björn Dirk Schlüter Texto Text Peter Handke, Roland Barthes, Friedrich nietzsche, Hannah Arendt Música Music Alog (noruega/norway) Produção Production impure Company Co-Produção Co-Production Kaaitheater (Bruxelas/Brussels), Monty (Antuérpia/Antwerp), Baltoscandal (Rakvere), Rencontres Choréographique internationales de SeineSaint-Denis (Paris) Apoios Support The norwegian Council for Cultural Affairs, the norwegian Ministry of Foreign Affairs Agradecimentos Thanks Jean Luc Ducourt, Bit-Teatergarasjen (Bergen), Marianne van Kerkhoven, Bojana Kunst, Kaaitheater Brussels Parceiros no Brasil Brazillian Partners SESC São Paulo

choreographer and dancer hooman Sharifi was born in 1973 in Iran. At age 14, he ran away from his country and ended Classificação etária 16 anos


Faladores

50 min

Cia. Mário Nascimento 08/11

sáb sat

Brasil, MG

19h30

Teatro João Caetano

50 não se assuste se, entre um movimento e outro de Faladores, você ouvir uma frase incompreensível. O trabalho aborda a oralidade, a necessidade do homem de se expressar e as diversas formas de comunicação, como a arte. Em cena, os bailarinos cantam, tocam instrumentos e dançam, numa construção leve e cheia de energia que cria uma empatia direta com a platéia. Faladores marca a estréia da companhia diante de um grande público no Rio. A Cia. Mário nascimento foi criada em São Paulo em 1998 pelo coreógrafo Mário nascimento e o compositor Fábio Cardia. Seu primeiro trabalho, Escapada (1998), deu a nascimento o prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) de melhor coreógrafo naquele ano. Em 2002, a companhia se mudou para Belo Horizonte, onde mantém sua sede. Don´t be startled if you hear an incomprehensible phrase between one movement and another. The show is about orality, man’s need to express himself and the different communication forms, such as art. on stage, dancers sing, play instruments and dance, in a light piece, filled with energy that creates direct empathy with the audience. Faladores marks the company’s debut in a big stages in Rio.

Arte) for best choreographer in the same year. In 2002, the company moved to Belo horizonte, where it is currently established. Direção e Coreografia Choreography and Direction Mário nascimento Criação e Direção Musical Music Creation and Direction Fábio Cardia Assistente de Coreografia Choreography Assistant Rosa Antuña Figurino Costume Mário nascimento (a Cia Mn veste Elvira Matilde the company Wears elvira Matilde) Poesia e Pesquisa de Percussão Poetry and Percussion Research Rosa Antuña Elenco Cast André Rosa, Daphne Chequer, Joana Wanner, José Villaça, Marco Túlio Ornelas, Mariel Godoy, Rosa Antuña, Thaïs França Preparação Vocal Vocal Preparation Bárbara Penido Técnico de Luz e Som Light and Sound Technician Ricardo Cavalcanti Produção e Designer Gráfico Production and Graphic Designer José Villaça Fotos Photography Silvia Machado Making Of Making Of Paulo Chamone Apoio Support Elvira Matilde, Dinâmica Solução em Saúde, Fundação Clóvis Salgado, Lei de incentivo à Cultura, Governo Federal Patrocínio Sponsorship Petrobras.

cia. Mário nascimento was created in São Paulo in 1998 by choreographer Mário nascimento and composer Fábio cardia. With its first work, escapada (1998), nascimento won the APcA award (Associação Paulista dos críticos de Classificação etária livre


PAnORAMinHA LITTLe PAnoRAMA Chuá

50 min

Dimenti

Brasil, Bahia 30/10 a 02/11 qui thu a dom sun

16h

Espaço Sesc | Mezanino

52 “Era uma vez uma linda princesa chamada Odette... Pronto, é isso.” É assim, com bom humor e um certo escracho que o Dimenti apresenta chuá, sua versão revisitada e contemporânea do balé O lago dos cisnes. Estreando o Panoraminha – versão infantil do festival – a obra faz uma releitura do balé de repertório sem se distanciar do visual inspirado em cartoons que caracteriza a pesquisa cênica do Dimenti. no cenário, um móbile, instrumentos e uma piscina de bolas. Por trás da brincadeira, questões como o consumo na infância, diversidade, gênero e educação. Criado em 1998 na Bahia, o Dimenti atua em diferentes frentes de produção cultural. Formado por artistas de áreas distintas, sua pesquisa cênica e de movimentos envolve dança, teatro, cartoons e música music. A atuação do Dimenti também ultrapassa os limites do palco, incluindo a realização de oficinas, debates, intercâmbios, publicações e projetos audiovisuais. “once upon a time, there was a beautiful princess named odette… ok, that’s it.” With good-humor and a little irony Dimenti presents Chuá, their contemporary and revisited version of the classic ballet Swan Lake. opening Little Panorama – the children’s version of the festival – the piece is a reimagining of the ballet without distancing itself from the cartoon inspired visuals that are characteristic of Dimenti’s work. In the set there is a mobile, instruments and a swimming pool filled with plastic balls. Beyond the fun and games, serious issues are raised such as consumerism in

childhood, diversity, gender and education. created in 1998 in Bahia, Dimenti works in different fronts of cultural production. Formed by artists from different areas, its scene and movement research involve dance, theater, cartoons and music. The work of the group goes beyond the limits of the stage, including the production of workshops, debates, exchanges, publications and audiovisual projects. Intérpretes-Criadores Performer-Creators Daniella Aguiar, Daniel Moura, Fábio Ferreira, Fábio Osório Monteiro, Lia Lordelo, Márcio nonato, Paula Lice, Vanessa Mello Direção e Coreografia Direction and Choreography Jorge Alencar Assistência de Direção Assistant Director Márcio nonato e Ellen Mello Direção Musical Musical Direction Tiago Rocha Direção Vocal Vocal Direction Patrick Campbell Música Original Original Music Tiago Rocha Cenografia Stage Setting igor Souza, inara negrão e Juliana Aragão Cenotécnicos Stage Technician Paulo Batistela e Gei Correa Figurino Costume Jorge Alencar Costureira Seamstress Angélica da Paixão Maquiagem Make Up Márcio nonato Cabelos Hair Deo Carvalho e Márcio nonato Projeto de Luz Light Design João Sanches e Márcio nonato Direção de Produção e Assessoria de Imprensa Production Director and Press Relations Ellen Mello Logomarca Logo Moisés Garcia.

Classificação etária: especialmente recomendado para crianças


PAnORAMinHA LITTLe PAnoRAMA Matrioska

40 min

Tiago Guedes

Portugal 05 a 09/11 qua wed a dom sun

16h

Espaço Sesc | Mezanino

54 Matrioska é uma viagem para crianças de 6 a 10 anos que tem como tema principal a descoberta. As crianças vão exercitar a curiosidade diante dos – ora estranhos, ora fantásticos – personagens. idéias de execução simples incentivam os sentidos e a percepção dos pequenos, como a enorme tela que esconde formas, sombras e texturas. Assim como a boneca russa que dá nome à obra, as crianças vão descobrindo uma novidade a cada momento de Matrioska. Tiago Guedes faz parte da nova geração de artistas portugueses. Antes de entrar na Escola Superior de Dança, em Lisboa, estudou música durante 10 anos. Trabalhou com criadores como João Fiadeiro e Miguel Pereira. Em 2001 se lançou na carreira de coreógrafo, logo se destacando com Um Solo (2002) e Materiais Diversos (2003). Atualmente é residente do Théâtre Le Vivat, em Armentières, França. Matrioska is a journey for children between 6 and 10 years old that has discovery as its main subject. The children will exercise curiosity for the – sometimes strange, sometimes fantastic – characters. Ideas that are simple to execute estimulate the senses and perception of the little ones, such as a huge screen that hides the most diverse shapes, shadows and textures. Just like the Russian doll that lends its name to the show, the children discover something new at each moment of Matrioska.

Tiago Guedes is part of a new generation of Portuguese artists. Before entering escola Superior de Dança, in Lisbon, he studied music for 10 years. he worked with creators such as João Fiadeiro and Miguel Pereira. In 2001 he launched himself in the choreographic career, soon distinguishing himself with Um Solo (2002) and Materiais Diversos (2003). currently, he is a resident at Théâtre Le Vivat, in Armentières, France. Direção e Coreografia Direction and Choreography Tiago Guedes Interpretação Performance Tiago Guedes e Francesca Bertozzi Cenografia e Figurino Stage Settings and Costume Catarina Saraiva Sonoplastia Sound Design Sérgio Cruz Música Music Sérgio Cruz a partir da Sinfonia nº 1 em Dó Menor Opus 13 de Rachmaninov Desenho de Luz Light Design Mafalda Oliveira e Tiago Guedes Residência Artística Artistic Residency Atelier Re.Al Produção Production Materiais Diversos Produção Brasil Production in Brazil Dora Leão – Platôproduções Co-Produção Co-Production Le Vivat, Armentières (França / France), Centro de Pedagogia e Animação (Cpa) do Centro Cultural de Belém, Lisboa (Portugal), Re.Al, Lisboa (Portugal) Agradecimentos Thanks Filipe Galante (Sound Synthesis) Projecto Financiado Pelo MC (Ministério da Cultura)/iA (instituto das Artes) Apoio da Turnê Tour Support instituto Camões Parceria no Brasil Brazilian Partners FiD – Fórum internacional de Dança (Belo Horizonte), Sesc São Paulo. Classificação etária: especialmente recomendado para crianças


SEnTiDO > CEnTRO

56

Pelo terceiro ano, o Panorama reserva três dias para a ocupação do espaço urbano carioca com performances e instalações. Fora dos teatros convencionais e aproveitando a arquitetura de pontos específicos da cidade, o projeto Sentido>Centro possibilita a experiência de se olhar e se relacionar de uma forma diferente com a paisagem urbana já conhecida, reinventando a relação entre arte e cidade. nesta edição, a programação aporta na Praça Tiradentes e redondezas nos dias 6, 7 e 8 de novembro. O novo ambiente escolhido para receber as performances do Sentido>Centro cria um eixo com a programação principal do festival que acontece no Teatro João Caetano. Outra novidade é a inédita ocupação da estação Carioca do metrô, entre outras, com apresentações da Membros Cia. de Dança e convidados.

For the third year, Panorama sets three days in its calendar for the occupation of the urban space of Rio with performances and installations. outside the conventional theaters and taking advantage of the architecture of specific locations in the city, the Sentido>centro project creates the possibility of experiencing a different way of regarding and relating to a well-known urban landscape, reinventing the relationship between art and the city. In this edition, the program lands in Praça Tiradentes and its surroundings, on Friday and Saturday, november 6, 7 and 8. The new location chosen to host the Sentido>centro performances creates an axis with the main program of the festival taking place in Teatro João caetano. Also new is the unprecedented occupation of the carioca subway station, among others, with performances of Membros cia. de Dança and guest.


Cidade Ocupada

duração variável

Membros Cia. de Dança e convidados Brasil, Rio de Janeiro

06 e 0 7/11 qui thu sex fri

58

A partir das 13h performances acontecerão em estações das linhas 1 e 2 do Metrô. Starting at 13h performances will take place in stations of lines 1 and 2 of the subway.

