Page 1


PALAVRA DO PRESIDENTE

ANO x Nº 78

juLhO | AgOSTO 2010

REVISTA DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PARANÁ

www.fecomerciopr.com.br www.sescpr.com.br www.pr.senac.br FECOMÉRCIO

Rua Visconde do Rio branco, 931, 6º andar CEP 80410-001 Curitiba Paraná 41 3883-4500 | 41 3883-4530 imprensa@fecomerciopr.com.br

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná darci Piana Diretor Regional do Sesc Paraná josé dimas Fonseca

Por um caminhar lento e seguro rumo a 2011

O primeiro semestre de 2010 chegou ao fim e com ele a confiança de que teremos mais um

Diretor Regional do Senac Paraná Vitor Monastier

ano com o desenvolvimento do comércio

Coordenação Geral – NCM Núcleo de Comunicação e Marketing Walter xavier

esperado, com crescimento.

Editor e Jornalista Responsável joão Alceu julio Ribeiro Reg. 0293/dRT-PR

Reportagens joão Alceu j. Ribeiro, Karen bortolini, Silvia bocchese de Lima, Karla Santin e Karina Mikowski Fotos Ivo josé de Lima Revisão Silvia bocchese de Lima, Karen bortolini, Karla Santin Arte e Diagramação Vera Andrion Impressão – CTP Graciosa Gráfica – Curitiba Tiragem 10 mil exemplares

de bens, serviços e turismo dentro do é claro que ainda não atingimos o desejado. A crise financeira de 2009 deixa rastros em alguns setores da economia. Porém, estamos nos saindo melhor do que se projetava no ano passado. Ao percorrer algumas regiões do Estado, constato, com satisfação, que os empreendedores estão mais otimistas. temos pela frente algumas variáveis que trazem projeções benéficas, como é o caso da realização das eleições – que movimenta vários setores da economia e gera empregos, mesmo temporários – e as festas de final de ano. Para o comércio em

, ainda vamos

passar pelo Dia da Criança, em outubro, uma das datas mais importantes para o crescimento das vendas. Crescimento este que vem se verificando há vários meses e que poderia ter sido melhor não fosse o temor – tanto do consumidor quanto do empresário – com a crise financeira que também reduziu a oferta de dinheiro no Brasil. não são poucos os empreendedores do comércio de bens, turismo e serviços

PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmÉrCiO SESC SEnAC PArAná, DArCi PiAnA

te, porque apenas catástrofes climáticas poderão mudar o caminhar lento e seguro do Brasil e do Paraná por extensão, rumo a um crescimento sustentável. Precisamos, porém, manter nossas bandeiras de luta hasteadas e à vista de todos. queremos a redução da carga tributária, a redução dos juros e medidas que permitam ao empreendedor manter-se neste mercado cada vez mais competitivo. Faltam poucos meses para 2011. temos que percorrer esse tempo com tranquilidade. Esperamos de nossos homens públicos a garantia de que teremos essa tranquilidade para produzir emprego e renda, como sempre o fizemos."

que enxergam uma luz, imensa, no final do túnel de 2010. E projetam a manutenção desse otimismo para o ano seguin-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

3


REVISTA DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR ano X nº 78

julho | agosto 2010

índice 03

Por um caminhar lento e seguro rumo a 2011 Palavra do Presidente

05

Ideias para uma reforma Artigo do Presidente da CnC

06

Troféu Guerreiro do Comércio 2010

Fecomércio homenageia empresários de destaque do Paraná

17

Nova diretoria da Fecomércio Paraná toma posse Posse Fecomércio Rio Grande do Sul

18

Sicov, o grande parceiro do Senac em Cornélio Procópio

20

Queijos e Vinhos

Festival gastronômico apresentou produtos paranaenses e gerou negócios

24

Sesc PR sob novo comando

Dimas Fonseca é o novo diretor regional da instituição

26

Construção da cidadania

Programa de formação e aperfeiçoamento para vendedores de materiais de construção

29

Autopeças

Autopar 2010 recebeu mais de 42 mil visitantes

31

41

Senac em Apucarana

nova escola beneficiará região com população de 340 mil pessoas

42

Desejos Contemporâneos

mudanças no comportamento do consumidor pedem alterações do modelo tradicional de fazer varejo

46

Profissões do Futuro

Esta é a hora de pensar e preparar a mão de obra para o futuro

51

Cerimônia e festa para posse da diretoria da Fecomércio Minas Gerais Santa Catarina empossa diretoria

52

Um hotel inteiro para ensinar a atender bem

Sistema Fecomércio Sesc Senac e grupo Positivo assinam termo de intenções para construção de novo hotel em Curitiba

56

Fecomércio Amapá inaugura nova sede Sesc promove debate sobre Erradicação do Trabalho Infantil

57

Correndo com Saúde na Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc Paraná responsabilidade ambiental e esporte correndo juntos!

60

Educação e emprego nas gôndolas do supermercado

Em londrina, Senac oferta Curso de Aprendizagem em Serviços de Supermercados para proporcionar o primeiro emprego para jovens

A história de sucesso do estilista Dirceu Lazzari

63

33

novo presidente da instituição estabelece fé, esperança e ética como balizas da ACP

Do Senac ao negócio próprio

Memória Preservada

Projeto do tribunal regional do trabalho faz resgate do passado

34

Senac padroniza Programa de Aprendizagem

Posse na Associação Comercial do Paraná

64

Passo a passo

A história do calçado: de necessidade a objeto de desejo e status

Conselho regional ratifica normalização da carga horária dos cursos de aprendizagem

66

36

Sesc Paraná comprometido com a educação do trabalhador do Estado

PIS e Cofins entram na escrituração fiscal digital

Compromisso com a Educação

Cálculos serão incluídos no Sistema Público de Escrituração Digital em 2011

68

38

Perspectivas apontam maior movimento no setor atacadista pósredução de impostos

Bom Apetite!

Atacado fatura mais de R$ 13bi no Estado

Programa previne Doenças transmitidas por Alimentos

4

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Ideias para uma reforma Antonio Oliveira Santos

Crisitna bocayuva

Presidente da Confederação nacional do Comércio de Bens, Serviços e turismo

na medida em que vão se

te, fossem revogados os privilégios inexplicáveis de alguns grupos,

aprofundando os estudos de-

como o dos exportadores, das entidades filantrópicas, dos clubes

mográficos referentes às mu-

de futebol e outros, cujos empregados são beneficiários de todas

danças que estão ocorrendo

as vantagens de aposentadorias e pensões, como se as contribui-

na estrutura etária da popu-

ções fossem integrais.

lação brasileira, torna-se mais

Assim sendo, no curto prazo, a primeira medida a ser adotada

evidente e premente a neces-

tem de ser a separação entre as contas da Previdência urbana, de

sidade de se proceder a uma

caráter contributivo, e as da Previdência rural, de caráter assisten-

profunda reforma no sistema

cial, tal como vem sendo anunciada pelo ministério da Previdência,

nacional da previdência social.

desde a realização do Forum nacional. A Previdência urbana tem

A percepção desses pro-

de ser sustentada apenas pelas contribuições de empregados e

blemas levou o Presidente

empregadores, enquanto a Previdência rural terá de ser custea-

Lula a baixar o Decreto nº

da por verbas orçamentárias, integradas às despesas relativas à

6.019/07, criando o Fórum

assistência social (benefícios a idosos e deficientes físicos, Bolsa

nacional da Previdência Social, no qual foi feito um amplo diagnós-

Família, etc.). Para esse fim, aliás, foram criadas, pela Constituição

tico do sistema previdenciário, acompanhado das sugestões ofere-

de 1988, a Contribuição de Financiamento da Seguridade Social

cidas ao governo, na expectativa do correto encaminhamento de

(COFinS) e a Contribuição Social sobre o lucro líquido (CSll).

uma solução viável. As medidas de curto prazo serão basicamente

Ainda que previstas para produzir resultados no longo prazo,

destinadas à correção dos desvios contábeis e financeiros, e as

outras medidas terão de ser adotadas, basicamente, em função

de longo prazo deverão assegurar a sustentabilidade do Sistema,

do aumento da expectativa de vida dos brasileiros, ao mesmo

resguardados os princípios de justiça e de respeito aos direitos

tempo que se proceda à equiparação entre as condições estabe-

adquiridos ao amparo da Constituição Federal.

lecidas para homens e mulheres, entre trabalhadores urbanos e

Foi o próprio Presidente lula que resumiu, previamente, as

rurais. A idade mínima para aposentadoria e o tempo mínimo de

questões debatidas no Fórum, ressaltando, com clareza, que “pre-

contribuição terão de ser aumentados, para os novos integrantes,

cisamos ter em conta que o déficit previdenciário foi programado

respeitados os direitos adquiridos dos trabalhadores que já se en-

pela Constituição de 1988, quando incluiu seis milhões de traba-

contram no mercado de trabalho. Enquanto isso não ocorre, terá

lhadores rurais na Previdência; foi programado quando se criou o

de ser mantido o fator previdenciário, tal como recentemente de-

Estatuto do idoso e se aprovou o LOAS. Essas pessoas passaram

cidiu o Presidente lula, ao vetar dispositivo de projeto de lei que

a ter um benefício que deveria ser responsabilidade do tesouro

pretendia extingui-lo.

nacional e não da Previdência”. (O Globo de 28/07/06 e O Estado de São Paulo de 27/01/07).

nesse contexto, se insere a implementação dos Fundos previstos nos artigos 249 e 250 da Constituição, especialmente o Fundo

voltando ao diagnóstico, impõe-se, de imediato, antes de qual-

destinado aos servidores públicos. Esses Fundos, que receberão a

quer proposta de mudança na estrutura do Sistema, uma nítida

receita das contribuições previdenciárias e outros ativos, terão de

separação entre trabalhadores urbanos e trabalhadores rurais. Se-

ser geridos, à semelhança do FGtS, por Comitês Gestores tripar-

gundo os últimos dados divulgados pelo ministro da Previdência

tites (Governo, empregadores e segurados), tendo a Caixa Econô-

Social, Carlos Eduardo gabas, no primeiro semestre deste ano, o

mica como agente operador, possibilitando a criação do regime de

setor urbano registrou um superávit de r$ 3,1 bilhões, enquanto

capitalização, com contas individualizadas para cada segurado, à

no setor rural houve um déficit de r$ 20,3 bilhões, resultado de

semelhança do que ocorre com os Fundos de Previdência Privada

uma arrecadação de r$ 2,2 bilhões, contra o pagamento de benefí-

(PrEvi, PEtrOS, CEntruS, vAliA, etc.).

cios de r$ 22,5 bilhões. registre-se, para clareza da análise, que o superávit do setor urbano poderia ser muito maior se, corretamen-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Essas são, sem dúvida, as diretrizes que deverão nortear uma efetiva “reforma da Previdência”.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

5


Guerreiro do Comércio 2010 Sindicatos do Sistema Fecomércio Sesc Senac do Paraná premiam empresários de destaque no varejo paranaense na quinta edição do troféu "Guerreiro do Comércio"

É

o triunfo sobre batalhas,

Esses guerreiros incessantes, lutam

desafios e adversidades que

diuturnamente e são merecedores do

caracteriza os vencedores.

nosso respeito, pois com o trabalho

Já dizia Gonçalves Dias, que viver é

dedicado desses homens e mulheres,

uma luta que abate aos fracos e exalta

vemos o crescimento do nosso Paraná

aos fortes e bravos. E foi para celebrar

e Brasil”, salientou Piana.

a vitória de 54 empresários parana-

O presidente também lembrou

enses do setor do comércio de bens,

que o perfil de muitos homenageados

serviços e turismo, que têm superado

da quinta edição do troféu se repete.

as dificuldades, que a Federação do

“São bravos combatentes que deixa-

Comércio do Paraná fez a entrega do

ram cidades, estados e até mesmo

troféu “Guerreiro do Comércio”, na

países de origem, para se estabelece-

data em que também se comemorou

rem no Paraná e aqui fazer seu

o Dia do Comerciante, em 16 de julho.

segundo lar. É neste Estado

A cerimônia reuniu mais de duas

que geram empregos e

mil pessoas no Estação Embratel Con-

estão

vention Center, em Curitiba, e contou

o

com a presença do governador do Es-

nômico e social”, enfatizou.

tado, Orlando Pessuti, além de diver-

Acrescentando às palavras do presi-

sas autoridades e convidados.

dente Piana, o governador do Estado

contribuindo

para

desenvolvimento

eco-

Para o presidente do Sistema Fe-

do Paraná, Orlando Pessuti, classificou

comércio Sesc Senac, Darci Piana, os

os empresários como “parceiros de

empreendedores homenageados são

uma guerra santa”, onde a ini-

empresários que lutaram e continuam

ciativa privada e o Estado cons-

lutando contra planos e crises eco-

troem um Paraná melhor e mais

nômicas que afetaram não apenas o

forte. “Este Estado e o Brasil

País, mas o mundo. “Aqui vemos guer-

têm sido construídos pelo co-

reiros, pessoas responsáveis por mais

mércio, agricultura e indústria

de 65% dos empregos formais do nos-

e, através das parcerias com o

so Estado e nação, e que lutam con-

setor privado, estamos conquistando

tra um comércio desleal nas fronteiras

melhorias e o desenvolvimento da na-

e com uma enorme carga tributária.

ção”, salientou o governador.

6

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Confira as imagens da cerimônia

de entrega do troféu "Guerreiro do Comércio 2010"

A presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Londrina e Região, Najila Nabhan; o homenageado de Londrina, Ademar Vedoato e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios para Veículos de Cascavel, Sandro Augusto Sabadin; o homenageado de Cascavel, Ailton Rodrigues e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, Minimercados, Supermercados e Hipermercados de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e Litoral do Paraná, Pedro Joanir Zonta; o homenageado de Curitiba, Alceu José Tissi e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Umuarama, Claudinei Herreiro; o homenageado de Umuarama, Antônio Carlos Bitencourt e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Cascavel, Paulo Beal; o homenageado de Cascavel, Antonio Edson Gruber e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

O presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Materiais de Construção no Estado do Paraná, César Luiz Gonçalves; a homenageada de Curitiba, Ariadne Pansolin Brioschi e o governador do Estado do Paraná, Orlando Pessuti

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

7


O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico de Curitiba, Zildo Costa; o homenageado de Curitiba, Avram Fiselovici e o governador do Estado do Paraná, Orlando Pessuti

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Oeste do Paraná, Nelcir Antonio Ferro; o homenageado de Guaraniaçu, Carlos Aloise Becla e o governador do Estado do Paraná, Orlando Pessuti

O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços Funerários do Estado do Paraná, Gelcio Miguel Schibelbein; o homenageado Cassiano Dalledone Zancan e o governador do Estado do Paraná, Orlando Pessuti

O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Francisco Beltrão, irineu antonio feiten; a homenageada de Francisco Beltrão, Celi dos Santos Benetti e o governador do Estado do Paraná, Orlando Pessuti

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Santo Antônio da Platina, José Alex Gonçalves Figueira; o homenageado de Santo Antônio da Platina, César Martins e o vice-presidente financeiro da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Luiz Gil Siuffo Pereira

O presidente do Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Foz do Iguaçu, Carlos Rodrigues do Nascimento; o homenageado de Foz do Iguaçu, Claudino Rodighero e o vice-presidente financeiro da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Luiz Gil Siuffo Pereira

8

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

j um l haoi o | | a g j uonsht o 2 0 1 0


O representante do Sindicato do Comércio Atacadista de Gêneros Alimentícios do Estado do Paraná, Eduardo Rubens de Andrade; o homenageado de Curitiba, Douglas Horn Borcath e o vice-presidente financeiro da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Luiz Gil Siuffo Pereira

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios para Veículos no Estado do Paraná, Wanderley Antônio Nogueira; o homenageado de Curitiba, Edmundo Kösters e o vice-presidente financeiro da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Luiz Gil Siuffo Pereira

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Irati, Mario Luiz Szpak; a homenageada de Irati, Edna Aparecida Lukavy e o vice-presidente financeiro da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Luiz Gil Siuffo Pereira

O Deputado Federal e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes; a homenageada de Curitiba, Eliana Maria Corrêa Tramujas e o presidente do Sindicato das Empresas de Turismo no Estado do Paraná, Nelson Pires de Moraes Junior

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismos, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de União da Vitória, horst adelberto waldraff; o Deputado Federal e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes e o homenageado de União da Vitória, Eliezer da Costa Teixeira

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas de Curitiba e Região Metropolitana, Francisco Macedo Machado; o Deputado Federal e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes e o homenageado de Curitiba, Erick Johannes Steltenpool

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

9


O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Paraná, Edenir Zandoná Junior; o Deputado Federal e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes e o homenageado de Curitiba, Geraldo Vieira Balam

O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Paranavaí, Edivaldo Cavalcanti; a homenageada de Paranavaí, Ilga Niehues Fernandes e o Deputado Federal e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes

O presidente em exercício do Sindicato dos Armazéns Gerais no Estado do Paraná, José Canisso; de Cambé, o representante do homenageado Ítalo Lonni Junior, Aderbal Magno Dias Tavares e o presidente da Curitiba S/A, Juraci Barbosa Sobrinho

A presidente do Sindicato dos Institutos de Beleza e Salões de Cabeleireiros, Centros de Estética e Similares de Curitiba e Região, Maria Deli Medeiros de Medeiros; o homenageado de Curitiba, Ivaldo de Lima e o presidente da Curitiba S/A, Juraci Barbosa Sobrinho

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Guarapuava, Abrão José Melhem; o homenageado de Guarapuava, Jamel Hoshi e o presidente da Curitiba S/A, Juraci Barbosa Sobrinho

O presidente do Sindicato das Empresas de Processamento de Dados do Estado do Paraná, Luiz Sérgio Wozniaki; o homenageado de Curitiba, Jamel Nascer Abdul Farraá e o presidente da Curitiba S/A, Juraci Barbosa Sobrinho

10

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


O presidente do Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado do Paraná, Francisco Leite; o homenageado de Curitiba, Jeri Marcio Rabelo da Silva e o presidente da Curitiba S/A, Juraci Barbosa Sobrinho

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Marechal Cândido Rondon, João Odorico de Souza; o homenageado de Marechal Cândido Rondon, João Adolfo Lorenzi e a vereadora de Curitiba, Renata Bueno

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ponta Grossa, Antenor Alberti Guimarães; o homenageado de Ponta Grossa, João Carlos Glapinski e a vereadora de Curitiba, Renata Bueno

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Cornélio Procópio, Valter da Silva Barros; o homenageado de Cornélio Procópio, João Francisco Vilela de Carvalho e a vereadora de Curitiba, Renata Bueno

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Apucarana, Luiz Fernando Mamede Mendes; o homenageado de Apucarana, José Augusto Pinto e a vereadora de Curitiba, Renata Bueno

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Medianeira, Danilo Tombini; o homenageado de Medianeira, José Martins Custódio e a vereadora de Curitiba, Renata Bueno

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

11


O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Campo Largo, Miguel Fernando Spack; o filho do homenageado José Ripka Ribeiro (in memorian), Edson Ribeiro e o reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho

O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Londrina, Alberto Franco Samways; o homenageado de Londrina, José Roberto Fortini e o reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho

A representante do Sindicato das Empresas Locadoras de Bilhar no Estado do Paraná, Caroline dos Santos Hernando; a homenageada de Curitiba, Jussara Túlio Lucca e o reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maringá e Região, Amauri Donadon Leal; o homenageado de Maringá, Kenji Ueta e o reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Maringá, Nivaldo Ricci; a homenageada de Maringá, Lais Jours Rodrigues de Souza e o reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho

A presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Prudentópolis, Cristiane Guimarães Boiko Rossetim; o homenageado de Prudentópolis, Luiz Alberto Opuchkevitch e o 1º vice-presidente da FeComércio do Paraná e presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Curitiba e Região Metropolitana, Ari Faria Bittencourt

12

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


O representante do Sindicato dos Lojistas do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, de Maquinismo, Ferragens, Tintas e de Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Jacarezinho, Jacir Furtado de Souza Guerra; o homenageado de Jacarezinho, Marcelo Oliveira da Silva e o 1º vice-presidente da FeComércio do Paraná e presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Curitiba e Região Metropolitana, Ari Faria Bittencourt

