Page 1

O Brasil em todas as Copas

World cup 2014

The Brazil tops in all cups


O Brasil em todas as Copas

Unigest Propaganda Ltda BrasĂ­lia 2014


Livro da Copa do Mundo 2014 - O Brasil em todas as Copas - Edição especial do Anuário Brasileiro de Economia, Turismo e Meio Ambiente. Editor e jornalista responsável Paulo Fayad André MTB / 8873

Agradecimentos À Coordenadoria de Comunicação para a Copa Governo do Distrito Federal, Ao Gerente de Documentação Não Textual do Arquivo Público do Distrito Federal, Sr. Marcelo Gomes Durães, à SECOM - Governo Federal, aos patrocinadores, apoiadores e a todos que de uma forma ou de outra colaboraram para a realização desta obra.

Diretora Editorial Drª Deijanete de Araújo Fayad

Os artigos assinados não expressam necessariamente o pensamento da Editora VOZ DE BRASÍLIA e são de responsabilidade de seus autores.

Autor Paulo Fayad André

Alguns ARTIGOS, CARTAS, ANÚNCIOS INSTITUCIONAIS e MATÉRIAS de cunho social ou filantrópico enviados com assinatura à Editora VOZ DE BRASÍLIA foram, ao seu critério, selecionados e resumidos para publicação sem custo para seus autores.

Jornalistas Ana Beatriz Chacur Paula Lopes Pereira Projeto Gráfico Editora Voz de Brasília Diagramação Fábio Rodrigues de Souza Capa Fábio Rodrigues de Souza Fotografia Roberto Stuckert Filho/PR, ME/Portal da Copa, Reprodução CBF, Valter Campanato, Tânia Rêgo / Agência Brasil, D J.P. Engelbrechet, Luciano Lanes/PMPA, Roberto Stuckert Filho/PR, Glauber Queiroz, Mowa Press, Portal da Copa, Marcello Casal Jr, Shaun Botterill, AP PHOTO, Central Press, Stu Forster, Alex Livesey, STAFF AFP, Allsport, Michael King voluntários e arquivos Voz de Brasília. Revisão de Texto Márcia Batista Tradução Português/Inglês Alexandre Stella Pires Impressão São Francisco Gráfica Editora Ltda.

É permitida a reprodução de dados e de informações contidos nesta publicação, desde que citada a fonte, com exceção do material fotográfico, cuja liberação deverá contar com a anuência de seus respectivos detentores dos direitos autorais. Todo o conteúdo textual do livro poderá, a critério da Editora Voz de Brasília, sofrer correções ortográficas e de coesão para melhor adequá-lo ao estilo e público da obra. Todos os direitos reservados à Editora VOZ DE BRASÍLIA CLSW 105 Bloco C Sala 158 - Edifício Diana Mall - Sudoeste - Brasília - DF CEP 70670-433 Tel: +55 (61) 3361-0183 / 3036-3636 www.vozdebrasilia.com.br paulofayad@vozdebrasilia.com.br sac@vozdebrasilia.com.br

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) André, Paulo Fayad Copa do Mundo 2014 : o Brasil em todas as copas / Paulo Fayad André ; [tradução português/inglês Alexandre Stella Pires]. -- Brasília : Unigest Propaganda, 2014. Edição bilíngue: português/inglês. Bibliografia. ISBN 978-85-63780-01-0 1. Copa do Mundo (Futebol) 2. Copa do Mundo (Futebol) História I. Título.

14-04453

CDD-796.3346609

Índices para catálogo sistemático: 1. Copa do mundo : Futebol : História 796.3346609


A

gradecemos a Deus, porque sem a ajuda Dele nada seria possível, mas agradecemos principalmente você, caro leitor, que está conosco nesta jornada da história da Copa do Mundo, viajando pelo tempo e relembrando fatos marcantes, jogadores que deixaram saudade, além de entrevistas exclusivas com jogadores e autoridades.

We thank God, as without His help nothing would be possible, but we especially thank you, dear reader, who is with us on this journey into the World Cup’s history, traveling through time and remembering important facts, players who we miss, besides exclusive interviews


ÍNDICE Introdução

10

CAPITULO 1 História da Competição

CAPITULO 4 Copa do Mundo no Brasil

CAPITULO 2 Onde foram realizadas as Copas

CAPITULO 5 Muito além do Futebol

CAPITULO 3 Quem ganhou cada Copa

CAPITULO 6 Megafone

22 74

90

132

344 364


Introdução Quando falamos sobre a paixão nacional dos brasileiros, é importante lembrar que, ao contrário do que muitos acreditam, o futebol no País existe na realidade há pouco mais de um século, mais especificamente há 120 anos – completados em fevereiro de 2014. Por isso, antes de passar para as próximas páginas, onde abordamos como a Copa do Mundo começou e, principalmente, dados como os locais onde já foram realizados, seleções participantes, os principais adversários do Brasil, além de entrevistas e os desafios e vantagens de sediar um evento deste porte, vamos falar como tudo começou. O futebol, ou football como chegou ao Brasil, foi trazido pelo jovem brasileiro Charles Miller, que após dez anos estudando na Inglaterra voltou ao seu País de origem, trazendo na bagagem duas bolas velhas, uma bomba para enchê-las, um par de chuteiras – naquele tempo, chamadas de botinas -, uniformes usados e um livrinho com as regras do jogo da bola, que teve de ser traduzido. Quando aquelas bolas velhas rolaram, tocadas pelos pés dos ferroviários paulistanos, o football inventado pelos súditos da Rainha começou a se transformar em futebol e – modéstia a parte – passou a ser aperfeiçoado. Pouco depois começaram a surgir os primeiros clubes, quase todos tendo sua origem entre as elites, tais como o São Paulo Futebol Clube (1888), Fluminense (1902), Grêmio Porto Alegrense (1903), Botafogo (1904), Internacional (1909), Flamengo (1911), Corinthians (1913) e Palmeiras (1914). Contudo, é preciso destacar que um número muito grande de clubes foi criado em todo o território brasileiro, mas não conseguiu sobreviver devido as dificuldades financeiras de manutenção. Afinal, a maioria dos europeus que havia se transferido para o Brasil era composta

10

de homens pobres, socialmente excluídos de seus países originais. Caminhando mais um pouco na história, em 1914 foi formada, oficialmente, a Federação Brasileira de Sports, a atual CBF (Confederação Brasileira de Futebol) que adotou o nome atual em 1979, mudando mais duas vezes de nome antes: Federação Brasileira de Futebol em 1915 e Confederação Brasileira de Desportos de 1916 a 1979. E foi no dia 21 de julho de 1914 que aconteceu o primeiro jogo oficial da seleção brasileira – considerado não oficial pela FIFA – contra a equipe inglesa Exeter City. Apenas paulistas e cariocas foram convocados, com destaque para o lendário Arthur Friedenreich, maior jogador do país antes de Pelé. Jogando num campo localizado onde hoje fica a sede do Fluminense, em Laranjeiras, os brasileiros venceram por 2 a 0. Nessa época o esporte ainda era considerado elitista, já que somente jogadores da alta sociedade, apenas sócios, jogavam nos clubes. O futebol foi ficando cada vez mais popular nos anos 1920, quando alguns clubes aceitaram que jogadores de classe média ou baixa, inclusive negros, atuassem por seus times. Vem daí o termo “pó-de-arroz”, produto aplicado na pele dos jogadores negros, para disfarçar sua cor. Entretanto, é importante lembrar que “essa aceitação” só aconteceu por que, esses conservadores pediram que os negros se tornassem funcionários, com tratamento diferenciado ao dado aos associados, inclusive usando outras portas de acesso. Surgiu, então, a ideia de pagar salários aos astros das equipes e torná-los empregados. Depois do primeiro jogo, em 1914, apesar de ainda amador, a seleção precisou de pouco mais


de dois meses para levantar seu primeiro título. Em jogo equilibrado, disputado em Buenos Aires, os brasileiros venceram os argentinos por 1 a 0. O resultado garantiu a conquista da Copa Roca no dia 27 de setembro de 1914. A competição seria vencida mais sete vezes pelo Brasil: 1922, 1945, 1957, 1960, 1963, 1971 e 1976. A Copa Roca, aliás, serviu de inspiração para o atual Superclássico das Américas. O primeiro título importante da seleção veio na vigésima partida de sua história, em 29 de maio de 1919, quando os cariocas pararam a cidade para assistir à final do Sul-americano. Novamente nas Laranjeiras, o Brasil foi comandado por Friedenreich e bateu o Uruguai por 1 a 0 para ficar com a taça. Apelidado pelos próprios uruguaios de “El Tigre”, Fried se tornou ídolo nacional. Na mesma época, o desenvolvimento de práticas esportivas em geral passou a ser considerado uma forma de atenuar as tensões políticas. Fundado em princípios liberais e ainda em fase de constituição enquanto direção política na sociedade de novo tipo - a sociedade de livre mercado - o Estado e as elites não tinham sobre o conjunto da sociedade um projeto ordenado de organização e disciplina, senão aquele colocado pela lógica da modernização capitalista, ainda não suficientemente absorvido. Assim, apesar da intenção disciplinadora, ao longo das três primeiras décadas do século XX, houve pouca intervenção direta no Estado no esporte. Somente a partir do final dos anos vinte, e principalmente nos anos trinta, que se produziu um discurso centralizador e uma forma mais atuante do Estado salaries to the team stars and turning them into employees.

Introduction When we talk about the national passion of Brazilian, it is important to remember that, contrary to what many believe, football in the country exists in fact for a bit over a century, more specifically 120 years ago – completed in February 2014. So, before going through the next pages, where we cover how the World Cup begun and, especially, data such as places where they have already been held, participating national teams, Brazil’s main opponents, besides interviews and challenges and advantages of hosting an event of this size, let us talk about how it all started. Futebol, or football as it arrived in Brazil, was brought by young Brazilian Charles Miller, whoafter tem years studying in England returned to his country of origin, bringing in his luggage two worn out balls, a pump to fill them, a pair of cleats – at the time, called boots, worn uniforms and a book with the rules of the ball game, that had to be translated. When those old balls rolled, touched by the feet of the Paulista railwaymen, football invented by the Queen’s subjects started to become futebol and – modesty aside – started being perfected. Some time afterwards thr first clubs started appearing, almost all with their origins amongst the elite, such as Flamengo (1895), Fluminense (1902), Grêmio Porto Alegrense (1903), Botafogo (1904), Internacional (1909), Corinthians (1910), and Palmeiras (1914). However, it is necessary to first emphasize that very large number of clubs was created all over the Brazilian territory, but they were not able to survive due to difficulties in financial support, after all, the majority of Europeans transferred to Brazil was composed of poor people, socially excluded from their home countries. Walking a little more in history, in 1914 the Brazilian Sports Federation, today’s CBF (Brazilian Football Confederation), was officialy formed. It adopted the present name in 1979, having changed it another two times: Brazilian Football Federation in 1915 and Brazilian sports Confederation from 1916 to 1979. And it was on the 21st of July of 1914 that took place the first official match of the Brazilian National Team – considered a non official match by FIFA – aginst the English “Exeter City” team. Only Paulistas and Cariocas were called, with highlights for legendary Arthur Friedenreich, the country’s best player before Pelé. Playing in a field located where today is Fluminense headquarters in Laranjeiras, the Brazilian won with a 2 x 0 score. At that time the Sport was considered elitist, as only players from high society, only members, would play in the clubs. Football started becoming more popular from the 1920s on, when some clubs allowed that middle and low class players, including blacks, played for their teams. Hence the term “face powder”, product applied to the black player’s skin, so as to disguise their color. However, it is important to remind that “such acceptance” only took place as these conservatives requested the blacks became employees, with different treatment than that given to members, inclusive using different accesses. Then it appeared the idea of paying

After the first match, in 1914, although still being amateur, the national team needed a little over two months to win their first title. In an even match, played in Buenos Aires, the Brazilian beat the Argentinians by 1 x 0. The result awarded them the Roca Cup on the 27th of September of 1914. The competition would be won another seven times by Brazil: 1922, 1945, 1957, 1960, 1963, 1971, and 1976. The Roca Cup, as a matter of fact, served as inspiration for the present Americas Super Classic. The first important national team title came on the twentieth match in its history, on the 29th of May of 1919, when Cariocas stopped the city to watch the South American championship final. Again at Laranjeiras, Brazil, headed by Friedenreich, beat Uruguay 1 x 0 to get the trophy. Nicknamed by the Uruguayans themselves “El Tigre” (The Tiger), Friedenreich became a national idol. At that same time the development of sports practices in general was considered as a means of attenuating political tension. Founded in liberal principles and still in constitution phase while directed politics in a new type of society – the free trade society – the State and the elites did not have an ordered organization and discipline project over society, but that placed by the capitalist modernization logic, still not sufficiently absorbed. Thus, besides the disciplinatory intent through the first three decades of the 20th century, there was little direct State intervention in sports. Only from the end of the 1920s, and especially in the 1930s, a centralizer discourse was produced and a more active State in regards to sports organization was seen. At least two factors contributed to that change: the weakening of the political hegemony of the oligarchic-coffee grower politics and the republican liberalism, and the growing popularization of football.

11


Foto: CBF / Divulgação


em relação as organizações esportivas. Pelo menos dois fatores contribuíram para essa mudança: a fragilização da até então hegemônica política oligárquico-cafeeira e do liberalismo republicano, e a crescente popularização do futebol. Durante o governo de Vargas, mais propriamente no ano de 1933, foi criada a profissão de jogador de futebol e obrigando - como a todo trabalhador assalariado - a sua sindicalização. Na verdade, a profissionalização do jogador de futebol correspondia a um movimento cultural e político mais amplo, envolvendo tanto os interesses de disciplina social do Estado, a dinâmica específica do futebol, quanto um clima cultural, que perpassava toda a sociedade, de produção de uma identidade nacional forte. Com relação a situação específica do futebol, a profissionalização correspondia à tensão que existia entre a tradição elitista e amadora dos primórdios da prática esportiva e a necessidade de regulamentar nos clubes - numa conjuntura de popularização do futebol - a crescente participação de jogadores remunerados, de sua maioria de origem pobre e negra. Portanto, começamos a ver então um novo cenário, deixando assim de lado o amadorismo visto na fase inicial da introdução do futebol e da criação de clubes dedicados a essa prática no Brasil. Com a disseminação e popularização do futebol, aumentava nos principais clubes brasileiros a participação de jogadores de origem humilde e negra. Essa dinâmica colocou em xeque o fator de distinção das elites - a exigência do amadorismo - fortalecendo as bases de uma cultura política fundada no populismo das “verdadeiras raízes brasileiras”. Vejamos, por exemplo, a relação que Gilberto Freyre - um dos maiores intelectuais brasileiros do período - estabeleceu entre futebol e fundação da identidade nacional: O mesmo estilo de jogar futebol me parece contrastar com o dos europeus por um conjunto de qualidades de surpresa, de manha, de astúcia, de ligeireza e ao mesmo tempo de brilho e de espontaneidade individual em que se exprime o mesmo mulatismo de que Nilo Peçanha foi até hoje a melhor afirmação na arte política. Os nossos passes, os nossos pitus, os nossos despistamentos, os nossos floreios com a bola, o alguma coisa de dança e capoeiragem que marcam o estilo brasileiro de jogar futebol, que arredonda e às vezes adoça o jogo inventado pelos ingleses e por eles e por outros europeus jogado tão angulosamente, tudo isso parece exprimir de modo interessantíssimo para os psicólogos e os sociólogos o mulatismo flamboyant e, ao mesmo tempo, malandro que está hoje em tudo que é afirmação verdadeira do Brasil. Do ponto de vista da organização do futebol, a entidade pretendia intervir no campo privado dos clubes, herança de uma autonomia liberal do início do século. Legislar sobre a profissionalização do futebol tinha uma intenção disciplinadora, tanto moral quanto política. A origem do problema encontrava-se nos “pressupostos liberais da ordem desportiva brasileira, originária da associação espontânea de indivíduos em entidades de direito privado, os clubes”, até então sem interferência do Estado. No plano futebolístico, as vitórias do selecionado brasileiro, nas Copas do Mundo de 1958 (Suécia) e 1962 (Chile) - com a presença do negro Pelé e de Garrincha, de origem camponesa e des14


15

Foto: CBF / Divulgação


cendência indígena -, representariam a vitória, ao mesmo tempo definitiva e contraditória, desse “mulatismo”. Depois disso o Brasil conquistou ainda mais três mundiais (1970, 1994 e 2002). A seleção também foi vice-campeã mundial em 1950 e 1998. A lista de conquistas inclui também oito títulos de Copa América e três da Copa das Confederações.

Uruguai como país-sede e como campeão. Com o crescimento da competição, hoje é necessário passar por uma etapa classificatória de dois anos de duração, que conta com a participação de aproximadamente duzentas seleções, para participarem do campeonato.

Lembrando, porém, que a história especificamente da Copa do Mundo de Futebol da FIFA se iniciou em 1928, durante um congresso da entidade, quando Jules Rimet conseguiu a aprovação para criar um torneio internacional. A primeira competição ocorreu em 1930, tendo a participação de 13 equipes convidadas, tendo o

Avançando mais um pouco na história do futebol, o esporte passou por períodos “complicados”, pois o regime militar utilizou a vitória da seleção em 1970, no México, para fortalecer sua imagem utilizando slogan como “ninguém segura esse país”, era a palavra de ordem que impulsionava o regime. Depois da conquista de

Desde a sua fundação em 1904 até os dias de hoje, a FIFA teve oito presidentes. Do francês No meio deste caminho também tivemos uma Robert Guérin ao suíço Joseph S. Blatter, pas“tragédia”, que aconteceu em 1950, quando sando por Jules Rimet, pai da Copa do Mundo perdemos a final para o Uruguai no Maracanã da FIFA, cada presidente cumpriu o seu papel – então o maior estádio do mundo – tomado para o desenvolvimento do esporte das multipor quase 200 mil pessoas, vieram o Rei Pelé, dões. Também contou com um brasileiro para Garrincha, Vavá, Zagallo, Didi, Zito, Rivelino, nos representar: João Havelange - ex-dirigente Zico, Falcão, Sócrates, Ademir da Guia, filho do da CBF – assumiu o cargo de presidente da FIFA, em 1974, permanecendo 24 anos. Divino Domingos da Guia.

During the Vargas years, more specifically in 1933, the profession of football player was created and binding – as to every wage labor worker – their syndication. In fact, the football player rpofessionalization corresponded to a broader cultural and political movement, involving interests of State social discipline, the specific football dynamics in regards to a cultural climate that spaned the entire society, of developing a strong national identity. With regards to football’s specific situation, professionalization corresponded to the tension existing between the elitist and amateur tradition of the first years of the sports practive and the need to regulate in clubs – in a conjuncture of football’s popularization – the growing participation of remunerated players, on their majority of poor and black origin. Therefore, we started seeing a new scenario, leaving behind the amateurism seen in the early stages of the introduction of football and the creation of clubs dedicated to such practice in Brazil. With the dissemination and popularization of football the participation of humble and black origin players in leading Brazilian clubs increased. Such dynamics put the factor of distinction of the elites – mandatory amateurism – at stake, strengthening the basis of a political culture based on the populism of the “true Brazilian roots”. Let us see, for example, the relation Gilberto Freyre – one of the greatest Brazilian intellectual people of the time – established between football and the foundation of the national identity: The same style of playing football seems to me to contrast with that of the europeans due to a set of quualities of surprise, skill, astuteness, quickness and at the same time of individual brilliance and spontaneity where the same mulatism is expressed of that which Nilo Peçanha was up to the present day the best affirmation in the political arts. Our passes, our pitus, our misleads, our flourishments with the ball, to something of dance and the game of capoeira that mark the Brazilian way of playing football, that rounds and sometimes sweets the game invented by the English and by them and other Europeans played so angledly played, all this seems to express in a manner extremely interesting to psychologists and sociologists the flamboyant mulato way and, at the same time, the streetwise present today in all true statements of Brazil. From the organizational point of view, the entity had the intention of intervening on the clubs private field, inheritance of a liberal autonomy from the beginning of the century. Legislate on the professionalization of football had a disciplinarian intention, as much motral as political. The root of the problem was found in the “liberal pressupositions of the Brazilian sports order, originating in the spontaneous association of individual sinto entities of private law, the clubs”, until then with no State interference. In the football aspect, Brazilian team’s victories in the 1958 (Sweden) and 1962 (Chile) World Cups – with the presence of black Pelé and Garrincha, of peasant origin and Indian descent –, would represent the victory, at the same time definitive and contradictory, of such “mulato way”. After that Brazil won another three World Cups (1970, 1994, and 2002). The national team was also runner-up in 1950 and 1998. The roll of conquestst also includes eight America’s Cup titles and three Confederation Cups. During this path we also had a “tragedy” taking place in 1950, when we lost in the final match to Uruguay at Maracanã – then the world’s biggest football stadium – taken by almost 200 thousand people, and also in through this path came King Pelé, Garrincha, Vavá, Zagallo, Didi, Zito, Rivelino, Zico, Falcão, Sócrates, Ademir da Guia, son of the divine Domingos da Guia. So we will approach throughout the book some of the individual achievements of each one of these football wizards.

16


70 - a última participação de Pelé no selecionado -, éramos considerados imbatíveis pois, “todos juntos” levaríamos o país “pra frente”. Não por coincidência o início nos anos setenta foi um das fases mais violentas da repressão militar. Mas o fracasso na Copa de 1974, na Alemanha - quando o Brasil obteve apenas a quarta colocação -, não correspondeu às expectativas de inexorável invencibilidade do escrete (scratch) nacional, descrito pelo imaginário político autoritário. O fracasso na Copa, o fim da “Era Pelé” e as impressões deixadas pelo “carrossel” holandês, naquele período, criaram um clima de crise no futebol brasileiro. Somavam-se a isso os primeiros sinais de esgotamento do “milagre econômico” brasileiro, colocando em xeque o regime político. Portanto, vencer a Copa seguinte (Argentina, 1978) - alias campo de um adversário tradicional -, tornou-se um imperativo político. Como a seleção não podia falhar, o futebol que até então era visto como “arte” e símbolo de nossa “brasilidade futebolística”, passou a ser analisado agora como sinônimo de improviso e de desorganização. Como explicou de forma brilhante Gilson Gil no livro “O drama do futebol-arte: o debate sobre a seleção nos anos 70. “Nesse momento de redefinição de nossas metáforas e representações coletivas de um de nossos símbolos culturais, o futebol, iniciou-se uma crise em nossas construções sobre o que seria “tipicamente brasileiro”. Nosso estilo anárquico e individualista passou a ser visto como lento, virando alvo de crítica. (...) Aquele “mulatismo” passou a ser visto como um obstáculo para a nossa inserção no primeiro mundo do esporte; aquela malandragem e “irracionalidade” tão elogiadas tornaram-se empecilhos ao progresso”. Nesta fase o “futebol arte” de Leônidas, Pelé e Garrincha passou a visto como a causa de nossos fracassos. Uma frustração que não ficava restrita às atuações do selecionado, mas se estendia ao corpo social. Vencer o Campeonato Mundial da Argentina era uma forma de legitimação da eficácia do modelo econômico e político. Assim, diferente dos anos trinta a sessenta - principalmente com as conquistas de dois campeonatos mundiais de futebol - agora a emancipação e a Remembering, however, that FIFA’s World Cup history started in 1928 during a congress from the entity when Jules Rimet received the approval for the creation of an international tournament. The first competition was held in 1930, with the participation of 13 invited teams, with Uruguay as the host-country and as champions. With the growth of the competition, it is necessary to day to go through a two year classification round, with the participation of approximately two hundred national teams, in order to participate in the tournament. From its foundation in 1904 to present days, FIFA has had eight presidents. From the French Robert Guérin to Swiss Joseph S. Blatter, passing by Jules Rimet, FIFA World Cup’s father, each president fulfilled his role for the development of the sport of crowds. We had a Brazilian to represent us: João Havelange – former CBF chairperson – taking over the post of FIFA president in 1974, and reamining for 24 years. All this will also be seen in more detail later on this book. Going further a bit in football’s history, the Sport went through “tough” times, as the military regime used the Brazilian National Team victory in 1970, in Mexico, in order to strengthen its image using the slogan “nobody can stop this country”. This was the motto driving the regime. After the win in 1970 – the last participation of Pelé in the national team –, we were considered as unbeatable, as “we all together” would drive the country “ahead”. Not as coincidence the early 1970s were one of the most violent phases of military repression. But the failure in the 1974 World Cup, in Germany, the end of the “Pelé Era” and the impressions left by the Dutch “carousel”, during that period, created a feeling of crisis for Brazilian football, and added to that the first signs of the Brazilian “economic miracle” breakdown, putting at stake the political regime. Thus, winning the following Cup (Argentina, 1978) – as a matter of fact, field of a traditional adversary –, became a political imperative. As the national team could not fail, football until then seen as “art” and symbol of our “football Brazility”, started being analyzed as a synonym of improvisation and disorganziation. As brilliantly explained by Gilson Gil in the book “The art-football drama: the debate over the national team in the 1970s. At this moment of redefining our collective metaphors and representations of one our cultural symbols, football, a crisis started in our constructions on what would be “typically Brazilian”. Our anarchical and individualistic style started being seen as slow, becoming a target to criticism. (...) That “mulato way” was now seen as an obstacle for our insertion into sports advanced countries; that healthy trickery and “irrationality” so praised became obstacles for progress”.

17


consolidação da identidade nacional não se encontrava mais na propalada do “mulatismo”, mas no seu oposto. O brilho individual deveria dar lugar à racionalidade e a organização. Tais temas passaram a ser associados a nossa maturidade como nação. Entretanto, apesar de todos esses preparativos, o Brasil obteve na Argentina apenas a quarta colocação. O que se observa, nessa trajetória do século XX, é o papel fun-

damental que o futebol teve na construção da identidade nacional brasileira, na medida em que foi se transformando numa “paixão nacional”, compondo de maneira significativa o mosaico da cultura política nacional. Assim como o carnaval e o samba, o futebol é um dos patrimônios culturais brasileiros.

18

During this pahse Leônidas, Pelé, and Garrincha’s “art-football” started being seen as the cause for our failures, a frustration that was not restricted to the national team’s performance, and would extend to the social body. Winning 1978 Argentina World Championship was a means of legalizing the efficiency of the economic and political model. So, different from the 1930s to the 1960s – especially with the wins in two football world championships – now the emancipation and consolidation of the national identity was no longer found in the divulged “mulato way”, but on its opposite. The individual brilliance would give way to rationality and organization. Such issues became associated with our maturity as a nation. However, aside from all such preparations, Brazil ended only in fourth place in Argentina. What can be seen in this 20th century trajectory is the key role that football had in the Brazilian national identity, to the extent it became a “national passion”, significantly somposing our mosaic of the national political culture. As well as carnaval and samba, football is one of Brazil’s cultural heritages.

Foto: CBF / Divulgação


Foto: CBF / Divulgação


O Sorteio da Copa do Mundo de 1950 foi realizado no Palácio Itamaraty, no Rio de Janeiro. A Copa de 1950 contou com 13 equipes ( em ordem de classificação):  Uruguai, Brasil, Suécia, Espanha, Iugoslávia, Suíça, Itália, Inglaterra, Chile, EUA, Paraguai, Bolívia e México.  Os estádios utilizados na ocasião foram: Maracanã (RJ), Pacaembu (SP), Independência (BH), Durival de Britto ( Curitiba), Ilha do Retiro ( Recife) e o Estádio dos Eucaliptos, em Porto Alegre,  o único dos estádios utilizados que não existe mais.


Foto: Itamaraty

The Draw for the 1950 World Cup was held in the Foreign Ministry Palace in Rio de Janeiro. The 1950 World Cup featured 13 teams (in rank order): Uruguay, Brazil, Sweden, Spain, Yugoslavia, Switzerland, Italy, England, Chile, USA, Paraguay, Bolivia and Mexico. The stadiums used at the time were: Maracan達 (RJ), Pacaembu (SP), Independence (BH), Durival Britto (Curitiba), Ilha do Retiro (Recife) and the Eucalyptus Stadium, in Porto Alegre, the only stadiums that used no longer exists..


Capítulo História da Competição

Considerado o maior evento esportivo do planeta Chapter 1 - Competition’s History Considered the world’s greatest sport event

1


Como tudo começou A Copa do Mundo é um torneio de futebol disputado a cada quatro anos em um País sede escolhido previamente. Entretanto, historicamente surgiu como fruto do antigo Torneio Olímpico de Futebol em 1924, na França, organizado pela FIFA (Federação Internacional de Futebol). Porém, este sonho de um campeonato mundial vem de muito antes, desde o primeiro amistoso internacional disputado no ano de 1872, em Glasgow, na Escócia, bem antes dos brasileiros conhecerem este esporte. O sucesso deste torneio organizado pela FIFA foi tão grande que em 1930 aconteceu a Primeira Copa do Mundo, no Uruguai. A escolha pelo País deveu se em virtude de ser considerado o melhor time na época, por ter vencido o Torneio Olímpico duas vezes consecutivas. Em todos estes anos apenas duas edições não foram disputadas, em 1942 e 1946, devido aos estragos feitos pela II Guerra Mundial. É hoje, juntamente com os Jogos Olímpicos, o maior evento esportivo do Planeta. sports event with the biggest world political and economic influence. Every four years, the 32 best national teams from the five continents face each other after a single objective: becoming the best team of the planet. Feat only eight national teams have achieved up to today, amongst them Brazil, biggest world champion with five titles. The World Cup’s first edition was organized following the Olympic Games model, where only one city would offer the sports venues. Starting in the second edition, in 1934, it became a rule distributing the event throughout the host-country. Sixteen countries have already hosted the Cup: Uruguay, Italy, France, Brazil, Switzerland, Sweden, Chile, England, Mexico, Germany, Argentina, Spain, United States, South Korea, Japan, and South Africa; with only eight teams having already won the tournament: Brazil, Italy, Germany, Argentina, Uruguay, France, England, and Spain. A study by journalist Orlando Duarte, known as the sports encyclopedia, presented the increase in the world Cup’s popularity since 1930 up to the 2002 event. Data vary from 434,500 at the initial event reaching, in 2002, 2.5 billion spectators. However, it is important to remember that in 1930 there was no television and there were many limitations to the means of communication, fact unimaginable today. Such world visibility the World Cup possesses makes it a huge commercial event. This means that FIFA built a billionaire business, selling its brand and TV rights offering global comanies the world’s bgreatest advertising opportunity.

How it all started The World Cup is a football tournament played every four years in a counThe World Cup is a football tournament played every four years in a previously chosen host-country. However, it historically appeared as an offspring of the old Football Olympic Tournament of 1924, in France, organized by FIFA (International Football Federation). Neverthless, this dream of a world championship comes from long before, since the first international friendly played in 1872, in Glasgow, Scotland – well before Brazilians got to know this sport. The success of this tournament organized by FIFA was so huge that in 1930 the first World Cup took place. It all really started with the dream and dedication of frenchman Jules Rimet, who after stepping into the command of the world football’s most important institution, decided to organize a competition involving national teams from countries. Uruguay was chosen for being considered the best national team at the time, as it had won the Olympic Tournament two consecutive times. Since then, throughout all these years only two editions were not played, in 1942 and 1946, due to the damages done by World War II. The tournament that begun timid, with only 13 national teams, grew and conquered the world, and today, along the Olympic Games, may be considered the most

A primeira edição da Copa do Mundo ainda havia sido organizada nos mesmos moldes dos Jogos Olímpicos, em que apenas uma cidade oferecia as instalações esportivas. A partir da segunda edição, em 1934, tornou-se regra distribuir os jogos pelo País que sedia o evento. Dezesseis países já sediaram a Copa: Uruguai, Itália, França, Brasil, Suiça, Suécia, Chile, Inglaterra, México, Alemanha, Argentina, Espanha, Estados Unidos, Coréia do Sul, Japão e África do Sul. Sendo que apenas oito equipes já venceram o torneio: Brasil, Itália, Alemanha, Argentina, Uruguai, França, Inglaterra e Espanha. Um estudo feito pelo jornalista Orlando Duarte, conhecido como a enciclopédia do esporte, apresentou o aumento da popularidade da Copa do Mundo desde 1930 até o evento de 2002. Os dados variam de 434.500 pessoas no evento inicial, atingindo, em 2002, 2,5 bilhões de espectadores. Entretanto, é importante lembrar que em 1930 não existia televisão e havia muitas limitações nos meios de comunicação, fato ini24


Foto: Divulgação

25


maginável nos dias de hoje. Essa visibilidade mundial que a Copa do Mundo possui, faz dela um grande evento comercial. Isso significa que a FIFA construiu um negócio bilionário, vendendo a sua marca e seus direitos televisivos, ao oferecer às empresas globais a maior oportunidade publicitária do mundo. Entretanto, um fato curioso é que em 1930 a Copa foi ignorada pelos brasileiros e, as manchetes dos principais jornais do País limitaram-se a falar sobre a morte de João Pessoa e na brasileira Miss Universo. Talvez também pelo fato da seleção brasileira ter perdido a disputa logo na estreia e sequer chegou à segunda fase do campeonato. Se fosse nos dias de hoje, a notícia iria – certamente – parar

nas manchetes dos jornais, revistas e principalmente mídias sociais e, causaria comoção nacional. Mas estamos falando do ano de 1930 e, embora o futebol já tivesse alcançado certa notoriedade, o assunto Copa não tinha muita importância para os brasileiros. Tampouco foi fácil organizar essa primeira edição do evento. América e Europa sofriam consequências da crise econômica de 1929, que causou desemprego em série e falências generalizadas, de empresas de pequeno porte a grandes bancos. O futebol, organizado oficialmente pela FIFA desde 1904, ainda engatinhava enquanto modalidade e não tinha nada similar a uma estrutura profissional. E o transporte? Claro que também não foi fácil, apenas quatro equipes do Velho Continente concordaram com a empreitada de cruzar o Atlântico em navios: França, Bélgica, Romênia e Iugoslávia.

26


O sorteio das chaves só foi definido quando todas as equipes já tinham chegado ao Uruguai. As partidas foram disputadas em apenas três estádios de uma única cidade, a capital Montevidéu. O Brasil atuou basicamente como coadjuvante nesta primeira edição. A estreia da Seleção Brasileira nos Mundiais exigiu uma viagem de 15 dias de navio e refletiu um racha entre dirigentes do Rio de Janeiro e de São Paulo. A comissão técnica da Confederação Brasileira de Desportos (CBD) foi montada sem a presença de integrantes da Associação Paulista de Esportes Atléticos. A escolha do país-sede do evento ocorre a partir de acordo entre investidores provados e instituições governamentais, a partir de interesses políticos e econômicos comuns. Além disso, a tensão da realização do mega evento é tão grande que a FIFA tem recorrido a coberturas financeiras contra possíveis cancelamentos de Copa do Mundo. Existem diversos interesses envolvidos no evento, mas isso não vem ao caso, porque o espectador quer ver o seu País vencer. E de preferência, com futebol bonito.

But, a curious fact is that in 1930 the Cup was ignored by Brazilian and the headlines of the country’s most important newspapers were limited to talking about the death of João Pessoa and the Brazilian Miss Universe pageant. Maybe also due to the fact that the Brazilian National Team having lost right at the beginning and not even reaching the second round of the competition. If it were today, the news would – certainly – end up at the noewspapers, magazines headlines, and especially in the social media and would cause national comotion. But we are talking about 1930 and, although football had already reached some notoriety, the issue of World Cup was not that important for Brazilian. It was not easy to organize this first edition of the event. America and Europe were suffering consequences from the 1929 economic crisis that caused serious unemployment and generalized bankruptcy, from small companies to huge banks. Football, officially organized by FIFA since 1904, still crawled while modality and did not have anything similar to a professional structure. And what about transportation? This was also not easy, as only four teams from the Old Continent agreed with the enterprise of crossing the Atlantic in ships: France, Belgium, Romania, and Yugoslavia. The brackets draw was only defined when all teams had arrived in Uruguay. The matches were played in only three stadiums of a single city, the capital Montevideo. Brazil acted basically as a supporting act in this first edition. The Brazilian National Team debut in World Cups demanded a 15 day trip by ship and reflected in a division between heads from from Rio de Janeiro and São Paulo. The Brazilian Sports Confederation (CBD) coaching staff was assembled wihtout the presence of members of the Paulista Association of Athletic Sports. The choice of the event’s host-country takes place through an agreement between private investors and government institutions, and through common political and economic interests. Besides, the tension of hosting the mega event is so huge that FIFA has resorted to financial coverages against possible cancellations. There are several interests involved in the event, but this is not the issue, as the spectator wants to see his or her country winning, and preferably with a well played game.

27


Personagens desta história São 120 anos de futebol no Brasil, 100 de seleção brasileira e, quando falamos sobre a história e curiosidades durante todos esses anos, temos muitos nomes que não podem ser esquecidos. Na primeira Copa do Mundo FIFA, em 1930, a seleção brasileira foi eliminada já na primeira fase. Isso porque, ao preparar a escolha de seus jogadores, devido à divergâncias internas, os melhores jogadores não participaram. Sem poder contar com craques como Friedenreich, Feitiço e Del Debbio, a seleção brasileira fez uma campanha medíocre na primeira Copa do Mundo da história. Mas esse episódio também serviu para que jogadores pudessem se destacar, como foi o caso do volante Fausto, que ganhou o apelido de “Maravilha Negra” pelo futebol elegante apresentado.

Characters in history 120 years of football in Brazil, 100 of Brazilian National Team and, when we speak of the history and interesting facts in all this years, there are many names that cannot be forgotten. On the first FIFA World Cup, in 1930, the Brazilian National Team was eliminated right in the first round, because when choosing its players, due to internal dissent, the best ones did not participate. Not being able to have football wizards such as Friedenreich, Feitiço, and Del Debbio, the Brazilian National Team had a mediocre campaign in history’s first World Cup. But this episode served for players to be able to stand out, as was the case with midfielder Fausto, who received the nickname of “Black Wonder” for the elegant football shown.

Brazil seems not having learned with the mistakes from the 1930 Cup in Uruguay. In the following year history repeated itself, and the national team was again eliminated in the championship’s first round. Reasons? Various were the explanations. Some Said they once again lost due to dissent between Paulistas and Cariocas, others due to the lack of training. However, others explained the defeat with the athletes’ lack of physical preparation, as the 15 days of travel in a ship fattened many of them, who did not have time to get back into shape.

Foto: Arquivo do Vasco da Gama

O Brasil parece não ter aprendido com os erros da Copa de 1930, no Uruguai. No ano seguinte a história se repetiu, sendo novamente eliminada na primeira fase do campeonato. Motivos? As justificativas foram inúmeras. Alguns disseram que mais uma vez perderam devido as divergências entre paulistas e cariocas, outros pela falta de treinamento. No entanto, outros justificaram a derrota pela falta de preparo físico dos atletas, já que 15 dias de viagem no navio serviu para engordar muitos deles, que não tiveram tempo para recuperar a forma física.

Fausto, o Maravilha Negra, apresentou um futebol elegante na Copa de 1930 28


Foto: SPFC

Bellini,

29

Vavรก

e

Orlando


Apesar do trio din창mico, Zizinho, Ademir e Jair, perdemos a final de 50 em casa Foto: CBF

30


Mas na Copa de 1938, na França, a seleção brasileira obteve o terceiro lugar, sua melhor colocação até então no campeonato. Com isso, pela primeira vez na história, conseguiu ir além das rodadas iniciais. Confiante, talvez até em demasia, a seleção ficou próxima do título. O destaque ficou por conta do artilheiro Leônidas da Silva, conhecido como Diamante Negro, que foi autor de sete gols. Foi também o Mundial dos europeus, com ape-

nas três seleções de fora do continente: Cuba, Índias Holandesas e Brasil. Por aqui, era a época áurea do rádio, com direito a transmissões de boletins do torneio na França. Depois de duas edições sem acontecer, devido a Guerra Mundial, em 1950 foi a vez do Brasil sediar o campeonato. Éramos o favorito a conquista do título e, na final, precisávamos apenas de um empate contra o Uruguai, entretanto, per-

demos de 2 a 1. Embora tenha perdido o título, o Brasil foi o grande time da Copa. As envolventes trocas de passes entre Zizinho, Ademir e Jair resultavam em goleadas e, o título parecia inevitável. Os jornais brasileiros davam a vitória como certa. Lembranças do “campeão” eram vendidas como água na porta do estádio. Cerca de 200 mil pessoas, no entanto, viram a inesperada derrota brasileira no Maracanã.

Na Copa de 1954 a seleção, pela primeira vez usou o uniforme com a camisa amarela e o calção azul. Depois da derrota no ano anterior, o uniforme antigo – camisa branca e calção azul usado desde 1919 – foi considerado azarado. E, do time vice-campeão, apenas seis jogadores continuaram na seleção: o goleiro Castilho, o zagueiro Nilton Santos, os meias Ely e Bauer, e os atacantes Baltazar e Rodrigues.

But in the 1938 Cup, in France, the Brazilian National Team finished third, its best rank until then in the championship. So, for the first time in history, it was able to GO beyond the initial rounds. Confident, maybe even in excess, the national team got close to the title. The highlight was goal scorer Leônidas da Silva, known as Black Diamond, author of seven goals. It was also the European’s World Cup, with only three national teams from outside the continent: Cuba, Dutch East Indies, and Brazil. Here, it was radio’s golden years, with the right to the transmission of tournament bulletins from France. Without being held for two editions due to the 2nd World War, in 1950 was Brazil’s time for hosting the championship. We were the favorites for winning the title and, in the final match, we needed a simple draw against Uruguay, however, we were defeated 2 x 1. Even loosing the title, Brazil was the best team in the Cup. The involving ball passes between Zizinho, Ademir, and Jair resulted in heavy defeats for the opponents, and the title seemed inevitable. The Brazilian newspapers had victory as certain. Gifts from the “champion” were sold in large numbers at stadium entrances. However, about 200 thousand people watched the unexpected Brazilian defeat in Maracanã. On the 1954 Cup the national team, for the first time wore the uniform with the yellow shirt and blue trunks. After the previous championship’s defeat, the old uniform – white Jersey and blue trunks worn since 1919 – was considered jinxed. And from the runner up team, only six players remained in the national team: goalkeeper Castilho, defender Nilton Santos, midfielders Ely and Bauer, and strikers Baltazar and Rodrigues. But it was on the 1958 national team that names such as Pelé, Garrincha, Vavá, Zito, Mazzolla, Didi, Zagallo, Gilmar, among others, started being noticed in our football. Thus, Brazil became Football World Champion for the first time. Thrilled, the Brazilians ran the honor lap on the Field and were applauded by the Swedish crowd. Pelé cried abundantly, as did all the players from the team that conquered the world. The entire country could, at last, cry out loud champion words.

31


Foto: CBF

32


Zizinho, 33

Ademir

e

Jair


Mas foi na seleção de 1958 que nomes como Pelé, Garrincha, Vavá, Zito, Mazzolla, Didi, Zagallo, Gilmar, entre outros, começaram a ter destaque em nosso futebol. Assim o Brasil sagrava-se pela primeira vez Campeão Mundial de Futebol. Emocionados, os brasileiros deram a volta olímpica no gramado e foram aplaudidos pela torcida sueca. Pelé chorava copiosamente, assim como todos os jogadores da equipe que conquistou o mundo. O Brasil inteiro podia, enfim, soltar o grito de campeão. “Em time que está ganhando não se mexe”. Essa foi a filosofia do Brasil para a Copa do Mundo de 1962 e mais uma vez a seleção fez bonito e conquistou a sua classificação. Dos 11 jogadores que atuaram na final anterior, nove estavam na equipe que estreou contra o México: Gilmar, Djalma Santos, Nílton Santos, Zito, Garrincha, Didi, Vavá, Pelé e Zagallo. No jogo decisivo contra a Tchecoslováquia, Amarildo, Vavá e Zito foram os autores dos três gols que trouxeram mais um título ao Brasil. Já na edição seguinte, em 1966, o Brasil apresentou um time desorganizado e extremamente confuso, chegando a convocar mais de 40 jogadores. Além disso, Pelé foi alvo de violentas jogadas, o que o afastou de alguns jogos. Também foi o último ano que veríamos Pelé e Garrincha jogando juntos com a camisa da seleção. Com os dois craques em campo, a seleção jamais foi derrotada. O grande número de jogadores convocados também serviu para destacar alguns profissionais como: Gérson, Tostão, Jairzinho e Lima. “If it ain’t broke, don’t fix it”. This was Brazil’s philosophy for the 1962 World Cup and once again the national team did good and got its championship. From the 11 players who were in the previous final match, nine were on the team that debuted against Mexico: Gilmar, Djalma Santos, Nilton Santos, Zito, Garrincha, Didi, Vavá, Pelé, and Zagallo. In the decisive match against Czechoslovakia, Amarildo, Vavá, and Zito were the authors of the three goals that brought yet another title to Brazil.

Fotos: CBF/Divulgação

On the next edition, in 1966, Brazil presented a disorganized and extremely confused team, calling over 40 players. Besides, Pelé was the target of violent plays that removed him from some games. This was also the last championship where we would see Pelé and Garrincha playing together with the national team. With the two football wizards on the Field, the national team was never defeated. The huge number of players called served also to highlight a few professionals: Gérson, Tostão, Jairzinho e Lima.