Pela primeira vez o metrô serve de cenário para apresentações do Panorama. Os dançarinos da Membros e convidados vão dividir espaço com o vai-e-vem dos trens em apresentações de hip-hop. Criadas para serem apresentadas em espaços públicos, as performances do projeto cidade ocupada dialogam com o meio revelando a perversa convivência de crianças e jovens com problemas típicos das grandes cidades. For the first time the subway will be the setting for performances of Panorama. Dancers of Membros and guests will share space with the back-and-forth of trains with hiphop performances. created to be performed in public spaces, the performances of the Cidade Ocupada project interacts with the environment, revealing the perverse fact that children and teenagers have to deal with typical problems of the big cities. Direção Direction Paulo Azevedo Coreografia Choreography Taís Vieira Concepção Conception Paulo Azevedo e Taís Vieira Intérpretes Performers João Carlos, Luis Henrique “nego”, Zanzibar Luis, Fabiana Costa, Julius Mack, Jean Gomes e Rogerio Araújo “Roger” Musica music DJ nino Editores (vídeo/dança) editors (vídeo/dance) Felipe itagiba, Felipe Xyu Improvisação improvisation MC Slow Grafitti RiC

Classificação etária livre


Mono

duração variável

Marcelo Evelin/Demolition Inc./Núcleo De Criação Do Dirceu 07 e 08/11 sex fri sáb sat

15h30 às 17h30

Ao longo de três espaços independentes, porém interligados, Mono investiga a possibilidade de uma reorganização das regras que regem o corpo performático e sua relação com o público, colocando em xeque o sentido de ‘fazer e mostrar’ uma obra. As pessoas transitam livremente entre os espaços, observando os três intérpretes – Marcelo Evelin, Jacob Alves e Cipó – em situações distintas, em ação, no silêncio. É um estímulo para a memória e a imaginação de cada um. Mono é resultado de residências realizadas em Amsterdã e no Piauí.

Brasil, Piauí

Teatro João Caetano

do dirceu, Teresina – Brazil (january 2008) and at hetveem Theater Werkplats, Wmsterdã – netherlands (april 2008).

Through three independent but interconnected rooms, MOnO investigates the possibility of reorganizing the rules that guide the performing body and its relationship with the audience, challenging the meaning of ‘making and showing’ a piece. The public walks freely through the rooms, observing the three performers - Marcelo evelin, Jacob Alves and cipó – in distinct situations, in action, in silence. It stimulates each person’s memory and imagination. MOnO results from residencies in Amsterdam and Piauí. Concepção e Espaço Concept and Space Marcelo Evelin Criação e Performance Creation and Performance Jacob Alves, Cipó Alvarenga, Marcelo Evelin Olhar Exterior Outside Look Jellichje Reijnders, Vera Sala Produção Production Regina Veloso e Klayton Amorim. Mono foi criado em residência no TMJP2/Centro de Criação do Dirceu, Teresina – Brasil (janeiro 2008), e no Hetveem Theater Werkplats, Amsterdã – Holanda (abril 2008). MOnO was created in residency at tmjp2/centro de criação Classificação etária 18 anos


Corpo-Massa: Pele E Ossos

duração variável

Cia. Etc

Brasil, Pernambuco 07 e 08/11 sex fri sáb sat

60

entre 15h30 e 17h

num ambiente onde as pessoas podem circular, entrando e saindo a qualquer momento, a Cia. Etc mostra o resultado de meses de investigações em busca de uma nova linguagem que compreenda a constituição do movimento a partir dos ossos. Assim, cada corpo possuiria um sistema lingüístico particular e único. In a setting where the public can circulate, going in and out at any moment, cia. etc shows the result of a months long investigation in search of a new language that understands the constitution of movement originated from the bones. Thus, each body would possess a particular and unique linguistic system. Direção Direction José W Júnior Coreografia Choreography José W Júnior, Marcelo Sena e Saulo Uchôa Direção Artística e Projeto Gráfico Artistic Direction and Graphic Project Pedro Buarque Bailarinos Dancers José W Júnior e Marcelo Sena Bailarino-Iluminador DancerLighter Saulo Uchôa Iluminação Lighting Saulo Uchôa e Sávio Uchôa Trilha Sonora Original Original Soundtrack Henrique Maia Foto Photos Breno César. As apresentações no Rio de Janeiro têm apoio da prefeitura de Recife. The presentations in Rio de Janeiro have the support of prefeitura de Recife.

Classificação etária livre

Centro Cultural Carioca


Que as Saídas Sejam Múltiplas

30 min

Alice Ripoll

Brasil, Rio de Janeiro 07 e 08/11 sex fri sáb sat 13h30 e 17h30

Durex Arte Contemporânea

Alice Ripoll e Fernando Klipel mostram um trabalho sobre o amor nos dias de hoje. Que as saídas sejam múltiplas é sobre os vários momentos pelos quais passa um casal, suas idas e vindas, suas brigas e reconciliações. Um respiro na correria do dia-a-dia, em que muitas vezes não damos atenção aos nossos sentimentos. A trilha sonora do grupo Beirut dá vontade de se apaixonar na saída do espetáculo. Alice Ripoll and Fernando Klipel show a piece about love nowadays. Que as saídas sejam múltiplas is about the many moments a couple goes through, coming and going, fights and reconciliations. A deep breath in the middle of our daily rush, when we often fail to pay attention to our feelings. The soundtrack by group Beirut makes you want to fall in love right after leaving the show. Criação e Interpretação Creation and Performance Alice Ripoll e Fernando Klipel Olhar Externo Outside Look Juliana Medella Colaboração Collaboration Alex Cassal Foto Photos Tiago Rivaldo Agradecimentos Thanks Alexandre Belfort, Alice de Marchi, Camila Moura, Carolina Cony, Cecilia Ripoll, Celina Portella, Denise Stutz, Jamil Cardoso, Joana Guimarães, Julia Eizirik, Laura Sämy, Leila Ripoll, Maria Luiza Blauth Klipel, nelson Eizirik, Renato Linhares, Roseane Milani, Theo Dubeux, Thiago Granato, Tiago Rivaldo.

Classificação etária livre


Walking Poem in Rio

hello!earth Dinamarca Denmark 07 e 08/11 sex fri sáb sat entre 12h e 17h

62

Pelo segundo ano consecutivo participando do Panorama, o hello!earth (que em 2007 se chamava udflugt) volta a propor um passeio pelas ruas da Praça Tiradentes e adjacências, onde o percurso de cada um se transforma na própria performance. Cada participante se envolve em um jogo não-ficcional em que a realidade desafia sua percepção de mundo. Esse trabalho é resultado de oficina feita pela companhia durante o festival. For the second consecutive year participating in Panorama, hello!earth (known as Udflugt in 2007) proposes a new stroll through the streets of Praça Tiradentes and its surroundings, in which each person’s course becomesthe performance itself. each participant is involved in a non-fictional game in which reality defies their perception of the world. This piece results from the workshop conducted by the company. Elenco Cast Vera Maeder e Jacob Langaa Sennek (Dinamarca/Denmark), junto com os participantes da oficina oferecida em 2007/with the participants of the 2007 workshop: Karla Testa, Ana Poubel, Fernanda Gomes, Jamille Borges, Valdemar Santos, entre outros Among Others Assistentes de Direção e Co-Criadores Assistant Directors and Co-Creators João Victor Cavalcante, Ana Paula Albee, Panais Bank e Eddi Tomaz Concepção Conception Vera Maeder Desenvolvido em Colaboração com Developed in Collaboration with Eero Tapio Vuori, Mette Aakjaer, Jacob Langaa Sennek, Daniel norback e Saskia Habermann Apoio da Turnê Tour Support Kunstraadet Parcerias Brasileiras Brazilian Partners Festival internacional de Dança do Recife e Sesc São Paulo. Classificação etária livre

Fuzuê Culinária, Arte e Cultura


Cidade Dormitório

20 min

Intrépida Trupe

Brasil, Rio de Janeiro 07 e 08/11 sex fri sáb sat 16h e 17h

Com a intervenção do artista plástico Guga Ferraz, a intrépida Trupe instalará um beliche de cerca de seis andares na Praça Tiradentes para discutir a relação entre os espaços urbanos e os corpos que habitam as cidades. cidade dormitório pretende mostrar como tal relação pode ser ora amistosa, ora conflituosa, com os corpos em constante movimento e transformação. Essa pesquisa de movimentos faz parte do Projeto coleções, próximo espetáculo da intrépida Trupe.

Praça Tiradentes

Montagem Técnica Technical Setting intrépida Trupe Agradecimentos Thanks Renato Linhares, Renato Oliveira, Patrícia Bárbara, Flávia Cândida, Rossine A. Freitras, Perfeito Fortuna, Fundição Progresso e a Gentil Carioca.

With the intervention of plastic artist Guga Ferraz, Intrépida Trupe will install a bunk bed with six layers in Praça Tiradentes, in order to discuss the relationship between urban spaces and the bodies that inhabit the city. Cidade Dormitório intends to show how that relationship can sometimes be friendly and at other times filled with conflict, with bodies in constant movement and transformation. This movement research is part of Projeto Coleções, Intrépida Trupe’s next show. Concepção Conception Valéria Martins e Guga Ferraz Instalação Cidade Dormitório Cidade Dormitório Installation Guga Ferraz Direção Direction Valéria Martins Produção Executiva Executive Production: Cida de Souza Pesquisa de Conteúdo e Movimento Content and Movement Research Valéria Martins, Guga Ferraz, Caio Guimarães e Daniel Castanheira Direção de Movimento Movement Direction Caio Guimarães Instalação Sonora Sound Installation Guga Ferraz e Daniel Castanheira Elenco Cast Caio Guimarães, Guilherme Lazari, Leonardo Senna, Alluana Ribeiro Classificação etária livre


Descontagotas

20 min

Intrépida Trupe

Brasil, Rio de Janeiro 07 e 08/11 sex fri sab sat 12h30 e 15h

64

Largo das Artes

Esta performance também faz parte das investigações que darão origem ao novo espetáculo da intrépida Trupe, um encontro entre o movimento e as artes plásticas. Em Descontagotas, o público vai se deparar com as diferentes formas, temperaturas, estados e imagens das matérias líquidas. Ações de evaporação, condensação e solidificação mostram o caráter cíclico dos movimentos e onde eles se fundem. This performance is also part of the investigations that will originate Intrepida Trupe’s next show, an encounter of movement and plastic arts. In Descontagotas, the audience will be confronted with different shapes, temperatures, states and images of liquid matter. evaporation, condensation and solidification show the cyclic characteristic of movements and where they merge. Concepção e Direção Conception and Direction Valéria Martins Concepção Visual – Artista Visual Conception - Artist Marta Jourdan Direção e Edição Coreográfica Choreographic Direction and Edition Flávia Costa Elenco Cast Flávia Costa, Guilherme Lazari e Paulo Mazzoni Produção Executiva Executive Production Cida de Souza Trilha Sonora Soundtrack Pedro Bernardes Agradecimentos Thanks Renato Linhares, Renato Oliveira, Patrícia Bárbara, Flavia Cândida, Rossine, Marta Pagy, Miguel Sayad, Mercedes Viegas Arte Contemporânea.

