Issuu on Google+

Ano XV - nยบ 143 - Janeiro/Fevereiro/Marรงo.2014


>> Igreja Matriz

>> Demonstrativo Financeiro

Nossa Senhora das Mercês

>> Dezembro.2013

Horários e atendimentos ENDEREÇO: da Paróquia e Convento Av. Manoel Ribas, 966 - 80810-000 Curitiba-PR Tel. Paróquia: (041) 3335.5752 (sec.) Tel. Convento: (041) 3335.1606 (freis) Tel. Catequese: (041) 3336.3982

EXPEDIENTE DA SECRETARIA PAROQUIAL: De segunda a sexta Sábado

Das 8h às 12h e das 13h às 18h das 9h à 12h

HORÁRIO DE MISSAS: MISSAS Segunda-feira: Terça, quarta e quinta-feira: Sexta-feira: Sábado: Domingo:

ENTREAJUDA Quinta-feira

HORÁRIO 6h30 6h30 e 19h 6h30, 15h e 19h 6h30, 17h e 19h 6h30, 7h30, 9h, 10h30, 12h, 17h e 19h

9h, 15h e 20h

NOVENA PERPÉTUA DE N. SRA. DAS MERCÊS Sexta-feira 8h30 e 19h

>> Janeiro.2014

RECEITAS

RECEITAS

Dízimo Paroquial ..................................................... R$ 75.481,95 Ofertas ..................................................................... R$ 12.132,00 Espórtulas/Batizados/Casamentos ........................ R$ 1.780,00 Total ..................................................................... R$ 89.393,95 Dizimistas cadastrados 1238 Dizimistas que contribuíram 1078 Novos Dizimistas 19

Dízimo Paroquial ..................................................... R$ 69.823,22 Ofertas ..................................................................... R$ 12.621,00 Espórtulas/Batizados/Casamentos ........................ R$ 2.755,00 Total ......................................................................... R$ 85.199,22 Dizimistas cadastrados 1227 Dizimistas que contribuíram 892 Novos Dizimistas 14

DESPESAS DIMENSÃO RELIGIOSA

DESPESAS DIMENSÃO RELIGIOSA

Salários/encargos sociais e férias 2ª parcela do 13º ... R$ 24.981,29 Côngruas ................................................................. R$ 5.424,00 Casa Paroquial/Auxilio Alimentação - IPAS ........... R$ 3.034,00 Desp.cultos /ornamentação/homenagens ............. R$ 3.803,00 Luz / água / telefone ................................................ R$ 2.873,36 Café do Dízimo ......................................................... R$ 3.000,00 Conserv. dos imóveis/ Pinturas/Invest ................... R$ 10.696,97 Rouparia / Copa/Costura/ Gás/ Alimentação ........ R$ 1.902,50 Despesas com correios (dizimo) ............................. R$ 558,10 Serviços de Contabilidade ...................................... R$ 96,00 Serviços de alarme/ Segurança .............................. R$ 1.121,76 Manut. de Veículos/Combustíveis/ Seguros ........... R$ 4.034,41 Material de limpeza ................................................ R$ 1.038,46 Material de Expediente/Xerox/Gráficas ................. R$ 2.024,00 Revistas/Internet/ Web Tv/"O Capuchinho" ........... R$ 3.992,00 Plano de Saúde de Func/ Farmácia ........................ R$ 1.209,86 Vales transportes, alimentação e fretes ................. R$ 3.672,00 Sindicatos (SECRASO e SENALBA) ............................. R$ 838,80

Salários/encargos sociais, férias e rescisão ......... R$ 29.029,46 Côngruas ................................................................. R$ 5.792,00 Casa Paroquial/Auxilio Alimentação - IPAS ........... R$ 3.068,00 Desp.cultos /ornamentação/homenagens ............. R$ 2.391,20 Luz / água / telefone ................................................ R$ 3.234,43 Conserv. dos imóveis/ Pinturas/Invest ................... R$ 5.430,16 Rouparia / Copa/Costura/ Gás/ Alimentação ........ R$ 941.17 Despesas com correios (dizimo) ............................. R$ 922,55 Serviços de contabilidade ...................................... R$ 96,00 Serviços de alarme/ Segurança .............................. R$ 921,00 Manut. de Veículos/Combustíveis/ seguros ........... R$ 2.653,00 Material de limpeza ................................................ R$ 618,69 Material de expediente/xerox/gráficas .................. R$ 2.024,00 Revistas/Internet/ WEB/"O capuchinho" ............... R$ 1.901,20 Plano de Saúde de func./ farmácia ......................... R$ 1.146,74 Vales Transportes, alimentação e fretes ................. R$ 3.672,00 Sindicatos (SECRASO e SENALBA) ............................. R$ 110,00 Móveis e Utensílios ................................................. R$ 964,00

Total ..................................................................... R$ 74.300,51

Total ..................................................................... R$ 64.915,60

DIMENSÃO MISSIONÁRIA

DIMENSÃO MISSIONÁRIA

Taxa para Arquidiocese Ref. NOV/13 ....................... R$ Taxa para a Província Freis Capuchinhos .............. R$ Mat.Pastoral/Catequético/Cursos / Seminário ..... R$ Repasse para Missões ............................................ R$

8.591,47 9.304,44 1.728,00 340,00

Taxa para Arquidiocese Ref. DEZ/13 ....................... R$ Taxa para a Província Freis Capuchinhos .............. R$ Mat.Pastoral/Catequético/Cursos / Seminário ..... R$ Repasse para Evangelização ................................... R$

8.939,39 9.698,67 2.092,52 2.327,00

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO Sexta-feira das 9h às 19h Benção com o Santíssimo às 18h30

Total ..................................................................... R$ 19.963,91

Total ..................................................................... R$ 23.057,58

DIMENSÃO SOCIAL

DIMENSÃO SOCIAL

BÊNÇÃOS De segunda a sexta-feira: das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30 Sábado: das 10h às 12h e das 14h às 17h Telefone para agendar bênçãos: 41 3335.1606

Ação Social da Paróquia N.Sra. da Luz (CIC) .......... R$ Total ..................................................................... R$

TOTAL GERAL ........................................................ R$ 98.264,42

>> Expediente do Boletim

2

4.000,00 4.000,00

TOTAL GERAL ........................................................ R$ 91.973,18

Graças à generosidade dos paroquianos, dizimistas e benfeitores, arrecadamos os donativos abaixo discriminados: DEMONSTRATIVO DAS DOAÇÕES: DEZEMBRO/2013 Destinatário N. Sra. da Luz (Vila) Almirante Tamandaré V ila Verde Setor Mercês TOTAL

Peças de Roupas

Pares de Calçados

Diversos

1492

214

301

2007

341 KG

1968 0050 3510

224 006 444

385 006 692

2577 0062 4646

380 KG 222 KG 943 KG

Total

Alimentos Kg

À Ação Social da Paróquia N. Sra. da Luz, doamos em dinheiro: R$ 4.000,00 para a promoção humana.

O CAPUCHINHO Pároco: Frei Pedro Cesário Palma Vigários Paroquiais: Frei Benedito Félix da Rocha e Frei João Daniel Lovato Freis do Convento: Frei Moacir Antonio Nasato, Frei Juarez De Bona, Frei Hélio de Andrade e Frei Luiz Roberto Portella Jornalista responsável: Luiz Witiuk – DRT nº 2859 Coordenação: Izilda de Figueiredo Capa: Mayra Armentano Silvério Diagramação e Arte: Editora Exceuni (41) 3657-2864 / 3657-4542 Impressão: Press Alternativa - (41) 3047-4511 Tiragem: 5.000 exemplares

Ação Social da Paróquia N. Sra da Luz (CIC) .......... R$ Total ..................................................................... R$

>> Ação Social da Paróquia N. Sra. das Mercês

ANIVERSARIANTES Nossa Paróquia felicita os aniversariantes do meses de janeiro, fevereiro e março, oferecendo a todos a prece comunitária e as intenções na Santa Missa. Saúde, paz, prosperidade e que nunca falte o amor a Jesus Cristo e Nossa Senhora em suas famílias.

4.000,00 4.000,00

DEMONSTRATIVO DAS DOAÇÕES: JANEIRO/2014 Destinatário N. Sra. da Luz (Vila) Almirante Tamandaré V ila Verde Setor Mercês TOTAL

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

Peças de Roupas

Pares de Calçados

660 5980 0082 6722

093 637 004 734

Diversos 0089 2016 004 2109

Total 0842 8633 0090 9565

Alimentos Kg 227 KG 663 KG 195 KG 1085KG

À Ação Social da Paróquia N. Sra. da Luz, doamos em dinheiro: R$ 4.000,00 para a promoção humana.

