Page 1

RECONHECIMENTO

Santa Casa é referência em combate ao câncer Instituição integra nova classificação do Ministério da Saúde Página 26


Sumário 5

ARTIGO

6

CARREIRA

9

ALIMENTAÇÃO

Santas Casas estão asfixiadas

Instituição incentiva ascensão profissional de colaboradores

Dr. Humberto Gomes de Melo Provedor

Nada menos que 22,7% dos brasileiros são hipertensos

Dr. Artur Gomes Neto Diretor-médico

10

PESQUISA

11

NUTRIÇÃO

12 13

Dr. Paulo de Lira

Brasileiro ingere o dobro de sal recomendado

Produtos industrializados devem ser substituídos por naturais

ARTIGO "O sagrado direito de morrer"

SEXO Metade dos homens teve, tem ou terá disfunção erétil

14

EXAME

16

EM ESTÁGIO TERMINAL

Ultrassom com doppler colorido das carótidas pode prevenir AVC

Pacientes já podem opinar sobre os cuidados paliativos

18 GESTÃO DE PESSOAS Santa Casa investe R$ 2,8 mi em benefício dos colaboradores

19 EM ALAGOAS

Complexo hospitalar implanta Plano de Cargos e Carreiras

Diretor administrativo/financeiro

21 22 23

ARTIGO

Duílio Marsiglia

Infarto agudo do miocárdio em hipertensos

Euclides Ferreira de Lima

“DERRAME CEREBRAL” "A melhor forma de evitar o AVC é conhecê-lo", diz especialista

ALERTA! “Derrame” já atinge jovens e adolescentes entre 15 e 34 anos

24

HIPERIDROSE

26

CÂNCER

Cirurgia em AL livra mais de 2 mil pacientes da sudorese excessiva

Giovani A. C. Albuquerque Ivone dos Santos João Augusto Sobrinho José Peixoto dos Santos Marcos Davi Lemos de Melo Milton Hênio de Gouveia eto Cônego João José de Santana Neto Mesa Administrativa

Antonio Noya Santa Casa integra grupo de 94 centros de excelência

27 ENVELHECIMENTO ATIVO Curso promove qualidade de vida entre pessoas acima dos 60

28

Francisco de Assis Gonçalves

Assessor de comunicação 44 MTE/AL

Theodomiro Jr. Jornalista 535 MTE/AL

Sílvio Romero Fotografia e arquivo

AUTOMEDICAÇÃO Intoxicação medicamentosa provoca 1/3 dos óbitos no País

Revista produzida pela Assessoria de Comunicação da

20 ARTIGO

Cálcio e Vitamina D fazem falta

4

30

ARTIGO

aceió Santa Casa de Misericórdia de Maceió

Saúde continua sendo o “calcanhar de Aquiles” dos governantes

Tiragem: 10 mil exemplares

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


ARTIGO

Santas Casas estão asfixiadas despeito do imenso problema social

A

são especial da Comissão de Seguridade

que causará e do caos que provo-

Social e Família da Câmara dos Deputados,

O simples exame dos custos dos servi-

cará no Sistema Único de Saúde

que discutiu o problema. Em contrapartida,

ços prestados pelas entidades filantrópi-

(SUS), um eventual colapso das Santas

aumentou a participação dos hospitais

cas ao SUS em 2011 e da receita com os

Casas e dos hospitais filantrópicos, decor-

públicos e dos privados não-lucrativos para,

serviços prestados não deixa dúvidas quan-

rente de dificuldades financeiras crescen-

respectivamente, 45,0% e 44,8%.

to à causa do crescimento da dívida. Em 2011,

não foram divulgados).

tes, não surpreenderá quem acompanha a

Hoje, as Santas Casas e os hospitais

essas entidades gastaram R$ 14,7 bilhões

situação da saúde pública no País. Trata-se

filantrópicos têm a mesma importância dos

com os serviços, mas sua remuneração,

de um problema antigo, de causas perfei-

hospitais públicos no atendimento aos

pelo SUS, ficou em R$ 9,6 bilhões. Isso

tamente diagnosticadas, e que se agrava a

pacientes do SUS. Os dados recentes mos-

quer dizer que o pagamento do SUS cobre

cada dia, mas para o qual as autoridades

tram também o que poderia acontecer no

apenas 65% dos gastos desses hospitais.

responsáveis - em boa parte por comodis-

sistema público de saúde caso as Santas Casas

Só em 2011 (não há dados para 2012), o

mo - não deram e continuam a não dar a

deixassem de operar por absoluta incapa-

déficit foi de R$ 5,1 bilhões. A defasagem

de pagar, caso os problemas se agravem a ponto de a situação se tornar insustentável num futuro próximo, certamente será maior do que o custo de uma solução racional, que ainda é possível adotar. A Constituição estabeleceu que a saúde é um direito fundamental do cidadão e, para garanti-lo, sem dispor de estrutura própria suficiente para isso, o Estado brasileiro estabeleceu o que deveria ser uma parceria com as instituições filantrópicas. Estas responderam bem à proposta de par-

Hoje, as Santas Casas e os hospitais filantrópicos têm a mesma importância dos hospitais públicos no atendimento aos pacientes do SUS

atenção que merece. O preço que o País terá

cidade financeira.

é maior para procedimentos considerados de média complexidade. Reportagem do jornal O Globo (10/2) mostra que, sem recursos financeiros, hospitais têm adiado cirurgias, enfrentam ameaças de greve, carecem de materiais e chegam a suspender suas operações. Essenciais para o SUS, as Santas Casas são insubstituíveis em muitas comunidades. Do total de 2,1 mil estabelecimentos hospitalares sem fins lucrativos, 56% estão em cidades com até 30 mil habitantes e são o único hospital em quase mil cidades.

A crise nas finanças das Santas Casas é

Evitar o agravamento de sua crise

conhecida há vários anos, e, sem medidas ade-

exige o reajuste imediato da tabela de

Em 2004, por exemplo, os hospitais

quadas por parte dos responsáveis pelos pro-

pagamento do SUS para cerca de cem

públicos respondiam por 41,4% das inter-

gramas de saúde pública, só piora. Em 2005,

procedimentos, mas, até agora, não há

nações pelo SUS, os hospitais privados sem

a dívida dessas instituições era estimada em

previsão do governo para a correção des-

fins lucrativos (Santas Casas e instituições

R$ 1,8 bilhão, em 2009 saltou para R$ 5,9

ses valores, reconheceu o secretário de

filantrópicas) por 39,9% e os privados lucra-

bilhões e, em 2011, alcançou R$ 11,2 bilhões,

Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães. O

tivos, por 18,7%. Por causa da remunera-

de acordo com o relatório da subcomissão

governo abriu uma linha de crédito no

ção inadequada dos serviços, os hospitais

formada na Câmara dos Deputados. Mantido

BNDES para esses hospitais, mas, já muito

particulares reduziram sua participação para

o ritmo de crescimento anual desse período,

endividados, eles temem contrair novas

10,2% do total das internações em 2011,

de cerca de 35% ao ano em valores nomi-

dívidas. Sua saúde financeira aproxima-

de acordo com dados do Ministério da

nais, deve ter alcançado R$ 15 bilhões no fim

se do ponto crítico.

Saúde utilizados no relatório da subcomis-

do ano passado (os dados consolidados ainda

ceria e, por isso, sua presença nas operações do SUS é cada vez maior.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

Fonte: O Estado de S.Paulo - 18/02/2013

5


CARREIRA

Instituição incentiva ascensão profissional de colaboradores Bate-papo com o provedor reúne equipe da Unidade de Internação

O

6

primeiro encontro de 2013 do pro-

radores da Unidade de Internação reunidos

jeto Bate-papo com o Provedor re-

em seu gabinete.

Rejane Paixão, gerente da Unidade de Internação, frisa que sua equipe possui vários

velou como é possível crescer

"Ao longo de todos esses anos vejo que

exemplos de pessoas que se empenharam

profissionalmente em um ambiente corpo-

não apenas vesti a camisa da Santa Casa de

em crescer dentro da instituição por meio de

rativo, independentemente da função para

Maceió, mas tatuei seus princípios na pele.

estudos e da dedicação ao trabalho, o que

a qual se foi contratado.

