Issuu on Google+

Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Ano I - Edição 02 - Março.2014 - Distribuição Gratuita

tabloidesaude@gmail.com - Jor nal On Line: www .issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014 Jornal www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Confira nesta edição

Reestruturação da Saúde em Curitiba Pág. 2

Síndrome Metabólica Dr. Paulo Nassif

Pág. 3

Separação enfrentando os desgastes Regina Teixeira

Pág. 4

Cirurgia Plástica Pós Cirurgia Bariátrica Dr. Marco Antonio Dallegrave

Pág. 5

Medicina Preventiva Dr. Edilson Thiele e Dr. Luis Antonio Bauer

Pág. 6

A pisada determina tipo de tênis a ser usado Pág. 7

8 de março Dia Internacional da Mulher

Março.2014

1


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

2 Março.2014

Todos sabem que a saúde é o principal alicerce para uma vida plena e saudável. Cuidar da saúde é também zelar pelo próprio ser humano. E é com esse intuito que o Jornal Tablóide Saúde está: para ajudar tanto profissionais da área como seus clientes a ter uma melhor orientação sobre o assunto. Visando sempre um diálogo aberto, nos colocamos à inteira disposição. O editor.

Expediente ○

TABLÓIDE SAÚDE R. Flávio de Azevedo Macedo, 295 - Bom Retiro Curitiba - PR - 82200-080 F: 3078-2725 9999-3771/9619-3494 CNPJ: 06.122.593/0001-45 CIRCULAÇÃO: Clínicas, Consultórios e Clientes TIRAGEM MENSAL: 5.000 exemplares e-mail: tabloidesaude@gmail.com DIRETOR COMERCIAL Luiz Guilherme Marcos DIRETORA EXECUTIVA Bianca Marcos Cintia Magnani JORNALISTA RESPONSÁVEL Marlon Wilmar de Oliveira MTB 9010/PR ASSESSORIA JURÍDICA Belache & Nadal Advogados Associados. F/Fax: 3532-1770 / 4106-2832 www.belacheenadal.com.br DIAGRAMAÇÃO: Editora Exceuni - 3657-2864 IMPRESSÃO Press Alternativa - F: 3047-4280 As matérias contidas neste jornal são de responsabilidade do autor, não correspondem a opinião do editor.

Reestruturação da Saúde em Curitiba A

Prefeitura de Curitiba destinou no ano passado mais de R$ 1,4 bilhões de reais para a área da saúde, um crescimento de 23% na comparação com os investimentos feitos em 2012, de pouco mais de R$ 1,1 bilhão. O aumento de R$ 275 milhões nos investimentos em saúde permitiram uma série de melhorias. Confira: AMPLIAÇÃO DO NÚMERO DE EQUIPES DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Atualmente, a Secretaria Municipal da Saúde conta com 229 equipes de Saúde da Família. Cada equipe é formada por médico, enfermeiro, auxiliar de enfermagem e agentes comunitários de saúde – profissionais que moram na região e que reforçam a aproximação entre as equipes e a comunidade – além de dentista e auxiliar de saúde bucal. A grande vantagem é que o paciente tem a sua equipe de saúde de referência, que conhece o seu histórico e o ambiente em que vive, o que auxilia no momento de diagnosticar o paciente que, se necessário, é encaminhado pelo médico para consulta especializada. AMPLIAÇÃO DO HORÁRIO DE ATENDIMENTO NAS UNIDADES BÁSICAS Já são dez unidades básicas de saúde funcionando até as 22

FOTO: CESAR BRUSTOLIN

Editorial ○

123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123 123

Adriano Massuda, Secretário de Saúde de Curitiba

horas. Só no ano passado, foram 34 mil atendimentos entre as 19 e 22 horas, nessas 10 unidades. Além das consultas médicas, a população aproveita o horário para fazer vacinação, tratamentos odontológicos e consultas de enfermagem. A primeira ampliação do horário ocorreu na Unidade Básica de Saúde Camargo, no Cajuru, no dia 8 de abril. Desde então, gradativamente, cada regional passou a contar com pelo menos uma Unidade de Saúde aberta até 22 horas. São elas: Camargo (Cajuru), Eucaliptos (Boqueirão), Bairro Alto (Boa V ista), Oswaldo Cruz (CIC), V ila Guaíra (Portão), Ouvidor Pardinho (Centro), Bairro Novo (Bairro Novo), Concórdia e Monteiro Lobato (Pinheirinho) e Santa Felicidade (Santa Felicidade). REFORMAS DE UNIDADES DE SAÚDE Dos 138 equipamentos exis-

