Issuu on Google+

Ano IV - Nยบ 11 - Abril/2013

Atividades prรกticas movimentam Unidades

Responsabilidade social mobiliza alunos


papo com o leitor

Caro leitor, As conquistas são o combustível que nos move. Seja no plano pessoal, ou profissional, alegria tem sim a ver com sucesso, prazer e bem estar. A pesquisa da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), realizada em 15 países associados, e objeto de nossa matéria de capa, comprova tais conclusões e estabelece um link entre esse universo e a educação. Depoimentos de nossos alunos corroboram os dados, apresentados pelo estudo, e ainda demonstram que os jovens não estão sozinhos na busca de um diploma de curso superior, como o caminho mais curto para a melhoria da condição social e a satisfação pessoal. É grande contingente de alunos, com idade entre 40 e 70 anos, que está voltando aos bancos escolares e comemora os resultados dessa decisão. Satisfação também é o sentimento que um número cada vez maior de alunos vem experimentando, com a participação em ações de solidariedade, desenvolvidas nas diversas unidades do nosso Grupo. Também destacamos, na presente edição, várias iniciativas, envolvendo alunos e professores, voltadas para a consolidação do aprendizado em ações práticas, fora da sala de aula, participação em eventos acadêmicos, visitas técnicas, entre outros. Confira!

Produção Editorial: Full Time Comunicação e Marketing (85) 3246.0188/1978 - fulltimecomunicacao@terra.com.br Jornalista Responsável: Cleide Castro - MTb 372/GO Editoração Eletrônica: Fábio Dutra Impressão: Gráfica Pouchain Ramos Tiragem: 45.000 exemplares COORDENADORES REGIONAIS Aracaju/SE – Klesilani Lima Belém/PA – Ana Paula Acioly Boa Vista/RR – Kléber da Silva Campina Grande/PB – Guillermo Lima Caruaru/PE – Euclides Lima Castanhal/PA – Valéria Silva Fortaleza/CE – Renata Parente Goiânia/GO – Fabíola Costa João Pessoa/PB – Roncalli Bezerra Macapá/AP – Adriana Oliveira Maceió/AL – Caroliny Fontan Marabá/PA – Érika Bastos Natal/RN – Wellingthon Rodrigues Palmas/TO – Paulo Rogério Oliveira Recife/PE – Izabel Medeiros Salvador/BA – Andréa Passos Santarém/PA – Alessandro Lima Taguatinga/DF – André Medeiros Teresina/PI – Renata Cabral Vitória da Conquista/BA – Anny Jaiara Couto

opinião

Estudar e ser feliz Sérgio Menezes Atualmente, a necessidade humana de acompanhar a evolução tecnológica gera uma verdadeira competição entre o “ter” e o “ser”, ocasionando um certo conflito de gerações. Tempos atrás, as pessoas queriam “ter” para “ser”, queriam que seus bens e fortunas fossem eternos, só que, na realidade, quando se perde o controle dos gastos, toda e qualquer fortuna ou bem é perdido no tempo. Com o advento da tecnologia, as pessoas passaram a pensar o que fazer para se integrarem ao processo evolutivo, e a conclusão foi que o único caminho a percorrer era acompanhar tal evolução, buscando conhecimento, conhecendo o mundo em um clicar de mouse ou na virada da página de um livro. Porém, as pessoas ainda se perguntam: “Onde iremos chegar?”; “O que queremos ser?”; “O que fazemos para ter?”. Nesta roda viva, em que as pessoas buscam ser valorizadas, respeitadas, reconhecidas, compreendidas, como se sentir realmente feliz? Onde entra o valor da educação como formação social? Muitos passaram a buscar o tempo perdido, independente da idade, mais ou menos experientes, seja na vida pessoal ou profissional. E o caminho para essa conquista, na maioria dos casos, vem sendo através do estudo, ou seja, é por meio da escola que as pessoas estão tentando acompanhar essa globalização social, econômica e de grande competição. E, mediante este avanço, ratificou-se o sentimento de realização socioeconômica. Através do estudo, nas universidades, nos cursinhos, no ensino fundamental e médio, esse ser humano voltou a sonhar com novas conquistas e proporcionou uma nova etapa de vida para cada um desses que alcançaram esse nível educacional. E com o convívio nessas instituições de ensino e com o novo ciclo de amizades, a pessoa inicia uma nova fase em sua vida, passa a ter o seu ego valorizado e preenchendo um espaço que o tempo naturalmente cria, em consonância do desgaste emocional. O retorno às salas de aula proporciona à pessoa a alegria de viver, de esperança num dia melhor, chegando a superar possíveis angústias. Mas, qual vida está sendo vivida? A vida dos outros, onde a tecnologia grava, filma cada passo dessas pessoas? Ou a sua própria vida, que está cercada de negatividade, de cobranças, de dívidas estimula-

das pelo próprio governo quando diz “vá as compras”, “baixou o preço do IPI”? Enfim, essa pessoa, pelo desejo de “ser”, passa a ter compromissos financeiros fora de seu poder de consumo. Que vida é essa? A pessoa que vive a nova experiência de voltar a estudar, a partir dos 50 anos, como temos vários exemplos em nossa instituição, tem um brilho diferente nos olhos; tem, em seus trabalhos de sala, uma cuidadosa qualidade de apresentação; pergunta, para tirar suas dúvidas... É como se fosse uma máquina, que acabou de ser recondicionada, vem com toda força. Vejo esse comportamento de uma forma positiva, que cabe aqui relatar aos mais jovens, desta importante oportunidade, que cada um está tendo como pessoa. Quando é feito esta mescla, da juventude com a experiência, é como se fizéssemos uma mistura entre ser feliz e viver melhor. Nossos papéis, como docentes, também é incentivar nossos acadêmicos a ter esta percepção, pois o mercado quer e exige profissionais que saibam viver felizes e viver mais, isso somado ao profissionalismo. Acredito que este é o momento para reflexão e cabe, a cada leitor, buscar sempre novos conhecimentos, seu espaço no mundo corporativo, lutando cada vez mais para ser feliz e viver melhor. Se, no passado, buscava-se o “ter”, a partir desta globalização, as pessoas passaram a ”ser” e, como resposta deste novo momento, buscar realizar novos sonhos. E SONHAR, vale lembrar, é uma das importantes molas propulsoras da vida.

