Issuu on Google+


T

palavra do presidente


T

índice

REVISTA DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR REVISTA DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR www.fecomerciopr.com.br www.sescpr.com.br www.pr.senac.br Fecomércio Rua Visconde do Rio Branco, 931, 6º andar CEP 80410-001 Curitiba Paraná 41 3883-4500

ano XI nº 83 julho | agosto 2011

Índice Capa pág. 26

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR Darci Piana

05

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING jornalismo@fecomerciopr.com.br 41 3883-4530

13 pág. 52

Fernanda Ziegmann, Jorge Mariano, Isabela Mattiolli, Karen Bortolini, Karla Santin e Silvia Bocchese de Lima

Troféu Guerreiro do Comércio 2011

24

Sinca PR abastece Estado com representatividade e compromisso

26

Fecomércio fortalece laços bilaterais entre Paraná e Argentina

Fotos

32

Ivo José de Lima

Vera Andrion

46

Sebrae na Copa do Mundo

Redação e Revisão

Projeto Gráfico Original

06 12

qUALIDADE SENAC

PALCO GIRATÓRIO pág. 60

Diagramação

Tag Comunicação

Impressão – CTP

Graciosa Gráfica – Curitiba Tiragem 10 mil exemplares

Solidariedade e dignidade à mesa do brasileiro

44

Notas

Coordenador do Núcleo de Comunicação e Marketing Cesar Luiz Gonçalves

42

Artigo

Desonerar a folha de pagamentos criando um novo imposto?

Diretor Regional do Senac PR Vitor Monastier

Jornalista Responsável João Alceu Julio Ribeiro Reg. 0293/DRT-PR

Palavra do Presidente A vitalidade do comércio

Diretor Regional do Sesc PR José Dimas Fonseca

Editor Ernani Buchmann

04

África chega ao Paraná

36

Japoneses buscam oportunidades de negócios no Paraná

37

Holandês de nascimento, paranaense de coração

38

Perfil das mulheres brasileiras

40

Denis: da dificuldade veio a vocação

Revitalização de Espaços Comerciais em Maringá Fecomércio e suas obras

47

Atendimento é rápido e prático no TRE para o recadastramento dos títulos

48

Endividamento não freia consumo

50

Senac itinerante

52

Senac investe na qualidade

56

Curitiba recebe encontro internacional de Educação

58

Brincando de casinha

60

Sesc PR traz Festival Palco Giratório à Curitiba

64

Feira do livro chega a 30ª edição

65

Arquitetos da melodia

69

Com os pés na senzala (e as orelhas, o toucinho, o rabo, a costelinha...)

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

3


A vitalidade do comércio Darci Piana Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná

Q

uando vemos os dados que comprovam a importância da atividade comercial, nos damos conta da veracidade do nosso mote, enfatizando qu e o c omé rc i o é bem maior do que se imagina. De acordo com a Junta Comercial do Paraná, temos 478 mil empresas ativas, que empregam aproximadamente 1,68 milhão de trabalhadores, em segmentos distintos e importantes, todos merecedores do nosso apoio e respeito. Sabemos que o comércio é atividade vital para o desenvolvimento da economia de uma nação. Mais do que oferta de produtos ou troca de valores, ele faz parte das relações em sociedade. O desafio está na qualificação dos profissionais. Recente pesquisa da Fundação Itaú Social mostra que jovens com diploma do Ensino Médio Profissionalizante têm salários até 12% maiores do que aqueles que cursaram o Ensino Médio Regular. Por este motivo, o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR mantém cursos permanentes, nas mais variadas áreas de especialização, estabelecendo sólidas pontes entre quem oferece e quem precisa de emprego. Vale destacar que este ano o Programa de Comprometimento e Gratuidade do Ivo Lima

T

palavra do presidente

4 SISTEMA

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Sesc contemplará os alunos com 20% de cursos gratuitos, enquanto o Programa Senac de Gratuidade irá beneficiar 35% das pessoas matriculadas. Os cursos gratuitos foram direcionados a pessoas de baixa renda, que dificilmente teriam condições de custear sua formação profissional. A importância do comércio também se destaca na internacionalização das atividades do nosso Sistema, matéria de capa da revista. De fato, são inúmeros os eventos que demonstram a afirmativa. Nos últimos 60 dias, recebemos a visita de 27 embaixadores africanos, abrindo uma rota de interesses comerciais, educacionais, culturais e tecnológicos entre os dois lados do Atlântico. Não foi diferente a visita à Argentina, na companhia do governador Beto Richa e de importantes empresários do Estado. Além disso, tivemos a visita do cônsul do Japão, também visando o incremento dos projetos de integração comercial entre os países. Nos próximos meses, os Estados Unidos e a Europa serão o destino, demonstrando que não existem fronteiras para o comércio paranaense. Nesta edição ainda destacamos, em uma dezena de páginas, a bela festa que reuniu mais 1.300 pessoas no Paraná Clube, comemorando o Dia do Comerciante com a entrega dos troféus de Guerreiro do Comércio. A cada ano a exaltação dos empresários do comércio cresce de importância, já nos permitindo projetar, para 2012, um evento ainda mais grandioso.

T

julho

|

agosto 2011


ARTIGo

Desonerar a folha de pagamentos criando um novo imposto? Antonio Oliveira Santos Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

A

Crisitna Bocayuva

imprensa vem noticiando que o Ministério da Fazenda teria acolhido a proposta isolada de alguns empresários, no sentido da desoneração da folha de pagamentos, mediante a extinção da contribuição previdenciária patronal, prevista em todas as Constituições brasileiras, desde a de 1934 e adequadamente vinculada aos salários dos trabalhadores, base de cálculo para aposentadorias e pensões, e sua transferência para o faturamento. A ideia não é nova. Ressurge, de tempos em tempos, como a panaceia para resolver todos os males. Todavia, a carga tributária sobre as empresas não seria reduzida. É que, para proporcionar receita equivalente à que é decorrente da contribuição previdenciária patronal, seria criado mais um novo imposto, tendo por base de cálculo o faturamento das empresas, já onerado, de modo direto ou indireto, pelo ICMS, IPI, ISS, PIS, Cofins, IRPJ e CSLL. A CNC é contrária à desoneração da folha de pagamentos, mediante a transferência da base de incidência das contribuições previdenciárias para o faturamento. Essa medida importaria em manter inalterada a carga tributária sobre as empresas,

beneficiando umas e onerando outras, com evidente desgaste político para o Governo. A incidência sobre a folha de salários é condição essencial à implantação do sistema previdenciário de capitalização, que só depende da implementação do Fundo. À semelhança dos Fundos de previdência privada, o Fundo previdenciário dos trabalhadores urbanos poderá aplicar, no mercado financeiro, não só o superávit que, há meses, vem ocorrendo na previdência da área urbana, como também a receita realizada, todo mês, até sua utilização com o pagamento de aposentadorias e pensões. Em suma, não há o menor sentido econômico ou jurídico, nem seria racional, desonerar-se a folha de pagamento de salários e, ao mesmo tempo, criar-se mais um imposto e, sobretudo, mais um imposto sobre o faturamento. Se o problema é uma redução da carga tributária ou simplificação do sistema fiscal, seria uma alternativa mais lógica, em uma primeira etapa, a extinção das contribuições ao salário educação (2,5%) e ao Incra (0,2%), cujo custeio deveria ficar a cargo do orçamento da União. A contribuição previdenciária patronal poderá ser reduzida em mais 2% se forem revogadas todas as hipóteses de isenção e redução de alíquotas ou se o valor global dessas renúncias previdenciárias forem cobertas, de modo transparente, por recursos do Tesouro Nacional, como prescreve a Lei de Responsabilidade Fiscal.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

T

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

5

T


Paranaguá rumo à Copa do Mundo

O Programa Senac na Copa, Paraná no Mundo será lançado, em Paranaguá, no dia 30 de agosto. Cerca de 24 mil vagas serão oferecidas em Curitiba, Foz do Iguaçu e Paranaguá, até o campeonato que acontecerá em 2014. Paranaguá será um dos destinos indutores da Copa do Mundo no Estado e deve receber o maior número de turistas. Por esse motivo, o Senac vem investindo na qualificação da mão de obra na cidade. Alguns cursos já estão em andamento, mas muitos outros serão realizados. Mais informações pelo site www.pr.senac.br, ou pelo telefone 0800 643 6 346.

Sonora Brasil no Paraná

O Sesc desenvolve há 14 anos o projeto “Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais” e apresenta programações que buscam o desenvolvimento histórico da música no país. Neste ano, o Paraná já recebeu duas edições do projeto com o tema “Sotaques do Fole” e, em outubro, é a vez do Duo Ferraguti/ Kramer, composto por dois dos principais acordeonistas da atualidade, apresentar o acordeão tradicional, também conhecido no Brasil como sanfona a piano. Com um repertório formado por composições próprias e de Pixinguinha, Dominguinhos, Luperce Miranda e Sivuca, o duo traz músicas de concerto, choros e suítes. Confira as cidades que receberão a terceira etapa do projeto: 08/10: Curitiba 13/10: Paranavaí 09/10: Ponta Grossa 15/10: Guarapuava 10/10: Jacarezinho 16/10: Pato Branco 11/10: Londrina 17/10: Cascavel 12/10: Marialva 18/10: Foz do Iguaçu

Pronatec é tema de teleconferência nas unidades do Senac de todo o país

no dia 25 de julho para todo o Brasil. O evento, exclusivo para colaboradores do Senac, abordou os impactos do programa federal no planejamento, na gestão e na oferta de cursos da instituição. No Paraná, a teleconferência reuniu diretores de Centros e Núcleos de Educação Profissional, técnicos e analistas em educação e instrutores em oito cidades: Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Ponta Grossa e Campo Mourão. Na capital paranaense, o debate lotou o auditório João Daudt d’Oliveira e contou A participação do Senac no Programa Nacio- com a presença do diretor regional do Senac PR, nal de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pro- Vitor Monastier e do diretor administrativo e finatec) foi o tema da teleconferência transmitida nanceiro, Edmundo Knaut. Ivo Lima

T

Notas

6 SISTEMA

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


João Borges

APC-PUCPR implanta Programa Alimentos Seguros em hospitais

Preocupada em garantir a qualidade e a segurança dos alimentos oferecidos aos seus clientes, a Associação Paranaense de Cultura (APC), manCozinha do Hospital Universitário Cajuru tenedora da PUCPR e dos Hospitais Universitário Cajuru, Nossa Senhora da Luz e Santa Casa de Curitiba, implantou o Programa Alimentos Seguros (PAS) em seu setor de nutrição. Para a implantação do PAS no refeitório do campus Curitiba da PUCPR e nos três hospitais, a APC contou com a assessoria do Senac Curitiba. O projeto vai beneficiar 125 mil pessoas por mês – número estimado de consumidores que passam pelos refeitórios, pacientes e clientes indiretos.

O ciclo literário Autores & Ideias do Sesc PR está em sua segunda edição. De abril a novembro, a literatura é o ponto de partida para que leitores e autores se encontrem, conheçam-se e troquem ideias. De acordo com a gerente de Cultura do Sesc PR, Deborah Belotti, o objetivo do pro-

jeto é “promover um diálogo próximo entre leitor e escritor, por meio de debates relevantes e atuais”. pontua. A cada rodada, dois autores conversam sobre um tema diferente, pelo viés da literatura. Em outubro a proposta do projeto é promover um diálogo possível entre a literatura e o cinema, por meio de Conexões Literárias, com os autores Vitor Ramil e Marçal Aquino. A programação completa do projeto está no site www.sescpr.com.br.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR “Responsabilidade Ambiental e Esporte correndo juntos!”. Este é o slogan da 5ª edição da Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR, que acontecerá no dia 25 de setembro, em Foz do Iguaçu. A expectativa é que até o dia 14 de setembro, prazo final para a realização das inscrições, mil atletas preencham o número máximo das vagas disponíveis. Com início do trajeto na maior usina hidrelétrica do mundo, passando pelo centro da cidade e chegada no Parque Nacional do Iguaçu, com vista para as Cataratas, corredores de diversas regiões do Brasil e de outros países participarão da prova que tem o percurso de 42.195m, aferido e certificado pela Confederação Brasileira de Atletismo. Para realizar as inscrições, os interessados devem acessar o site www.sescpr.com.br.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

7


Missão do Comércio em Nova Iorque

Uma excelente oportunidade para trocar experiências e repensar estratégias para as empresas do comércio de bens, serviços e turismo. Pensando nisso, um grupo de empresários do Paraná participará da Missão Técnica do Comércio a Nova Iorque. O grupo permanecerá de 17 a 24 de setembro na cidade americana, considerada a segunda maior aglomeração urbana do continente. Serão realizadas visitas técnicas em centros comerciais, shoppings centers e lojas, além de workshops de aprendizagem dos conhecimentos adquiridos. O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, acompanhará o grupo de empresários nesta missão. Informações podem ser obtidas pelo site www.sebraepr.com.br/varejo.

Corecon-PR firma parceria com Fecomércio PR

Sesc São José inicia processo seletivo

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darcia Piana, e o diretor das Câmaras Setoriais da Fecomércio, Eduardo Gabardo, receberam a visita da presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-PR), Maria de Fátima Miranda e do ex-presidente do Corecon-PR, Luiz Antônio Rubin. O objetivo da visita foi acertar os últimos detalhes do convênio que o conselho firmará com o Instituto Fecomércio de Pesquisa e Desenvolvimento, visando estudantes de economia que queiram estagiar junto ao comércio de todo o Paraná. Karla Santin

T

notas

As inscrições do processo seletivo de bolsas gratuitas para o Ensino Médio no Colégio Sesc São José iniciam-se no dia 1º de outubro e se estendem até o dia 21 do mesmo mês. Os interessados podem se inscrever no Serviço de Atendimento ao Cliente de qualquer unidade do Sesc em Curitiba. O resultado será publicado no dia 2 de dezembro no site www. sescpr.com.br e em edital no colégio. Podem participar alunos que apresentam renda familiar mensal de até três salários mínimos. Além de fornecer o conteúdo básico do Ensino Médio, a entidade prepara os alunos para trabalhar no setor do comércio.

Da esquerda para a direita: a presidente do Corecon-PR, Maria de Fátima Miranda; o expresidente do Corecon-PR, Luiz Antônio Rubin; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana e o diretor das Câmaras Setoriais da Fecomércio PR, Eduardo Gabardo

8 SISTEMA

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


Já estão abertas as inscrições para o Festival Jacarezinhense da Canção, o Fejacan, realizado pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, em parceria com a Prefeitura de Jacarezinho. Trata-se de uma mostra que tem como objetivo proporcionar o intercâmbio e a promoção de talentos, além de incentivar a difusão da música. Para realizar a inscrição, o candidato deve acessar o site www.sescpr.com.br e preencher o formulário de inscrições até o dia 16 de setembro. O evento será realizado nos dias 10 e 11 de novembro, no Cine Teatro Iguaçu e recebe músicas de compositores e intérpretes de todo o país.