tentes, 35% receberam investimentos em infraestrutura para melhorar as condições de acesso e utilização pelos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e pelos servidores. Substituição do piso, telhado, pintura nas unidades básicas de saúde, ampliação e readequação dos espaços das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 Horas, além da construção de cinco unidades foram algumas das ações para concretizar essas melhorias. REABERTURA DO HOSPITAL E MATERNIDADE BAIRRO NOVO A maternidade estava quase fechando as portas quando a Secretaria Municipal da Saúde, através da Fundação Estatal de Atenção a Saúde (FEAES), assumiu a administração da unidade, contratou novos funcionários e passou a realizar atendimento de baixo risco, em uma estrutura com 42 leitos. CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL Curitiba tem quatro unidades da rede de saúde mental que funcionam em tempo integral, recebendo pacientes em qualquer hora do dia, inclusive nos finais de semana. Os Centros de Atendimento Psicossocial Portão e Cajuru, destinados ao atendimento de usuários de álcool e drogas maiores de 18

anos e o Centro Vida, que atende crianças e adolescentes de 7 a 18 anos. Já para transtornos mentais, a rede municipal de saúde dispõe de vagas para o acolhimento noturno no Centro Boqueirão e, na próxima semana, o Centro Boa Vista começará a oferecer o atendimento em período integral. Até 2012, apenas o Centro Vida para crianças e adolescentes recebia para acolhimento noturno. CONSULTÓRIO NA RUA Com o objetivo de levar saúde para os moradores em situação de rua, quatro equipes do consultório - formadas por médico, auxiliar de enfermagem, enfermeiros, psicólogo, assistente social, dentista e auxiliar de saúde bucal – foram implantados em Curitiba em agosto de 2013. Só no ano passado, as equipes realizaram mais de 2.000 atendimentos. Curitiba é a única cidade a oferecer tratamento bucal no Consultório na Rua. Maior repasse O Governo Federal repassou para o município de Curitiba, entre recurso de investimento e custeio, 66% se comparado ao ano anterior. É o maior aumento de repasse de recurso federal da história do SUS Curitiba. Foram mais R$ 100 milhões para investimento e R$ 120 milhões para custeio.


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Março.2014

3

Síndrome Metabólica Esclareça suas dúvidas sobre o perigoso mal que a cada dia faz novas vítimas.

V

ocê já deve ter ouvido sobre o termo Síndrome Metabólica, um dos grandes vilões da saúde nos países desenvolvidos e/ou em desenvolvimento como o Brasil. Inicialmente chamada de “síndrome X” ou “síndrome de resistência à insulina” a síndrome metabólica (SM), como hoje é denominada, já vem sendo estudada há muitas décadas e foi apresentada à comunidade cientifica pelo pesquisador Gerald Reaven nos anos 80. Reaven observou que doenças como hipertensão, alterações na glicose e no colesterol estavam, muitas vezes, associadas à obesidade e mais que isso, que tais condições estavam interligadas por um elo comum, chamado resistência insulínica. Com o avanço das tecnologias e de descobertas de algumas facilidades dos tempos modernos para ganhar tempo e simplificar a vida, como as escadas rolantes, elevadores, máquinas de lavar roupas, controles remotos - associados a uma desequilibrada alimentação e a redução ou ausência de atividade física – fatores bem comuns da vida moderna, a comunidade médica passou observar que esse mal está cada vez mais frequente em todo o mundo. Mas afinal, o que é Síndrome Metabólica? Por que atualmente é tão estudada? Existe tratamento para ela? Encontre as respostas abaixo, na entrevista com Dr. Paulo Afonso Nunes Nassif, cirurgião do aparelho digestório, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. O QUE SÍNDROME METABÓLICA? Considerada como um dos males da vida moderna, a Síndrome Metabólica é um transtorno caracterizado pela presença de obesidade com a associação de três, ou mais, destas doenças: hipertensão arterial, diabetes, aumento de triglicérides e diminuição do HDL (bom colesterol). POR QUE A SÍNDROME METABÓLICA É TÃO IMPORTANTE E POR QUE ATUALMENTE SE FALA TANTO NELA? Porque estudos constataram que há uma forte associação da síndrome com complicações cardiovasculares e ainda, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a Síndrome Metabólica está relacionada a uma mortalidade entre duas a três vezes maior que na população normal e apesar de no Brasil não haver ainda pesquisas que determinem qual a porcentagem da população é portadora da SM, há evidências clínicas, que assim como em outros países em que já há confirmações científicas, uma grande parte dos adultos brasileiros já são portadores.