O presidente do Sindicato Empresarial do Comércio de Campo Mourão e Região, Nelson José Bizoto; o homenageado de Campo Mourão, Marco Aurélio Weiler e o 1º vice-presidente da FeComércio do Paraná e presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Curitiba e Região Metropolitana, Ari Faria Bittencourt

O vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Toledo, Itacir Grando; o homenageado de Toledo, Marcos Cezar Sanches e o 1º vice-presidente da FeComércio do Paraná e presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Curitiba e Região Metropolitana, Ari Faria Bittencourt

A presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação, Administração, Incorporação e Loteamento de Imóveis e dos Edifícios em Condomínios Residenciais e Comerciais do Paraná, Liliana Ribas Tavarnaro; o representante do homenageado, Marcos de Assis Machado, Luiz Waldir Nardelli e o 1º vice-presidente da FeComércio do Paraná e presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Curitiba e Região Metropolitana, Ari Faria Bittencourt

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ivaiporã, Luis Carlos Favarin, o homenageado de Ivaiporã, Mauro Merigue e o presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Sul, Zildo De Marchi

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Paranaguá, Said Khaled Omar; o homenageado de Paranaguá, Mohamad Akl Zahra e o presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Sul, Zildo De Marchi

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

13


O representante do Sindicato do Comércio Varejista de Adornos e Acessórios de Objetos de Arte, de Louças Finas e de Material Ótico, Fotográfico e Cinematográfico de Curitiba e Região Metropolitana, Otacílio Meireles; o homenageado de Curitiba, Murilo Reffo e o presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Sul, Zildo De Marchi

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Pato Branco, Neuri Nilo Garbin; o homenageado de Pato Branco, Nelvo Ody e o presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Sul, Zildo De Marchi

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Calçados de Curitiba e Região Metropolitana, Umberto Marineu Basso Filho; o homenageado de Curitiba, Orlando Miguel Espolador e o presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Sul, Zildo De Marchi

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas e Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Curitiba e Região Metropolitana, Ari Faria Bittencourt; o homenageado de Curitiba, Osvaldo Nascimento Júnior e o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ferragens, Tintas, Madeiras, Materiais Elétricos, Hidráulicos e Materiais de Construção de Maringá e Região, Valdeci Aparecido da Silva; o homenageado de Maringá, Renato Tavares e o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski

O presidente do Sindicato dos Despachantes do Estado do Paraná, Everton Calamucci; o homenageado de Maringá, Roberto Ramos do Prado e o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski

14

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


O presidente do Sindicato dos Salões de Cabeleireiros, Institutos de Beleza e Similares do Estado do Paraná, Antônio Carlos Parieti; a homenageada de Arapongas, Rose Maria Marchetto Gouveia e o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Carnes Frescas no Estado do Paraná, Marino Poltronieri; o homenageado de Curitiba, Rudinei Novarezzi e o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski

O presidente do Sindicato das Empresas Locadoras de Veículos Automotores, Equipamentos e Bens Móveis do Estado do Paraná, Carlos César Rigolino Junior; o homenageado de curitiba, Valmor Weiss e o presidente do Sistema FIEP/PR, Rodrigo da Rocha Loures

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Castro, Takeshi Maeda; o homenageado de Castro, Vilmar Andrusck Rodrigues e o presidente do Sistema FIEP/PR, Rodrigo da Rocha Loures

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico no Estado do Paraná, José Alberto Pereira; de Londrina, o filho do homenageado Wmirsson Clayton Alves de Gouveia, Clayton Gouveia e o presidente do Sistema FIEP/PR, Rodrigo da Rocha Loures

O presidente do Sindicato dos Representantes Comerciais do Paraná, Paulo César Nauiack; o homenageado de Curitiba, Zacarias Abdallah Zahdi e o presidente do Sistema FIEP/PR, Rodrigo da Rocha Loures

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

15


Homenagem Especial Durante a noite de entrega do troféu "Guerreiro do Comércio 2010", a Federação do Comércio do Paraná fez a entrega da comenda “Ordem do mérito do Comércio do Paraná”, ao empresário mário Fernando glaser. Esta é a honraria máxima concedida a empresários do comércio de bens, serviços e turismo no Estado e a autoridades estaduais e nacionais. Em 42 anos de existência da honraria, mário Fernando Glaser foi o sétimo homenageado com a comenda. Proprietário de uma das lojas mais tradicionais do Paraná, fundada ainda em 1887, glaser cedeu

em

comodato,

para o museu do Comércio que está sendo estruturado pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná, máquinas calculadoras e registradoras, quadros a óleo, lustres a gás e livros caixas que foram utilizados no comércio, e que estão sob a guarda da entidade. Para o presidente da Fecomércio Paraná, Darci Piana, esta atitude do

O PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmérCiO SESC SEnAC Pr, DArCi PiAnA E O GOvErnADOr DO EStADO DO PArAná, OrlAnDO PESSuti, EntrEGAm AO EmPrESáriO máriO FErnAnDO GlASEr A COmEnDA "OrDEm DO méritO DO COmérCiO DO PArAná"

empresário, em ceder os objetos para que possa, assim, ser equipado o museu do Comércio, é uma ação louvável, pois possibilitará às novas e futuras gerações o conhecimento histórico da atividade comercial no Estado do Paraná.

16

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Nova Diretoria da Fecomércio Pr

Durante a cerimônia de entrega do

Os 73 integrantes foram recondu-

departamentos regionais. “neste Es-

troféu "Guerreiro do Comércio", em

zidos aos seus cargos e reassumiram

tado vemos a real multiplicação dos

julho, o vice-presidente financeiro da

o compromisso de respeito às leis vi-

pães. hoje temos 35 unidades do Sesc

Confederação nacional do Comércio

gentes e à busca constante pelo cres-

e 14 em construção, 34 Centros e nú-

de Bens, Serviços e turismo (CnC),

cimento da instituição, dos sindicatos e

cleos de Educação Profissional do Se-

luiz Gil Siuffo, deu posse à nova di-

entidades representadas.

nac, 160 milhões em investimentos e

retoria da Federação do Comércio do

Para Siuffo, a interiorização do Sis-

Paraná, com mandato de 2010 a 2014,

tema no Paraná e a sua expansão é

que reconduziu o empresário Darci

um fato a ser elogiado e que orgulha

Piana para a presidência da entidade.

a CnC, pois isto aconteceu em poucos

atendimento a 357 dos 399 municípios

paranaenses”, salientou.

Posse Fecomércio rS Mathias Cramer | Fecomércio RS

zildo De marchi, empresário gaúcho, assumiu no

início do mês de julho, a presidência da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do rio Grande do Sul. Com mandato para 2010-2014, o novo presidente assume ao lado de uma diretoria formada por presidentes de sindicatos patronais dos setores varejista, atacadista, serviços e turismo de todo o Estado. A bandeira que o novo presidente defende é o fortalecimento dos sindicatos filiados à Federação, no rio Grande do Sul e promover uma aproximação com as empresas gaúchas, além de buscar uma maior representatividade no Estado. A gestão anterior da Fecomércio rS era presidida por moacyr Schukster, que assumiu em janeiro deste ano, após o falecimento de Flávio roberto Sabbadini, que presidiu a entidade no período de 2001-2009.

O PrESiDEntE DA FEDErAçãO DO COmérCiO DE BEnS E DE SErviçOS DO EStADO DO riO GrAnDE DO Sul, zilDO DE mArChi; O viCE-PrESiDEntE FinAnCEirO DA COnFEDErAçãO nACiOnAl DO COmérCiO DE BEnS, SErviçOS E turiSmO, luiz Gil SiuFFO PErEirA E O PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmÉrCiO SESC SEnAC DO PArAná, DArCi PiAnA

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

17


Sicov, o grande

parceiro do Senac em Cornélio Procópio

F

18

undado em 28 de setembro de 1992, o Sindicato do Comércio Varejista de Cornélio Procópio (Sicov), conta com 100 asso-

entre diversas entidades. Outro diferencial é o desenvolvimento de pesquisas em parceria com instituições de ensino, visando a obtenção de dados

ciados e sua abrangência inclui, além deste município, Bandeirantes, Santa mariana e Santa Amélia. hoje é presidido pelo empresário do comércio Valter da Silva Barros. Em sua sede, localizada no Centro de Cornélio Procópio, promove treinamentos, cursos, palestras e reuniões que envolvem o interesse do empresariado. Entre os serviços oferecidos pelo Sindicato aos seus associados estão, orientação jurídica e contábil, Comissão intersindical de Conciliação Prévia trabalhista, convênios com o Sebrae para a realização de consultorias nas áreas financeira e de marketing e campanhas promocionais em cooperação com a Associação Comercial e Empresarial de Cornélio Procópio, Bandeirantes e Santa mariana. O Sicov também realiza projetos em parceria com a Câmara da mulher Empreendedora e Gestora de negócios de Cornélio Procópio – entidade pertencente à Federação do Comércio –, visando a integração entre os lojistas e principalmente, promove treinamentos para empresários, através de parcerias com o Sistema Fecomércio Sesc Senac. Através de eventos como cafés da manhã, coquetéis e jantares com profissionais de diversas áreas de atuação, busca sempre a integração entre os empresários e fortifica as parcerias

para a realização de ações focadas.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

O padrinho uma das grandes preocupações do Sindicato é a formação de mão de obra qualificada para o comércio. Por isso, está sempre ao lado do Senac, apoiando constantemente as atividades realizadas. A integração é tanta, que o presidente valter da Silva Barros, é considerado um “padrinho” para a instituição. “nosso apoio junto ao Senac já vem de longa data, até mesmo antes da instalação de sua unidade aqui em Cornélio Procópio. Estamos presentes em praticamente todas as ações promovidas, seja em cursos ou eventos”, afirma Barros. Somente neste ano, o Sindicato já contribuiu para a organização de um café da manhã para o lançamento dos cursos de gastronomia da escola de Cornélio Procópio, realizados na cozinha executiva do Sicov, que foi readequada exclusivamente para sua implantação. Assim, com essas adaptações, foi possível ao Senac promover, recentemente, os cursos de Confecção de Ovos de Páscoa, Culinária italiana, Culinária Chinesa, Boas Práticas na manipulação de Alimentos, além de Velas Decorativas e Confecção de Produtos para Banho. verdadeira extensão do Senac, a entidade disponibiliza, ainda, sua am-

julho

|

agosto 2010


pla sede para a realização de grandes eventos, uma vez que a unidade não possui auditório. também contribui na organização e participação de eventos junto à comunidade procopense, em função de datas comemorativas e formaturas de cursos. O mais recente, conforme lembra o presidente do sindicato, foi a cerimônia de entrega de certificados aos alunos do curso de vendedor para o segmento de materiais de construção, integrante do Programa Senac de Gratuidade (PSG).

O “motorista” Valter da Silva Barros foi um dos grandes articuladores, responsável pela vinda da unidade móvel (unimo) de informática e Gestão do Senac, no ano passado, à região de Cornélio Procópio. Devido ao seu empenho e de seus executivos, a sala de aula itinerante estacionou, por um mês nos municípios de Bandeirantes, Santa mariana e Congonhinhas, com cursos nos períodos da manhã, tarde e noite. no total, foram organizadas 43 turmas, que qualificaram e inseriram no mundo digital 741 pessoas gratuitamente. “Além da qualificação da mão de obra local, a unidade móvel atendeu pessoas que dificilmente poderiam investir em capacitação profissional, contribuindo para seu desenvolvimento pessoal e empregabilidade. Entre os alunos estavam jovens à procura do primeiro emprego, trabalhadores querendo meios de ascender em suas carreiras, e até idosos, em busca de desafios e recuperação da autoestima”, relata o dirigente.

O tutor

gião. “hoje, após quase quatro anos de sua inauguração, podemos perceber a identificação que as pessoas têm com a instituição, tanto pelo peso de seu nome e qualidade, quanto pelo resultado que os cursos têm proporcionado às vidas dos alunos”, avalia. Além de atender ao comércio e aos colaboradores das empresas locais, a escola expande suas atividades para mais de 17 municípios da região, realizando cursos em parceria com prefeituras, empresas e demais entidades. “Outro fator interessante é que muitas pessoas de outras cidades deslocamse diariamente a Cornélio Procópio para concluírem seus cursos, tornando esta participação muito expressiva para a entidade”, lembra valter.

O estrategista Conquistas são o que não faltam ao Sicov. Porém, a que mais orgulha a entidade, observa o presidente, é a união do comércio local, em prol do fortalecimento da categoria. E isso só aconteceu em função de um trabalho árduo e sério da entidade. Atualmente, o Sindicato está empenhado na criação de uma cooperativa de crédito para atender e fortalecer o setor comercial. A construção da sede própria, segundo o presidente, está entre as metas, que permitirá melhorar o atendimento aos associados, de modo a aumentar o rol de benefícios oferecidos. Barros menciona outro grande sonho: a construção de uma nova escola do Senac na cidade, hoje em prédio alugado, que contribuirá com o desenvolvimento do comércio de toda a região.

na opinião do presidente do Sicov, o Senac Cornélio Procópio vem crescendo e, gradativamente, ganhando força e espaço no município e na re-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

“muitas pessoas de outras cidades deslocam-se diariamente a Cornélio Procópio para concluírem seus cursos, tornando esta participação muito expressiva para a entidade” PrESiDEntE DO SinDiCAtO DO COmÉrCiO VArEjiStA DE COrnéliO PrOCóPiO – vAltEr DA SilvA BArrOS –

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

19


Cleverson beje


g

raciela

Saldanha

advogada,

rocha,

participa

As ações do Festival Gastronômico

Esse é um dos principais objetivos

de

de Queijos e Vinhos aconteceram em

da ação realizada pelo Senac três ve-

diversas ações da gastro-

Foz do iguaçu, Colombo, Curitiba, Cam-

zes ao ano. O incentivo a produtos pro-

nomia do Senac Pr e esteve presen-

po mourão e maringá, levando produ-

duzidos no Paraná e muitas vezes des-

te na palestra sobre harmonização do

ções paranaenses a essas regiões. As

conhecidos do público. “A ação valoriza

Festival Gastronômico de queijos e vi-

palestras realizadas de forma gratuita

toda a cadeia envolvida no tema esco-

nhos, oferecida no restaurante-escola

tiveram como tema a harmonização de

lhido, e as pessoas também, desde o

do Centro de Educação Profissional de

queijos e vinhos, e levaram às plateias

produtor, ao empresário que comercia-

Curitiba. Ela nunca havia experimenta-

diversos tipos de queijos Witmarsum,

liza, ao consumidor final”, explica hélio

do um vinho fino de produção parana-

o requeijão da qualität, o espumante

Damásio Correia, gerente comercial da

ense e gostou muito dos exemplares

Extrus da vinícola Dezem, de toledo,

qualität que produz artesanalmente,

degustados na aula, por isso comprou

e o rose-merlot Sincronia, da Franco

dentro da colônia Witmarsum, leite e

dois convites para o jantar que acon-

italiano de Colombo. nos jantares que

derivados como doce de leite, iogurte

teceu duas noites depois. “Acho fan-

aconteceram em Curitiba, maringá e

e requeijão.

tástica essa iniciativa de incentivo a

Foz do iguaçu, foi servido

produtos locais”, diz Graciela.

ainda o Cabernet Sau-

A palestra assistida pela advogada foi ministrada pelo enólogo Alcione Dümes, proprietário da boutique de

Crescimento

vignon Atmo, também

A geração de no-

da Dezem.

vos negócios é outra

“Se eu pudesse peda-

características

enviar

que comercializa dezenas de vinhos

cinho de queijo a

guns

nacionais e importados, também não

cada

consumidor

podem ser senti-

conhecia os rótulos degustados no fes-

em potencial, eu

dos a curto prazo.

tival e aprovou. "Achei o espumante

não precisaria nem

“O vinho nacional

muito elegante e pretendo comercia-

fazer propaganda,

está despontando

lizá-lo em minha loja em breve", afir-

porque temos um

e essas iniciativas

mou Dümes.

produto de quali-

são muito impor-

dade. mas isso tem

tantes para dar apoio

Em Foz do iguaçu, a aula foi co-

um

das

vinhos la vinothèque. O profissional,

dos festivais e alresultados

mandada por lúcio marcelo Chresten-

um custo alto. quan-

zen, supervisor do restaurante-escola

do uma instituição como

de Curitiba. A esse encontro, compare-

o Senac promove eventos

ceram diversos profissionais da área de

como os festivais gastronômi-

turismo e hospitalidade e um deles foi

cos, realiza essa tarefa por nós e

nas de ligações e solicitações de

o maître do hotel das Cataratas, Odair

isso é fundamental para o produtor”,

nossos produtos produt para empresas

dos Santos. “Os vinhos foram uma

diz Ferdinando Schneider, gerente

de todas as cidades por onde o

agradável surpresa para nós, principal-

comercial da Colônia Witmarsum,

mente o tinto da Dezem. já entramos

cujos queijos foram utilizados

em contato com a vinícola e estamos

nas degustações e pre-

com amostras dos produtos para agre-

paração dos pratos do

gar ao nosso cardápio”, conta ele.

festival.

ao produto e levá-lo ao

conhecimento

do

público. Depois do Festival Gastronômico, recebemos deze-

evento passou”, conta Susan Dezem, proprietária da vinícola de toledo. “Sofremos um certo

preconceito

por


não estarmos em grandes regiões produtoras de vinhos do Brasil. Quando o nosso produto é associado a uma instituição tradicional como o Senac, mitos são derrubados e o vinho tem a oportunidade de causar uma boa surpresa no consumidor”, PAlEStrA miniStrADA POr lúCiO mArCElO ChrEStEnzEn Em COLOmBO

explica Fernando rausis Camargo, um dos proprietários da Fran-

Karina Mikowski

co italiano. A vinícola tem produção pequena e não comercializa seus produtos em lojas, apenas na sede, em Colombo. “nosso cliente preza a exclusividade e quem está fora da região metropolitana de Curitiba encomenda seus vinhos conosco e nós enviamos para a casa do cliente”, diz Fernando. mESA DE quEiJOS WitmArSum PArA DEGuStAçãO

Como incentivam o consumo de produtos paranaenses,

Karina Mikowski

os festivais contam sempre com a parceria do Serviço nacional de Aprendizagem rural (Senar Pr). “Eles são a oportunidade de mostrar ao público urbano a importância da atividade rural do Estado, valorizando as cadeias produtivas e o esforço do produtor em obter qualidade A PAlEStrA Em CuritiBA lOtOu O rEStAurAntE-ESCOlA

e quantidade”, diz Elcio Chagas da Silva, gerente técnico do

Karina Mikowski

Senar. Para o enólogo Dümes os vinhos nacionais estão cada vez melhores e deve-se apostar nesses produtos, “tem que experimentar”, diz. E Chrestenzen, supervisor do restaurante-

Preparação O Festival gastronômico de Queijos e Vinhos atendeu mais de 700 pessoas, gerou negócios e proporcionou novos conhecimentos a profissionais e estudantes. Os alunos dos cursos de cozinheiro e garçom dos restaurantes-escola

puderam

vivenciar a rotina de um evento como este, onde tudo é diferenciado, as preparações são mais específicas, o modo de servir não é o mesmo de sempre e o ritmo é outro. A experiência é fundamental na formação desses futuros profissionais. um dos maiores polos turísticos do Brasil, Foz do iguaçu foi a primeira cidade a receber o festival. O jantar contou com a presença de Carlos Antônio Silva, presidente do Sindicato de hotéis, Bares, restaurantes e Similares (Sindhotéis Foz) e proprietário de diversos equipamentos turísticos no município. “A preparação que o Senac proporciona aos profissionais é de extrema importância. não apenas nas técnicas de execução dos pratos e a gastronomia, mas também no bem servir. é uma instituição que se mantém atualizada e realiza cursos e ações que só trazem melhorias aos nossos serviços”, diz o empresário.

escola completa, “são vinhos com excelente potencial de crescimento e evolução”.