Hoje, mesmo que eu deixe a instituição,

resultou no aprimoramento profissional e

O provedor da Santa Casa de Maceió,

levarei na minha bagagem profissional tudo

na promoção para funções chaves. "No final,

Humberto Gomes de Melo, considerou ver-

o que aprendi aqui", resumiu Jonathan Braz,

quem se beneficia dos valores dessa equipe

dadeiros "presentes" os relatos dos colabo-

supervisor Administrativo.

é o nosso paciente", concluiu.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


De segurança a supervisor O supervisor da Emergência 24 Horas,

EDUCAÇÃO CONTINUADA

Maurício Vilela, ingressou na Santa Casa de

A enfermeira Isabelle Cristine ingres-

Maceió, em 2000, como segurança patri-

sou na Santa Casa de Maceió por meio

monial. Devido a sua capacidade de comu-

do estágio extracurricular. Foi uma das

nicação, pouco tempo depois foi chamado

cinco selecionadas para o cargo de enfer-

para atuar como recepcionista da Unidade

meira em um universo de 15 concorrentes.

de Internação. Promovido a assistente admi-

Pouco tempo depois de contratada, já era

nistrativo, assumiu o Caixa da Emergência

líder do Instituto da Mulher; depois, da

24 Horas e, em seguida, a Recepção da

Pediatria; e, em seguida, da Unidade João

Internação.

Fireman. Maurício Vilela

Os gerentes da unidade viram em Mau-

Recentemente, uma oportunidade de

rício Vilela potencial e compromisso para

ouro surgiu para a educação continuada de

alçar um voo ainda maior. Foi promovido a

Isabelle Cristine. Um curso de especializa-

fosse a Santa Casa, não teria acesso a esse

supervisor da Internação, onde permaneceu

ção promovido pela Universidade Federal

curso", comemorou.

por quatro anos, e hoje responde pela

de Santa Catarina, em conjunto com o Mi-

Para finalizar, Isabelle se diz orgulhosa

Supervisão da Emergência 24 Horas.

nistério da Saúde, disponibilizou vagas pa-

com o seu trabalho. "Já recebemos a pre-

Indagado sobre qual o segredo para crescer

ra um grupo restrito de hospitais brasilei-

sença de colegas de outros estados, inclusi-

profissionalmente, respondeu: "É preciso

ros, entre eles a Santa Casa de Maceió. Da

ve instrutoras de cursos, que se mostraram im-

gostar do que se faz e fazer com empenho",

instituição alagoana, apenas Isabelle e ou-

pressionadas com a estrutura e as rotinas da

resumiu.

tras duas enfermeiras se inscreveram. "Não

Santa Casa de Maceió", destacou.

Santa Casa em família Alex Sandro Alves trabalha há 18 anos

Emergência 24 horas. Olho no olho, pala-

na Santa Casa de Maceió. Ingressou na

vras sob palavras e uma empatia recípro-

instituição como recepcionista da Emer-

ca aproximaram o casal. Foi amor à pri-

gência 24 Horas e foi nesta função, e por

meira vista.

causa dela, que sua vida deu uma guina-

Seis meses após o encontro, os dois

da que a modificou por inteiro até hoje.

entrariam na Capela da instituição para

Alex Sandro estava prestes a ser

celebrar o enlace matrimonial. O fruto dessa

transferido para o Faturamento da Emer-

união, que completa agora 14 anos, nas-

gência 24 Horas, onde trabalharia como

ceu - obviamente - na maternidade da

faturista durante os 15 anos seguintes.

Santa Casa de Maceió. Como se vê, no

Antes da mudança, Alex conheceu uma

caso de Alex Sandro e sua família, o vín-

colega da Santa Casa de Maceió, que

culo com a instituição foi muito - muito

aguardava atendimento na recepção da

- além da carteira de trabalho.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

Alex Sandro Alves

7


De higienizador a coordenador Para muitos colaboradores, a Santa

res que hoje são sustentáculos da insti-

Casa de Maceió foi o primeiro e único

tuição. Da equipe de higienização, Romual-

emprego, ou seja, aquilo que os jovens

do passou a recepcionista, foi promovi-

tanto almejam: a primeira oportunidade de

do a assistente administrativo e, depois

ingresso no mercado de trabalho.

de muito trabalho, estudos e empenho,

Há 19 anos, o colaborador Romualdo

passou a supervisor da Unidade de

Barbosa tinha sua carteira de trabalho assi-

Internação, até recentemente chegar à

nada. Ele integrava a equipe de higieniza-

Coordenação da Hotelaria.

ção, função importantíssima em qualquer

"Nunca busquei ser promovido ou

unidade hospitalar. Atualmente ocupa o

criei situações para tal. Em todas essas

cargo de coordenador da Hotelaria. Para

ocasiões sempre fui convidado, o que

se ter uma ideia do que significa esse

me deixa orgulhoso porque é o reco-

posto, acima dos coordenadores estão ape-

Romualdo Barbosa

Romualdo, que admite não se imagi-

nas os gerentes, os diretores e o provedor da instituição, que equivale ao cargo de presidente.

nhecimento do meu trabalho", diz

O caminho trilhado por Romualdo assemelha-se ao de muitos colaborado-

nar fora da Santa Casa enquanto profissional.

Perseverança é o segredo do sucesso O colaborador Jonathan Braz vivia

na para supervisor, Jonathan se inscre-

duas realidades distintas na Santa Casa

veu, mas não foi escolhido. O que

de Maceió: em determinado horário

poderia ser um forte motivo desesti-

era recepcionista da instituição; no

mulador, tornou-se aprendizado para

outro, cursava a Faculdade de Mar-

ele.

keting. "Lembro que algumas pessoas

Jonathan seguiu em frente e fez pós-

perguntavam: - Você se formou em

graduação em Administração Hospitalar.

Markerting e vai continuar como recep-

Não tardou, a Santa Casa abriu seleção

cionista? A resposta era simples: Mas

interna para supervisor administrativo

é claro!".

da Unidade de Internação e quem foi

Tempos depois, Jonathan Braz era

escolhido? Jonathan Braz, agora mais

promovido a assistente administrativo,

preparado e maduro para assumir a nova

período em que se envolveu com o

missão. "Fui visto pela instituição porque corri atrás, porque fiz meu trabalho

complexo processo da Acreditação do hospital. Ao surgir uma seleção inter-

8

Jonathan Braz

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

com dedicação", destacou.


ALIMENTAÇÃO

Nada menos que 22,7% dos brasileiros são hipertensos

E

nquete recente realizada pelo

e óbitos no Brasil e no mundo. "O sódio

Ministério da Saúde revela que

é responsável pela regulação da quantidade

22,7% dos brasileiros já receberam

de líquidos que ficam dentro e fora das célu-

diagnóstico de hipertensão. Entre outros

las”. Quando há excesso dessa substân-

fatores, a doença é provocada, também,

cia, diz Rodrigo Peixoto, “ocorre um

pelo consumo excessivo de sal.

aumento no volume desses líquidos". O

De acordo com o nefrologista Rodrigo

organismo retém mais água, o que aumen-

Peixoto Campos, apesar de o sódio contribuir

ta o volume sanguíneo, sobrecarregando

para o bom funcionamento do organismo,

o coração e os rins, o que pode levar à

o consumo abusivo de sal pode trazer

hipertensão. Em linhas gerais, a pressão alta

sérios problemas à saúde. O excesso de sódio,

Nefrologista Rodrigo Peixoto

prejudica a flexibilidade das artérias e ataca a parede dos vasos sanguíneos, levando a

principal componente do sal de cozinha, está associado ao desenvolvimento da

vasculares, renais, entre outras, conside-

problemas no coração, nos rins e no cére-

hipertensão arterial, de doenças cardio-

radas as primeiras causas de internações

bro.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

9


PESQUISA

Brasileiro ingere o dobro de sal recomendado Consumidor deve estar atento à quantidade de sódio presente em produtos industrializados

M

acarrão instantâneo, biscoitos,

pela Agência Nacional de Vigilância

neo, os embutidos (mortadela, presuntos)

queijo parmesão, azeitona, picles

Sanitária (Anvisa) mostrou que a popula-

e os biscoitos de polvilho. Vale destacar

em conserva, molho shoyo, piz-

ção brasileira consome duas vezes mais sal

que o queijo ricota, muito consumido em

za, refrigerantes sem adição de açúcar, quei-

em relação à quantidade recomendada e,

dietas, também apresentou altas variações de sódio entre as marcas avaliadas.