Agradecemos a você, pela sua generosa doação. Frei Pedro Cesário Palma Pároco janeiro/fevereiro/março.2014


>> Mensagem do Pároco

Queridos amigos(as), leitores(as) do nosso jornal "O Capuchinho": Paz de Bem! Estamos iniciando mais um ano, que será de muitas boas realizações para todos nós. Que possamos, neste ano, experimentar grandes alegrias, saúde e felicidade. No mês de outubro deste ano a nossa Igreja realizará, no Vaticano, o Sínodo dos Bispos sobre a família. Um questionário foi enviado às dioceses e, destas, às paróquias, visando a participação dos fiéis na preparação deste Sínodo Extraordinário, cujo propósito é proclamar o Evangelho no contexto dos desafios pastorais enfrentados pelas famílias em nosso tempo. Outro fato que nossa Igreja do Brasil está vivenciando em 2014 é o "Ano Vocacional". Este tem como objetivo consolidar uma cultura vocacional permanente em nossas comunidades. Devemos entender o "Ano Vocacional" num sentido amplo, de valorização e promoção de todas as vocações, desde a batismal, quanto a matrimonial, sacerdotal, religiosa e ministerial. Um convite insistente de nossa Igreja é quanto à formação de Comunidade de Comunidades. O que quer dizer isso? Podemos pensar em nossa paróquia: ela é uma comunidade. Os grupos de reflexão são pequenas comunidades, dentro da grande comunidade paroquial. Nos grupos a fé se fortalece, os vínculos de amizade se aprofundam, os mais afastados são acolhidos, o amor é testado na prática e Deus fica entre nós. Em nossa paróquia queremos, além de tantas outras pastorais e movimentos, incentivar a participação nos grupos de reflexão já existentes e a formação de muitos outros grupos. Assim nos-

sa Igreja continuará viva, participativa e acolhedora. No campo político, este ano será de eleições. No dia 05 de outubro cada eleitor(a) irá às urnas para eleger sete novos servidores públicos: um(a) Deputado(a) Estadual, um(a) Deputado(a) Federal, um(a) Senador(a), um(a) Governador(a) e Vice, Presidente da República e Vice. Façamos das eleições uma oportunidade para confirmar a democracia, a cidadania e, sobretudo, a política como resposta às urgentes demandas sociais , como melhoria da educação, da saúde, da segurança e do transporte público. Não se pode deixar de falar da Copa do Mundo que, de 12 de junho a 13 de julho deste ano, estará atraindo, não só a atenção do mundo para o nosso Brasil, como também uma multidão de gente de todos os continentes. Que seja um tempo bonito de congraçamento dos povos a partir deste grande evento desportivo. E que o risco de agravamento de problemas, como por exemplo, o tráfico de pessoas, seja minimizado e, se acontecer, seja denunciado. Um grande abraço e feliz 2014!

Frei Pedro Cesário Palma, OFMCap.

As pequenas comunidades renovam a Paróquia Formar pequenas comunidades e reunir-se em grupos faz parte da vida do cristianismo desde os seus primeiros dias. Durante séculos, a Igreja, por toda parte onde se difundiu, formou comunidades. Nas pequenas comunidades, as pessoas são acolhidas com sorriso nos lábios, com um abraço carinhoso e se sentem felizes por formar com seus vizinhos e conhecidos uma família de famílias, como nos primeiros tempos da fé cristã, e dessa forma se sentem mais participantes da Igreja de Jesus Cristo. Desejamos que o grupo de vocês seja assim: unido, fraterno, lugar onde as pessoas sentem alegria de se encontrar. Dom João Bosco, ofm Presidente da CNBB - Regional Sul 2

janeiro/fevereiro/março.2014

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

3


Fraternidade N. Sra. das Mercês

Ordem Franciscana Secular – OFS 80 anos A Ordem Franciscana Secular teve sua origem na Itália, mais precisamente na cidade de Assis. Foi lá que veio ao mundo, no dia 26.9.1182, o menino João Batista Bernardone conhecido até hoje pelo nome de Francisco de Assis. Aos 25 anos funda a Primeira Ordem (frades); logo após a Segunda Ordem (Clarissas). Os esposos desejam abandonar os lares: jovens, idosos, mulheres, todos enfim, sentiram-se atraídos pelo renovador Francisco. Foi então que no ano 1221, que o casal Luquésio e Buonadona, historicamente os dois primeiros terceiros franciscanos, se dirigiram a Francisco pedindo orientação espiritual. Assim nasceu a OFS (a Ordem Terceira Franciscana). Francisco dá-lhes uma norma de vida para ser observada, (é o que chamamos Regra Franciscana). No Brasil a OFS chegou juntamente com os primeiros frades franciscanos. A Primeira Ordem Franciscana Secular fundada no Brasil foi em 1577, em Olinda, PE. No Paraná a OFS foi fundada em 1746 pelo Irmão Simão Gonçalves de Andrade na Capela N. Sra. do Terço, anexa à Igreja da Ordem. O mesmo foi o primeiro Ministro Local.

4

No Bairro das Mercês, Frei Inácio de Ribeirão Preto, na época superior regular dos Capuchinhos do Paraná, pensou fundar em nossa Igreja N. Sra. das Mercês, em Curitiba, Paraná, a Ordem Terceira, a qual se efetuava canonicamente aos 3 de dezembro de 1934. No ato de fundação da Ordem Terceira, ingressaram as seguintes pessoas: Estanislau Trojan, Guilherme Kloss, Armindo Melo, Maria Manzochi, Catarina Trojan, Mariana Binotto, Isolina Rausis, Josefa do Pilar, Marta Kloss, Maria Surugi, Clara Burda, Francisca Lopes, Maria Cagliari, Maria Rausis, Dulce Bastos, Luisa Natel, Franciscana Milarki, Aida Teixeira de Freitas. O primeiro Conselho da OFS das Mercês foi eleito em 8.12.1935. Ministro: Guilherme Kloss; Vice-ministra: Assunta Zenetti; Formadores: estanislau Trojan e Aida Teixeira de Freitas; Secretária: Maria Isabel Surugi; Tesoureira: Clara Burda; Enfermeira: Francisca Lopes. O primeiro Assistente Espiritual foi o Frei Ricardo de Vescovana. Aos 4.12.1960, foi celebrado o Jubileu de Prata dos primeiros terceiros franciscanos da OFS das Mercês.

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

Após o Concílio Vaticano II, quando a Igreja chamou os leigos para assumirem a direção e a responsabilidade de seus movimentos, a OFS atendeu a solicitação do Concílio e começou a trabalhar em sua renovação. E nesta última renovação, aprovada pelo Papa Paulo VI ela recebeu o nome oficial de ORDEM FRANCISCANA SECULAR. Em 15.8.1981 o Arcebispo de Curitiba D. Pedro Fedalto, atendendo ao pedido de Frei Vicente Artuso, vigário cooperador da Paróquia N.Sra. das Mercês e Assistente Espiritual da Fraternidade houve por bem erigir canonicamente a Ordem Franciscana Secular, na Igreja Matriz de N. Sra. das Mercês. A Ordem Franciscana Secular não tem uma finalidade especifica. Seus membros participam ativamente de várias atividades: na própria paróquia em que residem (como catequistas , ministros da Eucaristia, liturgia, etc). E também como grupo franciscano procurou fazer-se presente as necessidades ocasionais: em sucessivas campanhas foram arrecadados, mantimentos, roupas, lençóis, produtos de higiene etc. Os donativos eram entregues em

visitas trimestrais pelos irmãos que iam visitar os doentes internados no Sanatório São Roque: novenas de Santa Clara e São Francisco na casa dos irmãos doentes e idosos; trabalhos manuais que eram distribuídos aos carentes e no Hospital Erasto Gaetner. Evangelizavam os moradores de rua e levavam alimentos quentes nas noites de inverno etc. A vida de oração será sempre uma característica franciscana, individual e em fraternidade, de um modo especial Adoração ao Santíssimo Sacramento. Em 1972 surge um grupo de Jufra junto a Igreja Nossa Senhora das Mercês, primeiro grupo do Brasil, que recebe formação franciscana, mas só em 1977 é reconhecida oficialmente como O.F.S. Houve certamente também conquistas, vitórias. Alguns desanimaram, outros esperançosos prosseguem. Ao encerrar este resumo uma homenagem aos Assistentes Espirituais que a partir de Frei Ricardo de Vescovana a Frei Moacir Antonio Nasato em numero de 34 sempre nos orientaram e orientam com amor, dedicação e bondade. E os freis do convento e paroquia Nossa Senhora das Mercês que cedem a Biblioteca do Convento para as nossas reuniões, a todos o nosso muito obrigado pela generosidade e que Deus os abençoe. Que a Fraternidade Nossa Senhora das Mercês persevere e assuma sua missão neste mundo seguindo a Francisco que descobriu e nos ensinou o caminho! Pelas graças recebidas, pelo bem realizado! Louvado sejas, meu Senhor! Colaboração: Ivonete de Oliveira; Maria Brunislava Gemba; Sílvia Alves

janeiro/fevereiro/março.2014


O ANO VOCACIONAL INTRODUÇÃO Toda a Igreja da Arquidiocese de Curitiba foi convidada a refletir e trabalhar pelas vocações, "aproveitando o clima de entusiasmo da Jornada Mundial da Juventude e o Ano da Fé" (Dom Moacyr). "O Ano Vocacional teve início no dia 03 de Agosto de 2013 com uma Missa Solene, na Catedral Basílica de Nossa Senhora da Luz, às 18 horas. Nesta Missa foram abençoadas e enviadas para os setores pastorais as capelinhas vocacionais com a imagem da Sagrada Família, símbolo que está percorrendo os setores pastorais e paróquias" (Dom Moacyr). Nós tivemos essa graça da visita da imagem em nossa Paróquia há poucos dias. Desde lá estamos rezando pela vocações. OBJETIVO GERAL Segundo o Manual, o Ano Vocacional Arquidiocesano tem como Objetivo Geral "consolidar uma cultura vocacional permanente na Arquidiocese de Curitiba por meio da valorização dos diferentes dons e carismas de nossas comunidades". Os objetivos específicos são: Formar equipes vocacionais nas paróquias da Arquidiocese de Curitiba mediante a disponibilização de material apropriado e visita às comunidades. Despertar, discernir, cultivar e acompanhar a vocação dos iniciados na fé, das crianças, adolescentes e jovens. Reforçar a consciência de que todos são responsáveis na animação vocacional. Refletir sobre a teologia das vocações e a dimensão da missionariedade à luz do Documento de Aparecida e do Documento Geral para a Ação Evangelizadora. Resgatar a importância do batismo, como caminho de compromisso eclesial e fonte de todas as vocações. O tema do Ano Vocacional é: Chamados a fazer caminho com Cristo. O lema do Ano Vocacional é "Foram e permaneceram com Ele" (Jo 1, 39). Portanto estamos tendo uma grande oportunidade de rever nossa vida vocacional e reafirmar o nosso desejo de ser sempre fiéis ao chamado. MAS O QUE É VOCAÇÃO? Pelo Batismo sabemos que todos nós

plano de amor, e busca viver o Evangelho como Francisco viveu.