O EnólOGO COnviDADO AlCiOnE DÜmES

22

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Cleverson beje

Dicas de harmonização por Lúcio marcelo Chrestenzen

Alouette – queijo cremoso, de massa fresca e aerada. Vinho – Branco leve seco, como o muscadet, do Loire ou Collio, do Friuli. Brie – maturado, de massa mole e casca (bolor) branca, pode ter sabor intenso. Vinho – Branco jovem, de uva Chardonnay ou Champagne. Camembert – Sabor ligeiramente picante, macio, cremoso, com mofo branco sobre a casca. Vinho – Branco de uva Sauvignon-Blanc. Chèvre – Preparado com leite de cabra, tem acidez elevada. Vinho – Branco com boa acidez e frescor, de uva Sauvignon-Blanc, como Sancerre ou de uva riesling. Emmental – Suíço, semelhante ao Gruyère, com massa mais elástica grandes furos e sabor mais frutado. Vinho – Branco frutado ou tinto de uva Pinot-noir, como os da Borgonha (França). Gouda – holandês, de sabor suave, semimole, cremoso, com pequenos orifícios. Vinho – tinto, de médio corpo, leve e frutado, complexo como a uva Sangiovese, tempranillo.

Gorgonzola – italiano, maturado, de leite de vaca e massa cozida, com sabor picante. É macio, consistente e ligeiramente quebradiço, caracterizase pelos veios azulados. Vinho – Branco doce licoroso, como o Sauternes ou late-harvest. Gruyère – queijo com orifícios arredondados, consistentes. Vinho – Branco frutado ou tinto de uva Pinotnoir, como os da Borgonha (França). Parmesão – maturado forte, de massa dura e textura granulada. Vinho – tinto encorpado (pesado na boca, em geral, bastante escuro e com teor alcoólico), como Amarone della Valpolicella, Barbaresco, Châteauneuf-du-Pape ou Brunello. Percorino – italiano, maduro, de massa dura, é produzido com leite de ovelha. Vinho – tinto encorpado, como no caso do Parmesão. Provolone – Defumado, de sabor acentuado, consistência macia e firme. Vinho – Branco seco, de uva Chardonnay ou tinto de uva Syrah.

Roquefort – Francês, maturado, de massa cozida, preparado com leite de ovelha, tem sabor picante e veios azulados. Vinho – Branco doce, como o Sauternes.

do vinho Enólogo - Elaborador o vinh do e Enófilo - Amant especializado nal ssio fi Pro Sommelier conhecedor de vinhos. de vinhos Viticultor - Produtor

Referências bibliográficas: Manual do Sommelier 2004 | Le cordon bleu | SIMON, Joana. Vinho e Comida Um guia básico e contemporâneo das melhores combinações de vinho e comida

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

23


Sesc PR sob novo comando

D

esafios sempre foram mo-

os conceitos e após este perí-

tivadores, e não foi dife-

odo, em função dos trabalhos

rente quando José Dimas

comunitários que desenvolvi

Fonseca recebeu o convite para co-

e pelo trabalho de relações

mandar o Serviço Social do Comércio

públicas, fui convidado a ser

no Paraná (Sesc). no início de julho,

o primeiro diretor da unida-

ele se despediu da gerência executi-

de em Foz do iguaçu, outro

va da unidade de Serviço em Foz do

grande desafio”, conta.

iguaçu e assumiu a direção regional

Depois de quatro anos à

do Sesc. Ele substitui o ex-diretor Pau-

frente da unidade, foi nova-

lo Cruz, que se despediu da entidade

mente convidado pelo Presi-

para assumir novos rumos profissio-

dente do Sistema Fecomércio

nais.

Sesc Senac, Darci Piana, a assumir uma tarefa ainda maior.

trajetória

há 23 anos na instituição, Dimas construiu sua trajetória profissional ao ocupar diversos cargos em unidades do Sesc. iniciou sua carreira na entidade no Sesc jacarezinho, trabalhando com Assuntos Comunitários e desenvolvendo o trabalho de contato com as prefeituras da região norte do Estado.

24

“Estou conhecendo a institui-

O novo diretor regional é graduado

ção sob uma nova ótica. é um

em Educação Física e pós-graduado

desafio extremamente grande,

em Administração de Empresas, pela

principalmente pela a forma

FAE. há 23 anos na instituição, Dimas

como iremos gerenciar e pen-

construiu sua trajetória profissional ao

sar esta instituição para o fu-

ocupar diversos cargos em unidades

turo, quais serão as demandas

do Sesc. iniciou sua carreira na enti-

da sociedade e do Sesc para os

dade no Sesc jacarezinho, trabalhando

próximos 15 ou 20 anos”, des-

com Assuntos Comunitários e desen-

taca o novo diretor.

volvendo o trabalho de contato com as prefeituras da região norte do Estado.

Planejamento

Algum tempo depois, foi convidado a

Dimas lembra o processo de inte-

assumir a direção da unidade em Fran-

riorização pelo qual o Sistema Feco-

cisco Beltrão, onde permaneceu por

mércio Sesc Senac Paraná tem pas-

sete anos. “Esta foi uma experiência

sado, em que as ações da instituição

nova e fantástica. A região Sudoeste

são levadas a todo o Estado e de que

não conhecia o Sesc e ali conseguimos

forma este trabalho será realizado de

estruturar a unidade e consolidar o

forma sustentável. “Precisamos des-

nome da instituição”, salienta Dimas.

cobrir que caminhos iremos percorrer.

De retorno ao norte do Estado, foi

temos que redefinir formas de ação e

convidado a assumir a gestão da uni-

onde agiremos. Precisamos repensar

dade em umuarama, dirigindo a uni-

algumas ações que estamos fazendo

dade por oito anos. “mudamos todos

hoje, enxugarmos as despesas e cana-

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


lizarmos os recursos para a manutenção dos nossos trabalhos”, pondera.

Continuidade A expectativa do novo diretor re-

Ele informa que foi instituída junto à

gional é que o Sesc continue sua traje-

assessoria da presidência, um grupo

tória de sucesso. “Esta é uma institui-

de profissionais que discutirá o plane-

ção fantástica. Para isso conto com o

jamento da instituição. “Já temos um

apoio de todos os empresários e todos

planejamento que obedece a critérios,

os colaboradores do Sistema Feco-

mas este grupo começará a imaginar,

mércio Sesc Senac, para superar esse

planejar e pensar outras formas de

desafio profissional e dar continuidade

entender as mudanças pelas quais a

no êxito das nossas ações e projetos

sociedade passará”, diz o diretor.

desenvolvidos”, disse.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

“Esta é uma instituição fantástica. Para isso conto com o apoio de todos os empresários e todos os colaboradores do Sistema Fecomércio Sesc Senac, para superar esse desafio profissional e dar continuidade no êxito das nossas ações e projetos desenvolvidos” DirEtOr rEgiOnAL DO SESC PArAná – jOSÉ dIMAS FONSECA –

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

25


Construção da cidadania Programa de formação e aperfeiçoamento para vendedores do segmento de materiais de construção tem “transformado” a vida de trabalhadores

P

incéis, rolos de espuma ou

solução estava bem perto. na verdade,

lã, espátula, colher de pe-

bastou acionar o braço educacional do

dreiro, bandeja para pintu-

Sistema Fecomércio Sesc Senac que,

ra recipientes para limpeza, solvente,

prontamente aceitou o desafio. um

escada, lixa, massa corrida, tinta,

curso antigo, realizado em 2007, em

que pode ser látex, acrílica, verniz ou

parceria com o Simatec, exclusivo

epóxi. Estes são os materiais básicos

para a área de vendas,

para a simples pintura de uma pare-

serviu como molde para

de. imagine erguer uma casa inteira.

o projeto atual. Só foi

A variedade de produtos é desconcer-

preciso adequá-lo aos

tante. muitas pessoas nem imaginam

critérios do Programa

o que esses termos significam ou qual

Senac de gratuidade.

a utilidade de cada um. Ainda bem que

programa

de

na loja de materiais de construção há

aperfeiçoamento

O

é

um profissional de vendas entendido

totalmente

do assunto. Pelo menos isso é o que

e possui três etapas.

gratuito

busca o programa de capacitação em vendas, desenvolvido pela Câmara de materiais de Construção da Fecomércio Paraná, Senac, Associações e Federação dos Comerciantes de material

Os iniciantes, jovens ou desemprega-

neófita, sem experiência no comércio

de Construção (Acomacs e Fecomac,

dos em busca de qualificação come-

e que queira se tornar um futuro ven-

respectivamente), Sindicato de mate-

çam com o curso de vendedor, que

dedor em materiais de construção. Os

riais de Construção de maringá e re-

repassa os conceitos fundamentais

conhecimentos que o Senac procura

gião (Simatec) e demais entidades.

para a profissão de vendas, já enfati-

oferecer no programa preparam os

“há algum tempo, a Câmara ob-

zando as características e o processo

participantes para ascender em suas

servou que várias entidades estavam

construtivo. A segunda etapa prevê

carreiras”, afirma Guimarães.

buscando treinamento da sua mão de

um aprimoramento da atividade de

obra, mas estava se tornando um tra-

vendedor, elevando-o à categoria de

balho contraproducente porque cada

consultor em materiais de construção.

E se de tijolo sobre tijolo se cons-

um queria desenvolver o seu curso.

E, para manter os profissionais sempre

trói uma obra, foi de disciplina em

Os gastos eram enormes, as indústrias

atualizados, o Senac oferece o curso

disciplina que o ex-aluno, Diogo ro-

acabavam sobrecarregadas”, recorda

de Aperfeiçoamento em vendas es-

drigues de lima Custódio, conquistou

o coordenador da Câmara de materiais

pecífico para o setor de construção.

a cidadania através do emprego. “Se

de Construção, Eduardo Guimarães. A

“queremos captar uma mão de obra

não fosse o Senac dificilmente estaria

26

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

reforma profisssional

julho

|

agosto 2010


empregado e minha família passaria por dificuldades. Sou eu quem ajuda com as despesas da casa. Os instrutores são bem qualificados. Gostaria de agradecer um a um por tudo”, revela o vendedor. Contratado pelo Depósito teruel, de maringá, o jovem de 23 anos conta que o começo do curso foi um pouco complicado. morava longe e não tinha dinheiro para as passagens do ônibus. Em sua bicicleta, percorria 16 quilômetros todas as tardes, durante os três meses da capacitação. Graças ao novo emprego, está tirando a carteira de habilitação e vai financiar

AlunOS DO CurSO DE vEnDEDOr DE mAtEriAiS DE COnStruçãO DO SEnAC mArinGá

uma moto. também pretende retomar a faculdade de Administração, que

três propostas de emprego. “me sinto

e às fábricas de materiais de constru-

teve que ser abandonada por questões

realizado em atender bem aos clientes.

ção. “realmente faz a diferença. ver

financeiras.

é gratificante quando a pessoa vem à

na prática fixa mais o conteúdo”, com-

O programa de aperfeiçoamento

loja e pede por você”. Solteiro, mas

plementa.

em materiais de construção também

com despesas semelhantes às de um

mudou radicalmente a vida de Fer-

chefe de família, o ex-aluno viu sua

nando da Costa rodrigues, vendedor

renda aumentar em aproximadamente

Os empresários que deram uma

40%. Consegue até reser-

chance aos participantes do curso do

var tempo e dinheiro para

Senac não se arrependeram. Pelo con-

o lazer, antes deixado em

trário, sua satisfação é medida pelo

segundo plano.

rendimento das vendas. Praticamente

da Casa São Paulo, de

maringá.

“tra-

balho desde os 11 anos. Como comecei muito cedo, não tive condições

de

es-

tudar. Chegava em casa tarde, não tive chances de fazer um curso técnico e uma faculdade, era

então,

praticamente

impossível

“A falta de profissionais é grande. nosso trabalho só está começando. Ainda não supriu a demanda. temos que formar muito mais gente” PrESiDEntE DO SinDiCAtO DE mAtEriAiS DE COnStruçãO DE mArinGá E rEGiãO – vAlDECi APArECiDO DA SilvA –

porque

Outra turma, em Colombo,

proporcionou

Satisfação do patrão

todos os ex-alunos estão empregados.

o

João luiz marconi, diretor comercial da

primeiro emprego de Luiz

Casa São Paulo, de maringá e Jacson

henrique

de

roika, proprietário da jL Distribuidora,

apenas 18 anos, que não

de Colombo, são unânimes ao apontar

entendia nada da área

os diferenciais de um vendedor for-

comercial. Depois de um

mado: abordagem do cliente, postura

estágio de observação du-

profissional, tratamento e conheci-

rante as aulas na Jl Distri-

mento técnico dos produtos.

da

Silva,

a renda era pouca”, diz. Empregado

buidora de materiais de Construção,

“Falta gente com essa qualificação.

como frentista e caixa de um posto de

ele foi contratado. “realmente foi mui-

O curso foca também a questão da

gasolina, estava estressado, cansado

to bom, é recompensador. Sei o que

persuasão do vendedor, muito neces-

e com receio de ser novamente vítima

estou vendendo, o que a pessoa pre-

sária. A maioria dos profissionais não

de assalto no trabalho, entendeu que

cisa. Sou capaz de ajudá-la. O ponto-

usa isso, vende preço. tem que vender

precisava mudar. no dia em que pediu

chave é ser mais que um vendedor, ir

serviços agregados e benefícios”, afir-

demissão, fez sua inscrição no curso

além do que o cliente acha que preci-

ma marconi. “Já tinha tentado contra-

do Senac. Ao concluir o curso de ven-

sa”, expõe. Para ele, a melhor parte do

tar pessoas sem experiência, mas não

dedor, Fernando pôde escolher entre

curso foram as visitas técnicas a obras

tive sucesso. O curso é interessante

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

27


sional são realmente marcantes”, confessa.

Planos Diante da procura pelos cursos gratuitos por causa do embasamento teórico. O

para o segmento de materiais de

segmento tem diversos detalhes técni-

construção, verificou-se que muitos

cos e as aulas dão o subsídio para o

candidatos não possuíam a escolari-

trabalho”, avalia Jacson roika.

dade mínima, que era a 8ª série do

Espaço para as indústrias

Ensino Fundamental. A Câmara de materiais de Construção entrou em

Dentro do conteúdo programáti-

contato com o Sesc e passou a en-

co, o Senac abre espaço para as in-

caminhar essas pessoas à Educação

dústrias, que realizam palestras sobre

de Jovens e Adultos. Com a formação

seus produtos no horário das aulas,

escolar básica garantida, elas podem

sempre relacionadas com a matéria

seguir para a capacitação profissional

que está sendo ministrada. “Assim fa-

do Senac.

zemos com que os alunos consigam

A meta, para o próximo ano, é

fazer um link para interagir e se am-

intensificar os aperfeiçoamentos aos

bientar com o segmento”, diz Eduardo

que já concluíram a formação básica

Guimarães. Próximo ao encerramento

de vendas. no entanto,

do curso, os alunos são convidados

como esses profissio-

a fazer uma visita técnica à fabrica

nais estão empregados

ou a uma obra. Para complementar a

e sua renda ampliou

dose prática, no decorrer das aulas,

c o n s i d e rave l m e n t e ,

os participantes vão até as lojas de

eles não se enquadram

materiais de construção para verificar

mais no perfil exigido

seu funcionamento.

para o Programa Senac

“O mercado da construção civil está em franco aquecimento, mas as lojas enfrentam um grave problema de falta de mão de obra especializada. A Acomac tem ajudado a fazer a colocação dos profissionais formados pelo curso no mercado. E a tarefa tem sido fácil.”

Wilson Batista, gerente comercial

de Gratuidade – que é

da regional Sul da Eternit, relata que a

ter renda familiar per

empresa resolveu ser uma das apoia-

capita de até 1,5 sa-

doras do projeto por acreditar que sem

lário mínimo federal.

treinamento, não haverá evolução dos

Para manter a progres-

profissionais do mercado. “Fomentar

são formativa, Eduardo

esse tipo de curso para dar oportuni-

Guimarães adianta que

dade às pessoas carentes, que estão

a

desempregadas, é o que nosso País

captar recursos fede-

precisa. O mercado necessita de pro-

rais para custear os cursos de apri-

fissionais, o pessoal está subtreinado”,

moramento. “não queremos que esse

expressa. O gerente lembra, inclusive,

ciclo se interrompa. Quanto mais

que um dos primeiros cursos profissio-

aperfeiçoarmos este profissional, mas

nalizantes que fez foi no Senac. “Os

ele vai se interessar em querer estu-

contatos iniciais com o mundo profis-

dar”, completa.

28

Câmara

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

pretende

PrESiDEntE DA ACOmAC DE CuritiBA – ADEmir KurtEn –

 julho

|

agosto 2010


Autopeças Setor cresce, mas tem desafios a superar

P

razo e condições de pagamento. Essas são as palavras mágicas que vão abrir

as portas para um crescimento mais acentuado ao setor de autopeças. é que para tudo há parcelamento – e em alguns casos superiores a dez meses –, mas para o conserto do carro o máximo que se consegue de prazo é três meses. E para isso ainda é preciso pesquisar. E muito. mas a situação pode mudar. E vai mudar, se depender do presidente do Sindicato do Comércio varejista de veículos Peças e Acessórios para veículos do Estado do Paraná (Sincopeças), Wanderlei nogueira. Ele negocia com empresas de cartão de crédito mais prazo para pagamento na compra de peças e acessórios, o que facilitaria ao proprietário do veículo na hora do conserto. é bem verdade que o setor cresce. Em média 5% ao ano. um ritmo lento, mas constante. não é tão pequeno assim, se considerarmos que a inflação anual está fechando quase dentro da meta de 4,5% e o PiB brasileiro este

DA ESquErDA PArA A DirEitA: Ari DOS SAntOS, COOrDEnADOr DA FEirA AutOPAr 2010; virGíliO mOrEirA FilhO, SECrEtáriO EStADuAl DE inDúStriA E COmérCiO; DArCi PiAnA, PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmérCiO SESC SEnAC PArAná E WAnDErlEi nOGuEirA, PrESiDEntE DO SinCOPEçAS

ano, se tudo correr bem, vai bater

do carro, da casa, dos eletrodomésticos,

Sincopeças de São Paulo, é o Programa

nos 6% de crescimento. “Crescemos a

para quase todo tipo de produto, menos

Carro 100% que tem como objetivo sen-

uma ordem de 5% ao ano porque a

para as autopeças. Por isso o cliente nun-

sibilizar os proprietários de automóveis a

competição está cada vez mais acirra-

ca faz reparos grandes, vai consertando

realizar revisões periódicas.

da”, diz o dirigente sindical.

só o necessário, o que não é ideal”, colo-

Essa é uma das ações que está sen-

E concorrência é apenas um dos

ca. “Se eu puder oferecer ao meu cliente

do desenvolvida pela recém instalada

desafios que os comerciantes de auto-

um parcelamento em mais de dez vezes,

Câmara do Setor Automotivo do Sistema

peças terão que enfrentar para acelerar

ele pode fazer todos os reparos neces-

Fecomércio Sesc Senac, cujo coordena-

sua atividade. Sobre a questão do pre-

sários de uma só vez e deixar o carro

dor é Ari dos Santos, vice-presidente do

ço e do prazo, ele explica as ações que

em ordem”, completa nogueira. neste

Sincopeças. “Além disso, iremos veri-

estão sendo adotadas para beneficiar o

sentido, um dos programas que deve ser

ficar as necessidades tanto dos lojistas

consumidor: “isso existe para a compra

implantado no Paraná, com o apoio do

do setor quanto das oficinas mecânicas,

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

29


A AutOPAr 2010 rECEBEu mAiS DE 42 mil viSitAntES

em parceria com o Sindirepa (Sindicato

desde sua primeira edição.

do empresário neste evento”.

da indústria de reparação de veículos

A Autopar acontece a cada dois

Darci Piana completa dizendo que

e Acessórios do Estado do Paraná), e

anos e em sua primeira edição reuniu

apesar dos automóveis terem cada

começar a levantar problemas enfren-

57 empresas. neste ano foram mais

vez mais qualidade, e das estradas es-

tados por esses grupos, para daí definir

de 500 expositores. O presidente do

tarem melhorando a cada dia, o que

as soluções e reivindicações de interesse

Sincopeças aponta que “o comércio

diminui a necessidade de manutenção

comum”, coloca ele.

independente tem sabido enfrentar as

dos automóveis, constantemente apa-

dificuldades que vieram com a crise

recem novas tecnologias. “Essas tec-

através do trabalho, sem pessimismo,

nologias compensam qualquer perda

aceitando o desafio de fazer a melhor

que o mercado possa estar sofrendo

gestão possível”.

e a Autopar serve exatamente para

Autopar 2010 O maior evento do setor de autopeças no Paraná é a Autopar e a edição deste ano recebeu mais de 42 mil visi-

Para o Secretário Estadual de in-

promover esses novos negócios entre

tantes em quatro dias de feira. O pre-

dústria e Comércio para Assuntos do

fabricantes, fornecedores e clientes”,

sidente do Sistema Fecomércio Sesc

mercosul, virgílio moreira Filho, “a feira

conclui.

