Page 1

Capa_Catalogo 2017.indd 1

CATÁLOGO GERAL 2018

2 0 1 8 Editora Estação Liberdade

Editora Estação Liberdade

Robert Doisneau: Canal de Saint-Denis, 1945, © Robert Doisneau

Editora Estação Liberdade Rua Dona Elisa, 116 • São Paulo • SP • 01155-030 Tel.: (+55 11) 3660 3180 • Fax: (+55 11) 3825 4239 editora@estacaoliberdade.com.br www.estacaoliberdade.com.br

CATÁLOGO GERAL

27/09/2017 19:38:53


Fรณrmula do professor - miolo.indd 1

07/02/2017 18:19:56


Editora Estação Liberdade

CATÁLOGO GERAL 2018

Estação Liberdade Editora Estação Liberdade Ltda. Rua Dona Elisa, 116 | 01155-030 São Paulo-SP | Tel.: (11) 3660-3180 www.estacaoliberdade.com.br

Miolo - catálogo 2017.indd 1

27/09/2017 19:47:47


Miolo - catรกlogo 2017.indd 2

27/09/2017 19:47:47


Sumário Apresentação Domínio japonês Domínio francês Domínio alemão Domínio inglês Outras literaturas Clássicos da literatura mundial Domínio brasileiro Domínio infantil e juvenil Domínio latino-americano História do Brasil Arte, cinema e fotografia História mundial História / Alimentação Filosofia, ensaios e relatos Economia / História Crítica e História da Literatura Arquitetura, urbanismo e patrimônio Ciências da natureza e meio ambiente Obra de referência Psicologia e saúde Livros de colorir Índice de obras Índice de autores

PRELO

5 6 18 23 31 34 38 45 46 49 49 50 53 57 58 72 73 75 80 80 81 82 85 93

O símbolo designa obras a serem lançadas. Fechamento do catálogo: setembro de 2017. 3

Miolo - catálogo 2017.indd 3

27/09/2017 19:47:48


Miolo - catรกlogo 2017.indd 4

27/09/2017 19:47:48


APRESENTAÇÃO

A capa da edição 2018 do catálogo traz uma foto de Robert Doisneau emprestada de A invenção de Paris. Este livro é um instrumento nosso para trazer à tona várias coisas ao mesmo tempo: a beleza iluminada de uma metrópole carregada de história, um passado de insurreições de um povo insubmisso, uma produção cultural e artística indelével através dos tempos. Na verdade, um livro-projeto de vida de Eric Hazan, historiador, escritor e colega editor, de quem também está no prelo um inovador ensaio sobre a Revolução Francesa. Com A invenção de Paris, essa cidade que nunca se aquieta, nos toca dar uma pitada positiva numa época conturbada em que urge discutir avanços civilizacionais que acreditávamos consolidados e que alguns teimam em fustigar. Parafraseando Brecht, ventres sempre estarão a postos para gerar alguma nova podridão. Assim, colocamos o dedo na ferida com a coletânea de ensaios A grande regressão, com participantes do quilate de Zygmunt Bauman, Nancy Fraser, Bruno Latour, Slavoj Žižek e outros, adquirida de nossa parceira alemã Suhrkamp. Regressão também em termos de distribuição de riquezas, e aí uma penca de estudiosos incluindo Robert Solow, Paul Krugman e Marshall Steinbaum se confronta longamente com os estudos de Thomas Piketty sob a batuta da Harvard University Press em Depois de Piketty. Com vistas a um enfoque mais filosófico, traremos as aguardadas remessas de Peter Sloterdijk, com os emblemáticos títulos Você precisa mudar sua vida e Os terríveis filhos dos novos tempos. Também teremos todo o prazer em introduzir no Brasil Charles Pépin, com seu tão perspicaz As virtudes do fracasso. Arquitetura, estética e política se reúnem na obra de El Lissitzky, Arquitetura para uma Revolução Mundial. É nossa sutil contribuição para os 100 anos da Revolução Russa, esse paradigmático evento mesclando ruptura e utopia, e assim mantemos o foco na coleção Estúdio Aberto, que ainda trará Le Corbusier, Adolf Loos e outros. A Estação Liberdade não descuidará tampouco de sua esfera ficcional. Daremos continuidade às áreas de predileção da casa. Max Frisch e Friedrich Dürrenmatt darão sotaque suíço a nosso catálogo de letras alemãs, que ainda terá novidades de peso como Christa Wolf e Ingeborg Bachmann. Atiq Rahimi traz uma estética literária do exílio e reminiscências do Afeganistão em A balada do cálamo, e pelos lados do Extremo Oriente manteremos o engajamento com o Japão. A jovem Sayaka Murata o pintará de dentro das lojas de conveniência, enquanto Banana Yoshimoto, Yoko Ogawa, entre outras e outros, nos contemplam com os mais variados tons. Revisitaremos ainda Soseki, Dazai, Tanizaki e Kawabata. Da Coreia percorremos séculos com clássicos e contemporâneos, e da China fomos buscar Chen Zhongshi, com o volumoso e incontornável No país do cervo branco. De Sam Shepard e Richard Ford, com Aqui de dentro e Com toda a franqueza, nos vêm ecos de uma América do Norte que essa sim faz bem ouvir. Que possamos assim dar nossa pequena contribuição para que não se inventem novas regressões. 5

Miolo - catálogo 2017.indd 5

27/09/2017 19:47:49


DOMÍNIO JAPONÊS

Yasunari Kawabata

Prêmio Nobel de Literatura

Prêmio Nobel de 1968, Kawabata nasceu em 1899, em Osaka. Estudou na Universidade Imperial de Tóquio e foi um dos fundadores da Bungei Jidai, inovadora revista de literatura moderna. Gostava de criar personagens solitários, atingindo descrições memoráveis da mente feminina e da sexualidade humana. Suicidou-se em 1972. A Estação Liberdade segue com a edição de sua obra em traduções do japonês e com capas da artista plástica Midori Hatanaka.

GANGUE ESCARLATE DE ASAKUSA, A tradução Meiko Shimon 224 páginas | isbn 978-85-7448-226-2

A história da derrocada de um reduto-símbolo da boemia japonesa, o distrito de Asakusa, em Tóquio, é refeita nessa que é uma das obras iniciáticas da carreira de Kawabata. O autor apresenta uma mixórdia de personagens urbanos, como mendigos, jovens delinquentes e prostitutas, cujos pequenos dramas cotidianos dão sabor e vida ao bairro retratado, num ousado estilo de narrativa marcado pela influência do modernismo europeu então em voga.

PAÍS DAS NEVES, O tradução Neide Nagae 160 páginas | isbn 978-85-7448-097-8

Neste livro, de grande repercussão no Japão e no exterior (com adaptações para o cinema), o autor expõe as contradições das relações humanas por meio do encontro entre Shimamura, um culto senhor de posses, Komako, uma gueixa das montanhas, e Yoko, uma bela jovem provinciana.

MIL TSURUS tradução Drik Sada 176 páginas | isbn 978-85-7448-115-9

A cerimônia do chá serve de pano de fundo para as relações entre Kikuji, duas ex-amantes de seu pai e a filha de uma delas. Kawabata demonstra seu profundo conhecimento sobre a antiga cultura japonesa e sua amargura diante da crescente degradação das artes tradicionais de seu país.

6

Miolo - catálogo 2017.indd 6

27/09/2017 19:47:49


DOMÍNIO JAPONÊS CASA DAS BELAS ADORMECIDAS, A

Yasunari Kawabata

tradução Meiko Shimon 128 páginas | isbn 978-85-7448-098-5

Kawabata conta a história de Eguchi, um senhor de 67 anos que frequenta a casa das belas adormecidas, um bordel. Apesar da idade avançada, o protagonista parte em busca de uma recatada sensualidade. Na tradição do erotismo japonês, esta história investiga a fundo as dores da solidão.

CONTOS DA PALMA DA MÃO Meiko Shimon 496 páginas | isbn 978-85-7448-137-1 tradução

Produção que acompanhou praticamente toda a vida do autor, esses brevíssimos contos, gênero literário dileto de Kawabata – o mais antigo data de 1923 e o mais recente, de 1964 –, tratam de uma rica variedade de temas: a morte, o amor, a infância, a cegueira, a sensualidade, os laços de família, os sonhos e as expectativas.

KYOTO tradução Meiko Shimon 256 páginas | isbn 978-85-7448-116-6

Rico em descrições da cidade que foi a capital do Japão por cerca de mil anos (794-1868), Kyoto narra a trajetória de Chieko, filha adotiva de um comerciante de quimonos. Durante um passeio pela aldeia de Kitayama, na periferia de Kyoto, Chieko acidentalmente conhece sua irmã gêmea.

DANÇARINA DE IZU, A tradução Carlos Hiroshi Usirono 144 páginas | isbn 978-85-7448-141-8

Primeira obra de destaque do autor, lançada originalmente em 1926. Um jovem de 19 anos viaja até a península de Izu, onde faz amizade com artistas viajantes e se encanta com uma garota da trupe: a pequena Kaoru, de 13 anos. Baseada em anotações autobiográficas, temos a história de um amor platônico consumado nas profundezas do coração lírico do protagonista.

7

Miolo - catálogo 2017.indd 7

27/09/2017 19:47:50


DOMÍNIO JAPONÊS SOM DA MONTANHA, O

Yasunari Kawabata

tradução Meiko Shimon 344 páginas | isbn 978-85-7448-157-9

Kawabata faz brotarem da narrativa os demônios pessoais que a rigidez da família japonesa não é capaz de conter em uma era de incertezas, abalada pela crise de identidade que sobreveio à Segunda Guerra Mundial. Shingo Ogata, representante de uma geração que se despede, luta para fazer valer sua autoridade e a sabedoria da tradição, mas é incessantemente capturado por flores, cantos de pássaros e, mais amiúde, pela beleza e delicadeza da jovem nora, Kikuko.

LAGO, O tradução Meiko Shimon 164 páginas | isbn 978-85-7448-182-1

O lago conta a história do professor Ginpei, atingido pela peculiar obsessão de seguir mulheres bonitas com que se depara nas ruas. Ele argumenta que, se não o fizesse, esses encontros fortuitos não passariam de episódios efêmeros. Será isso, no entanto, o que move o personagem? Ginpei tem um problema muito particular com um aspecto de seu corpo: seria esse outro fator inconsciente de sua insistente procura por beleza?

MESTRE DE GO, O tradução Meiko Shimon 224 páginas | isbn 978-85-7448-204-0

CORRESPONDÊNCIA 1945-1970 Y. Mishima e Y. Kawabata

PRELO

Go é um jogo de estratégia no qual os dois oponentes tentam cercar as pedras brancas ou pretas de seus adversários. Simples nos seus fundamentos, mas infinitamente complexo em sua execução, Go é a expressão essencial do espírito japonês. A competição entre o mestre de Go e seu adversário Otaké dura vários meses e a tensão sob o decoro do jogo afeta não apenas os jogadores, mas também suas famílias. Tensão que só terá fim com a morte de um deles.

Fernando Garcia páginas | isbn

tradução

O volume reúne as cartas trocadas entre os dois autores, seguindo o desenvolvimento de suas carreiras e ecoando os grandes acontecimentos (tanto históricos quanto pessoais) do período. As correspondências, que se iniciam quando Mishima tinha apenas 20 anos e Kawabata já era um escritor consagrado, oferecem a chance de um contato íntimo com estas personalidades literárias e o privilégio de acompanhar a amizade intensa e franca que os unia. 8

Miolo - catálogo 2017.indd 8

27/09/2017 19:47:50


DOMÍNIO JAPONÊS DECLÍNIO DE UM HOMEM

Osamu Dazai

tradução Ricardo Machado 152 páginas | isbn 978-85-7448-244-6

PRELO

Ridicularizado pelos colegas por causa de sua inabilidade social, o tímido narrador destas “memórias” vivencia, desde a infância, uma total alienação ao contato humano. Utilizando traços autobiográficos, Osamu Dazai consegue retratar com empatia o inferno cotidiano daqueles que, em qualquer época e lugar, são forçados a esconder sua verdadeira personalidade para enquadrar-se na sociedade.

MULHERES tradução

Karen Kazue Kawana

Coletânea de 14 contos de Osamu Dazai sob a forma de monólogos femininos. As narradoras de Dazai falam sobre o cotidiano, descrevem momentos de dor e alegria, expressam suas emoções e opiniões com sinceridade e sem reservas. A guerra e seus efeitos também aparecem como pano de fundo de muitos textos, uma vez que quase todos eles foram produzidos no período que compreende a Segunda Guerra Mundial.

TSUGUMI Banana Yoshimoto tradução Lica Hashimoto 184 páginas | isbn 978-85-7448-256-9

Tsugumi é uma garota mimada, insolente e cruel, mas também compassiva e dona de uma perseverança inigualável. Ela está sucumbindo a uma doença incurável, e o verão que ela passa com suas primas Yoko e Maria pode ser seu derradeiro. A tensa relação é narrada pelo ponto de vista de Maria, confirmando a engenhosidade da autora best-seller Banana Yoshimoto, que tem agora publicado no Brasil seu segundo trabalho, diretamente do original japonês.

KAPPA E O LEVANTE IMAGINÁRIO Ryunosuke Akutagawa tradução Shintaro Hayashi 352 páginas | isbn 978-85-7448-193-7

Esta coletânea do mestre nipônico da prosa breve mostra uma escrita potente, amarga, que trafega entre as culturas do Japão e do Ocidente, sempre refletindo sobre a inevitável tensão entre a vida e a arte. Entre os contos e novelas aqui incluídos estão os importantes “Kappa” (notável fábula sobre uma curiosa civilização perdida de kappas, seres humanoides do folclore japonês que vivem na água, narrada por um interno de um manicômio) e “Rashômon”, conto que inspirou Akira Kurosawa a fazer o filme homônimo. 9

Miolo - catálogo 2017.indd 9

27/09/2017 19:47:50


DOMÍNIO JAPONÊS

Eiji YOshiKawa

MUSASHI Eiji Yoshikawa edições integrais

Leiko Gotoda Erwin Reischauer

tradução prefácio

ilustrações de capa e miolo

Ayao Okamoto

Musashi é o mais famoso romance épico japonês do século XX, com cerca de 120 milhões de exemplares vendidos no mundo. A história de Miyamoto Musashi, na vida real o grande samurai do Japão da época dos xoguns (século XVII), conta como um jovem selvagem e sanguinário adquire, ao longo de inúmeras lutas e constantes situações de grande perigo, as qualidades e a têmpera que o levariam a ser o maior e mais sábio de todos os guerreiros. É a primeira vez que se edita em português esta famosa obra, e trata-se da primeira tradução integral no Ocidente. O sucesso no Brasil também foi surpreendente, já tendo atingido a marca de 120 mil vendidos (os dois volumes), e a obra figurou durante semanas nas listas de mais vendidos do país (Veja, O Globo, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo).

Musashi – edição comemorativa Caixa com 3 volumes e encarte ilustrado isbn

978-85-7448-150-0

isbn

Volume I 978-85-7448-007-7

924 páginas

Volume II isbn 978-85-7448-014-5

884 páginas

VENTO LESTE Otohiko Kaga tradução Pedro Barros 504 páginas | isbn 978-85-7448-234-7

Saburo Kurushima é diplomata japonês, casado com uma americana e enviado aos EUA poucos dias antes do ataque a Pearl Harbor, a fim de tentar evitar a guerra. Ken é o filho, um piloto do exército imperial, que se vê obrigado a matar semelhantes. Os três são os protagonistas desse envolvente thriller político, num estilo digno dos melhores clássicos do gênero. Prêmio Tanizaki de melhor romance em 1983.

10

Miolo - catálogo 2017.indd 10

27/09/2017 19:47:51


DOMÍNIO JAPONÊS QUINQUILHARIAS NAKANO

hirOmi KawaKami

tradução Jefferson José Teixeira 288 páginas | isbn 978-85-7448-179-1

Simpático microcosmo de uma megalópole frenética, ali a premeditação e o instinto, o disfarce e a espontaneidade mesclam-se aos mais inusitados bricabraques, frutos das picarescas “retiradas” nas mais variadas moradias. Enfileiradas nas prateleiras e tentando chamar a atenção de idiossincráticos clientes, as quinquilharias formam uma espécie de contrapé do Japão dos dias atuais.

VALISE DO PROFESSOR, A tradução Jefferson José Teixeira 232 páginas | isbn 978-85-7448-183-8

Em A valise do professor, ganhador do Prêmio Tanizaki, um dos mais prestigiosos do Japão, a prosa entrecortada e sucinta de Hiromi Kawakami nos revela a mente confusa de uma mulher embaralhando cenas reais com sonhos, lembranças e reflexões no cotidiano amoroso e solitário na megalópole toquiota, tema recorrente da autora. Tsukiko tem quase 40 anos, trabalha em uma firma e nas horas vagas bebe no bar de Satoru. Nunca foi casada e aparentemente não se importa com isso. Leva uma vida calma e sem grandes emoções, até que passa a encontrar um professor do ensino médio no mesmo bar que frequenta.

SAMURAI, O A VIDA DE MIYAMOTO MUSASHI William Scott Wilson tradução Mauro Pinheiro 328 páginas | isbn 978-85-7448-122-7

Biografia do samurai Miyamoto Musashi, lendário personagem do Japão feudal no qual Eiji Yoshikawa se inspirou para escrever o romance épico Musashi. O livro foi escrito a partir da consulta a diversas fontes históricas sobre a vida e obra do samurai-filósofo. Traz ainda uma série de apêndices e ampla documentação. William Scott Wilson traduziu para o inglês diversas obras literárias japonesas.

PEREGRINOS DO SOL — A ARTE DA ESPADA SAMURAI Luiz Kobayashi 360 páginas | isbn 978-85-7448-192-0 Um estudo aprofundado sobre a história e as técnicas de kenjutsu/kendô, a arte da espada samurai, desde suas origens longínquas no Japão até os dias atuais, desaguando na trajetória da arte da esgrima japonesa em solo brasileiro. O livro é resultado de anos de pesquisas feitas pelo autor, ele próprio praticamente de artes marciais.

11

Miolo - catálogo 2017.indd 11

27/09/2017 19:47:51


DOMÍNIO JAPONÊS IRMÃS MAKIOKA, AS

jun’ichirO tanizaKi

tradução Leiko Gotoda, Neide Nagae, Eliza Atsuko Tashiro e Kanami Hirai 744 páginas | isbn 978-85-7448-104-3

A obra traça um sutil e complexo perfil da sociedade japonesa durante a década de 1930 e aborda uma série de conflitos entre os valores japoneses e os ocidentais, entre a tradição e a modernidade. A história, que se passa entre 1936 e 1941 sob o impacto da Segunda Guerra, retrata a vida de uma abastada família. As irmãs Makioka tentam resolver juntas seus problemas familiares e arranjar um casamento para a terceira delas, Yukiko, uma mulher de crenças tradicionais que, aos 30 anos, ainda não conseguiu se casar.

DIÁRIO DE UM VELHO LOUCO tradução Leiko Gotoda 208 páginas | isbn 978-85-7448-059-6

Entre um rebelde senhor de 77 anos e sua nora surge um jogo sutil de poder, envolvendo, de um lado, o ancião que se empenha em burlar uma vida regrada por remédios, médicos e hospitais e, de outro, a ex-dançarina de casas noturnas, mulher bela e licenciosa, plena de vida, que faz uso de seus talentos naturais para fascinar e controlar o sogro, manipulando-o em prol de interesses pessoais. A idade do protagonista, no lugar de coibir seus instintos, liberta-os. Estas páginas de um dos grandes mestres da escrita japonesa ficarão para sempre como um libelo da sexualidade na velhice, demonstrando que, se a velhice é cruel quanto à submissão ao desejo, ela só se torna sinônimo de senilidade para os conformistas. GATA, UM HOMEM E DUAS MULHERES, A SEGUIDO DE O CORTADOR DE JUNCOS tradução Andrei Cunha, Clicie Araujo, Lidia Ivasa, Maria Luísa Vanik Pinto e Tomoko Gaudioso 192 páginas | isbn 978-85-7448-276-7

A PONTE FLUTUANTE DOS SONHOS / SHUNKIN tradução

PRELO

Neste A gata, um homem e duas mulheres o escriba japonês eleva à quinta potência o nível de complexidade nos relacionamentos afetivos entre seus personagens. Narrativa breve publicada originalmente em 1936, a novela põe a gata Lily no centro da trama protagonizada pelo casal Shozo e a esposa Fukuko, e ainda pela ex-mulher do primeiro, Shinako. A segunda novela que compõe a presente edição, O cortador de juncos — publicada originalmente em 1932 —, propõe uma espécie de homenagem ao teatro nô ao estruturar uma “história dentro da história”.

Andrei Cunha, Ariel Oliveira e Lídia Ivasa

As duas narrativas deste volume foram escritas em épocas bastante diferentes da carreira de Tanizaki. Entre as duas novelas, houve a guerra e a mais importante experiência estética da vida do autor: a tradução de O romance do Genji para o japonês moderno. Shunkin é um interessante experimento estético, característico da primeira metade da carreira de Tanizaki, que inclui uma meditação filosófica sobre a verdadeira natureza do êxtase. A Ponte Flutuante dos Sonhos é uma narrativa composta no estilo tardio do autor, e demonstra um impressionante poder de síntese de um grande número de temas de O romance do Genji: o jovem que se apaixona pela segunda esposa do pai, o erotismo sensorial dos elementos da natureza; a simbologia clássica das plantas, animais, flores, rios, montanhas. 12

Miolo - catálogo 2017.indd 12

27/09/2017 19:47:51


DOMÍNIO JAPONÊS

Sayaka Murata

PRELO

Sayaka Murata foi considerada pela revista Granta uma das melhores jovens autoras japonesas. Aos 37 anos de idade, ela já recebeu os três principais reconhecimentos literários do Japão: o Prêmio Noma para Novos Escritores, em 2009, o Prêmio Yukio Mishima, em 2013, e o mais importante deles, o Prêmio Akutagawa, em 2016, por A mulher da loja de conveniência, em sua primeira nomeação. A escritora também trabalha como atendente em uma loja de conveniência em meio período.

MULHER DA LOJA DE CONVENIÊNCIA, A tradução

Rita Kohl

Keiko Furukara tem 36 anos, trabalha em uma loja de conveniência desde os 18 e nunca teve um namorado. Por meio da história de Keiko — considerada “estranha” pela família e pelos colegas — a autora aborda com humor a vida em sociedade no Japão e sobre as pressões e expectativas de que todos (em particular as mulheres) tenham uma vida “normal”. O livro é ganhador do prêmio Akutagawa e Sayaka Murata vem sendo louvada como uma das vozes mais originais e talentosas da ficção de seu país.

HAGOROMO DE ZEAMI Haroldo de Campos Tomie Ohtake 128 páginas | isbn 85-7448-117-3

transcriação ilustração

Prêmio Jabuti de Tradução

Motokiyo Zeami (1363-1443), o principal nome do teatro nô, é o maior artista do período Muromachi. Como dramaturgo, escreveu mais de cem peças nô; como ator, foi um mestre dessa arte, a exemplo de seu pai, Kiyotsugu Kan’ami (1333-1384). Segunda edição, revista por Haroldo de Campos antes de seu falecimento.

VITA SEXUALIS Ogai Mori tradução Fernando Garcia 168 páginas | isbn 978-85-7448-235-4

Na calada da noite, o professor de filosofia Shizuka Kanai faz um retrospecto da tomada de consciência da própria sexualidade. Em forma de diário, esta narrativa de Ogai Mori — considerada patrimônio cultural pela Unesco e inédita no Brasil — traça um amplo panorama da vida íntima japonesa na década de 1910, satirizando sutilmente o movimento artístico do naturalismo, então em voga.

13

Miolo - catálogo 2017.indd 13

27/09/2017 19:47:52


MULHER DAS DUNAS, A Kobo Abe

PRELO

DOMÍNIO JAPONÊS

tradução Ernesto Yoshida

Viajando em busca de um inseto raro para sua coleção, o professor e cientista amador Junpei Niki perde o ônibus de volta e tem que passar a noite em um vilarejo litorâneo. A hospitalidade dos habitantes locais acaba revelando uma trama sinistra. Escrito por um dos mais celebrados autores japoneses do século XX e misturando mito, suspense, existencialismo e surrealismo, o livro foi aclamado por público e crítica no seu lançamento, em 1962. A adaptação cinematográfica de 1964, dirigida por Hiroshi Teshigahara e com roteiro de Kobo Abe, se tornou um clássico da Nouvelle Vague japonesa.