Classificação etária livre


Bahia

15 min

Luiz de Abreu

Brasil, Bahia 07 e 08/11 sex fri sáb sat

12h, 14h e 15h30

Centro de Arte Maria Teresa Vieira

Bahia faz parte do projeto Meus Estados, em que o carioca Luiz de Abreu fala de três lugares que fazem parte de sua vida e que ajudaram a formar sua identidade: Minas Gerais, São Paulo e Bahia. nesta performance, ele usa a figura da baiana – impregnada de associações à feminilidade e à alegria – para refletir a elaboração de um discurso tanto real quanto mítico sobre a Bahia. Em cena, através de imagens corporais e música, o público identificará traços dessa cultura particular. Bahia is part of Meus estados project, in which carioca Luiz de Abreu talks about three places that are part of his life and helped build his identity: Minas Gerais, São Paulo and Bahia. In this performance, he uses the bahiana figure – impregnated with associations of femininity and joy – to reflect upon the elaboration of a discourse both real and mythical about Bahia. The audience will identify traces of that particular culture in bodily images and music. Criação, Direção e Interpretação Creation, Direction and Performance Luiz de Abreu.

Classificação etária 18 anos


MOSTRA UniVERSiTáRiA UnIVeRSITY ShoWcASe

Titulo

duração

Artista País País 09/11

18h

dom sun

Teatro nelson Rodrigues conversa aberta a partir das 16h

66 Pelo terceiro ano consecutivo, o Panorama cumpre o papel de incentivar a pesquisa em torno de novas linguagens da dança contemporânea, descobrir talentos e criar espaço para novos criadores. Em uma noite, no Teatro nelson Rodrigues, o público pode assistir ao resultado da experimentação artística no âmbito acadêmico. E, este ano, a mostra traz uma novidade: além da participação de três universidades cariocas – UniverCidade, UFRJ e Faculdade Angel Vianna – conta com a presença da paulista Unicamp, ampliando o raio de alcance do festival. Antes das apresentações haverá, ainda, uma conversa aberta sobre a importância do diploma universitário em dança com exalunos dos três cursos cariocas que participam da mostra.

participate, increasing the reach of the festival. Besides the performances, there will be an open talk about the importance of a dance University diploma, with former students of the three institutions from Rio de Janeiro participating in the showcase. • All the shows are suited for all ages. • The discussion panel will be composed by Flávia Pereira and Isabella Buarque (UFRJ), Julia Franca and Paulo Mazzoni (Faculdade Angel Vianna) and Marcio cunha and Fabiana Valor (Univercidade)

•Todos os espetáculos têm classificação etária livre. • A mesa da conversa aberta será composta por Flávia Pereira e isabela Buarque (UFRJ), Julia Franca e Paulo Mazzoni (Faculdade Angel Vianna) e Marcio Cunha e Fabiana Valor (UniverCidade). For the third consecutive year, Panorama carries out the task of stimulating the research of new contemporary dance languages, discovering talents and opening spaces for new creators. During one evening in nelson Rodrigues Theater the audience will be able to watch the results of artistic experimentations in the academic context. There is something else new in the showcase this year: besides the participation of three Universities from Rio – Univercidade, UFRJ and Faculdade Angel Vianna – Unicamp from São Paulo will also Classificação livre


Quimera

10 min UniCAMP Criação e Interpretação Creation and Performance Érica Tessarolo Direção Artística Artistic Direction Marisa Lambert Criação e Produção Musical Musical Production and Creation Daniel Dias Concepção de Luz Light Conception André Prado Fotografias Photography Clarissa Lambert

756 bpms

3 min UniverCidade Bailarino Dancer Thiago Marcelino

À Maneira de...

4’20min UniverCidade Direção Coreográfica Choreographic Direction:Rodrigo Bernardi Pesquisa de Movimento Movement Research Bernardo Stumpf, Diego Alves, Rodrigo Mendes

Caos Manual

3’20 min Univercidade Bailarinas Dancers Juliana Rodrigues, Marcelle Peçanha, Paula Maracajá

Cinzas do inverno

2 min UFRJ Coreografia e Intérprete Choreography and Performance Alexandre da Silva Mendes

Clarice

4 min Faculdade Angel Vianna Intérpretes Performers Patricia Carvalho, Sandra Seixas Trilha Sonora Soundtrack improvisada, ao vivo, com o compositor e violinista André Cunha Professor Orientador Advising Professor Márcia Rubin

Complexo de Bram Van Velde

5 min Faculdade Angel Vianna Intérpretes Performers isabela Palmeira, Maurício Andrade, Mariana Carneiro, Marília Carneiro Trilha Sonora Soundtrack Walking Compositor Composer Gregor Sternisha Professor Orientador Advising Professor Paulo Caldas

Correspondências

6 min Faculdade Angel Vianna Intérpretes Performers Gabriela Alcofra, Lucas Rodrigues, Monika Pietrusewicz Trilha Sonora Soundtrack Gabriela Alcofra, Lucas

Rodrigues, Monika Pietrusewicz Professor Orientador Advising Professor Márcia Rubin

Fragmentos

5’20 min UFRJ Coreografia e Intérprete Choreography and Performance Rodrigo Rivera

infinito

5’30 min UniverCidade Intérpretes e Criadores Performers and Creators Alex neoral, Amanda Fontenelle, Luna Ornellas Música Music Opening (Philip Glass)

Linhar

3’30 min UFRJ Coreografia Choreography Marcela Brasil Intérprete Performance Shirlene Paixão

Parafuso de Veludo

4 min Faculdade Angel Vianna Intérprete Performer Luciana Ponso Trilha Sonora Soundtrack Sainte-Colombe (Domínio Público) Figurino e Desenho de Luz Costume and Light Design Rafael Silva Professor Orientador Advising Professor Márcia Rubin

Pequenas Particularidades

3’50 Min UniverCidade Criação e Interpretação Creation And Performance Tony Hewerton

Por Esta Todas as Formas São Vistas 4’32 min UFRJ Coreografia e Intérprete Choreography and Performance Vitor D’olive

Tempos Contemporâneos

3 min UFRJ Coreografiz e Intérprete Choreography and Performance Diana Costa

Todo

2 min UFRJ Coreografia e Intérprete Choreography and Performance Mariana Yoshida


Oi FUTURO + SALA DAS MACHinAS

68

Uma das grandes novidades de 2008, o Panorama ganhou uma sede este ano que funciona no histórico galpão do instituto dos Arquitetos do Brasil (iAB), em conjunto com o Oi Futuro. Usando o nome original do espaço, que abrigava as máquinas que geravam a energia para o funcionamento dos bondes, a Sala das Machinas recebe uma programação de espetáculos (leia na programação principal), debates, oficinas, aulas abertas e outras surpresinhas, além de abrigar a videoteca do festival e de servir de ponto de encontro para os artistas. A poucos passos dali, o moderno prédio do Oi Futuro recebe exposição de fotos do italiano Manuel Vason e exibe vídeo da performer espanhola La Ribot. O artista Sergio Ulhõa ocupa o iAB e o Oi Futuro com vídeo-instalações. • A programação musical da Sala das Machinas tem o apoio do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro.

one of the biggest news in Panorama 2008 is that the festival has headquarters this year, the historical building of Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) and oi Futuro. Using the original name of the space that used to hold the machines that generated energy for streetcars, the Machine Room will host a program of shows (read about in the main program), debates, workshops, open classes and other little surprises, besides holding the video library of the festival and being the meeting point of the artists. A few steps away, the modern oi Futuro building holds a photo exhibition by Italian artist Manuel Vason and a video exhibition of Spanish performer La Ribot. Artist Sergio Ulhõa occupies IAB and oi Futuro with video-installations. • The music program of the Machine Room has the support of the consulate General of France in Rio


Encounters

Manuel Vason Reino Unido UK 30/10 a 09/11

11h às 20h

Oi Futuro

70 Famoso mundialmente por seus registros inusitados e criativos de performances, o fotógrafo italiano baseado em Londres Manuel Vason tem algumas de suas obras expostas no Oi Futuro. Em seus trabalhos, Vason busca fugir da documentação convencional de uma performance. Com a câmera fotográfica a tiracolo, ele é testemunha solitária de um evento único que sempre acontece em um espaço não-tradicional escolhido pelo performer. O fotógrafo aproveita a vinda ao Rio de Janeiro para realizar mais uma etapa da residência conexão, onde ele trabalhará com artistas da dança e da performance envolvidos no Panorama buscando, através de sua lente, estabelecer conexões entre corpos, pontos de vista, culturas e espaços. Famous worldwide for his unusual and creative documentation of performances, London based Italian photographer Manuel Vason has some of his work exhibited in oi Futuro. In his work Vason seeks to distance himself from the conventional documentation of performance. With a photographic camera in hand, he is the lonely witness of a unique event that always happens in a non-traditional space chosen by the performer. The photographer makes use of his stay in Rio to work on another stage of the Conexão residency, where he will work with dance and performance artists participating in Panorama seeking to establish connections between bodies, points of view, cultures and spaces. Fotos Photos Manuel Vason. Classificação etária


Treintaycuatro Pièces Distinguées & One Striptease La Ribot Espanha Spain 30/10 a 09/11

11h às 20h

Oi Futuro

Este vídeo reúne uma versão documental dos 12 anos do projeto Piezas Distinguidas, que já teve inúmeras versões (para performance, museu, teatro etc). Se este era um trabalho sobre o corpo e a partir do corpo, Treintaycuatro Pièces Distinguées & one striptease é sobre o olhar. A cada forma de representação de Piezas distinguidas o espectador revela uma relação diferente de observação da obra. O corpo deixa de ser objeto e se converte em desculpa para a fixação do olhar.

UK Apoio Support Cidade de Genebra, Republic and Canton of Geneva, Pro Helvetia Swiss Arts Council, La Loterie Romande.

This video brings a series of document images spanning 12 years of the Piezas Distiguidas project, which already had many versions (for performance, museums, theaters, etc). If that work was about the body and originated from the body, Treintaycuatro Pièces Distinguées & one Striptease is about sight. At each form of representation of Piezas Distinguidas, the spectator reveals a different way of observing the piece. The body is no longer the object, becoming an excuse for focusing the sight. Direção e Interpretação Direction and Performance La Ribot Edição Editing Sylvie Rodriguez Mixagem de Som Sound Mixing Clive Jenkins Grading Santine Muñoz Assistente de Edição Editing Assistant Sandra Roth Design Design Gag Comunicación Produção Production La Ribot Association Genève Co-produção Co-production Pro Helvetia, Swiss Arts Council, La Casa Encendida de la Obra Social de Caja, Madrid, Spain, Le Fresnoy, Studio national des Arts Contemporains, France, Mercat de les Flors Barcelona, Spain, La Ribot 36 Gazelles, London, Classificação etária


instructions for High Speed Meditation Sergio Ulhôa Brasil/Holanda 30/10 a 09/11

11h às 20h

Brazil/netherlands Oi Futuro

72 Em um espaço completamente escuro, com monitores espalhados em 360º e ao som de barulhos da natureza, este vídeo-instalação explora a obsessão do homem do século XXi consigo mesmo. A idéia é mostrar como esse sentimento egocêntrico foi tomando forma em meio aos avanços tecnológicos e sociais. instructions for High-Speed Meditation confronta imagens de uma boca engolindo fumaça lentamente com outras em ritmo acelerado para explorar a mente de uma pessoa que tenta se concentrar e meditar, mas está cercada por estímulos frenéticos. In a completely dark space, with monitors displayed in 360º and sounds of nature, this video-installation explores 21st century man’s obsession with himself. The idea is to show how this egocentric feeling started to take shape amidst technological and social progress. Instructions for high-Speed Meditation confronts images of a mouth slowly swallowing smoke with others in accelerated rhythm to examine the mind of a person who tries to concentrate and meditate, but is surrounded by frenetic stimuli. Vídeo-instalação Video installation Sergio Ulhõa Texto e Performance Text and Performance Charlotte Brathwaite.