jos, pratos prontos... Enfim, quem rejeita algumas dessas delícias na hora do lanche

SAL E SÓDIO

ou nas refeições do dia-a-dia? O problema - comum a todo produto

Ainda de acordo com a Anvisa, os ali-

industrializado, sendo alguns mais, outros

mentos industrializados representam 20%

menos - é que o sal (leia-se cloreto de

da dieta alimentar no País. O brasileiro con-

sódio) é um dos principais elementos con-

some, em média, 11,75 gramas de sal e 4,7

servantes. Outro problema, acrescenta a

gramas de sódio, quando o recomendado

médica nutróloga Eline de Almeida Soriano, é o total de sódio consumido ao longo do

é cinco gramas e duas gramas, respectivamente. "O valor é quase o dobro do reco-

dia, ou seja, o somatório do sal utilizado

claro, grande parte vem dos alimentos

mendado pela Organização Mundial da

no preparo dos pratos em casa com o sal

industrializados. A pesquisa mostra que os

Saúde (OMS). O sódio representa, aproxi-

presente nos alimentos industrializados.

campeões em alto teor de sódio são o quei-

madamente, 40% da composição do sal",

jo parmesão ralado, o macarrão instantâ-

explicou a nutróloga Eline Soriano.

Mês passado, uma pesquisa divulgada

10

Nutróloga Eline Soriano

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


NUTRIÇÃO

Produtos industrializados devem ser substituídos por naturais e acordo com a nutricionista

D

natural e gordura. Evitar álcool e cigarro,

Socorro Lira, a hipertensão arte-

além de praticar atividade física regular-

rial é multifatorial e o consumo de

mente, são as demais dicas para se ter uma

certos alimentos em excesso, o sedentaris-

vida saudável. "É importante, também, con-

mo, o tabagismo e a obesidade podem

sultar um médico regularmente e monito-

agravar ou levar o indivíduo a ter doenças

rar periodicamente sua saúde com exames,

crônicas degenerativas mais precocemente.

principalmente quem tem histórico de

"Deve-se evitar o consumo de produ-

hipertensão e doenças cardiovasculares na família", acrescenta.

tos industrializados. Opte por aqueles naturais e dê preferência aos temperos naturais,

Nutricionista Socorro Lira

de se monitorar o estresse, problema que

como manjericão, orégano, salsinha, cebolinha, além de alimentos e cereais integrais", orienta.

Para finalizar, ela lembra a importância

Outra dica da nutricionista é evitar o consumo excessivo de alimentos ricos em sal

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

também traz desequilíbrio ao organismo e contribui para o surgimento de doenças.

11


ARTIGO

"O sagrado direito de morrer" José J. Camargo

A

morena bonita com o belo sorriso que ilustrou os jornais de todo o mundo na discussão italiana sobre o direito de mor-

rer não existia mais há muito tempo. A jovem de 21 anos que sofrera o trágico acidente naquele verão de 92 já não sorria, não reconhecia ninguém, nem respirava por conta pró-

te é obrigado a conviver com seus dejetos. Por mais que a equipe de enfermagem se

taria tão mais quanto mais perfeitos fossem os

ras e escaras, que são áreas de necrose da

cuidados de sustentação médica disso que pare-

pele nos pontos de compressão dos ossos con-

cia tudo, menos vida, entrou na Justiça italia-

tra o colchão. A higiene pessoal de quem não

na com o pedido de cessação do atendimento

abre as mãos, não estende as articulações e man-

para cumprir a vontade da filha, que um dia,

tém uma contratura espástica das mandíbulas,

saudável e feliz, lhe manifestara o repúdio aos métodos irracionais de protelação da morte. Dez anos depois, numa decisão que só o

matérias na mídia mundial fossem ilustradas

ministro Berlusconi seria capaz de considerar

por fotos de um passado morto. Para a famí-

precipitada, a Suprema Corte italiana autori-

lia, essas imagens só existiam em porta-retratos

zou a ortotanásia, ou seja, a interrupção do supor-

e na dolorosa parede da memória.

te artificial da vida.

Em estado vegetativo, era um ser inerte,

Essas discussões, que comoveram a Itália

disforme e alienado. As contraturas e a atro-

e o mundo, têm a idade da moderna terapia inten-

fia muscular determinaram que todas as arti-

siva, uma das grandes conquistas da Medicina

culações ficassem deformadas e rígidas. O lindo

moderna, capaz de salvar pessoas condenadas

cabelo preto já não brilhava e fora cortado

à morte poucas décadas atrás, mas também,

bem curto, porque assim era mais fácil mantê-

em alguns traumatismos cranianos graves, de

lo razoavelmente limpo, apesar dos vômitos, das engolida, teimava em escorrer pelos lados da boca e a formar poças atrás da nuca, na junção com o travesseiro de plástico. Os olhos amendoados na foto sorridente não tinham mais nenhuma expressão, vagavam perdidos na falta de horizontes e exigiam um cuidado constante porque a tendência de se manterem semiabertos e sem as piscadelas protetoras determinava uma conjuntivite crônica, com a presença permanente de crostas. Sem controle sobre os esfíncteres, não havia como evitar o uso de fraldas, que, nos últimos anos, foram ficando progressivamente maiores para que não extravasassem as fezes, que, diluídas pela urina, tendiam a escorrer para os lençóis. Na verdade, quanto mais perfeita a vedação das fraldas, mais o pacien-

12

çado, consciente de que esse martírio se arras-

esforce, é quase impossível evitar as assadu-

pria. Por isso, não me pareceu justo que as

regurgitações e da saliva, que, não sendo mais

Giuseppe, seu amado pai, sofrido e desesperan-

criar arremedos humanos suficientemente groMédico e professor José J. Camargo

é sempre incompleta e precária. Semanas depois do acidente, a intubação pela boca fora substituída por um orifício no

tescos para gerar em pais extremados o antes impensável sentimento da morte desejada.Todo o esforço da terapia intensiva na luta contra a morte só tem sentido se houver a chance de uma vida digna depois desse enfrentamento.

pescoço, através do qual uma cânula traqueal

As teses que apoiam a defesa incondicio-

era mantida conectada a um aparelho de res-

nal da vida, baseadas em sectários conceitos reli-

piração artificial 24 horas por dia. Outra sonda

giosos, precisam ser urgentemente recicladas de

fora introduzida no abdômen, diretamente no

racionalidade e compaixão. Considero que, neste

estômago, para alimentação, depois que se

caso, todas as opiniões contrárias são desres-

verificou que ela não tinha mais perspectivas

peitosas com o doloroso martírio do Giuseppe.

de voltar a mastigar nem de engolir.

Ou haverá um juiz mais imparcial do que um

Com essa lesão cerebral grave, que por

pai que conviveu com o conflito desses senti-

pouco não lhe provocou morte encefálica,

mentos durante 17 anos e que, exaurido pelo

Eluana Englaro fora acompanhada, com algu-

sofrimento, decidiu que a morte em vida é a mais

ma expectativa, durante seis meses, período duran-

indigna de todas as mortes?

te o qual as lesões neurológicas reversíveis se * Médico e professor universitário. Fonte:

recuperam. Não um, mas 14 semestres depois,

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

Jornal "Zero Hora" nº. 15880, 15/2/2009.