HISTÓRIAS DA OUTRA MARGEM

nagai Kafu

tradução Andrei Cunha 128 páginas | isbn 978-85-7448-215-6

Ao ritmo das estações do ano e do ir e vir dos mosquitos no efervescente bairro de Tamanoi, zona de prostituição na margem leste do rio Sumida, o escritor Tadasu Oe vive uma história de amor mal resolvida com Oyuki, ao mesmo tempo que escreve um romance sobre um professor aposentado que abandona a família à própria sorte.

CRÔNICA DA ESTAÇÃO DAS CHUVAS tradução Dirce Miyamura 160 páginas | isbn 978-85-7448-142-5

Nagai Kafu (1879-1959), considerado um dos mais influentes escritores japoneses da primeira metade do século XX, constrói em Crônica da estação das chuvas uma maneira própria de abordar uma estação e a beleza de um lugar. O autor ficou conhecido por memoráveis descrições do temperamento e imaginário da cidade de Tóquio e pelo modo como retratou o mundo das gueixas.

GUERRA DE GUEIXAS tradução Andrei Cunha 248 páginas | isbn 978-85-7448-267-5

Ambientado em Shinbashi, famoso bairro das gueixas de Tóquio, o livro conta a história de duas grandes rivalidades. A primeira é sobre uma ex-gueixa que, após enviuvar, quer voltar à ativa e se tornar a melhor dançarina; a segunda, a disputa entre três homens — um cliente, um velho rico e um ator — que disputam o amor dela.

14

Miolo - catálogo 2017.indd 14

27/09/2017 19:47:52


DOMÍNIO JAPONÊS CASTELO DE YODO, O

Yasushi inOuE

Andrei Cunha 312 páginas | isbn 978-85-7448-212-5 tradução

No século XVI, consolidado sob um regime militar feudal, o Japão vivia imerso numa espécie de guerra civil permanente, graças às disputas pelo poder que alimentavam as lideranças políticas do país. Mas a violência dos combates ganha nessa reconstituição histórico-literária um delicado olhar feminino, ao centrar a narrativa na personagem Chacha que, após ter parte da própria família dizimada, ascende como concubina do homem mais poderoso do Japão.

FUZIL DE CAÇA, O tradução Jefferson José Teixeira 112 páginas | isbn 978-85-7448-178-4

No Japão, o período do pós-guerra trouxe definitivamente à tona toda sorte de questões que mantiveram caráter de tabu durante tanto tempo, numa tradição secular de silêncio e discrição. Isso faz com que o enredo de O fuzil de caça, cujos personagens estão enleados em um caso de amor extraconjugal, não constitua por si só uma novidade ou um fator de estranhamento. É também na forma, e não apenas em sua temática, que a obra se consolida como fundamental no panorama da literatura japonesa contemporânea.

MUSEU DO SILÊNCIO, O

YOKO Ogawa

tradução Rita Kohl 304 páginas | isbn 978-85-7448-269-9

Primeiro título da autora que a casa lança, O museu do silêncio acompanha a jornada de um museólogo incumbido de montar uma espécie de “memorial da morte”, recolhendo objetos tirados dos cenários onde as pessoas faleceram.

FÓRMULA PREFERIDA DO PROFESSOR, A tradução Shintaro Hayashi 232 páginas | isbn 978-85-7448-279-8

Após sofrer um acidente, um velho professor de matemática passa a sofrer problemas de memória. Quando uma mãe solteira começa a trabalhar em sua casa, o velho logo se afeiçoa ao filho dela, a quem passa a compartilhar o amor pelo mundo dos números. No Japão, A fórmula do professor já rendeu, inclusive, uma adaptação cinematográfica.

15

Miolo - catálogo 2017.indd 15

27/09/2017 19:47:52


DOMÍNIO JAPONÊS

Natsume Soseki Soseki nasceu em Tóquio em 9 de fevereiro de 1867. Teve infância difícil e solitária. Aos 23 anos, inicia seus estudos de literatura inglesa. Sempre vítima de crises nervosas, viaja à Inglaterra em 1900 como bolsista do Ministério da Educação. Não se adapta à cultura ocidental, entra novamente em depressão e regressa ao Japão em 1903. Seu recorrente estado depressivo o afasta da família. Falece em 9 de dezembro de 1916. Destacou-se em todos os tipos de escrita, assinando importante obra de teoria literária, totalmente inovadora para a época. Se de um lado foi marcado pela influência ocidental, de outro apregoou a valorização da cultura tradicional nipônica.

SANSHIRO Fernando Garcia 272 páginas | isbn 978-85-7448-214-9 tradução

Sanshiro Ogawa sai do interior do Japão rumo à deslumbrante capital para estudar literatura, mas a transição à vida adulta não será como ele imagina. Aqui, na primeira parte da trilogia informal de Natsume Soseki composta ainda por E depois e O portal, o verdadeiro aprendizado do protagonista se dá mais na contemplação das formosas nuvens do céu azul de Tóquio do que nas supostamente edificantes aulas da universidade.

PORTAL, O Fernando Garcia 240 páginas | isbn 978-85-7448-241-5 tradução

Terceira parte da trilogia geracional de Soseki, antecedida por Sanshiro e E depois, o livro acompanha a rotina morna do casal formado por Sosuke e Oyone. Apesar do bom relacionamento, um trauma do passado parece atormentar a consciência de ambos. Cheio de sutilezas, O portal é um marco da maturidade estilística do autor.

EU SOU UM GATO Jefferson José Teixeira 488 páginas | isbn 978-85-7448-138-8 tradução

Publicado inicialmente em forma de capítulos no Hototogisu, importante jornal literário da época, e lançado em 1905, Eu sou um gato é a estreia literária de Natsume Soseki e uma das primeiras amostras da renovação modernista da literatura japonesa. O romance propõe um panorama precioso e iconoclasta da vida e da intelectualidade do Japão do início do século XX do ponto de vista de um gato, um bichano sarcástico que vive ironizando a imbecilidade dos “animais da raça humana”. Com este livro, o autor atingiu imenso sucesso de público e crítica.

16

Miolo - catálogo 2017.indd 16

27/09/2017 19:47:53


DOMÍNIO JAPONÊS E DEPOIS

natsumE sOsEKi

Lica Hashimoto 288 páginas | isbn 978-85-7448-201-9 tradução

Neste livro que marca o início de sua fase mais madura, Soseki conta a história de Daisuke, um jovem rico que se apaixona pela esposa de seu melhor amigo. O triângulo amoroso é central à obra de Soseki e neste caso a abordagem dada pelo autor é famosa no Japão até hoje. Historicamente, o romance reflete as transformações da Restauração imperial Meiji, iniciada em 1867. Nessa época, o Japão era ainda um país periférico que visava igualarse às grandes potências. Para Daisuke, essa ambição resulta em uma nação preocupada em esconder suas mazelas, ainda que sob uma inclinação de abertura para o Ocidete.

BOTCHAN Jefferson José Teixeira 184 páginas | isbn 978-85-744-8262-0

tradução

VIAJANTE, O tradução

PRELO

A jornada de um professor de Tóquio que, ao se mudar para o interior, tem de lidar com o choque de realidade de um cotidiano totalmente diferente do que estava habituado. Alvo de chacota dos alunos caipiras, o jovem mestre é o próprio narrador da história. Muito popular até hoje no Japão, Botchan é uma obra da fase inicial de Soseki, carregada de humor e sarcasmo.

Fernando Garcia n

Este romance do final da carreira de Soseki, concluído em 1913, se debruça sobre os desencontros da vida familiar. A relação de Ichiro e sua esposa Nao começa a deteriorar por conta da angústia que domina Ichiro e dos ciúmes causados pela visita de seu irmão mais novo, Jiro. O sofisticado tratamento psicológico dos personagens, a preocupação em abordar os grandes temas de sua época e a estrutura fragmentada da obra oferecem mais um atestado da genialidade do autor.

CHUVA NEGRA Masuji Ibuse tradução Jefferson José Texeira 328 páginas | isbn 978-85-7448-196-8

Essa obra de Masuji Ibuse (1898-1993) conta a história da pequena cidade japonesa de Kobatake, dominada pelo boato de que uma de suas habitantes havia estado em Hiroshima no dia do ataque atômico realizado pela aviação norte-americana, em 1945. As possibilidades de que a garota estivesse contaminada pela radiação reduzem, dia a dia, suas chances de casamento. Inspirou a antológica filmagem de Shohei Imamura em 1989.

17

Miolo - catálogo 2017.indd 17

27/09/2017 19:47:53


DOMÍNIO FRANCÊS

André Gide

Prêmio Nobel de Literatura

Nascido em Paris em 1869, Gide teve de início uma forte propensão à música, notadamente o piano, instrumento ao qual se dedicou ao longo de grande parte da vida, embora não tenha se tornado um pianista profissional. Publicou anonimamente aos 21 anos de idade seu primeiro livro, Les Cahiers d’André Walter. Foi um dos autores seminais de sua geração, tendo arrebatado nada menos que o Prêmio Nobel, em 1947. Mas ele dividia os franceses por sua figura pública dúbia, entre a do escritor virtuoso e a do fervoroso militante pela liberdade moral e sexual absolutas – Gide era homossexual assumido. Morreu em Paris, em 1951.

POMBO-TORCAZ, O Mauro Pinheiro | preâmbulo Catherine Gide Jean-Claude Perrier | posfácio David H. Walker 96 páginas | isbn 978-85-7448-162-3 tradução prefácio

Guardado entre os papéis de Gide desde o verão de 1947, O pombo-torcaz relata a noite de 28 de julho passada pelo autor em Bagnols-de-Grenade, nas proximidades de Toulouse, na residência do amigo Eugène Rouart e na companhia do jovem Ferdinand Pouzac, com quem vive momentos de grande êxtase. Talvez o caráter demasiado explícito do texto seja o motivo pelo qual o escritor o tenha mantido em segredo; é fato, porém, que o lirismo com que descreve aquela noite seminal vivida em 1947 sobrepujou o pudor e levou a filha Catherine, que encontrara fortuitamente o manuscrito entre os pertences de Gide, a autorizar sua publicação. PORÕES DO VATICANO, OS tradução Mário Laranjeira 256 páginas | isbn 978-85-7448-154-8

Publicada originalmente em 1914, esta obra tem como personagem central o estranho Lafcadio, jovem capaz de salvar uma vida ou cometer uma atrocidade com a mesma naturalidade. A misteriosa trama do romance, na qual se movimentam personagens de índoles e motivações diversas, dá ensejo a reflexões de caráter metafísico, como no embate entre os personagens Anthime e Julius de Baraglioul, além de colocar frente a frente a ética e a liberdade absoluta, ou certo niilismo, conceitos sobre os quais paira, provocadora, a figura de Lafcadio.

MOEDEIROS FALSOS, OS tradução Mário Laranjeira 424 páginas | isbn 978-85-7448-160-9

“Romance de um romance que se escreve”, como diria o protagonista. Com estilo notoriamente refinado e inovações que marcaram época, Gide prescinde de cronologia e estrutura narrativa tradicionais. Para tanto, Gide concebe um herói, o escritor Edouard, que lhe é muito próximo, e o contrapõe a Bernard Profitendieu, que a seu jeito é igualmente um personagem-modelo. Os moedeiros falsos não são, para Gide, apenas os jovens que escoam dinheiro fraudulento, mas os falsários no espírito e na letra, todos os que vivem na mentira de sentimentos falsos. 18

Miolo - catálogo 2017.indd 18

27/09/2017 19:47:54


DOMÍNIO FRANCÊS DIÁRIO DOS MOEDEIROS FALSOS, O

anDré giDE

tradução Mário Laranjeira 144 páginas | isbn 978-85-7448-161-9

Raros são os escritores que mantêm um diário paralelamente ao livro que escrevem e o publicam em vida. É o caso de Gide com seu famoso romance da juventude perversa. Este Diário é o longo diálogo com seus personagens à medida de sua evolução, e nos permite, como se fosse um grande estudo introspectivo, sentirmos à perfeição o mecanismo criador, a argúcia crítica e a (des)construção narrativa do Prêmio Nobel 1947 em Os moedeiros falsos.

Marguerite Duras Marguerite Duras (pseudônimo de Marguerite Donnadieu) nasceu em 1914 em Saigon, na antiga Indochina francesa. Foi romancista, novelista, roteirista, poetisa, diretora de cinema e dramaturga, sendo considerada uma das principais vozes femininas da literatura do século XX na Europa. Seu legado literário se compõe de cerca de quarenta obras. Além dos romances que a tornaram conhecida, compôs peças de teatro e roteiros cinematográficos, entre os quais o célebre Hiroshima meu amor, dirigido por Alain Resnais (alguns de seus textos eram escritos para as três linguagens — literatura, teatro e cinema). Faleceu em Paris, em 3 de março de 1996.

CADERNOS DA GUERRA E OUTROS TEXTOS Mário Laranjeira 384 páginas | isbn 978-85-7448-156-2 tradução

Constituem a maior parte dos arquivos pessoais que Marguerite Duras legou ao Estado francês em 1995. Escritos entre 1943 e 1949 e quase inteiramente inéditos, os cadernos foram durante muito tempo conservados nos míticos “armários azuis” de sua grande casa em Neauphle-le-Château. Sua publicação oferece hoje uma documentação autobiográfica única, bem como um testemunho precioso sobre o exercício literário de Marguerite Duras no quadro da Segunda Guerra Mundial, de sua infância na Indochina, do trabalho em seus principais romances.

PROMESSA AO AMANHECER Romain Gary tradução Mauro Pinheiro 352 páginas | isbn 978-85-7448-149-4

Um dos mais comoventes romancistas do século XX, com cerca de trinta obras publicadas. Levou o Prêmio Goncourt em 1956 por Les racines du ciel [Raízes do céu]. Promessa ao amanhecer expõe o comovente e conturbado relacionamento entre um filho e sua mãe.

19

Miolo - catálogo 2017.indd 19

27/09/2017 19:47:54


DOMÍNIO FRANCÊS SADE CONTRA O SER SUPREMO Philippe Sollers tradução Luciano Vieira Machado 100 páginas | isbn 978-85-7448-028-2

“Poucos espíritos são suficientemente livres para aceitar que uma nova religião (...) foi fundada na França durante o Terror: a do Ser Supremo. Seu desejo de morte, seu mau gosto, sua mania do espetáculo, seu cômico involuntário, seu moralismo exacerbado, suas práticas mascaradas, seu clero sonâmbulo dos dois sexos, seus rituais mercantilistas corruptores, seus crimes mecânicos, tiveram até hoje um único analista informado e lúcido: o marquês de Sade. Eis a prova.” (Ph. Sollers, no texto de orelha)

ÁDEN, ARÁBIA Paul Nizan Jean-Paul Sartre Bernadette Lyra 176 páginas | isbn 978-85-7448-045-9 prefácio

tradução

Nesta obra, que se tornou um clássico da literatura de viagem, o filósofo Paul Nizan se engaja de corpo e alma numa jornada até a Arábia, que na verdade é uma viagem de descobrimento interior. O famoso prefácio-homenagem de Jean-Paul Sartre (quase um livro dentro do livro) virou referência da contracultura nos anos 1960.

tradução

charlEs PéPin

Luciano Vieira Machado

PRELO

Fenômeno na França, o livro convida a lançar um novo olhar sobre a importância do erro. Na convergência do erudito e do popular, Pépin mostra que os fracassos, inevitáveis ao longo da vida, podem ser experiências definidoras para o desenvolvimento pessoal e profissional. Examinando as biografias de personagens como Steve Jobs, Thomas Edison e J.K. Rowling (e convocando para o debate figuras como Sêneca, Sartre e Freud) o livro lembra que contratempos dolorosos muitas vezes são a base para o sucesso.

ALEGRIA, A tradução

PRELO

VIRTUDES DO FRACASSO, AS

Mauro Pinheiro

“Digo-lhe que nunca penso na minha saída daqui. Nunca. Digo que tenho esta vida a amar e que está muito bem assim. Digo que não quero sua esperança porque a esperança é um veneno: um veneno que nos rouba a força de amar as coisas como elas são.” Solaro atravessa as provações da existência com uma força que aos outros falta: ele sabe desfrutar o momento presente. Este livro é sua história, o romance de um homem feliz. É igualmente um convite para entender o que é a “alegria”, essa força misteriosa que, a todo momento, pode tornar nossa vida intensa. 20

Miolo - catálogo 2017.indd 20

27/09/2017 19:47:54


DOMÍNIO FRANCÊS

Coleção Latitude SOBRE A COLEÇÃO LATITUDE Nossa intenção é dupla: abrir uma janela atualizada e dinâmica, dentro do enfoque multicultural que norteia a Estação Liberdade, para o que há de melhor na literatura dos diversos países e regiões que contribuíram para o florescimento desta importante língua literária e, ao mesmo tempo, oferecer um espaço para autores, obras e editoras nem sempre contempladas pela lógica do mercado, seja dentro ou fora do Brasil. A coleção conta com o apoio dos Ministérios das Relações Exteriores da França, da Suíça e do Canadá para alguns títulos.

QUESTÃO HUMANA, A François Emmanuel tradução Marina Appenzeller 88 páginas | isbn 978-85-7448-057-2

Simon, psicólogo alemão, é enviado para a filial francesa de sua empresa a fim de pesquisar o que estaria errado com o dirigente da firma alemã. O que se inicia como uma simples questão de psicologia do trabalho nos leva a uma impiedosa luta de perfis patológicos na qual paira a memória do Holocausto. A trama foi levada às telas do cinema pelo diretor francês Nicolas Klotz em 2007.

CONVIDADO DESCONHECIDO, O Olivier Cadiot tradução Luciano Loprete 168 páginas | isbn 978-85-7448-033-6

Uma metralhadora impiedosa, que cospe fogo para todos os lados, ou uma câmera que capta imagens e sons girando em 360 graus – este é o narrador. Cinema, publicidade, música, literatura, grafismos, tudo está a serviço do estilo narrativo de Olivier Cadiot, escritor, dramaturgo, músico e jornalista literário irônico, cáustico, ferino.

TOPOGRAFIA IDEAL PARA UMA AGRESSÃO CARACTERIZADA Rachid Boudjedra tradução e posfácio Flávia Nascimento 232 páginas | isbn 978-85-7448-139-5

Odisseia miserável e extenuante de um argelino que deixa seu país e se perde nos meandros do metrô parisiense. Esta aventura, que dezenas de trabalhadores emigrados vivem diariamente, assume aqui conotações comoventes. Um texto duro e incisivo de um estilista que escreve igualmente em árabe e francês e se consagrou no mundo da francofonia.

21

Miolo - catálogo 2017.indd 21

27/09/2017 19:47:54


DOMÍNIO FRANCÊS FORMIGAS DA ESTAÇÃO DE BERNA E OUTRAS FICÇÕES SUÍÇAS, AS Bernard Comment tradução Luciano Loprete 120 páginas | isbn 978-85-7448-068-8

A bela e ordenada Suíça de repente vira um amontoado de angústias por onde alastram-se situações absurdas. Seria esse pequeno país um espelho invertido de nossas manias e neuroses contemporâneas?

ALÁ E AS CRIANÇAS-SOLDADOS Ahmadou Kourouma tradução Flávia Nascimento 232 páginas | isbn 978-85-7448-082-4

Um dos principais autores de língua francesa da África nos leva a um dilacerante mergulho num continente com estratos sociais inteiros em decomposição, através da ignomínia de crianças-soldados na Costa do Marfim. O enredo é entrado na figura de Birahina, um menino que se envolve nas guerras tribais africanas quando, ao ficar órfão, atravessa uma parte do continente à procura de sua tia.

VIDAS MINÚSCULAS Pierre Michon tradução Mário Laranjeira 216 páginas | isbn 978-85-7448-095-4

Pierre Michon apresenta uma ficção memorialística em oito capítulos feita a partir da reconstrução de vidas alheias, como a de seus avós e de seus antigos companheiros de classe na nostálgica província francesa. Vidas desoladas, vidas de antepassados, parentes e amigos, personagens cambaleantes na província francesa em torno de um vilarejo esquecido. Trajetórias de vida que, de tão “miniaturizadas”, tornam-se universais.

BAIXO CALÃO Réjean Ducharme tradução Michel Peterson e Ignácio Antônio Neis 320 páginas | isbn 978-85-7448-105-0

Um dos mais destacados (e totalmente reclusos) autores do Canadá francês, Ducharme nos apresenta o diário de Johnny, tiranizado entre sua companheira Exa Torrent, sua grande amiga Pequena Tara e sua amante Poppée. Histórias de encontros e desencontros de personagens inesquecíveis.

22

Miolo - catálogo 2017.indd 22

27/09/2017 19:47:55


DOMÍNIO ALEMÃO HOTEL SAVOY

jOsEPh rOth

tradução Silvia Bittencourt 184 páginas | isbn 978-85-7448-229-3

No coração da Europa Central ao fim da Primeira Guerra, as pessoas tentam relembrar como é viver num mundo sem conflito. O Hotel Savoy, com seus quase mil quartos, metaforiza através da mixórdia de hóspedes-personagens os desterrados de guerra e os “fantasmas” da Revolução Russa. Pelos olhos de um deles, Gabriel Dan, judeu saído de um campo de concentração na Sibéria, o cenário social do entreguerras é traçado com pungente realismo.

LENDA DO SANTO BEBERRÃO, A tradução Mário Frungillo 80 páginas | isbn 978-85-7448-228-6

TARABAS tradução

PRELO

Num período de poucos dias, um sem-teto parece entrar numa inexplicável maré de sorte: o dinheiro do qual pouco desfrutara na vida começa a lhe cair nas mãos, por origens diversas. Apesar de viver na miséria, o homem ostenta uma dignidade que o faz sentir-se em dívida com uma determinada santa, a quem atribui a responsabilidade por aquela súbita fase afortunada. Mas a constante tentação pela bebida parece testar a resistência de seus valores.

Karina Jannini

Escrito em 1934, o romance narra a vida do camponês russo Nikolaus Tarabas, que ouve de uma cartomante que está destinado a se tornar assassino e santo. Situando a história entre Nova York e a Rússia revolucionária, Joseph Roth faz da jornada de Tarabas uma alegoria para a vida humana, a guerra e os grandes eventos do início do século.

PAVORES DE GELO E TREVAS Christoph Ransmayr tradução Marcelo Backes 296 páginas | isbn 978-85-7448-187-6

O primeiro romance no Brasil de um dos mais elogiados escritores contemporâneos de língua alemã. Conta a emocionante história da expedição polar austro-húngara de 1872-74, descreve a fatal obsessão de um jovem italiano em reconstruir a expedição em 1981, e retraça a crescente fascinação do narrador com o destino desse homem. O texto transcende a ficção ao citar livremente registros documentais, tornando-se uma obra de história e um diário de viagem ao mesmo tempo. 23

Miolo - catálogo 2017.indd 23

27/09/2017 19:47:55


DOMÍNIO ALEMÃO PARTE DA SOLUÇÃO Ulrich Peltzer tradução Marcelo Backes 472 páginas | isbn 978-85-7448-191-3

Berlim, Potsdamerplatz: o mundo vigiado por câmeras de segurança, a liberdade individual, uma mera ilusão. Um jornalista de nome Christian Eich se mantém com “frilas”, mas precisa de algo mais. Ele entra em contato com ex-membros das Brigadas Vermelhas. Em Paris, informações privilegiadas e algumas pequenas surpresas o aguardam. O autor constrói uma história de amor e suspense que põe em cena novas resistências e questões como a vídeo-espionagem e a privatização de espaços públicos, tão simbólicas de nossos tempos. POESIA EXPRESSIONISTA ALEMÃ organização e tradução Claudia Cavalcanti 232 páginas | isbn 978-85-7448-031-2

Edição bilíngue com poemas de Gottfried Benn, Georg Trakl, Iwan Goll, entre outros: uma seleção do melhor desse efervescente período das letras alemãs, tão rico e umbilicalmente ligado ao que ocorria nas artes plásticas. Contém gravuras de alguns dos mais importantes artistas do expressionismo, como Georg Grosz, Lyonel Feininger, Karl Schmidt-Rottluff e Ernst Ludwig Kirchner.

tradução

hans fallaDa PRELO

TODO MUNDO MORRE SÓ Claudia Abeling

Contundente romance que retrata a sociedade berlinense do pós-Segunda Guerra. Mostra a cruzada de um casal da classe trabalhadora que liderou uma campanha de resistência contra os nazistas, por meio de uma inusitada estratégia de espalhar cartões-postais em locais aleatórios da capital alemã. A obra rendeu a Fallada comparações com Conrad, Dostoiévski, Capote e Le Carré.

tradução

PRELO

BEBEDOR, O Petê Rissatti

Com realidade contundente, Hans Fallada conta a história do comerciante Erwin Sommer: a partir de uma crise em sua vida, Sommer sucumbe à bebida, cai nas garras da “Rainha do Álcool”, que o leva a uma viagem infernal por hospícios e prisões. Com uma perspectiva sutil das profundezas psicológicas de um viciado, Fallada apresenta o mundo dos párias e dos perdidos.