estamos respondendo ao chamado à Santidade. Portanto podemos entender que a palavra Vocação significa "Chamado". E como batizados somos chamados a desenvolver plenamente todas as nossas potencialidades visando o crescimento da sociedade, da Igreja e do mundo. Sabemos também que cada batizado poderá escolher a maneira como vai realizar sua vocação à santidade. Alguns vão escolher uma vida monástica, ou seja, vai entrar numa Ordem ou Congregação Contemplativa, retirandose do mundo, porém ligados em espírito a tudo que acontece no mundo e em suas orações participar do crescimento do Reino de Deus. Outros vão escolher uma Ordem ou Congregação Religiosa com carisma missionário, atendimento aos pobres, trabalhando com crianças carentes, idosos, etc. Há ainda os que sentemse chamados ao presbiterato ou seja, querem ser Padres para se colocarem a serviço da Igreja. Há aqueles que mesmo permanecendo leigos consagramse a Deus, vivendo vida pobre, casta e obediente. E finalmente há aqueles e aqui está a maioria das pessoas que optam por viver a vida de Santidade através do Sacramento do Matrimônio. A VOCAÇÃO FRANCISCANA A vocação franciscana é um modo especial de seguir Jesus Cristo nas pegadas de São Francisco de Assis. Os Franciscanos são pessoas que fizeram uma opção: a de deixar que Deus realize em sua vida o seu

A FAMÍLIA FRANCISCANA São Francisco fundou três Ordens religiosas: A Ordem dos Frades Menores, a Ordem das Clarissas e Ordem Franciscana Secular, dos Leigos engajados (OFS). A Primeira Ordem, a dos frades, por sua vez dividiu-se em três grandes famílias: a Ordem dos Frades Menores Conventuais, a Ordem dos Frades Menores Observantes (OFM Obs.), que mais tarde passam a ser chamados apenas Frades Menores, ou popularmente Franciscanos, e a Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (OFM Cap.). Os três ramos juntos formam a grande família dos Frades Menores). A Segunda Ordem, a das Damas Pobres ou Claríssas (OSC), por sua vez também dividiuse em outros ramos. Mas na essência todas seguem o espírito de Santa Clara de Assis. Assim temos as Claríssas de diversos ramos e as Concepcionistas que também são Claríssas. Apenas a terceira Ordem, a dos leigos engajados, não se dividiu. Eles continuaram desde sempre formando uma única ordem, a Ordem Franciscana Secular (OFS). QUEM SÃO OS CAPUCHINHOS A Ordem dos Frades Menores, em seu esforço por permanecer fiel às intenções do fundador, São Francisco de Assis, passou por muitas dificuldades ao longo de sua história, o que a levou a desacordos e organizações diferentes. Os três ramos maiores da Primeira Ordem, os Frades Menores, os Frades Menores Conventuais e os Frades Menores Capuchinhos, tiveram cada um sua organização e estrutura legal, mas todos apelam para São Francisco como seu pai e fundador. Os Capuchinhos são o ramo mais recente, de 1528, quando alguns Frades Menores das Marcas quiseram viver uma vida mais estrita de oração e de pobreza para estarem mais perto das intenções originais de São Francisco. Graças ao apoio da Corte Pontifícia, o novo ramo obteve bem depressa o reconhecimento e cresceu rapidamente, primeiro na Itália e depois, após 1574, em toda a Europa. No Brasil estiveram pela primeira vez

em 1612, no Maranhão. O nome "capuchinhos" referese à forma especial do longo capuz; no começo foi como um apelido, depois passou a ser o nome oficial da Ordem, que atualmente existe em 99 países em todo o mundo, com mais ou menos 11.000 frades que vivem em mais de 1.800 comunidades (fraternidades). Simplicidade, proximidade do povo, espírito fraterno em nossas casas e no apostolado são os sinais visíveis que caracterizam nosso estilo de vida, ainda que tenha que ser incrementada a importância dada pelos primeiros capuchinhos à penitência, pobreza e à vida de oração afetiva. Portanto, os Freis Capuchinhos querem seguir os passos de Cristo, a exemplo de São Francisco de Assis. Eles têm este ideal de vida: viver e agir de acordo com o Evangelho como irmãos em fraternidade, partilhando as alegrias e dificuldades, rezando juntos e cultivando a simplicidade. Atuam em diversos campos: Missões Populares, pregação de retiros, confissões, orientação espiritual e psicológica, bênçãos, paróquias, promoção social, capelanias hospitalares, pastoral universitária, entre outros. CONCLUSÃO Assim esperamos que a nossa comunidade paroquial em estreita ligação com a Arquidiocese esteja obtendo bons frutos deste ano vocacional. Cada um de nós deve voltarse para a própria vocação e renovar continuamente a sua resposta ao apelo divino em nossas vidas.

Frei Benedito Félix da Rocha Vigário Paroquial freidito@bol.com.br

A Capelinha da Sagrada Família está visitando as paróquias da arquidiocese de Curitiba, permanecendo um mês em cada uma. No mês de fevereiro ela permaneceu em nossa paróquia, onde os freis, sempre nos pediam para rezar pelas vocações, principalmente as sacerdotais. Em todas as celebrações esse pedido era reforçado. Nos dias 18 e 25 de fevereiro um grupo de senhoras, ministros extraordinários da sagrada comunhão, participantes do Movimento das Capelinhas, da Pia União de Santo Antonio e da Legião de Maria, se reuniu em frente à capelinha, para rezar o terço nessa intenção. Que Deus possa atender nossas preces e nunca faltem vocacionados para a messe. Maria Lucia Trancho Coordenadora do Movimento das Capelinhas

janeiro/fevereiro/março.2014

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

5


>> Nossos Freis

Frei Gabriel (José Vitalino Galvan): 87 anos de vida Estamos celebrando o Ano Vocacional na Arquidiocese de Curitiba, um evento muito importante. E neste mês de fevereiro, dia 15, queremos recordar e homenagear Frei Gabriel (José Vitalino Galvan), que completou 87 anos de vida e foi pároco das Mercês nos anos 1964 a 1965. VAMOS CONHECER UM POUCO MAIS SUA VIDA Seu nome de batismo é José Vitalino Galvan. Nasceu em Nova Bassano, município de Antônio Prado, RS no dia 15 de fevereiro de 1927. É o filho primogênito do casal Ângelo Galvan e Elvira Dossiati. São seus irmãos: Giorgio, Zeferino, Armando, Vitório, Ida, Antônio, Jolide, Germano, Irma e Íride. Ainda criança, sua família imigrou na região de Capinzal e ali conheceu os Freis Capuchinhos e surgiu o desejo de tornar-se capuchinho também. Ingressou no Seminário Santo Antônio, em Butiatuba, dia 25 de agosto de 1939, com 12 anos de idade. Neste convento recebeu a batina, no dia 24 de dezembro de 1943 com o nome de Frei Gabriel de Antônio Prado e emitiu os votos temporários dia 24 de dezembro de 1944. Fez os votos perpétuos, na igreja das Mercês, dia de São José, seu onomástico, 19 de março de 1948. Foi ordenado sacerdote por Dom Manoel da Silveira D'Elboux, também na igreja das Mercês, no dia 15 de maio de 1951. Celebrou sua primeira missa solene em Capinzal, onde residiam seus familiares no dia 27 do mesmo mês. RESIDÊNCIAS: Frei Gabriel residiu nas seguintes localidades: Joaquim

6

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

Távora, 1951; Curitiba, Mercês, 19521957; 1958-1960; 1964-1976; Engº Gutierrez (Irati), 1961-1963; Butiatuba, 1977-1987; Céu Azul, 1988-1991; Umuarama, 1992-2001. TRABALHOS: Nas localidades acima citadas, frei Gabriel desenvolveu as seguintes atividades: vigário paroquial, pároco, guardião, ecônomo local, diretor dos Irmãos. Porém, a maior parte de sua vida atuou como capelão militar e ecônomo local. Na Província foi 4º assistente do Comissariado Provincial e membro da SEASF (Secretaria de Economia, Administração e Serviço Fraterno).Frei Gabriel celebrou 50 anos de vida sacerdotal em Umuarama, em maio de 2001. Em janeiro do ano seguinte sofreu derrame cerebral e deste então, encontra-se nas Mercês, como enfermo. A ele nossas orações, consideração e a estima de todos os seus confrades. Frei Juarez De Bona, OFMCap.