Classificação etária


TRAnSCEndAnCE

Sergio Ulhôa Brasil/Holanda 30/10 a 02/11

Brazil/netherlands a partir das 18h starting at 18h

iAB

Este projeto de vídeo-instalação combina videoarte, dança e vjing para tentar entender como essas três formas de arte se relacionam num mesmo espaço visual. De um lado, as imagens foram gravadas com uma câmera que fotografa 500 frames por segundo; de outro, a ação é apresentada em slow motion, dando a impressão de que o tempo se estendeu. Um diálogo entre diferentes padrões coreográficos e imagens abstratas envolve o espectador numa experiência do corpo em movimento, permitindo um confronto entre as sensações de tensão e relaxamento da mente. O vídeo-instalação será montado em duas grandes telas diante de uma área com água que reflete as projeções. This video-installation project combines videoart, dance and vjing to try to understand how these three art forms relate to each other in the same visual space. on one side, the images were recorded with a camera that captures 500 frames per second; on the other, action is presented in slow motion, giving the impression that time has expanded. A dialogue between different choreographic patterns and abstract images involves the spectator in an experience of the body in movement, allowing a confrontation of the feelings of tension and relaxation of the mind. The video-installation will be placed in two large screens in front of an area with water reflecting the projection. Vídeo-instalação Video-installation Sergio Ulhõa. A vinda de Sergio Ulhõa ao Rio tem o apoio do Consulado Geral dos Países Baixos. The Rio de Janeiro’s tour has the support of consulate General of netherlands. Classificação etária


SEMináRiO ECOnOMiA DA DAnÇA Titulo

duração

Artista País País 03/11 a 05/11

Auditório do BnDES

74 Paralelamente à programação de espetáculos, oficinas e residências, esta edição do festival abre um importante e inédito espaço para pensar e discutir as questões ligadas à produção de dança no Brasil: o Seminário Economia da Dança. Com apoio do BnDES e do Sebrae, traz convidados nacionais e internacionais que debaterão temas urgentes como a situação das políticas públicas e dos financiamentos e o papel da universidade na formação do profissional. O Seminário Economia da Dança, que será realizado entre os dias 3 e 5 de novembro, no auditório do BnDES, trabalhará com três painéis e 12 grupos de trabalho. Os painéis são abertos e a capacidade do auditório é de 400 lugares; já cada grupo de trabalho comporta 12 vagas e a inscrição pode ser feita pelo e-mail seminario@panoramafestival. com. Ao final do seminário será criado um blog que disponibilizará documentos, planilhas, estudos de caso e textos apresentados nos três dias do encontro. A seguir, os temas dos debates:

Simultaneously to the program of shows, workshops and residencies, this edition of the festival opens an important and unprecedented space for thinking and discussing issues related to dance production in Brazil: the Dance economy Seminar. With the support of BnDeS and Sebrae, Panorama brings together national and international guests who will discuss urgent themes such as the situation of public policies and financing and role of Universities in professional training. The Dance economy Seminar will take place from november 3 to 5 in the BnDeS auditorium and will work through three panels and 12 workgroups. The panels will be open to the public and the auditorium has 400 seats; the work groups will hold up to 12 participants each and the submissions can be sent to seminario@panoramafestival.com. Documents, spreedsheets, case studies and texts presented during the three day meeting will be available in a blog, which will be created at the end of the seminar.


03/11 seg Credenciamento 9h Abertura e boas-vindas 9h30 Painel 1 10h – 14h Dançando com os Pés no Chão: Implicações de uma Economia da Dança. neste encontro, especialistas brasileiros e internacionais darão um panorama do conceito de economia da cultura, das possibilidades de se pensar uma economia da dança e as perspectivas de uma política ampla para a dança profissional no Brasil. MESA | Ana Carla F. Reis SP - Publicou vários livros entre eles Marketing Cultural e Financiamento da Cultura (prêmio Jabuti/2007). É sócia fundadora do Garimpo de Soluções (Gestão Cultural e Desenvolvimento) e consultora da Onu em Economia Criativa. | Luis André Sá de Oliveira RJ - Chefe de Departamento de Cultura Entretenimento e Turismo do BnDES (Ai/DCUT). | Helena Katz SP crítica de dança do jornal O Estado de S. Paulo, co-coordenadora da Escola de Dança da UFBA. | Paulo Brum (Minc) - Assessor Especial do Ministro da Cultura | Mediação - nayse Lopez 15h – 18h GT 1 Dançando em números. Saber a situação das políticas públicas atuais a níveis nacional, estadual e local, saber números de mercado e financiamento, empregos gerados, publico atingido é o primeiro passo para reinvidicar. Quais são as estratégias para a obtenção e utilização destes dados? Como agregar acadêmicos, artistas, gestores e representantes de classe numa atuação conjunta para o desenvolvimento de um mapeamento da produção?

15h – 18h GT 2 Quem nos representa. Quais as ferramentas de uma representação de classe e interlocução nacional? O que fazem os sindicatos? Quem eles representam? Como a dança pode se estruturar em entidades representativas? 15h – 18h GT 3 Financiamento e editais. Quais são as alternativas de financiamento hoje para o profissional? Quais as questões do processo de editais públicos e como podemos sugerir avanços na política de financiamento da dança em vários níveis governamentais? As leis atuais são inadequadas às especificidades artísticas? 15h – 18h GT 4 O papel da universidade. novos cursos, novas habilitações e centenas de novos profissionais todos os anos. Como está estruturado este importante setor da economia da dança? Como a universidade pode atuar no estabelecimento de políticas e sistematização de dados que ajudem a entender o setor e dar diretrizes aos órgãos responsáveis no governo e empresas fomentadoras? 04/11 ter Painel 2 9h30 – 12h30 Quem tem direitos tem deveres botando a mão na massa. É papel dos artistas e da classe de dança reivindicar melhores políticas e programas na área. Mas com grande parte da sua atividade na informalidade, é frágil a posição da dança ao pedir para que se cumpram as políticas e leis, mas não conseguir cumprir suas obrigações legais. Mas como se tornar formal num mercado incerto? neste painel, especialistas vão introduzir questões sobre os dispositivos existentes, com exemplos de casos que funcionaram e também sobre formas de organização para companhias, profissionais e eventos.


76

MESA | Carla Lobo MG - diretora executiva e coordenadora geral do FiD - Fórum internacional de Dança de Belo Horizonte. | Luiz Amorim SP - Ator diretor foi presidente da Cooperativa Paulista de Teatro por cinco gestões. Participou do Comitê de Entidades Culturais do Município de São Paulo, que elaborou as Leis Mendonça (Lei Municipal de incentivo a Cultura/SP) e Rouanet. | Vera Bicalho GO - Fundadora e direção executiva da Quasar Companhia de Dança. Diretora da Associação Quasares,organização social para fomento da dança em Goiás. GRUPOS DE TRABALHO 14h – 17h GT 1 Kit básico. Quais as principais ferramentas para ser um profissional, com exemplos práticos e noções orçamentárias sobre o custo e impacto da legalização e saída da informalidade. Quais os principais desafios encontrados na pratica diária do profissional de dança no que diz respeito aos órgãos de governo. Benefícios que o profissional de dança pode ter ao se legalizar. Este GT deve elaborar um documento para tirar duvidas da classe junto aos especialistas. Este FAQ será disponibilizado na internet. 14h – 17h GT 2 Danço, logo existo. Documentar o que se faz, produzir relatórios consistentes, organizar resultados anuais tornando visível o fazer artístico é parte do trabalho do artista da dança, como de qualquer outro profissional. Como estruturar sua atividade como uma cadeia de profissionais, projetos e resultados artísticos? 14h – 17h GT 3 Quanto vale o show? Como se calcula um cachê de um espetáculo? E os salários dos bailarinos e profissionais envolvidos numa montagem? Como pensar nisso dentro da legalidade das leis, dos padrões dos

patrocínios, e manter níveis de pagamento condizentes com a realidade de vida dos profissionais? O quando se deve investir no seu próprio trabalho? Como equacionar a atividade econômica de um artista? 14h – 17h GT 4 Planilhas e sapatilhas. A maioria dos artistas que tem êxito em seus projetos artísticos durante anos ainda não conseguem sobreviver apenas de sua atividade criativa. Até que ponto as possibilidades de apresentação e de apoio foram perdidas por falta de capacitação para gerir e administrar os projetos? Como e manter gestores em dança? Da mesma forma que técnicas coreográficas são desenvolvidas por treino, técnicas organizacionais e administrativas são fundamentais para a gestão de um projeto cultural. não existem fórmulas fixas para a gestão de atividade coreográfica, mas o conhecimento técnico é fundamental. neste GT administradores falarão sobre as ferramentas mais utilizadas e formas de organização que deram certo. 05/11 qua Painel 3 9h30 – 12h30 Já Estamos Atrasados Para 2010. num contexto de constantes mudanças - atrasos e cancelamentos de editais públicos e privados, além da concentração das atividades em dança contemporânea causando muita concorrência nas grandes cidades do país e raros apoios para manutenção - a sustentabilidade de companhias e artistas independentes depende fundamentalmente de projetos de montagem, coproduções e turnês internacionais, além de trabalhos educativos, pesquisa e atividades em contexto educacional. Uma análise da situação atual do mercado de trabalho brasileiro e internacional e das estratégias de desenvolvimento possíveis para a dança brasileira.


MESA | natacha Melo Uruguai - bailarina integrante de companhias no Uruguai, Alemanha, Holanda, França e Bélgica. Promoveu a organização da “Red Sudamericana de Danza”. | Thiago B. Costa Portugal - crítico de artes performativas, colaborador de jornais e revistas europeus e do síte idança. É criador e diretor da Obscena-revista de artes performativas. | Panaibra Gabriel Moçambique - bailarino e coreógrafo fundador da CulturArte da qual é diretor que desenvolve um trabalho de pesquisa avançada e lidera um programas de treinamento em Moçambique em Madagascar e áfrica do Sul. 14h -17 GT 1 Dança em contextos sócio-educacionais. Um dos mais promissores mercados de trabalho para profissionais da dança no Brasil está nos projetos sociais e educacionais. A educação pelo movimento e a dança como ferramenta de transformação social são contrapartidas possíveis e muitas vezes obrigatórias. Mas como se forma um profissional capacitado para atuar nestes contextos? 14h – 17h GT 2 Em rede é mais fácil. no momento a maior parte da produção e circulação de dança contemporânea nacional depende de apoios governamentais municipais, estaduais e federais, sobretudo através de leis de incentivo. Mas iniciativas de indivíduos, coletivos e redes se tornam fundamentais para um aproveitamento da produção e otimização de recursos, espaços e pessoal. E estratégias independentes de produção podem acessar fundos internacionais e interdisciplinares. neste GT, participantes de redes e coletivos falarão sobre como se beneficiam da experiência do trabalho em rede e mostrarão casos de sucesso de novos formatos de produção.

14h – 17h GT 3 Dançando em outras terras. Apesar da falta de apoio e articulações institucionais diversos artistas vão conseguindo abrir espaços em outros países, ajudados pela boa receptividade à cultura brasileira e o interesse despertado pelo Brasil. Como articular e construir essas possibilidades de intercâmbio e abertura de mercados internacionais? Definir convidados e relator. 14h – 17h GT 4 a definir, em função de temáticas surgidas durante os dois primeiros dias do Seminário. • Será criado um blog do seminário, onde serão disponibilizados os documentos, planilhas, estudos de caso e textos apresentados. Serão Relatores dos Grupos de Trabalho | Andrea Bardawil(CE) - coreógrafa e coordenadora artístico pedagógica da Bienal internacional de Dança. | Uxa Xavier – Artista da dança.Coordena o naDança. integra a equipe de coordenação do projeto Dança Vocacional. Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. | Roberta Ramos - membro do conselho editorial do idança; coordenadora do Projeto Recordança. Os grupos de trabalho também terão relatores convidados pelo SEBRAE.