24

Miolo - catálogo 2017.indd 24

27/09/2017 19:47:55


DOMÍNIO ALEMÃO

Heinrich Böll

Prêmio Nobel de Literatura

Heinrich Böll assumiu papel central na cena cultural e literária alemã, desde os primeiros anos do pós-guerra até 1985, quando faleceu. Sua obra ficcional, agraciada em 1967 com o prestigioso Prêmio Büchner e com o Prêmio Nobel de Literatura em 1972, voltou-se à representação dos conflitos morais, éticos e religiosos vividos nos contextos de penúria, reconstrução e, depois, pujança econômica da sociedade alemã ocidental após a Segunda Guerra. A narrativa despojada de Böll encontrou enorme repercussão junto a leitores alemães e estrangeiros. A tiragem total de seus livros, traduzidos para cerca de 40 idiomas, alcançou a marca de 20 milhões de exemplares, alguns dos quais publicados anteriormente no Brasil. ANJO SILENCIOSO, O tradução Karola Zimber 208 páginas | isbn 978-85-7448-090-9

Primeiro romance do Prêmio Nobel de 1972, a obra foi escrita em 1950, mas só foi editada postumamente, em 1992. O livro conta a história do regresso do soldado Hans a sua cidade em ruínas, Colônia, no fim da Segunda Guerra, seu encontro com Regina e o amor que nasce entre ambos. A trama de herança em que se veem indiretamente envolvidos é retratada como sinal de perpetuação de estruturas de poder vigentes na Alemanha hitlerista.

PONTOS DE VISTA DE UM PALHAÇO tradução Paulo Soethe 312 páginas | isbn 978-85-7448-145-6

MEU NOME SEJA GANTENBEIN Max Frisch tradução

PRELO

Pontos de vista de um palhaço traz ao leitor as questões que tensionavam a Alemanha pós-Segunda Guerra, uma nação em reconstrução, trespassada por sérios conflitos de ordem econômica, religiosa e ideológica. Hans Shnier, personagem central, é um palhaço abandonado pela companheira – fato que o coloca numa rota reflexiva e autodestrutiva até os níveis mais profundos e sutis do conflito alemão.

Carla Bessa

Um escritor concebe em sua mente ideias para uma história futura, com mais de uma possibilidade para o mesmo personagem. Metafórico, o livro passa por temas como a crise de consciência da Europa do pós-guerra e a sobrevivência da identidade individual numa sociedade que tende a dissolver o sujeito no anonimato das massas — ou a fazê-lo “mais um” nesta espécie de farsa coletiva. Max Frisch, um dos mais destacados escritores suíços do século XX, também é autor de Homo Faber, que vendeu mais de 9 milhões de exemplares nas edições em alemão. 25

Miolo - catálogo 2017.indd 25

27/09/2017 19:47:55


DOMÍNIO ALEMÃO

Peter Handke Hoje em dia indubitavelmente um dos maiores escritores de língua alemã, tornou-se conhecido nos anos 1970 como roteirista de Wim Wenders e por obras como O medo do goleiro diante do pênalti, A mulher canhota (também filmado por ele) e Tarde de um escritor. Produto por excelência da dissolução do Império Austro-Húngaro e mais tarde da Iugoslávia (a mãe era eslovena, o pai austríaco), sua escrita é fortemente marcada pelo desassossego centro-europeu e das margens do Danúbio. Sua rebeldia é igualmente literária, com todo proveito para sua vasta e refinada obra.

DON JUAN (NARRADO POR ELE MESMO) tradução Simone Homem de Mello 144 páginas | isbn 978-85-7448-133-3

Don Juan (narrado por ele mesmo), apesar do seu subtítulo, é recontado, de fato, por um cozinheiro solitário e ocioso, ávido leitor, que, um belo dia, em meio a leituras de Racine e Pascal, decide dar um basta nos livros. Sua imprevista decisão coincide com a igualmente repentina e abrupta aterrissagem de Don Juan no jardim do albergue onde ele vive, nas ruínas do monastério de Port-Royal-des-Champs, na França. Não um Don Juan qualquer, mas o próprio Don Juan, a figura legendária cujas aventuras já foram contadas e recontadas e que Peter Handke decide ambientar definitivamente na contemporaneidade.

PERDA DA IMAGEM ou ATRAVÉS DA SIERRA DE GREDOS, A tradução Simone Homem de Mello 584 páginas | isbn 978-85-7448-165-4

ENSAIO SOBRE O MANÍACO DOS COGUMELOS tradução

PRELO

Em um de seus mais elaborados romances, Peter Handke insere num altiplano remoto da Espanha uma exaustiva busca de identidade, por meio de um escritor e uma mulher que vai a seu encontro com um inusitado pedido. Considerado um dos principais autores contemporâneos de língua alemã, o austríaco Peter Handke já teve suas obras traduzidas para 36 idiomas.

Augusto Rodrigues

A escrita virtuosa do austríaco Peter Handke, com sua linguagem rebuscada e precisa, dá um colorido especial — e alucinógeno — à leitura de mais esta narrativa introspectiva do autor de Ensaio sobre o jukebox, que acompanha a jornada de um homem viciado em cogumelos, e que lhe permite, por exemplo, ouvir “a língua presa das árvores”.

26

Miolo - catálogo 2017.indd 26

27/09/2017 19:47:56


MALINA Ingeborg Bachmann tradução

PRELO

DOMÍNIO ALEMÃO

Carla Bessa

História de um triângulo amoroso entre a narradora da história (uma escritora vienense), seu amante Ivan e o roommate masculino dela (Malina), cujo desfecho será trágico. De linguagem hermética, e experimental na forma e no estilo, a obra explora a questão da dificuldade de se expressar os sentimentos mais profundos.

1913 - ANTES DA TEMPESTADE Florian Illies tradução Silvia Bittencourt 368 páginas | isbn 978-85-744-8266-8

Best-seller na Alemanha, historiador da arte, editor de cadernos culturais, galerista e leiloeiro, Illies nos contempla com essa crônica do ano de 1913, em que quase tudo aconteceu e deu as linhas mestras de um complicado século XX. Na literatura, nas artes e na música, os extremos se confrontavam. Proust buscava o tempo perdido, Stravinsky festejava protagonistas primaveris, Kafka, Joyce e Musil tomavam café no mesmo dia em Trieste, e em Munique um desenhista de cartões-postais chamado Adolf Hitler tentava vender suas vistas da cidade. Triunfo e melancolia, resplandecer e angústia, tudo vira arte nesse ano perturbador. MELODIA DAS COISAS, A — CONTOS, ENSAIOS, CARTAS Rainer Maria Rilke organização e tradução Claudia Cavalcanti 232 páginas | isbn 978-85-7448-200-2

O livro reúne contos e ensaios em parte inéditos no Brasil, além de cartas de Rilke destinadas sobretudo ao “jovem poeta”, a Lou Salomé e a sua mulher, Clara. Todos os textos foram escritos na passagem de século (entre 1898 e 1907) e revelam um autor jovem em busca de maturidade e personalidade literárias. Uma obra em prosa pouco conhecida do grande poeta de língua alemã, mas que, por isso mesmo, promete surpresas a seus leitores.

ANJO AZUL, O Heinrich Mann tradução Erlon José Paschoal 234 páginas | isbn 978-85-7448-047-3

História do autoritário professor ginasial Unrat, que acaba se apaixonando por uma cantora e bailarina do submundo, comprometendo a própria reputação. Uma sátira brilhante da moral dupla da burguesia nos tempos do Império. Clássico absoluto da literatura alemã do século XX, deu origem ao famoso O anjo azul, filme de Josef von Sternberg com atuação antológica de Marlene Dietrich.

27

Miolo - catálogo 2017.indd 27

27/09/2017 19:47:56


DOMÍNIO ALEMÃO

Christa Wolf

MEDEIA VOZES

PRELO

Nasceu em 1929, em território polonês, transferindo-se para a futura República Democrática Alemã em 1945. Apesar da postura crítica, manteve-se fiel à RDA. Estudou literatura em Jena e Leipzig. Trabalhou em revistas literárias e como editora, dedicando-se, a partir dos anos 1960, unicamente a sua produção ficcional, poética e dramatúrgica. Faleceu em Berlim em 2011. Sua obra versa sobre a ética do indivíduo frente ao Estado e outras questões morais. É considerada uma das principais autoras alemãs do século XX.

tradução Carla Bessa 176 páginas | isbn 978-85-7448-246-0

A Medeia da tragédia grega, mulher de Jasão, o Argonauta, a bárbara, a intrigueira, a preparadora de venenos, a assassina vingativa – aqui esta figura de mitos milenares se dissolve, os clichês são revistos. Medeia deve ser sacrificada no altar das lutas palacianas. O retrato que nos oferece Christa Wolf de uma mulher determinada e incomum já foi traduzido para as principais línguas do mundo. A tradutora Carla Bessa, dramaturga brasileira trabalhando na Alemanha, já encenou Christa Wolf.

CASSANDRA Marijane Vieira Lisboa 312 páginas | isbn 978-85-7448-129-6 tradução

A figura central deste romance é Cassandra, filha do rei Príamo de Troia, que recebeu de Apolo o dom divinatório. Das lembranças de sua vida e inúmeros acontecimentos, Cassandra conquista sua lucidez e parte para enfrentar a cegueira histórica de seus conterrâneos. Christa Wolf é considerada a mais importante escritora da extinta República Democrática Alemã.

MEFISTO Klaus Mann tradução Erlon José Paschoal 320 páginas | isbn 978-85-7448-026-8

Uma das obras mais marcantes da literatura moderna de língua alemã, popularizada também graças à bela filmagem de István Szabó, traz a história de Hendrik Höfgen – baseada em Gustav Gründgens, o ator mais famoso e bajulado no regime nazista –, que, por “um pacto com o diabo”, coloca seu talento a serviço do regime e faz uma carreira fulminante. No final, não é mais que uma marionete a serviço do poder.

28

Miolo - catálogo 2017.indd 28

27/09/2017 19:47:56


DOMÍNIO ALEMÃO

Elias Canetti

Prêmio Nobel de Literatura

Nascido na Bulgária em 1905, Elias Canetti, prêmio Nobel em 1981, cresceu em Viena. Em 1938 teve de se exilar, refugiando-se em Paris e depois em Londres. E é sobre seu exílio na Inglaterra durante a Segunda Guerra que trata Festa sob as bombas, que só veio a público postumamente, em 2003. Além deste, a Estação Liberdade também editou Sobre a morte, compilação de notas do escritor, filósofo e ensaísta sobre o difícil tema e que datam de 1942 a 1993. Canetti faleceu em Zurique em 1994.

FESTA SOB AS BOMBAS tradução Markus Lasch 232 páginas | isbn 978-85-7448-159-3

Nestes escritos, posteriores a – e como continuação de – sua grande obra autobiográfica, Canetti narra a década da guerra e do pós-guerra passada na Inglaterra, seus melhores anos, como diria, anos em que redigiu Massa e poder. O autor, que não era especialmente tímido, ainda assim não quis publicar em vida as confidências aqui reveladas, entre outras sobre sua relação com a escritora Iris Murdoch, que mais tarde tornar-se-ia famosa. Surge uma colcha de retalhos social tecida com fina ironia, com seus nobres decadentes e vaidosos, artistas presunçosos, emigrados e refugiados sem tostão, ora deprimidos, ora eufóricos. SOBRE A MORTE Rita Rios 160 páginas | isbn 978-85-7448-169-2 tradução

Do tempo de sua vida, Elias Canetti pensou sobre a morte e escreveu sobre ela. Duas constantes pautam seu pensamento, e que parecem se contradizer mutuamente. Primeiro: não se pode jamais ignorar a morte. Segundo: é necessário se opor à morte incessantemente. Esta pequena obra oferece uma série de reflexões e passagens da obra de Canetti que permitem ver o quanto o tema o atormentava, e com que ardor de irônica erudição ele lhe dedicou estes belos trechos.

BÉLA GUTTMANN — UMA LENDA DO FUTEBOL DO SÉCULO XX Detlev Claussen tradução Alexandre Fernandez Vaz e Daniel Martineschen 176 páginas | isbn 978-85-7448-240-8

A história do futebol mundial no século XX é personificada em Béla Guttmann, um pioneiro do movimento de globalização no esporte mais popular do planeta. Húngaro judeu, Guttmann, também ex-jogador, treinou equipes como Milan, São Paulo e Peñarol, e teve como auge o bicampeonato da Champions League no comando dos portugueses do Benfica.

29

Miolo - catálogo 2017.indd 29

27/09/2017 19:47:56


DOMÍNIO ALEMÃO

A Estação Liberdade retoma os direitos para o Brasil do destacado escritor e dramaturgo suíço-alemão. Várias de suas peças são constantemente encenadas em todos os países do mundo: Os físicos, A pane, A visita da velha senhora, O conformista. Mas seus romances, e entre eles os policiais, constituem prioridade para nós no momento: humor negro, sarcasmo, nonsense e questões sociais se mesclam em obras como Justiça, A suspeita, A promessa, que compõem o primeiro lote de nossa safra dürrenmattiana. Não era sem tempo trazê-lo de volta às estantes brasileiras.

PRELO

Friedrich Dürrenmatt

Dürrenmatt nasceu em 1921 próximo a Berna, filho de um pastor. Estudou filosofia e viveu a maior parte de sua vida em Neuchâtel, na Suíça francesa, onde faleceu em 1990. Entre romances, peças, ensaios e memórias, tem cerca de cinquenta livros publicados.

ROMANTISMO — UMA QUESTÃO ALEMÃ Rüdiger Safranski tradução Rita Rios 384 páginas | isbn 978-85-7448-181-4

O autor aborda o Romantismo de uma maneira renovada e surpreendente. A obra divide-se em duas partes: “O romantismo” e “O romântico”. Na primeira parte, o autor aponta as origens e antecipações desse movimento que revolucionou a cultura, mostrando o espírito que disparou essa explosão criativa a gerar inúmeras teorias e ensaios filosóficos, romances e poemas. Na segunda seção, há a investigação do “romântico como atitude espiritual”, que se manifesta em autores como Schlegel, Fichte, Novalis, Marx, Heine, Nietzsche, Wagner, etc., passando por autores do século XX como Herman Hesse e Thomas Mann e seguindo trilhas que chegam ao nacional-socialismo alemão e ao movimento de 1968 – inclusive suas variações de guerrilha urbana dos anos 1970.

30

Miolo - catálogo 2017.indd 30

27/09/2017 19:47:56


DOMÍNIO INGLÊS

Richard Ford

Laura Wilson

Nascido em Jackson, no Mississipi, Richard Ford é formado em artes pela Michigan State University. Um curso de escrita criativa na University of California, onde teve aulas com E.L. Doctorow e Oakley Hall, selaria sua incursão no mundo das letras. É autor de oito romances e três coletâneas de contos, incluindo Independência [Record, 1997], pelo qual venceu o Prêmio Pulitzer e o PEN/Faulkner Award of Fiction. Cotado ao Nobel, Ford é um dos grandes, hoje, da cena literária americana.

CANADÁ tradução Mauro Pinheiro 456 páginas | isbn 978-85-7448-248-4

COM TODA A FRANQUEZA tradução

PRELO

Uma história dramática de desestruturação familiar. Depois que os pais são presos por terem assaltado um banco, o jovem Bell sente-se perdido, sobretudo depois que a irmã gêmea resolve fugir de casa. Um amigo da família intervém e o estimula a partir para o Canadá, de modo a iniciar uma nova vida. Mas no país vizinho outras surpresas também aguardam o nosso herói.

Juliana Lemos

Aqui, Ford retoma o seu famoso personagem Frank Bascombe (que, aos 68 anos, já largou a carreira de cronista esportivo e trabalha como corretor imobiliário em uma Nova Jersey recém-devastada pelo furacão Sandy), fornecendo um panorama lírico do tumultuoso mundo em que vivemos e explorando grandes temas do novo século, encarando a decadência com sensibilidade cômica e olhar atento. O livro é uma ótima oportunidade para se entender um pouco melhor a situação dos EUA pós-reeleição de Barack Obama. Através de Bascombe — sardônico, profano, comovente, sábio e muitas vezes com opiniões controversas — participamos das aspirações e tristezas, desejos, conquistas e fracassos da vida americana no despertar desse novo século. Com a franqueza e a espirituosidade que são suas marcas registradas, Ford aqui revive Bascombe em sua totalidade, em toda a sua glória imperfeita, para dizer (muitas vezes de maneira hilária) o que todos pensamos mas poucos têm coragem de dizer em voz alta.

31

Miolo - catálogo 2017.indd 31

27/09/2017 19:47:56


DOMÍNIO INGLÊS

Sam Shepard

PRELO

Sam Shepard nasceu em Fort Sheridan, Illinois, EUA, em 5 de novembro de 1943. Laureado com o Prêmio Pulitzer (1979), é autor de mais de 55 peças e três coletâneas de contos. Como ator, atuou em mais de sessenta filmes e recebeu uma indicação ao Oscar em 1984 por The Right Stuff [Os eleitos]. Foi finalista do prêmio literário W. H. Smith pela coletânea Great Dream of Heaven [Grande sonho do paraíso]. Em 2012, recebeu o título honorário do Trinity College, Dublim, Irlanda. É membro da Academia Americana de Artes e Letras, tendo recebido da Academia a Medalha de Ouro em Teatro, e foi incluído no Theater Hall of Fame. Faleceu em 27 de julho de 2017.

AQUI DE DENTRO tradução

Denise Bottmann

O primeiro romance do ator, diretor e dramaturgo estadunidense Sam Shepard (1943–2017). Com tintas autobiográficas e uma prosa marcada por simbolismos e metáforas, Shepard aborda e condensa alguns dos temas preferidos de sua carreira: questões de identidade, a força da memória e as dissonâncias nas relações familiares e amorosas.

FANNY HILL — MEMÓRIAS DE UMA MULHER DE PRAZER John Cleland tradução Eduardo Francisco Alves 312 páginas | isbn 978-85-8586-569-6

Romance escrito por John Cleland, em 1748 e lançado no ano seguinte. Cleland estava na prisão por dívidas contraídas em Londres, e produziu a obra neste período. O texto é considerado o primeiro romance erótico da modernidade, e tornou-se um sinônimo da batalha contra a censura da pornografia. Mais que isso, a obra reflete a sensibilidade de uma pessoa que se encanta com o próximo e que reflete de maneira doce a fluida natureza humana. 32

Miolo - catálogo 2017.indd 32

27/09/2017 19:47:57


DOMÍNIO INGLÊS PADDY CLARKE HA HA HA

rODDY DOYlE

tradução Lídia C. Luther 288 páginas | isbn 978-85-85865-06-1

Impiedoso e hilário relato mostrando como a difícil vida das crianças num subúrbio de Dublin nos anos 1960 as transforma em pequenas feras lutando por poder e ternura. Narrado pela perspectiva de um garoto dublinense dotado de incrível imaginação, o livro propõe um painel apaixonante da pré-adolescência – as aventuras escolares, a paixão pelo futebol – na Irlanda da época. Muito comparado a Dublinenses, de James Joyce, o livro foi best-seller na Grã-Bretanha.

FURGÃO, O tradução Lídia C. Luther 268 páginas | isbn 978-85-85865-84-9

Uma delicada e bem-humorada história sobre a amizade masculina, manchada por ketchup e banhada em gordura num velho furgão transformado em lanchonete sobre rodas. Roddy Doyle ambienta seus personagens num subúrbio de Dublin e acrescenta ao seu explosivo coquetel as emoções de uma Copa do Mundo.

UMA ESTRELA CHAMADA HENRY tradução Lídia C. Luther 384 páginas | isbn 978-85-7448-041-1

Nascido literalmente nos esgotos de Dublin em 1901, filho de um leão de chácara perneta e matador profissional, Henry Smart precisa amadurecer rápido. Da vida de esmolas para a de guerrilheiro do IRA, sua trajetória é longa e conturbada. Roddy Doyle tece aqui o relato impiedoso, mas repleto de ternura e digno de Dickens ou Zola, de uma Irlanda oprimida e paupérrima.

33

Miolo - catálogo 2017.indd 33

27/09/2017 19:47:57


OUTRAS LITERATURAS UMA MISSA PARA A CIDADE DE ARRAS Henryk Siewierski 156 páginas | isbn 978-85-7448-049-7

tradução do polonês

anDrzEj szczYPiOrsKi POlônia

Primeira tradução no Brasil de um dos principais autores poloneses do século XX. Narrativa baseada em um evento real acontecido na cidade de Arras em 1461. Três anos depois de a cidade ser flagelada pela peste e pela fome, por razões desconhecidas desencadeia-se um surto de perseguições cruéis aos judeus e às bruxas, processos por heresias imaginárias, assim como pilhagens e massacres. Uma perspicaz incursão no mundo da intolerância escrita sob o impacto da campanha antissemita de 1968 na Polônia.

BELA SENHORA SEIDENMAN, A Henryk Siewierski 240 páginas | isbn 978-85-7448-128-9

tradução do polonês

É no cotidiano abalado pela ocupação alemã da Polônia que Szczypiorski busca o retrato da humanidade no século XX. O gueto judeu de Varsóvia resiste, com seus personagens marcantes, como o rebelde Pawełek Krynski, alter ego do autor, produto do país onde convivem poloneses, judeus, alemães e outros; e o velho ferroviário socialista Filipek, que se engaja numa aliança peculiar com o alemão Müller — e toda uma rede de vizinhança — para salvar dos porões da Gestapo a bela senhora Seidenman, que enfrenta, determinada e desafiadora, seu verdugo nazista.

CHAMADO DO POENTE, O Gamal Ghitany

EgitO

tradução do árabe Safa Jubran 368 páginas | isbn 978-85-7448-211-8

Um velho habitante do Cairo acorre um dia ao país do poente levando consigo uma extraordinária história de errância, de revelações e de imposições divinas; logo o sultão ordena que um de seus secretários registre em detalhes seu relato místico e emocionante. Tudo começa em sua morada no Egito, na noite em que Ahmad Ibn-Abdallah ouve uma voz misteriosa dizendo-lhe: “Parta!”. O chamado ordena-lhe que siga sempre em direção ao poente, e, quanto mais a voz ecoa, mais Ahmad deixa para trás seus entes queridos e tudo o que havia construído.

SEGREDO DO CALÍGRAFO, O Rafik Schami

síria /alEmanha

tradução do alemão Silvia Bittencourt 440 páginas | isbn 978-85-7448-188-3

Nas ruelas estreitas da cidade velha de Damasco, um boato traça seu caminho: Nura, a bela esposa do famoso calígrafo Hamid Farsi, sumiu sem deixar pista. Por que deixou para trás uma vida que muitos lhe invejam? Ou ela teria sido vítima de sequestro dos inimigos de seu marido? Desde sua mais tenra idade Hamid Farsi era festejado como gênio da caligrafia. Integrando uma confraria secreta de sábios, Hamid Farsi desenvolve planos para uma reforma radical da língua sem imaginar os perigos que o aguardam. 34

Miolo - catálogo 2017.indd 34

27/09/2017 19:47:57


OUTRAS LITERATURAS

Atiq Rahimi

afEganistãO/frança

Nascido em Cabul, Afeganistão, em 1962, estudou em colégio francês e cursou letras na universidade da capital afegã, trabalhando em seguida como jornalista e frequentando a cena literária e artística local. Durante a guerra, no início da década de 1980, deixou o país rumo ao Paquistão, em jornada de oito dias a pé em pleno inverno. Obteve estatuto de refugiado político na França, onde vive desde 1985. Doutorou-se em comunicação audiovisual na Sorbonne. Paralelamente à carreira literária, Atiq Rahimi dirige e produz filmes documentários e de ficção. Terra e cinzas, sua primeira obra ficcional, foi adaptada para o cinema pelo próprio autor.

TERRA E CINZAS tradução Flávia Nascimento 80 páginas | isbn 978-85-7448-053-4

Terra e cinzas é a sensível história de um pai que vai visitar seu filho na mina onde trabalha, em companhia de seu neto, tendo uma das sucessivas guerras que assolaram o país como pano de fundo. Libelo pacifista de denúncia dos horrores da guerra e da miséria.

