Page 1

JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     1


Empregador do Comércio: graças à parceria da Qualicorp com a FECOMÉRCIO PR e outras 562 en�dades de classe, você pode escolher um plano de saúde ideal para as suas necessidades.

Planos de saúde a partir de

R$

202

1

CONFIRA AS VANTAGENS E ESCOLHA SEU PLANO AGORA.

0800 799 3003

qualicorp.com.br/anuncio

R$ 201,42 - Ideal Adesão Trad. 16 A AHO QC COP (registro na ANS nº 476.928/16-7), da SulAmérica Saúde, faixa etária até 18 anos, com coparticipação e acomodação coletiva (tabela de julho/2018 - PR). Planos de saúde coletivos por adesão, conforme as regras da ANS. Informações resumidas. A comercialização dos planos respeita a área de abrangência das respectivas operadoras de saúde, bem como a disponibilidade para cada entidade de classe. Os preços e as redes estão sujeitos a alterações, por parte das respectivas operadoras de saúde, respeitadas as disposições contratuais e legais (Lei nº 9.656/98). Condições contratuais disponíveis para análise. Agosto/2018. 1

Siga a Qualicorp:


PALAVRA DO PRESIDENTE

ATIVIDADES ENRIQUECEDORAS

E

laborar o registro das ações levadas a efeito pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná a cada bimestre é um trabalho motivador. São tantas as atividades, em áreas tão diversas, que a escolha dos assuntos que farão parte da nossa Revista Fecomércio PR torna-se quase um quebra-cabeça. Felizmente essa é a tônica. Embora o país esteja vivendo tempos de muita turbulência, com a economia demorando a reagir por conta das incertezas quanto ao futuro imediato, nossa rotina no Sistema continua a todo vapor. Como o leitor e a leitora poderão conferir na página 10, o índice de confiança do empresário não se descola da média representada pelos 50%. É bom lembrar que no período mais agudo da crise o índice havia despencado para aquém da metade. A reportagem de capa desta edição traz a grande celebração ocorrida no espaço ExpoUnimed, em Curitiba, em 13 de julho, com a premiação aos Guerreiros do Comércio. Este ano homenageamos 45 empresários que se destacaram em sua atividade, garantindo mercado, receitas e empregos. Todos empenhados em incentivar a inovação e promover o desenvolvimento social por meio do comércio. JUL | AGO 2018

Ao mesmo tempo, foi entregue a Comenda da Ordem do Comércio a três expoentes da vida paranaense, que se juntam às 23 outras personalidades premiadas com a láurea desde sua criação na década de 1960. Trazemos também uma análise do que significa a expressão fake news, um dos subprodutos da campanha eleitoral deste ano. E a cobertura da ampla atuação da Câmara de Comércio Exterior, referência na integração de mercados comerciais, facilitando os processos de importação e exportação. A revista ainda mostra o que foi destaque no Sesc e no Senac, nos múltiplos em que atuam. Música, solidariedade, saúde e esporte estão no leque de realizações do Sesc. Oferta de cursos técnicos, segurança alimentar, workshops gastronômicos e aprovação em concursos públicos mostram a representatividade das ações do Senac. A história do Paraná e o perfil dos nossos sindicatos completam as páginas desta Revista nº 125, referente a julho e agosto. Enquanto você estiver curtindo seu exemplar, o próximo número já está em gestação.

Mais uma prova de que a roda continua girando, para proporcionar atividades enriquecedoras que fazemos questão de oferecer em nossas páginas. Boa leitura! 

ARI FARIA BITTENCOURT PRESIDENTE DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     3


EXPEDIENTE

FECOMÉRCIO PR

ÍNDICE

RUA VISCONDE DO RIO BRANCO, 931, 6º ANDAR CEP 80410-001 CURITIBA PR 41 3883-4500

39 EDUCAÇÃO

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING

Que comecem as competições

JORNALISMO@FECOMERCIOPR.COM.BR | 41 3883-4530 WWW.FECOMERCIOPR.COM.BR

41 SONORA BRASIL

WWW.SESCPR.COM.BR | WWW.PR.SENAC.BR ISSUU.COM/FECOMERCIOPR

Nas pisadas dos cocos

WWW.FLICKR.COM/PHOTOS/FECOMERCIOPR/

46 ALIMENTAÇÃO Aproveitamento integral de alimentos

49 GASTRONOMIA Workshops gratuitos

18 CAPA Guerreiro do Comércio

3 PALAVRA DO PRESIDENTE 5 NOTAS 8 FÓRUM Limpeza como valor absoluto SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR* PRESIDENTE: ARI FARIA BITTENCOURT

10 PESQUISAS

DIRETOR REGIONAL DO SESC: EMERSON SEXTOS

51,8% de otimismo

DIRETOR REGIONAL DO SENAC: VITOR MONASTIER

REVISTA FECOMÉRCIO PR ANO XVIII Nº 125 JUL | AGO 2018

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING COORDENADOR GERAL: CESAR LUIZ GONÇALVES COORDENADOR DE JORNALISMO: ERNANI BUCHMANN

12 AMEAÇA Diga não ao fim do Sistema S

15 TRIBUTOS Governo vai restituir ICMS

16 NEGÓCIOS Apoio no cuidado de pessoas

JORNALISTA RESPONSÁVEL SILVIA BOCCHESE DE LIMA DRT-PR 6157

26 HOMENAGEM

REDAÇÃO E REVISÃO

Prêmio AECIC 2018

CAROLINA GOMES, CÁSSIA GONÇALVES FERREIRA, FERNANDA ZIEGMANN,

27 RECONHECIMENTO

ISABELA MATTIOLLI, KAREN BORTOLINI,

Professor Ito se despede do Senac

KARLA SANTIN E SILVIA BOCCHESE DE LIMA ESTAGIÁRIAS: ANA BEATRIZ LUZ E

28 RELAÇÃO INTERNACIONAL

51 FESTIVAL Um autêntico Senhor Brasil

54 CURSOS TÉCNICOS Rápida inserção no mercado

56 EDUCAÇÃO Destaque na saúde

58 UNIDADES MÓVEIS Sorriso itinerante

61 TURISMO De olho nas rotas de fé

64 HISTÓRIAS PARANAENSES O Paraná nasceu em agosto

66 ESPORTE Aberto de xadrez

69 EXPERIÊNCIA Por outra perspectiva

70 SOLIDARIEDADE Campanha do Agasalho

73 SINDICATO Sicov

LILIANE JOCHELAVICIUS

Fecomércio PR fomenta

74 PERFIL

FOTOS: BRUNO TADASHI E IVO LIMA DRT-PR 9999

negócios internacionais

Uma vida dedicada ao cooperativismo

FOTO DA CAPA: WILSON JUNIOR ARTE E DIAGRAMAÇÃO: VERA ANDRION DRT-PR 10260

31 CEASA

76 SINDICATO

IMPRESSÃO: AJIR ARTES GRÁFICA E EDITORA LTDA.

A cidade que nunca dorme

Sindilojas Cascavel

CURITIBA PR | TIRAGEM: 5 MIL EXEMPLARES

*Darci Piana foi reeleito Presidente do Sistema, devendo tomar posse em momento oportuno.

4        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

36 ALERTA

77 ARTIGO

Fascinantes e mentirosas

Reforma tributária

JUL | AGO 2018


NOTAS

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) recebeu, no dia 22 de agosto, a visita do embaixador do Chile Fernando Schmidt e do cônsul honorário do Chile no Paraná, Luiz Celso Branco. Eles foram recepcionados pelo diretor de Relações Internacionais da Fecomércio, Rui Lemes. O objetivo da visita foi contar com o auxílio da Federação para estreitar os laços entre o Chile e o Paraná. Segundo o embaixador, a presença do país andino no Brasil é concentrada apenas em São Paulo e existem inúmeras possibilidades a serem alcançadas em outros estados. “A economia do Chile está sólida e temos a perspectiva de assinar um acordo bilateral com o Brasil ainda esse ano. Isso nos permitirá ampliar nossas relações comerciais com o país. A Fecomércio terá um importante papel nesse crescimento dentro do Paraná”, declarou o embaixador. Com uma expectativa de crescimento econômico entre 4,5 e 5 % em

BRUNO TADASHI

VISITA DO EMBAIXADOR DO CHILE

O DIRETOR DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DA FECOMÉRCIO PR, RUI LEMES; O CÔNSUL HONORÁRIO DO CHILE NO PARANÁ, LUIZ CELSO BRANCO, E O EMBAIXADOR DO CHILE FERNANDO SCHMIDT

2018 e uma inflação controlada, o Chile trabalha com uma concentração específica de produtos com o Brasil. Salmão, vinho e azeite são os principais focos de exportação do país. No setor de turismo, um dos mais fortes, o número de brasileiros também é expressivo. Em 2017, 545 mil turistas do Brasil visitaram o país, as cinco companhias aéreas atuantes possuem voos diários para as princi-

pais cidades chilenas. O objetivo da embaixada é diversificar os roteiros e regiões, incluindo turismo gastronômico e rotas especiais. “Nós temos condições de ajudar o Chile nessa diversificação, tanto no lado turístico, quanto no lado comercial. Tenho certeza de que podemos fazer negócios com empresários chilenos como temos feito com outros países”, afirmou Rui Lemes.

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Ari Bittencourt, recebeu no dia 21 de agosto, a diretora da Agência Curitiba, Cris Alessi, para falar sobre o apoio institucional ao Programa Bom Negócio – Vale do Pinhão. Na oportunidade a coordenadora técnica do Programa, Maria Pessin, agradeceu a presença essencial da Fecomércio para o desenvolvimento do Bom Negócio, em especial do diretor de Planejamento e Gestão, Rodrigo Rosalem, que participa das reuniões do projeto. O Programa Bom Negócio, que capacitou 13 mil pessoas entre 2005 e 2012, agora foi reformulado e passou a se chamar Bom Negócio – Vale do Pinhão. Dentro dessa nova estrutura,

JUL | AGO 2018

LILIANE JOCHELAVICIUS

PARCERIA NO VALE DO PINHÃO

A COORDENADORA TÉCNICA DO PROGRAMA BOM NEGÓCIO, MARIA PESSIN; A PRESIDENTE DA AGÊNCIA CURITIBA DE DESENVOLVIMENTO, CRIS ALESSI; O PRESIDENTE DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR, ARI BITTENCOURT, E O DIRETOR DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DA FECOMÉRCIO PR, RODRIGO ROSALEM

micro e pequenos empreendedores serão capacitadas em uma nova cultura voltada à inovação, com compartilhamento de ideias e uso da tecnologia como aliada do crescimento. O programa é gratuito, as instituições par-

ceiras contribuem com espaço para os encontros, mentores e padrinhos. Os participantes do projeto que tiverem destaque serão convidados a continuar no programa para contribuir com a formação de novos empreendedores.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     5


NOTAS

LANÇAMENTO LITERÁRIO

II CONCURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Depois de dez anos, o escritor Ernani Buchmann volta à ficção com o livro Balada em Cinco Tons de Chumbo Grosso, a ser lançado dia 18 de setembro na Semana Literária/Feira do Livro, promovida pelo Sesc na Praça Santos Andrade. Autor de diversos livros de crônicas, pesquisas históricas e roteiros cinematográficos, a última incursão de Buchmann pela ficção havia sido em 2008, com os contos de O Bogart Curitibano. “Balada é uma novela literária, espécie de romance curto. A ação se passa em Curitiba, narrada quase inteiramente em forma de monólogo”, conta o escritor. A apresentação é do escritor Guido Viaro, que destaca o fato do autor “desalinhar o tempo, espelhar olhos e ouvidos, emprestar vida a múltiplos narradores, que por sua vez criam seus próprios focos narrativos e tempos particulares”. Sua primeira investida na área ficcional havia sido em 1999, com Os heróis da Liberdade, composto por contos encadeados, formando um conjunto. O livro esgotou duas edições de 1.500 exemplares e foi adaptado para o cinema. Ernani Buchmann é coordenador de Jornalismo do Núcleo de Comunicação e Marketing do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e presidente da Academia Paranaense de Letras. O projeto gráfico do livro é de Vera Andrion, impressão da Gráfica Monalisa e a edição é da Fecomércio PR.

6        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

Foi lançado no dia 15 de agosto, na sede da Fecomércio PR, o II Concurso de Relações Internacionais Fecomércio PR – IRIP, Prêmio Professor J. M. de Barros Dias. A competição é fruto de uma parceria entre o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e o Instituto de Relações Internacionais do Paraná (IRIP) e tem como objetivo incentivar estudantes das áreas internacionais a desenvolver estudos de qualidade ligados ao tema. Para o diretor de Relações Internacionais da Fecomércio, Rui Lemes, o concurso serve como motivação aos jovens. “As relações internacionais são um tema importante a ser debatido e estudado. Precisamos fomentar na juventude o interesse por esses temas. Esse estimulo é fundamental para o desenvolvimento econômico do Paraná”, destacou. Podem participar do concurso estudantes de ensino superior dos cursos de Relações Internacionais, Comércio Exterior, Negócios Internacionais, Direito Internacional, Turismo e afins. Os alunos do Senac PR também podem se inscrever em uma categoria especial. Os trabalhos deverão abordar um dos três temas escolhidos: Brasil e África Subsaariana; Imigração e refúgio no Brasil, e Brasil e Mercosul. “Precisamos de ideias novas, debates fortes e inteligentes para prosperarmos e vivermos em paz em busca do progresso. Os estudantes precisam se tornar protagonistas desse cenário”, disse o presidente do IRIP, Eduardo Guimarães. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 31 de setembro. Mais informações sobre o edital do concurso podem ser adquiridas no e-mail concursoirip2@gmail.com.

NOTA DE FALECIMENTO A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) informa, com pesar, o falecimento, no dia 18 de agosto, de Armando Matheussi, integrante do Conselho Regional do Sesc PR na qualidade de representante das federações nacionais.

JUL | AGO 2018


TÉCNICA DO SENAC É VENCEDORA DE CONCURSO

Comemorar o aniversário da instituição religiosa e estimular a fé foram os objetivos da técnica em design do Senac PR, Vera Andrion, ao elaborar o selo comemorativo vencedor do concurso do Jubileu de 350 anos da Paróquia Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, atual Catedral Basílica de Curitiba. Criada 25 anos antes da oficialização da fundação da cidade, a Paróquia é a instituição mais antiga de Curitiba. O Ano Jubilar começa no dia 8 de setembro de 2018 e termina no dia 30 de setembro de 2019, aniversário de 125 anos da instalação da Diocese de Curitiba. Durante a missa das 10h de domingo, no dia 12 de agosto, em reconhecimento ao trabalho realizado, Vera recebeu certificado e placa do Ar-

cebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo. O trabalho vai ser visto em outros estados e países, pois ganhou uma versão, também, como selo dos Correios. O selo apresenta a imagem de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, padroeira de Curitiba e da arquidiocese, a fachada da Catedral e a inscrição “Paróquia Nossa Senhora da Luz dos Pinhais (1668-2018) – Curitiba, PR – Jubileu – 350 anos”. A criadora da peça comemorativa explica que optou por colocar a imagem da santa à frente com o

IVO LIMA

DE SELO COMEMORATIVO EM CURITIBA

intuito de valorizar e atrair a devoção, além de evocar guarda e proteção para a Paróquia. A Catedral, ao fundo, foi feita em desenho linear para ressaltar as características da construção em estilo gótico.

O Senac Curitiba Centro fechou uma parceria com a Polícia Militar do Paraná na oferta de quase 100 vagas para a capacitação dos policiais que trabalham na Comunicação Social das unidades de Curitiba e da Região Metropolitana. Ao todo serão ofertados quatro títulos. A primeira turma é a de Fotografia, com 16 alunos. Na sequência será realizado o curso de Adobe Photoshop para 30 alunos. Para o mês de outubro está programado o curso de Marketing nas redes sociais e para 2019 o de Adobe After Efects, para a edição de vídeos. “Temos representantes de quase todas as unidades. Dos batalhões, do Colégio da Polícia e da Academia Policial Militar do Guatupê. Esses cursos são para ajudar

JUL | AGO 2018

IVO LIMA

SENAC FIRMA PARCERIA COM A PM

todos aqueles que trabalham com a divulgação das nossas ações”, comentou a 2ª tenente Karine Bittencourt

da Silva, que participou do curso de Fotografia.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     7


FÓRUM

LIMPEZA COMO VALOR ABSOLUTO PELA PRIMEIRA VEZ FORA DA EUROPA, FÓRUM PULIRE AMÉRICA FOI REALIZADO EM CURITIBA NOS DIAS 9 E 10 DE AGOSTO TEXTO : FE RNANDA Z IEGMA N N | FOTOS: IVO LIMA

SENAC PARTICIPOU DO PAINEL SOBRE QUALIFICAÇÃO

M

dores sobre limpeza como valor absoluto, assim foi o Fórum Pulire América, realizado nos dias 9 e 10 de agosto na Universidade Positivo, em Curitiba.

Um evento de gestão empresarial de excelência, com debates inova-

Essa foi a primeira vez que o evento ocorreu fora da Europa e o responsável pela realização no Brasil foi o presidente da Fundação do Asseio e Conservação do Estado do PR (Facop), Adonai Arruda. “É preciso gerar uma mudança de pensamento no que diz respeito ao conceito de limpeza como valor

uito além do significado literal da palavra, limpeza também representa a reflexão do estado social, da condição humana e dos valores morais que determinam o senso de igualdade, justiça e dignidade. Tornar limpo é reorganizar e apoiar um processo de crescimento coletivo consciente que leva ao bem-estar geral e sustentável a nível mundial.

8        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

absoluto a nível mundial. E isso só é possível quando colocamos em pauta todos os conceitos que envolvem a criação desses novos padrões tão importantes para que qualquer empresa tenha sucesso em suas operações e também para que os profissionais dos mais diversos setores reflitam sobre suas práticas e busquem o novo, o diferente”, destacou Arruda, durante a abertura do evento. Organizado pela Facop, em parceria com a Associação de Fabricantes JUL | AGO 2018


Italianos de Equipamentos, Máquinas e Produtos para Limpeza Profissional (AFIDAMP) e com a Associação Mundial das Indústrias de Limpeza (ISSA), o evento teve o patrocínio do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR. “A Fecomércio não poderia ficar de fora de um evento dessa proporção. O tema vai além da limpeza, trata também da condição humana dos colaboradores das empresas”, disse o presidente Ari Bittencourt. PAINEL

Durante os dois dias do Fórum foram realizados sete painéis que abordaram temas sobre tecnologia, sustentabilidade, dignidade, reputação e qualificação. O COORDENADOR GERAL DO NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING DA FE-

O Senac PR, como escola de formação profissional, não ficou de fora dos debates. A instrutora e nutricionista do Restaurante-Escola do Senac Curitiba, Nani Culubret, participou do painel sobre Qualificação mediado pela sócia diretora da Revista Infra, Léa Lobo. A diretora pedagógica do Centro de Educação Profissional, Nahyr Kalckmann de Arruda, da Facop, Maria Letizia Marchese e a presidente da Grax (Centro de Fortalecimento Organizacional), Gilda M. Péres Rios Aldana, também participaram do bate-papo que tratou da educação como chave para seu negócio: a importância de um ciclo contínuo de produtividade e os impactos da qualificação no encontro dos níveis hierárquicos. “Parece básico acharmos que as coisas têm que ser limpas, mas é o mínimo necessário, porque através da limpeza a gente consegue diminuir a quantidade de bactérias nos ambientes; com isso conJUL | AGO 2018

COMÉRCIO PR, CESAR LUIZ GONÇALVES; O PRESIDENTE DA FACOP, ADONAI ARRUDA, E O PRESIDENTE DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR, ARI BITTENCOURT

O PRESIDENTE DA FACOP, ADONAI ARRUDA, DURANTE A ABERTURA DO FÓRUM

seguimos ter segurança alimentar, prevenimos infeções na área hospitalar e outros benefícios”, disse a instrutora do Senac. “Agradeço pela oportunidade do Senac poder demonstrar, expor o que fazemos enquanto escola de

qualificação profissional e o que ensinamos aos nossos alunos quando o assunto é higienização dos ambientes, principalmente nas áreas de saúde, beleza e gastronomia”, afirmou o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier. 

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     9


PESQUISAS

51,8% DE OTIMISMO ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO PARA O 2º SEMESTRE TEM PRIMEIRA QUEDA APÓS QUATRO ALTAS CONSECUTIVAS TE XTO : KA R LA SA N TIN

O

s empresários paranaenses estão menos otimistas em relação ao segundo semestre do ano. De acordo com a Pesquisa de Opinião do Empresário do Comércio, Serviços e Turismo, elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 51,8% dos empreendedores do estado declaram ter boas expectativas para o período. O resultado interrompe a elevação gradual da confiança do empresariado registrada a partir do segundo semestre de 2016. Na edição anterior da pesquisa, referente ao primeiro semestre de 2018, 59% dos entrevistados projetavam aumento no faturamento, enquanto no segundo semestre de 2017 esse percentual era de 57%. A redução no otimismo deve-se em grande parte às instabilidades da economia e da política, que afetam diretamente a sensação de segurança dos gestores de empresas. O clima pré-eleições, a oscilação cambial e a paralisação dos caminhoneiros, que ocasionou o aumento no preço do frete e alta nos preços de diversas mercadorias, desmotivaram a classe empresarial.

10        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

A parcela de empresários com expectativa desfavorável aumentou em relação ao começo do ano, passando de 12% para 20,6% neste semestre. Outros 17,7% dos empresários ouvidos pela Fecomércio PR ainda não sabem o que esperar sobre o restante deste ano. Essa opção de resposta demonstra a insegurança dos gestores com relação ao futuro. Na pesquisa anterior o índice de projeções indefinidas foi de 25%. Os mais comedidos, que acreditam que tudo permanecerá da mesma forma, são 9,9%.

A pesquisa da Fecomércio PR mostra ainda que o empresariado está cauteloso com relação à retomada da economia brasileira. A recuperação é plausível para 45,9% dos entrevistados, mas não antes de dois ou três anos de decisões assertivas na esfera política. Para 26,6% a situação do país só deve melhorar a longo prazo (acima de cinco anos). Os mais esperançosos, que acreditam em uma reviravolta positiva em menos de um ano, somam 12,7%. Outra parcela (9,8%) acredita na retomada em médio prazo (três anos).