RESiDÊnCiAS ReSIDencIeS

Ferramentas Para improvisações em Dança Tools For Dance Improvisations Luiz de Abreu Brasil, BA Nelisiwe Xaba áfrica do Sul 06 a 14/11 09/11

78

dom sun

09h às 17h 20h

South Africa Kettly Noël Mali Espaço Rampa Christina Cavalcante Espaço Rampa Christina Cavalcante Apresentação de resultados presentation of results

O desejo de trabalhar junto surgiu quando Kettly noël, nelisiwe Xaba e Luiz de Abreu se aproximaram, durante um encontro de dança contemporânea em Cuba. Primeiro encontro profissional dos três, a residência dentro do Panorama aprofundará as discussões sobre esses temas. Trata-se da primeira etapa de um projeto a ser desenvolvido em 2009, numa iniciativa do Circuito Brasileiro de Festivais, com apoio da Culturesfrance.

The desire to work together came up when Kattly noël, nelisiwe Xaba and Luiz Abreu got close during a contemporary dance meeting in cuba. Being the first meeting of the three artists, the residency in Panorama will deepen the discussions about those themes. This is the first stage of a project to be developed in 2009, an initiative of circuito Brasileiro de Festivais, with the support of culturesfrance.

nelisiwe Xaba nasceu em Soweto, áfrica do Sul. Estudou na Johannesburg Dance Foundation, saindo em 1996 para estudar em Londres. Lá, ela fez parte da Pact Dance Company (1997) e trabalhou com Robyn Orlin. A partir de 2001, decidiu desenvolver suas próprias coreografias.

nelisiwe Xaba was born in Soweto, South Africa. She studied in the Johannesbourg Dance Foundation and left in 1996 to study in London. There, she was part of Pact Dance company (1997) and worked with Robyn orlin. From 2001 on, she decided to develop her own choreography.

Kettly noël saiu de Port au Prince, no Haiti, com 17 anos e se juntou à companhia de Patrick Lacroix. no fim dos anos 90 foi para Mali, onde criou o Festival de Bamako.

Kettly noël left Port au Prince, haiti, at age 17 and joined the company of Patrick Lacroix. In the end of the 1990´s, she went to Mali, where she created the festival of Bamako.

Luiz de Abreu nasceu em Araguari (MG), onde teve seu primeiro contato com a dança, nos terreiros de umbanda. A rica cultura do estado está presente em seus espetáculos. nos anos 90, depois de passar por diferentes companhias de Belo Horizonte, mudou-se para São Paulo, onde criou a companhia WLAP. Em sua carreira solo, desenvolve trabalhos a partir de temas relacionados ao corpo negro e questões de gênero. Com o samba do crioulo doido participou de festivais em Berlim, Croácia, Portugal, Espanha, inglaterra, França e Cuba.

Luiz de Abreu was born in Araguari (Minas Gerais), where he had the first contact with dance in the umbanda yards. The rich culture of his state is present in his shows. In the 90’s, after going through different companies in Belo horizonte, he moved to São Paulo, where he created WLAP company. In his solo career, he develops work with themes revolving around the black body and gender issues. he participated with o samba do crioulo doido in festivals in Berlin, croatia, Portugal, Spain, england, France and cuba.


hello!earth Dinamarca Denmark 20/10 a 09/11 12h30 às 18h30 Fuzuê Culinária, Arte e Cultura O resultado será apresentado dentro da programação do Sentido>Centro. The result will be presented in the Sentido>centro program. A residência é uma continuação do Walking Poem Rio, projeto piloto desenvolvido e realizado em 2007 no Panorama dentro do conceito The Invisible Reality-Show. Esse conceito consiste na criação de performances para locais específicos com o objetivo de levar ao público as múltiplas possibilidades de percepção do entorno. O trabalho vai focar as presenças física e virtual para mostrar como os elementos se alinham em nossa percepção, formando a idéia de presença física e de “realidade”. Movidos por uma curiosidade contínua sobre a presença do público, os artistas ativarão a percepção física de uma maneira que pretende reordenar os vários níveis de significado que envolvem uma pessoa que vaga pela cidade. O hello!earth, de Vera Maeder e Jacob Langaa Sennek, é uma plataforma para projetos artísticos multidisciplinares que atravessa diversos limites entre as artes performáticas. Trata-se de uma excursão em andamento que se propõe a testar fundamentos e desafiar conhecimentos presumidos. O trabalho do hello!earth (antigo Udflugt) baseia-se em um contínuo questionamento da consciência e uma exploração do mito da realidade. É um mergulho abaixo de uma superfície de contextos – que podem ser políticos, socioculturais, históricos ou individuais – na tentativa de inspirar a reinvenção das relações para nós mesmos, nossos próximos e o mundo que habitamos.

The residency is a continuation of Walking Poem Rio, pilot project developed and produced in Panorama 2007 within The invisible Reality Show concept. This concept consists of creating performances for specific places aiming to show the audience the multiple possibilities for perceiving their surroundings. The piece will focus on physical and virtual presence to show how the elements combine themselves in our perception, creating an idea of physical presence and “reality”. Moved by a continuous curiosity about the presence of the audience, the artists will activate the physical perception intending to reorganize many levels of meaning that involve a person wandering through the city. Vera Maeder and Jacob Langaa Sennek´s hello!earth is a platform for multidisciplinary artistic projects that cross many boundaries of the performing arts. It is an ongoing excursion that proposes to test foundations and defy established knowledge. hello!eart (formerly known as Udflugt) is based on the continuous questioning of consciousness and exploration of the myth of reality. It is a dive under the surface of context – political, socio-cultural, historical or individual – in an attempt to inspire the reinvention of the relationship with ourselves, our fellows and the world we inhabit.


Sobre Consentimento, Ocupação e Formas de Dizer não About consent, occupation and Ways of Saying no Grupo Cena 11 Cia. de Dança Brasil, SC Impure Company/Hooman Sharifi noruega norway 04 e 05/11 20h30

80

ter tue qua wed

Para dar início ao projeto SiM, de ações integradas de consentimento para ocupação e resistência, o Grupo Cena 11 Cia. de Dança une-se ao impure Company em residência. Esse encontro tem como objetivo produzir instrumentos de dança para as questões centrais do projeto* e para os trabalhos em andamento dos dois grupos: o futuro espetáculo do Cena 11 cartas de Amor Ao Inimigo e a atual pesquisa da impure Company. Essa residência é uma parceria entre o Festival Panorama de Dança e o Sesc São Paulo. A impure Company tem o apoio de Kunstraadet e The norwegian Council For Cultural Affairs, The Ministry of Foreign Affairs. Criado em Santa Catarina, o Cena 11 apresentou seu primeiro trabalho em 1994. A companhia é formada por um núcleo de criação multidisciplinar que compõe a base para a produção artística em que a idéia precisa ganhar expansão num corpo e então organizar-se como dança. O coreógrafo Hooman Sharifi criou a impure Company em 2000, com a qual desenvolve pesquisas que relacionam dança e teatro, buscando sempre aproximar a arte de uma temática política. * Sistema de formulações com o objetivo de reorientar o modo de utilizar o espaço cênico, entender o posicionamento da platéia e tentar responder às perguntas dos artistas envolvidos sobre como definir dança.

Espaço Sesc/Sessão aberta open session To start off project SIM for integrated actions of consent for occupation and resistance, Grupo cena 11 cia. de Dança unites with Impure company in residency. The meeting aims to find dance instruments for the central issue of the project* and for the ongoing work of both groups: the next cena 11 piece, cartas de amor ao inimigo and the current research of Impure company. This residency is a partnership between Festival Panorama de Dança and Sesc São Paulo. Impure company has the support of Kunstraadet and counts with the subsidy of The norwegian council For cultural Affairs, The Ministry of Foreign Affairs. created in Santa catarina, in the south of Brazil, cena 11 presented its first piece in 1994. The company is formed by a nucleus of multidisciplinary creation that make up the base for an artistic production in which an idea must expand within a body and then organize itself as dance. choreographer hooman Sharifi created Impure company in 2000, developing research that relates dance and theater, always seeking to bring art closer to a political theme. * System of formulations aiming to reorient the usage of the scenic space, understand the position of the audience and try to answer the questions of the artists involved about defining dance.


Titulo Vamos ver. nada.

Artista País Gustavo Ciríaco País data 06/11 data

hora 21h hora

duração Brasil, RJ Dia qui thu dia Dia dia

Resultado Texto Português de uma residência no Centre international des Récollets, em Paris, nada. Vamos ver. é uma experiência. Gustavo Ciríaco lança algumas histórias: do público, do performer, tendo como ponto de encontro, de convivência, a sala de espetáculo. O trabalho começou com uma questão: como tornar visível aquilo que está presente num espetáculo de dança dentro de um teatro. Como explicitar o óbvio, o já acordado (porém esquecido), na relação público-performer. A performance – parte do projeto de ocupação do Teatro Gláucio Gil pelo Coletivo improviso – é um ensaio aberto de nada. Vamos ver. O projeto recebeu o Prêmio Klauss Vianna 2007 para pesquisa e tem estréia prevista para novembro de 2009 no Culturgest, Lisboa. Bailarino e coreógrafo, Gustavo Ciríaco estudou ciência política e formou-se em dança contemporânea na Escola Angel Vianna. De 1995 a 2005, formou com Frederico Paredes a Dupla de Dança ikswalsinats. Desde 2003, tem desenvolvido projetos independentes em associação com outros artistas brasileiros e estrangeiros no Brasil e no exterior. Participou do Panorama ano passado com o projeto multimídia Still – sob o estado das coisas. Resulting from a residency in centre International des Récollets, in Paris, nothing. Let´s see. is an experience. Gustavo ciríaco casts some stories: about the audience and about the performer, having the theater as meeting point. The work was originated with a question: how to make what is present in a dance show inside a theater visible. how to make explicit the obvious, that which is already agreed upon (although forgotten) in the audience-performer relationship.

Local Teatro Gláucio Gil Local The performance – part of coletivo Improviso’s Gláucio Gil Theater occupation project – is an open rehearse of nothing. Let´s see. The project received the Klauss Vianna 2007 award for research and is scheduled to premiere in november 2009 in culturgest, Lisbon. Dancer and choreographer, Gustavo ciríaco studied political science and graduated in contemporary dance at escola Angel Vianna. From 1995 to 2005, he formed with Frederico Paredes the Ikswalsinats duo. Since 2003, he has developed independent projects in association with other Brazilian and foreign artists. Last year he presented at Panorama the multimedial project Still – sob o estado das coisas.


OFiCinAS WoRKShoPS Ensaiando a Liberdade Rehearsing Freedom Janez Jansa

30/10 a 05/11 o5/11

82

Eslovênia Slovenia 9h às 14h 17H30

qua wed

Espaço Sesc - 2º subsolo Espaço Sesc - 2º subsolo sessão aberta open session

A idéia de dance art e dança contemporânea envolve uma concepção de liberdade decorrente do fato de que elas apareceram no período modernista. O século 20 foi o século da emancipação do sujeito e do corpo. O corpo servia como veículo de conceitos ideológicos maiores, como “emancipação” e “verdade”. Como trabalhar hoje com esses conceitos, fortemente baseados na idéia ocidental de progresso e luta por emancipação, quando a liberdade individual é constitucionalmente garantida e protegida? O workshop proposto por Janez Jansa vai questionar os limites da dança. Se o artista representa a liberdade quando dança – liberdade do corpo, liberdade do sujeito – como ensaiar essa liberdade? Como a liberdade se relaciona com esses limites? Como trabalhar esses limites?