MIL CASAS DO SONHO E DO TERROR, AS tradução Marina Appenzeller 184 páginas | isbn 978-85-7448-076-3

Em persa, “mil casas” designa o labirinto, onde a saída e o obstáculo convergem; o tempo para, e a escuridão e o terror se acomodam. E um mínimo ponto branco evoca o sol. No tempo das ditaduras, não seriam Cabul e o Afeganistão inteiro esse labirinto? Cinco personagens aprisionados nessa rede tentam escapar do terror por intoxicação ou loucura, morte ou amor.

MALDITO SEJA DOSTOIÉVSKI tradução Marcos Flamínio Peres 280 páginas | isbn 978-85-7448-210-1

Um relato incandescente que nos faz refletir sobre a justiça e a moral, a incoerência do conceito pré-estabelecido sobre o crime e o poder modificador da culpa. No Afeganistão dos anos 1990, o jovem desempregado Rassul planeja um assassinato nos moldes daquele cometido por Raskólnikov, herói de Dostoiévski em Crime e castigo. O plano de eliminar a velha desprezível que humilha a namorada dele, entretanto, não sai como o previsto.

35

Miolo - catálogo 2017.indd 35

27/09/2017 19:47:57


OUTRAS LITERATURAS SYNGUÉ SABOUR — PEDRA-DE-PACIÊNCIA

atiq rahimi

tradução Flávia Nascimento 152 páginas | isbn 978-85-7448-153-1

PRELO

“Pedra-de-paciência. Na mitologia persa, trata-se de uma pedra mágica que se coloca diante de si para despejar sobre ela seus infortúnios, sofrimentos, dores, misérias... Nós lhe confiamos tudo que não ousamos contar às outras pessoas... E a pedra escuta, absorve como uma esponja, todos os segredos, até que num belo dia ela rebenta. E neste dia nos libertamos.”

BALADA DO CÁLAMO, A tradução Leila de Aguiar Costa 200 páginas | isbn 978-85-7448-272-9

NO PAÍS DO CERVO BRANCO Chen Zhongshi tradução do chinês

china

PRELO

A balada do cálamo é o livro mais recente de Atiq Rahimi. A obra é um retrato íntimo do autor, em que Atiq usa uma linguagem pulsante, singular e livre para tratar poeticamente de sua vida, da juventude no exílio à vida adulta como artista, tratando de temas como pertencimento e desenraizamento. Com uma prosa sucinta, quase poética, citando nomes e trechos da tradição literária árabe e europeia, o autor explora questões linguísticas e históricas a partir de sua própria experiência, chegando a um retrato sublime da atividade criativa.

Ho Yeh Chia e Márcia Schmaltz

Best-seller monumental, com mais de 2 milhões de cópias vendidas na China desde sua explosão em 1998, esta obra de pegada fabular e que flerta com o realismo fantástico refaz experiências biográficas do autor, crescido numa pobre família campesina. O livro acompanha a atribulada saga de dois clãs rurais, os Bai e os Lu, em meio a desavenças mortais, paixões tórridas e misticismo exacerbado, tendo como pano de fundo o cenário sócio-político chinês que antecede à “Nova China” – ou a Era Mao Tse-tung.

GAROTO DO RIQUIXÁ, O Lao She

china

Márcia Schmaltz 336 páginas | isbn 978-85-744-8277-4

tradução do chinês

Clássico da literatura chinesa publicado originalmente em 1937, o livro trata das agruras de Xiangzi, um jovem puxador de riquixá de Pequim. Acompanhamos sua edificante jornada individual, na qual o rapaz, de ambições modestas, tem de superar as hostilidades da sociedade para realizar seu grande sonho: ser dono do próprio riquixá.

36

Miolo - catálogo 2017.indd 36

27/09/2017 19:47:57


OUTRAS LITERATURAS

Bae Su-ah Bae Su-ah nasceu em Seul em 1965. Graduada em química, sempre escreveu por hobby, até assumir a escrita como ofício, tendo estreado em 1988 com Chongubek palship palnyon-ui odu-un bang [Um quarto escuro, 1988]. Desde 2001 reside na Alemanha, onde segue produzindo sua ficção inventiva caracterizada pelo aprofundamento psicológico de seus personagens. Sukiyaki de domingo é o seu primeiro livro traduzido em português.

SUKIYAKI DE DOMINGO

cOrEia DO sul

tradução do coreano Hyo Jeong Sung 304 páginas | isbn 978-85-7448-242-2

Primeiro romance sul-coreano com tradução vertida diretamente do idioma original, o livro se envereda por um lado underground da Coreia do Sul, definitivamente destoante de glamour capitalista embutido na reluzente imagem de Tigre Asiático. Com estrutura fragmentária, a narrativa de forte crítica social mostra como a falta de dinheiro, ou a busca por ele, afeta o cotidiano ordinário — por vezes desembocando na violência — de uma série de personagens, entre vagabundos, desempregados, jovens atrás de um “bico” e outras figuras igualmente marginalizadas pela sociedade.

Kim Si-seup Kim Si-seup (1435–1493) entrou para a história da Coreia como o “gênio desafortunado” do Reino de Joseon (1392-1897). Diz-se que ele aprendeu os caracteres chineses aos oito meses de idade, e compôs o primeiro poema aos três anos. Kim Si-seup continuou seus estudos confucionistas e budistas, com o intuito de ser um burocrata do reino, como cabia aos filhos em famílias nobres. No entanto, em meio às crises da corte, ele se tornou um peregrino. Até construir uma cabana na Montanha da Tartaruga Dourada, onde viveu por sete anos e quando acredita-se que estas histórias foram escritas. Dezoito anos após sua morte iniciou-se, a mando do rei, a coleta de suas obras para publicação, ocorrida pela primeira vez em 1521 e mais várias vezes nos séculos seguintes.

CONTOS DA TARTARUGA DOURADA tradução do coreano e organização Yun

cOrEia DO sul

Jung Im

176 páginas | isbn 978-85-7448-284-2 O conjunto dos Contos da Tartaruga Dourada, escrito no século 15, é considerado o ponto fundador da prosa coreana. Conectadas por ideias sobre o amor romântico, a interação entre o mundo dos vivos e o dos mortos e comentários sobre política e religião, as histórias forneceram um modelo de romance que seria usado em séculos por vir. O livro, recheado de referências aos clássicos chineses, combina a prosa às poesias e canções, a literatura fantástica à filosofia, a erudição à sensualidade. Outro ponto de interesse no estilo narrativo de Kim Si-seup é o sincretismo entre elementos xamânicos, budistas, taoístas e neoconfucionistas. 37

Miolo - catálogo 2017.indd 37

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL EUGÉNIE GRANDET Honoré de Balzac tradução Marina Appenzeller 264 páginas | isbn 978-85-7448-138-9

Retrato da vida provinciana francesa na época da Restauração. Eugénie é a filha do avarento e despótico Sr. Grandet, capaz de sacrificar tudo por dinheiro. Balzac mergulha com maestria nas relações humanas, centradas em dois dos personagens mais complexos da Comédia humana, trabalho hercúleo do grande mestre da narrativa realista.

ILUSÕES PERDIDAS Honoré de Balzac Leila de Aguiar Costa 760 páginas | isbn 978-85-7448-126-5

tradução e apresentação

Situado em 1821, o romance narra os fracassos sucessivos de Lucien de Rubempré em suas ambições literárias e jornalísticas. A ruína de um homem que não encontra lugar na sociedade aristocrática, fútil mas impiedosa. Balzac também descreve, com a riqueza de detalhes que lhe é característica, o mundo da edição e da tipografia da França do início do século XIX.

MULHER DE TRINTA ANOS, A Honoré de Balzac Marina Appenzeller Philippe Berthier 232 páginas | isbn 978-85-7448-006-0

tradução prefácio

Uma das obras mais significativas do século XIX. Nela, Balzac analisa as mazelas do matrimônio como cerceamento da mulher e retrata o casamento como pilar da sociedade burguesa (pós-revolucionária) na França.

PAI GORIOT, O Honoré de Balzac Marina Appenzeller Philippe Berthier 296 páginas | isbn 978-85-7448-036-7

tradução prefácio

Um dos pilares da Comédia humana, O pai Goriot é o romance da aprendizagem da vida social na Paris do século XIX. Centrado nos personagens de Goriot, pai renegado pelas duas filhas a quem tudo cedeu, e Rastignac, um jovem almejando sucesso na sociedade parisiense, é um verdadeiro cruzamento de destinos e acontecimentos.

38

Miolo - catálogo 2017.indd 38

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL TRATADOS DA VIDA MODERNA Honoré de Balzac Leila de Aguiar Costa 240 páginas | isbn 978-85-7448-152-4

tradução e apresentação

Balzac escreveu para jornais alguns ensaios em que passeia pela sociedade do período, destacando a sutil e irônica observação dos novos costumes da burguesia emergente. Observa as regras que organizam a nova elegância parisiense e pinta um saboroso quadro de um povo entregue aos prazeres e às bagatelas advindos do tumulto da modernidade de uma sociedade em rápida mutação.

HISTÓRIA MARAVILHOSA DE PETER SCHLEMIHL, A Adelbert von Chamisso tradução

Marcus Vinicius Mazzari

posfácio Thomas Mann

136 páginas | isbn 978-85-7448-064-0 Obra de grande importância da literatura alemã, foi livro de cabeceira de Thomas Mann, como este assinala no notório posfácio incluído nesta edição. Marco do romantismo alemão e leitura obrigatória na Alemanha, este pequeno romance conta a história de um homem que vende sua sombra ao diabo.

UM CONTO DE DUAS CIDADES Charles Dickens tradução Débora Landsberg 480 páginas | isbn 978-85-7448-180-7

No contexto da Revolução Francesa, um mergulho no período do Terror pela pena refinada do escritor mais popular da era vitoriana. Personagens inesquecíveis estão entre a vida e a morte, o amor e o ódio, nessa história ambientada entre Londres e Paris. Traição, honra, paixão: tudo poderia fazer com que alguém terminasse seus dias na ávida e insaciável guilhotina.

BOUVARD E PÉCUCHET Gustave Flaubert Marina Appenzeller Stéphanie Dord-Crouslé 400 páginas | isbn 978-85-7448-130-2

tradução

apresentação

Romance inacabado de Flaubert, narra a história de dois personagens mais ou menos lúcidos, medíocres e simples que decidem experimentar todas as ciências de seu tempo. Irônica crítica ao positivismo nascente e às idiossincrasias humanas.

39

Miolo - catálogo 2017.indd 39

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL EFFI BRIEST Theodor Fontane tradução Mário Frungillo 424 páginas | isbn 978-85-7448-222-4

DIVÃ OCIDENTO-ORIENTAL Johann Wolfgang Goethe tradução

PRELO

Escrita pelo mestre do realismo neorromântico alemão Theodor Fontane, Effi Briest é a história de um adultério pela perspectiva feminina, ambientada na segunda metade do século XIX. Assim, o livro forma uma espécie de trilogia europeia espontânea ao lado dos clássicos Anna Karenina e Madame Bovary. Considerada a obra máxima de Fontane, Effi Briest permanece extremamente popular até hoje.

Daniel Martineschen

Obra capital das letras alemãs escrita em 1819 por um Goethe coberto de glórias, é agora editada no Brasil em notável trabalho de tradução. A edição contém, além de versos que afamaram Goethe, a parte ensaística em prosa, uma inigualável reflexão sobre a escrita. Goethe escreve à sua Otília: “... o intuito destes versos é mesmo de nos emancipar do presente e nos propiciar por um instante o sentimento de uma liberdade sem limites.” Uma esplendorosa visão de um Oriente que ele desconhecia.

SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER, OS Johann Wolfgang Goethe tradução e posfácio Erlon José Paschoal 200 páginas | isbn 978-85-7448-004-6

Talvez o romance mais famoso da literatura alemã, narra a história (contada em cartas) de uma paixão cujo limite é a própria morte. Quando de seu lançamento, em 1774, esta obra-prima gerou uma onda de suicídios entre os jovens, que se identificaram com o personagem.

REFLEXÕES DO GATO MURR E.T.A. Hoffmann tradução Maria Aparecida Barbosa 440 páginas | isbn 978-85-7448-225-5

Se um gato-narrador já seria uma opção narrativa ousada na literatura de qualquer autor contemporâneo, que dizer da Alemanha do início do século XIX? Pois é essa a iconoclastia proposta por E.T.A. Hoffmann em Reflexões do gato Murr, obra de grande comicidade e irreverência, em que o bichano evocado no título, metido a erudito e cuja personalidade passa longe da modéstia, dedica-se a produzir a própria biografia com o intuito de legar à posteridade o registro de sua felina e brilhante passagem por esta existência. 40

Miolo - catálogo 2017.indd 40

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL REFLEXO PERDIDO E OUTROS CONTOS INSENSATOS, O E.T.A. Hoffmann Maria Aparecida Barbosa 264 páginas | isbn 978-85-7448-264-4 tradução e notas

Organizado por Maria Aparecida Barbosa, estudiosa da obra de Hoffmann, os contos que compõem este livro são os mais conhecidos da produção do autor, evidenciando o estilo de Hoffmann em combinar em doses precisas a poesia e a fantasia, o humor e o virtuosismo literário. Entre os contos selecionados estão “Princesa Brambilla”, “O Homem-Areia” e “O quebra-nozes e o Rei dos Camundongos”.

HOMEM QUE RI, O Victor Hugo Ivone Benedetti | introdução Pierre Albouy Roger Borderie e Ivone Benedetti 712 páginas | isbn 978-85-7448-233-0 tradução notas

O próprio autor considerava esta a sua obra máxima, embora seja menos conhecida dentro de sua produção literária. Epopeia dramática escrita em 1869, essa narrativa marcadamente barroca-expressionista mostra a cruzada de Gwynplaine, um menino sequestrado por uma gangue que desfigura crianças para vendê-las como atrações grotescas. Junto com uma garotinha cega, Gwynplaine é adotado depois por Ursus, e a trinca passa a protagonizar o próprio espetáculo mambembe no afã de ganhar dinheiro. NOTRE-DAME DE PARIS Victor Hugo Ana Maria de Alencar e Marcelo Diniz 584 páginas | isbn 978-85-7448-190-6 tradução

Este romance, também conhecido como o Corcunda de Notre-Dame, se passa na Paris medieval e conta a história da bela cigana Esmeralda, condenada por bruxaria pelo atormentado arquidiácono Claude Frollo. A obra gira em torno de Quasimodo, homem deformado e coxo adotado por Frollo, que acaba se apaixonando por Esmeralda e, na tentativa de salvá-la, a esconde na torre da catedral. No entanto, quando um grupo de camponeses parisienses, não compreendendo os motivos de Quasimodo, atacam a catedral para liberá-la, a história termina em tragédia. ÚLTIMO DIA DE UM CONDENADO, O Victor Hugo tradução Joana Canêdo 200 páginas | isbn 978-85-7448-066-4

O misterioso relato de um condenado à morte – não se sabe quando, onde ou por qual crime –, às vésperas de sua execução, é na realidade uma severa crítica à prática que só foi abolida na França em 1980, mais de 150 anos depois da publicação do livro. Traz extenso material complementar: um prefácio de 1829 (uma peça de teatro em que a burguesia debate sua obra), o prefácio de 1832 e uma cronologia de Victor Hugo.

41

Miolo - catálogo 2017.indd 41

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL

tradução

PRELO

NOVENTA E TRÊS Victor Hugo Mauro Pinheiro

CLAUDE GUEUX E OUTROS TEXTOS SOBRE A PENA DE MORTE Victor Hugo tradução

PRELO

O ano é 1793. No auge da Revolução Francesa, o país está dividido entre republicanos e monarquistas, dispostos a dar a vida por seus ideais de nação, se necessário. Victor Hugo narra estes eventos históricos, transitando entre Paris e a Bretanha, levando o leitor a conhecer os dois lados da guerra civil e das revoltas que abalaram a França. Publicado em 1874, foi o último romance do autor.

Dennys Silva-Reis

O romance, parcialmente inspirado por acontecimentos reais, narra a história de Claude Gueux. Recontando a vida de seu personagem — desde que ele é preso por roubar um pedaço de pão até a sua posterior condenação à morte — Victor Hugo denuncia as condições de encarceramento no século XIX e a desproporção dos delitos e penas, em mais uma poderosa narrativa em defesa da vida humana.

NOITES REVOLUCIONÁRIAS, AS Restif de La Bretonne Marina Appenzeller e Luiz Paulo Rouanet Nicolau Sevcenko 376 páginas | isbn 978-85-7448-249-1

tradução

apresentação

NATAN, O SÁBIO Gotthold Ephraim Lessing tradução

PRELO

Restif de La Bretonne, o espectador noturno, testemunha ocular da Revolução Francesa, movimenta sua “câmera”, fazendo desfilar diante de nossos olhos desde os fatos que precederam a tomada da Bastilha até o fim da Monarquia. Sua ótica é a do cidadão comum. Representando a comoção popular, Restif de La Bretonne, ao intercalar à crônica revolucionária a autobiografia e o registro romanesco, traça um painel extremamente vivo dos acontecimentos cotidianos das ruas de Paris.

Saulo Krieger

Obra mais famosa do dramaturgo alemão escrita em 1779, proibida de ser encenada enquanto ele estivesse vivo, a peça é um tratado sobre a tolerância religiosa, embora longe de ser panfletária – é tida como uma das grandes comédias do século XVIII. Acompanhamos a história de amor que se desenvolve entre um templário e a filha de um judeu mercante, e cujas consequências perpassam por temas universais como conflito de classes e a existência de Deus.

42

Miolo - catálogo 2017.indd 42

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL VIAGEM À RODA DO MEU QUARTO Xavier de Maistre tradução

Marques Rebelo

posfácio Valentim Facioli

168 páginas | isbn 978-85-7448-146-3 Uma das obras centrais para a formação do romance moderno, Viagem à roda do meu quarto, publicado em 1794, é um livro que rompe com o padrão clássico vigente à época e aposta na renovação formal, na dimensão trágica e na comicidade, nas tensões e contradições do indivíduo. Foi uma das obras que influenciaram Machado de Assis em seu Memórias póstumas de Brás Cubas.

BEL-AMI Guy de Maupassant Leila de Aguiar Costa 368 páginas | isbn 978-85-7448-185-2

tradução

O cenário é a Paris da belle époque, uma cidade de oportunidades onde o jovem Georges Duroy buscará seu lugar ao sol. Por intermédio de seu ex-companheiro de exército, Forestier, ele ingressará no jornal La Vie Française e ali lançará mão de sua beleza e de seu irresistível charme junto às mulheres para galgar, degrau a degrau, a escada do poder.

ARMANCE Stendhal (Henri Beyle) tradução Leila de Aguiar Costa 288 páginas | isbn 978-85-7448-085-5

Primeiro romance do autor, é considerado por muitos críticos o resultado da aplicação romanesca do tratado quase científico Do amor, escrito cinco anos antes. O livro conta a história infeliz de Octave e Armance, passada nos aristocráticos e preconceituosos salões parisienses do início do século XIX.

NÉVOA Miguel de Unamuno Fabiano Calixto 256 páginas | isbn 978-85-7448-194-4

tradução

Em meio à niebla que envolve seu cotidiano, Augusto encontra na paixão pela pianista Eugênia um porto onde ancorar sua existência. Após o fracasso com Eugênia, porém, Augusto desesperado, descobre que a névoa que o envolve é ainda mais espessa.

43

Miolo - catálogo 2017.indd 43

27/09/2017 19:47:58


CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL GERMINAL Émile Zola Mauro Pinheiro 560 páginas | isbn 978-85-7448-207-1

tradução

Etienne Lantier, um trabalhador ferroviário desempregado, aceita trabalhar na mina de Le Voreux enquanto não consegue outro serviço. Durante este período, ele descobre que seus colegas mineiros estão famintos, doentes e endividados, sem condições de sustentar suas famílias. Quando estas condições se agravam, Lantier lidera uma greve que poderia tanto salvá-los como destruí-los de vez.

PARAÍSO DAS DAMAS, O Émile Zola Joana Canêdo Jeanne Gaillard 504 páginas | isbn 978-85-7448-147-0

tradução prefácio

Inspirado pelo agitado estilo de vida na capital francesa do final do século XIX, Zola escreveu esta obra em 1883. Nela, retrata o efervescente comércio parisiense e as características econômicas daquele período. O livro faz parte da série de vinte títulos que compõem “Os Rougon-Macquart”, na qual o autor traça a trajetória genealógica e social das duas famílias, representando com maestria os ambientes sociais de seu país.

THÉRÈSE RAQUIN Émile Zola Joaquim Pereira Neto Émile Zola para a 2ª edição francesa 240 páginas | isbn 978-85-7448-044-2

tradução prefácio

CASA DA ALEGRIA, A Edith Wharton tradução

PRELO

Considerada hoje uma das mais importantes obras do naturalismo francês, o romance conta os amores cruéis de Thérèse e Laurent, que vão do adultério ao crime, sofrendo todas as consequências morais de seus atos. Zola revela aqui pela primeira vez sua teoria do “romance experimental”.

Bruno Gambarotto

Lily Bart é bonita e charmosa, vivendo entre as famílias ricas de Nova York, mas relutante em comprometer-se finalmente com uma. Em uma busca incessante pela liberdade e pela felicidade que sente que merece, ela se envolve em um escândalo, e é derradeiramente arruinada. Um estudo intrépido da mulher enquanto criatura passiva, existindo apenas como um item de consumo em um mundo de homens, o romance gerou controvérsia quando foi publicado, com seu retrato mordaz das classes abastadas e da falta de liberdade que o casamento e a sociedade ofereciam às mulheres. É considerado ainda hoje como uma das sátiras sociais mais completas e convincentes de Edith Wharton. 44

Miolo - catálogo 2017.indd 44

27/09/2017 19:47:59


DOMÍNIO BRASILEIRO PRIMEIRO DIA DO ANO DA PESTE, O

franciscO maciEl

184 páginas | isbn 978-85-7448-039-8 Elogiado romance de estreia, traz as histórias de um escritor-presidiário. Com talento à flor da pele, mesclando Borges, Burroughs e Trevisan, mas também com traços autobiográficos, Maciel nos oferece imagens cruéis e alucinantes de um submundo onde o verídico nunca está distante: paixão e erotismo, drogas e loucura. A luta pela vida com tudo a que ela tem direito.

NÃO ADIANTA MORRER 288 páginas | isbn 978-85-7448-245-3 Enveredando pelos botecos, pelas bocadas, pelos atalhos dos morros e pela multiplicidade de vozes de seus personagens, o Rio realista e mágico de Maciel ganha vida. O bairro do Estácio de Sá se torna um “tabuleiro de damas (e cavalheiros)”, como define o autor, onde a recompensa do jogo é mais um dia para viver e sonhar “na cidade das balas perdidas, no país das oportunidades perdidas, no planeta das guerras pela paz”.

DESCAMINHOS – ESTÓRIAS DO CAMINHO DO OURO / PARATY Marcos Caetano Ribas 104 páginas | isbn 978-85-7448-042-8 Três encontros. Três vezes o clima feérico de Paraty, aqui como imagem de um país em gestação. O Caminho do Ouro, a antiga estrada pela qual chegavam das Minas Gerais ao litoral as riquezas que o Brasil exportava, metáfora de um longo (des)caminho de um sonho que teima em azedar. Descaminhos é fruto de uma pesquisa minuciosa do Caminho do Ouro e de documentos antigos, trazendo três estórias que se entrelaçam. O leitor é levado em passeio pelos séculos passados e pelos encontros entre os povos que formaram o Brasil – o cara a cara de uma tribo com os europeus, um desencontro de amantes entre metrópole e colônia e o encontro trágico de amor entre escravizados em uma fazenda de café.. ...QUERO MAIS É QUE SE DANEM! Mario Lorenzi 296 páginas | isbn 978-85-7448-175-3 Dois velhos amigos octogenários, cujas trajetórias de vida foram e continuam sendo marcadas pela lucidez, acompanhados pelo jovem neto de um deles, protagonizam a narrativa. A ação decorre da conversação entre os três, ampliada por digressões relativas a fatos que cobrem os últimos 70 anos, da adolescência dos dois velhos até a atualidade.

45

Miolo - catálogo 2017.indd 45

27/09/2017 19:47:59


DOMÍNIO BRASILEIRO FÁTIMA FEZ OS PÉS PARA MOSTRAR NA CHOPERIA Marcelo Mirisola Maria Rita Kehl 144 páginas | isbn 978-85-7448-119-7

prefácio

“Uma voz forte. Uma liberdade impressionante. Não se parece com ninguém, não é ‘nova geração’, não tem truques para ‘prender o leitor’, crimes, suspense, ação, sexo. Por outro lado, só trata disso. De crimes e sexo. Só que nada acontece. Como pode?” (Maria Rita Kehl). O primeiro livro de Marcelo Mirisola, com um texto dilacerante e ferino, ao qual a crítica deu amplo destaque. Nova edição revista pelo autor.

