Page 1

Impresso Especial 36000135947 - DP/PR ARQUIDIOCESE DE CURITIBA CORREIOS

Publicação da Arquidiocese de Curitiba - Paraná

Ano XI - Número 139 - Janeiro-Fevereiro de 2014

VI Mutirão de Ação Solidária da Pastoral da Saúde será realizado em Colombo Foto: Pastoral da Saúde


Janeiro-Fevereiro de 2014

Fale Conosco

Voz do Pastor

2

Dom Moacyr José Vitti, CSS Arcebispo da Arquidiocese de Curitiba E-mail: secretaria.arcebispado@yahoo.com.br

Apresentação do Senhor Assessoria de Comunicação Rua Jaime Reis, 369 - São Francisco 80510-010 - Curitiba (PR) Responsável: Stephany Bravos Fones / Fax: (41) 2105-6343 ou (41) 8700-4752 E-mail: vozdaigreja@arquidiocesecwb.org.br Site: www.arquidiocesedecuritiba.org.br Apoio e Colaboração: Fone: (41) 2105-6342 Responsável: Aline Tozo E-mail: aline@arquidiocesecwb.org.br

Expediente O jornal Voz da Igreja é uma publicação da Arquidiocese de Curitiba sob a orientação da Assessoria de Comunicação CONSELHO EDITORIAL - Arcebispo metropolitano: Dom Moacyr José Vitti | Bispos auxiliares: Dom Rafael Biernaski e Dom José Mário Angonese. Vigário geral: Élio José Dall'Agnol Chanceler: Élio José Dall'Agnol | Ecônomo da Mitra: Pe. José Aparecido Pinto. | Coordenador da Ação Evangelizadora: Pe. Rivael de Jesus Nacimento | Coordenador geral do clero: Pe. Marcos Honório da Silva | Assessora de Comunicação: Stephany Bravos | Jornalista responsável: Stephany Bravos | Revisão: Stephany Bravos Zeni Fernandes e Tiago Polonha |Colaboração voluntária: 12 Comissões Pastorais| Apoio: Centro Pastoral Projeto gráfico e diagramação: Editora Exceuni - Aldemir Batista exceuni@uol.com.br - 3657-2864). Impressão: Press Alternativa - 3047-4511 (comercial1@pressalternativa.com.br) - Tiragem: 16 mil exemplares.

No Evangelho de hoje nos é narrada à apresentação de Jesus no Templo. A lei judaica prescrevia que todos os primogênitos, tanto os dos homens, quanto os dos animais, seriam oferecidos ao Senhor. No entanto, como as crianças não podiam ser sacrificadas, era preciso serem resgatadas; por isso os pais levavam aos sacerdotes do templo um animal puro que fosse imolado no lugar do filho. Os ricos ofereciam um cordeiro, os pobres ofereciam dois pombinhos ou rolinhas. Os pais de Jesus submetem-se a essa disposição, e o evangelista Lucas não perde a oportunidade de salientar que a família de Nazaré pertencia à categoria dos pobres: não estava em condições de oferecer um cordeiro. Este é um tema muito apreciado pelo evangelista Lucas, mas existe outro que, no trecho de hoje, é repetido ao menos cinco vezes: a observância escrupulosa, pela Sagrada Família, de todas as prescrições da lei do Senhor. Desde os primeiros anos de sua vida, Jesus cumpre fielmente toda a vontade do Pai,

vontade que se encontra expressa na Sagrada Escritura. Esta passagem do Evangelho de hoje contém um ensinamento muito importante para nós e para nossas famílias. Os progenitores preocupam-se exatamente em proporcionar educação, instrução, trabalho e boa posição social para seus filhos, mas isto não é suficiente. Tem outra missão, muito mais importante: consagrar seus filhos ao Senhor desde o início de suas vidas. Como? Não se trata de submetê-los a cerimônias particulares, mas de educá-los para uma vida cristã fiel e coerente com tudo aquilo que está escrito no Evangelho. Muitos pais estão convencidos de terem educado os filhos na fé porque os obrigaram a ser fiéis a todas as práticas religiosas. Essas imposições externas não bastam; antes, frequentemente, se não foram sustentadas em convicções profundas terminam por ser rejeitadas quando se chega à idade adulta. Educar para a fé é muito mais que ensinar práticas religiosas: significa introduzir nos corações dos próprios filhos o amor pelo caminho do amor e da doação de si mesmo, significa entregá-los ao Senhor para que Ele os

Fevereiro.2014

Agenda mensal dos bispos

-

05 08 09

-

11 13

-

14

-

15

-

18

-

20

-

21

-

22

-

23

-

24 a 28 -

Missa de Posse de Pároco na Paróquia Santa Efigênia Missa de abertura das aulas no Studium Teológico Reunião do CP, na Cúria Expediente na Cúria Expediente na Cúria Missa na Catedral Missa na Catedral Ordenação Diaconal na Paróquia São Pedro, Umbará Expediente na Cúria Gravação na TV Evangelizar Reunião do CAP, na Cúria Missa de Formatura dos Alunos de Filosofia do Seminário Bom Pastor Posse de Pároco na Paróquia Nossa Senhora Aparecida em Pinhais Momento de Espiritualidade Ecumênica para os Funcionários da SANEPAR Reunião dos Padres Recém-Chegados à Arquidiocese de Curitiba, na casa de retiros do Mossunguê Reunião Geral do Clero, na Casa de Retiros do Mossunguê Reunião dos Padres Formadores da Arquidiocese de Curitiba, no Seminário São José Ordenação Diaconal do Seminarista Everton na Catedral Missa de Encerramento do encontro de Iniciação à Vida Cristã, no Colégio Bom Jesus Centro Retiro do Clero da Arquidiocese de Curitiba em Florianópolis- SC

Dom José Mário Angonese Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba Região Episcopal Norte

Dom Rafael Biernaski Bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba Região Episcopal Centro-Oeste

Dom Moacyr José Vitti Arcebispo da Arquidiocese de Curitiba

02 03 04

transforme em construtores da paz para todos os povos. Sabemos que as crianças aprendem mais com os olhos do que com os ouvidos. A vida cristã dos pais é o melhor método de ensinar catequese aos filhos. Se os pais rezam em casa, os filhos aprendem a rezar com eles; se os pais leem a Bíblia, os filhos aprendem a procurar a luz para sua vida na Palavra de Deus; se os pais participam dos encontros da comunidade cristã, os filhos seguem-nos e tornam-se cristãos empenhados; se os pais praticam o amor, o perdão, a generosidade para com os irmãos, os filhos os imitam. É assim que os pais cristãos da atualidade são chamados a “consagrar” seus filhos ao Senhor. O trecho evangélico se conclui com o retorno da Sagrada Família para Nazaré e com a notícia referente ao desenvolvimento de Jesus. Ele não se diferencia das crianças nazarenas a não ser pelo fato de que “está cheio de sabedoria e a graça de Deus está sobre Ele” (Lc, 2, 40). Mesmo sendo Deus, aceitou em tudo a condição humana e dela compartilhou desde a infância todas as experiências dos homens.

01 02

-

04 06 08

-

09

-

11

-

13 15

-

18

-

20

-

22

-

24 a 28 -

Missa na Paróquia Santa Bertila Missa da Festa na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Campo Largo Posse de Pároco na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Campo Largo Reunião do CP, na Cúria Expediente na Cúria Benção do Novo Altar da Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho Consagração da Capela São Bartolomeu da Paróquia Santo Inácio Posse de Paróquia Santa Rita Missa da Festa na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, no Jardim Botânico Reunião do CAP, na Cúria Posse de Pároco na Paróquia São João Batista, na Vila Sandra Reunião dos Padres Recém-Chegadoa à Arquidiocese de Curitiba, na casa de Retiros do Mossunguê Reunião Geral do Clero, na Casa de Retiros do Mossunguê Ordenação Diaconal do Seminarista Everton, na Catedral Missa no Encontro das Equipes de Nossa Senhora, na Casa de Retiros do Mossunguê Retiro do Clero da Arquidiocese de Curitiba em Florianópolis- SC

01 02

-

03 04 05 06

-

07 08 09

-

12

-

13 14

-

15 16

-

18

-

20 22

-

23

-

26 27

-

Ordenação Diaconal na Paróquia Santana, no Abranches Posse de Pároco no Santuário da Divina Misericórdia Posse de Pároco na Paróquia Bom Jesus, no Portão Aula Inaugural no Studium Teológico Reunião do CP, na Cúria Expediente na Cúria Reunião da Equipe da Missão na Cúria Momento de Espiritualidade com os Funcionários do Centro de Pastoral Posse de Pároco na Paróquia Nossa Senhora da Cabeça Posse de Pároco na Paróquia São Judas Tadeu Missa na Paróquia Nossa Senhora do Amparo, em Rio Branco do Sul Posse de Pároco na Paróquia São Jorge Posse de Pároco na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Almirante Tamandaré Reunião do CAP, na Cúria Missa de Formatura dos Alunos de Filosofia do Seminário Bom Pastor Posse de Pároco na Paróquia São Paulo Apóstolo, no Uberaba Posse de Pároco na Paróquia São Pedro, em Itaperuçu Posse de Pároco na Paróquia Nossa Senhora das Vitórias Reunião dos Padres Recém-Chegados à Arquidiocese de Curitiba, na casa de retiros do Mossunguê Reunião Geral do Clero, na Casa de Retiros do Mossunguê Ordenação Diaconal do Seminarista Everton na Catedral Missa na Paróquia São Lucas, no Xaxim Formação para o Encontro de Iniciação à Vida Cristã, no Colégio Bom Jesus – Centro Expediente na Cúria Reunião do Setor Colombo, no Seminário dos Padres Passionistas


Janeiro-Fevereiro de 2014

3

Pe. Rivael de Jesus Nacimento Coordenador Arquidiocesano da Ação Evangelizadora Mestre em Teologia Pastoral pela PUC-PR E-mail: pe.riva@hotmail.com

Ação Evangelizadora

“O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos” (1 Jo. 1,3) Um Ano Missionário na Arquidiocese de Curitiba Em nosso XVII Plano de Pastoral, onde chegamos em seu quarto ano de efetivação é contemplado em 2015 um Ano Missionário. O que seria esse Ano Missionário? Em poucas palavras: Uma força de trabalho no desejo da conversão pastoral. Essa força é uma novidade? Não, pois já estamos experimentando-a em nossa Igreja desde 2007, com a realização da V Conferência do Episcopado Latino- Americano e Caribe e a publicação de seu documento conhecido como Documento de Aparecida. Em nosso Plano de Pastoral, prevíamos para esses anos algumas metas: que estão ilustradas na capa do Plano de Pastoral: Juventude, Família e Missão. Caminhamos muito; foram planejadas muitas ações, e os agentes da Comissão Família e Vida percorreram paróquias, assembleias e seminários. Estamos com a bandeira da Pastoral Familiar em movimento e com certeza a família é prioridade e dela dependem todas as outras pastorais e movimentos. Nossa Comissão Família está cada vez mais atenta aos sinais dos novos tempos. Avante Famílias na Missão!! Caminhamos com a força da juventude, com toda a ênfase a Jornada Mundial e com os frutos do “Bote Fé” em Curitiba, no antes e no depois deste evento, no antes e no depois da Jornada, estamos atentos, e este ano o empenho será dado nos setores e nas visitas aos grupos. Não deixemos de animar os jovens de nossas paró-

quias para que sejam verdadeiros discípulos missionários de Jesus Cristos, jovens atuantes e comprometidos com a causa do Reino. Caminhamos com o desejo de animação missionária, brotada da experiência da fé de nossos pastores, nossos bispos, que redigiram o texto da