Senac, Darci Piana, participou da aber-

prevê tendências e mostra a força do

tura e disse na ocasião que “o cresci-

segmento para todo o Brasil. O comér-

mento apresentado pelo setor é fruto

cio de veículos no Paraná corresponde

do trabalho e capacidade dos seus em-

a mais de 10% do mercado nacional.

presários”. A feira conta com o apoio

Sua expansão é muito importante e o

e participação do Sistema Fecomércio

governo faz questão de estar ao lado

30

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Do Senac ao negócio próprio D

irceu Lazzari nasceu em Pérola,

pequena

cidade

do interior do Paraná, e

trabalhou na roça ajudando a família até os 19 anos. “nessa época meu pai perdeu tudo e eu fui morar com uma irmã, em maringá”, conta Dirceu. Lá o futuro empresário conseguiu um emprego em uma fábrica de móveis, como ajudante geral. “O cargo não era muito bom porque eu não tinha tido a oportunidade de estudar, tinha só o Ensino Fundamental”, diz. trabalhando na fábrica de móveis, Dirceu trouxe os pais para morar com ele em maringá, casou e teve dois filhos. trabalhou por um tempo como servente de pedreiro, mas retornou à fabrica e lá descobriu seu gosto pelo

design. “Eu desenhava os móveis da fábrica durante meu horário de almoço e meu chefe na época me disse que eu tinha talento. Fui procurar então um lugar onde eu pudesse aprender mais sobre desenho”, lembra Dirceu. O estilista descobriu o Senac e o curso Desenho de moda e resolveu tentar. trabalhando de dia e estudando à noite, Dirceu disse que recebeu muitas críticas por sua decisão. “As pessoas não acreditavam que aquilo poderia ser uma carreira. mas eu fui à luta e foi a melhor coisa que eu já fiz na minha vida”, conta. trabalhando em ribeirão Preto, interior de São Paulo, como estilista, Dirceu descobriu sua paixão pelos trajes de gala.

VEStiDO DESEnVOLViDO POr DirCEu lAzzAri

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

31


“Sou muito grato ao Senac por tudo o que eu conquistei”. – Dirceu Lazzari –

“qualquer mulher fica poderosa com um belo vestido de festa e um salto alto”, diz. De volta a maringá, o empresário começou a costurar para fora, em sua própria casa. Em 2001, pediu dinheiro emprestado à irmã e alugou um pequeno espaço que foi crescendo cada vez mais, com o aumento dos pedidos. Dirceu então convidou um amigo, Jair ribeiro dos Santos, que atuava como carteiro, para ser seu sócio e gerente administrativo da loja. Com 20 vestidos, duas máquinas de costura e 9m2 de espaço, eles fundaram a Vitral noivas, em 2003. hoje, a loja de Dirceu e jair tem

VitrinE DA LOjA VitrAL nOiVAS, Em mAringá

130m2, estacionamento para seis car-

curso "miss maringá" e "miss Paraná",

que começou toda essa trajetória e meu

ros e emprega 14 pessoas. no estoque,

com Dirceu como estilista oficial.

filho, hoje com 19 anos, fará o mesmo

cerca de 250 vestidos de noiva e 500 de

O empresário já ganhou alguns prê-

curso que eu fiz e dará continuidade ao

festa para aluguel, todos concebidos por

mios como o de melhor traje típico do

meu trabalho”, relata Dirceu orgulhoso.

Dirceu. quatro anos atrás, a vitral noi-

"mister Paraná" que representou o Esta-

E ele completa, “sou muito grato ao Se-

vas tornou-se o atelier oficial do con-

do no Equador. “O curso do Senac foi o

nac por tudo o que eu conquistei”.

32

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Memória preservada Projeto do tribunal regional do trabalho faz resgate do passado

"

A importância da memória é

zação dos servidores do próprio tribu-

igual à importância da identi-

nal que resgataram o que havia de his-

dade. quem não tem memó-

tórico em seus arquivos pessoais para

ria, não sabe quem é. Como podería-

a montagem do acervo. A boa divul-

mos agir no mundo sem saber quem

gação realizada pela imprensa também

somos? Sem saber quais são nossos

está colaborando. E foi lançado ainda

valores, nossos princípios? A memó-

um edital para a formação de um cor-

ria é vital como o nosso nome. Assim

po de voluntários e seis pessoas, com

como história de uma pessoa é a vida

qualificações específicas, já foram in-

dessa pessoa, a história de uma insti-

corporadas à equipe.

tuição é o que justifica sua existência e permanência”.

Passado

PrESiDEntE DO triBunAl rEGiOnAl DO trABALhO, nEY jOSÉ DE FrEitAS

As palavras são do desembargador

Em 1999, o trt começou a tomar

e presidente do tribunal regional do

medidas de preservação de seu acer-

trabalho (trt), ney José de Freitas.

vo. Em 2003, a diretora do Arquivo do

Além de assessorar a presidência, par-

Ele é idealizador de um projeto que

trt, neide Spíndola, iniciou a estrutu-

ticipou das convenções coletivas junto

está recuperando a memória do tribu-

ração de um projeto, que culminou na

aos sindicatos. Ele conta que esse fato

nal em seus quase 40 anos de existên-

criação do Selo memória, em 2008, e

o aproximou da justiça do trabalho,

cia e que será estendido à recuperação

agora do Centro de memória. “Como

uma vez que sua formação era com-

da memória do próprio trabalho. Bati-

desembargador, procurei estimular e

pletamente diferente e voltada ao di-

zado com o nome de Projeto memória,

participar desse movimento, e quando

reito público. “Com a atividade na Fe-

a iniciativa engloba o Centro de memó-

assumi a Corregedoria regional, em

deração, acabei me envolvendo com o

ria e o museu do trabalho.

2007, e a presidência, em 2009, pude

Direito do trabalho e, posteriormente,

finalmente fazê-lo deslanchar”, afirma

ingressei na magistratura”.

O espaço físico foi inaugurado no dia 17 de junho, na sede do trt-Pr. no

o desembargador.

Futuro

acervo, autos de processos trabalhistas

ney José de Freitas é uma das pes-

desde a década de 30, digitalizados,

soas mais envolvidas com o Centro de

O Projeto memória já deu passos

que podem ser consultados na íntegra,

memória. Ele diz que o Projeto memó-

importantes, mas ainda está em plena

pela internet. “Ali encontram-se pro-

ria é uma prioridade de sua administra-

formação. muitos processos de rele-

cessos curiosos, como os de profissões

ção no trt e que todos deveriam ter

vância histórica ou científica, ou com

extintas”, comenta o desembargador.

esse compromisso com a história. no

potencial para isso, ainda receberão o

“temos autos de processos de

caso do tribunal, a iniciativa é uma fer-

Selo memória, com o qual se tornarão

tropeiros, caixeiros-viajantes e outros

ramenta fundamental para a percepção

obrigatoriamente preservados. E, até

profissionais que, se ainda existirem,

do exercício de sua vocação, enquanto

o fim deste ano, deverá ser instalado,

são muito raros. Possuímos também

oferece à comunidade um conjunto de

também na sede do tribunal, o me-

aproximadamente 80 mil fotos, que es-

informações de grande valor científico

morial Digital do trabalho. “trata-se

tamos digitalizando e disponibilizando

e social.

de um ambiente virtual em que docu-

na web. Além disso, há equipamentos,

Entre os anos de 1980 e 1988, o

mentaremos, em vídeo, o trabalho de

materiais que foram de uso contínuo,

magistrado atuou como advogado da,

qualquer pessoa, qualquer profissão,

móveis e documentos”, completa.

à época, Federação do Comércio vare-

em qualquer lugar”, explica o desem-

jista, seus sindicatos e do Senac Pr.

bargador.

tudo foi reunido através da mobili-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

33


Senac padroniza Programa de Aprendizagem Conselho regional da instituição ratifica normatização da carga horária dos cursos

O

carro-chefe do Sistema

fechar este ano com aproximada-

ito vieira, durante a última reunião

“S” é a aprendizagem. Esse

mente quatro mil aprendizes. A pro-

do Conselho regional da instituição,

foi o motivo pelo qual foi

jeção para 2011 é otimista e estima

realizada em 27 de julho.

criado. E o Senac vem cumprindo

pelo menos seis mil jovens inscritos

na ocasião, o diretor de Educação

com êxito sua missão nessa modali-

no programa. Esses dados foram re-

falou sobre a uniformização do Progra-

dade. De um volume próximo a 800

passados pelo diretor de Educação

ma de Aprendizagem do Senac, que

alunos em 2004, a instituição deve

Profissional e tecnologia do Senac,

estabeleceu novos critérios de tempo e

34

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


carga horária. A partir de uma análise

tamento dessa condição e dar maior

jovem vá, obrigatoriamente, à escola

realizada pela coordenadoria de edu-

qualidade ao aprendizado usando me-

formal, tenha acesso à profissionaliza-

cação, em consenso com o ministério

nor tempo”, explica vieira.

ção através de um curso de aprendiza-

Público do trabalho e Superintendência regional do trabalho, os cursos de

gem e seja inserido em uma empresa”,

no topo das prioridades

aprendizagem do Senac

afirma a procuradora do mPt, mariane

estimativas

Josviak. Ela considera que ao iniciar

terão duração de um

do ministério Público do

sua vida profissional, o jovem ganha

ano, com carga horária

trabalho (mPt), a possi-

outros direitos, como ao lazer, pois

de 1.000 horas e de dois

bilidade de contratação

terá recursos financeiros para custear

anos, com carga horária

de aprendizes no Paraná

uma entrada no cinema, por exemplo;

de 1.920 horas.

gira em torno de 120 mil

à saúde, através do plano médico da

Segundo

De acordo com ito

vagas. Atualmente, o nú-

empresa e todos os direitos que os de-

vieira, a definição da du-

mero de jovens inscritos

mais funcionários têm.

ração do programa vai de-

no programa mal passa

Além do PSG, a procuradora des-

pender da complexidade

de 15 mil. Buscando con-

taca que outro fator para o fortaleci-

tribuir para a mudança

mento da aprendizagem é o contato

desse quadro, o Senac

direto que as instituições do Sistema

de conteúdo. “vamos atuar por área, complexidade

mAriAnE JOSviAK, PrOCurADOrA DO mPt – 9ª rEGiãO

do curso e pela necessida-

espera um aumento signi-

"S" possuem com os empresários, que

de da empresa em oferecer uma forma-

ficativo das matrículas no próximo ano,

querem contratar aprendizes, mas não

ção plena, da mais complexa a menos

em virtude do direcionamento preferen-

sabem por onde começar.

complexa”, afirma.

cial dos recursos do Programa Senac de

vieira destaca a mudança de visão

A padronização disciplina o uso do

Gratuidade (PSG) para esta modalidade

das empresas, que já não encaram a

tempo e o compromisso do aluno com

de ensino. O programa é resultante de

contratação de aprendizes somente

o programa e, principalmente, confor-

um acordo firmado com os mnistérios

como uma determinação legal. “muitos

me aponta o diretor regional do Senac

da Educação, do trabalho e Emprego e

empresários consideram o programa

Paraná, vitor monastier, torna a gestão

da Fazenda, no qual as instituições do

como uma oportunidade de desenvolver

mais eficiente. “O Senac possui aproxi-

Sistema "S", entre elas, o Senac, assu-

seus futuros colaboradores, devidamen-

madamente quatro mil aprendizes, dis-

miram o compromisso de ampliar ainda

te integrados à filosofia e metodologia

tribuídos em 136 turmas, em mais de 20

mais seu atendimento gratuito à popula-

de trabalho da organização”, defende.

cidades do Estado. isso exige atenção

ção com dificuldade de recursos.

O conselheiro do Senac e repre-

especial à programação deste trabalho,

Assim, os empresários do comér-

sentante do ministério do trabalho e

ao calendário escolar e também aos su-

cio não precisarão mais custear as

Emprego, Elias martins, parabeniza a

primentos pedagógicos”, explica.

aulas de formação profissional. Farão

instituição por sua atuação no âmbito

nos novos moldes, um mesmo cur-

somente a contratação do aprendiz,

da aprendizagem. “O Senac busca a

so poderá ter duração de um ou dois

remunerando-o com o percentual do

equação e a adequação das empresas

anos, conforme a escolaridade dos

salário mínimo por hora trabalhada.

à legislação. tem sido o principal for-

estudantes. “Se a clientela já tiver o

“O grande benefício deste decreto da

mador de aprendizes para o setor do

Ensino médio, há muitas disciplinas

gratuidade e do posicionamento do

comércio”, reitera.

que podem ser aprendidas com mais

Senac em priorizar a aprendizagem,

facilidade. Podemos fazer o aprovei-

é que este programa possibilita que o

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

35


PIS e Cofins entram na escrituração fiscal digital Cálculos serão incluídos no Sistema Público de Escrituração Digital em 2011

n

ão bastassem as adapta-

para alguns setores empresariais, no

sobre os créditos transferíveis entre o

ções provocadas pela nota

regime cumulativo, com base no lucro

fornecedor e o adquirente de merca-

Fiscal Eletrônica (nF-e) e

presumido. Já a contribuição do PiS/

dorias. Se não houver divergência, a

pelo Sistema Público de Escrituração

Pasep, que na prática consiste em um

operação se processa. Caso contrário,

Digital (SPED) contábil e fiscal, os

programa de transferência de renda,

cai na malha fiscal”, afirma.

empresários, gestores financeiros,

buscando minimizar as disparidades

Basicamente, com o sistema digital

contabilistas e demais profissionais, en-

socioeconômicas do País, é de 1,65%

o comerciante vai informar para quem

volvidos no atendimento às demandas

incidente sobre o total das receitas,

e quanto vendeu, bem como quanto

do Fisco, receberam mais uma tarefa

na modalidade não-cumulativa. Em

geraria de crédito, de forma instantânea,

neste processo: o EFD-PiS/Cofins. A

ambos os casos, a não-cumulatividade

pela nota Fiscal Eletrônica. O mesmo vale

receita Federal, através da instrução

determina o desconto dos denominados

para quem compra. Se antes o cálculo

normativa nº 1.052, de 5 de julho de

créditos, referentes aos insumos e bens

desses tributos era feito internamente,

2010, dará início, a partir do ano que

adquiridos para revenda, sobre os quais

por meio do demonstrativo elaborado

vem, a um cronograma de implantação

já houve pagamento dos tributos pelo

pelo contabilista ou departamento con-

da Escrituração Fiscal Digital (EFD) da

fornecedor.

tábil, para então ser submetido ao Fisco,

Contribuição Financeira para a Seguridade Social (Cofins) e do Programa de integração Social (PiS).

com o SPED o processamento será em

mudanças à vista

tempo real. Como parte das informações

Conforme explica o presidente do

já estará armazenada nos computadores

A Cofins é uma contribuição fede-

Sindicato das Empresas de Serviços

da receita Federal e dos demais órgãos

ral, incidente sobre a receita bruta das

Contábeis e das Empresas de Asses-

fiscalizadores, o cálculo consolidado do

empresas em geral, destinada a finan-

soramento, Perícias, informações e

PiS e da Cofins terá que ser preciso. Eli-

ciar a seguridade social. Sua alíquota

Pesquisas no Estado do Paraná (Sescap-

mina-se, assim, qualquer possibilidade de

é 7,6% para as empresas tributadas

Pr), mauro Cesar Kalinke, atualmente

manipulação dos créditos.

pelo lucro real, na sistemática da não-

os dados relativos ao pagamento do

sistemática teremos um arquivo padrão

cumulatividade, implementada a partir

PiS e da Cofins são transmitidos men-

com Assinatura Digital, portanto com

de 2004. no entanto, essa nova forma

salmente aos órgãos fiscais, através das

validade jurídica. Esse arquivo deve ser

de cálculo, que deveria ter representado

DCtFs (Declarações de Contribuições

entregue todo mês respeitando regras

um avanço no sistema tributário, não foi

e tributos Federais). “vejo que o EFD-

de validação que limitam os créditos dos

bem recebida pelos empresários, em

PiS/Cofins vai acabar substituindo essas

impostos”, afirma Joacir Padilha, instrutor

virtude da elevação da taxa de 3% para

CDtFs. Com o SPED haverá um cru-

do Senac e contabilista que participa do

7,6%. A alíquota anterior foi mantida

zamento mais efetivo de informações

projeto-piloto do SPED. A entrega terá

36

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

“Com a nova

agosto 2010


que ser feita até às 23h59min59s do 5º

definições. Padilha informa que haverá

dia útil do segundo mês subsequente.

uma reunião com a receita Federal no

Então, a primeira remessa deste ar-

fim de agosto para discussão de

quivo, com informações de janeiro de

detalhes finais desta etapa e re-

2011, tem data marcada para o dia 07

gras de validação. Dessa forma, o

de março de 2011.

layout final deve se publicado em setembro. “Esperamos, também,

Diferentes angulações Com tantas particularidades, a contribuição de tais tributos é extremamente complexa para o contribuinte e também para o Fisco. Por isso, Kalinke acredita que a nova sistemática irá

que a receita aceite nosso pedido de prorrogação desta nova obrigatoriedade”, almeja.

transformação fiscal

O especialista contábil, joacir Padilha, destaca pontos importantes para amenizar os impactos do SPED nas empresas:

Como a dilatação do prazo, por

Estudar e entender a legislação;

simplificar a burocracia. “é algo que em

enquanto, é só uma possibilidade

Comprometimento da administração

um primeiro momento está assustando,

– bastante incerta –, as empresas

principalmente as empresas que estão

precisam começar a se preparar

desorganizadas. mas quando entrar em

desde agora. “não há desculpas,

Capacitação das pessoas;

vigor será muito benéfico para todos,

pois o processo de amadureci-

validação cadastral e fiscal dos produtos,

principalmente para os bons empresá-

mento do SPED vem acontecendo

rios, que contabilizam integralmente

ao longo de dois ou três anos. As

suas operações e têm de pagar pela

empresas tiveram tempo suficiente

falta de transparência de alguns”, avalia

para se preparar”, assevera Berti.

o presidente do Sescap.

com o projeto; •

Adequar e desenvolver sistemas para gerar os arquivos;

clientes e fornecedores; •

infraestrutura preparada para suportar as gerações, validações e entregas dos arquivos.

E para orientar os empre-

Por outro lado, para o coordenador

sários sobre essas obrigatorie-

da Câmara de Produtos terceirizáveis

dades, o Senac, a Fecomércio

da Fecomércio Paraná, mário Elmir Berti,

e o Sescap têm realizado cursos

contador há mais de 35 anos, o EFD-PiS/

e palestras sobre a nota Fiscal

Cofins pode gerar situações polêmicas.

Eletrônica e o Sistema Público

“Em certas situações, a empresa perderá

de Escrituração Digital. “Essas

a opção de questionar um crédito que

ações são muito importantes para

entenda de direito. não se trata de uma

informar sobre o funcionamento

tentativa de sonegação. O caso é de

do projeto e os riscos caso não

discussão de mérito, ainda mais em uma

mantenham seus controles cor-

época como a nossa, em que produtos

retos. Os empresários devem se

e serviços surgem toda hora”, alerta.

preocupar com tudo o que envolve

Dessa forma, os créditos de insumos e

sua movimentação fiscal e bancá-

mercadorias inéditas, recém-lançados

ria”, afirma mauro Cesar Kalinke.

no mercado, seriam cadastrados por

Portanto, deixar a responsabilidade

similaridade, que nem sempre condizem

exclusivamente sobre os ombros do

com suas reais características. Para ele,

contador é um risco para ambas as

a própria legislação terá que ser aperfei-

partes. Até porque o empresário

çoada para evitar confusão.

contábil é responsável solidário,

Por ter sido uma das últimas normati-

junto ao empresário e se houver

vas do SPED, a Escrituração Fiscal Digital

alguma inconsistência, os dois vão

do PiS e da Cofins ainda está em fase de

pagar a conta, literalmente.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Cronograma de implantação do EFD-PiS/COFinS 01/01/2011

todas as pessoas jurídicas sujeitas a acompanhamento econômico-tributário diferenciado e sujeitas à tributação do imposto sobre a renda com base no Lucro real

01/07/2011

As demais pessoas jurídicas sujeitas à tributação do imposto sobre a renda com base no Lucro real

01/01/2012

As demais pessoas jurídicas sujeitas à tributação do imposto sobre a renda com base no Lucro Presumido ou Arbitrado

Fonte: receita Federal do Brasil

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

37


Bom Apetite! Está na hora de avaliar o que você tem levado à mesa e rever seus conceitos sobre segurança dos alimentos!