Lançamento Paraná Seguro

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, participou, no dia 16 de agosto, do lançamento do programa Paraná Seguro. O evento, realizado no Auditório da RTVE Paraná, contou com os pronunciamentos do governador Beto Richa e do secretário de Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César. O programa prevê um incremento de R$500 milhões ainda este

ano e o dobro do investimento até 2014, em segurança pública. O aumento representa apenas 1% do PIB do Estado e deve permitir a contratação de 10 mil policiais num período de quatro anos, além da reforma e criação de delegacias, instalação de cinco bases de helicóptero para ações de socorro e resgate, criação do Batalhão de Fronteira e lançamento do boletim de ocorrência eletrônico.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Bolinhos encantadores

Os minibolos coloridos que conquistaram os americanos já viraram uma verdadeira febre brasileira. Os cupcakes são confeitados com coberturas saborosas e criativas e são de comer com olhos, antes mesmo da boca. Segundo a instrutora de gastronomia do Senac, Luzia Langanck, os cupcakes invadiram as festas infantis, chás de bebê e casamentos. Também são uma excelente opção para presentear. “É necessário se preocupar com a estética do doce. Além de gostoso, ele precisar ser bonito”, diz. Aos apaixonados pela confeitaria e aos que desejam adoçar sua renda, o Senac Curitiba oferece a turma de Preparo de Verrines e Cupcakes, programada para iniciar em 12 de setembro. Os alunos aprenderão receitas tradicionais e inusitadas, como a exótica trufa de melão. Também descobrirão o que são verrines (sobremesa em copinhos), que prometem ser a nova moda de qualquer festa. Mais informações n o w w w. pr.senac. br ou 0800 643 6 346.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

9

Shutterstock

Abertas inscrições para o Fejacan


T

notas

Paraná institui Câmaras Temáticas para a Copa 2014 O governo do Paraná instituiu nove Câmaras Temáticas Estaduais para o acompanhamento dos projetos que serão desenvolvidos pelo poder público e pela iniciativa privada para a realização da Copa Fifa 2014 no Paraná. As Câmaras se reunirão pelo

menos uma vez por mês e são dividas em nove áreas: Transparência; Segurança; Educação e Cultura; Estádios; Saúde; Turismo; Infraestrutura; Comercial e Tecnologia; Meio Ambiente e Sustentabilidade. Coordenadas pelo secretário estadual para Assuntos da Copa do Mundo 2014, Mario Celso Cunha, as Câmaras são constituídas por representantes dos mais diversos segmentos da sociedade. O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o vicegovernador, Flávio Arns e o secretário para Assuntos da Copa do Mundo de 2014, Mario Celso Cunha

10 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


JFOgura

Sítio do PicaPau Amarelo em Foz do Iguaçu Rosibrás firma convênio com o Senac para implantação do PAS

O Senac PR firmou convênio com a Rosibrás Comercial Atacadista de Bebidas e Alimentos Ltda., de Paranaguá, para implantação do Programa Alimentos Seguros (PAS). Segundo o proprietário, Eduardo Rubens de Andrade, o programa será implantado na distribuição de cestas básicas para empresas do litoral do Estado. “Espero obter a certificação do PAS para agregar mais qualidade às nossas cestas e proporcionar uma alimentação saudável e segura para nossos clientes”, relata Andrade.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Um parceria entre a Rede Mabu de Hotéis e Resort com a Globo Marcas e VCT&Cia., proporcionará aos visitantes do Mabu Thermas e Resort, em Foz do Iguaçu, diversas aventuras com a turma do Sítio do Picapau Amarelo. O hotel terá sua estrutura de lazer adaptada para receber Emília e seus amigos. Diariamente, os visitantes poderão vivenciar as aventuras que antes estavam somente na telinha e nos livros. Mas as visitas e brincadeiras não são exclusivas dos hóspedes do Mabu, creches e escolas públicas podem agendar visitas, proporcionando uma imersão das crianças na cultura e na literatura brasileira.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

11


T Sebrae na Copa do Mundo copa 2014

Sebrae lança programa para a Copa 2014. São 554 oportunidades para os empresários Texto: Fernanda Ziegmann | Fotos: Ivo Lima

Mais de mil pessoas estiveram presentes no Teatro Positivo, em Curitiba, acompanhando o lançamento do Programa Sebrae/PR 2014. A capital paranaense foi a sétima cidade a receber o encontro, que apresentou as oportunidades para o ano da Copa do Mundo no Brasil. O objetivo do programa é promover a melhoria na competitividade e no desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas. Um levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas, em parceria com o Sebrae, mostra 554 oportunidades para antes, durante e após os jogos, priorizando os seis setores que serão mais impactados pelo evento esportivo, como o de construção civil; tecnologia da informação; turismo e produção associada; comércio varejista; vestuário e agronegócio. O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e

12 S I S T E M A

também conselheiro do Sebrae, Darci Piana, esteve presente e ressaltou a importância das parcerias. “A Fecomércio é uma parceira do Sebrae, através do programa Senac na Copa. Temos uma dupla missão que é a qualificação da gestão, com o Sebrae preparando nossos empresários para a Copa e a qualificação profissional, que fica por conta do Senac, com a oferta de 24 mil vagas”, destacou Piana. O ex-técnico da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari, o Felipão, ministrou uma palestra com o tema: “As pessoas devem estar preparadas antes de a oportunidade chegar, não depois”. Felipão mostrou que conhecimento e preparação são as bases de tudo. “Antes de abrir qualquer negócio é importante buscar conhecimento e fazer um trabalho a longo prazo, é preciso estar preparado antes

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

das oportunidades aparecerem em nossas vidas”, comentou. Estiveram presentes no lançamento do programa, o diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, José Claudio dos Santos; o secretário estadual de Turismo, Faisal Saleh; o superintendente do Sebrae no Paraná, Allan Marcelo de Campos Costa; o secretário estadual de Assuntos da Copa 2014, Mário Celso Cunha; a presidente do Instituto de Curitiba de Turismo, Juliana Vosnika, entre outros.

T

Felipão ministrou a palestra com tema “As pessoas devem estar preparadas antes de a oportunidade chegar, não depois”

julho

|

agosto 2011


guerreiro

G

C

uerreiro do

omércio

2011

Federação do Comércio do Paraná homenageia empresários de destaque e líderes paranaenses com o troféu Guerreiro do Comércio, em premiação que chega a sua sexta edição Texto: Silvia Bocchese de Lima | Fotos: Ivo Lima e Shigueo Murakami

U

m deus mensageiro, capaz de voar e responsável por estreitar a comunicação e as relações entre pessoas. Esta é a representação de Mercúrio, o deus do comércio na mitologia romana. E são nas relações de troca, compra e venda que o comércio atua, vencendo distâncias, crises financeiras e políticas. Foi esta a inspiração do artista plástico Luiz Gagliastri, na confecção do troféu em bronze, retratando uma figura humana estilizada, com pés alados, símbolo do prêmio “Guerreiro do Comércio”, oferecido a empreendedores do Estado, pela Fe-

deração do Comércio do Paraná, em cerimônia realizada no Paraná Clube, em Curitiba, em julho. Em sua sexta edição, 51 empresários dos sindicatos filiados à Fecomércio PR que se destacaram em suas atividades comerciais e de serviços receberam a honraria, alguns comerciantes com décadas de experiência, outros jovens empreendedores. Todos foram indicados segundo critérios de tempo de mercado, projeção, reconhecimento da comunidade e notoriedade empresarial. Para o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR,

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Darci Piana, esta é uma forma de reconhecer e valorizar o trabalho árduo de empresários que superam diariamente as dificuldades e contribuem para o desenvolvimento econômico de suas cidades, do Estado e do Brasil. “Nossos homenageados representam o máximo da atividade que fundamenta a existência do Sistema. São pessoas que não hesitam em se sobrepor às dificuldades, à alta carga tributária, aos desmandos administrativos, aos maus pagadores, aos fornecedores impontuais e às incertezas do mercado”, salientou Piana.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

13

T


T

Homenagens Especiais

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, entrega ao vice-governador Flávio Arns, representante do homenageado Beto Richa, o troféu Guerreiro do Comércio Especial

O homenageado com o título de Guerreiro do Comércio Especial, o cônsul geral do Senegal para os estados do Paraná e Santa Catarina, Ozeil Moura dos Santos, acompanhado do presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

O vice-governador do Paraná, Flávio Arns; a homenageada com a comenda “Ordem do Mérito do Comércio do Paraná”, desembargadora Joeci Machado Camargo, e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

14 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Na oportunidade em que premiou os empresários de destaque, a Federação do Comércio do Paraná entregou a comenda “Ordem do Mérito do Comércio do Paraná” à desembargadora Joeci Machado Camargo, pela idealização e coordenação do “Justiça no Bairro”, um projeto que há oito anos facilita e multiplica o acesso da população aos serviços do Poder Judiciário. Em 43 anos de existência, a magistrada foi a oitava personalidade receber a honraria. “No comércio, os empresários empregam funcionários e ajudam a construir famílias. O Justiça no Bairro, ajuda a construir sonhos e a devolver cidadania à população. A realização de tudo isso não depende só de mim, é uma união de esforços. A comenda que recebo significa mais responsabilidade em fazer um Paraná diferente”, pontuou Joeci. Piana destacou que é com orgulho, que o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR é parte deste mutirão, com as atividades do projeto Sesc Cidadão e os serviços oferecidos pelo Senac. Outra homenagem especial foi entregue ao governador Beto Richa, representado pelo vice-governador, Flávio Arns, por sua postura favorável à atração de novas empresas para o Estado, por meio do Programa Paraná Competitivo, que beneficiará o comércio em sua totalidade. “De fato temos que homenagear os guerreiros do comércio, os responsáveis pelo desenvolvimento e pela riqueza do nosso Estado. São pessoas que trabalham, lutam e se preocupam com a qualificação, tecnologia, carga tributária e sobrevivem no meio da concorrência”, ressaltou Arns. E foram por razões semelhantes, que o cônsul geral do Senegal para os estados do Paraná e Santa Catarina, Ozeil Moura dos Santos, também recebeu o troféu especial. “Ozeil foi responsável por trazer ao nosso Estado, 27 embaixadores africanos, em parceria com o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, abrindo inúmeras possibilidades de intercâmbio

julho

|

agosto 2011


comercial, serviços, turismo, transferência de tecnologia e cultura”, enfatizou o presidente.

Primeiros Livros Durante a solenidade, foram entregues ao vice-governador os primeiros exemplares dos livros “Famílias do Velho Mundo no Comércio do Paraná”, da autora Niroá Zuleika Rotta Ribeiro Glaser e “Polenta e Cia. – Histórias e receitas”, das autoras Elsa Maria Stoeher Vieira de Souza e Célia Maria de Moraes Dias, ambos patrocinados pelo Senac.

O homenageado Ademilson Milani, da empresa Milani Materiais de Construção, acompanhado do presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Materiais de Construção no Estado do Paraná (Simaco), Sigismundo Mazurek

O homenageado Algemiro Luiz Liston, do Grupo Liston, acompanhado do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios para Veículos no Estado do Paraná (Sincopeças), Wanderley Antônio Nogueira

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Paranaguá, Said Khaled Omar, acompanhado do homenageado Antonio Máximo da Costa, das empresas Loja Popular e Planeta Jeans

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

15


T

guerreiro

O presidente do Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado do Paraná (Sindaruc), Francisco Leite, acompanhado do homenageado Carlos Alberto Pereira, da empresa Comercial Pereira de Cereais Ltda.

O homenageado Celso Wanderlei Marin, da empresa ZazTraz Confecções, acompanhado do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Cornélio Procópio (Sicov), Valter da Silva Barros

O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços Funerários do Estado do Paraná (Sesfepar), Gelcio Miguel Schibelbein, acompanhado do homenageado Clayton Mauro Marchioro, da empresa Funerária Santa Paz Ltda.

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Umuarama (Sindilojas), Claudinei Herreiro, acompanhado da homenageada Cleide Secco Rodrigues, da empresa Fios Dourados Aviamentos

O homenageado Dagoberto Delmar Pinto, do Grupo CPA, acompanhado do presidente em exercício do Sindicato dos Armazéns Gerais no Estado do Paranpa, José Canisso

16 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

O presidente do Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Cascavel e Região (Sindilojas), Paulo Beal, acompanhado do homenageado Daniel Pegoraro, da empresa Supermercados Irani Ltda.

julho

|

agosto 2011


O homenageado Edson Fontana Manarim, da empresa Dora Despachantes Ltda., acompanhado do presidente do Sindicato dos Despachantes do Estado do Paraná (Sindepar), Everton Calamucci

O homenageado Egberto Celeste Lazari, da empresa Supermercados Cambará Ltda., acompanhado do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (Sincoval), Yukio Agita

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios para Veículos de Cascavel (Sincopeças Cascavel), Sandro Augusto Sabadin, acompanhado do homenageado Emerson Alcides Veronese, da empresa Emerson Acessórios Ltda.

O presidente do Sindicato das Empresas Locadoras de Veículos Automotores, Equipamentos e Bens Móveis do Estado do Paraná (Sindiloc), Carlos Cesar Rigolino Junior, acompanhado do homenageado Flávio Kanaan Nabhan, da empresa Carrier Veículos Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Londrina (Sinfarlon), Jefferson Proença Testa, acompanhado de Antonio Tonouti, representante do homenageado Francisco Kohatsu, da empresa Farmácia Estrela de Londrina Ltda.

O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Paranavaí, Carlos Shinzo Makino, acompanhado do homenageado Fussao Sakurada, da empresa Sakurada & Sakurada Ltda.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

17


T

guerreiro

O representante do Sindicato do Comércio Atacadista de Gêneros Alimentícios do Estado do Paraná, José Dias Souza, acompanhado do homenageado Gumercindo Ferreira dos Santos Junior, da empresa Super G – Distribuidora de Produtos Alimentícios Ltda.

O presidente do Sindicato Empresarial do Comércio de Campo Mourão e Região, Nelson José Bizoto, acompanhado da homenageada Ivone de Lourdes Capristo Malho, da empresa Paraná Diesel Veículos Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico no Estado do Paraná (Sindióptica), José Alberto Pereira, acompanhado do homenageado Joel Squilino, da empresa Ótica e Relojoaria Tropical

O homenageado José Carlos Cilivi, da empresa A. C. Cilivi & Cia. Ltda. – Relojoaria Pérola, acompanhado do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Guarapuava, Abrão José Melhem

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Marechal Cândido Rondon (Sindicomar), Ademar Bayer, acompanhado do homenageado Lothario Weber, da empresa Biolar

O representante do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismo, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Jacarezinho (Sindilojas de Jacarezinho), Jacir Furtado de Souza Guerra, acompanhado da homenageada Lucinha Pereira Araújo Soares, da empresa Lucinha Pereira Araújo e Cia. Ltda.

18 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


O vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Toledo, Iracir Grando, acompanhado do homenageado Luis Adalberto Pagnussatt, o Beto Lunitti, da empresa Supermercados Lunitti

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ponta Grossa, Antenor Alberti Guimarães, acompanhado dos homenageados Luiz Carlos Barbur e Paulo Cesar Barbur, da empresa Barbur & Cia. Ltda.

O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Ferragens, Tintas, Madeiras, Materiais Elétricos, Hidráulicos e Materiais de Construção de Maringá e Região (Simatec), Luiz Carlos Favarin, acompanhado de Aramis Bonin, representando o homenageado Marcelo Alfredo Martins, da empresa Centro Comercial Tiradentes

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas, Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Curitiba e Região Metropolitana (Sindilojas), Ari Faria Bitencourt, acompanhado do homenageado Maryou Abdullah, da empresa Free Itália Perfumes

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico de Curitiba (Sinditiba), Zildo Costa, acompanhado do homenageado Maurilio Müller, da empresa Paraná Equipamentos S/A

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Francisco Beltrão, Gilmar Passaia, acompanhado do homenageado Maximiliano Alberto Pedron, da empresa M. Pedron & Cia. Ltda. – Loja O Boticário

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

19


T

guerreiro

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Castro (Sindicastro), José Marioli Simão, acompanhado da homenageada Mitsuko Maeda, da empresa Takeshi Maeda & Cia. Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, Mercados, Minimercados, Supermercados e Hipermercados de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e Litoral do Paraná (Sindimercados), Pedro Joanir Zonta, acompanhado do homenageado Nelson Stall, da empresa Supermercado Stall Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Apucarana (Sivana), Luiz Fernando Mamede Mendes, acompanhado do homenageado Nerival Luiz Prestes, da empresa Nerimar Papelaria e Livraria Ltda.

O presidente do Sindicato dos Salões de Cabeleireiros, Institutos de Beleza e Similares do Estado do Paraná (Sincap), Antônio Carlos Parieti, acompanhado da homenageada Neusa Hissako Nogami, da empresa Neusa Cabeleireira

O presidente do Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Pato Branco, Neuri Nilo Garbin, acompanhado do homenageado Olívio Chioquetta, da empresa Implema – Implementos e Máquinas Agrícolas Ltda.