V Conferência Episcopal da América Latina e inclusive secretariado pelo nosso Papa Francisco, quando ainda era o arcebispo de Buenos Aires. Nosso plano buscou nessa fonte sua essência, e fomos ainda motivados pela força das Diretrizes da Ação Evangelizadora no Brasil, (20112015). Que despertou a Urgência da Renovação em Comunidade, nos Estudos 104 da CNBB. Uma fundamentação básica e teórica que nos desperta para uma caminhada, na certeza de levar o Evangelho. A Alegria do Evangelho, publicada em novembro do ano passado resume tudo o que queremos fazer. Nas pequenas comunidades, nos grupos de reflexão, nas assembleias dos setores. Como testemunhar esse espírito de Jesus? Para isso precisamos saber o que queremos. Utilizo-me da expressão de Dom José Mário citando o Papa que se dirige ao CELAM aqui em nosso país” Precisamos não somente de uma inspiração programática, mas paradigmática”. Realmente será esse nosso desejo este ano. Contamos com a ajuda de todos, precisamos de ideias e da criatividade pastoral de cada movimento, pastorais, setores e paróquias. Vamos ouvindo o coração da Igreja com todos os batizados na medida em que formos nos encontrando com todos. Maria, Senhora da Luz dos Pinhais, caminhe conosco nesta missão e na concretização de uma Arquidiocese Missionária. Dom Pedro Antônio Marchetti Fedalto Arcebispo emérito da Arquidiocese de Curitiba Email: dompedro@fedalto.com.br

Reflexão

Para refletir sobre a fraternidade 1º de janeiro, noite de Reveillon. O dia 1º de janeiro é a noite de Reveillon com milhões de fogos de artifícios que embelezam os céus. São milhões de pessoas que se reúnem para ver os espetáculos com toneladas de fogos que enfeitam por muito tempo os céus. A praia de Copacabana tira o primeiro lugar com dezesseis minutos de fogos também com turistas estrangeiros, chegando a reunir dois milhões de pessoas. É a festa da confraternização humana. 1º de janeiro é só isto? 1º de janeiro é a festa da Maternidade de Maria. A Igreja celebra a solenidade da Maternidade de Maria, Mãe de Cristo encarnado em seu seio virginal, Mãe da Igreja, proclamada pelo Papa Paulo VI, a 21 de novembro de 1964, perante os milhares de Bispos conciliares e Mãe de todos os homens e mulheres, no testamento de Cristo, um pouco antes de sua morte de cruz, com as palavras: “Mulher, eis o teu filho. Eis a tua mãe” (Jo. 19, 26 e 27). Pergunto: será que todos os católicos celebram a festa da Maternidade de Maria, sabendo que é um dos quatro dias santificados do ano com preceito da participação da missa ou pensam que é apenas feriado?

1º de janeiro é Dia Mundial da Paz. O Papa Francisco escreveu a sua mensagem para o Dia Mundial da Paz com o tema: Fraternidade, Fundamento e Caminho para a Paz. Diz o Papa Francisco que é sua primeira mensagem para o Dia Mundial da Paz. Enviou ele sua mensagem a todos os Bispos do mundo. Deseja ele que todos os homens e mulheres tomem consciência que a fraternidade deve gerar alegria e esperança em todos os corações humanos. Afirma ele que o mundo moderno com a tecnologia avançadíssima se comunica ao mesmo tempo com todos na globalização. A globalização, afirmou Bento XV, torna-nos vizinhos, mas não nos faz viver como irmãos. Para que todos sejamos irmãos, devemos eliminar as desigualdades, a pobreza – miséria, causadas pelas injustiças sociais. Estas situações indicam a profunda carência de fraternidade, a ausência de solidariedade, com as ideologias caracterizadas por um individualismo generalizado, egoísmo crescente e consumismo desenfreado. Estas situações reinantes entre os povos do mundo inteiro debilitam os laços sociais, alimentadores de uma mentalidade descartável no des-

prezo, abandono dos mais fracos, sobretudo dos idosos considerados inúteis na sociedade. A origem desta situação nós a encontramos na origem do mundo, quando os dois irmãos Caim e Abel não vivem a fraternidade da alegria, mas cria em Caim a inveja, matando seu irmão. Hoje continuam os homens e mulheres vivendo como Caim, matando seus irmãos. Hoje, as famílias vivem num sofrimento nunca sentido no passado, com os filhos e irmãos drogados em todas as classes sociais. A droga é a mais grave enfermidade dentro de casa, chegando frequentemente à morte. É pior que a peste bubônica e a lepra. O Papa Francisco faz um apelo veemente a todos os homens de boa vontade a partir dos governantes, dos líderes da sociedade, dos educadores, dos bispos e sacerdotes, religiosos, atingindo os próprios pais, para que na própria família haja a vivência da fraternidade, da solidariedade, da paz, geradoras da alegria. O Papa faz a pergunta: “Vós sois todos irmãos? (Mt. 23,8). A pergunta que fica, depois do Reveillon do dia 1º de janeiro, é esta: o que permaneceu no coração de todos os que participam do Reveillon? O Reveillon ajudou a criar fraternidade, solidariedade, ajuda aos mais fracos, pobres, doentes e drogados? Responda.


Janeiro-Fevereiro de 2014

Setor Juventude da Arquidiocese

4

Pe. Waldir Gomes Zanon Júnior Assessor Eclesiástico do Setor Juventude da Arquidiocese de Curitiba E-mail: juventude@arquidiocesecwb.org.br

Setor Diocesano da Juventude e Pastoral Juvenil Depois de um ano marcado por momentos importantes para a juventude, o ano de 2014 se abre em nossos horizontes. É possível iniciarmos nossas atividades neste ano confiantes em que a Igreja do Brasil depois de um ano de kairós da juventude se sente convidada a continuar seu processo de evangelização no meio dos jovens buscando vivenciar as palavras do Santo Padre o Papa Francisco: “cultura do encontro, da acolhida, da ternura, da solidariedade”. Para compreendermos melhor como se dá o processo de evangelização da juventude em nossa Igreja particular precisamos compreender neste primeiro momento duas estruturas importantes: O Setor Diocesano da Juventude e a Pastoral Juvenil no Brasil.

dades num trabalho conjunto. A missão do Setor, nesse sentido, é favorecer a integração e o diálogo, além de propor algumas diretrizes comuns para a evangelização, considerando as necessidades de cada realidade diocesana e as especificidades de cada segmento juvenil. (CNBB, Doc. 85, n. 195). Fazem parte do Setor as experiências de evangelização juvenil existentes na Diocese: Grupos de Jovens Paroquiais, Pastorais da Juventude, Movimentos Eclesiais, Novas Comunidades, Congregações Religiosas que trabalham com juventude, Catequese Crismal, Pastoral Familiar, Pastoral do Adolescente, Centros e Institutos de Juventude, Pastoral Universitária e outros segmentos eclesiais.

O QUE É O SETOR JUVENTUDE? O Setor Juventude é o espaço que articula, convoca e propõe orientações para a Evangelização da Juventude, respeitando o protagonismo juvenil, a diversidade dos carismas, a organização e a espiritualidade para a unidade das forças ao redor de algumas metas e prioridades comuns (CNBB, Doc. 85, n. 193). Na realidade diocesana, o Setor Juventude é um espaço de comunhão e participação para unir e articular todos os segmentos juvenis diocesanos, os grupos de jovens paroquiais, pastorais, movimentos e comuni-

O QUE É PASTORAL JUVENIL? Pastoral Juvenil é a ação organizada da Igreja em vista da evangelização da juventude. Ao ter como centralidade Jesus Cristo, o Bom Pastor, a Igreja é chamada a exercer de maneira concreta e sistemática o pastoreio entre os jovens e com eles. Este aspecto organizativo pode estar presente em cada expressão juvenil ou na unidade das expressões (Pastorais da Juventude, Novas Comunidades, Movimentos, Congregações Religiosas, etc.) como instâncias eclesiais (comunidade, paróquia, diocese, regional, nacional, institutos e províncias de

Congregações Religiosas), assumem um trabalho que se configura como Pastoral Juvenil quando estão atentas ao princípio da unidade eclesial, da organicidade processual e do protagonismo juvenil. (Pastoral Juvenil no Brasil: Identidade e Horizontes. Estudo 103 da CNBB p.11). Segundo o documento latino-americano “Civilización del Amor”: A Pastoral Juvenil é a ação organizada da Igreja para acompanhar os jovens a descobrir, seguir e comprometer-se com Jesus Cristo e sua mensagem para que, transformados em homens novos e integrando sua fé e sua vida, se convertam em protagonistas da construção da Civilização do Amor [...] A pastoral juvenil é a expressão concreta da missão pastoral da comunidade eclesial em relação à evangelização dos jovens, que será também boa-nova para a Igreja e proposta de transformação para as pessoas e para a sociedade. (CELAM, n. 462-469). Começando a compreender estas duas estruturas sabemos por onde caminhar quando se fala em Evangelização da Juventude em nossa Igreja. Que as sementes plantadas no solo brasileiro no último ano, possam encontrar no coração dos nossos jovens um terreno fértil. Um ótimo recomeço de atividades a todos!

Palavra do Assessor mensões da Igreja (comunidade, paróquias, dioceses, regionais). Para este mês o desafio para juventude está em conhecer o Documento 85 e por que não estudar suas linhas de ação em nossos grupos? Você pode ter acesso ao documento pelo site da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude em www.jovensconectados.org.br. Ao longo da nossa reflexão vamos conhecendo as 8 linhas de ação para a juventude que nos iluminam para os trabalhos em nossos grupos. A 1ª. Linha de ação aborda a Formação Integral que tal começarmos agora?