JUL | AGO 2018


COMÉRCIO X SERVIÇOS X TURISMO

Dos três ramos representados pela Fecomércio PR, os empresários do turismo são os mais confiantes, com 53,3%. Já entre os empresários do comércio, 50,7% possuem expectativa de ampliar o faturamento neste semestre e entre os prestadores de serviços, 48,8% estão otimistas. Na edição anterior da pesquisa, correspondente ao 1º semestre, a confiança do turismo atingia o índice de 69,8%. Nos setores de comércio e serviços também houve redução nas opiniões favoráveis, que chegaram a 57,9% e 57,5%, respectivamente. DADOS REGIONAIS

Das seis regiões pesquisadas, a Oeste possui o maior índice de otimismo. Isso porque a região apresentou o maior volume de vendas do estado no acumulado do primeiro semestre, com alta de 19,25% segundo a Pesquisa Conjuntural da Fecomércio PR. A segunda região mais confiante é Maringá, com 62%, seguida pelo Sudoeste (55,6%), Londrina (51,4%), Curitiba (48,7%) e Ponta Grossa (44%). NOVOS INVESTIMENTOS

A maioria dos empresários (58,1%) afirma que não fará novos investimentos, percentual semelhante ao registrado no 1º semestre (58,4%). O número de empresas que pretendem investir no negócio caiu de 30,5% nos primeiros meses do ano para 26,9% neste semestre. Dentre os que pretendem investir, os pontos mais citados foram reforma e modernização, capacitação da equipe e publicidade. QUADRO FUNCIONAL

A pesquisa da Fecomércio PR aponta ainda que 68,6% dos empresários pretendem manter o quadro funcional. Na edição anterior, esse percentual correspondia a 67,7% dos entrevistados. No entanto, a parcela de empresas que deve reduzir o número de funcionários subiu, passando de 10,9% para 16,6% neste semestre. As empresas que planejam aumentar o quadro de colaboradores são 12,7%. Na pesquisa anterior eram 15,2%. DIFICULDADES PREVISTAS PARA O 2º SEMESTRE

Os empresários elencaram as principais dificuldades para a atividade empresarial, sendo que a mais citada foi a instabilidade econômica, seguida pela carga tributária elevada, clientes descapitalizados e aumento no custo das mercadorias. Os empecilhos mencionados foram praticamente os mesmos relatados no semestre anterior. 

JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     11


AMEAÇA

DIGA NÃO AO FIM DO SISTEMA S PROJETO DE LEI QUE TRAMITA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPÕE CORTAR 25% DOS RECURSOS DO SISTEMA S, DOS QUAIS FAZEM PARTE O SESC E O SENAC. SE APROVADA, A PROPOSTA VAI PREJUDICAR SERVIÇOS ESSENCIAIS DE EDUCAÇÃO, SAÚDE E BEM-ESTAR SOCIAL OFERECIDOS À POPULAÇÃO. TE XTO : LARISSA GR IZOLI | FOTOS: IVO LIMA

T

erça-feira, sete e meia da manhã. Começa mais um dia no Centro de Educação Infantil Vicentino Santa Luísa, no bairro Rebouças, em Curitiba. Crianças entre quatro meses e cinco anos de idade vão chegando e sendo levadas para as salas de aula. Até às cinco horas da tarde, entre uma atividade e outra, quatro refeições

serão oferecidas. Todas balanceadas, saudáveis e de acordo com a necessidade nutricional de cada faixa etária. Para proporcionar essa rotina, a creche conta com a ajuda do Programa Mesa Brasil, do Sesc PR, que distribui alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização para a população em situa-

ção de vulnerabilidade econômica e social. Ou seja: frutas, verduras, legumes, iogurtes e outros produtos em plenas condições de consumo, mas que seriam descartados, vão direto para a cozinha da escola. Pela próxima semana, a alimentação de 125 crianças está garantida. “O Mesa Brasil é muito importante porque nós não temos ajuda

MARIÂNGELA DOS SANTOS, NUTRICIONISTA

12        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


financeira dos pais nem espaço para fazermos uma horta. Se não fossem os alimentos que vêm do projeto, não teríamos dinheiro para comprar”, afirma a nutricionista Mariângela dos Santos, que além de elaborar o cardápio do local, dá aulas de culinária, higienização de alimentos e alimentação saudável. No cardápio da escola, tudo é aproveitado. Frutas viram papinha, suco natural e sobremesa. Folhas de verduras são acrescentadas à farofa. Cenouras encorpam a sopa, viram bolo e salada. Uma alimentação bem diferente do que muitas crianças têm do portão para fora. Grande parte delas, filhas de catadores de recicláveis ou de dependentes químicos, não faz nenhuma refeição em casa, dependendo exclusivamente do que é servido na creche. Outras, com ajuda de doações, têm uma rotina alimentar pobre em nutrientes, o que facilita o surgimento de doenças e de deficiências vitamínicas. A alimentação adequada é garantida pela Constituição Federal de 1988 e pela Declaração Universal dos Direitos da Criança, da Organização das Nações Unidas (ONU). O combate à fome e à má alimentação, contudo, ainda são alguns dos desafios da infância no Brasil. Dados da Fundação Abrinq mostram que, entre 2016 e 2017, as taxas de desnutrição crônica e grave entre crianças com menos de cinco anos de idade só aumentaram no país. Para minimizar esse problema, o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR cumpre o seu papel com excelência, promovendo a segurança alimentar e nutricional JUL | AGO 2018

ALIMENTOS E PÃO FEITO COM INGREDIENTES DOADOS PELO MESA BRASIL

sustentável. Por meio do Mesa Brasil, até junho deste ano, mais de 12 milhões de refeições foram complementadas só no estado do Paraná. O Programa, no entanto, é um dos que serão afetados pelo projeto de lei nº 10.372/2018, que propõe cortar 25% dos recursos dos serviços sociais autônomos. Se a proposta for aprovada, 22 mil toneladas de alimentos deixarão de ser distribuídas.

mero de consultas odontológicas no país; a diminuição da capacidade de prestação de serviços de cultura e lazer, com o fechamento de 92 bibliotecas e mais de 200 equipamentos esportivos e culturais, muitas vezes únicos no município; e a inviabilização econômica da manutenção de cursos de qualificação profissional, que já permitiram a formação de 1,7 milhão de alunos desde 2004, somente no Paraná.

“Se a doação acabar vai ser muito triste, pois as crianças vão perder a chance de ter uma alimentação saudável. Tudo o que vem do Mesa é muito rico e deixa nossa geladeira sempre cheia”, conta Mariângela.

O corte é um retrocesso ao desenvolvimento econômico e social do país e ao cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU, que consistem em, por exemplo, garantir que todas as pessoas, principalmente as crianças, tenham acesso suficiente a alimentos nutritivos; assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar à sociedade; assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

UM RETROCESSO AO DESENVOLVIMENTO A retirada de recursos do Sistema S para destinar ao Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) ameaça a existência do Sesc e do Senac em todo o Brasil. Entre os impactos esperados estão a redução, em mais de 500 mil, do nú-

“Tirar 25% dos recursos do Sesc e Senac representa privar a socieFECOMÉRCIO PR

Nº 125     13


AMEAÇA

dade de serviços sociais de suma importância, que têm a finalidade de justamente construir um país mais justo e equilibrado”, afirma o superintendente da Fecomércio PR, Eduardo Gabardo. Para ele, os serviços prestados pelo Sistema S à população também fazem parte do combate à criminalidade, uma vez que auxiliam na inserção educacional, social, cultural e econômica das pessoas atendidas. “Se eu estou dando educação e trazendo as crianças para fazer as atividades do Sistema, elas não estão na rua. Se eu estou dando treinamento ao jovem, ele vai arrumar emprego”, completa. O Sistema S é composto, além do Sesc e do Senac, pelo Sesi, Senai, Sest, Senat, Senar, Sebrae e Sescoop. As entidades não integram a administração pública e são custeadas por contribuições sociais de empresários do comércio de bens,

serviços e turismo, da indústria, do setor de transportes, da classe patronal rural, de empresas que buscam fortalecer o empreendedorismo e de cooperativas. O caráter privado das receitas torna inconstitucional a tentativa de desviá-las do serviço social e da formação profissional para custear a segurança pública, que é um

dever do Estado e já possui dotação orçamentária proveniente de impostos. Para se posicionar contra a proposta, acesse a enquete no site da Câmara dos Deputados (https:// forms.camara.leg.br/ex/enquetes/2178170) e vote em “discordo”.

SOBRE O PROJETO DE LEI O PL nº 10.372/2018 é uma iniciativa de 12 deputados e diz respeito a um anteprojeto apresentado aos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB-CE), por um grupo de juristas presidido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. O texto introduz modificações na legislação penal e processual penal para aperfeiçoar o combate ao crime organizado, aos delitos de tráfico de drogas, tráfico de armas e milícia privada, aos crimes cometidos com violência ou grave ameaça e crimes hediondos, bem como para agilizar e modernizar a investigação criminal e a persecução penal. Para Gabardo, “a iniciativa de fortalecer a segurança pública é bem-vinda. O problema é que o governo, em vez de reduzir seus próprios gastos e privilégios, quer tirar recursos de entidades que oferecem serviços de qualidade à população, principalmente a de baixa renda”. O projeto de lei, inicialmente, foi despachado para mais de três Comissões Permanentes da Câmara - a de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; Trabalho, Administração e Serviço Público; Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; Finanças e Tributação; e de Constituição, Justiça e Cidadania. Por esse motivo foi determinada a criação de uma Comissão Especial, para análise da matéria tanto em relação ao mérito, quanto à adequação financeira e à constitucionalidade. A Comissão será formada por 34 deputados titulares e 34 suplentes indicados pelos partidos. Após a instalação, são realizadas sessões para a apresentação de emendas e realização de audiências públicas ou seminários. Em seguida, o relator apresenta um parecer com a análise da proposta, e a Comissão vota. Se aprovado, a matéria segue para votação no Plenário da Câmara dos Deputados. Se rejeitado, vai para arquivo. 

14        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


TRIBUTOS

GOVERNO VAI RESTITUIR ICMS EMPRESAS QUE RECOLHERAM O IMPOSTO NO PERÍODO DE 1º DE MARÇO A 31 DE MAIO DE 1989 PODEM SOLICITAR A RESTITUIÇÃO TEX TO: KA R LA SA N TIN

M

ediante Ação Ordinária movida pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), o Governo do Paraná terá que restituir os contribuintes dos valores correspondentes ao ICMS recolhidos no período de 1º de março a 31 de maio de 1989. A Constituição Federal de 1988, ao tratar do ICMS, outorgou ao Senado Federal a competência para estabelecer as alíquotas aplicáveis às operações interestaduais e de exportação (art. 155, §2º, IV). Ainda que o sistema tributário nacional tenha entrado em vigor em 1º de março de 1989, o Senado somente fixou as alíquotas em 19 de maio de 1989, quando foi promulgada a Resolução 22/89, que entrou em vigor a partir de 1º de junho do mesmo ano. Portanto, não existindo alíquota para as operações interestaduais e de exportação no período de 1º de março a 31 de maio de 1989, o recolhimento, mesmo que por força de legislação estadual, era indevido. Diante disso, desde 1999 a Fecomércio PR busca reaver os valores pagos indevidamente pelos emJUL | AGO 2018

presários do comércio de bens, serviços e turismo do estado. Em 21/10/2008, o Superior Tribunal de Justiça, em recurso especial, reconheceu o direito das empresas. Dessa forma, com decisão favorável, irrecorrível e que também não poderia mais ser objeto de ação rescisória, foi proposta a ação de Execução contra a Fazenda Pública, que tramita perante a 2ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba. Atualmente o caso encontra-se em fase de liquidação de sentença, momento em que será apurado o crédito de cada contribuinte. O estado do Paraná, sujeitando-se ao cumprimento da decisão, já reconheceu seu dever de cumprí-la, mas é preciso, agora, apresentar a lista das empresas que fazem jus ao crédito.

tórios ou qualquer outra forma de crédito, serão devidos honorários advocatícios contratuais de 25% sobre o proveito econômico obtido por cada empresa.

A restituição será feita por meio de compensação, e para as empresas que já encerraram as atividades, será por meio de precatório.

As empresas que recolheram o ICMS no período em questão e que desejam reaver os valores podem entrar em contato com o sindicato empresarial de sua representação, e fornecer os documentos comprobatórios do recolhimento, para o caso de ser necessário apresentar em juízo.

Não haverá custo inicial para a habilitação das empresas, porém, havendo proveito econômico, seja por meio de compensação, preca-

A Assessoria Jurídica da Fecomércio PR está à disposição para esclarecimento de qualquer dúvida, pelo telefone (41) 3883 4500. FECOMÉRCIO PR

Nº 125     15


NEGÓCIOS

APOIO NO CUIDADO DE PESSOAS PLATAFORMA AJUDA A ENCONTRAR O CUIDADOR IDEAL PARA CRIANÇAS, IDOSOS E PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS TE XTO : KA R LA SA N TIN

D

eixar quem a gente ama sob os cuidados de outra pessoa geralmente envolve uma árdua busca por profissionais de confiança e com experiência. A plataforma online Quem Cuida, startup criada em Curitiba em 2015, permite en-

16        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

contrar cuidadores para contratação eventual (por algumas horas). É possível selecionar profissionais para apoio no cuidado de familiares de acordo com a especialidade – bebês, crianças, idosos e necessidades especiais –, localização, formação e experiência.

Atualmente o serviço atende as cidades de Curitiba, São Paulo e Porto Alegre. E a meta, de acordo com a fundadora e CEO da plataforma, Karina Foroutan, é o alcance nacional. “Cuidar de pessoas é um trabalho nobre e a Quem Cuida surgiu para auxiliar JUL | AGO 2018


esses profissionais, possibilitando uma renda extra, ao mesmo tempo em que colabora com milhares de familiares que precisam de ajuda para cuidar de seus entes queridos. Uma rede que conecta os dois lados, profissionais e familiares”, afirma. Karina relata que a plataforma nasceu do reflexo de uma inspiração pessoal, pois acompanhou a carreira de sua mãe na área da enfermagem. Inclusive ela já foi instrutora do Senac PR. CONTRATAÇÃO

Para contratar um cuidador, basta acessar o site da Quem Cuida e fornecer nome, e-mail e preencher o CEP para que a plataforma forneça a lista de profissionais cadastrados para aquela localidade. O interessado pode visualizar o currículo do profissional, o valor por hora (que é variável de acordo com o profissional), bem como os comentários e avaliações de quem já o contratou. Segundo Karina, é feito um processo rigoroso de seleção. “Os profissionais são entrevistados por uma psicóloga, todos os dados cadastrados são validados, verificamos antecedentes criminais e os profissionais precisam comprovar experiência”, explica. A qualificação profissional não é obrigatória, mas é um diferencial no segmento de cuidadores. “Geralmente os profissionais com qualificação são os mais procurados para atendimento de recém-nascidos e idosos. A nossa experiência mostra que em muitas situações, profissionais com formação possuem um diferencial. Não necessariamente formação superior, mas JUL | AGO 2018

um curso técnico ou de capacitação deixam o profissional mais bem preparado e com mais recursos nos atendimentos”, avalia. Zonel Veiga Gonçalves Nunes, formada no curso Técnico em Enfermagem do Senac Curitiba Centro em 2014, é uma das profissionais inscritas na plataforma. Como trabalha durante o dia como cuidadora de uma idosa com Alzheimer, possui disponibilidade para contratação no turno da noite e fins de semana. “Minha patroa disse que não abre mão de mim. Por isso estou à disposição para situações eventuais. Faço o que amo, que é cuidar de pessoas idosas. Inclusive fiz o curso do Senac porque minha antiga empregadora ficou doente e eu já trabalhava para ela como empregada doméstica. Então busquei me qualificar por causa dela”, conta. Outro atrativo da Quem Cuida apontado por Zonel são os encontros de capacitação dos cuidadores e o networking.

KARINA FOROUTAN

FUTURO DA QUEM CUIDA

Os próximos passos da Quem Cuida são o lançamento de um aplicativo móvel; a intensificação da divulgação, tanto para cuidadores quanto para familiares, visando alcance nacional e a evolução da plataforma. Para a CEO Karina, o maior desafio da startup é lidar com a insegurança dos familiares, principalmente dos pais que contratam babás. “Precisamos evoluir e intensificar a divulgação da plataforma, mostrando o quanto nosso processo é seguro, além de ser prático e ágil”, completa. 

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     17


CAPA

GUERREIROS DO COMÉRCIO PREMIAÇÃO DA FECOMÉRCIO PR CHEGA A 13ª EDIÇÃO ENOBRECENDO O TRABALHO E A DEDICAÇÃO DE EMPREENDEDORES E PERSONALIDADES T E XTO : S ILVIA BO CCH E S E D E LI MA , COM COLA B OR AÇÃO DA EQUIPE DE J O R NALIS M O D O NCM | FOTOS : BRUN O TA DASHI, IVO LIMA E WILSON JUN IOR

P

rega um antigo ditado que somente colhe aquele que planta e apenas triunfa quem batalha. Com as dificuldades enfrentadas em todo o Brasil nas áreas econômica e política, o setor produtivo vem lutando com bravura para ma-

nutenção dos empreendimentos, sobrevivência empresarial e adequações às novidades digitais que são impostas. “Os desafios que se apresentam aos empresários são distintos, mas independente da natureza dos problemas, eles são de igual importância e intensi-

dade. Por isso, é tão relevante reverenciarmos aqueles que se destacam na sua atividade, seja pelo dinamismo, pela inovação, pelas estratégias de marketing ou de venda”, defende o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Ari Bittencourt.

PRESIDENTE DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR, ARI BITTENCOURT, DURANTE CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO

18        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


Para valorizar o trabalho árduo de empresários que enfrentam intempéries econômicas e fiscais, mudanças de planos econômicos no decorrer das últimas décadas e, mesmo assim, contribuem para que cidades, estados e o país não deixem de progredir, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), promoveu, em Curitiba, a 13ª edição do troféu Guerreiro do Comércio, com patrocínio da Caixa Econômica Federal.

Bittencourt ressaltou que os empresários premiados foram escolhidos por seus sindicatos representantes por terem se destacado nos últimos 12 meses por suas práticas comerciais positivas. “Os empresários aqui premiados são guerreiros porque bem cedo, todos os dias, iniciam sua luta em favor do comércio e do desenvolvimento social. Suas armas são o trabalho, a dedicação, a vontade de fazer e a persistência por continuar. Enfrentam todas as dificuldades, desde o excesso de tributos até a falta de incentivos ao setor do comércio”, frisou.

à frente de um projeto social que ganhou notoriedade nacional. “Encaro esta homenagem como um grande incentivo. Fiquei muito feliz pela indicação e divido este prêmio com meus familiares que sempre trabalharam ao meu lado e com cada um de nossos funcionários, porque sozinha não teria feito nada”, acredita.

Neste ano, em julho, em noite de congraçamento, ocorreu a entrega de troféus confeccionados pelo artista plástico Luiz Gagliastri a 45 empresários paranaenses. A peça faz menção à batalha diária que empresários enfrentam para a conquista de seus mercados, além do trabalho desempenhado para a aceitação de seus produtos pelo público, administração eficaz e a sobrevivência frente à concorrência.

Uma das homenageadas, Edina Bordignon Oliveira, da cidade de Quatiguá, começou a trabalhar desde cedo por influência da família e na empresa passou por diversas funções até se tornar sócia e responsável pela área Administrativa e de Recursos Humanos. Sob seu comando, a empresária desenvolveu processos internos, normas e procedimentos que norteiam as ações da empresa e, está

Para o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Renato Braga Bettega, naquele período exercendo a função de governador interino do Paraná, a posição privilegiada do comércio paranaense frente ao cenário nacional merece destaque. “O Paraná é o terceiro maior polo comercial do Brasil. Na Região Sul, é o estado que mais gera empregos neste setor”, pontua.

PREMIAÇÃO

JUL | AGO 2018

Desde que o prêmio Guerreiro do Comércio foi criado, em 2006, 678 empresários – de um total de 500 mil empresas paranaenses – receberam a honraria.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     19


CAPA

em 2018, 50 anos de existência.

Honraria máxima concedida a empresários do comércio de bens, serviços e turismo no Paraná e a autoridades estaduais e nacionais, a comenda Ordem do Mérito do Comércio do Paraná completa,

Aos homenageados foram entregues medalhas no formato da Cruz de Malta – um desenho formado por oito pontas – que representa uma pessoa observadora, confiável, inventiva, habilidosa, distinta, sábia, perseverante e encorajadora.

Dividino, um dos homenageados, foi responsável pelo desenvolvimento das atividades no Porto de Paranaguá, organizou a logística portuária, eliminou as tradicionais filas, aumentou as capacidades de carga e descarga, diminuiu o tempo de permanência dos navios, reduziu assim, os custos de operação, implementou tecnologia e modernizou os processos. “O processo de modernização, principalmente do aparato portuário, acaba atendendo a praticamente todos os setores: a indústria, o comércio e o agronegócio. Entendo que o planejamento do porto, com relação ao seu principal cliente, que são aqueles que utilizam os serviços, foi a principal contribuição que prestamos à sociedade organizada”, ressalta.

