Page 1

17a Edição - Ano XVII - 2016

Patrocínio:

Apoio:

R$19,80


PORTO DE SUAPE E PORTO DO RECIFE. É PERNAMBUCO NA ROTA DO SEU CRESCIMENTO.

Para mais informações, acesse: www.suape.pe.gov.br e www.portodorecife.pe.gov.br


O Porto do Recife está localizado, estrategicamente, no centro da capital pernambucana e tem capacidade de movimentação de cargas para até 6 milhões de toneladas por ano. O seu cais, com cerca de 2km de extensão, tem dez berços de atracação e 115 mil m 2 de área alfandegada equipados com armazéns cobertos, pátios de contêineres, silos para grãos, guindastes e empilhadeiras. Em sua operação, se destaca a movimentação de granéis sólidos, como açúcar, milho, trigo, cevada, barrilha e fertilizante. Em 2016, o Porto do Recife fechou a movimentação com um aumento de 8% em relação ao ano anterior. Os destaques foram a importação de milho e barrilha e a exportação de açúcar e vergalhões de aço.

Suape é mais do que um porto. Com localização e acessos estratégicos, é desaguadouro de um complexo industrial com mais de 100 empresas instaladas. Porto de águas profundas, está conectado a mais de 160 portos em todos os continentes, com linhas diretas de navegação para a Europa e as Américas. Líder nacional na movimentação de granéis líquidos e na navegação por cabotagem (dados da Antaq), Suape foi um dos portos públicos nacionais com o maior crescimento na movimentação de cargas gerais em 2016, crescendo 15% em relação ao ano anterior.

O Porto de Suape encerrou 2016 com a movimentação recorde de mais de 22 milhões de toneladas de cargas, 15% superior ao ano de 2015.

* Dados: Antaq


Aplicativo do Banco do Brasil para celular: completo e fácil de usar.

Conheça mais tecnologias para facilitar sua vida.

Saque móvelOurocard-e Pagamentos Compras com celular Saque Saque Leitor Leitor código código Saque Leitor Leitor código Leitor código código Leitor código Saque NFC NFC Aplicativo APP Ourocard-e Ourocard-e NFC APP NFC Ourocard-e móvel móvel de barras de barrasmóvel de barras de barras de barras de barras móvel

|

Central de Atendimento BB SAC 4004 0001 ou 0800 729 0001 0800 729 0722

ciente Auditivo ou de Fala Ouvidoria BB ou acesse | Defi | 0800 729 5678 | bb.com.br 0800 729 0088

@bancodobrasil /bancodobrasil

Leitor código de barras

Leitor código de barras


Baixe o aplicativo do Banco do Brasil

Um aplicativo para celular que realiza transações bancárias com facilidade, agilidade e segurança. Baixe e conheça.


Em BrasĂ­lia, onde tudo acontece


O maior centro de negócios e entretenimento do DF Ao lado da torre de TV Centro de eventos para até 4000 pessoas A apenas 1 Km da esplanada dos ministérios Polo gastronômico com 7 restaurantes 3 torres de escritórios 3 hotéis de luxo 3 salas de teatro

(61)3039-8330

(61)3031-2121

(61)3039-8880

(61)3218-4700

SHS Quadra 06 - Setor Hoteleiro Sul Brasília/DF www.complexobrasil21.com.br


AmazĂ´nia #vivadeperto turismo.gov.br

sa


bores

viva de perto Brasil. Sede de experiĂŞncias incrĂ­veis.


Expediente Anuário Brasileiro de Economia, Turismo & Meio Ambiente Brazilian Yearbook – Economy, Tourism & Environment Ano 2016/2017 - 17a Edição | Esta é uma publicação da Editora Voz de Brasília 2016/2017 – 17th Edition | This is a Editora Voz de Brasília publication

“Esta capa foi Baseada no desenho e nas cores da bandeira Brasileira, utilizando desenhos que representam vários pontos turísticos e o meio ambiente pelo mundo, além do homem trabalhando com a economia.”

Editor/Jornalista Editor/Journalist Paulo Fayad paulofayad@gmail.com Diretora Administrativa e Financeira Administrative and Financial Director Deijanete Araújo Fayad dsdaraujo@gmail.com

"This cover was based on the design and colors of the Brazilian flag, using drawings representing various tourist attractions and the environment around the world, as well as the man working with the economy."

Departamento Comercial Commercial Department comercial@vozdebrasilia.com.br Departamento Jurídico Legal Department Deijanete de Ara’ujo Fayad Projeto Gráfico Graphic Design Editora Voz de Brasília Jornalistas Journalists Paulo Fayad André Ana Beatriz Chacur Paula Pereira Revisão Editing Marcia Batista Tradução Português/Inglês Translation Portuguese/English Alexandre Stella Pires

Patrocínio:

Realização:

Diagramação e Design Desktop Publishing and Design Fábio Rodrigues de Souza Fotografia Photography Antônio Cruz/Agência Brasil, Fabio Rodrigues Pozzabom/Agência Brasil, Marcel Mooji, Yanik Chauvin, Losevsky Pavel, Kontantin Tavrov, Juriah Mosin, UOL, Danilo Borges/Brasil2016/ME, Ricardo Bufolin/CBG, Roberto Castro/ME/Brasil2016, Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br, Danilo Borges/ Brasil2016/ME, Miriam, Jeske/Brasil2016/Heusi Action, Francisco Medeiros/ME, HeusiAction/ AndreMotta, Sergio Amaral, Embratur, Christian Knepper, Planetphoto, Marcos Bergamascom, Haroldo Palo Jr, Ichiro Guerra, Alexandre Campbell, Werner Zotz, Orlando Kissner/SMCS, Pedro Paulo Capelossi, Riotur, Rogério Monteiro, Ricardo Rollo, Leonid Streliaev, Portobello, Iryna Kurhan, Appler, Shutterstock, Freepik, Andresr, Arman Zhenikeyev, Dmitriy Shironosov, Falarn, Estadão, Viuonline, Hidrasil, Petroleo360.com, Agência Brasil, Roberto Stuckert Filho Gráficos João Vítor Reis (Empresa Aqui Se Faz) Tratamento de Imagens Image processing Fábio Rodrigues de Souza Capa Cover Fábio Rodrigues de Souza Impressão Gráfica Print Graphics Editora e gráfica Ipiranga LTDA Distribuição Distribution Itamaraty, CNC, CNI, Correios e Voz de Brasília Auditado por Audited by Distak Distribuição e Logística Tiragem 100 mil exemplares distribuídos no Distrito Federal pelo mailing list da agência Voz de Brasília para 30 mil empresas, residências do Plano Piloto, Sudoeste, Lago Sul e Norte, Associações, Sindicatos, Federações, Hotéis, Clubes, Agências e operadoras de viagens e turismo, ONGs, lideranças comunitárias, religiosas e políticas. Distribuição nacional: 150 mil exemplares nos estados federados através do mailing list das confederações (indústria, comércio, serviços e transporte), agências e operadoras de viagens e turismo, hotéis, escolas e universidades, bibliotecas, feiras e congressos nacionais e internacionais, Congresso Nacional e governo do Distrito Federal (1° e 2° escalão), prefeituras e aeroportos. Distribuição internacional: 50 mil exemplares no países de Portugal, Indonésia, Síria, Líbano, Arábia Saudita, Kuwait, EUA, França, Alemanha, Países do Mercosul e demais países de língua portuguesa, dentre outros. A publicação é distribuída nas agências de viagens de turismo e principais hotéis de cada país e também em aeroportos internacionais que fazem a distribuição nos respectivos bureaus. Em cada embaixada estrangeira sediada no país, são disponibilizados exemplares gratuitamente. O governo federal também disponibiliza mailing de autoridades internacionais que recebem a publicação. Agradecimentos Governos dos estados de Pernambuco, Deputados Ricardo Berzoini, Sandro Mabel, Cleber Verde e Gonzaga Patriota, Senador Eunício Oliveira e Acir Gurgacz, Ministérios da Saúde, Esporte e Turismo, Eletrobrás, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, todos os patrocinadores e colunistas e principalmente a Deus, que permitiu mais esta edição.

Os artigos assinados não expressam a opinião da editora Voz de Brasília e são de responsabilidade de seus autores. Todo o conteúdo textual do Anuário poderá, a critério da Editora Voz de Brasília, sofrer correções ortográficas e de coesão para melhor adequá-lo ao estilo e público da obra. Todos os direitos autorais reservados à Editora Voz de Brasília. Matérias e fotos podem ser reproduzidas desde que citada a fonte. vozdebrasilia@vozdebrasilia.com.br Signed articles do not express the opinion editor of Voice of Brasilia and are the responsibility of their authors. All textual content of the yearbook may at the discretion of the Editor Voice of Brasilia, undergo spelling corrections and cohesion to better tailor it to the public of the work and style. All copyrights reserved to the Voz de Brasilia Publisher. Print Run 100 thousand copies distributed in the Federal District through Voz de Brasília agency mailing list for 30 thousand companies, Plano Piloto, Sudoeste, Lago Sul and Norte homes, Associations, Syndicates, Federations, Hotels, Clubs, Agencies and travel and tourism agencies, NGOs, community, religious, and political leaderships. National distribution: 150 thousand copies throughout the Federation States via confederations mailing list (industry, commerce, services, and transportation), travel and tourism agencies and operators, hotels, schools, and universities, libraries, national and international fairs and congresses, National Congress and government from the Federal District (1st and 2nd echelons), town halls, and airports. International distribution: 50 thousand copies in Portugal, Indonesia, Syria, Lebanon, Saudi Arabia, Kuwait, USA, France, Germany, Mercosul Countries, and other Portuguese language countries, among others. The publication is distributed in travel and tourism agencies and main hotels at each country and also in international airports which distribute it at according bureaus. Free copies are made available at each foreign embassy located in Brazil. The Federal Government also makes available mailing list from international authorities receiving the publication. Acknowledgements Governments from the States of Pernambuco, Representatives Ricardo Berzoini, Sandro Mabel, Cleber Verde, and Gonzaga Patriota, Senators Eunício Oliveira and Acir Gurgacz, Ministries of Health, Sports and Tourism, Eletrobrás, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, all sponsors and columnists and especially God Who allowed this new edition.


Índice

171

Indústria Brasilia

Política

Trabalho

Saúde

30

220

254

Politics

Educação Education

38

Labor

Construção Civil

Construction

228

health

Cultura Culture

264

Esportes

Energia

Meio Ambiente

52

238

268

Turismo

Agricultura

Sports

Tourism

Energy

Agriculture

Estética

Economia

Pecuária

Tecnologia

152

250

284

Livestock

Fashion

Aestethics

278

Economy

Moda

Environment

246

72

282

Technology

w w w.vozdebrasi li a .com .br

288

Filantropia Philanthropy


Cartas ao Editor / Editorial

Cartas ao Editor Anuário Brasileiro de Economia , Turismo e Meio Ambiente (2016/2017). Edição anterior de número 16. A Editora Voz de Brasília agradece a todos os leitores e as cartas recebidas que publicamos nesta edição. Brazilian Yearbook of Economy and Tourism (2016/2017). Previous edition number 16. The Voz de Brasília Publishing thank all readers and we publish letter received on this issue.

ra o a p a t r a c ua Mande s rasileiro B ) Anuário Office (Jade 09 Sala 6 , C l. B - DF ,Lt. 15 Brasília SGCV 0 5 5-6 71.21 CEP:

“Concorrer com as mídias sociais não é muito fácil, principalmente porque as pessoas não se dedicam à leitura. Mas, vocês conseguem trazer incentivos e novidade e informações importantes do nosso país. Gostei muito da publicação pois tem dados e gráficos estatísticos.” Ana Rita Guimarães Camboriu/SC .

“Recebi um exemplar do Anuário Brasileiro de Economia, Turismo e Meio Ambiente no aeroporto de Brasilia enquanto aguardava conexão gostei muito , principalmente do caderno de meio ambiente e turismo. Parabéns pela iniciativa e pelo material de altíssima qualidade.” Paulo Ricardo, Niteroi, RJ. “Há muito tempo venho acompanhando a evolução do Anuário Brasileiro de Economia, Turismo e Meio Ambiente, e vocês conseguem a cada edição traz novidades. Sei que o material auxilia muito alunos e professores. Parabéns ao idealizador Paulo Fayad.” Joaquim Duarte professor Brasília/DF “Caro Editor, Parabenizo pela iniciativa e trabalho, pois não deve ser fácil se mater no mercado editorial por muito tempo. Recebi a 16ª. Edição e segue também anexo a esse e-mail meu endereço para envio das próximas edições se possível . Grato.” Adalberto Soares, Angical, BA.

SGCV. Lote15, Bloco: C, Sala 609 (Jade Office) CEP: 71.215-650 - Guará - DF

16


Editorial

M

ais um Anuário Brasileiro de Economia Turismo e Meio Ambiente que trazemos até você e que fico extremamente orgulhoso. Todos sabemos que o ano de 2016 não foi fácil para a economia, mas tivemos vários motivos para nos alegrarmos. Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos foi um deles. O Brasil fez um extraordinário evento e essa obra é toda ela do povo brasileiro. Legado, visibilidade do Brasil no exterior, aumento do turismo interno, enfim, temos diversos motivos para comemorar, além, é claro, Editorial

Another Brazilian Yearbook of Economy Tourism and Environment that we bring to you and that I am extremely proud of. We all know that the year 2016 was not easy for the economy, but we had several reasons to rejoice. The Olympic and Paralympic Games was one of them. Brazil has made an extraordinary event and this work is the whole of the Brazilian people. Legacy, visibility of Brazil abroad, increase in domestic tourism, finally, we have several reasons to celebrate, besides, of course, the great achievements of our athletes. Rio de Janeiro has shown to the world that Brazil knows how to make the world’s largest event in a competent, organized and efficient manner. So did the other cities that hosted games and showed

das grandes conquistas dos nossos atletas. O Rio de Janeiro mostrou ao mundo que o Brasil sabe fazer de forma competente, organizada e eficiente o maior evento do mundo. Assim também como as outras cidades que sediaram jogos e mostraram estar preparadas para isso. Além de abordamos tudo isso em Esportes, em Turismo focamos nos principais pontos turísticos de cada capital, onde também pudemos analisar um pouco da economia de cada Estado. Foi algo incrível e surpreendente! Isso tudo comprova que estamos no caminho certo para a retomada do crescimento. Entrevistas, Artigos, Estética, Beleza & Moda, Cultura, Energia, Filantropia, Trabalho, Construção Civil, Tecnologia, Agricultura, Saúde, Arquitetura & Decoração. Trabalhamos duro para trazer até você, nosso leitor, um resumo de tudo isso, os fatos mais importantes que marcaram os últimos meses. Tudo isso, é claro, não podemos esquecer também de abordar o Meio Ambiente, fazendo uma análise da evolução das ações voltadas that they were prepared for it. In addition to all this in Sports, in Tourism we focus on the main tourist attractions of each capital, where we could also analyze a little of the economy of each State. It was amazing and amazing! This all proves that we are on the right track for the resumption of growth. Interviews, Articles, Aesthetics, Beauty & Fashion, Culture, Energy, Philanthropy, Work, Construction, Technology, Agriculture, Health, Architecture & Decoration. We work hard to bring you, our reader, a summary of all this, the most important facts that have marked the last months. All this, of course, we must not forget to address the Environment, analyzing the evolution of actions to save our planet. The situation is critical, but with the help of all, we will succeed. A consideration we also made in Reflection,

w w w.vozdebrasi li a .com .br

para salvar o nosso planeta. A situação é crítica, mas com ajuda de todos, vamos conseguir. Uma ponderação também fizemos em Reflexão, onde abordamos a importância da água em nossas vidas e como é importante preservá-la. Em Política procuramos trazer até você as principais informações, isentando de qualquer posição política, apenas trazendo fatos e pesquisas, além das principais reformas propostas e aprovadas, até o fechamento desta edição. E para fechar com chave de ouro: Economia. Confira um balanço do ano de 2016, com gráficos e análises dos setores. Também procuramos analisar grandes indicadores como o IPCA, a dívida externa, o Risco Brasil, Taxa Selic, PIB e a Balança Comercial. Censo populacional, indústria e petróleo também foram abordados. E ainda a relação das 500 maiores empresas do país – não foi uma pesquisa nossa, mas de uma conceituada revista brasileira.

Paulo Fayad

where we discussed the importance of water in our lives and how important it is to preserve it. In Politics we seek to bring to you the main information, exempting from any political position, only bringing facts and research, in addition to the main reforms proposed and approved, until the closing of this edition. And to close with the golden key: Economy. Check out a balance sheet for the year 2016, with industry charts and analysis. We also sought to analyze large indicators such as IPCA, external debt, Brazil Risk, Selic Rate, GDP and the Trade Balance. Population census, industry and oil were also addressed. And yet the list of the 500 largest companies in the country - was not our research, but a renowned Brazilian magazine. I hope you enjoy reading!

17


Artigo

Parcerias para um novo tempo

I

nauguramos em setem- os órgãos de controle e o mercado, probro uma nova fase no movemos uma profunda reformulação Brasil. Nosso governo na forma como o Estado brasileiro lidará decidiu adotar meios moder- com as concessões, reerguendo a segunos para a concessão de servi- rança jurídica, a estabilidade regulatória, ços públicos. Tenho convicção além de modernizar a governança para de que as novas regras atrairão criar o ambiente propício à concretização investidores nacionais e es- dos investimentos privados. trangeiros e, mais importante, Para enfrentar a mais grave cripermitirão a criação de novos se econômica de sua história, o Brasil empregos. Nada mais neces- precisa, mais do que nunca, melhorar sário, neste momento em que sua infraestrutura e destravar os invesainda estamos enfrentando os timentos. Enfrentaremos os erros do efeitos da crise, do que dar passado para construir um futuro de prioridade à geração de novos confiança. Esta é uma condição necespostos de trabalho. sária para solucionarmos os conflitos Para alcançar o princi- de maneira responsável e instaurarmos pal objetivo do Programa de um ambiente de confiança entre o setor Parcerias de Investimentos, o público e a iniciativa privada. governo vai estimular a inter- O projeto Crescer, como estamos locução do poder público com denominando essa nova etapa do prograa iniciativa privada para in- ma de concessões, garante duzir o desenvolvimento eco- segurança jurídica e nômico. Já passou a hora de e s t a b i l i d a d e abandonarmos certos dogmas que, por décadas, atrapalharam nosso desenvolvimento. Vamos ser claros: o poder público não pode fazer tudo. O que precisamos é ter a presença da iniciativa privada, sempre como agente indutor do desenvolvimento e de empregos. Depois de meses de debates técnicos entre o governo, as agências reguladoras, Michel Temer, Presidente da República Foto: Divulgação

18

Artigo publicado em setembro/2016 no Jornal


nas regras, além de modernizar a governança para criar o ambiente propício à concretização dos investimentos privados. Estamos abrindo à participação da iniciativa privada a oportunidade de investimentos em transportes, portos, aviação civil, nas áreas de energia, saneamento básico e óleo e gás. O projeto é baseado em dez diretrizes que garantirão que as concessões ocorram dentro de um “espírito de concorrência” entre empresários e transparência e previsibilidade por parte do governo. A partir desse novo modelo, as concessões serão conduzidas sobre o máximo rigor técnico. Só irão ao mercado os projetos com robustez, consistência e capacidade efetiva de gerar retorno à sociedade e aos investidores. O governo está disposto a financiar parte considerável destes novos investimentos e os bancos públicos disporão de pelo menos R$ 30 bilhões para essa finalidade. Sem deixar, no entanto, de exigir garantias para que, ao contrário do que ocorreu no passado, não haja prejuízos para os cofres públicos. Vamos crescer para gerar empregos e aproveitar ao máximo nossas riquezas. Precisamos que a economia volte a girar e direcionar a atuação do Estado àquilo de que o povo mais necessita: saúde, educação, segurança pública e oportunidade para melhorar de vida.

Partnerships for a new time We inaugurated in September a new phase in Brazil. Our government decided to adopt modern means fort the concession of public services. I am convinced that the new rules will attract national and foreign investors and, most importantly, will allow the creation of new jobs. Nothing more necessary, now that we are facing the effects of the crisis, than prioritizing the generation of new work posts. In order to attain the main objective of the Investment Partnerships Program, the government is going to stimulate the networking of the public power with the private initiative so as to induce economic development. it is time for us to abandon certain dogmas that, for decades, have hindered our development. let us be clear: the public power cannot do everything. What we need is the presence of the private initiative, always as a development and job inducing agent. After months of technical debates between the government, regulatory agencies, control agencies and the market, we promoted a deep revision in the way the Brazilian state will deal with concessions, redeveloping legal security, regulatory stability, and also modernize governance so as to create the favorable environment for the materialization of private investments. In order to face the gravest economic crisis of its history, Brazil needs, more than ever, to improve infrastructure and unblocking investments. We will face the errors of the past in order to build a future of trust. This is a necessary condition for us to solve the conflicts responsibly and establish a trusting environment between the public sector and the private initiative. Project Crescer (Grow), as we are calling this new stage of the concession program, assures legal security and stability to the rules, besides modernizing governance so as to create the favorable environment for the materialization of private investments. We are opening the participation of the private initiative for the opportunity for investments in transports, ports, civil aviation, areas of energy, basic sanitation, oil and gas. The project is based on ten guidelines that will assure the concessions take place in a “spirit of competition” between businessmen and transparency and predictability by the government. From such new model, the concessions will be conducted under the utmost technical rigor. Only robust, consistent projects with effective capacity for generating yield to society and investors will go to the market. The government is willing to finance considerable part of these new investments and public banks will make around R$ 30 billion available for this purpose. Without forgetting, however, to demand guarantees so that, contrary to what took place in the past, there are no losses to government treasuries. We need to grow to generate jobs and make maximum use of our wealth. We need the economy to resume its course and guide the state’s actions to that which the population needs most: health, education, public safety and opportunities to improve life. Michel Temer President of the Republic

w w w.vozdebrasi li a .com .br

19


Artigo

Por um Brasil parlamentarista de Janeiro

Roberto Freire Ministro da Cultura

Foto: Divulgação

C

om a recente instalação de uma comissão especial na Câmara dos Deputados, a reforma política voltou à pauta do Congresso Nacional. Após o desfecho do grave impasse político enfrentado pelo país, com o processo democrático e constitucional do impeachment que levou ao fim do governo de Dilma Rousseff, este é um bom momento para que os parlamentares se debrucem sobre mudanças necessárias que tornem o sistema político-eleitoral brasileiro mais avançado e dinâmico. A principal

20

delas é justamente aquela que permite a superação de crises agudas sem traumas institucionais: o parlamentarismo. No ano passado, participei de algumas sessões e audiências públicas em uma outra comissão especial da Câmara que analisava propostas para a reforma política. Lamentavelmente, na ocasião, houve pouquíssimos avanços e quase nenhuma alteração substancial – apenas algumas modificações pontuais ou propostas descabidas que configuravam uma verdadeira “contrarreforma”.

Texto publicado em novembro/2016, no Jornal Diário do Poder, quando Roberto Freire ainda atuava como deputado federal.

Em minhas intervenções, defendi que fosse enviada ao plenário a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 20/1995, de autoria do então deputado Eduardo Jorge, que institui o parlamentarismo no Brasil. O texto está pronto para ser votado desde 2001 e, caso aprovado, poderia entrar em vigor talvez já para 2018, após o encerramento do mandato do presidente Michel Temer. No regime parlamentarista, quanto maior a crise, mais radical é a solução. Mesmo no processo deflagrado contra a ex-presidente da Repúbli-


ca, o impedimento votado pela maioria acachapante dos deputados e senadores ganhou contornos do “voto de confiança” característico do parlamentarismo. Só que, neste sistema, a queda do gabinete se dá sem que haja turbulência política ou institucional. Quando não é possível formar uma nova maioria, o Congresso é dissolvido e novas eleições são convocadas, o que proporciona uma participação maior da cidadania. Outro ponto fundamental que a comissão deveria tratar é o acesso das legendas aos recursos do Fundo Partidário e ao tempo de propaganda eleitoral no rádio e na televisão. O maior problema da democracia brasileira não é a quantidade de partidos em funcionamento. Partido político é direito da cidadania e não deve ser tutelado, regulamentado ou restringido pelo Estado. Impedir a criação de novas agremiações, além de antidemocrático e inconstitucional, não passa de uma solução fácil e equivocada para um problema complexo. O que se deve fazer para corrigir graves distorções é limitar o acesso indiscriminado aos recursos do Fundo e ao tempo de TV. Diante da enorme facilidade para que os partidos tenham acesso a esse montante, forma-se um amplo mercado de negociações espúrias à custa do dinheiro do contribuinte. De certa forma, é algo semelhante ao que ocorre no sindicalismo, dependente dos recursos provenientes das

contribuições sindicais compulsórias, e também com as igrejas e templos religiosos, que muitas vezes se transformam em um negócio promíscuo em função da imunidade tributária garantida pela legislação. Ao invés de restringir a criação de novos partidos, nossa proposta é de que apenas as legendas que alcançarem uma representação mínima na Câmara dos Deputados tenham acesso aos recursos do Fundo e à TV. Seria criada, então, uma espécie de cláusula de barreira, mas não aos mandatos. Os partidos que não obtivessem o índice mínimo funcionariam normalmente, assim

como o parlamentar eleito exerceria o seu mandato, mas essas legendas ficariam sem a verba partidária e o tempo de propaganda televisiva. A reforma política de que o Brasil precisa não será feita a partir de propostas paliativas ou remendos inócuos que nada resolvem. A essência do atual modelo precisa ser modificada, e a principal mudança será a instituição de um regime mais dinâmico, flexível e democrático, com partidos fortes, não tutelados, e uma sociedade mais atuante e participativa. O parlamentarismo é o primeiro passo, e também o mais importante, de uma longa caminhada.

For a parliamentary Brazil Roberto Freire – Minister of Culture With the recent institution of a special commission in the Chamber of Deputies, the political reform returned to the National Congress agenda. After the end of the hard political deadlock faced by the country, with the democratic and constitutional process of impeachment which brought Dilma Rousseff ’s government to an end, this is a good moment for congressmen to analyze necessary changes that make the Brazilian political electoral system more advanced and dynamic. The most important is exactly that which allows overcoming acute crisis with not institutional traumas: parliamentarianism. Last year I participated of a few public sessions and hearings at another of the Chamber of Representatives special commission which analyzed proposals for political reform. Regrettably, then, there were small progress and almost no substantial alteration – only a few specific changes or unreasonable proposals that configured a true “counter-reform”. On my interventions, I defended the forwarding to plenary a Constitution Amendment Proposal (PEC) 20/1995, of authorship of then representative Eduardo Jorge, instituting the parliamentary system in Brazil. The text has been ready to be vo-

ted since 2001 and, if approved, could enter into effect maybe in 2018, after president Michel Temer’s term ends. In the parliamentary system, the bigger the crisis, more radical the solution. Even in the process onset against former president Dilma Rousseff, the barring voted by the stunning majority of representatives and senators gained touches of “vote of confidence” characteristic of parliamentary systems. The difference is that on this system the destitution of an office takes place with no political or institutional turbulence. When it is not possible to form a new majority, Congress is dissolved and new elections are called, enabling greater participation of the population. Another key aspect the commission should handle is the access of political parties to the Party Fund and the time of election advertising on the radio and TV. The greatest problem of Brazilian democracy is not the quantity of parties in operation. Political party is a right of citizens and should not be tutored, regulated or restricted by the state. Preventing the creation of new parties, aside from being anti-democratic and unconstitutional, is simply an easy and mistaken solution for a complex problem. What has to be done in order to correct such major distortions is limiting the indiscriminate access

to resources from the Fund and TV air time. In face of the great convenience for the parties to access such amount, a market of spurious negotiations is formed at the contributor’s cost. Similarly, this is what happens in syndicalism, relying on resources from compulsory union contributions, and also with churches and religious temples, that many times become a promiscuous business due to the tax immunity guaranteed by the legislation. Instead of restricting the creation of new parties, our proposal is that only parties which attain a minimum representation in the Chamber of Representatives will also have access to resources from the Fund and TV air time. A kind of barrier clause should then be created, but not for terms. The parties which could not reach the minimum number would operate normally, and the representative would also fulfill his term in office, but these parties would not have access to the party budget and TV time. The political reform Brazil needs will not be performed through representative proposals or innocuous remedies that nothing solve. The essence of the present model needs to be modified, and the key change will be the institution of a more dynamic, flexible and democratic system, with strong parties, not tutored, and a more active and participative society. The parliamentary system is the first step, and also the most important, of a long journey.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

21


Artigo

Só prevenção garante eficiência

E

studos de países em desenvolvimento já indicam que, possivelmente, a geração atual viverá menos que seus pais. No Brasil, seguimos o mesmo rumo de nações que passaram por uma transição nutricional, da desnutrição para a obesidade. A má alimentação, o sedentarismo, o consumo de cigarro e álcool colaboram para o aparecimento de doenças -diabetes e hipertensão, por exemplo- e acabam por sobrecarregar o sistema de saúde. As doenças crônicas não transmissíveis, como são chamadas, respondem por 72% das mortes no Brasil. Só para tratar a obesidade, o SUS (Sistema Único de Saúde) gasta quase R$ 500 milhões por ano. É impossível vislumbrar um sistema público sustentável sem frear o avanço dessas enfermidades. Ações práticas e simples de promoção à saúde também significam economia. Para mantermos uma rede capaz de atender a todos os brasileiros, é urgente investirmos na divulgação de hábitos saudáveis e no combate a doenças potencializadas pelos comportamentos de risco. Só assim vamos propiciar qualidade de vida e garantir a sustentabilidade do SUS. O Ministério da Saúde, nos últimos dois meses, deu passos importantes. Avançamos, por exemplo, na retirada de sódio dos alimentos processados. Constatou-se, somente no último monitoramento, a eliminação de mais de 14 mil toneladas de sódio do mercado, equivalente a 52 km de caminhões cheios de sal. Anunciamos mais um acordo com a indústria, agora para a redução do açúcar nos produtos industrializados. Levei para a reunião de ministros do Mercosul a necessidade de o consumidor

22

ter mais informações sobre o que está comprando. A discussão para aprimorar os rótulos dos alimentos já está na agenda prioritária da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). No entanto, queremos ir além. Precisamos alcançar a população. Portaria publicada neste mês pelo Mi-

nistério da Saúde garante a oferta de alimentos saudáveis nas dependências da pasta e unidades vinculadas. Nesses espaços e em eventos com financiamento do ministério, a venda, promoção ou publicidade de alimentos processados, ricos em gorduras, açúcar e sódio, são proibidas.

artigo publicado em agosto/2016 no Jornal Folha de São Paulo


Nosso desejo é reproduzir essa medida em todos os ambientes de trabalho do país. Convido os demais órgãos federais, Estados e municípios a aderirem ao plano de criação de ambientes saudáveis. Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, financiado pelo Ministério da Saúde, revelou que 17,1% dos adolescentes brasileiros, de 12 a 17 anos, estão com sobrepeso e 8,4% são obesos. Entre os 20 alimentos mais consumidos por meninos e meninas, o refrigerante ocupa a sexta posição. As frutas nem sequer aparecem. Mais de 80% consomem sódio em excesso.

Para melhorar esse quadro, vamos propor ações voltadas aos estudantes. Trabalhamos em medidas legislativas que façam das escolas públicas e privadas os principais ambientes promotores da alimentação saudável. Entre os adultos, os índices são igualmente preocupantes: a obesidade já atinge uma em cada cinco pessoas. Para termos um futuro mais saudável, devemos mudar agora. Precisamos incentivar a prática de atividades físicas, a alimentação saudável, o controle do consumo de cigarro e álcool para obtermos um avanço significativo na saúde de todos os brasileiros.

Foto: Divulgação

Prevention alone assures efficiency Studies from developing countries already indicate that, possibly, the present generation will live less than their parents. In Brazil, we follow the same path of nations that undergo a nutritional transition, from malnutrition to obesity. Bad nutrition, sedentarism, cigarette and alcohol consumption collaborate for the manifestation of illnesses – diabetes and hypertension, for example – end up overloading the health system. The chronic non-transmissible diseases, as they are called, answer for 72% of the deaths in Brazil. For treating obesity alone, SUS (Unified Health System) spends almost R$ 500 million a year. It is impossible to envision a sustainable public health system without stopping the progress of such infirmities. Practical and simple actions for health promotion also mean economy. In order to maintain a network capable of supporting all Brazilians, it is imperative investing in the promotion of healthy habits and combating diseases maximized by risk behaviors. This is the only way we will provide quality of life and guarantee SUS sustainability. The Ministry of Health, over the past two months, took important steps. We have advanced, for example, in removing sodium from processed food. We verified, in the last monitoring alone, the elimination of over 14 thousand tons of sodium from the market, equivalent to 52 km of trucks full of salt. We have advertised another agreement with the industry, now for the reduction of sugar in industrialized products. I brought to the Mercosul ministries’ meeting the need for consumers to have access to more information on what they are buying. The discussion for improving food labels in at Anvisa’s (National Health Surveillance Agency) primary agenda. However, we want to go beyond. We need to reach the population. An administrative rule published by the Ministry of Health guarantees the offering of healthy food at the ministry’s facilities and connected units. On such places and events financed by the ministry, the sale, promotion or publicity of processed, rich in fat, sugar and sodium, is prohibited. Our desire is replicate this measure at all work environments in the country. I invite all other federal, state and municipal agencies to embrace the plan for creation of healthy environments. A study from Universidade Federal do Rio de Janeiro, financed by the Ministry of Health, disclosed that 17.1% of Brazilian teenagers, from 12 to 17 years of age, are overweight and 8.4% are obese. Among the 20 most consumed foods by boys and girls, soft drinks are in sixth place. The fruits are not even in the list. Over 80% ingest sodium in excess. In order to improve this picture, we are going to propose actions aimed at students. We are working in legislative measures that transform public and private schools in the ultimate environment for promotion of healthy nutrition. Among adults, the rates are equally disturbing: obesity reaches one in every five people. For a healthier future, we must change now. We need to stimulate the practice of physical activities, heathy nutrition, controlling consumption of cigarettes and alcohol so we attain a significant progress for the health of every Brazilian.

RICARDO BARROS é ministro da Saúde. Engenheiro civil especializado em políticas públicas, foi prefeito de Maringá (Paraná) e deputado federal

w w w.vozdebrasi li a .com .br

RICARDO BARROS is minster of Health. Civil engineer specialized in public policies, he was mayor of Maringá (Paraná) and federal representative.

23


Artigo

Novo ensino médio é uma agenda do país

JOSÉ MENDONÇA BEZERRA FILHO é ministro da Educação

A

Foto: Divulgação

Foi deputado federal e governador de Pernambuco (20062007) pelo PFL, atual DEM velocidade com que o debate do novo ensino médio tomou as ruas -com especialistas, professores, alunos e pais discutindo o assunto- comprova que essa é uma agenda da sociedade. Se é uma pauta urgente do país, por que não estava na prioridade das reformas? Porque a coragem e a decisão política do presidente Michel Temer eram necessárias para levar adiante a mudança que a juventude deseja e precisa. A reforma do ensino médio não podia mais esperar.

24

Adiá-la comprometeria uma geração de jovens, enredada em um sistema de baixa qualidade, com os piores resultados de aprendizagem da educação básica. Há consenso de que o modelo atual não desperta no aluno o interesse pela escola. Seja pela defasagem entre o ensino e a realidade cotidiana, seja pela falta de perspectiva de futuro ou pelo excesso de disciplinas. Dos jovens de 17 anos que deveriam estar no terceiro ano do ensino médio, 25% estão fora da escola. Ou seja, nessa

idade 1 milhão de estudantes ficam no meio do caminho. Esse debate é antigo e está amadurecido. Começou com as discussões das Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio (1998), seguiu com a mudança do Fundef para o Fundeb (2007), com o primeiro seminário do Conselho Nacional de Secretários de Educação (2010) e prosseguiu até se definir a diversificação e flexibilização para melhorar a qualidade pelo Plano Nacional de Educação (2014).

artigo publicado no Jornal Folha de São Paulo em outubro/2016


Ou seja, afirmar que medida provisória (MP) não tem debate é falácia. A medida não é decreto. Trata-se de uma proposição legislativa que tem eficácia imediata, mas é discutida, recebe emendas, pode ser alterada totalmente e até rejeitada no Congresso. Essa MP recebeu 568 emendas. Há quase quatro anos tramita um projeto sobre o assunto, sem conseguir furar a fila de votações, tomada por temas econômicos. Enquanto não entra na pauta, o país acumula o segundo Ideb consecutivo desde 2011 sem atingir as metas para a educação de nível médio no Brasil. Os alunos hoje sabem menos português e matemática do que em 1997. Os principais países do mundo oferecem itinerários formativos diversos e respeitam o protagonismo do jovem. É inaceitável que o Brasil, oitava economia do mundo, conviva com 1,7 milhão de jovens entre 17 e 19 anos que nem estudam e nem trabalham, que vivem como invisíveis. Muitos estão em situação de vulnerabilidade, sendo atraídos pela criminalidade e pelas drogas. O novo ensino médio permite ao estudante escolher áreas de conhecimento de acordo com sua vocação e New secondary education is a country’s agenda JOSÉ MENDONÇA BEZERRA FILHO is the Ministry of Education. He was federal representative and governor of Pernambuco (20062007) by PFL, todays DEM The speed with which the debate on the new secondary education took the streets – with specialists, teachers, students and parents discussing the issue – attests that this is a society’s agenda. If this is an urgent issue for the country, why wasn’t it priority of reforms? Because the courage and political decision from president Michel Temer were necessary to get on the change youth desire and need. The Secondary education reform can no longer wait. Delay it would compromise a generation of youth, entangled in a low-quality system, with the worst results for elementary education. There is agreement that the present model does not stimulate interest in school for the students. Be it for the gap between education and daily reality, be it for the lack of perspective of future or excess in disciplines. Of the 17-year old students that should be in the third grade of secondary education, 25% are not studying. In other words, at this age 1 million students stop half way their studies. This is an old debate that is mature. It started with the discussion of the Secondary Education National Curricular Guidelines (1998), followed

projeto de vida. Possibilita, também, que opte pela formação técnica. Outra parte do ciclo será comum a todos pela base curricular. O jovem vai projetar seu futuro, seja no ensino superior, seja no técnico profissional. Nessa mudança, o professor é fundamental. O Ministério da Educação investiu mais de R$ 1,5 bilhão em formação com programas pouco focados e resultados insatisfatórios. Vamos discutir com Estados, municípios e universidade uma política que valorize a capacitação do magistério. Ao mesmo tempo, criamos uma política de indução de escolas em tempo integral, investindo R$ 1,5 bilhão. Esperamos pular de 380 mil para 900 mil alunos até 2018. Se os próximos governos adotarem essa política, em pouco mais de dez anos alcançaremos a meta do Plano Nacional de Educação de 25% das vagas de ensino médio em tempo integral até 2024. Educação não pode ter cor partidária. Deve-se discutir a reforma que interessa ao país e ao jovem. Não existe solução mágica, mas a educação no Brasil precisa avançar. O primeiro passo foi dado.

with the change in Fundef to Fundeb (2007), with the first seminar of the Education Secretaries National Council (2010) and continued until defining diversification and flexibilization so as to improve quality through the National Education Plan (2014). That is, attesting the provisional measure (MP) does not promote debate is fallacy. The measure is not an executive order. It is a legislative proposal with immediate efficacy, but it is discussed, receives amends, may be fully altered or even rejected in Congress. This MP received 568 amends. For almost four years there has been a project following legal channels regarding the issue, with no success in being voted, as the call for voting has been taken by economic issues. While it is not in the agenda, the country accumulates the second consecutive Ideb since 2011 without attaining the goals for secondary education in Brazil. Today, students know less Portuguese and Mathematics than in 1997. The world’s main countries offer several educational itineraries and respect the youth’s prominence. It is unacceptable that Brazil, eighth economy in the world, lives with 1.7 million youth between 17 and 19 years of age who do not study or work, living as invisible individuals. Many are vulnerable, being attracted by criminality and drugs.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

The new secondary education allows the student to choose knowledge areas according to his or her vocation and life project. It also enables him or her to decide for technical education. Another part of the cycle will be common to all through the curricular basis. Youth will be able to design his or her future, in higher education or technical professional education. During such change, the teacher is fundamental. The Ministry of Education invested over R$ 1.5 billion in development with programs with little focus and unsatisfactory results. We will discuss with states, municipalities and universities a policy that values teacher qualification. At the same time, we created a full-time school induction policy, investing R$ 1.5 billion. We expect to leap from 380 thousand to 900 thousand students until 2018. If the next governments adopt such policy, in little over ten years we will reach the goal of the National Education Plan of 25% of full-time vacancies in secondary education until 2024. Education cannot have political colors. The reform necessary for the country and the youth must be discussed. There is no magical solution, but education in Brazil needs to walk forward. The first step has been taken.

25


Artigo

56º Governador de Pernambuco desde o início da República no Brasil

N

Foto: http://osecretariodopovo.com

ascido em 08 agosto de 1972, é bacharel em Ciências Econômicas pela UFPE (1994). Tem pós-graduação em Contabilidade e Controladoria Governamental, também pela UFPE (1997), e mestrado em Gestão Pública, pela mesma universidade (2006). É auditor das Contas Públicas do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) desde 1995. Lá ocupou, entre outros, os seguintes cargos: diretor do Departamento de Controle Municipal (1999, 2000 e 2004), coordenador de Administração Geral (2001 e 2006) e coordenador da Escola de Contas Públicas Professor Barreto Guimarães (2002). Antes de ingressar no TCE, atuou como escriturário do Banco do Brasil (entre 1993 e 1994), e foi também secretário de Administração do Tribunal de Justiça de Pernambuco (2003) e supervisor Parlamentar da Câmara Municipal do Recife (2005). No ano de 2007, aceitou convocação do governador Eduardo Campos e assumiu a Secretaria de Administração do Estado, ficando à frente do cargo até março de 2010. Como titular da pasta, foi responsável por comandar a política de pessoal do Estado, criando a Mesa Geral de Negociação Permanente que estabeleceu um contato direto com os servidores públicos. Também foi responsável pela ampliação da licença maternidade e paternidade. A primeira foi ampliada para seis meses e, a última, passou de 5 para 15 dias. Outro destaque da sua gestão à frente da SAD foi a implantação do Calendário Semestral de Pagamento dos Servidores, possibilitando ainda que todos soubessem, com antecedência, o dia do recebimento do salário. Ainda em 2010, recebeu a missão do governador Eduardo Campos de assumir a Secretaria de Turismo de Pernambuco, onde permaneceu até o final do primeiro mandato. Em janeiro de 2011, assumiu o cargo de secretário da Fazenda, onde atuou até abril de 2014 quando deixou a pasta para disputar o cargo de Governador do Estado nas eleições de 2014. Na Fazenda, foi responsável por aumentar a capacidade de investimento do Estado, que foi multiplicada por quatro, chegando, o Estado, a investir R$ 3,5 bilhões apenas em 2013. Também na sua gestão, o Estado alcançou altos índices de arrecadação.

26

dados do site oficial do governo de Pernambuco


Foto: José Cruz/ Agência Brasil

No dia 05 de outubro de 2014 foi eleito governador do Estado de Pernambuco no primeiro turno, tendo alcançado a marca de 3.009.087 votos o que representa a preferência de 68,08% do eleitorado pernambucano. A expressiva votação deu a Paulo Câmara a marca do governador eleito mais bem votado do País nas Eleições 2014.

PAULO HENRIQUE SARAIVA CÂMARA é governador do Estado de Pernambuco (PSB)

56th Governor of Pernambuco since the beginning of the Republic in Brazil Born on 08 of August of 1972, he is a baccalaureate in Economic Sciences by UFPE (1994). He is a post-graduate in Accounting and Government Controllership, also by UFPE (1997), and master’s degree in Public Management, by the same university (2006). He is auditor of Public Budgets from the State of Pernambuco Audit Court (TCE-PE) since 1995. There he occupied, among others, the position of: director of the Municipal Control Department (1999, 2000 and 2004), coordinator of General Administration (2001 and 2006) and coordinator of the Public Budget School Professor Barreto Guimarães (2002). Before entering the TCE, he acted as clerk at Banco do Brasil (between 1993 and 1994), and was also secretary of Administration of Pernambuco’s Court of Justice (2003) and Parliamentary supervisor at Recife’s City Council (2005). In 2007, he accepted the call from governor Eduardo Campos and took up the state’s Administration Department, remaining in the position until March 2010. As incumbent, he was in charge of heading the state’s personnel policies, creating the Permanent General Negotiation Table establishing direct contact with public servants.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

He was also responsible for the extension of the maternity and paternity leaves. The first was extended to six months and the later went from 5 to 15 days. Another highlight of his term at the SAD was the implementation of the Servants Payment Semester Schedule, enabling all to know in advance the day of receiving the salaries. Still in 2010, he received from governor Eduardo Campos the mission of taking over Pernambuco’s Department of Tourism, where he remained until the end of the first term. In January 2011, he took on the position of Secretary of the Treasury, where he remained until April 2014 when he left the post to run for state governor in the 2014 election. In the Treasury, was responsible for increasing the state’s capability of investment, which was multiplied by four, with the state investing R$ 3.5 billion in 2013 alone. Also on his term, the state reached high collection rates. On 05 of October of 2014 he was elected governor of the state of Pernambuco in the first round, reaching the mark of 3,009,087 votes representing the preference of 68.08% of the state voters. The expressive numbers gave Paulo Câmara the mark of the country’s best voted elected governor in the 2014 Elections.

27


Artigo

2017, o ano da verdade

28

metrô e cinco do VLT da Baixada Santista. As nove estações novas da linha 5-Lilás vão colocar mais 500 mil passageiros/dia no sistema metroferroviário paulista, que transporta 75% de todos os passageiros que viajam em trens urbanos no Brasil. A rede estadual de saúde, referência nacional de qualidade, chegará a 101 hospitais com a inauguração das oito unidades em construção. Em 2017, esperamos a boa notícia da aprovação da vacina tetravalente contra a dengue, produzida com tecnologia nacional pelo Instituto Butantan, hoje em fase final de testes. Também dão frutos os investimentos na educação. Em 2016, São Paulo foi o primeiro Estado a ocupar simultaneamente o topo do ranking nacional de qualidade nos três ciclos do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educa-

Foto: Divulgação

“O

povo cansou de tanto desiludir-se. Chegou a hora da verdade.” Lembrome dessas palavras de Mário Covas em seu discurso de posse como governador de São Paulo, em 1º de janeiro de 1995. Eram tempos difíceis; havia necessidade de mudar o panorama da gestão pública para superar décadas de crise econômica e social no país. Dávamos, então, os primeiros passos rumo à estabilidade e devemos muito do que conseguimos nos anos seguintes à coragem e à ousadia de nosso governador. Duas décadas se passaram, muitos rumos foram prometidos e tentados no Brasil, e aqui estamos na maior crise econômica da nossa história, que maltrata a população e a faz ter medo do futuro. Farra fiscal, gasto público de má qualidade e o ilusionismo como política econômica produziram o imenso desastre que teve a sua apoteose em 2016. No país com mais de 12 milhões de desempregados, respiramos o desânimo de um ano que parece não ter fim. Se 2016 teve acontecimento positivo, foi a demonstração de que os cidadãos não mais toleram proezas irresponsáveis com a coisa pública. Essa ampla conscientização recolocará o Brasil na trilha da responsabilidade. Os brasileiros já não aceitarão a doce, mas destrutiva, embriaguez do populismo. A população exige que seus governantes sejam bons gestores. Ao Estado cabe induzir o desenvolvimento, prestar serviços de qualidade e descomplicar a vida daqueles que geram empregos e renda. Em São Paulo, a responsabilidade fiscal é lei há mais de 20 anos. O Estado não gasta mais do que arrecada, não atrasa salários e não suspende serviços essenciais. Investimentos em obras de infraestrutura essenciais, como o Rodoanel e o Metrô, geram 180 mil empregos sem produzir deficit. Em dezembro, entregamos as primeiras unidades habitacionais (de um total de 3.683) erguidas no centro da capital em parceria com a iniciativa privada, para famílias de baixa renda. Temos fôlego e vamos entregar, em 2017, 11 estações do


ção Básica). Estamos no caminho correto, mas é preciso melhorar mais. O exemplo tem de vir de cima. Por isso, congelamos os salários do governador, vice e secretários. Caso se aplicasse reajuste pela inflação, o efeito cascata sobre altos salários do Estado tiraria dinheiro da educação, da saúde e de serviços essenciais. O futuro é o que plantamos. Fizemos em 2013 a reforma da Previdência paulista. Em 2015 e 2016, antecipamos o ajuste que garantiu a saúde financeira do Estado. Em novembro, com aval do Banco Mundial, lançamos um pacote de concessões de rodovias e aeroportos que supera R$ 10 bilhões em investimentos. Dinheiro novo, privado e sem endividamento. É necessário ter otimismo para superar a crise, mas não basta. Precisamos superá-la como São Paulo superou a maior crise hídrica da história do Sudeste: com a participação da população e investimento em obras estruturantes, que geram competitividade e empregos. O povo cansou de desiludir-se. Os desafios da hora exigem qualidade de gestão e coragem política redobradas. Tenho em mente as palavras de um grande brasileiro que nos deixou há pouco, dom Paulo Evaristo Arns: “A crise é um momento de mudanças qualitativas”. O sábio arcebispo emérito recomendava viver com coragem e esperança, sempre.

2017, the year of truth “People are tired of being disappointed. The moment of truth has arrived.” I remember these words from Mário Covas on his speech when being sworn into office as governor of the state of São Paulo, on January 1st, 1995. Those were difficult times; there was a need for changing the public management panorama in order to overcome decades of economic and social crisis in the country. We took, then the first steps towards stability and we owe much of what we have been able to accomplish in the following years to the courage and audacity of our governor. Two decades have passed, many paths were promised and attempted in Brazil, and here we are in the biggest economic crisis in our history, mistreating and frightening our population regarding the future. Fiscal spree, bad quality public expenditure and the illusionism as economic policy produced the enormous disaster that had its apotheosis in 2016. In a country with over 12 million unemployed, we breath the discouragement of a year that seems to have no end. If 2016 had a positive event, it was the demonstration that society no longer tolerates irresponsible feats with public affairs. Such broad awareness will place Brazil on the responsibility track. Brazilians will no longer accept the sweet, but destructive, intoxication of populism. The population demands that its rulers are good administrators. To the state fits the responsibility of inducing development, providing quality services and uncomplicate the life of those generating employment and revenue. In São Paulo, the fiscal liability has been law for over 20 years. The state does not spend more than it collects, does not delay payment of salaries and does not interrupt essential services. Investments in essential infrastructure works, such as the Rodoanel and Subway, generate 180 thousand jobs without producing deficit. In December, we delivered the first housing units (of a total of 3,683) built

GERALDO ALCKMIN é governador do Estado de São Paulo (PSDB) desde 2011. Também ocupou o cargo de 2001 a 2006. Foi deputado estadual (19831987) e federal (1987-1995).

w w w.vozdebrasi li a .com .br

downtown in partnership with the private initiative, for low income families. We have impetus and will deliver in 2017, 11 subway stations and five for the VLT in the Baixada Santista. The nine new stations for line 5-Lilac will place over 500 thousand passengers/day into the subway-rail system in the state of São Paulo, which provides transport for 75% of all passengers travelling in urban trains in Brazil. The state health network, national reference in quality, will reach 101 hospitals with the inauguration of the eight units under construction. In 2017, we hope for the good news of the approval for the tetravalent vaccine against dengue, produced with national technology by Butantan Institute, presently ongoing final testing. Investments in education also bear fruits. In 2016, São Paulo was the first state to occupy simultaneously the top of the national ranking for quality in the three Ideb (Elementary Education Development Index) cycles. We are in the right track, but still need to improve. The example must come from above. So, we froze the governor, vice-governor and secretaries’ salaries. If readjustment according to inflation was applied, the ripple effect over high state salaries would remove money from education, health and essential services. The future is what we cultivate. In 2013 we did the social security reform in the state of São Paulo. In 2015 and 2016, we anticipated the adjustment that guaranteed the state’s financial health. In November, with the endorsement of the World Bank, we released a package of concessions for roads and airports surpassing R$ 10 billion in investments. New money, private and with no indebtedness. It is necessary to be optimistic in order to overcome the crisis, but it is not enough. We need to overcome it as São Paulo did with the worst hydric crisis in the Southeast Region’s history: with participation of the population and investments in structuring works, generating competitiveness and jobs. People are tired of being disappointed. Present challenges demand double quality in administration and political courage. I have in mind the words of a great Brazilian that left us a short while ago, Dom Paulo Evaristo Arns: “Crisis is a moment for qualitative changes”. The wise emeritus archbishop recommended living with courage and hope, always.

29


Política

Política

A montanha-russa política brasileira

Um ano de grandes emoções e conquistas

Q

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

uando fazemos uma retrospectiva do ano de 2016, sem dúvida foi um ano bastante turbulento. Perdemos grandes talentos, tanto da música quanto dos palcos e cinema, tivemos algumas tragédias, mas também alegrias e conquistas. Já quando a retrospectiva é na política, podemos dizer que o ano começou tenso, mas melhorou ao longo dos meses. Foi o ano em que a Lava Jato mandou na política e os desdobramentos e descobertas levaram à prisão parlamentares, ex-ministros e empresários. Tivemos também mais um episódio de impeachment para marcar a história do Brasil – depois de grandes manifestações populares – e fechamos o ano com importantes medidas e ações para alavancar a economia do país. É importante lembrar ainda que começamos o ano de 2016 com um sentimento de pessimismo, afinal, há meses o PIB estava em queda, a dívida pública só aumentava e ninguém acreditava que o país voltaria a crescer e criar empregos. Mas vimos o contrário acontecer. A partir do afastamento provisório da presidente Dilma Rousseff, em maio, e de seu impedimento definitivo, em agosto, as projeções de evolução do PIB e o nível de confiança melhoraram. Ao assumir o cargo, o presidente Michel Temer deu uma guinada na condução da economia. Montou uma equipe econômica competente e coerente e afirmou o controle das contas públicas como a sua maior prioridade. Ou seja, no dito popular, ele fechou as torneiras. Consequentemente, isso elevou o nível do debate sobre a economia no país e vimos avanços reais na reorganização da economia. Um fato muito importante foi a aprovação da PEC do teto de gastos públicos por pelo menos vinte anos, uma proposta de reforma da Previdência foi enviada ao Congresso e está em andamento uma negociação de ajuste nos estados. O debate tomou o rumo certo. A economia real já está dando sinais de melhora e os empresários estão cada vez mais otimistas. Fechamos o ano com queda na inflação, o que também abre espaço para a redução de juros. Por isso temos muito que comemorar, afinal, no rumo atual, a inflação deixará de ser um problema. O mercado financeiro prevê que ela feche 2017 em 4,9%, perto da meta do governo. Paralelamente ao ajuste de contas, o governo tem de fazer reformas que abram caminho para o crescimento, ou seja, facilitar o investimento e os negócios no país. Os próximos meses, sem dúvida, prometem boas expectativas.

30

Marcelo Caetano: Secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda


Avanti com reformas

A

s reformas propostas pelo presidente Michel Temer podem ser consideradas impopulares, é verdade, mas serão fundamentais para o crescimento do país. As perdas sociais com teto de gastos e mudanças previdenciária devem trazer embates políticos ao longo do governo de Temer. Essas são apenas as duas medidas prioritárias para controlar o “rombo” público, mas o governo divulgou também em outras áreas. A PEC 55 do Teto dos Gastos Públicos visa reequilibrar as contas públicas nos próximos anos e impedir que a dívida do setor público, que atingiu 70% do Produto Interno Bruto (PIB) em agosto (2016), aumente ainda mais. Considerado pelo governo Michel Temer como o primeiro passo para superar a crise econômica e financeira do país, a medida fixa para os três Poderes, incluindo Ministério Público e Defensoria Pública da União, um limite anual de despesas. A regra vale tanto para gastos do Executivo quanto para The Brazilian political roller coaster A year of great emotions and achievements When we look at 2016 in retrospective, without question it was an extremely turbulent year. We lost great talents in music, stage and cinema, we had a few tragedies, and also great joy and achievements. But when the retrospective is in politics, we can say that the years started tense, but improved as the months went on. It was the year when Lava Jato commanded politics and the unfolding and discoveries lead to the arrest of many members of parliament, former ministers and businessmen. We also had another impeachment event to mark Brazilian history – after huge popular demonstrations – and closed the year with important measures and actions aimed at leveraging the country’s economy. It is important to remember, still, that we started 2016 with a feeling of pessimism, as for months the GDP was in decline, public debt on the rise and nobody believed the country would again grow and generate

despesas do Senado, Câmara, Tribunal de Contas da União, Ministério Público da União (MPU), Conselho do MPU, Defensoria Pública, Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Conselho Nacional de Justiça e Justiças do Trabalho, Federal, Militar, Eleitoral e do Distrito Federal e Territórios. Segundo a medida, o governo, assim como as outras esferas,

A PEC 55 do Teto dos Gastos Públicos poderá gastar o mesmo valor que foi gasto no ano anterior, corrigido apenas pela inflação. Entretanto, diferente de outras áreas, saúde e educação tiveram o limite traçado pelo mínimo a ser gasto e não existe máximo das despesas. Em 2017, haverá exceção para essas áreas, que somente passarão a obedecer ao limite a partir de 2018, segundo o governo.

jobs. But we saw the contrary happen. From the provisional removal of president Dilma Rousseff in May and her definite obstruction in August, projections of GDP evolution and confidence level improved. When taking office, president Michel Temer changed dramatically the way of handling the economy. He assembled a very competent economic and coherent team and stated the control of the public finances would be his top priority. In other words, as people say, he “closed the tap”. Consequently, this raised the level of debate on the country’s economy and we noticed real advances in the reorganization of the economy. An important fact was the approval of the PEC related to public expenditure for at least twenty years, a proposal for social security reform was sent to Congress and a negotiation of adjustment in the states is presently ongoing. The debate took the right path. The economy is giving signs of improvement and businessmen are increasingly optimistic. We closed the year with

Atualmente, a Constituição especifica um percentual mínimo da arrecadação da União que deve ser destinado a saúde e educação. Outra reforma proposta pelo governo, e também bastante criticada, foi a Reforma da Previdência, que propõe mudanças nas regras de aposentadoria. Se passar, com a alteração da idade e do tempo de contribuição, vai manter muito trabalhador ativo no mercado de trabalho por mais tempo. A boa notícia é que ela não deve atingir quem está prestes a se aposentar. A governo explica que essa reforma foi extremamente necessária devido ao perfil da sociedade brasileira, que vem mudando rapidamente, com o aumento da expectativa de vida e diminuição da fecundidade, o que altera a proporção de ativos e inativos no mercado de trabalho. De acordo com dados das Projeções Populacionais do IBGE (2013), enquanto há, hoje, 140,9 milhões de pessoas em idade ativa, em 2060 haverá 131,4 milhões, número 6,7% inferior. No mesmo período, o número de idosos crescerá 262,7%.

inflation in decline, what also provides space for interest decrease. We have much to celebrate, as in the present path inflation will no longer be an issue. The financial market forecasts it will close 2017 at 4.9%, close to the government’s target. In parallel with the adjustment of public finance, the government has to perform reforms opening way for growth, that is, facilitating investment and business in the country. The coming months, without a doubt, may bring good tidings. Ahead with reforms Reforms proposed by president Michel Temer may be deemed unpopular, it is true, but shall be fundamental for the country’s growth. Social losses with an expenditure cap and changes in social security shall bring political discussion throughout the Temer government. These are only two priority measures aimed at controlling the public “leak”, but the government also attacked other areas. PEC 55 for Public Finance Cap aims at balance once again public finance over coming

w w w.vozdebrasi li a .com .br

years and prevent the public sector debt, that reached 70% of the Gross Domestic Product (GDP) in August, to increase even more. Considered by the Michel Temer government as the first step for overcoming the economic and financial crisis in the country, the measure sets for the three Powers, including the Public Attorney’s Office and Federal Public Defender’s Office, an annual expenditure limit. The rule comprises expenditures in the Executive, Congress, Federal Audit Court, Public Prosecutor’s Office (MPU), MPU Council, Public Defender’s Office, Federal Supreme Court, Superior Court of Justice, National Justice Council, and Labor, Federal, Military, Electoral and Federal District and Territories Justice Departments. According to the measure, the government, as well as the remaining spheres of power, will be able to spend the same amount spent in the previous year, just restated according to inflation. However, different from other areas, health and education had the limit guided

31


Política

Recuperação da economia

A

lém duas reformas mais importantes do governo federal, também anunciou para dar continuidade aos esforços da recuperação da economia, um investimento de R$7 bilhões de recursos do FGTS para a contratação de novas unidades habitacionais. Na agricultura, a expectativa para a produção de grãos da safra 2016/17 é de 26,5 milhões de toneladas a mais do que a safra anterior. Já na educação, o governo apresenta o Novo Fies, com aperfeiçoamento do modelo de financiamento, e garantiu R$ 21 bilhões no Projeto de Lei Orçamentária do próximo ano de 2017 para dar continuidade ao programa.

Confira abaixo as principais perspectivas para o ano de 2017: Agricultura A estimativa da produção de grãos para a safra 2016/17 é de 213,1 milhões de toneladas, com um crescimento de 14,2% ou 26,5 milhões de toneladas a mais em relação à safra anterior (que totalizou 186,6 milhões de toneladas). Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a área total plantada também será ampliada, podendo chegar a 59,2 milhões de hectares, um crescimento de 1,4% ou 827 milhões.

Gestão Pública No ano em que a Lei de Acesso à Informação completará cinco anos, será lançada uma nova versão do Portal da Transparência. A reestruturação faz parte de um acordo de cooperação com a Unesco e busca tornar o site mais eficiente. Outra iniciativa na área de gestão pública é a alienação de controle da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex) da Caixa para empresa privada com expertise nessa atividade lotérica em 2017.

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

32

Henrique Meirelles: Ministro da Fazenda


Infraestrutura O orçamento para habitação vai ganhar investimento de R$ 7 bilhões de recursos do FGTS para novas contratações, mais do que o dobro de 2016. A meta é a contratação de 600 mil unidades. Serão mais de 400 mil unidades nas Faixas 2 e 3, mais 100 mil unidades na linha do FAR, 35 mil unidades para entidades urbanas e 35 mil unidades para entidades rurais, todas do Faixa 1. Na área de comunicação, até julho 2017, as capitais Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Recife (PE) e Fortaleza (CE) e municípios do entorno receberão o sinal digital de televisão. Até esse ano, espera-se desligar o sinal analógico em 97 cidades. Em relação aos recursos hídricos, O Plano Velho Chico prevê o investimentos de R$ 1,1 bilhão em 217 municípios nos próximos três anos. Desse total, R$ 805 milhões serão aplicados na constru-

ção de sistemas de esgotamento sanitário em 137 cidades; outros R$ 356,9 milhões serão destinados a ações de abastecimento de água em 80 municípios. Um dos maiores projetos de fibra óptica subaquática do mundo, o programa Amazônia Conectada será reforçado. Redes subfluviais ópticas vão ser estendidas por aproximadamente 7,8 mil quilômetros nos principais rios, beneficiando 3,8 milhões de habitantes em 52 municípios. Ainda em 2017 será retomado o leilão de exploração de gás e petróleo nas áreas do Pré-sal. A legislação aprovada em 2016, que tira a obrigatoriedade de participação da Petrobras nos leilões, permitirá maior competitividade, e trará mais recursos ao País. Outros leilões previstos são os de seis distribuidoras de energia, entre elas, a Companhia Energética de Alagoas, a do Acre e do Piauí. Projetos de infraestrutura nas áreas de educação, saúde, irrigação e cadeia produtiva da indústria naval e de aviação poderão ser contemplados com os Fundos de Desenvolvimento Regionais. Só para 2017, serão ofertados R$ 28 bilhões em crédito. O Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) tem novos critérios para limite de crédito a projetos de implantação, modernização ou ampliação de obras entre R$ 15 milhões e R$ 30 milhões. Já o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) irá assegurar mais de R$ 2 bilhões para investidores que têm interesse em desenvolver projetos com potencial transformador.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

by the minimum to be spent and there is not maximum expenditure. In 2017 there will be an exception for these areas, that will only follow the limit as of 2018, according to the government. Presently, the Constitution specifies a minimum percentage of Union collection that must be aimed to health and education. Another reform proposed by the government and also much criticized, was the Social Security Reform, proposing changes to the retirement rules. If approved, with alteration of age and time of contribution, it shall keep many workers on the market for a longer period of time. The good news is that it won’t be valid for those in the brink of retirement. The government explains this reform was extremely necessary due to the Brazilian society profile, which has been rapidly changing with the increase in life expectancy and decrease in pregnancies, altering the active/inactive ratio in the labor market. According to data from IBGE Populational Projections (2013), while today there are 140.9 people in active age, in 2060 there will be 131.4 million, number 6.7% lower. In the same period, the number of elderly citizens will increase 262.7%. Recovery of the economy Aside from the two most important reforms, the present federal government also announced, continuing the efforts for recovering the economy, an investment of R$ 7 billion in FGTS resources for the contracting of new housing units. In agriculture, the expectation for the grain production in the 2016/17 harvest is 26.5 million tons higher than the previous. In education, the government presents the new Fies, improving the previous financing model and guaranteeing R$ 21 billion for the Budgetary Law Project for 2017 so as to continue the program. Check below the main forecasts for 2017: Agriculture The estimate for grain production in the 2016/17 harvest is 213.1 million tons, a growth of 14.2% or another 26,5 million tons compared to the previous harvest (with a total of 186.6 million tons). According to the National Supply Company (Conab), the total planted area will also be expanded, with the possibility of reaching 59.2 million hectares, a growth of 1.4% or 827 million. Public Management In the year where the Law of Access to Information is completing five years in effect, a new version of the Transparency Portal will be released. The restructuring is part of an cooperation agreement with Unesco and aims at making the website more efficient. Another initiative in the public management area is the alienation of control for the Exclusive Instant Lottery (Lotex) from Caixa for private enterprises with expertise in such lottery activity in 2017 Infrastructure The budget for housing will receive an investment of R$ 7 billion in FGTS resources for new contracts, more than doubling 2016. The goal is the contracting of 600 thousand units. There will be over 400 thousand units at Bands 2 and 3, another 100 thousand units at the FAR line, 35 thousand units for urban entities and 35 thousand units for rural entities, all at Band 1. In the area of communication, until July 2017, the capital cities of Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Recife (PE) and Fortaleza (CE) and surrounding municipalities will receive digital television signal. The analog signal is expected to be off in 97 cities up to this year.

33


Política

Esporte Cerca de 50 Centros de Iniciação ao Esporte (CIEs) receberão autorização para início de obra, num aporte de aproximadamente R$ 195 milhões em 2017. Atualmente há um CIE pronto em Franco da Rocha (SP) e 38 estão em construção. É o maior projeto de legado de infraestrutura esportiva dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

O vice-ministro da Agricultura da Coreia, Lee Jun-won, prometeu que o processo para a aprovação da importação da carne suína de Santa Catarina será concluído no início de 2017, quando técnicos do governo coreano deverão vir ao Brasil para uma série de visitas técnicas a frigoríficos. O mercado da Coreia do Sul é de 50 milhões de consumidores.

Cultura

Uma das principais metas do Ministério da Cultura para o próximo ano será ampliar o Vale-Cultura e consolidá -lo nas regiões que tem menor participação. Nos estados da região Sudeste, onde o programa já foi intensivamente aplicado, o foco será reforçá-lo. Há previsão também de inauguração de 120 Centros de Artes e Esportes Unificados – CEUs, com investimentos de R$ 66,7 milhões, por meio de parcerias entre a União e os municípios.

34

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Relações Bilaterais

Saúde Em 2017, serão distribuídos os repelentes adquiridos pelo Ministério da Saúde às 484 mil gestantes do Bolsa Família. O objetivo é reforçar a proteção contra o Aedes aegypti, em especial para este grupo, pela associação do zika vírus com a microcefalia em bebês. Também está prevista a distribuição das 146 ambulâncias adquiridas para serem utilizadas durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. As unidades serão remanejadas para renovação da frota do SAMU de todo o País. Por fim, os esforços para ampliar a participação de profissionais brasileiros no Programa Mais

Médicos continuarão no próximo ano. A meta do governo federal é chegar a quatro mil substituições de médicos cooperados cubanos por brasileiros em três anos.

Educação Uma das prioridades para 2017 é a apresentação de um Novo Fies com o aperfeiçoamento do modelo de financiamento. O MEC atuou junto à área econômica para garantir recursos da ordem de R$ 21 bilhões no Projeto de Lei Orçamentária do ano de 2017, o que será suficiente não só para dar continuidade aos financiamentos já contratados, mas também para a abertura de novas vagas e à manu-


tenção dos contratos com os agentes financeiros do Fundo. Além da modernização do ensino médio, em 2017, será implementado também o plano de retomadas das obras inacabadas e paralisadas de construção de creches e pré-escola.

Defesa

Nos 50 anos do Projeto Rondon, o Ministério da Defesa lançará ações que beneficiem comunidades de regiões carentes, principalmente, com medidas que tragam melhorias ao bem estar social e à capacitação da gestão pública. O Projeto cria oportunidades para que os universitários conheçam a realidade do território e as necessidades do povo brasileiro, buscando promover o desenvolvimento local sustentável e a cidadania.

Regarding hydric resources, the Velho Chico Plan anticipates investments of R$ 1.1 billion in 217 municipalities over the next three years. From this total, R$ 805 million shall be invested in the construction of sanitary exhaustion systems in 137 cities; another R$ 356.9 million shall be invested in actions for water supply in 80 municipalities. One of the world’s largest underwater optic fiber projects, the Connected Amazon project, will be strengthened. Underwater optic networks will be extended for approximately 7.8 thousand kilometers in the main rivers, benefiting 3.8 million inhabitants in 52 municipalities. Still in 2017 the bidding for gas and petroleum exploitation at the Pre-Salt areas will be resumed. Legislation sanctioned in 2016, removing the mandatory nature of Petrobrás participation in the biddings, will allow for greater competitiveness and will bring more revenue to the country. Other forecast biddings are for energy distribution, among them that of Alagoas, Acre, and Piauí Energy Companies. Infrastructure projects in the areas of education, health, irrigation, and naval and aviation industries productive chain shall be contemplated with the Regional Development Funds. For 2017 alone, R$ 28 billion will be offered in credit. The Northeast Development Fund (FDNE) has new criteria for credit limits for implementation, modernization or expansion projects for works between R$ 15 and R$ 30 million. The Mid-West Development Fund (FDCO) will provide over R$ 2 billion for investors interested in developing projects with transforming potential.

Sports Around 50 Sport Initiation Centers (CIEs) will receive authorization for start of construction works, with contribution of approximately R$ 195 million in 2017. Presently, there is one CIE ready in Franco da Rocha (SP)and 38 are under construction. This is the largest sports infrastructure legacy project of the 2016 Olympic and Paralympic Games. Bilateral Relations Korea’s Vice-Minister for Agriculture, Lee Jun -won, promised the process for approval of swine meat import from Santa Catarina will be concluded in the beginning of 2017, when technicians from the Korean government shall come to Brazil for a series of technical visits to warehouses. The South Korean market has 50 million consumers. Culture One of the Ministry of Culture’s main goals for next year is to expand the Vale-Cultura (Culture Ticket) and consolidate it in regions with lesser participation. In the Southeast region states, where the program has already been intensively applied, the focus will be to strengthen it. There is also a forecast for the inauguration of 120 Unified Arts and Sports Centers – CEUs, with investment of R$ 66.7 million, through partnerships between the Union and municipalities. Health In 2017, repellents acquired by the Ministry of Health will be distributed to 484 thousand pregnant women from Bolsa Família program. The objective is to strengthen the protection against mosquito Aedes aegypti, especially in this group due to the association of the Zika virus with baby microcephaly.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

The distribution of 146 ambulances acquired to be used during the Rio 2016 Olympic and Paralympic Games is also scheduled. The units will be reallocated for the renewal of the SAMU fleet throughout the country. Lastly, efforts to expand the participation of Brazilian professionals on the More Doctors Program will continue next year. The Federal Government’s goal is to reach four thousand replacements of co-operated Cuban doctors for Brazilians in three years. Education One of the priorities for 2017 is the release of the new Fies with the improvement of the financing model. MEC acted out along the economic area in order to guarantee resources of around R$ 21 billion on the Budgetary Law Project for 2017, which will be sufficient not only to continue the already contracted financing, but also for the opening of new positions and maintenance of contracts with the Fund’s financial agents. Besides the modernization of secondary education in 2017, a plan of recovery of unfinished and interrupted construction works will resume for the construction of daycare centers and kindergartens. Defense Over the 50 years of Projeto Rondon, the Ministry of Defense will bring about actions which will benefit communities from needy regions, especially with measures that bring improvements to social welfare and qualification of public management. The Project creates opportunities for university students to see the territory’s reality and the needs of the Brazilian people, seeking to promote local sustainable development and citizenship.

35


Artigo

Princípios e Valores E

m ato público em São Paulo, em 22 de março de 2011, foram anunciadas pela primeira vez algumas diretrizes em torno das quais se uniriam forças políticas de todas o País para a formação do Partido Social Democrático. Redigido pelo então vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif, e lido por ele mesmo naquele dia, esse documento de quatro páginas continha as linhas gerais de atuação do futuro PSD, que foram reafirmadas, dias depois, no lançamento nacional do partido, em Salvador, na Bahia. Seis meses depois, em 28 de setembro, após receber do Tribunal Superior Eleitoral a sua certidão de nascimento, o PSD divulgou um Manifesto à Nação. Lido em Brasília pelo presidente nacional, Gilberto Kassab, o manifesto consolida os princípios e valores que, acima e além de carimbos ideológicos, são defendidos pelo PSD, GILBERTO KASSAB Ministro da Ciência, Tecnologia, indicam seus rumos e orientam suas ações. Inovações e Comunicações. Presidente licenciado do PSD Principles and Values A year of great emotions and achievements In a public event in São Paulo on March 22, 2011, some guidelines were announced for the first time around which political forces from all over the country would join forces to form the Social Democratic Party. See also the party’s initial guidelines The Social Democratic Party has a clear position in defense of the freedoms of expression and opinion and the citizen’s right to information. We are, by conviction and principle, against any kind of censorship, control, restriction or regulation of the media. The PSD will also be uncompromising in condemning and publicly denouncing corruption and misdeeds. It is at the side of society, the workers, the young, the Brazilian family, who demand respect for public money and ethical behavior, coherence and honesty of their rulers and the political class. The exercise of politics has to be responsible, transparent, does not involve collusion, conchavos or shadows. The PSD defends the district vote, with gradual introduction, initially in the 85 municipalities with 200 thousand

36

or more voters where today there is a second round. We defend private initiative and property, the market economy as the regime capable of generating wealth and development, without which poverty is not eradicated. We believe in a strong, regulatory, but democratic state centered on its social priorities. We support social policies to those most in need of state support, and the need to open the doors of decent employment to these citizens. We owe this to Brazil who wants and needs to modernize, become more agile, break free of the impossibilities and truly offer equal opportunity to those who want to become professional, run their own business and win in life. The PSD will have the experience of some of the most important trade union leaders in Brazil to defend policies of social inclusion and labor development. The PSD bets on agriculture and livestock - as part of the agribusiness production chain - that has freed the rural population from the past, transforming former landowners into entrepreneurs and creating a new class of skilled and valued workers. But we make a point of remembering and valuing the multitude

of small producers, a fighting class that carries Brazil on its back. The PSD supports and defends the preservation of the environment as a factor for the survival of man and of life itself. It is possible to extend production boundaries in a sustainable and responsible way. The PSD requires that all hidden taxes on the prices of goods and services be clearly displayed in all marketed products, so that citizens know what they pay and what they are entitled to receive back from the State. Paid, so I demand: this is the alert and active citizen that we want. The PSD will not be opposed by the opposition. We will do politics to help

Brazil. Our opponents are not enemies to eliminate, but citizens with whom we will dialogue, without violence or radicalism. We have democracy, rights, freedom, achievements and social advances. Our Constitution is there, in full operation. But we still have huge social inequalities, hunger and injustice. Without violating rights and freedoms already achieved, let’s face the fundamental points that are blocking and obstructing the development of Brazil. With our beliefs and an exclusive constituent in 2014, we will fight together to build a more modern and developed country, more ethical, fair, and supportive.


Veja também as diretrizes iniciais do partido O partido Social Democrático tem posição clara na defesa das liberdades de expressão e opinião e ao direito do cidadão à informação. Somos, por convicção e princípio, contra qualquer tipo de censura, controle, restrição ou regulamentação da mídia. O PSD será também intransigente na condenação e denúncia pública da corrupção e dos malfeitos. Está ao lado da sociedade, do trabalhador, dos jovens, da família brasileira que exigem respeito ao dinheiro público e comportamento ético, coerência e honestidade de seus governantes e da classe política. O exercício da política tem de ser responsável, transparente, não comporta conluios, conchavos ou sombras. O PSD defende o voto distrital, com introdução gradual, inicialmente nos 85 municípios com 200 MARCOS MONTES Deputado Federal mil ou mais eleitores onde hoje há segundo turno. lider a bancada de Deputados Federais do PSD Defendemos a iniciativa e a propriedade privadas, a economia de mercado como o regime capaz de gerar riqueza e desenvolvimento, sem os quais não se erradica a pobreza. Acreditamos num estado forte, regulador, mas democrático e centrado nas suas prioridades sociais. Apoiamos as políticas sociais aos que mais precisam do amparo do estado, e a necessidade de abrir as portas de entrada do emprego digno para esses cidadãos. Devemos isso ao Brasil que quer e precisa se modernizar, se tornar mais ágil, se libertar das impossibilidades e oferecer, de verdade, igualdade de oportunidade aos que querem se profissionalizar, gerir seu próprio negócio e vencer na vida. O PSD contará com a experiência de algumas das mais importantes lideranças sindicais do Brasil para defender políticas de inclusão social e desenvolvimento trabalhista. O PSD aposta na agricultura e na pecuária – como parte da cadeia produtiva do agronegócio – que libertou do atraso histórico as populações do campo, transformando antigos proprietários rurais em empresários e criando uma nova classe de trabalhadores especializados e valorizados. Mas fazemos questão de lembrar e valorizar a multidão de pequenos produtores, uma classe batalhadora que carrega o Brasil nas costas. O PSD apoia e defende a preservação do meio ambiente como fator de sobrevivência do homem e da própria vida do planeta. É possível alargar as fronteiras da produção, de maneira sustentável e responsável. O PSD exige a exposição clara, em todos os produtos comercializados, de todos os impostos ocultos nos preços dos bens e serviços, para que o cidadão saiba o que paga e o que tem direito a receber de volta do Estado. Pago, logo exijo: esse é o cidadão alerta e ativo que queremos. O PSD não fará oposição pela oposição. Faremos política para ajudar o Brasil. Nossos adversários não são inimigos a eliminar, mas cidadãos com os quais vamos dialogar, sem violências ou radicalismos. Temos democracia, direitos, liberdade, conquistas e avanços sociais. Nossa Constituição está aí, em pleno funcionamento. Mas temos ainda enormes desigualdades sociais, fome e injustiças. Sem violentar direitos e liberdades já conquistados, vamos enfrentar os pontos fundamentais que estão travando e obstruindo o desenvolvimento do Brasil. Com nossas crenças e uma constituinte exclusiva em 2014, vamos à luta unidos para construir um País mais moderno e desenvolvido, mais ético, justo, e solidário.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

37


Educação

Educação Brasileira

Um longo caminho a percorrer, mas avanços são evidentes

Q

uando se fala em educação, a imagem do Brasil não é das melhores. Principalmente quando se decide compará-lo com países mais desenvolvidos. Entretanto, o Brasil está entre a nação que mais investiu em educação e o país que mais subiu no ranking geral nos últimos anos. Esses avanços podem ser medidos por alguns estudos, relatórios e pesquisas feitas por algumas instituições e pelo próprio governo, mas falaremos detalhadamente sobre eles ao longo deste capítulo. O avanço na educação só foi possível graças as mudanças que têm acontecido. Nos últimos 20 anos, o Brasil tem realizado significativas reformas e transformações em todos os níveis de ensino. Tais como, avanços na ampliação do acesso à educação – de acordo com dados do INEP/MEC, no final da década de 1990, o Brasil tinha conseguido colocar 97% de suas crianças de 7 a 14 anos de idade, no sistema escolar. Além disso, tivemos ainda uma redução significativa das desigualdades sociais de acesso, além da permanência e quantidade de alunos que concluem o Ensino Médio. Ainda de acordo com dados do INEP/MEC, também tivemos uma significante ampliação do número de profissionais da educação e da escolarização dos mesmos; na criação de um sistema de avaliação 38

estruturado e tecnicamente sólido; no desenvolvimento de mecanismos de descentralização da gestão. Enfim, no aumento de políticas, programas, planos, leis, diretrizes e propostas de estratégias para melhorar a qualidade da educação nacional. Ao mesmo tempo, alguns problemas e desafios parecem longe de serem resolvidos. Ainda, é grande o número de alunos que não chegam a completar 12 anos de estudos; a escolarização e muitos programas de formação de professores sofrem com a precariedade e pouca qualidade; muitos alunos têm baixos resultados nas avaliações de desempenho e de aprendizagem; e, muitos que concluem o ensino básico, além de não conseguirem entrar na universidade, também, carregam déficits elementares de aprendizagem; falta clareza em relação à padrões mínimos de qualidade para as escolas e para a educação em geral. O Brasil está caminhando, mas é fato que ainda há problemas relativos à valorização, proletarização e precarização

do trabalho docente; como também impasses com relação a gestão dos recursos educacionais. Também temos o crescimento dos casos de indisciplina e violência escolar e além desses, a fragilidade e/ou baixa capacidade técnica, desconhecimento e/ou falta de vontade política, de órgão de fiscalização e gestão educacional, em relação a existência, implementação, ou operacionalização de várias programas e propostas de políticas educativas.

Foto: Marcel Mooji


Estes, e tantos outros desafios, configuram-se em desafios e limites para consolidação da escola pública de qualidade para todos, revelam, ainda, que há muito que avançar e demonstram o que chamaríamos de crise da escola, da educação formal regular e das políticas educativas. Mesmo com as transformações que tem ocorrido na educação faz-se necessário um olhar que pressupõe pensar, positivamente, o que é a escola? Qual seu papel? Qual sua finalidade? Isso talvez ajudasse a diferenciar qual a função da educação frente aos problemas sociais que atingem a escola, o que é que a distinguem e qual sua especificidade dentro da sociedade.

Ações para melhorar a educação

O

Brasil vive um importante momento de definições políticas e, é certo que um novo governo tem imensos desafios a enfrentar e superar na área da educação. O Plano Nacional de Educação (PNE) e a Base Nacional Comum Curricular, são valiosos instrumentos que estabelecem rumos para viabilizar o aprimoramento das nossas instituições e o

alcance de metas necessárias para a garantia da aprendizagem de todos, com equidade e valorização da diversidade, reduzindo, dessa forma, as desigualdades sociais do país. O Plano Nacional de Educação (PNE) determina diretrizes, metas e estratégias para a política educacional dos próximos dez anos. O primeiro grupo são metas estruturantes para a garantia do direito a educação básica com qualidade, e que assim promovam a garantia do acesso, à universalização do ensino obrigatório, e à ampliação das oportunidades educacionais. Um segundo grupo de metas diz respeito especificamente à redução das desigualdades e à valorização da diversidade, caminhos imprescindíveis para a equidade. O terceiro bloco de metas trata da valorização dos profissionais da educação, considerada estratégica para que as metas anteriores sejam atingidas, e o quarto grupo de metas referese ao ensino superior. Já a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vai deixar claro os conhecimentos essenciais aos quais todos os w w w.vozdebrasi li a .com .br

Education Brazilian education A long path to be travelled, but advances are clear When speaking of education, Brazil’s image is not a good one. Especially when compared to other more developed countries. However, Brazil is amongst the nations that more invested in education and is the country that most went up in the general ranking over the past years. Such progresses can be measured in a few studies, reports and surveys performed by some institutions and by the government itself, but we will talk in more detail on them on this chapter. The progress of education was only possible thanks to the changes that have been taking place. Over the last 20 years, Brazil has performed significant reforms and transformations in all educational levels, such as advancements in the increase of access to education – according to INEP/MEC data, at the end of the 1990s, Brazil had been able to place 97% of its children from 7 to 14 years of age, into the school system. Aside from that, we also had a significant reduction in social inequalities in access, and also of the retention and quantity of students concluding Secondary Education. Still according to INEP/MEC data, we also had a significant increase in the number of education professionals and their schooling and education, in the creation of a structured and technically solid evaluation system, in the development of management decentralization mechanisms. Finally, in the increase of policies, programs, plans, laws, guidelines and proposals for strategies aimed at improving the national educational quality. At the same time, some problems and challenges seem far from being solved. Still, it is large the number of students who do not complete 2 years of studies, schooling and several teacher development programs suffer with precariousness and little quality, many students have low results in performance and learning evaluations, and many who conclude elementary education, besides not being able to get into university, also carry basic learning deficits, there is not enough clarity regarding minimum quality standards for schools and education in general. Brazil is progressing, but the fact is that there are problems regarding valorization, proletarianization and precariousness of docent work, as well as deadlocks related to management of educational resources.

39


estudantes brasileiros têm o direito de ter acesso e se apropriar durante sua trajetória na Educação Básica, ano a ano, desde o ingresso na Creche até o final do Ensino Médio. Com ela os sistemas educacionais, as escolas e os professores terão um importante instrumento de gestão pedagógica e as famílias poderão participar e acompanhar mais de perto a vida escolar de seus filhos. A Base será mais uma ferramenta que vai ajudar a orientar a construção do currículo das mais de 190 mil escolas de Educação Básica do país, espalhadas de Norte a Sul, públicas ou particulares. Com a BNCC, a partir da Base, os mais de 2 milhões de professores continuarão podendo escolher os melhores caminhos de como ensinar e, também, quais outros elementos (a Parte Diversificada) precisam ser somados nesse processo de aprendizagem e desenvolvimento de seus alunos. Tudo isso respeitando a diversidade, as particularidades e os contextos de onde estão. A BNCC e o PNE são oportunidades únicas para enfrentarmos os desafios da educação básica, incluindo o ensino médio. Entretanto, vivemos no Brasil até hoje sem uma BNCC e isso constitui um We also have the growth of cases of school indiscipline and violence and, aside from them, the frailty and/ or low technical capability, lack of knowledge and/or lack of political will, of an educational inspection and management, related to the existence, implementation, or operation of several educational policy programs and proposals. These, and many other challenges configure defiance and limits for the consolidation of a quality public school for all, also reveal there is much to advance and demonstrate what we would call school, formal regular education and education policies crisis. Despite the transformations that have been taking place in education, a view that presupposes positively thinking what is school?

40

Foto: Yanik Chauvin

Educação

dos males da educação no país. Temos oportunidade hoje de buscar um ensino público de qualidade, com uma perspectiva de equidade, que valorize a diversidade. Enfim, uma educação que seja capaz de reduzir as desigualdades e que contribua para o projeto de nação que queremos. Mais que garantirmos o acesso, são necessárias medidas para que os estudantes permaneçam nas escolas e aprendam o que têm de aprender na idade e na série certa. Além disso, os grupos mais vulneráveis necessitam de maior atenção para a especificidade de seus perfil e políticas públicas focadas para assegurar a equidade e os resultados de aprendizagem para todos os estudantes. É necessário um esforço de todos os envolvidos com a melhoria da educação pública brasileira para efetivar o PNE e buscar de forma obstinada o cumprimento das metas. E também para concluir a BNCC e iniciar sua implementação, que será um desafio ainda maior. what is its role? what is its purpose is necessary. This would maybe assist in differing the role of education in face of the social problems reaching school and what is their specificity within society. Actions to improve education Brazil is living an important moment of political definitions and it is certain that a new government will have immense challenges to be faced and overcome in the field of education. The National Education Plan (PNE) and the National Common Curricular Basis, are valuable instruments that establish paths for making possible the improvement of our institutions and the attainment of goals necessary for assuring learning of all, with equity

and valorization of diversity, reducing, thus, the country’s social inequalities. The National Education Plan (PNE) determines guidelines, goals and strategies for the educational policy over the next ten years. The first group are structuring goals in order to assure the right to quality basic education, and that so promote assurance of access, of universalization of mandatory education, and improvement of educational opportunities. A second group of goals relates to the reduction of inequalities and valorization of diversity, indispensable paths for equity. The third block of goals deals with the valorization of educational professionals, deemed strategic so that the previous goals are attained, and the fourth group


Foto: Losevsky Pavel

Reforma do Ensino Médio

C

om base em tudo que falamos até agora neste capítulo, sobre o cenário atual da educação no Brasil, o governo federal apresentou em setembro de 2016 a medida provisória (MP) sobre a reforma do ensino médio. As mudanças afetam conteúdo, formato das aulas, além da elaboração dos vestibulares e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A reforma dá opção para que as escolas ofereçam aos alunos cinco possibilidades de áreas nas quais queiram empregar mais tempo. São os chamados “itinerários formativos”: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. Com isso, o objetivo do governo federal é incentivar que as redes de ensino ofereçam ao aluno a chance de dar ênfase em alguma dessas cinco áreas. Já entre os con-

teúdos que deixam de ser obrigatórios nesta fase de ensino estão: artes, educação física, filosofia e sociologia. Entretanto, o conteúdo dessas disciplinas não será propriamente eliminado, mas o que será ensinado de cada uma delas dependerá do que estiver dentro do conteúdo obrigatório previsto na futura Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A medida também prevê o aumento da carga horária. Ela deve ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800, de acordo com o MEC. Com a medida, a intenção do Ministério da Educação é incentivar o ensino em tempo integral. Pelo Plano Nacional de Educação (PNE), até 2014, 50% dos matriculados cumprirão jornada escolar em tempo integral de, no mínimo, sete horas w w w.vozdebrasi li a .com .br

of goals refers to higher education. Now, the National Common Curricular Basis (BNCC) will evidence the essential knowledge to which all Brazilian students have right of access and collect during their path through Elementary Education, year by year, since the ingress in Daycare until the end of Secondary Education. With it, the educational systems, schools and teachers will have an important pedagogical management instrument and families will be able to participate and follow more closely their children’s school life. The Basis will be another tool that will help to guide the construction of the curriculum of over 190 thousand of the country’s Elementary Education schools, scattered from North to South, public or private. With the BNCC, from the Basis Base, the more than 2 million teachers will continue being able to choose the best paths of how to teach and, also, what other elements (the Diversified Part) need to be added in such process of their students learning and development. All this respecting diversity, particularities and contexts of where they are. The BNCC and PNE are single opportunities so we face the challenges of elementary education including Secondary Education. However, we have lived in Brazil, until today, without a BNCC and this constitutes one of the evils of education in the country. Today we have the opportunity of seeking a quality public education, with the perspective of equity, valuing diversity. Finally, education capable of reducing the differences and which contributes to the project of nation we desire. More that assuring access, measures are necessary so students remain in school and learn what they have to learn at the correct age and grades. Besides that, the most vulnerable groups need greater attention to the specificity of their profile and public policies focused at assuring equity and learning results for all students. An effort from all those involved with the improvement of Brazilian public education is necessary to make PNE effective and to obstinately seek the fulfilment of goals. And also, to conclude the BNCC and start its implementation, which will be a higher challenge. Secondary Education Reform Based on all that has been mentioned so far in this chapter regarding the present scenario of Brazilian education, the Federal Government presented in September 2016 a provisional measure (MP) on the Secondary Education reform. Changes affect content, class format, and also the elaboration of vestibular and the National Secondary Education Exam (ENEM). The reform provides an option for schools to offer students five possibilities in areas they wish to employ more time on. These are the so called “formation itineraries”: languages, mathematics, natural sciences, human sciences, and technical and professional education.

41


Educação por dia, somando 4,2 mil horas em todo o ensino médio. Segundo o governo federal, as medidas sobre a reforma do Ensino Médio devem ser ainda debatidas e estarem definidas em meados de 2017, para entrar em vigor no ano letivo de 2018. A reforma do ensino médio passou a ser priorizada pelo governo após o Brasil não ter conseguido, por dois anos consecutivos, cumprir as metas estabelecidas. De acordo com dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede a qualidade do ensino no país, o ensino médio é o que está em pior situação quando comparado às séries iniciais e finais da educação fundamental: a meta do ano era de 4,3, mas o índice ficou em 3,7. Atualmente, o ensino médio tem 8 milhões de alunos, número que inclui estudantes das escolas pública e privada. Segundo o Ministério da Educação, enquanto a taxa de abandono do ensino fundamental foi de 1,9%, a do ensino médio chegou a 6,8%. É fato que o molde do ensino médio no Brasil precisava passar por uma reforma, entretanto, a edição de medida provisória foi motivo de muitas críticas de grupos e entidades ligadas à educação, que defendem uma maior discussão das mudanças. O fato é que a flexibilidade curricular possibilitará a escolha de caminhos, dentro do conjunto finito de possibilidades, que conduziria o jovem para uma trilha acadêmica ou profissionalizante, permitindo uma inserção mais qualificada no mercado de trabalho. 42

Estudos, pesquisas e avanços

C

Segundo dados do relatório anual, Education at a Glance2015, da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que apresenta dados sobre a estrutura, o financiamento e o desempenho de sistemas educacionais de países membros da organização, além de nações parceiras e integrantes do G20, o Brasil está entre os países que mais investiram em educação nos últimos anos. O relatório da OCDE aponta que, em 2012, 17,2% do investimento público total brasileiro foi destinado para a educação. Em 2005 esse percentual foi de 13,3%. Entre os 38 países analisados em 2012 para este recorte, apenas México e Nova Zelândia dedicaram maior proporção. O volume de recursos que o Brasil tem investido nos últimos anos na educação básica demonstra também a escolha do país de priorizar a qualidade no ensino. No ano de 2000, o Brasil havia investido 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) na educação básica, enquanto a média dos países da OCDE foi de 3,5% do PIB. Em 2012, o investimento em educação básica no Brasil foi da ordem de 4,7% do PIB, enquanto a média OCDE é de 3,7%. O documento da OCDE traz informações educacionais referentes ao ano de 2013 e dados financeiros relativos a 2012 de 46 países que em algum momento fazem parte da análise dos dados. Além de oferecer uma visão geral dos sistemas educacionais dos 34 países membros da OCDE, o Education at a Glance possibilita a comparação internacional dos sistemas educacionais de diferentes nações. Assim como a Rússia, o Brasil não está entre os países membros da OCDE,


Foto: Kontantin Tavrov

mas tem se destacado por ser uma das nações mais ativas na construção do relatório. Agora, usando como base os dados do IBGE, referente ao ano de 2014, revelam que 1,3 milhões de brasileiros na faixa de 15 a 17 anos, abandonaram os estudos sem completar o ensino médio, ou seja, 16%. Mesmo entre os 84% de jovens que seguem estudando, muitos estão atrasados em sua trajetória e ainda frequentam séries do ensino fundamental. É por isso que o PNE estabelece também que, além de ter todos estudando, será necessário ter até 2014 ao menos 85% dessa população matriculada no ensino médio. Em 2014, esse percentual era de 61%. Quando o assunto é educação, também podemos usar como base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). A investigação deste tema capta anualmente um conjunto de características sobre a escolarização alcançada pela população e, em especial, sobre os

estudantes, o que permite acompanhar ao longo do tempo a situação do analfabetismo e da escolarização no País, assim como do nível de educação da população. No período de 2007 a 2014 foi mantida a tendência de declínio das taxas de analfabetismo e de crescimento da taxa de escolarização do grupo etário de 6 a 14 anos e do nível de educação da população. O diferencial por sexo persistiu em favor da população feminina. O nível de instrução cresceu de 2007 para 2014, sendo que o grupo de pessoas com pelo menos 11 anos de estudo, na população de 25 anos ou mais de idade, passou de 33,6% para 42,5%. O nível de instrução feminino manteve-se mais elevado que o masculino. Em 2014, no contingente de 25 anos ou mais de idade, a parcela com pelo menos 11 anos de estudo representava 40,3%, para os homens e 44,5%, para as mulheres.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

43


Educação

Uma luz no fim do túnel

Q

uando falamos em ensino é curioso como espera-se que a educação no Brasil resolva, sozinha, os problemas sociais do país. Ao propor uma reflexão sobre a educação brasileira, vale lembrar que só em meados do século XX o processo de expansão da escolarização básica no país começou, e que o seu crescimento, em termos de rede pública de ensino, se deu no fim dos anos 1970 e início dos anos 1980. Também sabemos que não basta, como se pensou nos anos 1950 e 1960, dotar professores de livros e novos materiais pedagógicos. O fato é que a qualidade da educação está fortemente aliada à qualidade da formação dos professores. Outro fato é que o que o professor pensa sobre o ensino determina o que o professor faz quando ensina.