PROCESSOS PRIMÁRIOS Maria Rita Kehl Armando Freitas Filho 90 páginas | isbn 978-85-85865-10-8

prefácio

Coletânea assumida com brilho (psic)analítico. Entre o método e a desordem, o eu e o outro, a solidão de quem foge e a solidão de quem procura, a conhecida psicanalista constrói sua poesia.

DOMÍNIO INFANTIL E JUVENIL MÚSICOS DE BREMEN, OS Irmãos Grimm tradução Renata Dias Mundt | ilustrações Michel Boucher 32 páginas | isbn 978-85-7448-257-6

Muitas gerações de leitores já se deliciaram ao longo dos anos com essa fábula escrita pelos irmãos Grimm. Nesta edição especialmente ilustrada a história clássica torna-se ainda mais cativante: a aventura de quatro animais — um burro, um cachorro, um gato e um galo — que, juntos, armam uma tremenda emboscada para surrupiar a comida de uma trupe de larápios. RISADINHAS, OS Roddy Doyle tradução Anthony Sean Cleaver 112 páginas | isbn 978-85-7448-035-0

O senhor Mack está a um passo de sucumbir a uma maldição que não merece: experimentar o tratamento dos sapecas risadinhas. E quem recebe esse tratamento? Adultos que são maus com as crianças – que dizem que algo tem gosto de frango quando não tem, ou que comem o último pedaço de pizza sem sequer perguntar se alguém queria. Primeiro livro infantil do importante autor irlandês dos best-sellers Paddy Clarke Ha Ha Ha e Uma estrela chamada Henry (veja na página 24). 46

Miolo - catálogo 2017.indd 46

27/09/2017 19:47:59


DOMÍNIO INFANTIL E JUVENIL CARLOTA E OS MONSTROS

DOris DörriE E julia KaErgEl

(CONTÉM QUEBRA-CABEÇA) tradução Angel Bojadsen 32 páginas | isbn 978-85-7448-220-0

Carlota não consegue dormir e se vê perseguida por monstros maluquinhos, bem coloridos e até que inofensivos. Mas seu medo deles é grande. Aparecem toda hora em seu quarto, basta a mãe virar as costas que eles a atormentam. O que fazer? A mãe quer dormir, quer que a filha durma. Uma tem que ir ao trabalho cedo, a outra tem escola. Carlota se enche de coragem e decide enfrentar os monstros: descobre que queriam apenas um pouco de diversão.

CARLOTA QUER SER PRINCESA tradução Angel Bojadsen 32 páginas | isbn 978-85-85865-96-2

Carlota quer ser princesa é o primeiro livro da série estrelando uma menina levada, birrenta e cheia de opinião. A menina Carlota certo dia não quer ir para a escola com sua roupa normal, que acha sem graça. Pede à mãe para vestir seu vestido de princesa. Depois de idas e vindas, ela finalmente consegue ir com sua roupa tão diferente, só que no fim a mãe também veste um vestido muito especial, e as duas saem assim felizes da vida.

QUANDO MEU GATO ERA PEQUENO

gillEs bachElEt

tradução Bernardo Bojadsen 32 páginas | isbn 978-85-7448-224-8

Segundo livro do já famoso gato paquidérmico (ou seria um elefante felino?). Esse pequeno grande personagem em plena crise de identidade paquidérmica (ou felina?) nos garante risadas que valem seu peso. O francês Gilles Bachelet achou um filão que nos comove a todos.

MEU GATO MAIS TONTO DO MUNDO tradução Bernardo Bojadsen 32 páginas | isbn 978-85-7448-198-2

O autor Gilles Bachelet cria seu elefante em sua própria casa como se fosse um gato. Enquanto ele tenta entender a qual raça pertence seu felino, os leitores podem se deliciar com as travessuras do suposto gato, suas manias e estranhezas. A história pode parecer absurda, mas Meu gato mais tonto do mundo, escrito e ilustrado por Bachelet, é capaz de entreter e divertir crianças de diferentes idades com suas curiosas situações bem-humoradas. O livro ganhou o Prêmio Baobab de l’album du salon du livre et de la presse jeunesse de Montreuil e o Prêmio du salon jeunesse de Saint-Étienne, ambos em 2004. 47

Miolo - catálogo 2017.indd 47

27/09/2017 19:47:59


DOMÍNIO INFANTIL E JUVENIL IVÃ, O CAVALEIRO DO LEÃO Felicitas Hoppe tradução

Renata Mundt Midori Hatanaka

ilustrações

200 páginas | isbn 978-85-7448-243-9 A bem-sucedida escritora alemã recria aqui a lenda do rei Arthur baseada em Chrétien de Troyes. Ivã é um cavaleiro insuperável. Para reconquistar a amada Laudine, tem que enfrentar todo tipo de inimigos, ganha um leão como amigo, derrota monstros. Mas a maior das aventuras ainda o espera. Leitura convidativa para jovens e menos jovens.

FÁBULAS DE LA FONTAINE Marc Chagall tradução Mário Laranjeira 144 páginas | isbn 978-85-7448-091-6

Edição com 42 pranchas coloridas de belos guaches de Chagall, que se dedicou durante dois anos a representar as famosas Fábulas de La Fontaine. Depois de exposições na Europa, os guaches foram vendidos para vários colecionadores, o que resultou no desaparecimento de muitos desses trabalhos, boa parte dos quais foram novamente aqui reunidos. A notável tradução de Mário Laranjeira mantém rimas e métrica.

LINA (História em quadrinhos) Bruno Auriema (arte) e Cristina Judar (texto) 80 páginas | isbn 978-85-7448-173-9 Lina, jovem moradora de uma metrópole, curte punk rock e Beethoven. Sem muitas perspectivas e entediada com o trabalho, ela encontra refúgio na loja de antiguidades do avô, personagem que abre as portas de um universo fascinante, capaz de trazer as respostas que ela tanto precisa ouvir.

48

Miolo - catálogo 2017.indd 48

27/09/2017 19:47:59


DOMÍNIO LATINO-AMERICANO

José Lezama Lima Nascido em 1910, Lezama Lima forma com Guillermo Cabrera-Infante e Alejo Carpentier a santíssima trindade da alta literatura cubana. Editor, romancista, ensaísta e poeta, ele estreou com o longo poema Muerte de Narciso, em 1937. Muito influenciado pelo espanhol Luís de Góngora y Argote, Lezama Lima nunca foi um escritor popular na Ilha, também pelo fato de Paradiso, sua obra máxima, ter ficado no ostracismo por anos pelo governo revolucionário, em razão da alta dosagem homoerótica da trama. Morreu em Havana, em 1976.

PARADISO tradução

Josely Vianna Baptista Eloísa Lezama Lima

teXtos introdutÓrios

616 páginas | isbn 978-85-7448-206-4 Obra máxima do barroco latino-americano, Paradiso é assombroso em sua fusão de romance de iniciação com um inigualável apanhado de digressões perfazendo um descomunal turbilhão de conhecimentos literários, filosóficos, mitológicos, históricos e reverenciando o cruzamento das culturas índia, negra e ibérica na América numa síntese delirante. O mago de Havana tece uma ode à amizade por meio da elaboração de um sistema poético. A tradução para o português constitui refinada obra de arte.

HISTÓRIA DO BRASIL CARTAS DE UMA IMPERATRIZ D. Leopoldina tradução Tereza

Maria de Souza Castro e Guilherme João de Freitas Teixeira Bettina Kann e Patrícia Souza Lima coordenação editorial Angel Bojadsen pesQuisa e seleção

496 páginas | isbn 85-7448-108-4 A obra traz a correspondência da imperatriz Leopoldina, que se revela uma personalidade atenta à sua época e, em algumas questões, muito à frente dela. Esta edição inclui artigos de István Jancsó, André de Arruda Machado, Bettina Kann, Maria Rita Kehl e Andreá Slemian, além de documentação iconográfica colorida de artistas-viajantes.

49

Miolo - catálogo 2017.indd 49

27/09/2017 19:48:01


ARTE, CINEMA E FOTOGRAFIA CINEMA JAPONÊS NA LIBERDADE Alexandre Kishimoto Jeffrey Lesser 304 páginas | isbn 978-85-7448-216-3

prefácio

Com linguagem precisa e agradável até para quem não é cinéfilo, Cinema japonês na Liberdade provoca ampla percepção do passado do cinema japonês no Brasil desde que chegou até nós através de projeções ambulantes no meio rural, por volta de 1926, e aponta, ainda, a repressão do regime de Getúlio Vargas à colônia nipônica na década de 1940, a constante catarse provocada pelos filmes japoneses nos espectadores, a diversidade em gêneros e estilos dessa produção cinematográfica e sua influência na obra de cineastas brasileiros. ROBERTO SANTOS — A HORA E VEZ DE UM CINEASTA Inimá Simões 216 páginas | isbn 978-85-85865-81-8 Vida e filmografia comentada do diretor de O grande momento, A hora e vez de Augusto Matraga e outros, que renovou a narrativa cinematográfica brasileira a partir dos anos 1950. O autor traça um perfil contundente de um país em radical transformação e um histórico dos últimos sessenta anos de nosso cinema.

ÚLTIMO JORNALISTA, O — IMAGENS DE CINEMA Stella Senra 212 páginas | isbn 978-85-85865-18-4 A autora analisa as relações muitas vezes ambíguas entre cinema e jornalismo por meio de análise caso a caso de alguns clássicos da história da sétima arte: A montanha dos sete abutres, A primeira página, Blow-up, A gardênia azul, A embriaguez do sucesso, entre outros filmes de cineastas como Billy Wilder, Howard Hawks, Michelangelo Antonioni, René Clair, Fritz Lang e Alexander Mackendrick.

CINEMA [DE] NOVO — UM BALANÇO CRÍTICO DA RETOMADA Luiz Zanin Oricchio Ismail Xavier 256 páginas | isbn 978-85-7448-078-7

prefácio

O crítico e editor cultural estuda a produção cinematográfica brasileira a partir de 1990. Começando o retrato pela era Collor, quando a produção nacional foi estancada, o livro descreve a retomada das atividades cinematográficas e o alcance de certa estabilidade, quando filmes como O auto da compadecida, Carandiru e Cidade de Deus obtiveram boa repercussão entre público e crítica. 50

Miolo - catálogo 2017.indd 50

27/09/2017 19:48:01


ARTE, CINEMA E FOTOGRAFIA DESCREVER O VISÍVEL — CINEMA DOCUMENTÁRIO E ANTROPOLOGIA FÍLMICA Marcius Freire e Philippe Lourdou (orgs.) 320 páginas | isbn 978-85-7448-177-7 Estudo sobre a utilização do cinema como instrumento de pesquisa antropológica e etnográfica, o livro compila uma série de dez textos, que abarcam reflexões conceituais e estudos de caso sobre procedimentos de mise en scène e dificuldades próprias do gênero, como a perda de naturalidade dos retratados frente às câmeras.

AMÉRICA DE RUGENDAS, A Pablo Diener e Maria de Fátima Costa 168 páginas | isbn 978-85-7448-017-6 | coedição Ed. Kosmos Versão em português derivada do catálogo da exposição Rugendas ocorrida em Santiago do Chile, em 1998. Além da reprodução de uma ampla seleção de óleos e desenhos do pintor-viajante Rugendas, contém documentação mundialmente inédita: cartas escritas quando de sua primeira viagem ao Brasil recém-descobertas na Alemanha.

METRÓPOLE EM SINFONIA — HISTÓRIA, CULTURA E MÚSICA POPULAR NA SÃO PAULO DOS ANOS 30 José Geraldo Vinci de Moraes prefácio Elias Thomé Saliba | orelha Nicolau Sevcenko 338 páginas, ilustrações | isbn 978-85-7448-029-9

Produto de uma aprofundada pesquisa historiográfica, apresenta o efervescente panorama cultural e musical da São Paulo da década de 1930. Um belo retrato da formação do maior centro urbano do país com personagens memoráveis da vida paulistana de então – Mário de Andrade, Antônio de Alcântara Machado, Adoniran Barbosa, entre tantos outros – vivendo a era de ouro do rádio, do choro, das marchinhas de Carnaval e muito mais.

RITUAL Carlos Miele fotos

Gal Oppido

apresentação Vitoria

Daniela Bousso 112 páginas | isbn 85-7448-070-3

Registro em imagens do espetáculo multimídia de Carlos Miele, em performance feita no The John F. Kennedy Center, em 2002. O artista propõe uma reflexão sobre a simbologia do corpo, “do primitivo ao digital”, discutindo-o desde suas dimensões físicas (e eróticas) até as espirituais.

51

Miolo - catálogo 2017.indd 51

27/09/2017 19:48:01


ARTE, CINEMA E FOTOGRAFIA CUBISMO, O — UMA REVOLUÇÃO ESTÉTICA Serge Fauchereau tradução Marcela Vieira e Julia Vidile 256 páginas | isbn 978-85-7448-247-7

A princípio um fenômeno artístico parisiense, o cubismo se espalhou amplamente no exterior, afetando em especial a pintura e a literatura. Mesmo um século após seu surgimento, ainda é difícil achar uma definição precisa para essa manifestação artística. O livro propõe uma imersão na história da evolução desse movimento, com mais de duas centenas de belíssimas reproduções. Tendo como marco zero a tela Les Demoiselles D’Avignon (1907), de Picasso, o cubismo trazia um aspecto iconoclasta em seu bojo, no sentido de adotar e combinar procedimentos extrapicturais, extraliterários e extramusicais, que levaram a uma revolução estética dos padrões artísticos então correntes. Além de Picasso, muitos outros nomes acabariam por consagrar o movimento, como Georges Braque, Juan Gris, Albert Gleizes, Jean Metzinger, Blaise Cendrars, Guillaume Apollinaire e André Salmon. O autor, Serge Fauchereau, atuou por mais de uma década no Centre Pompidou, em Paris, como comissário de grandes exposições (Paris-Nova York, Paris-Berlim, Paris-Moscou, etc.). É autor de cerca de trinta obras, entre as quais Hommes et Mouvements esthétiques du XXe siècle [Cercle d’Art, 2003] e o notável Avant-gardes du XXe siècle [Flammarion, 2010].

52

Miolo - catálogo 2017.indd 52

27/09/2017 19:48:01


HISTÓRIA MUNDIAL

Jacques Le Goff Nascido em 1924, o historiador francês internacionalmente conhecido fez dos estudos medievais, em particular os séculos XII e XIII, a obra de sua vida. Ele contesta a Idade Média “negra” catastrófica e destaca suas realizações e progressos nas mais diversas áreas. Sua prolífica produção historiográfica inclui, entre outros livros, História e memória, Uma breve história da Europa e A civilização do ocidente medieval.

HOMENS E MULHERES DA IDADE MÉDIA tradução Nícia Adan Bonatti 448 páginas | Ed. ilustrada a cores | isbn 978-85-7448-223-1

O eminente historiador Jacques Le Goff explora a Idade Média, dos séculos IV ao XV, por meio de retratos de homens e de mulheres que deram sua vida a um criativo e rico milênio de questionamentos, trocas e descobertas. A obra destaca heróis da história como Átila, Clóvis, Carlos Magno, Abelardo e Heloísa, Ricardo Coração de Leão, Saladino, São Franciso de Assis, Marco Polo, Joana d’Arc, Boccaccio e tantos outros, ou personagens imaginários, como o rei Arthur, Satã, e Robin Hood, refutando a imagem de uma Idade Média obscurantista.

SORRISO DE NICOLAU, O — HISTÓRIA DE MAQUIAVEL Maurizio Viroli tradução Valéria Pereira da Silva 312 páginas | isbn 85-7448-063-0

A vida desse incrível personagem mostra que Maquiavel não foi apenas o autor de O príncipe, mas acima de tudo uma personalidade forte, inquieta, complexa. Nesta aprimorada biografia, o pesquisador e professor Maurizio Viroli descortina os encontros de Maquiavel com os poderosos, as amizades, os amores, as viagens, seus sucessos e suas derrotas. No entorno da vida de Maquiavel descobrimos a Florença dos Medici, mas também as infindáveis intrigas palacianas dos Estados italianos do século XVI. GUERRA COMO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Rolf Uesseler tradução Marco Casanova 328 páginas | isbn 978-85-7448-151-7

Rolf Uesseler revela os interesses econômicos que motivaram a atuação cada vez maior de empresas militares privadas em conflitos armados e expõe as várias atividades em que florescem. Discute ainda as consequências destas novas formas de exercício de poder bélico, inclusive no que diz respeito às políticas de Estado, a privatização de operações militares, as relações internacionais e a ameaça que elas constituem à própria democracia.

53

Miolo - catálogo 2017.indd 53

27/09/2017 19:48:02


HISTÓRIA MUNDIAL SUFRÁGIO UNIVERSAL E A INVENÇÃO DEMOCRÁTICA, O Letícia Canêdo (org.) tradução Guilherme João de Freitas Teixeira, Herculano Villas-Boas, Leila de Aguiar Costa, Rubia Prates Goldoni, Tereza Lourenço Pereira e Valéria Pereira da Silva 512 páginas | isbn 978-85-7448-111-1

O voto direto e universal, que celebra a igualdade política dos homens, foi concretizado pela primeira vez em 1848. Considerado hoje um símbolo da democracia, é surpreendente constatar a indiferença que cercou o seu aniversário de 150 anos e a frágil atenção que se dá às formas de apropriação de suas práticas e às condições que as tornaram (e tornam) possíveis. Este livro reúne uma série de trabalhos que discutem como aconteceu, em vários países, a imposição e o ajuste desta prática como princípio de legitimidade da dominação política. VIDAS DE CÉSAR Suetônio/Plutarco tradução e introdução

Antonio da Silveira Mendonça (Suetônio/latim)

tradução e notas Ísis Borges da Fonseca | introdução Pedro Paulo A. Funari (Plutarco/grego) 272 páginas | isbn 978-85-7448-121-0

Em uma mesma edição, as duas únicas biografias de Júlio Cesar que nos foram legadas pela Antiguidade. Suetônio, cidadão romano, é autor de A vida dos doze Césares, obra na qual retrata a vida de César e dos outros onze primeiros imperadores de Roma. Plutarco, sacerdote grego, viajou por todo o mundo mediterrâneo e, quando retornou à Grécia, decidiu escrever sobre figuras ilustres da história, produzindo mais de quarenta biografias. BELLVM CIVILE / A GUERRA CIVIL Júlio César tradução, introdução e notas

Antonio da Silveira Mendonça 312 páginas | isbn 978-85-85865-94-8

Tradução comentada do grande clássico escrito do próprio punho por César, narra sua ascensão ao poder, bem como os conflitos que dilaceraram a Roma antiga durante a luta do Imperador para consolidar seu domínio. Edição bilíngue latim-português, assinada por um dos maiores latinistas brasileiros.

DIA DOS BÁRBAROS, O — 9 DE AGOSTO DE 378 Alessandro Barbero tradução Maria Cecília Casini 232 páginas | isbn 978-85-7448-184-5

O livro de Alessandro Barbero, professor de história medieval na Universidade de Piemonte, retrata o princípio do fim de um império. O conflito entre godos e romanos, ocorrido nos Bálcãs no século IV, é um dos marcos iniciais da cadeia de eventos que, mais de cem anos depois, levariam à queda o Império Romano.

54

Miolo - catálogo 2017.indd 54

27/09/2017 19:48:02


HISTÓRIA MUNDIAL GUERRA, A Luigi Bonanate tradução Maria Tereza Buonafina e Afonso Teixeira Filho 176 páginas | isbn 978-85-7448-046-6

O que é a guerra? Como é feita? Por que se faz? Uma reconstrução da guerra em todas as suas dimensões: antropológica, estratégica, historiográfica, filosófica. O autor leciona relações internacionais na Faculdade de Ciências Políticas na Universidade de Turim e na Escola Superior de Economia e Relações Internacionais de Milão.

PÉRICLES — O INVENTOR DA DEMOCRACIA Claude Mossé tradução Luciano Vieira Machado 264 páginas | isbn 978-85-7448-132-6

Nesta biografia de Péricles, célebre personalidade política da Antiguidade grega, Claude Mossé, uma das maiores helenistas da França, joga nova luz sobre o modelo democrático de Atenas visto como etapa na elaboração de um sistema político original. Discute também questões da liderança ambígua de Péricles, “primeiro cidadão de Atenas”, no momento da maior influência ateniense no Mediterrâneo oriental, pulverizando mitos e relativizando lugares-comuns.

CARLOS MAGNO Jean Favier tradução Luciano Vieira Machado 704 páginas | isbn 978-85-7448-089-3

Monumental biografia do primeiro dos carolíngios, fundador do Sacro-Império Romano Germânico. O autor, medievalista de renome e ex-presidente da Biblioteca Nacional da França, trata das intermináveis campanhas guerreiras de Carlos Magno, e também de seu legado político, religioso e cultural, dando origem ao mundo ocidental como o conheceríamos nos mil anos seguintes. A edição contém encarte colorido.

JÚLIO CÉSAR — O DITADOR DEMOCRATA Luciano Canfora tradução Antonio da Silveira Mendonça 512 páginas | isbn 978-85-7448-051-0

Estrondoso sucesso editorial na Itália, com cerca de 300 mil exemplares vendidos. Esta encorpada e extremamente bem documentada biografia do imperador romano pelo historiador e ficcionista Luciano Canfora já marcou época. Através de um minucioso estudo em fontes textuais, o autor traça a trajetória política de César. A edição inclui mapas, glossário, cronologia da vida de César, além de biografias dos principais personagens da época. 55

Miolo - catálogo 2017.indd 55

27/09/2017 19:48:02


HISTÓRIA MUNDIAL

Eric Hazan Eric Hazan é um historiador, escritor e editor nascido em Paris, em 1936. Filho do editor de livros de arte Ferdinand Hazan, estudou medicina e trabalhou anos como pediatra em campos de refugiados palestinos. De volta à França, assumiu a casa editorial do pai (que leva o nome da família), depois vendida ao grupo Hachette. Fundou e dirige desde 1998 a editora La Fabrique, dedicada a livros “contra a manutenção da ordem existente”.

INVENÇÃO DE PARIS, A — A CADA PASSO UMA DESCOBERTA Capa dura/cores tradução Mauro Pinheiro 448 páginas | isbn 978-85-7448-213-2 Em A invenção de Paris, Eric Hazan conduz o leitor a um emocionante tour historicamente rico sobre a construção de Paris, explorando os lugares e as lutas que marcaram seu crescimento. Concentrando-se ao mesmo tempo sobre as representações literárias e culturais da cidade, assim como motins, rebeliões e revoluções ao longo do século XIX até atos de 1968, Hazan nos guia pela densa Paris. Edição especial ricamente ilustrada.

56

Miolo - catálogo 2017.indd 56

27/09/2017 19:48:02


HISTÓRIA MUNDIAL UMA HISTÓRIA DA REVOLUÇÃO FRANCESA Luciano Vieira Machado PRELO

tradução

Eric hazan

Eric Hazan, autor do apreciado A invenção de Paris, tece uma história comentada e iconoclástica da Revolução Francesa – para o grande público. O rufar das ruas em polvorosa ressoa em leitura cativante e definitivamente anti-establishment. Entre os temas abordados estão a escola obrigatória, a abolição por lei do patriarcado, as novas formas de convívio, e os diversos protagonistas da Revolução.

HISTÓRIA / ALIMENTAÇÃO HISTÓRIAS DA MESA

massimO mOntanari

tradução Federico Carotti 232 páginas | isbn 978-85-7448-270-5

A partir da noção de que a fome transforma o mundo, e que a culinária transforma a comida, este livro do especialista em história da culinária, Massimo Montanari, convida o leitor a um verdadeiro passeio pela história do Ocidente, através de contos envolvendo refeições, desde a Idade Média até a era moderna.

MUNDO NA COZINHA, O — HISTÓRIA, IDENTIDADE, TROCAS tradução Valéria Pereira da Silva 262 páginas | isbn 978-85-7448-172-2 | coedição Ed. Senac-SP

Fruto de uma conferência realizada na Universidade de Bolonha, a obra traça um vasto panorama do intercâmbio gastronômico e cultural no mundo. Em oito textos, especialistas estrangeiros em história, antropologia e sociologia mostram como a alimentação se equipara à linguagem e como a comida auxilia na intermediação entre culturas, proporcionando invenções e contaminações.