janeiro/fevereiro/março.2014


Anunciação do Senhor A festa da Anunciação do Senhor é celebrada nove meses antes do seu nascimento, dia 25 de março. Deus não entrou no mundo pela força; quis "propor-se". O "sim" de Maria realiza definitivamente a aliança de Deus com a humanidade. Nela está todo o povo da promessa o antigo (hebreus) e o novo (a Igreja); "o Senhor está com ela", isto é, Deus é nosso Deus e nós somos para sempre seu povo. Pela Anunciação do Senhor a Salvação da humanidade se efetua e se perpetua. Nós podemos tornar digna de fé a salvação de Deus, encarnado-a também com os nossos pequenos "sim" que todos os dias podemos repetir, a exemplo de Maria. É o que veremos a seguir. O "SIM" DO FILHO O primeiro, o único "sim" do Filho, que ao entrar neste mundo, disse: "Eis que venho para fazer a tua vontade" (Sl 39; Hb 10,4-10), recebe a resposta do Pai, o qual, depois da oferta dolorosa da paixão, selará com a ressurreição, no Espírito Santo, a salvação apresentada a todos através da Igreja. A Encarnação é também o mistério da colaboração responsável de Maria na salvação recebida como dom. Revela-nos que Deus, para salvar-nos, escolheu essa pedagogia, a de passar através do homem: "... e o Verbo se fez carne e veio habitar no meio de nós... e nós vimos a sua glória" (Jo 1,14). A realização das promessas em Jesus é obra exclusiva de Deus e não da pessoa humana, embora não se dê sem o concurso humano representado aqui pela aceitação ou "sim" de Maria. O consentimento de Maria está em sintonia com a aceitação do Filho de Deus (cf Hb 10,9). O "SIM" DA MÃE A Anunciação do anjo é talvez a passagem da Escritura mais conhecida e mais repetida. Na oração da Ave-Maria, no Ângelus, na recitação do terço, nas diversas manifestações da arte. A vida cristã carrega no coração e tem como princípio e fim a encarnação do Verbo: o Filho de Deus se fez um de nós para que nós nos tornássemos filhos e filhas de Deus. O "sim" de Maria deu um novo rumo à história e é capaz de atrair o próprio Deus. E Ele, na pessoa do Filho, vem e se compromete para sempre com a história da humanidade, que, a partir de então, é, indissoluvelmente e fisicamente, história também de Deus. O texto de Lucas, 1,26-38, relativo a Maria é o mais importante de todos. Vejamos as razões: 1) é o mais cheio de sentido mariológico, representando uma cena evangélica em que a Virgem Maria está no centro, como a grande protagonista; 2) é o que traça de forma mais nítida o retrato humano e espiritual de Maria; 3) é o texto mariano mais usado na Liturgia; 4) é o mais citado pelos santos padres da Igreja; 5) é o que retrata a cena mariana mais pintada pelos artistas (cf Boff,Clodovis - Introdução à Mariologia, p.46 , Editora Vozes). A anunciação, no texto citado acima, é um acontecimento humilde, escondido - ninguém o viu, ninguém o conheceu, exceto Maria, mas ao mesmo tempo decisivo para a história da humanidade. Quando a Virgem disse seu "sim" ao anúncio do anjo, Jesus foi concebido e com Ele começou a nova era da história, que a seguir teria sido sancionada na Páscoa como "nova e eterna aliança". Na verdade o "sim" de Maria é o reflexo perfeito do "sim" do próprio Cristo, quando entrou no mundo, como escreve a Carta aos Hebreus interpretando o Salmo

janeiro/fevereiro/março.2014

e Morte - tem um caráter "passional". Revela à luz da cruz, a paixão de Deus para com a humanidade. Seu amor será mais forte do que a morte (cf Ct 8,6) (cf Bento XVI , obra citada acima). Maria é a primeira de todas as criaturas a pisar na verdadeira terra prometida: "Alegra-te, cheia de graça, saúda o anjo Gabriel (cf Lc 1,28). "Ave Maria gratia plena", proclama a Igreja. Cheia de graça porque Deus a fez assim e ela realizou em tudo, a vontade de Deus. Maria é o arremate perfeito de toda a obra divina. "O Filho que ela gerou foi por Deus constituído primogênito entre muitos irmãos, isto é, entre os fiéis em cuja geração e formação ela coopera com materno amor" (LG, n.63). Maria, cheia de graça, é como a expressão mais perfeita da abundância das graças derramadas sobre a humanidade a partir de redenção de Cristo. Com ela a primeira redimida, tem origem uma história de fidelidade absoluta à vontade de Deus. "Ó Mulher cheia de graça e mais que cheia de graça, o transbordamento de tua plenitude faz renascer toda criatura! Ó Virgem Bendita e mais que bendita, pela tua bênção é abençoada toda a natureza, não só as coisas criadas pelo Criador, mas também o Criador pela criatura" (Santo Anselmo- Liturgia das Horas, p. 1043). 39: "Eis, eu venho - pois de mim está escrito do rolo do livro - para cumprir, ó Deus, a tua vontade" (Hb 10,7). A obediência do Filho se espelha na obediência da Mãe e assim, pelo encontro desses dois "sim", Deus pode assumir um rosto humano. Eis por que a Anunciação é também uma festa cristológica, pois celebra um mistério central de Cristo: a sua Encarnação (cf Bento XIV- MINHA HERANÇA ESPIRITUAL, p. 35, Paulus 2013). Na sua simplicidade, Maria é sapientíssima: não duvida do poder de Deus, mas quer compreender melhor a sua vontade, a fim de conformar-se completamente ao seu projeto. Maria é infinitamente superada pelo mistério de Deus, no entanto ocupa perfeitamente o lugar no centro dele, que foi a ela destinado. O seu coração e a sua mente são plenamente humildes, e, justamente por sua singular humildade, Deus aguarda o "sim" da jovem Maria para realizar o seu desígnio. Respeita a sua dignidade e a sua liberdade. O "sim" de Maria implica a combinação de maternidade e virgindade, e deseja que tudo nela seja para a glória de Deus, e o Filho que dela nascerá possa ser inteiramente dom de graça. A educação da humanidade para Cristo é obra do Espírito Santo no transcorrer de todo o Antigo Testamento e culmina na Santíssima Virgem Maria. É a Virgem fiel, que colocou sob seus pés a cabeça da serpente, fulminada pelo poder redentor de Cristo (cf Gn 3,15). ALEGRIA DE DEUS A Virgem Maria é a alegria de Deus. Não se pode imaginar o quanto é a alegria de Deus em poder dizer: "Alegra-te" àquela mulher de nome Maria, que não está no Templo, em Jerusalém, mas em sua humilde casinha, em Nazaré, esposa de um carpinteiro, de nome José, nome que quer dizer "Deus nascente"! Na verdade Maria tem um misterioso e desconhecido esposo, o Senhor. Ele em Maria encontrou aquela toda pura, imaculada a quem ele ama e sua oferta de amor finalmente encontra mãos e braços e corpo que o acolhe. Em Maria, os grandes braços do mundo e o corpo mesmo do universo contêm, concebem e apertam Aquele sem o qual o ser humano não é humano. O amor é finalmente amado. Encontrou uma casa onde morar repleta de graça. No silêncio fala, irreversivelmente, a Palavra. A Encarnação - que não pode ser separada da Paixão

AMIGA E AMIGO LEITOR! Maria é modelo de fé porque acreditou, acolheu pelo seu "sim" incondicionalmente o projeto de Deus. É modelo de esperança porque tem certeza de que o Senhor levará a termo o que prometera aos antigos pais em favor de Abraão e de sua descendência (cf Lc 2,51). É modelo de oração porque ninguém como ela foi tão íntima de Deus, estava tão inteiramente em Deus e Deus nela. Tudo guardava em seu coração, porque nela só tinha lugar para Deus e seu plano de salvação. É modelo de amor porque ninguém como ela amou tanto o Senhor. Maria é símbolo ou imagem de toda a pessoa que crê e da Igreja inteira. O que aconteceu nela, naquele sexto mês, deve acontecer em cada um e em todos nós pelo nosso "sim" que acolhe Jesus e todo o projeto de salvação. O discípulo e a discípula do Senhor não podem nunca deixar de dizer "sim" ao projeto de Deus e podemos tornar digna de fé a salvação de Deus, encarnado-a também nos nossos pequenos "sim" que todos os dias podemos repetir a exemplo da Maria. Deus quer estar conosco, quer nosso "sim", quer nossa companhia, nossa amizade, hoje e sempre. Nossa atitude filial é responder "sim" com generosidade a essa predileção, acolhê-lo como o mais fiel amigo e companheiro, exprimindo-lhe nossa gratidão e amor, testemunhado-o em nosso dia-adia. Que nossa Senhora da Anunciação, que soube acolher com fé, humildade e com alegria o projeto de Deus, nos ensine a dizer sempre "sim" ao Senhor Deus!