Com os dois craques em campo: Pelé e Garrincha, a Seleção nunca foi derrotada

34


Fotos: CBF

Pelé, Gilmar e Didi após a conquista do título em 1958

35


Fotos: CBF

Apesar de não ter voltado com a taça para casa, Zico e Sócrates fizeram bonito em campo Mas em 1970 foi a vez de correr atrás do prejuizo. Considerada por muitos a melhor seleção de todos os tempos, a equipe brasileira que conquistou o tri reuniu uma verdadeira constelação. Em campo, craques como Tostão, Rivellino, Gérson, Carlos Alberto Torres e Jairzinho, eram os coadjuvantes da estrela maior: Pelé. Com um futebol ofensivo, belo e eficiente, o Brasil encantou o mundo e garantiu o título com autoridade. Sem o super time formado no ano anterior, em 1974 o Brasil foi derrotado pela “Laranja Mecânica” e, acabou em quarto lugar após perder para a Polônia. Para o país que quatro anos antes ganhava o tri mundial com brilho, o quarto lugar na Alemanha Ocidental foi, no mínimo, melancólico. Depois do final da Copa, a revista France Football, uma das mais conceituadas do planeta, publicou uma foto colorida de página inteira da seleção brasileira. A legenda: “a decepção do ano no mundo do futebol”. Já em 1978 a Copa da Argentina foi considerada “a mais suspeita das Copas”. O Brasil só não chegou à final devido a suspeitíssima goleada de 6 a 0 da Argentina contra o Peru. Após isso, os torcedores brasileiros ainda foram humilhados e agredidos por torcedores locais. Nesta Copa, o técnico Cláudio Coutinho criou uma das jóias do anedotário futebolístico ao afirmar que o Brasil foi o campeão moral da competição, frase que virou motivo de gozação. A seleção brasileira voltou a ser considerada a melhor equipe do mundo em 1982, na Copa da Espanha. Apesar de não ter ficado com o título, a seleção deste ano é lembrada como a que mais encantou o mundo desde 1970. Com craques como Zico, Sócrates, Falcão, Oscar, Éder e Júnior sob a batuta de Telê Santana, ela sintetizou o chamado “futebol-arte”. Jogadas de efeito, dribles e toques rápidos fizeram a fama dessa seleção, considerada pela crítica como a grande favorita ao título. No entanto, foi eliminada pela Itália, com três gols do jogador Paolo Rossi e decretou a tragédia do Sarriá. A participação brasileira na Copa do Mundo de 1986 contou com vários problemas: várias lesões atrapalharam a formação de um time tão forte quanto o de 1982, Cerezo foi cortado, Zico e Falcão não tinham condições de serem titulares. Renato Gaúcho foi cortado por indisciplina e Leandro o acompanhou, em solidariedade. No desembarque no México, Zico fazia tratamento intensivo para poder se recuperar a tempo de jogar; além disso, Júnior e Sócrates não estavam em suas melhores condições físicas. 36


Mas a Copa de 1990 o Brasil chegou com a promessa de trazer pra casa a taça, devido ao seu desempenho na Copa América de 1989, conquistando o título após 40 anos, mas infelizmente não foi o que vimos. A lesão de Romário e a falta de união do grupo prejudicou a equipe, formada ainda pelo capitão Dunga, Bebeto e Taffarel. A derrota precoce, mas merecida, mostrou ao Brasil que era preciso mais do que tradição e bons jogadores para conquistar um título mundial. O tempo provaria, quatro anos mais tarde, que a seleção de 1990 tinha um elenco talentoso, mas mal preparado, sem organização e dominado por vaidades pessoais. Depois deste episódio, após um jejum de 24 anos sem conquista, a equipe brasileira foi para a Copa do Mundo dos Estados Unidos em 1994 desacreditada. Seu técnico, Carlos Alberto Parreira, com fama de turrão, convocou Romário, que era unanimidade nacional, apenas nas últimas partidas das eliminatóras na partida. O meio de campo defensivo de Dunga e Mauro Silva também foi destaque. A dupla Romário e Bebeto fez grandes apresentações e levaram o Brasil à final, além de serem considerados o terror dos adversários. Com um esquema tático que priorizava a defesa, o Brasil foi o time que menos gols sofreu durante a Copa. O futebol não era bonito, mas funcionou bem. Em 1998 a esperança do penta estava toda depositada na dupla que havia feito sucesso, Ronaldo e Romário, mas pouco antes da Copa, o “baixinho” como era conhecido o jogador Romário, foi cortado. Mas a final contra a França foi, talvez, a mais estranha de todas as finais de Copa já realizadas. Ronaldo, o “Fenômeno”, então considerado o melhor jogador do mundo, teve problemas que, até hoje, são motivos de controvérsia durante a final contra os donos da casa: citaram-se a possibilidade de convulsões, cansaço ou até mesmo uma má atuação proposital. O Brasil foi goleado pela França de Zidane por 3 a 0 em péssima atuação de todo o time, o que gera até hoje comentários de que a Copa poderia ter sido “vendida”. A Copa de 2002 foi a vez da reviravolta para a nossa seleção. A equipe brasileira chegou um pouco desacreditada, pois havia sido eliminada da Copa das Confederações e da Copa América. Entretanto, com o comando do técnico Luís Felipe Scolari e uma equipe formada por Rivaldo, Ronaldo, Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho, obteve uma campanha numericamente perfeita: sete vitórias em sete jogos. Brasil sagrou-se pentacampeão mundial de futebol. Em 2006 o cenário mudou novamente, a equipe brasileira entrou como natural favorita, devido à campanha da última Copa. Seu ataque era chamado de Quadrado Mágico, formado por Ronaldo, Ronaldinho, Kaká e Adriano. O time sofreu apenas dois gols em cinco jogos, a segunda melhor marca do país na história da competição. Entretanto, o desempenho defensivo não foi capaz de evitar uma campanha decepcionante na Copa e acabamos novamente caindo diante dos carrascos franceses. Quatro anos depois, surgimos mais uma vez como favoritos, na Copa do Mundo de 2010. Comandada pelo capitão de tetracampeonato de 1994, Dunga, venceu tudo que disputou antes da Copa do Mundo de 2010: a Copa das Confederações, a Copa América e ficou em primeiro lugar nas eliminatórias. Infelizmente, também fomos eliminados. 37

But in 1970 it was time for catching up. Considered by many as the best national team of all times, the Brazilian team that won the third title gathered a true constellation of stars. On the field, football wizards as Tostão, Rivellino, Gérson, Carlos Alberto Torres, and Jairzinho, were co-stars for a higher star: Pelé. With an offensive, beautiful and efficient football, Brazil enchanted the world and assured the title with authority. Without the super-team formed in the previous championship, in 1974 Brazil was defeated by the “Mechanical Orange” and ended the tournament in fourth place after losing to Poland. For the country that four years before had won the title brilliantly, fourth place in West Germany was, at least, melancholic. After the Cup’s final, France Football magazine, none of the planet’s most reputable magazines, published a full page colored picture of the Brazilian National Team. The legend read: “the year’s deception in the football world”. In 1978 the Cup in Argentina was considered “the shadiest of Cups”. Brazil did not reach the final due to an extremely suspicious 6 x 0 from Argentina against Peru. After that, the Brazilian crowd was also humiliated and attacked by local supporters. On this Cup, coach Cláudio Coutinho created one of the jewels of the football histories stating Brazil was the competition’s moral champion, statement that almost became reason for mockery. The Brazilian National Team again was considered the best team in the world in 1982, on Spain’s Cup. Despite not winning the title this year’s national team is remembered as the one that most enchanted the world since 1970. With football wizards such as Zico, Sócrates, Falcão, Oscar, Éder, and Júnior under Telê Santana’s guidance, it synthesized the so called “football -art”. Beautiful plays and quick touches made this national team famous, considered by the critics as favorite for the title. However, it was eliminated by Italy, with three goals from Paolo Rossi and decreed the Sarriá’s tragedy. The Brazilian participation in the 1986 World Cup had several problems: several injuries made it difficult to form a team as strong as the one from 1982, Cerezo was cut, Zico and Falcão did not have playing conditions. Renato Gaúcho was cut due to indiscipline and Leandro followed, in solidarity. Upon arriving in Mexico, Zico was under intensive treatment in order to recover in time for playing; also, Júnior and Sócrates were nota t their best physical conditions. But on the 1990 Cup, Brazil arrived promising to bring the cup home, due to its performance at the 1989 America Cup, winning the title after forty years, but unfortunately this was not what we saw. Romário’s injury and the group’s lack of union affected the team, formed also by captain Dunga, Bebeto, and Taffarel. The early but deserved loss showed Brazil it was necessary more than tradition and good players in order to win a world title. Time would prove, four years later, that the 1990 national team had a talented cast, but it was ill prepared, without organization, and afflicted by personal vanity. After this episode, with an abstinence of 24 years without a title, the Brazilian team went to the 1994 United States World Cup discredited. Its coach, Carlos Alberto Parreira, known by his grouchiness, called Romário, a national unanimity, only for the last matches of the elimination rounds. The defensive midfield formed by Dunga and Mauro Silva was also a highlight. The duet Romário and Bebeto had great presentations and took Brazil to the final match, and were also considered the opponent’s terror. With tactics prioritizing the defensive system, Brazil was the team that allowed fewer goals during the Cup. Football was not beautiful, but it was efficient. In 1998 the fifth title hopes were deposited on the successful duet, Ronaldo and Romário, but a few days before the Cup, the “Little Guy” as Romário was known, was cut. The final against France was, probably the strangest of all Cups already held. Ronaldo, the “Phenomenon”, then considered the best player in the world, had health problems, very controversial up to present days, and during the final against the home team were raised possibilities of convulsion, fatigue, and even purposeful team’s bad performance. Brazil was beat by Zidane’s France 3 x 0 on a terrible match from the entire team, still today generating comments that the Cup may have been “arranged”. The 2002 Cup was the comeback for our national team. The Brazilian team arrived discredited for having been eliminated at the Confederations Cup and the America Cup. However, with the command of coach Luís Felipe Scolari and a team made up by Rivaldo, Ronaldo, Roberto Carlos, and Ronaldinho Gaúcho, it had a numerically perfect campaign: seven wins in seven matches. Brazil became five-time football world champion. In 2006 the scenario changed again, and the Brazilian team started as a natural favorite due to the last Cup’s campaign. Its attack was called Magic Square, formed by Ronaldo, Ronaldinho, Kaká, and Adriano. The team suffered only two goals in five games, the country’s second best mark in the competition’s history. However, the defensive performance was not capable of avoiding a disheartening campaign and we again fell against the French. Four years later, we again came up as favorites in the 2010 World Cup. Headed by the 1994 title captain Dunga, the team won all competitions it played before the 2010 World Cup: the Confederations Cup, America Cup, and placed first during the elimination round. Unfortunately, we were eliminated by the Dutch national team in quarter finals match.


Fotos: CBF

38


Entre os jogadores que se destacaram na conquista do título está a dupla Romário e Bebeto, além do capitão Dunga

39


Seleções participantes Na primeira edição da Copa do Mundo da FIFA foram 13 seleções participantes, hoje já são 32 e escolhidas através de eliminatórias. Só o Brasil participou de todas as edições desde 1930, que foram 19 Copas e também é o único País cinco vezes campeão do mundo. Ao longo destes anos diversas seleções participaram dos jogos, a relação traz o número de participações, quantidade de jogos, vitórias, derrotas, além a melhor colocação em Copas. In the FIFA World Cup’s first edition there were 13 participating national teams, and today we have 32 teams chosen via elimination rounds. Only Brazil was present in all editions since 1930, period in which 19 Cups were played and it is also the only country 05 times champion. Brazil Participations: 19 Matches: 96 Wins: 66 Losses: 16 Draws: 14 Goals For: 206 Goals Against: 87 Best place in Cups: Champion in 1958, 1962, 1970, 1994, and 2002. Hosted the Cup in 1950 and will host it in 2014. Italy Participations: 16 Matches: 80 Wins: 44 Losses: 15 Draws: 21 Goals For: 126 Goals Against: 75 Best place in Cups: Champion in 1934, 1938, 1982, and 2006. Hosted the Cup in 1934 and 1990. Argentina Participations: 15 Matches: 60 Wins: 37 Losses: 20 Draws: 13 Goals For: 124 Goals Against: 83 Best place in Cups: Champion in 1978 and 1986. Hosted the Cup in 1978. West Germany Participations: 10 Matches: 62 Wins: 36 Losses: 12 Draws: 14 Goals For: 132 Goals Against: 78 Best place in Cups: Champion in 1954, 1974, and 1990. Hosted the Cup in 1974 Spain Participations: 13 Matches: 56 Wins: 28 Losses: 15 Draws: 13 Goals For: 89 Goals Against: 59 Best place in Cups: Champion in 2010. Hosted the Cup in 1982.

Brasil Participações: 19 Jogos: 96 Vitórias: 66 Derrotas: 16 Empates: 14 Gols Marcados: 206 Gols Sofridos: 87 Melhor colocação em Copas: Campeão em 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002. Sediou a Copa de 1950 e sediará a de 2014. Itália Participações: 16 Jogos: 80 Vitórias: 44 Derrotas: 15 Empates: 21 Gols Marcados: 126 Gols Sofridos: 75 Melhor colocação em Copas: Campeão em 1934, 1938, 1982 e 2006. Sediou as Copas de 1934 e 1990.

Alemanha Ocidental Participações: 10 Jogos: 62 Vitórias: 36 Derrotas: 12 Empates: 14 Gols Marcados: 132 Gols Sofridos: 78 Melhor colocação em Copas: Campeã em 1954, 1974 e 1990. Sediou a Copa de 1974.

Argentina Espanha Participações: 15 Participações: 13 Jogos: 60 Jogos: 56 Vitórias: 37 Vitórias: 28 Derrotas: 20 Derrotas: 15 Empates: 13 Empates: 13 Gols Marcados: 124 Gols Marcados: 89 Gols Sofridos: 83 Gols Sofridos: 59 Melhor colocação em Copas: Cam- Melhor colocação em Copas: Campeã em 1978 e 1986. peã Mundial em 2010. Sediou a Copa de 1978. Sediou a Copa em 1982. 40


Inglaterra Participações: 13 Jogos: 49 Vitórias: 27 Derrotas: 14 Empates: 18 Gols Marcados: 78 Gols Sofridos: 50 Melhor colocação em Copas: Campeã em 1966. Sediou a Copa em 1966. Alemanha Participações: 7 Jogos: 37 Vitórias: 24 Derrotas: 8 Empates: 5 Gols Marcados: 75 Gols Sofridos: 40 Melhor colocação em Copas: ViceCampeã em 2002. Sediou a Copa de 2006. França Participações: 13 Jogos: 54 Vitórias: 25 Derrotas: 18 Empates: 11 Gols Marcados: 96 Gols Sofridos: 68 Melhor colocação em Copas: Campeã em 1998. Sediou as Copas em 1938 e 1998. Holanda Participações: 9 Jogos: 43 Vitórias: 22 Derrotas: 10 Empates: 11

Gols Marcados: 61 Gols Sofridos: 41 Melhor colocação em Copas: ViceCampeã em 1974, 1978 e 2010. Uruguai Participações: 11 Jogos: 47 Vitórias: 18 Derrotas: 16 Empates: 12 Gols Marcados: 78 Gols Sofridos: 67 Melhor colocação em Copas: Campeão em 1930 e 1950. Sediou a Copa em 1930. Suécia Participações: 11 Jogos: 45 Vitórias: 16 Derrotas: 15 Empates: 14 Gols Marcados: 75 Gols Sofridos: 68 Melhor colocação em Copas: ViceCampeã em 1958. Sediou a Copa em 1958. Iugoslávia Participações: 9 Jogos: 37 Vitórias: 15 Derrotas: 13 Empates: 9 Gols Marcados: 60 Gols Sofridos: 47 Melhor colocação em Copas: 4º Lugar em 1930 e 1962.

41

México Participações: 14 Jogos: 50 Vitórias: 14 Derrotas: 23 Empates: 13 Gols Marcados: 47 Gols Sofridos: 85 Melhor colocação em Copas: 7º Lugar em 1986. Sediou as Copas de 1970 e 1986. Polônia Participações: 7 Jogos: 31 Vitórias: 15 Derrotas: 11 Empates: 5 Gols Marcados: 54 Gols Sofridos: 39 Melhor colocação em Copas: 3º Lugar em 1974 e 1982. Hungria Participações: 9 Jogos: 32 Vitórias: 16 Derrotas: 13 Empates: 3 Gols Marcados: 76 Melhor colocação em Copas: ViceCampeã em 1938 e 1954. União Soviética Participações: 7 Jogos: 31 Vitórias: 15 Derrotas: 11 Empates: 5 Gols Marcados: 52 Aproveitamento: 48,38% Melhor colocação em Copas: 4º Lugar em 1966.


Foto: Divulgação

Seleção de Portugal 2013

42


43


Áustria Portugal Participações: 7 Participações: 5 Jogos: 51 Jogos: 23 Vitórias: 26 Vitórias: 12 Derrotas: 12 Derrotas: 8 Empates: 13 Empates: 3 Gols Marcados: 39 Gols Marcados: 39 Gols Sofridos: 38 Gols Sofridos: 22 Melhor colocação em Copas: 3º Melhor colocação em Copas: 3º Lugar em 1954. Lugar em 1966.

Dinamarca Participações: 4 Jogos: 16 Vitórias: 7 Derrotas: 6 Empates: 2 Gols Marcados: 27 Gols Sofridos: 24 Melhor colocação em Copas: 6º Lugar em 1998.

Romênia Participações: 7 Jogos: 21 Vitórias: 8 Derrotas: 8 Empates: 5 Gols Marcados: 30 Gols Sofridos: 32 Melhor colocação em Copas: 5º Lugar em 1994.

Estados Unidos Participações: 9 Jogos: 29 Vitórias: 7 Derrotas: 17 Empates: 5 Gols Marcados: 32 Gols Sofridos: 56 Melhor colocação em Copas: 3º Lugar em 1930. Sediou a Copa em 1994.

Bélgica Participações: 11 Jogos: 36 Vitórias: 9 Derrotas: 17 Empates: 10 Gols Marcados: 46 Gols Sofridos: 65 Melhor colocação em Copas: 4º Lugar em 1986 Tchecoslováquia Participações: 8 Jogos: 30 Vitórias: 12 Derrotas: 13 Empates: 5 Gols Marcados: 52 Gols Sofridos: 51 Melhor colocação em Copas: ViceCampeã em 1934 e 1962.

Chile Participações: 8 Jogos: 29 Vitórias: 9 Derrotas: 14 Empates: 6 Gols Marcados: 34 Gols Sofridos: 45 Melhor colocação em Copas: 3º Lugar em 1962. Sediou a Copa em 1962.

Suíça Participações: 9 Jogos: 26 Vitórias: 9 Derrotas: 11 Empates: 6 Gols Marcados: 35 Gols Sofridos: 43 Melhor colocação em Copas: 6º Lugar em 1950. Sediou a Copa em 1954.

Paraguai Participações: 8 Jogos: 26 Vitórias: 6 Derrotas: 10 Empates: 10 Gols Marcados: 28 Gols Sofridos: 38 Melhor colocação em Copas: 7º Lugar em 2010. 44

Coréia do Sul Participações: 8 Jogos: 26 Vitórias: 5 Derrotas: 15 Empates: 8 Gols Marcados: 28 Gols Sofridos: 63 Melhor colocação em Copas: 4º Lugar em 2002. Co-sediou a Copa em 2002. Croácia Participações: 3 Jogos: 13 Vitórias: 6 Derrotas: 5 Empates: 2 Gols Marcados: 16 Gols Sofridos: 10 Melhor colocação em Copas: 3º Lugar em 1998.


Bulgária Participações: 8 Jogos: 26 Vitórias: 3 Derrotas: 13 Empates: 10 Gols Marcados: 21 Gols Sofridos: 42 Melhor colocação em Copas: 4º Lugar em 1994. Camarões Participações: 6 Jogos: 20 Vitórias: 4 Derrotas: 9 Empates: 7 Gols Marcados: 17 Gols Sofridos: 34 Melhor colocação em Copas: 6º Lugar em 1990.

Japão Participações: 4 Jogos: 14 Vitórias: 4 Derrotas: 7 Empates: 3 Gols Marcados: 12 Gols Sofridos: 16 Melhor colocação em Copas: 9º Lugar em 2010. Co-sediou a Copa em 2002. Escócia Participações: 9 Jogos: 23 Vitórias: 4 Derrotas: 12 Empates: 7 Gols Marcados: 25 Gols Sofridos: 41 Melhor colocação em Copas: 9º Lugar em 1974.

Irlanda do Norte Participações: 3 Jogos: 13 Vitórias: 3 Derrotas: 5 Empates: 5 Gols Marcados: 13 Gols Sofridos: 13 Melhor colocação em Copas: 8º Lugar em 1958. Peru Participações: 4 Jogos: 15 Vitórias: 4 Derrotas: 8 Empates: 3 Gols Marcados: 13 Gols Sofridos: 26 Melhor colocação em Copas: 7º Lugar em 1970.

Turquia Participações: 2 Jogos: 10 Vitórias: 5 Derrotas: 4 Empates: 1 Gols Marcados: 22 Gols Sofridos: 17 Melhor colocação em Copas: 3º Lugar em 2002.

Gana Participações: 2 Jogos: 9 Vitórias: 4 Derrotas: 3 Empates: 2 Gols Marcados: 9 Gols Sofridos: 10 Melhor colocação em Copas: 5º Lugar em 2010.

África do Sul Participações: 3 Jogos: 9 Vitórias: 2 Derrotas: 3 Empates: 4 Gols Marcados: 11 Gols Sofridos: 16 Melhor colocação em Copas: 17º Lugar em 2002. Sediou a Copa em 2010

República da Irlanda Participações: 3 Jogos: 13 Vitórias: 2 Derrotas: 2 Empates: 9 Gols Marcados: 11 Gols Sofridos: 11 Melhor colocação em Copas: 8º Lugar em 1990.

Nigéria Participações: 4 Jogos: 14 Vitórias: 4 Derrotas: 8 Empates: 2 Gols Marcados: 17 Gols Sofridos: 21 Melhor colocação em Copas: 12º Lugar em 1994.

Colômbia Participações: 4 Jogos: 13 Vitórias: 3 Derrotas: 8 Empates: 2 Gols Marcados: 14 Gols Sofridos: 23 Melhor colocação em Copas: 11º Lugar em 1990.

45


Foto: Divulgação

Seleção Italiana 2010

46


47


Noruega Participações: 3 Jogos: 8 Vitórias: 2 Derrotas: 3 Empates: 3 Gols Marcados: 9 Gols Sofridos: 10 Melhor colocação em Copas: 11º Lugar em 1938.

Costa Rica Participações: 3 Jogos: 10 Vitórias: 3 Derrotas: 6 Empates: 1 Gols Marcados: 12 Gols Sofridos: 21 Melhor colocação em Copas: 16º Lugar em 1990.

Rússia Participações: 2 Jogos: 6 Vitórias: 2 Derrotas: 4 Empates: 0 Gols Marcados: 11 Gols Sofridos: 10 Melhor colocação em Copas: 18º Lugar em 1994.

Equador Participações: 2 Jogos: 7 Vitórias: 3 Derrotas: 4 Empates: 0 Gols Marcados: 7 Gols Sofridos: 8 Melhor colocação em Copas: 12º Lugar em 2006.

Arábia Saudita Participações: 4 Jogos: 13 Vitórias: 2 Derrotas: 9 Empates: 2 Gols Marcados: 6 Gols Sofridos: 33 Melhor colocação em Copas: 14º Lugar em 1994.

Alemanha Oriental Participações: 1 Jogos: 6 Vitórias: 2 Derrotas: 2 Empates: 2 Gols Marcados: 5 Gols Sofridos: 5 Melhor colocação em Copas: 6º Lugar em 1974.

Costa do Marfim Marrocos Participações: 2 Participações: 3 Jogos: 6 Jogos: 13 Vitórias: 2 Vitórias: 2 Derrotas: 3 Derrotas: 7 Empates: 1 Empates: 4 Gols Marcados: 9 Gols Marcados: 14 Gols Sofridos: 9 Gols Sofridos: 21 Melhor colocação em Copas:10º Melhor colocação nas Copas: 17º Lugar em 2010. Lugar em 1986.

Argélia Participações: 3 Jogos: 9 Vitórias: 2 Derrotas: 5 Empates: 2 Gols Marcados: 6 Gols Sofridos: 12 Melhor colocação em Copas: 13º Lugar em 1982. Tunísia Participações: 3 Jogos: 12 Vitórias: 1 Derrotas: 7 Empates: 4 Gols Marcados: 8 Gols Sofridos: 17 Melhor colocação em Copas: 9º Lugar em 1978.

Austrália Participações: 3 Jogos: 10 Vitórias: 2 Derrotas: 5 Empates: 3 Gols Marcados: 8 Gols Sofridos: 17 Melhor colocação em Copas: 11º Lugar em 2006.

Ucrânia Participações: 1 Jogos: 5 Vitórias: 2 Derrotas: 2 Empates: 1 Gols Marcados: 5 Gols Sofridos: 7 Melhor colocação em Copas: 8º Lugar em 2006. 48


País de Gales Participações: 1 Jogos: 5 Vitórias: 1 Empates: 1 Derrotas: 3 Gols Marcados: 4 Gols Sofridos: 4 Melhor colocação em Copas: 6º Lugar em 1958.

República Tcheca Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 1 Derrotas: 2 Empates: 0 Gols Marcados: 3 Gols Sofridos: 4 Melhor colocação em Copas: 20º Lugar em 2006.

Jamaica Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 1 Derrotas: 2 Empates: 0 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 9 Melhor colocação em Copas: 22º Lugar em 1998.

Irã Participações: 3 Jogos: 9 Vitórias: 1 Derrotas: 6 Empates: 2 Gols Marcados: 6 Gols Sofridos: 18 Melhor colocação em Copas: 14º Lugar em 1978.

Sérvia Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 1 Derrotas: 2 Empates: 0 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 3 Melhor colocação em Copas: 25º Lugar em 2010.

Nova Zelândia Participações: 2 Jogos: 6 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 3 Gols Marcados: 4 Gols Sofridos: 14 Melhor colocação em Copas: 23º Lugar em 1982.

Eslováquia Participações: 1 Jogos: 4 Vitórias: 1 Derrotas: 2 Empates: 1 Gols Marcados: 5 Gols Sofridos: 7 Melhor colocação em Copas: 12º Lugar em 2010. Eslovênia Participações: 2 Jogos: 6 Vitórias: 1 Derrotas: 4 Empates: 1 Gols Marcados: 5 Gols Sofridos: 10 Melhor colocação em Copas: 30º Lugar em 2002.

Honduras Participações: 2 Jogos: 6 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 3 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 6 Melhor colocação em Copas: 18º Lugar em 1982. Cuba Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 1 Derrotas: 1 Empates: 1 Gols Marcados: 5 Gols Sofridos: 12 Melhor colocação em Copas: 8º Lugar em 1938.

Grécia Participações: 2 Jogos: 6 Vitórias: 1 Derrotas: 5 Empates: 0 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 15 Melhor colocação em Copas: 24º Lugar em 1994.

49

Coréia do Norte Participações: 2 Jogos: 7 Vitórias: 1 Derrotas: 5 Empates: 1 Gols Marcados: 6 Gols Sofridos: 21 Melhor colocação em Copas: 7º Lugar em 1966.


Seleção da Alemanha 2010

Foto: Divulgação

50


51


Angola Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 1 Empates: 2 Gols Marcados: 1 Gols Sofridos: 2 Melhor colocação em Copas: 23º Lugar em 2006.

Trinidad & Tobago Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 2 Empates: 1 Gols Marcados: 0 Gols Sofridos: 4 Melhor colocação em Copas: 28º Lugar em 2006.

Canadá Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 0 Gols Sofridos: 5 Melhor colocação em Copas: 24º Lugar em 1986.

Israel Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 1 Empates: 2 Gols Marcados: 1 Gols Sofridos: 3 Melhor colocação em Copas: 12º Lugar em 1970.

Bolívia Participações: 3 Jogos: 6 Vitórias: 0 Derrotas: 5 Empates: 1 Gols Marcados: 1 Gols Sofridos: 20 Melhor colocação em Copas: 12º Lugar em 1930.

Índias Orientais Holandesas Participações: 1 Jogos: 1 Vitórias: 0 Derrotas: 1 Empates: 0 Gols Marcados: 0 Gols Sofridos: 6 Melhor colocação em Copas: 15º Lugar em 1938.

Egito Participações: 2 Jogos: 4 Vitórias: 0 Derrotas: 2 Empates: 2 Gols Marcados: 3 Gols Sofridos: 6 Melhor colocação em Copas: 13º Lugar em 1934. Kuweit Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 2 Empates: 1 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 6 Melhor colocação em Copas: 21º Lugar em 1982.

Iraque Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 1 Gols Sofridos: 4 Melhor colocação em Copas: 23º Lugar em 1986. Togo Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 1 Gols Sofridos: 6 Melhor colocação em Copas: 30º Lugar em 2006.

Sérvia & Montenegro Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 10 Melhor colocação em Copas: 31º Lugar em 2006. Emirados Árabes Unidos Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 11 Melhor colocação em Copas: 24º Lugar em 1990.

52


China Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 0 Gols Sofridos: 9 Melhor colocação em Copas: 31º Lugar em 2002. Haiti Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 2 Gols Sofridos: 14 Melhor colocação em Copas: 15º Lugar em 1974. Zaire Participações: 1 Jogos: 3 Vitórias: 0 Derrotas: 3 Empates: 0 Gols Marcados: 0 Gols Sofridos: 14 Melhor colocação em Copas: 16º Lugar em 1974. El Salvador Participações: 2 Jogos: 6 Vitórias: 0 Derrotas: 6 Empates: 0 Gols Marcados: 1 Gols Sofridos: 22 Melhor colocação em Copas: 16º Lugar em 1970

Ukraine Participations: 1 Matches: 5 Wins: 2 Losses: 2 Draws: 1 Goals For: 5 Goals Against: 7 Best place in Cups: 8th Place in 2006. Russia Participations: 2 Matches: 6 Wins: 2 Losses: 4 Draws: 0 Goals For: 11 Goals Against: 10 Best place in Cups: 18th Place in 1994. East Germany Participations: 1 Matches: 6 Wins: 2 Losses: 2 Draws: 2 Goals For: 5 Goals Against: 5 Best place in Cups: 6th Place in 1974. Algeria Participations: 3 Matches: 9 Wins: 2 Losses: 5 Draws: 2 Goals For: 6 Goals Against: 12 Best place in Cups: 13th Place in 1982. Tunis Participations: 3 Matches: 12 Wins: 1 Losses: 7 Draws: 4 Goals For: 8 Goals Against: 17 Best place in Cups: 9th Place in 1978. Whales Participations: 1 Matches: 5 Wins: 1 Draws: 1 Losses: 3 Goals For: 4 Goals Against: 4 Best place in Cups: 6th Place in 1958. Iran Participations: 3 Matches: 9 Wins: 1 Losses: 6 Draws: 2 Goals For: 6 Goals Against: 18 Best place in Cups: 14th Place in 1978. Slovakia Participations: 1 Matches: 4 Wins: 1 Losses: 2 Draws: 1 Goals For: 5 Goals Against: 7 Best place in Cups: 12th Place in 2010.

Slovenia Participations: 2 Matches: 6 Wins: 1 Losses: 4 Draws: 1 Goals For: 5 Goals Against: 10 Best place in Cups: 30th Place in 2002. Czech Republic Participations: 1 Matches: 3 Wins: 1 Losses: 2 Draws: 0 Goals For: 3 Goals Against: 4 Best place in Cups: 20th Place in 2006. Serbia Participations: 1 Matches: 3 Wins: 1 Losses: 2 Draws: 0 Goals For: 2 Goals Against: 3 Best place in Cups: 25th Place in 2010. Honduras Participations: 2 Matches: 6 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 3 Goals For: 2 Goals Against: 6 Best place in Cups: 18th Place in 1982. Cuba Participations: 1 Matches: 3 Wins: 1 Losses: 1 Draws: 1 Goals For: 5 Goals Against: 12 Best place in Cups: 8th Place in 1938. Jamaica Participations: 1 Matches: 3 Wins: 1 Losses: 2 Draws: 0 Goals For: 2 Goals Against: 9 Best place in Cups: 22nd Place in 1998. New Zealand Participations: 2 Matches: 6 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 3 Goals For: 4 Goals Against: 14 Best place in Cups: 23rd Place in 1982. Greece Participations: 2 Matches: 6 Wins: 1 Losses: 5 Draws: 0 Goals For: 2 Goals Against: 15 Best place in Cups: 24th Place in 1994.

53

North Korea Participations: 2 Matches: 7 Wins: 1 Losses: 5 Draws: 1 Goals For: 6 Goals Against: 21 Best place in Cups: 7th Place in 1966. Angola Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 1 Draws: 2 Goals For: 1 Goals Against: 2 Best place in Cups: 23rd Place in 2006. Israel Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 1 Draws: 2 Goals For: 1 Goals Against: 3 Best place in Cups: 12th Place in 1970. Egypt Participations: 2 Matches: 4 Wins: 0 Losses: 2 Draws: 2 Goals For: 3 Goals Against: 6 Best place in Cups: 13th Place in 1934. Kuwait Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 2 Draws: 1 Goals For: 2 Goals Against: 6 Best place in Cups: 21st Place in 1982. Trinidad & Tobago Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 2 Draws: 1 Goals For: 0 Goals Against: 4 Best place in Cups: 28th Place in 2006. Bolivia Participations: 3 Matches: 6 Wins: 0 Losses: 5 Draws: 1 Goals For: 1 Goals Against: 20 Best place in Cups: 12th Place in 1930. Iraq Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 1 Goals Against: 4 Best place in Cups: 23rd Place in 1986.

Togo Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 1 Goals Against: 6 Best place in Cups: 30th Place in 2006. Canada Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 0 Goals Against: 5 Best place in Cups: 24th Place in 1986. Dutch East Indies Participations: 1 Matches: 1 Wins: 0 Losses: 1 Draws: 0 Goals For: 0 Goals Against: 6 Best place in Cups: 15th Place in 1938. Serbia & Montenegro Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 2 Goals Against: 10 Best place in Cups: 31st Place in 2006. United Arab Emirates Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 2 Goals Against: 11 Best place in Cups: 24th Place in 1990. China Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 0 Goals Against: 9 Best place in Cups: 31st Place in 2002. Haiti Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 2 Goals Against: 14 Best place in Cups: 15th Place in 1974. Zaire Participations: 1 Matches: 3 Wins: 0 Losses: 3 Draws: 0 Goals For: 0 Goals Against: 14 Best place in Cups: 16th Place in 1974. El Salvador Participations: 2 Matches: 6 Wins: 0 Losses: 6 Draws: 0 Goals For: 1 Goals Against: 22 Best place in Cups: 16th Place in 1970


Fatos marcantes Muitas histórias do nosso futebol não chegam aos ouvidos dos torcedores e da imprensa. Diversos acontecimentos são guardados a sete chaves por jogadores, treinadores e personagens do mundo da bola. Portanto, sentimos decepcionar, mas se achou que fosse encontrar uma dessas histórias aqui, está enganado. Mas descobrirá algo muito melhor, sobre fatos marcantes e importantíssimos do nosso futebol. A história da Copa do Mundo é feita de gols, craques, conquistas e ídolos, mas também de fatos e ações, que ficam marcadas por toda a história do futebol. O Brasil construiu em 1950 o, até então, maior estádio de futebol do planeta, para sediar a Copa do Mundo daquele ano. Na final, onde jogou Brasil e Uruguai, o estádio recebeu o maior público até hoje em todas as Copas, estima-se que o número beirou 200 mil pessoas. Entretando, para a tristeza dos brasileiros, aquele jogo que começou com a seleção abrindo o placar aos dois minutos do segundo tempo, virou em dois gols de Juan Schiaffino e Alcides Ghiggia. Um silêncio ensurdecedor foi ouvido no Maracanã e, nossos vizinhos levaram a taça para casa. A tragédia foi tão grande que o fato passou a ser chamado de Maracanazo pela imprensa hispânica. Important facts Many stories from our football do not reach the ears of the fans and the press. Many events are kept locked and protected by seven keys by players, coaches, and people from the football world. Therefore, we are sorry to disappoint you, but if you thought you would find one of these stories here, you are mistaken. However, you will find something even better about remarkable and extremely important facts from our football. The World Cup history is composed of goals, aces, achievements, and idols, but also facts and actions eternally marked in football’s history. Brazil built in 1950 the biggest football stadium in the world at the time in order to host that year’s World Cup. In the final match, when Brazil and Uruguay played, the stadium received the biggest audience in World Cups until today, with an estimate 200 thousand people in attendance. However, unfortunately for Brazilians, that started with the national team scoring first at two minutes of the second half, Uruguay staged a comeback and scored twice with Juan Schiaffino and Alcides Ghiggia. A deafening silence was heard in Maracanã and our neighbors took home the trophy. The tragedy was so big that the fact became known as the Maracanazo by the Hispanic press. Foto: Popperfoto/Getty Images

Gol de Ghiggia que calou mais de 200 mil vozes no Maracanã

54


Bellini eternizou o gesto ao levantar a Taça Jules Rimet Foto: reprodução FIFA

Anos depois, em 1958, o gesto do capitão Hilderaldo Luís Bellini, ficou eternizado ao levantar a Taça Jules Rimet, no dia 29 de junho de 1958, no Estádio Rasunda, em Estocolmo, depois da goleada de 5 a 2 do Brasil sobre a Suécia no jogo decisivo do Mundial. Na época Belini contou como aconteceu: - Não pensei em erguer a taça, na verdade não sabia o que fazer com ela quando a recebi do Rei Gustavo, da Suécia. Na cerimônia de entrega da Jules Rimet, a confusão era grande, havia muitos fotógrafos procurando uma melhor posição. Foi então que alguns deles, os mais baixinhos, começaram a gritar: “Belini, levanta a taça, levanta, Belini!”, já que não estavam conseguindo fotografar. Foi quando eu a ergui - conta.

55

Years later, in 1958, captain Hilderaldo Luís Bellini gesture became eternal when raising the Jules Rimet Trophy, on 29 of June of 1958, at Rasunda Stadium, in Stockholm, after the 5 x 2 beating from Brazil over Sweden in the Cup’s final match. Belini tells it as it happened: - I did not think about raising the trophy, in fact I did not know what to do with it when I received it from King Gustaf, from Sweden. During the championship ceremony there was great confusion, many photographers seeking the best shot, and it was then that some of them, the shortest ones, started shouting: “Belini, raise the trophy, raise it, Belini!”, as they were not being able to photograph it. This is when I raised it – he tells.


O ex-jogador e técnico Carlos Alberto Parreira coleciona Copa do Mundo Foto: reprodução FIFA

56


O Brasil é a única seleção que disputou todas as 19 edições da Copa, não é a tôa que também está na lista da seleção que mais vezes recebeu cartões vermelhos na História dos jogos, com 11 expulsões. O jogador mais novo a marcar um gol em Copa do Mundo foi o brasileiro Pelé. Com apenas 17 anos e 239 dias, ele marcou um o único gol da vitória do Brasil sobre País de Gales, em 1958. Outro recorde que carregamos é com o brasileiro Carlos Alberto Parreira, que disputou seis Copas do Mundo como treinador - duas delas, em 1994 e 2006, comandando o Brasil. O Brasil também teve três vezes o artilheiro do Mundial: Leônidas da Silva (1938), com 7 gols, Ademir (1950), com 8 e Ronaldo (2002), com 8. O lateral-direito brasileiro Cafu é o único jogador a disputar três finais de Copa do Mundo, entre 1994 e 2002. Apenas México, Franca, Itália, Alemanha e agora, o Brasil, sediaram o mundial em duas oportunidades. Outro fato que é também intrigante é o fato de nunca uma seleção que conquistou a Copa das Confederações no ano anterior conseguiu ser campeã da Copa do Mundo, mas esperamos abrir uma exceção a essa regra em 2014. A primeira Copa do Mundo em que os nomes dos jogadores foram escritos nas camisas foi a de 1994, nos Estados Unidos. A medida foi tomada para agradar o público norte-americano, uma vez que era costume antigo de suas ligas esportivas. E outro fato marcante, que ao mesmo tempo é uma grande curiosidade é saber que Pelé foi o “10”em 1958 por acaso. A antiga Confederação Brasileira de Desportos (CBD) esqueceu de mandar para Fifa a numeração e um jornalista uruguaio escolheu os números de forma alertória. Tanto que o goleiro Gilmar usou a 3 e Garrincha, a 11. São tantos fatos marcantes e curiosidades que envolvem os jogos que fica difícil numerar e falar sobre eles na ordem cronológica, mas vamos seguir. O Brasil de 2002, foi a única seleção a vencer todos os sete jogos que disputou na competição. A seleção brasileira de 1970, também obteve 100%, mas em seis partidas. Os nomes das seleções campeãs do mundo desde 1974 são gravados na base da Fifa. Existe espaço suficiente para escrever nomes até o mundial de 2038. Apenas o brasileiro Jairzinho, em 1970, marcou gols em todos os jogos de sua seleção em um mundial. O “Furacão da Copa” balançou as redes sete vezes naquela competição. São muitos momentos marcantes e curiosidades que temos quando falamos em Copa do Mundo. Até a Copa de 2010 foram disputados 772 partidas, sendo que a primeira foi França 4 x 1 México. Nas 19 edições da Copa, as redes balaçaram 2208 vezes e 22 partidas foram definidas por pênaltis. Já o menor público no estádio foi para assistir Romênia e Peru em 1930, no Uruguai, contando apenas com 300 espectadores. Ao longo desses anos, o Brasil marcou 210 gols, sendo que o primeiro foi marcado por João Netto, o popular Preguinho, na derrota por 2 a 1 da Iugoslávia, em 1930. 57

Brazil is the only national team that played all 19 editions of the Cup, and it not by chance that it is also on top of the list of national teams that received the most red cards in the games’ history, with 11. The youngest player to score a goal in World Cups was Brazilian Pelé. Only 17 years and 239 days of age, he scored the only goal in Brazil’s victory over Whales, in 1958. Another record we have is with Brazilian Carlos Alberto Parreira, who has been to six World Cups as coach – two of them, in 1994 and 2006, heading Brazil. Brazil also had the highest scorer in three World Cups: Leônidas da Silva (1938), with 7 goals, Ademir (1950), with 8, and Ronaldo (2002), with 8. Brazilian right-fullback Cafu is the only player to have played in three World Cup finals, between 1994 and 2002. Only Mexico, France, Italy, Germany and now Brazil, have hosted the World Cup in two opportunities. Another intriguing fact is that a national team that has won the Confederations Cup has never won the World Cup on the following year, but we hope to be an exception to that rule in 2014. The first World Cup where player’s names were written on jerseys was the 1994 World cup in the United States. This measure was taken to please the North-American audience, once this is an old tradition from their sports leagues. Another important fact and at the same time a grandiosity is knowing Pelé was the “10” in 1958 by chance. The former Brazilian Sports Confederation (CBD) forgot to send FIFA the number list for players and an Uruguayan journalist chose the numbers randomly, and goalkeeper Gilmar had the 3 and Garrincha, 11. (FOTO Pelé – wearing the 10) There are so many remarkable facts and curiosities involving the games that it is difficult to list and talk about them in chronological order, but let’s move on. 2002 Brazil was the only national team to win all seven games it played in the competition. The 1970 Brazilian national team, also had 100%, but in six matches. The names of the world champion national teams since 1974 are recorded on the base of the FIFA World Cup’s trophy. There is enough space for writing names until the 2038 World Cup. Brazilian Jairzinho was the only player, in 1970, to score in all games from his national team in a single World Cup. The “Cup’s Hurricane” scored seven times during that competition. There are so many remarkable facts and curiosities we have when speaking of the World Cup. Up to the 2010 Cup 772 matches were played, with the first being France 4 x 1 Mexico. On the Cup’s 19 editions, goals were scored 2208 times and 22 matches were determined by penalty kicks. The smallest audience in a stadium was for Romania and Peru in 1930, in Uruguay, with only 300 spectators. Throughout the years, Brazil scored 210 times, with the first scored by João Netto, the popular Preguinho (Little Nail), on the 2 x 1 defeat against Yugoslavia, in 1930.


Foto: reprodução FIFA

58


Pelé jogando com a camisa 10 da Seleção Brasileira

59


E mais uma vez 32 seleções disputaram a Taça Jules Rimet

60


Foto: reprodução FIFA

61


Economia e política da época Durante a primeira edição da Copa do Mundo a cena Economy and politics of the time During the first World Cup the country’s political scene was extremely política do País fervilhava. A imprensa destacava o as- active. The press highlighted the murder of João Pessoa, president of sassinato de João Pessoa, presidente da Paraíba, numa Paraíba, in a patisserie in Recife. But the main header was another: the for entertainment had already fascinated people, and a young woconfeitaria no Recife. Mas a manchete principal era taste man named Yolanda Pereira was elected the first Brazilian Miss Unioutra: o gosto pelo entretenimento já tinha faiscado verse, leaving João Pessoa aside on that May of 1930 and the national nas pessoas, e uma mocinha de nome Yolanda Pereira team was not even mentioned. era eleita a primeira Miss Universo Brasileira, deixando des esportivas em geral - passou a ser visto pelas elites João Pessoa meio à sombra naquele maio de 1930 e a governantes como um componente fundamental a ser seleção então, nem chegou a ser mencionada. atingido na sua cruzada disciplinadora. E o que mais atraía a atenção do brasileiro naquele ano? A quebra da bolsa de valores de Nova York, em 1929, ainda trazia reflexos na economia cafeeira, pilar do desenvolvimento brasileiro. E os anos 30 começavam pesados, em clima menos otimista se comparado com a empolgante década de 20, que viu a revolução na moda, nos costumes, com o automóvel e a arte moderna apontando para o futuro. Por outro lado, em 1930 uma revolução armada viria pôr fim à aristocrática política do “café com leite”, e os dias da República Velha. A chamada Era Vargas se iniciava.

Pressionado pela expansão capitalista e pelos ideológicos da “Guerra Fria”, o Brasil sofre - partir dos anos 50/60 - o impacto de uma nova modernização conservadora. A construção da capital federal, Brasília, a organização de uma malha rodoviária ligando as principais cidades e a instalação de uma indústria pesada e de bens de consumo duráveis, são exemplos dessa modernização. No campo político, a desorganização da estrutura autoritária dos anos 30/40 deu espaço para um nacional-populismo como resposta das classes dirigentes às tensões sociais internas, que derivou - não só no Brasil, mas em quase toda a América Latina - uma nova etapa Legitimado por um lado pela ideia de crise que o pró- autoritária: a ditadura militar, que durou de 1964 a 1985. prio discurso autoritário produziu e por outro pelo avanço no plano internacional do autoritarismo, o Na mesma época, a característica do futebol como uma “Estado Novo” varguista desenvolveu um processo de “paixão nacional”, uma cultura de massa, retirava construção de uma nova e verdadeira identidade nacio- desde sua base qualquer viés classista ou de interesse nal. É nesse processo que se inscreve também o futebol. diverso da política dominante. Ou seja, o regime que Caracterizado já nos anos 30/40 como um fenômeno se instalou em 1964 não se definiu apenas pela dipopular e de massa, o futebol - assim como as ativida- tadura aberta dos militares, mas fundamentalmente por se apropriar de uma tradição elitista e autoritária And what attracted the Brazilians attention that year? The crash of the New York Stock Exchange in 1929, still reflected in the Coffee Economy, da cultura política brasileira. pillar for Brazilian development. And the 1930s started heavy, in a less optimistic mood if compared with the exciting 1920s, that saw a revolution in fashion, customs, with the automobile and modern art pointing towards the future. On the other hand, in 1930 an armed revolution put an end to the aristocratic “coffee and milk” politics, and the Old Republic days. The so called Vargas era was starting.

Legitimized on one hand by the idea of crisis that the authoritarian discourse itself produced and by the advance of the authoritarianism’s international plan, the “New Varguista State” developed a process of construction of a new and true national identity. And in this process football is also enrolled, already characterized in the 1930s and 1040s as a popular and mass phenomenon, it – as well as Sport activities in general – started being noted by the governing elites as a key component to be attained at the disciplinary crusade.

De qualquer modo, independente dos esforços políticos, os resultados do selecionado brasileiro não necessariamente corresponderam às expectativas políticas do regime. Das cinco Copas do Mundo disputadas entre 1964 e 1985, apenas na de 1970 o selecionado foi vitorioso, conquistando o tricampeonato mundial. A conclusão é óbvia e salutar: apesar de toda a estrutura de controle que havia, visando obter resultados que interessariam ser explorados politicamente, o jogo preservou a sua autonomia.

62


Portanto não é possível reduzir os resultados do futebol - ou em qualquer outro tipo de esporte - a mandos políticos. Mas infelizmente isso foi visto durante a Copa de 1974, quando Jairzinho e Rivellino se preparavam para cobrar falta - a seleção brasileira já vencia e - de repente, o zagueiro do Zaire abandonou a barreira e disparou um pontapé na bola antes mesmo do apito do árbito. Este fato, que parecia despreparo era, na realidade, desespero, uma vez que o então ditador do País, Mobutu Sese Seko, havia feito ameaças em caso de derrota por mais de 3 a 0. Apesar de o governo tentar manipular os resultados desta forma, isto não foi visto aqui no Brasil. Entretanto, com a vitória da seleção em 1970 no México, em plena vigência do regime autoritário, fortaleceu o imaginário de uma nação moderna e reconhecida como potência mundial. “Ninguém segura esse país” era a palavra de ordem que impulsionava o regime militar. Depois da conquista de 70 - a última participação de Pelé no selecionado -, éramos considerados imbatíveis, pois, “todos juntos” levaríamos o país “pra frente”. Não por coincidência o início nos anos setenta foi um das fases mais violentas da repressão militar.

Impacted by capitalist expansion and by “Cold War” ideologists, Brazil suffers – from the 1950s and 1960s – the impact of a new conservative. The construction of the federal capital Brasília, the organization of a road network connecting the important cities, and the installation of a heavy and durable goods industry, are examples of such modernization. In the political field, the disorganization of the authoritarian structure from the 1930s and 1940s gave space to a national-populism as response to the governing classes to the internal social tensions that derived – not only in Brazil, but in almost the entire Latin America – a new authoritarian era: the military dictatorship that lasted from 1964 to 1985. During the same time the characteristic of football as a “national passion”, a mass culture, removed from its basis any classist side or of interest diverse from the dominant politics. In other words, the regime that stepped into power in 1964 did not define itself only for the open military dictatorship, but basically for appropriating itself of an elitist and authoritarian tradition from the Brazilian political culture. Anyway, independent of political efforts, the results of the Brazilian national team did not necessarily correspond to the regime’s political expectations. Of the five World Cups played between 1964 and 1985, only in the 1970 Cup the national team was victorious, winning the third World Cup. The conclusion is obvious and beneficial: despite all the control structure in existence, aiming at obtaining results that would interest being politically explored, the game preserved its autonomy. Therefore it is not possible to reduce football’s results – or any other Sport – to political power. But, unfortunately this was seen during the 1974 Cup, when Jairzinho and Rivellino were preparing to kick a fault – the Brazilian national team was already ahead – and suddenly, Zaire’s defender left the barrier and kicked the ball even before the referee’s whistle. This fact, that seemed lack of preparation was, in fact, hopelessness, once the country’s dictator, Mobutu Sese Seko, had made threats in the event of losses by more than 3 x 0. Even with the government trying to manipulate results this way, this was not seen here in Brazil. However, the national team victory in 1970 in Mexico, during the authoritarian regime, strengthened the imaginary of a modern nation recognized as a World Cup power. “Nobody stops this country” was the motto that propelled the military regime. After the 1970 win – Pelé’s last participation in the national team -, we were considered unbeatable as “together” we would move the country “ahead”. Not as coincidence the beginning of the 1970s was one of the most violent stages of military repression.