SEXO

Metade dos homens teve, tem ou terá disfunção erétil Problema na ereção do pênis pode ter origem psicológica ou bioquímica

U

m dos principais temores do homem é não conseguir manter o pênis ereto nas prévias que

antecedem o ato sexual. Para os homens, o assunto chega a ser um tabu, mas os números que cercam o tema dão a devida dimensão do que representa o problema. Um estudo realizado por pesquisadores de Boston (Massachusetts), apresentado na Associação Americana de Urologia, alerta que a metade dos homens já teve, tem ou terá disfunção erétil em algum momento da vida. A disfunção erétil ocorre quando o homem não consegue iniciar ou manter uma ereção

ambos", lembrou o médico Mário Ronalsa,

litadoras da ereção, drogas vasoativas inje-

durante o ato sexual.

urologista da Santa Casa de Maceió.

tadas no pênis antes do ato sexual e implan-

Na maioria dos casos, os sintomas apre-

No campo dos fatores orgânicos estão

sentam-se leves ou surgem ocasionalmen-

desde problemas hormonais até o consu-

Conforme lembra o urologista Mário

te, motivados por questões psicológicas,

mo de álcool e fumo, o excesso de gordu-

Ronalsa, pioneiro no implante peniano em

estresse ou preocupações de toda ordem,

ra no sangue ou de glicose (diabetes), trau-

Alagoas, as próteses são adotadas de acor-

sobretudo, financeiras. Mas, quando o pro-

mas na coluna, doenças neurológicas dege-

do com cada caso. Elas podem ser maleá-

blema aparece de forma recorrente, em sua

nerativas, sobrepeso, obesidade, sedentaris-

veis (manuseadas manualmente pelo

forma grave, o caminho do consultório

mo, dentre outros. No campo psicogênico

paciente) ou infláveis (com acionamento

médico torna-se imprescindível.

estão o estresse, a depressão e, por tabe-

por meio de toque em sensor subcutâneo

la, o uso de medicamentos antidepressivos

no escroto).

Para diagnosticar a origem do problema, o médico lança mão de uma cuidado-

e neurológicos.

te de discretas próteses penianas.

"Vale lembrar também que as drogas

sa anamnese, do exame físico e de exames

Diagnosticada a origem do problema,

que estimulam a ereção não têm o poder

laboratoriais. "Esses três recursos são neces-

o médico escolherá o tratamento mais ade-

de criar o desejo sexual. Nesses casos, pre-

sários, já que a disfunção erétil tem origem

quado. Conforme a classificação e o está-

cisamos encontrar os motivos pelos quais

multifatorial, podendo ser provocada por

gio da disfunção erétil, a literatura médica

a libido (desejo) do paciente está sendo

problemas orgânicos, psicogênicos ou

indica três opções de tratamento: drogas faci-

afetada", explicou Mário Ronalsa.

13


EXAME

Ultrassom com doppler colorido das carótidas pode prevenir AVC

S

egundo o Ministério da Saúde, cerca de 62.270 pessoas com menos de 45 anos morreram no País,

entre os anos 2000 e 2010, vítimas do Ultrassom

Acidente Vascular Cerebral (AVC), o popular derrame cerebral. Só pelo Sistema Único de Saúde (SUS), do início da déca-

Artéria carótida

da até setembro deste ano, nada menos que 200 mil pacientes nessa faixa etária foram internados na rede de hospitais do País. E mais: a cada três mortes por acidente cardiovascular, duas são por AVC e uma por infarto agudo do miocárdio. A questão levantada pela cardiolo-

Exame revela obstrução em artérias e pode reduzir casos de "derrame"

gista e ultrassonografista Janiffer Lacet Machado é que muitas vidas poderiam

a velocidade do fluxo sanguíneo, que re-

pacientes apresentarem alto índice de gor-

ser salvas se fosse realizada, de forma

vela se há obstruções antes, após ou na

dura no sangue ou queixa de desmaios ou

preventiva, a ultrassonografia com doppler

área examinada", explica Lacet.

tontura. O exame pode ainda ser solicita-

(ver ilustração). As artérias carótidas funcionam como um importante "canal" por onde passa o fluxo sanguíneo arterial do coração em direção ao cérebro. Com a obstrução, fechamento parcial ou presença de acúmulo de ateroma (placas de gordura ou tecido fibroso) nesse "corredor" há sérios riscos de ocorrer um AVC ou IAM, podendo o paciente vir a óbito ou ter sequelas. "Ao analisarmos a carótida, observamos vários aspectos, como a existência de

14

Com o auxílio do Doppler podemos avaliar a velocidade do fluxo sanguíneo, que revela se há obstruções antes, após ou na área examinada

colorido nas chamadas artérias carótidas

placas de ateroma (gordura) na artéria.

A especialista orienta que colegas

Com o auxílio do Doppler podemos avaliar

médicos solicitem esse exame quando seus

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

do em pacientes assintomáticos, onde pode ser observado, por exemplo, o sopro carotídeo. O exame é indolor, não-invasivo e realizado entre 20 e 30 minutos. A ultrassonografia é um método diagnóstico que aproveita o eco produzido pelo som para ver, em tempo real, as reflexões produzidas pelos órgãos e estruturas do organismo. A ultrassonografia com efeito doppler permite conhecer o sentido e a velocidade dos fluxos sanguíneos. Por não utilizar radiação ionizante, como na radiografia e na tomografia computadorizada, o exame é inócuo, além de ser de custo acessível.


Cardiologista e ultrassonografista Janiffer Lacet: prevenção contra o AVC

AVC: exame tem sido utilizado mais no tratamento do que em prevenção De cada dez pacientes da unidade

ultrassom de carótidas. "O paciente com

e aos médicos em geral que solicitem a ultras-

Diagnósticos Santa Casa que realizaram a

dislipidemia tem direito de saber se tem

sonografia com doppler colorido em arté-

ultrassonografia com doppler colorido nas

perfil para o exame, junto ao seu médico,

rias carótidas de forma preventiva", aler-

carótidas, sete fizeram o exame somente

sempre que os índices de gordura no san-

ta a especialista.

após o Acidente Vascular Cerebral (AVC),

gue estiverem altos e sejam frequentes",

ou seja, a ferramenta tem sido utilizada mais

alertou.

como apoio ao tratamento terapêutico do

Janiffer Lacet Machado relata que, em Paris (França), o exame integra a lista

O exame é coberto pelos planos de

de exames rotineiros disponíveis na rede

saúde, mas ainda é restrito na rede de

pública de saúde para todos os cidadãos

A cardiologista e ultrassonografista

atendimento do Sistema Único de Saúde

que precisam de atendimento hospitalar.

Janiffer Lacet Machado revela que isso

(SUS) de maneira eletiva, sendo realizado

"Acredito que, se investíssemos mais em

ocorre justamente pela falta de conheci-

apenas em pacientes internos. "De qual-

prevenção, muitas vidas seriam salvas",

mento entre os colegas sobre o método

quer forma, fica o alerta às equipes de PSF

enfatizou.

AVC do que para prevenir a patologia.

15


EM ESTÁGIO TERMINAL

Pacientes já podem opinar sobre os cuidados paliativos Resolução busca evitar sofrimentos desnecessários e qualidade de vida

Q

uem deve decidir sobre os cuida-

gerado bons frutos. Em seu Capítulo V, o

mente por aparelhos, resulta em sofrimen-

dos mais apropriados para o pacien-

Código de Ética informa que, "nos casos de

to excessivo tanto para o paciente quanto

te sem possibilidade de cura? A

doença incurável e terminal, deve o médico

para seus familiares. É o que conhecemos por

família, o médico, o hospital ou o paciente?

oferecer todos os cuidados paliativos dispo-

Distanásia", explica o geriatra David Costa

Segundo a Resolução 1.995, publicada este

níveis sem empreender ações diagnósticas

Buarque. Nesse contexto, segundo ele, o

ano pelo Conselho Federal de Medicina

ou terapêuticas inúteis ou obstinadas, levan-

Testamento Vital consiste no registro do

(CFM), tal decisão cabe ao paciente, junta-

do sempre em consideração a vontade

desejo do paciente sobre o uso de trata-

mente com o seu médico, no que se conven-

expressa do paciente ou, na sua impossibi-

mentos considerados invasivos ou dolorosos

cionou chamar Diretiva Antecipada de

lidade, a de seu representante legal".

quando não é mais possível a recuperação

Vontade (ou Testamento Vital).