As pessoas ainda se perguntam: “Onde iremos chegar?”, “O que queremos ser?”, “O que fazemos para ter?”

Sérgio Menezes Graduado e especialista em Administração de Empresas. Professor da UNIP Belém, ministra as disciplinas de Marketing Internacional, Comunicação Aplicada, Comunicação Empresarial, Modelos de Liderança e Técnicas de Negociação.


EVENTOS

OBJETIVO/GO

Feira de Mercadologia

Trabalho em equipe

IPESU/PE

Em novembro, alunos de Gestão de Marketing, Gestão de Recursos Humanos, Sistemas de Informação, Gestão Hospitalar e Gestão Empresarial participaram da “Feira de Mercadologia”. O evento reuniu todas as turmas da disciplina de Mercadologia 2012/2, e os alunos apresentaram projetos, aplicando os conteúdos vistos durante o semestre. Segundo o coordenador do curso, Ricardo Corceli de Oliveira, “os trabalhos mostraram-se coerentes com o conteúdo e motivaram a participação de alunos e professores”.

“SUS – Seu Universo Sadio” é tema da IV Semana da Saúde IPESU De 24 a 27 de setembro, os alunos do curso de Gestão Hospitalar do segundo e quarto períodos se mobilizaram para realização da “IV Semana da Saúde IPESU”, com o tema “SUS: Seu Universo Sadio”. O projeto se traduz numa grande ação social, com objetivo de disseminar informações de saúde para o público interno da faculdade. Além de palestras, ainda foram realizadas panfletagem, encenação teatral, aferição da pressão arterial, confecção do cartão SUS, cálculo do índice da massa corpórea (IMC) e teste de HGT. Tudo acompanhado de informações e orientações sobre formas e métodos de controle e prevenção de doenças. O evento teve a coordenação da profes-

sora Sandra Virgínia G. Bacalhau e orientação dos professores que compõem o Núcleo Acadêmico do Curso de Gestão Hospitalar: Ana Cristina Silva, Antônio David Rodrigues Júnior, Jorge Augusto Holanda, José Eduardo Silva e Suzy Glaice Ribeiro Santos. “A Semana da Saúde é parte do calendário acadêmico da Faculdade IPESU e permite que o alunado demonstre suas habilidades pessoais, profissionais e de relacionamentos. Tem o objetivo geral de evidenciar o artigo quinto da Constituição Federal, que garante o direito à vida e à saúde; e também o artigo oitavo, que prevê que ‘saúde é direito de todos e dever do Estado”, explica a coordenadora da unidade, Izabel Phabiana da Silva Medeiros.

Momentos

INPER/FPPD/FAP

Sustentabilidade, economia verde e erradicação da pobreza Participantes

Organizado pelos formandos de Gestão de Sistemas de Informação do INPER/FPPD/FAP, o “III Seminário de Gestão em Tecnologia da Informação” reuniu cerca de 500 inscritos, em outubro. Durante o evento, foram discutidos temas como sustentabilidade, economia verde, erradicação da pobreza e energia sustentável para todos. O Seminário fez parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo Governo Federal, no Teatro do Colégio Pio X, em João Pessoa-PB, sob orientação do professor Oswaldo Evaristo. Como palestrantes, o seminário reuniu o secretário adjunto de Ciência e Tecnologia de João Pessoa, Laércio Alexandrino; o coordenador técnico e científico do NTI da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Ivanildo de Medeiros; o administrador e analista de sistemas, Sílvio Brasileiro; e o diretor da CETESC Tecnologia, Noberto O’hara dos Santos. Abril / 2013

3


PRÁTICA

UNIP/BELÉM

Alunos participam de eventos e projetos Focada em atividades que possam não apenas fixar conteúdos, mas unir teoria e prática, a UNIP Belém realizou, em setembro, na quadra da Unidade Umarizal, a “1ª Semana do Administrador”. Cerca de 600 alunos de Administração participaram da iniciativa. Com objetivo de destacar a importância do profissional na sociedade e comemorar o Dia do Administrador, 9 de setembro, o evento contou com palestras sobre motivação, ética profissional e o papel do administrador na atualidade. Já em outubro, na Unidade Nazaré foi relaizada a “1ª Semana Pedagógica”, quando foram debatidos temas relacionados à área e à cultura da região Norte. AULÕES – Ainda na Unidade Nazaré, todas às sextas-feiras, alunos de todos os semestres podem participar dos “Aulões”, onde são tiradas dúvidas sobre PIM, ativi-

UNIP/SE

dades complementares, ambiente virtual e Aluno Online. Gratuitos e sem necessidade de inscrição, os Aulões têm a programação das turmas disponível no mural de avisos e a participação pode ser convertida em atividade complementar. Também realizado às sextas-feiras, o Projeto “Educar para Crescer” continua movimentando as unidades Nazaré, Umarizal e Entroncamento, com objetivo de compartilhar conhecimento entre alunos, comunidade e professores. Entre as palestras promovidas nos últimos meses, destaque para: “Venha ser um Profissional com Sucesso no Mercado de Trabalho”, proferida pela professora Elayne Rolim; e “O uso de adornos na educação infantil”, organizada pelas alunas Jucely Martins e Mara Correa, do curso de Pedagogia; e “Informática Básica”, orientada pelo colaborador Allan Danyel. Aulões