63


PelĂŠ comemora mais um gol durante os jogos da Copa do Mundo

64

Foto: FIFA


Foto: Correios Brasil

Selo comemorativo do milĂŠsimo gol de PelĂŠ (Edson Arantes do Nascimento) em 1969

65


Presidentes da FIFA A FIFA foi criada oficialmente em 21 de maio de 1904 na cidade de Paris, França e, passou por diversas sedes até a atual, localizada em Zurique, Suíça. A organização contém 209 países filiados, o que faz dela uma das maiores instituições internacionais em número de membros. Desde a sua criação a FIFA recebeu apenas oito presidentes, sendo que três deles morreram no ofício – Daniel Burley Woolfall, Rodolphe Seeldrayers (que permaneceu apenas 10 meses no cargo, devido ao seu falecimento) e Arthur Drewry. Já o presidente Jules Rimet se tornou presidente mais aclamado, tanto pelo elevado tempo que permaneceu no cargo – 33 anos – quanto pela realização da primeira Copa do Mundo FIFA no ano de 1930. Durante cinco edições, até 1954, Rimet entregou o troféu para os capitães das equipes campeãs. Em 1946, quando o francês completou 25 anos à frente da entidade, a taça do Mundial recebeu seu nome. O fato durou até a Copa de 1970, quando o Brasil venceu a competição pela terceira vez e conquistou o troféu de forma definitiva. Outro fato interessante é que o único presidente na história a não pertencer a um País da Europa foi o brasileiro João Havelange. Três foram nascidos na Inglaterra, dois na França, um na Bélgica e um na Suíça. O atual presidente é o suíço Joseph Blatter, que ocupa a função desde 1998. As eleições para presidentes da FIFA ocorrem atualmente a cada quatro anos e a próxima deverá ser realizada em 2015. Relacionamos os presidentes que já passaram pela organização.

Robert Guérin – de 1904 a 1906 (2 anos) – França O francês Robert Guérin foi o impulsor e responsável pela fundação da FIFA em 1904. Jornalista do periódico Le Matin, ele esteve envolvido ativamente com o futebol por ser secretário do Departamento de Futebol da União das Sociedades Francesas de Esportes Atléticos. Ele reuniu os sete países-membros originais em Paris para a assinatura da ata de fundação da FIFA e a definição do primeiro estatuto da entidade. Em 22 de maio de 1904, com apenas 28 anos, foi nomeado presidente no primeiro Congresso da entidade. Nos dois anos de mandato, Guérin conseguiu a adesão de mais oito federações, entre elas a inglesa.

Foto: FIFA

FIFA was officially created on 21 of May of 1904 in the city of Paris, France, and passed through several cities until the present head quarters, located in Zurich, Switzerland. The organization has 209 affiliated countries, making it one of the biggest international institutions in number of members. Since its creation FIFA had only eight presidents, with three of them being deceased during their term in office – Daniel Burley Woolfall, Rodolphe Seeldrayers (who remained only 10 months in office due to his decease), and Arthur Drewry. On the other hand, president Jules Rimet became the most acclaimed president, as much for the long term he remained in office – 33 years – as for the realization of the first FIFA World Cup in 1930. For five editions, until 1954, Rimet handed out the trophy to champion team captains. In 1946, when the Frenchman celebrated 25 years ahead of the entity, the World Cup trophy received his name. The fact lasted until the 1970 Cup when Brazil won the competition for the third time and won the trophy in a definitive manner. Another interesting fact is that the only president in history not belonging to an European country was Brazilian João Havelange. Three were born in England, two in France, one in Belgium and one in Switzerland. Today’s president is Swiss Joseph Blatter, who is in office since 1998. Elections for FIFA presidents are presently held every four years and the next one shall take place in 2015. We have listed the presidents that have already passed through the organization.

66


Daniel Burley Woolfall – de 1906 a 1918 (12 anos) – Inglaterra Administrador da Federação Inglesa de Futebol, nascido em Blackburn, Daniel Burley Woolfall foi eleito presidente em 4 de junho de 1906. Uma meta importante durante a sua presidência foi a unificação internacional das regras, e ele desempenhou um papel relevante para a redação da nova constituição da FIFA. Com Woolfall, a aplicação das regras conforme o padrão inglês passou a ser obrigatória em todo o mundo, e os jogos de seleções ganharam uma definição mais clara. Ele ajudou a organizar a primeira competição internacional de futebol de renome, os Jogos Olímpicos de 1908 em Londres. Também incorporou à FIFA os primeiros membros não europeus (África do Sul, Argentina, Chile e Estados Unidos). O mandato foi interrompido pelo início da Primeira Guerra Mundial e encerrado com a sua morte em agosto de 1918. Foto: FIFA

Jules Rimet – de 1921 a 1954 (33 anos) – França A troca de nome do troféu da Copa do Mundo da FIFA em homenagem a Jules Rimet em 1946 foi um reconhecimento do trabalho do francês, que celebrava o seu 25º ano na presidência, para o estabelecimento daquela que logo que se tornou a maior competição esportiva mundial. Inspirado pelo sucesso do Torneio Olímpico de Futebol, Rimet foi o grande promotor da criação da Copa do Mundo da FIFA em 1930. O objetivo principal foi a reaproximação das nações por meio do esporte após o final da Primeira Guerra Mundial. Ele supervisionou a organização das cinco primeiras edições antes de entregar o seu “troféu” pela última vez ao capitão da Alemanha Ocidental Fritz Walter em junho de 1954. No mesmo mês, o então octogenário encerrou o seu longo mandato, durante o qual a FIFA passou de 20 a 85 federações afiliadas e nomeou o seu primeiro presidente honorário. Foto: FIFA

Rodolphe Seeldrayers – de 1954 a 1955 (1 ano) – Bélgica Advogado de Bruxelas, Rodolphe William Seeldrayers foi um esportista de sucesso na juventude, tendo conquistado o Campeonato Belga com o Racing da sua cidade, mesmo clube do qual ainda seria presidente. Como administrador esportivo, ajudou a fundar a Federação Belga de Futebol e fez parte do Comitê Olímpico Internacional. Na FIFA, foi vice-presidente por 27 anos antes de suceder Jules Rimet, grande camarada seu. Seeldrayers foi presidente durante a Copa do Mundo da FIFA 1954 e também presidiu as comemorações do 50º aniversário da entidade no mesmo ano. Ele morreu no decorrer do seu mandato, em 7 de outubro de 1955. Foto: FIFA

67


Arthur Drewry – de 1955 a 1961 (6 anos) – Inglaterra Arthur Drewry foi presidente interino por seis meses até assumir o cargo nas eleições de 1956. Ao lado de Stanley Rous, havia apoiado os esforços de Jules Rimet para reincorporar as federações britânicas à FIFA em 1946. Também havia sido presidente da Liga Inglesa de Futebol e da Federação Inglesa de Futebol. Em meio ao seu mandato de quase cinco anos, até o falecimento aos 70 anos em 25 de março de 1961, Drewry supervisou a Copa do Mundo da FIFA 1958 na Suécia.

Foto: FIFA

Foto: FIFA

Stanley Rous – de 1961 a 1974 (13 anos) - Inglaterra Sir Stanley Rous já havia dado uma bela contribuição ao futebol dentro e fora de campo antes de assumir a presidência da FIFA. Árbitro de renome internacional, chegou a dirigir a final da Copa da Inglaterra e 36 partidas de seleções. Nomeado secretário da Federação Inglesa em 1934, havia participado da redação das novas regras do futebol em 1938 e utilizado a sua paciente diplomacia para pavimentar o caminho de volta das nações britânicas à FIFA em 1946. Rous recebeu o título de “Sir” em 1949 pelo trabalho em prol dos Jogos Olímpicos de Londres no ano anterior e do esporte em geral. Ao assumir o cargo em 1961, foi o terceiro inglês presidente da FIFA. Durante o seu mandato, a Copa do Mundo da FIFA se transformou em um espetáculo televisivo de sucesso, passando a ser transmitida em cores a partir do México 1970. Quatro anos antes, Rous testemunhou o título mundial inglês conquistado no próprio país.

João Havelange – de 1974 a 1998 (24 anos) – Brasil O Dr. João Havelange foi presidente da FIFA durante 24 anos, comandando um período de profundas mudanças na organização. Nadador e jogador de polo aquático olímpico quando jovem, Havelange se destacou como administrador de futebol pelo aumento do número de participantes da Copa do Mundo da FIFA de 16 para 32, pela criação de novas competições (os Mundiais Sub-17 e Sub-20 no final da década de 80; a Copa das Confederações da FIFA e a Copa do Mundo Feminina da FIFA no início da década de 90) e pela maior participação de seleções da Ásia, África, CONCACAF e Oceania, regiões que juntas haviam tido apenas três vagas na Copa do Mundo da FIFA 1974. O número de funcionários da sede da FIFA em Zurique passou de 12 para quase 120 em função das maiores responsabilidades comerciais e de organização. 68

Foto: FIFA


Joseph Blatter – desde 1998 - Suíça Joseph S. Blatter já trabalhava na FIFA havia 23 anos quando assumiu a presidência do órgão máximo do futebol mundial em 8 de junho de 1998. Ex-jogador de futebol amador, inicialmente foi diretor técnico de programas de formação, ajudando a assentar os alicerces de futuros torneios femininos e de base. Trabalhou em conjunto com João Havelange como secretário-geral por nove anos antes passar a CEO, com importante papel na organização de cinco edições da Copa do Mundo da FIFA entre 1982 e 1998. O suíço também foi a força motriz da duradoura parceria da FIFA com as Aldeias Infantis SOS, que começou em 1994, e desde a sua eleição levou mais longe o alcance humanitário da entidade, formando uma aliança com a UNICEF. Reeleito para um segundo mandato em 29 de maio de 2002, Blatter expandiu as competições da FIFA, desenvolvendo a Copa do Mundo de Clubes da FIFA e introduzindo novos Mundiais de beach soccer e futsal. Foi reeleito para um quarto mandato no dia 1º de junho de 2011. Foto: FIFA

Robert Guérin – from 1904 to 1906 (2 years) – France French Robert Guérin was the propeller and responsible for FIFA’s foundation in 1904. Journalist from Le Matin, he was actively involved with football for being the secretary of the Department of Football from the Athletic Sports French Society Union. He gathered the seven original member countries in Paris for the signature of the minutes for FIFA foundation and the definition of the first entity’s statute. On 22 of May of 1904, at only 28 years of age, he was nominated president at the entity’s first congress. During the two years of term, Guérin was able to get the adhesion of another eight federations, amongst them the English. Daniel Burley Woolfall – from 1906 to 1918 (12 years) – England English Football Federation’s Administrator, born in Blackburn, Daniel Burley Woolfall was elected president on 4 of June of 1906. An important goal during his presidency was the international unification of rules, and he also performed a relevant role in writing the new FIFA constitution. With Woolfall, the enforcement of rules according to the English standard became mandatory all over the world, and matches from national teams got a clearer definition. He helped to organize the first renowned football international competition, the 1908 Olympic Games in London. He also incorporated the first non European members (South Africa, Argentina, Chile, and United States) to FIFA. His term was interrupted by the start of the 1st World War and ended with his death in August 1918. Jules Rimet – from 1921 to 1954 (33 years) – France The change of the FIFA World Cup trophy in honor of Jules Rimet in 1946 was an acknowledgement for the Frenchman’s works, who celebrated the 25th year on its presidency, for the institution of that which soon became the biggest sports competition, the World Cup. Inspired by the success of the Football Olympic Tournament, Rimet was the great promoter for the creation of the FIFA World Cup in 1930. The main objective was to bring nations back together by means of sports after the end of the 1st World War. He supervised the organization of the first five editions before handing out his “trophy” for the last time to West Germany’ captain Fritz Walter in June 1954. In the same month, then at about eighty years of age he ended his long term, during which FIFA went from 20 to 85 affiliated federations and was named its first honorary president. Rodolphe Seeldrayers – from 1954 to 1955 (1 year) – Belgium Attorney from Brussels, Rodolphe William Seeldrayers was a successful sportsman when in his youth, having won the Belgian championship with his city’s Racing, same club he would afterwards preside. As a sports administrator, he helped to found the Belgian Football Federation and was part of the International Olympic Committee. At FIFA, he was vice-president for 27 years before succeeding Jules Rimet, his great pal. Seeldrayers was president during FIFA’s 1954 World Cup and also presided the celebrations for the entity’s 50th birthday the same year. He died during his term, on 7 of October of 1955. Arthur Drewry – from 1955 to 1961 (6 years) – England Arthur Drewry was acting president for six months until taking over the position in the 1956 elections. With Stanley Rous, he had supported Jules Rimet efforts for bringing the British federations back to FIFA in 1946. He had also been president of the English Football League and the English Football Federation. In the middle of his term of almost five years, until his death at 70 years of age on 25 of March of 1961, Drewry supervised the 1958 FIFA World Cup in Sweden. Stanley Rous – from 1961 to 1974 (13 years) - England Sir Stanley Rous had already given a huge contribution for football in and off the fields before taking over FIFA’s presidency. Internationally renowned referee, he got to referee England World Cup final and 36 national team matches. Appointed secretary of the English Federation in 1934, he had participated of the writing of the new football rules in 1938 and used his patient diplomacy to pave the way of British nations back to FIFA in 1946. Rous received the title of “Sir” in 1949 for the work for the London Olympic Games in the previous year and for sports in general. When taking over the post in 1961, he was FIFA’s third English president. During his term, FIFA World Cup became a successful TV spectacle, being broadcast in color since Mexico 1970. Four years before, Rous witnessed the English World Cup title in his own country. João Havelange – from 1974 to 1998 (24 years) – Brazil Mr. João Havelange was FIFA’s president for 24 years, heading a period of deep changes in the organization. Swimmer and Olympic water polo player when young, Havelange distinguished himself as football administrator due to the increase in the number of FIFA World Cup participants from 16 to 32, for the creation of new competitions (the Under-17 and Under-20 World Cups at the end of the 1980s; the FIFA’s Confederations Cup and the FIFA’s Women World Cup in the beginning of the 1990s) and for the greater participation of national teams from Asia, Africa, CONCACAF and Oceania, regions that had only had three spots in the 1974 FIFA World Cup. The number of employees at FIFA headquarters went from 12 to almost 120 due to the greater commercial and organizational responsibilities. Joseph Blatter – since 1998 - Switzerland Joseph S. Blatter had worked for FIFA for 23 years when he took over the maximum position in world football on 8 of June of 1998. Former amateur football player, initially he was a technical director for development programs, helping to establish the basis for the future women and base categories tournaments. He worked along João Havelange as a generalsecretary for 9 years before becoming CEO, with important role in the organization of five editions of FIFA World Cup between 1982 and 1998. The Swiss was also the driving force for FIFA’s partnership with the SOS Children’s Villages, started in 1994, and since his election has taken further the humanitarian reach of the entity, with alliances with UNICEF. Reelected for a second term on 29 of May of 2002, Blatter expanded FIFA’s competitions, developing the FIFA Club World Cup and introducing new World Cups for beach soccer and futsal. He was reelected for a fourth term on 1st of June of 2011

69


Presidente da FIFA Joseph Blatter, um dos mais versáteis e experientes nomes da diplomacia esportiva internacional, tem um compromisso total com o trabalho pelo futebol, pela FIFA e pelos jovens do mundo inteiro. Ciente das realizações do suíço, o Comitê Olímpico Internacional o nomeou como o seu 104º membro durante a 109ª sessão do organismo, em Seul, em 20 de junho de 2007. Graças aos muitos anos de serviço em vários setores do futebol mundial, Blatter possui a visão e o conhecimento necessários para lidar com os muitos desafios do futebol moderno, conduzindo-o ao novo milênio. Para isso, ele pretende desenvolver uma permanente e moderna rede de comunicação, integrando ainda mais os homens, que sempre protagonizaram o futebol mundial, mas aumentando também a participação das mulheres jogadoras, técnicas e árbitras no processo decisório sobre os rumos desse esporte. Além disso, quer cooperar de forma mais estreita com as confederações, com as federações e ligas nacionais e com os clubes, além de estabelecer um diálogo mais aberto com os parceiros econômicos, políticos, sociais e culturais da FIFA. O futebol é o esporte de equipe por excelência e, segundo Blatter, oferece “educação básica, formação de caráter e espírito de luta, além de respeito e disciplina”. Com isso, e mais os valores do jogo limpo, ele também pode contribuir para um melhor entendimento entre os povos do mundo. “Futebol é espetáculo e entretenimento e, portanto, exerce uma atração única sobre a mídia”, garante o presidente. “Ele libera a criatividade artística, gera muitos empregos e, acima de tudo, é uma fonte inesgotável de paixão e alegria. É uma atividade física que, ao mesmo tempo, mexe com as emoções. É o jogo mais popular e comentado do mundo.” Por esse motivo, o lema do dirigente é “futebol para todos e todos pelo futebol”. Nas regiões menos privilegiadas do mundo, o futebol gera esperança e é uma promessa de ascensão social. Blatter está seguro de que, por meio de pesquisas técnicas e científicas de relevância, a modalidade pode dar more . Also, want to cooperate more closely with the confederations , federations and with the national leagues and clubs , and to establish a more open dialogue with the economic, political , social and cultural partners of FIFA.

FIFA President Joseph Blatter , one of the most versatile and experienced names in international sport diplomacy , has a total commitment to work for football , FIFA and the youth of the world . Aware of the achievements of the Swiss , the International Olympic Committee named him as its 104th member during the 109th session of the body , in Seoul on June 20, 2007 . Thanks to many years of service in various sectors of world football, Blatter has the vision and knowledge necessary to deal with the many challenges of modern football , leading them to the new millennium . For this, he intends to develop a permanent and modern communication network , integrating men who always starred in world football , but also increasing the participation of women players , referees and techniques in decision-making about the direction this sport even

uma valiosa contribuição para a melhora da saúde pública, o que demonstra o importante papel que esse esporte tem na sociedade. Devido ao seu grande sucesso, o futebol é o foco das atenções de muitos interesses econômicos. Por esse motivo, Blatter afirma que manter o lado humano do esporte, criando um equilíbrio saudável entre as suas muitas facetas, é um desafio constante e, ao mesmo tempo, o seu principal objetivo. Há muitos anos, o suíço vem se envolvendo em uma série de projetos humanitários, já que acredita que o futebol também tem uma grande responsabilidade diante da sociedade. Foi Blatter quem deu impulso à parceria com a ONG Aldeias Infantis SOS Internacional, em 1994. A organização mantém mais de 130 aldeias para crianças de todas as partes e recebe apoio financeiro e material da FIFA. Desde que foi eleito presidente da entidade, Blatter se aliou ao UNICEF, órgão da ONU para as crianças, e ajudou no lançamento da campanha “Pura Esperança, Puro Futebol”. No dia 20 de novembro de 2001, uniu-se a outro projeto da organização, o “Diga Sim pelas Crianças”. Lançada pouco antes do Mundial da Coreia do Sul/Japão 2002, a iniciativa buscava conscientizar o mundo sobre os direitos das crianças e serviu de mote para a primeira Copa do Mundo da FIFA dedicada às causas humanitárias.

Football is a team sport par excellence and, according to Blatter , offers “ basic education , character formation and fighting spirit , but respect and discipline .” With this, and more the values of ​​ fair play , it can also contribute to a better understanding between the peoples of the world. “ Football is spectacle and entertainment and therefore exerts a unique attraction on the media ,” says the president. “ It frees artistic creativity , generates many jobs and , above all, is an inexhaustible source of passion and joy . It is a physical activity that at the same time , stirs the emotions . It is the most popular and talked about the game world . “ Therefore , the motto of the ruling is “ football for all and all for football “.

O presidente da FIFA também deu o seu apoio a um projeto em conjunto com a Organização Mundial da Saúde, chamado “Chute a poliomielite para fora da África”. Além disso, oferece ajuda a campos de refugiados, fornecendo material esportivo. Ele e a FIFA estão totalmente comprometidos na luta contra o trabalho infantil. Sob o seu comando, a entidade assinou um código de conduta com a Organização Internacional do Trabalho.

In the less privileged regions of the world, soccer offers hope and a promise of social mobility . Blatter is confident that , through technical and scientific research of relevance, the sport can make a valuable contribution to the improvement of public health , which demonstrates the important role that sport has on society .

Joseph Blatter é também o representante do COI no Conselho Fundador da Agência Mundial Antidoping.

70

Fonte: Portal da FIFA


Presidente FIFA Joseph Blatter

Foto: Marcello Casal Jr / ABr

Due to its huge success , football is the focus of attention of many economic interests . For this reason , Blatter said that keeping the human side of the sport , creating a healthy balance between its many facets , is a constant challenge and at the same time, your main goal . Many years ago , the Swiss has been involved in a number of humanitarian projects , since they believe that football also has a great responsibility to society . Was Blatter who gave impetus to the partnership with SOS Children’s Villages International NGO in 1994 . Organization has more than 130 villages for children of all parties and receives financial and material support of FIFA. Since being elected president of the organization , Blatter has joined the UNICEF , the UN agency for children , and helped launch the “ Pure Hope , Pure Football “ campaign. On November 20, 2001 , he joined another project of the organization , the “ Say Yes for Children “ . Launched just before the South Korea / Japan 2002 World Cup , the initiative sought to educate the world about children’s rights and served as the theme for the first World Cup FIFA dedicated to humanitarian causes . FIFA President also gave his support to a project in conjunction with the World Health Organization , called “Kick Polio out of Africa “ . Additionally, it provides helps refugee camps , providing sports equipment . He and FIFA are fully committed to the fight against child labor . Under his leadership , the organization has signed a code of conduct with the International Labour Organisation . Joseph Blatter is also the representative of the Foundation Board of the IOC World Anti-Doping Agency .

71


Presidentes da Confederação Brasileira de Futebol Fundada em 20 de agosto de 1914, a CBD – Confederação Brasileira de Desportos – é a atual CBF (Confederação Brasileira de Futebol), entidade máxima do futebol no Brasil. A entidade, tal como existe hoje, foi fundada em 24 de setembro de 1979, entes disso, o futebol, como os demais esportes praticados em território nacional, não era modalidade esportiva organizada. A CBF é responsável também pela organização de campeonatos de alcance nacional, como o Campeonato Brasileiro das séries A, B, C e D, além da Copa do Brasil. A entidade também é responsável pela Seleção Brasileira de Futebol Masculina, pentacampeã, e a Seleção Brasileira de Futebol Feminino, duas vezes vicecampeã mundial. Ao longo desses anos diversos presidentes já passaram pela casa, sendo que, o maior deles, que ficou mais tempo e saiu em meio a fortes escândalos, foi Ricardo Teixeira. O dirigente foi acusado de nepotismo no preenchimento de cargos na CBF, pagamento de viagens para países sedes da Copa do Mundo a magistrados e autoridades, importação irregular e ainda se viu envolvido em comissões parlamentares de inquérito na Câmara de Deputados e no Senado Federal. Até 1996 a CBF apresentava lucro, mas depois desta data, curiosamente, depois de assinar um contrato milionário com a Nike, começou apresentar prejuízos. A entidade então tomou dinheiro emprestado de origem duvidosa, pagando juros muito mais altos do que o de mercado, em alguns casos de cerca de 43%. Descobriu-se uma série de empresas de Ricardo Teixeira e de comparsas ligadas a transações irregulares de dinheiro. Entretanto, em depoimento na CPI, afirmou que havia ganhado tanto dinheiro investindo em ações, mesmo sabendo-se que havia falido neste ramo no início de sua carreira. Depois dos escândalos, Ricardo Teixeira renunciou ao cargo, alegando problemas de saúde, deixando a cadei-

ra para o sucessor e então vice-presidente da CBF, José Maria Marin. Relacionamos abaixo os presidentes que a CBF já teve: Álvaro Zamith – de 20/11/1915 a 04/11/1916 Arnaldo Guinle – de 04/11/1916 a 08/01/1920 Ariovisto de Almeida Rêgo – de 08/01/1920 a 16/04/1921 José Eduardo M. Soares – de 16/04/1921 a 26/01/1922 Oswaldo Gomes – de 26/01/1922 a 26/01/1924 Wladimir Bernardes – de 26/06/1924 a 19/12/1924 Oscar Rodrigues da Costa – de 19/12/1924 a 13/10/1927 Renato Pacheco – de 13/10/1927 a 23/09/1933 Álvaro Catão – de 23/09/1933 a 05/09/1936 Luiz Aranha- de 05/09/1936 a 28/01/1943 Rivadávia Correa Mayer – de 28/01/1943 a 14/01/1955 Sylvio Correa de Pacheco – de 14/01/1955 a 14/01/1958 João Havelange – 14/01/1958 a 10/01/1975 Heleno de Barros Nunes – de 10/01/1975 a 18/01/1980 Giulite Coutinho – de 18/01/1980 a 17/01/1986 Octávio Pinto Guimarães – de 17/01/1986 a 16/01/1989 Ricardo Terra Teixeira – de 16/01/1989 a 12/03/2012 José Maria Marin – desde 12/03/2012 Founded on 20 of August of 1914, CBD – Brazilian Sports Confederation – is today’s CBF (Brazilian Football Confederation), maximum football entity in Brazil. The entity, as it is today, was founded on 24 of September of 1979, and before such time football, as all other sports practiced in national territory, was not an organized sports modality. CBF is also responsible for the organization of national tournaments, such as the Series A, B, C, and D Brazilian Championship, and also the Brazil’s Cup. It is also responsible for the Men’s Football Brazilian national team, five time champion, and the Women’s Football Brazilian national team, two-time World Cup runner-up. Throughout these years several presidents have passed through the house, with the biggest of them who spent the longest in office and left amidst huge scandals, was Ricardo Teixeira. The chairman was accused of nepotism regarding distribution of posts at CBF, payment of travels to World Cup host-countries for magistrates and authorities, irregular import, and was also involved in congress inquiry commissions at the Chamber of Deputies and Federal Senate. Until 1996 CBF was profitable, but after such date, curiously, after signing a multi-million Dollar contract with Nike, started presenting losses; the entity, then, borrowed money from a dubious origin, paying interest extremely higher than the market, in some cases of about 43%. It was discovered that several companies owned by Ricardo Teixeira and also companies from his friends were connected to irregular financial transactions. However, in statement to the CPI, he stated that he had made so much money investing in stocks, even with the audience knowing he had gone bankrupt in this line of business in the beginning of his career. After scandals, Ricardo Teixeira resigned, alleging health problems, leaving the post to his successor then CBF vice-president, José Maria Marin. We have listed below all CBF presidents:

72


Presidente José Maria Marin confere o estádio do Mineirão em BH

Foto: Ricardo Stuckert

73


Os principais adversários do Brasil Antes de falar sobre os principais adversários do Brasil vamos explicar que geralmente as guerras, nem sempre se resumem a simples oposição de exércitos em um tenso campo de batalha. Para quem não acredita em tal afirmativa, basta ir a um bom jogo de futebol para comprovar que outras guerras são travadas sem que para isso percamos o nosso tempo adquirindo uma pesada artilharia. No futebol sul-americano, a rivalidade de Brasil e Argentina foi responsável por espetáculos esportivos que marcaram o século XX. Contudo, de onde surgiu essa rivalidade com nossos “hermanitos portenhos”? A “rixa” começou basicamente muito antes do futebol, mas com o passar dos anos acabou ficando a cargo dos jogadores, times e torneios que atraem o público apaixonado por futebol através dessa antiga rivalidade histórica. E quem não lembra também da “rixa” com os Uruguaios, que na Copa do Mundo de 1950, quando sediamos os jogos, ganharam da seleção brasileira, nos deixando em segundo lugar. Ou então a França, que nas edições de 1998 e 2006 nos deixaram como vice-campeões e nos eliminaram da competição, respectivamente. Sem mencionar a Alemanha e Itália. Mas claro, existe o “rancor” das seleções que eliminaram o Brasil na final e, também existem aquelas que conseguiram nos eliminar antes disso. Por isso, vamos passear pela história. Foto: Danilo Borges/ Portal da Copa

74

A vitória sobre a Espanha na Copa das Confederações (2013) mostrou que estamos no caminho certo para conquistar o hexa


Neymar driblando adversários no jogo do Brasil contra a Seleção Australiana (2013) Foto: Mowa Press

Em 1930 a estreia da Seleção Brasileira em Mundiais exigiu uma viagem de 15 dias de navio e refletiu um racha entre dirigentes do Rio de Janeiro e de São Paulo. Aquém do seu potencial máximo e diante de um rigoroso frio no inverno uruguaio, a equipe nacional foi derrotada na estreia pela Iugoslávia, por 2 x 1. Coube ao jogador Preguinho a honra de marcar o primeiro gol brasileiro em mundiais. O revés diante dos europeus significou a eliminação do Brasil, já que a Iugoslávia bateu a Bolívia por 4 x 0 e apenas uma equipe seguia para a semifinal. A seleção se despediu do Uruguai com uma goleada de 4 x 0 contra a mesma Bolívia, com dois gols de Moderato e outros dois de Preguinho.

Sem os uruguaios, então campeões, coube a Brasil e Argentina o papel de representantes da América do Sul no Mundial de 1934. Os dois países, que viriam a se tornar grandes forças do futebol, tiveram participações periféricas. Os argentinos caíram na estreia diante da Suécia, por 3 x 2, e os brasileiros perderam para a Espanha. A Argentina jogou sem qualquer atleta da equipe de 1930. Já o Brasil repetiu a receita mal sucedida da Copa anterior e não passou do primeiro duelo, na pior campanha do país na história dos mundiais: 3 x 1 para a Espanha.

Brazil’s main opponents Before speaking about Brazil’s main adversaries we shall explain that wars generally not always sum up to just an opposition of armies in a tense battlefield. For those who don’t believe in such a statement, simply go to a football match to verify that other wars are fought without having to waste our time acquiring heavy artillery.

Diferente os anos anteriores, em 1938 o Brasil conquistou o terceiro lugar e fez uma brilhante atuação no campeonato. Depois, com a Europa

In 1930 the Brazilian national team debut in World Cups demanded a 15-day trip by ship and reflected into a dissent between managers from Rio de Janeiro and São Paulo. Far from its maximum potential and facing a rigorous cold in the Uruguayan winter, the national team was defeated in the first match by Yugoslavia, 2 x 1. It was Preguinho’s honor to score the first Brazilian goal in World Cups. The setback against the Europeans meant Brazil’s elimination, as Yugos-

75

In the South American football, the rivalry between Brazil and Argentina was responsible for Sport spectacles that marked the 20th century. However, what is the origin of such rivalry with our “hermanitos portenhos”? The “brawl” started basically a long time before football, but as years gone by it became players, clubs, and tournaments responsibility, attracting the audience that loves football through this ancient rivalry. And who doesn’t remember the “brawl” with the Uruguayans that in the 1950 World Cup, when we hosted the tournament, beat the Brazilian national team, leaving us in second place. Or what about France, that on the 1998 and 2006 editions left us as runner-ups and eliminated us from the competition, respectively. Not to mention Germany and Italy. But, obviously, there is the “resentment” of national teams that eliminated Brazil in the final and, also there are those that were able to eliminate us before that, so let us go through history.


Neymar e Gerard Pique, no jogo, Brasil e Espanha (2013)

Foto: Danilo Borges/ Portal da Copa

se reerguendo da Segunda Guerra, coube ao Brasil a incumbência de retomar a rotina quadrienal das Copas do Mundo da FIFA, interrompida em 1942 e 1946 pelo conflito armado. Em 1950 o país sediou o evento, mas, o que era para ser alegria para os brasileiros, foi uma grande decepção. As 13 seleções se viram de frente com um regulamento pouco ortodoxo. Principalmente porque não houve final propriamente dita. Calhou de Uruguai e Brasil se enfrentarem na última rodada numa partida que valia o título, mas a fase decisiva, na verdade, era um quadrangular, que envolveu também Espanha e Suécia. O Brasil chegou ao duelo definitivo com histórico animador: goleadas por 7 x 1 sobre a Suécia e 6 x 1 sobre a Espanha. Os uruguaios tinham empatado em 2 x 2 com os espanhóis e batido os suecos por 3 x 2. Por isso, o Brasil jogou contra os rivais sul-americanos, campeões da primeira edição da Copa, em 1930, precisando apenas de um empate, que não conseguiu, mas vamos pular isso e ir para a Copa seguinte.

Em 1954 o Brasil chegou as quartas-de-final enfrentando a Hungria. Porém, o resultado não foi o esperado. A conquista do primeiro título mundial acabou após um encontro turbulento que ficou conhecido como a “Batalha de Berna”. Kocsis, que depois viria a ser o goleador da competição com 11 gols, balançou a rede duas vezes na vitória húngara por 4 x 2. O jogo ficou marcado pelas expulsões do húngaro Bozsik e dos brasileiros Nilton Santos e Humberto, além de uma briga já nos vestiários. Quatro anos depois... Agora sim! Com a dupla Pelé e Garrincha o Brasil chegou à semifinal, em um jogo duro com a França, que fechou em 5x2. Outra goleada viria na grande decisão: Brasil X Suécia. Os donos da casa saíram na frente, logo aos 4 minutos, com gol de Liedholm. Mas Vavá e Pelé marcaram dois gols cada e Zagallo fechou a conta. Foi o primeiro título do Brasil e a Copa que revelou Pelé, na época com 17 anos, vindo este a ser considerado, futuramente, por muitos o maior jogador da história do futebol. Em 1962, apesar do Rei Pelé ter sofrido uma contusão logo na segunda partida, a Seleção foi muito bem representada pelos craques Garrincha e Amarildo, que venceram da Tchecoslováquia e trouxeram novamente a taça para 76


casa. Infelizmente a história não se repetiu na Copa seguinte, onde nossos adversários foram os lusitanos, que venceram a Seleção por 3x1, mas repetiu-se em 1970 no México, onde mandamos os italianos de volta para casa.

em Barcelona, à vitória por 3 x 2 da Itália sobre o Brasil de Zico, Falcão, Sócrates, Júnior, Cerezo, Éder e tantos outros. De lá em diante o sonho dos brasileiros continuou em queda. Em 1986 os franceses nos mandaram para casa. Em 1990 foi a vez dos argentinos, no confronto das oitavas de final. Mas a reviravolta chegou em 1994. De um lado estava o Brasil engasgado com os italianos por causa da “Tragédia do Sarriá”, em 1982. Os italianos, por sua vez, também buscavam o tetra e não esqueciam que a última final entre os dois países terminara em goleada tupiniquim. Mas o Brasil voltou a reinar e conquistou mais um título.

O Brasil não conseguiu ao menos fazer lembrar a magia da seleção de 1970, a Inglaterra sequer se classificou para a Copa do Mundo de 1974 e a Argentina ainda era uma força menor do futebol, mas mesmo assim o Mundial disputado na Alemanha se tornou um marco para o esporte. Não fomos campeões, mas levamos para casa o terceiro lugar. Já no ano de 1978, uma Copa considerada cheia de polêmicas, o Brasil ficou em quarto lugar. Mas os piores adversários ainda estavam por vim.

O troco veio depois de quatro anos, mas dado por outro país, a França, que derrotou o Brasil por 3x0. Em 2002 foi a vez de se reerguer e levar o quinto título, deixando para vice a Alemanha. De lá pra cá o Brasil não conseguiu boas posições na tabela de classificação, quinto em 2006 e o sexto lugar em 2010.

Para os brasileiros, a Copa do Mundo de 1982, na Espanha, só não é mais traumática do que a de 1950. Realizada na Espanha, 32 anos depois, ficou marcada pela Tragédia do Sarriá. No dia 5 de julho de 1982, mais de 40 mil pessoas assistiram, no Estádio Sarriá,

lavia beat Bolivia 4 x 0 and only one team would advance to the semi-final. The national team left Uruguay after a 4 x 0 against the same Bolivia, with two goals from Moderato and another two from Preguinho. Without the Uruguayans, then champions, it became the role of Brazil and Argentina to represent South America in the 1934 World Cup. The two countries, that would become huge football powers, had peripheral participations. The Argentineans fell right on the first match against Sweden, 3 x 2, and the Brazilians lost to Spain. Argentina played without any of the athletes from the 1930 team. Brazil repeated the ill successful recipe from the previous Cup and did not go beyond the first match, in the country’s worst campaign in World Cups: 3 x 1 to Spain. Different from previous years, in 1938 Brazil ended in third place and had a brilliant performance in the tournament. After, with Europe rebuilding from the 2nd World War, it became Brazil’s role to resume the four-year routine of the FIFA World Cups, interrupted in 1942 and 1946 by the world conflict. In 1950 the country hosted the event, but what was to be joy for the Brazilians, became a huge deception. The 13 national teams faced an unorthodox regulation. Especially because there was no final match per say. By chance Uruguay and Brazil faced off in the last round in a match valid for the title, but the first round, in fact, was a four-team round that also involved Spain and Sweden. Brazil came to the final duel with an encouraging history: huge wins by 7 x 1 against Sweden and 6 x 1 over Spain. The Uruguayans had tied 2 x 2 with the Spanish and beaten the Swedish 3 x 2. So, Brazil played against the South American rivals, champions of the first edition of the Cup in 1930, needing only a draw, which it did not get, but let us skip that and move on to the following Cup. In 1954 Brazil reached the quarter finals facing Hungary, but the result was not what we hoped. The attempt of winning the first World Cup title ended after a turbulent meeting that became known as the “Battle of Berne”. Kocsis, who would later become the Cup’s top scorer with 11 goals, scored twice in the 4 x 2 Hungarian victory. The match was marked by red cards for Hungarian Bozsik and Brazilians Nilton Santos and Humberto, and also the fight in locker-room after the game. Four years later... Here it is! With duet Pelé and Garrincha Brazil arrived to the semi-finals in a hard played game against France, winning 5x2. Another high score game would come in the final match: Brazil X Sweden. The home team scored first, only four minutes into the first half, with a goal from Liedholm. But Vavá and Pelé scored two goals each and Zagallo another one. This was Brazil’s first title and the Cup that showed Pelé, then 17 years old, to the world and who would be considered, in years to come, by many the greatest football player in history. In 1962, although King Pelé had suffered a lesion right on the second match, the national team was well represented by aces Garrincha and Amarildo, beating Czechoslovakia and again brought the trophy home. Unfortunately history did not repeat itself four years later, when our adversaries were the Portuguese that beat the national team 3x1, but repeated itself in 1970 in Mexico, when we send the Italians back home. Brazil could not even remind us of the 1970 national team magic, England did not even qualify for the 1974 World Cup and Argentina was still a smaller power in international football, but even with all these details the World Cup played in Germany became a mark for sport. We did not become champions, but we brought home third place. In 1978, a Cup deemed full of polemic, Brazil placed fourth. But the worst adversaries were yet to come. For Brazilians the 1982 World Cup in Spain is the second most traumatic, after only 1950. Held in Spain, 32 years later, it was marked by the Sarriá Tragedy. On 5 of July of 1982, over 40 thousand people watched, at Sarriá Stadium, in Barcelona, Italy’s 3 x 2 victory over Brazil from Zico, Falcão, Sócrates, Júnior, Cerezo, Éder, and many others. From then on, the Brazilian dream continued in a downward path. In 1986 the French sent us home. In 1990 the Argentineans did it, in the round of 16 match. But the comeback arrived in 1994. On one side Brazil chocked with the Italians due to the “Sarriá Tragedy” in 1982. The Italians, on the other, were also seeking their fourth title and could not forget the last final match between the two countries that ended with a 4 x 1 score for Brazil. But Brazil ruled again and won yet another title. Payback came after four years, but by another country, France, defeating Brazil 3x0. In 2002 another comeback and the fifth title leaving 2nd place for Germany. From then on Brazil did not place well in Cups, fifth in 2006 and sixth in 2010.

77


Foto: Danilo Borges/ Portal da Copa

78


Torcida Brasileiro no jogo contra Espanha (2013)

79


CapĂ­tulo Onde foram realizadas as Copas

Um dos esportes mais populares do mundo Chapter 2 - Where the Cups were held One of the most popular sports in the world

2 80


81


Os locais onde foram realizadas as Copas do Mundo A escolha da sede da Copa do Mundo é feita, em média, seis anos antes de o evento acontecer. Antigamente, a escolha era feita pela própria Federação Internacional de Futebol, mas desde a década de 90, a FIFA instituiu que seria feito um revezamento entre as seis confederações de futebol, para acabar com a alternância entre Américas e Europa, que vigorava desde os anos 50.

dido que algum membro da CONMEBOL sediaria o evento. Colômbia, Argentina e Brasil foram indicados. Mas, em 2006, a Confederação decidiu que apresentaria o Brasil como único candidato. O Brasil enviou então para Zurique, na Suiça, uma delegação para apoiar a candidatura, incluindo o então presidente da república na época, Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, 12 governadores estaduais, o ministro do Esporte na época, Orlando Silva, além do atacante Romário e Dunga, técnico da seleção brasileira naquela oportunidade. Foram mostrados vídeos com imagens dos jogos da seleção brasileira, cidades selecionadas para organizar o evento, pontos turísticos e explicação sobre os projetos das construções dos novos estádios.

Desta forma há sempre um rodízio entre Confederação Asiática de Futebol (AFC), Confederação Africana de Futebol (CAF), Confederation of North, Central American and Caribbean Association Football (CONCACAF), Union of European Football Associations (UEFA), Oceania Football Confederation e Confederação Sulamericana de Futebol (CONMEBOL). Por isso, como a Copa de 2010 foi na África do Sul e a de 2014 será no Brasil, países da África e da América do Sul não poderão se candidatar como sedes para 2018. Com isso, sem ter concorrentes, só seria necessário atender às exigências da FIFA. Depois da visita dos fiscais, Para que um País sedie uma Copa do Mundo, a FIFA em 2007, foi anunciado que a Copa de 2014 aconteexige que ele possua pelo menos 12 campos de futebol, ceria em terras brasileiras. Já em maio de 2009, foram com capacidade mínima para 40 mil pessoas. O estádio anunciadas oficialmente as 12 cidades que sediarão os da final deve ter pelo menos 80 mil lugares - essa regra jogos: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto passará a valer para 2018, até então, a exigência era de Alegre, Brasília, Curitiba, Salvador, Recife, Natal, For60 mil assentos. Também é importante que exista ca- taleza, Manaus e Cuiabá. pacidade de transmitir o evento para as TVs de todo o mundo, tecnologia para suportar o grande volume de Desde 1930, quando foi disputado pela primeira vez troca de informações, por internet e telefone, infraes- no Uruguai, o Mundial é realizado a cada quatro anos. A quebra na tradição ocorreu apenas na década de trutura de transportes, além de acomodação. 1940, devido à Segunda Guerra Mundial. Com a EuPara ter certeza de que o País atende às exigências, fis- ropa em reconstrução, a 5ª Copa, em 1950, aconteceu cais da FIFA visitam os candidatos. Depois, há uma no Brasil, mas quem levou a taça foi o Uruguai. O Braeleição entre os membros da comissão da federação. Se sil conquistou seu primeiro título na Copa do Mundo o País conseguir mais de 50% dos votos, é escolhido oito anos depois, em 1958, na Suécia. Hoje, orgulha-se para receber a Copa. O processo para a escolha do Bra- de possuir uma seleção pentacampeã, a que mais vezes sil como sede começou em 2003, quando ficou deci- venceu o torneio. 82


Copa do Mundo de 1930 País sede: Uruguai

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1934 País sede: Itália

Foto: Portal da Copa

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1938 País sede: França

83


Copa do Mundo de 1954 País sede: Suíça

Foto: Portal da Copa

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1950 País sede: Brasil

84

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1958 País sede: Suécia


Copa do Mundo de 1962 País sede: Chile

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1966 País sede: Inglaterra

Foto: Portal da Copa

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1970 País sede: México

85


Copa do Mundo de 1978 País sede: Argentina

Foto: Portal da Copa

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1974 País sede: Alemanha

86

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1982 País sede: Espanha


Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1986 País sede: México

Copa do Mundo de 1990 País sede: Itália

Foto: Portal da Copa

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1994 País sede: Estados Unidos

87


Copa do Mundo de 2002 País sede: Coréia do Sul/Japão

Foto: Portal da Copa

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 1998 País sede: França

88

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 2006 País sede: Alemanha


Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 2014 País sede: Brasil

Foto: Portal da Copa

Copa do Mundo de 2010 País sede: África do Sul

The places where the World Cups were held The choice for the World Cup venue is done, on average, six years before the event taking place. In other times, the choice was done by the International Football Federation itself, but since the 1990s FIFA has instituted what would be an alternation between the six football confederations, ending the alternation between the Americas and Europe, in effect since the 1950s. With this format there is always a rotation between the Asian Football Confederation (AFC), African Football Confederation (CAF), Confederation of North, Central American and Caribbean Football Associations (CONCACAF), Union of European Football Associations (UEFA), Oceania Football Confederation, and South American Football Confederation (CONMEBOL). So, as the 2010 Cup was held in South Africa and the 2014 edition will be in Brazil, countries from Africa and South America will not be able to candidate themselves as host countries for 2018. For a country to host a World Cup, FIFA demands it has at least 12 football fields, with minimum capacity for 40 thousand people each. The final match stadium must have at least 80 thousand seats – this rule will be in effect in 2018, and until then the requirement is for 60 thousand seats. Another important detail is that there is capacity for broadcasting the event to TV stations around the world, technology to support the enormous volume of information exchange, via internet and telephone, transportation infrastructure, besides accommodations. To be certain the country complies with the demands, FIFA inspectors visit the candidates. Later, there is an election between members of the federation commission. If the country receives more than 50% of the votes, it is chosen for hosting the Cup. The process for choosing Brazil as the host-country started in 2003, when it was decided that a member from CONMEBOL would host the event. Colombia, Argentina, and Brazil were appointed, but in 2006, the Confederation decided it would present Brazil as sole candidate. Brazil then sent a delegation to Zurich, Switzerland, to support the candidacy, including then President of the Republic, Luiz Inácio Lula da Silva, CBF president, Ricardo Teixeira, 12 state governors, the minister of Sports at the time, Orlando Silva, and also striker Romário and Dunga, then coach of the Brazilian National Team. Videos with images of Brazilian National Team matches, cities selected for organizing the event, and tourist attractions were exhibited, and explanations were given on the projects for construction of new stadiums. With that and no competition, it would only be necessary to comply with FIFA demands. After the inspectors visit in 2007, it was announced that the 2014 Cup would be held in Brazilian soil. In May 2009, the 12 cities that would host matches were officially announced: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Curitiba, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza, Manaus, and Cuiabá. Since 1930, when first played in Uruguay, the World Cup is held every four years. Tradition was broken only in the 1940s due to the 2nd World War. With Europe rebuilding, the 5th Cup, in 1950, took place in Brazil, but Uruguay won the tournament. Brazil won its first World Cup title eight years after that, in 1958, in Sweden. Today, we are proud of our five-time national team, the national team with most titles from the tournament. Below are listed the years of each championship and their host-countries. 1930 World Cup – Host-country: Uruguay / 1934 World Cup – Host-country: Italy / 1938 World Cup – Host-country: France / 1950 World Cup – Host-country: Brazil / 1954 World Cup – Host-country: Switzerland / 1958 World Cup – Host-country: Sweden / 1962 World Cup – Host-country: Chile / 1966 World Cup – Host-country: England / 1970 World Cup – Host-country: Mexico / 1974 World Cup – Host-country: Germany / 1978 World Cup – Host-country: Argentina / 1982 World Cup – Host-country: Spain / 1986 World Cup – Host-country: Mexico / 1990 World Cup – Host-country: Italy / 1994 World Cup – Host-country: United States / 1998 World Cup – Host-country: France / 2002 World Cup – Host-country: South Korea/Japan / 2006 World Cup – Host-country: Germany / 2010 World Cup – Host-country: South Africa / World Cup de 2014 –

89


Vantagens de sediar uma Copa Sediar um evento do tamanho da Copa do Mundo da FIFA muitas vezes pode gerar polêmica na sociedade local. Há pessoas que são a favor, pois acreditam no crescimento econômico e também as que são contra, pois acreditam tratar-se de desperdício de dinheiro público, que poderia ser investido em saúde e educação, por exemplo. Entretanto, em um primeiro momento, a Copa do Mundo só traz vantagens para o País sede. Os investimentos necessários em infraestrutura geram, nos anos que antecedem o evento, milhares de empregos. As oportunidades aparecem em todas as áreas da economia, desde as mais óbvias como a rede hoteleira até aquelas que sequer pensamos, como as de fábricas de placas de sinalização. Pense em um tipo de negócio. Pensou? De uma forma ou de outra irá se beneficiar com a realização da Copa do Mundo.