O homenageado Oscar Luiz Muchau, da empresa Cristina Artigos Esportivos Ltda., acompanhado do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Irati, Mario Luiz Szpak

20 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


A homenageada Patricia Yenny Urquidi Beiral, da empresa Farmautil – Beiral e Urquidi Ltda., acompanhada do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Oeste do Paraná (Sinfarma de Cascavel), Nelcir Antonio Ferro

O representante do Sindicato das Empresas de Turismo no Estado do Paraná (Sindetur), Marcos Souza, acompanhado do homenageado Paulo Cezar Pereira Gruber, da empresa Múltipla Agência de Turismo Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Santo Antônio da Platina, José Alex Gonçalves Figueira, acompanhado do homenageado Pedro Claro de Oliveira Neto, da empresa Kanôa Tropical Hotel

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Medianeira, Danilo Tombini, acompanhado do homenageado Roberto Antonio Brambila, da empresa Supermercado Riomafra

O homenageado Roberto Apelbaum Sielecka, da empresa Exportadora Universal de Produtos Manufaturados Ltda., acompanhado do presidente do Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Foz do Iguaçu e Região, Carlos Rodrigues do Nascimento

Carlos Paulino, representante do homenageado Roberto Granado Martines, da empresa Pedro Granado Imóveis, acompanhado do vice-presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação, Administração, Incorporação e Loteamentos de Imóveis e dos Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Paraná (Secovi), Luiz Antonio Laurentino

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

21


T

guerreiro

O homenageado Rodrigo Messaggi, da empresa Bilhares Cometa Ltda., acompanhado da representante do Sindicato das Empresas Locadoras de Bilhar no Estado do Paraná (Sindelb), Rossana Sanson

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maringá e Região (Sivamar), Amauri Donadon Leal, acompanhado do homenageado Romeu Jacob Becker, da empresa Novidades Romeu

O presidente em exercício do Sindicato dos Institutos de Beleza e Salões de Cabeleireiros, Centros de Estética e Similares de Curitiba e Região (Sincaces), Adil Hillani, acompanhado da homenageada Rozeli Commim, da empresa Amilcar Instituto de Beleza Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ivaiporã, Luiz Carlos Favarin, acompanhado do homenageado Sebastião Guimarães Vieira, da empresa Sebastião Guimarães Vieira e Cia. Ltda.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Campo Largo, Miguel Fernando Spack, acompanhado do empresário Sergio Bassani, da empresa Chamego Calçados

O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Adornos e Acessórios de Objetos de Artes, de Louças Finas e de Material Ótico, Fotográfico e Cinematográfico de Curitiba e Região Metropolitana (Sindijor), Octacílio Meirelles, acompanhado da homenageada Tania Regina Mildemberg Vicenzi, da empresa Tania Regina Mildemberg Vicenzi

22 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas de Curitiba e Região Metropolitana (Sindiplan), Francisco Macedo Machado, acompanhado da homenageada Vilma Winiarski, da empresa Flora Pracinha do Batel

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Calçados de Curitiba e Região Metropolitana (Sindccal), Umberto Marineu Basso Filho, acompanhado do homenageado Wilson Antonio Valera Martins, da empresa Passo a Passo Calçados

A presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Prudentópolis, Cristiane Guimarães Boiko Rossetim, acompanhada do homenageado Adilon Emidio da Silva, da empresa Lojas Real Ltda.

O homenageado Wilson Schultz, da empresa Wilson Schultz & Cia. Ltda., acompanhado do representante do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de União da Vitória (Sindilojas), Diógenes Szpak

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Paraná (Sindifarma), Edenir Zandoná Junior, acompanhado de Ângelo da Farmácia, representante do homenageado André Luiz Picanço Carraro, da empresa Pharmácia Internacional

O homenageado Wilson Geraldo Cavina, da empresa Wilson Geraldo Cavina Representante Comercial do Paraná, acompanhado do presidente do Sindicato dos Representantes Comerciais do Paraná, Paulo César Nauiack

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

T

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

23


T

sindicato

Sinca PR abastece Estado com representatividade e compromisso Único representante do setor atacadista no Paraná é referência para outros estados Texto: Karen Bortolini

O

Sindicato do Comércio Atacadista de Gêneros Alimentícios do Estado do Paraná (Sinca PR) é o representante paranaense da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad). Representa o setor atacadista distribuidor paranaense desde 1956. Na época, ainda com o nome Associação Profissional do Comércio Atacadista de Gêneros Alimentícios do Paraná. Inicialmente, sua área de atuação era apenas Curitiba. Um ano após sua fundação, conquistou o reconhecimento do Ministério do Trabalho e Previdência Social, foi então que foi batizado com o nome atual. Em 1981, teve sua base estendida para todo o Estado, passando a ser o único representante do setor no Paraná. A história do sindicato paranaense se escreve com uma trajetória de expansão e conso-

24 S I S T E M A

lidação da importância do setor no Estado, principalmente por meio de parcerias com a Abad, o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o Conselho Regional dos Representantes Comerciais (Core), Banco Safra, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), entre outros.

Apoio ao associado “O sindicato traz a seus associados oportunidades de amplitude de conhecimentos técnicos e de gestão, com treinamentos e convênios com parceiros que possam trazer subsídios e inovação”, diz o presidente do Sinca PR, Paulo Hermínio Pennacchi. Realiza pesquisas para contribuir em um desenvolvimento sólido das empresas do setor, de suas equipes de vendas, de recursos humanos e logística. Oferece treinamentos, palestras, reuniões que possam ampliar

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

capacitação e representatividade na economia paranaense. Presta também assessorias jurídica e técnica.

Parceiro do Sistema Filiado ao Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, o sindicato tem como parceiros os projetos da entidade. Um deles é o Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs), criado pela CNC. O Sinca PR foi um dos 27 sindicatos no Paraná a receber o título do Segs para alinhar práticas de gestão sindical e capacitar líderes e executivos sindicais para melhor atuar em prol dos interesses das empresas que representam. Para receber a certificação, o sindicato passou por critérios de avaliação elaborados com base nos quesitos estabelecidos pelo Prêmio Nacional de Qualidade (PNQ). Pennacchi explica que graças ao apoio e à grande estrutura que o Sinca PR tem, além das parcerias com a possibilidade julho

|

agosto 2011


Divulgação Sinca PR

de utilizar as estruturas do Sesc e do Senac, é possível oferecer cursos e eventos. “Essa união sempre foi muito importante para o desenvolvimento do Sinca PR e seus projetos”, afirma.

Ações e perspectivas A perspectiva para os próximos meses é dar continuidade à estratégia de levar conhecimento para seus associados, com palestras em todo o Estado. Em julho de 2011, iniciou o IX Encontro de Vendas, realizado no Sesc da Esquina, em Curitiba. A mesma palestra foi oferecida em Maringá a profissionais de vendas. No segundo semestre, serão realizadas em Londrina, Cascavel e Guarapuava. Também foram oferecidas palestras na área de recursos humanos. Em breve, o Sinca PR participará da 31ª Convenção Anual do Atacadista Distribuidor e Sweet Brazil Internacional, o maior evento do setor, com participantes nacionais e internacionais de renome.

O presidente do Sinca PR, Paulo Hermínio Pennacchi, foi um dos homenageados no Guerreiro do Comércio deste ano

O presidente Paulo Hermínio Pennacchi

Responsabilidade Social A entidade atua fortemente no lado social, contribuindo para ações de doação de alimentos, de livros, de roupas e de alguns materiais específicos quando a necessidade é pontual, como na tragédia recente no litoral paranaense, em que doou, com seus associados, colchões, travesseiros e outros itens de extrema necessidade. Um dos pontos mais filosóficos do Sinca PR é o resgate da cidadania empresarial. Segundo o presidente da entidade muitos empresários reclamam de sistemas políticos, mas não sabem o que fazer. “É preciso aprender a exercer cidadania”, cita o presidente Pennacchi. Há um consenso para que se incentive o meio empresarial do segmento atacadista distribuidor no Paraná, a fim de que os empresários participem em todas as regiões paranaenses e se envolvam em conselhos de seus municípios, em várias áreas, fazendo indiretamente o papel de fiscalizar o que vem sendo executado, entre outras ações de direito do cidadão com sua sociedade.

é natural de Ouro Fino (MG). É economista, empresário e diretor comercial da Pennacchi & Cia. Ltda., em Arapongas, no Paraná. Presidente do Sinca PR desde 2010, permanecerá no cargo até 2014. Já presidiu outras entidades, como o Conselho Diretor da Jr. Achievement Paraná, a Casa do Bom Menino de Arapongas, onde realizou os Projetos Crescer I e II, a Abad (1999 - 2004), seu Conselho Deliberativo (2005 - 2008) e Fiscal (2009-2010), e foi também vice-Presidente da GS1 Brasil (2000 – 2012).

T

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

25


T

capa

Fecomércio PR fortalece laços bilaterais entre Paraná e Argentina Comitiva formada por empresários paranaenses discute medidas para estimular o comércio exterior Texto e fotos: Karla Santin

A

comitiva de empresários paranaenses em visita à Argentina retornou para Curitiba com uma bagagem repleta de novos negócios e contatos comerciais. A missão empresarial e institucional foi organizada pela Federação do Comércio do Paraná, por meio de sua Câmara de Comércio Exterior, em parceria com o Consulado da Argentina e o Governo do Estado, com a finalidade de estreitar os laços bilaterais. Participaram autoridades do Paraná, empresários e representantes de entidades dos segmentos alimentícios, autopeças, material de constru-

26 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

ção, agronegócios e combustíveis. O primeiro compromisso foi um encontro, na fria manhã de 1º de agosto, entre o governador Beto Richa e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná, Darci Piana, com o subsecretário de Comércio Exterior da República Argentina, embaixador Luíz María Kreckler, e outras autoridades do país vizinho para discutir possibilidades de negócios.

julho

|

agosto 2011


Shutterstock

A reunião aconteceu no Palácio San Martin, sede da chancelaria argentina, em Buenos Aires. Richa, que fez sua primeira visita oficial à Argentina, enalteceu a iniciativa da Fecomércio de promover a missão empresarial. “A Argentina e o Brasil são os principais atores e sócios do Mercosu l. O volume de importações e exportações é significativo e há um grande potencial para incrementar essa relação comercial”.

Poder compartilhado Para o governador, a visita dos paranaenses à Argentina coincide com os interesses dos governos de ambos os países, manifestados durante o recente encontro entre as presidentes Cristina Kirchner e Dilma Rousseff, em Brasília, para a inauguração da sede da embaixada argentina. “O fortalecimento das relações dos dois países representa diretamente a consolidação do próprio Mercosul. E esta é uma hora propícia para esse aprofundamento nas parcerias, para que as Reunião entre o governador Beto Richa e o embaixador Luíz María Kreckler

E esta é uma hora propícia para esse aprofundamento nas parcerias, para que as nações possam enfrentar, juntas, as crises globais que estamos vivenciando Beto Richa - Governador do Estado do Paraná

nações possam enfrentar juntas, as crises globais que estamos vivenciando”, analisou Richa. Viabilizar a construção de poder compartilhado, por meio da superação de desconfianças, afinidade política e estratégias conjuntas de exportação e negociação multilateral é um ideal defendido também pelo embaixador Luíz María Kreckler. No entanto, reconheceu que para essa união vingar, o setor público terá que cumprir suas tarefas, especialmente em investimentos de infraestrutura. “Brasil e Argentina têm que encarar o mercado internacional juntos, para superar os competitivos produtos fabricados na China e na Índia, por exemplo. Devemos, na sequência, analisar as áreas em que pode haver a integração positiva entre os dois países para conquista de novos mercados, devidamente integrados ao novo cenário mundial”, ponderou. Também participaram do encontro os secretários de Estado Jos�� Richa Filho (Infraestrutura e Logística), Ercílio Santinoni (Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul) e Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento); o deputado estadual Plauto Miró; o subsecretário de Comércio Internacional da Argentina, Ariel Schale; o cônsul da Argentina no Paraná, Héctor Vivacqua, entre outros.

Visita à Zanella Para completar a agenda em Buenos Aires, o governador Beto Richa e Darci Piana visitaram as instalações da Zanella. A empresa vai implantar uma fábrica de motocicletas no Paraná, em parce-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

27


T

Governador Beto Richa, Darci Piana e diretoria da Zanella

ria com seu distribuidor oficial, a Steiner Motors. A Zanella é líder no mercado argentino e possui quatro fábricas no país que produzem cerca de 920 mil motos por ano. Há ainda unidades no Chile e no Uruguai. Segundo o presidente da Zanella, Walter Steiner, o interesse pelo Paraná vem da proximidade com os mercados do Mercosul e da boa infraestrutura e logística que o Estado apresenta.

Bons negócios

Para o presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Materiais de Construção no Estado do Paraná (Simaco), Sigismundo Mazurek, a viagem despertou o interesse em aprofundar relações comerciais com empresas argentinas. “As empresas que lá se apresentaram são interessantes para nós, paranaenses. Vamos pedir amostras de alguns materiais e fazer comparativos de qualidade e preço”, ponderou. As facilidades na importação de produtos argentinos, dada a proximidade entre os dois países, devem influenciar positivamente. Segundo Mazurek, hoje, grande parte dos materiais usados na construção civil vem da China e leva até 120 dias para chegar ao comércio. “Os produtos chegariam mais rápido por via terrestre, além da redução dos custos com o transporte”, contabilizou.

Composição: Francielle Boss

A integração de fronteiras e a busca por novos parceiros comerciais foram objetivos comuns aos empresários participantes da missão. O

setor alimentício foi o que teve as conversas mais temperadas. “Conversei com representantes de empresas de diversas indústrias e vinícolas. Também fiz contatos com empresas de laticínios que passarão a fornecer queijos e leite em pó”, relatou Pedro Joanir Zonta, presidente dos Supermercados Condor. “Conseguimos fechar novos negócios e estreitar relações com fornecedores antigos que temos na Argentina”, avaliou Eduardo Muffato. O diretor do grupo Muffato aproveitou a ocasião para renovar o contrato com um fabricante de alfajores, doce tradicional da Argentina que tem conquistado o paladar dos brasileiros.

28 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


Empresários paranaenses e argentinos durante as rodadas de negócios

Quem também acredita que importar da Argentina seja mais fácil do que da China é o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios Para Veículos no Estado do Paraná (Sincopeças-PR), Wanderley Nogueira. “A conversa com associações argentinas do segmento automotivo foi muito proveitosa. Eram entidades que desconhecíamos e que, a partir de agora, passaremos a trocar informações”, afirmou. Para o diretor do Sistema Ocepar e presidente da Cooperativa Agrária, Jorge Karl, a aproximação com a Embaixada, Consulado e Câmara de Comércio da Argentina foi o saldo positivo da viagem. “Nossa cooperativa tem muitos negócios com a Argentina, especialmente na importação de cevada, malte e trigo para complementar a produção local. Mas, infelizmente, sempre temos alguns entraves que dificultam essa negociação. Essa aproximação foi um passo importante para iniciar esse destravamento”. As principais entidades ligadas à classe produtiva paranaense integraram a comitiva. As possibilidades de expansão do agronegócio entre os países foram debatidas pelo diretor financeiro da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), João Luiz Rodrigues Biscaia. “É fundamental integrar o Paraná aos demais países, buscar novos parceiros não só na área comercial, mas também no intercâmbio de tecnologias”. O diretor-superintendente do Sebrae/PR, Allan Marcelo de Campos Costa, defendeu que o fantasma de que o comércio exterior era inviável para as pequenas empresas foi exorcizado. “Hoje é possível para a pequena empresa explorar os mercados fronteiriços”, sinalizou o diretor do Sebrae, que foi para a

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Ações desenvolvidas pela Câmara do Comércio Exterior da Fecomércio PR: • Comemoração aos 140 anos da Imigração Polonesa no Brasil (Irati) • Missão comercial polonesa • Rodada de negócios entre Brasil e Argentina • III Encontro Paraná-França

de

Comércio

• Encontro das Câmaras de Comércio Exterior do Paraná • Recepção de Missão Econômica do Japão (Japancham-Jetro) • Rodada de negócios entre Brasil e China • Recepção de entidades para Ano da Itália no Brasil • Missão de empresários da Câmara Cívica Russa • Visita embaixadores africanos

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

29


T

capa Argentina identificar setores em que as empresas paranaenses de pequeno porte possam tirar proveito de oportunidades.