Educação engloba ensinar e aprender. E também algo menos tangível, porém mais profundo: passar o conhecimento, bom julgamento e sabedoria. A educação tem nos seus objetivos fundamentais a passagem da cultura de geração para geração O desenvolvimento dos professores é uma precondição para o desenvolvimento da escola e, em geral, a experiência demonstra que os docentes são maus executores das ideias dos outros. Nenhuma reforma, inovação ou transformação – como queira chamar – perdura sem o docente. Por isso, além da reforma na educação, no caso, na grade curricular do ensino médio, é necessário também, oferecer aos docentes melhores condições de trabalho. Sem dúvida estamos no caminho certo, entretanto, ainda temos muito quilômetros para percorrer.

The goal of the Federal Government is to stimulate the educational networks to offer students the chance of emphasizing some of these five areas. Regarding contents that are no longer mandatory in this phase are arts, physical education, philosophy, and sociology. However, the content of such disciplines will not be properly eliminated, but what shall be taught on each of them will depend on what will be in the mandatory content provided in the future National Common Curricular Basis (BNCC). The measure also provides hour load increase. It will be gradually increased until it reaches 1.4 thousand annual hours. Presently, the total of hours is 800, according to MEC. With the measure, the Ministry of Education’s intent is to stimulate full time education. On the National Education Plan (PNE), until 2014 50% of the enrolled students will fulfill a full-time school day of a minimum of seven hours, adding 4.2 thousand hours in the total Secondary Education. According to the Federal Government, the measures on the Secondary Education reform still must be debated and be defined in mid-2017, so as to be in effect in the 2018 school year. The Secondary Education reform was prioritized by the government after Brazil not being able, in two consecutive years, to fulfill the goals determined. According to data from the Elementary Education Development Index (Ideb), which measures the educational quality in the country, the Secondary Education is the one in worst situation when compared to lower and final elementary educational stages: the year goal was 4.3, but the index remained at 3.7.

44


pulation in Secondary Education. In 2014, the percentage was 61%. When the issue is education, we can also use as basis the National Domicile Sample Research (PNAD). This theme’s investigation captures annually a set of characteristics on schooling attained by the population and especially on students, allowing the follow up through time of the illiteracy and schooling situation on the country, as well as the population’s level of education. In the period of 2007 to 2014 the trend of decline of illiteracy rate and growth of the schooling rate for the 6-14 years’ age group and of the population’s level of education. The gender differential persisted in favor of the female population. Then instruction level grew between 2007 and 2014, with the group of people with at least 11 years of education, population 25 years of age or older, went from 33.6% to 42.5%. the female level of education remained higher than the male. In 2014, in the contingency 25 years of age or older, the parcel with at least 11 years of education represented 40.3%, for men and 44.5% for women. Light at the end of the tunnel When speaking about education it is curious that it is hoped that education in Brazil will, by itself, solve all the country’s social problems. When proposing a reflexion on Brazilian education, it is important to remember that only in the middle of the 20th century the process of expansion of elementary education started in the country and that its growth regarding the educational public network took place at the end of the 1970s and beginning of the 1980s. We also know that it is not enough, as was thought in the 1950s and 1960s, to provide teachers books and new pedagogical materials. The fact is that the quality of education is strongly allied to the quality of teacher formation. Another fact is that what the teacher thinks about education determines what the teacher does when teaching. Education comprises teaching and learning. And also, something less tangible, however more profound: pass on knowledge, good judgment and wisdom. Education has on transfer of culture from generation to generation on its basic objectives. The development of teachers is a precondition for school development and, in general, the experience demonstrates that teachers are bad executors of other people’s ideas. No reform, innovation or transformation – as one may call it – lasts without the teacher. Thus, besides reform in education, here in the Secondary Education program, it is also necessary to offer teachers better work conditions. There is no question we are in the right path, however, we still have many kilometers to cover. Until 2018 the Secondary Education reform shall be implemented In the Secondary Education reform, the basic mandatory content shall have half of the total hour load Education in Brazil advances and our numbers improve each year

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Juriah Mosin

Presently, the Secondary Education has 8 million students, number which includes students from public and private schools. According to the Ministry of Education, while the rate of elementary education drop out was 1.9%, that of secondary education reached 6.8%. it is a fact that the Secondary Education mold in Brazil needed to undergo reform, however, the interim measure received much criticism from groups and entities linked to education, who defend greater discussion of changes. The fact is that curricular flexibility will enable choice of paths, within a finite set of possibilities, which will take the youth to an academic or professionalizing road, allowing a more qualified insertion into the labor market. Studies, research and advancements According to data from the annual report Education at a Glance 2015 from the Organization for Economic Co-Operation and Development (OECD), which presents data on structure, financing and performance of educational systems from countries members of the organization, besides partner nations and members of the G20, Brazil is amongst those countries that most invested in education over the last few years. The OECD report points out that in 2012 17.2% of the total Brazilian public investment was aimed at education. In 2005 this percentage was 13.3%. Among the 38 countries analyzed in 2012 for this survey, only Mexico and New Zealand dedicated higher rate. The amount of resources Brazil has been investing over the past few years in elementary education also demonstrates the country’s choice of prioritizing quality in education. In 2000, Brazil had invested 2.4% of the Gross Domestic Product (GDP) in elementary education, while the average of OECD countries was 3.5% of the GDP. In 2012, Brazil’s investment in elementary education was of 4.7% of the GDP, while OECD average was 3.7%. The OECD document brings educational information related to 2013 and financial data from 2012 for 46 countries that at some point were part of the data analysis. Aside from providing a general view of the educational systems on the 34 countries member of the OECD, Education at a Glance enables the international comparison of educational systems from different nations. As well as Russia, Brazil is not amongst OECD countries, but has been in the spotlight for being one of the most active nations in the development of the report. Now, using IBGE data regarding 2014 as basis, it is revealed that 1.3 million Brazilians between 15 and 17 years of age, dropped out school without finishing Secondary Education, in other words, 16%. Even among the 84% that continue in school, many are late on their trajectory and still attend elementary education grades. This is the reason why PNE also determines that, besides having all studying, it will be necessary to have at least 85% of such po-

45


Artigo

Como desfazer o ‘nó’ da educação?

46

E, para os candidatos aos cursos de engenharia e arquitetura, eram obrigatórias as disciplinas matemática, física, química, história natural, geofísica e cosmografia, psicologia e lógica, sociologia e desenho. Projetava-se um sistema para a diplomação de professores preparados para suprir essa malha de disciplinas e um papel de relevo se desenhava para a Faculdade de Educação, Ciências e Letras no sentido de complementar com o específico da preparação para o magistério o específico das disciplinas escolares. Não foram poucos os historiadores da educação que apontaram a conexão existente entre o modelo de

ensino secundário que tínhamos, incluindo o modo de formar professores, com o elitismo que permeava as dinâmicas de certificação e diplomação da sociedade brasileira. O segundo ocupante da pasta, Gustavo Capanema, foi o mais poderoso ministro da Educação do século XX. Na noite escura do Estado Novo (1937-1945), ele promulgou uma nova Lei Orgânica do Ensino Secundário em 1942, pela qual este foi oficialmente dividido “conforme a clientela”. Foi elaborado um curso secundário que dava acesso a qualquer área do ensino superior, dividido em clássico e científico, com três anos de

Foto: Divulgação

O

professor Jorge Nagle, ex-reitor da Unesp e autor do clássico Educação e sociedade na primeira república, afirmou inúmeras vezes que o ensino médio é o verdadeiro “nó” na educação do país. A Considerado o ponto nevrálgico de várias ações governamentais, o ensino médio é um tema estratégico no âmbito das preocupações políticas, fato constatado já em 1931, com a criação do Ministério da Educação, então denominado Ministério da Educação e Saúde. Francisco Campos, o primeiro ministro da educação, defendia a reforma da sociedade pela reforma da escola; ele cuidou do ensino secundário priorizando a formação das elites, que ele considerava “necessárias” ao desenvolvimento do país. Assim, o acesso ao ensino secundário era extremamente dificultado. A oferta não respondia à demanda crescente provocada pela expansão do ensino primário. A seletividade se acentuava com o rigor do exame de admissão e, na realidade, professores e alunos do ensino médio faziam parte de um cenário com altíssimos índices de exclusão social. Em relação ao preparo para o ensino superior é interessante lembrar que o primeiro Ministério da Educação estabeleceu que para os candidatos ao curso jurídico o ensino secundário obrigatoriamente deveria apresentar as disciplinas latim, literatura, história da civilização, economia e estatística, psicologia e lógica, geografia, higiene, sociologia e história da filosofia. Para os candidatos aos cursos de medicina, farmácia e odontologia as disciplinas obrigatórias eram alemão ou inglês, matemática, física, química, história natural, psicologia e lógica, história natural.

Gilberto Alvarez Giusepone Jr: Diretor do Cursinho da Poli e presidente da Fundação PoliSaber


duração, e outro curso secundário que dava acesso apenas às faculdades de filosofia, ciências e letras, dividido em ginasial e normal. Para a maioria da população, considerada “vocacionada apenas ao trabalho”, nas palavras do ministro, propunha-se o secundário comercial ou industrial ou agrícola, sem acesso ao ensino superior.Para a educação profissional, o Sistema S (SENAI, SENAC e SESI) entrava em cena e a formação de professores nesse cenário de diversificação tinha inconsistências de toda ordem. Em 1961, a primeira Lei de Diretrizes e Bases (LDB 4024/1961) deu nova forma ao ensino secundário, dividindo-o em duas etapas: ginasial (com quatro séries) e colegial (com três séries). Admitia-se também a modalidade técnica e de formação de professores (magistério) como opção ao colegial. Naquele contexto, o número de vagas nas universidades públicas para formar professores para o ensino secundário pouco cresceu e instituições isoladas, como faculdades de ciências e letras, começaram a fazer parte do quadro de cidades do interior dos estados mais ricos da federação. Entre o final da década de 1950 e meados da década de 1960 o Estado de São Paulo especificamente foi palco de crescente mobilização para ampliação de vagas no ensino secundário, principalmente na capital. O povo foi à escola, como brilhantemente mostrou Marilia Spósito,

How to untie education’s ‘bottleneck?Teacher Jorge Nagle, former Unesp rector and author of the classic Educação e Sociedade na Primeira República (Education and Society in the First Republic), attested several times that secondary education is the real “bottleneck” in the country’s education. Considered the sensitive point of several government actions, secondary education is a strategic theme in the scope of political issues, fact verified in as early as 1931, with the creation of the Ministry of Education, then called Ministry of Education and Health. Francisco Campos, the first minister of education, defended the reform of society through school reform; he dealt with secondary education prioritizing the education of the elites, which he considered “necessary” for the country’s development. Thus, access to secondary education was extremely difficult. Offer did not answer to growing demand resulting from expansion of elementary education. Selectivity was enhanced with the admission exam rigor, and, in fact, secondary education teachers and students were part of a scenario with extremely high rates of social exclusion. Regarding preparation for higher education, it is interesting to remember that the first Ministry of Education instituted that for candidates to the course of law, secondary education would mandatorily have to present the disciplines of Latin, literature, history of civilization, economy and statistics, psychology and logic, geography, hygiene, sociology, and history of philosophy. For candidates to the course of medicine mandatory disciplines included German or English, mathematics, physics, chemistry, natural history, psychology and logic. And, for candidates to the courses of engineering and architecture, mandatory disciplines were mathematics, physics, chemistry, natural history, geophysics and cosmography, psychology and logic, sociology and drawing. A system was designed for graduating teachers qualified to fulfill such scheme of disciplines and a relevant role was designed for the College of Education, Sciences and Languages so as to complement with the specifics of preparation for teaching the specifics of school disciplines. Many education historians pointed out the existing connection between the secondary education model we had, including the means of developing teachers with the elitism permeating the dynamics for certification and graduation in Brazilian society. The second minister, Gustavo Capanema, was the most powerful minister of education in the

w w w.vozdebrasi li a .com .br

20th century. In the dark night of the New State (1937-1945), he enacted a new Secondary Education Organic Law in 1942, by which it was officially split “according to the clientele”. A secondary course was elaborated giving access to any area of secondary education, divided into classic and scientific, with duration of three years, and another secondary course giving access only to colleges of philosophy, sciences and languages, split into junior high and normal. For most of the population, deemed “devoted only to work”, as the minister defined, the commercial, industrial or agricultural secondary education was proposed, with no access to higher education. For professional education, the S System (SENAI, SENAC and SESI) appeared and teacher graduation in such a scenario of diversification had several inconsistencies. In 1961, the first Guidelines and Basis Law (LDB 4024/1961) provided new format to secondary education, splitting it into two stages: junior high (with four grades) and collegiate (with three grades). The technical and teacher development models were also admitted as option to collegiate. In such context, the number of openings in public universities for graduating teachers for secondary education grew little and isolated institutions, such as colleges of sciences and languages, started becoming part of the inland cities from the federation`s richest states. Between the end of the 1950s and mid 1960s, the State of São Paulo, specifically, was the stage for growing mobilization towards expansion of openings in secondary education, especially in the state`s capital. People went to schools, as brilliantly showed Marilia Spósito, while the state`s press criticized the popularization of secondary education and profecied, with blatant elitism, that the arrival of poorer population would ruin public education. But the great damage was yet to come. The 1964 military coup open the way for, in 1971 (with Law 5,692/1971), the educational reform that generated a split in the elementary and secondary education, this becoming the old secondary. The law decreed that for the new secondary education, the Federal Education Council would determine a common nucleus and a minimum of contents for professional qualifications. Secondary education was diluted into a reductionist proposal of “technicality” strongly influenced by ideas that supported the development of “human assets” for the country`s development.

47


enquanto a imprensa paulista criticava a popularização do ensino secundário e profetizava, com indisfarçado elitismo, que a chegada de populações mais pobres destruiria a escola pública. Mas o grande dano ainda estava por vir. O golpe civil-militar de 1964 abriu caminho para que, em 1971 (com a Lei 5.692/1971), ocorresse a reforma de ensino que gerou a divisão em primeiro e segundo graus, este se tornando o equivalente àquilo que era o ensino secundário. A lei decretava que para o ensino de 2º grau o Conselho Federal de Educação fixaria um núcleo comum e um mínimo de conteúdos para as habilitações profissionais. O ensino de segundo grau foi diluído numa proposta reducionista de “tecnicismo” fortemente influenciada pelas ideias que defendiam a formação de “capital humano” para o desenvolvimento do país. A formação de professores padeceu as limitações que combinavam o peso da censura, do arbítrio e da celebração sem pudores das estratégias que reduziam a habilitação de professores com-

Foto: uol

Artigo

binando licenciaturas curtas (dois anos) com licenciaturas plenas (três anos). A reversão parcial desse quadro foi obra da democratização da sociedade brasileira, ou seja, da Constituição cidadã de 1988 e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96). Com isso, resgatou-se o ensino secundário, renomeado “ensino médio”, e sua correspondente formação de professores do

The development of teachers lacked the limitations that combined the weight of censorship, discretion and unabashed celebration of strategies that reduced the qualification of teachers combining short graduations (two years) with full graduation (three years). The partial reversion of such scenario was performed under the Brazilian society democratization, in other words, under the citizen Constitution of 1988 and the National Guidelines and Basis Law (LDB 9394/96). With these, secondary education was rescued and renamed “middle education” and it corresponding teacher gradua-

48

pântano em que a ditadura o mergulhara. Mesmo sofrendo seguidas tentativas de reposição do repertório tecnicista entre os anos 1999 a 2004, a nova LDB deu ao ensino médio lugar para a pluralidade e admitiu o multiculturalismo na sua configuração curricular.O ensino médio permaneceu enciclopédico, mas a formação de professores foi projetada como obra necessária para a elevação de qualidade mediante a exigência de que todos os profes-

tion was also rescued from the swamp the dictatorship period had left it in. Even with many attempts for reposition of then technicist repertoire between the years of 1999 and 2004, the new LDB gave, to secondary education, space for plurality and admitted multiculturalism at its curricular configuration. Secondary education remained encyclopedic, but teacher graduation was designed as a necessary work for the increase in quality in face of the demand that all elementary education teachers would be higher education graduates.

sores de educação básica tivessem formação superior. Essa tarefa, como sabemos, foi assumida pelo Plano Nacional de Educação (PNE) que prevê concluir esse processo até 2024. Mas iniciamos o ano de 2017 constatando um fato desolador. O ensino médio está praticamente desprovido de professores especialistas em muitas áreas e disciplinas, muitas delas ministradas por professores

Such task, as we know, was undertaken by the National Education Plan (PNE) expected to conclude such process until 2024. But we have started 2017 noticing a bleak fact. Secondary education is almost fully deprived of specialist teachers in various areas and disciplines, many taught by teachers who do not have specific qualification and who make use of the possibilities provided by the law to the student and higher education graduate. Only around 50% of teachers possess the qualification corresponding to the disciplines they are teaching in secondary education, that is, only half and with great regional differences.


o processo e seus protagonistas às exigências sempre superficiais de formação do homem produtivo, aquele que é concebido como “peça do desenvolvimento” e só. Mariano Enguita concorda e afirma que o ensino médio é a encruzilhada estrutural do atual sistema educativo. Se neste momento temos números tão negativos no que toca à formação de professores para atuar nessa “encruzilhada estrutural”, já é tempo de aprender com a história e perceber que, há quase um século, estamos serrando o galho em que estamos sentados.

Foto: Divulgação

que não têm formação específica e que se valem das possibilidades que a lei oferece tanto ao estudante quanto ao diplomado no ensino superior. Apenas cerca de 50% de professores têm habilitação correspondente às disciplinas para lecionar no ensino médio, ou seja, apenas metade, e com grandes variações regionais. Essa situação é dramática em algumas disciplinas, como a física; para suprir a escassez cada vez maior de professores nessa área, a maioria das escolas públicas e privadas recorre a formados em matemática. Estamos no reino da improvisação e, para além da física, as disciplinas de química, filosofia, sociologia e artes têm números expressivos no que toca à presença de profissionais de outras áreas assumindo suas responsabilidades. Ora, a educação é um processo para formar simultaneamente alunos e professores, cada qual com políticas específicas, mas interligadas. A socióloga Nora Krawczyk demonstrou que o ensino médio tem sido objeto de um economicismo destrutivo, não faltando inovações e experimentalismos de toda ordem, mas com permanente tentativa de adaptar

Such picture is dramatic ion some disciplines, such as physics: in order to fulfill the increasing scarcity of teachers in this area, most public and private schools appeal to mathematics graduates. We are in the kingdom of improvisation and, for beyond physics, the disciplines of chemistry, philosophy, sociology and arts have expressive numbers regarding the presence of professionals from other fields taking on their responsibilities. Now, education is a process for simultaneously developing students and teachers, each with specific but interconnected policies. Sociologist Nora Krawczyk showed that secondary education has been the object of a destructive economy, including here innovations and experimentations of all kinds, but with permanent attempt to adapt the process and its protagonists to the always superficial demands of development of the productive man, that known as “part of development” and nothing more. Mariano Enguita agrees and states that secondary education is the structural crossroad of the present educational system. If presently we have numbers so negative regarding teacher graduation and development so as to act in such “structural crossroad”, it is about time we learned with history and notice that, for almost a century, we have been cutting the branch where we are seated. Gilberto Alvarez Giusepone Jr: Poli Prep Curse Director and president of Fundação PoliSaber

w w w.vozdebrasi li a .com .br

49


Artigo

Foto: Francisco Medeiros/ME/Divulgação

Não custa nada incentivar o esporte

LEONARDO PICCIANI É ministro do Esporte. Foi eleito quatro vezes deputado federal (PMDB)

O

s Jogos Olímpicos e Paraolímpicos realizados com sucesso no Brasil neste ano demonstraram o que já era de domínio público: o brasileiro é um apaixonado pelo esporte. O que se viu nos dias de competição foi uma torcida que vibrava intensamente pelos atletas brasileiros, mesmo não entendendo com clareza as regras de esportes não tão populares entre nós. Sob todos os aspectos, um evento dessa grandeza teve dimensão histórica.

50

O Brasil se preparou muito bem para receber os Jogos, investindo em seus representantes por meio de programas como o Bolsa Atleta e o Bolsa Pódio. Graças a esses incentivos conseguimos o melhor resultado de todas as nossas participações, tanto nas Olimpíadas quanto nas Paraolimpíadas. Das medalhas conquistadas pelos brasileiros, apenas o futebol não contou com atletas patrocinados por nossos programas. Quem está envolvido no cotidiano do esporte sabe que a atividade

vai muito além de um dia de competição ou de um evento de porte mundial. Na insistência e persistência se forjam campeões. Nós, agentes públicos, entendemos que o esporte também pode e deve ser utilizado como espaço de educação, recreação e saúde. Uma pesquisa realizada pelo Ministério do Esporte no ano passado apontou que 45,9% dos brasileiros não realizam nenhuma atividade física. Um dado realmente preocupante. Nosso dever como gestores públicos é reverter esse quadro. Para

artigo publicado no Jornal A Folha de São Paulo, em novembro/2016


isso contamos com o apoio e o incentivo da Câmara dos Deputados e do Senado. Nossos parlamentares estão empenhados em ajudar a difundir a prática esportiva, seja como meio da qualidade de vida, seja para formar e gerar novos campeões. Em 2006, foi promulgada a lei nº 11.438, de incentivo ao esporte. Com prazo de validade entre 2007 e 2022, estabelece que as empresas podem destinar 1% do Imposto de Renda devido com base no lucro real para patrocínio, doação ou apoio a projetos desportivos e paradesportivos aprovados pelo governo. Para pessoas físicas, o teto é de 6%. Graças a essa lei, no ano passado foram aplicados mais de R$ 247 milhões, com 868 mil pessoas beneficiadas diretamente. No acumulado desde 2007, o montante ultrapassa R$ 1,5 bilhão. Dos recursos captados em 2015, 19% foram destinados a projetos educacionais, 16% para atividades de participação e 71% para o alto rendimento. It costs nothing to stimulate sport The Olympic and Paralympic Games successfully held in Brazil this year demonstrated what was already public domain: the Brazilian people love sports. What could be seen during the competition was a crowd cheering intensely the Brazilian athletes, even when not clearly understanding rules of sports not as popular among us. In all aspects, and event of such magnitude had historical dimensions. Brazil prepared well to host the Games, investing on its representatives through programs such as Athlete Sponsorship and Podium Sponsorship. Thanks to these incentives we were able to achieve the best result from all our participations, in the Olympic and also Paralympic Games. Of the medals won by the Brazilians, only football did not have athletes sponsored by our programs. Those involved in the sport everyday life know activities go well beyond competition day or world class event. In insistence and persistence, champions are forged. We, public agents, understand that sport can and must also be used as a

Parece muito, mas não é. Em 2015, do total de R$ 400 milhões disponíveis em renúncia fiscal para projetos esportivos, apenas 60% foram utilizados. O número de empresas apoiadoras caiu 30% em relação a 2014. A visibilidade que Olimpíada e Paraolimpíada proporcionaram nos incentiva a buscar mais investimento no setor. Por isso resolvemos somar os esforços do ministério aos do Congresso para aprovar uma mudança na Lei de Incentivo ao Esporte, aumentando o percentual de isenção fiscal para 3%. Queremos convidar a iniciativa privada a conhecer e a apoiar cada vez mais essa possibilidade. Com a mensagem #NãoCustaNada, vamos mostrar que basta ao empresário destinar ao projeto parte de um valor que já é devido à Receita Federal. A parceria entre o Poder Público e o setor empresarial é fundamental para a indústria do esporte crescer no Brasil.

space for education, recreation, and health. A survey by the Ministry of Sport held last year pointed that 45.9% of Brazilians do not perform any physical activity. And alarming data. Our duty as public administrators is to reverse such picture. For that we count with the support and incentive of the House of Representatives and Senate. Our congressmen are committed to helping disseminate sports practice, as a means for quality of life or to develop and generate new champions. In 2006, law 11438, of incentive to sport, was sanctioned. With a term between 2007 and 2022, it determines that companies can allocate 1% of Income Tax owed based on the actual profit for sponsorships, donation, or support to sport and para-sport projects approved by the government. For individuals, the cap is 6%. Thanks to this law, last year over R$ 247 million were applied, with 868 thousand people directly benefited. The accrued since 2007 surpasses R$ 1.5 billion. Of the resources attracted in 2015, 19% were aimed to educational

w w w.vozdebrasi li a .com .br

projects, 16% to participation activities, and 71% to high performance. It seems much, but it is not. In 2015, from the total of R$ 400 million available in tax waivers for sport projects, only 60% were used. The number of supporting companies dropped 30% compared to 2014. The visibility the Olympic and Paralympic Games provided stimulates us to seek more investment in the sector. Thus we decided to add up efforts between ministries and the Congress to sanction a change in the Law of Incentive to Sport, increasing the tax exemption percentage to 3%. We want to invite the private initiative to get to know and support more such possibility. With the message #NãoCustaNada (#ItCostsNothing), let us show that the businessman simply has to aim to the project part of an amount already owed to the Federal Revenue. The partnership between the public power and the business sector is fundamental for the sport industr y to grow in Brazil.

51


Esportes

Esportes

2016: um ano de glórias para o esporte

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos ultrapassaram as expectativas

O

mundo inteiro parou para prestigiar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. O Brasil e a cidade do Rio, o povo brasileiro, conseguiram surpreender e encantar o mundo com sua receptividade e calor humano. As cerimônias de abertura e encerramento foram verdadeiros shows de tecnologia e arte, que mostraram ao mundo todas as cores da cultura carioca e brasileira. Para além disso, atletas que, até então, viviam no anonimato se destacaram e conquistaram os lugares mais altos nas modalidades mais improváveis e menos valorizadas no país. Agora, quando falamos em legado dos Jogos Rio 2016, devemos não apenas abordar o que isso representou para o esporte, pois essa é uma resposta que depende de outras variáveis que vão além das grandes estruturas construídas e do número de medalhas conquistadas. Na questão esporte, não há dúvidas que foi a melhor Olímpiada para os atletas brasileiros, conquistando 19 medalhas, alcançando assim uma inédita classificação de 13° lugar no quadro geral de medalhas. Nos últimos Jogos Olímpicos, em Londres 2012 e Pequim 2008, o Brasil obteve três ouros. Agora, este número mais do que dobrou – foram 7 medalhas. O Brasil também conseguiu melhorar ainda sua posição no quadro de medalhas histórico das Olimpíadas. O País subiu de 33º para 29º lugar e ultrapassou a Equipe Unida da Alemanha, a Ucrânia, a Equipe Olímpica (com atletas independentes) e a Grécia. Agora o País está com 128 medalhas.

52

Já nos Jogos Paralímpicos foi lindo e emocionante acompanhar a seleção brasileira! O Brasil terminou em 8º lugar no quadro geral de medalhas: foram 72 medalhas no total, sendo 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. Apesar de ter conquistado mais medalhas que nos jogos de Londres (2012), a colocação do Brasil ficou pior, porque houve menos medalhas de ouro, que contam mais pontos na classificação geral, mas isso é apenas um detalhe, porque quem acompanhou os jogos foi surpreendido pela garra desses grandes atletas. A modalidade em que mais foram conquistadas mais medalhas pelo Brasil foi o atletismo, com 33, seguido da natação com 19 medalhas. Com recordes quebrados, marcas históricas e soberanias impressionantes, os atletas mostraram ao mundo a força do paradesporte. Os Jogos Paralímpicos representam o esporte em seu mais alto grau de excelência. Se ser atleta é se superar a cada momento, o que dizer de um paratleta? É treino, disciplina e dedicação em dobro – ou bem mais do que isso. Ser paratleta é viver o esporte de todas as maneiras possíveis e nunca imaginadas: usando as mãos, os cotovelos, o peito, o queixo, a cabeça ou até mesmo os cinco sentidos. Tanto os atletas olímpicos quanto os paraolímpicos brilharam lindamente. Entretanto, se queremos ter um legado desses jogos, um planejamento bem estruturado, de maneira


Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

estratégica, que contemple um universo grande de esportes deve começar desde já, caso o Brasil deseje se tornar uma potência olímpica. O Brasil já começou o “dever de casa”, realizando um ótimo trabalho de preparação e incentivo de atletas, mas ainda temos um longo caminho pela frente. Para que isso aconteça, faz-se necessário a união de políticas públicas de investimento, vontade política para que isto torne-se realidade e investimento da iniciativa privada. As consequências disso agregam benefícios à sociedade brasileira que vão além do esporte. A inserção de atividades no contra-turno escolar, por exemplo, pode ser um caminho, contemplando também a demanda de educação Integral que tanto se debate nos dias de hoje. Países como Japão e Coreia do Sul, que hoje figuram entre as dez potências olímpicas, têm seus alunos frequentando a escola por um período de 9 horas diárias.

Sports 2016: a year of glory for sports The Olympic and Paralympic Games exceeded expectations The whole world stopped to honor the Rio 2016 Olympic and Paralympic Games. Brazil and the city of Rio, the Brazilian people, were able to surprise and enchant the world with their receptivity and warmth. The opening and closing ceremonies were true technology and art shows that showed the world all colors of the Brazilian and carioca cultures. In addition, athletes who until then lived in anonymity came to the light and conquered the highest places in the most improbable and less valued modalities in the country. Now, speaking of the legacy of the Rio 2016 Games, we must not only approach what it represented to sport, as this is an answer that relies on other variables that go beyond the huge structures built and the number of medals won. Regarding sports, there is no doubt that these were the best Olympic Games for Brazilian athletes, who won 19 medals, thus reaching the unedited rank of 13th place in the overall medal board. On the last Olympic Games, in London 2012 and Beijing 2008, Brazil won three golds. Now this number more than doubled – with 7 medals. Brazil was also able to improve its rank in the Olympic Games historical medal board. The country went from 33rd to the 29th position, ahead of the United Germany Team, the Ukraine, the Olympic Team (with independent athletes) and Greece. Now the country had 128 medals. Now, on the Paralympic Games it was beautiful and exciting to follow the Brazilian Team! Brazil finished in 8th place in the overall medal board, with 72 total medals, 14 gold, 29 silver and 29 bronze. Despite having won more medals than at

the London 2012 Games, Brazil’s rank was lower, as there were less gold medals, and which count more to the overall rank, but this is a small detail, as those who followed the Games were surprised by the determination of these great athletes. The modality with more medals won by Brazil was athletics, with 33, followed by swimming with 19 medals. Records broken, historical marks and impressive dominances, the athletes showed the world the strength of the sport. The Paralympic Games represent sport at its highest level of excellence. If being an athlete or excelling at each moment, what can be said about a parathlete? It is double the training, discipline and dedication – or much more than that. Being a parathlete is living sport all manner possible and never imagined: using the hands, elbows, chest, chin, head and even the five senses. Both Olympic athletes and parathletes shine beautifully. However, if we want a legacy from the Games, we need a very structured planning, done in a strategic manner, contemplating a huge sports universe and that must start now, if Brazil wishes to become an Olympic power. Brazil has started doing its “homework”, with an excellent preparation and stimulation of athletes, but we still have a long way ahead of us. For that to occur, it is necessary the unification of public investment policies, political will so it becomes a reality and private initiative investment. The consequences of such aggregate benefits to Brazilian society that go beyond sports. The insertion of activities into school curriculum, for example, may be a way also contemplating the demand for full time education so debated today. Countries such as Japan and South Korea, presently among the best ten Olympic powers, have their students attending schools for a period of 9 daily hours.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

53


Esportes

Recordes e medalhas

A

Michel Phelps conquistando medalha de ouro nos 200m Medley

Foto: Danilo Borges/ME/Brasil2016

Participaram da Olímpiada 207 delegações e mais de dez mil atletas. Foram os Jogos Olímpicos mais numerosos da história. Entretanto, quase metade dos países, trouxeram equipes de até dez competidores e apenas 78 deles voltaram com alguma medalha para casa. A menor delegação foi Tuvalu, um arquipélago da Oceania de 10 mil habitantes, que foi representada nos jogos por um atleta (Timuani Etimoni). Outros países que também vieram com poucos atletas representando foram: Belize, Gâmbia e Vanuatu, que juntos não somaram 11 atletas. Vale lembrar que o importante é competir. Isso é o que move os atletas destes países com poucas expectativas de resultados expressivos. As delegações com poucos atletas, geralmente vindas de países com pequenas populações, trazem algumas curiosidades, como San Marino - uma pequena república de 61km² encravada no norte da Itália - que participou com apenas cinco atletas, mas uma satis-

fação enorme em ser um país de 33 mil habitantes participante deste grande evento. Foram, portanto, 206 países e uma delegação composta por Atletas Olímpicos Refugiados, nascidos em países como Síria, Sudão do Sul, Etiópia e República Democrática do Congo. Foram dez competidores escolhidos pelo COI, estreando uma delegação formada por vítimas de conflitos. Na classificação geral de medalhas, os Estados Unidos

Records and medals A207 delegations and over ten thousand athletes participated in the Olympic Games. These were the most numerous Olympic Games in history. However, almost half of the countries brought teams of up to ten competitors and only 78 of them returned home with a medal. The smallest delegation was from Tuvalu, an archipelago in Oceania with ten thousand inhabitants, represented in the Games by one athlete (Timuani Etimoni). Other countries that also came with only a few athletes representing them were: Belize, Gambia and Vanuatu, which, together added up to 11 athletes. Let us remember that what is important is to compete. This is what moves the athletes from countries with little hope for expressive results. Delegations with few athletes, usually from countries with small populations,

54

lideraram conquistando 121, seguidos pelo Reino Unido e a China na terceira colocação. Depois do furacão chinês que passou pelos americanos na Olímpiada de Pequim 2008, os Estados Unidos voltaram com tudo para “botar ordem na casa”, conquistando a primeira colocação no quadro geral de medalhas pela segunda (Londres 2012 e Rio 2016). Mais uma vez, eles voltaram para casa com um número recorde de medalhas e garantindo assim, seu primeiro lugar. Com 1.021

showcase some curiosities, such as San Marino – a small 61km² republic embedded in the north of Italy – which participated with only five athletes, but with a huge satisfaction of being a 33 thousand people country participating of such a huge event. Thus, there were 206 countries and a delegation composed of Refugee Olympic athletes, born in countries such as Syria, South Sudan, Ethiopia, and Democratic Republic of Congo. There were ten competitors chosen by IOC, debuting a delegation formed by conflict victims. In the overall medal board, the United States led winning 121, followed by the United Kingdom and China in third place. After the Chinese hurricane that overcame the Americans at the 2008 Beijing Olympic Games, the United States came back with full force to “show who’s boss”, winning the first place in the overall medal bo-

ouros, 794 pratas e 707 bronzes, o país é o maior medalhista Olímpico da história, ausente apenas em Moscou 1980, totalizando 2641 medalhas. Independente da classificação, foram dias que ficarão para a memória. Teve de tudo: medalhas inéditas, recordes quebrados, esportistas se tornando lendas, choro, risos, dor, alegria, emoção... não foram poucos os momentos marcantes dos Jogos Rio 2016, já famosos por um dos mais alegres de todos os tempos.

ard for two consecutive editions (London 2012 and Rio 2016). Again, they returned home with a record number of medals and thus assuring first place. With 1,021 golds, 794 silvers and 707 bronzes, the country is the biggest medalist in Game’s history, absent only in Moscow 1980, totaling 2,641 medals. Apart from ranking, those were days that will be forever in our memory. There was a bit of everything: unedited medals, broken records, sportspeople becoming legends, cries, laughter, pain, happiness, emotion... there were many remarkable moments in the Rio 2016 Games, already famous for being one of the happiest of all times. Aside from the Brazilians, we also had huge highlights from foreign athletes. The irreverent and extremely charismatic Jamaican Usain Bolt, made the Olympic Stadium explode winning the triple jump wi-


Foto: Roberto Castro/ME/Brasil2016

Além dos brasileiros, também tivemos grandes destaques dos atletas estrangeiros. O irreverente e extremamente carismático, o jamaicano Usain Bolt, fez o Estádio Olímpico explodir ao confirmar sem sustos o triplo-triplo. Ou seja, pela terceira vez consecutiva, ele conquistou o ouro nos 100m, 200m e no revezamento 4x100m. Foi a sua despedida das pistas, mas tornou-se uma lenda para o esporte. Já o maior medalhista Olímpico de todos os tempos, Michael Phelps veio aos Jogos Rio 2016 com um objetivo fixo na cabeça: conquistar o ouro nos 200m borboleta, aquele que em Londres 2012 foi de Chad Le Clos. E o objetivo foi alcançado. Ele superou o sul-africano e não escondeu a emoção ao terminar a competição. O atleta ganhou ainda outros quatro ouros e uma prata, possivelmente as últimas medalhas Olímpicas de sua carreira. Outro destaque foi o britânico Mo Farah na prova dos 10.000m que teve contornos de dramaticidade. Ele vinha em um bom ritmo, quando simplesmente tropeçou e caiu. Muitos poderiam ficar abalados, mas ele levantou, continuou a prova e conquistou a medalha de ouro. Outro destaque foi a lutadora japonesa Kaori Icho, que conquistou seu quarto ouro consecutivo. Usain Bolt na prova dos 200m

Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Treino do conjunto da seleção brasileira de ginástica rítmica

thout sweat. For the third consecutive time he won gold in the 100m, 200m and 4x100m relay. It was his farewell from the tracks, thus becoming a sport legend. Now, the biggest Olympic medalist of all time, Michael Phelps came to the Rio 2016 Games with a set objective in mind: winning gold in the 200m butterfly, which in London 2012 was won by Chad Le Clos. And the objective was reached. He outperformed the South African and did not hide his emotions when he finished the competition. The athlete won another four golds and one silver, possibly the last Olympic medals of his career. Another highlight was British Mo Farah in the 10,000m with touches of drama. He was in a good pace, when he simply tripped and fell. Many would be shaken, but he got up, continued the race and won the gold medal. Another highlight was Japanese judoka Kaori Icho, who won her fourth consecutive gold.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br

Evento-teste dos saltos ornamentais. Final da plataforma de 10 metros sincronizada feminina.

55


Esportes

Classificação histórica para o Brasil

T

odos os olhares estavam para o Brasil entre os 05 e 21 de agosto para conferir os Jogos Olímpicos Rio 2016 – as partidas de futebol começaram um pouco antes. Foram então apenas 19 dias de competições, 42 modalidades, em 306 provas que valiam medalhas e 206 países. As provas aconteceram em 32 locais de competições em quatro pontos do Rio de Janeiro: Barra, Copacabana, Deodoro e Maracanã. Além do Rio, outras cinco cidades brasileiras receberam partidas de futebol: Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Salvador e São Paulo. A Olimpíada Rio 2016 vai entrar para a história do Brasil, não só por ter sido a primeira no país (além da primeira na América Latina), mas porque, em casa, o time olímpico brasileiro alcançou sua melhor marca de medalhas nos Jogos Olímpicos. Ao fim dos jogos, a delegação brasileira somou 19 medalhas: 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze. Quem esteve no Rio de Janeiro, ou em algum estádio de competição, com certeza nunca mais vai esquecer essa emoção. Os atletas brasileiros então fizeram bonito - muito bonito por sinal - em suas lutas e conquistas. Foi a maior delegação da história, com 465 atletas defendendo o Brasil em várias modalidades (em Londres 2012 foram 259 atletas). O atletismo foi o esporte com mais representantes (67). Enquanto no badminton, ginástica de trampolim, golfe, hóquei sobre grama e rúgbi fomos estreantes. Os Jogos Olímpicos Rio 2016 teve a maior delegação brasileira na história da competição e, se despediu com o recorde de 19 pódios. O Brasil reali-

56

zou o melhor trabalho de preparação de uma delegação em Jogos Olímpicos e isso possibilitou o melhor resultado da história do país. É este poder do esporte o maior legado que um evento, no porte da Olimpíada, pode deixar para um país. Esse trabalho e investimentos seguirão repercutindo em resultados no próximo ciclo. Mas isso foi possível graças as ações implantadas pelo Comitê Olímpico do Brasil que, em 2009, quando o Brasil conquistou o direito de sediar os Jogos Olímpicos, preparou, com a ajuda das Confederações Brasileiras Olímpicas, um guia para o desenvolvimento sustentável de todas as modalidades olímpicas. Dentro deste planejamento, havia sete pilares para a preparação do Time Brasil: suporte para treinamentos e competições; utilização das Ciências do Esporte; apoio a atletas e aos técnicos brasileiros; disponibilização de serviços médicos e fisioterapeutas; aquisição de equipamentos esportivos; contratação de técnicos estrangeiros; e monitoramento de resultados internacionais. Para o diretor executivo de Esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, o aumento expressivo de modalidades medalhistas, número de finais e semifinais no Rio 2016 mostram a evolução do esporte brasileiro, assim como o número de medalhas conquistadas no evento. “Na nossa concepção, uma potência olímpica está no Top 10 do quadro geral de medalhas e conquista medalhas em mais de 10 modalidades. O COB trabalha para que o Brasil seja uma potência olímpica e estamos no caminho certo, afirmou durante coletiva de imprensa pós evento.

Historical classification for Brazil All eyes focused on Brazil between 05 and 21 of August to check out the Rio 2016 Olympic Games – the football matches started a bit earlier. There were only 19 days of competition, 42 modalities in 306 medal matches and races and 206 countries. The events took place in 32 venues at four points of Rio de Janeiro: Barra, Copacabana, Deodoro and Maracanã. Besides Rio, another five Brazilian cities hosted football matches: Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Salvador and São Paulo. The Rio 2016 Olympic Games will become part of Brazil’s history, not only for being the first in the country (also the first in Latin America), but also because, at home, the Brazilian Olympic Team attained its best medal count in Olympic Games. At the end of the Games, the Brazilian delegation had received 19 medals: 7 gold, 6 silver and 6 bronze. Those who were in Rio de Janeiro, or any competition venue, surely will never forget such thrill. The Brazilian athletes had a great display – extremely beautiful – on their competitions and wins. It was the largest delegation in history, with 465 athletes defending Brazil in several modalities (in London 2012 there were 259 athletes). Athletics was the sport with most representatives (67). while badminton, trampoline, golf, hockey and rugby we were debutants. The Rio 2016 Olympic Games had the largest Brazilian delegation in history and finished with a record 19 podiums. Brazil had the best preparation work of its delegations in Olympic Games and this provided the best results in the country’s history. This power of sports is the best legacy an event, the size of an Olympic Game, can provide a country. This work and investment will continue to influence results in the next cycle. And this was possible thanks to actions implemented by the Brazilian Olympic Committee that in 2009, when Brazil won the right to host the Olympic Games, prepared with the help of the Brazilian Olympic Confederations, a guide for the sustainable development of all Olympic modalities. On this planning, there were seven pillars for the Team Brazil preparation: support for training and competitions, use of Sports Sciences, support to Brazilian athletes and coaches, availability of medical services and physical therapists, hiring of foreign coaches, and monitoring of international results. For COB’s Sports Executive Director, Marcus Vinícius Freire, the expressive increase in medal modalities, number of finals and semifinals at Rio 2016 show the evolution of Brazilian sports, as well as the number of medals won at the event. “From our point of view, an Olympic power is in the Top 10 of the overall medal board and wins medals in over 10 modalities. COB works so that Brazil becomes an Olympic power and we are in the right track, he stated in a post-event press conference.


Nossos medalhistas olímpicos Thiago Braz da Silva: no topo do mundo

Durante a prova que conquistou a medalha de ouro.

O

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

jovem de 22 anos de Marília deixou para trás o favorito, o francês Renaud Lavillenie, que dois anos atrás “voou” a uma altura de 6,03 metros, quebrando o recorde anterior estabelecido em 1993 pelo gigante do salto com vara, o ucraniano Sergey Bubka.O sucesso de Thiago pode ter sido uma surpresa para os torcedores brasileiros, mas o currículo do atleta nos últimos anos o credenciou como um dos grandes nomes do salto com vara no Rio.

Robson Conceição: persistir, sempre

Q

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

uem vê o boxeador Robson Conceição no ringue, de porte franzino, não imagina como batalhou antes de conquistar a sua primeira medalha de ouro, no boxe masculino até 60kg. No Rio 2016 lutou contra os melhores atletas da atualidade. E o “segredo” de tudo isso? “Sonhar, nunca desistir, ter fé, pois fácil não é, e nem vai ser”. É essa a frase de uma música do MC Gui, junto de um símbolo de duas mãos em sinal de reza, que aparece no perfil de WhatsApp do lutador Robson Conceição, o primeiro boxeador da história do Brasil a ganhar medalha de ouro em uma edição de Jogos Olímpicos.

Robson Conceição: persist, always. Those who see boxer Robson Conceição in the ring with, feeble appearance, cannot imagine how he has fought before winning his first gold medal in the male boxing event up to 60kg category. In Rio 2016 he fought against today’s best athletes. And the “secret” of it all? “Never, never give up, have faith, as it is not easy and will never be”. And this phrase from MC Gui’s song, along with a symbol of two hands in prayer appear on the fighter’s WhatsApp profile, the first boxer in Brazilian history to win the gold medal in an edition of the Olympic Games..

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Divulgação

Our Olympic medalists Thiago Braz da Silva: on top of the world. The 22-year-old young man born in the city of Marília, State of São Paulo, left the favorite, Frenchman Renaud Lavillenie, behind, who two years before had “flown” to a height of 6.03 meters, beating the previous record established in 1993 by the pole vault giant, Ukrainian Sergey Bubka. Thiago’s success may have come as surprise for Brazilians, but his curriculum in recent years accredited him as one of the great names of the pole vault in Rio.

57


Esportes Futebol masculino: primeiro ouro olímpico

F

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

oram necessários 64 anos, 13º tentativas, mas a seleção brasileira enfim chegou ao tão sonhado ouro nos Jogos Olímpicos. Quis também o destino que o ouro fosse proporcionado por uma vitória sobre a Alemanha, país que derrotou o Brasil por 7x1 na semifinal do Mundial de 2014. Com gostinho de revanche saboreado por todos os brasileiros, já que a perseguição ao ouro olímpico, último grande título que faltava ao Brasil no futebol, ganhou contornos de obsessão nas últimas décadas.

Rafaela Silva: exemplo de superação

N

Martine Grael e Kahena Kunze: meninas de ouro

O

utra medalha de ouro conquistada pelo Brasil foi na vela feminino, pela dupla Martine Grael e Kahena Kunze. As meninas terminaram a regata das medalhas em primeiro lugar, numa chegada disputadíssima, com vantagem de só dois segundos para a dupla vice-campeã, da Nova Zelândia, e garantiram o lugar mais alto do pódio na classe 49erFX.

58

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

ascida e criada na Cidade de Deus, comunidade carente da zona oeste do Rio de Janeiro, a medalha de ouro, conquistada pela judoca Rafaela Silva, representou muito mais do que apenas uma medalha, representou superação da atleta. A atleta reescreveu a sua história olímpica, da eliminação à consagração. Passou a ter consciência de que precisava treinar mais e fazer diferente das outras atletas.


Vôlei Masculino: tricampeão olímpico

A

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

pesar do resultado na última partida ter sido 3 sets para o Brasil a 0 da Itália (25/22, 28/26 e 26/24), quem assistiu à partida, teve doses extras de emoção. Após duas pratas seguidas em Jogos Olímpicos, a seleção masculina de vôlei finalmente subiu um degrau a mais no pódio na Rio-2016.

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Alison Cerutti e Bruno Schmidt: fim do jejum

A

lison Cerutti e Bruno Schmidt deram fim a um jejum de 12 anos do Brasil no vôlei de praia conquistando a medalha de ouro. Na partida decisiva venceram os italianos Nicolai e Lupo, por 2 sets a 0 (21/19 e 21/16). A vitória fez com que o Brasil conquistasse o torneio na praia pela primeira vez desde Ricardo e Emanuel, em Atenas-2004.

Men’s football: first Olympic gold 64 years, 13 attempts were necessary, but the Brazilian National Team finally reached the much-dreamt gold in Olympic Games. Destiny also desired the gold to come on a victory over Germany, which had beaten Brazil 7x1 at the 2014 World Cup semi-final. With a taste of revenge savored by all Brazilians, as the search for the Olympic gold, last great title Brazil did not have in football, gained touches of obsession over the past decades. Rafaela Silva: example of excelling Born and raised in the City of God, poor community in Rio de Janeiro’s western region, the gold medal, won by judoka Rafaela Silva, represented much more than just a medal, it represented the athletes power to overcome. The athlete rewrote her Olympic history, from elimination to acclamation. She found she needed to train more and be different from other athletes. Martine Grael and Kahena Kunze: golden girls Another golden medal won by Brazil was in women’s sailing, by duo Martine Grael and Kahena Kunze. The girls finished the medal regatta in first place, in a very tight finish, only two seconds ahead of the runner-up duo, from New Zealand, and assured the highest spot in the podium in the 49erFX class. Men’s Volleyball: three-time Olympic champion. Despite the result of the last match being 3x0 from Brazil over Italy (25/22, 28/26 and 26/24), those who watched the match had extra doses of emotion. After two consecutive silvers in Olympic Games, the volleyball men’s national team finally reached the highest step in the Rio 2016 podium. Alison Cerutti and Bruno Schmidt: end of the drought Alison Cerutti and Bruno Schmidt ended the 12-year drought of Brazilian beach volleyball winning the gold medal. In the final match they beat Italians Nicolai and Lupo, 2 sets to 0 (21/19 and 21/16). The victory had Brazil win the tournament for the first time since Ricardo and Emanuel, in Athens 2004.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

59


Esportes

A

Olimpíada não seria a mesma sem o baiano de Ubaitaba, que na canoagem, se tornou o primeiro atleta brasileiro a conquistar três medalhas numa mesma edição dos Jogos. Com o resultado Isaquias entrou não só para a história do esporte brasileiro, sendo o único atleta do país a conquistar três medalhas em uma mesma edição dos Jogos Olímpicos, como também para a história da canoagem olímpica ao se tornar o primeiro atleta da categoria canoa a obter três medalhas na mesma competição. Isaias venceu a prova de canoagem velocidade, canoa dupla 1.000m e a canoa individual 200m.

Isaquias e Erlon conquistaram medalha de prata na canoagem dupla 1.000m

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Isaquias Queiros dos Santos: É tetra!

Erlon de Souza: a virada

U

m rapaz tímido e contido, o baiano Erlon de Souza, conquistou ao longo da carreira importantes títulos, mas foi com o seu parceiro Isaquias que conquistou a tão sonhada medalha olímpica.

Arthur Zanetti: volta ao pódio

O

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Rio 2016 representou a segunda Olimpíada da carreira de Arthur Zanetti e sua segunda medalha olímpica. O ginasta, ouro nos Jogos de Londres/2012, conquistou a medalha de prata quatro anos depois, no Rio, apoiado pela família e pela torcida que lotou a Arena Olímpica. “Foi mais difícil do que em Londres, mas ganhar a prata em casa é mais gostoso do que o ouro fora”, disse o brasileiro, que somou a nota 15.766. O grego Eleftherios Petrounias foi o campeão, com 16.000, e o russo Denis Abliazin conquistou o bronze com 15.700.

J

á vimos até agora que vida de atleta não é moleza. Mas Diego Hypólito é sinônimo de superação. Praticamente fora da Olimpíada do Rio 2016 alguns meses antes da competição, ele batalhou bastante e conseguiu a sua suada vaga. Hypólito já havia participado das duas Olimpíadas anteriores, mas foi no Rio 2016 que ele conquistou a tão sonhada medalha olímpica.

60

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Diego Hypólito: sonho conquistado


Felipe Almeida Wu: quebra do jejum

O

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Brasil não conquistava uma medalha no Tiro Esportivo desde os Jogos de Antuérpia, em 1920, quando Guilherme Paraense deu ao país sua primeira conquista olímpica, considerando todas as modalidades. E para quebrar este jejum, o atleta paulistano Felipe Almeida Wu levou a medalha de prata na pistola de ar 10m.

Ágatha Bednarczuk e Bárbara Seixas: estreantes brilhantes

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

A

s estreantes em jogos olímpicos, Ágatha e Bárbara, representaram muito bem o Brasil no pódio da modalidade. As duas brilharam na competição ao chegar a uma final em sua primeira Olimpíada e ainda conseguiram quebrar a invencibilidade da norte-americana Kerri Walsh, uma lenda do vôlei de praia mundial, na semifinal. Isaquias Queiros dos Santos: Four-time champion! The Olympic Games would not be the same without the State of Bahia native born in the city of Ubaitaba, who in the canoe events became the first Brazilian athlete to win three medals in a single edition of the Games. With the result, Isaquias not only became part of the history of Brazilian sports, as the only athlete in the country to win three medals in a single edition of the Olympic Games, but also part of the Olympic canoe becoming the first athlete at the category to win three medals on the same edition. Isaias won the canoe sprint, canoe double 1,000m and canoe single 200m. Erlon de Souza: coming from behind A shy and contained young man, State of Bahia born Erlon de Souza, won throughout his career important titles, but it was with his partner Isaquias he won the much-dreamt Olympic medal. Arthur Zanetti: back to the podium Rio 2016 represented the second Olympic Game edition in Arthur Zanetti’s career and his second Olympic medal. The gymnast, gold in the London 2012 Games, won the silver medal four years after, in Rio, supported by his family and the crowd that packed the Olympic Arena. “It was more difficult than in London, but winning the silver at home is better than the gold abroad”, said the Brazilian,

who received 15,766 points. Greek Eleftherios Petrounias was the champion, with 16,000, and Russian Denis Abliazin won the bronze with 15,700. Diego Hypólito: dream realized So far, we have noticed that an athlete’s life is not easy. But Diego Hypólito signifies overcoming challenges. Practically out of the Rio 2016 Olympic Games a few months before the competition, he fought greatly and got his spot. Hypólito had already participated of the two previous Olympic Games, but it was in Rio 2016 that he won the much-dreamt Olympic medal. Felipe Almeida Wu: end of the drought Brazil did not win a medal in Shooting since the 1920 Antwerp Games, when Guilherme Paraense provided the country with its first Olympic triumph, considering all modalities. And to end this drought, athlete Felipe Almeida Wu, from the State of São Paulo, took the silver medal in the 10m air pistol. Ágatha Bednarczuk e Bárbara Seixas: bright debutants Olympic Game debutants, Ágatha and Bárbara, represented Brazil extremely well at the modality’s podium. The two were the highlights of the competition reaching the final on their first Olympic Games and were also responsible for breaking North-American Kerri Walsh, a beach volleyball legend, invincibility, in the semi-finals.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

61


Esportes Arthur Mariano: exemplo de superação

Q

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

uem vê o campeão Arthur Mariano não imagina que um dia sonhava em ser faixa preta no judô. Mas enquanto suava o quimono no tatame, os olhos e a mente do garoto estavam em outro lugar: voando! E como tudo na vida tem um motivo e segue o seu curso, mais tarde surgiu a oportunidade do jovem Arthur realizar o seu sonho.

Rafael Silva: gigante no tatame

Q

Mayra Aguiar: a mais jovem das veteranas

A

os 24 anos, a gaúcha Mayra Aguiar já participou de três olimpíadas e possui medalhas em todas as competições importantes de sua modalidade. No Rio 2016 ela conquistou medalha de bronze ao derrotar a cubana Yalennis Castillo, na categoria -78 kg. A judoca brasileira ganhou a terceira medalha do Brasil e a segunda na modalidade nesta edição dos Jogos.

62

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

uem ouve o apelido “baby” do sul-mato-grossense Rafael Silva, sim, aquele que compete na categoria +100kg, fica sem entender muito, mas vamos explicar. Apesar do tamanho, Rafael é famoso por ser tranquilo, introspectivo e tem fama de ser “bonzinho”. Daí surgiu o apelido Baby. Rafael chegou nos jogos com dois objetivos: conquistar uma medalha e derrotar o francês Teddy Riner, considerado o melhor do mundo na categoria. Infelizmente não foi dessa vez que derrotou Riner, entretanto, nosso atleta subiu pela sua segunda vez no pódio olímpico.


Poliana Okimoto: conquista no susto, mas merecedora

A

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

primeira medalha de uma mulher brasileira na natação veio da maratona aquática e a atleta Poliana Okimoto só descobriu que ficou com o bronze alguns minutos depois do fim da prova, quando a atleta francesa foi desclassificada. Uma medalha mais do que merecida, que vem sendo batalhada desde 2012, na Olimpíada de Londres, quando Poliana precisou abandonar a prova por conta de uma hipotermia, chegou a desmaiar e foi parar no centro médico.

Maicon Siqueira: inesperado e surpreendente

O

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

atleta Maicon Siqueira surpreendeu a todos com seu pódio, já que nunca esteve entre os principais lutadores do País. Para o ex-pedreiro mineiro de Justinópolis, que entrou no alto rendimento há apenas três anos, a conquista da medalha de bronze poderá mudar tanto a sua vida como a de todos os praticantes e atletas do esporte, ajudando a revelar novos talentos. Essa foi a segunda medalha olímpica do Brasil na história do Taekwondo.

Arthur Mariano: from the tatami to the air Those who see champion Arthur Mariano cannot imagine that one day he dreamt about being a judo black belt. But while he sweated his kimono on the tatami, the boy’s eyes and mind were in another place: flying! And as all in life has a reason and takes its course, later on the opportunity came for young Arthur to make his dream come true. Rafael Silva: a giant on the tatami When someone hears the native of the State of Mato Grosso do Sul, Rafael Silva, nickname “baby”, yeas the one who competes in the +100kg category, don’t quite understand it, but we will explain it. Despite his size, Rafael is known for being calm, instrospective and is famous for being a “good guy”. Thus, the nickname Baby. Rafael got to the Games with two goals in mind: winning a medal and beating Frenchman Teddy Riner, considered the world’s best in the category. Unfortunately, it was not this time he beat Riner, however, our athlete reached for the second time the Olympic podium. Mayra Aguiar: the youngest of seniors At 24 years of age, State of Rio Grande do Sul’s Mayra Aguiar has already participated in three Olympic Games and has medals in all of her modality’s important

competitions. In Rio 2016 she won the bronze medal defeating Cuban Yalennis Castillo, in the -78 kg category. The Brazilian judoka won Brazil’s third medal and the second in the modality on this edition of the Games. Poliana Okimoto: abrupt, but deserving win. The first medal of a Brazilian woman in swimming came from marathon swimming and athlete Poliana Okimoto only found out about she won the bronze a few minutes after the end of the competition, when the French athlete was disqualified. A more than deserved medal that has been worked hard since 2012, in the London Olympic Games, when Poliana had to abandon the competition due to hypothermia, when she even fainted and had to be taken to the medical center. Maicon Siqueira: the unexpected and surprising Athlete Maicon Siqueira surprised all with his podium, as he has never been amongst the country’s main fighters. For the former bricklayer from the State of Minas Gerais, born in the city of Justinópolis, and who only three years ago achieved high performance level, the bronze medal may change his life as well as that of all those athletes from the sport, helping to discover new talents, this was Brazil’s second Olympic medal in Taekwondo.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

63


Esportes

Um festival de recordes Paralímpicos

O

s atletas paralímpicos dos Jogos Rio 2016 não estavam atrás apenas das medalhas. Em 11 dias de competição na Cidade Maravilhosa, nada menos do que 210 recordes mundiais foram batidos em quatro esportes. A maior parte das quebras aconteceu no Estádio Aquático Olímpico, casa da natação, que viu 116 marcas caírem. Foram 68 no atletismo, 13 no halterofilismo e 12 no ciclismo de pista. Vamos começar portanto a lista falando do nosso brasileiro, o nadador Daniel Dias. Não bastou apenas competir em casa, ele queria fazer história. E fez! Com quatro ouros, três pratas e dois bronzes, ele foi ao pódio em todas as provas que disputou no Rio 2016 e chegou a 24 medalhas Paralímpicas na natação, tornando-se o recordista do esporte entre os homens, superando o australiano Matthew Cowdrey. Outro recorde quebrado, e talvez o mais impressionante, veio no halterofilismo. Ouro em Londres 2012, o iraniano Siamand Rahman focou sua preparação para o Rio 2016 em uma meta específica: ser o primeiro a quebrar a barreira dos 300kg no esporte. Ele conseguiu, e com estilo. Depois de garantir o ouro com 305kg (e impressionantes 70kg de diferença para o vice-campeão), o gigante chocou o mundo ao erguer 310kg. Se teve show do homem mais forte, também teve do mais veloz. Conhecido como o atleta Paralímpico mais rápido do mundo, o irlandês Jason Smyth justificou sua fama no Estádio Olímpico. O astro conquistou o tricampeonato Paralímpicos dos 100m rasos da classe T13 com o tempo de 10s64, pouco acima de seu recorde mundial da distância, de 10s46. Quem também teve motivos para comemorar foi Alessandro Zanardi. O ex-piloto italiano de Formula1 competiu em três provas do ciclismo de estrada no Rio 2016 e deixou os Jogos com dois ouros (no contrarrelógio H5 e no revezamento misto H2-5) e uma prata (na prova de estrada H5), conquistada no dia do aniversário de 15 anos do acidente que resultou na perda de suas duas pernas. O italiano é, agora, o maior medalhista da história do esporte, com quatro ouros e duas pratas.

64

Foto: Miriam Jeske/Brasil2016/Heusi Action

Paralympic record fest The Paralympic athletes at the Rio 2016 Games were not only after medals. In 11 days of competition at the Worderful City, an incredible 210 world records were beaten in four sports. Most records were beaten at the Olympic Water Stadium, home for swimming, which saw 116 marks fall. There were 68 in athletics, 13 in weight lifting and 12 in cycling. Let us begin the list with Brazilian swimmer Daniel Dias. It was not enough to compete at home, he wanted to write history. And he did! With four golds, three silvers and two bronze, he reached the podium in all events he took part in Rio 2016 and now has a collection of 24 Paralympic medals in swimming, becoming the sports record breaker among men, surpassing Australian Matthew Cowdrey. Another broken record, and maybe the most impressive, came in weight lifting. Gold in London 2012, Iranian Siamand Rahman focused his preparation for Rio 2016 in a specific goal: being the first to surpass the 300kg barrier in the sport. And he did it in style. After assuring gold with 305kg (and astonishing 70kg difference from the runner up), the giant chocked the world lifting 310kg. If there was a show from the strongest man, there was another from the fastest. Known as the world’s fastest Paralympic athlete, Irish Jason Smyth justified his fame at the Olympic Stadium. The star became the three-time Paralympic champion at the 100m dash, class T13 with the mark of 10s64, a little above his world record for the event, of 10s46. Another athlete with plenty reasons to celebrate was Alessandro Zanardi. The former Italian Formula1 driver participated in three road cycling events in Rio 2016 and left the Games with two gold (timetrial H5 and mixed relay H2-5) and one silver (road H5), won on the 15-year anniversary of the date of the accident that resulted in the loss of his two legs. Now the Italian is the biggest medalist in the sport’s history, with four golds and two silvers.


Foto: Francisco Medeiros/ME

O Brasil das medalhas

N

o futebol de 5 o Brasil também continuou soberano. A seleção brasileira masculina, invicta desde a inclusão do esporte nos Jogos Paralímpicos em Atenas (2004), conquistou seu quarto ouro consecutivo. Temos ainda o atleta Ricardo Oliveira, que conquistou medalha de ouro no salto em distância e sua irmã, Silvânia Costa, que também venceu a disputa do salto em distância da classe F11 (cegos totais). Claudiney Batista bateu recorde paralímpico, que era do cubano Leonardo Diaz (44.63m alcançados em Londres-2012), conquistando assim o ouro no lançamento de disco classe F56, com uma distância de 45.33m. Daniel Martins no atletismo também conquistou uma dourada, além de Shirlene Coelho no lançamento de dardo e Alessandro Silva no lançamento de disco. Já Petrucio Ferreira subiu no topo do pódio dos 100m T47 (amputados), batendo ainda recorde mundial, terminando a prova em 10s57. Ainda falando sobre as conquistas douradas do Brasil: Prazer, somos da bocha! Os atletas brasileiros apresentaram o esporte, pouco conhecido para a maioria do público, em grande estilo: ouro e prata nas finais por equipes. Na disputa da classe BC3, os estreantes paralímpicos Antônio Leme, Evelyn Oliveira e Evani Soares surpreenderam a favorita Coreia do Sul para conquistar o resultado inédito na categoria. No atletismo a medalha de ouro foi garantida também pela equipe de revezamento 4x100m. Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Silva e Felipe Gomes ainda estabeleceram novo recorde paralímpico no Engenhão, com o tempo de 42s37. Ufa! Foram 72 medalhas! É muita medalha para grandes atletas que, sem dúvida, merecem um livro apenas deles, para contar todos os obstáculos que venceram antes de quebrar recordes. Ainda falando sobre a chuva de medalhas, não podemos deixar de prestigiar Odair Santos, que conquistou medalha de prata. Ainda nas pistas temos Fábio Bordignon (medalha de prata nos 100m T35 e 200m T35), Rodrigo Parreira (medalha de bronze nos 100m T36 e medalha de prata no salto a distância), Teresinha de Jesus (medalha de bronze nos 100m T47), Yohanson Nascimento (medalha de bronze nos 100m T47) e Verônica Hipólito (medalha de bronze nos 400m T38). As equipes e duplas no atletismo também fizeram história nas pistas. Brazil of medals. In 5-a-side football Brazil remained sovereign. The men’s Brazilian National Team, unbeaten since the inclusion of the sport in Paralympic Games, Athens (2004), won its fourth consecutive gold. We also have athlete Ricardo Oliveira, who won the gold medal at the long jump and his sister, Silvânia Costa, who also won the class F11 (totally blind) competition on the long jump. Claudiney Batista broke the Paralympic record, from Cuban Leonardo Diaz (44.63m attained in London 2012), thus winning the gold in the discus throw class F56, with a distance of 45.33m. Also winning gold were Daniel Martins in athletics, Shirlene Coelho in the javelin throw and Alessandro Silva in the discus throw. Petrucio Ferreira re-

ached the top of the podium in the 100m T47 (amputees), breaking the world record, finishing the event with 10s57. Still talking about Brail’s golden feats: Nice to meet you, we are from the bocce! The Brazilian athletes presented the sport, little known to the majority of the public, in great style: gold and silver in the team finals. In the class BC3 event, the Paralympic debutants Antônio Leme, Evelyn Oliveira and Evani Soares astonished favorite South Korea achieving the unedited result in the category. In athletics the gold medal was also won by the 4x100m relay team. Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Silva and Felipe Gomes also established a new Paralympic record at Engenhão, with the time of 42s37.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Wow! 72 medals! Many medals for great athletes that, without a doubt deserve a book of their own, to tell all about the adversities they overcame before breaking records. Still on the pouring of medals, we cannot forget to honor Odair Santos, who won a silver medal. Still on the tracks Fábio Bordignon (silver medal in the 100m T35 and 200m T35), Rodrigo Parreira (bronze medal in the 100m T36 and silver medal in the long jump), Teresinha de Jesus (bronze medal in the 100m T47), Yohanson Nascimento (bronze medal in the 100m T47) and Verônica Hipólito (bronze medal in the 400m T38). The teams and duo in athletics also wrote history on the tracks. .

65


Esportes

Todos merecem medalhas! I

Foto: Miriam Jeske/ brasil2016.gov.br/ HeusiAction

ndependente de terem conquistado medalha, as seletivas para participarem dos jogos já foi uma grande prova de superação. Tinham os atletas que eram favoritos, mas infelizmente, no dia da prova, não conquistaram a esperada medalha. Por outro lado, tivemos grandes surpresas com outros atletas estreantes. O que importa foram as emoções que eles nos proporcionaram. Foram 279 atletas, sendo 181 homens e 98 mulheres, formando a maior delegação brasileira em uma edição dos Jogos Paralímpicos. Um total de 23 acompanhantes (atletas-guia, calheiros e goleiros) e 195 profissionais técnicos, administrativos e de saúde, também fizeram parte da comitiva, que contou com 497 pessoas na Vila dos Atletas. Pela primeira vez na história, o país teve representantes em todas as 22 modalidades que faziam parte do programa dos Jogos Paralímpicos.

66


Foto: HeusiAction/AndreMotta

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

Foto: HeusiAction/Gabriel Heusi

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

All deserve medals! Apart from the medals, being able to overcome the trials in order to be part of the Games was already an overcoming test. Athletes who were favorites, but unfortunately on event day did not win the anticipated medal. On the other hand, we had big surprises with other debuting athletes. What mattered were the excitement they provided us. 279 athletes, 181 men and 98 women, making up the largest Brazilian delegation in an edition of Paralympic Games. A total of 23 companions (lead-athletes, calheiros and goalkeepers) and 195 coaching, administrative and health professionals also composed the entourage of 497 people at the Athlete Villa. For the first time in history, the country had representatives in all 22 modalities part of the Paralympic Games’ program.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

67


Artigo

Parcerias e oportunidades no turismo

O

ano de 2016 foi especialmente importante para o turismo brasileiro. Vivemos a experiência única de sediar, com bons resultados, o maior evento esportivo do planeta. Cerca de 90% dos turistas que vieram ao país para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos afirmaram ter interesse em voltar. A imprensa internacional também se rendeu aos encantos do Brasil. Poderíamos agora nos acomodar e colher os frutos plantados, mas fazer isso é desperdiçar todo o potencial de termos sido a vitrine do mundo durante todo esse tempo. Precisamos agora aproveitar esse legado de imagem e transformar o Brasil em um grande destino turístico mundial. Colocar o país na prateleira de consumo de turistas de todos os cantos do mundo irá gerar desenvolvimento, emprego e renda para os brasileiros. Quando cheguei ao Ministério do Turismo, recebi apenas uma missão: fazer do setor um grande gerador de empregos. No governo do presidente Michel Temer, a geração de empregos é quase um mantra repetido e trabalhado por todos. E, à frente do

ministério, esse agora é o meu mantra também. Vivemos um momento desafiador e acredito que o turismo é uma atividade que pode dar respostas mais rápidas para a economia. Conseguimos, quase que organicamente, ampliar ano a ano o número de visitantes internacionais em nosso país. Para atrair mais turistas, no entanto, é preciso melhorar nossa promoção, e principalmente, investir mais em turismo. Por que eu digo isso? Em pouco tempo no setor percebi que o Brasil tem inúmeras opções de destinos -de sol e praia, de natureza e ecoturismo, cultural. Mas de nada adianta sermos o número um do mundo em recursos naturais e o oitavo no ranking do Fórum Econômico Mundial no quesito cultural, se a nossa posição não se materializa em negócios. Ainda não conseguimos transformar nosso potencial e vocação em empregos e renda. Nesse aspecto, eu vejo o Brasil

como um grande transatlântico em um açude. Grande, imponente e poderoso em recursos, mas à deriva e com poucas alternativas de desenvolvimento.

MARX BELTRÃO, advogado, é ministro do Turismo. Foi deputado federal (PMDB-AL) Foto: Roberto Castro/MTur

68

artigo publicado Artigo no publicado Jornal Folha em setembro/2016 de São Paulo no emJornal novembro/2016


Por isso, a minha proposta de agenda principal no Turismo é abrirmos um sério diálogo entre o setor público e privado para conseguirmos avançar, atrair mais turistas e gerar empregos e renda. O diálogo compreende não só ouvir e falar. Os empresários estão aí falando há algum tempo, sem que os governos anteriores tenham parado para, de fato, escutar. O nosso papel agora é ouvir, entender, mas principalmente, realizar. Avançar nos temas que se tornaram grandes gargalos. E o primeiro deles é a burocracia para novos investimentos. É intolerável que tenhamos uma burocracia tão grande, capaz de afastar os interesses de empresários brasileiros e estrangeiros. Vejo que nossos parques públicos nacionais, nossas orlas e marinas, estão intocáveis. A iniciativa privada precisa chegar a esses lugares. Vejo grandes oportunidades, mas é preciso ter vontade política para transformar todo esse Partnerships and opportunities in tourism Marx Beltrão, attorney, is Ministry of Tourism. He was federal representative (PMDB-AL) 2016 was especially important for Brazilian tourism. We lived the unique experience of hosting, with good results, the planet’s greatest sport event. Around 90% of the tourists that visited the country for the Olympic and Paralympic Games said they would like to come again. International press also surrender to Brazil’s beauties. Now we could lay back and reap the benefits, but doing this is wasting all potential of having been the world’s showcase for this period of time. We now need to take advantage of such image legacy and transform Brazil in a huge world touristic destination, putting the country in the shelf for tourists from all over the world will generate development, jobs, and revenue for Brazilians. When I arrived at the Ministry of Tourism, I received only one mission: making the sec-

potencial em negócios. Precisamos criar estratégias econômicas sustentáveis para o uso e manejo adequado dos recursos naturais. A exemplo do que está sendo feito pelo Programa de Parcerias de Investimentos com rodovias e aeroportos, quero abrir o turismo para a iniciativa privada. Quero atrair investidores para a exploração sustentável de áreas com grande potencial turístico. Para isso devemos oferecer um financiamento mais flexível, mais ágil, com juros subsidiados e acessíveis. As áreas com potencial turístico precisam ser elencadas para dispor de benefícios fiscais, tributários e uma legislação ambiental mais flexível. Para o país ter algum retorno, precisa oferecer as condições adequadas aos empresários. No jogo do ganha-ganha, quem vence é o país. Com as parcerias público privadas, poderemos transformar o turismo em uma grande oportunidade econômica e social do Brasil.

tor a huge job generator. On president Michel Temer’s government, generation of jobs is almost a mantra repeated and worked by all. And, heading the ministry, this is also my mantra. We live a challenging moment and I believe tourism is an activity that can provide quicker answers to economy. We are able to, almost organically, to expand year after year the number of international visitors to our country. In order to attract more tourists, however, it is necessary to improve our promotion and especially invest more in tourism. Why do I say this? In a short time in the sector I noticed that Brazil has several destination options – from sun and beach, nature and eco and cultural tourism. But it does not help being the world’s number one in natural resources and eighth in the World Economic Forum regarding culture, if our position does not materialize in business. We have yet to transform our potential and vocation into jobs and revenue. In this regard, I see Brazil as a huge ocean liner inside a dam. Huge, imposing and powerful in resources, but adrift and with only a few development alternatives. Therefore, my proposal for the key agenda in tourism is opening a serious dialogue between the public and private sectors so we are able to advance, attract more tourists and generate jobs and revenue. The dialogue comprises not only talking and hearing. Businessmen have been talking

w w w.vozdebrasi li a .com .br

for some time, with no previous government stopping and effectively paying attention. Our role now is listen, understand, but especially, do. Advance in issues that have become huge bottlenecks. And the first is bureaucracy for new investments. It is intolerable that we have such a huge bureaucracy, capable of driving out interests from Brazilian and foreign businessmen. I notice that our national public parks, our waterfronts and marinas, are untouchable. The private initiative need to arrive in such places. I see great opportunities, but it is necessary to have political will to transform all such potential into business. We need to create sustainable economic strategies for adequate use and handling of natural resources. As what is being done by the Investments Partnerships Program with roads and airports, I want to open up tourism to the private initiative. I want to attract investors for sustainable exploration of areas with high touristic potential. For that we must offer a more flexible, more agile financing, with subsidized and accessible interest. Areas with touristic potential need to be listed so as to receive tax relief, benefits and a more flexible environmental legislation. In order to have any return, we need to offer adequate conditions to the businessmen. In the win-win game, the country wins. With public private partnerships, we can transform tourism in a huge economic and social opportunity for Brazil.

69


Artigo

Embarque comprometido

O

Brasil está entre os cinco melhores mercados de aviação doméstica, mas há quase dois anos vem perdendo demanda por conta do cenário econômico. Só em 2016, foram 9 milhões de passageiros a menos nas aeronaves. Com o argumento de recuperar essa demanda por meio de classes tarifarias mais baratas, a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) divulgou um conjunto de normas alterando diferentes aspectos da relação entre as companhias aéreas e seus passageiros. A partir da entrada em vigor das novas regras, as empresas aéreas terão o direito de negociar com seus passageiros as condições para a cobrança por despacho de bagagens. Hoje, cada passageiro tem direito a embarcar com até 5Kg (bagagem de mão) e despachar, sem custo, uma mala com até 23Kg nos voos domésticos e 32Kg nos voos internacionais. Tudo o que exceda esses limites é cobrado no momento do embarque. Com as novas medidas, os passageiros poderão levar somente a bagagem de mão, cujo peso máximo passaria dos atuais 5Kg para 10Kg. Com mais passageiros tentando embarcar com malas de mão, o embarque deve ficar ainda mais lento. O argumento da agência reguladora é o de equilibrar as regras brasileiras com as praticadas em países da Europa, e mesmo nos Estados Unidos, pelas empresas aéreas de baixo custo (low cost). Por conta disso, as empresas aéreas brasileiras poderão reduzir o valor das passagens, com ganhos para os consumidores. Mas a norma, de legalidade e cons-

70

Cícero Vilela, diretor comercial e de marketing da rede de hotéis Devill titucionalidade questionadas inclusive pelo Ministério Público Federal, não compromete as empresas aéreas com a redução das tarifas. Da forma como o texto da ANAC está colocado, o risco é de que o passageiro torne-se refém das companhias aéreas. O que parece ser a única garantia contida na resolução é que algo que hoje não é cobrado dos consumidores passará a ser. Além disso, diferentemente do que acontece em países europeus e nos EUA, não existem, de fato, por aqui, empresas aéreas de baixo custo. O valor dos leasings das aeronaves, definidos em moeda estrangeira, representam um peso enorme para as empresas aéreas, face às oscilações do câmbio.

Por: Cícero Vilela


Em adição, o preço dos combustíveis e os impostos incidentes sobre esses, mais as taxas aeroportuárias, tornam os custos fixos de operação um pesadelo para os administradores, pois as receitas são variáveis e em Reais. O passageiro se sairia melhor se a legislação sobre controle acionário de companhias aéreas fosse afrouxada e o Brasil pudesse atrair low costs de verdade para competir no nosso mercado. Isso sem falar nas diferenças abissais que existem entre Brasil e países europeus e norte americanos, no que se refere à demanda por voos domésticos e internacionais. Renda per capita, cultura de mobilidade, facilidades de crédito, inflação e taxas de juros baixíssimos, definem um potencial de consumo por viagens aéreas infinitamente superior por lá, comparado com a realidade do lado de cá. Portanto, a meu ver, tais mudanças não deverão representar ganhos para os passageiros. Pelo contrário: na hipótese de entrar efetivamente em vigor a partir de 14 de março, a medida representará um retrocesso legal e uma perda de direito adquirido pelos consumidores.

Departure compromised Cícero Vilela, commercial and marketing director of the Devill Hotels chain Brazil is amongst the five best markets for domestic aviation, but for the past two years it has been losing demand due to the economic scenario. In 2016 alone there were 9 million less passengers in aircrafts. With the allegation of recovering such demand through cheaper tariff classes, ANAC (National Civil Aviation Agency) disclosed a group of norms changing different aspects of the air companies and passengers’ relationship. From the new rules coming into effect, the air companies will have the right to negotiate with their passengers’ conditions for charging checked luggage. Presently, each passenger has the right to board with up to 5Kg (hand luggage) and check, with no cost, luggage with up to 23Kg on domestic flight, and 32Kg on international flights. Everything exceeding such limit is charged at the moment of departure. With the new measures, passengers will only be able to carry hand luggage, with maximum weight going from today’s 5kg to 10kg. With more passengers trying to depart with hand luggage, departure will become even slower. The regulatory agency’s argument is that of balancing Brazilian rules with those practiced in countries from Europe, and even the USA, by low-cost air companies. As a result, Brazilian air companies will be able to reduce ticket prices, with gains for consumers. But the norm, legality and constitutionality, questioned including by the Public Federal Ministry, does not compromise the air companies, the risk is that passengers become hostages of the air companies. What seems to be the only guarantee contained in such resolution is that something presently not charged from passengers will now be. Besides, different from European countries and the USA, in Brazil there are no real low-cost air companies. The amount of aircraft leasing, determined in foreign currency, represent a huge burden for air companies, against exchange oscillations. Added to that, the price of fuel and taxes incurring on them, added to airport fees, turn operation fixed costs into a nightmare for administrators, as revenues are variable and in Reais. Passengers would be better off if the legislation on air companies share control were to be loosened and Brazil could attract real low cost companies in order to compete in our market. This without mentioning enormous differences between Brazil and European and North American countries, regarding demand for domestic and international flights. Per capita income, mobility culture, convenience of credit, inflation and extremely low interest determine an infinitely higher air travel potential in those areas when compared to our reality. Therefore, from my point of view, such changes shall not represent gain for passengers. To the contrary: if it comes into force on 14 of March, the measure will represent a legal setback and loss of acquired rights for consumers. Foto: Divulgação

w w w.vozdebrasi li a .com .br

71


Turismo

Turismo O turismo reúne boas condições para ajudar os Países e enfrentar a crise

M

Foto: Divulgação

uito falamos sobre “crise” até agora, entretanto, o setor de turismo foi o que mais cresceu, isso estamos ponderando também mundialmente. Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), até setembro de 2016, tivemos quase 1 bilhão de turistas internacionais (956 milhões, para sermos mais exatos). De acordo com o levantamento, o número equivale a 34 milhões de turistas a mais se comparado com o mesmo período de 2015, conferindo um aumento de 4% de viajantes estrangeiros. Nos resultados regionais, a América do Sul obteve o melhor resultado das Américas, com aumento de 7% na chegada de turistas internacionais, seguida pela América Central, que obteve aumento de 6% e, por último, Caribe e América do Norte, ambos com crescimento de

72

4%. O Brasil, juntamente com alguns países como Irlanda, México e Portugal, destacou-se pelo crescimento entre 8% e 9% nas receitas com chegadas de turistas durantes os nove primeiros meses de 2016. Até o fechamento deste anuário, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) não havia fechado os dados, mas a expectativa era de recebermos 2.420 milhões de turistas estrangeiros para a temporada de verão no Brasil. O número representa crescimento de 11% em relação mesmo período do ano passado, quando o País recebeu 2.183 milhões de visitantes do exterior, de acordo com levantamento do Ministério do Turismo. O cálculo demonstra que o período, entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017, corresponde a 1/3 do total de visitantes do exterior du-

rante todo o ano de 2015 – fechado em 6,3 milhões – devido, principalmente, à alta atratividade dos estrangeiros pelos destinos de Sol e Praia. O presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, aponta a promoção turística realizada pelo Instituto como um dos principais fatores para o crescimento, além do sucesso dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. “O Brasil está no imaginário das pessoas ao redor do mundo com o belíssimo espetáculo que apresentamos na Rio 2016. Nossa hospitalidade surpreendeu 98% dos visitantes dos Jogos e agora não seria diferente. A Embratur está explorando esse momento, que é impulsionado pelo câmbio favorável, para reforçar o convite a potenciais turistas e batermos novo recorde de fluxo estrangeiro nesse verão”, explica Lummertz.


Foto: Embrat ur

atur Foto: Embr

Segundo pesquisa realizada pelo Ministério dos Esportes em agosto de 2016, 87,7% dos turistas estrangeiros pretendem retornar ao Brasil e 94,2% dos brasileiros desejam voltar ao Rio de Janeiro. Tanto os turistas brasileiros como os internacionais, avaliaram a viagem de forma positiva. Entre os pontos positivos destacados pelos entrevistados estão: hospitalidade e infraestrutura. Outro estudo do Ministério do Turismo, realizado pela Fundação Getúlio Vargas, onde entrevistou as 80 maiores empresas brasileiras da área – responsáveis por um faturamento de R$ 64,6 bilhões e 115 mil postos de trabalho em todo o País – revela que as perspectivas de crescimento para os próximos anos são positivas. Nos segmentos de locação de automóveis, transporte rodoviário e operadoras de turismo, mais de 90% dos pesquisados afirmam que irão investir novos recursos nos próprios negócios nos próximos anos. As locadoras de automóveis lideram a lista, com um aumento projetado de 9,6% no faturamento e de 16,2% no quadro de funcionários. As perspectivas de aumento de faturamento ocorrem também no turismo receptivo (8,3%), transporte rodoviário (6,6%), meios de hospedagem (5%) promotores de feiras (3,1%), agências de viagem (2,5%) e operadoras de turismo (0,8%). O número de colaboradores deve crescer também entre os organizadores de eventos que estimam aumento de 3,2%, e no turismo receptivo, em 2,1%.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

73


Turismo

Fluxo de turistas no Brasil e no mundo

S

74

atur Foto: Embr

Foto: Bedneyimages / Freepik

egundo a Organização Mundial do Turismo (UNWTO), em pesquisa divulgada em meados de 2016, contatou que as chegadas de turistas internacionais atingiram o nível recorde de 1,184 bilhão em 2015. Segundo a UNWTO, cerca de 50 milhões a mais de turistas (visitantes que pernoitam) viajaram para destinos internacionais em todo o mundo em 2015, o que corresponde a um aumento de 4,4% comparativamente a 2014. Em relação ao ano pré-crise de 2008, o acréscimo do número de chegadas ascende a cerca de 256 milhões, enquanto que o contraste com o ano 2000, revela que o total de chegadas internacionais de turistas aumentou aproximadamente 500 milhões. Segundo dados da Organização Mundial do Turismo, a Europa, região mais visitada do mundo, registrou um crescimento de quase 5% em 2015, influenciado por um euro mais fraco e uma economia que vem melhorando gradualmente. A Europa Central e a Oriental (+6,1%) se recuperaram do declínio das chegadas internacionais

detectado em 2014 (-6,0%). O Norte da Europa (+6,8%), o Sul do Mediterrâneo Europeu (+4,7%) e a Europa Ocidental (+3,4%) também apresentaram bons resultados, especialmente se for levado em consideração que se tratam de sub-regiões com muitos “destinos maduros” (ou seja, já há muito tempo visitados). Como até o fechamento deste anuário ainda não tínhamos os números fechados, a expectativa para 2016 estava em um crescimento prognosticado para todo o continente europeu de +3,5% a +4,5%. A região da Ásia e Pacífico computou um aumento de 5,0% nas chegadas internacionais de turistas, sendo, contudo, observados resultados desiguais entre os destinos. O crescimento foi liderado pela Oceania (+7,4%) e pelo Sudeste da Ásia (+6,0%), enquanto no Nordeste e no Sul da Ásia, constatou-se expansão de +4,3% e +3,9%, respectivamente. Para 2016, o aumento vislumbrado para tal região era de +4,0% a +5,0%. Antevê-se que os desembarques internacionais


atur Foto: Embr

Foto: Em bratur

Tourism The economy wheel turning Tourism gathers good conditions to aid the country and face the crisis Much we talked about “crisis” until now, however, the tourism sector was one that has grown, and this has taken place worldwide. According to the World Tourism Organization (WTO), until September 2016, we had almost 1 billion international tourists (956 million, to be more precise). According to the survey, the number is equivalent to an increase of 34 million tourists if compared to the same period in 2015, a 4% increase in foreign travelers. On regional results, South America had the best result of the Americas, with an increase of 7% I international tourist arrivals, followed by Central America, with a 6% increase and, last, the Caribbean and North America, both with a 4% growth. Brazil, along a few countries such as Ireland, Mexico and Portugal, stood out for the growth between 8% and 9% in revenue with the arrival of tourists in the first months of 2016. Until the closing of the present yearbook, Embratur (Brazilian Tourism Institute) was yet to sum up the data, but the expectation was of welcoming

2,420 million foreign tourists for the summer season in Brazil. The number represents a growth of 11% compared to the same period last year, when the country received 2,183 million foreign visitors, according to survey from the Ministry of Tourism. The calculation shows that the period between December 2016 and February 2017 corresponds to 1/3 of the total foreign visitors during the entire year of 2015 – closing in 6.3 million – due, especially to the high attractivity of foreigners to the Sun and Beach destinations. Embratur president, Vinicius Lummertz, highlights the touristic advertising by the Institute as one of the main factors for such growth, and also the success of the Rio 2016 Olympic and Paralympic Games. “Brazil is in peoples minds throughout the world with the beautiful spectacle we presented at Rio 2016. Our hospitality surprised 98% of the Games tourists and it would not be different now. Embratur is exploring this moment, stimulated also by the favorable exchange rate, to emphasize the invitation to potential tourists and beat a new record of foreigner flow this summer”, explains Lummertz. According to survey by the Ministry of Sports in August 2016, 87.7% of the foreign tourists intend

w w w.vozdebrasi li a .com .br

on coming back to Brazil and 94.2% of Brazilians wish to return to Rio de Janeiro. Both Brazilian and foreign tourists evaluated positively the trip. Amongst the positive points highlighted by those interviewed are hospitality and infrastructure. Another study by the Ministry of Tourism, performed by Fundação Getúlio Vargas, interviewing the 80 largest Brazilian companies in the field – responsible for earnings of R$ 64.6 billion and 115 thousand jobs all over the country – reveals that perspectives for growth over coming years are positive. At the segments of car rentals, road transport and touristic operators, over 90% of those interviewed state they will invest new resources on their own businesses in coming years. Car rentals head the list, with a projected growth of 9.6% in revenue and 16.2% in staff. Perspectives in revenue growth also take place in inbound tourism (8.3%), road transport (6.6%), accommodation (5%) fair promoters (3.1%), travel agencies (2.5%), and touristic operators (0.8%). The number of collaborators will also grow amongst event organizers with estimated 3.2%, growth and inbound tourism, with 2.1%.

75


nas Américas tenham crescido +4,9% em 2015 (ante +8,4% em 2014). A valorização do dólar norte-americano estimulou a realização de viagens ao exterior, beneficiando o Caribe e a América Central, com majoração de +7,4% e +7,2%, respectivamente, em termos de chegadas internacionais. Os resultados concernentes à América do Norte e à América do Sul são mais moderados (+4,3% e +4,7%, respectivamente), após um crescimento bem mais robusto ocorrido em 2014 (+9,7% e +7,1%, respectivamente). O incremento previsto das chegadas internacionais nas Américas, em 2016, varia de +4,0% a +5,0%. De acordo ainda com a UNWTO, os dados disponíveis para a África indicam uma diminuição de 2,9% nas chegadas internacionais, com o Norte da África revelando queda de 7,7% e a África Subsaariana, declínio de 0,1%. As chegadas de turistas internacionais no Oriente Médio cresceram 2,8 consolidando a recuperação que começou em 2014. As projeções para 2016 são de registro de expansão de +2,0% a +5,0% tanto na África quanto no Oriente Médio, devendo-se, mais uma vez, enfatizar que os dados referentes a tais regiões se caracterizam pelo alto grau de incerteza e de volatilidade.

Amaral Foto: Sergio

Turismo

Isenção de visto fortalece a economia

A

Foto: Divulgação

experiência com a política de isenção de vistos para determinados países, defendida pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) e pelo Ministério do Turismo (MTur) e aplicada no período dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio (de 1º de junho a 18 de setembro de 2016), foi um sucesso. Levantamento feito pelo MTur em conjunto com o Departamento de Polícia Federal concluiu que no total de turistas estrangeiros com origem nos países beneficiados (Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália) houve variação positiva média de 55,31% em relação ao mesmo período de 2015. Em 2016, foram 163.104 mil turistas das quatro nacionalidades, contra 105.017 mil do ano anterior. O número de chegadas de norte-americanos variou 47%; o de japoneses 61%; o de canadenses, 84% e o de australianos, 107%. “Os organismos mundiais já apontavam essa tendência, agora confirmada na Rio 2016. Do total de estrangeiros que vieram ao Brasil para os Jogos, 74,7% disseram que esse teria sido um dos fatores que motivaram a viagem. Queremos agora que o governo brasileiro adote a medida por dois anos para traçarmos um panorama mais completo da eficácia e do real incremento no fluxo turístico brasileiro”, ressaltou presidente da Embratur, Vinicius Lummertz. Cálculos do MTur mostram que, caso a isenção seja permanente, o impacto na economia nacional alcançará US$ 175,2 milhões ao ano. Basta tomar como base o caso da Argentina, que optou pela dispensa de vistos para norte-americanos em dezembro de 2015 e registrou aumento de 10% somente nos três primeiros meses do ano. Sem dúvida um posicionamento favorável do governo poderia também contribuir para o crescimento de visitantes internacional, entretanto o Itamaraty trabalha com o sistema de reciprocidade, ou seja, o visto só é exigido de países que exigem visto para os brasileiros.

76

Agora só nos resta aguardar e batalhar para que o ano de 2017 seja melhor ainda!


Foto: Sergio Amar al : Ch Foto

risti

per nep an K

bratur Foto: Em

Tourist flow in Brazil and the world According to the World Tourism Organization (UNWTO), on survey released in mid-2016, noted that international tourist arrivals reached the record level of 1.184 billion in 2015. According to UNWTO, around 50 million additional tourists (travelers staying overnight) travelled to international destinations all over the world in 2015, corresponding to an increase of 4.4% compared to 2014. Regarding the 2008 pre-crisis, the increase in the number of arrivals grew to about 256 million, while the contrast with 2000, reveals that the total of international tourist arrivals increased approximately 500 million. According to data from the World Tourism Organization, Europe, the world’s most visited region, recorded a growth of almost 5% in 2015, influenced by a weaker Euro and an economy gradually improving. Central and Eastern Europe (+6.1%) recovered from the decline in international arrivals verified in 2014 (-6.0%). Northern Europe (+6.8%), the South of the European Mediterranean (+4.7%) and Western Europe (+3.4%) also presented good results, especially considering these are sub-regions with many “mature destinations” (in other words, regular touristic destinations). As until the closing of the present yearbook we did not have defined numbers, the expectation for 2016 was of a growth prognosticated for the entire European continent of +3.5% to +4.5%. the Asia Pacific region verified an increase of 5.0% in international tourist arrivals, however noting uneven results between destinations. Growth was led by Oceania (+7.4%) and Southeast Asia (+6.0%), while Northeast and South Asia had expansion of +4.3% and +3.9%, respectively. For 2016, the expected increase for such region was +4.0% to +5.0%. International arrivals in the Americas grew +4.9% in 2015 (against+8.4% in 2014). The North-American Dollar valuation stimulated travel abroad, benefitting the Caribbean and Central America, with a raise of +7.4% and +7.2%, respectively, for international arrivals. Results for North and South America are more modest (+4.3% and +4.7%, respectively), after a higher growth in 2014 (+9.7% and +7.1%, respectively). The increase forecast for international arrivals in the Americas in 2016, varies from +4.0% to +5.0%. Still according to UNWTO, data available for Africa point out for a 2,9% decrease in international arrivals, with the North of Africa disclosing a downward trend of 7.7% and the Sub-Saharan Africa declining 0.1%. International arrivals in the Middle East grew 2.8% consolidating the recovery started in 2014. Projections for 2016 are of +2.0% to +5.0% expansion in Africa and Middle East, emphasizing, again, that data for these regions are characterized by a high degree of uncertainty and volatility. Visa exemption strengthens the economy The expectation with the policy of visa exemption for specific countries, upheld by Embratur (Brazilian Tourism Institute) and the Ministry of Tourism (MTur) and enforced during the Rio 2016 Olympic and Paralympic Games (from 1st June to 18th September 2016), was a success. Survey by the MTur along with the Department of Federal Police concluded that regarding foreign tourists originated in benefited countries (United States, Canada, Japan, and Australia) there was a positive average variation of 55.31% regarding the same period in 2015. In 2016, there were 163,104 thousand tourists of the four nationalities against 105,017 thousand in the previous year. The number of North-American arrivals varied 47%; for Japanese, 61%; Canadians, 84%, and Australians, 107%. “The world agencies already pointed to such trend, now verified at Rio 2016. Of the total of foreigners that visited Brazil for the Games, 74.7% stated this would have been one of the factors motivating the trip. We now want the Brazilian government to adopt the measure for two years so we can outline a more complete panorama for the efficacy and real increment for the Brazilian touristic flow”, emphasized Embratur’s president, Vinicius Lummertz. MTur numbers show that if the exemption is rendered permanent, the impact to the national economy shall reach US$ 175.2 million a year. Simply take the example of Argentina, which opted for the visa waiver for North-Americans in December 2015 and recorded an increase of 10% in the first three months of the year alone. There is no doubt that a positive stand of the government would also contribute for the increase in international inbound visitors, however, Itamaraty works with the reciprocity system, that is, the visa is only required for those countries requiring visas for Brazilians. Now we just have to wait and hope 2017 is even better!

w w w.vozdebrasi li a .com .br

77


Foto: Divulgação

Turismo

78


Foto : Em bratu r

atur Foto: Embr

w w w.vozdebrasi li a .com .br

79


80

atur Foto: Embr

Foto: Divulgação

Foto : Em bratu r

Turismo


Foto : Em bratu r

atur Foto: Embr

w w w.vozdebrasi li a .com .br

81


Turismo

Acre

O Estado se destaca pela agropecuária

E os números devem crescer para os próximos anos

Foto: Divulgação

82

Acre: Capital Rio Branco População estimada 2016: 816.687 População 2010: 733.559 Área 2015 (km²): 164.123,712 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 4,47 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$752 Número de Municípios: 22

Foto: Embratur

H

istoricamente, a economia do Estado do Acre era forte no extrativismo vegetal, sobretudo na exploração da borracha, que foi responsável pelo povoamento da região. Entretanto, mergulhou em uma grande crise econômica, devido a estagnação e decadência do látex, que durou até fins da década de 30. Foi necessário reinventar-se depois disso e, atualmente, são fortes na agropecuária. Segundo estudo realizado pelo banco Itaú, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), constatou que a economia do Acre vai crescer em média 1,2% ao ano até 2020, independente dos problemas que acontecerem no País.A pesquisa constatou que a agropecuária e a indústria representam, 18,1% e 12,9%, respectivamente, da economia local. Esse ponto da pesquisa levou em consideração aos anos de 2008 e 2012. Ou seja, não contempla a implantação de várias medidas e projetos, como as de sistemas de produção agropecuários, dos pequenos negócios e da expansão da Construção Civil com a implantação mais efetiva da Cidade do Povo. O novo foco da produção agropecuária no Acre tem como base a incorporação de tecnologias para recuperação de áreas degradadas e aumento da produção e produtividade da agropecuária nas áreas já desmatadas, além do fomento ao setor agroindustrial. Com esse novo cenário é possível conciliar crescimento econômico, melhoria da qualidade de vida da população rural e abastecimento dos centros urbanos com a oferta de alimentos de melhor qualidade a preços acessíveis e a conservação ambiental. É importante lembrar também que o Acre apresenta dois grandes polos econômicos: o vale do rio Juruá, que tem a cidade de Cruzeiro do Sul como principal núcleo urbano; e o vale do rio Acre, que é mais industrializado, possui maior grau de mecanização e modernização no campo, apresenta maior potencial nas atividades agrícolas, grande produtor de borracha e alimentos (mandioca, arroz, milho, frutas, etc.), além de abrigar a capital estadual, Rio Branco.