Advantages of hosting the Cup Hosting an event the size of FIFA’s World Cup may many times generate polemic in the local society. There are people for it, as they believe in economic growth, and also those against it, as they believe this is a waste of public money that could be invested in health and education, for example. However, in a first moment, the World Cup only brings advantages to the host-country. Investments necessary in infrastructure generate in years previous to the event, thousands of jobs. The opportunities appear in all areas of the economy, from those obvious such as the hotel chains to those we don’t even think of, such as traffic sign factories. Think about a type of business. Have you? One way or another it will benefit from the World Cup.

Durante a Copa todo o comércio será beneficiado pela que o País invista em infraestrutura (principalmente enxurrada de turistas que serão recebidos. As exigên- de mobilidade urbana) nas áreas próximas aos estácias da FIFA para a realização deste evento faz com dios onde serão realizados os jogos. Posteriormente a vantagem será o legado deixado, que inclui desde estradas melhores, transporte público mais adequado, rede hoteleira de primeiro mundo, além de esDuring the Cup all commerce shall be benefited by the torrent of tourists tádios maravilhosos. being welcomed to the country. FIFA demands for holding this event make the country invest in infrastructure (especially for urban mobility) in areas nearest to stadiums where the matches will be held. Afterwards, the advantage will be the legacy left, including better roads, more adequate public transportation, first world hotels, besides wonderful stadiums. Aside all that, Brazilians will also see improvements in several kinds of facilities used by tourists, and after the event, the trend is that such improvements may be enjoyed by Brazilians themselves. And what do us all Brazilians dream of: improvements in the telecommunications systems, especially internet and cell phones, aiming at supporting the high demand during the event. Another clear advantage is the national showcase, as Brazil will be more exposed and known by people from several places in the world. This way the Brazilian culture may be broadly displayed in international scope.

Afora de tudo isso, os brasileiros também terão melhorias nos diversos tipos de instalações utilizadas por turistas, que após o evento, a tendência é que estas melhorias possam ser usufruídas pelos próprios brasileiros. E o que todos nós brasileiros sonhamos: melhorias no sistema de telecomunicações, principalmente internet e celulares, visando atender a alta demanda durante os dias do evento. Outra nítida vantagem é a expressão nacional, pois o Brasil passará a ser mais conhecido por pessoas de vários locais do mundo. Desta forma a cultura brasileira poderá ser divulgada amplamente em esfera internacional. 90


O que cada País ganhou com a realização da Copa Até agora, foram realizadas 19 edições da Copa do Mundo. O Brasil conquistou o título cinco vezes, outros sete países levaram a taça do torneio: Itália (tetracampeã), Alemanha (tricampeã), Argentina (bicampeã), Uruguai (bicampeão), Inglaterra, França e Espanha. Esta última venceu pela primeira vez há quatro anos, em solo africano. Essas seleções voltaram para casa levando consigo a vitória e a taça, mas o que cada País-sede ganhou com isso? Não há dúvidas que a Copa do Mundo FIFA é uma oportunidade única para, sobretudo, projetar a imagem do Brasil no exterior, além de atrair recursos que possibilitarão o crescimento do País. O futebol é o esporte número um em todos os mercados, além de ter fãs mais fiéis do que em qualquer outro esporte, segundo dados da Pesquisa Sponsorship Intlligence/Publicis relativos, feita durante a Copa da Alemanha, em 2006. A Copa do Mundo FIFA também traz um grande impacto econômico: US$3,5 bilhões de impactos diretos e US$7 bilhões de impactos indiretos. Por isso, a organização do Mundial, traz consequências ao país anfitrião. Os investimentos para renovar ou construir estádios e as infraestrutura são consideráveis. Para o país anfitrião o ganho vem principalmente do fluxo de visitantes estrangeiros. Para termos uma noção dos benefícios que este grande evento trará, listamos o que trouxe para cada país sede. What each Country profited from hosting the Cup Up to the present, 19 editions of the World Cup were held. Brazil won five titles, another seven countries also won the trophy: Italy (four-time champion), Germany (three-time champion), Argentina (two-time champion), Uruguay (two-time champion), England, France, and Spain. This last one won for the first time four years ago, in African soil. These national teams returned home bringing with them victory and the trophy, but what has each host-country gained with that?

Copa do Mundo de 1930 – País sede: Uruguai O megaevento Copa do Mundo se mostrou lucrativo desde a sua primeira edição, arrecadando o valor de US$225 mil.

There are no doubts that the FIFA World Cup is a unique opportunity for, above all, project Brazil’s image abroad, besides attracting resources that shall enable the country to grow. Football is the number one sport in all markets, besides having fans more loyal than any other sports, according to data from the Research Sponsorship Intelligence/Publicis performed during the 2006 World Cup in Germany. The FIFA World Cup also brings great economic impact: US$ 3.5 billion in direct impacts and US$ 7 billion in indirect impacts.

Copa do Mundo de 1934 – País sede: Itália Mais que qualquer dinheiro, o evento foi usado como uma autopromoção do ditador Benito Mussolini, que viu as portas abertas para a divulgação do regime fascista.

Thus, the World Cup’s organization brings consequences to the host-country. Investments for renovating or building stadiums and infrastructure are considerable. For the host-country the gain comes especially through the foreign visitor flow. To have an idea of benefits this huge event will bring, we listed what it has brought to each host-country 1930 World Cup – Host-country: Uruguay The World Cup mega-event became lucrative since its first edition, collecting the amount of US$ 225 thousand.

Copa do Mundo de 1938 – País sede: França Assim como na Copa anterior, o evento também foi usado como uma autopromoção, desta vez para colocar o país no foco das atenções.

1934 World Cup – Host-country: Italy More than any money, the event was used as self-promotion by dictator Benito Mussolini, who saw open doors for publicizing the fascist regime. 1938 World Cup – Host-country: France As on the previous Cup, the event was also used as self-promotion, this time to bring a country to the center of attention.

Copa do Mundo de 1950 – País sede: Brasil A arrecadação total das bilheterias foi de 36,2 milhões de cruzeiros (cerca de R$ 26,4 milhões).

1950 World Cup – Host-country: Brazil The total revenue from ticket sales was 36.2 million Cruzeiros (about R$ 26.4 million). 1954 World Cup – Host-country: Switzerland The Cup boosted tourism – lodging, food, entertainment – and was excellent for the local economy

91


Foto: Divulgação

Aeroporto de Confins - BH

92


Imagens captadas em obras de marรงo de 2014 mostram mobilidade urbana em Belo Horizonte

Fotos: ME/ Portal da Copa / Rodrigo Lima

93


Copa do Mundo de 1954 – País sede: Suíça ficativo, de 0,5% nos 2 anos que antecederam a realiA Copa impulsionou o turismo – hospedagem, alimenta- zação da Copa, para 1,5% depois do evento. ção, entretenimento – e foi excelente para a economia local. Copa do Mundo de 1990 – País sede: Itália O crescimento do PIB do país estava deu um salto Copa do Mundo de 1958 – País sede: Suécia Resta prejudicada a análise dos impactos trazidos pele significativo, de 1,5% nos 2 anos que antecederam a evento, ainda mais quando o país-sede registra queda realização da Copa, para 2,5% depois do evento. nos números apresentados para o PIB, de qualquer forma pode-se destacar importante avanço nos meios de Copa do Mundo de 1994 – País sede: Estados Unidos comunicação, principalmente com as transmissões das Nova Iorque, São Francisco e Boston tiveram uma repartidas pela TV – no Brasil ainda não era possível acom- ceita de US$ 1,45 bilhão com o evento. O crescimento registrado na indústria hoteleira, em comparação com panhar os jogos televisionados - e, claro, pelo rádio. o ano anterior, foi de 10%. Já a indústria de alimentos e bebidas registrou um crescimento de 15%. Copa do Mundo de 1962 – País sede: Chile O país não disponibilizou dados sobre o crescimento da Copa do Mundo de 1998 – País sede: França economia pós Copa do Mundo FIFA. O Produto Interno Bruto (PIB) manteve-se em um bom nível de progressão. Cresceu apenas 2,3% em Copa do Mundo de 1966 – País sede: Inglaterra O país não disponibilizou dados sobre o crescimento da 1997, ano que antecedeu a Copa, contra um crescimento de 3,5% em 1998 e 3,0% em 1999. economia pós Copa do Mundo FIFA. Copa do Mundo de 1970 – País sede: México O México envidou os maiores esforços para promover um evento dentro dos padrões e do caderno de encargos da FIFA, de tal maneira que o principal ganho para o país, foi sem dúvida o aumento expressivo do turismo, por parte de estrangeiros, bem como o gasto médio por turista nas cidades envolvidas com a competição. Copa do Mundo de 1974 – País sede: Alemanha Ocidental A economia do país não estava boa e não melhorou muito no pós-Copa. A Alemanha estava dividida pelo muro do Berlim, no qual impedia a migração da população sob o regime comunista para o lado capitalista.

Copa do Mundo de 2002 – País sede: Coréia do Sul/Japão Impacto da ordem de US$ 24.8 bilhões na economia japonesa (0,6% da receita total) e US$8.9 bilhões na economia Coreana (2,2% da receita total). Copa do Mundo de 2006 – País sede: Alemanha A Alemanha também lucrou sediando a Copa do Mundo. E isso aconteceu antes, durante e também após o evento. Em 2005 o gasto médio dos turistas que visitaram a Alemanha estava em 174 euros por dia. Este número passou para 400 euros por dia durante a Copa. Comparando os meses de janeiro-julho de 2006 ao mesmo período do ano seguinte. Também foram gerados 40 mil empregos permanentes nesse pós Copa.

Copa do Mundo de 2010 – País sede: África do Sul Copa do Mundo de 1978 – País sede: Argentina Em meio à ditadura a Copa do Mundo serviu e para a pro- O sistema de transporte foi ampliado e aperfeiçoado, moção do regime adotado pelo presidente Jorge Videla. tendo sido disponibilizados para os visitantes, alternativas rodoviárias e ferroviárias de acesso aos estádios e nos percursos entre as cidades-sede. Segundo a central Copa do Mundo de 1982 – País sede: Espanha O país não disponibilizou dados sobre o crescimento da de informações da embaixada sul-africana, a criação de empregos foi outro ponto bastante relevante, atineconomia pós Copa do Mundo FIFA. gindo números em torno de 120 mil, o que também contribuiu para o crescimento do PIB que atingiu naCopa do Mundo de 1986 – País sede: México O crescimento do PIB do país estava deu um salto signi- quele ano, US$ 2.7 bilhões. 94


1958 World Cup – Host-country: Sweden The analysis of the impacts brought by the event are harmed even more when the host-country records decrease in numbers presented to the GDP; anyway the important advances in means of communications may be highlighted, especially with the broadcasting of matches on TV – in Brazil we still were not able to follow televised matches - and, of course, on the radio.

Aeroporto de Fortaleza

1962 World Cup – Host-country: Chile The country did not make data available on post FIFA World Cup economic growth. 1966 World Cup – Host-country: England The country did not make data available on post FIFA World Cup economic growth. 1970 World Cup – Host-country: Mexico Mexico made use of its best efforts to promote an event within FIFA standards, so as the main gain to the country was, without a doubt, the expressive increase in tourism by foreigners, as well as the average expenditure by tourists in cities involved with the competition. 1974 World Cup – Host-country: West Germany The country’s economy was not good and did not improve Fotos: ME/ Portal da Copa /Fabio Lima

Imagens captadas em obras de março de 2014 mostram mobilidade urbana em Fortaleza much after the Cup. Germany was divided by the Berlin Wall, which prevented the migration of the population under communist regime to the capitalist side. 1978 World Cup – Host-country: Argentina Amidst the dictatorship the World Cup served for promoting the regime adopted by president Jorge Videla. 1982 World Cup – Host-country: Spain The country did not make data available on post FIFA World Cup economic growth. 1986 World Cup – Host-country: Mexico The country’s GDP growth had a significant increase, from 0.5% during the two years before the Cup, to 1.5% after the event. 1990 World Cup – Host-country: Italy The country’s GDP growth had a significant increase, from 1.5% during the two years before the Cup, to 2.5% after the event. 1994 World Cup – Host-country: United States New York, San Francisco and Boston had revenue of US$ 1.45 billion with the event. Growth recorded in the hotel industry, compared to the previous year, was in a rate of 10%. On the other hand, the beverage industry recorded a 15% growth. 1998 World Cup – Host-country: France The GDP maintained a good progression level, growing only 2.3% in 1997, before the Cup, against a 3.5% growth in 1998 and 3.0% in 1999. 2002 World Cup – Host-country: South Korea/Japan Impact in the order of US$ 24.8 billion in the Japanese economy (0.6% of total revenue) and US$ 8.9 billion in the Korean economy (2.2% of total revenue). 2006 World Cup – Host-country: Germany Germany also profited from hosting the World Cup. And this occurred before, during, and after the event. In 2005 the average expense from tourists visiting Germany was at 174 Euros per day. This number went to 400 Euros per day during the Cup, comparing the months of January-July 2006 to the same period of the following year, and 40 thousand jobs were also generated in this post Cup period. 2010 World Cup – Host-country: South Africa The transportation system was amplified and improved, with road and railway alternatives for access to the stadiums and routes between the host-cities having been made available to visitors. According to the information central at the South African embassy, the creation of Jobs was another extremely relevant detail, reaching numbers at around 120 thousand, also contributing for the GDP growth that reached US$ 2.7 billion that year. Now it is Brazil’s turn of knowing what it will gain hosting the 2014 World Cup.

95


Aeroporto de Cuiabá

Imagens captadas em obras de março de 2014 mostram mobilidade urbana em Cuiabá

Fotos: ME/ Portal da Copa /José Medeiros

96


Aeroporto de Curitiba

Imagens captadas em obras de marรงo de 2014 mostram mobilidade urbana em Curitiba

Fotos: ME/ Portal da Copa /Alexandre Camieri

97


AeroportoJK - DF

Foto: Divulgação

98


Imagens captadas em obras de março de 2014 mostram mobilidade urbana em Brasília

Fotos: ME/ Portal da Copa / Tomás Faquini

99


Aeroporto de Manaus

Imagens captadas em obras de fevereiro de 2014 mostram mobilidade urbana em Manaus

Fotos: ME/ Portal da Copa /JosĂŠ Medeiros

100


Aeroporto de Natal

Imagens captadas em obras de marรงo de 2014 mostram mobilidade urbana em Natal

Fotos: ME/ Portal da Copa /Alexandre Camieri

101


CapĂ­tulo Quem ganhou cada Copa do Mundo

3

O mundo da bola Chapter 3 - Who won each World Cup The football world

102


103


Seleções vencedoras Quem foi o país sede de cada ano? Quem se sagrou campeão? E quem foi o vice? Quantas seleções participaram? Quem recebeu a Bola de Ouro FIFA, onde se condecora o melhor jogador do ano? Ou então quem recebeu em cada ano o prêmio Fair Play, que premia a Seleção que cumpriu todas as regras, além de ter bom senso e respeitar os jogadores adversários, árbitros e torcedores. Isso e muito mais listamos abaixo: Copa do Mundo de 1930 – País sede: Uruguai Campeão: Uruguai Vice: Argentina 3º lugar: EUA 4º lugar: Iugoslávia Artilheiro: Guillermo Stabile (Argentina) Seleções: 13 Abertura: 13 de julho de 1930 Encerramento: 30 de Julho 1930 Jogos: 18 Gols: 70 (média de 3,9 por jogo) Público: 434.500 (média de 24.138 por jogo) Resumo: O Uruguai foi palco da primeira Copa do Mundo no centenário da sua independência e conquista o título com a goleada de 4-2 sobre a rival Argentina. As grandes seleções europeias ignoram o torneio e os sul americanos dominaram a cena. O Brasil, cotado entre os favoritos, fez uma das piores campanhas da sua história devido a uma briga entre cartolas. Copa do Mundo de 1934 – País sede: Itália Campeão: Itália Vice: Tchecoslováquia 3º lugar: Alemanha 4º lugar: Áustria Artilheiro: Oldrich Nejedly (Tchecoslováquia) Seleções: 16 Abertura: 27 de maio de 1934 Encerramento: 10 de Junho de 1934 Jogos: 17 Gols: 70 (média de 4,1 por jogo) Público: 358.000 (média de 21.058 por jogo)

Resumo: Com o avanço do fascismo, a Copa virou instrumento de propaganda política nas mãos do ditador italiano Benito Mussolini. Sobraram suspeitas de fraude para favorecer o time da casa, que superou as fortes seleções da Espanha e da Áustria e conquistou o título com a virada de 2-1 sobre a Tchecoslováquia. O Brasil repetiu o fiasco de 1930 e não passou da primeira fase. Copa do Mundo de 1938 – País sede: França Campeão: Itália Vice: Hungria 3º lugar: Brasil 4º lugar: Suécia Artilheiro: Leônidas da Silva (Brasil) Seleções: 15 Abertura: 4 de junho de 1938 Encerramento: 19 de junho de 1938 Jogos: 18 Gols: 84 (média de 4,7 por jogo) Público: 376.000 (média de 20.888 por jogo) Resumo: Foi a última Copa antes da Segunda Guerra, entretanto as batalhas nos gramados já anteciparam a barbárie da Guerra, que se anunciava no cenário político europeu. Na final, a Itália conquistou um merecido bicampeonato com a goleada de 4-2 sobre a Hungria. O Brasil chegou em 3º lugar e empolgou os torcedores com o talento de Leônidas da Silva, artilheiro da Copa com sete gols. Winning National Teams What was the host-country each year? Who became champion? E who was runner-up? How many national teams participated? Who received FIFA’s Golden Ball, where is the best player of the year honored? Or what team received the Fair Play award each year, honoring the national team that complied with all the rules, besides having good sense and respecting the opponent players, referees, and fans. This and much more, listed below: 1930 World Cup – Host-country: Uruguay Champion: Uruguay Runner-up: Argentina 3rd place: EUA 4th place: Yugoslavia Top scorer: Guillermo Stabile (Argentina) National teams: 13 Opening: 13 of July of 1930 Closing: 30 of July of 1930 Matches: 18 Goals: 70 (average of 3.9 per match) Attendance: 434,500 (average of 24,138 per match) Summary: Uruguay was stage for the first World Cup in the centenary of its independence and wins the title with a 4 x 2 over its rival Argentina. The great European national teams ignored the tournament and the South Americans dominated the scene. Brazil, amongst the favorites, had one of its worst campaigns in history due to a disagreement between managers. 1934 World Cup – Host-country: Italy Champion: Italy Runner-up: Czechoslovakia 3rd place: Germany

104


Itália 1934

Foto: Ap Photo

4th place: Austria Top scorer: Oldrich Nejedly (Czechoslovakia) National teams: 16 Opening: 27 of May of 1934 Closing: 10 of June of 1934 Matches: 17 Goals: 70 (average of 4.1 per match) Attendance: 358,000 (average of 21,058 per match) Summary: With the advance of fascism, the Cup became an instrument of political propaganda in the hands of Italian dictator Benito Mussolini. Suspects of fraud were many for favoring the home team that overcame the strong national teams of Spain and Austria and won the title with a 2 x 1 comeback win against Czechoslovakia. Brazil repeated the fiasco of 1930 and did not go beyond the first round. 1934 World Cup – Host-country: Italy Champion: Italy

Runner-up: Czechoslovakia 3rd place: Germany 4th place: Austria Top scorer: Oldrich Nejedly (Czechoslovakia) National teams: 16 Opening: 27 of May of 1934 Closing: 10 of June of 1934 Matches: 17 Goals: 70 (average of 4.1 per match) Attendance: 358,000 (average of 21,058 per match) Summary: With the advance of fascism, the Cup became an instrument of political propaganda in the hands of Italian dictator Benito Mussolini. Suspects of fraud were many for favoring the home team that overcame the strong national teams of Spain and Austria and won the title with a 2 x 1 comeback win against Czechoslovakia. Brazil repeated the fiasco of 1930 and did not go beyond the first round.

105

World Cup de 1938 – Host-country: France Champion: Italy Runner-up: Hungary 3rd place: Brazil 4th place: Sweden Top scorer: Leônidas da Silva (Brazil) National teams: 15 Opening: 4 of June of 1938 Closing: 19 of June of 1938 Matches: 18 Goals: 84 (average of 4.7 per match) Attendance: 376,000 (average of 20,888 per match) Summary: This was the last Cup before the 2nd World War; however the battles on the fields anticipated the barbarism of the war, announced in the European political scenario. In the final, Italy won a deserved two-time championship with a 4 x 2 win over Hungary. Brazil finished 3rd and boosted fans with the talent of Leônidas da Silva, the Cup’s top scorer with seven goals.


Itรกlia 1938

106


107

Foto:Staff Ap


Foto: Ap Photo

108


Itรกlia 1982

109


Itรกlia 2006

110


Foto:Staff Ap

111


Copa do Mundo de 1950 – País sede: Brasil Campeão: Uruguai Vice: Brasil 3º lugar: Suécia 4º lugar: Espanha Artilheiro: Ademir (Brasil) Seleções: 13 Abertura: 24 de junho de 1950 Encerramento: 16 de julho de 1950 Jogos: 22 Gols: 88 (média de 4,0 por jogo) Público: 1.043.500 (média de 47.431 por jogo) Resumo: A primeira Copa disputada no Brasil tem um desfecho trágico para o público local. Um empate no último jogo garantia o título aos brasileiros, mas a seleção perdeu do Uruguai de virada e frustrou os 200 mil torcedores que lotavam o Maracanã. A derrota ganhou o apelido de Maracanazo e, durante muitos anos assombrou a memória dos brasileiros. 1950 World Cup – Host-country: Brazil Champion: Uruguay Runner-up: Brazil 3rd place: Sweden 4th place: Spain Top scorer: Ademir (Brazil) National teams: 13 Opening: 24 of June of 1950 Closing: 16 of July of 1950 Matches: 22 Goals: 88 (average of 4.0 per match) Attendance: 1,043,500 (average of 47,431 per match) Summary: The first Cup played in Brazil had a tragic ending for the local fans. A tie on the last match would assure Brazilians the title, but the national team lost to Uruguay on a comeback and frustrated the 200 thousand fans that crowded Maracanã. The defeat got the name of Maracanazo and for many years haunted the Brazilian memory. World Cup de 1954 – Host-country: Switzerland Champion: West Germany Runner-up: Hungary 3rd place: Austria 4th place: Uruguay Top scorer: Sandor Kocsis (Hungary) National teams: 16 Opening: 16 of June of 1954 Closing: 4 of July of 1954 Matches: 26 Goals: 140 (average of 5.4 per match) Attendance: 889,500 (average of 34,211 per match) Summary: Against all forecasts, West Germany defeated Hungary and won the World Cup with the highest goal average in history. The win was known as the Miracle of Berne, as nobody believed in the Hungarian failure, undefeated for 31 matches. Brazil, traumatized by the 1950 loss, played a key role in a historical scuffle and was eliminated in the quarter finals. World Cup de 1958 – Host-country: Sweden Champion: Brazil Runner-up: Sweden 3rd place: France 4th place: West Germany Top scorer: Just Fontaine (France) National teams: 16 Opening: 8 of June of 1958 Closing: 29 of June of 1958 Matches: 35 Goals: 126 (average of 3.6 per match) Attendance: 919,580 (average of 26,273 per match) Summary: After 28 waiting, Brazil finally won its first World Cup. The unedited victory was only one of the competition’s highlights, with the greatest top scorer of all Cups, Frenchman Just Fontaine, and marked Pelé’s international debut, one of the greatest football wizards of all times. World Cup de 1962 – Host-country: Chile Champion: Brazil

Copa do Mundo de 1954 – País sede: Suíça Campeão: Alemanha Ocidental Vice: Hungria 3º lugar: Áustria 4º lugar: Uruguai Artilheiro: Sandor Kocsis (Hungria) Seleções: 16 Abertura: 16 de Junho de 1954 Encerramento: 4 de Julho de 1954 Jogos: 26 Gols: 140 (média de 5,4 por jogo) Público: 889.500 (média de 34.211 por jogo) Resumo: Contrariando todas as previsões, a Alemanha Ocidental derrotou a Hungria e conquistou o Mundial que teve a maior média de gols da história. A vitória ficou conhecida como o Milagre de Berna, já que ninguém acreditava no fracasso dos húngaros, invictos há 31 jogos. O Brasil, traumatizado com a derrota de 1950, protagonizou uma pancadaria histórica e foi eliminado nas quartas-de-final. Copa do Mundo de 1958 – País sede: Suécia Campeão: Brasil Vice: Suécia 3º lugar: França 4º lugar: Alemanha Ocidental Artilheiro: Just Fontaine (França) Seleções: 16 Abertura: 8 de junho de 1958 Encerramento: 29 de junho de 1958 Jogos: 35 Gols: 126 (média de 3,6 por jogo) Público: 919.580 (média de 26.273 por jogo) Resumo: Após 28 anos de espera, o Brasil finalmente conquistou o seu primeiro Mundial. A vitória inédita foi apenas um dos destaques da competição, que ainda teve o maior artilheiro de todas as Copas, o francês Just Fontaine, e marcou a estreia internacional de Pelé, um dos maiores craques de todos os tempos.

112


Copa do Mundo de 1962 – País sede: Chile Campeão: Brasil Vice: Tchecoslováquia 3º lugar: Chile 4º lugar: Iugoslávia Artilheiros: Florian Albert (Hungria), Valentin Ivanov (União Soviética - URSS), Drazen Jerkovic (Iugoslávia), Leonel Sanchez (Chile), Vavá (Brasil), Garrincha (Brasil) Seleções: 16 Abertura: 30 de maio de 1962 Encerramento: 17 de junho de 1962 Jogos: 32 Gols: 89 (média de 2,8 por jogo) Público: 899.074 (média de 28.096 por jogo) Resumo: Com a mesma base de 1958, a seleção brasileira bateu a Tchecoslováquia e conquistou um merecido bicampeonato. Contundido, Pelé ficou fora do mundial, mas Garrincha supriu a ausência do rei e liderou a seleção rumo ao título. A Copa do Chile marcou o início de um futebol mais duro e vários de seus jogos descambaram para a violência. Copa do Mundo de 1966 – País sede: Inglaterra Campeão: Inglaterra Vice: Alemanha Ocidental 3º lugar: Portugal 4º lugar: União Soviética Artilheiro: Eusébio (Portugal) Seleções: 16 Abertura: 11 de julho de 1966 Encerramento: 30 de julho de 1966 Jogos: 32 Gols: 89 (média de 2,8 por jogo) Público: 1.635.000 (média de 51.093 por jogo) Resumo: Com gol duvidoso de Geoff Hurst, a Inglaterra vence os alemães na prorrogação e conquista seu primeiro e único Mundial, mas o triunfo fica manchado por suspeitas de favorecimento da arbitragem. Os bicampeões Brasil e Itália são eliminados na fase de grupos, enquanto Portugal, do artilheiro Eusébio, mostra um futebol ofensivo e recebe os aplausos da crítica internacional.

Runner-up: Czechoslovakia 3rd place: Chile 4th place: Yugoslavia Top scorers: Florian Albert (Hungary), Valentin Ivanov (Soviet Union - URSS), Drazen Jerkovic (Yugoslavia), Leonel Sanchez (Chile), Vavá (Brazil), Garrincha (Brazil) National teams: 16 Opening: 30 of May of 1962 Closing: 17 of June of 1962 Matches: 32 Goals: 89 (average of 2.8 per match) Attendance: 899,074 (average of 28,096 per match) Summary: With the same base of 1958, the Brazilian National Team beat Czechoslovakia and won a deserved two-time championship. Hurt, Pelé was out of the tournament, but Garrincha covered the king’s absence and lead the national team to the title. Chile’s Cup marked the start of a harsher football and several of its matches ended up in violence. World Cup de 1966 – Host-country: England Champion: England Runner-up: West Germany 3rd place: Portugal 4th place: Soviet Union Top scorer: Eusébio (Portugal) National teams: 16 Opening: 11 of July of 1966 Closing: 30 of July of 1966 Matches: 32 Goals: 89 (average of 2.8 per match) Attendance: 1,635,000 (average of 51,093 per match) Summary: With a questionable goal from Geoff Hurst, England beats the Germans in overtime and wins its first and only World Cup, but the triumph is stained by suspicions of favoritism from the referees. Two-time champions Brazil and Italy are eliminated in the group phase, while Portugal, from top scorer Eusébio, exhibits an offensive football and is applauded by international critics. World Cup de 1970 – Host-country: Mexico Champion: Brazil Runner-up: Italy 3rd place: West Germany 4th place: Uruguay Top scorer: Gerd Mueller (Germany) National teams: 16 Opening: 31 of May of 1970 Closing: 21 of June of 1970 Matches: 32 Goals: 95 (average of 3.0 per match) Attendance: 1,603,975 (average of 50,124 per match) Summary: Rivelino, Tostão, Gérson, Carlos Alberto, and Jairzinho, football wizards from the Brazilian National Team lead by Pelé, showcased enormous talent in Mexico and made of Brazil the first three-time world champions. But the football consecrated on the field received a harsh blow at home, where it saw its achievement be used as political propaganda by the military regime.

Copa do Mundo de 1970 – País sede: México Campeão: Brasil Vice: Itália 3º lugar: Alemanha Ocidental 4º lugar: Uruguai Artilheiro: Gerd Mueller (Alemanha) Seleções: 16 Abertura: 31 de maio de 1970 Encerramento: 21 de junho de 1970 Jogos: 32 Gols: 95 (média de 3,0 por jogo) Público: 1.603.975 (média de 50.124 por jogo) Resumo: Rivelino, Tostão, Gérson, Carlos Alberto e Jairzinho, craques da seleção brasileira liderados por Pelé, esbanjaram talento no México e fizeram do Brasil o primeiro tricampeão mundial. Mas o futebol consagrado em campo levou um duro golpe em casa, onde viu sua conquista ser usada como propaganda política do regime militar.

113


Foto:Staff Ap

114


Uruguai 1950

115


Foto: Ap Photo

116


Argentina 1950 117


Foto: Getty Images

118


Argentina 1978

119


Foto: Getty Images

120


Argentina 1978

121


Copa do Mundo de 1974 – País sede: Alemanha Campeão: Alemanha Ocidental Vice: Holanda 3º lugar: Polônia 4º lugar: Brasil Artilheiro: Grzegorz Lato (Polônia) Seleções: 16 Abertura: 13 de junho de 1974 Encerramento: 7 de julho de 1974 Jogos: 38 Gols: 97 (média de 2,6 por jogo) Público: 1.768.152 (média de 46.530 por jogo) Resumo: A Alemanha Ocidental repetiu o feito de 1954 (quando bateu a Hungria) e arrancou o título da Holanda, favorito a disparada na opinião de torcedores e analistas. Com seu inovador “futebol total”, o time de Johan Cruyff derrotou o Brasil tricampeão na semifinal, mas não conseguiu superar a força e a disciplina tática do time de Franz Beckenbauer e Gerd Müller. Copa do Mundo de 1978 – País sede: Argentina Campeão: Argentina Vice: Holanda 3º lugar: Brasil 4º lugar: Itália Artilheiro: Mario Kempes (Argentina) Seleções: 16 Abertura: 1 de junho de 1978 Encerramento: 25 de junho de 1978 Jogos: 38 Gols: 102 (média de 2,7 por jogo) Público: 1.546.151 (média de 40.688 por jogo) Resumo: A Argentina conquistou seu primeiro Mundial em um torneio repleto de controvérsias dentro e fora dos gramados. Como o fascismo italiano em 1934, a ditadura argentina transformou o torneio em propaganda do regime, o que gerou protestos em vários países. Desfalcada de Johan Cruyff, que se recusou a participar, a “Laranja Mecânica” (Holanda) perdeu a segunda final consecutiva. 122

Copa do Mundo de 1982 – País sede: Espanha Campeão: Itália Vice: Alemanha Ocidental 3º lugar: Polônia 4º lugar: França Artilheiro: Paolo Rossi (Itália) Melhor Jogador FIFA: Paolo Rossi (Itália) Prêmio Fair Play FIFA: Brasil Seleções: 24 Abertura: 13 de junho Encerramento: 11 de julho Jogos: 52 Gols: 146 (média de 2,8 por jogo) Público: 2.109.723 (média de 40.571 por jogo) Resumo: Com os 3x1 sobre a Alemanha Ocidental, a Itália do artilheiro Paolo Rossi quebrou um jejum de 48 anos e conquistou o tricampeonato. Numa Copa ampliada de 16 para 24 times, as seleções de maior destaque não participaram da final: a França (de Michel Platini) chegou em 3º lugar e o Brasil (de Zico, Sócrates e Falcão) foi eliminado pela campeã em jogo épico da segunda fase. Copa do Mundo de 1986 – País sede: México Campeão: Argentina Vice: Alemanha Ocidental 3º lugar: França 4º lugar: Bélgica Artilheiro: Gary Lineker (Inglaterra) Melhor Jogador FIFA: Diego Maradona (Argentina) Prêmio Fair Play FIFA: Brasil Seleções: 24 Abertura: 31 de maio de 1986 Encerramento: 29 de junho de 1986 Jogos: 52 Gols: 132 (média de 2,5 por jogo) Público: 2.393.331 (média de 46.025 por jogo) Resumo: Com jogadas geniais e dois gols antológicos contra a Inglaterra (um deles com ajuda da controversa “mão de Deus”), Maradona liderou a Argentina rumo ao bi Mundial e se consagrou o maior jogador dos anos 80. Nas quartas-de-final, a favorita França eliminou a seleção brasileira nos pênaltis, mas novamente foi barrada na semifinal pela Alemanha.


Copa do Mundo de 1990 – País sede: Itália Campeão: Alemanha Vice: Argentina 3º lugar: Itália 4º lugar: Inglaterra Artilheiro: Salvatore Schillaci (Itália) Melhor Jogador FIFA: Salvatore Schillaci (Itália) Prêmio Fair Play FIFA: Inglaterra Seleções: 24 Abertura: 8 de junho de 1990 Encerramento: 8 de julho de 1990 Jogos: 52 Gols: 115 (média de 2,2 por jogo) Público: 2.516.348 (média de 48.391 por jogo) Resumo: Um ano após a queda do muro de Berlim, a Alemanha deu o troco na Argentina e conquistou o tri Mundial. A Copa mais defensiva da história teve como destaques Camarões e Colômbia (que chegaram a ser cotadas para o título) e o alemão Franz Beckenbauer, o segundo, depois de Zagalo, a vencer Copas como jogador (1974) e como técnico. World Cup de 1974 – Host-country: Germany Champion: West Germany Runner-up: Holland 3rd place: Poland 4th place: Brazil Top scorer: Grzegorz Lato (Poland) National teams: 16 Opening: 13 of June of 1974 Closing: 7 of July of 1974 Matches: 38 Goals: 97 (average of 2.6 per match) Attendance: 1,768,152 (average of 46,530 per match) Summary: West Germany repeated the feat of 1954 (when it beat Hungary) and took the title away from Holland, by far the favorite in the opinion of fans and analysts. With its innovative “total football”, Johan Cruyff ’s team defeated the three-time Champion Brazil in the semi-finals, but was not able to overcome the power and tactical discipline of Franz Beckenbauer and Gerd Müller’s team. World Cup de 1978 – Host-country: Argentina Champion: Argentina Runner-up: Holland 3rd place: Brazil 4th place: Italy Top scorer: Mario Kempes (Argentina) National teams: 16 Opening: 1 of June of 1978 Closing: 25 of June of 1978 Matches: 38 Goals: 102 (average of 2.7 per match) Attendance: 1,546,151 (average of 40,688 per match) Summary: Argentina won its first World Cup in a tournament full of controversy in and off the field. As the Italian fascism in 1934, the Argentinean dictatorship transformed the tournament into the regime’s propaganda, generating protests in several countries. Without Johan Cruyff, who refused participating in the Cup, the “Mechanical Orange” (Holland) lost the second consecutive final.

World Cup de 1982 – Host-country: Spain Champion: Italy Runner-up: West Germany 3rd place: Poland 4th place: France Top scorer: Paolo Rossi (Italy) Best Player FIFA: Paolo Rossi (Italy) FIFA Fair Play Award: Brazil National teams: 24 Opening: 13 of June of 1982 Closing: 11 of July of 1982 Matches: 52 Goals: 146 (average of 2.8 per match) Attendance: 2,109,723 (average of 40,571 per match) Summary: With the 3 x 1 against West Germany, Italy from top scorer Paolo Rossi ended a drought of 48 years without a title and won the three-time championship. In a Cup blown up from 16 to 24 teams, the most prominent national teams did not participate in the final match: France (of Michel Platini) placed 3rd and Brazil (of Zico, Sócrates, and Falcão) was eliminated by the champions in an epic second round match. 1986 World Cup – Host-country: Mexico Champion: Argentina Runner-up: West Germany 3rd place: France 4th place: Belgium Top scorer: Gary Lineker (England) Best Player FIFA: Diego Maradona (Argentina) FIFA Fair Play Award: Brazil National teams: 24 Opening: 31 of May of 1986 Closing: 29 of June of 1986 Matches: 52 Goals: 132 (average of 2.5 per match) Attendance: 2,393,331 (average of 46,025 per match) Summary: With exceptional players and two anthological goals against England (one of them with the aid of the controversial “hand of God”), Maradona lead Argentina towards the second world championship and became the greatest player of the 1980s. In the quarter finals, favorite France eliminated the Brazilian National Team on the penalty kicks, but again was stopped in the semi-finals by Germany.

Copa do Mundo de 1994 – País sede: Estados Unidos Campeão: Brasil Vice: Itália 3º lugar: Suécia 4º lugar: Bulgária Artilheiro: Oleg Salenko (Rússia), Hristo Stoichkov (Bulgária) Melhor Jogador FIFA: Romário (Brasil) Prêmio Fair Play FIFA: Brasil Seleções: 24 Abertura: 17 de junho de 1994 Encerramento: 17 de julho de 1994 Jogos: 52 Gols: 141 (média de 2,7 por jogo) Público: 3.587.538 (média de 68.991 por jogo) Resumo: Vinte e quatro anos após a brilhante geração do tri, a seleção dos baixinhos Romário e Bebeto voltou a levantar a taça do mundo. Na primeira decisão por pênaltis da história, italianos e brasileiros brigavam pelo tetracampeonato e a cobrança de Roberto Baggio por cima do travessão de Taffarel se transformou no símbolo da conquista brasileira. Copa do Mundo de 1998 – País sede: França Campeão: França Vice: Brasil 3º lugar: Croácia 4º lugar: Holanda Artilheiro: Davor Suker (Croácia) Melhor Jogador FIFA: Ronaldo (Brasil) Prêmio Fair Play FIFA: Inglaterra, França Seleções: 32 Abertura: 10 de junho de 1998 Encerramento: 12 de julho de 1998 Jogos: 64 Gols: 171 (média de 2,7 por jogo) Público: 2.785.100 (média de 43.517 por jogo) Resumo: A seleção francesa esperou 68 anos para conquistar o torneio idealizado por seu conterrâneo Jules Rimet, mas valeu a pena. O time de Zidane apresentou o melhor ataque e a melhor defesa da competição e se consagrou com uma goleada na final sobre o tetracampeão Brasil cujo maior astro, Ronaldo, sofreu uma convulsão enigmática horas antes do jogo.

123


124


Brasil 1958

Foto: Allsport

125


Foto: Getty Images

126


Brasil 1962 127


Foto: Allsport

128


Brasil 1970

129


130


131

Foto: Shaun Botterill

Brasil 1994


Brasil 2002

132


133

Foto: Alex Livesey


Copa do Mundo de 2002 – País sede: Coréia do Sul/ Japão Campeão: Brasil Vice: Alemanha 3º lugar: Turquia 4º lugar: Coréia do Sul Artilheiro: Ronaldo (Brasil) Melhor Jogador FIFA: Oliver Kahn (GER) Prêmio Fair Play FIFA: Bélgica Seleções: 32 Abertura: 31 de maio de 2002 Encerramento: 30 de junho de 2002 Jogos: 64 Gols: 161 (média de 2,5 por jogo) Público: 2.705.197 (média de 42.268 por jogo) Resumo: Ronaldo exorciza os fantasmas de 1998, marca dois na final contra a Alemanha e garante o penta para o Brasil. Foi a consagração de uma equipe que chegou desacreditada ao primeiro Mundial realizado na Ásia, mas que venceu todos os seus jogos e marcou 18 gols o melhor ataque de um torneio em que Coréia do Sul e Turquia, duas zebras, alcançaram as semifinais. Copa do Mundo de 2010 – País sede: África do Sul Campeão: Espanha Vice: Holanda 3º lugar: Alemanha 4º lugar: Uruguai Melhor Jogador FIFA: Diego Forlán (Uruguai) Prêmio Fair Play FIFA: Espanha Seleções: 32 Abertura: 11 de junho de 2010 Encerramento: 11 de julho de 2010 Jogos: 64 Gols: 145 Público: 3.178.856 (média de 49.669,6 pessoas por partida) Resumo: O Brasil mostrou-se desestabilizado e perdeu em campo para a Holanda. A Seleção Brasileira fez um primeiro tempo quase perfeito e foi para o intervalo vencendo por 1 x 0, gol de Robinho com passe de Felipe Melo. Ninguém poderia imaginar o que viria no segundo tempo. A Holanda empatou já aos sete minutos. A zaga falhou, o goleiro Julio Cesar saiu mal e a bola, que tinha sido cruzada por Wesley Sneijder, desviou de leve em Felipe Melo antes de entrar.

Copa do Mundo de 2006 – País sede: Alemanha Campeão: Itália Vice: França 3º lugar: Alemanha 4º lugar: Portugal Artilheiro: Miroslav Klose (Alemanha) Melhor Jogador FIFA: Zinedine Zidane (França) Prêmio Fair Play FIFA: Espanha, Brasil Seleções: 32 Abertura: 9 de junho de 2006 Encerramento: 9 de julho de 2006 Jogos: 64 Gols: 147 (média de 2,3 por jogo) Público: 3.359.439 (média de 52.491 por jogo) Resumo: Com a melhor defesa da história das Copas, a Itália superou o trauma dos pênaltis e conquistou o tetra contra a França. Zidane, o herói do título francês de 1998, se aposentou debaixo de vaias ao agredir o zagueiro italiano Materazzi com uma cabeçada violenta, no segundo tempo da prorrogação. O Brasil, com problemas dentro e fora dos gramados, fez feio na competição. 2002 World Cup – Host-country: South Korea/ Japan Champion: Brazil Runner-up: Germany 3rd place: Turkey 4th place: South Korea Top scorer: Ronaldo (Brazil) Best Player FIFA: Oliver Kahn (Germany) FIFA Fair Play Award: Belgium National teams: 32 Opening: 31 of May of 2002 Closing: 30 of June of 2002 Matches: 64 Goals: 161 (average of 2.5 per match) Attendance: 2,705,197 (average of 42,268 per match) Summary: Ronaldo exorcizes the 1998 ghosts, scores twice in the final match against Germany and guarantees the fifth title for Brazil. This was the consecration of a team that arrived discredited to the first World Cup held in Asia, but they won all their matches and scored 18 goals, the best attack of a tournament where South Korea and Turkey, two underdogs, reached the semi-finals. 2006 World Cup – Host-country: Germany Champion: Italy Runner-up: France 3rd place: Germany 4th place: Portugal Top scorer: Miroslav Klose (Germany) Best Player FIFA: Zinedine Zidane (France) FIFA Fair Play Award: Spain, Brazil National teams: 32 Opening: 9 of June of 2006 Closing: 9 of July of 2006 Matches: 64 Goals: 147 (average of 2.3 per match) Attendance: 3,359,439 (average of 52,491 per match) Summary: With the best defense in the Cups’ history, Italy overcame the trauma of the penalty kicks and won their fourth title against France. Zidane, the French title hero in 1998, retired under hissing for having attacked Italian defender Materazzi with a violent head shot in the second half of overtime. Brazil, with problems in and off the fields, disappointed all during the competition.

134

2010 World Cup – Host-country: South Africa Champion: Spain Runner-up: Holland 3rd place: Germany 4th place: Uruguay Best Player FIFA: Diego Forlán (Uruguay) FIFA Fair Play Award: Spain National teams: 32 Opening: 11 of June of 2010 Closing: 11 of July of 2010 Matches: 64 Goals: 145 Attendance: 3,178,856 (average of 49,669.6 people per match) Summary: Brazil played destabilized and lost on the field to Holland. The Brazilian National Team had an almost perfect first half and went to half time with a 1 x 0 score on its favor, with a goal by Robinho with a pass from Felipe Melo. No one could imagine what would come on the second half. Holland tied the game with only seven minutes in the second half. Brazil’s defense failed, goalkeeper Julio Cesar left the goal badly and the ball crossed by Wesley Sneijder had a small change in direction hitting Felipe Melo before going in.