Avaliação “Esta foi uma missão sem grandes pretensões, mas com a convicção de que estavámos fazendo o melhor. Ela é reflexo daquilo que fizemos em reuniões anteriores, na própria Fecomércio, com a vinda de empresários argentinos. Com essa nova missão, buscamos reaproximar esses empresários e permitir que novos segmentos integrassem as negociações”, disse Darci Piana. Para o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, a presença do governador Beto

de portos, malha ferroviária e das rodovias paranaenses. Em contrapartida, as empresas brasileiras poderiam aplicar seus conhecimentos nos setores de energia elétrica e biodiesel da Argentina. “Há empresas argenCooperação tinas querendo investir aqui, que estratégica vão trazer benefícios como o gePiana enfatizou que mais do ração de empregos e renda. E, da que a compra e venda, o inter- mesma forma, as empresas bracâmbio entre Brasil e Argentina sileiras podem colaborar com o favorece a formação de joint desenvolvimento econômico e ventures, estabelecendo impor- social de nosso vizinho. É por tantes projetos de cooperação isso que a Federação do Comérem setores estratégicos, que cio, Consulado e Embaixada araproveitem o potencial de cada gentinos já estão programando nação. Ele citou empresas argen- uma nova missão, mas desta vez tinas que já investem no pré-sal formada por investidores, que e a possibilidade de cooperação virão a Curitiba nos próximos para melhoria da infraestrutura meses”, antecipou.

Richa mostra a força do comércio bilateral e abre grande espaço para o diálogo entre os governos da Argentina e do Brasil para ampliação das parcerias e investimentos recíprocos.

Comitiva paranaense foi composta por empresários de diversos segmentos


Inovação no comércio bilateral O diretor da Câmara de Comércio Exterior da Fecomércio, Rui Lemes, avalia que a missão foi extremamente positiva. A viagem deu continuidade à primeira rodada de negócios realizada no ano passado, em Curitiba, que reuniu mais de 190 empresários de ambos os países e gerou contratos na ordem de US$190 milhões. “O êxito do primeiro encontro de vendas culminou neste segundo, em que novos negócios foram encaminhados, principalmente no setor de alimentos. Isso significa que a Câmara de Comércio Exterior está se consolidando como órgão de atração de investimentos e bons negócios para quem a procura”, completou. O cônsul da Argentina no Paraná, Héctor Vivacqua, relembrou que a parceria do Consulado com a Fecomércio paranaense começou como uma ideia modesta. Ele contou que antigamente, quando um homem de negócios argentino chegava ao Brasil, batia de porta em porta, com sua mala na mão, anunciando o que desejava comprar ou vender. Uma estratégia cansativa e que nem sempre surtia efeito. “Há pouco mais um ano descobrimos que a Federação do Comércio possui 59 sindicatos filiados, então, toda a oferta está lá. Quando um empresário desce de um avião e tem poucas horas para fazer negócios, encontra o suporte da Federação, um espaço de convergência da oferta e da demanda”. Vivacqua diz que a parceria entre Consulado e Fecomércio é uma forma inovadora de se fazer comércio exterior. “Mais do que um local comum, encontramos um método, uma forma de trabalhar que é uma poupança de esforços e recursos”, completou.

T

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Balança Comercial Paraná - Argentina Primeiro Semestre 2011 Exportações Janeiro - Junho US$ 714 milhões 2º maior comprador de produtos paranaenses em 2011

Importações Janeiro - Junho US$ 824 milhões 3º Principal vendedor de produtos ao Paraná em 2011

Corrente de comércio bilateral em 2010 US$ 3,3 bilhões Principais produtos Exportados do Paraná para Argentina: • Automóveis (30% do total US$215 milhões) • Papel • Motores • Acessórios para veículos • Tratores Principais produtos Importados da Argentina para o Paraná: • Automóveis (28% do total) (US$ 234 milhões) • Trigo • Marchas para veículos • Cevada • Alho e Azeitona

Fonte: Secretaria de Estado da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul (Seim)

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

31


T

comércio exterior

África chega ao Paraná Embaixadores do continente visitam Estado para estreitar laços e conhecer Portal Africano Texto: Karen Bortolini | Fotos: Ivo Lima

A

África é o segundo continente mais extenso e populoso do mundo, perdendo somente para a Ásia. Não seria novidade, portanto, afirmar que o mercado consumidor é grande, ou melhor, imenso. O comércio de bens e serviços é o setor que fornece aos países africanos o que sua população mais precisa, como material de construção, vestuário e alimento. Ao detectar estas necessidades, prospectam-se negócios. Para estreitar laços entre os 53 países que compõem o continente e o Paraná, a Federação do Comércio recebeu nos dias 29 e 30 de junho, 27

embaixadores africanos. A visita foi organizada pela Fecomércio PR, em parceria com o Consulado do Senegal para os estados do Paraná e Santa Catarina, por meio do cônsul geral, Ozeil Moura dos Santos. O evento foi coordenado pelo diretor da Câmara de Comércio Exterior da Fecomércio, Rui Lemes. Os objetivos principais da vinda foram realizar um intercâmbio comercial, cultural, científico e tecnológico e conhecer o maior Portal Africano do mundo, localizado na Praça Zumbi dos Palmares, no Pinheirinho, em Curitiba.

O Decano Thomas Sukutai Bvuma homenageou o governador do Paraná, Beto Richa, com o Leão Simba, símbolo de liderança na África

32 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


Oportunidades Durante palestra na Fecomércio PR, o embaixador da República do Benin, Izidore Monsi, falou sobre as oportunidades de negócios com a África em nome de todo o grupo de embaixadores. “A África superou as crises financeiras com sucesso e hoje em dia, apresenta um crescimento econômico anual que varia entre 4% e 6%. É um conjunto de países em desenvolvimento à procura de capitais estrangeiros e tem muitas possibilidades de investimentos”, contou o embaixador. Atualmente os países africanos mantêm negociações frequentes com os europeus, com a China e Índia. As potencialidades do continente são muitas. Os embaixadores africanos conheceram as oportunidades de negócios com o Paraná, na Fecomércio Hoje conta com a maior reserva de terras aráveis do mundo, as quais possibilitam negócios no “O Brasil emerge como nova potência da ecosetor agrícola. As condições climáticas tropicais nomia mundial. Ele tem a tecnologia e o capital. favorecem, pois são semelhantes às brasileiras. A A África tem recursos naturais e oferece oporgrande força da ecotunidades inigualáveis de negónomia africana vem cios. Procuramos uma relação das jazidas minerais, ricas especial com Curitiba, Paraná e em ouro, diamante, peBrasil, parceiros que ajudarão no tróleo, zinco, gás natural e desenvolvimento da nossa ecoThomas Sukutai Bvuma Embaixador da República do bauxita. nomia”, pontuou o embaixador Zimbábue Monsi afirmou que o da República do Zimbábue e decomércio entre Brasil e África triplicou nos últi- cano do Grupo dos Chefes de Missões Africanas mos sete anos passando de U$6,5 bi em 2003 – no em Brasília, Thomas Sukutai Bvuma. início do mandato do presidente Lula –, U$20,5 bi em 2010, no fim do mandato. A economia

O Brasil emerge como nova potência da economia mundial

Os setores As empresas brasileiras podem investir em diversos segmentos na África. Os países necessitam de equipamentos agrícolas, como tratores e máquinas de coleta, pois oferecem cultivo de cana de açúcar. O desejo da construção da casa própria também é realidade para aquela população, portanto é grande a procura por material de construção. Entre outros produtos, os países necessitam para importação: a carne, o frango, sistemas de abastecimento de energia elétrica e artigos eletrônicos.

A liberdade de negociações é marca da economia africana, conforme explicou Monsi. A moeda é facilmente conversível pela cotação mais baixa do dólar. “O custo de vida é baixo e a mão de obra é barata, o que facilita a permanência de empresários no continente em missões de negócios. Para que isso aconteça, as 33 embaixadas africanas no Brasil vão intervir para que flua o intercâmbio”.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, também prestigiou o evento


T

comércio exterior

Os embaixadores foram conhecer o maior Portal Africano do mundo, localizado na Praça Zumbi dos Palmares

O Portal No dia 29 de junho, a comitiva foi conhecer o Portal Africano. Ao todo são 53 tótens, que representam os países do continente. Em cada um deles há uma placa em homenagem às nações africanas. O portal foi inaugurado no dia 22 de maio de 2010 e foi construído com a intenção de promover o encontro da diáspora africana, iniciada ainda na imigração forçada de escravos no Brasil. “A população afrodescendente ajudou a construir o Brasil e hoje se encontra fora desse contexto. Agora, com essa visita, o Paraná vai resgatar e inserir a raça negra em seus negócios”, explicou Ozeil Moura dos Santos. A praça que sedia o portal foi totalmente revitalizada e conta com diversos atrativos gratuitos para a comunidade, entre eles: cancha de grama sintética, de futebol de areia, academia ao ar livre, churrasqueiras, cancha de futebol de salão e basquete, mesas de jogos de xadrez, dama, tênis de mesa e um auditório com capacidade para cerca de mil pessoas. Além disso, conta com espaço destinado a feiras de produtos artesanais africanos. “Esperamos que, a partir desta visita, seja formado um laço de negócios com estes países. Para que possamos permanecer irmanados com

34 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

aqueles que nos antecederam e contribuíram para o crescimento do país”, disse o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, durante a visita ao portal. O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, destacou que a capital paranaense é referência em planejamento urbano, transporte coletivo e meio ambiente e que tem muito a oferecer aos países africanos. O grupo assistiu a apresentações de capoeira, ao fim da cerimônia.

Governador recebe comitiva Os embaixadores foram recebidos na noite de 29 de junho no Palácio das Araucárias pelo governador do Paraná, Beto Richa. Antes do jantar, ele recebeu do decano uma estátua de um leão, o Simba, símbolo de importante autoridade. “A ideia da construção deste portal surgiu na época em que José Richa era governador e eu dizia para ele, há cerca de 20 anos, que um dia transformaríamos o Paraná em parceiro da julho

|

agosto 2011


da programação na Fecomércio o secretário interino da Indústria e Comércio e Assuntos do Mercosul, Ercílio Santinoni e o licenciado, Ricardo Barros; o superintendente do Sebrae PR, Allan Costa, o presidente da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), João Paulo Koslovski; o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Hélio Bampi ; o diretor financeiro da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), João Luiz Rodrigues Biscaia; o vice-presiDestaques dente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Representantes de entidades e autoridades da Odone Fortes Martins e o reitor da Universidade iniciativa pública apresentaram à comitiva as pos- Federal do Paraná, Zaki Akel. sibilidades de negócios com o Paraná. Participaram

África. Hoje este sonho se realiza”, disse o cônsul do Senegal. “Queremos abrir o Paraná para grandes parceiras e este é um momento oportuno para iniciar este diálogo. Temos o Paraná Competitivo para a atração de investimentos no Estado. Com incentivos fiscais, o programa foi uma ideia acertada para o planejamento e desenvolvimento do Estado”, disse o governador.

T

À direita, o cônsul do Senegal, Ozeil Moura dos Santos, em frente ao tóten respectivo. Ao lado, o embaixador do Senegal, El Madji Abdou Aziz Nolaye

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná, Darci Piana, recebeu a comitiva de embaixadores no Aeroporto Afonso Pena

A despedida aconteceu no Consulado do Senegal

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

35


T

comércio exterior

Japoneses buscam oportunidades de negócios no Paraná Texto: Jorge Mariano

R

epresentantes do Iwata Shinkin Bank, o segundo maior banco do Japão, reuniram-se no dia 27 de julho com membros do governo, do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Ocepar, Agência de Fomento, Caixa Econômica Federal e do Sebrae/PR, para conhecerem um pouco da realidade do comércio e da indústria no Estado. Durante a reunião, realizada na sede do Sebrae em Curitiba, o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, apresentou aos investidores todo o organograma da Fecomércio e explicou o papel de cada casa na sociedade e economia do Paraná. “Hoje, o Sistema Fecomércio PR atende cerca de 1,7 milhão de trabalhadores”, disse durante sua palestra. Essa já é a segunda visita dos representantes do banco japonês ao Brasil. O compromisso serviu para localizarem os nichos mais interessantes para se investir no país para, em novembro, retornarem com uma comitiva de pequenos

36 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

empresários interessados em injetar dinheiro na economia nacional. “É uma cooperativa formada por pequenos empresários que alcançou o status de segundo maior banco do Japão. A ideia é prospectar oportunidades de negócios por aqui para levar as possibilidades aos empresários japoneses”, explicou o gerente de projetos do Sebrae/PR, Marcos Aurélio Gonçalves. Estiveram presentes na reunião o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o secretário interino de Estado da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Ercílio Santinoni; o superintendente adjunto da Ocepar, Nelson Costa; o presidente da Agência de Fomento, Juraci Barbosa Sobrinho; representando a Caixa Econômica Federal, Enilson Ferreira de Araújo; o diretor superintendente do Sebrae/PR, Allan Marcelo de Campos Costa; o diretor de Gestão e Produção do Sebrae/PR, Vitor Tioquetta; o presidente do Iwata Shinkin Bank, Shouzo Takagi; o diretor conselheiro do banco, Seiji Katagiri e o assessor jurídico, Etsuo Ishikawa. Dando continuidade aos negócios com o Japão, no dia 10 de agosto, Darci Piana e o diretor da Câmara de Comércio Exterior da Fecomércio, Rui Lemes, receberam o cônsul geral do Japão em Curitiba, Noboru Yamagachi e o representante do consulado do Japão, Hisafumi Nagai, para uma reunião na sede da Fecomércio PR, em Curitiba. Durante a conversa, foram discutidos possíveis investimentos de empresários japoneses no Paraná, além de outros assuntos relativos às entidades.

T

julho

|

agosto 2011


perfil

Holandês de nascimento, paranaense de coração Há mais de 60 anos em Carambeí, Franke Dijkstra é exemplo de que com força de vontade é possível se desenvolver Arquivo Pessoal

Texto: Jorge Mariano

B

rasileiro desde os cinco anos de idade, Franke Dijkstra, holandês de nascimento, é um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento da região de Carambeí. “Quando se tem vontade e se quer buscar soluções, a gente sempre acha”, conta. Mesmo com todas as dificuldades encontradas quando veio para o Brasil com a família, o hoje paranaense superou todos os obstáculos encontrados e deu uma nova cara para a região dos Campos Gerais. Os feitos foram muitos: idealizador da Fundação ABC, entidade responsável por pesquisas e desenvolvimento no setor agropecuário;

foi presidente da Batavo, cooperativa que colocou Carambeí no mapa; responsável pela implantação do Sistema de Plantio Direto (SPD) na região, modo de cultivo que mudou a realidade da agricultura local. Dijkstra lembra que no início, nada parecia contribuir para o estabelecimento das pessoas na região. “O solo era muito difícil, degradava muito rapidamente, as erosões apareciam. No início, meu pai veio para cá com a pecuária de leite e, mesmo assim, era complicado porque não conseguia ter um pasto de boa qualidade. O plantio direto mudou a realidade daqui”, diz. Em maio deste ano, quando comemorou-se os 100 anos da imigração holandesa em Carambeí, Franke Dijkstra foi um dos homenageados. Durante o jantar de inauguração do Parque Histórico de Carambeí ele recebeu o troféu Guerreiro do Comércio, prêmio concedido pela Federação do Comércio do Paraná para os empresários que

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

fazem diferença na economia de sua região. Além do troféu, Dijkstra recebeu homenagens de outros responsáveis pelo estabelecimento da colônia holandesa no Estado. Entre eles, do presidente da Fundação do Parque Histórico de Carambeí, Dick Carlos de Geus. “Não dá pra medir a importância do papel do Franke para o desenvolvimento de Carambeí. Se não fosse por ele, hoje não teríamos solo para plantar”, lembra Geus. Sempre entusiasmado ao falar do desenvolvimento e da batalha contínua para dar continuidade ao que já foi feito, Franke Dijkstra lembra constantemente de todos os que fizeram parte dessa caminhada e, parafraseando Albert Einstein, lembra daquilo que foi mais importante para que tudo acontecesse: a força de vontade. “O conhecimento tem limitações mas a imaginação vai além do conhecimento. Sempre temos coisas novas para descobrir.”