O QUE CAUSA A SÍNDROME METABÓLICA? As causas do desenvolvimento da síndrome metabólica são complexas e não estão completamente esclarecidas, pois há diversos fatores que devem ser levados em consideração, mas o que já é possível afirmar é que há uma forte relação com a dieta desequilibrada associada a um estilo de vida sedentário. Além disso, geralmente a SM segue um padrão familiar. É mais comum em negros, indígenas e orientais. Quanto mais velha a pessoa, também maior é sua chance de desenvolvimento. COMO ELA OCORRE? A síndrome se desenvolve da seguinte forma: A gordura que se acumula no abdome produz substâncias que dificultam a ação da insulina (hormônio produzido pelo pâncreas que controla a taxa de açúcar no sangue). Isso favorece o aumento de peso, o desenvolvimento do diabetes do tipo 2 e da hipertensão arterial, a diminuição da quantidade de HDL e a elevação dos triglicérides. Como resultado, tem-se o aumento do risco das doenças cardiovasculares, que podem ser fatais. QUAIS OS SINTOMAS DA SM? A SM é geralmente o que chamamos de doença silenciosa, porque geralmente seus componentes são inimigos ocultos que não provocam sintomas. Isso, infelizmente, pode dificultar o diagnóstico, uma vez que por não sentir nada o paciente pode não procurar orientação médica. ENTÃO, COMO A SM É DIAGNOSTICADA? Vários critérios foram criados para fazer o diagnóstico de síndrome metabólica. Todavia, segundo os adotados no Brasil, a Síndrome Metabólica ocorre quando estão presentes três dos cinco critérios abaixo: - Obesidade central - circunferência da cintura superior a 88 cm na mulher e 102 cm no homem; - Hipertensão Arterial; - Glicemia alterada ou diagnóstico de Diabetes; - Triglicerídeos elevados; - Nível alto de HDL colesterol. HÁ TRATAMENTO PARA A SM? Sim, há tratamento. O principal e mais eficaz está no mudança nos hábitos de vida, com uma alimentação mais saudável e prática de exercício físico regular e sobre tudo com a perda de peso. Como os componentes da SM encontram-se interligados, a melhoria de um dos aspectos da síndrome metabólica pode levar a uma melhoria global de todo o quadro clínico.

DR. PAULO NASSIF CRM 12666 PR

QUAL É A RELAÇÃO ENTRE A SM E A OBESIDADE? A primeira indicação da síndrome é a obesidade, principalmente a abdominal. Pesquisas alertam que na prática, quanto mais peso, menos saúde, justamente pela incidência maior desses fatores que associados caracterizam a SM e que geralmente são controladas com a perda de peso. HÁ COMO TRATAR SIMULTANEAMENTE A OBESIDADE E A SM? Bom, como vimos o principal tratamento para a SM é a perda de peso. Todavia nos casos de pessoas que precisam perder uma grande quantidade de peso, a taxa de recidiva e o “efeito-sanfona” são muito constantes, e poucos pacientes conseguem perder o peso necessário ou mesmo manter essa perda, para ficarem realmente livres da obesidade e, por conseguinte da SM. Por isso a cirurgia bariátrica tem se mostrado eficaz em promover uma perda significativa e sustentada de peso nesses pacientes, o que resulta, na maioria das vezes, no controle da síndrome metabólica e das comorbidades (doenças associadas à obesidade que dificultam e/ou encurtam a vida do obeso). QUAL O ESPECIALISTA DEVO CONSULTAR PARA TRATAR A SM? Como a síndrome envolve uma série de complicações à saúde o ideal é procurar ajuda médica, não apenas de um especialista, mas de uma equipe multiprofissional que possa orientá-lo de maneira geral. Com o tratamento sendo realizado em equipe, cada profissional será responsável por uma parte do tratamento, dentro da área que é especializado. Essa interdisciplinaridade demonstra, principalmente, que há cada vez mais uma preocupação com a saúde geral dos pacientes. Por Emmanuelle Hayashi


4 Março.2014

Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Separação - enfrentando os desgastes E

m todo o processo de separação, os casais sofrem um turbilhão de sentimentos, mesmo aquele que tomou a decisão. Os fatores emocionais mais afetados são a rejeição, mágoa, insegurança pelos sonhos interrompidos, preocupação com os filhos, como também muita frustração devido ao sequestro emocional. Todo ser humano tem o instinto de conservação quando levanta-se a questão de quem é a culpa. As defesas normalmente aparecem aumentando ainda mais o sofrimento, com discussões que possivelmente não levarão ao alivio emocional, mesmo porque o relacionamento neste momento de rompimento geralmente os casais não podem ter momentos claros de reflexão. Existem motivações conscientes e inconscientes em todo o processo, as quais levam as pessoas a tomar a decisão de não relacionar-se mais com o parceiro. A suportabilidade das frustrações da vida esta atualmente com um limiar muito baixo, assim as pessoas, buscam excessiva gratificação com o Regina Teixeira - Psicóloga/Sexóloga seu par. Mestre/Dra em Psicologia, Pesquisadora Existe um ego frágil, autoestima na Universidade de Sydney - Austrália Regina Teixeira psicóloga muito afetada, atos e verbalizações E-mail para contato: impulsivas, desgastando cada um regins_mt@hotmail.com dos envolvidos. Apontamos como fundamental, neste momento, uma revisão individual, aonde cada um avalie seus valores, respeitando a si mesmo, aceitando na medida do possível, que toda a frustração, poderá leva-la ao aprendizado, maturidade e principalmente aceitando que seu par deve ter seus motivos individuais (não relacionados diretamente ao ex) para pedir a separação. sempre frente ao termino de relacionamento), pois esA reconstrução de si mesmo neste momento de so- tando por um tempo sozinho, fortalece seu autoconhefrimento, poderá mostrar que o que mais sofre, aumen- cimento até para poder optar no futuro, quais são suas tará sua capacidade de estar só (o que aconselhamos necessidades essenciais para escolher um parceiro. Per-