Foto: Raimundo Sampaio


r Foto: Em bratu

Rio Branco

Belezas intocáveis

C

onhecer o Acre é sinônimo de explorar uma das regiões mais intocadas da floresta amazônica. A cidade de Rio Branco é a capital do Estado e principal ponto de partida para quem deseja se aventurar nessa região de belezas intocáveis. Assim como praticamente todas as capitais, é também o principal centro financeiro e mercantil do Estado. O clima sempre com altas temperaturas e chuvas frequentes são intensos durante todo o ano inteiro. Entretanto, entre as capitais amazônicas, é a que possui um clima mais agradável, caracterizado por temperaturas mínimas frequentemente próximas de 20°C e máximas próximas de 30°C. Banhada pelo Rio Acre, a cidade é dividida em duas partes: de um lado o centro histórico e do outro a chamada cidade nova. Entre os principais pontos turísticos da cidade está o Palácio Rio Branco, construído em 1930 para abrigar a sede do Governo do Estado; a Gameleira, árvore que faz parte da história e fica onde a cidade nasceu; e a Catedral de Nossa Senhora de Nazaré, inaugurada em 1959 com uma construção linda em estilo romano. Além desses, existem outros pontos turísticos que valem a pena visitar no centro da cidade. A gastronomia típica também deve estar no roteiro! Ela utiliza como os principais ingredientes o pato e o pirarucu, frutos da herança deixada pelos índios que habitavam a região, além do bobó de camarão, o vatapá e a carne de sol com macaxeira, trazido do Nordeste brasileiro logo quando iniciou a extração do látex, já que muitos nordestinos migraram para o Acre tentando uma melhor qualidade de vida. Já no artesanato os artigos são confeccionados com materiais extraídos da floresta amazônica.

Acre The state stands out for agriculture and stockbreeding And the numbers will grow in coming years Historically, the economy of the State of Acre was strong in plant extractivism, especially in exploitation of rubber, responsible for the peopling of the region. However, it dove into an economic crisis, due to the stagnation and decadence of latex, which lasted until the end of the 1930s. it was necessary to reinvent itself, and presently they are strong in agriculture and stockbreeding. According to a study performed by Banco Itaú along with the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE), Acre’s economy will grow an average of 1.2% per year until 2020, independent of any problems that may occur in the country. The study noted that the agriculture and stockbreeding and industry represent 18.1% and 12.9%, respectively, of the local economy. This aspect of the study took into consideration the years of 2008 and 2012, in other words, it does not contemplate the implementation of several measures and projects, such as agricultural and stockbreeding production systems, small businesses and civil construction expansion with a more effective implementation of the Cidade do Povo. The new focus of the agriculture and stockbreeding production in Acre is based on the incorporation of technologies for recovering degraded areas and the increase of production and productivity of agriculture and stockbreeding at the already deforested areas, and also promotion of the agricultural and industrial sectors. With such new scenario it is possible to conciliate economic growth, improvement in quality of life for the rural population and urban center supply with the offering of better quality food at reasonable prices and environmental conservation. It is also important to remember that Acre has two large economic regions: Vale do Rio Juruá, with the city of Cruzeiro do Sul as the main urban nucleus; and Vale do Rio Acre, more industrialized and with a higher degree of mechanization and modernization in the field, presenting greater potential in agricultural activities, and a large producer of rubber and food (manioc, rice, corn, fruits, etc.), and also home of the state capital, Rio Branco. Acre: Capital Rio Branco Estimated population 2016: 816,687 Population 2010: 733,559 Area 2015 (km²): 164,123.712 Demographic density 2010 (inhab/km²): 4.47 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Real): R$ 752 Number of municipalities: 22 Rio Branco Untouchable beauties Knowing Acre is synonym of exploring one of the most untouched regions of the Amazon forest. The city of Rio Branco is the state capital and main starting point for those wishing to adventure into this region of untouchable beauties. As well as almost all capital cities, it is also the state’s main financial and trade center. The climate has high temperatures and frequent rains throughout the year. However, amongst the Amazonian capitals it is the capital with the mildest climate, characterized by lowest temperatures usually close to 20°C and highs of around 30°C. Bathed by Rio Acre, the city is divided in two parts: on one side the historical center and on the other the so called new city. Its main touristic attractions are the Palácio Rio Branco, built in 1930 to host the state government seat; Gameleira, tree that is part of history and is located where the city was born; and Catedral de Nossa Senhora de Nazaré, inaugurated in 1959 as a beautiful Roman style construction. There are also other touristic spots worth visiting downtown. Its typical gastronomy must also be part of the itinerary! It has as main ingredient the duck and the pirarucu (fish), heritage left by the indigenous people that inhabited the region, and also the bobó de camarão, the vatapá and carne de sol com macaxeira, brought from the Brazilian northeast in the beginning at the latex extraction, as many northeasterners migrated to Acre seeking a better quality of life. In handicraft, articles are manufactured with material extracted from the Amazon forest.Z

w w w.vozdebrasi li a .com .br

83


Turismo

Alagoas

Um dos folclores mais ricos do País Mas a base da sua economia está na agropecuária

84

Foto: Embratu r r mbratu Foto: E

Foto: Divulgação

O

Estado de Alagoas é o maior produtor de cana-de-açúcar do nordeste e um dos maiores produtores de açúcar do mundo. A Rússia é seu maior comprador (75% do açúcar consumido no País é alagoano) e entre os principais produtos de exportação estão, respectivamente, açúcar de cana, álcool etílico, outros açúcares e cloreto de etileno. Já as importações são: adubos e fertilizantes, trigo, produtos das indústrias químicas, componentes de fertilizantes, plástico, borracha e minério de molibdênio. Desde 2015 o Estado tem crescido muito e recebido diversas empresas, o que, consequentemente, melhorou, e muito, a economia de todas as cidades envolvidas. Isso aconteceu graças as ações feitas pelo Governo de Alagoas. As atenções dos investidores estão voltadas para o Programa de Desenvolvimento Integrado (Prodesin), que é regulamentado por lei e passou recentemente por mudanças que têm o objetivo de tornar o estado mais competitivo. Pelo novo programa, são oferecidos descontos de 92% nos impostos devidos. E não fica por aí. Ele também prevê benefícios locacionais para a instalação de empreendimentos, ou seja, o governo cede terrenos a preços simbólicos para que os negócios aportem nos municípios alagoanos. A segurança jurídica encontrada em Alagoas também é outro diferencial. Por ser regulamentado por lei, o Prodesin torna o compromisso entre governo e empreendedor mais sério, diferente de outros estados, onde os incentivos são mais voláteis, determinados por decretos. Apesar do Prodesin existir desde a metade da década de 90, com o passar do tempo foi ficando defasado e complicado, sendo os benefícios ofertados de difícil aplicação e controle por parte do Tesouro Estadual. Por isso o programa passou por uma revisão, ganhando mais praticidade e facilidade. Com isso atraiu várias empresas para o Estado, o que possibilitou que fosse mais atrativo para grandes empresas se deslocarem para o nordeste do País e, consequentemente, aumentou a oferta de empregos, diminuindo assim o desemprego e girando a economia. O turismo cresce bastante no Estado. Alagoas possui 40 municípios com potencial turístico, onde os visitantes podem desfrutar de belas praias, rios e de cidades históricas. Entre as belas praias estão as da Região Metropolitana de Maceió, a praia do Francês (principal destino dos turistas) e a praia de Parapueira. Marechal Deodoro, antiga capital de Alagoas, preserva as construções do período colonial. Outra importante atração é o Rio São Francisco, mais conhecido pela novela “Velho Chico”.


Alagoas: Capital Maceió População estimada 2016: 3.358.963 População 2010: 3.120.494 Área 2015 (km²): 27.848,158 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 112,33 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$598 Número de Municípios: 102

Maceió

O Caribe Brasileiro

C

onhecida como o Paraíso das Águas, Maceió abriga praias e piscinas naturais de águas cristalinas e mornas. Nenhum dos 40 quilômetros de praias da cidade consegue desapontar o visitante. São águas transparentes, com nuances que vão do verde clarinho ao azul turquesa, piscinas naturais, areias douradas e imensas manchas verdes. As praias de Maceió – sejam urbanas, do litoral Norte ou do litoral Sul – têm as mesmas características: águas mornas, coqueirais e piscinas naturais. As diferenças ficam por conta dos diversos tons de verde e de azul e pelas ondas – fortes ou inexistentes. Além de praia e sol, a cidade oferece aos seus apreciadores as lagoas, o artesanato do Pontal da Barra, museus, engenhos, folguedos, teatros e igrejas. Essas atrações culturais ficam longe, espalhadas pelo Centro de Maceió. São igrejas em estilos arquitetônicos variados, do barroco ao gótico, e espaços que guardam a rica arte popular do Nordeste. Também no bairro histórico do Jaraguá, antiga zona boêmia, estão construções do século 19, além de antigos casarões e armazéns. Já o polo gastronômico da capital nasceu na Jatiúca, primeira praia a ganhar destaque nos guias de turismo da região. Hoje, por toda a orla, se encontram restaurantes e quiosques com uma grande variedade de opções. Da culinária regional regada a frutos do mar, das lagoas e dos rios, aos pratos com sotaque francês, passando pelos japoneses e até peruanos, há restaurantes para todos os gostos.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Embratur

Alagoas One of the country’s richest folklores But the basis of its economy is in agriculture and stockbreeding The state of Alagoas is the largest sugarcane producer in the northeast and one of the largest sugar producers in the world. Russia is its biggest buyer (75% of the sugar consumed in the country is from Alagoas) and amongst the main export products are, respectively, sugar from cane, ethyl alcohol, other sugars and ethylene chloride. Imports are: composts and fertilizers, wheat, chemical industry products, fertilizer components, plastic, rubber, and molybdenum ore. Since 2015 the state has grown considerably and has become home for many companies, consequently improving, largely, the economy of all cities involved. This happened thanks to actions from the government of Alagoas. Investor attentions are aimed at the Integrated Development Program (Prodesin), regulated by law and that recently underwent changes with the purpose of making the state more competitive. Deductions of up to 92% in due taxes are offered by the new program. And this is not all. It also provides local benefits for development of new enterprises, in other words, the government grants land at symbolic amounts so businesses are installed in municipalities from Alagoas. The legal security found in Alagoas is another differential. For being regulated by law, Prodesin becomes a commitment between the government and the serious entrepreneur, different from other states, where incentives are more volatile, determined by executive orders. Despite Prodesin existing since the mid-1990s, as time went on it became outdated and complicated, with offered benefits being difficult to apply and control by the State Treasury. That is why the program underwent a reform, gaining in practicality and convenience. Thus, it attracted various companies, with more attractive possibilities for big companies to move to the northeast and consequently increasing job offer, lowering unemployment rates and making the economy turn. Tourism is increasing in the state. Alagoas has 40 municipalities with touristic potential, where visitors may enjoy beautiful beaches, rivers, and historical cities. Among the beautiful beaches are those from Maceió’s metropolitan region, Praia do Francês (main touristic destination) and Praia de Parapueira. Marechal Deodoro, Alagoas old capital, maintains the Colonial period buildings. Another important attraction is Rio São Francisco. Alagoas: Capital Maceió Estimated population 2016: 3,358,963 Population 2010: 3,120,494 Area 2015 (km²): 27,848.158 Demographic density 2010 (inhab/km²): 112.33 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Real): R$ 598 Number of municipalities: 102 Maceió Brazilian Caribbean Known as the Water Paradise, Maceió is home for beaches and crystal and warm water natural pools. None of the 40km of the city’s beaches will disappoint the visitor. Transparent waters, with nuances from clear green to turquoise blue, natural pools, golden sands and immense green spots. Maceió’s beaches – urban, north or south coast – have the same characteristics: warm waters, coconut trees and natural pools. The differences are the several shades of green and blue and waves – strong or non-existent. Aside from the beach and sun, the city offers its appraisers lakes, the handicraft at Pontal da Barra, museums, mills, folguedos, theaters and churches. These cultural attractions are located away, scattered through downtown Maceió. Churches in various architectural styles, from baroque to gothic, and spaces home for the rich popular art of the northeast region. Also at the historical neighborhood of Jaraguá, old bohemian area, are 19th century buildings and old houses and warehouses. The capital’s gastronomic center was born at Jatiúca, first beach to gain highlights in the region’s touristic guides. Today, throughout the waterfront, you can find restaurants and kiosks with various options. From the regional culinary based on seafood, from lakes and rivers, to French accent dishes, passing through Japanese and even, there are restaurants for all tastes.

85


Turismo

Amapá

Rodeados por rios

O que possibilita a principal atividade econômica do Estado, a pesca

O

Estado do Amapá se destaca no cenário nacional por ser o mais bem preservado ambientalmente. Isso deve-se também a implantação do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Amapá (PDSA), em 1995, que proporcionou o desenvolvimento de atividades econômicas associadas à preservação ambiental. Além disso, 72% do seu território são destinados a unidades de conservação e terras indígenas. Na composição da economia do Estado destacamse as atividades extrativistas - tanto vegetais como minerais. No extrativismo vegetal são exploradas a castanha-do-pará, palmito e as madeiras. Entre os minerais mais encontrados no Amapá estão as jazidas de manganês, ouro, caulim e granito. Por outro lado, a produção agrícola limita-se ao cultivo de arroz e mandioca, entretanto, infelizmente, sua produção não é suficiente para suprir a demanda estadual,

Amapá Surrounded by rivers Making the state’s main economic activity possible, fishing The state of Amapá is pointing out in the national scenario for being the environmentally better preserved. This is also due to the implementation of Amapá’s Sustainable Development Program (PDSA), in 1995, enabling the development of economic activities associated to environmental preservation. Also, 72% of its territory is aimed at conservation units and indigenous lands. On the state’s economic composition extractive activities – plant and mineral – are the highlight. In the plant extractivism the Brazil nut,

86

havendo, portanto, necessidade de importar boa parte dos alimentos consumidos pela população. Já na pecuária predominam as criações de búfalos e o gado bovino. No setor industrial dedica-se ao processamento das principais riquezas do Estado, ou seja, a extração mineral, a madeira e também a pesca (que exerce grande participação na economia estadual), já que o Amapá é beneficiado pela existência de vários rios, que proporcionam a realização dessa atividade. Os principais peixes encontrados na região são a piramutaba, filhote, dourada, pirarucu, tambaqui, tucurané, piranha, etc. Outro destaque são os crustáceos – caranguejo, camarão-rosa e camarão-de-água-doce. O setor industrial não é muito desenvolvido, porém, esse segmento da economia vem aumentando de forma significativa no Estado, com destaque para os setores de mineração e alimentação.

palm hearts and wood are explored. Among the most common minerals in Amapá are the deposits of manganese, gold, kaolin, and granite. The agricultural production limits to rice and manioc cultures, however and unfortunately, their production is not sufficient to meet the state demand, with, thus, the need to import good part of the food needed to feed the population. In stockbreeding, the buffalos and bovine cattle are predominant. The industrial sector is dedicated to processing the state’s main wealth, in other words, mineral extraction, wood and also fishing (which has large participation in the state economy), as Amapá is benefited by the existence of many rivers, enabling such activity. The main

fish found in the region are the piramutaba, filhote, dourada, pirarucu, tambaqui, tucurané, piranha, etc. Another highlight are the crustaceans – crab, pink shrimp, and fresh water prawn. The industrial sector is not well developed, however, it has been growing significantly in the state, with emphasis to sectors of mining and food industry. Amapá: Capital Macapá Estimated population 2016: 789,295 Population 2010: 669,526 Area 2015 (km²): 142,828.523 Demographic density 2010 (inhab/km²): 4.69 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Real): R$ 849 Number of municipalities: 16


Foto :E

mbr atu

A capital que cruza dois hemisférios

A

Amapá: Capital Macapá População estimada 2016: 789.295 População 2010: 669.526 Área 2015 (km²): 142.828,523 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 4,69 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$849 Número de Municípios: 16

pesar de pouco conhecida pelos brasileiros, Macapá é uma cidade cheia de particularidades, entre elas, é a única cortada pela Linha do Equador. Seu principal cartão-postal é o Marco Zero, que divide os hemisférios Norte e Sul e é ponto obrigatório de visitas – por ali, todo mundo sobe no monólito sobre a linha imaginária do Equador e coloca um pé em cada hemisfério. A outra peculiaridade, e talvez o motivo pelo fraco turismo, é seu difícil acesso, já que é a única capital que não tem ligações por terra, com acesso apenas por barco ou de avião com o resto do Brasil. Mas para quem quiser aventurar-se, a capital amapaense oferece boa estrutura, com comércio vibrantes, além de bons restaurantes e hotéis. A visita pela cidade vale a pena começar pela Fortaleza de São José de Macapá. Localizado no centro da capital, às margens do imponente Rio Amazonas, o complexo logo chama a atenção por sua boa preservação e a estrutura de visitação para os turistas. Construído entre Macapa The capital that crosses two hemispheres Despite being little known by Brazilians, Macapá is a city full of particularities, for example, it is the only crossed by the Equatorial Line. Its main post card is the Marco Zero, dividing the northern and southern hemispheres and being a mandatory visit point – there all get up on the monolith over the imaginary Equatorial Line and places one foot on each hemisphere. The other peculiarity is maybe the reason for poor tourism numbers: it is its difficult access, as it is the only capital with no connections by land, only being accessible via boats or planes. But for those wanting to adventure in the state,

1764 e 1782, durante o império português, tem o formato de uma estrela e tinha o objetivo de garantir a soberania do extremo norte do país. Outro ponto turístico é o Marco Zero, que já mencionamos acima. Durante o Equinócio de Primavera (março) e Outono (setembro), quando o dia e a noite têm a mesma duração, o sol se encaixa no círculo do monumento e seus raios incidem perfeitamente sobre a linha. Nesses dias, costuma haver uma programação especial no local. Orla de Macapá, casa do Artesão e as feirinhas típicas são programas que devem estar no roteiro. E por último, e mais importante, o fenômeno natural chamado Pororoca. Um dos pontos que mais chamam atenção no turismo de Amapá é onde se encontram as águas do mar com as águas do Rio Araguari, fazendo um ensurdecedor barulho e uma elevação da agua de até 6 metros. Isso ocorre principalmente nos equinócios que aumenta a propensão da massa líquida dos oceanos proporcionando este espetáculo da natureza.

the capital of Amapá offers good structure, with vibrant commerce and good restaurants and hotels. It is worth starting the city tour at Fortaleza de São José de Macapá. Located in the heart of the capital, at the banks of impressive Rio Amazonas, the complex soon calls your attention for its good preservation and visiting structure for tourists. Built between 1764 and 1782, during the Portuguese domination, it has the shape of a star and had the purpose of guaranteeing the sovereignty of the country’s far north. Another touristic spot is Marco Zero, already mentioned above. During the Spring (March) and Autumn (September) Equinox, when night

w w w.vozdebrasi li a .com .br

and day have the same duration, the sun fits into the monument’s circle and its rays fall perfectly over the line. On such days, there is usually special programming there. Macapá waterfront, casa do Artesão and the typical fairs are programs that must be included in the itinerary. And lastly, and most important, the natural phenomenon called Pororoca.one of the details that most calls the attention in Amapá’s tourism is where the waters of the sea meet with Rio Araguari waters, making for a deafening sound and water elevation of up to 6 meters. This takes place especially during the equinoxes, raising the oceans liquid mass enabling such spectacle of nature.

Foto: Embratur

Macapá

r

87


Turismo

Amazônia

Tem como principal representante o setor primário

O extrativismo é a principal atividade econômica desenvolvida no Estado

Foto: Embratur

A

88

pesar da existência do polo industrial da Zona Franca de Manaus, a principal atividade econômica do Estado do Amazonas está vinculada às atividades primárias, que correspondem, em geral, a uma produção que agrega pouco valor no produto. Ou seja, as principais atividades econômicas praticadas no Estado são: extração vegetal, mineral e animal, denominados respectivamente de extrativismo. Na extração vegetal são obtidos madeira, castanha-do-pará, coletas de frutas regionais, borracha e na extração animal, a pesca. Já na extração mineral são adquiridos, principalmente, calcário e estanho. Outra fonte de renda é o turismo, uma vez que o Estado abriga uma das restritas áreas ainda preservadas no mundo, segundo pesquisa divulgada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o ecoturismo é o segmento que mais cresce no Estado, cerca de 6% ao ano. Isso porque o Estado oferece um turismo diferente, com hotéis de selva que oferecem atividades na floresta Amazônia, além de empresas de cruzeiros fluviais e de pesca esportiva. Também existem na capital feiras que promovem o potencial econômico da região, feitos com base em matérias-primas. Outro fator que atrai todos os anos milhares de turistas é o Festival de Parintins, famoso por gerar uma quantia estimada de aproximadamente R$30.000.000,00 para o município. Aliando seu potencial ecológico e a uma política de negócios embasada na sustentabilidade, com todo território abrangido por essa vegetação. Basicamente cinco dos grandes rios do país estão localizados nesse Estado, fazendo que muito de seus rios, afluentes e subafluentes tornem-se ótimos para a navegação facilitando o fluxo de bens para outras partes do Brasil. Isso facilita também para ter acesso e levar mercadorias para países vizinhos, evitando assim, na teoria, a abertura de novas estradas na selva, onde também pode se tornar prejudicial para a economia do próprio Estado.


Amazonas: Capital Manaus População estimada 2016: 4.001.667 População 2010: 3.483.985 Área 2015 (km²): 1.559.149,074 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 2,23 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$752 Número de Municípios: 62

Manaus

P

O ponto de partida

onto de partida para emocionantes passeios que descortinam a floresta Amazônica, Manaus tem muito a oferecer aos turistas que lá chegam ávidos por um íntimo contato com o exotismo que viram nos documentários de TV. O programa básico é também o mais famoso: o tour de barco até o encontro dos rios Negro e Solimões, que correm lado a lado por seis quilômetros sem que as águas uma barrenta e outra escura - se misturem. O passeio, entretanto, ganha doses extras de aventura se combinado a um trekking na mata, a uma volta de canoa pelos igarapés ou a uma visita às aldeias indígenas. A observação de pássaros, répteis e plantas está incluída no “pacote”. Em terra firme, as atrações ficam por conta das suntuosas construções do final do século 19, época em que a capital prosperou graças ao Ciclo da Borracha. Palácios em estilo art nouveau espalhamse pelo Centro e, bem preservados, abrigam espaços culturais. Entre eles está o cartão-postal de Manaus, o Teatro Amazonas. Inaugurado em 1896, era frequentado pelos barões que lá assistiam a concorridos espetáculos de companhias europeias. Luxo e riqueza se fazem presentes ainda através da decoração - lustres e máscaras venezianas estão por toda a parte. Depois da imersão natural e cultural é hora de saborear a culinária típica amazonense. São muitos os bons restaurantes que capricham nas receitas regionais, sempre tendo os peixes como destaque. O segredo de cada um fica por conta dos ingredientes e temperos, como tucupi, gengibre e açaí. Para auxiliar a digestão, vale a pena circular pelo bairro de Ponta Negra, cercado de prédios, calçadão, praças de esportes, bares animados e praia fluvial que fica lotada o ano inteiro. Atente-se às estações para melhor aproveitar a viagem e os passeios. No “inverno”, entre junho e novembro, a chuva costuma dar uma trégua, facilitando os passeios pela cidade. Se possível, vá em agosto (em setembro, os termômetros já começam a subir!). Para curtir a selva, a melhor época é entre junho e julho.

Amazônia The primary sector is its main representative Extractivism is the main economic activity developed in the state Despite the existence of the industrial pole at the Manaus Free Trade, state of Amazonas’ main economic activity is linked to primary activities, corresponding, generally, to a production aggregating little value to the product, that is, the main economic activities practices in the state are plant, mineral and animal extractions, respectively denominated extractivism. From plant extraction are obtained wood, Brazil nuts, regional fruits, rubber; on animal extraction, there is fishing. On mineral extraction the state provides, mainly, limestone and tin. Another income source is tourism, as the state is home for one of the world’s most restricted and still preserved areas, according to survey from Fundação Getúlio Vargas (FGV), ecotourism is the segment with the fastest growth in the state, with about 6% per year. The state offers a different type of tourism, with jungle hotels offering activities in the Amazon forest, and also river cruise and sport fishing companies. in the capital you can also find fairs promoting the region’s economic potential, with products based on the regions raw materials. Another factor attracting tourists each year is the Parintins Festival, famous for generating revenue of approximately R$ 30 million to the municipality. Allying its ecological potential to a business policy based in sustainability, with the entire territory comprised by vegetation. Basically, five of the country’s largest rivers are located ion the state, making many rivers, influents and sub-influents great fort navigation, which facilitates the flow of goods to other parts of Brazil. This also facilitates the access and flow of goods to neighbor countries, in theory avoiding the need for new roads in the jungle, which may be damaging to the state’s economy. Amazonas: Capital Manaus Estimated population 2016: 4,001,667 Population 2010: 3,483,985 Area 2015 (km²): 1,559,149.074 Demographic density 2010 (inhab/km²): 2.23 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Real): R$ 752 Number of municipalities: 62 Manaus Starting point Starting point for exciting tours that unveil the Amazon forest, Manaus has much to offer tourists arriving avid for intimate contact with the exoticism they may have seen on TV documentaries. The basic program is also the most famous: the boat tour to the meeting point between rivers Negro and Solimões, which run side by side for six kilometers without their waters – one muddy and the other dark – mixing. The tour, however, gains extra doses od adventure if combined to trekking in the forest, to a canoe trip through the igarapés or a visit to indigenous villages. The observation of birds, reptiles and plants is included in the “package”. On solid ground, attractions are left for the sumptuous buildings from the late 19th century, time when the capital prospered due to the Rubber Cycle. Palaces in art nouveau style scatter through downtow and, well preserved, are home for cultural spaces. Among them is Manaus’ post card, Teatro Amazonas. Inaugurated in 1896, it was attended by the barons that would there watch the popular spectacles from European companies. Luxury and richness are still present through decoration – chandeliers and Venetian masks are everywhere. After the natural and cultural immersion, it is time to taste the typical culinary from Amazonas. There are many good restaurants with fancy regional recipes, always with fish as the highlight. The secret of each rests on ingredients and spices, such as tucupi, ginger and açaí. To help digestion, it is worth to stroll through the borough of Ponta Negra, surrounded by buildings, sidewalk, sport squares, lively bars and a river beach, packed throughout the year. Pay attention to the seasons to better enjoy the trip and tours. During the “winter”, between June and November, the rain usually grants a truce, making tours through the city easier. If possible, go in August (in September, temperatures start to rise!). to enjoy the jungle, the best time is between June and July.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

89


Bahia Um estado de espírito Berço histórico e cultural do Brasil

P

raias, patrimônios históricos e as tradições culturais são as principais atrações para os turistas. Para algumas pessoas, Salvador é considerado o “verdadeiro” Brasil, onde seus principais pontos turísticos incluem Porto Seguro, Itacaré, Praia do Forte, Morro de São Paulo, Itaparica, Ilhéus, Lençóis e Sauipe. O turismo emprega pelo menos 88 mil pessoas de forma direta. A prestação de serviços é um ramo que cresce cada vez mais no Estado e ocupa grande importância na sua economia. Além do turismo, nos últimos anos, a Bahia vem apresentando um vigoroso crescimento econômico, bem acima da média nacional. Salvador já está entre as maiores cidade do Brasil e a Bahia, a primeira maior do economia do Nordeste (31,5%), seguida de Pernambuco (17,9%). A economia do Estado é diversificada, com atuação nas atividades da agropecuária, indústria, mineração, turismo e serviços, todas essas respon-

90

dem por 36% de todo Produto Interno Bruto (PIB) da região nordeste. Na agropecuária a Bahia se destaca em âmbito nacional como produtor de cacau, sisal, mamona, coco, feijão e mandioca. Nas proximidades de Ilhéus encontram-se condições favoráveis para a produção de cacau, além de apresentar significativa produção de milho e canade-açúcar. Na pecuária possui grande destaque nacional, ocupando o sexto lugar no Brasil, os caprinos detêm um dos maiores rebanhos do país. Recentemente o Estado vem se despontando como um importante produtor de soja. No setor industrial atua especialmente no setor químico, petroquímico, agroindústria, informática, automobilística e peças. Na atividade extrativista, mais precisamente na extração mineral, o Estado desenvolve grande potencial na exploração de petróleo, além do ouro, cobre, magnesita, cromita, sal-gema, barita, mangnês, chumbo e talco.

r mbratu Foto: E

Turismo

Bahia A state of spirit (and mind) Brazil’s historical and cultural birthplace Beaches, historical heritage and cultural traditions are the main attractions for tourists. For some, Salvador is considered the “real” Brazil, with main touristic spots including Porto Seguro, Itacaré, Praia do Forte, Morro de São Paulo, Itaparica, Ilhéus, Lençóis and Sauipe. Tourism directly employs at least 88 thousand people. Services is a field ever increasing in the state and is very important to its economy. Aside from tourism, in recent years, Bahia has shown a vigorous economy growth, well above the national average. Salvador is already amongst Brazil’s largest cities and Bahia, northeast’s first economy (31.5%), followed by Pernambuco (17.9%). The state’s economy is diversified, with activities in agriculture and stockbreeding, industry, mining, tourism and services, all answering for 36% of the northeast region’s total Gross Domestic Product (GDP). In agriculture and stockbreeding, Bahia stands out in the national scene as producer of cocoa, sisal, castor bean, coconut, beans and manioc. Surrounding Ilhéus you will find favorable conditions for cocoa production, also with a significant production of corn and sugarcane. In stockbreeding, also national focus, occupying sixth place, with one of the country’s largest goat herds. Recently the state has appeared as an important soy producer. In the industrial sector, especial mention for the chemical, petrochemical, agroindustry, informatics, automobile and parts sectors. At the extractive activity, more specifically, in mineral extraction, the state develops large potential in oil exploration, and also gold, copper, magnesite, chromite, rock salt, barite, manganese, lead and talc. Bahia: Capital Salvador Estimated population 2016: 15,276,566 Population 2010: 14,016,906 Area 2015 (km²): 564,732.642 Demographic density 2010 (inhab/km²): 24.82 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Real): R$ 736 Number of municipalities: 417


F

undada como São Salvador da Bahia de Todos os Santos, a capital da Bahia já teve também vários apelidos, entre eles: cidade de tanta glória, capital da alegria e Roma Negra. A mistura de raças, culturas e credos, que recebeu doses generosas de alegria e sincretismo, conferiu a Salvador um astral único e arretado que atrai brasileiros e estrangeiros o ano inteiro. Primeira sede da administração colonial portuguesa do Brasil, a cidade é uma das mais antigas da América e, uma das primeiras cidades planejadas. Primeira capital do Brasil, Salvador reúne o presente e o passado em perfeita harmonia e, levando-se em conta a topografia da cidade - dividida em Alta e Baixa – fica fácil mapeá-la e vislumbrar os atrativos escancarados em cada esquina. Além disso, Atrativos não faltam: arquitetura, música e culinária de influência africana. Além do turismo, sua economia gira em torno também como porto exportador e centro administrati-

Salvador

Bahia de todos os Santos

vo. Desde 2014 está em segundo lugar no ranking de maior Produto Interno Bruto (PIB) dentre os municípios nordestinos. É no verão, entretanto, que a capital baiana ganha ainda mais brilho, com as festas populares que arrastam multidões atrás de imagens religiosas e, claro, dos trios elétricos. De dezembro até o Carnaval, são muitos os homenageados – do Senhor do Bonfim ao Rei Momo. Conhecida como a “Capital da Diversão” por suas exuberantes comemorações carnavalescas – que no calendário oficial podem durar até 1 semana – Salvador exala arte e música contemporânea em meio à arquitetura que se manteve intacta desde o século XVII. É na parte alta que fica o colorido Pelourinho, bairro histórico e tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Em suas ruas e vielas estão centenas de casarões dos séculos 17 e 18 que abrigam de museus a terreiros de candomblé, além de templos católicos que atraem estudiosos do mundo todo – é o caso da

Salvador Bahia of all Saints Founded as São Salvador da Bahia de Todos os Santos, Bahia’s capital has already had many nicknames, such as: city of much glory, capital of happiness and Black Rome. The mix of races, cultures and creeds, receiving generous doses of happiness and syncretism, granted Salvador a unique and awesome mood that attracts Brazilians and foreigners throughout the year. First seat for the Portuguese colonial administration in Brazil, the city os one of the oldest in the Americas and one of the first planned cities. First capital of Brazil, Salvador assembles the present and the past in perfect harmony and, considering the city’s topography – divided into High and Low – it is easy to map it and glimpse the wide-open attractions at each corner. And there are heaps of attractions: architecture, music, and African influence culinary. Besides tourism, its economy evolves also as exporting port and administrative center. Since 2014 it is in second place in the largest Gross Domestic Product (GDP) among northeastern municipalities. It is in the summer, however, that the capital of the state of Bahia becomes even brighter, with the popular festivities that bring crowds after religious images and, of course, the trios elétricos. From December until Carnaval, many are paid tribute to – from Senhor do Bonfim to Rei Momo. Known as the “Entertainment

igreja de São Francisco, considerada a obra barroca mais rica do país. Para chegar à parte baixa de cidade é preciso entrar, literalmente, em um dos cartões-postais de Salvador: o Elevador Lacerda, que faz a ligação entre os dois pontos. Uma vez à beira da Baía de Todos-os-Santos, explorar as praias é fundamental. Entre as urbanas, Porto da Barra é a mais democrática e movimentada. Afastadas do Centro, Itapuã, Stella Maris e Flamengo têm águas limpas e trânsito intenso nos fins de semana. No meio do caminho, o bairro do Rio Vermelho reúne os boêmios e os fãs dos mais famosos acarajés de Salvador. Já no quesito gastronomia, aliás, as ofertas vão muito além do bolinho recheado com vatapá e camarão seco. As receitas típicas, que mesclam com perfeição ingredientes indígenas, africanos e portugueses, levam à mesa delícias como bobó, moqueca e caruru, sempre perfumados pelo azeite-de-dendê.

Capital” for its exuberant Carnaval celebrations – that in the official calendar may last up to 1 week – Salvador exhales contemporary art and music amidst architecture almost intact since the 17th century. Pelourinho, historical neighborhood which is part of Unesco’s Cultural Heritage is located in the high part of the city. At its streets and alleys, you will find hundreds of 17th and 18th century houses home for museums to Candomblé terreiros, and also Catholic venues attracting scholars from all over the world – this is the case of Igreja de São Francisco, considered the country’s richest baroque work. In order to reach the city’s low part it is necessary, literally, to enter into one of Salvador’s postal cards: Elevador Lacerda, connecting the two places. Once at the margin of the Baía de Todos-os-Santos, exploring the beaches is mandatory. Amongst the urban beaches, Porto da Barra is the most democratic and busy. Far from downtown, Itapuã, Stella Maris and Flamengo have clear water and intense traffic on the weekends. The borough of Rio Vermelho, midway, is home for bohemians and lovers of Salvador’s most famous acarajés. Now, regarding gastronomy, the offers go far beyond the dumplings filled with vatapá and dry shrimp. Typical recipes mixing with perfection Indigenous, African and Portuguese ingredients bring to the table delicacies such as bobó, moqueca and caruru, always perfumed by azeite-de-dendê.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Embratur

Bahia: Capital Salvador População estimada 2016: 15.276.566 População 2010: 14.016.906 Área 2015 (km²): 564.732,642 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 24,82 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): 736 Número de Municípios: 417

91


Turismo

Ceará

Os setores de serviços e indústria lideram a economia

Depois de diversas tentativas, o Estado cresceu, deixando de lado a agropecuária

92

Ceará: Capital Fortaleza População estimada 2016: 8.963.663 População 2010: 8.452.381 Área 2015 (km²): 148.887,632 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 56,76 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$680 Número de Municípios: 184 so de expansão. Atualmente o couro é uma matéria prima fundamental para a indústria cearense, seguido pelo vestuário, alimentício, químico, siderúrgico e metalomecânica. O incentivo também está no polo de floricultura, onde a Secretaria da Agricultura Irrigada (Seagri) promove uma política de apoio, fato que já faz do Ceará o segundo maior exportador de flores frescas cortadas, atrás somente de São Paulo. Outro setor em constante ascensão é a produção de frutas, onde destaca-se a banana, a laranja, o coco, a castanha de caju, o abacaxi e o melão. O turismo é uma atividade de fundamental importância para a economia estadual. Essa atividade tem atraído redes internacionais de hotéis e empresas de serviço e comércio. Com isso, o Ceará recebe mais de 2 milhões de turistas anualmente.

r mbratu Foto: E

A

invasão portuguesa foi mais tardia no território cearense em relação aos demais Estados litorâneos do Brasil. A tentativa de cultivo da cana-de-açúcar no Ceará foi falha. A criação de gado acabou sendo a mola propulsora da economia local, a partir da segunda metade do século XVII. Entretanto, a estiagem intensa prejudicou a criação de gado. Assim, o cultivo de algodão passou a ser o expoente da economia cearense, que logo foi sobreposto pela indústria. No período de seis décadas (1950 a 2010), centenas de empresas nacionais e internacionais se instalaram no Estado, atraídas por incentivos fiscais e pela mão de obra barata. Isso colocou o Ceará como o terceiro maior polo industrial do Nordeste (atrás da Bahia e Pernambuco). Por um lado, foi muito boa para a economia local, entretanto, em meados de 2016 o Governo do Ceará decidiu reduzir em 10% os benefícios fiscais da indústria e do comércio por um período de 24 meses, a partir da criação de um Fundo de Estabilização Fiscal (FEF). Até o fechamento deste anuário o projeto de lei estava em discussão na Assembleia Legislativa e, ainda precisaria passar por aprovação para virar Lei. O segmento industrial é bem diversificado e está em constante proces-


Fortaleza

Metade da economia cearense se concentra na capital

A

Ceará Services and industry sectors lead the economy After many attempts, the state grew leaving agriculture and stockbreeding aside The Portuguese invasion occurred later in Ceará if compared to the other Brazilian coast states. The attempt to harvest sugarcane in Ceará failed. Stockbreeding ended up being the propulsion for local economy, starting in the later part of the 17th century. However, the intense droughts impaired stockbreeding. Thus, cotton harvesting became the exponent for the economy of Ceará, and soon overcome by industries. In the period of six decades (1950 to 2010), hundreds of national and international companies settled in the state, attracted by tax incentives and cheap labor. This placed Ceará as the northeast’s third industrial hub (behind Bahia and Pernambuco). On one hand, this was good for the local economy, however, in mid 2016 the government of Ceará decided to lower in 10% the industry and commerce’s tax benefits for a period of 24 months, from the creation of a Tax Stabilization Fund (FEF). Until the closing of the present yearbook, the bill was being discussed at the state’s legislative and would still need to be sanctioned to become law. The industrial segment is diversified and is in constant expansion. Presently, leather is a key raw material for the state’s industry,

followed by clothing, food, chemical products, steel industry and metalworking. The incentive is also at the floriculture hub, where the Department of Irrigated Agriculture (Seagri) promotes a policy of support, fact that has already turned Ceará into the second largest freshly cut flower exporter, behind only the state of São Paulo. Another sector in constant rise is fruit production, with main products being banana, orange, coconut, cashew nut, pineapple and melon. Tourism is an activity of key importance to the state economy. This activity has attracted international hotel chains and service and commerce companies. Thus, Ceará hosts over 2 million tourists annually. Ceará: Capital Fortaleza Estimated population 2016: 8,963,663 Population 2010: 8,452,381 Area 2015 (km²): 148,887.632 Demographic density 2010 (inhab/km²): 56.76 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Real): R$ 680 Number of municipalities: 184 Fortaleza Half of the state’s economy is concentrated in the capital Aside from the wonderful touristic spots and beaches – which are some of the main touristic spots, but not the only ones – Fortaleza’s metro-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

politan region is also the place with the highest concentration of industries in Ceará. It is not by chance that half of the state’s economy is concentrated in the capital. The tip is visiting from the wonderful beaches, such as Meireles, Mucuripe, Iracema and Praia do Futuro, through the historical downtown area and its museums, Arte Contemporânea and Ceará, and also theaters such as Teatro José de Alencar and their architectural beauties. Handicraft is part of the state’s culture and, in order to see the local handicraft work, two places are great: Mercado Central and Feira de Artesanato da Av. Beira Mar. Also to feel the local culture, try to watch some folkloric manifestations, amongst them the Bumba-meu-Boi, also known in the region as the BoiCeará, Dança do Coco, a tradition that came with the Africans, the indigenous dance Torém, the Maracatu, and also the guitarists, singers, and the “emboladores”, a typical northeastern tradition, where music criticizes society. All of them are hugely important to Fortaleza’s culture and most of them came from the mix of peoples that settled in the region – fusion of white, African and indigenous customs. And lastly - but not less important – have in your itinerary an entire day dedicated to the Beach Park, one of Brazil’s most famous water parks.

Foto: Embratur

lém dos belíssimos pontos turísticos e praias – que são alguns dos principais pontos turísticos, mas não são os únicos - a Região Metropolitana de Fortaleza é também o local com a maior concentração de indústrias no Ceará. Não é à toa que metade da economia cearense se concentra na capital. A dica é conhecer desde as belíssimas praias, como Meireles, Mucuripe, Iracema e a Praia do Futuro; passando pelo centro histórico e seus museus de Arte Contemporânea e do Ceará, além do Teatro José de Alencar e suas belezas arquitetônicas. Artesanato faz parte da cultura do Ceará e, para conhecer peças do artesanato local, dois ótimos lugares são o Mercado Central e a Feira de Artesanato da Av. Beira Mar. Para sentir também a cultura local, procure assistir algumas manifestações folclóricas, entre elas o Bumbameu-Boi, também conhecido na região como Boi-Ceará; a Dança do Coco, uma tradição que veio dos negros; a dança indígena Torém, o Maracatu, e ainda os violeiros, cantadores e emboladores, uma tradição típica do Nordeste, onde a música faz críticas à sociedade. Todas essas têm papel de grande importância na cultura de Fortaleza e grande parte delas veio da mistura de povos que se formou na região – a fusão de costumes entre brancos, negros e índios. E por último – e não menos importante - , insira no roteiro um dia todo dedicado ao Beach Park, um dos parques aquáticos mais famosos do Brasil.

93


Turismo

Distrito Federal

Importante centro econômico A Capital Federal é também uma das mais ricas do Brasil

E

não poderia ser diferente! A economia de Brasília sempre teve como principais bases a construção civil e o varejo. Foi construída em terreno totalmente livre, portanto ainda existem muitos espaços nos quais se pode construir novos edifícios. À medida que a cidade recebe novos moradores, a demanda pelo setor terciário aumenta, motivo pelo qual a cidade tem uma grande quantidade de lojas, com destaque para o Conjunto Nacional, localizado no centro da capital. Além disso está entre as áreas urbanas de maior índice de renda per capita do Brasil. A cidade é relativamente jovem (inaugurada em 21 de abril de 1960), entretanto, ao contrário do que convencionalmente se imagina, o presidente Juscelino Kubitschek não inventou Brasília, apenas a construiu, cumprindo um preceito constitucional que previa a transferência da capital

94

do país para o centro geográfico do imenso território brasileiro. A capital, contudo, também revela uma “vontade de nação”. A cidade é portadora de um projeto de país, de uma ideia de grandeza, através dos traços modernistas de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Brasília foi erguida no meio do cerrado, em menos de quatro anos, a partir de uma concepção modernista de urbanismo e arquitetura. A cidade tem um estatuto único no País, já que é uma divisão administrativa distinta de um município legal e composta por 31 regiões administrativas, das quais apenas uma é o centro da cidade: a Região Administrativa, que é basicamente formada pelo Plano Piloto e Parque Nacional de Brasília. O Distrito Federal, portanto, acumula características de município e estado, sendo que as suas outras regiões administrativas, também chamadas “cidades-satélites”, não são tratadas como municípios.

Federal District Important economic hub The Federal Capital is also one of the richest cities in Brazil And it could not be different! Brasília’s economy has always had civil construction and retail as the main engines. Brasília was built in a completely free soil, thus there are still many spaces where to build new buildings. Insofar as the city receives new residents, the demand for the tertiary sector increases, reason why the city has a great number of stores, emphasis given to the Conjunto Nacional, located in the heart of the capital. The city is also amongst the urban areas with the greatest per capita incomes in Brazil. The city is relatively young (inaugurated on 21 of April of 1960), however, contrary to what is conventionally imagined, president Juscelino Kubitschek did not invent Brasília, he only built it, fulfilling a constitutional precept that provided for the transfer of the country’s capital to the geographic center of the immense Brazilian territory. The capital, however, also reveals a “will of a nation”. The city bears a country’s project, with an idea of greatness, through the modernist traces of Lúcio Costa and Oscar Niemeyer. Brasília was edified in the middle of the savanna, in less than four years, from a modernist conception of urbanism and architecture. The city has a unique statute for the country, as it is an administrative division distinct from a legal municipality and composed by 31 administrative regions, of which only one is the city center: the Administrative Region, basically formed by Plano Piloto and Parque Nacional de Brasília. The Federal District, thus, accumulates characteristics of municipality and state, with its other administrative regions, also called “satellitecities”, not treated as municipalities.


Distrito Federal: Capital Brasília População estimada 2016: 2.977.216 População 2010: 2.570.160 Área 2015 (km²): 5.779,999 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 444,66 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$2.252 Número de Municípios: 1

Brasília

Um museu a céu aberto

C

lassificada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, Brasília recebe aproximadamente um milhão de visitantes anualmente e impressiona pela sua beleza e requinte. Quem visita a cidade pela primeira vez, não tem como não ficar encantado por tanta beleza arquitetônica. O projeto urbanístico de Brasília foi projetado por Lúcio Costa, vencedor do concurso de 1957 para o Plano da Nova Capital e, teve como sua forma inspirada por um avião, além de obras de Oscar Niemeyer em cada esquina. Ao todo são mais de cinquenta os prédios e monumentos que surgiram dos rabiscos do mais famoso arquiteto brasileiro. Portanto, seria impossível listá-los todos aqui. Mas sem dúvida vale a pena conhecer cada uma delas pessoalmente. O Congresso Nacional, uma das mais emblemáticas da cidade, composto por duas cúpulas. A maior, convexa, é sede da Câmara dos Deputados, e a menor, côncava, abriga o Senado Federal. Apesar dos turistas adorarem teorizar sobre o seu significado, Niemeyer oficialmente dizia que seu valor é meramente estético. Outro belo cartão postal da cidade, revestido de mármore branco, é o Palácio do Planalto. Outro espetáculo de Niemeyer é a Catedral Metropolitana. Primeira obra monumental construída em Brasília, possui um formato que lembra a coroa de espinhos de Jesus, formada por 16 pilares que se unem no topo. O campanário composto por quatro grandes sinos completa o conjunto arquitetônico. Os vitrais são da artista Marianne Peretti. Teatro Nacional, Palácio da Alvorada, Memorial JK, Palácio do Itamaraty, Torre de TV...são muitas belezas e pouco espaço neste capítulo para ponderarmos todas. Falando novamente sobre o projeto da cidade, ela é única e extremamente lógica. O formato de avião é real? Acredite se quiser, tem até asas! Aquela história de que tudo é dividido por setores parece um absurdo? É a pura verdade. A Rodoviária, no Eixo Monumental, é o centro de tudo. A partir dela os endereços ganham números crescentes tanto de norte a sul quanto de leste a oeste. Ela é o marco zero. Basta seguir os pontos cardeais para não se perder! blematic works in the city, is composed of two domes. The larger one, convex, is home of the Chamber of Deputies, and the smaller one, concave, has the Federal Senate. Despite tourists theorizing about its meaning, Niemeyer officially stated that its value is merely aesthetic. Another of the city’s beautiful post cards, covered in white marble, is the Palácio do Planalto. Another of Niemeyer’s spectacles is the Catedral Metropolitana. First monumental work built in Brasília, it has a format that remits to Jesus’s crown of thorns, formed by 16 pillars united at the top. The bell tower is composed by four large bells and complements the architectural complex. The stained glasses are from artist Marianne Peretti. Teatro Nacional, Palácio da Alvorada, Memorial JK, Palácio do Itamaraty, Torre de TV... many wonders and little space in this chapter for us to ponder all. Again, speaking of the city’s architectural pro-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

ject, it is unique and extremely logical. Is the airplane format real? Believe it, it even has wings! Does that story about all being divided by sectors seem absurd? It is the purest truth. The Bus Station at Eixo Monumental, is the center of everything. From it addresses gain crescent numbers to north and south, east and west. It is ground zero. Just follow the cardinal points and you won’t get lost!

Distrito Federal: Capital Brasília Estimated population 2016: 2,977,216 Population 2010: 2,570,160 Area 2015 (km²): 5,779.999 Demographic density 2010 (inhab/km²): 444.66 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 2,252 Number of municipalities: 1

Foto: Embratur

Brasilia Open sky museum Classified as Unesco’s World Heritage, Brasília welcomes annually approximately 1 million visitors and impresses for its beauty and sophistication. Those visiting the city for the first time will definitely be amazed by such architectural beauty. Brasília’s urbanistic project was developed by Lúcio Costa, winner of the 1957 competition for the New Capital Plan and had its shape inspired by and airplane, and also Oscar Niemeyer works at every corner. Altogether, there are over fifty buildings and monuments developed from sketches from Brazil’s most famous architect. Therefore, it would be impossible to list them all here, but there is no question that it is worth while checking out all of them in person. The National Congress, one of the most em-

95


Turismo

Espírito Santo O “rei” do petróleo

Segundo maior produtor do Brasil, o Estado teve um forte crescimento

C

96

r Foto: Embratu

Foto: Embratur

om a descoberta de grandes reservas petrolíferas em 2002, o Estado passou da sexta para a segunda posição entre os detentores das maiores reservas do País. Aumentou de forma significativa sua produção de petróleo e gás natural, permanecendo inferior apenas à do Rio de Janeiro. Além disso, a economia do Espírito Santo também tem o comércio como principal atividade, está entre os cinco primeiros Estados exportadores do país. Vitória abriga os principais portos: Tubarão e Vitória. O setor industrial, responsável por 34,5% do PIB estadual, destaca-se pelos segmentos, alimentício, madeireiro, fabricação de celulose, siderúrgico e têxtil. A agricultura baseia-se nos cultivos de arroz, feijão, café, legumes, cana-de-açúcar e diversas frutas (nas áreas litorâneas há plantações de banana, abacaxi, mamão, maracujá e limão, enquanto que nas montanhas são

cultivados, morango e uva). O Estado é o segundo maior produtor de café em grãos do Sudeste, atrás somente de Minas Gerais. Durante os anos de 2014 e 2015, apesar da crise no país todo, o Espírito Santo seguia caminhos opostos, com trimestres consecutivos em alta. O desempenho positivo da economia do Estado foi mantido até o terceiro trimestre de 2015, quando o crescimento chegou a 2,4%. Mas houve uma brusca ruptura na última parte do ano, havendo um decréscimo de 6,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior. A causa disso foi o rompimento da barragem de rejeito de minérios em Mariana (MG), que provocou a paralisação das atividades da Samarco no Espírito Santo. Esse problema impactou a indústria extrativa capixaba, que declinou 24,1% no período, provocando uma retração de 11,1% no PIB trimestral. O “problema” ainda não foi resolvido e a economia continua estagnada.

Espírito Santo: Capital Vitória População estimada 2016: 3.973.697 População 2010: 3.514.952 Área 2015 (km²): 46.089,390 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 76,25 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.074 Número de Municípios: 78


Arquipélago composto por 33 ilhas e por uma porção continental

Foto: Em bratur

Vitória

O

crescimento do turismo de negócios não tirou de Vitória o charme de suas praias ou de suas tradições históricas e gastronômicas. Pelo contrário - incentivou a melhoria da infraestrutura de serviços, como novos hotéis e restaurantes, além de incrementar as opções de lazer. A Ilha de Vitória é formada por um arquipélago composto por 33 ilhas e por uma porção continental, totalizando 93,38 quilômetros quadrados. As paisagens da cidade encantam a quem chega, quer seja de avião, navio ou pela via terrestre. É verdade que Vitória não é uma cidade com muitos pontos turísticos, mas há lugares bem interessantes para conhecer. Como a cidade já tem muitos anos de fundação (1551), portanto, edifícios antigos estão presentes na paisagem cotidiana dos moradores, especialmente no centro da cidade. São igrejas, palácios, casarios e escadarias, localizados em quase todo o centro. Arborizada, a capital conta, ainda, com diversos parques verdes ótimos para relaxar numa tarde, como o Parque da Vale. A culinária capixaba também deve fazer parte do roteiro, são delícias que vão da torta e a moqueca, o muma de siri e a caranguejada, tudo isso preparado na tradicional panela de barro. Apesar dos diversos atrativos, não se prenda apenas à Vitória e visite também as outras cidades da região metropolitana para complementar seu passeio.

Espírito Santo “king” of oil Brazil’s second largest producer, the state had huge growth With the discovery of large oil reserves in 2002, the state went from sixth to second spot among the holders of the country’s largest reserves. It significantly increased its oil and natural gas production, now only inferior to that of Rio de Janeiro. Furthermore, Espírito Santo’s economy also has commerce as main activity, and is among the country’s first five exporter states. Vitória is home of the main ports: Tubarão and Vitória. The industrial sector, responsible for 34.5% of the State GDP, highlights the food, wood, cellulose manufacturing, steel and textile segments. Agriculture is based on rice, beans, coffee, vegetables, sugarcane, and several fruits (at the coastline there are banana, pineapple, papaya, passion fruit and lemon crops, and at the mountains we have strawberries and grapes). The state is the southeast’s second largest coffee in grain producer, behind only Minas Gerais. During the years of 2014 and 2015, despite the country’s crisis, Espírito Santo would follow a different path, with consecutive high quarters. The positive development of the state’s economy was maintained until the third quarter of 2015, when the growth reached 2.4%. but there was a sudden rupture on the trend in the last part of the year, with a decrease of 6.5% compared to the previous quarter.

Espírito Santo: Capital Vitória Estimated population 2016: 3,973,697 Population 2010: 3,514,952 Area 2015 (km²): 46,089.390 Demographic density 2010 (inhab/km²): 76.25 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,074 Number of municipalities: 78

The reason for that was the rupture of ore tailings dam in Mariana (MG), causing the interruption of activities for company Samarco in Espírito Santo. Such problem impacted the state’s extractive industry, which declined 24.1% in the period, resulting in a 11.1% retraction in the quarterly GDP. The “problem” is yet to be solved and the economy remains stationary. Vitória Archipelago composed of 33 islands and a continental portion The business tourism growth did not obscure the charm of Vitória’s beaches or historical and gastronomic attractions. On the contrary – it stimulated the improvement of the service infrastructure, in hotels and restaurants, besides incrementing leisure options. The Island of Vitória is formed by an archipelago with 33 islands and a continental portion, totaling 93.38² kilometers. The city’s landscapes amaze those arriving by airplane, boat or land. It is a fact that Vitória does not have many touristic spots, but there are extremely interesting places to be seen. As the city has been founded for a long period (1551), many old buildings are present in the resident’s everyday landscape, especially downtown, with churches, palaces, houses, and stairways almost everywhere. Forested, the capital has several green parks excellent for relaxing on an afternoon, such as Parque da Vale. The state’s cuisine must also be part of the itinerary, with delicacies from pies and moqueca, the muma de siri and the caranguejada, all prepared in the traditional clay pot. Despite the many attractions, do not stay only in Vitória and also visit other cities in the metropolitan region, to complete your tour.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

97


Turismo

Goiás

Repleto de latifúndios rurais O Estado apresenta extensas áreas de pastagens e lavouras

Foto: Embratur

Q

98

uase metade do território goiano é formada por latifúndios rurais, ou seja, propriedades com mais de mil hectares. Neste cenário econômico, a agropecuária goiana tem grande importância, uma vez que sua produção de carnes e grãos impulsiona a exportação estadual. É também um dos maiores produtores de tomate, milho e soja do Brasil, detendo 33% da produção nacional e a maior parte dos grãos produzidos em Goiás é isenta de ICMS. A pecuária, por sua vez, também está em constante expansão - no caso da circulação interna do gado bovino, o produtor fica isento do pagamento de ICMS.. O Estado possui, atualmente, o terceiro maior rebanho bovino do país. Além disso, o Estado possui reservas minerais, que, entre elas, destacam-se os municípios de Minaçu (extração de amianto), Niquelândia e Barro Alto (níquel), além de Catalão (fosfato). A indústria goiana é responsável por 27% do PIB regional, esse setor da economia vem se diversificando constantemente. O turismo é outra atividade de fundamental importância para a economia goiana. As cidades de Caldas Novas e Rio Quente, principais estâncias hidrotermais do país, atraem milhares de visitantes. O turismo histórico é cultuado na Cidade de Goiás (Goiás Velho), Corumbá e Pirenópolis. Na região da Chapada dos Veadeiros e do Rio Araguaia, o turismo ecológico é proporcionado.

Goiás: Capital Goiânia População estimada 2016: 6.695.855 População 2010: 6.003.788 Área 2015 (km²): 340.110,385 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 17,65 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.077 Número de Municípios: 246


Goiânia

Melhor cidade brasileira em qualidade de vida Goiás Full of rural latifundiums The state presents extensive pastures and crops Almost half of the territory of the state of Goiás is made up of rural latifundiums, that is, properties over one thousand hectares. In this economic scenario, the state’s agriculture and stockbreeding is extremely important, once the production of meat and grains boosts state exports. It is also one of the biggest producer of tomatoes, corn and soy in Brazil, with 33% of the national production, and most of the grains produced in the state of Goiás are exempt of taxes (ICMS). Stockbreeding, is also in constant expansion – for the internal circulation of bovines, the producer is exempt of taxes (ICMS). The state presently has the country’s third bovine herd. Furthermore, the state has mineral reserves, with emphasis to the municipalities of Minaçu (asbestos extraction), Niquelândia and Barro Alto (nickel), and also Catalão (phosphate). The state’s industry is responsible for 27% of the regional GDP, and this sector of the economy has constantly diversifying itself. Tourism is another key activity for its economy. The cities of Caldas Novas and Rio Quente, main hydrothermal spas in the country, attract thousands of visitors. Historical tourism is huge in Cidade de Goiás (Goiás Velho), Corumbá and Pirenópolis. In the region of the Chapada dos Veadeiros and Rio Araguaia, you will find ecotourism. Goiás: Capital Goiânia Estimated population 2016: 6,695,855 Population 2010: 6,003,788 Area 2015 (km²): 340,110.385 Demographic density 2010 (inhab/km²): 17.65 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,077 Number of municipalities: 246

A

capital e maior cidade do Estado de Goiás, tem um charme único que combina o colorido e o perfume das flores espalhados pela cidade entre uma grande variedade de jardins, parques e bosques. Por isso, e muito mais, Goiânia está no ranking das melhores cidades brasileiras em qualidade de vida. Vale a pena dar uma relaxada e respirar o ar puro, sem pressa, longe de toda a agitação. O Bosque dos Buritis é um deles. Considerado o patrimônio paisagístico da cidade. Além do aroma das flores, a cidade segura o visitante pelo cheirinho que sai da panela. A cozinha típica da região é de origem indígena com a mescla das influências da culinária mineira e paulista. Essa mistura tem um tempero inesquecível. Peixe assado na telha, galinhada, carne de sol com legumes, pernil assado com farofa na manteiga, leitão pururuca, frango com pequi, empadão goiano (leva frango, carne de porco, guariroba, linguiça e queijo). Pamonha, curau, doces de cascas de frutas, frutas cristalizadas, biscoito de queijo e muito mais. As delícias podem ser saboreadas nas feiras espalhadas pela cidade e também nos muitos restaurantes típicos. A cultura também marca presença com uma boa seleção de galerias de arte, universidades, cinemas, museus e monumentos que movimentam as ruas e garantem animação aos milhares de turistas todos os anos e fazem parte de um cotidiano dinâmico, que logo influencia o dia a dia dos visitantes. Difícil apontar qual é a melhor programação. Contudo, um passeio imperdível, é o Monumento às Três Raças, símbolo da cidade, na Praça Doutor Pedro Ludovico Teixeira, no Centro. Ao projetá-la, em 1968, a artista plástica Neusa Moraes simbolizou a miscigenação das três raças: o branco, negro e índio, presentes no sangue do povo goiano.

Goiania Best Brazilian city in quality of life State of Goiás capital and biggest city, has a unique charm that combines with the colors and the perfume of flowers scattered through the city in a huge variety of gardens, parks, and woodlands. This is why Goiânia is in the ranking of the best Brazilian cities regarding quality of life. It is worthwhile to relax and breath the fresh air, with no hurry, away from all the agitation. Bosque dos Buritis is one of these places, considered one of the city’s landscaping heritage. Aside from the flower bouquets, the city holds the visitor by the smell from out of the cooking pots. The regional typical cuisine is of indigenous origin and mixes with Minas Gerais and São Paulo cuisine influences. Such mix has an unforgettable seasoning. Fish baked on the tile, galinhada, sun-dried meat with vegetables, baked pernil with farofa na manteiga, leitão pururuca, frango com pequi, empadão goiano (with chicken, pork, guariroba, sausage and cheese). Pamonha, curau, sweets made of fruit peels, crystalized fruit, cheese biscuits and much more. Delicacies may be savored at the fairs scattered throughout the city and also in the many typical restaurants. Culture is also present with a good selection of art galleries, universities, movie theaters, museums and monuments that move the streets and assure excitement to thousands of tourists visiting every year and which are part of a dynamic daily life, which soon enough influences the visitors’ days. It is hard to determine which is the best program, however, a must do tour in to Monumento às Três Raças, city symbol at Praça Doutor Pedro Ludovico Teixeira, downtown. When designing it in 1968, visual artist Neusa Moraes symbolized the blending of three races: white, Africans and indigenous, present in the blood of the people from the state of Goiás.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

99


Turismo

Maranhão Novo ciclo industrial

A construção da maior refinaria da América Latina mudará a economia do Estado

O

100

: Foto

ratur Emb

Foto: Embratur

Foto: E mbratu r

Maranhão: Capital São Luís projeto para a construção da maior refinaria da AmériPopulação estimada 2016: 6.954.036 ca Latina e, uma das maiores do mundo, foi divulgado População 2010: 6.574.789 pela Petrobrás em 2015, entretanto, o projeto foi arquiÁrea 2015 (km²): 331.936,955 vado após dos escândalos envolvendo a empresa. A Refinaria PreDensidade demográfica 2010 (hab/km²): 19,81 mium proporcionaria um novo ciclo industrial no Estado, além de Rendimento nominal mensal domiciliar per capita 132 mil empregos diretos e indiretos. Porém, tanto os brasileiros, da população residente 2015 (reais): R$509 quanto os maranhenses podem ficar animados novamente. Número de Municípios: 217 Segundo a agência de notícias Reuters divulgou no final de 2016, o Irã tem interesse em investir na construção das refinarias Premium I, no Maranhão, e Premium II, no Ceará. Ainda de acordo com a Reuters, a ideia dos iranianos seria trazer o óleo até o Brasil, refiná-lo no Nordeste e vender os derivados no mercado brasileiro. O sonho está bem próximo, mas enquanto a Refinaria não sai do papel, vamos falar sobre a economia atual. A indústria, que representa 17,9% do PIB maranhense, baseia-se nos setores: metalúrgico, madeireira, extrativismo, alimentício e químico. Na agricultura, destacam-se os cultivos de cana-de-açúcar, mandioca, soja, arroz e milho. Com uma costa litorânea de 640 quilômetros, a segunda mais extensa do país, apresentando-se inferior apenas à Bahia, o Maranhão tem na pesca, importante atividade econômica. O turismo é outro segmento fundamental para a economia estadual, as belas praias, os Lençóis Maranhenses, além do turismo cultural e religioso, atraem milhares de visitantes. É importante lembrar ainda que, durante muitas décadas, o Maranhão esteve praticamente isolado do restante dos estados brasileiros, porém, a partir dos anos de 1960 e 1970 foram desenvolvidos projetos de infraestrutura, sendo construídas linhas férreas e rodovias. O Estado foi interligado a outras regiões do Brasil, fato que proporcionou o escoamento da produção e consequente desenvolvimento econômico. Houve investimentos na agropecuária, extrativismo vegetal e mineral, estimulados por incentivos fiscais das Superintendências do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM) e do Nordeste (SUDENE).


São Luís

Uma gostosa viagem no tempo

A

pesar de fundada pelos franceses, coube aos portugueses darem à capital do Maranhão seu belíssimo estilo arquitetônico. Tombada pela Unesco, boa parte boa parte dos quase três mil sobrados e casarões, se espalham pelas ruas e praça do Centro Histórico, remetendo uma deliciosa viagem ao passado de prosperidade e ostentação. Hoje, os antigos solares dos barões abrigam espaços culturais, museus, lojas e restaurantes que pre-

servam em suas fachadas os coloridos azulejos portugueses. Porém, infelizmente, a conservação de boa parte dos imóveis deixa a desejar. Além da história, a cidade preserva culturas e tradições. O Bumba-Meu-Boi, representação folclórica que combina teatro, música e dança, atrai gente de todo o canto que chega para participar da colorida festa que toma conta das ruas nos meses de junho e julho. A capital maranhense, porém, exibe uma faceta moderna e lu-

Maranhão New industrial cycle The construction of Latin America’s largest refinery will change the state’s economy The project and construction of the largest refinery in Latin America and one of the largest in the world was revealed by Petrobrás in 2015, however, the project was dropped after a series of scandals involving the company. Premium Refinery would provide a new industrial cycle in the state, and also 132 thousand direct and indirect jobs. However, Brazilians and the people of the state of Maranhão can be excited once again. According to Reuters news from the end of 2016, Iran is interested in investing in the construction of refineries Premium I, in Maranhão, and Premium II, in Ceará. Also, according to Reuters, the Iranian idea would be to bring oil to Brazil, refine it in the northeast and sell the derivatives in the Brazilian market. The dream is very close to becoming reality, but while the refinery becomes reality, let us talk about the present economy. The economy, representing 17.9% of the state’s GDP, is based on the steel, wood, extractive, food, and chemical sectors. In agriculture, the emphasis is on sugarcane, manioc, soy, rice and corn crops. With a 640-kilometer coastline, the country’s second in extension, smaller only than Bahia’s, Maranhão has in fishing an important economic activity. Tourism is another key segment for the state economy, with beautiful beaches, the Lençóis Maranhenses, and also the cultural and religious tourism, attracting thousands of visitors. It is important to remember that for many decades Maranhão was practically isolated from the remaining Brazilian states, but from the 1960s and 1970s many infrastructure projects started being developed, with the construction of railway and road lines. The state was interconnected to other regions of Brazil, enabling the outflow of production and consequent economic development. There were investments in agriculture and stockbreeding, plant and mineral extractivism, stimulated by tax incentives from the Amazon (SUDAM) and Northeast (SUDENE) Development Superintendencies.

xuosa. Do outro lado do Rio do Anil está a parte nova de São Luís, ligada à área antiga pela ponte José Sarney. Por lá estão arranha-céus, shoppings centers, restaurantes sofisticados que servem pratos típicos como o arrozde-cuxá e bares ao redor da charmosa Lagoa da Jansen. As praias - de águas não tão azuis - também ficam nesta área. A maré costuma variar bastante ao logo do dia, ainda assim, dá para curtir um banho em Calhau, Olho D’Água e Araçagi.

Maranhão: Capital São Luís Estimated population 2016: 6,954,036 Population 2010: 6,574,789 Area 2015 (km²): 331,936.955 Demographic density 2010 (inhab/km²): 19.81 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 509 Number of municipalities: 217 São Luís An enjoyable journey through time Despite being founded by the French, the Portuguese were the ones that gave the capital of Maranhão its extremely beautiful architectural style. Unesco’s World Heritage, good part of the almost three thousand houses are scattered through streets and square of the Historical Downtown, remitting to a wonderful journey to a past of prosperity and ostentation. Today, the old baron houses are home of cultural complexes, museums, stores and restaurants that preserve on their façades the colorful Portuguese tiles. Unfortunately, the conservation of good part of the estates is in poor shape. Aside from history, the city preserves cultures and traditions. The Bumba-Meu-Boi, folkloric representation combining theater, music and dance, attracts people from all over, coming to take part in the colorful festivity, which takes over the streets in the months of June and July. The state capital, however, exhibits a modern and luxurious aspect. On the other side of Rio do Anil is the new part of São Luís, connected to the old area by José Sarney bridge. There you will find skyscrapers, shopping malls, sophisticated restaurants serving typical dishes such as arroz-de-cuxá, and bars surrounding the charming Lagoa da Jansen. The beaches – with no so blue waters – are also located in this area. The tide usually varies considerably throughout the day, even so, you can enjoy a dip at Calhau, Olho D’Água and Araçagi.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

101


Turismo

Mato Grosso

Sua economia se destaca na agropecuária Mas o setor industrial, de comércio e o turismo também merecem atenção

Foto: D iv

ulgaçã

o

O

Foto: Planetphoto

Mato Grosso: Capital Cuiabá População estimada 2016: 3.305.531 População 2010: 3.035.122 Área 2015 (km²): 903.198,091 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 3,36 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.055 Número de Municípios: 141

102

Estado de Mato Grosso é conhecido como o celeiro do país, por ser campeão na produção de soja, milho, algodão e de rebanho bovino. De acordo com o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), o agronegócio representa 50,5% do PIB do Estado. O que poucos sabem é que Mato Grosso, além de grãos, é o maior produtor de pescado de água doce do país, responsável por 20% da produção do Brasil, com 75,629 mil toneladas (IBGE 2013). Com todo este cenário favorável, o governado do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), está planejando um conjunto de ações para atrair investidores para Mato Grosso. Cinco eixos prioritários para esta transformação foram definidos pela secretaria. A partir de agora serão realizados estudos para reformular as políticas tributária, de atração de investimentos, logística e mão de obra. Os cinco setores com grande potencial de crescimento na região e que terão atenção especial do estado são agroindústria, turismo, piscicultura, economia criativa e polo joalheiro. Para isso, o Estado pretende reformular o Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic) e o sistema tributário estadual. Outro setor que deve ganhar mais atenção é o turismo. Atrações não faltam para o visitante: Cachoeiras, safaris, trilhas ecológicas, observação de pássaros, mergulho em aquários naturais. Seja no Pantanal, no Cerrado ou no Araguaia, Mato Grosso é o destino certo para quem gosta de ecoturismo e para quem planeja investir no segmento que mais cresce. Dados da Organização Mundial de Turismo (OMT) apontam que o ecoturismo cresce em média 20% ao ano, enquanto o turismo convencional apresenta uma taxa de aumento anual de 7,5%, conforme divulgado pelo Ministério do Turismo em 2014.


e cos B : Mar Foto

ascom rgam

Cuiabá

J

Mato Grosso: Capital Cuiabá Estimated population 2016: 3,305,531 Population 2010: 3,035,122 Area 2015 (km²): 903,198.091 Demographic density 2010 (inhab/km²): 3.36 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,055 Number of municipalities: 141

Cidade grande, com ar pitoresco

á falamos acima sobre o crescimento do turismo no Estado, mas a capital também não deixa por menos. Cuiabá oferece opções de divertimento de cidade grande, como excelente gastronomia, uma belíssima parte histórica, além de boa infraestrutura de serviços e de hospedagens. Seu centro histórico, assim como em outras capitais brasileiras, foi construído no período colonial e ainda guarda parte da arquitetura da época. Embora, como também em algumas cidades do País, muitos patrimônios foram influenciados pelos avanços demográficos e econômicos da capital, é possível encontrar (e visitar) lugares como: o Calçadão de Cuiabá, o Museu Histórico de Mato Grosso e a sede do Sesc Artesanal. Mato Grosso também divide com seu Estado vizinho, Mato Grosso do Sul, um dos destinos mais exóticos do Brasil. É no Pantanal que as fronteiras parecem não existir, dando espaço apenas para a natureza em sua maior plenitude. Considerado pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera, a região reúne características únicas: ao sul, a maior área fica com o Estado de Mato Grosso do Sul, e ao norte, em Mato Grosso, a imensidão do Pantanal Amazônico.

Mato Grosso Its economy emphasizes in agriculture and stockbreeding But the industrial, trade and tourism sectors also deserve notice The state of Mato Grosso is known as the country’s barn, for being champion in production of soy, corn, cotton, and cattle. According to the Mato Grosso Institute of Economy, Agriculture and Stockbreeding (Imea), agribusiness represents 50.5% of the state’s GDP. What few people know is that Mato Grosso, besides grains, is the biggest producer of fresh water fish in the country, responsible for 20% of Brazil’s production, with 75.629 thousand tons (IBGE 2013). With such a favorable scenario, the state governor, through the Economic Development Dedpartment (Sedec), is planning a set of actions to attract investors to Mato Grosso. Five prioritary axis for such transformation were defined by the Department. From now on, surveys will be performed to reformulate tax, investment caption, logistic and labor policies. The five sectors with high potential for growth in the region and which will have full attention of the state are agribusiness, tourism, fish farming, creative economy and jeweler hub. For that, the state is determined to reformulate the Mato Grosso Industrial and Commercial Development Program (Prodeic) and the state tax system. Another sector which shall receive closer attention is tourism. There are plenty of attractions for the visitor: waterfalls, safaris, ecologic trails, bird watching, diving in natural aquariums. Be it in Pantanal, Cerrado or Araguaia, Mato Grosso is a sure destination for those who

enjoy ecotourism and for those planning on investing in the segment with the biggest growth. Data from the World Tourism Organization (WTO) state tourism grows on average 20% per year, while conventional tourism shows an annual growth rate of 7.5%, as provided by the Ministry of Tourism in 2014. Cuiaba Big city with picturesque air We have already mentioned above about the growth of tourism in the State, but the capital also leaves no less. Cuiabá offers great city fun options, such as excellent gastronomy, a beautiful historical part, and good infrastructure of services and lodging. Its historical center, as in other Brazilian capitals, was built in the colonial period and still conserves part of the architecture of the time. Although, as in some cities of the country, many heritage sites have been influenced by the demographic and economic advances of the capital, it is possible to find (and visit) places such as: the Cuiabá Boardwalk, the Historical Museum of Mato Grosso and the headquarters of SESC Artesanal. Mato Grosso also shares with its neighboring state, Mato Grosso do Sul, one of the most exotic destinations in Brazil. It is in the Pantanal that borders do not seem to exist, giving space only to nature in its greatest fullness. Considered by UNESCO as a World Natural Heritage and Biosphere Reserve, the region has unique characteristics: to the south, the largest area is with the State of Mato Grosso do Sul, and to the north, in Mato Grosso, the immensity of the Amazon Pantanal.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

103


Turismo

Mato Grosso do Sul Destaque para o turismo

a err Foto: Ichiro Gu

Foto: Haroldo Palo Jr

104

Sua economia está baseada na produção rural (animal, vegetal, extrativa vegetal e indústria rural), indústria, extração mineral, turismo e prestação de serviços. No turismo destaca-se Bonito, onde as pessoas buscam para fazer ecoturismo. Para preservar o frágil ecossistema tudo é muito organizado. É preciso se programar com antecedência e fazer reserva para os passeios são feitos sempre com a companhia de um guia, em horários pré-definidos e com número limitado de visitantes. A maioria das atrações estão em áreas particulares. É preciso pagar para fazer os passeios, mergulhos ou rapel. Mas vale muito a pena!

Mato Grosso do Sul: Campo Grande População estimada 2016: 2.682.386 População 2010: 2.449.024 Área 2015 (km²): 357.145,534 Densidade demográfica 2010 (hab/ km²): 6,86 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.045 Número de Municípios: 79

Foto: Divulgação

A

tividades econômicas são atividades exercidas pelas pessoas que geram renda, que é o mesmo que recursos financeiros, promovem a criação de empregos e fazem a economia crescer. Por isso o Estado do Mato Grosso do Sul está privilegiada, pois é vizinho de grandes centros produtores e consumidores do Brasil: Minas Gerais, São Paulo e Paraná, além de fazer fronteira com a Bolívia e o Paraguai. A principal área econômica do Estado é a do planalto da Bacia do Paraná, com seus solos florestais e de terra roxa. Nessa região, os meios de transporte são mais eficientes e os mercados consumidores da região Sudeste estão mais próximos.

Foto: Divulgação

O Estado possui um dos principais polos de ecoturismo do País


Campo Grande Trem é destaque entre os passeios na capital

U

m passeio imperdível, e novidade da capital, é a volta do Trem do Pantanal que, depois de 18 anos parado, volta a fazer uma das mais bonitas viagens do país. As composições partem de Campo Grande aos sábados rumo à cidade de Miranda. Das janelas, avista-se paisagens típicas (como o cerrado, rebanhos de gado e araras-azuis). Mas fique atento aos horários, pois a viagem de volta acontece aos domingos, ou seja, é necessário repousar ou voltar de taxi. Voltando para a capital do Mato Grosso do Sul, planejada e arborizada, traz também uma grande mistura de culturas. Das tribos indígenas da região chega o belo artesanato, repleto de peças de cerâmica e de madeira, além das coloridas tapeçarias. Já do país vizinho, o Paraguai, a influência é gastronômica e apresenta a chipa - uma espécie de pão de queijo de massa compacta - e a sopa paraguaia, que na verdade é uma torta salgada. Para acompanhar, muito tereré, um tipo de mate gelado. Também incrementam a cozinha regional os pratos japoneses, herança dos imigrantes que vieram do outro lado do mundo no início do século 20. O destaque é o sobá, um macarrão artesanal incrementado com omelete e carne de porco. A mesa variada, porém, não é o único atrativo da capital sul-mato-grossense. Para queimar as calorias, siga para o Parque das Nações Indígenas, ponto de encontro dos moradores da cidade que lá apreciam o pôr do sol. A área abriga pistas de cooper e de skate, gramados, quadras, lago, palco, teatro de arena e restaurante, além de exposições no Museu de Arte Contemporânea. Mas para conhecer mesmo a cidade pegue o City Tour, realizado em ônibus de dois andares com acompanhamento de guia, que leva o turista a mais de 40 pontos turísticos, entre praças, ruas e prédios históricos. E para conhecer um pouco mais sobre a cultura do Estado, confira o Memorial dos Povos Indígenas, onde há uma comunidade de índios terena e venda de artesanato.

Mato Grosso do Sul Highlight for tourism The state is one of the country’s main ecotourism hubs Economic activities are those exercised by people generating revenue, the same as financial resources, promoting new jobs and making the economy grow. This is why the state of Mato Grosso do Sul is privileged, as it is neighbor to huge producer and consumer centers in Brazil: Minas Gerais, São Paulo and Paraná, and also borders Bolivia and Paraguay. The state’s main economic area is the Bacia do Paraná plateau, with its forest and “purple” soils. Here, means of transportation are more efficient and the southeast region consumer markets are closer. Its economy is based on rural production (animal, vegetal, plant extractive, and rural industry), industry, mineral extraction, tourism, and services. In tourism, the region of Bonito is a highlight, where ecotourism is its best. In order to preserve the fragile ecosystem, everything is extremely organized. It is necessary to schedule and make reservation in advance for tours, which are always done under supervision of a guide, at pre-determined times and with a limited number of visitors. Great part of the attractions are in private areas, and it is necessary to pay in order to do the tours, but it is all worthwhile!

. But it’s worth it! Campo Grande Train is the highlight among tours in the capital An unforgettable tour, a new in the capital, is the return of the Trem do Pantanal that, after 18 years stopped, returns for one of the most beautiful trips in the country. Trains leave Campo Grande on Saturdays to the city of Miranda. From the windows you can view the typical landscapes (such as the savanna, cattle, and blue macaws). But be attentive to the time schedules, as the return trip takes place on Sundays, in other words, it is necessary to stay overnight or get a taxi back. Back to the capital of the state of Mato Grosso do Sul, planned and forested, it also showcases a huge mix of cultures. From the region’s indigenous tribes comes the beautiful handicraft, with many ceramic and wood pieces, and also the colorful tapestry. Now, from the neighboring country of Paraguay the influence is gastronomic and presents the – a type of cheese bread with a compact dough - and the Paraguayan soup, in fact a salted pie. To accompany the food, the tereré, a type of cold mate tea. Also incrementing the regional cuisine are Japanese dishes, inheritance of the immigrants coming from the other side of the world in the beginning of the

w w w.vozdebrasi li a .com .br

20th century. The highlight is the sobá, a craft pasta incremented with omelet and pork. The varied table is not, however, the only attraction of the capital of the state. In order to burn calories, go to Parque das Nações Indígenas, meeting point for city residents who enjoy appreciating the sunset. The area has running and skating tracks, lawns, courts, lake, stage, arena and restaurant, aside from exhibits at the Museu de Arte Contemporânea. But if you really want to see the city, hop in the City Tour, on a two-story bus with a guide, taking the tourist to over 40 touristic spots, with squares, streets, and historical buildings. And to get to know a bit more of the state’s culture, check out the Memorial dos Povos Indígenas, where you will find an indigenous Terena community and handicraft sales. Mato Grosso do Sul: Campo Grande Estimated population 2016: 2,682,386 Population 2010: 2,449,024 Area 2015 (km²): 357,145.534 Demographic density 2010 (inhab/km²): 6.86 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,045 Number of municipalities: 79

105


Turismo

Minas Gerais A terra dourada

106

xand

tantes cultivos são o de milho, soja e cana-de-açúcar. Os serviços de telecomunicação e o setor de comércios contribuem de forma significativa para o avanço econômico do Estado. O setor industrial, que tem participação de 31,9% no PIB estadual, é bastante diversificado. Minas Gerais abriga o terceiro maior parque industrial do Brasil, com destaque para o segmento automobilístico. Outros segmentos importantes são o alimentício, têxtil, eletroeletrônico, mecânica, metalúrgico, siderúrgico, construção civil, autopeças e mineradoras – Minas Gerais apresenta grande riqueza mineral, sendo grande produtor de ouro, zinco, bauxita (segundo maior do Brasil) e minério de ferro (maior produtor nacional).

Foto: Ale

L

ocalizado na Região mais desenvolvida economicamente do Brasil (Sudeste), o Estado de Minas Gerais é o quarto maior em área territorial, o segundo em quantidade de habitantes e o Estado com mais municípios, 853. O território era habitado por indígenas quando os portugueses chegaram ao Brasil, contudo, ocorreu uma grande migração a partir do momento que foi anunciado a existência de ouro na região. Na época a extração do metal trouxe muita riqueza e desenvolvimento para a então província, proporcionando seu desenvolvimento econômico e cultural. Em muitas cidades do interior ainda é possível admirar as belezas deixadas por essa época, com seus patrimônios culturais e igrejas repletas de ouro. Com a escassez do ouro houve uma grande emigração de grande parte da população, que apenas retomou o crescimento das cidades com o ciclo do café. No setor agropecuário, o Estado se destaca por apresentar o terceiro maior rebanho bovino do país, sendo o maior produtor nacional de leite. Minas Gerais também é líder na produção de feijão, além de ser responsável por 50% da safra de café. Outros impor-

re Ca mpbe ll

A descoberta e extração do ouro trouxe desenvolvimento para o Estado

Minas Gerais: Capital Belo Horizonte População estimada 2016: 20.997.560 População 2010: 19.597.330 Área 2015 (km²): 586.521,235 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 33,41 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.128 Número de Municípios: 853


“Beagá” é urbana e ao mesmo tempo bucólica Minas Gerais: Capital Belo Horizonte Estimated population 2016: 20,997, 560 Population 2010: 19,597,330 Area 2015 (km²): 586,521.235 Demographic density 2010 (inhab/km²): 33.41 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,128 Number of municipalities: 853

Minas The golden land The discovery and extraction of gold brought development to the state Located in Brazil’s most economically developed region (southeast), the state of Minas Gerais is the fourth largest in territory, second in number of inhabitants and the state with the highest number of municipalities, 853. The territory was inhabited by an indigenous population when the Portuguese arrived in Brazil, however, there was a great migration when gold was discovered in the region. At the time, the extraction of gold brought much wealth and development to the then province, stimulating its economic and cultural development. In many countryside cities, it is still possible to see the beauties left by that age, with its cultural heritages and churches full of gold. With the scarcity of gold there was great migration from part of the population, and the growth of the cities only resumed with the coffee cycle. In the agricultural and stockbreeding sector, the state distinguishes itself for the third largest bovine herd in the country, with the largest national milk production. Minas Gerais is also a leader in the production of beans, and is responsible for 50% of the

coffee crop. Other important crops are corn, soy and sugarcane. Services in telecommunications and the retail sector also contribute significantly for the state’s economic development. The industrial sector has a participation of 31.9% in the state’s GDP, and is extremely diversified. Minas Gerais is Brazil’s third largest industrial hub, with emphasis for the automobile segment. Other important segments are food, textile, electronics, mechanics, steel, civil construction, auto parts and mining – Minas Gerais has great mineral wealth, being large producer of gold, zinc, bauxite (second in Brazil) and iron ore (biggest national producer). Belo Horizonte “BH” is urban and, at the same time, bucolic The capital of Minas Gerais is a metropolis with all characteristics, but did not lose the countryside feeling. Urban, and at the same time bucolic, Belo Horizonte has cachaça, parks and pubs, and an intense cultural program, sophisticated stores and starred restaurants. The state’s cuisine is a delicacy apart, as who is able to resist to a warm cheese bread? There is also lombo com tutu, feijão-tropeiro and frango ao molho pardo. If you have already tried these delicacies you know they are mouth

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Belo Horizonte é ainda emoldurada por serras e montanhas, a primeira cidade planejada do país foi a escolhida pelo arquiteto Oscar Niemeyer para seu debut profissional, na década de 40. As obras enfeitam o contorno da lagoa da Pampulha, um dos cartões -postais de “Beagá” - como a capital é carinhosamente chamada por seus moradores. Por lá estão o Museu de Arte da Pampulha, a Casa do Baile, e a bela igreja de São Francisco de Assis, ornamentada com 14 painéis de azulejo de autoria de Cândido Portinari. Um verdadeiro museu ao céu aberto. No Centro, os destaques arquitetônicos ficam por conta do Palácio da Liberdade, em estilo art déco; e do Palácio das Artes, cujos palcos são constantemente ocupados por renomados grupos como Corpo (dança), Galpão (teatro) e Giramundo (teatro de bonecos), originais de Belo Horizonte.

-watering, right!? If you have yet to, run! The restaurants in the capital are famous when the subject is the plentiful and delicious state cuisine. Despite the glamour and expansion of the haute cuisine, “BH” does not forget its pubs. The city is proud of having the highest rate of pubs per inhabitant in the country, which stimulated in 2000 the creation of the Comida di Buteco festival. Belo Horizonte is also surrounded by sierras and mountains, the first planned city in the country was chosen by architect Oscar Niemeyer for his professional debut, in the 1940s. his works decorate the outline of the Lagoa da Pampulha, one of ”Beagá” – as the city is affectionately called by its population – most famous posta cards. There are the Museu de Arte da Pampulha, Casa do Baile, and the beautiful Igreja de São Francisco de Assis, ornated by 14 tile panels from Cândido Portinari. A real open air museum. Downtown, the architectural highlights are the Palácio da Liberdade, in art déco style, and Palácio das Artes, with stages constantly occupied by renowned groups such as Corpo (dance), Galpão (theater) and Giramundo (puppet theater),from Belo Horizonte.

Foto: Alexandre Campbell

Belo A Horizonte

capital de Minas Gerais é uma metrópole com todas as letras, mas não perdeu o jeitinho de cidade do interior. Urbana e ao mesmo tempo bucólica, Belo Horizonte tem cachaça, parques e botecos; além de intensa programação cultural, lojas sofisticadas e restaurantes estrelados. A culinária mineira é uma delícia a parte, afinal, quem resiste a um pão-de-queijo quentinho? Tem ainda o lombo com tutu, feijão-tropeiro e o frango ao molho pardo. Se você já experimentou essas iguarias deu água na boca agora, não!? Se não experimentou ainda, então corra! Os restaurantes da capital capricham quando o assunto é a farta e saborosa culinária mineira. Apesar do glamour e da expansão da alta gastronomia, “belzonte” não abre mão de seus tradicionais botecos. A cidade se orgulha de ter o maior índice de bares por habitante do país, o que incentivou a criação, em 2000, do festival Comida di Buteco.

107


Turismo

Pará

Maior produtor de pimenta do reino e abacaxi Também está entre os primeiros em produção de coco e banana

C

om uma economia bastante diversificada, o Estado do Pará é riquíssimo, tanto na questão do extrativismo mineral (ferro, estanho, bauxita, manganês, calcário e ouro) quando do extrativismo vegetal (madeira). Atualmente é o maior produtor de pimenta do reino e abacaxi e, está em segundo na produção de coco e banana. Agropecuária, serviços e indústria também fazem parte da economia. Durante a década de 1980, houve extração de ouro em grandes quantidades em Serra Pelada, conforme dados do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), somente no ano de 1983 foram extraídas cerca de 14 toneladas de ouro nessa área. Porém, o ouro esgotou-se, e, atualmente, o projeto Ouro Serra Leste, da Companhia Vale do Rio Doce, retira o minério de jazidas profundas. Apesar de atuar em diversos segmento, o turismo é ainda a atividade mais impulsionada, alavancando serviços, principalmente em Belém, capital do Pará. Outros destinos dos visitantes são Santarém, a porção noroeste do Estado, que possui montanhas e inscrições pré-históricas, além do leste paraense, com praias marítimas, como, por exemplo, Salinas.

108

Pará Biggest producer of black pepper and pineapple Also among the main coconut and banana producers With an extremely diversified economy, the state of Pará is extremely wealthy in mineral extractivism (iron, tin, bauxite, manganese, limestone and gold) and plant extractivism (wood). Presently, it is the biggest black pepper and pineapple producer and is in second place in the coconut and banana production. Agriculture and stockbreeding, services and industry are also part of its economy. During the 1980s, there was gold extraction in large quantities at Serra Pelada. According to data from the Mineral Production National Department (DNPM), in 1983 alone around 14 tons of gold were extracted in this area. However, the gold soon depleted and, presently, the Ouro Serra Leste project, from Companhia Vale do Rio Doce, removes the ore from deep deposits. Despite having activities in several segments, tourism is still the activity with the most activity, leveraging services, especially in Belém, capital of Pará. Other travelers destinations are Santarém, the northeast of the state with mountains and pre-historic ingravings, and also the eastern region with sea beaches, such as Salinas. Pará: Belém Estimated population 2016: 8,272,724 Population 2010: 7,581,051 Area 2015 (km²): 1,247,955.381 Demographic density 2010 (inhab/km²): 6.07 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 672 Number of municipalities: 144

Pará: Belém População estimada 2016: 8.272.724 População 2010: 7.581.051 Área 2015 (km²): 1.247.955,381 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 6,07 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$672 Número de Municípios: 144


Belém

Círio de Nazaré e muito mais! conjunto de armazéns do porto, às margens da baía do Guajará. Também passaram por reformas o Espaço São José Liberto, a Casa das Onze Janelas e o Teatro da Paz, financiado pelos barões no auge do Ciclo da Borracha. Mas nem só de arquitetura vive Belém, conhecida até pouco tempo atrás como a rústica porta de entrada para a Amazônia. Deste período permanece - firme e forte - o mercado Ver-o-Peso, o ponto de encontro dos belenenses e melhor lugar para os turistas apreciarem os exóticos sabores e aromas regionais. Nas centenas de barraquinhas encontra-se de tudo um pouco: variadíssimas frutas, temperos, ervas e o tradicional tacacá, um caldo feito com tucupi (goma de mandioca), jambu (erva local), camarão seco e pimentade-cheiro. A iguaria é servida fervendo, apesar do calorão que assola a capital o ano inteiro. Falando em gastronomia, a cidade ganhou muitos pontos no quesito. É grande a oferta de bons e charmosos restaurantes especializados em cozinhas diversas, mas que sempre reservam surpresas com os ingredientes locais.