IBES-ISEC/BA

I Encontro de Administração Mais de 300 alunos do curso de Administração e professores do IBES/ISEC Salvador participaram do “I Encontro de Administração – Aqui Você Pode!”, realizado no último dia 25 de fevereiro, no Teatro da Universidade Estadual do Estado da Bahia (UNEB). Idealizado pela coordenadora regional, Andréa Passos, o evento foi voltado para os alunos do 1º ao 8º semestres, que puderam conferir a palestra “A Profissão do Administrador”, proferida pelo administrador e fiscal do Conselho Regional de Administração da Auditório

4

Abril / 2013

Bahia (CRA/BA), Alexandre Seabra de Oliveira Batista. A participação somou horas de atividades complementares e os alunos ainda produziram relatórios críticos, relacionados ao tema apresentado no encontro, e contribuíram com 1kg de alimento não perecível para o Asilo Lar Bom Jesus, em Salvador. EMPREENDEDOR – Organizada pelos alunos de Gestão em Processos Gerenciais, a “Feira do Empreendedor II” e “Feira do Empreendedor III” foram realizadas no primeiro e segundo semestres de 2012, na Unidade Nazaré do IBES/ISEC. Os eventos consistiram na avaliação final das disciplinas de Gestão Empresarial e Logística e Redes de Distribuição, do último semestre, e tiveram a orientação da professora Edna Maria Gomes, com parceria dos especialistas Ana Izabel e Ademir Cruz.

Tavex Corporation

Visitas técnicas Aplicar, na prática, os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Foi com esse objetivo que os alunos de Administração e de Gestão de Recursos Humanos, da UNIP Aracaju, participaram das visitas técnicas à Cachaçaria Boa Luz e à Tavex Corporation, em setembro e novembro, respectivamente. A atividade na Cachaçaria Boa Luz demandou a elaboração de um projeto, no âmbito da disciplina de Administração de Operações Produtivas, pelos 40 alunos do 5º semestre de Administração. Durante a visita, eles conheceram a estratégia, planejamento e controle de produção, bem como projetos envolvendo o desenvolvimento de novos produtos, arranjo físico, produção, fluxos e ergonomia da fábrica. Já os 22 alunos da disciplina de Sistema de Qualidade, do curso de Recursos Humanos/4º período, realizaram visita monitorada à Tavex Corporation. A preocupação foi identificar as ferramentas de gestão da qualidade, que visam garantir a excelência operacional da empresa. As duas disciplinas são ministradas pela professora Verônica Janaína A. Ribeiro, que acompanhou ambas as visitas.

UNIP/CAMPINA GRANDE

Iniciação científica e jornada de negócios Disseminar o conhecimento acadêPalestra mico nas áreas de gestão, administração, contabilidade e pedagogia. Esse foi o principal objetivo do “I Encontro de Iniciação Científica” da UNIP Campina Grande, que reuniu mais de 700 alunos em novembro. Idealizado pela professora Anne Neves e uma comissão de alunos, o encontro contou com palestras e apresentação de artigos pelos discentes. As inscrições ainda renderam a arrecadação de mais de meia tonelada de alimentos não perecíveis, que foram doados a instituições beneficentes. EMPRESAS – Os concludentes do curso de Gestão de Recursos Humanos realizaram a “1ª Jornada de Negócios”, em 26 de setembro, quando foram apresentadas empresas, fornecedoras de produtos ou serviços, criadas pelos alunos. Sob a orientação da professora Nailde Medeiros, da disciplina Técnicas de Negociação, os alunos também elaboraram um relatório, após o evento, comentando a performance de cada empresa na jornada.


Boa Vista/RR

Semana acadêmica

Belém/PA

EMOÇÃO

Colação de grau nas Unidades Muita alegria nas formaturas realizadas no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Na UNIP Belém, a festa foi em janeiro, na Assembleia Paraense, onde mais de 1.000 alunos de Administração, Gestão Empresarial, Gestão em Marketing, Gestão em Recursos Humanos, Gestão em Tecnologia da Informação, Pedagogia e Processos Gerenciais, de 2012, participaram da primeira colação de grau, totalmente gratuita, realizada pela faculdade. A iniciativa é uma parceria inédita da UNIP Belém com a Ideal Formatura e vale para todas as formaturas realizadas a partir de 2013. Em Campina Grande, no mês de dezembro, a UNIP formou sua primeira turma de Gestão de Recursos Humanos. A solenidade reuniu 32 alunos, que comemoraram o feito num grande baile, realizado no dia 6 de dezembro, na Associação Atlética Banco do Brasil. A UNIP Boa Vista também formou sua primeira turma em Gestão de Recursos Humanos, em 24 de novembro. A solenidade foi no auditório do Corpo de Bombeiros, com

DESTAQUES

IBES/BA

Aracaju/SE

Fortaleza/CE

Campina Grande/PB

55 alunos, e homenageou a professora Elacy Gomes Brilhante. Muita emoção também entre os alunos curso de Gestão de Recursos Humanos, da UNIP Aracaju. Quarenta integrantes, das duas primeiras turmas do curso, colaram grau nos dias 21 de outubro de 2012 e 2 de fevereiro de 2013. Com 17 e 23 alunos, respectivamente, a solenidade de formatura da primeira turma foi realizada no Auditório do Colégio Salesiano; e segunda festa, na Assembleia do Bom Retiro. Em Fortaleza-CE, no Buffet La Maison, a colação de grau 2012.2 dos alunos UNIP/FAECE/FAFOR, da Unidade 13 de Maio, aconteceu em setembro e reuniu os cursos de Processos Gerenciais, Administração, Recursos Humanos e Gestão Empresarial.