FABULOSA HISTÓRIA DOS LEGUMES, A Évelyne Bloch-Dano Luciano Vieira Machado Michel Onfray 184 páginas | isbn 978-85-7448-203-3

tradução prefácio

A autora recorre a uma série de disciplinas como a literatura, artes, música, poesia, cinema, história, arqueologia, genética, horticultura, entre outras, para mostrar que o legume dispõe de uma aura simbólica maior do que seu mero valor calórico ou de mercado. E também nos apresenta a história do mundo que incorporamos ao comermos um simples legume, como por exemplo a ervilha. 57

Miolo - catálogo 2017.indd 57

27/09/2017 19:48:02


HISTÓRIA / ALIMENTAÇÃO HISTÓRIA DA ALIMENTAÇÃO Jean-Louis Flandrin e Massimo Montanari (orgs.) tradução Luciano Vieira Machado e Guilherme João de Freitas Teixeira 890 páginas | isbn 978-85-7448-002-2

Tratado histórico e antropológico sobre a alimentação, desde a Pré-História até os dias de hoje, apresentado de forma cronológica e dissertando sobre assuntos como função social dos banquetes, sistemas alimentares e modelos de civilização, a dietética contra a gastronomia, etc. Livro fundamental para historiadores, sociólogos e defensores das boas causas gastronômicas, por 42 destacados especialistas. Dois ricos cadernos de ilustrações coloridas.

FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS

Peter Sloterdijk

PRELO

Expoente máximo da filosofia mundial contemporânea. Após uma série de ensaios editados nos últimos anos, a Estação Liberdade trabalha agora na edição da trilogia Esferas, uma circum-navegação histórico-política da humanidade em três volumes.

VOCÊ PRECISA MUDAR SUA VIDA tradução

Marco Casanova

Impressionante reflexão do grande filósofo de origem alemã em que combina conceitos de religião e superstição para sugerir que, na atual era da globalização, o homem não tem que ter a pretensão de mudar o mundo, mas sim a preocupação de mudar-se a si próprio, em busca de uma evolução pessoal constante.

58

Miolo - catálogo 2017.indd 58

27/09/2017 19:48:03


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS OS TERRÍVEIS FILHOS DOS NOVOS TEMPOS Marco Casanova

PRELO

tradução

PEtEr slOtErDijK

O que conduz a humanidade? Ela caminha numa perspectiva evolutiva, guiada pelas lições da história? Neste livro pessimista de Sloterdijk, o autor teoriza que a transição de gerações nunca é equilibrada, na medida em que os fios da tradição são continuamente cortados, corrompendo antigos valores. O resultado é a geração de “crianças potencialmente terríveis”.

ESFERAS I – BOLHAS tradução José Oscar de Almeida 576 páginas | ilustrações p&b | isbn 978-85-7448-274-3

ESFERAS

tradução José Oscar de Almeida Marques Vol. II - Globos (ca. 1000 páginas, ilustrações p&b) Vol. III - Espumas, Esferologia plural (ca.916 páginas, ilustrações p&b)

PRELO

Bolhas, o primeiro volume da trilogia, trata das microesferas: parte da constatação de que o ser humano, de sua condição de feto até a infância, nunca está sozinho, sempre estando em relação com o outro e se dirigindo a ele.

Nesta abrangente obra, Sloterdijk estabelece os fundamentos da história política, filosófica e social dos últimos 2500 anos. Parte da simples indagação: em que tipo de habitat vive o homem? Tentando encontrar uma resposta a essa pergunta, ele desenvolve o conceito de esferas (globos) e faz um desvio fascinante e de amplas perspectivas partindo das culturas mais primitivas até a nossa era globalizada. No segundo volume, Globos, Sloterdijk oferece-nos uma história do mundo político assentando-se nas ideias e imagens morfológicas do ambiente humano e constatando a inevitabilidade do esférico, e isso já a partir da Grécia antiga, mas valendo também para a concepção de ordem dos grandes impérios do período pré-moderno. Sloterdijk nos apresenta aqui uma monumental metáfora da civilização globalizada – da geometrização do céu em Platão e Aristóteles até a circum-navegação da última esfera remanescente, o globo terrestre, por navios, capitais e sinais.

IRA E TEMPO ENSAIO POLÍTICO-PSICOLÓGICO tradução Marco Casanova 304 páginas | isbn 978-85-7448-195-1

Sloterdijk se afasta da visão psicanalítica que reduz o sentimento de ira a uma válvula de escape para desejos não realizados e redescobre a função desse conceito para o século XXI. Traçando um panorama da ira na história do pensamento ocidental, o filósofo surpreende com o resgate de um olhar positivo sobre esse sentimento que ja fora apreciado por ser a força motriz dos guerreiros e pedra fundamental no surgimento de heróis.

59

Miolo - catálogo 2017.indd 59

27/09/2017 19:48:03


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS DERRIDA, UM EGÍPCIO — O PROBLEMA DA PIRÂMIDE JUDIA

PEtEr slOtErDijK

tradução Evando Nascimento 80 páginas | isbn 978-85-7448-163-0

O filósofo alemão desenvolve neste livro uma série de reflexões feitas a partir da morte de Derrida. Mais do que uma simples homenagem, trata-se de lançar um olhar entre o modesto e o extremamente ambicioso sobre uma obra de cerca de oitenta volumes.

REGRAS PARA O PARQUE HUMANO — UMA RESPOSTA À CARTA DE HEIDEGGER SOBRE O HUMANISMO tradução José Oscar de Almeida Marques 64 páginas | isbn 978-85-7448-021-3

O debate sobre o destino do ser humano na época da bioengenharia. O texto foi razão da eclosão de uma das maiores polêmicas político-filosóficas na Europa nos últimos anos.

DESPREZO DAS MASSAS, O — ENSAIO SOBRE LUTAS CULTURAIS NA SOCIEDADE MODERNA tradução Claudia Cavalcanti 120 páginas | isbn 978-85-7448-055-8

O fenômeno “luta cultural” em si é o conflito no qual se depara a legitimidade e a origem das diferenças. Discute-se como a metafísica religiosa é intranquilizada pela pergunta de onde provém o Mal e, da mesma forma, como a sociedade secular se defronta com a questão de como deve alimentar suas diferenças (alteridade).

NO MESMO BARCO — ENSAIO SOBRE A HIPERPOLÍTICA tradução Claudia Cavalcanti 96 páginas | isbn 978-85-7448-001-5

Ensaio sobre os delírios da política, do paleolítico até hoje. Fulmina, com esse ensaio, mais de quatro mil anos de história. Assim, pode distanciar seu olhar à medida que mergulha nas grandes civilizações da Antiguidade, o que lhe permite apreender alguns vícios fundamentais de nossa época com perspicácia e originalidade.

60

Miolo - catálogo 2017.indd 60

27/09/2017 19:48:03


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS

PEtEr slOtErDijK SE A EUROPA DESPERTAR — REFLEXÕES SOBRE O PROGRAMA DE UMA POTÊNCIA MUNDIAL AO FINAL DE SUA ERA DE LETARGIA POLÍTICA tradução José Oscar de Almeida Marques 96 páginas | isbn 978-85-7448-025-1

Neste ensaio, Sloterdijk se pergunta se a Europa dilacerada de 1945 poderia ser vista como metáfora de um império moderno e esclarecido às vésperas do novo século. Os desenvolvimentos políticos recentes, inclusive a derrapagem violenta da política externa norte-americana, já haviam sido previstas pelo filósofo alemão.

CRÍTICA DA RAZÃO CÍNICA tradução Marco Casanova e outros 978 páginas | isbn 978-85-7448-209-5

Lançada em 1983, por ocasião do bicentenário da publicação de Crítica da razão pura, de Kant, esta obra nos coloca no centro da reflexão filosófica contemporânea ao criticar a modernidade. Perante o cinismo moderno como remédio e como excesso/ultrapassagem, o autor sugere redescobrir os valores/virtudes do cinismo antigo que praticava a filosofia de Sínope: o riso, a inventiva, os ataques.

Claude Hagège

PRELO

Claude Hagège nasceu em 1936 em Cartago, na Tunísia, quando esta era ainda um protetorado da França. É linguista, professor honorário no Collège de France desde 1988. Ele recebeu vários prêmios por seu trabalho, incluindo o prêmio da Académie française, em 1986, e a medalha de ouro do CNRS (National Scientific Research Center), em 1995. Hagège tem total domínio das principais línguas do mundo e é notório por palestrar em diversos idiomas germânicos, semíticos, romanos e sino-tibetanos. Além das já citadas, ele é conhecedor de cerca de cinquenta línguas ou dialetos, incluindo guarani, húngaro, navajo, persa, malaio, hindi, quéchua, turco e japonês.

DICIONÁRIO AMOROSO DAS LÍNGUAS Ana Alencar

tradução

Claude Hagège, eminente linguísta e professor no Collège de France, declara seu amor às línguas e nos mostra o que elas são capazes de fazer, de dizer e de esclarecer sobre nossa natureza. Simultaneamente informativo, perspicaz, analítico e bem-humorado, esta grande obra pode ser consultada como qualquer dicionário e degustada ao sabor de seus ingeniosos – e por vezes surpreendentes – verbetes.

61

Miolo - catálogo 2017.indd 61

27/09/2017 19:48:03


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS

DEnisE bErnuzzi GORDOS, MAGROS E OBESOS — UMA HISTÓRIA DO PESO NO BRASIL

DE

sant’anna

184 páginas | isbn 978-85-7448-273-6 Aborda a pouco conhecida história de gordos e magros no Brasil. Seus dramas e venturas, suas definições científicas e construções publicitárias. Dos antigos licores para engordar aos modernos regimes, cirurgias e “alimentos diet” mudaram não apenas os critérios de saúde e beleza. Houve grande transformação no modo de conceber a decência e o pudor, assim como a sexualidade inscrita na forma física.

POLÍTICAS DO CORPO 192 páginas | isbn 978-85-85865-02-3 Numa intrigante confluência entre medicina, arte, antropologia e história, estes artigos de vários autores da França e do Brasil mostram que a estética corporal é inseparável de um trabalho que convoca saberes científicos e não científicos.

CORPOS DE PASSAGEM 128 páginas | isbn 978-85-7448-043-5 Como se vê o corpo e como o corpo é visto. Como se quer vê-lo e como se quer que seja visto. Do “corpo que nos causa mil dificuldades” (Sócrates) ao corpo aerodinâmico, do corpo débil dos hospitais ao corpo veloz dos aeroportos, do corpo herdado e imposto ao corpo (re)construído da biogenética e (re)moldado das academias, esta coletânea de textos nos dá uma visão arguta e por vezes inesperada deste “objeto” no qual vivemos dia após dia, contra o qual nos rebelamos, e que por vezes se rebela contra nós.

PEREGRINAÇÕES — LEI, FORMA, ACONTECIMENTO Jean-François Lyotard tradução Marina Appenzeller 112 páginas | isbn 978-85-7448-009-1

Em vez de memórias, já que o filósofo e ensaísta francês partiu sem escrevê-las, temos aqui um importante testemunho literário, estético, ético e político; um pequeno, mas vibrante, balanço intelectual para a posteridade: a literatura, as artes, a política e obviamente a filosofia.

62

Miolo - catálogo 2017.indd 62

27/09/2017 19:48:03


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS ENSAIOS DE TEODICEIA SOBRE A BONDADE DE DEUS, A LIBERDADE DO HOMEM E A ORIGEM DO MAL G. W. Leibniz tradução William de Siqueira Piauí e Juliana Cecci Silva 488 páginas | isbn 978-85-7448-221-7

Obra de um filósofo que contava então com mais de 60 anos e que sempre se preocupou com a questão da suposta existência do livre-arbítrio em um mundo governado por uma entidade onisciente, os Ensaios de teodiceia, publicados em 1710, apresentam uma impressionante enumeração de argumentos sobre o assunto, os quais são debatidos com toda a minúcia por um autor que é reconhecido por suas contribuições para a história da Matemática e da Lógica.

PROLEGÔMENOS A QUALQUER METAFÍSICA FUTURA QUE POSSA APRESENTAR-SE COMO CIÊNCIA Immanuel Kant tradução José Oscar de Almeida Marques 176 páginas | isbn 978-85-7448-227-9

Revisitando a estética, a analítica e a dialética transcendentais já minuciosamente analisadas em Crítica da razão pura, o filósofo alemão Immanuel Kant apresenta aqui, em texto publicado em 1783, dois anos após a publicação de sua obra-prima, grandes indagações complementares sobre o caráter da metafísica. A edição, baseada na versão de Leipzig, de 1920, traz ainda um prefácio esclarecedor sobre a atualidade da presente obra de Kant e os percalços de sua tradução. GUERRA SEM BATALHA — UMA VIDA ENTRE DUAS DITADURAS Heiner Müller tradução Karola Zimber 336 páginas | isbn 978-85-85865-70-2

Autobiografia de um dos maiores dramaturgos do século XX, autor de Trator, Hamletmachine e Fatzer, entre mais de trinta peças. Ninguém melhor para qualificá-lo do que a Stasi, a polícia política da extinta RDA, que não se enganou a seu respeito: “Tem raízes em todos os recantos da RDA e é considerado um clássico da dramaturgia da RDA. É genial e tem uma enorme quantidade de fãs. Do ponto de vista político é um ponto nevrálgico (...), algo de que o adversário procura tirar proveito, mas é fiel à RDA...” ROLAND BARTHES POR ROLAND BARTHES Roland Barthes Leyla Perrone-Moisés 216 páginas | isbn 978-85-7448-075-6

tradução

Composta de fragmentos e imagens sobre os mais diferentes temas e momentos da vida do autor, esta obra não é apenas um relato autobiográfico. Trata-se de reflexões filosóficas e críticas com comentários afinados sobre a linguagem, escritores, a literatura, o sonho, a memória, o teatro, a sexualidade, a ideologia e demais assuntos que permearam a carreira de um dos grandes pensadores franceses do século XX.

63

Miolo - catálogo 2017.indd 63

27/09/2017 19:48:04


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS OLHO DA UNIVERSIDADE, O

jacquEs DErriDa

Ignacio Antonio Neis e Ricardo Iuri Canko Michel Peterson 160 páginas | isbn 978-85-7448-008-4

tradução

introdução

“Cuidado com o que abre a Universidade para o exterior e para o sem-fundo, mas cuidado também com o que, fechando-a em si mesma, não criaria senão um fantasma de cercado, a colocaria à mercê de qualquer interesse ou a tornaria perfeitamente inútil. Cuidado com as finalidades, mas o que seria uma Universidade sem finalidade?” (J. Derrida, em “As pupilas da Universidade”, um dos capítulos deste livro).

RELIGIÃO, A Jacques Derrida e Gianni Vattimo (orgs.), Hans-Georg Gadamer, Maurizio Ferraris, Aldo Gargani, Eugenio Trías, Vincenzo Vitiello tradução Roberta Barni, Guilherme João F. Teixeira, Tadeu Mazzola Verza e Claudia Cavalcanti 232 páginas | isbn 978-85-7448-003-9

Algumas das mais destacadas figuras da filosofia e da sociologia contemporânea se reúnem na ilha de Capri para discutir por que é tão difícil analisar este fenômeno precipitadamente chamado de “retorno das religiões”.

UNIVERSIDADE SEM CONDIÇÃO, A tradução Evando Nascimento 88 páginas | isbn 978-85-7448-074-9

Derrida apresenta uma comovente defesa a favor da universidade como espaço de livre-pensar e da livre-pesquisa. Para além da liberdade acadêmica, Derrida exige para a universidade do futuro uma liberdade incondicional de questionamento e a verdade sem limites.

PAPEL-MÁQUINA tradução Evando Nascimento 360 páginas | isbn 978-85-7448-096-1

Obra na qual Derrida aborda o papel da escrita e do livro no início deste novo milênio. “O que acontece com o teu arquivo quando o mundo do papel se vê submetido a tantas novas máquinas de virtualização?” Derrida reflete sobre o papel como suporte de todo um edifício civilizatório, no momento em que novos suportes virtuais e digitais avançam inapelavelmente.

64

Miolo - catálogo 2017.indd 64

27/09/2017 19:48:04


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS PENSAR A DESCONSTRUÇÃO

jacquEs DErriDa

Evando Nascimento (org.) 352 páginas | isbn 978-85-7448-109-8 Reunião de ensaios de participantes do Colóquio Internacional Jacques Derrida 2004 - Pensar a Desconstrução, realizado no Rio de Janeiro com o objetivo de discutir a importância do trabalho do filósofo, um dos mais influentes do século XX.

COOL MEMORIES II — CRÔNICAS 1987-1990

jEan bauDrillarD

tradução Angel Bojadsen 136 páginas | isbn 978-85-85865-16-0

Crônica com brilho poético abrangendo as viagens do grande ensaísta francês pelo Brasil, pela Argentina, pelos Estados Unidos, entre outros países.

COOL MEMORIES III — FRAGMENTOS 1991-1995 tradução Rosângela V. Tibúrcio 168 páginas | isbn 978-85-7448-018-3

Na continuação da série, que já se convencionou tratar como sua autobiografia, o renomado sociólogo francês expõe, numa prosa crua, entrecortada e iconoclasta, sua visão do que resta a ver no mundo. Telegramas de um mundo onde tantas coisas se decompõem e outras recobram um inesperado valor.

COOL MEMORIES IV — CRÔNICAS 1996-2000 tradução Luciano Loprete 128 páginas | isbn 978-85-7448-048-0

Crônica em forma de anotações dos anos 1995-2000 nas quais Baudrillard retoma com toda sua verve e perspicácia alguns de seus temas favoritos: a impossibilidade da comunicação, a inter-relação informática/sexualidade, as visitas a São Paulo e Buenos Aires, as dificuldades do (des)amor.

65

Miolo - catálogo 2017.indd 65

27/09/2017 19:48:04


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS

Paul Virilio Paul Virilio é um dos mais argutos analistas dos meios de comunicação, da “guerra da informação” e do mundo cibernético. Arquiteto, urbanista, filósofo, ex-diretor da Escola de Arquitetura de Paris, especialista em questões estratégicas, Virilio tem sido nos últimos anos uma voz cética, quase uma nova dissidência, diante de um mundo onde o cidadão é objeto de um constante bombardeio (des)informacional.

ESTRATÉGIA DA DECEPÇÃO tradução Luciano Vieira Machado 96 páginas | isbn 978-85-7448-022-0

Um ensaio mordaz, revelador e preocupante sobre a nova estratégia militar americana pós-guerra fria. Analisa o conflito do Kosovo à luz de uma guerra “quente” pelo controle das ondas e das imagens, bem como de uma premeditada e eficiente instrumentalização da ONU e da Otan.

PEQUENO MANUAL DE INESTÉTICA Alain Badiou tradução Marina Appenzeller 192 páginas | isbn 978-85-7448-069-5

Didatismo, romantismo e classicismo são os esquemas possíveis do entrelaçamento entre arte e filosofia, sendo o terceiro termo a educação dos sujeitos. O que caracteriza o século recém-terminado é que, embora tenha experimentado a saturação desses três esquemas, não introduziu um novo. O que tende a produzir hoje uma espécie de desenlaçamento dos termos, um desrelacionamento desesperado entre arte e filosofia, e a queda pura e simples daquilo que circulava entre elas: o tema educativo.

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA ISLÂMICA Massimo Campanini tradução Plinio Freire Gomes 240 páginas | isbn 978-85-7448-186-9

O autor investiga os fundamentos epistemológicos da filosofia islâmica e seus paradigmas. Os capítulos, organizados cronológica e geograficamente, permitem que o leitor acompanhe o desenvolvimento do pensamento filosófico islâmico.

66

Miolo - catálogo 2017.indd 66

27/09/2017 19:48:04


GRANDE REGRESSÃO, A — UM DEBATE INTERNACIONAL Heinrich Geiselberger (org.)

PRELO

FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS

Nesta coletânea de ensaios, pesquisadores e intelectuais de renome internacional examinam as causas do que eles chamam de “Grande Regressão” — a disseminação de fenômenos que pareciam fazer parte de tempos passados, como os movimentos nacionalistas, conservadores e xenófobos —, localizando-os em um contexto histórico, apresentando cenários para os próximos anos e discutindo possíveis estratégias para resistir a tais fenômenos. Com contribuições de Arjun Appadurai, Zygmunt Bauman, Donatella della Porta, Nancy Fraser, Eva Illouz, Ivan Krastev, Bruno Latour, Paul Mason, Pankaj Mishra, Robert Misik, Oliver Nachtwey, César Rendueles, Wolfgang Streeck, David Van Reybrouck e Slavoj Žižek. Publicado nas principais línguas, com coordenação de Heinrich Geiselberger.

CRÍTICA DA RETÓRICA DEMOCRÁTICA

lucianO canfOra

tradução Valéria Pereira da Silva 120 páginas | isbn 978-85-7448-118-0

ESCRAVIDÃO DO CAPITAL, A tradução

PRELO

A partir de questões suscitadas pela instalação de George W. Bush na presidência dos Estados Unidos, Canfora traz à discussão um ponto central na sociedade contemporânea: até que ponto os discursos sobre a democracia propagandeados pelas grandes potências mundiais fazem jus a uma prática efetivamente democrática? Citando de Sócrates a Gramsci, de Thomas Mann a Eric Hobsbawm, o autor tece uma profunda crítica ao discurso democrático praticado hoje, tomando como base os refe-renciais clássicos gregos.

Federico Carotti

Tal como a Hidra, o monstro mitológico cujas cabeças, cortadas por Hércules, tinham o poder de renascer em dobro, o capitalismo, outrora apenas ocidental e hoje planetário, reaparece no cenário mundial repropondo formas novas e mais sofisticadas de escravidão. Mas, se é verdade que o capitalismo saiu vitorioso dos grandes conflitos do século XX, triunfando sobre todas as revoluções, também é verdade que “a igualdade é uma necessidade que se reapresenta continuamente, como a fome”. Na trama da história, qual é o lugar desse anseio, próprio das religiões de salvação e do comunismo moderno?

67

Miolo - catálogo 2017.indd 67

27/09/2017 19:48:04


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS TEMPO E ESPAÇO NA CULTURA JAPONESA Shuichi Kato tradução Neide Nagae e Fernando Chamas 288 páginas | isbn 978-85-7448-202-6

Shuichi Kato, autor e crítico reconhecido pelos seus trabalhos sobre literatura e cultura japonesas, nos apresenta um verdadeiro tratado sobre a nação japonesa a partir de dois conceitos-chave: o tempo e o espaço. O autor recorre a uma série de exemplos da arquitetura do Japão, arte pictórica e literatura, sem esquecer dos padrões de ação, crenças religiosas e questões linguísticas para embasar sua tese.

MISHIMA OU A VISÃO DO VAZIO Marguerite Yourcenar tradução Mauro Pinheiro 128 páginas | isbn 978-85-7448-219-4

Aparentemente incompreensível aos olhos ocidentais, o ritual suicida japonês intitulado seppuku denota, em sua essência, menos uma abreviação da vida do que uma forma de contestação. O escritor Yukio Mishima a ele recorreu, em 1970, para indicar sua ojeriza ao vilipêndio dos valores tradicionais a que o Japão moderno estaria entregue. O livro revela as ideias desse virtuoso artista que acabariam por desembocar em seu planejado suicídio.

LIVRO DO CHÁ, O Kakuzo Okakura Leiko Gotoda Hounsai Genshitsu Sen 144 páginas | isbn 978-85-7448-140-1

tradução

prefácio e posfácio

Escrito em 1906, O livro do chá promove uma reflexão, a partir da história e da descrição desse cerimonial, sobre o antagonismo entre tradição e modernidade. Escrita propositalmente em inglês, a obra tem como um dos objetivos tornar a tradição oriental conhecida e respeitada no Ocidente. O poder contido na simplicidade, a potência oculta nos pequenos gestos quando executados com perfeição, a influência do taoísmo e do zen no cerimonial do chá – são esses alguns motes desenvolvidos no livro, de modo poético e conciso.

68

Miolo - catálogo 2017.indd 68

27/09/2017 19:48:04


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS GATO FILÓSOFO, O

KwOng KuEn shan

tradução Denise Bottmann 96 páginas | isbn 978-85-7448-250-7

Gatos são autônomos, serenos, se entregam ao aqui e agora, são teimosos e fazem o que querem. São como os grandes filósofos. A artista Kwong Kuen Shan combina com graça e delicadeza esses dois mundos, apresentando quarenta “aquarelas felinas”, acompanhadas por máximas e provérbios da sabedoria chinesa, de pensadores como Confúcio, Mêncio e Lao-Tse.