Fala juventude! Como está o recomeço de atividades para todos? Certamente muitos nem pararam, muitas expressões juvenis desempenharam atividades nas férias: retiros, acampamentos, missões, formações, entre outros. Tudo isso nos mostra quanto nossa juventude está motivada para as atividades de 2014. Em dezembro do ano passado em Brasília ocorreu o Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil no Brasil que retomou as 8 linhas de ação do Documento 85. Neste mesmo encontro foram destacadas aquelas que deveriam ser mais trabalhadas pelas expressões juvenis (Pastorais da Juventude, Congregações Religiosas, Novas Comunidades, Movimentos), bem como, pelas várias di-

Saudações a todos. Patryck Madeira

Fé em Cristo, fé na Juventude!!! Nós jovens somos capazes de evangelizar e fazer a diferença na igreja, como o Papa Francisco diz: “Cristo abre espaço pare eles (Jovens), pois sabe que energia alguma pode ser mais potente que aquela que se desprende do coração dos jovens, quando conquistados pela experiência da sua amizade. Cristo ‘bota fé’ nos jovens. (...) Também os jovens ‘botam fé’ em Cristo. Eles não têm medo de arriscar a única vida que possuem porque sabem que não serão desiludidos”, então, não tenham medo de deixar responsabilidades em nossas mãos, confiamos no que fazemos. Pois o futuro quem nos dará somos nós os jovens, nós somos a esperança de um mundo melhor, jovens com valores, responsáveis e, acima de tudo, voltados para Deus e ao próximo. Nós jovens temos a energia para defender nossas ideias e nossos ideais dentro da igreja. Sempre que possível, dê ouvidos aos jovens, nós vemos o mundo de outra forma, podemos ser revolucionários, somos fortes. Uma família, um pai, uma mãe que não escuta seu filho jovem, o isolam gerando tristeza em sua alma fazendo com que ele pense em desistir,

uma palavra, uma frase dita no momento errado pode estragar tudo, mas você tem um objetivo e não pode desistir, você pode, você consegue! Deus estará te guiando para o caminho certo, mesmo por dificuldades Ele vai te ajudar, confia Nele, e o mais Ele fará. Com certeza algo bom pra ti Ele vai dar, pode não ser o que você queira, dinheiro, fama, riquezas, mas algo que te deixará muito feliz, uma família, novas amizades por meio de nosso Deus. Lembre, o melhor presente que recebemos é a vida, a esperança de um novo amanhecer. E essa esperança de um mundo melhor está em nossas mãos, jovens com valores e responsáveis. Jovens não deixem que os outros sejam protagonistas de mudança. Pois nós somos os protagonistas do futuro. Deus enviou por Maria seu filho amado, Jesus Cristo, que mesmo em pouco tempo de vida teve uma longa caminhada de amor por seus irmãos, tenhamos Ele como um grande exemplo. Nunca desanimem, nem percam a confiança, não deixe que se apague a confiança em vocês. Jovens vamos fazer a diferença, pois um sonho sonhado sozinho é apenas um sonho, mas um sonho sonhado juntos é realidade !!!

EXPEDIENTE SETOR JUVENTUDE: juventude@arquidiocesecwb.org.br, pe.alexcordeiro@arquidiocesecwb.org.br, waldirzanon@gmail.com / (41) 2105-6364 / 2105-6368 / Bispo referencial: Dom João Carlos Seneme / Assessores Eclesiásticos: Pe. Alexsander Cordeiro Lopes e Pe. Waldir Zanon Junior / Secretário: Marcos Moura.


Janeiro-Fevereiro de 2014

5

Pe. Luciano Tokarski Coordenador da Pastoral Catequética E-mail: catequese@arquidiocesecwb.org.br

Comissão Bíblico-Catequética

“Iniciando” a vida catequética em 2014... O ano de 2014 começa com a alegria que se renova em tomar a decisão de se deixar encontrar com Jesus Cristo. É Ele que dá sabor as nossas experiências, sentido as nossas ações, quebra-nos o cansaço, as dores e as dificuldades e nos dá prazer espiritual em servir o povo de Deus. Deve correr pelas nossas veias este sangue: “o amor de Cristo nos impele” (1Cor 9,16). Neste início de ano, movidos por um novo ardor e pelo encorajamento que o Papa Francisco nos traz, somos convidados a uma “renovação eclesial inadiável” que nasce a partir da compreensão integral do nosso ministério. Somos convidados a nos doar inteiramente à evangelização... A Igreja precisa de catequistas com um coração missionário. O catequista nunca se fecha, nunca se refugia nas próprias seguranças, nunca opta pela rigidez autodefensiva. O catequista tem o espírito do discípulo missionário: é alguém em estado de saída, alguém que entra decididamente

num processo de discernimento, purificação e renovação. O catequista com um coração missionário é um catequista que tem o seu coração na Palavra revelada, ou seja, no seu discurso o núcleo essencial é o Evangelho. Na boca do catequista ressoa sempre o primeiro anúncio: Jesus Cristo ama-

goso na comunidade. Desiludidos com a vida, com a Igreja ou consigo mesmos, sobrevivem em meio a atividades mal vivenciadas, expressam fadiga na pastoral, acabam por se deixar cativar pelo status na comunidade, não perseveram no itinerário de formação e deixam-se dominar pela intolerân-

Cada catequista e equipe de coordenação é chamada neste início de ano a assumir este compromisso evangelizador: “sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho”. (EG 20) te, deu a sua vida para te salvar, e agora vive contigo todos os dias para te iluminar, fortalecer e libertar. A Igreja precisa de catequistas com o espírito alegre, espontâneo e criativo. Catequistas desiludidos, inseguros e sem esperança adoecem e tornam-se um veneno peri-

cia ou por um aparente fracasso. A Igreja precisa de catequistas com mística e vida de oração. O catequista vive a mística da comunhão, do viver juntos, do misturarse, do encontrar-se, da unidade, da fraternidade e da participação. Cada gesto e palavra que brota do coração do catequista aquece os

corações dos seus interlocutores. Realizaremos muitas ações durante o ano de 2014, buscando a renovação e a consolidação de todo um itinerário para a iniciação à vida cristã. Somos todos convidados a nos movimentar neste tempo de nova evangelização e de renovação. Motivamos todas as coordenações, catequistas, párocos e demais lideranças envolvidas com a iniciação à vida cristã a caminharmos unidos pelas estradas que nos conduzem à alegria do Evangelho. Almejamos que cada dia mais nossas paróquias e comunidades estejam permeadas por uma catequese mais querigmática e mistagógica. Quando olhamos para Maria voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura, do afeto e do compromisso missionário. Não tenhamos medo de servir a Jesus Cristo em unidade com nossa Igreja Particular. Um bom e frutuoso ano a todos...

23 fev 2014 Encontro com todas as coordenações da Pastoral Catequética e da Pastoral do Batismo A Comissão Bíblico-Catequética chama todos os agentes da iniciação à vida cristã de cada paróquia e capela de nossa arquidiocese, a participarem desse encontro! Será um momento importante de reflexão, partilha de experiências, convivência, oração e celebração!

Inscrições para o IAFFE As vagas para as Escolas e Cursos do IAFFE estão se esgotando. Consulte-nos à respeito e venha melhorar sua formação para o serviço pastoral!

EXPEDIENTE COMISSÃO DA ANIMAÇÃO BÍBLICO-CATEQUÉTICA: Pastoral Catequética, Pastoral do Batismo e Instituto Arquidiocesano de Formação na Fé (IAFFE). catequese@arquidiocesecwb.org.br - fones: 2105-6318/2105-6356. Bispo referencial: D. José Mário S. Angonese / Coordenação: Pe. Luciano Tokarski / Assessoria: Regina Fátima Menon.


Janeiro-Fevereiro de 2014

6

Prof. Dr. Pe. Elias Wolff Professor da PUCPR e Coord. do Núcleo de Diálogo Ecumênico e Inter-religioso do ITESC; Coordendador da Comissão Teológica do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil.

Ecumenismo

Ffotos: Odaril José da Rosa – COMIDI

Sulão VII / Mutirão Ecumênico 2013 - Parte II

Entre os dias 18 e 20 de outubro de 2013, cerca de 190 pessoas oriundas de diversos lugares dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, se encontraram em Curitiba (PR) para a realização do Mutirão Ecumênico – Sulão VII. A maioria dos participantes eram membros das Igrejas Católica Romana, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, contando também com membros das Igrejas Presbiteriana Unida e Presbiteriana Independente. O fundamento bíblico que motivou o VII Sulão/Mutirão Ecumênico foi “Depois disso, derrama-

rei o meu espírito sobre todos os viventes, e os filhos e filhas se tornarão profetas; entre vocês, os velhos terão sonhos e os jovens terão visões” (Joel 3.1). O lema do encontro foi “Juventudes: tolerância e solidariedade num mundo pluralista”. A metodologia do encontro teve três principais momentos: 1) VER a realidade social das juventudes, das pessoas idosas e das mulheres. Constatou-se que é grande o número de jovens, idosos e mulheres que vivem em situações sociais precárias, sem assistência às suas necessidades básicas. Há que se promover mudanças sociais estruturais para possibilitar-

lhes uma vida digna. 2) JULGAR: iluminados pelo texto bíblico de Joel 3,1, refletiu-se sobre o compromisso de fé para que as transformações sociais ocorram na atual sociedade. A fé tem um compromisso de favorecer uma vida justa e digna para todos os filhos e filhas de Deus. Ela conclama a todos os crentes em Deus num testemunho comum do projeto do Reino para o mundo de hoje. 3) AGIR: a partir do visto na realidade social e do compreendido à luz da Palavra de Deus, os participantes do Sulão/Mutirão Ecumênico refletiram sobre o compromisso ecumênico das Igrejas. O ecumenismo é uma forma privilegiada

para a pregação do Evangelho hoje. Os desafios da evangelização são muito grandes para que uma Igreja o enfrente sozinha. Juntas, melhor poderão dar um testemunho convincente na fé em Cristo ao mundo de hoje. O VII Sulão/Mutirão Ecumênico foi uma real experiência de encontro, convivência, celebração e confraternização ecumênica. Certamente, os participantes do evento muito poderão contribuir para que suas Igrejas sintam-se encorajadas a assumirem o ecumenismo como uma exigência para a pregação do Evangelho hoje. O VIII Sulão/Mutirão Ecumênico acontecerá em Santa Catarina, em 2015.

EXPEDIENTE COMISSÃO DO ECUMENISMO E DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO: Pe. Volnei Carlos de Campos/ Animação Ecumênica e MOVEC – (41) 3045-0432/ Bispo referencial – Dom Rafael Biernaski.


Janeiro-Fevereiro de 2014

7

Ireonilda M. De Conto Coordenadora Arquidiocesana da Pastoral da Saúde

Comunicação

Tarcisio Cirino - httpmissoespopulares.blogspot.com.br201304vmutirao-de-acao-solidaria-da-pastoral.html

Pastoral da Saúde

VI Mutirão de Ação Solidária da Pastoral da Saúde será realizado em Colombo

V Mutirão realizado na Paróquia São João Batista, da Vila Sandra, por meio da parceria da pastoral com diversas instituições e colaboradores voluntários ligados à área da saúde.

