Page 1


F I L I P E

B A T T A Z Z A

P O R T F O L I O


INFO NOME Filipe Battazza Fernandes de Oliveira TEL

(11) 99995-2148

EMAIL fbattazza@gmail.com WEB https://issuu.com/fbattazza LOCAL R. José M. Lisboa, Jardins - São Paulo - SP

“Architecture is a way of seeing, thinking and questioning our world and our place in it.” Thom Mayne


CURRICULUM VITAE EDUCAÇÃO

EXPERIÊNCIA

Universidade Presbiteriana Mackenzie (2012-2016) Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo Figueroa.arq Abril 2017 - Participação no concurso Parque Águas Claras-DF - Realização das imagens renderizadas do projeto. MM18 Arquitetura Abril 2016 - Dezembro 2016 - Participação do início ao fim na elaboração de projetos, incluindo desenho executivos e visita à obra. - Modelagem 3D e renderização dos projetos. Hiperstudio Fevereiro 2016 - Abril 2016 - Participação no Concurso UBS Parque do Riacho (CODHAB-DF) premiado com o 2° lugar. - Elaboração do Portfolio do escritório. FCstudio Março 2015 - Junho 2015 - Experiência com design gráfico e diagramação na elaboração de apresentações para concursos de arquitetura - Trabalho de edição e pós-produção de projetos e peças gráficas Hoeazevedo Arquitetura Junho 2014 - Março 2015 - Contato direto com fornecedoes e clientes - Trabalho em diferentes escalas: mobiliário, casas e edifícios institucionais.

CURSOS

Achitectural Association Summer School Julho 2015 - Curso de três semanas, ministrado em inglês. - Desenvolvimento de projeto, envolvendo: palestras, trabalho com diferentes técnicas de modelagem e fabricação digital. {CURA} Representação Arquitetônica Outubro 2014 - Desenvolvimento das técnicas de representação, modelagem, renderização, pós produção e diagramação Workshop Reurbanização Anhangabaú Dez 2013 - Trabalho desenvolvido com SPUrbanismo e Gehl Architects para futuro projeto no Vale do Anhangabaú, São Paulo. Curso de Fotografia Estúdio Euka Março 2015 - Introdução a Fotografia e técnicas de edição.

CONHECIMENTOS

Softwares [avançado] AutoCAD, Sketch Up, V-Ray, Pacote Adobe (InDesign, Photoshop e Illustrator), Pacote Office e Autodesk Revit. [básico] Lumion, Rhino, Grasshopper e 3DMax Línguas Inglês (avançado-CAE), Espanhol (Intermediário)


ÍNDICE PROJETOS

01

Transições Permeáveis

9-21

2016 / TFG Mack / São Paulo / infraestrutura / G

02

The Object of Imbalance

23-33

2015 / AA / Londres / design / P

03

UBS-Parque do Riacho

35-41

2016 / Concurso / Brasília / saúde / M

04

Eletroposto

43-47

2016 / Concurso / - / serviços / P

05

Museu de Arquitetura

49-55

06 57-67

2013 / Mack / São Paulo / cultural / M

Estação Lapa 2015 / Mack / São Paulo / infraestrutura / G


01

TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS 2016 São Paulo TFG - FAU Mackenzie infraestrutura Escala: G


10 TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS

O projeto parte de uma abordagem com os olhos para a escala local, a rés do chão, mas ciente também da escala metropolitana, aos seus fluxos e dinâmicas. A questão do território assume um papel central na elaboração da proposta, o que determina uma postura sistêmica - com certo caráter infra estrutural- de se pensar além do objeto. A ideia passa ser primeiramente a proposição de uma arquitetura que se destaque pela sua funcionalidade como sistema. Um espécie de mecanismo que pretende modificar a realidade e a percepção que temos do ambiente, construindo uma nova paisagem. Interesse em possibilitar uma forma de se ver o mundo e transforma-lo, incentivando comportamentos e ações. A criação de uma atmosfera, um raciocínio aplicado frente a concepção de simples objetos e formas arquitetônicas. As diferentes funções dos edifícios foram concebidas na forma de um sistema, primeiramente relacionadas ao entorno, mas permitindo a interação entre os projetos, garantindo autonomia e complementariedade. Dessa forma, a passarela e o próprio chão da cidade conectam os diversos acontecimentos, agregando ao fluxo de pessoas que passam pela região diariamente e que podem ser capturadas pelos edifícios e seus espaços públicos.