A III Semana Acadêmica IBES/ISEC foi realizada em novembro, com minicursos e palestras voltadas para os cursos de Gestão de Recursos Humanos, Processos Gerenciais, Tecnologia da Informação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Marketing, Gestão Hospitalar e Administração Geral. O evento visou trazer para o meio acadêmico as experiências e vivências do mercado, elucidadas por profissionais das mais diversas áreas. Os alunos tiveram uma panorâmica sobre liderança administrativa na ação social, noções de contabilidade, técnicas de reunião e liderança, ética voltada para o Direito, saúde e segurança, importação de produtos, gestão comercial e vendas, marketing de serviços, gestão, análise financeira e informática. O evento também contou com a participação do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE). Alunos

UNIP/TO

IPESU/PE

Informática auxilia no aprendizado

Visita técnica ao C.E.S.A.R Conhecer os processos de uma instituição genuinamente pernambucana, na área de tecnologia da informação e comunicação, de renome nacional e internacional. Os alunos do 2º e 4º períodos do curso de Gestão de Sistemas de Informação do IPESU/PE tiveram essa experiência durante a visita técnica ao C.E.S.A.R. – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, realizada em 26 de outubro. Segundo o professor Paulo Cezar Alcântara Cavalcanti, com foco na disciplina de Projeto e Desenvolvimento de Sistemas de Informação, a visita proporcionou uma visão real sobre as melhores práticas de gestão e desenvolvimento de sistemas de informação. Prática

“Descomplicar a matemática” é um dos objetivos do site www.auladematematica-com-br4.webnode. com/ – projeto da professora Luciana Fernandes da Silva, titular das disciplinas de Matemática, Matemática Aplicada e Lógica da UNIP- Palmas. O site – acessível aos alunos desde agosto de 2012 – disponibiliza conteúdos relacionados às apostilas de cada disciplina, com aulas, vídeos, fórum e informações. Brevemente, conteúdos sobre matemática financeira também serão postados. “O projeto está sendo tão positivo que 100% dos alunos obtiveram aprovação na disciplina, no semestre passado”, revela Luciana. APRENDIZADO – Ainda sob orien-

Aprendizado

tação da professora, no âmbito da disciplina de Tecnologias Aplicadas da Informática e Comunicação na Educação, foram desenvolvidos os projetos de avaliação do uso da informática nas escolas. Na oportunidade, os alunos fizeram uma pesquisa de campo, em algumas unidades de ensino fundamental; criaram blogs; e montaram aulas, utilizando ferramentas, como data-show, associadas aos recursos básicos do dia a dia do professor.

Abril / 2013

5


capa

Quem estuda mais é mais feliz!

Estudo internacional revela que quem tem nível superior é, em média, 18% mais feliz, comparativamente aos que pararam no ensino médio Quem estuda mais tende a ser mais feliz. Foi o que demonstrou uma pesquisa, realizada pela OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, em 15 países: República Checa, Estônia, Hungria, Polônia, Eslovênia, Estados Unidos, Irlanda, Noruega, Finlândia, Dinamarca, Canadá, Itália, Holanda, Suécia e Portugal. De acordo com o estudo, que envolveu uma série de 10 consultas, realizadas entre janeiro de 2012 e fevereiro deste ano, as pessoas com maior nível de escolaridade são mais felizes, porque elas alcançam maior satisfação em diferentes setores da vida. Essa satisfação seria, em média, 18% maior entre as pessoas que têm curso superior, comparativamente às que só cursaram o ensino médio. A educação auxilia no desenvolvimento de habilidades, melhora a condição social e proporciona o acesso a redes, que ajudam na elevação das conquistas sociais. Além dessas constatações, o estudo ainda sinalizou que a formação superior também tem influência no aumento da expectativa

6

Abril / 2013

de vida dos indivíduos. Ou seja, quem estuda mais, vive mais, sendo uma média de oito anos a mais para homens e quatro entre as mulheres. Os números variam de país para país e a maior diferença foi verificada na República Checa, onde um graduado pode viver até 17 anos a mais, em relação a alguém que parou no ensino médio. A menor diferença, três anos, foi apurada em Portugal. E as universitárias da Letônia são as mais longevas, com quase nove anos a mais, comparativamente às compatriotas que pararam os estudos no antigo segundo grau. De acordo com a pesquisa, os mais escolarizados também têm maior engajamento social e político; ações voluntárias e mais relacionamento interpessoal.

Alunos de 40 a 70 anos matriculados em 2013.1 Cidade Aracaju Belém Boa Vista Campina Grande Caruaru Castanhal Fortaleza Goiânia João Pessoa Macapá Maceió Marabá Natal Palmas Recife Salvador Santarém Taguatinga Teresina Vitória da Conquista

Qtde. 104 1635 197 180 98 109 521 165 162 387 126 47 203 87 349 178 266 303 229 47


O Brasil não faz parte da lista de países pesquisados pela OCDE, mas uma parcela considerável dos alunos do Grupo Aqui você Pode não tem dúvida de que estudar traz felicidade. Eles representam 13% do total de matrículas, nas 20 unidades espalhadas pelo País; têm entre 40 e 70 anos de idade; e, para esse público, frequentar uma faculdade tem, sim um sabor muito especial. Solteiros, casados, descasados, com filhos e até netos, esse contingente de alunos se emociona ao vislumbrar a conquista do primeiro diploma universitário. E são inúmeras as razões elencadas para a volta aos bancos escolares: “ganhar mais, elevar a auto-estima, servir de exemplo, adquirir conhecimento, sentir-se vivo, melhorar a aposentadoria e colocar a mente pra funcionar” estão entre dos principais argumentos apresentados. “As oportunidades chegam sim, mais rápido, pra quem se prepara e se antecipa a elas. E o melhor ambiente para isso é a sala de aula e o passaporte, um diploma”, atesta o palestrante Nelson Gonçalves. Segundo ele, “quem alcança um diploma, conquista uma nova cidadania e o direito de brigar, de igual para igual, no ambiente corporativo, porque hoje, a competição se desenrola no campo do saber, da preparação, da qualificação, da atitude e do comprometimento”. Comprometimento, os “mais velhos” têm de sobra, assegura a coordenadora regional da UNIP/Belém, Ana Paula Acioly, que, a exemplo de Renata Parente, coordenadora regional da FAECE/INIP/FAFOR, em Fortaleza, diz que esses alunos são os mais exigentes, assíduos e dedicados. Nas palavras de Acioly, “esses alunos encaram a faculdade como oportunidade para o crescimento profissional e para oferecer uma vida melhor para suas famílias”.