Alemanha 1990

Foto: STAFF AFP

135


Alemanha 1954

136


137

Foto: Alex Livesey


Foto: Allsport UK

Alemanha 1974

138


139


140


Foto: STAFF AFP

Alemanha 1990

141


Ganhos em números O País sede dos jogos ganha, os anunciantes ganham e principalmente a FIFA ganha com a Copa do Mundo. Mas existem vários outros números envolvidos neste grande evento. Transmissão de jogos pela TV: 35 (100% das partidas) Preço das 13 camisas azuis compradas às pressas pelo Brasil para enfrentar a Suécia: US$ 35 Valor de arremate da camisa 10 de Pelé em leilão em 2004: US$ 105.600

Copa do Mundo de 1930 Arrecadação do jogo final: US$ 30,2 mil Ajuda de custo da Fifa (por jogador): US$ 75 Despesas do Brasil: 500 contos de réis Valor da taça: US$ 14 mil Renda total: US$ 255 mil Total de despesas: US$ 200 mil Lucro do Comitê Organizador: US$ 55 mil Copa do Mundo de 1934 Jornalistas: 270 Lucro: 60.000 francos ‘Convite’: Leônidas da Silva recebeu 30 contos de réis da CBD para defender a seleção na Copa (um Ford de luxo custava cerca de 4 contos de réis na época) Copa do Mundo de 1938 ‘Bicho’ por vitória brasileira: 800 francos ‘Bicho’ por empate brasileiro: 400 francos Rádios brasileiras que transmitiram a Copa na íntegra: 5 Copa do Mundo de 1950 Arrecadação total das bilheterias: 36,2 milhões de cruzeiros (cerca de R$ 26,4 milhões) Despesas: 16 milhões de cruzeiros (cerca de R$ 11,7 milhões) Valor atualizado de um aparelho de TV na época: R$ 36 mil Copa do Mundo de 1954 Transmissão direta pela TV: 1ª Copa a ter transmissão Países europeus que receberam jogos ao vivo: 8 (Suíça, França, Inglaterra, Alemanha, Itália, Holanda, Bélgica e Dinamarca) Valor pago pela delegação brasileira à alfândega: 200.000 cruzeiros (equivalente a cerca de R$ 73.800) Copa do Mundo de 1958 142

Copa do Mundo de 1962 Tempo que a TV brasileira demorava a exibir VT´s das partidas: 2 dias Maior renda da Copa: US$ 309.132 (Brasil x Chile) Copa do Mundo de 1966 Arrecadação do setor turístico: 400 mil libras Arrecadação de bilheteria: 1,5 bilhão de libras Copa do Mundo de 1970 Transmissão direta pela TV: A primeira Copa a ser transmitida ao vivo e a cores para o mundo todo Horário de início de alguns jogos: 12h, por exigência da TV Copa do Mundo de 1974 Transmissão direta pela TV: Primeira Copa a ser transmitida ao vivo para o Brasil Valor estimado da Taça Fifa, criada para a Copa de 1974: 100 mil francos suíços Copa do Mundo de 1978 Dinheiro pago pela Coca-Cola para patrocinar a Copa do Mundo de 1978: US$ 8 milhões Copa do Mundo de 1982 Arrecadação dos organizadores com ações de marketing: 6 milhões de francos suíços Dinheiro pago pelo direito de transmissão dos jogos para a Europa: 10,9 milhões de francos suíços Audiência acumulada nos jogos pela TV: 10 bilhões de pessoas (em todo o mundo) Multa aplicada ao príncipe do Kuwait, Fahad Al Sabah, que invadiu o campo: US$ 11 mil


Copa do Mundo de 1986 Arrecadação dos organizadores com ações de marketing: 50 milhões de francos suíços Audiência acumulada nos jogos pela TV: 13,5 bilhões de pessoas (em todo o mundo) Copa do Mundo de 1990 Valor arrecadado pela Fifa com patrocínios: US$ 19 milhões Valor arrecadado pela Fifa com venda de direito de transmissão: 95 milhões de francos suíços Audiência acumulada nos jogos pela TV: 26,7 bilhões de pessoas (em todo o mundo) Copa do Mundo de 1994 Audiência acumulada pelas televisões no mundo: 32,1 bilhões de pessoas Audiência acumulada pelas televisões na final: 2 bilhões de pessoas Dinheiro ganho pela Fifa com a venda dos direitos de transmissão: 110 milhões de francos suíços Copa do Mundo de 1998 Investimento total na Copa: US$ 1,6 bilhão Investimento do governo francês para Copa do Mundo: US$ 340 milhões Lucro da Fifa com direitos de transmissão para a televisão: 1,3 bilhão de francos suíços Audiência média da TV Globo durante os jogos do Brasil: 75% (100 milhões de pessoas) Copa do Mundo de 2002 Investimento na construção e reforma dos estádios:US$ 5 bilhões Audiência acumulada das televisões no mundo: 28,8 bilhões de pessoas Lucro da Fifa com venda de direitos de televisão: 1,3 bilhão de francos suíços Países que viram a Copa pela televisão: 196 países e 19 territórios Câmeras usadas na transmissão da final: 23 Copa do Mundo de 2006 Investimento na construção e reforma dos estádios: US$ 5 bilhões Audiência acumulada das televisões no mundo: 28,8 bilhões de pessoas Lucro da Fifa com venda de direitos de televisão: 1,3 bilhão de francos suíços Países que viram a Copa pela televisão: 196 países e 19 territórios 143

Profits in numbers The host-country of matches wins, advertisers win, and especially FIFA wins with the World Cup. But there are several other numbers involved in this huge event. 1930 World Cup Proceeds from final match: US$ 30.2 thousand FIFA expense allowance (per player): US$ 75 Brazil’s expenses: 500 Contos de Réis Trophy value: US$ 14 thousand Total revenue: US$ 255 thousand Total expenses: US$ 200 thousand Organizing Committee profit: US$ 55 thousand 1934 World Cup Journalists: 270 Profit: 60.000 Francs ‘Invitation’: Leônidas da Silva received 30 Contos de Réis from CBD to play for the national team in the Cup (a luxury Ford cost about 4 Contos de Réis at the time) 1938 World Cup ‘Bonus’ for Brazilian wins: 800 Francs ‘Bonus’ for Brazilian draws: 400 Francs Brazilian radios that broadcast all games from the Cup: 5 1950 World Cup Total Box office proceeds: 36.2 million Cruzeiros (about R$ 26.4 million) Expenses: 16 million Cruzeiros (about R$ 11.7 million) Updated price of a TV set at the time: R$ 36 thousand 1954 World Cup Live TV broadcast: 1st Cup to be broadcast European countries that received live matches: 8 (Switzerland, France, England, Germany, Italy, Holland, Belgium, and Denmark) Amount paid by the Brazilian delegation to customs: 200,000 Cruzeiros (equivalent to about R$ 73,800) 1958 World Cup Live TV broadcast: 35 (100% of matches) Price of the 13 blue jerseys bought in a hurry by Brazil to face Sweden: US$ 35 Amount of the highest bid for Pelé’s number 10 jersey in 2004: US$ 105,600 1962 World Cup Time the Brazilian TV would take to show the matches replays: 2 days Biggest Cup revenue: US$ 309,132 (Brazil x Chile) 1966 World Cup Touristic sector proceeds: 400 thousand Pounds Box office proceeds: 1.5 billion Pounds 1970 World Cup Live TV broadcast: The first Cup to be broadcast live and in color to the entire world Start time for some matches: 12 PM, by TV request 1974 World Cup Live TV broadcast: First Cup to be broadcast live to Brazil Estimated value of the FIFA trophy, created for the 1974 Cup: 100 thousand Swiss Francs 1978 World Cup Money paid by Coca-Cola to sponsor the 1978 World Cup: US$ 8 million 1982 World Cup Organizer’s proceedings with marketing actions: 6 million Swiss Francs Money paid by European countries for the direct broadcast license for matches: 10.9 million Swiss Francs Accrued audience on TV matches: 10 billion people (around the world) Fine applied to Kuwait’s prince, Fahad Al Sabah, who invaded the field: US$ 11 thousand 1986 World Cup Organizer’s proceedings with marketing actions: 50 million Swiss Francs Accrued audience on TV matches: 13.5 billion people (around the world) 1990 World Cup Amount raised by FIFA with sponsorships: US$ 19 million Amount raised by FIFA with the sale of direct broadcast licenses: 95 million Swiss Francs Accrued audience on TV matches: 26.7 billion people (around the world) 1994 World Cup Accrued audience by world TVs: 32.1 billion people Accrued audience by world TVs in the final match: 2 billion people Amount raised by FIFA with the sale of direct broadcast licenses: 110 million Swiss Francs 1998 World Cup Total Cup investment: US$ 1.6 billion French government investment for the World Cup: US$ 340 million FIFA’s profit with the sale of TV broadcast licenses: 1.3 billion Swiss Francs Average audience of TV Globo during Brazil’s matches: 75% (100 million people)


CapĂ­tulo Copa do Mundo no Brasil

4

Brasil: futebol e identidade visual Chapter 4 - World Cup in Brazil Brazil: football and visual identity

144


145


Desafios para sediar a Copa A frase, clichê ou não, mas a “bola da vez” sem dúvida representa o momento que o Brasil está passando. Estudos realizados pela Ernest Young e pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, sobre os impactos sócio-econômicos dos grandes eventos e da Copa no Brasil, revelam que a Copa pode gerar 3 milhões e 600 mil empregos no país. Para cada R$ 1 real investido pelo poder público, temos R$ 3,4 de investimentos privados. Mas sem dúvida, existe o crescimento econômico, mas principalmente a exposição de nossos atletas para o mundo. O ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, garante que não é apenas a exposição do Brasil que é benéfica, porque também temos nesses eventos a possibilidade de melhorar nossa infraestrutura, investindo principalmente em mobilidade urbana. “Eles ajudam o país a gerar renda, emprego, tributos, o PIB do Brasil vai incorporar 0,4 por cento ao ano por conta da Copa até 2019. Acho que isso ajuda a explicar porque esses eventos são tão disputados, porque a Argentina e o Uruguai querem em 2030, porque a China se prepara para querer em 2040”, explica o ministro. A Embratur e o Ministério do Turismo divulgaram recentemente um estudo dizendo que os turistas gastariam cerca de R$ 25 bilhões durante a Copa. Até agora falamos muito sobre o quanto esses eventos ajudarão na economia e na infraestrutura, por exemplo, mas o primordial quando falamos em esporte é saber como isso também afetará nossos atletas. Na questão do futebol, temos vários que andam se destacando no exterior, mas podemos nos resumir ao futebol, temos tantos outros esportes que, infelizmente ainda no Brasil, são poucos atletas que se destacam e principalmente, sofrem com a falta de patrocinadores. Todavia, não entraremos neste mérito aqui, vamos falar mesmo de como o Brasil é a bola da vez. Segundo o jornalista Marcondes Brito, as três principais casas de apostas da Europa são unânimes: o Brasil é o maior favorito à conquista da Copa do Mundo de 2014. O jornal espanhol ÁS consultou a Betfair, a William & Hill e a Bet365 e constatou que maioria dos apostadores está convicta da conquista brasileira. Na sequência aparecem Argentina, Alemanha e a Espanha, atual campeã, que está em 4º lugar. Mas vale lembrar que, ser apenas a seleção favorita, mesmo jogando em casa, não garante que a nossa seleção conquiste a taça, é preciso jogar, e muito! Durante uma entrevista coletiva que Carlos Alberto Parreira concedeu juntamente com o técnico da Seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, durante o Footecon, evento ocorrido no final de 2013, garantiu que o Brasil conquistará o hexacampeonato na Copa do Mundo da FIFA de 2014. “Nós vamos vencer a Copa do ano que vem. A Seleção não vai perder de novo. É impensável e inimaginável o Brasil não ganhar o Mundial. Não existe plano B”, disse com segurança o ex-treinador, que hoje integra a comissão técnica brasileira. O Brasil conquistou o pentacampeonato em 2002, época em que “Felipão” também era o comandante. Na Copa realizada na Coreia do Sul e no Japão, uma vitória por 2 a 0 sobre a Alemanha sentenciou o título mundial. De lá para cá, duas Copas do Mundo passaram: 2006 e 2010. Na primeira, na Alemanha, Carlos Alberto Parreira, então técnico do Brasil, não conseguiu conquistar o hexacampeonato, perdendo nas quartas de final por 1 a 0 diante da França. Em 2010, sob o comando de Dunga, a eliminação veio na mesma etapa, mas em revés frente a Holanda, por 2 a 1. Em 2013, a Seleção conquistou a Copa das Confederações da FIFA, superando a Espanha por 3 a 0 na final, no Maracanã, recuperando a confiança do torcedor. Agora é hora de focar! Um bom time nós temos, técnico também apesar de sempre existirem pessoas que não concordam com isso - mas a conquista da Copa das Confederações é prova de que podemos vencer. Agora só falta mesmo chegar logo a Copa e a torcida unida gritar pelo Brasil. 146


Foto: Divulgação

Challenges for hosting the Cup. The phrase, cliché or not, but the “next big thing” without question represents the moment Brazil is going through. Studies by Ernest Young and Fundação Getúlio Vargas from Rio de Janeiro, on social-economic impacts of great events and the Cup in Brazil reveal that the Cup may generate 3.6 million jobs in the country. For every R$ 1 Real invested by the public power, we have R$ 3.4 in private investments. But without a doubt there is economic growth and especially the exposure of our athletes to the world.

ÁS consulted Betfair, William & Hill, and Bet365 and verified that the majority of bettors are convict of Brazil’s win. In the sequence appear Argentina, Germany, and Spain, current Champion, which is in 4th place. But it is worth remembering that only being the favorite national team, even playing at home, does not assure our national team wins the title, it is necessary to play hard, really hard! During a press conference granted by Carlos Alberto Parreira along with Brazilian National Team coach, Luiz Felipe Scolari, during Footecon, event held at the end of 2013, he assured that Brazil will win the sixth title in 2014 FIFA World Cup. “We are going to win the Cup next year. The national team is not going to lose again. It is unthinkable and unimaginable Brazil not winning the World Cup, there is no plan B”, said the former coach that today integrates the Brazilian technical staff with self-confidence.

Minister of Sports, Aldo Rebelo, assures that not only the exposure of the country is beneficial, as we also have, during such events, the possibility of improving our infrastructure, investing especially in urban mobility. “They help the country to generate revenue, jobs, taxes, Brazil’s GDP will incorporate 0.4 percent a year due to the Cup until 2019. I think this helps to explain why these events are so desired, why Argentina and Uruguay want it in 2030, why China is preparing for 2040”, explains the minister. Embratur and Brazil won the fifth world title in 2002, when “Felipão” was also in command. In the Cup the Ministry of Tourism recently revealed a study stating that tourists would spend held in South Korea and Japan, a 2 x 0 victory over Germany decided the world title. around R$ 25 billion during the Cup. From then on, two World Cups have gone by: 2006 and 2010. In the first in Germany, Carlos Alberto Parreira, then Brazil’s head coach, was not able to win the sixth title, Until now we have spoken about how much these events shall help the economy and infras- losing in the quarter finals 1 x 0 to France. In 2010, under Dunga’s command, the elimitructure, for example, but the primordial when speaking about sports is knowing how this nation came in the same round, but in a loss against Holland, 2 to 1. all affects our athletes. In regards to football, we have several athletes shining abroad, but we can resume to football, even having many other sports and unfortunately in Brazil there In 2013, the national team won FIFA Confederations Cup, beating Spain 3 x 0 in the are few athletes that shine and especially, suffer with the lack of sponsors. However, we are final, in Maracanã, recovering the fans’ trust. Now it is time to focus! We have a good not going to assess this here, we are really going to talk about how Brazil is next big thing. team and a good coach also – although not everyone agrees with that – but winning the Confederations Cup is proof we can win. Now, we just have to wait for the Cup to arrive According to journalist Marcondes Brito, the three main betting houses in Europe are una- and for the fans, united, cheering for Brazil. nimous: Brazil is the biggest favorite for winning the 2014 World Cup. Spanish periodical

147


Foto: Divulgação

Taça da Copa do Mundo

148


Foto: Divulgação

Luiz Felipe Scolari

149


Seleções participantes Serão 32 equipes disputando o título mais importante do mundo. Confira quem virá ao Brasil para tentar levantar o troféu do Mundial. Brasil Como se classificou: Vaga automática por ser o país-sede. Participações anteriores: 19 – 1930, 1934, 1938, 1950, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Melhor resultado: campeão em 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002. Técnico: Luiz Felipe Scolari Destaque: Neymar (Barcelona – ESP) Argentina Como se classificou: Vencedora das eliminatórias sul-americanas Participações anteriores: 15 – 1930, 1934, 1958, 1962, 1966, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010. Melhor resultado: Campeã em 1978 e 1986. Técnico: Alejandro Sabella Destaque: Lionel Messi (Barcelona-ESP) Colômbia Como se classificou: Segunda colocada nas eliminatórias sul-americanas Participações anteriores: 4 – 1962, 1990, 1994, 1998. Melhor resultado: Oitavas de final em 1990. Técnico: José Pekerman Destaque: Falcão Garcia (Monaco-FRA) Chile Como se classificou: Terceiro colocado nas eliminatórias sul-americanas Participações anteriores: 8 – 1930, 1950, 1962, 1966, 1974, 1982, 1998 e 2010. Melhor resultado: Terceiro em 1962. Técnico: Jorge Sampaoli Destaque: Arturo Vidal (Juventus-ITA) Equador Como se classificou: Quarto colocado nas eliminatórias sul-americanas. Participações anteriores: 2 – 2002 e 2006. Melhor resultado: Oitavas de final em 2006. Técnico: Reinaldo Rueda Destaque: Antônio Valencia (Manchester United-ING) 150


Uruguai Como se classificou: Venceu a Jordânia em uma das repescagens intercontinentais Participações anteriores: 11 (1930, 1950, 1954, 1962, 1966, 1970, 1974, 1986, 1990, 2002, 2010) Melhor resultado: Campeão em 1930 e 1950. Técnico: Oscar Tabárez Destaque: Luís Suarez (Liverpool-ING) Bélgica Como se classificou: Vencedora do Grupo A das eliminatórias europeias Participações anteriores: 11 – 1930, 1934, 1938, 1954, 1970, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002. Melhor resultado: Quarta colocada em 1986 Técnico: Marc Wilmots Destaque: Eden Hazard (Chelsea-ING) Itália Como se classificou: Vencedora do Grupo B das eliminatórias europeias Participações anteriores: 17 – 1934, 1938, 1950, 1954, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Melhor resultado: Campeã em 1934, 1938, 1982 e 2006. Técnico: Césare Prandelli Destaque: Andrea Pirlo (Juventus-ITA) Alemanha Como se classificou: Vencedora do Grupo C das eliminatórias européias Participações anteriores: 17 – 1934, 1938, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Melhor resultado: Campeã em 1954, 1974 e 1990 Técnico: Joachim Low Destaque: Mesut Özil (Arsenal-ING) Challenges for hosting the Cup. Brazil How it qualified: Automatic spot for being the host-country. Previous participations: 19 – 1930, 1934, 1938, 1950, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Best result: champion in 1958, 1962, 1970, 1994, and 2002. Coach: Luiz Felipe Scolari Highlight: Neymar (Barcelona – Spain) Argentina How it qualified: Winner of South American qualifying round Previous participations: 15 – 1930, 1934, 1958, 1962, 1966, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, and 2010. Best result: Champion in 1978 and 1986. Coach: Alejandro Sabella Highlight: Lionel Messi (Barcelona – Spain) Colombia How it qualified: Second place in South American qualifying round Previous participations: 4 – 1962, 1990, 1994, 1998. Best result: Round of 16 in 1990. Coach: José Pekerman Highlight: Falcão Garcia (Monaco – France)

Chile How it qualified: Third place in South American qualifying round Previous participations: 8 – 1930, 1950, 1962, 1966, 1974, 1982, 1998, and 2010. Best result: Third in 1962. Coach: Jorge Sampaoli Highlight: Arturo Vidal (Juventus – Italy) Ecuador How it qualified: Fourth place in South American qualifying round Previous participations: 2 – 2002 and 2006. Best result: Round of 16 in 2006. Coach: Reinaldo Rueda Highlight: Antônio Valencia (Manchester United – England) Uruguay How it qualified: Beat Jordan at one of the intercontinental playoffs Previous participations: 11 - 1930, 1950, 1954, 1962, 1966, 1970, 1974, 1986, 1990, 2002, 2010 Best result: Champion in 1930 and 1950. Coach: Oscar Tabárez Highlight: Luís Suarez (Liverpool – England) Belgium How it qualified: 1st place in Grupo A of the European qua-

151

lifying round Previous participations: 11 – 1930, 1934, 1938, 1954, 1970, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002. Best result: Fourth place in 1986 Coach: Marc Wilmots Highlight: Eden Hazard (Chelsea – England) Italy How it qualified: 1st place in Grupo B of the European qualifying round Previous participations: 17 – 1934, 1938, 1950, 1954, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Best result: Champion in 1934, 1938, 1982, and 2006. Coach: Césare Prandelli Highlight: Andrea Pirlo (Juventus – Italy) Germany How it qualified: 1st place in Grupo C of the European qualifying round Previous participations: 17 – 1934, 1938, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Best result: Champion in 1954, 1974, and 1990 Coach: Joachim Low Highlight: Mesut Özil (Arsenal – England)


152

Foto: Mowa Press


Copa das Confederações Seleção Brasileira 2013

153


Holanda Como se classificou: Vencedora do Grupo D das eliminatórias europeias. Participações anteriores: 9 – 1934, 1938, 1974, 1978, 1990, 1994, 1998, 2006, 2010. Melhor resultado: Vice-campeã em 1974, 1978 e 2010. Técnico: Louis Van Gaal Destaque: Robin Van Persie (Manchester United-ING) Suíça Como se classificou: vencedora do Grupo E das eliminatórias européias Participações anteriores: 9 – 1934, 1938, 1950, 1954, 1962, 1966, 1994, 2006, 2010. Melhor resultado: Quartas de final em 1934, 1938 e 1954. Técnico: Ottmar Hitzfeld Destaque: Gökhan Inler (Napoli-ITA) Rússia Como se classificou: Vencedora do Grupo F das eliminatórias europeias Participações anteriores: 9 (inclui a União Soviética) – 1958, 1962, 1966, 1970, 1982, 1986, 1990, 1994 e 2002. Melhor resultado: Quarta colocada em 1966 Técnico: Fabio Capello Destaque: Alan Dzagoev (CSKA Moscou) Bósnia e Herzegovina Como se classificou: Vencedora do Grupo G das eliminatórias europeias Participações anteriores: Estreante em Copas Técnico: Emir Spahić Destaque: Edin Džeko (Manchester City-ING) Inglaterra Como se classificou: Vencedora do Grupo H das eliminatórias europeias Participações anteriores: 13 – 1950, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1982, 1986, 1990, 1998, 2002, 2006 e 2010. Melhor resultado: Campeã em 1966. Técnico: Roy Hodgson Destaque: Wayne Rooney (Manchester United-ING) Espanha Como se classificou: vencedora do Grupo I das eliminatórias Participações anteriores: 13 – 1934, 1950, 1962, 1966, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Melhor resultado: Campeã em 2010. Técnico: Vicente Del Bosque Destaque: Andrés Iniesta (Barcelona-ESP) 154


França Como se classificou: Em segundo no grupo da Espanha, bateu a Ucrânia na repescagem Participações anteriores: 13 (1930, 1934, 1938, 1954, 1958, 1966, 1978, 1982, 1986, 1998, 2002, 2006, 2010) Melhor resultado: Campeã em 1998. Técnico: Didier Deschamps Destaque: Frank Ribéry (Bayern de Munique-ALE) Portugal Como se classificou: Ficou atrás da Rússia em seu grupo e passou pela Suécia na repescagem Participações anteriores: 5 – 1966, 1986, 2002, 2006, 2010. Melhor resultado: Terceiro em 1966. Técnico: Paulo Bento Destaque: Cristiano Ronaldo (Real Madrid-ESP) Croácia

Grécia

Como se classificou: Depois de ficar em segundo no grupo da Bélgica foi à repescagem e eliminou a Islândia Participações anteriores: 3 – 1998 e 2002 e 2006. Melhor resultado: Terceiro em 1998. Técnico: Niko Kovač Destaque: Luka Modrić (Real Madrid-ESP)

Como se classificou: Vice-líder do grupo da Bósnia, eliminou a Romênia na repescagem Participações anteriores: 2 – 1994 e 2010. Melhor resultado: Nunca passou da primeira fase. Técnico: Fernando Santos Destaque: Giorgios Samaras (Celtic-ESC) Holland How it qualified: 1st place in Grupo D of the European qualifying round Previous participations: 9 – 1934, 1938, 1974, 1978, 1990, 1994, 1998, 2006, 2010. Best result: Runner-up in 1974, 1978, and 2010. Coach: Louis Van Gaal Highlight: Robin Van Persie (Manchester United – England) Switzerland How it qualified: 1st place in Grupo E of the European qualifying round Previous participations: 9 – 1934, 1938, 1950, 1954, 1962, 1966, 1994, 2006, 2010. Best result: Quarter finals in 1934, 1938, and 1954. Coach: Ottmar Hitzfeld Highlight: Gökhan Inler (Napoli – Italy) Russia How it qualified: 1st place in Grupo F of the European qualifying round Previous participations: 9 (including the Soviet Union) – 1958, 1962, 1966, 1970, 1982, 1986, 1990, 1994, and 2002. Best result: Forth place in 1966 Coach: Fabio Capello Highlight: Alan Dzagoev (CSKA Moscow) Bosnia Herzegovina How it qualified: 1st place in Grupo G of the European qua-

lifying round Previous participations: First time in World Cups Coach: Emir Spahić Highlight: Edin Džeko (Manchester City – England) England How it qualified: 1st place in Grupo H of the European qualifying round Previous participations: 13 – 1950, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1982, 1986, 1990, 1998, 2002, 2006, and 2010. Best result: Champion in 1966. Coach: Roy Hodgson Highlight: Wayne Rooney (Manchester United – England) Spain How it qualified: 1st place in Grupo I of the European qualifying round Previous participations: 13 – 1934, 1950, 1962, 1966, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010. Best result: Champion in 2010. Coach: Vicente Del Bosque Highlight: Andrés Iniesta (Barcelona – Spain) France How it qualified: 2nd place in Spain’s group, beat Ukraine in the playoffs Previous participations: 13 - 1930, 1934, 1938, 1954, 1958, 1966, 1978, 1982, 1986, 1998, 2002, 2006, 2010.

155

Best result: Champion in 1998. Coach: Didier Deschamps Highlight: Frank Ribéry (Bayern de Munique – Germany) Portugal How it qualified: Finished behind Russia in its group and beat Sweden in the playoffs Previous participations: 5 – 1966, 1986, 2002, 2006, 2010. Best result: Third place in 1966. Coach: Paulo Bento Highlight: Cristiano Ronaldo (Real Madrid – Spain) Croatia How it qualified: After finishing second in Belgium’s group went to the playoffs and eliminated Iceland Previous participations: 3 – 1998, 2002, and 2006. Best result: Third place in 1998. Coach: Niko Kovač Highlight: Luka Modrić (Real Madrid – Spain) Greece How it qualified: Runner-up in Bosnia’s group, eliminated Romania in the playoffs Previous participations: 2 – 1994 and 2010. Best result: Never passed the first round. Coach: Fernando Santos Highlight: Giorgios Samaras (Celtic – Scotland) Central and North America


156

Foto: STAFF AFP


157


Estados Unidos Como se classificou: Vencedor do hexagonal da Concacaf Participações anteriores: 9 – 1930, 1934, 1950, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010. Melhor resultado: Terceiro colocado em 1930. Técnico: Jürgen Klinsmann Destaque: Michael Bradley (Roma-ITA) Costa Rica Como se classificou: segunda colocada do hexagonal da Concacaf Participações anteriores: 3 – 1990, 2002 e 2006. Melhor resultado: Oitavas de final em 1990. Técnico: Jorge Luis Pinto Destaque: Bryan Ruiz (Fulham-ING) Honduras Como se classificou: Terceiro colocado no hexagonal da Concacaf Participações anteriores: 2 – 1982 e 2010. Melhor resultado: Nunca passou da primeira fase. Técnico: Luis Fernando Suárez Destaque: Carlo Costly (Atlas-MEX) México Como se classificou: Quarto colocado no hexagonal, o México superou a Nova Zelândia na repescagem intercontinental Participações anteriores: 14 (1930, 1950, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1978, 1986, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010) Melhor resultado: Quartas de final em 1970 e 1986. Técnico: Miguel Herrera Destaque: Carlos Vela (Real Sociedad-ESP) Nigéria Como se classificou: Atual campeã do continente, venceu a Etiópia no mata-mata decisivo Participações anteriores: 4 – 1994, 1998, 2002, 2010. Melhor resultado: Oitavas de final em 1994 e 1998. Técnico: Stephen Keshi Destaque: Victor Moses (Liverpool-ING) Costa do Marfim Como se classificou: Venceu o Senegal no mata-mata decisivo Participações anteriores: 2 – 2006 e 2010. Melhor resultado: Nunca passou da primeira fase. Técnico: Sabri Lamouchi Destaque: Didier Drogba (Galatasaray-TUR) 158


Gana Como se classificou: Venceu o tradicional Egito no mata-mata Participações anteriores: 2 – 2006 e 2010. Melhor resultado: Quartas de final em 2010. Técnico: Akwasi Appiah Destaque: Asamoah Gyan (Al Ain-EAU) Camarões Como se classificou: Bateu a Tunísia no mata-mata Participações anteriores: 6 – 1982, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2010. Melhor resultado: Quartas de final em 1990. Técnico: Volker Finke Destaque: Samuel Eto’o (Chelsea-ING) Argélia Como se classificou: Passou por Burkina Faso no mata-mata Participações anteriores: 3 – 1982, 1986 e 2010 Técnico: Vahid Halilhodžić Melhor resultado: Nunca passou da primeira fase. Destaque: Sofiane Feghouli (Valencia-ESP) Irã Como se classificou: Vencedor do Grupo A das eliminatórias asiáticas Participações anteriores: 3 – 1978, 1998 e 2006. Melhor resultado: Nunca passou da primeira fase. Técnico: Carlos Queiróz Destaque: Reza Ghoochannejhad (Standard Liège-BEL) United States Best result: Quarter finals in 1970 and 1986. How it qualified: 1st place in Concacaf playoffs Coach: Miguel Herrera Previous participations: 9 – 1930, 1934, 1950, 1990, 1994, Highlight: Carlos Vela (Real Sociedad – Spain) 1998, 2002, 2006, and 2010. Best result: Third place in 1930. Nigeria Coach: Jürgen Klinsmann How it qualified: Continental champions, beat Ethiopia in Highlight: Michael Bradley (Roma – Italy) the decisive knockout stage Previous participations: 4 – 1994, 1998, 2002, 2010. Costa Rica Best result: Round of 16 in 1994 and 1998. How it qualified: Runner-up in Concacaf playoffs Coach: Stephen Keshi Previous participations: 3 – 1990, 2002, and 2006. Highlight: Victor Moses (Liverpool – England) Best result: Round of 16 in 1990. Coach: Jorge Luis Pinto Ivory Coast Highlight: Bryan Ruiz (Fulham – England) How it qualified: Beat Senegal in the decisive knockout stage Previous participations: 2 – 2006 and 2010. Honduras Best result: Never passed the first round. How it qualified: Third place in Concacaf playoffs Coach: Sabri Lamouchi Previous participations: 2 – 1982 and 2010. Highlight: Didier Drogba (Galatasaray – Turkey) Best result: Never passed the first round. Coach: Luis Fernando Suárez Ghana Highlight: Carlo Costly (Atlas – Mexico) How it qualified: Beat traditional Egypt in the knockout Mexico stage How it qualified: Fourth place in Concacaf playoffs, Mexico Previous participations: 2 – 2006 and 2010. beat New Zealand in the intercontinental playoffs Best result: Quarter finals in 2010. Previous participations: 14 - 1930, 1950, 1954, 1958, 1962, Coach: Akwasi Appiah 1966, 1970, 1978, 1986, 1994, 1998, 2002, 2006, and 2010 Highlight: Asamoah Gyan (Al Ain – United Arab Emirates)

159

Cameroon How it qualified: Beat Tunisia in the knockout stage Previous participations: 6 – 1982, 1990, 1994, 1998, 2002, and 2010. Best result: Quarter finals in 1990. Coach: Volker Finke Highlight: Samuel Eto’o (Chelsea – England) Algeria How it qualified: Beat Burkina Faso in the knockout stage Previous participations: 3 – 1982, 1986, and 2010 Coach: Vahid Halilhodžić Best result: Never passed the first round. Highlight: Sofiane Feghouli (Valencia – Spain) Iran How it qualified: 1st place in Grupo A of the Asian qualifying round Previous participations: 3 – 1978, 1998, and 2006. Best result: Never passed the first round. Coach: Carlos Queiróz Highlight: Reza Ghoochannejhad (Standard Liège – Belgium)


160

Foto: STAFF AFP


161


Coréia do Sul Como se classificou: Segunda colocada do Grupo A das eliminatórias asiáticas Participações anteriores: 8 – 1954, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010. Melhor resultado: Quarto lugar em 2002. Técnico: Kwak Tae-Hwi Destaque: Ji Dong-Won (Sunderland-ING) Japão Como se classificou: Vencedor do Grupo B das eliminatórias asiáticas Participações anteriores: 4 – 1998, 2002, 2006 e 2010. Melhor resultado: Oitavas de final em 2002 e 2010. Técnico: Alberto Zaccheroni Destaque: Keisuke Honda (CSKA Moscou-RUS) Austrália Como se classificou: Segunda colocada do Grupo B das eliminatórias asiáticas Participações anteriores: 3 – 1974, 2006 e 2010. Melhor resultado: Oitavas de final em 2006. Técnico: Ange Postecoglou Destaque: Tim Cahill (New York Red Bulls-EUA)

South Korea How it qualified: 2nd place in Grupo A of the Asian qualifying round Previous participations: 8 – 1954, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, and 2010. Best result: Forth place in 2002. Coach: Kwak Tae-Hwi Highlight: Ji Dong-Won (Sunderland – England) Japan How it qualified: 1st place in Grupo B of the Asian qualifying round Previous participations: 4 – 1998, 2002, 2006, and 2010. Best result: Round of 16 in 2002 and 2010. Coach: Alberto Zaccheroni Highlight: Keisuke Honda (CSKA Moscow – Russia) Australia How it qualified: 2nd place in Grupo B of the Asian qualifying round Previous participations: 3 – 1974, 2006, and 2010. Best result: Round of 16 in 2006. Coach: Ange Postecoglou Highlight: Tim Cahill (New York Red Bulls – United States

162


163

Foto: FIFA


Histórico de cada Seleção A Copa do Mundo de 2014 já tem seus 32 participantes definidos. O Mundial do Brasil, quinto torneio realizado na América do Sul, terá a participação recorde de seis equipes sul-americanas. E ninguém jamais viu tantos campeões mundiais reunidos em uma única edição: Brasil, Argentina, Uruguai, Alemanha, Itália, França, Inglaterra e Espanha. O sorteio final da Copa, realizado no começo de 2014, determinou a trilha de cada uma das equipes classificadas para o Mundial. Divididas entre as 12 sedes, elas já conhecem os adversários e os palcos que tentarão passar pelo filtro da fase de grupos, até chegar ao “mata-mata”. Vamos relembrar um pouco do histórico de cada Seleção.

Foto: FIFA

History of each National Team The 2014 World Cup already has its 32 participants determined. Brazil’s World Cup, fifth tournament held in South America, will have a Record participation of six South American teams. And nobody has ever seen so many world champions gathered in a single edition: Brazil, Argentina, Uruguay, Germany, Italy, France, England, and Spain. The Cup’s final draft, held in the beginning of 2014, determined the path from each one of the qualified teams to the world Cup. Divided amongst the 12 host-cities, they already know their opponents and the stages where they will try to overcome the group round, until reaching the “knockout round”. Let us remember a bit of each national team’s history.

164


GRUPO A Croácia Ao lado da Bósnia-Herzegovina, a Croácia será um dos países originados da antiga Iugoslávia que estarão representados na Copa de 2014. Será sua quarta participação no Mundial e sua estreia será numa partida de gala: a abertura da Copa, contra o Brasil, na Arena Corinthians, em São Paulo. Caso conquiste a classificação como um dos dois melhores da chave, a Croácia terá pela frente, nas oitavas de final, uma dura missão enfrentando equipes como da Espanha, Holanda, Chile e Austrália. Brasil Anfitrião do Mundial de 2014 e o maior vencedor da história das Copas, o Brasil fará a partida de abertura do torneio contra a Croácia, depois vai encarar o México e para fechar a fase de grupos, jogará contra Camarões. Caso consiga a classificação para as oitavas de final, tudo indica que o Brasil terá uma pedreira pela frente. Os adversários no mata-mata virão do Grupo B, composto pela atual campeã mundial Espanha, pela atual vice-campeã Holanda, além de Chile e Austrália. A equipe de Luiz Felipe Scolari, o Felipão, que se prepare. Camarões Uma das mais tradicionais seleções africanas, a equipe de Camarões carimbou o passaporte para o Mundial no Brasil, após a goleada na Tunísia por 4 x 1 na partida de volta do mata-mata das Eliminatórias Africanas. Será a sétima participação no campeonato, sendo que a sua melhor atuação foi em 1990, quando Roger Mila derrotou a então campeã Argentina na estreia e a equipe chegou até as quartas de final.

México Atual campeão olímpico de futebol, tendo derrotado justamente o Brasil na final em 2012, o México mais uma vez vai cruzar o caminho da Seleção Brasileira. Mas vale lembrar ainda que a sua classificação para a Copa do Mundo de 2014 foi repleta de turbulências. Foram sucessivas trocas de técnico e experiências com o time desde a sua eliminação na primeira fase da Copa das Confederações em junho de 2013. Portanto, a sua repescagem veio através da intercontinental, após duas goleadas sobre a Nova Zelândia. Brazil Host of the 2014 World Cup and greatest winner in Cup’s history, Brazil will play the opening match against Croatia, then it will face Mexico, and closing the group round will play against Cameroon. If it is able to qualify to the round of 16, everything points out that Brazil will have trouble ahead. The opponents in the knockout round will come from Group B, composed by present World Cup champions Spain, by present runner-up Holland, besides Chile and Australia. Luiz Felipe Scolari, Felipão, team: get ready!

Croatia Next to Bosnia-Herzegovina, Croatia will be one of the countries from the old Yugoslavia that will be represented in the 2014 Cup. It will be its fourth participation in the World Cup and its debut will be in a gala match: opening of the Cup against Brazil, at Arena Corinthians, in São Paulo. If it is able to qualify as one of the two best in the group, Croatia will have ahead, in the round of 16, a tough mission facing teams such as Spain, Holland, Chile, and Australia.

165


GRUPO B Espanha Em seu 14° Mundial, a atual campeã do mundo, a Espanha, como cabeça de chave do Grupo B, vai começar a defender o título da mesma maneira que terminou o torneio de 2010: enfrentando a Holanda. Antes do título conquistado na última Copa do Mundo, sua melhor participação havia sido no Brasil, em 1950, quando terminou em quarto lugar. Agora, de volta aos campos brasileiros, a Espanha quer mostrar poder de fogo. Holanda Algoz do Brasil na Copa de 2010, quando tirou o time de Dunga nas quartas de final, a Holanda acabou perdendo para a Espanha na final. E quis o capricho das bolinhas que a estreia dos holandeses, em 2014, fosse uma repetição da final de 2010. A Holanda foi sorteada no Grupo B, ao lado da Espanha, do Chile e da Austrália, e estreia justamente contra os atuais campeões do mundo. Com três vice-campeonatos mundiais no currículo, o desafio é parar de ficar no quase e levantar a sonhada taça da Copa. Austrália Embora tenha se classificado por meio das eliminatórias asiáticas, a Austrália será a única representante da Oceania na Copa. E não terá vida fácil. Caiu num grupo em que estão simplesmente os atuais campeões e vice-campeões do mundo, Espanha e Holanda. Com o desenvolvimento crescente de seu futebol, a Austrália acabou sendo aceita pela Confederação Asiática de Futebol em 2006. Assim passou a disputar as eliminatórias na Ásia, em vez de jogar contra os outros países da Oceania. A vantagem é que a Ásia tem vagas diretas em Mundiais, enquanto o campeão da Oceania precisa disputar uma repescagem com uma seleção de outro continente para confirmar a classificação.

Chile O Mundial de 2014 será o nono na história do Chile, mas o caminho da equipe sul-americana no Brasil não será fácil. O Chile caiu no Grupo B, ao lado de Espanha, atual campeã mundial, e da Holanda, atual vice. Entretanto é importante lembrar que os chilenos se classificaram diretamente pelas Eliminatórias da América do Sul, terminando a disputa em terceiro lugar. Com a seleção brasileira não têm uma boa recordação. Na Copa da África do Sul, em 2010, a equipe foi eliminada por nós nas oitavas de final, assim como aconteceu no Mundial da França, em 1998. Mexico Present Olympic football champions, having beaten Brazil in the 2012 final, Mexico once again will cross paths with the Brazilian National Team. But it is also worth remembering that its qualification to the 2014 World Cup was very turbulent, with successive coach changes and the experimentations with the team since its elimination in the first round of the Confederations Cup in June 2013. Therefore, the intercontinental playoffs came through after two huge wins against New Zealand.

166

Cameroon One of the most traditional African national teams, Cameroon stamped its passport to the World Cup in Brazil, after a huge win against Tunisia by 4 x 1 in the second match of the knockout round in the African Qualifying. This will be its seventh participation in the championship, with the best performance in 1990, when Roger Mila defeated then champions Argentina on their first match and with the team getting to the quarter finals


GRUPO C Grécia A Grécia terá, no Brasil, a oportunidade de disputar a terceira Copa de sua história. A equipe foi sorteada no Grupo C da competição, ao lado de Colômbia, Costa do Marfim e Japão.

Colômbia Foram 16 anos longe dos gramados dos mundiais, mas o jejum acabou, conquistando o segundo lugar nas Eliminatórias da América do Sul. O Brasil será o cenário de retorno da Colômbia à Copa do Mundo, depois de 16 anos longe do campeonato. E voltará em grande estilo, com honras de cabeça de chave do Grupo C pelo bom desempenho no ranking da FIFA (quarto lugar em outubro de 2013, mês que definiu as seleções do “Pote 1”).

Japão O Japão não fica fora de uma Copa do Mundo desde 1998, quando se classificou pela primeira vez. Embora o time nunca tenha ido além das oitavas de final em uma Copa, o futebol do país asiático se desenvolve a cada ano. Os nipônicos foram a primeira seleção a garantir uma vaga no Mundial de 2014, com exceção do Brasil, que é o país-sede. O Japão também teve a oportunidade de conhecer alguns dos estádios que vão receber jogos do Mundial por ter participado da Copa das Confederações, quando atuou em Brasília, Recife e Belo Horizonte.

Costa do Marfim Com duas Copas no currículo, a Costa do Marfim sofre com um tabu: nunca passou da primeira fase. Na terceira oportunidade de disputar um Mundial, os marfinenses caíram no Grupo C, ao lado de Colômbia, Grécia e Japão. Mas como vem mostrando um time “fraco” a pergunta que fica é: será que conseguirão render mais do que mostraram nos estádios sul-africanos e alemães? Spain Playing its 14th World Cup, today’s world champions, Spain, as Group B seed, it will start defending its title the same way it ended the 2010 tournament: facing Holland. Before the title won on the last World Cup, its best participation had been in Brazil, in 1950, when it finished fourth. Now, back to Brazilian fields, Spain wants to show its fire power. Holland Brazil’s executioner in the 2010 Cup, when it took Dunga’s team off in the quarter finals, Holland ended up losing to Spain in the final. And faith determined that the Dutch’s debut in 2014, was a repeat of the 2010 final. Holland was drafted in Group B, next to Spain, Chile, and Australia, and plays its first match exactly against the current world champions. With three world second places in its curriculum, the challenge is stop being almost and taking the so dreamt Cup.

Chile 2014 World Cup will be the ninth in Chile’s history, but the path for the South American team in Brazil won’t be easy. Chile is in Group B, with Spain, current world champions, and Holland, current runner-up. However, it is important to remind that the Chileans qualified straight through the South America qualifying, finishing the dispute in third place. It does not have good recollections from the Brazilian National Team. In South Africa’s Cup, in 2010, it was eliminated by us in the round of 16, as had happened in France’s World Cup, in 1998. Australia Although it qualified through the Asian Qualifying, Australia will be the only Oceania representative in the Cup. And it will not have an easy time. It is in a group with the current champion and runner-up teams, Spain and Holland. With the growing development of its football, Australia ended up being accepted by the Asian Football Confederation in 2006. So it started playing

167


168

Foto: STAFF AFP


169


170

Foto: STAFF AFP


171

Foto: STAFF AFP


172

Foto: STAFF AFP


173


174

Foto: STAFF AFP


175


Foto: CBF

Copa do Mundo 1958: a Seleçõo Brasileira sagrou-se Campeão Mundial de Futebol

176


177


GRUPO D Uruguai O Uruguai foi o último campeão mundial a garantir vaga na Copa de 2014, porque teve a repescagem intercontinental. O time foi destaque na Copa de 2010, terminando em quarto lugar e tendo Diego Forlán eleito como melhor jogador. Na história dos Mundiais, o Uruguai foi o primeiro campeão, ao vencer o torneio de 1930, em casa. Do segundo título uruguaio, nenhum brasileiro gosta de se lembrar: foi em 1950, derrotando o Brasil em pleno Maracanã, no famoso, e trágico, Maracanazo. Costa Rica Com três participações em Copas, incluindo uma disputa de oitavas de final em 1990, a Costa Rica não deu sorte no sorteio da Copa. Caiu no Grupo D, ao lado de três campeões mundiais: Uruguai, Itália e Inglaterra. Após a ausência em 2010, a Costa Rica volta ao Mundial para tentar superar e surpreender. Itália País com mais títulos da Copa do Mundo depois do Brasil, a tetracampeã Itália não terá vida fácil em sua busca pelo penta. A equipe do atacante Mario Balotelli caiu no Grupo D, ao lado de outros dois campeões mundiais: Uruguai e Inglaterra, além da Costa Rica. E a estreia já será com o clássico europeu diante dos ingleses, na Arena da Amazônia, no dia 14 de junho.

Inglaterra Com uma campanha invicta nas eliminatórias europeias, a Inglaterra selou sua classificação para a Copa ao garantir o primeiro lugar do Grupo H, com seis vitórias e quatro empates. Quarenta e oito anos após conquistar seu primeiro e único título da Copa do Mundo (em 1966), a Inglaterra volta a buscar o bi mundial em 2014. Colombia 16 years away from the World Cup, but the drought is over, with the second place in the South America Qualifying. Brazil will be the scenario of Colombia’s return to the World Cup. And it will return in great style, with the honors of being Group C seed due to the good performance in the FIFA ranking (fourth place in October 2013, month that determined the “Bowl 1” national teams). Greece Greece will have the opportunity in Brazil of playing its third Cup. The team was drafted in the competition’s Group C, with Colombia, Ivory Coast, and Japan. Ivory Coast With two Cups in its curriculum, Ivory Coast suffers with a taboo: it never went beyond the first round. On its third opportunity of playing a World Cup, the Ivoirians are in Group C, with Colombia, Greece, and Japan. But as they have been showing a “weak” team the question is: will they be able to

perform better than they did in South African and German stadiums? Japan Japan hasn’t been away from a World Cup since 1998, when it qualified for the first time. Although the team has never gone beyond the round of 16 in a Cup, the Asian country’s football has developed year after year. The Japanese were the first national team to assure their spot in the 2014 World Cup, except for Brazil, the host-country. Japan also had the opportunity of knowing some of the stadiums that will host World Cup matches for having participated in the Confederations Cup, playing in Brasília, Recife, and Belo Horizonte. Uruguay Uruguay was the last World Cup champion to guarantee a spot in the 2014 Cup, as it played the international playoffs. The team was the highlight of the 2010 Cup, finishing fourth and having Diego Forlán elected as best player. In the world Cup history, Uruguay was the first champion winning the 1930 tournament at home. The second Uruguayan world title is not a happy memory for Brazilians: it was in 1950, defeating Brazil in Maracanã, in the famous and tragic Maracanazo.

178


GRUPO E França Campeões do mundo em 1998, os franceses não tiveram vida fácil nas eliminatórias. Garantiram vaga na Copa do Mundo de última hora, graças a uma emocionante vitória sobre a Ucrânia na repescagem das eliminatórias europeias. Foi sorteada no Grupo E do Mundial, ao lado de Suíça, Equador e Honduras.

Suíça Em 2014, a Suíça disputará sua décima Copa do Mundo, a segunda em solo brasileiro. Mas, diferentemente de 1950, os suíços dessa vez chegam com honras de cabeças de chave. Na posição 1 do Grupo E, a seleção europeia vai estrear no Mundial diante do Equador, no dia 15 de junho. Honduras Em sua terceira participação na Copa do Mundo, Honduras terá o desafio de vencer uma partida de Mundial pela primeira vez na história. Para isso, terá pela frente pelo menos três oportunidades, mas contra fortes adversários. Após boa campanha nas eliminatórias das Américas do Norte, Central e do Caribe, a esperança é que o desempenho em 2014 seja melhor. Equador A história do Equador com a Copa do Mundo é recente. Depois de 2002 e 2006, esta será a terceira participação do país em mundiais. Sua vaga foi garantida nas Eliminatórias da América do Sul, o que garantiu vaga direta, sem a necessidade de passar por uma repescagem. Uruguay Uruguay was the last World Cup champion to guarantee a spot in the 2014 Cup, as it played the international playoffs. The team was the highlight of the 2010 Cup, finishing fourth and having Diego Forlán elected as best player. In the world Cup history, Uruguay was the first champion winning the 1930 tournament at home. The second Uruguayan world title is not a happy memory for Brazilians: it was in 1950, defeating Brazil in Maracanã, in the famous and tragic Maracanazo. Costa Rica With three participations in Cups, including a round of 16 in 1990, Costa Rica was not lucky in the Cup draft. It is in Group D, with three world champions: Uruguay, Italy, and England. After the absence in 2010, Costa Rica returns to the World Cup to try to overcome and surprise. England With an undefeated campaign in European Qualifying, England sealed its qualification to the Cup guaranteeing first place in Group H, with six wins and four draws. Forty eight years after winning its one and only World Cup title (in 1966), England is back to seek the second in the 2014 World Cup. Italy Country with the most World Cup titles after Brazil, the four-time champion Italy will not have an easy task ahead for their fifth title. Striker Mario Balotelli team is in Group D, with another two world champions: Uruguay and England, and also Costa Rica. And their first match is the European classic against the English, at Arena da Amazônia, on June 14th.