sistir, controlar seus impulsos e adiar a sua satisfação. A chave para uma boa tomada de decisão e estar sintonizado com nossos sentimentos e necessidades, e comprometido basicamente consigo mesmo.


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Março.2014

5

Cirurgia Plástica Pós Cirurgia Bariátrica A

obesidade mórbida caracteriza-se por acúmulo excessivo de tecido adiposo que se distribui de maneira heterogênea em todo o organismo, tendo alcançado índices epidêmicos em todo mundo, sendo a gastroplastia o mais recente método de tratamento, ou seja são pacientes tratados pela cirurgia Bariatrica ( redução do estômago com desvio do trânsito intestinal varia conforme a técnica ). Estes pacientes apresentam grande perda ponderal, que resulta em dismorfia corporal caracterizada por enormes redundâncias dermogordurosas distribuídas assimetricamente nos diversos segmentos corpóreos e que pioram também a qualidade de vida destas pessoas. Após a cirurgia de redução de peso, ou qualquer perda substancial de peso, a pele e os tecidos, muitas vezes, não têm elasticidade e podem não estar em conformidade com o tamanho reduzido do corpo. Como resultado, a pele, que foi se-

veramente estendida, agora não tem sustentação: - Os braços ficam flácidos, - As mamas podem achatar e ficar com mamilos apontados para baixo, - O abdômen pode se estender nas laterais e na zona inferior das costas, o que resulta em uma saliência semelhante a um avental, - As nádegas, a virilha e as coxas podem apresentar flacidez, ocasionando bolsas suspensas de pele. O contorno corporal após grande perda de peso melhora a forma e o tônus do tecido subjacente, que sustenta gordura e pele, e remove o excesso de gordura e de flacidez. É muito importante que o paciente vai ser submetido a cirurgia do contorno corporal esteja preparado para este tipo de procedimento, a perda de peso deve estar estabilizada. - Se continuar a perder peso, a flacidez vai reaparecer,

- Se o peso for rapidamente recuperado, você traumaticamente estressará sua pele já enfraquecida, causando estrias e cicatrizes alargadas na pele. Se você se submeteu à cirurgia de redução de peso, seu cirurgião plástico irá trabalhar em estreita colaboração com seu médico para determinar quando será apropriado começar a reparação do contorno corporal. Os pacientes indicados para este tipo de procedimento são: Adultos de qualquer idade, cuja perda de peso foi estabilizada, - Indivíduos saudáveis que não tenham condições médicas que possam prejudicar a cicatrização ou aumentar o risco da cirurgia, - Não fumantes, - Indivíduos com atitude positiva e expectativa realista do resultado cirúrgico, - Indivíduos empenhados em levar uma vida saudável, incluindo alimentação adequada e boa forma.

Dr. Marco Dallegrave - Cirurgião plástico CRM 17086 Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)

O importante é sempre você conversar bastante com seu médico, cirurgião plástico, tirando todas as suas dúvidas a respeito de expectativa, riscos, exames prèoperatórios e cuidados no posoperatório. Fonte: (SBCP)

Dr. Marco Antônio Dallegrave Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - CRM 17086 www.marcodallegrave.com.br - contato@marcodallegrave.com.br Consultório: Pietà Centro Médico - Rua Solimões, 1175 - Mercês - Tel.: 3021-7700


6 Março.2014

Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Medicina Preventiva A

tletas podem prevenir lesões decorrentes da prática intensa de exercícios físicos, garantem especialistas em medicina esportiva. Os ortopedistas do Hospital VITA Curitiba, Luis Antonio Bauer e Edilson Thiele, especialistas em joelho, explicam que a maioria das lesões é ocasionada por treinamentos não planejados. Assim, check-ups anuais, juntamente com o trabalho contínuo de uma equipe multidisciplinar – que incluiria a atuação de fisioterapeutas, preparadores físicos e nutricionistas – são fundamentais para evitá-las. Bauer aponta que atletas têm períodos de alto rendimento e baixo risco para lesões, assim como o oposto, períodos de rendimento baixo e alto risco de lesões. “Com o acompanhamento clínico bem feito, é possível planejar o auge de rendimento para o momento certo ou manter um bom rendimento anual”, explica. “Esporte só é saúde quando fazemos com segurança e planejamento”, completa o médico. Mais do que um bom treinamento - Além de bons profissionais, que orientem o atleta quanto à escolha de provas, boa alimentação e qualidade do sono, Bauer afirma que a genética também