Belem Círio de Nazaré and much more! Two million people gathered in a pilgrimage lasting two hours. Held in Belém do Pará for over two centuries, the Círio de Nazaré is one of the most beautiful Catholic processions in Brazil and the world. It gathers, yearly millions of pilgrims in a walk of faith through the streets of the state capital, in a grandious spectacle in tribute to Nossa Senhora de Nazaré, mother of Jesus. In the second Sunday of October, the procession leaves the Catedral da Sé and follows towards Praça Santuário de Nazaré (Basílica de Nazaré), where the image of the Virgin is exhibited for faithful adoration for 15 days. It is a 3.6 kilometer path and has been covered in as much as nine hours and fifteen minutes, in 2004, during the longest Círio in history. The festivity is beautiful, but the city of Belém has much more to offer. since 2000 the state capital has been undergoing a revitalization process that has been revamping the local architecture – but always preserving the original characteristics. That was the case of Estação das Docas, an abandoned complex of port warehouses, in the banks of the Guajará bay. Also undergoing renovation are the Espaço São José Liberto, Casa das Onze Janelas and Teatro da Paz, financed by the barons in the prime of the Rubber Boom. But not only from architecture lives Belém, known until a short time ago as the rustic entry to the Amazon. From such period remain – strong and tall - market Ver-o-Peso, meeting point of the population and best place for tourists to taste the exotic regional flavors and aromas. In the hundreds of stands you will find a bit of everything: many fruits, spices, herbs, and the traditional tacacá, a broth made of tucupi (manioc gum), jambu (local herb), dry shrimp and pepper. The delicacy is served boiling, despite the heat at the capital that runs throughout the year. Speaking of gastronomy, the city was improved much in this regard. The number of good and charming restaurants specialized in various cuisines has increased, and they always have surprises with local ingredients.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Werner Zotz

D

ois milhões de pessoas reunidas em uma romaria que dura horas. Realizado em Belém do Pará há mais de dois séculos, o Círio de Nazaré é uma das maiores e mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo. Reúne, anualmente, milhões de romeiros numa caminhada de fé pelas ruas da capital do Estado, num espetáculo grandioso em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, a mãe de Jesus. No segundo domingo de outubro, a procissão sai da Catedral da Sé e segue até a Praça Santuário de Nazaré (Basílica de Nazaré), onde a imagem da Virgem fica exposta para veneração dos fiéis durante 15 dias. O percurso é de 3,6 quilômetros e já chegou a ser percorrido em nove horas e quinze minutos, como ocorreu no ano de 2004, no mais longo Círio de toda a história. A festa é linda, mas a cidade de Belém tem muito mais a oferecer. Desde 2000 a capital paraense passa por um processo de revitalização que vem repaginando a arquitetura local - mas sempre preservando as características originais. Foi assim com a Estação das Docas, um abandonado

109


Turismo

Paraíba

Baseada na cultura canavieira Desde a ocupação portuguesa, sua economia gira em torno da cana-de-açúcar

H

Foto: Embratur

á tempos a economia paraibana gira em torno da cana-de-açúcar, desde a ocupação portuguesa, para sermos mais exatos. Claro que muita coisa mudou nesses mais de quatrocentos anos, entretanto, mesmo com os incentivos da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), a economia do estado permanece sob a égide da cultura canavieira. Ainda assim, algumas cidades do interior da Paraíba conseguiram desenvolver atividades industriais e agropecuárias que diversificaram a produção estadual. O município de Campina Grande, no Agreste Paraibano, merece destaque pela sua participação na produção industrial do Estado. Desde o início do século XX, a cidade iniciou um processo de transformação com as indústrias têxteis e de óleo de caroço de algodão. Mas a grande inovação mesmo ocorreu em 1984 com a instalação do Parque Tecnológico da Paraíba que abriga diversas companhias de tecnologia e startups na cidade, exportando produtos para países como Argentina, China e Estados Unidos. O setor de serviços é responsável pela maior arrecadação de receitas no Estado. O turismo é um dos elementos que fortalecem esse setor da economia. João Pessoa, capital estadual, apresenta excelente estrutura hoteleira para receber os visitantes de diversos locais do país que buscam desfrutar as belezas naturais da região.

110

Foto: Embratur

Paraíba: Capital João Pessoa População estimada 2016: 3.999.415 População 2010: 3.766.528 Área 2015 (km²): 56.468,427 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 66,70 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$776 Número de Municípios: 223


João Pessoa

Uma das cidades mais verdes do mundo

A

ssim como praticamente todas as capitais do Nordeste, João Pessoa é alegre e muito receptiva com o turista. Ela é também uma das menores e mais antigas capitais, onde reúne ruas arborizadas, orla preservada pela legislação que limita a altura dos prédios, povo hospitaleiro, belas praias e badalação light. Já o forró marca presença obrigatória nas festas juninas, em homenagem a São João. Grande parte dos turistas viaja à capital paraibana para aproveitar o litoral, mas quem busca um lado mais cultural ou histórico também encontrará essa faceta. Centro histórico, onde encontra a Casa de Azulejos e o Centro Cultural São Francisco. Um pouco mais distante, você pode visitar a Ponta do Seixas e a Estação do Cabo Branco – um espaço projetado por Niemeyer e dedicado a ciência, cultura e arte. Um dos cartões-postais da cidade, o Farol do Cabo Branco sinaliza que João Pessoa é o ponto oriental extremo das Américas – em suas praias, o sol nasce primeiro. Embora emoldurada por uma bela orla, a cozinha da capital não se limita aos de frutos do mar. Porreta mesmo são as receitas do sertão, à base de carne-de-sol e de bode, macaxeira, arroz de leite, feijão-de-corda e manteiga de garrafa. Para a sobremesa, dá-lhe rapadura!

Paraíba Based on the sugarcane culture Since the Portuguese occupation, its economy evolves around sugarcane For a long time the economy of the state of Paraíba evolves around sugarcane, since the Portuguese occupation, to be more exact. Obviously, much has changes in over four hundred years, however, even with incentives from the Northeast Development Superintendence (Sudene), the state economy remains under the sugarcane culture control. Even so, some countryside cities were able to develop industrial and agriculture and stockbreeding activities diversifying state production. The municipality of Campina Grande, in the Agreste Paraibano, deserves mention for its share in the state’s industrial production. From the beginning of the 20th century, the city initiated a process of transformation with textile and cotton seed oil industries. But the great innovation really took place in 1984 with the installation of Paraíba’s Technological Park, home for several technology and startup companies in the city, exporting products to countries such as Argentina, China and United States. The services sector is responsible for the state’s largest revenue collection. Tourism is one of the elements strengthening such economy sector. João Pessoa, state capital, has excellent hotel structure for welcoming visitors from various places seeking to enjoy the region’s natural beauties. Joao Pessoa One of the world’s greenest cities As in almost all capitals of the northeast, João Pessoa is happy and extremely welcoming to the tourist. It is also one of the smallest and oldest capital cities, with forested streets, waterfront preserved by the legislation limiting building heights, hospitable people, beautiful beaches and calm night life. But forró is mandatory presence at the festas juninas, in tribute to Saint John. Good part of the tourists travels to the city to enjoy the coast, but those seeking a more cultural or historical side will also find there such aspects. Historical center, where you will find the Casa de Azulejos and Centro Cultural São Francisco. A bit more distant, you will be able to visit Ponta do Seixas and Estação do Cabo Branco – a space designed by Niemeyer and dedicated to science, culture and the arts. One of the city’s post cards, Farol do Cabo Branco signals that João Pessoa is the extreme western point of the Americas – at its beaches, the sun shines first. Although surrounded by a beautiful waterfront, its cuisine does not limit itself to seafood. “Porreta” are the backwoods recipes, based on sun-dried and goat meat, macaxeira, arroz de leite, feijão-de-corda and manteiga de garrafa. For desert, you’ll have rapadura!

Paraíba: Capital João Pessoa Estimated population 2016: 3,999,415 Population 2010: 3,766,528 Area 2015 (km²): 56,468.427 Demographic density 2010 (inhab/km²): 66.70 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 776 Number of municipalities: 223

w w w.vozdebrasi li a .com .br

111


Turismo

Paraná

Agricultura diversificada Graças as diferentes características climáticas e físicas

Paraná: Capital Curitiba População estimada 2016: 11.242.720 População 2010: 10.444.526 Área 2015 (km²): 199.307,985 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 52,40 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1,241 Número de Municípios: 399

112

Foto: Divulgação

Foto: Orlando Kissner/SMCS

A

agricultura paranaense é diversificada, graças as diferentes características climáticas e físicas. Porém, por muitos séculos, o setor extrativista concentrou-se na extração de madeira, sobretudo da araucária, árvore que, aliás, é símbolo do Estado e que agora é protegida por Lei. Por outro lado, por meio de incentivos fiscais, aumentaram significativamente as áreas de reflorestamento no Estado. No entanto, os índices de produtividade do Estado estão entre os mais altos do país, devido aos desenvolvimentos de sistemas de produção avançados. Os principais produtos da agricultura paranaense são: soja, milho, feijão, café, algodão e trigo, além de uma produção significativa de produtos como a cana-de-açúcar, batatas, mandioca e arroz. Recentemente estão sendo desenvolvidos programas de implantação de pomares em diversas regiões do estado, com destaque as produções de laranja e maçã. Falando ainda sobre a economia do Estado, sua capital, a cidade de Curitiba, é famosa por ser uma cidade com transporte integrado e por realizar a coleta de lixo reciclável a mais de dez anos.


Curitiba Um destino repleto de facilidades e atrações para os turistas

V

iajar para o Sul do país é sinônimo de engordar. As chuvas e as baixas temperaturas fazem parte da paisagem curitibana em qualquer época do ano, o que ajuda neste quesito. Apesar dos aspectos futuristas que envolvem a capital paranaense, Curitiba guarda muitas características de uma cidadezinha do interior - influência das imigrantes europeus, que ainda hoje mantém suas raízes e deram de presente para a metrópole uma bela diversidade cultural, que se espalha da arquitetura à boa mesa, passando pelos costumes e tradições. Na culinária é possível distinguir bem as heranças herdadas por seus colonizadores. Dos italianos foram herdadas as animadas cantinas do bairro de Santa Felicidade que capricham nos rodízios repletos de massa, frango e polenta frita. Já os poloneses marcam presença com as pequenas docerias; enquanto os ucranianos enchem de charme a feirinha de artesanato com seus ovos pintados à mão. Chá colonial, rodízio de fondue e rodízio de carnes também são facilmente achados e deliciosamente gostosos. A qualidade de vida oferecida pela capital paranaense faz de Curitiba um destino repleto de facilidades e atrações para os turistas. O bem-estar dos moradores é convertido em excelentes serviços para os visitantes, que encontram hotéis confortáveis, bons restaurantes, intensa agenda cultural e mobilidade de sobra para conhecer os cartões-postais, sempre emoldurados por bosques e praças. A sinalização eficiente e os meios de transportes modernos garantem circular por belas e inusitadas construções, como o Teatro Ópera de Arame, o Jardim Botânico e o Museu Oscar Niemeyer, além dos parques, como o Barigui, ponto de encontro de famílias e atletas nos finais de semana.

Paraná Diversified agriculture Thanks to different climatic and physical characteristics Paraná’s agriculture is diversified, thanks to different climatic and physical characteristics. However, for many centuries, the extraction sector concentrated in wood extraction, especially from araucaria, state symbol tree and now protected by law. On the other hand, through tax incentives, the reforestation areas have increased in the state. The state’s productivity levels are among the highest in the country, due to the development of advanced production systems. The top products in the state agriculture are soy, corn, beans, coffee, cotton and wheat, and also a significant production of goods such as sugarcane, potatoes, manioc and rice. Recently, programs for implementation of orchards are being developed in several regions of the state, with emphasis on orange and apple production. Still speaking about the state’s economy, its capital, Curitiba, is famous for being a city of integrated transport and for performing recyclable garbage collection for over ten years. Curitiba A destination full of conveniences and attractions for tourists Travelling to the south of the country is synonym with gaining weight. Rains and low temperatures are part of the scenery of the capital Curitiba every time of year, helping in such aspect. Despite the futuristic aspects involving the capital of the state of Paraná, Curitiba has many characteristics of a small countryside town – influence of European immigrants, who still today keep their roots and gifted the city with a beautiful cultural diversity, from architecture to good food, customs and traditions. Regarding cuisine, it is possible to distinguish well the legacies left by its colonizers. From Italians, they inherited the animated cantinas in the borough of Santa Felicidade treating customers to buffets serving pasta, chicken, and fried polenta. The Polish provided the small confectioneries, while the Ukrainians fill the handicraft fair with their hand-painted eggs. Colonial tea, fondue buffets, and barbecue buffets are easily found and deliciously tasteful. The quality of life offered by Curitiba makes it a destination full of conveniences and attractions for tourists. The residents’ well-being is converted into excellent services for visitors, who will find comfortable hotels, good restaurants, agitated cultural agenda and great mobility to visit the city’s post cards, always surrounded by parks and squares. The efficient signaling and modern means of transportation enable easy circulation through beautiful and unusual constructions, such as the Teatro Ópera de Arame, Jardim Botânico and Museu Oscar Niemeyer, besides parks such as Barigui, meeting point for families and athletes on weekends. Paraná: Capital Curitiba Estimated population 2016: 11,242,720 Population 2010: 10,444,526 Area 2015 (km²): 199,307.985 Demographic density 2010 (inhab/km²): 52.40 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,241 Number of municipalities: 399

w w w.vozdebrasi li a .com .br

113


Turismo

Pernambuco

Encolhe e estica

O Estado vive altos e baixos na sua economia

114

Foto: Pedr o

Paulo Cap elossi

ro Foto: Ped

el Paulo Cap

ossi

A

ssim como já vimos que ocorreu também com outros Estados do Nordeste, Pernambuco não foi diferente. A economia tinha como base a produção açucareira, entretanto, a descoberta do ouro em Minas Gerais e a concorrência com açúcar produzido nas Antilhas, levaram a economia local à decadência, obrigando a procurar novos rumos. A partir da década de 60, com o investimento da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) na região, a economia voltou a crescer. Ainda que a monocultura açucareira se mantenha forte no Estado, a fruticultura e os setores portuário e tecnológico se desenvolveram, contribuindo com o cenário econômico regional. Como vimos, o sobe e desce na economia já faz parte da nossa história e, sempre conseguimos nos recuperar. A propósito do comércio exterior, Pernambuco fechou 2015 com déficit de mais de quatro bilhões de dólares na balança comercial, tendo importado muito mais do que exportado. Dentre os principais produtos importados pelo Estado estão os combustíveis como óleo diesel, petróleo, gasolina e querosene. Já os principais produtos exportados são o açúcar, os óleos derivados do petróleo e o plástico. China e Argentina são os principais destinos. À frente deste fluxo, destaca-se o Porto de Suape que movimentou quase 20 milhões de toneladas de cargas em 2015, sendo o quarto maior porto em movimentação do Nordeste. A expectativa é que o cenário melhore já no primeiro semestre de 2017.

Paraná: Capital Curitiba População estimada 2016: 11.242.720 População 2010: 10.444.526 Área 2015 (km²): 199.307,985 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 52,40 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1,241 Número de Municípios: 399


Recife

Lindas praias e muita história os de São Luís do Maranhão. Olhando do alto, sua paisagem é cortada por rios, canais e dezenas de pontes, que ligam um bairro ao outro. Em cada ponto, atrativos que remetem às características marcantes das principais capitais nordestinas. De Boa Viagem – bairro que dá nome à democrática praia - ao Recife Antigo, que tem a rua do Bom Jesus como referência, há muito o que ver e fazer. São igrejas, casarios coloniais e museus que guardam a rica história do estado. A metrópole reserva ainda uma infinidade de restaurantes especializados em frutos do mar e uma vida noturna animada, embalada pelos ritmos pernambucanos.

Pernambuco Shrinks and stretches The state lives highs and lows on its economy As already seen in other states in the northeast, Pernambuco is not different. The economy was based on sugar production, however, the discovery of gold in Minas Gerais and competition with sugar produced in the Antilles, lead the local economy to decadence, and obligating it to seek new horizons. From the 1960s with the investment from the Northeast Development Superintendence (Sudene) in the region, the economy again grew. Even with the sugar monoculture strong in the state, fruit farming and the port and technology sectors have developed, contributing with the regional economic scenario. As seen, the highs and lows of the economy are already part of the state’s history and it has always been able to recover. Regarding foreign trade, Pernambuco closed 2015 with a deficit of over US$ 4 billion on the trade balance, having imported much more than exported. Among the top products imported by the state are fuels such as diesel, petroleum, gasoline and kerosene. On the other hand, the top exported products are sugar, oils derived from petroleum and plastic. China and Argentina are the main destinations. Leading this flow is Porto de Suape which moved almost 20 million tons of goods in 2015, the fourth largest port in the northeast. Expectation is that the scenario improves in the first semester of 2017. Recife Beautiful beaches and much history Oldest of the Brazilian state capitals, Recife appeared with the name “Ribeira de Mar dos Arrecifes” in 1537. Among its many nicknames attributed throughout the years, “Brazilian Venice” is the most popular or, according to French novelist Albert Camus, “Tropical Florence”, both definitions are a bit exaggerated, as the city still needs some improvement in the cleanliness and safety aspects.

A cidade atrai turistas de todo o mundo. Destacam-se entre os motivos desta atração as manifestações culturais e as festividades bem como os parques e museus e as igrejas barrocas e construções históricas diversas. O Recife é o portão de entrada do litoral de Pernambuco, de onde partem os turistas que chegam de avião. Nos arredores das cidades, a beleza natural é a marca registrada. Para o Norte ou para o Sul, em um raio de cem quilômetros, destinos como Cabo de Santo Agostinho, Porto de Galinhas e Maria Farinha convidam a passeios que podem ser feitos em um dia. No roteiro, praias para todos os gostos e estilos.

The capital of the state of Pernambuco has perfect urban beaches for bathing, as well as João Pessoa and Maceió, cultural effervescence similar to Salvador and Fortaleza, and architectural complexes as impressive as those of São Luís do Maranhão. Lokking from up high, its landscape is cut by rivers, canals and dozens of bridges, connecting one neighborhood to another. At each spot, attractions remit to the striking characteristics from the main northeastern capitals. From Boa Viagem – borough giving name to the democratic beach – to Old Recife, with Rua do Bom Jesus as reference, there is much to see and do. Churches, colonial houses and museums housing the state’s rich history. The metropolis also reserves an infinity of restaurants specialized in seafood and an agitated night life, where the state’s rhythms prevail. The city attracts tourists from all over the world. Among the reasons for such attraction are cultural events and festivities, as well as parks and museums, and baroque churches and several historical buildings. Recife is the entry door for the coast of Pernambuco, starting point for the tourists arriving to the state by airplane. On the city’s surroundings, natural beauty is the trade mark. To the north or south, in a 100-kilometer radius, destinations such as Cabo de Santo Agostinho, Porto de Galinhas and Maria Farinha invite for oneday tours. On the itinerary, beaches for all tastes and styles. Pernambuco: Capital Recife Estimated population 2016: 9,410,336 Population 2010: 8,796,448 Area 2015 (km²): 98,076.001 Demographic density 2010 (inhab/km²): 89.62 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 822 Number of municipalities: 185

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: riomediacenter

M

ais antiga entre as capitais estaduais brasileiras, o Recife surgiu como “Ribeira de Mar dos Arrecifes” no ano de 1537. Dentre as suas muitas alcunhas atribuídas ao longo desses anos, “Veneza Brasileira” é a mais conhecida ou, segundo o romancista francês Albert Comus, “Florença dos Trópicos”, ambas as definições são um pouco exageradas, já que cidade ainda peca muito na questão de limpeza e segurança. A capital pernambucana, tem praia urbana perfeita para banhos, assim como João Pessoa e Maceió; efervescência cultural semelhante à de Salvador e Fortaleza; e conjuntos arquitetônicos tão imponentes quanto

115


Turismo

Piauí

Economia aquecida

É necessário reinventar-se para crescer

O

setor industrial está demonstrando sua grande importância na economia do Estado, segundo a Fundação Centro de Pesquisa Econômicas e Sociais do Piauí (Cepro), a indústria já corresponde a 16,19% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. O reflexo deste crescimento pode ser notado também na mineração no Sul do Estado, onde há potencialidades econômicas de minerais encontrados no solo piauiense como mármore, amianto, ardósia, talco, ferro e gemas. Além do agronegócio, na região do Cerrado. Cada vez é maior o número de investidores e indústrias que procuram se instalar na região. A agricultura no Piauí é, em grande parte, para a subsistência. A produção agrícola comercial é modesta. São cultivados: milho, arroz, mandioca, feijão, cana-de-açúcar, banana, laranja, manga, alho, entre outras, como o algodão arbóreo A pecuária faz parte da história do Piauí, sendo relacionada à cultura e as tradições da região. A criação de caprinos é a mais significativa, favorecida pela facilidade de adaptação dos animais de menor porte as condições climáticas do semiárido. São criados também: bovinos, suínos, asininos, ovinos e equinos. A apicultura do Piauí está entre as mais produtivas do Brasil. O turismo é importante para a economia do Piauí principalmente na região do litoral. Parques, inclusive no sul do Estado, atraem turistas, ainda que em menor número.

116

Piauí: Capital Teresina População estimada 2016: 3.212.180 População 2010: 3.118.360 Área 2015 (km²): 251.611,934 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 12,40 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$729 Número de Municípios: 224


Piauí: Capital Teresina Estimated population 2016: 3,212,180 Population 2010: 3,118,360 Area 2015 (km²): 251,611.934 Demographic density 2010 (inhab/km²): 12.40 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 729 Number of municipalities: 224

Piauí Heated economy Reinventing is necessary for growth The industrial sector is showing its great importance for the state’s economy, according to Piauí Social and Economic Research Center Foundation (Cepro), the industry already corresponds to 16.19% of the state’s Gross Domestic Product (GDP). The reflex of such growth may be also noticed in mining, on the south of the state, where there are economic potential in minerals found in the state’s soil such as marble, asbestos, slate, talc, iron and gems, aside from the agribusiness in the region of the savanna. The number of investors and industries seeking the regions is increasing. Piauí’s agriculture is, greatly, for subsistence. The commercial agriculturel production is modest, harvesting corn, rice, manioc, beans, su-

Uma capital do Nordeste sem praia

A

cidade de Teresina é a única capital do Nordeste que não possui litoral, entretanto, a falta de praia é recompensada por outros atrativos, como o encontro dos rios Poty e Parneíba. O mais tradicional passeio da capital é o que leva ao encontro desses dois rios. Os barcos partem do Parque Ambiental Encontro dos Rios, no bairro do Poty Velho, que abriga um núcleo de ceramistas. Na volta do tour, conheça os belos trabalhos. Excelentes restaurantes de culinária típica também fazem parte dos atrativos. Entre os pratos principais fazem sucesso o Capote, à base de galinha d’angola; o Arroz Maria Izabel, com carne-seca picada; a Paçoca (carne-seca desfiada com farinha e socada no pilão) e a Peixada de Piratinga, feita com leite de coco e batata-doce. Para acompanhar, vá de cajuína, um exótico suco de caju gaseificado. Visite também o centro histórico e, para amenizar o calor que assola a cidade o ano todo, parques e praças arborizadas espalham-se por ruas e avenidas.

garcane, banana, orange, mango, garlic, among other, such as arboretum cotton. Stockbreeding is part of Piauí’s history, related to the region’s culture and traditions. Goat farming is the most significant, favored by the convenience of adaptation for smaller animals to the climatic conditions on the semiarid. Other farming include bovines, swine, donkeys, sheep, and horses. Piauí’s beekeeping is among Brazil’s most productive. Tourism is important for the state’s economy, especially in the coast region. Parks, including in the southern state, attract tourists, even if in lesser number. Teresina A northeastern capital with no beaches The city of Teresina is the only northeastern capital with no coastline, however, the lack of beaches is compensated by other attractions,

such as the Poty and Parneíba rivers’ meeting point. The most traditional tour in the capital takes you to such spot. Boats sail from Parque Ambiental Encontro dos Rios, in the borough of Poty Velho, home for a ceramist nucleus. When returning from the tour, stop and check out the beautiful works. Excellent typical cuisine restaurants are part of the attractions. Among the main dishes are the Capote, based on guinea fowl, Arroz Maria Izabel, with chopped dried meat, Paçoca (shredded dried meat with flour pounded in the pestle) and Peixada de Piratinga, cooked with coconut milk and sweet potato, and on the side an exotic sparkling cashew juice. Also, visit the historical downtown and, to relieve from the heat throughout the year, forested parks and squares are scattered through its streets and avenues.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Divulgação

gaçã Foto: Divul

o

Teresina

117


Turismo

Rio de Janeiro

Segunda maior economia do Brasil Parque industrial e indústria do turismo garantem essa posição

O

Estado do Rio de Janeiro possui uma economia diversificada, com um parque industrial composto por metalurgias, indústrias, siderurgias, químicas e de alimentos, além de mecânicas, editorial e de celulose. Abriga também grandes empresas estatais, nacionais e multinacionais, como é caso da Petrobras e a Companhia Vale do Rio Doce, além do maior grupo de mídia e comunicações da América Latina, as Organizações Globo. Na agropecuária o Rio de Janeiro não é expressivo em produção nem em área cultivada, isso por que

não houve o processo de modernização e mecanização agrícola, como ocorreu em outros Estados brasileiros. Mesmo com os impedimentos produtivos do setor agropecuário, o Estado se destaca na produção de cana-de -açúcar, além de mandioca, tomate, arroz, feijão, milho, batata, laranja e banana. Já no extrativismo ocupa um lugar de destaque na extração de sal, calcário, dolomita e mármore e especialmente de petróleo, responsável por grande parte da produção nacional.

Rio de Janeiro Rio de Janeiro: Capital Rio de Janeiro Estimated population 2016: 16,635,996 Population 2010: 15,989,929 Area 2015 (km²): 43,781.566 Demographic density 2010 (inhab/km²): 365.23 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,285 Number of municipalities: 92

Rio de Janeiro: Capital Rio de Janeiro População estimada 2016: 16.635.996 População 2010: 15.989.929 Área 2015 (km²): 43.781,566 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 365,23 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.285 Número de Municípios: 92

118

Cidade maravilhosa

I

magine uma cidade com belíssimas praias, que faz calor quase o ano inteiro, possui cerca de 30 quilômetros de orla contornada por calçadões e ciclovias tomadas por gente o dia inteiro caminhando, pedalando, correndo ou apenas observando o movimento. Junto com tudo isso ainda oferece uma economia ativa, onde abriga importantes empresas. Agora pare de imaginar! Porque essa cidade existe e se chama: Rio de Janeiro. Aos caprichos da natureza, que colocou mar e montanha lado a lado em perfeita harmonia, juntam-se o Cristo Redentor (uma das sete maravilhas do mundo moderno), o Pão de Açúcar, o Maracanã e o estilo de vida despojado e festeiro do carioca. Não é à toa que a cidade é conhecida internacionalmente. Um lugar agradável para conhecer é o Parque Lage, localizado entre as encostas dos morros, oferece uma belíssima


cais. O chamado Aqueduto da Carioca, mais conhecido por “Arcos da Lapa” é um ponto famoso da cidade, que conserva um pouco do período colonial. Pertinho da Lapa, a antiga capital do Império e da República guarda um belíssimo acervo arquitetônico dos séculos 19 e 20 que hoje abriga museus e espaços culturais. Reunidos no Centro da cidade, os prédios podem ser conhecidos em um passeio a pé pela Cinelândia, onde estão construções como o Theatro Municipal e o Museu Nacional de Belas Artes; e arredores da Praça XV, contornada pelo Paço Imperial, o Centro Cultural Banco do Brasil e a Casa França-Brasil. Repleta de pontos turísticos, a cidade, desde a Olimpíada Rio 2016, tem mais outros atrativos, como a nova

Rio de Janeiro Razil’s second largest economy Industrial complex and tourism industry guarantee the ranking The state of Rio de Janeiro has a diversified economy, with an industrial complex composed of metallurgy, industries, steelworks, chemical and food industries, besides mechanics, publishing and cellulose. It also hosts large state, national and international companies, such as Petrobras and Companhia Vale do Rio Doce, and the largest communications and media group in Latin America, Globo Organizations. In agriculture and stockbreeding, Rio de Janeiro is not expressive in production or harvested area, as there has not been an agricultural modernization and mechanization process as in other Brazilian states. Even with the productive deterrents in the agriculture and stockbreeding sector, the state has a distinguished position in sugarcane production, and also manioc, tomato, rice, beans, corn, potato, orange and banana. In extractivism, it has a prominent position in salt, limestone, dolomite, and marble extraction, and especially petroleum, responsible for a large portion of the national production. Rio de Janeiro Marvelous City Think of a city with amazing beaches, with warm weather almost all year long, with around 30 kilometers of waterfront with walkways and bicycle paths taken by people walking, pedaling, running or just observing. Aside all that, it also offers an active economy with important companies. Now, stop imagining! This city exists and is called Rio de Janeiro. To the fancies of nature that put sea and mountain side by side in perfect harmony, add Christ the Redeemer (one of the modern world’s seven wonders), the Pão de Açúcar, Maracanã and the energetic and festive life style of its people. It is not by chance that the city is internationally known. An enjoyable spot is Parque Lage, located between the hilltops, offering a

Praça Mauá, na Zona Portuária, repleta de atrações como o Museu do Amanhã, o AquaRio e o Mural Etnias - com grafites do artista plástico Kobra - e a Orla Conde. Uma vez na região central, aproveite para aportar no bucólico bairro de Santa Teresa, com ruas estreitas e repletas de sobrados que funcionam como ateliês, bares e lojas. Os novos bondes começaram a circular no fim de julho de 2016, em um pequeno trecho de 1,7 km, entre os largos da Carioca e Curvelo. Programa obrigatório depois da praia, o chopp bem tirado conduz aos botequins – pés-sujos ou bem limpinhos - onde petiscos como caldinho de feijão, pastéis e sanduíches de pernil valem por uma refeição.

wonderful view with a space for pick nicks and other outdoor activities. More than a post card, no other city in the world would display with so much charm the title of “Marvelous” as Rio de Janeiro does. Aside from the beaches, from democratic Copacabana to long Barra da Tijuca, passing by the neo-hippie Ipanema – there is also Lagoa Rodrigo de Freitas, Parque do Flamengo and Floresta Tijuca, surrounded by beautiful natural scenarios and plenty of spaces for outdoor sport practice. Rio also belongs to the night and reflects at Lapa all its bohemian style. The borough that underwent a long decadence period, is again the meeting point for samba aficionados, and also opens space for different musical styles. The Aqueduto da Carioca, better known as “Arcos da Lapa” is one of the city’s famous spots, with a bit of the colonial period. Close to Lapa, the old Empire and Republic capital stores an astonishing architectural collection from the 19th and 20th centuries and which today is home for museums and cultural spaces. Gathered downtown, the buildings may be seen in a stroll through Cinelândia, wher you will find buildings such as Theatro Municipal and Museu Nacional de Belas Artes, and around Praça XV, circumvented by Paço Imperial, Centro Cultural Banco do Brasil and Casa França-Brasil. Filled with touristic spots, the city since the 2016 Olympics, has other attractions, such as the new Praça Mauá, at the Port Area, with many attractions such as the Museu do Amanhã, AquaRio and Mural Etnias – with graffities from visual artist Kobra – and Orla Conde. Once in the central region, take your time to stop at the bucolic borough of Santa Teresa, with narrow streets full of houses operating as ateliers, bars and stores. The new streetcars started operating at the end of July 2016 in a small 1.7 kilometer stretch between Carioca and Curvelo squares. A mandatory program after the beach the well served draft beer takes you to the bars – dirty or clean feet – where tidbits such as caldinho de feijão, pastéis and veal shank sandwiches are the size of a meal.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Riotur

vista e conta com espaço para piqueniques e outras atividades ao ar livre. Mais que um cartão postal, nenhuma outra cidade do mundo ostentaria com tanto charme o título de “Maravilhosa” como o Rio de Janeiro. Além das praias – da democrática Copacabana à extensa Barra da Tijuca, passando pela neo-hippie Ipanema – tem ainda a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Parque do Flamengo e a Floresta Tijuca, emolduradas por belos cenários naturais e espaços de sobra para a prática de esportes ao ar livre. O Rio também é da noite e reflete na Lapa toda a sua boemia. O bairro, que passou por um longo período de decadência, volta a ser ponto de encontro dos fãs do samba, mas também abre espaço para os mais diversos estilos musi-

119


Turismo

Rio Grande do Norte Maior produtor de energia

O Estado conta com 113 parques eólicos

A

gér Foto: Ro

iro io Monte

produção de energia elétrica por meio dos ventos é uma importante atividade econômica para o Estado. Ao todo, o Rio Grande do Norte conta com 113 parques eólicos, responsáveis pela geração de mais de três giga watts de energia. São mais de 1500 turbinas eólicas em funcionamento. A maioria destas usinas encontra-se situada na região do Mato Grande, mais precisamente nos municípios de Jandaíra, João Câmara, Parazinho, Pedra Grande, Rio do Fogo e São Miguel do Gostoso. Somente a potência eólica desta região é superior à de Estados como Ceará e Rio Grande do Sul.

120

A economia que prevalece hoje no Rio Grande do Norte é muito diferente daquela que no seu surgimento, ou seja, prevalecia a economia de subsistência, baseada principalmente na agricultura, pesca e pecuária. A exportação da madeira do pau brasil, também era considerado um dos principais produtos agrícolas do País na época para países da Europa. Aquela pecuária, que era inicialmente de subsistência, passou a atender também outras capitanias, tornando-se um importante prática econômica para a região. Além de garantir lucros ainda foi determinante para a formação do estado do Rio Grande do Norte como o conhecemos hoje, exportando para diversos países e produzindo 500% a mais.

Rio Grande do Norte: Capital Natal População estimada 2016: 3.474.998 População 2010: 3.168.027 Área 2015 (km²): 52.811,110 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 59,99 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$818 Número de Municípios: 167


Os passeios turísticos contentam todos os gostos

Rio Grande do Norte Greatest producer of energy The state has 113 wind farms Energy production via winds is an important economic activity for the state. Altogether, Rio Grande do Norte has 113 wind farms, responsible for the generation of over three giga watts of energy. There are over 1,500 wind turbines in operation. Most of such wind farms are located in the Mato Grande region, more precisely in the municipalities of Jandaíra, João Câmara, Parazinho, Pedra Grande, Rio do Fogo and São Miguel do Gostoso. The wind power of this region alone is superior to that of states as Ceará and Rio Grande do Sul. The prevailing economy today in Rio Grande do Norte is very different from that of its beginnings, when the subsistence economy prevailed, based especially in agriculture, fishing, and stockbreeding. The exporting of Pau Brasil wood was also considered one of the country’s main agricultural products, at the time exported to European countries.

e outra, certamente vai passar por rústicas vilas de pescadores, bem pitorescas com seus moradores sempre alegre e simpáticos, além da natureza preservada, noite agitada e sol quase todos os dias do ano. Resumo: férias perfeitas! Já quando o assunto é compras, os mercados de artesanato espalhados por Natal oferecem peças em madeira, tecido e vidro. No Centro de Turismo, um casarão onde funcionou a cadeia pública, os destaques são os delicados bordados em renda de labirinto e os coloridos trabalhos em cerâmica. O cardápio é repleto de delícias típicas da culinária regional à base de frutos do mar, carne-de-sol, feijão verde e arroz-de-leite. É obrigatório incluir isso no roteiro dos passeios.

That stockbreeding, initially for subsistence, also started supplying other captaincies, becoming an important economic practice for the region. Aside from guaranteeing income, it was also decisive for the development of the state of Rio Grande do Norte as we know it today, exporting for several countries and producing 500% more. Natal Touristic tours for all preferences With or without excitement? This is the question that usually your guide (and buggy driver) will ask when you are going down the dunes. Betting in rides like that will surely make your vacation more exciting and happy. If you are looking for that unforgettable buggy ride, there are a few beaches and lagoons with fantastic views. Among the most famous – and fun - are Genipabu, Praia de Pipa, Maracaju and Galinhos, each with its features and touristic attractions. The capital has 400 kilometers of coast, surrounded by dunes, reefs, cliffs and natural pools, making the capital of Rio Grande do Norte one of the most popular destinations in the country. Between one

w w w.vozdebrasi li a .com .br

house and another, you will surely find rustic fishermen villages with its residents always extremely happy and friendly, and preserved nature, agitated night life and sun almost every day of the year. Summarizing: perfect vacation! Now, when the subject is shopping, the handicraft markets scattered through Natal offer works in wood, fabric and glass. At the Tourism Center, a house where an old public jail operated, the highlights are delicate embroideries in maze lace and colorful works in ceramics. The menu is full of typical delicacies of the regional cuisine, based on sea food, dried meat, green beans and milk rice. This is mandatory in the tour itinerary. Rio Grande do Norte: Capital Natal Estimated population 2016: 3,474,998 Population 2010: 3,168,027 Area 2015 (km²): 52,811.110 Demographic density 2010 (inhab/km²): 59.99 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 818 Number of municipalities: 167

Foto: Ricardo Rollo

C

om ou sem emoção? Essa é a pergunta que normalmente o seu guia (e condutor do buggy) fará quando estiverem descendo as dunas. Apostar em passeios do tipo vai com certeza deixar suas férias ainda mais envolventes e alegres. Se você quer aquele passeio de buggy inesquecível, existem algumas praias e lagoas com visual imperdível. Entre as mais famosas – e divertidas – temos a Genipabu, a Praia de Pipa, Maracaju e Galinhos. Cada uma com suas particularidades e atrativos turísticos. A capital possui 400 quilômetros de costa e arredores, emoldurados por dunas, recifes, falésias e piscinas naturais, o que fazem da capital do Rio Grande do Norte um dos destinos mais procurados do País. Entre uma casa

Foto: Ricardo Rollo

Natal

121


Turismo

Rio Grande do Sul

Em crescimento

O Estado têm apresentado ótimos resultados na economia

O

O setor de serviços é o principal segmento da economia estadual (61,2%), destacando-se, principalmente, em Porto Alegre, capital do Estado. Logo atrás vem a indústria, responsável por 27,5% do PIB estadual, é bem diversificada e se desenvolveu a partir das agroindústrias e de outros segmentos ligados ao setor primário. Destacam-se as indústrias de transformação, alimentos, petroquímicas, máquinas, automobilísticas (General Motors), implementos agrícolas, fertilizantes e de calçados.

n : L eo Foto

ev relia id St

Rio Grande do Sul é atualmente a quinta economia do Brasil pelo tamanho do Produto Interno Bruto - PIB, sendo superado pelos estados de São Paulo (32,1%), Rio de Janeiro (11,8%), Minas Gerais (9,7%) e Paraná (6,3%). A economia gaúcha possui uma estreita relação com os mercados nacional e internacional que é superior à média brasileira. Por isso a participação da economia gaúcha tem oscilado conforme a evolução da economia brasileira e também de acordo com a dinâmica das exportações.

Rio Grande do Sul: Capital Porto Alegre População estimada 2016: 11.286.500 População 2010: 10.693.929 Área 2015 (km²): 281.737,947 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 37,96 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.435 Número de Municípios: 497

122

A agropecuária, apesar de contribuir diretamente com apenas 11,2% para o PIB gaúcho, é uma atividade de fundamental importância para a economia estadual, pois é por meio dela que derivam vários segmentos da indústria e dos serviços. O Estado destaca-se por ser o terceiro maior produtor nacional de grãos, apresentando-se inferior apenas aos estados do Mato Grosso e Paraná, com expressiva colheita de arroz, soja, milho, trigo, mandioca e uva. Possui também um dos maiores rebanhos bovinos do país e a segunda maior criação de aves.


Porto Alegre Uma cidade completa

Rio Grande do Sul Growing The state has exhibited good results in the economy Rio Grande do Sul is presently Brazil’s fifth economy as per its Gross Domestic Product - GDP, being surpassed by the states of São Paulo (32.1%), Rio de Janeiro (11.8%), Minas Gerais (9.7%) and Paraná (6.3%). The state’s economy has strict relation with the national and international markets, superior to the Brazilian average. This is the reason why the state’s economy has been fluctuating according to the evolution of the Brazilian economy, and also according to the export dynamics. The services sector is the leading segment in the state’s economy (61.2%),excelling especially in Porto Alegre, the state capital. Right behind comes the industry, responsible for 27.5% of the state GDP, diversified and having developed from agribusinesses and other segments linked to the primary sector. Leading are the transformation, food, petrochemical, machines, automobile (General Motors), agricultural implements, fertilizers and shoe industries. Agriculture and stockbreeding, despite contributing directly with only 11.2% to the state’s GDP, is

Da área central até as margens do Rio Guaíba, a incidência de atrações é bem representativa. Só na Praça da Alfândega estão o Santander Cultural, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul e o Memorial do Rio Grande do Sul. Pertinho dali a Casa de Cultura Mario Quintana ocupa o espaço do antigo e luxuoso hotel que serviu de moradia para o poeta. A melhor maneira de desbravar o Centro é caminhando. Tem também o Rio Guaíba, a Usina do Gasômetro e a Fundação Iberê Camargo que dominam a paisagem. E depois de tantos pontos turísticos, se bater aquela fome, siga para as tradicionais churrascarias, ou, se preferir, a capital também oferece excelentes opções de restaurantes de várias nacionalidades.

a key activity for its economy, as it is the source for many derived industry and service segments. The state is the third largest national grain producer, behind only the states of Mato Grosso and Paraná, with an expressive harvest of rice, soy, corn, wheat, manioc and grape. It also has one of the country’s largest bovine herds and is second in poultry farming. Porto Alegre An all-around city The capital city has green areas, agitated night life, good gastronomy and an ascending economy. The city of Porto Alegre gathers all positive aspects of a big capital, all this with looks and traditions of a countryside town. In addition to the happy and warm population, always willing to share the chimarrão with you prepare you a good barbecue. In order to find out a bit more about this warm and caloric culture, it is worth visiting the Mercado Público, where the visitor finds many stands with many types of mate herb and utensils for preparing it. There is a way out for those not chimarrão aficionados. That is, many! The capital is full of cafés, great places for relaxing and reestablish your energies from wandering through town.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

From the central area to the banks of Rio Guaíba, the frequency of attractions is very representative. At the Praça da Alfândega alone are the Santander Cultural, Museu de Arte do Rio Grande do Sul and Memorial do Rio Grande do Sul. Nearby, the Casa de Cultura Mario Quintana occupies the space of the old and luxurious hotel that was home for the famous poet. The best way of discovering downtown is walking. There is also Rio Guaíba, Usina do Gasômetro and Fundação Iberê Camargo taking over the landscape. And after so many touristic spots, if you feel hungry, head to the traditional barbecue places or if you prefer, the capital also offers excellent restaurants of various nationalities. Rio Grande do Sul: Capital Porto Alegre Estimated population 2016: 11,286,500 Population 2010: 10,693,929 Area 2015 (km²): 281,737.947 Demographic density 2010 (inhab/km²): 37.96 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,435 Number of municipalities: 497

Foto: Leonid Streliaev

A

capital reúne áreas verdes, vida noturna agitada, boa gastronomia e uma economia em ascensão. A cidade de Porto Alegre reúne todos os pontos positivos de uma grande capital, tudo isso com ares e as tradições de uma cidade do interior. Além da população alegre e calorosa, que está sempre disposta a dividir o chimarrão com você ou fazer questão de preparar um bom churrasco. Para conhecer um pouco mais sobre essa cultura tão calorosa e calórica, vale a pena a visita ao Mercado Público, onde o visitante encontra várias bancas que expõem os diversos tipos de erva e os utensílios para prepará-la. Já quem não é fã do chimarrão tem uma saída. Quer dizer, várias! A capital é repleta de cafés, ótimos lugares para descansar e repor as energias durante as andanças pela cidade.

123


Turismo

Rondônia

Em processo de desenvolvimento

Além de possuir um crescente turismo

r Foto: Embratu

Foto: Embratur

A

expansão da fronteira agrícola em Rondônia foi determinante para o desenvolvimento agropecuário. Os fluxos migratórios de agricultores se intensificaram a partir da década de 1970, sobretudo das regiões Sul e Sudeste. Hoje tem também como principal atividade econômica a pecuária – onde o Estado se destaca por ser grande exportador de carne bovina – a indústria alimentícia e o extrativismo vegetal e mineral. Também exporta parte da sua produção, principalmente carne bovina congelada (43,43%), soja (32,77%), estanho bruto (7,085), madeira serrada (2,36%). O extrativismo vegetal é outra importante fonte de receitas para o estado: a madeira é responsável por 13% das exportações. No entanto, essa atividade desencadeia vários problemas ambientais, visto que a retirada desordenada de árvores agrava o desmatamento na floresta Amazônica. Conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Rondônia é o terceiro Estado que mais desmata no país, atrás somente de Mato Grosso e Pará. O setor de serviços é alavancado pelo comércio. Outra atividade que contribui para esse segmento da economia é o turismo. Apesar de ter seu potencial turístico pouco explorado, Rondônia atrai visitantes que apreciam suas belezas naturais, históricas e culturais. Uma curiosidade sobre o Estado: é o único cujo nome homenageia uma figura histórica nacional, Marechal Rondon, que desbravou o norte do país em meados dos anos 1900, inclusive na região de Rondônia.

124

Rondônia: Capital Porto Velho População estimada 2016: 1.787.279 População 2010: 1.562.409 Área 2015 (km²): 237.765,376 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 6,58 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$822,00 Número de Municípios: 52


Porto Velho

Q

uem nunca ouviu falar na estrada de ferro madeira-Mamoré? Durante 40 anos, as obras da estrada de ferro começaram e foram interrompidas por três vezes. A primeira frente de trabalho teve início em 1872 e era liderada por uma empresa inglesa, mas depois ainda teve outras duas empresas em seu projeto de conclusão, sendo inaugurada oficialmente em 1º de agosto de 1912. Estudos provam que 1.552 homens morreram nos últimos 5 anos de construção. Mas existem indicações de que este número bata a marca dos 6 mil trabalhadores, isso devido a doenças que assolavam a região, como a malária, tifo e beribéri. Outro problema eram os ataques constantes de índios.

Com isso, a capital de Porto Velho surgiu no começo do século 20. Desativada em 1972, as memórias da estrada estão preservadas no Museu Ferroviário, instalado em um galpão às margens do rio Madeira. No acervo estão tornos, máquinas, móveis, fotografias, livros e documentos, além de uma locomotiva de 1878. E falando sobre o rio que banha a cidade, ele também oferece um agradável passeio de barco. O tour dura 45 minutos e leva à corredeira de Santo Antônio, um dos cartões-postais da capital. Prefira os passeios do final de tarde para curtir o pôr do sol e, quem sabe, ganhar a companhia dos botos, inclusive os cor-de-rosa.

Apesar das avenidas planejadas, a cidade ainda tem muitas ruas de terra, especialmente nos trechos às margens do rio. O clima de cidade do interior é mantido também no Mercado Central, tradicional ponto de encontro dos moradores para tomar café da manhã. Entre as opções cheias de sustança estão mingaus, tapioca, bolos, queijos e frutas típicas. A vida noturna também é famosa, concentrando-se na “Calçada da Fama”, repleta de bares e boates. Atualmente, a construção de duas hidrelétricas no leito dos rios e a oferta de instituições de ensino faz da cidade uma das mais movimentadas da região.

Rondônia Under development And with growing tourism The expansion of the agricultural frontier in Rondônia was decisive for the agriculture and stockbreeding development. The migrating flows of farmers intensified during the 1970s, especially from the south and southeast regions. Today it also has stockbreeding as main economic activity – where the state stands out as great meat exporter –, the food industry and plant and mineral extractivism. It also exports part of its production, especially frozen meat (43.43%), soy (32.77%), raw tin (7,085), cut wood (2.36%). The plant extractivism is another important source of revenue for the state: wood is responsible for 13% of exports. However, this activity triggers several environmental problems, as the uncoordinated removal of trees aggravates deforestation in the Amazon forest. According to data from the National Institute for Space Research (INPE), Rondônia is the third state in deforestation, behind only Mato Grosso and Pará. The service sector is stimulated by commerce. Another activity that contributes for such economical segment is tourism. Despite its touristic

potential not being explored, Rondônia attracts visitors that enjoy its natural, historical and cultural beauties. A curiosity about the state: it is the only one where the name pays tribute to a historical national icon, Marechal Rondon, who broke new ground in the north of the country in the 1900s, inclusive in the region of Rondônia. Porto Velho Barriers conquered and now an engine for evolution Who has never heard of the Madeira-Mamoré railway? For 40 years, the works of this railway started and were interrupted three times. The first work front begun in 1872 and was led by a British company, but it later had two other companies working on its conclusion project, being officially inaugurated on 1st of August of 1912. Studies showed that 1,552 men died during the last 5 years of its construction. But there are indications that this number surpasses 6 thousand workers, due to diseases in the region, such as malaria, typhus and beriberi. Another problem were constant indigenous attacks. That brought about the capital city of Porto Velho in the early 20th century. Deactivated in 1972, the railway’s memories are preserved at the Museu Ferroviário, installed in a warehouse in the banks of Rio Madeira. On the archives, you will find lathes, machines, furniture,

pictures, books and documents, and also a 1878 engine. And speaking about the river bathing the city, it also offers a pleasant boat ride. The tour lasts 45 minutes and takes visitors to the Santo Antônio rapids, one of the capital’s post cards. Choose the late afternoon tours to enjoy the sunset and, who knows, receive the company of the porpoises, inclusive pink porpoises. In spite of planned avenues, the city still has many dirt streets, especially on riverside stretches. The countryside city feeling is kept also at Mercado Central, a traditional meeting point for residents to have breakfast. Among well-served options are porridges, tapioca, cakes, cheeses and typical fruits. The night life is also famous, concentrated in the “Walk of Fame”, with many bars and dance clubs. Presently, the construction of two hydroelectric plants and offerings of educational institutions turned the city into one of the busiest in the region. Rondônia: Capital Porto Velho Estimated population 2016: 1,787,279 Population 2010: 1,562,409 Area 2015 (km²): 237,765.376 Demographic density 2010 (inhab/km²): 6.58 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 822 Number of municipalities: 52

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Sergio Amaral

Barreiras vencidas e agora uma locomotiva da evolução

125


Turismo

Roraima

Uma economia modesta, mas que está avançando

O governo está oferecendo incentivos fiscais para as empresas

A

r Foto: Embratu

economia do Estado de Rorai- está em formação e, diante dos dados rela- derivados do leite. Comércio e serviços, ma é modesta se comparada tivamente negativos o governo do Estado assim como a construção civil, têm taaos outros Estados com setores não poupa esforços para atrair investi- xas de crescimento significativas. produtivos mais complexos. No contex- mentos e contribuir com o desenvolvi- Já o turismo no Estado to econômico, Roraima possui o menor mento. Uma das maneiras encontradas de Roraima está voltado PIB (Produto Interno Bruto), ou seja, en- pelo governo é oferecer incentivos fiscais para o ecoturismo, já tre as 27 unidades da federação esse é o para a instalação de empresas na região. que o Estado é que menos produz riquezas. Entretanto, Atualmente as principais indústrias são rico em cenáesse fato é explicado genericamente, pois de beneficiar cereais, produção de refri- rios naturais. cerca de 70% da área estadual pertence gerantes, móveis, utensílios domésticos e às áreas de preservação indígena ou mesmo áreas de conservação ambiental. Das atividades agrícolas, destacam-se a produção de arroz (inclusive para exportação), soja, feijão, mandioca, hortaliças e frutas tropicais, como banana, mamão, abacaxi e melão. A pecuária (bovino, suínos e aves), desenvolvida principalmente na faixa do estado cuja vegetação é o cerrado (leste). O extrativismo de madeira, castanha-do-Pará e sorva, além de peixes ornamentais é limitado, pois a maior parte do territóRoraima: Capital Boa Vista rio é constituído por áreas de População estimada 2016: 514.229 proteção ambiental e reservas População 2010: 450.479 indígenas. O mesmo ocorre Área 2015 (km²): 224.301,080 com a mineração, principalDensidade demográfica 2010 (hab/km²): 2,01 mente de ouro e diamantes. Rendimento nominal mensal domiciliar per capita O parque indusda população residente 2015 (reais): R$1.008,00 trial de Roraima ainda Número de Municípios: 15

126


Boa Vista

Roraima A modest economy, but advancing The government is offering tax incentives for companies The economy of the state of Roraima is modest if compared to other states with more complex productive sectors. In the economic context, Roraima has the smallest GDP (Gross Domestic Product), that is, among the 27 federation units it produces less wealth. However, such fact is generically explained, as about 70% of the state area belongs to indigenous preservation or even environmental conservation areas. From agricultural activities, stand out the production of rice (inclusive for export), soy, beans, manioc, vegetables and tropical fruits, such as banana, papaya, pineapple, and melon. stockbreeding (bovine, swine, and poultry), developed mainly in the part of the state where the vegetation is the savanna (east). Wood, Brazil nut and sorb extraction, aside from ornamental fish is limited, as the greater part of the territory is constituted by environmental protection and indigenous reserve areas. The same happens with mining, especially gold and diamonds.

que desperta o paladar dos curiosos por conta dos exóticos temperos. Merecem destaque a Paçoca com banana (carne assada batida no pilão com farinha e servida com banana), a Caldeirada de peixe, a Galinha caipira e a Mugica de peixe (peixe assado no forno, desfiado e cozido com farinha branca e azeite). Para acompanhar, suco de açaí, de cupuaçu e de buriti – esse último, também é servido como vinho! A cidade é linda com seu estilo e construções antigas, mas o turismo concentra-se mesmo ao seu redor, onde há diversas opções para os turistas aventureiros e praticantes de esportes radicais.

Roraima’s industrial park is being developed and, in face of the considerably negative numbers, the state’s government does not spare efforts to attract investments and contribute to development. One of the ways found by the government for that is offering tax incentives for companies to set their operations in the region. Presently, the leading industries are grain beneficiation, soft drink production, furniture, home appliances, and milk derivatives. Commerce and services, as well as civil construction, have significant growth rates. On the other hand, tourism in the state of Roraima is aimed to ecotourism, as the state is rich in natural scenarios. Boa Vista A city rich in 19th century Portuguese architecture Broad and forested avenues relieve the warm and humid climate of the capital, in the banks of Rio Branco. The modern outline valued considerably the 19th century Portuguese architecture, integrated to recent downtown buildings. Boa Vista is the only Brazilian capital completely located in the northern hemisphere. One of the main local characteristics is the cultural diversity – thanks to the south and northeast mi-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

grants, and also regional indigenous inhabitants. The mix influenced the capital’s gastronomy, with a delicious blend of flavors. The predominance, however, is of indigenous cuisine, arousing the taste of those curious for the exotic seasonings. Deserving mention: Paçoca com Banana (baked meat beat with a pestle with flour and served with banana), Caldeirada de Peixe, Galinha Caipira and Mugica de Peixe (oven bakes fish, shredded and cooked with white flour and olive oil). On the side, açaí, cupuaçu or buriti juices – the latest served also as wine! The city is beautiful with its old building and style, but tourism concentrates at its surroundings, with several options for adventure tourists and radical sports enthusiasts. Roraima: Capital Boa Vista Estimated population 2016: 514,229 Population 2010: 450,479 Area 2015 (km²): 224,301.080 Demographic density 2010 (inhab/km²): 2.01 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,008 Number of municipalities: 15

Foto: Embratur

A

s avenidas largas e arborizadas amenizam o clima quente e úmido da capital, às margens do Rio Branco. O traçado moderno valorizou ainda mais a arquitetura portuguesa do século 19, integrada aos prédios recentes do Centro da cidade. Boa Vista é a única capital brasileira localizada totalmente no hemisfério norte. Uma das principais características locais é a diversidade cultural – graças aos migrantes do Sul e do Nordeste do Brasil, além dos índios da região. A mistura influenciou a gastronomia da capital, com uma deliciosa mistura de sabores. A predominância, porém, é da culinária indígena,

Foto: Embr atur

Uma cidade rica em arquitetura portuguesa do século 19

127


Turismo

Santa Catarina Uma economia rica e diversificada

O Estado possibilita isso através dos seus variados climas e planícies

D

iferentemente de alguns Estados onde há concentração produtiva, a economia catarinense é bastante diversificada, com destaque para a agroindústria e, está organizada em vários polos distribuídos por diferentes regiões do Estado. O principal produto é o milho, que serve de ração para a criação de suínos que, juntamente com a avicultura, teve enorme expansão nos últimos anos. A diversidade de climas, paisagens e relevos estimula o desenvolvimento de inúmeras atividades, da agricultura ao turismo, atraindo investidores de segmentos distintos e permitindo que a riqueza não fique concentrada em apenas uma área. A terra dos Barriga Verde é a maior produtora brasileiro de pescado e crustáceos, colocando essa atividade em posição privilegiada tanto para a economia local quanto para a composição do PIB estadual. O litoral catarinense é conhecido pela exploração da Tainha, um peixe delicioso, que é pescado de forma artesanal, o que se torna um grande evento. A Grande Florianópolis destaca-se nos setores de tecnologia, turismo, serviços e

128

construção civil. O Norte é polo tecnológico, moveleiro e metalomecânico. O Oeste concentra atividades de produção alimentar e de móveis. O Planalto Serrano tem a indústria de papel, celulose e da madeira. O Sul destaca-se pelos segmentos do vestuário, plásticos descartáveis, carbonífero e cerâmico. No Vale do Itajaí, predomina a indústria têxtil e do vestuário, naval e de tecnologia. A indústria de transformação catarinense é a quarta do país em número de empresas e a quinta em número de trabalhadores, segundo dados da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). São 45 mil empresas e 763 mil trabalhadores. Conta com uma forte indústria alimentícia, sendo destaque na produção de carne suína, de frangos e pescados. Na agricultura, o Estado também tem relevância nacional. Os principais produtos são o arroz, o milho e a soja. O turismo é outro ponto forte da economia catarinense. Dono de praias lindas, como todas as que contornam a maravilhosa Florianópolis, Bombinhas e muitas outras, a Catarina tem o turismo como parte essencial em sua economia.


Santa Catarina: Capital Florianópolis População estimada 2016: 6.910.553 População 2010: 6.248.436 Área 2015 (km²): 95.737,895 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 65,27 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.368 Número de Municípios: 295

Curitiba

Famosa por suas belezas naturais

Santa Catarina: Capital Florianópolis Estimated population 2016: 6,910,553 Population 2010: 6,248,436 Area 2015 (km²): 95,737.895 Demographic density 2010 (inhab/km²): 65.27 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,368 Number of municipalities: 295 Santa Catarina A rich and diversified economy The state provides that through its mixed climates and plains Different from some states where there is productive concentration, the economy of the state of Santa Catarina is extremely diversified, with distinction to the agroindustry and is organized in several complexes distributed through different regions in the state. The main product is corn, ration for swine breeding that along poultry farming had huge expansion in the past few years. The diversity of climates, landscapes and reliefs stimulates the development of innumerous activities, from agriculture to tourism, attracting investors from distinct segments and allowing wealth not concentrated in a single area. The land of the Green Bellies is Brazil’s biggest fish and crustacean producer, placing such activity in a privileged position for the local economy and state GDP composition. The coast of the state of Santa Catarina is known for exploitation of Tainha, a delicious fish, caught in a non-industrial manner, turning it into an event worth seeing.

The Grande Florianópolis stands out in the technology, tourism, services and civil construction sectors. The north hosts the technology, furniture, metalworks complexes. The west concentrates activities of food and furniture production. The Planalto Serrano is home for the paper, cellulose and wood industries. The south stands out for the clothing, disposable plastics, carboniferous and ceramic segments. At Vale do Itajaí, the textile and clothing, naval and technology industries prevail. The state’s transformation industry is the fourth in the country in number of companies and fifth in number of employees, according to data from the Santa Catarina Industries Federation (Fiesc). There are 45 thousand companies and 763 thousand workers. It has a strong food industry, with high importance in the swine, poultry and fish production. In agriculture, the state also has national relevance, with top products being rice, corn, and soy. Tourism is another strongpoint of the state’s economy. With beautiful beaches, as all surrounding the wonderful Florianópolis, Bombinhas and many others, Santa Catarina has tourism as an essential part of its economy.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Florianópolis Famous for its natural beauties In recent years, the capital of Santa Catarina has become one of the most coveted touristic destinations in Brazil. In the high season, especially New Year’s and following days, tourists from all states and neighboring countries choose the capital to enjoy their days off. That the paradisiacal beaches and glamorous parties are huge attractions, there is no question, but there is more to the magical island. The title (Magical Island) attributed to the city makes more and more sense. Capable of uniting preserved nature and historical heritage to a large city infrastructure, the capital has such capacity of bewitching tourists that many end up returning... to stay. Since 2000, the city’s population has increased 35%. The number of cars, etc., has also increased... but with them come new and great gastronomic offers, plenty of glamour and interventions for traffic improvement (despite, in the high season, there are no bridges or tunnels that can solve traffic jams). Despite beaches being the main attraction, the cuisine and the city’s night life also excite tourists, with its bars, dance clubs and cafés, guaranteeing buzz and active nightlife throughout the year.

Foto: Embratur

Foto: Embr atur

N

os últimos anos a capital de Santa Catarina se tornou um dos mais cobiçados destinos turísticos do Brasil. Na alta temporada, principalmente no Réveillon e nos dias posteriores, turistas de todos os Estados e de países vizinhos escolhem a capital catarinense para aproveitar os dias de folga. Que as praias paradisíacas e as glamorosa festas são grandes atrativos, ninguém duvida, mas não é só disso que vive a ilha da magia. Este título por sinal (Ilha da Magia) atribuído à cidade faz cada vez mais sentido. Capaz de reunir natureza e patrimônio histórico preservados com infraestrutura de cidade grande, a capital enfeitiça tanto os turistas que muitos acabam voltando... para ficar. Desde 2000, a população da cidade aumentou 35%. Também aumentou o número de carros, etc... Porém, junto com eles, chegaram novas e ótimas ofertas gastronômicas, glamour de sobra e intervenções para melhorar o trânsito (apesar de, na alta temporada, não ter viaduto, túnel ou ponte que dê jeito nos congestionamentos). Apesar do principal atrativo serem as praias, a culinária e a noite na cidade também encantam os turistas, com seus bares, boates e cafés, garantindo burburinho e agito noturno o ano inteiro.

129


Turismo

São Paulo

O Estado mais rico do Brasil

Com o maior parque industrial, possui ainda a maior produção econômica da América do Sul

do Jordão, localizada a 1600 m sobre o nível do mar, podendo assim atingir temperaturas negativas no inverno. Nas cidades do interior do Estado, as temperaturas passam facilmente dos 33°C nos dias de verão. Já na capital e região metropolitana, o clima é subtropical influenciado pela altitude, mas alterado pela poluição, ou seja, durante o inverno é comum o fenômeno da inversão térmica: quando a poluição sobe impulsionada pelo ar quente durante o dia e, desce próxima ao chão com o ar frio da noite. A capital pode chegar a ter no mesmo dia as quatro estações do ano. Pode chover de manhã, fazer sol na hora do almoço e a temperatura abaixar à noite. Entretanto, geralmente o clima é bem definido durante as estações do ano na maior parte do Estado, exceto na serra do Mar, onde a estação seca é muito curta. Aproveitando e descendo a serra, falando agora de toda a sua extensão litorânea, vale a pena conhecer as suas belíssimas praias, algumas ainda pouco exploradas, que exigem muito mais para você chegar, mas que irão recompensar com cenários paradisíacos.

São Paulo, Brazil’s richest state With the largest industrial complex, it also has South America’s largest economic production The state of São Paulo has a territorial extension of 248,209.4 km² and, as f not enough, it has extremely beautiful beaches, picturesque countryside cities, and very small towns. Also, its capital, the city of São Paulo, draws the attention for being the only Brazilian city over 10 million inhabitants and leading by a long shot the ranking of the most populated cities, from 2014 by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE). The state is also considered Brazil’s “economic engine”, responsible for over 31% of Brazil’s GDP and has the largest and more absolute industrial complex in the country, meaning it operates in different types of production, such as industry, stockbreeding, and agriculture. It is located in the southeast region, and boundaries with Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná and Mato Grosso do Sul to the west. Approximately 85% of its territory is located between 300 and 900 m of altitude, keeping its climate similar throughout the state, due also to its latitude,

130

Foto: Divulgação

A

extensão do Estado de São Paulo possui uma extensão de 248.209,4 km² e, como se não bastasse, possui nela belíssimas praias, cidades do interior bem pitorescas, e outras cidades bem pequenas. Além disso, a sua capital, a cidade de São Paulo, chama atenção, pois é a única cidade brasileira que têm mais de 10 milhões de moradores e lidera com folga o ranking das cidades mais populosas, divulgado em 2014 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Estado é considerado ainda o “motor econômico” do País, responsável por mais de 31% do PIB do Brasil e apresenta ainda o maior e mais completo parque industrial, isso significa que atua em diferentes tipos de produção, como a indústria, a pecuária e a agricultura. Está situado no sul da região Sudeste, tendo como limites Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Mato Grosso do Sul a oeste. Aproximadamente 85% do território está localizado entre 300 e 900 m de altitude, o que mantém seu clima bem parecido em todo seu espaço, devido a sua latitude, com exceção, por exemplo, da cidade de Campos

with a few exceptions such as the city of Campos do Jordão, located at 1600m above sea level, and many times reaching negative temperatures in the winter. In the countryside cities, temperatures easily surpass 33°C in summer days. On the other hand, in the capital and metropolitan region the climate is subtropical influenced by the altitude, but altered by pollution, that is, during the winter it is common the phenomenon of thermal inversion: when the pollution raises driven up by the hot air during the day and coming down close to the ground with the cold air of nights. The capital can reach, in the same day, the four seasons of the year. It may rain in the morning, be sunny at lunchtime, with the temperature decreasing at night. However, the climate is well defined during the seasons of the year in most parts of the state, except at Serra do Mar, where the dry season is extremely short. Going down the sierra, now talking about its coastline, it is worth checking out its wonderful beaches, some still little explored and which demand a good deal of effort getting there, but that will reward you with paradisiacal scenarios.


C

omo o tempo passa, como o tempo voa, neste meu São Paulo, terra da garoa”.... a capital do Estado já foi muito conhecida com este nome, quando durante o outono a cidade passava dias com uma fina garoa. Mas atualmente, o concreto absorveu muito da sua umidade. Além disso, a poluição ajudou a aquecer a cidade, o fenômeno que também vemos em outras cidades do Brasil e do planeta, que os cientistas chamam de aquecimento global. Mesmo não sendo mais a terra da garoa, a cidade possui ainda inúmeros pontos turísticos, que atendem todos os gostos. Apesar de ser uma cidade considerada relativamente jovem, a metrópole paulistana é formada por diversos lugares tradicionais, como o Mercado Municipal, o Parque da Luz, a rua São Bento, o Viaduto do Chá, o Theatro Municipal de São Paulo, entre outros lugares emblemáticos, que afloram boas lembranças e resgatam histórias. Passear pelas ruas do centro da cidade é outra beleza a parte. Também no centro São Paulo, capital The land of the drizzle “How time goes on, how time flies, in mine São Paulo, land of drizzle”... the state capital was once widely known by this name, when during autumn the city would go days with the thin drizzle. Today, the concrete has absorbed much of its humidity. Also, pollution helped warm the city, a phenomenon we can see in other Brazilian and world cities, and which scientists call global warming. Even no longer being the land of drizzle, the city has many touristic spots for all tastes. Despite being considered a relatively young city, the metropolis of the state of São Paulo is made up of several traditional places, such as Mercado Municipal, Parque da Luz, Rua São Bento, Viaduto do Chá, Theatro Municipal de São Paulo, among other emblematic spots, which bring good memories and retrieve histories. Walking through the streets downtown is another beauty apart. Also downtown, we find Edifício Itália, the second tallest building in the capital, with 165 metros distributed in 46 floors and which provides great pictures.

São Paulo capital

está localizado o edifício Itália, o segundo maior prédio da cidade em altura, com 165 metros distribuídos em 46 andares e, quem rende belíssimas fotos. São Paulo não dorme, é verdade. E para quem gosta da vida noturna, a cidade possui a 4ª colocação de melhor, eleita pela National Geographic em 2015. Opções não faltam, são várias, para todos os gostos, desde os tradicionais barzinhos de roda de samba, pagode, axé, forró, ou até mesmo casas de ritmos latinos, ou karaokê, enfim, são diversas opções para dançar, comer, cantar e dar boas risadas, sem hora para voltar para casa. Por falar em comer, a gastronomia que a cidade oferece é outro espetáculo. São diversas opções de restaurantes, para todos os gostos (e bolsos). Desde as tradicionais churrascarias, barzinhos com feijoada aos sábados, pizzarias, cantinas italianas, restaurantes especializada em culinária japonesa – e até um bairro com feira no final de semana – restaurantes com culinária árabe, espanhola, húngara, peruana... São Paulo does not sleep, it is true. And for those who enjoy night life, the city ranks 4th best in the world, elected by National Geographic in 2015. There are heaps of options, for all tastes, from the traditional samba, pagode, axé, forró pubs, or event Latin rhythm clubs or karaoke, anyway, options for dancing, eating, singing, and have good laughs, with no set time to be back home. Speaking of eating, the gastronomy offered by the city is another spectacle. Various options of restaurants for all tastes (and budgets). From the traditional barbecue places, pubs with feijoada on Saturdays, pizzerias, Italian cantinas, restaurants specialized in Japanese cuisine – and even a neighborhood with traditional street markets – restaurants with Arab, Spanish, Hungarian, Peruvian cuisines… anyway, there are plenty of options and, of course, the traditional gastronomic fairs increasingly popular and with varied options. When also speaking about spectacles, the city offers over 100 theater shows a week and 600 plays a year, and is also the city hosting the highest number of national and international mu-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

A terra da garoa

enfim, opções não faltam, além, é claro, das tradicionais feiras gastronômicas que a cada dia se tornam mais populares e, trazem diversas opções. Quando também falamos em espetáculos, a cidade oferece mais de 100 espetáculos teatrais em exibição por semana e 600 peças por ano, além de ser a cidade que mais recebe musicais e espetáculos internacionais. Também está aberta as mais variadas expressões artísticas nas ruas. Basta caminhar pela Avenida Paulista, por exemplo, que se deparará com diversos artistas em seu caminho. Aproveitando para falar sobre o coração da cidade, a Avenida Paulista representa, ao pé da letra, a expressão de que São Paulo é uma cidade que nunca dorme: são luzes a todo o momento. A vibração e energia da avenida são únicas, e arrepiam! A Paulista é, sem sombra de dúvidas, o local onde todas as culturas que habitam a cidade, se encontram. Lazer, descanso, turismo, gastronomia, negócios....seja qual for o seu objetivo, a cidade está pronta para receber você! sicals and concerts. It is also open to different street art expressions. Just take a walk at Avenida Paulista, for example, and you will encounter several artists on the way. Taking the opportunity of talking about the heart of the city, Avenida Paulista literally represents the saying that São Paulo is a city that never sleeps: there are lights at every moment. The avenue’s vibration and energy are unique and exiting! Avenida Paulista is, without a doubt, the place all cultures dwelling in the city meet. Leisure, rest, tourism, gastronomy, business... whatever your purpose, the city is ready to welcome you! São Paulo: Capital São Paulo Estimated population 2016: 44,749,699 Population 2010: 41,262,199 Area 2015 (km²): 248,221.996 Demographic density 2010 (inhab/km²): 166.23 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 1,482 Number of municipalities: 645

Foto: Divulgação

São Paulo: Capital São Paulo População estimada 2016: 44.749.699 População 2010: 41.262.199 Área 2015 (km²): 248.221,996 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 166,23 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$1.482 Número de Municípios: 645

131


Turismo

Sergipe Diversificando a economia Até a década de 90 o Estado era dependente do cultivo de cana-de-açúcar

132

mbratu Foto: E

r

Foto: Embratur

N

os últimos 10 anos a economia sergipana cresceu mais que o Brasil. Durante séculos, a economia de Sergipe ficou praticamente estagnada, totalmente dependente do cultivo de cana-de-açúcar. No entanto, a partir de 1990, houve uma diversificação das atividades. Através de incentivos fiscais, do seu potencial energético, gerado pela usina de Xingó, e pela exploração de petróleo e gás natural, ocorreu um aumento considerável na produção industrial. Atualmente, apesar da cana-de -açúcar ainda ser o principal produto, a agricultura ampliou seu leque, produzindo agora produtos como: arroz, feijão, batatadoce, mandioca, Maracujá, banana, entre outros. A pecuária, por sua vez, não é muito expressiva, sendo composta por rebanhos bovinos, caprinos e criações de aves. O Estado possui recursos minerais importantes, como por exemplo: petróleo, gás natural, calcário e potássio, além da extração de sal marinho. A exploração de petróleo e gás natural tem impulsionado o setor industrial. Segundo Indicadores de Desenvolvimento Sergipano’, elaborado pelo Observatório de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), o PIB cresceu 4,9%, em média.


Aracaju

Sinônimo de festa

A

Sergipe: Capital Aracaju População estimada 2016: 2.265.779 População 2010: 2.068.017 Área 2015 (km²): 21.918,454 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 94,36 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$782 Número de Municípios: 75 Sergipe Diversifying the economy Until the 1990s the state relied on sugarcane cultivation IOver the last 10 years the economy of the state of Sergipe grew more than Brazil. For centuries, the state’s economy remained practically stagnant, fully dependent on sugarcane cultivation. However, from 1990, there was diversification of activities. Through tax incentives, its energetic potential, generated by the Xingó plant and petroleum and natural gas exploration, there was a considerable increase in the industrial production. Presently, despite sugarcane still being the main product, agriculture broadened its array, now producing goods such as rice, beans, sweet potato, manioc, passion fruit, banana, among others. Stockbreeding, on the other hand, is not expressive, composed mainly of bovine and goat herds and poultry farming. The state possesses important mineral resources, such as petroleum, natural gas, limestone, and potassium, besides sea salt extraction. The exploration of petroleum and natural gas has been stimulating the industrial sector. According to State of Sergipe Development Indicators, elaborated by Sergipe’s Observatory, through the State Department for Planning, Budget and Management (Seplag), the GDP grew an average of 4.9%. Aracaju Synonymous with party The capital of Sergipe does not have the trendiest beaches in the northeast, or many kilometers of beaches, but by contrast it is excellent when the subject is variety of tours, infrastructure, hospitality and prices. The word party, that matches so well with the northeast, finds a synonym in Aracaju. Held on the second fortnight of June, Forró Caju gathers thousands of tourists coming attracted by the region’s largest event. But São João in Aracaju is above all a family tradition. In several streets from various neighborhoods and different social classes of the capital, it is common to see “arraiais” assembled by the community itself or family parties in homes where you will find much forró and happiness, lots of typical beverages and food, such as corn, pamonha, pé-de-moleque, canjica, caruru, peanuts and various cakes. Throughout its six kilometers of beaches, it showcases kiosks, sidewalk, bicycle paths, sport courts, luminous fountains and an oceanarium that will delight children and adults. There you have the Passarela do Caranguejo, a stretch taken by bars and restaurants with the best of the regional cuisine – seafood, dried meat, pirãode-leite and, obviously, crab. With an extensive array of attractions and the capital’s infrastructure, a dip into the ocean becomes secondary. The waters of Rio São Francisco also bathe the region and will take you through one of the most beautiful tours in the state, showcasing canyons, caves, with stops for bathing in the river waters.

Sergipe: Capital Aracaju Estimated population 2016: 2,265,779 Population 2010: 2,068,017 Area 2015 (km²): 21,918.454 Demographic density 2010 (inhab/km²): 94.36 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 782 Number of municipalities: 75

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Embratur

capital sergipana não tem as praias mais badaladas do Nordeste, nem tampouco muitos quilômetros de praias, mas, em compensação, capricha quando o assunto é variedade de passeios, infraestrutura, hospitalidade e preços. A palavra festa, que tão bem rima com Nordeste, encontra sinônimo em Aracaju. Realizado na segunda quinzena do mês de junho, o Forró Caju reúne milhares de turistas que chegam atraídos pelo maior evento da região. Mas o São João em Aracaju é sobretudo uma tradição familiar. Em muitas ruas de diversos bairros e classes sociais da capital sergipana é comum ver arraiais montados pela própria comunidade ou festas familiares nas residências onde há muito forró e alegria, repleto de bebidas e comidas típicas como milho, pamonha, pé-de-moleque, canjica, caruru, amendoim ou bolos diversos. Ao longo dos seus seis quilômetros de praia, reúnem-se quiosques, calçadão, ciclovia, quadras poliesportivas, fontes luminosas e um oceanário que encanta crianças e adultos. Por lá fica a Passarela do Caranguejo, um trecho tomado por bares e restaurantes que servem o melhor da cozinha regional – frutos do mar, carne-de-sol, pirão-de-leite e, claro, caranguejo. Com uma vasta gama de atrações e a infraestrutura da capital sergipana fazem com que o banho de mar fique em segundo plano. As águas do rio São Francisco também banham a região e conduzem por um dos mais belos tours do Estado, passando por cânions e grutas, com paradas para banho.

133


Turismo

Tocantins

Uma terra maravilhosa Onde tudo que planta germina

A

ser humano, bem como produzir matérias-primas que são transformadas em produtos secundários em outros campos da atividade econômica. Trata-se de uma das formas principais de transformação do espaço geográfico, sendo uma das mais antigas práticas realizadas na história O Estado caçula da federação, pode ter poucos habitantes, mas é recheado de experiências desde a promulgação da Nova Constituição, o que tornou Estado em 1988. Devido às marcas na história, o Estado tem um forte projeto expansionista e nos últimos anos recebeu importantes obras

134

ç ão ulga : Div Foto

Foto: Div

ulgaç

ão

agropecuária é a principal atividade econômica privada de 72,6% dos municípios tocantinenses. Das 139 cidades do Tocantins, 101 têm a agricultura e a pecuária como principal geração de riquezas. O mesmo acontece em mais da metade dos municípios brasileiros, segundo dados da pesquisa de Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios (2010-2013), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A agricultura é uma prática econômica que consiste no uso dos solos para cultivo de vegetais a fim de garantir a subsistência alimentar do

de infraestrutura como a Ferrovia Norte-Sul, a hidrovia Araguaia-Tocantins, o Ecoporto Praia Norte e o Terminal de Cargas do Aeroporto de Palmas. Abordando o setor no geral, o PIB do setor representou na última medição do Ministério da Agricultura 4,85% do total da economia brasileira, maior taxa de crescimento desde 1995, somando R$ 234,6 bilhões. A renda bruta da agricultura brasileira deve ter um crescimento de 1,5% em 2015, chegando a R$ 286,4 bilhões, segundo informa a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).


Palmas

Uma cidade planejada des vizinhas. As peças em capim dourado, como bijuterias, bolsas e utensílios encantam mulheres de todas as idades. Muito próximo a cidade, Belém oferece diversas atrações como expedição e turismo pedagógico. No quesito ecoturismo, as principais atrações ficam no distrito de Taquaraçu, a 27 quilômetros. O clima é ameno e propício para caminhadas que levam a dezenas de cascatas em meio à serra do Lageado. Contrate um guia e inclua no roteiro a cachoeira da Fazenda Encantada, uma sequência de seis quedas-d’água em meio à mata nativa. A área oferece ainda poços para banho e prática de rapel. Já as cachoeiras do Roncador, com 50 metros; e de Sambaíba chamam a atenção por conta das piscinas naturais.

Tocantins: Capital Palmas População estimada 2016: 1.532.902 População 2010: 1.383.445 Área 2015 (km²): 277.720,567 Densidade demográfica 2010 (hab/km²): 4,98 Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (reais): R$818 Número de Municípios: 139 Tocantins Wonderful land Where all that is planted grows Agriculture and stockbreeding are the main private economic activity of 72.6% of the municipalities of the state of Tocantins. Of the 139 cities in Tocantins, 101 have in agriculture and stockbreeding the main source for generating wealth. The same takes place in over half of the Brazilian municipalities, according to data from surveying the Gross Domestic Product (GDP) of Municipalities (2010-2013), disclosed by the Brazilian Institute of Geography and Statistics. Agriculture is an economic practice consisting in the use of soils for harvesting vegetables in order to guarantee the human being’s livelihood, as well as producing raw material that are transformed into secondary products in other economic activity fields. It is one of the key means of transforming the geographic space, being one of the oldest practices in historical terms. The state youngest state of the Federation may have few inhabitants, but is full of experiences sin-

ce the promulgation of the New Constitution, which turned it into a state in 1988. Due to the marks in history, the state has a strong expansion project and in recent years have received important infrastructure works, such as Ferrovia Norte-Sul, Hidrovia Araguaia-Tocantins, Ecoporto Praia Norte and Terminal de Cargas do Aeroporto de Palmas. Approaching the sector in general, its GDP represented, in the last verification from the Ministry of Agriculture, 4.85% of the total Brazilian economy, largest growth rate since 1995, summing up R$ 234.6 billion. The Brazilian agriculture gross revenue had a 1.5% growth in 2015, reaching R$ 286.4 billion, according to the Brazil’s Agriculture and Stockbreeding Confederation (CNA). Palmas A planned city As previously mentioned, Palmas is the country’s youngest capital (founded in 1989) and, thanks to urban planning, the city has long and wide avenues, with gardened roundabouts and parks. For visitors, it provides beautiful torus and places, such as Parque Cesamar, with a jogging track, lake

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Tocantins: Capital Palmas Estimated population 2016: 1,532,902 Population 2010: 1,383,445 Area 2015 (km²): 277,720.567 Demographic density 2010 (inhab/km²): 4.98 Per capita monthly nominal income of residing population 2015 (Reais): R$ 818 Number of municipalities: 139

and trails. The city also has cultural attractions as the wonderful Memorial Luis Carlos Prestes, designed by Oscar Niemeyer. In order to get in contact with local works, nothing better than visiting the famous handicraft fairs. The Feira do Bosque, taking place on Sundays at Bosque dos Pioneiros and the Espaço Popular, with works from craftsmen from the city and surrounding municipalities. Works in golden grass, such as jewelries, bags, and appliances delight women of all ages. Next to the city, Belém offers several attractions such as expeditions and pedagogical tourism. In regards to ecotourism, the top attractions are in the district of Taquaraçu, 27 kilometers away. The climate is pleasant and favorable for walks takin to dozens of waterfalls amidst the Serra do Lageado. Hire a guide and include on the tour the waterfall at Fazenda Encantada, a sequence of six waterfalls in the middle of native forest. The area also offers shafts for bathing and rappelling. the Roncador, 50-meter high, and Sambaíba waterfalls draw the attention for their natural pools.

Foto: Divulgação

C

omo já falamos, Palmas é a mais nova capital do país (fundada em 1989) e, graças ao planejamento urbano, a cidade tem avenidas longas e largas, intercaladas por rotatórias ajardinadas e parques. Para os visitantes reserva lindos passeios e lugares, como o Parque Cesamar, com pista de corrida, lago e trilhas. A cidade também tem como atração cultural um belíssimo Memorial Luis Carlos Prestes, projetado por Oscar Niemeyer. Para conhecer o trabalho local nada melhor que visitar as famosas feirinhas de artesanato. A Feira do Bosque, que acontece aos domingos no Bosque dos Pioneiros; e o Espaço Popular, com trabalhos de artesãos da capital e de cida-

135


Turismo

Destinos internacionais

A Europa continua no topo dos lugares mais procurados

C

omo vimos na introdução deste capítulo, a Europa continua um dos destinos mais procurados. Apesar do euro em alta, os países da União Europeia (EU) oferecem muitas vantagens, como a isenção de visto e a facilidade na mobilidade entre seus países. Entre os países mais visitados está a França, a Espanha, a Itália, a Alemanha, o Reino Unido, além da Grécia e belas praias e ilhas do Mar Mediterrâneo. A isenção de visto é válida para viagens de até 90 dias e serve para quem vai viajar a turismo, visitar parentes, participar de conferências, reuniões e congressos. Basta ter um passaporte e a passagem de volta. No Reino Unido, o tempo de permanência para o turista sem visto é de até 6 meses, o dobro do que normalmente é permitido na maioria dos países. Foto: Divulgação Na União Europeia estão inclusos alguns dos destinos turísticos mais famosos do mundo: a Torre Effeil, a Catedral de Notre-Dame, o Museu do Louvre, o Rio Sena e o Moulin Rouge na França; a beleza arquitetônica, a cozinha e a cultura das cidades da Espanha; os vestígios da história do império romano, como o Coliseu e o Pantheon, a famosa cidade de Veneza e o Vaticano, na Itália; o Big Ben, o Rio Tamisa, o Palácio de Buckingham, as Highlands Escocesas e o Lago Ness no Reino Unido; o Portão de Brandenburgo, o Muro de Berlim, a culinária e a cerveja na Alemanha. E a praticidade de translado entre os países também é fantástica. Existe a opção de viajar de trem, que são rápidos e confortáveis. Entretanto, se for uma distância muito grande, a melhor opção é o avião que, apesar da valorização da moeda local, ainda consegue ser bem mais barato, se comparado as tarifas adotadas no Brasil. Por outro lado, os aeroportos costumam ficar bem longe do centro, além das restrições quanto a bagagem de algumas companhias aéreas, o que implica em gastos extras. Ao contrário do trem, onde as Estações Centrais ficam localizadas normalmente no centro da cidade e, muitas vezes já conectadas por metrô e, em alguns casos, ainda próximas as atrações turísticas. Por exemplo, Paris, Londres, Suíça, Alemanha e Itália são alguns países onde você embarca na própria estação que fica dentro do metrô e já desembarca em outro país, onde muitas vezes, já consegue ir andando para o hotel ou facilmente

136


encontrar com transporte público. Sim, porque nesses países os serviços de taxi são caros e raros. Em alguns países existem ainda a opção de trens bala, por exemplo, é possível ir de Frankfurt e Nuremberg em pouco menos de uma hora e meia, ou de Barcelona a Madrid em pouco mais de três horas, o que já levaria isso apenas para chegar ao aeroporto e aguardar o embarque. E, como se não bastasse todas as vantagens do trem que falamos até agora, ainda temos o quesito charme! Sim, porque, além da maioria das estações serem charmosas, nos remetem a algo antigo, mas com todo o conforto da modernidade. Em alguns destinos, a viagem de trem é tão linda quanto o destino e se você escolher ir de avião pode perder toda essa belezura que tem pelo caminho. Claro que a Europa não possui muitos atrativos para viajar com criança, mas para quem optar por isso, existem ainda alguns trens que oferecem distração para os pequenos. Como, por exemplo, alguns trens da Suíça que oferecem até vagão com um parquinho para as crianças. Já vimos, portanto, que para esses países não é necessário visto, mas pesquise sempre antes de fazer as malas, pois os acordos feitos entre o Brasil e os países citados podem mudar, mudando as exigências para a entrada de turistas. Por isso é recomendável checar com os consulados antes de planejar a viagem. O transporte dentro dos países também é prático, agora vamos falar sobre alguns pontos turísticos. International destinations Europe remains as the top destination As seen in the introduction to this chapter, Europe is still one of the top destinations. Despite the high of the Euro, countries from the European Union (EU) offer many advantages, such as visa exemption and convenience in mobility between its countries. The top visited countries are France, Spain, Italy, Germany, United Kingdom, and also Greece, and beautiful beaches and islands in the Mediterranean Sea. Visa exemption is valid for trips of up to 90 days and is for those travelling for tourism purposes, visiting relatives, participating in conferences, meetings and congresses. You simply need a passport and a return ticket. In the United Kingdom, the time of stay for a tourist without a visa is up to 6 months, double that usually allowed in most countries. The European Union includes some of the world’s most famous touristic destinations: the Eiffel Tower, Notre-Dame Cathedral, Louvre Museum, River Seine and Moulin Rouge in France; the architectural beauty, cuisine and culture of cities in Spain; traces of Roman Empire history, such as the Coliseum and Pantheon, the famous city of Venice, in Italy; the Big Ben, River Thames, Buckingham Palace, Scottish Highlands and Lake Ness in the United Kingdom; the Brandenburg Gate, Berlin Wall, the cuisine and beer in Germany. And the convenience of travel between the countries is also fantastic. You can travel by train, which are fast and comfortable. However, if the distance is too long, the best option is the airplane that, despite the local currency valuation, still remains cheaper if compared to tariffs adopted in Brazil. On the other hand, the airports are usually far from the central areas, and there are also restrictions on luggage in some air companies, implying extra expenses.

Contrary to trains, where central stations are usually located in the central city areas and many times already linked to the subway system and many close to tourist attractions. For example, France, England, Switzerland, Germany and Italy are some countries where you board at the station inside the subway system and disembarks in another country where at times you are able to walk to your hotel or easily find public transportation. Yes, as in these countries taxi services are expensive and rare. In some countries, there is also the option of TGVs. For example, it is possible to go from Frankfurt to Nuremberg in little less than an hour and a half, or Barcelona to Madrid in a bit over three hours, what would almost match the time it would take to arrive at an airport and wait for the flight. And, if it wasn’t enough all advantages mentioned about trains, there is also the charm! Yes, because most of the train stations are charming and remit us to something old, with all of today’s conveniences. In some destinations, the train travel is as beautiful as the destination, and if you choose going by plane you may miss all the beauty of the journey. Europe does not have many attractions for children, but for those taking theirs, there are some trains which offer entertainment for the little ones, such as some trains in Switzerland offering coaches with a playground. We have seen, therefore, that there is no need for visas on these countries, but always do your research before packing up, as agreements between Brazil and the countries mentioned may change, and thus modifying the requirements for tourist entry. It is always recommended to confirm details with consulates before planning a trip. Transport within countries is also practical, and now let us talk about some touristic spots.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

137


Turismo

França C

l´amour

Foto: Marcos Bisi

onsiderada a cidade do amor, Paris tem um bom clima para os casais, tudo é romântico, a começar pelos restaurantes, pontos turísticos e até as vielas das ruas. A cidade oferece ainda bares dos mais variados tipos e mesas para jantar à luz de velas, para compartilhar um bom vinho e brincar ao amor. Além de tudo isso, o passeio por suas ruas, seja com a luz do dia ou banhados pelas luminárias tipo candeeiros, a cidade luz é linda, apaixonante e sobretudo romântica. A cidade tem a vantagem de ser plana, o que possibilita que visite os principais pontos turísticos caminhando e apreciando as longas avenidas rodeadas de árvores. As estações de metrô também são de fácil acesso e a cidade possui diversas linhas espalhadas, mas prepare-se, pois as estações são antigas e muitas vezes não possuem escada rolante ou elevador, então esteja preparado para subir muitas escadas. As pontes, os candeeiros de ferro, os cafés com esplanadas aquecidas, os prédios nunca demasiado altos, a Torre Eiffel iluminada, os museus e os monumentos mais conhecidos do Mundo e os crepes de chocolate na rua. Isto é Paris, mas não só. Ao mesmo tempo que tudo lhe possa parecer familiar, a cidade está em constante renovação e crescimento, ainda que de forma regulada, associada sempre a um delicado bom senso, a que se pode chamar elegância. É fundamental que, ao visitar a cidade, não deixe de colocar no roteiro, além dos museus e a gastronomia, o conhecido Triângulo de Ouro, formado pelas avenidas George V, Montaigne e Champs Elysées, já que Paris é berço da moda. Algumas cidades próxima, como Versailhes, também devem fazer parte do roteiro. O alto da Torre Eiffel oferece as mais belas vistas de Paris. International destinations France: l´amour Considered the city of love, Paris has a good environment for couples, everything is romantic, starting with restaurants, touristic spots and even the alleys. The city offers also different types of bars and candle light dinner tables, for sharing a good wine and toast love. In addition to that, strolling to its streets in daylight or under its luminaires, the city light is beautiful, inspiring and, above all, romantic. The city is flat, enabling you to visit the main touristic spots on foot while enjoying the long avenues surrounded by trees. Subway stations are also easy to access and the city has several lines scattered throughout, but prepare yourself, as stations are old and many of them are not equipped with escalators or elevators, so be prepared to climb many steps.

138

The bridges, iron luminaires, the cafés with heated esplanades, buildings never too high, the Eiffel Tower lit, museums and the world’s most famous monuments, the chocolate crepes on the street. This is Paris, but that is not all. At the same time everything may seem familiar, the city is in constant renovation and growing, in a controlled manner, always associated with a delicate good sense, which may be called elegance. It is very important, when visiting the city, not forgetting to add to your itinerary, aside from museums and gastronomy, the famous Golden Triangle, comprised by avenues George V, Montaigne and Champs Elysées, as Paris is the birthplace of fashion. Some nearby cities, as Versailles, must also be part of the itinerary.


Foto: Divulgação

Espanha Parada obrigatória!

O

País têm cidades maravilhosas, além de Barcelona e Madri, que já são obrigatórias por sua importância. Mas, se tiver tempo, vale a pena esticar a viagem e conhecer Córdoba, famosa pela sua majestosa mesquita, a pitoresca SaA igreja da Sagrada Família, embora inacabada ainda, é o lamanca, cidade reconhecida como monumento mais visitado da Espanha. Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, ou a charmosa Servilha, que oferece surpreendentes monumentos, além de bairros que encantam. Agora, voltando a falar sobre as principais cidades da Espanha. Já ouviu aquela frase: Barcelona é parada obrigatória? Pois é a mais pura verdade! Por isso é tão difícil definir a cidade em poucas palavras. Talvez por sua diversidade de coisas a fazer, conhecer ou experimentar, ela é considerada tão especial. Barcelona é a cidade das obras de Gaudí, que entres elas está a (interminada) Sagrada Família, templo que teve sua construção iniciada em 1882 e cuja conclusão está prevista para 2026. É também a cidade do idioma catalão; do célebre time de futebol que recebe o mesmo nome da cidade; dos famosos aperitivos que, como em toda Espanha, são chamados de “tapas”; da praia e dos diversos bares e baladas próximos a ela. Enfim, parada obrigatória! E para fechar a nossa viagem pela Espanha, vamos falar sobre Madri. A cidade oferece como principais pontos turísticos museus e grandes obras, entretanto, não deixa de ser menos interessante por isso. A cidade é o centro cultural da Espanha e símbolo máximo da gastronomia espanhola. Vale a pena visitar o Mercado de San Miguel e experimentar a moderna e excelente gastronomia que oferece, além do lugar bonito e agradável. Já o Parque del Retiro também é parada obrigatória. Considerado o mais importante da cidade, oferece música ao vivo e um agradável espaço para passear. E para fechar com chave de outro, o Palácio Real é a antiga residência da realeza espanhola (atualmente ela só é utilizada para cerimônias de Estado) é um opulento palácio com mais de 3.000 cômodos que foi construído em 1764, a mando do Rei Felipe V, para ser maior e mais bonito do que todos os outros palácios europeus. Apesar de apenas 50 cômodos estarem abertos à visitação, o local vale a visita. Spain Mandatory stop! The country has beautiful cities, aside from Barcelona and Madrid, already mandatory for their importance. But if you have time, it is worthwhile to stretch the trip and discover Córdoba, famous for its majestic mosque, picturesque Salamanca, city acknowledged as Unesco’s World Heritage, or the charming Sevilla, which offers surprising monuments and enchanting boroughs. Now, let’s again talk about Spain’s main cities. Have you ever heard that sentence: Barcelona is a mandatory stop? That is the exact truth! This is why it is so difficult to define the city in only a few words. Maybe due to the diversity of things that can be done, know or experience, it is deemed so special. Barcelona is the city of Gaudí works, among them the (unfinished) Sagrada Família, temple that had its construction initiated in 1882 and with conclusion expected for 2026. It is also the city of the Catalan language, the notorious football team receiving the city’s name, the famous starters that, as in all Spain, are cal-

led “tapas”, the beach and several bars and night clubs nearby. Anyway, a mandatory stop! And closing our tour through Spain, let us talk about Madrid. The city offers museums and great works as main touristic spots however, it is not less interesting for that. The city is Spain’s cultural center and highest symbol of the Spanish gastronomy. Check out the Mercado de San Miguel and try the modern and excellent gastronomy offered, apart from the beautiful and enjoyable spot. The Parque del Retiro is also a mandatory stop. Considered the city’s most important, it offers live music and pleasant space for a stroll. And to close in a high note, the Paláci Real is the old residence of the Spanish royalty (presently, it is only used for state ceremonies) is an opulent palace with over 3,000 rooms, built in 1764, upon request of Rei Felipe V, to be the largest and most beautiful of all European palaces. Despite only 50 rooms being open to visitation, it is a worthwhile attraction.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

139


Turismo

Itália O

Foto: Divulgação

país é incrível e qualquer, absolutamente, qualquer cidade pode te surpreender de maneira incrível. Vamos começar falando de Roma, uma cidade eterna. Impossível não se apaixonar por essa cidade que, ao se distrair, você esbarra em um monumento romano. Sem dúvida “todos os caminhos levam para lá”. Claro que a capital italiana é controversa desde os tempos de César, pois ela é capaz de dividir opiniões: há quem veja apenas as belíssimas igrejas e o riquíssimo patrimônio cultural, e há quem só repare nas ruas cheias de gente, confusas, barulhentas e cheias de trânsito caótico. E Veneza? Ah, o romance está no ar! Não existe cidade igual a ela, com seus milhares de canais que impossibilitam você seguir em linha reta. Bem menos turística encontramos a cidade de Perugia, a poucas horas de Roma, é considerada o centro histórico medieval. Mas o ponto forte da cidade está na sua gastronomia e suas cantinas italianas. Florença ou Firenze, como dizem os italianos, não há como não amar! Florença é tão especial que existe até mesmo uma síndrome, que foi criada para ela, chamada Síndrome de Stendhal, na qual a pessoa sente vertigens devido ao excesso de beleza, que está para todos os lados. Nápoles, Assis e Gênova também devem fazer parte do roteiro, por suas belezas e construções arquitetônicas. E Verona, você pode não ter conhecido ainda, mas certamente lembrará dela como pano de fundo da famosa história de Romeu e Julieta. Existem referência do casal por toda a cidade. Os italianos consideram uma Roma menor, há vários vestígios romanos espalhados por Verona. Buon viaggio!