Frei João Daniel Lovato,OFMCap fr.lovato@terra.com.br Vigário paroquial

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

7


2013 - Ano de Alegria, Graça e Luz Como de costume, ao iniciar um novo ano, um novo ciclo, a Paróquia Nossa Senhora das Mercês, através do CAEP - Conselho de Assuntos Econômicos Paroquial faz um relato das principais ações realizadas na Paróquia, mantendo o propósito de dar transparência à gestão administrativa e financeira dos recursos e do patrimônio paroquial, como prática dos valores éticos e cristãos que deve animar cada um de nós. Para garantir e dar sustentação às atividades da Paróquia Nossa Senhora das Mercês, através de suas pastorais, no cumprimento da missão de evangelizar, alinhada à proposta de igreja missionária, acolhendo a todos com o amor e a caridade praticados por Jesus Cristo, é importante, oferecer uma estrutura adequada, facilitando o atendimento à comunidade, ao nosso irmão ou irmã, em suas necessidades, proporcionando aos nossos sacerdotes, funcionários e voluntários, as condições necessárias para a realização dos seus trabalhos e ações pastorais. A sustentação apóia-se em três pilares: 1) Humano, que compreende o Pároco, seus vigários auxiliares, funcionários e todo corpo de voluntários. 2) Físico, composto pelo patrimônio da Paróquia (imóvel, veículos, máquinas, equipamentos, móveis e utensílios, arquivos, etc.), material de expediente, manutenção e limpeza. 3) Econômico, que diz respeito à administração das receitas provenientes do dízimo e das ofertas, os quais provêem toda demanda de recursos para custeio das despesas paroquiais. O ano de dois mil e treze foi, de fato, um ano abençoado em que pudemos, através da colaboração e trabalho de todos, semear um pouco mais de alegria em todos os sentidos, na graça e luz, para nossa Paróquia. Fomos agraciados com a generosidade de nossos dizimistas, paroquianos, voluntários, visitantes e funcionários, que, na prática concreta da doação, entregaram amorosamente parte de seus recursos financeiros, do seu tempo, do seu conhecimento, da sua capacidade, da sua presença, para o bem de cada um daqueles que foram atendidos, de acordo com suas necessidades pessoais, bem como para o bem de toda comunidade das Mercês e das paróquias irmãs (N. S. da Luz e Vila Verde no CIC, em Curitiba e N. S. da Concei-

8

ção, em Almirante Tamandaré). Louvamos e agradecemos a Deus por isto! A Paróquia Nossa Senhora das Mercês é imensamente grata a todos, pois foi através do esforço consciente de cada um, na prática pessoal e comunitária da caridade, que a Igreja de Deus, nas Mercês, pôde acolher e servir a seus filhos. Na linha da evangelização, realizamos um elevado número de cursos, palestras, encontros, retiros, serviços pastorais, liturgia, formação, catequese de crianças e adultos, atendendo toda demanda dos paroquianos, visando o seu crescimento na fé, na prática do evangelho de Jesus Cristo, bem como o aprofundamento do conhecimento para os voluntários. Além do apoio e custeio das despesas com as pastorais e serviços, durante o ano de 2013, nossa Paróquia contribuiu com a Irmandade "Capuchinhos", com Arquidiocese, com nossos irmãos em Cristo das Paróquias N. S. da Luz da CIC e N. S. da Conceição de Almirante Tamandaré. Na dimensão econômica (patrimonial), tendo em vista proporcionar maior conforto, comodidade, segurança e bem estar aos nossos paroquianos, bem como de prover condições para a realização da tarefa missionária e evangelizadora na

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

Paróquia, foram realizados os seguintes serviços e ações: - Aquisição de aparelho telefônico para a secretaria paroquial; - Aquisição de dois microfones, dois pedestais e cabos de energia para o coral; - Aquisição de duas pias (reservatórios) de água benta; - Aquisição de novas cortinas para a igreja; - Aquisição de novos malotes para recolhimento das ofertas; - Aquisição de quatro armários para o centro de pastoral; - Aquisição de túnicas nas cores litúrgicas e gravatas para o coral; - Aquisição de um DataShow para o centro de pastoral; - Aquisição de um DataShow para o salão paroquial; - Aquisição de um forno de micro ondas; - Aquisição de um Notebook; - Aquisição de um veículo Gol 1.0 para paróquia; - Aquisição de uma TV e DVD para a catequese; - Aquisição de uma máquina de lavar para o salão paroquial; - Aquisição de ventiladores para a igreja e secretaria; - Construção do Memorial do Frei Bonifácio; - Continuidade da reforma dos bancos da igreja, que se estenderá pelo ano de 2014;

- Instalação de grades de proteção no salão paroquial; - Pintura da sala do Pároco e da secretaria paroquial; - Pintura dos móveis da escolinha dominical (mesas, armários e cadeiras); - Pintura e aplicação de textura no prédio da Igreja; - Pintura interna do salão paroquial; - Reforma e lavagem das cortinas do salão paroquial; - Reparo e pintura na cúpula da torre; - Restauração de oito castiçais; - Manutenção permanente de toda estrutura física da igreja e suas dependências. Caro paroquiano, dizimista, voluntário. Nada disso teria sido possível sem a sua participação, sem a sua partilha. Por este motivo, cheios de gratidão, pedimos à Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, com a intercessão de Nossa Senhora das Mercês, que cada um de vocês e suas famílias, continuem sendo agraciados com toda graça e toda benção divina, proporcionando-lhes uma vida de saúde, paz, equilíbrio, harmonia, riqueza e prosperidade, na santa alegria e felicidade que provém de Deus. Tenham vida, e vida em plenitude. Deus os abençoe. Muito Obrigado! Frei Pedro Cesário Palma Pároco e Presidente do CAEP (Conselho de Assuntos Econômicos Paroquiais)

janeiro/fevereiro/março.2014


Vamos viver a Quaresma Estimados leitores, no dia 05 de março iniciamos com a quarta –feira de cinzas o tempo da Quaresma, que marca a preparação para a Festa da Páscoa, onde celebraremos a Ressurreição do Senhor Jesus, e a vitória da vida sobre a morte. Gostaria de convidá-los para percorrermos juntos como irmãos e irmãs em Cristo Jesus, um caminho de conversão e renovação espiritual que nos leve a descobrir a beleza da vida e do caminhar com Jesus. Não queremos durante esse tempo nos prepararmos para celebrar somente a Paixão do Senhor, se assim o fizermos, seremos cristãos de um Cristo morto, não cristãos que seguem Jesus Cristo, Senhor do tempo e da história, vencedor da morte e Senhor da vida por toda a eternidade. Queremos ser cristãos comprometidos com o Reino de Deus, anunciadores da paz, da esperança, da fraternidade, da justiça, promotores e defensores da vida. A Campanha da Fraternidade, com um tema específico a cada ano, tem ajudado a nossa Igreja católica no Brasil, e por que não dizer a sociedade em geral, a refletir sobre temas que atingem diretamente uma considerável parcela da nossa sociedade. Ela tem nos ajudado a tomarmos consciência e a nos solidarizarmos com o grito de dor provocado pelas injustiças, exclusão e

abandono que afetam muitos dos nossos irmãos e irmãs em Cristo Jesus. Este ano a Campanha da Fraternidade traz como tema: Fraternidade e Tráfico Humano e o lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1). É vergonhoso saber que num mundo com tanto progresso cientifico e tecnológico, o tráfico ou o comércio de seres humanos

representa um dos negócios mais lucrativos. Os motivos que alimentam os números dessa vergonhosa estatística são muitos. Mas o principal sem dúvida é a realidade de pobreza, marginalização e exclusão social a que são submetidas muitas pessoas em todos os continentes. A busca de oportunidades e dignidade de vida, muitas vezes acompanhada pela ingenuida-

de, aliciamento e falsas promessas de uma vida melhor, só fazem aumentar o número dos irmãos e irmãs que acabam sendo vendidos e comprados, como uma mercadoria que alimenta as altas cifras de um mercado clandestino. O pecado da cobiça e da exploração dos irmãos me faz lembrar o texto do livro do Gênesis: “E quando passaram os negociantes madianitas, tiraram José da cisterna e venderam-no por vinte moedas de prata aos ismaelitas, que o levaram para o Egito”(Gn 37,28). Os negociantes de seres humanos do mundo de hoje tem outros nomes, mas a mercadoria é a mesma, são milhares de Josés e de Marias que passam por essa mesma experiencia de vida, são vendidos e levados para os novos mercados de hoje. A Europa, as Américas, a Asia e as nossas realidades do Brasil, não esquecendo daquelas que estão bem perto de nós. Que neste tempo de Quaresma, possamos refletir sobre o valor e a beleza da vida dom de Deus, mas também nos motive a nos envolvermos na defesa da dignidade da vida dos nossos irmãos e irmãs em Cristo Jesus. + Dom José Gilson Bispo Diocesano de Erexim

ORAÇÃO DA CF 2014 Ó Deus, sempre ouvis o clamor do vosso povo e vos compadeceis dos oprimidos e escravizados. Fazei que experimentem a libertação da cruz e a ressurreição de Jesus. Nós vos pedimos pelos que sofrem o flagelo do tráfico humano. Convertei-vos pela força do vosso Espírito, e tornai-vos sensíveis às dores destes nossos irmãos. Comprometidos na superação deste mal, vivamos como vossos filhos e filhas, na liberdade e na paz. Por Cristo nosso Senhor. AMÉM!

janeiro/fevereiro/março.2014

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

9


>> Catequese em Ação

Missa de Envio

No dia 09 de fevereiro às 10h30, uma missa especial de envio dos catequistas ao trabalho, e das crianças e adultos à catequese, lotou nossa paróquia. As crianças participaram ativamente, fazendo as leituras e preces, a acolhida e o ofertório. O clima de alegria do reencontro e do início de uma nova jornada foi contagiante. Todos são muito bem vindos a esta caminhada, que inclui catequistas, catequizandos e suas famílias.

Reunião de Catequistas No último dia 02 de fevereiro aconteceu a primeira reunião da catequese. Irmã Francisca fez a acolhida, dando boas vindas a todos, antigos e novos catequistas. Na sequência, uma reflexão lembrou a todos, da importância da integração no grupo para que o trabalho seja eficaz. A Catequista Maria Julia conduziu a reflexão lembrando que a

missão do catequista é colocar Jesus Cristo no centro de cada vida, e é ele que nos une. Frei Pedro agradeceu aos catequistas pela presença e parabenizou pelo trabalho na catequese e encorajando os novos membros, em seguida Irmã Francisca apresentou o planejamento da catequese para o ano de 2014.