O VI Mutirão de Ação Solidária da Pastoral da Saúde da Arquidiocese de Curitiba, será realizado pela primeira vez fora da cidade. Ocorrerá no município de Colombo, região metropolitana, porém dentro do setor arquidiocesano da capital paranaense. Desta vez, o evento será feito no dia 15 de fevereiro de 2014, no primeiro sábado após a data comemorativa de 11 de fevereiro, dia da Padroeira dos enfermos, Nossa Senhora de Lourdes, e também dia mundial dos enfermos. Em 2012, alguns jovens da paróquia Santa Terezinha de Lisieux, estudantes de enfermagem da PUC, participaram e concluíram os encontros de formação de Agentes da Pastoral da Saúde. E também motivados pela CF 2013 Fra-

ternidade e Juventude (lema: “Eisme aqui, envia-me”) tiveram a iniciativa de procurar a Pastoral, buscando a possibilidade de o próximo mutirão ser realizado no município de Colombo. Esses jovens tinham como seu representante a estudante Renata Izalberto dos Santos. Eles estavam sendo apoiados pelos coordenadores locais: Aparecida Pavani e Luiz Carlos Schon. Todos participam da Pastoral da Saúde setor Colombo e todos, em 2012, contribuíram para a sua implantação na paróquia, juntos com o Pe. Luiz Fernando, hoje, Bispo em Pemba, Moçambique. A princípio, os jovens entraram em contato conosco, como um trabalho social de faculdade, mas eles foram apaixonando-se e envolvendo-se. Pois este trabalho é

Convite: “VI Mutirão de Ação Solidária” com a presença de diversas instituições e colaboradores para promoverem a saúde e realizações de exames e alguns agendamentos, cortes de cabelos, etc. Dia: 15/02/2014 Das 09h às 17h Local: CAIC - Centro de Atendimento à Infância e Adolescência Rua Francisco Antônio Scrok, 39 - Vila Verde ÀS 14h - Santa Missa em Louvor à Nossa Senhora de Lourdes em prol da Saúde – Com Benção para os enfermos. Participem! Que Deus abençoe a todos.

muito mais do que social, é um trabalho acima de tudo evangelizador, um trabalho totalmente cristão. Todos nós da equipe da Pastoral da Saúde ficamos imensamente felizes e acolhemos com muito carinho o pedido deles. Pois, como todos já sabem o nosso evento sempre foi em abril, mês comemorativo do dia mundial da saúde (07/ abril). É gratificante ver um resultado de um trabalho pastoral para multiplicadores. E é muito mais gratificante poder contar com multiplicadores jovens. Eu até me emociono, é inevitável! A Pastoral da Saúde tem o compromisso de promover, preservar, defender, cuidar e celebrar a vida (prevenção de doenças: física, psíquica, espiritual, social e ambiental, etc.), tornando presente no

mundo da saúde a ação libertadora de Jesus, rumo ao reino definitivo; a Pastoral da Saúde (CNBB) tem por objetivo trabalhar as três dimensões: Solidária, Comunitária e Política Institucional. Visando à reflexão e tomada de consciência sobre a saúde pública, busca a partir de Jesus Cristo realizar gestos bem concretos em favor da vida, seja pessoal ou comunitária. Os trabalhos dos agentes pastorais da saúde são feitos de forma direta pelos leigos que recebem formação para atuarem nas comunidades junto à igreja, as unidades de saúde e conselhos de saúde. Isto nos motiva a realizarmos mutirões promovendo saúde. “Saúde direito de todos e dever do estado”.


Janeiro-Fevereiro de 2014

8

Odaril José da Rosa e Equipe Coordenador arquidiocesano do Conselho Missionário Diocesano (COMIDI) E-mail: odaril@gmail.com

Dimensão Missionária

4º Congresso Americano Missionário – Maracaibo – Venezuela

O evento reuniu mais de 3000 pessoas. Do total, 148 pessoas representaram o Brasil no Congresso

A Cidade de Maracaibo na Venezuela sediou nos dias 26 de novembro a 01 de dezembro, o 4º Congresso Americano Missionário e 9º Congresso Missionário Latino- Americano (CAM 4 - Comla 9) que reuniu mais de 3000 missionários de 24 países para refletir sobre o tema: “Discípulos missionários de Jesus Cristo da América, em um mundo secularizado e pluricultural” e o lema: “América missionária, partilha tua fé”. O Brasil participou com uma delegação de 139 pessoas representantes dos Conselhos Missionários Regionais (COMIRE). O Regional Sul 2 (Paraná) foi representado por 9 delegados, além de dom Sergio Arthur Braschi, bispo referencial da Ação e Animação Missionária da CNBB Sul 2 e João Guilherme de Melo Simão, coord. da Juventude Missionária que trabalhou como voluntário no CAM4 - Comla 9. Os brasileiros ficaram hospedados em Maracaibo, nas casas de famílias das paróquias São Miguel Arcanjo e Sagrada Família. A missa inaugural foi celebrada na Praça da Basílica de Nossa Senhora de Chiquinquirá, e reuniu mais de 4000 fiéis. A celebração foi presidida pelo Delegado Pontifício do papa Francisco, cardeal Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos. Na abertura do Congresso, o cardeal Fernando Filoni, insistiu numa maior participação do Continente americano na missão universal da Igreja. O tema dominante do Congresso foi “O anúncio de Jesus Cristo no mundo de hoje, secular e pluricultural”. Este foi o tema da palestra feita pelo teólogo argentino Lucas Cerviño, que abriu o ciclo

de conferências do 4º Congresso Americano Missionário (CAM 4 - Comla 9). No período da tarde, os congressistas aprofundavam as reflexões em 22 fóruns temáticos organizados nas salas do Palácio de Eventos em Maracaibo. A segunda Conferência foi proferida pelo secretário geral da Conferência Episcopal da Nicarágua, dom Silvio Báez, que destacou a importância da Palavra de Deus para o mundo de hoje. “Se não oferecemos a palavra de Deus ao mundo, o que temos a oferecer? Toda a evangelização está fundada sobre esta Palavra escutada, meditada, vivida, celebrada e testemunhada”, disse, citando a Exortação Apostólica ‘Alegria do Evangelho’ divulgada recentemente pelo papa Francisco. No terceiro dia de Congresso, a Oração da manhã ficou por conta da delegação brasileira, em seguida, o padre salesiano, Raúl Biord Castillo, (que durante o Congresso foi nomeado bispo) refletiu sobre a urgência da Missão nos âmbitos da nova evangelização e da missão Ad Gentes, tema da terceira conferência. “Qual o significado de nova evangelização? Que relação tem com a missão? De agora em diante tudo é nova evangelização? Como fica a missão Ad Gentes? Por que a nova evangelização é nova se proclama a Jesus Cristo, o mesmo ontem, hoje e sempre (Hb. 13,8)?”. Padre Raúl retomou a Encíclica Redemptoris Missio de João Paulo II (1990) que distingue três situações: “missão Ad Gentes entre povos, grupos humanos e contextos socioculturais onde Cristo não é conhecido. A quarta Conferência proferida pela teóloga colombiana, Olga Consuelo Vé-

lez refletiu o estado permanente de missão e a última Conferência, sobre a Vida Religiosa Consagrada, foi proferida pelo brasileiro Irmão Israel José Nery que lembrou a Vida Religiosa Consagrada “é essencialmente uma missão mística, simbólica e profética”. O penúltimo dia de Congresso foi reservado aos testemunhos missionários. Irmã Monserrat com mais de 25 anos de missão Ad Gentes, trabalhou no Japão, no Marrocos e atualmente na Argélia, país de maioria muçulmana e fez questão de lembrar que: “não devemos considerar todo o muçulmano um terrorista. No meio deles, o que o Senhor nos pede é sermos instrumentos de paz. É uma chamada à unidade, a compreender que ninguém possui a verdade e que com humildade podemos construir pontes”. Por outro lado, o padre mexicano, Ricardo Jimenez, que está há 13 anos na Argélia, o movimento mais importante e mais difícil da missão é o deslocamento interior. Padre Ricardo destacou ainda a importância da formação para a missão. “O missionário não é um ‘ ignorante’, mas estuda muito, se prepara, aprende línguas, culturas... E o mundo secularizado exige que estejamos bem preparados”. Finalmente, o 4º Congresso Americano Missionário (CAM 4 - Comla 9) indicou como síntese, cinco orientações pastorais a serem assumidas nas comunidades eclesiais, a saber: discipulado missionário, conversão, secularização, pluriculturalidade e missão Ad Gentes. Sobre Missão Ad Gentes, o Congresso suscitou às Conferências Episcopais das Américas

que, nos próximos 5 anos, assumam um lugar de missão para o qual devem enviar religiosos, religiosas, sacerdotes e leigos. Devendo promover a formação sobre a Missão universal para todos os agentes pastorais. A Missa de encerramento do Congresso, presidida pelo arcebispo de Maracaibo, dom Ubaldo Santana, na Praça da Basílica de Nossa Senhora de Chiquinquirá, reuniu mais de 4500 fiéis. Ao final da Missa, aconteceu o envio de 10 missionários para diversas partes: Moçambique (5), México (1), Nicarágua (1), Angola (1), Guatemala (1) e comunidade indígena na Amazônia venezuelana (1). Entre os enviados estão 4 leigos, 3 padres, 2 religiosas e 1 diácono. Também foi anunciada a cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, como sede do CAM 5 – Comla 10, previsto para julho de 2018. No domingo dia 01 de dezembro as atividades se realizaram nas paróquias que acolheram os missionários. Houve Missa e confraternização com as famílias hospedeiras. Na madrugada do dia 02, os brasileiros começaram a deixar Maracaibo e retornar para seus regionais. Foi um momento muito rico de estudos, convivência, inculturação e algumas situações inusitadas que vão permanecer na memória daqueles e daquelas que tiveram a graça de participar do 4º Congresso Missionário Americano na Cidade de Maracaibo. O CAM 4 - Comla 9 deve significar novo envio para a missão e responsabilidade do continente americano com a evangelização do mundo. Deve despertar na Igreja da América um grande impulso missionário, um novo Pentecostes!

AGENDA MENSAL REUNIÃO MENSAL DA EQUIPE EXECUTIVA DO COMIDI Primeira quarta-feira de cada mês: 05/fev; 05/mar; 02/abr; 07/mai; 04/jun; 02/jul; 06/ago; 03/set; 01/out; 05/nov; 03/dez ATIVIDADES DE FEVEREIRO: DATA EVENTO LOCAL RESPONSÁVEL 05/fev Reunião da Equipe Executiva do Comidi Cúria Odaril 06/fev Reunião - Projeto Missões 2015 Cúria Equipe Diocesana de Missões 08/fev Formação Missionária Setor Portão Senhor Bom Jesus - Portão 18/fev Reunião do Comire Cúria Comidi Curitiba 22/fev Formação Missionária Setor Centro Senhor Bom Jesus - Praça Rui Barbosa 24 a 28/fev Simpósio de Missiologia Brasília Centro Cultural Missionário - CCM

EXPEDIENTE COMISSÃO DIMENSÃO MISSIONÁRIA: comidi@arquidiocesecwb.org.br / (41) 2105-6376. Bispo referencial: Dom Moacyr José V itti / Coordenador: Odaril José da Rosa.