“Não quero mais parar de estudar”

Helena Nazaré Machado da Luz UNIP/Belém

“O estudo é de fundamental importância. Lamento só ter acordado agora, mas já estou pensando no meu mestrado. Não quero mais parar de estudar”, afirma a paraense Helena Nazaré Machado da Luz, aos 56. Aluna de Recursos Humanos da UNIP/Belém, ela retomou os estudos ano passado e diz que seu objetivo é “montar um negócio” relacionado à sua área de formação acadêmica.

“Quero adquirir novos conhecimentos” Hibiapina do Socorro Castro da Luz UNIP/Belém

“Quero adquirir novos conhecimentos e recuperar o tempo que ficou para trás”, comenta outra paraense, Hibiapina do Socorro Castro da Luz, que, aos 50, busca a primeira graduação e almeja uma especialização em pedagogia empresarial.

capa

Alunos confirmam que estudar aumenta a satisfação pessoal “É bom sonhar e saber que é possível realizar os sonhos” Adilson Amaro Nunes

“Querer é poder”

UNIPLAN/DF

“Estudar abre portas para o sucesso”

Ivone Mary Santiago FAECE/Fortaleza

Ivone Mary Santiago, da FAECE/Fortaleza, observa que idade não é motivo para acomodação. Com 50 anos, ela não tem dúvida de que “querer é poder” e que “o estudo abre muitas portas, além de ser “importante para levantar a auto-estima”. O curso superior é uma “massagem no ego, a realização pessoal”, acrescenta outro aluno da FAECE/ Fortaleza, Francisco Iran Fernandes de Azevedo, que, aos 62 anos, cursa Administração.

“O curso superior é uma massagem no ego, a realização pessoal” Francisco Iran Fernandes de Azevedo FAECE/Fortaleza

“Aproveito o tempo para desenvolver conhecimento” Valdevi Nepomuceno de Souza UNIPLAN/DF

Aos 66, Valdevi Nepomuceno de Souza, aluno de Gestão Empresarial na UNIPLAN/DF, diz que resolveu voltar a estudar para “melhorar a saúde física e mental”. Isto, depois de algumas incursões pela matemática e pela biologia, mas sem chegar à conclusão de nenhum dos dois cursos. Agora é diferente. A formatura deverá ser em dezembro próximo e a disposição é total, no sentido de “aproveitar o tempo para desenvolver conhecimento”. Ter um curso superior “é importantíssimo”, ressalta a cearense Maria Luiza Cavalcante, aluna de Gestão de RH, na FAECE/Fortaleza. Também aos 66, ela diz que, com a faculdade, fez novas amizades e colocou a mente para “funcionar”. “É bom sonhar e saber que é possível realizar os sonhos. Um dos meus era voltar a estudar, porque quando terminei o segundo grau, aos 17 anos, eu não podia custear uma faculdade. Hoje, com 46, estou fazendo Gestão Empresarial. É um curso

Jorge Luiz da Costa Virgulino UNIP/Belém

que tem tudo a ver com o que eu faço”, relata Adilson Amaro Nunes, aluno da UNIPLAN/DF, proprietário de uma loja de produtos eletrônicos na Feira dos Importados, em Brasília. No seu ponto de vista, “as portas vão se abrir, se as oportunidades forem agarradas com afinco”. Jorge Luiz da Costa Virgulino (49), aluno de Logística da Unidade Nazaré da UNIP/ Belém, compartilha da opinião de que “estudar abre portas para o sucesso”. As “dificuldades na visão, transporte e de conciliar o estudo com outras ocupações” não impediram o pastor Manuel da Luz Cardoso Farias de buscar uma segunda graduação aos 61 de idade. Incentivado, principalmente, pela esposa e filhos, ele está cursando Administração na UNIP/Macapá e diz que seu objetivo é adquirir mais conhecimento. Com Maurinélio da Luz Silva, da UNIP/ Belém, deu-se justamente o contrário. Além de “doente da coluna e internações hospitalares, a família reagiu com muitas falas difíceis e desanimadoras”, quando ele decidiu retomar os estudos aos 40 anos. Hoje, aos 44, ele conta que voltou a estudar, porque queria mostrar para os filhos que “nunca é tarde, quando se quer vencer”. Ele também está convencido de que “sem uma graduação, o cidadão não é nada”.