Missa da Catequese São José - 19 de Março

Um domingo por mês a catequese é responsável por conduzir a missa das 10h30. É hora de por em prática os ensinamentos de nossos encontros, então participe e chame seus pais, a Igreja é viva e sua participação, muito importante!

10

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

São José nasceu em Belém da Judeia, no século I a.C. era pertencente à tribo de Judá e descendente do rei Davi de Israel. São José foi designado por Deus para se casar com a jovem Maria, Mãe de Jesus, que era uma das consagradas do Templo de Jerusalém, e passou a morar com ela e sua família em Nazaré, uma localidade da Galileia, São José, era carpinteiro de profissão, ofício que teria ensinado a seu filho. São José é um dos santos mais populares da Igreja Católica, tendo sido proclamado “protetor da Igreja católica romana”; por seu ofício, “padroeiro dos trabalhadores” e, pela fidelidade a sua esposa, como “padroeiro das famílias”, sendo também padroeiro de muitas igrejas e lugares do mundo.

São José... Rogai por nós!

janeiro/fevereiro/março.2014


Quaresma: Tempo de Graça e de Reconciliação Neste mês viveremos os dias de Carnaval e com a Quarta-feira de Cinzas iniciamos o Tempo de Quaresma. Termina a festa da carne para começar a festa da misericórdia. Termina a festa das fantasias e das aparências para começar a festa do perdão e da reconciliação. No início da Quaresma recebemos as Cinzas em sinal de que aceitamos e queremos fazer uma caminhada de purificação, de arrependimento e de conversão. Ao recebermos a Imposição das Cinzas, lembramo-nos da nossa condição humana, cheia de incoerências, fraquezas, infidelidade. O gesto da Imposição das Cinzas é um gesto externo, mas deve ser fruto de uma vontade interna de mudança e conversão. As cinzas são dos ramos bentos no Domingo de Ramos do ano anterior e cada pessoa, ao recebê-las, deve ter em seu coração a vontade de se voltar para Deus e se deixar reconciliar com Ele. É o próprio Deus quem nos dá essa oportunidade, esse presente e nos propicia essa reconciliação. Como diz São Paulo: “Em Nome de Cristo nós vos suplicamos deixai-vos reconciliar com Deus” (2Cor 5,20b). Esse é o sentido da Quaresma; nos permitir reconciliar com Deus através daquilo que nos diz a profecia de Joel: rasgando o coração. É muito forte! Não é abrir o coração, é rasgar o coração. É dizer: “Senhor eu não sou nada. Eu rasgo meu coração e me derramo na Vossa presença. Eu rasgo meu coração e tiro todas as resistências à minha conversão”. Jamais devemos olhar a Quaresma como um fardo pesado, mas sim como escreveu São Paulo, na Segunda Carta aos Coríntios, que no momento favorável Deus nos ouviu e no dia da salvação, Ele nos socorreu. É agora o momento, é

agora o dia da salvação (2Cor 6,2). Tempo de Quaresma é o tempo favorável. É o tempo de conversão. É a volta à casa do Pai. É o tempo em que a nossa abertura para Deus nos faz reconciliar com Ele. Meus irmãos, o pecado nos aniquila. O pecado nos vicia e a Quaresma é o tempo oportuno de ajustar a nossa vida com a proposta de Deus. É o tempo de graça e de retiro, para a reflexão e conversão espiritual. Deus quer se reconciliar conosco, porque Ele nos amou primeiro. Se alguém virou as costas, fomos nós, não Deus! O esforço da Quaresma é se deixar tocar por Deus e se deixar envolver pela Sua misericórdia. Logo não sejamos indiferentes e deixemos Deus, no seu Espírito, nos provocar. Por isso, eu sugiro que, se você não tem o costume de cumprir o preceito da Missa Dominical, faça nesse período quaresmal um propósito de não faltar às Missas. Cada domingo da Quaresma é uma provocação à conversão. Eis o tempo que Deus nos favorece. Deixemo-nos converter por Deus através de três práticas: Oração, Caridade e Jejum.

O jejum e a abstinência são obrigatórios na Quarta-feira de Cinzas e Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor. Mas que a motivação não seja a dieta, não seja para economizar. Só terá sentido e lógica se for revertido em ajuda a quem não tem e, como domínio das vontades e instintos, na plena consciência de que Deus é maior que nossas paixões, prazeres e vícios. Conforme nos ensina o Catecismo da Igreja Católica: O quarto mandamento (“Jejuar e abster-se de carne, conforme manda a Santa Mãe Igreja”) determina os tempos de ascese e penitência que nos preparam para as festas litúrgicas; contribuem para nos fazer adquirir o domínio sobre nossos instintos e a liberdade de coração (CIC §2043). A oração, aliada à caridade e ao jejum é o que nos prepara para viver a Páscoa do Senhor, fortalecendo nossa fé e esperança. Não há como separar a oração da caridade e ambas do jejum. Elas são inseparáveis e devem ser praticadas simultaneamente. Sobre isso assim se expressou São Pedro Crisólogo: “O jejum é a alma da oração e a misericórdia é a vida do jejum, portanto quem reza, jejue. Quem jejua tenha misericórdia. Quem, ao pedir, deseja ser atendido, atenda quem a ele se dirige. Quem quer encontrar aberto em seu benefício o coração de Deus não feche o seu a quem o suplica’’. Finalizo este artigo citando São Leão Magno: “Tempo de Quaresma é tempo de se viver a doçura, a humildade, a paciência e a paz”. Acima de tudo é tempo de perdoar as injustiças, as afrontas e esquecer as injúrias. Tempo de combate espiritual. Tempo de jejum medicinal. Tempo de caridade reconciliadora.

Padre Reginaldo Manzotti é coordenador da Associação Evangelizar é Preciso – Obra sem fins lucrativos, benfeitora nacional, que objetiva a evangelização pelos meios de comunicação – e pároco reitor do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, em Curitiba (PR). Apresenta diariamente programas de rádio e TV que são retransmitidos e exibidos em parceria com milhares de emissoras no país e algumas no exterior. Site: www.padrereginaldomanzotti.org.br. Facebook: www.facebook.com/padrereginaldomanzotti. Twitter: @padremanzotti

janeiro/fevereiro/março.2014

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

11


Parapsicologia e Qualidade de Vida Muitas pessoas ainda nos perguntam: o que é Parapsicologia? Por isso, antes de tudo, queremos esclarecer que a Parapsicologia é a ciência que estuda os fenômenos paranormais; portanto, a ciência do poder da mente, uma vez que, os fenômenos paranormais são produzidos pela mente humana. Sabemos que a maioria de nossos males físicos, são produzidos pela mente. Cientistas da área da saúde comprovam que os pensamentos e sentimentos negativos enfraquecem o sistema imunológico, e conseqüentemente surgem as doenças psicossomáticas. Hoje, mais do que nunca, somos influenciados pela agitação e por mil e uma teorias e crenças do mundo moderno. Inúmeras vezes, nossa mente é contagiada por sentimentos e emoções perturbadoras, que afetam nossa saúde física e mental. Portanto, para se chegar à qualidade de vida, que todos nós desejamos, é preciso tratar o ser humano como um todo: corpo, mente e espírito. A cura só é completa, quando vem do interior da pessoa, onde se encontram os sentimentos e emoções perturbadoras, que são a causa do mal estar, ou da doença. Segundo a famosa escritora e psicóloga americana Louise Hay, todas as

doenças que temos são criadas por nós. Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo. “Todo mal é gerado num estado de não-perdão”, diz a escritora. E acrescenta ela: “Sempre que ficamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar.” Os sentimentos e emoções que vivemos, quanto mais fortes, mais se gravam no subconsciente, produzindo substâncias químicas, que influenciam a qualidade de vida do ser humano, pois podem gerar saúde, bem estar, ou doenças, de acordo com a natureza dos pensamentos. QUE POSSO FAZER PARA MELHORAR? Os remédios mais indicados para quem busca uma boa qualidade de vida, em 1º.lugar, é mudar o pensamento – pense positivo sempre. Procure desintoxicar a mente dos sentimentos e emoções negativas, através do perdão, do desabafo, da compreensão. Fixe a atenção no lado positivo das pessoas e das coisas. Busque crescer na fé e na confiança em Deus e na sua capacidade. Com isso você diminui as preocupações e a ansiedade. Se a culpa, a mágoa, a depressão, o pânico... continuar machucando seu espírito, busque ajuda. Sozinho, nem sempre o ser humano consegue libertar-se das experiências negativas do

passado, que muitas vezes têm origem no ventre materno. Por mil e um motivos, uma mãe pode não querer estar grávida naquele momento e fica triste, com raiva, nervosa... e o feto capta as emoções da mãe, podendo pela vida a fora sentir raiva pelas atitudes da mãe, ou sentir-se culpado por ser motivo de sofrimento da mãe. Crianças rejeitadas, mal amadas, incompreendidas, violentadas, humilhadas... se tornam vítimas de programações negativas, que ficam gravadas no subconsciente e vão precisar de ajuda profissional, para se libertarem e poderem usufruir de boa qualidade de vida. Como terapeuta e Parapsicóloga Clínica, venho estudando e buscando alternativas para ajudar o ser humano a encontrar o caminho para se harmonizar e ter uma vida saudável e feliz. Para isso, criamos o ESPAÇO TERAPÊUTICO FREI MIGUEL. É um espaço preparado com muito amor, que reúne terapeutas especiais de diversas áreas, todos preparados para acolher e tratar com competência e muito carinho, a todos que nos procuram. Assim, no mesmo endereço, você vai encontrar: - atendimento parapsicológico - Hipnoterapia