"Nos casos de portadores de doença

Desde a elaboração do novo Código de

em estágio terminal, quando os limites orgâ-

Permitido apenas para maiores de 18 anos,

Ética Médica, em 2010, a discussão sobre

nicos foram atingidos e a cura não é possí-

o documento é facultativo e pode ser modi-

os cuidados paliativos tem-se ampliado e

vel, manter a vida forçadamente, especial-

ficado ou revogado em qualquer momento

Revista da Santa Casa de Maceió

16

da saúde.

www.santacasademaceio.com.br


Geriatra David Costa Buarque

Oncologista clínico Paulo Duprat

da vida do paciente, desde que o mesmo

necessários, é o que se denomina ortotaná-

esteja em pleno gozo de suas faculdades men-

sia", conceituou Buarque, que atua na Santa

"Os cuidados paliativos podem ocorrer

tais e responsável por seus atos diante da

Casa de Maceió como geriatra. O especia-

com o paciente internado ou não e buscam

Justiça. "O registro pode ser feito pelo médi-

lista faz questão de frisar, entretanto, que a

minimizar os sintomas da doença, entre eles

co no prontuário do paciente", explicou o

ortotanásia é completamente diferente da

a dor, o cansaço (dispnéia), problemas intes-

oncologista clínico da Santa Casa de Ma-

eutanásia.

tinais (prisão de ventre), insônia, entre ou-

paciente pode nomear um representante legal para garantir o cumprimento de seu desejo. A medida evita interferências externas na relação médico-paciente, principalmente da família, que, em muitos casos, opta por deixar o paciente aos cuidados do hospital. A partir de agora, o paciente pode escolher se permite a internação, a realização de cirurgias ou a adoção de procedimentos que causem desconforto, como a ventilação mecânica (entubação do paciente). O registro dessas vontades em prontuá-

Os cuidados paliativos são medidas que não impedem o processo de morte, mas que buscam, sobretudo, garantir o máximo possível de qualidade de vida ao paciente

ceió, Paulo Duprat. Se for necessário, o

ráveis", acrescentou.

tros", elencou Duprat, lembrando que hoje ao menos 30% dos pacientes da Oncologia na Santa Casa de Maceió estão sob cuidados paliativos. As medidas de alívio devem ser iniciadas o mais precocemente possível no contexto de uma doença incurável, devendo ser estendidas aos familiares, que também sofrem com o paciente. É fundamental o alívio físico, mas também o psicológico, o social e o espiritual. "Os cuidados paliativos são medidas que não impedem o processo de morte, mas que buscam, sobretudo, garantir o máximo

rio, quando forem comunicadas diretamen-

"A eutanásia é uma prática considera-

possível de qualidade de vida ao paciente",

te pelo paciente, prevalece sobre qualquer

da crime em nosso País e consiste em abre-

enfatizou Paulo Duprat. "Não se trata ape-

parecer não-médico e sobre o desejo da famí-

viar a vida do indivíduo portador de doen-

nas de permitir que o paciente tenha uma

lia ou de terceiros, respeitados os limites éti-

ça terminal", esclarece David Buarque. "Aqui

morte digna, mas de fazer com que ele viva

cos.

entramos com a ideia do que é o cuidado

bem e confortável até o último dia de sua

"O que se procura é não prolongar a vida

paliativo. Em última instância, são todas as

vida. O que envolve todos os profissionais

quando não há benefício algum em fazê-lo.

medidas de conforto oferecidas a pacientes

de saúde que lidam com o paciente", fina-

A morte a seu tempo, sem sofrimentos des-

portadores de doenças progressivas e incu-

lizou David Buarque.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

17


GESTÃO DE PESSOAS

Santa Casa investe R$ 2,8 mi em benefício dos colaboradores Instituição assume 80% do plano de saúde e custeia cursos e creche

A

Santa Casa de Maceió investiu, em 2012, mais de R$ 2,8 milhões em benefícios diretos e indiretos

aos seus 2.077 colaboradores. Conforme o gerente de Gestão de Pessoas, Sílvio Melo, no cálculo entram iniciativas como pagamento de 80% do plano de saúde dos colaboradores, entrega de cestas básicas dentro do Programa de Assiduidade da instituição, eventos de confraternização realizados ao longo do ano, investimentos em formação e capacitação na área de Treinamento e Desenvolvimento (T&D), ginástica laboral e atendimento na creche-

Sílvio Melo, gerente de Gestão de Pessoas da Santa Casa de Maceió

escola aos filhos dos colaboradores. ceria com o Sesi, vem investindo na saúde

cestas, o programa considera itens como pon-

PLANO DE SAÚDE

de seus profissionais por meio da chama-

tualidade e ausência de penalidades no

Atualmente, nada menos que 1.793

da ginástica laboral.

mês avaliado.

colaboradores se beneficiam com o pagamento de 80% do plano de saúde. Isso

T&D E CESTAS BÁSICAS

CRECHE-ESCOLA

quer dizer que, enquanto um usuário nor-

A Santa Casa investiu, ainda, em cur-

Com capacidade para atender 105

mal precisa desembolsar R$ 300 com o

sos de capacitação profissional, na partici-

crianças, de 0 a 6 anos, a creche São Vicente

seu plano de saúde, o colaborador da Santa

pação em congressos e em visitas técnicas

de Paulo destina-se aos filhos dos colabo-

Casa de Maceió paga apenas R$ 60.

a outras instituições, assim como apoiou a

radores.

formação profissional de colaboradores por EVENTOS E GINÁSTICA LABORAL

18

meio de ajuda de custo.

Com a supervisão de uma pedagoga e de uma equipe formada por professoras e

A Santa Casa de Maceió vem congre-

Já o Programa de Assiduidade da Santa

atendentes, a Santa Casa de Maceió vem

gando seus colaboradores por meio de

Casa de Maceió entregou 5.321 cestas

investindo no plano pedagógico da creche,

diversos encontros festivos, como Natal,

básicas aos colaboradores que mantiveram

o que inclui atendimento integral à crian-

São João, Dia das Mães e Aniversário de fun-

100% de presença no local de trabalho. Com

ça, aquisição de brinquedos e playground,

dação da instituição. De igual forma, em par-

a entrega média mensal de cerca de 443

alimentação, dentre outros.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


EM ALAGOAS

Complexo hospitalar implanta Plano de Cargos e Carreiras Iniciativa visa estimular o desempenho de cada colaborador

O

provedor Humberto Gomes de

não trouxe nenhum prejuízo financeiro aos

catos das diversas categorias profissionais e

Melo realizou, no último mês de

colaboradores", disse Sílvio Melo.

sua formalização nos acordos coletivos.

dezembro, um antigo sonho na

A estruturação e os conceitos do PCC

"Acredito que o resultado final foi

área de Gestão de Pessoas: implantar um

contaram com a parceria da Leme Consul-

alcançado. Formatamos uma ferramenta de

Plano de Cargos e Carreiras para o quadro

toria, uma das empresas mais respeitadas

gestão dos cargos e carreiras equilibra-

de pessoal da instituição que priorize e

do País na área de gestão de pessoas, e com

da, de longo prazo e sustentável finan-

estimule o desempenho de cada colaborador

a Totvs, uma das seis mais prestigiadas

ceiramente", avaliou Sílvio Melo. O PCC

em sua função.

empresas de software do mundo para

se baseará no desempenho de cada cola-

implantar e operacionalizar o sistema de

borador ao longo do ano, cuja avaliação

gestão do PCC.

ficará a cargo dos diretores, gerentes,

De acordo com Sílvio Melo, gerente de Gestão de Pessoas e principal articulador do PCC, não haverá grande impacto finan-

Para a implantação do Plano de Cargos

ceiro na folha salarial, como também não

e Carreiras foi importante a sensibilização dos

haverá redução nos vencimentos dos cola-

diretores, gerentes e líderes; a pesquisa de

boradores, conforme diretriz estabelecida pela

salários, conduzida pela Leme Consultoria;

instituição. Com a implantação do PCC

as discussões sobre a tabela salarial com a

ocorrerá a modernização da nomenclatu-

Direção; a apreciação técnica por parte das

ra de alguns cargos e funções.