O

s jornais noticiam: “Comida de festa de casamento leva noivos e con-

vidados para hospital”, “Almoço em festa causa intoxicação alimentar em mais de 100 pessoas”, “Pessoas com intoxicação alimentar lotam hospital”. As histórias se repetem e as Doenças transmitidas por Alimentos, as DtAs, são conhecidas há muitos séculos. Porém, engana-se quem pensa que apenas alimentos contaminados, em estado de putrefação são os que oferecem riscos à saúde: um belo prato, um alimento cheiroso e saboroso pode esconder perigos invisíveis. infelizmente, o ditado popular de que “aquilo que os olhos não vêem o coração não sente” não pode ser aplicado para outros órgãos do corpo humano. intestinos, fígado e estômago sofrem, e muito, com a ingestão de alimentos infectados. De acordo com a gerente de Saúde

atento ao tempo que o alimento fica

do Sesc Paraná e nutricionista, vanes-

fora da zona de segurança, ou seja,

sa Penteado, náuseas, vômitos e diar-

ele não pode permanecer mais do que

reia são sintomas de DtAs e podem ser

duas horas em temperaturas acima de

causadas pela ingestão de alimentos

5ºC e abaixo de 60ºC”, ressalta.

ou água contaminados por bactérias,

um dos alimentos com o qual se

vírus, parasitas, toxinas, agrotóxicos,

deve ter atenção redobrada é o ovo.

produtos químicos e metais pesados. E

muitas vezes, ele é transportado e

vanessa alerta: além dos habituais cui-

mantido sem refrigeração e consumi-

dados de higiene do local, do manipu-

do fora do período de validade, e aí

lador e dos alimentos, é preciso cuidar

mora o perigo! A nutricionista salien-

para evitar a multiplicação da bactéria

a temperatura com que eles são man-

ta que é imprescindível que este ali-

Salmonella e lembra que ovos e carnes

tidos e consumidos. “É preciso estar

mento seja mantido sob refrigeração,

devem ser ingeridos bem cozidos.

38

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


De acordo com dados do ministério

quando não produzidos com boas prá-

taurantes e lanchonetes as Boas Práti-

da Saúde, a multiplicação de micror-

ticas podem ser contaminados. Ela su-

cas do Programa de Alimentos Seguros

ganismos perigosos é muito rápida e

gere que, ao consumir alimentos em

– segmento mESA implantadas, que

quando estão fora da zona de segu-

restaurantes e lanchonetes, opte-se

garantem a saúde dos trabalhadores.

rança, especialmente em temperaturas

por aqueles que têm uma probabilida-

Para alertar consumidores sobre

próximas de 37ºC, apenas uma bacté-

de menor de estarem contaminados.

como adquirir, transportar, preparar,

ria, por exemplo, pode dar origem a

Para isso, escolha arroz, feijão e car-

reaproveitar e consumir alimentos de

um milhão de bactérias em cerca de

nes com molhos, pois são alimentos

forma cada vez mais segura, o Sesc,

seis horas.

que mantém melhor a temperatura e

em uma ação conjunta ao Senai, Se-

evite consumir aqueles que têm cre-

nac, Sebrae e Sesi, irá desenvolver o

mes e maioneses.

Programa Alimentos Seguros, o PAS

Quando a carga bacteriana de um alimento está elevada, nosso sistema imunológico muitas vezes não é

Em casa, o consumidor não pode

capaz de evitar doenças e então, as

deixar de tomar cuidados! Segundo

uma das ações que estão progra-

DtAs, que são mais de 250 tipos dife-

dados da Secretaria de Vigilância em

madas é o lançamento do programa,

rentes, atacam! E as crianças, idosos

Saúde, do ministério da Saúde, as

no mercado municipal de Curitiba, nos

e imunodeprimidos são as principais

residências são os locais com maior

dias 24, 25 e 26 de novembro de 2010,

vítimas. Essas doenças podem se ma-

ocorrência de surtos, cerca de 48,5%

com a presença do Dr. Bactéria, o bio-

nifestar por meio de infecções, como

dos casos, seguidas de restaurantes

médico roberto Figueiredo. A partici-

a Salmonella, hepatite viral tipo A e to-

(18,8%) e escolas (11,6%). Para evi-

pação do público é gratuita e lá será

xoplasmose; por intoxicações, quando

tar a ocorrência de DtAs, use sempre

possível conhecer a Cartilha do Consu-

as toxinas, ou “venenos” de bactérias

água e alimentos seguros, tome cuida-

midor para uma Alimentação Segura e

e vírus estão presentes no alimento

dos com a higiene, separe sempre os

os perigos biológico, físico e químico.

consumido e por toxinfecção, com a

alimentos crus dos cozidos e quando

(vide box)

ingestão de alimentos contaminados

for cozinhá-los, faça-o completamente

tomando todos os cuidados para

com microorganismos que fabricam a

e mantenha-os em temperaturas segu-

uma alimentação segura, quem sabe

toxina dentro do intestino, como por

ras (abaixo de 5°C, na geladeira, por

você não se torna o personagem prin-

exemplo, o cólera.

até cinco dias ou acima de 60°C, por

cipal e é destaque de matérias que

até seis horas).

ressaltam exemplos de consumidores

A nutricionista do Sesc Pr, rubia Pereira, lembra que alimentos com alta manipulação são os que mais oferecem

Consumidor.

e estabelecimentos comerciais que

PAS no Sesc

executam as boas práticas de manipu-

riscos à saúde do consumidor, exemplo

Para prevenir as DtAs aos seus

disso são lasanhas e empadões, que

clientes, o Sesc Pr possui em seus res-

lação de alimentos? Então, bom apetite e boa leitura!

OS PERIGOS NOS ALIMENTOS Perigo Biológico • microorganismos (ou micróbios), tais como bactérias, bolores (fungos), vírus e parasitas são as principais causas de contaminação dos alimentos. Por serem muito pequenos, não podem ser vistos a olho nu. • Alimentos contaminados por certos microorganismo podem causar diarréia, vômitos, febre e também doenças graves como a meningite, hepatite, entre outras.

Perigo Químico

Perigo Físico

Desinfetantes, produtos para matar ratos e inseticidas são exemplos de agentes químicos que podem, por engano ou descuido, contaminar os alimentos.

Outros perigos químicos são os produtos usados no campo, como agrotóxicos e antibióticos, que podem estar presentes nos alimentos por falha na produção.

• Pedrinhas, pedaços de vidro, ossos, espinha e prego são materiais que podem estar presentes nos alimentos e ferir quem os consome.

Fonte: Cartilha do Consumidor para uma Alimentação Segura

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

39


Cuidados básicos

para uma alimentação segura

No supermercado  Escolha os estabelecimentos pela limpeza, pelo aspecto geral e hábitos de higiene dos atendentes;  Comece as compras pelos não perecíveis, como arroz, farinha, enlatados, deixando os alimentos resfriados (laticínios, pescados frescos) e congelados por último;  Observe sempre o prazo de validade e a rotulagem com explicações sobre o alimento;  não compre produtos com embalagens danificadas.

Em casa  guarde primeiro os alimentos resfriados e congelado s;  mantenha os aliment os protegidos por tampas, filme plástico ou similares;  Guarde os alimentos crus nas partes mais baixas da gel adeira e em recipientes que não dei xem escorrer líquidos;  Lave bem frutas, ver duras e legumes;  lave bem as mãos e os utensílios que ser ão utilizados no prepar o dos alimentos;  tire anéis e prenda os cabelos quando for preparar os alimentos;  não descongele alim entos à temperatura am biente;  mantenha os aliment os em temperaturas seg uras: preferivelmente abaixo de 5ºC e acima de 60ºC;  Cozinhe e reaqueça muito bem os aliment os, inclusive as sobras , antes do consumo;  Alimentos ainda que ntes (sem vapor) devem ser colocados em recipientes rasos, cobertos e resfriados ou congel ados. Se quiser acelera r o resfriamento, coloqu e os recipientes destam pados na geladeira e cubra-os duas horas dep ois;  Após as refeições, gua rde as sobras rapidame nte na geladeira, usando recipientes pequen os e rasos, sempre cob ertos.

Ao comer fora de casa  Selecione onde comer pela higiene

te para casa No transpor elados e alimentos cong  Se comprou sa. Caso não direto para ca resfriados, vá ou sacola -os em isopor possa, guarde ezer ou geladicione em fre térmica e acon . e for possível deira, assim qu

SAIBA: Em temperaturas acima de 60ºC (alimentos bem quentes) a maioria

dos microrganismos morre ou não se multiplica. Em temperaturas abaixo de 5ºC os micro-organismos quase não se multiplicam.

40

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

do estabelecimento e pelo aspecto e higiene dos funcionários;  Observe se os alimentos frios são mantidos em baixas temperaturas (bem frios) e se os quentes estão mantidos em alta temperatura (bem quentes).

Agende-se De 24 a 26/11, no mercado municipal de Curitiba, estará presente o Dr. Bactéria. A participação do público é gratuita. Saiba como consumir alimentos seguros.

julho

|

agosto 2010


Senac em Apucarana nova escola beneficiará região com população de 340 mil pessoas

não considero apenas mais um

os cursos oferecidos. Acompanhando a

Programa de Aprendizagem, entre outros.

Senac, mas uma nova escola

evolução dos mercados, o Senac está

profissionalizante que atenderá

inovando em equipamentos, metodolo-

A implantação das turmas será

toda a região de Apucarana”, explica o

gia e material didático, que estarão dis-

feita de forma gradativa, a curto, mé-

diretor regional do Senac Pr, vitor mo-

poníveis na nova escola.

dio e longo prazo, até que o Senac

nastier, sobre o novo Centro de Edu-

Serão coordenados cursos de apoio

de Apucarana atinja sua capacidade

cação Profissional (CEP) que em breve

direto aos empresários do comércio de

total de atendimento, provavelmente

será inaugurado na cidade. A obra está

bens, serviços e turismo com os pro-

no ano letivo de 2011. mas existem

em fase de conclusão e a escola, quan-

jetos Senac na Empresa e Programa

cursos programados para o início de

do em funcionamento poderá atender

Senac de Aprendizagem para o cum-

novembro como técnicas em Vendas,

1,2 mil alunos, por dia, em três turnos.

primento da legislação trabalhista,

uso Básico do micro e Boas Práticas na

São aproximadamente 1.900m de

além de cursos voltados à inclusão

manipulação de Alimentos, curso este

ambientes pedagógicos que incluem

profissional de pessoas com deficiên-

integrante do Programa Alimentos Se-

instituto de beleza-escola, biblioteca,

cia e cursos ofertados pelo Programa

guros (PAS), implantado pelo Senac

laboratório de enfermagem, cozinha

Senac de Gratuidade (PSG).

nas empresas de alimentação.

2

auditório

toda capacitação profissional será

O Centro de Educação Profissional

para 120 pessoas e laboratórios de in-

oferecida dentro do modelo de eixos

de Apucarana dá continuidade ao pro-

formática. tudo isso para atender às

tecnológicos, definidos pelo ministé-

jeto de expansão do Sistema Fecomér-

demandas em educação profissional,

rio da Educação, como Gestão e ne-

cio Sesc Senac que visa levar os seus

específicas da região.

gócios, informação e Comunicação,

serviços a toda a população paranaen-

A área de abrangência da nova es-

que incluem os cursos de informática

se. Com o Senac, o principal objetivo é

cola inclui 14 municípios, o que signifi-

e tecnologia da informação, hospitali-

investir no interior do Paraná e levar a

ca uma população aproximada de 340

dade e lazer, que contempla também

essas regiões as condições para capa-

mil pessoas que serão beneficiadas com

a gastronomia, Apoio Educacional e

citação profissional de qualidade.

pedagógica,

lanchonete,

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

41


Desejos Contemporâneos mudanças do consumidor e dos desejos de compra pedem alterações do modelo tradicional de se fazer varejo

Q

uando o varejo está em

próximas matérias que tratarão desses

mudaram, o tempo foi ficando escasso

compasso com o merca-

assuntos.

e outras oportunidades surgiram, foi

do, este é uma resposta

aos anseios de uma população, de uma época e de uma cultura. Quando

mudança de comportamento

preciso entender que este modelo de varejo não mais atendia às necessidades do consumidor”, defende. Para

o público consumidor muda, o varejo

Beth Furtado, psicóloga e escritora,

o escritor Alberto Serrentino, o vare-

precisa acompanhar estas alterações

defende que o consumidor de décadas

jo tem o privilégio do contato diário

e se adaptar. Afinal, trata-se de um

atrás não é o mesmo de hoje e será

com os consumidores e é necessário

negócio de, por e para pessoas. Para

diferente do de amanhã. um exemplo

aprender a conhecê-lo. “é preciso

compreender essas mudanças, novas

de modificação é o varejo têxtil. Até

manter a obsessão por conhecê-lo,

oportunidades de negócios, profissões

bem pouco tempo as pessoas tinham

entender hábitos, perfis demográficos,

que serão destaque no futuro, aquelas

o hábito de comprar tecidos, levar às

comportamento, estilos de vida e atri-

que já deixaram de existir ou passa-

costureiras, tirar as medidas, aguardar

butos relevantes para decisões sobre

ram por modificações e como atender

a prova e por fim, ter a peça de rou-

produtos, marcas e lojas. O varejo tra-

às demandas do consumidor, leia as

pa pronta. “À medida que as pessoas

dicionalmente despreza a necessidade

42

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


de mergulhar no consumidor”, avalia

contemporâneos. “Este é o melhor re-

sejos tão diversos. Algumas empresas

Serrentino.

trato da atualidade. Somos cada vez

já se anteciparam ou decodificaram movimentos da sociedade.

mas as adaptações e mudanças

mais plurais, complexos, ambivalentes,

de cultura, até mesmo do varejo, não

multifacetados, confusos e divididos”,

acontecem da noite para o dia, embora

avalia.

Para ser original, existem formatos de varejo temporário e edições limita-

alguns setores consigam uma adapta-

A autora, em seu livro “Desejos

das de produtos. E os exemplos para

ção mais ágil. “Existem setores dentro

Contemporâneos: Patchwork de ten-

satisfazer este desejo são inúmeros,

do varejo que demoram para compre-

dências, ideias e negócios em tempos

como aluguel de bens que vão de bol-

ender estas mudanças, resistem e aca-

de paradoxos”, elenca desejos con-

sas a móveis e roupas de bebês. “Esta

bam perdendo resultado de vendas”,

temporâneos, entre eles o da origina-

prática mudou mentalidades e inseriu

salienta Beth.

lidade, de estar onde a vida aconte-

com mais força o desejo de posse tem-

ce, de estar em movimento, de fazer

porária. tantas novidades nos levam a

a diferença, de ser arrebatado, de

pensar que varejo e indústria estão ir-

aconchego e de esperança. E aí está a

requietos e mutantes. na verdade, é o

Paradoxal! é assim que a psicólo-

oportunidade do varejo decifrar esses

ser humano”, defende Beth.

ga Beth Furtado classifica os desejos

movimentos, inovar e saciar esses de-

Desejos e Oportunidades

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Em busca da eterna juventude e

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

43


de estar onde a vida acontece, o va-

pouquíssimos produtos e serviços para

rejo também pode inovar ainda mais.

o segmento”, diz Beth.

“Criar negócios para jovens é uma oportunidade na atualidade, porém

multiformatos

Apesar do varejo ser multifacetado, apresentar diversos modelos e formatos, pesquisas mostram que é imprescindível que um empreendimento físico

criar negócios para que pessoas sin-

O varejo como conhecemos hoje,

disponha de uma página na internet.

tam-se jovens é receita certa de su-

com uma loja física, balcão fazendo a

“quando uma loja não tem site, o con-

cesso”, acredita. A velocidade também

separação entre o cliente e o vendedor,

sumidor se decepciona. Ele pode até

tem ditado o rumo de muitos negócios

não irá desaparecer, mas certamente

não comprar pela internet, mas quer

e os desejos tornaram-se transitórios

mudará. A sociedade tem caminhado

ter a possibilidade de pesquisar e de

e efêmeros. “A inovação nos formatos

para um processo de multipossibilidades

comunicação”, diz.

varejistas, cada vez mais, demonstra

e o varejo refletirá isso. Beth acredita

Para Serrentino, o varejo pode pas-

entendimento dos hábitos e das mu-

que como o País é composto por diver-

sar por diversas formas de inovação,

danças da atualidade. Sintonia com

sas realidades, culturas e perfis distintos,

entre elas, sugere a ampliação e inte-

a contemporaneidade é a inspiração

será impossível existir um único padrão

gração de canais digitais aos físicos, o

para negócios prósperos”, enfatiza a

para o comércio varejista.

desenvolvimento de lojas mais intuiti-

autora.

A autora lembra que na

vas e que facilitem a compra,

uma nova realidade da socieda-

virada do milênio existia

a melhoria do serviço e experi-

de é o número crescente de pessoas

um temor de que com o

ência de compra, a agregação

que estão morando sozinhas (10% da

advento da internet, as

de serviços como elemento de

população brasileira), e além de pro-

lojas físicas seriam substi-

negócio, e a comunicação e

dutos feitos para o consumo de uma

tuídas pelas virtuais, o que

relacionamento como cres-

só pessoa devem existir serviços que

na realidade não aconteceu.

cente espaço para o diálogo.

satisfaçam este público. Beth cita que

“isso não acontece, ao con-

as pessoas que moram só têm neces-

trário, uma fortalece a outra.

sidades muito específicas, como por

Às vezes o processo de compra

exemplo, as entregas de compras, que

acontece na loja física e termi-

são feitas exclusivamente no horário

na na virtual e vice-versa. O

comercial. "Este é um nicho de merca-

mercado é dinâmico!”, defende.

do a ser explorado!", diz ela. inclusão e fazer a diferença também são desejos contemporâneos e o varejo precisa estar atento a isso. um mercado que mudou muito e está em alta crescente é o sênior. Segundo pesquisa do instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (iBGE) até 2050, 30% da população brasileira estará com idade superior a 60 anos, o que representará mais de 60 milhões de pessoas. “A nova maturidade não é como a de antigamente, quando as pessoas ficavam em casa e tinham um comportamento mais recluso. hoje, elas estendem o tempo no trabalho, querem ser úteis. Os atuais formatos varejistas oferecem

44

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Engana-se quem pensa que o mercado e a economia brasileira não es-

Oportunidades para empreender

tão preparados para tantas mudanças e inovações. “A economia não só está preparada como aberta e com muitas oportunidade. O varejo brasileiro vem passando por um momento extremamente positivo, impulsionado por melhorias em emprego, renda, massa salarial, crédito e confiança”, ressalta Alberto Serrentino. Ele também lembra que a expectativa é que o crescimento

Beth Furtado acredita que para assegurar o sucesso de novos projetos é preciso estar atento aos anseios, desejos que expressem uma tendência ou um movimento. Ela defende que é necessário estar sensível às novas possibilidades e lista alguns movimentos que estão à espera de investimento:

horizontes gastronômicos Agora é a hora para a indústria fazer parcerias! O surgi-

da economia, em 2010, fique acima de

mento das gastroboutiques de chocolates, queijos, azeites,

10%, em termos reais e acredita que o

cafeterias e confeitarias, conciliando design, arte e indul-

país tem condições de crescer em rit-

gência, instaura um novo formato alimentar com quilome-

mo entre 5% e 8%, no varejo, pelos

tragem não apenas para o mercado luxo, como também

próximos anos.

para a classe média.

independente do setor, é crucial estar conectado com as transformações e buscar educar o olhar para o

inspiração Em uma época em que os profissionais são tão exigidos

futuro. Serrentino defende que há e

em inovação, criatividade e pensamento não-linear, não é o

continuará havendo espaço em todos

caso de repensar a arquitetura dos ambientes de trabalho?

os segmentos e regiões para as em-

é preciso transformar seus locais de trabalho para criar am-

presas que souberem interpretar as

bientes mais estimulantes à inovação. Espaços coloridos,

mudanças e oportunidades no merca-

confortáveis, que permitem o toque pessoal de quem ali

do. E a autora Beth dá mais uma dica:

trabalhar.

existem segmentos ainda inexplorados, com inúmeras possibilidades e as

Economia do Bem-Estar

oportunidades virão com o conheci-

O debate contemporâneo de saúde tornou-se uma re-

mento sobre a sociedade consumidora

flexão sobre estilo de vida, incluindo hábitos, equilíbrio,

e os seus anseios.

alimentação e exercícios. temas que integram um novo movimento: a Economia do Bem-Estar. Essa economia se transformou em uma das maiores vertentes de crescimento mundial da atualidade, criando negócios e oportunidades nos mais variados setores, como cos-

Sugestões de Leitura: DESEJOS COntEmPOrânEOS: PAtChWOrK DE tEnDênCiAS, iDEiAS E nEGóCiOS Em tEmPOS DE PArADOXOS Autora: Beth Furtado Editora: Gouveia de Souza inOvAçõES nO vArEJO: DECiFrAnDO O quEBrACABEçA DO COnSumiDOr Autor: Alberto Serrentino Editora: Gouveia de Souza

méticos, estética, seguros, viagens, fitness e gastronomia.