Janeiro-Fevereiro de 2014

9

Organização da Dimensão Missionária Igreja no Brasil CONSELHOS MISSIONÁRIOS: - COMINA (Conselho Missionário Nacional) - COMIRE (Conselho Missionário Regional) - COMIPRO (Conselho Missionário da Província de Curitiba) COMIDI CONSELHO MISSIONÁRIO DIOCESANO Definição - É um organismo eclesial da Arquidiocese de Curitiba, ligado às Pontifícias Obras Missionárias e à CNBB, formado por representantes de Instituições atuantes na Animação e Ação Missionária da Arquidiocese. FINALIDADE DO COMIDI - ANIMAR missionariamente a Igreja local; - INFORMAR sobre a situação missionária da Igreja; - FORMAR agentes missionários

para o Brasil e Ad Gentes; - COOPERAR com as necessidades de outras Igrejas do Brasil e Ad Gentes; - ARTICULAR a dimensão missionária com todas as forças da Igreja local. TAREFAS DO COMIDI - Formação dos COMIPAs nas paróquias; - Fazer conhecer as iniciativas missionárias existentes na Arquidiocese e no mundo; - Promover momentos de formação missionária; - Informar sobre a situação missionária da Igreja no mundo inteiro; - Procurar novos caminhos de presença missionária; - Manter contato com os missionários além fronteiras; - Valorizar e acolher os carismas missionários presentes na Arquidiocese;

POM Institutos Missionários e Fidei Donum

- Fazer com que a dimensão missionária norteie todas as pastorais, organismos e movimentos da Arquidiocese; - Colaborar com as forças missionárias do Comipro, Comire e Comina; - Animar a Campanha Missionária; - Ir ao encontro dos que não conhecem a Palavra de Deus; - Incentivar as revistas missionárias; - Promover orações missionárias; - Implantar a Infância, Adolescência e Juventude Missionária.

da consciência missionária na paróquia. A presença do COMIPA em uma paróquia não significa uma pastoral ou atividade a mais, pelo contrário, torna-se uma preciosa ajuda para o padre em sua missão evangelizadora.

-

COMIPA CONSELHO MISSIONÁRIO PAROQUIAL (OU) GAM GRUPO DE ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA Definição - É um instrumento precioso, sendo de certa forma como o braço direito do padre no desenvolvimento da vocação missionária do Batismo em nossas comunidades. É a memória e o animador

CNBB Comissão Episcopal para Ação Intereclesial e Cooperação Missionária

-

A FINALIDADE DO COMIPA Organizar a atividade missionária na paróquia. Ajudar a paróquia (grupos, pastorais, movimentos) a despertar e manter viva a consciência missionária. Colaborar com todas as pastorais e em comunhão com o pároco, o COMIPA ou GAM tem o dever de animar missionariamente a paróquia, em sintonia com as orientações do COMIDI. É fundamental que o COMIPA ou GAM tenha uma proposta de trabalho que perpasse todos os setores da paróquia.

CRB CCM - Centro Cultural Missionário

COMINA

CIMI - Conselho Indigenista Missionário

Programas Igrejas-Irmãs

COMIREs

Imprensa Missionária

Missão na Amazônia

COMIDIs

Missões Populares e outros...

Missionários Leigos

COMIPAs GAMs

Projetos Ad Gentes PBE - Pastoral dos Brasileiros no Exterior

EXPEDIENTE COMISSÃO DIMENSÃO MISSIONÁRIA: comidi@arquidiocesecwb.org.br / (41) 2105-6376. Bispo referencial: Dom Moacyr José Vitti / Coordenador: Odaril José da Rosa.


Janeiro-Fevereiro de 2014

Comissão da Dimensão Econômica e Dízimo

10

Clovis Venâncio Membro da Pastoral Arquidiocesana do Dízimo

Mensagem da Equipe Arquidiocesena da Pastoral do Dízimo Iniciando o ano de 2014, nossa mensagem para esta edição do “Voz da Igreja” correspondente aos dois primeiros meses do ano, objetiva oferecer reflexões tendo por base alguns pequenos trechos bíblicos, a título de subsídios doutrinários. I – Subsídios Doutrinários: Malaquias Cap. 3, Vers. 10 e 11: “Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa. Fazei a experiência, diz o Senhor dos exércitos, e vereis se não vos abro os reservatórios do céu e se não derramo a minha benção sobre vós muito além do necessário”. Mateus Cap. 7, Vers. 21: “Nem todo aquele que me diz ´Senhor, Senhor´, entrará no Reino dos Céus, mas só aquele que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus”. Mateus Cap. 23, Vers. 23: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Eis o que era preciso praticar em primeiro lugar, sem, contudo, deixar o restante”. II – Diretrizes Pastorais Para a Atuação dos Fiéis: A Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é nossa Igreja, tem por primeira e principal missão, realizar a Evangelização de todos, no mundo inteiro, exercendo assim, sua função de revelar quem é Jesus Cristo e pregar os seus ensinamentos a toda criatura. Para o exercício desta sua Missão, a Igreja, que na verdade somos todos nós os que nela fomos batizados, além da atuação direta do magistério, integrado pelo clero ordenado, seja ele Diocesano ou Religioso, está estruturada funcionalmente para atuar através das diversas Pastorais, Conselhos e Movimentos, que agrega a participação ativa de cristãos, leigos e leigas conscientes de suas responsabilidades perante Deus e os irmãos. Desta forma, o processo de evangelização que deve ser praticado pelos integrantes das equipes da Pastoral do Dízimo nos diversos níveis em que, também, geograficamente está estruturada a Igreja: diocesano, paroquial ou das comunidades, fundamenta-se diretamente nos ensinamentos bíblicos contidos já no Antigo Testamento, como, especialmente nas atitudes de Jesus, relativamente ao nosso relacionamento com as pessoas e as coisas materiais. Portanto, dentre as inúmeras citações contidas no Antigo Testamento, a breve passagem acima, extraída do Livro do Profeta Malaquias, já deixa claro um ponto fundamental sobre a necessidade da devolução do Dízimo, conforme nos explica ANTONINHO TATTO, do MEAC, no livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”, e que, a seguir transcrevemos: “Aqui está o verdadeiro sentido do Dízimo. Deus pede o Dízimo e diz para

quê. Não pode faltar nada na casa de ninguém. É o direito de todos participarem de tudo o que precisam para uma vida feliz e digna. Nós mesmos somos a casa onde Deus quer fazer morada. Esta morada tem que ser digna. Dízimo, dízimo mesmo, como sinal de partilha, garante esta dignidade.” Chegada, porém, a plenitude dos tempos e, estando grande parte da humanidade afastada de Deus por seus pecados, Ele enviou seu próprio filho unigênito, Jesus Cristo que, sendo o Verbo Eterno, a palavra viva do Pai, procurou sempre transmitir a fé e a confiança em Deus e, através de seus ensinamentos e exemplos concretos, empenhou-se plenamente em revelar aos homens qual é a vontade de Deus para com suas criaturas. Nesse seu esforço, Jesus foi até as últimas consequências, dando até sua própria vida para a redenção do gênero humano. Contudo, ainda que por sua paixão, morte e ressurreição, Jesus tenha obtido o direito à salvação eterna para o ser humano, conforme se pode deduzir, porém, pelo exame do segundo trecho que vimos nos subsídios acima, extraído de Seu Evangelho escrito por São Mateus, Capítulo 7, Versículo 21, apenas a fé, sem as obras, não assegura a salvação. Ou seja, paralelamente aos atos de culto a Deus, como orações e meditações sobre os ensinamentos contidos em Sua Palavra, compete-nos colocá-los em prática em nosso diaa-dia, através, sobretudo, das obras de misericórdia e de amor ao próximo. Ou seja, vivenciar a verdadeira caridade cristã. Entretanto, Jesus não veio a este mundo para abolir a Antiga Lei, especialmente no que se refere ao Dízimo, mas sim, para explicar o seu verdadeiro sentido, aperfeiçoando-a no que se fizesse necessário. É isto que devemos entender, inclusive, da reflexão sobre o conteúdo do Capítulo 23, Versículo 23 extraído também, do Evangelho segundo São Mateus, e que foi o último trecho lido acima. De fato, Jesus não condenou o dízimo, como alguns argumentam, interpretando equivocadamente esta ou outras passagens dos Evangelhos, mas, sim, sua prática escrupulosa, colocando em segundo plano a prática da justiça e da misericórdia, que se relaciona, sobretudo, com as necessidades da comunidade e depende da generosidade de cada um. Com efeito, dentre os ensinamentos de Jesus, tanto por suas palavras, como por sua vivência durante os dias em que esteve neste mundo como um de nós, destaca-se o apelo insistente ao desapego aos bens materiais e às ambições e vaidades humanas, bem como, suas proposições no

sentido de vencermos o orgulho e o egoísmo que dificultam ou mesmo, impedem o relacionamento fraternal entre nós, seres humanos, considerando que somos todos filhos do mesmo Pai celestial. Tal comportamento proposto e vivido por Jesus significa amar ao próximo como a nós mesmos e, igualmente, como Ele nos ama. Isto implica, inclusive, num verdadeiro e permanente processo de conversão pessoal que, como Ele o fazia, leva a partilharmos entre nós tudo o que somos e tudo o que temos. Significa não considerarmos como nosso nada do que temos, pois nada trouxemos quando viemos para este mundo e dele nada levaremos, pois somos meros administradores destes bens que, na verdade, pertencem a Deus Criador. É dentro deste contexto que se inserem o DÍZIMO E AS OFERTAS, pois se constituem em expressões concretas de partilha, de participação em nossas comunidades eclesiais. Realmente, sobretudo o Dízimo, como simples contribuição financeira sistemática é algo sagrado e, deve ser entendido como a devolução de uma pequena parte de tudo o que recebemos de Deus e, biblicamente se destina à manutenção e expansão de Seu Reino já neste mundo. Uma vez mais queremos insistir aqui, tendo agora por base, inclusive, as sábias palavras de nosso próprio atual Papa Francisco que, se por parte de todos os membros batizados da Igreja – clero e leigos - o sistema dizimal de contribuição for perfeitamente assimilado e colocado em prática, segundo as três dimensões – Religiosa, Missionária e Social ou Solidária - em que o mesmo deve ser compreendido quanto à destinação dos recursos, certamente não haverá necessidade de adotar-se outros meios para a manutenção do Culto, da Igreja e de suas obras. De fato, a evangelização precisa ser realizada observando-se plena coerência entre o que se prega (Evangelho) e o que se pratica, o que não acontece com muitos dos meios utilizados dentro de nossa Igreja, que são verdadeiros contratestemunhos relativamente aos princípios cristãos. Finalizando, com esta mensagem esperamos estar contribuindo para uma maior coerência e autenticidade da Igreja no processo de evangelização, na medida em que, uma vez recebidas e meditadas por seus leitores, levem-os a se conscientizarem sobre o profundo significado do Dízimo como um meio verdadeiramente correto e adequado para realizar a evangelização, pois é plenamente coerente com os princípios pregados por Jesus Cristo, nosso verdadeiro Mestre e Senhor.

EXPEDIENTE COMISSÃO DA DIMENSÃO ECONÔMICA E DÍZIMO: BISPO REFERENCIAL: Dom Moacyr José Vitti; Coordenador da Comissão: João Coraiola Filho; Coordenador da Pastoral do Dízimo: William Michon.