Dr. Edilson Thiele

Dr. Luis Antonio Bauer

tem seu papel na condição física geral do atleta, uma vez que influencia o rendimento cardiorrespiratório, frouxidão ou rigidez articular e capacidade de recuperação – ou seja, na aptidão para o esporte pretendido. O especialista salienta que conhecer o próprio corpo e seus sinais é fundamental para não extrapolar os limites do que é considerado um bom treino e, assim, evitar lesões e demais sequelas.

MAIS FREQUENTES Jogadores de futebol e corredores de rua estão entre os atletas que mais procuram consultórios em caso de lesão. O mais comum em jogadores é a lesão muscular, que perfaz de 40% a 50% das lesões em um time de futebol, seguido de lesões do tornozelo e joelho. Já os corredores de rua têm como principais queixas as tendinites, ou inflamações no tendão, e fraturas por insuficiência, que ocorrem em ossos enfraquecidos.


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Março.2014

7

A pisada determina tipo de tênis a ser usado C

ada um tem um tipo de pisada e uma forma anatômica dos pés, sendo definida por genética ou pela forma como andava quando criança, por isso conheça então os tipos de pisada, aprenda como identifica e como tratar elas: -

PISADA PRONADA: a pisada se inicia no lado externo dos pés e termina no dedão, a sola do sapato desta pessoa desgasta mais na parte interna, ou seja, do lado de dentro dos pés. - PISADA NEUTRA: se inicia do lado externo do calcanhar e termina no centro da planta do pé, nesta o sapato fica gasto igualmente em todas as partes. - PISADA SUPINADA: se inicia do lado externo do calcanhar, mantém esta direção e termina no dedinho do pé, neste o solado do sapato costuma gastar mais facilmente do lado externo. O uso de tênis específico para o seu tipo de pisada é muito importante porque vai corrigir os seus pés e ainda proteger você de lesões no tornozelo, joelhos,

quadril e até mesmo de coluna. Sobre esse assunto não tem muito o que ser acrescentado, além de algumas dicas de como descobrir qual o tipo de pisada, porém nenhuma delas serão precisas, pois o ideal é a pessoa procurar lugares especializados para fazer o teste da pisada. E que o uso de um tênis inadequado pode gerar uma

Consulte um especialista na Tennis & Training.

lesão. Tente comprar sempre calçados confortáveis e próprios para seu tipo de pisada. E lembre que um tênis de corrida tem duração média (para atividade esportiva) de aproximadamente de 300 km, mas alguns tênis podem chegar a 500 km de uso sem prejudicar sua pisada.


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

8 Março.2014

Curitiba 321 anos: Origem e sua História A

hipótese mais popular para a origem do nome da cidade é a de que este derivaria da expressão indígena "curi'i ty(b) ba", que em língua guarani significa "muito pinhão". Mais precisamente, "Curi'i", ou "coré" significa "pinheiro-do-paraná", ou talvez "pinhão" (a semente do pinheiro), "tib" vem do verbo existencial "i tib" e "ba" é um sufixo locativo, livremente traduzido para "lugar onde". Outra hipótese se refere à língua tupi, falada pelos colonizadores portugueses na época. Em tupi, coré seria algo como pinheiro, pinhão. E etuba é um sufixo que indica ajuntamento, portanto seria algo como "ajuntamento de pinheiros", ou conforme traduz Silveira Bueno, pinheiral. A denominação pela qual são conhecidos os habitantes do município é curitibanos, denominação que já serviu de topônimo para um município do estado vizinho de Santa Catarina, isto é, o município de Curitibanos, fundado por antigos habitantes de Curitiba. Curitiba é responsável por alguns títulos colecionados no decorrer do passado histórico, sendo um dos apelidos que a população mais conhece é o de Cidade Sorriso. De acordo com a disponibilidade da história, o nascimento desse apelido apareceu em um documento ufanista, que tinha como forma de tentativa a reversão da famosa antipatia sofrida pelo povo da cidade.1 Outro título dado ao município foi de Capital Ecológica, porque as políticas da prefeitura voltam sua atenção para a sustentabilidade. HISTÓRIA As primeiras movimentações, no território curitibano, se deram através de Paranaguá, via estrada de Cubatão, e ocorreram por conta de expedições de bandeiras, que vinham à cata de ouro. A primeira expedição oficial coordenadora dos serviços de exploração de minas de ouro nos Distritos do Sul (incluindo Curitiba) foi chefiada por Eleodoro Ébano Pereira. Os primeiros nomes que aparecem na história curitibana, depois de Ébano Pereira, são os de Baltasar Carrasco dos Reis e Mateus Martins Leme. No entanto, segundo o historiador Romário Martins. Em 1668, Gabriel de Lara, o povoador, erigiu o pelourinho na povoação de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, assistido por um grupo de dezessete povoadores, iniciando-se a partir dessa data, de forma ininterrupta, a história oficial de Curitiba.37 Todavia, Gabriel de Lara não é considerado o fundador de Curiti-