-

Acupuntura Massoterapia Florais Aromoterapia Iogaterapia Ginática energética e terapêutica facial Reiki Meditação e terapia em grupo Iridologia Cursos e Palestras

Por que o nome? Em homenagem ao saudoso Frei Miguel, que foi sem dúvida um grande terapeuta – diariamente passava horas ouvindo, orientando, consolando... as pessoas que buscavam junto dele, a solução para os mais variados problemas. Marcar sua consulta pelos fones: (41) 3024-8513 / (41) 9706-1086 (41) 9117-0869 Rua Pedro Nogarolli, 120 – Mercês (próximo ao Parque Barigui e em frente ao páteo da Igreja Santa Luzia) Nelly Kirsten Terapêuta, Parapsicóloga e Hipnóloga Email: nellykirsten@gmail.com

>> Parapsicologia - nº 69

O poder da mente sobre o corpo São Francisco de Assis, Santa Rita de Cássia, Frei Pio, foram pessoas que apresentaram em seu corpo as marcas da paixão de Cristo – os estigmas. Não foram os únicos. Há mais de 300 casos documentados de cristãos que tiveram em seu corpo as “feridas de Cristo”. Os estigmas, no entanto, não são privilégio de católicos. Há também casos entre luteranos, batistas. Na verdade, os estigmas não são privilégio dos cristãos. Entre os muçulmanos também há casos em que o que estava na mente se reproduziu na pele. Nesse caso, é evidente que não foram as marcas do calvário de Cristo, mas as marcas que lembram os ferimentos de guerra que Maomé recebeu nas batalhas das quais participou. Há milhares de casos de mulheres grávidas que com suas emoções, desejos, acabaram produzindo marcas na pele dos filhos que estavam sendo gerados. É o caso de uma senhora que, desde o começo da gravidez, ficou muito impressionada com a imagem de um homem que só tinha uma orelha. “Estou com medo que esta crian-

12

ça venha a nascer com uma orelha só” disse ela ao médico que fazia o seu pré-natal. Por mais que seu médico tentasse tranqüiliza-la, durante toda a gravidez esse medo permaneceu presente. Chegou o dia do parto e a criança nasceu com a orelha direita perfeita. No lugar da orelha esquerda, no entanto, não havia nada, nem o orifício externo do canal auditivo. Na época da inquisição muita gente acabou queimada na fogueira por apresentar em seu corpo sinais como de unhadas, mordidas, erradamente interpretados como provas de possessão demoníaca. Todos esses fenômenos, sejam os estigmas ou muitas das marcas de nascença, são fenômenos de dermografia (do grego dermos = pele, grafia = escrita). Dermografia é o fenômeno paranormal em que se produzem sinais na pele, tais como letras, desenhos, estigmas. É resultado de autosugestão, somatização de uma idéia, sentimento ou imagem. A dermografia é a demonstração do poder da mente sobre o corpo. O cérebro im-

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

pressionado com uma idéia age sobre qualquer órgão, principalmente a pele. O fenômeno acontece também com os animais. Exemplo disso é o famoso caso estudado pelo Instituto Metapsíquico Internacional de Paris. Uma gata, grávida, à espreita de um rato, ficou horas num depósito, com os olhos fixos no local onde o rato deveria aparecer. Imediatamente acima estava o número 1921, inscrito em um saco de farinha. O filhote nasceu com o número 1921 marcado no peito. Os estigmas não são provas da santidade do estigmatizado, nem da intervenção divina. Se os estigmas viessem de Deus, Ele os colocaria no lugar certo. Os estigmas das mãos, por exemplo, estão em lugar errado, porque historicamente, os pregos foram colocados nos pulsos de Jesus, não na palma das mãos. Os estigmas, no entanto, aparecem na palma das mãos porque nas pinturas, nos crucifixos, nas imagens, é na palma das mãos que os pregos estão colocados. Quando um paranormal fica horas contemplan-

do uma imagem dessas está programando sua mente subconsciente. Os estigmas aparecem de acordo com o que está na mente. Da mesma forma acontece com muitas doenças, desenvolvidas no corpo após serem criadas na mente. Os pensamentos, a imaginação estão sempre programando o subconsciente. É preciso, portanto, alimentar a mente de forma positiva se queremos ter uma vida mais saudável em todos os aspectos.

Parapsicólogo Flávio Wozniack 3336-5896 9926-5464 Atendimento voluntario Paróquia das Mercês – 3335-5752 Aceita convites para palestras gratuitas.

janeiro/fevereiro/março.2014


Natal Festivo e Solidário com Jesus de 2013

Paz e Bem!!! Quero agradecer a Paróquia das Mercês, na pessoa do Frei Pedro Cesário Palma, e a todos os paroquianos que partilham com a Paróquia Nossa Senhora da Conceição roupas, alimentos, brinquedos e outras coisas mais. Durante este tempo que estive à frente da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, o projeto do Natal Festivo e Solidário, assistido pela Paróquia das Mercês foi um grande sucesso. Neste último ano de 2013, mais de 300 famílias e crianças foram beneficiadas pelo projeto, com o aumento de 200 cestas básicas e kits para 300. Sou grato ao Frei

Pedro por sua generosidade, fruto da solidariedade de seus paroquianos. Estou deixando a Paróquia Nossa Senhora da Conceição e assumindo uma nova missão, fora deste Paraná querido, em Santa Catarina, no Município de Agronômica, Paróquia Nossa Senhora do Caravággio, Diocese de Rio do Sul. Agradeço do fundo do coração ao Frei Pedro e a Paróquia das Mercês pela parceria. Acredito nas palavras de Jesus: "Todo gesto por menor que seja, ainda que apenas um copo de água, quando dado com fé e amor não fica sem recompensa aos olhos de Deus." Obrigado Frei Pedro, pela confiança que

depositou em mim nesta partilha de tantos anos da Paróquia das Mercês. Desejo de todo o coração que Deus cumule os Freis e os Paroquianos da Paróquia N. Sra. das Mercês com muitas bênçãos e graças. Mais uma vez muito obrigado!

O Centro Social Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, da Paróquia nossa Senhora da Luz (na CIC), agradece a Paróquia Nossa Senhora das Mercês pela grande ajuda que nos prestou durante o ano de 2013, com doações mensais de roupas, calçados, alimentação e a partilha do dízimo, que fez a diferença nos trabalhos e atividades sociais junto às famílias em situação de vulnerabilidade social de nossa Paróquia.

Muito obrigado aos benfeitores da Campanha do Natal Solidário com Jesus da Paróquia N.S. das Mercês por este gesto de generosidade, que beneficiou as famílias de nossas comunidades, Nossa Senhora de Lourdes, São Pedro, São Cristóvão, Sagrada Família, Nossa Senhora Aparecida, São V icente, Arroio, Vila Verde e Matriz assistidas pelo Centro Social.

O nosso sincero agradecimento ao Frei Pedro Cesário Palma e toda equipe da Paróquia N.S. das Mercês, pela ajuda recebida de cestas básicas, brinquedos, doces, roupas (kits) e a festinha no dia da entrega dos donativos. Que Deus abençoe muito, a todos vocês!

janeiro/fevereiro/março.2014

Frei José Reimi Pereira Martins Paróquia N.S. da Conceição - Almirante Tamandaré

Ir. Evanir Turra Coordenadora da Ação Social Paróquia N.Sra. da Luz - CIC

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

13


Uma Vida de Dedicação! Nossa mãe, Maria Inês Karam Salata, nasceu em Curitiba, aos 20 de janeiro de 1942, filha de Jovina de Oliveira Karam e Elias Karam. Tinha três irmãs e três irmãos. Faleceu aos dois de janeiro deste ano 2014. Fez os primeiros estudos na Escola de "Dona Branca", transferindo-se, no quarto ano, para o Colégio da Divina Providência no qual concluiu o ginasial. No Educação Familiar do Paraná, cursou o secundário. No 36º Congresso Eucarístico Internacional, no Rio de Janeiro, em 1955, conheceu José Leonardo Salata, aquele que seria seu inseparável companheiro por 54 anos e meio, falecido em maio de 2013. Casaram-se aos 30 de dezembro de 1958 e construíram um canal de comunicação calcado na ternura, nos gestos pequenos sempre tonificados pelo amor compreensivo e constante. Tiveram quatro filhos: Maria José, José Luiz, Carlos Henrique e Francisco Manuel. Em 1986, a família aumentou com os casamentos de José Luiz e Dilma (fevereiro) e Carlos Henrique e Juciley (dezembro). Já o nascimento dos netos, Mariana (1989) e Rodrigo (1994), proporcionou momentos de grande alegria, sendo que a convivência com eles a revigorava. Com quatro filhos, ela resolveu dedicar-se exclusivamente ao lar. No seu dia a dia, soube ser redoma protetora, todavia, deixou também que nós, sementes germinadas, pudéssemos crescer e enfrentar as tribulações da vida. Ressaltamos o ensinamento maior: tudo precisa ser feito com amor. Lembramos ainda dos gestos simples e desapegados, do desvelo diuturno do zelar, dos afagos e carícias, do educar, corrigir e encaminhar - apenas algumas características da maternidade responsável. Dinâmica, foi dona de casa caprichosa. Exímia cozinheira, seu prazer era preparar os pratos favoritos do marido, filhos, noras, netos, familiares e ami-