11

Janeiro-Fevereiro de 2014

Comunicação

Esse é o Tema do Dia Mundial das Comunicações de 2014 anunciado ao mundo inteiro pelo Papa Francisco. E a Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Curitiba, ao retomar suas atividades no início do mês de fevereiro com uma grade de atividades, quer contemplar essa dimensão do encontro com as Paróquias da Arquidiocese visando contribuir com temas comunicacionais em diversos segmentos. Para tanto, fará mensalmente encontros com comunicadores paroquiais abordando assuntos que abrangem as necessidades das Paróquias. No dia 17 de março, o primeiro Encontro de Comunicadores Paroquiais abordará o tema: Comportamento dos agentes pastorais no espaço litúrgico. Além da programação mensal, um elenco de atividades será desenvolvido visando o Dia Mundial das Comunicações, que será comemorado no dia 1º de junho um domingo. Entre as ações previstas, far-se-á encontros com profissionais de diversas áreas de comunicação social, que expressam a fé católica, aproximando estes comunicadores e os veículos onde atuam para mostrar o quanto são importantes na difusão da mensagem cristã. O objetivo é conhecer quem são os profissionais e como a Igreja poderá acolhê-los e dar-lhesum tratamento adequado ao saber que estes são os fazedores de opinião e poderão contribuir para que

Foto: arcadaalianca.com.br

Comunicação a serviço de uma autêntica cultura do encontro

Diácono Osmar Vieira Coordenador PASCOM

a comunicação de Jesus Cristo possa fluir com vigor em todos os veículos de uma forma profética. Dom Orani João Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro eleito recentemente Cardeal pelo Papa Francisco, fala com muita propriedade sobre a importância da Pastoral da Comunicação na vida da Igreja. Em um dos seus textos recorrentes nos jornais. Ele escreve: “A cultura do encontro é um assunto recorrente no magistério do Papa Francisco, que afirmou: “Esta é uma proposta: cultura da vizinhança. O isolamento e o fechamento em si mesmo ou nos próprios interesses nunca são o caminho para voltar a dar esperança e operar uma renovação, mas é a proximidade, é a cultura do encontro. O isola-

mento, não; proximidade, sim. A primeira dimensão é a busca de “integração” em favor da Pastoral de Conjunto na Igreja; a segunda, é a construção de uma relação “missionária” da Igreja com o mundo. A Igreja é servidora; por isso, a Pastoral da Comunicação colocase como parceira de todos os que, pela comunicação, querem fazer uma sociedade mais solidária, justa e fraterna. A comunicação não é apenas um meio para a solidariedade; é a primeira e mais básica manifestação de solidariedade. A Pastoral da Comunicação, portanto, procura ajudar na integração da comunidade e, ao mesmo tempo, participar da ação da comunidade na sociedade, sempre sem perder de vista a construção do Reino a

que somos chamados por Cristo. “O comunicador cristão seja ele uma liderança religiosa, um Agente da Pastoral da Comunicação, um profissional da área ou um animador da comunicação no espaço educativo, deve apresentar um perfil psicopastoral em que se destaque: Uma reconhecida capacidade de se relacionar, o que significa capacidade de manter institucionalmente, o diálogo com as várias tendências presentes na comunidade e diocese, assim como capacidade de cultivar uma tolerância responsável...) Uma comprovada criatividade na descoberta de soluções para os problemas de comunicação com os quais tiver de lidar, buscando respostas novas e adequadas para situações igualmente novas”.

Pastoral da Comunicação faz plantão semanal Todas as quintas-feiras, o plantão da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Curitiba atenderá das 14 às 18h. Se você quiser falar sobre a Pastoral e nos dizer como está a Pascom na sua Paróquia, sugerir temas, livros, cursos e afins, ligue-nos pelo telefone: (41) 2105-6327 e converse com Diácono Osmar ou Kayser, ou ainda, envie sua sugestão para o email: osmar.vieira@gmail.com. EXPEDIENTE COMISSÃO DA COMUNICAÇÃO: osmar.vieira@gmail.com / (41) 9683-6147 /Bispo Referencial: Dom José Mário Angonese / Coordenador: Diácono Osmar Vieira.


Janeiro-Fevereiro de 2014

12

Genice Ximendes da Silva Coordenadora Arquidiocesana dos Coroinhas e Acólitos (41)9159-2487 ou (41) 9669-0376 - genice-xs@uol.com.br

Comissão Litúrgica

Crescimento, conhecimento e formação marcaram os encontros de Coroinhas e Acólitos em 2013 Durante o ano de 2013, o Ministério de Coroinhas e Acólitos de nossa Arquidiocese teve seus objetivos alcançados. A Escola recebeu mais de 150 membros participantes neste ano, que juntos com a equipe responsável da Arquidiocese, Seminaristas diocesanos e assessores, obtiveram crescimento, conhecimento espiritual e formativo para liderar em suas paróquias e comunidades. Os encontros aconteceram na Catedral Basílica de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, todos os quartos sábados de cada mês e no Seminário Diocesano São José em Orleans, onde

aconteceu os aprofundamentos vocacionais, com a presença dos bispos e padres de nossa Arquidiocese e à tarde aconteceram as tarefas e provas da II Gincana Arquidiocesana dos Co-

MISSA DE FORMATURA

Em 07 de dezembro de 2013 às 14h, acontece na Catedral Basílica Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, mais uma Celebração de Formatura da Escola dos Coroinhas e Acólitos. A celebração da Santa Missa foi presidida por Dom Rafael Biernaski – Bispo auxiliar da Arquiciocese de Curitiba e do Ministério de Coroinhas e Acólitos. Com esta celebração coroamos o ano de 2013 como um ano de crescimento para a nossa fé, na liderança da caminhada dos Coroinhas e Acólitos. Iniciamos com mais de 150 participantes entre primeiro e segundo anos, na Escola de Formação Arquidiocesana, porém nem todos receberam seus certificados, visto as exigências da participação nos encontros, ficando o espaço aberto para receberem os encontros que faltam completar no ano em que se inicia, onde concluindo o número de encontros desejados, todos poderão receber seus certificados de Participação da Escola. Aos que receberam, Parabéns! Desejamos muita perseverança na caminhada, muito trabalho juntamente com seus grupos e deixamos ainda o compromisso de caminharmos juntos, participando e construindo o Reino de Deus.

Nosso desejo é que, no ano de 2014, mais paróquias sintam-se chamadas a participar deste momento de comunhão com toda a igreja, enviando pessoas de suas comunidades, onde os mesmos possam ser multiplicadores em seus grupos e assim este ministério se desenvolva da melhor forma, para o crescimento da igreja e do serviço na liturgia através dos Coroinhas e Acólitos. A Equipe de Coordenação parabeniza a todos que concluíram suas etapas ficando a seguinte orientação. Quem terminou o primeiro ano, vai para o segundo ano e quem concluiu o segundo ano, deverá fazer sua matrícula na Escola de Liturgia na Arquidiocese. Informações pelo fone: 2105-6363, com a Secretaria do Centro de Pastoral da Arquidiocese. As matrículas para a Escola de Coroinhas e Acólitos já estão abertas na Catedral Basílica de Curitiba no horário comercial, informações pelo fone: 33245136 com Elisa ou Gabriel. Valor da inscrição R$20,00 e mensalidade R$20,00. 0bs.: Nas inscrições precisamos de letra legível, nome, endereço completos, telefone e e-mail. A todos um Feliz 2014, com desejo de muito sucesso, saúde e alegria, seguido das bençãos de Deus para todos.

EXPEDIENTE COMISSÃO LITÚRGICA: mauricioanjos@hotmail.com / (41) 2105-6363. Bispo referencial: Dom Rafael Biernaski /Coordenação: Pe. Maurício Gomes dos Anjos.

roinhas e Acólitos. Foram momentos de muita luz de Deus para a caminhada com muita alegria e confraternização entre os grupos participantes dos encontros.

AGRADECIMENTOS A Equipe Arquidiocesana dos Coroinhas e Acólitos agradece primeiramente a Deus pelos objetivos alcançados, mas estendemos especialmente os nossos agradecimentos ao Arcebispo Dom Moacyr e seus bispos auxiliares Dom Rafael (bispo referencial do Ministério) e Dom José Mario que durante este ano nos apoiaram e nos incentivaram com suas orações e a valiosa presença e sabedoria nas celebrações no Seminário e na Catedral. Agradecemos ainda aos Revmos. Padres, Pe. Mauricio – Coordenador Arq. do Serviço Vocacional e Diretor Espiritual da equipe arquidiocesana de Coroinhas e Acólitos. Pe. Fabiano – Diretor do Seminário Diocesano São José e Diretor Espiritual da equipe arquidiocesana de Coroinhas e Acólitos. Pe. Emmanoel – Que nos orientou e preparou com o cerimonial dos Bispos. Ao Pe. Genivaldo – Que nos acolheu e nos cedeu o espaço físico da Catedral para a realização dos encontros de formação e desta forma facilitou para que a Escola se tornasse mais central a todos. E a todos os párocos que enviaram seus fiéis leigos e seus grupos para participarem desta formação oferecida pela Arquidiocese de Curitiba. Fazemos votos de que, neste ano que se inicia mais paróquias se sintam chamadas a participar destes momentos de Comunhão com toda a igreja local e juntos façamos o Reino de Deus acontecer entre nós. Estamos à disposição de cada um que precisar esclarecimentos a respeito da caminhada, bem como visitar as paróquias e Feliz 2014 com suprimas realizações em seus grupos em Cristo.


Janeiro-Fevereiro de 2014

13

Genice Ximendes da Silva Coordenadora Arquidiocesana dos Coroinhas e Acólitos (41)9159-2487 ou (41) 9669-0376 - genice-xs@uol.com.br

Comissão Litúrgica

Subsídio Coroinhas e Acólitos 2014 FUNÇÃO Coroinhas: são crianças, a partir de 6 anos, tanto do sexo masculino, quanto do feminino, que auxiliam nas funções dentro da nave, tais como, apresentação das intenções, caixas de oferenda e patenas, além de auxiliarem os acólitos “ad hoc” na credência. Acólitos: São adolescentes e jovens, a partir de 13 anos, tanto do sexo masculino, quanto do feminino, auxiliam o presbitério durante a celebração, nas funções dentro do presbitério, tais como: librífero, microfonista e responsável pela credência, bem como demais funções delegadas pelo presidente de celebração.Nas celebrações em que o Arcebispo ou Bispo está presente, bem como nas celebrações festivas da igreja, são eles os responsáveis pelo cerimonial, conforme dispõe o Cerimonial dos Bispos.

ração do grupo. Observamos ao longo da caminhada que os grupos que melhor se desenvolvem são aqueles em que os pais acompanham e apoiam as atividades dos Coroinhas, cabendo a eles também reuniões e formações referentes à caminhada do Ministério dos Coroinhas e Acólitos.

FORMAÇÃO A formação dentro do Ministério dos Coroinhas e Acólitos deve ser permanente, voltada para a formação espiritual e prática da criança e do adolescente no serviço à liturgia, acrescentando-se paralelamente, atividades lúdicas, para maior inte-

APRESENTAÇÃO DE COROINHAS O Coroinha deve ser Apresentado à comunidade para receber o Ministério de Coroinha, dentro de uma celebração presidida pelo Pároco, Coordenador Arquidiocesano e o Coordenador do Grupo. Para que isso venha acontecer é exigido a par-

Paróquia Nossa Senhora das Graças - Abranches

Paróquia Nossa Senhora das Graças - Abranches

ticipação da criança ou adolescente na formação de 25 encontros e 1 retiro que servem como base para a caminhada, conforme o Rito de Apresentação e o material disponibilizado pela Comissão Arquidiocesana de Coroinhas e Acólitos. DELEGAÇÃO DOS ACÓLITOS Este recebe uma delegação para assumir este serviço na Igreja. Além da idade exigida a partir de 13 anos, o adolescente/jovem deve ter uma formação de aproximadamente 25 encontros e 1 retiro próprio conforme orientação e material disponibilizado pela Comissão Arquidiocesana de Coroinhas e Acólitos.