GATO ZEN, O tradução Denise Bottmann 96 páginas | isbn 978-85-7448-261-3

Este livro combina quarenta delicadas e elegantes ilustrações originais com uma seleção de fragmentos da sabedoria chinesa, indo de provérbios antigos às máximas de Confúcio. As pinturas, reproduzidas em cor, são da artista Kwong Kuen Shan, chinesa residente na Grã-Bretanha. Para O Gato Zen, as palavras dos mestres chineses foram cuidadosamente escolhidas pela autora para complementar suas primorosas aquarelas de gatos. O resultado é um livro raro e inspirador, que encantará amantes de gatos de todos os tipos.

69

Miolo - catálogo 2017.indd 69

27/09/2017 19:48:05


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS

Coleção Figuras do Saber Uma coleção introdutória dedicada a grandes filósofos e cientistas da história da humanidade. Dos antigos gregos a importantes pensadores contemporâneos, cada título da coleção é escrito por um especialista que, numa linguagem simples e sem jargões, esclarece os leitores sobre a vida e a obra de figuras fundamentais da história do pensamento.

1 KIERKEGAARD Charles Le Blanc tradução Marina Appenzeller 144 p. isbn 978-85-7448-073-2

5 ESPINOSA André Scala tradução Tessa M. Lacerda 136 p. isbn 978-85-7448-080-0

9 KANT Denis Thouard tradução Tessa M. Lacerda 176 p. isbn 978-85-7448-086-2

2 NIETZSCHE Richard Beardsworth tradução Beatriz Sidou 128 p. isbn 978-85-7448-071-8

6 FOUCAULT Pierre Billouet tradução Beatriz Sidou 232 p. isbn 978-85-7448-079-4

10 LOCKE Alexis Tadié tradução José Oscar Marques 208 p. isbn 978-85-7448-101-2

3 DELEUZE Alberto Gualandi tradução Danielle Blanchard 144 p. isbn 978-85-7448-072-5

7 DARWIN Charles Lenay tradução José Oscar Marques 192 p. isbn 978-85-7448-087-9

11 D’ALEMBERT Michel Paty tradução Flávia Nascimento 224 p. isbn 978-85-7448-100-5

4 MAIMÔNIDES Gérard Haddad tradução Guilherme J. F. Teixeira 144 p. isbn 978-85-7448-081-7

8 WITTGENSTEIN François Schmitz tradução José Oscar Marques 184 p. isbn 978-85-7448-088-6

12 HEGEL Benoît Timmermans tradução Tessa M. Lacerda 184 p. isbn 978-85-7448-102-9

70

Miolo - catálogo 2017.indd 70

27/09/2017 19:48:05


FILOSOFIA, ENSAIOS E RELATOS 21 COMTE Laurent Fédi tradução Mauro Pinheiro 192 p. isbn 978-85-7448-135-7

14 FLÁVIO JOSEFO Denis Lamour tradução Guilherme J. F. Teixeira 152 p. isbn 978-85-7448-112-8

22 EINSTEIN Michel Paty tradução Mário Laranjeira 152 p. isbn 978-85-7448-136-4 23 SAUSSURE Claudine Normand tradução Ana de Alencar e Marcelo Diniz 184 p. isbn 978-85-7448-155-5

15 AVERRÓIS Ali Benmakhlouf tradução Guilherme J. F. Teixeira 232 p. isbn 978-85-7448-113-5 16 HUSSERL Jean-Michel Salanskis tradução Carlos A. R. de Moura 128 p. isbn 978-85-7448-114-2 17 ESTOICOS I Frédérique Ildefonse tradução Mauro Pinheiro 200 p. isbn 978-85-7448-124-1 18 FREUD Patrick Landman tradução Nicia Adan Bonatti 160 p. isbn 978-85-7448-123-4 19 LYOTARD Alberto Gualandi tradução Anamaria Skinner 176 p. isbn 978-85-7448-125-8 20 PASCAL Francesco Paolo Adorno tradução Mário Laranjeira 160 p. isbn 978-85-7448-134-0

24 LÉVINAS François-David Sebbah tradução Guilherme J. F. Teixeira 248 p. isbn 978-85-7448-164-7 25 CANTOR Jean-Pierre Belna tradução Guilherme J. F. Teixeira 280 p. isbn 978-85-7448-199-9 26 HEIDEGGER Jean-Michel Salanskis tradução Evando Nascimento 152 p. isbn 978-85-7448-205-7 27 DERRIDA Jean-Michel Salanskis tradução Carlos Dubois 168 p. isbn 978-85-7448-260-6 28 MONTAIGNE Ali Benmakhlouf tradução Guilherme J. F. Teixeira 248 p. isbn 978-85-7448-265-1

29 TURING Jean Lassègue tradução Guilherme J. F. Teixeira 232 p. isbn 978-85-7448-280-4 30 BACHELARD Vincent Bontems tradução Nícia Adan Bonatti 264 p. isbn 978-85-7448-283-5 31 NEWTON Marco Panza tradução Alex Calazans e Veronica Calazans 32 SARTRE Nathalie Monnin tradução Nícia Adan Bonatti

próximos lançamentos

PRELO

13 LACAN Alain Vanier tradução Nícia Adan Bonatti 128 p. isbn 978-85-7448-107-4

RUSSELL Ali Benmakhlouf CÍCERO Clara Auvray-Assayas LÉVI-STRAUSS Olivier Dekens EPICURO Julie Giovacchini

71

Miolo - catálogo 2017.indd 71

27/09/2017 19:48:05


ECONOMIA / HISTÓRIA DEPOIS DE PIKETTY — PAUTAS PARA A ECONOMIA E A DESIGUALDADE

A coletânea traz 22 ensaios que abordam a desigualdade econômica sob diversas perspectivas, sempre dialogando com as teses de Thomas Piketty. Os textos exploram como a economia se relaciona com temas como tecnologia, política, geografia e gênero, dando as linhas mestras para este debate multidisciplinar no século XXI. Um artigo-resposta de Piketty fecha o livro. Com contribuições de Arthur Goldhammer, Branko Milanovic, Christoph Lakner, Daina Ramey Berry, David Singh Grewal, David Weil, Devesh Raval, Elisabeth Jacobs, Ellora Derenoncourt, Emmanuel Saez, Eric R. Nielsen, Fang Yang, Gareth A. Jones, Giulio Fella, Laura Tyson, Mariacristina De Nardi, Mark Zandi, Michael Spence, Paul Krugman, Robert M. Solow, Salvatore Morelli, Suresh Naidu e Thomas Piketty.

PRELO

Heather Boushey, J. Bradford DeLong e Marshall Steinbaum (orgs.)

HISTÓRIA DA ECONOMIA MUNDIAL Roger E. Backhouse tradução Celso M. Paciornik 432 páginas | isbn 978-85-7448-127-2

Ninguém pode ignorar a economia. Nunca houve recursos em abundância suficiente para todos, de modo que os homens sempre tiveram de lidar com questões capitais como dinheiro, mercados, negociações, preços e produção. Nesta obra tutelar editada no Brasil por acordo com a editora Penguin, o economista e professor de história e filosofia econômica da Universidade de Birmingham Roger Backhouse aborda a história da economia, dos gregos até a virada para o século XXI, repassando todos os temas e personagens-chave.

TEORIA DA REGULAÇÃO — OS FUNDAMENTOS Robert Boyer tradução Paulo Cohen 160 páginas | isbn 978-85-7448-176-0

Por que as crises se sucedem, sem que, no entanto, sejam necessariamente parecidas? Qual é o papel do político na construção das formas institucionais? Esta obra apresenta, pois, as bases e os métodos da teoria da regulação, caracteriza os diversos regimes de acumulação e aborda os modos de regulação emergentes. Com prefácio do autor à edição brasileira.

72

Miolo - catálogo 2017.indd 72

27/09/2017 19:48:05


ECONOMIA / HISTÓRIA SWISSLEAKS: REVELAÇÕES SOBRE A FRAUDE FISCAL DO SÉCULO Gérard Davet e Fabrice Lhomme Guilherme João de Freitas Teixeira | prefácio Ismael Pfeifer 240 páginas | isbn 978-85-7448-263-7

tradução

A história do escândalo mundial que ficou conhecido como “Swissleaks”: os jornalistas Lhomme e Darvet do Le Monde lideraram, com a colaboração de outros profissionais, a investigação de um esquema de evasão fiscal sob a égide do banco britânico HSBC, na qual foi revelada a existência de 106 mil contas secretas na Suíça, que geraram uma movimentação financeira na ordem de 180 bilhões de euros, envolvendo personalidades do mundo inteiro, inclusive brasileiras. No prefácio, o experiente jornalista econômico Ismael Pfeifer se debruça sobre a vertente brasileira do escândalo, surpreendentemente escamoteada pela imprensa.

CRÍTICA E HISTÓRIA DA LITERATURA BALZAC, A OBRA-MUNDO/ BALZAC, L’ŒUVRE-MONDE O COLÓQUIO DE SÃO PAULO / LE COLLOQUE DE SÃO PAULO Mônica Cristina Corrêa, Heloísa B. A. Costa, Laurent Desbois, Anne-Marie Grand, Gérard Grimberg, Leda Tenório da Motta, Edmond Nogacki e Ronan Prigent 232 páginas | isbn 978-85-7448-016-9 Em abril de 1999, alguns pesquisadores e especialistas franceses e brasileiros reuniram-se em São Paulo para discutir a obra de Balzac por ocasião dos 200 anos de seu nascimento. Edição bilíngue com os trabalhos apresentados nesse encontro.

PRÁTICAS DA LEITURA Roger Chartier (org.), Pierre Bourdieu, Jean Hébrard, François Bresson, Robert Darnton, Daniel Fabre, Jean Marie Goulemot, Louis Marin e Daniel Roche Cristiane do Nascimento | prefácio Alcir Pécora 268 páginas | isbn 978-85-85865-14-6

tradução

Ensaios produzidos por importantes acadêmicos do momento sobre o fenômeno da leitura – ou da não leitura – ao longo dos tempos. Vê-se, entre outros, como a disseminação da alfabetização e da leitura foram motores fundamentais da Revolução Francesa. Esta obra se tornou referência para a história da literatura.

CARTA A CHRISTOPHE DE BEAUMONT E OUTROS ESCRITOS SOBRE A RELIGIÃO E A MORAL Jean-Jacques Rousseau tradução Adalberto Luis Vicente, Ana Luiza Silva Camarini e José Oscar de Almeida Marques (org.) 240 páginas | isbn 978-85-7448-110-4

Reunião de textos inéditos em língua portuguesa de um dos filósofos mais ativos e polêmicos do século XVIII sobre a religião e suas implicações nos campos da educação, da política e da moral. A coletânea de escritos, em sua maioria originalmente concebidos como cartas de Rousseau a amigos, mas também a inimigos, demonstra a evolução do pensamento do autor de Emílio, ou Da educação e de Contrato social, assim como a inquestionável qualidade poética e literária de seus textos. 73

Miolo - catálogo 2017.indd 73

27/09/2017 19:48:06


CRÍTICA E HISTÓRIA DA LITERATURA

Gérard Genette Peça fundamental na projeção dos estudos formais de literatura, é conhecido por seu tom particular, misturando dúvida e conhecimento, estilo acadêmico e humorístico, sem perder de vista a profundidade da análise. Para seus estudos sobre aspectos da linguagem, suas origens e mecanismos, preferiu os meios que a crítica oferece aos que o estruturalismo propõe, criando uma ciência da narrativa, que ele chamou de “narratologia”.

FIGURAS II tradução Nícia Adan Bonatti 320 páginas isbn 978-85-7448-217-0

As análises de literatura iniciadas em Figuras I (Perspectiva, 1972) continuam aqui seguindo dois caminhos: teoria da narrativa e poética da linguagem, centradas em pontos como o barroco, Balzac, Stendhal, Em busca do tempo perdido, espaço do texto, narrativa e discurso, arbitrário e motivação, linguagem indireta.

FIGURAS III tradução Ana de Alencar 360 páginas isbn 978-85-7448-218-7

Com ênfase em Proust, a obra se articula numa sequência: Crítica e poética, Poética e história, A retórica restrita, Metonímia em Proust (ou nascimento da narrativa) e Discurso da narrativa (uma tecnologia do discurso narrativo), que é um ensaio de método “aplicado” à obra Em busca do tempo perdido.

74

Miolo - catálogo 2017.indd 74

27/09/2017 19:48:06


CRÍTICA E HISTÓRIA DA LITERATURA RIMBAUD DA AMÉRICA E OUTRAS ILUMINAÇÕES Mauricio Salles Vasconcelos 320 páginas | isbn 978-85-7448-020-6 Aborda a obra de Rimbaud como precursor da modernidade. Sobressaem a análise do fenômeno “Rimbaud pop”, sua duradoura influência sobre vários monstros sagrados da cultura popular norte-americana, como W. Burroughs, Jim Morrison, Patti Smith e Kathy Acker. Notável também a análise de Rimbaud como poeta-errante por excelência, marcado pela walk writing, e também a incursão na obra de João Gilberto Noll.

UTOPIAS ROMÂNTICAS, AS Elias Thomé Saliba 112 páginas | isbn 978-85-7448-077-0 O romantismo é aqui analisado pelo professor de teoria da história da USP como um movimento sociocultural profundamente enraizado na história europeia, entre fins do século XVIII e meados do século XIX. Mostra como, a partir das diversas maneiras pelas quais a sensibilidade romântica captou as transformações geradas pelas revoluções burguesas e pelos começos da Revolução Industrial, se formou o ímpeto utópico.

ARQUITETURA, URBANISMO E PATRIMÔNIO ALEGORIA DO PATRIMÔNIO, A Françoise Choay tradução Luciano Vieira Machado | coedição Ed. Unesp 286 páginas | isbn 978-85-7448-030-5

Por que o patrimônio histórico, arquitetônico e urbano conquistou um público universal? Por que seu conhecimento, sua conservação e restauração se transformaram numa questão crucial para todos os países? Esta investigação, que abrange cinco séculos, defende uma mudança urgente para uma orientação que possa reverter a indiscriminada e acelerada especulação com os bens culturais e mostra como nossa herança arquitetônica e urbana revela-se alegoricamente como um espelho cuja contemplação narcisista aplaca nossas angústias.

UMA HISTÓRIA DO PATRIMÔNIO NO OCIDENTE Dominique Poulot tradução Guilherme João de F. Teixeira 240 páginas | isbn 978-85-7448-170-8

A preocupação com a herança nacional nunca foi tão grande como nos últimos anos. No entanto, embora a proposta seja testemunhar a autenticidade de monumentos e da memória, e opor-se à exploração das tradições inventadas, seu recente sucesso se deve, segundo críticos, ao desejo de evitar a aceleração da história e a confusão de valores. Dessa forma, a obra pretende mostrar o quanto a razão patrimonial, inscrita num longo período da reflexão ocidental, incorpora à nossa inteligência diversas formas do passado. 75

Miolo - catálogo 2017.indd 75

27/09/2017 19:48:06


ARQUITETURA, URBANISMO E PATRIMÔNIO ARQUITETURA NO NOVO MILÊNIO, A Leonardo Benevolo tradução Letícia Martins de Andrade 496 páginas | isbn 978-85-7448-127-2

Benevolo exclui propositalmente do título os termos “história” e “moderna” — que figuram em sua já clássica História da arquitetura moderna —, como ele mesmo destaca na “Introdução”. O crítico italiano acredita que no centro da produção contemporânea estão a preocupação com a atualidade e a busca da inovação adaptada a lugares específicos, o que a distingue, portanto, do que acontecia na criação moderna e a aproxima dos ensinamentos dos mestres da década de 1920.

CONDIÇÃO URBANA, A — A CIDADE NA ERA DA GLOBALIZAÇÃO Olivier Mongin tradução Letícia Martins de Andrade 344 páginas | isbn 978-85-7448-174-6

Relembrando os elementos distintivos que compõem a experiência da cidade, Olivier Mongin assenta os fundamentos de uma reflexão atual sobre a condição urbana.

ARQUITETURA PELAS ESCADAS Patricia Cardoso 128 páginas | isbn 978-85-7448-171-5 A arquiteta e fotógrafa Patricia Cardoso conta histórias inusitadas da capital paulista em mais de 60 fotos de escadas e rampas que expressam estilos arquitetônicos de diversas épocas na cidade.

CIDADE E CULTURA — ESFERA PÚBLICA E TRANSFORMAÇÃO URBANA Vera M. Pallamin (org.) Marina Ludemann 120 páginas | isbn 978-85-7448-056-5

coordenação

Existe cidade sem cultura? A culotura é intrínseca à cidade? O que microeletrônica tem a ver com cultura? Essas são algumas das questões colocadas nesta obra, fruto de um seminário realizado em 2000 no Goethe-Institut de São Paulo, que discute o papel do “capital simbólico” representado pela cultura urbana na sociedade contemporânea.

76

Miolo - catálogo 2017.indd 76

27/09/2017 19:48:06


ARQUITETURA, URBANISMO E PATRIMÔNIO ORIGENS DA HABITAÇÃO SOCIAL NO BRASIL — ARQUITETURA MODERNA, LEI DO INQUILINATO E DIFUSÃO DA CASA PRÓPRIA — 7ª ED. Nabil Bonduki 352 páginas | isbn 978-85-7448-282-8 Com material iconográfico de grande valor, analisa o início da ação estatal na área de habitação social, destacando as ações desenvolvidas a partir do governo Vargas. De grande interesse para as áreas de arquitetura, urbanismo, sociologia e história. Alguns conjuntos habitacionais como o Pedregulho, no Rio, mostram como o Brasil chegou a ser vanguardista nesta área.

MANUTENÇÃO E SEGURANÇA HOSPITALAR PREDITIVAS Jarbas Karman 440 páginas | isbn 978-85-7448-189-0 O autor dedicou-se por seis décadas ao aperfeiçoamento das instituições de saúde no Brasil e no exterior, deixando sólidos legados — teóricos, técnicos e práticos — para a excelência no planejamento de hospitais. O livro é uma espécie de guia sobre vivência hospitalar, com foco em questões de manutenção e seguranças preditivas, preventivas e de continuidade operacional.

INSUSTENTÁVEL ARQUITETURA — ENCONTROS FRANÇA-AMÉRICA LATINA Vários autores Co-edição Institut Français 152 páginas | isbn 978-85-7448-259-0 Compilação dos resultados extraídos da série de conferências organizada pelo Institut Français na Bienal de Arquitetura de São Paulo, edição 2013, que discutiu questões relativas à arquitetura contemporânea das cidades no que tange à estética das favelas e periferias, a apropriação urbana por parte de seus habitantes e temas afins.

77

Miolo - catálogo 2017.indd 77

27/09/2017 19:48:07


ARQUITETURA, URBANISMO E PATRIMÔNIO

Coleção Estúdio Aberto direção da coleção

Maria Isabel Villac e Angel Bojadsen

Foto: Maria Isabel Villac

Esta coleção surge como resposta a uma necessidade de acesso aos documentos teóricos fundamentais da arquitetura, da arte e da literatura, que discutem de maneira explicativa e investigativa as teorias e conceitos sobre a cultura urbana. Num recorte que atravessa escolas e períodos, a tônica da coleção é os arquitetos escreverem sobre sua obra sempre na primeira pessoa. Começando com os volumes citados abaixo, a Estação Liberdade lançará também títulos sobre Adolf Loos, Álvaro Siza, Mies van der Rohe, Theo van Doesburg, entre outros.

Paulo Mendes da Rocha

AMÉRICA, CIDADE E NATUREZA Paulo Mendes da Rocha com Maria Isabel Villac 272 páginas | isbn 978-85-7448-197-5 Reunião de textos de autoria de um dos mais importantes arquitetos brasileiros, incluindo entrevistas e artigos publicados em jornais como Folha de S.Paulo e Jornal do Brasil e em revistas especializadas de arquitetura. Também faz parte da coletânea uma carta enviada ao governador de São Paulo na época (1999), Mário Covas, sobre a proposta de mudança da sede do governo para a área central da cidade. Em abril de 2006, Paulo Mendes da Rocha foi agraciado com o prêmio Pritzker, considerado o Nobel da arquitetura.

IMAGINAR A EVIDÊNCIA Álvaro Siza tradução Soares da Costa, Álvaro Siza 160 páginas | isbn 978-85-7448-148-7

O premiado arquiteto português Álvaro Siza se debruça sobre sua poética arquitetônica e nos oferece comentários de próprio punho sobre algumas de suas obras prediletas. Fala de sua visão de uma arquitetura voltada para a inovação e economia de meios e preza ainda um urbanismo inovador e irrequieto. Prefácio de Vittorio Gregotti e croquis e plantas do arquiteto. 78

Miolo - catálogo 2017.indd 78

27/09/2017 19:48:07


ARQUITETURA, URBANISMO E PATRIMÔNIO

RÚSSIA: ARQUITETURA PARA UMA REVOLUÇÃO MUNDIAL El Lissitzky tradução Renata Dias Mundt 248 páginas | isbn 978-85-7448-271-2

Esta edição, composta de duas partes, traz na primeira a clássica obra 1929 - A reconstrução da arquitetura na URSS, publicada em Viena no ano de 1930, e apresenta os fundamentos do pensamento arquitetônico de El Lissitzky na reconstrução da União Soviética. A segunda parte traz uma série de artigos de El Lissitzky do período de 1921 a 1926, mostrando sua evolução artística e cultural, além de textos sobre a fase final da nova arquitetura, escritos, entre outros, por Bruno Taut e Ernest May.

tradução

PRELO

ÉTICA DO CONSTRUIR, A Mário Botta Letícia Martins de Andrade

POR UMA NOVA ARQUITETURA Le Corbusier tradução

PRELO

A ética do construir, do consagrado arquiteto suíço Mario Botta, traz transcrições de aulas ministradas em 1994, no Instituto Italiano de Estudos Filosóficos, onde são enunciadas em primeira pessoa as tensões e intenções de seus projetos e obras, além de desenhos e plantas do próprio punho. Arquiteto contemporâneo de formação humanista, Botta busca não somente a beleza da arte do construir, mas também a qualidade do habitar e suas consequências sociais.

Celso Mauro Paciornik e Graziela Marcolin

Esta edição traz três textos de um dos mais relevantes nomes da arquitetura moderna: “O espírito novo em arquitetura”, conferência realizada na Sorbonne em junho de 1924; “Defesa da arquitetura”, escrito em maio de 1929; e “Unidade”, que data de agosto de 1947. Os estudos e teorias de Le Corbusier ganharam destaque a partir de 1923, quando foi publicado Vers une architecture, no qual o autor lançou as bases do movimento moderno de características funcionalistas, influenciado pela escola Bauhaus. As pesquisas por ele realizadas, desenvolvendo um modelo próprio de medição de espaços, revolucionaram os conceitos da arquitetura em todo o mundo. 79

Miolo - catálogo 2017.indd 79

27/09/2017 19:48:07


CIÊNCIAS DA NATUREZA E MEIO AMBIENTE BIODIVERSITY IN THE BRAZILIAN AMAZON

Instituto Socioambiental, Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, Grupo de Trabalho Amazônico, Instituto Sociedade, População e Natureza. Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, Conservation International coordenação João Paulo R. Capobianco coedição Instituto Socioambiental ed. em inglês 536 páginas | isbn 978-85-7448-093-0 A situação socioambiental da Amazônia brasileira na virada do milênio. Resultado do esforço coletivo de cientistas, técnicos de órgãos públicos e de organizações não governamentais e lideranças do movimento social, esta obra traz 27 artigos de 47 autores, mais de uma centena de mapas temáticos, extensos bancos de dados e fotos de cinco renomados fotógrafos. Edição em português esgotada. Prêmio Jabuti de Livro do Ano de Não Ficção em 2003. PRODUÇÃO DE ALIMENTOS NO SÉCULO XXI — BIOTECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE Gordon Conway tradução Celso M. Paciornik 376 páginas | isbn 978-85-7448-083-1

Neste livro, o ecologista e presidente da Fundação Rockefeller fornece um plano concreto de ação no que diz respeito ao avanço do combate à pobreza e à fome mundiais, enfatizando tanto a produtividade de alimentos quanto a conservação ambiental. Segundo ele, serão os próximos trinta anos que representarão a hora da verdade e que o sucesso da erradicação da fome depende de estabelecer parcerias entre pesquisadores e homens de terreno que podem oferecer contribuições inestimáveis para a criação e aplicação de novas técnicas.