COMENDADOR HOMENAGEADO

COMENDADOR HOMENAGEADO

COMENDADOR HOMENAGEADO

LUIZ HENRIQUE TESSUTTI DIVIDINO

SÉRGIO LUIZ MALUCELLI

WALDEMIRO WEISS

Desde que foi criada, a homenagem foi entregue a apenas 23 personalidades e, nesta edição do troféu Guerreiro do Comércio, contemplou outras três importantes pessoas: o Coronel da Reserva da Polícia Militar do Paraná, Sérgio Luiz Malucelli; o administrador de empresas de logística, Luiz Henrique Tessutti Dividino, e o serventuário da justiça, Waldemiro Weiss. COMENDA DO COMÉRCIO

20        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


HOMENAGEADOS

EMPRESÁRIO ALCEU OKAGAWA FAL-

EMPRESÁRIA ALEXANE SALLES, DA

EMPRESÁRIO CARLOS HAMILTON SIN-

LEIROS, DA CIDADE DE BORRAZÓPOLIS,

CIDADE DE CURITIBA, INDICADA PELO

GER, DA CIDADE DE CURITIBA, INDICADO

INDICADO PELO SINDICATO DOS DES-

SINDICATO DAS EMPRESAS DE TURISMO

PELO SINDICATO DOS REPRESENTANTES

PACHANTES DO ESTADO DO PARANÁ

NO ESTADO DO PARANÁ (SINDETUR

COMERCIAIS AUTÔNOMOS E EMPRESAS

(SINDEPAR)

PARANÁ)

DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL DO ESTADO DO PARANÁ (SIRECOM PARANÁ)

EMPRESÁRIO ALCIR RODRIGUES DA

EMPRESÁRIO ARIEL BARRANCO, DA

SILVA, DA CIDADE DE CAMPO MOURÃO,

CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO

EMPRESÁRIO CLAUDIO CESAR KUSS, DA

INDICADO PELO SINDICATO EMPRESA-

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA

CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO

RIAL DO COMÉRCIO DE CAMPO MOURÃO

DE MAQUINISMOS, FERRAGENS, TINTAS

SINDICATO DOS LEILOEIROS PÚBLICOS

E REGIÃO (SINDICAM CAMPO MOURÃO

E DE MATERIAL ELÉTRICO DE CURITIBA

E OFICIAIS DOS ESTADOS DO PARANÁ E

E REGIÃO)

(SINDITIBA CURITIBA)

SANTA CATARINA (SINDILEILÕES)

EMPRESÁRIO ALEXANDRE FARIA, DA

EMPRESÁRIO ARMANDO HAMUD HAMUD,

EMPRESÁRIO CLÉU ANTONIO PEDROTTI

CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO

DA CIDADE DE PARANAGUÁ, INDICADO

D´ÁVILA, DA CIDADE DE CASCAVEL, IN-

SINDICATO DOS PERMISSIONÁRIOS

PELO SINDICATO DOS LOJISTAS DO CO-

DICADO PELO SINDICATO DO COMÉRCIO

EM CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE

MÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE

VAREJISTA DE VEÍCULOS, PEÇAS E ACES-

ALIMENTOS DO ESTADO DO PARANÁ

GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DE PARANAGUÁ

SÓRIOS PARA VEÍCULOS DE CASCAVEL

(SINDARUC PARANÁ)

(SINDILOJAS PARANAGUÁ)

(SINCOPEÇAS CASCAVEL)

JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

PRÊMIO GUERREIRO DO COMÉRCIO – 13ª EDIÇÃO |

CONFIRA A RELAÇÃO DOS HOMENAGEADOS:

Nº 125     21


CAPA

EMPRESÁRIO EDSON LUIZ COOPER, DA EMPRESÁRIO CRISTIANO FERRAZ FER-

CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO

NANDES, DA CIDADE DE JAGUAPITÃ,

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA

EMPRESÁRIO HUMBERTO VENTURA GO-

INDICADO PELO SINDICATO DO COMÉR-

DE FLORES E PLANTAS DE CURITIBA E

DINHO, DA CIDADE DE FOZ DO IGUAÇU,

CIO VAREJISTA DE MATERIAL ÓPTICO,

REGIÃO METROPOLITANA (SINDIPLAN

INDICADO PELO SINDICATO PATRONAL

FOTOGRÁFICO E CINEMATOGRÁFICO

CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA)

DO COMÉRCIO VAREJISTA DE FOZ DO

NO ESTADO DO PARANÁ (SINDIÓPTICA

IGUAÇU E REGIÃO (SINDILOJAS FOZ DO

PARANÁ)

IGUAÇU E REGIÃO)

EMPRESÁRIO GETULIO VALENTE HYCZY, DA CIDADE DE GUARAPUAVA, INDICADO PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, EMPRESÁRIO DARNES DALLA VALLE, DA

MERCADO, MINIMERCADOS, SUPERMER-

EMPRESÁRIA IVANI DE OLIVEIRA ROSA,

CIDADE DE PATO BRANCO, INDICADO

CADOS E HIPERMERCADOS DO ESTADO

DA CIDADE DE APUCARANA, INDICA-

PELO SINDICATO PATRONAL DO COMÉR-

DO PARANÁ (SINDIMERCADOS PARANÁ)

DA PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE APUCARANA (SIVANA

CIO VAREJISTA DE PATO BRANCO

APUCARANA)

EMPRESÁRIO HELTON JORGE PARIZOTTO, DA CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, MEREMPRESÁRIA EDINA BORDIGNON OLIVEI-

CADOS, MINIMERCADOS, SUPERMERCA-

RA, DA CIDADE DE QUATIGUÁ, INDICADA

DOS E HIPERMERCADOS DE CURITIBA,

PELO SINDICATO INTERMUNICIPAL DO

REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA E

EMPRESÁRIO JOÃO BATISTA SILVA CAM-

COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAIS DE

LITORAL DO PARANÁ (SINDIMERCADOS

POS, DA CIDADE DE TOLEDO, INDICADO

CONSTRUÇÃO NO ESTADO DO PARANÁ

CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA DE

PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VARE-

(SIMACO PARANÁ)

CURITIBA E LITORAL DO PARANÁ)

JISTA DE TOLEDO (SINVAR TOLEDO)

22        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


LOPES, DA CIDADE DE CASTRO, INDI-

DA CIDADE DE JANDAIA DO SUL, INDICA-

EMPRESÁRIO JUAN DE DIOS BALLESTE-

CADO PELO SINDICATO DO COMÉRCIO

DO PELO SINDICATO DOS LOJISTAS DO

ROS GONZALEZ, DA CIDADE DE PINHAIS,

VAREJISTA DE CASTRO (SINDICASTRO

COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA

INDICADO PELO SINDICATO DO COMÉR-

CASTRO)

DE MARINGÁ E REGIÃO (SIVAMAR)

CIO ATACADISTA E DISTRIBUIDORES DO ESTADO DO PARANÁ (SINCA PARANÁ)

EMPRESÁRIO LUIZ FERNANDO GOTTSCHILD, DA CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA, VENDA, LOCAÇÃO, ADMI-

EMPRESÁRIO JOSÉ AIRTON SPACK, DA CIDADE DE CAMPO LARGO, INDICADO

EMPRESÁRIA JULIA LIEKO SATO RIBEIRO,

NISTRAÇÃO, INCORPORAÇÃO E LOTE-

PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VARE-

DA CIDADE DE LONDRINA, INDICADA

AMENTOS DE IMÓVEIS E DOS EDIFÍCIOS

JISTA DE CAMPO LARGO E BALSA NOVA

PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VARE-

EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS E CO-

(SINDIVAREJISTA DE CAMPO LARGO E

JISTA DE LONDRINA E REGIÃO (SINCO-

MERCIAIS DO PARANÁ (SECOVI PARANÁ)

BALSA NOVA)

VAL LONDRINA E REGIÃO)

EMPRESÁRIO JOSÉ ALEXANDRE POLA-

EMPRESÁRIO JULIANO GOMES DE LIZ, DA

CARNEIRO, DA CIDADE DE UNIÃO DA

SEK, DA CIDADE DE CASCAVEL, INDICA-

CIDADE DE QUATRO BARRAS, INDICADO

VITÓRIA, INDICADA PELO SINDICATO DOS

DO PELO SINDICATO DOS LOJISTAS E

PELO SINDICATO DOS PROPRIETÁRIOS

LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO

DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CASCAVEL

D OS C E N T R OS D E FO R M AÇ ÃO D E

VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS

E REGIÃO (SINDILOJAS CASCAVEL E

CONDUTORES DO ESTADO DO PARANÁ

DE UNIÃO DA VITÓRIA (SINDILOJAS

REGIÃO)

(SINDICFC PARANÁ)

UNIÃO DA VITÓRIA)

HOMENAGEADOS PRÊMIO GUERREIRO DO COMÉRCIO – 13ª EDIÇÃO |

EMPRESÁRIO LINO CESAR CASTANHO EMPRESÁRIO JORACI DE LIMA JUNIOR,

EMPRESÁRIA MAGALI ROCHEMBACH

JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     23


CAPA

EMPRESÁRIO NOEL LEAL DA SILVA, DA CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO

EMPRESÁRIO OSVALDO DOS PASSOS, DA

EMPRESÁRIO NARDI MENSOR, DA CIDA-

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE

CIDADE DE IVAIPORÃ, INDICADO PELO

DE DE IRATI, INDICADO PELO SINDICATO

VEÍCULOS, PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA

DO COMÉRCIO VAREJISTA DE IRATI (SIN-

VEÍCULOS NO ESTADO DO PARANÁ

DE IVAIPORÃ (SINCOMÉRCIO IVAIPORÃ)

DIRATI IRATI)

(SINCOPEÇAS PARANÁ)

EMPRESÁRIO ODILO KLAMT, DA CIDADE

EMPRESÁRIO PAULO KIKOU YOSHINO,

EMPRESÁRIA NEIDE COUTINHO DAMAS-

DE UMUARAMA, INDICADO PELO SIN-

DA CIDADE DE APUCARANA, INDICADO

CENO CAMPESTRINI, DA CIDADE DE

DICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO

PELO SINDICATO DOS SALÕES DE CA-

CASCAVEL, INDICADA PELO SINDICATO

VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS,

BELEIREIROS, INSTITUTOS DE BELEZA

DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS

DE MAQUINISMO, FERRAGENS E TINTAS

E SIMILARES DO ESTADO DO PARANÁ

FARMACÊUTICOS DO OESTE DO PARANÁ

E DE MATERIAL ELÉTRICO E APARELHOS

(SINCAP)

(SINFARMA OESTE DO PARANÁ)

ELETRODOMÉSTICOS DE UMUARAMA (SINDLOJISTAS UMUARAMA)

EMPRESÁRIO ORLANDO MIGUEL STURM,

EMPRESÁRIO ROBERTO DA ROCHA LIMA

DA CIDADE DE MARECHAL CÂNDIDO

TANUS, DA CIDADE DE CURITIBA, INDICA-

EMPRESÁRIA NEUSA MARIA GONÇALVES

RONDON, INDICADO PELO SINDICATO DO

DO PELO SINDICATO DAS EMPRESAS DE

DE JESUS, DA CIDADE DE GUARAPUAVA,

COMÉRCIO VAREJISTA DE MARECHAL

GARAGENS, ESTACIONAMENTOS E DE

INDICADA PELO SINDICATO DO COMÉR-

CÂNDIDO RONDON E MICRO REGIÃO

LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DE VEÍCULOS

CIO VAREJISTA DE GUARAPUAVA (SICO-

(SINDICOMAR MARECHAL CÂNDIDO

DO ESTADO DO PARANÁ (SINDEPARK

MÉRCIO GUARAPUAVA)

RONDON E MICRO REGIÃO)

PARANÁ)

24        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


SENTANTE DO EMPRESÁRIO TOMASZ

EMPRESÁRIO ROBSON ROGÉRIO NIE-

ADA GEORGES AMMARI SGARBOZA, DA

POPLAWSKI, DA CIDADE DE CURITIBA, IN-

SING, DA CIDADE DE PONTA GROSSA,

CIDADE DE FRANCISCO BELTRÃO, INDI-

DICADO PELO SINDICATO DO COMÉRCIO

INDICADO PELO SINDICATO DO CO-

CADA PELO SINDICATO DO COMÉRCIO

VAREJISTA DE ADORNOS E ACESSÓRIOS,

MÉRCIO VAREJISTA DE PONTA GROSSA

VAREJISTA DE FRANCISCO BELTRÃO

OBJETOS DE ARTE, DE LOUÇAS FINAS

(SINDILOJAS PONTA GROSSA)

(SINDUSCOM FRANCISCO BELTRÃO)

E DE MATERIAL ÓTICO, FOTOGRÁFICO E CINEMATOGRÁFICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA (SINDJOR CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA)

EMPRESÁRIO ROMILDO PERACIN, DA CI-

EMPRESÁRIO SIDINEI PITOL, DA CIDADE

DADE DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA,

DE MEDIANEIRA, INDICADO PELO SIN-

INDICADO PELO SINDICATO DO COMÉR-

DICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE

EMPRESÁRIO VALMIR MIGUEL ESPO-

CIO VAREJISTA DE SANTO ANTÔNIO DA

MEDIANEIRA E REGIÃO (SINCOMED)

LADOR, DA CIDADE DE CURITIBA, INDI-

PLATINA (SINDILOJAS SANTO ANTÔNIO

CADO PELO SINDICATO DO COMÉRCIO

DA PLATINA)

VAREJISTA DE CALÇADOS DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA (SINDCCAL CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA)

HOMENAGEADOS

NA FOTO, RICHARD POPLAWSKI, REPRE-

REPRESENTANTE DA EMPRESÁRIA SA-

PRÊMIO GUERREIRO DO COMÉRCIO – 13ª EDIÇÃO |

NA FOTO, TIAGO AMMARI SGARBOZA,

EMPRESÁRIO SILVÉRIO PADRÃO, DA CIDADE DE CURITIBA, INDICADO PELO SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉREMPRESÁRIO RONALDO SÉRGIO COLAU-

CIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE

TO, DA CIDADE DE COLOMBO, INDICADO

MAQUINISMOS, FERRAGENS, TINTAS,

EMPRESÁRIO WALDEMAR PIMENTEL, DA

PELO SINDICATO DO COMÉRCIO VARE-

MATERIAL ELÉTRICO E APARELHOS ELE-

CIDADE DE PONTA GROSSA, INDICADO

JISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS

TRODOMÉSTICOS DE CURITIBA E REGIÃO

PELO SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS

DO ESTADO DO PARANÁ (SINDIFARMA

METROPOLITANA (SINDILOJAS CURITIBA

DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS DO ESTADO

PARANÁ)

E REGIÃO METROPOLITANA)

DO PARANÁ (SESFEPAR PARANÁ)

JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

 Nº 125     25


HOMENAGEM

PRÊMIO AECIC 2018 PREFEITO DE CURITIBA RECEBE PRÊMIO PERSONALIDADE AECIC 2018 TE XTO : FE RNANDA Z IEGMA N N | FOTO: IVO LIMA

O PRESIDENTE DA FAEP, ÁGIDE MENEGUETTE; O VICE-PRESIDENTE DA ACP, CARLOS GUSSO; O VICE-PRESIDENTE DA FIEP, HELIO BAMPI; O PRESIDENTE DO BRDE DO EXTREMO SUL, ORLANDO PESSUTI; O PRESIDENTE DA CÂMARA DE CURITIBA, VEREADOR SERGINHO DO POSTO; O PRESIDENTE DA AECIC, NELSON HÜBNER; O PREFEITO RAFAEL GRECA; O EX-GOVERNADOR, BETO RICHA; O PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DA AECIC, JOÃO CASILLO; O VICE-PRESIDENTE DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR, PAULO CESAR NAUIACK; E O DIRETOR DA OCEPAR, NELSON COSTA

A

Associação das Empresas da Cidade Industrial de Curitiba (AECIC) entregou o prêmio personalidade AECIC 2018 ao prefeito de Curitiba, Rafael Greca. A homenagem foi prestada no dia 6 de agosto, em um evento que reuniu 420 pessoas, entre lideranças empresariais e políticas do estado, no Graciosa Country Club. O vice-presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Paulo Cesar Nauiack, prestigiou a cerimônia. O prêmio começou a ser concedido pela AECIC em 1978. Anualmente, a associação seleciona um homenageado, levando em consideração a contribuição para o desenvolvimento do Paraná, a atuação e legado no meio indus-

26        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

trial e empresarial paranaenses. O prefeito curitibano é o homenageado da 38ª edição. “O nome do prefeito vai enaltecer ainda mais a nossa galeria de homenageados. Em tempos de crise é necessário ter esperança. Greca mantém esta chama acesa, administrando nossa cidade com ternura e disciplina”, destacou o presidente da AECIC, Nelson Hübner. “Fico imensamente feliz com essa homenagem. Sou um parceiro da cidade, precisamos dotar Curitiba de energia criativa, capaz de transformar a realidade. Renovo aqui meu compromisso de amor e trabalho em prol da nossa gente. A Cidade Industrial é a força empresarial mais dinâmica de todo o Paraná”, agradeceu Greca.

Estiveram presentes na homenagem o vice-prefeito Eduardo Pimentel; o diretor do Sebrae/PR, Vítor Tioqueta; o diretor do Sesi/Senai, José Antonio Fares; o ouvidor do Graciosa Country Club, Gustavo Athayde, representando o presidente da instituição, Fernando Bley Filho; o presidente do CIEE-Paraná, Domingos Murta; o presidente da Junta Comercial do Paraná, Ardisson Akel; o presidente da Abav-PR, Antonio Azevedo; o representante do Movimento Pró-Paraná, Rafael De Lala; o representante do Instituto Democracia e Liberdade (IDL), Ivo Petris; a prefeita de Colombo, Beth Pavin, além de secretários municipais, presidentes de autarquias e administradores regionais da Prefeitura, secretários de estado, ex-governadores e deputados estaduais e federais. 

JUL | AGO 2018


RECONHECIMENTO

PROFESSOR ITO SE DESPEDE DO SENAC ITO VIEIRA FOI DIRETOR DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DURANTE 14 ANOS TEXTO : K ARLA SA N TIN | FOTOS: IVO LIMA

F

oi no Sistema S que o tímido menino de Piraquara se encantou pelo ensino profissionalizante. De aluno passou a professor, título que o acompanha até hoje, e chegou a Diretor Regional do Senai. O professor Ito Vieira, como é conhecido por todos, ingressou no “S” do comércio em 2004, a convite do então presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, que assumia naquele mesmo ano. E por 14 anos Vieira conduziu a Diretoria de Educação e Tecnologia do Senac PR, onde foi o grande responsável pela modernização do setor, com a implantação das matrizes curriculares, itinerários formativos, processos pedagógicos e conteúdos avançados que colocaram a instituição como referência nacional. Professor Ito criou o jeito Senac de pensar a educação, focado na prática do mercado de trabalho e na inovação. “Novas formas de agir, vestir, pensar, entreter, trabalhar requerem novas formas de se pensar a educação. Pois educar alguém é acolher essa pessoa, é se dispor a repensar a forma de produzir conhecimento para melhor atender ou suprir as necessidades dos aprendizes. E tal reformulação propicia automaticamente a

JUL | AGO 2018

chega na escola, independentemente do nível de ensino, precisa se sentir seguro, respeitado em sua essência, para então estar apto a compartilhar conhecimento e desenvolver competências. Essa é a premissa que deve permear o sistema educacional como um todo, com o intuito de proteger, formar e preparar, o melhor possível, esse aluno para uma vida cidadã”, afirmou em artigo especial na mesma revista. ITO VIEIRA, O EX-DIRETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA DO SENAC PR

criação de suportes ou aparatos tecnológicos que respaldem essa reestruturação educacional”, enfatizou no editorial da revista Senac Educação, publicada este ano. Da mesma forma que foi acolhido pelo Sistema S quando jovem, Vieira defende a importância do acolhimento ao estudante por parte das instituições de ensino. “Longe de ser apenas uma questão de amparo, o acolher na perspectiva civil também é o que nos move. Acolher como um ato de preservação da dignidade da pessoa, assegurado pela própria Constituição Federal, pois o aluno, quando

No dia 27 de julho, o diretor se despediu do Senac PR. Durante reunião mensal do Conselho da instituição, o presidente em exercício do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Paulo César Nauiack, leu uma carta escrita pelo presidente reeleito e não empossado, Darci Piana. Na sequência, o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier, entregou uma placa de agradecimento pelos serviços prestados. “Durante esses 14 anos me dediquei ao Senac e agora me resta o sentido claro da palavra rumo e a vontade de continuar sendo útil ao meu semelhante. Algo que o ser humano esquece com facilidade é a gratidão, mas essa eu levo para a eternidade”, finalizou o professor.  FECOMÉRCIO PR

Nº 125     27


RELAÇÃO INTERNACIONAL

FECOMÉRCIO PR FOMENTA NEGÓCIOS INTERNACIONAIS FEDERAÇÃO TEM PROMOVIDO ENCONTROS ENTRE CONSULADOS, CÂMARAS COMERCIAIS E EMPRESÁRIOS PARANAENSES TE XTO : CARO LINA GOMES | FOTO: B R UN O TA DASHI

A

negociação com outros países, apesar de um grande desafio, é uma ótima oportunidade para as empresas aumentarem sua rede de negócios e a gama de produtos. Com o intuito de fomentar as relações bilaterais e abordar assuntos de interesses dos países no intercâmbio comercial com o Paraná e o Brasil, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), por meio de sua Câmara de Relações Internacionais, está promovendo encontros regulares entre consulados, câmaras de comércio e o empresariado paranaense. Os encontros mensais têm como objetivo aumentar a sinergia nas relações bilaterais com todos os países com representação no estado. O presidente da Fecomércio PR, Ari Bittencourt, lembra que o Paraná é um estado formado por diferentes culturas e que está preparado para aumentar suas fronteiras comerciais. “Somos uma mistura de etnias e esse caldo é responsável pelo resultado pujante da quinta maior economia do país. Estamos prontos para ampliar ainda mais nossos negócios e a Fecomércio tem a base filiada ideal para isso”.

28        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


ENCONTROS MENSAIS

O trabalho de fomento às relações bilaterais tem sido constante. Os encontros entre potenciais importadores exportadores serão mensais a partir de agora, com o intuito de manter sempre ativas as ofertas de ambos os lados. O I Encontro de Consulados e Câmaras de Comércio ocorreu no mês de julho e reuniu representantes de mais de 20 países, da Europa, América Latina e África. Neste primeiro evento cada cônsul e presidente de câmara de comércio saiu da reunião com uma tarefa de identificar produtos de interesse de seus países de origem em importação e exportação com o estado do Paraná. O II Encontro foi realizado no mês de agosto. Nesta nova reunião representantes da República Tcheca, Peru e Taiwan fizeram apresentações de produtos com possibilidades de importação pelos empresários paranaenses. Além de câmaras do comércio de diversos países com representação no Paraná e de consulados acreditados no estado, também estiveram presentes supermercadistas, atacadistas, sindicatos, despachantes aduaneiros, membros da Junta Comercial e empresas de tecnologia da informação. “O papel da Fecomércio será o intercâmbio com as empresas detentoras desses produtos e serviços para fazer a pontes entre compradores e fornecedores e viabilizar os negócios”, informou o diretor da Câmara de Ralações Internacionais da Fecomércio PR, Rui Lemes.

JUL | AGO 2018

O PRESIDENTE DO SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR, ARI BITTENCOURT, FEZ A ABERTURA OFICIAL DO II ENCONTRO DE CONSULADOS, QUE CONTOU COM MAIS DE 80 CONVIDADOS

O I ENCONTRO DE CONSULADOS E CÂMARAS DO COMÉRCIO RECEBEU REPRESENTANTES DE MAIS DE 20 PAÍSES DO MERCOSUL, EUROPA, ÁFRICA E ÁSIA

APRESENTAÇÕES

Os representantes da República Tcheca, Veronika Kohoutova e Patrik Kohout falaram um pouco sobre o país e as principais possibilidades de exportação que os empresários paranaenses podem aproveitar. Entre os produtos com oportunidade de importação estão os gêneros alimentícios, da área automotiva, médica, porcelanas e cervejas. Neste último, segundo

Patrik, o país tem a capacidade de exportar não só o produto final, como a tecnologia e os insumos para a produção no Paraná. Li-Ting You e Suen Sik Lung, ambos representando o Conselho para Desenvolvimento do Comércio Exterior de Taiwan (Taitra), falaram sobre as oportunidades de negócios com Taiwan. Após as apresentações das atividades da entidade, foram destacados

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     29


RELAÇÃO INTERNACIONAL

os pontos fortes em exportação do país, com destaque para os manufaturados tecnológicos. O gerente de promoção comercial da Taitra, Suen Sik Lung, elogiou o trabalho da Federação no incentivo aos negócios e na receptividade aos interessados em comercializar com o Paraná. “Recebemos todo o apoio da Fecomércio para promover as relações comerciais com os empresários paranaenses. Somos parceiros em missões a Taiwan, que têm sido muito produtivas para ambos os lados”. Em nome do Peru falou o cônsul honorário no Paraná, Luiz Henrique Sossella. Ele explanou sobre a cultura e economia do país, destacando os avanços nas exportações nos últimos anos e o comércio bilateral já existente com o Brasil. Entre os produtos com maior possibilidade de exportação estão os gêneros alimentícios, com destaque para quinoa, azeitona, cacau e pescados. Ele citou ainda o mercado de vestuário, que tem grande potencial de exportação para o Paraná. Após as apresentações alguns empresários tiraram dúvidas sobre importações e falaram sobre os produtos que têm intenção de comercializar.