Paróquia São Francisco de Assis - Xaxim

Esta Delegação deverá ser realizada pelo Pároco, a presença do Coordenador Arquidiocesano e o Coordenador do Grupo. Não tenha pressa em delegar, devemos observar bem a presença nos encontros e a perseverança na caminhada, para que não aconteça desistência e sim crescer no amor e perseverança no serviço da Igreja, pois serão eles os futuros vocacionados, consagrados ou com certeza, grandes líderes para a Igreja. As delegações têm por objetivo, motivar e incentivar com estas celebrações os momentos altos da caminhada no serviço à Igreja e à Liturgia.

Paróquia São João Batista - Almirante Tamandaré

Para 2014 As matrículas já estão abertas na Catedral para os coordenadores, formadores e multiplicadores deste Ministério na Igreja. Pedimos aos párocos que enviem membros interessados tanto para o primeiro ano, quanto para o segundo ano. INSCRIÇÕES: R$20,00 MENSALIDADES: R$20,00 INÍCIO DA ESCOLA SERÁ PARA O PRIMEIRO ANO: 22/02/2014 SEGUNDO ANO: 22/03/2014

LOCAL: Dependências da Catedral Basílica Nossa Senhora da Luz dos Pinhais – Praça Tiradentes HORA: 14h às 16h INFORMAÇÕES: Genice Ximendes da Silva Coordenadora Arquidiocesana de Coroinhas e Acólitos (41)9159-2487 ou (41) 9669-0376 genice-xs@uol.com.br

EXPEDIENTE COMISSÃO LITÚRGICA: mauricioanjos@hotmail.com / (41) 2105-6363. Bispo referencial: Dom Rafael Biernaski /Coordenação: Pe. Maurício Gomes dos Anjos.


14

Janeiro-Fevereiro de 2014

Dimensão Social

13º Intereclesial: O trem das CEBs parte do Ceará para o Paraná A Diocese de Crato, na região do Cariri, em Juazeiro do Norte-CE, nordeste brasileiro, sob as bênçãos do PadimCiço (Pe. Cícero), acolheu o 13º Intereclesial das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base), de 07 a 11 de janeiro de 2014. Embalados pelo tema Justiça e Profecia a serviço da vida e o Lema CEBs Romeiras do Reino no campo e na cidade, mais de 5 mil pessoas, representantes de todo Brasil, reafirmaram o compromisso das CEBs como um “jeito ‘normal’ da igreja ser”. Destacamos a luta das comunidades em defesa da vida, materializada nas lutas dos excluídos, de povos indígenas, quilombolas, ribeirinhas, pesqueiras, quebradeiras de coco, comunidades rurais, catadores de materiais recicláveis, periferias, etc. Desafiados pelos problemas que assolam os pobres, também discutiu-se o envolvimento dos cristãos/ãs na política. Como Romeiras do Reino as CEBs não podem ficar fora das questões que limitam e impedem a caminhada de todos os povos para esse Reino.

Jardel Neves Lopes Coordenador da Pastoral Operária e Membro das CEBs

Ficamos contentes pela carinhosa e profética carta do Papa Francisco aos participantes do Intereclesial. Pela primeira vez um Papa escreve aos participantes do Intereclesial. Como lembrava o Documento de Aparecida, as CEBs são um instrumento que permite ao povo “chegar a um conhecimento maior da Palavra de Deus, ao compromisso social em nome do Evangelho, ao surgimento de novos serviços leigos e à educação da fé dos adultos” (n.178). E recentemente, dirigindo-me a toda a Igreja, escrevia que as Co-

munidades de Base “trazem um novo ardor evangelizador e uma capacidade de diálogo com o mundo que renovam a Igreja”, mas, para isso é preciso que elas “não percam o contato com esta realidade muito rica da paróquia local e que se integrem de bom grado na pastoral orgânica da Igreja particular” (Exort. Ap. Evangeliigaudium, 29). (Trecho da Carta do Papa Francisco aos Participantes do 13º Intereclesial). Justiça e Profecia a serviço da Vida! Um compromisso para toda a Igreja. Também os 72 bispos presentes no Intereclesial reafirmaram seu compromisso com as CEBs: “Para tanto, reafirmamos, junto às CEBs, nosso empenho e compromisso de acompanhar, formar e contribuir na vivência de uma fé comprometida com a justiça e a profecia, alimentada pela Palavra de Deus, pelos sacramentos, numa Igreja missionária toda ministerial que valoriza e promove a vocação e a missão dos cristãos leigos (as), na comunhão”. (Carta dos Bispos participantes do 13º

PARTICIPANTES Mulheres: ...................................... 2248 Homens: ......................................... 1788 Bispos: ............................................... 72 Padres: ............................................. 232 Religiosas/os: ................................ 146 Evangélicos: ...................................... 20 Outras religiões: .............................. 35 Estrangeiros: ..................................... 36 Indígenas: .......................................... 75 Ampliada/Assessoras/es: .............. 68 Total (incluindo as equipes de serviço e visitantes): .............. 5046

Intereclesial de Comunidades Eclesiais de Base ao Povo de Deus). E como o Trem das CEBs não para de crescer, dessa vez o Regional Sul II voltou para casa com a incumbência de construir o 14º vagão. A diocese de Londrina, no Paraná, será anfitriã do 14º Intereclesial das CEBs. É com alegria que queremos desde já nos prepararmos para acolher esse grande marco para a igreja do Paraná. Por Jaime C. Patias Comunicação 13º Intereclesial

Romeiros das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base) fazem memória dos mártires e profetas

Num clima de fé e esperança, os participantes do 13º Intereclesial das CEBs viveram, na tarde do dia 9 de janeiro, um momento especial de mística e espiritualidade. Ônibus transportaram os romeiros até o Horto, lugar mais alto de Juazeiro do Norte, onde se encontra a gigantesca estátua do padre Cícero, ao lado do museu que preserva a sua memória. A última parte do trajeto até a colina foi feita a pé quando romeiras e romeiros do campo e da cidade formaram um mar de chapéus. Aos poucos a multidão ia se acomodando aos pés da estátua do padre Cícero para a celebração dos Mártires e Profetas.

Entre orações, cânticos e salmos, depositavam diante da cruz dos mártires seus sofrimentos e anseios por justiça e profecia a serviço da vida. O roteiro da celebração seguiu a Via-Sacra. Em um momento de profundo silêncio foram lembrados os passos de Jesus que se atualizavam nos passos de tontos homens e mulheres que tombaram na luta pelas causas do povo, “vidas pelas vidas, vidas pelo Reino”. Santo Dias, dom Helder Camara, Sepé Tiarajú, Marçal Guarani, Nísio Gomes, João Caleri, Irmã Dorothy Stang, Margarida Alves, Chico Mendes, Oscar Romero, Josimo Tavares, Ezequiel Ramin, padre Cícero Romão, entre outros. Presidiu a celebração, dom Edson Damian, bispo de São Gabriel da Cachoeira

(AM), a diocese mais indígena do Brasil. “Dirigimo-nos a vocês, em nome de todos os nossos povos e igrejas, pois a vocês devemos a coragem de viver defendendo nossa identidade e a vontade teimosa de seguir anunciando o Reino, contra o vento e a maré do antirreino neoliberal”, destacou dom Edson ao refletir sobre o significado do martírio. “Apesar das corrupções de nossos governos ou de todos os nossos temores, recuos e covardias cremos que, enquanto houver profecia haverá credibilidade, enquanto houver martírio haverá esperança, enquanto houver profetas e mártires haverá CEBs lutando por justiça e profecia a serviço da vida”, disse. O bispo lembrou ainda que, a história das CEBs se mistura com a luta dos pobres, por sua dignidade, por seus direitos. “Do chão das CEBs é que surgiram os profetas e os mártires. O grão caído na terra morrendo se multiplica. Assumiremos suas vidas e suas mortes abraçando suas causas”, disse e completou com o apelo de dom Helder Camara: “Não deixem morrer a esperança”. Ao lado do cajado de padre Cícero, Irmã Anette Dumoulin, religiosa que se dedica a acolher os romeiros leu alguns conselhos deixados pelo padre Cícero: “Todos ainda podem ser santos. Sempre é mais seguro obedecer a Deus do que aos homens. Deus nunca deixou trabalho sem recompensa, nem lágrimas sem consolação. Dê o primeiro passo e o resto o nosso bom Deus fará. Trabalhe como se nunca fosse morrer, reze como se fosse morrer hoje”, dizem algumas das orientações. Cantores complementaram entoando versos populares: “Quem matou não mate mais, quem roubou não roube mais! Romeiros de verdade vivem na fraternidade. Jesus Cristo vive no calvário a Deus Pai nos entregou, vencendo a maldade seu amor ele provou”. O sentimento dos presentes foi resumido na mística do Pai Nosso dos Mártires cantado com emoção e compromisso. “Teu nome é santificado naqueles que morrem defendendo a vida. Teu nome é

glorificado, quando a justiça é nossa medida. Teu reino é de liberdade, de fraternidade, paz e comunhão. Maldita toda a violência que devora a vida pela repressão... Pai nosso revolucionário, parceiro dos pobres, Deus dos oprimidos”. Na sequência, ao som de um violino e uma flauta, a grande cruz foi carregada pelo povo enquanto se deslocava até a igreja nova de Bom Jesus do Horto, templo ainda em construção no espaço doado pelo padre Cícero aos padres salesianos. Ao receberam respingos de água benta os romeiros das CEBs renovavam seus compromissos pela causa da justiça e da profecia, a exemplo dos mártires da caminhada.

Marcelo Barros e Neusa leram um esboço da carta a ser enviada ao Papa Francisco em resposta a sua emissiva. “Queremos expressar ao Senhor nosso agradecimento pela bela e profunda carta que nos mandou e foi lida no início deste encontro. Sua carta nos chegou como uma luz a iluminar o caminho e reacendeu em nós a esperança numa Igreja povo de Deus. Aproveitamos a oportunidade para nos unir ao seu esforço por renovar as igrejas da comunhão católico-romana de acordo com a teologia e a espiritualidade do Concílio Vaticano II, relidas e atualizadas pelas necessidades do mundo atual e pela urgência que nós cristãos escutemos o que o Espírito diz às igrejas”, diz um trecho da carta. E ainda, “nós lhe agradecemos por fazer do ministério papal uma profecia contra a economia de exclusão que hoje domina o mundo. As CEBs reafirmam sua vocação no jeito de ser Igreja das primeiras comunidades e também no espírito das ações populares

e das casas de caridade do padre Ibiapina, padre Cícero, do leigo José Lourenço assim como de tantas mulheres santas”. A mensagem foi aprovada por aclamação e, após receber a bênção, a multidão, numa grande procissão desceu a colina do Horto até o estacionamento onde os ônibus esperavam para transportar os grupos até às paróquias onde houve um momento cultural. Antônio Baiano, cantador popular de Horizona (GO) que trabalha com escolas de famílias agrícolas irradiava alegria. “Fazer memória do Mártir Jesus e com ele os mártires da Caminhada, da luta da terra, pelos direitos humanos, da juventude, da causa indígena faz com que assumamos uma posição mais crítica contra o modelo capitalista que exclui, mata e devasta a natureza. Essa Caminhada dos mártires tem esse significado de resgatar o nosso compromisso de CEBs com as lutas populares. Isso não é fácil e por isso temos mártires. Entrar na luta é também se colocar para ser mártir”, opinou.