OBRA DE REFERÊNCIA

ATLAS DO MUNDO GLOBAL Pascal Boniface e Hubert Védrine tradução Graziela Marcolin 128 páginas | isbn 978-85-7448-158-6

Dividido em quatro partes – “As grandes referências do passado”, “As diversas interpretações do mundo global”, “Dados globais” e “O mundo visto por...” –, este atlas traz as principais questões da era da globalização, seus riscos e oportunidades. Trabalho cartográfico de Jean-Pierre Magnier. 80

Miolo - catálogo 2017.indd 80

27/09/2017 19:48:07


PSICOLOGIA E SAÚDE CORPO EM OFF, O — A DOENÇA E AS PRÁTICAS PSI NA PEDIATRIA HOSPITALAR Cristina Mora Capobianco 248 páginas | isbn 978-85-7448-024-4 A partir da sua experiência diária, a psicoterapeuta hospitalar contrapõe o corpo-organismo, que habita o discurso médico-científico e psicológico ao da subjetividade, do corpo em off, desligado do “circuito dos especialismos” e aposta na criação de modelos de intervenção clínica que sejam facilitadores dos processos de singularização.

CAROS PAIS — A SAÚDE DA CRIANÇA, DA CONCEPÇÃO À ADOLESCÊNCIA Franco Panizon Roberta Barni | apresentação (orelha) Dr. João Gilberto Maksoud 304 páginas | isbn 978-85-7448-084-8

tradução

Aborda de forma clara e precisa o que os pais devem conhecer sobre a genética, a gestação, o crescimento e o desenvolvimento de seus filhos. Uma preciosa fonte de referência para quem quer saber um pouco mais do que o óbvio. “É, efetivamente, um livro mágico, pois trata e expõe as doenças, até as mais graves, complexas e temidas, com delicadeza, propriedade e carinho, fazendo com que as mesmas pareçam parte natural e suave da própria vida.” (Dr. João Gilberto Maksoud, prof. titular de cirurgia pediátrica da Faculdade de Medicina da USP).

mara sElaibE E anDréa carvalhO (Orgs.) PSICANÁLISE ENTREVISTA — VOL. I Renato Mezan 392 páginas | isbn 978-85-7448-239-2

prefácio

Uma compilação de entrevistas originalmente publicadas na revista Percurso, editada há 25 anos pelo Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, de São Paulo, com alguns dos maiores nomes da psicanálise mundial. Entre os entrevistados estão Jean Laplanche, Jean Oury, Marcelo Viñar e Jurandir Freire Costa.

PSICANÁLISE ENTREVISTA — VOL. II posfácio Jô Gondar 360 páginas | isbn 978-85-7448-251-4

Segundo volume da coletânea de entrevistas extraídas das páginas da revista psicanalítica Percurso, o livro traz conversas reveladoras com alguns dos melhores psicanalistas do Brasil e do mundo, entre eles Bernard Penot, Anne Alvarez, Jean-Jacques Rassial, Juan-David Nasio, Luís Carlos Menezes, Maria Rita Kehl, Miriam Chnaiderman e Chaim Samuel Katz.

81

Miolo - catálogo 2017.indd 81

27/09/2017 19:48:07


LIVROS DE COLORIR Pensados como uma alternativa lúdica para as pessoas esquecerem as preocupações do dia a dia, os livros de colorir são um fenômeno no meio editorial. A linha de livros de colorir da série Inspiração, lançada em parceria com a editora francesa Larousse, traz temáticas étnicas, tendo como diferencial as páginas destacáveis, de modo a permitir que as pessoas possam trocá-las com amigos, expor as realizações mais bem-sucedidas ou descartar aquelas que não saíram como devia.

INSPIRAÇÃO AMAZÔNIA: 70 DESENHOS PARA COLORIR

INSPIRAÇÃO JAPÃO: 70 DESENHOS PARA COLORIR

72 páginas | isbn 978-85-7448-255-2

72 páginas | isbn 978-85-7448-252-1

INSPIRAÇÃO ARABESCOS: 70 DESENHOS PARA COLORIR

INSPIRAÇÃO NATUREZA: 70 DESENHOS PARA COLORIR

72 páginas | isbn 978-85-7448-254-5

72 páginas | isbn 978-85-7448-253-8

CORES INVISÍVEIS Luis Kehl 80 páginas isbn 978-85-7448-258-3 No mundo imaginativo de cada um, as paisagens da memória são únicas e pessoais: a cada “leitor-pintor” deste livro é oferecido um universo de possibilidades arquiteturais sob cores invisíveis. Será no exercício de nostalgias afetivas que a arquitetura incolor do artista Luis Kehl se desbravará sob novas tonalidades.

82

Miolo - catálogo 2017.indd 82

27/09/2017 19:48:08


Miolo - catรกlogo 2017.indd 83

27/09/2017 19:48:08


Miolo - catรกlogo 2017.indd 84

27/09/2017 19:48:08


ÍNDICE DE OBRAS A 1913 – Antes da tempestade Áden, Arábia Alá e as crianças-soldados Alegoria do patrimônio, A Alegria, A América, cidade e natureza América de Rugendas, A Anjo azul, O Anjo silencioso, O Aqui de dentro Armance Arquitetura no novo milênio, A Arquitetura pelas escadas Atlas do mundo global Averróis B Bachelard Baixo calão Balada do cálamo, A Balzac, a obra-mundo — O colóquio de São Paulo / Balzac, l’Œuvre-monde — Le Colloque de São Paulo Bebedor, O Béla Guttmann — Uma lenda do futebol do século XX Bel-Ami Bela senhora Seidenman, A Bellvm civile / A guerra civil Biodiversity in the brazilian amazon Botchan Bouvard e Pécuchet C Cadernos da guerra e outros textos Canadá Cantor Carlos Magno Carlota e os monstros Carlota quer ser princesa Caros pais — A saúde da criança, da concepção à adolescência Carta a Christophe de Beaumont e outros escritos sobre a religião e a moral

27 20 22 75 20 78 51 27 25 32 43 76 76 80 71 71 22 36

73 24 29 43 34 54 80 17 39 19 31 71 55 47 47 81 73

Cartas de uma imperatriz 49 Casa da alegria, A 44 Casa das belas adormecidas, A 7 Cassandra 28 Castelo de Yodo, O 15 Chamado do poente, O 34 Chuva negra 17 Cícero 71 Cidade e cultura — Esfera pública e transformação urbana 76 Cinema [de] novo — Um balanço crítico da retomada 50 Cinema japonês na liberdade 50 Comte 71 Claude Gueux e outros textos sobre a pena de morte 42 Com toda a franqueza 31 Condição urbana, A — A cidade na era da globalização 76 Contos da palma da mão 7 Contos da Tartaruga Dourada 37 Convidado desconhecido, O 21 Cool Memories II — Crônicas 1987-1990 65 Cool Memories III — Fragmentos 1991-1995 65 Cool Memories IV — Crônicas 1996-2000 65 Cores invisíveis 82 Corpo em off, O — A doença e as práticas psi na pediatria hospitalar 81 Corpos de passagem 62 Correspondência 1945-1970 8 Crítica da razão cínica 61 Crítica da retórica democrática 67 Crônica da estação das chuvas 14 Cubismo, O — Uma revolução estética 52

D D’Alembert Dançarina de Izu, A Darwin Declínio de um homem Deleuze Derrida Depois de Piketty — Pautas para a economia e a desigualdade

70 7 70 9 70 71 72 85

Miolo - catálogo 2017.indd 85

27/09/2017 19:48:09


ÍNDICE DE OBRAS

Derrida, um egípcio — O problema da pirâmide judia 60 Descaminhos – Estórias do Caminho do Ouro / Paraty 45 Descrever o visível — Cinema documentário e antropologia fílmica 51 Desprezo das massas, O — ensaio sobre lutas culturais na sociedade moderna 60 Dia dos bárbaros, O — 9 de agosto de 378 54 Diário de um velho louco 12 Diário dos moedeiros falsos, O 19 Dicionário amoroso das línguas 61 Divã ocidento-oriental 40 Don Juan (narrado por ele mesmo) 26

E E depois Effi Briest Einstein Ensaios de teodiceia sobre a bondade de Deus, a liberdade do homem e a origem do mal Ensaio sobre o maníaco dos cogumelos Epicuro Escravidão do capital, A Esferas Esferas I – Bolhas Espinosa Estoicos I Estratégia da decepção Ética do construir, A Eugénie Grandet Eu sou um gato F Fábulas de La Fontaine Fabulosa história dos legumes, A Fanny Hill — Memórias de uma mulher de prazer Fátima fez os pés para mostrar na choperia Festa sob as bombas Figuras II Figuras III Flávio Josefo Formigas da estação de Berna e outras ficções suíças, As

17 40 71

63 26 71 67 59 59 70 71 66 79 38 16 48 57 32 46 29 74 74 71 22

Fórmula preferida do Professor, A Foucault Freud Furgão, O Fuzil de caça, O

15 70 71 33 15

G Gangue escarlate de Asakusa, A Garoto do riquixá, O Gata, um homem e duas mulheres, A seguido de O cortador de juncos Gato Filósofo, O Gato Zen, O Germinal Gordos, magros e obesos — Uma história do peso no brasil Grande regressão, a — Um debate internacional Guerra, A Guerra como prestação de serviços Guerra de gueixas Guerra sem batalha — Uma vida entre duas ditaduras H Hagoromo de Zeami Hegel Heidegger História da alimentação História da economia mundial História maravilhosa de Peter Schlemihl, A Histórias da mesa Histórias da outra margem Homem que ri, O Homens e mulheres da Idade Média Hotel Savoy Husserl I Ilusões perdidas Imaginar a evidência Inspiração Amazônia: 70 desenhos para colorir Inspiração Arabescos: 70 desenhos para colorir Inspiração Japão: 70 desenhos para colorir

6 36 12 69 69 44 62 67 55 53 14 63 13 70 71 58 72 39 57 14 41 53 23 71 38 78 82 82 82

86

Miolo - catálogo 2017.indd 86

27/09/2017 19:48:09


ÍNDICE DE OBRAS

Inspiração Natureza: 70 desenhos para colorir Insustentável Arquitetura — Encontros França-América Latina Introdução à filosofia islâmica Invenção de Paris, A — A cada passo uma descoberta Ira e tempo — Ensaio político-psicológico Irmãs Makioka, As Ivã, o Cavaleiro do Leão

82 77 66 56 59 12 48

J Júlio César — O ditador democrata Justiça

55 30

K Kant Kappa e o levante imaginário Kierkegaard Kyoto

70 9 70 7

L Lacan Lago, O Lenda do santo beberrão, A Lévinas Lévi-Strauss Lina Livro do chá, O Locke Lyotard

71 8 23 71 71 48 68 70 71

M Maimônides Maldito seja Dostoiévski Malina Manutenção e segurança hospitalar preditivas Medeia Vozes Mefisto Melodia das coisas, A — Contos, ensaios, cartas Mestre de go, O Metrópole em sinfonia — História, cultura e música popular na São Paulo dos anos 30 Meu gato mais tonto do mundo

70 35 27 77 28 28 27 8 51 47

Meu nome seja Gantenbein Mil casas do sonho e do terror, As Mil tsurus Mishima ou a visão do vazio Moedeiros falsos, Os Montaigne Mulher da loja de conveniência, A Mulher das dunas, A Mulher de trinta anos, A Mulheres Mundo na cozinha, O — História, identidade, trocas Musashi Museu do silêncio, O Músicos de Bremen, Os

25 35 6 68 18 71 13 14 38 9 57 10 15 46

N Não adianta morrer Natan, o sábio Névoa Newton Nietzsche Noites revolucionárias, As No mesmo barco — Ensaio sobre a hiperpolítica No país do cervo branco Notre-Dame de Paris Noventa e três

45 42 43 71 70 42 60 36 41 42

O Olho da universidade, O 64 Origens da habitação social no Brasil — Arquitetura moderna, lei do inquilinato e difusão da casa própria 77 P Paddy Clarke Ha Ha Ha Pai Goriot, O País das neves, O Papel-Máquina Paradiso Paraíso das damas, O Parte da solução Pascal Pavores de gelo e trevas Pensar a desconstrução

33 38 6 64 49 44 24 71 23 65 87

Miolo - catálogo 2017.indd 87

27/09/2017 19:48:09


ÍNDICE DE OBRAS

Pequeno manual de inestética Perda da imagem ou através da Sierra de Gredos, A Peregrinações — Lei, forma, acontecimento Peregrinos do Sol — A arte da espada samurai Péricles — o inventor da democracia Poesia expressionista alemã Políticas do corpo Pombo-torcaz, O Ponte flutuante dos sonhos, A / Shunkin Pontos de vista de um palhaço Porões do vaticano, Os Portal, O Por uma nova arquitetura Práticas da leitura Primeiro dia do ano da peste, O Processos primários Produção de alimentos no século XXI — Biotecnologia e meio ambiente Prolegômenos a qualquer metafísica futura que possa apresentar-se como ciência Promessa, A Promessa ao amanhecer Psicanálise entrevista — Vol. I Psicanálise entrevista — Vol. II

Q Quando meu gato era pequeno Quero mais é que se danem! Questão humana, A Quinquilharias Nakano R Reflexões do gato Murr Reflexo perdido e outros contos insensatos, O Regras para o parque humano — Uma resposta à carta de Heidegger sobre o humanismo Religião, A Rimbaud da América e outras iluminações Risadinhas, Os Ritual

66 26 62 11 55 24 62 18 12 25 18 16 79 73 45 46 80 63 30 19 81 81 47 45 21 11 40 41

60 64 75 46 51

Roberto Santos — A hora e vez de um cineasta Roland Barthes por Roland Barthes Romantismo — Uma questão alemã Russell Rússia: Arquitetura para uma revolução mundial

50 63 30 71 79

S Sade contra o Ser Supremo Samurai, O — A vida de Miyamoto Musashi Sanshiro Sartre Saussure Se a Europa despertar — Reflexões sobre o programa de uma potência mundial ao final de sua era de letargia política Segredo do calígrafo, O Sobre a morte Sofrimentos do jovem Werther, Os Som da montanha, O Sorriso de Nicolau, O — História de Maquiavel Sufrágio universal e a invenção democrática, O Suspeita, A Sukiyaki de domingo Swissleaks: revelações sobre a fraude fiscal do século Syngué Sabour — Pedra-de-paciência

20 11 16 71 71

61 34 29 40 8 53 54 30 37 73 36

T Tarabas Tempo e espaço na cultura japonesa Teoria da regulação — Os fundamentos Terra e cinzas Terríveis filhos dos novos tempos, Os Thérèse Raquin Todo mundo morre só Topografia ideal para uma agressão caracterizada Tratados da vida moderna Tsugumi Turing

23 68 72 35 59 44 24 21 39 9 71

88

Miolo - catálogo 2017.indd 88

27/09/2017 19:48:09


ÍNDICE DE OBRAS

U Último dia de um condenado, O 41 Último jornalista, O — Imagens de cinema 50 Uma estrela chamada Henry 33 Uma história da Revolução Francesa 57 Uma história do patrimônio no Ocidente 75 Uma missa para a cidade de Arras 34 Um conto de duas cidades 39 Universidade sem condição, A 64 Utopias românticas, As 75

V Valise do professor, A Vento leste Viagem à roda do meu quarto Viajante, O Vidas de César Vidas minúsculas Virtudes do fracasso, As Vita sexualis Você precisa mudar sua vida Wittgenstein

11 10 43 17 54 22 20 13 58 70

89

Miolo - catálogo 2017.indd 89

27/09/2017 19:48:09


Miolo - catรกlogo 2017.indd 90

27/09/2017 19:48:10


Miolo - catรกlogo 2017.indd 91

27/09/2017 19:48:10


Miolo - catรกlogo 2017.indd 92

27/09/2017 19:48:10


ÍNDICE DE AUTORES A Abe, Kobo Adorno, Francesco Paolo AkutAgAwA, Ryunosuke AppAdurAi, Arjun AuriemA, Bruno AuvrAy-AssAyAs, Clara

14 71 9 67 48 71

B bAchelet, Gilles bAchmAnn, Ingeborg bAckhouse, Roger E. bAdiou, Alain bAlzAc, Honoré de bArbero, Alessandro bArthes, Roland bAudrillArd, Jean bAumAn, Zygmunt beArdsworth, Richard belnA, Jean-Pierre benevolo, Leonardo benmAkhlouf, Ali berry, Daina Ramey billouet, Pierre bloch-dAno, Évelyne böll, Heinrich bonAnAte, Luigi bonduki, Nabil bonifAce, Pascal bontems, Vincent bottA, Mário boudjedrA, Rachid bourdieu, Pierre boushey, Heather boyer, Robert bresson, François bretonne, Restif de La

47 27 72 66 38 54 63 65 67 70 71 76 71 72 70 57 25 55 77 80 71 79 21 73 72 72 73 42

C cAdiot, Olivier cAmpAnini, Massimo cAmpos, Haroldo de cAnêdo, Letícia cAnetti, Elias cAnforA, Luciano cApobiAnco, Cristina Mora cApobiAnco, João Paulo R. cArdoso, Patricia cArvAlho, Andréa

21 66 13 54 29 55, 67 81 80 76 81

cAvAlcAnti, Claudia césAr, Júlio chAgAll, Marc chAmisso, Adelbert von chArtier, Roger choAy, Françoise clAussen, Detlev clelAnd, John comment, Bernard conwAy, Gordon corbusier, Le corrêA, Mônica Cristina costA, Heloísa B. A. costA, Maria de Fátima

D

dArnton, Robert dAvet, Gérard dAzAi, Osamu dekens, Olivier dellA portA, Donatella delong, J. Bradford Derenoncourt, Ellora derridA, Jacques desbois, Laurent dickens, Charles diener, Pablo dörrie, Doris doyle, Roddy duchArme, Réjean durAs, Marguerite dürrenmAtt, Friedrich

E

24 54 48 39 73 75 29 32 22 80 79 73 73 51 73 73 9 71 67 72 72 64 73 39 51 47 33, 46 22 19 30

emmAnuel, François

21

fAbre, Daniel fAllAdA, Hans fAuchereAu, Serge fAvier, Jean fédi, Laurent fellA, Giulio ferrAris, Maurizio flAndrin, Jean-Louis flAubert, Gustave fontAne, Theodor ford, Richard frAser, Nancy freire, Marcius frisch, Max

73 24 52 55 71 72 64 58 39 40 31 67 51 25

F

93

Miolo - catálogo 2017.indd 93

27/09/2017 19:48:10


ÍNDICE DE AUTORES

G gAdAmer, Hans-Georg gArgAni, Aldo gAry, Romain geiselberger, Heinrich genette, Gérard gide, André giovAcchini, Julie goldhAmmer, Arthur goulemot, Jean Marie grAnd, Anne-Marie grewAl, David Singh grimberg, Gérard grimm, Irmãos guAlAndi, Alberto

64 64 19 67 74 18 71 72 73 73 72 73 46 70, 71

H hAddAd, Gérard hAgége, Claude hAndke, Peter hAzAn, Eric hébrArd, Jean hoffmAnn, E.T.A. hoppe, Felicitas hugo, Victor

70 61 26 56 73 40 48 41

I ibuse, Masuji ildefonse, Frédérique illies, Florian illouz, Eva inoue, Yasushi

17 71 27 67 15

J jAcobs, Elisabeth jones, Gareth A. judAr, Cristina

72 72 48

K kAergel, Julia kAfu, Nagai kAgA, Otohiko kAnt, Immanuel kArmAn, Jarbas kAto, Shuichi kAwAbAtA, Yasunari kAwAkAmi, Hiromi kehl, Luis kehl, Maria Rita kishimoto, Alexandre kobAyAshi, Luiz

47 14 10 63 77 68 6 11 82 46 50 11

kouroumA, Ahmadou krAstev, Ivan krugmAn, Paul

22 67 72

L lAkner, Christoph lAmour, Denis lAndmAn, Patrick lAssègue, Jean lAtour, Bruno le blAnc, Charles le goff, Jacques leibniz, G. W. lenAy, Charles lessing, Gotthold Ephraim lhomme, Fabrice limA, José Lezama lissitzky, El lorenzi, Mario lourdou, Philippe lyotArd, Jean-François

72 71 71 71 67 70 53 63 70 42 73 49 79 45 51 62

M mAciel, Francisco mAistre, Xavier de mAnn, Heinrich mAnn, Klaus mArin, Louis mAson, Paul mAupAssAnt, Guy de michon, Pierre miele, Carlos milAnovic, Branko mirisolA, Marcelo mishrA, Pankaj misik, Robert mongin, Olivier monnin, Nathalie montAnAri, Massimo morAes, José Geraldo Vinci de morelli, Salvatore mori, Ogai mossé, Claude mottA, Leda Tenório da müller, Heiner murAtA, Sayaka

45 43 27 28 73 67 43 22 51 72 46 67 67 76 71 57 51 72 13 55 73 63 13

N nAchtwey, Oliver NAidu, Suresh

67 72

94

Miolo - catálogo 2017.indd 94

27/09/2017 19:48:10


ÍNDICE DE AUTORES

nArdi, Mariacristina De nielsen, Eric R. nizAn, Paul nogAcki, Edmond normAnd, Claudine

72 72 20 73 71

O ogAwA, Yoko okAkurA, Kakuzo oricchio, Luiz Fernando Zanin

15 68 50

P pAllAmin, Vera M. pAnizon, Franco pAnzA, Marco pAty, Michel peltzer, Ulrich pépin, Charles piketty, Thomas plutArco poulot, Dominique prigent, Ronan

76 81 71 70 24 20 72 54 75 73

R rAhimi, Atiq rAnsmAyr, Christoph rAvAl, Devesh rendueles, César ribAs, Marcos Caetano rilke, Rainer Maria rochA, Paulo Mendes da roche, Daniel roth, Joseph rousseAu, Jean-Jacques

35 23 72 67 45 27 78 73 23 73

S sAez, Emmanuel sAfrAnski, Rüdiger sAlAnskis, Jean-Michel sAlibA, Elias Thomé sAnt’AnnA, Denise Bernuzzi de scAlA, André schmitz, François sebbAh, François-David selAibe, Mara senrA, Stella shAn, Kwong Kuen she, Lao shepArd, Sam simões, Inimá si-seup, Kim

72 30 71 75 62 70 70 71 81 50 69 36 32 50 37

sizA, Álvaro sloterdijk, Peter sollers, Philippe solow, Robert M. soseki, Natsume spence, Michael steinbAum, Marshall stendhAl (henri beyle) streeck, Wolfgang su-Ah, Bae suetônio szczypiorski, Andrzej

78 58 20 72 16 72 72 43 67 37 54 34

T tAdié, Alexis tAnizAki, Jun’ichiro thouArd, Denis timmermAns, Benoît tríAs, Eugenio Tyson, Laura

70 12 70 70 64 72

U uesseler, Rolf unAmuno, Miguel de

53 43

V vAn reybrouck, David vAnier, Alain vAsconcelos, Mauricio Salles vAttimo, Gianni védrine, Hubert villAc, Maria Isabel virilio, Paul viroli, Maurizio vitiello, Vincenzo

67 71 75 64 80 78 66 53 64

W weil, David whArton, Edith wilson, William Scott wolf, Christa

72 44 11 28

Y yAng, Fang yoshikAwA, Eiji yoshimoto, Banana yourcenAr, Marguerite

72 10 9 68

Z zAndi, Mark zhongshi, Chen zizek, Slavoj zolA, Émile

72 36 67 44 95

Miolo - catálogo 2017.indd 95

27/09/2017 19:48:10


Pierre Bonnard, pôster em litografia para France-Champagne, 1891, Paris, BnF. Imagem retirada do livro, A Invenção de Paris (pág. 423).

Miolo - catálogo 2017.indd 96

27/09/2017 19:48:11


Fรณrmula do professor - miolo.indd 1

07/02/2017 18:19:56


Capa_Catalogo 2017.indd 1

CATÁLOGO GERAL 2018

2 0 1 8 Editora Estação Liberdade

Editora Estação Liberdade

Robert Doisneau: Canal de Saint-Denis, 1945, © Robert Doisneau

Editora Estação Liberdade Rua Dona Elisa, 116 • São Paulo • SP • 01155-030 Tel.: (+55 11) 3660 3180 • Fax: (+55 11) 3825 4239 editora@estacaoliberdade.com.br www.estacaoliberdade.com.br

CATÁLOGO GERAL

27/09/2017 19:38:53

Profile for Estação Liberdade

Catálogo Geral 2018  

Catálogo geral de publicações da Editora Estação Liberdade para os anos 2017/2018.

Catálogo Geral 2018  

Catálogo geral de publicações da Editora Estação Liberdade para os anos 2017/2018.

Advertisement