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

T 37

T


T

pesquisa

Perfis das mulheres brasileiras

Pesquisa realizada pelo Sesc em parceria com a Fundação Perseu Abramo dialoga com recortes de outros estudos que permeiam o gênero feminino Texto: Isabela Mattiolli | Fotos: Ivo Lima

Debate: participaram do seminário os pesquisadores Gustavo Venturi, Clarice López de Alda, Samara Feitosa e Marlene Tamanini

O

que é ser mulher na visão de homens e mulheres foi um viés que desencadeou a pesquisa realizada pelo Departamento Nacional do Sesc em parceria com a Fundação Perseu Abramo, apresentada em seminário no dia 7 de junho no Teatro do Sesc da Esquina. Trata-se de um estudo coordenado pelo professor do Departamento de Sociologia da

38 S I S T E M A

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Gustavo Venturi, intitulado “Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado”. A pesquisa, realizada em agosto de 2010, ouviu 2.365 mulheres e 1.181 homens, com mais de 15 anos de idade, que integram 25 unidades do Sesc em todo o país. O levantamento incluiu 176 municípios

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

na amostra feminina e 104 na masculina. Esse material complementa levantamento similar realizado em 2001, com diversas abordagens. Um dos diferenciais é que pela primeira vez foi registrada a opinião dos homens sobre as mulheres no processo de avaliação. A margem de erro da pesquisa é entre dois e quatro pontos percentuais para mulheres e entre três e quatro pontos para julho

|

agosto 2011


os homens. Em ambos o intervalo de confiança é de 95%.

O Seminário Os seminários que apresentam a pesquisa coordenada pelo Sesc em parceria com a Fundação Perseu Abramo passaram por dez capitais, nos meses de maio e junho e receberam mesa de debates com outros pesquisadores de estudos de gênero. Em Curitiba, participaram da discussão a professora doutora em Ciências Humanas e mestre em Sociologia Política e membro do Núcleo de Pesquisa e Estudo do Gênero da UFPR, Marlene Tamanini; a mestre em tecnologia pela UTFPR e doutoranda de Sociologia pela UFPR, Samara Feitosa e a diretora executiva do Instituto GRPCOM e diretora do Comitê de Responsabilidade Social da Associação Nacional de Jornais, Clarice López de Alda. Divisão de trabalho e tempo livre; corpo, mídia e sexualidade; saúde reprodutiva e aborto; violência doméstica e democracia; mulher e política foram temáticas discutidas durante o seminário em Curitiba. Em recortes que permeiam o universo feminino, Marlene Tamanini trouxe para a mesa de debates a “Arquitetura midiática da reprodução assistida”. Já Samara Feitosa levou seus recortes sobre a linha de pesquisa “Gênero, Propaganda e Tecnologia”, em que apresentou propagandas das décadas de 1950, 1960 e 1970 comparadas com as atuais, voltadas para o público feminino. Coube à Clarice López de Alda evidenciar um contraponto entre as três pesquisas que trouxeram em um intervalo de dez anos, avanços significativos para essas mulheres. Ela considera que os resultados das pesquisas estão relacionados à herança que essas mulheres receberam ao longo do tempo. “Esse papel que recebemos

Gustavo Venturi: O coordenador da pesquisa Gustavo Venturi

como herança, em meio a avanços, cria uma nova perspectiva para o Brasil, pois caminhamos de uma forma mais rápida do que a esperada”, pontuou. A pesquisa completa está disponível nos sites www.sesc.com. br e www.fpa.org.br/o-que-fazemos/p es quis as-de-opiniao-publica/ pesquisas-realizadas/ pesquisa-mulheres-brasileiras-nos-es .

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

T

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

39


T

cases de sucesso

Denis: da dificuldade veio a vocação Cabeleireiro formado pelo Senac faz sucesso na cabeça dos jovens de Londrina Texto: Karla Santin | Fotos: Ewerton Cesar Silva

A

lém dos penteados modernos, em Londrina há uma moda que está fazendo a cabeça dos jovens: são os cortes artísticos, com desenhos feitos por navalha. O responsável por difundir essa tendência é Denis Dhow Timoteo de Souza, formado pelo Senac. “Sempre gostei de desenhar. Desde moleque mexia com tintas e grafite. No começo desenhava com canetinha ou lápis para olhos e hoje, com a prática, crio o desenho direto no cabelo”, conta Denis. Em seu salão, o Studio Black, o cabeleireiro e seu sócio realizam, em média, cem cortes por semana. E o corte com desenho é o mais procurado. “Trabalho sem parar, pois quando chego tem de oito a dez pessoas sentadas aqui na frente me esperando. Vem gente de outras cidades cortar o cabelo comigo. Todo sábado vem uma caravana de Cambé”, relata. Certa vez, um rapaz de Sertanópolis, a quase 50 km de distância, viajou só com o dinheiro para o corte.

40 S I S T E M A

Como não tinha condições de pagar a passagem, pegou carona para ir embora. “É gratificante. Às vezes chega uma criança, quer fazer um desenho, e eu faço apenas pelo valor do corte simples”, diz. A habilidade de Denis lhe rendeu o primeiro lugar no campeonato do Londrina Beauty 2011, o maior evento de beleza do Norte do Paraná. Ele soube do concurso na última hora, por meio de um colega, mas isso não o impediu de apresentar um corte bem elaborado.

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

O trabalho iniciou no dia anterior ao evento e durou 12 horas. Durante a competição, levou mais 45 minutos para fazer o desenho e ajeitar os últimos retoques. A temática escolhida foram os jogos de cartas. Enquanto realizava o corte, Denis imaginou que estava no seu salão, calmo e à vontade. Para a próxima edição da feira, em 2012, a intenção é ganhar mais troféus. Quem ouve Denis contar tão empolgado sobre sua profissão não imagina o longo caminho

julho

|

agosto 2011


que percorreu. Uma trajetória que começou sobre duas rodas, aos 18 anos, quando trabalhava como motoboy. Ele sofreu um acidente, quebrou o fêmur e perdeu o movimento do pé. “Achei que ia me aposentar definitivamente”, revela. Estava recebendo o auxílio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) há cinco anos quando foi convidado a participar do programa de Reabilitação Profissional. A dúvida era qual profissão seguir, nunca havia pensado nisso. “Minha mãe era cabeleireira e tinha a máquina de cortar cabelo em casa. Desde meus 15 anos os colegas pediam para eu cortar o cabelo, fazer o contorno ou um desenho”, relata. A brincadeira de adolescente o ajudou a optar pelo curso de Auxiliar de Cabeleireiro, mas por se tratar de um treinamento rápido, ainda tinha muito a aprender. Por isso matriculou-se no Senac. “Esse é um curso que forma mesmo, mostra

todos os conteúdos necessários para um profissional de salão”. O INSS estendeu o pagamento do benefício e conseguiu pagar as mensalidades. “Quando entrei no curso peguei gosto. Fazia muito esforço para não faltar, pois sabia que as aulas iam fazer falta”. Desde o início, o aluno “descolado” e irreverente, mostrou às instrutoras seu estilo artístico e elas o incentivaram e ajudaram a se aperfeiçoar, principalmente nos cortes com tesoura e na química para cabelos. Mesmo tendo visto técnicas variadas, Denis prefere executar cortes masculinos, nos quais pode aplicar a criatividade. “Apesar de ter bastante ‘senhores’, grande parte da minha clientela é de jovens, que procuram por cortes mais modernos, com luzes, relaxamento e desenho”, afirma o profissional. O estilo afro é o mais procurado no Studio Black, existente há um ano. Antes, Denis atendia

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

em um bairro, sozinho. Montou o salão pouco antes de finalizar as aulas no Senac, em 2009. Na época, o INSS forneceu todo o material e equipamentos para abrir o empreendimento, ajudando-o novamente. “Hoje eu pago minhas contas, sustento meus filhos”. O local é praticamente sua segunda casa. Até no domingo ele e o sócio trabalham. Aliás, este é o dia de maior movimento. Localizado na Avenida Saul Elkind, o salão fica bem no meio da maior e mais popular feira de Londrina. Outra paixão do cabeleireiro é o pagode. Ele mantém um grupo que se apresenta duas vezes por semana. “Nos meus sonhos, ou estou cortando o cabelo de alguém, ou estou em um show”, confessa. Finalizando a conversa, Denis afirma: “para mim, o Senac foi bem importante porque encontrei minha vocação”.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

T

41


T

mesa brasil

Solidariedade e dignidade à mesa do brasileiro Combatendo a fome e o desperdício, o Sesc desenvolve em todo o país, o programa Mesa Brasil. São oito anos levando cidadania e segurança alimentar aos brasileiros Texto: Silvia Bocchese de Lima

A

Shutterstock

pirâmide social do país está em transformação e na última década, 28 milhões de brasileiros saíram da pobreza absoluta e 36 milhões migraram para a Classe Média. Embora os números surpreendam positivamente, ainda, 16,2 milhões de pessoas ainda permanecem na pobreza extrema e 715 mil somente na região Sul, o equivalente a 4% do total. Para amenizar a fome e promover a segurança alimentar e nutricional, o Sesc desenvolve em todo o País, o programa Mesa Brasil. Com esta ação, a instituição redistribui alimentos excedentes, próprios para o consumo, a entidades assistenciais. A logística do programa consiste em o Sesc PR buscar alimentos e mantimentos onde está sobrando e os entregar onde está em falta. Os próprios doadores informam ao Sesc a disponibilidade de produtos para a doação e a entidade realiza a distribuição em instituições sociais e

42 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


Números da Solidariedade • Empresas doadoras: 176 • Instituições receptoras: 653 • Quilos arrecadados: 9.305.199,81 • Quilos Distribuídos: 9.080.003,49 • Complementação de Refeição:89.682.344

comunidades cadastradas. Esta ação acontece em Curitiba e em outros sete municípios paranaenses, chegando a 36 municípios pela abrangência.

Parcerias e Voluntariado

Fonte: Sesc Paraná (período de 09/2003 a 07/2011)

O programa comemorou, em junho, oito anos de uma colheita urbana no Paraná que já arrecadou 9,3 milhões de quilos de produtos e complementou 89,6 milhões de refeições. Além do número de doações, o que aumentou, também, foi o número de entidades doadoras, saltando das quatro que iniciaram, para mais de 176, entre sistemáticos e eventuais. São os parceiros do projeto que possibilitam a sua sustentação e o Mesa Brasil permite que as empresas, indústrias, produtores e comerciantes tenham a sua agenda social facilitada exercendo, assim, sua cidadania empresarial. Existem duas áreas de atuação para os voluntários: técnicos e operacionais. O primeiro para as áreas educativas e, o segundo, para viabilizar a logística dos procedimentos.

Educação Alimentar Muito além de redistribuir alimentos excedentes, o Mesa Brasil tem dado a oportunidade para que os atendidos pelo programa desenvolvam novos hábitos alimentares, além de receberem orientações sobre práticas corretas e higiênicas na manipulação de alimentos, por meio de palestras e oficinas. Em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi), nutricionistas especializados em aproveitamento integral do alimento, do programa Cozinha Brasil, realizam treinamentos no Sesc para cozinheiras e merendeiras das instituições que recebem doações. Assim, além de executarem novas receitas, elas aprendem noções de nutrição e boas práticas de manipulação do alimento.

T

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

O que pode ser doado • Alimentos próprios para o consumo, entre eles: • Frutas, legumes e verduras • Frios e laticínios • Grãos e cereais • Enlatados e conservas • Pães e massas • Carnes e derivados

Produtos e serviços como: • Embalagens próprias para transporte de alimentos • Materiais de higiene e/ou limpeza • Itens de vestuário (cobertores, calçados, roupas, etc.) • Móveis e equipamentos de cozinha • Utensílios culinários • Combustível • Serviços diversos (voluntários, transporte, etc.)

O que não pode ser doado • Refeições prontas • Doces e pães com recheios cremosos • Alimentos com embalagens danificadas, prazo de validade vencido ou fora das condições normais de uso

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

43


T

revitalização

Revitalização de Espaços Comerciais em Maringá Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e Sebrae/PR preveem reestruturação de trecho do centro da cidade Texto: Isabela Mattiolli | Fotos: Assessoria Sivamar

Amauri Donadon Leal representou três entidades ligadas ao Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná

N

o dia 25 de julho, foi lançado no Sebrae de Maringá o Programa de Revitalização de Espaços Comerciais. O projeto é uma realização do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e do Sebrae/PR em parceria com a Prefeitura de Maringá, Sivamar, Simatec, Sincofarma, Associa-

44 S I S T E M A

ção Comercial, Conselho de Desenvolvimento de Maringá (Codem) e Associação das Micro e Pequenas Empresas de Maringá e Região (Micromar), prevê a revitalização de prédios comerciais em trecho da Rua Santos Dumont, no centro da cidade.