ba, sendo que alguns historiadores atribuem o fato a Eleodoro Ébano Pereira. Há uma lenda a respeito da fundação de Curitiba, contada por diversos historiadores, à qual estão ligados os grupos de primitivos povoadores, representados pelas famílias Seixas, Soares e Andrade. Esses bandeirantes, em época incerta, teriam convidado o cacique dos Campos de Tindiquera, às margens do Rio Iguaçu, para que lhes indicasse o melhor local para a instalação definitiva da povoação.39 O cacique, à frente de um grupo de moradores, trazendo na mão uma grande vara, após andar muito percorrendo grande extensão de campos, fincou uma vara no chão e disse: "Aqui", e neste local foi erigida uma pequena capela, construída de pau-a-pique, no mesmo lugar onde se encontra a igreja matriz de Curitiba, sendo substituída por outra, feita de pedra e barro, que serviu a comunidade de 1714 a 1866, quando foi edificada a Catedral Metropolitana. Em 29 de março de 1693, o povoado de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais de Curitiba foi elevado a categoria de Vila.41 Nessa época, segundo Romário Martins, além de Mateus Martins Leme e Carrasco dos Reis, que moravam no Barigui, ainda habitavam uma vila "…o capitão Antonio Rodrigues Seixas, escrivão da vila em 1693, em Campo Magro; Manuel Soares e Aleixo Mendes Cabral, no Passaúna, João Rodrigues Cid, no Cajuru, Antônio Rodrigues Cid no Uberaba, etc." Não existe efetivamente uma data exata da fundação do núcleo Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, mais tarde Curitiba. Mas, se levarmos em consideração os registros do dr. Raphael Pires Pardinho, Ouvidor-Geral da Vila, em 1721, admite-se o ano de 1661 como oficial. Curitiba passou a sede de comarca através de Alvará

Imperial, em 19 de dezembro de 1812, e foi elevada à categoria de cidade pela Lei Provincial nº 5 de 5 de fevereiro de 1842. Pela Lei Imperial nº 704, de 29 de agosto de 1853, Curitiba foi elevada à categoria de capital da recém criada província do Paraná, que desmembrara-se de São Paulo. Foi uma luta árdua, a da emancipação política paranaense, nesta vitória muitos deixaram seu nome gravado nos anais da história. Em 1953 a Câmara Municipal de Curitiba funcionava próximo ao pátio da matriz. tendo a seguinte composição: Benedito Enéas de Paula, Fidélis da Silva Carrão, Manuel José da Silva Bittencourt, Floriano Berlintes de Castro, Francisco de Paula Guimarães, Inácio José de Morais, Francisco Borges de Macedo, Antônio Ricardo Lustosa de Andrade, tendo na presidência o coronel Manuel Antonio Ferreira. A partir do movimento imigratório desencadeado no Paraná em 1829, a cidade de Curitiba recebeu, por diversos flancos, levas de famílias, em diversas épocas e das mais diferentes nacionalidades, sendo inclusive alvo de imigração voluntária, o que influiu na sua formação social, cultural e econômica, com o passar dos anos. Em 1894, por causa da Revolução Federalista, Curitiba foi invadida e dominada por tropas revolucionárias, comandadas por Gumercindo Saraiva. Nessa época toda a cúpula governamental, liderada pelo governador em exercício, dr. Vicente Machado, abandonou a capital, refugiando-se em Castro, só retornando a Curitiba após o fim do cerco.35 40 Um dos mais expressivos acontecimentos da história curitibana deu-se em 1912, com a fundação da Universidade Federal do Paraná, idealizada e realizada por Victor Ferreira do Amaral, Nilo Cairo e Pamphilo de Assumpção. Após a implantação da República, o primeiro prefeito de Curitiba foi Cândido Ferreira de Abreu (maio de 1893 a dezembro de 1894). Em 1911, o município era formado por apenas o distrito da sede, sendo que em 1929 estava subdividido em 6 Distritos de Paz: Campo Magro, Nova Polônia, Portão, São Casimiro do Taboão, Santa Felicidade e o da Sede.42 De acordo com a Divisão Territorial de 1936, a comarca de Curitiba compreendia três termos, o da sede (Piraquara, Rio Branco e Tamandaré), o de Araucária e o de Colombo (Bocaiuva e Campina Grande). A Lei Estadual nº 1452, de 14 de dezembro de 1953, estabeleceu a nova divisão judiciária do município, criando dez Distritos Judiciários, que eram: Sede, Portão, Taboão, Barreirinha, Boqueirão, Cajuru, Campo Comprido, Santa Felicidade, Umbará e Tatuquara.