“Meu objetivo é adquirir mais conhecimento” Manuel da Luz Cardoso Farias UNIP/Macapá

“Sem uma graduação, o cidadão não é nada” Maurinélio da Luz Silva UNIP/Belém

Abril / 2013

7


PRÁTICA

UNIP CARUARU

OBJETIVO/GO

Um case de sucesso nascido em sala de aula Kalyne Miranda e Olgana Florêncio, alunas de Gestão de Recursos Humanos da UNIP Caruaru, acabam de criar a KR Consultoria RH. A empresa surgiu em sala de aula, com a proposta de atuar na gestão de pessoas na região agreste pernambucana. Confira o relato: “Contamos, inicialmente, com o apoio e orientação de professores, como o Marco Aurélio Saldanha e Maria Sineide Azevedo. Nossas atividades tiveram início em junho de 2012, com o agenciamento de empregos. Deus nos permitiu a oportunidade de contribuir com o Sindilojas Caruaru, o que aproximou a KR Consultoria das empresas associadas, e hoje atendemos cerca de 30 empresas e todos os dias somos requisitadas por outras. No final de 2012, decidimos nos desligar das empresas onde trabalhávamos e nos dedicar totalmente à consultoria. Nossa iniciativa não foi frustrada e estamos colhendo os frutos, mediante muito trabalho e dedicação – inclusive no atendimento e captação das empresas. Por meio da mídia ou ministrando cursos técnicos na área, estamos levando

Kalyne e Olgana

o nome da Universidade Paulista e mostrando, aos outros alunos e futuros colegas de mercado, que todos podem se destacar. Basta ter foco e vocação, arregaçar as mangas e trabalhar muito. Quando iniciamos o curso de Gestão de Recursos Humanos, não imaginávamos que iríamos nos apaixonar pela área. Cada dia é uma nova descoberta. A KR Consultoria não é apenas uma empresa ou uma oportunidade de trabalho, mas nossa vida. Agradecemos a disponibilidade do coordenador, bem como de todos os docentes da UNIP Caruaru, em contribuírem conosco sempre”.

OBJETIVO/GO

Para aprender programação web Os iniciantes – e até mesmo veteranos no mundo da programação web – agora tem à disposição o livro “PHP e MYSQL – Aplicação Completa A Partir Do Zero!”. O autor é Frederico Ramos, webdesign, programador e aluno do curso de Gestão em Sistemas de Informações, da Faculdade Objetivo de Goiânia. A publicação pode ser baixada gratuitamente, em formato PDF, através do blog do autor – no endereço www.desktopeweb.blogspot.com.br O livro é totalmente ilustrado e conta com mais de 300 imagens para guiar os interessados passo a passo; desde a construção inicial do layout até a publicação final da aplicação na internet. “Sei quais são as dificuldades de quem se propõe a iniciar no mundo da programação. Há muitos livros bons sobre o assunto, mas há poucas obras que ensinam o aluno a, literalmente, por a mão na Frederico Ramos massa”, explica Frederico.

IBES/BA

VI Feira de Saúde Semana de RH mobiliza em Salvador Unidade Delta Atuação do profissional na área de recursos humanos; coaching; assédio moral; liderança x chefia; gestão por competências; e comunicação. Esses foram alguns dos temas, discutidos pelos alunos de Gestão de Recursos Humanos, durante a “I Semana de Recursos Humanos – RH em Ação”, ocorrida de 16 a 18 de outubro, na Unidade Delta da Faculdade Objetivo. A iniciativa contou com a presença de profissionais renomados da área, como Eduardo Corcelli, Dilze Percilio, dentre outros, o que possibilitou, aos alunos, o contato com as novidades do mercado de trabalho e conhecimenExperiências to abrangente da área de Recursos Humanos. Além de desenvolver competências, a Semana também chamou atenção para a responsabilidade social dos participantes, que foram responsáveis pela doação, via inscrição, de 300 litros de leite a uma instituição beneficente.

8

Abril / 2013

A prática da promoServiços ção da saúde, voltada para os colegas da instituição, foi uma das propostas dos alunos do curso de Gestão Hospitalar, durante a VI Semana de Saúde IBES, ocorrida em 6 de dezembro último. Uma das novidades da sexta edição da Semana foi a adição de uma ação interdisciplinar – proposta pela precursora do evento, a professora e coordenadora do curso, Beatriz Pereira: a professora Regina Reinbrecht, da disciplina Gestão de Planos Médicos e Auditoria na Saúde, e os alunos do 6º semestre trataram da atuação das operadoras de saúde. Destaque também para a participação do professor Ademir Cruz, da disciplina Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada, que mo-

bilizou seus alunos e promoveu uma exposição de banners sobre nutrição, diabetes, hipertensão, álcool e outras drogas; tuberculose, planejamento familiar, saúde da mulher e DST´s. Os visitantes também puderam medir níveis de colesterol, auferir pressão arterial, níveis de diabetes, degustação de produtos naturais, orgânicos, além de receberem vários brindes relacionados aos temas trabalhados.


AÇÕES

CIDADANIA

Responsabilidade social em pauta Datas especiais, como o Dia das Crianças e o Natal, vêm mobilizando os alunos de várias unidades do Grupo, para a arrecadação e doação de brinquedos e alimentos a crianças carentes e/ ou entidades beneficentes. E, para concretizar esse objetivo, a moçada não tem medido esforços. Esse é o caso, por exemplo, dos alunos da unidade Olimpus-Umarizal, da UNIP/Belém, que percorreram a orla da Capital Paraense, de barco, no dia 12 de outubro, para presentear 350 crianças de 200 famílias, aproximadamente, moradoras da Ilha do Combú – localizada na margem esquerda do Rio Guamá. Já os alunos da Unidade Entroncamento doaram 350 brinquedos para as crianças atendidas pelo Espaço de Acolhimento Provisório Infantil (EAPI); Igreja Adventista do 7º dia e comunidade do bairro da faculdade. A coordenadora do IPESU/ PE, Izabel Medeiros, comenta que ações desse tipo incentivam a ação social e somam horas em atividades complementares. “Práticas sociais são bem vistas pelas organizações de forma geral, além disso, a responsabilidade social é um dever de todos e exercita o trabalho em equipe, o que hoje é uma prática essencial nas empresas”, argumenta.