áreas jurídica e de tecnologia da informação;

"Cumprindo os objetivos principais, a

assessores, coordenadores e supervisores de cada área.

além da apresentação do PCC aos sindi-

implantação do PCC permitiu organizar melhor a estrutura de cargos e funções do quadro de pessoal da instituição, criou uma tabela salarial progressiva, possibilitou estabelecer uma política de promoção e crescimento profissional e, principalmente,

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

19


ARTIGO

Cálcio e Vitamina D fazem falta Thaís Mendonça (*) *

A

contribuir com a osteoporose. Baixas concentrações de vitamina D estão tam-

osteoporose é uma doença carac-

bém associadas a outras doenças crôni-

terizada pela diminuição da mas-

cas, como as cardiovasculares, diabetes,

sa óssea e deterioração da microar-

câncer de mama, coloretal e próstata.

quitetura do osso, levando a um aumen-

Diferentemente do cálcio, uma pe-

to da fragilidade óssea e, consequente-

quena quantidade de vitamina D está

mente, a um maior risco de fraturas.

presente na nossa dieta, que inclui óleos,

É o distúrbio osteometabólico mais

peixes gordurosos (atum, sardinha e

comum; um importante problema de

cavala), gema de ovo e fígado. Além

saúde pública. Ela acomete 17% das

disso, a exposição solar é um fator im-

mulheres na pós-menopausa e 30% das

Endocrinologista Thaís Mendonça

e deve ser incentivada caso não tenha con-

mulheres acima de 65 anos. Os homens nessa idade podem também apresentar

lando-se a prática regular de atividade

traindicação. Estudos têm mostrado que

osteoporose em cerca de 20%. A prin-

física.

a deficiência de vitamina D é alarman-

cipal causa de morbidade e mortalida-

Apesar de a osteoporose ser uma

de da osteoporose é a fratura, principal-

doença de idosos, é importante lembrar

mente a de colo do fêmur.

que as medidas para garantir uma boa

o desenvolvimento da osteoporose, como ser do sexo feminino, ter idade avançada, ser branca, estar abaixo do peso, ter uma história familiar de osteoporose, ter tido uma fratura prévia, ser fumante, entrar em menopausa precoce, apresentar amenorreia (falta de menstruação) por um tempo prolongado e usar constantemente corticóides. Tudo isso deve servir de alerta para que se procure um endocrinologista e que seja realizado o diagnóstico precoce.

A osteoporose acomete 17% das mulheres na pósmenopausa e 30% das mulheres acima de 65 anos

Existem alguns fatores de risco para

20

portante para a produção da vitamina D

saúde devem começar na infância.

te em todo o mundo, mesmo em países de sol como o Brasil. Todas as pacientes devem ser estimuladas a parar de fumar e evitar o consumo exagerado de cafeína e álcool. O incentivo às atividades físicas é muito importantes, melhorando a densidade óssea, diminuindo o risco de fraturas de quadril em mulheres, melhorando o equilíbrio, aumentando a força muscular e reduzindo o risco de quedas. É importante que os pacientes idosos se protejam das quedas, melhorando a segurança em casa com calçados adequados, corrimão nos locais principais, carpetes antiderrapantes e iluminação apropriada.

Podemos reduzir a perda óssea com

O tratamento mais adequado é uma

uma alimentação saudável, rica em cál-

dieta balanceada, rica em cálcio, cuja

Thaís Mendonça é endocrinologista

cio, evitando-se o sedentarismo e o uso

principal fonte é o leite. A deficiência de

da Santa Casa de Maceió e professora

excessivo de cafeína e álcool e estimu-

vitamina D é um importante fator para

de Endocrinologia da Ufal.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


ARTIGO

Infarto agudo do miocárdio em hipertensos

O

Infarto agudo do miocárdio (IAM) popularmente conhecido por ataque cardíaco, é um processo de

necrose (morte do tecido) de parte do músculo cardíaco por falta de oferta adequada de nutrientes e oxigênio. É causado pela redução do fluxo sanguíneo coronariano de magnitude e duração suficiente para não ser compensado pelas reservas orgânicas. O enfarte agudo do miocárdio é a principal causa de morte nos países industrializados. Das mortes resultantes de enfarte,

Cardiologista George Franco Toledo

a maior parte é rápida, na primeira hora, em geral, por uma arritmia severa denomi-

mais importantes para desenvolvimento de

volvimento da doença é proporcional ao

nada Fibrilação ventricular.

infarto agudo do miocárdio.

aumento dos níveis pressórico.

Nos Estados Unidos, cerca de 25% das

Em pacientes com infarto do miocárdio,

Vale destacar que a incidência de infar-

mortes são devidas a este problema, o que

a prevalência de hipertensão arterial chega

to agudo do miocárdio assintomático é sig-

milhão e quinhentas mil pessoas a cada ano. Um em cada 25 pacientes com alta hospitalar morre no primeiro ano pós enfarte e cerca de 60% dos óbitos acontecem na primeira hora após o início dos sintomas. A causa habitual da morte celular é uma isquemia (deficiência de oferta de sangue) no músculo cardíaco, por oclusão de uma artéria coronária. A oclusão se dá em geral pela formação de um coágulo sobre uma área previamente comprometida por aterosclerose.

Incidência de infarto agudo do miocárdio assintomático é significativamente maior em indivíduos hipertensos

dá um número absoluto em torno de um

nificativamente maior em indivíduos hipertensos. As alterações degenerativas do sistema vascular de natureza aterosclerótica são agravadas ou aceleradas pela hipertensão arterial, particularmente, a doença arterial coronariana. Portanto a presença de hipertensão arterial tem evidentes implicações para o diagnóstico e tratamento do IAM, piorando o prognóstico desses indivíduos, tanto no curto como no longo prazo. No entanto a prevenção através de

a 40 % (situando entre 25% e 40%).

uma dieta adequada, atividades físicas

A hipertensão arterial sistêmica é, jun-

Especificamente no caso da aterosclerose

regulares e medicamentos, podem mudar

tamente com dislipidemia (aterosclerose)

coronariana, observações do estudo de

o rumo deste grave e inesperado evento,

e o tabagismo, um dos três fatores de risco

Framingham demonstraram que o desen-

evitando a morte.

21


Eliane Medeiros, neurologista da Santa Casa de Maceió

“DERRAME CEREBRAL”

"A melhor forma de evitar o AVC é conhecê-lo", diz especialista População deve estar atenta aos primeiros sintomas da doença

T

anto em jovens quanto em idosos,

em forma de uma lista básica de iniciati-

te que cada um acompanhe e controle a sua

os sinais do AVC isquêmico são os

vas que visam à qualidade de vida: busque

pressão arterial", explicou a neurologista da

mesmos. Deve-se estar atento a sin-

controlar doenças como a hipertensão e o

Santa Casa de Maceió, Eliane Medeiros, lem-

tomas como alteração da fala e da visão;

diabetes, evite o tabagismo, alimente-se

brando que há outros fatores que podem

fraqueza ou formigamento na face, no

melhor para fugir da obesidade e da inges-

levar ao AVC e que independem da vonta-

braço ou na perna, especialmente em um

ta de gordura e faça alguma atividade físi-

de do paciente, como a ocorrência de doen-

lado do corpo; tontura, mal-estar e dor de

ca para não cair no sedentarismo.

ças cardiológicas ou hematológicas. Para as mulheres que tomam anticon-

cabeça súbita, intensa e sem causa aparen-

22

te, dentre outros; sintomas esses que

ELA, A HIPERTENSÃO

cepcional, um alerta importante: "A asso-

podem vir juntos ou separados.

"Muitas pessoas acreditam que a hiper-

ciação do medicamento com o tabagismo

Questionada sobre como evitar o AVC,

tensão seja um problema menor, porém é a

aumenta significativamente as chances de

a resposta da médica Eliane Medeiros vem

principal causa de AVC. Por isso, é importan-

AVC", enfatizou.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


ALERTA!

“Derrame” já atinge jovens e adolescentes entre 15 e 34 anos Problema não está mais restrito apenas ao público acima dos 60 anos Um alerta do Ministério da Saúde vem causando preocupação entre médicos, especialistas e autoridades do governo. Segundo o Datasus, de 1998 a 2007 houve um crescimento nas internações por Acidente Vascular Cerebral (AVC) entre jovens e adultos na faixa entre 15 e 34 anos. Entre os homens, esse aumento foi de 64% e entre as mulheres, de 41%. A realidade dos dados estatísticos do SUS também se repete nos consultórios particulares e em hospitais de todo o País.A neurologista da Santa Casa de Maceió, Eliane Medeiros, confirma o crescimento no número de internações de jovens e adultos vítimas do mais comum dos AVCs: o isquêmico. Cerca de 85% dos casos de AVC no mundo são desse tipo. Nesses casos, as placas de gordura diluídas no sangue se acumulam nas artérias cerebrais ao longo dos anos, obstruindo e dificultando a oxigenação. "O AVC isquêmico sempre foi mais comum em idosos, mas a vida moderna vem ampliando o alcance da doença e atingindo pessoas mais jovens", alertou Medeiros. O segundo tipo de AVC - o hemorrágico - é menos frequente na população, porém, mais grave. Classificado pelos médicos em duas versões, o AVC hemorrágico é

AVC hemorrágico atinge geralmente pessoas

causa é mais difícil de ser identificada.

fatal para a maioria dos pacientes, mas

na faixa dos 40 aos 50 anos.A principal causa

Somente após a ocorrência é que os médi-

quem sobrevive a ele tem menos chances

é a hipertensão não tratada. O segundo

cos podem fazer o diagnóstico da causa

de ficar com sequelas. O primeiro tipo de

ocorre na faixa etária mais jovem e sua

do problema.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

23


HIPERIDROSE

Cirurgia em AL livra mais de 2 mil pacientes da sudorese excessiva Problema causa desconforto e fobia social; veja se você possui a doença

N

uma festa, certo convidado se apressa a pegar um copo com o primeiro garçon que avista. So-

mente após sentir que o suor da mão se mesclou com a umidade do copo gelado, é que finalmente passa a curtir o evento.