Foto: javi_indy / Freepik

Linda e pitoresca

O Coliseu, construído com concreto e areia, é o maior anfiteatro já construído

140

Italy: beautiful and picturesque The country is incredible and any, absolutely, any city may surprise in an incredible fashion. Let us start talking about Rome, an eternal city. Impossible not to fall in love with this city where, even distracted, you stumble into a Roman monument. Without a doubt “all paths lead to Rome”. Obviously, the Italian capital is controversial since Cesar times, as it is capable of dividing opinions: there are those who see only the extremely beautiful churches and wealthy cultural heritage, and there are those who only notice the crowded, confusing, noisy streets with their chaotic traffic. And Venice? Oh… romance is in the air! There is no city like it with its thousands of canals that prevent you from going in a straight line. Considerably less touristic is the city of Perugia, a few short hours from Rome, is considered the medieval historical center. But the city’s strength is its gastronomy and Italian cantinas. Florence or Firenze, as the Italians say: you will definitely love it! Florence is so special that there is even a syndrome created for it, called Stendhal Syndrome, where the person has vertigo due to excess of beauty, which in this case is everywhere. Naples, Assis and Genoa must also be part of the itinerary for their beauty and architectural constructions. And Verona, you may have not seen it yet, but will surely remember it as background for the famous story of Romeo and Juliet. There are references to the couple all over the city. Italians consider it a smaller Roma, and there are Roman traces everywhere in Verona. Buon viaggio!


Um pouco de tudo

o Foto: Divulga çã

Reino Unido

United Kingdom A bit of everything The United Kingdom is much more than London. Sure, the city is and has always been considered the icing on the cake, however, the other capitals such as Edinburgh, Cardiff and Belfast are in the same level, only more compact. But there are still other equally beautiful and important cities to be visited in the country. In London, history goes meets art, fashion, cuisine and good British beer. Each person has a definition of a perfect day. Culture lovers must check out Tate Modern and the Royal Opera House. Those interested in fashion will go wild at the Oxford Street stores. For the gourmets, having tea with cream at Harrod’s or tasting the fish and chips represent the classic London taste. Music lovers will go crazy at Abbey Road and the Sherlock Holmes Museum.

Foto: Divulgação

o Foto: Divulgaçã

Foto: Divulga çã

o

O

Reino Unido é muito mais do que Londres. Claro que a cidade é e sempre foi considerada a cereja do bolo, entretanto, as demais capitais como Edimburgo, Cardiff e Belfast não ficam devendo em nada, apenas são mais compactas. Mas existem ainda outras cidades igualmente lindas e importantes para conhecer no País. Em Londres, a história vai de encontro à arte, à moda, à culinária e à boa cerveja inglesa. Cada um tem uma definição para um dia perfeito. Os amantes da cultura devem conhecer o Tate Modern e a Royal Opera House. Os interessados em moda vão babar com as lojas da Oxford Street. Para os gourmets, tomar um chá com creme no Harrod’s ou provar o peixe crocante representam o clássico sabor londrino. Os amantes de música e livros vão enlouquecer na Abbey Road e no Museu de Sherlock Holmes.

Big Bem: o relógio mais famoso do mundo está instalado na torre de St. Stephen

w w w.vozdebrasi li a .com .br

141


Turismo

Alemanha

Uma viagem na história

L

Frankfurt, mas também as cidades pequenas e pitorescas de Marburg, Weimar e Dresden. Mas cuidado, pois nessas cidades pequenas, ou você tem que falar alemão ou russo para conseguir comunicar-se. Berlim é uma cidade moderna, tanto na moda quanto na arquitetura , além da pesada história política. O Muro de Berlim é um marco que ainda carrega o peso da atmosfera pós-guerra, e, apesar do colorido grafite que enfeita o local e cobre os resquícios, ele ainda é o símbolo do progresso social. Conheça o Weltzeituhr Clock (relógio mundial), que conta com um modelo do sistema solar no topo, e volte no tempo jantando no histórico Zur Letzten Instanz, um restaurante do século XVI que era frequentado por Napoleão e Beethoven. E claro, a Alemanha também possui uma história muito triste, apesar das atrocidades, os campos de concentração são pontos turísticos bastante visitados. Talvez para servir de lição e, que cenas tristes e cruéis, não voltem a se repetir.

Foto: Divulgação

ogo após a Segunda Guerra, ninguém acreditaria: a Alemanha é hoje a principal potência econômica da Europa moderna. A queda do Muro de Berlim em 1989 pôs fim à divisão da nação e a França, seu inimigo histórico, é atualmente seu principal parceiro político e comercial. Ao contrário do que pensam alguns, a Alemanha tem muito o que oferecer aos turistas além de ricas metrópoles como Berlim: lindas paisagens, castelos e cidadezinhas adoráveis, muitas das quais foram mais preservadas dos horrores da guerra. Mas um país que foi tão destruído pela guerra, como ainda possui importantes monumentos históricos? Essa é uma informação pouco divulgada, mas assim como outros países que também sofreram com a guerra, os monumentos históricos foram cuidadosamente documentados para, que assim, após a destruição, pudessem ser reerguidos seguindo a sua forma original. Na Alemanha vale a pena conhecer as principais capitais, como Berlim, Munique e a moderna

142

Germany A trip in history Right after the Second World War, nobody would believe Germany today would be the main economic power in modern Europe. The fall of the Berlin Wall in 1989 put an end to a divided nation and France, its historical enemy, is presently its key political and commercial partner. Contrary to what some may think, Germany has much to offer tourists, aside from rich metropolises as Berlin: beautiful scenery, castles, and adorable small cities, many of which well-preserved from the war horrors. But a country so destroyed by war… how can it still have important historical monuments? This information is little advertised, but like in other countries that also suffered with war, historical monuments were carefully documented for, after destruction, they could be rebuilt according to their original formats. In Germany, it is worthwhile to visit the major cities, such as Berlin, Munich and modern Frankfurt, but also the small and picturesque cities of Marburg, Weimar and Dresden. But be careful, as in these small cities you will have to speak German or Russian to be able to communicate. Berlin is a modern city, as much in fashion as in architecture, aside from the strong political history. The Berlin Wall is a milestone which still bears the weight of post-war atmosphere, and despite the colorful graffiti decorating the place and covers the remains, is still a symbol for social progress. Visit the Weltzeituhr Clock (world clock), that counts time with a model of the solar system on top, and go back in time dining at the historical Zur Letzten Instanz, a 16th century restaurant attended by Napoleon and Beethoven. And, obviously, Germany also has a very sad story, despite the atrocities, the concentration camps are very popular touristic spots. Maybe serving as a lesson for sad and cruel scenes no longer take place.


Artigo

Foto: Divulgação

Franquia 5.0

Bruno Queiroz, CEO do Grupo NQZ, responsável pela administração das redes The Original Cake e The Original Cup&Cake e a expansão da Estética Hollywood, Mundo Cheff, Los Ogros e Hair Concept, no Brasil, além da Temakeria Makis Place, no sul da Flórida, nos Estados Unidos

I

novação. Está é a palavra do momento, ainda mais em um cenário de instabilidade econômica e política. Ela deve ser colocada em prática em toda e qualquer área, e no setor do franchising, então, é primordial, principalmente em um mercado que vai na contramão de muitos outros setores. Para se ter uma ideia do potencial deste segmento, o faturamento de todas as franquias, no Brasil, subiu 8,3% em 2015, em relação ao ano anterior, e atingiu o patamar de R$ 139,5 bilhões. O setor ainda gera 1,2 milhão de empregos e, agora, entra em uma nova fase: a Franquia 5.0. O termo refere-se à franquia coletiva, ou seja, com vários donos, na qual cada um tem um número específico de cotas. Por esse sistema, uma franquia é dividida em cotas, que podem ser adquiridas por qualquer pessoa disposta a investir na marca, sendo o

lucro proporcional à porcentagem negociada e sem que o investidor se envolva na administração diária da unidade. Esta modalidade de investimento tem proporcionado números muito satisfatórios, com lucros para os sócioscotistas e sem a preocupação com riscos jurídicos ou trabalhistas, pois tudo isso é gerenciado pela própria marca. Na prática, a Franquia 5.0 é um investimento, um alternativa a muitas aplicações financeiras do mercado, que nem sempre dão o retorno esperado ao investidor. Entre as vantagens de ser um sócio-cotista é que o investidor participa dos lucros, mas não arca com possíveis prejuízos ou ações judiciais. Mas de onde vem a denominação Franquia 5.0? A chamada Franquia 1.0 teve início com a vinda de marcas globais para o Brasil, especialmente no setor de fast food; já a 2.0 ficou marcada pelo surgimento de franquias nacionais; a 3.0 se deu com a forte expansão do setor; e a 4.0 foi a responsável por toda a estruturação e organização do segmento. Agora é a vez da Franquia 5.0, pela qual ela deixa de ter um conceito de próprio negócio para se tornar um empreendimento coletivo, propiciando melhores resultados, com menos riscos, além de chamar a atenção de uma grande parcela de empreendedores brasileiros que não possui capital suficiente para comprar uma franquia inteira. Neste contexto, a Franquia 5.0 torna-se uma excelente opção de investimento. São os novos tempos do franchising.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Franchise 5.0 Innovation. This is the word of the moment, even so in a scenario of economic and political instability. It must be put into practice in each and every area, and in the franchising sector, it is even paramount, especially in a market going against the current of many other sectors. So as to exemplify this segment’s potential, the franchises sector in Brazil, grew 8,3% in 2015, compared to the previous year and reached R$ 139.5 billion. The sector also generates 1.2 million jobs and, presently, is entering into a new phase: Franchise 5.0. The expression refers to collective franchising, that is, with several owners where each has a specific number of shares. Through this system, a franchise is split into quotas, which may be acquired by anyone willing to invest on the brand, with profit being proportional to the percentage negotiated and with no involvement from the investor in the unit’s daily management. Such investment model has generated very satisfactory numbers, with profits for the partner-shareholder and with no concerns on legal or labor risks, as all is managed by the brand itself. In practice, Franchise 5.0 is an investment, an alternative to many of the market’s financial applications, which not always provide the desired result to the investor. Among the advantages of being a partner-shareholder is that the investor participates profit distribution, but does not bear possible losses or legal actions. But where does the Franchise 5.0 designation come from? The so called Franchise 1.0 started with the arrival of global brands in Brazil, especially in the fast food segment; the 2.0 was marked by the appearance of national franchises; 3.0 took place with the strong sector expansion; and 4.0 was responsible for the segment’s entire structuring and organization. Now it is Franchise 5.0 turn, leaving aside the concept of own business to become a collective enterprise, providing better results, with less risks, and also drawing attention of good part of the Brazilian entrepreneurs with no sufficient capital to purchase a full franchise. In such a context, Franchise 5.0 becomes an excellent investment option. This is the new era of franchising. Bruno Queiroz, Grupo NQZ CEO, in charge of the administration of the The Original Cake and The Original Cup & Cake chains and Estética Hollywood, Mundo Cheff, Los Ogros and Hair Concept expansions in Brazil, and also Temakeria Makis Place, in southern Florida, USA

143


Arquitetura

Arquitetura & Decoração E os seus avanços nos últimos anos

Foto: Portobello

I

magina-se que a ideia de “melhorar” as condições do espaço onde se vive vem desde os primórdios da humanidade, quando os homens das cavernas começaram a “ajeitar” as coisas no “ambiente”, para se sentirem mais “confortáveis”. Essa introdução totalmente lúdica mostra que, de certo modo, o ser humano sempre esteve envolvido com as questões de melhorar as condições de morar. Basta passear pelos anos e analisar os recursos utilizados para embelezar os ambientes e imprimir as características de seus usuários, por exemplo, no Império Romano, na Grécia ou no Egito. Ou melhor, a vinda da família real para o Brasil, no início do século XIX e, a sua necessidade de manter o mesmo padrão de vida que tinham em Portugal. Isso fez com que a família ordenasse a vinda de mobiliários, tapetes, acessórios e tecidos. Claro que de lá para cá muita coisa já mudou e, principalmente, modernizouse. Por exemplo, hoje o Designer de Interiores tem uma abrangência bem maior do que o Decorador tinha no começo dos anos 80, quando surgiu essa profissão. Atualmente ele desenvolve e executa projetos voltados para áreas internas de residências, comércio e indústrias, com elaboração de plantas, elevações e perspectivas de apre-

sentação ao cliente e também especificações de produtos, orçamentos, contratação de profissionais e empresas para a execução dos trabalhos sob sua supervisão, entre outras atividades. Da mesma forma a profissão do Arquiteto e do Engenheiro também sofreram grandes mudanças, a começar pelos avanços tecnológicos, tanto do ponto de vista do avanço tecnológico de software, que permite acelerar o processo de produção de projetos, quanto das inovações metodológicas. Atualmente estes profissionais também são indispensáveis

para qualquer reforma que mudem a estrutura de um apartamento ou de uma casa, desde que a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) colocou em vigor, em 2014, a norma que determina um laudo técnico, assinado por um engenheiro ou arquiteto, comprovando a segurança da intervenção. Isso porque algumas demolições são completamente proibidas em apartamentos, dependendo das características da construção, pois são capazes de gerar abalos estruturais no prédio todo.

Architecture & Decoration And their progress in recent years It is thought that “improving” the conditions of the space we live in is something that takes place since the beginnings of human kind, when cavemen started to “arrange” things in the “ambience”, in order to feel more “comfortable”. This completely ludic introduction shows that, in a certain way, human beings have always been involved with issues of improving living conditions. Simply browse through the years and analyze resources used to adorn ambiances and imprint its owners’ characteristics, for example, in the Roman Empire, Greece or Egypt. Better yet, the arrival of the royal family to Brazil, in the early 19th century and their need for maintaining the same standard of life they had in Portugal, made the royal family bring furniture, tapestry, accessories and fabrics. Obviously, from then on much has changed and, especially, modernized. For example, today the interior designer has a broader scope than the decorator had in the early 1980s, when this profession emerged. Presently they develop and execute projects focused on the interior areas of residences, commerce, and

144


Foto: Portobello

As diferenças entre os profissionais

É

comum confundir decorador, designer de interiores com o arquiteto. A confusão leva a alguns problemas graves relacionados à atribuição legal e responsabilidade civil. É comum ver decoradores ou designers de interiores proporem alterações em paredes, aberturas, ampliações ou demolições. Isto é ilegal. Decoradores e designers não dispõe do diploma legal que os habilitem interferir na obra física. Se houver um acidente, o cliente não terá a quem responsabilizar. Por isso, como já falamos acima, a ABNT exige um laudo de Arquiteto (ou Engenheiro) para qualquer tipo de reforma. Surge a pergunta: Qual a diferença entre o arquiteto, o design de interiores e o decorador? É comum contratar serviços de decoração para mudar as características físicas da obra ou projeto. No entanto, há uma delimitação importante entre os profissionais, notadamente quanto à atribuição legal e responsabilidade técnica.

O decorador é aquele profissional formado (ou não) em um curso de curta duração ou é um autodidata. Suas atribuições são muito restritas, pois não possui conhecimento sobre os componentes de uma obra. Sua função restringe-se à escolha de acessórios, móveis ou cores sem que altere fisicamente a obra. Não pode interferir no ambiente nem mesmo no detalhamento de mobiliários cuja atribuição é do designer de interiores. O designer de interiores, além do trabalho do decorador que vem ao final do projeto tem a função de elaborar o espaço coerentemente, seguindo normas técnicas de ergonomia, acústica, térmico e luz, além de ser um profissional capaz de captar as reais necessidades dos clientes e concretiza-las através de projetos específicos. Já o arquiteto e sua formação se dão através dos cursos de arquitetura e urbanismo e a sua formação permite que atue em várias áreas como: estudo

w w w.vozdebrasi li a .com .br

e planejamento de projetos, execução de desenho técnico, elaboração de orçamento, padronização, mensuração e controle de qualidade, execução de obra e serviços técnicos. Seu trabalho se inicia a partir do momento em que se escolhe o terreno para a construção, ou seja, a implantação de seu projeto; com parecer sobre localização, legislações idílicas e urbanas, aspectos ambientais e topográficos. industries, elaborating blueprints, elevations, and perspectives for client presentation and also specifications of products, contracting of professionals and companies for execution of works under their supervision, among other activities. Likewise, the professions of architect and engineer have also undergone great changes, starting with technological breakthroughs in software, which allows the project production process, regarding methodological innovations. Presently, these professionals are also essential for any renovation changing the structure of an apartment or house, since the Brazilian National Standards Association (ABNT) put in effect in 2014 the norm determining a technical report signed by an engineer or architect, attesting the intervention’s safety, as some demolitions are strictly prohibited in apartments, depending on the construction characteristics, as they are capable of causing structural damage to the building. Differences between professionals It is common to confuse decorator, interior designer with the architect. The confusion leads to grave problems related to the legal attributions and civil liabilities. It is common to see decorators or interior designers proposing alteration to walls, gaps, expansions or demolitions. This is illegal. Decorators and designers do not possess the legal diploma qualifying them to interfere in the construction works. If there is an accident, the client won’t have any liable professional. Thus, as already mentioned, ABNT requires a report from the architect (or engineer) for any type of renovation. Hence the question: what is the difference between the architect, interior designer and decorator? It is common to contract decoration services to change the physical characteristics of the work or project. However, there is an important delimitation amongst professionals, notedly regarding legal attribution and technical liability. The decorator is the professional that has graduated (or not) in a short course or is an autodidact. Their attributions are very restricted, as they do not possess knowledge on components in construction. Their role is restricted to choosing accessories, furniture or colors with no physical alteration to the construction. They cannot

145


Arquitetura

Cuidando do meio ambiente

C

laro que quando falamos sobre uma reforma ou construção de um novo empreendimento para morar, já não estamos sendo “politicamente conscientes com o meio ambiente”. Mas esses efeitos, digamos, negativos da modernização e crescimento da população, por outro lado pode ser minimizado através de produtos ecologicamente conscientes. Fabricantes de materiais de construção dão uma força para quem quer construir uma casa ecológica. A matéria prima sustentável, cada vez mais presente no mercado, está disponível com diversos materiais diferentes. A verdade é que nunca houve tantas opções sustentáveis para pisos e paredes. Hoje temos produtos de origem natural que ganharam o status de mais sofisticados como o bambu, madeira de demolição e algodão orgânico. Pisos drenantes que reduzem o impacto das enchentes na cidade, por permitir a infiltração da água no solo e materiais alternativos, como as sobras industriais, derivados de plásticos ou aglomerados de resina, também estão presentes na produção. A empresa Portobello, por exemplo, oferece algumas opções de porcelanatos que são alternativas aos materiais naturais que causam mais impacto ambiental que o revestimento cerâmico. Uma forma de possibilitar o uso de um produto substituto, mais sustentável. Para isso a empresa lançou linhas que reproduzem os mármores naturais, ou que reproduz a madeira de demolição e poupa árvores, literalmente! A Portobello também oferece em seu portfólio de produtos, linhas que possuem até 20% de conteúdo reciclado ou ainda um porcelanato extrafino, que consome menos matéria prima, energia (para produção) e combustível (para transporte), além de poder ser aplicado sobre os pisos existentes, minimizando a geração de resíduos. Outra opção também é o porcelanato líquido, que tem a vantagem da ausência de entulhos no final da obra, a facilidade de limpeza e a possibilidade de cobrir pisos existentes de cerâmica ou de pedra. É o nome dado aos pisos monolíticos feitos com resina, devido ao seu aspecto final brilhante, que lembra o porcelanato. Foto: Portobello

146

interfere in the ambiance, not even in furniture details, attribution of the interior designer. The interior designer, besides the decorator work at the end of the project has the role of coherently elaborating the ambiance, following technical norms of ergonomics, acoustics, temperature and light, aside from being a professional capable of capturing the client’s real needs and transform them into reality through specific projects. On the other hand, the architect acquires its qualification through architecture and urbanism courses, which allow them to work in various areas, such as, project study and planning, technical design execution., budgeting, standardization, quality measuring and control, work execution and technical services. Their work starts when choosing the land for construction, that is, implementation of their project, with opinion on localization, idyllic and urban legislations, environmental and topographic aspects. Caring for the environment It is obvious that when we speak of renovation or construction of a new housing enterprise, we are already not being “politically aware with the environment”. But these effects, so to speak, negative of modernization and populational growth may be minimized through ecologically aware products. Construction material manufacturers provide options for those wishing to build as ecological house. Sustainable raw material, increasingly present in the market, are available with various different materials. The truth is that there have never been so many sustainable options for floors and walls. Today we have natural origin products gaining status of sophisticated, such as bamboo, demolition wood and organic cotton. Draining floors that reduce the impact of floods in cities, allowing water infiltration into the soil and alternative materials, such as industrial leftovers, plastic derivatives or resin agglomerates are also present in the production. Portobello company, for example, offers some porcelain tile options that are alternatives to natural materials causing greater environmental impact than the ceramic coating, a means of enabling the use of a substitute product, more sustainable. For that the company released lines that reproduce natural marble or demolition wood and saves trees, literally! Portobello also offers on its product portfolio, lines with up to 20% recycled content or even extra-thin porcelain tiles, which consume less raw material, energy (for producing) and fuels (for transport), and also being capable of being applied over existing floors, minimizing residue generation. Another option is liquid tile, with the advantage of absence of debris at the end of the construction, ease in cleaning and possibility of covering existing ceramic or stone floors. This is the name given to the monolithic floors made with resin, due to their final shining aspect, which reminds porcelain tiles.


w w w.vozdebrasi li a .com .br

147


Artigo

A era Trump Uma abordagem econômica

José Francisco Fonseca Marcondes Neto, economista formado pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP. Empresário no setor de Comercio Internacional, é Presidente do Conselho de Câmaras de Comércio e Indústria das Américas e da Federação de Câmaras de Comércio e Indústria Venezuela -Brasil – FECAMVENEZ.

148

Os mercantilistas viam o sistema econômico como um jogo de soma zero, onde o lucro de uma das partes supunha a perda da outra ou, pela definição de Jean Bodin, “não há nada que alguém ganhe e que outrem não perca”. Em suma, na visão mercantilista o volume de transações internacionais cresce ou diminui em função da demanda, no entanto, a participação relativa de um determinado país neste fluxo global de comércio só cresce em detrimento da participação de outro. Neste sentido, é no mínimo ingenuidade supor que quem firmar Foto: Divulgação

A

discussão mais em voga dos últimos dias é como será o novo cenário político-econômico mundial, com os EUA sob o comando de Donald Trump. Na campanha presidencial e já nos primeiros dias de governo, fica clara a defesa e aplicação de uma política econômica explicita e agressivamente protecionista, focada exclusivamente no mercado interno. Consistirá no fechamento de fronteiras, renegociando ou abandonando acordos multilaterais, como já o fez, retirando os EUA do Acordo Transpacífico de Cooperação Econômica (TPP), que representava 40% da economia mundial (antes da retirada dos EUA), ou seja, um mercado de 800 milhões de consumidores e manifestando a disposição de renegociar o NAFTA. Não há demonstrações, também, de maiores interesses em acordos comerciais bilaterais, a menos que sejam direcionados ao incremento de exportações estado-unidenses, retroagindo às políticas do denominado mercantilismo clássico, aplicado na Europa, entre o século XV e o final do século XVIII, termo popularizado por Adam Smith, em 1776.

acordos comerciais com os EUA terá benefícios de acesso a mercado e, por consequência, incremento no volume de transações e, principalmente, de superávits comerciais. Esta política implicará, dada sua própria lógica intrínseca, na ampliação dos subsídios à agricultura e à siderurgia, visando à redução de importações e o crescimento das exportações. No que tange aos atuais subsídios agrícolas dos EUA, comparativamente à União Europeia e ao Brasil, nos dias de hoje, considerando dois parâmetros distintos, de acordo ao estu-


do ”Impactos das políticas agrícolas dos EUA e da UE no agronegócio brasileiro”, elaborado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA, os seguintes fatores de comparação devem ser agravados: 1- Percentual de subsidio com relação à renda do setor agrícola: nos EUA (4,5%), na União Europeia (13,9%) e no Brasil (3,0%); 2- Valor de subsidio por hectares utilizados para a produção (lavouras e pastagens): nos EUA ($47/ Hectare), na União Europeia ($406/ Hectare) e no Brasil ($16/Hectare). Adicione-se a isto o direcionamento de investimentos públicos em infraestrutura, prioritariamente a empresas locais, bem como o inevitável aumento das taxas de juros, buscando estimular a permanência, no próprio país, dos capitais internos, além de atrair e captar recursos internacionais. Logicamente, o objetivo deste artigo não é medir e quantificar as consequências destas medidas nos EUA, apesar de não ser difícil vislumbrar algumas delas, a partir de recentes exemplos, desastrosos, que tivemos, aqui mesmo, na América do Sul. O objetivo é identificar os impactos para o Brasil, neste cenário. Antes de abordar o Brasil, no entanto, é imprescindível avaliar, também, o posicionamento da China e na União Europeia, nestas circunstancias.

Trump – En economic approach

The most popular discussion in the past few days is how the new world political-economic scenario will be with the USA headed by Donald Trump. In the presidential campaign and in the first days of his government, it is clear the defense and application of an explicit and aggressivelly protectionist economic policy, focused exclusivelly in the internal market. It will consist on shutting down frontiers, renegotiating or leaving multilateral agreements, as already done, removing the USA from the Trans Pacific Economic Partnership Agreement (TPP), which represented 40% of the world`s economy (before the USA withdrawal), in other words, a market with 800 million consumers and manifesting the will to negotiate NAFTA. Also, there are no demonstrations of greater interests in bilateral commercial agreements, unless these are aimed at the increment of US exports, retroacting to policies from the called classic mercantilism, applied in Europe, between the 15th century and the end of the 18th century, a term made popular by Adam Smith, in 1776. Mercantilists saw the economic system as a zero-add game, where the profit of one party supposed the loss of the other or, by Jean Bodin`s definition, “there is nothing that someone gains that another does not lose”. Summarizing, in the mercantilist view the volume of international transactions grows or decreases due to demand, however, the relative participation of a specific country in such global trade flow only grows in detriment of another. In such sense, it is at least ingenuity suppose that those who sign trade agreements with the USA will have benefits of access to market and, as consequence, increase in transaction volume and, especially, commercial surpluses. Such policy shall imply, given its own intrinsic logic, in the expansion of subsidies to agriculture and steel industry, aiming at reducing imports and growth of exports. Regarding present US agricultural subsidies, comparing to the European Union and Brazil, presently, considering two distinct parameters, according to the study “Impacts of US and UE agricultural policies in Brazilian business”, elaborated by Brazil`s Agriculture and Stockbreeding Confederation – CNA, the following comparison factors should be aggravated:

w w w.vozdebrasi li a .com .br

1- Percentage of subsidy regarding agricultural sector sales: in the USA (4.5%), in the European Union (13.9%) and in Brazil (3.0%); 2- Amount of subsidy per hectare used for production (crops and pastures): in the USA ($47/Hectare), in the European Union ($406/ Hectare) and in Brazil ($16/Hectare). Added to that the direction of public investments in infrastructure, mainly to local companies, as well as the inevitable increase in interest rates, seeking to stimulate permanence, in the country, of internal assets, and also attracting and capturing international resources. Obviously, the purpose of this article is not measuring and quantifying the consequences of such USA measures, despite being quite easy to foresee some of them, from recent examples, disastrous, we had here in Latin America. The purpose is identifying impacts for Brazil in such scenario. Before approaching Brazil, however, it is crucial to also evaluate China and European Union’s stand on such circumstances. China will remain as an extremely important global player, given their low industrial costs, a consequence of its production scale and taking advantage of, besides that, economic and financial benefits resulting from the long term political management, high supply of USA Treasure Bonds it accumulates as main USA creditor, estimated in $1.115 trillion (US Treasury Department – October/2016), and which shall continue being used for the acquisition of mineral reserves, massive commodities import and financing of works in countries in Africa, Latin America and Asia, broadening its influence on such markets, some of them now more accessible with USA leaving the Trans Pacific Economic Partnership Agreement (TPP), for example countries from the Pacific Alliance (Chile, Colombia, Peru and Mexico), which direct concern Brazil, among others. The European Union, surrounded by a nationalist wave, increased due to the refugee crisis and protectionism, starting with Brexit, that could be followed by France and other countries, will have to concentrate huge efforts for maintaining the Euro, amidst economic crisis in member countries, but with fundamentally a degree of support to internal demand near to saturation, forcing the permanent search for new markets.

149


Artigo A China seguirá sendo um player global importantíssimo, dados os baixos custos industriais, consequência de sua escala de produção e usufruindo, além disto, dos benefícios econômicos e financeiros decorrentes da gestão política de longo prazo, do alto estoque de Títulos do Tesouro dos EUA, que acumula, como principal credor dos EUA, estimado em $1,115 trilhão (US Treasury Department – outubro/2016), e que seguirão sendo utilizados para a aquisição de reservas minerais, pela importação massiva de commodities e para o financiamento a obras em países na África, América Latina e Ásia, ampliando sua influência nestes mercados, alguns deles agora ainda mais acessíveis, com a saída dos EUA do Acordo Transpacífico de Cooperação Econômica (TPP), como por exemplo, os países da Aliança do Pacifico (Chile, Colômbia, Peru e México), que interessam diretamente ao Brasil, entre outros. A União Europeia, envolta em uma onda de nacionalismo, ampliado em função da crise de refugiados, e de protecionismo, a começar pelo Brexit, que poderá ser seguido pela França, e por outros países, terá que concentrar grandes esforços na manutenção do EURO, em meio a crises econômicas em países membros, mas, fundamentalmente, com um grau de atendimento da demanda interna próximo à saturação, o que obriga à busca permanente de novos mercados. Consideradas todas estas premissas, fica claro que por todos os aspectos, mas, principalmente, pelas medidas protecionistas dos EUA, teremos uma redução do volume de transações internacionais (exportações / importações) e à disputa mais acirrada por mercados. O Brasil, em meio a este ambiente turbulento e hostil, fez uma recente opção de se distanciar do MERCOSUL, dos demais países da América Latina, da África e do Oriente Médio, por questões de natureza de política interna e ideológicas, voltando-se para os países desen-

150

volvidos do Norte (EUA e União Europeia), na expectativa de encontrar um oásis de oportunidades comerciais. Infelizmente, esta movimentação, revertendo ações diplomáticas das duas últimas décadas, a partir da análise deste novo cenário, posicionou o Brasil na contramão, em uma posição ainda mais fragilizada, encontrando, ao mesmo tempo, maiores obstáculos ao Norte, quer seja nos EUA como também na União Europeia, e assistindo à ampliação da influência da China nestes países em que exercíamos uma influência comercial ativa e natural, até por questões históricas e geográficas. A inegável comprovação estatística desta influencia natural do Brasil, na América Latina, e do importante posicionamento na África e no Oriente Médio, devemos lembrar que no período 1999/2016, incluindo, portanto, governantes de diferentes matizes políticos, o Brasil acumulou um superávit total de pouco mais de $350 bilhões, valor muito próximo ao total de nossas reservas internacionais, ao final de 2016, que totalizaram $372 bilhões, de acordo a informações do Banco Central do Brasil.


Foto: Divulgação

Observemos, então, que do superávit total acumulado no período, 61,2% das receitas foram originadas no comércio com estas regiões, o que fica ainda maior se excluirmos o continente africano, com quem temos déficits crônicos, e considerando apenas América Latina e Oriente Médio, neste caso, as receitas acumuladas neste fluxo comercial representam cerca de 75% do superávit total acumulado, ou seja, quase $260 bilhões. De outra parte, nossa indústria, em estado quase terminal, como consequência da grave crise econômica por que passamos, terá ainda menos oportunidades, ainda restritas às mesmas regiões (África, América Latina e Oriente Médio), mercados tão menosprezados pelos que conduziram à guinada na política externa do país, onde, agora adicionalmente, enfrentarão maior concorrência externa, vinda de todos os lados (EUA, Europa e China) e que historicamente são os principais destinos de nossos produtos industrializados (40,0%), e quase a metade dos manufaturados (47,2%), no mesmo período de 1999/2016. Em conclusão, nos restará aproveitar as vantagens comparativas em mineração e no agronegócio, para o que necessitaremos de significativos investimentos em logística e infraestrutura, que só poderão ser concretizados com capitais próprios (públicos ou privados), de que não dispomos, ou aceitando a “ajuda” de investimentos externos, oriundos em sua grande maioria, da China. Por tudo isto, temo pelas próximas décadas e rogo aos céus que esta tempestade perfeita se desfaça ou que a realidade contradiga completamente o diagnóstico.

All such premises considered, it is clear that by all aspects, but especially by USA protectionist measures, we will have a decrease in the volume of international transactions (exports/imports) and a stronger dispute for markets. Brazil, amidst such turbulent and hostile environment, made the recent option of distancing itself from MERCOSUL, other countries of Latin America, Africa and Middle East, for internal policies and ideological nature, moving towards the developed countries of the North (USA and European Union), hoping to find an oasis of commercial opportunities. Unfortunately, such move, reverting diplomatic actions of the last two decades, from the analysis of this new scenario, placed Brazil in the wrong way and in an even more fragile position, finding, at the same time, greater obstacles to the North, be them in the USA or the European Union, and watching the extended influence of China in such countries where we exercised active and natural commercial influence, even due to historical and geographic matters. The undeniable statistic verification of such natural Brazilian influence in Latin America and the important position in Africa and the Middle East, we must remember that during the 1999/2016 period, therefore including rulers of different political matrixes, Brazil accumulated a total surplus of around $350 billion, amount very close to the total of our international reserves at the end of 2016, totaling $372 billion, according to data from the Central Bank of Brazil. We have to note thus, that from the total accumulated surplus for the period 61.2% of revenues were originated in trade with these regions, which becomes even larger if we exclude the African continent, with which we have chronic deficits, and only considering Latin America and the Middle East revenues accumulated in such trade flow represent around 75% of the total accumulated surplus, in other words, almost $260 billion. On the other hand, our industry, almost in a terminal state as consequence of the major crisis we are undergoing, will have even less opportunities, still restricted to the same regions (Africa, Latin America and the Middle East), markets so undervalued by those heading the change in Brazilian foreign policy that now, additionally, will face greater foreign competition from all sides (USA, Europe and China) and that historically are the main destinations for our industrialized products (40.0%) and almost

half of those manufactured (47.2%), in the same 1999/2016 period. Concluding, we will be left with drawing on comparative advantages on mining and agribusiness, for which we will need significant investments in logistics and infrastructure which shall only be implemented with our own capital (public or private), which we do not possess or accepting the “help” of foreign investments, mostly coming from China. For all this, I am afraid for what may take place over the coming decades, and pray to the heavens that such perfect torment dissipates or that reality fully contradicts the diagnosis. José Francisco Fonseca Marcondes Neto, economist graduated by USP’s College of Economy, Administration and Accounting. Businessman in the Foreign Trade sector, he is president of the Board of Chambers of Commerce and Industries of the Americas and Federation of Chambers of Commerce and Industry Venezuela-Brazil – FECAMVENEZ.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

151


Economia

Economia Brasileira Um futuro promissor!

Foto: Iryna Kurhan

As perspectivas são de forte crescimento para os próximos meses

A

pesar da contração na economia brasileira durante o ano de 2016, há sinais de recuperação. O Brasil possui todas as condições necessárias para voltar a crescer, para isso será necessário um profundo ajuste, com vistas à estabilização macroeconômica, e rever os fundamentos que balizam a economia brasileira. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) prevê um crescimento de 0,5% para o PIB. A instituição anda estima que o investimento cresça 2,3% no ano de 2017, após uma queda de 11,2% no ano anterior.

152

Há tempos, não se via tanta volatilidade em um mesmo ano, com incertezas no front econômico e político, mas que acabaram de forma positiva. Um fator determinante para a alavancada foi a mudança de governo, que provocou melhora das expectativas e recuperação (parcial) da confiança. Além disso, houve também queda do PIB e da indústria, fato decisivo para as projeções de melhora para os próximos meses. Segundo estimativa da FIERGS/UEE, o cenário já deteriorado da economia brasileira foi potencializado

graças a combinação de crises políticas e econômica. Entretanto, o mesmo estudo, mostra que o ano de 2016 também foi marcado pela volta da confiança dos empresários e consumidores. Com isso, as perspectivas para 2017 apontam para um processo de reabilitação, com taxas de crescimento e queda no desemprego. Diante dessa conjuntura, o cenário base para 2017 considera que a economia brasileira se estabilizará já nos dois primeiros trimestres do ano e apresentará um pequeno crescimento. O Ministério da Fazenda, comandado


por Henrique Meirelles, tem uma projeção positiva de crescimento de 1% de crescimento da economia. Em entrevista coletiva o ministro enfatizou que o momento é de ajuste “essa é a boa notícia”, concluiu. As projeções podem parecer baixas, mas são excelentes. Segundo a comentarista e jornalista Miriam Leitão “dois anos de queda de mais de 3%, quase 4% ao ano do PIB, isso nunca aconteceu no Brasil. Então, agora, interrompe esses dois anos. E em 2017 pelo menos não cai, essa é a previsão dos economistas”. Resumindo, o Brasil deve apresentar um ritmo mais forte de atividade econômica a partir do segundo semestre. Já a inflação deverá perder força e manter um índice abaixo de 5%, conforme relatório divulgado pelo

Brazilian economy A promising future! Perspectives are of strong growth in coming months Despite the shrinking of the Brazilian economy in 2016, there are signs of recovery. Brazil has all necessary conditions to resume growth, and for that it will be necessary a deep adjustment, aiming at macroeconomic stability, and review fundamentals guiding Brazilian economy. The National Industry Confederation (CNI) forecasts growth of 0.5% for the GDP. The institution also estimates that investment shall grow 2.3% in 2017, after a fall of 11.2% in the previous year. Such volatility wasn’t seen in the same year for a long time, with uncertainties in the economic and political fronts, but which ended positively. A determining factor for the leveraging was the change in government, which stimulated expectations and recovery (partial) of trust. Besides, there was also the decrease of the GDP and industry, determining factor for projections of improvements over the next months.

Banco Central no final do ano, onde reuniu as projeções de alguns economistas. Por sua vez o corte da taxa básica de juros deve continuar, mas com ritmo moderado. Entretanto, essa redução não deverá gerar impactos imediatos para os consumidores, mas pode criar um ambiente mais positivo para a retomada dos investimentos. O câmbio, no começo de 2016, o dólar chegou a superar o patamar de R$4, o maior valor da história do Plano Real, mas teve uma queda expressiva ao longo do ano. Alguns economistas não acreditam que uma disparada tão forte possa se repetir em 2017, e projetam que o dólar se equilibre entre R$3,50 e R$3,70. Outra medida para o ano é reequilibrar as contas públicas, através das medidas propostas e, algumas, já adotadas pelo governo.

According to estimate from FIERGS/UEE, the already deteriorated scenario of the Brazilian economy was maximized thanks to a combination of the political and economic crisis. However, the same study shows that 2016 was also marked by new trust from businessmen and consumers. With that, perspectives for 2017 point towards a rehabilitation process, with growth rates and decrease in unemployment. In face of such conjuncture, the base scenario for 2017 considers that Brazilian economy will be stabilized in the first two quarters of the year and shall present a small growth rate. The Ministry of Finance, headed by Henrique Meirelles, has a positive growth projection of 1% for the economy. In a press conference the minister emphasized that the moment is of adjustment, and that “this is the good news”, he concluded. Projections may seem low, but they are excellent. According to commentator and journalist Miriam Leitão “two years of fall of over 3%, almost 4% a year of the GDP, this has never happened in Brazil. So, now, these two years and interrupted. And in

w w w.vozdebrasi li a .com .br

2017 at the very last it won’t fall, this is the economists estimate”. Summarizing, Brazil shall exhibit a stronger pace of economic activity from the second semester onwards. Inflation, on the other hand, shall lose strength and maintain index below 5%, according to report disclosed by the Central Bank at the end of the year, gathering forecasts from some economists. Now, the basic interest rate cut will continue, but in a more moderate pace. However, such reduction shall not generate immediate impacts to consumers, but it may create a more positive environment for resumption of investments. Regarding foreign currency, in the beginning of 2016, the American Dollar for a moment surpassed the R$ 4 threshold, the highest in the history of the Real Plan, but had an expressive fall during the year. Some economists do not believe such a strong high may again take place in 2017, and are projecting the Dollar to balance and remain between R$ 3,50 and R$ 3,70. Another measure for the year is put public finances back on track, through proposed measures and some already adopted by the government.

153


Economia

Cenário Internacional

O

Brasil não teve um ano muito bom, entretanto, o cenário internacional também não ficou atrás. Diante do baixo crescimento dos países emergentes, as últimas eleições dos Estados Unidos e a saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), o mundo cresceu no ritmo mais lento dos últimos sete anos. Segundo as estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI), o PIB global expandiu apenas 3,1% em 2016, sendo a taxa mais baixa desde 2009, ano em que foram sentidos os efeitos da crise financeira internacional. A eleição de Donald Trump, contrariando todas as pesquisas e análises da campanha, contribuíram para tornar o cenário internacional ainda mais incerto. Ainda não se tem o desenho claro do que será seu governo, entretanto, a expectati-

va é que a política fiscal seja essencialmente expansionista, com duas pernas identificáveis: a redução dos impostos para empresas e pessoas, além de um programa de obras de infraestrutura. Todo este cenário fora reflete diretamente no Brasil, já que o conjunto fiscal certamente pressionará a inflação e também a taxa de juros. Este deve ser o maior impacto econômico de Trump para o nosso país. Como consequência, a taxa de câmbio brasileira deve se depreciar em relação ao que se esperava caso Hillary Clinton tivesse vencido. Contudo, a depreciação não deve ser tão forte, pois a economia brasileira está mais fortalecida devido aos ajustes em andamento. A Europa também foi responsável por momentos de turbulência no ano. A situação europeia não se limita ao Brexit e passa por uma crise bancária instalada depois de anos de taxa de juros extremamente baixas e crescimento fraco, além da crise da imigração. Por fim, o ritmo menor de crescimento chinês, em torno de 6,7% em 2016, se, por um lado, manteve a alta do consumo de alimentos, de outro, não foi suficiente para manter o mesmo padrão de crescimento. As perspectivas para o ano de 2017 indicam uma leve aceleração do PIB global, provavelmente na casa dos 3%, devido ao comportamento dos países desenvolvidos. International Scenario Brazil did not have a very good year, however, the international scenario was similar. In face of the low growth of emerging countries, the last elections in the USA and the United Kingdom leaving the European Union (Brexit), the world grew in the slowest pace of the last seven years. According to estimates from the International Monetary Fund (IMF), the global GDP expanded only 3.1% in 2016, the lowest rate since 2009, year when the effects of the international financial crisis were felt. Donald Trump’s election, against all campaign surveys and analysis, contributed to make the international scenario even more uncertain. There is yet no clear picture of how his government will be, however, the expectation is that the fiscal policy be essentially expansionist, with two identifiable losses: reduction in taxes for companies and individuals, and also an infrastructure works program. This scenario abroad reflects directly in Brazil, as the fiscal set certainly will pressure inflation and interest rate. This should be Trump’s greatest economic impact to our country. As result, the Brazilian foreign exchange rate should depreciate in comparison to what it was hoped in the event of Hillary Clinton having won the election. However, the depreciation should not be so strong, as Brazilian economy is stronger due to the ongoing adjustments.

154


Brasília-DF

MEGA LOJA W3 Sul

Ceilândia-DF

Conjunto Nacional - 1º Piso - Loja T-134

504 Sul - Bl “A” Loja 06 Fone: (61) 3321-5159

QNM 18 - Conj. “B” Lt. 3 Lj 3 Fone:

Fone: (61) 3327-9314

706 Norte - Bl “B” lj 59 Fone: (61) 3347-3747

(61) 3581-8283

Taguatinga-DF

Gama-DF

CNB 10 - Lote 6 Loja 1 Fone: (61) 3563-2165

QD 2 Lote 20 Loja 1 Setor Sul

CNC 2 Lote 8/9 Loja 1 Fone: (61) 3351-6052

Fone: (61) 3385-7215

Pátio Brasil - Térreo - Loja 4w Fone: (61 )3224-6361 Centro Médico - 716 Sul Fone: (61) 3245-6293 SCS - Qd. 5 Galeria Amazonas Fone: (61) 3224-2135

www.oticasbrasiliense.com.br w w w.vozdebrasi li a .com .br www.vozdebrasilia.com.br

155


Economia

Estimativas da indústria

A

Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou um balanço de 2016 e uma edição especial do Informe Conjuntural, no qual apresenta as perspectivas para a economia e indústria no próximo ano. Confira um resumo deste relatório.

Produto Interno Bruto (PIB)

Importante termômetro da economia, o PIB é a soma de todas as riquezas produzidas por um país em um determinado período. O crescimento elevado e contínuo do PIB mostra que a economia do país está se expandindo. Mas não é isso que ocorre hoje no Brasil. Os dados oficiais só serão divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) meados de 2017. Mas tudo indica que o PIB brasileiro terá uma queda de 3,6% em 2016, o que aprofundará ainda mais a crise, pois em 2015 a retração foi de 3,8%. Para 2017, a CNI estima um crescimento de 0,5% em relação a 2016.

PIB industrial

É um dos componentes do PIB, que soma as riquezas produzidas pela indústria de um país em um período determinado. No Brasil, o PIB industrial fechará 2016 com uma queda de 3,9%. Será a terceira retração consecutiva da indústria. No entanto, em 2017, a CNI projeta uma expansão de 1,3% no PIB industrial frente a 2016.

Consumo das famílias

É outro componente do PIB. O aumento do consumo estimula a atividade na indústria, no comércio e no setor de serviços, contribuindo para a expansão da economia. O consumo das famílias brasileiras deve ter uma redução de 4,5% em 2016. Será o segundo ano consecutivo de queda no indicador. Mas a estimativa da CNI é que o consumo pare de cair em 2017 e tenha uma leve alta de 0,2% em relação a 2016.

Europe was also responsible for moments of turbulence during the year. The European situation does not limit itself to Brexit, and goes through a bank crisis installed after years of extremely low interest rates and weak growth, added to the immigration crisis. Lastly, the slower Chinese growth pace, at around 6.7% in 2016, on one hand maintained the high in food consumption, on the other, was not sufficient to keep the same growth standard. Perspectives for 2017 indicate a slight acceleration of the global GDP, probably at around 3%, due to the behavior of developed countries. Industry’s Forecasts The National Industry Confederation (CNI) presented a 2016 statement and special edition of the Cyclical Report, exhibiting the perspectives for the economy and industry over the next year. Check out a summary of the report. Gross Domestic Product (GDP) Important economic parameter, the GDP is the sum of all wealth produced by a country in a specific period. Elevated and continuous GDP growth shows the economy of the country is expanding. But this is not what is taking place presently in Brazil. Official data will only be disclosed by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) in mid 2017. But everything indicates that the Brazilian GDP will have a fall of 3.6% in 2016, fact that shall deepen the crisis, as in 2015 retraction was of 3.8%. For 2017, CNI estimates a growth of 0.5% compared to 2016. Industrial GDP It is a component of the GDP, adding wealth produced by a country’s industry in a specific period. In Brazil, the industrial GDP will end 2016 with a fall of 3.9%.it will be the third consecutive retraction in the industry. However, CNI projects expansion of 1.3% of the industrial GDP compared to 2016. Family consumption This is another GDP component. The increase in consumption stimulates activity in industries, commerce and services sectors, contributing for the expansion of the economy. The Brazilian families’ consumption shall have a retraction of 4.5% in 2016. It will be the second consecutive year of fall for this indicator. But CNI’s forecast is that consumption will

Foto: appler

156


Formação bruta de capital fixo

São os investimentos feitos em um país em determinado período. No Brasil, os investimentos estão caindo desde 2014. Encolheram 13,9% em 2015 e devem ter uma queda de 11,2% em 2016. Neste ano, a CNI projeta uma expansão de 2,3% frente a 2016.

Taxa de desemprego

Também é um termômetro importante da economia. Uma taxa de desemprego baixa indica que as empresas estão criando oportunidades de trabalho e de renda para as pessoas. No Brasil, a taxa de desemprego não para de crescer e a média anual alcançou 11,2% em 2016. Para este ano, a previsão da CNI é que a média anual da taxa suba para 12,4%.

Inflação A inflação baixa é sinal de estabilidade na economia. Facilita e dá segurança para as famílias e as empresas planejarem o orçamento, calculando desde gastos diários até compras de maior valor. Em 2015, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) alcançou 10,7% e ficou muito acima do limite máximo de 6,5% estabelecido pelo governo. A CNI estima que a inflação fechará 2017 em 5%, próxima do centro da meta que é de 4,5% para o ano.

stop falling in 2017 and will exhibit a slight increase of 0.2% compared to 2016. Gross formation of fixed capital These are the investments performed in a country in a specific period. In Brazil, investments are falling since 2014. They shrunk 13.9% in 2015 and should have a fall of 11.2% in 2016. This year, CNI projects expansion of 2,3% compared to 2016. Unemployment Rate Another important parameter for the economy. A low unemployment rate indicates companies are creating work and revenue opportunities for people. In Brazil, the unemployment rate doesn’t stop growing and reached the annual average of 11.2% in 2016. For this year, CNI’s forecast is that the annual rate increases to 12.4%. Inflation Low inflation is a sign of economic stability. It makes things easier and provides security to families and companies to plan their budgets, calculating from daily expenditures to higher value acquisitions. In 2015, inflation measured by the Extended Consumer Price Index (IPCA) reached 10.7% and was much above the maximum limit of 6.5% determined by the government. CNI estimates inflation will close 2017 at 5%, near the goal which is 4.5% for the year. Public debt The size of the public debt is an important indicator of the government accounts balance and of the capacity of a country to honor commitments with internal and external creditors. In Brazil, the expansion of public expenditure without the corresponding increase in revenues has raised public debt, which shall reach 76.2% of the GDP this year, according to CNI forecasts. In 2014, the debt was at 57.2% of the GDP.

O tamanho da dívida pública é um importante indicador do equilíbrio das contas do governo e da capacidade de um país em honrar seus compromissos com credores internos e externos. No Brasil, a expansão dos gastos públicos sem o correspondente aumento das receitas tem elevado a dívida pública, que deve alcançar 76,2% do PIB neste ano, conforme a projeção da CNI. Em 2014, a dívida equivalia a 57,2% do PIB.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: shutterstock

Dívida pública

157


Economia

Confira abaixo a lista das 100 maiores empresas brasileiras divulgadas pela Revista Exame e seu crescimento (ou não) durante o ano de 2016. Empresa Ipiranga Vale Braskem

Setor

Controle Vendas

Crescimento

Lucro

Atacado

Brasileiro

U$ 17.489,7

2,00% U$ 280,3

Mineração

Brasileiro

U$ 11.410,4

-28,10% U$ -12.185,9

25,50% -33,20%

Química e Petroquímica

Brasileiro

U$ 8.956,2

14,00% U$ 1.049,4

JBS

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 7.745,5

1,60% U$ 1.130,4

14,60%

BRF

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 7.165,2

NA U$ 764,3

19,20%

JBS Foods

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 5.017,5

NA NI

NI

TAM

Transporte

Brasileiro

U$ 3.217,2

NA NI

NI

CSN

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 3.141,7

-18,20% U$ 463,0

20,20%

Ale Combustíveis

Atacado

Brasileiro

U$ 3.043,1

-10,00% U$ 12,3

19,60%

Amaggi Commodities

Atacado

Brasileiro

U$ 3.036,0

27,60% U$ 126,8

17,10%

Comunicações

Brasileiro

U$ 2.994,0

-13,70% U$ 651,3

17,80%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 2.957,8

-8,70% U$ -0,6

-3,90%

Telecomunicações

Brasileiro

U$ 2.795,8

-17,40% U$ -685,5

-15,10%

Suzano

Papel e Celulose

Brasileiro

U$ 2.705,1

NA U$ -61,1

-2,20%

Coamo

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 2.695,4

13,20% U$ 182,4

17,40%

Energia

Brasileiro

U$ 2.614,2

8,60% U$ 25,5

3,50%

Varejo

Brasileiro

U$ 2.613,1

2,50% U$ 75,2

14,60%

Transporte

Brasileiro

U$ 2.475,8

-13,30% U$ -821,4

NA

Magazine Luiza

Varejo

Brasileiro

U$ 2.378,8

-15,90% U$ -11,8

-6,10%

RaiaDrogasil

Varejo

Brasileiro

U$ 2.371,5

10,50% U$ 76,8

10,30%

CPFL Paulista

Energia

Brasileiro

U$ 2.309,4

9,10% U$ 97,5

20,70%

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 2.259,6

-26,90% U$ -664,7

-27,50%

Varejo

Brasileiro

U$ 2.236,6

3,10% U$ -117,6

-15,90%

Serviços

Brasileiro

U$ 1.861,5

Globo Copersucar-Cooperativa Telemar

Light Sesa Lojas Americanas Gol

Gerdau Aços Longos B2W Digital Cielo

-0,80% U$ 837,0

Below is a list with the 100 biggest Brazilian companies, by Revista Exame and their growth (or not) during 2016.

158

Rentabilidade

NA

41,20%


Aurora Alimentos

Setor

Controle Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 1.852,2

3,70% U$ 64,7

14,10%

Coelba

Energia

Brasileiro

U$ 1.828,1

11,10% U$ 118,1

13,40%

Comgás

Energia

Brasileiro

U$ 1.768,7

-5,10% U$ 205,3

19,30%

Valefert

Química e Petroquímica

Brasileiro

U$ 1.759,2

18,10% U$ -149,9

-3,70%

Atacado

Brasileiro

U$ 1.715,7

-5,50% U$ -5,4

-5,50%

Heringer

Química e Petroquímica

Brasileiro

U$ 1.691,3

-2,60% U$ -84,9

-115,30%

Minerva Foods

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 1.683,7

Transporte

Brasileiro

U$ 1.677,7

Telecomunicações

Brasileiro

U$ 1.670,0

-12,40% U$ -1.483,6

-42,50%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 1.631,0

1,90% U$ -143,3

-68,70%

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 1.589,6

-14,50% U$ 128,9

28,20%

Votorantim Cimentos

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 1.560,7

-19,50% U$ 191,6

9,70%

Paranapanema

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 1.552,5

0,70% U$ 38,2

31,60%

Papel e Celulose

Brasileiro

U$ 1.521,1

33,70% U$ 28,3

0,70%

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 1.514,4

-3,50% U$ -26,0

-1,60%

Papel e Celulose

Brasileiro

U$ 1.506,6

6,70% U$ -220,8

-13,00%

Serviços

Brasileiro

U$ 1.477,9

2,30% U$ 762,1

15,30%

C. Vale

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 1.457,1

8,30% U$ 39,1

10,90%

Construtora Odebrecht

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 1.450,9

Bens de Capital

Brasileiro

U$ 1.361,4

0,70% U$ 228,6

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 1.358,2

-1,50% U$ 109,9

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 1.321,4

7,60% U$ 374,0

44,90%

Varejo

Brasileiro

U$ 1.282,7

4,30% U$ 2,4

1,00%

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 1.266,4

-6,90% U$ -5,0

-0,90%

Rede D'Or São Luiz

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 1.246,4

10,50% U$ 198,5

18,40%

M. Dias Branco

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 1.239,2

-7,30% U$ 146,9

14,10%

Energia

Brasileiro

U$ 1.238,0

6,60% U$ 30,3

6,30%

Varejo

Brasileiro

U$ 1.165,2

-1,70% U$ 110,9

NA

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 1.143,8

17,00% U$ -97,5

-9,90%

Varejo

Brasileiro

U$ 1.124,2

5,90% U$ 19,3

11,30%

Energia

Brasileiro

U$ 1.122,6

-3,50% U$ 160,9

30,70%

Copersucar

Azul Oi Marfrig Natura

Fibria Gerdau Açominas Klabin Rede (Redecard)

Weg Equipamentos Unimed Rio CBMM Farmácia Pague Menos Queiroz Galvão

Celpe Zaffari & Bourbon CBA Drogaria São Paulo Celpa

w w w.vozdebrasi li a .com .br

6,30% U$ -191,0 NA NI

NA NI

NA NI

NI 17,20% NA

Foto: Mrsiraphol / Freepik

Empresa

159


Economia

100 maiores empresas brasileiras em 2016 Empresa Lojas Riachuelo

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Brasileiro

U$ 1.092,2

-0,20% U$ -21,4

-3,20%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 1.062,7

20,60% U$ 35,0

13,80%

Atacado

Brasileiro

U$ 1.055,3

45,20% U$ 28,8

14,60%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 1.053,0

12,90% U$ 3,1

3,40%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 1.034,6

11,40% U$ 34,6

14,10%

Atacado

Brasileiro

U$ 1.033,4

-11,50% U$ -0,0

-0,10%

Varejo

Brasileiro

U$ 1.023,0

NA NI

Energia

Brasileiro

U$ 985,8

11,60% U$ 62,5

30,20%

Química e Petroquímica

Brasileiro

U$ 957,3

0,10% U$ 71,0

12,20%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 952,4

4,00% U$ 3,1

NA

Duratex

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 937,8

-8,90% U$ 25,2

2,00%

Ultragaz

Varejo

Brasileiro

U$ 936,6

4,80% U$ 10,8

5,10%

Energia

Brasileiro

U$ 933,9

21,30% U$ 21,0

5,50%

Autoindústria

Brasileiro

U$ 929,4

NA NI

Sotreq

Atacado

Brasileiro

U$ 925,3

-27,00% U$ 24,1

13,10%

Seara Agro-Pecuários

Atacado

Brasileiro

U$ 924,3

13,20% U$ 38,9

43,90%

Caramuru Alimentos

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 901,5

3,80% U$ 11,3

7,30%

Atacado

Brasileiro

U$ 901,1

-2,50% U$ -17,1

-9,90%

Mineração

Brasileiro

U$ 900,9

70,30% U$ 190,3

8,50%

Energia

Brasileiro

U$ 900,6

16,50% U$ 40,7

8,50%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 885,8

1,70% U$ 48,0

17,20%

Varejo

Brasileiro

U$ 883,7

-8,30% U$ 74,4

12,80%

Transporte

Brasileiro

U$ 881,9

-1,80% U$ 42,9

13,60%

Varejo

Brasileiro

U$ 869,0

-20,40% U$ -2,4

-0,90%

Cisa

Atacado

Brasileiro

U$ 851,4

-3,70% U$ 9,2

13,70%

MRS

Transporte

Brasileiro

U$ 850,6

-4,80% U$ 135,3

14,70%

Varejo

Brasileiro

U$ 835,4

7,00% U$ 4,5

19,10%

Cocamar

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 835,1

6,70% U$ 28,7

13,00%

Bianchini

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 827,1

18,70% U$ 11,6

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 811,9

-39,20% U$ -147,0

Farmacêutico

Brasileiro

U$ 806,7

-0,70% U$ 143,4

Cooxupé Central Nacional Unimed Granol Grupo Martins Supermercado Condor CPFL Piratininga Braskem Petroquímica Hospital São Paulo

Energisa Mato Grosso HPE Autos

Profarma Salobo RGE Unimed BH Lojas CEM JSL Casas Pernambucanas

Mateus Supermercados Foto: Mrsiraphol / Freepik

Controle Vendas Varejo

Lar

160

Setor

Camargo Corrêa Hypermarcas

NI

NI

NA -24,40% 6,50%


100 maiores empresas brasileiras em 2016 Empresa InterCement

Setor

Controle Vendas

Crescimento

Lucro

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 802,4

Boticário / Cálamo

Atacado

Brasileiro

U$ 795,4

-9,30% U$ 116,9

43,20%

Andrade Gutierrez

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 795,3

-31,00% U$ 131,2

28,20%

Belagrícola

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 793,4

31,50% U$ 10,8

13,70%

Atacado

Brasileiro

U$ 791,1

NA NI

Papel e Celulose

Brasileiro

U$ 790,5

29,00% U$ 174,1

Varejo

Brasileiro

U$ 776,6

7,30% U$ 13,7

8,90%

Camil

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 775,0

3,10% U$ 20,9

5,60%

Vigor

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 771,7

39,90% U$ 57,9

13,00%

Serviços

Brasileiro

U$ 765,5

-9,10% U$ 130,5

22,30%

Varejo

Brasileiro

U$ 754,5

-3,20% U$ 31,3

48,00%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 752,2

10,20% U$ 53,5

18,20%

Transporte

Brasileiro

U$ 747,8

10,60% U$ 0,3

NA

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 736,4

21,50% U$ -31,4

-12,80%

Eldorado Brasil Drogarias Pacheco

Localiza Sonda Copacol Concessionária Rio Barra Citrosuco

-0,10%

NI NA

Foto: Andresr

Fiagril

-24,70% U$ -1,0

Rentabilidade

w w w.vozdebrasi li a .com .br

161


Economia

Cenários mistos

A

economia viverá os próximos meses em dois tons. O da crise que permanece, e o das melhoras pontuais. Alguns índices de inflação, como os IGPs, vão trazer ainda números altos, mas no IPCA haverá queda durante todo o primeiro semestre. Os juros vão cair mais de três pontos ao longo dos meses. A falta de dinheiro nos cofres públicos e nos orçamentos das famílias permanecerá aguda. Um desafio imediato do governo é o de adaptar o Orçamento à lei que estabeleceu o teto de gastos. Já saiu da mesa do presidente Temer, aprovado, o novo decreto de programação orçamentária e financeira para limitar em 1/18 por mês as despesas com os ministérios até março. Será menor do que o gasto mensal previsto. Se em março, na primeira avaliação bimestral de receitas e despesas, ficar claro que é necessário o contingenciamento, ele será feito. Mas com outro nome. Mesmo tendo que apertar seu próprio cinto, o governo terá que socorrer os estados insolventes como Rio, Minas e Rio Grande do Sul. Nesta negociação com os chamados “entes subnacionais”, o governo terá que encontrar um caminho para premiar os estados que têm administrado bem suas finanças. Está se chegando à irônica situação de que os estados cujos governantes destruíram as finanças públicas terão o direito de não pagar a dívida junto ao Tesouro por um bom tempo; os estados bem organizados continuarão pagando os juros. A virtude é punida, e o mau comportamento é premiado. Temer tem ouvido de governadores que não estão em crise que, de alguma forma, é preciso distribuir de forma mais justa os benefícios. Os economistas estão todos recalculando suas previsões. Alexandre de Ázara, do Mauá Capital, acaba de rever para 9,5% sua projeção de Selic para o fim do ano. Ele acha que a queda da inflação será tal que em setembro o índice marcará 3,5%. Depois, sobe ligeiramente para 4,3%. Ele prevê que o crescimento do PIB ficará em 0,5%, mas o movimento dessa pequena alta é mais favorável do que parece. — Na comparação trimestre contra trimestre anterior, o PIB deve crescer durante todo o ano. Apesar de na média o cresci-

mento ficar em cerca de 0,5% para o ano todo, chegaremos no último trimestre de 2017 em um patamar de produção 2% maior do que no mesmo período de 2016 — disse Ázara. Os economistas que analisam as contas da agricultura têm boas notícias. O setor deve colher 15% mais do que no ano passado e com aumentos de dois dígitos no valor do que será faturado pelas diversas culturas. A soja deve ter um aumento de nove milhões de toneladas e o milho pode chegar a 19 milhões de toneladas.

Foto: Divulgação

162

Fonte: Jornal O Globo, janeiro/2017 - Por Miriam Leitão, com colaboração de Alvaro Gribel


Não garante crescimento, porque o PIB agrícola é estatisticamente pequeno, mas ajuda bastante. Até porque a agropecuária mobiliza outros setores, como o de produção de máquinas e equipamentos e o de transportes. Somando tudo o que a agropecuária movimenta, o setor passa a ter um peso importante na economia brasileira. Na raiz desse ano bom está, segundo a economista Ana Laura Menegatti, da MB Agro, a base de comparação, que é baixa, mas também um desempenho impressionante de algumas culturas: — A grande diferença é o clima. No ano passado, a seca afetou muito a produção, e a quebra de safra foi de 10%. Este ano, a produção de soja vai subir de 95 milhões de toneladas para 104 milhões. A de milho, de 66,5 milhões para 84 a 85 milhões de toneladas. Só na segunda safra de milho a alta deve ser de 37%. No setor de petróleo, o que se diz é que o país terá uma boa retomada com uma nova rodada de leilão de áreas para exploração. O setor estava completamente parado e agora há a volta de interesse dos investidores nacionais e estrangeiros por novos negócios. Não há mudança forte em área alguma. Permanecem incertezas, principalmente as políticas. As investigações de corrupção trarão à tona fatos que manterão o governo sempre acuado, como no dia de ontem, com as novas denúncias contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima. O desemprego vai aumentar nos próximos meses. Empresas e famílias continuam endividadas. Mas ao fim da primeira quinzena de janeiro, pode-se dizer que este será um ano misto. Com a crise ainda presente nas empresas e nos lares, mas com alguns pontos de alívio. Míriam Leitão, jornalista há mais de 40 anos, é colunista do jornal desde 1991. É autora, entre outros, do livro Saga Brasileira, ganhador do Jabuti de Livro do Ano (2012). Entre seus prêmios, recebeu o Maria Moors Cabot da Columbia University (NY)

Mixed scenarios The economy will live the next few months in two shades. That of the persisting crisis, and that of the specific improvements. Some inflation indexes, such as the IGPs, will still present high numbers, but the IPCA will exhibit a fall throughout the first semester. Interest rates will drop over three points in the coming months. The lack of money in government treasuries and families’ budgets will remain acute. An immediate challenge for the government will be adapting the budget to the law that determined the expenditure cap. It has already left president Temer’s desk, sanctioned, the new decree for budgetary and financial programming limiting in 1/18 per month expenses with ministries until March. It will be less than the monthly forecast expenditure. If in March, in the first bi-monthly evaluation of revenues and expenses, it becomes clear that contingency shall be necessary, it shall be done. But with a different name. Even having to tighten its own belt, the government will have to rescue insolvent states such as Rio, Minas and Rio Grande do Sul. At such negotiation with the so called “subnational entities”, the government will have to find a way to reward the states that have been managing well their finances. We are getting to the ironic situation that the states where governors destroyed public finances will have the right to not pay their debt along the Treasury for a good amount of time; well organized states will continue to pay interest. Virtue is punished, and bad behavior is rewarded. President Temer has been hearing from governors that are not in a crisis that, somehow, it is necessary to distribute the benefits in a fairer manner. Economists are all recalculating their forecasts. Alexandre de Ázara, from Mauá Capital, has just reviewed to 9.5% his Selic projection for year end. He thinks the inflation drop will be such that the index will point 3.5% in September. After, it goes slightly up to 4.3%. He predicts the GDP growth will be at 0.5%, but the movement of such a slim high is more favorable than it seems. – In the comparison quarter against previous quarter, the GDP should grow during the whole year. Despite on average the growth remain at about 0.5% for the entire year, we will reach the last quarter of 2017 in a production level 2% higher than the same period of 2016 — said Ázara. Economists who analyzed agriculture accounts have good news. The sector should harvest 15% more than the previous year and with a two-digit increase in the value which will be collected by the various cultures. Soy should have an increase of nine million tons and corn may reach 19 million tons. This does not assure growth, as the agriculture GDP is statistically small, but it helps considerably. Even so as agriculture and stockbreeding mobilize other sectors, such as machine and equipment production and transportation. Adding all that agriculture and stockbreeding deploy, the sector then has an important weight in Brazilian economy. On this good year’s root is, according to economist Ana Laura Menegatti, from MB Agro, the basis of comparison, which is low, but also an impressive performance of some cultures: — The big difference is the climate. Last year, the drought affected strongly the production, and crop reduction reached 10%. This year, soy production will increase from 95 million tons to 104 million. Corn crops will increase from 66.5 million to 84 to 85 million tons. On the second corn harvest alone the high should be of 37%. In the petroleum sector, it is said that the country will recover well with a new round of bidding of areas for exploration. The sector was completely at a standstill and now there is new interest from national and foreign investors seeking new businesses. There is no strong change in any area. Uncertainties remain, especially political ones. Corruption investigations will elicit facts that will always keep the government repressed, as yesterday, with new accusations against former minister Geddel Vieira Lima. Unemployment will increase over the next few months. Companies and families remain indebted. But at the end of January’s first quarter, this can be said to be a mixed year. With the crisis still present in companies and homes, but some relief aspects.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

163


Economia

Tempo de acreditar!

Análise dos setores primários, secundários e terciários

A

gora que já fizemos um panorama geral de como foi, está e previsão de como ficará a economia brasileira em 2017, vamos abordar alguns pontos separados. Em um cenário de dificuldades na política e na economia, o setor primário foi desafiado a contribuir, com trabalho e produtividade, para minimizar os efeitos de uma crise que marcou profundamente o país. Segundo projeção da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o produto interno bruto (PIB) do agronegócio deve crescer 2% em 2017, enquanto o desempenho estimado para o PIB da economia é de expansão de 1,1%. Para João Martins da Silva Junior, Presidente da CNA, temos motivos para entrar 2017 confiantes na força do nosso trabalho e com visão otimista em relação ao futuro. A expectativa de uma boa safra e o câmbio devem influenciar positivamente os setores

164

de insumos e a produção primária. A agroindústria e o setor de serviços e distribuição ainda sentirão os efeitos da crise econômica pelo menos até o final do primeiro semestre de 2017, comprometendo um crescimento robusto do indicador. Ainda segundo a CNA, o cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento dos preços das principais commodities agrícolas em 2017. A expectativa para a agricultura é de faturamento de R$354,9 bilhões (3,4% a mais que em 2016). A receita projetada para a pecuária é de R$199,2 bilhões, resultado estável na comparação com 2016 (0,4%). Desta forma, o valor bruto da produção (VBP) brasileiro no próximo ano, deve atingir R$554,2 bilhões, crescimento de 2,3% em relação a 2016. A alta do VBP resulta, principalmente, do aumento do faturamento das seguintes culturas: feijão


(18,8%), algodão (15,1%), arroz (13,8%), milho (7,6%), frango (7,3%), laranja (7%) e soja (4,9%). Por outro lado, estima-se queda no VBP do trigo (17,6%), cacau (11,1%, café (6%), leite (4,6%) e carne bovina (0,5%). O crescimento previsto para o feijão se dará tanto pela ampliação de área plantada na próxima safra, como pelo aumento da produtividade. Contudo, o preço não deverá se manter nos níveis recordes observados em 2016. Até o fechamento dessa matéria, com os resultados preliminares divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), diferente do resultado global do Brasil, o PIB do agronegócio deve crescer entre 2,5% e 3% em 2016, demonstrando, assim, que o setor sofreu menos que os demais setores da economia. Este resultado ampliará a participação do setor primário na economia, devendo atingir aproximadamente 23% do total do PIB brasileiro.

Time to believe! Analysis of the primary, secondary and tertiary sectors Now that we have painted a general picture of how it was, this is the forecast of how the Brazilian economy will be in 2017. We will approach a few specific points. In a scenario of political and economic difficulties, the primary sector was challenged to contribute with work and productivity to minimize the effects of a crisis that deeply marked the country. According to projection from the Brazilian Agriculture and Stockbreeding Confederation (CNA), the agribusiness’ Gross Domestic Product (GDP) should grow 2% in 2017, while the estimated performance for the economy’s GDP is of 1.1% expansion. For João Martins da Silva Junior, CNA’s president, we have reasons to start 2017 confident in the strength of our work and with

an optimistic view regarding the future. The expectation for a good harvest and exchange rate should positively influence the inputs sector and primary production. The agroindustry and the services and distribution sector will still feel the effects of the economic crisis at least until the end of the first semester of 2017, compromising a robust growth for the indicator. Still according to CNA, the international economic scenario will be responsible for the behavior of prices of the main agricultural commodities in 2017. The expectation for agriculture is for revenue of R$ 354.9 billion (3.4% more than in 2016). The projected revenue for stockbreeding is of R$ 199.2 billion, steady result compared to 2016 (0.4%). Thus, the Brazilian gross production value (GPV) next year should reach R$ 554.2 billion, 2.3% growth compared to 2016.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

The high of the GPV results, especially, of the increase in revenue of the following crops: beans (18.8%), cotton (15.1%), rice (13.8%), corn (7.6%), poultry (7.3%), orange (7%) and soy (4.9%). On the other hand, a fall on the GPV of a few products is estimated. They are: wheat (17.6%), cocoa (11.1%), coffee (6%), milk (4.6%) and meat (0.5%). The growth forecast for beans is due to the extension of the planted area on the next harvest and the increase in productivity. However, the price should not remain at the record levels observed in 2016. Up to the final drafting of this news piece, with preliminary results disclosed by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE), different from Brazil’s global results, the agribusiness’ GDP should grow between 2.5% and 3% in 2016, thus demonstrating that the sector suffered less than the other sectors in the economy

165


Economia

O

Brasil é também um grande produtor de alimentos e um dos principais atores no mercado global de produtos do agronegócio. Mas o setor primário, além do fator econômico do país, depende também das condições climáticas. Contudo, se consolidou ainda mais e comprovou sua importância para a economia do país e do mundo, com participação robusta no comercio exterior e na geração de empregos. As importações mostraram maior volume e menor valor.

166

Segundo projeções da Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Organização para a Alimentação e a Agricultura das Nações Unidas (OECD/FAO) sigla em inglês, em 2019, a produção brasileira de carne de frango representará mais da metade das carnes produzidas no país, superando a produção da carne bovina somada à suína. Conforme o Agricultural Outlook 2015-2024 da OECD/FAO, a previsão aponta para um crescimento de 22% na produção em 10 anos,

17% no consumo doméstico e 31% nas exportações de carne de frango. O setor agropecuário desempenha papel fundamental na retomada do crescimento econômico ao sustentar o saldo positivo na balança comercial do país. A negociação de novos acordos comerciais e a ampliação de acordos já fechados pelo Brasil são ferramentas utilizadas para ampliar o acesso a mercados e colocar a economia de volta nos trilhos. Entretanto, a redução de barreiras não tarifárias é outro tema fundamental para a expansão da agricultura.


Por outro lado, a indústria terminou o ano em situação difícil, mas as perspectivas são mais positivas que o observado no final de 2015. Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), os estoques do setor secundário ter¬minaram o ano abaixo do planejado, o que sugere que poderá ter aumento da produção para recompô-los. Entretanto o cenário atual ainda é grave. Ainda segundo a CNI, as empresas continuam apontando a falta de demanda como um dos principais problemas enfrentados pela indústria, assim como a elevada carga tributária, as taxas de juros e a inadimplência dos clientes. A ociosidade do parque produtivo permanece

Brazil is also a big food producer and one of the main players in the agribusiness products global market. But the primary sector, added to the country’s economic factor, also relies on climatic conditions. However, it has consolidated even more and attested its importance to the country and the world’s economy, with a robust participation in foreign trade and generation of labor posts. Imports showed higher volume and lesser value. According to projections from the Organization for Economic Co-Operation and Development for Food and Agriculture Outlook (OECD/FAO), in 2019, the Brazilian poultry production will represent more than half of the meats produced in the country, surpassing the production of bovine meat added to swine. According to the OECD/FAO 2015-2024 Outlook, the projection points out for a 22% growth in

muito alta e a situação financeira das empresas continua debilitada. O acesso ao crédito segue muito difícil e a intenção de investir é muito baixa. Contudo, ainda segundo relatório divulgado pela CNI, as expectativas para os próximos meses são positivas. Os índices de janeiro de 2017 mostraram variações excelentes na comparação com dezembro de 2016 e, especialmente, na comparação de janeiro de 2016. Para os próximos meses, os empresários esperam aumento da demanda e da quantidade exportada; esperam também manter o nível atual de compras de matérias-primas e reduzir o ritmo atual de demissões.

production over 10 years, 17% in domestic consumption and 31% in poultry exports. The agriculture and stockbreeding sector has a key role in the resumption of the economic growth supporting the country’s trade balance positive numbers. The negotiation of new commercial agreements and the extension of agreements already signed by Brazil are tools used for broadening the access to markets and putting the economy back on track. However, the reduction in non-tariff barriers is another key theme for agriculture’s expansion. On the other hand, the industry ended the year in a difficult situation, but perspectives are more positive than observed in the end of 2015. According to the National Industry Confederation (CNI), stocks of the secondary sector finished the year below planned, suggesting an increase in production for their replacement.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

But the present scenario is still alarming. Still according to CNI, companies continue pointing the lack of demand as one of the main issues faced by the industry, as well as the elevated tax burden, interest rates and customers’ non-payment. The idleness of the production complex remains very high and the companies’ financial situation is still weak. Access to credit remains extremely difficult and the intent for investing is extremely low. However, still according to CNI’s report, expectations for the coming months are positive. January 2017 indexes showed excellent variations compared to December 2016 and especially compared to January 2016. For the coming months, businessmen hope for a growth in demand and exported quantity; they also expect to maintain the present level of raw material purchases and reduce the discharge rates.

167


Economia

Foto: Arman Zhenikeyev

J

The tertiary sector, always responsible for the Brazilian GDP evolution, also exhibited a recent slowdown, but will still remain key for Brazilian economy. From 2003 to 2015, the representation of the tertiary sector went from 65.8% to 72.8% of the value added to the Gross Domestic Product (GDP), according to data from the IBGE’s National Quarterly Accounts. Commerce contributed significantly to such progress, raising from 9.5% to 12.3%, in the value added to the GDP from 2003 to 2015. Another important tool that has contributed for better knowledge of the tertiary sector is the Monthly Services Survey (PMS), disclosed since 2012 by IBGE. On this survey, the heterogeneity of the services sector in the country, the relevance and the weight of the micro and small businesses was revealed. From the PMS/IBGE, it was possible to monitor the significant growth of the nominal services revenue over recent years, as well as the slowdown of growth during the last year, impacted by the reduction of the economic activity. The productive chain backwards and forwards of service sectors in the economy implies key importance of such sectors over industry and agriculture. Companies from the primary and secondary sectors use specialized services for production, thus they rely on the efficiency of tertiary sector companies which confer flow and aggregate value to production, distribution and sales chains.

168

á o setor terciário, que sempre foi responsável pela evolução do PIB brasileiro, também teve uma desaceleração recente, esse setor continuará sendo fundamental na economia brasileira. De 2003 a 2015, a representatividade do setor terciário, passou de 65,8% para 72,8% do valor adicionado ao Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados das Contas Nacionais Trimestrais do IBGE. O comércio contribuiu significativamente para este avanço, elevando-se de 9,5% para 12,3%, no valor adicionado do PIB no período de 2003 a 2015. Outra ferramenta importante que tem contribuído para melhor conhecimento do setor terciário é a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada desde 2012 pelo IBGE. Com a pesquisa, foi revelada a heterogeneidade do setor de serviços no País, a relevância e o peso das micro e pequenas empresas. A partir da PMS/IBGE, foi possível monitorar o crescimento significativo da receita nominal de serviços nos últimos anos, bem como a desaceleração do crescimento no último ano também impactado pela redução da atividade econômica. O encadeamento produtivo para trás e para frente dos setores de serviços na economia implica importância fundamental desses setores sobre a indústria e a agricultura. As empresas dos setores primário e secundário utilizam-se de serviços especializados para a produção e, portanto, dependem também da eficiência das empresas do setor terciário, que conferem fluidez e agregam valor às cadeias de produção, distribuição e vendas.


Os gráficos não mentem

E

m 2017 a inflação brasileira deve se acomodar em níveis dentro do limite superior da meta. As medidas adotadas pelo governo para conter a crise, até o fechamento deste anuário, estavam acarretando em resultados positivos. As últimas atas do Comitê de Política Monetária (Copom) apontam que a inflação apresentou níveis favoráveis nos últimos meses de 2016, principalmente por conta dos reajustes em alguns preços controlados, como combustíveis e tarifas de algumas distribuidoras de energia elétrica.

Graphs don’t lie In 2017 Brazilian inflation should remain in levels at the higher goal limits. Measures adopted by the government in order to control the crisis were, up to the closing of this yearbook, resulting in positive outcomes. The last minutes of the Monetary Policy Committee (Copom) show that inflation presented favorable levels over the last months of 2016, especially due to readjustments in some controlled prices, such as fuels and tariffs of some electric energy distributors.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

169


Economia

A

estabilização da inflação, associada à retomada do crescimento econômico e a estabilização do câmbio, permitirá que a autoridade monetária consiga reduzir o nível da taxa básica da economia (Selic) para a casa dos 10,75% ao final de 2017, fato que deverá contribuir para a redução das taxas de juros aplicadas sobre o crédito rural no próximo Plano Agrícola e Pecuário.

N

a indústria também os dados são positivos. Segundo o índice de intenção de investimento, divulgado pela CNI, manteve-se praticamente estável em janeiro de 2017, ao crescer 0,7 ponto na comparação com dezembro de 2016. O índice não registra queda pelo nono mês consecutivo e acumula crescimento de 6,3 pontos no período. Ressalte-se, contudo, que o índice permanece baixo. O índice de intenção de investimento varia de 0 a 100 pontos. Quanto maior o índice, maior a propensão do empresário em investir.

170

The stabilization of inflation, associated to the resumption of economic growth and stabilization of the exchange rate will allow the monetary authority to reduce the economy’s base rate level (Selic) to around 10.75% at the end of 2017, fact which shall contribute for the reduction of the interest rates applied over the rural credit on the coming Agricultural and Stockbreeding Plan. In the industry, data are also positive. According to the investment intention index, disclosed by CNI, it maintained practically solid in January 2017, growing 0.7 point compared to December 2016. The index has not recorded a fall for the ninth consecutive month and accumulates 6.3 growth in the period. It is important to state, however, that the index is still low. The investment intention index varies from 0 to 100 points. The higher the index, higher the tendency of businessmen to invest.


Indicadores

M

uito falamos até agora sobre a retomada do crescimento da economia do país, no entanto, existem alguns indicadores que são fundamentais para analisarmos a fundo as expectativas com a economia do país. Os dados são coletados diretamente das fontes dos dados: Banco Central do Brasil (BCB), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Fundação Getúlio Vargas (FGV). Se comparados aos meses anteriores, os dados atuais são bem animadores. Segundo o Banco Central, essas projeções são consistentes com o cenário de recuperação dos indicadores de confiança e de consolidação do ajuste fiscal em curso, ou seja, esses números melhores levam em conta a aprovação de medidas para reorganizar a economia, como a que cria um limite para a expansão dos gastos públicos. O PIB (Produto Interno Bruto) é um dos indicadores mais utilizados na macroeconomia e tem como principal objetivo mensurar a atividade econômica de uma determinada região. Quando uma determinada região apresenta declínio de dois trimestres consecutivos no valor do PIB, significa que sua economia se encontra em recessão técnica. Apesar do Produto Interno Bruto ser considerado um bom indicador de crescimento, não pode ser considerado um índice de desenvolvimento, uma vez que seu cálculo não inclui dados como distribuição de renda, expectativa de vida e nível educacional da população, entre outros aspectos.

Indicators Much has been said until now about the recovery of the economy’s growth in the country, however, there are some key indicators that need to be deeply analyzed regarding the expectations with the country’s economy. Data are collected directly from data sources: Central Bank of Brazil (BCB), Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) and Getúlio Vargas Foundation (FGV). If compared to previous months, present data are very encouraging. According to the Central Bank, these projections are consistent with the scenario of recovery of trust indicators and consolidation of the ongoing fiscal adjustment, in other words, these better numbers consider the sanctioning of measures towards reorganizing the economy, such as the measure that creates a limit for public expenditure expansion. The GDP (Gross Domestic Product) is one of the main indicators in macroeconomy and has as main objective measuring the eco-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

nomic activity of a specific region. When a specific region presents decline of the GDP value in two consecutive quarters, this means that its economy is under technical recession. Despite the Gross Domestic Product being deemed a good growth indicator, it cannot be considered a development index, as its calculation does not include data such as income distribution, life expectancy and population’s educational level, among other aspects. 2016 ended in a downward trend, but in 2017’s GDP, the best performance should be that of agriculture and stockbreeding. According to the Focus Report – weekly publication where the Central Bank gathers projections of about 100 analysts – the expectation of the analysts is that the sector grows 2%. In second place is the industry, with a high of 1%. If this number for the sector is confirmed, it will be the first expansion since 2013, when there was a 2.2% increase. For services, after 2016 closed in a downward trend of 2.83%, it should again grow 0.40%.

171


Economia mensais. O índice encerrou o ano de 2016 com um crescimento de 6,29% (a menor variação anual desde 2013), mas para 2017 o governo anunciou que a previsão é que fique em 4,7%. A atuação do governo no campo político e as medidas tomadas pela equipe econômica, que envolvem desde mecanismos para cortes de gastos até o fim de desonerações fiscais, deverão criar espaço para uma eventual “redução responsável” da taxa básica de juros (Selic). Essa avaliação foi feita pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que disse, porém, que a principal meta do governo é restabelecer o poder de compra da moeda, por meio da queda da inflação. A taxa Selic é importante para a economia por ser uma referência para investimentos. Funciona como a menor taxa de retorno recebida por um investimento, o que quer dizer que, quando um empresário decide tirar um projeto do papel, ele

avalia, primeiro, se o lucro do empreendimento será maior ou menor que essa taxa básica. Se o retorno for menor, ele não tira o projeto do papel e aplica o dinheiro em papéis do Tesouro Nacional, que pagam juros próximos desse valor definido pelo BC ou em outras aplicações financeiras. Outro importante indicador de retomada e crescimento da economia é o risco Brasil, que avalia em investir no país. O pior momento havia sido em dezembro de 2015, quando o índice alcançou 495,09 pontos. É um dos indicadores mais usados pelo mercado financeiro e é medido por contratos chamados de Credit Default Swap (CDS) e, com a posse do governo em exercício, em maio de 2016, teve início um movimento de queda nesse termômetro. De lá para cá, esse indicador vem apresentando uma reversão que foi intensificada depois dos anúncios de medidas saneadoras da economia e das contas públicas.

The National Broad Consumer Index (INPCA) – also known as IPCA – is the Federal Government’s official indicator for verification of inflation targets. The IPCA measures the living expenses variation for families with employed heads and with a monthly income comprised between 1 and 40 minimum monthly wages. The index ended 2016 with a growth of 6.29% (smallest annual variation since 2013), but for 2017 the government announced the numbers will be at 4.7%. The government’s performance in the political field and the measures adopted by the economic team, involving from mechanisms for cut of expenditures to the termination of tax reliefs, will make room for an occasional “responsible

reduction” of the base interest rate (Selic). Such analysis was made by the Central Bank president, Ilan Goldfajn, who stated, however, that the government’s main goal is reestablishing the currency’s purchasing power, through bringing down inflation. The Selic rate is important to the economy for being a reference for investments. It works as the lesser return rate received for an investment, meaning when a businessman decides to put a project in practice, he will first analyze if the enterprise’s profits will be higher or lower than such base rate. If the return is smaller, he won’t put the project into action and will put his money in National Treasury bonds, paying interest

close to the value determined by the BC or in other financial applications. Another important economy growth indicator is Risk Brazil, which analyzes investing in the country. The worst moment for such was in December 2015, when the index reached 495.09 points. It is one of the most commonly used indicators by the financial market and is measured by contracts called Credit Default Swap (CDS) and, with the new government taking office in May 2016, a downward trend in such indicator is taking place. From then on, the indicator has been showing reversion, intensified after two announcements of measures for the economy and public accounts.

Foto: Andresr

O ano de 2016 fechou em queda, mas dentro do PIB de 2017, o melhor desempenho deve ser da agropecuária. De acordo com o Boletim Focus - publicação semanal na qual o Banco Central reúne as projeções de cerca de 100 analistas - a expectativa dos analistas é de que o setor cresça 2%. Em segundo lugar figura a indústria, com alta de 1%. Caso esse número para o setor se confirme, será a primeira expansão desde 2013, quando houve avanço de 2,2%. Já serviços, depois de 2016 fechar em queda de 2,83%, deve voltar a crescer 0,40%. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPCA) - também conhecido como IPCA - é o indicador oficial do Governo Federal para aferição das metas inflacionárias. O IPCA mede a variação do custo de vida das famílias com chefes assalariados e com rendimento mensal compreendido entre 1 e 40 salários mínimos

172


Pra frente Brasil!

O

utro indicador importantíssimo é a Balança Comercial, que representa a relação entre o total de exportações e importações de bens e serviços de um país em determinado período. E, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, divulgados em janeiro de 2017, o Brasil fechou 2016 com um valor recorde no saldo da balança comercial. Os dados mostram que o País teve um superávit de US$ 47,7 bilhões no ano passado. Esse é o maior valor atingido desde o início da série histórica, em 1989. Em comparação entre 2016 e 2015, a balança comercial no azul mostra ainda um forte avanço. No período de 12 meses, o saldo cresceu 142,3%. Segundo a pasta, o resultado do ano foi formado pela diferença entre exportações de US$ 185,2 bilhões e importações de US$ 137,5 bilhões. No acumulado do ano, as exportações de produtos básicos registraram queda de 9,6%,

para US$ 79,160 bilhões. Os outros segmentos, no entanto, avançaram frente a 2015: as vendas de semimanufaturados cresceram 5,2%, para US$ 27,963 bilhões; e as de manufaturados aumentaram 1,2%, chegando a US$ 73,929 bilhões. Entre os semimanufaturados, os maiores aumentos ocorreram nas vendas de açúcar em bruto (+39,8%), ouro em forma semimanufaturada (+31,1%) e madeira serrada (+17,4%). No grupo dos manufaturados, os avanços mais expressivos foram em plataforma para extração de petróleo (+86,9%), automóveis de passageiros (+38,2%), veículos de carga (+27,1%), açúcar refinado (+23,2%), suco de laranja não congelado (+9,5%) e aviões (+6,0%). Em 2016, os principais países de destino das exportações foram China (US$ 37,4 bilhões), Estados Unidos (US$ 23,2 bilhões), Argentina (US$ 13,4 bilhões), Países Baixos (US$ 10,3 bilhões) e Alemanha (US$ 4,9 bilhões).

w w w.vozdebrasi li a .com .br

173


Economia

Crescimento com cautela

A

gora que já fizemos um panorama geral de como foi, está e previsão de como ficará a economia brasileira em 2017, vamos abordar alguns pontos separados. Em um cenário de dificuldades na política e na economia, o setor primário foi desafiado a contribuir, com trabalho e produtividade, para minimizar os efeitos de uma crise que marcou profundamente o país. Segundo projeção da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o produto interno bruto (PIB) do agronegócio deve crescer 2% em 2017, enquanto o desempenho estimado para o PIB da economia é de expansão de 1,1%. Em pesquisa realizada e divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em janeiro de 2017, o ano mostra que será promissor. A pesquisa que mede o Índice de Confiança do Empresário da Pequena e Média Indústria (Icei-PMI) registrou 49,3 pontos em janeiro entre os pequenos (com até 49 funcionários), um avanço de 6,2 pontos na passagem do mês. Essa alta colocou o índice acima da linha indiferença. Na prática, esse indicador é semelhante a um termômetro: quando ele está abaixo de 50 pontos, indica pessimismo; quando ele supera essa marca, representa otimismo. Ainda na comparação dos resultados do ICEI, o indicador de expectativas para o primeiro semestre de 2017 atingiu o nível 52,9 pontos, acima do registrado no mês anterior (48,4). Quanto a expectativa da economia brasileira, também houve uma melhora, passando de 44,3 para 50,0 pontos. As expectativas com relação à economia brasileira, que eram pessimistas em dezembro, tornaram-se neutras; já as perspectivas com relação à empresa tornaram-se mais positivas, com avanço de 2,6 pontos. Entre os segmentos industriais, a confiança cresceu em todos os ramos. Na construção, passou de 46,3 pontos para 48,2; na extrativa, de 49,7 para 50,9; e na de transformação foi de 48,3 para 50,6.

174

Onwards Brazil! Another extremely important indicators is the Trade Balance, representing the relation between the total exports and imports of goods and services of a country is a specific period. And according to data from the Ministry of Industry, Foreign Trade and Services, disclosed in January 2017, Brazil ended 2016 with a record value in the trade balance result. Data show that the country had a surplus of US$ 47.7 billion last year. This is the highest attained by the country since the onset of the historical series, in 1989. Comparing 2016 and 2015, the positive trade balance exhibits a strong advance. In the 12-month period, the balance grew 142.3%. according to the ministry, the year’s result was formed by the difference between exports of US$ 185.2 billion and imports of US$ 137.5 billion. In the year‘s accrued numbers, exports of basic products recorded a fall of 9.6%, to US$ 79.160 billion. The remaining segments, however, advanced when compared to 2015: semi-manufactured sales grew 5.2%, to US$ 27.963 billion, and manufactured sales increased 1.2%, reaching US$ 73.929 billion. Among semi-manufactured products, the highest growths took place in sales of raw sugar (+39.8%), semi-manufactured gold (+31.1%) and sawn timber (+17.4%). In the manufactured product group, the most expressive advancements were in oil extraction platforms (+86.9%), passenger automobiles (+38.2%), cargo vehicles (+27.1%), refined sugar (+23.2%), non-frozen orange juice (+9.5%) and airplanes (+6.0%). In 2016, the main destination countries for exports were China (US$ 37.4 billion), United States (US$ 23.2 billion), Argentina (US$ 13.4 billion), Netherlands (US$ 10.3 billion) and Germany (US$ 4.9 billion). Cautious growth On a survey performed and disclosed by the National Industry Confederation (CNI) in January 2017, the year shows it will be a promising one. The survey measuring the Small and Medium Industry Businessman’s Confidence Index (Icei-PMI) recorded 49.3 points in January among small industries (up to 49 employees), an advancement of 6.2 points. Such high took the index to above the line of indifference. In practice, this indicator is similar to a thermometer: when it is below 50


micos, além da indústria automobilística e tecnologia de ponta. Outra região que ocupa grande destaque no cenário nacional é a Região Sul. Segundo lugar em industrialização, essa porção do país desenvolve indústrias que atuam especialmente no beneficiamento de produtos primários, atividade denominada de agroindústria, que desempenha um importante papel na economia nacional. A Região Sul sobressai também na produção de peças e metalurgia. No Sudeste, a base industrial encontra-se vinculada a produtos tradicionais, como a produção têxtil, de álcool e açúcar. Entretanto, recentemente o parque industrial dessa região tem ingressado em um processo de modernização e diversificação da indústria. O Norte e o Centro-Oeste são as regiões de menor expressão no setor industrial do país, pois se encontram limitados à agroindústria e ao extrativismo. Nos últimos anos, a economia brasileira ficou marcada pela privatização das empresas estatais nas áreas de mineração, bancária e telecomunicações. Apesar de o Brasil enfrentar diversos problemas sociais, o país está desenvolvendo e ocupando um lugar de destaque no cenário internacional.

Foto: Dmitriy Shironosov

O

Brasil durante muito tempo ocupou destaque somente no setor primário, com a agropecuária e o extrativismo (vegetal, mineral e animal). Após consecutivas crises econômicas, atualmente o Brasil é considerado um dos mais industrializados países, por isso ocupa o décimo quinto lugar nesse segmento em escala global. A intensificação da indústria brasileira faz com que o país possua um enorme e variado parque industrial que produz desde bens de consumo à tecnologia de ponta. A configuração como país industrializado não reflete na realidade nacional, isso porque a industrialização não ocorre de forma homogênea no país, ou seja, ela se encontra irregularmente distribuída no território, onde algumas áreas são densamente industrializadas e outras praticamente desprovidas dessa atividade econômica. A maior concentração de indústrias brasileiras está situada na Região Sudeste, principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, Estados onde o processo de industrialização teve início. Os Estados citados detêm parques industriais modernos e diversificados que atuam com maior destaque na produção de produtos quí-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

points, it indicates pessimism; when it overcomes such mark, represents optimism. Still comparing ICEI results, the expectations indicator for the first semester of 2017 reached the level of 52.9 points, above that recorded in the previous month (48.4), when the expectations regarding Brazilian economy also improved, going from 44.3 to 50.0 points. Expectations regarding the Brazilian economy, pessimistic in December, became neutral; on the other hand, expectations regarding the company became positive, advancing 2.6 points. Among the industrial segments, confidence grew in all fields. In construction it went from 46.3 points to 48.2; in the extraction segment, from 49.7 to 50.9; and in transformation from 48.3 to 50.6. Brazil for a long time only occupied a prominence place in the primary sector, with agriculture and stockbreeding and extractivism (plant, mineral and animal). After consecutive economic crisis, presently Brazil is considered one of the most industrialized countries, and occupies the fifteenth place on this segment in a global scale. The Brazilian industry intensification provides a huge and varied industrial complex producing from consumer goods to state-of-the-art technology. The configuration as industrialized country does not reflect the national reality, as industrialization does not take place in a ho9mogeneous way throughout the country, that is, it is unevenly distributed through the country, where some areas are densely industrialized and other practically devoid of such economic activity. The largest concentration of Brazilian industries is in the southeast region, especially in São Paulo, Rio de Janeiro and Minas Gerais, states where the industrialization process started. The mentioned states have modern and diversified industrial parks that operate with greater emphasis in the production of chemical products, and also the automobile industry and state-of-the-art technology. Another important region in the national scenario is the south. Second place in industrialization, this part of the country develops industries operating especially in beneficiation of primary products, activity called agroindustry, with an important role in the national economy. The southern region also excels in the production of parts and metallurgy. In the southeast, the industrial base is linked to traditional products, such as textile, alcohol and sugar productions. However, recently this region’s industrial complex entered into a modernization and industry diversification process. The north and mid-west are regions of lesser expression in the country’s industrial sector, and are limited to the agroindustry and extractivism. In recent years, the Brazilian economy was marked by the privatization of state owned companies in the areas of mining, banking and telecommunications. Despite Brazil facing several social problems, the country is developing and occupying a prominent place in the international scenario.