Wilma Mossoró, da coordenação das CEBs na diocese de Mossoró (RN) veio numa delegação de 14 pessoas. “Foi um momento de muita luz e espiritualidade para afirmarmos o nosso compromisso com a caminhada das comunidades e perceber que em meio às dificuldades existe muita esperança, porque a luta continua de fato nas pequenas comunidades”, destacou. A programação seguiu na manhã da sexta-feira, dia 10, com uma reflexão sobre a espiritualidade dos romeiros e, durante a tarde, trabalhos de aprofundamentos nos sete espaços denominados ranchos.

EXPEDIENTE COMISSÃO DIMENSÃO SOCIAL: dimensaosocial@arquidiocesecwb.org.br / (41) 2105-6326. Bispo responsável: Dom Rafael Biernaski / Coordenadores: Pe. Antônio Fabris, Diácono Gilberto Félix e Diácono Antônio Carlos Bez. Secretaria: Irmã Inês Zanin.


Janeiro-Fevereiro de 2014

Família e Vida

Janete e Afonso Schiontek Coordenação da Comissão Família e Vida E-mail: afonjane@yahoo.com.br

A VIDA em primeiro e único plano

Serviço de Animação Vocacional (SAV)

Calendarização 2014 Reuniões da Equipe Central do SAV: Dia: Primeira Terça - feira do mês Primeira Reunião excepcionalmente no dia 18 de Fevereiro Horário: 19h30 às 21h Local: Casa Central das Irmãs Franciscanas da Sagrada Família Rua Emeliano Perneta, 640. Dia Mundial de Oração pelas Vocações – IV Domingo da Páscoa Dia: 11 de Maio de 2014

Foto: Diocese de Campo Limpo

Com o objetivo de anunciar a Cultura da Vida e Criação como Dom de Deus, de fortalecer as ações de Valorização e Promoção da Vida na Arquidiocese de Curitiba e de articular os diversos organismos e entidades que atuam na Promoção da Vida em nossa arquidiocese, a Comissão Vida e Família realizou em outubro de 2013 o Seminário da Vida. Com o tema “O que a Igreja tem a Dizer?”, as palestras abordaram o “Início da Vida e Dignidade do Embrião Humano” (ministrada pelo Pe. José Rafael Solano Durán) e “Bioética e Reprodução Assistida” (ministrada pelo Prof. Dr. Mário Antônio Sanches). Embora os assuntos discutidos no Seminário da Vida estejam presente no dia a dia, em discussões de grupos, na preocupação de leigos e padres e religiosos, na mídia de forma geral, parece-nos que o tema é muitas vezes difícil de ser abordado na vida paroquial. Por isso, a coordenação da Comissão Vida e Família da nossa arquidiocese, para promover o aprofundamento pastoral sobre o tema “Vida”, propõe às nossas paróquias e comunidades que respondam concretamente às seguintes questões, formuladas a partir de colocações da CNBB na publicação HORA DA VIDA de 2012, todas no âmbito espiritual do tema, numa clara e objetiva opção pela vida: - A Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro são bem preparados e celebrados em nossas paróquias como resposta à nossa opção pela vida, dom de Deus e

Simpósio Vocacional do Brasil Dia: 16 a 18 de Maio em Mariápolis.

plenificada em dignidade e integralidade pelo seu chamado? - As preces dos fiéis na missa incluem regularmente petições que fomentem o respeito por toda vida humana? - Realizam-se orações e celebrações especiais para rezar pelas vítimas do não reconhecimento da dignidade da vida em todas as suas fases, pelas vítimas da violência, etc? - Há uma corrente de oração ou rosário organizados para assegurar a oração contínua para aqueles cujas vidas estão ameaçadas? - Há programas de bênçãos especiais (por exemplo, gestantes antes e depois do parto), encontros ou retiros para fomentar o respeito à vida? - Há homilias em favor da valorização e promoção da vida várias vezes ao ano? Acreditamos que, se forem iniciadas ações para aprofundar a resposta de pelo menos uma das questões acima, um grande passo estará sendo dado em nossas paróquias para superar a dificuldade e vencer os desafios pastorais relacionados ao tema “Vida”. E para continuar colaborando com nossas paróquias, o Seminário da Vida já tem data marcada para 2014: 28 de setembro! O tema está sendo delineado em torno da seguinte pergunta: Quais as armadilhas filosóficas, científicas, políticas para a VIDA atualmente? O tema ainda será debatido pela comissão organizadora para aprofundamento.

EXPEDIENTE COMISSÃO FAMÍLIA E VIDA: (41) 3276-4021 / (41) 2105-6363 / Bispo referencial: Dom José Mário Angonese / Responsáveis da Pastoral Familiar: Afonso e Janete Schiontek: afonjanepf@yahoo.com.br

15

Serviço de Escuta Vocacional Local: Centro Pastoral Nossa Senhora da Luz (ao lado da Cúria Metropolitana de Curitiba) Todas as Sextas-feiras (Com prévio agendamento telefônico). Horário: 14h às 17h. Convívio Vocacional aos Seminários Diocesanos (Março a Novembro): Seminário São José (Para jovens que ainda não concluíram o Ensino Médio). Local: Seminário São José, situado na Br 277 – Km 99 Curitiba / Ponta Grossa, nº 4505, Orleans. Data e horário: Segundo sábados: 9 às 15h. Início dos Convívios: Dia 08 de Março de 2014. Seminário Propedêutico São João Maria Vianney (Para jovens que tenham concluído o Ensino Médio ou a concluir este ano). Local: Seminário Propedêutico São

João Maria Vianney, situado na Rua Francisco Juglair, 222, Mossunguê (Junto a casa de Retiros do Mossunguê) Data e horário: Terceiros sábados: 9 às 15h. Início dos Convívios: Dia 15 de Março de 2014. X Encontro Anual de Animadores Vocacionais da Arquidiocese de Curitiba Dia: 25 de Maio de 2014. Missas Vocacionais nas Paróquias Agendamento antecipado através do e-mail: sav_curitiba @yahoo.com.br ou fone: 33738207 ou 2105-6320 com Pe. Regis. Hora Santa Vocacional na Catedral 22 de Março – Hora Santa Vocacional com intenção ao Ministério Sacerdotal. 29 de Junho – Hora Santa Vocacional com intenção a Vida Religiosa. Horário: Após a missa das 15 horas. Atividades Vocacionais com a Coordenação Arquidiocesana de Acólitos e Coroinhas 16 de Março – Encontro dos Coroinhas no Seminário São José. 15 de Junho – Encontro Arquidiocesano de Coroinhas. 17 de Agosto – Missa de São Tarcísio – Concentração de Coroinhas na Arquidiocese de Curitiba Feira Vocacional 19 de Outubro – Conclusão da gincana Arquidiocesana Abertura do Mês Vocacional Dia: 03 de Agosto de 2014.

EXPEDIENTE COMISSÃO DO SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL, MINISTÉRIOS E VIDA CONSAGRADA: sav_curitiba@yahoo.com.br / (41) 337-38297 / (41) 21056320/Bispo referencial: Dom Moacyr José Vitti / Coordenador: Pe. Régis Soczek Bandil / Promotor Vocacional Diocesano: Padre Anderson Bonin.


Janeiro-Fevereiro de 2014

16

Agradecimento

Painel do Leitor

Benção para 2014

Colaboradores da Mitra da Arquidiocese de Curitiba reuniramse no Salão Nobre, na tarde do dia 22 de janeiro, para receber a bênção do nosso querido Dom Moacyr, marcando assim, o início das

atividades de 2014. Em sua homilia Dom Moacyr agradeceu por mais um ano de trabalho e lembrou das palavras do Papa Francisco ao dizer as 5 características que deverão revelar as pessoas

que trabalham na Cúria: Acolhida, Competência, Serviço, Santidade e Paciência. A todos os colaboradores, de uma maneira geral, também desejamos um ano repleto de muito trabalho e realizações!

Pastoral Litúrgica promove curso A Pastoral Litúrgica da Arquidiocese está promovendo todos os meses, um curso voltado somente para os profissionais na área de Eventos, como celebrações do Matrimônio, com foco em: Cerimonialista, Fotógrafo,

Músicos, Florista e Decoração. Esta formação acontecerá todas as últimas quintas-feiras de cada mês. Cada participante receberá uma carteirinha da Cúria, permitindo o acesso a todas as paróquias da Arquidiocese. A taxa para realização

PÁROCOS – 2014 (Atualizada em 24/01/2014) NOMEAÇÃO

PARÓQUIA

LOCAL

PÁROCO

POSSE

18/12

Santo Antônio

Orleans

Pe. Valeriano Pedro Klidzio, CM

05/01

22/01

N. Sra. da Conceição

A.Tamandaré

Frei Nelson M.dos Santos,OFMCap

12/02

24/01

São João Batista

V. Sandra

Frei Nilso A. Cignachi,OFMConv

15/02

27/01

Santa Rita de Cássia

V. Hauer

Pe. Anísio José Schwerkowki, SCJ

27/01

Senhor Bom Jesus

Portão

Pe. Antonio R. de M. Neto, OSJ

27/01

São Judas Tadeu

Hauer

Pe. Gilberto Bonato Xavier, SCJ

27/01

São Paulo Apóstolo

Uberaba

Pe. Márcio Pinho, OMV

31/01

Sta. Cruz Sta. Efigênia

Sta. Efigênia

Pe. Manoel Messias Vilela

02/02

31/01

N. Sra. Aparecida

C. Largo

Pe. Aguinaldo M. Ferreira

02/02

31/01

Divina Misericórdia

Umbará

Pe. Francisco A. C. Muniz, MIC

03/02

São Pedro Apóstolo

Itaperuçu

Pe. Jesus Messias Galieta

03/02

São Jorge

Portão

Pe. Silvio R. Roberto, MIC

03/02

N. Sra. Aparecida

Pinhais

Frei Valdir Borges, OSM

15/02

03/02

N. Sra. das Vitórias

Boqueirão

Frei Tiago Antonio Backes, OCD

16/02

02/02

16/02

do curso é de R$ 15,00 e as vagas são limitadas. A inscrição deverá ser feita em até um semana que antecede o curso através do e-mail: cursos@arquidiocesecwb.org.br ou pelo telefone: (41) 21056363 - com Ir. Jucilene.

Nós da Arquidiocese de Curitiba, queremos deixar nosso profundo agradecimento à Irmã Katia Segateli que parte para uma nova caminhada. Irmã Katia nos acompanhou durante seis anos, coordenando e assessorando retiros, encontros e diversas outras atividades na Casa de Retiros do Mossunguê. Assume neste mês de fevereiro, como Superiora Geral das Irmãs Mensageiras do Amor Divino em Aparecida – SP. Desejamos a nossa querida irmã Katia Segateli grandes bênçãos e que continue sendo testemunho do amor de Deus em sua nova casa.

Vozdaigreja janfev2014  

Voz da Igreja - Jan/Fev 2014

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you