Simplicidade A busca pela simplicidade é tendência e a diminuição da expressão exibicionista também. O tamanho das marcas diminui nos produtos e mal aparece em muitas fachadas.

Fonte: Desejos Contemporâneos: Patchwork de tendências, ideias e negócios em tempos de paradoxos, de beth Furtado.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

45


46

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


D

inâmica. talvez seja esta

danças consideráveis é o tecnológico.

oportunidade, tanto para empresas,

a característica que me-

hoje, 38% da população têm acesso

instituições de ensino e profissionais

lhor defina a realidade da

à internet, ou seja, 65,7 milhões de

em busca de um local no mercado de

sociedade brasileira. O instituto Brasi-

brasileiros, e destes, 55 milhões usam

trabalho. Para gilson Schwartz, doutor

leiro de Geografia e Estatística (iBGE)

as redes sociais. Amorim também in-

em economia e autor de “As Profis-

revela que em virtude das políticas pú-

forma que o e-commerce no País, fe-

sões do Futuro”, o profissional do fu-

blicas de atenção à saúde, a expectati-

chou 2009 com faturamento médio de

turo necessita ser um eterno aprendiz

va de vida do brasileiro ao nascer é de

r$ 7,2 bilhões.

e quanto mais versátil, melhor! “Os

73 anos, bem diferente do registrado

Dados de pesquisas mostram que a

diplomas deveriam ser dados com pra-

na década de 50, quando este número

economia também tem acompanhan-

zos de validade. não basta ter uma

não ultrapassava os 51 anos.

do essas transformações e moderni-

competência, é preciso ser competiti-

nos últimos sete anos, a Classe mé-

zações, além do consumo, comporta-

vo. Estar disposto a reformular e atu-

dia teve um acréscimo de 32 milhões

mento e informação. Sustentabilidade,

alizar continuamente conhecimentos,

de pessoas, chegando em 2010, a 103

responsabilidade empresarial, redes

habilidades e atitudes. Seja qual for a

milhões, e com perspectiva para ultra-

sociais, múltiplos formatos de venda

especialidade ou setor, o trabalhador

passar os 113 milhões, daqui a quatro

e o relacionamento entre marcas e

do futuro precisa estar habituado à

anos. As classes C e D hoje superam o

clientes são palavras de ordem do va-

gestão do próprio conhecimento”, pon-

poder de consumo da classe B e, neste

rejo do futuro. E para atender a essas

tua Schwartz.

ano, espera-se que 2,2 milhões de em-

demandas são necessários profissio-

mas se a sociedade mudou e as

pregos formais sejam criados.

nais qualificados e aptos a exercerem

demandas também, onde está o mer-

novas funções em uma sociedade tão

cado de trabalho? Schwartz afirma que

dinâmica.

já não basta olhar os cadernos de clas-

De acordo com o economista e jornalista Paulo henrique Amorim, em 1970, a família média brasileira gastava 45% da sua renda em comida. hoje

sificados ou sonhar com um emprego

Perfil Profissional

que se enquadre na sua qualificação.

gasta, em média, 18%. E o Brasil, que

Olhar para esta sociedade em

Para ele, a nova economia exige de

nos anos 60 importava 100% do trigo

constante processo de mudança é uma

empresários e trabalhadores inteli-

que consumia e comprava do exterior

gência, conhecimento e capacida-

o leite, a carne, o feijão e o arroz, nes-

de para adaptação à inovação

te ano tem a expectativa de uma safra

constante no entorno do

recorde, com 147 milhões de toneladas

trabalho, da empresa e

de grãos colhidos. Amorim revela que

da economia. “Ago-

o aumento da safra será de 9%, enquanto a ampliação da área plantada

ra, cada indivíduo precisa

acompanhar

o

será de apenas 0,1% e que segundo

conjunto dos setores da economia

a Organização das nações unidas para

e estar preparado a mudar a própria

Agricultura e Alimentação, o Brasil terá

qualificação profissional. é o trabalha-

de longe o mais rápido crescimento

dor que precisa se adaptar com rapi-

agrícola do mundo, nos próximos dez

dez ao mercado, em vez de aguardar

anos, com expansão superior a 40%.

que surjam oportunidades que corres-

“O Brasil resolveu nos últimos tempos

pondam ao seu perfil atual”, enfatiza.

os dois maiores desafios tecnológicos que tinha nos anos 70: a produção de comida e o abastecimento de energia”, salienta Amorim. Outro setor que apresenta mu-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

47


O autor também

dos espaços de lazer e solidariedade

máquina de escrever concentrado em

acredita que o setor

e a disseminação do entretenimento

“bater” um texto. São cenas que há

de serviços, que é o

e da qualidade de vida como priorida-

muito não se vê.

maior

responsável

des sociais. Schwartz cita

pela geração de em-

como exemplos de profis-

evolução

prego no Brasil, exi-

sões do futuro o designer,

de, das tecnologias e

ge níveis mais altos

gerente de comunidades,

do próprio mercado de

de qualificação e os

engenheiro genético, ge-

trabalho, algumas ocu-

setores de informá-

rente de Ong, marketeiro

pações desapareceram,

tica,

telecomunica-

político, assistente social,

outras têm uma repre-

ções e lazer estão em expansão e são

terapeuta, produtor cultu-

sentação mínima e já

dinâmicos. “no setor de lazer e entrete-

ral e missionário.

nem são consideradas

Sob os efeitos da da

socieda-

nimento, cada vez mais oportunidades

Por fim, Schwartz pontua que a

como profissões. Ou, como prefere

surgem em música, cinema, televisão,

essência da nova era do trabalho é a

mencionar a coordenadora da Classifi-

publicidade e multimídia. A internet cria

capacidade de atuar em equipes, tan-

cação Brasileira de Ocupações (CBO),

novas necessidades”, pontua.

to quanto a capacidade de desempe-

Claudia Paiva, transformam-se, rece-

nhar funções variadas em incontáveis

bendo novas atribuições e uma de-

especialidades e para os

nominação mais “moderna”. “é difícil

novas profissões é bem verdade que

profissionais de hoje de

citar alguma ocupação excluída, tendo

o uso das tecnologias foi

amanhã, dá um conse-

em vista que só podemos excluir uma

responsável pela extermi-

lho: cultivar a própria

determinada ocupação da CBO, quan-

nação de muitas empre-

formação. “Acreditar que

do houver garantias de que a mesma

sas, profissões e até mes-

o currículo já é excelente,

não existe em qualquer região do País.

mo setores econômicos.

imaginar que a posição

O que mais acontece é a mutação do

mas ao mesmo tempo

alcançada, deixar o tem-

conteúdo ocupacional, principalmente

surgem novos negócios,

po passar sem investir na

em função da inserção de novas tec-

transformam

própria formação significa encolhê-lo e

nologias”. A especialista do ministério

ocupações antigas ou criam profissões

tornar-se menos qualificado e compe-

do trabalho dá como exemplo a pro-

realmente inéditas, como nanomédico,

titivo”, avalia.

fissão de datilógrafo, transformada em

novos

mercados,

que

farmagranjeiro e policial do clima.

Em qualquer área, empresa ou de-

digitador, que por sinal, com o inter-

hoje exige-se, e no amanhã será

partamento que o futuro profissional

médio de leitoras de códigos de barra

fundamental, que o profissional requi-

pretenda trabalhar, é indispensável a

ou caracteres, dispensa a digitação da

sitado pelas companhias saiba muito

sua capacidade de aprendizado per-

informação.

sobre diversas áreas, seja multifun-

manente. Ele precisa ser um eterno

cional. “Em vez do especialista em ge-

aprendiz, estudante ou pes-

neralidades, é preciso que saiba mui-

quisador, sempre!

to sobre várias coisas. talvez não se trate propriamente de um generalista,

Saudosismo

mas de um indivíduo com múltiplas

um entregador batendo,

habilidades, capaz de exercer várias

pela manhã, na porta das ca-

funções. A inteligência é o futuro da

sas com sua cesta de pães e

moeda!”, diz Schwartz.

leite. O simpático, falante e

Ele defende que há uma demanda

insistente, vendedor da en-

permanente e crescente pela huma-

ciclopédia Barsa ou o dati-

nização dos serviços, pela ampliação

lógrafo sentado em frente à

48

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


A última grande revisão da lista oficial das ocupações profissionais

instituições de Ensino

Para Schwartz, estas instituições

Assim como empreendedores do va-

estão com um atraso no quesito quali-

brasileiras, que incluiu a alteração da

rejo devem estar atentos aos indicado-

ficação dos trabalhadores do amanhã.

metodologia, foi realizada em 2002.

res sociais e econômicos de ontem, hoje

“A velocidade das mudanças no pro-

Porém, são feitas atualizações anuais

e amanhã, as instituições de ensino, de

cesso de distribuição de inteligência

para inclusão de novas ocupações. Se-

diferentes esferas e níveis educacionais,

é muito maior que a disposição dos

gundo Claudia Paiva, no ano passado,

precisam acompanhar as mudanças pe-

professores, gestores e políticos que

foram incluídas 30 ocupações no docu-

las quais a sociedade passa. Afinal, são

atuam na área educacional de mudar,

mento. “A grande maioria das atualiza-

elas que prepararam os profissionais

abrir o sistema e admitir a experimen-

ções realizadas em 2009 tiveram como

para o mercado de trabalho.

tação”, salienta. Ele também acrescen-

objetivo principal a inclusão dos profis-

ito vieira, diretor de Educação Pro-

ta que são comuns as declarações de

sionais tecnólogos na CBO. Foi desen-

fissional e tecnologia do Senac Paraná,

empresas reclamando da escassez de

volvido um estudo prévio, com vistas

salienta que as instituições de ensino

profissionais especializados. “há uma

a mapear os profissionais tecnólogos

precisam realizar, permanentemente,

percepção bastante ampla de que as

no mercado de trabalho e aqueles que

um diagnóstico de tendência do mer-

universidades e os cursos técnicos ain-

tiveram representatividade maior”, ex-

cado de profissões e demandas reais

da não formam os profissionais de que

plica. Foram inseridas, entre outras,

por formação profissional. “é indispen-

o mercado precisa”, diz o autor.

as profissões de tecnólogo em meio

sável que as instituições de ensino ava-

Para o professor João

ambiente, construção civil, alimentos e

liem continuamente a real utilização

Antônio zuffo, a evo-

gastronomia.

do conhecimento transmitido a seus

lução

Ao longo dos anos, o número de

egressos. Ao mensurar sua performan-

provocará gran-

profissões descritas na CBO aumentou

ce, podem identificar necessidades de

des mudanças

consideravelmente, em torno de 18%.

correção de seu rumo de atuação, não

na socieda-

A primeira listagem, de 1982, possuía

só quanto a novas profissões

de e

2.080 ocupações. A de 1994 registrava

também para ajustar e

2.356, em 2002 havia 2.422 e a última

inovar aquilo que já

atualização

faz”, complementa

contabiliza

2.498 profissões.

como

tecnológica

População

o diretor.

mundial:

2008: 6,5 bi

de pessoas

2030: 8,3 bi

de pessoas

Classe Expectativa

ira: média Brasile

de vida:

1950: 51 ano s 2010: 73 ano s 2050: 81 ano s

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

1995: representa 36% va 2010: representa 53% va

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

49


na maneira das pessoas se relaciona-

dão um verdadeiro up grade nas tra-

profissional, por meio de seus cursos

rem e salienta que as mudanças mais

dicionais funções de babá e dama de

de aperfeiçoamento e especialização,

perceptíveis serão na desurbanização,

companhia. Como a mulher tem pas-

a todo o Estado. Sua proposta peda-

no ensino individualizado e à distância

sado mais e mais horas fora de casa,

gógica, inclusive, é mesclar a carga

e na produção sob demanda, ao invés

no trabalho, quer ter uma pessoa tão

horária presencial e o conteúdo a dis-

da produção em massa, característica

qualificada e dedicada quanto ela to-

tância, na chamada educação flexível.

da sociedade industrial.

mando conta de sua família. nem que

Outra modalidade, a ser implementada

Atento às demandas da sociedade,

pague a mais por isso. A instituição

em breve, são os cursos tecnólogos em

o Senac Paraná já oferta cursos como

também aposta no ensino a distância,

consonância com a real inovação e mo-

o de Cuidador infantil e de idosos, que

como forma de levar a qualificação

dernização que o mercado exige.

Exemplos de profissões que mais evoluem, crescem e inovam:                     

50

Engenharia ambiental Analista de empresas e empregos Assessoria financeira e de pessoal Analista de sistemas Administradores de redes Especialistas em treinamento e Desenvolvimento gerentes de vendas Consultores de vendas tutores de Educação a Distância Advogados Gestores de situações de emergência Cuidador de idosos Cuidador infantil Profissional de apoio à medicina paliativa Profissional de imagem pessoal (moda e beleza) Profissional de gastronomia Profissional de segurança de redes Gerente de sistema de computação monitores de segurança (pessoal, patrimonial, financeira e documental) Consultor financeiro Paramédicos

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Sugestões de Leitura: AS PrOFiSSõES DO FuturO Autor:Gilson Schwartz Editora: Publifolha

julho

|

agosto 2010


Cerimônia e festa para

Fecomércio Mg

a posse da diretoria da Fecomércio mg e estaduais, prefeitos, além de convidados de entidades de classe como Fiemg, Faemg, Feaduaneiros, Febrac, indi, CDl, Federaminas, entre outras. A cerimônia foi sucedida por uma grandiosa festa, da qual participaram os convidados e colaboradores da Fecomércio minas. Os discursos proferidos evento

durante

o

abordaram

O Sistema Fecomércio minas, Sesc

A solenidade contou com a presen-

principalmente a renovação sem pre-

e Senac empossou sua diretoria, lide-

ça dos presidentes de federações do

juízo da experiência, pela mudança

rada pelo empresário lázaro luiz Gon-

comércio de diversos estados, inclusive

de cultura, integração e ampliação do

zaga, em cerimônia realizada no Ouro

do Sistema Fecomércio Sesc Senac Pa-

Sistema rumo ao interior mineiro, além

minas Palace hotel, na noite, dia 30 de

raná, Darci Piana, de ministros da re-

de foco voltado para o fortalecimento

agosto, para o quadriênio 2010-2014.

pública, senadores, deputados federais

da base: os sindicatos filiados.

Santa Catarina empossa diretoria O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Pr, Darci Piana, participou, em agosto, da solenidade de posse da nova diretoria da Fecomércio SC. O empresário Bruno Breithaupt preside o Sistema Fecomércio de Santa Catarina desde março de 2009, quando assumiu o mandato em decorrência do falecimento do ex-presidente Antônio Edmundo Pacheco, e agora toma posse da presidência da entidade para a gestão 2010-2014. A nova diretoria é formada por vice-presidentes regionais, da Grande Florianópolis, Sul, Planalto Serrano, Oeste, norte e Planalto norte, itajaí e dos setoriais da habitação, serviços, turismo, varejo, atacado, supermercados, comércio farmacêutico.

mAriA jOSÉ PiAnA, ACOmPAnhAnDO O ESPOSO E PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmérCiO SESC SEnAC PArAná, DArCi PiAnA; ADilES DE mArChi E SEu ESPOSO E PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmÉrCiO SESC SEnAC riO grAnDE DO Sul, zilDO DE mArChi E O PrESiDEntE DO SiStEmA FECOmérCiO SESC SEnAC SAntA CAtArinA, BrunO BrEithAuPt

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

51


Um hotel inteiro para ensinar a atender bem Sistema Fecomércio Sesc Senac e grupo Positivo assinam termo de intenções para construção de novo hotel em Curitiba

ROgÉRIO MAINARdES, dO gRuPO POSITIVO; O dIRETOR REgIONAL dO SENAC PARANá, VITOR MONASTIER; O PRESIdENTE dO gRuPO POSITIVO, ORIOVISTO guIMARãES; O PRESIdENTE dO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC, dARCI PIANA; O dIRETOR juRídICO dO SESC PARANá, CARLOS SOTTI E O dIRETOR AdMINISTRATIVO E FINANCEIRO dO SENAC PARANá, EdMuNdO KNAuT, duRANTE ASSINATuRA dO PROTOCOLO dE INTENçõES PARA CONSTRuçãO dO hOTEL-ESCOLA dO SENAC PARANá

O

s hotéis-escola são exem-

viços diferenciados que oferecem. mas

trução de um hotel no campus da

plos concretos de um mo-

a função pedagógica é o verdadeiro

universidade Positivo (uP). Será o pri-

delo educacional criado no

motivo de seu funcionamento. nesses

meiro hotel-escola do Senac Paraná e

fim dos anos 60 pelo Senac e que hoje

locais, os alunos vivenciam situações

também da região Sul do País. O pro-

integra o hotel Grogotó (mG), Grande

reais de trabalho, de modo a conciliar

tocolo foi assinado pelo presidente do

hotel São Pedro (SP), Grande hotel

plenamente a teoria e a prática.

Sistema Fecomércio Sesc Senac, Darci

Campos do Jordão (SP), hotel ilha do

A seleta lista de hotéis-escola vai

Boi (ES), hotel Senac Guaramiranga

receber um novo componente, em ter-

(CE) e hotel-escola Senac Barreira

ritório paranaense. no mês de agos-

“Vamos adicionar às disciplinas

roxa (rn). São empreendimentos fa-

to, o Sistema Fecomércio Sesc Senac

teóricas, a prática profissional em um

mosos pelo requinte e pela qualidade

Paraná e o grupo Positivo assinaram

ambiente que vive a hospitalidade 24

de atendimento, bem como pelos ser-

o protocolo de intenções para a cons-

horas por dia. Os estudantes se inte-

52

S S II S S TT E EM MA A FF E EC CO OM MÉ ÉR RC C II O O S SE ES SC C S SE EN NA AC C P PR R

Piana e pelo presidente do Grupo Positivo, Oriovisto Guimarães.

jj uu ll hh oo

||

aa gg oo ss tt oo 22 00 11 00


gRANdE hOTEL SãO PEdRO, EM SãO PAuLO

gram à equipe do hotel, sempre com

O diretor de Educação Profissional

o teatro Positivo - Grande Auditório,

a supervisão atenta de instrutores”,

e tecnologia do Senac, ito vieira, visu-

o teatro Positivo - Pequeno Auditório

diz Piana. Ele destaca que esta é mais

aliza, através deste protocolo de inten-

e o Centro de Eventos Expo unimed

uma parceria do Sistema Fecomércio

ções, a oportunidade para que os cur-

Curitiba.