The idea of dance art and contemporary dance involves a conception of freedom deriving from the fact that they emerged in the modernist period. The 20th century was the century of emancipation of the individual and the body. The body served as a vehicle for larger ideological concepts, such as “emancipation” and “truth”. how do we work nowadays with those concepts, strongly based in the western idea of progress and fight for emancipation, in a time when the individual freedom is constitutionally guaranteed? The workshop proposed by Janez Jansa will question the limits of dance. If the artist represents freedom by dancing – freedom of the body, freedom of the individual – how to rehearse freedom? how does freedom relate to those limits? how to work those limits?

Janez Jansa nasceu em 1964, na Eslovênia, com o nome de Emil Hrvatin. Como outros dois artistas colaboradores, assumiu como seu o nome do primeiro-ministro esloveno numa atitude política. Estudou sociologia e direção teatral na University of Ljubljana (Eslovênia) e teoria da performance na University of Antwerp (Bélgica). Sua pesquisa inclui trabalhos que misturam artes visuais, multimídia e performance. Desde 1999 é diretor da Maska, organização sem fins lucrativos que atua nos setores de publicações, produção e educação em Ljubljana, Eslovênia.

Janez Jansa was born in 1964, in Slovenia, under the name emil hrvatin. Together with other two artists, he assumed the name of the Slovene first-minister as a political statement. he studied sociology and theater directing in the University of Ljubljana (Slovenia) and performance theory in the University of Antwerp (Belgium). his research includes works that mix visual arts, multimedia and performance. Since 1999 he directs Maska, a nonprofit organization that acts in publishing, production and education in Ljubljana, Slovenia.


-

Thomas Lehmen

Alemanha Germany

05 a 09/11 9h às 14h 09/11 20h30

dom sun

Durante o processo, cada estudante se utiliza do grupo apresentando sua própria idéia coreográfica. Este sistema é capaz de trabalhar com temas e idéias já existentes, assim como todo um novo território que pode ser descoberto. O objetivo é encontrar um caminho individual específico e a forma que contextualize suas idéias artísticas (temas) com a composição e a execução da dança. O resultado de cada performance é único, pois todos estarão trabalhando seus parâmetros em favor da idéia específica do bailarino, como um acordo temporário. A dança é entendida aqui como materialização e mediação do contexto e não apenas como resultado final. Essa residência é possível graças ao apoio do instituto Goethe e à parceria com o Festival Contemporâneo de Dança (São Paulo). Thomas Lehmen é considerado um dos mais inovadores de sua geração na Europa. nasceu em 1963, em Oberhausen – Alemanha, onde tocava música contemporânea e rock. É músico, performer, bailarino e coreógrafo. Estudou na School for new Dance Development, em Amsterdã, e, nessa época, começou a criar suas próprias coreografias e composições. Desde 1992 vive em Berlim, onde desenvolveu peças que discutem as possibilidades da dança, como Schreibstück (2002), Dialogues (2002) e STATiOnEn (2003).

Espaço Sesc | Sala Das Oficinas - 2º andar Espaço Sesc | Mezanino/sessão aberta open session During the process, each student uses the group by presenting their own choreographic idea. This system is capable of working both with themes and ideas that already exist and with a whole new territory yet to be discovered. The result of each performance is unique, since all participants will be working with their own patterns in favor of the specific idea of the leading dancer, as in a temporary agreement. Dance is understood in this case as materialization and mediation of context and not only as the final result. This residency is possible thanks to the support of Instituto Goethe in partnership with Festival contemporâneo de Dança (São Paulo). Thomas Lehmen is considered to be one of the most innovative of his generation in europe. he was born in 1963 in oberhausen, Germany, where he played contemporary and rock music. he is a musician, performer and choreographer. he studied in the School for new Dance development in Amsterdam and during that time he started to create his own choreographies and compositions. Since 1992 he lives in Berlin, where he developed pieces that discuss the possibilities of dance, such as Schreibstück (2002), Dialogues (2002) and STATIonen (2003).


Ferramentas Para improvisações em Dança Tools For Dance Improvisations Thomas Hauert

07 a 12/11 12/11

84

Bélgica Belgium 9h às 14h Espaço Sesc | Sala de Dança - 2º andar qua wed 17h30 Espaço Sesc | Sala De Dança - 2º andar/Sessão aberta open session

Cada junta de nosso corpo tem sua gama de movimentos e inúmeras combinações possíveis. O corpo processa um grande número de informações práticas que ultrapassam o que o lado consciente da mente pode guardar. nossas mentes podem se concentrar apenas em algumas coisas ao mesmo tempo, enquanto nossos corpos são capazes de combinar um grande número de informações em contínua transformação. Para criar o movimento, os participantes farão uso da intuição e da criatividade que se materializam por circunstâncias puramente físicas. A improvisação e a troca de informações pelo toque possibilitarão a cada participante tirar proveito deste fenômeno para criar formas, ritmos e atribuir qualidades a movimentos muito mais sofisticados do que nossas mentes poderiam criar. nesse workshop, Thomas Hauert aplica a técnica estudada na ZOO, sua companhia, que apresenta Accords no Panorama (ver programação). Depois de dançar ao lado de Anne Teresa De Keersmaeker, Pierre Droulers, David Zambrano e Gonnie Heggen, em 1998, Thomas Hauert decidiu formar sua própria companhia junto com bailarinos que havia conhecido no Rotterdam Dance Academy e no Rosas. Com a ZOO, sua companhia sediada na Suíça, desenvolve uma pesquisa de movimento baseada na improvisação. É professor da P.A.R.T.S., escola do grupo ROSAS considerada a mais importante formação em criadores para a dança contemporânea.

each joint in our body has its range of movement and countless possible combinations. The body processes a great number of practical information that goes beyond what the conscious mind can store. our mind can concentrate in only a few things at a time, while our body is able to combine a great amount of information in continuous transformation. To create movement, the participants will use their intuition and creativity which materialize through purely physical circumstances. The improvisation and the exchange of information through touch enables each participant to take advantage of this phenomenon to create forms, rhythms and attributing qualities to much more sophisticated movements than our mind could create. In this workshop, Thomas hauert applies the technique studied in his company Zoo, which will present Accords in Panorama (see program). After dancing besides Anne Teresa de Keersmaeker, Pierre Droulers, David Zambrano and Gonnie heggen, in 1998, Thomas hauert decided to create his own company along with dancers he has met in Rotterdam Dance Academy and in Rosas. With Zoo, his company based in Switzerland, he develops movement research based on improvisation. he is a teacher at P.A.R.T.S., school of the Rosas group, considered to be the most important training center for creators of contemporary dance.


Poética Cotidiana do Corpo: Jogos e Regras de Convivência em Grupo Cia. Dani Lima Brasil, Rio de Janeiro 01/11 02/11 08/11 09/11

sáb sat dom sun sáb sat dom sun

14h às 17h 13h às 15h 13h às 15h 14h às 17h

Esta oficina visa partilhar a linguagem e o processo de criação dos espetáculos da Cia. Dani Lima por meio de jogos e improvisações. O enfoque principal é a busca de um corpo próximo construído a partir da relação com os outros e o meio. Serão trabalhadas noções de postura, equilíbrio, respiração, memória e auto-reconhecimento, entre outras, estimulando a percepção do espaço, a autonomia e a prática coletiva.

Teatro Arthur Azevedo Teatro Arthur Azevedo Teatro Armando Gonzaga Teatro Armando Gonzaga This workshop is intended to share the language and the creative process of the shows of cia. Dani Lima through games and improvisation. The main focus is the search for a body constituted through interaction with others and with the environment. The meeting will approach notions of posture, balance, breathing, memory and self-knowledge, among others, stimulating autonomy, collective practice and the perception of space.

Dança e Criação – Um Sopro De idéias Esther Weitzman Brasil, Rio de Janeiro 01/11 02/11

14h às 17h 13h às 15h

sáb sat dom sun

A comunicação do movimento dentro de um contexto contemporâneo, procurando a dinâmica e a percepção do momento presente. Esta é a proposta deste trabalho, que está conectado com a construção e a qualidade do movimento tendo em vista a criação da dança de cada indivíduo. A idéia é abrir um caminho embrionário de composição e de pesquisa de linguagem para expandir as possibilidades expressivas e estimular a pesquisa.

Teatro Armando Gonzaga Teatro Armando Gonzaga

communication of movement within a contemporary context in search of the dynamics and the perception of the present moment. That is the proposal of this work process, which is connected to the construction and the quality of movement aiming each individual’s dance creation. The idea is to open a basic path for composition and language research to expand expressive possibilities and stimulate research.


Montagem Coreográfica, Um Exercício Sobre A Dança Urbana Sônia Destri Brasil, Rio de Janeiro

86

01/10 02/10 08/10 09/10

sáb sat dom sun sáb sat dom sun

13h às 16h 13h às 15h 14h às 17h 13h às 15h

Esta oficina é voltada para a dança urbana e a montagem coreográfica. nas aulas, serão trabalhados alguns dos etilos do universo hip-hop/urbano, como house dance, popping e break dance. Através de exercícios e sugestões dos alunos, os participantes criarão uma coreografia.

Teatro Mário Lago Teatro Mário Lago Teatro Arthur Azevedo Teatro Arthur Azevedo This workshop is oriented towards urban dance and choreographic composition. Some of the styles of the hip-hop/urban universe, such as house dance, popping and break dance will be worked in the classes. Through exercises and suggestions from the participants, a choreography will be created.

Oficina Membros Cia. De Dança

Membros Cia. De Dança Brasil, Rio de Janeiro 08/10 09/10

sáb sat dom sun

13h às 16h 13h às 15h

A oficina será dada pelo bailarino João Carlos Silva, integrante da Membros Cia. de Dança e professor no Centro integrado de Estudos do Movimento Hip-Hop (CiEM.h2), projeto que deu origem à companhia. Serão aulas de introdução ao b.boying com funk style, footwork e tup rock, fundamentos do break dance, alicerce da dança da Membros.

Teatro Mário Lago Teatro Mário Lago

The workshop conducted by dancer João carlos Silva, member of Membros cia. de Dança and teacher at centro Integrado de estudos do Movimento hip-hop (cIeM.h2), the project that originated the company. The classes will be an introduction to b.boying with funk style, footwork and tup rock, foundations of break dance, which is the basis for the dance created by Membros cia. De Dança.


AULAS ABERTAS - SALA DAS MACHinAS

Sede do Panorama, o instituto dos Arquitetos do Brasil (iAB) também abriga uma série de aulas abertas com convidados nacionais e internacionais. Cada turma será composta de até 20 alunos e os interessados podem se inscrever pelo e-mail oficinas@panoramafestival.com. headquarters of Panorama, Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) hosts a series of open classes with national and international guests. each class will have up to 20 participants. Submissions can be send to the email oficinas@ panoramafestival.com.