30        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

CÂMARA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS A Fecomércio PR, por meio da Câmara de Relações Internacionais, promove encontros, rodadas de negócios, missões econômicas, acordos de cooperação e gestão que possibilitam a integração cultural e comercial entre países de representatividade no Paraná. O relacionamento com o Corpo Consular do Paraná é estreitado por constantes eventos promovidos pela intuição, sempre buscando favorecer os contatos para fomentar negócios no estado. Além das reuniões bilaterais com câmaras de comércio exterior e encontros com consulados, o órgão executivo promove ainda tratativas com embaixadas e reuniões junto à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e com o Ministério de Indústria e Comércio. Também fazem parte das ações da Câmara, o Grupo Técnico de Comércio Exterior (GT Comex) e a Análise Conjuntural do Comércio Exterior. De acordo com o diretor, Rui Lemes, parcerias com os Estados Unidos, países do Mercosul, da União Europeia, da Ásia e da África já foram feitas, seja em rodadas de negócios, missões empresariais ou acordos de cooperação e gestão. Entre os países que mantém relações próximas com a Câmara de Relações Internacionais da Fecomércio estão: Argentina, Peru, Chile, Paraguai, Japão, Coreia do Sul, Taiwan e China.

MISSÕES Para ampliar as oportunidades de negócios entre empresas brasileiras e o mercado internacional, a Fecomércio PR promove missões empresariais emissivas, com a ida de comitivas para outros países, e receptivas, com o atendimento a empresas de fora interessadas em comercializar seus produtos ou comprar de companhias brasileiras. As Missões Internacionais criam e estreitam relacionamentos e estimulam a negociação bilateral. “Temos feito missões anuais levando empresários para conhecer comercialmente países que tenham relações conosco. Não é fácil fazer negócios, mas queremos fomentar essas relações dentro do estado também”, ressaltou o diretor Rui Lemes. 

JUL | AGO 2018


CEASA

A CIDADE QUE NUNCA DORME A CENTRAL DE ABASTECIMENTO LOCALIZADA NO BAIRRO TATUQUARA, EM CURITIBA, MOVIMENTA QUASE R$6 MILHÕES POR DIA TEXTO : FE RNANDA Z IEGMA N N | FOTOS: IVO LIMA

A

vida de quem trabalha na Central de Abastecimento (Ceasa) de Curitiba, começa bem cedo. Os portões abrem às 4h30 da madrugada para que os traJUL | AGO 2018

balhadores montem suas bancas ou arrumem seus boxes. Às 5h10 apitam as sirenes e é aí que a Ceasa ganha vida. Movimento intenso de vendedores, produtores, compradores, carros, caminhões

e muitos carrinhos. Às 10h já quase não se vê movimento de compradores, só os grandes caminhões carregando suas entregas. Aquela ideia de que a Ceasa é uma FECOMÉRCIO PR

Nº 125     31


CEASA

grande feira cai por terra quando se passa pelas guaritas. As bancas são substituídas por caixas e mais caixas de verduras, legumes e frutas, os caminhões tomam o lugar das gôndolas e a compra é feita em grandes quantidades. Comprar um cabeça de alface é impossível, dentro da Ceasa o cliente leva ao menos uma caixa inteira, com 12 cabeças. Praticamente uma cidade: essa é a melhor definição para a Ceasa. São 45 mil m² construídos que abrigam 644 boxes, 86 pedras (mercado não permanente), 50 lojas de flores, 84 lojas, 15 lanchonetes, três grandes bancos, lotérica, panificadora, restaurante, mercearia, farmácia, lojas de implementos agrícolas, embalagens e sacarias. Os números dizem ainda mais

sobre essa “cidade”. Ao todo são mais de quatro mil produtores cadastrados desses, 1.200 são frequentes. Mais de 15 mil pessoas passam por dia pelos corredores. De quatro a sete mil veículos circulam diariamente nas ruas da Ceasa. São comercializadas 2 mil e 500 toneladas de alimentos por dia fazendo circular cerca de seis milhões de reais. Entre produtores, distribuidores e carregadores são mais de seis mil pessoas. “A Central abastece principalmente Curitiba e região metropolitana, mas muitos produtos vão também para outros estados, como Santa Catarina, Mato Grosso e até Pará”, explica o gerente geral da Ceasa Curitiba, Joarez Miranda. Se tem algo que pode definir a Ceasa são os carrinhos que tomam

conta das ruas com caixas e sacos empilhados. Identificados com cores diferente os carrinhos amarelos são da área do produtor, já os vermelhos são do atacado, ou seja, dos boxistas – os permissionários. “Os carrinhos são o símbolo da Ceasa, eles dão vida às ruas. Quando vemos um carrinho vindo, saímos da frente para dar passagem”, afirma o supervisor de operações do Sindaruc, Francisco Gomes Neto, o Branco, como é conhecido pelos corredores da Ceasa. Dentro da Ceasa também está localizado o Mercado das Flores. Inaugurado em 2017 o mercado abriga 50 lojas entre distribuidores de flores, mudas, plantas e acessórios para floricultura como vasos, suportes e substratos orgânicos.

MERCADO DAS FLORES

32        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


ÁREA DO PRODUTOR

ÁREA DO PRODUTOR

A parte de baixo da Ceasa é destinada aos produtores. Chamada de área não permanente, existe como se fosse uma espécie de rodízio entre os produtores, um deles é Celso Lunardon, produtor de alface de Campina Grande do Sul. Há 36 anos vai diariamente com seu caminhão para a pedra 82 (termo utilizado para indicar o local de parada dos produtores cadastrados – a nomenclatura existe desde o início da Ceasa em que se referia a um monte de pedras para que se estacionasse próximo). “Quando comecei devia ter no máximo 200 produtores cadastrados e precisávamos descarregar toda a carga para fazer a venda.

CELSO LUNARDON, PRODUTOR DE ALFACE

Hoje já podemos entrar com o caminhão, isso facilitou muito o trabalho”, conta Lunardon. Ele é o maior produtor de alface da Ceasa. No verão, alta temporada, ele chega a produzir duas mil caixas por semana, isso ao fim do mês representa quase 100 mil cabeças de alface. “Conto com a ajuda do que chamamos de meieiros para plantar e colher, ao fim do dia dividimos o lucro das vendas. Assim todo mundo sai ganhando”, conta o produtor. Celso chega a Ceasa sempre por volta das 21h30, estaciona seu caminhão na pedra indicada já se preparando para o próximo dia de vendas. “Durmo aqui dentro para poder dormir. Caso contrário meu

MOVIMENTO DE CARRINHOS NA ÁREA DO PRODUTOR

JUL | AGO 2018

horário de descanso seria muito menor, pois como meu caminhão é grande precisaria entrar antes dos meus “vizinhos de pedra” para poder estacionar”. Por volta das 10h30 o produtor arruma suas coisas e parte para a segunda etapa do dia. “Tenho uma empresa de embalagens, assim que termina meu trabalho na Ceasa sigo para fazer as entregas do meu outro negócio”, finaliza Lunardon. O carregador Marcos Hartmann, ajuda nas entregas de Lunardon dentro da Ceasa e trabalha desde muito cedo “pilotando” os carrinhos pela feira. “Faz 18 anos que trabalho aqui, me criei dentro da Ceasa. Isso aqui é o sustento da minha família, aqui construí minha vida”, lembra Hartmann.

PEDRA – LOCAL DE PARADA DOS CAMINHÕES

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     33


CEASA

ÁREA PERMANENTE – BOX DA BENASSI

ÁREA PERMANENTE

A área permanente é onde ficam os atacadistas ou permissionários do mercado, os boxistas. Essa área é caracterizada pela obrigatoriedade diária de funcionamento, são empresas privadas que pagam locação do box que foram obtidos por concorrência pública através do Termo de Permissão Remunerada de Uso (TPRU), por isso são chamados de permissionários. A distribuidora com a maior variedade de produtos é a Benassi, que ocupa sete boxes na área permanente. Frutas nacionais e importadas dão cores e aromas variados ao box que funciona há 20 anos. “Damos prioridade para os produtos nacionais, sempre de acordo com a safra. Quando acaba no Paraná vamos para outros estados e até para fora do país. Procuro importar produtos do momento, por exemplo, hoje trago pêssego, nectarina e ameixa da Espanha, maçã e pera da Argentina. As frutas têm períodos de acordo com o clima, 34        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

GILBERTO SABEI, PROPRIETÁRIO DA BENASSI

elas têm um ciclo de aproximadamente três meses, por isso temos que ir em busca em outros locais”, explica o proprietário da Benassi Paraná, Gilberto Sabei.

tidades atendidas pelo Banco de Alimentos participam de atividades de capacitação em educação alimentar para que repassem as informações à comunidade.

“Nos boxes também é comum que esses comerciantes sejam produtores rurais. Eles produzem porém vendem sua produção no box, não podem comercializar na pedra”, conta Branco.

“Nada é jogado fora. Quando não conseguimos dar vazão ao que recebemos, carregamos nossos caminhões e levamos para as comunidades mais carentes. A Caximba é uma das que recebe cargas completas de doações de alimentos”, conta o responsável pelo Banco de Alimentos, Alceu Vilaça.

BANCO DE ALIMENTOS

Os produtos que não são comercializados pelos atacadistas e produtores rurais são destinados ao Banco de Alimentos da Ceasa PR. Uma iniciativa de abastecimento e segurança alimentar que evita o desperdício e ainda auxilia na alimentação de mais de 20 mil famílias da região. Os alimentos recebidos são selecionados e distribuídos gratuitamente às entidades assistenciais e às famílias previamente cadastradas. Em contrapartida, as en-

TOMATES DOADOS AO BANCO DE ALIMENTOS

JUL | AGO 2018


SINDICALISMO

Os comerciantes da Ceasa PR são representados pelo Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado do Paraná (Sindaruc). O sindicato é responsável por fazer negociações com a diretoria da Ceasa visando minimizar problemas no mercado e melhorar as condições de comercialização. Além disso, pagam uma taxa para manutenção dos funcionários dos boxes, da pedra, da limpeza e reestruturação do mercado. “Trabalhamos em busca de melhorias para a nossa classe, que são os atacadistas. Já conseguimos que colocassem asfalto em boa parte da Ceasa, instalação de fibra ótica da Copel, estacionamento com segurança (ainda não em funcionamento). Caso contrário, tudo o que é feito, desde a troca de uma lâmpada até algo maior, fazemos um rateio entre os permissionários. Os seja, cada coisa que conseguimos é uma economia para os boxistas”, explica o supervisor. JUL | AGO 2018

• ÁREA

TOTAL DE TERRENO: 510.000 M2

• ÁREA

TOTAL URBANIZADA: 196.000 M2

• ÁREA

CONSTRUÍDA: 72.011 M2

• ÁREA

DE COMERCIALIZAÇÃO: 45.354 M2

ÁREA DESTINADA AO PRODUTOR u 13.461 M2 86 PEDRAS u

1.285 M2

NÚMERO DE PRODUTORES CADASTRADOS u 4.534 COMERCIALIZAÇÃO u

702.778,78 T/ANO

ÁREA DESTINADA AOS PERMISSIONÁRIOS: 84 LOJAS u 4.107 M2 644 BOXES u

31.435 M2

15 LANCHONETES u 50 FLORES u

869 M2

968 M2

Branco trabalha na Ceasa há 20 anos, 17 deles como chefe de fiscalização e está nessa função no Sindicato há apenas três. Ninguém melhor do que ele para saber dos anseios e das necessidades desses que vivem da Central

de Abastecimento. Foi Branco que com a maior paciência, boa vontade e conhecimento guiou a equipe de reportagem da Revista Fecomércio PR para que realizasse essa matéria. 

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     35


ALERTA

FASCINANTES E MENTIROSAS

AS FAKE NEWS EXISTEM HÁ SÉCULOS. CONHEÇA O QUE VEM SENDO FEITO PARA COMBATÊ-LAS E SAIBA COMO NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA TE XTO : LARISSA GRIZOLI | B A N CO DE IMAGEN S

P

conhecido da história. Desde a Grécia Antiga, a disseminação de boatos era algo comum para desqualificar figuras públicas, obter vantagens políticas e econômicas.

O termo foi popularizado recentemente, durante a corrida eleitoral norte-americana de 2016. O fenômeno, no entanto, é um velho

Na época, só de boca em boca ou com uso do papel, a desinformação já impactava a vida em sociedade. Hoje, então, com as mídias sociais na palma da mão, a propagação ganhou velocidade e o alcance pode ocorrer em larga escala, o que acabou tornando as mentiras com cara de notícia uma ameaça a pessoas, governos e empresas.

rovavelmente você já ouviu falar que a feijoada é um prato brasileiro criado por escravos. Que a eleição será anulada se mais de 50% dos eleitores votarem nulo. Ou mesmo que há relação entre tomar vacina e desenvolver autismo. Pois saiba que todas essas informações fazem parte de uma mesma categoria de notícias: as falsas, conhecidas como fake news.

36        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

CARACTERÍSTICAS As fake news podem ser classificadas como informações completamente falsas ou distorcidas que possuem caráter de novidade e são criadas especificamente para enganar pessoas e moldar uma nova realidade. Por conveniência, são simplistas e apelam menos à lógica e mais à emoção. “A gente cai facilmente em fake news porque há uma demanda social por síntese e um desejo de que aquela notícia seja verdade”, explica o doutor em Ciências da JUL | AGO 2018


Comunicação pela Unisinos e professor de Comunicação da UFPR, Elson Faxina. Uma pesquisa do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), publicada em março deste ano na revista científica Science, mostra que as notícias falsas têm 70% mais chances de serem compartilhadas do que as verdadeiras e chegam aos usuários 20% mais rápido. O estudo, que parece comprovar a ideia do célebre escritor italiano Umberto Eco – de que “as mentiras são mais fascinantes do que a verdade” –, apontou ainda que, ao contrário do que se pensava, a disseminação de boatos na rede é feita principalmente por pessoas, e não por robôs. “Tem gente que é paga – e muito bem paga – para inventar notícias falsas. Tem quem não ganha dinheiro, mas dissemina porque tem interesses políticos. E tem ainda aqueles que repercutem simplesmente por acreditar”, afirma Faxina. O professor defende que quem compartilha uma mentira torna-se coautor dela, mentiroso igual quem inventou.

JUL | AGO 2018

IMPACTO SOCIAL No mundo digital, o papel do jornalista como mediador entre o público e a notícia deixou de ser exclusivo. Qualquer pessoa detém o poder de produzir e divulgar conteúdo, o que é um avanço na democratização da informação, mas também um risco se não houver bom senso nem respeito ao princípio básico da verdade – que é o que vem acontecendo. No âmbito político, por exemplo, a influência de notícias falsas nas eleições deste ano é tida como certa por especialistas. Vídeos com falas descontextualizadas, áudios alarmistas e textos que prometem revelar ‘tudo o que você precisa saber’ sobre determinado candidato buscam enaltecer as qualidades de um político e manchar a imagem de seus oponentes. A estratégia tumultua o processo eleitoral e confunde os eleitores, podendo fazer com que escolham seus representantes com base em informações que não correspondem à verdade. Na saúde, o fenômeno também é motivo de preocupação. O apelo a receitas milagrosas para tratar doenças graves e o questionamen-

to à eficácia das vacinas faz com que pacientes sejam negligentes com tratamentos cientificamente comprovados. O impacto não é apenas individual, mas também coletivo. No Brasil, a queda do número de vacinações pode trazer de volta doenças consideradas erradicadas, como sarampo e poliomielite. IMPACTO EMPRESARIAL Além de pessoas e governos, organizações também são prejudicadas com mentiras compartilhadas no meio físico e virtual. Um cliente insatisfeito ou mesmo um funcionário descontente podem dar início a boatos capazes de provocar danos à imagem e à reputação da empresa, com perdas, inclusive, financeiras. Um estudo feito pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), publicado em abril deste ano, apontou que apesar de 85% das empresas estarem preocupadas com o avanço das fake news, apenas 20% possuem estrutura para acompanhar o gerir os reflexos produzidos por esse tipo de notícia.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     37


ALERTA

Para o diretor-presidente da Aberje e professor da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), Paulo Nassar, essa falta de preparo para lidar com notícias falsas tem a ver com a forma que a comunicação é tratada no mundo corporativo. “A comunicação não pode ser vista como uma ferramenta que você aciona só na hora que surge um problema, pois ela é hoje o oxigênio que as organizações e as pessoas respiram, faz parte da essência das empresas e do cotidiano de qualquer executivo. A comunicação, atualmente, tem que estar de ‘P a P’, do porteiro ao presidente da organização”, afirma. ESTRATÉGIAS DE COMBATE No Brasil, com a proximidade das eleições, a busca pelo termo “fake news” na web alcançou o ápice no mês de agosto deste ano, de acordo com a ferramenta Google Trends. Junto desse interesse por parte da população, as próprias redes sociais, o poder público e algumas organizações estão investindo na implementação e aprimoramento de mecanismos de combate às mentiras na internet. O WhatsApp, por exemplo, além de limitar a quantidade de pessoas que pode receber a mesma mensagem simultaneamente, lançou um recurso para avisar quando o conteúdo foi “encaminhado” pelo usuário, o que geralmente indica que aquilo não foi criado por ele. Já o Twitter e o Facebook assinaram acordos com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) comprometendo-se, respectivamente, a combater o uso de robôs e de perfis falsos de políticos e partidos, e a prevenir a desinformação, apoiar a educação digital e promover o jornalismo de qualidade. Um dos projetos do Facebook no Brasil é feito em parceria com as agências de fact-checking Lupa e Aos Fatos. As empresas analisam a veracidade de notícias denunciadas como falsas pelos usuários da rede social. Quando a denúncia é comprovada, menos gente tem acesso àquele conteúdo, o impulsionamento (pagamento para que mais pessoas vejam) fica proibido e a página responsável pode ser penalizada com alcance menor para todas as suas postagens. A agência Lupa foi criada em 2015 e é a primeira especializada em fact-checking no país. Reconhecida internacionalmente, a empresa acompanha o noticiário e recebe sugestões de checagem dos leitores, visando corrigir informações imprecisas e divulgar dados corretos. A Aos Fatos realiza trabalho semelhante, bem como a Agência Pública e os sites E-farsas e Boatos.org.  38        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

O QUE VOCÊ PODE FAZER As iniciativas públicas e privadas para combater a onda de mentiras na internet são muito importantes. Mas os principais agentes para conter esse fenômeno continuam sendo as pessoas. Como? O professor Nassar explica: “o que a gente tem hoje é a necessidade de não relativizar valores, especialmente o da verdade, e de valorizar instituições que prezam pela credibilidade e por processos como o de checagem e o de ouvir diferentes versões”. Na prática, confira o que você pode fazer para não cair em fake news nem ajudar a disseminá-las:

• Verifique se a fonte de informação é

confiável. Sites desconhecidos, sem expediente e telefone de contato são sinais de alerta. • Confira se a notícia já saiu em outros veículos de comunicação. • Observe a data da matéria. • Desconfie de textos com muitos adjetivos, de notícias que parecem boas ou ruins demais para ser verdade e de mensagens que circulam no WhatsApp. • Não confunda notícia com opinião nem com propaganda. • Não compartilhe nada antes de ler até o fim ou de ter certeza que aquilo é verdade. • Caso chegue a repassar uma notícia falsa, não tenha vergonha de se retratar e dizer que aquilo era mentira.

JUL | AGO 2018


FELIPE GUSSO

EDUCAÇÃO TURISMO

PROCISSÃO DE CORPUS CHRISTI, EM CURITIBA

DE OLHO NAS ROTAS DE FÉ PARA MAPEAR ATRATIVOS E FOMENTAR OPORTUNIDADES, PARANÁ INSTITUI 2018 COMO O ANO DO TURISMO RELIGIOSO NO ESTADO TEXTO: LA R ISSA GR IZOLI

S

e os brasileiros pudessem resumir o ano de 2018 em uma única palavra, talvez a escolhida fosse fé. Para os apaixonados por futebol, fé na conquista do hexa – que acabou não vindo. Para os eleitores, fé em um futuro melhor, com a escolha

JUL | AGO 2018

de candidatos mais comprometidos com o povo nas eleições de outubro. E para os paranaenses, fé não no sentido da crença de que algo grandioso aconteça, mas como um assunto que merece atenção quando vira motivação para o turismo no estado.

De acordo com a Paraná Turismo, o segmento religioso é que o mais possui atrativos no Paraná, superando o turismo cultural, de lazer e gastronômico, por exemplo. Os roteiros, compostos por templos, festas, monumentos e peregrinações, atraem um grande fluxo de FECOMÉRCIO PR

Nº 125     39


BRUNO TADASHI

TURISMO

visitantes, mas ainda carecem de profissionalização. A diretora técnica da Paraná Turismo, Deise Bezerra, afirma que “o turismo religioso é muito importante para o estado, por isso precisa ir além da motivação e partir para uma qualificação e organização maior”. Para melhorar esse cenário, beneficiando não só os turistas, mas toda a cadeia produtiva do setor, o Paraná definiu 2018 como o Ano Estadual do Turismo Religioso. Entre as ações a serem desenvolvidas estão mapear atrativos ainda não registrados, valorizar e apoiar empreendedores do ramo, capacitar profissionais para a recepção dos turistas e promover as rotas de fé que compõem o potencial turístico do estado, com retorno social, cultural, econômico e ambiental. COMISSÃO

Para organizar a execução das atividades, foi criada a comissão do ano estadual do turismo religioso, composta pela Paraná Turismo; pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná; por empreendedores e gestores estaduais, públicos e privados, do turismo religioso; pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) no Paraná e a Pastoral do Turismo, representando a igreja católica; e pela Associação Inter-Religiosa de Educação (ASSINTEC), representando as religiões de matrizes indígena, ocidental, africana e oriental. De acordo com o presidente da comissão, Pedro Kempe, essa reunião de lideranças une conhecimento e fortalece o setor. Para ele, muitos destinos têm potencial 40        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

PEDRO KEMPE, PRESIDENTE DA COMISSÃO DO ANO ESTADUAL DO TURISMO RELIGIOSO E DONO DA AGÊNCIA DOMUS VIAGENS

para usar os atrativos religiosos como motivadores de viagem, mas para isso é preciso investir na formalização. “Que as pessoas que trabalham com turismo religioso entendam que elas têm que fazer o turismo legal, organizar a viagem dentro de uma empresa, usar o seguro, usar um guia. É claro que esse é um trabalho bastante cuidadoso porque a gente não quer que você que é informal pare de realizar sua viagem. Não é isso. A gente quer que você se formalize. Gradativamente, aos poucos, mas que você venha para o lado formal para a gente fazer o que é certo”, afirma. DESTINOS E OPORTUNIDADES O turismo religioso no Paraná demonstra um pouco da diversidade étnica, cultural e de crença de seu povo. Em Prudentópolis, por exemplo, é possível participar de celebrações no rito ucraniano em uma das mais de 50 igrejas de arquitetura bizantina do município. Já em Foz do Iguaçu, o roteiro

pode incluir atrativos de diferentes religiões, como a mesquita muçulmana Omar Ibn Al-Khatab, o templo budista da Ordem Internacional (ORBI) e a catedral São João Batista. “Quando o assunto é turismo religioso, a gente fala de todas as religiões. Só que o maior número de atrativos se encontra no turismo católico”, afirma Deise Bezerra. Entre os destinos mais procurados no Paraná estão os santuários de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora de Guadalupe e de Nossa Senhora do Carmo, em Curitiba, as festividades de Nossa Senhora do Rocio, em Paranaguá, a catedral de Maringá, ícone do estado, e as peregrinações a lugares sagrados no Norte Pioneiro – Rota do Rosário – e na região de Campo Mourão – Rota da Fé. Para além das grandes cidades, as pequenas também possuem atrativos capazes de despertar o interesse dos turistas religiosos. Um exemplo disso é o município de Lunardelli, no norte do Paraná. JUL | AGO 2018


GILBERTO MESQUITA JC DRONES

TEMPLO BUDISTA DA ORDEM INTERNACIONAL (ORBI), FOZ DO IGUAÇU

PASCOM

CATEDRAL DE MARINGÁ

SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, CURITIBA

JUL | AGO 2018

Com pouco mais de 5 mil habitantes, de acordo com o último censo demográfico, Lunardelli tem um dos santuários com o maior fluxo de visitantes do estado: o de Santa Rita de Cássia. A festa da padroeira, realizada em maio, também atrai milhares de pessoas e é um dos eventos mais aguardados pelos moradores da cidade. Segundo o representante da Fecomércio PR na comissão do ano do turismo religioso, Rodrigo Rosalem, a atividade turística em cidades pequenas é importante para o desenvolvimento econômico local. “O impacto desse visitante vai muito além da visitação ao santuário propriamente dito porque a maioria desses locais tem a entrada gratuita. A economia, o retorno financeiro disso, está no serviço, no comércio que gira no entorno. Então, artesanatos que são vinculados àquele atrativo, serviços de alimentação, serviços de transporte e outras atividades podem agregar valor a esse movimento, a essa cadeia de visitação”, afirma. A Fecomércio PR, em parceria com o Senac PR, a Paraná Turismo, a CNBB Pastoral do Turismo e o Sebrae/PR, tem promovido cursos, workshops, treinamentos e consultorias para qualificar o atendimento ao turista religioso em cidades com pouca ou nenhuma estrutura hospitaleira, mas com potencial de crescimento. O objetivo é tornar mais rentáveis e competitivas as micro e pequenas empresas do comércio varejista local, além de formar moradores capazes de acolher bem os turistas. 