A “Gincana de Brinquedos” 2012.2, realizada no dia 10 de outubro no IPESU/PE, contou com a participação dos alunos de todos os cursos e resultou na doação de 7.945 brinquedos a 38 instituições filantrópicas do Recife. Do ponto de vista acadêmico, o ganho para os alunos foi a soma de até 30 horas nas atividades complementares. Em Fortaleza, a turma da manhã, do curso de Gestão Empresarial, Unidade 13 de Maio da UNIP/FAECE/FAFOR, realizou uma animada visita ao Instituto de Promoção da Nutrição e do Desenvolvimento Humano (Iprede), no dia 19 de outubro. Juntamente com a monitora Bárbara Ramos, eles entregaram os brinquedos arrecadados, brincaram, pintaram e dançaram com as crianças atendidas pela instituição. Já em Macapá-AP, os acadêmicos de Pedagogia, Administração, Ciências Contábeis, Gestão de Recursos Humanos e Gestão em Tecnologia da Informação da UNIP arrecadaram mais de 5 mil brinquedos, que foram doados a cinco instituições no Dia das Crianças. “Uma turma preferiu adotar um lar e apadrinhar as crianças. Cada aluno serviu lanche e fez a doação de roupas e brinquedos”, relata a coordenadora regional da UNIP Taguatinga/DF Macapá, Sâmya Cabral. Na UNIP Vitória da Conquista, duas ações sociais contaram com a participação integral dos cursos de Administração, Pedagogia e Recursos Humanos: em outubro, ta Vitória da Conquis

/BA

Belém/PA

Macapá/AP

Fortaleza/CE

“exercitar a doação é algo muito simples, quando existe a cumplicidade e união de esforços”. uma gincana voluntária beneficiou nove instituições de atendimento à criança, arrecadando 2 mil brinquedos; e em dezembro, com apoio da coordenação da UNIP, os alunos organizaram um torneio de futsal e uma gincana solidária, para arrecadação de 1.234 kg de alimentos para o Natal de quatro instituições filantrópicas. SOLIDARIEDADE – No fim do ano passado, 152 cestas, com alimentos não-perecíveis, produtos de limpeza, brinquedos, produtos de higiene e roupas usadas foram doadas à Casa da Criança Santo Antônio e Casa da Paternidade, pelos

alunos de Gestão de Recursos Humanos, Gestão Empresarial e Gestão Hospitalar da Uniplan – Unidades Taguatinga Norte e Samdu, no Distrito Federal. A iniciativa fez parte da pontuação da prova final da professora Kátia Costa, das disciplinas de Gerenciamento de Pessoas, Desenvolvimento de Recursos Humanos, Modelos de Liderança, Gerenciamento de Serviços e Fundamentos de Administração. Para o coordenador André de Medeiros, a mobilização dos alunos demonstrou que “exercitar a doação é algo muito simples, quando existe a cumplicidade e união de esforços”.

Abril / 2013

9


Tablets

O sucesso da campanha continua: a promoção “Novos Alunos 2013.1 – 3º sorteio” distribuiu 150 tablets para alunos novatos, matriculado até 28 de fevereiro último. O sorteio aconteceu no dia 5 de março, na sede do Grupo AQUI VOCÊ PODE, em Fortaleza-CE e os tablets estão sendo entregues em sala de aula de todas as unidades, desde o dia 11 de março. Nas fotos, a satisfação dos sortudos das unidades Umarizal, Nazaré e Entrocamento, da UNIP Belém.

Fenepalmas Os alunos do Curso de Gestão em Tecnologia da Informação/2º período, da UNIP Palmas, participaram da 19ª Edição da Feira de Negócios de Palmas (Fenepalmas), que aconteceu de 19 a 22 de setembro, no Centro de Convenções Parque do Povo. Com o tema “Mercado Digital”, a feira apresentou as novidades mais recentes da área, ferramentas disponíveis e redes sociais. Sob a orientação da professora Giorgia Barreto L. Parrião, a visita contou ponto em atividades complementares.

Trabalho

Professor

“Minha Profissão e o Mercado de Trabalho” foi o tema da palestra, proferida no IPESU (PE), pela administradora e blogueira, Ianara Teixeira, e pela professora do IPESU e especialista em gestão da qualidade e produtividade, Luciana Bazante. O evento, realizado em outubro/2012, teve como público alvo os alunos do segundo período dos cursos de Administração e de Marketing.

As unidades Entrocamento, Umarizal e Nazaré, da UNIP Belém, comemoram o Dia do Professor no dia 12 de outubro, com um evento, às 19 horas. Os docentes foram homenageados com cartaz, sorteio de brindes e coffe break.

Cultura

Diplomas Na Unidade Nova Marabá da UNIP, a coordenadora Erika Bastos fez a entrega dos diplomas aos primeiros alunos de Gestão de Recursos Humanos e Sistema de Informação. As duas turmas, que colaram grau em agosto/2012, foram as primeiras, em três anos e meio de criação da unidade – o que, segundo a coordenadora, “fortalece ainda mais a confiança do povo marabaense e a credibilidade do Grupo junto à sociedade”.

10

Abril / 2013

O Projeto “Cinema é Educação”, da UNIP, FAECE e FAFOR, teve sua primeira sessão no dia 9 de setembro na Unidade Batista, com exibição de grandes filmes em sala de aula, para posterior debate. O projeto foi criado pela coordenadora da unidade, Cristiane Alencar, com apoio da monitora Camila Andrade. Já no dia 21 de setembro, na Unidade 13 de Maio, foi realizado o “Dia de Arte e Cultura dos Alunos UNIP/FAECE/FAFOR”, com idealização da professora Marília Linhares, colaboração do professor Sanderson Alexandre, e apoio das professoras Maria da Glória e Magda Coutinho.


PERFIL

Andréa Passos “Lidar com pessoas é a melhor parte!”