Jorge Alencar, Dimenti Brasil, BA 31/10 sex fri 11h30 às 14h30 Lenka Flory, Deja Donne itália Italy 01/11 sáb sat 11h30 às 14h30 Mário Nascimento, Cia. Mário Nascimento Brasil, MG 07/11 sex fri 15h às 18h

Márcia Milhazes Brasil, RJ 09/11

dom sun

11h30 às 14h30

Mais informações estão disponíveis no site do festival www.panoramafestival.com Further information at the festival website www.panoramafestival.com


ESPAÇOS VenUeS Teatro João Caetano

88

Praça Tiradentes, s/nº | Centro tel 2299.2142 1.222 lugares R$ 10 | R$ 5 Direção Daniel Dias da Silva Equipe de Administração Ronaldo S. nascimento, Gilda Vasquez, Wanderléia Queiroz Iluminação Celso Rodrigues Dias e José Gomes Alves Som Luiz Roberto do Amaral Santos e Satírio Carvalho Manutenção Antônio José da Silva e Valdelino Knupp Maquinaria Amaro Miguel dos Santos Josias Borges, Hamilton Alves da Cruz, Reginaldo Bispo de Queiroz Limpeza Tânia Maria do Carmo e Equipe da Locanty Bilheteria Geuricélia Rodrigues da Costa, Ruy Carreiro, Rosa Motta Leite e Aurelina Aparecida de Abreu Cruz Portarias Carlos Roberto Rosa, natanael Ramos Dias, Rogério de Freitas, Valter nilton Cavalcanti, Renato Alves Ferreira, Vicente Ferreira, Sílvio de Oliveira Santos, Geraldo Alves, José dos Santos e Jorge Luiz de Oliveira Santos

Teatro Villa-Lobos

Av. Princesa isabel, 440 | Copacabana tel 2334.7153 463 lugares R$ 10 | R$ 5 Diretor Marcos Edon Diretor Técnico Ricardo Passos Palco Élcio Siqueira Martins e Eli Martins Bilheteiria ivanildo e Ana Paula

CAIXA CULTURAL – Teatro Nelson Rodrigues

Av. Chile, 230 | Centro tel 2262.0942 394 lugares R$ 10 | R$ 5 Presidente da República Luiz inácio Lula da Silva Ministro da Fazenda Guido Mantega Presidenta da Caixa Econômica Federal Maria Fernanda Ramos Coelho

Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) Rua do Pinheiro, 10 | Flamengo 2557.4480 500 lugares Entrada Franca para instalações e conversas R$ 10 | R$ 5 espetáculos

Espaço SESC

Rua Domingos Ferreira, 160 | Copacabana tel 2547.0156 84 lugares R$ 16 | R$ 8 | R$ 4 Gerente Beatriz Radunsky Gerente Assistente Cely Bianchi Executiva Técnica Tatyana Paiva Coordenador Administrativo Rodrigo Corrêa Administradora do Teatro Leysa Vidal Equipe Técnica Alexandra Jordão, Benhur Alvarez, Carlos isidro, Celma Lopes Batista, Elias Vieira Costa, José Mauricio da Silva dos Santos, Sergio da Silva Bilheteiria Sidnei Leal Marateo Assistente Técnica Marcia Casares Assessora Técnica Elizabeth Pinheiro Fanti Executiva Técnica Luciene Alcântara Terra

SESC Nova Iguaçu

Rua Dom Adriano Hipólito, 160 | nova iguaçu tel 2797.3390 350 lugares Entrada Franca Diretor Victor Zenezi Diretor Técnico Glória

SESC São João de Meriti

Av. Automóvel Club, 66 | São João de Meriti tel 2755.7070 350 lugares Entrada Franca Gerente Vanderlei Galvão Técnico de Som e Luz André nobre, Fernando Bragança e Jonas Gomes

SESC São Gonçalo

Av. Presidente Kennedy, 755 | Estrela do norte tel 2712.3282 350 lugares Entrada Franca Gerente da Unidade Vania Regina Malta Gerente Assistente Elcio Luis E. Cavalcante Técnico do Teatro João Luis de Azevedo e Luiz Antonio Cardoso Gestão Cultural Ayres Dalbino dos Santos Filho


Teatro Armando Gonzaga

Avenida General Osvaldo Cordeiro, 551 Marechal Hermes tel 2332.1040 275 lugares R$ 6 | R$ 3 Direção ignácio neto Administração João Rachidi Assistente de Palco ilson Miranda Bilheteria Sergio Luiz Gáglia Portaria Umberto Dantas Serviços Gerais Flavio e Joana

Teatro Arthur Azevedo

Rua Victor Alves, 454 | Campo Grande tel 2332.7516 310 lugares R$ 6 | R$ 3 Diretor Moisés dos Santos Bittencourt Administrador Jayr Lopes Moreira Filho Administradora Márcia Passos Bandeira de Mello Porteiro de Serviço Hugo de Andrade Filho Iluminador Sergio da Mota Faria Eletricista Técnico Carlos Antonio da Silva Bilheteiro Ricardo José Santana Limpeza Ana Maria nóbrega e Helena Cristina Alves de Lima

Teatro Mário Lago

Rua Jaime Redondo, 2 | Vila Kennedy tel 2405.5466 168 lugares Entrada Franca Diretora Lislaine Alves Técnico João Moura e Hudson Texeira

Durex Arte Contemporânea

Praça Tiradentes, 85, Sobrado | Centro tel 2508.6098 Curador Marcos Dana www.durexart.com

Centro de Arte Maria Teresa Vieira Rua da Carioca, 85 | Centro tel 2262.0137 Diretor Arnaldo Vieira de Alencastre

Largo das Artes

Rua Luís de Camões, 2, Sobrado Largo de São Francisco tel 2224.2985 Diretores Martha Pagy e Miguel Sayad

Centro Cultural Carioca

Rua do Teatro, 37 | Centro tel 2252.6468 Direção isnard Manso

Fuzuê Culinária, Arte e Cultura Rua Pedro i, nº 20 | Centro tel 2221.3486 Diretor José Loyola

Espaço Christiana Cavalcante Oi Futuro

Rua Dois de Dezembro, 63 | Flamengo tel 3131.3082 394 lugares Entrada Franca Presidência José Augusto da Gama Figueira Vice-Presidência George Moraes Direção de Cultura Maria Arlete Gonçalves Direção de Educação Samara Werner Direção Administrativo-Financeira Flavio Copelo Curadoria Artes Cênicas Roberto Guimarães Equipe Cultura Alberto Saraiva, Bruna Costa , Claudia Leite, Dennis Hanson, Lucia nascimento, Maria de Fátima Santana, Renata Fontanillas, Tatiana Laura, Victor D’Almeida

Sa Ferreira 202 |Copacabana te 8551.1103 Direção Christiana Cavalcante

Teatro Glaucio Gil

Praca Cardeal Arcoverde s/n° | Copacabana tel 2332.7902


PROJETO DE FORMAÇãO DE PÚBLiCO

90

Além de contar pela primeira vez com uma sede (leia mais na programação do iAB+Oi Futuro), o Panorama 2008 traz outra novidade: o projeto de formação de público. Se, desde 2006, o festival leva espetáculos a áreas afastadas do burburinho da produção artística carioca, como Baixada Fluminense e Zona norte, nesta edição investe também no caminho inverso, viabilizando a distribuição de ingressos a populações com pouco ou nenhum acesso à produção cultural. O objetivo é incentivar a ida dessas pessoas aos teatros democratizando a (in)formação. Besides having headquarters for the first time (read more in the IAB+oi Futuro program), something else is new in Panorama 2008: the audience development project. Since 2006 the festival brings shows to areas distant from the buzz of carioca artistic production, like Baixada Fluminense and the north Zone. This year Panorama also invests in the other way around, making possible the distribution of tickets to people with little or no access to cultural production. The goal is to stimulate those people to attend theaters, democratizing information. Com esta ação serão beneficiadas as seguintes instituições This action will benefit the following institutions Ação Comunitária do Brasil; AMOCAViM; (BAC e CiRCO SOCiAL/São João de Meriti); CCCP (Marechal Hermes); Cedaps; Cinema nosso; CiSAnE – Centro de integração Social Amigos de nova Era; CJ Hip Hop São João de Meriti; Corpafro; Criola; Dançar a Vida; Escola de Gente; império Serrano (império do Futuro);

Fórum de Juventude negra do RJ; GRiÔS, instituto Tear; Kizomba; Lona de Circo Crescer e Viver; OnG Campo (Pré-vestibular comunitário); PAC Cultural/Secretaria Estadual de Cultura RJ, Secretaria Municipal de Educação (Programa Jovens e Adultos); Projeto Passageiros do Futuro (Vila Kennedy); Soleil D’Or (Academia de Dança em Campo Grande); Se Essa Rua Fosse Minha; TV Pinel; Viva Cazuza e Vitória Régia., Espaço Attitude de Dança, Grupo Cemso, Dançarte, Escola Aberta, Escola de Dança Ulanova, Academia Teresa Petsold, Colégio Estadual Professor José Accioli, CECiP, SAVK (Sociedade dos Amigos de Vila Kennedy), Dançando pra não Dançar, Mulheres Vitoriosas de Vila Kennedy, Escola Municipal Londres, Curso Livre de Teatro de Daniele Zamorano, Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena.


O QUE É O CiRCUiTO

92

Desde 2005 os quatro festivais de dança contemporânea de maior repercussão nacional, que acontecem entre outubro e novembro, estão unidos para incentivar a circulação de companhias nacionais e estrangeiras e a partilha de programas, idéias e recursos. O Circuito envolve o Festival do Recife, a Bienal de Par em Par do Ceará, o FiD e o Panorama e inclui quatro capitais (duas do nordeste e duas do Sudeste). Trata-se de uma união de estruturas para fortificar as cenas de novos artistas locais, facilitar a troca de informações, otimizar a circulação de artistas estrangeiros e fomentar a cooperação e a circulação de artistas brasileiros entre nossos festivais. Dessa parceria, diversas otimizações de custos e projetos já surgiram e continuaram a surgir. Juntos, esses festivais têm potencial de alcance de mais de 60 mil pessoas, com enorme retorno de mídia espontânea. Em cada festival, há um recorte curatorial diferente. Em comum, a qualidade das produções e a aposta no que há de mais novo e instigante nas artes do corpo. numa área artística que se torna cada vez mais ampla, repleta de nuances e de tecnologias, o Circuito se firma como uma iniciativa que fala diretamente aos formadores de opinião, aos jovens e a todos os interessados na vanguarda da arte. Os quatro festivais têm uma política de ingressos populares e enorme interação com espaços públicos e nãoconvencionais. O resultado é um público crescente e uma mídia cada vez mais presente.

O Circuito, além de mostrar o melhor da produção internacional no Brasil, é também a maior vitrine para a circulação da produção nacional. E os festivais que o formam dividem também a tarefa de fomentar a produção dos jovens artistas com estréias e projetos de cooperação internacional e formação. São quatro iniciativas muito diferentes em termos de curadoria e realidades locais, mas que têm em comum a experimentação da linguagem, o investimento em novos talentos, o interesse na formação de platéias e na cooperação igualitária entre brasileiros e estrangeiros em processos de criação artística. Uma das ações em conjunto do Circuito de Festivais é aumentar o intercâmbio com a América Latina e a áfrica. Trata-se de uma decisão política e estratégica com vistas a estreitar os laços culturais e de economia da cultura entre esses países. Está claro para nós o papel estratégico do Brasil como fomentador desse diálogo no nosso continente e diante do continente africano. O Circuito Brasileiro de Festivais internacionais de Dança convida o público para as edições de 2008 do Festival do Recife, da Bienal de Par em Par do Ceará, do FiD e do Panorama.