AÇÕES NO TERRITÓRIO

CONEXÃO HORIZONTAL _ PASSARELA

CORTE URBANO

CONEXÃO VERTICAL _ EIXOS DE


11

CIRCULAÇÃO

OCUPAÇÃO _ EDIFÍCIOS


12

TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS


13

IMPLANTAÇÃO CHÃO DA CIDADE_NV BASE +0.00 (746,50)

IMPLANTAÇÃO PATAMAR ELEVADO_NV BASE +10,50 (757,00)


14

TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS

MODELO FÍSICO (ESC 1:1000)

DETALHAMENTO DA PASSARELA

ISOMÉTRICA


15

MODELO FÍSICO (ESC 1:500)

CORTE TRANSVERSAL DA PASSAREALA


16 TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS

MODELO FÍSICO EM CORTE D


17

DO EDIFÍCIO DA ESCOLA E DA PASSARELA QUE PASSA SOBRE A NOVE DE JULHO E A AVANHANDAVA


18 TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS

VISTA DA NOVE DE JULHO PARA A PASSARELA E PARA A ESCOLA DE TEATRO.

VISTA DO TÉRREO DA ESCOLA DE TEATRO.


19

VISTA INTERNA DA BIBLIOTECA DA ESCOLA DE TEATRO

VISTA INTERNA DA PRINCIPAL SALA DE ENSAIOS DA ESCOLA DE TEATRO


20 TRANSIÇÕES PERMEÁVEIS


21


02

OBJECT OF IMBALANCE 2015 Londres, UK Architectural Association Design mobiliรกrio urbano Escala: P


24 OBJECT OF IMBALANCE

O projeto ‘the Object of Imbalance” é fruto da análise do Leste da cidade de Londres sob uma perspectiva futura. Na qual a atual ecêntricidade e vivacidade dos espaços foi perdida com a saída dos antigos moradores e a crise habitacional se faz presente. Assim, o objeto proposto se baseia nessa sitação desigual, onde o ponto de apoio está deslocado. Uma pessoa impõe sua força sobre a vida de muitas. Mas acima de tudo buscamos a interação das pessoas e que isso traga parte dessa experiência de cidade que foi perdida. Foram feitos diversos modelos físicos para estudo, e desenvolvidos no Rhino para finalmente fabricarmos as peças em 1:1 na máquina CNC com uma única folha de madeira laminada. Equipe de Projeto: Ekaterina Limonova, Filipe Battazza, Moataz Ibrahim, Shivang Bansal Tutores: Amita Kulkarni e Vikrant Tike