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

O consultor do Sebrae, Marcelo Wolff, fez um resumo do programa que já é desenvolvido em outras quatro cidades: Castro, Londrina, Marechal Cândido Rondon e Francisco Beltrão. Um dos objetivos da iniciativa, segundo ele, é aumentar a atratividade e a com-

julho

|

agosto 2011


petitividade do comércio varejista de bens e serviços local. O empreendimento compreende a revitalização de três quarteirões, com 115 micro e pequenas empresas varejistas e seis pontos vagos para locação. As mudanças serão feitas tanto na parte estrutural - como em fachadas e vias públicas - quanto na gestão empresarial para o aperfeiçoamento da visão de negócio. A previsão é que os trabalhos sejam iniciados em setembro deste ano e executados em três etapas no período de três anos. A primeira delas já vem acontecendo desde o ano passado, com a articulação de parceiros e a formação da governança local. A segunda prevê a realização de estudos e diagnósticos, incluindo uma pesquisa de perfil do consumidor e, a terceira etapa é a execução do projeto propriamente dito. O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, participou do lançamento e contou sobre o processo de revitalização do Paço da Liberdade, em Curitiba, conduzido pela entidade em parceria com a Prefeitura e o Sebrae/PR. Piana explicou que o projeto tinha como objetivo dar nova vida àquela região, mantendo o foco na cultura como primeira ação de transformação. “A restauração do prédio do Paço da Liberdade foi âncora da mudança”, explicou. Foram investidos R$ 7 milhões pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac PR na restauração do pré-

dio do Paço da Liberdade, que se transformou em um Centro Cultural do Sesc e recebe, em média, 2,5 mil visitantes por dia. Em um ano e meio de trabalho, a revitalização resultou na triplicação do preço dos aluguéis e do valor dos imóveis no entorno do edifício. Novos tipos de comércio se instalaram no local e as pessoas voltaram a frequentar a região. “É um projeto simples, com parceiros comprometidos, com vontade de acertar. E está se tornando um modelo para várias cidades do Paraná e do Brasil”, comentou Piana. Também estiveram presentes no lançamento do projeto o prefeito Silvio Barros; o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Valter Viana; o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini; o presidente do Codem, Luis Fernando Ferraz; o presidente do Sivamar, Amauri Donadon Leal; Marco Tadeu Barbosa, representando a Acim; Claudemir Matiusso, representando a Micromar; Valdeci Silva, presidente do Simatec; Nivaldo Ricci, presidente do Sincofarma; Fabianni Melo, da Unidade de Atendimento Coletivo de Comércio e Serviços do Sebrae nacional; Paulo Roberto Abner, desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná e Raquel Almeida Costa, presidente da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Maringá, diretores do Sivamar e demais lojistas da cidade.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

T

Darci Piana comentou sobre a revitalização feita no Paço da Liberdade

O prefeito de Maringá, Silvio Barros, participou do lançamento do Programa de Revitalização de Espaços Comerciais da cidade

O consultor do Sebrae/PR, Marcelo Wolff explicou sobre a execução do projeto, que será realizado em três etapas

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

45


T

obras

Fecomércio e suas obras Sistema Fecomércio Sesc Senac do Paraná tem 41 obras em andamento em todo o Estado Texto: Fernanda Ziegmann

O

Sistema Fecomércio Sesc Senac PR vem investindo constantemente na estrutura de suas instituições. São 41 obras espalhadas por todo o Estado, entre novas construções e reformas serão quase 35 mil m² que estarão preparadas para atender à população. O Senac Toledo está quase pronto para receber seus novos alunos, a inauguração do prédio está prevista ainda para o mês de outubro. Outra obra que está pronta para receber seus visitantes é o Centro de Turismo e Lazer – Sesc Caiobá. Já as obras integradas do Sesc e Senac de Ivaiporã e Jacarezinho iniciaram em agosto, com o prazo

de um ano para a execução. Em 2012, Umuarama também inaugura sua unidade. Os Centros de Educação Profissional do Senac de Pato Branco e Francisco Beltrão estão em processo de elaboração de projetos complementares. Assim que concluídos, as contratações serão realizadas em outubro e novembro e o prazo de entrega é de 12 meses. No ano de 2012, o Paraná estará repleto de escolas do Senac e unidades do Sesc com as melhores estruturas para seus usuários aprenderem uma nova profissão e usufruírem de muita arte, cultura e esporte.

T

PELO ESTADO Novas Obras

Ivaiporã – Unidade integrada Sesc-Senac

Caiobá – 15.000 m² (Sesc)

Jacarezinho – Unidade integrada Sesc-Senac

Toledo - Senac

Cornélio Procópio – Senac

Marechal Cândido Rondon – Senac

Reformas

Cornélio Procópio – Senac

Londrina (Centro) – Sesc

Pato Branco – Senac

Paranavaí – Sesc

Francisco Beltrão – Senac

Ponta Grossa (Centro / Esportes) – Sesc

Umuarama – Senac

Maringá – Sesc

Londrina (Cadeião) – Sesc

Cascavel – Sesc

Cascavel – Sesc

Curitiba Água Verde – Sesc

Medianeira – Unidade integrada Sesc-Senac

Londrina – Senac

União da Vitória – Unidade integrada Sesc-Senac

Paranavaí – Senac

São José dos Pinhais – Unidade integrada SescSenac

Castro – Senac

Rio Negro – Unidade integrada Sesc-Senac Londrina (5 Conjuntos) – Unidade integrada Sesc-Senac

46 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Castro – Senac Curitiba Portão – Senac Curitiba Regional – Senac

julho

|

agosto 2011


Cidadania

Atendimento é rápido e prático no TRE para o recadastramento dos títulos

A

Texto: Karen Bortolini

o chegar ao Tribunal Regional Eleitoral em Curitiba é impressionante a agilidade do atendimento e a rapidez com que o processo de recadastramento, feito por identificação biométrica, é realizado. São cerca de 200 guichês em funcionamento, das 8h às 18h30, de segunda-feira a sábado, com capacidade para realizar 100 atendimentos a cada 10 minutos. O recadastramento ainda pode ser agendado pelo site www.tre-pr.jus.br. O mais recomendado é fazer o quanto antes para se evitar filas nas últimas datas. O TRE revisará ao todo 1,310 milhões de títulos, mediante o recadastramento biométrico. Os eleitores têm até 20 de janeiro de 2012 para comparecer ao Tribunal, no entanto, quanto antes será melhor. O processo é prático e rápido e leva em média 15 minutos para ser concluído. Basta atualizar os dados cadastrais, como endereço, zona e seção eleitoral, fazer uma foto para identificação na hora do voto, e registrar assinatura e impressões digitais. O novo título, constando a informação “Identificação Biométrica”, fica pronto em instantes. As empresas também podem fazer o agendamento para grupos de colaboradores, de acordo com o horário que convier. Ainda faltam 850 mil pessoas para fazer o recadastramento. Procure o TRE o quanto antes e leve carteira de identidade, Título de Eleitor e comprovante de residência.

T

Serviço

Local: Rua João Parolin, 55 Horário de atendimento: de segunda-feira a sábado, das 8h às 18h30

T


T

economia

Endividamento não freia consumo Apesar das dívidas com cartões de crédito, cheque prédatado, empréstimos e prestações, curitibano segue consumindo Texto: Silvia Bocchese de Lima

P

a r a o c on s u m i d or talvez não haja tarefa mais difícil quanto fazer o planejamento financeiro pessoal e separar metodicamente o quanto será investido em educação, despesas fixas, na diversão e para reservas. Consultores financeiros têm uma fórmula, que para ser aplicada deve ser adaptada a cada fase da vida do consumidor, mas os números são norteadores: 20% do orçamento deveria ser investido em transporte, vestuário e alimentação; outros 20%, em

48 S I S T E M A

despesas com moradia; 20% com inovações tecnológicas e cursos de atualização profissional; 15% em lazer e 25% em fundo de aposentadoria ou poupança. Mas o consumo e o endividamento têm mostrado que cada vez mais o consumidor opta por parcelas e juros altos na aquisição de bens duráveis. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens,

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Serviços e Turismo (CNC), em Curitiba, em julho deste ano, revela que 93% das famílias curitibanas estão endividadas, 28% com contas em atraso e 6% não terão condições de arcar com esta dívida. O número é bem maior do que o registrado em julho de 2010, quando 62% estavam endividadas; 28% com contas em atraso e 8% não tinham condições de pagar. De acordo com a pesquisa, 11% das famílias com renda superior a 10 salários mínimos, ou seja, acima de R$5.450, estavam com contas em atraso em 2010 e, neste mês, o número saltou para 17%. O cartão de crédito é o grande gargalo do orçamento familiar, absorvendo 46,1% dele, seguido do financiamento de carro, com 22,9%; dos carnês, com

julho

|

agosto 2011


17,7% e do financiamento de casa, com 8,6%. Para o empresário sócio-administrador da Glass Comércio e Instalação de Vidros, da capital paranaense - uma empresa especialista em coberturas, portas e janelas em vidro -, Fernando Smolinski, o ramo de vidraçarias sentiu queda das vendas somente em julho, mas iniciou o mês de agosto com boas perspectivas. “Nem o aumento da inflação, nem com o nível de endividamento, o consumidor consegue frear seus gastos. Em nosso ramo de atuação, já se nota que agosto iniciou repleto de expectativas, cheio de orçamentos e boas promessas para o restante do ano. Muitas dívidas serão saldadas e o consumo só aumentará”, projeta o empresário. E não é apenas o empresário que tem boas perspectivas de vendas. A pesquisa da CNC revela que entre a população com renda de até 10 sálarios mínimos o consumo, para os próximos meses, será 38,6% maior do que o de julho de 2010 e 36,9% maior entre o consumidor com renda mensal superior a R$5,4mil. Dos entrevistados, 86,5% acreditam que este é um bom momento para aquisição de bens duráveis para a sua residência, como eletrodomésticos, televisores e eletroportáteis. Ou seja, o endividamento não tende a inibir o consumo. Boas compras!

T

ida de Dív s o p i o pais T crédit e Princi d o ã art de ,1%: C nciamento a • 46 in ,9%: F • 22 carro asa rnês o de c %: Ca t 7 n , e 7 1 m cia • : Finan % 6 , 8 • CNC Fonte:

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

49


T

unidade móvel

Senac itinerante Alunos da Unidade Móvel do Senac mostram o que aprenderam e elaboram as pizzas oficiais de Piraí do Sul Texto: Karla Santin | Fotos: Ivo Lima

P

or onde passam, as salas de aula itinerantes do Senac levam qualificação profissional e oportunidade de trabalho e renda. No mês de abril, a Unidade Móvel de Gastronomia se instalou em Piraí do Sul e lá ficou por três meses com as capacitações de Auxiliar de Cozinha e Pizzaiolo, ambas integrantes do Programa Senac de Gratuidade (PSG). Os cursos qualificaram 47 pessoas que dificilmente teriam condições para se deslocar até grandes centros e participar de cursos profissionalizantes. É o caso de Julio Cesar Ribas Martins, de 21 anos, que estava desempregado e já havia tentado uma vaga como pizzaiolo, mas sem sucesso. “Ano passado fiz o teste, só que não tinha noção do que

50 S I S T E M A

era ser um pizzaiolo e com o curso recebi os conhecimentos necessários. Já recebi proposta para trabalhar em uma pizzaria e casualmente pretendo abrir a minha”, relatou. O colega Márcio Lino Farias vai seguir a linha do empreendedorismo. Sua família possui uma casa de sucos no início da estrada que leva ao Santuário de Nossa Senhora das Brotas, ponto turístico que chega a receber 40 mil pessoas por ano. “Estou pensando em montar uma pizzaria com forno a lenha porque as pizzas ficam mais saborosas. Imagine poder abrir a massa na frente do cliente e convidá-lo a acompanhar sua pizza assando?”, projetou. A Unidade Móvel do Senac também deixou os empresários animados. Proprietário de um restaurante, Adairton Jorge Santos de Oli-

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

veira, acredita que vai ampliar sua lucratividade com as mudanças trazidas por uma de suas funcionárias que fez o curso de Auxiliar de Cozinha. “Vai trazer novidades, pratos novos que ela aprendeu. Nossa funcionária aprendeu muito e esse aprendizado vai trazer retorno no futuro, não só para ela, como para a empresa também”, avaliou. Por não se enquadrar nos critérios exigidos pelo PSG, o empresário Emerson Ferraz acompanhou todas as aulas como “ouvinte”. Ele ficou tão empolgado com o curso, que vai transformar o açougue que mantinha anexo a seu restaurante em uma pizzaria. Alguns equipamentos já foram comprados. “Nunca abri à noite e agora pretendo diversificar. Eu sempre gostei de preparar pratos diferenciados, fazia algumas massas para o restaurante, mas agora aprendi a fazer com qualidade, mudou totalmente”. O empresário disse que, quando precisar de reforço na cozinha, sabe onde encontrar excelentes profissionais. Durante as aulas, os participantes aprenderam a preparar

julho

|

agosto 2011


diversos tipos de massas, molhos, recheios e coberturas. Também receberam orientações de como gerenciar seu próprio negócio. E esse conhecimento todo não podia dar em outra, a não ser em pizza. No último dia de aula, os alunos participaram de um concurso para a escolha da pizza tropeira e pizza oficial da cidade. A comissão julgadora foi formada por autoridades municipais, entre elas o prefeito Antonio El Achkar e representantes do Senac. “Esse curso era o que faltava para a cidade, precisávamos formar profissionais na área de gastronomia. Há muita gente querendo investir em Piraí do Sul, mas na hora de buscar mão de obra qualificada, não acha. Por isso estamos garantindo a formação de pessoas para que os investimentos possam vir, atraídos pela mão de obra preparada”, avaliou o prefeito. Com tantas receitas deliciosas, foi difícil escolher. As vencedoras foram a de Estrogonofe de cordeiro e a Tropeira, com massa e purê de abóbora, carne suína, bacon e muçarela.

Adairton Jorge Santos de Oliveira

Por aí No primeiro semestre deste ano, as Unidades Móveis do Senac percorreram, juntas, aproximadamente 800 quilômetros pelo Estado. A de Turismo e Gastronomia passou também por São José dos Pinhais e fica em Wenceslau Braz até setembro. Já o laboratório de informática sobre rodas começou o ano em São Jerônimo da Serra, onde realizou o curso de Operador de Computador. Segundo o prefeito Carlos Sutil, o Senac atendeu à população de renda baixa, dando-lhes condições para entrar no mercado de trabalho com um diferencial no currículo. “Os municípios pequenos contam com poucos recursos e poucas opções de qualificação profissional, por isso a vinda do Senac foi muito positiva para nossa cidade”, avaliou o prefeito de São Jerônimo da Serra. Outro município atendido foi Nova Santa Bárbara. “Os benefícios para as pessoas são imensos, pois os cursos abrem possibilidades de melhoria de vida através da qualificação profissional”, afirmou o prefeito Claudemir Valério. O paradeiro atual da Unidade Móvel de Informática é a cidade de Sertanópolis e, em outubro, ela segue para Tamarana.

T

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Julio Cesar Ribas Martins e Márcio Lino Farias

Emerson Ferraz

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

51


T

excelência

Senac investe na qualidade O Senac vem investindo cada vez mais na sua qualidade de ensino, seja na elaboração do material didático, na contratação e formação dos instrutores Texto: Fernanda Ziegmann | Fotos: Ivo Lima

Instrutora do Senac e aluna da pós-graduação em Docência, Patrícia Maria Toppel Guimarães Giancristofaro, ministrando uma aula com a participação ativa dos alunos

D

esde sua criação em julho de 1947, o Senac PR tem como objetivo a formação e aperfeiçoamento profissional da população, por meio de cursos de capacitação, aprendizagem, técnicos, ensino a distância e pós-graduação em diversas áreas de conhecimento, sempre preocupado com a qualidade do ensino oferecido. Ensino não é sinônimo de educação e vice-versa. Ao pé da letra, ensinar significa instruir, e

52 S I S T E M A

educar, significa criar bons hábitos ou um bom caráter de conduta. “Ensino é parte da educação, e o Senac faz ensino para dar uma profissão “, ressalta o diretor de Educação Profissional e Tecnologia do Senac, Ito Vieira O Ensino Profissionalizante, ou Educação Profissional são conceitos abordados na Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação. O principal objetivo ao se criar essa modalidade de en-

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

sino foi a oferta de cursos voltados para o acesso ao mercado de trabalho, para aqueles que pretendem ampliar suas qualificações. O Senac estimula constantemente seus funcionários, com a ofertas de cursos e treinamentos, para que possam passar aos alunos da escola a melhor forma de conhecimento. Para se manter como referência em ensino profissionalizante, a instituição investe continuamente em obras, reformas e aquisijulho

|

agosto 2011


ções de equipamentos. Somente nos dois últimos anos, três escolas foram construídas: Foz do Iguaçu, Campo Mourão e Apucarana. Todas com excelente padrão de qualidade e com laboratórios equipados para atender aos que procuram a instituição.

Contrataçãode novos instrutores Em fevereiro deste ano o Senac PR realizou um grande processo seletivo para a contratação de novos instrutores para 18 áreas de atuação das escolas de todo o Estado. Foram mais de quatro mil curriculos cadastrados e mais de 1,8 mil candidatos realizaram as provas. Entre Centros de Educação Profissional (CEPs) e Núcleos de Educação Profissional (NEPs), espalhados por todo o Paraná, 33 locais receberam, simultaneamente, candidatos às vagas como instrutores da instituição. As contratações dos instrutores começaram em abril e, até o mês de agosto, já foram efetivadas mais de 380 pessoas. “Os candidatos ficam em nosso cadastro de reservas e as contratações acontecem conforme a demanda. Nossa intenção é que os professores sejam exclusivos do Senac, que completem a carga horária dentro da instituição”, conta o coordenador de Recursos Humanos do Senac, Antônio Carlos Langner.