Four Brazilian dance festivals with the greatest international and national outreach have been partners since 2005 to stimulate the circulation of national and international companies and to share projects, ideas and resources. The circuit involves Festival do Recife, Bienal de Par em Par do cearรก, FID and Panorama and includes four capitals (two in the northeast region and two in the Southeast region). It is a reunion of structures to strengthen the local artistic scene, facilitate the exchange of information, optimize the circulation of foreign artists and stimulate the cooperation and circulation of Brazilian artists within our festivals. other financial, media and project optimizations are arising from this partnership. Together, these festivals have a potential to reach over 60 thousand people, with great return in terms of spontaneous media. In each one, there is a different curatorial approach. They have in common the quality of the production and the encouragement of the most innovative and instigating creations in the arts of the body. In an artistic field that is becoming broader and presenting many variations and new technologies, the circuit establishes itself as an action that speaks directly to opinion makers, the youth and all those interested in avant-gard art. The four festivals have a low price ticket policy and huge interaction with public and unconventional spaces. The result is increasing audience and ever more present media. Besides presenting in Brazil the best of international production, it is also the largest showcase for the circulation of national production. The four festivals that compose the circuit also share the task of stimulating the production of young Brazilian artists, by the means of premieres and projects for artistic education and international cooperation.

We are four very distinct initiatives in terms of curatorship and local reality, but we share a common interest in experimentation, investment in new talents, forming audiences and equal cooperation between Brazilians and foreigners in artistic creation process. one of the joint actions of the circuit is to increase the exchange with Latin America and Africa. It is a political and strategic decision to strengthen the cultural and economic ties with these countries. It is clear to us that Brazil has a strategic role in promoting dialogue in our continent and the African continent. The International Dance Festival circuit invites the audience to the 2008 editions of Festival do Recife, da Bienal de Par em Par do cearรก, FID and Panorama.


AGRADECiMEnTOS ThAnKS

94

13° Batalhão de Polícia Militar Ação Comunitária do Brasil Adriana Banana Adriana Ferraz Akemi Ono Alberto Aleixo Alberto Saraiva Aleques Eiterer Alessandra Côrtes Marins Alessandra Curvello Alfons Hug Alice Baeta Aline Quintella Ana Lúcia dos Santos Amaury Cacciacarro Filho AMOCAViM Ana – iAB Ana Claudia Casales Ana Claudia Melo Ana Tomé André Barcellos Andréa Bardawill Angel Vianna Angelo Defanti Arianne Pelle Arnaldo Siqueira Arnaldo Vieira de Alencastre Beto JR Bia Radunsky Bianca Prestes Bruno Côrtes Marins Bruno Katzer Carla Branco Carla Lobo Carla Strachmann Carol Pucu Catarina Saraiva CCCP(Marechal Hermes) Cecilia Coelho (Hotel Toledo) Cedaps Célia Regina de Almeida Santos Christine Paly Cinema nosso CiSAnE – Centro de integração Social Amigos de nova Era CJ Hip Hop S.João de Meriti Claudia Bueno Claudia D’Mutti Claudia Tefes Clauser Maciesky

Coletivo improviso Conceição Cascareja (Rtour) Corpafro Criola Cristiana Cavalcante Daisaku ikeda Dançar a Vida Dançarte Daniele Zamorano David Linhares Dimitry Ovtchinnikoff Diretora da Unicamp Dora Candida & José Carlos Emanuel Vieira Equipe JL Bernardo Eron Villar Escola Aberta Martha Rocha Escola de Gente Espaço Attitude de Dança (Campo Grande) Eva Dóris Flora Prata (professora) Forum de Juventude negra do RJ Franz Manata Fujimoto Takayuki Fundo Angela Borba Gilciana Mello Gill Lloyd Grupo Cemso Guarda Municipal do Rio de Janeiro Helena Vieira Hélène Maza Heliana Marinho Heloísa Machado império Serrano (império do Futuro) instituto Tear isabel Ferreira Jeremy Desjardins Jeremy Smeeth Jonathan nunes José Landi José Loyolla Julio Dutra Karen Ramos Kátia Gualter Kizomba Lenke Pentagna Paventits Leonel Brum Lia Rodrigues

Lona de Circo Crescer e Viver Lúcia Guimarães Lucy Bottentuit Lopez Luiz Carlos Lima Marcelle Darrieux Marcelle Morgan Marcelo Evelin Márcio Botner Marcio Cunha Marco Simões Marcos Paulo Silva (GRiÔS) Marcos Serra Maria Arlete Gonçalves e equipe Oi Futuro Maria Olga Côrtes Marins Maria Teresa Daddario Marie Depalle Marilda “Sassá” Samico Marisa Riccitelli Mark Deputter Mauro Meneses Michiko Okano Monica Moreira Mônica Sacramento (Observatório quilombolas) Mônica Simões nehle Franke noel Bonilla Chongo Observatório da Juventude Observatório de favelas OnG Campo (Pré-vestibular comunitário) PAC Cultural / Secretaria Estadual de Cultura RJ Paola Barreto Passageiros do Futuro (Vila Kennedy) Patrícia (iBASE) Patricia Broers Paulo Carrano (UFF) Paulo Mattos Paulo Medeiros Pelin Basaran Philippe Ariagno Projeto Raimundo Ferreira Raquel Rocha Regina Bonito Regina Studart Regina Veloso Regina Ramos e equipe Caixa Cultural

Renata Monteiro Renato Cruz Rita Sá Marques Roberto Guimarães Roberto Pereira Rodrigo Alvite (Hotel Scorial) Rodrigo Lamounier Rubens Piovano Sabine Du Puytison Sandra Lyra Se Essa Rua Fosse Minha Secretaria Municipal de Educação (Programa Jovens e Adultos) Shirley Martins Sigrid nora Silvia Soter Simone Avancini Soleil D’Or (Academia de Dança Campo Grande) Sophie Renaud Sophie Renaud Stefano Macchi Tais Zimbwe Teresa Petsold Teresa Taquechel TV Pinel Vera Lopes Vitor Monteiro de Castro Vitória Régia Viva Cazuza Walter Braga Wagner Paiva


EQUiPE STAFF Direção Geral e Curadores General Direction and Curators Eduardo Bonito nayse Lopez

Produção Mostra Universitária Production of University Showcase Sonja Gradel

Assistente da Direção Assistant Director Patricia Bárbara

Receptivo Travels and Hotels Renata Monnerat

Coordenação de Produção Production Coordinator Rossine A. Freitas

Assistente Receptivo Travels and Hotels Assistant Júlia Baker

Produção Production Flavia Candida

Equipe Receptivo Welcome Team Melanie Freguin Marcela Miranda Paula Furtado

Assistentes de Produção Production Assistants André Santos Rodolfo Alves Atividades Paralelas Parallel Activities Ricardo Mendes

Transporte Transportation Taiana Trajano Agente de Viagens Travel Agent Conceição Cascareja (Rtour Viagens)

Consultoria Seminário Economia da Dança Dance Economy Seminar Advisor Bilheteria Marcos Moraes Box Office Mônica Bittencourt 1º Assistente Atividades Paralelas Assistente Bilheteria 1st Parallel Activities Assistant Box Office Assistant Silvia Yared Paulinelle Castro 2º Assistente Atividades Paralelas 2nd Parallel Activities Assistant Allan de Paula Tradução e Assistente Atividades Paralelas Translation and Parallel Activities Assistant Liana Luna Tradução Workshops Translation Workshops Juliana nähner Formação de Público Audience Development Ecoar Educando Com Arte

Videoteca Panorama Videoteque Melanie Freguin Coordenação Técnica TechNical Coordination D5 Produções Artísticas Coordenadora Coordinator Adriana Ortiz Equipe Staff Alan Castelo Felício Mafra Francisco Gomes Sérgio Santos Vanessa Galvão

Assistente Formação de Público Audience Development Assistant Estagiário Malu Tostes Intern Jonathan nunes Leandro Santos (Colaboração collaboration)

Cenotécnicos Stage Technicians Antonio Luis Figueiredo Celso de Paiva Jean Carlo Pessoa José Roberto Celestino Eletricistas Cênicos Electrician Alessandro Gustavo Antonio Junior Bruno Barreto Fabiano Pereira Jorge Camacho Juca Baracho Junior Brasil Leandro Barreto Ricardo Formiga Ricardo Pereira Tiago da Silveira Camareiras Wardobre Rosangela Gilse Produtores nos Teatros Production at Venues Teatros João Caetano e nelson Rodrigues - Daniel de Castro e Márcio Azevedo LAB/Oi Futuro – Felipe Bittencourt e Patricia Bárbara Teatro Villa-Lobos – Raul Ribeiro Espaço SESC – Paula Alves Circuito SESC – Roberta Pisco Teatro Mário Lago – Jonathan nunes Teatro Arthur Azevedo – Bruno Katzer Teatro Armando Gonzaga – Edson nieto Consultoria Financeira Finance Consulting Marcus Bonito Gerência Financeira Financial Management Sônia Ferman Assistente Gerência Financeira Financial Management Assistant Pedro Henrique Real Escritório Contábil Accountants Sesan Contabilidade

Serviços Gerais General Services Kelly Cristina Apoio Support Lúcia Maximiliano Transporte Internacional e Importação de Cargas International Freight Shipping And Importation Waiver Logistics Transporte Nacional de Cargas National Freight Shipping Junicar Comunicação Communication Ana Laet COM Projeto Gráfico Graphic Design Ana Laet COM (Gustavo Lacerda) Textos Texts isabella Motta Tradução Translation Gabriela Baptista Edição e Revisão Editing and Proof Reading Kathia Ferreira Edição de Vídeo Video Editing Luiz Guilherme Guerreiro Assessoria de Imprensa Press Office Belém Com


FOTOS PhoToGRAPhS

96 ESPETáCULOS Umwelt Christian Ganet A Glimpse of Hope Dutch Rall Ritornelo Bruno Veiga H3 Scumeck Suíte Funk Divulgacao Por Minha Parte Divulgação Manual de Instruções Divulgação My Mother Naked Dalton Camargos Argumentos de Favor de la Oscuridad Jose Carracedo Qwerty Yohta Kataoka Tombé Almir Jr. Império, Love to Love You, Baby Divulgação Correspondences Eric Boudet Coca-Cola Dreams Divulgação Maravillosa Divulgação Accords Filip Vanzieleghem Tierra De Mandelbrot Jose Carracedo Plano Difuso Jose Carracedo Quinteto Guilherme Rodrigues We Failed To Hold This Reality In Mind Hooman Sharifi Raio X Divulgação Faladores Silvia Machado God Exists, The Mother Is There But They No Longer Care Hooman Sharifi PAnORAMinHA Chuá Almir Jr. Matrioska Divulgação

SEnTiDO>CEnTRO Meio Fio Divulgação Mono Klayton Amorim Corpo-Massa: Pele e Ossos Breno Cesar Que As Saidas Sejam Multiplas Tiago Rivaldo Cidade Dormitório ilustração Guga Ferraz Descontagotas Divulgação Bahia Michel Sommers Walking Poem in Rio Divulgação Oi FUTURO + SALA DAS MACHinAS Encounters Manuel Vason Treintaycuatro Pièces Distinguées & One Striptease Pilar Cambrero Instructions for High Speed Meditation Sergio Ulhõa TRANSCENdANCE Sergio Ulhõa

Festival Panorama 2008  

17ª Edição Festival Panorama

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you