175


Artigo

Mais um ano difícil

A

Foto: Divulgação

ROBSON BRAGA DE ANDRADE 68, é empresário e presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria) economia brasileira inicia 2017 com a combinação de otimismo moderado e preocupação. A perspectiva levemente otimista se fundamenta na expectativa de continuidade das mudanças estruturais que se delinearam na segunda metade do ano passado, mas que precisam ser aprofundadas com determinação e celeridade para recolocar o país nos trilhos. A preocupação resulta das enormes dificuldades que as empresas enfrentam para produzir, cumprir compromissos com a folha de salários, com o pagamento aos fornecedores e outras obrigações, em especial as financeiras e tributárias.

176

Será mais um ano difícil. A demanda de consumo das famílias segue contida, as condições de retorno do investimento privado permanecem difíceis e existe uma profunda crise financeira que atinge não apenas o setor público, mas também a iniciativa privada. Após dois anos de forte retração da economia, a recessão pode ser, enfim, interrompida. Mas o crescimento esperado, de apenas 0,5% no ano, ainda que se concretize, será insuficiente para promover alta na renda per capita e impacto no nível de emprego. As agruras das famílias com renda em queda e medo do desempre-

go devem manter o nível de confiança dos consumidores bastante contido. A indústria sofreu profundamente com a crise e sua recuperação é fundamental para a retomada do crescimento. A busca pelo reequilíbrio fiscal, com a redução gradual do deficit e o controle da dívida pública, é um imperativo. A aprovação da PEC que impõe um teto ao crescimento dos gastos federais foi o primeiro avanço estrutural, que precisa ser seguido de outros, como a reforma da Previdência. Sem alterações nos critérios que elegem os beneficiários, o sistema é insustentável. Da mesma forma, é indispensável controlar os gastos em outras es-

artigo publicado no Jornal Folha de São Paulo em janeiro/2017


feras de governo, como os Estados. Sem mecanismos de contrapartida, a renegociação das dívidas estaduais é apenas um paliativo. Para recriar condições de retomada da atividade produtiva, também é imprescindível combinar ajuste fiscal com melhora na eficiência microeconômica. Isso estimularia a produção, elevaria a produtividade e o investimento privado, que depende da confiança empresarial. O licenciamento ambiental deve ser acelerado, com a criação de mecanismos especiais de liberação. As agências reguladoras precisam ser modernizadas, com a definição clara de marcos legais, criando um ambiente de segurança jurídica, racionalidade e eficiência. A melhora do ambiente de negócios exige, também, a continuidade das reformas nas relações de trabalho iniciadas em dezembro. O Congresso precisa aprovar, por exemplo, o projeto que disciplina a terceirização nas empresas. Um ponto emergencial é a recuperação do equilíbrio das empresas, cujas condições fiAnother difficult year ROBSON BRAGA DE ANDRADE, 68, is a businessman and president of the CNI (National Industry Confederation) The Brazilian economy starts 2017 with a combination of moderate optimism and preoccupation. The slightly optimistic perspective is based on the expectation of continuity of the structural changes outlined in the second semester of last year, but that need to be detailed with determination and celerity in order to put the country back on track. The concern results from enormous difficulties companies face for producing, fulfill payroll commitments, paying suppliers and other obligations, especially financial and tributary. It will be another difficult year. The families’ consumption demand is still restrained, conditions of private investment return remain difficult and there is a deep financial crisis reaching not only the public sector, but also the private initiative. After two years of strong economic retraction, the recession, at last, may be interrupted. But the expected growth of only 0.5% a year, even if substantiated, will be insufficient for promoting an increase in the per capital income and impact employment levels.

nanceiras estão deterioradas pela combinação de recessão, juros altos e restrição de crédito. Parcela significativa das companhias não consegue resultado suficiente para saldar as dívidas, o que restringe sua capacidade. É necessário, portanto, liberar recursos para o refinanciamento das dívidas das empresas com o BNDES e os bancos privados. Uma ideia é criar linhas especiais de crédito com parte dos depósitos compulsórios recolhidos ao Banco Central. A retomada dos investimentos privados também passa pela criação de programa de reorganização das dívidas tributárias que permita normalizar as relações com o Fisco. Se o país obtiver sucesso em avançar nessa agenda nos primeiros meses do ano, as perspectivas de reação da produção e do investimento serão percebidas, com maior clareza, no segundo semestre. Os problemas são conhecidos e precisam ser solucionados com rapidez e firmeza para que tenhamos um 2017 melhor do que o previsto até agora.

The hardships of families with a dropping income and fear of unemployment should keep the confidence level of consumers extremely restrained. The industry suffered deeply with the crisis and its recovery is fundamental for the resumption of growth. The search for fiscal balance, with the gradual reduction of deficit and control of public debt, is imperative. The sanctioning of the PEC imposing a cap to the federal expenditure growth was the first structural progress that needs to be followed by others, as the social security reform. With not alterations in criteria electing beneficiaries, the system is impossible. Likewise, it is essential controlling expenditures in other governmental spheres, such as states. With no mechanisms for counterpart, renegotiation of state debts is just a palliative. In order to recreate conditions for resumption of productive activity, it is also essential combining fiscal adjustment with improvement in the microeconomic efficiency. This would stimulate production, raise productivity and private investment, that relies on business confidence. Environmental licensing must be accelerated with the creation of special clearing mechanisms. Regulatory agencies need to be modernized, with the clear definition of legal land-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

marks, creating an environment of legal security, rationality and efficiency. The improvement in the business environment also demands continuity of labor relation reforms, initiated in December. Congress needs to approve, for example, the project regulating subcontracting in companies. An emergency point is recovering the companies’ equilibrium, as they have economic conditions deteriorated by a combination of recession, high interest rates, and restriction to credit. A significant number of companies does not attain a sufficient result to pay off debts, restricting their capability. Therefore, it is necessary to clear resources for refinancing of company debt with the BNDES and private banks. An idea would be creating special credit lines with part of the mandatory deposits collected by the Central Bank. The resumption of private investments also goes through the creation of a program of reorganization of tax debts allowing the normalization of relations with the Treasury. If the country is successful in progressing this second agenda in the first months of the year, perspectives for reaction in production and investment will be more visible in the second semester. The problems are known and need to be resolved quick and firmly so we have a better 2017 than the one forecast.

177


Economia

2017: Consolidação da recuperação

C

Foto: Pressfoto/Freepik

omo em toda consolidação econômica, os resultados levam tempo para aparecer, especialmente depois de um período recessivo tão longo. A alavancagem das empresas deve começar a ocorrer apenas em 2018, com os prognósticos de recuperação da economia e queda efetiva da taxa de juros. Estes fatores serão essenciais para as empresas começarem a ter capacidade de voltar a investir, cenário que deverá ficar mais claro ao longo do segundo semestre. O crescimento no PIB total, embora modesto, será reflexo de uma série de ações do atual governo, como a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº241, que limita o crescimento dos gastos governamentais nos próximos 20 anos e uma reforma tributária parcial. Mas na área política a grande batalha para o ano de 2017 certamente será a reforma da previdência. O Brasil deve também buscar uma política de atração de investimentos que permita ao país intensificar a produção primária de forma eficiente, segura e sustentável. Esses investimentos serão essenciais para a abertura de novos mercados, agregação de valor e diversificai da produção, respondendo assim, às expectativas de uma sociedade mais exigente, atendendo consumidores mais sofisticados, competitivos e rentáveis. Este conjunto de reformas consolidará o processo de confiança iniciado em 2016 e levará a um pequeno crescimento em 2017. Essas ações e propostas fazem com que os agentes econômicos mantenham boas perspectivas

178


para a economia brasileira. As expectativas positivas já estão sendo precificadas na taxa de câmbio, na inflação e na classificação de risco pelas agências internacionais. A previsão para o crescimento em 2017 era de 2%, mas foi revisado para 1% por conta das indefinições que cercarão o presidente Donald Trump ao longo do seu mandato. Com tudo isso, o crescimento para 2017 deverá ser baixo, com sinais de melhoras para os anos que se seguem. Ao mesmo tempo, a inflação deverá ceder para a casa dos 5%, permitindo uma taxa real de juros mais baixa do que a percebida este ano. Economistas acreditam que o efeito Trump deverá atrasar um pouco a recuperação do Brasil, que pode, eventualmente, se consolidar em números ainda melhores em 2018.

The growth in the overall GDP, despite modest, will be reflex of a series of actions from the present government, such as the approval of Proposed Constitutional Amend (PEC) nº 241, limiting growth of government expenditure over the next 20 years and a partial tax reform. But in the political area the great battle for 2017 will certainly be that of the social security reform. Brazil must also seek a policy for inviting investments allowing the country to intensify primary production in efficient, safe and sustainable manners. Such investments are essential for the opening of new markets, aggregating value and diversifying production, thus answering to the expectations of a more demanding society, supporting more sophisticated, competitive, and profitable consumers. This set of reforms will consolidate the confidence process initiated in 2016 and shall lead to a small growth in 2017. These actions and proposals have the economic agents looking at good perspectives for Brazilian economy. Positive expectations are already being priced at the exchange rate, inflation and risk appraisal by international agencies. The expectation for 2017 growth was 2%, but it was downgraded to 1% due to the uncertainties surrounding president Donald Trump throughout his term. All that accounted, the 2017 growth will be low, with indications of improvement in the following years. At the same time, inflation should fall to around 5%, allowing for a real interest rate lower than that verified this year. Economists believe the Trump effect will provide for a small delay in Brazil’s recovery, which can occasionally consolidate into even higher number for 2018.

Foto: Jannoon028/Freepik

2017: recovery consolidation As in all economic consolidation, results take time to be noticed, especially after such a long recessive period. The leveraging of companies should only start to take place in 2018, with prognosis of economy recovery and effective interest rate fall. Such factors will be essential for companies to begin to show investing capabilities, scenario that should be clearer during the second semester.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

179


Economia

Brasil: um mundão de oportunidades

Q

Uma riqueza dividida em seus 26 Estados e o Distrito Federal

uando o assunto é o PIB dos Estados brasileiros, observa-se uma profunda desigualdade regional sobre a participação das riquezas. Segundo o IBGE, apenas cinco unidades federativas (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná) representam uma participação de 64,9% na produção nacional de riquezas. Essa desigualdade vem diminuindo nas últimas décadas, embora essa redução tenha sido relativamente pequena, o que demonstra o lento e gradual processo de redirecionamento na ordem produtiva territorial do país. O Brasil, desde 2010, quando ultrapassou o Canadá, é o terceiro maior produtor e exportador agrícola do mundo, atrás somente das duas grandes potências agrícolas mundiais: os Estados Unidos e a União Europeia. No entanto, diferentemente desses dois territórios, a capacidade de crescimento e a perspectiva nacional em relação a um futuro de médio prazo são grandes, de modo que o país poderá apresentar maiores crescimentos nos próximos anos. Dois principais fatores estão associados ao crescimento da atuação agropecuária do Brasil no mercado externo: a mecanização do campo, vivenciada no país a partir da segunda metade do século XX, e a expansão da fronteira agrícola para o interior do território ao longo do mesmo período. Assim, elevouse a produtividade nas áreas produzidas, bem como as áreas cultivadas, embora muitas áreas de expansão apresentem modelos tradicionais, uso extensivo da terra e baixa produtividade. Dos principais produtos agropecuários do Brasil, cabe destaque para a cana-de-açúcar, o café Brazil: a world of opportunities Richness divided between its 26 States and the Federal District When the subject is the Brazilian states’ GDP, one can observe a deep regional disparity on the wealth shares. According to IBGE, five federation units alone (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul and Paraná) represent a 64.9% participation in the national wealth production. Such disparity has been decreasing in the past decades, although such decrease has been relatively small, demonstrating the slow and gradual rerouting process in the country’s territorial productive order. Brazil, since 2010, when it surpassed Canada, is the world’s third largest agricultural producer and exporter, only behind the world’s two

180

e a laranja, dos quais somos os maiores produtores mundiais; a soja, o fumo e a carne bovina (na segunda posição internacional) e o milho, produto em que o Brasil é o terceiro país em volume de produção anual. Ao analisarmos as cinco regiões geográficas do país – Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste – percebemos que, embora as economias regionais encontram-se em estágios diferentes no processo de estabilização da atividade, apresentam em comum relativa fragilidade nos indicadores de demanda, em particular de consumo. Por isso, para abordarmos este assunto aqui no anuário, nos baseamos no Boletim Regional do Banco Central do Brasil, divulgado em outubro de 2016, no qual apresentou as condições de economia por regiões e por alguns Estados do país.


N

PIB da Região Norte deve ter o maior crescimento em 2017

Foto: Falarn

o Norte, as atividades industriais, tanto extrativa quanto de transformação, apresentam sinais de retomada gradual, após retração ao longo de 2015. Nesse contexto, o Índice de Atividade Econômica Regional do Norte (IBCR-N) cresceu 1,0% no trimestre até agosto de 2016. O avanço das atividades industriais, tanto extrativa quanto de transformação, favorecido pelo ambiente externo mais benigno para economias emergentes e pela recuperação do empresariado do setor, contribuem para essa evolução na margem. A região mostra uma acelerada expansão, devido a importantes investimentos locais, com uma alavancada em seu PIB (produto Inter-

no Bruto) de 3,9% em 2017, segundo levantamento da consultoria Tendências. “Na região Norte há maturação de uma série de investimentos e a economia é mais sensível ao ciclo de retomada econômica”, afirmou o economista responsável pelo estudo, Adriano Pitoli. A boa perspectiva para o setor industrial pode ser explicado basicamente por dois motivos: a construção do projeto de mineração Ferro Carajás S11D, da Vale, executado simultaneamente no Pará e no Maranhão, e a retomada da zona franca de Manaus. No pico da obra, contratou mais de 30 mil trabalhadores e contempla também a construção de um ramal ferroviário de 101 quilômetros, a expansão da Estrada de Ferro Carajás e a ampliação do Terminal Marítimo de Ponta Madeira, em São Luís. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) do Norte, divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI),

também mostrou uma importante melhora, alcançando 54,7 pontos, situando-se na zona de otimismo da pesquisa (acima de 50 pontos). O melhor desempenho da economia do Norte, comparando as outras regiões do país, se reflete nas contas fiscais. O consolidado dos governos dos Estados, das capitais e dos municípios do Norte apresentou superávit primário de R$1,5 bilhão. Em síntese, a atividade econômica no Norte apresentou evolução positiva desde meados de 2016, mas mostra indicadores relacionados ao consumo com comportamento menos favorável, refletindo, sobretudo, o processo de distensão do mercado de trabalho e a situação de crédito mais restrito. Ressalte-se que a recuperação desses indicadores ocorre com defasagens ao ciclo econômico, na medida em que se consolidam os processos de recuperação da atividade na região e de ajuste macroeconômico do país.

great agricultural powers: the United States and the European Union. However, different from these two territories, the growth capability and national perspective regarding a mid-term future are high, and the country will be able to present greater growth in the near future. Two of the main factors are associated to the growth of Brazil’s agriculture and stockbreeding performance in the foreign market: the field mechanization, experienced in the country starting in the second half of the 20th century and the agricultural frontier expansion inland throughout the same period. Thus, productivity increased in produced areas, as well as in harvested areas, although many expansion areas present traditional models, extensive land use and low productivity. From Brazil’s main agriculture and stockbreeding products, emphasis can be placed in sugar cane, coffee and orange, of which we are the world’s largest producers; soy, tobacco and meat (second place in the world) and corn, product which Brazil is the third largest country in annual production volume.

When analyzing the country’s five geographic regions – north, northeast, mid-west, south, and southeast – we observe that, despite regional economies being in different stages in the activity’s stabilization process, they exhibit a common relative fragility in demand indicators, especially consumption. Therefore, in order to approach such issue here in the yearbook, we have taken as base the Central Bank of Brazil Regional Report, disclosed in October 2016, presenting the conditions of the economy according to region and some states of the country. North Region GDP should have the largest growth in 2017 In the North Region, industrial activities, extractive and transformation, exhibit signs of gradual recovery after retraction through 2015. In such context, the North Region’s Regional Economic Activity Index (IBCR-N) grew 1.0% in the quarter until August 2016. The progress of industrial activities, extractive and transformation, favored by the better foreign environment for developing economies and recovery of

w w w.vozdebrasi li a .com .br

181


Economia

O Nordeste ainda precisa ser mais explorado

J

182

Foto: Divulgação

á a economia do Nordeste registrou retração no comércio, agricultura e construção civil. A agricultura passou por uma expressiva queda, impactada pela forte estiagem em importantes Estados produtores da região. No comércio, o aumento do desemprego, o crédito mais restrito e a queda na renda foram determinantes para a diminuição das vendas. O recuo na construção civil, decorrente da crise, tem melhoras de projeções para 2017. No âmbito da oferta, a região Nordeste destacou-se o desempenho positivo do setor industrial, que apresentou sinais de estabilização e possível retomada de crescimento, com potenciais desdobramentos favoráveis sobre as demais atividades. No âmbito da oferta, destacou-se o desempenho positivo do setor industrial. A atividade fabril da região registra sinais de estabilização e possível retomada de crescimento, com possíveis desdobramentos favoráveis sobre as demais atividades. A região Nordeste se destaca também na extração mineral, especialmente na produção de sal, responde por aproximadamente 80% da produção do país, o Estado do Rio Grande do Norte é o maior produtor. No seguimento industrial nordestino há uma hierarquia entre os principais produtores, sendo que o Estado da Bahia é o primeiro, respondendo nacionalmente por 3,8%, seguido por Pernambuco com 2,2% e depois Ceará com 1,8%. Apesar do incremento na produção industrial da região, a mesma necessita melhorar, pois a indústria ainda não se encontra diversificada. A distribuição das indústrias ao longo dos Estados da região se restringe a algumas áreas, fazendo com que cidades adentradas no interior permaneçam excluídas do desenvolvimento. A percepção dos empresários, contudo, sugere relativa melhora. É fato que 2016 não foi um ano positivo para a região Nordeste, por outro lado, a produção industrial sinaliza possibilidade de recuperação no curto prazo, evidenciada pela melhora dos sentimentos dos empresários e pelo crescimento do setor em importantes Estados da região.

the sector’s business community, contribute for such evolution in the margin. The region shows accelerated expansion due to important local investments leveraging its GDP (Gross Domestic Product) in 3.9% in 2017, according to survey from Tendências consulting. “In the North Region there is maturation of a series of investments and the economy is more sensible to the cycle of economic recovery”, stated the economist in charge of the study, Adriano Pitoli. The good perspective for the industrial sector may be explained basically by two reasons: the construction of the Ferro Carajás S11D mining project, from Vale, executed simultaneously in Pará and Maranhão, and the recovery of Manaus Free Trade Zone. At the work’s peak it employed over 30 thousand workers and it also contemplates the construction of a railroad branch 101 kilometers in extension, the expansion of the Carajás Railway and aalso the Ponta Madeira Port Terminal, in São Luís. The North Region’s Industrial Businessman Confidence Index (Icei), disclosed by the National Industry Confederation (CNI), also showed an important improvement, reaching 54.7 points, placing in the surveys’ optimism zone (above 50 points), the North Region’s economy best performance, compared to other regions of the country, reflecting in tax accounts. The consolidated numbers from the states, capital cities, and municipalities governments of the North Region presented primary surplus of R$ 1.5 billion. In short, the North Region’s economic activity presented positive evolution since mid 2016, but shows indicators related to consumption with a less favorable behavior, above all reflecting the distension of the labor market and a more restricted credit situation. It is important to emphasize the recovery of such indicators takes place with lagging of the economic cycle, inasmuch as the process of the regions’ activity recovery and the country’s macroeconomic adjustment are consolidated. The Northeast still needs to be better explored The Northeast Region’s economy recorded retraction in the commerce, agriculture and civil construction. Agriculture went throu-


Com o recente investimento no setor industrial, várias indústrias fixaram-se no Centro -Oeste para processar parte da matéria-prima produzida na região e aproveitar os benefícios originados pelas políticas de fomento ao desenvolvimento industrial. Entre os principais setores da indústria que têm contribuído para esse crescimento, estão a indústria de alimentos, produtos e derivados do petróleo, indústria química e, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria, também está

na lista produção de bebidas e fabricação de celulose. O desempenho da indústria da região Centro-Oeste registrou crescimento pelo segundo trimestre consecutivo, mas ainda se mostra insuficiente para dinamizar a atividade econômica regional. Perspectivas favoráveis para a estabilidade da atividade podem advir da concretização das expectativas dos empresários industriais e da recuperação da produção de grãos apontada pelas primeiras estimativas para a próxima safra de 2017.

gh an expressive fall, impacted by the strong drought in the region’s important producer states. In commerce, the growth of unemployment, credit more restricted and the fall in revenue were decisive for lower sales. The civil construction retraction results from the crisis and has better projections for 2017. Regarding offer, in the north region emphasis was placed on the industrial sector’s positive performance, presenting signs of stability and possible recovery of growth, with potentially favorable unfolding over the remaining activities. The north region also stands out in mineral extraction, especially in salt production, where it is responsible for approximately 80% of the country’s production, with the state of Rio Grande do Norte as the main producer. In the northeastern industrial segment there is a hierarchy among the key producers, with the state of Bahia in first, and responsible nationally for 3.8%, followed by Pernambuco with 2.2%, and Ceará with 1.8%. Despite the increased regional industrial production, it still needs improvement, as the industry is yet to become diversified. The distribution of industries through the region’s states is restricted to specific areas, making cities inland excluded from development. The perception of businessmen, however, suggests a relative improvement. It is a fact that 2016 was not a positive year for the Northeast Region, but on the other hand the industrial production points to a possibility of short-term recovery, emphasized by the improvement in businessmen’s feelings and sector growth in important states of the region.

Foto: Estadão

A

evolução da economia do Centro-Oeste é, em grande parte, determinada pelo desempenho da agropecuária e por seus desdobramentos sobre a cadeia produtiva regional. Nesse sentido, repercutindo principalmente os efeitos da estiagem sobre a agricultura e a pecuária, além do menor dinamismo do comércio e da construção civil. No âmbito da oferta, a produção industrial, considerando o agregado de Goiás e Mato Grosso, únicos Estados da região com estatísticas divulgadas pela da Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF) do IBGE, expandiu 0,5% no trimestre encerrado em agosto de 2016. A evolução do indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) do Centro-Oeste, divulgado pela CNC, sugere retomada gradual das vendas. O ICF atingiu 82,8 pontos no terceiro trimestre de 2016 (80,2 pontos no segundo), ocorrendo melhora em seis dos sete subcomponentes do indicador. A recuperação consistente dos indicadores de demanda está condicionada, no entanto, ao maior dinamismo nos mercados de trabalho e de crédito. Atualmente vem ocorrendo uma aceleração do desenvolvimento industrial no Centro-Oeste. Esse crescimento industrial é fruto do processo de mecanização do campo, que tem exigido cada vez mais infraestrutura para o desenvolvimento das atividades agropecuárias. Além disso, o desenvolvimento industrial da região tem sido priorizado tanto pelos governos estaduais quanto pelo governo federal por meio de políticas de atração de empresas.

Centro-Oeste é voltado para a matéria-prima

w w w.vozdebrasi li a .com .br

183


Economia

Região Sudeste Maior concentração de empresas do país

184

Mid-West aimed towards raw materials The Mid-West Region’s economy evolution is greatly determined by the performance of agriculture and stockbreeding and their outcome on the regional production chain. For that matter, with the results of the effects of the drought over agriculture and stockbreeding, lesser dynamism of commerce and civil construction. Regarding offer, the industrial production, taking into account the aggregate from Goiás and Mato Grosso, the region’s only states with statistics disclosed by the Monthly Industrial Survey (PIM-PF) from IBGE, expanded 0.5% in the quarter ending in August 2016. The evolution of the Mid-West Region’s Families Consumption Intention (ICF) indicator, disclosed by CNC, suggests a gradual Foto: onlyyouqj/Freepik

A

Região Sudeste é a principal do país, sua importância está em seu destaque industrial e econômico. A distribuição das indústrias possui uma hierarquia, em que alguns Estados são mais desenvolvidos industrialmente com base na concentração do número de indústrias presentes. Desse modo fica ordenado da seguinte forma: em primeiro lugar a Grande São Paulo, em segundo Rio de Janeiro e terceiro Belo Horizonte, sendo que a primeira e a segunda são as megalópoles brasileiras. O desenvolvimento industrial na região ocorreu principalmente a partir do século XX, após o declínio do café. O café ocupou durante muito tempo lugar de destaque nas exportações e essas “seguravam” a economia brasileira. Com o declínio do café, no final das décadas de 40 e 50 houve a criação das indústrias de base no Brasil, mais precisamente na região sudeste, como a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), Vale do Rio Doce e a Petrobras. Todas as mudanças para implementar a indústria promoveram a expansão de diversos seguimentos industriais. O desenvolvimento do transporte favoreceu o desenvolvimento industrial e econômico de toda a região e também do Brasil. Alienado ao crescimento das indústrias e à evolução dos transportes ocorreu, simultaneamente, o aumento populacional gerando um maior fluxo de mercadorias e de matéria prima.

recovery of sales. The ICF reached 82.8 points on the third quarter of 2016 (80.2 points in the second), with improvement in six of seven indicator sub-components. The consistent recovery of demand indicators is conditioned, however, to the greater dynamism in the labor and credit markets. Presently, an acceleration of the Mid-West Region’s industrial development is taking place. Such industrial growth is result of the mechanization process in the field, that has required increasing infrastructure for the development of agricultural and stockbreeding activities. Besides, the regions industrial development has been prioritized by the state and federal governments through policies for attracting companies.


modesta da produção industrial, apresentou acomodação na margem, interrompendo o cenário de contração registrado até meados deste ano. No entanto, a consolidação de uma trajetória consistente e prolongada de recuperação da atividade econômica da região dependerá, em boa medida, da continuidade da melhora das expectativas dos agentes econômicos e da gradual reação dos demais condicionantes da demanda, em particular dos mercados de trabalho e crédito. With the recent investment in the industrial sector, many industries settled in the Mid-West Region in order to process the raw materials produced in the region and take advantage of the benefits originated by the policies of stimulation of industrial development. Among the key industry sectors contributing for such development are the food, oil products and derivatives, chemical industries and, according to the National Industry Confederation, the list also includes production of beverages and cellulose manufacturing. The development of Mid-West Region industries recorded growth for the second consecutive quarter, but it is still insufficient for boosting the regional economic activity. Favorable perspectives for activity stability may arise from the realization of industrial businessmen’s expectations and recovery of production of grains pointed out by the initial forecasts for the next 2017 harvest. Southeast Region: the country’s largest industrial concentration The Southeast Region is the country’s main region and its importance is at its industrial and economic distinction. The industries’ distribution has a hierarchy, where some states are more industrially developed based on the concentration of the number of industries present. They are ordered as follows: in first place the Metropolitan Region of São Paulo, second Rio de Janeiro and third Belo Horizonte, with the first and second being Brazilian megalopolises. The region’s industrial development took place especially in the 20th century, after the decline of the coffee culture. Coffee for a long time occupied

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: onlyyouqj/Freepik

Durante o ano de 2016 a atividade econômica no Sudeste, após apresentar trajetória declinante desde o final de 2014, registrou acomodação nos trimestres recentes, com ênfase na evolução favorável dos indicadores de oferta. Nesse contexto, o IBCR-SE aumentou 0,5% no trimestre encerrado em agosto, em relação ao finalizado em maio, quando variou 0,3%, no mesmo tipo de comparação, de acordo com dados dessazonalizados. A economia da região, favorecida pela recuperação

prominent spot in exports and such would “carry” the Brazilian economy. With the decline of the coffee culture, at the end of the 1940s and 1950s, there was the development of base industries in Brazil, more precisely in the Southeast Region, with industries such as CSN (National Steelworks Company), Vale do Rio Doce and Petrobras. All changes for implementing the industry promoted the expansion of several industrial segments. The development of transportation favored the industrial and economic development of the whole region and also Brazil. Alienated from the growth of industries and evolution of transports, simultaneously took place a populational boom generating a higher flow of merchandise and raw materials. During 2016 the Southeast Region’s economic activity, after decline in the end of 2014, recorded accommodation in recent quarters, with emphasis in the favorable evolution of offer indicators. In such context, IBCR-SE went up 0.5% in the quarter closing in August, compared to that ending in May, when it varied 0.3%, in the same type of comparison, according to non-seasonal data. The Region’s economy favored by the modest recovery of the national production, presented accommodation, interrupting the scenario of retraction recorded until the middle of this year. However, the consolidation of a consistent and prolonged trajectory of economic activity recovery for the Region will, in good measure, depend on the continuity of the improvement of economic agent expectations and gradual reaction of further demand conditions, especially labor and credit markets.

185


Economia

A região Sul e seu potencial energético

A

Foto: Hidrasil

Região Sul é destaque positivo praticamente em todos os segmentos econômicos, no setor industrial não é diferente. Ocupa, atualmente, o segundo lugar do percentual nacional nesse setor da economia, o volume comercial corresponde a 21% do total nacional, dessa forma é superado somente pela Região Sudeste. Suas indústrias estão instaladas em locais estratégicos, perto das fontes de matérias-primas, nas áreas de produção pecuária estão os parques produtivos no segmento de frigoríficos, curtumes, laticínios, já em áreas de produção agrícolas se encontram instaladas fábricas de óleos vegetais, produção de trigo, produção de sucos e as vinícolas. Um dos importantes fatores para o desenvolvimento industrial na Região Sul é o potencial energético, devido às usinas hidrelétricas instaladas na região, o

186

relevo de planalto facilitou a construção das mesmas, dessa forma a abundância de energia elétrica facilita o abastecimento do setor produtivo industrial. A retração da economia na região Sul também mostra tendência de estabilização considerado um horizonte de tempo mais amplo. Não obstante, a evolução recente dos indicadores econômicos regionais encontra-se influenciada pela safra de grãos favorável obtida neste ano e por seus efeitos secundários decorrentes. Nesse sentido, o IBCR-S registrou, na margem, variações respectivas de -1,1% e 1,5% nos trimestres encerrados em agosto e em maio, período em houve a apropriação das safras de verão, conforme estatísticas dessazonalizadas. Cabe mencionar que a renda auferida pelo setor agrícola contribuiu para a maior aquisição de insumos visando a safra de 2017.

Em linhas gerais, os indicadores econômicos do Sul acompanham a tendência nacional, com números ligeiramente mais favoráveis em relação ao desempenho do setor industrial. A perspectiva favorável para a próxima safra agrícola e a melhora dos indicadores de confiança empresarial sugerem retomada gradual da atividade na região, que tende a ser restrita no curto prazo em função do comportamento de condicionantes do consumo, em especial da continuidade do processo de distensão no mercado de trabalho. Cabe ressaltar que embora as economias regionais encontrem-se em estágios diferentes no processo de estabilização da atividade, apresentam em comum relativa fragilidade nos indicadores de demanda, em particular de consumo, afetados igualmente pela


redução da massa salarial real, em ambiente de distensão do mercado de trabalho, e pelo reduzido dinamismo do mercado de crédito. No âmbito da oferta, a despeito de desempenhos regionais distintos, destaque-se que os indicadores de nível de utilização dos fatores de produção evidenciam que a economia segue operando com elevado nível de ociosidade – não havendo, portanto, restrições de oferta para a retomada da atividade industrial. A evolução recente de importantes indicadores da atividade, em âmbito nacional e regional, evidencia o processo de estabilização da atividade econômica do país. Regionalmente esse movimento vem ocorrendo de forma heterogênea, mostrando-se menos relevante nas regiões em que a atividade agrícola detém maior representatividade e mais intenso naquelas em que a indústria apresentou sinais mais expressivos de resiliência. Nesse contexto, destacaram-se, nos trimestres encerrados em maio e em agosto, as recuperações nos IBCR do Sudeste e do Norte.

petróleo é o recurso natural mais abundante no mundo, sendo responsável por abastecer fábricas, indústrias, automóveis, além de várias outras funções, como fornecer energia elétrica. Em 2016 a produção de petróleo no Brasil bateu recorde histórico, ao atingir média de 2,22 milhões de barris por dia. “A venda dos ativos na Argentina impactou a produção internacional, resultando em uma redução de 1,4% na produção total da companhia”, destacou a Petrobras em comunicado. No Brasil são 64 milhões de km² de terrenos sedimentares, 35 bacias e cerca de 85% das reservas estão localizadas na bacia de Campos, no Estado do Rio de Janeiro. Em pesquisa divulgada pela Reuters no final de 2016, mostrou que os preços do petróleo subirão gradualmente em direção a 60 dólares o barril até o final de 2017. Isso deve-se ao fortalecimento do dólar, uma provável recuperação da produção de petróleo dos Estados Unidos e possíveis descumprimentos do acordo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) influenciando os mercados.

Foto: Viuonline

O

O ouro preto e a economia no Brasil

South Region and its energetic potential The South Region is a positive highlight practically in all economic sectors, and it is not different in the industrial sector. It occupies, presently, the second national percentage place in such economical sector, the commercial volume corresponds to 21% of the national total, and thus is surpassed only by the Southeast Region. Its industries are installed in strategic places, close to sources of raw materials, in the areas of stockbreeding production are the production complexes in the warehouse, tanneries, dairies, and in agricultural production areas are found plant oil, wheat production, juice production factories, and wineries. One of the important factors for the South Region’s industrial development is the energy potential, due to its hydroelectric plants installed in the region, the plateau terrain promoted their construction, so the electric energy abundance promotes the industrial productive sector’s supply. The retraction of the economy in the South Region also shows a trend of stabiliza-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

tion considering a broader time horizon. Notwithstanding, the recent evolution of the regional economic indicators has been influenced by this year’s favorable grain crop and its resulting secondary effects. To that matter, the IBCR-S recorded, also, respective variation of -1.1% and 1.5% in the quarters ending in August and May, period where there was the summer harvest appropriation, according to non-seasonal statistics. It is important to mention that the decrease verified by the agricultural sector contributed for a greater acquisition of inputs aiming the 2017 harvest. In general, the South Region economic indicators follow the national trend, with slightly more favorable numbers compared to the performance of the industrial sector. The favorable perspective for the next agricultural harvest and the improvement of the business confidence indicators suggest a gradual recovery of the Region’s activity, which tends to be restricted in the short term due to consumption conditioning behavior, especially of the

187


Economia Com este aumento e levando em consideração também os royalties, segundo a projeção da ANP (Agência Nacional do Petróleo), aponta que em 2018 o Estado do Rio de Janeiro vai superar R$10 bilhões de receita do petróleo. Essa análise leva em consideração planos de investimentos das concessionárias enviados ao órgão. Segundo a ANP, a alta nos royalties começa em 2017, atingindo R$7,9 bilhões, chegando a R$10,2 bilhões em 2018. No Brasil, o valor arrecadado pelos royalties do petróleo é dividido ente a União, Estados e municípios produtores ou com instalações de refino e de auxílio à produção. As empresas petrolíferas pagam 10% do valor de cada barril extraído pelo direito de explorar o produto. Hoje em dia, esses 10% dos royalties do petróleo são divididos em: 22,5% para os Estados produtores, 30% para os Municípios produtores e 47,5% para a União. É importante lembrar também que, a descoberta de petróleo na camada pré-sal, localizada a 7 mil metros abaixo do nível do mar em uma área de 200 quilômetros de largura e 800 quilômetros de extensão, abrangendo desde o Espírito Santo até Santa Catarina, pode colocar o Brasil entre os maiores produtores mundiais de petróleo. Atualmente a produção de Petróleo no Brasil é realizada em nove bacias petrolíferas, das quais quatro merecem destaque: as bacias de Campos, de Santos, do Espírito Santo e do Recôncavo Baiano. 1. Bacia de Campos: A Bacia de Campos é a maior e principal bacia petrolífera brasileira. Localizada na região que se estende por todo o litoral do Espírito Santo até o norte do Rio de Janeiro, é responsável

188

continuity of the distension process in the labor market. It is important to emphasize that the regional economies are in different stages in the activity’s stabilization process, exhibit in common a considerable fragility in demand indicators, especially consumption, equally affected by the reduction in the real salary mass, in a scope of labor market distension, and by the reduced dynamism of the credit market. Regarding offer, despite distinct regional performances, it is important to emphasize that the indicators of the level of use of production factors highlight that the economy continues operating with a high level of idleness – therefore with no restrictions of offers for the resumption of the industrial activity. The recent evolution of important activity indicators, in national and regional scope, make clear the country’s economic activity stabilization process. Regionally, such movement has been taking place heterogeneously, showing itself less relevant in the regions where the agricultural activity detains more representativeness and more intense in those where the industry presented more expressive signs of resilience. In such context, we can emphasize, in the quarters ending in May and August, the recoveries of the IBCR in the Southeast and North Regions.


3. Bacia do Espírito Santo: Está localizada próxima às porções central e norte do estado do Espírito Santo e ao litoral sul da Bahia. Essa bacia destaca-se menos pela produção de petróleo e mais pela extração de gás natural e óleo. 4. Bacia do Recôncavo Baiano: É a segunda bacia petrolífera brasileira em volume de produção e a primeira a ser explorada no Brasil (desde a década de 1950). Localiza-se ao longo do estado da Bahia.

The black gold and the economy in Brazil Petroleum is the world’s most abundant natural resource, being responsible for supplying plants, industries, automobiles, and also other functions, such as electric energy supply. In 2016 the oil production in Brazil had a historical high, reaching the average of 2.22 million barrels a day. “The asset sale in Argentina impacted the international production, resulting in a reduction of 1.4% in the company’s total production”, emphasized Petrobras in a press release. In Brazil there are 64 million km² sedimentary soil, 35 basins and around 85% of the reserves are located in the Campos basin, state of Rio de Janeiro. A survey disclosed by Reuters in the end of 2016 showed that the oil prices will gradually go up towards 60 Dollars per barrel until the end of 2017. This is due to the Dollar strengthening, a probable recovery of the oil production in the USA and possible non-fulfillment of the Organization of Petroleum Exporting Countries (OPEC) agreement influencing the markets. With such raise and also considering the royalties, according to the ANP (National Petroleum Agency) projection, in 2018 the state of Rio de Janeiro will surpass R$ 10 billion in petroleum revenue. Such analysis considers investment plans from concessionaires send to the agency. According to ANP, the high in royalties starts in 2017, reaching R$ 7.9 billion, and R$ 10.2 billion in 2018. In Brazil, the amount raised by petroleum royalties is split between the Union, states and municipalities that produce or have refining and production support facilities. The oil companies pay 10% of the amount of each barrel extracted for the right to exploit the product. Presently, these 10% of oil royalties are divided as follows: 22.5% to producer states, 30% to producer municipalities, and 47.5% to the Union. It is also important to remember that the discovery of petroleum in the pre-salt layer, located 7 thousand meters below sea level in an area 200 kilometers wide and 800 kilometers in extension, comprising from the state of Espírito Santo to Santa Catarina, may place Brazil among the world’s largest petroleum producers. Presently, the petroleum production in Brazil is performed in nine oil basins, of which four deserve mention: Campos, Santos, Espírito Santo and Recôncavo Baiano basins. 1. Campos Basin: this is the largest and main Brazilian oil basin. Located in a region extending throughout Espírito Santo’s coastline up to the north of Rio de Janeiro, it is responsible for 80% of the national oil production. This basin contributed with about R$ 54 million Reais a year to the country’s Gross Domestic Product (GDP). 2. Santos Basin: it is the oil basin with the highest growth potential in Brazil. There is found the pre-salt layer, recently discovered and exploited since 2012. Its location extends from Rio de Janeiro’s southern coastline to the north of the state of Santa Catarina. 3. Espírito Santo Basin: located near the central and north parts of the state of Espírito Santo to the southern coastline of the state of Bahia. This basin stands out less for petroleum production and more for natural gas and oil extraction. 4. Recôncavo Baiano Basin: it is the second Brazilian petroleum basin in production volume and the first to be explored in Brazil (since the 1950s). Located throughout the state of Bahia.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: petroleo360.com

por 80% da produção de petróleo no Brasil. Essa bacia contribui com cerca de R$54 milhões de reais por ano para o Produto Interno Bruto (PIB) do país. 2. Bacia de Santos: É a bacia petrolífera com maior potencial de crescimento do Brasil. É nela que se encontra a camada pré-sal recentemente descoberta e explorada a partir de 2012. Sua localização se estende desde o litoral sul do estado do Rio de Janeiro até o norte do estado de Santa Catarina.

189


Assessoria empresarial e política, pesquisa, desenvolvimento de programas de computador, serviço de confecção gráfica, diagramação (impressão de livros e revistas) e publicidade. Telefone: (61) 3036-3636 / 3361-0183 Endereço: SGCV. Lt.: 15, Bloco C, Sala 404 - Brasília - DF 190CEP: 71.215-650

UNIGEST

Uma empresa do: GRUPO


FAÇA PARTE DESTE TIME Ajude-nos a mudar a história de milhares de pessoas.

SEJA UM VOLUNTÁRIO O Instituto Brazil Just tem como objetivo: criar, apoiar, promover e executar ações e serviços que visam o bem estar de crianças, adolescentes, gestantes, idosos e portadores de necessidades especiais.

J u s t T h e B r a z i l I n s t i t u t e a i m s t o : create, support, promote and implement actions and services aimed at the welfare of children, adolescents, pregnant women, elderly and disabled special.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

191


Economia

Maiores empresas do Brasil

A

lista a seguir das 500 maiores empresas do Brasil foi analisada e definida pela Revista Exame, com base na avaliação dos dados de mais de 3.000 empresas, além dos maiores grupos privados do país. O conjunto compreende todas as que publicaram demonstrações contábeis no Diário Oficial dos Estados até o dia 15 de maio de 2016. Foram consideradas, além disso, empresas de porte significativo e bem conhecidas no mercado, que não divulgam seus resultados, mas tiveram seu faturamento estimado por nossos analistas. Os dados de cada ano de publicação se referem aos dados do ano fiscal anterior. NA – não aplicável e NI – não informado.

Empresa Petrobras BR Distribuidora Ipiranga Raízen Combustíveis Vale Telefônica

Energia Atacado Atacado Atacado Mineração

Controle

Vendas

Estatal Estatal Brasileiro Bras-Anglo -Holand

U$ 67.299,5 U$ 25.992,1 U$ 17.489,7

-14,50% -9,30% 2,00%

U$ -6.277,9 U$ -406,4 U$ 280,3

-8,50% -14,00% 25,50%

U$ 14.388,5

4,00%

U$ 321,2

20,90%

-28,10% U$ -12.185,9

-33,20%

Brasileiro U$ 11.410,4

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Telecomunicações

Espanhol

U$ 9.116,4

-5,30%

U$ 822,6

4,20%

Química e Petroquímica

Brasileiro

U$ 8.956,2

14,00%

U$ 1.049,4

NA

Claro

Telecomunicações

Mexicano

U$ 8.803,9

NA

U$ -480,9

-15,10%

Cargil

Bens de Consumo

Americano

U$ 8.552,3

13,20%

U$ 108,2

11,20%

Bunge

Bens de Consumo

Holandês

U$ 7.790,1

-3,40%

U$ 221,9

9,60%

JBS

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 7.745.5

1,60%

U$ 1.130,4

14,60%

BRF

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 7.165,2

NA

U$764,3

19,20%

GPA

Varejo

Holandês

U$ 6.022,9

-7,20%

U$ 5,7

0,20%

Bens de Consumo

Belga

U$ 5.926,9

1,50%

U$ 2.605,7

17,50%

Autoindústria

Italiano

U$ 5.325,3

NA

NI

NI

Via Varejo

Varejo

Francês

U$ 5.164,7

-21,90%

U$ -55,7

-4,50%

Atacadão

Varejo

Francês

U$ 5.081,2

NA

NI

NI

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 5.017,5

NA

NI

NI

Autoindústria

Alemão

U$ 4.603,1

NA

NI

NI

E.C.T

Serviços

Estatal

U$ 4.594,9

NA

NI

NI

CRBS

Bens de Consumo

Belga

U$ 4.573,5

3,50%

U$ 185,9

NA

TIM

Telecomunicações

Italiano

U$ 4.476,0

-19,60%

U$ 610,1

13,60%

Eletroeletrônico

Japão

U$ 4.393,7

-14,90%

U$ 141,3

7,70%

Braskem

Ambev Fiat

JBS Foods Volkswagen

Samsung

192

Setor


500 maiores Empresas 2016 Empresa ArcelorMittal Brasil Embraer

Controle

Siderurgia e Metalurgia Autoindústria

Anglo-Indiano Controle Pulverizado

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

U$ 4.204,4

-6,00%

U$ -436,1

-9,60%

U$4.055,0

28,10%

U$ -9,8%

-0,30%

Serviços de Saúde

Americano

U$3.861,9

8,20%

U$ -107,2

-6,40%

Varejo

Americano

U$ 3.754,6

NA

NI

NI

Itaipu Binacional

Energia

Etatal

U$ 3.680,8

NA

NI

NI

AES Eletropaulo

Energia

Americano

U$ 3.664,2

18,50%

U$ 69,8

8,40%

Varejo

Francês

U$ 3.662,4

NA

NI

NI

Louis Dreyfus

Produção Agropecuária

Francês

U$ 3.604,5

7,00%

U$ -118,8

-21,90%

Toyota

Autoindústria

Japão

U$ 3.538,0

NA

NI

NI

Energia

Estatal

U$ 3.320,9

1,20%

U$ 81,7

10,60%

Diversos

Americano

U$ 3.230,4

NA

NI

NI

Walmart Brasil

Carrefour

Cemig Distribuição ADM

Brazil ‘s biggest companies The following list of the 500 biggest companies in Brazil was analyzed and defined by Revista Exame, based on the evaluation of data from over 3,000 companies, and also from the country’s largest private groups. The set comprises all those disclosing financial statements on the State’s Official Gazette until 15 of May of 2016. Also considered, besides these, companies of significant size and well known in the market, that did not disclose their statements, but had their revenue estimated by our analysist. Data from each year of publication refer to data from the previous fiscal year. NA – not applicable and NI – not informed.

Foto: evening_tao / Freepik

Amil

Setor

w w w.vozdebrasi li a .com .br

193


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

TAM

Transporte

Brasileiro

U$ 3.217,2

NA

NI

NI

CSN

Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 3.141,7

-18,20%

U$463,0

20,20%

Infraestrutura

Estatal

U$ 3.139,9

-4,10%

U$ 402,4

9,90%

Atacado

Brasileiro

U$ 3.043,1

-10,00%

U$ 12,3

19,60%

Atacado

Brasileiro

U$ 3.036,0

27,60%

U$ 126,8

17,10%

Comunicações

Brasileiro

U$ 2.994,0

-13,70%

U$ 651,3

17,80%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 2.957,8

-8,70%

U$ -0,6

3,90%

Oi Móvel

Telecomunicações

Português

U$ 2.945,0

-9,60%

U$ 15,3

0,70%

Unilever Brasil

Bens de Consumo

Anglo-Holandês

U$ 2.895,5

NA

NI

NI

Autoindústria

Americano

U$ 2.886,0

NA

NI

NI

Telecomunicações

Brasileiro

U$ 2.795,8

-17,40%

U$ -685,5

-15,10%

Química e Petroquímica

Alemão

U$ 2.712,3

14,10%

U$ 126,7

14,70%

Suzano

Papel e Celulose

Brasileiro

U$ 2.705,1

NA

U$ -61,1

-2,20%

Coamo

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 2.695,4

13,20%

U$ 182,4

17,40%

Energia

Brasileiro

U$ 2.614,2

8,60%

U$ 25,5

3,50%

Varejo

Brasileiro

U$ 2.613,1

2,50%

U$ 75,2

14,60%

Energia

Estatal

U$ 2.569,6

5,40%

U$ 2,4

0,20%

Química e Petroquímica

Norueguês

U$ 2.543,3

6,80%

U$ -242,5

-93,10%

Varejo

Francês

U$ 2.506,5

NA

NI

NI

Transporte

Brasileiro

U$ 2.475,8

-13,30%

U$ -821,4

NA

-22,90%

U$ -888,5

-24,10%

NA

NI

NI

Sabesp Ale Combustíveis Amaggi Commodities Globo Copersucar-Cooperativa

General Motors Telemar Bayer

Light Sesa Lojas Americanas Copel Distribuição Yara Brasil Assai Atacadista (Barcelona) Gol

Usiminas Mercedez-Bens

194

Setor

Japão/ Siderurgia Argentino/ U$ 2.458,0 e Metalurgia Brasileiro Autoindústria Alemão U$ 2.427,1


500 maiores Empresas 2016 Magazine Luiza

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Varejo

Brasileiro U$ 2.378,8

-15,90%

U$ -11,8

-6,10%

Varejo Química e Petroquímica Química e Petroquímica Energia Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro U$ 2.371-5

10,50%

U$ 76,8

10,30%

U$2.370,1

13,40%

U$ 3,6

0,40%

Alemão U$ 2.312,4

1,70%

U$ -78,7

13,30%

Brasileiro U$ 2.309,4

9,10%

U$ 97,5

20,70%

Brasileiro U$ 2.269,6

-26,90%

U$ -664,7

-27,50%

Autoindústria

Japão U$ 2.258,6

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro U$ 2.236,6

3,10%

U$ -117,6

-15,90%

Bens de Consumo

Mexicano U$ 2.215,5

-2,40%

U$ 57,2

6,70%

Varejo

Chileno U$ 2.097,4

NA

NI

NI

Renault Nidera Sementes Cemig GT

Autoindústria Produção Agropecuária Energia

Francês U$ 2.064,0

-18,30%

U$ -202,3

-94,50%

Chinês U$ 2.014,0

NA

U$ 22,9

12,20%

Estatal U$ 1.977,8

-12,20%

U$ 621.4

38,80%

Ford

Autoindústria Americano U$ 1.948,6

NA

NI

NI

RaiaDrogasil Syngenta Basf CPFL Paulista Gerdau Aços Longos Honda Automóveis B2W Digital Spal Cecosud Brasil

Transpetro

Suiço

Transporte

Estatal U$ 1.909,1

-4,90%

U$ 295,4

NA

Makro

Atacado

Holandês U$ 1.875,6

NA

NI

NI

Cielo Aurora Alimentos Coelba

Serviços

Brasileiro U$ 1.861,5

-0,80%

U$ 837,0

41,20%

Bens de Consumo

Brasileiro U$ 1.852,2

3,70%

U$ 64,7

14,10%

Energia

Brasileiro U$ 1.828,1

11,10%

U$ 118,1

13,40%

Energia

Estatal U$ 1.805,1

1,40%

U$ -8,9

-2,30%

Autoindústria

Japão U$ 1.985,6

NA

NI

NI

Energia Química e Petroquímica

Brasileiro U$ 1.768,7

-5,10%

U$ 205,3

19,30%

Brasileiro U$ 1.759,2

18,10%

U$ -149,9

-3,70%

-21,00% U$ -1.292,0

NA

Celesc Moro Honda Comgás Valefert Samarco

Mineração

BrasilU$ 1.737,7 -Autoastral

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: evening_tao / Freepik

Empresa

195


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Cpersucar

Setor Atacado

Controle

Vendas

Lucro

Rentabilidade

Brasileiro U$ 1.715,7

-5,50%

U$ -5,4%

-5,50%

Energia Estatal U$ 1.707,3 Química Mosaic Americano U$ 1.706,7 e Petroquímica Química Heringer Brasileiro U$ 1.691,3 e Petroquímica Souza Cruz Bens de Consumo Inglês U$ 1.689,0 Produção Minerva Foods Brasileiro U$ 1.683,7 Agropecuária Azul Transporte Brasileiro U$ 1.677,7

-5,40%

U$ -96,6

-3,50%

49,30%

U$ -52,3

-19,10%

-2,60%

U$ -84,9

-115,30%

NA

NI

NI

6,30%

U$ -191.0

NA

NA

NI

NI

-12,40% U$ -1.483,6

-42,50%

Furnas

Oi Marfrig Hydro Alunorte Whirlpool Tag

196

Crescimento

Telecomunicações Brasileiro Produção Brasileiro Agropecuária Química Norueguês e Petroquímica Eletroeletrônico Americano Transporte

U$ 1.670,0 U$ 1.631,0

1,90%

U$ -143,3

-68,70%

U$ 1.607,4

43,20%

U$ 75,8

6,30%

U$ 1.603,8

-18,00%

U$ 53,0

8,00%

Estatal U$ 1.594,4

-7,60%

U$ -244,4

-16,90%


500 maiores Empresas 2016 Cnova Natura Votorantim Cimentos Paranapanema GVT Fibria Novelis Gerdau Açominas Klabin Eletronorte Lojas Renner Elektro

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Varejo

Francês U$ 1.590,1

NA

NI

NI

Bens de Consumo Indústria da Construção Siderurgia e Metalurgia Telecomunicações

Brasileiro U$ 1.589,6

-14,50%

U$ 128,9

28,20%

Brasileiro

U$1.560,7

-19,50%

U$191,6

9,70%

Brasileiro U$ 1.552,5

0,70%

U$ 38,2

31,60%

Espanhola U$ 1.532,7

-2,90%

U$ -682,9

-27,60%

Papel e Celulose Siderurgia e Metalurgia Siderurgia e Metalurgia Papel e Celulose

Brasileiro U$ 1.521,1

33,70%

U$ 28,3

0,70%

Indiano U$ 1.517,1

NA

NI

NI

Brasileiro U$ 1.514,4

-3,50%

U$ -26,0

-1,60%

Brasileiro U$ 1.506,6

6,70%

U$ -220,8

-13,00%

Energia

Estatal U$ 1.502,3 PulverizaU$ 1.496,0 do Espanhola U$ 1.495,7

-14,30%

U$ -76,5

-2,10%

6,60%

U$ 142,7

21,10%

7,30%

U$ 88,9

12,70%

Varejo Energia

Foto: evening_tao / Freepik

Empresa

w w w.vozdebrasi li a .com .br

197


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa CNH Industrial Raízen Energia Rede (Redecard) Thyssenkrupp CSA Nestlé C. Vale Construtora Odebrecht Ampla Petróleo Sabbá

Setor

Controle

Vendas

Noble CBMM Farmácia Pague Menos Queiroz Galvão

Rentabilidade

Italiano U$ 1.491,1

NA

NI

NI

Energia

Bras-Anglo U$ 1.485,1 -Holand

-15,70%

U$ 41,1

2,10%

Serviços

Brasileiro U$ 1.477,9

2,30%

U$ 762,1

15,30%

Alemão U$ 1.473,3

-7,30%

U$ -183,7

NA

Suíço U$ 1.461,1

NA

NI

NI

Brasileiro U$ 1.457,1

8,30%

U$ 39,1

10,90%

Brasileiro U$ 1.450,9

NA

NI

NI

Italiano U$ 1.388,1 Bras-Anglo U$ 1.379,3 Atacado -Holand Eletroeletrônico Americano U$ 1.367,3

3,80%

U$ -0,2

0,00%

9,50%

U$ 25,3

19,10%

NA

NI

NI

0,70%

U$ 228,6

17,20%

NA

NI

NI

Siderurgia e Metalurgia Bens de Consumo Produção Agropecuária Indústria da Construção Energia

Serviços de Saúde

Brasileiro U$ 1.358,2

-1,50%

U$ 109,9

NA

Atacado Siderurgia e Metalurgia

Chinês U$ 1.327,0

NA

NI

NI

Brasileiro U$ 1.321,4

7,60%

U$ 374,0

44,90%

Brasileiro U$ 1.282,7

4,30%

U$ 2,4

1,00%

-6,90%

U$ -5,0

-0,90%

NA

NI

NI

NA

NI

NI

10,50%

U$ 198,5

18,40%

Varejo

Indústria da Brasileiro U$ 1.266,4 Construção Bens de Consumo Americano U$ 1.254,6

Avon Mondeléz Bens de Consumo Americano U$ 1.250,9 Brasil Rede D´Or São Serviços de Saúde Brasileiro U$ 1.246,4 Luiz

198

Lucro

Autoindústria

GE Weg Bens de Consumo Brasileiro U$ 1.361,4 Equipamentos P&G Industrial Bens de Consumo Americano U$ 1.358,6 Unimed Rio

Crescimento


500 maiores Empresas 2016 Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

M. Dias Branco Bens de Consumo

Brasileiro U$ 1.239,2

-7,30%

U$ 146,9

14,10%

Celpe

Energia

Brasileiro U$ 1.238,0

6,60%

U$ 30,3

6,30%

Celg D

Energia

Estatal U$ 1.219,1

15,10%

U$ -257,9

NA

BG Brasil

Energia

Britânico U$ 1.206,5

NA

NI

NI

Electrolux

Eletroeletrônico

Sueco U$ 1.179,0

-14,70%

U$ -30,0

-11,30%

Varejo Francês U$ 1.171,9 Química Americano U$ 1.166,2 e Petroquímica

NA

NI

NI

NA

NI

NI

Sendas Monsanto Zaffari & Bourbon Aliança Kimberly-Clark CBA McSonald´s Drogaria São Paulo Celpa Coelce Lojas Riachuelo Peugeot Citroen Cedae Tractebel Lar Cooxupé Central Nacional Unimed

Varejo

Brasileiro U$ 1.165,2

-1,70%

U$ 110,9

NA

Transporte

Alemão U$ 1.159,7

NA

NI

NI

Bens de Consumo Americano U$ 1.146,7

NA

NI

NI

Siderurgia e Metalurgia Varejo

Brasileiro U$ 1.143,8

17,00%

U$ -97,5

-9,90%

Argentino U$ 1.140,7

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro U$ 1.124,2

5,90%

U$ 19,3

11,30%

Energia

Brasileiro U$ 1.122,6

-3,50%

U$ 160,9

30,70%

Energia

Italiano U$ 1.107,3

4,90%

U$ 93,8

16,60%

Varejo

Brasileiro U$ 1.092,2

-0,20%

U$ -21,4

-3,20%

Autoindústria

Francês U$ 1.090,5

NA

NI

NI

Infraestrutura

Estatal U$ 1.087,8 FrancoU$ 1.085,7 -Belga

-9,50%

U$ 155,6

9,30%

-16,00%

U$ 382,2

19,00%

Brasileiro U$ 1.062,7

20,60%

U$ 35,0

13,80%

Brasileiro U$ 1.055,3

45,20%

U$ 28,8

14,60%

Brasileiro U$ 1.053,0

12,90%

U$ 3,1

3,40%

Energia Produção Agropecuária Atacado Serviços de Saúde

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: evening_tao / Freepik

Empresa

199


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa PB-LOG Robert Bosch Granol Grupo Martins Pepsico Bandeirante Supermercado Condor Copasa MG DuPont Chesf

Setor

Controle

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Transporte

Estatal U$ 1.047,5

224,50%

U$ 135,0

NA

Autoindústria Produção Agropecuária Atacado

Alemão U$ 1.041,1

NA

NI

NI

Brasileiro U$ 1.034,6

11,40%

U$ 34,6

14,10%

Brasileiro U$ 1.033,4

-11,50%

U$ -0,0

-0,10%

Bens de Consumo Americano U$ 1.032,3

NA

NI

NI

Energia

Português U$ 1.028,8

10,20%

U$ 65,5

18,40%

Varejo

Brasileiro U$ 1.023,0

NA

NI

NI

Infraestrutura Estatal U$ 1.021,7 Química Americano U$ 1.021,6 e Petroquímica Energia Estatal U$ 1.015,8

-14,80%

U$ 40,3

2,50%

-21,00%

U$ -150,1

-32,20%

-2,30%

U$ -269,9

-11,80%

U$ 999,6

-2,80%

U$ 89,4

25,70%

U$ 997,6

NA

NI

NI

U$ 985,8

11,60%

U$ 62,5

30,20%

U$ 957,3

0,10%

U$ 71,0

12,20%

U$ 952,4

4,00%

U$ 3,1

NA

U$ 946,3

NA

NI

NI

U$ 938,4

NA

NI

NI

U$ 937,8

-8,90%

U$ 25,2

2,00%

U$ 937,5

0,30%

U$ 34,6

5,80%

U$ 936,6

4,80%

U$ 10,8

5,10%

U$ 933,9

21,30%

U$ 21,0

5,50%

-19,10% U$ -2.006,4

NA

CEG

Energia

Shell Brasil

Energia

Espanhol Anglo-Holandês

CPFL Energia Brasileiro Piratininga Braskem Química Brasileiro Petroquímica e Petroquímica Hospital Serviços de Saúde Brasileiro São Paulo Brasil Kirin-Itu Bens de Consumo Japão MAN Latin Autoindústria Alemão America Indústria da Duratex Brasileiro Construção Siderurgia AngloAperam e Metalurgia -Indiano Ultragaz Varejo Brasileiro Energisa Energia Brasileiro Mato Grosso Nextel Telecomunicações Americano

200

Vendas

U$ 932,0


500 maiores Empresas 2016 Empresa HPE Autos

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Autoindústria

Brasileiro

U$ 929,4

NA

NI

NI

Atacado

Brasileiro

U$ 925,3

-27,00%

U$ 24,1

13,10%

Atacado

Brasileiro

U$ 924,3

13,20%

U$ 38,9

43,90%

Autoindústria Americano

U$ 911,5

NA

NI

NI

CEEE Caramuru Alimentos Profarma

Energia Produção Agropecuária Atacado

Estatal

U$ 905,4

8,90%

U$ -126,5

NA

Brasileiro

U$ 901,5

3,80%

U$ 11,3

7,30%

Brasileiro

U$ 901,1

-2,50%

U$ -17,1

-9,90%

Mineração

Brasileiro

U$ 900,9

70,30%

U$ 190,3

8,50%

RGE

Energia

Brasileiro

U$ 900,6

16,50%

U$ 40,7

8,50%

Iveco

Autoindústria

Italiano

U$ 892,2

NA

NI

NI

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 885,8

1,70%

U$ 48,0

17,20%

Indústria Digital Americano

U$ 884,7

NA

NI

NI

Salobo

Unimed BH HP

Foto: evening_tao / Freepik

Sotreq Seara Angro -Pecuários Eaton

w w w.vozdebrasi li a .com .br

201


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Lojas CEM

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Varejo

Brasileiro

U$ 883,7

-8,30%

U$ 74,4

12,80%

Energia

Estatal

U$ 883,6

1,70%

U$ 28,1

10,10%

Transporte

Brasileiro

U$ 881,9

-1,80%

U$ 42,9

13,60%

AES Sul

Energia Americano

U$ 875,5

12,00%

U$ 7,9

2,60%

Panpharma Casas Pernambucanas Pfizer

Atacado

Alemão

U$ 871,2

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro

U$ 869,0

-20,40%

U$ -2,4%

-0,90%

Farmacêutico Americano

U$ 866,5

NA

NI

NI

Eletroeletrônico Alemão Siderurgia e MeAmericano talurgia Atacado Brasileiro

U$ 865,3

NA

U$ -13,2

-8,30%

U$ 852,6

NA

NI

NI

U$ 851,4

-3,70%

U$ 9,2

13,70%

Liquigás JSL

Siemens Alcoa Cisa MRS Mateus Supermercados Cocamar IBM Alied

Transporte

Brasileiro

U$ 850,6

-4,80%

U$ 135,3

14,70%

Varejo

Brasileiro

U$ 835,4

7,00%

U$ 4,5

19,10%

U$ 835,1

6,70%

U$ 28,7

13,00%

U$ 832,5

NA

NI

NI

U$ 832,1

2,00%

U$ 16,1

12,20%

Produção AgropeBrasileiro cuária Indústria Digital Americano Atacado Americano

Bianchini

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 827,1

18,70%

U$ 11,6

NA

CEG Rio

Energia

Espanhol

U$ 820,8

-5,70%

U$ 28,7

27,60%

Prosegur Camargo Corrêa Hypermarcas

Transporte Indústria da Construção Farmacêutico

Espanhol

U$ 819,3

-6,30%

U$ -15,6

-3,80%

Brasileiro

U$ 811,9

-39,20%

U$ -147,0

-24,40%

Brasileiro

U$ 806,7

-0,70%

U$ 142,4

6,50%

Atento

Serviços Americano Indústria da Brasileiro Construção Infraestrutura Estatal

U$ 806,2

-0,80%

U$ 36,8

43,70%

U$ 802,4

-24,70%

U$ -1,0

-0,10%

U$ 796,6

4,30%

U$ 166,0

13,30%

U$ 795,4

-9,30%

U$ 116,9

43,20%

InterCement Sanepar Boticário / Cálamo

202

Setor

Atacado

Brasileiro


500 maiores Empresas 2016 Andrade Gutierrez Belagrícola Repsol Sinopec

Setor Indústria da Construção Produção Agropecuária Energia

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Brasileiro

U$ 795,3

-31,00%

U$ 131,2

28,20%

Brasileiro

U$ 793,4

31,50%

U$ 10,8

13,70%

Espanhol

U$ 792,6

42,30%

U$ -402,6

-5,00%

Cesp

Energia

Estatal

U$ 791,2

NA

U$ -16,2

-0,70%

Fiagril

Atacado

Brasileiro

U$ 791,1

NA

NI

NI

Farmacêutico Suíço Química Americano e Petroquímica Papel e Celulose Brasileiro

U$ 790,9

3,10%

U$ 73,3

NA

U$ 790,9

NA

NI

NI

U$ 790,5

29,00%

U$ 174,1

NA

Energia Português Química Americano e Petroquímica

U$ 789,6

11,40%

U$ 32,4

11,70%

U$ 777,5

NA

NI

NI

Roche White Martins Eldorado Brasil Escelsa Dow Drogarias Pacheco Copel GET

Varejo

Brasileiro

U$ 776,6

7,30%

U$ 13,7

8,90%

Energia

Estatal

U$ 775,0

-9,90%

U$ 252,5

11,00%

Camil

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 775,0

3,10%

U$ 20,9

5,60%

Vigor

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 771,7

39,90%

U$ 57,9

13,00%

Brasileiro Bras-Anglo Atacado -Holand Varejo Brasileiro Produção Brasileiro Agropecuária Indústria Digital Americano

U$ 765,5

-9,10%

U$ 130,5

22,30%

U$ 758,9

19,50%

U$ 21,1

35,00%

U$ 754,5

-3,20%

U$ 31,3

48,00%

U$ 752,2

10,20%

U$ 53,5

18,20%

U$ 750,7

NA

NI

NI

Brasileiro

U$ 747,8

10,60%

U$ 0,3

NA

Transporte Americano

U$ 740,9

NA

NI

NI

Holandês

U$ 740,1

NA

NI

NI

Brasileiro

U$ 736,4

21,50%

U$ -31,4

-12,80%

Localiza Raízen Mime Sonda Copacol Google Concessionária Rio Barra Martin-Brower Heineken Citrosuco

Serviços

Transporte Bens de Consumo Produção Agropecuária

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: evening_tao / Freepik

Empresa

203


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Novartis

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Suíço

U$ 735,1

-6,50%

U$ -103,1

-74,60%

Brasileiro

U$ 735,0

3,20%

U$ 63,8

5,10%

Cemar

Farmacêutico Indústria da Construção Energia

Brasileiro

U$ 734,3

1,30%

U$ 95,5

17,40%

Sanofi-Aventos

Farmacêutico

Francês

U$ 730,7

31,80%

U$ 50,8

NA

Bens de Capital

Suiço

U$ 725,6

NA

NI

NI

Serviços de Saúde Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 724,1

NA

U$39,7

17,40%

Norueguês

U$ 722,3

0,40%

U$ 18,2

3,10%

Comunicações

México

U$ 717,4

-13,30%

U$ -84,3

-5,10%

Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 713,1

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro

U$ 712,9

-4,50%

U$ 14,3

18,50%

MRV

ABB Intermédica Albras

Foto: jannoon028 / Freepik

Embratel TVSAT Telecomun Construtora OAS Supermercados Mundial

204

Setor


500 maiores Empresas 2016 Empresa

Setor

Infraero

Infraestrutura

Embasa AES Tiete Energia Eletrobras Amazonas

Infraestrutura

Comigo Cisco Johnson & Johnson Santo Antônio Energia Dasa L´Oreal Brasil

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Estatal

U$ 710,5

-16,70%

U$ -776,7

NA

Estatal Americano Energia - Brasileiro

U$ 709,4

-5,70%

U$ 10,4

0,70%

U$ 704,0

NA

NI

NI

Energia

U$ 702,6

-33,30%

U$ -226,6

NA

U$ 701,1

-6,80%

U$ 27,5

7,70%

U$ 700,0

NA

NI

NI

U$ 698,8

NA

NI

NI

Estatal

Produção Brasileiro Agropecuária Indústria Digital Americano Bens de Consumo Americano Energia

Brasileiro

U$ 698,4

2,10%

U$ 273,7

12,90%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 694,3

6,60%

U$ 11,0

1,40%

Bens de Consumo

Francês

U$ 692,0

NA

NI

NI

Alpargatas Itambé Alimentos Accenture

Têxteis

Brasileiro

U$ 691,8

-4,00%

U$ 45,1

7,60%

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 679,6

-5,00%

U$ 11,4

6,60%

Serviços Americano

U$ 672,6

-4,30%

U$ -19,3

-28,80%

Tdata

Telecomunicações

Espanhol

U$ 671,8

5,40%

U$ 200,1

38,90%

Energia

Estatal

U$ 669,6

-15,30% U$ -4.716,1

-43,70%

Transporte

Brasileiro

U$ 663,8

11,80%

U$ 70,0

11,80%

Varejo

Brasileiro

U$ 662,9

-12,70%

U$ -18,8

-6,30%

Brasileiro Nipo-AmeAtacado ricano Franco Energia -Brasileiro Diversos Estatal Química e PetroAmericano química

U$ 656,5

-9,70%

U$ 23,9

10,60%

U$ 651,7

NA

NI

NI

U$646,9

NA

U$ 71,1

3,20%

U$ 645,3

3,50%

U$ 61,7

10,40%

U$ 640,7

NA

NI

NI

U$ 637,9

15,00%

U$ 28,4

28,50%

Eletrobras ALL Malha Norte Marisa Móveis Gazin Multigrain Energia Sustentável do Brasil Casa da Moeda FMC Química CEB Distribuição

Varejo

Energia

Estatal

w w w.vozdebrasi li a .com .br

205


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Cooperativa Agrária Biosev Bioenergia Cotia Trading 3M Integrada Supergasbras Akzo Nobel Multiplus CPTM Votorantim Siderurgia LG-SP

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 637,6

3,70%

U$ 29,6

10,70%

Energia

Francês

U$ 635,5

-2,10%

U$ 15,6

NA

Atacado Brasileiro Química Americano e Petroquímica Produção Brasileiro Agropecuária Atacado Francês Química Francês e Petroquímica Diversos Brasileiro

U$ 630,8

NA

NI

NI

U$ 622,1

NA

NI

NI

U$ 619,2

12,90%

U$ 15,5

12,20%

U$ 616,6

NA

NI

NI

U$ 614,0

NA

NI

NI

U$ 606,4

14,20%

U$ 121,0

67,40%

Transporte Siderurgia e Metalurgia Indústria Digital

Estatal

U$ 605,5

3,40%

U$ -134,9

-6,20%

Brasileiro

U$ 604,9

-16,50%

U$ -44,3

-7,10%

Japão

U$ 604,6

NA

NI

NI

Serviços

Inglês

U$ 603,2

NA

NI

NI

Bens de Consumo

Japão

U$ 601,5

NA

NI

NI

Atacado

Brasileiro

U$ 598,8

-4,40%

U$ 3,1

11,50%

Varejo

Brasileiro

U$ 592,9

12,50%

U$ 5,6

NA

Volvo

Autoindústria

Sueco

U$ 591,5

NA

NI

NI

Metrô

Transporte Química e Petroquímica

Estatal

U$ 590,7

-9,80%

U$ 10,6

0,10%

Francês

U$ 589,8

NA

NI

NI

Infraestrutura

Brasileiro

U$ 589,5

NA

U$ 185,3

34,90%

Eletroeletrônico

Sueco

U$ 588,9

-9,80%

U$ 10,8

7,50%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 584,5

1,50%

U$ 50,2

8,50%

Produção Agropecuária

Brasileiro

U$ 584,4

6,30%

U$ 12,9

5,30%

GR Ajinomoto Fic Petróleo Redeflex

Rhodia Concess. Aeroporto Rio de Janeiro Ericsson Hospital Albert Einstein Castrolanda

206

Setor


500 maiores Empresas 2016 BM&Fbovespa

Setor Serviços

Tupy SEM Sigma Pharma Votorantim Metais Zinco Avianca CDPC Centro Distrib. Prod. Cobre Coca Cola Andina Brasil Corsan Eurofarma EDP Comercializadora Biosev Cateno

Rentabilidade

9,90%

U$ 580,5

-8,00%

U$ 106,4

14,20%

Brasileiro

U$ 580,2

NA

NI

NI

Brasileiro

U$ 576,2

3,90%

U$ 29,3

12,00%

U$ 575,9

-8,30%

U$ 44,3

15,30%

U$ 574,9

6,00%

U$ 13,5

23,40%

Brasileiro

U$ 573,6

3,80%

U$ 73,8

20,80%

Brasileiro

U$ 571,1

6,10%

U$ 22,4

15,90%

Brasileiro

U$ 568,4

5,40%

U$ 11,1

13,00%

Brasileiro

U$ 567,1

-6,90%

U$ 41,4

6,20%

Farmacêutico

Brasileiro

U$ 566,3

-5,00%

U$ 33,4

12,00%

Mineração

Brasileiro

U$ 564,7

18,30%

U$ -159,2

-13,80%

Transporte Colombiano

U$ 563,0

NA

NI

NI

Varejo Produção Agropecuária Siderurgia e Metalurgia Atacado Química e Petroquímica

Algar Agro

Lucro U$ 536,1

Angeloni

Trop Oxiteno Nordeste Laticínios Bela Vista

Crescimento 0,10%

Têxteis

BBA

Pulverizado Brasileiro

Vendas U$ 582,7

Grendene Cooperalfa

Controle

Bens de Consumo Produção Agropecuária Siderurgia e Metalurgia

Anglo-Indiano Brasileiro

Atacado

Brasileiro

U$ 562,4

-25,40%

U$ -3,3

NA

Bens de Consumo

Chileno

U$ 560,6

NA

NI

NI

Infraestrutura

Estatal

U$ 557,7

-5,20%

U$ 65,7

13,50%

Farmacêutico

Brasileiro

U$ 554,3

-2,60%

U$ 45,7

NA

Energia

Português

U$ 552,9

-33,80%

U$3,6

12,90%

Energia

Francês

U$550,7

7,30%

U$ -127,0

-67,70%

Serviços

Brasileiro

U$ 546,1

NA

NI

NI

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: evening_tao / Freepik

Empresa

207


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Energisa Mato Grosso do Sul Dow Agro VLI Multimodal DPaschoal

Energia

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Brasileiro

U$ 544,7

12,20%

U$ 30,6

12,80%

Química Americano e Petroquímica

U$ 544,2

NA

NI

NI

Transporte

Brasileiro

U$ 542,8

-1,30%

U$ 18,3

0,90%

Varejo Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 540,5

-2,40%

U$ -3,9

-6,20%

Francês

U$ 538,8

-24,20%

U$ -25,6

-1,80%

Serviços

Irlandês

U$ 538,3

-4,10%

U$ 119,6

37,30%

Varejo

Brasileiro

U$ 530,7

-2,00%

U$ 9,5

10,00%

Energia

Norueguês

U$ 528,7

-41,40% U$ -1.130,6

-79,60%

Coop Varejo Unimed Porto Serviços de Saúde Alegre Atlas Schindler Bens de Capital Supermercado Varejo Savegnago Vonpar Bens de Consumo Refrescos Usaçúcar Energia

Brasileiro

U$ 528,6

-9,90%

U$ 11,5

9,10%

Brasileiro

U$ 527,4

7,40%

U$ 14,3

18%

Suíço

U$ 526,0

-4,60%

U$ 90,4

70,60%

Brasileiro

U$ 524,1

0,30%

U$ 14,6

26,10%

Brasileiro

U$ 524,0

-4,60%

U$ 42,8

22,40%

Brasileiro

U$ 522,7

-8,90%

U$ 17,6

7,10%

GRUAIRPORT

Infraestrutura

Brasileiro

U$ 522,5

-39,50%

U$ -76,4

-30,90%

Infraestrutura Produção Agropecuária Química e Petroquímica Autoindústria

Brasileiro

U$ 522,1

-11,80%

U$ 180,5

52,60%

Brasileiro

U$ 519,7

8,80%

U$ 12,8

16,20%

Brasileiro

U$ 519,7

17%

U$ 52,8

13,10%

Alemão

U$ 517,6

-7%

U$ 50,3

12,30%

Cenibra

Papel e Celulose

Japão

U$ 517,1

19,40%

U$ 64,5

7,80%

Arosuco

Bens de Consumo

Alemão

U$ 516,2

1,00%

U$ 382,9

NA

VBR Serasa Experian Panvel Farmácias Statoil

AutoBan Coopavel Fertipar Mahle

208

Setor


500 maiores Empresas 2016 Empresa Frimesa

Setor Produção Agropecuária

Controle Brasileiro

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

U$ 515,9

1,90%

U$ 16,4

12,60%

U$ 514,1

12,40%

U$ -4,9

-1,80%

U$ 509,8

3,50%

U$ 21,0

18,50%

U$ 509,4

NA

NI

NI

U$ 509,4

-24,60%

U$ -30,2

-11,10%

U$ 506,7

NA

NI

NI

U$ 506,1

-6,90%

U$ -101,1

-46%

U$ 505,7

3,80%

U$ 35,4

7,60%

Foto: pressfoto / Freepik

ACSC - Ass. Cong. De Santa Serviços de Saúde Brasileiro Catarina M&G Química Italiano Polímeros e Petroquímica Oracle Indústria Digital Americano Soluções Siderurgia Nipo-Arg Usiminas e Metalurgia -Bra Microsoft Eletroeletrônico Americano Mobile Serpro Indústria Digital Estatal Fleury Medicina Serviços de Saúde Brasileiro e Saúde

Vendas

w w w.vozdebrasi li a .com .br

209


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Zema Petróleo Frisia Dow Brasil Sudeste São Martinho

Controle

Atacado Brasileiro Produção Brasileiro Agropecuária Química Americano e Petroquímica Energia Brasileiro

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

U$ 501,9

20%

U$ 5,1

20,90%

U$ 498,2

10,90%

U$ 18,9

10,60%

U$ 496,0

NA

NI

NI

U$ 493,5

7,70%

U$ 79,8

10,40%

CGG Trading

Atacado

Brasileiro

U$ 491,6

9,40%

U$ -12,6

-9,80%

Leroy Merlin

Varejo

Francês

U$ 490,8

NA

NI

NI

Agrex do Brasil

Atacado

Japão

U$ 490,2

35%

U$ -3,5

-3,60%

Usina Guarani

Energia

Francês

U$ 488,1

5,20%

U$ -44,5

-6,90%

Cosern

Energia

Brasileiro

U$ 484,2

2,90%

U$ 51,5

18,60%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 484,2

29,30%

U$ 0,6

1,60%

Mineração

Canadense

U$ 484,1

11,20%

U$ -98,1

-7,20%

Indústria Digital Americano

U$ 482,6

NA

NI

NI

Postal Saúde Kinross Brasil Mineração CA Technologies CPFL Brasil

Energia

Brasileiro

U$ 481,7

-24,20%

U$ 20,2

52,90%

Usina Coruripe

Energia

Brasileiro

U$ 481,3

9,20%

U$ 76,8

34,20%

Coopercitrus Votorantim Cimentos N/NE Livraria Saraiva (varejo) Servimed

Atacado Indústria da Construção

Brasileiro

U$ 480,1

5,70%

U$ 13,7

7,30%

Brasileiro

U$ 476,3

-20,10%

U$ 42,9

7,00%

Varejo

Brasileiro

U$ 475,5

NA

U$ 16,3

16,90%

Atacado

Brasileiro

U$ 474,4

NA

NI

NI

Energia

Português

U$ 473,9

6,30%

U$ -175,9

-47,40%

Indústria Digital Americano

U$ 472,9

-4,00%

U$ 10,8

2,70%

Petrogal Brasil Tivit Glencore

210

Setor

Atacado

Suiço

U$ 471,8

NA

U$ -10,4

NA

Aché

Farmacêutico

Brasileiro

U$ 470,8

2,70%

U$ 111,9

26,40%

Saneago

Infraestrutura

Estatal Bras-Anglo Raízen Tarumã Energia -Holand P&G Bens de Consumo Americano

U$ 465,1

-7,30%

U$ -48,1

-7,30%

U$ 463,7

-23,20%

U$ 12,5

7,30%

U$ 460,7

-50,70%

U$ -188,5

-14,10%


500 maiores Empresas 2016 Esho

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 458,4

1,50%

U$ -5,8

-1,30%

Autoindústria

Brasileiro

U$ 457,8

-32,70%

U$ -3,4

-0,70%

Atacado

Brasileiro

U$ 456,5

28,30%

U$ 4,9

20,10%

Têxteis

Brasileiro

U$ 456,1

8,70%

U$ 51,6

23,30%

Varejo

Brasileiro

U$ 453,1

-5,00%

U$ -24,9

-16,50%

Varejo

Brasileiro

U$ 452,9

NA

NI

NI

Serviços

Brasileiro

U$ 452,7

NA

NI

NI

Infraestrutura

Estatal

U$ 451,8

2,70%

U$ 0,6

NA

Atacado Americano

U$ 448,2

NA

U$ 14,5

34,70%

Italiano

U$ 447,5

NA

NI

NI

Randon Autoindústria Brasileiro Unimed do Serviços de Saúde Brasileiro Estado de SP Anglo Gold Sul-AfricaMineração Ashanti no Atem´s Atacado Brasileiro Distribuidora FCA Transporte Brasileiro Elebat Bens de Consumo Francês Alimentos Supermercados Varejo Brasileiro Bahamas Positivo Indústria Digital Brasileiro Informática Fibria-MS Papel e Celulose Brasileiro

U$ 445,8

-32,80%

U$ -17,9

-5,20%

U$ 445,7

13,80%

U$ 25,1

58,30%

U$ 444,6

25,40%

U$ 41,7

8,30%

U$ 444,2

12,70%

U$ 5,8

21,40%

U$ 443,2

1,20%

U$ 41,4

8,70%

U$ 439,4

NA

NI

NI

U$ 437,7

6,60%

U$ 5,7

10,80%

U$ 436,6

-31,30%

U$ -30,6

-20,50%

U$ 428,6

9,40%

U$ 53,0

3,90%

Copagaz

Energia

Brasileiro

U$ 428,1

NA

NI

NI

Compesa

Infraestrutura

Estatal

U$ 426,4

-18,40%

U$42,3

3,60%

Atacado

Brasileiro

U$ 425,9

NA

NI

NI

Marcopolo Potencial Petróleo Beira Rio Drogarias Big Benn Supermercado Líder Universidade Estácio de Sá Comlurb Gavilon do Brasil Pirelli

Brazil Trading

Autoindústria

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: jcomp / Freepik

Empresa

211


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Tigre Hering Odebrecht Oil e Gás Adama Brasil Oleplan Pró-Saúde Eletrosul Gerdau

Foto: jannoon028 / Freepik

Frangos Canção

212

Setor

Controle

Indústria da Brasileiro Construção Têxteis Pulverizado Química Brasileiro e Petroquímica Química Israelense e Petroquímica Produção Brasileiro Agropecuária Serviços de Saúde Brasileiro Energia Siderurgia e Metalurgia Bens de Consumo

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

U$ 425,7

-13,60%

U$ -7,6

-2,30%

U$ 425,0

-13%

U$ 60,2

17,40%

U$ 424,6

17,50%

U$ -221,0

-35,60%

U$ 424,4

13,90%

U$ 3,4

2,20%

U$ 424,3

21,50%

U$ 1,8

1,90%

U$ 422,8

-3,70%

U$3,0

9,50%

Estatal

U$ 422,1

NA

U$ -245,3

-20,20%

Brasileiro

U$ 422,0

-17,20% U$ -1.725,2

-21,00%

Brasileiro

U$ 420,5

21,30%

U$ 9,3

9,80%


500 maiores Empresas 2016 Empresa Totvs Lanxess Magnesita Comercial Carvalho Comercial Zaragoza Caesb Três Corações Paquetá Calçados

Setor Indústria Digital

Controle Pulverizado

Química Alemão e Petroquímica Siderurgia Americano e Metalurgia

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

U$ 417,7

-7,20%

U$ 38,1

10,40%

U$ 415,6

1,30%

U$ 15,4

7,20%

U$ 411,8

2,00%

U$ -290,9

-57,30%

Varejo

Brasileiro

U$ 410,7

-4,30%

U$ 4,9

19,90%

Varejo

Brasileiro

U$ 409,5

-9,60%

U$ 13,8

30,10%

Estatal Brasileiro Bens de Consumo Holandês

U$ 409,3

6,90%

U$ 18,7

5,40%

U$ 409,2

23,40%

U$ 39,7

25,10%

Brasileiro

U$ 406,5

NA

NI

NI

Japão

U$ 406,3

NA

U$ -2,2

-10%

Infraestrutura

Têxteis Produção Agropecuária Produção Agropecuária Mineração

Francês

U$ 403,9

27,40%

U$ -58,8

-17,20%

Brasileiro

U$ 403,6

39,10%

U$ 108,7

39,30%

Eletroeletrônico

Chinês

U$ 399,5

NA

NI

NI

Garoto ALL Malha Paulista Prevent Senior

Bens de Consumo

Suiço

U$ 397,6

-9,60%

U$ 13,7

NA

Transporte

Brasileiro

U$ 396,4

7,00%

U$ -5,0

-7,70%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 395,8

27,10%

U$ 26,9

44,20%

Pif Paf

Bens de Consumo Indústria da Construção Bens de Capital

Brasileiro

U$ 395,7

-5,80%

U$ 12,1

15,80%

Brasileiro

U$ 395,4

-15,10%

U$ 11,3

16,50%

Brasileiro

U$ 394,8

6,70%

U$ -33,6

NA

Transporte

Brasileiro

U$ 394,6

30%

U$ 99m5

NA

Energia

Brasileiro

U$ 393,9

3,90%

U$ 28,4

13,40%

Energia

Estatal Estatal / Brasileiro

U$ 393,2

0,50%

U$ 27,7

18,20%

U$ 392,3

NA

NI

NI

Naturalle Agro LDC Sucos MRN Huawei

Supermix Tecsis TBG Energisa Paraíba Bahiagás BSBios

Energia

w w w.vozdebrasi li a .com .br

213


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa J. Macêdo SAP Zona Sul Unimed Campinas UTE Norte Fluminense Giassi Supermercados UEG Araucaria UPL do Brasil Taesa Cisper Goodyear CCPR Panasonic Gasmig Hospital 9 de Julho TRW Ruff Crown Cosan Lubrificantes Drogaria Catarinense Unimed Fortaleza Compagas

214

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Bens de Consumo

Brasileiro

U$ 392,0

-10,10%

U$ 21,3

14,50%

Indústria Digital

Alemão

U$ 390,1

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro

U$ 389,1

5,70%

U$ 5,3

11%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 388,7

NA

NI

NI

Energia

Francês

U$ 387,4

-10,20%

U$ 43,4

12,70%

Varejo

Brasileiro

U$ 386,4

0,90%

U$ 13,8

19,60%

Energia Química e Petroquímica Energia

Brasileiro

U$ 384,5

-38,30%

U$52,7

16,80%

Indiano

U$ 381,0

75,90%

U$ 11,5

8,80%

Brasileiro

U$ 380,0

-5,30%

U$ 157,4

12,00%

Diversos Americano

U$ 379,1

-3,90%

U$ 9,7

5,80%

Autoindústria Americano Produção AgropeBrasileiro cuária Eletroeletrônico Japão

U$ 377,3

NA

NI

NI

U$ 376,4

-9,70%

U$ 1,5

1,50%

U$ 374,2

NA

NI

NI

Energia

Estatal

U$ 373,9

-6,80%

U$ 33,2

11,40%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 372,8

13%

U$ 4,9

4,10%

Autoindústria Americano

U$ 372,8

NA

NI

NI

Atacado Brasileiro Siderurgia e Me- Americano talurgia - Brasileiro

U$ 372,7

17,40%

U$ 3,5

17,50%

U$ 372,6

3,90%

U$ 23,8

18%

Atacado

Brasileiro

U$ 371,4

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro

U$ 370,7

11,70%

U$ 9,9

30%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 370,0

5,90%

U$ 13,6

25,50%

Energia

Estatal

U$ 369,6

-27,50%

U$ 6,0

7,20%


500 maiores Empresas 2016 Larco Distribuidora de Combustível Alto Alegre Rissul / Macromix Eletrobras Distribuição Alagoas Laboratório Cristália Carioca Engenharia NC Energia

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Atacado

Brasileiro

U$ 369,2

-3,20%

U$ 1,1

12,80%

Energia

Brasileiro

U$ 367,3

-6,70%

U$ -14,7

-5,00%

Varejo

Brasileiro

U$ 366,8

1,90%

U$ 5,3

25,60%

Energia

Estatal

U$ 365,8

-6,60%

U$ -64,0

NA

Farmacêutico

Brasileiro

U$ 365,6

5,30%

U$ 90,8

19,30%

Brasileiro

U$ 364,3

-26,70%

U$ 22,8

14,#%

Brasileiro

U$ 364,2

28%

U$ 11,6

28,30%

Indústria da Construção Energia

Santher

Papel e Celulose

Brasileiro

U$ 363,9

-1,30%

U$ -5,0

-38,80%

Digibras

Indústria Digital

Chinês

U$ 361,9

NA

NI

NI

Varejo

Brasileiro

U$ 361,6

-16,40%

U$ 1,4

1,50%

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 361,1

5,40%

U$ 29,0

9,90%

Varejo Americano

U$ 359,3

17,40%

U$ -22,7

-19,30%

Brasileiro

U$359,0

3,80%

U$ -2,6

-0,80%

Brasileiro

U$ 358,3

20,40%

U$ 14,6

16%

Brasileiro

U$ 357,5

-58,70%

U$ -66,0

-391,10%

Atacado Brasileiro Química e PetroAustraliano química Atacado Brasileiro

U$ 355,5

NA

U$ 2,9

42,70%

U$ 353,5

4,70%

U$ 8,5

5,50%

U$ 349,6

-0,80%

U$ 2,2

17,30%

Lojas Colombo Hospital Sírio Libanês Netshoes Extrafarma Cotrijal Enseada Naval Rodoil Nufarm Petrobahia

Varejo Produção Agropecuária Bens de Capital

ThyssenKrupp

Bens de Capital

Alemão

U$ 348,4

-4,80%

U$ 45,8

32,80%

Interagrícola Eletrobrás Distribuição Piauí Mediservice

Atacado

Suíço

U$ 348,2

-17,10%

U$ -8,0

-7,90%

Energia

Estatal

U$ 347,3

-7,90%

U$ -141,0

NA

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 346,2

8,10%

U$ 3,1

3%

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: jcomp / Freepik

Empresa

215


Economia

500 maiores Empresas 2016 Empresa Acrinor

Química e Petroquímica Bens de Consumo Produção Agropecuária Indústria da Construção

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Brasileiro

U$ 346,1

NA

U$ 28,5

14,40%

Brasileiro

U$ 345,9

7,60%

U$ 7,5

NA

Brasileiro

U$ 345,1

3,70%

U$ 7,7

10,70%

Brasileiro

U$ 345,1

-54,30%

U$ -67,7

-83,10%

Infraestrutura

Brasileiro

U$ 344,5

21,60%

U$ 0,2

NA

Indústria Digital

Brasileiro

U$ 343,8

1,90%

U$ 9,9

8,60%

Transporte

Brasileiro

U$ 341,9

NA

U$ -11,4

-21,10%

Brasileiro

U$ 341,6

12,10%

U$ 13,7

20,70%

Brasileiro

U$ 340,5

-5,90%

U$ 14,3

15,60%

Energia

Brasileiro

U$ 340,2

21,70%

U$ 39,4

NA

Energia

Brasileiro

U$ 338,6

-18%

U$ 8,2

31,90%

Comunicações

Brasileiro

U$ 338,5

-29,50%

U$ -40,1

NA

Energia Siderurgia e Metalurgia

Brasileiro

U$ 337,9

3,50%

U$ 9,4

5,20%

Alemão

U$ 337,2

NA

NI

NI

Serviços de Saúde

Brasileiro

U$ 336,6

1,50%

U$ -24,5

NA

Energia

Brasileiro

U$ 335,0

-0,50%

U$ 48,3

11,80%

Atacado

Brasileiro

U$ 333,7

-9,10%

U$ 0,2

6,50%

Infraestrutura

Brasileiro

U$ 332,6

NA

U$ 4,2

6,50%

JDE

Bens de Consumo

U$ 332,2

NA

NI

NI

Odontoprev

Serviços de Saúde

Holandês Pulverizado

U$ 331,6

-0,30%

U$ 54,8

23,30%

Suiço

U$ 331,1

-9,50%

U$ 18,6

15,10%

Frigol Copagril UTC Engenharia Concessionária Porto Novo TecBan CCR Matrô Bahia Coasul Arcom Queiroz Galvão Óleo de Gás Comerc Energia Abril Usina da Pedra Stihl Hospital N. S. Conceição Energia Pecém Unigel Comercial ViaRio

Clariant

216

Setor

Produção Agropecuária Atacado

Química e Petroquímica


500 maiores Empresas 2016 Agrofel Grãos e Insumos AstraZeneca

Setor

Controle

Vendas

Crescimento

Lucro

Rentabilidade

Atacado

Brasileiro

U$ 331,0

12,90%

U$ 8,0

26,60%

Farmacêutico

Anglo-Sueco

U$ 330,1

6,00%

U$ 18,2

15,30%

Indústria da Construção Serviços de Saúde

México

U$ 329,9

NA

NI

NI

Brasileiro

U$ 329,8

-14,20%

U$ -12,5

-25,30%

Autoindústria

Alemão

U$ 328,5

NA

NI

NI

Energia Indústria da Construção Serviços

Brasileiro

U$ 327,5

-6,30%

U$ -4,8

-1%

Chileno

U$ 327,2

6,70%

U$ 5,4

1,40%

Brasileiro

U$ 327,0

38,60%

U$ 87,6

43,50%

Infraestrutura

Brasileiro

U$ 324,9

-13,50%

U$ 59,9

32,80%

Serviços Brasileiro Química Alemão e Petroquímica Química Brasileiro e Petroquímica Energia Americano

U$ 324,7

-8%

U$ 4,0

26,70%

U$ 323,6

2,90%

U$ -17,6

-88%

U$ 322,6

8%

U$ 61,0

6,80%

U$ 319,3

-10,50%

U$ 76,3

12,90%

Bens de Consumo Americano

U$ 318,0

NA

NI

NI

Serviços de Saúde

Estatal

U$ 318,0

-0,50%

U$ 1,0

1,00%

EDE

Serviços

Brasileiro

U$ 316,8

-4,30%

U$ 262,5

24,90%

Sulgás

Energia

Estatal

U$ 316,8

25,70%

U$ 18,1

35,30%

Copercampos

Atacado

Brasileiro

U$ 316,4

15,70%

U$ 10,6

11,40%

Sodexo

Serviços

Francês

U$ 315,6

4,50%

U$ 96,9

18,80%

Varejo

Brasileiro

U$ 313,4

-26,60%

U$ 3,1

12,10%

Atacado

Brasileiro

U$ 311,0

16,10%

U$ 12,2

15,10%

Indústria Digital Estatal Química Alemão e Petroquímica Química Japão e Petroquímica Indústria Digital Americano

U$ 310,5

1,00%

U$ 48,2

16,90%

U$ 309,8

37,50%

U$ 1,9

1,90%

U$ 309,5

0,20%

U$ 23,0

8,70%

U$ 308,3

NA

NI

NI

Amanco Golden Cross ZF Usina Delta Arauco Smiles NovaDutra Sapore Solvay Indupa Oxiteno Duke Energy Universal Leaf Tabacos HCPA

Lojas Yamada Cotrisal Dataprev Evonik Iharabras Westcon Brasil

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: onlyyouqj / Freepik

Empresa

217


Artigo

Reclamação sem razão

Foto: Divulgação

V

ivemos a maior crise econômica da história recente do Brasil. O que impacta fortemente o mercado, as empresas e, consequentemente, o nível de emprego. Neste período, empresas abriram falência, outras tiveram prejuízos, multinacionais saíram do país e poucos foram os setores da economia que apresentaram crescimento. Segundo dados do Serasa Experian, os pedidos de recuperação judicial aumentaram em torno de 90% no primeiro semestre deste ano, se comparado ao mesmo período em 2015. Somando são 923 empresas, sendo 168 apenas em junho. Alguns sinais mostram que empresas estão passando por muitas dificuldades, e a recuperação será muito lenta, como prevê a maioria dos economistas. Diante dessa situação, quais opções têm as empresas para se salvar? Qual linha de ação é possível? Das variáveis que as afetam, algumas não podem ser controladas, como dinâmica do mercado, decisões de governo, ações da concorrência e comportamento dos clientes, enquanto outras podem ser reformuladas. E é sobre estas que se refere o título deste artigo. Podemos observar que a maioria das empresas, independente do porte, está sofrendo porque não fez sua “tarefa de casa”. Ou seja, está reclamando sem razão.

