Page 1

Campinas DOMINGO 28 / 08 / 2016

CORREIO POPULAR Dr. Paulo é um EXPERIENTE médico que se importa com os pacientes e os atende de forma muito HUMANA. Já a NOVATA Dra. Laura quer apenas ganhar EXPERIÊNCIA para, em breve, se tornar uma especialista. O EMBATE entre os dois é o enredo de Unidade Básica, série da Universal que ESTREIA em 11 de setembro

Divulgação

O PACIENTE

to familiar. E nisso, chega uma médica, querendo exercer um tipo de medicina que vem gerando polêmica, exercida por médicos que não querem nem ver o paciente, porque eles se interessam na verdade pela doença. São aqueles que estão se formando e que acham que medicina é isso, ser o grande cara que vai sacar o que ninguém nunca sacou, descobrir doenças raras", explica a Serí(e)ssima o ator Caco Ciocler, responsável por dar vida ao Dr. Paulo.

vs

A DOENÇA

Conflito

Grey's Anatomy, ER - Plantão Médico, Nip/Tuck, Nurse Jackie, Private Practice, Miami Medical, Scrubs, The Night Shift… existem inúmeras séries médicas a disposição do

público. E dos mais variados tipos. Têm produções sobre emergência, em hospitais militares, outras voltadas exclusivamente para a comédia. Algumas mostram mais os dra-

mas dentro da equipe do que os atendimentos em si. Tem até série médica de época, como é o caso de The Knick e A Young Doctor's Notebook. O fato é que a saúde sempre esteve em alta na hora de colocar programas novos nas telinhas norte-americanas, um cenário bem diferente da programação brasileira. Apesar da TV aberta já ter feito série ambientada em hospitais, como é o caso de Mulheres (1998), da Globo, e produções nacionais de canais fechados colocarem médicos como protagonistas, é fato que não se faz série médica no Brasil. Uma lacuna muito bem percebida pelas campineiras Ana e Helena Petta. A primeira, atriz e produtora, e a segunda, infectologista com doutorado na USP, com período sanduíche em Harvard, sempre conversaram sobre o assunto, mas a ideia ganhou força nos últimos anos depois de Ana ter feito a série policial 9 Milímetros (2010), da Fox. "Foi um trabalho muito bacana que fiz com (roteirista Newton) Cannito, que eu queria repetir de alguma forma. A Helena veio então com a ideia de que seria muito legal ter uma série médica brasileira, já que não existia. Só que queríamos algo único, com um foco diferente", diz Ana à coluna. Os três, Ana, Helena e Cannito, começaram a discutir possibilidades. Como normalmente nos Estados Unidos a ideia é mostrar Emergência ou doenças raras, eles logo descartaram esses assuntos para não cair no senso comum. Como a médica do grupo trabalhava numa Unidade

Ana Petta é a Dra. Laura, enquanto Caco Ciocler dá vida ao Dr. Paulo

Básica de Saúde (UBS) em Campinas, surgiu então a luz: mostrar um lado do SUS que até os próprios brasileiros desconhecem, a medicina de família. Nasceu então uma série médica genuinamente brasileira: Unidade Básica, realizada pela produtora Gullane (de Bicho de Sete Cabeças e Que Horas Ela Volta?), para o canal Universal, que estreia no dia 11 de setembro, às 22h. "O trabalho em uma UBS é muito bonito, mas relativamente pouco visto pela sociedade. A partir da vivên-

cia da Helena, fomos pensando nos enredos, e criamos uma história que mostra o conflito entre dois médicos muito diferentes dentro desse ambiente", explica Ana. O primeiro é o Dr. Paulo, um experimente médico com mais de dez anos de trabalho em uma Unidade Básica de Saúde da periferia de São Paulo. Sua intenção, sempre, é cuidar das pessoas, da forma mais humana possível, o que o faz se envolver nos dramas pessoais de cada um que passa por seu consultório. "Ele é o cara que conhece todos os pacientes, que resolve 80% dos casos de uma maneira que ninguém pensaria, ao contrário de uma medicina de ponta, entendendo que isso é um comportamen-

A tal medicina dita por Caco foi muito bem explorada em uma das mais bem-sucedidas séries médicas de todos os tempos: House. E quem traz um pouco da personalidade do famoso personagem de Hugh Laurie para a produção nacional é a Dra. Laura, interpretada por Ana Petta, a médica que entra em conflito com o Dr. Paulo por não concordar com os métodos dele. "Ela é recém-formada por uma escola tradicional de medicina, pretende ficar pouco na UBS e chega lá querendo aplicar tudo o que aprendeu. Mais ela percebe que a realidade é muito mais complexa que o conhecimento que ela tem. Então ela tem muita dificuldade de lidar com aquelas situações. Ela quer analisar os sintomas, mas percebe que é muito mais difícil do que imaginava. Então a série mostra esse embate entre os dois e, principalmente, a transformação desta personagem", detalha Ana. Cada episódio, são oito no total, de 25 minutos, apresenta um caso diferente, todos inspirados em situações reais. Helena e Cannito visitaram inúmeras UBS colhendo casos especiais, enquanto Caco e Ana fizeram laboratório em uma UBS em São Paulo, com direito até a visita familiar com os médicos. "A convivência com a Helena sempre me deixou próxima desse universo, mas nada se compara com participar de consultas e ir às casas das pessoas. Até aprendemos a manusear equipamentos", lembra a atriz. Segundo ela, "foi muito intenso e interessante, e só tendo contato com os médicos de família para entender a importância deles. E por ser inspirada em casos reais, a série deve gerar muita identificação, algo extremamente necessário para o tema que abordamos", finaliza.

Serí(e)ssima - Unidade Básica  

Entrevista com Anna Peta, criadora e protagonista da série brasileira Unidade Básica, do canal Universal

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you