Sesc Senac com o grupo Positivo. “no

sos na área de gastronomia, hotelaria

ano passado, nessa mesma época, as-

e turismo do Senac venham a ser com-

sinamos um termo de cooperação téc-

plementados com a parte prática, de

nica para realização de cursos da área

modo a consolidar conhecimentos pelo

O hotel-escola paranaense vai se-

de tecnologia”, completa.

trabalho concreto. “isso trará para a

guir os moldes dos demais estabele-

“O benefício mútuo que esse hotel

educação profissional das famílias ocu-

cimentos de hospedagem pedagógi-

trará ao grupo Positivo e ao Sistema

pacionais dos setores hoteleiro e turís-

cos, a exemplo do Grande hotel São

Fecomércio Sesc Senac será a visibili-

tico, com certeza absoluta, a qualidade

Pedro. localizado a 180 quilômetros

dade, pois irá atender a grandes even-

de educação tão necessária”.

de São Paulo, em uma área verde de

Grande hotel São Pedro: uma aula de hospedagem

tos e elevado número de pessoas”,

O novo empreendimento terá 108

330 mil m² no município de águas de

afirma Oriovisto Guimarães. Este “efei-

apartamentos, nove pavimentos e

São Pedro, uma relaxante estância

to colateral”, graceja ele, é o intangível

8.677 m². O projeto é do renomado

hidromineral.

que motiva a construção, que cria a

arquiteto manoel Coelho. Depois de

Com imponente arquitetura Art

sinergia de ações entre o Positivo e ao

pronto, completará o complexo da uni-

Déco, rodeado por jardins e bosques

Sistema Fecomércio Sesc Senac.

versidade Positivo, que já conta com

projetados ao glamour da década de

www.fecomerciopr.com.br www.fecomerciopr.com.br || www.sescpr.com.br www.sescpr.com.br || www.pr.senac.br www.pr.senac.br

S S II S S TT E EM MA A FF E EC CO OM MÉ ÉR RC C II O O S SE ES SC C S SE EN NA AC C P PR R

53


que são orientados e supervisionados por profissionais, uma regra seguida com rigor, para que a qualidade dos serviços prestados jamais seja posta em dúvida. todos os funcionários do hotel são treinados para aliar as suas funções do dia a dia ao comprometimento pedagógico com os futuros profissionais. muitos destes alunos, após terminarem o curso, são contratados efetivamente, tanto que hoje, 80% do corpo gerencial é formado por ex-alunos. Complexo, o formato operacional e gerencial de um hotel-escola, semelhante ao existente no Senac São Paulo, dificilmente poderia ser reproduzido em um hotel comercial. não, sem profundas adaptações. é o que acredita o gerente geral do charmoso Grande hotel, Paulo mélega. “A gestão de um hotel-escola pressupõe, por exemplo, que o hóspede não é o único cliente do hotel, mas compartilha esta posição em igualdade de importância com o aluno. é uma mudança de enfoque, que muda a cultura organizacional do estabelecimento como um todo”, explica. Ele relata que são necessárias políticas de treinamento especiais, a fim de capacitar os funcionários do ponto de vista téc-

ESPAçOS dO gRANdE hOTEL SãO PEdRO

nico e pedagógico, pois, afinal, todos eles são de fato educadores.

40, além das belíssimas instalações e

massagem com turbilhão e cascata,

“A decisão sobre serviços próprios

da estrelada gastronomia, oferece uma

saunas seca e a vapor, duchas escoce-

ou terceirizados, por exemplo, não

infraestrutura completa para quem

sa e circular, serviço de salão de bele-

passa apenas pelo crivo financeiro,

vem a lazer ou a trabalho. Dispõe de

za, massagens e tratamentos estéticos

pois devemos entender se tal serviço

um campo de golfe recém instalado,

faciais e corporais. São diversos deta-

terá impacto na formação do aluno

driving range, para quem deseja prati-

lhes cuidadosamente pensados para

que faz a prática profissional. todas

car as primeiras tacadas, piscinas, aca-

traduzir um alto padrão em serviços

as decisões gerenciais devem levar

demia, quadras poliesportivas e ampla

e facilidades exclusivas para os mais

em conta os impactos gerados para os

programação de lazer. O hotel oferece

exigentes hóspedes.

hóspedes, funcionários e alunos”, ava-

o health club, que conta com banhos

Os estudantes se integram à equi-

de imersão em água sulfurosa, hidro-

pe do hotel, tornando-se estagiários

54

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

lia mélega. Em síntese, o desafio de gestão

julho

|

agosto 2010


F22 STudIO

OriOviStO GuimArãES é O nOvO "GuErrEirO DO PArAná"

de um hotel-escola está em gerenciar um hotel de caráter comercial,

“Guerreiro do Paraná” Parceiro do Sistema Fecomér-

e ressaltou que não teria conse-

cio Sesc Senac nas ações visando a

guido tal sucesso sem o apoio de

formação profissional, o empresá-

seus sócios, diretores e de todos

rio Oriovisto Guimarães, do Grupo

os funcionários. “vocês estão ho-

Positivo, recebeu em agosto passa-

menageando todos esses parana-

do o troféu "Guerreiro do Paraná",

enses que fazem parte do Grupo

concedido pelo movimento Pró-

Positivo. ninguém faz nada sozi-

melhorias substanciais ao padrão

Paraná, presidido pelo empresário

nho”, declarou.

dos profissionais de hotelaria, gas-

jonel Chede. A entrega da honraria

O prêmio "Guerreiro do Pa-

tronomia e turismo.

aconteceu em concorrido almoço

raná" foi criado para preservar e

no graciosa Country Club e teve

exaltar os nomes genuinamente

por objetivo reconhecer a contri-

paranaenses, que ajudam a cons-

buição do empresário e de suas

truir a identidade do Estado e

empresas à educação do Paraná e

romper fronteiras. O presidente do

à projeção do Estado para todo o

Sistema Fecomércio Sesc Senac,

Brasil e outros países.

Darci Piana, compareceu ao even-

com todas as situações operacionais convencionais, somando-se à gestão de um complexo educacional, com características pedagógicas bem definidas. Complexidade esta, revertida em conhecimento e, certamente,

Em seu discurso, o empre-

to, prestigiando o homenageado.

sário agradeceu a homenagem

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

55


Fecomércio AP inaugura nova sede O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Pr, Darci Piana, participou no mês de agosto, da inauguração da nova sede da Federação do Comércio do Amapá e da solenidade de posse da nova diretoria da instituição, presidida pelo empresário ladislao Pedroso monte. A nova sede abriga, também, em suas instalações, a primeira Cooperativa de Crédito de Empresários do estado, e pretende, ao lado das entidades parceiras, dar suporte às atividades econômicas desempenhadas em prol do desenvolvimento do comércio amapaense. Além disso, o prédio é composto por ambientes modernos, entre

O VICE-PRESIdENTE dA CNC, LÉLIO CARNEIRO; O PRESIdENTE dO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR, dARCI PIANA; O PRESIdENTE dO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC/AP, LAdISLAO PEdROSO MONTE; O PRESIdENTE dA ASSOCIAçãO COMERCIAL E INduSTRIAL dO AMAPá (ACIA), gILbERTO LAuRINdO E O PRESIdENTE dO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC/AM, RObERTO TRAdOS, quE REPRESENTOu O PRESIdENTE dA CNC, ANTONIO OLIVEIRA SANTOS

auditório, biblioteca, divisões jurídica e

prédio da instituição será construído o

lhorias e ampliar a oferta de serviços

de comunicação e sala de reuniões.

Condomínio Centro Cultural Sesc/Fe-

disponibilizados pelas instituições, na

comércio, que visa proporcionar me-

capital.

no local onde funcionava o antigo

Erradicação do trabalho infantil Para conscientizar a sociedade pa-

no Paraná (FEti-Pr) e Federação dos

são da Ação Social do Sesc Paraná, que

ranaense de que o trabalho precoce

trabalhadores na Agricultura do Esta-

busca através de seus projetos a pro-

penaliza crianças e adolescentes e

do do Paraná (Fetaep) e comunidade.

moção da articulação de redes com o

pode incidir riscos à saúde e suprimir

Os encontros aconteceram nos

foco na emancipação social e na auto-

a infância, o Sesc Paraná promove três

meses de junho e junho, nas cidades

nomia do sujeito, impulsionando a res-

seminários de Erradicação do trabalho

de guarapuava, Pato Branco e Foz do

ponsabilidade social empresarial.

infantil, através de uma ação conjunta

iguaçu, com palestras da auditora fis-

Para a gerente de Ação Social do

ao Serviço nacional de Aprendizagem

cal do trabalho da Superintendência

Sesc Paraná, Elisangela Domingues,

rural do Estado do Paraná (Senar),

regional do trabalho e Emprego no

o formato de discussão alcançou não

Câmara da mulher Empreendedora e

Paraná, Fernanda matzenbacher e do

apenas os municípios que sediaram o

Gestora de negócios (CmEG), Fórum

médico auditor fiscal do trabalho, hans

evento, mas superou a abrangência

de Erradicação do trabalho infantil

jurgen Franke. Ao todo, 500 pessoas

de 50 cidades do Paraná. "tivemos a

foram mobilizadas, entre profissionais

convicção que o tema é de relevância

da área, gestores municipais, impren-

para a comunidade. Foram inúmeras

sa, presidentes de sindicatos, empre-

as solicitações para a continuidade

sários e outros multiplicadores.

do projeto", revela a gerente.

Este projeto vai de encontro à mis-

56

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

57


t

odo bom atleta precisa ser,

dos que usa, e às refeições, me-

também, um bom admi-

dicamentos e hidratação.

nistrador e para isso deve

uma das exigências do Sesc

reunir características e atributos des-

para que o atleta possa compe-

se profissional. é fundamental que

tir nesta prova é a apresentação

ele saiba planejar, traçar um plano

de um atestado médico. Antes de

de ação, organizar e assegurar-se

ser documento essencial para a

que tudo ocorrerá de acordo com o

realização da prova, é um cuida-

delineado. mas como isso se aplica a

do que o atleta tem com a sua

um maratonista?

própria saúde, afinal, ele pode

De acordo com o médico espe-

revelar problemas e evitar com-

cialista em medicina do Exercício e

plicações em caso de prática de

do Esporte, marcelo leitão, o atleta

exercício físico. leitão salienta

que participa de uma prova como a

que o clínico geral, o cardiologis-

maratona internacional de Foz do

ta e o especialista em medicina

iguaçu Sesc Pr, deve ter uma pre-

do exercício físico são os profis-

paração

adequada.

“É preciso planejar a prova com os treinos e o atleta não pode se exceder em relação ao nível de esforço ao qual está acostumado. Este planejamento não envolve apenas o treino físico, mas uma série de outros deta-

sionais

da

mÉDiCO ESPECiALiStA Em mEDiCinA DO EXErCíCiO E DO ESPOrtE, mArCElO lEitãO

saúde

devem ter sido utilizados e aprovados

“É preciso planejar a prova com os treinos e o atleta não pode se exceder em relação ao nível de esforço ao qual está acostumado"

mais aptos a efetuarem

pelo maratonista. “um calçado impró-

essas liberações.

prio pode ocasionar uma pisada inade-

– Dr. mArCElO lEitãO –

Com relação ao uso

quada e se isso acontecer, pode levar o

de roupas, o médico re-

atleta a ter lesões nos pés, tornozelos,

comenda que o atleta

joelhos, no quadril e até mesmo na

opte pelas mais leves,

coluna lombar. Então é importantíssi-

confortáveis e que sejam

mo o cuidado com o calçado que será

confeccionadas em te-

utilizado para este tipo de atividade”,

cidos permeáveis e que

lembra o médico.

facilitem a evaporação

Para que o atleta aumente suas re-

do suor. Ele lembra que

servas energéticas, o seu jantar do dia

as roupas claras são re-

anterior ao da competição deve ser rico

comprometer a saú-

fletoras de luz, o que aju-

em carboidratos, ou seja, farto em mas-

de”, lembra o médico.

da a evitar a elevação da

sas, batatas e frutas. Já, no café da ma-

Outra habilidade que o atleta deve

temperatura corporal pelos raios so-

nhã do dia da prova, o médico enfatiza

ter em mente é a organização, e para

lares. O cuidado também estende-se

que o maratonista deve ingerir uma re-

isso, deve estar atento a detalhes

aos pés! Os calçados devem ser apro-

feição leve, sem gorduras ou proteínas.

como visita ao médico, roupas e calça-

priados para a prática de corridas e já

“Outra boa dica é lembrar de se hidratar

lhes que se não forem cumpridos podem

58

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


sempre, mas sem exageros e o uso de

isotônicos, além de placas de sinali-

excessivo de papel e a derrubada de

medicamentos só pode ser feito com

zação e policiamento.

árvores.

prescrição médica”, alerta.

E os cuidados vão além da estru-

Outras novidades são os dois

tomando todos esses cuidados, o

tura, da qualidade técnica da prova

carros-madrinha que serão elétricos,

médico salienta que não há nenhum

e da promoção do bem-estar físico.

fornecidos pela itaipu Binacional, e

problema na prática esportiva, afinal,

A maratona internacional de Foz do

guiarão os pelotões de elite masculi-

exercício físico deve promover saúde.

iguaçu Sesc Pr, é realizada em par-

no e feminino. todo o lixo produzido

ceria com a itaipu Binacional, Par-

durante a maratona será recolhido e

que nacional do iguaçu e Prefeitura

dado o destino correto através de uma

O planejamento não se resu-

e com o apoio do Sindicato Patro-

associação de reciclagem.

me apenas aos atletas, a organiza-

nal do Comércio Varejista de Foz do

Ao atleta será entregue um porta-

ção do evento está preparada para

iguaçu e Caixa Econômica Federal é

tênis produzido com lonas de banners

a realização da prova, no dia 26 de

ambientalmente responsável. Para

institucionais reutilizados e troféus e

setembro. Para assegurar que tudo

comprovar isso, neste ano, não serão

medalhas não conterão chumbo e se-

ocorra segundo o planejado, no de-

impressos regulamentos e informa-

rão feitos com mDF e vidro.

correr dos 42.195 metros, os partici-

ções ao atleta. todos os dados refe-

pantes terão a sua disposição postos

rentes à prova estão disponíveis no

de atendimento médico, distribuição

site da instituição (www.sescpr.com.

de água, banheiros químicos, frutas,

br). Com esta ação, evita-se o uso

A prova

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

59


Educação e emprego

nas gôndolas do supermercado Curso de Aprendizagem em Serviços de Supermercado, do Senac londrina e do Super muffato, proporciona o primeiro emprego para jovens

E

les são aproximadamente

de 18 a 24 anos, apenas 6.265.825

sidade, com suas despesas garantidas

18% da População Econo-

estavam empregados segundo a rAiS

pelos pais. E quanto àqueles que não

micamente Ativa (PEA, ou

(relação Anual de informações So-

têm essa mesma sorte e precisam de

seja, a parcela da população ocupada

ciais) do ano base de 2006. Ou seja,

trabalho para pagar os estudos e ainda

e a desocupada, aptas a exercer uma

praticamente 82% dos jovens estavam

sustentar a casa?

atividade econômica). no entanto, dos

desempregados. é claro que uma boa

Os minguados empregos disponí-

mais de 34 milhões de jovens do País,

parcela desse pessoal está na univer-

veis e o currículo em branco são as

60

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Ewerton Cesar

APrEnDiz luBiA AnDrESSA mOrEirA LOPES

APrEnDiz EmmE AnnE Ortiz

VALDECi DOS SAntOS gALhArDi, gErEntE DA lOJA SuPEr muFFAtO tirADEntES

barreiras enfrentadas pelos jovens. Por

Senac e ao muffato”, afirma Emme,

na, Sidnei Lopes de Oliveira, esta é

isso, Emme Anne Ortiz e lubia Andres-

contratada para atuar no setor de re-

uma grande parceria entre as institui-

sa moreira Lopes, ambas com 16 anos,

cursos humanos.

ções, pois o Senac está auxiliando a

não pensaram duas vezes quando lhes apareceu a oportunidade de participar

rede muffato a cumprir sua demanda

Aprendizagem de fato

legal. Além da responsabilidade social

do curso de Aprendizagem em Servi-

O curso teve início em agosto e vai

evidenciada nessa atuação. Destaca

ços de Supermercado, do Senac lon-

até julho de 2011. A rotina dos alunos é

ainda, que cada vez mais as empresas

drina e do Super muffato.

dividida entre as aulas profissionalizan-

necessitam de profissionais altamente

“O programa contribui para que

tes no Centro de Educação Profissional

qualificados, seja através de programas

cada dia eu tenha mais conhecimentos

(CEP) do Senac, a prática profissional na

de aprendizagem ou outros cursos de

sobre o mercado de trabalho. Quando

empresa e o ensino regular. mesmo com

capacitação e aperfeiçoamento, desen-

acabar o contrato, terei experiência e

a pouca idade, faz parte da formação

volvidos de maneira customizada para

terei condições de executar atividades

aprender a conciliar o tempo.

as reais necessidades de cada organiza-

de forma profissional”, relata a apren-

De acordo com a coordenadora do

ção. “Este programa permitirá isso, pois

diz Lubia Andressa moreira Lopes. Sua

curso de aprendizagem, mariza Pinheiro

100% dos jovens foram contratados

meta é evoluir, crescer sempre e tor-

Bortolossi de Souza, o Senac, em par-

pelo Super muffato, respeitando a lei

nar-se uma pessoa ainda mais respon-

ceiria com as empresas do comércio, de

específica, e passarão por capacitação

sável. Sem pretensões, ela quer ser

bens, serviços e turismo, garante o de-

teórica e pela prática nas lojas da rede

exemplo para os colegas mais novos.

senvolvimento do Programa de Aprendi-

em londrina”, considera Sidnei.

Em seu primeiro emprego com carteira

zagem na íntegra. Ou seja, a qualifica-

O diretor regional do Senac Paraná,

assinada, trabalha com responsabilida-

ção profissional e a inserção no mercado

vitor monastier, enfatiza a alta quali-

de e seriedade, pois sabe que esta é

de trabalho ocorrem simultaneamente.

dade do curso, tanto pelas instalações

uma chance imperdível.

“temos, em nossa região, empresas de

físicas da escola, quanto pelo material

“Acho muito interessante a expe-

sucesso e grande representatividade. A

didático e instrutores.

riência de ser aprendiz. O programa

irmãos muffato e Cia. ltda. percebeu

ajudará na minha vida profissional e,

a importância do programa e aderiu de

permercadista

consequentemente, no meu futuro. me

forma exclusiva, promovendo a qualifi-

aprendizagem torna-se extremamente

sinto satisfeita com o programa porque

cação e inserção dos jovens na vida pro-

importante dado ao elevado número

estou sendo preparada para o merca-

fissional”, enaltece mariza.

de funcionários que os supermercados

do de trabalho e por isso sou grata ao

Para o diretor do CEP de londri-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

“A participação do segmento sunesse

processo

de

possuem”.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

61


Precocidade A experiência desses aprendizes relembra a trajetória de muitos profissionais tarimbados, que começaram a trabalhar com 14 ou 15 anos. “Quando temos profissionais iniciando com essa

“Os principais benefícios do Programa, são a garantia de mão de obra qualificada para a empresa, que por consequência atenderá melhor às necessidades dos seus clientes. já para os aprendizes, é a certeza de uma capacitação sólida, proporcionada pela ‘grife’ Senac, além de conquistarem um emprego digno, capaz de ajudar no sustento de sua família.”

faixa etária é mais fácil de ensinar. Eles

COnSELhEirO DO SEnAC – Alzir BOCChi –

estão mais suscetíveis a aceitar a filosofia da empresa”, diz o gerente da loja tiradentes do Super muffato, val-

“Este Programa é de grande relevância para a empresa muffato e para os jovens, pois permite que os aprendizes tenham uma formação e atuação na base da empresa, gerando renda e aprendizado prático.”

deci dos Santos galhardi. Além de cumprir com a legislação, a organização acredita que os cursos de aprendizagem podem formar seus

COnSELhEirO DO SEnAC

futuros colaboradores. valdeci con-

– SErGiO GilBErtO BOnOCiElli –

ta que há funcionários que iniciaram como empacotadores e hoje são gerentes de lojas ou de setores inteiros. Antes de aderir ao programa, os receios são inevitáveis. E com o muffato foi a mesma coisa. “Quando fomos convidados a participar do Programa de Aprendizagem ficamos com o pé atrás porque já havíamos passado por

“O Programa de Aprendizagem é excelente para a rede muffato, pois além de praticar a responsabilidade social, permite treinar os jovens de forma customizada. E para os jovens, além do aprendizado teórico e prático, se apresenta a possibilidade real de ser efetivado ao término do programa.”

outros processos. E o Senac nos ofere-

COnSELhEirO DO SEnAC – mArCiO AmériCO Strini –

ceu esse curso, com um formato diferenciado, bem elaborado. As pessoas estão vindo bem preparadas, com uma cabeça aberta”, relata o gerente. um ponto ressaltado por ele é a participação da família dos aprendizes durante a abertura do curso. E espera que esse acompanhamento continue, pois a presença dos pais e responsáveis é muito importante para ensinar aos jovens o verdadeiro valor do salário que vão receber. “O Senac está de parabéns. é nesse sentido que temos que trabalhar, porque através desse caminho conseguiremos formar novos profissionais, cientes de que o conhecimento é exclusivamente seu e ninguém poderá tirar”, almeja.