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     41


HISTÓRIAS PARANAENSES

O PARANÁ NASCEU EM AGOSTO MÊS TRAZ DUAS DATAS RELEVANTES PARA A HISTÓRIA PARANAENSE TE XTO : ERNANI BU CH M AN N | IMAGEN S: B A N CO DO IMAGEN S

E

mbora a data não seja comemorada, o dia 29 de agosto marca a promulgação da lei que criou a Província do Paraná, em 1853. A data oficial da emancipação política do Estado é 19 de dezembro, dia em que o presidente nomeado Zacarias de Góis e Vasconcellos chegou a Curitiba, designada capital provisória. A localização definitiva da capital deveria se dar por decisão da Assembleia Provincial. A luta pela criação do Paraná vinha de longe. A Comarca de Curitiba tinha sido durante muito tempo a 5ª Comarca de São Paulo. Com uma alteração judiciária feita pelo governo paulista, em 1852, passou a ser a 10 ª, de todas a maior e mais distante.

INSTALAÇÃO DA PROVÍNCIA DO PARANÁ, 1853 (DETALHE), DE THEODORO DE BONA. A OBRA, PINTURA A ÓLEO, COM OITO METROS DE LARGURA POR 3,34M DE ALTURA, ESTÁ EXPOSTA NO SALÃO

O descontentamento da população curitibana se dava pela ausência de atenção que recebia da sede da Província. Os campos que compunham a Comarca estendiam-se até a divisa com o Rio Grande do Sul, no que é hoje o oeste catarinense. Não é por acaso que aquela parte de Santa Catarina abriga a cidade de Curitibanos, referência a seus fundadores.

NOBRE DO PALÁCIO IGUAÇU

Também os parnanguaras estavam ansiosos pela independência provincial. Com justa razão imaginavam que a cidade iria abrigar a sede do governo, o que fazia sentido. Naquele tempo em que os navios eram o principal meio de transporte, cidades litorâneas eram escolhidas como capitais. São Paulo era a exceção a confirmar a regra. Pode-se citar também Teresina, localizada no interior do Piauí, porque nesse fato há uma curiosidade histórica: foi o próprio Zacarias de Góis, então presidente da Província do Piauí, quem trabalhou para tirar a capital da litorânea Parnaíba.

42        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


Paranaguá, nosso porto mais movimentado, tinha importância suficiente para merecer o título. Ocorre que Curitiba, no primeiro planalto, tinha localização estratégica. Estava apenas a uma serra de distância do litoral e via abrir-se, em direção ao sul, ao norte e ao oeste, uma infinidade de rotas que iriam permitir, nos anos seguintes, a ampliação das áreas de colonização. O Paraná foi a última província criada no período imperial. Os membros da Assembleia Geral Legislativa que votaram em 2 de agosto de 1853 a Lei nº 704, sancionada pelo Imperador Dom Pedro II em 29 do mesmo mês, poderiam ter mantido o nome que designava a Comarca – de Coritiba, no original. No entanto, pelo fato do Rio Paraná representar a divisa a oeste, trataram de batizá-la com o nome do rio, de origem indígena – nos séculos anteriores, também chegou a ser grafado como “paranã”. Seus desígnios podem ser apenas especulados. Talvez imaginassem que assim marcariam a presença do Império nas barbas do Paraguai, mas é possível que considerassem uma hipotética “Província de Coritiba” pouco abrangente para os objetivos de adensamento de população nas terras do novo território.

GALERIA DO SALÃO DOS GOVERNADORES DO PALÁCIO IGUAÇU, ZACARIAS DE GÓIS

Zacarias de Góis e Vasconcellos era baiano. Foi deslocado para o Paraná com o fim específico de implantar a nova província. Era um homem tarimbado na política da corte imperial. Já havia exercido o cargo de presidente provincial no Piauí e em Sergipe. Recém-casado, desembarcou no porto de Paranaguá, para chegar em Curitiba em 19 de dezembro.

O nome do jornal comprova, mais uma vez, a preferência pela data da chegada de Zacarias como a da criação da província. Poderia ser qualquer uma das outras duas, mas a escolha tem sua lógica. Aos estudiosos cabe relembrar os fatos para saudar os eventos de agosto, mês que comporta duas datas significativas para a construção do que hoje é o Estado do Paraná.  JUL | AGO 2018

PEDRO DE OLIVEIRA/ALEP

Ficou no posto por 18 meses, tempo suficiente para estabelecer as bases da estrutura de funcionamento do Paraná, a partir do nada. Entre dezenas de outras medidas, convenceu o jornalista Cândido Lopes a trocar Niterói por Curitiba, trazendo uma impressora, a qual fez subir a Serra do Mar em lombos de burro. Era o maquinário de onde surgiria o jornal O Dezenove de Dezembro, órgão oficial da província e, durante muito tempo, o único veículo de comunicação impresso na capital.

JORNAL O DEZENOVE DE DEZEMBRO

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     43


EDUCAÇÃO

QUE COMECEM AS COMPETIÇÕES O PARANÁ PARTICIPA DAS COMPETIÇÕES SENAC DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM TRÊS OCUPAÇÕES: COZINHA, CABELEIREIRO E CUIDADOS DE SAÚDE E APOIO SOCIAL T E X TO : FE RNANDA ZIE GM ANN E KA R LA SA N TIN | FOTOS: B R UN O TA DASHI

Q

uatro dias de muitas provas e desafios. Entre os dias 20 e 23 de novembro o Hotel-escola Senac Ilha do Boi, localizado em Vitória (ES), será palco da segunda edição das Competições Senac de

44        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

Educação Profissional. Ao todo 20 Departamentos Regionais, entre eles o Paraná, estão participando das Competições que são realizadas em cinco ocupações profissionais: Cabeleireiro, Cozinha, Serviço de Restaurante, Cuidados

de Saúde e Apoio Social e, estreando este ano, Estética e Bem-estar. Essas ocupações foram escolhidas por alcançarem grande reconhecimento e visibilidade institucional, representarem um volume expressivo de matrículas em todo Senac. JUL | AGO 2018


As provas simulam situações reais de trabalho, exigindo dos competidores excelência no desempenho, alinhada aos padrões internacionais. Nesse ano, o Senac PR participará da competição nas ocupações de Cabeleireiro, Cozinha e Cuidados de Saúde e Apoio Social. Entre os principais objetivos das Competições Senac destacam-se: valorizar a ação educacional do Senac, revelar talentos formados pela instituição e trocar conhecimento. A busca pelo pódio envolve muito treinamento. Desde o começo do ano, alunos de diversas unidades do Senac no Paraná começaram a treinar para a etapa estadual, realizada entre os dias 26 e 29 de março, em Curitiba. Nesta primeira peneira, foram selecionados dois alunos que passaram por mais de um mês de capacitação, visando ao desempate técnico, que definiu o time do Senac PR para a etapa nacional.

Os três jovens selecionados foram convidados para residir temporariamente em Curitiba, com recebimento de bolsa de estudo e todas as despesas custeadas pelo Senac. Eles passam por uma rotina rigorosa de treinos diários com cada instrutor-treinador. Além do desenvolvimento das habilidades técnicas, recebem consultorias para o aprimoramento de aspectos mentais e comportamentais.

CABELEIREIRO MARIA VITORIA LOPES (MARINGÁ). TREINADORA: DANÚBIA BENTO

Histórico Ao longo de sua trajetória, o Senac adquiriu importante experiência na promoção de eventos de educação profissional, cuja finalidade é apresentar ao grande público e, em especial, ao empresariado, a qualidade das suas ações educacionais, em sintonia com as necessidades do mercado de trabalho do Setor do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Após participar de quatro edições da Olimpíada do Conhecimento, em parceria com o Senai (em 2008, 2010, 2012 e 2014), o Departamento Nacional realizou, em 2016, a primeira edição das Competições Senac de Educação Profissional, exclusivamente voltadas para atividades do comércio. As Competições Senac oferecem ainda a possibilidade de identificar talentos aptos a participar do processo de preparação que define os representantes do Brasil na WorldSkills, a mais importante competição mundial de educação profissional.

CUIDADOS DE SAÚDE E APOIO SOCIAL JADSON JACUNDINA DA SILVA (FOZ DO IGUAÇU). TREINADORA: FABÍOLA TOMAZ DE SOUZA

COZINHA MATEUS HEREK (MARINGÁ). TREINADOR: KAIO TREVIZAN

JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     45


CURSOS TÉCNICOS

RÁPIDA INSERÇÃO NO MERCADO CURSOS TÉCNICOS SÃO A SOLUÇÃO PARA QUEM QUER ENTRAR NO MERCADO DE TRABALHO. SOMENTE NO SEGUNDO SEMESTRE DE 2018 O SENAC PR MATRICULOU 957 CLIENTES TE XTO: FER N A N DA Z IEGMA N N

E

stá procurando um modo de se inserir rapidamente no mercado de trabalho? Que tal fazer um curso técnico? O Senac tem uma oferta de mais de 30 títulos para quem deseja investir no futuro.

deste resultado é termos mais de 30 escolas em todo o estado preparadas com o que há de melhor em infraestrutura, material didático e corpo docente”, explica o assessor de relacionamento com o cliente, Daniel Manfré Natal.

Os cursos são adequados às demandas do mercado e estão focados na rápida inserção profissional. Há opções de cursos técnicos presenciais e a distância, nas áreas de saúde, administração, gestão, design, moda, beleza, turismo, informática e nutrição ofertados em 31 unidades do estado.

Ao contrário da Universidade, que pode formar pesquisadores ou cientistas, o objetivo dos cursos técnicos é formar pessoas para o mercado de trabalho. Outras vantagens de se fazer um curso técnico é o tempo de duração e também a prática adquirida durante as aulas, pois são mais focadas do que a faculdade que tem muito conteúdo teórico.

Somente no 2º semestre de 2018 quase mil clientes, em busca de qualificação profissional de qualidade, matricularam-se nos cursos técnicos do Senac no PR. “O Senac PR tem em seu DNA a vocação do ensino profissionalizante voltado a prática profissional. Essa característica fica muito clara nos cursos técnicos, onde tivemos a alegria de receber mais de 2.500 clientes em 2018. Uma grande vantagem para conquista 46        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

2º SEMESTRE

O Senac PR tem tradição na oferta de cursos técnicos e algumas unidades fecharam turmas inéditas. O Senac Curitiba Centro, por exemplo, tem três novos títulos, Técnico em Estética; Técnico em Massoterapia e Técnico em Nutrição e Dietética. O Senac Curitiba Portão iniciou uma turma de Técnico em Programação de Jogos JUL | AGO 2018


Digitais; esse curso formará os novos profissionais habilitados para desenvolver jogos nas mais diversas plataformas para o mercado nacional e internacional. As unidades de Cascavel e Ponta Grossa fecharam pela primeira vez turmas para o curso de Técnico em Segurança do Trabalho. Já o Senac Londrina Centro tem como novidade para a região o curso de Técnico em Informática. Pela primeira vez as unidades do Senac Cornélio Procópio e São José dos Pinhais fecharam turmas de cursos técnicos: Técnico em Estética e Técnico em Informática, respectivamente. A área da saúde é referência no Senac em todo o estado. O surgimento de novas técnicas cirúrgicas faz com que a atualização seja uma constante para os profissionais da área. Com o propósito de capacitar os Técnicos em Enfermagem o Senac Foz do Iguaçu abriu pela primeira vez uma turma de Especialização Técnica em Instrumentação Cirúrgica, proporcionando formação de excelência para os profissionais da região e assim garantindo atendimento de qualidade à população.

EM 2018 O

SENAC PR MATRICULOU

2.532 ALUNOS, SENDO 1.518 EM CURSOS PRESENCIAIS E 1.014 NA MODALIDADE EAD. O CURSO QUE MAIS TEVE MATRICULADOS FOI O DE TÉCNICO EM ENFERMAGEM, COM

322 ALUNOS

EM 10 TURMAS, EM NOVE UNIDADES DO ESTADO.

Nos últimos cinco anos o Senac PR formou aproximadamente 4.400 profissionais com habilitação técnica. “O reconhecimento da qualidade dos nossos cursos fica evidente na quantidade de alunos que obtiveram sucesso em concursos públicos nos últimos anos. Daqui dois anos esses mais de 2.500 alunos que iniciaram os estudos em 20018 estarão abastecendo o mercado de trabalho com mão de obra de excelência”, comenta Natal.   JUL | AGO 2018

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     47


SONORA BRASIL

NAS PISADAS DOS COCOS SONORA BRASIL COMPLETA 20 ANOS, TORNA-SE O MAIOR PROJETO DE CIRCULAÇÃO MUSICAL DO PAÍS E TRAZ AO PARANÁ A MÚSICA DO NORDESTE BRASILEIRO TEXTO : S ILVI A B OCCHESE DE LIMA

U

ma das mais importantes e marcantes tradições da cultura nordestina, o coco é

48        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

um ritmo musical e também uma dança de roda. São os bumbos, ganzás, pandeiros, caixas, palmas ou as batidas dos pés e das san-

dálias de madeira que marcam o andamento de cantadores e dançadores de cocos. Com forte influência indígena e africana, acrediJUL | AGO 2018


Com o tema Nas pisadas dos cocos, de agosto a novembro deste ano o Sesc traz ao Paraná quatro grupos representantes deste estilo musical, com características bastante distintas, para apresentações em Curitiba, Paranaguá e Guarapuava. Dois dos grupos que se apresentam no estado são representantes dos cocos do litoral – como o Coco do Iguape, do Ceará, e Coco de Zambê, do Rio Grande do Norte – e os cocos do interior, com Samba de Pareia da Mussuca, de Sergipe, e Coco de Tebei, de Pernambuco.

Maria Ignez explica que para se tornar cantador de coco, dançador ou tocador, é preciso ter vivência e experiência comunitária. “Para se tornar um cantador de coco, dançador ou tocador de bumbo, caixa ou ganzá, reconhecido por aqueles que também participam da brincadeira ou do público tradicional, é necessário passar por uma longa

vivência comunitária, responsável pelo aprendizado, que tem na base a observação de como se canta, como se improvisa, como se encaixa um verso para ser cantado em roda, de modo a obter a resposta dos que estão em roda e o acompanhamento instrumental dos tocadores”, explica Maria Ignez.

COCO DE TEBEI DANILO GALVÃO

ta-se que o surgimento do coco foi motivado pela necessidade de pisar o barro que compunha o chão das casas do interior nordestino, muitas vezes uma prática realizada nas construções e em mutirões.

Maria Ignez Novais Ayala, professora da Universidade Federal da Paraíba com pós-dourado em Linguística, Letras e Artes, em seu artigo Cocos do Nordeste, afirma que os cocos são caracterizados como dança coletiva e praticados por pessoas de diferentes idades. “Os cocos aqui tratados caracterizam-se como dança coletiva, em plena vitalidade, cantado, dançado e apreciado por muita gente, gente velha, gente adulta e gente bem moça... A dança, cujos elementos são de transmissão oral nas comunidades tradicionais, em geral é chamada de coco e aparece em expressões ‘vamos brincar de coco’, ‘hoje vai ter coco’. Podemos encontrar várias outras denominações, sendo comum a expressão brincadeira do coco, em que brincadeira tem o sentido de festa e de dança coletiva”, revela a professora.

JUL | AGO 2018

DANILO GALVÃO

COCOS DO NORDESTE

L

ocalizada na região do médio São Francisco, próximo à divisa dos estados da Bahia com Alagoas, a cidade de Tacaratu, em Pernam-

buco, é onde se localiza a comunidade Olho D´Água do Bruno e o Coco de Tebei, praticado por gerações.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     49


SONORA BRASIL

A dança está associada à construção das casas de taipa. Cabia aos homens a tarefa de cavar o barro e, às mulheres, o de carregar a água. Trata-se de um processo rústico de produção da massa para tapar as treliças de bambu. Integrante do grupo, Janaina Maria dos Santos aprendeu a dançar o coco com o pai e revela que so-

mente na comunidade onde mora é praticada esta expressão cultural. “O coco é a nossa cultura, é a tradição da comunidade de Olho D´Água do Bruno, município de Tacaratu, sertão pernambucano. Enquanto ocorria a prática do trabalho de construção das casas de barro, casas de taipa, como se chamam em nossa região, eles se divertiam e dançavam. Ficamos

muito felizes em mostrar para todo o Brasil o Coco de Tebei, por ser algo que somente nossa comunidade pratica”, conta. O Coco de Tebei, segundo Figueiredo, é cantado pelas mulheres e dançado por casais, não fazendo uso de instrumentos musicais. O ritmo da música é marcado pela pisada dos dançadores.

PABLO PINHEIRO

COCO DE ZAMBÊ

É

de Tibau do Sul, litoral do Rio Grande do Norte, a origem do Coco de Zambê, uma expressão cultural

A expressão cultural Coco de Zambê é uma importante característica constitutiva da identidade de povos quilombolas. “Dois tambores estão presentes na maioria dos grupos que praticam o Coco de Zambê. O Zambê, também conhecido como um pau furado ou oco de pau, é um tambor maior e mais grave e, o Chama, ambos construídos artesanalmente com troncos de árvores da região. A música se caracteriza como um canto responsorial, puxado pelo mestre e respondido pelo coro de vozes. A dança acontece numa roda, o centro são mantidos os tocadores e os brincantes se revezam”, conta o coordenador do projeto.

que segundo estudos, surgiu com os africanos escravizados, que trabalhavam nos engenhos de cana-de-açúcar e nas colônias pesqueiras.

SNAPIC

SAMBA DE PAREIA DA MUSSUCA

50        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

S

ão as situações do dia a dia, as práticas próprias do povoado de Mussuca, localizado em Laranjeiras, a 23km da capital do Sergipe, que são apresentadas de maneira irreverente nas letras das músicas entoadas e dançadas pelos integrantes do grupo Samba de Pereia da Mussuca. JUL | AGO 2018


SNAPIC

Liderado por Dona Nadir, o grupo pertence a uma comunidade de remanescentes de quilombolas e surgiu entre os escravos que trabalhavam nos canaviais, e tem se esforçado em manter as tradições repassadas por seus antepassados. “Uma peculiaridade desta manifestação é o fato de estar relacionada a um ritual de nascimento que vem dos antepassados, onde o grupo se apresenta para manifestar a alegria pela chegada de mais uma criança no povoado, dando-lhe as boas-vias no décimo quinto dia de vida”, conta o coordenador nacional do Sonora Brasil e assessor técnico de música do Departamento Nacional do Sesc, Gilberto Figueiredo.

JR. PANELA

COCO DO IGUAPE

É

na cidade cearense de Aquiraz, na Praia do Iguape, a 30 km de Fortaleza, que moram os pescadores artesanais e integrantes do grupo Coco de Iguape. Segundo pesquisadores, o Coco de JUL | AGO 2018

Iguape tem como característica peculiar o fato de ter um andamento mais acelerado e uma dança praticada em pares. “A vestimenta é feita artesanalmente com o mesmo tecido usado nas velas das jangadas e tingida com a tinta retirada da casca do cajueiro azedo.

A música mantém a estrutura de refrão fixo, apresentado pelo mestre e cantado pelos brincantes. As estrofes são emboladas pelos mestres e algumas são criadas no calor da brincadeira”, ressalta Figueiredo.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     51


SONORA BRASIL

SONORA BRASIL

Temático, o projeto Sesc Sonora Brasil vem despertando um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão da música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical e promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes. Em sua primeira edição, em 1998, o projeto realizou 50 concertos, em 13 cidades de cinco estados. “Hoje, 20 anos depois, o Sonora Brasil é o maior projeto de circulação do país na área da música, estando presente em todos os estados e realizando em torno de 400 apresentações a cada ano, em mais de 100 cidades”, destaca Figueiredo. Para o coordenador, devido ao conceito e metodologia, o Sonora Brasil possibilita a aproximação das plateias com expressões musicais pouco difundidas. “O Sonora Brasil tem contribuído para a expansão do conhecimento sobre o amplo universo da produção musical brasileira, especialmente entre músicos, pesquisadores e professores e tem despertado o interesse pela busca de informações mais aprofundadas, incentivando a produção de novas pesquisas e novos repertórios”, avalia Figueiredo. Para encontrar expressões culturais tão diversas em todo o Brasil, equipes de Cultura do Sesc espalhadas pelo país são responsáveis pela programação e, para isso, buscam manter-se informadas sobre a produção do estado que repre-

52        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

sentam. “Temos tomado conhecimento da existência de diversas práticas musicais, em diversos contextos e em diversas regiões, o que nos leva a crer, sem dúvida, que há muito a se descobrir sobre a música produzida no Brasil, em todos os seus segmentos”, destaca. 