Switzerland In 2014, Switzerland will play its tenth World Cup, the second in Brazilian soil. But, different from 1950, the Swiss arrive now with status of being seed. In the number one spot in Group E, the European national team will start the World Cup against Ecuador, on the 15th of June. Ecuador Ecuador’s history in World Cups is a recent one. After 2002 and 2006, this will be the country’s third participation. Its spot was guaranteed in the South America Qualifying, with no need of going through playoffs. France World champions in 1998, the French did not have an easy life in the qualifying round. They guaranteed a spot in the World Cup in the last minute, thanks to an exciting win over Ukraine in the playoffs of the European Qualifying. It was drafted in Group E, with Switzerland, Ecuador, and Honduras. Honduras On its third participation in World Cups, Honduras will have to overcome the challenge of winning a World Cup match for the first time in history. For that, it will have at least three opportunities, but against strong opponents. After a good campaign in the North American, Central American, and Caribbean qualifying round, the expectation is that 2014 performance will be better

179


GRUPO F Argentina A Argentina vai disputar a sua 16ª Copa do Mundo da FIFA. Bicampeã mundial (1978 e 1982), é a cabeça de chave do Grupo F e fará um tour, na primeira fase do Mundial, pelas regiões Sudeste e Sul do país. A estreia da equipe do craque Lionel Messi será diante da única caloura no torneio, a Bósnia-Herzegovina. Só não houve participação do país vizinho nas edições de 1938, 1954 e 1970.

Bósnia-Herzegovina Única estreante da Copa de 2014, a Bósnia-Herzegovina fará o primeiro jogo de sua história em Mundiais num palco digno do momento histórico para o país. Para conquistar a inédita vaga no Mundial, os bósnios venceram oito de dez jogos no Grupo G das eliminatórias europeias. A campanha, que ainda teve um empate e uma derrota, garantiu o primeiro lugar da chave, graças à eficiência do ataque. Com 30 gols marcados, média de três por partida, os bósnios terminaram as eliminatórias com um saldo de 24 gols, superando a Grécia (saldo de 8) nesse critério de desempate. Nigéria Por ter participado da Copa das Confederações de 2013, a Nigéria já teve uma ideia do que é disputar uma grande competição no Brasil. A Seleção garantiu a classificação para o quinto mundial de sua história com duas vitórias sobre a Etiópia na fase final das Eliminatórias Africanas. Nas primeiras participações em Copas do Mundo, as Super Águias chegaram às oitavas de final, em 1994 e 1998. Nos Mundiais de 2002 e 2010, a equipe não passou da fase de grupos e espera ter um resultado melhor no Brasil.

Irã A participação na Copa de 2014 vai marcar a quarta vez que o Irã disputará um Mundial. Único país do Oriente Médio enfrentará na primeira fase Argentina, Nigéria e Bósnia Herzegovina. Será, portanto um grande desafio, já que nas três oportunidades anteriores, em 1978, 1998 e 2006, os iranianos deram adeus logo na etapa inicial do torneio. Para garantir a vaga no Mundial do Brasil, o Irã fez boa campanha nas eliminatórias asiáticas. Argentina Argentina will play its 16th FIFA World Cup. Two-time World Cup champions (1978 and 1982), it is Group F seed and will tour, in the World Cup’s first round, through the Southeast and South regions of the country. Star Lionel Messi team’s debut will be against the only freshman in the tournament, Bosnia-Herzegovina. The neighbor country only was not present in the 1938, 1954, and 1970 editions. Bosnia-Herzegovina Only freshman in the 2014 Cup, Bosnia-Herzegovina will play its first game in World Cup history in a stage worthy of the historical moment for the country. To be able to reach the inedited spot in the World Cup, the Bosnians won eight of ten matches in the European Qualifying Group G. Their campaign, also with a draw and a loss, guaranteed first place in the group, thanks to the attack’s efficiency. With 30 goals scored, an average of three per game, the Bosnians finished the qualifying round with a 24 goal balance, overcoming Greece (balance of 8) in this tiebreaking criterion.

Iran The participation in the 2014 Cup will be the fourth time Iran will play a World Cup. Only Middle Eastern country, it will face in the first round Argentina, Nigeria, and Bosnia-Herzegovina. Thus, this will be a great feat, as in the previous three opportunities, in 1978, 1998, and 2006, the Iranians Said goodbye right in the first stage of the tournament. In order to guarantee its spot in Brazil’s World Cup, Iran had a good campaign in the Asian Qualifying

180


GRUPO G Gana Gana estreou em Copas do Mundo há apenas oito anos, na Alemanha, quando foi a única seleção africana a passar da primeira fase no Mundial de 2006, perdendo para o Brasil nas oitavas de final. Quatro anos depois, foram mais longe e só saíram nas quartas de final, em um jogo emocionante contra o Uruguai que terminou na disputa de pênaltis. Nas eliminatórias africanas, os ganeses selaram a vaga no Mundial de 2014 ao vencer o confronto diante do Egito. Alemanha Tricampeã do mundo (em 1954, 1974 e 1990) e com 17 participações em Copas no currículo, só ficando fora do Mundial duas vezes, em 1930 e 1950, a Alemanha será cabeça de chave do Grupo G em 2014. A classificação para a 20ª edição da Copa, em 2014, veio graças a uma campanha irrepreensível nas eliminatórias europeias. Com nove vitórias e um empate em dez jogos, os alemães terminaram em primeiro lugar no Grupo C e levaram a vaga no Mundial de forma invicta.

Estados Unidos Sob o comando do alemão Juergen Klinsmann, os Estados Unidos terão uma dura missão na Copa do Mundo de 2014. Desde 2011 no cargo, o técnico da seleção americana conseguiu algumas proezas, como a vitória por 1 x 0 sobre a Itália em um amistoso em 2012. Foi a primeira vitória dos Estados Unidos sobre os italianos na história. Na fase final das eliminatórias da América do Norte, Central e Caribe, os norte-americanos somaram sete vitórias, um empate e duas derrotas. A campanha rendeu o primeiro lugar na tabela e a classificação direta para o Mundial de 2014.

Portugal Após um dramático confronto diante da Suécia para garantir uma vaga no Mundial, que veio na repescagem das Eliminatórias europeias, Portugal já sabe o caminho que seguirá na primeira fase da Copa do Mundo de 2014. A estreia da seleção lusitana no Grupo G será contra uma das principais candidatas ao título, a Alemanha. Será a sexta Copa de Portugal, a quarta consecutiva. A melhor colocação é o terceiro lugar de 1966, quando Eusébio comandava o time em campo. Nigeria For having participated in the 2013 Confederations Cup, Nigeria already had an idea of what is playing a huge competition in Brazil. The national team guaranteed its classification for its history’s fifth World Cup with two wins over Ethiopia in the final stage of the African Qualifying. On its first participations in World Cups, the Super Eagles reached the round of 16, in 1994 and 1998. In the 2002 and 2010 World Cups, the team did not go beyond the group stage, and it hopes to have a better result in Brazil

Germany Three-time world champions (in 1954, 1974, and 1990) and with 17 participations in Cups under its belt, it only missed two World Cups, in 1930 and 1950. Germany will be Group G seed in 2014. Qualifying for the 20th edition of the Cup, in 2014, came thanks to a faultless campaign in the European Qualifying. With nine victories and a draw in ten matches, the Germans finished first in Group C and took the spot in the World Cup undefeated.

181


GRUPO H Bélgica Após as ausências nas Copas de 2002 e 2006, a Bélgica volta ao Mundial com uma seleção que mostrou força durante as eliminatórias. Invicta durante as eliminatórias europeias, a seleção da Bélgica não apenas conquistou uma vaga direta na Copa de 2014, mas selou sua participação como uma das cabeças de chave do Mundial. Na 12ª Copa de sua história, a Bélgica terá a chance de superar o quarto lugar de 1986, melhor colocação do país em Mundiais. Argélia Em sua terceira participação em Mundiais - 1982, 1986 e 2010 – a Argélia sabe como é um grande desafio passar da fase inicial. Nas outras três participações a equipe não conseguiu chegar às oitavas de final. A Argélia, contudo, pode ser orgulhar de um feito: foi o primeiro país africano a vencer uma partida em uma Copa do Mundo, quando superou a Alemanha Ocidental por 2 x 1 em 1982. Rússia Foram oito anos de ausência, mas em 2014, o país que receberá o Mundial depois do Brasil voltará a disputar uma Copa do Mundo. Nas Eliminatórias Europeias, a Rússia protagonizou uma acirrada disputa com Portugal pelo primeiro lugar do Grupo F. No fim, os russos se deram bem. Com sete vitórias, um empate e duas derrotas, conseguiram ficar um ponto à frente dos portugueses, que tiveram de disputar a repescagem. Correia do Sul Uma das mais experientes seleções asiáticas em Copas do Mundo, com oito participações, a Coreia do Sul estreará em seu nono mundial diante da Rússia. Desde 1986 a Coreia do Sul não fica fora de uma Copa. Nesse período, a melhor classificação foi um surpreendente quarto lugar em 2002, no ano em que os coreanos sediaram o Mundial ao lado dos japoneses. Com um futebol marcado por velocidade e aplicação tática, a Coreia do Sul espera surpreender também no Brasil. Para isso, terá de mostrar mais do que fez nas eliminatórias asiáticas. Portugal After a dramatic confrontation against Sweden to guarantee a spot in the World Cup, in the European Qualifying playoffs, Portugal now knows the path it will have to follow during the 2014 World Cup first stage. The Portuguese team’s debut in Group G will be against one of the main candidates to the title, Germany. It will be Portugal’s sixth Cup, the fourth consecutive. Their best position is third place in 1966, when Eusébio headed the team on the field.

Ghana Ghana debuted in World Cups only eight years ago, in Germany, when it was the only African national team to overcome the first stage in the 2006 World Cup, losing to Brazil in the round of 16. Four years later, they went further and were only eliminated in the quarter finals, in an exciting game against Uruguay that ended in penalty kicks. In the African Qualifying, Ghana sealed its spot in the 2014 World Cup beating Egypt. United States Under German Juergen Klinsmann command, the United States will have a tough mission in the 2014 World Cup. Since 2011 in the post, the American national team coach worked a few feats, such as the 1 x 0 victory over Italy in a friendly match in 2012. It was the first victory of the United States over the

182


Russia Eight years of absence, but in 2014, the country that will host the World Cup after Brazil is back participating of a World Cup. In the European Qualifying, Russia played the leading role in a tough dispute with Portugal for the first place in Group F. In the end, the Russians got the better end of the deal. With seven wins, a draw and two losses, they were able to remain one point ahead of the Portuguese, who had to participate in the playoffs. South Korea One of the most experienced Asian national teams in World Cups, with eight participations, South Korea will start its ninth World Cup against Russia. Since 1986 South Korea doesn’t miss a Cup. During this period, its best rank was a surprising fourth place in 2002, when they hosted the World Cup with the Japanese. With a football marked by speed and tactical determination, South Korea hopes to surprise all here in Brazil. For that it will have to show more than it did during the Asian Qualifying.

Foto: FIFA

Belgium After absences in the 2002 and 2006 Cups, Belgium returns to the World Cup with a national team that exhibited strength during qualifying. Unbeaten in the European Qualifying, the Belgian national team not only achieved a direct spot to the 2014 Cup, but also sealed its participation as one of the World Cup seeds. In its 12th Cup in history, Belgium will have the chance of surpassing the fourth place in 1986, the country’s best rank in World Cups. Algeria In its fourth participation in World Cups - 1982, 1986, and 2010 – Algeria is aware of the huge challenge of passing through the first stage. In the other three participations the team was not able to reach the round of 16. Algeria, however, can be proud of a feat: it was the first African country to win a match in a World Cup, when it beat West Germany 2 x 1 in 1982.

183


184


185

Foto: FIFA


186


187

Foto: STAFF AFP


Foto: STAFF AFP

Exposição da Copa do Mundo 2014

188


189


Foto: STAFF AFP

Exposição da Copa do Mundo 2014

190


191


Foto: STAFF AFP

192


193


Os Estádios da Copa do Mundo FIFA 2014 Segundo dados da Agência Brasil, os R$ 8 bilhões investidos na construção e reforma dos estádios que sediarão os jogos da Copa do Mundo de 2014 apresentaram, em 2013, os primeiros retornos financeiros. “Dos 12 estádios que serão palco dos jogos, seis estão prontos. Neles, foram arrecadados R$ 176,5 milhões apenas com a venda de ingressos para o Campeonato Brasileiro de 2013 – recorde histórico, após um aumento de 49% na comparação com a receita obtida no ano anterior. Nos 380 jogos do torneio, quase 6 milhões de torcedores pagaram ingresso, número 15% superior ao registrado em 2012”, garante a Agência. Já o setor de turismo também bateu recordes. Segundo o Ministério do Turismo, o país ultrapassou a marca de 6 milhões de turistas no decorrer de 2013. A receita obtida a partir dos gastos dos turistas estrangeiros foi US$ 6,13 bilhões, entre janeiro e novembro de 2013, recorde histórico para o período. A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) fechou negócios da ordem de R$ 1,8 bilhão no Projeto Copa, durante o torneio de 2013. A ação reuniu 1,4 mil empresários. E agora vem a pergunta: está pronto? Quanto foi investido em cada Estádio? Qual é a capacidade? Para responder isso relacionamos abaixo: Mineirão (Belo Horizonte) Investimento total: R$666,3 milhões

Estádio Nacional Mané Garrincha (Brasília)

Financiamento federal: R$400 milhões

Investimento total: R$1,4 bilhão

Capacidade: 65 mil espectadores

Financiamento federal: Não divulgado Capacidade: 75 mil espectadores

Arena Pantanal (Cuiabá) Investimento total: R$570 milhões

Arena da Baixada (Curitiba)

Financiamento federal: R$339 milhões

Investimento total: R$326,7 milhões

Capacidade: 44,3 mil espectadores

Financiamento federal: R$196,8 milhões Capacidade: 43 mil espectadores

2014 FIFA World Cup Stadiums According to data from Agência Brasil, the R$ 8 billion invested in the construction and renovation of stadiums that will host the 2014 World Cup matches presented in 2013 the first financial returns. “Of the 12 stadiums that will be stage for matches, six are ready. There, were collected R$ 176.5 million only with ticket sales for the 2013 Brazilian National Championship – a historical record, after a 49% increase comparing with the revenue from the previous year. On the tournament’s 380 matches, almost 6 million fans paid tickets, a number 15% higher than that from 2012”, assures the Agency. On the other hand the tourism sector has also registered records. According to the Ministry of Tourism, the country surpassed the mark of 6 million tourists during 2013. The revenue obtained from foreign tourists expenses was US$ 6.13 billion, between January and November 2013, another historical record for the period. The Brazilian Agency for Promotion of Exports and Investments (Apex) closed deals in amounts of R$ 1.8 billion in the Cup Project, during the 2013 tournament. The action gathered 1.4 thousand businessmen. And now comes the question: is it ready? How much was invested in each stadium? What is their capacity? In order to answer that we have listed below: Mineirão (Belo Horizonte) Status: Delivered Total investment: R$ 666.3 million Federal financing: R$ 400 million Capacity: 65 thousand spectators

Arena Pantanal (Cuiabá) Status: Being finished (updated in March/2014) Total investment: R$ 570 million Federal financing: R$ 339 million Capacity: 44.3 thousand spectators

Estádio Nacional Mané Garrincha (Brasília) Status: Delivered Total investment: R$ 1.4 billion Federal financing: Not disclosed Capacity: 75 thousand spectators

Arena da Baixada (Curitiba) Status: Being finished (updated in March/2014) Total investment: R$ 326.7 million Federal financing: R$ 196.8 million Capacity: 43 thousand spectators

194


Foto: STAFF AFP

Arena Maracan達 - Rio de Janeiro

195


196


Foto: STAFF AFP

Arena Itaquera - S達o Paulo

197


198


Foto: STAFF AFP

Arena Mineir達o - Minas Gerais

199


ManĂŠ Garrincha - BrasĂ­lia

200


201 Foto: STAFF AFP


202

Foto: STAFF AFP


Arena Pantanal - Mato Grosso 203


Foto: STAFF AFP

Arena Amaz么nia - Amazonas

204


Castelão (Fortaleza)

Arena da Amazônia (Manaus)

Investimento total: R$518,6 milhões

Investimento total: R$669,5 milhões

Financiamento federal: R$351,5 milhões

Financiamento federal: R$400 milhões

Capacidade: 63 mil espectadores

Capacidade: 40 mil espectadores

Arena das Dunas (Natal)

Estádio Beira-Rio (Porto Alegre)

Investimento total: R$400 milhões

Investimento total: R$275,1 milhões

Financiamento federal: R$396,5 milhões

Financiamento federal: R$330 milhões

Capacidade: 42 mil espectadores

Capacidade: 50 mil espectadores

Arena Pernambuco (Recife)

Arena Pernambuco (Recife)

Investimento total: R$532,6 milhões

Investimento total: R$532,6 milhões

Financiamento federal: R$400 milhões

Financiamento federal: R$400 milhões

Capacidade: 46 mil espectadores

Capacidade: 46 mil espectadores Maracanã (Rio de Janeiro) Investimento total: R$808,4 milhões Financiamento federal: R$400 milhões Capacidade: 78 mil espectadores

Arena Fonte Nova (Salvador)

Arena Corinthians (São Paulo)

Investimento total: R$689,4 milhões

Investimento total: não informado

Financiamento federal: R$323,6 milhões

Financiamento federal: não informado

*Recursos Estaduais: R$268,1 milhões

Capacidade: 69 mil espectadores

Capacidade: 55 mil espectadores Castelão (Fortaleza) Status: Delivered Total investment: R$ 518.6 million Federal financing: R$ 351.5 million Capacity: 63 thousand spectators

Stadium Beira-Rio (Porto Alegre) Status: Delivered Total investment: R$ 275.1 million Federal financing: R$ 330 million Capacity: 50 thousand spectators

Maracanã (Rio de Janeiro) Status: Delivered Total investment: R$ 808.4 million Federal financing: R$ 400 million Capacity: 78 thousand spectators

Arena da Amazônia (Manaus) Status: Delivered Total investment: R$ 669.5 million Federal financing: R$ 400 million Capacity: 40 thousand spectators

Arena Pernambuco (Recife) Status: Delivered Total investment: R$ 532.6 million Federal financing: R$ 400 million Capacity: 46 thousand spectators

Arena das Dunas (Natal) Status: Delivered Total investment: R$ 400 million Federal financing: R$ 396.5 million Capacity: 42 thousand spectators

Arena Pernambuco (Recife) Status: Delivered Total investment: R$ 532.6 million Federal financing: R$ 400 million Capacity: 46 thousand spectators

Arena Fonte Nova (Salvador) Status: Delivered Total investment: R$ 689.4 million Federal financing: R$ 323.6 million *State resources: R$ 268.1 million Capacity: 55 thousand spectators

205

Arena Corinthians (São Paulo) Status: Delayed Total investment: not informed Federal financing: not informed Capacity: 69 thousand spectators


206


Foto: STAFF AFP

Arena da Baixada - Paranรก

207


208


Arena Beira Rio

Foto: STAFF AFP

Rio Grande do Sul

209


Arena Dunas

Foto: STAFF AFP

Rio Grande do Norte

210


211


212


Foto: STAFF AFP

Arena Amaz么nia - Amazonas

213


Foto: STAFF AFP

Arena Fonte Nova - Bahia 214


215


216

Foto: STAFF AFP


Construção do estádio Mané Garrincha - Brasília 1974

217


Foto: STAFF AFP

Inauguração do estádio Mané Garrincha - Brasília

218


219


Foto: STAFF AFP

Extinto estádio Pelezão - Brasília 1972

220


221


Inauguração do estádio Pelezão com a presença do

Foto: STAFF AFP

Rei do Futebol, Pelé - Brasília 1972

222


223


224

Foto: STAFF AFP


Seleção de 1970 em Brasília

225


226


Foto: STAFF AFP

Seleção de 1970 em Brasília

227


Em BrasĂ­lia, onde tudo acontece

228


O maior centro de negócios e entretenimento do DF Ao lado da torre de TV Centro de eventos para até 4000 pessoas A apenas 1 Km da esplanada dos ministérios Polo gastronômico com 7 restaurantes 3 torres de escritórios 3 hotéis de luxo 3 salas de teatro

(61)3039-8330

(61)3031-2121

(61)3039-8880

(61)3218-4700

SHS Quadra 06 - Setor Hoteleiro Sul Brasília/DF www.complexobrasil21.com.br

229


cartazes Além do cartaz oficial da Copa do Mundo FIFA 2014, que é um importante símbolo visual do principal evento da FIFA, foram lançados também um para cada cidade sede. Para Jérôme Valcke, secretário-geral da FIFA, “o cartaz é um ótimo exemplo da grande capacidade criativa do Brasil. A proposta ganhadora sem dúvida servirá como um esplêndido cartão de visita para a Copa do Mundo da FIFA 2014. Com muita emotividade, o cartaz destaca a importância e o brilho do torneio, assim como o fascínio gerado pelo futebol”. O cartaz retrata a beleza e a diversidade do Brasil por meio de um desenho colorido, vibrante e carregado de emoção. O conceito criativo por trás do cartaz – “Todo um país a serviço do futebol – Brasil e futebol, uma identidade compartilhada”. Isso fica evidente em toda a peça, principalmente no detalhe das pernas dos jogadores disputando a bola e revelando ao mesmo tempo o mapa do Brasil. Já os outros 12 cartazes também trazem uma mensagem da cidade que representam, além de destacar um ícone e/ou ponto turístico.

Posters Besides the official 2014 FIFA World Cup poster, an important visual symbol for FIFA’s main event, posters for each host-city were also released. For Jérôme Valcke, FIFA’s secretary general, ”the poster is an excellent example of Brazil’s huge creative capacity. There is no doubt that the winning proposal will serve as an splendid welcome card for 2014 FIFA World Cup. With much emotiveness, the poster highlights the tournament’s importance and brilliance, as well as the fascination generated by football”. The poster portraits Brazil’s beauty and diversity by means of a colorful, vibrant drawing, loaded with emotion. The creative concept behind the poster: “An entire country at football’s service – Brazil and football, a shared identity”. This is obvious in the entire piece, especially on the details of the players’ legs fighting for the ball at the same time revealing Brazil’s map. The other 12 posters also bring a message from the city they represent, besides highlighting an icon and/or touristic spot.

230


Belo Horizonte A Igreja de São Francisco de Assis, que integra o conjunto da Pampulha, aparece em destaque no desenho da capital mineira. No pôster, as imagens que decoram o exterior da Igreja ganham vida e se unem em sobreposições formando os pentágonos da bola. Belo Horizonte The São Francisco de Assis church, which integrates the Pampulha complex, is shown is a prominent position in the drawing of the Minas Gerais capital. In the poster the images decorating the exterior of the church gain life and unite in superpositions forming the ball’s pentagons.

Brasília A imagem faz uma estilização da Catedral, uma das obras que simbolizam a cidade e um ícone arquitetônico mundial. As cores do jogador chutando a bola reforçam as múltiplas etnias que compõem a sociedade brasileira e remontam à presença dos cinco continentes na Copa. O amarelo no lado direito da imagem simboliza o sol nascente sempre a leste. Brasília The image brings a stylization of the Catedral (Cathedral), one of the works that symbolize the city and a world architectural icon. The colors of the player kicking the ball reinforce the several ethnicities that compose the Brazilian society and date back to the presence of the five continents in the Cup. The yellow on the image’s right side symbolizes the rising sun always to the east.

231


Cuiabá No pôster da capital de Mato Grosso, o tuiuiú, ave símbolo do Pantanal, é um dos destaques. O futebol é representado pela bola nos pés do jogador. A vibração das pessoas com o evento, em especial da torcida pantaneira, é traduzida no movimento da bola e as formas que a cercam. O mapa do Estado no centro da bola mostra que Cuiabá está preparada para receber o maior evento de sua história. Cuiabá In the poster from the capital of Mato Grosso, the Tuiuiú, bird symbol of Pantanal, is one of the highlights. Football is represented by the ball on the player’s feet. The excitement of the people with the event, especially the Pantaneira fans, is brought by the movement of the ball and the shapes surrounding it. The state’s map at the ball’s center shows that Cuiabá is ready for receiving the greatest event from its history.

Curitiba A Araucária, símbolo de Curitiba e do Paraná, é onipresente na imagem de Curitiba. Ao todo, 34.949 pessoas participaram da escolha do pôster oficial, por meio de votação pelo site da Prefeitura. No plano das conotações, o pinheiro adulto se ergue para o infinito, feito taça de luz. É como se Curitiba fizesse um brinde ao futebol. Curitiba The Araucária, symbol of Curitiba and Paraná, is omnipresent in Curitiba’s image. A total of 34,949 people participated in the choice of the official poster by means of a poll through the City Hall’s website. In the connotation plan, the adult pine tree raises towards the infinite, as a cup of light. It is as if Curitiba toasted football

232


Fortaleza Uma bola que sai como se fosse lançada a partir do Castelão é a imagem da capital cearense para a Copa do Mundo de 2014. A bola carrega os principais símbolos da cidade. As texturas utilizadas e os traços do desenho remetem a uma cidade moderna que não esquece suas tradições. Fortaleza A ball leaving as if thrown from Castelão is the image of the capital of Ceará for the 2014 World Cup. The ball carries the city’s main symbols. The textures used and drawing traces remit to a modern city that does not forget its traditions

Manaus Duas araras vermelhas pousadas sobre uma trave de futebol resumem a relação que o pôster de Manaus para a Copa buscou: mostrar que, no coração da maior floresta tropical do mundo, somos todos torcedores por natureza. Manaus Two red macaws alit over a football post summarize the relation Manaus’ poster for the Cup tried rescuing: showing that, in the heart of the world’s biggest tropical forest, we are all fans by nature.

233


Natal O verde das matas. O amarelo das areias escaldantes. O azul do mar. Localizada na esquina da América do Sul, Natal se mostra no pôster de braços abertos para o evento. No corpo do torcedor de braços abertos é possível ver o Morro do Careca, na Praia de Ponta Negra, uma das marcas da capital potiguar. Natal Green from the forests. Yellow from the sizzling sands. Blue from the sea. Located at the corner of South America, Natal is shown with open arms in the event’s poster. On the body of the fan with open arms it is possible to see the Morro do Careca, at Praia de Ponta Negra, one of the trademarks of the capital city.

Porto Alegre Um atleta chutando a bola e a imagem da Usina do Gasômetro representam, no pôster de Porto Alegre, a grandeza do evento e o legado deixado por ele, como a riqueza cultural, desenvolvimento tecnológico, estrutural e riqueza econômica, representados também pelas faixas coloridas. As pessoas que aparecem no cartaz vibrando representam a paixão do porto-alegrense pelo futebol. Porto Alegre An athlete kicking the ball and the image of the Usina do Gasômetro (Gasmeter Plant) represent, in Porto Alegre’s poster, the event’s greatness and the legacy left by it, as the natural riches, technological and structural development, and economic richness, also represented by the colorful bands. People that appear in the poster cheering represent the people from Porto Alegre’s passion for football.

234


Recife O pôster de Recife é repleto de movimento e cores e remete ao frevo, manifestação cultural típica do estado. Com uma sombrinha na mão, o passista realiza movimentos ágeis e leves, como as acrobacias dos jogadores, que fazem com a bola o mundo “ferver”. Recife Recife’s poster is full of movement and colors, and remits to frevo, a state’s typical cultural manifestation. With a small umbrella on his hand dancer performs agile and smooth moves, such as player acrobatics, who make the world “boil up” with the ball.

Rio de Janeiro O cartaz do Rio de Janeiro, criado a partir de concurso nacional, representa a essência do carioca, “que se move no ritmo do mar e com a energia da natureza que o cerca e do calor do sol”. A imagem foi criada pelos designers Julia Gostkorzewicz e Eduardo Leichner. A silhueta e a bola em um gesto descontraído formam um coração que está no centro de várias camadas expressando o amor do carioca pelo futebol. Cada camada representa um aspecto do Rio: a praia, a montanha, o Pão de Açúcar, o mar e o céu. Rio de Janeiro Rio de Janeiro’s poster, created by a national contest, represents the Carioca essence, “moving to the rhythm of the sea and with the energy of nature surrounding them and the heat of the sun”. The image was created by designers Julia Gostkorzewicz and Eduardo Leichner. The silhouette and the ball in a laid-back gesture form a heart that is in the center of several layers expressing the Carioca love for football. Each layer represents an aspect of Rio: the beach, the mountain, the Pão de Açúcar (Sugar Loaf), the sea, and the sky.

235


Salvador O Elevador Lacerda transformado em trave de futebol e uma bola estufando a rede que o envolve aparecem em destaque no pôster de Salvador. Do alto das torres do primeiro elevador público do mundo é possível avistar outros diversos pontos turísticos da cidade, oferecendo, como pano de fundo, a vista espetacular da Baía de Todos-os-Santos. Esse imponente cartão postal é também um atalho que liga a cidade baixa, litorânea e histórica, à moderna e crescente cidade alta. Salvador The Elevador Lacerda (Lacerda Elevator) transformed in a football goal post and a ball filling the net involving it appear in highlight in Salvador’s poster. From the height of the towers of the world’s first public elevator it is possible to view other touristic spots in the city, offering, as background the spectacular view of the Baía de Todos-os-Santos (All Saints Bay). This stately postcard is also a bypath connecting the lower, coastal, and historical city to the modern and growing high city.

São Paulo O caráter cosmopolita e múltiplo de São Paulo é destacado no pôster da capital paulista. A imagem reflete uma metrópole onde milhares de pessoas vivem, se emocionam, comemoram e respiram futebol. O futebol está no sangue da cidade, nas ruas, no mar de edifícios, no ar.

São Paulo The cosmopolite and multiple character of São Paulo are highlighted in the Paulista capital poster. The image reflects a metropolis where millions of people live, are emotive, celebrate and breathe football. Football is in the city’s blood, in the streets, in the sea of buildings, in the air.

236


Camiseta da Seleção Brasileira - 2014

237


238

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR


239


240

Foto: STAFF AFP


241


Turismo nas cidades sede Um estudo realizado pelo Ministério do Turismo traçou o perfil do estrangeiro que vai assistir à Copa do Mundo. Usando dados coletados da última Copa, na África do Sul, em 2010, ficou constatado que 83% dos torcedores que se deslocam durante a competição são homens. Desse percentual, 45% tem entre 25 e 34 anos. Outro dado interessante está relacionado ao nível escolar dos torcedores: 86% dos entrevistados têm nível superior, pós-graduação ou especialização. Também merece destaque o tempo de permanência dos estrangeiros no país. Uma parcela considerável (28%) passa entre 15 e 20 dias no destino e pretende fazer turismo adicional pelo país (83%), passando por três ou mais destinos. Em relação à Copa das Confederações, realizada em junho de 2013, o Ministério do Turismo e a Fundação de Pesquisas Econômicas observaram o perfil do turista brasileiro e estrangeiro durante a competição. Entre os estrangeiros, 75,8% afirmaram que pretendem voltar para a Copa do Mundo. O turista internacional permaneceu 14,3 dias no país, bem acima da média do turista brasileiro (5,5 noites); se hospedou em hotéis (74,6%) e visitou outros dois destinos além da cidade-sede do jogo. Ao todo os visitantes estrangeiros transitaram por 132 cidades brasileiras. Mas vamos falar apenas sobre as cidades sedes da Copa do Mundo FIFA 2014. Congresso Nacional

Brasília - DF

Tourism in the host-cities A study performed by the Ministry of Tourism outlined the profile of foreigners that will come to enjoy the World Cup. Using date collected from the last Cup in South Africa, in 2010, it was verified that 83% of the fans moving about during the competition are men. From this percentage, 45% are between 25 and 34 years of age. Another interesting date is related to the educational level of the fans: 86% of those interviewed have high education level, post-graduation or specialization. The period of stay of the visitors to the country also deserves mention. A considerable part (28%) of them spends between 15 and 20 days at the destination and intends on doing additional travelling through the (83%), going to another three or more destinations. In regards to the Confederations Cup, held in June 2013, the Ministry of Tourism and the Foundation for Economic Research verified the Brazilian and foreign tourist profile during the competition. Amongst foreigners 75.8% stated they intend on coming back for the World Cup. The international tourist stayed 14.3 days in the country, well above the Brazilian tourist average (5.5 nights); they stayed in hotels (74.6%) and visited other destinations besides the match’s host-city. All together foreign visitors travelled through 132 Brazilian cities, but let us talk only about the 2014 FIFA World Cup host-cities.

242


Avenida Orla

Foto: Embratur

Salvador - BA

243


Praça da Estação

244


Belo Horizonte

Capital projetada no final do século 19, Belo Horizonte é conhecida por seu potencial econômico, que atrai milhares de turistas de negócios anualmente. Terceiro centro industrial do país, BH também é a porta para o turismo cultural em cidades históricas como Ouro Preto, Mariana, Sabará, Congonhas e Caeté. Clima agradável, belas paisagens, arquitetura eclética completam o amplo mosaico oferecido.

Foto: Embratur

Belo Horizonte Capital designed in the late 19th century, Belo Horizonte is known for its economic potential, attracting thousands of business tourists annually. The country’s third industrial center, BH is also the door for cultural tourism in historical cities such as Ouro Preto, Mariana, Sabará, Congonhas, and Caeté. Enjoyable climate, nice scenery, and eclectic architecture complete the mosaic being offered.

245


246

Foto: Embratur


Cidade Administrativa

Belo Horizonte - MG

247


248


Igreja da Pampulha

Foto: Embratur

Belo Horizonte - MG

249


Brasília

Formada por pessoas vindas de todos os cantos do país, a capital possui uma rica diversificação cultural e gastronômica, além de ocupar o posto de terceira cidade mais rica do país. Tombada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, a cidade inaugurada em 1960 foi projetada pelo arquiteto Lúcio Costa, com edificações desenhadas por Oscar Niemeyer.

Foto: Embratur

Brasília Formed by people from all parts of the country, the capital possesses rich cultural and gastronomic diversity, besides being the third richest city in the country. Protected as Humanity’s Cultural Heritage by Unesco, the city inaugurated in 1960 was designed by architect Lúcio Costa, with edifications by Oscar Niemeyer .

250


Palรกcio da

Alvorada

251


Ponte JK

BrasĂ­lia - DF

252


253

Foto: Embratur


Catedral

BrasĂ­lia - DF

254


255

Foto: Embratur


256


Palácio do Itamaraty

Foto: Embratur

Brasília - DF

257


258


Praça dos Três Poderes

Foto: Embratur

Brasília - DF

259


Torre de TV

BrasĂ­lia - DF

260


261

Foto: Embratur


Cuiabá

Conhecida como “cidade verde” por conta de sua generosa arborização, Cuiabá é o principal centro industrial, comercial e de serviços do estado de Mato Grosso. Importante polo agropecuário do país, Cuiabá também é porta de entrada de belíssimas regiões turísticas tais como a Chapada dos Guimarães e a região norte do Pantanal, berço da fauna e da flora regional.

Foto: Embratur

Cuiabá Known as the “green city” due to its generous afforestation, Cuiabá is the main industrial, commercial, and services center in the state of Mato Grosso. Important agricultural site in the country, Cuiabá is also the entrance for extremely beautiful touristic regions, such as Chapada dos Guimarães and the Northern region of Pantanal, birthplace of the regional fauna and flora.

262


263


264


265

Foto: Embratur


266


267

Foto: Embratur


268


269

Foto: Embratur


270


Praça Expedicionário

Curitiba

Cidade no Brasil que mais prima pelo planejamento urbano, Curitiba tem boa estrutura de transportes e acessibilidade garantida, o que facilita percorrer em um dia suas principais atrações, como o parque da Pedreira Paulo Leminski e a Ópera do Arame. Apesar de seu crescimento vertiginoso, a cidade ainda consegue manter-se relativamente calma graças ao sistema de transporte coletivo.

Foto: Embratur

Curitiba Brazilian city that cares the most for its urban planning, Curitiba has good transportation structure and assured accessibility, which facilitates the visitation of its main attractions in a day, such as Pedreira Paulo Leminski park and the Ópera do Arame (Wire Opera House). Despite its vertiginous growth, the city is still able to keep itself relatively calm thanks to the collective transportation system.

271


Parque Tingui

Curitiba - PR

272


273

Foto: Embratur


Ponto de Onibus

Curitiba - PR

274


275

Foto: Embratur


276


Fortaleza

Destino turístico dos mais procurados, Fortaleza se destaca pelas belezas do seu litoral. Só nos limites do município são 15 praias, sendo que uma das mais frequentadas é a de Iracema, onde além de prédios históricos como a Igreja de São Pedro, o Estoril e a Ponte Metálica, o visitante encontra o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Foto: Embratur

Fortaleza One of the most desired touristic destinations, Fortaleza highlights beauties in its coastline. At the municipality’s limits alone there are 15 beaches, with the beach of Iracema being one of the most visited, where besides historical buildings such as Igreja de São Pedro (Saint Peter Church), Estoril and the Ponte Metálica (Metallic Bridge), the visitor also finds the Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Sea Dragon Center for Art and Culture.

277


Fortaleza

278


279

Foto: Embratur


280

Foto: Embratur


Fortaleza

281


Fortaleza

282


283

Foto: Embratur


Manaus

Muita natureza e prédios históricos compõem a paisagem da capital amazonense, ponto de partida para passeios ecológicos que apresentam a floresta Amazônica. Parques ecológicos, passeio de barco até o encontro dos rios Negro e Solimões, trekking na mata agradam os turistas mais radicais, enquanto museus e o Teatro Amazonas cuidam da diversão daqueles que preferem algo mais tranquilo.

Foto: Embratur

Manaus Enormous nature and historical buildings compose the landscape from the capital of Amazonas, starting point for ecological rides that present the Amazon forest. Ecological parks, boat rides to the meeting point of rivers Negro and Solimões, trekking in the forest please the more radical tourists, while museums and Teatro Amazonas (Amazonas Theater) handle the entertainment for those who prefer something more peaceful.

284


285


Porto

Foto: Embratur

Manaus - AM

286


287


288

Foto: Embratur


Teatro Amazonas

Manaus - AM

289


Natal

Belas praias e dunas atraem anualmente mais de dois milhões de turistas brasileiros e estrangeiros à Natal. Por conta do ar puro e do clima privilegiado, a capital do Rio Grande do Norte ficou conhecida como “Cidade do Sol”. Com mais de 800 mil habitantes, a cidade passa atualmente por um crescimento demográfico e imobiliário que fortalecem a economia local.

Foto: Embratur

Natal Beautiful beaches and dunes attract annually over two million Brazilian and foreign tourists to Natal. Due to the fresh air and privileged climate, the capital of Rio Grande do Norte became known as the “Sun City”. With over 800 thousand inhabitants, the city presently is under demographic and real estate growth that strengthens the venue economy.

290


291


Praia

Foto: Embratur

Natal - RN

292


293


Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS) ĂŠ um museu brasileiro sediado em Porto Alegre. Porto Alegre - RS

294


Porto

Alegre

Apesar de ser uma cidade grande, a capital gaúcha ainda conserva os ares e as tradições de uma cidade pequena. Os parques são frequentados por muitos e são ideais para tomar o bom e velho chimarrão. Há também churrascarias e restaurantes tradicionais italianos e alemães para quem aprecia a boa culinária. A cultura é outro ponto forte da capital gaúcha, que possui diversos centros culturais e livrarias.

Foto: Embratur

Porto Alegre Even being a big city, the capital of Rio Grande do Sul maintains the airs and traditions of a small city. Parks are visited by many and are ideal for drinking the good old chimarrão. There are also the barbecue places and traditional Italian and German restaurants for those who enjoy good culinary. Culture is another strongpoint of the capital, with several cultural centers and bookshops.

295


296

Foto: Embratur


Outono nas ruas de Gramado Porto Alegre - RS

297


Lago Joaquina Rita Bier é embelezado com uma pequena ilha em seu interior. Durante o ano todo é freqüentado por gramadenses e turistas que aproveitam a beleza do local para fazer caminhadas ou praticar exercícios. Este lago serve de cenário para a realização do espetáculo “Nativitaten” em época de Natal Luz. Gramado (RS)

Foto: Embratur

Porto Alegre - RS

298


299


Terra repleta de belezas naturais, berço de manifestaçþes culturais singulares e povoado por pessoas apaixonadas por futebol, Pernambuco vai receber em sua capital, Recife, cinco jogos da Copa do Mundo de 2014. Recife - PE

300


Recife

Cortada por rios, canais e dezenas de pontes ligando seus bairros, Recife apresenta diversos atrativos turísticos. Conhecida como Veneza Brasileira, a capital pernambucana é repleta de praias e história. Olinda, município vizinho, abriga um patrimônio histórico valioso. Igrejas, museus e feiras de artesanato completam o cenário.

Foto: Embratur

Recife Cut by rivers, canals, and dozens of bridges connecting its neighborhoods, Recife exhibits several touristic attractions. Known as the Brazilian Venice, the capital of Pernambuco is full of beaches and history. Olinda, neighbor municipality, shelters a valuable historical heritage. Churches, museums, and handcraft fairs complete the scenario.

301


302

Foto: Embratur


Recife é a maior aglomeração urbana do Nordeste e a capital mais antiga do Brasil. Recife - PE

303


Com quase 1,5 milhão de habitantes, à beira-mar e fluvial, a capital pernambucana se caracteriza por uma feliz combinação de praias, temperatura média de 25 graus, história e cultura que atraem milhões de turistas. Recife - PE

304


305

Foto: Embratur


A cidade do Recife reforçou a segurança pública para receber os jogos da Copa. Recife - PE 306


307

Foto: Embratur


Rio de

Janeiro

A Cidade Maravilhosa, como é conhecida, é um dos principais centros econômicos, culturais e financeiros do país. O Rio de Janeiro é internacionalmente conhecido por diversos ícones culturais e cartões postais, como o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, além das praias de Copacabana e Ipanema. Palco da final do Mundial, os cariocas também se preparam para a Olimpíada de 2016.

Foto: Embratur

Rio de Janeiro The Wonderful City, as it is known, is one of the country’s main economic, cultural, and financial centers. Rio de Janeiro is internationally known for several cultural icons and postcards such as the Pão de Açúcar (Sugar Loaf), Cristo Redentor (the Christ), besides the beaches of Copacabana and Ipanema. Stage of the World Cup final match, the Cariocas also prepare for the 2016 Olympic Games.

308


309


310

Foto: Embratur


Praia de Ipanema

Rio de Janeiro - RJ

311


312

Foto: Embratur


Pão de Açúcar Rio de Janeiro - RJ

313


Salvador

Conhecida por sua beleza natural e pela boa receptividade do povo, Salvador é umas das principais cidades turísticas do Brasil. Sua orla é conhecida por ter águas calmas e cristalinas. A cidade fica ainda mais iluminada no carnaval, com festas de rua tanto na orla quanto na cidade histórica (Pelourinho).

Foto: Embratur

Salvador Known for its natural beauty and for its people receptiveness, Salvador is one of Brazil’s main touristic cities. Its coastline is known for calm and crystal waters. The city is even more illuminated during carnaval, with street parties in the coastline and the historical city (Pelourinho).

314


315


316

Foto: Embratur


Elevador Lacerda

Salvador - BA

317


Farol da Barra

Salvador - BA

318


319

Foto: Embratur


320

Foto: Embratur


Elevador Lacerda

Salvador - BA

321


O Centro Financeiro de São Paulo, a Avenida Paulista começou a ser urbanizada no final do século 19,concentrando sedes de várias instituições, além do MASP, e atualmente é o maior centro empresarial da América Latina. Faz parte dos pontos turísticos da cidade, tanto empresarial como de lazer e entretenimento. São Paulo - SP

322


São Paulo

São Paulo é hoje uma metrópole global. A cidade abriga os melhores locais para comer, dormir, comprar, passear e fazer negócios do país. Hoje com mais de onze milhões de habitantes, a capital paulista recebe cerca de 90 mil eventos anuais. O espaço cultural da cidade também é amplo, com diversos cinemas, museus, centros culturais, teatros e casas de espetáculos.

Foto: Embratur

São Paulo São Paulo is presently a global metropolis. The city hosts the best places for eating, sleeping, shopping, and doing business in the country. Today with over eleven million inhabitants, the Paulista capital receives about 90 thousand annual events. The city’s cultural space is also broad, with several movie theaters, museums, cultural centers, theaters, and concert venues.

323


324

Foto: Embratur


O Museu de Arte de São Paulo, MASP, localiza-se na Avenida Paulista é um dos mais importante espaços culturais do país, é popularmente conhecido pelo prédio de arquitetura arrojada que abriga as suas instalações, um verdadeiro cartão postal da metrópole paulistana.

São Paulo - SP 325


Foto: Embratur

A Catedral Metropolitana de São Paulo ou Catedral da Sé, está localizada na Praça da Sé em São Paulo. Sua construção começou em 1913 e durou quarenta anos. É um dos cinco maiores templos góticos do mundo. São Paulo - SP

326


327

Foto: Embratur

A Marginal Pinheiros, oficialmente denominada SP-015, ĂŠ o nome dado ao conjunto de avenidas que margeiam o Rio Pinheiros na cidade de SĂŁo Paulo, formando a segunda via expressa mais importante da cidade. SĂŁo Paulo - SP


328


329

Foto: Embratur

A história da cidade de São Paulo está preservada no centro. Durante muito tempo a vida da cidade ficou restringida a essa região onde abriga construções históricas e vários edifícios importantes para a vida da cidade. São Paulo - SP


Brasília, a capital do país do futebol Patrimônio Cultural da Humanidade e capital do Brasil, Brasília merece ser visitada e vivida. O planejamento urbano de Lucio Costa, pontuado pelo paisagismo de Burle Marx e pelos monumentos de Oscar Niemeyer, se soma a maravilhas naturais dentro e nos arredores do Distrito Federal. Saiba mais sobre Brasília, que receberá sete jogos da Copa do Mundo 2014 – o número máximo autorizado pela FIFA para uma sede do Mundial. E S TÁ D I O N AC I O N A L MANÉ GARRINCHA

DE

BRASÍLIA

para a arena, já que o número é mais que o dobro do público registrado pelo antigo Mané em 36 anos: 340 mil pessoas. O grande sucesso do estádio brasiliense em tão pouco tempo de história se confirma na agenda movimentada. Em apenas 11 meses de funcionamento, foram 37 eventos, entre eles 26 partidas de futebol, quatro shows (dois deles internacionais) e sete eventos institucionais: uma média de três grandes eventos por mês.

Brasília sediou dez jogos do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2013, tendo conquistado a maior média de O antigo Mané Garrincha foi demolido e deu lugar a uma público, de 368.727 mil torcedores, e a maior arrecadação nova arena, um complexo multiuso com área de 1,6 mi- média da competição, de R$ 2.563.822,50. lhão de metros quadrados, adaptado para receber eventos O recorde de público e de renda do Brasileirão 2013 tamculturais e esportivos de grande porte. bém foi batido no Mané Garrincha: a partida Santos e Com capacidade para 72.788 pessoas, o novo Mané foi er- Flamengo, foi marcada não apenas pela despedida do craguido em dois anos e oito meses, sendo uma das primeiras que Neymar, mas principalmente por registrar o maior arenas voltadas para a Copa do Mundo 2014 a serem entre- público (63.501 torcedores) e a maior renda (R$ 6,9 migues no país. lhões) do torneio no ano de 2013. O estádio brasiliense foi palco da abertura da Copa das Con- O estádio ainda foi palco da conquista do tetracampeonafederações, em 15 de junho de 2013. O Brasil bateu o Japão por to da Seleção Brasileira no Torneio Internacional de Futebol 3 x 0, com um público de 67.823 pessoas no Mané Garrincha. Feminino, em dezembro de 2013. O torneio foi disputado entre as seleções de Brasil, Chile, Canadá e Escócia. ARENA CONSOLIDADA Ainda no primeiro ano de funcionamento, mais de 100 Desde a inauguração, em maio do ano passado, até o anivermil pessoas assistiram no Mané Garrincha a três grandes sário de 54 anos de Brasília (21 de abril de 2014), foram reshows: Beyoncé, Aerosmith e Renato Russo Sinfônico cebidos 737 mil espectadores no novo estádio. Um novo recorde Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the

330


(apresentação com projeção holográfica do ex-líder da Legião Urbana, e participação de grandes nomes da música brasileira como Lobão, Zélia Duncan, Ivete Sangalo e Hamilton de Holanda.