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Marรงo.2014

9


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

10 Março.2014

Histórico do Dia Internacional da Mulher N

o Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho. A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

-

-

-

-

OBJETIVO DA DATA Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Clube Curitibano Shopping Novo Batel Frank D'Ferran Castelo

CONQUISTAS DAS MULHERES BRASILEIRAS Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo. MARCOS DAS CONQUISTAS DAS MULHERES NA HISTÓRIA 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

-

-

-

-

-

1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos. 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres. 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia. 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs. 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina. 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças. 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres.

(41) 3014-1974 / 3016-0352 (41) 3076-7939 (41) 3076-6737

www.frankdferran.com.br


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Março.2014 11

Elimine o mau humor com esses alimentos A sua refeição pode ser melhor que muitas farmácias

N

Alface

Banana

Frutos do mar

Uva

Ótima para amenizar a irritação. O talo da alface possui uma substância chamada lactucina, que funciona como calmante. Além disso, é rica em fosfato, a falta deste mineral pode causar depressão, confusão mental e cansaço.

Esta fruta diminui a ansiedade e ajuda a garantir um sono bem mais tranqüilo. Tudo isso graças à boa quantidade de carboidratos, potássio, magnésio e biotina. A banana também dá o maior pique, pois possui vitamina B6, um dos responsáveis por produzir energia.

Os alimentos vindos do mar são ricos em zinco e selênio que agem no cérebro, diminuindo ansiedade e cansaço. Também são boas fontes de ômega 3 (gordura que auxilia na diminuição de colesterol ruim no sangue) e proteínas, ambos essenciais para o bom funcionamento do coração.

A vitamina C e os flavonóides (antioxidantes), retardamo envelhecimento da pele e ajudam a combater o colesterol ruim. Tem boas doses de vitaminas do complexo B, que ajudam o bom funcionamento do sistema nervoso. É rica em glicose, por isso é um bom energético.

Mel

Laranja

Ovo

Jabuticaba

Espinafre

O mel é um dos alimentos que tem o poder de estimular a produção da serotonina, neurotransmissor responsável por nos dar uma sensação de bemestar e prazer.

Ajuda o sistema nervoso a trabalhar adequadamente, isso devido as boas concentrações de vitamina C, cálcio e vitaminas do complexo B. Essa fruta ainda é energética, previne a fadiga e hidrata.

As substâncias que garantem o bom humor são a tiamina e a niacina (vitaminas do complexo B), ácido fólico e acetilcolina. A carência delas pode causar apatia, perda de memória e ansiedade.

É rica em carboidratos, que fornecem energia ao nosso organismo. Também é repleta de ferro não heme e vitamina C, que ajuda a aumentar as defesas do organismo e suas vitaminas do complexo B agem como antidepressivos.

Contém potássio e ácido fólico, que ajudam na prevenção da depressão. E ajuda a estabilizar a pressão arterial, além de garatir um bom funcionamento do sistema nervoso, graças as vitaminas A, C e do complexo B, fosfato e magnésio.

ada pior do que ficar mau humorado, principalmente nos momentos de descanso. Hábitos saudáveis como ter uma boa noite de sono e praticar exercícios físicos são amigos conhecidos no combate ao estresse. O que poucos sabem é que também é possível usar a alimentação para diminuir o nervosismo, a ansiedade e o cansaço. De acordo com a nutricionista Fabiana Borrego, alguns alimentos tem o poder de estimular o funcionamento do sistema nervoso, diminuindo a irritação e espantando a tristeza, entre outros benefícios. Confira essa lista e veja o que a especialista nos conta sobre cada alimento. POR MINHA VIDA


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

12 Março.2014

Dia Mundial da Água: uma reflexão necessária O

Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. A data é destinada a discussão sobre os diversos temas relacionados a este importante bem natural, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver questões como a escassez de água potável no mundo. Sabemos que dois terços do planeta

Terra são formados por água. Porém, apenas cerca de 0,008 %, deste total é consi-

derada própria para o consumo. A preocupação fica ainda maior no que diz respeito à utilização deste recurso e da falta de conscientização, pois os rios, lagos e represas estão sendo contaminados, poluídos e degradados pela ação predatória do homem. Segundo o "4º Relatório Mundial sobre o Desenvolvimento da Água", publicado pela UNESCO, já falta água em muitas regiões do mundo - o Oriente Médio é um dos casos mais problemáticos. Além

disso, sabe-se que a agricultura vai precisar de pelo menos 19% mais água para poder alimentar a todos. Hábitos diários, como escovar os dentes, tomar banho, lavar calçadas, jardins e carros, consomem grande quantidade de água e, muitas vezes, ninguém se dá conta de quanto o desperdício atual pode ser danoso para o futuro. Além de outras ameaças como, por exemplo, as hidrelétricas já instaladas e as previstas no Pantanal.