Assim, indicamos quatro valiosas iniciativas para sobreviver - e crescer - neste momento de mercado receoso: a. Rever a estratégia comercial; b. Verificar os canais de distribuição; c. Reposicionar os produtos; d. Mudar a atuação da equipe de vendas.

218

Porém, das sugestões que damos acima, a que gera resultados mais rapidamente é a última. Nossa experiência comprova que a metodologia de enfoque na mudança comportamental da equipe comercial - externa e interna - é um poderoso fator gerador de resultados no curto prazo, porque: - Constrói uma consciência crítica do processo da venda e; - Melhora a eficiência na conversão das (menores) oportunidades identificadas.

Alcides Vezozzo Jr., consultor sênior da IGAPÓ Consultoria


O que significa ter uma equipe muito mais competitiva, proativa e atenta aos benefícios dos produtos ou serviços. Melhorar a eficiência está relacionado com os procedimentos que englobam o processo da venda - planejamento, negociação e pós-venda -, o mesmo conceito utilizado nos programas de qualidade, como ISO 9001. Para ser efetivo, é necessário documentar cada passo do processo, a fim de que seja realizado de acordo com a estratégia da empresa e não de forma empírica, intuitiva e errática, algo que podemos observar como regra. Portanto, devem ser unidos processo, mudança de comportamento e utilização de ferramentas específicas para impactar positivamente os resultados. Especial atenção deve ser dada a: - Melhorar o planejamento; - Oferecer benefícios, não atributos; - Trabalhar argumentos e objeções; - Ser eficaz no fechamento. Além da forte queda de empresas e empregos, esta aguda crise econômica brasileira está gerando uma situação ainda mais nefasta, pois, após a recuperação do mercado, permanecerá a hipercompetitividade. Desta, só se salvará quem for eficiente em estabelecer sólidas conexões com os clientes. Pense: “O segredo do sucesso não é ter pessoas extraordinárias, mas ter pessoas normais realizando processos extraordinários”.

Complaints with no reason

We are living the biggest economic crisis in Brazilian recent history, which strongly impacts the market, companies and, consequently, the employment level. During this period, companies went bankrupt, had losses, multinational companies left the country and few were the economy sectors displaying growth. according to data from Serasa Experian, requests for receivership increased around 90% in the first semester of this year, if compared to the same period in 2015. Added, we have 923 companies, with 168 in July alone. Some signs show that companies are undergoing many difficulties, and recovery will be very slow, according to most economists. In face of such situation, what are the options companies have to save themselves? What is the possible line of action? From the variables affecting them, some cannot be controlled, as market dynamics, government decisions, competition actions and customer behavior, while others may be reformulated. And this article’s title refers to the later. We can observe that most companies, not considering size, is suffering for not having done their “homework”. In other words, they are complaining with no reason. Thus, we point out four valuable initiatives for survival – and growth – at the present moment of a fearful market: A. Review commercial strategy; B. Verify distribution channels; C. Reposition products; D. Change sales team’s operations. However, from the above suggestions, the last is the one which generates faster results. Our experience attests that the methodology of focusing the behavioral change of commercial teams – external and internal – is a strong factor generating short term results as: - It builds a critical awareness of the sales process; and - It improves efficiency in the conversion of (smallest) opportunities identified. Which means having a team much more competitive, proactive and sensitive to the benefits of their products or services. Improving efficiency is related with procedures encompassing the sales process – planning, negotiation and aftersales – the same concept used in quality programs such as ISO 9001. In order to be affective, it is necessary to document each step of the process, so as it is performed in accordance to the company’s strategy and not in an empirical, intuitive and erratic manner, something we can note as standard. Therefore, process, behavior changes and use of specific tools must be gathered for positively impacting results. Special attention must be given to: - Improving planning; - Offering benefits, not attributes; - Working arguments and objections; - Being efficient in closings. Besides the strong downfall of companies and job positions, this acute Brazilian economic crisis is developing an even more harmful situation, as after the market recovery, as an extremely strong competitiveness will remain. From this only those efficient in establishing solid connection with customers shall remain. Think: “The secret of success is not having extraordinary people, but having normal people performing extraordinary processes”. Alcides Vezozzo Jr., senior consultant at IGAPÓ Consultoria

w w w.vozdebrasi li a .com .br

219


Siga a sua carreira com Agronegócio • • • • • • • • • • • •

Introdução ao Agronegócio Principais Cadeias de Produção do Agronegócio Brasileiro Economia Agroindustrial Desenvolvimento Regional Mercado e Comercialização de Produtos Agroindustriais Políticas Públicas para o Agronegócio no Brasil Contratos, Coordenação e Competitividade no Agronegócio Direito Agrário Mercado de Futuros Agropecuários Gestão Estratégica e Logística no Agronegócio Agronegócio e Meio Ambiente Agronegócio e o Consumidor

Pecuária

Ovinos e Bovinos Confinamento Genética Equinos 220

Informações Informações -- Telefones: Telefones: 55 55 (61) (61) 3500-5671/3225-3536 3500-5671/3225-3536 www.sangapuita.com.br www.sangapuita.com.br


Escola Superior do Agronegócio Internacional

Agricultura Soja Milho Sorgo Trigo Feijão

Batata Alho Tomate Ervilha Fábricaderação w w w.vozdebrasi li a .com .br

221


Trabalho

Trabalho Reinventar

Essa é a palavra chave em tempos de crise

Q

ofertas de trabalho e de ser contatado para uma nova oportunidade. Mas falando sobre como foi possível driblar a crise, sem dúvida foi um ano para reinventar-se e mostrar, mais uma vez que os brasileiros são capazes de vencer desafios. O segredo para isso está em três pilares: inovar constantemente, buscar novidades e agregar valor ao negócio. Para driblar a crise econômica e garantir uma renda extra no final do mês, 56% dos trabalhadores brasileiros procuraram um segundo trabalho, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Quanto mais a crise se prolonga, mais sentimos os seus efeitos. Se antes nos limitávamos a apertar o cinto e reduzir nosso consumo, hoje precisamos de medidas mais drásticas. Precisamos garantir uma maior entrada de recursos, ou seja, buscar outras alternati-

Foto: Shutterstock

ue o ano de 2016 não foi fácil todos nós sabemos, já abordamos este assunto aqui e também sentimos na pele. Com a instabilidade econômica impactando o mercado de trabalho e gerando efeitos colaterais em toda população. Com o aumento da taxa de desemprego é normal que se sinta inseguro de não ingressar imediatamente em um novo trabalho. Porém em períodos como esse, primeiramente, é necessário manter a calma e analisar todas as possibilidades para apresentar-se de maneira destacada às

222

vas para ganhar dinheiro. No Brasil, o emprego informal sempre foi a chave de sobrevivência de muitas pessoas. E continua sendo. Para isso a internet também ajudou bastante e, as vendas e todas as possibilidades de comunicação, ganharam mais peso. Existem também a questão de ser revendedor, sem vínculo com a empresa, recebendo apenas comissão sobre as vendas. E os famosos “bicos”, que podem varias de caso a caso, conforme as horas, a complexidade do serviço e a relação profissional e o contratante. Entre os serviços de bico mais comuns estão os pequenos serviços de manutenção, animador de festa, DJ, manicure, entre outros. Outra modalidade muito comum hoje em dia é o “freela”, que oferece seu serviço em base a projetos, de curta ou longa duração. Normalmente, exige uma qualificação específica, como designer gráfico ou consultor financeiro. Temos também a inovação, por exemplo, fabricação de doces ou artesanato, que geralmente começam a serem vendidos entre os amigos, mas que podem alcançar uma boa renda extra, principalmente em datas específicas como páscoa e natal. O segundo emprego é outra realidade bastante comum no Brasil. Principalmente, quando não é possível encontrar um emprego que seja suficiente para o sustento da família. A solução então neste caso, é dividir o tempo em duas ou até três jornadas. Um exemplo bastante comum hoje em dia, são os profissionais que dividem


Foto: Shutterstock

seu tempo de folga fazendo “bicos” com seu veículo particular, tem ainda aqueles que optem por jornadas como porteiro ou outros serviços. Segundo o superintendente do Sebrae-ES, José Eugênio Vieira é importante inovar constantemente, acompanhando as tendências e escutando mais os clientes e equipe para, assim, absorver as boas ideias. Cursos profissionalizantes, graduação à distância, cursos de idiomas e participar de palestras e eventos, são sempre uma excelente maneira de driblar a crise. Outra opção que continua em alta é o famoso networking. É importante avisar seus contatos que está procurando emprego. Muitas vezes pessoas próximas do seu convívio podem auxiliá-lo a encontrar uma nova vaga. Se o segundo emprego é uma realidade para alguns, outros precisaram se reinventar ainda mais com a perda de emprego. Segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do IBGE, o número de pessoas que trabalham por conta própria (formal ou informal, e que não seja empregador) nas Regiões Metropolitanas do Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre bateu o recorde de 4,650 milhões em dezembro de 2015, o maior desde o início da série, em 2002. Resumindo, a melhor estratégica ainda é a criatividade. Ideias originais - sejam elas realmente inovadoras ou apenas criativas - são valiosas em tempos de crise. Labor Reinventing This is the key word in times of crisis We all know that 2016 was a tough year, we have discussed this issue here and felt it firsthand. With the economic instability impacting the labor market and generating collateral effects for the whole population. With the increase of the unemployment rate it is normal to feel insecure of not immediately finding a new job. However, in times such as these, first, it is necessary to remain calm and analyze all possibilities in order to showcase yourself in a differentiated manner to the job offers found and be hired for a new opportunity. But speaking about how it was possible to beat the crisis, this was definitely a year for reinventing oneself and showing, once again, that Brazilians are capable of overcoming challenges. The secret for such is in three pillars: constantly innovating, seeking the new and aggregating value to the business. In order to beat the crisis and guarantee an extra income at the end of the month, 56% of Brazilian workers seek a second job, according to the National Industry Confederation (CNI). The longer the crisis, more are felt its effects. If before we would limit ourselves to tighten the belt and reducing consumption, today we need more drastic measures. We need to guarantee a higher revenue input, that is, seeking other alternatives to earn money. In Brazil, informal has always been the key for the survival of many. And that is still the case. For such, the internet has tremendously helped and sales and all means of communication gained more weight. There is also the issue of being a reseller, with no connections to the company and being paid only a commission over sales. And the so famous “moonlights”, that may vary according to the case, to the hours, service complexity and relation between professional and

contracting party. Among the most common “moonlight” services are small maintenances, party entertainer, DJ, manicure, and others. Another very common modality today is the freelance, who offers his or her service based on short on long term projects. Usually, this requires a specific qualification, such as graphic designer or financial consultant. We also have innovation, for example, manufacturing of candies or craftwork, that normally start being sold to friends but that may generate good extra income, especially in specific dates such as Easter and Christmas. The second job is another extremely common reality in Brazil, especially when a job capable of supporting a family becomes a hard item to be found. The solution is, in this case, split your time in two or even three work periods. A common example in the present are professional dividing their off time in “moonlights” using their personal vehicles and those who opt for working as a doorman or and other services. According to Sebrae-ES superintendent, José Eugênio Vieira, it is important to constantly innovate, following trends and listening to clients and teams so as to absorb good ideas. Professionalizing courses, distance learning, language course and participating in lectures and events are always a great manner of beating the crisis. Another option still booming is the famous networking. It is important to warn your contacts you are seeking a job. Many times, people close to you are able to help you find a new spot. If a second job is a reality for some, others need to reinvent themselves even more with the loss of a job. According to the Monthly Employment Survey (PME), from IBGE, the number of people working on their own (formal or informal, and not an employer) in the Metropolitan Regions of Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo and Porto Alegre was a record 4.650 million in December 2015, the highest since the series start in 2002. Summarizing, the best strategy is still creativity. Original ideas – be them really innovative or only creative – are valuable in times of crisis.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

223


Trabalho

Profissões em ascensão

224

mãos preocupadas e com as mudanças de perfil do consumidor e, a influência das mídias sociais na decisão de compra, têm rendido um papel central para o marketing digital. O profissional é responsável por cuidar da estratégia, operação e controle de todo o cala digital de uma empresa. Outra profissão é de analista de planejamento de vendas, onde o profissional é responsável por avaliar resultados e indicadores de vendas, para assim montar um planejamento estratégico. Analista de planejamento tributário. O profissional é responsável por determinar a rentabilidade de um negócio, bem como o preço dos produtos e serviços. E os desenvolvedores de aplicativos? Eles não param de crescer a cada dia e, empresas nos mais diferentes segmentos já

Foto: Shutterstock

N

a contramão dos cortes e demissões, os brasileiros tiveram que se reinventar para driblar a crise e, por incrível que pareça, existem também profissões que tiveram um grande crescimento de mercado. Assim foram as carreiras ligadas à inovação, sustentabilidade, lazer, saúde, meio ambiente, tecnologia e marketing, que além da sua ascensão, são indicadas como as profissões do futuro. A Page Personnel listou carreiras que ainda têm fôlego no ambiente econômico brasileiro em diversas áreas, como finanças, marketing e tecnologia. De acordo com Ricardo Haag, diretor da consultoria, profissionais com perfil híbrido são os que mais se destacam no cenário atual. “A movimentação no mercado de trabalho está ocorrendo mais por substituições do que pela criação de novas vagas”, explica. “Para melhorar o custo-benefício de um posição, as empresas têm contratado uma única pessoa capaz de cumprir funções que antes eram de duas ou até três”. Além da polivalência — característica do “profissional 6 em 1”, cobiçado pelas empresas— também se valoriza a capacidade de motivar a si mesmo. “A crise traz demissões e um sentimento negativo no ar”, afirma Haag. “Quem consegue se proteger disso e continuar engajado e produtivo tem mais chances de se manter empregado”. Analista de marketing digital é uma profissão que está em alta, pois as empresas estão cada vez


Foto: Shutterstock

aderiram. Por exemplo, o que acha que uma escola infantil que oferece um aplicativo para os pais acessarem as câmeras da instituição, ou recebessem fotos durante o expediente ou ainda servisse de agenda. Existem também, por exemplo, aplicativos destinados para o natal, onde você pode fazer uma montagem e colocar o Papai Noel sentado no sofá da sua sala. Enfim, opções não faltam e a demanda só cresce a cada dia.

Professions on the rise Against job cuts and dismissals, Brazilians had to reinvent themselves to beat the crisis and, incredibly, there are professions that exhibited a market growth. They are careers connected to innovation, sustainability, leisure, health, environment, technology and marketing, that aside from their rise are indicated as professions of the future. Page Personnel listed careers that still have strength at the Brazilian economic environment in several areas, such as finance, marketing and technology. According to Ricardo Haag, the consulting company director, professionals with a hybrid profile are those on the spotlight on todays scenario. “The move on the labor market is taking place more due to replacements than for the creation of new positions”, he explains. “In order to improve the cost-benefit of a position, the companies are hiring a single person capable of fulfilling roles that in the past were performed by two or even three people”. Aside from the polyvalence – characteristic of the “6 in 1 professional”, coveted by the companies – the capacity of motivating oneself is also valued. “The crisis brings layoffs and a negative feeling in the air”, states Haag. “Those who are able to protect themselves from that and keep on engaged and produc-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

tive have more chance of keeping their jobs”. Digital marketing analyst is a profession on the rise, as companies are increasingly more concerned with the customer’s change of profile, and because the influence of the social medias in the purchase decision have provided a central role to marketing digital. The professional is responsible for the strategy, operation and control of the totality of the digital portfolio of a company. Another profession is sales planning analyst, where the professional is responsible for analyzing sales results and indicators and thus developing a strategic planning. Tax planning analyst: professional responsible for determining the profitability of a business, as well as prices for products and services. And application developers? Their number increases every day and companies from different segments need them. For example, what do you think of a kindergarten offering an application for parents to access the institution’s cameras, or receive pictures during work hours, or even had the feature of scheduler. There are also, for example, applications for Christmas, where you are able to make a collage and place Santa Claus seated on the couch of your living room. Many options and demand grows daily.

225


Trabalho

O primeiro emprego

Q

uem não lembra do primeiro emprego? É uma lembrança muito gostosa, repleta de muito aprendizado, desafios e conquistas. Entretanto, hoje em dia, quando falamos com os jovens sobre o primeiro emprego, para muitos, é motivo de preocupação. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de jovens que procura emprego saltou de 12% para 16% em 2015. Sabemos que o início de carreira é um dos momentos mais turbulentos na vida de qualquer profissional — mas calma, a situação pode ser amenizada com algumas estratégias. O site americano Glassdoor reuniu dez dicas para ajudar jovens que estão começando no primeiro emprego e que valem para qualquer segmento de atuação. Veja quais são:

1. O ritmo vai se ace- 3. Sua opinião conta lerar rapidamente Além de ser independente, Assim que você assinar o contrato e fizer os exames médicos, as coisas vão começar a andar rápido. Você terá tarefas para fazer quase que imediatamente e será preciso organizar um plano para conseguir dar conta de tudo. Para não ficar perdido, tente se organizar logo de cara.

você também terá de ser criativo. Seu chefe e sua equipe vão esperar que você traga ideias e bole novos métodos e processos e que identifique problemas e traga soluções. Fale e compartilhe suas ideias em

Lembre-se: você não está mais no estágio, em que todas as atividades são supervisionadas bem de perto. Agora você terá que fazer as coisas de forma independente, realizando todas as tarefas designadas e cumprindo prazos. Não tenha medo de fazer muitas perguntas no começo, para se certificar de que você está fazendo as coisas da forma correta. Além disso, provavelmente você não receberá tanto feedback quanto nos tempos de estágio. Não espere receber uma crítica (positiva ou negativa) por cada tarefa completada. Se está preocupado com o seu desempenho, é melhor procurar o chefe e perguntar.

226

Foto: Shutterstock

2. Você terá muitas coisas para resolver por conta própria

reuniões e sessões de brainstorming. Não tenha medo de dar sua opinião: não é apenas porque você é novo na empresa que sua opinião não será levada em consideração. Você foi contratado por um motivo e ser inovador vai te ajudar a crescer e se movimentar na empresa.


4. Enfatize o aprendizado

5. Não demore para responder e-mails

Embora esperem que você execute as suas tarefas de maneira independente, não pense que precisa saber como fazer tudo. Afinal, o primeiro emprego também envolve — e muito — o aprendizado. Aprenda a gerenciar o seu tempo, cumpra os prazos e trabalhe em equipe. E se a sua empresa fornece oportunidades de qualificação (como bolsas de estudo ou descontos em cursos) não deixe de aproveitá-las. Há sempre algo novo a ser aprendido. Dependendo do seu perfil, você pode não estar acostumado a responder e-mails frequentemente ou com a velocidade necessária. Porém, no ambiente de trabalho, é essencial responder as mensagens em tempo hábil, idealmente no máximo até 24 horas depois de ter recebido o e-mail. Mas o quanto antes, melhor. Mas preste atenção e leia suas respostas cuidadosamente: ser rápido não é desculpa para erros de gramática ou de ortografia.

Dependendo do seu perfil, você pode não estar acostumado a responder e-mails frequentemente ou com a velocidade necessária. Porém, no ambiente de trabalho, é essencial responder as mensagens em tempo hábil, idealmente no máximo até 24 horas depois de ter recebido o e-mail. Mas o quanto antes, melhor. Mas preste atenção e leia suas respostas cuidadosamente: ser rápido não é desculpa para erros de gramática ou de ortografia.

6. Networking continua sendo importante Não é porque você conseguiu um emprego efetivo que não precisa mais fazer networking: alimentar uma rede de relacionamentos será fundamental ao longo de toda a sua carreira. Participe de eventos da empresa, vá a feiras e congressos do setor, conheça os seus colegas. Isso será importante para o seu futuro, seja para quando você trocar de emprego, seja para colaborar em um projeto. Você nunca sabe quando esses contatos poderão ser úteis.

7.Envolva-se em atividades em seu tempo livre Na faculdade, era muito fácil fazer atividades extracurriculares. Agora que está no “mundo

w w w.vozdebrasi li a .com .br

real”, precisa fazer um esforço para continuar ativo. Junte-se a grupos de ex-alunos, a organizações profissionais ou de voluntariado. Vá para o happy hour com seus colegas de trabalho. É importante também manter uma vida social ativa depois que sai da faculdade.

8. Controle suas realizações Ao longo de toda a sua carreira, e especialmente em seu primeiro emprego, você deve manter um registro de tudo o que faz. Seja os artigos que escreve, os relatórios que produz, as ideias que leva para reuniões, apresentações para clientes, o planejamento de um evento ou uma campanha de marketing. Tudo isso conta. Mantenha em arquivo (em um site ou em seu computador) todas as conquistas e realizações, para poder discutir com seu chefe ou até em futuras entrevistas de emprego.

9. Seja profissional Chegue sempre na hora, seja cortês e se vista de maneira adequada. Pense aonde você quer chegar na sua carreira e aja como se já estivesse lá. Ser profissional sempre vai te ajudar a crescer na carreira. The first job We know the beginning of as career is one of life’s most turbulent times for any professional – but, wait a second, the situation can be eased by some strategies. American website Glassdoor gathered ten tips to help youths starting on their first jobs and that fit for any segment. Check them out: 1. The pace will rapidly speed up. As soon as you sign the contract and finish the

227


Trabalho

10. Pense positivo Por último, lembre-se de sempre tentar pensar positivamente. Seu primeiro emprego pode ser exaustivo no início, mas algumas de suas tarefas podem acabar virando tediosas. Em cada etapa, tente manter uma atitude positiva, esteja você estressado ou de saco cheio. Pessoas que reclamam de seus empregos não são tão bem sucedidas como aqueles que não se queixam o tempo todo. Se você se mantiver positivo, coisas melhores irão aparecer..

Foto: Shutterstock

health checkup, things are going to pick up the pace. You will have tasks to be done almost immediately and it will be necessary to develop a plan to be able to work it all out. So as not to get lost, try organizing yourself from the start. 2. You will have many things to be solved on your own. Remember: you are no longer a trainee, when all activities are closely supervised. Now you will have to work independently, performing all designated tasks and meeting deadlines. Don’t be afraid of asking

too many questions in the beginning so as to make sure you are doing things the right way. Besides, you probably won’t receive as much feedback as when you were a trainee. Don’t expect to receive criticism (positive or negative) for each completed task. If you are worried with your performance, it is best to seek your boss and ask him or her. 3. Your opinion matters. Aside from being independent, you will also have to be creative. Your boss and team will expect you to bring ideas and develop new methods and processes and that you identify problems and provide solutions. Speak up and share your ideas in meetings and brainstorming sessions. Don’t be afraid of giving your opinion: just because you are new at the company doesn’t mean your opinion will not be considered. You were hired for a reason and being innovative will help you grow and move within the company. 4. Emphasize learning. Although people will expect you to execute your tasks independently, don’t think you need to know how to do everything. After all, the first job also involves – and much – learning. Learn to manage your time, meet deadlines and work in teams. And if your company provides you opportunities for qualification (scholarships or discounts in courses) don’t let these pass you by. There is always something new to be learned. 5. Answer e-mails quickly. Depending on your profile, you may be used to fre-

228

quently answer e-mails quickly. However, in the business environment it is essential to answer messages in a timely manner, ideally a maximum of 24 hours after having received the e-mail. But the faster, the better. But pay attention and read your replies carefully: being fast is not an excuse for grammar or spelling errors. 6. Networking is still important. Just because you got an effective job doesn’t mean you no longer need networking: feeding a relationship network will be key throughout your entire career. Participate in company events, go to sector fairs and congresses, know your colleagues. This will be important for your future, be it when you change jobs or to collaborate in a project. You never know when these contacts may be useful. 7. Get involved in activities on your free time. In college, it was very easy to participate in extracurricular activities. Now that you are in the “real world”, you need to make an effort to remain active. Join alumni groups, professional or volunteer organizations. Go to a happy hour with your co-workers. It is also important to maintain an active social life after you leave college. 8. Control your achievements. Throughout your career, and especially in your first job, you should keep a record of all you do. Be it articles your write, reports you make, ideas you take to meetings, presentations for customers, planning of an event or marketing campaign. All this counts. Keep on a file (in a website or your computer) all achievements and accomplishments, in order to be able to discuss with your boss or even in future job interviews. 9. Be professional. Always arrive on time, be courteous and dress accordingly. Think where you want to get in your career and act as if you were already there. Being professional will always help you grow on your career. 10. Think positive. Lastly, remember to always think positive. Your first job may be exhaustive in the beginning, but some of the tasks may end up becoming tedious. At each stage, try to keep a positive attitude, even when you are stressed or tired of it all. People who complain about their jobs are not as successful as those who do not complain all the time. If you keep positive, better things will come.


Trabalho

Pequeno e microempresário

A

Segundo levantamento feito pela Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), o fechamento de uma empresa no Brasil custa 44% mais caro do que para a abertura. Ou custava, até a implementação do programa Bem Mais Simples, do governo federal, que desburocratiza os processos de abertura e fechamento das empresas brasileiras. Com todo este cenário que vivemos atualmente, só nos resta correr atrás e aguardar as “cenas do próximo capítulo”. Small and microentrepreneur The economic crisis pressures companies of all ages and sizes without discrimination. If the large companies are having difficulty going through this period, how about the small and micro enterprises? In the productive chain, small and mid-size companies (PMEs) suffer on one side the reflexes of the large companies problems, on the other, the rising Dollar, inflation and taxes, and in a third angle, by the consumer, now with a lesser purchase power and confidence index (ICC) in a historical low. Threatened, businessmen try to reduce costs and find creative solutions to do more with less and do not add to the statistics of company shutdowns. Also, common in times of austerity, the reduction of the margin is a resource to maintain competitiveness. As the increase in interest rates and tariffs such as energy and fuel make this a delicate operation, renegotiation with suppliers is a good alternative, without compromising quality. If, on one side it is necessary to cut costs, on the other it is essential to seek creative solutions to be distinguished in the market and foresee trends. According to survey from the National Federation of Accounting Service Companies, and Advisement, Survey, Information and Research Companies (Fenacon), the shutting down of a company in Brazil is 44% more expensive than to open it. Or it was, until the implementation of the Federal Government’s Bem Mais Simples program, that reduces bureaucracy in processes for opening and closing Brazilian companies. With the present scenario, we live, we only can do our part and wait for what is to come. Foto: Shutterstock

crise econômica pressiona as empresas de todas as idades e tamanhos indiscriminadamente. Se as grandes empresas já estão com dificuldade de passar por este período, e como ficam os pequenos e microempresários? Inseridas na cadeia produtiva, as pequenas e médias empresas (PMEs) sofrem, de um lado, os reflexos da dificuldade das grandes, do outro, a alta do dólar, inflação e impostos e, em um terceiro ângulo, pelo consumidor, com menor poder de compra e índice de confiança (ICC) em baixa histórica. Ameaçados, os empresários procuram reduzir custos e encontrar soluções criativas para fazer mais com menos e não engordar estatísticas de fechamento de empresas. Também comum em tempos austeros, a redução da margem de lucro é um recurso para manter a competitividade. Como o aumento das taxas de juros e de tarifas como energia e combustível tornam essa uma operação delicada, a renegociação com fornecedores é uma boa alternativa, sem abrir mão da qualidade. Se de um lado é preciso cortar custos, de outro é essencial buscar soluções criativas para se diferenciar no mercado e antecipar tendências.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

229


Construção Civil

Construção Civil

Geração de emprego e renda

O

Foto: Agência Brasil

ano de 2016 não foi muito animador para a área de construção civil, entretanto, a partir de outubro começamos a ver um crescimento neste setor, o que influenciou não apenas a questão de geração de empregos, mas também como a venda de materiais de construção. Segundo dados da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), a venda de material de construção cresceu 5,5% em novembro (de 2016) na comparação com outubro e 6% ante o mesmo mês do ano passado. Desde que a associação iniciou o acompanhamento anual da série his-

230

tórica do varejo, em 1994, esta é a primeira vez que o setor registra retração em dois anos seguidos (2015 e 2016). Apesar disso, as perspectivas para 2017 são positivas. “Os impactos do lançamento do Cartão Reforma e da retomada do Construcard devem começar a serem sentidos já no início do ano. A maior oferta de crédito e os juros menores devem influenciar positivamente as nossas vendas”, garantiu o presidente da Anamaco, Cláudio Conz. Quem também acredita na recuperação deste mercado é o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP),

já que a melhoria do ambiente econômico passa pela construção civil. Para se ter uma ideia do tamanho da construção civil em termos econômicos, basta dizer que ela representa aproximadamente 16% do PIB brasileiro. A construção civil no Brasil conta como o segundo maior setor econômico do país. A primeira é a agroindústria. Por ser composta de inúmeras e variadas atividades em todo o país, a construção civil funciona como um importante “motor” econômico, com grande capacidade de movimentar a economia, gerar riquezas e empregos. Em geração de empregos a construção


Foto: freestockcenter / Freepik

civil é a atividade mais importante do país. Atualmente, mesmo sem estar funcionando a pleno vapor, responde por aproximadamente 3,5 milhões de empregos no país, ou 6% do total. Outra vantagem da construção civil é o fato de ser um setor econômico praticamente nacionalizado, isto é, apenas 2% do total dos insumos (materiais, equipamentos e serviços) utilizados na construção são importados. Isso significa que a construção civil pode se desenvolver sem depender da situação da economia mundial, e também que seu crescimento não vai acarretar aumento de gastos com importações para o país. Com o crescimento deste setor é necessário ficar atento a outra preocupação: a escassez de mão de obra qualificada. Além de não haver profissionais suficientes no mercado para suprir as necessidades do setor, ainda se revela a questão da baixa quantidade de mulheres entre a mão de obra normalmente empregada na construção civil. Segundo o presidente da Câmara Nacional Indústria da Construção (CBIC), Paulo Safady Simão, vêm sendo desenvolvidas parcerias com o SESI e SENAI de vários estados para a criação de “Escolas da Construção” e outros programas de treinamento dentro e fora dos próprios canteiros de obras. Além disso, o setor da construção vem realizando um programa – juntamente com o Governo Federal – voltado à qualificação dos beneficiários do Bolsa Família: o Próximo Passo. Um dos principais diferenciais deste programa tem sido a inclusão da mão de obra feminina nos canteiros da construção de todo o país. Desde que o programa foi criado, quase 80% dos formandos são mulheres.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

231


Construção Civil

Construções mais verdes

A

s tendências atuais em relação ao tema da construção sustentável caminham em duas direções. De um lado, centros de pesquisa em tecnologias alternativas pregam o resgate de materiais e tecnologias vernáculas. Na outra via, empresários apostam em “empreendimentos verdes”, com as certificações, tanto no âmbito da edificação quanto no âmbito do urbano. O importante são os benefícios em investir em construção verde. O conceito de construção sustentável nos remete a um conjunto de metodologias e produtos adotados antes, durante e após os trabalhos de construção, para que o empreendimento não agrida o meio ambiente, proporcione um uso racional de energia e recursos naturais, além de

232

promover uma melhora na qualidade de vida dos usuários. A ideia da construção sustentável não é assim tão nova, mas demorou um pouco para chegar no Brasil. Entretanto, a sustentabilidade vem ganhando cada vez mais espaço dentro da construção civil de nosso país. Prova disso é que, apesar das estimativas ruins de 2016, o mercado da construção sustentável apresentou números surpreendentes. A LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental), está mudando a maneira como pensamos sobre como os edifícios e as comunidades são planejados, construídos e operados, através de suas certificações e atuações, seja em novas construções, edifícios existentes, bairros ou e design de interiores.


Entre seus benefícios estão redução do consumo de energia durante a fase de produção de materiais ou construção do empreendimento; otimização no uso dos insumos; redução expressiva da geração de resíduos sólidos e reciclagem desses resíduos. Também atua na redução dos custos de manutenção do empreendimento; redução do impacto ambiental da construção sobre o meio ambiente e sobre as comunidades vizinhas aos empreendimentos; entre outras muitas contribuições. Segundo o GBC Brasil, organização que visa fomentar a indústria de construção sustentável no país, no primeiro quadrimestre de 2016, foram contabilizados 81 novos registros de projetos (73 para LEED e 8 para Referencial Brasil Casa), contra 45, 29 e 71 referentes aos anos de 2015, 2014 e 2013 respectivamente.

Civil Construction Generation of Jobs and revenue 2016 was not encouraging for the field of civil construction, however, starting in October we started noting a growth in the sector, which influenced not only the job issue, but also the sales of materials. According to data from the Construction Material Dealers National Association (Anamaco), the construction materials sales grew 5.5% in November (2016) compared to October and 6% against the same month of the previous year. Since the association started the annual follow-up of the retail historical series, in 1994, this is the first time the sector presents slowdown in two consecutive years (2015 and 2016). Nevertheless, perspectives for 2017 are positive. “The impact of the release of the Renovation Card and the continuation of the Construcard shall be felt next year. The greater credit offer and lower interest shall positivelly influence our sales”, assured Anamaco’s Presidemnt, Cláudio Conz. The State of São Paulo’s Civil Construction Industry Union (SindusCon-SP) also believes in the market recovery, as the improvement of the economic environment goes through civil construction. To give na example of the size of civil construction in economic aspects, let us simply say that it representes approximately 16% of the Brazilian GDP. Civil construction in Brazil represents the second largest economic sector. The first is agribusiness. For being composed of several and various activities all over the country, civil construction operates as an importante economic “engine” with high capacity for

w w w.vozdebrasi li a .com .br

233


Foto: Shutterstock

Construção Civil

Reconhecidamente, o setor da construção civil tem papel fundamental para a realização dos objetivos globais do desenvolvimento sustentável. O Conselho Internacional da Construção (CIB) aponta a indústria da construção como o setor de atividades humanas que mais consome recursos naturais e utiliza energia de forma intensiva, gerando consideráveis impactos ambientais. Além dos impactos relacionados ao consumo de matéria e energia, há aqueles associados à geração de resíduos sólidos, líquidos e gasosos. Estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção. Tais aspectos ambientais, somados à qualidade de vida que o ambiente construído proporciona, sintetizam as relações entre construção e meio ambiente. moving the economy, generating revenue and jobs. It is the country’s most important activity in regards to generation of jobs. Presently, despite not being at full throttle, it answers for approximately 3.5 million Jobs in the country, or 6% of the total. Another of its advantages is the fact of being a practically nationalized economic sector, that is, only 2% of the total of inputs (materials, equipment and services) used in construction are imported. This means civil construction is capable of developing without relying on the world economic stand, and also that its growth will not result increase in import expenses for the country. With this sector’s growth, it is necessary to

234

Na busca de minimizar os impactos ambientais provocados pela construção, surge o paradigma da construção sustentável. No âmbito da Agenda 21 para a Construção Sustentável em Países em Desenvolvimento, a construção sustentável é definida como: “um processo holístico que aspira a restauração e manutenção da harmonia entre os ambientes natural e construído, e a criação de assentamentos que afirmem a dignidade humana e encorajem a equidade econômica”. No contexto do desenvolvimento sustentável, o conceito transcende a sustentabilidade ambiental, para abraçar a sustentabilidade econômica e social, que enfatiza a adição de valor à qualidade de vida dos indivíduos e das comunidades.

note another preocupation: the lack of skilled labor. Aside from not having suficient professionals in the market in order to supply the sector’s demand, there is also the low number of women usually employed by civil construction. According to the Construction Industry National Chamber (CBIC) President, Paulo Safady Simão, partnerships with SESI and SENAI from several states are being developed for the creation of “Construction Schools” and other training programs in and out of the construction sites. Also, the construction sector has been developing a program – along the Federal Government - aimed at qualifying those under the Family Allowance: Next Step benefit

scheme. One of this program’s main characteristics has been the inclusion of female labor into construction sites from the whole country. Since its creation, almost 80% of the graduates are women. Greener constructions Present trends regarding the sustainable construction issue go in two directions. One side, research centers for alternative technologies preach the recovery of vernacular materials and technologies. On the other, businessmen bet on “green enterprises” with certifications, both in building and in urban scopes. Important are the benefits from investing in green construction. The concept of sustainable construction


e o ciclista e contemplem a acessibilidade universal; previsão de espaços de uso comum para integração da comunidade; e, preferencialmente, de usos do solo diversificados, minimizando os deslocamentos. No âmbito da edificação, entende-se como essenciais: adequação do projeto ao clima do local, minimizando o consumo de energia e otimizando as condições de ventilação, iluminação e aquecimento naturais; previsão de requisitos de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida ou, no mínimo, possibilidade de adaptação posterior; atenção para a orientação solar adequada, evi-

tando-se a repetição do mesmo projeto em orientações diferentes; utilização de coberturas verdes; e a suspensão da construção do solo (a depender do clima). Na escolha dos materiais de construção: a utilização de materiais disponíveis no local, pouco processados, não tóxicos, potencialmente recicláveis, culturalmente aceitos, propícios para a autoconstrução e para a construção em regime de mutirões, com conteúdo reciclado. Quanto aos resíduos da construção civil, deve-se atentar para a sua redução e disposição adequada, promovendo-se a reciclagem e reuso dos materiais.

Foto: Shutterstock

Os desafios para o setor da construção ainda são muitos e não depende apenas das construtoras. Os governos municipais possuem grande potencial de atuação na temática das construções sustentáveis. As prefeituras podem induzir e fomentar boas práticas por meio da legislação urbanística e código de edificações, incentivos tributários e convênios com as concessionárias dos serviços públicos de água, esgotos e energia. Para a implantação urbana, recomenda-se: adaptação à topografia local, com redução da movimentação de terra; preservação de espécies nativas; previsão de ruas e caminhos que privilegiem o pedestre

w w w.vozdebrasi li a .com .br

235


Construção Civil

Foto: Shutterstock

Com relação à energia, recomenda-se o uso do coletor solar térmico para aquecimento de água, de energia eólica para bombeamento de água e de energia solar fotovoltaica, com possibilidade de se injetar o excedente na rede pública. Sobre águas e esgoto, é interessante prever: a coleta e utilização de águas pluviais, utilização de dispositivos economizadores de água, reuso de águas, tratamento adequado de esgoto no local e, quando possível, o uso de banheiro seco. A respeito do tratamento das áreas externas, recomenda-se a valorização dos elementos naturais no tratamento paisagístico e o uso de espécies nativas, a destinação de espaços para produção de alimentos e compostagem de resíduos orgânicos, o uso de reciclados da construção

236

remits us to a set of methodologies and products previously adopted during and after construction works, so the enterprise does not harm the environment, enable rational energy and natural resource use, besides promoting improvement in user quality of life. The idea of sustainable construction is not so new, but it took a while to reach Brazil. However, sustainability has been gaining increased space in the country’s civil construction. Proof is that, despite the latest unfavorable estimates of 2016, the sustainable construction market presented surprising number. LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) is changing the way we think on how buildings and communities are planned, built and operated, through its certifications and operations, be it in new constructions, existing buildings, neighborhoods or in interior design. Amongst its benefits are energy consumption reduction in the phase of materials production or construction of an enterprise, optimization of input use, expressive reduction in generation of solid residues and recycling of such residues. It also acts in the reduction of the enterprise’s maintenance costs, reduction of environmental impact of the construction on the surrounding environment and communities, among other contributions. Segundo o GBC Brasil, organização que visa fomentar a indústria de construção sustentável no país, no primeiro quadrimestre de

2016, foram contabilizados 81 novos registros de projetos (73 para LEED e 8 para Referencial Brasil Casa), contra 45, 29 e 71 referentes aos anos de 2015, 2014 e 2013 respectivamente. Recognizably, the civil construction sector has a key role for the attainment of the global objectives for sustainable development. The National Construction Council (CIB) points the construction industry as the human activity sector that most consumes natural resources and uses energy intensively, generating considerable environmental impacts. Besides impacts related to material and energy consumption, there are those associated to the generation of solid, liquid, and gaseous residues. It is estimated that over 50% of solid residues generated by the set of human activities come from construction. Such environmental aspects, added to the quality of life the built environment provides, synthesize the relations between construction and environment. Seeking to minimize environmental impacts from construction, the paradigm of sustainable construction arises. In the scope of the Agenda 21 for Sustainable Construction in Developing Countries, sustainable construction is defined as: “a holistic process aspiring the restauration and maintenance of harmony between the natural and built environment and the creation of settlements that attest to human dignity and encourage economic equity”. In the sustainable development context, the concept transcends the


Foto: Shutterstock

na pavimentação e de pavimentação permeável, a previsão de passeios sombreados no verão e ensolarados no inverno. Enfim, são muitas ações e opções para fazer uma construção “mais verde”. Se o momento é de baixa demanda, o ideal seria que as construtoras

aproveitassem para tomar as ações necessárias de melhoria contínua. Assim, poderiam mais na frente, aproveitar melhor os resultados vislumbrados pelas ações de aquecimento econômico que estão por vir e recuperar tempo e dinheiro perdidos durante a crise.

environmental sustainability, comprising economic and social sustainability, emphasizing addition of value to quality of life of individuals and communities. The challenges for the construction sector are still many and do not rely solely on construction companies. The municipal governments possess a great potential for operation around the issue of sustainable constructions. Town halls may influence and stimulate good practices through urbanistic legislation and building codes, tax incentives and agreements with water, waste and energy provider companies. For the urban implementation, it is recommended the adaptation to local topography, with reduction of earthworks; preservation of native species; project for streets favoring the pedestrian and cyclist and contemplating universal accessibility, project for common areas for community integration,

and, preferably, of diversified soil use, minimizing earthworks. regarding the buildings, are understood as essential the adaptation of the project to the climate, minimizing energy consumption and optimizing natural ventilation, lighting, heating conditions, project for accessibility requirements for people with reduced mobility or, at least, possibility for later adaptation, attention to adequate solar orientation, avoiding repetition of the same project at different orientations, and the suspension of the soil construction (depending on the climate). When choosing the materials, the use of local available materials, with little processing, non-toxic, potentially recyclable, culturally accepted, good for auto-construction and for construction in joint effort systems, with recycled content. As for civil construction residues, it is important to aim their reduction and adequate disposal, pro-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

moting recycling and material reuse. Regarding energy, it is recommended the use of solar thermal collectors for water heating, aeolic energy for water pumping and photovoltaic solar energy with the possibility of injecting the excesses into the public network. On waters and waste, it is interesting to project for the collection of rain water, use of water saving devices, water reuse, adequate local sewage treatment and, when possible, the use of dry toilets. Regarding the treatment of external areas, it is recommended the emphasis on natural elements on the landscaping project and use of native species, destination of spaces for production of food and composting of organic residues, use of recycled materials when building paving and permeable paving, project for shaded walkways in the summer and sunny in the winter. Anyway, there are many actions and options for a “greener” construction. If the present moment is of low demand, the ideal would be that construction companies take the opportunity to take the necessary actions for continuous improvement. Thus, on the long run, they would be able to better take advantage of the results expected by the economic heating actions to come and recover time and Money lost during the crisis. Signs of recovery So far, we have discussed the present scenario for the civil construction in Brazil, the issue of lack of qualified labor, what is being done in order to change such scenario, besides actions aimed at sustainable constructions and advancements over the past years. All these are actions that can be performed now, when the sector is still recovering. Yes! Because it is growing again. Despite the economy still presently faulting, indicators point that the sector’s crisis may be close to an end. The recovered trust of Brazilian businessmen indicates a more favorable horizon over the coming months. After shrinking 10.2% in two years, civil construction, one of the sectors most affected by the economic recession, starts to prepare ground for recovery. According to surveys from Getúlio Vargas Foundation (FGV), the construction company owners’ confidence is another indicator increasing each month. The recovery is expressive in the earthworks sector, activity that usually records the acceleration of the effective onset of previously contracted works. Simply analyze in your city the quantity of buildings being built, representing an excellent evidence that new times are coming. We are anxious for 2017 to arrive!

237


Construção Civil

Sinais de recuperação

F

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

alamos até agora sobre o cenário atual da construção civil no Brasil, o problema da falta de mão de obra qualificada, o que está sendo feito para mudar este cenário, além das ações voltadas para as construções sustentáveis e os avanços nos últimos anos. Tudo isso são ações que podem ser feitas agora, que o setor ainda está retomando o seu crescimento. Sim! Porque ele está voltando a crescer. Apesar da economia real continuar dando tropeços no presente, indicadores apontam que a crise no setor pode estar perto do fim. A recuperação da confiança de empresários brasileiros indicam um horizonte mais favorável nos próximos meses. Depois de encolher 10,2% em dois anos, a construção civil, um dos setores mais afetados pela recessão econômica, começa a preparar o terreno para retomada. Segundo as pesquisas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a confiança dos donos de construtoras é outro indicador que aumenta a cada mês. A recuperação é expressiva no segmento de preparação do terreno, atividade que costuma registrar aceleração no início efetivo de obras previamente contratadas. Basta analisar na sua cidade a quantidade de prédios que estão subindo, o que representa um excelente indício que novos tempos estão chegando. Estamos ansiosos para a chegada de 2017!

238

Signs of recovery So far, we have discussed the present scenario for the civil construction in Brazil, the issue of lack of qualified labor, what is being done in order to change such scenario, besides actions aimed at sustainable constructions and advancements over the past years. All these are actions that can be performed now, when the sector is still recovering. Yes! Because it is growing again. Despite the economy still presently faulting, indicators point that the sector’s crisis may be close to an end. The recovered trust of Brazilian businessmen indicates a more favorable horizon over the coming months. After shrinking 10.2% in two years, civil construction, one of the sectors most affected by the economic recession, starts to prepare ground for recovery. According to surveys from Getúlio Vargas Foundation (FGV), the construction company owners’ confidence is another indicator increasing each month. The recovery is expressive in the earthworks sector, activity that usually records the acceleration of the effective onset of previously contracted works. Simply analyze in your city the quantity of buildings being built, representing an excellent evidence that new times are coming. We are anxious for 2017 to arrive!


w w w.vozdebrasi li a .com .br

239


Energia

Energia

O Brasil possui a matriz energética mais renovável do mundo industrializado com a maior parte de sua produção proveniente de fontes como recursos hídricos, biocombustíveis e etanol

A

s fontes de energia são extremamente importantes para o desenvolvimento de um país, pois são responsáveis por movimentarem a sua economia. São recursos da natureza ou artificiais utilizados pela sociedade para a produção de algum tipo de energia. Além disso, a qualidade e nível de capacidade das fontes de energia de um determinado local são indicativos para apontar o grau de desenvolvimento da região. Países com maiores rendas geralmente dispõem de maior poder de consumo energético. No Brasil não é diferente: à medida que o país foi se modernizando, o setor energético brasileiro foi se desenvolvendo. As principais fontes de energia do Brasil, atualmente, são: energia hidroelétrica (65,2%), petróleo (6,8%), carvão mineral (3,2%) e os biocombustíveis (7,2%), além de algumas outras utilizadas em menor escala, como gás natural (13%) – usado principalmente em automóveis e residência - e a energia nuclear (2,5%) – energia limpa produzida nas usinas de Angra 1 e Angra 2 no Estado do Rio de Janeiro. Esses são os últimos dados da Plataforma de Gestão de Indicadores (PGI), divulgados em dezembro de 2014. Trata-se de um assunto extremamente estratégico no contexto geopolítico global, pois o desenvolvimento dos países depende de uma infraestrutura energética capaz de suprir as demandas de sua população e de suas atividades econômicas. As fontes de energia constituem-se também como uma questão ambiental, pois, a depender das formas de utilização dos diferentes recursos energéticos, graves impactos sobre a natureza podem ser ocasionados. Entretanto, segundo dados do Boletim Mensal de Energia, divulgado em fevereiro de 2016 pelo do Ministério de Minas e Energia (MME), o Brasil possui a matriz energética mais renovável do mundo industrializado, sendo 43,9% de energia renovável. Quando considerada a oferta de energia elétrica – subconjunto da matriz energética-, as estimativas para 2016 mostram vantagens ainda mais significativas, com as energias renováveis podendo chegar a 79,3% de participação, superior ao indicador de 75,5% verificado em 2015 – no mundo este indicador é de 24%. A fonte hidráulica continuará preponderante, respondendo por 66,2% da matriz (64% em 2015).

foto: SHUTTERSTOCK

240

Energy Brazilian energy matrix Brazil has the most renewable energy matrix in the industrialized world with the majority of its production arising from sources such as hydric resources, biofuels and ethanol The energy sources are extremely important for the development of a country, as they are responsible for moving its economy. They are resources from nature or artificial used by society for production of some type of energy. Also, the quality and capacity level of the energy sources of a specific place are indicators to determine the degree of development of a region. Countries with higher revenues generally possess greater energetic consumption power. In Brazil it is not different: as the country was modernizing, the Brazilian energy sector was developing. Presently, Brazil’s main energy sources are: hydroelectric energy (65.2%), petroleum (6.8%), mineral coal (3.2%) and the biofuels (7.2%), and also a few other used in smaller scale, such as natural gas (13%) – mainly used in automobiles and homes – and nuclear energy (2.5%) – clean energy produced at Angra 1 and Angra 2 plants in the State of Rio de Janeiro. These are latest data from the Indicators Management Platform (PGI), disclosed in December 2014. This is an extremely strategic issue in the global geopolitical context, as the development of countries relies on an energy infrastructure capable of supplying its populations’ and economic activities demands. The energy sources also constitute an environmental issue, as according to the form of use of the different energy resources, grave impacts on nature may occur. However, according to Monthly Energy Bulletin data, disclosed in February 2016 by the Ministry of Mines and Energy (MME), Brazil possesses the industrialized world’s most renewable energy matrix, with 43.9% renewable energy. When considered the electric energy offer – energy matrix subset -, estimates for 2016 show even more significant advantages, with renewable energies capable of reaching 79.3% of participation, higher than 2015 indicator of 75.5% – around the world this indicator is 24%. The hydraulic source will remain as preponderant, answering for 66.2% of the matrix (64% in 2015).


A

energia hidroelétrica é a principal fonte de energia utilizada para produzir eletricidade no país. Atualmente, mais de 90% da energia elétrica consumida no país advém de usinas hidrelétricas. Apesar disso, o país só utiliza 25% do seu potencial hidráulico. A eficiência energética das hidrelétricas é muito alta, em torno de 65,2% (dados de 2014). O investimento inicial e os custos de manutenção são elevados, porém, o custo do combustível (água) é nulo. Por outro lado, apesar de ser uma fonte de energia renovável e não emitir poluentes, a energia hidrelétrica não está isenta de impactos ambientais e sociais. Já os biocombustíveis são fontes de energia recentemente implantadas no país, caracterizados por serem do tipo renovável. São originados de produtos vegetais (como a mamona, a cana-de-açúcar, entre ou-

tros). Atualmente, o Brasil possui uma produção de etanol que supera os 21,5 milhões de barris por ano, o que equivale a um montante de aproximadamente 3,52 bilhões de litros. As perspectivas, segundo a Agência Internacional de Energia, é que essa produção aumente cerca de 200% até o ano de 2050, o que tornaria o Brasil uma referência internacional em biocombustíveis. E para completar as principais fontes de energia temos o etanol que, até 2010, o Brasil era o maior exportador do mundo. Entretanto, o país ainda se destaca no cenário global como sendo o país com tecnologia mais avançada na fabricação de etanol. A produção mundial desse combustível é da ordem de 40 bilhões de litros – o Brasil é responsável pela fabricação de 15 bilhões de litros. No país, a cada tonelada de cana-de-açúcar são produzidos 66 litros de álcool e 700 a 800 litros de vinhaça ou restilo.

A greener country: our main energy sources The hydroelectric energy is the main energy source used for production of electricity in the country. Presently, over 90% of the electric energy used in the country come from hydroelectric plants. Nevertheless, the country only uses 25% of its hydraulic potential. The hydroelectric plants energetic efficiency is very high, at around 65.2% (2014 data). The initial investment and maintenance costs are high, however, the fuel (water) cost is non-existent. On the other hand, despite being a renewable energy source and not releasing pollutants, hydroelectric energy is not exempt of environmental and social impacts. Biofuels are energy sources recently implemented in the country, characterized for being renewable. They originate from plant products (such as

castor beans, sugar cane, among others). Today, Brazil’s ethanol production surpasses 21.5 million barrels/year, equivalent to approximately 3.52 billion liters. Perspectives, according to the International Energy Agency, are for such production to increase around 200% until 2050, which would make Brazil international reference in biofuels. And for closing the main energy sources we have ethanol, of which Brazil was, until 2010, the world’s largest exporter. However, the country still has its place of distinction in the world stage as being the country with the most advanced technology for ethanol production. The world’s production for such fuel is of 40 billion liters – Brazil is responsible for the manufacturing of 15 billion liters. In the country, for each ton of sugar cane 66 liters of alcohol and 700 to 800 liters of stillage are produced.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Agência Brasil

Um país mais verde: nossas principais fontes de energia

241


Energia

Outras fontes de energia A

foto: SHUTTERSTOCK

A primeira fonte de energia quando pensamos em matriz energética é o petróleo, mas ele só representa 6,8% de toda a energia utilizada no Brasil. Como vimos no começo deste capítulo, sua porcentagem ainda é baixa comparada as outras. Ele é utilizado para a geração de energia para veículos motores, através da produção de gasolina, óleo diesel, querosene. Além disso, também é responsável pelo abastecimento de usinas termoelétricas. Há alguns anos o país importava cerca de 60% do petróleo consumido internamente. Entretanto, atualmente, o país é quase completamente abastecido pela produção interna. Além disso, foram descobertas grandes reservas de petróleo na camada do pré-sal no fundo oceânico do litoral de Santos (SP) e do Espírito Santo. Também temos como fontes de energia a produção de carvão mineral, destinada para a geração de energia termelétrica e como matéria-prima principal para as indústrias siderúrgicas; o gás natural, geralmente produzido de forma conjunta ao petróleo e é responsável por quase 10% do consumo nacional de energia e a energia nuclear. Além dos altos gastos e do baixo nível produtivo (apenas 3% da produção nacional de eletricidade), as usinas nucleares de Angra são duramente criticadas por grupos ambientais em razão dos altos riscos em casos de acidentes ou vazamentos e pelo não estabelecimento de um local fixo para a destinação dos resíduos radioativos gerados pela usina.

242

Other energy sources The first energy source when we think of energy matrix is petroleum, but it only represents 6.8% of all energy used in Brazil. As seen at the beginning of this chapter, its percentage is still low when compared to others. It is used for generating energy for motor vehicles, through production of gasoline, diesel, kerosene, and it is also responsible for supplying thermoelectric plants. A few years ago, the country imported about 60% of the oil internally consumed. However, today the country is almost fully supplied by its internal production. Besides that, large oil reserves were discovered in the pre-salt layer, in the city of Santos (SP) and State of Espírito Santo coastline ocean depths. We also have as energy sources the production of mineral coal, aimed at the generation of thermoelectric energy and as raw material for the steel industry, natural gas, usually produced jointly with petroleum is responsible for almost 10% of the national energy consumption and nuclear energy. Aside from high costs and low productive level (only 3% of the national electricity production), the Angra nuclear plants are strongly criticized by environmental groups for their high risk in the event of accidents or leakages and for the non-establishment of a specific place for disposal of radioactive residues generated by the plants.


Ações de um país mais verde

N

foto: SHUTTERSTOCK

os últimos anos, o Brasil incentivou o uso de energias renováveis complementares à hídrica, como a energia eólica, solar e de biomassa, que aumentaram em 30% sua participação na matriz energética brasileira nos últimos dez anos, passando de 2,8% do total da oferta de energia interna em 2004 para 4,1% em 2014. Segundo dados são do Balanço Energético Nacional do Ministério de Minas e Energia, o País também aumentou (nos últimos dez anos) em 75% a produção de energia elétrica proveniente do bagaço de cana, através da biomassa. Em 2004, o Brasil transformava em energia cerca de 6 milhões de toneladas da matéria-prima. No final de 2014, esse número cresceu para 26,6 milhões de toneladas gerando energia elétrica. O Brasil ficou atrás apenas da China - em uma lista de 55 países no quesito atratividade para investimentos em energia renovável - segundo o relatório Climatescope 2015 do Fundo Multilateral de Investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Bloomberg New Energy Finance. Na América Latina e Caribe, o mercado brasileiro é considerado o mais atrativo para os investimentos em energia renovável. Os dados mostram que, somente em 2014, o País atraiu US$ 6,4 bilhões de investimento em energias renováveis, o equivalente a mais de R$ 24 bilhões. De acordo com a publicação, as explicações para a alta entrada da energia renovável, com foco na energia eólica, solar e de biomassa, incluem recursos naturais excepcionais e um ambiente de políticas públicas favorável que incentiva investimentos em energias limpas. E para fechar com “chave de ouro” as ações do Brasil, o País foi responsável por adaptar a Usina Termelétrica de Juiz de Fora para operar com o uso de etanol, a primeira do mundo a funcionar com este tipo de biocombustível, inaugurada em 2010. A usina gera a mesma potência de quando funcionava a gás natural, com capacidade instalada de 43,5 MW, mas com a redução de 30% na emissão de poluentes. A Petrobrás, responsável pela Usina, investiu R$ 45 milhões na adaptação de duas turbinas para gerar energia através do álcool.

Actions of a green country In recent years, Brazil has stimulated the use of renewable energies complementary to the hydric, such as aeolic, solar and biomass energies, which increased in 30% their participation at the Brazilian energy matrix over the last ten years, going from 2.8% of the total internal energy offer in 2004 to 4.1% in 2014. According to data from the National Energy Balance from the Ministry of Mines and Energy, the country also increased (over the last ten years) in 75% the production of electric energy from the sugar cane bagasse, though biomass. In 2004, Brazil transformed in energy about 6 million tons of raw material. At the end of 2014, this number grew to 26.6 million tons generating electric energy.

Brazil was behind only China – in a list of 55 countries in the issue of activity for investments in renewable energy – according to the Climatescope 2015 report from the Inter-American Development Bank (BID) Multilateral Investment fund and Bloomberg New Energy Finance. In Latin America and the Caribbean, the Brazilian market is considered the most attractive for investments in renewable energy. Data show that in 2014 alone the country attracted US$ 6.4 billion in investments on renewable energies, equivalent to over R$ 24 billion. According to the publication, explanations for the high entry of renewable energy, focusing on aeolic, solar and biomass energies, include excep-

w w w.vozdebrasi li a .com .br

tional natural resources and an environment of favorable public policies that stimulates investments in clean energies. And finishing off Brazil’s actions on a high note, the country was responsible for adapting the Juiz de For a Thermoelectric Plant to operate using ethanol, the first in the world to operate with such type of biofuel, inaugurated in 2010. The plant generates the same power as when it operated with natural gas, with capacity installed of 43.5 MW, but with a 30% reduction in release of pollutants. Petrobrás, responsible for the plant, invested R$ 45 million on the adaptation of two turbines so as to generate energy through alcohol.

243


Energia

Energia X Economia O

foto: SHUTTERSTOCK

ano de 2016 foi difícil para todos os setores, porém, a mudança de governo aumentou a expectativa em relação a uma nova onda de privatizações e venda de ativos por parte das companhias do setor de energia. Além disso, o ano registrou também um maior volume de chuvas que em anos anteriores, o que reduziu os problemas de abastecimento dos reservatórios. Essa combinação de fatores, explicam analistas, somada a perspectivas favoráveis para o setor, contribuiu para que os investidores apostassem com força nas ações das empresas de energia elétrica. Até o fechamento deste capítulo sobre Energia, o governo não havia divulgado nenhuma mudança nas empresas, entretanto, estas acumulam forte alta nos últimos meses, apesar do cenário de recessão econômica. Só no ano de 2016 o Índice de Energia Elétrica acumulou alta de 40,3%. Esse desempenho foi superior ao registrado pelo Ibovespa, cujo ganho estava em 28,2%. O desempenho positivo está presente em várias empresas do setor, mas a Eletrobras se destacou, com uma alta acumulada de 105,4%. A Cesp, a CPFL e a Equatorial também não ficaram para trás, com ganhos que superaram as expectativas.

244

Energy X Economy 2016 was a tough year for all sectors, however, the government change increased the expectation regarding a new wave of privatizations and sale of assets by companies from the energy sector. Also, the year recorded a higher level of rainfall than previous years, reducing the issues with reservoir supply. Such combination of factors, explain the analysts, added to favorable perspectives for the sector, contributed for investors to strongly bet on stock from electric energy companies. Until the signoff of the present chapter on Energy, the government was yet to disclose any change on the companies, however, these accumulate strong high in recent months, despite the economic recession scenario. In 2016 alone, the rate of electric energy accumulated a 40.3% high. This performance was superior to that recorded by Ibovespa, with a gain of 28.2%. the positive development is present in several sector companies, but Eletrobras stood out with an accrued high of 105.4%. Cesp, CPFL and Equatorial were right behind, with gains surpassing expectations.


Assessoria empresarial e política, pesquisa, desenvolvimento de programas de computador, serviço de confecção gráfica, diagramação (impressão de livros e revistas) e publicidade. Telefone: (61) 3036-3636 / 3361-0183 Endereço: SGCV. Lt.: 15, Bloco C, Sala 404 - Brasília - DF CEP: 71.215-650

w w w.vozdebrasi li a .com .br

UNIGEST

Uma empresa do: GRUPO

245


Artigo

Clima e agricultura sustentável

246

Essa conquista deveu-se ao grande consenso que se verifica na sociedade brasileira, à maturidade que atingimos na compreensão do impacto da mudança do clima. O Acordo de Paris fortalece a reorientação do projeto brasileiro de desenvolvimento, rumo à sustentabilidade, ao combate à pobreza, ao fortalecimento da economia rural e florestal e à criação de um modelo de baixas emissões.

Dessa maneira, iremos disseminar uma cultura de respeito e integração ao meio ambiente, evidenciar as vantagens comparativas da nossa agricultura e dinamizar a economia, o que irá gerar empregos qualificados, avanço tecnológico e a inovação. A agricultura brasileira se apresenta ao mundo fortemente comprometida com a conservação do meio ambiente e da biodiversidade.

Foto: Divulgação MMA

R

epresentamos o Brasil na 22ª edição da Conferência do Clima (COP 22), que ocorre de 7/11 a 18/11 em Marrakech (Marrocos), incumbidos de uma dupla missão: renovar o compromisso com a efetiva implementação do Acordo de Paris e demonstrar à comunidade internacional as oportunidades de investimentos, cooperação e negócios no Brasil. As portas do país estão abertas a todos aqueles que quiserem se unir aos nossos esforços na construção de um projeto de desenvolvimento sustentável norteado por uma economia de baixo carbono. Trouxemos a Marrakech exemplos concretos das tarefas que o Brasil vem cumprindo no combate à mudança do clima. O mundo inteiro pode enxergar o papel decisivo do nosso país como um líder no cumprimento das metas assumidas. Embora respondamos por apenas 2,48% das emissões globais de carbono, a dimensão dos recursos naturais, o dinamismo da agropecuária e a importância da economia do país no cenário mundial fazem com que nossas ações tenham peso e reflexo nas negociações internacionais. O Brasil foi uma das primeiras grandes economias a ratificar o Acordo de Paris, após rápida tramitação no Congresso Nacional, sem que tenha havido qualquer questionamento sobre seus termos.

Artigo publicado no Jornal Folha de São Paulo em novembro/2016


Os esforços e as vantagens competitivas do setor merecem adequada visibilidade e valorização, inclusive na redefinição das regras de comércio internacional, que precisam diferenciar favoravelmente os produtores que aderem a normas estritas de conservação ambiental e redução de emissões de gases de efeito estufa. Lutamos pelo reconhecimento dos nossos trabalhos, mediante a criação de condições para atrair investimentos que apoiem as estratégias de crescimento na produção de alimentos, fibras naturais e agroenergia. O Brasil tem metas ambiciosas na redução de emissões de gases, sobretudo para um país em desenvolvimento que precisa crescer, gerar em-

pregos e elevar a qualidade de vida dos cidadãos. Faremos isso fortalecendo as políticas ambientais, sempre alinhados com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Apresentaremos em breve, para ampla discussão na sociedade, uma estratégia de implementação de nossos compromissos, alicerçada no Acordo de Paris. Buscaremos parcerias, fontes de financiamento e instrumentos de mobilização de recursos para implementar, e até mesmo superar, as metas estabelecidas. Nesta COP 22, mostraremos ao mundo o exemplo brasileiro na concepção e implementação de políticas ambientais responsáveis.

Sustainable climate and agriculture

We represent Brazil at the 22nd edition of the Climate Conference (COP 22), which will take place from 7/Nov to 18/Nov in Marrakech (Morocco), in charge of a double mission: renewing the commitment with the effective implementation of the Paris Agreement and showing the international community the opportunities for investments, cooperation and businesses in Brazil. The country’s doors are open to those desiring to combine with our efforts in building a project of sustainable development guided by a low carbon economy. We brought to Marrakech solid examples of tasks Brazil has been fulfilling in the fight against climate changes. The whole world can notice the decisive role of our country as a leader in the fulfillment of the agreed measures. Despite answering for only 2.48% of the global carbon emissions, the dimension of the natural resources, the dynamism of the agriculture and stockbreeding and the importance of the country’s economy in the world scenario provide weight to our actions and reflex in international negotiations. Brazil was one of the first large economies to ratify the Paris Agreement, after quit proceedings from the National Congress, with no issues being raised regarding its terms. Such victory was due to the great consensus observed in Brazilian society, to the maturity

JOSÉ SARNEY FILHO é ministro do Meio Ambiente. Ocupou o mesmo posto de 1999 a 2002 (governo FHC)

we have reached in the understanding of the climate change impact. The Paris Agreement strengthens the Brazilian development project reorientation towards sustainability, fight against poverty, strengthening of the rural economy and the creation of a low emission model. This way, we will disseminate a culture of respect and integration to the environment, emphasize the comparative advantages of our agriculture and boost the economy, generating qualified jobs, technological advancement and innovation. The Brazilian agriculture shows itself to the world strongly committed to the conservation of the environment and biodiversity. The sector’s efforts and competitive advantages deserve adequate visibility and valorization, including in the redefining of the rules for international trade, that need to favorably differentiate producers adhering to strict environmental conservation norms and emission of greenhouse effect gases. We fight for the recognition of our work, in face of the development of conditions so as to attract investments supporting growth strategies in the production of food, natural fibers and agro-energy. Brazil has ambitious goals for reduction of gas emissions, above all for a developing country that needs to grow, generate jobs and increase the population’s quality of life. We will do that strengthening environmental policies, always aligned with the United Nations Sustainable Development Goals. We will soon present for broad discussion by society, a strategy for implementation of our commitments, founded on the Paris Agreement. We will seek partnerships, sources for financing, and resource mobilization tools to implement, and even overcome, established goals. On this COP 22, we will show the world the Brazilian example in the conception and implementation of responsible environmental policies.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

247


Agricultura

Agricultura

elossi ulo Cap edro Pa Foto: P

Marcadas pela mecanização e expansão das atividades

O

Brasil é considerado um país industrializado, ao mesmo tempo em que ocupa um dos primeiros lugares em produção agrícola e pecuária. Aproximadamente 40% da área de terra plantada no país são ocupados por culturas que visam principal¬mente suprir de matérias-primas a agroindústria, que, por sua vez, destina grande parte de sua produção à exporta¬ção, como é o caso da soja, da laranja, do café, da cana-de-açúcar e do cacau. Quando não transformados ou in¬dustrializados, os produtos são exportados in natura. A diversidade climática do território brasileiro permite a cultura tanto de produtos tropicais, que são dominantes (café, cana-de-açúcar, cacau, algodão), quanto de produtos característicos das zonas temperadas (trigo, centeio, maçã, uva). Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a cana-de-açúcar ocupa no Brasil cerca

248

de 10% de todas as áreas utilizadas pela agricultura e é responsável por pouco mais de 17% das exportações nacionais. Sua produção concentra-se em médias e grandes propriedades, principalmente nos estados da região Sudeste, além do litoral nordestino, Paraná e algumas localidades da região Centro-Oeste. Assim como a cana-de-açúcar, o café é majoritariamente produzido em médias e grandes propriedades, muito embora a agricultura familiar seja responsável por quase 30% do seu cultivo, dispondo apenas de 20% das terras agricultáveis no país. O principal estado produtor é Minas Gerais, que concentra mais da metade do cultivo e, ao lado de São Paulo e Espírito Santo, detém cerca de 83% da produção nacional, conforme dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) referentes a 2011. Por sua vez, assim como a agricultura, a pecuária também exerce uma grande relevância nas exportações brasileiras, além de abastecer o mercado interno. É uma


A pecuária no Brasil é predominantemente extensiva, ou seja, com a ocupação de grandes áreas, o que ocorre tanto pela alta disponibilidade de terras quanto pelas estratégias dos latifundiários para manterem suas propriedades produtivas, evitando o seu destino para a Reforma Agrária. Mesmo assim, vem crescendo no país a atuação da pecuária intensiva, muitas delas diretamente associadas a agroindústrias leiteiras e de corte. Segundo dados do Ministério da Agricultura, apenas 16% da carne bovina brasileira é destinada ao mercado externo, sendo a maior parte comercializada no mercado interno. Isso ocorre porque a lucratividade no mercado nacional é alta e

Agriculture e Stockbreeding Marked by mechanization and expansion of activities Brazil is considered an industrialized country at the same time it occupies one of the first places in agricultural production and stockbreeding. Approximately 40% of the country’s harvested land are occupied by cultures that aim mainly the supply of raw materials for the agribusiness that, on the other hand, aims a huge part of its production to export, as for soy, Orange, coffee, sugar cane and cocoa. When not transformed or industrialized, the products are exported in natura. The Brazilian territory’s climatic diversity allows for culture of tropical products, which are predominant (coffee, sugar cane, cocoa, cotton), and also products characteristic of temperate climate (wheat, rye, apple, grape). According to IBGE (Brazilian Institute for Geography and Statistics), sugar cane occupies in Brazil around 10% of all areas used by agriculture and is responsible for just over 17% of national exports. Its production concentrates in mid-size and large properties, especially in states in the Southwest region, and also the coastline of the northeast region, the state of Paraná and a few localities in the Mid-West region. As sugar cane, coffee is mainly produced in mid-size and large properties, although Family agriculture is responsible for almost 30% of its harvesting, with only 20% of harvestable lands in the country. Minas Gerais is the main producer state, concentrating more than half of the production and next to the states of São Paulo and Espírito Santo holds around 83% of the national production, as per Conab (National Supply Company) data from 2011.

também pela baixa importação desse produto, uma vez que a carne nacional possui uma melhor relação entre custo e benefício. Mesmo assim, o governo brasileiro estima que, até 2019, as exportações brasileiras de carne responderão por 60% do comércio mundial do produto. Até agora abordamos separadamente a agricultura e a pecuária, mas é correto falar também em agropecuária (uma expressão usada para designar de forma agrupada a pecuária e a agricultura). A atividade agropecuária no Brasil representa 8% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e gera emprego para pelo menos 10% da população economicamente ativa do país.

On the other hand, as well as agriculture, stockbreeding is also of great relevance in Brazilian exports, aside from supplying the home market. It is an economic activity developed in rural areas consisting of animal (such as cattle) breeding with the purpose of commercializing them, thus supplying the needs of the breeder’s family. For the bovine, besides meat, other raw materials are extracted, such as leather (shoe industry), skin (clothing), bones (manufacturing of buttons), and many others. Brazil has the world’s second largest bovine herd, with over 200 million cattle – behind only the USA –, and is also the country with most export in such type of product. Aside from the meat, Brazil also has high milk productivity, with most the production aimed at the internal market. Stockbreeding in Brazil is mainly extensive, in other words, occupying large areas, which takes place for the availability of land and for the strategy of landowners so as to maintain their properties productive, thus avoiding land destination to agrarian reform. Nevertheless, intensive stockbreeding has been growing in the country, many directly associated to milk and beef agribusiness. According to data from the Ministry of Agriculture, only 16% of the Brazilian meat is aimed to the foreign market, with most being commercialized at the home market. This takes place as profitability in the home Market is high and due to the low import of this product, as the national meat has a good cost benefit. Even then, the Brazilian government estimates that until 2019 Brazilian meat export shall represent 60% of the product’s worldwide trade. Up to now we have approached, separately, agriculture and stockbreeding, but it is also correct to mention agrostockbreeding (an

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Shutterstock

atividade econômica desenvolvida em áreas rurais que consiste na criação de animais (como o gado) com o objetivo de comercializá-los, suprindo assim as necessidades da família do criador. No caso dos bovinos, além da carne, são extraídas outras matérias-primas, como o couro (produção de calçados), pele (vestuário), ossos (fabricar botões) e muitos outros. O Brasil possui o segundo maior rebanho bovino no mundo, com mais de 200 milhões de cabeças de gado – atrás somente dos EUA –, além de ser o país que mais exporta carne desse tipo. Além da carne, o Brasil também possui uma alta produtividade de leite, este voltado, sobretudo, para o mercado interno.

249


Agricultura

Financiando sonhos O

expression. Used to designate as a group, stockbreeding and agriculture). The agrostockbreeding activity in Brazil represents 8% of the Brazilian GDP (Gross Domestic Product) and generates Jobs for at least 10% of the country’s economically active population.

250

Foto: Shutterstock

Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) foi criado em 1995 com o intuito de financiar projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária. O programa possui as mais baixas taxas de juros dos financiamentos rurais, além das menores taxas de inadimplência entre os sistemas de crédito do País. Em vinte anos, o Programa transformou a realidade de mais de 2,6 milhões de unidades familiares de produção, gerou renda e potencializou o uso da mão de obra familiar. O crédito foi utilizado para a ampliação da área plantada e a utilização de tecnologias que propiciaram o aumento da produção e da produtividade de mais de 55 alimentos consumidos pelos brasileiros. Também foi importante para a agregação de valor à produção, pelo apoio à industrialização dos produtos agropecuários dos empreendedores familiares individuais e das cooperativas da agricultura familiar, bem como para o turismo rural e a produção de artesanato. E para os próximos anos a expectativa continua de crescimento. O Plano Agricultura


w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

e Pecuário 2016/2017 destinará R$ 185 bilhões de crédito aos produtores rurais brasileiros investirem em custeio e comercialização. De acordo com o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, a expectativa da nova safra é favorável. “O Brasil vai colher mais de 200 milhões de toneladas de grãos. As cotações no mercado internacional estão aquecidos, há previsão de preços remuneradores e os recursos programados são significativos.” As operações de custeio e comercialização com juros controlados contarão com R$ 115,6 bilhões. Os juros foram ajustados sem comprometer a capacidade de pagamento do produtor, com taxas que variam de 9,5% a 12,75% ao ano. Já os juros para agricultores enquadrados no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) são de 8,5%. Para os programas de investimento, o governo federal destinou R$ 34,045 bi. Atualmente a agricultura familiar mantém cerca de 12 milhões de pessoas economicamente ativas no campo, produzindo, gerando renda, interiorizando o desenvolvimento e alimentando os brasileiros. Segundo o diretor de Financiamento e Proteção à Produção da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA, João Luiz Guadagnin, o Pronaf tem uma inadimplência menor que 1%, “o que demonstra que os agricultores familiares sabem gerenciar seus empreendimentos, produzir, comercializar, obter renda e honrar seus compromissos”.

251


Pecuária

As expectativas do setor

O

s cenários para a agropecuária brasileira em 2017 são positivos. Segundo dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio deverá crescer 2% e a safra de grãos poderá alcançar o recorde de 215 milhões de toneladas. A melhora no desempenho será consequência, dentre outros fatores, da recuperação da produção agrícola, com chuvas mais regulares e o avanço do plantio dentro do calendário previsto. Em 2016, a safra de grãos teve sua maior queda em seis anos e totalizou 186 milhões de toneladas, por influência do fenômeno El Niño, marcado pela forte seca e excesso de chuvas, dependendo da região de plantio. Segundo o Superintendente Técnico da CNA, Bruno Lucchi, culturas como a soja, o milho, o algodão, o arroz e o feijão deverão recuperar produção e área plantada. Mas a melhora é gradativa e já vem caminhando ao longo dos últimos anos. O agronegócio aumentou sua participação nas exportações brasileiras de 46%, em 2015, para 48% em 2016. Com exceção de 2014, o setor foi o principal responsável por manter o superávit da balança comercial desde 2006. O destaque foi o complexo soja, Foto: Shutterstock com participação de 29% nos embarques. China, União Europeia e Estados Unidos continuam como os principais parceiros comerciais do Brasil, mas outros mercados têm se destacado, como o Irã. Financing dreams The National Program for Family Agriculture Strengthening (Pronaf) was created in 1995 with the purpose of financing individual or collective projects which generate revenue to family farmers and individuals benefited by the agrarian reform. The program has the lowest interest rates among rural financing, and also the lowest arrears rates amongst the country’s credit systems. In twenty years, the Program transformed the present of over 2.6 million family production units, generated revenue and made the use of family labor stronger. The credit was used for the increase of the harvested area and use of Technologies that enable the increase of production and also productivity of over 55 products that go to Brazilian tables. It has also been important for aggregating value to production, for supporting in-

252

dustrialization of agricultural products from individual family entrepreneurs and also family agriculture co-operatives, as well as for rural tourism and production of craftwork. And for the coming years the forecast is of continuous growth. The 2016/2017 Agriculture and Stockbreeding Plan will aim R$ 185 billion in credit for Brazilian rural producers to invest in defrayal and commercialization. According to Mapa’s Secretary for Agricultural Policy, Neri Geller, the forecast for the new harvest if favorable. “Brazil will harvest over 200 million tons of grains. The international Market quotes are heated, there is forecast for remunerating prices and the programmed resources are significant.” Defrayal and commercialization operations with controlled interest will be provided with R$ 115.6 billion. Interest was adjusted without compromising the producer’s pay-

ment capacity, with yearly rates that vary from 9.5% to 12.75%. Now, the interest rate for farmers qualified under the National Program for Support to the Mid-Size Rural Producer (Pronamp) is 8.5%. For investment programs, the Federal Government aimed R$ 34.045 billion. Presently, family agriculture keeps around 12 million people economically active in the countryside, producing, generating revenue, bringing development inland and feeding Brazilians. According to the MDA’s Director for Financing and Protection to Production from the Department of Family Agriculture, João Luiz Guadagnin, Pronaf has an arrears rate lower than 1%, “which shows family farmers know how to manage their enterprises, produce, commercialize, obtain revenue and honor their debts”.


Foto: Shutterstock

Sector expectations The scenarios for the Brazilian agrostockbreeding in 2017 are positive. According to data from Brazil’s Agriculture and Stockbreeding Confederation (CNA), the agribusiness’ Gross Domestic Product (GDP) shall grow 2% and the grains harvest may reach a record of 215 million tons. The improvement in performance will be consequence, among other factors, of the recovery of the agricultural production, with more regular rains and the advancement of the planting within the forecast schedule. In 2016, the grains harvest had its biggest fall in six years and equaled 186 million tons, due to the El Niño phenomena, marked by the heavy drought and excess rain, depending on the planting area. According to the CNA’s Technical Superintendent, Bruno Lucchi, cultures such as soy, corn, cotton, rice, and beans shall recover production and planted area. But the improvement is gradual and has been taking place over the past few years. Agribusiness increased its share on Brazilian exports from 46% in 2015 to 48% in 2016. Except for 2014, the sector was primarily responsible for keeping trade balance surplus since 2006. The highlight was the soy complex, with share of 29% in freights. China, European Union, and the United States are still Brazil’s main trade partners, but other markets have been noted, such as Iran.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

253


Artigo

Intensificação sustentável é realidade no agro brasileiro

O

Brasil é o único país no cinturão tropical do globo que foi capaz de conquistar a posição de potência agrícola. As tecnologias de manejo transformaram solos pobres em terra fértil. A tropicalização dos cultivos, com ciclos diferenciados, permitiu aproveitar terras em todas as condições climáticas. Os manejos e as práticas sustentáveis que desenvolvemos constituem um arsenal de defesa ambiental. Com seu dinamismo empreendedor, os produtores souberam combinar esses conhecimentos e aproveitar as oportunidades de mercado. Porém, a condição tropical tem lá seus ônus. Tamanha eficiência na produção de alimentos é constantemente posta à prova por toda sorte de estresses. Com a mesma pujança com que faz brotar as plantas, a abundância de sol e umidade acolhe e multiplica doenças e pragas. Os novos requerimentos do Código Florestal brasileiro e as alterações climáticas impõem limitações à ampliação de área para produção e aumentos nos custos. É por isso que o termo “Intensificação sustentável” ganha cada vez mais notoriedade. Produzir de forma mais intensiva e resiliente se tornou um imperativo para o Brasil e demanda sofisticação tecnológica que amplie a eficiência de uso dos recursos ambientais – especialmente água, solo e biodiversidade – e garanta serviços ecossistêmicos adequados, como reciclagem de resíduos, recomposição das reservas hídricas, melhoria da atmosfera, dentre outros.

254

Maurício Antônio Lopes - Presidente da Embrapa O Brasil chama a atenção do mundo pelo potencial de intensificação da sua agricultura. Uma grande extensão de nossas áreas agrícolas pode ser utilizada de maneira segura 365 dias ao ano, produzindo, no mesmo espaço, grãos, proteína animal, fibras, bioenergia e, em futuro próximo, químicos renováveis de biomassa. A Embrapa, apoiada por uma

rede de parceiros públicos e privados investe na intensificação baseada em tecnologias “poupa-recursos”, de baixa emissão de carbono e em ganhos na produtividade da terra, em sintonia com o novo Código Florestal e com o novo padrão de consumo definido por uma sociedade cada vez mais engajada nas causas ambientais.


Foto: Divulgação

O Plano ABC - “Agricultura de Baixa Emissão de Carbono” é uma arrojada política pública baseada nos resultados da pesquisa agropecuária brasileira e alinhada à resposta global às mudanças de clima. Visa ampliar a recuperação de pastagens degradadas, a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), o sistema de plantio direto (SPD), a fixação biológica de nitrogênio (FBN), as florestas plantadas e o tratamento de dejetos animais. Ampla pesquisa realizada em âmbito nacional apontou uma área de adoção de sistemas ILPF no Brasil que alcança a expressiva marca de 11,5 milhões de hectares, representando parte importante da resposta brasileira à mitigação e adaptação às mudanças do clima no planeta. Este resultado é parte da estratégia robusta de enfrentamento da mudança do clima pela agricultura brasileira, que avança na consolidação da capacidade adaptativa dos seus sistemas agrícolas, lastreada pela gestão do conhecimento e da inovação tecnológica, pela forte ênfase em transferência de tecnologia via parcerias público privadas, e sustentada na visão e empreendedorismo dos nossos agricultores, que percebem e respondem ao tempo de rápidas mudanças em que vivemos. Sustainable intensification is the Brazilian agribusiness reality Brazil is the only country in the world’s tropical belt that was capable of achieving the post of agricultural power. Handling techniques transformed poor soils in fertile land. Tropicalization of harvests, with different cycles, allowed the farmer to use land in all climatic conditions. Sustainable handling and practices we develop constitute an environmental defense arsenal. With their entrepreneurial dynamism, producers understood how to combine such knowledge and take advantage of market opportunities. However, the tropical condition has it onus. Such high food production efficiency is constantly put to the test by all sorts of stress. With the same strength it makes plants germinate, the abundance of sun and humidity hosts and

multiplies diseases and plagues. New requirements of the Brazilian Forest Code and the climatic alterations impose limitations to the extension of area for production and cost increase. This is why the term “sustainable intensification” gains increasing notoriety. Producing more intensive and resiliency became imperative to Brazil and requires technological sophistication that extends the efficiency of use in environmental resources – especially water, soil and biodiversity – and guarantees adequate ecosystemic services, such as residue recycling, reconstitution of hydric reserves, improvement of the atmosphere, among others. Brazil raises the world’s attention for the potential of intensification of its agriculture. A great extension of our agricultural areas may be used in a safe manner 365 days a year, producing in the same space, grains, animal protein, fibers, bioenergy and, in the near future, biomass renewable chemicals. Embrapa, supported by a network of public and private partners invests in intensification based in “resource saving” technologies, of low carbon emission and in land productivity gains, in conformity with the new Forest Code and the new consumption standard determined by a society increasingly engaged in environmental causes. The ABC Plan – “Low Carbon Emission Agriculture” is a bold public policy based on results of the Brazilian agriculture and stockbreeding and aligned to the global response to climate changes. It aims at extending the recovery of degraded pastures, farming-livestock-forest integration (ILPF), direct cultivation system (SPD), biological nitrogen fixation (FBN), planted forests and animal deject treatment. Broad national survey pointed out an area for adoption of ILPF systems in Brazil reaching the expressive mark of 11.5 million hectares, representing important part of the Brazilian response to the mitigation and adaptation to the planet’s climatic changes. Such result is part of the robust strategy of climate change confrontation by Brazilian agriculture, advancing in the consolidation of the adaptive capability of its agricultural systems, screened by knowledge management and technological innovation, by the strong emphasis in technology transfer through public private partnerships, and supported by our farmers’ vision and entrepreneurship, who note and respond to the fast-changing times we live in. Maurício Antônio Lopes Embrapa President

w w w.vozdebrasi li a .com .br

255


Saúde

Saúde pública brasileira

Programas do governo voltados para o bem-estar da população

S

Foto: Shutterstock

empre ouvimos que “é dever do Estado garantir saúde a toda a população”, mas o que é realmente significa? Na realidade isso foi determinado na Constituição Federal de 1988 e, para tanto, O Ministério da Saúde criou o Sistema Único de Saúde (SUS). Em 1990, o Congresso Nacional aprovou a Lei Orgânica da Saúde que detalha o funcionamento do Sistema. Mas este assunto é um pouco mais complexo, pois a promoção da saúde consiste nas atividades dirigidas à transformação dos comportamentos dos indivíduos, focando nos seus estilos de vida e promovendo uma modificação na sua maneira de pensar e agir. Por isso, o Ministério da Saúde não criou apenas o SUS, mas outros diversos planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros. Embora a história da Saúde Pública Brasileira tenha início em 1808, o Ministério só foi instituído em 1953, com a Lei nº 1.920. Ao longo destes mais de cinquenta anos de existência, o ministério passou por diversas reformas em sua estrutura. Mas atualmente está consolidado e com diversos programas em andamento. É, portanto, função do ministério dispor de condições para a proteção e recuperação da saúde da população, reduzindo as enfermidades, controlando as doenças endêmicas e parasitárias e melhorando a vigilância à saúde, dando, assim, mais qualidade de vida ao brasileiro. Os desafios para a promoção da saúde, particularmente junto à população, sem dúvida, são múltiplos, se levarmos em conta que os fatores que as colocam em situação de risco se originam nos diferentes níveis de seu contexto de vida, incluindo desde o microssistema familiar, até o macro sistema social, cultural, político e econômico. Brazilian public health Government programs aimed at the populations well being We always hear “it is the duty of the State to assure health to the entire population”, but what exactly what does that mean? In reality, this was determined in the 1988 Federal Constitution and, for such, the Ministry of Health created the Single Health System (SUS). In 1990, the National Congress approved the Health Fundamental Law detailing the System’s operation. But this issue is a bit more complex, as advancement of health consist sin activities guided to transformation of individual’s behaviors, focusing on their lifestyles and promoting a change on their way of thinking and acting.

256


Confira a seguir algumas ações e programas do Ministério da Saúde: Provab

S

empre ouvimos que “é dever do Estado garantir saúde a toda a população”, mas o que é realmente significa? Na realidade isso foi determinado na Constituição Federal de 1988 e, para tanto, O Ministério da Saúde criou o Sistema Único de Saúde (SUS). Em 1990, o Congresso Nacional aprovou a Lei Orgânica da Saúde que detalha o funcionamento do Sistema. Mas este assunto é um pouco mais complexo, pois a promoção da saúde consiste nas atividades dirigidas à transformação dos comportamentos dos indivíduos, focando nos seus estilos de vida e promovendo uma modificação na sua maneira de pensar e agir. Por isso, o Ministério da Saúde não criou apenas o SUS, mas outros diversos planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros. Embora a história da Saúde Pública Brasileira tenha início em 1808, o Ministério só foi instituído em 1953, com a Lei nº 1.920. Ao longo destes mais de cinquenta anos de existência, o ministério passou por diversas reformas em sua estrutura. Mas atualmente está consolidado e com diversos programas em andamento.

Academia da Saúde

L

ançado em abril de 2011, o Programa Academia da Saúde estimula a criação de espaços públicos adequados para a prática de atividade física e de lazer. O objetivo é promover práticas corporais e atividade física, promoção da alimentação saudável, educação em saúde, entre outros, além de contribuir para produção do cuidado e de modos de vida saudáveis e sustentáveis da população. Para tanto, o Programa promove a implantação de polos do Academia da Saúde, que são espaços públicos dotados de infraestrutura, equipamentos e profissionais qualificados. A ideia do programa surgiu inspirada em algumas inciativas que vinham sendo desenvolvidas em Recife, Curitiba, Vitória, Aracaju e Belo Horizonte. Essas experiências locais tinham em comum a prática da atividade física e outras práticas corporais, a presença de profissionais orientadores, o uso e a potencialização de espaços públicos como espaços de inclusão, de participação, de lazer, de promoção da cultura da paz, além de serem custeadas e mantidas pelo poder público. A avaliação positiva dessas experiências reforçou a ideia do fortalecimento de iniciativas semelhantes em todo o país na forma de um programa nacional no âmbito do Sistema Único de Saúde.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Thus, the Ministry of Health not only created SUS, but several other public plans and policies aimed at advancement, prevention and support to Brazilian’s health. Despite the history of Brazilian Public having started in 1808, the Ministry was only instituted in 1953, with Law 1,920. Throughout almost fifty years of existence, the Ministry underwent several changes on its structure, but presently it is consolidated and has several ongoing programs. It is, therefore, role of the Ministry to provide conditions for protection and recovery of the population’s health, reducing illnesses, controlling endemic and parasitic diseases and improving health surveillance, thus providing more quality of life to Brazilians. Challenges for advancement of health, especially along the population, without a doubt, are various, if we account that risks factors originate in different levels of their life context, including the family microsystem, until the social, cultural, political and economic systems. Check out some Ministry of Health’s actions and programs: Provab The program takes more physicians closer to the needy population, stimulating recently graduated health professionals to work in regions characterized by a scarcity of doctors. It especially broadens the assistance to SUS users who still have difficulty in accessing health services and professionals. With that, regional inequalities connected to the presence and continuity of health professional diminish. Thus, PROVAB appeared as a means of expanding and improving quality in medical support, making health professionals available in localities

257


Saúde

Saúde da Família

O

objetivo do Saúde da Família é atuar na manutenção da saúde e na prevenção de doenças, alterando, assim, o modelo de saúde centrado em hospitais. Para isso a equipe médica atende em domicílio, intervindo também sobre os fatores de risco aos quais a população está exposta, por exemplo, se está próximo a área de criação de mosquitos da dengue. Criado em 1993, o programa já atendeu mais de 100 milhões de pessoas. A Saúde da Família é entendida como uma estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes multiprofissionais em unidades básicas de saúde. Estas equipes são responsáveis pelo acompanhamento de um número definido de famílias, localizadas em uma área geográfica delimitada. As equipes atuam com ações de promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais frequentes.

Mais Médicos

O

Foto: Shutterstock

Programa Mais Médicos (PMM) é parte de um amplo esforço do Governo Federal, com apoio de estados e municípios, para a melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Além de levar mais médicos para regiões onde há escassez ou ausência desses profissionais, o programa prevê, ainda, mais investimentos para construção, reforma e ampliação de Unidades Básicas de Saúde (UBS), além de novas vagas de graduação, e residência médica para qualificar a formação desses profissionais.

258

characterized by poverty, such as outskirts of metropolitan areas, riverside communities, quilombolas, indigenous communities, and also remote areas of the Amazon and northeastern semiarid. Therefore, PROVAB – considered as the largest program for internalization of doctors in Brazil – was created aiming at stimulating and valuing the professional working in multi-professional teams in basic and strategic family health support, attracting recently graduated professionals to areas generally not duly supported by public entities. Health Gym Released in April 2011, the Health Gym Program stimulates the creation of public areas adequate for the practice of physical and leisure activities. The purpose is to promote body and physical practices and activities, fostering healthy nutrition, health education, among others, and also contribute for the evolution of the population’s healthy and sustainable lifestyles. For such, the Program promotes implementation of Health Gym centers, public spaces with infrastructure, equipment and qualified professionals. The program idea was developed inspired in a few initiatives being developed in Recife, Curitiba, Vitória, Aracaju and Belo Horizonte. These local experiences had in common the practice of physical activities and other bodily practices, the presence of guiding professionals, the use and enhancement of public spaces as spaces for inclusion, participation, leisure, fostering of culture of peace, aside from being funded and maintained by the public power. The positive evaluation of such experiences emphasized the strengthening of similar activities all over the country via a national program in scope of the Single Health System. Family Health The purpose of Family Health is to operate in health maintenance and prevention of illnesses, thus altering the health model centered in hospitals. For that, the medical team goes to the patient home, intervening also on risk factors to which the population is exposed, for example, if they are near an area of dengue fever mosquitoes. Created in 1993, the program already provided support to over 00 million people. Family Health is understood as a reorientation strategy for the assistance model, operationalized upon implementation of multi-professional teams in basic health units. Such teams are responsible for following up a determined number of families, located in a delimited geographic area. The teams operate with actions of health promotion, prevention, recovery, rehabilitation of illnesses and more frequent grievances. More Physicians The More Physicians Program (PMM) is part of a broad effort from the Federal Government with support from states and municipalities aimed at improving support to Single Health System (SUS) users. Besides taking more physicians to regions with shortage or absence of such professionals, the


Foto: Shutterstock

Melhor em Casa

L

ançado em 2011, o programa amplia o atendimento domiciliar aos brasileiros no Sistema Único de Saúde (SUS). O princípio é oferecer, aos pacientes da rede pública de saúde, um serviço humanizado e acolhedor. O Melhor em Casa é um serviço indicado para pessoas que apresentam dificuldades temporárias ou definitivas de sair do espaço da casa para chegar até uma unidade de saúde, ou ainda para pessoas que estejam em situações nas quais a atenção domiciliar é a mais indicada para o seu tratamento. A atenção domiciliar visa a proporcionar ao paciente um cuidado mais próximo da rotina da família, evitando hospitalizações desnecessárias e diminuindo o risco de infecções, além de estar no aconchego do lar. Conforme a necessidade do paciente, esse cuidado em casa pode ser realizado por diferentes equipes. Quando o paciente precisa ser visitado de maneira mais espaçada, por exemplo, uma vez por mês, e já está mais estável, este cuidado pode ser realizado pela equipe de Saúde da Família/Atenção Básica de sua referência. Já nos casos em que o paciente precisa ser visitado semanalmente ou mais, ele poderá ser acompanhado por equipes específicas de Atenção Domiciliar, como as que fazem parte do Programa Melhor em Casa. O atendimento é realizado por equipes multidisciplinares, formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social. Outros profissionais (fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional e farmacêutico) poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Assim, o programa busca resolver a questão emergencial do atendimento básico ao cidadão, mas também cria condições para continuar a garantir um atendimento qualificado no futuro para aqueles que acessam cotidianamente o SUS. Além de estender o acesso, o programa provoca melhorias na qualidade e humaniza o atendimento, com médicos que criam vínculos com seus pacientes e com a comunidade. O Mais Médicos se somou a um conjunto de ações e iniciativas do governo para o fortalecimento da Atenção Básica do país. A Atenção Básica é a porta de entrada preferencial do Sistema Único de Saúde (SUS), que está presente em todos os municípios e próxima de todas as comunidades. É neste atendimento que 80% dos problemas de saúde são resolvidos. program also provides investments on construction, renovation and expansion of Basic Health Units (UBS), and also new positions for graduation and medical internship so as to qualify their education. Thus, the program seeks to resolve the emergency situation of basic support to the citizens, but also creates conditions for continuance of qualified support in the future for those routinely accessing SUS. Besides extending the access, the program triggers improvements in quality and humanizes support, with physicians bonding with their patients and the community. The More Physicians added to a set of government actions and initiatives aimed at strengthening the country’s Basic Support. Basic Support is the preferred gateway to the Single Health System (SUS), present in all municipalities and next to all communities. It is at such support that 80% of health problems are solved. Better at Home Release in 2011, the program expands home support to Brazilians under the Single Health System (SUS). The principle is to offer to public network patients a humanized and warm service. The Better at Home is a service indicated for people presenting temporary or permanent difficulties of moving away from their home so as to reach a health unit, or even for people who are in situations where home care is more indicated for their treatment. Home support aims at providing the patient care closer to the

259


Saúde

Farmácia Popular

P

rograma criado pelo ministério para ampliar acesso da população a medicamentos essenciais, vendidos a preços mais baixos que os praticados no mercado. Além dos medicamentos gratuitos para hipertensão, diabetes e asma, o Programa oferece mais 11 itens, entre medicamentos e a fralda geriátrica, com preços até 90% mais baratos utilizados no tratamento de dislipidemia, rinite, mal de Parkinson, osteoporose e glaucoma, além de contraceptivos e fraldas geriátricas para incontinência urinária. O “Aqui Tem Farmácia Popular” visa a atingir aquela parcela da população que não busca assistência no SUS, mas tem dificuldade para manter tratamento medicamentoso devido ao alto preço dos medicamentos. Neste sentido, uma das ações do Plano Brasil Sem Miséria, criado em 2011, com o objetivo de elevar a renda e as condições de bem-estar da população, rompendo barreiras sociais, políticas, econômicas e culturais, consiste na distribuição de medicamentos para hipertensos e diabéticos por meio do Programa Farmácia Popular do Brasil.