Todo material didático utilizado nas aulas de formação profissional é desenvolvido pelo Senac Paraná

de Especialização em Docência para a Educação Profissional, projeto de âmbito nacional, desenvolvido na modalidade Ensino a Distância (EAD). Com certificação reconhecida pelo MEC, o curso está centrado na prática pedagógica. Os alunos assistem às aulas sem sair de casa, por meio do Moodle, um ambiente virtual de aprendizagem. Na programação constam ainda quatro momentos de prática pedagógica, que são as aulas presenciais chamadas de laboratórios, em que os estudantes aplicam os conceitos estudados. Durante todo o curso os alunos experimentam o princípio da simetria invertida, em que o docente vivencia como aluno, o processo de formação, as atitudes, modelos didáticos, capacidades e modos de organização. Pós em Docência Senac PR A primeira etapa da pós-graduação, iniciada Baseado na preocupação com a qualidade, o em outubro de 2010, formou aproximadamente Senac PR oferece para seus instrutores o curso

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

53


T

excelência 98 funcionários, entre instrutores, diretores, técnicos e analistas de educação profissional. Atualmente 156 funcionários de todo o Estado estão matriculados no curso. A meta do Senac é qualificar todos os instrutores, visando excelência no trabalho pedagógico e educando com qualidade o maior número de paranaenses. Depois de iniciar o curso, a instrutora de informática, Patrícia Maria Toppel Guimarães Giancristofaro, sente na prática os benefícios da pós. “Esse curso trabalha competências e alia a teoria com a prática. Mudei a forma de aplicar o conteúdo, hoje sinto que os alunos são mais dinâmicos, participam mais das aulas”, destaca a instrutora.

Material Didático

diagramação, edição e impressão. Funcionários comandados pelo diretor de Educação Profissional e Tecnologia do Senac, Ito Vieira, criam os materiais que chegam as salas de aula de todo o Estado. Além de material didático impresso, o Senac disponibiliza conteúdos em CDs. No caso do EAD, os alunos recebem as mídias e ainda contam com a plataforma de ensino, onde cabe ao usuário imprimir ou não. “O uso de novas tecnologias, o acesso às mídias sociais e um bom material didático, aliados à qualidade de gestão e o preparo dos docentes, elevam a qualidade de ensino e, como consequência da educação em que todo ou qualquer cenário da sociedade”, destaca Ito Vieira.

T

O Senac PR cria seu próprio material didático, desde as pesquisas e elaboração dos textos até a

54 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

55


Curitiba recebe encontro internacional de Educação A capital paranaense foi sede do Sala Mundo e reuniu mais de dois mil participantes de todo o Brasil Texto: Fernanda Ziegmann | Fotos: Ivo Lima

O

tema educação foi discutido durante dois dias no teatro Positivo, onde foi realizado o Sala Mundo Curitiba 2011 Encontro Internacional de Educação, promovido pelo Grupo Positivo. A capital para-

Shutterstock

T

educação

56 S I S T E M A

naense foi escolhida para sediar o evento por ter atingido o melhor índice de Desenvolvimento Municipal em 2010, segundo o Índice Finjam de Desenvolvimento Municipal (IFDM), além de ser líder entre as capitais nos últimos três levantamentos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e ser referência nacional de qualidade na educação pública e privada. Mais de duas mil pessoas, entre diretores de escolas, professores e educadores, participaram do evento que teve como proposta oferecer a oportunidade de conhecer experiências relevantes e debater o tema com personalidades de diversos países. D u r ant e o e n c on tro, foram abordados temas importantes sob o formato de palestras. O diretor-presidente do Grupo Positivo, Orio-

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

visto Guimarães, destacou a importância que o tema abordado assume no país. “Trouxemos as pessoas mais experientes de diversos países, vamos trocar experiências, o Brasil precisa para o bem da educação de um esforço conjunto e é esse o intuito desse encontro”, destacou Guimarães. Segundo o governador Beto Richa, o Paraná e Curitiba são privilegiados por receberem um evento desse porte para discutir um assunto tão importante. “É uma oportunidade única para partilhar as experiências, com um objetivo comum de alcançar padrões elevados de educação. Precisamos trabalhar juntos na busca do ensino de qualidade,

julho

|

agosto 2011


ARTIGo

garantindo um futuro melhor para todos os brasileiros”, afirmou Richa. A presidente Dilma Rousseff não pôde estar presente no lançamento, mas mandou uma mensagem aos participantes. “A educação é a ferramenta para o desenvolvimento de uma nação e para a construção de uma sociedade justa, sustentada em valores éticos e

humanos, ela se insere na vida das pessoas como instrumento de mudança”, afirmou Dilma. A primeira palestra do Sala Mundo foi proferida pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, em que fez um balanço sobre a educação no país e apresentou diversos dados. “No século XX, o Brasil não ultrapassou a barreira de 2,5% do PIB na educação. Hoje já estamos com uma receita de 5%, temos o objetivo de alcançar os 7%, mas a população anseia por 10%. Esperamos alcançar essa marca”, enfatizou. O evento também contou com a presença do governador do Paraná, Beto Richa; do prefeito de ão caç Edu Curitiba, Luciano Ducci; do presidente do Grupo Curitiba: Capital Brasileira da Positivo, Oriovisto Guimarães; da secretária da So• Melhor Índice de Desenvolvimento Família, Fernanda Richa; da secretária municipal 0 201 em cial de Educação, Liliane Sabbag; do presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares nos • No IDBE Nacional, Curitiba é líder de Ensino do Estado do Paraná (Sinepe/PR), últimos três levantamentos Ademar Pereira e da vice-presidente do GRPedu na de lida Com, Ana Amélia Filizola, repre• Referência nacional de qua ada priv sentando todos os apoiadores cação pública e do encontro, como o Sistema • Sede do maior grupo educacional bra Fecomércio Sesc Senac PR, Gosileiro: Grupo Positivo verno do Estado do Paraná, Unimed, Sinep/PR, Federação Nacional • Maior polo editorial do país no das Escolas Particulares e o Sindisetor educacional cato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo (Sieeesp).

T

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

57

T


T

turismo

Brincando de casinha Viajar de motor home é como pegar a estrada sem sair de casa Texto: Fernanda Ziegmann | Fotos: Ivo Lima

C

asa sobre rodas, um ótimo termo para definir um motor home. O que para muitos representa apenas um grande ônibus luxuoso, para outros é um estilo de vida, onde a ideia inicial de uma casa sobre rodas é a possibilidade de se viajar em família e percorrer longas distâncias sem se preocupar em encontrar um hotel. Quem já assistiu ao filme “Entrando numa Fria Maior Ainda”, no qual o pai, interpretado por Robert De Niro, coloca a família em um motor home e seguem viagem, provavelmente já se imaginou por uma situação parecida, onde é possível viver o conforto e a praticidade de fazer as refeições e ir ao banheiro sem parar o carro.

58 S I S T E M A

Motor Home nada mais é do que casas montadas sobre o chassis de ônibus, vans, carros ou até kombis. Existem fábricas especializadas em montar esses veículos, projetados de acordo com o gosto do cliente e aproveitando todos os espaços possíveis para ficar tão confortável quanto uma casa. No Brasil, viajar com a casa nas costas tem ares de aventura e exotismo. “As pessoas têm mania de ter casa na praia. Eu nunca quis, sempre tive motor home e viajei muito com minha família, se tivesse casa em um lugar fixo não teria conhecido tantos lugares”, conta o proprietário do camping No Sol, Francisco Calgaro. Na Europa, viajar com esse tipo de veículo significa eco-

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

nomia, já no Brasil o conceito é outro: o de liberdade, uma vez que existem poucos locais com a estrutura necessária para se parar e ainda custam caro. “O que era para ser sinônimo de economia, na prática acaba não funcionando. No Brasil, ainda existem poucos campings para motor homes, o que acaba encarecendo as viagens”, comenta o gerente de vendas da Trailermar, Marcelo de Castro Carvalho. Para comprar um dos modelos mais simples é preciso desembolsar pelo menos R$100 mil, mas os mais luxuosos e com acomodações para até oito pessoas, ultrapassam a barreira do milhão. O que está virando moda entre os casais é o motor home fabricado em furgões, que acomoda só duas pessoas. julho

|

agosto 2011


Um modelo assim sai mais em conta e não deixa a desejar no conforto. “Existem algumas cidades históricas que não permitem a entrada de motor home por causa do tamanho. Como os furgões são menores a entrada é permitida”, explica Marcelo. Há aqueles que utilizam o meio de transporte como seu verdadeiro lar. É o caso do aposentado Joaquim Américo Gomes, de 77 anos, e sua esposa, Maria Nazareth Gomes, de 70 anos. O casal mora há 24 anos sobre o chassi de um ônibus na companhia de duas cachorrinhas, Juju e Tetéia. “Minha família me obrigou a comprar um apartamento, eles dizem que não temos mais idade para morar em um motor home. Mas meu apartamento está fechado há mais de um ano, não consigo me acostumar”, conta Joaquim. O casal já viajou muito com a família, mas hoje, com a filha e

os netos crescidos, as viagens diminuíram. Em setembro, os dois seguem até Porto Belo (SC), e lá ficam em um camping durante seis meses. “Já viajamos muito, chegamos há ficar oito meses na estrada, hoje em dia ficamos aqui durante o frio e quando esquenta vamos aproveitar o litoral”, comenta o aposentado.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Mas é preciso ter cuidado ao sair pelas estradas do Brasil, pois a segurança para esse tipo de veículo ainda é precária, além de estradas em péssimas condições que acabam atrapalhando a viagem, sem contar os assaltos que se tornaram frequentes, mas nada que não possa ser evitado com cuidado e informação.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

T 59


T

palco giratório

Sesc PR traz Festival Palco Giratório à Curitiba Maior circuito de artes cênicas do país passa por capital paranaense com múltiplas apresentações Texto: Isabela Mattiolli | Fotos: Ivo Lima

60 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


H

á 14 anos, o projeto Palco Giratório faz história no Brasil no que diz respeito à difusão de artes cênicas e democratização da cultura. De forma itinerante, o projeto do Sesc leva apresentações artísticas, oficinas, palestras, mostras de arte e cultura que, segundo o diretor-geral do Departamento Nacional do Sesc, Maron Emile Abi-Abib, transforma o cotidiano das cidades por onde passa. O Paraná recebe desde 1998 o projeto em forma de circuito – tanto na capital como em cidades do interior. Este ano é a primeira vez que o Palco Giratório ganha dimensão no formato Festival, em Curitiba, depois de ter passado por cidades do interior do Estado com a ideia inicial. Entre os dias 2 e 27 de agosto, espaços como o Teatro do Sesc da Esquina, Sesc Paço da Liberdade, Sesc Água Verde, Boca Maldita e Ruínas de São Francisco, receberam 18 espetáculos, de 16 companhias de todo o país, totalizando 25 apresentações com as mais diversas linguagens cênicas. O Festival Palco Giratório engloba nove estados brasileiros neste ano, nas cidades de Fortaleza, Recife, Cuiabá, Porto Alegre, Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Velho e Curitiba. O diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca, explicou que trazer o Palco Giratório em forma de festival amplia e dá maior visibilidade ao projeto. “Essa é uma ótima oportunidade para as pessoas que gostam de teatro, conhecerem outras culturas. Trazer o Palco Giratório no formato de festival melhora e qualifica o projeto”, comentou Fonseca. Quem complementa esta ideia é a gerente de Cultura do Sesc PR, Deborah

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Belotti. Segundo ela, o Palco concentra em sua programação, apresentações com diferentes linguagens. “Esse projeto tem papel transformador no olhar do expectador. Ele vem e explana toda a diversidade do teatro, com grupos de importância histórica, como é o caso do Imbuaça, que é o mais antigo grupo de teatro de rua do Brasil, com 33 anos de trabalho”, comentou.

Os grupos Os grupos que compõem a programação do Palco Giratório passaram por uma seleção especial feita pela curadoria nacional do projeto, que teve a gerente de Cultura do Sesc PR como uma das integrantes. “A curadoria seleciona as melhores montagens do Brasil para compor o mosaico da diversidade cultural dos espetáculos do Palco Giratório”, comentou Deborah Belotti. As companhias selecionadas e que passaram por Curitiba foram: Grupo Namakaca (SP); Teatro Independente (RJ); Armatrux (MG); Imbuaça (SE); Amok (RJ); Cia. Polichinelo (SP); Cia. do Tijolo (SP); In. CO. Mo. DE. TE. (RS); Cia. Dita (CE); Coletivo Lugar Comum (PE); Corpo de Dança do Amazonas (AM); Mão Molenga Teatro de Bonecos (PE); Persona Cia de Teatro em Trâmite (SC). A Cia. Filhos da Lua, o Grupo Delírio e a Cia. Manoel Kobachuk representaram o Paraná, com os espetáculos “Ópera de carvão e flor”, “Evangelho segundo São Mateus” e “Encanta Brasil”, respectivamente. O pluralismo cênico, sem dúvida, foi um dos destaques da 1ª edição do Festival Palco Giratório, em Curitiba. O franco-brasileiro Amok Teatro, dirigido pela

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

61


T

palco giratório

brasileira Ana Teixeira e pelo francês radicado no Brasil há 17 anos, Stephane Brodt, trouxe ao palco do Teatro do Sesc da Esquina dois espetáculos impactantes sobre a guerra, com visões e enredos diferentes. O primeiro “O dragão”, sobre o conflito entre israelenses e palestinos e, o segundo, “Kabul”, fala sobre a triste realidade das mulheres afegãs. De acordo com o ator e diretor, Stephane Brodt, a escolha da companhia em trabalhar com temas relacionados à guerra foi complexa devido a falta de textos sobre o assunto dentro da dramaturgia. A construção dessas peças – tanto “O Dragão”, quanto “Kabul” – foi, segundo o diretor, pautada em processos longos de estudo, por meio de vídeos e de todo o arsenal encontrado na internet. “A internet foi uma ferramenta fantástica para a elaboração desses trabalhos. Há alguns anos atrás, a montagem sem ela [internet] seria mais complexa”, disse. Com outra linguagem, o pessoal do Imbuaça (SE) trouxe regionalismo ao Palco Giratório. A peça “O mundo tá virado”, influenciada pela literatura de cordel e do samba de coco, trouxe manifestações populares e religiosas do nordeste ao Paraná. “A ideia da peça é trazer um pouco da história do nordeste e também brincar com questões sérias e contemporâneas, como o

62 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


comercialismo desenfreado”, comentou o diretor do grupo, Lindolfo Amaral. Por meio de rimas, imagens, música e dança, o Imbuaça construiu a poética do espetáculo, encenado na manhã de 7 de agosto nas Ruínas de São Francisco, com voz de quem possui teatro de repertório - mais de 33 anos de história.

Ações paralelas Paralelo às apresentações do Palco Giratório, a Cia. Dita, do Ceará, realizou uma oficina gratuita de Dança Contemporânea com elementos da técnica Clássica, no dia 17 de agosto, no Teatro do Sesc da Esquina. Outra ação dentro do festival foi a mostra de vídeos, divididas em seis capítulos (52 minutos cada), sobre “O Teatro Segundo Antunes Filho”, também de forma gratuita.