CRONOGRAMA DAS PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES NO PARANÁ: COCO DO IGUAPE 16/8 17/8 31/10

20h 20h 20h

Sesc Guarapuava Sesc Paranaguá Sesc da Esquina, em Curitiba

SAMBA DE PAREIA DA MUSSUCA 31/8 1/9 29/10

20h 20h 20h

Sesc Guarapuava Sesc Paranaguá Sesc da Esquina, em Curitiba

COCO DE ZAMBÊ 30/10 30/11 1/12

20h 20h 20h

Sesc da Esquina, em Curitiba Sesc Guarapuava Sesc Paranaguá

COCO DE TEBEI 30/10 31/10 1/11

20h 20h 20h

Sesc Guarapuava Sesc Paranaguá Sesc da Esquina, em Curitiba

JUL | AGO 2018


FESTIVAL

UM AUTÊNTICO SENHOR BRASIL FESTIVAL SESC DE MÚSICA RAIZ RECEBE ARTISTAS DA MÚSICA CAIPIRA, VALORIZA O SEGMENTO E DÁ DESTAQUE AO TRABALHO DE NOVOS COMPOSITORES TEXTO: SILVIA BOCCHESE DE LIMA | FOTOS: BRUNO TADASHI

O

Brasil viveu intensamente no início do século XX um processo de urbanização. O advento dos meios de comunicação de massa acabou por padronizar modos e costumes e a cultura rural foi sendo gradativamente relegada. O termo caipira passou a ser associado, de maneira pejo-

JUL | AGO 2018

rativa, a um brasileiro sem acesso à informação, matuto, rústico e sem refinamento cultural. Mazzaropi com seu personagem Jeca Tatu apresentou no cinema as mazelas do homem rural, muitas vezes vítima da fome, da carência do acesso à saúde e à falta de infraestrutura e desassistido pelo Estado.

NOVOS COMPOSITORES

Por entender a necessidade de criar oportunidades para que este gênero musical seja resgatado e para valorizar os músicos, cancioneiros e violeiros brasileiros, o Sesc PR realizou em agosto o Festival de Música Raiz, no Teatro do Sesc da Esquina. FECOMÉRCIO PR

Nº 125     53


FESTIVAL

MÚSICOS PARANAENSES SELECIONADOS PARA O FESTIVAL DE MÚSICA RAIZ

Durante o Festival, os músicos paranaenses Murilo Silvestrim (Curitiba), João Maria Garcia Ferreira (Ponta Grossa), Ricardo Denchuski e Daniel Pereira de Souza (Cascavel) e Jean Carlos Girelli (Realeza) trouxeram composições autorais que enaltecem a vida simples do campo, a fauna, a flora e paixões. Para Silvestrim, sua relação com a música de raiz é longa do ponto de vista da escuta e recente na execução. “Desde meu avô escuto música de raiz. Meu pai também ouvia e durante a minha vida eu vim ouvindo esta música, gostava muito do Tonico e Tinoco, uma dupla referência para qualquer violeiro. Esta música está na minha memória afetiva e ela acabou por influenciar no presente, mas minha pro54        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

ximidade com este gênero só se deu a partir do momento que eu comecei a usar a viola”, conta o músico. João Maria Garcia Ferreira, o Zé Garcia, trouxe ao festival a simplicidade do violeiro e sua música contou a história de sua vida. “Esta é uma oportunidade muito importante para um homem como eu de 73 anos. Fui criado no interior de Ponta Grossa, fui caminhoneiro por 32 anos e a música que eu canto e toco é a minha própria história. Foi no meu rádio à válvula que comecei a ouvir modas de Pedro Bento e Zé da Estrada, Tonico e Tinoco, Lourenço e Lorival, Tião Carrero e Pardinho e, como não tenho estudo na música, eles foram e são a minha grande referência”, conta.

Na abertura do evento, o músico, ator, apresentador e ferrenho defensor da música brasileira, Rolando Boldrin, trouxe ao público o estáculo História de Amar o Brasil. SENHOR BRASIL

Com mais de 50 anos de carreira repleta de causos, histórias e música, Boldrin está há 37 anos no ar. Desde 2005, apresenta pela TV Cultura, com o apoio do Sesc, o programa Sr. Brasil – um espaço de divulgação da cultura brasileira e sua diversidade. Boldrin defende que é necessário “tirar o Brasil da gaveta”, trazendo ao conhecimento do grande público, artistas, cantadores e causos brasileiros que não encontram espaço na mídia tradicional. “A grande mídia trabalha com o JUL | AGO 2018


ROLANDO BOLDRIN NO ESPETÁCULO HISTÓRIA DE AMAR O BRASIL

imediatismo, com o sucesso, o notório e se esquece que existem outros estilos musicais. Em contrapartida a esta invasão, eu criei o meu programa para mostrar que temos uma música brasileira que não era divulgada e valorizada, que é música caipira. Quero tirar da gaveta artistas que não têm a oportunidade de mostrar o seu trabalho por causa do preconceito deste segmento da mídia. Eu sou um encarregado de mostrá-los na televisão”, explica Boldrin. O artista relembrou que foi a música produzida pelo homem rural que despertou o interesse da paulistana Inezita Barroso. Durante seus 90 anos de vida pesquisou e registrou contos e cantos populares. Com seus estudos, Inezita produziu um panorama da música caipira e do folclore próprios do Brasil. JUL | AGO 2018

NHÔ BELARMINO E NHÁ GABRIELA

Nome artístico do casal paranaense Salvador Graciano e Júlia Alves Graciano, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela formaram a dupla caipira mais famosa do Paraná. Na década de 1950 gravaram os clássicos As mocinhas da cidade e Passarinho Prisioneiro. Lembrando a trajetória da dupla, Boldrin destacou a autenticidade como a marca principal. “O segredo para que uma boa música caipira perdure é a autenticidade. Nhô Belarmino e Nhá Gabriela eram autênticos. Faziam um humor que eu reverencio sempre, um humor caboclo, simples, caipira. Belarmino compôs músicas que ficaram na história. O que você tratar com autenticidade perfura, é eterno”, defende Boldrin.

VIOLA

Reconhecidamente, a viola é um instrumento com brasilidade, não existe apenas uma forma física do instrumento e há um vasto repertório espalhado pelo Brasil. Peculiar e diversa, ela é única em sua pluralidade e unânime no gosto popular. Foi a partir do instrumento português chamado cravo, que o brasileiro criou a viola. “A viola brasileira é regional, próprio do campo, criado a partir do cravo, que veio com os portugueses. Ela ficou caracterizada como um instrumento do homem da roça, com mais de 30 tipos de afinações. Como a viola é um instrumento deste ambiente tão rudimentar e tão brasileiro, ela foi sendo utilizada também para acompanhar os cantadores dessas regiões”, conta o autêntico Boldrin.  FECOMÉRCIO PR

Nº 125     55


ALIMENTAÇÃO

APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS UTILIZAR TODAS AS PARTES DO ALIMENTO BENEFICIA CONSUMIDOR E AMBIENTE PORQUE DIMINUI O DESPERDÍCIO E ACÚMULO DE LIXO ORGÂNICO TE XTO : LILIANE J O C HELAVICIUS | FOTOS: IVO LIMA

G

arantir uma alimentação mais saudável sem gastar muito pode ser mais simples do que imaginamos. Uma alternativa é o aproveitamento integral dos alimentos, o que gera economia, além de diminuir a produção de lixo orgânico. Consumir cascas, talos, folhas, entrecascas e sementes pode proporcionar maior variedade de nutrientes e vitaminas. As folhas da cenoura, por exemplo, são ricas em vitamina A; os talos de alimentos como couve, salsa e brócolis contêm fibras, ferro e vitamina C; há grande quantidade de cálcio na casca de laranja; fibras e minerais essenciais à saúde são encontrados em sementes. A nutricionista do programa Mesa Brasil do Sesc Parolin, Fernanda Hardt Kehl, ressalta alguns benefícios do bom aproveitamento dos alimentos para a saúde. Tem destaque o consumo de micronutrientes essenciais como: fósforo para o cérebro, cálcio para os ossos e magnésio para regulação de nervos e músculos. “Esse aproveitamento

56        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

NUTRICIONISTA E INSTRUTORA DO SENAC, HELLEN SULEMAN

JUL | AGO 2018


não é complicado, é uma questão de mudança de hábitos, que todos podemos fazer”, pondera Fernanda. Entretanto, é preciso tomar cuidado. Embora boa parte dos alimentos possa ser utilizada na alimentação, há exceções. A coroa do abacaxi pode ser utilizada como enfeite, mas não para consumo, esclarece a nutricionista e instrutora do Senac, Hellen Suleman. “Ao selecionar o que será consumido é preciso prestar atenção, no caso das cascas de frutas, verificar se não estão murchas ou com bolor, além de fazer uma boa higienização”, explica a instrutora. Com todas essas informações, ainda resta saber como aproveitar o que temos em casa. A nutricionista do Mesa Brasil explica que “depois dos cuidados de seleção e higienização, frutas com casca podem ser utilizadas em receitas de bolos, batatas com casca podem ser fritas, a entrecasca da melancia pode ser utilizada na produção de doces e a água onde foram preparados legumes pode ser utilizada para o cozimento de arroz e massas, ou podem ser feitos bolinhos com talos, folhas e cascas”. DESPERDÍCIO

Essas atitudes ajudam a diminuir o desperdício de alimentos. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são jogadas fora no mundo por ano. Essa quantia representa 30% da comida produzida. A FAO destaca que o desperdício corresponde a 46% dos alimentos que são descartados. Aproveitar os alimentos integralmente, além de beneficiar a saúde, reduz esse volume e gera economia. JUL AGO 2018 2018 MAI || JUN

O Mesa Brasil do Sesc atua nesse sentido, uma vez que realiza ação social contra a fome e o desperdício de alimentos. O programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, instituído pelo Departamento Nacional do Sesc, redistribui alimentos excedentes, fora dos padrões de comercialização, mas apropriados para consumo. Fernanda relata que o Mesa Brasil contribui para o combate à fome por meio da complementação de refeições. Ao longo dos 15 anos do programa foi possível perceber a melhora na alimentação e nutrição da população beneficiada. O aproveitamento integral dos alimentos, segundo a nutricionista, “proporciona melhora na gestão social e administrativa ao destinar o valor que seria gasto em maior quantidade de alimentos, ao pessoal e estrutura das instituições”. A apostila de receitas do Mesa Brasil pode ser acessada no site: www.sesc.com.br/mesabrasil/ cartilhas.html. CAPACITAÇÃO

O Senac possui em seu portfolio o workshop Aproveitamento de alimentos, além de outros cursos nas áreas de segurança alimentar e gastronomia, tanto presencial quanto a distância. “Em todos os cursos ensinamos sobre otimização dos ingredientes, principalmente nos cursos de alimentação saudável”, conta a instrutora do Senac. Também, há um curso a distância destinado especificamente ao Aproveitamento Integral de Alimentos, disponível na WEBTV. Para participar das aulas o interessado deve ter concluído o Ensino Fundamental e ter 16 anos completos. Mais informações sobre os cursos disponíveis estão disponíveis em www.ead.senac.br.

ALIMENTOS QUE PODEM SER APROVEITADOS INTEGRALMENTE:

Folhas de: cenoura,

beterraba, batata doce, nabo, couve-flor, abóbora, mostarda, hortelã e rabanete;

Cascas de: batata inglesa, banana, tangerina, laranja, mamão, pepino, maçã, abacaxi, beringela, beterraba, melão, maracujá, goiaba, manga e abóbora;

Talos de: couve-flor, brócolis e beterraba; Entrecascas: de

melancia e maracujá;

Sementes de: abóbora, melão e jaca;

Nata

FECOMÉRCIO PR

Nº 124     57 125     57


ALIMENTAÇÃO Receitas elaboradas pela instrutora do Senac PR Hellen Suleman

Nhoque de espinafre e rúcula INGREDIENTES • 1 ovo • 1 xícara de leite • 2 colheres de sopa rasa de sal • 150 g de batata cozida • 250 g de folhas e talos de espinafre e rúcula • 1 colher de sopa de manteiga sem sal • 2 xícaras de farinha trigo

MODO DE PREPARO Lavar as folhas e talos de espinafre e rúcula. Em uma panela colocar água e levar para ferver. Assim que levantar fervura, colocar as folhas e talos de espinafre e rúcula. Deixar por 3 minutos, retirar da água quente e passar pela água fria para fazer o branqueamento. Espremer as folhas e talos para retirar o excesso de água. Reservar. No liquidificador, colocar o ovo, leite,

sal, batata cozida, as folhas e talos (branqueados) e bater até obter uma textura homogênea. Colocar a mistura em uma panela, adicionar a manteiga e levar para ferver. Assim que ferver, acrescentar a farinha de trigo de uma só vez e mexer bem até desprender da panela e a massa estar cozida. Aproximadamente 10 minutos. Retirar a massa cozida da panela, es-

palhar sobre uma superfície e cobrir com um plástico próprio para alimentos. Deixar esfriar. Quando a massa estiver fria, fazer rolinhos e cortar na espessura de aproximadamente 3 cm. Em uma frigideira, derreter a manteiga clarificada (100 g) e adicionar folhas frescas de sálvia (10 folhas). Deixar fritar por 1 minuto, retirar as folhas e aquecer o nhoque.

Nhoque de abóbora cabotiá com casca INGREDIENTES • 1 ovo • 1 xicara de leite • 2 colheres de sopa rasa de sal • 150 g de batata cozida • 250 g de abóbora cozida com a polpa e a casca • 1 colher de sopa de manteiga sem sal • 2 xícaras de farinha trigo

MODO DE PREPARO Lavar e cortar a abóbora preservando a casca, retirar as sementes e reservar. Passar plástico filme nos pedaços de abóbora e levar ao micro-ondas por 10 minutos ou assar no forno até ficar macia. Colocar as sementes da abóbora em uma forma, adicionar azeite e sal e levar ao forno até que fiquem douradas. Reservar.

58        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

No liquidificador, colocar o ovo, leite, sal, batata cozida, a abóbora cozida com casca e bater até obter uma textura homogênea. Colocar a mistura em uma panela, adicionar a manteiga e levar para ferver. Assim que ferver, acrescentar a farinha de trigo de uma só vez e mexer bem até desprender da panela e a massa estar cozida. Aproximadamente 10 minutos.

Retirar a massa cozida da panela, espalhar sobre uma superfície e cobrir com um plástico próprio para alimentos. Deixar esfriar. Quando a massa estiver fria, fazer rolinhos e cortar na espessura de aproximadamente 3 cm. Em uma frigideira, derreter a manteiga clarificada (100 g) e adicionar folhas frescas de sálvia (10 folhas). Deixar fritar por 1 minuto, retirar as folhas e aquecer o nhoque. 

JUL | AGO 2018


GASTRONOMIA

WORKSHOP MEU PAI É MASSA EM CURITIBA

WORKSHOPS GRATUITOS SENAC PR APROVEITA DATAS COMERCIAIS PARA APRESENTAR PORTFOLIO E ESTRUTURA DAS UNIDADES PARA POTENCIAIS CLIENTES TEXTO : FE RNANDA ZIE GM A N N | FOTOS: IVO LIMA E B R UN O TA DASHI

D

esde o início do ano o Senac PR adotou uma nova proposta de divulgação dos cursos e espaços da instituição, oferecendo JUL | AGO 2018

workshops gratuitos nas mais variadas áreas. Os dois últimos reuniram mais de mil pessoas em todo o Senac.

No dia 10 de julho é comemorado o Dia da Pizza e o Senac, escola referência em gastronomia, não deixou a data passar em branco e convidou o público para aprenFECOMÉRCIO PR

Nº 125     59


GASTRONOMIA

der a preparar diversos tipos de pizza. “Com esses workshops os participantes podem conhecer a estrutura do Senac e a qualidade dos nossos instrutores. Isso acaba despertando o interesse e eles vêm estudar na nossa escola. No caso do Circuito da Pizza aproveitamos para divulgar os cursos de Pizzaiolo e de Preparo de Pizzas”, explicou a assistente de gerente do Senac Curitiba Centro, Manoela Pizarro. “A única coisa que levamos dessa vida é o conhecimento e é exatamente isso que o Senac vem me proporcionando. Esses workshops gratuitos servem para despertar ainda mais o interesse dos alunos”, destacou o aluno do curso de Confeiteiro do Senac Curitiba Centro, Edmilson Fernandes.

CIRCUITO DA PIZZA TEVE 600 PARTICIPANTES EM 22 UNIDADES

MEU PAI É MASSA

Como se sabe, no segundo domingo de agosto é comemorado o Dia dos Pais e para celebrar a data o Senac realizou o workshop “Meu pai é massa”, em que pais e filhos colocaram literalmente a mão na massa em um momento de descontração. No caso dessa ação, o Senac, além de apresentar a variedade e qualidade dos cursos a instituição, propõe a levar uma nova geração para dentro das escolas. “Nossa proposta para esse workshop foi trazer pais, filhos ou a família toda para o Senac para que eles aprendessem um pouco mais e se divertissem conosco, mas principalmente para que eles conhecessem os nossos cursos. Precisamos de alguma forma encantar essa nova geração para que eles lembrem da marca Senac quando 60        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

MEU PAI É MASSA REUNIU A FAMÍLIA EM 25 UNIDADES DO SENAC

forem escolher uma profissão”, explicou o gerente executivo do Senac Curitiba Centro, Marco Antônio Biss. Vinte e cinco unidades do Senac realizaram a ação de Dia dos Pais. Ao todo 550 participaram dos mais variados formatos de workshops. Algumas unidades fizeram aula-show, palestras e oficinas em que todos os participantes

aprenderam a preparar a massa, molhos e até recheios. Mas o que todas tiveram em comum foi a interação com a família. “Confesso que no início fiquei reticente, mas depois foi caindo a ficha e está sendo muito legal passar um tempo com a minha família fazendo algo diferente”, contou o participante Carlos Rodrigo Costa que estava acompanhado de sua filha Sofia Hobold Costa.  JUL | AGO 2018


UNIDADES MÓVEIS

SORRISO ITINERANTE UNIDADES MÓVEIS DO ODONTOSESC COMPLETAM 10 ANOS DE ATUAÇÃO CIRCULANDO PELO PARANÁ, PROMOVENDO ATENDIMENTOS ODONTOLÓGICOS GRATUITOS E AÇÕES PREVENTIVAS DE SAÚDE BUCAL TE XTO : CÁSS IA FERREIR A | FOTOS: IVO LIMA E A R QUIVO SESC

S

egundo a última Pesquisa Nacional da Saúde realizada pelo IBGE (2013) menos de 20% dos atendimentos dentários no Brasil são feitos pela rede pública de saúde. Além disso, mais da metade da população (55,6%) também não se consultou no ano anterior à pesquisa. E 67% dos entrevistados que afirmam escovar os dentes regularmente nunca foram ao dentista. Considerando tais números, pode-se refletir sobre a dificuldade no acesso à rede de saúde pública ou à prevenção da saúde bucal. O Sesc tem um papel importante no auxílio ao atendimento da populaJUL | AGO 2018

ção carente desses serviços, com as Unidades Móveis do OdontoSesc que circulam o Paraná promovendo ações integradas de educação e prevenção em saúde bucal, além de oferecer atendimentos odontológicos gratuitos e de qualidade às pessoas que mais necessitam desses procedimentos.

ESTRUTURA E ATENDIMENTOS

Lançado em 2008, em 10 anos de atuação 80 municípios paranaenses já receberam a visita e os serviços do OdontoSesc, somando 148.273 atendimentos odontológicos até o momento (julho/2018). Isso além de 127.591 pessoas atendidas pelas ações de Educação em Saúde como Cam-

O Sesc PR tem duas unidades móveis de atendimento odontológico. Cada unidade conta com estrutura equivalente a quatro consultórios equipados, com sala específica para raio-x, central de esterilização, espaço para atividades de educação em saúde e demais insumos necessários para um atendimento.

panhas Escolares, Campanha de Câncer Bucal e Capacitação de Multiplicadores. As unidades móveis permanecem em média dois meses em cada município, tempo hábil para realização de um tratamento odontológico básico.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     61


UNIDADES MÓVEIS

Entre os atendimentos oferecidos é possível realizar procedimentos odontológicos de baixa complexidade, tais como: exames clínicos, restaurações, tratamento endodôntico (canal) de dentes anteriores, exodontias (extrações), procedimentos básicos de periodontia (tratamentos gengivais e raspagens radiculares), procedimentos preventivos como profilaxia (limpeza), aplicação tópica de flúor e de selantes e instruções de higiene oral, procedimentos básicos de odontopediatria, radiografias, curativos e atendimento dos casos de urgência. Procedimentos mais complexos e casos cirúrgicos são encaminhados para Centros de Especialidades Odontológicas da região, atendidos pelo Sistema único de Saúde (SUS).

INTERIOR DAS CABINES DE ATENDIMENTO DA UNIDADE MÓVEL DO ODONTOSESC

As ações de educação em saúde incluem procedimentos coletivos como a escovação supervisionada – escovódromo, controle de

biofilme dental, oficinas lúdicas, dinâmicas, gincanas e concursos, atendimentos em escolas, atividades educativas na comunidade, capacitação de multiplicadores (professores, agentes comunitários de saúde, associações, grupos), ações com gestantes, idosos e portadores de necessidades especiais. Outra ação preventiva é realizada em parceria com o Hospital Erasto Gaertner. A Campanha de Prevenção ao Câncer de Boca é feita em um dia na Unidade Móvel do OdontoSesc com realização de exame bucal, que tem como foco lesões na cavidade bucal e região de cabeça e pescoço. O exame é realizado por dois dentistas do Hospital. TRABALHO E ALTRUÍSMO

Ao todo são 16 profissionais trabalhando para atender a população nas unidades móveis. Em cada equipe são quatro dentistas e dois auxiliares, um auxiliar administrativo para organização das agendas e demais rotinas, e uma assistente social que atua nas ações educativas e preventivas. ESCOVAÇÃO SUPERVISIONADA – ESCOVÓDROMO

62        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018


EQUIPE DE PROFISSIONAIS ODONTOSESC

A dentista Cristiane Marca integra a equipe de atendimento itinerante há sete anos, e pode vivenciar diversas experiências. Além do impacto com precariedade da saúde bucal de alguns pacientes, ela reconhece como é gratificante receber o retorno da população carente. Seja com um novo sorriso, com a melhora da autoestima ou ainda com pequenos gestos de gratidão. Cristiane lembra-se do caso de um paciente que no primeiro atendimento aparentava certo descuido com aparência que remetia à falta de higiene, mas no decorrer do tratamento pode perceber a mudança de comportamento e da autoestima do homem que passou a visitá-los com barba feita e roupas limpas. “Às vezes só um dente da frente que foi arrumado já faz a pessoa se sentir melhor”, ressalta a dentista. Rubens dos Santos Andrade foi JUL | AGO 2018

um dos pacientes atendidos nas Unidades Móveis do OdontoSesc na cidade de Jundiaí do Sul e conseguiu realizar um tratamento completo. De tão grato, ele se refere a dentista que o atendeu como um “anjo que caiu do céu”. “Foi feito um tratamento que eu achava que tinha que ter cirurgia, mas foi um espetáculo sem dor. Eles tratam com amor, me sinto satisfeito e agradecido por Deus ter posto esses anjos no caminho da gente”, conta Rubens. A dentista relata que a equipe costuma ficar longos períodos longe de casa, justamente por ser um trabalho itinerante, mas é grata por fazer parte dessas ações e consegue ser recompensada com os pequenos gestos de gratidão dos pacientes. ITINERÁRIO

As unidades regionais do Sesc no Paraná são responsáveis pela

divulgação dos serviços nos municípios no entorno da sede. Os atendimentos são oferecidos às prefeituras cuja população tenha dificuldade no acesso aos serviços de saúde pública. As prefeituras interessadas fazem a solicitação da unidade móvel, oferendo em contrapartida os custeios operacionais da equipe, como hospedagem e transporte. Os atendimentos são oferecidos de forma gratuita à população. Em cada município a Unidade oferece vagas de atendimentos divididas entre comerciários e população local. Quando a unidade chega à cidade, a equipe faz o primeiro trabalho de divulgação das vagas nos comércios; assim os comerciários podem oferecer a oportunidade de tratamento gratuito a seus funcionários e colaboradores. Outros 50% são direcionadas à Prefeitura e Unidades Municipais de Saúde para a população.  FECOMÉRCIO PR

Nº 125     63


EDUCAÇÃO

DESTAQUE NA SAÚDE ALUNOS DO CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM DO SENAC PR TÊM ALTO ÍNDICE DE APROVAÇÃO EM CONCURSOS PÚBLICOS TE XTO : CARO LINA GOMES | FOTOS: DIVULGAÇÃO

O

Senac PR tem cumprido sua missão de educar para o trabalho, principalmente através dos cursos técnicos da instituição. No setor privado e no público, os cursos do Senac têm contribuído para que os alunos possam se inserir no mercado de trabalho. Nos últimos concursos públicos para a área de Saúde do Paraná, os destaques ficaram por conta desses estudantes, alguns deles antes mesmo de concluir o curso. No mês de julho, três alunos do curso Técnico em Enfermagem da Unidade Medianeira foram aprovados no concurso público da Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu. Os alunos, com término do curso previsto para dezembro deste ano, são discentes da primeira turma de Técnico em Enfermagem da unidade. Beatriz de Abreu de Souza, Rafael Grance Coronel e Ediane Marcelino da Silva aguardam para assumir o cargo. Os alunos da unidade de Cascavel também foram destaque nas aprovações de concursos públicos do município. Foram 28 profissionais formados pelo Senac aprovados nos últimos certames.