gos. Apreciava trocar receitas e receber visitas. Tinha uma personalidade forte, sempre defendia o seu ponto de vista, mas um coração imenso para atender o próximo. Enfrentava as dificuldades com muita coragem, jamais desanimava, nem mesmo quando foram diagnosticados a hipertensão pulmonar (2002) - que a deixou dependente de oxigênio - e o câncer no pâncreas em agosto do ano passado. Bastante extrovertida, cultivou inúmeras amizades conquistadas nas reuniões familiares, nos movimentos da igreja de que participava, nas festas que frequentava, nas viagens que realizava e no bairro em que residia. Com uma memória invejável, lembrava-se com precisão de datas ligadas ao natalício, ao casamento e ao falecimento de familiares e amigos. Todos os dias pela manhã, consultava sua agenda telefônica para contatar com quem aniversariava. Gostava de festas e de fazer as pessoas felizes, por isso sempre preparava os almoços aos domin-

gos, os aniversários e as datas comemorativas (Natal, Ano Novo, Páscoa etc.) com desvelo. Entre os seus principais hobbies estavam: as leituras de revistas católicas, as viagens, a natação, a hidroginástica, o bordado e os passeios realizados com a Pastoral da Pessoa Idosa da Paróquia. Orava logo ao amanhecer e à noite por seus familiares, amigos, conhecidos e pelos mais necessitados. Devota de Nossa Senhora, rezava o terço todos os dias e tinha em seu quarto um altar dedicado a ela. Ensinou muitas pessoas a cultivar a religiosidade. Frequentava as missas na Paróquia de Nossa Senhora das Mercês e nela desenvolveu diversas atividades ao longo dos anos: membro auxiliar da Legião de Maria; membro do Apostolado da Oração; catequista; coordenadora da Capelinha do setor "N"; participou de encontros promovidos pela Pastoral da Pessoa Idosa; ministrou inúmeros Cursos de Batismo e colaborou com artigos para o jornal O Capuchinho. Mesmo quando já não podia sair de casa, assistia a diversas programações católicas pela televisão. Agradecemos a Deus pelos 71 anos de vida de nossa mãe. Agradecemos a cada um que contribuiu com orações, carinho e apoio nos momentos difíceis em que ela esteve hospitalizada e por ocasião do seu passamento. Nossa mãe, em sua trajetória, prezou pela simplicidade, pela religiosidade e pela dedicação à família e ao próximo. Agradecemos a ela pelas muitas lições de paz, amor, perseverança, determinação e, nas horas difíceis, pelo belíssimo exemplo de fé e confiança em Deus. "Não morre quem faz o bem, pois fica vivendo na lembrança e no coração de alguém." Seus fihos, Maria José, José Luiz, Carlos Henrique e Francisco Manuel

Paixão - Namoro - Amor - Casamento O amor é um sentimento que faz duas pessoas crescerem juntas (Roberto Shinyashiki) "Amor é fogo que arde sem se ver É ferida que dói sem se sentir É um contentamento descontente É uma dor sem doer "

(Luiz de Camões)

A vida não é um parque de diversões. Tudo começa como um conto de fadas... "e aí viveram felizes para sempre". Mas a vida de casado é uma outra realidade: vem a rotina, os filhos, os parentes, o trabalho e a crise. O hábito de conversar em um clima de parceria é uma boa solução, pois assim o amor se realimenta. Mas nem sempre esse hábito existe, porque o sonho insiste em cobrir a realidade. Cada um dos cônjuges tem seus conceitos e expectativas e assim as brigas e desentendimentos começam a acontecer. Discussões, excesso de intolerância - até que um dia um se cala e aguenta (o famoso "engolir sapo"). Aí vêm o descontentamento, e então o afastamento e o desamor. Fica difícil compreender o(a) parceiro(a) - e aquele que amamos e que queremos amar para toda a vida, nos parece um estranho. Uma conversa isenta pode ser a solução: uma ajuda externa, especializada, pode reatar a relação e (melhorar a) realidade, com argumentos lógicos e muitas vezes até simples, que para o casal fica difícil de ver no auge das discussões. A fé, a compreensão o diálogo sobre as causas do conflito podem eliminar as reclamações e as frustrações. Não podemos esquecer que nos casais os parceiros

14

preventiva como corretiva. Sempre lembrando que os problemas serão solucionados no âmbito do casal. Problemas que são geradores de atritos na vida a dois: a) falta de diálogo b) problemas financeiros c) divergência na educação dos filhos d) traição (falta de confiança) e) descontentamento sexual Busque ajuda! Não deixe um sonho real se tornar uma história feia. Uma competente terapia pode ajustar essas diferenças. Basta o Príncipe e a Princesa quererem... Não espere o conflito explodir, aja na prevenção e na solução. É possível ser feliz - não como num conto de fadas - mas na vida real de cada um, com rotinas, louças para lavar, contas para pagar e filhos para educar... e com amor para amar. Se a lenda diz que "nascemos um para o outro", torne isso realidade! SEJAM FELIZES!

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

às vezes têm conceitos diferentes de vida e que só a convivência direta poderá ajustar esse (esses conceitos e o) "amor". Uma boa conversa com seu tutor espiritual pode ser a solução. Ou então uma terapia de casal (ou de família) pode ajudar a facilitar essa comunicação. Tanto de forma

Jorge Brittes Psicólogo da Equipe SOS Mercês

janeiro/fevereiro/março.2014


FATOS DA VIDA PAROQUIAL >> ACONTECEU

Boas vindas aos novos dizimistas do mês dezembro/13 e janeiro/14 José Wanderlei Resende, Ademari Bruna Lopes da Silva, Alba Aparecida Folle, Simone Gugelmin de Oliveira, Julianny da Silva Przybycien, Nilcelia de Jesus Clug, Claudete Olivo, Ivani Barbosa dos Santos, Eneas Munir Suchaski, Cecília Piazza, Rita de Cassia Milagres Conde, Luiz Carlos dos Anjos, Terezinha V. Silveira, Carlos Augusto Moro, Fabiano Soltoski, Rodrigo Rodrigues de Farias, Maria Leocádia Henrich da Rosa, Vania Danieli Lourenço Alves, Waldir Roberto Fernandes Luiz, Cleide Maria Lisboa, Mércia Maria Pinto Santos, Daniele Brychta, Romildo Desorge, Eveline Thiem Martinelli, Gertrudes Burigo, Celso Augusto Maciel Ribas, Mirian Cristina Ribeiro, Lucas de Oliveira Echevenguá, Deivis Jean Schlatter, Mauro Moreton Filho, Cássio Renato Woiciekowski, Hamilton Casarin, Flávia Carneiro de Almeida.

Frei Pedro lança seu segundo livro: Pedras no Caminho - Como lidar com as adversidades da vida Depois de lançar seu primeiro livro "O CAMINHO - Princípios para uma vida feliz", Frei Pedro nos presenteia com seu segundo livro PEDRAS NO CAMINHO - Como lidar com as adversidades da vida. As páginas deste livro nos convidam a uma profunda reflexão sobre os percalços da nossa vida. Dos incontáveis reveses que estamos sujeitos em nosso caminhar, foram selecionados cinco, tanto comuns quanto difíceis de serem superados. Frei Pedro discorreu com habilidade e lucidez cada um dos temas, sua forma suave e clara de escrever, sua criatividade, seu poder de síntese primando por ficar com o essencial, sem divagações, facilita a leitura e a faz fluir de forma agradável. O lançamento foi nos dias 08 e 09 de fevereiro na Paróquia das Mercês no final das missas. Frei Pedro recebeu seus leitores e distribuiu autógrafos. Seus livros encontram-se à venda na Secretaria Paroquial.

janeiro/fevereiro/março.2014

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

15


Um dia para receber a bênção dos Freis Capuchinhos A primeira sexta-feira este ano foi no dia 03 de janeiro de 2014 e como sempre os Freis Capuchinhos das Mercês dedicam este dia às bênçãos de veículos, pessoas e objetos. Neste dia contamos com a colaboração de mais de 30 freis capuchinhos vindos das Fraternidades de Ponta Grossa, Londrina, Joinville, Butiatuba, Convento e Paróquia N.S. das Mercês, Cúria Provincial e Custódia do Paraguai. Receberam a bênção em torno de 35.000 veículos nas ruas, e mais pessoas e objetos no interior da Igreja. A Diretran é presença fundamental neste dia, e como já tem feito há alguns anos, presta-nos os seus serviços com seriedade, comprometimento e responsabilidade. Também contamos com a participação de grupo de escoteiros e voluntários da comunidade, a todos manifestamos nossa gratidão e estima. A imprensa também esteve presente desde o início ao fim deste dia, mostrando em tempo real pelos canais de televisão, a bênção dos freis capuchinhos das Mercês. A novidade, este ano, foi a presença da equipe de produção do programa AutoEsporte que preparou um vídeo mostrando os freis abençoando os veículos, o programa foi ao ar no dia 12 de janeiro, confira acessando o link http://globotv.globo.com/rede-globo/autoesporte/t/todosos-videos/v/veiculos-sao-abencoados-no-comeco-do-ano/3088235/

16

Boletim Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Mercês

janeiro/fevereiro/março.2014


Ocapuchinho marco2014