Artur Gomes Neto, cirurgião torácico e diretor-médico da Santa Casa de Maceió

Outro convidado mantém as mãos suadas no bolso, onde está estrategicamente guardada uma toalhinha de mão. De repente, uma mulher bem vestida entra no recinto. Ninguém percebe, mas embaixo das axilas suadas estão posicionados dois discretos absorventes íntimos. Um jovem, por sua vez, trouxe consigo mudas de roupa numa pequena bolsa, entre elas, uma camisa bem colorida, outra branca e uma preta. Os convidados citados na festa hipotética têm algo em comum: todos são portadores de hiperidrose e tentam disfarçar o desagradável suor excessivo. A hiperidrose é um desequilíbrio de origem desconhecida no chamado sistema simpático, que leva o indivíduo a suar excessivamente, particularmente nos pés, mãos, axilas, rosto ou cabeça. "O sistema simpático controla a temperatura do organismo por meio da sudo-

24

rese. Na pessoa saudável, o suor cessa

mais graves pode ocorrer até mesmo gote-

lizadas na Santa Casa de Maceió desde

quando a temperatura volta ao normal. Já

jamento", explicou o cirurgião torácico

1998. Apesar de haver outras opções, a

nos portadores de hiperidrose, o suor pros-

Artur Gomes Neto, o principal responsável

cirurgia ainda é único método de cura defi-

segue mesmo sem causa específica. Nos casos

pelas mais de duas mil simpatectomias rea-

nitivo da doença.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


Pacientes com hiperidrose sofrem "bulyng” origem desconhecida) ou secundária,

dismo, entre outros, basta controlar a

vive também com a dura realida-

como resultado de outra doença. No pri-

doença para reduzir a sudorese.

de do "bulyng" e da fobia social.

meiro caso, o paciente precisa recorrer à

A doença, que leva o paciente a suar sem controle e excessivamente nos pés, mãos axilas, é fonte de brincadeiras, apelidos e mesmo de uma aversão natural das pessoas ao contato físico. "É comum até mesmo parentes e amigos evitarem o aperto de mão. Na minha infância, as brincadeiras magoavam muito. Agora, já adulto, a fobia social e os reflexos no ambiente de trabalho são o que me deixam depressivo", relata um paciente que

A hiperidrose é uma patologia de origem orgânica, e não psicológica. A cirurgia é a melhor opção de cura

Q

uem convive com a hiperidrose con-

"Há pacientes em que a hiperidrose é discreta, mas os efeitos podem ser agravados diante de situações de estresse. Apesar disso, o problema não tem qualquer relação com aspectos psíquicos. Tratase de uma patologia de origem orgânica, e não psicológica", explicou o cirurgião torácico Artur Gomes Neto. Segundo ele, a simpactetomia é um procedimento cirúrgico realizado por vídeo, utilizado para interromper a produção de suor nos locais onde ocorre a sudorese. A inter-

preferiu não se identificar, mas que revela

cirurgia após diagnosticado o problema

venção é realizada com anestesia geral e não

muito bem o que passam os portadores da

com um especialista de sua confiança. No

dura mais que 20 minutos. A possibilidade

patologia.

segundo caso, geralmente ligado a doen-

de retorno do problema é baixíssima, e o

ças como obesidade, diabetes, hipertiroi-

nível de satisfação supera os 98%.

A hiperidrose pode ser primária (de

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

25


CÂNCER

Santa Casa integra grupo de 94 centros de excelência

Portaria publicada pelo Ministério da Saúde inclui instituição alagoana

A

26

Santa Casa de Maceió passou a

gicos de câncer de média e alta complexi-

implica em receber incentivos financeiros

integrar o seleto grupo de 94 hos-

dades. No caso, o referencial para essa pri-

do Ministério da Saúde, que variam de acor-

pitais brasileiros classificados na

meira classificação foi a produção de 2011.

do com regras definidas pela portaria nº

categoria A entre os Centros de Alta

Foram incluídos no Porte A os estabe-

2.947", explicou o diretor-médico da Santa

Complexidade em Oncologia (Cacons) do País.

lecimentos com produção superior a mil

A instituição alagoana está ao lado de

intervenções cirúrgicas oncológicas anuais

Com uma produção de 1.210 procedi-

importantes centros de referência em cân-

e que realizaram procedimentos em todos

mentos oncológicos cirúrgicos em 2011, a

cer, como o Instituto Nacional do Câncer (Inca),

os seguintes subgrupos cirúrgicos oncoló-

Santa Casa de Maceió é o único hospital ala-

o A.C. Camargo, o Hospital das Clínicas de

gicos: urologia; sistema linfático, cabeça e

goano classificado como Porte A.

São Paulo (USP), a Fundação Pio XII de

pescoço; esôfagogastroduodenal, vísceras

Os outros três hospitais alagoanos estão

Barretos (SP), a Santa Casa de Misericórdia

anexas e outros órgãos intra-abdominais; colo-

no Porte C, que inclui aqueles com menos

de Porto Alegre (RS), entre outros.

proctologia e ginecologia; pele e cirurgia

de 600 procedimentos/ano. São eles: o

A Portaria nº 2.947, publicada em

plástica; ossos e partes moles; cirurgia torá-

Hospital Afra Barbosa, de Arapiraca (com 310

dezembro pelo Ministério da Saúde, insti-

cica e mastologia. No caso dos portes B e

intervenções); e os hospitais Universitário (288

tuiu a nova classificação, dividindo os

C, as exigências são menores.

procedimentos); e do Açúcar (112), os dois

Cacons em três portes (A, B e C), com base

"Além do reconhecimento do Cacon

na produção anual de procedimentos cirúr-

perante a sociedade, integrar o grupo A

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

Casa de Maceió, Artur Gomes Neto.

últimos localizados em Maceió. Não há hospitais de Alagoas no Porte B.


ENVELHECIMENTO ATIVO 2013

Curso promove qualidade de vida entre pessoas acima dos 60

E

m 2008, a Santa Casa de Maceió lançou um projeto que visa congregar e preparar homens e mulheres para

viver com qualidade de vida a chamada terceira idade. A partir de então, o Curso de Envelhecimento Ativo passou a ser polo de promoção de saúde e ponto de encontro de um grupo de adultos bastante animado, que busca viver mais e melhor.