62

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


Posse na ACP novo presidente estabelece fé, esperança e ética como balizas da entidade

EDSOn JOSé rAmón Em SEu PrOnunCiAmEntO DE POSSE: iniCiAtivA PrivADA nãO PODE SEr EnFrAquECiDA

A fé, a esperança e a ética são

pelo trabalho” e a mãe, Arilda (já fa-

rias. lembrou que só através da capa-

fatores fundamentais no exer-

lecida) que teria lhe ensinado que “o

citação e da qualificação das pessoas é

cício cotidiano de qualquer li-

aprimoramento, o respeito e o apego

que podemos atingir padrões de qua-

aos detalhes embelezam a vida”.

lidade que o nosso país precisa para

derança. Este conceito é defendido por nossa entidade desde que ela surgiu, há

Em seu discurso de posse, ramón

consolidar-se, interna e externamen-

120 anos. E vamos reforçá-lo, fortalecê-

foi direto ao assunto: “A Associação

te, como uma grande nação. “nesse

lo.” Palavras proferidas pelo presidente

Comercial do Paraná, com a sua for-

sentido, quero destacar o importante

da Associação Comercial do Paraná, Ed-

te

institucional,

trabalho da Fiep, da Fecomércio, da

son José ramón, na solenidade realiza-

deve fazer com que seus propósitos se

Faciap, do Sebrae e da própria ACP,

da no dia 9 de agosto, em que tomou

confundam com os desafios de nossa

pelo trabalho vigoroso na formação

posse para um mandato de dois anos à

cidade, de nosso Estado e da nação”.

profissional.”

frente da entidade, substituindo a empresária Avani Slomp rodrigues.

representatividade

relembrou que a livre iniciativa “não

ramón não é mais executivo das

pode ser enfraquecida pela alta carga

suas empresas, nos setores de con-

Kardecista convito, o empresário

tributária, exagerados encargos traba-

cessionárias de veículos, embalagens

cultiva sua espiritualidade com muito

lhistas, elevados patamares de juros”.

plásticas, imobiliário e agropecuário.

zelo e preza pela harmonia familiar.

Para ele, “os gastos do governo devem

Participa dos conselhos, apesar de dia-

não hesita em citar a esposa, Elvira,

ser diminuídos, aumentando a pou-

riamente viver a rotina de uma delas,

os filhos Fábio (casado com Juliana),

pança interna, de modo a propiciar,

em escritório ornamentado com uma

rafael (casado com natália) e João,

com absoluta urgência, a melhoria da

discreta bandeira da Sérvia. Ele é côn-

solteiro. não esquece, também, o

infraestrutura de um modo geral.”

sul deste país no Estado e preside a

neto martin e seu pai, João Antônio,

O novo presidente da ACP também

que segundo ele, “me ensinou o gosto

não esquece a importância das parce-

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

Sociedade do Corpo Consular no Estado do Paraná.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

63


Q

ual a mulher que nunca

muitas vezes, sua posição social.

seja o mesmo motivo que leva uma

parou em frente a uma vi-

Para avaliar o tamanho do feti-

mulher a pintar as unhas, usar botas

trine para admirar os inú-

che principalmente feminino basta

ou lingeries diferentes. tem muito a

meros modelos de calçados e cobiçou

lembrar-se de quantos pares de calça-

ver com a intimidade e o universo fe-

alguns pares? independente das esta-

dos uma mulher tem em seu guarda-

mininos”, analisa.

ções do ano, presenciamos (principal-

roupas, ou quantos deles ela leva em

mente as mulheres), estas verdadeiras

uma viagem. Certamente muito mais

exposições no comércio, e o que de-

do que o necessário! O presidente do

Com a intenção de repassar a tra-

veria ser uma proteção para os pés,

Sindicato do Comércio Varejista de

jetória dos calçados com cunho cultu-

se transforma em um objeto de desejo

Calçados de Curitiba e região metro-

ral, aliado a sua importância no comér-

e status não só para as mulheres, as

politana (Sindccal), humberto marineo

cio, o Sesc Paraná, através da unidade

mais tentadas quanto às cores, tipos

Basso Filho, tem uma explicação para

água verde, levou ao 3º Salão nacio-

e, principalmente, promoções. no en-

este pseudorrelacionamento. “isto tem

nal de Cerâmica a exposição Passo a

tanto, os homens também veem nos

a ver com o conceito de moda e os

Passo – A história do calçado em cerâ-

calçados uma peça chave para compor

arquétipos no subconsciente do indi-

mica. As obras foram produzidas pela

o visual, seja ele executivo, esportivo

víduo. nem sempre há uma utilidade

artista plástica Aurora thiago Lino.

ou casual, expressando com eles, em

naquilo que se admira. Acredito que

64

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

A exposição

As peças podem ser conferidas até

julho

|

agosto 2010


o dia 3 de outubro, com entrada fran-

mais alto seria o nível social de quem

e tamanhos para todos, e toda uma

ca, no andar térreo da Casa Andrade

usava.

linha de acessórios para combinar”, re-

muricy, localizada na Alameda muricy,

Cerca de dois séculos depois, na

915, Centro de Curitiba. Passeie pelo

França, foram desenvolvidos os pri-

mundo dos calçados onde o passado e

meiros saltos para mulheres e tempos

presente se encontram!

depois para homens. Ao longo dos sé-

A tendência atual é um grande

culos, os modelos foram se aprimoran-

mix, com a volta de muitos modelos

do, acompanhados também do avanço

usados nas últimas décadas – como o

Os primeiros registros de calçados

da tecnologia. Surgiram os tênis na

caso do tamanco alto em madeira que

são datados de 10.000 anos a.C. eram

América e as botas mais modernas na

ressurgiu fortemente nas passarelas e

feitos apenas para proteção dos pés.

Europa. O luxo, literalmente ficava aos

ganhou espaço rapidamente nas vitri-

“no início eram confeccionados para

pés dos consumidores dispostos ao

nes. O que prevalecerá para o futuro,

aquecer e proteger dos insetos. Com o

belo, que muitas vezes sobrepunha o

conforme apontam muitos consultores

passar dos anos essa história se revi-

confortável.

de moda, é o conforto, por sua pratici-

A história

lata o presidente do Sindccal.

Presente e futuro

“O calçado teve entrada no mer-

dade no dia a dia, com saltos baixos e

Os primeiros foram os do tipo san-

cado através das vitrines de lojas de

frentes arredondadas.

dália, que perduraram entre 1.539 a

confecção. Devido a sua grande acei-

mas, com certe-

1.075 anos a.C. Já a primeira bota sur-

tação e o grande sucesso comercial,

giu cerca de 700 anos a.C., na roma

eles mereceram o destaque de

antiga, e as cores e modelos faziam

hoje. O processo iniciou com

referências às classes sociais. O Sécu-

o aumento do poder de

lo Xii foi marcado pelo alongamento e

consumo das massas

estreitamento das pontas, surgiam os

e hoje encontramos

“bicos”, que quanto maiores fossem,

modelagens, cores

talizou”, conta Basso.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

za dificilmente as mulheres abandonarão o companheiro e tradicional

scarpin.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

65


Compromisso com a Educação Edson denobi

Sesc Paraná está cada vez mais comprometido com a educação do trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo e seus familiares, ampliando suas ações em todo o Estado!

PrOJEtO iGuAlDADE nA DiFErEnçA, rEAlizADO nA ESCOlA muniCiPAl PAPA JOãO xxiii, PElO SESC APuCArAnA

E

ducação está na essência do

viços e turismo e seus familiares para

em educação básica e continuada nas

Sesc Paraná! Desde que foi

ampliar o seu acesso à cidadania.

suas ações de saúde, cultura, lazer e

criado, em 1946, as ações

Para alargar sua atuação e atender,

em educação permeiam todas as ati-

também, a clientela de baixa renda, o

Com este acordo, o Programa de

vidades desenvolvidas pela instituição,

Sesc assinou um compromisso com o

Comprometimento e gratuidade em

procurando levar qualidade de vida ao

Governo Federal e tem investido, gra-

Educação (PCG) trouxe novos ares

trabalhador do comércio de bens, ser-

dativamente, sua receita compulsória,

para as atividades do Sesc, atendendo

66

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

assistência social.

julho

|

agosto 2010


o seu público preferencial e aos estu-

também, no índice de De-

dantes da rede pública de Educação,

senvolvimento da Educa-

seus pais e comunidade, além dos pro-

ção Básica (ideb), que é

fissionais da educação.

um indicador da qualidade educacional dos estudan-

Bolsas de Estudo gratuitas

tes, medido pelo ministé-

Desde 2009, as atividades multipli-

rio da Educação (mEC). A

caram-se em todo o Paraná e as parce-

escola obteve, neste ano,

rias foram ampliadas e fortalecidas. As

uma das maiores melho-

bolsas de estudo gratuitas passaram

ras do município, atingin-

a integrar as atividades da Educação

do a meta projetada pelo

infantil, Ensino médio e Educação de

ministério para 2020.

Jovens e Adultos, isso tudo na Educa-

Em Ponta grossa, o

ção Formal. na Educação não-Formal,

Sesc colocou em prática o

as atividades abrangem o Programa

Acompanhamento

SEr – Sesc Educação como referên-

gógico para os alunos do

cia, os cursos de atualização e desen-

Projeto Crescer e foi pos-

volvimento, a Educação de Jovens e

sível, depois de conhecer

Adultos na modalidade da Educação

a realidade dos alunos, re-

e Cidadania e a Formação Continuada

construir a moradia de uma

dos Educadores.

família atendida pelo pro-

Peda-

PCg

em números*

Programa de Comprometimento e Gratuidade em Educação

• municípios atendidos:

23

• unidades de Serviço:

27

• Escolas conveniadas:

42

• Atendimentos

914.745 Educação: 2.109.711 Gratuidade:

• total de inscritos em

36.586 PCG: 4.895 Educação:

As atividades do Programa SEr

jeto e encaminhar um dos

são realizadas em contraturno escolar,

alunos para atendimento

sendo uma complementação curricular

de profissionais de psico-

com atividades dentro das linhas defi-

logia do município. “Gosto

nidas pelo Sesc Paraná, concentradas

muito do atendimento do

nas áreas de Cultura, Ciência e tecno-

Sesc. Aqui tenho bastante apoio. nos

xos da busca feita pelo Sesc em desco-

logia e Corpo e movimento.

outros lugares meu filho foi expulso.

brir as necessidades educacionais de

Prova de uma ação de sucesso e

Aqui os professores têm paciência para

cada população e, assim, realizar pro-

que beneficia os comerciários com bol-

atender ele e estão ajudando a minha

jetos feitos exclusivamente para cada

sas gratuitas para o curso de inglês,

família a resolver os problemas”, teste-

realidade, que valorizam a identidade

com certificação nos cursos livres do

munhou a senhora Divanir, mãe de um

cultural de cada grupo atendido e que

Sesc, foi a parceria com o Senac. nes-

dos alunos atendidos.

proporcionam a efervescência das po-

* Números referentes a 2009 Esses casos de sucesso são refle-

te ano, o número de vagas foi amplia-

Jacarezinho foi outra cidade be-

do e o curso é ofertado em 23 unida-

neficiada com o Programa SEr. Em

des de serviço, com a participação de

parceria com o núcleo de Educação, o

1.021 alunos.

Sesc aplicou o Educasom, um projeto

Outra ação que deu certo está na

social e educacional, que trabalha com

cidade de Apucarana. Desde 2009, o

o aluno de forma integral, proporcio-

Sesc desenvolve ações do Programa

nando sua sociabilidade, tendo como

SEr, na Escola municipal Papa João

complemento o reforço escolar. Com

XXiii, através do Projeto igualdade

esta atividade, realizada durante três

na Diferença, onde são trabalhados

anos e meio, fez com que 13 alunos,

conteúdos de prevenção à violência

dos 19 inscritos, tivessem êxito e apro-

na escola. O trabalho foi refletido,

vação escolar.

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

tencialidades e o descobrir de outras possibilidades.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

67


Atacado fatura mais de r$ 13 bi no Estado Perspectivas apontam maior movimento no setor atacadista após redução de impostos

r

esponsável por um faturamento anual de r$ 13,18 bilhões no Paraná, 10% do

valor real nacional, o segmento atacadista apresentou um crescimento significativo em 2009 e segue a tendência em 2010, com previsão de maior aquecimento

no

segundo

semes-

tre. Os dados, revelados no ranking ABAD/nielsen, pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Atacadista e Distribuidores (ABAD) vem ao encontro das prospecções do Sindicato do Comércio Atacadista de Gêneros Alimentícios do Estado do Paraná (Sinca/ Pr), presidido pelo economista e empresário, Paulo hermínio Pennacchi. Para o presidente do Sinca, o Paraná se apresenta com boa competitividade no Sul, apesar de não receber o mesmo incentivo que é dado a estados do nordeste, por exemplo. Se for mantido o valor da redução da alíquota do imposto sobre Circulação de mercadorias e Serviços (iCmS) para 12% a tendência é uma movimentação comercial maior, inclusive com a produção agrícola, um dos carroschefe do Estado. “é importante que as condições do iCmS atual permaneçam, independente do governador eleito, pois o valor final do produto é o que cria nossa competitividade de mercado igualitária”, explica Pennachi. lideram também no atacado distri-

68

PrESiDEntE DO SinDiCAtO DO COmÉrCiO AtACADiStA DE gÊnErOS ALimEntíCiOS DO EStADO DO PArAná (SinCA/Pr), ECOnOmiStA E EmPrESáriO, PAulO hErmíniO PEnnACChi

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


ESTANdES dA CONVENçãO dO ATACAdISTA dISTRIbuIdOR, NO ExPOTRAdE, EM PINhAIS, REgIãO METROPOLITANA dE CuRITIbA

buidor demais produtos alimentícios industrializados, artigos de limpeza e higiene, segundo Pennacchi.

O cliente do atacado distribuidor

muitas vezes vantagens no atendimento, que geralmente é personali-

Ainda segundo o ranking ABAD, a

zado. Outro fator apontado por ele

clientela atacadista, se levar em con-

é o volume de negócios no atacado,

ta sua participação por faturamento,

pois 52% de toda a produção nacio-

O custo tributário sobre os produtos

é composta de 33,8% por pequenas

nal passa pelo atacadista antes de

no atacado ainda é um problema enfren-

empresas do varejo alimentar, 20%

chegar ao consumidor final.

tado pelos empresários deste segmento.

por supermercados pequenos e lojas

Apesar da redução do iCmS em 95 mil

de Conveniência, 5,3% por supermer-

itens de bens de consumo no Estado do

cados médios, 2,6% por supermerca-

junto à ABAD, o Sinca Pr está

Paraná, há um acúmulo de arrecadações

dos grandes, 4,3% por bares e lan-

realizando três treinamentos. um di-

sobre a cadeia composta por indústria,

chonetes, 12,7% por drogarias, 3,4%

recionado a representantes do ataca-

atacado e consumidor final. Com a subs-

por padarias e 6,5% por hotéis, res-

do, que iniciou na primeira semana

tituição tributária em produtos de higie-

taurantes, casas noturnas e hospitais.

de agosto, chamado treinaABAD. A

ne e beleza, em vigor desde o mês de

Os restantes 11% da rede de clientes

ideia é fazer com que esse profissio-

julho desse ano, a tributação passou a

correspondem a empresas de outros

nal passe a ser um consultor especia-

ser recolhida diretamente da indústria.

setores.

lizado e que tenha condições de ofe-

As dificuldades

recer o produto certo, no local certo

mas há uma desvantagem para as micro e pequenas empresas do comér-

As ações do Sinca

Perspectivas

e preço adequado a seus clientes. O cresci-

outro é voltado para o atendimento

nal, conforme aponta Pennacchi, pois

mento de 10% do setor neste ano,

ao cliente do varejo, o Desafios do

todas pagam o iCmS sobre a receita

devido ao aumento da atuação das

varejo Competitivo, uma capacitação

bruta e acontece a “bitributação”, pois

pequenas e médias lojas do varejo. A

profissional ao pequeno varejista,

geralmente o setor industrial repassa

explicação dada é a comodidade do

englobando também técnicas de ex-

ao atacado um valor a mais embutido

consumidor, pois cada vez mais ele

posição dos produtos, como o vitri-

nos produtos. “A solução seria a única

adquire produtos nos estabelecimen-

nismo, com a principal intenção em

arrecadação”, aponta.

tos mais próximos, apresentando

tornar o estabelecimento mais atra-

cio, enquadradas no Simples nacio-

Pennacchi

otimiza

www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

um

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

69


SALA EXPOSitiVA DO SiStEmA FECOmÉrCiO SESC SEnAC PArAná, SinCA Pr

tivo, independente de sua dimensão.

de contato com os principais agentes

volume de negócios principalmente

O terceiro é o Profissional nota 10 de

da cadeia de abastecimento nacional.

locais. no entanto, é um trabalho de

vendas, um complemento do treina-

Ele menciona que o público da feira é

longo prazo. A partir da feira podem

ABAD.

formado por empresários e executivos

ser traçados objetivos para o próximo

e muitos profissionais do setor de todo

ano”, finaliza.

Convenção ABAD

o País. “Este evento gera aumento no

O Sinca Pr realiza em parceria com a ABAD Convenção Anual do Atacadista Distribuidor, que chegou neste ano a sua 30ª edição, realizada entre 16 e 19

Dados nacionais do segmento atacadista distribuidor

de agosto, no Expotrade, em Pinhais

FAturAmEntO tOtAl: r$ 131,8 BilhõES

(rmC). O Sistema Fecomércio Sesc

CrESCimEntO rEAl: r$ 4,1% Em rElAçãO A 2009

Senac teve uma sala conjunta a este

PArtiCiPAçãO nO mErCADO mErCEAril: 52,2%

sindicato para expor seus serviços.

tOtAl DO FAturAmEntO DO vArEJO AlimEntAr: r$ 252,7 BilhõES

A Convenção é o maior evento do segmento atacadista no Brasil e contabilizou este ano uma média de 32 mil

POntOS DE vEnDA AtEnDiDOS: 1 milhãO árEA DE ArmAzEnAGEm: 8,2 milhõES m2 FunCiOnáriOS: 245,6 mil vEnDEDOrES DirEtOS: 34,7 mil

visitações aos 200 expositores. Confor-

rEPrESEntAntES COmErCiAiS/AutônOmOS: 88 mil

me o presidente do Sistema Fecomércio

FrOtA DE vEíCulOS PróPriOS: 37,7 mil

Sesc Senac, Darci Piana, a vinda deste expressivo evento ao Paraná se deve

Dados estaduais do segmento atacadista distribuidor

muito à competência do Sinca Pr. “O

FAturAmEntO tOtAl: r$ 13,18 BilhõES

Paulo Penacchi, está à frente da expres-

CrESCimEntO rEAl: r$ 4,1% Em rElAçãO A 2009

são da força desta instituição. Este é o

PArtiCiPAçãO nO mErCADO mErCEAril: 5,22%

resultado do que está sendo feito. A vin-

tOtAl DO FAturAmEntO DO vArEJO AlimEntAr: r$ 25,27 BilhõES

da desta feira ao Estado contribui para o desenvolvimento de nosso comércio, pois se sabe que o setor movimenta 8% do PiB nacional”, diz. Para Penacchi, a Convenção da

POntOS DE vEnDA AtEnDiDOS: 100 mil árEA DE ArmAzEnAGEm: 820 mil m2 FunCiOnáriOS: 24,56 mil vEnDEDOrES DirEtOS: 3,47 mil rEPrESEntAntES COmErCiAiS/AutônOmOS: 8,8 mil FrOtA DE vEíCulOS PróPriOS: 3,77 mil

ABAD é uma excelente oportunidade

70

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010


www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

71


72

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

julho

|

agosto 2010

Revista Fecomércio PR - nº 78  

Revista Fecomércio PR - nº 78

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you