Há quase cinco anos Coordenadora Regional do Instituto Baiano de Ensino Superior e Instituto Salvador de Ensino e Cultura (IBES/ISEC), Andréa Passos atua em várias áreas, pautada no respeito e na confiança mútua. Sobre o que mais gosta em sua atividade, ela é enfática: “Amo demais meu trabalho! Gosto até dos momentos ‘estressantes’. Mas lidar com pessoas é a melhor parte! Aprendemos e compartilhamos muito das nossas experiências. O amadurecimento é constante”, avalia. Nos desafios de todo dia, Andrea acredita que o equilíbrio, senso de justiça e a imparcialidade são fundamentais. Segundo ela, “a responsabilidade é grande,

FALA, PROFESSORa!

Cejane Borges Graduada em Comunicação Social / Relações Públicas e Mestranda em Desenvolvimento Regional. Especialista em Ciência da Comunicação e Educação, Comunicação e Novas Tecnologias. Professora do curso de Administração e Gestão da Tecnologia da Informação – UNIP/TO.

porque somos muito cobrados por alunos, professores, coordenadores e pela direção em geral. Para o atendimento de cada situação há uma estratégia diferenciada e precisa ser a melhor, principalmente porque todos esperam muito do coordenador. Somos, ao mesmo tempo, gestores, amigos, psicólogos, ‘sacos de pancada’ e precisamos estar preparados para trabalhar com essas situações. Procuro sempre dar o melhor de mim”, observa. Andrea coordena a unidade Sagrado Coração, em Nazaré, com um total de 1070 alunos matriculados e oferta de seis

cursos. Natural de Remanso (BA), formada em Administração de Empresas e Gestão Estratégica de Recursos Humanos, Andréa aproveita o tempo livre em treinos para manter o condicionamento físico e a saúde. Navegar pela internet, viajar, ir à praia, dançar e montar a cavalo também fazem parte da lista das diversões nos fins de semana. É casada, mas filhos não estão nos seus planos. Ela aproveita os sábados para adiantar algumas atividades e estudar. “Nos fins de semana mais livres, saio pra me divertir e treinar”, acrescenta.

“Aprendemos e compartilhamos muito das nossas experiências. O amadurecimento é constante”

Planos para o futuro? Além de “continuar trabalhando para consolidar as marcas IBES/ISEC no mercado de Salvador e da Bahia”, ela almeja ser “um exemplo em persistência e determinação”. Seu objetivo é “melhorar a cada dia, com simplicidade”, acreditando que “tudo o que queremos pode ser concretizado, basta acreditar e fazer por onde realizar!”.

Ter a cabeça cheia de informação significa ter conhecimento? Vivemos em plena era do avanço tecnológico, numa simbiose entre a relação homem x máquina, com termos eclodindo diariamente no vocabulário virtual. Uma verdadeira miscelânea de palavras “plugadas” em todas as bocas – ciberespaço, hipertexto, multimídia, pen drive, iphone, ipad, ipod, etc... são tantos os nomes e objetos surgidos que nos confundimos. Como expectadora dessas mudanças, afinal nasci no fim dos anos 60, estou naquela categoria de pessoas que não é da era digital, mas que se viu obrigada a integrar a evolução da Tecnologia da Informação e Comunicação. Chega a ser cômico lembrar os tempos da Universidade, onde fazia meus trabalhos acadêmicos em uma Olivetti portátil. Catava uma letra aqui, outra ali e rezava pra não errar, por que como apagar? E nem faz tanto tempo assim... será que a minha companheira das atividades acadêmicas já está em um museu? Para quem viu um computador pela primeira vez na adolescência, em uma sala enorme, gelada, onde o equipamento usava todo o espaço, eu até que me adaptei bem aos laptops’s da vida, sem contar nos computadores celulares, ou seria, celulares computadores? No início da minha carreira profissional cada equipamento era destinado para um fim e pronto. Bem diferente de hoje - por exemplo - os celulares desempenham inúmeros papéis de outros aparelhos. Todo esse balanço pessoal é uma reflexão da modernidade com seus avanços tecnológicos, em um processo que quem não acompanha é excluído – banido, com todas as letras. Administrar e incorporar essas mudanças não é assim tão simples. Ainda que tenha convivido com a chegada desses equipamentos,

culturalmente trago arraigados os cuidados com as máquinas, oriundos da famosa frase “não mexe que pode estragar!”, advindo da criação familiar ao longo de toda uma geração. E nessa imersão de novas tecnologias, onde recebemos inúmeras informações a cada instante, me questiono: ter a cabeça cheia de informação significa ter conhecimento? Esse questionamento vem de encontro ao uso das tecnologias de informação e comunicação aliadas à prática pedagógica e o processo ensino/aprendizagem. Nós docentes e os discentes precisamos expandir um novo olhar ao para essa realidade, explorando o que temos de melhor em tecnologia. Computadores não podem ser vistos apenas como uma melhoria das máquinas de escrever, com opções interessantes de armazenagem no Word e boas fórmulas para cálculos e tabelas simples no Excel. É preciso perceber o universo de conhecimento à mão, bastando apenas saber usar as ferramentas necessárias. Essa prática pode contribuir com o aumento de pesquisadores e cientistas. Inclusão digital vai além de ir lá na escola do interior e colocar um pc (por vezes nem em rede). Desigualdade social, concentração de renda em algumas regiões do país e a falta de uma política educacional voltada para o bom uso da tecnologia são argumentos mais que suficientes pra elencarmos o quanto ainda estamos longe de sermos “incluídos”. Como educadora, acredito que, por vezes, é preciso extravasar os limites e promover uma verdadeira revolução no conhecimento. Aí sim, poderemos afirmar que informação é conhecimento. E que o verdadeiro processo ensino/aprendizagem se fez presente!

Abril / 2013

11



Jornal Aqui Você Pode