Geriatra Helen Arruda conversa com os participantes do projeto

Na aula inaugural do Curso de Envelhecimento Ativo 2013, a coordenadora do projeto, a geriatra Helen Arruda, apresentou duas novidades que movimentaram o encontro. A primeira é que o professor Geraldo Liberal tornou-se o primeiro voluntário do Grupo de Envelhecimento de Ativo egresso do próprio projeto. Geraldo Liberal, que vem a ser pai do médico Oswaldo Liberal,

Novo voluntário do GEASC, Geraldo Liberal apresenta camisa do projeto

presidente da Cooperativa dos Médicos da

e, segundo, uma atividade prática, que pode

compartilhar experiências, dons e vivên-

Santa Casa de Maceió (SantaCoop), ajuda-

ser uma oficina de artes manuais ou de

cias. As reuniões ocorrem semanalmente,

rá na organização dos eventos.

exercícios de postura.

no auditório do Centro de Estudos da Santa

"O professor Geraldo Liberal participa

"Estamos atendendo a uma demanda

do Grupo de Envelhecimento Ativo desde

dos próprios participantes do projeto",

sua primeira edição e hoje contribui com

acrescentou Arruda. O evento foi prestigia-

Médicos de várias especialidades, além

sua dedicação e experiência para o pros-

do pelo presidente do Centro de Estudos

de psicólogas, fisioterapeutas, terapeutas ocu-

seguimento da iniciativa", disse Helen

Professor Lourival de Melo Mota, o deca-

pacionais, nutricionistas, assistentes sociais,

Arruda.

no da instituição, o médico Duílio Marsiglia.

entre outros profissionais, se revezam em

A segunda novidade é que os encon-

Organizado como curso de formação,

palestras informativas, que abrangem orien-

tros semanais serão divididos em dois

o Grupo de Envelhecimento Ativo é tam-

tações sobre saúde e alimentação, sexua-

momentos: primeiro, a tradicional palestra

bém um ponto de encontro e de convivên-

lidade, tecnologia, direitos sociais, entre

com especialistas da Santa Casa de Maceió

cia entre homens e mulheres que desejam

outras.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

Casa de Maceió, e mobilizam diversos profissionais durante todo o ano.

27


AUTOMEDICAÇÃO

Intoxicação medicamentosa provoca 1/3 dos óbitos no País Estatística inclui também o uso de remédios sem prescrição médica

O

s números da Organização Mundial de Saúde assustam todos leigos, médicos e especialistas -

e revelam o risco do uso de medicamentos sem receita médica. De acordo com a

entidade, 29% dos óbitos ocorridos no Brasil são provocados por intoxicação medicamentosa, entre elas, a causada justamente pela automedicação. Conforme explica a médica Tereza Tenório, gerente de Riscos e Assistência Hospitalar da Santa Casa de Maceió, a automedicação é o uso de medicamentos sem nenhuma intervenção por parte de um médico ou odontólogo, únicos profissiotos. Segundo ela, o problema é agravado pela facilidade de acesso a medicamentos nos balcões de farmácias e drogarias e pelo hábito da população em fazer uso de remédios caseiros e manter verdadeiras farmácias em casa. Dois estudos citados por Tereza Tenório comprovam essa preocupante realidade. O primeiro, publicado em 2008 pela pesquisadora Daniela Aquino, revela que, no Brasil, pelo menos 35% dos medi-

Estudo revela que no Brasil pelo menos 35% dos medicamentos são adquiridos sem receita médica

possuíam pelo menos um medicamento estocado, com uma média geral de 20 itens e, em alguns domicílios, chegando ao patamar de 89 itens guardados. O trabalho foi mais além e identificou que cerca de 55% dos medicamentos estocados foram adquiridos sem prescrição médica. Do total, 25% estavam vencidos e destes, 24% continuavam sendo utilizados. "É preciso reforçar o controle sobre todo tipo de medicamento comer-

camentos são adquiridos sem receita

de Farmácia da Universidade Federal do

cializado e informar a população os ris-

médica.

Rio Grande do Sul, 97% das residências

cos da automedicação", acrescentou

visitadas em Porto Alegre, no ano 2000,

Tereza Tenório.

No segundo, publicado pela Faculdade

28

Tereza Tenório, gerente de Riscos e Assistência Hospitalar

nais habilitados para receitar medicamen-

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br


Tomar remédio sem receita pode levar a óbito Um paciente com apendicite pode con-

automedicação.

isso pode anular a ação do medicamento

fundir a típica dor no abdômen com um des-

Conforme afirma a farmacêutica Lizete

ou provocar reações indesejáveis, que

conforto estomacal qualquer. Se ele procu-

Vitorino, coordenadora do Serviço de

podem deixar sequelas ou mesmo provo-

rar um médico, a perigosa apendicite pode

Farmácia da Santa Casa de Maceió, os

car a morte do paciente", disse Lizete

ser diagnosticada e tratada via cirurgia.

medicamentos podem apresentar algum

Vitorino.

Agora, caso decida tomar um medicamento por conta própria, os sintomas

efeito colateral ou reação adversa se utilizados em certas condições.

Já a médica Tereza Tenório lembra a população no sentido de que siga as orienta-

podem até ser mascarados, mas a infla-

Entre tais condições, pode-se elencar

ções médicas, leia as instruções do fabri-

mação prosseguirá até que o apêndice se

o uso do medicamento juntamente com

cante do remédio, comunique ao médico

rompa e leve à infecção generalizada do

outros remédios (industriais ou caseiros),

se estiver usando medicamento controla-

organismo, com alto risco de óbito, depen-

a simples exposição ao sol, a necessidade

do ou caseiro e pergunte sobre a possível

dendo de cada paciente.

ou não de jejum, a ocorrência de doenças

ocorrência de efeitos adversos. "São cui-

O relato acima pode estar ocorrendo

pré-existentes, a condição de gestante, o

dados que o paciente deve adotar para

nesse exato momento, em qualquer parte

uso da medicamentação em horários, fre-

manter-se informado e evitar a intoxicação

do mundo, e mostra o perigo da chamada

quência e doses incorretas, entre outros. "Tudo

medicamentosa", diz a médica.

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

29


ARTIGO

Saúde continua sendo o “calcanhar de Aquiles” dos governantes assistência imprescindível e digna.

Dr. Humberto Gomes de Melo (*)

Assim como nas contas domésticas de

O

ano de 2012, como em anos ante-

cada cidadão, o custo do atendimento

riores, não foi bom para a saúde

médico-hospitalar também sofre variações

da população brasileira. No mo-

mensais. Diante desta realidade, como o SUS

mento em que as pesquisas revelam um alto

explica a manutenção de uma tabela de re-

índice de aprovação da presidente Dilma

muneração de profissionais e estabe-

Rousseff, essas mesmas pesquisas revelam

lecimentos de serviço de saúde que não

que a saúde continua sendo o "calcanhar

sofre alterações há mais de 10 anos?

de Aquiles" do governo. Mas, temos que

Apesar disso, muitos hospitais vinculados

fazer justiça, o problema não é apenas do

ao Sistema Único de Saúde estão fazendo

governo federal. Estados e municípios tam-

a sua parte e investindo em qualidade

bém têm sua parcela de culpa, seja na

assim como na certificação conhecida como

gestão dos recursos, seja na prioridade e

Acreditação, cujo foco é a segurança as-

destinação destes mesmos recursos.

sistencial do paciente.

De norte a sul do País são frequentes

Humberto Gomes de Melo

as manchetes dos jornais com pacientes

30

Entre esses centros de excelência está a Santa Casa de Maceió, instituição que

atendidos no chão de hospitais públicos ou

Ministério da Saúde com assistência hos-

alcançou recentemente a Acreditação plena

de unidades de saúde onde faltam profis-

pitalar e ambulatorial somaram R$ 37,6

e que agora inicia os primeiros passos com

sionais, equipamentos ou infraestrutura para

bilhões para atender 144,8 milhões de

vistas a ser a primeira Santa Casa brasileira

um atendimento, no mínimo, humano. Aí

brasileiros (¾ da população) que dependem

a conseguir a Acreditação Internacional

fica a pergunta: como é possível ocorrer

exclusivamente do SUS. Enquanto isso, as

Canadense.

situações como estas num SUS que é refer-

operadoras de planos de saúde gastaram

Enfim, espero que o nosso exemplo

ência mundial na realização de transplantes,

R$ 68,1 bilhões para atender 47,6 milhões

possa beneficiar outras instituições de

nas campanhas de vacinação e no Programa

de usuários (¼ da população).

saúde do País que anseiam por ampliar

de Combate a AIDS, dentre muitos outros?

No nosso entendimento, o que está fal-

Mesmo sem uma resposta para esta

tando é decisão política firme de todas as

pergunta, os números revelam que existe

áreas governamentais para que o setor

sim uma discrepância entre a saúde públi-

saúde venha a ser contemplado com os

ca e a privada. Em 2011, os gastos do

recursos financeiros necessários a uma

Revista da Santa Casa de Maceió www.santacasademaceio.com.br

sua atuação e se destacar no cenário nacional. (*) Humberto Gomes de Melo é presidente da Fenaess (Federação Nacional dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde) e provedor da Santa Casa de Maceió


Revista Santa Casa nº 14  

Revista, Santa Casa, Medicina, Saúde

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you