Estádio Mané Garrincha

Foto: Andre Borges

Brasília - DF

331


AGENDA PROMISSORA Em 2014, a cidade continua com papel de destaque. Receberá sete jogos da Copa do Mundo, o número máximo permitido pela FIFA para uma cidade-sede; mais jogos do Campeonato Brasileiro de Futebol e shows musicais com estrelas nacionais e internacionais.

Os jogos da Copa 15/06 – Suíça x Equador 19/06 – Colômbia x Costa do Marfim 23/06 – Camarões x Brasil

O estádio e a participação de Brasília como cidade-sede 26/06 – Portugal x Gana da Copa do Mundo 2014 tiveram papel decisivo na esco- As outras partidas são: oitavas de final, em 30 de junho; quartas lha da capital para receber outros grandes eventos espor- de final, em 5 de julho; e a decisão entre o terceiro e o quarto tivos pós 2014. A cidade abrigará as etapas nacionais da colocados, em 12 de julho. Fórmula Indy e da Motovelocidade em 2015. Em 2016, Brasília será sub-sede Olímpica, recebendo partidas de futebol masculino e feminino, além de modalidades náuticas. A capital da República receberá ainda, em 2019, a Universíade, as Olimpíadas universitárias e segunda maior competição poliesportiva mundial.

Os primeiros gols do novo Mané Amador – O primeiro a fazer a rede balançar na arena de Brasília para a Copa não foi um atleta, mas um operário. Em 17 de março de 2012, o carpinteiro Hélio Pereira dos Santos, de 25 anos, entrou para a história ao marcar o primeiro gol dentro do novo Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, à época ainda em obras. Hélio disputou a Copa Solidária Amigos da Bola, competição realizada no estádio durante a construção para prestigiar seus trabalhadores. Vestia a camisa 10 do time dos Estados Unidos – todos os times receberam nomes de países, em homenagem à Copa do Mundo. Marcou em cima da Nicarágua. “Agora posso tirar onda de ser o primeiro a fazer um gol no Estádio Nacional. Recebi um passe maravilhoso e só converti. Com certeza é uma emoção muito grande”, disse o operário. A competição terminou com dupla vitória brasileira: deu Brasil no feminino e no masculino. Oficial – O jogador Bocão, do Brasiliense, também entrou para a história do Mané Garrincha, em 18 de maio de 2013. Ele foi o autor do primeiro gol profissional no novo estádio, dando início à goleada do Jacaré (como é conhecida a equipe do Brasiliense), por 3 a 0, sobre o Brasília, na final do Campeonato Candango de 2013. O público foi de 22 mil pessoas. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the

332


Seleção – O craque Neymar marcou o primeiro gol do Brasil no Mané Garrincha em 15 de junho de 2013, na abertura da Copa das Confederações. Na ocasião, o Brasil derrotou o Japão por 3 a 0 e deu início à campanha vencedora no campeonato. O gol concorreu ao mais bonito de 2013, entre os 10 indicados ao Prêmio Puskás, da FIFA. Ele ficou em terceiro lugar. COPA DAS CONFEDERAÇÕES Palco do início da campanha vitoriosa que levou a Seleção Brasileira ao tetracampeonato da Copa das Confederações da FIFA, em 2013, o Mané Garrincha foi o principal vetor da competição, que gerou 39.242 oportunidades de emprego, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Ainda segundo o estudo, o megaevento movimentou R$ 2,8 bilhões na economia brasiliense, o equivalente a duas vezes o investimento feito pelo GDF na construção do estádio.

Foto: Lula Marques

Governador do Distrto Federal Agnelo Queiroz

Jogo entre Flamengo e Santos

Estádio Mané Garrincha - Brasília - DF

333


Foto: Lula Marques

334


Jogo entre as Seleções do Brasil e Austrália Estádio Mané Garrincha - Brasília - DF

335


Um novo monumento A arena para a Copa em Brasília foi idealizada a partir de um conceito arquitetônico existente em vários monumentos da capital federal e característica marcante do arquiteto Oscar Niemeyer: a criação de um ambiente com colunas que precedem o edifício, formado por um conjunto de pilares na fachada. No Estádio Nacional, esse conceito serviu de inspiração para os 288 pilares que estão dispostos ao redor da construção, formando a área de convivência e de acesso do público – uma fachada aberta e ventilada, que permite a passagem do vento e da luz, além da redução do uso de ar-condicionado ou qualquer tipo de ventilação artificial. ESTRUTURA A arena possui assentos marcados e retráteis, a uma distância inicial de apenas 7,5m do campo de futebol. Todos os assentos são protegidos do sol e da chuva por uma moderna cobertura. A membrana da cobertura ainda filtra a poluição emitida por veículos que circulam nos arredores do estádio, o que contribui para a qualidade do ar em toda a região. Não há ponto cego no estádio. O projeto priorizou a visibilidade dos torcedores a partir de qualquer lugar. As áreas do público estão divididas entre as arquibancadas inferior, intermediária e superior. Há também 74 camarotes, com capacidade para 1.590 pessoas, e área especial para jornalistas com toda a tecnologia e acústica necessárias. Os acessos foram projetados pensando em praticidade, segurança e rapidez. Mesmo com o estádio lotado, a saída do público é realizada em apenas 11 minutos. A arena também conta com dois conjuntos de painéis eletrônicos gigantes de LED e equipamentos no centro de geração e operação de conteúdo e áudio. Cada conjunto possui dois painéis: o principal com área de 90m² e, o secundário, de 27m². LOCALIZAÇÃO Uma das vantagens da capital federal é a localização privilegiada do Mané Garrincha, às margens do Eixo Monumental e a menos de 2km dos setores hoteleiro, hospitalar, do Centro de Convenções e de importantes shoppings da cidade, o que facilita e incentiva o acesso a pé. GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Cada evento que o estádio recebe é capaz de injetar na economia local até R$ 12,3 milhões, abrindo pelo menos 2 mil postos de trabalho diretos e indiretos. Os dados são da Companhia de Desenvolvimento do Planalto (Codeplan). Em dias de shows de grande porte ou partidas de futebol na arena, restaurantes e lanchonetes próximos ao estádio chegam a registrar aumentos de 30% nas vendas para atender aos torcedores. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the

336


Pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) indica que a Copa das Confederações movimentou R$ 2,8 bilhões na economia brasiliense, o equivalente a duas vezes o investimento feito pelo governo local na construção do estádio Mané Garrincha. O valor representou ainda R$ 1,2 bilhão a mais no PIB candango. E na Copa do Mundo será ainda melhor: a previsão é que o Mundial movimente mais R$ 8,1 bilhões na cidade, afinal, Brasília recebeu um único jogo na Copa das Confederações e terá sete no torneio deste ano. ESTÁDIO VERDE O Mané Garrincha atende a vários critérios sustentáveis, e é o primeiro estádio de futebol do mundo a concorrer à certificação máxima de sustentabilidade em edificações: o selo Leed Platinum.

Estádio Mané Garrincha

Brasília - DF

O conceito de arena verde começou ainda na criação do projeto. Muitos dos materiais utilizados na obra eram recicláveis ou foram reciclados na construção. Tudo o que saiu do antigo estádio foi reaproveitado na própria obra ou em cooperativas de reciclagem do Distrito Federal. Entre os principais diferenciais da arena estão a captação e o armazenamento de água da chuva capaz de suprir 80% da demanda de água não-potável do estádio (para utilização em vasos sanitários e mictórios, na irrigação do gramado e na lavagem em geral) e a geração de energia limpa, na quantidade suficiente para abastecer 1.500 casas durante um ano. Trata-se de um dos legados da arena brasiliense para a cidade. ACESSIBILIDADE O estádio conta com 735 lugares para pessoas com condições de mobilidade reduzidas, mais 735 para seus acompanhantes. No total: 1.470 lugares. O projeto arquitetônico do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha atende a todas as normas estabelecidas pela legislação brasileira para garantir a acessibilidade do público e também às recomendações da FIFA, o que inclui sinalização adequada (visual e tátil), áreas de manobras para cadeiras de rodas, reserva de assentos e instalações para pessoas com deficiências, rampas de acesso e elevadores para todas as áreas, inclusive vestiários e campo. Além disso, há pisos lisos e antiderrapantes nas áreas internas e externas. Existem 59 banheiros e 2 vestiários acessíveis. CONTROLE E SEGURANÇA A partir do Centro Integrado de Comando e Controle, instalado no interior do estádio, representantes das polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do Departamento de Trânsito controlam toda a movimentação dentro e nas imediações da arena por meio de 400 câmeras instaladas em pontos estratégicos. O equipamento usa tecnologia de última geração e possibilita visão em 360°. Os controladores têm acesso a imagens de toda a movimentação do público em todos os níveis da arena, com riqueza de detalhes. Há também salas de segurança com vista para o gramado ocupadas por representantes das corporações, que acompanham visualmente as ações das torcida.

337


foto: Andre Borges

Congresso Nacional BrasĂ­lia - DF

338


339


Estádio Nacional em números Início das obras: 26 de julho de 2010, com o início da demolição da estrutura do antigo estádio e a instalação do canteiro de obras Data da entrega: 18 de maio de 2013, com a realização da partida final do Campeonato Candango, entre Brasília e Brasiliense Tempo de construção: 1.027 dias Quantidade de trabalhadores: Cerca de 15 mil. Foi uma das obras das novas arenas que mais empregou mulheres, chegando a contar com 350, em todas as especialidades, no auge da construção Área construída: 218.798,09m² Área ocupada (com estacionamento): 716.329,75m² Área coberta: 74.952,58m² Pilares: 288, com mais de 36m de altura livre Dimensões do gramado: 105 x 68m (área de jogo) Capacidade total de público: 72.788 Distância dos assentos para o gramado: 7,5m do campo de futebol Camarotes: 74, com capacidade para 1.590 pessoas. Há três tamanhos de camarotes: com 18, 21 e 30 assentos Sanitários: 309 Vestiários: 4 Elevadores e escadas rolantes: 20 elevadores, sendo dois para carga, e 16 escadas rolantes Rampas de acesso ao estádio: 16, ligando a esplanada (área de acesso e de convivência do público) ao primeiro subsolo (arquibancada inferior) e ao segundo pavimento (arquibancada superior)

Estádio Mané Garrincha

TRANSPARÊNCIA Segundo pesquisa do Instituto Ethos, orga-

Brasília - DF nização da sociedade civil que atua na área

de gestão socialmente responsável, Brasília foi a cidade-sede com maior transparência nos investimentos para a Copa do Mundo da FIFA 2014. O principal canal de divulgação é o Portal Transparência na Copa, que reúne informações sobre as licitações, os investimentos e o andamento das obras ligadas ao Mundial. As informações sobre transparência também estão disponíveis no Portal Brasília na Copa. (www.copa2014.df.gov.br).

340


Brasília - DF

Foto: Lula Marques

Ponte JK

Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account.

341


Um grande legado A preparação de Brasília para a Copa do Mundo de 2014 não se limita à construção de um estádio. Apenas por ser cidade-sede da Copa do Mundo, o governo local garantiu R$ 5,6 bilhões em investimentos do governo federal para projetos da cidade nas áreas de segurança, infraestrutura e mobilidade urbana – R$ 4,1 bilhões só em mobilidade. Isso significa dizer que para cada R$ 1 investido na construção do Mané Garrincha, o GDF garantiu outros R$ 4 para infraestrutura, mobilidade urbana e segurança: melhorias que ficarão como legado dos grandes eventos para a cidade. DF-047 Entre as obras de infraestrutura que estão sendo realizadas, a única de mobilidade urbana que integra a Matriz de Responsabilidades da Copa é a readequação da DF-047, via que liga o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek ao centro da cidade. O serviço compreende a construção de um viaduto, vias marginais e a ampliação e restauração das pistas existentes. As melhorias dão fluidez ao trânsito e beneficiam mais de 56 mil motoristas por dia, reduzindo de uma hora para 15 minutos, em horário de pico, o trajeto entre o Aeroporto JK e a área central de Brasília. EXPRESSO DF O governo local ainda investe em outras obras que ficarão como legado para a população, como o Eixo Sul do Expresso DF (BRT – BUS Rapid Transit), que liga as cidades do Gama e de Santa Maria ao Plano Piloto. Com o corredor, o tempo de viagem nesse trecho passa de 90 minutos para 40 minutos. Os novos veículos são equipados com GPS e comportam até 200 passageiros em horários de pico, quando a capacidade do sistema é de 20 mil passageiros transportados. SEGURANÇA Inaugurado em 4 de abril de 2014, o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) vai coordenar as ações de segurança durante a Copa do Mundo na capital federal, 24 horas por dia e sete dias por semana. Instalado na Secretaria de Segurança Pública, o local é equipado com ferramentas de inteligência e aparelhos tecnológicos de última geração. Para o Mundial, 350 câmeras estarão funcionando para o monitoramento de toda a área central e dos arredores do Estádio Mané Garrincha, além de algumas regiões do DF. Trata-se de mais um legado do Mundial para a cidade, uma vez que o centro será uma unidade importante no combate à criminalidade no DF após o megaevento. AEROPORTO Em 16 de abril, foi entregue a primeira etapa da ampliação da reforma do Aeroporto Internacional JK. O Píer Sul conta com mais 10 fingers (pontes de embarque) em uma área de 20 mil m², o que praticamente dobra o número atual, de 13. A obra foi realizada em 16 meses, em meio à operação normal do terminal aéreo. Exclusivo para aviação doméstica, o Píer Sul conta com restaurantes, dois mezaninos e esteiras rolantes. A ampliação estará concluída antes da Copa: em maio será entregue o Píer Norte, com oito pontes de embarque, em uma área de 15 mil m². A meta do Consórcio Inframerica, administrador do aeroporto, é aumentar a capacidade anual do terminal de 16 para 21 milhões de passageiros até agosto de 2014. Um investimento de R$ 1,2 bilhão. Após a Copa do Mundo, o consórcio continuará investindo no terminal. TÁXIS Cerca de 300 profissionais da área fizeram curso de inglês ou espanhol por meio de programas de capacitação para bem receber os torcedores durante os jogos da Copa do Mundo em Brasília. 342


CICLISTAS E PEDESTRES O programa de Mobilidade por Bicicleta prevê a construção de 600km de ciclovias até o final de 2014. Até agora, foram construídos 430km de pistas para bikes em todo o Distrito Federal. Os pedestres também serão beneficiados com a manutenção de calçadas ao longo de toda a área central e a construção de rampas de acessibilidade. ILUMINAÇÃO PÚBLICA A Companhia Energética de Brasília (CEB) entregou em dezembro de 2013 a Subestação Estádio Nacional, instalada na área externa da arena. A estrutura, uma das mais modernas do país, é voltada ao abastecimento do estádio e de toda a área central da cidade, aumentando a qualidade da distribuição de energia para locais como Asa Norte, setores hoteleiros Sul e Norte, Esplanada dos Ministérios e Eixo Monumental. Dos 30 circuitos alimentadores – cabos responsáveis por transportar a energia –, somente dois serão destinados ao Mané Garrincha. Os outros 28 vão suprir a demanda de Brasília. O investimento foi de R$ 23,4 milhões. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 Estádio Mané Garrincha rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time BeBrasília - DF lini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the

343


344

Foto: Andre Borges


Estádio Mané Garrincha

Brasília - DF

345


CAPITAL DO TURISMO A capital da República é reconhecida mundialmente como um museu a céu aberto das obras do arquiteto Oscar Niemeyer. Uma série de atrações aguarda turistas e brasilienses para descobrirem o que a capital do país tem de melhor. A concepção da cidade, único sítio moderno considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, convida a um passeio surpreendente.

CIDADE DA MÚSICA Como capital construída por pessoas vindas de todas as partes do país, é forte a influência de diferentes ritmos e gêneros na história da música brasiliense. É forte a ligação com o rock, trazida pela geração dos anos 1980, com bandas como Legião Urbana, Os Paralamas do Sucesso, Capital Inicial e Plebe Rude. A cidade também viu nascerem talentos como as cantoras Cássia Eller e Zélia Duncan e, mais recentemente, Ellen Oléria (vencedora da primeira edição do The Voice Brasil).

As principais construções de Brasília estão localizadas no Eixo Monumental. Partindo da Plataforma Rodoviária e percorrendo esse Eixo na direção leste, avista-se a Catedral Metropolitana, a Esplanada dos Ministérios e o Palácio do Itamaraty. Por fim, chega-se à Praça dos Três Poderes, onde estão Desde os anos 1970, Brasília viu surgir centros de referência as sedes dos governos Executivo (Palácio do Planalto), Legisno ensino e difusão de diferentes gêneros musicais. É o caso lativo (Congresso Nacional) e Judiciário (Supremo Tribunal do Clube do Choro de Brasília, que abriga a Escola Nacional Federal). de Choro Raphael Rabelo; da Casa do Cantador de CeilânSeguindo a oeste pelo Eixo Monumental, desde a Plataforma dia, que recebe violeiros de todo país, e da Escola de Música Rodoviária, chega-se à Torre de Televisão, ao Estádio Nacio- de Brasília, que todo ano forma dezenas de profissionais, além nal de Brasília Mané Garrincha e, um pouco mais adiante, à de realizar o renomado “Festival de Verão” com participação de alunos e mestres de conservatórios de todo país. sede do Governo do Distrito Federal, na Praça do Buriti. Além do conjunto arquitetônico. O Distrito Federal também ESPORTE E DIVERSÃO oferece opções variadas de passeios e agendas culturais. Mais O DF e cidades vizinhas abrigam, ainda, cerca de 400 proinformações: www.copa2014.df.gov.br. priedades centenárias com cachoeiras, pesque-pagues, trilhas ecológicas, restaurantes rurais e espaços para meditação. No CIDADE VERDE Núcleo Rural de Sobradinho, a 25km de Brasília, o Rancho Brasília é uma cidade verde: são 120 metros quadrados de área Canabrava tem o maior circuito de arvorismo do Centro verde por habitante – valor quatro vezes superior ao recomen-Oeste: são 370m de extensão. dado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). É ainda a cidade-sede da Copa do Mundo com o maior número de árvo- A apenas 100km de Brasília está o Vale do Paranã. E é de lá res: média de duas por habitante. Possui, ainda, 50 milhões de que os adeptos do voo livre partem para sobrevoar o Distrimetros quadrados de gramados e 1.000 canteiros ornamentais. to Federal e aterrissar no coração da cidade. Com um dos maiores desníveis do Planalto Central, o Distrito Federal é PARQUES E RESERVAS considerado o Havaí do voo livre: sedia torneios nacionais e A capital federal possui o maior parque urbano do mundo: mundiais do esporte. o Parque da Cidade Sarah Kubitscheck. Com cerca de 4,2 O Lago Paranoá é cenário para a prática de esportes aquátimilhões de metros quadrados, o espaço tem localização privilecos como canoagem, natação, remo, iatismo, esqui aquático, giada, a 800m do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. mergulho, pesca esportiva, regatas, wakeboard, stand up paTambém merece destaque o Jardim Botânico de Brasília. Aos ddle, windsurfe e surfe tradicional. 29 anos, a reserva ambiental está a 12,6km do centro de Brasília e tem área de 4,5 mil hectares. Trata-se de uma importante área de preservação do bioma Cerrado. 346


Acessibilidade no Estádio Mané Garrincha

Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm,

347


SABORES DA CAPITAL O Brasil se encontra em Brasília. E a culinária de todo o país também está na cidade: na capital, pode-se saborear pratos como os típicos feijoada carioca, moqueca baiana e churrasco gaúcho, além de alimentos próprios das regiões Norte e Nordeste. Brasília também é rica em excelentes restaurantes de cozinha internacional. HOSPEDAGEM EM BRASÍLIA Os turistas brasileiros e estrangeiros que vierem acompanhar os sete jogos do Mundial marcados para Brasília poderão se hospedar em hotéis, casas de família e albergue. Uma das opções é o Cama e Café, que integra o Programa de Hospedagem Alternativa do Distrito Federal. São mais de 300 residências inscritas em todo o DF, inclusive em locais bem próximos ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, o que possibilitará o deslocamento a pé ou de bicicleta. No site www.camaecafebrasilia.com.br, os turistas poderão acessar fotos e informações gerais sobre as residências cadastradas, como localização, quantidade de quartos, estrutura física e serviços disponíveis, além de efetuar as reservas. CENTROS DE ATENDIMENTO AO TURISTA (CATs) Durante a Copa, Brasília contará 9 Centros de Atendimento ao Turista (CATs) – entre fixos e móveis – para receber os visitantes, com informações e profissionais para prestarem esclarecimentos em oito idiomas. Os CATs fixos estão localizados em locais de grande concentração, como Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek, Praça dos Três Poderes, Rodoviária Interestadual e setores hoteleiros Sul e Norte. Além das unidades fixas, dois CATs móveis reforçam o atendimento aos visitantes. Os CATs móveis de Brasília foram os primeiros a serem lançados no país. As duas vans adaptadas possuem ar-condicionado central, sistema integrado de áudio visual com som e TV, mesas, cadeiras, notebook, gerador de energia próprio, toldos, frigobar e micro-ondas. O investimento foi de R$ 339 mil, e parte dos recursos é do Ministério do Turismo. SINALIZAÇÃO A descrição e indicação dos principais pontos turísticos da capital está garantida: para o Mundial a cidade recebeu 1.219 placas novas, apontando o caminho para os monumentos em português e inglês, e explicando a história da cidade em português, inglês e espanhol. 348

Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account.


Brasília em números Brasília é a quarta cidade mais populosa do país. Inaugurada em 1960, tem hoje cerca de 2,7 milhões de habitantes e o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Conheça os principais indicadores da cidade: Inauguração: 21 de abril de 1960 Gentílico: Brasiliense População: 2.570.160 – 53,72% nascida no DF. Entre os migrantes, 51,4% são do Nordeste Área: 5.780 km² - 96,6% urbana e 3,4% rural Bioma: Cerrado Altitude: 1.172m Clima: Tropical, com duas estações bem marcadas – uma chuvosa e outra sem chuva e com baixa umidade relativa do ar (entre junho e agosto) Temperatura média: 18°C a 28°C Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,844 (melhor índice do país) Produto Interno Bruto (PIB): R$ 99,9 bilhões Número de domicílios com telefone: 98,4% (maior índice do país) Média de linhas de telefonia móvel por habitante: 2,32/hab Número de domicílios com computador: 66,6% (maior índice do país) Alunos matriculados na rede pública de ensino: 500 mil Transplantes: O DF é 1º lugar do país na realização de transplantes de coração e 2º de córneas Cidade mais populosa: Ceilândia, com 398.374 habitantes MAIS DETALHES Portal Brasília na Copa – Todas as informações sobre as obras e o legado da Copa para o Distrito Federal estão no Portal Brasília na Copa: www.copa2014.df.gov.br. O site apresenta conteúdo em inglês e espanhol. Coordenadoria de Comunicação para a Copa Governo do Distrito Federal + 55 (61) 3322-2902 / (61) 9531-3348 imprensagdf.copa@gmail.com facebook.com/copadf twitter.com/copagov_df

349


Calendário das competições GRUPO A Jogo Data – Horário

Local

1 2 17 18 33 34

São Paulo Natal Fortaleza Manaus Brasília Recife

12/06 às 17h 13/06 às 13h 17/06 às 16h 18/06 às 18h 23/06 às 17h 23/06 às 17h

BRASIL MÉXICO BRASIL CAMARÕES CAMARÕES CROÁCIA

X X X X X X

CROÁCIA CAMARÕES MÉXICO CROÁCIA BRASIL MÉXICO

GRUPO B Jogo Data – Horário

Local

3 4 19 20 35 36

Salvador ESPANHA Cuiabá CHILE Rio de Janeiro ESPANHA Porto Alegre AUSTRÁLIA Curitiba AUSTRÁLIA São Paulo HOLANDA

13/06 às 16h 13/06 às 18h 18/06 às 16h 18/06 às 13h 23/06 às 13h 23/06 às 13h

X X X X X X

HOLANDA AUSTRÁLIA CHILE HOLANDA ESPANHA CHILE

GRUPO C Jogo Data – Horário

Local

5 6 21 22 37 38

Belo Horizonte Recife Brasília Natal Cuiabá Fortaleza

14/06 às 13h 14/06 às 22h 19/06 às 13h 19/06 às 19h 24/06 às 16h 24/06 às 17h

COLÔMBIA COSTA DO MARFIM COLÔMBIA JAPÃO JAPÃO GRÉCIA

X X X X X X

GRÉCIA JAPÃO COSTA DO MARFIM GRÉCIA COLÔMBIA COSTA DO MARFIM

GRUPO D

350

Jogo Data – Horário

Local

7 8 23 24 39 40

Fortaleza Manaus São Paulo Recife Natal Belo Horizonte

14/06 às 16h 14/06 às 18h 19/06 às 16h 20/06 às 13h 24/06 às 13h 24/06 às 13h

URUGUAI INGLATERRA URUGUAI ITÁLIA ITÁLIA COSTA RICA

X X X X X X

COSTA RICA ITÁLIA INGLATERRA COSTA RICA URUGUAI INGLATERRA


GRUPO E Jogo Data – Horário

Local

9 10 25 26 41 42

Brasília Porto Alegre Salvador Curitiba Manaus Rio de Janeiro

15/06 às 13h 15/06 às 16h 20/06 às 16h 20/06 às 19h 25/06 às 16h 25/06 às 17h

SUÍÇA FRANÇA SUÍÇA HONDURAS HONDURAS EQUADOR

X X X X X X

EQUADOR HONDURAS FRANÇA EQUADOR SUÍÇA FRANÇA

GRUPO F Jogo Data – Horário

Local

11 12 27 28 43 44

Rio de Janeiro Curitiba Belo Horizonte Cuiabá Porto Alegre Salvador

15/06 às 19h 16/06 às 16h 21/06 às 13h 21/06 às 18h 25/06 às 13h 25/06 às 13h

ARGENTINA IRÃ ARGENTINA NIGÉRIA NIGÉRIA BÓSNIA

X X X X X X

BÓSNIA NIGÉRIA IRÃ BÓSNIA ARGENTINA IRÃ

GRUPO G

GRUPO H Jogo Data – Horário

Local

15 16 31 32 47 48

Belo Horizonte Cuiabá Rio de Janeiro Porto Alegre São Paulo Curitiba

17/06 às 13h 17/06 às 18h 22/06 às 13h 22/06 às 16h 26/06 às 17h 26/06 às 17h

BÉLGICA RÚSSIA BÉLGICA COREIA DO SUL COREIA DO SUL ARGÉLIA

X X X X X X

ARGÉLIA COREIA DO SUL RÚSSIA ARGÉLIA BÉLGICA RÚSSIA

351

Jogo Data – Horário

Local

13 14 29 30 45 46

Salvador Natal Fortaleza Manaus Recife Brasília

16/06 às 13h 16/06 às 19h 21/06 às 16h 22/06 às 18h 26/06 às 13h 26/06 às 13h

ALEMANHA GANA ALEMANHA EUA EUA PORTUGAL

X X X X X X

PORTUGAL EUA GANA PORTUGAL ALEMANHA GANA


Foto: STAFF AFP

Exposição da Copa do Mundo 2014 352


353


Capítulo Muito além do futebol

Homenagem aos jogadores que fizeram história Chapter 5 - Much more than football Tribute to all players who made history

354

5


355


Leônidas da Silva – O diamante negro O apelido dado pelo jornalista francês Raymond Thourmagem, da revista Paris Match e, nome imortalizado em um chocolate mais vendido até hoje, é um dos maiores nomes da história do futebol brasileiro. O atacante Leônidas da Silva, considerado o inventor da bicicleta, era capaz de criar grandes jogadas e produzir momentos inesquecíveis aos que assistiam. “O mágico do futebol”, segundo o jornalista Mário Filho, depois de abandonar as chuteiras, continuou ligado ao esporte. Foi dirigente do São Paulo e comentarista esportivo, mas interrompeu sua carreira de radialista em 1974, devido a doença do Mal de Alzheimer. Faleceu em janeiro de 2004 por causa de complicações relacionadas à doença.

Leônidas da Silva – O Diamante Negro (The Black Diamond) The nickname given by French journalist Raymond Thourmagem, from Paris Match and, name immortalized in one of the most popular chocolate bars sold even today, is one of the greatest names in Brazilian football history. Striker Leônidas da Silva, considered the inventor of the bicycle kick, was capable of creating great plays and produce unforgettable moments for those watching. “The football magician”, according to journalist Mário Filho, after hanging up his boots, remained connected to the sport. He was a manager with São Paulo and a sports commentator, but interrupted his career radio broadcaster in 1974, due to Alzheimer’s. He died in January 2004 of complications due to the illness.

356


Ademir de Menezes – Queixada Combinando chutes precisos e arrancadas sensacionais com a bola, o pernambucano Ademir Marques de Menezes, o “Queixada”, foi o maior artilheiro da Copa de 1950. Segundo o jornalista e radialista Luiz Mendes “Ademir impressionava pela rapidez com que definia as jogadas e pela precisão no arremate com ambas as pernas. Marcou uma época como jogador decisivo do futebol brasileiro, tendo feito partidas magistrais. Lembro-me após a Copa do Mundo de um jogo entre Vasco e Penarol no Estádio Centenário, com uma atuação que ficou registrada como espetacular. Campeão Carioca pelo Vasco com enorme prestígio e com passagem espetacular pela Seleção Brasileira” Ademir de Menezes – Queixada (Jawbone) Combining precious kicks and sensational starts with the ball, the Pernambucano Ademir Marques de Menezes, the “Jawbone”, was the top goalscorer of the 1950 Cup. According to journalist and radio broadcaster Luiz Mendes “Ademir impressed for the quickness with which he would define the plays and for the precision in conclusions with both legs. He marked an era as a decisive player from the Brazilian football, having played masterly matches. I remember of a match after the World Cup between Vasco da Gama and Peñarol at Centenário Stadium, with a performance recorded as spectacular. Carioca champion with Vasco da Gama with enormous prestige and with a great career in the Brazilian National Team”

357


Valdir Pereira (Didi) – O Príncipe Etíope, Mãe dos Pernas-de-Pau ou Mr Football Dono de uma categoria impressionante, Didi ganhou do cronista Nélson Rodrigues o apelido de “Príncipe Etíope”. Além de passes e lançamentos precisos, cobrava faltas com maestria, usando uma técnica que foi batizada de “folha-seca”. Foi um dos maiores médios volantes de todos os tempos. Com classe e categoria, o camisa oito da seleção comandava com firmeza o meio de campo do Brasil. A bola saia alta, mas caía de repente, levando os goleiros à loucura. Foi autor da frase “treino é treino, jogo é jogo”, como resposta às reclamações de que não estaria se esforçando na preparação.

suddenly fall, making goalkeepers crazy. He was the author of the phrase “training is training, a match is a match”, as reply to complaints he would not be making too much effort during preparation. Whatever the nickname given to the legendary striker, it was in the Brazilian National Team during the 1958 World Cup qualifying, that the midfielder became a national idol. Eight minutes left in the match against Peru, in Maracanã. If the draw remained the decision of what team you go on would be made in a lottery. Didi took a free kick for Brazil. When the goalkeeper had already seen the ball going over the upper bar, it suddenly fell, inside the goal line. And before we end, why these nicknames? From writer Nelson Rodrigues received “Ethiopian Prince”, for the rare elegance, beauty, and cool of his game, and “Mother of the Lousy Players”, as with his long, precise, and genius passes he would transform common strikers in merciless scorers. For the international press, Didi, team mastermind, was “Mr. Football”. He died on 12 of May of 2001, after complications due to a digestive system surgery.

Seja qual for o apelido dado ao lendário artilheiro, foi na seleção brasileira, durante as eliminatórias da Copa de Mundo de 1958, que o meia virou ídolo nacional. Faltavam oito minutos para acabar o jogo contra o Peru, no Maracanã. Persistindo o empate sem gols, a vaga iria para sorteio. Didi cobrou uma falta para o Brasil. Quando o goleiro já via a bola ir passando por cima do travessão, ela caiu de repente, dentro do gol. E antes de terminar, por que esses apelidos? Do escritor Nelson Rodrigues ganhou o “Príncipe Etíope”, pela rara elegância, beleza e frieza de seu jogo, e a “Mãe dos Pernas-de-Pau”, porque com seus passes longos, precisos e geniais transformava atacantes comuns em goleadores implacáveis. Já para a imprensa internacional, Didi, cérebro das equipes, era “Mr. Football”. Faleceu em 12 de maio de 2001, após complicações por causa de uma cirurgia no aparelho digestivo. Valdir Pereira (Didi) – O Príncipe Etíope (The Ethiopian Prince) Player of impressive class, Didi received from broadcaster Nélson Rodrigues the nickname of “Ethiopian Prince”. With precise passes and shots, he would take free kicks with mastery, using a technique baptized “dry leaf ”. He was one of the greatest midfielders of all times. With class and category, the national team’s number eight jersey would firmly command Brazil’s midfield. The ball would come out high, but it would

358


Gylmar dos Santos Neves – Aranha Negra Poucos goleiros desfrutaram de tamanho respeito por parte dos adversários como Gylmar dos Santos Neves. O lendário soviético Lev Yashin, o “Aranha Negra”, considerava o brasileiro “o maior do mundo”. O goleiro tinha as qualidades que considerava fundamentais para um bom jogador da posição: calma, coragem, estatura, reflexo e segurança. E mesmo jogando em time de vocação ofensiva indiscutível, tomou apenas cinco gols em seis partidas no Mundial e foi um dos destaques da competição no Chile. Faleceu em agosto de 2013, aos 82 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos.

Gylmar dos Santos Neves Few goalkeepers enjoyed such respect by their opponents as Gylmar dos Santos Neves. Legendary Soviet Lev Yashin, the “Black Spider”, considered the Brazilian “the best in the world”. The goalkeeper had qualities he considered fundamental for a good player in his position: calm, courage, stature, reflex, and security. And even playing in a team of unquestionable offensive inclination, he allowed only five goals in six World Cup matches and was one of the highlights of the competition in Chile. He died in August 2013, at 82 years of age, due to multiple organ failure.

359


Pelé – O Atleta do Século Não poderíamos falar sobre futebol no Brasil, principalmente seleção brasileira, sem falar do Rei Pelé. O Atleta do Século, título este conferido em 1981 pelo jornal francês “L’Equipe”, homenageia este jogador que atuou no futebol durante 21 anos, entre 1956 e 1977. Das quatro edições que participou, trouxe o título para casa em três delas: 1958, 1962 e 1970 – sem falar sobre as suas atuações memoráveis. Não é a tóa que alcançou um patamar inatingível para seus compatriotas como o melhor jogador da história da seleção brasileira. Pelé também imortalizou lances fantásticos que não terminaram em gol - como o chute do meio de campo contra a Tchecoslováquia, a cabeçada defendida pelo inglês Gordon banks e o drible de corpo no goleiro Mazurkiweicz. Pelé – Athlete of the Century We could not talk about football in Brazil, especially about the Brazilian National Team, without talking about King Pelé, the Athlete of the Century, title given in 1981 by French newspaper “L’Equipe” paying homage to the player who was in action in football for 21 years, between 1956 and 1977. Of the four editions he participated, he brought the title home in three of them: 1958, 1962, and 1970 – not mentioning his memorable performances. It was not by chance he reached a level unattainable for his countrymen as the best player in the Brazilian National Team’s history. Pelé also immortalized fantastic plays that did not end in goals – such as the kick from midfield against Czechoslovakia, the header defended by English Gordon Banks, and the body dribble on goalkeeper Mazurkiweicz.

360


Mané Garrincha - futebol moleque O craque Garrincha foi o maior representante daquilo que podemos chamar de “futebol moleque”, onde um drible humilhante provocava entre os torcedores uma euforia até maior do que um gol. Enquanto Pelé é o primeiro representante do profissionalismo no futebol brasileiro, Garrincha é o retrato da “época romântica”. E essa dupla trouxe muita sorte! Coincidentemente ou não, quando Pelé e Garrincha jogavam juntos, a seleção nunca foi derrotada. Apesar das pernas tortas (a direita para fora e a esquerda para dentro, seis centímetros maior do que a outra), em sua melhor fase não havia zagueiro capaz de marcá-lo. Entretanto, infelizmente em 1963 a carreira de Mané entrou em declínio. Problemas nos joelhos começaram a prejudicar os dribles geniais. Além das contusões, um mal maior já tinha consumido o craque: o alcoolismo. Foi ele o responsável, em 1983, pela morte prematura do craque. Mané Garrincha – brat football Whizz Garrincha was the greatest representative of what we may call “brat football”, where a humiliating dribble would provoke amongst fans an euphoria even greater than a goal. While Pelé is the first representative of professionalism in Brazilian football, Garrincha is the portrait of the “romantic era”. And this duet brought us a lot of luck! Coincidently or not when Pelé and Garrincha player together the national team was never defeated. Despite the bowlegs (right leg to the outside and the left to the inside, six centimeters bigger than the other), on his best days no defender was able to stop him. However, unfortunately in 1963 Mané’s career went into decline. Problems on his knees started impairing his genius dribbles. Besides contusions, a greater evil had already devoured the whizz: alcoholism. It was responsible in 1983, by his untimely death

361


Vavá – the gritty striker Why such nickname? The story is interesting. Vavá became known as the gritty striker as he would stumble against defenders due to “pure hunger for goals”. Drafted for Sweden’s Cup, he started the competition as Mazzola reserve. By the first-team players demand, he started the second match and, despite having only played in four of the six matches played by Brazil, he ended the Cup with five goals scored. He did much more: he showed so much toughness against the violence of opposing defenders that he was acclaimed as champion Brazil symbol of bravery. Unfortunately he died at 67 years of age, of a heart attack.

Vavá – o atacante raçudo Por que este apelido? A história é interessante, Vavá ficou conhecido como o atacante raçudo pois trombava com os zagueiros por “pura fome de gol”. Convocado para a Copa da Suécia, começou a competição na reserva de Mazzola. Por exigência dos titulares, entrou no segundo jogo e, apesar de só ter atuado em quatro das seis partidas que o Brasil disputou, terminou o mundial com cinco gols. Fez mais: mostrou tanta fibra diante da violência dos zagueiros adversários que saiu consagrado como símbolo da bravura do Brasil campeão. Infelizmente faleceu aos 67 anos, de uma parada cardíaca. 362


Zagallo – o formiguinha Quem vê o Zagallo hoje, o treinador, nem imagina por que o apelido de “formiguinha”. Ponta-esquerda habilidoso, não parava em campo e se destacava pela presença no meio-campo, onde escreveu seu nome na história do futebol brasileiro. Na Copa de 1958, seu futebol disciplinado foi titular e, no ano seguinte, lá estava ele de novo, criando e destruindo jogadas e marcando um gol. Aos 34 anos, abandonou os gramados, mas o nome de Zagallo já estava para sempre registrado na história do futebol brasileiro. Depois disso foi técnico e ainda teve participação importante na conquista do tetra, como auxiliar de Carlos Alberto Parreira. Zagallo – the little ant Who sees Zagallo today, the coach, cannot even imagine why the nickname “little ant”. Skillful left wing he would not stop in the field and would distinguish himself for the presence in the midfield, where he wrote his name in the Brazilian football history. In the 1958 Cup, his disciplined football made the first team and in the following Cup there he was again creating and destroying plays and scoring a goal. At 34 years of age, he left the fields, but the name Zagallo was forever recorded in the Brazilian football history. After that he became a coach and had an important participation in Brazil’s fourth title as assistant to coach Carlos Alberto Parreira.

363


Rivellino – Patada Atômica Foi assim que ficou conhecido durante a Copa de 1970, no México, onde o seu chute com a perna esquerda foi apelidado pelos mexicanos de Patada Atômica. Na seleção, depois da saída de Pelé, Rivellino passou a ser o novo dono da gloriosa camisa 10 canarinho. Na Copa do Mundo da Argentina, em 1978, Rivellino estava contundido. Mas fez questão de participar de pelo menos parte da decisão do terceiro lugar, contra a Itália, vencida pelo Brasil (2 x 1), para despedir-se de vez da seleção. Fora dos gramados, Rivellino tornou-se comentarista de futebol.

Rivellino – Atomic Paw This is how he became known during the 1970 Cup in Mexico, where his kick with the left leg was nicknamed by the Mexicans as Atomic Paw. In the national team, after Pelé left, Rivellino became the new owner of the glorious yellow number 10 jersey. In the 1978 Argentina World Cup Rivellino was hurt, but he insisted in participating of at least part of the third place match against Italy, won by Brazil (2 x 1), to say farewell to the national team. Off the fields, Rivellino became a football commentator

364


Zico – Quintino Rooster The Quintino Rooster – nickname received for being too slender and having been born in Quintino, Carioca suburb – is definitely the greatest player in Flamengo’s history. Not only for the goals scored as a professional player, but especially for the genius plays in his career, in Flamengo and Brazilian National Team. He is considered the greatest scorer of the national team, behind only Pelé.

Zico – Galinho de Quintino O Galinho de Quintino - apelido que recebeu por ser muito franzino e ter nascido em Quintino, subúrbio carioca - é com certeza o maior jogador da história do Flamengo. Não apenas pelos gols marcados como profissional, mas principalmente, pelos lances geniais de sua carreira, tanto no Flamengo, como na seleção brasileira. É considerado o maior artilheiro da Seleção, ficando apenas atrás de Pelé. 365


Romário – O Baixinho da Seleção O Baixinho conquistou o mundo com seus gols em 1994. Foi o dono da Copa. Prometeu trazer o quarto título mundial para o Brasil, que há 24 anos estava na fila, e cumpriu. Fez de tudo um pouco. Foi oportunista, mostrou velocidade, individualismo, deu assistências e marcou cinco gols, inclusive um de cabeça. Contra a Itália, perdeu a artilharia da Copa, mas fez o seu na decisão por pênaltis. Em meio ao futebol burocrático apresentado pela seleção decidiu a favor do Brasil e foi o grande herói do tetra nos Estados Unidos.

366

Romário – The National Team’s Little Guy The Little Guy won the world with his goals in 1994. He was the Cup’s owner, promising to bring the fourth world title to Brazil, 24 years on the wait, and fulfilling it. He did a bit of everything. He was opportunist, showed velocity, individualism, gave passes, and scored five goals, inclusive a header. Against Italy, he lost the Cup’s striker title, but scored his on the penalty kicks. Amidst the bureaucratic football presented by the national team he decided in favor of Brazil and was the fourth title’s great hero in the United States.


Ronaldo – the Phenomenon Fast and opportunist, Ronaldo was the player that most kicked on goal in the entire Cup: 21 times (average of 3 per game). And the eight goals came when few believed in him. The striker came from two years of inactivity and surprised all showing the same football that took him to two consecutive FIFA’s world’s best football player awards. The Phenomenon irreverence also called the attention: a haircut with only a wisp in the front part of the head. The “Cascão style” became a fever in Brazil and the world.

Ronaldo – o fenômeno Rápido e oportunista, Ronaldo foi o atleta que mais chutou a gol em toda a Copa: 21 vezes (média de 3 por jogo). E os oito gols vieram quando poucos acreditavam nele. O atacante vinha de dois anos de inatividade e surpreendeu ao mostrar o mesmo futebol que o levou aos dois prêmios consecutivos de melhor jogador do mundo pela Fifa. A irreverência do Fenômeno também chamou atenção: usou um corte de cabelo com apenas uma mecha na parte da frente. O ‘estilo Cascão’ virou febre no Brasil e no mundo.

367


Capítulo Megafone

6

Visão de atletas e autoridades Chapter 5 - Loudspeaker Athletes and authorities’ views

368


369


Presidente da República Dilma Rousseff Em entrevista coletiva realizada em janeiro de 2014, a presidente Dilma Rousseff reafirmou o sucesso da Copa do Mundo FIFA 2014. De acordo com a presidente, o Brasil está se preparando para receber uma grande festa. “Quando você vai dar uma festa, você melhora sua casa. Quando a visita vai embora, a reforma fica para o dono da casa. Nós estamos dando uma das maiores festas do mundo, que é a Copa. É uma visão pequena não perceber a importância da Copa do Mundo para o povo brasileiro, não só porque nós gostamos, mas por se tratar de um dos eventos culturais mais importantes do nosso país.” Confiante, Dilma citou as melhorias em mobilidade urbana para reforçar a importância da Copa do Mundo no Brasil. “ O Brasil é um país que tomou uma série de medidas para essa Copa. Investimos em 12 estádios”, e completou “recentemente perguntei ao presidente da FIFA (Joseph Blatter) quantos estádios foram feitos em outros países. É similar ao nosso esforço. Mas não é esse o nosso principal investimento. O principal investimento está em todas as estruturas de aeroportos, em todas as estruturas de portos. Em todas as obras, que são muito maiores que a Copa, de mobilidade urbana.” Além da importância futebolística, Dilma destacou questões sociais que ganharão força no Brasil durante a Copa do Mundo. Segundo a presidente, “ a Copa vai ter que falar de paz. Vai ter que transmitir isso. É um momento de paz”, salientando, também, o antirracismo e a propagação do futebol feminino. “O Brasil é um país em que mais de 50% da população se declarou negra, com honra, nesse último censo de 2010. Então, vai ter de ser uma Copa antirracista. E, no Brasil, as mulheres jogam futebol. A Marta é nosso símbolo. Nossa variante de Pelé do lado do futebol feminino. Então, são três coisas: paz, antirracismo e afirmação do futebol feminino e da questão de gênero. Essas três questões acertei com Ban Ki Moon (secretário-geral da ONU) e tenho de agradecer ao Joseph Blatter. É algo que transcende. Não é só o governo brasileiro, não é só a ONU, não é só a FIFA. Somos nós todos congregados em torno disso”, completou. President of the Republic – Dilma Rousseff In a press conference held in January 2014, President Dilma Rousseff reasserted the 2014 FIFA World Cup. According to the president, Brazil is getting ready to host a huge party. “When you are hosting a party, you enhance your house. When the visitor leaves, the renovation remains for the owner. We are hosting one of the biggest parties for the world, the World Cup. It is a narrow view not to notice the importance of the World Cup for the Brazilian people, not only because we like it, but also because it is one of our country’s most important cultural events.” Confident, Dilma mentioned the betterments in urban mobility in order to bolster the importance of the World Cup in Brazil.” Brazil is a country that took a series of measures for this World Cup. We have invested in 12 stadiums”, and added “recently I asked FIFA’s president (Joseph Blatter) how many stadiums were built in other countries. It is similar to our efforts. But this is no tour main investment. The main investment is in all airport and port structures, in all works, much higher than the World Cup, of urban mobility.” Besides the importance for football, Dilma emphasized social issues that shall gain strength in Brazil during the World Cup. According to the president, “the Cup will have to talk about peace. It will have to transmit that. It is a moment of peace”, also pointing out the anti-racism, and the women’s football advance. “Brazil is a country where over 50% of the population proudly declared being black in the last census of 2010. So, it will have to be an anti-racist World Cup. And in Brazil, women play football. Marta is our symbol, our women’s football counterpart for Pelé. So, we have three things: peace, anti-racism, and the advance of women’s soccer and the gender issue. These three issues have been settled with Ban Ki Moon (UN’s secretary general) and I have to thank Joseph Blatter. This is something that transcends. This is not only the Brazilian government, not only the UN, not only FIFA. This is us all congregated around this”, she added.

370


371


Ministro dos Esportes Aldo Rebelo

O ano de 2014 é especial para o futebol. Em agosto, a seleção brasileira completa 100 anos. Em fevereiro, o futebol brasileiro fez 120 anos. Em junho/julho, o Brasil sedia a 20ª Copa do Mundo da FIFA. Será a segunda Copa no País, a quinta na América do Sul. Uruguai, Argentina e Chile também já receberam o torneio. E para o País fazer bonito, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, vem acompanhando de perto cada detalhe, seja nos trabalhos de estádios, aeroportos e mobilidade urbana para o Mundial. “É como uma obra de arte: é o detalhe que define”, explica Rebelo. “Sabe-se lá quando haverá outra oportunidade de ver todas as seleções campeãs mundiais disputando mais um título no país que jogou todas as copas, sediou uma e ganhou cinco. Para quem gosta de futebol, uma festa ímpar”, enfatiza. O fato é que sediaremos um megaevento esportivo mais cobiçado e acompanhado do planeta, disputado com unhas e dentes pelos países mais desenvolvidos.