Declaração Universal dos Direitos da Água Divulgado pela ONU em 22 de março de 1992, a "Declaração Universal dos Direitos da Água" (leia abaixo) apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Art. 1º A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.

Art. 2º A água é a seiva do nosso planeta. Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Marรงo.2014 13


14 Marรงo.2014

Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014


Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014

Março.2014 15

Espaço do Leitor ○

Culinária saudável ○

Cirurgia Bariátrica e Metabólica T

ambém conhecida como cirurgia da obesidade ou redução de estômago, que reúne técnicas com respaldo científico destinados ao tratamento da obesidade e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele, como por exemplo, diabetes e hipertensão, diminuindo o risco de mortalidade, proporcionando então um maior e melhor qualidade de vida. No Brasil, são aprovadas 4 modalidades diferentes de cirurgia bariátrica e metabólica, aém do balão intragástrico que não é cirúrgico, são eles: - Bypass Gástrico; - Banda Gástrica Ajustável; - Gastresctomia Vertical; - Duodenal Switch. Mas, na verdade é o médico quem determina para cada paciente a melhor técnica indicada, como também é preciso estar dentro de alguns critérios: - IMC (Índice de Massa Corpórea); - Em relação à idade;

- Em relação ao tempo da doença. Superadas todas as medidas preparatórias, o paciente pode então ser encaminhado para a cirurgia. E é sobre isso que conversamos com a Manuella Dallegrave, que passou pela cirurgia há dez anos: Tablóide: Quais foram os cuidados após a cirurgia bariátrica? Manuella: O principal cuidado não está no pós operatório, mas sim no pré operatório, é de extrema impor-

tância passar por um psicólogo que seja especialista nesta área, pois muda radicalmente o nosso hábito alimentar, a dieta passa a ser restrita, sendo a fase líquida( 50 ml a cada 2 horas, pastosa e aí começamos após quase 30 dias nos alimentarmos com sólidos. Outro cuidado é realizar exames laboratoriais periodicamente e fazer reposição de vitaminas. O acompanhamento de um Nutricionista ou Nutrólogo é fundamental no pós operatório imediato. Tablóide: Quais foram os benefícios? Manuella: Os benefícios são a perda rápida de peso e as cormobidades como Hipertensão e Diabete que diminuem ou simplesmente deixam de existir e não posso deixar de dizer que a auto estima melhora 100% Tablóide: É necessário tomar algum tipo de cuidado para não voltar a ganhar peso? Manuella: É preciso tomar todas as mesmas precauções que uma pessoa

que emagreceu sem passar por cirurgia, alimentação balanceada, exercício físico regularmente, evitar ingestão de doces, refrigerantes, gorduras, pois podemos voltar a engordar Tablóide: O que você tem a dizer para as pessoas que estão se preparando para passar por esse tratamento? Manuella: Para as pessoas que estão se preparando para a cirurgia vou dizer a mesma coisa que meu médico disse pra mim há 10 anos atrás: "eu opero seu estômago e não a sua cabeça, nunca me esqueci disso, temos que mudar a forma de pensar e isso inclui o modo de viver. Tive muito apoio da minha família que na hora do almoço se alimentavam de gelatina no copinho de 50 ml junto comigo, tá certo que enquanto eles comiam 10 copinhos eu comia só 1. As pessoas acham que a cirurgia é a forma mais simples e mais fácil de emagrecer, mas só quem já passou sabe que a dedicação e disciplina são fundamentais para o sucesso da cirurgia.

Salada de pimentões e delícias do mar

-

-

INGREDIENTES: Pimentões coloridos Delícias de caranguejo Tomate Alface Massa de búzios Queijo ralado PREPARO: Cozer a massa e reservar. Cortar os pimentões em tiras finas. Preparar a alface e o tomate a gosto. Cortar as delícias em rodelas. Adicionar o queijo ralado. Misturar tudo. Esta foi servida com molho de maionese e orégano.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○


16 Marรงo.2014

Jornal On-Line: www.issuu.com/exceuni/docs/tabloidesaude-marco2014


Tabloidesaude marco2014