64        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

Paul Alan Novo, aluno do curso Técnico em Enfermagem, é outro exemplo de aprovação antes da conclusão da formação. Ele foi aprovado em dois concursos: no município de Cascavel e no SAMU 2018, no qual garantiu a primeira colocação. “Viajo 50 quilômetros diariamente para realizar o meu sonho. Todo esforço para me profissionalizar e trabalhar na área de saúde valeu a pena. Tive a melhor formação profissional teórica e prática, o que me deu segurança para as provas e para o trabalho que vou desempenhar futuramente”, comemora Paul Alan. O profissional de saúde formado pelo Senac e aprovado em concursos se destaca no mercado de trabalho, por desempenhar o fazer e o cuidar todos os dias durante o curso. O crescimento e o envelhecimento da população, assim como a expansão dos serviços de saúde, fazem com que a demanda por profissionais de enfermagem seja constantemente elevada. No curso o aluno desenvolve habilidades e aprende as técnicas de primeiros socorros, assistência e higienização, administração de medicamentos e coleta de materiais biológicos. “Nossos alunos destacam-se nas aprovações de concursos pelo que lhes é ensinado diariamente, como a atuação profissional, a humanização do cuidado, a segurança do paciente e a postura JUL | AGO 2018


profissional. Juntamente com as atividades desse profissional, as marcas formativas são essenciais para o exercício profissional, como domínio-técnico científico, visão crítica e atitude empreendedora, nossos alunos finalizam o curso comprometidos com a ética e a máxima qualidade no cuidado”, destacou a analista da Coordenadoria de Educação e tecnologia do Senac PR, Fernanda Della Coletta. FORMAÇÃO TÉCNICA

Os cursos de formação técnica são excelentes opções para quem está em busca de uma colocação no mercado. Eles desenvolvem habilidades e conhecimentos necessários para atuar em uma área específica, com tempo mais curto de formação. Além disso, apresentam alto índice de empregabilidade e oferecem novas oportunidades para quem quer ingressar no mercado rapidamente. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada pelo IBGE, 59,7% das pessoas que concluíram um curso Técnico Nível Médio já haviam trabalhado em sua área de formação; desses, 48,2% disseram que o conteúdo aprendido no curso foi determinante para conseguir um emprego e 28% informaram que o diploma foi o diferencial.

ALUNOS DO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM DA UNIDADE DO SENAC PR EM CASCAVEL APROVADOS NO ÚLTIMO CONCURSO DO MUNICÍPIO

BEATRIZ DE ABREU DE SOUZA CONQUISTOU A 35º COLOCAÇÃO; RAFAEL GRANCE CORONEL, 15º LUGAR, E EDIANE MARCELINO DA SILVA, A 36º POSIÇÃO NO CONCURSO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE FOZ DO IGUAÇU

Capacitar o aluno do ensino médio para o mercado de trabalho é a política educacional dos países desenvolvidos e também de alguns em situação econômica similar ao Brasil, como é o caso do México, onde 40% dos estudantes fazem ensino técnico. Nos países europeus, o índice passa dos 50% e chega a mais de 70% em alguns deles, como Alemanha, Áustria e JUL | AGO 2018

Finlândia. De acordo com dados do Censo da Educação Básica, dos alunos que terminam o ensino médio no Brasil apenas 20% seguem para o curso superior. Os outros 80% vão direto para o merca-

do de trabalho e, atualmente, a maioria deles faz essa transição sem ter recebido formação profissionalizante. O mercado de trabalho tem demandado mão de obra especializada. Apenas 9% das matrículas na rede pública são em cursos técnicos.  FECOMÉRCIO PR

Nº 125     65


ESPORTE

ABERTO DE XADREZ TORNEIO INTERNACIONAL NO SESC CAIOBÁ CHEGA A 4ª EDIÇÃO E SE CONSOLIDA COMO UM DOS MAIS IMPORTANTES DA AMÉRICA DO SUL TEXTO : LARISSA GR IZOLI | FOTOS: IVO LIMA

C

omece com bons organizadores. Reúna jogadores de alto nível. Traga árbitros eficientes. E ofereça uma infraestrutura de qualidade. Essa é a receita de sucesso do IV Torneio Aberto do Brasil de Xadrez Sesc Caiobá Copel Telecom, realizado entre os dias 1 e 5 de agosto no hotel do Sesc em Matinhos, litoral paranaense.

forte do Brasil e o segundo da América Latina”, afirma Paulo Virgílio Rodriguez, presidente da Federação de Xadrez do Paraná (FEXPAR). O torneio é fruto de uma parceria entre o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e a FEXPAR. O patrocínio é da Copel Telecom.

Nesta edição, oito países e 12 estados brasileiros foram representados por 170 enxadristas, 33 deles titulados pela Federação Internacional de Xadrez (FIDE), o que inclui Grandes Mestres, Mestres Internacionais, Mestres FIDE e Mestre Internacional Feminina.

“O Sistema Fecomércio não podia deixar de apoiar essa modalidade por tudo que ela representa para o esporte, o entretenimento, o desenvolvimento intelectual e o entendimento entre as pessoas”, afirma Marcus Vinícius de Mello, Diretor de Esporte, Lazer e Saúde do Sesc Paraná.

“É um evento de elite. O mais

A competição é válida para a ob-

66        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

tenção de títulos e normas concedidas pela FIDE. As principais partidas são transmitidas em tempo real por sites especializados. Entre os participantes, não há distinção entre homens e mulheres, adultos e crianças. O enxadrista mais novo é Miguel Rosa, com seis anos de idade, e o mais velho, Leonardo Scardini, com 71. Essa diversidade foi uma das características que chamou a atenção do presidente da Copel, Jonel Iurk. “Nós entendemos que o xadrez integra as pessoas, une gente de todas as idades e não impõe restrições à participação de ninguém. Então, é justamente por essa inclusão que nós entendemos que a atividade merece ser apoiada”. JUL | AGO 2018


CHAPÉU

O vencedor do torneio, com oito pontos dos nove possíveis, foi o Grande Mestre Julio Granda, do Peru. Em segundo lugar ficou o GM paraguaio José Fernando Cubas e em terceiro, o GM Andrés Rodriguez, do Uruguai. “Tenho que parabenizar os realizadores porque está tudo muito bem organizado e vai deixar uma boa impressão para todos. O Brasil é um país importante no cenário do xadrez e o Paraná tem que seguir avançando”, afirma Granda, que é um dos enxadristas mais prestigiados do mundo.

DA ESQUERDA PARA A DIREITA, OS GRANDES MESTRES JOSÉ FERNANDO CUBAS, ANDRÉS RODRIGUEZ, JULIO GRANDA, JAIME SUNYE NETO, YAGO SANTIAGO, EVE-

Também participaram da competição o Grande Mestre italiano Carlos Garcia Palermo e os GMs brasileiros Everaldo Matsuura, Jaime Sunye, Yago Santiago e Luís Paulo Supi. Eles foram unânimes em relação à qualidade do evento. “Atualmente esse é o melhor torneio que existe. A infraestrutura para acolher os jogadores é muito boa, os espaços são bem cuidados, tudo é muito confortável. O Sesc é um ótimo parceiro do xadrez”, afirma Matsuura. Os principais objetivos do Aberto de Xadrez são incentivar a prática do esporte, valorizando-o JUL | AGO 2018

RALDO MATSUURA, CARLOS GARCIA PALERMO E LUIS PAULO SUPI

como uma atividade importante na promoção do bem-estar e da qualidade de vida, permitir o intercâmbio de experiências, permitir a evolução dos jovens, movimentar o rating internacional e reconhecer os jogadores mais bem colocados. RECONHECIMENTO

Para valorizar a presença dos Grandes Mestres e Mestres Internacionais e aproximar os enxadristas dos organizadores e patrocinadores, um jantar foi oferecido pela Fecomércio e pelo Senac. Nele, o

GM curitibano Jaime Sunye, único brasileiro a conquistar um ouro olímpico na categoria, foi homenageado. O troféu imortaliza a posição final de sua vitória histórica contra o ex-campeão mundial Boris Spasski, em Solingen, 1986. “A homenagem traz alegria pelo reconhecimento de uma conquista desportiva do passado e também lembrança de uma época de competição em nível mundial”, conta Sunye, que voltou a jogar xadrez no início deste ano, após 10 anos afastado por conta de um câncer. FECOMÉRCIO PR

Nº 125     67


ESPORTE

VENCEDORES DA 3ª ETAPA DO CIRCUITO ESCOLAR DE XADREZ 2018

INCENTIVO ÀS CRIANÇAS

Paralelamente ao Torneio Internacional, o Sistema Fecomércio e a FEXPAR realizaram no dia 4 de agosto, também no Sesc Caiobá, a 3ª Etapa do Circuito Escolar de Xadrez 2018. O evento é uma oportunidade para extrair novos talentos e melhorar o rendimento das crianças e adolescentes.

traz inúmeros benefícios. “Ajuda não só no desempenho em sala de aula, mas também na vida, com o

desenvolvimento da memória, de boas estratégias e capacidade de concentração”, afirma. 

Matheus Salvadego, de 11 anos, participou das duas competições. Ele conheceu o xadrez na escola e gosta tanto que pretende levar a atividade como profissão. “Eu treino em casa oito horas por dia, quatro com meu professor e quatro sozinho”, conta o garoto, que é campeão Sul-Americano da categoria sub-10 e Brasileiro da sub-12. A PARTIR DA ESQUERDA, DIRETOR DO TORNEIO, ERNANI BUCHMANN; DIRETOR

Para a professora Isabela Ferreira, que acompanhou seus alunos na competição, a prática de xadrez 68        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

DE ESPORTE, LAZER E SAÚDE DO SESC PR, MARCUS VINÍCIUS DE MELLO; GRANDE MESTRE HOMENAGEADO, JAIME SUNYE NETO E O GERENTE DE ESPORTE E LAZER DO SESC PR, LUCAS CHAVES

JUL | AGO 2018


EXPERIÊNCIA

POR OUTRA PERSPECTIVA O TORNEIO DE XADREZ MAIS IMPORTANTE DO PAÍS PELO OLHAR DE UMA JORNALISTA QUE NÃO PRATICA O ESPORTE E NEM FAZ PARTE DO SELETO GRUPO QUE SE INTERESSA EM ACOMPANHAR O ASSUNTO TE XTO : LARISSA GR IZOLI | FOTO: IVO LIMA

S

im, eu confesso: não sei jogar xadrez. Tenho uma vaga lembrança do nome das peças, não conheço as regras, nem nenhum tipo de movimento. Não tive paciência para aprender quando criança. Preferi a singela dama, o velho dominó e o barulhento truco. Eis que alguns anos se passaram e o xadrez reapareceu na minha vida como um desafio. Desta vez, não o de aprender a jogar, mas o de fazer a cobertura jornalística da melhor competição do esporte no Brasil, o IV Torneio Aberto de Xadrez Sesc Caiobá Copel Telecom. Chego ao hotel. A passos calmos, mas com a curiosidade habitual que antecede cada evento, vou me aproximando da sala onde os enxadristas disputam mais uma rodada da competição. No caminho, um pequeno estande com camise-

JUL | AGO 2018

tas estilizadas, livros sobre xadrez e um tabuleiro com peças gigantes dão o tom do que está por vir. Entro na sala. A ausência de ruído é total. Mas basta observar a expressão dos competidores para que o silêncio se torne ensurdecedor. Olhos atentos e rosto apoiado sobre as mãos revelam o turbilhão de pensamentos que passa pela cabeça deles, analisando cada possibilidade de jogada e as consequências que viriam em seguida caso o movimento fosse concretizado. Observo cada mesa de jogo. Homens e mulheres competem entre si em pé de igualdade. Crianças se ajoelham sobre as cadeiras para ter uma visão melhor do tabuleiro. Pequenas no tamanho e gigantes no raciocínio, enfrentam com dignidade adversários com idade para serem seus pais ou avós.

Uma mesa mais ao canto da sala chama a atenção. Por que há dois tabuleiros? Por que um enxadrista está com um fone de ouvido conectado ao relógio? Logo vem a explicação. Um dos competidores é cego. Ele move as peças no tabuleiro em braile, e o adversário, no principal. A cada jogada, um avisa o outro qual movimento foi feito. Respeitoso e democrático. Fim de jogo. Oponentes se cumprimentam e começam a conversar – é o chamado post-mortem, uma análise das jogadas que ocorreram. Pouco tempo depois, os competidores se levantam e vão embora. Admito que só olhando os tabuleiros, não faço ideia de quem ganhou. Mas tenho um bom palpite de quem adorou a experiência e, por isso, tem motivos de sobra para comemorar: eu!  FECOMÉRCIO PR

Nº 125     69


SOLIDARIEDADE

CAMPANHA DO AGASALHO COM O TEMA ONDE HÁ CALOR, HÁ MAIS VIDA, A 10ª EDIÇÃO DO EVENTO ARRECADOU MAIS DE 355 MIL ITENS, COMO COBERTORES, ROUPAS E CALÇADOS, E BENEFICIOU CERCA DE 220 INSTITUIÇÕES

IVO LIMA

TEXTO : LARISSA GRIZOLI | FOTOS: A R QUIVO SESC

BRECHÓ SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE SÃO ROQUE, EM PIRAQUARA

D

epois de um dia de trabalho, tomar banho, vestir uma roupa quentinha e entrar debaixo das cobertas faz parte da rotina de muita gente durante as noites frias de inverno. A sequência, no entanto, nem sempre é possível em todos os lares paranaenses. Moradores de comunidades carentes ou em situação de rua sofrem com a falta de cobertores, roupas e cal-

70        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

çados adequados para enfrentar a época mais fria do ano. Para amenizar essa situação, o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, o Instituto GRPCOM, a RPC e o Exército Brasileiro realizaram a 10ª edição da Campanha do Agasalho. O tema escolhido para este ano foi Onde há calor, há mais vida. As doações ocorreram no período de 9 de abril a 31 de agosto

e mobilizaram a população de 32 municípios do Paraná, além de algumas empresas. O resultado foi um sucesso: mais de 355 mil peças foram arrecadadas e entregues a quem mais precisa. Silvânia Goinski foi uma das beneficiadas. Ela foi demitida do emprego após algumas faltas para cuidar do filho mais novo, de três anos, que tem bronquite. O mariJUL | AGO 2018


do trabalha, mas com apenas uma fonte de renda, comprar roupas ou mais cobertores não faz parte da realidade da família já há algum tempo. “Eu quero agradecer a todos que ajudaram a mim, a minha família e a tantas outras pessoas que precisam ainda mais que a gente”, afirma Silvânia. A Campanha do Agasalho 2018 contou com o apoio dos sindicatos filiados à Fecomércio PR; das Câmaras da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios do estado; dos veículos do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCOM): Gazeta do Povo, Tribuna do Paraná, Rádio 98 FM e Rádio Mundo Livre FM; da TV do Ônibus; das Concessionárias CCR Rodonorte e Caminhos do Paraná; da Urbanização de Curitiba (Urbs) e do Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi-PR).

FUNCIONÁRIOS DO 1º REGISTRO DE IMÓVEIS DE CURITIBA

EMPRESA SOLIDÁRIA

Entre as dezenas de doações feitas por empresas, a do 1º Registro de Imóveis de Curitiba bateu recorde em volume, com 6.105 peças. A arrecadação foi feita pelo titular do cartório, Luis Flávio Fidelis Gonçalves, e pelos 25 colaboradores que compõe o quadro da empresa. “Nós dividimos os funcionários em duplas, para que um motivasse o outro a trazer mais peças, e estipulamos prêmios para os três melhores colocados. Diante disso, começou uma competição. O pessoal pediu nos prédios, para parentes e vizinhos”, conta a coordenadora de RH e idealizadora da gincana, Fabíola Wille, que define a participação na Campanha como uma “satisfação imensa”. JUL | AGO 2018

BRECHÓ SOCIAL NO CENTRO CULTURAL KAINGANG, EM LONDRINA

BRECHÓ SOCIAL

As entregas das doações recebidas durante a Campanha do Agasalho deste ano foram feitas de duas formas: para as cerca de 220 instituições beneficentes parceiras que atuam junto à população carente e diretamente a mais de 44 mil pessoas, por meio de brechós sociais. Neles, as peças são dispostas como em uma loja, em que o público entra, escolhe o que mais agrada e sai sem pagar nada.

Em uma das ações, realizada na Praça Tiradentes, centro da capital paranaense, aproximadamente 500 pessoas em situação de rua foram beneficiadas, numa parceria com as ONGs Filhas de Madre Teresa e 3D Marmitex, da Comunidade Cristã de Curitiba. O evento contou ainda com atendimento médico e jurídico gratuito, promovido pelo projeto Médicos de Rua e pelo programa Justiça no Bairro, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). FECOMÉRCIO PR

Nº 125     71


SOLIDARIEDADE

de apresentação musical e contação de histórias para crianças. Muitas pessoas deixaram o local já vestindo agasalhos novos. Outras, que chegaram descalças, com calçados diferentes em cada pé ou mesmo de tamanho inadequado, exibiam a felicidade de quem não

ganhava algo novo há muito tempo. “O brechó é uma forma de respeitar a humanidade das pessoas e garantir que elas tenham o mínimo necessário para a sobrevivência, para a dignidade”, afirma Vanusa Alves da Silva, analista social do Sesc PR. ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE SÃO ROQUE

Outro brechó foi realizado no bairro do Guarituba, município de Piraquara, em parceria com a Associação Beneficente São Roque. Foi o maior evento do tipo realizado até o momento em uma única instituição, com o atendimento a cerca de 700 moradores e distribuição de mais de 9 mil peças, além

APRESENTAÇÃO MUSICAL DA ORQUESTRA INFANTIL DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE SÃO ROQUE

SOBRE A ASSOCIAÇÃO

A Associação Beneficente São Roque atua em Piraquara desde 1988 e tem como missão promover, por meio de práticas cidadãs e ações transformadoras, a convivência familiar e comunitária de pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social. Atualmente a instituição atende 72        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

200 crianças e adolescentes com aulas individuais de violino, violoncelo, piano e flauta, formação de coral e orquestra e promoção de atividades de literatura e iniciação musical. De acordo com a presidente da Associação, Márcia Vicente, o contato das crianças com a cultura é algo transformador, um investimento de baixo custo, mas com

resultados instantâneos. “Antes eles conheciam apenas um lado da vida, que é não ter saneamento básico, não ter asfalto, não ter escola de renome no bairro, não ter praça, nem campinho de futebol. Agora, eles conheceram aqui no projeto o belo e o bonito, viram que existem outras coisas boas na vida”, afirma. 

JUL | AGO 2018


SINDICATO

SICOV SINDICATO ACREDITA QUE CONTRIBUIÇÃO DE OUTRAS INSTITUIÇÕES DE APOIO AO EMPRESARIADO É MUITO IMPORTANTE PARA O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO TEXTO : ANA BEAT R IZ LUZ | FOTO: WILSON JUN IOR

O

material elétrico, dependentes da concessão de crédito, bem como as lojas de roupas e calçados, primeiros itens a serem cortados da lista de compras do consumidor em tempos difíceis.

Sindicato do Comércio Varejista de Cornélio Procópio (Sicov) aumentou sua base de empresas associadas em 50%. Ele abrange os municípios de Cornélio Procópio, Bandeirantes, Santa Mariana e Santa Amélia. Também atuou ativamente para a construção da nova Unidade de Educação Profissional e Tecnológica do Senac e em 2017 teve a satisfação de participar de sua inauguração. O presidente do Sicov, Valter Barros, completou uma década à frente do sindicato. “O novo Senac trouxe vida na parte educacional e formação técnica que o procopenses precisavam. É uma sede bem feita e bem aproveitada. O Senac e o Sesc são nossos grandes parceiros no município”, afirma Barros.

PONTO DE ATENDIMENTO AO EMPREENDEDOR

Parceiro de longa data da Associação Comercial e Empresarial de Cornélio Procópio (Acecp), o sindicato reforçou ainda mais essa atuação conjunta em prol do comércio com a reinstalação do Ponto de Atendimento ao Empreendedor (PA). O espaço funciona na Acecp e marca a presença efetiva do Sebrae/PR no município, pois também será um escritório de articulação institucional. JUL | AGO 2018

“Por isso a liberação dos saques das contas inativas do FGTS veio no momento certo e trouxe ânimo ao comércio. A maioria dos consumidores pagou dívidas, o que também é positivo, mas muitos também gastaram o dinheiro no comércio”, avalia. PRESIDENTE DO SICOV, VALTER BARROS

A iniciativa da reabertura do Ponto de Atendimento é fruto de uma parceria entre a Prefeitura de Cornélio Procópio, Sebrae/PR, Sindicato do Comercio Varejista e a Acecp. No Ponto de Atendimento ao Empreendedor, os interessados encontrarão consultorias, palestras, treinamentos e oficinas, além de orientações úteis e práticas para aqueles que pretendem abrir, formalizar ou melhorar a gestão de seus empreendimentos. CENÁRIO DO COMÉRCIO

A expectativa do dirigente sindical é de que o varejo retome o crescimento e que a situação do país volte a ser mais favorável para os negócios. “Precisamos ser otimistas e buscar estratégias de melhorar nosso modo de atuação. Nosso sindicato luta para ver o comércio bem, para o que os recursos circulem, mas permaneçam aqui mesmo, proporcionando o desenvolvimento de Cornélio Procópio e região”, completa. 