Cartão Nacional de Saúde

260

Foto: Shutterstock

P

rograma criado pelo ministério para ampliar acesso da população a medicamentos essenciais, vendidos a preços mais baixos que os praticados no mercado. Além dos medicamentos gratuitos para hipertensão, diabetes e asma, o Programa oferece mais 11 itens, entre medicamentos e a fralda geriátrica, com preços até 90% mais baratos utilizados no tratamento de dislipidemia, rinite, mal de Parkinson, osteoporose e glaucoma, além de contraceptivos e fraldas geriátricas para incontinência urinária. O “Aqui Tem Farmácia Popular” visa a atingir aquela parcela da população que não busca assistência no SUS, mas tem dificuldade para manter tratamento medicamentoso devido ao alto preço dos medicamentos. Neste sentido, uma das ações do Plano Brasil Sem Miséria, criado em 2011, com o objetivo de elevar a renda e as condições de bem-estar da população, rompendo barreiras sociais, políticas, econômicas e culturais, consiste na distribuição de medicamentos para hipertensos e diabéticos por meio do Programa Farmácia Popular do Brasil.


Pronto Atendimento

A

s UPA 24h são estruturas de complexidade intermediária, entre as Unidades Básicas de Saúde e as portas de urgência hospitalares, que, em conjunto com estas, compõem uma rede organizada de Atenção às Urgências. O objetivo é diminuir as filas nos prontossocorros dos hospitais, evitando que casos que possam ser resolvidos nas UPAS, ou unidades básicas de saúde, sejam encaminhados para as unidades hospitalares. As UPAs funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, e podem resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame. As UPAs inovam ao oferecer estrutura simplificada - com Raio X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Nas localidades que contam com as UPAs, 97% dos casos são solucionados na própria unidade. Quando o paciente chega às unidades, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê -lo em observação por 24h. Ao discar o número 192, o cidadão estará ligando para uma central de regulação que conta com profissionais de saúde e médicos treinados para dar orientações de primeiros socorros por telefone. São estes profissionais que definem o tipo de atendimento, ambulância e equipe adequado a cada caso. Há situações em que basta uma orientação por telefone. O SAMU/192 atende pacientes na residência, no local de trabalho, na via pública, ou seja, através do telefone 192 o atendimento chega ao usuário onde este estiver. SAMU 192 e UPA 24h trabalham integrados no atendimento às urgências e emergências.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

family’s routine, avoiding unnecessary hospitalization and decreasing the risk of infections, and also being at the shelter of home. According to the patient’s needs, such care may be performed by different teams. When the patient needs to be visited less often, for example once a month, and is more stable, such care may be performed by the Family Health/ Basic Support team of their choice. On the other hand, cases where the patient needs to be visited weekly or more often, he or she may be followed by specific Home Support teams, such as those from the Better at Home Program. Support is performed by multidisciplinary teams made up primarily by physicians, nurses, nursing and physical therapy technicians or social worker. Other professionals (speech therapist, nutritionist, dentist, psychologist, occupational therapist and pharmaceutic) may compose support teams. Each team may provide support on average to 60 patients simultaneously. Popular Pharmacy Program developed by the Ministry so as to expand the population’s access to basic medications, sold at lower prices than those practiced by the market. Aside from free medication for hypertension, diabetes and asthma, the program offers another 11 items with prices up to 90% lower, and used in the treatment against dyslipidemia, Parkinson’s, osteoporosis and glaucoma, to contraceptives and geriatric diapers for urinary incontinence. The “Here We Have Popular Pharmacy” aims at reaching that part of the population which does not seek support at the SUS, but has difficulties to maintain a drug treatment due to high prices. For that matter, an action from Brazil Without Misery Plan, created in 2011 with the purpose of raising the population’s revenue and wellbeing conditions and breaking social, political, economic and cultural barriers, consists in the distribution of medications for hypertensive and diabetic patients through Brazil’s Popular Pharmacy Program. National Health Card The National Health Card is an instrument that enables the connection of procedures under the scope of the Single Health System (SUS) performed to the user to the professional performing them and also to the health unit where they were performed. Even vaccines taken at public units are recorded. For such, it is necessary the development of a user, health professionals and units. From such registers, SUS users and health professionals receive a national identification number. Quick Support The UPA 24hs are structures of intermediate complexity, between Basic Health Units and hospital emergencies that, along with these, compose an organized network of emergency support. The purpose is decreasing lines in emergency rooms in hospitals, avoiding that cases that could be solved at the UPAS, or Basic Health Units, are forwarded to hospital units. The UPAs operate 24 hours a day, 7 days a week, and can solve good part of the urgencies and emergencies, such as pressure and high fever,

261


Saúde

Humaniza SUS

A

Política Nacional de Humanização aposta em estratégias construídas por gestores, trabalhadores e usuários do SUS para qualificar a atenção e gestão em saúde

Doação de Órgãos

C

Foto: Shutterstock

onscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos é uma das ações do Ministério da Saúde. O transplante de órgãos é a única alternativa para muitos pacientes portadores de algumas doenças terminais. Ao mesmo tempo, é preocupante a crescente desproporção entre a alta demanda por transplantes de órgãos e o baixo índice de transplantes efetivados. Dentre as diferentes causas que alimentam essa desproporção, estão os equívocos na identificação do potencial doador de órgãos e as contraindicações mal atribuídas pela equipe assistente.

262

fractures, cuts, heart attacks, and strokes. The UPAs innovate offering a simplified structure – with X-ray, electrocardiography, pediatrics, exam laboratories and observations beds. In localities with UPAs, 97% of cases are solved at the unit itself. When the patient arrives at the units, the physicians provide emergency support, control the problem and detail diagnosis. They analyze the need or not for forwarding the patient to a hospital or keeping him or her under observation for 24h. Dialing 192, the individual will call a regulation central teamed with trained health professionals and physicians for providing emergency orientations over the phone. These professionals determine the type of support, ambulance and team adequate for each case. There are situations when a simple guidance over the phone is sufficient. SAMU/192 provides support to patients at home, at the workplace, in public venues, in other words, through the 192 phone number, support arrives wherever the user is. SAMU 192 and UPA 24h work integrated for the support to urgencies and emergencies. HumanizaSUS The National Humanization Policy bets on strategies built by managers, workers and SUS users in order to qualify the attention and management in health. Organ Donation Raising the population’s awareness on the importance of organ donation is one of the Ministry of Health’s actions. Organ transplant is the only alternative for many patients bearing some terminal illnesses. At the same time, it is alarming the growing disparity between the high demand for transplants and low rate of performed transplants. Among the different causes feeding such disparity are the errors in the identification of potential organ donors and support team’s ill attributed contraindications.


SAMU

P

QualiSUS Rede

O

Projeto QualiSUS-Rede foi instituído como estratégia de apoio à organização de redes de atenção à saúde. O objetivo é contribuir, no âmbito do SUS, para a qualificação da atenção, gestão em saúde e gestão e desenvolvimento de tecnologias, por meio da organização de redes regionais e da qualificação do cuidado da saúde. Trata-se de mais uma iniciativa para o desenvolvimento do SUS. Uma intervenção estruturada, conjunta e controlada a fim de propiciar a sistematização e a disseminação de experiências e modelos que objetivam apoiar a consolidação de um sistema integrado de serviços de saúde, estruturado por meio de Redes de Atenção à Saúde. Sua forma de operacionalização tem como princípio a construção de uma intervenção unificada do Ministério da Saúde em articulação com Estados e municípios, com duração e recursos definidos. O Projeto QualiSUS-Rede destina-se à implantação de quinze experiências de redes de atenção à saúde (RAS) nos vários estados brasileiros, sendo dez experiências em Regiões de Saúde, vinculadas às regiões metropolitanas (RM), e cinco Regiões denominadas Tipo, segundo singularidades. As 15 regiões escolhidas contemplam a participação de todas as regiões do país, possibilitando a presença da diversidade nacional e incor-

Foto: Shutterstock

restar socorro à população em casos de urgência é a finalidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência. O socorro é feito após a chamada para o telefone 192. É um serviço gratuito, que funciona 24 horas, por meio da prestação de orientações e do envio de veículos tripulados por equipe capacitada e acionado por uma Central de Regulação das Urgências. O SAMU realiza os atendimentos em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas, e conta com equipes que reúne médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e condutores socorristas. Atualmente, o SAMU 192 atende 75% da população brasileira: 149,9 milhões habitantes, distribuídos em 2921 municípios com acesso ao SAMU 192 no território nacional.

porando as singularidades das regiões de saúde e suas bases territoriais. Resulta de um amplo processo de discussão que envolve representantes de todas as Secretarias do Ministério da Saúde, além da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

SAMU Providing support to the population in urgency and emergency cases is a purpose for the Mobile Urgency and Emergency Support Service. Help is provided after a call to the 192 number. It is a free service operating 24 horas a day, providing guidance and sending units manned by qualified team and engaged by an urgency Regulation Agency. SAMU provides support anywhere: homes, workplace, and public areas, and has teams with physicians, nurses, nursing aids and rescuer drivers. Presently, SAMU 192 provides support to 75% of the Brazilian population: 149.9 million people, distributed through 2,921 municipalities with access to SAMU 192 in the national territory. QualiSUS – Rede The QualiSUS-Rede Project was instituted as a strategy of support to health support organization networks. The purpose is to contribute, in the SUDS scope, for the qualification of support, management in health and management and development of technologies, throu-

263


Saúde

Foto: Shutterstock

Controle do Tabagismo

D

esde o final da década de 1980, sob a ótica da promoção da saúde, a gestão e a governança do controle do tabagismo no Brasil vêm sendo articuladas pelo Ministério da Saúde através do INCA, o que inclui as ações que compõem o Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT). O Programa tem como objetivo reduzir a prevalência de fumantes e a consequente morbimortalidade relacionada ao consumo de derivados do tabaco, seguindo um modelo no qual ações educativas, de comunicação, de atenção à saúde, associadas às medidas legislativas e econômicas, se potencializam para prevenir a iniciação do tabagismo, promover a cessação de fumar e proteger a população da exposição à fumaça ambiental do tabaco.

264

gh the organization of regional networks and qualification of health care. This is another initiative for the development of SUS. A structured, joint and controlled intervention so as to enable the systematization and dissemination of experiences and models aiming at support the consolidation of an integrated health services system, structured by means of Health Support Networks. Its means of operationalization has as principle the development of unified intervention from the Ministry of Health in conjunction with states and municipalities, with determined duration and resources. The QualiSUS-Rede Project aims at the implementation of fifteen experiences from Health Support Networks (RAS) in several Brazilian states, with ten experiences in Health Regions connected to Metropolitan Regions (RM), and


Não para por aí! Foto: Shutterstock

five Regions called Type, according to specificities. The 15 chosen regions contemplate the participation of all of the country’s regions, providing participation of the national diversity and incorporating singularities from health regions and their territorial centers. It is result of a broad discussion process involving representatives from all Ministry of Health’s departments, and also Oswaldo Cruz Foundation (FIOCRUZ), National Health Surveillance Agency (ANVISA), National Supplementary Health Agency (ANS), National Council of State Health Secretaries (CONASS), National Council of Municipal Health Departments (CONASEMS) and State and Municipal Health Departments. Control of Tobacco Use Since the end of the 1980s, under the health promotion viewpoint, management and governance of tobacco use control in Brazil has been articulated by the Ministry of Health through INCA, including actions composing the National Program for Tobacco Use Control (PNCT). The program has the purpose of reducing the prevalence of smokers and consequent morbimortality related to the use of tobacco derivatives, following a model where educational, communication, attention to health actions, associated to legislative and economic measures, maximize themselves order to prevent the onset of tobacco use, lém de todas essas ações e programas do Ministério da Saúde que in promote suspension of tobacco use and proabordamos até agora, também temos o PNAN (Política Nacional tection of the population against exposure to de Alimentação e Nutrição), que tem o propósito de garantir qua- tobacco’s environmental smoke. It doesn’t stop here! lidade dos alimentos disponíveis para consumo no país, bem como de proAside from all these actions and programs mover práticas alimentares saudáveis, além de prevenir e controlar distúrbios from the Ministry of Health approached until nutricionais. É importante também enfatizar que essa política atua junto com now, we also have the PNAN (National Food o Programa Bolsa Família, auxiliando as famílias que estão em situação de and Nutrition Policy), with the purpose of assuring the quality of the food ready for conpobreza e extrema pobreza. sumption in the country, as well as stimulating O Ministério também atua com a Rede Brasileira de Bancos de Leite healthy nutritional practices, and preventing Humano, criada em 1998, pelo Ministério da Saúde e pela Fundação Oswal- and controlling nutritional disorders. It is also do Cruz (Fiocruz), tem o objetivo de promover a expansão quantitativa e important to emphasize that today’s policy acts along the Bolsa Família Program, aiding famiqualitativa dos bancos de Leite Humano no Brasil, mediante integração e lies in poverty and extreme poverty situation. construção de parcerias entre órgãos federais, iniciativa privada e sociedade. The Ministry also operates along the Brazi E para fechar este assunto, porque saúde bucal também é impor- lian Human Milk Bank Network, created in 1998, by the Ministry of Health and Oswaltantíssima, o Programa do governo federal Brasil Sorridente, tem mudado a do Cruz Foundation (FIOCRUZ), with the atenção da saúde bucal no Brasil. Ao garantir ações de promoção, prevenção objective of promoting the quantitative and e recuperação da saúde bucal da população brasileira, o Brasil Sorridente re- qualitative expansion of human milk banks Brazil through the integration and develoúne uma série de ações para ampliação do acesso ao tratamento odontológi- in pment of partnerships between federal agenco gratuito, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). cies, private initiative and society. And closing this theme, as oral health is also extremely important, the Federal Government’s program Smiling Brazil has been changing the attention of oral health in Brazil. Guaranteeing actions for oral health promotion, prevention and recovery in the Brazilian population, Smiling Brazil gathers several actions for the expansion of access to free dental treatment, through the Single Health System (SUS).

A

w w w.vozdebrasi li a .com .br

265


Cultura

Cultura

Brasil, um encontro de etnias Foto: Ivo Lima/ME/Divulgação

Cada região possui seus costumes e encantos particulares

Q

uando falamos em cultura podemos nos estender aqui por horas, abordando todas as definições dessa palavra, que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, os costumes e todos os hábitos e capacidades adquiridos. O ser humano é essencialmente cultural. Ele nasce, vive e morre imerso em uma determinada cultura, com seus modos de vida, língua, rituais, instituições, conhecimento e valores próprios. Por isso, ele vê o mundo a partir de sua própria cultura. Dentro desse tecido cultural em que vivemos e nos desenvolvemos, podemos fazer um recorte específico da cultura, igualmente importante para que nos tornemos seres humanos completos: diversidade cultural. O fato é que a diversidade cultural no Brasil é enorme, justamente por apresentar uma grande dimensão territorial, além de uma história de colonização diferente para cada região, já que os principais disseminadores são os colonizadores europeus, a população indígena e os escravos africanos. Posteriormente, os imigrantes italianos, japoneses, alemães, poloneses, árabes, entre outros, contribuíram para a pluralidade cultural do Brasil. A diversidade cultural refere-se aos diferentes costumes de uma sociedade, entre os quais podemos citar: vestimenta, culinária, manifestações religiosas, tradições, entre outros aspectos. O Brasil, por conter um extenso território, apresenta dife-

266

renças climáticas, econômicas, sociais e culturais entre as suas regiões. Por exemplo, no Nordeste temos principais manifestações populares o bumba meu boi, maracatu, carnaval e frevo. Já o Norte traz as duas maiores festas populares, são elas o Cério de Nazaré (em Belém) e o Festival de Parintins. A cultura do Centro -Oeste oferece a cavalhada e a Região Sul festas típicas como a Festa da Uva e a Oktoberfest. O Sudeste é forte nos elementos culturais como os festejos de páscoa e outros santos padroeiros. Cada região oferece também uma culinária típica. Exemplificando, o Brasil é resultado de um encontro de etnias. Marcas culturais do povo nativo, do homem branco, como também do negro constroem a cultura nacional, que é a principal identidade de um povo. Contudo, o seu acesso ainda é bastante deficitário e desigual no território brasileiro. A cultura é uma forma de entretenimento, mas também de formação de caráter. Além disso, é uma ferramenta para a educação e crescimento do país. Entretanto, os contatos com os diversos tipos de produção culturais continuam sendo parciais, com pouca inclusão social e investimentos. Um dos sentidos de democratizar a cultura é ampliar o acesso aos bens culturais universais, já existentes, permitindo que as pessoas construam o seu modo próprio de ser e de participar na comunidade e na sociedade como um todo. Ampliar a distribuição e a compreensão da produção cultural, em vez de


Foto: Ivo Lima/ME/Divulgação

adaptá-la ou facilitá-la, enfraquecendo -a, permite que nós nos apropriemos de instrumentos de expressão e possamos construir uma consciência crítica diante do mundo em que vivemos. O acesso à cultura envolve vários aspectos: o acesso físico implica em melhor distribuição geográfica dos equipamentos culturais e o transporte fácil e seguro para que todos, da periferia, do centro, dos subúrbios, possam chegar facilmente e com segurança aos locais onde os eventos culturais acontecem; o acesso econômico diz respeito aos custos de participar da vida cultural da cidade ou de uma comunidade, custos esses que precisam ser subvencionados tanto para que a criação quanto o consumo sejam possíveis para todos os membros da população; e o acesso intelectual, ou seja, a compreensão das linguagens da arte, da história e do contexto social em que a cultura é criada. O acesso intelectual propicia uma compreensão mais profunda de um produto cultural e pressupõe dois trabalhos: o de formação de público e o de formação de agentes culturais. Enquanto se discute como enfrentar o desafio da inclusão digital, muitas cidades brasileiras não passaram sequer pelo processo de inclusão cultural. Milhões de cidadãos estão distantes não só dos computadores, mas também dos livros, discos e filmes. Segundo o IBGE, são os habitantes dos 1.185 municípios que não possuem bibliotecas públicas, ou dos 5.141 que não têm sequer uma sala de cinema. Não podemos desmerecer o que já foi feito e, o que está sendo feito, mas ainda temos um longo caminho pela frente. Culture Brazil, a gathering of cultures Each region has its own specific customs and appeal When speaking about culture we could spend hours here approaching all definitions of such word, including knowledge, beliefs, art, customs, and all practices and acquired capacities. The human being is essentially cultural. He/ she is born, lives and dies immerse in a specific culture, with its lives, languages, rituals, institutions, knowledges and own values. And that is why he/she sees the world from his/her own culture’s perspective. Within such cultural fabric where we live and develop, we can make a specific design of culture, equally important for us to become full human beings: cultural diversity. The fact is that cultural diversity in Brazil is huge, exactly for the enormous territorial dimension, and also a history of different colonization in each region, as the main disseminators are European colonizers, indigenous population and African slaves. Subsequently, the Italian, Japanese, German, Polish, Arab immigrants among others contributed to Brazil’s cultural plurality. The cultural diversity refers to different customs of a society, mentioning: clothing, cuisine, religious manifestations, traditions, and other aspects. Brazil, for having an extensive territory, has climatic, economic, social and cultural differences between its regions. As an example, in the northeast region we have as main folkloric manifestation the bumba meu boi, maracatu, carnaval and frevo. The north region brings greater popular festivities, namely Cério de Nazaré (in Belém) and Festival de Parintins. The mid-east culture offers the Cavalhada and the south region its typical festivities such as Festa da Uva and Oktoberfest. The southeast is strong in cultural elements such as Easter festivities and other patron saints. Each region also offers typical cuisine. Exemplifying, Brazil is a result of a gathering of ethnicities. Cultural marks of the native people, the white man, and also the Africans build the national cultu-

re, the main identity of a people. However, access to such culture is still strongly scarce and unequal throughout the Brazilian territory. Culture is a means of entertainment, and also character shaping. In addition, it is a tool for education and growth of a country. However, contacts with several types of cultural production continue being biased, with little social inclusion and investments. One of the purposes of democratizing culture is broadening the access to universal cultural assets already in existence, allowing people to build their own beings and participating in communities and societies as a whole. Broadening the distribution and understanding of cultural production, instead of adapting or facilitating it, weakening it, enables us to take control of expression instruments and to build a critical conscience in face of the world we live in. Access to culture involves various aspects: physical access implies in better geographic distribution of the cultural equipment and easy and safe transport for all, from the outskirts, downtown, suburbs to easily and safely reach the venues where cultural events take place; economic access regards costs to participate in the city or community’s cultural life, costs that need to be subsidized for the creation and the consumption to be possible for all members of the population; and the intellectual access, that is, understanding of the arts’ language, of the history and social context where culture is created. The intellectual access enables a deeper understanding of a cultural product and assumes two works: of development of audiences and of cultural agents. While we discuss how to face the challenge of digital inclusion, many Brazilian cities have yet to undergo the process of cultural inclusion. Millions of citizens are distant not only from computers, but also from books, records, and movies. According to IBGE, these are the residents from the 1,185 municipalities with no public libraries, or from the 5,141 with not even a single movie theater. We cannot disregard what has already been done and what is being done, but we have still a long path ahead of us.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

267


Cultura

No caminho certo O

Grande esforço tem sido feito em direção ao planejamento e à criação de sistemas de gestão – cultura, museus, patrimônio – que integrem os três níveis de governo, setor privado e comunidade. Além disso, os recursos humanos, especialmente no governo federal, têm sido recompostos com novas contratações de funcionários. Essa não é, no entanto, uma realidade nacional, em que a gestão da cultura, especialmente nos municípios, é ainda muito débil e muito sujeita a oscilações.

ME ima/ Ivo L : o t Fo

u /Div

lgaçã

o

Foto: Ivo

Lima

/ME/

Divu lgaçã o

crescimento do consumo, da inovação e do entretenimento dinamiza a indústria cultural no Brasil, entretanto, refletindo a tendência mundial, esse é um setor de forte tendência à concentração. Mais uma vez, depara-se, de um lado, com a oportunidade de reforço de setores mais dinâmicos da indústria cultural como o audiovisual, a música, o design e, de outro, com sérias limitações de distribuição, acesso e de mão-de-obra qualificada quando se trata de setores com maiores exigências tecnológicas.

268


On the right path Growth of consumption, innovation and entertainment boosts the cultural industry in Brazil, however, reflecting the world trend, this is a sector with strong trend for concentration. Again, we face, on one side, the opportunity of support from more dynamic sectors of the cultural industry such as audiovisual, music, design, and on the other, serious limitations for distribution, access and skilled labor regarding sectors with higher technological requirements. Great efforts have been made towards planning and development of management systems – culture, museums, heritage – that integrate the three levels of government, private sector and community. In addition, human resources, especially in the federal government, have been restored with the contracting of new employees. This is not, though, a national reality, where the issue of culture, especially in municipalities, is still extremely weak and subject to oscillations. The need to learn the dimension of the ongoing transformations stumbles upon the fragility or even the absence of indicators of access, demand and consumption of culture providing subsidies for the development of policies. For this reason, efforts are being undertaken through partnerships for the development of studies capable of identifying the extent of relations between culture and the economy. There is the need for creation of new systems and tools for asset management, that, in the case of Brazil, directly relate to urban issues, to housing and conditions of life. The cultural policies targeting of state and municipal levels may favor the overcoming of such picture and enhance cultural diversity as a factor of development sustainability.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Ivo Lima/ME/Divulgação

Foto: Ivo

Lima

/ME/

Divulg ação

A necessidade de apreender a dimensão das transformações em curso esbarra na fragilidade ou mesmo na ausência de indicadores de acesso, demanda e consumo de cultura que forneçam subsídios para a formulação das políticas. Por essa razão, esforços têm sido empreendidos por meio de parcerias para o desenvolvimento de estudos capazes de identificar a extensão das relações entre a cultura e a economia. Existe a necessidade de criação de novos sistemas e instrumentos de gestão do patrimônio, que, no caso do Brasil, relacionam-se diretamente às questões urbanas, à habitação e às condições de vida. A focalização das políticas culturais nos níveis estaduais e municipais pode favorecer a superação desse quadro e reforçar a diversidade cultural como fator da sustentabilidade do desenvolvimento.

269


Meio Ambiente

O verde é negócio O fenômeno da globalização tem trazido às empresas a necessidade de adaptação às novas exigências mercadológicas

É

Foto: Shutterstock

fato que as questões ambientais ganharam espaço no mundo dos negócios. Uma evolução, inclusive de conceitos, foi necessária, para que o homem percebesse a viabilidade do progresso de mãos dadas com o meio ambiente. Em outras palavras, a competitividade moderna exige das indústrias adequação a essa tendência ambiental, o que está proporcionando o surgimento de indústrias de produtos e serviços ambientais – as chamadas indústrias verdes. Não é à toa que existem por ano, no mundo, mais de 700 feiras, eventos e congressos voltados para o meio ambiente. Alguns deles são voltados apenas para autoridades, outros para empresários e existem até aqueles que são abertos para o público em geral, interessados em ações sustentáveis. No portal do Ministério do Meio Ambiente, as notícias mostram que o Brasil apoia os produtos ecológicos. Ainda no Portal do Ministério do Meio Ambiente, é possível encontrar um formulário, onde as empresas devem informar sobre a quantidade de material reciclável usada no produto, o volume de água utilizado no processo de fabricação, consumo de energia, redução de substâncias tóxicas e a emissão de poluentes. A pesquisa averigua ainda a existência da licença ambiental, a tecnologia empregada para a redução da geração de resíduos sólidos , as diretrizes para aumentar o ciclo de vida dos produtos, a reciclagem ou o reaproveitamento das águas residuais. Mas, estaria o consumidor disposto a pagar um valor mais alto por mercadorias e serviços ecoeficientes? De acordo com estudiosos, o preço é definido como valor justo pago pela posse de um bem ou de um serviço. Segundo pesquisa realiGreen is business The phenomenon of globalization has brought companies the need to adapt to new market requirements It is a fact that environmental issues have gained space in the business world. An evolution, inclusive of concepts, was necessary so that man perceived the feasibility of progress alongside the environment. In other words, modern competitiveness requires from industries adaptation to such environmental trend, which is resulting in the appearance of environmental product and service industries – the so called green industries. It is not by chance that every year in the world are held over 700 fairs, events and congresses aimed at the environment. Some of them are aimed only to authorities, others for businessmen and there are even those open to general au-

270

diences, interested in sustainable actions. At the Ministry of the Environment portal the news show that Brazil supports ecological products. Still at the Ministry of the Environment portal, it is possible to find a form where companies must inform the amount of recyclable material used in each product, the amount of water used in the manufacturing process, energy consumption, reduction of toxic substances and emission of pollutants. The survey verifies, still, the existence of environmental license, technology employed for reduction of solid residue generation, guidelines for increasing the product’s life cycle, recycling or reuse of wastewater. But would the consumer be willing to pay a higher value for ecoefficient goods and services? According to studies, the price is determined as fair value paid for the possession of a good or service. According to survey by Procon in

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Por Aldo Rebelo E Luís Fernandes


Foto: Divulgação

zada pelo Procon, em São Paulo, no final de 2007, o consumidor está disposto a pagar mais caro pelo produto que não agrida o meio ambiente. O endereço eletrônico da Ambiente Global, divulgou a pesquisa, esclarecendo que objetivo da mesma foi analisar o consumidor paulistano face aos problemas ambientais da cidade. O resultado diz que 68% das 415 pessoas entrevistas na capital paulista estão dispostas a desembolsar mais dinheiro, desde que o produto não polua o meio ambiente. O perfil dos que perfazem esse percentual: faixa etária entre 16 e 34 anos, renda familiar acima de 5 salários mínimos. Segundo a pesquisa, os homens demonstraram estar mais dispostos (72%) do que as mulheres (64%) a pagarem mais caro para ver o mundo menos poluído. Apenas 24% dos entrevistados não estariam dispostos e 8% não opinaram. Ainda de acordo com a pesquisa, parcela significativa dos entrevistados apontou soluções que implicam em mudanças de comportamento do consumidor para a resolução de problemas, como poluição do ar provocada pelos automóveis, desperdício de água, consumismo desenfreado, entre outros. Desenvolvimento sustentável pode ser compreendido como o caminho para se alcançar a sustentabilidade, isto é, a sustentabilidade é o objetivo final, de longo prazo. Enquanto a sustentabilidade seria o equilíbrio entre os três pilares: ambiental, econômico e social. A sustentabilidade pode, portanto, ser concebida como um processo contínuo ou um objetivo final. As indústrias estão buscando compatibilizar as suas atividades com a preservação do meio ambiente. Aquelas que implantaram o Sistema de Gestão Ambiental comprovam os ganhos tangíveis adquiridos, como redução no uso da energia elétrica e da água, no processo industrial. Neste novo modo de ser empresa, as indústrias estão buscando se adequar à legislação ambiental, não só por temer as sanções, mas também por não querer ver a sua imagem denegrida perante o público – e um público cada vez mais de “olho no verde”, consciente de que a sobrevivência humana depende dos recursos naturais. O meio ambiente é um marketing possível para aqueles que estão interessados em manter a vida. Sem investir na gestão ambiental, a empresa atesta a sua incompatibilidade de escrever páginas limpas na história da humanidade. E como mancha o nome da empresa, as marcas que ela deixa no meio ambiente!

São Paulo, et the end of 2007, the consumer is willing to pay more for a product that does not harm the environment. The electronic address of Global Environment (Ambiente Global), disclosed the survey explaining the objective was to analyze the consumer in the city of São Paulo in face of the city’s environmental problems. The result states 68% of the 415 people interviewed in the city of São Paulo were willing to spend more money, as long as the product does not pollute the environment. The profile of those composing such percentage: age group between 16 and 34 years of age, family income above 5 minimum wages. According to the survey, men were being more willing (72%) than women (64%) to pay more to see the world less polluted. Only 24% of those interviewed were not willing and 8% did not have opinions. Still according to the survey, a significant part of those interviewed pointed solutions that imply changes in consumer behavior for solving problems such as air pollution caused by automobiles, water waste, rampant consumption, among others. Sustainable development can be understood as the path for attaining sustainability, that is, sustainability is the long term, end objective, while sustainability would be the balance between the three pillars: environmental, economic and social. Sustainability can, therefore be conceived as a continuous process or a final objective. Industries are seeking to make their activities compatible with environmental preservation. Those implementing the Environmental Management System verify the tangible acquired gains, such as reduction in electric energy and water use in the industrial process. In this new company model, industries are seeking to adapt to the environmental legislation, not only for fearing sanctions, but also for not desiring to have their image denigrated with the audience – and an audience increasingly “looking for the green” and conscious that human survival relies on natural resources. The environment is a marketing possible for those interested in preserving life. Without investing in environmental management, the company attests to its incompatibility with writing clean pages in the history of mankind. And the marks it leaves in the environment also mark the company itself !

w w w.vozdebrasi li a .com .br

271


Foto: Roberto Stuckert Filho

Meio Ambiente

portantes, como o fato de os cidadãos comuns sentirem, na prática, que podem ajudar a reduzir os problemas ambientais. Além disso, os consumidores verdes sentem-se parte de um grupo crescente de pessoas preocupadas com o impacto ambiental de suas escolhas. Mas a estratégia de consumo verde tem algumas limitações. Os consumidores são estimulados a trocar uma marca X por uma marca Y, para que os produtores percebam que suas escolhas mudaram. A possibilidade de escolha, portanto, acabou se resumindo a diferentes marcas e não entre consumismo e não-consumismo. Muitas empresas passaram a se interessar em mapear o poder de compra de pessoas com alto poder aquisitivo interessadas em um estilo de vida de baixo impacto ambiental, percebendo-as como um novo nicho de mercado. Assim, a necessidade de redução e modificação dos padrões de consumo foi substituída pelo simples “esverdeamento” dos produtos e serviços. Além disso, o consumo verde atacaria somente uma parte do problema – a tecnologia – enfatizando o desenvolvimento de produtos verdes para uma parcela da sociedade, enquanto os pobres ficam com produtos inferiores e com um nível de consumo abaixo da satisfação de suas necessidades básicas. O tema da desigualdade no acesso aos bens ambientais desapareceu completamente dos debates e propostas de consumo verde.

272

Cidadania e consumo sustentável

O

aumento no consumo de energia, água, minerais e elementos da biodiversidade vem causando sérios problemas ambientais, como a poluição da água e do ar, a contaminação e o desgaste do solo, o desaparecimento de espécies animais e vegetais e as mudanças climáticas. Para tentar enfrentar estes problemas surgiram muitas propostas de política ambiental, como consumo verde, consciente, ético, responsável ou sustentável. Mas o que significam estas expressões? E o que elas têm a ver com o tema cidadania? A partir do crescimento do movimento ambientalista, surgem novos argumentos contra os hábitos ostensivos, perdulários e consumistas, deixando evidente que o padrão de consumo das sociedades ocidentais modernas, além de ser socialmente injusto e moralmente indefensável, é ambientalmente insustentável. A crise ambiental mostrou que não é possível a incorporação de todos no universo de consumo em função da finitude dos recursos naturais. O ambiente natural está sofrendo uma exploração excessiva que ameaça a estabilidade dos seus sistemas de sustentação (exaustão de recursos naturais renováveis e não renováveis, desfiguração do solo, perda de florestas, poluição da água e do ar, perda de biodiversidade, mudanças climáticas etc.). Por outro lado, o resultado dessa exploração excessiva não é repartido eqüitativamente e apenas uma minoria da população planetária se beneficia desta riqueza. Assim, se o consumo ostensivo já indicava uma desigualdade dentro de uma mesma geração (intrageracional), o ambientalismo veio mostrar que o consumismo indica também uma desigualdade intergeracional, já que este estilo de vida ostentatório e desigual pode dificultar a garantia de serviços ambientais equivalentes para as futuras gerações. Consumo verde é aquele em que o consumidor, além de buscar melhor qualidade e preço, inclui em seu poder de escolha, a variável ambiental, dando preferência a produtos e serviços que não agridam o meio ambiente, tanto na produção, quanto na distribuição, no consumo e no descarte final. Esta estratégia tem alguns benefícios im-


Os países devem fazer a lição de casa

A

té agora falamos muito das ações das empresas, mas cada país precisa incentivar a pequena, média e grande empresa para que sigam as primícias tratadas em conferências pelos representantes dos países. Em dezembro de 2015, representantes de 195 países aprovaram o acordo global do clima, durante a COP 21, no qual freava as emissões de gases do efeito estufa para lidar com os impactos da mudança climática. Citizenship and sustainable consumption The increase in energy, water, minerals and biodiversity elements consumption has been causing serious environmental problems, such as water and air pollution, soil contamination and wear, extinction of animal and plant species, and climatic changes. In order to face such problems many proposals for environmental policies have appeared, such as green, conscientious, ethical, responsible or sustainable consumption. But what do these expressions mean? And how are they related to citizenship? From the growth of the environmentalist movement, new arguments arise against blatant, spendthrift and consumerist habits, making obvious that the consumption pattern of modern western societies, aside from being socially unfair and morally untenable, is environmentally unsustainable. The environmental crisis showed us the incorporation of all in the consumer universe is not possible due to the finitude of natural resources. The natural environment is Foto: Divulgação suffering excessive exploitation that threatens the balance of its support systems (exhaustion of renewable and non-renewable natural resources, defacing of soil, loss of forests, water and air pollution, loss of biodiversity, climatic changes, etc.). On the other hand, the result of such excessive exploit is not shared equally and only a minority of the planet’s population is benefited from such riches. Thus, if the ostensive consumption already pointed for inequality within the same generation (intra-generational), environmentalism came to show consumerism also point to intra-generational inequality, as such conspicuous life style may difficult the assurance of equivalent environmental services for future generations. Green consumption is that where the consumer, besides, seeking better quality and price, includes into his or her power of choice the environmental variable, giving preference to products and services which do not harm the environment in production and distribution, consumption and final disposal. Such strategy has some important benefits, such as the fact average citizens feel, in practice, they are able to help to reduce environmental problems. Also, green consumers feel part of a growing group of people concerned with the environmental impact of their choices. But the strategy of green consumption has some limitations. Consumers are stimulated to change brand X for brand Y so producers notice their choices have changed. The possibility of choice, thus, summarizes in different brands and not between consumerisms and non-consumerism. Many companies have become interested in mapping the purchasing power of wealthy people interested in a low environmental impact life style, perceiving them a new market niche. Thus, the need for reduction and modification of consumer patterns was replaced for a plain “greenification” of products and services. In addition, green consumption would tackle only part of the problem – technology – emphasizing the development of green products for part of the society, while the poorer are left with lower quality products and consumption level that does not satisfy their basic needs. The issue of inequality in access to environmental goods completely disappeared from debates and green consumption proposals. Countries must do their homework Until now we discussed actions from companies, but each country needs to stimulate the small, medium and large companies so as they follow the premises discussed in conferences by their representatives. In December 2015, representatives from 195 countries sanctioned the global climate agreement, during COP 21, which stopped the emission of greenhouse effect gases to deal with the climatic change impacts. We have listed below some of the main environmental fairs held annually in over 60 countries. Check out the list and be present in one of them.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

273


Meio Ambiente

Relacionamos abaixo algumas das principais feiras de Meio Ambiente que acontecem anualmente em mais de 60 países. Confira a lista e garanta já a sua participação. DCONex Data: Janeiro Local: Essen (Alemanha)

SIEE Pollutec Algeria Data: Fevereiro Local: Argélia (Argélia)

Ecobat Paris Data: Março Local: Paris (França)

RENEXPO South-East Europe Data: Janeiro Local: Bucareste (Romênia)

Expo Sólidos Data: Fevereiro Local: Barcelona (Espanha)

For Habitat Data: Março Local: Praga (República Checa)

ENTECH – Environment & Energy Tech Data: Janeiro Local: Busan (Coréia do Sul)

África Energy Indaba Data: Fevereiro Local: Midrand (África do Sul)

WQA Convention & Exposition Data: Março Local: Nashville (EUA)

Water Today´s Water Expo Data: Fevereiro Local: Chennai (Índia)

WWT Water Ireland Conference Data: Março Local: Ashbourne (Irlanda)

Lusoflora de Verão Data: Fevereiro Local: Santarém (Portugal)

Wasser Berlin Data: Março Local: Berlin (Alemanha)

Genera Data: Fevereiro Local: Madrid (Espanha)

Veggie World Barcelona Data: Abril Local: Barcelona (Espanha)

PV Expo Data: Março Local: Tóquio (Japão)

Green Energy Expo Data: Abril Local: Daegu (Coréia do Sul)

EE & RE Exhibition Data: Março Local: Sofia (Bulgária)

New Energy World Data: Abril Local: Leipzig (Alemanha)

Save the Planet Data: Março Local: Sofia (Bulgária)

International Organic & Grren Food Data: Abril Local: Beijing (China) Global HSE Conference Data: Abril Local: Bahrain (Arábia Saudita)

Fitabes Data: Janeiro Local: Porto Alegre (Brasil) WFES – World Future Energy Summit Data: Janeiro Local: Abu Dhabi (Emirados Árabes) Vivez Nature Paris Data: Janeiro Local: Paris (França) World Renewable Energy Congress & Exhibition Data: Janeiro Local: Perth Western (Austrália) Aqua Therm Moscow Data: Fevereiro Local: Moscou (Rússia) EUEC – Energy, Utility & Environment Conference Data: Fevereiro Local: São Diego (EUA) Salon Bio Respire la Vie Rennes Data: Fevereiro Local: Rennes (França) Berdeago Data: Fevereiro Local: Durango (Espanha)

274

SMAGUA Data: Março Local: Saragoça (Espanha) Ecobuild Data: Março Local: Londres (Reino Unido)

ICCI International Energy Environment Conference Data: Maio Local: Istambul (Turquia)

REW Instanbul Data: Março Local: Istambul (Turquia)

Bio Cultura Barcelona Data: Maio Local: Barcelona (Espanha)


Solids Dortmund Data: Maio Local: Dortmund (Alemanha)

Intersolar South América Data: Agosto Local: São Paulo (Brasil)

Hydro Conference and Exhibition Data: Outubro Local: Sevilha (Espanha)

GeoBusiness Data: Maio Local: Londres (Reino Unido)

Australasian Waste and Recycling Expo Data: Agosto Local: Melbourne (Austrália)

IGEM International Greentech Data: Outubro Local: Kuala Lumpur (Malásia)

Hydrogaia Data: Junho Local: Perols (França) Boiterra Data: Junho Local: Espanha Wastertech Data: Junho Local: Moscou (Rússia) Bio Brazil Fair Data: Junho Local: São Paulo (Brasil) RRaw Food & Organics Data: Junho Local: Johor Bahru (Malásia) Entech Pollutec Asia Data: Junho Local: Bangcoc (Tailândia) Watec Italy Data: Junho Local: Veneza (Itália) CEB Clean Energy Building Data: Junho Local: Stuttgart (Alemanha)

Conferencia La Hora del Gas Data: Agosto Local: Lima (Peru) The Green Expo Data: Setembro Local: Cidade do México (México) RWM Resource Efficency Data: Setembro Local: Birmingham (Reino Unido) The Energy Event Data: Setembro Local: Birmingham (Reino Unido) RENEXPO Data: Setembro Local: Ausburg (Alemanha) ECOMA ECO – Manufacture Data: Setembro Local: Tóquio (Japão) ECOSENTIDOS Data: Setembro Local: Marbella (Espanha) EcoTech Data: Setembro Local: Almaty (Cazaquistão)

Waste Expo Melbourne Data: Outubro Local: Melbourne (Austrália) Pollutec Maroc Data: Outubro Local: Casablanca (Marrocos) Contech Québec Data: Outubro Local: Québec (Canadá) Caspian Ecology Data: Novembro Local: Baku (Azerbaijão) INCHEM Tokyo Data: Novembro Local: Tóquio (Japão) MiaGreen Expo & Conference Data: Novembro Local: Miami (EUA) Pollutec – Lyon France Data: Novembro Local: Chassieu (França) Expocatadores Data: Novembro Local: Belo Horizonte (Brasil)

Efiaqua Data: Setembro Local: Valencia (Espanha)

EcoReus Data: Novembro Local: Reus (Espanha)

Fenasan Data: Outubro Local: São Paulo (Brasil)

Feria Verde Data: Novembro Local: Santiago (Chile)

Green Car Korea Data: Julho Local: Gwangju (Coréia do Sul)

Ecoviure Data: Outubro Local: Manresa (Espanha)

International Conference Data: Novembro Local: Austin (EUA)

Green Building Brasil Data: Agosto Local: São Paulo (Brasil)

Feria del Medio Ambiente de Tárrega Data: Outubro Local: Tárrega (Espanha)

Energy Efficiency Data: Novembro Local: Kiev (Ucrânia)

Renewable Energy International Exhibition Data: Julho Local: Tóquio (Japão)

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Foto: Freepik

Waste Expo Data: Junho Local: New Orleans (EUA)

275


Reflexão

Água, um bem precioso!

O fenômeno da globalização tem trazido às empresas a necessidade de adaptação às novas exigências mercadológicas

276

gráficas, como as bacias do São Francisco, do Paraná e a Amazônica (a mais extensa do mundo e 60% dela localizada no Brasil). É um enorme potencial hídrico, capaz de prover um volume de água por pessoa 19 vezes superior ao mínimo estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) – de 1.700 m³/s por habitante por ano.

Foto: Shutterstock

P

ense em algo insubstituível e indispensável para a sua vida. A água é exatamente isso! Sem esse recurso tão importante, a vida na Terra não seria possível. Entretanto devemos utilizar e cuidar melhor desta preciosidade, pois estudos sobre o sistema hídrico mundial são unânimes em indicar que, se a média de consumo global não diminuir, teremos problemas de escassez. Além do consumo desenfreado da população, também convivemos com outro problema: a poluição de nossos rios. Apesar do complemento “básico” no nome, o saneamento é um gargalo histórico no Brasil e nem mesmo a grave crise hídrica de 2014 conseguiu mudar esta sina. Segundo pesquisa da ONG ambientalista SOS Mata Atlântica, divulgada em 2016, comprova que pouco se tem feito para preservar este bem essencial à vida lá na sua origem - os rios, córregos e lagos do país. O levantamento mediu a qualidade da água em 289 pontos de coletas distribuídos em 76 municípios de 11 Estados brasileiros e do Distrito Federal e constatou que nada menos do que 36,3% dos pontos analisados apresentam qualidade ruim ou péssima. Outros 59,2% estão em situação regular, o que significa um estado de alerta. Do total, apenas 13 pontos foram avaliados com qualidade de água boa (4,5%). Nenhum, porém, foi avaliado como ótimo. O território brasileiro contém cerca de 12% de toda a água doce do planeta. Ao todo, são 200 mil micro bacias espalhadas em 12 regiões hidro-

A água é, definitivamente, o bem mais precioso do planeta e dos seres humanos. Ela é nossa fonte de vida e, por isso, deve ser preservada com rigor. Em 2014 o Estado de São Paulo foi atingido por um forte período de seca, a pior da história, o que resultou na conscientização de grande parte da população. A escassez do


recurso natural colocou os paulistas em alerta máximo, forçando a população a se unir contra o desperdício. A crise passou e hoje os principais sistemas de abastecimento do Estado trabalham, em média, com 70% da sua capacidade, o que ainda é pouco. A população por sua vez já parece ter esquecido o que passaram com a falta de água e, pequenas ações feitas em casa, como reutilizar a água do banho para descarga ou fechar a torneira enquanto escova os dentes, parecem ter sido perdidas. É preciso mudar, refletir sobre a importância da água em nossas vidas. Claro, isso depende tanto da população, quanto das autoridades. Apesar da abundância, os recursos hídricos brasileiros não são inesgotáveis. O acesso à água não é igual para todos. As características geográficas de cada região e as mudanças de vazão dos rios, que ocorrem devido às variações climáticas ao longo do ano, afetam a distribuição. A água é fundamental para a vida no planeta. A evolução e a sobrevivência dos seres vivos estão, e sempre estiveram relacionadas à água. Infelizmente muitas pessoas não associam a questão da saúde ao saneamento, coleta de esgoto e de lixo e acesso à agua tratada. Só a mudança de mentalidade vai transformar o saneamento em prioridade. O consumo de água aumentou de forma considerável em todo o planeta ao longo do tempo. Em 1900, o mundo consumia cerca de 580 km³ de água; já em 1950, esse consumo elevou-se para 1400 km³, passando para 4000 km³ em 2000. Segundo previsões da ONU, é provável que em 2025 o nível de consumo eleve-se para 5200 km³. A despeito dessa elevação da utilização da água, registra-se também o aumento do número de pessoas sem fácil acesso à água potável, totalizando 1,1 bilhão em todo o planeta a sofrer com esse problema. Já quando falamos sobre a população sem acesso ao esgoto coletado, estamos falando em 35 milhões de pessoas.

Water, a precious good! And contrary to what it seems, water is an exhaustible natural resource. Think about something unreplaceable and indispensable for your life. Water is exactly that! Without such important resource, life on Earth would not be possible. However, we must use and care better for this preciosity, as studies on the world hydric system are unanimous indicating that if the global average consumption does not slow down, we will have issues of scarcity. Aside from the population’s frantic consumption, we also live with another problem: the pollution of our rivers. Despite the “basic” name complement, sanitation is a huge historical bottleneck in Brazil and not even the serious hydric crisis in 2014 was able to change this fate. According to a survey from environmentalist NGO SOS Mata Atlântica, from 2016, little has been done in order to safeguard this good so essential to life on its origins – the countries rivers, streams, and lakes. The survey measured the water quality in 289 collection points distributed in 76 municipalities from 11 Brazilian states and the Federal District and verified that as much as 36.3% of the analyzed points have bad or terrible conditions. Another 59.2% are in regular situation, which means a state of alert. Overall, only 13 points were verified with good water quality (4.5%). None, however, was evaluated as great. The Brazilian territory gathers around 12% of the planet’s total fresh water. Overall, there are 200 thousand micro basins scattered in 12 hydrographic regions, such as the basins of São Francisco, Paraná rivers and the Amazon basin (the world’ most extensive and with 60% located in Brazil). This is a huge hydric potential capable of providing a per person water volume 19 times higher than the minimum established by the United Nations (UN) – of 1.700 m³/s per inhabitant per year. Water is definitely the most precious good for the planet and human beings. It is our life source and as such must be preserved carefully. In 2014 the State of São Paulo was hit by a strong drought season, the worst in history, resulting in the awareness of the majority of the population. The scarcity of the natural resource placed the state’s population in maximum alert, forcing them to unite against wastage. The crisis is gone and today the state’s main supply systems work on average with 70% of their capacity, still low. The population, on the other hand, seems to have forgotten what they went through during the drought and small home actions such as reusing bath water for flushing or closing the tap while brushing the teeth seem to have been forgotten. It is necessary to change, reflect on the importance of water in our lives. Sure, this depends as much on the population as on authorities. Despite their abundance, Brazilian hydric resources are not inexhaustible. The access to water is not equal for all. The geographic characteristics of each region and the change in river outflow that take place due to end of year climatic variations, affect distribution. Water is key for life in the planet. Evolution and survival of living beings are and have always been related to water. Unfortunately, many people do not associate the issue of health to sanitation, sewage and waste collection, and access to treated water. Only a change in mentality will transform sanitation in priority. Water consumption increased considerably all over the planet through time. In 1900, the world consumed around 580 km³ of water; in 1950, the consumption increased to 1,400 km³, going to 4,000 km³ in 2000. According to UN forecasts it is probable that in 2025 the consumption level increases to 5,200 km³. In respect to such increase in water use, the number of people with no ease of access to fresh water has also increased, now totaling 1.1 billion all over the planet suffering with such a problem. Now, when we mention the population with no access to treated sewage this number in at 35 million people. Water X Economy As already seen, water is essential to life. It is so important that we have no idea it is also necessary for producing everyday life items such as rice, cheese, meat (yes, because the animal also drinks water and feeds off plants, which need water to grow). Anyway, water is also an essential component for the growth of national and local economies and it is necessary to create and maintain jobs in all sectors of the economy. Half of the world labor force is employed in eight sectors dependent on hydric and natural resources: agriculture, forestry, fishing, manufacturing with intensive use of resources, recycling, construction and transportation. The sustainable management of hydric resources, the hydric infrastructure, and the access to safe, reliable and regular water supply, as well as adequate sanitation services, improve life standards, expand local economies and lead to the creation of more dignified jobs and to higher social inclusion. The sustainable management of hydric resources is also an essential driving force for green growth and sustainable development. However, as important as the water may be, people continue polluting rivers and destroying springs, forgetting how it is essential to our lives. On the other hand, if we neglect water issues, we run the risk of causing serious negative impacts to the economy, to means of subsistence and to populations, with potentially catastrophic and extremely costly results. The insupportable management of hydric and other natural resources may cause serious damages to economy and society, significantly reversing the benefits achieved in reduction of poverty, creation of Jobs and development. Deal with the relation between water and Jobs, above all through politics and coordinated investments is, thus, a pre-requirement for sustainable development, both in developed and in developing countries. Let us reflect and care for such a precious good. Use it conscientiously.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

277


Reflexão

Água X Economia C

omo já vimos a água é essencial para a vida. Ela é tão importante que não fazemos ideia que é necessária também para produzir itens do cotidiano, como, por exemplo, arroz, queijo, carne de boi (sim, porque o animal também bebe água e se alimenta de planta, que depende da água para estar lá). Enfim, a água é também um componente essencial para o crescimento da economia nacionais e locais, e é necessária para criar e manter empregos em todos os setores da economia. Metade da força de trabalho mundial está empregada em oito setores dependentes de recursos hídricos e naturais: agricultura, silvicultura, pesca, energia, manufatura com uso intensivo de recursos, reciclagem,

construção e transporte. A gestão sustentável dos recursos hídricos, a infraestrutura hídrica, e o acesso ao abastecimento seguro, confiável e regular de água, bem como serviços adequados de saneamento, melhoram os padrões de vida, expandem as economias locais e levam à criação de empregos mais dignos e à maior inclusão social. A gestão sustentável dos recursos hídricos também é uma força motriz essencial para o crescimento verde e o desenvolvimento sustentável. No entanto, por maior que seja a importância da água, as pessoas continuam poluindo os rios e destruindo as nascentes, esquecendo o quanto ela é essencial para nossas vidas. Por outro lado, ao se negligenciar as questões da água, corre-se o risco de

causar sérios impactos negativos nas economias, nos meios de subsistência e nas populações, com resultados potencialmente catastróficos e extremamente dispendiosos. A gestão insustentável dos recursos hídricos e de outros recursos naturais pode causar graves danos às economias e à sociedade, invertendo significativamente os benefícios conquistados duramente na redução da pobreza, na criação de empregos e no desenvolvimento. Tratar da relação entre água e emprego, sobretudo por meio de políticas e investimentos coordenados, é, portanto, um pré-requisito para o desenvolvimento sustentável, tanto de países desenvolvidos quanto dos que estão em desenvolvimento.

Foto: Freepik

Vamos refletir e cuidar deste bem tão precioso. Utilize de forma consciente.

278


w w w.vozdebrasi li a .com .br

279


Estética

Estética

Um mercado que não para de crescer!

Aesthetics Aesthetics & beauty! An ever-growing market! The aesthetics market is one of the most promising in Brazil. The country ranks third in the consumption of aesthetic products, behind only the United States and China. Data from the Personal Hygiene, Perfumery and Cosmetics Industry Brazilian Association (Abihpec) show that the sector had an average growth of 10% per year over the last two decades, reaching a revenue of R$ 43.2 billion in 2014. Regarding the search for aesthetic services, the survey pointed to an increase of 32% from 2013 to 2014.

280

The Aesthetics and Cosmetics field is in constant rise throughout the world and especially in Brazil. Over the last five years the market grew 567% in Brazil, going from 72 thousand to 482 thousand professionals in January 2015, becoming one of the most promising fields in the country’s economy. Such rise was also due to the increase in men’s products. Another factor contributing for such growth is the fact that Brazil has become a world leader in plastic surgeries, surpassing México and the USA, reaching the mark of 1.49 million surgeries in 2013, generating a huge demand for professionals qualified in pre and post-surgery, among other te-

Foto: Shutterstock Foto: Shutterstock

O

mercado de estética é um dos mais promissores no Brasil. O país está em terceiro lugar no ranking de consumo de produtos estéticos, atrás de Estados Unidos e China. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) mostram que o setor teve um crescimento médio de 10% ao ano nas últimas duas décadas, chegando a faturar R$ 43,2 bilhões em 2014. Em relação à procura por serviços estéticos, a pesquisa apontou aumento de 32% de 2013 para 2014. A área da Estética e Cosmética está em constante ascensão no mundo todo e especialmente no Brasil. Nos últimos 5 anos o mercado cresceu 567% no Brasil, passando de 72mil para 482 mil profissionais em janeiro de 2015, se tornando uma das áreas mais promissoras da economia do país. Este aumento deu-se também pela ascensão dos produtos masculinos. Outro fator que contribui para todo este crescimento é o fato do Brasil ter se tornado o líder mundial em cirurgias plásticas, ultrapassando México e EUA, chegando a marca de 1,49 milhões de cirurgias em 2013, gerando uma demanda enorme para profissionais capacitados em pré e pós-operatório, entre outras técnicas. O mercado continua crescendo em meio à crise que o país está vivendo e todos se perguntam: COMO? Existem diversos fatores que contribuem para este cenário como, por exemplo, o aumento da expectativa de vida, o que leva as pessoas a buscarem procedimentos que possam retardar o envelhecimento. Outra questão é o desenvolvimento de novas tecnologias de aparelhos e cosméticos, já para isso é necessário profissionais capacitados para aplica-los. Outro fator é o mercado competitivo de trabalho. Como assim? Em um cenário para vez mais competitivo, o aspecto visual é de certa forma um cartão de visitas. E conforme já falamos acima, cada vez mais os homens estão mais abertos a tratamentos estéticos, deixando de lado preconceitos e assumindo a possibilidade de se sentirem melhor consigo mesmo.


Novas tendências A American Academy of Facial Plastic and Reconstructive Surgery anualmente publica um levantamento sobre os procedimentos mais realizados naquele ano e quais são as tendências o ano seguinte. No que se referem a procedimentos estéticos os dados revelam que em 2016 a procura por aplicação de toxina, continuou no topo da lista. Em seguida vieram os preenchimentos injetáveis temporários, o peeling químico, depilação a laser e microdermoabrasão. A pesquisa envolveu 2.700 membros de profissionais ligados à estética. Mas além desses tratamentos que estão no topo da lista, temos outros, alguns com o nome um pouco estranho, mas que já são os “queridinhos” de alguns famosos e prometem verda-

deiros milagres. Vamos começar a lista pelo lifting do vampiro, onde é retirado uma pequena quantidade do próprio sangue para a reaplicação na pele do rosto do paciente. Mas antes de reaplicado, o sangue passa por alguns processos. A Criolipólise é a queridinha dos profissionais de estética e já conquistou boa parte de quem quer se ver livre das gordurinhas localizadas o tratamento consiste no “congelamento” dos adipócitos, que, depois, são reabsorvidos pelo corpo e expelidos. A técnica não invasiva, mas não é indicado para casos de sobrepeso ou obesidade, apenas para a eliminação de gordura localizada. Outra tendência são as máscaras de LED que, através da fotobioestimulação, as luzes LED são uma forte tendência na combinação com peelings químicos, que promovem o rejuvenescimento através do afinamento da pele e da renovação celular estimulado por uma combinação de substâncias ácidas. Outro tratamento revolucionário é a ponteira Cool Smooth. O acessório é acoplado ao equipamento de Coolsculpting, que em uma única sessão mata cerca de 25% da gordura por congelamento. E para finalizar temos o Resveratrol e a Velashape3. Calma, vamos explicar! O resveratrol é um poderoso antioxidante oriundo da casca da uva que protege o coração e as artérias acaba de ser lançado para aplicação utópica para fins de rejuvenescimento. Já a Velashape é um aparelho já é consagrado no tratamento de flacidez e celulite, mas chega com maior potência de calor e indicação formal para remodelação corporal e redução de medidas. Claro que tudo isso são tratamentos para quem busca opções menos invasivas, mas as cirurgias plásticas também estão em alta. chniques. The market keeps growing amidst the crisis the country is living and everyone asks: HOW? There are many factors that contribute to such scenario such as, for example, the increased life expectancy, leading people to seek procedures capable of delaying aging. Another issue is the development of new technologies for devices and cosmetics, and the need for qualified professionals in order to use them. Another factor is the competitive labor market. How is that so? In an increasingly competitive scenario, the visual aspect is, in a way, a calling card. And as previously mentioned, men are increasingly more open to aesthetic treatments, leaving bias aside and assuming the possibility of feeling better with themselves. New trends The American Academy of Facial Plastic and Reconstructive Surgery publishes annually a survey on the most performed procedures on that year and what are the trends for the following year. Regarding aesthetic procedures data show that in 2016 the search for toxin application, remained at the topo

w w w.vozdebrasi li a .com .br

281


Estética

Brasil: exportador e criador de grandes ideias

T

Foto: Shutterstock

odos os anos recebemos milhares de estrangeiros em busca de tratamentos estéticos no Brasil, mas principalmente cirurgias plásticas. Segundo o Ministério do Turismo, o crescimento do Brasil como destino do turismo médico pode ser explicado por dois fatores: a qualidade dos Cirurgiões Plásticos, aliada aos preços, considerados competitivos se comparados a outros países. Por exemplo, um procedimento Cirúrgico no Brasil pode custar até 70% menos que um similar realizado nos Estados Unidos. Movidos por preços mais baixos dos que os praticados no exterior e pela boa reputação dos médicos brasileiros, os estrangeiros aproveitam as férias e o final do ano para visitarem o Brasil e voltar aos seus países com os seios mais volumosos e os corpos livres da gordura localizada. Com isso, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o Brasil é o 2º país com maior número de intervenções no mundo. Por outro lado, é muito comum também vermos brasileiros que saíram do país para montar salão de beleza pelo mundo, ou prestar serviços em domicilio de beleza ou massagem, e estão fazendo muito sucesso!

282


Foto: Shutterstock

of the list. Following them the temporary injectable fillings, chemical peeling, laser depilation and microdermalabrasion. The survey involved 2,700 professionals linked to aesthetics. But aside from such treatments on the top of the list, we have others, some with names a bit strange, but which are already the favorites of some personalities and promise to deliver real miracles. Let us begin the list by vampire lifting, where a small quantity of the person’s own blood is removed and reapplied to the patient’s facial skin. But before being reapplied, the blood undergoes a few processes. Cryolipolysis is the “apple of the eyes” of aesthetic professionals and has already become the favorite of those trying to get rid of those localized fats. The treatment consists in the “freezing” of the adipocytes that after are reabsorbed by the body and expelled. The non-invasive technique is not indicated for overweight or obese patients, only for the elimination of localized fat. Another trend are the LED masks that work through photobiostimulation. The LED lights are a strong trend with chemical peelings promoting rejuvenation through the thinning of the skin and cellular renewal stimulated by a combination of acid substances. Another revolutionary treatment is the Cool Smooth applicators. The accessory is coupled to a Coolsculpting equipment and in one session destroys around 25% of the fat through freezing. Lastly we have Resveratrol and Velashape3. Hold on, we will explain them! Resveratrol is a powerful antioxidant from the grape peel that protects the heart and arteries and has just been released for topic application for rejuvenating purposes. Velashape is an already famous device for treating flaccidity and cellulite, but comes with higher heat power and formal indication for remodeling and size reduction. Obviously these are treatments for those seeking less invasive options, but plastic surgeries are also on the rise. Brazil: exporter and generator of great ideas Every year we welcome thousands of foreigners seeking aesthetic treatment in Brazil, especially plastic surgeries. According to the Ministry of Tourism, the growth of Brazil as a medical tourism destination can be explained by two factors: the quality of the plastic surgeons allied to prices, considered competitive when compared to other countries. For example, a surgical procedure in Brazil may cost up to 70% less than a similar procedure performed in the United States. Moved by lower prices than those practiced abroad and for the good reputation of Brazilian medical professionals, foreigners come on vacation and at the end of the year visiting Brazil and coming back to their countries with bigger breasts and bodies free of localized fat. With this trend, according to the Brazilian Society of Plastic Surgery, Brazil is the 2nd country with the highest number of interventions in the world. On the other hand, it is extremely common to see Brazilians going abroad to set up their beauty salons throughout the world or provide beauty or massage home services, and they are extremely successful!

w w w.vozdebrasi li a .com .br

283


Moda

Passarela X moda da rua Os desfiles de grandes marcas ditam tendências, mas é a televisão que dita a moda

Q

uando falamos em moda logo nos remetemos aquelas modelos magérrimas e lindas das passarelas, mas não é bem assim. Segundo o dicionário a definição de “moda” é o substantivo feminino que significa uma maneira ou costume mais predominante em um determinado grupo em um determinado momento. Claro que os desfiles de moda onde designers, estilistas ou desenhistas de moda apresentam as suas criações e estabelecem tendências para o futuro, mas não necessariamente ditam a moda que estará nas ruas. No Brasil a moda não é baseada tanto nas passarelas, mas sim naquilo que aparece na televisão. Por exemplo, todos os dias, a Central de Atendimento ao Telespectador da Rede Globo recebe milhares de ligações de suas telespectadoras. O motivo? Elas querem saber como adquirir os acessórios que as artistas usaram em alguma cena ou programa. A televisão dita moda — e sempre que alguma novela, filme ou programa de televisão está em evidência, as telespectadoras são as primeiras a querer usar o que é tendência. Todos sabemos que o meio de comunicação que mais dita moda é a televisão. É obvio que nem tudo cai no gosto dos seguidores ou simpatizantes do universo fashion, mas novelas, filmes e seriados acabam influenciando a maneira de vestir dos seus seguidores. A série Glee é outro belo exemplo de influência fashion. Seus componentes estão sempre acompanhados de um figurino marcante e bem característico do universo “escolar”. A mistura de estilos e as características distintas de cada Fotos: Shutterstock

284


w w w.vozdebrasi li a .com .br

Fotos: Shutterstock

Catwalk X street fashion The great fashion shows determine trends, but it is television that dictates fashion When we speak of fashion we soon remit to those very thin and beautiful models on the catwalks, but this is not so. According to the dictionary the definition of “fashion” is the female noun meaning most predominant manner or custom in a specific group and moment. Surely fashion shows where fashion designers or stylists showcase their creations and determine trends for the future, but not necessarily dictate the fashion that will be seen on the streets. In Brazil fashion is not based as much on the catwalks, but on that which is seen on TV. For example, every day Rede Globo’s TV Viewer Support Center receives thousands of calls from viewers. The reason? They want to know how to obtain the accessories artists wore on a scene or program. Television dictates fashion – and whenever a soap opera, movie or TV program is in evidence, viewers are the first to want to wear what is trendy. We all know the means of communication that most dictates fashion if TV. It is obvious that not everything is well received by the fashion universe supporters, but soap operas, movies or series end up influencing the how its followers dress. TV series Glee is a good example of fashion influence. Its artists are always wearing striking outfits and very characteristic of the “school” universe. The mix of styles and the distinct characteristics of each character bring to the series a perfect set of influences, each one of them being striking and predominant in a particular way and manner. So, being “in or out” regarding fashion only depends on each one’s point of view. What is really important is to feel well with the clothing or accessory you are wearing.

Fotos: Shutterstock

Fotos: Shutterstock

personagem trazem para o seriado o conjunto perfeito de influências, sendo cada uma delas marcantes e predominantes, cada uma a sua forma e maneira. Enfim, estar na moda ou fora da moda, só depende do ponto de vista de cada um. O importante mesmo é sentir-se bem com a roupa ou acessório que está usando.

285


Tecnologia

Transformando a relação do ser humano com o mundo

N

Transforming the human being relation with the world In today’s world, technology has presented itself as the main factor for progress and development. In the present paradigm, it is considered as a social asset and, along with science, it is the means for aggregating values to various products, becoming key for strategic competitiveness and for social and economic development of a region. Who, 20 years ago, could imagine calling someone and at the same time being able to see him or her on the other side, when the first cell phones weighted over 40 kilos and were created to be installed in car trunks. Actually, the cell phone started operations in 1979 (in Japan and Sweden). In 1983 it began also being used in the United States, and Brazil only started in 1991. Since then much has changed, starting with cell pho-

286

Fotos: Shutterstock

o mundo atual, a tecnologia tem se apresentado como o principal fator de progresso e de desenvolvimento. No paradigma vigente, ela é assumida como um bem social e, juntamente com a ciência, é o meio para a agregação de valores aos mais diversos produtos, tornando-se chave para a competitividade estratégica e para o desenvolvimento social e econômico de uma região. Quem, há 20 anos, poderia imaginar em fazer uma ligação vendo a pessoa do outro lado, quando os primeiros celulares pesavam mais de 40 quilos e foram criados para serem instalados no porta malas dos carros. Na realidade o telefone celular entrou em operação em 1979 (no Japão e na Suécia), em 1983 passou a ser usado também nos Estados Unidos, mas no Brasil só começou em 1991. De lá para cá muita coisa mudou, a começar por deixar de ser apenas um aparelho para fazer chamadas, mas agora é possível pagar contas, responder e-mails, enviar fotos, baixar diversos aplicativos, além de acessar as redes sociais. Hoje é possível acessar a internet pelo celular, da mesma forma que é feita pelo computador. Mas se a tecnologia avança tão rapidamente, por que não nos espantamos mais com isso? Pode parecer paradoxal, mas a mudança é tão constante que deixamos de ver as novidades com os olhos de quem nunca viu algo daquele tipo. Tudo isso porque já esperamos essas mudanças. Como assim? Basta assistir filmes antigos, por exemplo, Missão Impossível ou até mesmo 007, onde a cada novo filme mostravam tecnologias que nunca poderíamos imaginar que um dia seria de tão fácil acesso. Por exemplo? Disquete, quem lembra disso? Ou a caneta câmera? Portas abertas através da digital. Alguns exemplos de coisas simples, mas que não pareciam tão palpáveis há alguns anos. Isso não quer dizer que, há dez anos, você soubesse que a internet de 100 Mbps fosse tão acessível, sendo a discada ainda era absoluta no início da década. Contudo, já víamos um salto com o surgimento da banda larga e velocidades cada vez maiores, o que nos dava uma ideia do que estava por vir. Voltando a falar sobre filmes antigos, quem assistiu ao filme “De Volta para o Futuro”, de 1985, certamente possui uma visão idealizada de como será o mundo. O longa-metragem faz projeções de um futuro com tecnologias muito avançadas, mas um tanto quanto distantes do real. Por mais que você não tenha seu carro voador, muitos elementos vão se transformar e chegar a um nível em que aquele mundo que imaginávamos décadas atrás começa a deixar de ser apenas ficção. nes not just being a device for making calls, and now it is possible to pay bills, answer e-mails, send pictures, download several applications, and also access social networks. Today it is possible to access the internet over the cell phone, the same as in a computer. But if technology advances so rapidly, why we no longer stand amazed at this? It may seem paradoxical, but change is so constant that we no longer see them with the eyes of who has never seen something as such. We in fact expect these changes. How so? Just watch old movies, for example, Mission Impossible or even 007, where at each new movie new technologies were shown and which we would never imagine someday would be so easy to access. Examples: diskettes, who remembers them? Or the camera pen? Doors open by digital prints. A few exam-

ples of simple things, but that did not seem palpable a few years ago. This does not mean that ten years ago you would know the 100 Mbps internet would be so accessible, as dialed internet was still absolute at the beginning of the decade. However, we have already seen a leap with the event of the broadband and ever increasing speeds, which gave us an idea of what was to come. Back to old movies, those who watched “Back to the Future” in 1985, certainly have an idealized view of what the world will be like. The movie projects a future with extremely advanced technologies, but quite distant from reality. Even if you don’t have your flying car, many elements will be transformed and reach a level in which that world we imagined decades ago stops being only fiction.


As principais inovações do último ano

A

Fotos: Shutterstock

A bola de cristal

Q

uem nunca viu um conceito de como serão os computadores do futuro ou seu carro nos próximos vinte anos? Porém, nenhum deles se trata apenas de “chutes” ou adivinhação, mas palpites. Existem pessoas que são praticamente especialistas nesses “vislumbres” tecnológicos. Para isso, os chamados futuristas não utilizam bolas de cristal, tampouco possuem poderes sobrenaturais. Eles apenas utilizam parâmetros atuais e os projetam para os próximos anos. É o caso de Reto Meier, um autor norte-americano que fez várias previsões do futuro. Segundo ele, o ritmo com que as novidades surgem torna possível imaginar o que está por vir a curto, médio e longo prazo. Com base em tendências encontradas em produtos atuais, como a convergência de mídias e computação em nuvens, Meier consegue visualizar qual o caminho a ser trilhado pela tecnologia nos próximos anos. Porém, ele não é o único, e as empresas sabem disso. Dessa forma, elas formam parcerias com esses futuristas para saber em qual área investir na próxima geração de produtos a fim de agradar e conquistar um público maior. Isso significa que todas as tecnologias para os próximos anos e décadas são apenas uma evolução daquilo que já existe. Já imaginou como será seu computador daqui a cinco anos ou se ele ainda vai continuar a existir da forma como o conhecemos em 2021? Ou ainda, se teremos taxi sem motoristas? E nossos celulares, quais serão os próximos avanços neles? São muitas perguntas e muitas suposições também. The crystal ball Who has not seen a concept of how future computers or their cars will be over the next twenty years? However, none of them is just a guess or fortune telling, but suggestion. There are people who are practically specialists in such technological “glimpses”. For that, the so called futurists do not use crystal balls, nor have supernatural powers. They only use present parameters and project them for coming years. This is the case of Reto Meier, a North-American que made several predictions regarding the future. According to him, the pace with which the new releases come up makes it possible to imagine what is to come in short, mid and long term. Based on trends from present products, such as media convergence and cloud computing, Meier is able to visualize the path to be taken by technology over coming years. However, he is not the only one, companies also have such knowledge. Thus, they develop partnerships with such futurists to find out in what area to invest on the next generation of products so as to please and conquer a bigger audience. This means all

Cada dia, mês ao ano. A cada minuto temos uma nova inovação tecnológica e, algumas marcam mais que outras. Por isso listamos abaixo aquelas que consideramos mais importantes, porque, enquanto os engenheiros da Microsoft trouxeram uma nova perspectiva de como será o futuro da realidade virtual com o HoloLens, carros sem motoristas já são quase uma realidade. Também tivemos os astronautas da Estação Espacial Internacional que conseguiram, pela primeira vez, cultivar verduras no espaço e aumentar as chances de o homem construir colônias em outros planetas. Outra inovação fantástica foi o maior painel solar do mundo criado pela empresa Solar Roadways. Com ele é possível utilizar células de vidro temperado para criar um pavimento que coleta energia solar. A tecnologia já está à venda, mas ainda é cara a sua implantação. Outro produto que veio para ajudar ainda mais a população, que precisam da cadeira de rodas, foi criado por dez estudantes do Instituto Federal Suíço de Tecnologia e da Universidade de Artes de Zurique, na Suíça. A Scalevo (como é chamado o produto) tem duas rodas que permitem que os usuários andem em terrenos planos de maneira rápida e subam escadas. São apenas alguns exemplos de tecnologias que já estão disponíveis. Se formos abordar todas aqui, precisaríamos de um livro só para falar sobre as novas tecnologias. A questão é que apoiar a inovação tecnológica, além do claro potencial de ajudar o Brasil a evoluir mundialmente, também pode gerar melhorias significativas da qualidade de vida da população.

technologies for coming years and decades are simply an evolution of what is already reality. Have you ever wondered how your computer will be five years from now or if it will continue to exist in 2021 as we know it today? Or yet, if we will have taxis with no drivers? And our cell phones, what will be their next innovations? Many questions and, also, many suppositions. Last year’s main innovations Every day, month, year. Every minute we have a new technological innovation and some mark more than others. So we listed below those we consider more important, as while Microsoft engineers brought a new perspective on how the future of virtual reality will be with the HoloLens, driverless cars are almost a reality. We also had the astronauts from the International Space Station who were able to, for the first time, harvest vegetables in space and increase the chances of man developing colonies in other planets. Another fantastic innovation was the world’s biggest solar panel created by Solar Roadways. With it, it is possible to use tempered glass cells in order to create paving that collects solar energy. The technology is already for sale, but its implementation is still expensive. Another product that came to help even more the population needing wheelchairs was developed by ten students from the Swiss Federal Institute of Technology and Zurich Arts University, in Switzerland. Scalevo (as the product is called) has two wheels that allow users to walk fast in plain terrain and go up ladders. These are just a few examples of already available technologies. If we were to approach all of them here, we would need a book only for discussing new technologies. The issue is that supporting technological innovation, besides the clear potential for helping Brazil to evolve in the world, may also generate significant improvements to the population’s quality of life.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

287


Tecnologia

O que esperar do futuro

R

Não muito distante, temos a impressora de roupas e comida. Isso mesmo! Você leu certo. Com ela será possível criar comida em 3D e, por mais absurdo que possa parecer, o protótipo já foi testado com hambúrgueres de queijo e pizza. Já para as roupas, a ideia é reutilizar as roupas antigas. Outra tecnologia que, em breve veremos implantada, é a mobília que informa sobre a saúde. Por exemplo, enquanto você dorme a cama controla e informa o andamento do sistema nervoso, já no banheiro, é possível identificar como anda o organismo, através das fezes. O que o futuro nos reserva? Não há como saber ao certo, mas sem dúvida haverá muitas tecnologias do futuro que mudarão ainda mais a forma e estilo de se viver.

Fotos: Shutterstock

obôs? Tele transporte? Bicicleta purificadora de ar? Carro voador? Pode parecer maluquice, mas há algumas décadas, falar que um ser humano conseguiria falar com outro através de um dispositivo sem fio ou que ao se aproximar de uma porta ela se abriria sozinha parecia, isso sim era considerado excentricidade. Assim como carros flex, relógios que permitem leitura de e-mails ou smartphone. Contudo, assim como os avanços tecnológicos acontecem de forma natural, alguns deles com banda larga, telas touch screen e leitores RFID. O que acha de uma geladeira inteligente, onde você poderá visualizar os produtos que estão dentro sem abrir a porta, detectar a validade dos produtos e também a quantidade que há em estoque.

What to expect from the future Robots? Tele transportation? Air-purifying bicycle? Flying car? It may seem crazy, but a few decades ago, saying that a human being would be able to talk to another through a wireless device or that when approaching a door it would open by itself, would have seemed eccentricity. As well as talking about flex cars, watches which allow for reading e-mails or even the smartphone. However, as technological advancements happen naturally, some of them with broadband, touch screens e RFID readers. What do you think about a smart refrigerator, where you will be able to view the products inside without the need to open the door, detect the validity of products and also the quantity in stock. Not so far in time, we have the clothes and food printer. That’s right! You read correctly. With such, it will be possible to create 3D food and, as absurd as it may seem, the prototype has already been tested with cheese hamburgers and pizza. For clothes, the idea is to reuse old clothes. Another technology which we shall soon be implemented is the furniture that provides health information. For example, while you sleep your bed controls and informs how the nervous system is. In the bathroom, it will be possible to identify how your organism is, through feces analysis. What does the future hold for us? There is no way to know for sure, but there is no question there will be many future technologies that will change even more our style of living.

288

Technology fairs and congresses Throughout the year the fanatic audience, sector businessmen and the specialized press gather in a few special places that are real technology temples. We are talking about fairs and conventions scattered through the continents and which aim at the most diverse audiences and markets. Obviously, there are many of them, but here we will talk about the six most important. Let us start with the Consumer Electronics Show (CES) that, besides being the world’s largest in electronics, opens the big event year, held in January. CES exists since 1967, presently with Las Vegas as the host city. Previously divided in two events (summer and winter) it has now been unified. The fair stands out for being more aimed at the market, with showcase of products to investors and journalists. Great technologies have surfaced there, such as the video recorder, the DVD, the first Xbox and plasma TVs. Computex is also an important fair. Created in 1981, the event in Taiwan is a good opportunity for checking out what is the trend on the other side of the world – several devices and technologies with a chance of being released in the west. Brands such as ASUS, NVIDIA and MediaTek have already revealed many products there. And, of course, games are also part of the list. Therefore, the Electronic Entertainment Expo (E3), the world’s biggest games fair begun in 1995 and usually takes place in June. The event chose Los Angeles as host city and is visited only by invitation or company or press registration. CeBIT means Office Automation, Information Technology and Tele-


Feiras e congressos de tecnologia

D

urante todo o ano, o público fanático, os empresários do ramo e a imprensa especializada se reúnem em alguns lugares especiais, que são verdadeiros templos da tecnologia. Estamos falando das feiras e conferências, que estão espalhadas por todos os continentes e miram os mais variados públicos e mercados. Claro que existem diversas delas, mas vamos falar aqui sobre as seis mais importantes. Por começar com a Consumer Etectronics Show (CES) que, além de ser a maior em eletrônicos do mundo, abre o ano dos grandes eventos, acontecendo em janeiro. A CES existe desde 1967, com atual sede em Las Vegas. Antes, dividia-se em dois eventos (no verão e no inverno), mas logo foi unificada. A feira destaca por ser mais voltada ao mercado, com a exibição de produtos para investidores e jornalistas. Grandes tecnologias surgiram por lá, como o gravador de videocassete, o DVD, o primeiro Xbox e as TVs de plasma. A Computex também é uma feira importantíssima. Criado em 1981, o evento em Taiwan é uma boa oportunidade para conferirmos o que está em alta no outro lado do mundo — várias coisas com chances de desembarcarem no Ocidente. Marcas como ASUS, NVIDIA e MediaTek já anunciam muitos produtos por lá. E claro, games também constam na lista.

Fotos: Shutterstock

Por isso a Electronic Entertainment Expo (E3), a maior feira do mundo dos games começou em 1995 e costuma acontecer em junho. O evento escolheu Los Angeles como sede e é visitado somente mediante convite ou registro de empresa ou imprensa. A CeBIT significa Centro de Automação de Escritório, Tecnologia da Informação e Telecomunicação e não é tão famosa assim. Ela acontece em Hanover, na Alemanha, desde a década de 70. O evento é simplesmente o mais diversificado em representação internacional e um dos maiores em público, pois não é selecionado ou fechado como os demais. Steve Wozniak , Eugene Kaspersky e Arnold Schwarzenegger já deram palestras por lá. Só que as conferências perderam muito espaço para outros eventos: ela acontece em março, pouco depois de MWC e CES, que muitas vezes são preferidas pela imprensa e por fabricantes. E para fechar a Mobile World Congress (MWC), a maior feira mobile do mundo. Ela começou em 1987 e antes era voltada para executivos de operadoras de telefonia e fabricantes. Não faz muito tempo que a feira em Barcelona começou a apresentar também lançamentos para o consumidor em tablets, smartphones e smartwatches, concentrando os primeiros top de linha de um ano. Só em 2016, o Samsung Galaxy S7, o LG G5, o Xiaomi Mi5 e a linha Xperia X foram anunciados por lá.

communications Center, and takes place in Hanover, Germany, since the 1970s. the event is simply the most diversified regarding international representation and is one of the biggest in public attendance, as it is not a selected or closed event as the others. Steve Wozniak, Eugene Kaspersky and Arnold Schwarzenegger have already lectured there. But the conference have lost much space to other events, as it is held in March, shortly after MWC and CES, which many times are preferred by the press and manufacturers. And closing, the Mobile World Congress (MWC), the largest mobile fair in the world. It started in 1987 and previously was aimed at telephone operator executives and manufacturers. Not long ago, the fair in Barcelona also begun showcasing releases for tablets, smartphones and smartwatches, concentrating the top devices of a year. In 2016 alone, Samsung Galaxy S7, LG G5, Xiaomi Mi5 and the Xperia X line were disclosed there.

w w w.vozdebrasi li a .com .br

289


Filantropia

Amor à humanidade

Fazer o bem sem olhar a quem e sem esperar nada em troca

V

ocê sabia que a palavra Filantropia vem do grego φίλος (amor) e άνθρωπος (homem), e significa “amor à humanidade”? Existem várias maneiras de ajudar, seja através de donativos a organizações humanitárias, pessoas, comunidades, ou através do seu próprio trabalho voluntário, por meio de organizações não governamentais sem fins lucrativos. Mas não tem tempo? Você sabia que você pode ajudar ainda em datas especificas? Natal, Dia das Crianças, Páscoa, entre outras, são datas importantes para fazer ações voluntárias. Além disso, existem outros tipos de ações que também são considerados atos filantrópicos, como as cartinhas deixadas nos correios para o Papai Noel. Realizada há mais de 25 anos, a campanha Papai Noel dos Correios possibilita que milhares de pessoas se transformem em mamães e papais da família Noel para disseminar amor através da solidariedade. São cartas de crianças de instituições parceiras, como creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos. A solidariedade é a palavra-chave desta iniciativa que mobiliza empregados e a sociedade em prol da felicidade das crianças e da magia do Natal. Outro exemplo de solidariedade é doar cabelo. Isso mesmo, você não leu errado, pode doar cabelo. Quem pensa em cortar bons centímetros do cabelo pode aproveitar para ajudar outras pessoas. A doação

290

de fios é um assunto e beneficia uma série de instituições que os transformam em perucas para pacientes que perderam os cabelos durante o tratamento contra o câncer. No Brasil existem diversas organizações que recebem os cabelos, basta escolher qual deseja ajudar e ter uns poucos cuidados na hora do corte. A maioria dessas organizações recebem as madeixas pelo correio. Separar o lixo reciclável também é uma maneira de ajudar. Isso mesmo! Existem algumas organizações que arrecadam e transformam em objetos de decoração, cuja renda da venda é revertida para ajudar outras pessoas. Enfim, existem importantes ações voltadas ao social, que não tomam muito seu tempo ou cus-

Fotos: Shutterstock

tam tanto dinheiro, mas que podem ajudar muito outras pessoas, além de aumentar a autoestima. É importante reforçar que a sustentabilidade social, “o ser filantrópico”, depende de cada um. Como falamos acima, existem pequenas ações que cada um pode fazer para fazer o bem, sem olhar a quem e sem esperar nada em troca. Cada indivíduo deve fazer a sua parte e estimular os outros a fazerem o mesmo, já que a mobilização é um fator muito importante para a efetivação dessas propostas. Sendo assim, não fique parado, mexa-se! É questionando padrões e cobrando mudanças que você ajudará na construção de uma sociedade verdadeiramente sustentável.


Filantropia no Brasil

U

ma outra maneira da população ajudar, é reverter os impostos a pagar, em vez de destiná-los ao governo, podem doar o valor a entidades beneficentes e abater a doação do imposto de renda devido. Infelizmente, por safadeza de algumas pessoas, no Brasil, o termo filantropia costuma ter sentido pejorativo, associado a assistencialismo, ajudas paliativas que não buscam a solução para os problemas sociais e até disfarce para a corrupção (ou “pilantropia”). Entretanto, grandes promessas sobre doações filantrópicas têm atraído atenção nos últimos anos e provocado reações que alternam entre ceticismo e admiração. Como o caso do brasileiro Giving Pledge que, em 2015, aderiu ao movimento articulado pelos bilionários Bill Gates e Warren Buffet, em que indivíduos se comprometem a dedicar, em vida, mais da metade de suas fortunas à filantropia. Há no Brasil um déficit estrutural de informação sobre o setor sem fins lucrativos. Não há dados oficiais disponíveis sobre quanto as organizações da sociedade civil movimentam em termos de recursos, mas sabe-se que empregam, formalmente, 5,8% do total de trabalhadores assalariados no país (FASFIL, IBGE, 2012). Ou seja, é um setor econômico significativo, principalmente se considerarmos Love for humanity Doing good without considering to whom and not expecting anything in return Did you know the word Philanthropy comes from the Greek φίλος (love) and άνθρωπος (man), and means “love for humanity”? there are many ways of helping, be it through donations to humanitarian organizations, people, communities, or through your own voluntary work, non -profit non-governmental organizations. But you don’t have time? Did you know that you can help even in specific dates? Christmas, Children’s Day, Easter, among others, are important dates for voluntary actions. Besides, there are other types of actions that are also considered philanthropic, such as the letters left at the post office for Santa Claus. Held for over 25 years, the Postal Service’s Santa Claus Campaign enables thousand to become mothers and fathers of the Noel family so as to disseminate love through solidarity. These are letters from partner institutions, such as daycares, homes, orphanages, and social-educational nucleuses. Solidarity is the key word for this initiative that mobilizes employees and society for the happiness of children and magic of Christmas. Another example of solidarity is donating hair. Exactly, you did not read wrong, you can donate hair. Those thinking about trimming a few good centimeters of hair can take the opportunity to help others. The donation of strands is an issue that benefits various institutions that use them to make wigs for patients who lost their hair during cancer treatment. In Brazil, there are several organizations receiving hair. Just chose

ainda o alto grau de informalidade e o volume de trabalho voluntário existente. Segundo pesquisa realizada pelo GIFE, associação que reúne os principais investidores sociais brasileiros, foram investidos em 2014 R$ 3 bilhões em áreas de interesse público como educação, cultura e meio ambiente. Considerando as melhores estimativas, o setor filantrópico no Brasil movimenta cerca de R$ 20 bilhões por ano, incluindo doações de pessoas físicas. Isso significa aproximadamente 0,36% do PIB (2014). No mesmo ano, o setor filantrópico nos Estados Unidos movimentou o equivalente a 1,86% do PIB americano. O crescimento do investimento social e da filantropia no Brasil dependem fundamentalmente de três variáveis: ambiente econômico, cultura de doação e um marco regulatório indutor (incentivos fiscais e regime tributário). Nenhum deles é absolutamente determinante, mas contribuem significativamente para o desenvolvimento do setor. E, além disso, se influenciam mutuamente. Seja pela visão do seu papel na redução de desigualdades, seja pelo dever moral de doar, como defende o filósofo Peter Singer.

the one you wish to help and care when trimming your hair. Most of these organizations receive the strands by mail. Setting aside recyclable waste is another way of helping. That is right! Some organizations collect and transform waste in decoration pieces, with the revenue aimed for helping other. So, there are important actions towards helping the social aspect of society and that do not take much of your time or cost much money, but that would help other people, and also raise self-esteem. It is important to emphasize that social sustainability, “the being philanthropic”, depends on each of us. As mentioned above, there are small actions each of us can do for good, without looking to whom and without expecting anything in return. Each individual must do his or her part and stimulate others to do the same, as mobilization is a very important factor for the effectuation of such proposals. That said, don’t just stand there, move! It is questioning standards and demanding changes that you will help building a truly sustainable society. Philanthropy in Brazil Another way for the population to help is reverting payable taxes instead of aiming them to the government, donating the amount to charitable entities and deducting the donation from the income tax. Unfortunately, due to mischief of some in Brazil the term philanthropy is many times used in a demeaning manner associated to, palliative help that do not seek to resolve the social problem and are even a façade for corruption. However, huge promises on philanthropic donations have attracted attention in recent years and provokes reactions alternating between skepticism and admiration, as the case of

w w w.vozdebrasi li a .com .br

Brazilian Giving Pledge that in 2015, joined the movement articulated biy billionaires Bill Gates and Warren Buffet, where individuals would commit to dedicating, in life, over half of their fortunes to philanthropy. There is, in Brazil, a structural deficit on information regarding the non-profit sector. There are no official date available regarding how much civil society organizations move in terms of resources, but it is known they formally employ 5.8% of the country’s total employee (FASFIL, IBGE, 2012). In other words, it is a significant economic sector, especially if we also consider the high degree of informality and the volume of existing volunteer work. According to survey by GIFE, association that gathers Brazilian social investors, in 2014 R$ 3 billion were invested in public interest areas such as education, culture and environment. Considering the best estimates, the philanthropic sector in Brazil managed around R$ 20 billion per year, including donations from individuals. This is approximately 0.36% of the GDP (2014). In the same year, the philanthropic sector in the United States managed the equivalent to 1.86% of the American GDP. The growth of the social investment and philanthropy in Brazil rely fundamentally in three variables: economic environment, donation culture and an inductor regulatory mark (tax incentives and tax system). None of them is absolutely determining, but significantly contribute for the sector’s development. And, also, they are mutually influenced, be it for their role in reducing inequalities, or for the moral duty of donating, as stated by philosopher Peter Singer.

291


Filantropia

Filantropia X Responsabilidade Social

A

Fotos: Shutterstock

pesar de “andarem juntas”, são duas ações diferentes. Se por um lado a Filantropia traz ajuda imediata a determinado grupo de pessoas, por outro, a Responsabilidade Social traz efeitos de longo prazo para uma comunidade inteira. Além disso, a responsabilidade sócia visa a sustentabilidade e a sobrevivência da empresa no mercado, enquanto a filantropia visa resolver problemas pontuais e emergenciais, não visando à sobrevivência do negócio nem a perpetuação da marca. A filantropia empresarial surgiu como um novo campo de atuação que vem conquistando crescente visibilidade no Brasil, vindo compartilhar e disputar espaços com outras formas de ações privadas em benefício público. No entanto, a expressão “filantropia empresarial” está associada a referências históricas como caridade, paternalismo e assistencialismo, que têm uma conotação negativa, porque não trouxeram transformações sociais e econômicas efetivas para o desenvolvimento das comunidades. Hoje, quando se pensa em filantropia empresarial nota-se consenso sobre a exigência de que esse investimento ocorra como uma política da empresa, e não somente como um compromisso pessoal do empresário. Resumindo, tanto a filantropia como a responsabilidade social rendem hoje uma boa imagem para as empresas e são capazes de alavancar as vendas, considerando um público cada vez maior de consumidores que buscam empresas que “devolvem” parte de seus lucros para a sociedade. Uma mesma empresa pode ter ações de filantropia e de responsabilidade social, pois uma não elimina a outra, nem exclui a necessidade e a possibilidade de se implantarem programas e ações especificas.

292

Philanthropy X Social Responsibility Despite “walking together” these are two different actions. If on one hand Philanthropy brings immediate help to a specific group of people, on the other Social Responsibility brings long term effects for an entire community. Also, the social responsibility aims at sustainability and survival of the company in the market, while philanthropy aims at solving specific and emergency problems, not aiming at business survival nor brand perpetuation. Enterprise philanthropy appeared as a new playing field that has been getting rising visibility in Brazil, sharing and fighting for space with other means of private actions for public benefit. However, the expression “business philanthropy” is associated to historical references such as charity, paternalism, and welfarism, which has a negative connotation as they did not bring about effective social and economic changes for the development of communities. Today, when one thinks of business philanthropy it is consensus the requirement that such investment takes place as a company policy, not only as a personal commitment from the businessman. Summarizing, philanthropy and social responsibility provide, today, good image for companies and are capable of leveraging sales, if we consider an increasing audience of consumers seeking companies that “give back” part of their profit to society. The same company may have philanthropy and social responsibility actions, as one does not eliminate the other, nor excludes the need and possibility of the implementation of specific programs and actions.


SHIS QI 7,Conj. 1 Lago Sul BrasĂ­lia - DF w w w.vozdebrasi li a .com .br

293


FAÇA PARTE DESTE TIME Ajude-nos a mudar a história de milhares de pessoas.

SEJA UM VOLUNTÁRIO O Instituto Brazil Just tem como objetivo: criar, apoiar, promover e executar ações e serviços que visam o bem estar de crianças, adolescentes, gestantes, idosos e portadores de necessidades especiais.

J u s t T h e B r a z i l I n s t i t u t e a i m s t o : create, support, promote and implement actions and services aimed at the welfare of children, adolescents, pregnant women, elderly and disabled special.


296

Anuario Brasileiro 17ª Edição  

A 17ª edição do Anuário Brasileiro de Economia, Turismo e Meio Ambiente tornou-se um veículo de comunicação diferenciado e educativo, com ma...

Anuario Brasileiro 17ª Edição  

A 17ª edição do Anuário Brasileiro de Economia, Turismo e Meio Ambiente tornou-se um veículo de comunicação diferenciado e educativo, com ma...

Advertisement