Pensamento Giratório A programação do 1º Festival Palco Giratório de Curitiba também contou com o Pensamento Giratório. A ação faz parte do projeto nacional e visa um encontro entre um dos grupos participantes do projeto, com uma convidada especial, para dialogarem e trocarem experiências com o público. A edição paranaense escolheu o grupo Amok Teatro e a atriz, produtora e diretora curitibana, Ana Rosa Tezza. O Amok Teatro, que pela terceira vez circula pelo Palco Giratório nacional, foi aplaudido de

pé nas apresentações feitas durante o Festival. O grupo trouxe também contribuições significativas para o público geral, principalmente o de teatro, com discussões após cada uma das apresentações sobre a metodologia utilizada. O ator e diretor do Amok Teatro, Stephane Brodt, considera o projeto Palco Giratório como “um dos mais importantes de dramaturgia, pois não circula apenas na capital, mas também pelo interior dos estados, de fevereiro a dezembro”. O grupo circulou, inclusive, por cidades do interior do Paraná como Paranavaí, onde também participou de um Pensamento Giratório. Já Ana Rosa Tezza justificou sua participação como convidada no Pensamento Giratório por ter feito parte do teatro de Andrés Pérez Araya, no Chile. Araya foi um dos discípulos de Ariane Mnouchkine, do teatro de Soleil, teatro-escola francês por onde Stephane Brodt passou. Ana, que morou muitos anos no Chile, retornou a Curitiba numa época em que, segundo ela, existiam poucos grupos nos moldes de Mnouchkine, o que a fez sentir órfã e foi então que conheceu o trabalho do Amok. “Vendo os espetáculos do Amok, notei a linguagem que eu amo e que me faz sonhar”, comentou. Hoje a atriz, produtora e diretora possui um grupo em Curitiba, chamado Ave Lola, e diz buscar esse teatro “que a faz sonhar”, do coletivo em grupo – algo bem próximo do que o Amok Teatro produz.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

T

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

63


T

literatura

Feira do livro chega a 30ª edição Com o tema “Literatura e Sociedade”, Semana Literária do Sesc homenageia o crítico Antonio Candido Texto: Isabela Mattiolli | Ilustração: Marcelo Weber

S

etembro é mês da literatura entrar em cena em 21 cidades paranaenses. A Semana Literária & Feira do Livro do Sesc acontece entre os dias 12 e 17 do mês, unindo, simultaneamente programação literária com o mercado livreiro. O tema desta 30ª edição é “Literatura e Sociedade” que, segundo o técnico de Literatura do Sesc PR, Márcio Norberto, presta homenagem a um dos maiores críticos literários do país, Antonio Candido. O autor publicou o livro “Literatura e Sociedade” em 1965 e trabalha com o assunto constantemente. A Semana tem uma extensa programação que inclui uma exposição sobre o pensamento e a obra de Antonio Candido, em todas as cidades participantes. Estão programadas, também, conferências e mesas-redondas sobre a temática, bate-papos, oficinas, hora do conto, lançamentos de livros e sessão de autógrafos. Além da programação literária, haverá a participação de livrarias, com estandes repletos de obras que serão comercializadas durante a semana. Em Curitiba, será montada uma estrutura na Praça Santos Andrade, que concentrará toda a programação da cidade. A abertura da Semana Literária & Feira do Livro será no dia 12 de

64 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

setembro, com a escritora Ana Maria Machado. Na programação, mesas-redondas com Milton Hatum, Wanderley Guilherme dos Santos, Beatriz Bracher e Gustavo Bernardo, Mariana Ianelli e Michel Laub, Antonio Cícero e Beatriz Rezende, Cristovão Tezza e Eliane Brum, Cintia Mosco-vich e Marcelino Freire e, uma conferência em homenagem a Antonio Candido, com Walnice Galvão. Um aspecto importante do projeto, de acordo com Márcio Norberto, é que a Semana Literária & Feira do Livro acontece simultaneamente em todas as cidades do Paraná que têm unidades do Sesc. De forma itinerante, leva autores para dialogarem sobre a temática também no interior. De acordo com a gerente de Cultura do Sesc PR, Deborah Belotti, por meio da Semana Literária & Feira do Livro, o Sesc pretende “criar um ambiente favorável e estimulante para despertar novos leitores e contribuir para a formação de cidadãos reflexivos e participantes”. A programação e a relação de autores participantes da 30ª edição da Semana Literária & Feira do Livro do Sesc PR podem ser obtidas pelo site www.sescpr.com.br.

T

julho

|

agosto 2011


cultura

Arquitetos da melodia Foi na Mesopotâmia, próximo ao ano 2600 a.C., que alguém teve a brilhante ideia de tirar sons de uma caixa de madeira com cordas. Achados arqueológicos sugerem que algumas liras e harpas encontradas na região de Ur sejam os primeiros instrumentos nesse formato de que se tem notícia. O que os criadores desse simples artefatos não imaginavam, é que sua construção iria se tornar uma arte que envolve conhecimentos da física, química, matemática e acústica, entre outras ciências

H

arpas, liras, alaúdes e alguns tipos de violas e guitarras dominaram o mundo dos instrumentos de corda até meados do século 16, quado criou o violino. A partir daí, os construtores desses aparelhos, os chamados luthiers – da palavra lute, alaúde em francês –, ganhariam status de artesãos dos sons. Essa história começou na Itália, com Gasparo Da Salò e Andrea Amati. No entanto, foi mais de 100 anos depois que Guarnieri del Gesù e Antonio Stradivari – considerados os maiores fabricantes de instrumentos de corda de todos os tempos – atingiram a supremacia na arte, empregando algumas técnicas até hoje não desvendadas. “A qualidade da construção de um instrumento feito por um luthier é muito melhor do que os encontrados no mercado”, conta o luthier Luiz Amorim. Há 23 anos, Amorim faz a música acontecer. O interesse pela profissão surgiu quando conheceu o kantele, um instrumento de cordas finlandês, que era utilizado nas aulas de música da escola em que seus filhos estudavam. “Me apaixonei pela sonoridade do instrumento e foi pesquisar como construí-lo”, conta. Mais de 250 kanteles e algumas liras depois, Amorim fez seu primeiro violino, uma réplica de um dos instrumentos produzidos por Guarnieri del Gesù. Hoje, há uma fila de espera de três anos para

comprar um instrumento assinado por Luiz Amorim.

Procura O músico que busca um luthier está atrás não somente de uma ferramenta de qualidade para seu ofício, mas de superar algumas barreiras que o impedem de aprimorar sua arte. “Um instrumento ruim dificulta a vida do musicista, o impede de evoluir. Um bom instrumento é o contrário. A ajuda nessa evolução, facilita com que o músico ultrapasse seus limites”, explica Amorim. Para constatar o fato, basta observar algumas das grandes orquestras do Brasil, como a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e a Filarmônica do Paraná.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

65

T


T

cultura Em ambas, os solistas possuem violinos confeccionados por Amorim. “Hoje, no Brasil, não existem instrumentos top de linha feitos por fábricas”, lamenta Fernando Deghi. Há mais de 20 anos difundindo a música de viola e outros instrumentos mais antigos, como o alaúde e a guitarra portuguesa, Deghi diz que hoje o papel do luthier é fundamental para o crescimento do músico. No entanto, a relação é recíproca. Um bom músico precisa de bons instrumentos confeccionados por mãos habilidosas. Da mesma maneira, os artesãos precisam dos músicos para que seu trabalho seja divulgado. “O luthier precisa do músico. Ele faz os instrumentos e nós mostramos do que eles [os instrumentos] são capazes”, diz Deghi. Mas não é somente o público profissional que busca os serviços de um ateliê de luteria. Na oficina de Tom Castelli, é o hobby que garante a maior parte das vendas. Apesar de já ter feito instrumentos para grandes nomes da música nacional como Herbert Vianna, vocalista da banda Os Paralamas do Sucesso, e Lelo Zaneti, baixista do Skank, Castelli fala que é muito mais procurado pelos entusiastas da boa música. “O cara compra um instrumento na loja e dificilmente vai ser perfeito para ele. Seja no som, na ergonomia, até na cor”. Diferente da maioria dos luthiers – conhecidos por fabricarem instrumentos acústicos –, Tom Castelli especializou-se em guitarras e baixos elétricos. “Sempre gostei de guitarra. Como não era muito bom tocando, resolvi fazer”, conta. Hoje, na linha de construção pela qual se dedicou, Castelli é muito mais procurado por quem tem a música como passatempo. “Engenheiros, dentistas, advogados, médicos, empresários. Esse pessoal que compra de mim.” O construtor explica que esse público busca, principalmente, instrumentos mais confortáveis e sonoridades diferenciadas.

Outras atividades A reforma de instrumentos é outra atividade que ocupa o dia a dia das luterias. Ajustes, partes que-

66 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2011


bradas, pintura, manutenção e conservação e até mudanças na estrutura e no som dos instrumentos são outros motivos que fazem as mãos dos luthiers trabalharem. “Às vezes, o cliente compra uma guitarra assinada por um artista que ele gosta por causa do produto, por ser uma peça de decoração, e o som não é bom. Então ele trás aqui e pede pra eu melhorar a qualidade”, explicou Castelli. No caso de Luiz Amorim, as reformas são mais voltadas para a conservação de instrumentos antigos. “Tenho instrumentos aqui no ateliê que datam do século 18, 19, e estão em perfeitas condições de uso”. E há também quem tenha um novo

instrumento e quer deixá-lo com cara de antigo. “Por serem instrumentos clássicos, tem-se a ideia de que quanto mais velho, melhor. Também fazemos esse trabalho de deixar os violinos, os violoncelos com aspecto de antigo”, conta Amorim.

Ensino Por muito tempo, o ensino das técnicas da luteria estava restrito àqueles que dominavam a arte e estavam dispostos a compartilhá-la ou a escolas no exterior, em grande parte na Europa. No Est ado, des de 2009, funciona o curso de Luteria, na Universidade Federal do Paraná (UFPR). A ideia com

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

a criação do curso foi de formar profissionais para suprir a necessidade de instrumentos com mais qualidade no mercado. “Hoje a busca por instrumentos para estudo e profissionais cresceu muito. As fábricas fazem muita coisa, mas muitas vezes falta qualidade. Aí que entra o papel da formação de novos luthiers”, conta um dos coordenadores do curso, Thiago Correa de Freitas. Fernando Deghi reafirma a necessidade de instrumentos de qualidade e conta que o que falta no mercado brasileiro são instrumentos para estudo. “Muita gente que está começando a tocar ou que está investindo em formação não quer gastar

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

67


R$ 4 mil ou R$ 5 mil em um bom instrumento feito por um luthier. O que falta é a consciência de que os artesãos podem trabalhar com madeiras menos nobres e criar uma espécie de linha de produção que faça para criarem ferramentas de estudo para os músicos. Não estou falando para fazerem instrumentos ruins, mas equipamentos que sejam mais acessíveis e tenham a qualidade necessária.”

68 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Serviço Para conhecer o trabalhos dos luthiers Luiz Amorim e Tom Castelli, do músico Fernando Deghi e do curso de Luteria da UFPR, acesse os sites www.luizamorim.com, www.dicastellis.com. br, www.fernandodeghi.com.br e www.luteria. ufpr.br.

T

julho

|

agosto 2011


gastronomia

Com os pés na senzala (e as orelhas, o toucinho, o rabo, a costelinha...)

Considerada comida dos escravos no século 19, hoje a feijoada é servida com requintes que demonstram a evolução do prato e seu estabelecimento como uma das refeições mais tradicionais do Brasil Texto e fotos: Jorge Mariano

Q

uem não gosta do ritual que envolve uma boa feijoada? O prato que está presente nas mesas dos brasileiros há mais de 200 anos é dono de uma das maiores liturgias gastronômicas das quais se tem notícia. A escolha do feijão e das carnes; a seleção dos acompanhamentos; dessalgue, preparo. Tudo isso sem esquecer-se de convidar os amigos, marcar um dia de sol no calendário e preparar uma

boa trilha sonora que dure um dia inteiro. Uma feijoada não é simplesmente uma refeição. É um acontecimento. “A feijoada revela especificidades do povo, do lugar e da história, como todo prato típico. O prato regional deve conter características em seu preparo que o definam como tal. Não somente nos ingredientes e no consumo, mas em todo o processo de desenvolvimento que sofreu com o passar do tempo”,

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

explica o pós-doutor em História da América Latina, Carlos Roberto Antunes dos Santos. No início, a nobreza consumia as partes mais nobres do porco e dava os “restos” aos escravos que, por sua vez, misturavam ao feijão e, posteriormente, ao arroz e à farinha de mandioca. Esse é o relato mais conhecido pelo imaginário popular. No entanto, é difícil precisar como o cozido de feijão e partes de porco foi tomando ou-

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

69

T


T

gastronomia

tras proporções e chegou às grandes mesas. O que se sabe ao certo é que o famoso acepipe tem suas características bem definidas em cada região do país. No entanto, a fama maior vai para a deliciosa mistura do feijão preto, com as carnes, o arroz e a farinha. Ao lado do feijão, o porco ajuda a construir a história em forma de comida. Os mais tradicionalistas aproveitam o animal – literalmente – de cabo a rabo, ou melhor, de orelhas a rabo, tudo em um só caldeirão. Há quem prefira uma versão mais light, por assim dizer, que consiste apenas em separar cada parte em caldeirões distintos. Linguiça, paio, carne seca, pés, orelhas, rabo, toucinho, lombo e os demais ingredientes. Até o caldinho de feijão ganha sua panela exclusiva. Cada um se serve como achar melhor e continuam todos felizes. Atualmente, essa é a opção adotada pela maioria dos buffets de feijoada. “Tem muita gente que não gosta das partes mais gordas”, explica o coordenador do Restaurante-escola do Senac Curitiba, Lúcio Marcelo Chrestenzen. “Dessa maneira cada um monta seu prato como desejar, sem precisar ficar escolhendo em uma panela enorme”. Desde 1991, o Restaurante-escola do Senac Curitiba é responsável por uma das mais tradicionais feijoadas da cidade. “Tinha fila de espera do lado de fora da unidade”, conta Chrestenzen. Hoje, com o maior número de lugares servindo o quitute, a fila diminuiu. No entanto, os sofás do restaurante estão sempre cheios por causa da espera de mesas.

70 S I S T E M A

FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Naquela época, o prato era servido em cumbucas e ia à mesa dos clientes. Mais de 300 pessoas passavam pelo restaurante todos os sábados. Por isso, em meados de 1997 decidiu-se servir a feijoada em um buffet com os ingredientes separados nas panelas de barro. “Desse jeito nós conseguimos dar conta de todo o público com mais facilidade”, diz o coordenador. Ao lado de alguns hotéis tradicionais da cidade, o Senac completava o circuito da feijoada curitibana. Atualmente, há muitos outros lugares que oferecem a iguaria em seus cardápios, mas, o Restaurante-escola continua firme em sua tradição e completa 20 anos de sábados regados à boa comida. A qualidade é comprovada pela palavra dos clientes. O empresário Fernando Linel conta que conheceu a feijoada do Senac quando mudou-se para a capital paranaense, em 1993. Acostumado com as feijoadas tradicionais de São Paulo, Linel diz que não come o prato em outro lugar da cidade. “Venho aqui desde que me mudei. Já fui em outros lugares mas, para mim, aqui continua sendo o melhor nos meus 18 anos de Curitiba.”

Serviço: A feijoada do Restaurante-escola do Senac Curitiba é servida todos os sábados, a partir das 11h30, custa R$ 29,50 por pessoa e conta com buffet de sobremesas (bebidas não inclusas). Informações e reservas pelos telefones (41) 3219-4853 e (41) 3219-4854.

T

julho

|

agosto 2011


NOSSO MAiOR MONUMeNtO Pede SeU APOiO. O edifício histórico da UFPR é o símbolo de Curitiba. Representa a própria cultura paranaense. Milhares de alunos foram abrigados por ele, nos últimos 90 anos. Mas o tempo encarregou-se de abrir feridas nesta construção grandiosa. Agora, o nosso monumento precisa ser reformado, para voltar a cumprir o papel que sempre foi seu no ensino superior e na nossa cultura. Voltar a ser a referência que sempre foi para todo o Paraná. Para isso, precisamos do seu apoio. Cada paranaense, por nascimento ou adoção, pode ajudar. Sua doação, por menor que seja, vai significar um tijolo, uma lata de tinta. Será um alento neste desafio imenso que é trazer o nosso símbolo de volta, restaurado e preparado para enfrentar os próximos cem anos. Ou melhor, para a eternidade. Porque, você sabe: a cultura é imortal. Sua ajuda também será.

movimentoproufpr@acp.org.br

Realização


Revista Fecomércio PR - nº 83