SERVIÇO: Sindicato do Comércio Varejista de Cornélio Procópio

Segundo Barros, assim como em todo o país, a crise econômica e política vem afetando o comércio da região, principalmente os setores de materiais de construção e

(SICOV) Rua Amazonas, nº 21 – Cornélio Procópio – PR Telefone: (43) 3523-4062

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     73


PERFIL

UMA VIDA DEDICADA AO COOPERATIVISMO HÁ MAIS DE 30 ANOS NO SISTEMA OCEPAR, JOSÉ ROBERTO RICKEN DEFENDE O PLANEJAMENTO E PROFISSIONALIZAÇÃO DO SETOR TEXTO : K ARLA SANTIN | FOTOS: SA MUEL MILLÉO FILHO

M

anter o bom andamento do Sistema Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), priorizando o planejamento e a profissionalização. Esse é o propósito de José Roberto Ricken desde que assumiu a presidência da entidade, em 4 de abril de 2016. Sua trajetória está atrelada a seu antecessor, João Paulo Koslovski, que permaneceu 20 anos à frente do Sistema Ocepar, e que considera seu professor. Mas a ligação de Ricken com o cooperativismo vem desde os tempos do colégio agrícola, onde ajudou a criar uma cooperativa escolar. O assunto já o instigava, tanto que fez todas as optativas possíveis sobre o tema. “Sempre acreditei que o cooperativismo é a melhor solução, principalmente para os médios e pequenos, porque dá oportunidades de crescimento e agrega força através da união das pessoas”, afirma. Como não poderia ser diferente, sua vida profissional começou em

74        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

uma cooperativa, em Palotina, a C. Vale. Engenheiro agrônomo e com mestrado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, Ricken também atuou no setor cooperativo do Sudoeste, foi chefe do escritório da Emater em Realeza e trabalhou na Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), em Brasília, no Departamento Técnico-Econômico. Ingressou no Sistema Ocepar em 4 abril de 1988. “Essa data, 4 de abril, me acompanha”, pontua. Inicialmente atuou como assessor no departamento técnico e econômico. A partir de 1991, gerenciou a implantação do Programa de Autogestão das Cooperativas Paranaenses até 1996, quando assumiu a superintendência da Ocepar. Coordenou a implantação do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), em 1999, do qual também foi superintendente até assumir a presidência. Ele é o sétimo cooperativista a assumir a presidência da Ocepar, fundada em 1971.

PRESIDENTE DO SISTEMA OCEPAR E COORDENADOR DO G7, JOSÉ ROBERTO RICKEN

Também teve uma passagem pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) entre os anos de 2003 e 2004, quando ocupou a função de assessor especial do então ministro Roberto Rodrigues, como diretor do Departamento de Cooperativismo e Associativismo Rural (Denacoop). JUL | AGO 2018


O SISTEMA COOPERATIVO

As cooperativas paranaenses tiveram, em 2017, faturamento de R$ 70 bilhões, o que corresponde a um quarto do volume do cooperativismo nacional. O Sistema Ocepar representa dez ramos do cooperativismo, composto por 221 cooperativas e mais de 1,5 milhão de cooperados. “O Paraná é o estado onde o cooperativismo mais avançou. Possui a participação mais relevante na economia do estado. Quase 60% do que é produzido no campo vem para os armazéns das cooperativas. Isso é uma responsabilidade imensa”, reitera. Uma das características mais marcantes do cooperativismo paranaense é o planejamento. Em 2015 o Sistema Ocepar criou o PRC100 - Paraná Cooperativo 100, com a ousada meta de, juntas, as cooperativas do Paraná alcançarem R$ 100 bilhões de faturamento, o que deve acontecer daqui há dois anos, em 2020. A ideia é atuar diretamente em cinco pilares: financeiro, mercado, cooperação, infraestrutura, governança e gestão. “A meta só poderá ser atingida se obtivermos bons resultados econômicos, acessando e ampliando mercados para nossos produtos e serviços. E, para isso, há uma série de desafios”, ressalta o presidente José Roberto Ricken. A profissionalização dos cooperados é o principal foco da entidade, atribuição desempenhada pelo Sescoop, do qual Ricken foi superintendente por 16 anos. O órgão é responsável por organizar, administrar e executar atividades de formação profissional e promoção social para o público cooperativista – JUL | AGO 2018

funcionários, gestores, cooperados e seus familiares. “Realizamos mais de 8,3 mil eventos por ano. Temos em andamento 61 pós-graduações especializadas em cooperativismo e um Mestrado em Gestão de Cooperativas, em parceria com as melhores universidades do Brasil e do exterior”, informa. O Sescoop atua com um modelo diferenciado, no qual faz o levantamento e desenvolve soluções personalizadas para o setor cooperativo, enquanto a execução dos cursos e programas educacionais é feita por instituições de ensino parceiras. Os cursos são feitos nos espaços das próprias cooperativas e toda a parte pedagógica, como professor e material didático, é subsidiada pelo Sescoop.

COOPERATIVISMO EM ALTA

“Isso dá mais agilidade. Com isso, conseguimos aplicar 92% dos recursos em nossa atividade fim. Nossos maiores fornecedores educacionais são o Senac e o Senai. A interação com o comércio, com a indústria, é total. Todos os S são fundamentais para nossa operação”, defende.

Ricken avalia que o momento é novas oportunidades para o setor cooperativo. “A tendência é se organizar ainda mais e transformar o produto básico, agregando valor”, projeta. No entanto, o que pode atrapalhar os planos de expansão das cooperativas é a questão da infraestrutura e logística.

RETIRADA DE 25% DO SISTEMA S

“A greve dos caminhoneiros foi apenas uma demonstração de que o modelo brasileiro está totalmente equivocado. Não podemos manter 84% da movimentação de cargas em caminhões, por via rodoviária. Chegamos a um estrangulamento, com risco de colapso da logística”, examina. Para o presidente do Sistema Ocepar, investir no transporte ferroviário e em um sistema de cabotagem de alto nível, pela costa brasileira, seriam as melhores soluções. 

Com o licenciamento do presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, para concorrer ao cargo de vice-governador do Paraná nas próximas eleições, José Ricken assumiu a coordenação do G7, grupo que congrega as principais entidades representativas do setor produtivo paranaense. Em nome do grupo, ele é categórico ao afirmar ser contra a proposta

do Projeto de lei 10372/2018, que transfere 25% da arrecadação do Sistema S para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). “O G7 definiu uma posição, que levamos ao Fórum Empresarial Sul, realizado em julho, em Florianópolis: somos contra a estatização dos recursos do Sistema S. Essa não é a solução que a sociedade necessita. A questão da segurança é algo preocupante, mas se não investirmos em formação e profissionalização, o que é desempenhado pelo Sistema S, como consequência, o governo terá que investir na construção de presídios e repressão ao crime”, sustenta.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     75


SINDICATO

SINDILOJAS CASCAVEL ATUAL PRESIDENTE DO SINDILOJAS PRETENDE CONTINUAR TRABALHO DA ANTIGA GESTÃO E REALIZAR PROJETOS VOLTADOS ÀS EMPRESAS ASSOCIADAS TEXTO : ANA BEATRIZ LUZ | FOTO: WILSON JUN IOR

A

união é uma das maiores responsáveis pelo sucesso de todo empreendimento que visa à promoção de ações em favor do bem comum. É, então, com foco na união de classes que surgiu o Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Cascavel e Região (Sindilojas). Por meio de ações que promovem benefícios reais e diretos aos lojistas e comerciantes do Oeste paranaense, o Sindilojas atua há mais de 30 anos com transparência, ética e eficiência em favor de toda a classe. De soluções médico-hospitalares, passando por serviços financeiros até assessoria jurídica, a entidade disponibiliza aos associados benefícios que só quem faz parte do mesmo time pode oferecer. Leopoldo Furlan é o atual presidente do sindicato. Assumiu em fevereiro de 2018, mas anteriormente era vice-presidente. Furlan afirma que a meta da entidade é liderar a comunidade empresarial representada com a reconhecida influência no desenvolvimento da região. “A missão do sindicato é assegurar às empresas representadas as melhores condições para 76        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

gerar resultados positivos e desenvolver a sociedade”, ressalta. De acordo com o presidente, o maior desafio é fazer com que as pessoas entendam a importância do sindicato para o município e seu principal propósito, que é representar a classe empresarial do comércio varejista e atuar nas convenções coletivas de trabalho para todas as empresas do ramo comercial e varejista. Os associados ao Sindilojas recebem benefícios, como assessoria jurídica na forma de representação por advogados do sindicato; tabela de preços diferenciada em exames médicos, consultas e demais necessidades médico hospitalares para associados e seus dependentes; cursos de aperfeiçoamento, palestras e apresentações de produtos e serviços e divulgação de endereço, telefone e endereço eletrônico junto ao site da entidade. Além disso, os associados recebem 20% de desconto na programação de cursos do Senac.

LEOPOLDO FURLAN, PRESIDENTE DO SINDILOJAS CASCAVEL

em equipe e de grande representatividade. “As empresas do Sindilojas precisam fazer de forma diferente aquilo que todos fazem de forma igual. Pensar em uma nova maneira, mais prática, melhor, com menor custo e com maior rapidez para conseguir os melhores resultados”, finaliza Furlan.  SERVIÇO: Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Cascavel e

De acordo com o atual presidente do Sindilojas o fato de a entidade ter vínculo com o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR o motiva a continuar realizando um trabalho

Região – SINDILOJAS Rua: Carlos Gomes, nº 4020 Cascavel – PR Telfone: (45) 3225-3511

JUL | AGO 2018


ARTIGO

CHRISTINA BOCAYUVA

REFORMA TRIBUTÁRIA março de 1999 a mídia veiculou artigo de minha lavra: “A Federação e a reforma dos impostos”, que sintetizo em uma de suas afirmações: “Há um sentimento de impaciência ante a demora em realizá-la”.

A

Câmara dos Deputados instalou mais uma Comissão Especial de Reforma Tributária. Promete-se, caso a Reforma seja aprovada: “crescimento econômico; neutralidade na competitividade; geração de empregos; aumento de salários; redução da tributação de itens essenciais às famílias mais pobres; justiça fiscal; desenvolvimento sustentado; distribuição de renda e riqueza; equilíbrio entre trabalho e capital; fim da guerra fiscal; desoneração da exportação; desburocratização; simplificação fiscal.”

Em abril do mesmo ano, 1999, novo artigo, cuja síntese é: “O sistema tributário brasileiro é demasiadamente complexo, ineficiente, injusto e aberto a todo tipo de sonegação, fraude e corrupção”. Ainda em 1999, já no mês de agosto, a mídia veicula novo artigo da presidência da CNC, cuja síntese é seu titulo: “Insensatez tributária”. Em setembro do mesmo ano, volto ao tema para afirmar que “a reforma tem que baixar drasticamente a carga tributária para o nível de nossos concorrentes externos, além de simplificar a burocracia fiscal”.

Se uma simples “reforma tributária” tem o condão de promover tantos benefícios sociais e econômicos, como se fora um plano de salvação nacional, basta aprová-la para o País viver o melhor dos mundos. Há mais de duas décadas a CD dedica-se ao tema. Reformar ou refundar é o dilema. Se de um lado aprovar a reforma é visto como uma panaceia nacional, de outro, aprová-la significa o fim do discurso político e tecnocrático que se renova a cada oportunidade.

Na cronologia da insensatez, eis que chegamos ao dia 23 de novembro de 1999, marco de decisão histórica, quando a Comissão Especial de Reforma Tributária da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado Germano Rigotto, aprovou o parecer do relator deputado Mussa Demes por 35 votos a favor e um contra. O presidente da Câmara dos Deputados, deputado Michel Temer, fez questão de comparecer à Comissão tão logo foi proclamado o resultado, afirmando, em Nota Oficial do dia 1º de dezembro daquele ano que: “a sociedade (capital e trabalho) pelas suas mais expressivas lideranças, clama ansiosa pela reforma tributária. Façamos aquela que, após os debates, seja possível... Devemos discuti-la. Adiá-la, não”.

A CNC também se dedica ao tema em igual período de tempo. Em

E lá se vão 19 anos! E a reforma tributária, necessária e esperada, continua

JUL | AGO 2018

comportando-se como amante infiel de políticos e técnicos que se apropriam do que julgam ser a salvação nacional, mas, como diria o poeta, as novas propostas são um “museu de novidades”. A proposta Mussa Demes passou no teste da Comissão Especial, mas não seguiu adiante. Dormita em berço esplêndido em alguma gaveta da Câmara dos Deputados. Não há, nos discursos atuais, divergências significativas em relação ao que foi aprovado em 1999. A ideia central já naquela época era a instituição de um IVA. Nada muito diferente do debate atual, apenas “novos autores” e atores se apropriam de ideias e propostas que de tão antigas e debatidas fazem parte do que poderia se chamar domínio público. Inovação, zero! Envolvidos por esses discursos, cidadãos e empresários continuam destinando 35% do esforço de sua produção para bancar gastos públicos descontrolados. Alguns, servos cooptados, silenciam-se comovidos por benefícios e subsídios nunca eficientemente medidos. Há três fatores, hoje, que desacreditam a intenção de reforma: Eleição de novo presidente, novos governadores, deputados e senadores; fim de governo; e a mais grave crise fiscal do Estado brasileiro. Se empresas fossem, a União Federal e alguns Estados já teriam pedido falência. O Brasil, definitivamente, não é para amadores.  ANTONIO DE OLIVEIRA SANTOS PRESIDENTE DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     77


SINDICATOS EMPRESARIAIS FILIADOS Atualizado em junho/2018 APUCARANA

SIVANA APUCARANA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE APUCARANA.

CAMPO LARGO

SINDIVAREJISTA DE CAMPO LARGO E BALSA NOVA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CAMPO LARGO E BALSA NOVA.

CAMPO MOURÃO

SINDICAM CAMPO MOURÃO E REGIÃO – SINDICATO EMPRESARIAL DO COMÉRCIO DE CAMPO MOURÃO E REGIÃO.

CASCAVEL

SINCOPEÇAS CASCAVEL – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE VEÍCULOS, PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA VEÍCULOS DE CASCAVEL. SINDILOJAS CASCAVEL E REGIÃO – SINDICATO DOS LOJISTAS E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CASCAVEL E REGIÃO. SINFARMA OESTE DO PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS DO OESTE DO PARANÁ.

SINCOPEÇAS PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE VEÍCULOS, PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA VEÍCULOS NO ESTADO DO PARANÁ.

SINDIPLAN CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE FLORES E PLANTAS DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA.

SINDACA PR – SINDICATO DOS AVIÁRIOS E DAS CASAS AGROPECUÁRIAS.

SINDITIBA CURITIBA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MAQUINISMOS, FERRAGENS, TINTAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE CURITIBA.

SINDARUC PARANÁ – SINDICATO DOS PERMISSIONÁRIOS EM CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE ALIMENTOS DO ESTADO DO PARANÁ. SINDCCAL CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CALÇADOS DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA. SINDELB PARANÁ – SINDICATO DAS EMPRESAS LOCADORAS DE BILHAR NO ESTADO DO PARANÁ. SINDEPAR – SINDICATO DOS DESPACHANTES DO ESTADO DO PARANÁ.

CASTRO

SINDEPARK PARANÁ – SINDICATO DAS EMPRESAS DE GARAGENS, ESTACIONAMENTOS E DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DE VEÍCULOS DO ESTADO DO PARANÁ.

CORNÉLIO PROCÓPIO

SINDETUR PARANÁ – SINDICATO DAS EMPRESAS DE TURISMO NO ESTADO DO PARANÁ.

CURITIBA

SINDIARMAZÉNS PARANÁ – SINDICATO DOS ARMAZÉNS GERAIS NO ESTADO DO PARANÁ.

SINDICASTRO CASTRO – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CASTRO. SICOV – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CORNÉLIO PROCÓPIO. SECOVI PARANÁ – SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA, VENDA, LOCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, INCORPORAÇÃO E LOTEAMENTOS DE IMÓVEIS E DOS EDIFÍCIOS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS E COMERCIAIS DO PARANÁ. SEPROPAR PARANÁ – SINDICATO DAS EMPRESAS DE PROCESSAMENTO DE DADOS E SERVIÇOS TÉCNICOS EM INFORMÁTICA DO ESTADO DO PARANÁ.

SINDICFC PR – SINDICATO DOS PROPRIETÁRIOS DE CENTROS DE FORMAÇÃO DE CONDUTORES DO ESTADO DO PARANÁ. SINDICEREAL PR – SINDICATO DAS EMPRESAS CEREALISTAS DO ESTADO DO PARANÁ. SINDIFARMA PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS DO ESTADO DO PARANÁ.

SINDJOR CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE ADORNOS E ACESSÓRIOS, DE OBJETOS DE ARTE, DE LOUÇAS FINAS E DE MATERIAL ÓTICO, FOTOGRÁFICO E CINEMATOGRÁFICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA. SIRECOM PARANÁ – SINDICATO DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS AUTÔNOMOS E EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL DO ESTADO DO PARANÁ.

FOZ DO IGUAÇU

SINDILOJAS FOZ DO IGUAÇU E REGIÃO – SINDICATO PATRONAL DO COMÉRCIO VAREJISTA DE FOZ DO IGUAÇU E REGIÃO.

FRANCISCO BELTRÃO

SINDICOM FRANCISCO BELTRÃO – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE FRANCISCO BELTRÃO.

GUARAPUAVA

SICOMÉRCIO GUARAPUAVA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GUARAPUAVA.

IRATI

SINDIRATI IRATI – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE IRATI.

IVAIPORÃ

SINCOMÉRCIO IVAIPORÃ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE IVAIPORÃ.

JACAREZINHO

MARINGÁ

SIMATEC – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE FERRAGENS, TINTAS, MADEIRAS, MATERIAIS ELÉTRICOS, HIDRÁULICOS E MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO DE MARINGÁ E REGIÃO. SINCOFARMA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS DE MARINGÁ. SIVAMAR – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MARINGÁ E REGIÃO.

MEDIANEIRA

SINCOMED – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MEDIANEIRA E REGIÃO.

PARANAGUÁ

SINDILOJAS PARANAGUÁ – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DE PARANAGUÁ.

PARANAVAÍ

SIVAPAR – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PARANAVAÍ.

PATO BRANCO

SINDICOMÉRCIO PATO BRANCO – SINDICATO PATRONAL DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PATO BRANCO.

PONTA GROSSA

SINDILOJAS PONTA GROSSA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PONTA GROSSA. SINDIMERCADOS PONTA GROSSA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS EM MERCADOS, MINIMERCADOS, SUPERMERCADOS E HIPERMERCADOS DE PONTA GROSSA E DA REGIÃO DOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ.

SINDILOJAS JACAREZINHO – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, MAQUINISMOS, FERRAGENS, TINTAS E DE MATERIAL ELÉTRICO E APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS DE JACAREZINHO.

PRUDENTÓPOLIS

SINDILOJAS SANTO ANTÔNIO DA PLATINA – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA.

SINDICOMÉRCIO PRUDENTÓPOLIS – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DE PRUDENTÓPOLIS.

SESFEPAR PARANÁ – SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS DO ESTADO DO PARANÁ.

SINDILEILÕES – SINDICATO DOS LEILOEIROS PÚBLICOS E OFICIAIS DOS ESTADOS DO PARANÁ E SANTA CATARINA.

SIMACO PARANÁ – SINDICATO INTERMUNICIPAL DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO NO ESTADO DO PARANÁ.

SINDILOJAS CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MAQUINISMOS, FERRAGENS, TINTAS, MATERIAL ELÉTRICO E APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA.

LONDRINA

SINCAP – SINDICATO DOS SALÕES DE CABELEIREIROS, INSTITUTOS DE BELEZA E SIMILARES DO ESTADO DO PARANÁ.

TOLEDO

SINDIMERCADOS CURITIBA, REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA E LITORAL DO PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, MERCADOS, MINIMERCADOS, SUPERMERCADOS E HIPERMERCADOS DE CURITIBA, REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA E LITORAL DO PARANÁ.

SINCOVAL LONDRINA E REGIÃO – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE LONDRINA.

UMUARAMA

SINCA PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO ATACADISTA E DISTRIBUIDORES DO ESTADO DO PARANÁ. SINCACES – SINDICATO DOS INSTITUTOS DE BELEZA E SALÕES DE CABELEIREIROS, CENTROS DE ESTÉTICA E SIMILARES DE CURITIBA E REGIÃO. SINCAM PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO ATACADISTA DE MADEIRAS DO PARANÁ. SINCAMED PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO ATACADISTA DE DROGAS E MEDICAMENTOS NO ESTADO DO PARANÁ. SINCARNES – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CARNES FRESCAS NO ESTADO DO PARANÁ.

JUL | AGO 2018

SINDIMERCADOS PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, MERCADOS, MINIMERCADOS, SUPERMERCADOS E HIPERMERCADOS DO ESTADO DO PARANÁ.

SINCAFÉ – SINDICATO DOS CORRETORES DE CAFÉ NO ESTADO DO PARANÁ.

SINDIÓPTICA PARANÁ – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAL ÓPTICO, FOTOGRÁFICO E CINEMATOGRÁFICO NO ESTADO DO PARANÁ. SINFARLON – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS DE LONDRINA.

MARECHAL CÂNDIDO RONDON

SINDICOMAR MARECHAL CÂNDIDO RONDON E MICRO REGIÃO – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON E MICRO REGIÃO.

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

SINVAR TOLEDO – SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE TOLEDO. SINDLOJISTAS UMUARAMA – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, DE MAQUINISMO, FERRAGENS E TINTAS E DE MATERIAL ELÉTRICO E APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS DE UMUARAMA.

UNIÃO DA VITÓRIA

SINDILOJAS UNIÃO DA VITÓRIA – SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO E DO COMÉRCIO VAREJISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DE UNIÃO DA VITÓRIA.

FECOMÉRCIO PR

Nº 125     79


NCM 08/18

NOVO PROGRAMA PARA EDUCAÇÃO EXECUTIVA NO SENAC PORTÃO O Programa de Liderança e Inovação do Senac visa atender a necessidade da Educação Executiva, promovendo o desenvolvimento de competências de gestores e aprofundando temas como Liderança e Inovação. O programa é estruturado no formato semipresencial, com 151 horas, sendo 9 horas divididas em seis sessões de atendimento individual em Coaching, e 142 horas divididas nos seguintes módulos: Liderança Integral, Gestão do Futuro, Estratégia Competitiva e Inovação (vivência internacional) e Gestão da Mudança. As aulas serão realizadas entre 08/10/2018 e 16/03/2019 e as inscrições deverão ser feitas presencialmente na unidade Senac Portão.

Rua Calixto Razolini, 215 41 3314-5850 | www.pr.senac.br

80        FECOMÉRCIO PR

Nº 125

JUL | AGO 2018

Revista Fecomércio PR - nº 125  

Revista Fecomércio PR - nº 125

Revista Fecomércio PR - nº 125  

Revista Fecomércio PR - nº 125

Advertisement