25


26 OBJECT OF IMBALANCE


27


28 OBJECT OF IMBALANCE

Perspectiva Isométrica explodida: construção com apenas 4 elementos


29


30 OBJECT OF IMBALANCE


31


32 OBJECT OF IMBALANCE


33


03

UBS-PARQUE DO RIACHO 2016 Brasília, BR Concurso + Hiperstudio Saúde Escala: M


36 UBS-PARQUE DO RIACHO


37


38 UBS-PARQUE DO RIACHO


39


40 UBS-PARQUE DO RIACHO


41


04

ELETROPOSTO 2016 Sรฃo Paulo, SP Concurso Serviรงos Escala: P


44 ELETROPOSTO

O desenho do eletroposto , mais que uma questão de sustentabilidade, abre uma oportunidade de se pensar no sustentável como um todo. A vocação do projeto está em sua reprodutibilidade e capacidade de se tornar algo significativo para as pessoas. A busca por uma maior eficiência energética deve estar atrelada as problemáticas que ainda estão presentes na sociedade. Dessa forma, o projeto pela sua flexibilidade, busca atender não somente diversas escalas urbanas, mas estar suscetível a diversos usos de acordo com as reais necessidades da população.Mais que uma cobertura, o projeto enaltece um dos preceitos mais importantes na arquitetura: sua função social. Proposta de uma cobertura com a possibilidade de angulação dos painéis de acordo com a trajetória do sol, aumentando a sua eficiência energética. A ideia é possibilitar a implantação do eletroposto em todo o Brasil, considerando a trajetória do Sol e permitindo a adaptação do módulo. Nas regiões Norte e Nordeste o painel teria uma angulação menor enquanto no Sul do país seria maior.


45

1. cobertura plana com 2. cobertura inclinada com captação de energia captação de energia

inclinação no norte do Brasil

inclinação no Sul do Brasil


46 ELETROPOSTO

ABASTECIMENTO

automóveis

bicicletas elétricas

ATIVIDADES

reunião

leitura

SERVIÇOS

quiosque

horta urbana


47

POSSIBILIDADE DE IMPLANTAÇÃO


05

MUSEU DE ARQUITETURA 2013 São Paulo, SP FAU Mackenzie Cultural Escala: M


50 MUSEU DE ARQUITETURA

Museu de Arquitetura Paulista Um museu contemporâneo deve oferecer mais do que apenas boas exposições e espaços para abrigar as mais diversas artes, é fundamental oferecer zonas de repousos para as pessoas, uma pausa no ritmo da cidade propiciando espaços mais acolhedores e confortáveis. Ao mesmo tempo que sua arquitetura deve instigar à movimentação e a relação entre as pessoas, com uma diversidade percursos e planos, incorporando a dinâmica da cidade para dentro do museu e fazendo da própria arquitetura uma obra de arte, menos visível e mais vivencial como tal. As salas de exposição foram colocadas umas sobre as outras e conectadas verticalmente, tanto visualmente com recortes nas lajes quanto fisicamente,com escadas e rampas variando de pavimento à pavimento. Criando uma surpresa e uma visão única a cada momento, um jardim, um vazio, o céu; propiciando diferentes formas de se ver a arte e a arquitetura.


51


52 MUSEU DE ARQUITETURA


53


54 MUSEU DE ARQUITETURA


55


06

ESTAÇÃO LAPA 2015 São Paulo, BR FAU Mackenzie Infraestrutura Escala: G


58 ESTAÇÃO LAPA

A Lapa é uma região da cidade de São Paulo com um território fragmentado pela linha férrea, criando uma distinção clara entre a Lapa de cima e a Lapa de baixo. O principal ponto de transposição é o viadudo Nossa Senhora da Lapa, mas não é convidativo ao pedestre e cria um grande caos viário na região. Assim o projeto da Nova estação Lapa nasce com a demolição do viaduto e a criação de circuito peatonal sobre a ferrovia, com praças públicas em ambos os lados. Para potencializar os fluxos e a criação de uma nova centralidade na região propõe-se desativar as atuais estações Lapa da CPTM (linha 7 e 8) e agrupar as duas estações em uma só. O percurso criado além da transposição cria uma praça em sua cobertura para permitir novas vistas da Lapa.


59

Situação existente: Fragmentação

Situação proposta: Continuidade


60 ESTAÇÃO LAPA

Transposição e Mezanino

Vazios e Circulação

Rampa e Mirante


61

Mercado da Lapa

Nova Estação Lapa

Terminal de Ônibus

Antiga Estação


62 ESTAÇÃO LAPA

Planta Plataforma - Nível +0.00


63

Planta Mezanino - NĂ­vel +5.20


64 ESTAÇÃO LAPA

Planta Quadra - Nível +9.20


65

Planta Mirante - NĂ­vel +16.20


66 ESTAÇÃO LAPA

Isométrica


67

Plataforma

Quadra


F I L I P E

B A T T A Z Z A

fbattazza@gmail.com

Portfolio Arquitetura | Filipe Battazza  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you