Unfortunately the minister did not have a spot on his agenda to grant us an interview until the closing of this publication. What will being chosen the World Cup’s host-country represent for Brazil? And for our athletes? What are the advantages of hosting an event this size? The challenges in hosting the World Cup? How much was invested? And how much will this bring in payback to the country? Can we base ourselves in development data from other countries? Thus, these would be only a few of the questions that, like us, we are sure you, dear reader, would also like to know the answers for.

2014 is special for football. In August, the Brazilian national team celebrates 100 years of age. In February, Brazilian football completed 120 years of age. In June/July, Brazil hosts the 20th FIFA World Cup. This is going to be the second World Cup in the country, the fifth in South America. Uruguay, Argentina, and Chile have also hosted the tournament. And for the country to do a good job, Minister of Sports Aldo Rebelo has been following up close every detail, in works in stadiums, airports, and urban mobility for the World Cup. “This is like a work of art: the details define it”, explains Rebelo. “We don’t know when we will have another opportunity to see all world Champion national teams playing for another title in a country that played all cups, hosted one, and won five. For those who like football, a unique celebration”, he emphasizes. The fact is that we will host the most coveted and watched sports mega event in the planet, fought over by the most developed countries.

Infelizmente o ministro não teve agenda para nos conceber uma entrevista até o fechamento deste livro. O que ser escolhido País sede para a Copa do Mundo representará para o Brasil? E para os nossos atletas? Qual são as vantagens em sediar um evento deste porte? Os desafios em sediar a Copa do Mundo? Quanto foi investido? E quanto isso deve trazer de retorno ao País? Podemos nos basear em dados de crescimento de outros países? Enfim, essas seriam apenas algumas perguntas que, assim como nós, temos certeza que você, caro leitor, também gostaria de saber as respostas.

372


373


RONALDO Ronaldo Two-time world champion in four FIFA World Cup editions. Biggest scorer in World Cup’s history, with 15 goals. Three times elected FIFA’s Player of the Year and one of the greatest players of all times. Ronaldo Nazário, the Phenomenon, has much to tell about the times when he would showcase his talent throughout the planet’s fields. But today he can also speak with authority about Brazil’s preparation to host 2014 FIFA World Cup Brazil. Member of the Administration Council of the Local Organizing Committee, he talked to Brazilian press representatives in December 2013 and talked about some issues like popular demonstrations, works in stadiums, World Cup legacy, and, obviously, Brazil’s chances in the competition. Below the interview’s main sections. Favorites to the title “My favorite’s list includes first Brazil, after Germany, followed by Spain, and afterwards Argentina. The unpleasant surprise would be Argentina (laughs)... Have you though about Argentina winning here in Brazil?” Brazilian national team defined “Knowing Felipão as I do, I think he has no more doubts. Everything is settled on his mind. I think the Brazilian national team is well adjusted. I don’t see a controversy around a player like in other years. The best players are already on the national team and the team is well on its way. Now it is necessary to motivate this group for the WORLD Cup, and Felipão is a great motivator, a great group manager, and will know how to motivate the players so all are 100%.” The competition’s legacy “I am sure that FIFA World Cup is a huge opportunity for all of us, with investments in our country. The legacy will remain here, as all the investments that have been made in infrastructure, in host-cities, in new stadiums, renovation and construction of airports... All this remains as a huge legacy.” Works in World Cup stadiums “The sooner they are ready, the better for us. With that, we will be able to test the stadiums, the playing fields, the operation of the facility itself with events such as concerts... We noticed during the Confederations Cup that the stadiums that got ready before and where tests were possible, the operation was better during the competition. This is the reason for our concern with stadiums being delivered on time so we are able to test everything so there is no room for any kind of problem.”

Duas vezes campeão mundial em quatro edições da Copa do Mundo da FIFA. Maior artilheiro da história das Copas, com 15 gols. Três vezes eleito Jogador do Ano da FIFA e um dos maiores jogadores de todos do tempos. Ronaldo Nazário, o Fenômeno, tem muita história para contar sobre os tempos em que desfilava seu talento pelos gramados do planeta. Mas hoje também pode falar com autoridade sobre a preparação do Brasil para sediar a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Membro do Conselho Administrativo do Comitê Organizador Local, ele conversou com representantes da imprensa brasileira em dezembro de 2013 e falou sobre temas como manifestações populares, obras em estádios, legado da Copa do Mundo e, é claro, as chances do Brasil na competição. Confira abaixo os principais trechos da entrevista. Favoritos ao título “Minha lista de favoritos inclui primeiro o Brasil. Depois a Alemanha, em seguida a Espanha e depois a Argentina. A surpresa desagradável seria a Argentina (risos)...Já pensou a Argentina ganhar aqui no Brasil?” Seleção Brasileira definida “Conhecendo o Felipão como eu conheço, acho que ele não tem mais dúvida nenhuma. Já está tudo certinho na cabeça dele. Eu acho que a seleção brasileira está bem arrumadinha. Nâo vejo uma polêmica em torno de um jogador como houve em outros anos. Os melhores já estão na seleção e a equipe está bem encaminhada. Agora é preciso motivar esse grupo para a Copa do Mundo. O Felipão é um grande motivador, um grande administrador de grupos, e vai saber motivar os jogadores para todos estarem 100%.” O legado da competição “Eu tenho certeza de que a Copa do Mundo da FIFA é uma grande oportunidade para todos nós, com investimentos no nosso país. O legado que ficará aqui,  como todo o investimento que tem sido feito em infraestrutura, nas cidades-sede, nos novos estádios, reforma e construção de aeroportos...Tudo isso fica como um grande legado.” Obras nos estádios da Copa “O quanto antes eles estiverem prontos, melhor para todos. Com isso, nós podemos testar os estádios, o gramado, o funcionamento da instalação em si com eventos como shows...Vimos na Copa das Confederações que os estádios que ficaram prontos antes e em que foi possí-

374


vel fazer testes, a operação funcionou melhor durante a competição. Por isso a nossa preocupação de que os estádios sejam entregues em tempo de testarmos tudo para que não haja nenhum tipo de problema.” Manifestações no Brasil “Acho que o povo se manifestando e indo às ruas é uma novidade que não se via há muitos anos no Brasil. As manifestações recentes serviram para a gente ver que o povo tem a força de mudar esse país. É só querer.” Brasil pronto dentro e fora do campo? “Acho que a Seleção Brasileira está pronta. Nós da organização sabemos exatamente o que temos que fazer e estamos prontos para entregar a melhor Copa do Mundo de todos os tempos. Ainda faltam alguns meses e daqui até a Copa do Mundo teremos ainda bastante trabalho para deixar tudo da melhor maneira possível. Mas o Brasil vai dar um show fora e dentro do campo.” Horário dos jogos

Demonstrations in Brazil “I think the people demonstrating and taking the streets is something not seen in Brazil for a long time. Recent demonstrations showed us that the people have the power to change this country. It is just a matter of wanting it.” Is Brazil ready in and out of the fields? “I think the Brazilian national team is ready. We from the organization know exactly what we have to do and are ready to deliver the best World Cup of all time. There are still a few months and from here to the World Cup we still have a lot of work in order to leave everything as best as possible. But Brazil is going to deliver a spectacle in and out of the fields.” Match times “FIFA has a huge doctors, physical trainers, and coaches commission discussing the issue. The World Cup has already been played in high temperatures, as in the United States. I was there and played on this same timetable (13h).” Goal record in FIFA World Cups and the threat of Miroslav Klose equaling or surpassing it “It is obvious I am going to cheer against it (so Klose does not score and surpasses the 15 Ronaldo scored). But I am aware that records come to be beaten constantly. I beat someone’s record and at a given moment someone is going to surpass mine. This is going to happen someday, and is not going to take the merit off my goals in World Cups, off my trajectory of which I am very proud.”

“A FIFA tem uma grande comissão de médicos, preparadores físicos e treinadores que opinaram sobre o assunto. A Copa do Mundo já foi jogada antes em alta temperatura, como nos Estados Unidos. Eu estava lá e nós jogamos nesse mesmo horário (13h).” Recorde do gols em Copas do Mundo da FIFA e a ameaça de Miroslav Klose igualá-lo ou superá-lo “É lógico que vou dar uma secadinha (para Klose não fazer gols e superar os 15 que Ronaldo marcou). Mas sou consciente de que recordes surgem para ser batidos constantemente. Eu bati o recorde de alguém e em algum momento alguém vai superar meu recorde. Isso vai acontecer algum dia. Isso não vai tirar o mérito dos meus gols em Copas do Mundo, da minha trajetória, da qual eu sou muito orgulhos.”

375


Autoridades Vinicius Nobre Lages Ministro do Turismo Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It

De acordo com dados do Conselho Mundial de Viagens e Turismo, o setor contribui com 9,2% do PIB no país, o que equivale a R$ 443,7 bilhões e coloca o país na sexta posição mundial. O turismo brasileiro evoluiu substancialmente nos últimos anos. O Brasil recebeu 5,8 milhões de turistas estrangeiros em 2013, recorde da série histórica monitorada pelo Ministério do Turismo. O setor também recebeu financiamento de R$ 13,5 bilhões de instituições federais, o que contribuiu para desenvolver o setor. O resultado dessa evolução está retratado em estudo do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), de 2013, sobre o impacto do turismo no mundo. De acordo com o levantamento, o setor de viagens e turismo contribuiu com 9,5% para a economia global. A entidade reúne os maiores empresários da área e coleta informações em 184 países, com análise dos resultados econômicos e projeções para o futuro. Os números do Brasil mostram que o setor apresentou uma contribuição total – que inclui as atividades diretas, indiretas e induzidas do turismo - de 9,2% do PIB, o equivalente a US$ 205,6 bilhões (ou R$ 443,7 bilhões de reais) gerados. O Brasil aparece em sexto lugar entre as economias do turismo do mundo, lista liderada pelos Estados Unidos com uma renda de cerca de US$ 1,4 trilhões. A China aparece na segunda posição, com receita anual de US$ 850,1 bilhões gerados pelo turismo. Em relação à contribuição direta do setor no Brasil, o percentual é de 3,5% do Produto Interno Bruto com US$ 77,6 bilhões (ou R$ 166,1 bilhões de reais). O estudo do WTTC é feito em parceria com a Universidade de Economia de Oxford, na Inglaterra, e se aproxima dos números que são divulgados pelo Ministério de Turismo, com dados do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE) de 2009. De acordo com as estimativas do MTur, os dados mostram que o turismo contribui com 3,7% do PIB brasileiro, gerando US$ 76,1 bilhões, segundo o IBGE. A contribuição direta a qual se refere o estudo da WTTC se refere apenas aos valores ligados à cadeia do turismo. Já a contribuição total leva em conta os impactos mais amplos que incluem toda a cadeia produtiva do setor, como geração de empregos diretos e indiretos, investimentos com a construção de novos empreendimentos, gastos públicos com segurança, saneamento, transporte, setor de alimentação, serviços de limpeza, indústria, hotéis, agências de viagens, companhias aéreas e indústria do lazer, entre outros. Em relação à geração de empregos diretos promovidos pelo setor de turismo no Brasil, a 376


criação, segundo a pesquisa da WTTC, foi de 3 milhões de postos de trabalho, enquanto que a contribuição total (diretos, indiretos e induzidos) chega 8,4 milhões. O número apresentado pelo MTur, com bases nos dados de IBGE é de 2,9 milhões de empregos gerados. As expectativas com a Copa do Mundo Segundo os números divulgados pelo Ministério do Turismo, com base em estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a Copa das Confederações movimentou R$ 20,7 bilhões no País, dos quais R$ 11 bilhões referentes a gastos de turistas, do Comitê Organizador Local do evento e de investimentos privados e públicos e outros R$ 9,7 bilhões como renda adicionada ao Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. A pesquisa avaliou o impacto econômico do torneio e constatou ainda que, a expectativa é de que a Copa do Mundo FIFA movimente três vezes este valor. O evento foi realizado em junho de 2013, com jogos em Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro. Segundo o levantamento, desses R$ 9,7 bilhões acrescentados ao PIB, 58% ficaram nas cidades que sediaram as competições e 42%, no restante do País. “O resul-

tado mostra que o impacto do torneio não se restringe aos locais onde são realizados os jogos. Eles têm impacto em todo o Brasil”, explicou o ministro do Turismo, Vinicius Lages, em nota distribuída à imprensa. Com relação a postos de trabalho, o estudo mostra que o evento contribuiu com a criação de 303 mil vagas, considerando o conceito “equivalente-homem-ano”. “Isso não significa que a mesma quantidade de novos empregos foi necessariamente criada. Parte dessa demanda por novos empregados pode ter sido suprida por horas extras, ou simplesmente, com o melhor aproveitamento dos empregados atuais”, explica o Ministério. Juntos, turistas brasileiros e estrangeiros gastaram, no Rio, R$ 117 milhões. A pesquisa ouviu 17 mil pessoas, analisou gastos e investimentos para a realização do evento, e considerou os impactos iniciais, diretos, indiretos e induzidos na economia. Como base para o cálculo, utilizou-se a soma dos investimentos públicos e privados em infraestrutura (R$ 9,1 bilhões), dos gastos dos turistas nacionais (R$ 346 milhões) e estrangeiros (R$ 102 milhões) e dos investimentos do Comitê Organizador Local no evento (R$ 311 milhões).

Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened:

377


Vera cintia alvarez Ministra da Coordenadoria Geral de Intercambio e cooperacao esportiva - CGCE

O discurso de que o Brasil não conseguiria sediar a Copa ou construir os estádios a tempo, ouvido até meados de 2012, foi substituído pelo o de que a sua realização ocorreria em detrimento de agendas prioritárias, como saúde e educação, como se o País tivesse deixado sua população à míngua, para atender a exigências da FIFA. Esse debate é fundamental e a sua questão central, a do estabelecimento de prioridades, é tão relevante que deveria estar presente na discussão de toda e qualquer política pública. No caso específico da Copa, parece-me uma generalização, calcada em um falso dilema. Não restam dúvidas de que saúde e educação, com orçamentos anuais somados figurando na casa de R$758 bilhões, são prioridades inequívocas. Não é razoável e nem sequer seria racional, exigir que, em nome dessa necessária priorização, diversas outras agendas, como a da Copa, fossem paralisadas - até porque elas mesmas contribuem para o desenvolvimento e para a inclusão social. Comparativamente, os investimentos totais com a Copa (R$ 28,1 bilhões) representam apenas 2,9% dos investimentos totais previstos no PAC 2 (R$955 bilhões), a serem realizados até o final de 2014. Ainda assim, 73% do orçamento rotulado como “da Copa” é destinado a legados duradouros, como obras de infraestrutura, mobilidade urbana, aeroportos, segurança e telecomunicações, que seriam realizadas independentemente do torneio. O 27% restante está direcionado para os 12 estádios do certame. Contudo, para ser equilibrada, a avaliação não deve enfocar apenas nos custos. Da perspectiva dos benefícios, e sem levar em conta os próprios estádios, ou mesmo o resultado das obras de infraestrutura do 73% restante do orçamento “da Copa”, destaco, dentre outros, os 3,6 milhões de empregos diretos e indiretos, os quase R$2 bilhões gerados em exportações e negócios para pequenas e médias empresas, a capacitação de mais de 150 mil profissionais e a movimentação, direta e indireta, de R$112 bilhões na economia, entre 2010 e 2014, ou de R$ 183,2 bilhões, até 2019, incluindo a arrecadação de R$16,8 bilhões em tributos. Para além dos turistas que se encantarão pessoalmente com o Brasil, um vídeo promocional de cada uma das cidades-sede e de seus entornos será visto, em média, por cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, legado imaterial que, dentre outros fatores de inclusão social e de desenvolvimento, também deve entrar na relação custo/benefício. Aproveitar bem a Copa para galgar novos patamares de desenvolvimento e para atualizar a imagem turística cultural e comercial do País é o principal desafio embutido na organização do evento. Sopesados parcimoniosamente os prós e contras, o que, infelizmente, não é possível fazer nesse espaço, sediar a Copa é um grande trunfo para o Brasil. Tão forçoso como admitir que todo o potencial da oportunidade não será plenamente aproveitado, é reconhecer que boa parte dele o será, que o Brasil demonstra estar à altura do desafio, que agendas prioritárias não foram e não serão afetadas negativamente pelo evento e que o saldo final da relação custo/benefício será amplamente favorável para o País e sua população. 378


Navel today . This global visibility that the World Cup has , makes it a great shopping event . This means that FIFA has built a billion-dollar business , selling its brand and its television rights by providing global companies the largest advertising opportunity in the world. However , a curious fact is that in 1930 the Cup was ignored by Brazilians, and the headlines of major newspapers around the country were limited to talking about the death of Joao Pessoa in Brazil and Miss Universe . Maybe also because the national team having lost the battle soon debut and even reached the second round of the championship . If it were today , the news would - indeed - made ​​headlines of newspapers , magazines and especially social media and cause a national uproar . But we are talking about the year 1930 , and although football had already achieved a certain notoriety , the matter Cup did not matter much for the Brazilians. Nor was it easy to organize this inaugural event . Europe and America suffered the consequences of the economic crisis of 1929, which caused widespread unemployment and serial bankruptcies of small businesses to large banks . Football officially organized by However , a curious fact is that in 1930 the Cup was ignored by Brazilians, and the headlines of major newspapers around the country were limited to talking about the death of Joao Pessoa in Brazil and Miss Universe . Maybe also because the national team having lost the battle soon debut and even reached the second round of the championship . If it were today , the news would - indeed - made ​​headlines of newspapers , magazines and especially social media and cause a national uproar . But we are talking about the year 1930 , and although football had already achieved a certain notoriety , the matter Cup did not matter much for the Brazilians. However , a curious fact is that in 1930 the Cup was ignored by Brazilians, and the headlines of major newspapers around the country were limited to talking about the death of Joao Pessoa in Brazil and Miss Universe . Maybe also because the national team having lost the battle soon debut and even reached the second round of the championship . If it were today , the news would - indeed - made ​​headlines of newspapers , magazines and especially social media and cause a national uproar . But we are talking about the year 1930 , and although football had already achieved a certain notoriety , the matter Cup did not matter much for the Brazilians. Nor was it easy to organize this inaugural event . Europe and America suffered the consequences of the economic crisis of 1929, which caused widespread unemployment and serial bankruptcies of small businesses to large banks . Football officially organized by However , a curious fact is that in 1930 the Cup was ignored by Brazilians, and the headlines of major newspapers around the country were limited to talking about the death of Joao Pessoa in Brazil and Miss Universe . Maybe also because the national team having lost the battle soon debut and even reached the second round of the championship . If it were today , the news would - indeed - made ​​headlines of newspapers , magazines and especially social media and cause a national uproar . But we are talking about the year 1930 , and although football had already achieved a certain notoriety , the matter Cup did not matter much for the Brazilians.

379


EDUARDO PAES Prefeito do Rio de Janeiro Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini,

O País todo ganhará ao sediar este grande evento, mas o que especificamente cada cidade sede será beneficiada com isso? Fomos atrás do Prefeito do Rio de Janeiro que nos tirou algumas dúvidas sobre o tema. - Quando foi anunciado que o Rio de Janeiro estaria entre as doze cidades-sede em um dos maiores eventos do planeta, sem dúvida foi motivo de orgulho, mas quais desafios que isso trouxe para a cidade? Quais são as vantagens da cidade em sediar a Copa do Mundo da FIFA? A Copa do Mundo da FIFA é o maior evento midiático do mundo. Na final da Copa da África 2010 cerca de metade dos televisores do planeta estavam ligados durante a partida final. Isso significa que aproximadamente três bilhões de pessoas estarão olhando para o Rio de Janeiro no dia 13 de julho de 2014, quando o Maracanã recebe a final da Copa do Mundo. Além disso, o Rio foi escolhido para sediar o International Broadcast Centre (IBC), que é de onde são distribuídas as imagens para todo o mundo. São mais de 15 mil profissionais de mídia trabalhando nesse local, circulando pela cidade, com a atenção voltada para o Rio de Janeiro. Tudo isso comprova o tamanho da responsabilidade que temos em oferecer a melhor experiência possível para todos aqueles que vierem ao Rio, sejam torcedores ou visitantes. Sempre soubemos que o nosso grande desafio seria a mobilidade urbana e estamos nos esforçando para melhorar. A Copa das Confederações foi um grande teste, e o Rio de Janeiro atingiu um resultado bastante satisfatório. Para a Copa do Mundo, esperamos que o planejamento seja um sucesso tanto para o visitante quanto para a população carioca. Teremos uma operação especial para os dias de jogos, em que o transporte público é a única forma de se chegar ao estádio. A inauguração do BRT TransCarioca, que liga o aeroporto internacional à Barra da Tijuca, também vai tornar essa operação ainda mais eficiente.   - Quais foram os investimentos feitos na cidade? Além da construção do estádio, podemos ver melhorias em outros setores como hotelaria, restaurantes, mobilidade urbana, entre outros? Quanto foi investido para este grande evento? Em mobilidade urbana, a TransCarioca, corredor BRT que liga a Barra ao Galeão, recebeu um investimento de R$ 1,7 bilhões de reais. Além disso, fizemos também uma reurbanização no entorno do Maracanã, com novas calçadas, acessibilidade, paisagismo e projeto de iluminação inclusive uma passarela que liga o estádio à Quinta da Boa Vista, no valor de R$ 109,5 milhões. 

380


381


JOSÉ FORTUNATI Prefeito de Porto Alegre Para fazer a Copa a FIFA exige três coisas: Estádio, o entorno e aeroporto. O Estádio é uma obra privada, que já está pronta e já recebe jogos do Campeonato Gaúcho, inclusive foi inaugurado no dia 20 de fevereiro com a presença da presidente Dilma Roussef. As obras do entorno das Avenidas Edvaldo Pereira Paiva e Padre Cacique estarão concluídas em maio de 2014 (confirmar com o Cleber se segue sendo esta data). O Aeroporto Salgado Filho, não terá a pista ampliada até a Copa, porém, a Base Aérea de Canoas está em reformas e vai receber as dez delegações que vão jogar em Porto Alegre. A determinação da Prefeitura é de investir recursos públicos somente naquilo que representar legado para a cidade e sua população. O município, contudo, assim como o Governo do Estado, sempre demonstrou total disposição e vêm empenhando-se para auxiliar o Sport Club Internacional a cumprir o contrato de Estádio (“Stadium Agreement”) assinado com a FIFA, no qual constam as estruturas complementares. Tanto é assim, que apóia integralmente o projeto estadual, hoje em tramitação na Assembléia Legislativa, que permitirá a captação dos recursos necessários para as estruturas complementares junto à iniciativa privada. A Copa do Mundo deixará vários legados para Porto Alegre. Eu destacaria dois em especial: a qualificação das pessoas e o investimento em obras de mobilidade que foram impulsionados pela Copa do Mundo. Na prefeitura, através da Escola de Gestão, foram capacitados em inglês durante 2013, 200 servidores, muitos deles, terão contato direto com os turistas como os guardas municipais, os profissionais da saúde, etc. A EPTC ofereceu curso de línguas para 600 agentes, além de, em parceria com o Sest/Senat, e recursos do Pronatec Copa in Company, programa do Governo Federal, capacitar aproximadamente 400 taxistas que atendem ao Aeroporto e Rodoviária. Somamos a essas capacitações, cursos que foram promovidos por outras instituições.  Temos também uma parceria com o Sebrae na capacitação de 18 permissionários do Antigo Abrigo dos Bondes. Com a Copa do Mundo foi possível investir em obras que precisavam ser feitas na cidade há muito tempo e com as facilidades de prazos e juros para financiamento foi possível realizá -las (gordinha, já ouvi o prefeito falando algumas vezes sobre isso, acho que aí tu encontra melhores condições para afinar essa parte). Cabe ressaltar que, foram investidos R$ 880 milhões em obras de mobilidade. Porto Alegre foi a única sede que não tem dinheiro público em estádio. Além de termos dois estádios de ponta: Beira-Rio e Arena do Grêmio, a Fan Fest ocorrerá no Anfiteatro Pôr-do-Sol, próximo ao local onde serão realizados os jogos e em um dos pontos que faz parte do cartão postal da cidade.  Também temos o diferencial da receptividade e acolhimento dos gaúchos, elogiado por todas as seleções que visitaram Porto Alegre. Em termos de atividades queremos mostrar a cultura do gaúcho oferecendo o Acampamento Extraordinário da Copa. Será uma mini edição do Acampamento Farroupilha que temos tradicionalmente no mês de setembro, porém com aproximadamente 100 piquetes. Nesse espaço o turista poderá aprender a fazer chimarrão, as danças típicas e tantos outros elementos que fazem parte da nossa cultura. A Fecomércio estima que turistas nacionais e estrangeiros movimentem até R$ 360 milhões na economia de Porto Alegre e nas cidades próximas, enquanto a Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul calcula incremento de R$ 500 milhões no PIB do Estado, com 12 mil empregos criados no período do evento. E há, ainda, o valor imensurável da projeção da cidade pela transmissão intercontinental do evento a bilhões de espectadores. (isso estava na fala do prefeito do release dos cem dias) A imagem da cidade está sendo transmitida para o mundo. Após o sorteio de grupos da Copa do Mundo, recebemos em Porto Alegre a visita de 28 jornalistas de agências de notícia da Alemanha, França, Espanha, Inglaterra, Japão, Rússia. Eles estiveram aqui para levar aos seus países informações sobre a cultura de Porto Alegre, dando uma visibilidade incrível à cidade. Além disso, temos recebido com frequência responsáveis por consulados e embaixadas que certamente estão levando informações de Porto Alegre aos seus moradores. 382


Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a

383


Vicente Cândido Deputado Federal A Copa do Mundo no Brasil em 2014 já iniciou seus legados antes mesmo de começar. O sucesso da Copa das Confederações, em 2013, as obras em cidades sedes e arredores, modernização de estádios já é um divisor de águas do esporte brasileiro. Esse legado ainda pode ser ampliado, com trabalhos que o Parlamento vem desenvolvendo em prol, não só do futebol, mas dos esportes olímpicos, como a aprovação do Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos (Proforte), que vai se transformar uma lei de responsabilidade fiscal do esporte. Pesquisa de abril da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e divulgada pelo Ministério do Turismo atesta o excelente re-

torno financeiro que será obtido pelo País com a realização da Copa do Mundo no Brasil. Segundo a Fipe, apenas com a realização da Copa das Confederações, que durou duas semanas em 2013, em seis capitais, foram injetados na economia R$ 9,7 bilhões até a véspera do evento.O valor ultrapassou o montante aproximado do gasto na construção dos 12 estádios da Copa do Mundo. Na última estimativa oficial da FIFA, divulgada em janeiro, o custo dos estádios seria de R$ 8,9 bilhões. “Esse estudo desmistifica o discurso vazio dos pessimistas em relação à Copa no País, mas confirma o que sempre disse ao governo fede-

ral e os defensores da realização do evento no País: de que ele é viável, atrai investimentos e impulsiona o turismo”, afirmou o deputado Vicente Cândido (PT-SP), relator da Leia Geral da Copa e co-autor do Proforte. O parlamentar também ressalta o acerto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em trazer eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas para o Brasil. “Hoje somos a 7ª economia do mundo, com possiblidade de até 2022 chegarmos a quarta ou quinta posição no ranking, isso mostra que esse era o momento certo para recepcionar grandes eventos, como a Copa e as Olimpíadas”, destacou.

Proforte O Proforte altera as regras da Timemania para aumentar o valor do prêmio, inclusive com isenção do Imposto de Renda. O texto cria o Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos para renegociar dívidas tributárias federais acima de R$ 20 mil acumuladas por entidades desportivas. O que dessa forma amplia o desenvolvimento do esporte no país. Investimentos Copa 2014 Com base no retorno financeiro que a Copa das Confederações deu ao Brasil, a estimativa, de acordo com o estudo da Fipe, é de que o investimento no País com a Copa do Mundo seja pelo menos três vezes maior: R$ 30 bilhões, ou 0,5% do PIB, revela reportagem do jornal Valor Econômico nesta segunda-feira ( 7). Há expectativa também de que o País atraia um turista que gaste mais: R$ 5,5 mil, em média – enquanto em 2013 esse valor foi de R$ 4,1 mil. A previsão é que 600 mil estrangeiros passem por aqui durante o Mundial.

384


The World Cup in Brazil in 2014 has already started its legacy before you even start . The success of the Confederations Cup in 2013 , works in headquarters area, modernization of stadiums cities is already a watershed in Brazilian sport . This legacy can still be expanded with works that Parliament is developing in favor , not only football , but the Olympic sports, such as the approval of the Program for Strengthening Olympic Sports ( Proforte ) , which will become a fiscal responsibility law sport . April survey by the Foundation Institute of Economic Research ( Fipe ) and published by the Ministry of Tourism attests to the excellent financial return that will be achieved by the country with the hosting of the World Cup in Brazil . According to Fipe , only with the completion of the Confederations Cup , which lasted two weeks in 2013 in six capital cities , were injected into the economy £ 9.7 billion until the eve of evento.O value exceeded the approximate amount spent on building of 12 stadiums for the World Cup . At the last official estimate of FIFA, released in January , the cost of the stadiums would be $ 8.9 billion . “ This study debunks the empty discourse pessimistic about the World Cup in Brazil , but it confirms what I always said to the federal government and supporters of the event in the country : that it is viable , attract investment and boost tourism ,” said deputy Vicente Candido ( PT- SP ) , General rapporteur of the Copa Read and co - author of Proforte . parliamentarian also underscores the wisdom of former President Luiz Inacio Lula da Silva in bringing events like the World Cup or the Olympics to Brazil. “ Today we are the 7th economy in the world by 2022 with possibility to reach the fourth or fifth position in the ranking , it shows that this was the right to approve major events like the World Cup and the Olympics now,” he said. Proforte The Proforte Timemania change the rules to increase the value of the prize , including exemption from income tax . Text creates Strengthening Program Olympic Sports to renegotiate federal tax debts over $ 20,000 accumulated by sports bodies . What thus amplifies the development of sports in the country . Investment World Cup 2014 Based on the financial return to the Confederations Cup gave Brazil the estimate , according to the study of Fipe , is that investment in the country with the World Cup is at least three times : R $ 30 billion , or 0.5 % of GDP , the report reveals Valor Economico newspaper on Monday ( 7 ) . There are also expectations that the country attracts a tourist who spend more : £ 5500 on average - while in 2013 this figure was £ 4100 . It is estimated that 600 000 foreigners pass through here during the World.

385


Comentaristas RODRIGO VIANA É jornalista esportivo, além de criador do FutCiência (grupo de estudos dentro da Universidade do Futebol) e, também é membro do Memofut (grupo de Literatura e memória do Futebol). Em mais de 15 anos de carreira, rodou o mundo atrás de boas histórias: em 2012 viajou para o Japão e acompanhou a saga do título mundial do Corinthians. Seguindo a linha investigativa no esporte, denunciou o esquema de venda de ingressos pela segurança da Fifa na Copa das Confederações, ocorrida em junho de 2013 no Brasil. Por isso e outras tantas experiências na área, fomos atrás dele para saber sua opinião sobre a Copa do Mundo FIFA e conhecer um pouco mais do Rodrigo/torcedor. - Como o futebol se instalou na imprensa brasileira e quais foram os desdobramentos desse movimento na nossa literatura? O futebol só vai passar a interessar à imprensa quando ele se tornar paixão popular. Porque no início, desde 1894 (quando Charles Muller traz o esporte ao Brasil) até a década de 1910 o futebol era praticado pela elite, não enchia campos de futebol, não dividia a cidade em guetos e grupos. Depois de 10 é que o futebol vai para as páginas dos jornais num momento também que a crônica começa a se consolidar no Brasil (a consolidação da crônica teria seu ápice em 1922 com a Semana da Arte Moderna). - Pode parecer uma pergunta um tanto óbvia, mas o que espera ver da Seleção Brasileira, comandada por Luiz Felipe Scolari, durante os jogos da Copa do Mundo 2014? Acho que o Felipão tem um grande mérito: ele é um agregador dos jogadores. O tal “paizão” que todo mundo fala. Ele também tem experiência com a Seleção e em Copas do Mundo (dirigiu as Seleções Brasileira e Portuguesa, em Mundiais). Então ele vai se sentir em casa, literalmente. O lado ruim da história é que o Felipão é um treinador pouco tático. Não acho que ele trabalhe esse lado – o tático – bem. E as outras seleções – principalmente as europeias como Alemanha e Espanha – dão uma importância enorme para as formações e variações táticas. Sem contar que iremos, em algum momento cruzar com a Argentina do Messi, um jogador acima de todos os outros do planeta. Acho que o Brasil não ganha a Copa. - Que análise faz das coberturas da Copa no Brasil e no mundo? Tem algo que não goste na imprensa esportiva brasileira? Não gosto quando há excesso de entretenimento em detrimento da informação. Não vejo problema nenhum no espetáculo, no show, desde que ele venha acompanhado da informação. O problema é que hoje, se você aferir, temos nos veículos de massa cerca de 80 % de show e 20% de informação. A boa fórmula é equilibrar um pouco essa fórmula. - Acredita que teremos surpresas nesta Copa? (em relação a destaques de jogadores e/ou times) Como eu disse acho que o Brasil não leva a Copa e esta é a grande surpresa. O título fica entre Espanha, Alemanha e Argentina. A lógica seria a Alemanha ganhar, porque é o time mais jovem e que está junto há mais tempo. A seleção espanhola já envelheceu em relação ao Mundial da África. Mas acho que a Argentina fica com a Taça. - E a pergunta básica: em sua opinião, qual será o real legado da Copa do Mundo? O pouco que se melhorar já é legado. Os estádios, aeroportos, estradas, infraestrutura, enfim...tudo que se fala que está ruim, e está mesmo, é óbvio que vai ficar algo de bom. O problema é como as coisas são feitas no Brasil. Na maioria das vezes sem a devida transparência.

386


- Você passou de jogador de futebol, competindo pelas categorias de base na cidade de Araraquara, ao jornalismo. Acredita que isso ajuda hoje quando escreve sobre futebol? Muito. Estive dentro do campo. Sei quando o jogador acerta uma jogada o lado do pé em que ele bateu na bola. Porque o futebol é feito de movimentos repetitivos. E ajuda também a escrever, entrevistar o pessoal do “dentro de campo”. Porque, de certa forma, falo a mesma língua deles. - Teve alguma edição e/ou fato durante a Copa do Mundo que você não esquece? A Copa do Mundo de 82 na Espanha é inesquecível. Eu, que nasci em 75 e, portanto, não vi a seleção de 70 jogar, gosto de futebol por causa daquele time do Telê Santana. Emociona-me até hoje ver imagens daquela Seleção. Perdemos a Copa e, como disse o poeta, azar da Copa.

Commentators Rodrigo Viana is a sports journalist, besides being the creator of FutCiência (a study group within the Football University) and is also member of Memofut (Football literature and memory group). In a career of over 15 years he travelled the world after good stories: in 2012 he travelled to Japan and followed the saga of Corinthians’ world club title. Following the investigative line in sports, he denounced the scheme of ticket sales by FIFA’s security during the Confederations Cup, held in June 2013 in Brazil. For that and other experiences in the area we went after him in order to find out his opinion about FIFA World Cup and get to know a bit more about Rodrigo/fan. - How has football settled into Brazilian press and what were the developments from such a movement in our literature? Football will only be interesting to the press when it becomes a popular passion. As in the beginning, from 1894 (when Charles Muller brings the Sport to Brazil) until the 1910’s football was practiced by the elite, did not fill football fields, did not split the city in ghettos and groups. After 1910 football takes the newspaper pages in a moment when the chronicles starts to consolidate itself in Brazil (this consolidation would have its peak in 1922 with the Week of Modern Arts). - It may seem a somewhat obvious question, but what do you expect to see from the Brazilian national team, coached by Luiz Felipe Scolari, during matches from the 2014 World Cup? I think Felipão has a great merit: he is a player aggregator, the so called “big father” mentioned by all. He also has experience with the National Team and in World Cups (he coached the Brazilian and Portuguese National Teams in world Cups). So he will feel at home, literally. The bad side to this story is that Felipão is a coach of little tactics. I don’t think he works this side – tactics - well. And the other national teams – especially the Europeans, such as Germany and Spain – give enormous importance to tactical formations and variations. Not mentioning that we will, at some point face the Argentina of Messi, a player above all others in the planet. I think Brazil does not win the World Cup. - What is your analysis of the World Cup coverage in Brazil and the world? Is there something you do not like about the Brazilian sports press? I don’t like when there is excessive entertainment in detriment of information. I don’t see any problems with the entertainment, the show, as long as it followed by information. The problem is that today if you verify, we have about 80% of show and 20% information on the media. The good thing would be to balance this formula a bit. - Do you believe we will have surprises in this World Cup? (regarding players and/or teams highlights) As I said I think Brazil unfortunately doesn’t take this World Cup and this is the big surprise. The title will stay between Spain, Germany, and Argentina. The logic would be Germany winning, as it is the youngest team and the one who has been playing together for a longer period of time. The Spanish national team has aged since Africa’s World Cup, but I think Argentina wins the Cup. - And the basic question: in your opinion, what will be the World Cup legacy? Even the smallest improvement is already a legacy. The stadiums, airports, roads, infrastructure, so... everything people say is bad, and it really is, obviously will get something good out of it. The problem is how things are done in Brazil, most of the time without due transparency. - You went from football player, playing in the smaller categories in the city of Araraquara, to journalism. Do you believe today this helps when you write about football? A lot. I have been inside the field. I know when the player makes a good play what side of his foot he used to hit the ball. Because football is made up of repetitive movements, and it also helps to write, interview the people from “inside the field”, as in a way, I speak the same language they do. - Was there na edition and/or fact during a World Cup that you never forget? The 1982 World Cup in Spain is unforgettable. I, who was born in 75 and did not see the 1970 national team play, I like football because of that team coached by Telê Santana. It moves me even today to watch images from that National Team. We lost the World Cup but, as the poet says, it is the World Cup’s misfortune. - If you were able to assemble a team of Brazilian national team superstars, since the first World Cup edition in 1930, who would you pick? Felix, Leandro, Luizinho, Aldair, and Junior. Falcão, Rivelino, and Zico. Tostão, Pelé, and Garrincha. (inglorious question) - The best player of all times in your opinion. Mané Garrincha

- Se pudesse escalar um time com craques da Seleção Brasileira, desde a primeira edição da Copa em 1930, quem escolheria? Felix, Leandro, Luizinho, Aldair e Junior. Falcão, Rivelino e Zico. Tostão, Pelé e Garrincha. (pergunta inglória).

- O melhor jogador de todos os tempos em sua opinião. Mané Garrincha.

Infelizmente não conseguimos agenda com o Rei do Futebol: Pelé, ou Edson

387


GRANDES ÍDOLOS PELÉ O Rei do Futebol Arantes do Nascimento, se aposentou dos gramados, mas sua agenda é concorridíssima. Por isso, vamos conhecer mais sobre o nosso Rei Pelé em frases ditas por ele. Sim, não conseguimos a entrevista, mas fizemos uma pesquisa para tentar trazer até você um pouco do nosso ídolo. “Muita gente não sabe, mas não joguei em 1974 por desgosto em relação ao regime político do país. Era a época da ditadura” Em 1988, sobre sua ausência no Mundial “Fui covarde, quando jogava. Só me preocupava com a evolução da minha carreira”

Great idols Pelé – The King of Football Unfortunately we were not able to get na interview with the King of Football: Pelé, or Edson Arantes do Nascimento, who has retired from the playing fields, but who still has a full agenda. So, we will get to know a little more about our King Pelé in some of his statements. Yes, we did not get the interview, but we did a little research to bring you a bit of our idol. “Many people don’t know, but I did not play in 1974 for discontentment from the country’s political regime. Those were the dictatorship years” In 1988, on his absence from the World Cup

“Eu não sou louco”

“I was a coward when I played. I only worried about my career’s development” In 1996, on not having fought for good conditions for players

Em 2001, descartando qualquer possibilidade de ser técnico da Seleção Brasileira

“I am not crazy” In 2001, discarding any possibility of being the Brazilian national team coach

“Cá entre nós: essa ideia de o Edinho jogar no gol só pode ser praga dos goleiros que sofreram com os meus gols”

“Only between us: this Idea of Edinho playing in the goal can only be a curse from goalkeepers that suffered with my goals” About his son, goalkeeper Edinho

Em 1996, sobre não ter lutado por boas condições para os jogadores

Sobre o seu filho, o goleiro Edinho “Tento sempre separar o Pelé do Edson. O Edson é uma pessoa normal de carne e osso, e o Pelé, como diz o próprio título do documentário, é o Pelé Eterno”. Em 2004, explicando seu famoso discurso na terceira pessoa “O Maradona só jogava com a perna esquerda e não era muito forte de cabeça. O Messi é mais ou menos uma cópia dele. O Neymar pode vir a ser melhor que os dois”. Em 2012, sobre o potencial de Neymar “O meu pai costumava dizer: ‘Você nasceu para jogar futebol. Você tem um dom para isso. Mas, se você não se preparar, se não treinar, se você não praticar muito, então será igual ao resto.’ Ele tinha muita razão. Mas, veja bem, eu nasci para o futebol como Beethoven nasceu para a música e Michelangelo nasceu para pintar”. 388

“I always try to separate Pelé from Edson. Edson is a normal flesh and bone person, and Pelé, as the title of the documentary itself says, is the Pelé Eternal”. In 2004, explaining his famous third person type of speech “Maradona only played with the left leg and was not too strong in headers, Messi somewhat his copy, and Neymar may come to be better than both” In 2012, about Neymar’s potential “As my father used to say: ‘You were born to play football. You have a gift for that. But, if you do not prepare yourself, if you do not train, if you don’t practice a lot, so you will be like the rest.’ He was right indeed. But, see, I was born for football as Beethoven was born for music, and Michelangelo was born to paint”. In 2012, during a press conference.


389


Neymar Em 2012, durante a coletiva de imprensa Neymar da Silva Santos Júnior, ou simplesmente Neymar, é uma das estrelas da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo FIFA. Aos 22 anos, o menino de Santos carrega nas costas o peso das expectativas de um país inteiro e só aumentou após a sua participação na última Copa das Confederações, quando liderou o Brasil a um título incontestável diante da Espanha. Experiência em Copa do Mundo? Sim ele tem! – mais ou menos. Já participou da Copa do Mundo Sub-17 em 2009, onde foi eliminado logo na primeira fase da competição. Já pelo Sub-20 obteve resultados melhores, onde se sagrou campeão do Sul-Americano de 2011, resultado que garantiu a vaga brasileira nas Olimpíadas de 2012. Vamos saber mais sobre este campeão. O que significa para você jogar a sua primeira Copa do Mundo, e ainda por cima em casa? É uma oportunidade única, sabemos muito bem disso. E, além disso, estamos muito felizes de que outras pessoas possam vir e conhecer a nossa cultura e o nosso país. Sei que o Brasil abrirá as suas portas ao mundo inteiro. O que mudou na Seleção com a chegada do Felipão? Não sei o que mudou. Acho que a equipe criou uma identidade própria. Precisávamos de tempo para treinar e nos conhecer melhor, para que o nosso jogo fluísse. Tivemos isso na Copa das Confederações e tudo deu certo. A união que existia no grupo, tanto dentro quanto fora de campo, foi incrível e isso nos motivou ainda mais a nos esforçar uns pelos outros. Isso nos ajudou a ganhar o título. Quais são as principais virtudes do Felipão como técnico? É um treinador como nós, uma pessoa normal. Faz brincadeiras, mas é firme quando tem que ser firme. É um homem trabalhador, que gosta de ganhar sempre, e é uma grande pessoa. Essas são as suas principais virtudes. Com isso, ele conseguiu ganhar o grupo. A torcida brasileira tem grandes expectativas em relação ao seu futebol. Que mensagem você mandaria para ela antes da Copa do Mundo? Que ela tenha a certeza de que vai contar com 23 guerreiros lutando pela Seleção em busca do sonho de todos, não só dos jogadores. Espero que ela nos motive até o fim. Vamos nos esforçar por ela também. Paraterminar,queríamosquevocêcompletasseaseguintefrase:“Em2014,Neymarserá...” ... (Pensa e ri) Campeão da Copa do Mundo!

390

Neymar Neymar da Silva Santos Júnior, or simply Neymar, is one of the Brazilian national team stars for the FIFA World Cup. At 22 years of age, the boy from Santos carries on his shoulders the hopes of an entire country that has only been increased since his participation in the past Confederations Cup, when he led Brazil to an undeniable title over Spain. Experience in World Cups? Yes he has it! – sort of. He has already participated of the 2009 Under 17 World Cup, being eliminated right in the first round of the competition. On the other hand, with the Under 20 national team he got better results, becoming 2011 South American champion, result that assured Brazil a spot in the 2012 Olympic Games. Let’s know more about this champion. What does it mean playing your first World Cup, and on top of it at home? It is a unique opportunity, we know that very well. And, besides, we are very happy that other people are able to come and get to know our and our country’s culture. I know that Brazil will open its doors to the whole world. What has changed in the National Team with the arrival of Felipão? I don’t know what changed. I think the team has its own identity. We needed time to train and get to know each other better, so our game would flow. We had that in the Confederations Cup and everything went right. The group’s union, inside and off the field, was incredible and this has motivated us even more to strive even more for each other. This helped us to win the title. What are Felipão’s main virtues as a coach? He is a coach like us, a normal person. He makes jokes, but is tough when he has to be tough. He is a working man, who always likes to win, and he is a great person. These are his main virtues. With them he was able to win over the group. Brazilian fans have great hopes in regards to your playing skills. What message would you send them before the World Cup? The fans can be sure they will have 23 warriors fighting for the National team in search of a dream of us all, not only the players’. I hope they motivate us until the end. We will also fight for them. Finishing, we would like you to complete the following sentence: “In 2014, Neymar will be...” ... (He thinks and laughs) World Cup Champion!


391


Copa das confederações

Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was great, there were many photographers looking for a better position. It was then that some of the most shorties, began to shout: “Belini, raises the cup, posing, Belini!”, As they were unable to shoot. It was when I lifted - account. Rimet Cup, on June 29, 1958, in Rasunda Stadium in Stockholm, after the 5-2 rout of Brazil over Sweden in the deciding game of the World. At the time Belini told how it happened: - Not thought to lift the trophy, did not really know what to do with it when I received the King Gustav of Sweden. In the ceremony of Jules Rimet, the confusion was

392


393


394


395


Referências Bibliográficas ·

AGOSTINO, Gilberto. Vencer ou morrer. Futebol, geopolítica e identidade nacional. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.

·

COSTA, Márcia R. da et al (orgs.) Futebol: Espetáculo do século. São Paulo: Musa Editora, 1999.

·

ELIAS, Norbert. O processo civilizacional. 2ª vol. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1990.

·

FREYRE, Gilberto. Sociologia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1945.

·

·

·

GIL, Gilson. O drama do “futebol-arte”: o debate sobre a seleção nos anos 70. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo: ANPOCS, n. 25, ano 9, junho de 1994, p. 100-109. GIULIANOTTI, Richard. Sociologia do futebol. Dimensões históricas e sociológicas do esporte das multidões. São Paulo: Nova Alexandria, 2002. GUEDES, Simoni L. O Brasil no campo de futebol. Estudos antropológicos sobre os significados do futebol brasileiro. Niterói: EDUFF, 1998.

·

MANHÃES, Eduardo Dias. Política de esportes no Brasil. 2a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

·

OLIVEIRA, Lucia Lippi. O Brasil dos imigrantes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

·

RIOUX, Jean-Pierre ; SIRINELLI, Jean-François. Por uma história cultural. Lisboa: Estampa, 1998.

·

VIANNA, Luiz Werneck. Liberalismo e sindicato no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

Referências digitais Exemplo: ALVES, Castro. Navio negreiro. [S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: <http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/ navionegreiro.htm>. Acesso em: 10 jan. 2002, 16:30:30.

396


EDITORA


O Brasil em todas as Copas

400

Livro da Copa do Mundo 2014  
Livro da Copa do Mundo 2014  
Advertisement